As Fraudes do Médium Mirabelli (Parte 4)

Dando prosseguimento às reportagens do Correio Paulistano.

Correio Paulistano – Domingo, 28 de maio de 1916; página 3

No mundo das maravilhas

É mister que se faça luz na noite do mistério

O sr. Carlos Mirabelli, a nosso ver, não passa de um hábil prestidigitador

A “Gazeta” de ontem noticiou ser “provável que o sr. Mirabelli realize a primeira sessão hoje, no salão nobre de um palacete da rua S. Luiz.”

Esta notícia se refere ao conteúdo de nossa carta, endereçada àquele senhor, em data de 25 deste. Por isso, vem muito a propósito notificarmos que, a respeito da experiência a que aludem os nossos confrades daquele vespertino, nada sabemos, contrariamente ao que era de se esperar ante a atitude assumida pelo pseudo-médium, aceitando, trás-ante-ontem, o nosso repto para uma prova, como já noticiamos. 

Para assistirem às sessões que o sr. Mirabelli se propôs realizar, indicamos os srs. Antônio Carlos da Fonseca, redator-secretário, e Plínio Reys, redator desta folha, e o poeta Aristéo Seixas, nosso brilhante colaborador. 

Teríamos muito prazer se assistissem ainda a essas experiências o ilustre médico, nosso distinto amigo, sr. dr. Carlos Niemeyer, e mais os srs. drs. Capote Valente, Nestor Pestana, secretário do “Estado de S. Paulo”; Joaquim Morse, secretário do “Commercio de S. Paulo” e dr. Couto de Magalhães, diretor da “Gazeta”. 

Indicamos os nomes desses distintos cavalheiros por sabermos serem eles inteiramente insuspeitos para o sr. Mirabelli, visto como já assistiram a várias das suas experiências. 

*          * 

Os nossos estimados colegas da “Capital” são também de opinião que o sr. Mirabelli é apenas um hábil prestidigitador, como brilhantemente patentearam na sua edição de ontem. Mas, no entanto, na sua bem lançada local, um ponto que deve ser esclarecido, e que é aquele em que se referem a um distinto clínico desta capital. 

Podemos asseverar aos nossos simpáticos confrades que o ilustre cientista vinha já suspeitando do mágico em questão; tanto assim é que foi mesmo a pedido de s. exc. que, em uma das salas desta redação, realizamos uma das nossas experiências, com a qual teve ensejo de ver confirmadas as suas desconfianças de que os processos do sr. Mirabelli não passavam de “truques” habilíssimos. 

No mais, os nossos colegas lavraram um texto…

Uma resposta a “As Fraudes do Médium Mirabelli (Parte 4)”

  1. William Diz:

    Crítica: As Fraudes do Médium Mirabelli (Parte 4).
    -
    O “Correio Paulistano” continua debater através de fontes indiretas quando se refere aos textos da “Gazeta” sobre uma sessão.
    -
    Eles querem na verdade fazer novas demonstrações de fraudes, pois muitos deles já participaram de sessões e estão convencidos de que tudo é fraude, com a diferença de que querem expor ao público.

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)