As Fraudes do Médium Mirabelli (Parte 7)

Dando prosseguimento às reportagens do Correio Paulistano. Infelizmente vários trechos estão ilegíveis.

Correio Paulistano – Sexta-feira, 2 de junho de 1916, página 4 

No mundo das maravilhas 

De prestidigitador a médium – O que diz o dr. Niemeyer 

[ilegível] 

Daí resulta a maneira ambígua e sibilina com que tratei o caso, evitando ao mesmo tempo perder a confiança no embusteiro, que de mim se tornara importuno comensal. 

Do meu periscópio, porém, eu percebi as suas falsas manobras para o porto onde iria fundar a sua nau tocada de ventos maravilhosos, rodeada de elementos que lhe garantissem levantar o prêmio sedutor de Gustave Lebon, depositado no Comptolr Escompte de Paris, da soma de 2 milhões de francos, destinado a quem quer que fosse dotado de fluidos magnéticos ou invisíveis, capaz de mover objetos inanimados. 

E o nosso argonauta navegava em mares [ilegível], em [ilegível] do velocino de ouro, do legendário carneiro, quando, já então convencido da fraude, que prepara para lançar-lhe um torpedo impiedoso. Imagine agora o frêmito dessa banda, explodindo quando menos se esperava e desmascarando um arlequim, hábil manejador de fantoches, em plena praça de seus triunfos. 

Não o fez, entretanto, sem prévio aviso, como [ilegível] guerreiros, mas [ilegível] aconselhando-o a que se retirasse, e [ilegível] aquele mau caminho. Mirabelli, porém, [ilegível] surdo, ao [ilegível], sem a minha traição. [Ilegível] minha conduta. [Ilegível] contra todo [ilegível] tenha por ventura [ilegível] de fantástico labirinto? 

Assim, diz Peguet: “É fácil persuadir [ilegível], mas o homem de conhecimentos superficiais nem o brahamina da Índia convencerá.” 

Se a indução ao erro não é censurável, [ilegível] boa intenção, o ato de [ilegível] é [ilegível]  

Por [ilegível] vespertina, [ilegível], o dr. Carlos de Niemeyer apresentará uma prova prática, na sala de sua redação, em dia e hora que serão combinados. [Ilegível]  

[Ilegível] o dr. Niemeyer produzir os mesmos “fenômenos” realizados pelo prestimano, [ilegível] como acender e explodir no ar uma lâmpada elétrica, fazer soar uma campainha, rasgar papel por [ilegível] próprio[a?] na mão dum assistente, tirar o lápis da garrafa e fazer outras sortes mirabellianas.

Uma resposta a “As Fraudes do Médium Mirabelli (Parte 7)”

  1. William Diz:

    Crítica: As Fraudes do Médium Mirabelli (Parte 7)
    -
    Relacionaram o prêmio de Gustave Lebon (dois milhões de francos) para quem possuir “telecinese” à ânsia de Mirabelli provar que tem tais poderes, gracejando que os supostos fenômenos estão com os dias contados.
    -
    Gostaria que alguém postasse algo positivo sobre essa ambição de Mirabelli pelo prêmio, indicando a fonte da informação.

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)