Errata sobre o artigo “As Palestras de Divaldo Franco são Confiáveis?”

No dia 22/10/2007, publiquei um artigo – disponível neste link – sobre uma palestra de Divaldo Franco que fazia alusão a um alegado caso de reencarnação simplesmente extraordinário. Em que pesem as vastas buscas que fiz, não consegui achar a fonte original de tal caso, e nem mesmo Divaldo Franco se lembrava, o que levantou suspeitas. Porém, um internauta descobriu a fonte original do caso, e sendo assim faço aqui a retratação. No entanto, ainda há questões a serem resolvidas.

A fonte original do caso de reencarnação narrado por Divaldo é o livro raro “Marie-Lise. Invisible et présente. Une aventure historique revécue en hypnose”, de Germaine Beauguitte e Pierre Neuville, publicado em 1958, com 184 páginas. O hipnotizador foi André Dupil. O livro pode ser encomendado no site http://www.livre-rare-book.com/cgi-bin/lrbcgi?RB=BOOK&rf=39030lrb11217 pelo preço de 19 euros. 

No link http://paginas.terra.com.br/educacao/espirito/muller/reencarnacao13.html encontramos algumas informações.  

Outros experimentos [sobre regressão de memória] foram realizados na França, pelo hipnotizador André Dupil, apoiado pelo jornalista Pierre Neuville. Um desses casos é relacionado a personagem histórico: Marie Lise, de quem pouco se sabe, era filha ilegítima de Pauline Bonaparte. O livro intitulado Marie Lise, de autoria de G. Beaugitte e Pierre Neuville, publicado em 1958, relata os detalhes. Foram efetuados 60 experimentos, bastante convincentes no tocante às cenas emotivas da vida anterior, e que coincidiam com fatos conhecidos. Ocasionalmente, as datas eram confundidas. É um caso bem narrado, supervisionado por pessoas responsáveis, e não pode haver dúvidas de que a pessoa anterior tenha existido. O que ficou revelado estava além do conhecimento da paciente. 

A frase “ocasionalmente, as datas eram confundidas” mostraria que o caso não está livre de problemas, problemas que aparentemente foram omitidos por Divaldo na palestra. Ainda é preciso checar se todas as informações fornecidas por Divaldo estão corretas. Infelizmente, o livro só se encontra em francês. Seria importantíssima a tradução deste livro para que se possa avaliar completamente as forças e fraquezas do caso. 

Espero que algum internauta que saiba francês possa encomendar o livro e se disponha a traduzi-lo. Peço que quem for fazê-lo favor entrar em contato comigo. O caso realmente merece uma séria investigação.

43 respostas a “Errata sobre o artigo “As Palestras de Divaldo Franco são Confiáveis?””

  1. Carlos Magno Diz:

    Nada como um dia depois do outro e uma noite no meio para atrapalhar.

    Mas não vai assim barato, não!

    O Vitor vai investigar e encontrar muito mais. Aguardem!

  2. Marcião de Nobrobó Diz:

    Vitor, creio que para ser justa a sua retratação precisa de mais palavras. Está muito parcimoniosa, e a acusação que vc fez ao Divaldo foi muito dura.

    A descrição que o Divaldo fez do caso foi muito longa, e não é crível que tenha sido de memória apenas. Ele deve ter a fonte, e acho que jogou verde com vc, para ver sua reação. Vc digamos assim, “caiu como um patinho”, e agora a reputação dele está reforçada. Digamos, justamente reforçada ao menos como um erudito no tema.

    Não me leve a mal.

    No mérito do caso, é uma boa evidência, mas, de fato, precisamos do livro. É um caso raro de pesquisa racional bem-sucedida no tema da reencarnação.

    Veja que tudo foi obtido graças à hipnose, método pouco praticado por aqui, e que merece resgate.

  3. Marcião de Nobrobó Diz:

    Ahh, é acho que a palavra certa não é “errata”, que sugere a correção de um texto, mas “retratação”.

  4. Marcião de Nobrobó Diz:

    Apesar do tom irônico do Carlos, é uma virtude “investigar e encontrar muito mais”. Tomara que esse importante caso não finde por aqui, mas tenha desdobramentos.

  5. Gilberto Diz:

    A hipnose não é uma certeza absoluta de nada. Se as Terapias de Vidas Passadas são tão relevantes, e as Terapias de Vidas Futuras, última “moda” esotérica? Os pacientes são projetados, através da hipnose, a vidas no futuro próximo ou longínqüo, à escolha do freguês. A terapia de progressão é feita pelas mesmas pessoas que fazem a de regressão, usando os mesmos métodos e obtendo a mesma revelação bombástica: o futuro (ou o passado) é sempre mais interessante que suas tediosas vidas presentes!!!

  6. Marcião de Nobrobó/SP Diz:

    Mas porque bem a hipnose deveria fornecer uma certeza absoluta se (pela filosofia do blog) não há certezas absolutas? Vc não está exigindo mais da hipnose do que do restante do instrumental científico (um exame laboratorial dá certeza absoluta?)? Ou eles conferem certeza absoluta?

    A hipnose aparece aqui como um instrumento prático de investigação, útil para produzir descrições que podem ser testadas. É o começo da produção do conhecimento, não o fim.

    E não consta na descrição biográfica dos investigadores franceses que eles praticavam terapia de vidas passadas ou futuras, nem que a vida de ninguém em fosse especialmente tediosa ali.

    Essa parte foi acrescentada à guisa de animosidade apriorística.

  7. Marcião de Nobrobó/SP Diz:

    Agora, em um ponto concordo com a argumentação do Gilberto: é fundamental observar se o hipnotizado não está de tal modo sujeito ao hipnotizador que acabe descrevendo o que este deseja.

    Ou que esteja de tal modo perturbado e desejoso de recobrar o equilíbrio mental que fabule, crie “mentiras” úteis ao seu esforço desesperado.

    Já li muitos casos assim. Pacientes que sofrem muito e aceitam a sugestão de seus terapeutas de atribuir a algum abuso do pai a sua situação presente. Casos assim foram parar nos tribunais dos EUA, e alguns pais provaram terminantemente a sua inocência, mostrando que o paciente está disposto a tudo para obter a saúde, até a fabular.

    Ver “vidas futuras” é realmente um tema dolorido para a racionalidade tal como a concebemos. Se esta é a última moda, não tenho outra possibilidade senão de manifestar também a minha “animosidade apriorística”. Se um dia provarem isso, admitirei inteiramente minha obsolescência científica e passarei a procurar ovnis.

  8. Vitor Diz:

    Marcião,

    não penso que precise fazer mais do que já fiz. Como já disse um amigo meu, é inaceitável, em uma palestra intitulada “Provas Científicas da Reencarnação”, que se apresente evidências do tipo “não sei”, “não me lembro”, etc. Isso depõe imensamente contra a cientificidade do espiritismo no Brasil, o que é especialmente lamentável ao contrastarmos isso com o esforço de diversos outros espíritas em construir um verdadeiro corpo de conhecimento mais cientificamente confiável.

    Ao contrário do que você pensa e paradoxal por que possa ser, Divaldo é conhecido por sua excelente memória.
    Um abraço.

  9. Carlos Magno Diz:

    Há uma diferença muito grande entre regressão e terapias de vidas passadas. Mas o perigo reside no fato de que tanto uma quanto a outra vem também sendo usadas e manipuladas por pessoas que não têm capacidade, conhecimento e nem responsabilidade consciente dos perigos que possam advir aos submetidos.

    As sessões de regressões são frequentemente praticadas sob um cunho que pretende evocar muito mais à prova científica do que um cuidado aos submetidos. A curiosidade leva-os a menosprezar a ética.

    As sessões de terapias de vidas passadas, visam, principalmente, dissolver traumas que permaneceram no ego e que nessa vida são projetadas pelo subconsciente, pressionando a psique e a totalidade da manifestação personalidade.

    Isso, naturalmente, evoca levar os submetidos aos cenários onde se deram os traumas e induzí-los a desmaterializar as imagens traumáticas mantidas no ego sob a forma de energias represadas.

    Espíritas e esotéricos praticam esse tipo de técnica terapeutica, e não é modismo dos esotéricos de forma alguma, pois são técnicas que já eram aplicadas na antiguidade, vide o Egito, e que agora voltaram a esses tempos modernos, onde o conhecimento da mente e da alma se amplia cada dia mais e muitos de seus aspectos, já revelados através do método investigativo, – auxiliado ao seu desenvolvimento e práticas pelos mentores espirituais das raças, – já não é apanágio dos iniciados aos mistérios.

    Não adiantaria entrarmos em casos específicos, – e eu poderia comentar de alguns que presenciei e participei ativamente das sessões, – mas há um resistente mote preconceituoso bem declarado contra a realidade da reencarnação, portanto dos registros de vidas passadas.

    O cetismo, como dizem por aqui, seria dúvida, mas não é esse o significado de muitos comentarios que tenho lido, principalmente do Vitor. À priori, há pesados e declarados preconceitos contra a alma, a reencarnação e o carma, movidos, principalmente por dois motivos: a falta de aceitação do pensamento de outras escolas e as comparações de casos aberrativos da ignorância popular, que não são a regra do comportamento do praticante do espiritismo de Kardec, e que vem se transformar no carro-chefe das críticas injustas ao movimento espírita na sua totalidade.

    Outra dificuldade é o apêgo excessivo à semântica, ao processo ilustrativo histórico bibliográfico, pretendido como suporte inalienável tanto da história do espiritismo quanto da sua essência filosófica ou religiosa. A teoria passa então a ocupar o papel preponderante na conceitualção do objeto em detrimento de uma tangibilidade. Ou seja, o virtual se assume adiante do real. A qualidade participativa, afinal de contas, é o objetivo principal do movimento rotacional de um sistema colocado no mundo para gerir alguma coisa, mas o ceticismo é tomado como a arma fatal e infalível para matar e desmascarar todos os redutos espíritas e espiritistas, e agora esotéricos.

    Isso sim, é desonestidade mental, tanto do Vitor quanto de alguns comentaristas, pois o ceticismo aqui apregoado é na realidade uma blindagem ao diálogo de quem, como eu possa trazer outras informações que alguns céticos e comentaristas racionais abertos ao diálogo não possuem, e que poderiam dialogar num plano confiável e harmonioso, mas que ao dá-las acusam-me de todas as falsidades porque não apresento provas concretas.

    Ora, as provas são as próprias escolas, as filosofias e suas experiências práticas bem como a contextualidade do conhecimento e e suas realizações.

    Dessa maneira, o ceticismo científico, ou o que seja isso que aqui se apregoa existir, torna-se uma ferramenta altamente repressiva às outras idéias que de antemão são democraticamente rechaçadas e anematizadas.

    Como resultado, o blog está sempre moldado de uma ortodoxia peculiar cada vez mais insolúvel e intolerável, pois justamente onde pretendeu informar de fraudes, já com uma pseudo metodologia absolutamente incompreensível para mim e para outros espíritas, ali mesmo ele passa a traduzir uma outra farsa maior pela opressão ao arejamento das idéias.

  10. Vitor Diz:

    01. À priori, há pesados e declarados preconceitos contra a alma, a reencarnação e o carma, movidos, principalmente por dois motivos: a falta de aceitação do pensamento de outras escolas e as comparações de casos aberrativos da ignorância popular, que não são a regra do comportamento do praticante do espiritismo de Kardec, e que vem se transformar no carro-chefe das críticas injustas ao movimento espírita na sua totalidade.

    Errado. Não é preconceito, mas pós-conceito. Cientistas tentaram encontrar evidências da lei do carma e infelizmente (ou felizmente) fracassaram. O motivo para isso não é a falta de aceitação do pensamento de outras escolas, mas sim a completa falta de evidêncas.

    02.o ceticismo é tomado como a arma fatal e infalível para matar e desmascarar todos os redutos espíritas e espiritistas, e agora esotéricos.

    Errado, é tomado como a arma fatal e infalível para matar e desmascarar a fé cega e irracional desses grupos.

    03. Ora, as provas são as próprias escolas, as filosofias e suas experiências práticas bem como a contextualidade do conhecimento e e suas realizações.

    Pela milésima vez: alegar não é provar.

    04. Como resultado, o blog está sempre moldado de uma ortodoxia peculiar cada vez mais insolúvel e intolerável, pois justamente onde pretendeu informar de fraudes, já com uma pseudo metodologia absolutamente incompreensível para mim e para outros espíritas, ali mesmo ele passa a traduzir uma outra farsa maior pela opressão ao arejamento das idéias.

    Entenda de uma vez por todas: o blog combate a fé cega. Se suas idéias são totalmente apoiadas nela, pedras não vão faltar, pode ter certeza.

    Um abraço.

  11. Íbsen Diz:

    Marcião, lendo-o tenho que aprecias a possibilidade de haver uma alma – que reencarna, talvez; quem sabe aceites mesmo a Deus.

    Assim, peço vênia para argumentar, pois, sendo católico, como se diz aqui no RS, sou um peru de fora que pia em vosso terreiro.

    Não consideras a possibilidade de “memória celular” ser uma melhor explicação do que a sobrevivência? Materialista, científica? Apesar de meu ramo profissional ser o direito, digo, p. ex., que embora a política nos faça crer que somos indivíduos, pela natureza somos fluxo.

    Ou seja, será que quem rememora “vidas passadas” não está lembrando-se de vidas de antepassados, que, em virtude da continuidade natural, filial, tem memórias inscritas em suas próprias células?

    Quem nasce traz herança, e somente hoje começamos a avaliar quantas…

  12. Fernanda/SC Diz:

    Vocês brigam, hein? E não chegam a acordo nenhum. Mas como chegariam se é tudo bobagem? Tem tanto espírito como tem mestre ascencionado ou visão de vidas passadas.

    Isso parece ser coisa da Idade Média.

    Caiam na real e no mundo! Já está provado que isso não existe, como diz o padre do fantástico.

  13. Marcião de Nobrobó/SP Diz:

    Íbsen, de modo geral acho que a sua hipótese é muito boa. Mas note que no caso enfocado a moça não deixou descendentes, portanto, rompeu-se a continuidade natural e a possibilidade de as memórias pertencerem a uma antepassada sua.

  14. angus Diz:

    Vitor
    Se a proposta do blog é atrair pessoas interessantes com conhecimentos variados, acho que você esta conseguindo, mas particularmente acho, na escolha dos textos, e principalmente em suas colocações, muita precipitação, assertivas sem fundamentos – você diz serem falsas as afirmações alegadas pelo Divaldo, ou seja chama-o de mentiroso, pra depois assumir estar errado – Marcião coloca uma coisa com muita propriedade:
    A descrição que o Divaldo fez do caso foi muito longa, e não é crível que tenha sido de memória apenas. Ele deve ter a fonte, e acho que jogou verde com vc, para ver sua reação.
    Talvez você não tenha nem pensado, na euforia de jogar ao vento o nome de uma pessoa conceituada no meio espírita como Divaldo Franco.
    Eu até gosto desse tipo de polêmica que você acaba criando, se não, onde eu iria ler isso -Nada como um dia depois do outro e uma noite no meio para atrapalhar – mas posso garantir que espíritas muito mais sérios, não estão nada satisfeitos com sua atitude, denegrindo a imagem de pessoas que são ícones no meio espírita, isso levando em consideração seus fracos argumentos.
    Fundamente melhor seus textos, já que você alega como objetivo do site, analisar cientificamente os artigos.
    Um abraço

  15. Marcio, Brag. Paulista Diz:

    Puxa, só vcs e o interessante tema tratado aqui p/ fazer-me parar d estudar a Assíria, e a vida religiosa d Nínive, p/ escrever.
    Parece q melhoramos bastante do Gasparetto p/ o Divaldo, e começamos a nos respeitar muito +. Q bom, q bom.
    O argumento do Íbsen é surpreendente e, efetivamente, podemos ter a capacidade d lembrar as vidas dos antepassados, e ñ as vidas passadas, p/ algum tipo d herança ou memória celular.
    Teríamos, no caso, d montar árvores genealógicas p/ verificar esse argumento.
    Mas ele ñ funcionou já no 1° caso, e a reencarnação continua em pauta, ao menos p/ o caso em tela…
    Outra coisa a ser verificada, qdo da presença do livro, é se os personagens citados realmente existiram, ou se trata-se d 1 ficção (assumida c/ tal ou ñ).
    P/ fim, em caso d sucesso, o blog terá o seu 1º caso afirmativo, c/ pleiteavam alguns internautas.

  16. Gilberto Diz:

    Em respeito a todos os espíritas que lêem o blog, reitero a minha posição particular em relação ao Espiritismo (e a outras religiões também). Acho o Espiritismo, enquanto religião, algo que merece incentivo, pois nunca soube de casos onde o ódio ou a intolerância foram fomentados. É uma religião de paz, de crescimento espiritual (acreditar no espírito não é acreditar em espíritos) e de caridade e amor ao próximo. Se todas as religiões fossem assim o mundo seria muito melhor. O erro do Espiritismo, se me perdoam em colocar desse modo, foi, ou é, o mesmo erro que todas as religiões cometeram ou cometem: o erro de querer ser ciência. O Catolicismo é uma religião poderosa e, quando quer, capaz de enormes bondades e de trazer cura e libertação a muitos aflitos, mas, quando ela quis ser ciência, pecou enormemente, manchando o seu nome até hoje. O Protestantismo já incorreu no mesmo erro, principalmente nos E.U.A. O Islamismo até hoje utiliza a e psicologia e a fisiologia pra explicar porque as “mulheres trocam fraldas melhor que os homens” (verdade, já vi um psicólogo na TV Árabe explicando isso, em Inglês). As “pérolas do Espiritismo” a que eu me refiro em meus comentários são, ao meu ver, o pecado do Espiritismo nessa área. Se o Espiritismo (Kardecista e etc.) optasse por ser diferente e dedicasse em 100% o que já dedica 90% (amor e caridade), debates como esses não existiriam e este blog se chamaria http://www.obrascomamorgrafadas.haaan.com

  17. Vitor Diz:

    Angus,

    comentando:

    01.Se a proposta do blog é atrair pessoas interessantes com conhecimentos variados, acho que você esta conseguindo, mas particularmente acho, na escolha dos textos, e principalmente em suas colocações, muita precipitação, assertivas sem fundamentos

    Por favor, não generalize. Aponte os problemas de CADA texto, que estão aí para serem comentados. Pegar 1 problema de 1 texto que escrevi – e que ainda por cima levei em consideração como possibilidade – e generalizar para TODOS não me parece ser a atitude correta.

    02.- você diz serem falsas as afirmações alegadas pelo Divaldo, ou seja chama-o de mentiroso, pra depois assumir estar errado

    É falso que chamei Divaldo de mentiroso. O correto é dizer que levantei a hipótese dele ser mentiroso. Além disso, disseminar informações falsas pode ter vários outros motivos além de mentira. Ou mesmo sendo mentira, a pessoa pode não ser culpada, tendo Síndrome de Munchaussen, é uma pessoa doente. Eu mesmo levantei outra hipótese além da mentira no texto, veja:

    Partindo do princípio que tal caso nunca aconteceu, só vejo duas hipóteses possíveis: ou Divaldo mentiu e inventou tudo, ou a revista/jornal mentiu e Divaldo aceitou o relato como verdadeiro sem maior verificação.

    Portanto, não afirmei que ele era mentiroso, apenas levantei uma possibilidade perfeitamente legítima. Vc está fazendo uma distorção muito grave do meu texto.

    03 – Marcião coloca uma coisa com muita propriedade: A descrição que o Divaldo fez do caso foi muito longa, e não é crível que tenha sido de memória apenas. Ele deve ter a fonte, e acho que jogou verde com vc, para ver sua reação.

    Hipótese furada. Ele nem me viu. Estava dando autógrafos. Eu falei com um amigo dele que lhe fez a pergunta em meu lugar.

    04. Talvez você não tenha nem pensado, na euforia de jogar ao vento o nome de uma pessoa conceituada no meio espírita como Divaldo Franco.

    Não há “euforia de jogar ao vento o nome de uma pessoa conceituada no meio espírita”. É um insulto gravíssimo o que você está dizendo. Pondere suas palavras. O que há é o desejo de alertar o povo a não acreditar em tudo que ouve só porque “é uma pessoa conceituada no meio espírita como Divaldo Franco”. Divaldo já incorreu em graves defeitos ao defender pessoas como Sathya Sai Baba, pega em fraude em vários vídeos. Além disso, até Chico Xavier já acusou Divaldo de plágio. Você também vai dizer que Chico tinha euforia de jogar ao vento o nome de uma pessoa conceituada no meio espírita como Divaldo Franco? :)

    05. Eu até gosto desse tipo de polêmica que você acaba criando, se não, onde eu iria ler isso -Nada como um dia depois do outro e uma noite no meio para atrapalhar – mas posso garantir que espíritas muito mais sérios, não estão nada satisfeitos com sua atitude, denegrindo a imagem de pessoas que são ícones no meio espírita, isso levando em consideração seus fracos argumentos.

    Podem até ser fracos, mas não demonstraram isso ainda…os argumentos que são fracos eu mesmo reconheço, ninguém precisa fazer isso por mim.

    06.Fundamente melhor seus textos, já que você alega como objetivo do site, analisar cientificamente os artigos.

    Por favor, repense suas palavras e atitudes. Vc está criando uma imagem completamente falsa desse site, tomando um caso isolado – e que eu mesmo levantei a possibilidade de estar errado, o que não fiz em nenhum outro caso, que eu me lembre – e generalizando para todos os demais.

  18. barreto bh Diz:

    Interessantíssimo:

    http://www.amebrasil.org.br/html/outras_tese.htm

    http://www.usp.br/agen/repgs/2005/pags/090.htm

  19. Carlos Magno Diz:

    Barreto:

    Excelente matéria.

    Os céticos de plantão e os que insistem em achar que os médiuns todos têm algum distúrbio psíquico ou psicológico, com certeza vão trazer contra-argumentos.

    Mas quem é de fato do ramo sabe que as coisas não funcionam como apregoado e garantido pelos intransigentes céticos materialistas. A prova aí está, se bem que para nós essa prova só vem corroborar nosso pensamento e sentimento verdadeiros.

    Abraços.

  20. barreto bh Diz:

    Análise científica:
    http://paginas.terra.com.br/educacao/espirito/

  21. angus Diz:

    Vitor
    Relendo o que escrevi, ainda que continue achando algumas coisas que você coloca, tendenciosas (isso é a MINHA opinião, acho que também deve ser respeitada),devo-lhe desculpas pelos excessos, prometo de agora em diante, só me preocupar em encontrar argumentos que expliquem (se houver) problemas com o texto.
    um abraço

  22. angus Diz:

    barreto bh
    excelente artigo, quando tiver mais desses, por favor compartilhe-os conosco.
    um abraço

  23. Danilo Ferreira Zanini Diz:

    Olá a todos!
    O Espiritismo é uma Ciência?
    Pode ser, Kardec diz que o Espiritismo é a Ciência que estuda as comunicações entre os dois mundos,e o destino da alma. Para entender seu método de trabalho leiam a segunda parte de Obras Póstumas e entenderão.
    A base de qualquer ciência é observação e experimentação
    e isto sucessor de Pestalozzi, Allan Kardec realizou.
    O que vocês vão se perguntar o que ele observava?
    O Fato Concreto: A Mediunidade
    Eu já vi, não só paletras do Divaldo recebendo o Bezerra de Menezes, mas médiuns os quais eu conhecia. Eu vi e falei com um Espírito chamado Dr Sun… e pela minhas observações na psicologia do médium e do Espírito dá pra ver que são pessoas completamente diferentes, e nenhuma pessoa de mútiplas personalidades, recebe pedido de Permissão para uma outra personalidade falar

    Desafio : Mandem pra mim todas as dúvidas em todas as áreas do conhecimento(economia,sociologia,biologia,física)e todas supostas contradições nas obras de Kardec, e faremos igual a ele perguntaremos aos Mentores espirituais e veremos o que eles respondem.
    Filmarei e postarei para todos.
    mandem pra mim. Se quiserem testemunhar estão convidados
    [email protected]

  24. Gilberto Diz:

    Espero que contatem (e filmem, de preferência) o espírito de Isabela Nardoni, para que ela nos diga quem a matou e como. Aí vai ser uma revelação inigualável do Espiritismo e as conversões serão em massa (talvez ela em outra encarnação torturava pessoas e as jogava de precipícios, daí, teve o que mereceu nesta “encarnação”). Podiam aproveitar e descobrir a identidade de Jack, o estripador, ou onde está o corpo de Jimmy Hoffa, ou se Lee Oswald agiu sozinho. Seriam contribuições concretas do Espiritismo à humanidade.

  25. Rodrigo Diz:

    Vitor, lendo os arquivos do seu blog por mais de 4h não encontrei um defensor do espiritismo sequer sem recorrer a ataques pessoais, discordãncia sem evidências e argumentos falaciosos (quando não fantasiosos).

    Parabéns pelo trabalho. O Espiritismo é mais uma prova da idoniedade do Povo Brasileiro. A doutrina de farsantes só pegou aqui. Não pegaria na França, nunca. Afinal países desenvolvidos tem habitantes com mais senso de ridículo, critério e o que fazer.

  26. Carlos Magno Diz:

    Mais um ateu teórico na estrada. E, pior, não leu sobre as estatísticas que registram mais de 20 milhões de espíritas pelo mundo.

    Falar hoje da França como pólo cultural do mundo é saudosismo de uma história caduca em livros com cheiros de naftalina. A vez agora é das Américas, com todos os problemas não mais nem menos cruéis do que os daquele país colonizador e ainda hoje escravista! As lições francesas de pilhagens, invasões e roubos de países alheios e inexplicáveis mortandades de povos não são nada edificantes.

    Bem ao contrário das lições espíritas que só pregam a liberdade, a igualdade e a fraternidade, estimulando seus adeptos a demonstrar esses valores com atos de amor, e não com soberanias ou guerras sanguinárias!

    Acho que o Rodrigo deveria era “fermer a la bouche!”.

  27. Rodrigo Diz:

    Que estatísticas? Onde? Feitas por quem? Cadê o respaldo de pesquisa por um órgão estatístico?

    Carlos Magno, o maior problema de vocês espíritas são os famosos quotes “existem estudos”, “está comprovado”, “esutiodosos do ramo”. Mas cadê as bibliografias, referências e links para estudos, números de ISSBN? Tudo o que vocês espíritas falam e contestam simplesmente não tem fonte, não tem uma instituição séria e respeitada por trás que comprove todas as falácias que vocês vomitam diariamente no blog.

    Seu neo-culturalismo seria interessante se não fosse a falta de argumentos que contrapõem a contribuição da nação citada com os “novos trabalhos da América”. Chega ser ridículo mesmo sabendo que a literatura produzida por tal paises “sanguinários” são obras base de referência à qualquer acadêmico de nível superior que se inicie nos dias de hoje.

    Em resumo Carlos, você e todos os espíritas falam de mais e provam de nada. Mostra que no mínimo nenhum de vocês passou por uma grande Universidade, teve Iniciação Científica, frequentou uma Instituição de Pesquisa. Vá ler

    Ciência pra vocês são semi-analfabetos que não terminaram o primário sentados numa cadeira falando bobagens e vocês acreditando em tudo porque *necessitam* em acreditar.

    Vá ler Foucault, e faça uma resenha convincente pra provar que no mínimo você tem bom senso e capacitade de argumentação.

  28. Carlos Magno Diz:

    Rodrigo:

    Você é simplesmente um chato arrogante que arrota não sei o quê, talvez uma prosopopéia adquirida lá nos bancos escolares e que você acreditou que era tudo verdade. Bobinho, aluninho tolo!

    Você é mais um desses aprendizes de cientistas da internet, que diz:: eu falo em nome da ciência! Ciência? O que você acha que é ciência, aquele academismo que mistura 25% de provas materiais científicas, 25% de meias verdades (lengalenga) e 50% de lixo intelectual? E, pior, você é daqueles que misturam tudo, fazem uma salada dos diabos e não sabem onde começam as mentiras e onde se encontram as verdades.

    Faço aqui uma colagem de um dos meus comentários meio antigos. Aproveite bem neófito da pseudo-ciência e de filosofias de interpretações (suas) capengas:

    Carlos Magno Diz:
    Março 5th, 2008 at 11:07 am
    E a guisa de subsídios ao tema apresento ainda o seguinte, tomado rapidamente na internet:
    “Atualmente, a Federação Espírita Brasileira estima que haja cerca de 8 milhões de adeptos do espiritismo, 30 milhões de simpatizantes, e quase 55 mil centros espalhados por todo o território nacional. O Brasil é hoje o líder mundial do Espiritismo. Fonte: asreligioes.com.br”
    “Há mais de 15 milhões de espíritas no mundo e o número de simpatizantes desta religião é quase 4 vezes maior. O espiritismo é uma das religiões que mais tem crescido no Brasil. Em 2000, o Brasil concentrava 2,3 milhões de espíritas. Em 2005, estimava-se a existência de 10 milhões de espíritas no mundo inteiro (Encyclopaedia Britannica). Desse total, aproximadamente 3 milhões vivem no Brasil, fazendo dessa a maior nação espírita do planeta. Estima-se, porém, que o número de simpatizantes do espiritismo no Brasil gire em torno de 20 milhões. (Wikipédia – Religiões no Brasil)”
    Como os sábios céticos de carteirinha podem atestar, há no mundo pelo menos 60 milhões entre seguidores e simpatizantes do espiritismo, todos burros, ignorantes, incultos e idiotas, que de melhor sabem fazer é se deixar seduzir pelas melífluas e demoníacas mensagens dos médiuns farsantes e charlatões.
    Esse mundo está realmente quase perdido. A esperança da humanidade reside mesmo nos céticos

  29. Carlos Magro Diz:

    ´”O que você acha que é ciência, aquele academismo que mistura 25% de provas materiais científicas, 25% de meias verdades (lengalenga) e 50% de lixo intelectual?”
    preconceito e estupidez….
    ‘ há no mundo pelo menos 60 milhões entre seguidores e simpatizantes do espiritismo, todos burros, ignorantes, incultos e idiotas’
    ISSO É FATO!existem também a cientologia, o walter mercado, a mãe Diná….são tudo amigo.
    qual a diferença entre ironia e cinismo?
    ironia é quando você fala a verdade dizendo uma mentira.

    cinismo é quando você diz uma mentira dizendo uma verdade.

  30. Carlos Magno Diz:

    E burrice é quando você vala asneiras por você mesmo, julgando ser o porta voz de pessoas inteligentes!

  31. Carlos Magno Diz:

    correção: quando você fala (não vala.)

  32. Dafne Meris Diz:

    É muito engraçado assistir a esta disputa de egos, parabéns vcs são ótimos nisso…………

  33. Negado pela Fé Diz:

    1) “Conjunto organizado de conhecimentos relativos a um determinado objeto, especialmente os obtidos mediante a OBSERVAÇÃO, a EXPERIMENTAÇÃO dos fatos e um método próprio.”

    2) “A ciência busca compreender a realidade de maneira RACIONAL, descobrindo relações universais e necessárias entre os fenômenos, o que permite PREVER ACONTECIMENTOS e, consequentemente, também agir sobre a natureza. Para tanto, a ciência utiliza métodos rigorosos e atinge um tipo de conhecimento SISTEMÁTICO, PRECISO e OBJETIVO.”

    3) “Conjunto de conhecimentos e de PESQUISAS METÓDICAS cujo fim é a descoberta das leis dos fenômenos: ‘A ciência encontrou na EXPERIÊNCIA um princípio próprio e imanente, donde tira, sem outro auxiliar além da atividade intelectual comum, os FATOS MATERIAIS da sua obra, e as leis, com as quais coordena os fatos.’ (Boutroux)”

    4) “Ciência: do latim scientia, “sabedoria, conhecimento”, é o conhecimento de caráter RACIONAL, SISTEMÁTICO E SEGURO dos fatos e fenômenos do mundo. Visão positiva: ‘o homem domina a natureza não pela força, mas pela compreensão’ (Bronowski). Visão negativa: o controle da natureza pela ciência implica força e poder. ‘Toda a natureza começaria por se lastimar se lhe fosse dada a palavra.’ (Walter Benjamin)”

    PS: Sim, isso é um “copy and paste”

    Trago isso aqui para o desfrute de quem quiser enquadrar o Kardecismo ou qualquer outro tipo de espiritismo ou xamanismo e vertentes com a Ciência.
    Ciência e Fé SÃO COISAS DIFERENTES, não digo contrárias mas DIFERENTES.

    Digo mais uma vez; enquadrar TOTALMENTE A CIÊNCIA E KARDECISMO e afins.

    Aos olhos de Carlos Magno e concordantes de seus posts.

  34. Negado pela Fé Diz:

    Ah ! Sim… talvez a solução fosse lançar um livro com o título “Ciência Segundo Alan Kardec”
    Pronto resolvido ! Vocês tem agora a sua Ciência e ninguém e nenhum de nós vamos encher o saco de vocês crentes.

  35. Elder Diz:

    Caro editor,
    Somente agora vi a retratação.
    Continue pesquisando sempre.
    Seja um pesquisador HONESTO.
    Nunca desista de questionar, pois é isso que nos impele a continuar trabalhando e lutando, em nome e por Jesus.
    Fique em paz.

  36. leonardo Diz:

    nao é uma inverdade que vao colocar em duvida mil verdades outras,a doutrinas dos espiritos é dita atraves de experimentos e estudos ,so devemos afirmar algo ou duvidar de aldo apos termos certesa do que estamos falando ,ano acrediart uma coisa colocar en falso testemuho uma doutrina é outra ,continua sua investigaçao mas tome mais cuidado,vc so esta contribuindo para que o espiritismo prove o que ensina ,obrigado

  37. Ricardo RJ Diz:

    VÍTOR ,ACHEI HONESTA SUA RETRATAÇÃO,A FONTE EXISTE,DIVALDO NADA INVENTOU,E O ASSUNTO É INTERESSANTÍSSIMO PARA TODOS,ESPÍRITAS OU NÃO.ACHO QUE VOCÊ ECONOMIZOU NAS PALAVRAS,POIS FOI DURO COM O DIVALDO.UM PEDIDOS DE DESCULPAS IA BEM NESSE CASO.CONTINUE PESQUISANDO,POIS NO FUNDO VOCÊ ESTÁ MOTIVANDO, A NÓS ESPÍRITAS A ESTUDAR E A NOS UNIR MAIS.SEU TRABALHO TEM VALOR,MAS SEJA SEMPRE HONESTO.PAZ!

  38. Alan Diz:

    Falar mal é fácil. Sugiro a vcs uma visita a Mansão do Caminho. Passem um dia lá. Tantos enclausurados adquirindo cultura, cultura…Se fizéssemos 5% do bem que DF faz a tantos, ahh, não porfíavamos tantos embates vãos. Me perdoem…abraços!

  39. Obras psicografadas » Blog Archive » As Palestras de Divaldo Franco São Confiáveis? Diz:

    [...] Este foi o maior erro que cometi na história do blog. O caso existe, como se pode ver neste link. Assim, as informações de Divaldo Franco parecem ser [...]

  40. lelis Diz:

    Diante da presente polêmica fica confirmado (se isso fosse necessário) para mim que os fariseus continuam por aí com sua casuística, suas discussões intermináveis, sofismas indignos de atenção. Até hoje acham que poderão impedir ou, pelo menos retardar o nascer do sol. A verdade é a base do trabalho de Divaldo Pereira Franco, trabalhador intimorato do Cristo, como o foram todos os grandes servidores do Mestre. A Doutrina dos Espíritos nos ensina a não aceitar idéias sem submetê-las ao crivo da razão, a um exame cuidadoso, mas daí a nos tornarmos discutidores contumazes em torno de pormenores da forma que em nada interferem no fundo, vai uma longa distância.

  41. Márcio Diz:

    Senhor Vitor: Você não ficou envergonhado de ter levantado uma hipótese que acabou se tornado uma leviandade?

  42. Vitor Diz:

    Márcio,
    não, não fiquei. Foi bom que eu agi assim, porque isso incentivou mais pessoas a procurarem as fontes. No meu entender, os fins justificam os meios em alguns casos, e esse é um deles :D
    .
    Ainda falta saber se tudo o que o Divaldo disse sobre a pesquisa é verdade. o livro devo recebê-lo amanhã, mas como está em francês, ainda terá que ser traduzido.

  43. Dorival Diz:

    Falou mal! Se deu mal!

    Ai fez uma retrataçaozinha meia boca.

    Tenha coragem e refaça, retrata-se condizente com o ataque que vc fez, afinal só pela obra que Divaldo “faz” é o suficiente para merecer o respeito devido.

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)