A Professora de Chico Xavier

Teria Chico Xavier tido o auxílio de uma professora particular?

Uma reportagem de Hamilton Ribeiro publicada na revista Realidade em 1971 revela que Chico na infância foi muito ajudado por uma professora: 

Chico repetiu o quarto ano porque, no fim de 1922, ficou doente e não pôde ir à escola. Seu primário, assim, demorou cinco anos. E praticamente, nesses anos todos, teve assistência de uma professora – dona Rosália Laranjeira – que acreditava de tal maneira na sua potencialidade intelectual, que propôs levá-lo para Belo Horizonte e custear-lhe a continuação dos estudos. O pai não consentiu porque nessa altura Chico já contribuía para as despesas da casa. Seu primeiro emprego foi numa fábrica de tecidos, depois num bar como ajudante de cozinheiro – e num armazém. 

Na internet, encontram-se as seguintes informações sobre Chico: 

Fez o curso primário e estudou mais um ano com uma professora particular, que testemunha: “Distinguia-se por sua inteligência, sua memória prodigiosa e sua aplicação ao estudo. Só queria ler, não participava dos brinquedos nem das rodas dos outros meninos, e quando deles queria participar era tão sem jeito e sem graça, que preferia desistir” (“O Diário” de Belo Horizonte, 1954, série de artigos).  

Já sabemos que Chico teve mais educação do que seus biógrafos supunham. Uma professora particular apenas elevaria ainda mais isso. Seria a mesma professora? Quem possuir a série de artigos de “O Diário”, agradeceria se me pudessem enviá-la. Talvez esta e demais lacunas sobre Chico possam ser preenchidas.

43 respostas a “A Professora de Chico Xavier”

  1. José Diz:

    Lendo o debate neste blog, fico admirado de ver que os que defendem o tal “santo dos nossos dias” NUNCA apresentam qualquer evidência ou prova do que afirmam e ainda querem que nós acreditemos neles. O que eles fazem, sim, é usar aquele lengalenga de sempre, de ameaçar com o que sofreremos no além, de como conheceremos a verdade apenas depois de morrermos… etc. Tenho pena dessas pessoas que, sem qualquer iniciação científica, de repente, se apóiam na física quântica para fazerem afirmações estapafúrdias. É lamentável que ainda haja pessoas ignorantes a esse nível que fazem questão de não conhecer a verdade por comodismo ou por algum problema “espiritual”.
    Parabéns para os que buscam a verdade e lástima para os que fazem questão de continuar na ignorância.
    Um abraço a todos.

  2. João Diz:

    Pena que as pessoas que se dizem conhecedoras da verdade não conhecem verdade alguma. A ciência está cansada de dar vexames, mentir ao tentar provar que tudo é matéria, e que o ceticismo seria a mais perfeita e lógica das constatações humanas.
    *
    Não satisfeitas consigo mesmas e não entendendo que os cientistas brincam irresponsavelmente de deuses microscópicos, essas pessoas vivem a ousadia e a presunção de julgar os enigmas ocultos sem jamais terem incursionado um passo sequer em direção a um estudo acurado e sistemático da mediunidade. Quanto mais a entender o que sejam mundos intradimensionais suspeitados de existir através das teorias da própria física moderna pesquisadora do quantismo.
    *
    É obvio o anacronismo, o preconceito infantil e o estreitamento mental daqueles que falam por falar, externando seus rancores e até traumas inconscientes contra religiosos ou religiões, quando o mais sábio e sensato seria calar-se se nada de aproveitável e procedente tem a dizer.

  3. Mando Diz:

    Quanto ao post, Vitor já sabe a minha opinião. Chico não era ignorante.
    Quanto ao comentarios, posso discordar dos dois ?? =P
    Para João, sem ofensas, aconselho uma leitura mais apurada para nunca mais afirmar >> “sem qualquer iniciação científica, de repente, se apóiam na física quântica para fazerem afirmações estapafúrdias” << Uma simples olhada rápida, sem nem muito pensar, e voce encontra alguns autores, de Artigos publicados em simpósios espiritas, com “alguma” Iniciação Cientifica.

    Quanto aos enigmas ocultos, e cientistas brincando de Deuses microscópicos…. para MIM pelo menos, ficou parecendo que só espiritas estão pesquisando sobre esses fatos e que cientistas estão alheios a essa pesquisa.
    O que de fato é totalmente o contrário. Os cientistas (leia aqui, Não ESPÍRITAS) estão realizando diversas pesquisas nessa área “oculta” (ou natural), com diversas publicações. A que eu mais me interesso são as de transcomunicação (duas coisas: sim eles usam gaiola de faraday, e como qualquer area de pesquisa existe fraude )e as pesquisas de Ian Stevson (um cara sem nenhuma iniciacao cientifica, kidding =P).

  4. Mando Diz:

    *Ian Stevenson

  5. Carlos Magno Diz:

    O João sou eu, fiz uma paródia com o José que não deve ser José. Mas respondo ao Mando.

    Cada um diz o que quer, o que sabe e o que não sabe.

    Sem ofensas, mas botar um artigo de ciências debaixo do braço e pretensamente achar que com ele vai aclarar todo o pensamento espírita, é como descer escorregando por uma ladeira com os sapatos alheios, achando que os sapatos é que são voadores.

    Quando se fala de ciências e espiritismo já se tem logo de cara duas correntes e duas oposições que não se conciliam nunca. Querer fazer do espiritismo tubo de ensaios em laboratórios com os tais e “infaliveis” métodos científicos é trazer o sagrado às mãos de incrédulos e duros homens, para se divertir e esnobar com o que jamais entenderão.

    Acho também que a ciência não está nem aí para a mediunidade do Chico. E mesmo que desejasse não poderia de fato concluir satisfatoriamente por suas limitações em conhecer o oculto, apesar de os homens da física moderna somente começar a arranhar uma verdade que permanecerá talvez por séculos nos anais das ciências como dogma. Pois para a mediunidade, o quantismo ainda não serve como sustentação. E quando cientistas se metem a falar de espiritismo só espirram fragmentos calcáreos.

    O que eu disse, e volto a dizer, é que esses que falam irresponsavelmente de ciências e criticam o quantismo com receio que chegue a afirmações a favor do espiritismo e contra o ateismo, são uns bobinhos que nasceram ontem; vivem somente lendo e teorizando, e desejam ensinar do que nada sabem. Somente isso.

    Mas que os cientistas brincam arrogantemente de deuses microscópicos é fato típico e concreto e não precisa ser um gênio para perceber: qualquer doméstica sabe disso.

  6. Carlos Magno Diz:

    Correções: calcários, ateísmo e infalíveis. Putz….

  7. Mando Diz:

    Carlos, dá uma lida nesse livro aqui ( o Tomo 1 ) *
    http://www.febnet.org.br/estudo/content,,,3383,,.html
    E você verá que “Quando se fala de ciências e espiritismo já se tem logo de cara duas correntes e duas oposições que não se conciliam nunca” não é verdade, afinal a base do espiritismo é a ciência positiva (experiências).
    O espiritismo é pura ciência positiva (só para enfatizar!!), logo tem como o processo de indução** ( produção de regras gerais a partir de casos específicos ) como sua base. E se você der uma olhada na cronologia do Pentateuco verá que a parte religiosa foi a ÚLTIMA a ser abordada por Kardec. Primeiro a parte Filosófica, depois a Científica e por CONSEQUÊNCIA dos resultados obtidos por EXPERIMENTOS surge uma nova vertente, a religiosa.

    Sobre cientistas brincarem de deuses microscópicos, acredito que é uma brincadeira muito divertida e proveitosa!!! E espero que no final do ano ao me formar em computação e começar meu mestrado eu me junte a essa brincadeira.
    “A ciência sem religião é aleijada, a religião sem ciência é cega” (Einstein, pense num cabra burro =p)

    *Ultima Página (http://onlineshop.com.br/febnet/down/ESDE.pdf) Fuleragem que cortaram logo na parte que eu queria te mostrar =P

    **Como ciência positiva, o espiritismo É suscetível ao erro, por isso a célebre frase “Entre Ciência e Espiritismo, fique com a ciência”!!

    Quanto a cientistas não terem vontade de discutir sobre esse assunto (it’s bullshit!!) . Vide meus posts anteriores que tem uma carrada de pesquisadores, aqui no Brasil tem Clóvis Nunes , o cara responsável pelo Padre Quededo ser demitido da globo, (http://video.google.com/videoplay?docid=-6289525992691881191) Eu ri d+ com esse vídeo =P

  8. Mando Diz:

    By the way, Vitor…. tu tens ai esse Diário que afirma isso ?? que agora me lembrei que já tinha lido algo sobre isso ( acredito que foi quevedo que escreveu ). Que tinha falado sobre essa TAL professora que só o Diário sabe da existência ( se é que teve esse artigo do Díario ). E ninguém mais comentou sobre a veracidade desse artigo.

    Mas que pra mim “não fede nem cheira” já que compactuamos da mesma idéia. (Chico não era ignorante/iletrado)

  9. Carlos Magno Diz:

    Caro Mando:
    *
    Você consegue me surpreender. Ao lê-lo aqui fico na mais completa duvido sobre qual lado você deseja demonstrar sua inclinação: ciências materiais ou espiritismo. Mas com toda a certeza você também não entendeu meus argumentos.
    *
    Agradeço sua preocupação em novamente tentar instruir-me sobre o assunto ao sugerir-me um autor. Desculpe-me, mas sequer irei clicar a fim de verificar, e desculpe-me pela segunda vez esta minha fraqueza pela franqueza (e desculpe-me pela terceira vez a redundância), mas as obras que possuo em minhas estantes, de tantos outros autores, me seriam suficientes ao mínimo que pretendi saber. E respeitando este fato, imaginando o mesmo por seu turno, não irei sugerir ao amigo que leia obra alguma.
    *
    Prezado, existe muita falácia sobre ciências como entendidas na época de Kardec e as comparações com o recente surgimento do espiritismo naqueles idos. Admito que Kardec viu-se entre duas correntes e sob a opressão dos duros e incrédulos cientistas, por isso precisou usar de muito tato em certas declarações e de grande inteligência noutras.
    *
    Achar que espiritismo é religião depende de cada cabeça, entretanto tornou-se lugar comum dizer-se religião espírita, até oficializaram o espiritismo como religião. Tudo bem, nada contra aquilo ao que as pessoas desejam devotar-se espiritualmente com seriedade. Devem de fato seguir suas intuições. Mas o significado de religião, como você sabe, vem do latim religare. Dentro das hostes esotéricas, e de pesquisadores universalistas das ciências espirituais, é deixado bem claro que religião realmente significa religar o homem decaído à sua origem divina (religatio, religatus, religio). E isso independe de qual égide se postula o desiderato: se no ocultismo, esoterismo, outras ciências espirituais ou religiões. Buda, por exemplo, não inaugurou a religião budista, trouxe por ele mesmo ensinamentos das ciências esotéricas nos seus mais altos postulados e práticas e nunca pregou um só Deus Criador, conforme estabeleciam os moldes da religião bramânica, mas sim, – dizia o Gautama, – haver muitos deuses criadores. A religião budista se organizou com suas dezenas de segmentos e associações com outras correntes do esoterismo oriental, somente após a partida de Buda. Idem, Jesus, que trouxe ensinamentos e não uma religião formalmente constituída. A igreja de Cristo, nos seus primórdios, não era um arcabouço de pedra e cimento. Nunca foi e nem o é. Daí, entendam como quiserem.
    *
    Acho até engraçado quando citam frases soltas de Kardec comparando religião e ciências, como se as ciências materiais dos afanosos homens de pesquisas laboratoriais sequer se aproximassem do entendimento ao espírito, ou pela repulsa conseguissem isolá-lo ou apagar sua verdade. Os cientistas, com raríssimas exceções, estiveram e estão se lixando para o espiritismo, esoterismo ou religiões. São ateus, céticos, debochados, irreverentes, orgulhosos, elitistas e insolentes. O máximo que alguns fazem, por motivos de seus interesses, é ser habilmente diplomáticos ao dizerem-se respeitadores das crenças alheias. Piada.
    *
    Atribuídas a Einstein já li várias declarações completamente díspares, inclusive puramente ateístas. É tudo verdade e ele era esquizofrênico, ou é tudo mentira. Particularmente, acredito nas duas primeiras hipóteses, apesar de admirar o concretismo de sua genialidade.
    *
    E por que os cientistas haveriam de ser diferentes? Eles pesquisam a matéria, se debruçam sobre problemas da lógica matemática, da física e das ciências afins; como vão raciocinar abstratamente, filosoficamente, sensivelmente? Não há dois caminhos para os parâmetros das ciências materiais, e não vão absolutamente pesquisar o espírito como deva ser pesquisado. Ingenuidade achar-se o contrário. Entretanto, caminham sempre para transcendentes enigmas que os espiritualistas, muito mais do que os doutos das ciências, se aproximam de mais nítidas abordagens pela sensibilidade e assistências de mentes superiores, e ao que o espírito de fato desenvolve aos seguidores.
    *
    O espírito (espiritismo) é pura ciência positiva? É sim, prezado, mas nem tudo é para todos. A ciência positiva quem faz são os experimentadores, os homens da pesquisa profunda, os que decolam do materialismo duro e cerrado ou da devoção religiosa horizontal para o racional superior, para o positivismo na sua verdadeira acepção, e entendem que há uma só ciência universal e várias derivações ou segmentos. E não são absolutamente os cientistas céticos e suas ciências da atualidade que irão entender isso. Ledo engano achar-se o contrário, e é bom e alvissareiro não misturar as coisas. E aí que os bonitinhos caem do cavalo, quando interpretam erradamente Kardec ao repetirem: “Entre Ciência e Espiritismo, fique com a ciência”!
    *
    Pois a qual espiritismo e a qual ciência Kardec realmente quis se referir? Teria ele fugido de sua pregação? Duvido! E me desculpem os repetidores, mas a ciência-filosófica de Kardec nunca foi de considerar duas versões independentes: uma espiritual e outra material. E concordo que havia nele o positivismo único, pois ciências sem Deus e sem a materialização dos mais superiores fundamentos universais que conduzem ao religare são no espaço-tempo algo, mas são também na sua pureza o nada. São cheias de maravilhas e tecnologias fantásticas ou fantasiosas, mas são, principalmente, vazias e carentes do espírito: sendo, portanto, somente um exercício da mente sobre a matéria.
    *
    Ciência completa é a ciência espiritual, pois não refuta a matéria e suas leis subsidiárias; estuda-as como efeitos e conseqüências de leis principais e das verdadeiras e ainda ocultas causas. É, portanto, ciência totalmente abrangente: é subjacente e lógica, é sensata e inserida na racionalidade do intelecto e muito acima dele.
    *
    Você disse: “Sobre cientistas brincarem de deuses microscópicos, acredito que é uma brincadeira muito divertida e proveitosa!!! E espero que no final do ano ao me formar em computação e começar meu mestrado eu me junte a essa brincadeira”
    *
    Olhe, meu caro, espero que você realmente se divirta muito. Mas depois da ressaca, – espero, – lhe advenha o bom senso.

    Abraços.

  10. Vitor Diz:

    Mando,

    não tenho as matérias de O Diário. É justamente isso que peço no final do texto:

    Quem possuir a série de artigos de “O Diário”, agradeceria se me pudessem enviá-la. Talvez esta e demais lacunas sobre Chico possam ser preenchidas

  11. Mando Diz:

    For all:
    *
    O que estou tentando mostrar é que não existe inclinação minha para nenhum lado já que os mesmos NÃO são excludentes. A última página do link que eu mandei é um livro da Federação Espírita (FEB), que mostra exatamente o pensamento que eu disse “não existe duas correntes opostas” (espiritismo e ciência). Mas se discordam da FEB, o que posso fazer o.O ? (isso vale para os espíritas; Para os que não concordam, estou aberto para discussões….).
    *
    “eis que empunho com mão firme o cálice horrível e frio onde hei-de beber a embriaguez eterna!”
    Abraços.

  12. Carlos Magno Diz:

    “não existe duas correntes opostas”.
    *
    Posso até concordar esotericamente, uma vez que na essencialidade de matéria e espírito, na realidade primeva e quintenssenciada, ambos não se encontravam separados. Porém, nos mundos dos fenômenos em que as vidas incursionam e aonde o aspecto energia se concentra em energia-matéria ou energia-forma há outras leis de regência.
    *
    E como essas leis subsidiárias de regência trabalham para manter a matéria em estado de conservação aparentemente inercial, mas sob forças planetárias centrípetas e centrífugas, num campo de manifestação involutivo, a elas se antepõe o espírito que luta para avançar. É espírito x matéria, tão sibilinamente descrito no Mahabharata onde Arjuna luta no Kurukchetra para se libertar.
    *
    Pela ótica espiritual podemos entender dessa maneira, pois esse estado de oposição é temporário e tanto espírito quanto matéria na sua totalidade estarão um dia remidos e novamente formando a unidade.
    *
    E as ciências também entendem que não há versões oposicionistas, visto para os homens que alavancam o progresso do mundo nessa longa idade do ferro, existir unicamente o mundo material. Então eu não discutiria tão óbvios fundamentos com quem está de acordo comigo, e que sabemos ambos definitivamente existir, mas que na mente científica sequer um dia flertarão!
    *
    Abraços.
    *
    “And I’ll drink from the well to be born once again”.

  13. Livre-Pensador Diz:

    Achei interessante esse debate, que encontrei por acaso. Interessante por ter começado falando da pessoa Chico Xavier, que não teria sido uma pessoa ignorante como muitos poderiam ter pensado e descambou para um debate ciência X espiritismo. Deixo os temas assim separados para entender bem os lados, por isso não falarei de ciência materialista (ou seja lá que nome possa ter) e ciência espírita. Então me permito expressar opinião. Primeiro o espiritismo: Dizer que não é religião é uma tremenda bobagem; Querer esconder o sol com peneira. É religião sim! Com seus dogmas, rituais, “livros sagrados”, “revelações” e o que mais identifique uma religião; Sendo todo esse conjunto intocável no que concerne as suas “revelações” da verdade. Não pode, nem deve, ser questionado pois foi “revelado” a um “apóstolo” da mais alta honra: Um escolhido.
    Depois dele, e se ele pôde…, começaram a aparecer outros “escolhidos”. A porta havia sido aberta. Aí virou festa. Qualquer um com um pouco de inteligência e esperteza podia se aproveitar disso, já que haviam “crentes” para corroborar seus contatos com o além. “Operações” mediúnicas, muitas foram desmascaradas. Prestidigitações… Falar outros idiomas: Temos que acreditar em seus “seguidores” que o médium não os conhece, por isso, sempre se diz que são pessoas com pouca, ou nenhuma instrução, analfabetos ou semi-analfabetos, para corroborar que o que eles fazem é, vamos chamar…, milagroso. Ninguém sabe, de verdade, o que acontece! Temos que CRER… Não se pode duvidar! Sob a pena de ser taxado de descrente (em outras religiões: herege, infiel).
    A ciência também tem seus dogmas. Só que esses dogmas estão abertos a investigações de qualquer um com um mínimo de capacidade para tal. Quantos dogmas científicos já não foram derrubados nos últimos 200 anos? Essa é a diferença! A ciência se permite ser investigada e questionada e suas verdades são postas à prova. Repete-se uma experiência o quanto for necessário até se chegar a algo que não possa ser negado. Ou possa. Se erra, se acerta, mas os dados estão lá para quem quiser. É, de tal forma, coerente, que até as religiões a usa para dar veracidade as suas “revelações”… E agora pergunto: Pra quê uma religião precisa da corroboração da ciência? Não bastam suas “revelações”? Esperam com isso dar veracidade e respaldo a suas alegações? Pra mim isso é muito triste e incoerente. Deus e os espíritos precisam da ciência humana para ganhar mais credibilidade! Há algo de podre na Dinamarca… Reconheço, no entanto, que isso parte de pessoas comprometidas, por se encontrarem tomadas, impregnadas, com essas idéias, por acharem que ali se encontra uma verdade inquestionável, possam usar de todos os meio para impôr essa verdade aos outros. E aí começam os conflitos. Mecânica quântica, energia positiva-negativa, plano astral, plasma, ectoplasma, aura, e por aí vai; São termos científicos expropriados por várias correntes religiosas.
    Não se pode negar que Saulo de Tarso fez um bom trabalho quando criou o cristianismo, uma vez que toda corrente religiosa que surge depois dele, bebe, de uma forma ou de outra, de forma clara ou disfarçada, em seus dogmas ou filosofia.
    Holismo, uma das últimas invenções criadas para acomodar, de uma forma harmônica, todas essas correntes. E aí se abusa dos termos científicos e místicos numa mistura que acaba dando enjoô. Mistura-se tarô com búzios; espiritismo com budismo e tradicional medicina chinesa; astrologia e umbanda; videntes e cristianismo. Ufa!!
    No fim… é tudo uma grande bobagem e perda de tempo. Muito tempo com a cabeça num mundo imaginário esquecendo do mundo real. Material. Concreto. Palpável. E o único verdadeiro! Real! Que não deixa qualquer dúvida sobre a sua existência! E que está morrendo com essa falta de preocupação… Toda essa bobagem sobrenatural é… Discutir o sexo dos anjos. Ôpa, desculpem… Esses termos estão como que colados em nossa mente. Um abraço a todos.

  14. Livre-Pensador Diz:

    Sobre a frase de Eistein: “A ciência sem religião é aleijada, a ciência sem religião é cega”: Não creio que ele acreditasse nisso de verdade. Era uma época dura. Quase tão dura quanto a Idade Média. Imagina se ele se mostrasse como um ateu… Seria, talvez, lançado num ostracismo científico e suas descobertas fossem relegadas a segundo plano, ou se retratar de declarações irreligiosas. As pessoas podem ser muito cruéis, vocês sabem.

  15. Livre-Pensador Diz:

    Corrigindo a frase de Einsteini: “A ciência sem religião é aleijada, a religião sem ciência é cega”. Desculpem, foi a pressa e o adiantado da hora.

  16. Carlos Magno Diz:

    Muito podem achar que o mundo material e concreto é o único e real, e aí eu pergunto aos doutos da materialidade: por que as ciências buscam tão afanosamente descobrir a verdadeira origem da matéria e não descobrem?
    *
    Por que as ciências não consideram a matéria a causa de tudo, e somente sabem que é o efeito, a consequência de uma energia incrível, invisível e desconhecida na sua abrangência, que concentrada produz todo o concretismo e resultados na própria matéria?
    *
    E por que a matéria concreta, – fonte e manancial de toda a vida e fenômenos no universo, segundo os cientistas, – se submete às leis autônomas e mecânicas, cósmicas e planetárias, e delas não consegue escapar? Ué, o criador passou a ser dominado pela criação?
    *
    Quanto à astrologia, mediunidade, umbanda, tarô, acupuntura, etc., é como escolher o melhor alimento para saciar a fome de conhecimentos. Cabe a cada um saber separar as coisas, o que sem dúvida é unicamente questão de exercício de inteligência. E isso não impede que se reconheça a necessidade de conhecer algo das ciências materiais.
    *
    “Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa!”
    *
    Mas se formos filosofar lá no extremo de cima, muitíssimo acima do Everest, aí o relativismo dança feio e os valores são outros.
    *
    E quem disse que os dogmas das ciências são tão visíveis que todos podem neles incursionar? Pergunto se a NASA conta tudo o que ocorre nas suas pesquisas espaciais, ou deixa-se investigar pelo amor às ciências? Se os construtores do Larger Hadron Colider abrem os verdadeiros segredos de suas pesquisas a qualquer um? E outras coisas mais.
    *
    O que os acadêmicos arrumadinhos com guardas-pós sujinhos de giz sabem, é a parcela que os donos das ciências lhes permitem saber, nada mais que isso.
    *
    Já as ciências esotéricas, o espiritismo, o ocultismo, o orientalismo, etc, estão ai mesmo, nas bancas de livrarias, nas ordens e organizações com endereços fixos, e qualquer um pode se instruir, investigar e entender segundo sua capacidade. Nada é proibido. Agora, não saber aonde buscar, ou não entendê-los, não aceitá-los e misturar tudo na cabecinha, é outro departamento.

  17. Livre-Pensador Diz:

    Meu prezado Carlos Magno, vou tentar responder às suas perguntas e comentar o que dizes.

    O ser humano é assim mesmo, Magno. Quer saber de tudo. Talvez seja um pouco de megalomania. Poder dizer: “Pra mim não existem mistérios, eu explico tudo como é.” O fato de ainda não haver uma resposta sobre a ORIGEM DA VIDA não quer dizer que ela seja sobrenatural. Já está amplamente divulgado, e é aceito como correta, as explicações dadas pelo evolucionismo. Se sabe exatamente como evoluímos de organismos inferiores. Ainda falta explicar como ela surge da matéria inanimada, apesar de já haver algumas teorias sobre isso. Quanto a ORIGEM DA MATÉRIA, apesar de a teoria do big-bang ser aceita pela maioria existem ciêntistas que ainda defendem a teoria do universo eterno, sem origem nem começo. Como eu disse em meu post, o bom da ciência é isso, informações abertas sujeitas a crítica e avaliações constantes. Logo, como não descobrem?! Tens que concordar que muita coisa tida antes como misteriosa e sobrenatural tem hoje explicação plausível e natural. Do jeito que as coisas vão, logo não haverá mais espaço para o sobrenatural. Hoje ele ainda sobrevive nas lacunas do não explicado. Só não entendi bem o “afanosamente”. Só se você quis dizer que a ciência está roubando, “afanando” as verdades sobrenaturais, sendo o afanar com sentido de derrubar. Acho que é isso, não?
    *
    Não entendi esse “…a matéria como causa de tudo.” Matéria causa a matéria. Ou, tudo é matéria. Matéria é efeito. Efeito de que? “…consequência de uma energia incrível, invisível…”. Sei não, Magno. Me explica: O que é invisível pra você? O ar, uma bactéria, uma célula, um átomo, eletricidade, magnetismo, gravidade; Tudo isso é invisível, não? E, não obstante, são matéria. Não? “…e desconhecida na sua abrangência.” Se é desconhecida, como se sabe que existe? Como se sabe que abrange alguma coisa? Será que estás falando da imaginária energia “imaterial”? É isso? “…energia incrível, invisível…que concentrada…produz…a própria matéria.” Você está dizendo que a energia “imaterial” se concentra, comprime e forma… Matéria! O imaterial transforma-se milagrosamente em matéria! Aliás, o que diabos seria “imaterial”? Você dirá: “coisa sem essência, insubstâncial, sem forma, que nossa consciência não pode entender.” Tá bom, se não posso entender então devo CRER que é verdade… Não dá! Minha mente arejada não consegue isso: crer sem fundamento.
    *
    Bom, as leis foram escritas pelo homem e não inventadas. Foi uma forma de interpretar como as coisas acontecem em nosso mundo concreto. Acontece que o universo e a matéria não estão nem aí para essa leis. As coisas acontecem e tenta-se entender como acontecem, ou você acha que quando a terra, ou outros dos planetas do sistema solar, por exemplo, quando dão voltas em torno do sol fazem isso porque escolheram fazer, ou sabem o por quê fazem? As leis astronômicas e a ciência explicam porquê estão lá e fazem aquela órbita. É isso. Simples assim. Agora, querer que se acredite que isso é uma coisa sobrenatural é falácia, invencionice de supersticiosos… Entretando, já, também se sabe (é notícia fresquinha) que a matéria, quando vista em seu nível quântico, não está mais sujeita a nenhuma dessas leis, é tudo aleatório, sem nenhum grau de certeza ou previsão. O que o ser humano criou foram as superstições. E foi dominado por elas. E tá difícil de acabar com elas!
    *
    Ninguém separa nada neste assunto, Magno! Quanto mais junto e misturado, melhor! Um serve de apoio ao outro, se misturam as “teorias” um do outro para dar vazão e amparo as superstições de todos. Só concordo quando falas da necessidade de conhecer ciência e outros assuntos, serve para arejar a mente…
    *
    Uma coisa é uma coisa e outra coisa … não é nada!
    *
    Comentário estranho… “…muito acima do Everest… blá blá blá …” Estás falando do “Mundo imaterial”? “…os valores são outros”. Que valores? Os valores morais? Não são relativos? Nem vou discorrer sobre esse assunto, mas se você pensar com mente arejada verá que os valores morais são, sim, relativos. Medite um pouco sobre isso. Vais fazer muitas descobertas. E por você mesmo. Terás dúvidas. Mas as respostas nem sempre são agradáveis. Aliás a verdade nem sempre é agradável. Pode ser muito dura! Ou talvez não se deva querer respostas. O que elas importam para nosso dia-a-dia?
    *
    Se você procurar ler mais revistas e livros científicos, disponíveis nas boas livrarias, e não somente livros cheios de superstições, verás que há muita informação para todos os que tiverem boa vontade de procurá-las. Agora, nem todas as informações são para todos. Não teriam serventia para o cidadão comum. Ah, o acelerador de partículas ainda não tem dados interpretados para fornecer, já deu até defeito! Estão no início e o que vier a sair de lá podes não gostar, se continuares abraçado à superstições… E deixe de lado essas bobagens de conspirações governamentais para “esconder a verdade” da população… Ainda vivemos em época de caça às bruxas.
    *
    Falácias… Conspirações… Tudo bobagem de gente supersticiosa que acredita em tudo sem provas.
    *
    O mesmo vale para a ciência. Publicações científicas também estão disponíveis a todos, como eu já disse antes. As universidades, Centros Científicos e cientistas também têm endereço fixo! “…e qualquer um pode se instruir, investigar e entender segundo sua capacidade. Nada é proibido. Agora, não saber aonde buscar, ou não entendê-los, não aceitá-los e misturar tudo na cabecinha, é outro departamento.”
    Um forte abraço.

  18. Livre-Pensador Diz:

    Mais uma última coisa que esqueci de colocar acima. Queria terminar meu texto com uma citação, que infelizmente não me lembro quem fez, e por isso peço desculpas: “O verdadeiro obstáculo para a descoberta não é a ignorância, é a ilusão de conhecimento”.

  19. Carlos Magno Diz:

    Caro Livre Pensador:
    *
    Tive a impressão de já nos conhecermos, não lá do RGS, mas de outros debates. Mas se não, muito prazer.
    *
    Primeiro afanosamente. Do adjetivo afanoso: cheio de afã, trabalhoso, laborioso. Nada de roubo, trapaças ou coisas do gênero. Ok? Entendido agora?

    *
    Bem, sua fala simplista não me surpreende, é a mesma dos que se dizem céticos, mas o que me surpreende são os seus enganos. Que é mesmo energia? Esse é um dos grandes dogmas das ciências; é usada, mas não se sabe sua verdadeira origem. É matéria? Como? Tem altura, comprimento, profundidade, tem peso, dimensão real, é palpável, é tri-dimensional? Ou é unicamente captada por ondas? Mesmo Einstein não conseguiu saber, mas intentou condicionar um pedacinho pelo E= mc2, onde E= energia, m=massa e c= a velocidade no vácuo. Logo, podemos objetivamente deduzir que energia é uma coisa e massa ou matéria é outra.
    *
    Energia não pode ser criada nem destruída, e a energia acumulada exibe massa. Embora massa e energia sejam também consideradas duas formas da mesma coisa, e uma não exista sem a outra, a fórmula de Einstein (hoje já contestada por correntes de cientistas dissidentes) é bem clara ao ser denominada Teoria da Relatividade. Ou seja, no mundo das ciências tudo é relativo por existir somente parâmetros, fórmulas planificadas, que geram conclusões. A fórmula de Einstein faz funcionar ou somente tenta explicar? Pois da mesma maneira que as Leis de Newton batiam com o que ele desejava explicar, hoje já não explicam tudo por estarem superadas. E se uma coisa não fica totalmente explicada, não pode se tornar verdade absoluta somente porque bate com um parâmetro temporal e teórico.
    *
    Mas como explicar que a energia também existe livre no ar, no éter, sem peso ou dimensão, sem massa? Você saberia dizer de onde ela vem, sem subterfúgios?
    *
    Nas cabeças dos cientistas tudo tem relação, meu caro, do big bang até o homo sapiens sapiens, ou seja, para eles tudo é matéria, o mundo é matéria e a matéria é pai-mãe do universo. Portanto, não sou eu quem afirma, mas as ciências! Alguns desses devaneadores chegam ao absurdo de afirmar que as leis universais se criaram da própria matéria. Como se todos fossemos idiotas em aceitar tudo o que dizem e batessemos cabeça cegamente para adorar a “religião ciências”!
    *
    Estranho isso, não? Somos todos matéria, fomos criados “homens-matéria”, e a matéria somente para sacanear ela mesma criou o pensamento, a psique, a alma, o espírito e finalmente Deus! Pois se tudo é matéria onde está a lógica dela criar o invisível, o abstrato e também as odiadas religiões? Eta, mundo complicado, a matéria adorando a não-matéria, o real amando o não-real! Coisas realmente doidas…
    *
    E quem disse que a teoria da evolução (outra teoria!) está comprovada? Absolutamente, ela somente existe nas cabeças dos darwinistas e já faz água desde sua infeliz criação, estando cheia de furos e enganos. As próprias ciências com o avanço da genética já desconstroem esse monstrengo criado por ateus e materialistas que adoram a sua humilhante e suposta verdade de se terem originado do macaco.
    *
    Os criacionistas esotéricos ou religiosos sempre se colocaram contrariamente a Darwin, e assim se mantiveram. As conclusões das próprias ciências nunca foram uniformes, e certo número de pesquisadores, antes defensores de Darwin, hoje já o contradizem, pois os métodos científicos não conduzem a nenhuma conclusão plausível de que a evolução, como pretendida, esteja incursa em parâmetros naturais e concretos. Não há mais consenso de que o homem tenha evoluído do macaco, e nem consenso há de que tenha evoluído de um ancestral comum, conforme reza a cartilha ateísta da modernidade. Verdade mesmo é que a ONU apresentou um documento oficial e atualizado no qual 500 assinaturas de cientistas em âmbito mundial desacreditam da Teoria de Charles Darwin. Há dentre os assinantes, cientistas membros das Academias de Ciências da Rússia e Estados Unidos e dez cientistas britânicos de Universidades de Wales, Coventry, Glasgow, Bristol, Leeds e do Museu Britânico.
    *
    Uma das comprovações dos geneticistas é que a vida na Terra tem e sempre teve exatamente os mesmos elementos genéticos, DNA e ACGT, os nucleotídeos, o que provaria que a diferença entre apenas 1% do genoma do homem para o chipanzé demonstra não ter havido evolução alguma nas espécies.
    *
    E ao expor-se que a ontogenia recapitula a filogenia, se vem rebuscar elementos analógicos do particular para o geral, ou seja, do desenvolvimento do embrião de uma determinada espécie que repete toda a história pregressa da espécie. Da mesma maneira, muitos cientistas repelem essa analogia, mas dentro do quadro do evolucionismo criacionista, particularmente dos esotéricos, todas as formas de vida repetem, em sínteses, os ciclos evolutivos de suas espécies, de milhões de anos, até atingir a idade adulta ou madura, mas não alteram fundamentalmente suas formas, nem recriam outras espécies.
    *
    Esse pensamento, de certo modo, vai ao encontro de a deriva genética, formulada pelos próprios geneticistas, que ao registrar a modificação da freqüência dos alelos nas espécies, – incluindo as populações humanas, – entendem ocorrer alterações em algumas de suas características que, com o tempo, vem gerar as mudanças nas espécies. Em assim sendo, os votos vão ora para os saltacionistas ora para os gradualistas, mas com nenhuma certeza ou precisão. A deriva genética não confirma que as espécies evoluem para outras, mas unicamente expõe acontecer modificações seqüenciadas ou mutações.
    *
    Enfim, há uma Babel imensa com meias verdades, enganos rotundos, teorias imaginosas e conclusões precipitadas acerca do evolucionismo, e nenhuma conexão que conduza a uma inequívoca estrutura conclusiva de premissas coadunadas ou a fatos permanentes.
    *
    Fico por aqui. Abraços.

  20. Livre-Pensador Diz:

    Meu caro Magno, o prazer é meu em conhecê-lo desta forma tão instrutiva que acho deveria ser mais aproveitada por quem tem o desejo de conhecimento e de debater idéias. Não, não nos conhecemos. Só comecei a participar de fóruns muito recentemente. Mais uma vez, muito prazer.

    Vejo que consegui tirá-lo, ainda que só um pouco, do mundo imaginário. Mundo este que se baseia apenas em testemunhos e nenhuma prova cabal da sua existência, e testemunhos sempre serão testemunhos e não provas.

    Veja como é bela e coerente a ciência. Está sempre se questionando, experimentando e compartilhando descobertas.

    Sobre o afanosamente só estava sendo jocoso, o que cabia em meu raciocínio irônico naquele momento.

    O que é energia? Em geral, o conceito e uso da palavra energia se refere “ao potencial inato para executar trabalho ou realizar uma ação”.

    A palavra é usada em vários contextos diferentes. O uso científico tem um significado bem definido e preciso enquanto muitos outros não são tão específicos.

    O termo energia também pode designar as reações de uma determinada condição de trabalho, por exemplo o calor, trabalho mecânico (movimento) ou luz. Estes que podem ser realizados por uma fonte inanimada (por exemplo motor, caldeira, refrigerador, alto-falante, lâmpada, vento) ou por um organismo vivo (por exemplo os músculos, energia biológica).

    A etimologia da palavra tem origem no idioma grego, onde ????? (ergos) significa “trabalho”.

    Qualquer coisa que esteja a trabalhar – por exemplo, a mover outro objeto, a aquecê-lo ou a fazê-lo ser atravessado por uma corrente eléctrica – está a “gastar” energia (uma vez que ocorre uma “transferência”, pois nenhuma energia é perdida, e sim transformada ou transferida a outro corpo). Portanto, qualquer coisa que esteja pronta a trabalhar possui energia. Enquanto o trabalho é realizado, ocorre uma transferência de energia.

    O conceito de Energia é um dos conceitos essenciais da Física. Nascido no século XIX, pode ser encontrado em todas as disciplinas da Física (mecânica, termodinâmica, eletromagnetismo, mecânica quântica, etc.) assim como em outras disciplinas, particularmente na Química. (se quiser saber mais sobre energia visite o site http://pt.wikipedia.org/wiki/Energia).

    Como verás não há nada de sobrenatural nela e qualquer outra afirmação é balela, invencionice, pseudo-conhecimento.

    Einstein não inventou a Relatividade, meu caro, ele percebeu que existia e a interpretou matematicamente para que fosse útil, como fez antes Newton. Ela não está sendo questionada coisa nenhuma, se informe mais. Não invente… O que está acontecendo é que surgiram problemas para ela com o advento dos estudos do nível quântico da matéria, como eu disse no post anterior. Parece que distorces os temas para ajustá-los a suas crenças, ou pelo prazer de difamar e passar falsas informações. Como aconteceu com Newton – quando suas descobertas começaram a não explicar certos fenômenos fora da terra, surgiram dúvidas que só foram desfeitas com as descobertas, veja bem, DESCOBERTAS de Einstein; Está acontecendo o mesmo agora em nível quântico. Mas já estão surgindo fórmulas para explicá-las como o Princípio da Incerteza de Eisenberg, formulado inicialmente em 1927 por Werner Heisenberg, impondo restrições à precisão com que se podem efetuar medidas simultâneas de uma classe de pares de observáveis. (wikipedia http://pt.wikipedia.org/wiki/Princ%C3%ADpio_da_Incerteza). Um pouco de pesquisa faz bem…

    Como vês isso foi logo ali, bem pertinho das descobertas de Einstein, que foram em 1915, mas elas continuam valendo. Qual teoria você acha que é usada nos cálculos quando mandam foguetes e sondas a outros planetas? E pode-se dizer que energia é inerente à matéria sim! É matéria sim! E idiota é aceitar teorias absurdas baseadas em devaneios sobrenaturais que não resistem a um exame mais sério e acurado. Todos os fenômenos sobrenaturais foram de alguma forma desmascarados como farsa. E entre todos os fenômenos mediúnicos. Existe um prêmio de um milhão de dólares para quem provar que eles existem de fato. Até agora nada… E não existe uma religião da ciência, mas não duvido que ignorantes, num tempo que espero não muito distante, quando essas bobagens sobrenaturais ficarem na lembrança, criem uma religião da ciência. Os ignorantes adoram adorar algo sem se aprofundar no assunto.

    Por quê o Homem pensa? Um animal pensa? Mas, dirás, o animal não tem consciência própria, é irracional, se for mesmo assim, não se sabe ao certo ainda, bom pra eles. Têm menos com que se preocupar e não tem nenhuma religião ou misticismo, nem adoram algum deus animal, como fazem alguns dotados de raciocínio. Psiquê, alma, espírito e Deus… cai no mesmo saco de gatos. Qual a lógica de criar o invisível? Não tem lógica, é coisa de seres que raciocinam. Prefiro a lógica dos animais.

    A teoria da evolução não está comprovada… O que andas lendo, meu caro. Achas que basta levantar uma citação como essa pra ser verdade? E o homem ter evoluído do macaco é um argumento do século XIX!!! Surgiu para difamar a teoria e foi inventada por religiosos que se sentiam ameaçados por elas, e pior, também por CIENTISTAS RELIGIOSOS. Não sei como eles harmonizam duas coisas tão opostas.. Como você mesmo disse, criacionistas esotéricos e religiosos são os que ainda são contrários a ela, ôpa… Espera aí… Criacionistas esotéricos e CRIACIONISTAS RELIGIOSOS!?! Quase que me arrancaste um “Meu Deus do Céu!!!” ou “Ave Maria!!!”. O que que é isso, Magno, se perdendo em seus argumentos? Todo religioso é obrigado a ser criacionista, isso é redundância. E eu nunca disse que as conclusões da ciência eram uniformes, e nisso, finalmente a gente concorda. E, mais uma vez, não faça citações venais como se fossem verdades. Pode não haver consenso mais a maioria já aceita a teoria da evolução. E continuam abertos a novas descobertas que a corroborem ou aperfeiçoem-na. Ou até derrubem. E a falta de consenso, torno a repetir, se deve aos cientistas religiosos, que pelo que disseste, são muito poucos, uns 500. E aposto que essas universidades são católicas ou protestantes, ou melhor cristãs.

    Geneticistas religiosos usam argumentos sempre tendenciosos, ouça o outro lado, Leia O Gene Egoísta, de Richard Dawkins, é muito esclarecedor. O fator para as espécies estar tão perto uma da outra só comprova, e não desmerece. O fator tempo é, aí, muito importante e crucial. Foram necessários, mais ou menos, 6 bilhões de anos para surgir a terra, outros 4 para surgir a vida (tens idéia do que sejam 10 bilhões de anos?), e apenas uns 100 mil para surgir a consciência. Não dá para termos idéia nem do que sejam 2000 anos… Quantas gerações não se passaram nesses 4 bilhões de anos… Trilhões de gerações! Tomando como base a espectativa de vida dos seres vivos. Por isso tanta proximidade entre as espécies. As bactérias e vírus não criam resistência aos medicamentos? E de uma forma bem rápida, não? Então evoluem! Espécies novas estão a surgir a todo instante, só não podes ver. E volta e meia se encontram espécies novas de pássaros, peixes. E ainda mais, não há nem consenso na classificação de espécie. Mas se está caminhando.

    Na evolução não há certezas, como no mundo quântico, como já concordamos. Quanto ao que dizes: “A deriva genética não confirma que as espécies evoluem para outras, mas unicamente expõe acontecer modificações seqüenciadas ou MUTAÇÕES.”(o crivo é meu) , são exatamente as mutações que causam evolução, mutações que sejam úteis para a perpetuação da espécie, como maior prole, ou maior resistência ao ambiente, são repassadas, as inúteis desaparecem com o indivíduo portador dela, já que não conseguirá acasalar ou morrerá pelas agruras do ambiente ao qual não está adaptado. Entre os humanos esse equilíbrio desaparece pois o humano evita filho, driblando a ditadura genética, e mantendo em seu meio social indivíduos com mutações desfavoráveis, devido a fatores que bem sabes, que passam genes defeituosos adiante. Não estou entrando no mérito de isso ser certo ou errado, só reconhecendo um fato. Não me censures por isso.

    Pra terminar e ante ao exposto cito você mesmo outra vez: “Enfim, há uma Babel imensa com meias verdades, enganos rotundos, teorias imaginosas e conclusões precipitadas acerca do CRIACIONISMO, e nenhuma conexão que conduza a uma inequívoca estrutura conclusiva de premissas coadunadas ou a fatos permanentes.”, só troquei a palavra evolucionismo por criacionismo, mas poderia ser mundo espiritual, esoterismo ou qualquer outra bobagem do gênero.

    Fico por aqui. Abraço.

  21. Carlos Magno Diz:

    Livre Pensador:
    *
    Seus pífios argumentos estão todos tão bem copiadinhos, tão coladinho no “control C control V”, que não há a menor graça em debater com uma página fac símile.
    *
    E ainda me vêm falar de pseudo-conhecimento!
    *
    Vou definir de uma vez por todas: não estou aqui para convencer ninguém, mas também não vejo qualquer proveito em debater em termos robóticos e rasos como você deseja e faz.
    *
    Debater onde existe flagrante falta de originalidade e claríssima horizontalidade mecânica das mais comuns, e onde se vê o prazer quase orgástico de negar sempre e agredir, não faz meu gênero. Isto não é ceticismo nem aqui nem na Manchúria.
    *
    Suas respostas, – se assim deva apelidá-las, – copiadas, ou confusamente misturadas no liquidificador, não estimulam à menor reflexão, principalmente porque a nada se aproximam do que é exposto e a tudo tergiversam. Seria de minha parte exercitar-me sobre a falta de qualidade – pura perda de tempo e nada ganho com isso! Tolice continuar a replicar nesses termos.
    *
    Passar bem!

  22. Livre-Pensador Diz:

    Caro Magno,

    Peço que me perdoe se o fiz sentir-se ofendido. Minha intenção não era essa. Quando se debate quase sempre acaba deste jeito.

    Também não tenho intenção de convencê-lo a mudar de opinião, pois a própria natureza humana faz com que sejamos incisivos numa batalha contra o que possa parecer um adversário. Não sou seu adversário… Debatíamos idéias. Trocávamos idéias. Num debate quase sempre o que se quer é impor um ponto de vista sobre outro ponto de vista e usei, como sempre, o que tenho informação. Citei as fontes. Não as escondi.

    Fiquei um pouco triste com suas palavras; Quase amargas…

    Espero que nossa conversa tenha servido para alguma coisa, se não pra você, para um alguém que possa ler o que escrevemos.

    Gostaria de me despedir com uma música de Milton Nascimento, que serve tanto pra mim quanto pra você, e acho, engloba o que debatemos:
    (Ó… Vai no control C control D, hein… rsrsrsrs)

    Caçador de Mim

    Por tanto amor
    Por tanta emoção
    A vida me fez assim
    Doce ou atroz
    Manso ou feroz
    Eu caçador de mim

    Preso a canções
    Entregue a paixões
    Que nunca tiveram fim
    Vou me encontrar
    Longe do meu lugar
    Eu, caçador de mim

    Nada a temer senão o correr da luta
    Nada a fazer senão esquecer o medo
    Abrir o peito a força, numa procura
    Fugir às armadilhas da mata escura

    Longe se vai
    Sonhando demais
    Mas onde se chega assim
    Vou descobrir
    O que me faz sentir
    Eu, caçador de mim

    *
    Não esquenta, viu? Vida que segue…

    Fique em paz; Sou muito agradecido pela oportunidade.

    Um grande abraço.

  23. Dante Luz Diz:

    Estou sentado na frente do meu computador assitindo o lançamento e as primeiras orbitas da space shuttle Endeavour. Tenho meu googlearth aberto mostrando Marte em detalhes, Não vejo nada dos que os adeptos da doutrina espiritas apregoam. Não vejo em Marte as maravilhas que Franscisco Chavier escreveu, há apenas terra desolada. As maquinas maravilhosas que lá estão foram nós que mandamos. Não li nenhum texto espirita que cite cientista do sec XX, ok, o personagem de Gasparetto , Edgar Armond, cita Arthur
    Stanley Eddington em Os Exilados da Capela para provar que uma estrela pode ser “de matéria tão fluídica que sua densidade pode ser confundida com a do ar que respiramos.” Não da para levar a sério… o pior é que conheço gente que acredita piamente nisso.
    A doutrina espirita sempre negou ser religião e sim ciência mas, por favor que ciência? A mecanica quantica apenas explica fenomenos hoje do dia a dia como transitores e LASER e o comportamento da luz mas que pareciam milagres a ciência do Sec XIX. A “doutrina” nunca evoluiu, e comum se ler artigos que falam do “eter”, estrelas da densidade de Capela, tomando como verdadeiras afirmações da época que se pensava que as estrelas eram bolas de carvão queimando . Talvez tenha chegado o momento da FEB ou seja lá quem orienta a doutrina rever esses conceitos, atualizar e explicar as coisas a luz não da ciencia, mas do conhecimento do Sec XXI. Não conheço nenhuma lei fisica que explique o contato com os mortos. Isso só pode ser explicado por milagres, como a doutrina não crê em milagres…

  24. André T. Diz:

    “Embora massa e energia sejam também consideradas duas formas da mesma coisa, e uma não exista sem a outra, a fórmula de Einstein (hoje já contestada por correntes de cientistas dissidentes) é bem clara ao ser denominada Teoria da Relatividade. Ou seja, no mundo das ciências tudo é relativo por existir somente parâmetros, fórmulas planificadas, que geram conclusões”

    “Não há mais consenso de que o homem tenha evoluído do macaco, e nem consenso há de que tenha evoluído de um ancestral comum, conforme reza a cartilha ateísta da modernidade. Verdade mesmo é que a ONU apresentou um documento oficial e atualizado no qual 500 assinaturas de cientistas em âmbito mundial desacreditam da Teoria de Charles Darwin.”
    *
    Hahahahahahahah!
    Eu sempre, sempre mesmo, espero que as pessoas que acreditam em um mundo sobrenatural e interferências desse mundo sobrenatural em nosso mundo defendam seus argumentos com propriedade. Sempre leio, sempre vou atrás do que estão falando. Mas, invariavelmente, é balela. Em todos, absolutamente todos os casos até agora.
    *
    Só essas duas frases, de um sem-número de outras, mostram que você, Carlos, não tem a mínima ideia de como a Ciência funciona, do que seja um consenso científico, e que nem ao menos entendeu a Relatividade. Quero dizer, não precisa entender se não quiser, mas se quiser criticar, precisa sim. Ou vai fazer papel de idiota, como fez aqui.
    *
    Carlos, já ouviu falar do projeto Steve?
    Não né?
    *
    http://en.wikipedia.org/wiki/Project_Steve

  25. Carlos Magno Diz:

    Ai, meu pai!
    *
    Quando neófitos e bobinhos da objetividade, usuários de antolhos; que não são de nenhum ramo das ciências, que não trabalham na área, que não fazem pesquisas, que somente lêem almanaques e periódicos: esses robozinhos que pensam conhecer, por quanto tempo ainda continuarão a copiar e a copiar; a colar e colar; a repetir e repetir feito papagaios, e a fingir que sabem ciências!
    *
    E mentem com descaramento fariseu!

  26. homeover Diz:

    Ciência material e ciencia espiritual aparentemente inconciliáveis.Paladinos da “onisciência” científica X defensores do saber espiritual ,QUE BATALHA TERRÍVEL ONDE SOBRAM AS IRONIAS MAIS CAÚSTICAS,E ONDE SE BUSCA DESQUALIFICAR O ANTAGONISTA COM OS MAIS BAIXOS TERMOS.SERÁ QUE ISSO EDIFICA?ACEITEM OU NÃO A REALIDADE DO TRABALHO DE CHICO XAVIER,POR FAVOR NÃO SEJAM DESELEGANTES!

  27. Gilberto Diz:

    Amigos, estou fora do blog há algum tempo, mas descobri uma coisa sensacional. Existe agora uma FRANQUIA chamada “Livaria Espírita Chico Xavier”. Quem quiser investir dinheiro agora pode escolher entre uma franquia de pizzaria, de revelação fotográfica (um mau negócio) ou da livraria Chico Xavier. Que legal. Ele com certeza nada lucrou em vida(em dinheiro, não; em conseguir centenas e centenas de milhares de seguidores, sim). Mas será que o nome é usado fraudulosamente? Acho que não. O lucro sobre as centenas de livros que ele escreveu continua. A todo vapor. Durmam com um barulho desses.

  28. Livre-Pensador Diz:

    Ói eu de volta.

    O problema com os “crentes” no sobrenatural, como o Carlos Magno, é que eles só lêem e pesquisam os assuntos da esfera que interessa a eles: sobrenatural.

    Só o que eles copiam e colam é que tem validade. Tóin, tóin…

    Ou vai me dizer que tudo que eles escrevem não sai de alguns livros espíritas? Que me conste a maioria não é escritor, nem “Médium”…

    As religiões não atualizam o discurso (Quem é o papagaio?). É a grande diferença ciência, ela não quer impor, quer que as pessoas pensem, critiquem, revisem, mas, não se apropriem, religiosos, de fatos descorbertos por ela para corroborar sandices supersticiosas.

    Já os supersticiosos não suportam pensar,críticar, revisionar e atualizar o discurso, mas tentar nos fazer acreditar que as descobertas da ciência é que confirmam as sandices deles.

    Quem são os neófitos, bobinhos da objetividade, usuários de antolhos, fingidores que tiveram contato com espíritos, e robozinhos de doutrinas que não resistem a um exame, no fim das contas?… Hein?

  29. Carlos Magno Diz:

    Prezado Livre-Pensador, ou Narciso, ou AndréT ou o Sombra!
    +
    Realmente você não desiste. E continua a não entender e a bater sempre na mesma tecla.
    +
    Vou explicar-lhe pela última vez:
    @
    - Ceticismo não é isso que tantos pretendem. Isso é o puro materialismo doutrinário, rude e obediente, simplesmente obediente aos gurus escravos dos sentidos e do pensamento chumbado.
    +
    - Copiar e copiar, é o a lição maior que o cético-neófito aprende nos bancos escolares e como é obediente, retilíneo e uniforme, nunca larga o hábito dos antolhos.
    +
    -Copia sobre ciências, copia e copia. Mas ele próprio cresce sem nunca ser das ciências, não é das profissões, não é pesquisador, não senta o rabo 12 ou 16 horas para pesquisar, não viaja e nem vai in loco às fontes. Porém, é um excelente papagaio, e que papagaio teórico e obediente! Repete e repete, copia e copia, cola e cola!
    @
    - Já o espírita, o esotérico e o estudante do hermetismo, vivem daquilo que pesquisam; obtém riquíssimas experiência íntimas e práticas, avançam sempre sobre si mesmos e passam a observar o mundo muito acima dos teóricos.
    +
    - Lêem obras, anotam, repetem máximas, claro, por que não? É necessário aprender dos sábios, porém mais do que tudo é ultra necessário praticar e descobrir por volição própria daquilo que os seus mestres propositalmente não disseram. E são muitas coisas, mais do que já disseram. Portanto, é pesquisa do conhecedor com base na fé, no que só os fortes persistem!
    +
    - E aprendem de fato porque se experimentam, se arriscam a auto-destruir suas milenares e sedimentadas imperfeições, o ceticismo ainda aderente e a visão turva do passado; sacrificam seus prazeres mundanos em favor do próximo, vivem uma vida limpa e realizam a fraternidade; muitos tornam-se logo mestres de si mesmos. E isso não é de maneira alguma fácil: são espinheiros diários!
    +
    - E por terem se tornado mestres de si mesmos, tendo largado de há muito a teoria, fazem uso de suas pessoais visões, detêm a coloração própria da sabedoria e ensinam aos demais com originalidade e intuição – exercitam seus mestrados! Não precisam ser imitadores!
    @
    Essa é a grande diferença entre um espiritualista prático e um teórico materialista, e é, sem dúvidas, o motivo do ódio ateu e cético ao homem verdadeiro do espírito, aquele que voa na intuição e sabedoria íntima e silenciosa.
    +
    - Por oportuno, nem tudo do mundo oculto o estudante sábio diz ou insinua ao mundo ruidoso, ao passo que o teórico redundante e materialista depende ruidosamente e por toda a vida do que seus camaradas ou grandes pesquisadores produzem objetivamente.
    +
    - E necessita todos os dias ouvir sua própria voz a fim de negar sempre o que os átomos e células de suas estruturas orgânicas, principalmente mentais, gritam a mostrar-lhe, e ele, surdo, absurdamente nega.
    .
    Abraços!

  30. Livre-Pensador Diz:

    Caro Magno,

    Realmente vejo o quão contraditório alguém pode ser ao defender um ponto de vista. Cito-o: “Copiar e copiar, é o a lição maior que o cético-neófito aprende nos bancos escolares e como é obediente, retilíneo e uniforme, nunca larga o hábito dos antolhos.” “Copia sobre ciências, copia e copia. Mas ele próprio cresce sem nunca ser das ciências, não é das profissões, não é pesquisador, não senta o rabo 12 ou 16 horas para pesquisar, não viaja e nem vai in loco às fontes.” (por este raciocínio só o doente pode pesquisar e fazer o seu próprio remédio). Aí, mas abaixo dizes: “Já o espírita, o esotérico e o estudante do hermetismo, vivem daquilo que pesquisam”. “Lêem obras, anotam, repetem máximas, claro, por que não?” (já aqui pode papagaiar com a desculpa de ultrapassar o “mestre” naquilo que propositalmente não disseram). Conclusão; dois pesos e duas medidas; típico… mas já o conhecimento científico é pra ser compartilhado por todos; computadores, medicina, automóveis, tv, aviões, telefone, internet, se vive mais atualmente do que em toda história da humanidade, todo o avanço na melhoria da qualidade de vida, vacinas, e muito mais que, se puder pensar bem, não caberia aqui.
    -
    Uma coisa muito estranha acontece aqui. Tentar negar o óbvio é uma coisa que não consigo entender. Será proposital?
    -
    “Não, isso não é verdade. Apesar de eu estar vendo, tocando; não! Isto não é uma pedra!!! É um pedaço de madeira. Pronto. Não adianta vir com provas; é tudo besteira; manipulação; estão escondendo informação; é uma conspiração.”
    -
    Como se pode, ainda, acreditar que, por exemplo, doenças são karmas, causadas por nossas ações em outra vida? Ou por maus espíritos, espíritos inferiores, espíritos atrasados, obssessores… Será tão difícil aceitar o sofrimento faz parte da vida natural? Se existissem espíritos não seria mais fácil se eles falassem com os próprios parentes ao invés de usarem terceiros; aí não haveria propaganda, médiuns (?), etc…
    -
    Outra coisa, suponha que sim, existe reencarnação. Suponha, também, que o mundo começou, digamos com seis pessoas – eu sei que se acha que eram duas, mas é um número duvidoso… – então, fiquemos com seis. Seis pessoas, seis almas. Agora, suponha que duas dessas pessoas morram e suas almas voltem para um lugar de estada provisória. Algum tempo depois a cegonha dá as caras, quantas almas temos? Seis, correto?
    -
    Agora, existem mais de 4 bilhões de pessoas no mundo, não devia haver, ainda, somente seis? De onde estão surgindo essas almas extras? Alguém está “imprimindo” até almas, e provocando sua desvalorização! Quanto mais almas existirem mais desvalorizadas elas ficam, é o que parece… e se a reencarnação é para evoluir (?) resgatando faltas (pecados), não nasceram almas inocentes? Pra resgatar o quê? Ou só pra adquirirem faltas e movimentar a religião? Vê como é totalmente sem sentido. Matematicamente é impossível!
    -
    Concordo com você, no entanto, quando dizes que nem tudo do mundo ‘oculto’ o estudante sábio diz, ou insinua ao mundo ruidoso, ele vive mesmo nas sombras, espreitando suas vítimas, com suas insinuações cochichadas nos ouvidos para conseguir sua reverência e benesses.
    -
    É necessário, todo o dia, ouvir sua própria voz a fim de NEGAR, sempre, o que os átomos e células de suas estruturas orgânicas, principalmente mentais, gritam a mostrar-lhe, e ele, surdo, absurdamente, nega! (gostei dessa.)
    -
    Um abraço.

  31. Carlos Magno Diz:

    Livre Pensador:
    +
    A diferença básica e fundamental entre um espiritualista e um materialista, é que o espiritualista numa fase de sua vida já foi materialista e sabe muito bem como é viver a vida material, porém o materialista nunca soube e nem saberá o que sejam a verdadeira espiritualidade, o incorporar de energias maravilhosas, a comunicação via direta de mentores, a mediunidade e o conhecimento da magia. Simples assim. Você tem toda a razão, não dá mesmo para fazer entender, eu sempre soube disso.
    +
    À propósito, somos mais de 6.5 bilhões de habitantes no planeta, e desses, pelo menos 3.5 bilhões são comprovadamente religiosos, esotéricos, espiritualistas, ocultistas, etc. E muitos, muitos mesmos dessa cifra, somente para dar alguns exemplos, são matemáticos, físicos, químicos, técnicos, educadores, médicos, pesquisadores, e cientistas de modo geral. Gente respeitada e do mais alto raciocínio lógico que se destaca em suas atividades.

    Grande abraço, prezado.

  32. Livre-Pensador Diz:

    Meu caro Magno,

    Acho temeroso quando se faz afirmações generalizando as coisas; pensando que se conhece os meandros de todas as situações por algumas em particular. Não é porquê se sabe de algumas que se conhece todas. Concorda? Entramos naquele raciocínio que citei anteriormente, a “conclusão pela ignorância”. Parece-me, me corrija se eu estiver errado, que não são todas as pessoas que têm essas experiências que relatas. Somente àqueles, que vou chamar de iniciados, têm essa possibilidade “maravilhosa”, este contato “maravilhoso”; os outros precisam acreditar nisso e “invejar” a capacidade desses iniciados, pois passam a vida inteira almejando esse contato e não conseguem, mas seguem crendo na boa-fé e nas palavras de seus líderes. Posso afirmar, sem medo de errar, que esta “inveja” é uma inveja boa, uma vez que ela os impulsiona a continuar estudando os preceitos e a tentar essa comunicação “direta” . Isso é bom! Mas é o que, também, com o tempo, vem a causar possíveis desilusões e o consequente abandono dos estudos. E da religião. E ela retoma a sua procura por algo que preencha essa lacuna e possa se iludir novamente. E antes que tires conclusões apressadas, não é o meu caso, ok? Mas conheço muita gente assim. E conheço, também, pessoas na situação que citas, que nunca procuraram estudar um pouquinho sobre o que elas combatem. São tão cegos quanto aos que combatem. Quanto a esse papo de magia… sem comentários. Não dá pra comentar isso. É delírio demais.
    -
    As perguntas que deixei, sei que são difíceis de responder e são elas, que quando alguém pára para questionar essa doutrina, causa seu abandono, na maioria das vezes. Quanto a esta estatística que citas, posso deduzir que os outros 3 bilhões de habitantes são descrentes? E que também professam e se destacam nestas profissões com o mesmo respeito e alto grau de raciocínio lógico, pois não? E ao acreditarmos nela podemos também inferir que esse número aumentou bastante, uma vez que pesquisas mais antigas aferiam esse número com algo em torno de 1 a 3 por cento da população total. Tem algo perdendo terreno!… Quer dizer que já somos maioria? Graças a Deus! (rs,rs, foi piada, hein!).
    -
    Quero lhe dizer que meu ceticismo é irmanado ao seu. Não é pior, nem melhor, que o seu. Entendo que devemos manter a mente aberta para todo tipo de conhecimento, mas não tão aberta a ponto de esvaziar nosso cérebro. Existe saberes que só se sustentam pela tradição, pela crença passada de geração em geração e não admitem questionamento por haver uma aceitação tácita de que são verdadeiros. Mas só aceitação. Aquelas pessoas independentes que se atreveram a questionar estas verdades, por encontrarem contradições entre o que era observado e o que era dito pela tradição, foram chamados de céticos – como se isso desmerecesse quem procura a verdade além daquelas impostas pela saber tradicional. E, nesse campo de questionamento, o ceticismo das pessoas religiosas ou místicas nem se irmana tanto, já que parece que acreditam mais na crença do que na coisa acreditada, visto não seguirem com tanto afinco aos ensinamentos como seguem com a defesa cega da crença na crença. Todos os fenômenos espirituais ou paranormais não se sustentam por muito tempo. Desculpe, essa é a verdade e nada do que digas pode mudar este fato.
    -
    Compreendo que estas crenças movimentam um comércio muito grande de artigos, honorabilidades, reconhecimento coletivo, benesses e coisas do gênero, mas isso não os habilita a serem proprietários da verdade, que, em verdade é um conceito muito subjetivo na esfera moral, já que na esfera material… não dá pra competir.
    -
    Por isso toda essa traquitana sobrenatural só serve para controle daquelas pessoas que, posso afirmar, de tão inferiores precisam de uma bengala metafísica invisível, para sustentar suas superstições, por pura preguiça moral e intelectual, o que não me parece ser o seu caso, afinal.
    -
    Pra terminar, o materialista só quer que as pessoas dêem mais atenção a esta vida, real e não desmerecê-la e esculhambá-la em detrimento de um suposto mundo superior perfeito. Este é o mundo perfeito, o melhor e único que temos. Deixemos o mundo imaginário que só serve como estórias melodramáticas com ensinamentos morais na base de intimidação por punições ou recompensa. Sejamos pessoas boas, civilizadas e cooperativas, na medida do possível, apenas pelo prazer do dever cumprido, como todo ser humano deveria ser.

    Um abraço, meu caro.

  33. Carlos Magno Diz:

    Prezado, por favor. Veja o disparate do que você escreve somente para argumentar.

    Não substime a inteligência das pessoas porque você odeia. E não ofenda bilhões de pessoas. Você não conhece 1 % do que critica. Nem o Carl Sagan, que é o guru do ceticismo, usaria a palavra com tamanha inabilidade e falta de conhecimento.

  34. Antonio Diz:

    Gilberto,
    Por analogia com o seu comentário, devo crer que a Sapataria Gilberto é sua?

  35. Gilberto Diz:

    A Sapataria Gilberto não, mas se criarem uma escola de inglês com o meu nome completo, vendendo os meus livros de gramática inglesa e com a minha foto na porta, eu vou, pelo menos, achar que alguém estará usando o meu nome sem permissão (ou que eu seja o dono e o meu último pileque me fez esquecer isso). Ou mesmo que eu já desencarnei e espertalhões estão explorando a minha imagem. Talvez até espertalhões que me exploraram em vida e eu não percebi, ou não quis perceber, por babarem meu ovo BIG TIME!

  36. Gilberto Diz:

    Antonio, por analogia: Todo gay gosta de rosa. Gilberto gosta de rosa; logo, Gilberto é gay!

  37. Carlos Magno Diz:

    O mesmo raciocínio do Gilberto serve para as franquias, ou seja:
    +
    “Alguém tem franquia para comercializar livros do Chico. Alguém está “indevidamente” ganhando com isso. Logo não se devem comprar os livros do Chico”.
    +
    Prezado Gilberto, qual é o problema de se usar franquias da FEB ou de outro detentor de direitos? Vivemos num mundo capitalista com seus bens e males. Comprar e vender, comercializar e ganhar são meras extensões dos sistemas convencionais. Então não podemos comprar e vender livros espíritas porque seria hipocrisia do espiritismo? É esssa a conclusão? Ora, o Chico abriu mão, mas a vida continua.
    +
    Sempre comprei meus livros espíritas e do ocultismo em lojas diversas. Alguém sai ganhando e eu também. Ainda bem que elas existem. E por que as lojas virtuais podem ter franquias sem qualquer estranheza?
    +
    Será também que todos os núcleos espiritistas teriam condições e autorização para eles mesmo editar e doar os livros do espiritismo aos seus seguidores?
    +
    Abraços prezado.
    (Sua volta foi rápida, não? Êta vício danado, sô!)

  38. Gilberto Diz:

    “Então não podemos comprar e vender livros espíritas porque seria hipocrisia do espiritismo? É essa a conclusão?” Pôxa, vocês levam essa história de analogia muito a sério. Eu nunca disse isso, a conclusão foi sua, caro eterno “Vai-e-Volta” do blog. Eu inclusive achei (e acho) uma pena as pessoas lerem menos, sejam livros espíritas ou de “espíritos-de-porco” como Dan Brown, Paulo Coelho, e outras aberrações literárias. Eu, particularmente, adoro ler os livrinhos “Sabrina”, “Júlia” e outros livros românticos (de preferência de capa rosa) que compro no jornaleiro. Por analogia, Gilberto é gay!

  39. Carlos Magno Diz:

    Eu nunca me despedi daqui em pose triunfal e dossie acusatório como V.Sa fez e depois voltou: esse vai-e-volta a mim atribuido é da sua cabecinha tonta.
    +
    “Por analogia, Gilberto é gay!” É você quem afirma prezado. Sem comentários.
    +
    Essa de dizer e depois negar é muito fraca. Como sempre, desvia-se do assunto quando replica. Ou será que sua acusação sobre franquia dos livros do Chico foi tão velada que ninguém percebeu? Releia sua pérola: “O lucro sobre as centenas de livros que ele escreveu continua. A todo vapor. Durmam com um barulho desses”.
    +
    Por oportuno, Paulo Coelho é boa leitura; para quem entende, naturalmente.

  40. Gilberto Diz:

    Meu caro C.M., Você entende toda a complicadíssima, refinadíssima e profundíssima literatura de Paulo Coelho? Tu és um gênio! Mas ele deve ser bom, pois os franceses enterraram e esqueceram Alan Kardec e passaram a ler Paulo Coelho! Obrigado por ler a minha saída como “triunfal”. Na verdade eu tive a minha Internet cortada por falta de pagamento. No meio da minha cabecinha tonta (mas precisamente, acima do nariz) tenho dois olhos, e eles leram algumas “despedidas” suas. Mas, graças a todos os santos, tu voltaste! Infelizmente, eu também, e em breve lançarei um novo “Dossier Acusatório” bombástico. Vou dar uma palhinha: O Superstar da reencarnação, Sua Santidade Dalai Lama, resolveu recentemente (de forma unilateral, sem consultar Deus nem os “Espíritos Superiores” de Kardec) que reencarnará fora da China, apenas entre tibetanos exilados. E, a exemplo da “reencarnação” do Pachen Lama, que foi escolhido por “sorteio”, o novo Dalai Lama também será “reencarnado” por “votação” de um colégio eleitoral, também de tibetanos no exílio. É um ‘espanto” a sabedoria milenar oriental no tocante a esse grande mistério (que os espíritas, que o Dalai Lama, e que o Paulo Coelho tiram de letra) que é a morte. Aguardem a íntegra do “Dossier Bombástico”. Enquanto isso, continuem consumindo literatura espírita, pois é uma hipocrisia muito grande a minha criticar Paulo Coelho e ler “Sabrina” e “Júlia”. Mas pelo menos eu entendo esses livros…

  41. Carlos Magno Diz:

    Oh, perdão, amigo. Você também não disse que não pagava a conta! Mea culpa mea maxima culpa.
    +
    Ainda bem que você soube por antecipação que ia ter os serviços cortados e pode se despedir com emoção e sinceridade. Foi realmente um momento muito difícil. Mas superou tudo, não? Ótimo.
    +
    Outra coisa de menor importância: eu nunca me despedi, somente me ausentei daqui, e uma única vez anunciei isso, pois viajei.
    +
    No entanto, mesmo não sendo viciado, de vez em quando volto porque há sempre novos e antigos hereges que continuam a baixar por aqui e ofender a religião de alguns de meus familiares e a mim. E quando estou com paciência resolvo dar umas espanadas de leve. Como ultimamente, por exemplo, em que vivo momentos primaverís. Poético, não?
    +
    Mas diga-nos, realmente precisa ser gênio para entender o Paulo Coelho? Nossa, como têm gênios em nosso país e no mundo!
    +
    E se mal me pergunto, que tem a ver o Dalai Lama com o não pagamento de sua conta?
    +
    Abraços prezado.

  42. Gilberto Diz:

    Êpa, eu ia responder de forma brilhante e pândega (como de costume), mas a campainha tá tocando, e deve ser mais uma cartinha do SERASA ou do SPC com aquela frase que já estou acostumado: “Mensagem Importante Para Você”… Agora, sério: UM SUPER ABRAÇO pra você. Não te conheço, mas já gosto de você, acredite. Me desculpe se você me inclui na lista de pessoas que ofendem sua religião. Repito o que sempre disse: o espiritismo como religião é vencedor, pois traz conforto espiritual serenidade e até mesmo beleza (por exemplo, os cultos afro-brasileiros). O que lasca são as pérolas, como essa do Dalai Lama, que supostamente sabe mais sobre reencarnação que qualquer outro, mas se sai com isso. Aí fica difícil de encarar o aspecto “filosófico” do espiritismo, e suas explicações simplistas sobre a morte, as fadas, a AIDS, o autismo, a medicina (recentemente uma revista publicou uma matéria ridícula, dizendo que os bons fisioterapêutas são na verdade médiums que não sabem disso, e que dão “passes” em seus pacientes inconscientemente, ajudando-os e, com isso, jogando no lixo todos os avanços científicos da área, levando para o espiritismo os louros desses avanços), etc. Tenho certeza que C.M. não defende tais pérolas em seu coração, pois é no coração que a religião deve agir: transformando vidas, trazendo paz, e promovendo a religação do homem ao que ele aprendeu a chamar de “Deus”.

  43. Ricardo RJ Diz:

    CHICO TINHA QUE SE INTRUIR PARA MELHOR SERVIR DE CANAL MEDIÚNICO PARA OS ESPÍRITOS.QUANTO MAIOR O PREPARO E A CULTURA QUE O MÉDIUM ADQUIRE AO LONGO DE SUA VIDA,MELHOR É O SEU DESEMPENHO MEDIÚNICO.NÃO É NADA DEMAIS QUE ELE TENHA SIDO UM BOM ALUNO NO CURSO PRIMÁRIO.

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)