Waldo Vieira responde às perguntas

Seguindo a dica do internauta Roberto Passos, consegui achar o Waldo Vieira na internet e fazer perguntas a ele, as quais respondeu. Algumas das respostas não esclarecem muito, mas ao menos uma desfaz um mito criado por Luciano dos Anjos, revelando a verdadeira identidade do espírito André Luiz.

No dia 24 de setembro, na matéria “Livro Mecanismos da Mediunidade (1960) de Chico Xavier e Waldo Vieira”, o internauta Roberto Passos me ofereceu uma forma de entrar em contato com Waldo Vieira: 

É só acessar tertuliaconscienciologia.org , que ele esta lá debatendo suas idéias com o pessoal do CEAEC.  É ao vivo, diariamente das 12:30 às 14:30 hrs, inclusive sabados, domingos e feriados. Obs: É só enviar seu questionamento on-line, que ele responde. 

Foi o que fiz no dia 26 de setembro de 2009. 21 minutos antes da transmissão ao vivo começar, enviei 3 perguntas pelo questionamento on-line. Eu estava com certa apreensão temendo esperar duas horas para ter minhas perguntas respondidas, ou pior: que não fossem respondidas. Porém, felizmente ele respondeu minhas perguntas antes dos primeiros 15 ou mesmo 10 minutos da transmissão.  

Eu não gravei a transmissão, mas quem tiver qualquer dúvida do exposto aqui, pode escrever para o Waldo e confirmar suas respostas. Eis as perguntas: 

Olá, Prof. Waldo Vieira, 

são basicamente 3 ou 4 perguntas, irei enumerá-las: 

1) Se possível, gostaria que o senhor me dissesse quais os livros que serviram de inspiração para André Luiz escrever “Evolução em Dois Mundos” e “Mecanismos da Mediunidade”. Luciano dos Anjos informa ter sido “O Atomo”, de Fritz Khan, no tocante a “Mecanismos da Mediunidade”. O senhor confirma essa informação? Caso sim, foi somente esse livro ou houve mais algum? 

2) E no caso de “Evolução em Dois Mundos“, qual o livro terreno que o espírito se inspirou? 

3) Luciano dos Anjos também diz que André Luiz é Faustino Monteiro Espozel. O senhor confirma isso também? 

Um abraço. 

Quanto às respostas, Waldo basicamente disse com relação às perguntas 1 e 2 que não sabe quais livros terrenos André Luiz se inspirou. Eu acho isso um pouco difícil de acreditar, mas enfim… vamos dar o benefício da dúvida. Quanto à 3ª pergunta, Waldo disse que associar André Luiz a Faustino Espozel é besteira. André Luiz é Carlos Chagas, e inclusive falou que já havia dito isso em seu programa.  

É isso. Achei muito bom Waldo Vieira ter aberto esse canal de comunicação na internet. Para quem quiser fazer perguntas, pode escrever que pelo menos no meu caso, ele respondeu!

9 respostas a “Waldo Vieira responde às perguntas”

  1. Carlos Magno Diz:

    Estou achando esse seu questionamento arguto, mas comedido, e o ceticismo colocado por você é maduro, além claro, de respeitar as informações passadas pelo Waldo Vieira.

    Assim penso que o blog ganha outra coloração.

  2. Ricardo Diz:

    Legal esse blog!
    [email protected]

  3. homeover Diz:

    Acho interessante informar também,que com consta no livro de Marcel Souto,JORNALISTA NÃO ESPÍRITA,,”AS VIDAS DE CHICO XAVIER” .WALDO VIEIRA APESAR DE NÃO SE DECLARAR MAIS ESPÍRITA,CONFIRMA A EXISTÊNCIA DE ANDRÉ LUIZ(ESPÍRITO),E DIZ QUE SEU(DE ANDRÉ) PROGRAMA DE TRABALHO ERA SÉRIO E ÚTIL.

  4. Waldeleu Brito Diz:

    Sobre o tema Projeciologia, passei a interessar-me por ele há pouco tempo. Os seres humanos não conseguiram obter informações que os apresentem à realidade. Somos condicionados pela propaganda subliminar a aceitar as lendas judaicas, cristãs e islâmicas como fontes de uma realidade que a razão rejeita. Depois de percorrer vários caminhos em busca de uma explicação sobre o significado da vida, encontrei o budismo, todavia, como ele é simplesmente um caminho, não satisfez a minha aguda curiosidade sobre a minha relação com o Cosmos. Os cristãos dominam a maioria das riquezas do mundo, por isso pendem mais para o materialismo .Hitler foi um seguidor do imperador Otto I, que fundou o Sacro Império Romano Germânico, por isso o nazismo brotou do ovo da serpente que foi alimentado pelos tribunais da inquisição e pelas cruzadas. Os governos fortes apoiados no fascismo, nazismo e comunismo sempre tiveram a preocupação de domínio da sociedade através da propaganda e da violência. Nunca se peocuparam efetivamente com o ser humano.A alternativa seria o budismo, porém sua maior preocupação é com a alma, deixando um espaço na mente do homem que é ocupado por dogmas políticos e religiosos. Aprendi, quando estava na Ordem Rosacruz (Amorc), a fazer hipnose pelo método da letargia. Em 1963, usando esse método e aproveitando a sensibilidade mediúnica de minha então mulher, consegui fazer contato com o meu filho de três meses, que se apresentava como o general francês Jean Victor Moreau. Numa de suas aparições na sessão de hipnose, via-se ao fundo, como se estivesse colada na parede, a expressão: mai/1808; mesmo usando a meditação, que me trouxe à memoria figuras como Napoleão Bonaparte, Desirée, Moreau, Josefina, Madame Talien e outros foi que encontrei estarrecido a resposta que procurava há mais de quarenta anos sobre aquela data.
    Atenciosamente
    Waldeleu Brito
    Rua Tavares de Macedo nº 20 apto 1001-bl B- CEP 24.228-900- Icaraí Niterói RJ

  5. Oliveira Bueno Diz:

    Estão todos errados. Nem Faustino Monteiro Espozel nem Carlos Chagas. O espírito André Luiz foi o médico infectologista Oswaldo Cruz.

  6. Avicebron, o Hilemorfista Diz:

    Análise científica da psicografia?! Onde a cientificidade?! Aqui se têm opiniões pessoais levadas à condição de verdades universais. Bobajada pura e aplicadíssima de um catão.

  7. rafAeL Giordano Barboza Gondim Diz:

    Olá (Obra laboriosa da árvore), estou interessado em tirar uma dúvida: Me considero a reencarnação de Oswaldo Cruz, por isso gostaria de entender como que André Luiz psicografou em 2010. Há fraude no espiritismo ou sou capaz de psicografar mesmo sendo encarnado? Observe meu relato no atual livro que organizei:

    O EVANGELHO SEGUNDO ELIAS

    Jesus é a Luz e eu sou o Iluminado!

    Rafael Giordano Barboza Gondim

    O Testemunho relevante (prefácio)

    Adão
    No Éden possuíam vários animais e vegetais, mas o que mais me chamava à atenção era a árvore da vida, isto é a oliveira e a árvore do bem e do mal, ou seja, a figueira.
    Quando Eva, ou melhor a Vida, me ofereceu aquele fruto, por já ter ingerido e dito que era bom, mal sabíamos que iríamos passar pelas ilusões da discriminação: luz e sombra, grande e pequeno, macho e fêmea… Opa! Éramos diferentes, então cozemos folhas daquela surpreendente árvore e fomos expulsos; é melhor descrever o real fato: fomos para um mundo de provações e desbravar este novo contexto de discriminar o frio do quente, fome e saciedade fisiológica.

    Mahadeva
    Não demorou muito para que eu ganhasse destaque no umbral sob o nome de Mahadeva e minhas intenções de combate sempre foram bem nítidas, quanto às ilusões em que a discriminação cria na maravilhosa mente humana (adâmica).
    Então, observando a criação do Éden percebi vários animais, mas foram as víboras que solicitaram amparo, então pensei:
    - Aqui está a minha chance de resgatar o débito da desobediência, caso auxilie as víboras, quitarei partes do débito com o Criador!
    Assim fiz, fui a um pastor de um rebanho, que era o rei de direito das víboras e… (Êxodo, 3:1-22; 4:1-4)
    O cedro de Moisés, que era a vara, simboliza o povo das víboras, em outras palavras: O povo que vivia o pecado original, das discriminações funestas.
    Foi por este motivo que Jesus Cristo repetira várias vezes: “Raça de víboras!”

    Elias
    Pelo fato de ser um povo iludido pelas aparências, necessitavam constantemente de sinais, do contrário se rebelavam ou criavam dissensões, motivo que fez Baal ganhar força e matar quase todos os profetas daquela região, onde, mais uma vez intercedi, desta vez sob o nome de Elias.
    Descreverei o objetivo do holocausto:
    12 pedras = 12 apóstolos;
    Rego = sementes de trigo e mostarda;
    Lenha e bezerro = Crucificação
    Quanto aos outros detalhes são pertinentes ao batismo de fogo. O que posso adiantar é que o corpo é o templo, a mente o altar e os pensamentos a oferenda.
    O meu crime não foi o assassinato dos profetas arrependidos que já haviam convertidos os seus corações ao nosso Deus Único Criador, mas, sim, à desobediência, pois não consultei ao Criador se deveria matá-los, simplesmente tomei a iniciativa homicida.

    Siddharta Gautama
    A culpa tomou meus mais profundos sentimentos e solicitei uma encarnação para a resignação de meus crimes, foi então que fui adotado sob o nome de Sidarta Gautama, mas fiquei conhecido como O Buda.
    Quando findei esta encarnação retornei ao umbral, mas o Arcanjo Gabriel me convidou a entrar no céu, pois este foi o salário de meus trabalhos realizados principalmente nas duas ultimas encarnações. Recusei o convite e expliquei que enquanto tiver um irmão sofrendo neste mundo de ilusões, não serei digno de entrar no céu.

    João Batista
    Então solicitei nova encarnação no povo do Deus Criador e, que maravilha, tive o prazer de Batizar Jesus Cristo, que é um homem sério e ao mesmo tempo sereno, mas justo nos menores gestos que expressava.
    Pelo fato de minha encarnação ter sido em casa de sacerdócio, compartilhei minha doutrina com ele. Para minha surpresa, após ter resgatado meu débito como Elias, sendo degolado a mando de Jezabel com o apoio de Acabe, desta vez com outros nomes, Jesus Cristo pregou minha doutrina em forma de parábola, e, desta vez possuo a chance de dar o testemunho a cerca de sua autoridade e resgatar seu Evangelho.

    Arcanjo ou Serafim Rafael
    Mas antes gostaria de apenas narrar as minhas passagens posteriores: Ao Islam e à seicho-no-ie (Xintoísmo) me apresentei como anjo, mas sou considerado como serafim por outros, no entanto muitos me conhecem como Arcanjo Rafael.

    Constantino o Grande
    Também estive em Roma sob o nome de Constantino, estive em Patmos narrando o Apocalipse para João Evangelista, pois sou o cordeiro da narração e o Anjo Forte do capítulo dez.
    Narro isso, pois o Papa Anacleto, seguindo ordens do imperador distorceu grandes partes do livro revelador.

    Estácio de Sá
    Reencarnei como Estácio de Sá e, certa vez estávamos voltando de uma batalha sangrenta, quando passamos por um vilarejo e uma criança mestiça quis tocar meu cavalo, muito hábil com a espada, dei-lhe um golpe com a mesma, no braço da criança, cortando-a, mas não muito profundo o corte; o meu subordinado, que era mais bruto do que eu, disse:
    - Não era necessário fazer isso!
    - Isso não é nem gente – respondi.
    A partir deste diálogo, refleti sobre o assunto e passei a defender aos mestiços e aos silvícolas.
    Agora, nesta encarnaçãoatual, minha mãe, em um surto cortou meu braço aos três anos de idade, e tinha o mesmo olhar de ódio que a criança agredida tinha na cena descrita logo acima. Foi onde entendi a lei do karma (ação e reação).

    René Descartes
    Reencarnei como René Descartes para conhecer a hipnose e o magnetismo humano, e, aprender a explorar os hemisférios cerebrais, além do cerebelo.

    Oswaldo Cruz
    Reencarnei como Oswaldo Cruz, ultima encarnação de abusos e, finalmente, aqui estou como Rafael Giordano Barboza Gondim, a testemunha fiel de Jesus Cristo. A atual condição é a de preservar o Evangelho e preparar o caminho do Mestre Amado.

    Cronologia das encarnações:
    Adão ou Mahadeva (+/- 6.000 a.C.);
    Rei Davi (+/- 1040 a.C. a 970 a.C.);
    Profeta Elias (sec. IX a.C.);
    Siddharta Gautama ou Espírito Verdade (563 a.C. a 483 a.C.);
    João Batista ou Arcanjo Rafael (Belém da Judéia, 6 meses a.C. – Nazaré da Galiléia 30 d.C.);
    Constantino Magno (em latim Flavius Valerius Constantinus; Naissus, 272 — 22 de maio de 337);
    Estácio de Sá (Santarém, 1520 — Rio de Janeiro, 20 de fevereiro de 1567);
    René Descartes ou Um Espírito protetor (La Haye en Touraine, 31 de março de 1596 – Estocolmo, 11 de fevereiro de 1650);
    Osvaldo Gonçalves Cruz ou André Luiz (São Luiz do Paraitinga, 5 de agosto de 1872 — Petrópolis, 11 de fevereiro de 1917);
    Rafael Giordano Barboza Gondim ( Porto Velho, 23 de dezembro de 1983).

  8. rafAeL Giordano Barboza Gondim Diz:

    Para garantir a seriedade de minhas informações te repasso a introdução de “O EVANGELHO SEGUNDO ELIAS”

    INTRODUÇÃO

    (EFATA)

    Há algumas etapas no processo de percepção: as trevas da ignorância; o preconceito, que já é um progresso; a discriminação, que já é um processo de aprendizagem; as ilusões, que são as sombras dos conhecimentos, ou seja, a crença; a transformação que é a percepção propriamente dita; e, finalmente a consciência que é a transmissão da percepção. Fé é a combinação entre crença e consciência.

    Os olhos são espelhos da alma. Jesus
    (Mat., 5:13-16 e 6:22 e 23; Mac., 4: 21-23; Luc., 14:34 e 35; 8:16 e 17; 11:33-36)

    Tiago, 2:13 e 26
    Apocalipse, 19:16
    Apocalipse, 10:1
    - misericórdia x juízo: Isaías, 42:1-4
    - fé x obra: Isaías, 42:22-25
    Isaías, 49:6,8,26
    Hebreus, 8:1-13
    Mat., 2:1-23

    (NÃO PROFANEIS AS COISAS SANTAS)

    Há nove selos citados no Apocalipse, sendo um o Selo do Dragão (II Pedro, 3:8; Apocalipse, 20:1-3; Jo., 10:10) mais oito selos do Cristo (Apocalipse, 3:8). Nesta primeira parte citarei apenas o bestial, como consta logo acima e o último, o Selo do Deus Vivo (Apocalipse, 7:1 e 4); Pai (Mat., 23:8-12); Filho (Mar., 12:24-27; Gen., 2:24); Espírito (Jo., 15:26; 14:26). Quanto aos demais selos estão representados antes de cada carta (Apoc., 13:5) esta passagem refere-se a Elias por conta dos 42 meses (Vide última Bem-Aventurança). Para entender a blasfêmia, compare (Apoc., 13:1), que é Jesus; pois Jesus é a cabeça da igreja.
    O chifre ou seta são guias para Deus, isto é os dez mandamentos; as dez diademas ou arco é o concerto de Deus, ou seja, os exemplos de Jesus para testificar os mandamentos de Deus.
    Para finalizar o assunto da blasfêmia e entender o real significado (Jo., 10:30-34).
    Em síntese O Evangelho Segundo Elias não é psicografia, mas um compêndio mnemônico.
    Durante um bom tempo tive em laboratório bebendo o chá da União do Vegetal, fazendo experimentos psico-fisiológicos (Apoc., 10:10-11). Durante este período pude lembrar muitas coisas do passado e dominar outras energias. Devo lembrar que o Criador é sagrado e que todas as coisas que ele criou são sagrados; o problema são os abusos e o adultério das funcionalidades existenciais, em outras palavras: devemos aproveitar o equilíbrio que edifica.
    O livro possui principalmente Apocalipse, 13:
    Nove selos e sete cartas e sete igrejas e sete mensagens às igrejas.
    10 mandamentos (10 chifres – indicação para Deus), 10 mensagens de Jesus (10 diademas – concerto de Deus com os homens), 6 explicações de Buda (apocalipse, 13:18) quanto ao número bestial que é 6+6+6=18 noves fora (1+8=9) temos o mesmo resultado em (Apoc., 7:4) onde 144 noves fora (1+4+4=9); portanto o número da besta e dos escolhidos é o mesmo (Gen., 1:24-25).
    Doze bem-aventuranças sendo dez do Cristo e duas de Elias.

    Em minha obra Evolução em Dois Mundos, além de estar em acordo com O Livro dos Espíritos, derruba o primeiro mandamento que esta agregado com o segundo e o último mandamento que foi desmembrado por Kardec no O Evangelho Segundo O Espiritismo. O que me estranha e que ao invés de reformar, em um ato puritanista, preferem impedir outras de serem lançadas.
    Porém entendo que há um preconceito grande em volta do Apocalipse (Revelação).
    Para isso explicarei como funciona:

    Apoc., 1:13 – Um semelhante ao filho do homem (Elias)
    Para quem teme a Deus, não deve temer ao dicionário: semelhança não é sinônimo de igualdade; portanto, não é a própria pessoa.

    Apoc., 4:2… – Um assentado no trono (Jesus)
    Ninguém viu Deus (Jo., 1:1-18)

    Apoc., 4:6-7 – Os animais são os quatro querubins das quatro revelação
    1 semelhante ao leão: hinduísmo
    2 semelhante ao bezerro: budismo (Elias)
    3 rosto como de homem: cristianismo (Jesus)
    4 semelhante a uma águia: espiritismo (João Evangelista e Verdade – Elias)
    Tenho uma observação a fazer: Lúcifer era um querubim; Rafael, Gabriel e Miguel são Serafins.

    Apoc., 5:6-8 – O cordeiro esta diante do Cristo, Elias (Hebreus, 8:1-2)

    Quanto ao capitulo 13 do Apocalipse lê-se no capitulo 10:2 e compare com a Dança de Shiva. Porém o Papa Anacleto modificou partes do apocalipse que era considerado o corpo do texto, em outras palavras: índice.

    Profecias de Isaías e Sacerdócio de Elias

    Isaías, 42
    Isaías, 49
    Isaías, 50:4-11
    Isaías, 66:1-18
    Isaías,14:3-6
    Gênesis, 1:29 e 30

    Justificativas do pedido de silêncio (Luc., 1:1-25)
    Sacerdócio
    Arão
    Incenso
    Lado do altar
    Bebida inebriante
    Frente do Senhor
    Zacarias ficou como?

    João Batista era a reencarnação de Sidarta Gautama, por isso que há registro dos reis magos do oriente (Índia) mas, ao depararem-se com Jesus Cristo maravilharam-se com a beleza e superioridade moral, onde então, ao depararem com outra realidade: a manjedoura e a simplicidade dos pais, concordaram em dar os presentes a ele.

    Jurisdição Sacerdotal e Geografia
    Jesus (Mat., 2:11)
    João (Luc., 1:5)
    Diferença (Mat., 2:16)
    Testemunho necessário (Jo., 3:22-36)

    II Reis, 6:26 e 27;
    Efésios, 6:1-20; 1:11
    Mateus, 25:14-30
    Isaías, 14:24-27

    (PROFECIAS DE NOSTRADAMUS REFERENTES A ELIAS JÁ CUMPRIDAS)

    (CVI: 100; Apocalipse, 21:6-8; I Cor., 21:6-8)

    Gostaria de destacar algumas profecias referentes a esta obra: (CI: 1; CI: 2 – Apoc., 10:1-2; 11:1; CI: 96; CII: 8; CII: 13; CII: 27; CII: 58; CIII:2 – Apoc., 10:2; 7:2; 5:5-8; :22:16; Êxodo, 3:2; Reis, 18:22; CIII:94; CIV:31; CIV: 49; CV: 41; CV: 53; CVIII: -61) Bem-Aventurados os que ouvem e guardam as profecias!

  9. rafAeL Giordano Barboza Gondim Diz:

    Aguardo contato para esclarecimento sobre o assunto anterior: (69) 8487-5253

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)