O Feitiço de Áquila – Parte 1

A confecção do estudo que eu, José Carlos Ferreira Fernandes, denominei “O Feitiço de Áquila” assumiu um tamanho tal que me pareceu ser melhor apresentá-lo por partes, possibilitando inclusive uma maior chance de comentários dos leitores.  O referido estudo procurava, em sua origem, analisar a fidedignidade da informação segundo a qual existiria um (pretenso) manuscrito do ciclo de Pilatos com alusões a Públio Lêntulo, manuscrito esse datável dos finais do séc. XIII (mais especificamente, do ano de 1280) e encontrado na cidade italiana de Aquiléia, no Vêneto.  Não obstante, a partir dessa pesquisa inicial, outros tópicos correlatos, e também igualmente importantes, passaram a ser também objeto de análise.   Assim sendo, contando com a já lendária tolerância do sr. Vitor Moura, esse estudo (já quase pronto) será apresentado em três partes (“O Feitiço de Áquila” I, II e III), das quais a primeira vem a seguir.

Nessa primeira parte, ora apresentada, são os seguintes os tópicos analisados:

  • Algumas considerações (já mencionadas en passant em vários outros textos de minha autoria, mas aqui ampliadas e consolidadas) acerca da análise de documentos antigos, e o que eles podem dizer acerca da autenticidade dum texto que neles conste.  Nunca é demais insistir na importância da análise documental, especialmente quando o que se está estudando são documentos que, se verdadeiros, seriam de grande relevância e de alta importância (a “carta” de Lêntulo, ou a “sentença” de Pilatos no julgamento de Jesus)…
  • A apresentação do problema – um misterioso manuscrito, descoberto em “Aquiléia”, em 1280, aparentemente ligado ao “ciclo de Pilatos”, e que traria revelações sensacionais acerca da “carta” de Lêntulo e de sua pretensa autenticidade.
  • Circunscrição do problema: mostra-se que não existe nenhum “manuscrito aquileu” (i.e., de Aquiléia) de 1280, mas sim, na verdade, uma “sentença de Jesus”, encontrada em Áquila, nos Abruzos (e não em Aquiléia, no Vêneto), em 1580 (e não em 1280!!!), e que, aliás, absolutamente nada acrescenta, em termos de autenticidade, à “carta” de Lêntulo (já que “Lêntulo” não é mencionado em parte alguma dos escritos do “ciclo de Pilatos”).  Nesse “manuscrito aquilano” (e não “aquileu”) concentra-se, assim, o estudo.
  • Para isso, ambienta-se o local do “achamento” da sentença, Áquila, nos Abruzos, com a sua “tradição” samnita, bem como com uma outra “tradição”, a de ter sido a “pátria” de Pilatos.  Apresentam-se, quanto a isso, os vários povos da antiga Itália, com destaque posterior para os samnitas e para a sua encarniçada resistência aos romanos.
  • Passa-se, a seguir, à sentença propriamente dita, mostrando-se, com o maior detalhe possível, as circunstâncias peculiares de seu “achamento” em 1580, bem como o seu bizarro conteúdo.
  • Enfim, mostra-se a recepção imediata, na Europa, da sentença aquilana, especialmente com os folhetins impressos na França e em Ratisbona, na Alemanha, bem como o estudo contemporâneo acerca da autenticidade da peça, comissionado pelo bispo de Nocera, Paulo Giovio o Moço, e realizado pelo jurista Camilo Borrelli (concluído em 1581, mas publicado em Nápoles apenas em 1588), no qual o referido sábio convincentemente emitiu o parecer de que a “sentença aquilana” não passava duma falsificação.  Também são citadas obras posteriores, de Cláudio Crispo Monti e de Gregório Motilli, que, sem fundamentação adequada, consideraram a “sentença” como substancialmente autêntica.

Esse, então, o conteúdo do estudo a seguir, e do texto ora apresentado à consideração dos leitores deste “blog”.

Para depois: “O Feitiço de Áquila II” 

Na 2ª parte, serão oportunamente tratados os seguintes tópicos:

  • A origem da curiosidade acerca do exato teor da “sentença” de Pilatos condenando Jesus: mostrar-se-á que o bizarro documento de Áquila não nasceu do nada, mas que, à época (séc. XVI), havia uma curiosidade (em si bastante saudável, e típica da época renascentista) acerca do esclarecimento das circunstâncias jurídicas ligadas à execução de Jesus.  Ver-se-á que, a partir dessa curiosidade, e tendo em vista, entre outras coisas, a concisão dos relatos dos Evangelhos, proliferaram possíveis “textos” da “sentença” proferida no tribunal de Pilatos naquele que foi, sem dúvida o mais famoso julgamento da História.  Mostrar-se-ão os antecedentes acerca dum possível “texto” da sentença, desde a menção resumidíssima e sintética constante dos “Atos de Pilatos” até ao “achamento” do fantástico documento de Áquila.
  • Aproveitar-se-á a ocasião para apresentar e analisar uma peça anti-semita que surgiu no rastro dessa busca pela “sentença” de Pilatos, o “Julgamento Sanguinário” (o relato do conciliábulo dos dirigentes judeus que decidiram levar Jesus diante de Pilatos, para o condenar à morte), e como tal documento se inseriu na tendência de transferir a “culpa” da morte de Cristo do tribunal de Pilatos para a própria classe dirigente judaica e, a partir dela, para todo o povo judeu, em geral (com a terrível frase “caia seu sangue sobre nós, e sobre nossos filhos”.
  • A seguir, iniciar-se-á um estudo sobre a efetiva plausibilidade histórica da existência duma “sentença” formal, ou seja, por escrito, exarada pelo tribunal de Pilatos, condenando Jesus à morte por crucifixão.  Para isso, apresentar-se-á a descrição do “status” das pessoas (cidadãos, não-cidadãos, escravos, etc.) e dos lugares (províncias, colônias, cidades-livres, etc.) no Império Romano na época de Augusto e dos Júlio-Cláudios, a fim de estabelecer as competências dum governador de província em termos da execução duma sentença capital, bem como os (eventuais) direitos de defesa que caberiam ao acusado, em consonância com seu “status” na sociedade.  Complementarmente, mostrar-se-ão os procedimentos administrativos usuais nas províncias romanas.
  • Logo após, apresentar-se-á, especificamente, o procedimento utilizado nos julgamentos (cognitio extra ordinem), e demonstrar-se-á que, usualmente, na época de Augusto e dos Júlio-Cláudios, tais procedimentos eram preponderantemente orais.  Discutir-se-ão, inclusive, os casos em que haveria a necessidade da redação de documentos.
  • Terminar-se-á a 2ª parte com o elenco duma série de exemplos de julgamentos da época de Jesus, ou imediatamente posteriores, para fins de exemplificação dos procedimentos utilizados nas cortes romanas, ou de governantes clientes de Roma, ou de cortes locais de províncias romanas: a execução de São João Batista, a lapidação de Santo Estêvão o Protomártir, a morte de Tiago, irmão de João (São Tiago Maior), a supressão da revolta de Teudas, o processo de São Paulo Apóstolo (extremamente ilustrativo), a morte de Tiago, “o irmão do Senhor” (São Tiago o Justo), o processo contra Jesus o filho de Ananias, o processo de Plínio o Moço contra os cristãos e a narrativa do julgamento e condenação de São Justino o Mártir.  Concluir-se-á não apenas pela inexistência, no caso de Jesus, duma “sentença” formal escrita, mas também pela total impossibilidade duma “legação” senatorial, fosse de que forma fosse, como a que pretensamente “Públio Lêntulo” teria exercido na época da prefeitura de Pôncio Pilatos na província da Judéia.

E, para mais depois: “O Feitiço de Áquila III” 

Na 3ª e última parte, retomar-se-á o fio da meada da “sentença aquilana”, ampliando-se depois o escopo de modo a atingir a “carta” de Lêntulo, e apresentando-se os seguintes tópicos:

  • Mostrar-se-á uma “nova versão” da sentença aquilana, “ressuscitada” na imprensa sensacionalista em 1839, elencando-se as principais reportagens a respeito, bem como a refutação que, já à época, lhe foi oposta.
  • Constatar-se-á que, malgrado tal refutação, bem embasada, a “sentença” continuou viva, reaparecendo, de tempos em tempos, em jornais, revistas ou folhetins.  Mostrar-se-á, adicionalmente, que foi por ocasião dessa “segunda sentença” que surgiu a data de “1280”, em substituição à de “1580”, que era a do “achamento” da “sentença” original (que, aliás, nem é mencionada).
  • Apresentar-se-á a seguir uma análise circunstanciada dessa “segunda sentença”, mostrando tratar-se, simplesmente, de mais uma fraude, e, depois, da própria primeira “sentença”, chegando-se à mesmíssima conclusão.
  • Para concluir, levar-se-á a cabo uma avant-première lentuliana.  Analisar-se-á o texto que é comumente apresentado para a “carta de Lêntulo”, inclusive em portais da Internet, aquele (pretensamente) encontrado na biblioteca do “duque de Cesarini”; apresentar-se-á um esboço genealógico da família Cesarini e analisar-se-á o texto original (em língua italiana) do referido manuscrito, que se pôde obter, mostrando-se tratar-se duma versão recente e posterior da “carta de Lêntulo”, ou seja, sequer sendo a versão mais antiga e mais confiável.
  • A seguir, tecer-se-ão algumas considerações acerca dos mais antigos testemunhos do texto “original” da carta de Lêntulo (tanto os anônimos, quais sejam, o de Ludolfo e o testemunho constante na edição das obras de Santo Anselmo, quanto os que já a atribuem a um até então totalmente desconhecido e jamais antes mencionado “Lêntulo”, como os manuscritos de Iena, o manuscrito de Monte Cassino, etc.), comparando-se-lhes os textos, juntamente com a edição “padrão” e “canônica” de Grynnaeus, constante na sua “Orthodoxographa” de 1569.
  • Enfim, comparar-se-ão as versões de Ludolfo (a mais antiga) e a versão “canônica” de Grynaeus, mostrando-se como a segunda (com a atribuição a Lêntulo) derivou da primeira (sem atribuição), e demonstrando-se cabalmente, de uma vez por todas, que a origem do documento em questão não é um “relatório” (documento inexistente) dum pretenso legado senatorial (cargo inexistente) chamado “Públio Lêntulo” (personagem inexistente) na Judéia (lugar real), no tempo de Pôncio Pilatos (personagem real), o que condenou Jesus (personagem real), embora sua “sentença” (real) tenha sido oral, mas sim uma descrição icônica do rosto de Cristo (com sua imagem canônica, que somente se fixou definitivamente como “a representação padrão” do rosto do Salvador a partir do séc. IX dC) para fins de meditação, típica da devotio moderna e da ênfase na humanidade (e nos sofrimentos físicos) do Senhor, surgida na Europa a partir do séc. XIII dC.

Clique aqui para fazer o download da parte 1 da série “O Feitiço de Áquila”.

385 respostas a “O Feitiço de Áquila – Parte 1”

  1. Gilberto Diz:

    Comentário, alguém? Ô…

  2. Vitor Diz:

    Até agora só duas pessoas fizeram o download. Uma delas foi você, Gilberto?

  3. Gilberto Diz:

    Lerei em breve, juro pelo Brizola mortinho…

  4. Biasetto Diz:

    José Carlos,
    Li o artigo, achei muito bom, porque tuas pesquisas são muito bem fundamentadas, bem documentadas. Eu não discordo de tuas afirmações, então não tenho mais o que falar, cabendo àqueles que não concordam com sua opinão, contrapor.
    Valeu…

  5. Biasetto Diz:

    Vítor,
    Deixa eu aproveitar o espaço, porque estou rindo sem parar.
    Então, teve aquela “brincadeira” lá no face, pra homenagear as crianças e defendê-las contra os abusos né? Bem, você não participou, porque você é chato e antissocial (agora é assim que escreve?), mas tudo bem. Aí, o Gilberto colocou uma foto lá, só podia ser ele pra fazer isto. Putz! toda vez que vejo aquilo, que doido, não paro de rir. Estou rindo, agorinha mesmo, sem parar.
    Eh! Gil…

  6. Vitor Diz:

    Biasetto,
    eu participei desde o início da brincadeira. Na homenagem era para colocar um personagem de quadrinhos ou desenho animado que tenha marcado a infância. O meu avatar já era de um personagem dos quadrinhos.

  7. Biasetto Diz:

    Hehê, se saiu bem.
    Agora, eu e Sônia (kkk!, nesta você não vai entrar), estamos com outra iniciativa lá.

  8. Biasetto Diz:

    Vítor e colegas,
    Já que o blog anda meio “paradão”, quero aproveitar o espaço, respondendo a um amigo que num email, a mim endereçado, afirmou que meus artigos aqui, não passam de um “gibi”.
    Fiquei matutando este comentário, e resolvi expor algumas verdades, respondendo ao tal amigo.
    Quero aproveitar também, e responder ao Caio, que pediu para que o Antonio G explicasse porque abandonou o espiritismo. O Antonio disse que uma “hora dessas” ele expõe melhor suas razões. Como ele não fez, vou fazer.
    Antes, quero registrar dois aspectos importantes:
    I – eu pensei em escrever um livro sobre minhas pesquisas, talvez ainda escreva, mas estou achando que não vou escrever nada, por dois motivos principais:
    1º Eu guardo um grande respeito por todos aqueles que estão sendo enganados, há muito tempo, pelas falsas psicografias de Chico Xavier, especialmente aqueles que o procuraram para receber mensagens de parentes, às vezes, pais querendo saber sobre filhos, e isto me deixa muito emocionado, porque posso imaginar a dor destas pessoas.
    Então, se estas pessoas encontraram um consolo nas mensagens, fico me sentindo mal em pensar que posso tirar esta esperança, este consolo, destas pessoas. Estou escrevendo no blog, mas, logicamente, que o espaço aqui, é muito pequeno, perto do que seria, o espaço ocupado por um livro, caso caísse no gosto da mídia, por exemplo.
    2º Eu cheguei a enviar uma mensagem para uma editora, de destaque nacional, falando sobre minhas pesquisas, sobre meu desejo (na ocasião) de escrever o livro, mas ninguém nem me respondeu ao email. Bem, se eu tivesse falado que costumava bater um papo com um ET, todos os dias, às 18 horas, no quintal de minha casa, provavelmente, se interessariam por minha história. Não preciso nem dizer o porquê!
    II – Eu tenho tentado, dentre de minhas diversas análises, achar algum tipo de mediunidade em Xavier, algo que pudesse ser uma espécie de inspiração do além, coisas assim. Mas reconheço que estou forçando a barra, só isso!
    Então, vamos lá:
    Caio, eu acreditava no Chico Xavier, porque fazia as seguintes indagações:
    1º Como poderia uma pessoa com formação tão simples e semi-alfabetizada, escrever sobre assuntos tão diversos?
    2º Como poderia esta pessoa, escrever mais de 400 livros?
    3º Se Chico Xavier fosse uma fraude, alguém já teria percebido erros nas obras dele, plágios, coisas assim.
    Centrado, basicamente, nestes três fundamentos, eu acreditava na mediunidade de Chico Xavier, defendendo-o, ferozmente!
    Assim, Chico Xavier foi a base sólida do espiritismo pra mim. Primeiramente eu conheci Chico Xavier e suas “obras maravilhosas”; depois, é que procurei saber quem foi Kardec, como surgiu o espiritismo.
    Frequentei centros espíritas por uns três ou quatro anos, sem muita disciplina, é verdade, mas o suficiente para dizer que:
    - as pessoas que frequentam os centros, num contexto geral, são honestas, querem receber e fazer o bem;
    - porém, algumas fazem uso do centro para se promoverem, se acham “o tal”;
    - há muita mistificação nos centros espíritas, mensagens melosas, imitações, moralismo arcaico e mentiras de monte;
    - há disputas de poder nos centros espíritas, jogo de egos, até brigas.
    Todos estes fatores, conjugados, me fizeram abandonar os centros, inclusive porque vi gente dando passe lá, que não vale nada – fofoqueiro, mentiroso, invejoso… Quer dizer, que energia pode vir desta pessoa?
    .
    Acho que está muito claro, os motivos que me fizeram deixar os centros. Continuei acreditando no Chico, até conhecer os comentários de Waldo Vieira sobre ele, sobre a doutrina e, especialmente, conhecer este blog, incluindo, pessoas sábias como você.
    Agora, vou responder às minhas indagações, mostrando como eu era ingênuo:
    1º Chico nunca foi semi-alfabetizado. “Fez o curso primário e estudou mais um ano com uma professora particular, que testemunha: “Distinguia-se por sua inteligência, sua memória prodigiosa e sua aplicação ao estudo. Só queria ler, não participava dos brinquedos nem das rodas dos outros meninos, e quando deles queria participar era tão sem jeito e sem graça, que preferia desistir” (“O Diário” de Belo Horizonte, 1954, serie de artigos).
    Outro jornalista afirmou: “Que Chico Xavier não é um iletrado, como espalharam seus admiradores, não é novidade. Já há cerca de quinze anos acentuei como fez estudos secundários, e ainda muito jovem publicava sonetos seus, com sua assinatura, como um que transcrevi naquele artigo, sonetos melhores do que muitos psicografados que ele atribui à Bilac, por exemplo”.
    “Parnaso de Além Túmulo” é um livro que nos causa surpreendente impressão. Só que há vários problemas:
    - já sabemos sobre o caderno que ele confeccionou, com colagens de poemas, biografias, assinaturas…
    - a maioria das pessoas que leu e lê o livro, dentre as quais me incluo, tem pouco conhecimento sobre literatura, sobre as escolas literárias e os estilos dos escritores. Então, não se faz uma análise crítica da obra, e fica-se com a ideia: “Nossa, como alguém tão jovem, tão simples, escreveria algo assim?”
    - mas há vários críticos literários que pensam de forma diferente:
    A – O crítico literário Osório Borba, a pedido do “Diário de Minas” (10-VIII-58) resume assim sua perícia crítica, apoiado também no II Congresso Brasileiro de Escritores (1947): “Levo anos e anos pesquisando. Catei inúmeros defeitos de várias espécies, essenciais ou de forma. A conclusão de minha perícia é totalmente negativa. Aqueles escritos `mediúnicos´, por quem quer que conheça alguma coisa de poesia ou literatura, não podem ser tidos como de autoria dos grandes poetas e escritores a quem são atribuídos. Autores de linguagem impecável em vida, aparecem `assinando´ coisas imperfeitíssimas como linguagem e técnica poética. Os poetas `desencarnados´ se repetem e se parodiam, a todo momento, nos trabalhos que lhes atribuem “mediunicamente´. Por exemplo Antero de Quental plagiando (!) em idéia e até em detalhes, literalmente um soneto de Augusto dos Anjos. Tudo isso está exaustivamente documentado, através de um sem número de citações e confrontos”.
    B – Para o crítico literário Leo Gilson Ribeiro, “Uma coisa é clara: Quando o “espírito” sobe, sua qualidade desce. É inconcebível que grandes criadores de nossa língua, depois da morte fiquem por aí gargarejando o tatibitate espírita” (Revista “Realidade”, Novembro, 1971, pág. 62).
    C – João Dornas Filho, a respeito, por exemplo, de Olavo Bilac: “Esse homem que em vida nunca assinou um verso imperfeito, depois de morto teria ditado ao Sr. Xavier sonetos interinos abaixo de medíocres, cheiros de versos mal medidos, mal rimados e, sobre tudo, numa língua que Bilac absolutamente não escrevia!” (“Folha da Manhã”, S.P., 19-IV-1945).
    O próprio Chico Xavier afirmou seu enorme gosto pela literatura e o desejo de escrever como os grandes escritores.
    2º Chico escreveu mais de 400 livros, mas com muitas repetições e muitas cópias e mais cópias. Quem ler o livro “A Vida Além do Véu”, do reverendo George Vale Owen, por exemplo, vai perceber como tudo que está escrito ali, foi usado na Série Nosso Lar – as ideias e informações do livro de Owen, vão e voltam com freqüência – o modelo da colônia, os belos jardins, as praças, as torres, as águas… a descrição do umbral, das trevas, está tudo lá. É incrível como algumas pessoas usam de desculpas para justificar ou negar as cópias. Libertação é um livro colado, do começo ao fim: “o espírito que vira lobo”, “a espada que amolece”, “o vento sujo que faz os bons espíritos passarem mal”, “o templo das palestras”, “a descrição das paisagens”…
    Depois de ter escrito Há Dois Mil Anos, quando utilizou de passagens de Vida de Jesus e Heculanun, fez uso dos mesmos temas históricos, pra escrever 50 Anos Depois, Paulo e Estevão, Ave Cristo! – o mesmo cenário, as mesmas mensagens… Tudo atribuído a informações de Emmanuel, um espírito que não se prova, tendo sido reencarnação de um senador romano que não consta em registro algum da história, como bem pesquisou o JCFF; tendo sido, mais tarde, o Padre Manoel da Nóbrega, personagem de destaque na história do Brasil, mas que não quis falar sobre nossa história (algo, no mínimo, estranho!).
    No encaixe das peças do quebra-cabeça, A Vida Além do Véu também “emprestou” passagens para A Caminho da Luz, obra que se baseou, em especial, no livro de Shuré – Os Grandes Iniciados, mas também trouxe passagens de No Invisível, de Leon Denis.
    3º Ficava ainda, pra mim, faltando uma peça fundamental: como explicar as inúmeras referências sobre temas complexos, ligados à medicina, à psicologia, à biologia, em livros como Evolução em Dois Mundos, ou Mecanismos da Mediunidade, com a questão da química, da física…
    Mas achei a peça que faltava. É só ler Evolução Anímica do Gabriel Delanne. Além, é claro, de O Átomo, de Fritz Kahn.
    Então, tudo se encaixou:
    O gosto pela literatura + os cadernos de anotações + A Vida de Jesus + Heculanun + No Invisível + Evolução Anímica + A Vida Além do Véu + O Átomo = 400 livros.
    Tem várias obras com mensagens pra levantar o astral. Belas, inclusive. Nada tão difícil, pois desde a Antiguidade, estes livros já eram escritos. Até a “bispa” Hernandes lançou algo assim, dias atrás.
    Eu, estou convencido, de que Chico Xavier foi um homem bom, muito bom. Dentro da preocupação dele, inclusive exagerada, de aceitar e querer ser aceito, de reverenciar os santos católicos e querer ser santo, Chico passou a vida querendo consolar, ajudar, diminuir a dor das pessoas, fazendo caridades. É fato, não há como negar. Também é fato, de que era muito disciplinado, autodidata, empenhado nas coisas que fazia, muito criativo, bom escritor. Porém, INFELIZMENTE, pelo menos pra mim, a mediunidade dele foi uma grande farsa, uma incrível e extraordinária história de “faz de conta”, digna de Oscar. É isto aí, mas meu amigo disse que minhas pesquisas são “gibis”.
    .
    Quem quiser tirar a prova, sobre os livros que serviram de base para que o Chico escrevesse, animicamente, as obras que escreveu, eu sugiro a leitura de quatro livros, pelo menos estes:
    - A Vida Além do Véu, do reverendo George Owen;
    - No Invisível, do Leon Denis;
    - Os Grande Iniciados, de Edouard Shuré;
    - Evolução Anímica, de Gabriel Delanne.
    Estes livros representam a base, os alicerces da obra de Chico Xavier.
    .
    Um abraço e boa semana a todos.

  9. Antonio G. - POA Diz:

    O que mais eu poderia dizer para justificar minha decepção com o espiritismo depois desta “aula” do Biasetto enfocando o “guru maior” do espiritismo brasileiro? Foi assim com Chico e é assim com todos os demais grandes luminares da doutrina. Farsas, fraudes ou delírios. Esta é a metodologia aplicada para cativar os adeptos do espiritismo, em geral pessoas de boa índole e boa vontade. Porém, esta gente é fascinada pelas “maravilhas” propagadas pelos agentes da doutrina, notadamente, os “médiuns”. Magia e fantasia. Nada além disso. Enquanto estamos iludidos, é compreensível que fiquemos até “chocados” com o ceticismo alheio. Mas depois que “a ficha cai”, seria até desonesto fingir que respeitamos este “circo”. Nem as boas intenções de alguns justificam a mentira. Eu respeito os crentes de boa fé. Mas repudio e desprezo os enganadores.
    Sds.

  10. Serious Business Diz:

    Assim como os colegas acima. Também acreditei, um dia, nas psicografias e livros de CX…
    .
    Devido a alguns estudos contidos neste blog e estudos semelhantes do Espiritismo “Ortodoxo”, pude visualizar o quão enganado estive.
    .
    Na verdade, esse “espiritismo” do CX, Divaldo e cia nem sequer é espiritismo, é uma outra religião construída sobre ensinamentos desses “gurus” e distribuída pela FEB ao povo brasileiro. Quase tudo que se atribui ao espiritismo aqui no Brasil não é abordado pela codificação do Kardec. Isso quando não lhe é contrário (Ex: Umbral, Colônias espirituais, agua fluidificada, incorporações e etc).
    .
    Não acho que o CX seja uma pessoa de má índole ou com intenções excusas. Ele utilizou suas habilidades para fazer o bem e trazer consolação a muita gente. Ele pegou um determinado contexto e o adaptou para a consecução desses objetivos…
    .
    Eu acredito que para a maioria das pessoas, é melhor ser feliz achando que um ente querido está bem do outro lado (pós morte) do que viver triste e inconformado por não saber o destino daquele que amava. Enfim, “A mentira que consola e´melhor do que a verdade que fere” …
    .
    t+

  11. Juliano Diz:

    Primeiramente parabéns pela explanação do Biasetto. Um resumo muito claro sobre a fraude que foi CX, e por conseguinte toda a estrutura espírita que o segue. Porém, tenho uma dúvida. Os fins justificam os meios? Em tese não, mas se algumas vezes as pessoas tomam certos meios não tão corretos para alcançar certos fins, que pelo menos tenham a coragem de não criticar abertamente a tese que por eles foi adotada. Ou que pelo menos assumam posteriormente que erraram. Mas tal não ocorre. Eu desconheço desse pessoal espírita eles assumirem os seus erros. Literalmente, gospe-se no prato que se come. E isto eu vejo como falta de caráter. O que macula todo o movimento. E de modo geral é o que se tem por aí. Muitas “mensagens moralistas” que falam uma coisa e fazem exatamente o que criticam no dia a dia. Não basta parecer honesto, tem que ser honesto na prática! É isto.

  12. Roberto Scur Diz:

    Biasetto,
    Meu grande amigo escritor de gibis. Tu não pensaste em seguir os passos do Maurício de Souza não?
    Crie aí um personagem para parodiar o Chico Xavier, apresente-o fazendo anotações em caderninhos, inventando poemas, fazendo montagens de livros que tu achas que ele “copiou”, pinta ele como um pequeno pilantrinha doente, quase cego, com mania perturbadora de ajudar todos que dele se aproximavam, que era viciado em atender pessoas madrugada à dentro, um fanático por escrever cartas e livros em simulações de psicografias que lhe consumiam as energias só para, vejam só, só para ser o quê mesmo? Ah, tá, para ser aceito, coitadinho, tão carente que se estropiava todo para ser bonzinho e ter a admiração das pessoas. Faça dele um alucinado que queria ser um “santo”, mas que não passava de um embusteiro, um malvado por dentro com cara de anjinho por fora, enfim Biasetto faz o teu gibi aí dando continuidade a esta cantilena cansativa que se repete neste blog-blog dos descobridores da América. O que tu vais conseguir com isso?
    Nada, absolutamente nada além de envergonhares a tua própria biografia, a tua própria trajetória nesta reencarnação que ficará manchada por este devaneio de descobridor consorciado com teus amigos aí, “ex-espírita” como dizem ser, frustrados todos por não terem assimilado a grandiosidade e a beleza da conjugação do verbo “amar” que Chico Xavier exarava em cada gesto, em cada parágrafo saído das mãos, que pôde se destacar da maioria dos seus contemporâneos com sua fé robusta e produtiva, com sua dedicação ao Evangelho de Jesus e à Doutrina dos Espíritos, que serviu e servirá de inspiração para quantos médiuns que recebam este pesado encargo de intermediários entre a espiritualidade e o mundo físico, e que conseguiu com sua vida ímpar envolver multidões no seu exemplo de bondade e de amor.
    Não entendes este homem, assim como não entendem qualquer um que divirja dos ditames materialistas que convocam as massas ao culto ao ego, ao hedonismo, ao prazer a qualquer custo, ao exclusivismo dos interesses egocêntriocs em detrimento das necessidades dos semelhantes. Encastelem-se nos cipoais da presunção de algo saberem quando demonstram a agudez da vossa própria ignorância atacando alguém que se doou em plenitude, que ousou fazer o que poucos se dispõem, e que por isso é e será perseguido assim como ocorre com qualquer um que siga pelas veredas do bem incondicional. Jesus foi odiado, perseguido e lavado ao madeiro infamante – porque os seus seguidores esperariam algum privilégio? Jesus foi para cruz, Chico foi só para o Cruzeiro. Porque reclamar como disse Emmanuel?
    Meu caro, os sinos badalam anunciando o advento de um novo tempos alvissareiros em que as pessoas equivocadas não mais anatematizarão os justos, não mais perseguirão as ilusões quais tesouros supremos, não mais se revoltarão nem imporão suas loucuras para o escarmento das massas que se deixam levar pelo ludibrio de suas propostas negativistas, materialistas, ateístas e incrédulas por conveniência de suas paixões.
    Repúdios por mais tonitruantes que sejam não abafarão o dúlcido despertar de todos àqueles que se dignaram a ouvir os avisos amorosos enviados desde priscas eras pelos tutelares que se responsabilizaram pelo encaminhamento da humanidade terrena na jornada evolutiva. O espiritismo, a Doutrina dos Espíritos está sendo o aviso final, o Consolador Prometido por Jesus para reestabelecer todas as coisas ensinadas por Ele e que seriam desvirtuadas pela vilania e atraso moral da maioria dos homens no desdobrar dos séculos de trevas em que mergulhamos.
    Chegamos ao momento azado e não há como evitar que as Leis de Progresso sejam consumadas; não serão estes blogs amorfos e suas análises claudicantes que haverão de derrogar as obras virtuosas construídas pelos heróis do bem, da caridade e da fé que por aqui passaram o sustentarem vivos os ideais da vida maior.
    É hora de escolhermos nossas divisas por preferência e sintonia; ninguém enganará ninguém; somos o que somos e não o que dizemos ser e a cada um segundo as suas obras. A obra da qual te orgulhas é esta Biasetto? Este gibi que tu queres converter em livro? Será esta a tua contribuição para a humanidade nesta hora extrema? Qual será o termo de comparação entre o que tu poderás oferecer ao tribunal da tua própria consciência e o que, quem e quantos advogarão à favor de Chico Xavier?
    Eu jamais me atreveria a ombrear com homens da envergadura dele, não estou à sua altura e me quedo em admiração à sua coragem, à sua fé, ao seu exemplo e a todo o bem que ele realizou em sua última reencarnação – desapareço diante de personagens assim; nem preciso aquilatar quanto ao valor dos ensinos trazidos pelos espíritos que por ele se comunicaram pois me basta a grandiloquência da caridade que ele praticou para que eu me recolha às minhas limitações e respeitosamente agradeça pelo sucesso de sua reencarnação e tente, através destes ensinamentos e deste exemplo de vida, me tornar um homem melhor.

  13. Roberto Scur Diz:

    E seguem estes alucinados em sua cegueira a acusarem “falta de caráter”. Senhor, tende piedade pois não sabem o que falam e fazem.

  14. Antonio G. - POA Diz:

    Palavras do Roberto Scur, sobre Chico Xavier: “Um alucinado que queria ser um “santo”, mas que não passava de um embusteiro”. Síntese perfeita. O resto do texto é a mesma ladainha de sempre… Pomposo e grandiloquente na forma, mas etéreo e superficial no conteúdo. Rico em adjetivos, mas pobre em substância. Em linguagem popular: “Conversa prá boi dormir”.

  15. Biasetto Diz:

    Scur,
    Você não disse pra mim, que no dia 29 de setembro, iria acontecer algo no mundo, uma tragédia? Você não disse isto? Em qual gibi você leu esta bobageira? Você se lembra pra nos contar?
    .
    Chico Xavier, disse que até a publicação de Parnaso de Além Túmulo, ele recebeu “centenas de mensagens”, mas acabou destruindo-as, porque “não passavam de exercícios de psicografia”. Ele disse isto para a Revista Manchete, em 5 de junho de 1982.
    Só que, o que poucos sabem, é que a irmã mais velha dele, disse que ele passava horas e horas lendo, todos os dias. Então, ele não estava treinando mediunidade, ele estava treinando como plagiar com categoria. Mas ele não foi tão bom na tarefa, porque deixou rastros aos montes.
    Quando eu digo que ele foi um bom homem, estou falando no sentido que a própria sociedade e as religiões consideram a bondade: caridade, amor ao próximo, desapego… Só que, como mentiroso que foi, a “bondade” dele precisa ser relativizada, obviamente!
    Vejam estas palavras do sobrinho dele:
    .
    “Meu tio é também um revoltado, não conseguindo mais recuar diante da farsa que há longos anos vem representando. Eu, depois de ter-me submetido a esse papel mistificador, durante anos, resolvi, por uma questão de consciência, contar toda a verdade” (Estado de Minas, 20- de janeiro de 1971).

  16. Serious Business Diz:

    Juliano,
    .
    Eu considero que os fins podem justificar os meios desde que seja para fazer o bem, no sentido mais amplo da palavra… Isso é uma opinião minha. Eu não gosto desse discurso politicamente correto de que a verdade sempre tem que ser dita, mesmo por que nem quem fala isso é 100% verdadeiro o tempo todo.
    .
    Acredito que verdade, verdade mesmo vem gradativamente pra que a busca de uma forma ativa de uma forma corajosa, pra quem tem uma cabeça preparada para recebê-la. E isso é restrito a poucos…
    .
    Não se pode afirmar com 100% exatidão se o CX fraudou tudo, se fraudou parte de suas obras, se foi enganado por espíritos,pela sua própria cabeça ou qual era a motivação dele. Mas os resultados foram positivos, afinal: trouxe consolo para lares destruídos, pais e mães desesperados, sustentou mais de 2000 instituições de caridade, ajudou trocentas pessoas e até onde sei não prejudicou ninguém, pelo menos não em proporção significativa. Acho que isso é muito mais do que todos nós juntos faremos durante a vida…
    .
    É mais produtivo se focar na análise das obras do que da pessoa em si…

  17. Antonio G. - POA Diz:

    Então “os fins podem justificar os meios desde que seja para fazer o bem”? É uma questão de gosto, mas de minha parte, não quero ser “confortado” com mensagens de meus entes queridos desencarnados inventadas pelos “caridosos” médiuns. Não aceito passar recibo de otário, mesmo que seja para me “fazer bem”.

  18. Serious Business Diz:

    Antonio G. – POA…

    Isso, como vc falou, é uma questão sua. Bem como o rótulo de “otário” que você usou para se referir aos demais…

    Questão de opinião pessoal e não de certo vs errado.

  19. Antonio G. - POA Diz:

    Serious Business, você deu uma “distorcinha” nas minhas palavras. Eu não rotulo de otário alguém que está sofrendo e buscando conforto para sua dor. Mas eu seria um otário se aceitasse a ideia de que é legítimo mentir e iludir uma pessoa nestas condições, mesmo que para “fazer o bem”. No meu conceito, iludir é sempre errado. Utilizar-se de fraude, como se fosse um placebo, é desrespeitar a pessoa. Mas é só a minha opinião.

  20. Serious Business Diz:

    Antonio G.

    É um direito seu pensar assim…
    .
    Eu penso diferente de você. Eu acho que vale mais quem, mesmo mentindo, seja capaz de trazer algum acolhimento ,reconforto para alguém que está desesperado pela morte de alguém amado ou por uma doença grave, por exemplo, do que um alguém que, a pretexto de falar só a verdade, os deixe desamparados ou desenganados.
    .
    No meu ver, se eu der um placebo para um doente e ele ficar curado. O que importa é a cura e não o fato de o doente ter sido iludido quanto à natureza do remédio.
    .
    ;)

  21. Juliano Diz:

    Serious Business

    Como bem disse o Antonio G., não distorça as palavras, no caso as minhas palavras.
    A grande questão que eu colequei é que os espíritas condenam hipocritamente a tese “dos fins justificam os meios”. Porém praticam isto com estas psicografias de faz de conta. Processo tornado mais conhecido com o “guru mor” da picaretagem psicográfica Chico Xavier. Neste ponto ainda acho que os picaretas da universal são mais autênticos. Iludem o povão e não possuem vergonha de faturar. E não ficam criticando o que fazem, ou seja, tentando justificar que os fins justificam os meios. E caridade por caridade ambos fazem. O que as pessoas precisam é de esclarecimento, de cultura, de educação, de pesquisas sérias e comprometidas com o viés científico. O resto é trololó que nos mantém ainda nesse atraso e nessas dúvidas existenciais.
    Veja o absurdo do absurdo, tempos atrás pelo convívio aqui o Scur tinha até melhorado, volta Scur, pois você retrocedeu, voltou ao “espiritês”. Linguagem confusa, rebuscada, agressiva, impositiva de um medo que aqui não assusta ninguém, mas que assusta muita gente no dia a dia, que não serve para absolutamente nada. Só servindo para se analisar seriamente a sanidade do escritor da mesma, lamentavelmente.

  22. Juliano Diz:

    Uma correção, entre a nona e décima linha, onde está escrito: “que os fins justificam os meios”, leia-se, “que os fins não justificam os meios”.

  23. Vitor Diz:

    Serious Business,
    não penso que o seu exemplo do placebo seja válido, porque o paciente não é enganado! Ele SABE que PODE cair no grupo placebo, ele é avisado disso. Já no caso do Chico ele não fazia qualquer alerta para as famílias, dizia que recebia tudo dos espíritos e pronto!

  24. Serious Business Diz:

    Vitor,
    .
    O assunto não acerca é testes com medicamentos farmacêuticos em grupos de indivíduos. Então não precisamos desviar para isso…
    .
    Vou detalhar: se eu pegar açúcar e encapsular e der pra alguém dizendo que é remédio contra enxaqueca, por exemplo, e o doente, com base no efeito placebo, ficar curado, o que vale, pra mim, é a cura, o resultado! O resto são apenas detalhes…
    .
    É bem possível que você e outros aqui, em algum momento da vida, já tenha mentido ou fraudado por motivos menos nobres que esse. Eu já o fiz, confesso… Não ousaria julgar um cara como CX, pois nunca doaria toda minha vida em função de ajudar aos outros…

  25. Vitor Diz:

    Serious Business,
    imagine que você dê o placebo para ela e a pessoa não fique curada e morra porque em vez de procurar um tratamento adequado, acreditou em você. E aí?

  26. Serious Business Diz:

    Juliano,
    .
    Você não pode afirmar que todo espírita se utiliza hipocritamente de “os fins justificam os meios” . Aliás, afirmar até pode, resta provar…
    .
    Até lá é apenas uma generalização como muitas outras que vemos em brigas de torcidas de futebol ou coisas do tipo.
    .
    E no caso do Antônio G., releia o post dele e veja se fui eu quem distorci o que ele disse ou se foi ele quem resolveu mudar o tom ao considerar que tinha dito algo descabido…

  27. Serious Business Diz:

    Vitor,
    .
    Aí terei feito o mal. O que entra em contraste com o que falei anteriormente. Leia meu primeiro post nesta página…
    .
    Eu não tenho compromisso com o erro. Se vc provar que CX fez o mal para as pessoas as quais ele supostamente teria iludido, o considerarei um homem mau, pode acreditar!

  28. Roberto Scur Diz:

    Biasetto,
    .
    No dia 29 de setembro iria haver um alinhamento entre planetas do sistema solar e o tal do cometa Elenin. Como este alinhamento ocorreria no momento de maior proximidade com a Terra, e haja visto que nos demais alinhamentos que houveram ao longo dos últimos anos constatou-se CIENTÍFICAMENTE a relação disto com terremotos acima de 6 graus, então haveria a possibilidade de ocorrer novamente algo parecido.
    Não é um gibi como o teu que informa estas coisas Biasetto, mas estudos científicos que foi inclusive PATENTEADO pela Nasa, que por sua vez ROUBOU a pesquisa feita por um cientista canadense que havia enviado para patentes nos EUA e que em 5 anos não obtinha aprovação e de repente descobriu que o governo americano tinha feito a patente ao invés dele.
    Não é em gibis do cebolinha que estes dados estão, além de outros muito sérios que dão conta das atividades diferentes do que se conhecia até há poucas décadas atrás, mas é o seguinte Biasetto: este assunto não adianta querer falar com céticos vítimas da temida DISTORÇÃO COGNITIVA (serve para minimizar a importância de eventos externos que nos prejudicariam ou incomodariam, obrigando-nos a mudanças indesejáveis), então deixa para lá pois se um dia vocês saírem desta hipnose irão atrás por vocês mesmos, ou então esperem quando os acontecimentos estiverem num clímax para começarem a desconfiar que algo não está indo como os acomodados esperavam.
    Repito: NÃO TÊM NADA A VER COM MÉDIUNS, PSICOGRAFIAS, ESPÍRITOS, pois isto já transcendeu esta etapa e está bem no alcance do conhecimento dos vivinhos da silva sauros aqui da nossa Terrinha velha de guerra. Os espíritos avisaram antes, Jesus falou disso há 2000 anos, as civilizações ancestrais também, deixaram escritos em pinturas, símbolos, esculturas, e outras formas de escrita, mas agora já está em outro departamento. Não quer ver, não quer constatar por ti mesmo, não quer estudar? Paciência! É o livre arbítrio, sempre o bom e velho livre-arbítrio que o teu guru VM acha que provou que não existe. Fazer o quê né? Ninguém obriga ninguém a abrir os olhos. Siga com tuas vendas rendadas.
    .
    Qual é o pastel Biasetto? Qual é o problema do Chico Xavier ter exercitado a psicografia em centenas de mensagens antes de começar a tarefa mais crítica? No Livro dos Médiuns de Kardec está claro que é preciso treinar até que se produzia algo que valha e caso não se detecte algum traço de mediunidade útil então NÃO É PARA PROSSEGUIR e deixar de lado para servir de outra forma. Caramba tchê! Têm que achar chifre em cabeça de cavalo em qualquer detalhezinhos inócuo? Haja vontade de fugir do conteúdo moral e filosófico das mensagens espíritas hein? Vai ser medroso lá nos cafundós. Este papo de ter um dia gostado do Chico e agora não gosta mais, ou de que era espírita e não é mais é bem um tati-bi-tati infantil, uma brincadeira , ou melhor definindo: distorção cognitiva da braba.
    .
    Tu querias que o Chico não lesse vivente? Tu querias que ele escrevesse pilhas e pilhas de livros por osmose, sem estudar, sem se esforçar, sem desenvolver vocabulário? Tu não sabia que até na mediunidade totalmente mecânica o espírito precisa da bagagem cultural do médium, mesmo que seja de outras existências? Tu és do tipo que acredita em milagres de virgem maria que apareceu na vidraça, ou de imagem pescada do fundo de um rio, ou de estátuas que choram? Te para Biasetto! Se estudasse algumas vírgulas sobre o assunto conhecerias sobre as necessidades intelectuais do médium para bem desempenhar a tradução dos pensamentos do espírito, saberia que não se consegue transmitir mensagens de alto teor científico ou moral pela mente de um bronco, enfim, puxa vida meu, que é isso hein? É um assunto tão básico na doutrina que pede: “Espíritas, amai-vos! Este é o primeiro mandamento. Instruí-vos! Este é o segundo”. Tu nunca viste esta máxima não?
    .
    Bem Biasetto, esta aí deste sobrinho do Chico não dá para querer e é uma pena que tenhas que apelar para estes expedientes.Tenha paciência!

  29. Biasetto Diz:

    A questão é o seguinte:
    Em 1º lugar, mentira é sempre mentira, devendo SEMPRE ser evitada.
    Em 2º lugar, o problema é justamente este: algumas pessoas podem até obter vantagens, acreditando em algo que não é verdadeiro, mas muitas outras, vão perder com isto. Qual seria o resultado desta operação?
    É indiscutível a verdade, de que os povos mais esclarecidos no mundo atual, e que alcançaram significativo progresso, se distanciaram das crendices e dos dogmatismos.
    Estas histórias de céu e inferno, umbral, trevas, não trazem benefícios à humanidade, num sentido geral. Portanto, os gurus religiosos, ainda que realizem algumas atitudes de consolo e esperança, acabam prejudicando em muito, o progresso da humanidade.
    O Brasil é um exemplo claro de quanto a religiosidade só traz perdas. Eu lido, diariamente, com pessoas que se dizem, em sua maioria, crentes, cristãs… Porém, percebo que não sabem, no geral, valorizar o conhecimento, o patrimônio público, a coletividade. Mas, se você fizer críticas às religiões, duvidar das coisas que falam de Jesus Cristo, questionar Deus, ficam iradas, te tratam como um sujeito do mal.
    É uma baita hipocrisia, demagogia, estupidez! Quanto de dinheiro é arrecadado, anualmente, pelas igrejas, pelas editoras que vendem livros com informações falsas, tolas, duvidosas e confusas?
    Vou citar um exemplo muito prático: no dia 12 passado, comemorou-se o dia de Nossa Senhora, a padroeira do Brasil. Então, soltam-se fogos, realizam-se promessas, procissões, aquela badalação. Tudo bem, se o sujeito quer acreditar na “santa”, se acha que ela realiza milagres na vida dele, é um direito que ele tem. Porém, há um tremendo comércio por traz disso tudo, interesses políticos, interesses da classe dominante. E estas mesmas pessoas, em sua maioria, são egoístas, não se preocupam em levar qualquer tipo de vantagem, se puderem, tiram proveitos particulares, sem levarem em consideração, valores éticos, morais, constitucionais. Então, é uma sociedade crente, sacana, mal informada, que joga sujeira no chão, quebra o banco da praça, ri da cara dos professores, cola em provas, pede favores a políticos, briga em campos de futebol, de forma covarde e inaceitável.
    É um povo que está amarrado a estas crenças seculares, que não se liberta, que não cai na real, que não valoriza a ciência, como deveria, que não valoriza o bom escritor, o pesquisador, o profissional capacitado, trabalhador honesto. É um país da Idade da Pedra o nosso, e as religiões, o espiritismo tá nessa também, só contribuem pra que isso se mantenha. Portanto, nem Chico Xavier ajudou este país a ser melhor. Mentiu, enganou, plagiou sim, muito! Inventou personagens, espíritos, misturou catolicismo com espiritismo, quis ser santo. Ainda que tenha tido “boas intenções”, não merece ser cultuado. REPROVADO!!!

  30. Juliano Diz:

    Serious Business

    O que eu disse e repito, e você parece que não entendeu, em síntese é o seguinte: Os espíritas no discurso condenam a prática da idéia dos fins justificam os meios. ELES CONDENAM ISTO! Ocorre que na prática diário do dia a dia fazem o que condenam. Para iludir as pessoas e ter fama utilizam de meios fraudulentos sim. O que não faltam são psicografias fajutas, não sei se tem alguma que não seja fajuta. Gostaria muito de um caso concreto onde eu mordesse a língua, com prazer eu morderia! Como o Antonio também, o Vitor e o Biasa! E o “guru mor” disto tudo foi o Sr. Chico Xavier, goste você disto ou não.

  31. Biasetto Diz:

    Scur,
    O sobrinho do Chico não merece crédito, porque era um bêbado né?
    Quem fala bem do Chico, da mediunidade dele, das coisas fantásticas sobre ele, estes merecem crédito. Quem duvida da mediunidade dele, não merece atenção: ou é um escritor de gibis, ou um mal intencionado, a serviço das forças das trevas. Te para você, Scur!
    O pastel é o seguinte: o senhor Chico Xavier, estudou obras do espiritismo, estudou poemas e biografias de escritores, treinou o pastiche, e passou a vida toda mentindo que era médium. Este é o pastel, sacou?
    Leia os livros que sugeri – ele tirou tudo destes livros, será que você não é capaz de perceber isto? ELE COLAVA, ELE COPIAVA, ELE ADAPTAVA… Cai na real, gaúcho!
    Não existe Emmanuel, não existe André Luiz, nem Meimei, Irmão X e cia. FOI TUDO INVENTADO.
    “Pai do Céu!”, como alguém pode ler o artigo sobre Libertação X A Vida Além do Véu, e não ver a fraude???
    Putz! A moça lá, traduziu a história do peixinho pra ele, ele catou, colocou no prefácio do livro… Que escândalo!
    Infelizmente Scur, tudo que se faz aqui neste blog, 99%, vai ficar por aqui mesmo. Se o Brasil fosse sério, haveria uma divulgação disto, muitos pastores estariam na cadeia, muitas pessoas seriam processadas, mas, neste país de futebol, carnaval, belas praias, belas paisagens… tá tudo certo: pode mentir, enganar, forjar, sacanear… não tem problema! O que esperar de um país, onde o seu maior religioso, mentiu e enganou todo mundo – quase todo mundo né? Tem gente que não caiu nesta, tem gente que caiu, mas percebeu o erro – é o meu caso!

  32. Biasetto Diz:

    Juliano,
    A questão é o seguinte:
    Seria legal, perguntar pro Waldo Vieira, o que ele acha das evidências dos plágios. Se você conseguir, você que sabe como mandar perguntas lá nas tertúlias do homem, diz a ele, ou alguém que puder fazer isto, que não é só Chico não, porque ele e o Chico, plagiaram o livro Evolução Anímica, do Gabriel Delanne, pra escrever o Evolução em Dois Mundos. Esta é a verdade.
    Queria só ver o que ele tem a dizer.
    Quanta maracutaia, MEEEUUUUU DEEEEUUUUSSSS!!!!!

  33. Juliano Diz:

    Scur

    Disfunção Cognitiva? Há provas aqui pra dar e vender da falsidade das psicografias do Sr. CX e trupe e nós somos quem tem disfunção cognitiva? O Biasa perde o seu tempo estudando e passando aqui provas cabais de plágio. E ele é o cara com disfunção cognitiva? Tá bom.

  34. Biasetto Diz:

    Juliano,
    O Scur é o seguinte: apesar de gaúcho: “uma vez flamengo, sempre flamengo” – ele acha que isto é virtude, exemplo…
    Então, ele me critica, porque que um dia foi espírita, só vale, só foi espírita, de verdade, se continuar espírita por toda a vida.
    Pô! Se me falarem que o Zé Mané é um sujeito maravilhoso, fantástico, honesto e tudo mais, e eu passar a acreditar no Zé Mané, tudo bem. Só que se um dia, eu descobrir que o Zé Mané não é tudo isto, mente, manipula e tudo mais, eu não posso dizer, que o Zé Mané não me serve mais?
    Scur, você nunca demite alguém da tua firma aí, por causa de incompetência, desonestidade, falta de compromisso, sei lá!
    Então, um dia, quando você contratou esta pessoa, você acreditou nela, mas depois mudou sua opinião. E daí? Você é menos por causa disto?
    Nosso Lar, a Universidade das Cinco Torres…kkk!!!
    André Luiz é a Mãe do Owen – está foi muito boa Márcio, fantástica descoberta…kkk!!!

  35. Biasetto Diz:

    ANALISEM ESTA HISTÓRIA:
    .
    “Em 1954, um fenômeno tirou o fôlego até mesmo dos amigos já habituados com os poderes de Chico. Sua irmã Neusa estava na cama, magra, pálida, triste. Arnaldo Rocha, Lucília, seu marido, Pacheco, e Chico fizeram um círculo em torno da cama, e iniciaram os passes. Com a luz apagada, Chico rezou. Arnaldo sentiu algo úmido, leve cair em sua cabeça, nos seus braços. Os outros tiveram a mesma sensação. O proegido de Emmanuel pediu que todos mantivesses as mãos à altura do peito. Quando a luz se acendeu, eles desvendaram o mistéiro: o chão, a cama, e o quarto estavam repletos de pétalas de rosas. Na manhã seguinte, Neusa morreu.” (fonte: “As Vidas de Chico Xavier”)
    .
    Observem que o ocorrido, se realmente aconteceu, FOI NO ESCURO, NO ESCURO – Qualquer garotinho faz este truque, acho que até o meu cachorro!

  36. Juliano Diz:

    Biasetto

    Ele também é outra farsa na linha “dos fins justificam os meios” na prática, e no discurso “os fins não justicam os meios”. E com tal atitude chegou aonde queria chegar. Tem o seu clã e é visto como uma “consciência num estágio superior” pelos seus e muita gente fora do clã tem nele alguém que impressiona. Eu vou mandar a tua pergunta, mas ele tergiversa, faz que não entende a pergunta e fala sobre outra coisa. Isto se chegar a ele a pergunta, pois há uma peneira antes do pessoal dele, que não é uma peneeira, mas eles sempre barram uma ou outra coisa.
    Este pessoal do Waldo e do Instituto é um exemplo clássico do que um discurso bem elaborado pode fazer com nós, simples mortais. Não provam absolutamente nada do que dizem, e mesmo assim faturam e bem em cima do discurso “pseudo-científico.” A estrutura hoje do CEAC é impressionante!
    Ontem estava correndo, já foi 7 quilos bicho, rsrsrsrs; e uma idéia me veio. Quem sabe não se provou nada ainda, ou muito pouco sobre a possibilidade de prosseguimento da vida após a morte, se houver, exatamente por quê não se busca isto. Pode parecer paradoxal, mas em verdade ninguém quer saber se existe vida após a morte. Só querem saber os desesperados quando perdem um filho ou alguém próximo; e, em sua grande maioria pessoas que vêem nisto um filão pra faturar (fama para alguns já vale e para outros é $$$$$$ mesmo). Então não se tem verbas pra pesquisa neste campo, que já está tomado pelo misticismo. E aí fica difícil a coisa toda. Mas, por incrível que pareça, para mim tal situação abre a possibilidade que de fato tenha algo, mas como não há buscas sérias, o processo não se desenvolve. Um abraço.

  37. Biasetto Diz:

    O plano espiritual não permite que ninguém veja de onde vêm as pétalas… Mister M, Mister M, conta pra nós como é feito o truque. Ah conta vai…

  38. Juliano Diz:

    Biasetto

    Fecha com o discurso do perfume. Pensando comigo, foi tanta mutreta que é um espanto o cidadão chegar onde chegou. Mas aí eu vejo entrar seus livros que faturaram e faturam muito, e por óbvio a FEB o blindou. Isto, aliado com o apoio Global, o tornou um Santo!
    Estes tempos estava vendo o que os evangélicos acham e dizem do Chico, e os mesmos pelo outro lado abusam também de mentiras, chegando ao cômico. O Chico, para os evangélicos, segundo relatos que os mesmos dizem ser confiáveis, até frequentador assíduo de prostíbulos em BH era, além de bêbado, chegado numa caxaça. Esse pessoal evangélico é tendencioso e “fora da casinha”, também.

  39. Roberto Scur Diz:

    Sim Biasetto!
    .
    Tu está te achando o gás da coca não é? Tu és o inteligentão, tu e tua turminha do Cebolinha VM.
    .
    Nossa! Como vocês são inteligentes hein? Veem os “plágios” que ninguém nunca viu nestes últimos 100 anos. É de admirar tanta perspicácia que milhões de outros nunca conseguiram ter, tolos que são estas multidões de mentecaptos fanáticos e dogmáticos que se enternecem com o exemplo de vida de Chico Xavier!
    .
    O que esperar de um país onde professores de história consideram este jogralzinho de letrinhas pescadas graças aos programas editores de textos dos nossos dias como “plágio”?
    .
    Mais trabalho teve o dos Anjos que há 40 anos teve que coletar isso aí sem Word e escreveu este livro das tais “anti-históricas copiadas” sei lá o quê!
    .
    Este papo aí de que ninguém leva a sério não cola Biasetto, não cola porque se fosse algo tão óbvio ou evidente como tu pensa que é já teria sim vindo à tona para o populacho e teria feito um real estrago na trajetória do Chico, mas acontece que isso aí dos teus gibis são fumaça de gelo seco, cessam, não perduram, não têm conteúdo, são como eu disse acusações “amorfas”.
    .
    Você não entende a natureza de quem consegue sair da mediocridade moral em voga para entregar-se por completo a amar seus semelhantes. Você mostra em alguns comentários mais apiedados que lamenta a sorte dos cães abandonados e maltratados mas tasca os teus caninos na picanha da vaca que piscou pra ti lá no meio do mato, sem dó nem piedade, e depois acusa outros de hipocrisia.
    .
    Você já experimentou passar um dia que seja, horas a fio recebendo filas de pessoas dobrando quarteirões que vêm em busca de alguma esperança, algum alento para suas aflições, ou então buscar alimento para seus estômagos vazios? Você tem alguma noção do que seja isso Biasetto? Não, tu não tens coisa nenhuma, tu não entendes de caridade, não praticou a caridade, não valoriza a caridade, não acha que valha à pena e te acha um baita injustiçado porque têm que te desgastar com dezenas de adolescentes em escolas públicas que pagam insuficientemente pelo teu trabalho. Tu já pensaste em fazer isso aí DE GRAÇA, POR AMOR? Não, não pensou, eu suponho, então não te faça de indignado com as injustiças deste tal de país que tu considera que não seja sério e colabore tendo UM ÚNICO DIA DE CHICO XAVIER na tua vida e depois venha falar estas asneiras aí de plágios, de estudo para mentir, de querer ser santo e o escambau…
    .
    A tua ignorância metida à acadêmica diminuiu as virtudes que eu sei que tu tens e que são muito mais rutilantes do que este pseudo-saber do que seja ou não um plágio, uma mentira, uma farsa.
    .
    Tu nunca “caíste” como tu dizes com firmeza, nunca porque nunca entendeste, nem quando tu disseste que “percebeu” alguma coisa.

  40. Juliano Diz:

    Meuuuu Zeuuuusss (com Z mesmo, virei pagão) rsrsrs

    Biasa
    O que o fanatismo não faz? Pra quem perguntou num comentário destes: olha aí um produto claro do malefício do Sr. Chico Xavier. E tenho que ir, um abraço a todos.

  41. Roberto Scur Diz:

    E para terminar, olhando estes comentários de vocês, é bem interessante observar como se confirmam os dizeres das ciências da psiquê e os quais eu encontro várias vezes na literaturas espírita: o sujeito enxerga nos outros as sombras que habitam no imo do seu ser, e projeta todo o seu lixo interior na personalidade daqueles que lhes forem as vítimas do momento.
    É um espetáculo triste este desnudar-se, sem querer fazê-lo, enquanto acusa as máculas que existem vivamente em si próprios antes de estarem nos alvos de sua ira.

  42. Roberto Scur Diz:

    Juliano,
    Cale-se àquele que um dia, há vários meses atrás, recebeu um email meu onde me ofereci para custear análises de profissionais do ramo que pudessem dar um parecer válido sobre estas acusações de plágio.
    Me dei ao trabalho de ligar para um professor que havia sido citado por ti em uma referência sobre o que seria plágio, e não obtive dele a confirmação de que o texto sobre o qual o artigo do blog-blog do VM se referia seria um plágio.
    Além de nunca ter se manifestado (disse que ia falar com o Vitor sobre isso e blá-blá-blá) ainda teve a atitude deselegante de não comparecer à um encontro que teria comigo em Maringá, mas que ao menos foi muito útil porque promoveu o meu encontro com uma pessoa muito bacana que é o Marcelo Amari.

  43. Biasetto Diz:

    Scur,
    Veja como tú és: você se diz tão iluminado, você que se acha o tal. Você não consegue participar de um único debate, sem partir pra ataques pessoais, sem tentar diminuir as pessoas.
    Olha o que você diz aí:
    .
    – O que esperar de um país onde professores de história consideram este jogralzinho de letrinhas pescadas graças aos programas editores de textos dos nossos dias como “plágio”?
    .
    Você vive me diminuindo, me ridicularizando. Jogralzinho? Fico admirado em ver uma pessoa com grau universitário, dono de uma empresa com mais de 20 funcionários, ser INCAPAZ de ver os plágios, as evidências das faudes.
    Você deveria incentivar a pesquisa, a crítica.
    Quando eu inventei alguma história sobre Chico Xavier?
    Tudo que mostrei nos meus artigos, pesquisei, indiquei as páginas, mostrei as semelhanças das histórias, dos fatos, palavras que se repetem, ideias, contextos. E você insiste em dizer que isto não é pesquisa, que isto não sério, que se trata de crítica pessoal.
    Você mistura tudo. Você parte do argumento de que Chico fez bem às pessoas, se preocupou com os outros. Que seja! E daí? Nós estamos discutindo aqui, outra coisa: a veracidade da mediunidade que ele alegava possuir.
    Você ataca o Juliano. Oras, ele teve as razões dele, pra dar aquela sumida, respeite-o. Seja huminde, você que tanto fala em humildade.
    .
    Você disse, se referindo a mim:
    .
    – Você já experimentou passar um dia que seja, horas a fio recebendo filas de pessoas dobrando quarteirões que vêm em busca de alguma esperança, algum alento para suas aflições, ou então buscar alimento para seus estômagos vazios? Você tem alguma noção do que seja isso Biasetto? Não, tu não tens coisa nenhuma, tu não entendes de caridade, não praticou a caridade, não valoriza a caridade, não acha que valha à pena e te acha um baita injustiçado porque têm que te desgastar com dezenas de adolescentes em escolas públicas que pagam insuficientemente pelo teu trabalho. Tu já pensaste em fazer isso aí DE GRAÇA, POR AMOR?
    .
    Não, eu não experimentei, por vários motivos:
    Nunca tive este desejo, não sei mentir, não sei enganar as pessoas, mesmo que seja por um desejo de ajudá-las.
    Você é bobo Scur – o quanto isto fazia bem ao ego de Chico Xavier. Você já parou pra pensar nisto?
    .

  44. Biasetto Diz:

    Minha ignorância Scur – pois você não sabe que está cheio de pessoas, ao longo da história, que fizeram todo tipo de falcatruas e manobras, pra enganar os outros, tirando algum tipo de vantagem nisto?
    Você parece que gosta de ser enganado. Que coisa hein?
    Será que você não poderia, ao menos dizer:
    .
    – “olha, talvez o Chico tenha até plagiado mesmo, mas continuo acreditando que ele foi uma pessoa muito boa, acredito em muitas coisas que ele disse, e isto serve de referência pra mim, cada um que faça a tua escolha.”
    .
    Dá pra ser um pouquinho humilde?
    O que você queria, que eu fosse um professor de história, que tivesse ensinando meus alunos a seguir os ensinamentos bíblicos? Aquele monte de asneiras?
    Que eu tivesse dizendo pros meus alunos casarem-se virgens, batendo palmas pro santo Chico Xavier?
    É este professor que tu queres pra teus filhos?
    Nas Igrejas há muitas pessoas assim, mas aconselho você a tomar cuidado em convidá-las pra frequentar a tua casa, porque a escassez de sexo transforma o homem num bicho muito feroz!

  45. Roberto Scur Diz:

    Biasetto,
    .
    Jamais me disse iluminado, nunca achei que fosse bem pelo contrário mesmo – te disse o que eu achava que tinha sido em existência pregressa, o tipo de homem que tu ouviste muito bem que me considerava. Porque esta afirmação de que eu me considere “iluminado”? Viajou na maionese.
    .
    Se eu fosse iluminado não responderia jamais a estes argumentos que vejo aqui, já disse também que iluminado era o Chico que não respondia aos seus detratores. Sei bem o quanto é difícil para eu ficar quieto, não sou resignado, eu acabo contrariando os ensinamentos espíritas e me envolvo em debates pouco cordiais. Talvez até porque eu tenha muita semelhança com vocês – sabemos que os semelhantes se atraem então o que eu estaria fazendo aqui?
    Tu és uma gracinha chorona quando reclama que eu te diminuo porque considero tuas análises um jogralzinho. Tu chamas o Chico de mentiroso, fraudador, plagiador, enganador, e por aí segue neste baile de horrorosas calúnias, e fica magoadinho porque digo que isto sobre teus textos? Que moça hein? Depois ficam duvidando da masculinidade do Chico. Estranho, estranho.
    .
    Tu gostarias que eu ficasse elogiando a tua pesquisa? Porque, se eu não a considero mais do que um jogral mesmo? Se têm alguém que sabe procurar meios de ludibriar este alguém não és tu, pois tuas análises são diretas e simples de serem compreendidas. Difícil é quando quem escreve faz àquelas longas dissertações procurando usar termos incomuns que possam dar alguma autoridade histórica as suposições que o autor alimenta na cabeça.
    .
    Tu pegas as palavrinhas, cata uma aqui, outra ali, pinta coloridinho (aprendeu com o VM a técnica), bota numa tabelinha e “voilá”, eis a pesquisa científica saindo do forno!
    .
    Outros sobrecarregam parágrafos e mais parágrafos desenvolvidos com “vagar” e “exaustivamente” bem para matar o leitor no cansaço e convencê-lo por VO (afinal, quantas boas almas tiveram paciência para baixar e ler este PDF da atual matéria? Eu é que não) e assim lançar dúvidas na mente dos menos avisados que venham a ler, dificilmente até o final é claro, e que em verdade já estão procurando alguma forma de se eximir de considerar a profundidade da mensagem espíritas, mormente das que tiveram Chico Xavier por intermediário, um retumbante exemplo que procuram liquidar para não se incomodar.
    .
    Eu tanto falo de humildade porque é um valor que admiro sobremaneira, e que eu gostaria muito de ter. O que me falta eu busco em quem tem de sobra, pois estas pessoas podem ensinar algo de verdade.
    .
    Se tu não conheces as energias que são pedidas para os que se arvoram à prática da virtude por excelência, a caridade, não podes aquilatar sobre a vida de Chico Xavier com apurado valor. Posso não ser humilde para falar com os meus iguais, mas me curvo de imediato àqueles que conseguiram fazer de suas vidas um testamento de luz. Eu me enxergo, e me quedo respeitoso e até envergonhado diante de quem merece esta consideração e gratidão de multidões de beneficiados. Quem dos perseguidores de Chico Xavier que tu conheces merecerá este galardão?

  46. Juliano Diz:

    Scur

    Em primeiro lugar, eu não me calo!
    De fato eu fui deselegante! Pela deselegância te peço desculpas. Mas hoje vi que tomei a atitude correta em ter sido deselegante. A algum tempo que eu não tenho mais paciência para ouvir e ouvir pessoas tentando me convenver com argumentos religiosos furados, e me calar. Eu falo e digo o que penso “na lata”. Então, eu deduzi, e acho que acertei, que você viria de alguma forma com essa conversa do Chico e espiritismo, pois és um fanático e tem os seus motivos para tal, respeito, é um direito teu, mas no meu entender tens uma visão pra lá de curta. E já faz algum tempo que eu não tenho mais paciência com fanatismos religiosos. Anos atrás numa discussão com um evangélico, chegou um momento que o cidadão queria me avançar, e falava alto num bar que ainda iria ver ao lado de Jesus eu me dirigindo para o fogo do inferno. Algo de ouvir por si só desgastante. Você, não iria tão longe, mas deduzi que tentaria me convencer, e seria um tiro n´água. E eu iria dizer o que penso, e talvez a coisa não ficasse legal. Então, pra evitar possíveis aborrecimentos, achei melhor não ter encontro algum. Talvez tenha errado. Mas (…) a vida é feita de escolhas. Mesmo assim, apesar dos pesares, te peço novamente desculpas. No fundo, no fundo errei mesmo, pois o que importa mesmo é o debate.
    Sobre o outro ponto. Eu creio que num e-mail eu falei da tua proposta ao Vítor. Vítor, eu não lembro, mas acho que te falei da proposta do Scur. Engraçado que eu mandei um e-mail do cidadão do site explicando a questão e pedindo uma opinião dele sobre o tópico, falei inclusive que você já tinha falado com ele, segundo tuas palavras. Mas ele até hoje não respondeu. Atualmente o meu dia-a-dia anda muito corrido. Mas no futuro, um dia destes, pegamos todo este material e vamos levar para alguns especialistas. Vitor e Biasa, caso você ainda não soubessem do desafio dele, está na mesa. Se você acha que aqui tem “cagão” você está redondamente enganado. Não sou que nem uns e outros que correm da raia quando desafiados. O José Carlos Fernandes que o diga!

  47. Biasetto Diz:

    Scur,
    Eu já tinha desligado o computador, e fui corresponder a um pedido de minha esposa (pôr roupas no varal), quando me lembrei que gostaria de responder mais uma coisa pra tu. Aí, voltei aqui, e você já fez outro comentário.
    Bem, primeiramente, sobre a questão do hábito de comer carne.
    Eu, sinceramente, gostaria de ser vegetariano. Mas, por vários motivos, isto é bem difícil pra mim. Há uma forte questão cultural, eu sou comelão, se não me alimento direito, passo mal. Minha esposa também é professora, nossa vida é corrida. Então, principalmente no almoço, se não tem carne de mistura, fica complicado. Porém, a questão é outra. Não vejo este problema do homem fazer uso da carne de animais, em sua alimentação. Penso que os animais criados para o abate, devem ser respeitados e, no momento do abate, que haja uma forma eficaz, rápida e menos dolorosa possível. Se todo mundo se transformasse em vegetariano, de uma hora pra outra, seria o caos pros animais também. O Brasil, por exemplo, com mais de 150 milhões de cabeças de gado bovino, enfrentaria uma série de problemas, e os animais (tirando aqueles que são “gado de leite”), ficariam abandonados?
    Enfim, é um tema complexo, até meu cachorro faz uso de ração à base de carne – é bem difícil mudar isto! O que reclamo quanto aos animais, é o sofrimento que eles estão expostos que, no meu entender, deixa muito a desejar na questão do Deus maravilhoso, criado pelas religiões, o qual você acredita.
    Resumindo, dentro desta coisa doida da cadeia alimentar, onde um se alimenta do outro, entendo como algo normal, o abate para alimentação. As críticas são outras, e penso que você já entendeu.
    .
    Repetindo sobre o que você diz o tempo todo, é que as pessoas que criticam Chico Xavier e outros supostos médiuns, são pessoas que não perceberam a verdade, que não saíram da medíocridade – oras, você não está entre estas pessoas, portanto, você se mostra soberbo, orgulhoso – algo considerado o mais grave dos “pecados capitais” (a soberba). Reflita um pouco…
    .
    Quando você tenta consertar algo, sempre você acaba piorando. Você disse:
    .
    – “Tu chamas o Chico de mentiroso, fraudador, plagiador, enganador, e por aí segue neste baile de horrorosas calúnias, e fica magoadinho porque digo que isto sobre teus textos? Que moça hein? Depois ficam duvidando da masculinidade do Chico. Estranho, estranho.”
    .
    Agora está me chamando de veado! Não tem problema, porque estou muito bem resolvido quanto à minha sexualidade. Eu NUNCA fiz uso da ideia de que o Chico fora homossexual, pra tecer qualquer crítica a ele. Mas já que você tocou no assunto, vou te dizer uma coisa: taí, mais uma evidência de que o Chico tinha conflitos pessoais, emocionais – e, acredito sim, que a sexualidade dele também tenha influenciado nas atitudes dele, incluindo a falsa mediunidade. Uma vez, fiquei indignado com o JCFF por ele ter tocado neste assunto, que ele escreveu muito bem (ele nem disse que o Chico era gay), mas tratou a questão com muita propriedade. Só que naquela situação (tá tudo aqui no blog), eu estava numa transição perturbadora, entre a crença e a descrença, e aí, fiz ataques pessoais ao José Carlos.
    EU NÃO TENHO ABSOLUTAMENTE N-A-D-A CONTRA OS HOMOSSEXUAIS. Já tive e tenho vários alunos com esta opção/orientação, geralmente são ótimas pessoas. Porém, eu acredito sim: que muitos homossexuais acham conveniente usar a doutrina espírita para se manifestarem. Eles se sentem aconchegados na doutrina espírita, sentem-se à vontade para manifestarem suas atitudes delicadas, fala mansa, jeito meigo, porque, inclusive, podem usam isto como forma de que estão “elevados”, “transcendendo”… e aí vai…
    .
    Olha Scur, quanto aos “jogralzinhos”, você deve ter problemas de visão ou análise, porque os plágios são escandalosos, as cópias são absolutamente indiscutíveis. Bem, pelo menos o Luciano dos Anjos diz que os plágios eram dos espíritos. Você não vê plágios… Cada um vê o quer ou o que consegue ver né?

  48. Roberto Scur Diz:

    Juliano,
    .
    Eu não ia tentar te convencer coisa nenhuma, eu ia dar umas boas risadas, ter uma conversa tranquila como tive com o Biasetto e com o próprio Marcelo. Tu, a bem da verdade, amarelou. Mas não têm problema não, aceito tua colocações e entendi teus motivos. Deixa prá lá, mas eu não ia com uma cruz em punho vociferar para ti “xô satanás, xô”!
    .
    Não têm nenhum cabimento esta alusão que fizeste sobre correr da raia, e sobre o JCFF dizer alguma coisa. Não entendi o que tu quiz dizer e de minha parte estou esperando até hoje o processo que o enfurecido gazeteiro do Bacen me prometeu, com requintes de inclemência, até o meu fim, e blá-blá-blá. Continue sempre afirmando que ele foi pego peladinho, peladinho, o rei estava nú. Que me processe e que assim seja, mas não me venha com estes desafios de provar que ele esteja errado sobre suas “pesquisas” pois provas são obrigações que ele têm de encontrar, e infelizmente para ele não encontrou ainda. Fique ele com suas afirmações mas não queira me obrigar a gastar meu tempo para retrucar mais do que eu já fiz.
    Aliás, o Pedro de Campos já fez este papel, muito melhor do que eu faria, e pelo visto, este tal de artigo que demorou 10 meses para sair, o “Feitiço de Àquila” I, II, e III, não mudarão a escrita.
    Nesta penso que tu errou o alvo.
    .
    Sobre financiar a análise com profissionais a proposta não está mais de pé do mesmo jeito que fiz. Tive um ano cheio de percalços e não estou à fim de gastar muito dinheiro com isto. Participo de uma vaca aí, pode ser da que piscou enamorada para o Biasetto, mas não pago tudo sozinho não.

  49. Roberto Scur Diz:

    Biasetto,
    .
    Como não saberia? Acha que sou um alienado que não enxerga a vilania? Sou crédulo, acredito no bem, acredito que as pessoas podem ser boas, e algumas vezes me enganam (lembra-se do caso das viajantes grávidas pedindo carona numa trade fria e chuvosa?). Sou tão ligado nisto que pesco as intenções obscuras dos autores deste blog, inclusive as tuas. Minha vida é um livro aberto, não minto sobre mim mesmo, e tu sabes do que estou falando, e sendo assim a minha conduta eu creio que fica mais fácil buscar motivações ocultas nos outros, principalmente quando se têm tempo de analisar como acontece aqui. Palavras, textos, opiniões, pequenas colocações que deixam escapar os reais motivos que se deseja esconder, enfim, é um terreno instigante para analisar os participantes.
    .
    Velho, não têm como dizer isso só porque tu a tua turminha aí escreveram isso. Não têm plágio pandorga nenhuma, fazer o quê? Puxa, que xarope esta jurumela de plágio prá lá e prá cá. Contratem especialistas, pessoas do ramo que tenham reputações a zelar e dependam de suas análises, e não amadores que gostam de dar pitaco como tudo o que já vi neste blog-blog.
    .
    Não gostaria que tu fosses um professor de história que ensinasse a Bíblia ao pé da letra, sem interpretação, e onde tu encontraria a diretriz para não se perder no jogo das palavras, muitas delas carcomidas pelo tempo e pelas inúmeras traduções, muitas tendenciosas, seria no Consolador Prometido meu velho, este mesmo, que veio para isso mesmo, para organizar as distorções que os homens impuseram ou que o tempo se encarregou de propiciar já que o que foi dito o foi em línguas mortas, o que foi entendido foi com o conhecimento daquele tempo, e o que está por debaixo do véu da letra é o que realmente importa.
    .
    Dizer que é “um monte de asneira” é que é uma asneira. Bateu a cabeça? Bebeu? Pare com esta generalização sistemática e vazia, pois há coisas incompatíveis com os tempos atuais, que estavam num contexto milenar, principalmente as do Velho Testamento, onde espíritos atrasados precisavam ter algum freio, alguma legislação civil, mas que não traduz ipsis litteris o pensamento de ordem superior que viria no momento próprio, futuramente, assim como ocorreu com a Boa Nova do Evangelho de Jesus e posteriormente com a Doutrina Espírita. Cada revelação ao seu tempo conforme as capacidades da humanidade em assimilá-las.
    .
    Claro velhinho, casar virgem seria uma beleza, um grande progresso, pois a pessoa demonstraria assim que soube escolher a pessoa que lhe tocava as fibras mais íntimas, não apenas pelas paixões que geralmente nos entregamos avidamente, mas pelos votos do amor robusto que vence as montanhas das dificuldades que o casal certamente encontrará no matrimônio.
    .
    Bater palmas para o Chico Xavier, sim, claro, e para qualquer pessoa que faça de sua vida um apostolado de amor. Santo não, porque ele não é, nem nunca quis ser um santo, mas um homem corajoso e determinado, valoroso e pacífico.
    .
    Este professor, que auxilie meus filhos a ser um homem de bem, lhe passe valores morais que o proteja das armadilhas tentadoras da vida em nosso planeta de expiação e provas, pelo menos por enquanto, pois já estamos no finalzinho desta fase, graças à Deus.
    .
    Concordo contigo que a escassez de sexo é uma provação dura de suportar, e muitos se tornam bestas enjauladas loucas para saírem deste martirológio contrário a natureza humana. Mais uma razão para admirar os que se entregam ao celibato para melhor conduzir ideais incomuns. É um supremo sacrifício e o próprio Chico deu testemunho da dificuldade que esta situação reclama. Não deve ser nada fácil, mas se abster de ter relações quando não for com quem se ama não é esta desgraça toda que os mais depravados consideram.
    .
    Mas agora vou parar por aqui que eu já gastei muito tempo hoje. Vamos dar nossos costumeiros intervalos de meses aí para não gastar a paciência da ceticaiada. Se consolem turma, eu sou o espírita que vocês merecem.

  50. Biasetto Diz:

    Juliano,
    Eu preciso dizer mais uma coisa pro Scur, que tem a ver com as coisas que você disse.
    Scur,
    Eu não fico catando palavrinhas pra jogar no recurso da internet, pra procurar os plágios. Eu já tinha lido (e muito bem, vários livros do Chico), quase todos do André Luiz, de modo que quando pesquiso alguma obra, facilmente eu me recordo das passagens. Foi assim, que vi o Nosso Lar e Libertação no livro do Owen, porque aquelas passagens que são citadas nesta obra, estavam muito bem guardadas em minha memória. Algumas vezes, eu procuro sim, uma ou outra palavra.
    Ontem mesmo, eu tentei baixar (estas opções gratuitas), um programa que identifica plágios, mas não deu certo. Eu gostaria de fazer esta experiência. Se alguém manja do assunto, tem o programa, podemos experimentar, só pra ver no que vai dar. Também, gostaria muito que os tais profissionais que o Scur menciona, pudessem dar uma olhada e opinar sobre as pesquisas e comentários que fazemos aqui. Eu topo na hora. Só que não tenho grana pra isto, não conheço quem possa realizar estes estudos. Mas não tem problema, é só aparecer a oportunidade. Topo, com certeza!

  51. Vitor Diz:

    Scur,
    deixa de ser mentiroso! Você já mostrou aqui DIVERSAS VEZES que especialista algum vai te fazer mudar de ideia! DUVIDO que se os maiores especialistas dissessem que o plágio do Chico é óbvio você mudaria de opiião! DUVIDO!
    .
    Quer ver como você é um MENTIROSO?! Lembra que você pediu especialistas em História para falar sobre o livro Há Dois Mil Anos, alguém além do JCFF? Pois bem, eu trouxe o Lair Amaro. Apresentei as palestras dele. Ele é professor da UFRJ. E o que voc~e fez? Admitiu que o livro é mentira atrás de mentira, que está cheio de erros?! NÃO!!!
    .
    Quer outro exemplo da sua DESONESTIDADE? Lembra que você pediu grafoscopistas além do Montalvão, porque ele era semi-técnico?! Pois bem, o grafoscopista Leandro Scuotto Martignoni disse que NENHUM GRAFOSCOPISTA CHEGARIA À MESMA CONCLUSÃO DO PERANDRÉA COM O MATERIAL APRESENTADO. E aí, você admitiu que a carta não era prova de nada, que tinha erros, etc? NÃO. NÃO ADMITIU NADA!
    .
    Agora uma última prova da sua desonestidade. Você pede por especialistas que confirmem o plágio. Pois bem, o Prof. de Literatura Cassioney CONFIRMOU o plágio! Ele é Professor de Línguas Portuguesa e Espanhola e Literatura. Mestrando em Letras com bolsa do CNPq.
    .
    http://cassionei.blogspot.com/2010/04/plagio-de-chico-xavier.html
    .
    E aí, você vai dar o braço a torcer? Todos já sabem a resposta: NÃO!
    .
    Porque você não passa de um desonesto, um fanático.

  52. Roberto Scur Diz:

    Poxa Biasetto, deixa eu ir embora, mas esta tua defesa das vaquinhas, coitadas, né? Já que ia ser um problemão vamos comer elas, né? Senão elas iam “sofrer” um bocado vivinhas da silva comendo pasto por aí né! Bota no espeto então.
    Ah, já o cachorrinhos não, não dá para comer, mas como eles são judiados por aí né? Pobres bichinhos, melhores que as vacas, que são uma delícia por sinal, mas os cachorros só os chineses passam o sal.
    Te pára com este discurso de amor aos animais, é incoerente. Vamos aprender a ajudar e amar os nossos irmãos em humanidade como fez o Chico, que é bem mais razoável e não têm risco de canibalismo para os que não são domesticados.
    Tchau velho, até mais ver, larga deu chulé.

  53. Biasetto Diz:

    Scur, você é um caso ESPETACULAR, acho que você nem existe. Você deve ser um espírito zombeteiro, brincalhão.
    KKK… hehehê… hahaha!!!
    E já vai fugir né?
    Fica aí rapaz, não escorrega feito sabonete não!
    Não há plágios… O cara copia o livro inteiro do outro, pqp!
    Putz! como a religião cega as pessoas, Deus me livre!
    Para de provocar o JCFF. Ele pesquisa e defende a tese dele. Ache uma prova sobre a existência do senador romano, calando todos nós. Eu até vou ficar feliz!
    O livro do Pedro de Campos tem um problema grave: ele usa como referência pra falar das vidas de Emmanuel, o próprio Há Dois Mil Anos. Oras, este livro não serve como referência bibliográfica, porque também está sob dúvida total. Quer dizer, pra ele contar que Emmanuel foi um senador romano, ele (o Pedro de Campos) usa o livro que está sendo considerado fraude. Perceba isto Scur.
    Faça-me um favor.
    Faça outro favor: leia um pouco sobre sexualidade. É péssimo uma pessoa se casas virgem, pior ainda, se for o casal. Não estou dizendo com isto, que os jovens devem sair transando sem responsabilidades, sem compromisso, respeito, cuidados. Mas, o casal deve se conhecer muito bem, antes do casamento. Neste contexto, é importante também, que já saibam como é o sexo, que se completem neste campo, pois isto vai aumentar em muito as chances do casamento ser bem sucedido. Ah! Scur, você não é o homem dos pampas. Você é o homem do Paleolítico Superior.

  54. Roberto Scur Diz:

    Vitor,
    .
    Eis o Sancho Pança dando ares de sua graça.
    Velho, este link aí mostrou uma estrofe de um poema de Augusto dos Anjos através da mediunidade de Chico Xavier e diretamente dele quando encarnado.
    Vitor, não dá para acreditar que tu pegou este exemplo aí em que o Chico assina o poema como de autoria do autor em vida, ou seja, é o próprio Augusto do Anjos que transmitiu a variante de seu próprio poema, e que tu acha que isto é uma prova de “plágio”!.
    .
    Faça melhor Vitor Moura, você consegue, tenho certeza que não vai ficar achando que este blog de ateísmo que este Cassiopéia deu sua opinião vai ter o valor que se espera para comprovar tuas maluquices.
    .
    Professor por professor eu prefiro o Prof. Eduardo Biasetto. As análises dele, como disse acima, são mais diretas e simples de identificar, já os da Cassandra…
    .
    O Biasetto, dá uma emendada no VM que nesta ele escorregou feio na malandragem.
    .
    Ah, o Lair Amaro, sim claro, claro. Ele admitiu? Ah tá certo, admitiu usando a Bíblia e suas considerações patéticas que nem vale à pena lembrar, né? Por favor VM, fique com o Biasetto novamente, sem pestanejar, e não lançe sombras sobre o trabalho muito mais embasado, embora incompleto e inconclusivo, mas ao menos retocado e com inteligentes artimanhas lógicas, charadas de maior valor que o JCFF fez. Este grande Amaro, o palestrante para 4 pessoas não dá para querer.
    Tu quer torçer meu braço com esse pessoal? Não dé velho, não dá.
    .
    Vamos contratar juízes de direito (não corruptos de preferência), advogados ou promotores que já tenham se envolvido em acusações de plágio, participantes de bancas de avaliações acadêmicas em universidades de respeito (até o professor que o Juliano indicou pode participar, porque ele não se posicionou nem para ele, nem para mim, mesmo eu querendo pagar pela análise profissional dele), mas deixe de lado os partidários de ceticismo, ateísmo ou espiritismo – vamos consultar pessoas isentas, compreendeu, profissionais sem viés, sem torcida, sem paixões.
    .
    Este Scuotto aí, será que é meu parente? Não vi nada desse assunto, não me interessei mais. Vitor, você é muito amador viu.
    .
    Fui tarde.

  55. Biasetto Diz:

    Vítor,
    Ele não é desonesto. Ele é FANÁTICO! O fanatismo é uma praga, uma coisa louca. Tão louca, que leva pessoas a se explodirem, matando muitas outras.
    Ele não vê plágios nos trabalhos que foram mostrados aqui.
    Pega a descrição do livro Vida De Jesus e a do Há Dois Mil Anos.
    Cara, eu era fã do Chico, acreditava na mediunidade dele.
    Quando eu acessei o blog, e vi aquilo: quase cai da cadeira.
    É ESCANDALOSO! QUASE UM XERÓX.
    Veja a sequência de A Vida Além do Veú e a sequência de Libertação – vai tudo ocorrendo igualzinho… fato por fato… e o cara diz que isto não é plágio. Por muito, mas muito menos, tem gente que teve que pagar multas incríveis.
    É que estes livros já estão até na internet como “populares”, já passaram do tempo, senão seria o caso da FEB tomar um baita processo. Se o Chico fosse vivo, ele deveria ser colocado no banco dos réus.
    Aliás, eu estava conversando com o Márcio, sobre isto. O Chico deu uma sorte, porque a internet, o seu blog, surgiram, depois que ele morreu. E, juntamente com ele, quase todo mundo que fez parte deste momento e fatos históricos, que cercou a vida dele, também já bateram as botas. Porque, caso contrário, não tenho a menor dúvida, que apareceriam diversas pessoas, contando coisas que a gente nem imagina.

  56. Roberto Scur Diz:

    Biasetto,
    Sou, e na minha caverna eu enchi de crias para me ajudar a caçar as vaquinhas que vão sobrar nos campos quando todo mundo ficar com a tua noção de amor aos animais e pararem de comê-las.
    A mulher eu arrasto pelos cabelos para nenhum macho “alfa” aparecer e botá-la prenhe no meu lugar.
    .
    Poxa Biasetto, sobre o livro do Pedro de Campos tu está deixando a desejar. Veja que o próprio Gazedobacen está construíndo a sua argumentação não sobre o livro há 2 mil anos, mas sobre a consideração do Pedro de Campos quanto aos “atos de Pilatos” que seria próximo dos eventos em si e que fazia referências à presença de um enviado à Jerusalém à mando de Roma (nem me lembro mais detalhes, mas é outro o enfoque). O documento foi perdido, mas isso não impede de estar sendo trazido à baila agora e pelo que dá para entender o Gaze tá se escabelando nestes 10 meses para refutar a tese do PC.
    Abraços, tchau!

  57. Biasetto Diz:

    Eu admiro pessoas como o Leonardo e o Marcelo, que ficam calados, em meio a este “batuque” aqui, O Carlos também anda sumidão. O Caio deve estar dormindo.
    O Montalvão nunca mais deu as caras… e o Arduin hein?
    Bem, o Gil, se aparecer esculhamba com tudo!
    E vida viu…

  58. Juliano Diz:

    Scur

    A minha busca, a do Biasa, do Vítor, do Antonio e outros aqui pode ser definida em uma única questão: Há vida após a morte? E nisto nós debatemos e debatemos e lemos e lemos, e vemos vídeos e lemos textos e mais textos e temos dúvidas e por aí vai, e como somos céticos, para sermos convencidos a coisa é um pouco mais complicada. Mas nós procuramos uma resposta. Vamos encontrar? Talvez sim, talvez não. Espero ter o privilégio de racionalmente, um dia caso perca alguém querido neste plano, sem fanatismos e crenças, mas com base em fatos concretos, dizer que este ente continua vivo, e vivo mesmo! Ou, se eu chegar a conclusão que ele de fato sumiu, morreu mesmo, vou fazer o necessário trabalho de luto. E após seguir a vida. Pois é o que se tem e pode fazer, lamentavelmente. Diga-se de passagem, fala-se tanto em evolução, mas no trabalho de luto, os romanos, a dois mil anos atrás eram muito mais desenvolvidos que nós. Trabalhavam a morte com muito mais tranquilidade e naturalidade. Regredimos em verdade neste tópico.

    Sobre o JCFF e o Biasa
    Eles fizeram e estão fazendo um belo trabalho, pode-se até não concordar com os mesmos, mas seria interessante a não concordância com argumentos sólidos. E não a não concordância pela não concordância, e a crítica pela crítica. Vejo nisto uma deselegância tremenda, ridicularizar a pesquisa deles por ridicularizar como forma de defesa. Mas isto é com eles. Você vai dizer: Ééé, mas vocês ridicularizam o Chico? Mas o que se fala dele aqui é pautado por provas, que você não vai aceitar nunca, paciência. Mas são argumentos pautados em fortes evidências, goste você disto ou não. Bem diferente da crítica pela crítica.

  59. Biasetto Diz:

    É isto aí Juliano!
    Exatamente…

  60. Roberto Scur Diz:

    Jujubório,
    Crítica pela crítica coisa alguma.
    É curioso para mim que tenho 100% de certeza sobre a continuidade da vida após o túmulo me movimentar no meio de pessoas como vocês que são céticos quanto à isso.
    Se você voltasse no tempo e aparecesse há algumas décadas atrás dizendo que as pessoas vão se comunicar numa “vida futura” com aparelhos telefônicos minúsculos que serão levados nos bolsos e que permitirão jogar, editar textos, ler livros, serem calculadoras, rádios, TVs, e que te poriam em contato com todo o planeta à qualquer momento, o que o pessoal iria dizer para ti?
    .
    É tão simples perceber que não haveria tempo bom para ti, iam te tomar por louco, alguns iam ficar até com raiva de ti e iam te quebrar a cara se pudessem, iam te achar um metido, um viajandão, enfim, o que tu espera que as pessoas pensem daquilo que não viveram e não se interessam de fato por fazê-lo?
    .
    O que tu quer que eu faça se para mim é tão óbvia a realidade da vida espiritual, se eu próprio tive ocasião de ter meu braço magnetizado sei lá como e foi movimentado sem minha vontade atuar, dormente como quando se dorme em cima?
    .
    Se os romanos eram na tua opinião mais avançados do que hoje no tocante a morte eu não sei porque tu diz isso. Meu filho morreu, já falei sobre isso, fiz o velório, eu mesmo falei antes de levá-lo ao túmulo, e não tive drama nenhum, foi inclusive um evento muito bonito. Que avanço seria este dos romanos que tu te refere? Não sei, não sei, o que sei é que a morte não existe e não há motivos para temê-la.
    .
    Aí quando aparecem pessoas narrando sobre a vida espiritual o que as pessoas fazem temerosas como os notificados sobre os celulares? Detonam, perseguem, escanecem, duvidam, arrumam mil motivos para justificar o engodo, e se pudessem quebravam a pau ou, recuando um pouco mais no tempo, matavam mesmo.
    .
    Mas deixa prá lá, ninguém convence ninguém de nada, a busca é individual e intransferível, a não ser que a pessoa seja dada a se levar por gurus, hipnotizadores de platéias, vendedores de ilusões dogmáticas ou mantenedores de blogs amadores.
    .
    Deixa prá lá, vai.

  61. Juliano Diz:

    Scur

    Eu não fui levado ao convencimento por mantenedores de blogs amadores, em mais uma deselegância tua. Não me messa com a tua trena! Tempos atrás aqui nós falamos dos 100% de certeza! Santa ironia do destino.
    Mas, ótimo que para você é líquido e certo o processo de vida após a morte, e sinceramente não desejo que você mude tal opinião. Até em face de ter sido levantado aqui no blog que tanto criticas, várias evidências de uma possível existência de vida após a morte. Desconheço outro local que tenha junto um conjunto tal de evidências, se tem agradeço a indicação. Não nego que em boa parte do meu dia eu trabalho com a possibilidade concreta de permanência de alguma forma da consciência após a morte do corpo físico. Apesar que se tal situação de alguma forma se confirmar, eu estou estudando com uma hipótese sobre o viver a vida atual, pois no fundo morrendo a consciência ou não, a personalidade minha atual morre de uma forma ou outra mesmo, mas isto um dia eu escrevo com mais detalhes. Voltanto ao tema, inclusive tive também algumas experiências pessoais que fogem da explicação normal. Mas para mim o que sei até agora não me basta. Desejo em verdade não ter aqueles momentos onde creio que a morte é o fim. Ou então, desejo me convencer que a morte é o fim e é o fim mesmo, pois talvez assim seja. Situação complicada, mas que também abre muitas possibilidades, pois se a vida é única, ela tem que ser vivida da melhor forma possível, por ser única. Eu penso assim.
    Sobre Roma, eu fiz um trabalho de aula no ano passado sobre o processo de luto e sua posterior superação, na época romana. E a morte era natural de se aceitar e o processo de luto algo necessário e normal de ser experenciado. Que passado o luto o continuar a viver dos vivos voltava ao normal, morresse quem morresse. Na verdade a coisa era meio parecida com o espiritismo, mas sem o moralismo cristão de quinta categoria que hoje permeia tal movimento religioso. É isto.

  62. Serious Business Diz:

    Biasetto,

    “Em 1º lugar, mentira é sempre mentira, devendo SEMPRE ser evitada”.
    .
    O universo não é politicamente correto. Isso é muito bonitinho de se falar, mas…
    Na prática não é assim. Tanto a verdade quanto a mentira podem ser usadas para o bem e para o mal.
    Você fala somente a verdade, para todos, o tempo todo?
    .

    “Em 2º lugar, o problema é justamente este: algumas pessoas podem até obter vantagens, acreditando em algo que não é verdadeiro, mas muitas outras, vão perder com isto. Qual seria o resultado desta operação?”
    .
    É exatamente de resultados que estou falando. Os que conheço, a respeito do CX, são bastante positivos, como já citei exemplos. Já falei também que não tenho compromisso com o erro. Se me provarem que os resultados das ações do CX prejudicou as pessoas em escala significativa, eu mudo de opinião e passo a considerá-lo um homem mau!
    .
    .
    Quanto a parte do “religiosidade só traz perdas”, eu não consigo enxergar o nexo causal entre essas pessoas que você citou terem má índole e a religião. Acredito que quem tem má índole o faz com ou sem religião.
    .
    O que acontece é que as pessoas seguem as convenções e marginalizam quem não as segue. E é isso que a maioria das pessoas fazem com religião, dizem que seguem para fazer parte de um grupo, mas não estão procurando reforma interior, e sim um atalho para minimizar o peso na consciência ou para obter “favores” divinos.
    .
    Eu também não gosto das religiões, mas não vou ser injusto ao atribuir a culpa do mau caratismo de certas pessoas à elas…

  63. Serious Business Diz:

    Juliano,
    .
    Eu entendi muito bem o que você disse, e considerei uma generalização pobre, digna de brigas de torcedores de futebol…
    .
    Não vou entrar no mérito da psicografia ser evidenciavel ou não.
    .
    Eu vejo que as pessoas que psicografram na maioria das vezes o fazem de boa fé. São pessoas de boa índole que realmente acreditam no que estão fazendo, buscam a reforma interior e seguem os preceitos do espiritismo.
    .
    Se isso é algo que vem de espíritos ou do próprio subsconsciente delas é outra questão, já que você está falando de fraude e não de erro.
    .
    O que eu vejo é que você tem raiva e se apressa em julgar, condenar e chamar todo os espíritas de charlatões. A partir daí quer passar o seu sermão e doutrinar o mundo contra os perversos espíritas. Um verdadeiro religioso, apesar de aparentemente não seguir religião alguma.

  64. Juliano Diz:

    Serious Business

    Trabalhar com a perspectiva apenas dos resultados positivos, não importando o mecanismo a se chegar aos mesmos é uma verdade do nosso mundo, concordo contigo. Agora, é algo perigoso como conceito a ser generalizado e normalmente aceito. Pelo menos eu vejo assim.
    Sobre as religiões de modo geral. Evidente que elas não são as culpadas pelo mau caratismo de certas pessoas. A minha crítica diz respeito a ser a religião um forte instrumento de manifestação e crescimento dos mau caráter de plantão, pela natural ausência de senso crítico dos seus seguidores. O ponto é ser a religião um instrumento poderoso na mão de pessoas perigosas, maldosas, reacionárias e mal intencionadas. Há pessoas bem intencionadas no processo religioso? Aos montes, mas o problema é o outro lado da moeda. Bem como, entendo que já está mais do que na hora de começarmos a superarmos o processo religioso por algo mais condizente com nosso atual estágio de desenvolvimento. Até para quem sabe quebrarmos esta barreira entre possíveis dimensões nascimento/morte/nascimento, que de forma geral é senso comum jamais será quebrado, e as religiões trabalham com isto. Se houver um prosseguimento evidentemente, ressalte-se.

  65. Vitor Diz:

    O Scur mais uma vez demosntra que NADA vai mudar a opinião dele. Ainda que eu traga “juízes de direito (não corruptos de preferência), advogados ou promotores que já tenham se envolvido em acusações de plágio, participantes de bancas de avaliações acadêmicas em universidades de respeito”, ele vai dizer que as universidades não são de respeito – o Lair Amaro é da UFRJ, o Leandro também, e só resta ao Scur dizer que a UFRJ não é uma universidade de respeito. Qual é mesma a universidade do Perandréa, hein? Universidade de Londrina? Será que essa é de respeito?
    O Scur sempre usa dois pesos e duas medidas. É pura desonestidade.
    Scur, agradeço a Zeus por não ter um pai como você. Eu morreria de vergonha.

  66. Juliano Diz:

    Serious Business

    Vou pensar na tua colocação, quem sabe seja verdadeira. No fundo te entendo. A linha é pouco se importar com estes processos. O que me interessa se “A” ou “B” faz isto ou aquilo? Por quê da crítica aos religiosos? Não me enxendo o saco que mal tem em ser religioso? Já pensei bastante nisto. Afinal, quem quer saber da minha opinião? Como eu penso? Eu já ando me calando mais, já fui mais falador. A minha verdade só serve pra mim. No fundo se o Chico Xavier, Waldo Vieira, Jesus e etc (…) estão aí, que sejam felizes quem crêem neles. O negócio é uma postura mais individualista. É por aí mesmo.

  67. Juliano Diz:

    Serios Business

    Li de novo o teu comentário e vou pensar seriamente se a minha postura é de fato raivosa! Muitas vezes a gente não se toca que está extrapolando. Valeu pela dica.

  68. Juliano Diz:

    Vitor

    Na verdade ele vir aqui desfazer o blog é provavelmente uma terapia. Ele deve estar de saco cheio com algum problema do seu dia a dia, e vir aqui provocar-nos é algo que o acalma. Até por quê ele não vai mudar, e nós sabemos disto. Outro Biasa por aqui vai ser duro de encontrar. Mas barco que segue. Uma boa noite pra todos.

  69. Biasetto Diz:

    Serious Business,
    Há alguns anos, li uma entrevista interessante, nem me lembro em qual veículo de comunicação, mem me lembro quem era o entrevistado. Só sei que esta pessoa, afirmava que um dos recursos importantes para a sobrevivência da espécie humana, é exatamente este: a MENTIRA.
    Obviamente, que a coisa não é tão simples assim, no sentido de que a mentira seja uma virtude e não um defeito. O que ele estava dizendo, é que se o ser humano tivesse um dispositivo que o impedisse de mentir, haveria mais problemas no mundo. Entende-se, entretanto, que há “vários tipos de mentiras”, e isto é algo que TODOS usamos, em determinados momentos ou situações. Imagine, por exemplo, que João estava voltando pra casa, aí encontrou-se com uma ex-namorada, bateram um papo legal, sem qualquer algo mais, e João curtiu o encontro, porque a ex-namorada estava muito linda… Aí, João chega em casa, e Maria pergunta onde ele estava. João, certamente, não vai dizer: “ah! eu encontrei uma ex-namorada, batemos um belo papo, e fiquei muito feliz, porque ela está muito gata!” Não dá certo, não é verdade?
    Então, a mentira, faz parte, em certas situações.
    Agora, tem outros situações, que a mentira é muito complicada, porque envolve “n” problemas. No campo da política, no campo da religiosidade, no campo da educação, nos negócios…
    Tem pessoas que são doentes mesmo. Mentem tanto que passam a acreditar naquilo que falam.
    Eu penso que mentir psicografias, por exemplo, é algo grave e não deve ser aceito.
    Se você leu, acredito que leu, os livros do Chico, há um exagero, na minha opinião, da questão punitiva, da questão umbralina, coisas assim. Este tipo de “freio”, que as religiões usam muito, impondo o medo do inferno, não faz a sociedade avançar.
    Se você fizer uma pesquisa nas prisões, muito provavelmente, vai constatar que a maioria dos presidiários sempre foram crentes, ainda que tenham deturpado esta crença em favor próprio. O toureiro, antes de entrar na arena, reza! Ele reza pra poder sacanear o touro, judiá-lo, maltratá-lo e matá-lo, estupidamente! Isto é legal?
    Analisando a história das sociedades humanas, é fácil perceber, que os momentos de salto significativos, como a Renascença e o Iluminismo, por exemplo, foram marcados pelo Antropocentrismo, criticando o Teocentrismo. É algo claro, que os ateus evitam a guerra, enquanto que os crentes a estimulam.
    Mas eu entendo o que você quer dizer, no que diz respeito à consolação, à ideia de esperança. Geralmente, o religioso, mentindo ou não, procura amenizar as dores das pessoas. Só que, muitas vezes, tiram um peso das costas destas pessoas, mas colocam dois.

  70. Biasetto Diz:

    Só pra vocês saberem, o Scur me ligou, e nós conversamos por quase uma hora. Ele estava rindo bastante, saibam meus amigos…
    De qualquer forma, valeu, porque eu estava sentindo falta dos debates aqui.
    Acho que este blog é uma invenção legal, sinceramente. Tem gente que chega, não se entende com o pessoal e cai fora. Mas, no fundo, todos acabam refletindo um pouco sobre si mesmo. Pra mim, normalmente, serve como terapia. Tanto no sentido de eu descarregar minhas opiniões, como no sentido de aprender muitas coisas também.
    Sinceramente, eu procuro encontrar formas cada vez mais qualificadas, pra viver e tentar contagiar as pessoas à minha volta, com carinho, respeito e tolerância. As coisas que pesquiso, procuro analisar de forma imparcial, usando o método da razão. É claro que tenho minhas falhas e, talvez, mesmo sem preceber, também me deixo contaminar pelos pressupostos ou desejos. Mas, nunca pretendi e nem pretendo sacanear alguém. Eu procuro a verdade, naquilo que é possível, sem esperar vantagens financeiras, coisas assim. O que eu questiono, aprendi a ser bastante crítico, com muitos aqui, é a crença ferrenha, quando não há evidências favoráveis ou há inúmeras evidências desfavoráveis.
    Boa noite, vou dormir, porque com mediunidade ou sem mediunidade, tenho que acordar cedo e enfrentar a garotada.
    Abraços a todos.

  71. Antonio G. - POA Diz:

    Que ótimo debate este que os amigos travaram nos últimos posts! Entusiasmante! Parabéns a todos: Biasetto, Juliano, Vitor, S. Business e Scur. Muito bom! Que pena eu não ter participado, pois não pude acessar o blog desde ontem à tarde…
    Eu teria tanta coisa para comentar sobre os posts, que não saberia por onde começar. Mas vou colocar apenas três coisinhas sobre os posts do meu coestaduano Roberto Scur:
    - Preocupa-me os teus 100% de certeza sobre a vida após a morte. Só os fanáticos atingem este índice.
    - A morte existe, sim. E, justamente por isso, não há motivos para temê-la.
    - Os espíritas não são todos charlatães. Só os médiuns. E Chico Xavier foi o maior de todos. O maior farsante da história deste país. Mas era muito caridoso…

  72. Eduardo Diz:

    Biasa,
    -
    Dei uma passada aqui no blog pq suas indicações de pesquisas me causaram uma certa curiosidade. Aí vi que o JCFF colocou mais estudos sobre a história documentada. Achei interessante que ele foi a fundo na questão dos ditos achados de Aquiléia nos séculos XII ou XIII e tb refutou, logo, me parece que não há elementos que mudam os outros estudos já publicados no blog sobre a história documentada.
    -
    Tem muita coisa que eu não acompanhei no blog e fica bem dificil opinar. Mas, pelos exemplos aqui, o pau tá comendo ainda. He,he.. essa faceta do blog do Vitor é a que dá mais Ibope.
    -
    Tô vendo que o Vitor continua o “Vitrola” de sempre…he,he.. o “disco” dele é “Chico Xavier”. Vitor vc nunca mais trouxe nada sobre Divaldo Franco?

  73. Vitor Diz:

    Oi Eduardo,
    sobre o Divaldo por enquanto não está previsto nada. O Divaldo psicografa muito Victor Hugo. Quem tiver lido Victor Hugo poderia ler os livros do Divaldo e ver se acha plágio. Mas um dia pretendo ler as mensagens que ele psicografou para as famílias. Os livros já tenho. Só falta ler mesmo…

  74. Antonio G. - POA Diz:

    Ah…! O Divaldo! Aquele que disse que o Sathya Sai Baba era um dos espíritos mais evoluídos já encarnados no nosso planeta…
    O “divino” Sai Baba, entre outros predicados, era um prestidigitador de quinta categoria, estelionatário, sodomita de rapazes, pedófilo e, consta, suspeito de ser até mandante de assassinato.
    Joanna de Angelis não avisou Divaldo sobre estes detalhes…

  75. Roberto Scur Diz:

    O Vitor vai começar a levantar questões sobre o Divaldo, com certeza, depois que ele estiver a sete palmos do solo, o que é próprio dos levianos pouco corajosos, digamos assim.
    Para começar vai ter que se informar um pouco mais pois ele psicografou alguns poucos livros do Vitor Hugo, muito mais de Manoel Philomeno de Miranda, Bezerra de Menezes, e principalmente de sua mentora Joana de Angelis.
    Mensagens para famílias? Não conheço por parte do Divaldo um Correio Fraterno como havia com o Chico.
    Porque tu não faz análise sobre as várias psicofonias que estão no youtube?
    Voltando ao assunto lá de cima, sobre as tuas autoridades sumamente importantes no mundo da história, da análise de plágios e da semi-quase-talvez-quasegrávida-técnicas de grafoscopia, vou te dizer que a universidade cursada não está em questão, mas sim o sujeito que frequentou ela e o que fez com o que poderia ter aprendido lá.
    O Lalau não era juiz de direito? O jcff não é descanudado como ele fala? Tu não é um espírita de não saiu do jardim de infância e pensa que é PHD? Este blog aqui não diz que é “científico” não sendo mais do que palco de amadorismo? Divaldo não é sem graduação e versa sobejamente, graças a inspiração de Joana, sobre os intrincados temas da psicologia e psiquiatria? O Lula não se ufanava de não ter formação? Bethoven e Mozart não tocavam com maestria em tenra idade sem terem feito cursos de música (bagagem de outras vidas, e bota bagagem nisso)?
    Neste debate aí sobre o Perandréa tu já levou um pau danado lá em outro blog quando conversou com uma pessoa que estava fazendo tese de pós-graduação ou de doutorado, não me lembro, sobre o tema psicografia. Ele te deu um baile e tu ficou tartamudeando argumentos frágeis para manter viva a tua tese de “vitrola” como falou o Eduardo.
    Larga d’eu chulé, que eu vou para o meu retiro de 60 à 120 dias como de costume.

  76. Roberto Scur Diz:

    Ilustre ToniG de Poa, em que buteco te contaram estas barbaridades aí do cara? Quantos martelinhos tinha bebido o teu informante naquela altura?
    Será que o sujeito frequentava àquela igreja que falaram ali em cima em que diziam que o Chico era cachaçeiro e frequentador de bordel?
    Velhinho, tu não existe mesmo. Qual é o problema de eu ter 100% de certeza sobre alguma coisa? Tu duvida que tá vivo e respirando, por acaso? Precisa de comprovação de que entra oxigênio nos teus pulmões para ficar vivo? Que papo é este G?
    Tchau também para ti.

  77. Antonio G. - POA Diz:

    Scur, para mim, não tem problema nenhum o fato de você ter 100% de certeza. Fique a vontade. Só não acho esta postura muito prudente sobre algo que você não tem nenhuma prova nem evidência confiável. O que você disser que tem de prova ou evidência será sempre fruto de sua fé, nunca da razão. Eu sou quase 100% ateu, mas não fecho questão, porque não acho muito prudente ter certeza absoluta sobre estes temas tão polêmicos.
    E, se você também se alinha aos que acham que Sai Baba foi “flor que se cheirasse”, eu “larguei o jogo”. Esse não foi só “um alucinado que queria ser um “santo”, mas que não passava de um embusteiro” (palavras suas – perfeitas) como Chico Xavier. Sai Baba foi muito além: Não parecia ter nada de alucinado. Foi mesmo um bandido, quadrilheiro e safado.

  78. Antonio G. - POA Diz:

    Quem está escrevendo agora este post é o espírito do Antonio. Acabei de ser atingido por um raio de luz enviado pelo Chico Xavier diretamente ao meu cérebro, o que me deixou completamente tonto, e, logo após, fui golpeado por uma esfera de ouro vomitada pelo Sai Baba, que atingiu-me na fronte, causando-me o desencarne fulminante.
    Estou batendo às portas do Umbral, onde deverei passar os próximos 400 anos, prá aprender a não ser cético.

  79. Agnostic Diz:

    Uma das coisas que não entendo é como podem haver tantos “descrentes” comentando aqui no blog. Alguns estão tão certos de que tudo isso é pura bobagem que suas postagens, quando não redundantes, são apenas sarcásticas. Tenho uma tese: Eles combatem o próprio impulso de crer. Pelo que vejo, muitos aqui são/eram espíritas frustrados que parecem combater o resto de crença (ou vã esperança que ainda persiste) atacando os que crêem. Não dá. Eu não gosto de samba, para que ir num fórum de samba, então? Vamos sair do armário?

  80. Antonio G. - POA Diz:

    Foi a minha primeira pscografia. E sem nenhum médium como intermediário.

  81. Antonio G. - POA Diz:

    Agnostic, “combater o próprio impulso de crer” é uma frase bacana. Gostei do estilo. Mas não se aplica a mim. Eu não tenho a menor tentação em crer. Já estou curado.
    À propósito: Você sabe qual é o escopo deste blog? No meu entendimento, não é, propriamente, a exaltação do espiritismo e das supostas psicografias. E acho que tem lugar prá todo mundo. Especialmente para os que têm algo a dizer.

  82. Marcos Arduin Diz:

    Bem, não tive paciência de ler tudo o que se escreveu acima, por isso vou só comentar a mágoa do Biasetto.
    .
    Então ele pensou achar no Espiritismo uma cambada de santos humildes e humirdes… Mas achou gente certa e errada, como costumamos encontrar em tudo quanto é lugar nesse Mundo. E aí se desencantou com o Espiritismo. Que peninha.
    .
    Assim se faz um cético muito crédulo: lê besteiras sem provas e faz o jogo de toma lá e dá cá. Por que os que dizem que Chico era iletrado estariam dizendo a verdade e os que dizem que o Chico era estudioso, como lá se diz no Diário de Belo Horizonte, estariam mentindo? Bem, essa pergunta se resolve perguntando aos artigos e eventualmente a quem escreveu os ditos artigos. Os textos que você compilou neste trecho, Biasetto, são tirados do Padre Quevedo, A Verdade sobre Chico Xavier, o qual já refutei há tempos. Quevedo diz cada besteira neste artigo… Pra você ter uma ideia, ele diz que o sobrinho do Chico, aquele que NEM PERTO DO TIO FICAVA, mas que o denunciou como farsante, escreveu mais de 50 livros usando UNICAMENTE o seu poder imitativo, sem nada de espíritos. O problema é que NINGUÉM jamais achou qualquer livro publicado desse sobrinho.
    .
    E aí eu lhe pergunto, meu caro cético-novo muito crédulo: Quevedo mentiu descaradamente, mas mesmo assim merece crédito pelas outras pataquadas que disse?

  83. Roberto Scur Diz:

    Toni G,
    .
    Como pode tu achar que não é uma postura prudente de minha parte? Quem te disse que eu não tenha tido nenhuma prova ou evidência confiável? De onde tu tiras as tuas conclusões sobre as minhas experiências? Não é ousadia de tua parte querer pensar pela minha cabeça?
    .
    Tu precisas tanto assim que espíritos não existam, que médiuns sejam falsos e consequentemente que a Doutrina Espírita que tu tentou compreender durante 30 anos sem sucesso se confirme como mentira? Que desespero é esse velho? Que fantasma há na tua consciência para toda esta sofreguidão?

  84. Biasetto Diz:

    ANÁLISE DAS REFLEXÕES SCURZIANAS:
    .
    Caros amigos,
    O Scur é um fanfarrão. Ele adora jogar lenha na fogueira. Mas é um sujeito muito bom, boa praça, simpático, fala mansa, muito preocupado em fazer o bem, em ser uma pessoa de caráter. Só que ele exagera nas “brincadeiras”, acaba ofendendo as pessoas, além de cometer um erro grave: acredita em tudo, qualquer coisa que venha de alguém que diz coisas bonitinhas e se diz preocupado em fazer caridades ou levar consolo aos sofredores. Agindo assim, ele perde o senso crítico e se transforma num crente fanático. Daí pra frente, a coisa se complica.
    .
    Ele diz que não há plágios nas obras de Chico Xavier, porque narrativas do plano espiritual, de colônias, umbrais, naturalmente vão trazer semelhanças.
    .
    Em parte ele tem razão. De fato, se existirem colônias espirituais, se algum espírito for passar pra um médium, informações desta colônia, é natural que fale de belas praças, ambiente agradável, águas límpidas.
    O problema, e isto o Scur teima em não aceitar, é que os livros do Chico, os que analisei, especialmente Nosso Lar e Libertação, não se assemelham apenas ao livro do Owen, por estas narrativas. Mas as semelhanças são referentes aos acontecimentos, aos fatos, aos detalhes, aos clímax das histórias, juntamente com repetição de palavras-chaves, personagens-chaves, momentos marcantes. Qualquer pessoa com um mínimo de senso crítico e análise textual, percebe isto. Só não percebe ou não aceita, quem não quiser.
    .
    O Scur me falou ontem, em conversa ao telefone, que fico difamando o Chico, chamando-o de mentiroso. Oras, estou convencido que ele não psicografou as obras que escreve. Então, pra mim isto é mentira. E quem mente é mentiroso, ou estou enganado?
    .
    Ele disse que afirmo que tudo que o Chico escreveu é fraude, como posso afirmar isto, se não analisei os 400 livros dele?
    .
    Quando eu digo tudo, estou querendo dizer que a obra do Chico foi totalmente influenciada por leituras que ele fez. Isto não significa dizer que tudo que ele escreveu, é uma cópia. Lógico que há coisas que ele escreveu, onde colocou ideias dele, palavras dele.
    Mas, vejam bem: Nosso Lar, por exemplo, foi plagiado de A Vida Além do Véu. Depois, vários livros foram escritos, complementando a “Série Nossa Lar”. Nem todos estes livros, são plágios de A Vida Além do Véu. Porém, a partir daquilo que se criou, como alicerce para a série, aquilo que está na obra Nosso Lar, foram se estabelecendo “pontes” para estas outras obras. Então, o “tudo” a que me refiro é isto: na gênese está o plágio, depois desenvolveram-se outras histórias, sempre tendo como base, a tal colônia.
    Além disso, há outros livros da tal série com plágios de outras obras. Já sabemos que Nosso Lar, Obreiros da Vida Eterna e Libertação, foram diretamente plagiados de A Vida Além do Véu. Sobre “Obreiros”, o Vítor tem um artigo meu, mostrando o que estou afirmando. O artigo está com o Márcio, para que ele possa dar uma melhorada, uma complementada. Tem outro artigo meu, na mesma condição, em que mostro que Nos Domínios da Mediunidade é plágio de uma obra do Leon Denis (No Invisível).
    Sabemos que Mecanismos da Mediunidade foi plagiado de O Átomo (Fritz Kahn).
    Também encontrei a referência para Evolução em Dois Mundos. Pedi pro Márcio analisar, porque se trata de um trabalho bem complicado. Não é complicado identificar a influência que esta obra recebeu de um livro do Gabriel Delanne, mas apontar os plágios, em meio a todo aquele palavreado complexo, exige tempo e dedicação e eu, ultimamente, ando bem cansado deste trabalho. Só que o Márcio também está bastante atarefado, com novas funções profissionais e outros desafios.
    Vale lembrar, que Há Dois Mil Anos tem trechos de Vida de Jesus, de Heculanun, talvez tenha muito mais, até de outras obras. Não duvido de nada!
    A questão envolvendo o Parnaso já foi bastante debatida aqui. Os poemas, na opinião de muitos críticos literários, são inferiores, o que é muito estranho, porque o espírito desencarnado, vivendo em uma bela colônia, já tendo vencido o trauma do desencarne, deveria escrever muito melhor. Esta é minha opinião. Além disso, tem a questão do caderno que ele confeccionou. Havia mais cadernos. O pai dele queimou vários cadernos dele, inclusive o filme mostra esta verdade.
    Sabemos que ele escreveu falando de vida em Marte, também influenciado pelo livro do Camille Flamarion.
    Vai além:
    - a história das materializações de Uberaba. Tá na cara que ali não tem espírito materializado. Aquilo é gente com véu.
    - a mulher (Otília) foi desmascarada, mais tarde, uma fraudadora completa.
    - vejam esta história que falei aí, das pétalas de rosa. Por que precisava estar escuro hein? Será que no claro, os espírito não poderiam materializar as pétalas? Tem sempre um porém né?
    - por que não seria simples e óbvio, ele ter pego as pétalas, previamente escondidas, jogando-as sobre todos ali?
    - os perfumes, como é fácil manipular isto. Algo simples, mágica de 5ª categoria.
    .
    O Scur afirma que os estudos do JCFF são particularistas, intencionais, se alimentam de fontes pré-determinadas, fontes católicas.
    .
    Bem, quanto a isto, pode ser que ele até tenha alguma razão. O JCFF buscou informações nas fontes que acredita serem referências seguras. Porém, cabe a ele (Scur), então, realizar outros estudos, mostrar outras fontes, rebatendo assim, o que diz o JCFF. Mas ao invés disso, insiste em querer declinar os trabalhos já realizados.
    .
    O Scur faz uso de coisas que pega na internet sobre construções subterrâneas norte-americanas, pra dizer que o governo lá está preocupado com o “fim do mundo”, o choque do “planetão” com a Terra.
    .
    Olha, os norte-americanos, há tempos, vivem sempre achando que há todo tipo de ameaça. Hoje, mais do que nunca, eles têm medo de tudo. Talvez pensem, realmente em construir abrigos subterrâneos, temendo até mesmo um ataque nuclear, sei lá. Porém, ligar estas supostas construções a questões que estamos discutindo aqui, porque o tal André Luiz Ruiz, mais um que se diz médium, fica dando palestras, dizendo que a coisa tá ficando cada vez mais próxima, que o Elenin (sei lá se é isto), se aproxima. Ah! Scur! Realiza homem! Estes caras ficam falando coisas doidas, sem fundamentos, ficam chutando, misturando tudo. Procura tirar informações com um astrônomo. Quer fundamentar suas ideias, tenta contato com o Marcelo Gleiser. Olha que ele nem ateu, até onde sei. Veja o que uma pessoa assim tem a dizer, sobre tuas pesquisas e conclusões.
    .
    Por fim Scur, o fato do Chico ter sido caridoso, bondoso, dedicado ao próximo, não faz dele um santo, não faz dele uma pessoa imune às críticas e questionamentos. Se há evidências, e há muitas, mostrando que ele forjou as psicografias, tem que ser criticado sim. As pessoas têm que saber, por que não?

  85. Antonio G. - POA Diz:

    Scur, estamos todos “doidos” para conhecer suas provas e evidências confiáveis. Não chego a estar desesperado, mas confesso que fico ansioso, porque, até hoje, tudo o que encontrei neste sentido foi fraude, conversa mole e fantasia. Estou pronto para mudar minha posição e engolir tudo o que eu disse a respeito dos equívocos do espiritismo. Mas, por favor, apresente suas provas ou evidências!!!!

  86. Biasetto Diz:

    Arduin,
    Minha opinião sobre o Quevedo é muito simples: ele é uma pessoa inteligente, radical demais e alguns apontamentos, além de extremamente influenciado pelos interesses católicos. Mas muitas das coisas que ele fala, ele tem razão.
    Você tem uma cisma com ele né? Tanto que você fez duas matérias no “Grupo Apologética Espírita”, criticando ele.
    Você diz que eu fiquei magoado porque encontrei pessoas “normais” nos centros e no meio espírita. Oras, as pessoas não são tão “normais” assim, pelo menos nos centros, aqueles que se dizem médiuns. Só que elas não me convenceram da mediunidade. Ficam brincando com o poder de raciocínio e bom senso dos outros, considerando que qualquer baboseira serve. Pra mim não serve. E, infelizmente, foi isto que eu mais vi nos centros, nos ditos médiuns. Então, cai fora! O que há de errado nisso?

  87. Biasetto Diz:

    Antonio G.,
    O Scur ficou bravo porque você criticou o Sai Baba
    Veja este vídeo:
    http://www.youtube.com/watch?v=DF9Q8GocgHo&feature=related

  88. Biasetto Diz:

    Mais este:
    http://www.youtube.com/watch?v=UOhH1oBJOiw&feature=related
    Que palhaçada!!!
    Se o Divaldo falou bem deste cara, não precisa dizer mais nada.

  89. Biasetto Diz:

    O Duzão,
    Beleza xará!
    Acho que você entendeu errado, o email que lhe enviei. Eu disse lá, que eu fiquei curioso, nas coisas que você me falou. Das pesquisas tuas, não só as que você está fazendo no campo profissional, mas sobre o tema que você não citou no teu email. Deixou no ar!
    Mas beleza, ver um comentário teu aqui. A coisa tá “normal” aqui, é que o Scurzito resolveu dar o ar da graça. E aí, você já sabe né?
    Um grande abraço!

  90. Roberto Scur Diz:

    Toni G,
    .
    G eu lamento ser portador de más notícias para ti, mas os meus 100% de certeza não são baseados em achismo, crendices, fanatismo, falta do que fazer, ou em provas apresentadas por outras pessoas, ou participação de espetáculos circenses, ou de mágicos ilusionistas, ou o que o valha. Fui eu mesmo quem obteve as provas por mim mesmo, e veja só que engraçado, NUNCA procurei por prova nenhuma, nunca me preocupei com isso ou achei que fosse necessário. Curioso, não acha? Eu acho.
    Compreendi a razoabilidade da Doutrina logo no início do contato (não procurado, diga-se de passagem) com a literatura espírita. No que dependesse do contato com as pessoas frequentadoras do centro espírita eu teria desistido, mas a essência estava nos livros dos quais eu preferia àqueles que fossem de autoria espiritual pois notava facilmente a diferença e a profundidade de uns em comparação com os dos escritores encarnados. Estava na primavera dos meus 26 anos, afastado de religião desde os 11 anos mais ou menos. Um livro ia complementando o outro e descortinava indagações que buscava respostas até que cheguei ao Livro dos Médiuns uns 6 meses depois. Preferia os romance aos livros mais técnicos ou de tópicos.
    .
    Pela metade do livro dos médiuns tinha um treino para testar a mediunidade do leitor em exercícios de psicografia. Decidi com muita curiosidade fazer o exercício. Na mesa da cozinha fiz uma prece, duas, três vezes procurando ser o mais sincero possível, o com a humildade do aprendiz. Já contei isso aqui algumas vezes e, resumindo a história, tive meu braço controlado por uma força estranha a minha vontade, começou formigar todo, e para meu espanto, admiração, susto, e até emoção, não é que se moveu largando a caneta sobre o papel e lentamente se afastou em direção ao meu tronco. Repeti pois achei ter feito algo errado, mas eis que o braço repetiu os movimentos anteriores só que desta vez levou o braço até cair no meu colo.
    Para mim o recado estava dado e entendi de não tentar mais. Alguns anos depois comecei a participar do estudo mediúnico no centro espírita, ia lá toda a quarta feira e faziam exercícios para receber comunicações de espíritos numa semana sim, outra não. Na sala reservada havia um grupo de candidatos a médiuns, alegados médiuns experientes mais um orientador.
    O caso é que eu nunca senti coisa nenhuma lá dentro. Fiquei uns 6 meses frequentando e nem um músculo se moveu, não senti nenhum tipo de influência psíquica que me fizesse crer que algum espírito quisesse se comunicar por meu intermédio e vi que eu era um zero à esquerda como médium. Porque anos antes meu braço se moveu INCONTESTEMENTE, INDUBITAVELMENTE, INILUDÍVELMENTE? Não sei dizer, mas que não vai ser tu, nem ninguém neste mundo que vai me dizer que espírito não existe ou que eu não posso ter 100% de certeza senão serei um fanático, ah não vai não, mas não vai mesmo.
    .
    Notei é que as maiorias das pessoas que estavam exercitando a mediunidade não me convenciam com suas manifestações de ser um espírito tal, que estava sofrendo, com dor de cabeça, e uma historinha meio vazia que se repetia. A honestidade cobra de quem dá valor para ela não fingir, não ludibriar os outros. Têm que estar bem doente para ficar se fazendo de médium de araque, mas, sei que têm montoeiras de gente assim e neste ponto vou dizer que tu ToniG foi melhor espírita do que a maioria dos médiuns que conheci por lá, pois tu não entendia e não se fez de salame (talvez por uns 30 anos ficou pendurado no porão) e se retirou. Melhor assim.
    .
    É por causa dos mais afoitos e desonestos que Kardec assevera que os falsos médiuns são um escolho para sua divulgação e prestam um desserviço para a Doutrina. Antes caíssem da boca como tu e passassem a atacar frontalmente.
    Depois desta experiência com o braço testemunhei alguns poucos fenômenos de objetos se movimentando do nada, sozinhos, e ruídos que toda a minha família ouviu em pleno almoço – mas não vou detalhar isso.
    .
    Portanto ToniG, seja prudente tu meu velho, e respeite aquilo que tu não entendeu por ti mesmo como se o que conseguir mereça o teu escárnio e zombaria. Eu não preciso te provar nada, nem te convencer de coisa nenhuma. Se tu não acreditas na minha história isso é contigo e eu não tenho nada com isso.
    Fique a vontade para duvidar pois bem vejo que tu precisas muito desta dúvida para se sentir melhor.

  91. Roberto Scur Diz:

    Biasetto,
    .
    Os americanos se borrando de medo de “fim de mundo”, cavando buracões para se esconderem e saírem-se ilesos, e os “ex-espíritas” do Brasil tremendo as perninhas para o umbral, para colher o que planta, para a lei de ação e reação.
    .
    Os americanos construindo 700 campos de concentração que dá para ver facinho, facinho no Google Earth, por exemplo, espalhados por todo país, e ficando fechadinhos, fechadinhos para esperar os desobedientes que provocarem desordens quando a coisa ficar preta e os emburacados não quiserem incomodação com os desemburacados maltrapilhos e famintos da superfície, e os “quase-espíritas” professores brasileiros dê-lhe escrever gibizinhos com jogralzinhos para encarcerar em colunas e linhas bem demarcadas as palavrinhas que eles pescaram na comparação de livros que se propõem a falar de lugares semelhantes do plano espiritual e para narrar atividades comuns em todas as cidades de lá assim como é comum nas daqui ir comprar pão na padaria. Ambos querem segurança e conforto para continuarem tocando a vida do jeito que estão acostumados, sem perturbações e afastando todos os que ousarem mostrar que as coisas deveriam ser diferentes para serem melhores.
    .
    Os americanos avisando no site da Nasa que é para a tigrada ficar esperta, ter um kit de emergência, combinar como conversar com os parentes quando acontecer uma catástrofe, ver o que precisa para garantir os familiares doentes, os cachorros, etc., e apresentando há quase dois anos um comercial perguntando para a turma o que eles fariam se de repente o mundo do jeito que se conhece virasse de cabeça para baixo, e aí mostra a família tranquilita na sua casinha bonitinha financiada em 40 anos por um sistema imobiliário e bancário quebrado, que deve 14 trilhões de dólares (mais que o PIB de um ano) e obriga o governo a aprovar autorização para aumentar a dívida senão não conseguem pagar as contas do mês que vêm, e fica tudo girando dentro da casa, as pessoas dando uma cambalhota em câmera lenta, e depois de firmar o pé no chão buscam seu kit de sobrevivência e picam a mula da casa hipotecada. Enquanto isso os ex-espíritas que nunca foram espírita coisíssima nenhuma, mas que pensam que foram, e criam casinhas (sites, blogs) na internet onde ficam inventando acusações sem base, apresentam “mestres” de um saber científico que encabularia qualquer adolescente em feira de ciências da escola, e tentam assim hipotecar a sua preguiça em estudar com seriedade.
    .
    Lá os americanos deixam a céu aberto, visível de novo pelo programa legal à beça Google Earth, para qualquer um ver, milhões e milhões de caixões empilhados em regiões espalhadas pelo país, cabendo 4 defuntinho por pacote, e fabricam trens e ônibus de evacuação em massa que transitam pra lá e pra cá, há anos seguidos, carregando ninguém, carregando nada, só vento, e aqui os quase-quemsabe-espíritas discutindo questiúnculas como o graveto quebrado dentro do olho do elefante e não enxergam o trombudo que é dono do olho.
    .
    E é o seguinte vivente Biasetto, vou ter que repetir para ti de novo, e mais uma vez: que história é essa de fim de mundo, de choque de planetão com a Terra? Nunca falei isso e é xarope tu ficar colocando palavras na minha boca. Deixa para lá as previsões de profetas, de espíritos, de civilizações antigas, de livros e calendários disso e daquilo, e te concentra só no que os teus olhos conseguem enxergar, que estão aí sem precisar de grande abstração como o que ocorre em relação ao mundo espiritual para um materialista convicto, que são ditas sim por astrônomos seu pandorga, não por médiuns.

  92. Biasetto Diz:

    Scur,
    Mostre os links que comprovem as coisas que diz.

  93. Antonio G. - POA Diz:

    Ok, Scur. Não leve tão a sério nossa divergência. Você realmente tem o direito de acreditar no que quiser. E eu respeito isso. De verdade. O que eu não respeito é a fraude e a mentira. E não acredito mesmo nesta história de “os fins justificam os meios”. Não mesmo! Mentira é mentira! E é sempre ruim.
    Biasetto, eu já conhecia estes vídeos. Não é uma gracinha a performance do “cotonete de orelhão”? Que sujeitinho asqueroso! Que cara de pau! Esse crápula tarado e perverso ficou multimilionário com a pequena “reserva pessoal” que separou para ele dos milhões e milhões de dólares que gente tola e crédula (muitos políticos, artistas e celebridades, além de outros anônimos) doou para sua “divina obra” assistencial. Tudo bem ao estilo do nosso compatriota Edir Macedo: Pega-se 100 milhões, separa-se uns 30 para si mesmo e constroi-se um grandioso centro educacional para jovens carentes. E todos ficam felizes, especialmente o “dulcíssimo e caridoso”. Aí, com esta demonstração de altruismo dando suporte a sua grandiosa obra social, arrecada-se mais uns 200 milhões. E depois mais e mais, num “estelionato” sem fim. Viu como é fácil virar um milionário e, de quebra, ser reconhecido (pelos otários) como “pai amoroso, piedoso e divino”?

  94. Roberto Scur Diz:

    Tu me dá trabalho Biasetto. Não podia procurar por ti mesmo? Que bichinho!
    Este é o site da Nasa com o vídeo:
    http://www.nasa.gov/centers/hq/emergency/personalPreparedness/index.html
    Se quiser facilito e colocou um que têm traduzido, tá? Mas não vem reclamar que é de médium espírita porque só tenho paciência para te passar os que já estão na memória da minha conta no youtube.
    http://www.youtube.com/watch?v=PoXCZYkp_uA
    .
    Agora os comerciais da mesma Fema. Pô Biasetto, é só digitar no google, no youtube, em português mesmo pois têm várias traduções. Mas que bah tchê… que bicho mais molenga.
    http://www.youtube.com/watch?v=N3L45LQzU7A
    .
    Ah Biasetto, procura aí, vai: comerciais da fema, (fema coffins)caixões da fema, campos de concentração nos eua (fema concentration camps), vê se acha algum que tenha imagens do google earth ou maps mostrando as 700 localizações no mapa, enfim velho, te vira. Para pescar palavrinhas e fazer teu jogral tu têm tempo, então procura aí que eu não tenho paciência.
    .
    Devia olhar também os crop circles que mostram a chegada do planetão no nosso sistema solar, enfim, quem procura acha, quem não quer saber pode estar sendo vítima da distorção cognitiva.

  95. Antonio G. - POA Diz:

    Scur, deixe-me contar-lhe um segredo: Nem tudo o que passa no Discovery Channel é verdade! Tem muita bobagem e fantasia alí, também.

  96. Roberto Scur Diz:

    ToniG, somos concordantes pelo menos neste ponto, não gostar de fraude e mentira.
    Biasetto, coloquei alguns links para ti, mas têm que passar pela polícia do “editor”.
    Agora deu mesmo. Chega.

  97. Roberto Scur Diz:

    ToniG, quem falou em discovery?
    E já que tu falou este segredo tão precioso, te conto outro “grande segredo”: pego a palavra discovery da tua frase e substitui por blog-blog do VM.
    Tchau para ti também.

  98. Antonio G. - POA Diz:

    ali não tem acento, claro. Foi um “lápis”.

  99. Caio Diz:

    Li quase todos os comentários. Estive ausente durante um tempo devido a uns problemas de saúde, mas agora está tudo bem.
    .
    Scur, um grande abraço por trás.

  100. Caio Diz:

    Scur, vamos fazer um trato? Se o tal do “Chupão” não fizer nada de significativo, você transfere todos os seus bens pro meu nome. Se ele fizer algum estrago, viro seu escravo pro resto da vida. Até roupa eu lavo.

  101. Gazozzo Diz:

    Crop circles? Só pode estar de sacanagem…

  102. Roberto Scur Diz:

    Caio,
    Vai esperar acabar o mundo para sair do armário? Ou não quer perder a oportunidade antes que o mundo se acabe.
    Esta tua mensagem aí está comprometedora viu! É a primeira cantada que vi aqui neste blog. Pelo menos parecia que aqui todo mundo era espada, mas pelo jeito, nem tudo que reluz é avestruz.
    .
    Querer lavar roupa, vestir cuecão de couro, ser escravizado, hum! Até essa agora?
    Ainda bem que não te encontrei aí em São Paulo quando visitei o Biasetto, pois não tenho preconceito contra os que se fresqueiam desde que eles não venham para o meu lado.
    .
    Acho que tu queria escrever isso aí para o Gibarembório The Pelvis.

  103. Caio Diz:

    HAUHAUHAUHUAHAUHUAHUAHUAHUAHUAHAUHA…

  104. Biasetto Diz:

    Scur,
    Quando leio certas coisas que você escreve aqui, fico com a impressão que é outra pessoa, não é o cara que conheci, nem o cara que conversa comigo ao telefone.
    Você parece um tontão, tem horas aqui.
    Estas experiências que você fala, eu acredito em você. Porém, isto aí, não prova nada, muito menos que o Chico foi um médium autêntico.
    Eu contei aqui, você sabe disso, que eu dormia e acordei assustado, porque sabia que um amigo meu estava em apuros. Meu irmão é testemunha disto. No dia seguinte, fiquei sabendo, logo pela manhã, que meu amigo tinha sofrido um grave acidente.
    Já contei aqui também, que desde a infância, tenho sonhos que estou em belos lugares, às vezes, feios, e que sonhos são muito parecidos com os lugares narrados nos livros espíritas.
    Mas, podem ser apenas sonhos. Só isto! E, vamos admitir, que eu sonhe com lugares que existem, que eu saia do corpo, algo assim… Nem por isso, eu afirmo que sou médium. Nem por isso, eu acredito na mediunidade do Chico e tua turma. Vai ver, que várias pessoas tiveram a experiência que você teve, que têm sonhos parecidos com os meus. E, algumas dessas pessoas, exatamente por estas manifestações, começam a dizer que são médiuns, se metem a escrever livros, dizendo que psicografam livros.
    Tem que peinerar Scur, selecionar, raciocinar.
    Tem que ter senso crítico, não ser tolo!
    Você entrou com tudo nisto hein? Que coisa.
    Tá cheio de gente que acredita em TUDO que está escrito na bíblia. Não se toca, de quanta besteira tem lá.
    Você é igualzinho. Acredita em TUDO que o Chico disse, escreveu. Acredita nesses viajandão que escrevem sobre ETs, Atlântida, Lemúria… Nem sei mais o que dizer pra você.
    Ainda não dei uma olhada nos links que você citou aí. Vou ver com calma, amanhã.
    Mas não vou me impressionar, pode ter certeza. Além disso, o que tem a ver, estas coisas que você diz, com as discussões aqui?
    O que tem a ver, se estão sendo construídos abrigos subterrâneos nos EUA, com os plágios do senhor Xavier?
    O que tem a ver, se um cometa está passando perto da Terra, com a falsidade ou veracidade dos médiuns. Você deveria entrar em blogs de ufo, coisas assim.
    Você está viajando Scur, completamente fora de órbita.

  105. Biasetto Diz:

    Antonio G.
    Vou ter que discordar de você, porque você errou na conta.
    Os caras arrecadam 100 milhões e doam 1 milhão. Eles ficam com 99% sempre.
    Você foi muito bonzinho, muito otimista com esta turma aí.

  106. Biasetto Diz:

    Scur,
    Já vi o 1º vídeo, e não há nada demais nele. O Charles F. Bolden, Jr. está falando que seria muito bom, as famílias, as pessoas, pensarem em ter um plano de emegência, em caso de uma catástrofe, um furacão, coisas assim. Qual o problema disto?
    Depois do 11 de setembro, os norte-americanos ficaram muito mais preocupados com situações de tragédia, surpresas negativas.
    Acho que em todos os países, até mesmo no Brasil, deveriam haver cursos, algum tipo de treinamento, para situações inesperadas.
    O que você vê de extraordinário nisso? De revelador?

  107. Biasetto Diz:

    Scur,
    o 2º vídeo, é apenas um comercial. Uma propaganda. Só isso!

  108. Roberto Scur Diz:

    Biasetto,
    Tu saiu para tomar um birinights, por certo. Cara, foi tu que entrou neste assunto, tu que pediu para mim falar sobre isso. Manera na cagibrina aí homem!
    Pô meu, o que têm a ver? Vivemos em planetas diferentes Biasetto, ou em dimensões diferentes. O que têm a ver? Têm certeza que tu perguntou isso?
    Primeiramente a questão quando posta não individualizava Chico Xavier, mas sim o meu % de certeza sobre existirem espíritos. Narrei meu caso e acredito que para um bom materialista tu ter o teu braço arrastado é muito mais objetivo do que sonhos, a não ser que o sonho seja premonitório e te conte o que acontecerá após tê-lo tido. Sempre vai ter alguém duvidando que tu sonhou, fazendo pouco caso, etc., assim como vai ter nêgo dizendo que meu braço não mexeu, que foi coisa da minha cabeça, que sei lá o quê, mas não vão aceitar nem que a vaca tussa.
    Bom, se é assim, então eu falo com preocupação ZERO se vão acreditar ou não, pois não devo nada para as pessoas, não quero fundar uma igreja, nem quero reformar o espiritismo sendo um analfabeto no assunto como é o caso do Vitor Moura, que de Visoni, ou Viseone, ou Visão mesmo, não têm grande acuidade, não quero arrecadar dinheiro de ninguém, não tenho absolutamente nada a ganhar com isso. Falo e ouça quem quiser, acredite se quiser, mas acho muito mais objetivo o meu caso do que o teu caso onírico.
    Mas reafirmo, para a ótica de um materialista inveterado, é claro, porque para mim tu ser avisado quando acontece alguma coisa com teu amigo, teu filho, ou quem seja, exatamente quando tu dorme e o negócio acontece, é para mim uma prova definitiva e inquestionável de que temos uma consciência que transvaga pelo espaço, e pensa, e age, e vive, ou seja, temos um espírito e ponto final.
    Para outros é uma reticências e um início de intermináveis debates negadores, ridicularizadores, escarnecedores, porque é o que querem e sabem e podem fazer.
    Agora, meu velho, se um espírito pensante moveu meu braço, tirou-me do exercício, logo eu que como tu disse sou um tolo, um zé mané em termos de mediunidade, porque que eu vou duvidar de que tenham agindo juntamente com o Chico Xavier que foi um homem incomparavelmente melhor e mais útil do que eu? Pô Biasetto, realiza tu homem?
    Não quer falar sobre ets, planetas, cometas, nasa, buracudos e emburacados, etc.? Ora, é só não perguntar sobre o assunto meu!

  109. Roberto Scur Diz:

    Não Biasetto, não têm nada não, deixa quieto, é super normal, toda hora se faz 700 campos de concentração depois que acabou a guerra fria há décadas, toda hora se cava buraqueira no “calcário macio do Missouri” há custos astronômicos, super tranquilo.
    Deixa assim que a distorção cognitiva tá pegando pesado contigo, ou a cagibrina que tu bebeu.
    Good Night birinight!

  110. Biasetto Diz:

    A FEMA é uma instituição que se refere à reconstrução de casas, coisas assim (meu inglês é péssimo), em situações de terremotos. E dái? Terremotos acontecem desde sempre.
    Outra coisa Scur,
    Você fala da situação econômica dos EUA. Isto já havia sido alertado por historiadores, geógrafos, sociólogos e, obviamente, economistas, desde o final da década de 1980, quando o mundo deixou de ser “bipolar” e se “multipolarizou”. Além disso, os caras têm tropas espalhadas pelo mundo, se meteram em invadir o Afeganistão e o Iraque. A conta iria ser cara mesmo.
    Os EUA já quebraram em 1929. Qual o problema se quebrarem mais uma vez. Veja quantos países da Europa estão com problemas sérios, de ordem econômica. É a dança da história. No século 16, Portugal e Espanha eram as nações mais poderosas do planeta. No início da era cristã era o Império Romano; no século 19, a Inglaterra era liderava de forma absoluta. Atualmente, os países do BRIC, estão surgindo como grandes potências… tudo natural, normal, faz parte.
    Você Scur, está vendo coisas demais. Você viaja muito a trabalho, mas você está precisando EXCURZIONAR, passear, relaxar. Vai ver as gaúchas com suas danças típicas. Vai tomar um vinhozinho vai, por favor!

  111. Biasetto Diz:

    Scur,
    Onde estão estes campos de concentração?
    Isto aí, é coisa da 2ª Guerra Mundial, cara!
    Outra coisa, caixão tem monte mesmo nos EUA, os caras tão em guerra meu! Sacou?
    Você acha que não soldado norte-americano morrendo aos montes, todos os dias?
    E eles, os governantes lá, vão tentar esconder isso, o tempo todo. É óbvio!
    Vê umas coisas no E-farsas tá!

  112. Caio Diz:

    Scur, você já nos contou repetidas vezes sobre a estranha sensação que sentiu num dos braços, uma espécie de “possessão”, que supostamente faria você escrever involuntariamente, etc. Não estou dizendo que isso é mentira, realmente não estou. A minha pergunta é: o que te faz pensar, com essa certeza absoluta, que essa sensação que você sentiu deve-se não à ação de espíritos, mas sim a algum tipo de distúrbio no sistema nervoso? Já ouviu falar de Doença de Huntington?

  113. Caio Diz:

    *Corrigindo (escrevi com muita pressa): o que te faz pensar, com essa certeza absoluta, que a sensação que você sentiu deve-se à ação de espíritos, e não a algum tipo de distúrbio no sistema nervoso? Já ouviu falar de Doença de Huntington?

  114. Roberto Scur Diz:

    Biasório,
    Sim, sim, sim, vou concordar contigo, sabe como é, quando o neguinho não se franga, foge da raia, quer distrocer a realidade para se sentir mais tranquilo, bem, é melhor não contrariá-lo, deixa assim.
    Só não pede para falar sobre o assunto porque quando a pessoa não quer saber ela vai arrumar sempre alguma explicação rapidinho, e vira uma perda de tempo.

  115. Caio Diz:

    “(…)Quando o neguinho não se franga, foge da raia, quer distrocer a realidade para se sentir mais tranquilo, bem, é melhor não contrariá-lo, deixa assim.
    Só não pede para falar sobre o assunto porque quando a pessoa não quer saber ela vai arrumar sempre alguma explicação rapidinho, e vira uma perda de tempo”.
    .
    Roberto Scur, o gaúcho monogâmico de Passo Fundo, comentando em terceira pessoa sobre sua própria postura no blog.

  116. Roberto Scur Diz:

    Caio,
    .
    Vou desconsiderar o teu último comentário e colocar a resposta do anterior.
    .
    Não, nunca ouvi falar, mas em respeito à tua pergunta procurei na internet para ver os sintomas. Esta doença de origem genética degenerativa do sistema nervoso central, que provoca movimentos bruscos, rápidos e involuntários, não tem nada a ver com o que eu vivi.
    .
    O acontecimento se deu porque eu comecei a praticar um exercício, levei uns 10 ou 15 minutos, fiz a prece pedindo, humildemente como falei, que se fosse útil que algum espírito se manifestasse naquele momento, que Deus permitisse esta manifestação, e agradecia o esclarecimento que estava recebendo, etc. Nunca mais se repetiu isto, mesmo eu tendo pegado a caneta na mão numa das reuniões de estudo mediúnico no centro, nada aconteceu. Naquele dia aconteceu e foi um movimento inteligente, não descoordenado, brusco e rápido, mas lento, ordeiro e acompanhado do formigamento. Não era exatamente como quando tu dormes em cima do braço e ele fica meio molengo, morto, ser te obedecer. Eu sabia que se eu quisesse poderia assumir o controle dos movimentos, mas era tudo o que eu não queria. Queria que a caneta começasse a escrever mensagens, mas enfim, não escreveu e eu penso que tive uma orientação naquele momento para não fazer aquilo ali em casa ou não fazer mesmo. Quem tem mediunidade têm uma responsabilidade muito crítica nos ombros. Se não direcionar-se para boas coisas, se não se esforçar por melhorar-se moralmente, vai acabar vitimado por influências negativas que atrapalharão bastante a vida do sujeito. Embora seja uma excelente oportunidade de se recuperar de muitos erros em outras vidas, de maneira mais rápida, é uma prova rude de ser vivida principalmente quando a pessoa se afasta do que pode ajuda-la.
    .
    Pelo que leio e até pelo que vejo nas pessoas que estão com esta sensibilidade mais aflorada, a maioria têm um fardo a carregar, pois continuam pessoas fracas que se deixam levar pelos equívocos, e se fascinam, e se acham, e caem nas armadilhas muitas que existem no mundo físico.
    .
    Entregue, por exemplo, poder para um homem. Dê-lhe posição de comando, dinheiro, e geralmente o tigrão não resiste e escorrega na malandragem, começa abusar e se achar o tal. São as armadilhas que geralmente caímos. Com médiuns não seria diferente. Com um psicólogo, um médico, um político, um administrador, um empresário, um advogado, juiz, um professor, enfim, qualquer pessoa poderá usar mal seu cargo, seu poder, suas capacidades, sua posição social, e o médium são convidados a testemunhar humildade, serviço, fraternidade, sacrifício até – o que tu acha? Que a maioria consegue sem se desvirtuar? E a culpa é dos espíritos que desejam desenterrar a humanidade do atraso?
    .
    Não, não é assim, e o meu testemunho você têm algumas opções para se posicionar: ou me considera um baita dum mentiroso sem escrúpulos, que quer iludir, sair-se vitorioso em suas opiniões à custas de invenções, ou vai ter que admitir a realidade do fato. Admitindo, terá outras opções: dizer que devo ter sido vítima de uma doença rara que se manifestou neste único episódio da minha vida, ou que me enganei ao achar que era um movimento inteligente governado por uma vontade exterior a minha, ou então achar que sou um alucinado que acredita ter vivido esta experiência e bem poderia estar num sanatório, ou, finalmente, admitir que existem espíritos.
    .
    Mas para admitir isso você poderá exigir que a coisa se repita num laboratório, com as tais das “variáveis controladas”, e vai querer vestir o acontecimento com réguas limitadas de uma ciência que se reconstruí dia após dia, senão não aceitará. Ou a ciência está presente medindo tudo, ou não existe.
    .
    Todas as pesquisas já feitas serão insuficientes para quem é orgulhoso e só admite o que sua capacidade intelectiva permita. Esta dose de prepotência é muito contumaz entre os céticos que se acham o suprassumo da racionalidade e se acomodam aos estreitos limites da matéria conhecida.
    .
    Veja o que recentemente foi noticiado sobre a surpresa dos cientistas ao terem descoberto que Einstein e sua teoria da relatividade estavam errados, e que uma partícula pode sim viajar a velocidade superior à da luz? Isto é um buraco negro em todas as convicções que embalavam os arrogantes donos da verdade. Sim, a equação estava furada, era incompleta, e agora? Ah, agora a ciência vai dar um jeito e eu vou comodamente me posicionar no próximo degrau do conhecimento científico sem vislumbrar ou admitir que existam degraus posteriores ao próximo – não tenho capacidade de abstração, não transcendo a matéria nem a pau, e quem faz isto é mistificador, ilusionista, tolo, crente, fanático, dogmático, e blá-blá-blá. Fazer o que com um sujeito limitado deste jeito?
    .
    Admitindo que existam espíritos fica-se numa encruzilhada crítica: é daí? E agora? O que fazer com esta realidade?
    .
    A mim me parece que o mais lógico seria fazer o que Kardec fez, por exemplo, e tentar colher o máximo de informações sobre como funcionariam as coisas neste mundo invisível, aproveitar que existem muitos dizendo psicografar diretamente dos espíritos para avaliar o que dizem tentar identificar se são verdadeiros, coerentes, viáveis as informações que passam, e quais são as consequências de sabermos que continuarmos vivendo depois do túmulo – analisar o teor das mensagens e não ficar se embromando somente no efeito físico.
    .
    Quem não tiver esta disposição de filosofar sobre consequências da continuidade da vida e buscar aprender, humildemente de preferência, para sair do oceano de ignorância que vive em relação à este tema, bem, aí não resta alternativa à não ser se fazer de louco e dizer que não viu nada, não sabe de nada, e que quem fala sobre isso é fraudador, mentiroso, charlatão, plagiador, picareta, enfim, que o sujeito não presta e merece desprezo, merece todos os esforços para difamá-lo ou pelo menos, distância e indiferença.
    .
    Ah, uns e outros vão montar blogs para promover o escárnio e a indiferença destes malditos que ousaram revelar coisas que o carinha não queria saber de jeito nenhum.

  117. Vitor Diz:

    Scur,

    Ainda falta muito para mostrar que Einstein e sua teoria estavam errados. Aparentemente foi descoberto o erro, o que aconteceu foi que os cientistas não levaram em conta que os relógios estavam em locais diferentes e a força da gravidade os faria bater em ritmos diferentes.

    http://www.nature.com/news/2011/111005/full/news.2011.575.html

    “Contaldi’s paper says the group’s calculations do not take into account one aspect of Albert Einstein’s general theory of relativity: that slight differences in the force of gravity at the two sites would cause the clocks to tick at different rates.”

    E mesmo que o neutrino tenha viajado acima da velocidade da luz – o que é bastante questionável – ainda assim haveria meios de compatibilizar isso com a Teoria da Relatividade, que continuaria correta, pois “a existência de partículas com velocidades maiores que a da luz não é totalmente incompatível com a teoria da relatividade. Se for aceita a existência de outras dimensões espaciais além das três conhecidas, partículas que se deslocam pelas dimensões extras podem parecer mais velozes que a luz quando vistas por observadores restritos no espaço tridimensional. Alguns cientistas vêm explorando essa hipótese. Outra possibilidade de se compatibilizar a observação de neutrinos mais velozes que a luz com a relatividade especial seria considerar os neutrinos como táquions. Táquions são partículas que viajam sempre mais velozmente que a luz. Isto é compatível com a relatividade, pois o que ela proíbe é que a velocidade da luz seja ultrapassada.”

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Neutrino#Suposta_observa.C3.A7.C3.A3o_de_neutrinos_mais_velozes_que_a_luz

  118. Antonio G. - POA Diz:

    Amigos, ontem assisti a um filme que achei muito interessante. Gostaria de compartilhar com vocês e recomendá-lo, para quem ainda não assistiu e tiver interesse em aceitar minha dica.
    Trata-se de uma comédia, mas não é nenhum pastelão. O filme é de 2009, e o título original é Invention of Lying e a versão em português é O primeiro Mentiroso.
    A Sinopse é a seguinte: Num mundo (que é a própria Terra) onde as pessoas só falam a verdade e não existe o conceito de mentira nem de decepção, um homem que está prestes a perder tudo, de repente, ‘inventa” a mentira. E isso muda radicalmente uma série de coisas e também cria a base das religiões.
    É muito divertido e instigante. E seria assunto para longos posts desta nossa turma que interessa-se por estes assuntos relativos à religiosidade e suas circunstâncias.
    Um bom dia a todos!

  119. Vitor Diz:

    Scur,
    .
    respondendo uma mensagem mais antiga sua, apenas para mostrar mais uma vez sua DESONESTIDADE:
    .
    01- “Para começar vai ter que se informar um pouco mais pois ele psicografou alguns poucos livros do Vitor Hugo, muito mais de Manoel Philomeno de Miranda, Bezerra de Menezes, e principalmente de sua mentora Joana de Angelis.”
    .
    Não considero poucos. Além disso, os do Victor Hugo são a meu ver os que se tem mais chance de se descobrir plágios.
    .
    02 – “Mensagens para famílias? Não conheço por parte do Divaldo um Correio Fraterno como havia com o Chico.”
    .
    Depois eu que tenho que me informar melhor… as mensagens para as famílias constam nos livros “Exaltação à Vida”, “Vidas em Triunfo” e “Vitória da Vida”. Está vendo como você é desinformado?
    .
    03 – “Porque tu não faz análise sobre as várias psicofonias que estão no youtube?”
    .
    Porque não são prova de absolutamente nada.
    .
    04 – “Voltando ao assunto lá de cima, sobre as tuas autoridades sumamente importantes no mundo da história, da análise de plágios e da semi-quase-talvez-quasegrávida-técnicas de grafoscopia, vou te dizer que a universidade cursada não está em questão, mas sim o sujeito que frequentou ela e o que fez com o que poderia ter aprendido lá.”
    .
    MAS VC MESMO COLOCOU A UNIVERSIDADE COMO QUESITO! Tá vendo como vc é DESONESTO? Veja o que você escreveu: “participantes de bancas de avaliações acadêmicas em universidades de respeito”. VOCÊ MESMO DISSE QUE A UNIVERSIDADE TINHA QUE SER DE RESPEITO! Assim, a Universidade cursada está em questão sim!
    .
    05 -”Neste debate aí sobre o Perandréa tu já levou um pau danado lá em outro blog quando conversou com uma pessoa que estava fazendo tese de pós-graduação ou de doutorado, não me lembro, sobre o tema psicografia. Ele te deu um baile e tu ficou tartamudeando argumentos frágeis para manter viva a tua tese de “vitrola” como falou o Eduardo.”
    .
    Não viaja. Não era um blog, era uma comunidade do Orkut. E não tomei pau algum, pelo contrário, quando coloquei a análise do Leandro de que o estudo do Perandréa jamais permitira qualquer outro grafoscopista chegar à opinião que ele chegou o meu debatedor teve que me respeitar…e ele próprio descobriu depois que outros grafoscopistas questionavam o laudo do Perandréa, só que isso não está no Orkut, e sim na minha list de discussão do ECAE. Assim, caro Scur, não viaja, sim? E agora, sabendo disso, você vai dar o braço a torcer aceitando que o trabalho do Perandréa não é prova de nada? NÃO, NÃO VAI! Por mais que MIL PERITOS DIGAM O CONTRÁRIO, VC VAI CONTINUAR DIZENDO QUE O TRABALHO DO PERANDRÉA É PROVA DA MEDIUNIDADE DO CHICO, NÃO É? Eu sei que sim. Porque você é desonesto. E fanático.

  120. Antonio G. - POA Diz:

    Vou meter minha colher na discussão entre o Scur e o Caio, porque o que o Scur diz, aplica-se a todos que opõem-se as suas convicções.
    Scur, de minha parte, jamais cometeria a grosseria de dizer que você é um fraudador, mentiroso, charlatão, plagiador ou picareta, como você destaca em seu último post. Eu não o conheço para afirmar isso. Porém, aceitando como verdadeiro seu depoimento sobre o fenômeno que você experimentou, isso não significa prova de nada. Porque seriam espíritos os responsáveis pelo movimento de seu braço? Porque você afasta outras causas naturais tais como reflexo condicionado ou mesmo alguma forma de condicionamento psíquico? Ou você acha que estas coisas só acontecem com gente insana?

  121. Caio Diz:

    Scur, já falamos rapidamente aqui no blog sobre o neutrino que parece ter ultrapassado a velocidade da luz. O que eu posso te dizer é que ninguém que realmente goste de Ciência, que se encante com a Ciência, ficou triste com essa notícia, posso te garantir isso, sem medo de errar. Muito pelo contrário: essa nova descoberta apenas deixou claro mais uma vez toda a beleza e elegância da Ciência, justamente porque não há dogmas, não há verdades intocáveis, há apenas uma busca incessante e apaixonada pela verdade. Qual o problema se a teoria de Einstein precisar de ajustes? Einstein não é um tipo de deus, não erguemos templos para Albert Einstein, nem rezamos a ele quando queremos algo. Einstein teve uma das mentes mais brilhantes que já existiram em nosso planeta, um cientista magnifico, um ser humano brilhante, do mesmo calibre de um Newton ou de um Darwin, mas um humano, apenas um humano, como eu e você. Imagine um muro gigantesco, de quilômetros de altura e, em cima desse muro, um livro contendo toda a “verdade” sobre tudo aquilo que existe no Universo. A Ciência não tenta alcançar esse livro num só pulo, do dia para noite, mas, pelo contrário, ela se preocupa em construir uma escadaria, de forma lenta, segura, degrau após degrau; cada nova geração de cientistas contribuindo um pouquinho com a construção da escadaria. É possível mesmo chegar lá em cima? Bem, quem sabe? Talvez não. Mas é o modo mais seguro que temos para investigar as coisas e tentar se aproximar o máximo possível da verdade. As religiões, no entanto, oferecem verdades prontas, rápidas, escritas em livros sagrados, por pessoas sagradas, que não podem ser questionadas.
    .
    Olhe as declarações de alguns pesquisadores que estiveram envolvidos nesse estudo com o neutrino: “Os dados foram checados durante seis meses e as medições refeitas 15 mil vezes”. / “A comunidade científica está convidada a analisar os dados e pede que outros físicos tentem repetir o experimento. Para isso, todas as informações referentes à pesquisa serão disponibilizadas online”. / “Meu sonho é que outro experimento independente encontre a mesma coisa(…)”.
    .
    Scur, quando você ouviu algum chefão espírita falar algo desse teor? Seja sincero uma vez na vida, cara. Quando você ouviu isso da boca de um líder religioso? Quando algum espírita, ou qualquer outro tipo de religioso, disse “Ok, questionem os dogmas da minha religião, vamos ver o que sobra…”. Os físicos repetiram 15 mil vezes a medição e, mesmo assim, admitem que podem estar errados! Xavier NUNCA se submeteu a um teste controlado e, mesmo assim, nunca admitiu que não pudesse estar certo!

  122. Biasetto Diz:

    Scur,
    Você afirma que tem 100% de certeza na existência dos espíritos. Mas você vai além, dizendo que tem 100% de certeza que a mediunidade existe e que Chico Xavier foi um médium autêntico.
    Então,
    Eu conheço católicos e evangélicos que afirmam ter 100% de certeza que a crença deles estão corretas.
    Como fica isto Scur?
    Você tem 100% de certeza na crença X
    O católico fervoroso tem 100% de certeza na crença Y
    O evangélico convicto tem 100% de certeza na crença Z
    Matematicamente, isto é impossível, você concorda?
    Porque as três crenças X, Y e Z se contradizem, se chocam em vários pontos.
    Então, você diria que está absolutamente correto, enquanto que os católicos e evangélicos estão absolutamente enganados?
    Ah! não citei os ateus, entre eles há os que afirmam 100% de certeza de que não existe vida pós-morte.
    Como fica isto Scur? Me responde, por favor!

  123. Caio Diz:

    Antonio, penso justamente igual a você. O Scur imagina que só pessoas completamente insanas podem ter esse tipo de sensação que ele sentiu. Eu sugeri apenas UMA doença e, na realidade, nem acho que seja o caso, foi apenas uma sugestão. Um neurologista poderia sugerir diversas outras explicações, explicações bem simples até – disso estou certo. Até mesmo o fato da crença dele ser tão forte pode estar relacionado ao quadro. Mas, para o Roberto Scur, a explicação é apenas uma: foram os espíritos.

  124. Antonio G. - POA Diz:

    Só um exemplo sobre como é fácil a gente equivocar-se na conclusão sobre as causas de determinados fenômenos: Quando eu estava mergulhado no espiritismo, tinha certeza de o fenômeno conhecido como Déjà Vu, que ocorria para mim com frequência (e ainda ocorre), era uma prova incontestável de que meu espírito já havia vivenciado determinada situação, pois espíritos têm a capacidade de viajar no tempo e no espaço, segundo alguns entendidos na matéria. É claro que isso é uma falácia, pois o Déjà Vu é apenas um fenômeno neurológico, perfeitamente explicado pela ciência. Assim acontece com outras experiências que têm causas perfeitamente naturais e explicáveis sem apelar para o místico e o paranormal. O fato sobrenatural não existe. Ou é sempre muito natural.
    sds.

  125. Antonio G. - POA Diz:

    Na 3ª linha do meu último post, quis dizer “de que o fenômeno…”

  126. Antonio G. - POA Diz:

    Ok, Caio. Estamos em sintonia.
    Abraço!

  127. Roberto Scur Diz:

    Zetontório,
    E se a verdade está parcialmente presente em todas elas? Qual é o problema de escalar os conhecimentos na medida da capacidade de compreensão que as pessoas têm? Não é o que acontece todo dia na escola que tu leciona? Mostra os conceitos de matemática, por exemplo, de acordo com a mentalidade infantil, juvenil e depois adulta, em variadas doses.
    Tu vai chamar de burro o aluno da 4 ª série porque não sabe fazer cálculo numérico e diferencial? Não, o guri tá aprendendo, devagar e sempre.
    Agora, se o católico, evangélico, budista, espírita ou ateu, fervorosos todos, tornarem-se sectários, fechados para qualquer coisa diferente, e passarem a perseguir e odiar os que não pensam como eles, então o que temos? Pessoas não pacíficas, intolerantes, limitadas, e que, os religiosos principalmente, não entenderam patavina do que a religião deles ensina na essência.
    Religião que se preze não diz que ela deve dominar o mundo, calar as demais, pisotear os diferentes, mas ao contrário, respeitá-los, ser fraternos, amarem-se uns aos outros.
    Porque tu vai violentar a consciência de um católico que aceita e convive bem com as práticas da religião dele? Um dia ele poderá questionar algumas coisas e procurar respostas, e talvez encontre em outras crenças, mas o importante é não existir fé cega, acho eu.
    Os argumentos aí do Caio, por exemplo, em relação ao progresso da Ciência, não dão conta que temos que estar abertos para os próximos passos?
    Cá comigo eu vejo que a união da Ciência materialista com as doutrinas espirituais será uma questão de tempo, não muito tempo, pois uma apoiar-se-á na outra e andaremos mais rapidamente.
    Por outro lado o Caio falou uma baita besteira no comentário dele, e ainda me pediu para ser sincero, uma vez na vida! Puxa vida. Que cansativo isso.
    Em primeiro lugar Caio, no espiritismo não têm chefão nenhum, e em segundo lugar, se tu frequentasses o movimento espírita saberia que o Espiritismo não teme a razão, pelo contrário, persegue-a permanentemente, porque misticismo, fanatismo, dogmatismo, personalismo, são escolhos para a Doutrina.
    Outra bobagem é dizer que eu imagino que só pessoas insanas poderiam ter a sensação que eu senti. Cara, como é que tu entendeste isso do que eu escrevi? Estamos nos comunicando em idiomas diferentes, por certo. E o ToniG tá em sintonia com ele. Quando leio estas babaquices eu fico pensando se vale à pena gastar tempo falando com as portas.
    Já escrevi muito aqui e tenho que trabalhar também.
    Até Biasório.

  128. Roberto Scur Diz:

    Só antes, a resposta para o Vitor sem Visoni,
    .
    Entendo a tua necessidade de sair do foco que a conversa estava, pois o terreno não é confortável para ti, afinal, tu não entendes patavina de mediunidade. Mas vamos lá:
    .
    01 – Divaldo tem mais de 200 obras, 7.5 milhões de exemplares, 42.904 páginas escritas sendo 37.903 somente por ele. São 219 autores que escreveram por seu intermédio e Victor Hugo é um (1) deles que é autor de 5 romances mediúnicos através do Divaldo. Perto dos outros eu considero bem poucos, mas para o propósito que te move realmente é uma boa pedida. Bom trabalho, só não espera ele morrer para começar a viajar na maionese, ou quem sabe descobrir algo realmente importante, pois ele estando aqui as pessoas conseguiriam abordá-lo diretamente diante das acusações que tu certamente adoraria fazer. Não te mixa e arregaça as mangas.
    02 – Exatamente! Quando eu digo que “não conheço” é porque eu simplesmente não conheço e tenho que me informar melhor caso seja meu interesse. Não tenho a obrigação de saber cada detalhe de tudo quanto é assunto e estou aberto a aprender com que sabe mais do que eu. Neste caso tu está sabendo mais do que eu em relação à este tipo de livro. Muito obrigado pela informação!
    03 – Ah tá.
    04 – Eu não estou questionado a universidade que o teu Amaro cursou, não misture tudo, não coloque palavras na minha boca. Falei de Universidade em relação a buscar profissionais que pudessem avaliar plágios. O que têm a teu Amaro a ver com isso se o negócio dele é história antiga de judaísmo, helenismo e paleocristianismo (que diacho é isso?) e pesquisas no tal de Evangelho Q? Este aí não bebe do mesmo copo do JCFF pois este evangelho é apócrifo que nem a Epístola Lentulis, ou seja, um invalida o outro e aqui no teu blog é todo mundo do mesmo time. Ele se especializou em plágio também e não colocou no currículo dele?
    05 – Tá bom então, se tu acha que não tomou pau então passa o link (não poderia ser do Orkut figura, pois eu não tenho conta nisso aí e não conseguiria ler – foi num blog da vida sim, e ademais, que diferença isso faz velho?) para as pessoas lerem o debate entre vocês e julguem por si mesmos. Para mim tu apanhou de relho, para ti eu viajei, ok. Outros questionaram, outros confirmaram, apresentou num seminário ou sei lá o que para mais de 100 se não me engano e ninguém se manifestou contrário, enfim, toda uma história que nem me lembro direito mas que deixou a conclusão que passei – tu levou cacete, pronto, e mais a mais, de novo tu quer colocar palavras na minha boca: eu NÃO disse e não me apoio no trabalho do Perandréa para provar a mediunidade do Chico velho, cresce, te orienta tchê. Este assunto de Perandréa teve sentido apenas porque o teu meio-grávida-quase-perito Montalvão, bancário que fez cursinho com a apostila dele, usou o trabalho do verdadeiro perito para dizer o contrário do que ele disse. Tu é uma figura VM, uma figura.

    .
    E agora outro tema que permeia a tua tradicional incoerência e contradição. Há tempos atrás quando eu falava sobre a possibilidade de existirem vida em outros planetas em dimensões diferentes da nossa, assim como a vida espiritual aqui na Terra que está noutra dimensão, e citei os cientistas que estudavam a existência de 11 dimensões, etc., tu vieste com um papo de que não tinha provas que existiam outras dimensões e esculhambou a possiblidade. Agora tu te apoias no que mesmo? Numa possibilidade, não provada, diga-se de passagem, de que outra dimensão explicaria porque a partícula viajou em velocidade superior à da luz? Vai entender um sujeito desse.
    .
    Terminando, tu tá enfezado hein vivente? Toda hora em letras maiúsculas me chamando de desonesto e coisa e tal. Quer me dar um golpe de jiu-jitsu via blog?

  129. Antonio G. - POA Diz:

    Divaldo SUPOSTAMENTE psicografou 219 autores, entre eles o célebre autor de Les Misérables. E tem como mentora-mãe a freira Joanna de Angelis (que supostamente foi também Santa Clara de Assis, a freirinha amiga de São Francisco de Assis, entre outras encarnações). Pois bem, a “amantíssima” Joanna é “poderosa”, segundo o próprio Divaldo.
    A pergunta que não quer calar: Porque Joanna de Angelis não deu um toque para o Divaldo dizendo prá ele não dizer bobagem sobre o execrável Sathya Sai Baba? Porque deixou seu pupilo entrar nessa roubada? Seria este episódio uma espécie de provação a que o Divaldo deveria passar para aliviar o seu carma? Algo relacionado com alguma expiação de sua vaidade gigantesca?
    Da mesma forma, os “amigos espirituais” do Chico permitiram que ele entrasse em “canoas furadas” absolutamente ridículas, como o caso das materializações da Irmã Josefa. (O Scur talvez diga: – Perá aí, quem te disse que as materializações da Irmã Josefa não foram reais? rsrsrs)
    Pessoal, não acham que estes mentores espirituais são muito relapsos? Ou seriam sacanas? Ou será que são apenas fruto da vaidade e fantasia de seus afilhados?
    O que o bom senso sinaliza como resposta?

  130. Caio Diz:

    Bem, Scur, não sei o que você entende por “chefão”, talvez nosso entendimento sobre a palavra “chefão” seja divergente. Óbvio que na religião espírita não existe uma figura central detentora de poder extremo, como o Papa Católico, mas o que dizer de figurinhas como o teu amado Chico Xavier, o próprio Divaldo Franco e outros que (infelizmente) entulham as livrarias? Estes caras, para a maior parte dos espiritas, não podem ser questionados (basta ver como você reage às críticas feitas ao CX, mesmo àquelas mais plausíveis), são praticamente santos, conhecedores próximos da verdade absoluta. Se isso não for uma espécie de “chefão”, então, bom, deixa pra lá…
    .
    “Ou então achar que sou um alucinado que acredita ter vivido esta experiência e bem poderia estar num sanatório”. É verdade que você sugeriu outras explicações, além da loucura. Mas o que eu tentei dizer para o Antônio é que possivelmente existe uma explicação pra esse fenômeno (ou um conjunto de explicações) bem menos extremista do que a mentira descarada, a loucura de um sanatório ou uma doença degenerativa. Pode ser alguma disfunção bem simples, que acometeu o seu sistema nervoso naquela ocasião, ampliada por sua forte crença na existência da atividade paranormal.

  131. Caio Diz:

    Ah, já ia me esquecendo, dizer que o espiritismo brasileiro se apoia na razão é demais para o meu cansado estômago… Vá um centro espírita brasileiro e veja a mistura surreal de espiritualismo, medicinas alternativas (homeopatia e florais, principalmente) e jogo de faz-de-conta e, depois, diga-me com essa língua que a terra há de comer que existe alguma “razão” nisso tudo…

  132. Roberto Scur Diz:

    Caio,
    Não têm nenhum centro espírita que trate de homeopatia, florais, reiki, cromoterapia ou outras áreas do conhecimento humano deste tipo. Se tu foi num que têm isso então TU NÃO FOI NUM CENTRO ESPÍRITA onde se estuda a dountrina espírita.
    Têm uma casa perto da minha que a mulher colocou uma taboinha na porta dizendo: médium espírita – lê-se cartas, joga-se búzios e … O que o espiritismo têm com isso? Cada um fala o que quer. O Vitor sem Visoni não se diz “espírita”? O Biasetto não se diz “ex-espírita” mas ia em “centros espíritas” que tinham uma tal de mesa “branca”?
    É muita ignorância, muita desinformação, e aí os espíritas têm que ficar dando explicações para estes disparates.
    Tu acabas de assinar um atestado de ignorância retumbante sobre o que seja a Doutrina Espírita que o Chico Xavier, que o Divaldo e outros seguiram.
    Existe alguma “razão” na tua cabeça tola em não ter lido coisa nenhuma, não ter estudado uma vírgula e querer dar opiniões furadas desse tipo?
    Por isso que tenho que tirar o chapéu para estes médiuns mais conhecidos: o cara pode não ser santo, mas vai ter que aprender a ter um santa paciência para aturar tanta ignorância, e te garanto que o estômago deles deve sofrer bem mais do que o teu.
    O meu já fica todo embrulhado em estar lendo isso aqui?

  133. Roberto Scur Diz:

    Portanto quem está abusando ao dizer que se apóia na “razão” para dizer estas besteiras aí é tu velhinho, tu mesmo.

  134. Antonio G. - POA Diz:

    Caio, realmente, o espiritismo brasileiro (haverá outro?) é mesmo uma “salada frutas” impressionante! É uma mistura de práticas e conceitos como nenhuma outra religião ousa praticar. É um tal de passe de corrente, passe isolado, água fluidificada, homeopatia, florais, cirurgias presenciais e pelo espaço sem cicatriz (e sem efeito, claro), evangelho no lar, estudos mediúnicos, incorporação X não-incorporação, psicofonia, psicografia, desdobramento astral, regressão a vidas passadas, etc, etc, etc… E o mais interessante de observar é o permanente “estado de guerra” entre Federações, Centros Espíritas e outras entidades, umas querendo desqualificar as outras, num festival de intolerâncias e vaidades. Uma “guerra de bugios” deprimente e malcheirosa. Nada muito cristão, eu diria.

  135. Antonio G. - POA Diz:

    O considera que a verdadeira Doutrina Espírita é a que o Chico Xavier e o Divaldo Franco seguiram. Fiquei decepcionado, pois espera que pudesse haver algum segmento mais sério. Tinha que ser logo o destes dois !!??
    Além, disso, eles não se entendiam lá muito bem, não é?

  136. Antonio G. - POA Diz:

    No post anterior: O Scur considera…

  137. Antonio G. - POA Diz:

    Scur, numa boa, como você pode me oferecer uma explicação para o que eu mencionei sobre Chico/Irmã Josefa e Divaldo/Sai Baba? Gostaria mesmo de saber o que você acha disso.

  138. Roberto Scur Diz:

    ToniG,
    A pergunta que também não quer calar é porque tu ficou 30 anos no espiritismo e não sabe a resposta para esta pergunta que fez?
    Ia também num centro destes, de mesa branca do Biasetto?
    Tu não conhece absolutamente nada sobre este Sai Baba, não pesquisou além dos vídeos que o Biasetto deve ter posto aí do youtube, e já tirou as tuas conclusões.
    Como pode um ignorante fazer juízo de valor assim, tão apressadamente, e já sentenciar o julgado como “condenado”.
    Bem se vê que tu não aprendeu também, patavinas sobre o espiritismo, ou pelo menos, não têm senso nenhum de justiça. Vá ver o outro lado da história velho e depois dá a tua sentença.
    .
    Quanto a mim, que respeito a inteligência e a mediunidade de Divaldo, que é Franco e não mentiria sobre um tema tão sério, não vai ser este vídeo que este boca-aberta ali fez com as cartinhas que vai fechar questão, nem as opiniões the flash que pessoas como você ou o Biasetto dão.
    .
    Olho, observo, e se me interessa vou atrás de mais informações. O que eu posso conhecer sobre ele só com o youtube? Ou com as acusações tão levianas quanto a tua opinião? Pouca coisa, pouca. Pelo menos vou ter certeza de que tu não gosta do cara.
    .
    A primeira vista acho o jeitão dele bastante bizarro, cabeludão, esquisito, meio nojentão. Mas o que eu entendo efetivamente do que seja bom ou ruim além do que os olhos veem?
    .
    Dizem que ele é um avatar e Divaldo narrou, francamente, sem medos, depois que voltou de uma viagem a India, as experiências inusitadas que teve com este personagem intrigante.
    .
    O engraçado é que o que chama a atenção dos poucos informados são as opiniões de que ele fraudou isso ou aquilo, que é ilusionista, que fez fortuna, que abusava sexualmente de jovens, e um monte de acusação bem ao estilo dos bundões lá de cima desta postagens que, provavelmente numa budega da vida qualquer, em meio à uns goles de cachaça, ficam acusando o Chico de frequentar prostíbulo, por exemplo. São uns irresponsáveis, e como tais, não podem ser levados à sério. É como dar toda a importância para fuxicos e maledicências gratuitas e raivosas.
    .
    Deixa também tu de ser preguiçoso e vá ver o outro lado da história, depois fala. Eu vi muito pouco, mas já estou curioso por saber mais deste homem, principalente pela confiança que tenho na boa índole e lucidez do Divaldo Franco.
    .
    Tu ouve os budegueiros maledicentes, o Vitor Moura sem Visoni, o católico contraditório JCFF,… Eu ouço o Divaldo, o Chico, Kardec, …, e também ouço o que a turma de cima fala e faço as minhas escolhas com conhecimento um pouquinho maior.

  139. Roberto Scur Diz:

    ToniG,
    Quem me decepciona é tu velho, sinceramente (também)! Olha tu aí espichando a fofoca de que Divaldo e Chico não se davam bem. Cara, tu é outro analfabeto em espiritismo, por favor.
    Não dá para ter diálogo assim. É IMPOSSÍVEL tonig, IMPOSSÍVEL que você coma no prato dos que atribuem intrigas entre Chico e Divaldo, e tenha estado em meio ao espiritismo por 30 anos. Aqui, na minha opinião, te pego numa baita duma mentira.
    Qualquer espirita, por mais chinfrim que seja, já ouviu palestras do Divaldo fazendo referências ao Chico. Qualquer zé ruela no espiritismo conhece a amizade profunda que ambos tinham entre si, e o total desconhecimento desta carta inventada que é divulgada por blogs e intrigueiros venais como vemos aqui.
    .
    Poxa vida, achei que falava com alguém sério, desiludido com alguma revés tão comum nos entreveiros humanos que existem em todos os lugares desta Terra, inclusive nos centros espíritas, mas não, o que vejo é outro inconsequente a vociferar opiniões furadas sem base nenhuma.
    .
    Te larguei tonig, te larguei também.
    Deixa eu ir trabalhar que ganho mais.

  140. Antonio G. - POA Diz:

    Scur, você ainda deseja saber mais sobre o Sathya Sai Baba! Aproveite para estudar também o Edir Macedo, o Estevam Hernandez, o Jim Jones,… Meu caro, lamento dizer-lhe: Você é um caso perdido. rsrsrs

  141. Antonio G. - POA Diz:

    Está fugindo, Scur. Não falou das relações Chico/Josefa e Divaldo/Sai Baba.
    E o Divaldo e o Chico eram cordiais, entre eles, sim. Mas sempre rolou um ranço de ciuminho… Acho que você conhece este fato. Eu conheço.

  142. Biasetto Diz:

    Scur,
    TODOS ESTES CARAS, o homem que baba, o Divaldo fala delicada, o Chico Bob Esponja e cia. todos eles formam uma turma de mentirosos, picaretas, trambiqueiros e caras de pau!
    Perdi a paciência e os bons modos. Chega de delongas.
    PICARETAÇOS!!!
    Tinha que estar na cadeia. Grade pra estes caras.
    Chico Xavier nunca psicografou um único livro. Divaldo vai na mesma linha, até porque um ficava “lambendo” o outro e “me dizes com quem tua andas que te direi quem és” – houve até um caso de plágio – o Divaldo plagiando o Chico, este é o tema do livro do dos Anjos: “A Anti-História”, com aquelas desculpas que o espírito que passou a informação pro Chico, depois passou pro Divaldo… e blá blá blá!
    A profundidade das obras psicografadas é igualzinho a gibis, que você disse que escrevo nos meus artigos. Gibis é que você tem lido… contos de fada, histórias de Smurfs, dragões, se manca Scur, por favor. Este Sai Baba (que babão) – olha a cara de safado e bandido do cidadão. Era pedófilo, mentiroso, charlatão. Veja nos vídeos ele fraudando. O que aquilo que ele vomitou lá! Que nojo! Putz! reverenciar um cara desses, sai pra lá!
    Larga mão deste sonho aí Scur. Chico Xavier foi o MAIOR enganador da história do Brasil. Mentiu a vida inteira, com aquela carinha de coitado. Ele tinha TOC – transtorno obsessivo compulsivo… queria ser santo, se fazia de coitado, precisava se martirizar… lia livros, esquematizava os plágios. Achou que todo mundo fosse besta, otário. Mas comigo não violão! Achei tudo quanto é plágio dele, fraudador, picareta…
    Quer continuar sendo bobão, enganado, otário, o problema é teu.
    Deixe, pelo menos, teus filhos escolherem o que seguir na vida, por favor!!!

  143. Antonio G. - POA Diz:

    Biasetto, peguei daí: Criança espírita é um “pecado”…

  144. Caio Diz:

    Ok, Scur. Todo mundo é ignorante, as Américas, a Europa, a Ásia e a Oceania estão repletas de gente ignorante. Existe apenas UM seleto grupo de pessoas esclarecidas no Planeta Terra: você e todos os que concordam com seus devaneios. Aliás, você não é o primeiro a dizer que eu “sou totalmente desinformado a respeito das religiões”. Agora me diga, para criticar o Papai Noel é preciso passar madrugadas e madrugadas acordado lendo livros sobre Papai Noel? Para afirmar que duendes não existem é realmente necessário passar anos trancado em um templo duendista aprendo sobre eles? Preciso ser espirita, católico, ou protestante durante décadas para apontar todas as incongruências destas seitas? Nunca fui religioso, nem mesmo durante um único mês da minha vida, e quanto a isso não tenho o menor receio. Aliás, isso não me desabona em nada, apenas prova que, mesmo de longe (e talvez justamente por isso), consigo enxergar diversas coisas que você, talvez, nunca vá enxergar.
    .
    Quanto ao fato da “mistureba” que é o espiritismo brasileiro (se bem que como ressaltou o Antônio “espiritismo brasileiro” pode ser pleonasmo), nem tenho o que comentar sobre sua réplica. Nunca tive a curiosidade de saber o que acontece em centros espíritas fora do meu estado (São Paulo), mas posso falar pelos centros daqui com propriedade: existe, SIM, uma ENORME quantidade de centros que adotaram essa miscelânea (bem descrita pelo Antônio) de rituais espirituais, terapias alternativas, previsões para o futuro e coisas similares. O negócio tomou grandes proporções, esse papo de “uma mulher colocou uma plaquinha perto de casa dizendo ‘senhora espírita lê búzios’” é para tentar tapar o sol com a peneira, é para tentar conferir aos centros uma credibilidade que, de fato, eles não têm. Você pode alegar que os centros que você frequenta são diferentes, que no RS é diferente, enfim, seu repertório de desculpas, como todos sabem, não se esgota. Mas dizer que essa “mistureba” não acontece, ou não é relevante, sinaliza duas coisas: ou você é mal informado, ou mal intencionado. Como é, Scur, não conhece sobre a própria religião, tchê?

  145. Caio Diz:

    Não creio que o Scur também acredita no Sai Baba, o “avatar”. Sério mesmo, não creio.

  146. Antonio G. - POA Diz:

    Quero avisar que, assim como eu, o Scur é gaúcho. Mas eu sou da Capital e ele é da Serra, região da uva e do VINHO. Pode ser que…. rsrsrs

  147. Roberto Scur Diz:

    Caio, olha só o teu papo. Eu não tinha acabado de dizer que as pessoas misturam espiritismo atém em ledores da sorte no porão de casa? Se acontece com uma pessoa sozinha que tenta ganhar dinheiro, como não vai acontecer em outras escalas. É óbvio isso velho, óbvio, e não precisaria nem explicações.
    Agora, é também óbvio que aí em São Paulo mesmo existem centros espíritas onde não fazem cromoterapia, reiki, homeopatia. Não que estas terapias não tenham valor, mas porque elas, em si, não são tratadas pela doutrina Espírita especificamente. Se alguém faz é por sua própria decisão.
    Aqui em Caxias conheço um centro destes, que faz de tudo um pouco. Cumpre sua função, ajuda as pessoas, mas em termos de espiritismo mesmo não são muito versados. Foi um centro criado por médicos e que se direcionou para assistência social, têm funcionários, recebe verba do governos, e é sim uma miscelânea.
    Se alguém quiser estudar o espiritismo não irá lá, se alguém quiser vivenciar múltiplas atividades irá.
    Tinha um outro, não sei se têm ainda, em que faziam reunião de desobsessão abertas, parecendo os “descarregos” da universal do macedo. Um despropósito porque há instrução de sobra sobre a inconveniência deste expediente, mas tu vai fazer o quê? Cada um, cada qual. Nos livros espíritas não existe orientações para fazer isso, paciência.
    .
    Agora, depois deste teu ataque, em que ou eu não conhecia uma coisa que eu tinha acabado de citar que ocorria, ou eu era mal intencionado, bem, por aí já dá para entender que tu está com raiva, vai começar a me chamar de picareta, fraudador, e outros adjetivos que o Biasetto recém usou para se referir àqueles que está detestando cada vez mais.
    .
    Como eu disse, paciência.
    Cara, estou muito cansado de digitar, e responder. Se respondo, uso um repertório de “desculpas”, se quero sair, estou “fugindo”. Fazer o que?

  148. Antonio G. - POA Diz:

    Scur, você está, sim, fugindo da resposta sobre Chico/Josefa e Divaldo/Sai Baba. Se ainda não sabe o suficiente sobre Sai Baba, fale sobre o Chico e a Irmã Josefa. Não estou de “pegadinha”. Gostaria de saber o que você pensa.

  149. Roberto Scur Diz:

    Caio,
    Esta é a última.
    Se eu acredito no Sai Baba? Bom, se tu não consegue ler um texto e interpretá-lo, talvez queira que eu desenhe?
    Não conheço o Sai Baba, não vou julgar por vídeos do youtube, respeito a opinião do Divaldo muito mais do que destes raivosos perseguidores daqueles que cultivam valores espirituais, mas já me adianto, me antecipo, sem medo das opiniões tolas de vocês: estou começando a gostar do Sai Baba! Vou ler mais, ver o que ele diz, se têm algum livro dele.
    Quero saber o que ele pensa da adoração toda que recebia, porque aquela turma ficava tão submissa cheia de saramaleques, cocares, penteados, roupas douradas, enquanto ele se trajava com simplicidade, e ficavam em posições ritualísticas (tipo mãos postas, ajoelhados,…), se ele fomentava este comportamento (eu não acredito, pois se ele defendesse este tipo de servilismo então seria um péssimo sinal na minha opinião) ou se eram as pessoas que se submetiam deste jeito, enfim, vou estudar o cara.
    .
    Por enquanto, têm pontos muito favoráveis pela opinião do Divaldo. Vou ler mais e não estou nem aí nos preconceitos caducos e rancorosos da banda cética daqui ou de qualquer lugar.
    .
    É isso aí.

  150. Antonio G. - POA Diz:

    Sem brincadeira…
    Eu queria mesmo fazer um apelo a todos, crentes e descrentes: Deixem as crianças de fora de suas convicções de natureza religiosa (ou anti-ireligiosa). Eu considero um verdadeiro crime impor a uma cabecinha infantil o que nós adultos pensamos sobre esta temática. É um abuso, uma violência. Uma criança tem a natural tendência de seguir os passos dos pais. Na dúvida, deixem-nas fora disto, até que elas possam avaliar as alternativas e decidir por si mesmas.
    É um apelo sério, que eu faço sempre que posso.

  151. Antonio G. - POA Diz:

    Quis dizer anti-religiosa. Na pressa, …

  152. Antonio G. - POA Diz:

    E o Scur não respondeu…

  153. Roberto Scur Diz:

    Tonig, todos sabem minha opinião sobre Chico e Josepha. Pede para alguém aí, consulta o que já escrevi.
    Resumindo, foi um belo fenômeno de materialização que foi, como sempre e como o esperado, foi avacalhado do jeito que puderam por vendedores de revistas sensacionalistas que quando tiveram a oportunidade de “desmascarar” a alegada “farsa”, se fizeram de covardes medrosinhos, e tiraram fotos do lado da materialização com cara de espanto e susto.
    .
    Depois disso passaram-se as décadas e os loucos por não acreditar em coisa nenhuma arrumar “n” furos, fazem acusações, enfim, continuam no mesmo amadorismo de sempre e fazem julgamentos por fotos e pela revista O Cruzeiro. Ah, sem contar o fantasminha camarada fundador de seita, o Waldo Wiajeira, que não conseque disfarçar a sua empáfia e soberba em cada comentário, também deveras contraditório, mas que para os que querem a todo custo desautorizar o evento é um prato cheio.
    .
    Fiquem também com o barba branca, chapeu branco, roupa branca, gomex, melex, chiclets, pensene, e outros termos quiméricos.

  154. Roberto Scur Diz:

    Tonig, que apelo emocionante. Vamos todos chorar aqui por tua preocupada sensibilidade. Monta uma ONG aí em Poa, vai.

  155. Caio Diz:

    Scur, acho que quem precisa de desenhos para ajudar na compreensão daquilo que lê é você. Eu não perguntei se você acredita no Sai Baba. Eu AFIRMEI que você acredita no Sai Baba. Portanto, sua resposta foi totalmente desnecessária. Terminei minha frase com ponto final, não com ponto de interrogação, você apenas gastou dedo ao responder. É óbvio que você acredita nele. Já viu alguém acreditar na irmã JosePHA e desacreditar no Sai Baba?

  156. Roberto Scur Diz:

    Caio,
    Então tá certo, você afirmou que eu acredito no Sai Baba sem saber a minha opinião sobre o assunto? Sei, sei, eu não pedira acreditar que você seria adepto da “possessão” e “medinizava” a vontade alheia tomando conta das faculdades mentais da pessoa e passasse a falar por ela.
    Não te passei procuração para dizer o que eu penso ou não. Fale pelo que ouviu de mim que já está suficiente, não acha? Aliás este é um expediente comum aqui, emitir opiniões de sua própria cabeça como se fossem da outra pessoa, e depois disso cobram pela postura que inventaram que a pessoa tivesse tido – muito louco isso.
    .
    Já falei, vou ver, estudar, mas todo mundo é inocente até que se prove o contrário, e por enquanto este Sai Baba está sob avaliação. É cedo para afirmar. Vou ver o que o Divaldo realmente disse sobre ele, ver se ouço pela boca dele mesmo e não pela cabeça de outras pessoas, vou analisar literatura (caso ele tenha alguma), enfim, estudar primeiro.
    .
    Apressado come cru. Falando em cru, tu usa cuecão de couro mesmo ou foi um lapso a cantada que tu passou ali em cima? É bom sair do armário duma vez porque prefiro conversar com pessoas autênticas, saber o que me espera caso um dia eu te encontre pessoalmente. O que tu acha?

  157. Caio Diz:

    AHUAHAUAUAUHAUHAUHAUHUAHUAHUA…

  158. Caio Diz:

    Scur, sou hetero, mas não tenho nada contra gays e lésbicas. Inclusive, quase fui àquele cruzeiro com o Vitor e com o Gilberto. Desisti na última hora.
    .
    Agora me conta uma coisa… Como é que funciona esse lance de “lapso”? Porque eu sempre pensei que, se o cara fosse gay durante, digamos, uma hora, ele não mais poderia se rotular como “hetero”, talvez “bi”, não sei, hoje em dia existem tantas classificações… Mas quer dizer que por aí vale esse negócio de “lapso”, momento de fraqueza e tal? Tipo, “uma noite de nada mais”?

  159. Caio Diz:

    “e nada mais”*

  160. Biasetto Diz:

    As desculpas dos espíritas convictos, em Chico Xavier e cia., é parecida com aquela, em que a mulher costuma chegar em casa às 6 da tarde, mas num dia precisou estar na casa às 3, aí pegou o marido na cama com aquela vizinha gostosona, os dois peladões. Então, o marido olha pra ela e diz: “Não é o que você está pensando!” “Posso explicar”.
    Aí, inventa uma história, de que a moça havia sido sequestrada, aí tentaram violentá-la no carro, então ela conseguiu fugir, viu a janela da casa aberta, pulou a janela, no desespero, e o dono da casa, estava saindo do banho, entrou no quarto e viu a mulher ali deitada, nua, chorando, assustada, e foi perguntar a ela, o que estava acontecendo. Exatamente neste instante, chegou a esposa.
    Dá pra acreditar nesta história?
    Pro Scur, Luciano dos Anjos, até o Arduin numas aí, dá pra acreditar.
    Fazer o quê?
    É um direito deles.
    .
    Gente, vamos falar a verdade: se existisse um Emmanuel, um cara que conversou com Jesus Cristo, um cara que foi senador do maior Império da Antiguidade, um cara que foi padre jesuíta, que ajudou a fundar a cidade de São Paulo, um padre culto, estudado, que viveu entre os colonizadores, os indígenas e os escravos, num paraíso chamado Brasil, do século 16. Este cara, na condição de espírito, iria precisar copiar páginas de livros, pra passar psicografia. Então, um médico carioca, que viveu na década de 1920, na charmosa e elegante capital do Brasil, um médico que, descrente, vai parar numa colônia espiritual, linda, encantadora, cheia de novidades, onde tem um aerobus, aí este médico, pra passar psicografias do além, vai procurar o livro do reverendo da Inglaterra, pra fingir que ele fez parte daquelas histórias. Vai pegar um livro de um alemão lá, o Fritz Kahn, pra passar outra psicografia, plagiando tudo isto, sem mencionar fonte alguma, fingindo fazer parte destas histórias… Puta que o pariu! isto é impossível, I-M-P-O-S-S-Í-V-E-L!!!
    Ninguém no além, vai falar pra estas caras que isto vai dar merda! Ninguém vai pra eles, que se eles querem passar mensagens, eles que contem as histórias deles, sem ficarem pegando partes e ideias de outros livros.
    Que que é isso, parem com esta palhaçada, isto é muito sacana! O Scur falou aí da vidente, da farsante que lê as mãos. Estes caras são iguais, só montaram uma farsa mais elaborada.
    Deus nos livre disso! A sabedoria nos livre disso! Jesus Cristo nos livre disse! A ciência nos livre disso!
    Picaretas, tudo picareta. E chega tá. O Márcio tem falado isto pra mim, faz tempo: “Biasetto, eu te respeito, mas pare com esta história de ficar falando que o Chico fez coisas boas, foi bonzinho…”
    Márcio, você está certo: picareta é picareta, não tem desculpas. Farsantes, mentirosos, embusteiros, sacanas!
    Não têm moral alguma comigo. Não existe mentira pro bem. Mentiras, farsas, enganações, teatro… é coisa que tem que ser menosprezável, jogada no lixo. Nós reclamos da corrupção, da roubalheira que existe em nosso país. Estes caras estão no mesmo barco. E tinham e têm interesses próprios. O Chico era infantil, passou a vida de forma infantil, não cresceu. Foi uma criancinha brincando com seu mundo de fantasia!
    Vejam as mensagens dele de filhos desencarnados: TODAS ELAS, “QUERIDO PAPAI”, “QUERIDA MAMÃE”, “VOVÔ … VOVÓ… IRMÃOZINHO”.
    Não tem nenhum espírito que se manifesta como era, de fato? Vem com este nhen-nhen-nhen… de criança do jardim da infância…
    Que Sai Baba? bandido… bandidão…
    Meio de vida, meus amigos. Meio de vida, lucros pessoais, vantagens de vários tipos…

  161. Roberto Scur Diz:

    Caio, não pode mesmo. Se numa hora tu está querendo abraçar um outro homem “por trás”, como tu falou bem antes, não vai ter volta a gayzisse, e o lapso ficará como herança de uma vida. Por isso que ficou muito estranho a tua emocionada proposta.
    Para arrematar fica aqui um vídeo do anúncio na CNN sobre a existência de um gigante corpo celeste, 3 à 4 vezes o tamanho de Júpiter, e que possivelmente seja o tal do Chupão (talvez não tão no limite do sistema solar como o repórter disse)
    http://www.youtube.com/watch?v=HEXenxl2qm4&feature=feedu.

  162. Roberto Scur Diz:

    Biasório,
    .
    Então tá dito.
    Imaginava que este BO, ou MRO, ou sei lá o nick deste Márcio, era mais um espírita da turma dos “quase”, “ex”, “de mesa branca”, “experimentador”, e outros “styles and fashions” variados que emparelham com a “vidente espírita que joga búzios no porão da casa numa esquina do meu bairro”.
    .
    É muito mais coerente o católico JCFF dizer o que diz do que um dito “espírita”, com pose de “sábio” e “autoridade”, que têm “diploma” e tudo, falar isto aí sobre Chico ter feito coisas boas ou não.
    .
    Vai perguntar para quem recebeu o consolo e auxílio dele (milhares? milhões talvez?), o que acham dele. É fácil dizer estas coisas de barriga cheia e com saúde. Difíciel é perder a própria saúde para alimentar os irmãos em humanidade que pedem socorro. Disto o douto BO não têm propriedade alguma para falar e lhe resta desfazer da capacidade que outros tenham e ele nem sabe que seja uma virtude verdadeira.
    .
    É outro espírita fajuto que não leu, se leu não entendeu, e não sabe do que fala em se tratando de espiritismo. Tentar desmoralizar à qualquer preço a a indestrutível obra que qualquer pessoa, religiosa ou não, poderá contruir em vida, ou seja, a caridade praticada e não teorizada.
    .
    Espírita têm a obrigação de saber que “Fora da Caridade não há Salvação”, e se não consegue fazer o mesmo deveria respeitar àqueles que converteram suas existências em favor dos semelhantes, até ao limite de suas forças.
    .
    Que barbaridade estas pessoas que se dizem algum tipo de “espíritas”.
    PS: eu não me excluo desta turma não, pois se eu fosse um bom espírita estaria fazendo outra coisa que não gastando meu tempo para discutir com vocês.

  163. Roberto Scur Diz:

    Gazozzo,
    Nunca me dirigi à ti, talvez esperando que tu saísse da condensação de tuas ideias, dando maior solidez à elas, mas entendo que é um processo lento.
    Já que tu criticou os “Crop Circles” que eu me referi mais acima, vou deixar um vídeo feito sobre o assunto.
    À saber, eu além de ter tido meu braço governado pelo inusitado movimento espiritual, também, veja só, tive um contato com ovnis há uns anos atrás e já contei várias vezes a história, portanto, é certo que para mim os ETs estão por aí, fazendo sua parte discretamente, mas cada vez mais frequentemente.
    Analisem aí, os gozadores de plantão, e se esbaldem, ou se preocupem com as mensagens que eles estão mandando para nós, inclusive respondendo a um dos gurus do ceticismo científico (não do amador), o Karl Seagan.
    Veja o vídeo:
    http://www.youtube.com/user/tvalvoradaespirita#p/u/15/JkX6g7Z9d80

  164. Roberto Scur Diz:

    À todos,
    Fechei com o Divaldo.
    O Sai Baba é o cara! Um legítimo avatar.

  165. Roberto Scur Diz:

    O último vídeo desta postagem é o do ex-ministro da defesa do Canadá cobrando do governo americano a transparência sobre a realidade da existência de ETs, já que insistem em esconder da população o conteúdo de suas experiências e contatos já realizados.
    http://www.youtube.com/user/tvalvoradaespirita#p/u/10/UfVje68gvSc

  166. Antonio G. - POA Diz:

    Esse Roberto Scur é um fanfarrão! Fala umas besteiras só prá provocar. Imagine que alguém acreditaria que ele realmente pensa que a materialização da Irmã Josefa foi real! Que piada! Nem a própria “Irmã Josefa” acredita, pois a vigarista já confessou toda a farsa. Não que precisasse de qualquer confissão, pois basta ver as fotinhos do Chico de bracinho dado com a “aparição”. Simplesmente, ridículo!!! rsrsrsrs
    E o Sai Baba vomitando anéis e bolas de ouro! E espremendo um torrão escondido entre os dedos e fazendo um pózinho “abençoado”! Que espetáculo! Que grande F.D.P. !!! rsrsrs
    Depois dizem que os céticos são zombeteiros sem respeito. Mas como não dar gargalhada de palhaçadas como estas? Neste caso, não há o que respeitar!
    .

  167. Roberto Scur Diz:

    Tonig, Tonig, Tonig,
    Olha a língua grande Tonig.
    A Otília não confessou coisa nenhuma, pelo contrário, CONFIRMOU bagual, CONFIRMOU que as materializações de Uberaba eram verdadeiras. Foi pega fraudando 6 anos depois seu bundão, 6 anos, e já tinha perdido a capacidade mediúnica de materialização de espíritos.
    Se escabelou, passou vergonha por fazer os truques que fez depois e que foram facilmente descobertos, agora, a turma toda lá do O Cruzeiro, um monte de barbado (uns 7?), ficaram amedrontadinhos e não desvendaram àquilo que depois eles chamaram de “farsa”.
    Tst, tst, tst. Não existia homem naquela época para puxar os lençóis da moça ao invés de posar para tirar fotinho com cara de abobado?
    Estes mesmos abobados foram quem fizeram a reportagem depois.
    Apesar de tua retumbante ignorância, até entendo pois se tu tivesse de fato sido o espírita que tu diz ser, uma falácia, uma forma de dar alguma autoridade para a mediocridade do teu conhecimento em espiritismo, tu não é ridículo não, é só ignorante mesmo, e daqueles que não sabem não é correto rir-se, mas apiedar-se.
    Bom, a tua ofensa incontida ali, sem comentários.
    Tu agora se entrega, devagarinho, devagarinho, te entrega: tu nunca foi espírita seu tranqueira, tu sempre foi cético, e para mentir não paga imposto.

  168. Antonio G. - POA Diz:

    Scur: OVNIs e ETs! Taí um assunto interessante… Embora faltem evidências conclusivas sobre sua existência, não acho nada impossível que realmente existam. Aliás, é muito mais provável do que a existência de espíritos. Agora, considerando que você tem demonstrado ser um alucinado, tomo a liberdade de dizer que, na minha opinião, se realmente existem OVNIs e ETs (e reitero que acho mesmo possivel que existam), não creio que você tenha realmente visto algum. Você é fanático e meio maluco. Então, falta-lhe isenção e credibilidade. Sem ofensa.

  169. Gazozzo Diz:

    Sutil como um elefante dançando balé – esse é o Scur que a gente ama!

  170. Gazozzo Diz:

    “Nunca me dirigi à ti, talvez esperando que tu saísse da condensação de tuas ideias, dando maior solidez à elas, mas entendo que é um processo lento.” -> Wow! É assim que um espírita pretende iluminar seus ´irmãos´ menos privilegiados intelectualmente. Pure Love!

  171. Biasetto Diz:

    Scur,
    Não caio mais nesta ladainha apelativa-emocional, usada pra defender o Chico, de suas farsas.
    Ele foi bonzinho, deu esmolas… Isto não o isenta da farsa.
    O que não falta, por exemplo, é um monte de pastores evangélicos, aplicando um verdadeiro estelionato, diariamente, neste país. Com certeza, alguém sai feliz da igreja deles, alguém é consolado lá. Então, vamos dizer que eles são bons?
    Não dá Scur! Mentira não consola ninguém. Esmolas eu também dou, nem por isso me acho alguém iluminado. Se eu conseguir ajudar 10% dos meus alunos a vencerem na vida, me sinto muito melhor, muito mais realizado do que distribuir sopas pra 1 milhão de pessoas.
    Pessoas como Chico Xavier, “macedos” e “hernandez” da vida, só contribuem para que nosso país continue sendo 3º mundo, onde os políticos deitam e rolam, os grandes empresários se esbaldam e os banqueiros riem 24 horas por dia. “Caridade” é conhecimento. O conhecimento liberta, a religião aprisiona.

  172. Biasetto Diz:

    Antonio,
    Ele acredita sim nas materializações de Uberaba. É que quando a Otília foi pega em golpe, ela tinha perdido os poderes (pasmem!). Até o Arduin acredita nisto (pasmem! II).
    Ele também acredita, porque a Otília disse, que na ocasião em que foi pega, não tinha mais poderes, mas quando estava lá com o Waldo e o Chico, aí ela tinha poderes, e tudo foi autêntico. (Pasmem! III)
    Nem duvido, se esta mulher não tenha sido até ameaçada, caso abrisse a boca.

  173. Gazozzo Diz:

    Scur, da minha parte, meu caro, recolhido em minha insignificância, nada tenho a reclamar de sua impressionante capacidade verborrágica! Pelo contrário, sem você isso aqui seria um tédio… Quando vejo ´Roberto Scur´, meus olhos até brilham, já sei que vou me deliciar com as teorias da conspiração mais vagabundas, com os videos mais sem graça, as profecias espíritas mais risíveis, enfim, com o que há de mais retrógrado em todos os aspectos, sejam eles morais, pseudo-científicos ou religiosos.

  174. Caio Diz:

    Confesso que também fico contente quando vejo que tem post do Scur na área. Impossível ficar indiferente, pelo menos não esboçar uma risada. E, às vezes, quando ele tá inspirado, quando o mentor dele ausenta-se, vem cada uma…

  175. Gazozzo Diz:

    Sobre materializações, fico impressionado de ver como é escasso qualquer tipo de experiência documentada com material fotográfico, e que seja recente. Não deveria ser um fenômeno tão incomum, caso fosse verdade; Pior ainda: o que existe de documentação visual só depõe de forma massacrante contra o falso fenômeno. O único que eu vi que, até onde sei, ainda não desmascararam foi o daquela dona que vai mexendo no algodão e tirando um monte de porcarias. Mas nem precisa ser muito esperto pra saber que alguma treta há de ter. Tudo tem seu tempo, aliás. Não vemos agora, depois da internet, dos foruns, quanto podre vai sendo descoberto a respeito dos líderes religiosos? Veja o caso dos plágios prá lá de explícitos, paciente e objetivamente relatados nos ´jograis´ do Biasetto.

  176. Gazozzo Diz:

    O Scur é holístico, ele acredita em quase tudo: só resiste mesmo, pelo que parece, em acreditar no mundo real…

  177. Roberto Scur Diz:

    Líquido (começou o teu processo)
    É o seguinte bagual, eu não estou aqui querendo te iluminar coisa nenhuma. Já disse alhures que eu sou “o espírita que vocês merecem”.
    Se vêm um carinha mais capaz do que eu, falando de amor, sendo pacífico, fraterno, fala mansa, amável, respeitoso…, o que vocês iam fazer? Extraxinar o coitado, iam chamar o cara de veado, mentiroso, fraudador, e por aí vai.
    Comigo não! Não tenho estas virtudes meu caro Líquido! Eu sou na porrada mesmo, e sou o que vocês precisam para sair deste marasmo da negação vagabunda.
    Vagabunda porque não não se mexem, não vão atrás com seriedade, querem tudo no colo para depois fazerem graça, pouco caso, e virem com este vazio de argumentos furados como se fosse o suprassumo da razão, da lógica.
    Eu digo o que suas cabeçinhas conseguem entender (raramente), sou sutil como um elefante, pior talvez, porque eu não faço questão de ser melífluo, não é meu estilo.
    Escorregou no quiabo que nem fez o Caio ali, leva porrada. Sou do time do Massaranduba, o espírita de ringue, entendeu. Vocês são espíritas de araque, eu sou um pouco melhor, sou espírita, defendo a doutrina, mas de um jeito errado, no safanão, bem ao contrário do que ensinam os verdadeiros espíritas que jamais respondem aos mentecaptos ranzinzas que lhes atacam.
    .
    Vê o teu caso aí sobre este caso das “teorias de conspiração vagagundas”. De onde tu tirou isso bagual? De mim? Tu viu, isso se viu, algum dos vídeos e do que eles tratavam? De teoria de consipiração? Ah meu, vai te tratar, não falo disso, não me interessam estas coisas, porque eu seu, tu sabe, nós sabemos que as pessoas que detém o poder, do tipo que for, religioso, político, social, econômico, o que fazem geralmente: tentam preservá-lo a qualquer custo, não querem largar o osso jamais, querer ser os tais, deixar tudo como está caso esteja bom para o lado deles, ou tentar destruir os que estão nos lugares que eles gostariam de estar. É novidade isso? Não é né Líquido, não é, e eu sei que tu têm capacidade intelectiva para admitir isso.
    .
    Olha esta pessoa, o Sai Baba. Achei ele com uma expressão um tanto desagradável, não têm uma presença boa, mas eu só olhei para a aparência num primeiro momento. Depois, assisti vários outros vídeos, li algumas coisas que encontrei de suas opiniões, e considerei que era um “peixe fora d’água, nem parecia ser deste planeta de tão fora que eram suas expressões.
    Eu sou aberto para o diferente, não sou uma besta preconceituosa que quer rotular tudo e todos só para não sair do comodismo de suas convicções rotas.
    .
    Portanto Líquido, retrógrado na minha opinião é esta incapacidade que vocês demonstram de enxergar um pouquinho mais além dos seus narizes.

  178. Gazozzo Diz:

    “Portanto Líquido, retrógrado na minha opinião é esta incapacidade que vocês demonstram de enxergar um pouquinho mais além dos seus narizes.”-
    - Meu prezado obSCURo (já que o negócio é ser engraçadinho), você pode sim, estar certo. Mas por ora, o placar está muito favorável aos céticos. Será que isso é assim tão difícil de se ver? Quem precisa rebolar e se virar são aqueles que afirmam coisas intrigantes e pouco prováveis, considerando que temos em comum o nosso mundo natural, real. Fica parecendo que o ônus da prova é dos céticos, quando na verdade, o cético é apenas alguém esperando uma prova concreta, material, real; E ao fazer isso, o cético não está sendo egoísta ou insensível – está, sim, apenas raciocinando de maneira lógica. Não importam os fins, os meios não se tornam verdade a não ser por si mesmos. É por isso que sou cético: para que eu cresse no sobrenatural, precisaria de muito mais evidências e provas do que existem. E os espíritas, como é exatamente o seu caso, não conseguem um discurso convincente, apaziguador, que pudesse abrir a visão das outras para uma verdade maior: pelo contrário, suas posições só reforçam um espiritismo rançoso, como se fosse um cristianismo do lado bizarro (lembram-se de Superamigos?). Não leve para o lado pessoal, mas a impressão que tenho de seus posts é de muita amargura. Espero, sinceramente, estar errado.

  179. Gazozzo Diz:

    Sobre displicência com temas ´sérios´: você precisa entender até mesmo que fazer piada com essas coisas do além é uma coisa NATURAL, Scur! É por isso que os espíritas e outros religiosos precisam ter, além de paciência, boa vontade em tentar explicar o porquê de lidarem com coisas tão irreais e improváveis de maneira tão natural, tão real como se fosse a própria luz do dia. É uma coisa difícil de se entender! Mesmo que isso seja um mecanismo capaz de, nas mãos certas, consolar famílias, deixar mais suave o jugo que é a ausência de um ente querido, isso por si só não é suficiente para que um fenômeno ainda sem explicação passe a ser considerado verdadeiro.

  180. Roberto Scur Diz:

    Tonigui?
    Vejam só, eu, um alucinado, fanático, maluco, sem isenção e credibilidade, vi, tu, necas, porque nem procura, é preguiçoso, deitado como nós dizemos aqui no sul, quer ficar lagarteando no sol das tuas convicções minúsculas e depois fica reclamando de quem sacode a poeira, tira o traseiro do conforto e vai ler, estudar, avaliar, fazer escolhas com alguma base que seja.
    Não me sinto ofendido com o desconhecimento alheio, é normal, totalmente normal.
    A diferença é a seguinte, cuera, que se alguém viesse me contar a experiência que eu tive, tanto no caso da magnetização do meu braço quanto do avistamento que fiz junto com um colega de trabalho, por 2 horas, da meia-noite às duas da manhã, no meio de uma viagem à trabalho, o que eu faria? Ouviria, analisaria, e ficaria aberto para o: será?
    Já descrevi em detalhes isso neste blog mesmo e não estou com vontade de contar de novo, só que repito, neste caso também, não vai ser tu nem nenhum padorga metido que vai dizer que não vive esta experiência, ah vai ter que comer muito feijão para enfrentar as convicções de uma pessoa que além de bronco têm muito apreço pela verdade.
    Qualquer pessoa que me conheça um pouco mais já conheçe detalhes da minha vida, coisas que muito macho aí não ia abrir com medo das consequência. Eu não devo nada e não pago imposto para ser autêntico, pago o preço, me garanto.
    Tenho certeza que cara à cara tu ia tremer na base antes de me chamar de alucinado ou fanático, não porque tu ia ficar com medo de apanhar, mas simplesmente porque a autoridade de quem diz a verdade é soberana.
    Sei que não sou de milonga, de rodeios, e às vezes pego na espinha da rã que se estica toda (já comeu rã), mas é isso aí.
    Se vocês estivessem preparados para assimilar exemplos de espíritas cristão vocês não estavam se escondendo atrás de codinomes neste blog de alunos do primário da ciência.

  181. Antonio G. - POA Diz:

    Biasetto,
    Se o Scur acredita MESMO nas materializações da Irmã Otília, ele deve ser a última pessoa que ainda acredita naquela fraude grotesca e vergonhosa. Quando lembro da foto do Chico pousando ao lado da “materializada”, palavra de honra, eu tenho dificuldade de conter o riso. rsrsrs Que cena ridícula! Que mico! Mas você diz (sério?) que o Scur acredita! Neste caso, ele seria uma espécie de Velhinha de Taubaté, do L.F.Verissimo? Biasetto, eu me recuso a acreditar que ele acha que aquilo realmente aconteceu. Não, não! Não é possível!

  182. Roberto Scur Diz:

    errata: pandorga, e, vivi esta experiência, conhece, e outros erros de português porque não revisei e escrevi numa tacada só.

  183. Roberto Scur Diz:

    Misturei os autores no último comentário. É que vocês são que nem hidra de muitas cabeças e um corpo só, e eu estou sozinho no tiroteio e me confundi.
    Mas o que digo para um serve para todos mesmo.
    .
    Tonigui,
    Sobre a Josefa, a Otília, os frouxos repórteres, a trupe de médicos que presenciaram o evento, sobre os métodos, a repercussão, o que tu sabe? Olhou a foto e deu prá ti?
    Cara, tu não estudou nada, nadica de nada, viu a foto e deu? E depois sou eu que não pode ser levado à sério?
    Pela madrugada. Tu podia continuar com a tua opinião como o Biasetto fez, mas viu troçentos argumentos contra, mas uma dúzia à favor, mas tu, o que tu viu? Nem a reportagem ao menos deve ter lido. Tenha paciência e deixa de ser deitado.

  184. Antonio G. - POA Diz:

    Scur, tudo o que você pensa que sabe ser verdadeiro no espiritismo, eu já conheci, processei, critiquei e eliminei. Acredite, dificilmente você terá algo a dizer-me sobre este assunto que me seja inédito. E, como eu já disse anteriormente, não é porque eu saiba muito. Mas é porque realmente não há muito para saber. É tudo repeteco do replay. Algo assim como os mais de 400 livros psicografados do Chico: Todos praticamente iguais. Mudam os cenários, os personagens e o enredo. Mas a ladainha é sempre a mesma. Leia dez ou doze livrinhos destes e você terá lido todos.

  185. Roberto Scur Diz:

    E Biasetontório,
    Pô, tu falar que a mulher pode ter sido ameaçada e por isso confirmou que era autêntica a materialização de Uberaba é dose!
    Agora os espíritas são quadrilheiros, gangsters? Isso é conversa da mesma birosca lá onde os desocupados tomam cachaça e ficam falando mal dos outros, assim, de graça, á toa, por falar, por maledicência e vadiagem.
    .
    Não percebe que as vesões que vocês IMAGINAM são mais inverossímeis do que os fatos conhecidos. Fazer o quê.
    .
    Diz uma coisa para o tonigui ali. Eu te contei a história do avistamento. Tu, ouvindo, achou que eu estava com cara de fanático, alucinado, e sem credibilidade portanto?
    .
    Se tu disser que sim tu não demonstrou esta impressão na hora e te fez (foi falso, em palavras com a minha tradicional sutileza), se tu disser que não diz aí para a outra cabeça desta hydra que encorpa vocês, ou melhor, para o tonigui.

  186. Roberto Scur Diz:

    Tonigui,
    Muito científico o teu julgamento, muito criterioso. Tu é o sabidão que leu um, leu 10, leu 10 – leu 400. Entendi. Depois sou eu que não tenho credibilidade.
    Bom, vou dormir.

  187. Antonio G. - POA Diz:

    Amanhã tenho que acordar bem cedo. Então, vou dormir.
    Boa Noite a todos, especialmente a você, Scur, incansável defensor da doutrina e solitário combatente contra os detratores da “ciência” do Codificador “et alii”. Você pode ser meio alucinado, mas é um bravo.
    Sds.

  188. Antonio G. - POA Diz:

    Scur, eu não contei, mas asseguro-lhe que li bem mais da metade dos 400 e poucos. Em geral, são livrinhos de leitura bem fácil.

  189. Roberto Scur Diz:

    Tonigui,
    Antes disso, tu processou, criticou e eliminou, e precisou de 30 anos para fazer isso? Que estranho. Numas coisas lentidão de um cágado, noutras, rapidez de uma lebre. Algo não bate nesta história.
    Como é que tu levou tantos anos para descartar o espiritismo? Eu não conhecia nada X nada, começei a ler e em poucos dias já estava fazendo as conecções lógicas que cada vez mais eram fortalecidas. Minhas convicções só fizeram aumentar, e as tuas demoraram 30 para murchar.
    Isto de fato confirma que tu é um roda presa, um deitado mesmo, marcha lenta.
    E olha que cheguei a jogar no lixo alguns livros que eu considerei fracos, incompatíveis com o que eu já tinha assimilado, e eram espíritas, editados pela FEB.

  190. Roberto Scur Diz:

    Tonigui, sim, sim, sim, leiturinha fácil, facinha que nem escrever gibi né?
    Só que pega tu, o Bisetto, o JCFF, o VM e o Líquido (de lambuja) e vocês não conseguem juntos escrever e publicar um que seja. Mas que bah!

  191. Antonio G. - POA Diz:

    Pois é, Sacur, eu admito que demorei demais para acordar. Talvez porque eu seja intelectualmente meio limitado, ou talvez porque, como você, mesmo sendo razoavelmente inteligente, minha fé me cegava e não me permitia ver as coisas como elas realmente são. A fé tem este condão. A fé é uma “m”. Mas um dia, quem sabe, você também poderá acordar. E talvez se lembre de nós, eu, o Biasetto, o Caio e outros, e dê umas boas rizadas pensando: Caraca! Como eu perdi tempo com essa ilusão toda! Aconteceu comigo e com outros. Pode acontecer com você. Um dia…, quem sabe?
    Até amanhã!

  192. Antonio G. - POA Diz:

    Es digitei errado seu nome. Sobrou um “a”. Não foi sacanagem.
    Você acha mesmo que é difícil escrever algo com a genialidade e conteúdo dos livrinhos do Chico? Scur, só mesmo os livros que ele plagiou de outros autores têm alguma coisa de literatura. Mas, como foram copiados, não valem nada. Os outros, que saíram da cabeça dele mesmo, qualquer adolescente bom de redação faz melhor. São primários, infantis e piegas.
    Agora, fui.

  193. Antonio G. - POA Diz:

    Tô errando a digitação, porque estou com muito sono…

  194. Roberto Scur Diz:

    Tonigui,
    Escreve 1/4 de um livro então, já que é tão fácil. Depois deixa eu ler.
    A fé, para quem têm, é inabalável meu caro. Tu nunca teve fé, não vêm que não têm.

  195. Biasetto Diz:

    Scur,
    Os teus argumentos pra defender o Chico são demais falhos.
    Ele tinha facilidades pra escrever, isto é fato. Por isso que vivo falando, que se ele não embarcasse nessa tolice de se dizer médium, ele teria escrito uns 50 bons livros, e receberia meus parabéns. Ele poderia se declarar seguidor do espiritismo, estudioso do tema e alguém com o objetivo de difundir a doutrina. Faria as caridades dele, e seria autêntico, verdadeiro. Mas foi pro lado errado. Equivocou-se. Quis ser santo, o que já foi um erro enorme.
    Como legado, deixou um monte de livros copiados, falou algumas coisas belas, mas também um monte de baboseiras. Quando se meteu a escrever história geral e história do Brasil, só fez bobagens.
    Quantidade não é qualidade. Troco os 400 livros do Chico pelo livro do Sagan – O Mundo Assombrado Pelos Demônios – acho que é isto. Também estou escrevendo do jeito que vem a ideia, se aparecerem erros, me entendam.
    .
    Que bom Scur, que você me mandou aquele email, dizendo que meus artigos eram gibis. Eu resolvi fazer um comentário, a partir desta ideia tua, e o blog do Vítor renasceu. Tua presença aqui é algo fantástico. Você é surreal, você é o Scur Dali, o mago dos comentários, o pop star da espiritualidade. Você é um assombro, um espetáculo.
    O Vítor que me desculpe, mas se você cair fora novamente, largo mão do blog.
    O Gil faz falta aqui, mas você também não pode ficar no ostracismo.
    Você e o gil são os âncoras do programa.
    Todo mundo, no fundo, fundo, fica esperando a presença de vocês dois. É fantástico! Maravilhoso!
    Ah! monogâmico de Caxias, volta na minha casa, quero te encher com aquela linguiça pimentada, que te fez ficar vermelho. Aproveita e me traz um vinho dos bons aí dos pampas. Não precisa ser nada caro não. Sou um sujeito simples.
    Aparece Scur, quero ver se você é real mesmo! Será que eu tive só uma miragem?

  196. Roberto Scur Diz:

    Biasetto,
    .
    Que história era àquela dele de ser escravo por toda a vida, me bate, me xinga, me chama de lavadeira?
    Tu detectou este viés no teu encontro com ele?
    Não me contou esta parte. Ele te paquerou?
    Cara, é o fim do mundo mesmo, não dá mais para saber quem é quem. Têm que vir este chupão logo duma vez e fazer a faxina – o mundo tá muito louco.
    Tu viu que o planetão tá na rabeira? Viu a CNN noticiando em agosto? É meu, daqui há pouco não vai mais ter para onde fugir, fingir que não viu, que não sabe, que não existe. Aí o que vai ter de cético se convertendo em crente desde criançinha no Chico Xavier! Se bobeassem, e estivesse vivo, beijavam os pés e as mãos do Sai Baba que nem eu vi num vídeo depois do teu.
    O Sem Visoni é capaz de ajoelhar e dizer que é espírita experimentador, que quer ser salvo, onde já se viu, sempre acreditou em espíritos, e médiuns (os holandeses, é claro, mas não faz diferença para ele né), que tinha boas intenções de “reformar” o espiritismo.
    O Tonigui vai correr para o centro procurar a “mesa branca” onde ele e tu estudaram o espiritismo e pedir rematrícula.
    O Gazozzo vai virar gelo seco.
    O JCFF vai sair desvairado gritando “Jesus, José, Maria, valhei-me Públio Lentulus pois eu sempre comi hóstia”!
    O Gilberto, estupefacto, vai dizer sinicamente: mas eu amava o Elvis, amor ao próximo, amava as jovens dos sites pornôs, era cheio de amor, e ainda batalhava junto com o Macedão pelo pão nosso de cada dia?
    O japona Mori vai ser desintegrado na hora, vai ser arrebatado que nem aparece nos filmes de arrebatamento de alguns evangélicos.
    O Caio vai pedir um passe e depois pedir para ir no banheiro trocar o cuecão de couro porque já vai estar borrado (pô Caio, me desculpe, mas àquela história de abraçar por tráz foi muito fora de propósito).
    É, é isso aí Biasetto, mas eu vou ter que picar a mula porque preciso muito trabalhar, e já fiquei dois dias neste entreveiro. Daqui há pouco eu escapo da hipnose.

  197. Biasetto Diz:

    Scur,
    Você fala tanta besteira, que fica até difícil comentar os teus “comentários”. É como ler um livro do Robson Pinheiro, só li um, graças a Deus! Mas entendo o porquê do sucesso destes caras: é tanta maluquice, que fica divertido. É assim, como você, tudo “gozadinho”. Você começa a chamar o Gazozzo de Lìquido, o Antonio de Toni ou Tonigui, eu de Biasentontório, … Agora cismou com o Caio. Não tem nada disso não! Olha aí Caio, o que você conseguiu.
    Scur, eu acho que você é a síntese do crente convicto, viaja tanto em tuas análises, que já nem sabe mais o que está falando. Só que você é divertido, muito divertido. Você disse que é o Massaranduba, acho que você é o Espírita Chuc Norris Scur. Aproveita, visita o Vítor, vai fazer umas aulas de capoeira lá no Leblon.
    Você continua com esta viagem alucinógena do planeta chupão, véio isto é muito cômico, muito doido demais!
    Você mistura passagem de cometa com previsões esotéricas, estudos de astronomia com profecias maias… Fico surpreso por você não acreditar em horóscopos. Tem tudo a ver com você. Horóscopo, Cabala, Rosa Mística dos scambau…
    Você leu alguma coisa de Rogério de Ogun, Mãe Diná… ???
    Pois deveria, pra ampliar as tuas insanidades, aumentando o teu repertório de “besteróis”.
    Você deve ser daqueles que fica torcendo pra que ocorra algum desastre natural, não que você queira o mal de alguém, longe disso, mas só pra poder dizer: “tão vendo, foi avisado hein?” “agora toma teus céticos e críticos desvairados”…
    No começo, lá na Pré-História, os homens não entendiam patativas dos fenômenos da natureza, então criavam explicações místicas pra tudo. Quantos séculos e séculos e séculos se passaram, até que começassem a surgir pessoas com explicações mais “pés no chão”… e assim foi indo, quando houve um retrocesso, na época medieval, com toda aquela parafernália católica-inquisidora, mas eis, novamente, que o mundo começa se libertar com a Renascença, seguida, pouco depois, pela filosofia iluminista e as descobertas da ciência atual. Porém, tem uma turma, da qual você faz parte, que quer viver como no passado: supervalorizando o enigma, o misterioso, o show das explicações místicas, viva Nostradamos!!!

  198. Antonio G. - POA Diz:

    Bom Dia!
    Depois de o Scur me dizer que eu precisava estudar mais a doutrina e os fenômenos para ter base nas minhas conclusões e afirmações, eu fiquei refletindo sobre isto. E surgiu-me um questionamento: Quanto tempo de estudo e pesquisa é necessário para concluir, com base e fundamento, que fadas e duendes não existem? Ou será que existem?
    Sds.

  199. Biasetto Diz:

    Esta historinha aí, de que Chico Xavier foi maravilhoso! Tão bondoso! Quantas pessoas ele ajudou!
    Quantas pessoas que se frustraram buscando um consolo lá com ele? Ninguém fala disso né? Será que todos os pais, parentes, acreditarma mesmo nas cartinhas do além? Será?
    Pena que somos tão pequenos, vivemos com medo, tristes por tantas tragédias, sabemos que vamos morrer e ficamos perguntando se há mais alguma coisa.
    Eu gostaria que se descobrisse a vida depois da vida, só pras pessoas viverem melhor nesta budega aqui. Por que no fundo, no fundo mesmo, acho que os que mais procuram religião e se dizem convictos no que seguem, são os que menos acreditam, são os que mais dúvidas têm. Freud, com certeza, explicaria isto. São as pessoas que precisam reforçar todos os dias, as próprias crenças, as próprias “provas”. Precisam ficar repetindo, repetindo, repetindo… reforçando, reforçando, reforçando os dogmas! Os críticos, os ateus, os que admitem a dúvida, chegam num ponto e dizem: “olha se tiver alguma coisa, muito que bom, mas não faço ideia de como seja. Se não tiver nada, tá bom também, porque nem vou saber. Então, vou viver a vida, da melhor forma possível, fazendo o que tenho que fazer, sem ficar sendo escravo destas doutrinas castradoras e tolas…”
    E aí, o sujeito deixa o barco seguir a corrente, remando a favor, e não contra o vento.
    Agora, vejam pessoas como o Scur e uma turma de medrosos aí. Estão cagando de medo do desconhecido, do inferno, ou do umbral, então pensam assim: “ah! deixa eu ser bem bonzinho né, porque o chupão vem vindo aí, então eu preciso evitar todos os meus desejos, conter minhas vontades, me sacrificar, ser bondoso, caridoso, ser casto, viver de pão e água, nem olhar pras gatas da playboy, porque isto papai do céu não aprova…”
    .
    E Deus, se existir deve falar assim:
    Ei aí o bundão! Vai viver mané! Sai dessa ladainha tosca aí, que não gosto não!
    .
    O Scur acha que eu critico o Chico, porque tenho medo do umbral, já que nunca aceitei os 8 anos do André Luiz. Olha Scur, se eu chegar lá céu, no Nosso Lar (A Universidade das Cinco Torres), na onde for, e aí seja Deus, ou Clarêncio ou quem quer que seja a me indagar:
    .
    - “Então seu Eduardo: você ficou criticando o santo homem Chico Xavier, como fica isto?”
    .
    Aí eu vou responder:
    .
    - “Olha meu senhor, eu fiz o que minha inteligência e capacidade de raciocínio me permitiu fazer. Eu descobri evidências suficientes pra considerar que ele foi um farsante, mas se eu errei, o que eu poderia fazer? Agi dentro da lógica que meus neurônios enxergaram. Não forjei provas, não menti sobre minhas pesquisas, não inventei evidências.”
    .
    Será que Deus, ou seja quem for lá no além espiritual, vai me condenar por isso?
    .
    Vejam como são as coisas:
    - está cheio de políticos, governantes sacanas, que desviam milhões e milhões, fazem todo tipo de armações para se manterem no poder, mentem descaradamente.Só que há vários destes políticos que doam cadeiras de roda, cestas básicas, lutam lá pra reforma da rua x, construção da praça y, doam jogo de camisas pro time do bairro. Agradam muitas pessoas.
    - está cheio de traficantes, que ajudam a comunidade, dão remédios lá pras criancinhas, fazem umas festas lá pra toda a turma lá, pagam o gás de uns.
    Agradam muitas pessoas.
    - está cheio de religiosos que arrecadam milhões, doam uns trocados lá, criam umas casas pro deficiente, pagam um tratamento pra uma dúzia lá.
    Agradam muitas pessoas.
    SÓ QUE TUDO ISTO É L-I-X-O!
    Ações assim, ajudam 5 e prejudicam 50.
    .
    Scur,
    Imagina que alguém me procure, desesperado, sofrendo pela perda de alguém muito próximo. Que bom, se eu for capaz de ajudar esta pessoa, estendendo a mão, ouvindo ela, falando aquilo que der pra falar pra ela, oferencendo minha casa, convidando-a a sentar à mesa, lembrando dela, fazendo uma visita, dando um abraço! Isto é caridade, é compaixão, e amor ao próximo.
    .
    Agora, imagine o seguinte:
    Eu fico tão chateado com a dor da pessoa, que resolvo que tenho que ajudá-la a resolver isto de qualquer jeito, tenho que fazê-la feliz novamente.
    Então, em um de nossos encontros, eu falo pra ela que sou um médium, que recebi uma mensagem do ente querido que se foi. Só, que previamente, eu procurei saber detalhes sobre o tema, pra escrever coisas nesta mensagem, que dêm credibilidade à minha histporia. Aí eu entrego isto pra esta pessoa, ela chora de emoção, vai embora toda satisfeita, reconfortada. E eu fico pensando: “Puxa como eu sou bondoso não! fiz o bem pra ela, trouxe a alegria de viver a ela, novamente! Deus deve estar tão feliz comigo né?”
    Ou será que devo pensar: “Que grande merda que sou eu, inventei uma história pra consolar meu amigo aí, mas acho que deveria ter feito isto não, porque ele saiu todo esperançoso daqui, mas é tudo uma farsa. Vai que ele percebe isto, o desencanto será ainda muito maior. Além disso, menti feio, isto não se faz!”
    .
    Bem, já escrevi demais, nesta manhã de quinta-feira. É que tenho folga nestas manhãs, mas tenho que acordar cedo, quase na mesma hora, porque levo meu filho mais novo à escola. Aí, perco o sono, dou uma olhadinha aqui no blog, na internet. Agora, vou tentar dormir mais um pouco.
    Abraços!

  200. Antonio G. - POA Diz:

    Sessão Confessionário: Com humildade e resignação próprias dos arrependidos, eu admito que já fui tão crente (mas nunca fanático) que sabia quase “de cor” o Livro dos Espíritos. Sim, eu já fui uma espécie de Scur… Por isso, eu o entendo. Mas ele é jovem, e ainda poderá amadurecer.
    rsrsrs

  201. Antonio G. - POA Diz:

    Biasetto, excelente! É EXATAMENTE assim que eu penso!
    Sds.

  202. Antonio G. - POA Diz:

    Richard Dawkins, o renomado ateu britânico, ao responder a uma pergunta sobre o que ele diria se, ao morrer e indo ao encontro de Deus, este lhe perguntasse: -”Dawkins, porque você não acreditava em mim”? Dawkins disse que responderia: “- Por falta de evidências”.

  203. Biasetto Diz:

    Bom dia Antonio!
    Você disse tudo, com pouquíssimas palavras: “Por falta de evidências”. E o pior, sobram evidências ao contrário.

  204. Caio Diz:

    Na verdade, quem disse isso primeiramente foi o finado Bertrand Russell. O Dawkins deu Ctrl C, Ctrl V. Hahaha… Gosto bastante do Dawkins, é uma pena ele ser tão odiado. Não poderia ser diferente também. Atacar tanto a religião, como ele faz, numa época em que o misticismo ganha força é pedir para ser hostilizado. Algo que o Dawkins propôs e que eu assino embaixo é: não devemos respeitar mais as religiões do que as outras coisas. O senso comum costuma dizer que as religiões merecem um respeito especial, e isso soa bem estranho. Por quê? Acho que é devido à fragilidade…
    .
    Cadê o Paladino Espírita? Ele não vence, a Hydra tem muitas cabeças. HAHAHAHAHA…

  205. Caio Diz:

    “Bagual”, HAUHUAHUAHUA…

  206. Caio Diz:

    Antônio, ontem eu ia comentar algo, mas não deu tempo… Sobre a “materialização” da Otília, é o seguinte: O Scur acredita, sim, como você já sabe. E o Arduin também. O argumento que o Arduin utiliza é mais ou menos assim: existiam alguns médicos presentes, mas eles não desmascararam a Otília. Logo, por mais que as fotos e o bom-senso digam o contrário, o fenômeno deve ser verdadeiro, porque afinal de contas nenhum dos presentes apontou a farsa, na ocasião. Arduin, se você estiver por aí, sem fazer nada, conte melhor para o Antônio. Afinal, como o Paladino bem ressaltou ontem, não tenho o direito de falar por ninguém.

  207. Antonio G. - POA Diz:

    Caio, eu não respeito religião. Pelo contrário, eu as repudio. Considero que são o maior fator de atraso da humanidade.
    .
    Com respeito à crença do Arduin na materialização da Irmã Otília, nós dois já debatemos isso e eu sei que ele acredita. Trata-se de uma pessoa bastante inteligente, culta, estudiosa e articulada. Mas acredita nestas bobagens… O que se há de fazer? Acho que cada um tem o seu tempo para despertar. Mas alguns nunca despertarão…

  208. Roberto Scur Diz:

    O Tonig tomou muito biotônico fontoura quando era criança e acha que ficou super inteligente, super capaz, até hoje; acreditou na propaganda.
    Se bobear eu sou mais velho do que tu bagual.
    E para arrematar agora tu já disse tudo o que importa: tu repudia as religiões. Caso encerrado, não se fala mais nisso.
    .
    Caio, e quem te disse que eu quero vencer alguém? Aqui é um lugar hostil às ideias religiosas então é um bom lugar para se divertir. Mas o prazo de validade vence logo e dou sempre um tempo, geralmente longo.
    .
    Biasetto, tu sabe o que é caridade, já está bem instruído pelo que tu escreveu. No primeiro caso é isso aí mesmo, muito bem.
    No segundo caso, mentira é sempre mentira e ninguém gosta de ser iludido, enganado, isto é tão básico. Sendo assim, se o médium, ou alegado médium mentir para consolar, será um mentiroso, e quem é capaz de mentir desta forma não terá lucidez e verdadeira caridade dentro de si à ponto de se preocupar em mentir para a pessoa para fazer o bem para ela.
    Uma coisa é dizer para uma pessoa obesa que ela está emagrecendo, que deve continuar se esforçando, que ela vai ficar bem, pois é um estímulo, um apoio, é solidário, outra coisa é dizer que alguém mandou um recado do plano espiritual que não aconteceu. Básico também.
    .
    Um médium que ganhar respeitabilidade por suas palavras e atos, e tiver envergadura moral para dominar suas más tendências, jamais mentiria.
    .
    Quando a pessoa vê mentira em tudo e em todos é porque não aprendeu a cultivar a verdade dentro de si mesmo, ou seja, ele próprio é um mentiroso contumaz que condena todos os mentirosos com veemência e é brando no julgamento de si próprio – o velho problema psicológico da projeção.
    .
    Lembre-se que vemos a cisco no olho do outro e não enxergamos a trave que está no nosso, geralmente. Quando a pessoa começa a tratar de remover a sua trave primeiro, para depois ver se o outro têm cisco, ele vai ser autêntico, verdadeiro, e poderá progredir espiritualmente. Enquanto isso não acontece ele será um empedernido enganador.
    .
    Olhe para dentro de ti para verificar o quanto desta caridade que tu teoriza com sabedoria está presente realmente nos teus atos, o resto, bem, o resto é problema dos outros primeiramente.

  209. Biasetto Diz:

    Hoje é níver do mrh.
    Olá Márcio! Grande abraço, tudo de bom.
    Meus parabéns!

  210. Biasetto Diz:

    O Scur usa sempre a mesma estratégica:
    Não tem argumentos pra contra as evidências que colocamos aqui, aí vem com ataques pessoais.
    Diz que sou um professorzinho de história de uma cidadezinha do interior.
    Diz que meus artigos não são qualificados, são amadores.
    Agora, vai querer provar que eu é que sou mentiroso.
    Eu vejo só mentiras em Chico Xavier, você quer que eu veja o quê?
    Desde o lançamento do Parnaso, acho que foi 1932, ele mentiu até a morte, em 2002. Setenta anos mentindo, inventando espíritos-guias, forjando mensagens do além, copiando livros, afirmando que vieram dos espíritos, participando de materializações falsas, enganando com perfumes, enganando com pétalas de rosas… Eta mineiro pra mentir!!!

  211. Roberto Scur Diz:

    Biasetto,
    Então tá, se para ti é assim, fim de questão também, não temos mais o que discutir.
    Tu com tuas certezas, eu com as minhas, e a vida segue.

  212. Caio Diz:

    Scur, você diversas vezes fala sobre “se encontrar com fulano cara a cara”, diz que o sujeito não iria ter coragem para te dizer isso ou aquilo na real, troveja xingamentos, não sei quem é “burro”, o outro é “cego”, já aquele é “mentiroso”. Você também costuma desmerecer as qualificações técnicas das pessoas, quando lhe convém, claro. Dizer que o Biasetto é um “professorzinho” de História de uma “cidadezinha” do interior é pura falta de respeito mesmo, não existe outra classificação pra isso. Ainda mais pelo fato dele ter te recebido na própria casa, mas, enfim, não tenho o direito de me intrometer nisso. O que eu gostaria de perguntar é se você não acha bizarro ou incômodo o fato de sua postura ser exatamente o oposto do que se espera de uma pessoa que crê em Jesus Cristo, Chico Xavier e outras figurinhas similares. Você espuma como um rottweiler raivoso, e vive falando em caridade, amor ao próximo, evolução e todos esses conceitos que, no fundo, acho que você nunca gastou mais do que 15 segundos refletindo sobre. Você não percebe como é contraditório, esquisito?

  213. Eduardo José Biasetto Diz:

    Scur,
    Você insinuou aí, que o mentiroso deve ser eu. Olha, eu posso ser criticado por muitas coisas, mas mentiroso não.
    Desde o 1º comentário que fiz neste blog, fui extremamente sincero. E sempre foi assim: meu, a cidade onde moro, minha profissão, minha esposa, meus dois filhos, meu cachorro.
    Fui sincero nos meus comentários, quando eu defendia a doutrina espírita, o Chico. Depois, quando deixei a doutrina, o Chico. Indiquei todos os motivos, mostrei os porquês.
    Indiquei as fontes de minhas pesquisas, nunca forjei nada.
    Tenho facebook, onde qualquer pessoa pode conferir meus dados, tem fotos minhas, de minha esposa, meus filhos, familiares, amigos e até meu cachorro.
    Tem lá minha formação, o nome da instituição, quem quiser pode conferir.
    Fiz uso aqui de um fake, mas até isto contei, inclusive, humildemente, pedindo desculpas ao José Carlos, pelas críticas infundadas que fiz a ele.
    Você esteve em minha casa, pode conferir tudo que eu havia lhe dito nos emails. Mostrei até a escola em que leciono.
    Agora você vem me chamar de mentiroso. Isto não Scur! Te segura aí gaúcho.
    Mentiroso foi Chiquinho esponja e a trupe dele.
    Sabe Scur, eu nem consegui ganhar muito dinheiro na vida, exatamente por ser muito transparente, por acreditar em ética, moral.
    Quando eu fazia o serviço militar aqui em Bragança, briguei com o sargento do Tiro de Guerra, quase fui preso, porque ele sacaneou um amigo meu.
    No tempo de bancário, vivia brigando com o gerente, porque ele queria que os funcionários enfiassem goela abaixo, seguros e cartões nos clientes, incluindo os de pouca posse, e eu nunca concordei com isto. Na área da educação, já briguei com diretor, supervisor, por não concordar em “fingir” e defender meus ideais. Até doente já fiquei por coisas assim.
    Nunca soube e nem ser puxa-saco! Maria vai com as outras!
    Talvez eu seja um bobão, porque vejo muita gente que age de forma diferente, andando de carrão, cheio de bens.
    Mas, se existir plano espiritual, não tenho medo algum de me encontrar com Deus, espíritos superiores. Tô de consciência limpinha.

  214. Antonio G. - POA Diz:

    As divindades e as religiões foram criadas para que os homens aplacassem seu medo. Medo do que não compreendem, medo do desconhecido, medo da morte, medo de não saber o que vem depois da morte, medo, medo, medo. Eu não temo nada que não seja real. Por isso, não preciso de Deus nem de religião.
    As religiões só servem para dominar, segregar, escravizar, mutilar, mentir, iludir, corromper, atrasar, explorar e até matar. O mundo seria muito melhor sem as religiões.

  215. Marcos Arduin Diz:

    Como há muitos comentários após, repeti a sua fala, Biasetto, para que os leitores não se percam:
    .
    1 – Minha opinião sobre o Quevedo é muito simples: ele é uma pessoa inteligente, radical demais e alguns apontamentos, além de extremamente influenciado pelos interesses católicos. Mas muitas das coisas que ele fala, ele tem razão.
    - Tem razão no que, meu caro?
    .
    2 – Você tem uma cisma com ele né? Tanto que você fez duas matérias no “Grupo Apologética Espírita”, criticando ele.
    - Os espíritas espertos, que enxergam mais longe, veem em Quevedo aquele que foi nossa melhor agência de propaganda. Conheci Roque Jacintho e ele chama o cara de “o propagandista-mor do Espiritismo”. Portanto não tenho cisma com ele pela sua pessoa em vista do bem que ele tem feito pela propagação do Espiritismo no Brasil.
    O meu problema apenas, Biasetto, como você mesmo criticou acima: MENTIRA É MENTIRA. Mesmo dita com boa intenção, não deixa de ser uma mentira. Pois bem, se o Quevedo inventa um monte de pataquadas mentirosas sobre o Chico, não dá para considerá-lo uma pessoa séria, por mais que os argumentos dele lhe agradem. Não sei se notou, mas as referências que ele dá são falhas e não dá para serem encontradas facilmente. Assim então, fica difícil saber se o que ele diz foi realmente dito ou se foi inventado apenas. Veja só um exemplo: ele cita o artigo que saiu na Realidade de novembro de 1971. Por acaso eu tenho este artigo e Quevedo diz que Chico Xavier falou de um coelho que não era honesto e que foi denunciado por dois gatos, pois estava comendo a ração de carne deles. Os coelhos deveriam ser herbívoros, mas aquele acanalhado se tornou carnívoro. E também que quando viaja por uma estrada e vê uma folha caindo, manda o motorista parar, pois tem medo que os cavalos do motor se assustem. E a isso Quevedo argumenta que é prova de que Chico era louco no mais alto grau… Só que tem uma coisa: NADA disso é dito no tal artigo. Quevedo, portanto, é um MENTIROSO, ainda que tenha beneficiado em muito o Espiritismo.
    .
    3 – Você diz que eu fiquei magoado porque encontrei pessoas “normais” nos centros e no meio espírita. Oras, as pessoas não são tão “normais” assim, pelo menos nos centros, aqueles que se dizem médiuns. Só que elas não me convenceram da mediunidade. Ficam brincando com o poder de raciocínio e bom senso dos outros, considerando que qualquer baboseira serve. Pra mim não serve. E, infelizmente, foi isto que eu mais vi nos centros, nos ditos médiuns. Então, cai fora! O que há de errado nisso?
    - Nada, Biasetto. Apenas quero lembrá-lo de que é comum certos críticos por aqui e por aí dizerem que “o cara nunca foi espírita”. Veja bem que tudo o que você mencionou eu também já vi e muito. Mas não deixei de ser espírita por conta disso. O motivo é que a Doutrina Espírita não perdeu sua estruturação lógica por conta dos inconsequentes. Não sei o que você queria como prova de mediunidade, mas eu obtive provas suficientes por onde passei.

  216. mrh Diz:

    Puxa Bia, vc espalhou p/ todo mundo o q eu tava tentando esconder… rs.
    .
    Ñ faço + níver, sabe, pois isso começa a ficar perigoso.
    .
    Vai q bato c/ a caçuleta!!! (e sou resgatado no além pelo xupakabbras, dizendo: – Eu vou xupar vc, ehhh! Eis meu grande medo, q me faz acreditar em algo superior (como diria o Antonio, d Poá), q me salve do grande xuppinhão e da grande xuppinhada. Pode vir lobisomenn, mula s/ cabeça, etdvirginha, tudo, menos a xuppinhada do xuppa… eis a origem d toda minha teologia…rs
    .
    + aguarde p/ esperar, karo Bia, q em breve estarei em kondições médikas e profissionais p/ o 3º texto sobre o Mr. Kopiador.
    .
    Ñ há bursite, chefite, niver, fanátikos (opps, pela definição acima, sou 1) q me impeçam d trazer alguma V a este mundo sofrido, ao povo tratado à mentiras, aos desiludidos da sorte, à minha irmã, q está pensando em tornar-se Któlica após os últimos textos q lhe apresentei… bem, a eleição vem aí, estou treinando!
    .
    Qto a ciência burocrática, aquela feita só c/ papeluchos passados d 1 ao outro, há méritos (viu Vitor), + há limites tb (viu Vitor). Kuhn, em seu famoso ensaio, demonstrou q chega o instante da aporia, pois instala-se 1 debate estéril, derrapa-se ao ceticismo (ciência e ceticismo ñ são amigos, ao contrário do q pensa muita gente. O ceticismo foi 1 escola montada na antiguidade p/ combater o pressuposto d toda ciência, q o conhecimento é possível. A ciência se instala qdo se alcança 1 interessante equilíbrio entre dogma (vide, d Kuhn, a função do dogma na pesquisa científica) e crítica, ou seja, q alguns compromissos intelectuais, axiológicos, comunais etc são estabelecidos – sem isso, o debate torna-se infindável).
    .
    Qual a diferença entre Marco Polo e seus ouvintes, na cadeia? O 1º conheceu o Grande Kan, a China, a pólvora etc., e os outros ñ; ptto, nestes instalava-se a dúvida (estamos diante d + 1 dos infindáveis mentirosos?), enqto no 1º a preocupação era c/ tornar intersubjetiva sua experiência.

  217. Caio Diz:

    Arduin, você pode passar o endereço desse centro espírita onde você obteve provas cabais sobre a mediunidade? Não estou sendo cínico. Estou falando sério.

  218. Roberto Scur Diz:

    Biasetto,
    Não fui eu quem disse, ou insinuei algo. Usei termos conhecidos da psicologia, usei afirmações de Jesus Cristo.
    Qual o problema? Serviu a touca? Te acerta com os psicólogos e tira satisfação com Jesus que disse esta barbaridade da trave, do cisco, do olho.
    Falei vária vezes que tu tinha boas intenções, não fazia por maldade as acusações generalistas, totalitárias, nunca disse que tu me mentiu ou mentiu para os outros. A questão não é esta, exterior, mas individual, íntima. Todo mundo representa papéis, mais ou menos, sobre si mesmo.
    Fora de casa é comunicativo, em casa é fechado, fora é amável, dentro é irascível, transmite ser honesto e detesta os ladrões, surgindo uma “boa” oportunidade ele não perde ela e passa a mão no que não lhe pertence, sonega imposto, esquece de devolver o que acha, etc., e isto não têm a ver com mentir para uns e outros, mas mentir para si mesmo.
    Não devo ter me expressado direito, de certo.
    .
    Caio,
    Viu como eu tenho muito o que aprender com o Chico Xavier para ser um bom espírita? Ainda bem que têm pessoas deste jaez que conseguem falar e fazer o que dizem, de verdade.
    Parece que tu não leu o que eu escrevi lá em cima: sou o espírita que vocês mereceram, e se fosse um bom espírita não estaria perdendo meu tempo aqui – já falei de mim, já dei meu veredito, e foi desfavorável à mim mesmo. O que tu quer mais.

  219. Marcos Arduin Diz:

    Caio, por mais que o pessoal cético assim tente fazer parecer, mediunidade não é espetáculo circense. Não dá para produzi-la à vontade. As provas que tive foram para mim em particular. O que seria uma prova para você?
    .
    Kardec mesmo dizia que as provas NÃO PODIAM SER PRODUZIDAS À VONTADE: ELAS TINHAM DE SER COLHIDAS DE PASSAGEM. Ao frequentador e trabalhador assíduo de um centro espírita, um evento, uma fala ou até uma simples palavra, que para um visitante casual nada significasse, para o tal trabalhador poderia ser exatamente a prova que ele buscava.
    .
    Ao contrário da impressão que me passa o pessoal cético daqui e dali, que procura vender a ideia de que são falsos todos os relatos daqueles que dizem ter obtido uma prova de que tal evento mediúnico foi real, eu não preciso necessariamente duvidar se não tiver motivos para isso. Normalmente o que tenho visto no pessoal cético é apenas uma INCREDULIDADE por motivo de FÉ.
    .
    É isso.

  220. Antonio G. - POA Diz:

    Caio, o conceito de prova cabal, nesta seara, é totalmente subjetivo. Por exemplo: Para uns, as fotinhos do Chico Xavier de braços dados com a “materializada” Josefa é prova cabal de que aquilo foi real. Para outros, a visão de tais fotografias é prova cabal do engodo e picaretagem.
    .
    Minha filha de 2 anos tem uma prova cabal de que Papai Noel existe, porque ela viu um e acredita que seja real. Então, para ela, Papai Noel existe. E ponto final. No entanto, eu acho que Papai Noel é só uma fantasia infantil.
    .
    Ou será que existe mesmo?

  221. Roberto Scur Diz:

    O MRH! Não sabe escrever em português mesmo?

  222. Roberto Scur Diz:

    Tonig,
    Se ela viu mesmo, claro que existe, e deve ter sido tu o mentiroso que fez ela acreditar que existia. Este é o grande problema da mentira: desde criança as pessoas são enganadas e nunca mais descola a impressão de que até àqueles que deveriam ser as pessoas mais confiáveis são mendazes.
    A prova cabal que ela têm, por enquanto, é que papai noel existe. A prova cabal que existe de fato é que o pai dela enganou ela.
    Se ela não viu tu vestido de bufão vermelho, então é imaginação dela, ela vai superar isso, e é normal para a idade dela.
    As tais fotinhos que os medrosos jornalistas publicaram mostrando-os espantadiços e até reverentes, são a prova cabal de que são incompetente e covardes. Fizeram o que os covardes tipicamente fazem, é praxe. É como o Kadafi lá que pedia para a população morrer por ele e pelo país, mas hoje, quando os insurgentes pegaram ele enfiado numa toca, num cano, dizem que ele levantou as mãos pedindo para não atirarem – covarde.
    Os covardes jornalistas, depois que estavam longe e refeitos do “susto”, da “meda”, ficaram corajosos e começaram a ver todas as falhas que não viram na hora.
    .
    A foto não prova nem nega absolutamente nada. Não é prova cabal de nada, tanto que pode ser contestada por qualquer analista com pré disposição à favor ou contra (um perito policial atestou, outro, de outro estado, negou a veracidade da foto), enfim, palpitaria aos montes.
    .
    O meu, o teu, são apenas palpites, mas sem prova nenhuma.
    Acontece que a possibilidade de algo assim acontecer, para uns é aceitável, para outros impossível, mas para saber mesmo uma foto está longe de liquidar a questão.
    .
    Se meu braço moveu-se sozinho, eu não dependia disso para acreditar que espíritos existiam.
    Se avistei um ovni no meio de uma viagem, eu também não duvidei jamais de que existissem.
    .
    Como sou contra indizir os filhos a acreditarem em papai noel ou no que não existe, não sofrerão deste mal de esperar sempre o pior dos outros.
    .
    Simplificando, você não precisa apelar para papai noel para tentar dar mais autoridade às tuas combalidas palavras. Fale do que eu narrei, posicione-se:
    Eu estou mentindo?
    Estou dizendo a verdade?
    Estou equivocado?
    .
    Posicione-se diante destas opções, e será a tua OPINIÃO apenas, nada mais do que uma OPINIÃO com valor relativíssimo para a sociedade e certamente grandioso para ti.

  223. Caio Diz:

    Arduin, você e a ladainha da “fé” dos céticos… Eu já esperava mais ou menos por isso. Eu e quase todos os outros céticos alegamos que não existem evidências convincentes da existência de espíritos. Você e mais alguns espíritas dizem que não só elas existem, como são muito fortes, e que os céticos precisam de fé para sustentar sua descrença. Alguém está redondamente enganado nessa história. As posições são tão antagônicas que alguém está completamente enganado. Concordo com o Antônio que uma “prova cabal”, falando especificamente sobre a existência de espíritos, é algo subjetivo. No entanto, se eu fosse a um centro espirita, de preferência bem longe de onde resido, não fornecesse dado algum, não trocasse uma única palavra com quem quer que fosse e, mesmo assim, recebesse uma carta com informações bem específicas sobre um parente que já morreu, eu passaria a considerar a hipótese da sobrevivência da consciência após a morte do corpo. Não iria me tornar um espírita convicto, até mesmo pelo fato de sentir repulsa por qualquer religião, mas passaria a considerar a ideia com seriedade. Acho que o Antônio e outros céticos deste blog também teriam a mesma conduta. No entanto, este tipo de experiência simplesmente não acontece.

  224. Antonio G. - POA Diz:

    Scur, você mistura o lúdico com o falso. Papai Noel não é uma farsa. É apenas uma fantasia infantil absolutamente inofensiva (desde não se continue a acreditar nele depois dos , digamos 30 anos). Outra coisa muito diferente é a enganação que os médiuns protagonizam fingindo comunicar-se com espíritos.
    Mas você tem razão numa coisa: Cada um tem direito a ter sua opinião. Você acredita em médiuns. Eu afirmo que são todos farsantes (ou alucinados, mas não menos falsos).
    Sds.

  225. Caio Diz:

    Scur, por que este mal-estar ao ler Papai Noel?
    .
    Papai Noel, Mula Sem Cabeça, Duendes, Espíritos, Sacis, Reforma Tributária, Deuses, Fadas, Adão, Eva… São entidades imaginárias. Não posso afirmar com 100% de certeza que em algum canto distante desse Universo não exista algo parecido com um duende, ou com um espírito. Mas, num sentido prático, posso afirmar que eles não existem, até que me provem o contrário. Buh!

  226. Antonio G. - POA Diz:

    Caio, fechei de novo contigo. Nunca acontece.

  227. Biasetto Diz:

    Scur,
    A touca não me serviu não!
    Você não mede as palavras pra atingir as pessoas, e olha que sou teu amigo.
    Eu poderia baixar o nível, mas não vou.
    Seria bom você conversar com um psicólogo, quem sabe você descobre que fanatismo é uma manifestação doentia, que faz um grande mal às pessoas.
    Eu fico pensando, como pude acreditar nestas “psicografias”, nestas histórias infantis, absurdas!
    Eu fico pensando como as pessoas podem negar as evidências das fraudes, mesmo com as provas mais concretas e elementares: cópias de livros, desculpas esfarrapadas, médium pega escandalosamente (Otília) com TODOS os apetrechos da fraude.
    kkk…hehehê! Até quando???
    O Chico Xavier era esperto, isto é ingegável. Esperto numas né? Mas ele tinha sangue frio e jeito pra coisa. Sempre com uma desculpa:
    - quando viu que as tais materializações eram um problema, veio com a desculpa que o Emmanuel o aconselhou a parar com isto, porque não era algo simples, trazia uma série de dificuldades.
    - quando teve o ataque estérico no avião, percebeu a bobagem que fez, então também veio com a história, de que o Emmanuel deu um esculacho nele.
    - quando foi acusado de ter plagiado uma matéria, um artigo (o Vítor tratou deste assunto aqui), veio com o papo da “universalização das ideias”.
    - quando perguntavam pra ele quem foi André Luiz, dava uma risadinha, desconversava, mas deixava a coisa no ar, gostando da curiosidade das pessoas.
    - quando caiu na real que tinha escrito um monte de asneiras sobre Marte, veio com o papo de que há outras dimensões, bla bla bla!
    Ele não mudava o tom, não batia de frente com ninguém. Puxou o saco dos militares, na época da ditadura, puxaria de qualquer que estivesse no poder, pra ficar bem na fita.
    Queria ser um santo, queria ser um mártir. Mas passou longe de um São Francisco, muito longe de um Gandhi, de um Luther King. Estes, deram a cara pra bater, de verdade!
    Foi um covarde! Não foi capaz de levantar uma única bandeira pra fazer do Brasil, um país melhor. Ficou a vida toda com a ladainha de “meu querido irmão”, “a paz de Jesus”…
    Dizia que era um “cisco”, mas tinha uma necessidade de aparecer enorme. Adorava ser o palco das atenções. A humildade dele era só um disfarce, uma manobra.
    Mas o mito foi criado, está aí. Vejam que no filme, quando ele deixa Pedro Leopoldo, não é mostrado, que a coisa tinha ficado muito feia pra ele, por causa das declarações do sobrinho. Ele teve que fugir de Pedro Leopoldo.
    Mas não tem nada não. Algumas pessoas estão abrindo os olhos pra todas estas besteiradas que as religiões fazem na vida das pessoas. É um processo longo, mas contínuo e inevitável.

  228. Roberto Scur Diz:

    Como papai noel não é uma farsa? Só faltava esta agora.
    Fantasia INFANTIL? Pirou? É criança que inventa estas tranqueiras aí? Ou é o adulto infantil que não sabendo educar os filhos fica mentindo personagem inexistentes?
    .
    E não resvala na questão tonigui, te manifesta aí, por favor, sobre o meu depoimento. Firme uma posição.
    Eu menti, disse a verdade ou me enganei? Pegunta simples de múltipla escolha. Não têm porque se esquivar.

  229. Biasetto Diz:

    Arduin,
    Quevedo tem razão em revelar uma enorme quantidade de fraudes, no meio espírita e esotérico, além de afirmar, como ele sempre afirmou, que Chico Xavier foi um grande pasticheiro de mão cheia. Ou não tem?

  230. Biasetto Diz:

    Scur,
    O mrh sabe escrever em português. É que ele estava psicografando. Sacou?

  231. Biasetto Diz:

    Scur,
    Quando o teu braço se moveu aí, como tu dizes, você estava TOTALMENTE SUGESTIONADO SIM.
    Pergunte aos praticantes de ioga, o que eles sentem, quando conseguem um transe, um desligamento de tudo?
    Deite-se, confortavelmente, relaxe, modifique sua respiração e fique pensando em determinado assunto bem tranquilizante. Pratique isto, diariamente, depois você me conta o resultado.
    E, se o teu braço se movimentou, por que não continuastes a praticar a mediunidade? Quem sabe se transformaria num grande médium psicógrafo. Poderia receber uma mensagem do André Luiz ou, melhor ainda, do Chico, acabando com todos os críticos e céticos deste blog. Bem, desde que a mensagem fosse boa né? Porque de porcarias e conversas fiadas, o meio espírita está transbordando, faz muito tempo.

  232. Biasetto Diz:

    É incrível como o espiritismo e os espíritas se contradizem.
    Eles querem provar que o espiritismo é mais do que uma religião, é ciência. Só que eles dizem que é preciso ter fé pra acreditar.
    Quem duvidar que a eletricidade existe, é só botar a mão num fio desencapado, pra ver o que acontece.

  233. Roberto Scur Diz:

    Biasetto,
    Carambola! Foram os primeiros 10 ou 15 minutos de toda a minha vida em que eu tinha sentado, lido um parágrafo do livro para entender o que fazer, faço a prece, o braço mexe duas vezes, e paro. Simples, sem pastel, sem mistério, sem preparação de yoga, sem auto-sugestão.
    Têm que ter muita fé para não acreditar no que eu estou dizendo.
    Fala logo que tu acha que eu estou mentindo e não fica arrumando explicações que mais complicariam a situação do que justificariam o ocorrido. Mania de ver chifre em cabeça de cavalo.
    Não continuei? Como assim cuera. Não disse logo acima que tentei por um seis meses e nunca mais moveu um músculo? Se não foi é porque não era para ser, não era para mim, e ficou claro, claríssimo, sem dúvida a mediunidade não é minha praia, minha tarefa era em outra área, de certo, e cá entre nós, foi um baita alívio não ser médium psicógrafo para não ter que ficar aturando os xiliques de vocês, gratuitos, revoltados.
    Como tu pode perceber eu JAMAIS poderia ser um médium. Não tenho paciência, tolerância para lidar com atitudes sem nexo como a que vocês tomam, ia surtar, rachar um no meio talvez, portanto, o melhor eu ficar bem longe disso e me divertir aqui enchendo os tubos de vocês.

  234. Biasetto Diz:

    Scur,
    No momento, não tenho mais nada a dizer pra tu!
    Só que não te chamei de mentiroso não! Você é que me chamou. Você precisa ler muito ainda os livros que diz conter preciosos conselhos, porque anda falando o que não deve.
    Sem nexo é o cara acreditar nesta turma de enganadores, mas a coisa se inverte: o sacaneado (aquele que é enganado) vira o réu, enquanto que o que sacaneia é o injustiçado.

  235. André Ribeiro Diz:

    Este Scur deve ser dono de alguma livraria ou editora espírita. Só pode ser isso.

  236. André Ribeiro Diz:

    Não foi o tal Xavier, em livro psicográfico, que disse que o Brasil ia ser a pátria do evangelho, o coração do mundo?
    Que piada isto aí.
    Scur, por que você não colhe aí na tua terra, dentre os inúmeros centros, uma única prova das coisas que defende, mostrando pra todos aqui?
    Não tem médiuns bons aí no sul?
    Este recital teu, de palavras de Jesus e exemplos de Chico Xavier, não serve nem pra alegrar festa de bêbado.
    Você fala muito, mas não diz nada!

  237. Antonio G. - POA Diz:

    Scur, você é uma figura! Quer entrar no mérito de quem foi que inventou o Papai Noel e acha que ele é uma farsa nociva à formação das crianças, e não é apenas uma fantasia lúdica dos pequenos… Tá. Se você quer que seja assim… Eu já acho que farsa é um livro psicografado, por exemplo. Mas você acha que é uma autêntica manifestação espiritual. Prá você ver como temos convicções bem diferentes. Aliás, um ótimo exemplo de quanto uma fantasia pode ser nociva é uma Criança Espírita. Acho que é uma situação extremamente prejudicial à formação intelectual e emocional de qualquer criança.
    .
    Mas você quer que eu responda se, sobre sua narrativa acerca de suas experiências paranormais, você está mentindo, dizendo a verdade ou equivocado?
    Ok. É o seguinte: Acho que você não está conscientemente mentindo, porque você me parece mesmo ser fanático pela sua crença e isso determina que você é suscetível a condicionamentos psíquicos que podem levá-lo a ter alucinações deste tipo. Já vi bastante disso. Ou seja, não aconteceu, realmente, porque estas coisas não existem. Não há nenhuma evidência confiável de que de fato existam. Logo, você pensa que está dizendo a verdade, mas está equivocado. Ou seja, acho que você não é mentiroso, mas, tecnicamente, está mentindo.

  238. Antonio G. - POA Diz:

    Biasetto, você falou sobre a falsa humildade de Chico Xavier. Eu também já escrevi muito sobre isto. Chico era uma homem de uma vaidade gigantesca e muito mal disfarçada. Fingia-se de humilde, mas era um pavão. Uma imagem que sempre me vem à cabeça é a da sua performance no célebre programa Pinga Fogo, na TV Tupi no longínquo ano de 1971. Naquela noite, CX foi sabatinado por comunicadores e políticos sobre o espiritismo, a doutrina e seus fenômenos, e deu seu show particular, que muitos espíritas consideram uma espécie de síntese eletrônica ao vivo do Livro dos Espíritos. Não vou entrar no mérito de suas respostas, pois foram alinhadas com o que sabemos do espiritismo, mas o que me chama fortemente a atenção no vídeo é a linguagem corporal do Chico. Ele estava simplesmente em êxtase, numa incontida felicidade por estar sendo o centro das atenções do público local e dos telespectadores. Girava a cadeira de um lado para outro, festejando seu sucesso e a curiosidade que amealhava em torno de si. Um exibicionista. Flamante como um Pop Star. Um homem cheio de orgulho, com a vaidade “escorrendo pelo ladrão”. A antítese do sujeito humilde e reservado que tantos fantasiam que ele era. É incrível como alguém consegue passar mais de 70 anos enganando tanta gente. Mas há quem pense que ele foi “o maior brasileiro de todos os tempos”. Eu digo que foi o brasileiro mais farsante de todos os tempos.

  239. Biasetto Diz:

    Antonio G.,
    Concordo com você, plenamente!
    Podemos dizer, que naquele programa, ele “liberou geral”.
    Foi um deslumbre!
    Ele soltava alegria, ria, estava no auge. É isto que a “mediunidade” trouxe a ele: estar rodeado por pessoas, ser reverenciado, amado, respeitado… Isto fazia um bem incrível ao ego dele, à auto-estima. Ele precisava disso, muito.
    Era a diversão dele, a realização…

  240. Biasetto Diz:

    Também concordo, plenamente: o maior farsante da história do Brasil. Ele deveria ter algum (ou vários) distúrbio(s). Não é possível, que fosse só malandragem.
    Antonio, uma das coisas mais frustrantes em minha profissão, está longe de ser o salário minguado. É o desinteresse, o descaso dos alunos (muitos). É verdade, que também são vítimas do sistema, tanto o capitalista como o educacional, neste “paiseco” de brincadeira.
    A gente entra numa sala de aula, com uma aula pronta, toda esquematizada, cheio de esperanças, detalhes… mas não sai da teoria. Como isto é frustrante! O inverso, é totalmente verdadeiro: o reconhecimento, a atenção, o elogio, quem não gosta???
    Chico Xavier percebeu, desde cedo, que seria um “zé mané”. Mas ele gostava de ler, tinha admiração pelos grandes escritores, os poetas, os promotores das “verdades religiosas”.O que ele poderia fazer? Ele era um “et” em meio àquela sociedade simples e ignorante de Pedro Leopoldo, no início do século XX. Então, ele treinava versos, fazia colas, admirava, sonhava com os grandes nomes da literatura. Pensou, com certeza, que poderia ser um deles. Mas como? Aí, a sua brincadeira, foi descoberta no meio espírita. Ele foi encorajado, incentivado. “Você é médium Chico”. Os tapinhas nas costas, os incentivos, os elogios… Fico imaginando, a volta dele pra casa, com o sorriso rasgando o rosto, o coração batendo a mil – sim, ele alguém, ele poderia ser reconhecido e adorado por isto: a mediunidade. Foi assim, que ele, mais do que nunca, abraçou a causa espírita. Disciplinou-se como poucos. Quis conhecer tudo sobre o espiritismo, devorou os livros de Leon Denis, Gabriel Delanne, Edouard Shuré… Depois, conheceu A Vida Além do Véu e muitos outros… As ideias fervilhando em sua cabeça, cada vez mais reconhecimento, cada vez mais vontade de continuar e ampliar aquilo. Também deveria ter um “pensamento nobre” (estar ajudando os necessitados), o desejo da santidade – as conversas com o padre, aquele ambiente sacro da Igreja, as imagens, os ritos…
    Talvez ele não imaginasse a dimensão que isto tudo iria alcançar, mas ele planejou tudo. Gostaria de saber como ocorreu a conversa dele com o Waldo Vieira? Esta duvida me intriga.
    .
    De onde tiro estas ideias? Oras, sou médium, tem um espírito ditando pra mim aqui. Ai do Scur e o Arduin duvidarem disto!!!

  241. Roberto Scur Diz:

    Riba,
    Ele não disse que “ia” ser. Disse que “é”. Tu achou graça? Que bom que ficou feliz de alguma forma.
    Não colho na minha terra porque devo ter largado a agricultura há bem uns 500 anos, tão pouca destreza que tenho neste ramo.
    Colher provas? Porque? Não quero te convencer de nada? Para mim já obtive sem NUNCA ter procurado, tanto fazia como tanto fez, e o meu testemunho é é interpretado, por exemplo, com uma explicação enrolada como esta doTonigui que rebolou, rebolou e não respondeu a pergunta (parece político). Não adotei nenhuma missão especial no movimento espírita! Sou um zero à esquerda no que tange ao trabalhador espírita! De onde tu tirou que eu me preocupo em te provar isso ou aquilo?
    Conto o que vivi, acharia útil se alguém me contasse algo assim, provavelmente deixaria em stand-by pois as pessoas falam o que querem e você nunca consegue saber o que vai na mente delas, tudo pode ser diferente do que parece e as pessoas são hábeis na dissimulação.
    Identifica-se um homem de bem pelas suas obras, mais do que pelas suas palavras.
    Quando alguém me conta alguma coisa a minha primeira reação é dar crédito ao que ela diz, mas sem abraçar suas causas cegamente sem ter cuidados. Já fui enganado muitas vezes, mas não me torno um enganador por causa destes reveses – opção de cada um.
    Se têm médiuns bons aqui no sul? Não sei, realmente não sei dizer pois não conheço muitos. Se tivesse algum eu diria prontamente.
    Sem dúvida não serve para alegrar festa de bêbados, que já se alegram com a fuga que se impingem através dos alcoólicos mesmo. Estas palavras são feitas para quem está querendo ouví-las, precisando entender um pouco mais, que reconhecem que muito não sabem, e não para quem acha que já sabe tudo, e se não sabe, não quer saber e avacalha quem falar sobre isso.
    Para mim você não fala grande coisa e também não diz grande coisa. O que você trouxe de colaboração com o teu comentário além de afirmações vazias, perguntas mais ainda e bravatas inúteis?

  242. Roberto Scur Diz:

    Tonigui,
    Resposta errada!
    Vamos de novo:
    A: Minto;
    B: Digo a Verdade;
    C: Estou Enganado;
    Não que eu ache que você não poderia alongar várias opções, mas para ser mais sistemático (sou ligado às ciências exatas por formação acadêmica e profissional, análise de sistemas, programção de computadores, lógica, matemática, estas coisas aí) acho que dá para sintetizar nestas 3 opções. Poderia escolher só uma delas para balizar teu pensamento?
    Convenhamos que “tecnicamente você está mentindo” não é uma resposta viável. Qual a técnica de identificação da mentira que tu aplicou? É como um “meio grávida”, “meio gay”, algo assim que não é nada aceitável nem lógico.
    Se eu digo que aconteceram “estas coisas” você simplesmente vai negar que elas existam, porque não quer que elas existam. Você nunca viveu algo semelhante, nunca viu alguém vivendo algo semelhante, nunca estudo os mecanismos da mediunidade que poderiam algo elucidar sobre estas questões, não estava do meu lado para atestar melhor e se estivesse não ia adiantar nada pois não era o teu braço que estava movendo sem tua vontade agir, enfim, qual seria então a técnica que aplicaria para negar isso? A tua simples decisão de falar que isso não existe?
    Acho isso muito pobre e muito pretencioso, e se tu te contenta com este tipo de argumentação então acho que o fanático não sou bem eu, o dogmático és tu que não usa a ciência, que é o que lhes resta apenas, para balizar o teu pensamento.

  243. Roberto Scur Diz:

    Biasetto,
    Você está tão obssecado em defenstrar Chico Xavier que não pensa no que fala, há tempos.
    Tu assumiste com galhardia o lugar do Vitor sem Visoni.
    Vai tomar um passe ou numa desobessessão aí em Bragança que talvez ajude (acho que o de “mesa branca” não seria o mais indicado, mas é só um achismo meu).
    Ele esta virando, pela tua boca, um verdadeiro bicho-papão, um super gênio, um super homem.
    Acho sim que tu deve ser médium pois estão te assoprando nas ventanas um monte de bobagens que mais adiante te causarão arrependimento, mas, vamos esperar né, é o que resta também.

  244. Roberto Scur Diz:

    Biasetto,
    Mudando de assunto um pouco, você cita várias vezes que nosso país não é bom. Desmerece-o.
    O Ribas acabou de duvidar da afirmação do Humberto de Campos espírito, através de Chico Xavier, no livro àquele que tu acha que é um lixo, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho, e disse que isso é uma “piada”.
    Qual o país é bom para ti? Talvez, pelo que tu já escreveu por aqui, tu citaria a Noruega, Finlândia, lá onde têm muitos ateus e vivem num “paraíso”. Estou errado?
    Ninguém poderá ser jamais feliz vivendo num país cheio de facilidades enquanto outros países morrem à mingua e no atraso. Quem pode mais precisa auxiliar aos que estão na retaguarda à evoluírem, senão o equilíbrio não é alcançado e não se obtem paz.
    Acontece que quem fica por cima da carne seca, por não ser fraterno e solidário, quer consolidar sua “liderança” e é tentado à “dominar”, para não dizer, “subjugar” os mais fracos e favorecer assim o seu predomínio ao máximo.
    Olha estas desordens no Oriente Médio? Muitos ficam achando lindo que um presidente do país mais rico do mundo venha à nação celebrar o assassinato que eles mesmos praticaram contra um ser humano, por mais degenerado que seja.
    Muito ficam exultantes com este último aí que foi liquidado também numa aplicação da pena de morte sem julgamento, sem prisão, tão impiedosos quanto ele prometia ser contra os seus inimigos.
    E estas guerras, estes movimento sociais podem bem ser arquitetados à priori, e ficam todos acreditando que o motivo é promover a democracia e melhora a vida nestes países “terroristas”.
    É uma lavagem cerebral em massa, pois nunca se vê que a Guerra traga o que se promete antes de começá-la.
    Veja a entrevista deste general americano sobre o que planejavam para estes países há vários anos atrás.
    A entrevista dele foi em 2007.
    http://www.youtube.com/watch?v=sCDRWEpz5d8&feature=feedu
    Aí eu te pergunto quem é país de primeira, o nosso ou os do “primeiro mundo”?
    O Brasil é o melhor país do planeta, atualmente, porque é o Coração do Mundo e a Pátria do Evangelho, e daqui partirão os movimentos pacificadores do mundo em revoadas de tolerância, fraternidade, solidariedade e espiritualidade.
    Espere mais um pouquinho que tu vai ver isso acontecendo mais ostensivamente, inegavelmente.
    Agora é silencioso porque estamos no meio da desordem coletiva que avassala todos os quadrantes, mas depois da confusão toda virá a bonanza de novos tempos, e nesta hora a bagagem contruída aqui será fundamental para definir os novos rumos do amanhã.

  245. Biasetto Diz:

    Scur,
    Agora você arranjou mais um amigo: o Riba!
    Nem sei mais o que te dizer.
    Só vou pegar uma passagem que você disse:
    .
    “O Brasil é o melhor país do planeta, atualmente, porque é o Coração do Mundo e a Pátria do Evangelho, e daqui partirão os movimentos pacificadores do mundo em revoadas de tolerância, fraternidade, solidariedade e espiritualidade. Espere mais um pouquinho que tu vai ver isso acontecendo mais ostensivamente, inegavelmente.”
    .
    Que lindo!!!
    Deve ser bom pra você, que vive de “barriga cheia”, enquanto ainda há 20 milhões de miseráveis, catando latas por aí.
    Um dos países mais violentos do planeta, o que se cometem de homicídos aqui, em um mês, não se manifesta em uma década, no Japão. Deve ser por causa da fraternidade que você citou.
    Nossos congressistas são os mais caros do mundo e não se reforma o banheiro público de uma praça, sem superfaturamento. Deve ser por causa da solidariedade, que você também citou.
    Nossa educação é uma falácia. Posso te garantir que não é culpa dos professores, que estão, quase todos, doentes.
    Acabei de ver no facebook, uma postagem de um amigo corinthiano, orgulhoso que o estádio que o governo está dando pro time dele, vai abrir a copa do mundo. Evento que o povão vai ficar na mão.
    Em cada esquina uma igreja, esfolando o bolso e a mente dos sofredores.
    Nas livrarias, pratileiras e mais pratileiras lotadas de livros espíritas, falando um monte de asneiras e ensinando idiotices.
    .
    Esta passagem tua também é boa demás!!!
    “Agora é silencioso porque estamos no meio da desordem coletiva que avassala todos os quadrantes, mas depois da confusão toda virá a bonanza de novos tempos, e nesta hora a bagagem contruída aqui será fundamental para definir os novos rumos do amanhã.”
    .
    Vou chorar, de tanta emoção!!!
    .
    Vivam os picaretas!
    Vivam os pilantras!
    Vivam os embusteiros!
    Vivam os enganadores!
    Vivam aqueles que dão umas esmolinhas!
    Vivam os subservientes, os puxa-sacos!
    Vivam os aproveitadores dos sofredores!
    Viva a ignorância!
    Viva a fé cega!
    Viva o estelionato em nome de Deus!
    Viva a copa do mundo e os bilhões jogado no lixo e no bolso dos canalhas!
    Viva as Olimpíadas e + bilhões jogado no lixo e no bolso dos canalhas!
    Viva o carnaval!
    Viva a cidade maravilhosa e suas balas perdidas!
    Viva o santo Xavier e suas Otílias Diogo!
    Viva o santo Xavier e seus plágios escandalosos!
    Viva a mentira!
    .
    Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho kkk…
    .
    Scur, abandona tudo aí, deixa a empresa pra tua esposa e os filhos. Deixa a barba crescer, bota uma sandália, veste uma camisolona branca e sai pelo Brasil, pregando, salvando as prostitustas do fogo do inferno, ou melhor, dos 100 anos de umbral (sim, porque André Luiz levou 8 né?)… vai filho amado de Jesus, segues a tua verdadeira vocação. Abraça a causa, cumpre a tua missão, Chico Xavier te espera de braços abertos em Nosso Lar.
    Deus te abençoe!

  246. Biasetto Diz:

    Este país aí que você critica EUA – é cristão, você sabia?

  247. Biasetto Diz:

    Cada congressista brasileiro, média senador + deputado federal, custa por ano = R$10,2 milhões
    Na Itália = R$3,9 milhões
    Na França = R$2,8 milhões
    Na Espanha = R$850 mil
    Na Argentina = R$1,3 milhão
    Cada vereador, na cidade de Rio de Janeiro e São Paulo, custa, em média, 5 milhões de reais por ano.
    Esta é a Pátria do Evangelho, que Chico Xavier/Humberto de Campos, preveram na década de 1930.
    Mas, como disse o senhor Roberto Scur, é só uma questão de tempo, que tudo serão flores por aqui. É, mais uns 100 anos, quem sabe. Agora, se esta mudança acontecer, podem ter certeza, que não vai ser através dos crentes.

  248. Marcos Arduin Diz:

    Bem, Caio…
    Eu tenho uma prima que trabalha num tribunal em São Paulo, no Fórum João Mendes, e é testemunha de jeová. Ela me contou que um casal que também trabalha lá havia perdido um filho e tempos depois passaram pela cidade de Lorena. Sem que, nem pra que, no baixo astral que estavam, viram lá um centro espírita onde estava sendo dada uma palestra e resolveram ver se era interessante. Quando estavam saindo, alguém se aproximou e deram a eles uma folha com uma mensagem. Eles ficaram muito surpresos quando viram que a letra da mensagem coincidia exatamente com a do filho falecido e que era mesmo uma mensagem dele, abordando assuntos familiares, desconhecidos de quem quer que fosse naquele centro.
    .
    Mas esse filme nós espíritas já conhecemos: virá alguém dizer que “a história não é bem assim, nunca é…”, “isso é só uma evidência anedota”, “não tem valor científico como prova”… Ou seja, meu caro: é o problema da fé da qual já falei. O Quevedo tem ferrenha fé no Catolicismo, assim como os evangélicos têm ferrenha fé na Bíblia, que proíbe falar com os mortos, e os céticos têm profunda fé de que tais coisas não existem e por aí vai.
    .
    Então, meu caro, que algum dia você tenha a sua experiência pessoal e tire dela as conclusões que achar melhor.

  249. Marcos Arduin Diz:

    Como é, Biasetto? O Quemedo revelou uma ENORME quantidade de fraudes no meio espírita? Onde e quando ele fez isso?
    .
    No máximo o que vi dele até agora foi fazer alguns truquezinhos aqui e ali para “desmentir o Zé Arigó”. Mas tanto quanto eu saiba, ele NUNCA desmascarou o Zé Arigó cara a cara. O papo que ouvi, inclusive, é que Quevedo até esteve em Congonhas com esse propósito, mas entrou e saiu quietinho, pois o que viu não era nada do que estava esperando que fosse.
    .
    Quanto ao Chico, é gozada a ENORME incoerência do Quemedo. Uma hora diz que ele tinha GRANDE QUEDA por literatura e que fazia sonetos MELHORES DO QUE OS DO BILAC psicografado… Gozado… Por que na hora de psicografar havia essa estranha queda de qualidade? Dizia que ele era um embusteiro de talento e hábil pasticheiro… mas aí cita literatos que diziam que Chico escrevia sonetos reles, mal medidos, mal rimados… Afinal ele era um ótimo pasticheiro ou um péssimo pasticheiro? Diz num lugar que Chico era muito inteligente e talentoso e noutro de que ele era louco no mais alto grau.
    .
    Ou seja: o Quemedo, para não desperdiçar argumentos contra o Chico, USA TODOS e não se dá conta de que eles se anulam uns aos outros…
    .
    Entendeu por que não o considero um bom argumentista, embora o elogie pela propaganda que faz do Espiritismo?

  250. Caio Diz:

    Se o Scur tivesse um pingo de bom senso, mas só um pinguinho, ele nem tocaria mais na questão do Brasil ser um país bom ou não. Acho que ele jamais admitiria que disse uma grande bobagem, mas então que pelo menos ficasse quieto… Mas, a não ser por um milagre dos céus, ele NOVAMENTE vai tentar defender o indefensável.
    .
    Scur, você mora num país onde corrupção faz parte do orçamento. Sim, é isso mesmo que você leu. No começo desse ano, estava eu dando uma olhada no jornal e quase morro do coração quando leio que a “previsão” do Governo era de que “X milhões de reais” seriam desviados. Os políticos tratam corrupção como qualquer outra coisa, até previsão existe! Eles devem sentar a bunda numa sala em janeiro e dizer “bom, vamos lá, no primeiro semestre 5 milhões vão pra saúde, 4 pro transporte público… e 8 serão desviados”. É esse o país de merda que o senhor Roberto Scur diz que é o melhor lugar do mundo pra se viver. Um país de gente medíocre, crédula ao extremo, um país de gente que pede a Deus pro mundo acabar em barranco, só pra eles poderem morrer encostados. Mas nem sempre o brasileiro é burro. Quando é conveniente, eles são bem espertinhos, é só olhar a guerra que é travada num estacionamento de hipermercado pra parar o carro: vale tudo para garantir a sua vaga, até sair na porrada. Bela Pátria do Evangelho!
    .
    Scur, se eu achava que você tinha um pingo de juízo, já não acho mais. Você é completamente maluco, cara. Um pirado mesmo. Siga o conselho do Biasetto é saia por aí pregando, você ficaria bilionário. Ambiente pra isso tem. Continue achando que esse país tosco, com seus políticos bandidos, com sua gente tapada, com esse monte de moleque ouvindo funk no carro no último volume às 08h da manhã, com essas taxas de roubo e homicídio exorbitantes, com essa polícia corrupta e mal preparada é um bom país. Você está certinho.

  251. Biasetto Diz:

    Arduin,
    Este tipo de história que você contou, eu acho muito interessante. Não ridicularizo. Mas, como você mesmo citou, faltam provas. Veja bem, você diz que a tua prima te disse… e assim vai.
    Pode ser verdade, eu torço pra que seja!
    Porém, eu frequentei por mais de 3 anos centors espíritas, e NUNCA presenciei algo assim. NUNCA! Tinha lá sim, aqueles que se dizem médiuns, que psicografavam uma mensagem, no estilo “queridos irmãos, na paz de Nosso Senhor Jesus Cristo…” Porém, algo realmente marcante, significativo, repito: NUNCA presenciei.
    Eu tenho uma enorme vontade de conhecer o Celso Almeida. Não sei se vou conseguir ir pra Uberaba, no começo do ano que vem. Talvez vá! Não sei também, caso realize a viagem, se vou conseguir o contato com ele, porque são muitas as pessoas que o procuram e, nesse ponto, concordo com os eninamentos espíritas e das religiões em geral: ninguém é mais do ninguém.
    Então, meu caro amigo, até lá, ou outra experiência que me convença a pensar de forma diferente, fico com a minha crítica e o meu ceticismo atual.
    Veja, por exemplo, o caso que o Vítor colocou no próximo post – muito legal, muito interessante, muito significativo, mas, realmente voltando ao “mas”, é preciso saber, se o tal médium lá não sabia jogar xadrez, se ele conhecia a história do suposto espírito que se manifestou. Então, Arduin, eu penso que não se trata, simplesmente de ter ou não ter fé. Se trata, de realmente, concretamente, poder eliminar as possíveis situações que explicariam o fato, de forma diferente da ideia da psicografia.
    .
    Quanto ao Quevedo, eu nunca fui fão dele, até porque ele é católcio ao extremo, dizendo inclusive que milagres, só existem no catolicismo.
    Se ele inventou aquelas histórias que você contou que ele disse sobre o Chico, tremenda sacanagem e mau caratismo. Porém, ele sempre procurou mostrar uma série de fraudes que fazem no meio religioso, sendo que muitas e muitas das coisas que ele fala e aponta, são bem coerentes.

  252. Biasetto Diz:

    * eu nunca fui fã dele, até porque ele é católico ao extremo.

  253. Biasetto Diz:

    Pessoal,
    Desculpem-me, o texto está cheio de erros, porque cheguei correndo aqui, e já estou de saída, então quis responder e acabei digitando rápido, sem revisão…
    Um abraço! Até mais tarde.

  254. Roberto Scur Diz:

    Biasetto,
    Diga, objetivamente, qual é o melhor país do mundo, para ti?
    Depois diga o porque tu acha que é melhor que o teu.
    Depois diga se você já morou neste país, o que conhece deste país que te levou a ter esta certeza de que é o melhor que o teu.
    .
    Pelo que se despreende do que tu diz, um dos requisito para que um país seja o melhor é ser de ateus, afastados do “moralismo barato” como tu fala.
    Talvez um país bom para ti, melhor do que o Brasil, e muito na moda hoje em dia, seja este aqui:
    http://www.youtube.com/watch?v=S8_lKTYfVSU&feature=related
    .
    Acusar, apontar problemas, se mostrar indignado, é sempre mais fácil do que fazer alguma coisa para mitigar os problemas da sociedade onde tu vive. Fugir, abandonar tudo, virar ermitão idealista pregador sem trabalho, um parasita social, também é muito ufanista e próprio dos que não entendem a sua melhor função neste cenário de problemas em que vive.
    .
    Se todo mundo for ficar jogando pedra, criticando, menosprezando justamente àqueles que conseguiram ser diferentes das massas de indiferentes egoístas, nenhum lugar será bom. O egoísmo causa isto Biasetto e pessoa como Chico Xavier colaboram decisivamente para o mundo ser menos imperfeito e cruel como se revela. Idealistas sustentam multidões. Reclamar é atitude ordinária dos acomodados.

  255. Roberto Scur Diz:

    Biasetto,
    Então, qual o tipo de “idealista” tu és? Qual “ideal” ou “idealista” tu admira ou segue?
    Em qual multidão tu te enfilera?

  256. Antonio G. - POA Diz:

    Do Scur, eu estou praticamente desistindo… Não diz “coisa com coisa”… Evoca a grande obra “Brasil Coração do Mundo, Pátria do Evangenho”. Dizer o quê sobre esta baboseira? Às vezes, eu acho que ele está só “tirando sarro” e rindo das próprias bobagens e de quem perde tempo em discuti-las.
    .
    Já o prezado Arduin, que não é maluco, acertou em cheio: Sim, eu direi que estas histórias (como a da testemunha de Jeová) não são bem assim. NUNCA são. E eu lamento, por você, que você insista em continuar acreditando nestas lendas. Vindo de um fanático, eu compreenderia que a alucinação produza tais efeitos. Mas você diz que não é fanático e que é um “espírita crítico”, que não aceita farsas nem mentiras. Que só se interessa pelo que é verdade. Mas estas fenômenos já estão prá lá de desmentidos. Não há uma única evidência séria de que sejam reais.
    Não há uma grande contradição nisso? Para mim, há.

  257. Antonio G. - POA Diz:

    Vitor, a matéria sobre o espírito enxadrista está muito boa! Eu não conhecia este caso. Não há limites para a imaginação quando o propósito é evidenciar o improvável… Que “viagem”…

  258. Vitor Diz:

    Antônio,

    e a parte 2 do caso vem aí…

  259. mrh Diz:

    Ô Scur, eu escrevo em português: + só qdo ñ estou incorporado… qdo estou, falo em línguas (1 português “espiritual”, sabe?), c/ se possuído pelo ES, quer ler? Aniinhae espumotaris byy the bokka, completta e gigantiae gazze, matteriallizatum essst (a entidade disse q hoje é dia d sol no além).
    .
    Bia, c/ descobriu? Q perspicaciae! Estava tentando esconder meu encosto, + vc o percebeu pelos efeitos…
    .
    O JCFF deve ter aberto 1 sorrisão qdo leu q minha irmã kogitou abandonar o espiritismo e tornar-se katolikae após ler os últimos textos do Bia, ovos mexidos pelo mrh… + ñ exulte +, nobre estudioso… ela rekonsiderou e pensa agora em tornar-se evangélikkka.
    .
    Viva o protestantismo, q nos deu alternativa…
    .
    Por q no além tem tto anão (vide Owen e AL tb)? + do q a média aqui, no aquém. Em meu último suposto passeio por lá, encontrei 1 e tasquei-lhe a pergunta teórika: é V q vcs ñ têm forma humana, q eu é q os percebo assim? Axo q ele ñ esperava 1 assunto dessa natureza, e respondeu c/ certo eskárnio: ei xapa, tem 1 axxinóx aí? Eu entendi isso tto qto ele a minha pergunta.

  260. Roberto Scur Diz:

    Este mrh age como um retardado.

  261. Roberto Scur Diz:

    Tonigui,
    Tu te diz ex-espírita.
    Eu digo, julgando pela forma que tu fala, que tu está mentindo.
    Me diz qual foi o centro-espírita que tu frequentou durante estes 30 anos, por favor.
    É em POA? Ok, passe o endereço também porque eu vou visitar este centro rapidamente.
    Vou consultar o teu “histórico” de espírita longevo que tu afirma ter.
    Por favor, não fuja da raia como vários já fizeram aqui quando instados a mostrarem a cara de verdade.
    Teve outro porto-alegrense, Paulo, algo assim, que agia parecido contigo. Aceitei o desafio dele em fazer uma palestra numa universidade, curso de astronomia, e ele roeu a corda sem dar explicações e nunca mais apareceu por aqui.
    Então, mostre se tu é maragato ou ximango.
    Vou lá, confiro a tua trajetória, pois é impossível tu não ser conhecidíssimo neste ou nestes centros que tu frequentou tendo “mourejado” por 3 décadas na seara espírita.
    Estou no aguardo.
    .
    A propósito, em que ano tu leu a obra Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho? Leu realmente ou é mais uma tirada ao léu e te baseou na opinião de alguém sobre o livro.
    Diga aí, já que você leu, qual é a baboseira mais contundente que tu encontrou no livro?

  262. Antonio G. - POA Diz:

    Ô mhr, escrever desse seu jeito não é mais demorado do que escrever na linguagem “normal”? Para quem lê, é muito mais demorado.

  263. Antonio G. - POA Diz:

    Scur, tá bem. Você me pegou… Vou dizer a verdade.
    Eu nunca fui espírita. Nunca li qualquer livro espírita, nem doutrinário, nem psicografado, nem romance. Este tal de Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho, só ouvi falar. Mas como achei o nome meio ridículo, resolvi criticar só para “fazer onda”. Ninguém do meio espírita me conhece, aqui em POA. Eu nunca frequentei nenhuma casa espírita. Na verdade, eu nem existo realmente. Sou um espírito zombeteiro perturbando os fóruns de discussão. Eu desencarnei dias atrás, atingido por um raio de luz enviado pelo Chico Xavier seguido do impacto bem no meio da minha testa de uma bola dourada vomitada pelo Sai Baba.
    Peço que, em nome da causa espírita, perdoe este pobre irmãozinho que sofre nas trevas da ignorância e padece do arrependimento por ter sido um homem sem fé. E que assim seja.

  264. Antonio G. - POA Diz:

    Brasil coração do mundo patria do evangelho

  265. Antonio G. - POA Diz:

    A baboseira maior que eu encontrei neste livro (que eu não li) foi o livro.

  266. Caio Diz:

    E aí, Antonio, vai fugir da raia? Você é “maragato” ou “ximango”?
    .
    HAHAHAHAHAHA… Mas que figurinha!

  267. Caio Diz:

    Scur, você continua um adepto da monogamia?

  268. Biasetto Diz:

    DOIS TRECHOS DO LIVRO “BRASIL, CORAÇÃO DO MUNDO, PÁTIRA DO EVANGELHO” (1938)
    .
    O Brasil não está somente destinado a suprir as necessidades materiais dos povos mais pobres do planeta, mas, também, a facultar ao mundo inteiro uma expressão consoladora de crença e de fé raciocinada e a ser o maior celeiro de claridades espirituais do orbe inteiro.”
    “Se outros povos atestaram o progresso, pelas expressões materializadas e transitórias, o Brasil terá a sua expressão imortal na vida do espírito, representando a fonte de um pensamento novo, sem as ideologias de separatividade, e inundando todos os campos das atividades humanas com uma nova luz.”
    .
    Precisa dizer o que mai?

  269. Biasetto Diz:

    Ainda escrevi “PÁTIRA DO EVANGELHO” – vai ver que é “pátira” mesmo, por isso que não entendemos as mensagens!

  270. Caio Diz:

    Eu não acho que seja necessário atribuir textos tão simples a entidades sobrenaturais super poderosas…

  271. Caio Diz:

    Querida Mãezinha…

  272. Roberto Scur Diz:

    Caio,
    Claro, a monogamia, além de ser uma opção que reflete o grau de civilidade da pessoa, promove a saúde física e mental, e consquentemente, sexual.
    Todos os garanhões de estância, que se ufanam de “cobrirem” várias parceiras, têm uma inclinação para perderem a capacidade, a potência, muito antes do tempo.
    Como ficam espantosamente e melancolicamente neste estado podem começar a se exaltar e contar vantagem para os colegas, também já impotentes também, num esquisito show de quem mente mais, quem pegou a fulana, quem fez tal e qual acrobacia do arco da velha, ou seja, precisam gargantear bastante para parecer que o instrumento ainda é operacional para o sexo.
    Já o adepto da monogamia, como respeita a sua parceira, e tendo ele sincera afeição por ela, poderá continuar saudável, firme e forte, por longo prazo.
    .
    Como os jacarés da boca grande vivem oprimidos por sua efetiva masculinidade duvidosa, na opinião preconceituosa dele, passam a turbina o coração com viagras e outras drogas, podendo assim ludibriar por mais um tempo a incapacidade de naturalmente ter uma relação sexual.
    .
    Deve ter aumentado em muito os problemas cardíacos desta turma, a venda de molas para arterioscopias salvadoras, mas não tenho dados, apenas conhecidos que precisaram do expediente justamente por precisarem ficar “bombados” para funcionarem.
    .
    Então, ser equilibrado na área sexual é programa de saúde e longevidade.

  273. Roberto Scur Diz:

    Caio,
    Veja como você já está precisando de uma “mola” no cérebro. Tua percepção é a de que espíritos são sobrenaturais (nada é sobrenatural, nada é além das leis da natureza) ou super poderoso (como um super herói?), e com estes condutos neuronais obstruídos faz conexões falhas entre eles e julga, opina, se posiciona sobre temas por ti completamente ignorados.
    É também um tipo de loucura, que nem este MRH que acha que é adolescente em chat durante a aula, e usa reduções, simbolozinhos, sinais confusos para expressar suas idéias abdicando da linguagem gramatical que precisamos para melhor nos entendermos.
    O bixo parece meio senil, vejo ele gesticulando e falando sozinho em códigos e charadas enquanto escreve por aqui.
    Não está bem o coitado!
    Vou fazer uma prece para ele melhorar.

  274. Biasetto Diz:

    Não vou discutir a questão da fidelidade/infidelidade aqui, porque não vem ao caso. Mas vejam outra teoria do Scur:
    - Quem é infiel e fica “catando todas”, fica impotente!
    De onde você tirou isto Scur?
    Hehehê!

  275. Biasetto Diz:

    Roberto Surreal Scur Dali. kkk!

  276. Roberto Scur Diz:

    Tonigui,
    Que decepcionante! Tu é mais um liso como muçum, enrolou, fugiu da questão.
    Tá pintando mais um falso espírita no pedaço – normal, sem surpresas, mas, decepcionante.
    Não é só para a filha dele que ele mente ser papai noel, hein o “ex-espírita”?
    Cada um que me aparece!

  277. Caio Diz:

    Scur, eu apenas havia perguntado se você continua monogâmico, apenas isso. Sua resposta foi muito longa, truncada, parece que você ficou irritado, que estranho.
    .
    Bem, quanto aos espíritos, continuo com a opinião de que são entidades sobrenaturais (caso existissem, o que provavelmente não é o caso). Se fossem entidades que respondessem às leis físicas, poderíamos identificá-los, conhecê-los e estudá-los. A partir do momento em que se precisa “ter fé”, “acreditar” para poder entrar em contato com um suposto plano espiritual, estamos falando de superstição, somente disso. Já com a ciência é diferente: se você duvida da gravidade, faça um favor (e seria um favor mesmo): pule da janela do oitavo andar. Quanto ao fato dos super poderes, bom, é o seu Mestre, Chico Xavier, quem tanto alardeava sobre todos os predicados positivos de alguns espíritos específicos, como Emmanuel. Predicados tão radicalmente positivos que praticamente distanciam uma entidade dessas de qualquer coisa que não seja “super”. Você pode chamar de “evolução”, “adiantamento”, ou poderá dar qualquer outro nome bonitinho para fazer feliz o coração das senhoras de meia idade que frequentam os centros. Mas eu prefiro dizer que alguns destes espíritos são “poderosos”, é mais prático. Boa tarde e bom fim se de semana, Bagual.

  278. Caio Diz:

    Também não entendi a lógica, Biasetto. Se sexo desgasta (o que com certeza não é verdade, pelo contrário), pouco importa fazer 10 vezes com a mesma pessoa ou uma vez com 10 pessoas diferentes. O que pesa mais, 1 quilo de ferro ou 1 de algodão? Scurzisses, Scurzisses…

  279. Roberto Scur Diz:

    Zetontório!
    É claro que existem variações para este efeito “sanfona”.
    Se você pegar um cachorro de rua, é só ele cheirar uma cadela no cio que vai estar lá para conferir, fazer o papel dele como um animal que se move pelos instintos.
    Aí tu evolui na escala dos seres vivos e chega nos homens. Guardam inevitável toda sua herança como princípio espiritual que transitou pelo reino animal, e naturalmente terá o seu instinto chamando para conferir as fêmeas disponíveis por aí.
    Quanto mais próximo o boneco estiver do primitivismo animal, menos ele vai considerar os prejuízos do ato pelo ato e será indiferente aos sinais interiores que o advertiriam de que àquela mulher não é um objeto, mas um ser humano com suas angústias, com suas demandas psicológicas, etc.
    Como ele é indiferente às questões de ordem moral, ele poderá “cobrir” por longo tempo sem prejuízos da funcionalidade, mas, se o vivente já acordou um pouco, e pondera além do ato mecânico e instintivo em si, aí ele criará um mecanismo de defesa involuntário, e mesmo não querendo que seja assim, começará a “sanfonar” ao invés de fazer outra coisa.
    É isso Biasetto, eis a minha teoria que já percebi em alguns conhecidos que tiveram a coragem de contar seus dramas.
    Guarda a tua gaita aí para que ela não vire só uma sanfona.
    Sucesso!

  280. Roberto Scur Diz:

    Caio?
    Entidade que respondessem às leis da física? Que é isso vivente?
    Se as leis que o espírito está submetido estão além das leis física, e se ele precisa de um intermediário para poder se manifestar na dimensão física, como é que tu vai querer impor as condições para acreditar na sua realidade?
    Engraçado que vocês se acham inteligentes, racionais, e dizem cada coisa de arrepiar Einstein no caixão (só a poeira dos ossinhos dele).
    Como vão entender algo se estão tão bloqueados deste jeito, nem raciocinar logicamente lhes é possível?
    Vai, vai Caio, vai pro teu fim de semana e aproveita.

  281. Roberto Scur Diz:

    Biasetto,
    Me desculpe pelas brincadeiras com os nomes. Eu posso estar sendo grosseiro se tu me lê apenas, mas se estivesse me vendo não ia ver maldade nas minhas expressões.

  282. Caio Diz:

    O Scur disse: “Nada é sobrenatural, nada é além das leis da natureza”.
    .
    E 37 minutos depois ele disse: “(…)Se as leis que o espírito está submetido estão além das leis física”.
    .
    Entenderam? Nada está além das leis naturais, nem os espíritos. Mas eles, os espíritos, estão além das leis naturais.
    .
    O Scur devia ser aquele cara no colégio que na aula de redação tentava fazer umas coisas inteligentes e só falava merda.

  283. Roberto Scur Diz:

    Caio,
    Seu raciocínio é o de um energúmeno: as leis da natureza compreendem não apenas as leis da física do mundo físico que são estudadas pelos humanos reencarnados.
    Estes criam seus sistemas de interpretação do universo sem conseguir abarcar o todo, e assim, subdividem-no nas áreas da ciência que nem sempre podem ser absolutas.
    Como se têm uma capacidade limitada, com o passar do tempo os labores e estudos produzem avanços e estes limites são estendidos para mais além, um além muito aquém do seu final.
    Regras e fórmulas pétreas são ab-rogadas e as constantes são inventadas para completar vazios nos axiomas. Partes ignoradas em essência serão um dia conhecidas, mas enquanto isso são números irreais ou constantes batizadas como k, i, lambda, ômega, etc. que dão um sentido prático às equações onde são usadas. A existência destas incógnitas, números coringas, não significa que os valores exatos que elas encerram estejam fora da natureza, ou sobrenaturais, mas são apenas e simplesmente ignorados ainda.
    Portanto, não restrinja os limites do conhecimento humano à sua, à nossa ignorância, por favor.
    As leis que atuam no plano espiritual são, por enquanto, incógnitas em nossas fórmulas, ou estão em outras fórmulas que nem foram decifradas e redescobertas ainda por eminentes espíritos reencarnados encarregados da tarefa honrosa de apresentarem ao mundo físico novos paradigmas do conhecimento.
    .
    Resumindo, para facilitar a tua compreensão: as leis da natureza não se encerram exclusivamente nas leis da física dos homens, sem que deixem de ser parte desta mesma natureza só pelo fato de não terem sido ainda interpretadas.

  284. Roberto Scur Diz:

    Caio,
    À saber: tu é um mala! Sem alça!

  285. Marcos Arduin Diz:

    “Já o prezado Arduin, que não é maluco, acertou em cheio: Sim, eu direi que estas histórias (como a da testemunha de Jeová) não são bem assim. NUNCA são.”
    .
    Bem Antonio G da aeronáutica de Poá… Suponho que você tenha verificado as ditas histórias e confirmado que não são o que os espíritas têm apregoado por aí, certo?

  286. Biasetto Diz:

    Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho
    Resposta pro Scur I:
    http://www.youtube.com/watch?v=ERe1i65DPZA&feature=results_main&playnext=1&list=PLA2E0F0868079EB82

  287. Biasetto Diz:

    Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho
    Resposta pro Scur II:
    http://www.youtube.com/watch?v=AsusB_Eglvk

  288. Biasetto Diz:

    SCUR DISSE:
    Biasetto,
    Então, qual o tipo de “idealista” tu és? Qual “ideal” ou “idealista” tu admira ou segue?
    Em qual multidão tu te enfilera?
    .
    AQUI ESTÁ MINHA RESPOSTA I
    http://www.youtube.com/watch?v=ZKDt_3C-Qps

  289. Biasetto Diz:

    AQUI ESTÁ MINHA RESPOSTA II
    http://www.youtube.com/watch?v=YJT8q-6GK3A
    .
    Pra quem se interessar, é só continuar buscando os outros vídeos no youtube.

  290. Biasetto Diz:

    Finalizando I
    http://www.youtube.com/watch?v=iBVkvRz63uo&feature=related

  291. Biasetto Diz:

    Finalizando II (Não canso de ver isto)
    http://www.youtube.com/watch?v=Wx8tvjXMWrE
    .
    Este vídeo deveria constar no currículo de TODAS AS ESCOLAS.
    Bom fim de semana a todos.

  292. Biasetto Diz:

    Esta é só pra descontrair, mas por favor: TIREM O SCUR DA SALA, ou DEIXEM ELE DE OLHOS VENDADOS:
    http://www.youtube.com/watch?v=ev0YwOOm8Os&feature=related

  293. Biasetto Diz:

    O EVANGELHO DE SCUR (com algumas adaptações, mas a essência é a mesma)
    1 – O Ministério do Esclarecimento de Nosso Lar adverte: infidelidade causa impotência!
    2 – Uma pessoa que passou a vida toda fazendo o bem ao próximo, mentiria JAMAIS!!!
    3 – Os tempos da verdade estão chegando e o planeta chupão vai levar todos os espíritos do mal.
    4 – O adepto da monogamia, como respeita a sua parceira, e tendo ele sincera afeição por ela, poderá continuar saudável, firme e forte, por longo prazo.
    5 – O Brasil é o melhor país do planeta, atualmente, porque é o Coração do Mundo e a Pátria do Evangelho, e daqui partirão os movimentos pacificadores do mundo em revoadas de tolerância, fraternidade, solidariedade e espiritualidade.
    6 – Chegamos ao momento azado e não há como evitar que as Leis de Progresso sejam consumadas; não serão estes blogs amorfos e suas análises claudicantes que haverão de derrogar as obras virtuosas construídas pelos heróis do bem, da caridade e da fé que por aqui passaram o sustentarem vivos os ideais da vida maior.
    7 – Eu jamais me atreveria a ombrear com homens da envergadura dele [Chico Xavier], não estou à sua altura e me quedo em admiração à sua coragem, à sua fé, ao seu exemplo e a todo o bem que ele realizou em sua última reencarnação.
    8 – O que esperar de um país onde professores de história consideram este jogralzinho de letrinhas pescadas graças aos programas editores de textos dos nossos dias como “plágio”?
    9 – Estas materializações foram autênticas, perfeitas, examinadas por tantos duvidadores, e mesmo assim não tiraram proveito do evento favorecedor da compreensão da realidade.
    10 – Temos no Evangelho a parábola de Jesus sobre o banquete nupcial, e sobre a túnica que todos os convidados devem estar trajando para poderem permanecer na festividade do Senhor. O convite é feito para todos, bons e maus, e o momento de decisão é agora, já está acontecendo. Que tipo de convidado somos? Qual é nossa indumentária?
    .
    Adoro você Scur, grande abraço!

  294. Antonio G. - POA Diz:

    Arduin: Sim, eu já verifiquei diversas histórias deste tipo e constatei que eram todas falsas. Estes fatos são simplesmente inventados ou foram totalmente distorcidos, exagerados.
    Obviamante, não conheço este fato específico que você traz, mas, por simples analogia, eu lhe digo que tenho 99,99% de convicção de que, como TODOS os demais, é falso. Não há NENHUM fato destes comprovado. Só relatos de “ouvi dizer”. Eu já lhe disse isso. Mas se você prefere continuar se enganando…

  295. Antonio G. - POA Diz:

    Caio e Biasetto: O meu coestaduano (não me culpem por isso) Roberto Scur é o mais inverossímil crente que eu já encontrei nestes fóruns de discussão! O cara é muuuuuuito “fora da casinha”! O Scur não existe!!! Não é uma pessoa. É um personagem.
    Eu repito – e falo sério – que ninguém pode ser assim tão alucinado. Ele está tirando sarro da cara de todo mundo! Deve dar boas risadas depois que escreve estas frases “lapidares” sobre a fé espírita. Eu não sei se são de sua própria lavra ou se ele usa o ControlC/ControlV, mas o que importa é que são muito engraçadas… rsrsrsrsrs
    .
    Scur, por favor, não nos abandone jamais…

    rsrsrsrs

  296. Biasetto Diz:

    Antonio,
    Se eu não tivesse conhecido o homem, de verdade, el dormiu aqui em casa, eu também iria achar que ele seria só uma miragem, um personagem. Mas ele existe, ele é real.
    E é boa praça, divertido, todo pomposo, todo alinhadinho!
    Mas eu também acho que ele gosta de tirar um sarro, só pode ser isto!
    Aliás, seu Scur: na esquece hein? A próxima vez que estiver aqui, traz logo umas três garrafas de vinho pra mim. Uma é pouco. Quem sabe vou tomar com o Caio e o Márcio.

  297. Vitor Diz:

    Pessoal, vou levar o computador pro conserto, o preju vai ser grande, vou sumir por uns dias!

  298. Roberto Scur Diz:

    Vitor,
    Ação e reação, causa e efeito – bem feito!

  299. Biasetto Diz:

    Vítor,
    A gente ajuda você.
    O Scur, para de ser munheca!
    Ajuda o Vítor aí!
    Você fica se divertindo aqui.
    Manda uns trocado pra ele, que não vai te fazer falta.
    Para de comprar livros espíritas, que você já tem 400.
    Gaste melhor o teu dinheiro!

  300. Roberto Scur Diz:

    Biasetto,
    Boa compilação.
    Das frases que eu disse e não são adaptações tuas eu não gostei de ler a 8. Generalizar é tentar dar mais força ao argumento do que ele realmente têm.
    .
    Não é porque o professor de história Biasetto fez um jogral colorido e tabelado, com o veredito de “plágio” no final, que os outros professores de história do Brasil devam estar no mesmo balaio que ele se enfiou.
    .
    Não têm desesperança para um país por causa do que algum ou alguns professores digam ou ensinem.
    Temos muito o que esperar do Brasil independendo de Vitors sem Visoni, Biasetontórios, MRH charadas, Gazedobacens, CaiosNoArmário ou outros digam neste blog “científico” (inclusive eu, é claro).
    .
    Analisando tuas respostas eu vi os vídeos e não entendi o que eles têm a ver com o que perguntei.
    Que tipo de idealista tu és?
    Qual ideal ou idealista tu admiras ou segue? O Carlin talvez? Ele é “o cara” para ti?
    Tu fez como o Tonigui, fugiu da raia, não respondeu as perguntas, te mixou, ficou sem palavras e teve que usar vídeos de outras pessoas falando para desconversar.
    O Tonigui tá numa fase sem moral. Enquanto ele não responde o que eu perguntei para ele sobre o histórico “espírita” de 30 anos do boneco, está passando por mentiroso.
    Tu está na fase muçum, liso, escapando.

  301. Biasetto Diz:

    Scur,
    Você não entendeu o quê?
    Os vídeos sobre o nosso país mostram o verdadeiro Brasil – e não esta “brincadeira” de mau gosto que o teu mestre dos mestres Chiquinho Bob Esponja Picareta Xavier, começou lá em 1938.
    Os demais vídeos (sugiro que assista aos 8 vídeos), mostram o que as religiões fizeram e fazem pra humanidade: torná-la estúpida!
    Quanto aos professores de história, há alguns melhores do que eu, mas a maioria é bem pior.
    Meu idealismo é simples: um Estado laico, honesto e preocupado com o estudo científico, com a qualidade da educação, centrado em valores éticos, alimentados por uma Constituição democrática e iluminista.
    Este é meu ideal.
    Agora, me responda o teu?
    Responda-me, sem fugir, porque você foge demais:
    1 – Chico Xavier foi médium?
    2 – Os livros de Chico Xavier são psicografias?
    3 – Os livros de Chico Xavier são sábios?
    4 – André Luiz existe?
    5 – Emmanuel existe?
    No momento, só me responda cada uma destas questões.

  302. Roberto Scur Diz:

    Biasetto,
    Com certeza eu comprei vários livros que não valem nada, de autores espirituais infelizes que tentam bagunçar os conceitos com o verniz de mensagens ocas, mas cheias de palavras como amor, ternura, esperança, evangelho, afeto, e muitas outras que são colocadas calculadamente em seus textos visando ludibriar e construir hábeis sofismas.
    O problema é que a melhor forma de combater um ideal superior é se imiscuir em seu meio para espalhar a desordem. O espiritismo está sendo atacado por todos os flancos, seja neste blog, seja através destes médiuns fascinados, seja pelos “espíritas” como tu e o tonigui (repetindo, que nunca foram espíritas mas usam o epípeto para dar autoridade ao que dizem), ou por espíritas como eu que contraria qualquer instrução ou exemplo que tenham sido vinculados pelos bons espíritos e espíritas, sem contar as obras básicas que não fomentam as dissenções, o sarcásmo, a ironia, as referências desairosas e desta forma mais afasta do que atrai.
    Já falei várias vezes aqui que se eu fosse um bom espírita eu simplesmente “não estaria aqui”.
    Tenho que melhorar muito.
    .
    Agora, como sou imperfeito, alguns livros podem me enganar, me confundir ou até me convencer.
    Outros eu descarto de cara pois percebo que não são o que dizem ser.
    Exemplo é o que já li do Robson Pinheiro, têm um livro que não consegui chegar no final de tão fraco, tão ruim, que seria uma psicografia do JK (caminhos do brasil), que é uma lenga-lenga sem fim.
    Outros encontrei na bibliografia da própria FEB, logo no início das minhas leituras espíritas, não fui até a metade, joguei literalmente no lixo, nem lembro o nome.
    Bem, mas eu me acho (eis aí um grande perigo, a presunção) uma pessoa criteriosa para diferenciar o que pode ser entretenimento, o que não merece ser comprado, o que não merece ser lido, e o que edifica, eleva. Pois me peguei hoje de manhã lendo um comentário do grandiloquente Ardwin.
    Eu te acho Ardwin (caso esteja me lendo), um espírita de araque, fracassado em linhas gerais pois vive aqui enquanto poderia estar fazendo coisas muito mais úteis. Tu não é muito diferente de mim, aliás, todos que vêm aqui estão muito nivelados em sua ignorância.
    .
    Bom, mas não é porque estamos aplicando pouco o que o espiritismo ou outras filosofias sadias sugerem é que tudo o que falamos está errado, e o Arduin postou um link de críticas de espíritas sobre livros de médiuns que se dizem também espíritas.
    .
    Lá encontrei críticas a 35 livros, muito aproveitáveis.
    atenção eras críticas aos livros do médium Wanderley S. de Oliveira.
    Tenho alguns livros dele aqui, lidos. Achei-os um tanto excêntricos, mas não liguei muito.
    A crítica que li só fez consolidar minhas impressões e me ajudaram a descartar em definitivo este autor e todos os seus livros.
    .
    Também vi que os livros deste Bacelli são um terror, nunca me agradaram as intervenções que vi dele em alguns programas de TV sobre o Chico Xavier, assim como não dá para querer o filho adotivo do Chico. Estão todos no juízo de valor que dou ao Waldo Vieira, ou, seja, não se aproveita o que dizem e fazem, estão equivocados.
    .
    Não fica brabo se não vejo valor nas tuas análises de plágio, ou nas opiniões do Gazedobacen. Elas não tiveram poder de me convencer de nada contrário ao que eu construi com minha racionalidade, sinto muito.
    .
    Agora, este site aí orientacaoespirita.org vale à pena conferir.
    .
    Valeu Arduin, mas não te acha!

  303. Marcos Arduin Diz:

    “Arduin: Sim, eu já verifiquei diversas histórias deste tipo e constatei que eram todas falsas. Estes fatos são simplesmente inventados ou foram totalmente distorcidos, exagerados.”
    - Ei, seu Antonio G da aeronáutica de Poá, eu não estou a fim de ser enganado não! Se dessas histórias aí houver algumas que sejam contadas em prosa e verso na literatura espírita, eu bem que gostaria de saber delas, exatamente para descer o pau quando alguém me vier falar delas. Conta aí pra nós!
    .
    Quanto ao Scur… Se me acha um espírita fracassado porque NUNCA fui vítima de excesso de credulidade, nem quero imaginar como seria um espírita bem sucedido.

  304. Biasetto Diz:

    Scur,
    Você não respondeu às minhas perguntas.
    Você foge de todas as perguntas, faz sempre isto.
    Mas deixa pra lá vai!
    Ja deu.

  305. Biasetto Diz:

    Scur,
    Vou aproveitar o teu último comentário, vou fazer este, e dar um tempo, porque isto, no momento, já me cansou!
    Que bom que você reconhece, pelo menos isto, que existem “livros espíritas”, que não valem nada, como você mesmo disse aí.
    Eu diria, depois de tudo que aconteceu comigo, nos últimos 18 meses (mais ou menos este o período em que acesso o blog), que livro algum espírita, vale alguma coisa. Estou me referindo aos livros ditos psicografados.
    E, neste conjunto, incluo os do Chico Xavier, reconhecendo, é verdade, que os livros dele (alguns) são mais bem elaborados, mais sofisticados, mas também erram e erram muito.
    A decepção minha com o espiritismo é grande. Até agora, ainda fico um tanto perdido, por ter acreditado por quase duas décadas, na mediunidade dele.
    Você diz que nunca fui espírita. Eu falo pra tu o seguinte:
    Ninguém nasce católico, evangélico, espírita, budista, petista… e o que quer que seja! As pessoas, nós, vamos aprendendo ao longo da vida, vamos fazendo escolhas. Também somos ensinados, muitas vezes, equivocadamente, mas quem nos ensina, incluindo nossos pais, acreditam que estão fazendo o melhor. É o teu caso, por exemplo, que procura ensinar o espiritismo aos teus filhos, e eu entendo, que você acredita estar fazendo o bem a eles, apesar de não concordar com isto.
    Então, no decorrer da vida, quando vamos ficando mais maduros, experientes, mais cultos, acredito, vamos revendo, repensando nossas escolhas, nossas crenças. Você fala do Vítor, de mim, do JCFF, de outros aqui, como se fossem pessoas, previamente preparadas para desqualificar o espiritismo, o Chico ou outras crenças. Eu falo por mim, mas acredito que é o que eles pensam, que não é o caso.
    Ainda que você não aceite a realidade que já foi mostrada aqui, existem diversas, mas diversas provas, evidências, para concluir que os que se dizem médium no Brasil, fazem uso de leituras, manipulação de informações, crenças pessoais, para enganarem os crentes. Se a intenção é boa, não sei se é possível achar isto, não posso afirmar. Não tenho uma conclusão definitiva sobre o que se passava na mente de Chico Xavier. Se ele tinha algum distúrbio, algum problema, se ele realmente acreditava no que dizia. Porém, não tenho dúvida alguma, que uma vez constatado os plágios, e existem plágios, indiscutivelmente, toda a credibilidade que eu depositava nos livros que ele dizia ter psicografado, foi embora.
    Se eu estiver equivocado, espero que alguém, realmente consiga me mostrar. Sendo que terei a humildade de reconhecer meu erro. Entretanto, quanto mais pesquiso, mais descubro que acreditar nos livros psicografados é o mesmo que acreditar nas histórias do folclore brasileiro. Também penso, cada vez mais, que as religiões, ainda que tentem trazer esperança e consolo, mais prejudicam do que ajudam, sendo que muitos religiosos, obviamente que não todos, não merecem meu respeito, porque são extremamente estúpidos e sacanas.
    É isto que eu tinha a dizer, tenho várias coisas a fazer, compromisso profissionais e desafios aqui em casa, então, ficamos por aqui.
    Um abraço a todos!

  306. Roberto Scur Diz:

    Biasetto,
    Cheguei agora e vou ler e responder um à um os teus comentários, quando for o caso. Tu sabe que eu não fujo de nada.
    O primeiro é sobre as 5 perguntas que tu fizestes:
    1 – Sim, Chico Xavier não só foi médium como foi o melhor que eu tive a sorte de ser contemporâneo, e foi além de médium, foi um médium cristão, genuinamente cristão, um ser humano ímpar, não um santo, mas um humilde servo do Senhor, benfeitor dos seus irmãos – Chico Amor Xavier, muito lhe devemos caríssimo e amado irmão.
    2 – São psicografias da melhor qualidade. Os que não apreciam os conceitos morais que trazem esperança e consolo para nossas aflições, estarão se apegando em pingos nos is, em palavras esparsas, em exterioridades, e alegarão toda sorte de vilania em seus livros para não precisarem conviver com o desconforto provocado pelos insistentes chamados à razão, à lucidez, à reforma íntima, à elevação de valores, à luz meridiana que a todos se derrama igualitariamente em suave convite.
    3 – Os livros são mais do que sábios, são elevados e deles se colhem elucidações e estímulos ao progresso e ao conhecimento de si mesmo, à compreensão das aflições e principalmente, à solidariedade que faz a união fraterna tornar-se inquebrantável e seguro roteiro para a paz. Se toda e qualquer frase dita nestes livros precisar um padrão de perfeição inexistente no nosso mundo, que não admitam nenhuma falha, contanto que não comprometa sua elevação moral, então estaríamos pedindo algo que nenhum outro encarnado poderia atender, portanto é admissível que existam falhas mais na forma do que no conteúdo – perfeito só há Deus.
    4 e 5) Até que alguém provasse concludentemente o contrário eles existem para os que admitem a comunicabilidade dos espíritos e a autenticidade dos relatos por eles passados. Para quem não acredita em espíritos ele jamais existiram ou existirão, já as referências às suas existências conforme eles mesmos narraram estarem presentes nos registros históricos conhecidos isto pouca diferença faz, pois em qualquer circunstância, existindo ou não algum registro este não seria aceito pelos seus adversários. Imagine haver um documento com a certidão de nascimento e morte de um médico carioca chamado André Luiz que se ajustasse exatamente ao que narrou o espírito André Luiz – o que diriam? Ora, ora, não faltariam justificativa para permanecerem as negações e o achincalhe dos relatos mediúnicos, a mais básica delas poderia ser, por exemplo, que o Chico Xavier houvera procurado este registro para dar autenticidade à história por ele contada. Isso é tão singelo e óbvio que não sei porque gastam tanto tempo apenas com isso sem atentar para os 99,99% que todo o resto representam. Públio Lêntulus segue a mesma lógica: ele próprio não fez referências à Epístola Lêntulis, e mesmo assim utilizam-na como prova à favor ou contra, sem poderem nem uns nem outros liquidarem a questão pois as divergências são bastas e intermináveis, e assim todos os demais argumentos perdem-se na poeira do tempo. A única referência histórica que existe à respeito da existência de Jesus Cristo é uma breve linha escrita pelo historiador judeu Josefo, mas isto não é aceito como prova de que Ele seja quem sabemos que Ele é. Se muitos vão se apoiar nesta inexistência histórica compatível com seus atos que atravessaram os milênios e antecediam-No em aguardadas profecias quanto à vinda do Messias, o que se há de fazer? Deixar cada um com o que lhe convém.

  307. Roberto Scur Diz:

    Biasetto,
    Lendo os próximos, vi que tu te despediu. Se soubesse teria respondido somente por email.
    Você disse que eu fugi das tuas perguntas, mas não fugi. Respondeste sobre teu idealismo e gostei muito da resposta; é disso que precisamos das pessoas em todos os setores úteis da sociedade, independendo de terem ou não religiões.
    Sobre o teu país ideal, melhor do que o Brasil, ficou sem resposta.
    Acho que vai ser difícil achar país melhor do que o nosso Biasetto, pois apesar dos pesares próprios do atual estágio evolutivo da humanidade terrena, muito melhor não há, e os que poderiam ser considerados de primeiro mundo, modernos, ricos, com maior justiça social, não o seriam nada disso se não fosse o sacrifícios de bilhões de outros irmãos deles ao redor do mundo.
    Não têm como um país ser “o ideal” enquanto este ideal só existir para os que lá vivem, e houver indiferença e exploração de qualquer sorte contra os menos adiantados de outras pátrias. Nenhum país consegue viver sozinho, sem interagir com outros.
    Qualquer país que patrocine guerras fratricidas, vantagens econômicas demasiadas no comércio internacional, práticas financeiras visando lucros exorbitantes em bolsas de valores que lidam com valores fictícios, papéis e apostas qual gigantesco cassino, não será verdadeiramente um país dos sonhos.
    .
    Convenhamos, ninguém sobra no concerto das nações, e prefiro então o Brasil que é uma pátria por demais jovem que já avançou em 500 anos mais do que os demais em milênios.
    .
    Vamos então ao tempo que tu te deu e eu pego de carona, já indo tarde, novamente.

  308. Roberto Scur Diz:

    Arduin,
    Antes de sair cito Kardec, esperando que o meu juízo sobre ti seja mais um dos meus muitos erros de avaliação.
    .
    “Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que emprega para domar suas inclinações más”.

  309. Gazozzo Diz:

    “já avançou em 500 anos mais do que os demais em milênios.” – Scur, se o Brasil, tão jovem, já é um dos países mais corruptos e desiguais do mundo, imagina daqui a mais 500 anos, hein? Falar que o Brasil “avançou” é escarnecer do tanto que fomos vilipendiados por fora e por dentro durante esses 500 e poucos anos de roubalheira, desigualdade e manipulação; O governo federal emprega 90.000 pessoas em cargos de confiança. Nos Estados Unidos, há 9.051. Na Grã-Bretanha, cerca de 300. O Brasil é mesmo um país que vai pra frente! Cada dia mais corrupto e com maior concentração de renda! Veja você, nem na América Latina, cujos países são tão novos quanto o Brasil, este consegue ser líder de desenvolvimento humano. Perdemos pra todo mundo, menos pra Bolívia, Paraguai, Suriname e Guiana…

  310. Marcos Arduin Diz:

    Bem, Scur, aqui neste blog só podemos discutir elucubrações teológicas, literárias, pataquadas mediúnicas, cegueira voluntária, idolatrismo a certas figuras e vai por aí. Não tem jeito de se fazer aqui algum juízo moral dos participantes. Ainda não inventaram o “moralavaliômetro”.

  311. Roberto Scur Diz:

    Arduin
    .
    Perante si mesmo o “moralavaliômetro” é a consciência de cada um.
    Conheço pessoas com perfil semelhante. São os espíritas teóricos, parecidos com os evangélicos que invocam a “palavra” da Bíblia a todo o momento, mas que têm dificuldades de por em prática os ensinamentos.
    .
    Como estes assuntos são desconfortáveis para eles, se focam preferencialmente no Antigo Testamento diminuindo a importância da segunda revelação, a Boa Nova de Jesus que veio substituir o Deus a ser temido pelo Deus que ama e é Pai.
    .
    Desprezar personagens que não estão nos livros de história amarelados e fragmentados pela opinião e interesse de seus autores, mas que foram testamentos insofismáveis, para os que viveram na mesma época que eles, da aplicação do “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo – isto resume toda a lei e os profetas”, é uma incoerência quando vinda de um cristão.
    .
    Você diz que não têm idolatria a Chico Xavier, e se ufana desta postura. Chico Xavier alguma vez pediu que o idolatrassem? Não, eu pelo menos nunca vi isso, pelo contrário, ele foi um servidor abnegado e incansável irmão dos necessitados que o procuravam, no entanto de ti recebe a pecha de mentiroso, ou se não têm coragem de dizê-lo então assina em baixo.
    .
    Se Jesus tivesse vivido no teu tempo eu creio que tu farias parte do rol dos doutos orgulhosos que não reconheceriam a sua superioridade moral, te alinharia com os Seus detratores.
    Para mim é isto que tu fazes: exalta o teu personalismo escolhendo um terreno confortável para transitar a tua “crença” particular e ostentar o teu suposto conhecimento. Quem entendeu um pouco Jesus e os espíritos envolvidos na codificação do espiritismo reconhecerá de imediato o valor de um trabalhador do jaez de Chico Xavier.
    .
    Se tu és realmente cristão deveria saber que existe sim o “MORALAVALIÔMETRO”, e foi deixado por Jesus (aplique-o à Chico Xavier):
    .
    Conhece-se a árvore pelo fruto
    .
    1. A árvore que produz maus frutos não é boa e a árvore que produz bons frutos não é má; – porquanto, cada árvore se conhece pelo seu próprio fruto. Não se colhem figos nos espinheiros, nem cachos de uvas nas sarças. – O homem de bem tira boas coisas do bom tesouro do seu coração e o mau tira-as más do mau tesouro do seu coração; porquanto, a boca fala do de que está cheio o coração. (S. LUCAS, cap. VI, vv. 43 a 45).
    .
    2. Guardai-vos dos falsos profetas que vêm ter convosco cobertos de peles de ovelha e que por dentro são lobos rapaces. – Conhecê-lo-eis pelos seus frutos. Podem colher-se uvas nos espinheiros ou figos nas sarças? – Assim, toda árvore boa produz bons frutos e toda árvore má produz maus frutos. – Uma árvore boa não pode produzir frutos maus e uma árvore má não pode produzir frutos bons. – Toda árvore que não produz bons frutos será cortada e lançada ao fogo. – Conhecê-la-eis, pois, pelos seus frutos. (S.MATEUS, cap. VII, vv. 15 a 20).

    .
    Chico é um ser humano como qualquer um de nós, mas a diferença são os frutos de sua vida, enquanto pessoas como você e eu somos mais polemistas e teóricos do que realmente árvores boas.
    .
    Perguntei ao Biasetto quem seria uma pessoa que ele admirasse o ideal. Ele citou o Carlin, ok, para ele o Chico não presta e o Carlin é o cara, cada um com seus modelos.
    .
    E para ti Arduin, quem tu citarias como alguém que devamos prestar atenção e seguir seus exemplos? Quem produz bons frutos? Existe alguém que mereça um elogio teu ou que esteja acima da tua própria personalidade? Vale qualquer pessoa, de qualquer tempo da história. Tenho a impressão de que para ti Arduin é Deus (será?) no céu e Arduin na Terra.

  312. Biasetto Diz:

    Scur,
    Eu não citei o Carlin como alguém que eu tenha como referência. Acho que ele foi uma pessoa muito inteligente, um grande comediante.
    Quem eu admiro?
    - Hermann Hesse, brilhante escritor, filósofo alemão, que foi capaz de se antecipar ao lixo do nazismo, deixando a Alemanha, por não concordar com os rumos que a nação seguia, ainda em 1923, naturalizando-se suíço.
    - Os iluministas, com destaque para Voltaire e Rousseau, que apresentavam antagonismos, mas foram brilhantes.
    - Os artistas renascentistas, com destaque para da Vinci.
    - Martin Luther King, Gandhi e Betinho – pessoas que lutaram por ideais, sem radicalismos, com coragem e sabedoria.
    - Max Weber, filósofo e jurista alemão, autor de A ética protestante e o espírito do capitalismo, uma obra-prima.
    - Escritores “espiritualistas”: Richard Bach e Antoine de Saint-Exupéry.
    - Carl Sagan, brilhante cientista, pesquisador e crítico fundamentado.
    - Irineu Evangelista de Souza, o barão de Mauá, que nasceu pobre, venceu na raça, se transformando num dos maiores empreendedores do 2º Reinado. Era abolicionista.
    - Machado de Assis, pela obra e história de vida.
    - Shakespeare, brilhante escritor de histórias fáceis, agradáveis, divertidas e críticas.
    Não admiro nenhum político brasileiro, JK pelo espírito inovador e respeito ao poder institucionalizado, merece uma menção.
    .
    Quanto ao Brasil, ser este país que você diz aí, melhor nem comentar.

  313. Biasetto Diz:

    Pessoal,
    Eu estava procurando algo sobre minha cidade no youtube, porque estou fazendo um curso da Secretaria da Educação, achei este vídeo aqui, uma brincadeira, que achei bem bolada.
    Surgiu um problema aqui na cidade, porque na região de um lago, muito frequentada, as capivaras foram reproduzindo… (55 delas foram capturadas e transferidas para um parque ecológico).
    Enfim, se alguém se interessar em conhecer um pouquinho de “minha cidade”:
    http://www.youtube.com/watch?v=wk7OgAzhUtM

  314. Biasetto Diz:

    Este garoto aí, o Rafael, foi meu aluno e é um amigo.
    Este ficando conhecido no Brasil, pelo talento com o violão:
    http://www.youtube.com/watch?v=qRZYaqsXljw

  315. Biasetto Diz:

    Eu disse que ia “dar um tempo”, mas o Scur me “provocou”. Só mas este vídeo, sobre minha cidade:
    http://www.youtube.com/watch?v=Nio13_RWaGM
    .
    Abraços!

  316. Marcos Arduin Diz:

    Scur
    Sim, eu posso citar o Chico Xavier como exemplo de vida abnegada e a serviço do bem e da caridade. Isso eu nunca neguei.
    Já quanto à obra escrita deixada por ele, há coisas boas e impecáveis, mas isso não elimina a existência de obras capengas e questionáveis do ponto de vista da Doutrina Espírita. Isso se deve ao fato de o Chico ter ficado sob domínio da FEB por vários anos até que o próprio Emmanuel perdeu a paciência com as adulterações que a Federação fazia em suas obras para vender o lixo rustenista. Chegou uma época que Chico passou a servir-se de outras editoras e à FEB só restou republicar o que editou para o Chico.
    .
    Quanto à choradeira plagiada do pessoal aqui, a minha posição é de que nada impedia o Chico de eventualmente ter lido certas obras e, consciente disso ou não, ter tirado delas alguma inspiração para as suas obras. Isso é coisa que MUITO ESCRITOR faz e NÃO CARACTERIZA PLÁGIO, uma vez que não se tratava de cópia linha a linha do que outro autor fez.

  317. Biasetto Diz:

    Marcos Arduin,
    Cada qual na sua insana e desenfreada tentativa de negar a verdade – a farsa Chico Xavier -, você e o Scur caminham de mãos dadas.

  318. Antonio G. - POA Diz:

    O Emmanuel perdeu a paciência com o domínio da FEB sobre o Chico… Ah, tá! Tem um duende lá no porão de casa que, às vezes, fica muito enfezado. Ô Arduin… larga isso de mão, meu caro. Não pague um mico destes, homem!
    .
    E você quer que eu lhe dê exemplos destas histórias de bilhetes de espíritos que são falsas? Bem, escolha qualquer uma. São todas falsas.
    .
    Arduin, você que é um biólogo, conhece melhor do que eu o conceito de morte de um organismo. A morte é o fim da existência animal ou vegetal. Mortos estão… mortos. Mortos não respiram, não andam, não falam, não pensam e não escrevem bilhetes. Muito menos ditam livros. A única coisa que mortos trazem aos vivos são suas lembranças. Mas não é contra a lei acreditar que mortos comunicam-se com os vivos. Proibido, não é. Mas é bem absurdo, não acha?

  319. Antonio G. - POA Diz:

    O Scur diz que eu nunca fui espírita. Bem, seria até mais confortável para mim dizer que realmente nunca. Assim, não precisaria admitir que estive me iludindo por tanto tempo. Mas é que eu tenho uma mania chata de ser honesto. E o fato é que eu fui espírita por muitos anos. Ou, pelo menos, eu “estive” espírita por muitos anos. Porque para “ser” alguma coisa, é preciso haver 100% de convicção. Então, posso dizer que estive 99,99% espírita. E que hoje estou 99,99% ateu.

  320. Caio Diz:

    Antonio, quase caí da cadeira também quando li que o Emmanuel perdeu a paciência…

  321. Roberto Scur Diz:

    Tonigui,
    Não embroma se tu têm esta tal mania chata de ser honesto. Diga o nome do(s) centro(s) aí de POA que eu vou lá investigar o tipo de 99,99% de espírita que tu era por todos estes anos.
    Ademais, estas convicções que tu apresenta em números são uma demostração de fragilidade amigo, pois és mais volúvel que mulher com TPM, não sabe o que quer, se deixa levar e podemos dizer que hoje tu está ateu, amanhã estará outra coisa qualquer.
    Corpos mortos realmente não podem fazer nada, mas quem utilizou o corpo prossegue, mister matéria.
    Falar contigo por ora é perda de tempo, mas eu gostaria muito de te desvelar aqui já que tu não o faz, ó grande ex-espírita por 30 anos. Diz o nome do centro que vou atrás.

  322. Caio Diz:

    HAHAHAHAHAHA… Scur, você, que é um empresário, não tem mais o que fazer? Jura mesmo que se o Antonio lhe passar os nomes dos centros, você vai mesmo investigar se ele realmente ia às reuniões, como se portava, etc.?

  323. Roberto Scur Diz:

    Caio,
    Justamente por eu viajar com frequencia para atender os clientes, inclusive em POA, é que posso visitar o(s) centro(s) que ele diz que frequentava.
    Este assunto é simples de elucidar, muito simples, pois um espírita que tenha frequentado 30 anos uma casa espírita será lembrado por todos, e não vou precisar gastar muito tempo para checar isso.
    Agora, esta graça que tu acha é porque? Não é tu que está sob suspeita de inventar historinha para enganar trouxa? Quando eu pegar alguma tua pode ter certeza que vou estar por aí em São Paulo para fazer o mesmo (a propósito, estou indo amanhã de manhão para aí), portanto, não te bobeia!

  324. Caio Diz:

    Scur, a “graça” é porque acho esse tipo de coisa de uma infantilidade tremenda. Estranho ver um cara da sua idade fazendo isso. De qualquer forma, não é da minha conta. Boa sorte na sua brincadeirinha de detetive.
    .
    Você me perguntou se estou “sob suspeita de inventar historinha para enganar trouxa”. Bem, te respondo: não que eu saiba. Sou muito pé no chão. Odeio inventar estórias e acreditar em estórias que os outros inventam, justamente por isso não sou religioso. Bom dia, Bagual.

  325. Roberto Scur Diz:

    Aliás, esta atitude de se esconder na web com estes nomes códigos é típico de quem teme pelo que fala, faz, ou diz que faz.
    É a covardia moderna.
    Galo é o Zetontório que mandou ver e pôs nome, sobrenome, e se bobear até o endereço ele passa, porque quem não deve não teme, e quem age com bons propósito não têm do que se envergonhar e paga o preço por suas opiniões.
    O problema do Zeto é só um: medo do umbral, mas é uma pessoa verdadeira, autêntica, já não é o que eu vi dos que eu instei a revelar um pouco mais de si mesmos.
    Vê o Jubarembório lá de Maringá? Latia feito pit-bul no blog, cheio de seremeleque, e este processo prá cá, este processo prá lá, e variáveis controladas prá cá, prá lá, e é isso e é aquilo, e quando programei um encontro com ele em Maringá ele não apareceu, e depois veio com um papo de não querer ouvir o que não quer, não querer falar com pastor que tenta convencer ele, etc.
    .
    O pit-bul virou miau.
    Outro foi aqui de Poa, professor que me desafiou a fazer uma palestra para alunos universitário, topei e esperei a data (isto que não dou palestra, nem é minha praia), e o fortão em suas convicções não deu mais retorno (talvez tenha tido um problema de saúde e posso entender sua situação).
    O Tonigui está na mesma linha, por enquanto. Espero que ele me faça morder a língua.

  326. Roberto Scur Diz:

    Caio,
    Infantilidade é mentir para passar bem, e dizer que vai abraçar alguém pelas costas, é não assumir o que fala e ficar escondido atrás do toco (nicks).

  327. Antonio G. - POA Diz:

    O Scur quer “elucidar” se eu frequentei ou não casas espíritas… Quer saber os nomes das casas para ir até elas inquirir a meu respeito! Que bobagem! Desista desta conversa de maluco, cara! Não tenho porque lhe dizer isto. Eu não estou sob investigação nem análise. O que se analisa e discute aqui, à luz de pesquisas feitas por quem tem disposição e talento para tanto, são as supostas psicografias e assuntos correlatos. Pouco me importa se você acredita ou não que eu “estive” espírita por vários anos. Acredite no que você quiser. Aliás, você acredita em cada coisa…

  328. Caio Diz:

    Scur, o lance de abraçar pelas costas foi apenas uma brincadeira. Não sabia que você levava tudo tão a sério. Eu não havia dito que era uma brincadeira porque é EVIDENTE que se tratava de uma brincadeira. Mas já que tem de ser tudo bem explicadinho, lá vai: era brincadeira. Desculpa, machão. Não brinco mais com você, machão.
    .
    Quanto ao fato das pessoas supostamente se esconderem de você, de não quererem debater ao vivo, você já parou para pensar que elas podem não querer te encontrar pessoalmente simplesmente porque zelam pela integridade física delas mesmas? Duvido que alguém desse blog algum dia “temeu” discutir com você por falta de argumentos. Duvido mesmo. Não me parece nenhum pouco difícil rebater os argumentos de alguém que transcreve trechos da bíblia ou dos livros do Chico Xavier. No entanto, devido à excessiva agressividade sempre presente em você, é natural que as pessoas evitem te ver pessoalmente. Você é uma espécie de homem-bomba espírita. Eu mesmo teria receio. Entendeu, Bagual?

  329. Roberto Scur Diz:

    Tonigui,
    Certo, era exatamente este o comportamento que eu imaginava que tu terias, baseado no que tu escreveu aqui. Sem surpresas, já vi este filme antes. Na hora do vamos ver nem todos os gatos são pardos.

  330. Caio Diz:

    A prova de que não tenho nenhum problema em conversar com alguém deste ou de qualquer outro blog pessoalmente é que já tive a oportunidade de conhecer o Biasetto. Apesar de não concordarmos em tudo, ele me pareceu ser uma pessoa educada, disposta a conversar normalmente, e por isso não tive o menor receio. Eu aceitaria conversar pessoalmente com quase qualquer outro participante deste blog, seja o Antonio, o Gasoso, o Juliano, o Gilberto, o Arduin, o próprio Vitor, qualquer um. Mas não com você, porque temo pela minha integridade física, o que é bem diferente de “não ter argumentos”, ou de não “ter coragem”, etc.

  331. Caio Diz:

    “Certo, era exatamente este o comportamento que eu imaginava que tu terias, baseado no que tu escreveu aqui. Sem surpresas, já vi este filme antes. Na hora do vamos ver nem todos os gatos são pardos”.
    .
    Scur, de onde você tirou que as pessoas devem lhe dar satisfações? Na época do Paulo, você chegou a pedir o CPF do cara… É muito pra minha cabeça. Você deve estar de brincadeira, só pode ser isso.

  332. Roberto Scur Diz:

    Caio,
    É compreensível. Tá cheio de espírita agredindo as pessoas por aí, botando-as em risco, acontece o tempo todo, têm que se cuidar né.
    Quem me conheceu pessoalmente poderia falar sobre essa terrível possibilidade: o Biasetto, o Marcelo Amari (Maringá) e o Eduardo Gusmão (Bahia), todos neste ano.

  333. Roberto Scur Diz:

    Caio,
    É muito fácil se esconder atrás de um nick e sair dizendo que é ex-espírita (para ter alguma autoridade), que conhece tudo do espiritismo e descobriu que todos os médiuns são falsos ou fraudulentos, e outras afirmações muito sérias como fez o tonigui, muito fácil.
    Quando alguém quer verificar a história para não ficar neste disse-me-disse tão próprio deste blog, aí é ameaçador, não têm cabimento, é muito para a cabeça, etc.
    Para mim é muito para minha cabeça alguém se dizer espírita por 30 anos e dizer estas coisas. O que ficou fazendo lá tanto tempo? Como pode não perceber a “fraude” logo no início e sair dali? Que feitiço é este que tirou a razão deste sujeito a ponto de deixá-lo mergulhado nesta hipnose enganadora?
    Uma coisa é tu falar o que tu pensa Caio, pois tu não têm muito a oferecer além da opinião de alguém que nunca estudou o assunto, não trabalhou, não frequentou palestras, não analisou o comportamento de variado número de pessoas, e se contenta com o que encontra em blogs céticos ou combatentes da Doutrina Espírita. Tu têm este direito de falar o que quer, mas estes que se dizem ex-espíritas devem bancar o que dizem caso alguém queira checar a veracidade da história.
    Veja bem, estas acusações são graves, e se o centro em que ele frequentou era um amontoado de fraudadores é importantíssimo que isto venha à tona pois ninguém deve ser enganado. Eu acho abominável ser enganado, confiar que alguém está dizendo a verdade, está sendo sincero, criterioso e bem intencionado, e depois descobrir que era um mentiroso que queria te iludir. Isso é muito chocante, muito triste para mim.
    .
    Então vou lá ver estes médins de araque que ele conheceu com meus próprios olhos, vou usar meu senso crítico e posso vir aqui, depois de avaliar um pouco o pessoal, e dizer: é mesmo Antônio, você têm razões de sobra de ter ficado desiludido, embora seja espantoso que tenha demorado 3 décadas para perceber o engodo, ou, por outro lado, posso vir aqui e dizer outras coisas, e acho que são estas outras coisas que o Antônio não quer sejam conhecidas.
    .
    Não é assim que vocês agem em relação aos médiuns? Querem pô-los num laboratório para provar, por A + B que não estão fraudando. Ora, isso já aconteceu n vezes, e sempre há um porém, nunca é suficiente as provas que se dão, ou seja, não querem acreditar, e nesta hora pegam o testemunho de “ex-espíritas” como o Biasetto, o Antônio, e usam como confirmação.
    .
    Porque não aplicarmos mais “variáveis controladas” averiguando a vida de quem diz coisas sérias? É o que quero fazer. Quem não deve, não teme, sempre será assim.
    .
    Quer averiguar a minha vida, se o que eu digo é real? Fique à vontade, não minto, não temo, e ajudo inclusive a me desvendarem (aliás, sou um livro aberto, falo até demais sobre meus problemas, minhas experiências).

  334. Antonio G. - POA Diz:

    Scur, se você já sabia exatamente qual o comportamento que eu teria, se “já viu este filme antes”, inclusive “baseado no que eu escrevi”, porque fica perguntando o que sabe que eu não irei responder? Pergunte-me sobre o tema proposto no blog que eu lhe dou a minha opinião (é o que tenho feito). Mas não conte comigo para fazer fofoca na porta de casa espírita.

  335. Roberto Scur Diz:

    Antônio,
    Pergunto para que a tua resposta seja escrita por ti mesmo. Quem porventura lê poderá ver que a versão que tu dás de ser um ex-espírita não é passível de avaliação, portanto, é preciso ter “fé” de que tu esteja dizendo a verdade ou mesmo saiba o que esta dizendo.
    A mesma fé que você condena nos outros serve para te dar credilidade, e isto é por demais contraditório.
    Se eu digo que meu braço foi dominado por uma força inteligente diferente da minha própria, tu vai dizer que eu sou “tecnicamente mentiroso”.
    Se tu diz que é ex-espírita e não permite consulte-se este teu passado, têm-se que acreditar e ponto final.
    O peso da tua opinião fica mais explícita desta forma.
    Obrigado pela resposta.

  336. Antonio G. - POA Diz:

    Scur, mais uma vez, você se engana. Eu não estou aqui para provar nada com respeito às fraudes mediúnicas. Não me empenho neste sentido. Não tenho disposição nem talento para fazer as pesquisas que o Vitor e o Biasetto, entre muitos outros, fazem. Aliás, eu admiro e respeito muito este esforço. Mas cada pesquisa que, por exemplo, o Vitor publica, apenas reitera o que eu já considero mais do que pacífico. Meu ceticismo já é da ordem de 99,99%, como eu tenho dito.
    É mais ou menos assim: Depois que eu descobri que o Papai Noel não é verdadeiro, eu não preciso mais investigar cada Papai Noel que eu encontro nas ruas, praças e shopping centers. Eu “já sei” que Papai Noel não existe e que TODOS os que eu encontrar serão apenas alguém fantasiado de “bom velhinho”.
    Por analogia, depois que eu concluí que as psicografias são falsas, não me interesso em investigar cada nova psicografia. De antemão, concluo que qualquer nova psicografia também será falsa. E isto será assim até o dia em que aparecer uma (uma só me bastará) evidência de que existem espíritos, ou que exista alguma pessoa (uma única me bastará) capaz de comunicar-se com espíritos, ou que psicografia existe. Se aparecer esta evidência, eu, obviamente, mordo minha língua e mudo de posição. Até lá, para mim, todos os médiuns são farsantes ou alucinados, todas as psicografias são fraudes ou fruto do delírio e espíritos só existem na cabeça de quem quer acreditar neles.

  337. Antonio G. - POA Diz:

    Desculpem-me pela pela crueza. Mas não há como ter um meio-termo: Se eu parto do princípio de que espíritos não existem, as pessoa que dizem que são capazes de comunicar-se com eles, bem como suas obras, são o quê?

  338. Eduardo Diz:

    Caio,
    -
    Vc não me conhece, mas o Biaseto e o Roberto me conhecem um pouco mais por e-mail. Sei que sou fechado e não me exponho muito. É o meu estilo cismado do interior da Bahia. Também eu hoje vivo lidando com algumas coisas que demoraram a vir em minha vida, logo o tempo se torna um bem precioso pra mim. Cada um com seu processo de vida.
    -
    Tenho lido pouquíssimo o blog e entro quando o Biaseto “manda”…rs. Isso me exclui de participar dos debates. Entrei agora como passatempo no horário de almoço. Só vi o Roberto escrevendo meu nome e fui ver o que era. Aí me deparei com seu receio em ter uma conversa cara a cara com ele.
    -
    Eu conheci pessoalmente o Roberto em Gramado, no serra gaúcha, com uma temperatura beirando ou batendo o zero grau. Tomamos um café colonial de excelente qualidade sugerido pelo grande espírita Roberto Scur. Digo isso pq, mesmo os que não crêem na Doutrina percebem que o Roberto tem um conhecimento bem aprofundado dos princípios da mesma. Eu não sou assim. Sou muito mais verde sobre o assunto do que o Roberto. Espero resolver algumas coisas que já eram para estar ajustadas e voltar a estudar essas questões.
    -
    Tive o prazer de conhecer a esposa do Roberto e seus cinco filhos, em especial o Renato que eu e minha “senhora” sempre lembramos. Pense num pimpolho simpático e esperto.
    -
    Pode ter certeza que o Roberto é um cara tranquilo, calmo e que tem uma família muito bem criada. Ele tem suas convicções e mantém uma fé espírita que me chamaram a atenção. Se ele concorda ou não com pensamentos e atitudes, suas, minhas, do Biaseto, Vitor e outros, isso é outra questão. Pode ter certeza que vc vai sorrir muito ao conversar e lidar com o Roberto. Não pense que ele vai te espancar. O gaúcho é da paz e vai te mostrar uma firmeza no pensamento espírita que, mesmo que vc não concorde com os preceitos desta, servirá como modelo do que é um verdadeiro espírita.

  339. Antonio G. - POA Diz:

    comunicarem-se, e não como constou.

  340. Antonio G. - POA Diz:

    Este testemunho do Eduardo é coisa de gente de “bom caráter”. Que bom que o Scur seja assim. Um sujeito família.
    Mas, reitero meu pedido, deixem as crianças de fora…

  341. Caio Diz:

    Scur, você parece colocar qualquer tipo de acontecimento em um mesmo patamar de probabilidade e eu não acho que seja assim que funcione. Concordo com você quando você diz que o Antonio pode estar mentindo quando diz que foi espírita por 30 anos. Na realidade, eu acredito que ele esteja dizendo a verdade, mas é claro que não posso afirmar isso com certeza absoluta, portanto existe uma (remota, na minha opinião!) chance de ele estar mentindo. Também não acho que seja uma mentira descarada o que aconteceu com o seu braço. Você pode, de fato, ter sentido alguma sensação diferente, o que não prova de forma alguma que espíritos existem, simplesmente porque essa é uma afirmação extraordinária demais para ser provada de um modo tão simplório. Temos, então, dois acontecimentos: (1) a alegação do Antonio de que foi espírita por 3 décadas e (2) a sua alegação de que seu braço se moveu aparentemente sozinho. É verdade que em ambos os casos não temos evidências concretas para concluir a favor de alguém. Contudo, eu nunca vi um espírito, nunca vi um médium de verdade, que trabalhe perfeitamente em situações controladas e cujos resultados possam ser replicados, nunca vi alguém de fato ter seu braço movido por forças do Além. Mas já vi, mais de uma vez durante meu ¼ de século de vida, pessoas que passaram décadas em uma religião e que, por diversos motivos, abandonaram seus sistemas de crença e tornaram-se céticas. Vocês dois podem estar mentindo, assim como os dois podem estar falando a verdade. Mas as probabilidades nas duas situações são muito diferentes.

  342. Caio Diz:

    Eduardo, o próprio Biasetto me disse que pessoalmente o Scur é diferente, e eu espero mesmo que seja assim. Eu apenas não sei qual é o motivo que o leva a mudar tanto de postura quando a conversa é on-line. Abraço.

  343. Roberto Scur Diz:

    Eduardo,
    Foi muito agradável tê-los conhecido aqui em Gramado.
    Tive que cancelar a viagem da família para a Bahia em setembro, na última hora.
    Quando eu for aí te peço algumas dicas, mas não tenho previsão.
    Cordiais saudações e obrigado por ter amenizado um pouco o meu aspecto de espantalho para o pessoal daqui.
    Eles pensam que eu sou um Jason ou um Fred Cruger, que vão chegar perto de mim e o pior acontecerá.
    Um abraço baiano, não vai cansar muito aí.

  344. Roberto Scur Diz:

    Caio,
    Não muda a postura, falo o que escrevo, só que é inevitável estar sorrindo quando se fala destes assuntos ao vivo, aliás, quantas e quantas vezes estou rindo aqui enquanto escrevo. A incredulidade de vocês é cheia de graça, pode acreditar.

  345. Caio Diz:

    E sua credulidade beira o bizarro. Abraços fraternos.

  346. Antonio G. - POA Diz:

    Certo, jovem Caio (tenho o dobro de sua idade). Realmente, é possível que eu estivesse mentindo sobre os meus 30 anos de fé espírita. Mas esta hipótese, se provada, seria a minha única mentira, já que eu não fiz mais do que emitir minhas opiniões. Não citei nenhum fato específico que tenha ocorrido comigo ou que eu tenha presenciado. Já fui instado a isso, mas preferi não entrar em detalhes, porque não vejo razão para tal. Prefiro a discussão mais no campo das opiniões e convicções. Não tenho a pretensão de provar nada, então não ofereço nem exijo detalhes nem comprovações sobre as opiniões que as pessoas expressam.
    E, por tudo isso, não tenho porque mentir sobre meu passado espírita. Passado do qual não me orgulho e tampouco renego. É simplesmente o meu passado.

  347. Roberto Scur Diz:

    Eduardo,
    Aliás, esta jocosidade interestadual de baiano cansado e gaúcho macho é anedota vencida. Retiro o que disse.
    Tu deve ter deixado de escrever por aqui não porque seja baiano e esteja cansado de tanto tomar água de coco na praia, mas porque é baiano à la mineira – fica quieto no teu canto.

  348. Antonio G. - POA Diz:

    E também ja disse que não acho que o Scur esteja mentindo. Ele acredita no que diz. O que não impede que, na minha opinião, ele esteja equivocado.

  349. Roberto Scur Diz:

    Antônio,
    Então vivente! Tu, com 6 anos a mais do que eu, poderia tomar um café com este espantalho que vos fala, não precisamos ir no teu ex-centro espírita.
    Conheci o pessoal lá da Bahia, prá lá de Salvador, e não conversei pessoalmente com ninguém do RS.
    Não te mixa aí, passa o email que quando eu for para a região te aviso.
    Até!

  350. Biasetto Diz:

    Meu Deus!
    Eu disse que iria dar um tempo, mas sempre que eu for citado, vou responder.
    Primeiramente, registro aqui, que aceito debater com qualquer um, em qualquer lugar, pode ser em Universidade, centro espírita, escola, onde for. Também não temo ninguém. Pode ser cara da onde for, da FEB, de qualquer centro, de qualquer liderança,escritor, médium…
    Aliás, nem digo debater. Aceito que o sujeito que afirma que Chico Xavier foi médium, apresente todos os seus argumentos. Aí, eu apresento os meus, afirmando que ele não psicografou coisa alguma. E deixamos para que as pessoas escolham. Topo na hora! Só que não tenho grana, se for viável, eu vou. Se tiver que gastar, não dá.
    .
    Para o Arduin:
    .
    Caro professor: ao longo da história recente, surgiram duas correntes de pensamentos, a respeito do senhor Chico Xavier.
    Uma, que foi lembrada pelo Juliano, citando coisas que aparecem na net, afirmando que Chico Xavier é coisa do demônio, algo assim… E, para querer desqualificá-lo, apresenta afirmações de que ele era mulherengo, bebia, participava de festas… Nem merece mais comentários isto aí, porque fica lógico que se trata de gente estúpida e doente, pra falar merdas deste tipo.
    .
    A segunda, liderada pelos espíritas, mas também aceita por uma turma “espiritualista”, que diz que o senhor Chico Xavier foi um santo, um homem incomparável, médium autêntico, o melhor do mundo, que trouxe revelações inéditas sobre o plano espiritual, através da psicografia.
    .
    Pois eu afirmo, baseado em estudos e pesquisas concretas, documentadas, que as duas correntes estão enganadas.
    .
    O senhor Chico Xavier foi um pessoa que nasceu simples, se deparou com um mundo de dor e sofrimento, tinha diversos sonhos, desejos, dentre os quais, ser um escritor famoso, um “bom moço”, um ícone religioso, preocupado em consolar as pessoas.
    Descobriu o espiritismo, fez leituras, foi incentivado e achou que poderia se fingir de médium.
    Passou a vida fazendo isto.
    Para escrever os livros “ditados por André Luiz”, fez uso das seguintes referências bibliográficas:
    - de A Vida Além do Véu, do reverendo George Vale Owen, extraiu os fundamentos de Nosso Lar, Obreiros da Vida Eterna e Libertação. Também fazendo uso das informações, em 2º plano, para escrever Missionários da Luz, Os Mensageiros, No Mundo Maior, Ação e Reação…
    - de No Invisível, do escritor espírita Leon Denis, extraiu os fundamentos para escrever Nos Domínios da Mediunidade.
    - de O Átomo, do escritor Fritz Kahn, extraiu os fundamentos para escrever Mecanismos da Mediunidade.
    - de Evolução Anímica, do espírita Gabriel Delanne, extraiu os fundamentos, juntamento com o Waldo Vieira, para escrever Evolução em Dois Mundos (o Vítor sempre quis saber de onde tinha vindo este livro).
    - de Vida de Jesus (Ernest Renan) e Herculanum (Vera Ivanovna Kryzhanovskaia), extraiu os fundamentos para escrever Há Dois Mil Anos e outras obras da Roma Antiga.
    - de Os Grandes Iniciados (Edouard Shuré), extraiu os fundamentos para escrever A Caminho da Luz. Esta obra também apresenta passagens de A Vida Além do Véu (Owen) e Os Iniciados (Leon Denis).
    - também fez estudos e colagens de outros autores, como Cairbar Shutel (o número da besta, por exemplo), Dante Alighieri (foi desta obra que ele criou o personagem Clarêncio, de Nosso Lar), a moça que traduziu a história do peixinho… e assim vai…
    - fez colagens de poetas, copiou poemas, de autores nacionais e internacionais (“O Corvo”, se lembram?).
    - fez leituras de livros de História Geral e História do Brasil, algo fácil de se encontrar, mesmo no início do século XX.
    .
    Obviamente, também contribuiu para a elaboração dos livros, com ideias próprias, criatividade para criar histórias, personagens…
    .
    - para dar mais credibilidade à sua mediunidade, “recebeu” mensagens do além, sempre com o mesmo padrão, o mesmo estilo. A maioria destas mensagens não dizem nada de nada, são simples e tolas. Algumas, mais “fantásticas”, foram resultado direto, da coleta de dados, previamente realizadas, como bem afirma o próprio Waldo Vieira.
    - também fez uso de manobras com perfumes, pétalas de rosa e as tais “materializações”, que lhe trouxeram grandes problemas, motivo que o levou a abandonar a ideia.
    Vale lembrar, que também leu inúmeras biografias de santos, o que é atestado pelo Waldo, sem a menor cerimônia, até porque queria ser lembrado como um santo.
    Esta é a verdadeira história (ou uma parte dela) do senhor Chico Xavier.
    .
    TUDO o que eu afirmei acima, tenho material suficiente para demonstrar. Aliás, quem quiser conferir os livros que citei, tais como: No Invisível (Leon Denis), Os Grandes Iniciados (Shuré) e Evolução Anímica (Delanne) é só baixar na internet. Não precisa nem ler. Só vejam, ainda que superficialmente. Vejam, por exemplo, todas aquelas informações “fantásticas” de Evolução em Dois Mundos, conferindo em seguida, as informações que constam no livro do Delanne (Evolução Anímica). Abram estes livros, só vejam, uma olhadinha só!
    .
    Eu pergunto ao Arduin e ao Scur:
    - se Leon Denis e Gabriel Delanne escreveram boas obras, falando praticamente tudo o que o Chico disse, sem mediunidade, por que o Chico, com todo este material à disposição, um pouquinho de imaginação e bastante disciplina, não seria capaz de escrever os livros que escreveu??? Respondam-me, por favor!
    - com todas estas evidências de fraudes, plágios, adaptações, declarações de pessoas como o Waldo Vieira, o motorista que falou dos perfumes, os trabalhos de pesquisa do JCFF, do Montalvão, por que vocês continuam afirmando e afirmando e afirmando que Chico Xavier foi médium??? Por que não ver o simples, o elementar, indicando que ele escreveu os próprios livros, fazendo pesquisas??? Por quê???
    - qual o motivo concreto, a prova concreta, que mostre a mediunidade dele??? Qual???
    .
    Também esqueci de dizer que tem o livro de Marte, plagiado do Flamarion… tem…
    Pra bom entendedor, meia palavra basta!
    O pior sego é aquele que não quer ver!
    .
    Scur,
    Você é um malcriado, gozador e criador de casos. O Juliano já não deu os motivos dele, até te pediu desculpas, por não ter te esperado lá em Maringá? Por que você, deselegantemente, volta no assunto e vai provocar o amigo?
    Você quer saber se o Antonio G. foi ou não foi frequentador de centro espírita. Oras, que isto tem a ver com a nossa discussão? Com o que está sendo abrodado aqui?
    Você insiste em dizer que tenho medo do umbral. Não tenho medo algum, porque não posso acreditar num Deus estúpido que iria permitir que um sujeito, um médico, boa pessoa, morto por um traumático câncer de estômago, ficasse O-I-T-O A-N-O-S sendo punido num verdadeiro inferno, correndo feito um idiota pra lá e pra cá, sendo xingado e humilhado todos os dias, só porque o cara foi arrogante e boêmio. Faça-me um favor, isto é coisa de gente doente.

  351. Roberto Scur Diz:

    O Biasetto tá uma fera!

  352. Roberto Scur Diz:

    Pô Biasetto,
    Se tiver mais 1 ou 2 que discordarem das tuas análises de plágio tu vais ter um troço homem! Te acalma aí tchê!
    Vamos combinar de conversar naquela praça aí de Bragança, tomar um ar, ver a beleza da natureza, dar umas risadas e vai ficar tudo bem, tudo vai dar certo.
    Espero que o Juliano não fique chateado se me referi a sua ausência lá em Maringá. Vou retornar lá em novembro e me desculpo das cutucadas nele.

  353. Roberto Scur Diz:

    Ué, vocês me chamam de maluco, fanático, tecnicamente mentiroso, perigoso, violento, o gazedobacen me chamou de várias outras coisas também (tipo covarde, veado, mulherzinha…), bolsonaro do espiritismo, homem bomba do espiritismo, …
    Foi tão forte assim eu fazer alusão a pit-bul que passa a miar? Talvez sim, vou lavar a boca com sabão, me desculpe.

  354. Antonio G. - POA Diz:

    Qualquer dia, destes, Scur. Qualquer dia…

  355. Caio Diz:

    Antonio, pessoalmente, acho que você esteja dizendo a verdade, afinal de contas você não teria nenhum motivo pra dizer que passou mais da metade da sua vida acreditando em algo pelo qual hoje você não nutre a mínima simpatia. Apenas tentei expor que, de alguma forma, como quase ninguém desse blog se conhece pessoalmente, não podemos ter certeza absoluta sobre as características, as histórias e os fatos que cada um apresenta. Mas, mesmo assim, não seria prudente (como parece querer o Scur) medir tudo com a mesma régua, porque é evidente que cada fato, por sua própria natureza, tem mais ou menos probabilidade de ser verdade. É isso aí.

  356. Caio Diz:

    Corrigindo: acho que você ESTÁ*

  357. Antonio G. - POA Diz:

    Certo, Caio. É isso mesmo.

  358. Biasetto Diz:

    Fala Duzão!
    Entrou aqui pra defender este gaúcho xaropão! kkk!
    Olha,
    Se tem uma coisa que posso afirmar, é que quem “conhece” o Scur pelo blog, não faz ideia do figura que ele é, pessoalmente. Mas enche o saco, às vezes. Vocês acreditam que eu tive uma folguinha aqui, e fui tirar uma soneca, e o cara me liga, me tira de um sonho, em que eu estava rodeado de garotas da met-art!
    É bincadeira né?
    Mas tudo bem. Se alguém tiver a oportunidade de conhecer o Scur, não tenha receio algum, porque ele é, inclusive divertido.
    Agora, o Scur, vê se pensa também, nas coisas que você diz, porque você adora provocar e arranjar “brigas”.
    Eu não critico as pessoas que ficam com receio de te conhecer, usando como referência o blog, porque você passa, em certas circunstâncias, uma imagem aqui, de um tremendo tontão, pregador, chato, arcaico.
    Mas você tem umas coisas muito legais, o que me faz manter a amizade contigo, com certeza. E pra manter isto, pra valer, não te esquece dos meus vinhos. Estou aguardando.
    Eduardo, baiano esperto, sábio…
    Um grande abraço!
    Scur, fale e pense o que quiser, mas que o Chico plagiou, ele plagiou.

  359. Antonio G. - POA Diz:

    Biasetto, lembrei do Galileo Galilei: “Eppur si muove…” rsrsrsrs

  360. Roberto Scur Diz:

    Biasetto,
    Estou esperando o país que tu acha que é o paraíso em comparação com o nosso Brasil.
    Reclamos da distribuição da riqueza aqui, citou número. Vou colocar números globais de 2010 e deste ano.
    .
    Ano passado, 1% da população mundial detinha 35% de toda as riquezas do planeta.
    Neste ano, este mesmo 1%, depois das crises no 1º mundo que está quebrando, aumentou sua participação para 39%.
    Qual é o teu país modelo?
    .
    Ano passado, 10% tinha 85% da riqueza.
    Este ano, não sei se cresceu.
    Brasil, ame-o ou deixe-o. Se estamos com problemas, faça a sua parte.

  361. Biasetto Diz:

    Scur,
    Não existe um país-modelo. Existem vários países, que alcançaram um elevado índice de desenvolvimento humano, com boa qualidade de vida pra grande maioria da população. Estes países se localizam, em sua maioria, na Europa Ocidental, o Canadá e os EUA na América (prefiro o Canadá), o Japão, a Coréia do Sul, a Austrália, a Nova Zelândia.
    O Chile melhorou muito nas últimas décadas, Costa Rica e Panamá se destacam na América Central.
    Há países da Europa Oriental, que já conseguiram se equilibrar na transição socialismo-capitalismo, com um nível de vida, atualmente, bem interessante.
    Em contrapartida, os países da África, do sudeste asiático os demais países da América Latina, excetuando-se os que citei, e incluindo o Brasil, apresentam, ainda que de forma diferenciada, sérios problemas socioeconômicos, baixos níveis de educação, altíssimos índices de criminalidade, corrupção generalizada, instituções frágeis, duvidosas.
    Curiosamente, num contexto geral, são países muito religiosos, algo bem diferente, ao que se verifica, por exemplo, na Europa.
    Brasil, Rússia, Índia e China compõem o BRIC, países emergentes, que se destacam em alguns setores, que estão se projetando como economias fortes, destaques mundiais, mas estão muito distantes de serem nações-exemplo.
    A Rússia, ainda sente enormes dificuldades pra lidar com o espólio do sonho socialista, que transformou o país numa ditadura vermelha, burocratizada e contraditória.
    Tem elevados níveis tecnológicos em muitos setores, mas questões complexas, envolvendo, por exemplo, o alto custo relacionado aos armamentos que foram produzidos durante a Guerra-Fria. Parte destes armamentos, como submarinos nucleares, por exemplo, se transformaram em um “enorme elefante branco”. Tem a questão da Chechênia, e o desafio natural de se construir, de fato, uma economia de mercado no país.
    A China aparece como a economia que mais cresce no mundo, há mais de duas décadas. Tem um PIB que não para de surpreender, mas é um país com enormes problemas a serem resolvidos: mais de 60% da população (1,3 bilhão de pessoas) mora no campo. Politicamente, o país continua fechado: é uma ditadura.
    A Índia, é um país com 1,1 bilhão de habitantes, e caminha pra ser o país mais populoso do planeta, pois tem taxas de crescimento demográfico elevadas. Exporta cientistas, na atualidade, tem alguns locais de pesquisa avançada, mas, no tudo, é um país muito pobre, alicerçado em crenças arcaicas, incluindo divisão de castas, como forma de carma reencarnatório. Tem poblemas com o Paquistão – brigam pela Caxemira, havendo riscos de guerra (os dois países têm armas nucleares).
    O BRASIL:
    - é o 5º país do mundo em população absoluta, mas a 10ª economia do planeta, o que não representa muito, pois a renda per capita, em torno de 10 mil dólares ao ano, é baixa.
    - é o 5º país do mundo em extensão territorial, mas apresenta dados de “1º”, em possibilidades:
    a-) não possui áreas tão frias, como a Rússia e o Canadá;
    b-) não possui áreas tão áridas como os EUA;
    c-) a China tem mais de 6 vezes a nossa população;
    d-) assim, o Brasil possui a maior quantidade de terras cultiváveis do planeta;
    e-) e as maiores reservas de águas fluvias também.
    - Porém:
    I – O país apresenta, uma sociedade violenta, altíssimos índices de criminalidade, acidentes de trânsito, acidentes de trabalho, embriaguez, consumo de droga, com o agravante do crack.
    II – As diferenças regionais são gritantes: um centro-sul razoavelmente desenvolvido, razoavelmente qualificado; contra um centro-norte atrasado, pobre, extremamente problemático;
    III – A concentração de renda no Brasil está entre as mais agudas do mundo. Este fenômeno, como citou, faz parte do cenário global, mas em muitos países, na Europa, principalmente, é bem mais ameno. As pessoas que são “pobres” nestes países, têm boa educação, boa saúde, segurança.
    IV – As cidades brasileiras são sujas, as leis de trânsito não são respeitadas,há muita miséria no país.
    V – Saúde, educação e segurança se transformaram em problemas crônicos – muitas promessas dos governantes, solução prática, quase nula.
    VI – Nossos governantes figuram como os mais privilegiados e mais caros do mundo (mostrei dados em comentário anterior).
    VII – Em nenhum país do mundo há tantos cargos de confiança (cabidaço de emprego), que representam desperdício de dinheiro público e politicagem vergonhosa.
    VIII – O que se faz em nosso país, em nome da religião (o espiritismo até que não merece críticas neste sentido, com exceção de algumas editoras lançando livros de péssima qualidade) – mas o restante, especialmente esta corrente neopentecostal, trata-se de um verdadeiro crime, algo lamentável, simplesmente absurdo!
    Fala o que mais pra você Scur?
    Somos obrigados a pagar seguros que não deveríamos pagar.
    Somos obrigados a pagar plano de saúde particular mesmo, no meu caso, tendo plano público.
    Somos obrigado a pagar a taxa oficial pra estacionar o carro, mas ainda temos que pagar pro flanelinha.
    Somos obrigados a pagar os juros bancários mais elevados do planeta.
    Os banqueiros, neste país, cobram tudo, até o estacionamento. Ninguém parou pra pensar nisto. Você cobra estacionamento dos clientes que vão à tua loja? Os banqueiros cobram. Você é cliente, está dando um lucro exorbitante pra eles, e eles cobram o estacionamento. Eles cobram taxas inventadas (“manutenção de conta”). Inventaram um pacote – me desculpem a expressão: “pacote do caralho!” – porra, você é obrigado a receber pelo banco, pagar pelo banco – tudo passa pelo banco, e eles lucram com tudo isto, aí você tem que pagar por usar o banco. Inacreditável isto!
    Olha Scur, nem dá pra ficar falando dos absurdos de nosso páis, a “pátira do evangelho…”
    Taí, a Copa do Mundo – vi no uol ou na folha, recentemente, que ninguém sabe quanto vai custar, com projeções que indicam desde 25 bilhões a 112 bilhões de reais. Eu pergunto pra tu? Como pode esta discrepância? Como pode um país, um governo, comemorar a realização de um evento pelo qual se candidatou, se não sabe nem quanto vai custar isto!!! Quem administra seu próprio negócio assim? Vai pra frente? Mas os governantes nossos administram o Brasil.
    Ficamos por aqui.
    Se me perguntassem em qual país eu gostaria de morar, se tivesse que me mudar do Brasil, eu citaria: Holanda, Inglaterra, França, Itália. Os países escandinavos são muito frios. A Alemanha me incomoda pelo passado recente.
    Na América, poderia ser o Canadá ou a Costa Rica.
    A Austrália é uma ótima opção.
    O Japão tenho minhas reservas.
    É por aí.

  362. Biasetto Diz:

    Meu Deus!!! Você ainda citou uma frase da ditadura militar!!!

  363. Biasetto Diz:

    Eu me divirto quando converso com você ao telefone, porque posso lhe dizer um monte. Mas quando leio as barbaridades que tu escreves aqui, fico com raiva.
    Vai pentear macaco Scur!!!

  364. Marcos Arduin Diz:

    Bem, meu choroso Biasetto, que parece inconformado de seu tão meticuloso trabalho não ter convencido a alguns por aqui…
    .
    “Pois eu afirmo, baseado em estudos e pesquisas concretas, documentadas, que as duas correntes estão enganadas.”
    - Vejamos então…
    .
    “O senhor Chico Xavier foi um pessoa que nasceu simples, se deparou com um mundo de dor e sofrimento, tinha diversos sonhos, desejos, dentre os quais, ser um escritor famoso, um “bom moço”, um ícone religioso, preocupado em consolar as pessoas.”
    - Certo, certo, mas… Diga aí: isso que você disse está:
    1 – Baseado em declarações feitas pelo próprio Chico, ou seja, ele disse, alto bom som, que queria ser e fazer tudo isso?
    2 – É a OPINIÃO de chiquistas?
    3 – São informações que obteve de fontes confiáveis?
    4 – São as opiniões as quais você formou para si?
    .
    “Descobriu o espiritismo, fez leituras, foi incentivado e achou que poderia se fingir de médium.
    Passou a vida fazendo isto.”
    - Como é que se FINGE ser médium? Bem, alguém que cobra por consultas, palestras, etc e tal, dá para se entender. Mas como eu, que não dou a mínima para nada disso, posso FINGIR que sou médium? Quando tento psicografar, sinto o meu braço se mover sem que eu exatamente o controle. Sinto ideias vir na minha mente e às vezes, quando tento preencher uma frase com uma palavra, vem-me outra que não era a que eu esperava. Como estou fingindo tudo isso? A mesma coisa é quando eu falo, quando não sei bem o que dizer num atendimento mediúnico, às vezes falo coisas nas quais não pensei antes, sentindo um inspiração um tanto deslocada do meu jeito de pensar. Mas se o Chico FINGIU o tempo todo, então nada disso lhe teria acontecido…
    .
    “Para escrever os livros “ditados por André Luiz”, fez uso das seguintes referências bibliográficas:
    - de A Vida Além do Véu, do reverendo George Vale Owen, extraiu os fundamentos de Nosso Lar, Obreiros da Vida Eterna e Libertação. Também fazendo uso das informações, em 2º plano, para escrever Missionários da Luz, Os Mensageiros, No Mundo Maior, Ação e Reação…
    - de No Invisível, do escritor espírita Leon Denis, extraiu os fundamentos para escrever Nos Domínios da Mediunidade.
    - de O Átomo, do escritor Fritz Kahn, extraiu os fundamentos para escrever Mecanismos da Mediunidade.
    - de Evolução Anímica, do espírita Gabriel Delanne, extraiu os fundamentos, juntamento com o Waldo Vieira, para escrever Evolução em Dois Mundos (o Vítor sempre quis saber de onde tinha vindo este livro).
    - de Vida de Jesus (Ernest Renan) e Herculanum (Vera Ivanovna Kryzhanovskaia), extraiu os fundamentos para escrever Há Dois Mil Anos e outras obras da Roma Antiga.
    - de Os Grandes Iniciados (Edouard Shuré), extraiu os fundamentos para escrever A Caminho da Luz. Esta obra também apresenta passagens de A Vida Além do Véu (Owen) e Os Iniciados (Leon Denis).
    - também fez estudos e colagens de outros autores, como Cairbar Shutel (o número da besta, por exemplo), Dante Alighieri (foi desta obra que ele criou o personagem Clarêncio, de Nosso Lar), a moça que traduziu a história do peixinho… e assim vai…”
    -E eu lhe pergunto: e daí? O fato de ele ter acrescido às obras psicografadas itens obtidos da inspiração de outras obras as quais EVENTUALMENTE ele teria lido, torna as dita-cujas psicografadas imprestáveis?
    .
    Sabe, na tarde de hoje (24/10/2011) uma colega minha passou os temas de trabalho para os alunos, enquanto eu aguardava para passar uma prova a três alunas. Ela falou da questão do plágio e do corte/cole, muito facilitado hoje pela Internet. E disse que podia descobrir tal prática, simplesmente por digitar as frases e mandar o Google procurá-las. Então não adiantaria eles usarem desse recurso, pois não ganhariam nota com essa malandragem. Mas nos tempos idos e passados, sem internet, os autores faziam as “cópias” com suas próprias palavras ou parafraseavam textos. Nem sempre nos romances as citações eram frequentes, mesmo quando o autor não se chamava Chico Xavier. Poderíamos questioná-lo por isso, mas como ele usou de suas próprias palavras para compor a história, já disse que tal coisa NÃO CARACTERIZA PLÁGIO.
    .
    “- fez colagens de poetas, copiou poemas, de autores nacionais e internacionais (“O Corvo”, se lembram?).”
    - Isso não é bem a minha praia, mas se ele COPIOU poemas, então tal coisa seria crime de plágio e poderia ser devidamente processado por conta disso. Agora quem descobriu tal falcatrua e como é que a coisa se resolveu?
    .
    “- fez leituras de livros de História Geral e História do Brasil, algo fácil de se encontrar, mesmo no início do século XX.”
    - Ué? Ele chegou a fazer ao menos o antigo primário (muito mais rico e cobrado naqueles tempos…). Que há de surpreendente que ele tenha obtido conhecimentos básicos de História?
    .
    “Obviamente, também contribuiu para a elaboração dos livros, com ideias próprias, criatividade para criar histórias, personagens…”
    - Se ele queria ser escritor, então por que não assinou as ditas obras com seu próprio nome e reteve os direitos autorais? Desde quando constar na capa de um livro “psicografado por…” ajuda a vendê-lo, ainda mais há 50-60 anos atrás?
    .
    “- para dar mais credibilidade à sua mediunidade, “recebeu” mensagens do além, sempre com o mesmo padrão, o mesmo estilo. A maioria destas mensagens não dizem nada de nada, são simples e tolas.”
    - Tem alguns bons exemplos? Eu só conheço o “Brasil Coração do Mundo…”
    .
    “Algumas, mais “fantásticas”, foram resultado direto, da coleta de dados, previamente realizadas, como bem afirma o próprio Waldo Vieira.”
    - Agora começamos a entrar na palhaçada. O Waldo Vieira ficou mais de 10 anos junto do Chico, vendo toda a malandragem e falcatrua das quais você se ufana todo em ter “descoberto”, participou delas, como você mesmo pode verificar pelos livros que ele psicografou junto com o Chico, e só botou a boca no trombone quando resolveu jogar tudo pro alto e seguir uma carreira solo, mais rentosa, ainda que mais obscura. Seria o Waldo uma testemunha CONFIÁVEL? Sinceramente não acho que seja.
    .
    “- também fez uso de manobras com perfumes, pétalas de rosa e as tais “materializações”, que lhe trouxeram grandes problemas, motivo que o levou a abandonar a ideia.”
    - PROVAS disso, por favor. Testemunhos independentes, flagrantes, etc e tal. E se inclui aí a Josefa, então desqualifique o Waldo PRINCIPALMENTE, pois ele era o investigador todo científico na pataquada.
    .
    “Vale lembrar, que também leu inúmeras biografias de santos, o que é atestado pelo Waldo, sem a menor cerimônia, até porque queria ser lembrado como um santo.”
    - Atestado pelo Waldo NADA VALE. Quem mais sabe disso e desde quando ler biografia de santos faz alguém ser santo? Sabia que Chico tinha intenção de escrever um romance sobre a vida de Inácio de Antióquia, santo que foi preso e morto? Naturalmente teria de ler a respeito dele, mas ao fazer isso, desistiu de escrever o dito romance. Por que? Porque o dito santo combateu o DOCETISMO, aquela heresia que dizia que Jesus nunca foi de carne e osso e sim um fantasma materializado, a mesma tese defendida pela FEB de então. Para não se indispor com essa madame, Chico preferiu não escrever o romance… Mas daí a dizer que estudou tudo quando foi biografia de santo para se tornar um, vai muita distância. Será que ele gostaria de ser como Santo Roberto Belarminno?
    .
    “Esta é a verdadeira história (ou uma parte dela) do senhor Chico Xavier.”
    - Bem, escreva-a então e vejamos o que los otros dizem.
    .
    “TUDO o que eu afirmei acima, tenho material suficiente para demonstrar. Aliás, quem quiser conferir os livros que citei, tais como: No Invisível (Leon Denis), Os Grandes Iniciados (Shuré) e Evolução Anímica (Delanne) é só baixar na internet. Não precisa nem ler. Só vejam, ainda que superficialmente. Vejam, por exemplo, todas aquelas informações “fantásticas” de Evolução em Dois Mundos, conferindo em seguida, as informações que constam no livro do Delanne (Evolução Anímica). Abram estes livros, só vejam, uma olhadinha só!”
    - Não preciso. Posso aceitar a sua palavra, pois como já tenho dito, o médium não precisa ser apenas uma copiadora a serviço dos espíritos…
    .
    “Eu pergunto ao Arduin e ao Scur:
    - se Leon Denis e Gabriel Delanne escreveram boas obras, falando praticamente tudo o que o Chico disse, sem mediunidade, por que o Chico, com todo este material à disposição, um pouquinho de imaginação e bastante disciplina, não seria capaz de escrever os livros que escreveu??? Respondam-me, por favor!”
    - Bem, para mim o detalhe estranho é ele atribuir tais escritos aos espíritos… Afinal, um farsante assim saberia que sua farsa poderia ser facilmente descoberta. Já se escrevesse assumindo a autoria, a obra continuaria valendo e vendendo até mais e não teria tido nenhum problema.
    .
    “- com todas estas evidências de fraudes, plágios, adaptações, declarações de pessoas como o Waldo Vieira, o motorista que falou dos perfumes, os trabalhos de pesquisa do JCFF, do Montalvão, por que vocês continuam afirmando e afirmando e afirmando que Chico Xavier foi médium???”
    - O Scur que fale por si. Cá comigo já disse que fraudes eu sei as que a FEB introduziu nas obras do Chico para vender o Rustenismo, supostos plágios e adaptações não desabonam necessariamente as obras, as declarações do Waldo e do suposto motorista NÃO TEM o menor valor pois são ridículas (já questionei que se Chico fosse comprar perfume na Botica ao Veado d’Ouro certamente seria reconhecido por muita gente, já que era frequentadíssima naqueles tempos), as pesquisas do José aí são das boas e as acato e afirmo que Chico foi médium por conta de eventos narrados por várias testemunhas que obtiveram provas e mensagens de parentes dos quais Chico nada sabia (o filho da Cacilda Becker, por exemplo).
    .
    “Por que não ver o simples, o elementar, indicando que ele escreveu os próprios livros, fazendo pesquisas??? Por quê???”
    - Acho que já lhe disse mais de uma vez que os livros, de per si, NADA PROVAM quanto à real mediunidade do Chico ou de qualquer outro autor.
    .
    “- qual o motivo concreto, a prova concreta, que mostre a mediunidade dele??? Qual???”
    - Já disse.
    .
    “Também esqueci de dizer que tem o livro de Marte, plagiado do Flamarion… tem…
    Pra bom entendedor, meia palavra basta!
    O pior sego é aquele que não quer ver!”
    - Ah! Sim. Este também… Agora tome cuidado com o excesso de entusiasmo, pois ele pode CEGAR também…

  365. Biasetto Diz:

    Arduin,
    Escrevi errado: é C-E-G-O
    Nem li tudo que você escreveu. Não preciso.
    Se pra tu não caracteriza o plágio, TECNICAMENTE falando, tudo bem. Pra mim, caracteriza.
    Mas, o que importa, é o seguinte: ele copiou ou se baseou, ou adaptou (escolha o que tu achas melhor!) E daí?
    Daí, que isto prova que não se trata de mediunidade. SÓ ISTO!
    O resto é blá blá blá…

  366. Roberto Scur Diz:

    Biasetto,
    O que tenho a te dizer?
    Blá-blá-blá pra ti também.
    Boa noite Blá-blásetto!

  367. Antonio G. - POA Diz:

    É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que…
    …convencer um crente de que sua fé não tem fundamento.

  368. Marcos Arduin Diz:

    Biasetto
    Já que nem se deu ao trabalho de ler o que escrevi, vou ser curto e grosso: ROMANCES ou livro de poesias, do Chico ou de qualquer outro autor, NÃO PROVAM nada a favor de mediunidade. Sacou? A única exceção de que me lembro é a continuação do romance O Mistério de Edwin Drood (que não foi feita pelo Chico).
    .
    Antonio G da aeronáutica de Poá, desde quando o Chico é FUNDAMENTO para o Espiritismo? Bem, se o abnegado cidadão cético quer nos demover da nossa fé, precisa antes fazer um BOM TRABALHO, usar de fontes idôneas, de testemunhos confiáveis e verificáveis, etc e tal. Faz-me rir o cidadão abnegado que quer me convencer que o Chico foi uma fraude recorrendo a Waldo Vieira ou à revista O Cruzeiro…

  369. Biasetto Diz:

    Arduin,
    Desculpe-me a falta de educação. Acabei lendo teu comentário sim.
    Você fala que tenho que provar certas afirmações.
    Eu digo o mesmo pra você. Esta história que você contou sobre o filho da Cacilda Becker, achie ótima! Mas é apenas uma história. Será verdadeira? Da forma como dita?
    Se você me provar isto aí, eu penso melhor sobre minhas conclusões.
    O problema, a questão, é esta: sempre alguém conta uma história que contaram…

  370. Antonio G. - POA Diz:

    Bem, meu caro Arduin, Chico Xavier é o ícone maior do “espiritismo brasileiro” (pleonasmo). Talvez não seja para você e mais alguns, mas não resta dúvida de que Chico é a grande referência espiritual e moral de milhões de seguidores da doutrina. E Chico foi um grande farsante. Isto até você meio que admite, embora coloque ressalvas. Não é um tanto contraditório admitir que Chico era farsante “só às vezes”? Não é como dizer que “fulano é um ladrão, mas só de vez em quando”?
    .
    E eu realmente não pretendo convencê-lo de nada. Eu sou preguiçoso demais para sair à cata de provas ou evidências disto ou daquilo. Como eu acho que esta é a única vida que terei, e já tenho mais de 50 anos, portanto não tenho tanto tempo quanto já “queimei”, procuro ocupar-me com coisas mais palpáveis. Para mim, já basta a convicção que tenho. Além do que, se as evidências mostradas por investigadores como o Vitor e o Biasetto (que não têm preguiça) acerca das fraudes de Chico e de outros ditos médiuns não o convenceram ainda, não haverá nada que o convença.
    Quando a gente quer acreditar, acredita em qualquer coisa. Eu sei, porque já acreditei. Mas, um dia, a “ficha caiu”. Acho que, felizmente, para mim.

  371. Caio Diz:

    Arduin, tenho uma pergunta: quando você olha para uma das fotos da “Irmã Josefa” presentes na revista “O Cruzeiro” a impressão que você tem é que realmente está olhando para um espírito materializado? Esqueça todo esse lance de se o Chico estava envolvido ou não, dos repórteres que não “desmascararam” a Otília, de como ela teria fraudado, etc. Não se preocupe com nada disso. Apenas me diga: quando você olha para uma das fotos divulgadas na revista, você realmente acha que se trata de um espírito, ao invés de uma mulher coberta com um pano? É essa a impressão visual que você tem, sem margem para dúvida?

  372. Antonio G. - POA Diz:

    Caio, a menos que ele tenha revisado sua opinião, o Arduin já disse que acredita nas materializações da Irmã Josefa.
    Como se vê, o Arduin é um “caso perdido”… rsrsrs
    .
    Brincadeirinha, combatente Arduin.

  373. Antonio G. - POA Diz:

    Falando sério: De tudo que existe em termos de evidências “públicas” de falcatruas relativas a fenômenos espíritas, este episódio da materialização da Irmã Josefa é a mais eloquente evidência de fraude. As fotos da suposta materialização são uma aberração, um escárnio. Eu tenho dificuldade de conter o riso quando olho para aquelas fotos. A cena é realmente ridícula.

  374. Caio Diz:

    Então, Antonio, o Arduin já disse que “acredita” nas materializações. Mas pintou a curiosidade de perguntar para ele sobre o “aspecto visual” da foto. Explico melhor. Ocorre que eu tenho muita certeza que, se pegarmos uns espíritas que não conhecem nada sobre o caso e mostrarmos a eles as fotos, tomando o cuidado de não mencionar o nome mágico do Chico Xavier, a maioria vai cair na gargalhada e dizer que se trata de uma fraude grosseira. Nunca fiz essa experiência, mas aposto que a maioria das pessoas diria se tratar de fraude, porque realmente algumas fotos chegam a ser grotescas. Existe uma foto especificamente, que acho que nem em Uberaba é, mas que é digna de um expectador do seriado “Chaves” achar mal-feita. Enfim, eu gostaria de questionar o Arduin exclusivamente sobre as peculiaridades visuais da foto… Ele, Arduin, sendo um homem treinando cientificamente, deve ter uma opinião interessante a respeito.

  375. Caio Diz:

    Corrigindo: espectador*
    .
    Desculpem por qualquer outro, tive de escrever voando, sem revisar.

  376. Caio Diz:

    Antonio, dê uma olhada na foto número 2, que foi tirada em Campinas, São Paulo: http://obraspsicografadas.haaan.com/2011/materializaes-de-uberaba-otlia-a-mulher-barbada-fotos-inditas/

  377. Antonio G. - POA Diz:

    Aquela foto do “ectoplasma” escorrendo da boca do médium, com a Irmã Josefa atrás dele e o Chico Xavier avalisando a cena, é arrazadora para a credibilidade do Chico. Depois daquela, ele deveria ter se retirado. Mas, incrivelmente, manteve-se incólume durante mais uns 40 anos… E hoje é reverenciado como um santo. A fé faz um estrago enorme no discernimento das pessoas…

  378. Antonio G. - POA Diz:

    Desculpem, deveria ter digitado arrasador, com “s”, e não com “z”.
    Fica a dúvida: Seria o erro justificado pelo fato do “s” ficar junto ao “z” no teclado, ou o erro seria apenas uma prova da ignorância do digitador? É mais um mistério… rsrsrs

  379. Marcos Arduin Diz:

    Bem, Biasetto, seria realmente uma boa poder contatar o filho da Cacilda, eu tentei ver algo no orkut, mas não deu em nada. De qualquer forma, se a história é falsa, então penso que deve haver desmentidos dela por aí na internet. Até o desmentido sobre a mágica aura de 10 metros do Chico existe…
    .
    Caio, é o seguinte. Quanto a fotos de espíritos materializados, NADA do que foi obtido agradou ao pessoal cético e assim ficamos sem saber o que lhes agradaria. Então a Josefa, a Kate King, etc mostravam-se como imagens de pessoas reais. O pessoal cético vem nos dizer que nada mais seriam do que o médium ou algum cúmplice disfarçado. No caso da Ana Prado, ela produzia imagens materializadas DESPROPORCIONAIS, com cabeça muito pequena, ou braços finos e longos, etc e tal, justamente para mostrar que NÃO ERA nem a médium, nem nenhum cúmplice disfarçado. Mas aí o pessoal cético vem dizer que poderiam ser marionetes… A Eva Carriére produzia imagens achatadas e/ou minúsculas, mas aí vem o pessoal cético dizer que poderiam ser cartolinas desenhadas…
    .
    Então, meu caro, já que materialização não ajuda em nada, deixemos as ditas cujas pra lá. O que me interessa é o CONJUNTO do trabalho. Os protocolos, como a coisa foi feita, que providências contra a fraude foram tomadas e por aí vai. Caso considere que isso foi suficiente, poderia, veja bem PODERIA, supor que a foto seria mesmo de uma fantasma.
    .
    O pessoal do contra deveria ter feito um trabalho decente, MAS NÃO FEZ. O Biasetto está ufano com o Waldo, mas veja só a palhaçada que ele diz: “… não dissemos que a médium era autêntica ou não.” Ou seja, ele arrumou uma equipe inteira para investigar a madame e ficou sem saber se era real ou fajuta e ainda permitiu a um bando de repórteres de um semanário sensacionalista e anti-espírita virem verificar a coisa. E olha que ele estava tão confiante que dizia: ‘Tragam tudo” (para verificar a madame, inclusive infravermelho). Vê só como o cara é contraditório e incoerente?

  380. Antonio G. - POA Diz:

    Arduin, para que eu acreditasse em materialização, bastaria uma simples… materialização. Mas, sem véus semitransparentes, sem mantos amarrotados, sem camarim lacrado, sem penumbra, sem nada que precisasse ser “justificado” os “leigos”. Uma “simples” materialização, ali, à luz do dia e à vista de todos. Só isso! Porque isso não é feito? Tem que ser sempre com “esqueminhas” especiais, não é? Você não desconfia mesmo de nada? Você é mesmo tão crédulo assim? Eu não consigo entender, palavra!
    E quanto ao “médium” vomitando ectoplasma? Você também acha que é real?
    Arduin, poupe-me, por favor.

  381. Antonio G. - POA Diz:

    Na 4ª linha: … justificado PARA os leigos. É a pressa…

  382. Antonio G. - POA Diz:

    Sobre o “ectoplasma”, colei este texto do Wikipédia:

    “O Ectoplasma é, alegadamente, uma substância fluídica, de aparência diáfana, sutil, que flui do corpo de um médium apto a produzir fenômenos físicos, principalmente a materialização. Nenhuma dessas afirmações foram demonstradas em ambiente controlado.

    O termo ectoplasma foi criado por Charles Richet, Nobel de Medicina em 1913, por trabalhos relativos a anafilaxia (reações alérgicas), após isso, C.Richet se dedicou a trabalhos com o intuito de descrever experiências sobre os fenômenos de materialização produzidos pela médium Eva Carrière, em Argel, em 1903.[1]

    Na tentativa de dar veracidade aos argumentos, um inexistente professor italiano Imoda, foi inventado, tanto quanto um suposto livro Fotografias de Fantasma. Nessa fraude, diz-se que é publicada uma teoria elaborada a partir das experiências de ideoplastia que realizou com Charles Richet, onde propõe três formas para o ectoplasma: a invisível, a fluídica-visível e a concreta. Posteriormente, Gustave Geley, fundador do Instituto Metapsíquico Internacional de Paris, alegou nas sessões de materializações que o ectoplasma, ainda na forma invisível, girava em torno das pessoas antes da produção dos fenômenos.

    As pesquisas em relação ao aporte foram feitas até a década de 1920, não empregando métodos cientificamente válidos nos padrões dos dias de hoje. Não existem evidências científicas para a alegação do aporte. Não existe qualquer evidência que dê sustentação à afirmação religiosa de que ectoplasma existe, tratado-se portanto de definição que existe somente no credo religioso.” (Wikipédia)

  383. Antonio G. - POA Diz:

    Para variar, são definições criadas lá pelo século 19 e início do século 20. Deve haver uma razão para isso.
    As alegadas materializações da médium Eva Carrière teriam ocorrido em 1903. Ah! Tá.

  384. Biasetto Diz:

    Sugiro a vocês que passem a discussão para o outro artigo, porque lá também surgiu o tema materialização, e tá legal.
    Abraços!

  385. Leandro Diz:

    Prezados,

    Creio que houve um mal entendido a respeito do meu comentário acerca da obra do Professor Perandréa. Se o que eu disse anteriormente deu a impressão de eu estar discordando da conclusão do professor, perdoem-me, não foi isso que eu quis dizer. Permitam-me esclarecer.

    Quando uma análise grafoscópica é realizada a fim de se constatar a autenticidade ou a autoria de escritas, o profissional pauta-se na comparação dos lançamentos questionados com os padrões. Quanto mais extenso e mais rico for o material, melhor e mais fundamentado será a conclusão.

    Ao expor o resultado do trabalho grafoscópico, nem sempre o perito mostra, através das imagens impressas no laudo (neste caso, no livro), tudo aquilo que ele constatou na análise dos lançamentos, pois tantos são os detalhes constatados que às vezes é até difícil descrever e mostrar tudo aquilo que se identifica visualmente.

    O comentário que postei foi no sentido de que como a conclusão do trabalho do renomado professor foi por demais relevante, não só no aspecto técnico-científico, mas também no aspecto doutrinário-religioso, é aceitável que outras pessoas tentem também chegar à mesma conclusão (ou conclusão diversa) a partir das poucas imagens existentes em seu livro.

    Entretanto, como disse antes, nem sempre é possível ao perito expor em sua apresentação tudo aquilo que vê, e ainda há uma dificuldade pelo fato de que as imagens do livro, obviamente, são obtidas dos originais (questionados e padrões), mas não são os próprios originais, o que limita e muito as tentativas de outro profissional de analisar aspectos por demais importantes, como a velocidade e a gênese da escrita, que são ofuscados quando se trata de cópias dos originais.

    Concluindo, acredito que o professor constatou diversas convergências grafoscópicas a ponto de chegar a esta conclusão, e que o mesmo, presumo eu, achou suficiente mostrar em sua obra aquela determinada quantidade de imagens. Desta forma, é temerário que qualquer pessoa tente fazer uma análise a partir apenas das cópias das imagens disponibilizadas no livro, pelos motivos expostos acima.

    Atenciosamente,

    Leandro Scuotto Martignoni

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)