Enganados pela Mente

Mais uma ótima reportagem da jornalista Paloma Oliveto! Aqui são oferecidas algumas explicações recentes dos cientistas para fenômenos como dejá-vu e experiências fora-do-corpo. Muito agradeço à Paloma por permitir a divulgação de suas matérias. No final da postagem será possível ainda baixar a reportagem em pdf.

CORREIO BRAZILIENSE • Brasília, domingo, 5 de setembro de 2010

ENGANADOS PELA MENTE 

Por PALOMA OLIVETO

Pesquisadores se dedicam cada vez mais ao estudo de fenômenos que parecem sobrenaturais, como o déjà-vu e a sensação de deixar o próprio corpo. Explicação pode estar em pequenas falhas temporárias do cérebro  

“Será que estou ficando louco?” É a primeira pergunta que passa pela cabeça de pessoas que, em um momento ou outro, experimentam sensações desconcertantes. Pode ser a impressão de que há mais alguém em uma sala onde se está sozinho, a percepção de que a alma está saindo do corpo ou a certeza de que uma cena em ação já ocorreu.

Fenômenos como o famoso déjà-vu ou a experiência extracorpórea costumam ser associados a eventos fantasmagóricos, experiências espirituais ou a uma boa dose de imaginação. Porém, eles despertam o interesse dos cientistas que não se conformam com explicações sobrenaturais e, cada vez mais, estudam os mecanismos do cérebro responsáveis por esses acontecimentos.

Embora não tenham elucidado completamente os fenômenos, os pesquisadores estão se aproximando das respostas. O segredo está no cérebro, onde “curtos-circuitos” eventuais interrompem ligações elétricas e provocam falhas temporárias. Na maioria das vezes, esses efeitos são tão pouco frequentes que não deixam mais que um incômodo em quem os sente. Mas há situações dramáticas. Às vezes, as experiências se repetem tanto que a pessoa precisa fazer tratamentos terapêuticos para lidar com elas.

O médico ChrisMoulin, chefe de um laboratório de estudos da memória da Universidade de Leeds, no Reino Unido, relata o sofrimento de um paciente que tinha um déjà-vu atrás do outro. “O paciente não só genuinamente acreditava que me tinha me encontrado outras vezes, como dava detalhes específicos sobre os dias e os lugares onde ocorreram esses eventos dos quais ‘se lembrava’’’, conta Moulin. Ele parou até de assistir à televisão, porque tudo parecia repetido.

Os estudos sobre esses fenômenos não servem apenas para matar a curiosidade. Eles podem ajudar, por exemplo, na compreensão dos tipos de memória armazenados pelo cérebro. Leia a seguir o que a ciência já sabe sobre três experiências recorrentes que vêm sendo estudadas em universidades de todo o mundo.

Filme reprisado 

Muita gente já passou pela experiência de chegar a um lugar e ter a impressão de que já esteve lá antes. Esse sentimento misterioso, conhecido como déjà-vu, ocorre quando uma situação parece muito familiar, mesmo sendo evidente que ela não poderia ter ocorrido anteriormente. Por muito tempo, essa horripilante experiência foi atribuída a muitas coisas, de casos paranormais a distúrbios visuais. Porém, recentemente, com um maior número de cientistas estudando o déjà-vu, novas teorias surgiram e, embora não o tenham decifrado com exatidão, já se tem uma ideia maior do que é fenômeno.

Durante muitos anos, a explicação científica mais aceita era a de que o déjàvu estava associado ao campo visual. Pensava-se que as imagens capturadas por um dos olhos chegava com atraso, formando-se no cérebro em frações de segundo depois das imagens identificadas pelo outro olho. Com isso, a sensação era a de estar vendo a mesma coisa

pela segunda vez. Era uma boa explicação, até que um grupo de pesquisadores da Universidade de Leeds, no Reino Unido, encontrou um deficiente visual que já havia passado pela experiência com base em cheiros, sons e toques que pareciam familiares. “O atraso óptico é uma teoria antiquada, mas amplamente divulgada. Mas o fato de um cego ter déjà-vu fornece uma forte prova de que isso não pode ser a explicação”, disse ao Correio o pesquisador Akira O’Connor. Ele e outros cientistas da Universidade de Leeds decidiram, então, estudar o fenômeno. Os pesquisadores induziram a sensação em laboratório, hipnotizando voluntários. Em um dos testes, foi apresentada aos participantes uma lista de palavras que deveriam ser memorizadas. Depois, os voluntários foram hipnotizados e estimulados a esquecê-las. Mas, ao acordar, os participantes foram apresentados novamente à lista de palavras e quase todos afirmaram que passaram pela sensação de déjà-vu, pois tinham a impressão de que já haviam lido essas palavras antes, embora não soubessem quando e onde.

Segundo O’Connor, quando uma pessoa reconhece um objeto ou uma cena familiar, ocorrem dois processos. Primeiro, o cérebro procura na memória algo semelhante aos conteúdos observados. Em caso de resposta afirmativa, outra parte do cérebro identifica o objeto ou o acontecimento como sendo recorrente. O déjà-vu ocorre quando a resposta vem truncada por causa de um engano cometido pelo cérebro. Esse erro provavelmente ocorre no lobo temporal—região ligada à formação das memórias. Na pesquisa, os voluntários foram monitorados por exames de imagem.Quando tinham a sensação do déjà-vu, essa área cerebral ficava mais ativa.

Tem alguém aí 

Parece um filme de terror. A pessoa sente a presença de alguém, mas, ao olhar para trás, não vê nada. No passado, botava-se a culpa nos fantasmas, mas agora a ciência já sabe que o responsável pela desagradável sensação é uma atividade anormal processada em uma região específica do cérebro. O caso de uma jovem de 22 anos sem histórico de distúrbios psiquiátricos e que fazia uma cirurgia para se curar de crises epilépticas foi a prova de que o “efeito sombra” nada mais é que uma enxurrada de estímulos elétricos cerebrais.

A descoberta foi descrita na revista especializada Nature e é de autoria do pesquisador Olaf Blanke, o mesmo que estudou a sensação extracorpórea por meio da realidade virtual. Segundo ele, durante a cirurgia, feita com a paciente acordada, quando os médicos estimulavam com eletrodos uma região chamada junção temporopariental esquerda, a mulher descrevia a presença de uma “sombra”, que parecia imitar seus movimentos corporais.

Quando a paciente estava deitada, a estimulação dessa área do cérebro a levou a sentir que havia alguém atrás. Ela descreveu essa pessoa como alguém jovem,mas de sexo indeterminado. “Uma sombra que não falava nem se movia, e cuja posição, atrás dela, era idêntica à da própria paciente”, na definição dos pesquisadores que participaram do estudo. Já quando a paciente se levantava e se preparava para se sentar, ela sentia que a figura também estava fazendo o mesmo movimento. A conclusão dos pesquisadores foi a de que a mulher estava experimentando uma percepção do próprio corpo.

“Essa estranha sensação de que alguém está perto quando na verdade não há ninguém já foi descrita por pacientes neurológicos e psiquiátricos, assim como por pessoas saudáveis.Mas até agora não entendíamos como essa ilusão formava-se no cérebro”, disse Blanke ao Correio. Segundo ele, a junção temporopariental é conhecida por estar envolvida na criação do conceito do “eu” e na distinção entre “eu” e “o outro”. Quando estimulada, essa região interfere na habilidade da pessoa em reconhecer o próprio corpo. “Acho que nossa descoberta é um passo no entendimento do mecanismo por trás de manifestações psiquiátricas como paranoia e mania de perseguição”, diz o cientista.

A alma sai do corpo? 

É comum ouvir relatos de pessoas que acreditam já terem “saído do próprio corpo”, uma experiência geralmente associada a fatores místicos e religiosos. Mas a ciência conseguiu provar que o fenômeno tem uma explicação lógica. Em 2007, pesquisadores publicaram na revista Science estudos que mostram ser possível, inclusive, induzir essa sensação em pessoas saudáveis, que nunca pensaram que suas almas haviam se separado do corpo.

Depois de fazer uma experiência com a tecnologia da realidade virtual, os cientistas afirmaram que uma desconexão entre os circuitos cerebrais que processam as informações sensoriais pode ser responsável pela sensação de sair do corpo. De acordo com eles, essa experiência costuma ocorrer em usuários de drogas, epilépticos em convulsão e portadores de outros tipos de distúrbio cerebral.

O cientista Henrik Ehrsson, da Universidade College London, no Reino Unido, e a equipe de Olaf Blanke, da Escola Politécnica Federal de Lausanne, na Suíça, utilizaram câmeras e óculos de realidade virtual para exibir aos voluntários imagens de seus próprios corpos a partir da perspectiva de alguém posicionado atrás deles. Ao mesmo tempo, os pesquisadores tocaram os corpos dos voluntários, tanto os reais como os virtuais.

Os voluntários do estudo de Ehrsson viram, por meio dos óculos especiais, imagens gravadas por câmeras. No trabalho de Blanke, o vídeo foi convertido em simulações computacionais semelhantes a holografias. O primeiro grupo movimentou um pino de plástico logo abaixo das câmeras, enquanto os voluntários eram tocados no peito no ponto correspondente. Questionários feitos em seguida indicaram que os voluntários sentiram que estavam sentados no local em que estavam as câmeras e observavam diante de si um manequim ou um corpo que pertenceria a outra pessoa.

“Esse experimento sugere que sentimos que nosso ‘eu’ está localizado onde estão nossos olhos”, afirmou Ehrsson, no estudo. A equipe do cientista sueco também fez os voluntários olharem um martelo que era balançado em direção a um ponto abaixo da câmera, como se estivesse batendo em uma parte do corpo virtual fora do campo de visão. Medições de condutividade da pele, que refletem respostas emocionais como o medo, indicaram que os voluntários sentiram que seu ‘eu’ havia deixado o corpo físico e se movido para o corpo virtual. Ambos os estudos concluíram que o conflito multissensorial é o mecanismo chave na base da experiência extracorpórea. “As disfunções do cérebro que interferem nos sinais de interpretação sensoriais podem estar na origem de certos casos clínicos de experiência extracorpórea. No entanto, não sabemos se todas essas experiências são provenientes das mesmas causas”, disse Blanke ao Correio.

Para baixar a matéria em pdf, clique aqui.

291 respostas a “Enganados pela Mente”

  1. Paulo-rs Diz:

    Muito bom o seu artigo Paloma!
    Procure sobre as pesquisas do Dr Michael Persinger aonde ele estimula certas regiões do cérebro e algumas pessoas passam a “ver Deus”.
    Dr. Susan Blackmore é uma outra fonte boa para pesquisas sobre projeção astral ( saídas do corpo)

  2. Paloma Diz:

    Paulo, obrigada pelas dicas!
    Vitor, fico muito feliz em poder colaborar com o blog! Ainda não consegui ver a carta em italiano (estou só com iPad em casa), mas amanhã acho que consigo baixar o livro. Eu li o artigo sobre reencarnação. Apesar de achar que o pesqusador foi extremamente correto, concordo mais com a réplica feita. Mesmo cientistas podem ser induzidos à auto-sugestão quando acreditam muito no assunto que estão investigando. Veja quantas vezes os físicos do CERN chegaram a anunciar a descoberta do bóson de Higgs, tendo de se desmentir depois. Ou o caso dos pesquisadores que, só no ano passado, disseram duas vezes que os neutrinos são mais rápidos que a luz, mesmo com a negação total da comunidade científica. Acho que quando um assunto nos apaixona, tendemos a ver coisa onde não existe nada. No caso do menino, acredito que houve coincidências, ou que ele possa ter armazenado de certa forma informações fragmentadas, ouvidas em casa ou na aldeia. Não consigo acreditar em reencarnação. Se temos 7 bilhões de pessoas no mundo, os relatos de lembranças das vidas passadas seriam muito mais frequentes, mesmo que essa fosse uma habilidade restrita a poucos. Além disso, para que as pessoas teriam de viver muitas vidas? Para pagar o que fizeram anteriormente? Não vejo muita lógica. Se Maria foi morta por João na vida passada, nessa ela iria prejudicá-lo para que ele purgasse seu pecado, certo? Então ela terá de pagar, em outra vida, o mal que causará em João. Aí temos um ciclo vicioso de culpas a serem resolvidas, não? Claro que essa pode ser uma opinião bem simplória, pois não conheço a doutrina espírita. De qualquer forma, não acredito que almas voltem para cá, mesmo que reencarnadas. Vitor, eu sou um pouco São Tomé com essas coisas. Precisaria ver com meus próprios olhos para acreditar. Já entrevistei muitos médiuns e nunca vi absolutamente nada, literalmente, “do outro mundo”. Grande abraço!

  3. Vitor Diz:

    Oi, Paulo
    sobre as pesquisas de Persinger, reproduzo aqui o conteúdo do livro “Mentes Interligadas”, de Dean Radin, a respeito:
    .
    O neurocientista Michael Persinger da Universidade Laurenciana de Ontário, Canadá, estudou por muitos anos os relacionamentos entre as “microconvulsões” parciais do lobo temporal do cérebro e os relatórios de experiências psíquicas, espirituais e religiosas. Utilizando capacetes sob medida e revestidos de bobinas magnéticas, suas experiências estimulam os lobos temporais do cérebro por meio da formação de campos magnéticos muito fracos e controlados para produzir determinadas freqüências. Segundo foi relatado, até 80% dos participantes dos testes, usando esses capacetes, tiveram experiências reminiscentes de fenômenos psíquicos ou espirituais, incluindo sensações de “vibrações, formigamento, toques inesperados na pele, incapacidade ou relutância de se moverem, estranhos cheiros e gostos, medo ou terror, imagens intensas como em sonhos e presença de outros seres (sencientes)”
    .
    Esta linha de pesquisa está associada com a disciplina iniciante de “neuroteologia”, que busca entender os relacionamentos entre as atividades mentais e os sentimentos religiosos ou de experiências semelhantes. Em sua forma mais extrema, a neuroteologia assevera que todas as experiências psíquicas e espirituais são ilusões criadas por um desarranjo da atividade cerebral. Em sua forma mais moderada e, provavelmente, mais acurada, a neuroteologia afirma que essas experiências estão correlacionadas com a atividade cerebral, mas que a fonte causal dessas experiências permanece desconhecida.
    .
    Uma tentativa em 2004 em reproduzir os trabalhos de Persinger lançou dúvidas sobre a idéia de que as experiências psíquicas e espirituais pudessem ser facilmente estimuladas por meio da aplicação de campos magnéticos. Relatada sob o título “As tempestades cerebrais foram descartadas como a fonte dos fantasmas”, a revista Nature descreveu como o psicólogo Pehr Granqvist e seus colegas das Universidades de Uppsala e de Lund, na Suécia, foram incapazes de reproduzir os alegados resultados de Persinger referentes aos efeitos de campos magnéticos.27 Sob condições de experiência duplo-cega, expuseram 43 estudantes a campos magnéticos e 46 outros a campos nulos como grupo de controle. Descobriram que a estimulação magnética não causara qualquer efeito perceptível. Mais de metade dos participantes que chegaram a relatar fortes experiências espirituais pertenciam ao grupo de controle.
    .
    A resposta de Persinger foi a de que a equipe sueca não expôs os participantes a campos magnéticos pelo tempo suficiente para que produzissem efeito. A psicóloga britânica Susan Blackmore, uma cética perene com relação a todas as coisas paranormais e partidária das explanações baseadas na neurociência para todas as experiências sem explicações, também se demonstrou relutante em desistir da teoria do campo magnético. Ela relatou que, “quando fui ao laboratório de Persinger e me submeti a seus procedimentos, passei pelas experiências mais extraordinárias de toda a minha vida”.
    .
    Ainda que seja verdadeiro que algumas formas de atividade cerebral, em especial convulsões epilépticas, possam gerar sensações subjetivas que imitam as experiências psíquicas e espirituais, parece improvável que esta seja a resposta exclusiva. Alguns poderão considerar as pesquisas de Persinger uma abordagem neurocientífica para uma “explicação eliminatória” das experiências psíquicas, mas o próprio Persinger não aceita isso. Por exemplo, a equipe de Persinger conduziu uma investigação neurológica completa do famoso artista e vidente Ingo Swann. Swann desenvolveu um método de treinamento para a visão remota (o que, antigamente, costumava ser chamado “clarividência viajante”), conforme utilizado no programa STARGATE de espionagem psíquica, patrocinado pelo governo dos Estados Unidos. Swann inúmeras vezes demonstrou sua habilidade confirmada para visão remota, sob condições controladas. Evidências para a habilidade de visão remota acurada de Swann foram também obtidas dentro do estudo de Persinger. Assim, a história dos fenômenos psíquicos não pode ser simplesmente reduzida aos efeitos de um desarranjo cerebral

  4. Vitor Diz:

    Oi, Paloma
    esqueça a ideia de carma como intrinsicamente atrelada à de reencarnação. O próprio Stevenson comenta a existência de culturas que não fazem tal associação: “Muitas pessoas que leram destilados populares no Ocidente do hinduísmo e do budismo pensam que a doutrina do karma é inseparável da idéia de reencarnação. Isto está errado e precisa de correção para uma melhor compreensão dos casos e crenças relacionadas com a reencarnação ocorrendo entre muitos grupos que acreditam nela, mas que não têm noção sobre o conceito correspondente à idéia de karma encontrado no Sudeste da Ásia. ”
    .
    Sobre os Haida, por exemplo, Stevenson diz:
    .
    “Meus informantes Haida nunca mencionaram espontaneamente qualquer sistema de recompensas e punições que eles acreditem ligar uma vida a outra com base na conduta moral. Dois informantes idosos a quem diretamente questionei sobre este tema ambos negaram que qualquer sistema [do tipo] fizesse parte da crença na reencarnação Haida. Dois outros informantes, no entanto, consideraram a reencarnação um processo contínuo que leva à perfeição no homem.”
    .
    Mais importante do que isso, Stevenson encontrou evidências que refutam a ideia de carma. Jim Tucker comenta sobre essas evidências contrárias no livro “Vida Antes da Vida”:
    .
    “De um modo geral, os nossos casos fornecem algum indício em favor da existência do karma? Antes de responder à pergunta, devo salientar que, pelo conceito de karma, as circunstâncias da pessoa nesta vida devem-se não só a atos praticados na última existência, mas também a tudo o que se fez em qualquer das vidas anteriores, de modo que precisar os efeitos apenas da última é difícil.
    .
    Examinei o banco de dados do nosso computador para ver se algumas características da personalidade anterior se adequariam às circunstâncias nas quais o sujeito nasceu. Especificamente, contemplei os seguintes itens sobre a personalidade anterior — PA era santo? Era criminoso? PA cometeu transgressões morais? PA tinha espírito filantrópico ou generoso? PA era ativo na observância religiosa? — a fim de descobrir se algum desses itens combinava com a situação econômica, o status social ou a casta da pessoa, nos casos indianos. Ao fazer isso, sei que deveríamos considerar um filho de pais amorosos e atentos, mas pobres, como nascido em circunstâncias positivas, mas cabe ao menos pensar que tais circunstâncias incluiriam mais provavelmente uma condição econômica superior.
    .
    Quando visualizei os testes de correlação, somente uma das características da personalidade anterior revelou-se pertinente às circunstâncias do sujeito. A santidade da personalidade anterior condizia de perto com a situação financeira do sujeito e mostrava uma correlação significativa com a sua posição social. Isso significa que, quanto mais santa tiver sido considerada a personalidade anterior, mais elevado será o status econômico e social da criança. A santidade não se correlaciona à casta do sujeito nos casos da Índia e nenhuma das outras características da personalidade anterior tem algo a ver com as circunstâncias do sujeito. Devemos, pois, concluir que as correlações exibidas pelo item santidade não passam de uma falha estatística e temos pouca evidência de que o karma das vidas anteriores afeta as circunstâncias do renascimento.
    .
    Outro fator a contrariar os efeitos do karma é o que mencionei no Capítulo 4. Os casos de marcas e defeitos de nascença envolvem lesões parecidas com as que as crianças se lembram de terem sofrido nas vidas anteriores. Se acharmos que o karma é responsável por esses sinais, então seria de esperar que lembrassem ferimentos infligidos pelas personalidades anteriores a outras pessoas, não os que elas próprias sofreram. Desde que não é esse o caso, temos de reconhecer que marcas e defeitos de nascença não dão suporte à idéia de efeitos kármicos.
    .
    Repitamos: a doutrina de karma é complexa e, embora possa explicar as descobertas vistas neste livro, cabe concluir que os nossos casos oferecem pouquíssimas evidências que a confirmem.”

  5. Roberto Scur Diz:

    Paloma,
    Muitos cientistas podem ser induzidos a auto-sugestao quando NAO acreditam muito no assunto que estao investigando, principalmente porque nao percebem muito alem do que ja foi descoberto anteriormente. Estes tem dificuldades de acrescentar muito mais ao que ja existe no conhecimento da humanidade, mas e melhor que sejam ceticos a aceitarem conceitos errados.
    A fragilidade dos conhecimentos cientificos esta exposta na sua necessidade de revogar o que era o certo ate ha pouco e assumir uma nova verdade mais adiante. Se a ciencia soubesse muito, nao seria desmentida de tempos em tempos.
    A questao dos 7 bilhoes de habitantes tem explicacoes no espiritismo, bastante logicas, mas e de cada um aceita-las ou nao.
    A questao do resgate dos erros cometidos em outras existencias eh, por sua vez, alem de logica, muito de acordo com a justica, e o ciclo que se repetiria realmente acontece ate certo nivel evolutivo dos espiritos envolvidos na refrega. Chega um dia em que alguem evolui e aprende o valor do perdao, e a cadeia se interrompe, mas eh claro que ate chegar a este ponto viveram os litigantes em sofrimento, vinganca.

  6. Vitor Diz:

    Ah, paloma
    sobre a carta em italiano, já recebi a resposta de um amigo meu sobre a carta. Mas só vou colocar aqui depois que você me passar a sua opinião, pois não quero te influenciar com o que meu amigo disse, ok? :-)

  7. Paloma Diz:

    Vitor, então não passa de amanhã! Estou louca para ver essa carta! :)

  8. Paloma Diz:

    Boa noite, Scur!
    Concordo que muitos cientistas têm má vontade com o que foge a uma explicação “racional”. Mas acho interessante os que usam equipamentos como ressonância funcional magnética para avaliar reações elétricas no cérebro, associadas a sensações/fatos até então inexplicados.
    Só para esclarecer, não sou cética; sou católica e sei que a minha religião é cheia de mistérios e coisas inexplicáveis. Já em espíritos eu não acredito. Mas respeito quem acredita e acho todas essas discussões muito interessantes.

  9. Vitor Diz:

    Oi, Paloma
    sobre médiuns genuínos – pelo menos, aqueles que eu considero assim – procure no blog por matérias relativas à Sra. Piper e a Gladys Osborne Leonard. São duas médiuns fantásticas. Use o sistema de busca. E disponibilizei o livro “Mediunidade e Sobrevivência” para download também, do Alan Gauld. É o melhor livro sobre o assunto já escrito. Disparado!

  10. Paulo-rs Diz:

    Oi Vitor
    Conheço essa falha na tentativa de replicar os experimentos do Dr. Persinger pelo grupo Sueco e a explicação dada por ele, é bem coerente. Lembre-se, essa é a primeira tentativa de confirmar o experimento.
    É fato que campos magnéticos podem causar sensações e até convulsões em certas pessoas como no caso da Estimulação Magnética Transcraniana .O capacete de Deus faz a mesma coisa com a diferença que o campo é menor e aleatório.
    Olha o que
    Dawkins relatou:” uma série de efeitos menores (relaxamento, sensações em seus membros, etc )”
    Imagina se uma pessoa sentisse isso dentro de uma igreja, o que iria pensar.
    Além da estimulação magnética, temos a por corrente continua – TDCS- ( uma especie de eletro-choque fraquissímo) que está sendo usada para depressão, avc, dores crônicas e dependência quimica. Isso sem falar no electrosleep desenvolvido pelos russos na década de 50 e usado até hoje.
    Essa área da eletrônica e cérebro me atrai muito e está apenas começando.

  11. Roberto Scur Diz:

    Paloma,
    Você não acredita em espíritos exatamente porque? Se você e católica acredita na vida após a morte, ou seja, eh espiritualista, e sendo assim você não teria uma visão clara do que faz o ser depois que seu corpo “morre”. O Espiritismo traz respostas para estas questões de forma lógica, racional, sem misticismo ou sem requerer a interferência de despachantes de Deus para se ter acesso ao Mesmo.

  12. Paulo-rs Diz:

    Scur
    “O Espiritismo traz respostas para estas questões de forma lógica, racional, sem misticismo” Tu está brincando, né véio?

  13. Roberto Scur Diz:

    Paulo,
    Claro que não tem brincadeira nesta afirmação. Se você bateu cabeça 30 anos no Espiritismo e não viu a lógica e o racionalismo dos princípios espiritas isto eh uma situação tua, mas não eh o que ocorre com grande parte dos que estudam a Doutrina.
    Para não nos alongarmos eu te pergunto qual a explicação que tu tem para o tema da vida, da sua utilidade, origem, destino, etc. Seja objetivo e sucinto. Depois a gente pode continuar a falar se for o caso. Se tu não der uma explicação então seria tu quem estaria de brincadeira, não acha?

  14. Vitor Diz:

    “O Espiritismo traz respostas para estas questões de forma lógica, racional, sem misticismo ou sem requerer a interferência de despachantes de Deus para se ter acesso ao Mesmo”
    .
    Só faltou dizer: “e sem prova alguma do que diz…”

  15. Vitor Diz:

    “Se tu não der uma explicação então seria tu quem estaria de brincadeira, não acha?”
    .
    As explicações espíritas possuem a profundidade de um pires, além de não terem confiabilidade alguma e em muitos casos estarem comprovadamente erradas.
    .
    Prefiro explicação nenhuma a uma falsa explicação.
    .
    Se eu tivesse que escolher uma religião seria Hare Krishna :)

  16. Paloma Diz:

    Scur,acredito que a vida não se encerra aqui, mas penso na “alma” não como algo material. Não imagino um céu ou um inferno. Por isso não vejo razão alguma para imaginar que, depois da morte, aquele que foi um indivíduo conserve voz ou “entre no corpo dos outros”. Para mim, isso é pura fantasia, talvez estimulada pelo desejo do homem de ser imortal. É mais fácil imaginar que, depois de morrer, eu serei a mesma Paloma, mas vou morar em um lugar muito bonito e conseguir me comunicar com o mundo dos vivos, até retornar um dia paraviver novamente. É bem mais difícil, porém, aceitar que não vamos mais existir da forma que somos hoje, que não teremos mais uma aparência, uma identidade, um vínculo com as pessoas com as quais convivemos. Mas, para mim, é isso que acontece. Não busco razão na fé; deixo a razão para a ciência. É por isso que acho tão interessante quando são desmascaradas essas coisas de casa assombrada, carta psicografada, cirurgia espiritual. Porque espíritos, para mim, são mesmo uma invenção do homem, inconformado com sua condição perecível. Minha ideia de imortalidade é bem diferente dessa.

  17. Paloma Diz:

    Concordo plenamente com o Vitor: melhor explicação nenhuma a algo mal explicado. Não espero jamais que a ciência prove a existência ou a inexistência de Deus. Isso é impossível porque se trata de uma questão puramente metafísica. Agora, quando você fala de uma doutrina baseada em acontecimentos/manifestações/incorporações/fenômenos, é bastante fácil provar que elas são produto da mente ou, no caso desses médiuns picaretas, da má intenção de alguém. Você não pode provar a existência/inexistência de Deus, mas pode provar que o médium pesquisou informações prévias sobre um morto para psicografar uma mensagem; que ele plagiou obras para atribuí-las a espíritos; que um dito cirurgião espiritual é uma farsa porque não cura ninguém e, embora incorpore a alma de um alemão, não sabe falar alemão, e por aí vai. Da mesma forma, você tem bilhões de explicações no campo da física e da neurociência para aqueles fenômenos que parecem sobrenaturais, mas são absolutamente normais.

  18. Gomes Diz:

    Olá Paloma,
    Sobre suas colocações das 10:40 :
    > Não consigo acreditar em reencarnação. Se temos 7 bilhões de pessoas no mundo, os relatos de lembranças das vidas passadas seriam muito mais frequentes, mesmo que essa fosse uma habilidade restrita a poucos.
    -
    Kardec – “O espírito renasce na condição que adquirira pelo seu trabalho anterior; para ele é um novo ponto de partida, um novo degrau a subir. Aqui a bondade
    do Criador ainda se manifesta, uma vez que a lembrança do passado, muitas vezes penosa e humilhante, somada às amarguras de sua nova existência, poderia
    perturbá-lo e criar-lhe embaraços. Ele se lembra apenas do que aprendeu, porque isto lhe é útil. Se, às vezes, ele conserva uma vaga intuição dos acontecimentos do passado, essa intuição é como a lembrança de um sonho fugaz. É, pois, um novo homem, por mais antigo que seja seu espírito. Ele triunfa sobre novos erros, auxiliado pelo que adquiriu.”
    -
    > Além disso, para que as pessoas teriam de viver muitas vidas? Para pagar o que fizeram anteriormente? Não vejo muita lógica.
    -
    Kardec – “Qual o fim objetivado com a reencarnação? R – Expiação, melhoramento progressivo da Humanidade. Sem isto, onde a justiça?”
    Kardec – “Não obraria Deus com eqüidade, nem de acordo com a Sua bondade, se condenasse para sempre os que talvez hajam encontrado, oriundos do próprio meio onde foram colocados e alheios à vontade que os animava, obstáculos ao seu melhoramento. Se a sorte do homem se fixasse irrevogavelmente depois da morte, não seria uma única a balança em que Deus pesa as ações de todas as criaturas e não haveria imparcialidade no tratamento que a todas dispensa”

    > Se Maria foi morta por João na vida passada, nessa ela iria prejudicá-lo para que ele purgasse seu pecado, certo? Então ela terá de pagar, em outra vida, o mal que causará em João. Aí temos um ciclo vicioso de culpas a serem resolvidas, não?
    -
    Não. Primeiro, porque a reencarnação objetiva o progresso moral, não a vingança. Logo, Maria poderia, valendo-se do livre arbítrio, perdoar quem a ofendeu (Mateus 6:15 – Se, porém, não perdoardes aos homens, tampouco vosso Pai perdoará vossas ofensas.) Segundo, porque essa situação remete justamente à sua primeira pergunta, tendo o esquecimento das vidas passadas o propósito de evitar ocorrências dessa natureza. Terceiro, a expiação do mal causado por João não necessariamente precisa originar-se numa ação de Maria, ou sequer numa ação objetiva, cabendo à Justiça Divina definir quando e como ocorrerá.
    -
    > Claro que essa pode ser uma opinião bem simplória, pois não conheço a doutrina espírita.
    -
    Se fossem perguntas simplórias, sequer teriam sido abordados na Codificação. Seus questionamentos são naturais e pertinentes, tanto que Kardec considerou necessário respondê-los.
    -
    > De qualquer forma, não acredito que almas voltem para cá, mesmo que reencarnadas. Vitor, eu sou um pouco São Tomé com essas coisas. Precisaria ver com meus próprios olhos para acreditar. Já entrevistei muitos médiuns e nunca vi absolutamente nada, literalmente, “do outro mundo”.
    -
    Acredito piamente nas suas palavras. Não sei quais você entrevistou mas, considerando que no panorama atual temos a presença crescente de falsos médiuns, e de médiuns legítimos mas que pouco se interessam em estudar o Kardecismo, as chances de alguém se surpreender com eles são realmente bem pequenas.

  19. Paulo-rs Diz:

    Vitor…não to conseguindo postar.
    O scur vai ficar sem resposta!

  20. Rafael Maia Diz:

    Infelismente essa é a regra. 98 % de fraudadores, 2% de verdadeiros, por exemplo.

    Isso me lembra a universidade do arizona, que tem um setor específico que realiza pesquisas sobre a possibilidade da sobrevivência da consciência após a morte, pelo doutor GARY E. SCHWARTZ, Ph.D pela Harvard University. Nas suas pesquisas, ele afirma que a parte mais difícil de toda a pesquisa é achar os verdadeiros mediuns. Num processo de escolha de mediuns, no início são testados mais de 200 mediuns, mas acabam achando apenas 12 ou 6 verdadeiros, salvo me enagno. Ou seja, um índice de 10% de veracidade em média.

    Acredito que essa seja a possivel explicação pela qual voçe tenha achado tantos fraudadores paloma.

  21. Paloma Diz:

    Oi, Gomes, muito obrigada pelas explicações. Elas são, de fato, muito interessantes. Concordo que, em sua bondade, Deus dá a chance de as pessoas se arrependerem, melhorarem, superarem seus erros. Mas acho que tudo isso pode ser feito em uma única vida. Como a concepção que tenho sobre vida após a morte é um pouco diferente da concepção espírita, a reencarnação não se encaixa dentro dessa minha perspectiva. Grande abraço!

  22. Paloma Diz:

    É verdade, Rafael, muita gente age de má fé, comprometendo a imagem do espiritismo. Me lembro que quando fiz a matéria da falsa médium, uma pessoa da Federação Espírita ligou para agradecer, porque disse que gente como ela manchava a Doutrina.

  23. Rafael Maia Diz:

    Interessante paloma. Achei muito interessante também sua fé. Voçe consegue separar bem as coisas, fé de razão. Mesmo com tanta materialidade ao seu redor, descobrindo fraudadores e vendo a realidade das coisas, continua firme e forte com sua fé em deus. Muito bonito, parabêns.

  24. Gomes Diz:

    Olá Vitor!
    -
    “As explicações espíritas possuem a profundidade de um pires, além de não terem confiabilidade alguma e em muitos casos estarem comprovadamente erradas.”
    -
    Rapaz, e a Super ainda te definiu como espírita hem? Essa mídia “secular” é dose heheehe
    -
    Olha, não creio que a doutrina espírita seja rasa como você diz. O sistema é coeso dentro dos princípios que erigiu, e o encadeamento das explicações é eficiente. Perfeito, evidentemente não é, do contrário sequer nos teria sido revelado no estágio em que nos encontramos. Cabe a cada um estudá-lo e examinar se pessoalmente lhe faz sentido ou não.
    -
    “Prefiro explicação nenhuma a uma falsa explicação.”
    -
    Assino embaixo, e Kardec também:
    -
    “Não admitais, pois, o que não for para vós de evidência inegável. Ao aparecer uma nova opinião, por menos que vos pareça duvidosa, passai-a pelo crivo da razão e da lógica. O que a razão e o bom senso reprovam, rejeitai corajosamente. Mais vale rejeitar dez verdades do que admitir uma única mentira, uma única teoria falsa”
    “Essa regra de ouro do Espiritismo, dada, como se vê, pelo Espírito Erasto, discípulo do apóstolo Paulo, espalhou-se como sendo o próprio Kardec e em forma diferente, ou seja: Mais vale rejeitar noventa e nove verdades do que aceitar uma mentira. Foi por esse motivo que a grifamos no texto. Trata-se, realmente, de uma regra que deve ser constantemente observada nos trabalhos e nos estudos espíritas.”
    -
    Um abraço a todos e um bom domingo!

  25. Paloma Diz:

    Obrigada, Rafael! Acho que religião/espiritualidade não precisam se opôr a ciência/razão e vice-versa. Sou do tipo que acredita piamente no big bang, mas que a mão de Deus é que estava por trás dessa explosão :)

  26. Rafael Maia Diz:

    rsrsrsrs Tipo, deus ascendeu o fogo do TNT. Afinal, alguem tinha que explodir aquele monte de matéria comprimida.

  27. Gomes Diz:

    Paloma,
    -
    De nada, estou à disposição no que puder (e souber) ajudar! Como Rafael disse, seu ponto de vista é interessante, e acompanharei seus artigos para saber mais sobre sua concepção de imortalidade. Uma boa noite pra você!

  28. Paloma Diz:

    Boa noite e um ótimo domingo!

  29. Rafael Maia Diz:

    Gomes, se me permite, gostaria de fazer uma pergunta crítica ao espiritismo, como forma de debate, não para causar polémicas. Muita gente ainda tem dúvidas se deus existe ou não. Então, é provavel que quando a pessoa morra, ele descubra isso, se Ele existe ou não. Ele saberá se kardec falou a verdade ou não, pois, se as coisas funcionam como kardec diz, os espiritos mais evoluidos devem avisar aos menos evoluidos sobre Deus.

    A dúvida é, se eu morresse e descobrisse que deus existe, uma das primeiras coisas que eu falaria seria que Deus de fato existe. Que de fato existe aquele ser onipotente que todos a milênios falam. Voçe acha que os espiritos falam isso pro seus parentes quando falam numa comunicação espirita ? Se não, porque ?

  30. Paulo-rs Diz:

    Scur, não fiquei 30 anos no espíritismo, não sou louco!
    Fui simpatizante por uns 5 anos no máximo e li, creio eu, uns 8 livros. Fui em muitas seções e palestras enfadonhas. Meu pai era e abandou também. Antes de tu dizer que eu não entendo nada, pense se você já leu 8 livros céticos !

  31. Gomes Diz:

    Olá Rafael,
    -
    Não sei se pelo cansaço e o adiantado da hora (estou terminando um extenso material de trabalho para segunda) consegui compreender seu questionamento. Você pergunta se numa comunicação os espíritos podem informar a existência de Deus, é isso?
    -
    Sim, podem, e constantemente fazem. No primeiro capítulo do Livro dos Espíritos, inclusive, os espíritos falam apenas sobre isso. Todo as mensagens que construíram o alicerce do Kardecismo tem como premissa a Justiça Divina (o que evidentemente pressupõe que os comunicadores aceitam a existência de Deus).
    -
    Quanto ao que cada espírito decide comunicar a seus familiares e amigos, isso depende do que ele tiver interesse, capacidade ou autorização para transmitir, sempre ressaltando que, como há diversos níveis morais e intelectuais de espíritos, o que se obtém deve ser criteriosamente analisado antes de aceito.
    -
    Sds

  32. Rafael Maia Diz:

    Entendi. Mas voçe já presenciou alguma comunicação espirita, onde o espirito diz que não esta autorizado a falar porque outros espiritos não permitiam ou então diz que deus existe e ele se convenceu disso após a morte ?

  33. Gomes Diz:

    Olá Rafael,
    -
    Nunca tive conhecimento de nenhum espírito que alegasse estar proibido de afirmar sobre a existência de Deus, mas não é impossível que isso ocorra. Como mencionei, há diversos níveis espirituais, e você pode entrar em contato com algum espírito que, por leviandade ou pouco conhecimento, lhe transmita uma informação falsa.
    -
    Sobre se convencer acerca de Deus e da realidade espiritual após a morte, sim, já li muitas. Mas a coisa não funcionada sempre assim, não se trata obrigatoriamente de um processo imediato, instantâneo, como se todos dormíssemos aqui e acordássemos lá convictos de tudo. A desencarnação varia bastante conforme o indivíduo. Há espíritos que, quando se comunicam, sequer admitem estarem mortos. Estes, consequentemente, na etapa em que se encontram, podem negar a existência de Deus se nele não acreditavam quando vivos. O recobrar da consciência espiritual é alguns casos, um processo consideravelmente lento.
    -
    Boa semana a todos!

  34. Roberto Scur Diz:

    Paulo,
    Você considera que as pessoas que estudam o Espiritismo são loucas, portanto?
    Pelo que relatas não seria adequado se auto-denominar como um “ex-espírita”, mas quiçá como um “ex-simpatizante do espiritismo”, não acha?
    Se você leu 8 livros Espíritas e fez seu julgamento de valor então isto é um bom sinal, mas seria melhor que você tivesse estudado pelo menos as Obras Básicas do Espiritismo: O Livro dos Espíritos, O Evangelho Segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno, O Que é o Espiritismo, A Gênese, O Livro dos Médiuns e quem sabe Obras Póstumas.
    Quem não leu estes livros não têm base para prosseguir estudando a Doutrina, ou talvez não poderia se dizer “espírita”, assim como um matemático, um médico, um astrônomo, etc., não podem assim denominarem-se se não tiverem estudado muito.
    Sobre eu ter lido os livros céticos e não o fiz porque nunca me interessou o pensamento cético que não acredita mas não estuda, não aprofunda, apenas não quer saber. Se dizer “sou cético” não significa uma grandiosidade filosófica ou científica na minha opinião, não é salvoconduto para se opinar sobre qualquer assunto que não se entenda, que não se tenha estudado.
    Kardec, por exemplo, era cético em relação aos fenômenos das mesas girantes e falantes (por batidas), e disse que só acreditaria nisso se provassem para ele que a mesa pudesse ter um cérebro já que respostas inteligentes não poderiam provir de algo não inteligente.
    Aí ele pegou seu ceticismo e fez um excelente uso do mesmo, pois percebeu a importância do que ali ocorria e ao contrário dos muitos que só viram diversão nas reuniões sociais francesas onde se viam os fenômenos físicos, buscou denodadamente a causa destes e suas consequências na nossa vida.
    Você citar, por exemplo, algum livro de algum “papa” do ceticismo como os de Segan, não agregam muito pois tratam de assuntos ultrapassados já a época que foram escritos. Segan não parece ter lido as obras básicas do Espiritismo, acho que não as conheceu, nem sabia que existiam, então não têm valor científico suas opiniões acerca das religiões tradicionais ainda fundamentadas nos antigos dogmas.

  35. Roberto Scur Diz:

    Vitor,
    Me diga uma explicação espírita que esteja “comprovadamente errada”.

  36. Roberto Scur Diz:

    Paloma,
    Segundo o Espiritismo, o que não é material é espiritual, então acredito que o entendimento de “alma” seja espiritual, e o corpo desta alma seja um corpo feito de matéria sutil aos nossos sentidos físicos, mas ainda assim matéria, muito maleável, e que se ajusta de tempos em tempos à matéria física para animar uma nova existência do ser no planeta em que se encontra estagiando.
    Pelo que entendi, se alguém morrer, na tua opinião, ficará afônico? E pelo que entendi você compreende que o Espiritismo afirme que alguém possa “entrar” no corpo de alguém? Não, o Espiritismo explica como o processo mediúnico se dá, e não existe “entra e sai” de espírito em corpos como se imagina geralmente.
    Não tenho as explicações mais pormenorizadas comigo, agora, e acho que o Gomes poderá te explicar com maior qualidade pois percebe-se que é estudioso e coerente.
    Se não tivermos mais uma identidade seríamos nada.
    O mais adequado é buscar razão em tudo, principalmente na fé, para que ela não fique cega. Tudo necessita de uma explicação lógica, nada pode ser místico, e se há algo que não temos condições de entender devido a nossas limitações então é bom que se diga exatamente assim, e não se crie à partir disso um dogma inamovível e “sagrado”.
    Desmascarar fraudes realmente é algo fácil, basta perseverança caso o fraudador seja muito hábil, mas sempre se pode descobri-la, cedo ou tarde.
    Bom Paloma, mas é bom que estejas investigando e ajudando a desmascarar os fraudadores, tão frequentes em qualquer área de nossa sociedade.
    Agradeço o diálogo e bom trabalho.

  37. Roberto Scur Diz:

    Vitor,
    Apoiado totalmente. Melhor nenhuma explicação do que uma falsa. Estás num excelente caminho, mas cuide também para não transmitir falsas explicações para outros.

  38. Roberto Scur Diz:

    Vitor,
    Não conheço a filosofia Hare Krishna, mas se você prefere ela às outras é porque você têm muito por colaborar neste segmento religioso, e ela será muito melhor para ti do que as outras.
    Sucesso.

  39. Vitor Diz:

    Scur, vou te mostrar o site de uma pessoa que leu O Livro dos Espíritos, O Evangelho Segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno, O Que é o Espiritismo, A Gênese, O Livro dos Médiuns e Obras Póstumas e fez críticas a cada um desses livros, mostrando diversas explicações espíritas que estão “comprovadamente erradas”, e não só: a grande falta de lógica na Doutrina.

    Link: http://www.criticandokardec.com.br/kardec2.htm

  40. Roberto Scur Diz:

    Vitor,
    Não seria melhor TU citar UMA explicação, argumentar em cima desta uminha, coisa pouca, nadica de nada, já que têm “tantas” explicações “comprovadamente” erradas?
    Eu estava falando contigo, não era?
    Mas se não quizer responder, tudo bem, deixa assim. Valeu!

  41. Roberto Scur Diz:

    Porque este rapaz aí que está “criticando Kardec” o faz por moto próprio, baseando-se em “eu acho…”, “ao meu ver…”, e convenhamos, uma opinião não se presta para comprovação.
    Faça tu então, caro Vitor, a tua parte, e cite UMA comprovação, e não achismos. Faça valer teu enunciado de rodapé do blog e “a luz da ciência atual” mostre apenas UMA comprovação.
    Obrigado!

  42. Rafael Maia Diz:

    Opa gomes, não é autorização para um espirito falar da existência de deus não que eu me referia. É qualquer coisa que fosse proibido por outros espiritos. Exemplo: um espirito gostaria de falar alguma coisa, mas outros espiritos não permitiram.

    Parti que esse tipo de comportamento existia com base nesse trecho que voçe falou: “Quanto ao que cada espírito decide comunicar a seus familiares e amigos, isso depende do que ele tiver interesse, capacidade ou AUTORIZAÇÃO PARA TRANSMITIR,”

    Com base nisso, fiquei curioso sobre essa história de autorização para um espirito falar.

    Compreendo o que diz sobre o estado de espirito pode influenciar em como ele ira “aparecer” no mundo dos espiritos.
    Abraços.

  43. Rafael Maia Diz:

    Opa gomes, não é autorização para um espirito falar da existência de deus não que eu me referia. É qualquer coisa que fosse proibido por outros espiritos. Exemplo: um espirito gostaria de falar alguma coisa, mas outros espiritos não permitiram sobre o funcionamento do vida após a morte.

    Parti do princípio que esse tipo de comportamento existia com base nesse trecho que voçe falou: “Quanto ao que cada espírito decide comunicar a seus familiares e amigos, isso depende do que ele tiver interesse, capacidade ou AUTORIZAÇÃO PARA TRANSMITIR,”

    Com base nisso, fiquei curioso sobre essa história de autorização para um espirito falar.

    Compreendo o que diz sobre o estado de espirito pode influenciar em como ele ira “aparecer” no mundo dos espiritos.

    Outra situação muito critica ao espiritismo, que eu escuto falar, é a seguinte:
    Como ficaria a situação dos judeus, por exemplo, milhões de judeus não acreditam que jesus é filho de deus. Um judeu que morra, dos milhares que já morreram deve saber a verdade, qual seja, que jesus é filho de deus. Isso não deveria fazer com que varias comunicações espiritas de espiritos de judeus avisassem sobre essa verdade para seus companheiros, qual seja, que eles estão errados e que jesus é realmente filho de deus.

    Abraços.

  44. Rafael Maia Diz:

    Opa gomes, não é autorização para um espirito falar da existência de deus não que eu me referia. É qualquer coisa que fosse proibido por outros espiritos. Exemplo: um espirito gostaria de falar alguma coisa, mas outros espiritos não permitiram sobre o funcionamento do vida após a morte.

    Parti do princípio que esse tipo de comportamento existia com base nesse trecho que voçe falou: “Quanto ao que cada espírito decide comunicar a seus familiares e amigos, isso depende do que ele tiver interesse, capacidade ou AUTORIZAÇÃO PARA TRANSMITIR,”

    Com base nisso, fiquei curioso sobre essa história de autorização para um espirito falar.

    Compreendo o que diz sobre o estado de espirito pode influenciar em como ele ira “aparecer” no mundo dos espiritos.

    Outra situação muito critica ao espiritismo, que eu escuto falar, é a seguinte:
    Como ficaria a situação dos judeus, por exemplo, milhões de judeus não acreditam que jesus é filho de deus. Um judeu que morra, dos milhares que já morreram deve saber a verdade, qual seja, que jesus é filho de deus. Isso não deveria fazer com que varias comunicações espiritas de espiritos de judeus avisassem sobre essa verdade para seus companheiros, qual seja, que eles estão errados e que jesus é realmente filho de deus.

    Abraços.

  45. Paulo-rs Diz:

    Scur, eu ia te responder a pergunta de ontem e minhas observações de hoje, mas está muito dificil a postagem.
    Fica para a próxima!

  46. Paloma Diz:

    Scur, eu não acho que temos de encontrar razão para a fé. Fosse assim, certos estão os ateus, porque não há razão lógica nenhuma para se acreditar em Deus. Quanto à minha ideia de imortalidade, acho que depois da vida não precisamos de voz, de aparência, de nome. É porque, novamente, não acredito em céu e inferno como sendo locais físicos. Veja, o próprio universo tem mais de 10 dimensões, distorção espaço/tempo, zonas em que mesmo a matéria mais massiva é sugada para um local desconhecido (os buracos negros). Isso porque o universo é “palpável”, observável. Então imagino que a vida definitiva, que sequer me parece estar no cosmos, deva ser muito diferente do que conhecemos como a vida da Terra. Penso mais em um estado de espírito, uma sensação de plenitude, do que um lugar composto de matéria. Abraços, Paloma

  47. Roberto Scur Diz:

    Bom Paloma,
    É um tanto fugidia e vaporosa tua impressão sobre a vida após a morte do corpo físico.
    Realmente não existe o céu e o inferno de acordo com os conceitos que foram apresentado pelos homens para os homens, no passado.
    Você poderia ler o livro “O Céu e o Inferno”, de Kardec. É um livro curto mas bem elucidativo sobre o tema desta antiga e confusa crença sobre prêmios e punições.
    Convenhamos que acreditar em alguma coisa qualquer que não saibamos dizer ao certo é deveras conveniente, e dissociar a fé da razão também.
    Mas é a sua visão e você haverá de explorá-la ao máximo enquanto satisfizer sua sede de saber.

  48. Rafael Maia Diz:

    Vitor estava com defeito o seu blog. Eu enviei mais de uma vez porque não aparecia como se eu tivesse enviado e ainda me remetia para um outro site estranho.

  49. Paloma Diz:

    Scur, vou procurar ler o livro, gosto de entender o ponto de vista das religiões e doutrinas diferentes da minha. Mas sobre acreditar em que não sabemos ao certo, acho que essa é a essência da fé, reconhecer que somos demasiado limitados para compreender absolutamente tudo e ter humildade suficiente para não achar, como no mito de Adão e Eva, que poderemos ser donos da árvore da sabedoria. Entendo sua preocupação com o fanatismo, a fé cega, e compartilho dessa preocupação. Mas acho que algumas questões jamais podem ser explicadas pela razão. Por exemplo: onde está razão na existência de Deus? Conheço a explicação de Kardec e acho simplória demais. Você consegue explicar, racionalmente, a existência de Deus?

  50. mrh Diz:

    Kara Pomba:
    .
    Vc escreveu q determinadas ocorrências anômalas “despertam o interesse dos cientistas q ñ c conformam c/ explicações sobrenaturais e, cada vez +, estudam os mecanismos do cérebro responsáveis p/ esses acontecimentos”.
    .
    Vc reparou na ausência d isenção d sua redação? Ao colocar d saída os adeptos da ideia d q a alma c separa momentaneamente do corpo na condição d defensores do “sobrenatural” e os cientistas como defensores do mecanicismo, vc demarcou os campos irremediavelmente e c posicionou d modo parcial?
    .
    Direito seu, claro.
    .
    Todavia, por q na natureza ñ poderia existir algo como 1 alma – ao menos como entidade teórica, situação usual na ciência?
    .
    Por q os defensores d q a alma pode c separar p/ alguns momentos do corpo ñ podem acreditar q isso ocorre através d 1 mecanismo?
    .
    C/ efeito, eu, q estudo esses fenômenos já há algumas décadas, ainda ñ encontrei 1 autor q defenda a existência d tais ocorrências q as considere “sobrenaturais”.
    .
    Platão, lá atrás, descreveu 1 caso, considerando q a alma faz parte da natureza assim como o corpo físico, as pedras etc.
    .
    Descartes, pai e vovô do racionalismo moderno (embora ñ tenha trabalhado c/ tais fenômenos) também pensava a alma como parte do mundo natural.
    .
    Os estudioso + recentes q a defendem também.
    .
    .
    Outra passagem revela + d vc do q do debate: “É comum ouvir relatos d pessoas q acreditam já terem “saído do próprio corpo”, 1 experiência geralmente associada a fatores místicos e religiosos. + a ciência conseguiu provar q o fenômeno tem 1 explicação lógica”.
    .
    Criar 1 espantalho p/ bater nele é 1 estratégia retórica muito comum na divulgação científica, + o custo é o conservadorismo, pois ñ descreve justamente a posição dos defensores da outra convicção, e ñ nos prepara p/ possíveis saltos & rupturas no campo do conhecimento momentaneamente aceito.
    .
    Por q acreditar q a consciência humana pode ser independente do cérebro ñ seria “lógico”? Posso concordar c/ vc q ñ atende às expectativas d pressupostos materialistas; contudo, dar a essa escola metafísica o monopólio da “lógica” ñ me parece adequado. Assim, os defensores da anomalia seriam religiosos, místicos e, p/ fim, irracionais.
    .
    Ou seja, sua redação embute inúmeros preconceitos liminarmente, q já decidem no seu espírito a contenda. Alias, nele sequer houve 1 contenda. E ñ c trata d 1 questão menor. Bacon, 1 dos pais da ciência moderna, advogava q a diferença entre o científico e o ñ científico consiste na aplicação d 1 método, cujo primeiro passo é desfazer-se dos ídolos, ou seja, d idéias preconcebidas. Vc recheou seu texto delas.
    .
    + 1 ponto: “Em 2007, pesquisadores publicaram na revista Science estudos q mostram ser possível, inclusive, induzir essa sensação em pessoas saudáveis, q nunca pensaram q suas almas haviam se separado do corpo”.
    .
    Bem, além d tudo, os adversários teóricos são doentes.
    .
    Os pesquisadores induziram 1 experiência, e isto é interessante, + por q associá-la à experiência, p. ex., d seu amigo q afirmava sair do corpo? Ñ poderiam ser 2 experiências distintas? O modo d produção é distinto, ao menos. Poderiam ser 2 experiências perfeitamente outras. Seu texto sequer considera tal possibilidade. Valeria a pena ajuntar 2 relatos-padrão d tais experiências, p/ argumentar q c tratam d experiências d mesma natureza, produzidas d modo distinto.
    .
    “Esse experimento sugere q sentimos q nosso ‘eu’ está localizado onde estão nossos olhos”, afirmou Ehrsson”. A prudente expressão “sugere” do cientista foi trocada por vc pela expressão conotativamente carregada “a ciência prova”. E ñ foi só 1 vez q os cientistas foram prudentes em suas declarações, e vc contundente – a começar pelo título da matéria.
    .
    Recorde-se q seu amigo, q teve tais experiências, ñ tinha 1 dispositivo ótico colado ao corpo, a induzir a experiência e, portanto, a explicação aqui ñ é lógica, + analógica.
    .
    C eu escrever “todos os homens são mortais; Sócrates é homem; logo, Sócrates é mortal”, terei escrito 1 fórmula lógica, sólida.
    .
    + c eu escrever q “os cães são amigos do homem, os porcos, como os cães, são animais domésticos e, então, devem ser amistosos” estou raciocinando p/ analogia, e posso perigosamente estar errado, e só descobrir isso na primeira mordida.
    .
    Os modos d produção dos fenômenos foram distintos, portanto, as conclusões podem ñ ser aplicáveis a ambos os casos.
    .
    Olhos da alma? No mínimo, na teoria do conhecimento, ainda q ñ na metafísica da natureza, poderíamos admitir 1 impacto – percepção extra-sensorial? O suficiente p/ fazer o mainstream hard urrar, pois talvez existam visões objetivas desacompanhadas do órgão olho.
    .
    Enfim, ñ me ocorre agora algo +, pombinha.

  51. Rafael Maia Diz:

    Paloma vc fala muito sobre física. Eu já li bastante sobre física, como os livros do Stephen Hawking. Voçe é uma leitora do assunto ou apenas acompanha as notícias ?

  52. Paloma Diz:

    Oi, mrh,
    desculpa se meu texto pareceu preconceituoso, garanto que não foi intencional (o título nem fui eu quem fiz, é um trabalho a cargo dos editores). Bem, eu escrevo em uma página de ciência, então meu trabalho é fazer divulgação científica, falar das descobertas mais recentes e publicadasm revistas de referência. Então, não há espaço para debate, é uma questão editorial. Mas, se um dia, um cientista provar que a experiência extracorpórea é fato e não só artimanha da mente, prometo a você uma matéria bem grande a respeito :)
    Abraços,

  53. Paloma Diz:

    Oi, Rafael, eu leio muito sobre física porque, como faço jornalismo científico, preciso escrever reportagens sobre o assunto. Costumo entrevistar muitos astrônomos, astrofísicos e astrobiólogos. Esse último é um campo bem interessante porque estuda a vida fora da Terra.

  54. Roberto Scur Diz:

    Paloma,
    Realmente eu sugiro que você leia este livro. Se fizer algum sentido, busque outras informações.
    Eu não me considero suficientemente capaz de te explicar sobre a existência de Deus. Se a explicação presente em O Livro dos Espíritos não te convenceu, eu, muito menos, o conseguiria, nem de perto, nem de longe.
    Bom, mas concluindo, desejo que sejas feliz em tuas pesquisas e aproveite o contraditório das idéias de uns e outros aqui, ou acolá, de preferência sem paixões, sem torcida, mas com serenidade.
    E afinal, fique em paz e que Deus te abençoe.

  55. Paulo-rs Diz:

    Mrh,
    “Todavia, por q na natureza ñ poderia existir algo como 1 alma – ao menos como entidade teórica, situação usual na ciência?”
    Conceitue para nós o que vc entende por alma, do que é constituída ( ou não), de como não se mistura no espaço, de como guarda e ordena informações, de como se desloca, e de como se mantém.
    Só vc definindo isso, ai poderemos entender se vc fala de algo real ou no campo das idéias ( como conceito de justiça, bom)

  56. Paloma Diz:

    Mrh, só para esclarecer o que eu disse acima, nas minhas matérias não há espaço para debates que não sejam científicos. Se um cientista contradisser o outro, e isso é comum, claro que os dois lados serão publicados. O que não posso fazer é dar voz a ideias sem cunho científico em uma publicação de divulgação científica.

    Scur, vou procurar pelo livro sim. Fique com Deus também!

    Boa semana a todos e que tenhamos ótimos debates pela frente!

  57. mrh Diz:

    Paulo-rs,
    .
    a vantagem d estudar história da ciência é q agente começa a ficar escolado nos argumentos.
    .
    P/ ex: vc acha q, quando os astrônomos perceberam q, pelo comportamento gravitacional do sistema solar, deveria existir neste 1 nono planeta (hoje ñ + planeta), seria legítimo alguém dizer: a é? Então diga-me do q este planeta é constituído, da precisa proporção d seus elementos químicos, se tem mares e montanhas, vida, d como esta vida se desenvolveu e mantém etc.
    .
    C ñ estiver pronta a ciência, eu ñ aceito.
    .
    Bem, acho q os astrônomos diriam: tudo a seu tempo.
    .
    1º, vamos encontrar Plutão no telescópio e, após evidenciar sua existência p/ além da condição d entidade teórica, então vamos talvez, 1 dia, enviar sondas espaciais p/ saber +.
    .
    No momento histórico, ñ é possível satisfazer sua exigência d coisa pronta.
    .
    + quem sabe, quando a Paloma considerar ciência legítima ñ só aquela feita c/ pressupostos materialistas, então poderemos deslocar + verbas p/ estudar a consciência humana e a possibilidade d sobrevivência e então, aí, constatar suas propriedades.

  58. Paulo-rs Diz:

    Mrh, sobre o seu argumento do planeta.
    Você está esquecendo do principal, planetas pertencem ao mundo físico!
    Quando os cientistas perceberam que deveria ter mais um planeta, eles já sabiam de antemão o que é um planeta, da onde veio, que possui uma orbita, que é redondo…porque já observaram outros antes.
    E agora sobre espíritos, o que temos, além da discrição religiosa?
    Já te digo: NADA!
    Abaixo o verbete Alma do dicionário do Cético e veja a dificuldade do conceito.
    “Uma entidade não-fisica capaz de percepção e vida. É acreditado vulgarmente serem imortais…Como Thomas Hobbes apontou, o conceito de uma substância não-fisica é uma contradição. Não é possivel imaginar uma entidade não-fisica tendo percepções e vida. Mesmos os crentes imaginam-nas como formas humanas com forma de nuvem ou nevoeiro. É uma ilusão acreditar que o conceito de alma é concebível.
    …Mais promissor é o trabalho dos que veem a consciência em termos de funcionamento do cérebro, e tentam compreender as doenças “mentais” como um problema físico. Duas vastas industrias tornaram-se possíveis graças a esta crença em não-seres: a igreja e a psicologia. Uma terceira, filosofia, floresce também graças ao conceito de alma: muitos filósofos escrevem baseados na existência de espíritos, enquanto outros escrevem refutações e criticas a esses livros e artigos. Parece que os cépticos e os crentes precisam uns dos outros!

  59. Vitor Diz:

    Oi, Paulo-rs
    é possível rebater o Thomas Hobbes de várias maneiras, mas a mais simples é: espíritos, se existirem, são provavelmente matéria (ou matéria escura, energia escura, ou outra variação ainda não descoberta mas basicamente incluível no rol da matéria).
    Por falar em matéria escura e energia escura, coloque-as no lugar dos planetas do mrh e você verá que o mrh está certo em seus argumentos, embora o exemplo não tenha sido o melhor possível (mas ainda assim válido. Aliás, ano passado descobriu-se a existência de planetas que não tinham órbita…). Veja abaixo uma reportagem que comprova o que digo:
    .
    Pelos nossos olhos, o Universo parece um vazio escuro permeado por milhares de milhões de galáxias aqui e ali. Mas, aparentemente, a matéria que conhecemos bem, os protões, neutrões, electrões e outras partículas, perfazem apenas 4% do Universo.

    Do que é feito o resto? Matéria escura e energia escura. A matéria escura será 23% do Universo. Os físicos teóricos defendem que é a existência desta matéria que explica como as galáxias estão presas umas às outras. O resto, 73% do Universo, será formado por energia escura, ainda mais misteriosa, e que funcionará como uma força repulsiva que provoca a constante expansão do Universo.

    “Sabemos muito pouco sobre o universo escuro”, disse Catherine Heymans, investigadora da Escola de Física e de Astronomia da Universidade de Edimburgo, durante a conferência de imprensa sobre a apresentação do estudo, no encontro da sociedade. “Não sabemos o que é que a partícula da matéria escura é. Há uma ideia generalizada que a compreensão final do universo escuro vai ter que invocar alguma física teórica nova.””

  60. Paloma Diz:

    Mrh,
    até o ano passado, a Universidade de Brasília mantinha, como atividade de extensão, um núcleo de estudos paranormais. Era liderado por um físico que acreditava piamente em experiência extracorpórea, mediunidade e telepatia. Esse núcleo existiu por mais de 10 anos e jamais conseguiu provar absolutamente nada. Uma das pesquisas era a seguinte: eles recrutavam voluntários no Hospital Universitário, que estavam se tratando de determinada doença e possuíam um diagnóstico médico X. Esses voluntários eram apresentados às médiuns, que, observadas pelos pesquisadores do núcleo, faziam o próprio diagnóstico. O resultado é que elas nunca acertaram nada e só o que faziam era uma lista enorme de doenças, de espinhela caída (brincadeira) a câncer. O físico que dirigia o núcleo dizia que saía do corpo mas nunca se deixou ser estudado. O núcleo foi fechado no ano passado, depois de uma médium ser presa, por falso testemunho em um processo de homicídio.
    Enfim, o que quero dizer com isso é que não é verdade que não se estudam fenômenos ditos paranormais. Óbvio que existe mesmo uma má vontade natural dos cientistas, mas entendo que, se um conseguisse provar que a alma sai do corpo, ele adoraria anunciar isso. Imagina: prêmio Nobel de física, na certa. O problema é que mesmo os pesquisadores independentes, que acreditam nesses fenômenos, jamais conseguiram provar nada. Como destinar verba federal para isso, então?
    Quanto ao universo, sabe-se muito pouco a respeito. Supertelescópios estão aí para estudá-lo e vêm revelando mais mistérios que fatos. Em terra firme, temos os aceleradores de partícula. Ou seja, acho que a ciência está, sim, se esforçando para investigar coisas ainda incompreensíveis e jamais observadas (o bóson de Higgs, por exemplo). A física de partículas, a física quântica, aliás, não deixam de ser quase “religiosas”, no sentido de ser necessária muita fé para acreditar nelas, já que quase tudo o que se sabe até agora é teoria pura…

  61. Vitor Diz:

    Oi, Paloma
    muitos cientistas independentes conseguiram reunir evidências suficientes da existência de espíritos de forma a torná-la uma hipótese plausível. A própria médium Leonora Piper foi citada na Science e na Enciclopédia Britânica como uma médium legítima. E ela fazia diagnósticos precisos – embora não infalíveis – alegando incorporar o espírito de um médico. Mais recentemente, foi publicado em 2011 um artigo dando uma validada na mediunidade no Journal of Nervous and Mental Diseases, uma revista indexada e com bom fator de impacto. Já está traduzido aqui no blog, em
    http://obraspsicografadas.haaan.com/2011/uma-investigao-de-mdiuns-que-alegam-receber-informaes-sobre-pessoas-falecidas-2011/

  62. Vitor Diz:

    Oi, Scur
    comentando:
    01 – “Porque este rapaz aí que está “criticando Kardec” o faz por moto próprio, baseando-se em “eu acho…”, “ao meu ver…”, e convenhamos, uma opinião não se presta para comprovação.”
    .
    Isso é apenas uma maneira de não ser enfático nem parecer arrogante nas colocações. Mas, pode ter a certeza que as críticas vem sempre acompanhadas de uma base muito sólida de conhecimento e raciocínio.
    .
    02 – “Faça tu então, caro Vitor, a tua parte, e cite UMA comprovação, e não achismos. Faça valer teu enunciado de rodapé do blog e “a luz da ciência atual” mostre apenas UMA comprovação.”
    .
    Perfeito.
    .
    Página 66
    Ainda há seres que nasçam espontaneamente?
    “Sim, mas o gérmen primitivo já existia em estado latente. Sois todos os dias testemunhas desse fenômeno. Os tecidos do corpo humano e do dos animais não encerram os germens de uma multidão de vermes que só esperam, para desabrochar, a fermentação pútrida que lhes é necessária à existência? É um mundo minúsculo que dormita e se cria.”
    .
    Esse erro acima é deveras grave. Espíritos Superiores estão afirmando que as larvas que aparecem na carne apodrecendo são fruto da própria carne, e não de ovos de moscas, etc. Tais “vermes”, ou melhor, larvas, são na verdade oriundos dos ovos deixados pelos insetos, de acordo com o atual conhecimento científico. Cabe ressaltar também que os vermes que de fato existem (por vezes) dentro de nós, que são os vermes intestinais, na verdade morrem quando nós morremos. A ciência atual não admite sequer que organismos tão simples quanto células surjam por geração espontânea (apesar de em algum momento no passado isso ter forçosamente ocorrido, quando da origem das primeiras células há uns três bilhões de anos atrás).

  63. Paulo-rs Diz:

    Vitor, meu filho…da onde tu tirou essa que espírito é provavelmente feito de matéria negra?
    Te confeço que nunca vi ninguém dizer isso, soa como dizer ” espírito é feito de buracos negros”.
    Outra vez ouvi um dizer que era feito de anti-matéria…cabia ele explicar como esse espírito podia viver junto da sua cópia material sem virar luz! rsrsrs
    Mas tudo bem, vou olhar isso…se tu tiver essas fontes, melhor ainda.

  64. Paloma Diz:

    Oi, Vitor, vou ler com atenção. Se você tiver outros artigos desse, pode me passar?
    Abraços!

  65. Vitor Diz:

    Oi, Paulo
    como ninguém sabe o que é a matéria escura apenas achei melhor não fecharmos as possibilidades de ela chegue a constituir o que chamamos de espíritos (ou parte dele)… não que eu acredite nisso. Aliás, longe disso…

  66. Paloma Diz:

    Paulo, realmente, essa da antimatéria é boa! Hahaha! Daqui a pouco, vão dizer que eles são neutrinos ;)

  67. Vitor Diz:

    Oi, Paloma
    acabei de enviar alguns artigos!
    Um abraço.

  68. Paulo-rs Diz:

    Scur…explica para nós como Humberto Campos conseguiu entrevistar o Judas no Além.
    (e-book que o Vitor nos disponibilizou no post anterior)
    Capricha na resposta que hoje tô meio deprê!!

  69. Paloma Diz:

    Paulo, por falar nesse livro, a carta em italiano que tem lá me pareceu uma farsa. Mandei minhas observações pro Vitor. Parece que ele pegou um dicionário e foi traduzindo literalmente as coisas, não faz o menor sentido. Pior que Google Translator.

  70. Paulo-rs Diz:

    Paloma, porque será que isso não me surpreende mais? kkkk
    Depois nos acusam de ridicularizar a fé dos outros…mas fazer o que? Eles deixam na reta! kkkk

  71. Paloma Diz:

    Paulo, acabei de ler uma entrevista na qual o Emmanuel fala que tem vida em Marte. E que há vida terrestre e extraterrestre na Lua. Meu Deus, eu respeito muito a fé alheia, mas não tem como não achar isso engraçado, certo????

  72. Paulo-rs Diz:

    É vero! Mas o mais engraçado ainda está por vir..aguarde!
    (pausa para o suspense)

  73. Paloma Diz:

    E antes que me chamem de preconceituosa: sou católica, mas morri de rir de uma matéria que li nesse fim de semana, na qual um padre conta uns exorcismos que fez. Fui às lágrimas.

  74. Paulo-rs Diz:

    Já ouviu falar de Anneliese Michel ? Uma guria linda, porém doente que a supertição fez de vitíma.

  75. Paloma Diz:

    Sim! O exorcismo de Emily Rose é baseado no caso dela, não é?

  76. Paulo-rs Diz:

    Sim, foi. Aquilo que é triste.

  77. Paloma Diz:

    Os próprios teólogos (sérios) dizem que, quando se fala na bíblia de “Legião de Demônios”, era uma forma velada de se referir aos romanos, cujos exércitos eram chamados legiões. Ainda assim, as pessoas insistem em rotular doentes mentais em ‘endemoniados’. Claro que acredito na existência do Mal. Mas ele não tem chifres nem fala com voz fantasmagória ;)

  78. mrh Diz:

    Palomita,
    .
    os embusteiros só atrapalham nesse campo; localizá-los é expô-los é 1 trabalho q acaba se mostrando essencial. + toma muito do nosso tempo e acaba criando certo desânimo também.
    .
    Quanto ao tema da prova em ciência, 1 episódio q sempre me dá 1 calafrio na espinha é o d Copérnico. D sua proposição q a Terra se move até a prova física passaram-se + d 300 anos. Só em 1848 é q um físico francês conseguiu provar fisicamente a tese. De 1533 até o pêndulo de Foulcault, toda a revolução científica operava s/ provas físicas, apenas c/ o descrédito no programa anterior e c/ a convicção no novo.
    .
    Em classe, durante a aula, a prova vem junto com as premissas, dando a impressão d q ciência é instantaneidade; + historicamente, a prova definitiva pode ser a cereja do bolo, q só é posta quando ninguém + a julga realmente relevante.

  79. Paulo-rs Diz:

    Paloma, vou torcer que um dia, seu jornal te leve a Dona Edelarzil. Essa picareta tem que ser desmascarada.
    É incrivel que tem um pessoal que acredita que ela consegue fazer um “portal” aonde as leis de newton e da termodinâmica não se aplicam. (não é indireta para ninguém desse blog)
    Quando estiver lá, pede para ela materializar um iPhone pra mim. Promete?

  80. Rafael Maia Diz:

    Paloma, me corrija se eu estiver errado, mas muitas das coisas da fisíca quântica não estão na teoria não. Muitas são cientificamente provadas. Como o efeito fantasmagórico a distância, descoberto por Einstein, e o efeito decorrente do emaranhamento.
    A física quântica hoje é uma realidade inquestionavel, por mais absurda que ela seja.

  81. Rafael Maia Diz:

    Se eu pensar na dane bananinha, sera que ela solta uma dessas pra mim. :)

  82. Paulo-rs Diz:

    Rafa, consegui uma foto pra tu positivar um pensamento ai…. Quem sabe acontece?
    http://www.nozesnafrita.com.br/painel/img_up/1304885742__qua111beti13-.jpg7.jpg
    (é pra rir!)

  83. Rafael Maia Diz:

    Ui….sai dai pelo amor de deus.kkkkkkkkkkk coisa horrivel

  84. Paulo-rs Diz:

    É uma quase Dani bananinha…ela é quântica, muitos graus de incertezas :)

  85. Rafael Maia Diz:

    Quando eu ouvi sobre ela a primeira vez, eu busquei na internet uma reportagem sobre ela. Eu particularmente não acredito nela, embora respeite quem acredite, embora ache que, nesse caso, haja indícios de fraude.

    Dai, vi que ela tira coisas do algodão coisas com base nos pensamentos das pessoas e praga que são jogadas na pessoa consultada. Vi ela tirando garrafa, uisque, sabonete um monte de coisa.

    Ora, então eu pensei, se eu pensar na dane bananinha, ela deve tira uma linda mulher dali de dentro. Depois disso começei a rir. Abraços.

  86. Rafael Maia Diz:

    Vitor a matéria escura e a energia escura só se acumulam em grandes distancias preenchidas por vácuo. Elas não se acumulam em locais que estão ocupados pela matéria e energia normal. Essa é uma das poucas propiedades que sabe sobre a matéria escura. Não é possivel encontrar matéria escura aqui na terra, inclusive já tentaram fazer isso.

  87. Paloma Diz:

    Oi, mrh,
    é verdade, os embusteiros servem tão somente para desacreditar questões já tão delicadas (digo isso com experiência de causa, porque dia a dia tem gente metendo pau no catolicismo por causa desses pedófilos desgraçados que acabam com a imagem da igreja e de declarações papais infelizes). Acabei de sugerir uma série de reportagens sobre paranormalidade, fé e ciência e o pessoal aqui adorou. Vocês me ajudam indicando assuntos e fontes para consultar? Por exemplo, além do João de Deus, qual outro médium eu poderia entrevistar? Conto com a ajuda de todos, viu?
    Abraços!

  88. Paloma Diz:

    Oi, Rafael,
    vários experimentos no campo da física quântica foram comprovados, mas alguns não foram definitivos. Sabe aquela história do Gato de Schrödinger? Então, é um dos casos de teorias que fazem todo o sentido, mas não foram reproduzidas ainda. Alguns cientistas estão conseguindo teletransportar micropartículas, mas elas se dissolvem em frações de segundo, dificultando a comprovação prática de questões teóricas.

    Paulo, quem é essa dona?
    Eu acabei de receber o aval da editora pra me jogar numa série de reportagens sobre paranormalidade e afins. Quero conhecê-la pessoalmente! (vou pedir um iphone pra mim tb, hahaha).

  89. Rafael Maia Diz:

    Paloma, eu indicaria o medium celso almeida, pois ele é muito reconhecido aqui no brasil, já tendo participado de diversos programas na globo inclusive.

    Uma medium que me impressionou muito tambem foi a chamada medium telma brito que já participou do globo reporter incluive. Nessa reportagem, ela inclusive demonstrou com um sucesso seus poderes diante das cãmeras.

    Abraços.

  90. Vitor Diz:

    Oi, Paloma
    consulte esses 4 artigos sobre um médium específico chamado Hafsteinn Bjornsson: http://obraspsicografadas.haaan.com/?s=%22hafsteinn+bjornsson%22

    E os 2 primeiros sobre um chamado Robert Rollans: http://obraspsicografadas.haaan.com/?s=xadrez

  91. Paloma Diz:

    Paulo, fiz um google. Essa mulher tira objeto de algodão? HUAHAUAHUA! Meldels! Estará na minha série, com certeza absoluta!

  92. Paloma Diz:

    Obrigada, Rafael! Vitor, eu queria algumas indicações de médiuns brasileiros, para poder entrevistá-los pessoalmente. Vou procurar os que o Rafael me indicou (além da mulher do algodão, que parece ser fake total). Você sabe de outras pessoas aqui no Brasil?

  93. Vitor Diz:

    Oi, Paloma
    no Brasil eu não conheço nenhum que eu considere autêntico. Mas médiuns famosos são o Divaldo Pereira Franco e o Raul Teixeira, e o Waldo Vieira. Esses eu gostaria de entrevistar para “colocar contra a parede” :)
    .
    Seria interessante você entrevistar o Waldo fazendo perguntas sobre as fraudes do Chico. Ele diz que fala tudo.

  94. Paloma Diz:

    Ótimo, Vitor! Me sugere algumas perguntas!!

  95. Paulo-rs Diz:

    Seções de artigos
    1) Como se fraudava fotos de fantasmas nos anos 20
    http://www.espiritismogi.com.br/mortos/mortos.htm
    2) Quando se quer acreditar, não adianta…Sir Arthur Conan Doyle enganado por duas meninas- caso Fadas de Cottingley
    http://en.wikipedia.org/wiki/Cottingley_Fairies

  96. Gomes Diz:

    Boa tarde a todos,
    -
    Sábado quando olhei o site havia 30 respostas acho. Hoje há quase 100! Desse jeito é difícil ler tudo que vocês escrevem :)
    -
    Olá Rafael,
    -
    A autorização de que lhe falei se reporta ao princípio de que tudo nos é dado a saber, enquanto indivíduos ou sociedade, no momento adequado e conforme nosso grau de elevação e merecimento. Nas palavras da Codificação:
    -
    “Os Espíritos não podem responder senão sobre o que sabem, segundo seu adiantamento, e, além disso, sobre o que lhes é permitido dizer, porque há coisas que não devem revelar, visto que não é dado, ainda, ao homem tudo conhecer.”
    -
    “Pode acontecer que o Espírito preveja coisas que considera conveniente dar a conhecer, ou que tenha por missão revelar-vos. Mas é nesses casos que mais devemos temer os Espíritos mistificadores, que se divertem fazendo predições. É somente pelo conjunto das circunstâncias que podemos julgar o grau de confiança que elas merecem.”

    -
    Sobre a sua pergunta acerca dos judeus, é uma pergunta inteligente, mas não haveria nenhum propósito numa comunicação massificada dos desencarnados com motivação proselitista. Primeiro, porque quando regressamos ao plano espiritual e recobramos a consciência de nossa natureza eterna, compreedemos melhor a justiça do livre arbítrio. Como bem disse André Luiz, não se deve impor aos outros à fé que nos consola o coração.
    -
    Em segundo lugar, comunicações a outros credos até ocorrem, mas não necessariamente convertem o receptor. Um dos casos mais famosos na literatura espírita brasileira é do Roberto Muzskat, jovem judeu que faleceu aos 19 anos e encaminhou várias mensagens através de Chico Xavier. Os pais dele, embora reconheçam a autenticidade das mensagens, nunca mudaram de religião, e nem teriam motivo pra isso. Há ensinamenos de grande envergadura moral e espiritual no Judaísmo.
    Ninguém precisa ser Kardecista para buscar o caminho da iluminação.
    -
    Sds

  97. Paloma Diz:

    Oi, Gomes!

    Você poderia me indicar médiuns que contam com o reconhecimento dos espíritas para que eu possa entrevistar? Como tem muito picareta por aí, eu gostaria de conversar com pessoas sérias, que possam explicar como é esse processo de mediunidade. Obrigada!

  98. Vitor Diz:

    Oi, Paloma
    de perguntas pro Waldo, eu faria assim:

    01 – Na revista Superinteressante está dito como se fossem suas palavras: “Funcionários do centro espírita iam à fila pegar detalhes dos mortos. Ou aproveitavam as histórias relatadas por parentes nas cartas em que pediam uma audiência. As mensagens de Chico continham essas informações”, diz o médico Waldo Vieira, com quem Chico dividiu o trabalho no centro entre 1955 e 1969.”

    http://super.abril.com.br/religiao/investigacao-chico-xavier-561667.shtml

    a) Pode dizer os nomes das pessoas que auxiliavam o Chico?
    b) Como o senhor ficou sabendo desse esquema?
    .
    02 – Como o senhor descobriu que a Otília Diogo fraudou nas sessões de materialização em Uberaba em 1964? E de que jeito ela realizou a fraude? Conte detalhamente como ela realizava suas performances.

    03 – Quem representou o papel de Emmanuel (Públio Lentulus) numa das sessões de materialização na década de 50?

    04 – O senhor possui ideia de livros os quais Chico tenha plagiado? Se sim, quais?
    .
    Sobre o Divaldo Pereira Franco, parece que a Mansão do Caminho guarda mensagens em africanês e outras “relíquias”. É dito que muitas das assinaturas das cartas psicografadas correspondem às assinaturas da carteira de identidade dos vivos. Talvez valesse a pena ver se a Mansão do Caminho possui esses exemplos para poder comparar e colocar na reportagem. Se pudesse inserir a análise por um perito, melhor ainda.

  99. Paloma Diz:

    Vitor,
    muito obrigada! Ainda tenho de passar um roteiro de pauta para a editora, então não sei quando começo a produzir a série (espero que o mais rápido possível). Nesse meio tempo, vou precisar muito da sua consultoria e de todos os colegas de blog que quiserem ajudar ;)

    Deixo de novo meu email: [email protected]

  100. Biasetto Diz:

    Paloma,
    Estou acompanhando, na medida do possível, o andamento do blog.
    Você está mantendo um contato interessante aqui, o que acho muito legal.
    Eu gostaria de fazer sugestões também, mas decidi não participar mais do blog, por uma série de motivos.
    Eu lhe enviei um convite de amizade no facebook. Caso você aceite, eu vou inclui-la num grupo de discussões (fechado) que temos no face, onde, penso eu, seria mais fácil e mais amplo, trocarmos ideias sobre os temas discutidos aqui no blog, incluindo sugestões de reportagens pra você, possibilitando uma conversa mais dinâmica. Deste grupo participa o Vítor e outros colegas que, eventualmente, aparecem por aqui. Tem alguns com ideias e conhecimentos muito interessantes, mas que não se manifestam aqui.
    Fica o convite.
    Um abraço!

  101. Paloma Diz:

    Oi, Biasetto,

    eu fiz uma conta uma vez no face e nunca mais mexi nela, não sei se existe ainda ;) Mas vou tentar abrir e gostaria muito de participar do seu grupo. Qualquer coisa, também tem meu email!

    Obrigada pelo convite!

  102. Paulo-rs Diz:

    Eu perguntaria para o Waldo:
    1) Chico xavier tinha alguma doença mental? Se sim, qual e em que nível.
    fontes para consultas.
    Por motivos de saúde houve que fazer o eletroencefalograma de Chico Xavier, fora do controle dos espiritistas quando fingia que estava “psicografando”. Resultado esclarecedor: “Foco temporal classicamente responsável por distúrbios sensoriais, alucinações, ouvir vozes (…), arritmia, tendência a ataques epilépticos ou ‘transes’” (Ver, entre outras publicações, revista “Realidade”, Novembro, 1971).

    # Depoimento do pai, Sr. João Cândido. Confessou o próprio Chico Xavier com referência à sua “iniciação mediúnica” na infância, de sonâmbulo falante e ambulante: “Meu pai estava querendo internar-me em um sanatório para enfermos mentais (…). Devia ter suas razões: naquela época me visitavam (…) também entidades estranhas perturbadoras” (Em entrevista ao repórter Mauro Santayana, “Folha Ilustrada”, São Paulo, 11-Julho-1982).

    # Depoimento da madrinha, Dona Rita: “Dizia que eu era louco”. Surrava-me “por ser doído (…). Dizia a todo mundo que o menino era doído varrido” (Em entrevista ao repórter Ramón García y García, “Fatos e Fotos”, n.º 1072).

    # Por afirmação do próprio Chico. Afirmou inúmeras vezes que estava sempre sendo assistido e inspirado por “Emmánuel”. Continuamente, ininterruptamente, dia e noite…, que o via, ouvia e sentia como a qualquer pessoa viva ou a qualquer coisa ao redor. Especialmente por “Emmánuel”, como chefe, mas também mais de 500 outros “espíritos” subordinados.

  103. Marden Diz:

    Não é de se estranhar que no Brasil se fale tanto de espíritos e também sobre mediunidade. Ninguém duvida que aqui cresce o maior número de estudiosos ou simpatizantes dos fenômenos espiríticos.

    Poucos acreditariam, talvez pelo menosprezo da terra natal e a vanglorização de países ricos, que foi aqui em solo nacional onde melhor se escreveu e se escreve sobre o assunto.

    É claro que com a grande propagação dessas ideias em nosso solo, seria natural também o surgimento de gente que pouco ou quase nada entenda sobre o assunto e outros mistificadores e exploradores, que fazem do Espiritismo a sua única fonte de sustento.

    Pois bem, aos céticos de carteirinha (aquele que tem orgulho de se posicionar assim, como que mostrando um crachá de um clube exclusivo e não com a intenção de realmente pesquisar desapaixonadamente), aos espíritas religiosos e aos evangélicos em geral, digo que o tempo que por ventura eu possa dispender aqui, será voltado aos verdadeiros estudiosos do assunto, ou aos seus críticos honestos.

    Justificando o que havia escrito no inicio, coube ao Brasil esclarecer e demonstrar para o mundo o que seja o Espiritismo. Então convido à todos os participantes ativos e também aos leitores deste blog que leiam a obra daquele que foi médico e senador do Brasil, Antônio Pinheiro Guedes e que em 1901 publicou o livro Ciência Espírita.

    Podem baixar o livro aqui: http://racionalismocristao.org/bu/ciencia-espirita.pdf

    E para os interessados em aprender ou aprofundar seus conhecimentos no Espiritismo não religioso, sugiro lerem as obras básicas do Racionalismo Cristão, que são: Racionalismo Cristão e A Vida Fora da Matéria. Que podem ser baixados nos links a seguir:

    Racionalismo Cristão –
    http://racionalismocristao.org/bu/racionalismo-cristao44.pdf

    A Vida Fora da Matéria – http://www.4shared.com/office/72rfstZQ/A_VIDA_FORA_DA_MATRIA_-_RACION.html

    Aos leitores que tiveram o trabalho de ler e meditar sobre estas obras acima recomendadas, sintam-se livre para um diálogo sereno e respeitoso.

  104. Vitor Diz:

    Meu Deus, Marden, parece que foi esse o livro – Ciência Espírita – que o Chico usou para escrever Evolução em Dois Mundos! Tem semelhanças… mas vou pesquisar mais!

  105. Paloma Diz:

    Paulo, muito obrigada! Vou anotar tudinho!

  106. Paulo-rs Diz:

    Marden, sua contribuição é bem-vinda. Baixarei seus links.

    Agora, olhe a sua frase “Justificando o que havia escrito no inicio, coube ao Brasil esclarecer e demonstrar para o mundo o que seja o Espiritismo.”
    Da onde vc tirou essa afirmação? Livro religioso, não?
    Veja como é dificil não ter paixões.
    Seus livros serão a minha próxima leitura.
    Obrigado

  107. Gomes Diz:

    Olá Paloma
    -
    Como os críticos de Chico Xavier geralmente sugerem fraude, doença mental e etc, seria interessante aproveitar que você irá entrevistar um médium e incluir esta pergunta simples e direta:
    -
    “Dr. Waldo, os espíritos conhecidos como Emmanuel e André Luiz, célebres no meio espírita, alguma vez psicografaram por intermédio de Chico Xavier? Ou as obras que Chico se lhes atribuiu eram na verdade sua própria criação?”
    -
    Waldo é a pessoa mais indicada neste mundo (literalmente falando) para responder a essa pergunta. Conheceu Chico, Emmanuel e André Luiz.
    -
    Sds

  108. Roberto Scur Diz:

    Gomes,
    Na minha opinião Waldo Vieira não é uma pessoa indicada para falar de muita coisa porque têm interesses, é egocêntrico e demonstra falta de lucidez e clareza nas suas afirmações.
    Seria uma pessoa indicada se soubesse falar somente a verdade, ou somente sobre o que tenha sabido e não sobre o que supunha conhecer.
    Acho-o um verdadeiro louco ou oportunista.

  109. Paulo-rs Diz:

    Concordo com vc Scur, ele não é nada confiável.

  110. Gomes Diz:

    Olá Roberto,
    -
    Não disse que concordava com as posições do Waldo. Como os colegas estavam sugerindo à Paloma perguntas caso venha a entrevistá-lo, sugeri uma também. Estavam sugerindo várias perguntas se Chico fez isso e aquilo, mas no meu entender faltou a principal: afinal, Waldo….ele era médium ou não era, conta pra gente. :)
    -
    Sds

  111. Paloma Diz:

    Muito obrigada, Gomes! Scur, quem você achavque posso entrevistar?

  112. Rafael Maia Diz:

    Obrigado Gomes. Foi muito boa nossa conversa. Apesar de tudo, ainda não me convenci sobre a veracidade das informações dada por kardec, muito embora as ache interessante.

    Paulo não entendi o resultado do exame que vc menciona. Ele diz que chico tem um distúrbio ou não. Chico tem algum problema mental ou não ? Pelo que esta escrito diz apenas que funciona a parte do cérebro onde se encontra possiveis problemas não é isso.

    Realmente Waldo não é uma pessoa confiável. Ele diz coisas ruins de Chico, mas tambem afirma categóricamente que chico era um autêntico medium. Ou seja, se ele fala a verdade sobre as falsidades de chico, tambem tem que se levar em consideração o que ele fala sobre chico ser um autêntico medium. Ainda assim, a parte mal que ele fala do chico, salvo me engano, não é toda certa da verdade, uma vez que parece que ele fala isso em virtude do desprestígio que sofreu enquanto chico levou toda a fama sozinho. Querendo reverter a situação, me parece que ele falamal do chico.

    Um outro detalhe interessante que eu acho é o fato de que ele diz que pessoas pegam informações das pessoas mortas pelas cartas e na hora do atendimento. Sera que ele fala isso com convicção ou apenas ele “acha” isso. Seria bom conhecer essas pessoas que colhem as informações, como o vitor já disse aqui, para ter certeza disso. Só a palavra do waldo, pra mim pelo menos, não seria suficiente.

    As cartas que eu pude ver referente as que são enviadas ao chico não dá pra extrair muitas informações, pois elas são muito simplórias pedindo orações ou coisas do tipo. As vezes penso que eu waldo disso isso “achando” que por meio dessas cartas ele conseguiria prejudicar o chico, sem que na verdade não tem nada demais nessas cartas.

  113. Gomes Diz:

    Olá Paulo,
    -
    Se Waldo não é “nada confiável” como você diz, a resposta dele sobre a sua pergunta da doença mental de Chico exigirá cautela redobrada :)

  114. Rafael Maia Diz:

    É complicado isso. Temos uma fonte que dá informações a favor e contra. Na minha opinião, se levar em conta as informações contra tem que levar as a favor tambem. Ainda mais considerando que ele tem “raiva” do chico.

  115. Roberto Scur Diz:

    Vitor,
    Infelizmente a sua resposta à minha indagação quanto a uma única comprovada falha da Doutrina Espírita deixa muito a desejar, pois denota uma opinião tua, inclusive opinião sobre a forma que o autor do blog que critica Kardec justifica suas críticas, ou seja, nada há de científico no que tu fala, no que ele falou, e sim, mera opiniões sempre sujeitas aos gostos e interesses.
    Quanto a geração espontânea que você aponta como um erro grave de Kardec, eu em primeiro lugar vejo que você citou uma parcela que compunha um pensamento muito mais amplo sobre o tema, e tirou conclusões tuas, porém, não são conclusões CIENTÍFICAS que comprovem que ele estivesse errado.
    .
    Cite, em nome dos postulados aceitos pela ciência atual, qual é o artigo científico aceito pela comunidade mundial que prove que as larvas que surgem nos cadáveres são oriundas exclusivamente de insetos.
    .
    Justifique como você pode dizer categoricamente que EXISTIU GERAÇÃO ESPONTÂNEA HÁ 3 BILHÕES DE ANOS e porque esta geração parou de acontecer hoje.
    .
    Mostre o erro alegado de forma mais categórica citando artigos científicos, e não de forma tão opinativa pois não há base para tua afirmação de que “o Espiritismo teria explicações comprovadamente erradas”.
    .
    Mate a cobra e mostre o pau, por gentileza.

  116. Gomes Diz:

    Olá Rafael,
    -
    Foi uma boa conversa sim. Não tinha a intenção de convencê-lo, apenas de responder às suas questões. Sua cabeça, seu guia :)
    -
    Sobre Waldo, é uma figura polêmica, conviveu com o maior nome do movimento no Brasil e acabou se tornando um dissidente. Em todo o caso, como o assunto do site é pesquisar a mediunidade, e sugeriram várias perguntas a Waldo sobre “farsas” e “doenças” de Chico, não faz mal perguntar também a Waldo se ele achava que Chico era mesmo um médium. :)
    -
    Sds

  117. Paulo-rs Diz:

    Oi Gomes sei disso…mas essa era uma pergunta que eu faria se estivesse com ele.
    Rafael, não tenho essa revista, mas segundo o coldmaster1 (amigo do vitor) o exame foi mostrado para 2 médicos.
    Existe uma critica dizendo que um exame é pouco para traçar um quadro confiável, teria que ter mais.
    Vou ver se acho o scan dessa revista.

  118. Roberto Scur Diz:

    Paloma,
    Eu recomendaria o médium Divaldo Pereira Franco que conviveu com Chico Xavier e têm uma obra proeminente que é mantida pelos seus livros e palestras.
    O Raul Teixeira está se recuperando de um AVC neste momento, mas seria um bom entrevistado pois é médium formado em física e foi professor por muitos anos de uma Universidade do Rio de Janeiro.
    Na minha opinião quem ganha dinheiro para si sendo médium já está desqualificado para falar sobre mediunidade, pois a mediunidade não pertence ao médium e é totalmente dependente da participação dos espíritos, sendo portanto irreproduzível sem que haja a vontade externa à vontade do médium – como cobrar por algo que tu não pode garantir a entrega?
    Conhece-se a árvore pelo frutos.
    Boa Sorte.

  119. Roberto Scur Diz:

    Paloma,
    Não significa que não haja mediunidade nos médiuns argentários, apenas não se tornam confiáveis e não fazem bom uso de sua sensibilidade espiritual.
    É como um excelente palestrante espírita que fala maravilhas mas mantém amantes, ou é fumante inveterado, ou cultiva qualquer vício de forma oculta, e vai a tribuna pregar virtudes contra estes mesmos vícios ou contra outros vícios. Absurdo! Corra destes hipócritas.
    É como um religioso que fala de Jesus, de seu amor e humildade, e vive sobre faustosos panos procurando enaltecer a sua personalidade, o seu cargo, o seu poder, ou que mantém vida regalada, mordomias, riqueza, enquanto os indigentes batem às portas de sua instituição sem ter o que comer.
    Toda pessoa de bem que luta para ser melhor e defende princípios éticos e morais presentes nas doutrinas religiosas não deveria contradizer o que prega pois perde a credibilidade.
    Materialização em algodão pode servir de curiosidade para o fenômeno, caso seja autêntico, mas o que a médium disser é duvidoso caso ela esteja vivendo às custas destes fenômenos.
    Bem, já me alonguei demais.

  120. Gomes Diz:

    Roberto/Vitor,
    -
    Não considero haver erro científico ali especificamente, porque a conclusão de que “espíritos superiores estão afirmando que as larvas que aparecem na carne apodrecendo são fruto da própria carne, e não de ovos de moscas, etc.” não se encontra no texto.
    -
    Os espíritos disseram que o nascimento de alguns seres é espontâneo (certamente a par de que era esta a crença da humanidade à época) “MAS”, repito, “MAS”, ressalvaram que ali havia algo latente, algo que permitiu com que o referido nacimento ocorresse. Logo, não o entendiam como algo absolutamente espontâneo.
    -
    De qualquer forma, ainda não entendi no que esse pormenor invalidaria a imortalidade, a reencarnação, a mediunidade, etc. Chamar isso de “prova científica” é meio complicado.

  121. Gomes Diz:

    Paloma, sobre a indicação de médium, todos os mais conhecidos aqui já foram citados pelo Vitor e Roberto.
    -
    Há outros médiuns muito conhecidos como por exemplo Zibia e a Vera Marinzeck, mas fama não significa necessariamente conteúdo, nem no espiritismo, nem em lugar algum.
    -
    Eu também tentaria o Divaldo, não por ser propriamente alguém que eu admire – os que eu admiro realmente são anônimos – mas por ser a grande referência do meio hoje. Só aviso que a agenda do cidadão não deve ser das mais livres.

  122. Paulo-rs Diz:

    Gomes, o que achou de Humberto campos entrevistando Judas no além?
    Pode ser sincero, viu?

  123. Gomes Diz:

    Rsrsrsrsrsrr….. Serei!
    -
    Paulo meu amigo, eu já vi tanta coisa nessa vida. Já vi até gente pintando Van Gogh na minha frente.
    -
    Não vou falar desse ou daquele médium, porque não acho ético, e também porque não me considero rigorosamente um espírita. Eu tenho muito respeito pela Doutrina porque tenho familiares nesse meio, conheço muita coisa dela porque desde moleque tenho esses livros ao meu redor e concordo com muita coisa do que ela ensina. Mas procuro, tanto quanto possível, manter uma espiritualidade aberta e você iria se surpreender com a quantidade de livros céticos e ateístas que eu leio regularmente. Acredito que todo ateu deveria ler gente como Leonardo Boff, e todo religioso deveria ler gente como Sagan. Nunca se perde nada ouvindo uma opinião inteligente, mesmo que seja totalmente contrária a sua.
    -
    Respondendo de modo geral à sua pergunta, a mediunidade é um fenômeno, pura e simples. Ela não faz um controle de qualidade sobre o que está sendo transmitido, muito menos reconhece firma do emissor. Cabe a quem tomar conhecimento da mensagem, examiná-la à luz da razão e dos preceitos espíritas. Só com exemplo, vou te mostrar um texto em que Kardec refuta a autenticidade de uma mensagem supostamente encaminhada pelo Cristo:
    -
    “Não há nada de mau, sem dúvida, nessas duas comunicações. Mas o Cristo teve algum dia essa linguagem pretensiosa, enfática e empolgada? (…)Nesse círculo, que é entretanto muito consciencioso,mas um tanto crédulo demais, não se faziam evocações nem perguntas, tudo se esperava das comunicações espontâneas, e vemos que isso não é uma garantia de identidade. Com perguntas um tanto exigentes e dispostas com lógica facilmente teriam colocado esse Espírito no seu lugar. Mas ele sabia que nada tinha temer, desde que nada lhe perguntavam,aceitando sem controle e de olhos fechados tudo o que ele dizia. ”
    -
    Moral da história: sempre analisar meticulosamente tudo que for atribuído à autoria mediúnica, vendo se corresponde às orientações kardecistas e à nossa própria razão.
    -
    Sds

  124. Paulo-rs Diz:

    Ok, foi uma resposta honesta.
    Mas vamos combinar… será que não posso desconfiar da cachola do mineirinho? Kkkk
    Será que não existiam revisores naquele tempo?

    E tu Scur?

  125. Paloma Diz:

    Gomes e Scur, novamente muito obrigada pelas dicas preciosas!

  126. Paloma Diz:

    E aproveitando mais um pouquinho da boa vontade de vcs, o que acham do padre Quevedo e dessa história de psi gamma? Acho que ele é meio doido, não sei se devo entrvistá-lo…

  127. Vitor Diz:

    Oi Paloma
    não entreviste o Quevedo. Há gente (bem) mais séria, como o Wellington Zangari ou o Everton Maraldi, do InterPsi.

  128. Paloma Diz:

    Obrigada, Vitor! :)

  129. Paulo-rs Diz:

    Eu preferiria entrevista com a neta do padre Quevedo. Alta gatinha!
    Mas como o vitor falou, Wellington Zangari ou o Everton Maraldi são melhores opções

  130. Tomé, o crítico Diz:

    Vítor,
    Seu blog critica tanto os “remakes”, mas, com exceção da Paloma, “nada se cria, nada se destrói, tudo se copia”.
    Este Gomes é só uma versão mais agradável do Scur, mas também produz as mesmas pérolas: “Não vou falar desse ou daquele médium, porque não acho ético, e também porque não me considero rigorosamente um espírita.”
    Que comovente: não quer anti-ético com os picaretas. Notável este procedimento.
    Não se considerada rigorosamente um espírita. Tu és o que então nobre cidadão?
    “Respondendo de modo geral à sua pergunta, a mediunidade é um fenômeno, pura e simples. Ela não faz um controle de qualidade sobre o que está sendo transmitido, muito menos reconhece firma do emissor. Cabe a quem tomar conhecimento da mensagem, examiná-la à luz da razão e dos preceitos espíritas.”
    Que bom, quanta sabedoria e importância há nisso. Se o livro não presta, o espírito é mal informado ou um tirador de sarro.
    Delicio-me com estas explicações.
    “Moral da história: sempre analisar meticulosamente tudo que for atribuído à autoria mediúnica, vendo se corresponde às orientações kardecistas e à nossa própria razão.”
    Desde quando Kardec pode ser levado a sério?
    Paloma,
    Você tem produzido reportagens muito boas. Se começar a ler obras ou cair nas ladainhas do senhor Scur, corre o risco de se deixar contaminar pelas emocionantes palestras espíritas, falando de Jesus Cristo e o santo homem de Pedro Leopoldo. Cuidado! Isto emburrece.
    Tudo o que o Waldo Vieira diz sobre Chico Xavier é a mais pura verdade, com uma única exceção: ele diz que Chico Xavier foi médium, porque ele assinou livros com o Chico. Só por causa disso. Se ele entregar as farsas do Chico neste quesito, se estrepa, porque confessa o crime que também cometeu.
    Perguntar pro Divaldo Franco sobre o Chico, é o mesmo que perguntar pra uma mãe corujona, se ela gosta do filho.
    Kakakakakaka! Vítor teu blog tem cada figurinha …

  131. Paloma Diz:

    Mas vcs acreditam nessa onda de psi gamma? Acho tão fantasioso quanto as coisas que o Quevedo combate…

  132. Gomes Diz:

    Paloma, gostei das sugestões do Vitor, mas eu não deixaria de falar com o Quevedo também. Por mais exótica e controversa que seja aquela figura, ele tem de parapsicologia o que o Zangari tem de idade. Seria um entrevista bem inusitada.
    -
    Uma vez conversei longamente com um psiquiatra bastante idoso, ateu, e foi uma das conversas mais viajantes que tive na minha vida. O homem tinha visão literalmente “médica” do mundo, “dissecava” o assunto como se fizesse um estudo anatômico. Era impressionante e uma inteligência privilegiada.

  133. Vitor Diz:

    Oi, Paloma
    a Parapsicologia (ou Pesquisa Psi) não diz absolutamente nada do que o Quevedo fala. Vou te passar um livro do Dean Radin, “mentes interligadas”, está em português.

  134. Tomé, o crítico Diz:

    Cometi uns erros de digitação. Vou prestar mais atenção.
    Paloma, você vai ter serviço e “passatempos” por uns 20 anos, seguindo as sugestões dos participantes do blog, principalmente se for ler tudo que te indicam aqui.
    Só não perca tempo com as dicas do senhor Scur, porque ele vai sugerir que você pesquise sobre o ET de Varginha ou o chupa-cabra.

  135. Paulo-rs Diz:

    kkkkkkk :)

  136. Vitor Diz:

    Scur,
    comentando:
    01 – “Cite, em nome dos postulados aceitos pela ciência atual, qual é o artigo científico aceito pela comunidade mundial que prove que as larvas que surgem nos cadáveres são oriundas exclusivamente de insetos.”
    .
    Scur, qualquer livro-texto acadêmico que trate da história da biologia possui o experimento de Pasteur (e outros) que demonstra isso. Até em textos escolares você encontra. Você mesmo pode repetir os experimentos. Pegue dois pedaços de carne, deixe um exposto e o outro bem vedado, e observe aquele em que as larvas vão aparecer. Se aparecer no que está vedado você ganha o Nobel! Juro!
    .
    Um bom texto que narra toda a história e descreve os experimentos realizados é esse: http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/origem-da-vida/abiogenese-x-biogenese.php
    .
    Agora os artigos em que foram publicados possuem no mínimo 150 anos, e devem estar em francês e nem sei se estão digitalizados.
    .
    02 – “Justifique como você pode dizer categoricamente que EXISTIU GERAÇÃO ESPONTÂNEA HÁ 3 BILHÕES DE ANOS e porque esta geração parou de acontecer hoje.”
    .
    Parou de acontecer porque as condições mudaram radicalmente de lá pra cá. De repente se a vida na Terra for toda destruída hoje um dia volta a acontecer. Mas se a vida por geração espontânea acontecesse hoje, ela seria simplíssima e não teria condições de competir com o tipo de vida que existe hoje, muito mais complexo e competitivo. Agora, são dois tipos de geração espontânea. O 2º tipo é aquele destruído pelo argumento dos experimentos de Redi, Spallanzani e Pasteur. O 1º tipo trata da “formação primitiva de organismos replicantes como as bactérias, a partir por exemplo de cadeias de RNA. Neste caso, as origens da vida foram a partir da não-vida, ou seja uma geração, sob determinadas condições, ‘espontânea’.” O Livro dos Espíritos trata justamente do 2º tipo.

  137. Gomes Diz:

    Olá Tomé,
    -
    Acredito que se deva ser ético com todo mundo, porque a falta alheia não avaliza a minha. Quem tiver dívidas a pagar, certamente será chamado à responsabilidade perante as leis humanas e Divinas.
    -
    O fato é que, se não tenho segurança quanto a um médium, se não o conheço, se jamais o avaliei ou refleti sobre determinado trabalho seu, não me sinto na condição de reputá-lo autêntico ou “picareta”.
    -
    Sobre “o que eu sou”, é uma pergunta metafísica complexa e rendeu boas letras ao Raul Seixas. Tentei apenas enfatizar que não sou dado a sectarismos nem a auto-rotulações. Se você me recomendar um livro anti-kardecista, não deixarei de estudá-lo por isso.
    -
    Quanto a Kardec poder ser levado a sério, tanto é possível que o muitos o fazem e encontram nessa doutrina a resposta para as questões que fizeram sobre a vida.
    -
    Sds

  138. Tomé, o crítico Diz:

    Olá Gomes,
    Ética é sempre bem vinda sim, mas quem passa a vida mentindo e enganando não merece rodeios na hora de ser criticado.
    Muitas pessoas também encontram respostas em outras milhares de doutrinas religiosas, todas elas pregando fantasias, fábulas. Se isto faz bem a elas, que sejam felizes.
    O incrível, é que durante muito tempo, surgiram médiuns de efeitos físicos. Com o avanço do conhecimento humano e o progresso das ciências, estes médiuns desapareceram. Por quê? Simplesmente porque truques de mágica, ficaram manjados e até ridicularizados.
    Os médiuns psicógrafos fazem uso de plágios, consultas prévias, até manuais da Nasa eles estudam para escreverem os seus livros. Eles ficam atentos aos acontecimentos em todo o mundo, para escreverem “obras proféticas”. Alguns procuram “histórias exóticas”, extremamente fantásticas, porque as pessoas, muitas, adoram isto. Basta ver quais foram os livros mais vendidos e os filmes mais vistos nos últimos 20 anos.
    Até que surgiram críticos mostrando as farsas destas psicografias. Mostrando os plágios, mostrando os erros. O que poderíamos esperar: que este castelo de malandros embusteiros, ruísse rapidamente. Mais isto não aconteceu, por uma simples razão: surgiram explicações como a que tu e outros mencionam aqui: há espíritos ignorantes, atrasados, mal informados, plagiadores, brincalhões. Os médiuns também interferem nas psicografias, há médiuns ruins – veja que o senhor Scur disse, que médiuns que cobram são ruins – desculpas, desculpas e desculpas. Tentativas vãs de não se reconhecer a verdade: farsas, farsas e farsas.
    Senhor Scur, me aponte um único médium que não tenha levado vantagens financeiras, econômicas ou pessoais, por suas brilhantes atividades.

  139. Gomes Diz:

    “Neste caso, as origens da vida foram a partir da não-vida, ou seja uma geração, sob determinadas condições, ‘espontânea’.””
    -
    Vitor, novamente, não sei como você tirou essa conclusão e onde o LE não fala em geração de “vida” a partir da “não-vida”. O texto ressalva que há um gérmen, uma condição latente que propicia o seu aparecimento.
    -
    Outro aspecto a ser considerado é (caso haja algum biólogo entre vocês) se a biogênese é uma lei uma teoria. Digo isso porque em algum momento a primeira vida surgiu, e antes dela não havia vida alguma. Ainda há a questão de que só uma lei se aplica a universalidade dos fenômenos (que é o que acho que Scur quis dizer quanto perguntou se você podia provar que larvas surgiam EXCLUSIVAMENTE de insetos) É uma pergunta minha mesmo, não tenho formação na área. Quem souber, por favor esclareça.
    -
    Sds

  140. Paloma Diz:

    Tomé, eu tô rindo alto agora ;) Estou pegando umas dicas com o pessoal, porque não entendo nada sobre o assunto e quero fazer uma série de reportagens sobre ciência (que é a área que cubro) e crença. Os meninos estão me ajudando muito. :)

  141. Vitor Diz:

    Gomes,
    01 – “O texto ressalva que há um gérmen, uma condição latente que propicia o seu aparecimento”.
    .
    Não há esse gérmen que gera a vida. O inseto vai na carne e deposita os ovos de onde saem as larvas (nas condições propícias que permitem que os ovos eclodam, óbvio). Pela geração espontânea bastam as condições propícias, sem a necessidade de o inseto depositar os ovos. Veja o próprio Kardec defendendo a geração espontânea:
    .
    “É um fato hoje cientificamente demonstrado que a vida orgânica não existiu sempre sobre a Terra, e que nela teve um começo;[...] O que se passou na origem do mundo para a formação dos primeiros seres orgânicos ocorre em nossos dias, por meio do que se chama a geração espontânea? aí está a questão. Por nossa conta, não hesitamos em nos pronunciar pela afirmativa.

    Os partidários e os adversários se opõem reciprocamente experiências que deram resultados contrários; mas estes últimos se esquecem de que o fenômeno não pode se produzir senão nas condições requeridas de temperatura e de arejamento; procurando obtê-lo fora dessas condições, devem necessariamente fracassar.

    Sabe-se, por exemplo, que, para e eclosão artificial dos ovos, é preciso uma temperatura regular determinada, e certas precauções minuciosas especiais. Aquele que negasse essa eclosão porque não a obteve com alguns graus a mais ou a menos, e sem as precauções necessárias, estaria no mesmo caso daquele que não obteve a geração espontânea num meio impróprio, nos parece, pois, que se essa geração forçosamente se produziu nas primeiras idades do globo, não há razão que ela não se reproduza em nossa época, sendo as condições as mesmas, que não as houvesse porque não se formassem calcários, óxidos, ácidos e sais, como no primeiro período.”
    .
    http://aeradoespirito2.sites.uol.com.br/RevistaEspirita/A_GERA_ESPONT_GENESE.htm
    .

  142. Gomes Diz:

    Tomé,
    -
    Nenhum tipo de médium simplesmente “surgiu” ou “desapareceu”. O relacionamento entre os planos material e espiritual sempre existiu e, consequentemente, seus intermediadores.
    -
    Ressalto ainda que você tem TODA a liberdade de dizer que fulano não é médium, que isso não existe, e isso e aquilo outro, e citar milhões de argumentos para defender seu ponto de vista. Esse direito nem se discute. Mas chamar pessoas que você não conhece de “picaretas” baseado em convicções gerais, sem elementos fáticos que permitam a constatação de um crime, é complicado.
    -
    Se você tem conhecimento de algum farsante que está explorando algum incauto com base numa suposta mediunidade, eu sou o primeiro a lhe dizer: chame a polícia.
    -
    Você está certíssimo em se indignar com picaretagens, isso mostra que você tem boa índole. Só recomendo que busque elementos mais incisivos e precisos antes de por em dúvida a honra desta ou daquela pessoa.
    -
    Sds

  143. Tomé, o crítico Diz:

    Paloma,
    Depois dessa do Gomes: “Se você tem conhecimento de algum farsante que está explorando algum incauto com base numa suposta mediunidade, eu sou o primeiro a lhe dizer: chame a polícia.”
    Quem está rindo em alto e bom som, agora, sou eu.
    Realiza amigo, por favor, não me faça passar mal de tanto rir.

  144. Paloma Diz:

    Gomes, a origem da vida na Terra ainda é controversa, mas há algumas hipóteses, sendo a de Oparin Miller a mais aceita. A ideia é que a vida tenha sido quase um “acidente da natureza”. Na atmosfera primitiva, havia amônia, metano, hidrogênio e vapor d’água, elementos orgânicos que, sozinhos, não significam absolutamente nada. A Terra era bombardeada por radiações, vulcanismos, chuvas ácidas. Esses eventos provocaram reações nos elementos, formando cadeias de proteínas que, por sua vez, começaram a se organizar para dar origem, muito tempo depois, à primeira célula.
    Outra teoria estudada pela astrobiologia, ramo da astrofísica que estuda a origem da vida, é que micro-organismos ainda muito primitivos tenham viajado de Marte até aqui, depois de o planeta vermelho ter se chocado com um asteroide. Os astrônomos sabem que Marte já foi um planeta muito semelhante à Terra, e possivelmente abrigou vida rudimentar (estamos falando só de seres microscópicos, claro). Em princípio, esses seres não resistiriam às fortes radiações do universo, mas experiências em câmaras que simulam situações adversas à vida (a UFRJ e a UNICAMP têm essas máquinas), provou-se que eles conseguiriam chegar intactos. Particularmente, sou mais fã da primeira explicação porque a segunda nos leva à pergunta: sim, mas como surgiu, então, a vida em Marte? Um livro excelente sobre o assunto é Breve História de Quase Tudo, do jornalista Bill Bryson, que rodou o mundo entrevistando especialistas. Foi lançado pela Cia das Letras.
    Grande abraço!

  145. Paloma Diz:

    Tomé, não acredito em espíritos, mas acho que muitos médiuns são sinceros ao crer que conseguem se comunicar com os mortos. Eu achava que Chico Xavier era um deles até ler no blog a evidência de que suas psicografias eram plágios. Agora tenho dúvidas. Mesmo assim, penso que ele devia acreditar no que dizia e pode ter usado desses métodos nada ortodoxos para arrebanhar fiéis. De qualquer forma, a quantidade de gente ganhando dinheiro e fama em cima da crença alheia é absurda. Se eu acreditasse em espírito, gostaria que um bem malvado puxasse o pé desses picaretas à noite ;)

  146. Tomé, o crítico Diz:

    Gomes,
    As ações e credibilidade dos médiuns é diretamente proporcional a dos políticos brasileiros. Existe algum político brasileiro corrupto?
    Cadê o senhor Scur? Será que foi sugado pelo chupão sagrado?
    Caro Vítor Moura: Tomé, o crítico, tomou gostou pelo teu blog. O senhor não tem um “artigozinho” aí, pra mostrar as falcatruas pro senhor Gomes?
    Quem sabe aquele da mulher barbada ou o homem de seios.

  147. Gomes Diz:

    Tomé,
    -
    Não entendi por que você riu ao recomendar que denunciasse um crime, caso dele tome conhecimento. Em todo caso, antes fazê-lo rir que chorar!
    -
    Vitor,
    -
    Não estou dizendo se existe gérmen ou se não existe. Como falei, nem biólogo eu sou.
    -
    Estou afirmando que na passagem do LE, criticada por você, os espíritos falam em gérmen. É um fato, está lá com todas as letras.
    -
    Agora você mudou o foco para um texto da RE, em que que Kardec acrescenta que está se pronunciando “por nossa conta”.
    -
    Coincidentemente, no site que você informou, a própria Codificação se pronuncia acerca deste tema, classificando com secundário, nada atestando portanto contra a mediunidade:
    “Deixemos ao tempo a atenção de trazer a luz ao fundo deste abismo, se um dia possa ser sondado. Estes conhecimentos são interessantes, sem dúvida, no ponto de vista da ciência pura, mas elas não são as que influem sobre os destinos do homem.”
    -
    Uma boa noite a todos vocês!

  148. Tomé, o crítico Diz:

    Sim, Paloma, há muitos médiuns sinceros. Pede pro senhor Scur expor a lista aqui. Depois, comentamos. Quem sabe o senhor Gomes também conhece, poderia nos fornecer uma lista tipo “the best of”.

  149. Gomes Diz:

    Tomé,
    -
    “As ações e credibilidade dos médiuns é diretamente proporcional a dos políticos brasileiros”. Gostaria de saber como você chegou a um cálculo tão preciso.
    -
    Sobre sua pergunta, claro que há. Muitos deles inclusive tem representações encaminhadas aos conselhos de ética das respectivas casas legislativas, podendo o processo culminar na cassação do mandato.
    -
    Eu tenho procurado ler todos os artigos, mas o material aqui do site é gigantesco, levará tempo. Fique à vontade para me recomendar qualquer leitura que prove que a mediunidade não existe.
    -
    Uma boa noite pra você!

  150. Gomes Diz:

    Paloma, obrigado pela dica. Eu tenho esse livro (comprei numa promoção no Extra por uma ninharia :) ), mas o li há bastante tempo. Vou mexer na poeira do baú e resgatá-lo. Mas e a questão de ser teoria ou lei? Você sabe?
    -
    UMa boa noite pra você!

  151. Paloma Diz:

    Gomes, esse livro é ótimo, comprei uma versão ilustrada para crianças e dei à minha sobrinha, que está fascinada. Leitura e releitura obrigatória :)
    Quanto à biogênese, é uma teoria apenas.
    Boa noite!

  152. Vitor Diz:

    Gomes,
    mas esse “gérmen” faz parte da teoria da geração espontânea. Diz que cada espécie veio de um gérmen específico que estava apenas esperando as condições propícias surgirem. Não foi assim que as coisas se deram. veja o que diz a página 65:

    “Donde vieram para a Terra os seres vivos?
    “A Terra lhes continha os germens, que aguardavam momento favorável para se desenvolverem. Os princípios orgânicos se congregaram, desde que cessou a atuação da força que os mantinha afastados, e formaram os germens de todos os seres vivos. Estes germens permaneceram em estado latente de inércia, como a crisálida e as sementes das plantas, até o momento propício ao surto de cada espécie. Os seres de cada uma destas se reuniram, então, e se multiplicaram.”
    .
    As espécies não vieram de vários “gérmens”. Tudo teve um ancestral comum, que se diferenciou ao longo de bilhões de anos, gerando a variedade que você vê por aí… texto recomendado: http://www.recantodasletras.com.br/ensaios/370346

  153. Roberto Scur Diz:

    Tomé, o crítico sulfúrico
    Que bom que apareceu alguém por aqui um engraçadinho anonimex.
    Muito embora a sua digamos, fragilidade, em ocultar sua identidade real, ou covardia, vou te dizer que os médiuns que não tenham levados vantagens financeiras com sua atividade mediunica são todos aqueles que não vivem de mediunidade, que têm seus empregos e nas horas vagas entregam-se ao seu exercício sem nada cobrar.
    Sua pergunta é muitíssimo estranha pois os centros espíritas no Brasil todo estão ocupados por pessoas esforçadas que doam-se hebdomadariamente, e se os há muitos equivocados, há muitos honestos.
    Você demonstra completa ignorância das atividades espíritas, e seria de bom alvitre se informar um tanto que fosse antes de tomar todas as pessoas pelas lentes da tua alma, amigo.
    Faça você, pelo menos neste quesito de vantagens financeiras, a análise deste que vocês consideram “picareta” e mostrem qual foi a vantagem financeira que ele levou em sua vida com seu intenso trabalho de assistência social e consolo espiritual para milhares de pessoas – mostre o que Chico Xavier ganhou a seu benefício, por favor.
    O que imagino, por antecipação, que o ilustre irá dizer que Chico Xavier buscou vantagens pessoais, que foi outra alternativa que tu apresentastes. Bem, há de se ter muita fé para acreditar nestas maravilhosas vantagens pessoais de trabalhar até cedo da manhã, sem descanso, após exercitar seu trabalho no Ministério da Agricultura durante toda a vida e sem ter faltado um único dia de trabalho.
    Talvez você venha com a cantilena de que ele queria ser santo, e blábláblá, mas estas eu já conheço e acho-as curiosas, pueris, e é melhor parar por aqui nas definições que penso sobre esta gana de ser santo aí.
    Além de tudo, eu próprio tive minha comprovação da existência da intervenção espiritual em minha vida, e relembrando, não precisava dela para ter concebido racionalmente a viabilidade e plausabilidade de sua realidade, mas aí é outro papo que já tive aqui e não vale à pena repetir.
    Good night Sulfuré, o Tomcrítico do pedaço.

  154. Tomé, o crítico Diz:

    Gomes, sobre tua resposta, “Muitos deles inclusive tem representações encaminhadas aos conselhos de ética das respectivas casas legislativas, podendo o processo culminar na cassação do mandato.”
    Entendi o teu recado, mas há um pequeno probleminha:
    Como se processa uma pessoa que diz (mentindo, é claro), que conversa com o além, mantém contato com espíritos, se não há como provar a existência destas entidades, muito menos que elas se comunicam com os cidadãos do planeta Azul? E estes pilantras (porque são pilantras, e o senhor consultando seu lado racional, sabe disso), fazem uso do artifício de dizer, que a mediunidade é dom de poucos, escorando-se assim, numa manobra extremamente sacana. Sabe de uma coisa? São piores que os políticos corruptos.
    Vítor Moura, valeu. Gostei de comentar em teu blog, quem sabe volto aqui, um dia desses.
    Muchas gracias, buenas noches.

  155. Tomé, o crítico Diz:

    Perdón, nobre Vítor Moura, o senhor chupado chupão foi cuspido pelo Elenin, dirigindo-se, categoricamente à minha pessoa.
    “Sua pergunta é muitíssimo estranha pois os centros espíritas no Brasil todo estão ocupados por pessoas esforçadas que doam-se hebdomadariamente, e se os há muitos equivocados, há muitos honestos.” Que palavra bonita, senhor dos pampas. Isto mostra que as tuas leituras espíritas também lhe acrescentam alguma cultura elevada, não obstante as tuas preciosas contribuições sublimes, como afirmar que viu virtudes naquelas declarações, da senhora Marlene Nobre ou nas proezas extravagantes daquele hindu cabeludo safado. Estranha-me, saber que o senhor não conhece o que é “holístico”, pois até o Robson Pinheiro que acredita e diz em suas tenebrosas que havia gigantes na Terra e homens que viviam mais de 300 anos, o senhor chupão da bombacha, encontrou um jeito de fazer elogios.
    Sobre as vantagens e favorecimentos levados em vida por Chico Xavier, em razão de seus “talentos mediúnicos”, como o senhor mesmo afirmou, já foram bem explicitados neste blog. O santo de Pedro Leopoldo e Uberaba, o homem que o senhor idolatra. Mas eu fiz uma pergunta pra tu, podes me responder: quais são os médiuns que não obtiveram vantagens econômicas, financeiras ou pessoais, como consequência de suas alegadas façanhas espirituais, especialmente no campo da psicografia? Por obséquio, palavra que tu gostas, podes me listar dez nomes.
    Deixe de arrudei!
    Este gaúcho, é bom de papo, mas quando se trata de provar as coisas que diz, O bicho é lesado!
    As coisas que tu dizes, se parecem mais com um matungo! Mas te prepara aí, porque não vou fugir desta peleia não.
    Rumbora, negada!

  156. Tomé, o crítico Diz:

    Desculpem-me novamente, porque eu ia escrever: “pois até o Robson Pinheiro que acredita e diz em suas tenebrosas palestras”…
    É o sono.
    Agora a cama me chama, mas quem sabe voltarei. Isto se o Sol aparecer, iluminando a próxima manhã, visto que Vítor Moura afirmou existir apenas 99,9999% de chances de o Astro Rei, de fato, existir.

  157. Gomes Diz:

    Vitor,
    -
    Realmente não estou entendendo seu raciocínio.
    -
    Não sei se você foi espírita ou está familiarizado com a estrutura dos livros de Kardec. Se a crença dos espíritos na abiogênese fosse categórica, teriam respondido algo como “sim, porque….”, “sim, pois….”. Compreende? Diriam “sim” e explicariam porque se trata de um sim. Mas adotaram “sim, mas”. O “mas” é uma partícula que indica oposição, significa que há uma ressalva a ser observada que contraria o princípio apresentado.
    -
    Seria a mesma coisa que dizer que o LE defende a ambição, porque eles afirmam que o “desejo de possuir é natural”. Só que quando respondem a essa pergunta eles dizem “é natural sim, MAS quando se quer apenas a satisfação pessoal, o que é há é egoísmo”.
    -
    Compreende a analogia? Se os espíritos quisesssem dizer que a abiogênese é uma verdade, pura e simples do universo, não teriam dito “sim, mas”. Se ressalvaram, é porque querem que o leitor atente para o fato de não se tratar de uma geração espontânea da forma usualmente prevista, da mesma forma que o desejo de possuir não é tão natural quanto a simples resposta “sim” pudesse fazer parecer.
    -
    Não sei se me fiz entender. De qualquer forma, valeu pela dica do texto.
    Uma boa noite!

  158. Tomé, o crítico Diz:

    Puxa vida! Isto aqui tem uma química. Só gostaria de dizer mais uma pro senhor Scur. Tu não gostas de anônimos né?
    Tá cheio de anônimos no meio espírita. Que troço é este?

  159. Gomes Diz:

    Roberto Scur,
    -
    “Engraçadinho anonimex?” Rsrsrs Vocês não se conheciam antes? Pelo modo como ele fala de você, achei que já estivessem polemizando há algum tempo por aqui.
    -
    Tomé,
    -
    Você faz perguntas inteligentes, só não entendo por que faz questão de ser “sulfúrico” como disse o Roberto. Espero que você permaneça por aqui sendo o tom crítico do pedaço. Melhor a crítica sincera do que o elogio falso, não é verdade?
    -
    Sobre sua pergunta, a questão da prova nesses casos é delicada, pois envolve matéria de fé. Todavia, não interessa ao Direito qual é a religião de cada um, e se ele acredita que fulano é médium, se cicrano faz exorcismo, etc. Isso só importará ao Direito quando se exterioriza efetivamente em um dano (ao patrimônio, à imagem, à honra, à vida etc), aí as circunstâncias podem ser avaliadas caso a caso. O Tribunal de Justiça de SP, por exemplo, já se pronunciou no sentido de que “a liberdade de aderir a uma religião não constitui salvo conduto para que as igrejas recebam dádivas vultosas” e que a “a doação feita sem reserva de bens suficientes para a subsistência do doador é nula de pleno direito”. Esse é um apenas um exemplo de que ninguém pode se utilizar da religião, seja ela qual for, para auferir vantagens indevidas. Logo, pastores, médiuns e padres fajutos devem ter cuidado onde pisam, porque o poder público está atento.
    -
    Bom dia a todos!

  160. Vitor Diz:

    Gomes,

    havia várias hipóteses de abiogênese. O “mas” indica um tipo específico a que os “Espíritos” estão se referindo. No caso, é a abiogênese aristotélica, só que em vez de “gérmen”, fala-se em “princípio ativo”.

    Os primeiros defensores conhecidos das ideias nesse sentido foram Anaximandro, seu pupilo Anaxímenes, e outros como Xenófanes, Parmênides, Empédocles, Demócrito, e Anaxágoras. Sustentavam de modo geral que a geração espontânea ocorria, mas em versões variadas.

    O defensor mais famoso dessa hipótese na antigüidade foi Aristóteles há mais de dois mil anos, e em sua versão, supunha a existência de um “princípio ativo” dentro de certas porções da matéria inanimada.

    Esse princípio ativo organizador, que seria responsável, por exemplo, pelo desenvolvimento de um ovo no animal adulto, cada tipo de ovo tendo um princípio organizador diferente, de acordo com o tipo de ser vivo. Esse mesmo princípio organizador também tornaria possível que seres vivos completamente formados eventualmente surgissem a partir da “matéria bruta”.
    .

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Abiog%C3%AAnese

  161. Rafael Maia Diz:

    Paulo voçe ira perguntar pro waldo se o chico tinha problemas mentais com base nesse exame ? Mesmo sabendo que, pelo o que os médicos dizem, não se trata de um exame conclusivo ? Maldosa sua pergunta heim meu caro. :)

  162. Rafael Maia Diz:

    Eu concordo com voçe vitor. Me parece que o LE fazia referência a teoria da abiogênese nesse escrito. Uma teoria muito popular na época, mas que depois se mostrou errada. A teoria na biologia que prevaleceu foi a da biogênese.

  163. Tomé, o crítico Diz:

    Gomes,
    Acompanho há muito tempo o blog, mas não tinha comentado ainda. Até que tive um formigamento na perna e achei que era manifestação mediúnica. Fiquei empolgado, mas depois descobri que tinha “sentado sobre o perna”, só isso. Foi uma pena, porque eu iria inaugurar uma nova safra de médiuns: os que psicografam pelos pés. Já pensou que novidade interessante? Com certeza, o gaúcho reprodutor, iria comprar os meus livros, dizendo que esta seria mais uma forma do além mostrar suas verdades. Tenho que considerar que costumo ter frieiras, o que talvez fosse uma interferência válida nas psicografias, para justificar os erros e bobagens que apareceriam nos meus livros.
    Este tal de Rafael Maia é um sujeito muito bonzinho, ao dizer: “Paulo voçe ira perguntar pro waldo se o chico tinha problemas mentais com base nesse exame ? Mesmo sabendo que, pelo o que os médicos dizem, não se trata de um exame conclusivo ? Maldosa sua pergunta heim meu caro.” Maldoso, senhor Rafael Maia, o comedor de paçoca e conquistador das menininhas soteropolitanas, é este tal Chico Xavier, ter passado seis décadas enganando milhões de pessoas. Voççççê também sabia, que o Humberto de Campos entrevistou a Marilyn Monroe no além? Ela, que foi amante do bonitão JK (o norte americano, porque o JK brasileiro, flerta com o Wágner Paixão), poderia ter dado esclarecimentos sobre o seu assassinato. Mas isto não pode? Não pode? Os mentores espirituais só permitem historinhas de “mamãe querida”!
    Vídeo game diverte, mas também emburrece, te liga aí, blogueiro Marquito. Rááááááááá Pegadinha do Malandro, Bilu Bilu Teteia. O Scurbalacho, você também acredita no Bilu? Bilu Bilu Bilu pra você. Não vai chorar, senão “peço penico”.

  164. Paulo-rs Diz:

    Rafael, a pergunta não é maldosa. Veja, tem dois médicos que afirmaram, olhando o exame, que tal pessoa tem problemas mentais.( Não sabiam que o exame era do Chico)
    Quando foi revelado que o exame era do Chico, alguns médicos ( possívelmente simpatizantes do espiritismo e percebendo que aparentemente Chico não rasgava dinheiro) alegaram que precisavam de mais exames para ter um diagnóstico mais preciso.
    A pergunta seria boa para Waldo já que ele é médico e viveu junto de Chico.

    O grande questionamento, que alguém honesto tem que fazer é o seguinte:
    Porque alguém que alega ver ratos gigantes ( alucinação típica de alcoolatras, por exemplo) é uma pessoa considerada doente, mas outra que ve espíritos não.
    Entende aonde eu quero chegar?
    Mas para chegar nessa resposta, tem que ser honesto. Tem que deixar a vontade interna de querer um mundo espiritual de lado e analisar tudo o que foi exposto nesse blog. Tem que deixar de ser seletivo ( Como o Tomé disse) e querer passar a mão nas falhas gritantes que as obras do chico tem.

    Eu nem precisava fazer isso, bastava saber que para a ciência , espirito é uma improbalidade grande, que a maioria das ditas “manifestações do além” possuem uma boa explicação física e muitas delas podem até serem replicadas.
    Mas eu vou além…analiso o conteúdo das obras espíritas ( estou lendo agora o último e-book que o vitor postou) e vejo por mim mesmo o quanto de bobagem tem.
    A primeira: Humberto de Campos entrevistando judas no além.
    Tem que ser muito cego, e com uma crença sobre-humana em Chico para aceitar isso como verdade.
    Veja como os espíritas tem que criar uma desculpa para essa passagem, não adianta, ela causa um incomodo a nossa razão.
    Vamos ser honestos!
    Tomé, excelentes comentários, volte sempre!

  165. Tomé, o crítico Diz:

    Gostaria muito que o chimarrone de Caxias, o Rafael paçoca e o Ed (Motta, que chique o teu blog, senhor Visoni), me respondessem o seguinte:
    Diariamente, dezenas de pessoas desaparecem no Brasil, a maioria crianças e adolescentes. Vocês conhecem um único caso em que um médium descobriu mediunicamente o paradeiro de um desaparecido? Isto seria muito bom, vocês não acham? Chico Xavier psicografou milhares de mensagens do além, só dos mortos, mas nenhumazinha, ajudando a acabar com a agonia de uma família, que teve um filho sequestrado. Médium de araque. Jamais ele conseguiria um emprego numa seguradora.

  166. Tomé, o crítico Diz:

    O espiritismo de Chico Chacrinha Xavier: “Teresinha!”, “Vocês querem bacalhau?”, “Eu vim para confundir, não para explicar!”
    Ei senhor Visoni, tu falastes do Sol. Observe as antíteses presentes no poema que Xavier disse ter recebido do além, e as antíteses no poema de Gregório de Matos.

    Sombra e Luz
    Vem a noite, volta o dia,
    Cresce o broto, nasce a flor,
    Vai a dor, surge a alegria
    Dourando a manhã do Amor.
    Assim, depois da amargura
    Que a vida terrena traz,
    A alma encontra na Altura
    A luz, a ventura e a paz.
    Chico Xavier, in Parnaso de Além Túmulo
    Ditado pelo Espírito Casimiro Cunha.

    Nasce o Sol, e não dura mais que um dia,
    Depois da Luz se segue a noite escura,
    Em tristes sombras morre a formosura,
    Em contínuas tristezas a alegria.
    Porém se acaba o Sol, por que nascia?
    Se formosa a Luz é, por que não dura?
    Como a beleza assim se transfigura?
    Como o gosto da pena assim se fia?
    Mas no Sol, e na Luz, falte a firmeza,
    Na formosura não se dê constância,
    E na alegria sinta-se tristeza.
    Começa o mundo enfim pela ignorância,
    E tem qualquer dos bens por natureza
    A firmeza somente na inconstância.
    Gregório de Matos Guerra, o “boca do inferno”

  167. Tomé, o crítico Diz:

    Percebeu o dualismo: “vem a noite, volta o dia” / “depois da luz se segue a noite escura”; “vai a dor, surge a alegria” / “Em tristes sombras morre a formosura, Em contínuas tristezas a alegria”
    Isto cheira bacalhau, ah cheira!

  168. Vitor Diz:

    Oi, Tomé
    eu não vi grandes semelhanças nos poemas. Em ambos fala-se de dia e noite, alegria e tristeza/amargura, de sombra e luz, mas o Chico fala de flor, paz, amor, alma, altura no poema do Gregório não tem isso.

  169. Tomé, o crítico Diz:

    O gauchório bombacheiro, se tu prestastes bem a atenção, irias perceber que o poema de Xavier traz inúmeras cópias do poema de Matos. Eu arriscaria dizer, que se trata de um “plágio disfarçado”.
    Glu Glu Glu pra tu.

  170. Vitor Diz:

    Oi, Tomé
    o crítico Osório Borba disse que “Antero de Quental [esteve] plagiando (!) em idéia e até em detalhes, literalmente um soneto de Augusto dos Anjos. Tudo isso está exaustivamente documentado, através de um sem número de citações e confrontos.”
    .
    Será que você consegue encontrar esses poemas do Antero mediúnico e do Augusto a qual o Osório fez referência?

  171. Tomé, o crítico Diz:

    Vítor,
    Os poemas querem mostrar um dualismo entre alegria e tristeza, luz e sombra. Esta característica é marcante no barroco brasileiro gregoriano, mostrando a constante “batalha” entre o sacro e o profano.
    O poema de Xavier/Casimiro Cunha, mostra clara influência do poema de Matos, inclusive há repetições de palavras nos dois poemas: noite, dia, alegria, luz (Sol)… a construção das mensagens se baseiam na ideia de “ruim / bom”, “ruim / bom”… Xavier tinha uma certa “categoria” para plagiar.

  172. Tomé, o crítico Diz:

    Quem sabe? Vou tentar pesquisar.

  173. Roberto Scur Diz:

    Tome,
    Vou revelar tua identidade depois desta nova pérola tua (afinal, o que tem a ver um poema com o outro?): tu és o impagável homem dos jograizinhos coloridinhos, o caça-palavras e pensa que eh mais um retumbante plagio.
    O sulfuroso eh uma aquarela investigativa.

  174. Paulo-rs Diz:

    Scur, responda a pergunda do Tomé sobre as crianças desaparecidas ou sobre a entrevista com judas.

  175. Tomé, o crítico Diz:

    Bom Gaúcho Pomposo, tu errastes, amigo! Tentes outra vez!
    Te direis quem sou, você for capaz de decifrar este enigma:
    O FILHO FEITO SEM PECADO – Uma moça deu à luz uma criança e a mandou educar longe da cidade em que morava, para que ninguém soubesse jamais de sua culpa. O menino cresceu, fez-se homem e veio visitar a cidade, justamente onde sua mãe vivia. O rapaz viu-a, enamorou-se dela e se casou. Meses depois, descansando o marido no colo da mulher, reparou esta numa medalha de ouro, com a efígie de Nossa Senhora da Conceição, lembrança que pusera ao pescoço do filhinho ao separar-se dele. Sentindo-se criminosa e não querendo prolongar aquela união sacrílega, contou sua história ao esposo que era, sem saber, seu filho. Este partiu imediatamente para longe e não mais enviou notícias.
    Depois nascia um filho, batizado com o nome de Tomé e a mãe anunciou dar um grande prêmio a quem decifrasse o enigma que apresentaria. Não acertando, pagariam uma multa. A mulher educou seu filho como um príncipe, foi muito feliz e morreu rica porque ninguém conseguiu decifrar o enigma que era assim:
    Meu filho tomé
    Que muito me é!
    É filho do meu filho,
    Irmão do meu marido.
    É meu neto e meu cunhado,
    Filho feito sem pecado!
    — Luísa Freire, Ceará-Mirim, Rio Grande do Norte, in Contos Tradicionais do Brasil, p. 292. Luís da Câmara Cascudo. FDE.

    Paulo disse:
    Scur, responda a pergunda do Tomé sobre as crianças desaparecidas ou sobre a entrevista com judas.

  176. Tomé, o crítico Diz:

    Rei dos Pampas,
    A César o que é de César, a Deus o que é de Deus.
    A amar e a rezar ninguém se pode obrigar.
    A bom entendedor meia palavra basta.
    A bom gato, bom rato.
    A cavalo dado não se olham os dentes.
    A concha é que sabe o calor da panela.

  177. Tomé, o crítico Diz:

    Sou fã desta mulher
    http://naogostodeplagio.blogspot.com/2011/04/entrevista.html

  178. Tomé, o crítico Diz:

    Sculhambado, acrescento mais uma pergunta pra tu: já não gostas de anônimos, por que aprecias as histórias do “anônimo” André Luiz? Não tiveras ele, a coragem de se declarar quem foi?

  179. Tomé, o crítico Diz:

    Preciso ir, a dormência em minha perna voltou, vou psicografar usando os pés, recebendo o espírito de uma podóloga – tenho unha encravada!

  180. Carlos Diz:

    Gomes,
    .
    Comentendo sobre a abiogênese. O mosquito é o vetor, e não a origem da larva/germe. Kardec defendeu, bem como os espíritos, que o germe já estava na carne e esperou apenas as condições propícias para eclodir. O erro está justamente aqui; o germe é transportado pelo vetor; se não há mosquito não há germe. Foi isso que Pasteur (e outros a época) mostraram. Allan Kardec defendeu a teoria exposta no LE até o fim embora, ao ler os comentários de AK em A Gênese, está claro que ele já não tinha mais tanta certeza.
    .
    Há ainda erros científicos no LE tão graves como a abiogêne de seres já tão biologicamente complexos como larvas. Nas questões 537 a 540 está claramente dito que os fenômenos naturais são presididos por espíritos e alguns provocados por “massas de espíritos”. Sabemos que os fenômenos naturais são mesmo “naturais”, sendo a formação de “tempestades” (Q. 539) hoje bem compreendida. Note ainda que o LE afirma que espíritos presidem fenômenos geológicos! Ora, mesmo se pretendendo superiores, nota-se aqui que eles não tinha a menos idéia do que é tectônica de placas. O espantoso nisso tudo é que recentemente li uma entrevista de Divaldo Franco falando de tais “massas de espíritos”. Não sei se você concordaria, mas parece que o espiritismo brasileiro estacionou no século 19.

  181. Paloma Diz:

    Scur e Tomé,

    estou me acabando de rir do confronto de vocês. Continuem alegrando minha tarde :)

  182. Tomé, o crítico Diz:

    Scurlambacho, o Comandante Estelar Ashtar Sheran, enviou a prova de que eles existem, existem!!!
    http://www.youtube.com/watch?v=yhBpgqXwrt8
    — quer saber que sou eu?
    Eu sou a mosca
    Que pousou em sua sopa
    Eu sou a mosca
    Que pintou prá lhe abusar

    E não adianta
    Vir me detetizar
    Pois nem o DDT
    Pode assim me exterminar
    Porque você mata uma
    E vem outra em meu lugar…

    Eta Raulzito!!!

  183. Tomé, o crítico Diz:

    Sculhambório, que tipo de médium você é?
    Tem outras perguntas que você não respondeu ainda hein?
    http://www.youtube.com/watch?v=5PWJm8QLJEY
    Está na hora de parar de cevar mate.

  184. Paulo-rs Diz:

    Scur, a naturaza tem moral?
    O povo quer saber…

  185. Vitor Diz:

    Oi, Tome
    esse site cita vários casos em que os médiuns ou psíquicos teriam ajudado a polícia. Chegaram a ser televisionados no programa “Detetives Psíquicos”, com o depoimento dos policiais envolvidos:
    .
    http://www.victorzammit.com/articles/psychicdetectives.html
    .
    No meu próprio blog você encontra exemplos de experimentos feitos em arquelogia com psíquicos em que se comprovou a extrema utilidade deles.
    .
    a) http://obraspsicografadas.haaan.com/?s=arqueologia+n%C3%A1utica (3 casos)
    .
    b) http://obraspsicografadas.haaan.com/2011/caso-fantstico-na-arqueologia-a-localizao-e-reconstruo-de-uma-estrutura-bizantina-em-marea-egito-incluindo-uma-comparao-entre-o-sensor-remoto/ (1 caso)

  186. Tomé, o crítico Diz:

    Paloma, eis informações que você poderá, se tiver tempo (tanto serviço estão arranjando pra você aqui), conferir: os originais das psicografias que ele cita neste vídeo. Ui! Ai! O que será que o Rafael Paçoca Maçaranduba acha disso hein?
    “Vou dar porrada!”
    http://www.youtube.com/watch?v=si-LUU-NZp8&feature=related

  187. Tomé, o crítico Diz:

    Legal Visoni,
    Mas não tem nenhum dos bambambans bananas do Brasil.
    O Chiquinho e o Franquinho, com tantas psicografias nunca fizeram isto. Fizeram?

  188. Paloma Diz:

    Boa! Quero ver psicografar em um dialeto africano, sem dicionário nem Google Translator na frente. E pra quê essa coisa de escrita espelhada? Isso é tão… Hollywood!

  189. Toffo Diz:

    Paloma, trens cargueiros inteiros carregados de razão pra você. É muito divertido ler estas postagens quando se tem um tempinho.

    Na verdade, ninguém falou muito sobre o seu texto, que é muito bom. É bem o espiritismo de feira, e a turma aqui chegou na hora da xepa.

    Muito bom, e abraços a vc.

  190. Tomé, o crítico Diz:

    Vítor Moura, você já viu isto?
    http://jefferson.freetzi.com/Resp2-ChicoX-Vik.html

  191. Vitor Diz:

    Oi, Tomé

    Já vi sim, o autor usou de uma hipótese irrefutável para sustentar sua crença, fazer o quê?

  192. Paulo-rs Diz:

    Concordo Toffo!
    Já virei fã dessa guria!
    A Paloma é ótima, tem um texto leve e um astral tri!

  193. Antonio G. - POA Diz:

    Tô de férias. E, paradoxalmente, não ando com muito tempo para participar das (boas) discussões que andam rolando pelo blog.
    À propósito, só para não perder o hábito: Criei um neologismo para definir os textos do Chico Xavier: A palavra é PSICOGRAFARSAS, que é sinônimo de PSICOGRAFRAUDES.
    .
    Abraços!

  194. Juliano Diz:

    Genial o Tomé!

    Poderia na época algum médium de plantão psicografar uma mensagem da Elisa Samudio, ela dizendo onde colocaram o seu corpo! Agora não vale mais, pois arrisca alguém daqui mesmo, a troco de favores, dizer a um médium bem intencionado do nível do CX onde está o corpo da moça. E este pelo bem do espiritismo incorporar a pretensa Elisa.

  195. Juliano Diz:

    Li o texto sobre a descrição de Marte feita por Chico Xavier. É algo totalmente surreal. No meu entender, com traços claros de Paranóia. Agora, o pessoal espírita com a conversa mole de que há vida sim lá, mas é de outro plano? É de doer na canela, aiaiaiai (…). Vão ser apegados assim nas suas crenças lá em Porto Alegre!!! rsrs

  196. Antonio G. - POA Diz:

    Ô Juliano, aqui em Porto Alegre tem mesmo muita crendice e misticismo. Não sei se é maior do que no restante do país. Até acho que não. Mas também tem gente com cérebro saudável… rsrsrs

  197. Antonio G. - POA Diz:

    O Scur é de Caxias do Sul. Ainda bem… Porto Alegre seria pequena demais para ele e sua crendice espírita…
    rsrsrs

  198. Marden Diz:

    Vitor,

    Com certeza Chico não se baseou neste livro. Espero sua confirmação.

    Como fico sabendo que alguém me mandou uma resposta ou me fez alguma pergunta? Não existe um sistema tipo: @Marden, com mensagens direcionadas a mim?

  199. Vitor Diz:

    É, ainda não tem. Se tem ainda não descobri. Você não é a única a reclamar disso, todo mundo pede… :P

  200. Marden Diz:

    Paulo-rs,

    acredito que você também haverá de concordar comigo (talvez em partes) depois que ler as obras sugeridas. Ou se ler partes das mensagens que colocarei para Paloma, quem sabe realmente não se interesse pelo Espiritismo Racional e Cientifico Cristão?

    Se tivesse prestado um pouco de atenção no meu texto, na parte em que diz “E para os interessados em aprender ou aprofundar seus conhecimentos no Espiritismo não religioso…” fácil seria notar que o meu comentário não era um comentário religioso.

    Saudações.

  201. Marden Diz:

    Paloma,

    Como disse num comentário anterior, o Brasil está em posição de igual ou até mesmo privilegiada, em relação a outros países no tocante para uma definição da origem da vida, se não vejamos:

    Antes mesmo de Oparin Miller, em 1929, outro Oparin, Aleksandr Oparin, tambem havia escrito sobre o assunto e antes destes dois, o médico brasileiro e autor da obra Ciencia Espírita (que disponibilizei para download) escreveu:

    “O calórico produziu a polarização; esta é a base fundamental, a origem da atração, que agindo permanentemente constituiu a coesão; e todas reunidas, operando simultanea e sinergicamente, formam a afinidade química; que é a operária do reino mineral, a geratriz do mundo inorgânico.”

    e mais adiante continua:

    “Por um simples artifício, que resulta de uma ação química, se estabelece a diferenciação; as células de um grupo, agredidas por um raio de luz solar, se aquecem, se imanizam e atraem moléculas de ferro, cuja absorção, cuja assimilação confere ao protoplasma a propriedade, a faculdade geratriz do reino vegetal.”

    Seria interessante você conhecer essa obra também, além de Vitor e Paulo-rs.

  202. Biasetto Diz:

    Marden,
    Procure analisar Evolução em Dois Mundos e Evolução Anímica do Gabriel Delanne.
    Antonio, boas férias.

  203. Tomé, o crítico Diz:

    E o Scurpampeiro, não respondeu às perguntas que fiz. Deve estar trocando emails, com o novo escudeiro dele, o Rafael Paçoca, que me lembra o NHONHO do Chaves: Olha ele, olha ele…
    Já que o gaúcho não responde, seu NHONHO, responda você.

  204. Paulo-rs Diz:

    kkkkk ! :)

  205. Paulo-rs Diz:

    Marden, senão é religioso, daonde tu tirou essa afirmação:
    “ coube ao Brasil esclarecer e demonstrar para o mundo o que seja o Espiritismo.”
    Quem deu essa missão?

  206. Tomé, o crítico Diz:

    Marden, tu tas de brincadeira, só pode ser. A escola do mestre Xavier, acabou com o que poderia existir de sério na doutrina espírita, algo que pudesse, realmente ser estudado, analisado. Haja vista, as ideias marcianas e os “dragon ball” dos Robsons Pinheiros.
    Tem cada um viu!

  207. Roberto Scur Diz:

    Marden,
    Você também está fundando um novo espiritismo, parece. Porque não batizam com outro nome para não gerar confusão?
    Como podes apresentar o Espiritismo como não religioso?
    Mas que bah, que confusão, que coisa séria.
    O Waldevivo Wieira não inventou a conscientologia ou sei lá que nome para sua escola “científica”, de “esclarecimento” que não esclarece nada, só confunde?
    O Vitor Moura não quer reformar o espiritismo? Cada um com sua mania, mas usar o mesmo nome não é legal.

  208. Vitor Diz:

    Já aceitou o erro da geração espontânea, Scur? Há vários outros também…

  209. Paulo-rs Diz:

    “É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha que o Scur dar o braço a torcer”
    Assim está escrito

  210. Roberto Scur Diz:

    Vitor,
    Tu não entendeu ainda este tema da geração espontânea?
    Tinha outros pontos bem mais favoráveis para ti acusares como “erros”. O Gomes deu boas explicações, mas se tu não aceita, fazer o quê?
    Mas como achar alguma convergência para visões tão diametralmente opostas? Não, não é possível e é bem um desperdício de energia discutir sobre isso. Para quem vê plágios em tudo que é canto, assina em baixo dizendo “é plágio” em comparações tolas, estimula outros a procurarem “plágios” inexistentes, vê fraude em tudo mas não consegue provar nenhuma delas como tal, faz barulho, vocifera, usa termos fortes e repetidamente tentando dar credibilidade às suas interpretações primárias, enfim, tua busca não é pela verdade, pela precisão em tuas análises, pela ciência de fato, mas é alguma coisa que não dá para entender qual a tua praia.
    Se não entendeu, paciência.

  211. Roberto Scur Diz:

    E tu Pablo,
    Que pena que não conseguistes abarcar os princípios da vida espiritual. Vai precisar muita água passando por baixo da ponte da tua existência para que tu te ache quanto a isto, mas isso é normal, normalíssimo – cada coisa a seu tempo.

  212. Vitor Diz:

    Eu já respondi ao Gomes e outros já responderam também, como o Carlos. Mas, se você não quer dar o braço a torcer, Scur, fazer o quê?

  213. Paulo-rs Diz:

    Vai lá Scur…dá uma torcidinha, seja humilde!
    Até Judas foi humilde dando uma entrevista para o Humberto…

  214. Roberto Scur Diz:

    Pablo,
    Qual é o caso sobre esta entrevista? O que te incomodou? Seja objetivo por favor.

  215. Roberto Scur Diz:

    Vitor,
    Estaria eu aguardando uma explicação tua quanto à tua posição dúbia de aceitar a geração espontânea em algum lugar do passado e não aceitá-la mais nos dias de hoje.
    Curiosa postura.
    Acho que isto não leva a nenhum lugar porque eu não tenho tempo ou disposição de ler explicações ou afirmações que não explicam, que se contradizem, vazias ou insuficientes.
    Há ou não há geração espontânea? Seja direto, não fique em cima do muro, ou não diga nada pois como eu disse não chegaremos a nenhum lugar.
    Afinal de contas o teu blog é um local de distração, divertimento, e não local de estudo sério e virtuosismo científico; ninguém vai convencer outros de suas crenças com esta argumentação forçada ou piadista.

  216. Paulo-rs Diz:

    Scur, tu não acha nada de errado o Chico descrever uma entrevista dessas? Vai me dizer que acredita?
    A explicação do Vitor sobre geração espontânea é consenso, achei até que tu já sabia.
    Dá uma olhada na wiki.

  217. Vitor Diz:

    Scur,
    leia o item “abiogênese” na wikipedia. “Abiogênese” pode significar “geração espontânea” ou…”abiogênese”. É consenso que a abiogênese ocorreu. E é consenso que a “geração espontânea” não ocorre:
    .
    Abiogênese (português brasileiro) ou Abiogénese (português europeu) (do grego a-bio-genesis , “origem não biológica”) designa de modo geral o estudo sobre a origem da vida a partir de matéria não viva. No entanto há que se fazer distinções entre diferentes ideias ou hipóteses às quais o termo pode ser atribuído. Atualmente, o termo é usado em referência à origem química da vida a partir de reações em compostos orgânicos originados abioticamente. Esta designação entretanto, é ambígua, pois muitos pequisadores se referem ao mesmo processo utilizando o termo ‘biogênese’. Ideias antigas de abiogênese também recebem o nome de geração espontânea, e essas foram, há muito tempo, descartadas pela ciência; consistiam basicamente na suposição de que organismos mais complexos, dos que se observa diariamente, não se originassem apenas de seus progenitores, mas de qualquer ser inanimado.
    O consenso científico atual é que a abiogénese ocorreu aproximadamente entre 4,4 bilhões de anos, quando vapor de água condensou-se pela primeira vez na Terra,[1] e 2,7 bilhões de anos atrás, quando a proporção de isótopos estáveis de carbono (12C e 13C), ferro e enxofre aponta para uma origem biogénica de minerais e sedimentos[2][3] e marcadores biomoleculares indicam a existência de fotossíntese.[4][5]

  218. Paloma Diz:

    Paulo, onde tá essa entrevista? Quero ler!!!

  219. Gomes Diz:

    Olá Vitor
    -
    Esse tema chegou a um debate circular, em que você entende haver ali uma defesa por parte dos espíritos, e eu entendo que não há, pois houve uma prevenção quanto à interpretação que deveria ser dada à mensagem. Kardec em diversos pontos da Codificação adverte quanto ao progresso científico e qual postura se deve ter diante dele. Ademais, torno a perguntar no que isso prova que mediunidade não ocorreu, que o LE é uma fraude enquanto obra mediúnica.
    -
    Olá Carlos,
    -
    Assim como disse ao Vitor, não vejo onde a explicação exclui a idéia do vetor. Os espíritos mencionaram que ali estava encerrado, contido um principio. Não se disse que o mesmo não foi inoculado, nem que surgiu com o próprio hospedeiro. Deu-se uma explicação condizente com o pensamento da época, ressalvando-se que o entendimento não poderia ser imediatista.
    -
    Sobre as “massas de espíritos”, o LE não está negando a eletricidade, nem qualquer fenômeno sísmico ou pluvial, ou qualquer outro fenômeno natural. Está apenas ressaltando uma relação entre os planos material e espiritual, que ocorre em todos os aspectos da vida. O próprio tópico ao qual você se refere explica isso:
    -
    “Tudo tem uma razão de ser e nada acontece sem a permissão de Deus.”
    -
    “Algumas vezes têm uma razão de ser diretamente relacionado ao homem mas freqüentemente não tem outro objetivo que o restabelecimento do equilíbrio e da harmonia das forças físicas da Natureza.”
    -
    A interação ente os meios físico e extra-físico é ininterrupta, não ocorre apenas e sessões mediúnicas.
    -
    Sobre sua última afirmação – “Não sei se você concordaria, mas parece que o espiritismo brasileiro estacionou no século 19.”:
    -
    De forma alguma, penso de modo totalmente contrário. Há inúmeros pesquisadores espíritas e várias publicações regulares expondo as inovações na área, sempre sob a ótica da espiritualidade.
    -
    Minha crítica quanto ao espiritismo “brasileiro” é circunstancial, relacionada aos profitentes mesmo, que em sua maioria preferem os romances aos livros doutrinários.
    -
    Sds.

  220. Vitor Diz:

    Oi Gomes,
    quem preveniu foi Kardec em “A Gênese”, mas os Espíritos Superiores colocaram a teoria da geração espontânea como certa no “Livro dos Espíritos”. Isso é que é inadmissível vindo de um (ou mais de um) Espírito Superior. E exclui-se a ideia de vetor sim, pois a ideia de um vetor NÃO FAZ PARTE da geração espontânea, e a pergunta de Kardec diz respeito a seres que nascem espontaneamente. O próprio Kardec diz estar tratando da hipótese da geração espontânea em A Gênese.

  221. Paulo-rs Diz:

    Paloma, pág 22 Humberto de Campos diz:
    “Os Espíritos podem vibrar em contato direto com a História…”
    “Os Espíritos apreciam, às vezes, não obstante o progresso que já alcançaram, volver atrás, visitando os sítios onde se engrandeceram ou prevaricaram, sentindo-se repentinamente transportados aos tempos idos.”
    “Aquela figura de homem magnetizava-me. Não estou ainda livre da curiosidade do repórter, mas entre as minhas maldades de pecador e a perfeição de Judas existia um abismo. Meu atrevimento, porém, e a santa humildade do seu coração ligaram-se, para que eu o entrevistasse, procurando ouvi-lo”
    “– O senhor é de fato o ex-filho de Iscariotes? – perguntei.
    – Sim, sou Judas – respondeu aquele homem triste, enxugando uma lágrima nas dobras de sua longa túnica…

    Por favor, tem algum espírita aqui que acredita nessa bobagem?
    Aqui diz que os espiritos voltam na história…logo devem relatar coisas coerentes, não?
    Será que não caiu a fixa ainda?

  222. Roberto Scur Diz:

    Paulo,
    Mas é claro conterrâneo, é certo que tudo o que ocorreu não se apaga, fica registrado por meios que não conseguimos compreender, mas estará como um registro imorredouro do passado.
    Através deste mecanismo os guias espirituais transladam os médiuns, durante o sono, para as regiões onde se desenrolaram acontecimento que serão depois narrados em livros psicografados. Algum fragmento deste processo é alcançado atualmente pelos psicólogo que realizam as regressões em seus pacientes – a pessoa descreve com detalhes locais, indumentárias, falam em línguas que não se recordam nesta vida, enfim, relatam detalhes que estão registrados na sua intimidade espiritual, e porque não teríamos acesso a memórias mais amplas, além dos registros de um único espírito?
    Detalhes, pormenores de como isso acontece eu não sei, mas acha perfeitamente compreensível o raciocínio, mas é claro, ninguém é obrigado a aceitar isso como uma verdade, ninguém. Eu aceito como possível e imaginar a lógica e viabilidade do transcendente não é defeito intelectual, pelo contrário, é ultrapassar os limites do aqui e agora ansiando por saber mais. Penso que é isso que anima os cientistas que estão além do seu tempo.

  223. Paulo-rs Diz:

    Scur, Chico narra que Humberto de Campos entrevistou judas. Depois Chico psicografa a entrevista, entendeu?

  224. Vitor Diz:

    Engraçado que o próprio Chico diz que Joana D’Arc foi Judas Iscariotes. Então ele não deveria mais encontrar o espírito de Judas no Plano Espiritual. Ele deveria ter entrevistado Joana D’Arc.

  225. Paloma Diz:

    Foi o maior furo da história do jornalismo, só digo isso.

  226. Rafael Maia Diz:

    Oi Paulo. Eu vejo os erros terriveis do chico chavier. Não acredito num mundo espiritual por causa do chico chavier. Nem me importo se ele foi verdadeiro ou falso. Na verdade, nem gosto de falar do chico chavier. Eu apenas sou cauteloso nas minhas pesquisas. Considero todas as possibilidades antes de qualquer coisa.

    Por exemplo, eu considero os acertos dele. Não apenas olho pro seus erros. Já os criticos dele não, só olha os erros.

    Eu vejo possiveis explicações para seus erros e vejo possiveis fraudes para seus acertos, os críticos dele não, só olham as explicações que comprovem os erros.

    Entende eu tento ser imparcial nas minhas pesquisas caseiras.

    Eu levo em conta o histórico dele, eu levo em conta o sua deficiências psicologicas e outras coisas. Levo em conta que foram 60 anos de psicografias, isso é tempo meu amigo, dá pra fazer coisa errada, voltar atrás e ainda fazer coisa certa. Levo em conta indicação ao premio nobel e milhares, talvez 1 ou 2 milhões de pessoas que atestaram, sua mediunidade. Quero ser correto nos meus julgamento, não poderia julgar chico chavier com base em alguns dados.

    Quanto ao exame, não quis dizer que vc era mal, foi apenas um tom de brincadeira(vc viu o sorriso?!). :)

    Acho que a questão do exame se resolve fácil, basta levar a uns 3 ou 4 médicos hoje e ver o que eles dizem.
    Enquanto isso, qualquer coisa sobre o exame é incerto, na minha opinião.

    Abraços.

  227. Rafael Maia Diz:

    onde diz:indicação ao premio nobel e milhares, talvez 1 ou 2 milhões de pessoas que atestaram, sua mediunidade.

    digo: indicação ao premio nobel e milhares, talvez 1 ou 2 milhões de pessoas, que atestaram sua mediunidade.]

    onde diz:Não apenas olho pro seus erros. Já os criticos dele não, só olha os erros.

    digo: Não apenas olho pro seus erros. Já os criticos dele não, só olham os erros.

  228. Rafael Maia Diz:

    Voçe sabe como é o processo para disputar o prêmio nobel da paz ? Um comitê internacional analisa os possiveis candidatos.
    Chico chavier passou por esse exame e foi um dos qualificados. Claro, a opinião de um conselho internacional não é levado em conta pelos criticos do chico chavier. Mas, nas minhas pesquisas, eu as levo conta.

    Acredito que para se fazer um trabalho bem feito esse procedimento é o mínimo necessário. Graças a isso, eu posso falar disso pro meus amigos pessoais e eles todos concordarem que a análise foi boa. E o resultado fica pra mim mesmo, afinal, não quero convencer ninguem apenas busco a verdade, seja ela qual for.

  229. Rafael Maia Diz:

    Paulo pra vc tomar conhecimento de alguns dados interessantes sobre o “fraudador” “picareta” chico chavier, além de indicado para o prêmio nobel da paz, ele fez a doação do seu dinheiro da venda dos seus livros para outros. Nessa, ele nunca tirou proveito econômico. Vale destacar que esse sujeito sofria além da catarata e dos problemas de pulmões, passou a sofrer de angina.
    Angina é uma doença que faz a pessoa sentir constantes dores, diariamente dores. Se o grau de evolução da doença, se for alto, ele sofria de dores fortes DIARIAMENTE por 20 minutos muitas vezes, cada uma delas.

    Mesmo com tudo isso, sofrendo feito um louco, jamais pegou um centavo pra se beneficiar. Melhor, criou uma fundação em prol dos necessitados.

    Chico chavier era um cara muito “errado” muitos pensam. Provavelmente “fraudava” um monte de gente, uma parcela pequena de pessoas pensam. No entanto, esse sujeito muito errado jamais FALTOU UM DIA SEQUER o seu trabalho. Nunca. Realmente isso não condiz com um fraudador louco e picareta. Pelo contrário, condiz com um sujeito correto.

    Chico chavier escreveu livros de 1930 a 2.000. Em torno de 400 livros, mesmo com dores e atendendo várias pessoas diariamente. Dá uma média de 6 livros por ano. 1 a cada 2 meses, considerando que ele nunca descansou. Se considerarmos que ele parou de escrever para descansar, a média sobe pra 1 por mês talvez. Isso prova que ele era medium ? Não, mas isso ajuda a provar que ele tinha muita coisa a fazer e não era participante de uma orgnaização crimonosa que fraudava e vivia de estelionato.Claro, não esqueça das dores que o atormentavam constantemente.
    Apenas algumas informações para ajudar no julgamento.

  230. Rafael Maia Diz:

    Carta aceita por peritos criminais que atestaram a veracidade das assinaturas de chico chavier.

    Tudo começou com um rapaz de Goiânia que morreu com um tiro durante uma brincadeira de roleta russa. Henrique Emmanuel Gregoris tinha um revólver, e foi atingido pelo amigo João Batista França e o caso foi registrado pela polícia como homicídio culposo, ou seja , ao dar o tiro, o amigo de Henrique não teve a intenção de matar.
    No dia seguinte à leitura da sentença pelo juiz Orimar Pontes, que absolveu João França, A MÃE DE HENRIQUE RECEBEU A VISITA DE CHICO CHAVIER. O médium estava levando uma mensagem de Henrique para a mãe: “avise minha mãe para suspender o processo contra João França. Ele é inocente e essa história toda tem prejudicado o meu crescimento espiritual”.

    A surpresa indica que não havia contato prévio entre chico e a família.

    Juri se convence da veracidade das cartas de chico chavier POR 7 X 0

    O terceiro caso é da Miss Campo Grande 1975, a bancária Gleide Maria Dutra de Deus foi morta com um tiro pelo próprio marido(João Francisco Marcondes de Deus), no dia 01º de março de 1980. Ela chegava em casa, cansada de uma festa, sentou-se na cama e foi alvejada na garganta quando tirava os sapatos. No processo por homicídio, em 1985, um juiz de Campo Grande aceitou que a defesa apresentasse “cinco cartas psicografadas pelo médium Chico Xavier, nas quais a vítima dá a entender que a arma disparou acidentalmente. O júri o absolveu por 7 votos a zero.

    Nada mal heim 7 a 0. Muito falsa essa carta devia ser pra todos de forma unânime considerar o sujeito inocente. Detalhe, até a própia defesa aceitou que mostrasse a carta do chico.

    Apenas alguns detalhes para os leitores do blog que desejam fazer um estudo sério sobre o assunto.

  231. Rafael Maia Diz:

    O link: http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20110615091529AAf60wz

  232. Rafael Maia Diz:

    Seu estudo é sério vitor, sei que leva em conta os dois lados, o favor e contra o chico, por isso considero muito boa sua opinião. Digo outros leitores que desejem levar em conta as provas a favor e contra. Não adianta dizer isso pros contra chico que eles não são imparciais, na minha opinião.

  233. mrh Diz:

    Rafael Maia, ouça o conselho dos + velhos: vc está numa canoa furada c/ esse negócio d chiquismo…

  234. Rafael Maia Diz:

    Obrigado mrh, reflitirei sobre isso. A tese de que o chico de fato foi um medium tem muitos defeitos. E falta pouco para eu me convencer de que ele nunca foi um medium.

    Vitor voçe não tem qualquer sinal de que o chico realmente mandava pessoas atrás de informações para poder psicografar ? Pra mim seria algo decisivo se eu tivesse o depoimento de umas 3 pessoas que declarassem ter maldosamente buscado informações para auxiliar chico numa fraude. Seriam 3 isentos afirmando que o chico era um fraudador +2 não isentos(amauri e waldo) dizendo a mesma coisa.

  235. Rafael Maia Diz:

    Eu realmente não gosto de pensar sobre o chico chavier. É dificil dizer o que pensar sobre ele. Há idéias que me fazem acreditar nele e há idéias de que me fazem não acreditar nele. Sempre fico muito na dúvida.

  236. Rafael Maia Diz:

    Vitor, me lembrei de algo, voçe disse que o motorista dele jogava os “utencílios” que ele usava para fraudar as materializações na rua. Ele de fato afirmou isso ?

  237. Marden Diz:

    Biasetto, Paulo, Tomé, Roberto,

    Biasetto, obrigado pela sugestão. Conheço sim a obra de Dellane e tive aqui lendo no blog sobre a comparação feita. Tenho a minha opinião de que qualquer obra psicografada, poderá provavelmente ter a opinião pessoal do médium.

    Paulo, minhas afirmações são baseadas nessa tríade de livros que disponibilizei para você e aos demais leitores. Acredito que você e o Vítor possam ser, duas pessoas possíveis de analisá-las.

    Tomé, sinta-se livre para duvidar e discordar. Se você acha que não merece a penar estudar, você está com toda a razão. Na verdade minhas opiniões aqui são apenas para os que realmente querem estudar.

    Roberto, não se pode fundar o Espiritismo, nem mesmo Kardec fez isso. Não existe, novo ou velho Espiritismo. O que se pode fazer é codificar princípios baseados nas observações espiríticas. Esses princípios podem ser imbuídos de misticismos ou religiosidades, mas também podem ser princípios lúcidos, racionais e que satisfaçam à razão a dias de hoje. E para a sua surpresa, o Espiritismo Racional e Cientifico Cristão, tem sim nos dias de hoje, uma nova nomenclatura, justamente para não se confundir com o espiritismo religioso.

  238. Vitor Diz:

    Oi, Rafael
    eu não sei se era o motorista mesmo. Nunca provou isso pra mim.

  239. Roberto Scur Diz:

    Rafael,
    Esta é a utilidade deste blog: lançar a dúvida sobre as mentes tíbias no que acreditam.
    Você se apega a dados irrelevantes para sustentar a tua crença na mediunidade de Chico Xavier, e como consequência disso não é de se admirar que passe a considerá-lo como um embusteiro.
    Você fez uma defesa apaixonada da mediunidade dele por conta do dia de sua morte, usou de uma estatística confusa que não agrega absolutamente nada à importância que Chico Xavier têm para a Doutrina Espírita.
    Penso que é mais útil para o teu desenvolvimento intelectual te voltar para o lado que o pessoal deste blog se homiziam.
    Nas tuas manifestações em defesa dele usas apelos interessantes porém nos quais tu de fato não acredita que sejam importantes mesmo.
    O dia que tu compreenderes de fato o valor de restituir a esperança, a vontade de prosseguir depois de experimentar os golpes do sofrimento que todos nós estamos sujeitos, mas que visitam uns antes de a outros deixando-os fragilizados, o dia que você compreender a beleza e a grandiosidade do sentimento de caridade, de amor ao semelhante, vais conseguir entender Chico Xavier.
    Por enquanto fiques te enrodilhando neste circo de lógica rasa, de ataques irresponsáveis, de vera ignorância, pois vibras nesta mesma sintonia meu caro.

  240. Roberto Scur Diz:

    Marden,
    Não, realmente não existe velho ou novo Espiritismo, e eu nem afirmei isso. Existem pessoas como você que não chegaram a compreender a Doutrina Espírita compilada sim senhor por Allan Kardec. Você não sabe o que fala sobre este tema então seria mais adequado tratar do teu Espiritismo Racional e Científico Cristão, que tu diz não ser um espiritismo religioso, e que é um contrassenso completo já de cara, na própria “nova nomenclatura”, pois se diz em algum momento “Cristão” e logo depois “não religioso”. Que cegueira meu senhor. Pelo menos batizassem melhor suas criações.
    O que há é uma mixórdia intelectual tentando à todo custo nublar a verdade com enxertias personalistas que refletem bem o orgulho dos seus criadores, a tal ponto que não percebem o desconcerto lógico do que falam, dizem ou defendem.
    O teu ERCC, abreviando, nada têm à ver com o Espiritismo, sem méritos ou deméritos ao que vocês venham à fazer em sua doutrina que não me surpreende em absoluto, engano teu, pois era muito certo que coisas deste tipo aconteceriam. Mas vá em frente pois o conhecimento chegará por qualquer via, queiramos ou não, e os descaminhos servirão de escola para aprendermos por onde devemos ou não seguir.

  241. Juliano Diz:

    Rafael Maia

    O caso do Henrique só atesta a má-fé do CX.
    1º O Provavelmente o CX e os espíritas não conhecem absolutamente nada de direito penal. Homicídio é Ação Penal Pública Incondicionada. O negócio é com o Ministério Público, independe da vontade de parentes da vítima o prosseguimento da ação ou não. Neste caso, juridicamente falando, os parentes são apenas auxiliares no transcorrer do processo. Por óbvio, a evolução do rapaz iria ser prejudicada, pois os seus familiares não possuíam qualquer poder de retirar a ação. Realmente o povo do além vinculado ao CX era burro que nem um porta! Não sabiam nada de italiano, nada de direito, nada de nada!
    2º Não sou advogado criminalista, mas já fui. O caso é de homicídio culposo! Apesar que o MP provavelmente forneceria denúncia como dolo eventual. Um homicídio culposo mais grave, onde há, mesmo que indiretamente, uma intenção de matar. E eu entendo assim também. Mas fiquemos no homicídio culposo. Como no Brasil há júri popular, estes casos com um bom advogado é comum ocorrer a absolvição do réu. Pois se trata de réu primário, bons antecedentes, uma vida pela frente, ocorreu em face de uma fatalidade, e etc (…).
    Por fim, vamos trabalhar no campo do mais óbvio. Do lógico. Mesmo sendo na década de 70, esse processo deve ter tido uma repercusão nacional, deve ter no mínimo saído em jornal. E como já foi dito aqui, a dita carta apareceu após muito tempo (1 ou 2 anos, salvo engano) após o fato ocorrido. Pra mim, resta óbvio que o CX intentou faturar uma com isto! Só não vê quem não quer ver. E a situação concreta só atesta mais uma vez que o CX era sim mal intencionado! Não tinha nenhum respeito pelo outro, quando entrava em jogo seus interesses! Se tivesse, e fosse o cristão que alegava ser, no mínimo seguiria as palavras do seu mestre maior, Jesus Cristo (JC)! Eu já estou achando que a fé dele em JC é a mesma do Edir Macedo, Silas Malafaia, Bento XVI e cia (…). Ou seja, nenhuma. Utilizam de uma marca para benefício pessoal e da sua instituição. Pois JC colocou o famoso “dai a César o que é de César e a deus o que é deus”. É mais ou menos assim a frase. Por óbvio, descabia a ele se menter em assunto que não lhe diz respeito! Tumultuando o processo! E o pior, segundo provas abundantes aqui, de forma falsa e com documento fabricado. Uma vergonha!

  242. Juliano Diz:

    Roberto Scur

    Só tenho a dizer que você piorou de novo! Está voltando ao “chiquês”, vocabulário confuso da silva e enrolão! Uma pena. Mas o teu inconsciente te trai, e eu no fundo te entendo. Metaforicamente falando, às vezes tem que se agarrar com mais força no “pau da barraca”! Se não a mesma cai e sabe-se lá o que pode acontecer! Tranquilo!
    Pensa bem sobre a questão da vibração. Acho que tem mais gente que vibra no nível do blog, será que não? Se olhar no espelho faz bem algumas vezes!

  243. Roberto Scur Diz:

    mrh, o homem código que pretende deixar uma marca, criar uma grife com seus símbolos gráficos para substituir a síntaxe de sua língua mãe.
    .
    Também tu fundou outra terminologia para abarcar o teu desprezo pelo valor moral de uma pessoa que tu não conseguistes compreender?
    .
    Chiquismo existe nas mentes perturbadas que nem sequer se dão ao trabalho de analisar o que o própria Chico Xavier dizia de si mesmo, aliás, a sua figura foi tão importante na história da humanidade que existem blogs como esse que se dedicam afanosamente a tentarem destruir sua reputação. Sim, Chico Xavier incomoda muita gente, porém precisarão mais do que estas ginásticas de sinais linguísticos esdrúxulos e estes conselhos de “mais velhos” como tu.
    .
    Tenha tu um único dia de Chico Xavier na tua vida, assistindo, consolando, amando as pessoas anônimas que te procurem em coletividades, e depois venha e fale sobre ismos e canoas. É por estas razões que o progresso moral é muito mais difícil do que o intelectual, meu caro, como lê-se no Livro dos Espíritos:

    A perfeição é a meta principal do Espírito. Entretanto, sem trabalho, sem estudo, sem sacrifício, sem eperiência, não há avanço. O progresso moral é bem mais difícil de atingir do que o progresso intelectual, uma vez que, para alcançá-lo, precisamos cultivar virtudes que exigem de nós o desprendimento. Essa é a razão pela qual os bennfeitores espirituais alertam que “a sublimidade da virtude consiste no sacrifício do interesse pessoal, pelo bem do próximo, sem segundas intenções”.

  244. Roberto Scur Diz:

    Vitor,
    Outra demonstração do quanto tu ignora, quase que por completo, o Espiritismo. Você não conhece nem a forma com que os espíritos se apresentam no plano espiritual e acha que a reencarnação te deixa sempre com a última aparência corporal.
    Se Humberto de Campos entrevistou Judas, e se Judas foi Joana D’arc em outra encarnação, ele entrevistou o mesmo espírito que se apresentou com o perispírito de sua reencarnação como Judas.
    Eu sugeriria que tu não te denominasse mais “espírita” sem usar a designação do espírita que não é verdadeiro, ou seja, denomine-se “espírita experimentador” para não dar falso testemunho de si mesmo.
    Perceba que aqui no teu blog pode-se dizer que não vêm nenhum espírita de fato, mas vários ex que nunca foram e se denominam “ex-espíritas”, ou pessoas confusas e perdidas como o Rafael, ou afastados da Doutrina que embalou sua infância no seio de uma família espírita, mas que foi depois refugada pelo filho Gomes, ou os “espíritas panamericanos”, ou espíritas como tu que só acreditam nos fenômenos, ou espíritas teóricos desejosos de escreverem livros e serem conhecidos, mas que nunca conseguem, como o Arduin, ou o Pablo-rs, enfim, temos uma verdadeira salada.
    .
    Nem eu sou verdadeiramente um espírita porque se fosse estaria tentando fazer algo melhor do que ficar me divertindo com as tiradas dos sábios que por aqui mourejam; estaria me esforçando para fazer alguma coisinha que fosse do bem que fez Chico Xavier – um exemplo de cidadão, de ser humano.

  245. Roberto Scur Diz:

    E Vitor,
    Com relação a abiogênese ou biogênese você não têm nada a acrescentar ao que disse Kardec, e não será o teu critério científico baseado na wikipedia que vai salvar a tua visão errada sobre ele ter dito algo que está comprovadamente errado por sua vez.
    No mesmo tópico da wikipédia que tu consultou está demonstrado que não há definições sobre isso, existem apenas teorias, meras teorias que se revezam de tempos em tempos mas não podem comprovar coisa nenhuma.
    Lá está escrito, por exemplo:
    “Os estudos sobre a origem da vida são um campo limitado de pesquisa apesar do seu profundo impacto na biologia e na compreensão do mundo natural. O progresso neste campo é geralmente lento e esporádico, apesar de atrair a atenção de muitos devida à importância da questão. Várias teorias têm sido propostas, dentre as quais a Teoria de Oparin da sopa primordial e a teoria do mundo do RNA”
    E sendo assim, embora a pobreza dos dados que tu mostrou aqui como se fosse resposta conclusiva sobre o tema, procure outro “erro comprovado na doutrina Espírita” que esse aí não cola velhinho. Você precisa ser mais exigente consigo mesmo pois te atribui esta missão de apontar erros e acertos (acertos tu nunca aponta, à não ser para os médiuns que tu simpatiza ou às pesquisas muito antigas) à LUZ DA CIÊNCIA.
    .
    Acho que existem temais mais favoráveis para ti defender como sendo erros do Espiritismo.

  246. Vitor Diz:

    Scur,
    na literatura psíquica não existe NENHUM caso de espírito que alegue se lembrar de quem foi na reencarnação passada. Não é estranho isso? O que existe são casos de crianças que se lembram de uma vida passada bem recente, em pouquíssimos casos duas, e em raríssimos casos ainda três. Comprovada, no máximo, o recorde é de 82 anos. De Judas para Joana D’Arc são mais de 1400 anos. Além disso, por que Joana D’Arc iria preferir andar no mundo espiritual como Judas? Será que ela sentia orgulho por ter traído Jesus naquela vida? E o Humberto de Campos não dá maiores explicações, tipo: “olha, pessoal, estou entrevistando Judas, mas ele já reencarnou como Joana d’Arc, eu pedi para ele assumir essa forma para eu entrevistar sua personalidade passada”? É tudo muito mal explicado, ou sem explicação alguma, ou sem prova alguma, Scur. Não sou crente a esse ponto.

  247. Roberto Scur Diz:

    Juliano,
    Você pegou a síndrome do JCFF e começou a ser por demais verborrágico, ou está usando um linguajar de advogado para convencer jurados de que o teu cliente está inocente, e convenhamos, as defesas estão cheias de palavras mas sem conteúdo.
    Agora demonstra ter alguma inclinação para a psicologia, também, e analisa o meu inconsciente, e por fim vai para o caminho da compreensão dizendo que “me entende”.
    É comovedor este interesse; algum sinal de solidariedade cristã que está te contaminando Juliano? Mas não seio o que ficou enrolado para ti. Se quiser eu tento ser mais claro, mas tu, por tua vez, também deixa em desejar em termos de clareza quando mistura tua linguagem de advogado para analisar o caso da carta psicografada que fez parte do processo do rapaz.
    E finalmente sobre a questão da vibração no nível do blog eu já tinha escrito antes de te lido o que tu disse, mais abaixo deste comentário, que eu, se fosse um bom espírita, estaria fazendo outras coisas ao invés de escrever e me divertir por aqui, então, gosto desta fuzarca aqui e me enxergo sim senhor no espelho – não sou grande coisa, não sou um bom espírita Jujuba.

  248. Vitor Diz:

    Scur,
    os espíritos ERRARAM sim quando disseram que não havia vetor para as larvas. ISSO está comprovado SEM SOMBRA DE DÚVIDAS. O que a Wikipédia informa é que há várias teorias sobre a origem da vida entre 3 e 4 bilhões de anos atrás. Os espíritos se referem a geração espontãnea NOS DIAS ATUAIS e que as larvas NÃO VINHAM DE INSETOS, QUANDO ELAS VÊM!
    .
    Você não vê porque não quer.
    .
    E se quer outros erros claros, veja esses:
    .
    Poder-se-á conhecer o tempo que dura a formação dos mundos: da Terra, por exemplo?
    “Nada te posso dizer a respeito, porque só o Criador o sabe e bem louco será quem pretenda sabê-lo, ou conhecer que número de séculos dura essa formação
    .
    .
    Poderemos conhecer a época do aparecimento do homem e dos outros seres vivos na Terra?
    “Não; todos os vossos cálculos são quiméricos.”
    .
    ERRO CLARO: O tempo de criação da Terra atualmente é bem conhecido: Surgiu há 4,6 bilhões de anos, e sabemos seus períodos de formação, quando surgiram as plantas, os primeiros animais e o próprio homem .
    .
    E agora, Scur?
    .
    PS: O Arduin pelo menos admite os erros do Livros dos Espíritos. O Scur nem isso. É por isso que prefiro debater com o Arduin.

  249. Roberto Scur Diz:

    Vitor,
    Em primeiro lugar tu está considerando que os espíritos não lembram quem foram em vidas passadas, e isto é impressionante vindo de alguém que se diz “espírita”, mas tudo bem, tu é experimentador mesmo.
    O que ocorre com frequência nos centros espíritas, nas reuniões de desobsessão, é o revelarem-se o passado dos espíritos em vidas pregressas para fazê-los compreender o porque dos acontecimentos que lhes prenderam em vinganças contra vítimas que foram algozes no passado. A literatura espírita é farta em casos como esses, aliás, é uma característica marcante sua.
    Talvez tu fique rodeando os cientistas do passado que se viram obrigados a aceitar que o fenômeno espírita não era uma fraude, e está cristalizando a tua atenção exclusivamente neste capítulo do início da Doutrina Espírita, que só teve lugar para chamar a atenção da humanidade para o que viria depois dos fenômenos: os ensinamentos morais. Sendo assim tu nada analisa neste sentido.
    Eu mesmo tenho dezenas, senão centenas de livro que tratam deste tema.
    Sobre a literatura psiquica eu não entendo bem o que tu quer dizer pois diz que esta literatura trataria de assuntos ligados a espíritos? Que eu saiba a psiquiatria ou psicologia vai, nos tempos atuais, tratar da regressão de memória que em algum momento da história rompeu a história do útero materno e desembocou em existências pregressas, aí surgindo a terapia de vidas passadas, mas quanto ao fator “espírito” mesmo não sei como eles tratam disso.
    E tu dizer que existem apenas casos de crianças que lembram de vidas passadas recentes eu não vejo o que isso têm à ver com a entrevista de um espírito a outro espírito. No plano espíritual as condições de lembrança são totalmente diferentes das de um reencarnado.
    Comprovada ser 82 anos???? Que confusão isso Vitor! Tu mesmo postou a história da Dorothy Eady que tinha lembranças de sua vida há milênios no Egito?
    A literatura espírita dá muitos exemplos e explicações sobre a personalidade que o espírito prefere envergar lá no plano espiritual. Às vezes ele desencarna e já assume a sua forma de outra reencarnação pois é a que mais lhe agrada. Nossa, são tantos casos exemplificando este processo que me admiro tu não conheceres sobre isso.
    “És mestre em Israel e desconhece destas coisas?”

  250. Juliano Diz:

    Roberto

    No fundo é até uma honra me comparar ao JCFF. Não o aspecto religioso dele, ressalte-se. Mas ele é um baita pesquisador da história de Roma antiga. E apesar do catolicismo exacerbado dele, um direito dele de o ser, diga-se. No tópico Público Lentulus e Lenturlus Sura ele foi primoroso! Matou a cobra e mostrou o pau!rsrsrs
    Como é simples desqualificar um profissional do direito no nosso Brasil, pátria do Evangelho segundo o Espiritismo? Fala jurídica virou verborragia! Lamentável, é olha que busquei escrever o mais simples possível. Consulta o teu advogado sobre o tema que você vai ver que não estou errado.
    Você sabe que além de advogado, atualmente sou estudante de Psicologia. Eu sempre busco conhecimento e busco me aperfeiçoar viu? Então, por óbvio me acho no direito de já dar uns pitacos nesta área. Estou indo pro terceiro ano! Agora de fato é pitaco! Uma simples opinião pessoal que por estar num blog me acho no direito de dar. E a tua conversa só corrobora a minha opinião sobre você. Por fim, quer mais “pitaqueiro” rsrsrs (nem sei se existe este termo) que você? Duvido!!

  251. Vitor Diz:

    Scur,
    o caso Dorothy Eady não é um caso comprovado. Ela diz que foi uma sacerdotisa do templo, mas não se sabe o nome da sacerdotisa, não há registro na História que confirme. Ela entendia pra caramba do Egito e da região, tornando sua história mais plausível, mas sem comprovação da existência da personalidade passada.
    .
    E repito: em NENHUM caso mediúnico, fosse com Piper, fosse com Osborne, os espíritos dos familiares dos consulentes alegaram saber quem tinham sido na reencarnação passada, isso em MILHARES de casos. O controle de Osborne, Feda, ainda alegou ter sido a tataravó de Osborne, mas não há comprovação dessa tataravó, embora fosse ao menos possível. Já o Publio lentulus do Emmanuel é completamente impossível.

  252. Juliano Diz:

    Roberto Scur

    O Waldo Vieria coloca que lembranças mais claras só ocorrem da última encarnação, quando desencarnado. As demais requerem um processo mais prolongado de rememoração. Já o Dr. Amit Goswani coloca que em verdade o que se fica quando do desencarne é muito pouco, boa parte da memória se perde com o cérebro e seus neurônios. Fica mais uma essência e algumas rememorações mais significativas, principalmente as de cunho fortemente emocional. Mas se levando em conta várias encarnações, é muito mais lógico que se Judas Iscariotes (JI) foi Joana D´arc (JD), o espírito do mesmo não se lembre disto, pois muita água já passou por debaixo da ponte deste espírito (quem sabe ele foi um cachorro numa de suas últimas vidas, aí praticamente apaga tudo! Digo isto, pois é evidente que a “entrevista” do Humberto Campos foi mais uma das maluquices do picareta do CX! Que começo acreditar que no fundo, lá no seu íntimo não acreditava no seu ídolo “mor” JC. Em verdade se utilizava deste para se autopromover, como muitos outros líderes religiosos aqui descritos por mim no outro comentário. É isto.

  253. Juliano Diz:

    Vitor

    Tudo tranquilo? Esta questão de rememorações de vidas passadas, de assumir uma forma no outro plano anda na agenda das minhas reflexões.
    E se a lógica do ciclo existencial seja não lembrar vidas passadas? No nosso plano a lembrança é exceção e ocorre quase sempre em crianças, que com o passar dos anos a tendência é esquecer. Será que tal situação também não o é também num possível outro plano?
    Nesta vida mesmo, nós nos lembramos com precisão de detalhes de fatos ocorridos a 20 anos atrás? Provavelmente não, e a lembrança muitas vezes já não é a que ocorreu de fato! Nós mudamos, pioramos ou melhoramos a ocorrência. Colocamos um personagem que talvez não tenha de fato participado da cena!
    Aí me veio agora em mente o caso Antonia. E talvez ali tenha ocorrido, pelo forte cunho emocional daquela vida da Antonia. Inclusive é dito que praticamente apenas fatos de forte cunho emocional é que ficam na consciência(Goswani), aí entrando o inconsciente coletivo de Jung, temos uma possível explicação do processo da Antônia. Não sei se me fiz claro? Mas, pelo menos tentei né porra!!!rsrsrsrsrs Valeu. O que você acha?

  254. Vitor Diz:

    Oi, Juliano
    eu acho que é por aí mesmo, só o que nos marca emocionalmente é o que fica. No mito grego de Orfeu, quando ele desce ao mundo dos mortos para resgatar sua amada, ele se encontra com vários heróis e ele mesmo diz que eles eram pálidos reflexos do que tinham sido em vida. Eles eram apenas uma sombra. Muitos beberam da água do Lethe, o rio do esquecimento. O filme “Ghost” disse uma frase que nunca esqueci e que é confirmada pelas pesquisas, tanto mediúnicas quanto de reencarnação: “O amor verdadeiro levamos conosco”. E talvez seja só isso que levamos mesmo.
    .
    PS: pelo mito grego também é capaz de as materializações do Monteiro Lobato e do Kennedy serem verdadeiras :D

  255. Roberto Scur Diz:

    Juliano,
    Olha, Waldo Vieira, Waldo Vieira, Waldo Vieira, … O que sabe este Waldo Vieira? Como tu usa o conhecimento confuso, ininteligível, cheio de mistérios e absolutismos, verdadeiros dogmas é o que o Waldo Viajeira ensina para seus alunos pagos que vão em busca de algo mais lá nas suas tertúlias?
    Que as lembranças mais claras são as da última reencarnação isso me parece óbvio, não precisa o Viajeira falar sobre isso. Ou vamos querer admitir que o sujeito morre e esquece quem foi na vida que acabou de viver?
    Tu não leu em lugar nenhum lá nas tais tertúlias dele que dependendo o grau de elevação do espírito ele pode relembrar de imediato suas reencarnações anteriores? Ou que o esquecimento nos espíritos ainda atrasados é questão profilática para que não enlouqueçam ao invés de terem ambiente propício para seu progresso?
    Se tu está estudando psicologia, será que (sou ignorante no assunto) não existem matérias no curso que tratam de uma gradativa busca pelo eu interior do paciente que costuma criar personagens para si mesmo procurando fugir de traumas que tenha sofrido, que negam a realidade por não poderem suportá-la? É por aí que temos o esquecimento das tranqueiras que cometemos nas outras existências e somente quando estamos preparados somos regredidos na memória para conhecermos a verdade sobre nós, e geralmente somos tomados de horror, ou temos que nos resignar quando descobrimos que fomos nós muito criminosos contra alguém que hoje consideramos um perseguir tenaz, um criminoso contra nós.
    E tu chamar Chico Xavier de picareta, sem ter provas, é próprio dos levianos Juliano. Nem parece que já estudou direito.
    Tu acha que Judas, tendo sido Joana D’Arc posteriormente, não cumpriu valorosa missão na Terra e pode se libertar de parte de seus erros quando esteve com Jesus? Tu não compreende que o progresso do espírito lhe permite lembrar não apenas uma, mas várias existências?
    É preciso ler mais, estudar mais, porque não faltam instruções dos espíritos sobre como se dão as coisas no plano espiritual, mas o que falta é lucidez e racionalidade da parte destes que se dizem o supra-sumo da razão – são os ‘doutos e sábios’ de nosso tempo, que pensam que sabem e estão mergulhados nas trevas da ignorância.
    Carinha, tu dizer que ele foi um cachorro é a cereja do bolo do teu desconhecimento completo sobre como se dá o processo reencarnatório, quando o espírito têm origem como indivíduo, sobre a não involução, enfim, estás na escuridão Jujuba.
    Tu começa a acreditar nisso ou naquilo com a mesma facilidade que tu trocas de cuecas todos os dias, e não serei eu ou ninguém que vai te convencer a ser mais criterioso, justo e razoável em tuas alegações. Que assim seja Jujuba.

  256. Roberto Scur Diz:

    Vitor,
    Nada vai te satisfazer, nenhuma evidência, nenhuma, somente aquela que tu admitir, de preferência que tenha sido apresentada por ti mesmo. Se a mulher ter todo aquele conhecimento sobre o egito antigo, se ela saber reconhecer os hieróglifos como ninguém, se todas as descrições exatas que ela deu durante a sua vida não forem uma evidência de que viveu realmente outra existência em profundo contato com o Egito antigo, pelo menos (sem considerar que ela pudesse ser quem ela disse que foi, uma sacerdotisa) esta evidência teria de ser aceita, do contrário, é muita teimosia que jamais vai admitir nada que não lhe interesse.

  257. Roberto Scur Diz:

    Juliano,
    O JCFF primoroso no caso Publio? Caramba! Sem comentários velhinho.

  258. Vitor Diz:

    Scur,
    a Dorothy leu pra caramba sobre o Egito. Fica difícil separar o que ela sabia por meios normais do que poderia ter sido obtido por meios paranormais.

  259. Roberto Scur Diz:

    Vitor,
    Tá, tá Vitor: então tá, não vamos discutir pois não vamos chegar a lugar nenhum. Para ti eu não quero ver, para mim tu não quer ver, então estamos resolvidos.
    E esta do “erro claro” é de trincar: o tempo é “bem conhecido?” Antes tu falou 3 bilhões, agora tu viu na profundamente científica, a palavra final da wikipédia, e defende que é 4,6 bilhões??????
    Te pára vivente, te pára. A palavra ideal é essa mesma apresentada no Livro dos Espíritos: TODOS OS VOSSOS CÁLCULOS SÃO QUIMÉRICOS, quiméricos, piada, chute monstruoso, muita preguiça, muita cegueira.
    Deixa prá lá.

  260. Vitor Diz:

    Scur,
    3 bilhões seria o início da vida na Terra (na verdade um pouco mais, uns 3,5 bilhões). 4,6 bilhões é quando a Terra surgiu!
    .
    Você só finge que não sabe.
    .
    PS: Viu, Paloma? Eu disse que o Scur não admite NADA. Se o Chico dissesse que o homem conviveu com os dinossauros o Scur ia acreditar. Sei que o Arduin ofendeu sua ética, mas pelo menos coloca ele um patamarzinho acima do Scur :D

  261. Juliano Diz:

    Ler

    Roberto Scur

    Ler o inteligentíssimo comentário do Vítor sobre o Mito de Orfeu e após ler o teu comentário não tem como não rir, me desculpe, mas não tem como rsrsrsrsrsrs É cômico se não fosse trágico. Quer dizer que estou na escuridão é? Tá bom!
    Faz tempo que não assisto as Tertúlias! Mas o Waldo Vieira, apesar de tudo e dele “dever no cartório bastante bem”! É o que de melhor saiu do espiritismo brasileiro. Alguns conceitos colocados por ele merecem análise e são interessantes! E o ambiente em Foz onde fica o CEAC é muito agradável, faz bem ir lá e ficar uns dias! Muito agradável mesmo. De resto não tenho não sei nem o que dizer. Quer dizer que por eu ter estudado direito não posso afirmar que CX era um picareta? Mesmo com todas as abundantes, fartas, repletas, conclusivas, evidentes e (…) provas de suas enganações para com as pessoas? Tá bom. Um abraço Gaúcho

  262. Antonio G. - POA Diz:

    Meu coestaduano Scur nos lembra que “os cálculos científicos sobre a existência do universo, do planeta Terra e a vida são quiméricos”, de acordo com o Livro dos Espíritos. Interessante. Quimérico é algo fantasioso, ilusório, irreal. O aludido livro de perguntas e respostas foi compilado pelo professor Allan Kardec. As respostas às perguntas foram ditadas por diversos espíritos, inclusive alguns santos católicos (Allan Kardec era papa-hóstia, embora alguns digam que era protestante). Muitas respostas do LE são absurdas já desde o tempo em que foram dadas. Outras mostraram-se erros grosseiros, à medida em que o conhecimento avançou (vida em Marte, por exemplo). Enfim, o principal livro doutrinário da crença ferrenhamente defendida pelo Scur, e que adjetiva de “quiméricos” os cálculos feitos pelos cientistas, é todo muito fantasioso, ilusório e QUIMÉRICO. Não é mesmo interessante?
    Sds.

  263. Roberto Scur Diz:

    Vitor,
    .
    Os cálculo são quiméricos, não têm precisão, e a questão não é de qual seria a idade da Terra, não foi isso que foi tratado nas duas perguntas do Livro dos Espíritos que tu colocaste ali acima.
    .
    Quanto tempo demora para formar um planeta? Me diga aí qual é o nome do cientista que arriscou um chute nisto e disse que é isso aí, eu garantio?
    Qual é a idade do planeta Terra? Por favor, me diga qual é o cientista que precisou esta data, apenas o nome.
    .
    Tu não sabe velho, porque NINGUÉM SABE, ou seja, são cálculo QUIMÉRICOS, então onde está o erro do Livro dos Espíritos bagual, onde?
    .
    Cientista ou Surfista da Web?
    Olhando rapidamente, assim como tu faz, vejo algumas páginas que falam sobre isso, não mais, nem menos importantes do que a wikipédia que tu sabe muito bem que é uma enciclopédia livre, preenchida por pessoas ao redor do mundo, que não assinam o que escrevem e que passam pelo critério de quem para serem consideradas precisas? Do Jimmy Wales? Ou da comunidade do software livre?
    Bom, os nobres e sábios cientistas do nosso mundo contemporâneo dizem, por exemplo:
    .
    “De análises de meteoritos, foi concluído que datam de 4,5 a 4,6 bilhões de anos. Acredita-se ser a época em que se formaram os primeiros corpos sólidos do sistema solar”
    .
    Nossa, que precisão, que certeza, estou boquiaberto. Esta é a ciência que te dá toda esta luz para dizer que O Livro dos Espíritos está comprovadamente errado? Que quimera este “acredita-se”, que comprovação retumbante que a tua citação de erros permite concluir à favor do Livro dos Espíritos – realmente a nossa ciência é muito PEQUENA.
    .
    Vitor, escolhe outro, este foi mal, deu na trave.

  264. Juliano Diz:

    Antonio G.

    Interessantíssimo. Imagina se estivéssemos nas mãos desse povo? No enfoque da doutrina espírita! Ainda estaríamos no atraso total! Por estas e outras que o espiritismo de Kardec na França tem tantos adeptos que arrisca caberem numa Kombi!

  265. Roberto Scur Diz:

    Vitor,
    E o Arduin admite erro no Livro dos Espíritos? Peça para ele dizer EXATAMENTE qual é este erro, precisamente, sem rodeios, sem nhém-nhém-nhém.
    Aguardo Arduin.
    O próprio Kardec disse que o Espiritismo não teria problemas em atualizar-se caso a ciência mostrasse que ele estava em erro, o que é uma obrigação de qualquer doutrina que não queira se transformar em dogmática e irracional, mas vamos ser bem claros e apontar este alegado erro. Se me convencerem do “erro” eu naturalmente vou dizer que é um erro, mas não venham com esta lenga-lenga de datas da nossa ciência primária para servir de comprovação, e não venha também distorcer palavras e frases para dar a impressão que há o erro.

  266. Roberto Scur Diz:

    Juliano,
    Você ri talvez do mesmo modo que eu rio quando tu me fala que era discípulo, ou frequentava o ambiente do Waldo Vieira. A clareza do que ele tenta explicar é tão compreensível quanto as explicações que os místicos ciosos de sua posição diferenciada lhes atribui. Simbolismos tolos, cores brancar em barba, cabelo, bigode e bata, um poderoso ansião no centro de uma redoma onde ele supostamente estaria na condição de sábio, de quem ensina a platéia que fica ao seu redor, e paga por este conhecimento, e faz perguntas que não são contempladas com respostas objetivas, enfim, eu acho graça deste circo das vaidades humanas, tanto do senhorzinho ermitão sabidão que nada sabe quanto de boa parte dos “alunos” que se submetem à esta posição de ovellhas de um pastor gagá.
    E temo pela tua clientela de advogado, meu caro, pois provas tu não têm nenhuma. Faça um serviço para a história e fundamente uma acusação na justiça contra qualquer uma das atividades desenvolvidas por Chico Xavier durante toda a sua vida, mostre a sua verve jurídica, prove perante um tribunal que Chico era um picareta, e depois venha usar estes termos com direito a serem consideradas como válidas.

  267. Roberto Scur Diz:

    Juliano,
    O espiritismo na França poderá ter seguidores que lotem uma Kombi justamente porque se perderam nas mesmas superficialidades que tu te prende, e repudiam os ensinamentos moralizantes ínsitos em toda a Doutrina Espírita. Quer ficar na eterna pesquisa que jamais será aceita por quem não quer aceitar, sempre terá um porém, um variável que não foi validada, uma alegação de desonestidade de médiuns e cientistas, e assim podem continuar a viverem suas vidas inconsequentemente, posando de sábios no conforto de sua ignorância do todo, contentes que ficam com o minúsculo do que já sabem, dos seus “inteligentíssimos comentários” e opiniões.

  268. Vitor Diz:

    Alguém me empresta uma pistola? Não quero mais viver na mesma época que o Scur. Recuso-me. Estou vivendo a verdadeira Idade das Trevas. Prefiro ir pro Vale dos Suicidas.
    .
    Scur,
    comentando:
    01 – Quanto tempo demora para formar um planeta? Me diga aí qual é o nome do cientista que arriscou um chute nisto e disse que é isso aí, eu garantio?
    .
    Depende do tamanho do planeta, Scur.
    .
    02 – Qual é a idade do planeta Terra? Por favor, me diga qual é o cientista que precisou esta data, apenas o nome.
    .
    Claire Patterson em 1956. O nome do artigo é “Age of meteorites and the earth” e foi publicado na “Geochimica et Cosmochimica Acta 10 (4): 230–237.
    .
    Você pode baixar o artigo aqui: http://es.ucsc.edu/~rcoe/eart206/Patterson_AgeEarth_GeoCosmoActa56.pdf
    .
    03- “Que quimera este “acredita-se”, que comprovação retumbante que a tua citação de erros permite concluir à favor do Livro dos Espíritos – realmente a nossa ciência é muito PEQUENA.”
    .
    O “acredita-se” refere-se à formação dos demais corpos do sistema solar. Quando as viagens a outros planetas estiverem mais desenvolvidas, poderemos recolher amostras do solo e realizar datações mais precisas. Mas quanto à Terra, temos dados extremamente precisos. Inclusive, a idade hoje já é calculada até a 3ª casa decimal: 4,567 bilhões de anos.

  269. Juliano Diz:

    Roberto Scur

    rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs Você não existe!!! rsrsrsrs Muito bom este teu último comentário, e o penúltimo é genial!!! Se eu emitir uma opinião sobre alguém, eu tenho que entrar na justiça e provar o que eu opino!! E olhe que contra o picareta do CX não seria algo difícil!!! Se pesquisar se encontra pessoas que se sentiram moralmente ofendidas com a pilantragem dele, com certeza tem! Quem sabe um dia eu ganho uma bolada grande aí eu me disponho a intentar tal medida jurídica. Sobre o Waldo e sua descrição dele, na qual concordo em parte, as tertúlias são de graça viu. Mas realmente a boiada que fica comendo na mão e rezando a cartilha fanaticamente de seus líderes (em boa parte picaretas moralistas de plantão) é algo complicado Scur. Muito complicado. Mas boi é boi, vai fazer o quê? Eu já fui também, e não nego. Inclusive se bobear numa outra encarnação, quem sabe? Realmente ser boi na boiada deve ser duro. Ou não? O que você acha?

  270. Vitor Diz:

    Alguém quer apostar 1 milhão de dólares comigo como o Scur não vai dar o braço a torcer? :D

  271. Roberto Scur Diz:

    Bom Vitor, o teu blog dito “científico” aceita qualquer coisa, tudo o que possa denegrir a Doutrina Espírita, ou Chico Xavier de preferência. Esta é a razão de ser intrínsica do teu blog, à par da outra que é te promover como alguém que o valha em nossa sociedade.
    É claro que extender trocas de posições, principalmente com pessoas como eu que não têm a polidez, a paciência de não dar uma resposta irônica ou debochada, bem ao contrário do que se espera de um verdadeiro espírita, não levará a lugar nenhum que não seja a enorme perda de tempo.
    Voltei de férias e já fiquei uma semana viajando, retornei e vou ter que me focar nas minhas atividades profissionais, e como costumo fazer vou ficar mais uns meses ausente do teu blog não sem passar para dar umas risadas das tua matérias, lamentar por outras, observar os retumbantes novatos como a Pomba que têm a mesma linha de pensamento que vocês, enfim, vamos indo.
    .
    Jujubório, valeu o bate papo, ou a troca de farpas. O dia que eu melhorar eu vou ser mais bonzinho, vou ser mais espírita e menos polemista.
    .
    A Pomba Paloma abra o olho pois tu também está falando sobre ciência no mais importante grupo jornalistico deste país (nunca antes na história deste país …). Parabéns, mas isso não diz muita coisa quando no particular a pessoa se permite leviandades. Até.
    .
    Vitor, quanto a ti continuamos que nem dois bicudos que não se beijam.
    .
    O Tonigui está de bronca com os santos católicos? Qual é o problema que Kardec tenha compilado mensagens deles também? Que mixórdia velho, que falta de argumentos, e dizer que ele era um papa-hóstias diz o que realmente? Eu já papei hóstia até os 20 anos, por aí, e daí-de-o-dó? Qual é o pastel? Te pára velho!

  272. Vitor Diz:

    Agora que botei o Scur contra a parede ele foge. :D

  273. mrh Diz:

    Vou dar 1 pitaco aqui:
    .
    p/ algumas experiências c/ espíritos (essas admito, ñ inteiramente decisivas qto ao tema), na condição d contatante (& visitante da dimensão do além e do + depois da sequência dos q aqui vivem), a impressão q fica é q alguns lembram-se precisa e extensamente do q foram num s/ n° d encarnações passadas, além do q nós fomos p/ eles também, a ponto d tantas lembranças fazerem-se patológicas p/ eles.
    .
    Assim, parecem existir 2 tipos: os zumbis, sujeitos às leis mecânicas d aproximação c/ a matéria e até reencarnação compulsória; e os q já possuem certa autonomia, alguns esmagados p/ memórias s/ fim – como q s/ o poder de deletá-las, organizá-las ou controlá-las.
    .
    Parece estranho, + este último grupo torna-se mau, também p/ ser oprimido p/ paixões arrebatadoras (creio q advindas dessas lembranças) e ñ saber lidar c/ elas. Obsediam os encarnados p/ ódios, ciúmes, invejas etc – os sentimentos carregados são o q + retêm e induz seu coportamento atual.
    .
    Alguns optam p/ ñ encarnar p/ extensos períodos, o q faz deles figuras muito arcaicas, c/ crenças e valores muito estranhos p/ os q frequentam as reencarnações pela convicção d q estas, bem ou mal, trarão progresso.
    .
    1 julgava q eu era 1 “bruxo”, em virtude d faculdades espirituais q ñ domino, p/ esses eventos q ocorrem inesperada e ñ voluntariamente comigo.
    .
    1 3º grupo consegue controlar as lembranças e seu efeito na psique; geralmente tornam-se benignos c/ o tempo e as experiências.

  274. Roberto Scur Diz:

    O mrh não dá a mínima vontade de ler.
    MRH, se tu largar o pirulito enquanto escreve acho que tu não vai precisar desta linguagem bobalhona aí.
    Tu quer o que com isso velho? Fala, ou melhor, escreve que nem homem tchê!

  275. Roberto Scur Diz:

    Vitor,
    .
    Apresente argumentos melhores, honre mais a ciência que te ilumina (será?), e eu baterei palmas por teres finalmente conseguido, agora não me venha com este nhém-nhém-nhém de sempre que não dá para querer.
    Tu pode ver que eu não tenho compromissos com o Espiritismo, não sou médium, não sou trabalhador espírita, apenas frequento uma vez por semana para levar meus 5 filhos para a Evangeliação aos sábados.
    Enquanto eu estiver nesta balada eu estou meio liberto de maiores responsabilidades, mas pretendo começar a estudar e trabalhar num Centro Espírita, talvez me aceitem para varrer o chão.
    Quem sabe àquela psicografia que os espíritos impediram que eu fizesse quando eu tinha 26 anos não vai ser liberada para ser mais proveitosa? Quem sabe o Chico Xavier não manda um recado por meu intermédio para ti? Esperarei não interferir na comunicação dele e te mandar plantar favas por minha conta mesmo.
    .
    Uma coisa é certa e chama a atenção: tu entendes muitíssimo pouco sobre espíritos, sobre a Doutrina Espírita, não faz pesquisas de campo por ti mesmo, nada que te valha a designação de analista científico. Vá trabalhar com médiuns espíritas e não com os aproveitadores da hora, que os há em todos os segmentos sociais, procure um que não dependa da mediunidade para viver, que não aufira nenhum lucro para si, enfim, busque a honestidade que os caminhos te serão facilitados.
    .
    Você está longe de me apertar Vitor. Convenhamos velho, eu sei ler inglês, começei ler o artigo, mas já no início são as mesmas palavras vagas:
    “Parece que agora nós podemos admitir que a idade da terra é conhecida tão precisamente ou aproximadamente a mesma confiabilidade do que a concentração de aluminio conhecida do granito Rhode Island …”
    “Parece”??? Putz grila! Então tá bom tchê! Será que de 56 para cá ninguém disse algo melhor sobre este assunto? Ninguém deu alguma certeza maior sobre isso, nem na tua wikipédia? Por favor velhinho.
    Uma perguntinha básica: quantos meteoritos caíram na Terra “antes” deste aí? Quantos caíram na época em que a Terra era incandescente, parte catapultada do nosso Sol em movimento centrípeto até se solidificar, sabe-se lá quanto bilhões de anos depois? Quem pode precisar quanto tempo ela ficou neste estado de resfriamento até formar sua camada rochosa na superfície? Será que não permaneceu em estado gazoso antes de solidificar-se? É demais para minha cabeça tu achar que esta questao está resolvidinha assim, com este artigo sobre um meteorito – é muita limitação Vitor, mais do que o razoável e eu não posso lucidamente aceitar tamanho despautério e imprecisão.
    Vê lá, deve ter neguinho mais avançado neste termos da idade do planeta, puxa vida.

  276. Roberto Scur Diz:

    Vitor,
    Terminando a minha participação por estes tempos, vou te dizer que é preferível a explicação dos 7 períodos geológicos que Kardec descreveu em A Gênese e associando à linguagem figurada da Biblia sobre os 7 dias, do que este “brilhante” datador de meteoritos de 56 que supões ter encontrado a certidão de nascimento da nossa mãe Terra.
    Te pára bagual, tu também hein?
    Hasta la vista, baby!

  277. Antonio G. - POA Diz:

    Scur,
    Chico Xavier foi, de longe, o maior farsante da história do Brasil. Mas não sei se alguém tentou processar Chico Xavier pelas farsas e fraudes que ele passou mais de oito décadas cometendo. Até acho que não. Mesmo porque o mineirinho safadinho sempre escudou-se na afirmação de que eram os espíritos quem diziam e escreviam o que era dito e escrito por ele. Além disso, nossa Carta Magna consagra a liberdade de culto e de religião. No nosso país, infelizmente, tudo é permitido se disser respeito a crença religiosa. Inclusive enganar, iludir, simular, explorar e até torturar e matar animais. Em outras sociedades, Chico Xavier não chegaria nem perto de onde chegou no Brasil: Aqui, para muitos, o sujeito foi (é) praticamente um “santo”, quiçá o próprio Cristo reencarnado.
    .
    E eu já contei aqui a minha experiência em Paris, no cemitério de Père-Lachaise, à procura do túmulo de Allan Kardec. O cemitério é famoso pelas inúmeras celebridades que lá estão sepultadas, e recebe turistas de todo o mundo à procura dos sepulcros de Jim Morrison, Chopin, Balzac, La Fontaine, etc. São inúmeros visitantes diários. A sepultura de Allan Kardec está entre as mais visitadas. TODOS os visitantes são do Brasil. Os franceses o consideram um cara esquisito, exótico, meio incômodo. Kardec estaria para os franceses como está para nós o Inri Cristo.

  278. Vitor Diz:

    Scur,
    comentando:
    01 – ““Parece”??? Putz grila! Então tá bom tchê! Será que de 56 para cá ninguém disse algo melhor sobre este assunto? Ninguém deu alguma certeza maior sobre isso, nem na tua wikipédia? Por favor velhinho.”
    .
    Ele usou o “parece” pois sempre é possível haver alguma contestação, não é possível prever exatamente como se dará a reação da comunidade científica. Então ser cauteloso é bom. Mas não houve contestação, e os cálculos dele foram aceitos.
    .
    02 -”quantos meteoritos caíram na Terra “antes” deste aí?
    Quantos caíram na época em que a Terra era incandescente, parte catapultada do nosso Sol em movimento centrípeto até se solidificar, sabe-se lá quanto bilhões de anos depois? Quem pode precisar quanto tempo ela ficou neste estado de resfriamento até formar sua camada rochosa na superfície? Será que não permaneceu em estado gazoso antes de solidificar-se?”
    .
    Respostas em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Evolu%C3%A7%C3%A3o_da_vida_e_forma%C3%A7%C3%A3o_da_Terra
    .
    “O Hadeano não é um período geológico verdadeiro. Nenhuma rocha é tão antiga a exceção dos meteoritos. Durante o Hadeano, o sistema solar estava tomando forma, provavelmente dentro de uma nuvem grande de gás e poeira em torno do sol. [...] Os meteoritos mais velhos e as rochas lunares têm aproximadamente 4,5 bilhões de anos, mas a rocha mais velha da terra conhecida atualmente tem 3,8 bilhões de anos. Por algum tempo durante os primeiros 800 milhões de anos de sua historia, a superfície da Terra mudou do líquido ao sólido. Uma vez que a rocha dura formou-se na Terra sua historia geológica começou. Isto aconteceu provavelmente antes de 3,8 bilhões de anos, mas a evidência disso não esta disponível. A erosão e o tectonismo destruíram provavelmente toda a rocha mais antiga que 3,8 bilhões de anos. O começo do registro de rocha que existe atualmente na Terra é do Arqueano. [...] . Durante o arqueano foi que a vida apareceu primeiramente no mundo. Nossos fósseis mais antigos datam de aproximadamente 3,5 bilhões de anos e são constituídos de microfósseis e bactérias, porém novos estudos sugerem que bactérias termófilas e hipertermófilas – capazes de sobreviver a temperaturas de 50, 80 ou de até 110 graus Celsius – possam ter surgido a aproximadamente 3,9 bilhões de anos. De fato, toda a vida por mais de um bilhão anos era microscópica. ”
    .
    Em inglês encontramos diversas formas de medição, usando desde a Lua, passando por Marte, até o Sol, que são extremamente concordantes entre si, uma forma de medição confirmando a outra:
    .
    The Canyon Diablo date has been backed up by hundreds of other dates, from both terrestrial samples and other meteorites.[29] The meteorite samples, however, show a spread from 4.53 to 4.58 billion years ago. This is interpreted as the duration of formation of the solar nebula and its collapse into the solar disk to form the Sun and the planets. This 50 million year time span allows for accretion of the planets from the original solar dust and meteorites.
    The moon, as another extraterrestrial body that has not undergone plate tectonics and that has no atmosphere, provides quite precise age dates from the samples returned from the Apollo missions. Rocks returned from the moon have been dated at a maximum of around 4.4 and 4.5 billion years old. Martian meteorites that have landed upon Earth have also been dated to around 4.5 billion years old by lead-lead dating. Lunar samples, since they have not been disturbed by weathering, plate tectonics or material moved by organisms, can also provide dating by direct electron microscope examination of cosmic ray tracks. The accumulation of dislocations generated by high energy cosmic ray particle impacts provides another confirmation of the isotopic dates. Cosmic ray dating is only useful on material that has not been melted, since melting erases the crystalline structure of the material, and wipes away the tracks left by the particles.
    Altogether, the concordance of age dates of both the earliest terrestrial lead reservoirs and all other reservoirs within the solar system found to date are used to support the hypothesis that Earth and the rest of the solar system formed at around 4.53 to 4.58 billion years ago.

    Helioseismic verification

    The radiometric date of meteorites can be verified with studies of the Sun. The Sun can be dated using helioseismic methods that strongly agree with the radiometric dates found for the oldest meteorites.[30]“

  279. Juliano Diz:

    Antonio G.

    Lá como cá, o Inri aqui e o Kardec lá, cabem numa Kombi os adeptos. E olha que até valeria a penas entrar na Kombi do Inri Cristo, ele sempre está com umas 4 bonitonas em volta. Não sei qual é o mel!! rsrsrsrsrs

  280. Roberto Scur Diz:

    Vitor, copiou, colou, e não acrescentou ao que importa do tema: qual a idade do nosso planeta?
    O texto que tu colocou ali, em inglês, da ênfase de que o que existe é uma mera HIPÓTESE de que tenha esta idade de 4.53 à 4.58 bilhões de anos.
    Se hipóteses para ti te bastam, então tá bom. Tu te contenta com pouco, ou prefiro os Espíritos da Codificação com sua avaliação de que estes cálculos são todos QUIMÉRICOS.

  281. Vitor Diz:

    Isso não é hipótese. Isso é o resultado da datação. A idade já disse: 4,567 bilhões de anos. Abaixo segue uma linha do tempo mostrando exatamente como se deu a formação da Terra e a duração de seus respectivos períodos:

    http://cienciahoje.uol.com.br/colunas/por-dentro-das-celulas/uma-questao-de-escala

  282. Antonio G. - POA Diz:

    Vitor, então Deus não criou o céu e a Terra e tudo o mais que existe em seis dias e no sétimo descançou? Deus não é “a causa primeira de todas as coisas”? Então o universo levou 4.567.000.000 de anos para ser “feito”? Putz!!! Eu não contrataria esse cara para construir um galinheiro no meu sítio. É muito lento…

  283. Antonio G. - POA Diz:

    Eu quis dizer que a Terra levou 4,567 bilhões de anos para ser formada. O universo parece que tomou mais de 14 bilhões de anos do tempo do “criador”.

  284. Roberto Scur Diz:

    Vitor,
    Tu quer desdizer o que o próprio artigo diz? Caramba! Tu é dose para mamute hein? Tá escrito ali velho, “hypothesis”.
    Te larguei velho, não te aguento!

  285. Vitor Diz:

    Era uma hipótese. Quando os dados confirmaram a hipótese, virou teoria. Algo infinitamente mais forte.

  286. Rafael Maia Diz:

    Oi scur. Cara, eu acho bonita sua fé. E nuca terei certeza se a razão, de fato, me leva para o caminho certo. Quêm sabe depois da morte eu descubra que os católicos estavão certos ou os espiritas estavão certo, só deus sabe.

    Sempre vai haver a chance de que tudo não passava de um teste de fé que deus coloca para seus fiéis. Eu admiro e respeito esse tipo de crênça. Afinal, ninguem sabe a verdade do universo.

    Mas eu, particularmente, não gostaria de pautar minhas crênças com base na fé. Gostaria sim de seguir a razão.
    E com base na minha razão hoje eu tenho dúvidas sobre chico chavier. Ainda não desacredito nele. Mas não tenho total confiança nele. Digo isso fundamentada nas suspeitas de fraudes e, em alguns casos, fraudes comprovadas em eventos relacionados ao chico.

    Quanto a fragilidade das provas que eu considero que foi levantada por voçe, eu realmente não acho elas frágeis. Eu já “escutei” os depoimentos dos que são contra a essas provas, já li os argumentos contrários a elas e todas elas não me convenceram que as provas que uso para sustentar que chico é um autêntico medium ou farsante(eu tenho indícios nos dois sentidos) são frágeis. Esse é meu juízo de valor. Cada um tem o seu.

    Juliano eu entendo o que vc diz.Acho que vc esta certo. Mas ainda continua o problema das perícias que é o principal. Independente do resultado do processo, os peritos atestaram que as psicografias tinham assinaturas iguais ou muito parecidas, mesmo chico jamais tenha conhecido a assinatura dos falecidos. O própio vitor fez um teste aqui, e em torno de 30 ou 20% reconheceram como legítimas as assinaturas.

  287. Rafael Maia Diz:

    onde se lê:estavão
    leia-se: estavam

  288. Antonio G. - POA Diz:

    Rafael,
    Você diz que talvez só depois da morte descubra se os católicos ou os espíritas estavam certos, porque só Deus sabe.
    Tenho duas más notícias para você: Depois da morte, você não saberá nada. Mortos não constatam nada. E Deus, muuuuuuuuuuuuito provavelmente, não existe.
    Pelo sim ou pelo não, é melhor você tentar chegar a alguma conclusão enquanto pode.
    rsrsrs

  289. Rafael Maia Diz:

    “Depois da morte, você não saberá nada. Mortos não constatam nada.”

    Ou não. Certeza absoluta ninguem tem. Voçe pode até achar que sabe, mas na verdade não sabe.

  290. Antonio G. - POA Diz:

    Ok, Rafael. Agora, se você tem dúvidas sobre se Chico era um “autêntico médium ou um farsante”, você já demonstra alguma possibilidade “cair na real”. Estou torcendo por você.
    Abs.

  291. Paulo-rs Diz:

    Rafael, faça uma tabela e vá anotando os pontos positivos e negativos quanto ao Chico.
    Depois veja o que pesou mais.
    Eu faço isso com as minhas namoradas…
    Cozinha bem? ponto positivo
    É evangélica? ponto negativo
    Le só diário gaúcho? ponto negativo
    Conclusão- Procuro outra.

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)