“Aruanda”, de Robson Pinheiro, e suas fontes terrenas

O suposto médium Robson Pinheiro, para a confecção de seu livro “psicografado” chamado “Aruanda”, nitidamente extraiu trechos volumosos de duas obras terrenas, “Orixás” e “Iemanjá e Oxum”. Para quem quiser baixar o artigo (no formato doc) em que demonstro isso, clique aqui. Aviso que a placa mãe do meu computador queimou e tive por enquanto um prejuízo de 680 reais (estou aceitando doações…), por isso estou sendo obrigado a fazer atualizações muito simples, pois no computador em que me encontro não posso baixar o programa Windows Live Writer que permite trabalhar melhor os artigos, com formatações coloridas e texto justificado, entre outras vantagens.  Os arquivos do meu computador creio que foram salvos, mas só saberei melhor na quarta-feira, dia 3. Torçam :-)

“Aruanda”, de Robson Pinheiro (2004), pelo ‘espírito’ Ângelo Inácio

“Orixás”, de Pierre Verger

(autor falecido em 1996)

o arquétipo de Ogum é o das pessoas enérgicas, às vezes briguentas e impulsivas. Perseguem seus objetivos sem se desencorajar facilmente; nos momentos difíceis, triunfam onde qualquer outro teria abandonado o combate e perdido toda a esperança. Os filhos de Ogum, como se costuma dizer, são indivíduos de humor mutável e transitam com naturalidade de furiosos acessos de raiva ao mais tranqüilo dos comportamentos. Finalmente, Ogum é o arquétipo das pessoas impetuosas e arrogantes, que tendem a melindrar os outros por uma certa falta de discrição, quando alguém lhes presta serviços.” (pág. 152-153) “o arquétipo de Ogum é o das pessoas violentas, briguentas e impulsivas. Das pessoas que perseguem energicamente seus objetivos e não se desencorajam facilmente. Daquelas que nos momentos difíceis, triunfam onde qualquer outro teria abandonado o combate e perdido toda a esperança. Das que possuem humor mutável passando de furiosos acessos de raiva ao mais tranqüilo dos comportamentos. Finalmente, é o arquétipo das pessoas impetuosas e arrogantes, daquelas que arriscam a melindrar os outros por uma certa falta de discrição…” (pág. 51) 

 

- Examinemos Oxóssi – prosseguiu Pai João. – Irmão de Ogum, na mitologia, o arquétipo de Oxóssi é bem diverso. Representa as pessoas espertas, rápidas, donas de notável agilidade, sempre em alerta e em movimento. Cheias de iniciativa, estão sempre em busca de novas descobertas e novas atividades, mas possuem grande senso de responsabilidade e de cuidado com a família (pág. 154) O arquétipo de Oxossi é o das pessoas espertas, rápidas, sempre alerta e em movimento. São pessoas cheias de iniciativas e sempre em vias de novas descobertas ou de novas atividades. Têm o senso de responsabilidade e dos cuidados para com a família. (pág. 54)
Outro tipo psicológico digno de estudo por parte dos psicólogos é Iansã, cujo comportamento já foi tema de filmes e músicas de nossos irmãos encarnados. O arquétipo de Iansã é o das mulheres audaciosas, poderosas e autoritárias. Indivíduos que podem ser fiéis e de lealdade absoluta em certas circunstâncias, mas que, em outros momentos, quando contrariadas em seus projetos e empreendimentos, deixam-se levar a manifestações da mais extrema cólera. São mulheres de temperamento sensual e voluptuoso, que pode levá-las a múltiplas e freqüentes aventuras amorosas extraconjugais, sem reserva nem decência, fato que não as impede de continuar muito ciumentas com seus maridos, por elas mesmas enganados.(pág. 154-155) O arquétipo de Oiá-Iansã é o das mulheres audaciosas, poderosas e autoritárias. Mulheres que podem ser fiéis e de lealdade absoluta em certas circunstâncias, mas que, em outros momentos, quando contrariadas em seus projetos e empreendimentos, deixam-se levar a manifestações a mais extrema cólera. Mulheres, enfim, cujo temperamento sensual e voluptuoso pode leva-las a aventuras amorosas extraconjugais múltiplas e freqüentes, sem reserva nem decências, o que não as impede de continuarem muito ciumentas dos seus maridos, por elas mesmas enganados. (pág. 66)
Por outro lado, Oxum, orixá do amor, tem comportamento emocional e social, tanto quanto tipo físico bem distintos. O arquétipo de Oxum é o das mulheres graciosas, com paixão pelas jóias, perfumes e vestimentas caras. É o tipo das mulheres que são símbolos de charme e beleza, também voluptuosas e sensuais, porém mais reservadas e refinadas que as do tipo psicológico Iansã. (pág. 155) O arquétipo de Oxum é o das mulheres graciosas e elegantes, com paixão pelas jóias, perfumes e vestimentas caras. Das mulheres que são símbolos do charme e da beleza. Voluptuosas e sensuais, porém mais reservadas que Oiá. (pág. 70)
O arquétipo de Omulu é o das pessoas com tendências masoquistas, que gostam de exibir seus sofrimentos e tristezas, dos quais tiram uma satisfação íntima, um tanto mórbida. Podem atingir situações materiais invejáveis e rejeitar, um belo dia, todas essas vantagens, alegando certos escrúpulos, imaginários. Vivem a sofrer por problemas que jamais ocorrerão. (pág. 155) O arquétipo de Obaluaê é o das pessoas com tendências masoquistas, que gostam de exibir seus sofrimentos e as tristezas das quais tiram uma satisfação íntima. Pessoas que são incapazes de se sentirem quando a vida lhes corre tranqüila. Podem atingir situações materiais invejáveis e rejeitar, um belo dia, todas essas vantagens por causa de certos escrúpulos imaginários. (pág. 85)
O arquétipo de Oxalá é o das pessoas calmas e dignas de confiança, respeitáveis e reservadas, dotadas de força de vontade inquebrantável, que nada pode abalar. Modificam seus planos e projetos para não ferir suscetibilidades alheias, a despeito das convicções pessoais e dos argumentos racionais. Todavia, sabem aceitar, sem reclamar, os resultados amargos muitas vezes daí decorrentes. (pág. 156) O arquétipo de personalidade dos devotos de Oxalá é aquele das pessoas calmas e dignas de confiança; das pessoas respeitáveis e reservadas, dotadas de força de vontade inquebrantável que nada pode influenciar. Em nenhuma circunstância modificam seus planos e seus projetos, mesmo a despeito das opiniões contrárias, racionais, que as alertam para as possíveis consequências desagradáveis dos seus atos. Tais pessoas, no entanto, sabem aceitar, sem reclamar, os resultados amargos daí decorrentes. (pág. 109)
Link para download aqui. Link para download aqui.

 

“Aruanda”, do espírito Ângelo Inácio, por Robson Pinheiro (2004)

“Iemanjá e Oxum”, de Lydia Cabrera (2004)

“Um orixá muito conhecido pelo Brasil afora é Iemanjá, representativo da polaridade feminina por excelência. As filhas de Iemanjá costumam ser voluntariosas, fortes, rigorosas, protetoras, altivas e, algumas vezes, impetuosas e arrogantes. Fazem-se respeitar e são justas, mas bastante formais. Têm o hábito de por à prova as amizades que lhe são devotadas, mas preocupam-se muito com os outros; são sérias e maternais.” (pág. 155) Link para download aqui. Em geral as filhas de Iemanjá são fortes, voluntariosas, protetoras, exigentes, altivas às vezes impetuosamente arrogantes. Têm o sentido da hierarquia, são autoritárias, formais, se fazem respeitar e se impõem aos demais. (…). Muito maternais, sérias, (…). (pág. 116) Link para visualização aqui.

 

Correlações originalmente descobertas por Alan, do blog “Lá de Aruanda”, mas com acréscimos próprios deste pesquisador. Porém, é importante dizer que na 13ª edição (2011), e logo após o prefácio, encontramos:

Nova explicação e agradecimento – nota à 13ª edição revista por Ângelo Inácio.

Depois de alguma explicação sobre o livro e o autor, lemos o seguinte:

[...] entrevistei alguns escritores desencarnados; deixo aqui meu preito de gratidão em especial a Menininha do Gantois, a Olga de Alaketu, a Pai João de Aruanda, a Pierre Verger e ao venerável Matta e Silva. Foram eles que me inspiraram e auxiliaram com o conhecimento que detêm dos assuntos aqui relacionados, embora nem todas as contribuições estejam destacadas, uma a uma. Tudo tendo sido grafado com o coração, deixo registrado o respeito que devo a esses expoentes da doutrina sagrada da aumbandhã e do povo de Aruanda, bem como aos representantes do candomblé brasileiro.

Apesar das belas palavras e do reconhecimento a Pierre Verger, bem como a outros, notem que ainda faltou a referência a Lydia Cabrera. E ao que me consta, mesmo esse reconhecimento genérico não é suficiente para descaracterizar o plágio. Deveria ter havido o uso de aspas e a citação direta das fontes.

Agradecimentos

Agradeço a Alexandre Terenciano por suas informações inestimáveis que ajudaram na elaboração deste artigo.

176 respostas a ““Aruanda”, de Robson Pinheiro, e suas fontes terrenas”

  1. Senhor dos Anéis Diz:

    O mesmo cara e seu suposto “Ângelo Inácio” que usaram o Cazuza para uma narração fictícia pretensamente tida como “vida espiritual” do saudoso roqueiro.

  2. Marciano Diz:

    Eu tenho o livro de Verger, o qual li há alguns anos.
    Belo trabalho.
    Amanhã eu leio tudo.

  3. Lúcio Corrêa Diz:

    Víctor, uma opção é usar o antigo Google Docs, atual Google Drive. Não precisa instalar nada, roda no navegador, grava os arquivos automaticamente na “nuvem”, e permite que eles sejam exportados também.

    Segue o link pra quem ainda não conhece: https://drive.google.com

  4. Sharp Random Diz:

    Ao invés de irem discutir e avaliar teses publicadas no index científico mundialmente aceito perdem um tempo fabuloso falando sobre tudo aquilo que Kardec já explicou.
    Senhoras e senhores, vamos elevar o nível. Prá que ficar combatendo coisas de cunho humanitário? Não entendeu. Pois bem, muitas “REALIDADES” em casas espíritas são adequadas às necessidades dos que se socorrem delas. Muitos suicídios foram evitados assim. A exceção, sempre presente prá validar a regra. Qual é a regra? Seu coração que te responda. Porque é ele que te fará entender ou repudiar. Pois essa seara é do coração. Mas, e a razão? A razão vem junto. As pessoas e suas angústias é que são diferentes. Se a regra fosse serial killer ao invés de suicídio a ficha caia mais fácil.
    Eu proponho a análise do que a produção acadêmica espírita aceita pelos publicadores científicos como novo padrão das discussões nesse espaço. Estamos saturados de nós mesmos.
    Por exemplo:
    http://www.amebrasil.org.br/2011/sites/default/files/34_8_Lucchetti_745-755%20published.pdf

  5. Gorducho Diz:

    Essa perspectiva supra até pode ser válida desde o ponto de vista dos dirigentes espíritas – será tema debatível no âmbito filosófico da ética. Ou seja: produzimos o produto que nosso mercado deseja consumir, desde que não contenha ilegalidades evidentemente.
    Criamos a “REALIDADE” que o filho falecido está orando com a vovó e o vovô, tomando sopa fluídica e de (peri)noite estudando o Evangelho. A mamãe não correrá o risco de se suicidar e levará uma vida razoavelmente normal; provavelmente economizando milhares de R$ com psicólogos, psiquiatras e prováveis prescrições.
    ocorre que nós não somos dirigentes espíritas. Este Sítio é dedicado a pensar o Espiritismo, e mostrar a realidade, não as “REALIDADES ESPÍRITAS” a quem cá lobriga os bate bocas e (que bom que faça) palpite.

  6. Antonio G. - POA Diz:

    “teses publicadas no index científico mundialmente aceito” dá um ar de seriedade à coisa.
    Mas é só trololó espiritóide.

  7. Antonio G. - POA Diz:

    mundialmente aceito por QUEM, exatamente?

  8. Antonio G. - POA Diz:

    Eu mesmo respondo: Não por cientistas stricto sensu. Mas por estudiosos, pesquisadores e especialistas em pseudociências espíritas/paranormais.

  9. Gorducho Diz:

    Darei então minha humilde contribuição ao debate em novo padrão, analisando o item
    C: Pineal gland and the reproductive system
    do Paper.
     
    No final dos ’10s, Marburg criou o termo pubertas præcox ou genitosomia præcox para a síndrome clínica caracterizada pelo desenvolvimento precoce dos órgão sexuais primários e secundários. Ele achava que isso era causado pelo hipopinealismo. Segundo Marburg, a pineal humana é uma glândula endócrina que, na juventude, exerceria influência inibidora na função hipotalâmica e, via a hipotálamo, no desenvolvimento dos órgãos reprodutores (hiperpinealismo teria um efeito inverso).
    Pouco surpreendentemente, a glândula pineal era chamada Keuschheitsdrüse (glândula da castidade) por alguns autores.
    Berbingler (1920, 1925, 1932) e Engel (1936) estavam bem convencidos que a glândula pineal exerce atividade inibidora no desenvolvimento gonadal sendo de opinião que seu extrato é antigonadotrópico.
    [fonte: J Ariës Kappers, A Short History of Pineal Discovery and Research, pg. 6]
     
    No início dos ’40s, o “espírito” informa CX que a epífise parece constituir freio às manifestações do sexo. Também informa ele que os cromossomos da bolsa seminal não lhe escapam a influenciação absoluta e determinada.

  10. Marciano Diz:

    É assim mesmo, Gorducho. A ciência no mundo dos espíritos é sempre mais atrasada do que a terrena, e cometem os mesmo erros, sempre algum tempo depois.
    Eles plagiam tudo o que nós (os encarnados) fazemos.
    É por isso que se vê tanta bobageira pseudocientífica na Gênese, de Kardec/Rivail.

  11. Marciano Diz:

    Emm 30 de outubro de 1938 Orson Welles irradiou dramatização do livro de Herbert Georges Wells, The War of th Worlds, em que marcianos invadiam a Terra. Como na época muitos acreditavam em marcianos, houve pânico geral e até suicídios.
    Em 1935, 3 anos antes, cx lançou o Cartas de uma Morta, que sua mãe morta descrevia a vida em Marte (praticamente igual à da Terra). Isso parecia razoável naquele tempo, pelo menos para os leigos. Agora os espíritas racionalizam e dizem que a vida lá é quintessenciada, como se essa palavra significasse alguma coisa. É só ler qualquer trecho do livro para ver que era tudo material mesmo, com os mesmo materiais da Terra.

  12. Marciano Diz:

    Religiões são todas iguais. Eles dizem um monte de cretinices a respeito do universo, sua “criação”, vida em outros planetas. Quando a ciência mostra o absurdo, eles inventam uma desculpa esfarrapada e cara-de-pau. Ou é tudo quintessenciado (espíritas) ou é tudo simbólico (quase todas as outras religiões).

  13. Marciano Diz:

    A palhaçada começa com o Gênese, da bíblia, e sua explicação da “criação” do mundo.
    Veja o conceito que os idiotas que escreveram e adulteraram esse livro durante séculos (claro que não foi moisés, o qual nunca existiu) disseram sobre estrelas.
    Veja o que dizem sobre a explicação para o dia e a noite.

  14. Contra o chiquismo Diz:

    “Brazilian Medical Spiritist Association, Brazil”…
    gostei da entidade médica que o Sharp rádio que queima na reta indicou. Médicos com total isenção. Será que eles atendem na UPA 24h? Vou ver se acho um receituário ‘mediúnico’ pra minha epicondilite, pq pelos meios clínicos tradicionais é muito difícil de curar…

  15. Contra o chiquismo Diz:

    Eu já sei quem é esse Sharp rádio que queima na reta!!

  16. Vladimir Diz:

    Marciano disse: A palhaçada começa com o Gênese, da bíblia, e sua explicação da “criação” do mundo.
    Veja o conceito que os idiotas que escreveram e adulteraram esse livro durante séculos
    COMENTÁRIO: Se você interpreta a Bíblia de Modo Literal…
    penso que talvez, você seja tão dogmático (e incauto) quanto os evangélicos.

  17. NVF Diz:

    Em tom de hipótese: A psicografia, se há, apresenta-se, inevitavelmente, como a mistura de ideias próprias do suposto médium com as ideias do eventual espírito ditador. Com isso pode-se argumentar que o plágio nem sempre é doloso ou proposital. Por vezes pode advir da memória inconsciente do psicografador ou das ideias do próprio espírito que, em vida, escreveu o livro, de modo que dita literalmente trechos de coisas que já redigiu antes. Pela lógica da mediunidade, abstratamente falando, sobretudo da psicografia, o encarnado intermediador é um filtro ainda pouco eficiente, que filtra pouco, digamos assim. É preciso, em tese, análise crítica para considerar uma mensagem genuinamente espírita. É necessário levar em conta que há uma mistura muito grande de ideias dentro de uma mesma comunicação, o que pode variar de médium para médium (nuns mais, noutros menos, mas sempre misturado).

  18. Vladimir Diz:

    Exato NVF.
    Aqui muitos se dizem ex-espíritas porém pelos comentários percebe-se o pouco conhecimento que tem do próprio “modus operandi” da DE.
    Se estudassem mais a DE, não profeririam tantos disparates…
    Se são ex-espíritas, desconfio que eram relapsos no estudo da DE.

  19. Gorducho Diz:

    Lógico, a Crença sempre encontra tautologicamente sua justificativa.
    Quando convém, o “espírito” recita detalhadamente o Evangelho; psicografa em francês invertido; dita enigmas em latim ciceroniano (tudo isso já foi analisado aqui, como bem acompanhou sempre). E até caligrafa.
    Quando não convém, o “espírito” só transmite emoções. Conforme convém ou não enxerga o ambiente ou nem sabe se enxerga ou não.
    Qualquer análise crítica concluirá o óbvio: mensagens espíritas não existem.

  20. Gorducho Diz:

    Justamente por muitos de nós – eu mesmo – serem ex-espíritas, sabemos que o modus operandi é racionalização na mente de delírios religiosos ou místicos.
    Me refiro àqueles que de fato acreditam serem “médiuns” ou isso existir; fraudadores conscientes fora, claro.

  21. Contra o chiquismo Diz:

    “Vladimir Diz:
    DEZEMBRO 3RD, 2014 ÀS 4:12 PM
    Exato NVF.
    Aqui muitos se dizem ex-espíritas porém pelos comentários percebe-se o pouco conhecimento que tem do próprio “modus operandi” da DE.
    Se estudassem mais a DE, não profeririam tantos disparates…
    Se são ex-espíritas, desconfio que eram relapsos no estudo da DE.”

    O que vc sabe a mais de ‘espiritsmo’ que nós ex espiritas?

  22. Contra o chiquismo Diz:

    “NVF Diz:
    DEZEMBRO 3RD, 2014 ÀS 3:57 PM
    ….É necessário levar em conta que há uma mistura muito grande de ideias dentro de uma mesma comunicação, o que pode variar de médium para médium (nuns mais, noutros menos, mas sempre misturado).”

    PARA HAVER ‘MÉDIUM’, TEM QUE HAVER ‘ESPIRITOS’, E TE CONVIDO A PROVAR A EXISTÊNCIA DELES. JÁ QUE VC AFIRMA QUE QUE EXISTEM ‘MÉDIUNS’, PROVE A EXISTÊNCIA DE ‘ESPIRITIOS’, SE VC FOR AQUI DO RJ, MARQUE O LOCAL E ME FORNEÇA A PROVA.

  23. Marciano Diz:

    Vlad, não se faça de bobo. A bíblia foi escrita (toda ela) para ser levada ao pé da letra. Na época em que foi escrita tudo fazia sentido literalmente.
    O mesmo vale para o que os espíritas já disseram sobre Marte.
    .
    .
    NVF, esse “filtro” está mais para válvula de escape. Quando a coisa fica difícil de explicar, a gente bota a culpa no medium. Tipo bode expiatório.
    .
    .
    Vlad, eu não sou ex-nada, mas tu fizeste igualzinho aos espíritas. Mandou estudar. Isso deve estar no manual de debates espíritas, página 43.
    .
    .
    .
    Contra o chiquismo Diz:
    dezembro 3rd, 2014 às 5:49 PM
    ” O que vc sabe a mais de ‘espiritsmo’ que nós ex espiritas?”.
    .
    Vlad, veja sua oportunidade de ser caridoso e ensinar o que falta a esses ex-espíritas, trazendo-os de volta a bom caminho, do qual nunca deveriam ter-se desviado.

  24. Marciano Diz:

    E eu, que desde que nasci vivo procurando qual a religião certa para me livrar do mal, dentre dezenas de milhares que existem, posso finalmente ganhar vida eterna.

  25. Marciano Diz:

    Contra, você que fica indignado com o racismo espírita, veja isto (wikipedia):
    .
    Charles Taze Russell, fundador da Sociedade Torre de Vigia, acreditava que a cor negra era uma degeneração,2 e que os negros seriam restituídos a uma condição original com o apocalipse, dependendo de sua humildade.3 A edição d’A Torre de Vigia de Sião (em inglês), antecessora de A Sentinela, de 15 de fevereiro de 1904 dizia que “Deus poderia mudar a cor da pele dos etíopes no tempo devido”, acrescentando que era comprovado que um menino negro de nove anos havia mudado de cor de pele (para o branco).4 A Sentinela de primeiro de agosto de 1898 afirmava que “a raça negra descende de Ham, cuja degradação especial é mencionada em Gênesis 9:22,25”.5 Essa afirmação é reiterada numa edição de A Sentinela (Sociedade Torre de Vigia dos Tratados de Sião, em português, atualmente conhecida por A Sentinela, de 15 de julho de 1902, que alega: “nós não podemos afirmar com certeza que os filhos de Cam e Canaan são os negros, mas nós consideramos esta visão geral tão provável quanto qualquer outra”.6 A mesma edição continuava dizendo, nas páginas 215 a 216, que “enquanto é verdade que a raça branca exibe certas qualidades superiores acima de qualquer outra, nós devemos lembrar que existem diferenças amplas na mesma família caucasiana (semítica e ariana); (…) O segredo da inteligência e habilidade superiores do caucasianos deve ser atribuída sem dúvida à mistura de sangue entre seus variados ramos; e isso foi evidentemente forçado em larga medida por circunstâncias sob o controle divino”.2 6 Uma revista A Torre de Vigia de Sião de primeiro de Outubro de 1900 trazia uma história de como um negro chamado William H. Draper havia, milagrosamente, se tornado branco, em resposta a uma oração.7

    Uma antecessora da revista Despertai, a revista Idade de Ouro (em inglês The Golden Age), de 24 de julho de 1929, na página 702, dizia que: “Acredita-se, geralmente, que a maldição que Noé pronunciou sobre Canaã era a origem da raça negra. É certo que, quando Noé disse: “Maldito seja Canaã, servo dos servos seja aos seus irmãos”, ele imaginou o futuro da raça negra”.8 A postura da Torre de Vigia em relação aos negros começou a mudar na década de 50, quando estes passaram a ser considerados uma raça “passível de ser ensinada”, nas palavras duma Sentinela de primeiro de fevereiro de 1952 9 , na página 95. De acordo com a Sociedade Torre de Vigia, as Testemunhas de Jeová respeitam, hoje, todas as raças. No entanto, essa mudança de postura pode ser observada em várias Igrejas e religiões. Ademais, até a última década, nenhum negro participou do Corpo Governante das Testemunhas de Jeová.10

  26. Marciano Diz:

    Sobre os mórmons, veja isto:
    .
    No Livro de Mórmon, encontra-se uma estória de duas famílias de Judeus que “imigraram” para a América do Norte, oriundas de Jerusalém, lá pelo ano de 600 a.C., sendo uma da família de Leí e a outra de Ismael. Leí teve dois filhos, Nefi e Lamã, Nefi era justo, porém Lamã não, e por isso foi amaldiçoado por “Deus”. A maldição consistia em ter ficado com a pele de cor preta. Daí, concluímos o racismo . Até há poucos anos não havia nenhum negro dentro da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias – Mórmons. Para eles Jesus só tinha morrido pelos brancos, para os negros não havia lugar (leia no Livro de Mórmon – II Nefi 5:21, Alma 3:6).

    Atualmente, por causa da conveniência e do racismo ter se tornado um crime, os mórmons aceitam os negros. Embora, o Livro Pérolas de Grande Valor (um dos livros sagrados para os mórmons), proibir a entrada de negros no sacerdócio. Agora, “Deus” deu uma nova orientação e o negro até pode exercer o sacerdócio. Será que os mórmons vão mudar o Livro de Mórmon também?
    .
    .
    .
    Por que será que as religiões odeiam os negros?

  27. Contra o chiquismo Diz:

    “Marciano Diz:
    DEZEMBRO 3RD, 2014 ÀS 6:50 PM

    Contra o chiquismo Diz:
    dezembro 3rd, 2014 às 5:49 PM
    ” O que vc sabe a mais de ‘espiritsmo’ que nós ex espiritas?”.
    .
    Vlad, veja sua oportunidade de ser caridoso e ensinar o que falta a esses ex-espíritas, trazendo-os de volta a bom caminho, do qual nunca deveriam ter-se desviado.

    NÃÃÃÃÃÃOOOOOOOOOOOO, DE NOVO NÃÃÃÃOOOO!!! TEM DÓ!!! ARRUMA UMA VAGUINHA PRA MIM AÍ EM MARTE, POIS PRO UMBRAL LAVAR VÔMITO DE CHÃO DE HOSPITAL NÃO DÁ! (ISSO PQ ERA UM MÉDICO, AGORA MAGINA EU, UM SIMPLES BARNABÉ DO FUNCIONALISMO…)

  28. NVF Diz:

    As religiões, reflexo do comportamento humano, rejeitam tudo o que é diferente a seus olhos.

  29. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, essas duas passagens eu conhecia, agora vc conhece o racismo no ADVENTISMO? Pois é.. a profetisa deles (Ellen White) que tem branco até no nome, disse:
    ““Mas há uma objeção ao casamento da raça branca com a preta. Todos devem considerar que não têm o direito de trazer à sua prole aquilo que a coloca em desvantagem; não têm o direito de lhe dar como patrimônio hereditário uma condição que os sujeitariam a uma vida de humilhação. Os filhos desses casamentos mistos têm um sentimento de amargura para com os pais que lhes deram essa herança para toda a vida”. ( EG White, Mensagens Escolhidas – vol.2; Editora Casa Publicadora, Sto. André- SP; 1985- pág. 343 e 344).
    e mais essa:
    “Nenhuma animação deve ser dada a casamentos dessa espécie entre nosso povo. Que o irmão negro se case com uma irmã negra que seja digna, que ame a Deus e guarde os Seus mandamentos. Que a irmã branca que pensa em unir-se em casamento a um irmão negro se recuse a dar tal passo, pois o Senhor não está dirigindo nessa direção. ” Mensagens Escolhidas, Vol. 2, págs. 343-344.

    mais essa:

    “As pessoas de cor não devem pressionar para serem colocados em igualdade com os brancos.” – Testimonies for the Church Volume Nine, page 214, paragraph 3.
    “Oportunidades estão sempre aparecendo nos Estados do Sul, e muitos homens de cor são chamados ao trabalho. Mas, por muitas razões, os brancos devem ser escolhidos como líderes. Todos nós somos membros de um corpo que é completo unicamente em Jesus Cristo, que vai elevar seu povo do baixo nível que o pecado degradou e então serão colocados onde devem ser reconhecido nas cortes celestiais como trabalhadores juntos a Deus.” Testimonies for the Church Volume Nine, page 202.

    TÁ BOM OU PARA POR AÍ?

  30. Contra o chiquismo Diz:

    NFV, não ignore o que te pedi. Cadê as provas da existência de ‘espiritos’?

    Se vc não é do RJ, peça a um confrade seu, escreva uma carta para o Conselho Espírita do Estado do Rio de Janeiro – CEERJ e indique um lugar para a prova do que vc afirma existir. Dragão na garagem é pouco… é um Tiranossauro Rex obeso…

  31. Contra o chiquismo Diz:

    mórbido.

  32. Marciano Diz:

    Contra, se FORREST GUMP tivesse existido, nada mais mudando, tendo a mesma etnia que a bíblia descreve, seria ele branquinho feito a Ellen Whiterthanwhiteandsnowwhite?

  33. Toffo Diz:

    NVF Diz:
    dezembro 3rd, 2014 às 3:57 PM

    Em tom de hipótese: A psicografia, se há, apresenta-se, inevitavelmente, como a mistura de ideias próprias do suposto médium com as ideias do eventual espírito ditador. Com isso pode-se argumentar que o plágio nem sempre é doloso ou proposital. Por vezes pode advir da memória inconsciente do psicografador ou das ideias do próprio espírito que, em vida, escreveu o livro, de modo que dita literalmente trechos de coisas que já redigiu antes. Pela lógica da mediunidade, abstratamente falando, sobretudo da psicografia, o encarnado intermediador é um filtro ainda pouco eficiente, que filtra pouco, digamos assim. É preciso, em tese, análise crítica para considerar uma mensagem genuinamente espírita. É necessário levar em conta que há uma mistura muito grande de ideias dentro de uma mesma comunicação, o que pode variar de médium para médium (nuns mais, noutros menos, mas sempre misturado).
    Vladimir Diz:
    dezembro 3rd, 2014 às 4:12 PM

    Exato NVF.
    Aqui muitos se dizem ex-espíritas porém pelos comentários percebe-se o pouco conhecimento que tem do próprio “modus operandi” da DE.
    Se estudassem mais a DE, não profeririam tantos disparates…
    Se são ex-espíritas, desconfio que eram relapsos no estudo da DE.

    .
    Esse argumento é manjado. “Se estudassem mais a DE, não profeririam tantos disparates…
    Se são ex-espíritas, desconfio que eram relapsos no estudo da DE.”
    Alguma vez lhe ocorreu que alguém poderia estudar a DE tanto, tanto, que começaria a ver com clareza as rachaduras do seu aparentemente sólido edifício? Que estudaria o suficiente para começar a ter elementos suficientes para perceber que ela não é tão sólida assim? Que iria buscar em outras fontes, históricas, sociológicas, antropológicas, em outras línguas, alguma coisa que pudesse embasar as suas convicções? Pois é, é um raciocínio meio rasteiro esse de achar que “estudar profundamente a DE significa aceitar os seus ensinamentos”, isto é, não dizer asneiras, sendo que estudar profundamente a DE pode significar exatamente o contrário: perceber o quanto ela é discutível, controversa e sujeita à refutação.
    .
    Essa questão do plágio inconsciente é também um argumento fraco. Não há evidências concretas de que alguém tenha plagiado inconscientemente alguma obra, e mais fraca ainda é a argumentação de que poderia advir de outras vidas do próprio médium, misturadas às ideias do pretenso autor espiritual. Isso me parece claramente chute. Algumas das várias teorias “ad hoc” que os defensores do espiritismo costumam usar para justificar aquilo que não é possível comprovar.

  34. Toffo Diz:

    O Vitor já havia me apresentado o texto antes de ser publicado, e eu lhe havia dito que me parecia flagrante que se tratava do mesmo conteúdo, apenas com algumas palavras e expressões modificadas. O Houaiss indica dois sentidos para o verbo plagiar: apresentar como sua uma obra alheia; fazer imitação de trabalho ou obra alheia. No caso dos textos, parece-me quase uma cópia, no que não hesito em dizer que há, sim, plágio, porque Robson faz imitação quase perfeita de outras obras. Isso não é novidade, já que CX fazia isso rotineiramente. O problema é atribuir alegações de plágio de obras mediúnicas a memórias inconscientes do médium ou mesmo a plágio deliberado do espírito (?) como eu já vi ocorrer. Quer dizer, o espírito é que plagia, não o médium. Bela forma de fugir da raia…
    .
    De qualquer forma, em mediunidade como em qualquer outra atividade, nada se cria, tudo se copia…

  35. Vladimir Diz:

    Marciano disse: Vlad, não se faça de bobo. A bíblia foi escrita (toda ela) para ser levada ao pé da letra. Na época em que foi escrita tudo fazia sentido literalmente.
    COMENTÁRIO: O Sr. está equivocado, e provo.
    Para começar não existe “A Bíblia”.
    Bíblia é uma coleção de livros.
    Cada religião abrâmica possui a sua “Bíblia”.
    No Judaismo temos a Tanakh que é composta pela Torah, Neviim e o Ketuvim.
    No Catolicismo Romano temos o Antigo Testamento com 46 livros e o Novo Testamento com 27 livros.
    E No Protestantismo temos o Antigo Testamento com 39 livros e o Novo Testamento com 27 livros, (O Protestantismo não aceita os livros Deuterocanônicos)
    Percebe-se até então que não existe uma uniformidade do Livro Sagrado entre as religiões, tampouco as crenças das quais compartilham.
    Se quisermos falar em “Bíblia” temos que referenciar a qual dos livros sagrados das respectivas religiões nos referimos.
    Pois a partir da perspectiva de cada religião é que devemos interpretar a Bíblia.
    Por exemplo, só é possível compreender a Tanakh (e principalmente a Torah) se junto a ela examinarmos o Talmud e a Cabalá.
    Só é possivel compreender a Bíblia Católica, se levarmos em consideração todo o Magistério da Igreja (Concílios, Enciclica, Bulas Papais) juntamente
    com o escritos dos Primeiros Padres (São Cirilo de Alexandria, Santo Atanasio, São João Crisóstomo) bem como a visão Teológica de Santo Agostinho e São Tomas de Aquino.
    E por fim não é possível nos referirmos a Bíblia Protestante sem levarmos em consideração a Confissão de Fé de Westminster e a Confissão de Ausburgo.
    Pois ainda que tenham vindo de um único “tronco” cultural e linguistico as Teologias (e os respectivos credos) dessas religiões variam consideravelmente.
    E isso porque estamos falando da visão dos adeptos, pois se avançarmos no Estudos Teológicos então, temos uma infinidade de interpretações nas três religiões.
    Também só estou levando em consideração as denominações “históricas” pois a partir do século XIX nos EUA temos uma expressivo número de novas religiões
    que surgem juntamente com novas interpretações dos textos sagrados: Adventismo, Mormonismo, Testemunhas de Jeová etc.
    Portanto interpretar os textos bíblicos “literalmente” é tão proveitoso quanto ler a formula E=mc² e não entender o significado dos termos da fórmula…
    Não me surpreende que você não a compreenda.

  36. NVF Diz:

    Realmente é um argumento manjado, Toffo. Já tinha até esquecido que aqui já está tudo manjado, de todos os lados.
    .
    Agora, com base na postagem sobre a biografia de Marcel Souto Maior, gostaria de ler mais textos críticos sobre Allan Kardec. Aliás, como já disse uma vez, o Toffo e o Gorducho parecem ser dos participantes daqui os que mais gostam do tema e possuem mais informações. Se tiverem blog ou coisa parecida, gostaria de ler. Se não, incentivem o Vitor a trazer mais coisas sobre Kardec.

  37. Vladimir Diz:

    Toffo disse: Alguma vez lhe ocorreu que alguém poderia estudar a DE tanto, tanto, que começaria a ver com clareza as rachaduras do seu aparentemente sólido edifício? Que estudaria o suficiente para começar a ter elementos suficientes para perceber que ela não é tão sólida assim?
    COMENTÁRIO: Em absoluto. A DE tem sim sérios problemas (como o CUEE por exemplo), o Autoritarismo de Kardec…
    Kardec não era Perfeito, tampouco os “Espíritos” que ditaram a Codificação.
    E justamente por isso Kardec teve a brilhante ideia, sujeitar os Dogmas da DE a Ciência.
    Teve o cuidado de separar o que era Doutrina e o que eram opiniões pessoais dos espíritos (e dos médiuns).
    Enfim, teve todo o cuidado de sistematizar uma Religião com uma Dogmática “fraca”. (Na DE não encontramos o Dogma da Infalibilidade Papal por exemplo)
    Toffo disse: Que iria buscar em outras fontes, históricas, sociológicas, antropológicas, em outras línguas, alguma coisa que pudesse embasar as suas convicções?
    COMENTÁRIO: Sem dúvida alguma o estudo comparado com outras fontes é valido, necessário e recomendado, porém o Sr se esquece que acima de tudo, para se defender
    uma Religião é necessário Fé.
    E Fé não é razão.
    É uma intuição, um sentimento presente em todas as culturas humanas em todos os tempos.
    Aquilo que em Psiquiatria chamamos “Pensamento Mágico”.
    Sem o “Pensamento Mágico” não é possível praticar uma Religião.
    Toffo disse: pois é, é um raciocínio meio rasteiro esse de achar que “estudar profundamente a DE significa aceitar os seus ensinamentos”
    COMENTÁRIO: Você pode aceitar ou não os Dogmas de uma Religião, o problema é atacar essa religião com bravatas disparatadas como no caso do Espiritismo
    confudir Romance Mediúnico, com a Codificação.
    Toffo disse: isto é, não dizer asneiras, sendo que estudar profundamente a DE pode significar exatamente o contrário: perceber o quanto ela é discutível, controversa e sujeita à refutação.
    COMENTÁRIO: Como em qualquer outra Religião. Pode-se Criticar, mas que seja uma crítica fundamentada, embasada, uma crítica “forte”.

  38. Vladimir Diz:

    Contra disse: Cadê as provas da existência de ‘espiritos’?
    COMENTÁRIO: Contra, já lhe disse uma certa vez que não tem como provar que Espíritos existem.
    Bem como não temos como provar que Anjos, Daimons, Daevas, Djinns, existem.
    Tampouco temos como provar que Deus existe.
    Trata-se de Religião e não Ciência.
    Portanto trata-se de Fé, de Crença.
    Cada um é livre para acreditar e defender a religião que melhor lhe aprouver.

  39. Vladimir Diz:

    Marciano e Contra,
    A Intolerância Religiosa chegou ao limite…
    Se a Religião (ou a Orientação Sexual, Cor da Pele e etc) alheia lhe incomoda, penso que talvez seja a hora de procurar um Psicanalista…

  40. NVF Diz:

    “Não há evidências concretas de que alguém tenha plagiado inconscientemente alguma obra”
    .
    Mais uma vez em tom de hipótese, pode ser a mediunidade um estado alterado de consciência, em que a pessoa, devido a sua fervorosa crença na comunicação espiritual, entra em um transe provocado por ela mesma. Sendo assim, crendo estar psicografando um espírito, na verdade o suposto médium pode estar escrevendo, sem perceber, coisas registradas em sua própria memória. Em outras palavras, o plágio pode não ser doloso. Mas pode ser também. Quero apenas apresentar uma hipótese, para não se condenar alguém precipitadamente. Sou suspeito pra falar que é uma hipótese plausível, mas a considero antes de falar em plágio.

  41. Vladimir Diz:

    Marciano, Contra.

    PSC:
    CP – Decreto Lei nº 2.848 de 07 de Dezembro de 1940

    Art. 208 – Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso:

  42. NVF Diz:

    Meus sinceros aplausos a isto:
    .
    “Alguma vez lhe ocorreu que alguém poderia estudar a DE tanto, tanto, que começaria a ver com clareza as rachaduras do seu aparentemente sólido edifício? Que estudaria o suficiente para começar a ter elementos suficientes para perceber que ela não é tão sólida assim? Que iria buscar em outras fontes, históricas, sociológicas, antropológicas, em outras línguas, alguma coisa que pudesse embasar as suas convicções? Pois é, é um raciocínio meio rasteiro esse de achar que “estudar profundamente a DE significa aceitar os seus ensinamentos”, isto é, não dizer asneiras, sendo que estudar profundamente a DE pode significar exatamente o contrário: perceber o quanto ela é discutível, controversa e sujeita à refutação.”
    .
    Toffo, troca de lugar com o Vitor, kkkk. Brincadeira. No mínimo contribua para os artigos. Gosto bastante dos seus comentários e dos do Gorducho.

  43. Marciano Diz:

    Vlad insiste em se fazer de bobo.
    Quem não sabe que a bíblia é uma reunião de livros antigos, escolhidos, editados, reeditados, mexidos ao extremo, algumas com livros a menos, outras com livros a mais?
    Você entendeu muito bem o que eu disse e saiu tergiversando, desconversando.
    Qualquer livro religioso tem revelações que depois revelam-se disparatadas e aí o sentido muda.
    Antigamente mudavam o texto mesmo. Ainda o fazem, quando adaptam à linguagem moderna, etc.
    .
    Essa sua de eu e Contra procurarmos psicanalista é demais. Quem precisa de psicanalista? Quem raciocina ou quem delira com sonhos fantasmagóricos e falsas alegorias?
    .
    Vlad, pra seu governo, sou advogado, já fui juiz e promotor. Não é você quem vai me ensinar direito.
    Por que todo crente, quando fica sem argumentos, gosta de partir para ameaças?
    Isto aqui é um blog de discussões, não de ameaças de crentes desvairados.
    Tem algum argumento melhor?
    E não confunda escárnio (aponte o sujeito passivo) com liberdade de expressão.

  44. Vladimir Diz:

    Marciano disse: Vlad insiste em se fazer de bobo.
    COMENTÁRIO: Penso que o Sr. está a simplificar a conversa…visto que não refutou, tampouco comentou as minhas alegações
    Marciano disse: Quem não sabe que a bíblia é uma reunião de livros antigos, escolhidos, editados, reeditados, mexidos ao extremo, algumas com livros a menos, outras com livros a mais?
    COMENTÁRIO: Fico feliz que tenha tal entendimento, porém arrisco a pensar que talvez o Sr. não tenha conhecimento da Torah ou do Talmud, tampouco do Zohar,
    do Sefer Yetzirah ou será que teria?
    Será que o Sr saberia explicar o significado cabalístico dos 40 anos que Moshe passou no Deserto?
    O talvez o Sr saiba explicar os 72 nomes de D’us?
    A relação das Otz Chim, as Sephiroth, as Qliphoth e o Ser Humano?
    E que tal a Nephesh, a Ruach, e a Neshamah?
    Poderia explicar também o por que Elohim fala em 7 dias de Atziluth?
    Infelizmente o racicionio do Sr está todo em Malkuth porém para compreender a Torah e a Tanakh é preciso ir além do Véu de Parroketh…
    Acima de Netzschah
    Marciano disse: Qualquer livro religioso tem revelações que depois revelam-se disparatadas e aí o sentido muda.
    COMENTÁRIO: De modo algum.
    Pegue o exemplo do Livro de Mórmon, e pergunte a qualquer mórmon o que ele pensa a respeito de doutrina mormonista de que Jesus esteve a evangelizar
    entre os Astecas e Maias?
    Ou o que ele pensa a respeito dos Eua ser a Nova Jerusalém?
    Ainda que existam dezenas de evidencias históricas comprovando que “Jesus” (se é que ele existiu) jamais esteve nas Américas, os mórmons insistem
    e defender o contrário.
    O mesmo se dá com os livros da Ellen G.White e os Adventistas.
    Não generalize, tampouco simplifique.
    Cada caso é um caso…
    Marciano disse: Essa sua de eu e Contra procurarmos psicanalista é demais. Quem precisa de psicanalista? Quem raciocina ou quem delira com sonhos fantasmagóricos e falsas alegorias?
    COMENTÁRIO: Conforme eu disse antes (penso que talvez não tenha prestado atenção) o “Pensamento Mágico” é natural e saudável para o ser humano (dentro do ponto de vista da Psiquiatria)
    Do mesmo modo a Religião e a Crença é algo natural e saudável a todas as formações e grupamentos humanos (vide Claude Levi Strauss, Mircea Eliade, e Clifford Geertz).
    Entretanto um ser humano ter ódio e desdém pela religião alheia dentro do Estado Democrático de Direito, não me parece indicativo de Saúde Mental.
    Talvez o Sr esteja confundindo Ateísmo com Preconceito e Intolerância Religiosa…
    Marciano disse: Vlad, pra seu governo, sou advogado, já fui juiz e promotor. Não é você quem vai me ensinar direito
    COMENTÁRIO: Fico contente em saber que Vossa Excelência (se me permite rs) possui tão vasto conhecimento a respeito do Direito.
    Sendo assim fica a mim o questionamento: Sendo Vossa Excelência, um pilar da comunidade, membro tão destacado de nossa sociedade
    não deveria então dar o exemplo: Da concórdia, do entendimento, e sobretudo do respeito a Democracia e aos interesses dos cidadãos?
    Não me parece que o desdém, o discurso de ódio e o preconceito coadunem com decoro e a probidade necessário ao exercício de tal importante tarefa?
    Marciano disse: Por que todo crente, quando fica sem argumentos, gosta de partir para ameaças?
    COMENTÁRIO: Não lhe ameacei, apenas chamei-lhe a Razão
    Marciano disse:Isto aqui é um blog de discussões, não de ameaças de crentes desvairados
    COMENTÁRIO: Tampouco é um blog de difusão do preconceito e intolerância religiosa, não acha? Excelência?
    Um TFA
    Vladimir MMIIRCTMR

  45. Marciano Diz:

    Tá enganado, Vlad. Eu conheço essa porcaria toda, com exceção desse tal de Zohar (tá querendo me zoar?) e esse Zefer (se existe mesmo, Mefer rei).
    O significado cabalístico é justamente o que eu estava a dizer, ou seja, quando não cola mais, inventam significados esotéricos.
    Pelo que estou vendo, você perdeu muito mais tempo estudando o sexo dos anjos do que eu. Vá entender de ciências ocultas e letras apagadas bizantinas assim lá no deserto.
    .
    .
    “Pegue o exemplo do Livro de Mórmon, e pergunte a qualquer mórmon o que ele pensa a respeito de doutrina mormonista de que Jesus esteve a evangelizar
    entre os Astecas e Maias?
    Ou o que ele pensa a respeito dos Eua ser a Nova Jerusalém?
    Ainda que existam dezenas de evidencias históricas comprovando que “Jesus” (se é que ele existiu) jamais esteve nas Américas, os mórmons insistem
    e defender o contrário.
    O mesmo se dá com os livros da Ellen G.White e os Adventistas”.
    .
    .
    Caraca! É justamente isto que estou tentando dizer, existem crenças para todos os gostos, cada uma mais louca do que a outra. E hajam crentes.
    Ô Vlad, tu não és o merden disfarçado, és?
    Quem disse que eu tenho ódio pelas crenças dos crentes? Guardo meu ódio para os petistas (é seu caso? – se for, é o merden mesmo).
    .
    Abdiquei da excelência faz alguns anos. Para mim, títulos não têm valor algum.
    .
    Essa tua “Razão” (sic, com “R” maiúsculo) tem algo a ver com o RC?
    .
    Vlad, só uma curiosidade: és praticante de karatê?
    Se for, não resta mais a menor dúvida.

    .
    Alguém aí tem um detector de merden?

  46. Vladimir Diz:

    Marciano disse: Essa tua “Razão” (sic, com “R” maiúsculo) tem algo a ver com o RC?
    COMENTÁRIO: Não sou Rosa-Cruz.
    Mas pelo visto o Sr não é um Ir.da Arte Real.
    Curioso todos os Magistrados que conheci eram da “Grande Obra”.
    Marciano disse: Vlad, só uma curiosidade: és praticante de karatê?
    COMENTÁRIO: Prefiro Raja-Yoga.
    Vladimir

  47. Gorducho Diz:

    Sobre o Kardec, Analista Nestor, não sei e acho que poucos sabem muito mais. Por isso digo que acho virtualmente impossível alguém fazer uma biografia dele, e por isso nem perdi tempo em ler esta cá da rubrica.
    Esse relacionamento dele com os pais acho curioso, só sei que sim a mãe às vezes ia a Yverdun e até tinha uma certa amizade com o Pestalozzi. No bom sentido, fique claro: talvez até tivesse c/a esposa dele; isso especulo.
    Depois não se sabe nem quando ele retornou à França…
    Também não consegui até agora as famosas lições de química e física, pois gostaria de ter uma ideia dos conhecimentos dele comparativamente aos da época. E.g., está claro p/mim que a história do sol ser fonte de eletricidade ele se inspirou no Arago, que compara a claridade da descarga elétrica à luz do desse.
     
    Então, a única possibilidade hoje duma tentativa de biografar o Kardec seria alguém morador lá com um perfil tipo o Sr. JCFF, a título de hobby num trabalho para vida inteira.
    Teria que entrevistar os retantes Leymaries tentando saber a história semi-lendária dos arquivos.
    Acho que hoje é impossível…

  48. Antonio G. - POA Diz:

    Acho curioso quando se fala da Doutrina Espírita como se fosse algo substancial, volumoso e complexo. Na verdade, trata-se de um punhado de dogmas e de uns cinco ou seis livrinhos “essenciais”, entre os escritos por Kardec e Chico Xavier. E é tudo. De resto, é sempre mais do mesmo. Dá para ser doutor em espiritismo/chiquismo fazendo um cursinho de 6 semanas, só com aulas aos sábados pela manhã.

  49. Gorducho Diz:

    E justamente por isso Kardec teve a brilhante ideia, sujeitar os Dogmas da DE à Ciência.
    :o
    i) A divindade que ele usou todos estamos de acordo que por definição nunca estará no âmbito da Ciência, certo? Nem e existência de Jesus Cristo, e muitíssimo menos os milagres (que ele os incorpora explicitamente sob a rubrica fenômenos mediúnicos). Note que o Kardec explicitamente adota o dogma do Cristo, ou pelo menos tenta induzir o leitor a aceitá-lo, pois que usa sempre o termo.
    ii) Os dogmas relativos às “leis morais” e o Código Penal dos Defuntos – de longe a parte mais cômica da Doutrina – também não, certo?
    iii) O dogma do Progresso (característico do séc. xix, mas ele o incorporou à…) deu no que deu: superpopulação e o planeta foi destruído.
    iv) Se considerarmos provada a reencarnação norte-norteamericana do Ian Stevenson, então o dogma da reencarnação socialista utópica já está derrubado.
    Desnecessário sublinhar que mesmo isso está longe de provado.
    Me ajude a lembrar outros dos dogmas que a Ciência deverá corroborar…
     
    Teve o cuidado de separar o que era Doutrina e o que eram opiniões pessoais dos espíritos (e dos médiuns).
    E daí? Não é mérito intelectual nenhum. Só prova o caráter intransigente e ditatorial dele. Eu escrevo uma “doutrina”, e tudo que alguém, vivo ou morto, disser dissonante dela é “opinião pessoal” do meu opositor.
    Explicito é o caso da reencarnação, a qual a grande maioria dos espíritos – inclusive e principalmente os do Swedenborg e da M. Blavatsky – diz não existir.
     
    Enfim, teve todo o cuidado de sistematizar uma Religião com uma Dogmática “fraca”. (Na DE não encontramos o Dogma da Infalibilidade Papal por exemplo)
    Bien sûr.
     
    o Sr se esquece que acima de tudo, para se defender uma Religião é necessário Fé.
    E Fé não é razão.
    É uma intuição, um sentimento presente em todas as culturas humanas em todos os tempos.
    Aquilo que em Psiquiatria chamamos “Pensamento Mágico”.
    Sem o “Pensamento Mágico” não é possível praticar uma Religião.

    Não, o Sr. foi quem se esqueceu que o objetivo do Sítio é estudar criticamente o espiritismo (em geral, não a Doutrina em particular). Daí nos acusou de dizer disparates. São disparates desde o ponto de vista do Crente dominado por seu próprio pensamento mágico, conforme bem aponta acima.
    O objetivo é estudar a realidade do espiritismo, quais foram suas fontes de verdade, &c.; não o de dizer MUUU!!! p/o Kardec (parafraseando o Professor).
    E, de novo parafraseando o Professor: é isso.

  50. Gorducho Diz:

    Acho curioso quando se fala da Doutrina Espírita como se fosse algo substancial, volumoso e complexo.
    &nbp;
    Sim. O que há fora dum “senso comum” classe média?
    Fica a pergunta p/o Analista Vladimir

  51. Toffo Diz:

    Nestor? (é o N de NVF?): existe, sim, uma extensa bibliografia, predominantemente em inglês, e também em francês, sobre o espiritismo francês e as diversas fés heterodoxas que surgiram durante o período autoritário do II Império e II República na França. É um assunto bastante estudado pela academia estrangeira, desde os anos 1980. Lendo a análise dos estudiosos, vê-se que o arcabouço do espiritismo muito pouco tem de espiritual e muito tem de secular e temporal. E, comparando o espiritismo kardecista com o que é praticado aqui, quase nada tem em comum. As razões do surgimento da doutrina espírita são basicamente políticas, econômicas e sociais. Analisando por cima: uma época de grande repressão política, de grande concentração de renda e enorme desfavorecimento das classes trabalhadoras, muitíssimo mais pobres. Circulavam na época os ideais utópicos do socialismo dito romântico, que pregava a solidariedade dos ricos com os pobres e as suposições um tanto ingênuas de que as classes mais favorecidas seriam gradualmente convencidas a ceder parte de sua riqueza em prol das menos à medida em que o homem melhorasse sua condição moral. E pensadores dessa corrente, como Charles Fourier, Pierre Leroux, Saint-Simon e outros, pregavam a reencarnação como forma de aprimoramento moral, na medida em que as vidas sucessivas iriam aplainando as paixões e o egoísmo das pessoas, tornando-as melhores, tornando assim a sociedade melhor e mais justa. Essa forma de pensar seria refutada a partir de Marx e Engels e a luta de classes, o Manifesto Comunista de 1848 &c, mas isso é outra história. Voltando ao socialismo romântico, Hyppolite Rivail (mais tarde Allan Kardec), pedagogo e professor, era adepto dessas ideias, assim como das ideias mesmeristas de magnetismo e fluidos animalizados. Quando começou a se envolver com as mesas girantes e fazer perguntas às médiuns de que se servia, foi com essa bagagem que forjou a doutrina espírita, porque tinha convicção de que os espíritos lhe haviam ditado exatamente as ideias que ele esposava. Em outras palavras, ele criou uma doutrina que refletia os anseios de uma sociedade específica (a França de seu tempo), que vinha solucionar todos os problemas por que passava: o autoritarismo, a concentração de renda, a miséria do proletariado, as más condições sociais e assim por diante. Ou seja, uma doutrina particular, regional e muito pessoal, que ele pretendeu que fosse universal. Mas não era. Tanto não era que os espíritos a 400 km de Paris, em Londres, ensinavam coisa diversa. Na verdade os espíritas brasileiros mitificaram os fatos, botando Kardec como o eleito, o Ungido do Senhor para trazer as boas novas que iriam sacudir o planeta e fazê-lo mudar de categoria, mas a coisa não foi bem assim. A doutrina não era “dos espíritos”, mas dele. Foi criada segundo as suas convicções e a sua maneira de pensar. Nem mesmo a palavra espiritismo foi ele que criou, ela já existia como anglicismo e foi adaptada com sucesso para o vernáculo francês.

  52. Gorducho Diz:

    Esclarecendo: quando disse que não se sabe muito mais, estava me referindo à pessoa do Kardec, ou seja, a uma biografia de verdade dele, de um modo geral.
    Claro que sobre espiritismo há expressiva (como diria o CX)
    bibliografia. Só que praticamente tudo em inglês e bem menos em francês.
    Daí é claro que infelizmente dificulta para que não domina idiomas esses.
    E.g.: lendo as primeiras umas 40 páginas do (chatissíssimo, é impossível ler todo) Terra & Céu do Jean Reynaud vê-se ali todo o roteiro que o Kardec seguiu – fora a parte do mesmerismo, claro.

  53. Gorducho Diz:

    Ali tem a pluralidade dos mundos habitados; a missão da Gália em definir definitivamente o que ocorreria com os falecidos (o JR mostra que a ICAR não definiu claramente isso); o mito dos druidas que basicamente foi inventado pelo JR e que como se sabe levou o Kardec a se imaginar um ex…
    Tem depois discussões sobre o que são anjos (isso mais adiante).
    E acho que deve ter reencarnação, mas não me lembro agora.
    E tem também um ataque indireto (depois no livro) a S. Tomás. Note-se que o Kardec nunca cita ele – pelo menos eu não me lembro.

  54. Vladimir Diz:

    Antonio disse: Na verdade, trata-se de um punhado de dogmas e de uns cinco ou seis livrinhos “essenciais”, entre os escritos por Kardec e Chico Xavier. E é tudo.
    COMENTÁRIO: Pois bem eis a prova de que eram “estudantes relapsos da DE”.
    Antonio, se quiser de fato conhecer o Espiritismo deve estudar os 5 livros da Codificação, os 13 volumes da Revista Espírita, e as Obras Complementares de Kardec.
    Além disso é altamente recomendado estudar todos os livros de Leon Denis, Gabriel Delanne, e Camille Flammarion.

    Em relação ao Chico Xavier, suas obras não são de caráter doutrinário, apenas opiniões pessoais dos Espíritos.

    E se o Sr acha que Espiritismo é algo “simples” de estudar, leia as Obras de Pietro Ubaldi, e venha debater comigo…

    Vladimir

  55. NVF Diz:

    Perfeito. Realmente, domino apenas o português (tirando os conhecimentos aprofundados de gramática, aquelas decorebas e tal). Meu inglês, apesar de alguns anos de CCAA num passado recente, está longe da fluência, fora a preguiça, rs. Francês? Tive algumas aulas na escola, mas só vocábulos soltos.
    .
    Pois bem.
    .
    Um trabalho interessante seria traduzir partes expressivas desses livros estrangeiros sobre o contexto kardeciano e espírita da frança pro português. Nesse projeto eu faria alguma doação.

  56. NVF Diz:

    Vladimir, a doutrina espírita kardeciana é tão sucinta, apesar de repetitiva, além de Kardec ser, reconhecidamente, muito didático pra sua época, que basta ler a introdução do LE para um sujeito já saber de tudo sobre ela. Exercite sua autocrítica (este blog ajuda) e você vai concluir, no futuro, que não precisa ser nenhum ser superiormente inteligente e disciplinado para dominar a “melhor doutrina religiosa do mundo” (dentre outras). Há premissas básicas, princípios estruturais, que são repetidos o tempo inteiro em diferentes abordagens.

  57. Vladimir Diz:

    Gorducho disse: A divindade que ele usou todos estamos de acordo que por definição nunca estará no âmbito da Ciência, certo?
    COMENTÁRIO: Penso que se a Física provar que não houve uma “Causa Primeira” singular, é certo que estará refutado o conceito de Deus de Kardec.
    Gorducho disse: Nem e existência de Jesus Cristo
    COMENTÁRIO: Nesse sentido a Arqueologia tem demonstrado o oposto, ainda que evidentemente não se possa provar os “milagres”.
    Gorducho disse: Os dogmas relativos às “leis morais” e o Código Penal dos Defuntos – de longe a parte mais cômica da Doutrina – também não, certo?
    COMENTÁRIO: Não vejo como absurdo. Se temos Leis e Códigos Morais cá no Mundo dos Vivos, não vejo por que após a morte descambaríamos em uma Anomia.
    Gorducho disse: O dogma do Progresso (característico do séc. xix, mas ele o incorporou à…) deu no que deu: superpopulação e o planeta foi destruído
    COMENTÁRIO: O “Progresso” e a Evolução existem, e a Tecnologia está aí para provar. Do mesmo modo a Biologia nos demonstra a evolução do Macaco ao Homo Sapiens.
    Gorducho disse: Se considerarmos provada a reencarnação norte-norteamericana do Ian Stevenson, então o dogma da reencarnação socialista utópica já está derrubado.
    COMENTÁRIO: Se provado, com certeza.
    Gorducho disse: E daí? Não é mérito intelectual nenhum. Só prova o caráter intransigente e ditatorial dele.
    COMENTÁRIO: haha, Mas isso é válido para todas as “Religiões”…
    Gorducho disse: Não, o Sr. foi quem se esqueceu que o objetivo do Sítio é estudar criticamente o espiritismo (em geral, não a Doutrina em particular).
    COMENTÁRIO: Acho válido a intenção. O que não concordo é fazer chacota da crença alheia, e propagar a o preconceito e a intolerância religiosa…

  58. Vladimir Diz:

    NVF disse: Vladimir, a doutrina espírita kardeciana é tão sucinta, apesar de repetitiva, além de Kardec ser, reconhecidamente, muito didático pra sua época, que basta ler a introdução do LE para um sujeito já saber de tudo sobre ela.
    COMENTÁRIO: Mais um corroborando a minha tese: “estudantes relapsos da DE”
    NVF minha recomendação é a mesma que dei ao Antonio:
    se quiser de fato conhecer o Espiritismo deve estudar os 5 livros da Codificação, os 13 volumes da Revista Espírita, e as Obras Complementares de Kardec.
    Além disso é altamente recomendado estudar todos os livros de Leon Denis, Gabriel Delanne, e Camille Flammarion

  59. Gorducho Diz:

    Pois bem eis a prova de que eram “estudantes relapsos da DE”.
     
    Façamos o inverso então para facilitar o prosseguimento dos debates objetivisando-o. Cite alguma coisa dentro da DE ou mesmo paralelas tais como o Ubaldi ou CX ou que lhe parecer conveniente (dentro do que se possa chamar kardecismo ou chiquismo, não vamos fugir para ocultismo ou anglos)… que na sua opinião não sejam trivialidades de senso comum classe média “cristã” (óbvio com as adaptações que ele fez ao cristianismo clássico) ou do socialismo pré-Commune.
    Daí analisamos…

  60. Gorducho Diz:

    Penso que se a Física provar que não houve uma “Causa Primeira” singular, é certo que estará refutado o conceito de Deus de Kardec.
    Não tente usar falácias nem inverter ônus de provas; aqui todos são acostumados a debater, como já deveria ter percebido a essas alturas do campeonato. O Sr. alegou que o alegava (e sim, alegava bobamente) que os dogmas seriam provados pela Ciência. Não é função
    da Ciência desprovar dogmas.
     
    Nesse sentido a Arqueologia tem demonstrado o oposto, ainda que evidentemente não se possa provar os “milagres”.
    :o Puxa! Essa se bem me lembro nem o Sr. JCFF ousou usar. A arqueologia tem mostrado a existência de Jesus Cristo (note o uso do termo composto, não é Jesus). Me diga onde, eu espero acalmar um pouco a cousa lá (vai demorar…) e vou olhar pessoalmente!
     
    Não vejo como absurdo. Se temos Leis e Códigos Morais cá no Mundo dos Vivos, não vejo por que após a morte descambaríamos em uma Anomia.
    Certo. Só que como não temos nenhuma evidência disso, até que se tenha é dogma. E particularmente, veja que não está se dizendo que não haja qualquer regra. Estamos falando especificamente das regras que ele colocou no papel.
     
    O negrito é meu.
    O “Progresso” e a Evolução existem, e a Tecnologia está aí para provar. Do mesmo modo a Biologia nos demonstra a evolução do Macaco ao Homo Sapiens.
    Certo, mas não temos nenhum motivo para supor que continuará para sempre como reza o dogma. Deverá saber muito bem que é um curtíssimo período dentro da história. E a superpopulação e a destruição que isso causou no planeta indica bem o contrário. Viu o que está ocorrendo no Alaska?
    E, no negrito: o Sr. tem alguma noção acerca da teoria do Darwin? Ou é a alguma outra a que se refere?
     
    haha, Mas isso é válido para todas as “Religiões”…
    Claro, só que o objeto de estudo do Sítio é o espiritismo. Se quiser estudar religiões em geral, tem o ótimo RV.

  61. NVF Diz:

    Vladimir, achei interessante o que o Toffo disse anteriormente justamente porque me insiro na situação. Li e reli diversas vezes as obras básicas de Kardec mais obras póstumas e alguns dos principais artigos da revista espírita. A diferença é que não fiquei só nisso. Paralelamente eu estudava sociologia, filosofia, criminologia e outras matérias na faculdade, que me davam um suporte intelectual além do proselitismo religioso. Aliás, foi numa aula de criminologia, em que a professora abordava os diversos positivismos e o cientificismo francês do exato século de Kardec, que comecei a acordar. Foi um estalar muito empolgante.
    .
    Então o Toffo tem razão. Na verdade falta estudo é para quem ainda não criticou temporalmente a obra de Kardec, saindo das ideias internas da obra e partindo pra conhecimentos outros, como a sociologia, política e filosofia do século XIX.

  62. Gorducho Diz:

    Retifico o que eu disse acerca da “evolução”, Analista Vladimir. Considerando que o homo sapiens já exterminou quase todos os macacos, e provavelmente terminará de exterminar todos antes dele próprio e auto-exterminar, sim, o homo sapiens poderá ser considerado “mais evoluído” que os macacos.
    Desculpe a precipitação!

  63. NVF Diz:

    Toffo e Gorducho,
    .
    Lembro-me que muitos aqui são da área jurídica. É que outra relação que faço sobre o contexto inspirador de Kardec tem relação com o aspecto formal ou procedimental. Certamente já ouviram falar do movimento das codificações, projeção dos positivismos, do século XIX. Vejo que Kardec optou pelo formato de códigos devido à pretensão de reunir “toda a verdade” do suposto mundo espiritual em um só lugar, de modo que essa codificação seria inalterável durante longos anos, senão para sempre. Enfim, tem muito a ver com o cientificismo da época, e muita aproximação com o positivismo jurídico e seus códigos.

  64. NVF Diz:

    Como também já disseram, é comum a postura dos espíritas mandarem os outros estudar. É que partem do pressuposto de que são superiores em conhecimento de algo que julgam extremamente importante. “O meu é sempre melhor que o dos outros”.
    .
    Na verdade, de um modo geral, a doutrina de Kardec nos incute uma falsa convicção de superioridade pelo simples fato de lê-la, coisa que, supostamente, poucos fazem. Ora, se a pessoa lê a obra, se enche de moral sublime, ou pelo menos está disposta a se encher, e isso já denota uma certa evolução, que o coloca acima dos outros. Uma concepção hierarquizada, típica do pensamento francês do século XIX e seu evolucionismo pujante. Uma lavagem cerebral, a priori, bem conduzida por Kardec.

  65. Vladimir Diz:

    Gorducho disse: Cite alguma coisa dentro da DE ou mesmo paralelas tais como o Ubaldi ou CX ou que lhe parecer conveniente (dentro do que se possa chamar kardecismo ou chiquismo, não vamos fugir para ocultismo ou anglos)… que na sua opinião não sejam trivialidades de senso comum classe média “cristã” (óbvio com as adaptações que ele fez ao cristianismo clássico) ou do socialismo pré-Commune
    COMENTÁRIO: A sistematização feita por Kardec dos fenômenos espiritualistas que ocorriam no século XIX, de modo didático, claro e objetivo não me parece nenhuma “trivialidade”.
    Não ouso chamar o trabalho do Richet, ou do Bozzano de trivialidade.
    E acho muito arrogância (ou seria ingenuidade) chamar “A Grande Síntese” de Ubaldi de algo “trivial”.
    Gorducho disse: Não tente usar falácias nem inverter ônus de provas
    COMENTÁRIO: Quais falácias?
    Ao que me consta a Ciência (em particular a Física) não conseguiu explicar a “Singularidade” que envolve a “Causa Primeira”, tampouco
    provou a que não existiu uma “Causa Primeira”.
    Desse modo posso seguir acreditando em uma “Causa Primeira” inteligente e a essa Causa denominar Deus.
    Se um dia a Ciência provar que não houve nada disso, me tornaria Ateu no dia subsequente rs
    Goducho disse: O Sr. alegou que o alegava (e sim, alegava bobamente) que os dogmas seriam provados pela Ciência.
    COMENTÁRIO: Provados ou Refutados.
    Está em aberto.
    Gorducho disse: Não é função da Ciência desprovar dogma
    COMENTÁRIO: Com certeza não o é. Entretanto a medida que a Ciência avança muitos “Dogmas” vão caindo.
    Por exemplo: Ninguém em seu juízo perfeito defenderia que um Epilético está possuído pelo Demônio. Não acha?

    Gorducho disse: A arqueologia tem mostrado a existência de Jesus Cristo (note o uso do termo composto, não é Jesus)
    COMENTÁRIO: Eu não disse que a Arqueologia provou a existência de Jesus Cristo, mas sim que provou a existência de Yeshua.
    A Arqueologia nunca poderá provar ou refutar os “milagres” do Cristo.
    Mas poderá provar sim se existiu um homem chamado Yeshua, a quem chamavam o Cristo…

    Gorducho disse: Só que como não temos nenhuma evidência disso, até que se tenha é dogma.
    COMENTÁRIO: Sim é Dogma. E qual o problema? Toda Religião têm Dogmas, com o Espiritismo não é diferente.
    Não vejo porque tanto alarde…

    Gorducho disse: Certo, mas não temos nenhum motivo para supor que continuará para sempre como reza o dogma
    COMENTÁRIO: De fato, mas até o presente momento podemos constatar os benefícios e os malefícios do Progresso e da Evolução.

    Gorducho disse: o Sr. tem alguma noção acerca da teoria do Darwin?
    COMENTÁRIO: Modéstia a parte eu me acho um pouco mais inteligente que nossos amigos primatas rs. O Sr não?

    Gorducho disse: Retifico o que eu disse acerca da “evolução”, Analista Vladimir. Considerando que o homo sapiens já exterminou quase todos os macacos, e provavelmente terminará de exterminar todos antes dele próprio e auto-exterminar, sim, o homo sapiens poderá ser considerado “mais evoluído” que os macacos.
    COMENTÁRIO: Esqueça os macacos. Logo mais estaremos colonizando Marte rs

  66. Vladimir Diz:

    NVF disse: Na verdade falta estudo é para quem ainda não criticou temporalmente a obra de Kardec, saindo das ideias internas da obra e partindo pra conhecimentos outros, como a sociologia, política e filosofia do século XIX.
    COMENTÁRIO: Mas isso é valido para qualquer Religião.
    E ainda que uma Religião seja analisada do ponto de vista Histórico, Antropológico, Sociológico isso em nada muda o caráter da Religião.
    E tampouco muda o Direito de cada em ter uma Fé naquilo que melhor lhe aprouver.
    Penso que talvez a sua “decepção” se deu justamente por esperar algo a mais do “Espiritismo” do que ele pudesse oferecer.
    Espiritismo é religião tal qual o Mormonismo, o Adventismo, a Testemunhas de Jeová e etc.
    Ingenuidade é esperar algo além disso.
    NVF isse: É que partem do pressuposto de que são superiores em conhecimento de algo que julgam extremamente importante.
    COMENTÁRIO: Não Sr. Se o Sr “tivesse feito a lição de casa” saberia que o que mais o Espiritismo prega é a Caridade e a Humildade.
    NVF disse: Na verdade, de um modo geral, a doutrina de Kardec nos incute uma falsa convicção de superioridade pelo simples fato de lê-la
    COMENTÁRIO: Opininamento pessoal, e ao meu ver sem nenhuma base na Religião Espírita.
    NVF disse: Ora, se a pessoa lê a obra, se enche de moral sublime, ou pelo menos está disposta a se encher, e isso já denota uma certa evolução, que o coloca acima dos outros
    COMENTÁRIO: Só se o fiel em questão for um “sociopata” haha
    NVF disse: Uma concepção hierarquizada, típica do pensamento francês do século XIX e seu evolucionismo pujante
    COMENTÁRIO: Bom Kardec era filho de seu tempo. Ingenuidade do Sr esperar que Kardec escrevesse uma obra atemporal ou supra-temporal rs

  67. Contra o chiquismo Diz:

    “Vladimir Diz:
    DEZEMBRO 3RD, 2014 ÀS 10:44 PM
    Contra disse: Cadê as provas da existência de ‘espiritos’?
    COMENTÁRIO: Contra, já lhe disse uma certa vez que** não tem **como provar** que Espíritos existem.**
    ….
    Trata-se de Religião e não Ciência.
    Portanto trata-se de*** Fé***, de*** Crença**.
    Cada um é livre para acreditar e*** defender a **religião** que melhor lhe aprouver.

    *
    *
    Então o sr está fazendo proselitismo aqui.

    *

    *
    “Vladimir Diz:
    E justamente por isso Kardec teve a brilhante ideia, sujeitar os Dogmas da DE a Ciência.
    Teve o cuidado de separar o que era Doutrina e o que eram opiniões pessoais dos espíritos (e dos médiuns).”

    *
    *

    Aí fica difícil.. é aceitar por questão de FÉ.. se o ‘espiritismo’ é Ciência e não ‘ciencia’, tem que se provar o seu maior dogma que é a existência de ‘espiritos’…

    PELA ÚLTIMA VEZ: COMO VC ME PROVA A EXISTÊNCIA DE ‘ESPIRITOS’?

  68. Gorducho Diz:

    Vamos por partes…
    A sistematização feita por Kardec dos fenômenos espiritualistas que ocorriam no século XIX, de modo didático, claro e objetivo não me parece nenhuma “trivialidade”.
    Como dizem que dizia o falecido Sócrates: vamos definir o que está em discussão. Vamos discutir a Doutrina do Kardec, do CX, do Ubaldi, ou de quem o Sr. se decidir, ou vamos discutir os fenômenos espiritualistas? Já disse no caso do Ubaldi ou de quem seja: informe o que ela contenha que na sua opinião não seja trivialidades classe média numa matriz cristã.
    Ou vamos discutir os fenômenos espiritualistas que nada tem a ver com “doutrinas” (?)
     
    Não ouso chamar o trabalho do Richet,
    não, não é trivial, é hilário
    http://www.bellwethergallery.com/images/artwork/large/scene02Still.jpg
     
    ou do Bozzano de trivialidade.
    Sobre o trabalho trivial ingênuo do Bozzano, foi feita discussão há pouco cá. Se não acompanhou e não conseguir localizar, peça à Administração.

  69. Contra o chiquismo Diz:

    Vladimir Diz:
    DEZEMBRO 4TH, 2014 ÀS 11:04 AM
    ***********************************************
    COMENTÁRIO: Mais um corroborando a minha tese: “estudantes relapsos da DE”
    NVF minha recomendação é a mesma que dei ao Antonio:
    se quiser de fato conhecer o Espiritismo deve estudar os 5 livros da Codificação, os 13 volumes da **Revista Espírita**, e as Obras Complementares de Kardec.

    **

    **

    Realmente, eu tanto estudei a ”codificação” que foi impossível continuar lá dentro.. e te digo, defenda esse texto da Revista Espirita se for capaz:
    *
    *
    *
    “Os negros, pois, como organização física, serão sempre os mesmos; como Espíritos, sem dúvida, são uma raça inferior, quer dizer, primitiva; são verdadeiras crianças às quais pode-se ensinar muita coisa;” (Allan Kardec, “Perfectibilidade da raça negra” Revue Spirite, Abril de 1862)
    *
    *
    POIS É … REVISTA ESPIRITA, EU ESTUDEI ELA, VC ESTUDOU ESSE VOLUME?

    O QUE TEM A NOS DIZER JÁ QUE NADA SABEMOS DO ‘ESPIRITISMO’ ??

  70. Gorducho Diz:

    Desse modo posso seguir acreditando em uma “Causa Primeira” inteligente e a essa
    O Sr. alegou que O KARDEC submeteria os dogmas dele ao escrutínio da Ciência. Agora inverte e quer cobrar da Ciência a obrigação de desprovar o dogma que ele, Kardec inventou (claro que essa divindade é um dogma dos escolásticos em geral, mas estamos particularizando p/o Kardec porque estamos discutindo espiritismo e não religiões em geral, certo?). E ainda mistura mistura o seu direito de seguir acreditando – que ninguém questiona evidentemente.
    Que salada-de-frutas lógica :(

  71. Contra o chiquismo Diz:

    Vlad.. e nem vou comentar sobre o que vc diz de nós sobre a nossa intolerância religiosa… o intolerante aqui está sendo vc..
    “Vladimir Diz:
    DEZEMBRO 4TH, 2014 ÀS 11:04 AM
    ***********************************************
    COMENTÁRIO: Mais um corroborando a minha tese: “estudantes relapsos da DE”

    *
    *
    Ou melhor, está a nos chamar de burros .

  72. Contra o chiquismo Diz:

    Vlad.. acho que vc precisa um passe…

    http://www.google.com.br/imgres?imgurl=http%3A%2F%2Fi.ytimg.com%2Fvi%2FE3OXZ4h2lL0%2Fhqdefault.jpg&imgrefurl=http%3A%2F%2Fwww.youtube.com%2Fwatch%3Fv%3DE3OXZ4h2lL0&h=360&w=480&tbnid=gyvYlhtH-xS67M%3A&zoom=1&docid=WInFnlVOm_hSoM&ei=bo-AVJ36F4GpgwSX5YEg&tbm=isch&ved=0CCYQMygJMAk&iact=rc&uact=3&dur=3660&page=1&start=0&ndsp=20

  73. Gorducho Diz:

    Eu não disse que a Arqueologia provou a existência de Jesus Cristo, mas sim que provou a existência de Yeshua.
    Me serve igual… vou visitar…
     
    [Grassouillet pensando: espero que ele não me venha com a dedicatória do Pilatos p/o Tibério...]

  74. Gorducho Diz:

    Sim é Dogma. E qual o problema? Toda Religião têm Dogmas, com o Espiritismo não é diferente.
     
    Mudou o discurso de novo… Foi o senhor que alegou que o Kardec submetia os dogmas dele à comprovação científica. Eu lhe fiz ver que não foi isso que ocorreu.
    Que todas as religiões têm dogmas todos sabemos.

  75. Vladimir Diz:

    Gorducho disse: O Sr. alegou que O KARDEC submeteria os dogmas dele ao escrutínio da Ciência. Agora inverte e quer cobrar da Ciência a obrigação de desprovar o dogma que ele.
    COMENTÁRIO: Sr. Gorducho não tergiverse.
    Vamos a letra de Kardec:
    “Se algum dia a Ciência comprovar que a Doutrina está errada em algum ponto, cumpre ao espírita abandonar esse ponto equivocado e seguir a orientação da Ciência”. – Allan Kardec
    Godurcho disse: Já disse no caso do Ubaldi ou de quem seja: informe o que ela contenha que na sua opinião não seja trivialidades classe média numa matriz cristã.
    COMENTÁRIO: Ja lhe disse. Leia o livro “A Grande Síntese” e veja se pode classificar como “trivialidade”.

  76. Vladimir Diz:

    Contra disse: defenda esse texto da Revista Espirita se for capaz: “Os negros, pois, como organização física, serão sempre os mesmos; como Espíritos, sem dúvida, são uma raça inferior, quer dizer, primitiva; são verdadeiras crianças às quais pode-se ensinar muita coisa;” (Allan Kardec, “Perfectibilidade da raça negra” Revue Spirite, Abril de 1862)
    COMENTÁRIO: http://scribatus.wordpress.com/2014/04/07/kardec-racista/

  77. Contra o chiquismo Diz:

    Vlad, vc agora se chama Carlos Raposo?

    Defenda você. Ou vc é racista tb? Se for está no caminho certo do kardecismo, mas tb há vagas para quem comungue das mesmas idéias no ADVENTISMO, MORMORISMO e T. D JEOVÁ.

  78. Vladimir Diz:

    Contra disse: Vlad, vc agora se chama Carlos Raposo?
    COMENTÁRIO: Não Sr. Mas comungo da opinião do Carlos Raposo, e não vejo melhor explicação sobre o “racismo” de Kardec.

    Vladimir

  79. Contra o chiquismo Diz:

    Vlad, Carlos Raposa no galinheiro defende isso:

    “Assim, caso se estude Kardec, entendendo-o de modo contextualizado, certamente ele será visto não como “racista”, mas como mera amostragem do que foi o homem culto europeu do século XIX.”
    *
    *
    *
    Pourra, mas não foram os ‘espiritos superiores’ que ditaram isso a kardec?
    ” “Os negros, pois, como organização física, serão sempre os mesmos; como Espíritos, sem dúvida, são uma raça inferior, quer dizer, primitiva; são verdadeiras crianças às quais pode-se ensinar muita coisa;” (Allan Kardec, “Perfectibilidade da raça negra” Revue Spirite, Abril de 1862)

    *

    *

    Então esses ‘espiritos superiores’ servem pra nada mesmo.

    *
    *
    E eu pedi para VOCÊ Vlad analisar esse texto, não sair pela tangente com uma explicação estapafúrdia dessas.
    Então, pela última vez, analise com o seu pensamento para mim o que acha do texto abaixo:
    *
    *
    *
    ” “Os negros, pois, como organização física, serão sempre os mesmos; como Espíritos, sem dúvida, são uma raça inferior, quer dizer, primitiva; são verdadeiras crianças às quais pode-se ensinar muita coisa;” (Allan Kardec, “Perfectibilidade da raça negra” Revue Spirite, Abril de 1862)”

    *
    *
    E como vc me prova a existência de ‘espiritos’?
    Ad hocs kardecianos-chiquistas não valem, óbvio.

  80. Gorducho Diz:

    Ok, Analista Vladimir. O Sr. remete à tal obra do Pietro Ubaldi, reconhecendo assim que a Codificação do Kardec, i.e., a DE, só contém trivialidades classe média.
    O Kardec já eliminamos então.

  81. Marciano Diz:

    Vlad, já fui convidado, mas para ser antigo e aceito o cara precisa acreditar em uma divindade. Você não sabia, Cavaleiro Kadosh?
    .
    Para um racionalista cristão você disfarça bem com a AMORC.
    .
    De Ubaldi, li apenas “A Grande Síntese”. Achei uma porcaria e não quis ler o resto.
    Ubaldi por Ubaldo, prefiro o João Ubaldo, que qualquer dia desses começa a escrever romances psicografados, mesmo nunca tendo sido espírita e sendo bom de português.
    Ubaldi foi mais um que tentou criar mais uma corrente espírita. Foi menos feliz que seu ídolo (não de Ubaldi, seu mesmo, Vlad/merden disfarçado), o Luiz de Mattos. Também era europeu, o Luiz (Portugal).
    .
    .
    NVF, é bom saber. Quando eu tiver dúvidas de gramática, recorrerei a você. Posso?

    Já explorei o Arduin antes, em botânica.

  82. Vladimir Diz:

    No REAA é preciso de fato acreditar em Deus, bem como no da Emulação, no Brasileiro e no de York, mas no Moderno não há essa exigência.

    RC se referia a Racionalismo Cristão?
    Não perco tempo com essas bobagens…rs

    Vladimir

  83. Gorducho Diz:

    Está frio aí, Analista Vladimir? (chovendo nem preciso perguntar, acho…) :D

  84. Marciano Diz:

    Vlad, há muitos juízes e promotores no REEA, mas não todos. Aqui no Brasil todos os que conheci (inclusive na polícia, onde muitos há e por onde já passei também, no início de carreira) são do REAA. Nenhum deles justo e perfeito.
    Se quiser provar que não é o merden disfarçado, fale mal do RC pouquinho.
    Claro que não é obrigado.

  85. Marciano Diz:

    Critique o Luiz de Mattos, só pra eu ter certeza.

  86. Vladimir Diz:

    Não conheço o Racionalismo Cristão para poder critica-lo com propriedade.
    Mas pelo que li aqui:
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Racionalismo_Crist%C3%A3o#Diferen.C3.A7as_doutrin.C3.A1rias
    Me parece apenas uma versão tupiniquim da DE, nada de especial.
    Prefiro a originalidade de Kardec.

  87. Vladimir Diz:

    Ao meu ver em termos de Espiritualismo Brasileiro, prefiro a Umbanda que tem uma riqueza cultural muito maior, isso sem falar nas variações regionais como o Tambor de Mina, Catimbó, Batuque…

  88. Contra o chiquismo Diz:

    VLAD… VC SIMPLESMENTE IGNOROU A MINHA POSTAGEM DIRIGIDA A VC. ACHO QUE NÃO TEM COMO DEFENDER O INDEFENSÁVEL NÃO É MESMO?

    de novo:

    Vlad, Carlos Raposa no galinheiro defende isso:
    “Assim, caso se estude Kardec, entendendo-o de modo contextualizado, certamente ele será visto não como “racista”, mas como mera amostragem do que foi o homem culto europeu do século XIX.”
    *
    *
    *
    Pourra, mas não foram os ‘espiritos superiores’ que ditaram isso a kardec?
    ” “Os negros, pois, como organização física, serão sempre os mesmos; como Espíritos, sem dúvida, são uma raça inferior, quer dizer, primitiva; são verdadeiras crianças às quais pode-se ensinar muita coisa;” (Allan Kardec, “Perfectibilidade da raça negra” Revue Spirite, Abril de 1862)
    *
    *
    Então esses ‘espiritos superiores’ servem pra nada mesmo.
    *
    *
    E eu pedi para VOCÊ Vlad analisar esse texto, não sair pela tangente com uma explicação estapafúrdia dessas.
    Então, pela última vez, analise com o seu pensamento para mim o que acha do texto abaixo:
    *
    *
    *
    ” “Os negros, pois, como organização física, serão sempre os mesmos; como Espíritos, sem dúvida, são uma raça inferior, quer dizer, primitiva; são verdadeiras crianças às quais pode-se ensinar muita coisa;” (Allan Kardec, “Perfectibilidade da raça negra” Revue Spirite, Abril de 1862)”
    *
    *
    E como vc me prova a existência de ‘espiritos’?
    Ad hocs kardecianos-chiquistas não valem, óbvio.

  89. Vladimir Diz:

    Contra disse: VLAD… VC SIMPLESMENTE IGNOROU A MINHA POSTAGEM DIRIGIDA A VC. ACHO QUE NÃO TEM COMO DEFENDER O INDEFENSÁVEL NÃO É MESMO?
    COMENTÁRIO: Já lhe respondi acima.
    Leia novamente os comentários anteriores.

    Vladimir

  90. NVF Diz:

    Marciano, acho que não me expressei bem.
    .
    “NVF, é bom saber. Quando eu tiver dúvidas de gramática, recorrerei a você. Posso?
    Já explorei o Arduin antes, em botânica.”
    .
    Na verdade eu sei falar apenas português, e olhe lá. Meu português é intuitivo, pois não sei nenhuma regra de gramática. Quis dizer que só sei falar português e nenhuma língua mais. E mesmo assim, dentro do português mal sei as regras de gramática.
    .

  91. Contra o chiquismo Diz:

    Respondeu não, vc citou um autor. Responda com suas palavras, não vale dissimular.

  92. NVF Diz:

    Vladimir, se desejar, por favor responda a seguinte pergunta:
    .
    Quem é espírita?
    .
    a) Qualquer pessoa que acredite na existência de espíritos, como o princípio inteligente que sobrevive a morte do corpo carnal, e em sua comunicação com os encarnados;
    .
    b) Apenas aqueles que seguem a obra organizada por Allan Kardec?
    .
    Qual das duas assertivas?

  93. Contra o chiquismo Diz:

    Vlad, diga com suas palavras se vc é racista e pq vc concorda com a afirmação de kardec abaixo:
    *************************************************************
    “Os negros, pois, como organização física, serão sempre os mesmos; como Espíritos, sem dúvida, são uma raça inferior, quer dizer, primitiva; são verdadeiras crianças às quais pode-se ensinar muita coisa;” (Allan Kardec, “Perfectibilidade da raça negra” Revue Spirite, Abril de 1862)”

  94. Marciano Diz:

    NVF, desculpe a brincadeira. Foi porque você disse que “dominava” o português. Em bom português, isso significaria que você é melhor do que o Evanildo Bechara. Nos parênteses ficou claro que você “plus dixit quam voluit”.
    Meu comentário foi apenas “cum animo jocandi”.
    Português, francês, italiano, espanhol, romeno, são praticamente um dialeto do latim. Até o inglês tem cerca de trinta por cento das palavras oriundas do latim.
    Veja no que eu disse acima, por exemplo. “Plus” é usado na língua inglesa, sem qualquer modificação e “jocandi” remete ao inglês “joke”, ao francês “jouer”, ao italiano “giocare”, ao espanhol “jugar”.
    Você deveria estudar latim. Aprenda um pouco de árabe, grego, etc. Vai dar um upgrade no seu português (don’t get me seriously, I’m just joking).
    .
    Tô ficando desassuntado. Vamos voltar ao plágio de Robson Pinheiro?

  95. Marciano Diz:

    O livro de Verger, que serviu de base para a “obra” sub comento, está na minha estante.
    Estou com preguiça de consultá-lo. Vou citar um trecho interessante, que fala sobre EXU ELEGBARÁ.

    .
    “Exu é um orixá ou um ebora de múltiplos e contraditórios aspectos, o que torna difícil defini-lo de maneira coerente. De caráter irascível, ele gosta de suscitar dissensões e disputas, de provocar acidentes e calamidades públicas e privadas. É astucioso, grosseiro, vaidoso, indecente, a tal ponto que os primeiros missionários, assustados com essas características, comparam-no ao diabo, dele fazendo o símbolo de tudo o que é maldade, perversidade, abjeção, ódio, em oposição à bondade, à pureza, à elevação e ao amor de Deus.
    Entretanto, exu possui o seu lado bom e, se ele é tratado com consideração, reage favoravelmente, mostrando-se serviçal e prestativo. Se, pelo contrário, as pessoas se esquecerem de lhe oferecerem sacrifícios e oferendas, podem esperar todas as catástrofes Exu revela-se, talvez, dessa maneira o mais humano dos orixás, nem completamente mau, nem completamente bom”.
    .
    .
    Mais adiante, uma façanha do citado exu:
    .
    “Ele matou um pássaro ontem, com um pedra que somente hoje atirou”.
    .
    .
    .
    O tal do Exu tem uma máquina do tempo, meu objeto de desejo desde a infância.

  96. Marciano Diz:

    O livro de Verger é interessante para que se pesquise o modo de interpretar o mundo do pessoal do candomblé.
    Eu confesso que conheço pouco desses assuntos, apesar disso ouso afirmar que, para mim, a umbanda, com todas as suas variações, é uma fusão do candomblé com o espiritismo kardecista.
    Pelo pouco estudo que tenho de candomblé e de espiritismo kardecista, acredito que se os dois forem batidos durante algum tempo em um mixer, obtém-se umbanda.
    É por aí, Toffo?

  97. Contra o chiquismo Diz:

    E eu a visão de raio X…

  98. Marciano Diz:

    Exu teve numerosas brigas com os outros orixás, nem sempre saindo vencedor. Certas lendas nos contam seus sucessos e seus reveses nas suas relações com Oxalá, ao qual fez passar alguns maus momentos, em vingança por não haver recebido certas oferendas, quando Oxalá foi enviado por Olodumaré, o deus supremo, para criar o mundo. Exu provocou-lhe uma sede tão intensa que Oxalá
    bebeu vinho de palma em excesso, com conseqüências desastrosas, como veremos. Teremos oportunidade, também, de ver como exu foi responsável pelos transtornos de que o mesmo Oxalá foi objeto quando certa vez foi visitar Xangô.
    Por outro lado, em lendas publicadas numa outra obra, narra-se que houve uma disputa entre Exu e o Grande Orixá, para saber qual dos dois era o mais antigo e, em conseqüência, o mais respeitável.
    Oxalá provou sua superioridade durante um combate cheio de peripécias, ao fim do qual ele apoderou-se da cabacinha que encerra o poder de Exu e Obaluaê, foi este último que saiu igualmente vencedor.

  99. Marciano Diz:

    Contra, desde que assisti “Die unsichtbaren Krallen des Dr. Mabuse” acalento o sonho de tornar-me invisível. Nem você, com sua visão de raios X, seria capaz de me ver.
    .
    Von der deutscher wikipedia:
    .
    Die unsichtbaren Krallen des Dr. Mabuse ist ein Kriminalfilm, der im Winter 1961/62 unter der Regie von Harald Reinl in West-Berlin gedreht wurde. Es handelt sich um den dritten Teil der Dr.-Mabuse-Filmreihe aus den 1960er Jahren. Der Drehbuchautor Ladislas Fodor schrieb die Geschichte unter Verwendung der von Norbert Jacques erfundenen Verbrecherfigur nach einer Idee des Filmproduzenten Artur Brauner. Der Schwarzweißfilm wurde am 30. März 1962 im City in Hannover uraufgeführt.

  100. Marciano Diz:

    Quem quiser ver o filme inteiro, aqui vai o link:
    http://www.dailymotion.com/video/x230wp7_die-unsichtbaren-krallen-des-dr-mabuse-1962_shortfilms

  101. Marciano Diz:

    A quem interessar possa, aviso que o filme é em preto e branco, inteiramente falado em alemão, sem legendas.

  102. Contra o chiquismo Diz:

    E se acender um infra vermelho?

  103. Contra o chiquismo Diz:

    Tá salvo nos favoritos pra ver depois.. mas dando uma passada rápida, vê-se no avental do cara escrito “Transas”… aos 59:16 o que será “transas” em german?

  104. Antonio G. - POA Diz:

    Ficou lá prá trás:

    Antonio disse: Na verdade, trata-se de um punhado de dogmas e de uns cinco ou seis livrinhos “essenciais”, entre os escritos por Kardec e Chico Xavier. E é tudo.
    COMENTÁRIO: Pois bem eis a prova de que eram “estudantes relapsos da DE”.
    Antonio, se quiser de fato conhecer o Espiritismo deve estudar os 5 livros da Codificação, os 13 volumes da Revista Espírita, e as Obras Complementares de Kardec.
    Além disso é altamente recomendado estudar todos os livros de Leon Denis, Gabriel Delanne, e Camille Flammarion.
    Em relação ao Chico Xavier, suas obras não são de caráter doutrinário, apenas opiniões pessoais dos Espíritos.
    E se o Sr acha que Espiritismo é algo “simples” de estudar, leia as Obras de Pietro Ubaldi, e venha debater comigo…
    Vladimir

    .
    Breves drops (é o máximo que minha forte prequiça e débil inteligência me permitem):
    - Vladimir, já li e estudei o “pentateuco”, base do kardecismo, inúmeras vezes. Também conheço suficientemente o que mais produziu o Rivail.
    - O kardecismo está extinto no planeta há quase tanto tempo quanto o mamute siberiano e o tigre de dentes de sabre.
    - O que resta do kardecismo é o chiquismo brasileiro, mistura confusa entre o catolicismo de CX, o kardecismo e truques de prestidigitação. Ainda viceja junto à classe média tupiniquim, pelas razões já expostas com maestria pelo Toffo. Neste aspecto, a obra de CX tem papel doutrinário para os adeptos do chiquismo. Só uma meia dúzia de espíritas detratam CX e sua obra.
    - Não desconheço a obra de Denis, Delanne e Flammarion e reitero: Tolices podem ser escritas em linguagem chula ou erudita. E em qualquer idioma.
    - Por isso, eu não costumo debater sobre o pensamento publicado de terceiros. Preferiria discutir sobfre o seu pensamento, e os argumentos que o sustentam. Mas isto não é tarefa fácil, pois você mesmo já admitiu que sua visão é religiosa e que as religiões fundamentam-se em dogmas. Eu tenho dificuldade de contra-argumentar sobre dogmas. É uma discussão impossível de ser vencida.
    - Se você tiver algo a dizer em defesa de sua crença oriundo de sua própria experimentação, seu próprio testemunho ou seu próprio pensar, esteja a vontade para dar-nos a conhecer, e, quem sabe, debater.
    - Há uma diferença fundamental entre nós dois: Eu já fui espírita, por uns 30 anos, e sei o que você sabe e pensa. Você certamente nunca foi ateu, porque, basicamente, ninguém escapa de ter alguma crença incutida em sua mente desde o momento em que passa a ter alguma consciência de si e do mundo. Lá pelos 2 aninhos de vida, geralmente. Não há ex-ateu. Só existem ex-crentes. Ser descrente é, necessariamente, uma evolução da condição de crente. Nunca o contrário.
    .
    Estou atrasado. Preciso encerrar, por ora. Bom dia a todos.

  105. Vladimir Diz:

    Antonio disse: Há uma diferença fundamental entre nós dois: Eu já fui espírita, por uns 30 anos, e sei o que você sabe e pensa.
    COMENTÁRIO: Sabe não moço, saberia se tivesse estudado o Hermetismo sinhô…
    Antonio disse: Você certamente nunca foi ateu
    COMENTARIO: Na minha juventude eu era Ateu sim sinhô, mas dispois discobri que a Siencia não rispondi a todas as nossas preguntas…rs

  106. Gorducho Diz:

    o que será “transas” em german
     
    Parece-me seja o nome da cia. cinematográfica do enredo. A origem da sigla?
    Especulo: Cia. Cinematográfica Transatlântica
    TRANSAtlantiSche
    :mrgreen:

  107. Gorducho Diz:

    Minha juventude foi imersa no espiritismo. Minha avó era apaixonada de forma perfunctória, mais na linha da umbanda. Num terreiro curou-se de grave herpes zoster.
    Mas não frequentava regularmente.
    Era profundamente impressionada pelo Martírio do Suicida, só não sei se era o livro da Yvonne ou aquele outro que não se consegue ler na INTERNET (?)
    Antes de eu nascer chegaram a fazer trabalhos do copo com uma tia minha que era a “médium” e seus amigos adolescentes.
     
    Para mim era completamente natural Jesus, espíritos, reencarnação romântica. Confesso humildemente isso.
    Minha mãe chegou a ser evangelizadora chiquista. Com o tempo aos poucos foi percebendo que era tudo imaginação. No nosso meio não posso falar em fraude: acho que todos eles imaginavam que recebiam mesmo mensagens, davam passes numa luz verde em enorme solenidade…
    Lembro perfeitamente que Divaldo foi fazer palestra num clube na cidade que morávamos. Fui junto e lógico nada captei. De volta, m/mãe extremamente constrangida me comentou que não havia nexo; era um palavrório pseudo-sofisticado sem nexo (claro, que estou relatando com minhas palavras). Isso seria uma horrível blasfêmia se comentado no Centro.
    Aos poucos foi se afastando dando desculpas para não ir… Os espíritas nunca souberam e até hoje continuam meus amigos, agora já alguns netos dos antigos companheiros delas.
    Outro ponto de desilusão foi a política, tão vil e cheia de conchavos quanto em qualquer partido político.
    No fim simpatizava mais com a Igreja Católica. Não deixou de acreditar em Jesus.
     
    Lembro que quando baixava um exú ocorria grande tensão no terreiro. Causava um certo medo…
    Mas não sei qual a exata natureza metafísica deles. Acho que humanos não são, ou seja: não são espíritos espíritas – acho…
    Infelizmente a Africa está contaminada pelos muçulmanos e cristãos, e é difícil a gente se por em comunicação com africanos que conheçam as (sim eu sei que a Africa é enorme e variada…) cosmologias sem contaminações essas externas.

  108. Vladimir Diz:

    Gorducho disse: Mas não sei qual a exata natureza metafísica deles
    COMENTÁRIO: Formas-Pensamento, Egrégoras

  109. Gorducho Diz:

    Sabe não moço, saberia se tivesse estudado o Hermetismo sinhô…
     
    Pois é… o Sr. fica pulando de galho-em-galho. Inicialmente o Sr. propõe debater espiritismo conosco. Quando aceitamos, o Sr. pula p/Hermetismo que nunca foi tema cá.
    No caso de Hermetismo e outras ciências Ocultas aí eu sim caio fora. O Sr. vence por desconhecimento do tema por parte do opositor, pois que o Sítio é dedicado ao espiritismo, não às Ciências Ocultas genericamente.
    Percebe como foge do debate?

  110. Gorducho Diz:

    Então é isso: eu sempre tive a ideia que exús não são seres pertencentes à cosmologia espírita.

  111. Gorducho Diz:

    Cia. Cinematográfica Transportadora Transatlântica (?)
     
    Mas o final de abreviatura …SEBR. detona meus inexistentes conhecimentos de alemão… :(

  112. Gorducho Diz:

    Cia. Cinematográfica Transportadora Transatlântica

  113. Vladimir Diz:

    Gorducho disse: O Sr. vence por desconhecimento do tema por parte do opositor
    COMENTÁRIO: Pois não,
    http://www.mortesubita.org/alta-magia/magia-cerimonial/23-livros-essenciais-sobre-magia

  114. Gorducho Diz:

    Não, Analista Vladimir. Eu gosto mesmo de estudar o espiritismo – evidente que é reflexo do berço…
    E também gosto um pouco de bater boca acerca da metafísica pois acho formalmente bonito, apesar de saber que é bobagem. Gosto de trabalhar retoricamente sobre absurdos, tais como a questão do deus do Spinoza (e onde modéstia á parte descobri a contradição dele).
    Interessante notar que o Kardec tinha uma mente medieval e nunca conseguiu se libertar da magia: as almas deslocam-se pelo pensamento; pelo pensamento modelam seus respectivos corpos éter-aromais, &c.
     
    Kardecismo + chiquismo (implicitamente o espiritismo anglo pois tendo menos dogmas é até mais fácil) eu debato c/o Sr. e com qualquer que se habilite.

  115. Sharp Random Diz:

    Nem precisa ler esse mar de bis in idem prá perceber que vcs estão fora da Universidade e não tem a menor relevância no meio acadêmico. É uma pena. Eu voltei prá academia, voltei ao banco universitário para estudar e para cumprir as exigências e poder publicar no index científico mundialmente aceito.

  116. Sharp Random Diz:

    Curioso. Esse “time ” de comentaristas do site nunca se expande. É sempre a mesma roda de alter-egos do Victor. rs

  117. Vladimir Diz:

    To achando que o Sharp Random é o Scur…

  118. Gorducho Diz:

    Publicar o que: “Ciência Espírita”?
     
    Eu já dei minha contribuição analisando 1 item do artigo que o Sr. retrouxe a lúmen (se bem me lembro trouxera-o já o Sr. Arnaldo Paiva).
    E o Sr. comentou o que? Nossos próprios comentários?

  119. Gorducho Diz:

    Claro que é. É bom, anima.
    Só nesse ponto concordo c/o Kardec: sou contra a eternidade das penas!

  120. Toffo Diz:

    Estruturalmente a doutrina espírita é uma salada de frutas, com muitas delas e sabor de nada.
    .
    A teologia espírita – e aqui abro um parênteses para sustentar que existe, sim, a teologia espírita, teologia entendida, como define o Houaiss, ciência ou estudo que se ocupa de Deus, de sua natureza e seus atributos e de suas relações com o homem e com o universo. A teologia espírita está no início do Livro dos Espíritos, cujas perguntas se ocupam de Deus e sua natureza. Pois bem, a teologia espírita é a mesma teologia dos catecismos católicos que Rivail devia conhecer muito bem, pois era de família católica. Era a teologia tomista, do século 13 – e aí está a mentalidade medieval de Kardec – que considerava Deus a causa primária. Só que o espiritismo é de 600 anos depois, do século 19, e ignorou solenemente todas as análises modernas de Deus, a partir de Descartes. De onde concluo que a teologia espírita é apenas uma fachada, de conveniência, ou de pura e simples ignorância a respeito do pensamento moderno, ou mesmo botada ali porque se precisava falar de Deus e então Kardec botou ali o que sabia do catecismo católico.
    .
    A teologia espírita acaba sendo um entrave ao desenvolvimento da doutrina, porque Kardec depois entra no mundo das ideias inatas, dizendo que elas vêm de encarnações anteriores. Mas ao mesmo tempo defende a teoria das almas criadas simples e ignorantes, que então seriam como a tabula rasa de Locke, que por sua vez nega veementemente as ideias inatas. Ou seja, filosoficamente o espiritismo é um samba do crioulo doido, em que conceitos filosóficos são pinçados aqui e ali e ajeitados para dar a ideia de uma doutrina sólida, mas que no fundo não passa de um amontoado de ideias sem conexão de princípios entre si.
    .
    A explicação para tudo isso não é difícil: acontece que Kardec era pedagogo e professor, mas não era filósofo por formação nem entendia de teologia. Armou a doutrina a partir de conceitos do senso comum, deu-lhe um acabamento caprichado, pois afinal era professor e tinha o dom da didática e poder de síntese, e, voilà, lá veio o espiritismo, posando de ciência e filosofia.
    .
    Outra sorte não resta ao seu livro “religioso”, o “Evangelho segundo o espiritismo”, que ele escreveu todinho de sua cabeça: é certo que não havia, em meados do século 19, o hábito de se publicar a bibliografia consultada para a feitura de uma obra, mas a falta de comentários e citações a outros autores sugere que Kardec não consultou fontes, apenas utilizou o que sabia sobre o assunto. E o que sabia era flagrantemente insuficiente e falho demais para ser uma “imitação do evangelho”, como ele inicialmente intitulou a obra. Ele pinçou aqui e ali trechos dos evangelhos e os interpretou da maneira que achava que era (daí o título mais apropriado para o livro devia ser “O Evangelho segundo Allan Kardec” e não “segundo o espiritismo”), e fechou cada capítulo com algumas “instruções dos espíritos” cuidadosamente selecionadas, que concordassem com aquilo que ele dizia. Kardec faz uma leitura pesher dos textos bíblicos, dando a eles uma interpretação meio forçada, com o propósito de validar biblicamente os princípios morais do espiritismo: sustenta que ressurreição é o mesmo que reencarnação; que as várias moradas do Pai seriam os planetas que abrigariam partes da humanidade; que ‘nascer de novo’ é reencarnar; e muitos outros absurdos que chocam leitores isentos e minimamente familiarizados com a leitura do Novo Testamento. Por fim, Kardec convenientemente suprime a parte escatológica dos evangelhos (o que no meu entender ele deveria enfrentar com a sua “racionalidade”, mas não o fez), interpretando os alegados milagres de Jesus como fenômenos naturais, cujas “leis” se desconhecia.

  121. Toffo Diz:

    Marciano, acredito que o candomblé difere bastante da umbanda, embora tenham a raiz comum das crenças animistas trazidas da África. O candomblé é uma criação dos escravos negros, que traziam de sua cultura os orixás e os adaptaram às condições brasileiras, mas a religião em si é praticada em outros países, como a Venezuela, a Colômbia, o Panamá e mesmo na Europa. Já a umbanda é uma criação urbana, uma filha bastarda do espiritismo, surgida no início do século 20 justamente como uma reação ao preconceito dos espíritas brancos face às comunicações supostamente vindas de espíritos de negros e índios, que os brancos de classe média consideravam “inferiores”. A umbanda seguiu seu caminho incorporando elementos do animismo africano, mas a sua matriz é branca, europeia. Nesse aspecto tenho muitas lembranças de infância de repulsa à umbanda (ou “ubanda”, como meu pai dizia), eu, filho de família espírita de classe média branca que via a umbanda como uma manifestação “inferior” e radicalmente diferente do espiritismo. Ledo engano. A matriz da umbanda é o espiritismo, não tem jeito. Lembro-me dos comentários de pesar dos ‘confrades’ espíritas dos meus pais, quando algum adepto do espiritismo ‘resvalava’ para a umbanda. “Não era um verdadeiro espírita”, diziam, gravemente. Alguém ir para a umbanda gerava reações de luto. Como se tivesse morrido.

  122. Johny Blade Diz:

    Esses autores de livros psicografados são charlatães de grande monta, encontraram um nicho de leitores e fazem fortunas à custa deles. Certa vez li que cada lançamento de livro de Zíbia Gasparetto sempre chega pelo menos a um milhão de cópias vendidas, imagina só o quanto esta senhora já ganhou de dinheiro explorando a credulidade do povo ignaro. Estes autores de livros “psicografados” contam com a ignorância dos leitores nas áreas científicas, históricas, sociológicas. Como eu fui um assíduo leitor deste brilhante estilo literário, que penso, só fica atrás de gênios como Paulo Coelho ( cuidado, deu no NYT que quem não entende sarcasmo é demente) , coloco abaixo uma pequena lista de anacronismos verificados por mim mesmo, sendo que alguns me fizeram parar a leitura do livro imediatamente.
    - No livro O Matuto, que se passa no século XVIII, um certo personagem tenta o suicídio tomando “pílulas para dormir”. Acontece que no século XVIII as pessoas tomavam infusões, poções e outras formas de medicamentos rudimentares, a pílula para dormir, ou mesmo o uso de “pílulas” de modo geral, não acontecia no século XVIII, porque não havia a tecnologia para produzi-las ( a associação de um princípio ativo e um excipiente concentrados em uma drágea ou cápsula), em especial, as drogas tranquilizantes deste tipo tiveram início 100 anos depois, quando Bayer sintetizou os barbitúricos, no final do século XX, sendo os mais populares o fenobarbital e o nembutal.
    -No livro A amante do inquisidor, de Mônica de Castro, editado pela editora de Zíbia, a história se passa no século XVI, na inquisição espanhola, e um dos instrumentos de tortura utilizados é a “donzela de ferro”, pena que Mônica de Castro não saiba que a donzela de ferro nunca foi um instrumento de tortura inquisitorial do século XVI, já que não existe nenhuma anterior a 1793, nunca houve donzela de ferro na inquisição espanhola.
    -No livro “Greta”, outro de Mônica de Castro, há geladeiras no sertão do nordeste dos anos 1930. Não preciso explicar que a geladeira não existia nem nas grandes cidades brasileiras nesta época.
    Tem de tudo nestes livros, gente que dá tiros antes da invenção da pólvora, ferramentas e aparelhos modernos usados por antigos romanos e egípcios, enfim, é uma salada de anacronismos que só pode fazer sentido na cabeça de quem nunca estudou história e ciências em geral, mesmo na sua mais básica estrutura, ou seja, são livros feitos sob encomenda para o leitor brasileiro.
    Eu sinto vergonha alheia pelos espíritas.

  123. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, acho que o Dr Mabuse fez uma pequena participação no Tom & Jerry… olha só:

    https://www.youtube.com/watch?v=ZjWuJ5T0kwc

  124. Johny Blade Diz:

    Correção, Bayer sintetizou os barbitúricos no final do séc XIX e não XX.

  125. Contra o chiquismo Diz:

    J Blade… geladeira no sertão de 1930.. é possível sim. Foi materializada. Os ‘espiritos’ não trouxeram dinheiro pro dr bezerra em troca de aula de Matemática?

    *
    *
    E esse caso?
    *
    *
    “Conta-nos R. A. Ranieri que, numa das primeiras reuniões de materialização, iniciadas em 1948 pelo médium “Peixotinho”, surgiu a figura caridosa de Scheilla. Em Belo Horizonte, marcou-se uma pequena reunião que seria realizada com a finalidade de submeter a tratamento Dona Ló de Barros Soares, esposa de Jair Soares. No silêncio e na escuridão surgiu a figura luminosa de mulher, vestida de tecidos de luz e ostentando duas belas tranças, era Scheilla. Nas mãos trazia um aparelho semelhante a uma pedra verde-claro, ao qual se referiu dizendo tratar-se de um emissor de radioatividade, ainda desconhecido na Terra. Fez aplicações em Dona Ló. Depois de alguns minutos, levantou-se da cadeira e proferiu uma belíssima pregação evangélica com sotaque alemão e voz de mulher.”

    *
    *

    Então… nós é q somos ‘atrasados’ e sem fé..

  126. Phelippe Diz:

    Estou psicografando uma obra neste momento, minha mediunidade está evoluindo, tb tenho vidência, jogo tarô e baralho lenormand (vulgo baralho cigano), caso queiram se consultar favor depositar R$ 250,00 em minha conta, meia hora de atendimento. Aproveitem!

  127. Phelippe Diz:

    Já q o povo acredita em qq coisa vamos tentar sair da lama, kkkkkkk

  128. Contra o chiquismo Diz:

    Quem aí conhece o ‘Hino da irmã scheila’??

    https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=-WUSvSseyWI

  129. Marciano Diz:

    Transas é o nome de fantasia da empresa de transportes marítimos para quem os caras trabalham. É a sigla da empresa, não uma palavra alemã.
    .
    Toffo, obrigado pela resposta.
    Parece-me que você endossa meu ponto de vista, quando diz que a umbanda é filha do espiritismo kardecista. Só falta esclarecer se também pensa que o candomblé tenha influenciado sua criação.
    .
    Contra, tô muito cansado e já é tarde. Amanhã dou uma olhada no Tom e Jerry.
    O Dr. Mabuse é um personagem rico em termos de fantasia e tem tudo a ver com o que se discute aqui.
    Eu gosto de fantasiar assim, lendo ou vendo ficção. Gosto de separar fantasia e realidade.
    Mabuse é filho do expressionismo alemão, mas depois se perdeu.

  130. Gorducho Diz:

    Não preciso explicar que a geladeira não existia nem nas grandes cidades brasileiras nesta época.
    A querosene…; em casa (há expressivas léguas do NE, bien entendu) tinham-nas. Quanto eu nasci já era 1 Leonard + 1 Frigidaire acionadas por fluído elétrico ca.
     
    É a sigla da empresa, não uma palavra alemã.
    E o que poderia significar o final de abreviatura SEBR. (cuja qual a porta tapa quando carregam os cases donde dentro está o presunto na saída do teatro?

  131. Gorducho Diz:

    Sobre o moercado das psicografias, tem esse ótimo artigo
    À sombra dos ectoplasmas em flor na Revista piauí.
    É antigo mas continua mais válido do que nunca.
     
    http://revistapiaui.estadao.com.br/edicao-9/religiao-literatura/a-sombra-dos-ectoplasmas-em-flor

  132. Toffo Diz:

    O filão mediúnico espírita é comparável ao das igrejas evangélicas: $uce$$o total. As pessoas estão cansadas de suas vidas avinagradas e querem uma compensação espiritual, essa é a verdade. Num país com tantas carências como o Brasil, trata-se de um prato cheio para quem tem fome.

  133. Vladimir Diz:

    Esqueceu de mencionar Toffo, que o espiritismo possui diversas obras assistenciais reconhecidas por todas as outras religiões e inclusive pela sociedade civil.
    Diferente de certos Pastores, que só visam o enriquecimento financeiro.

  134. Marciano Diz:

    Gorducho, faz tempo que assisti ao filme. Pretendo assisti-lo novamente em breve. Quando o fizer, se ainda estiver interessado, eu digo do que se trata, antecipando que acredite que seja mais uma sigla.
    Gostei do fato de que você e Contra interessaram-se sobre o personagem. O filme em questão é uma tentativa de retorno às origens, sem a graça do original, mudo, e de seu sucessor, de 1932, 33, por aí, este sonorizado.
    O cinema ainda era incipiente nessa época e o personagem é fantástico em todos os sentidos. Acredito que ele aproveita-se (não na ficção, refiro-me ao criador do personagem) do misticismo latente que todos têm, em qualquer época, misticismo este sequioso de mistérios e de pessoas poderosas.
    Mabuse é um gênio da psiquiatria e ao mesmo tempo um louco perverso, uma espécie de encarnação do mal, mas é daqueles anti-heróis dos quais todo mundo acaba gostando.
    Há alguns anos atrás, foi o caso do personagem Hans Landa, do filme Bastardos Inglórios.
    Drácula (o verdadeiro Vlad, o de Bram Stoker, inspirado no Vlad Tepes ou Vlad Dracul’ya e Frankenstein (a criatura, não o criador, o barão Victor) também despertam empatia.
    Acredito que Mary Shelley apenas teve a ideia, mas quem escreveu a história foi seu marido Percy, tendo ela assumido a autoria com seu consentimento. Ele acabou morrendo afogado e ela nunca mais escreveu algo que prestasse.
    Nosso amigo Doyle criou um personagem (este, do bem) muito interessante, Sherlock, o qual não conseguiu matar, e que foi inspirado, em parte e confessadamente, em Dupin, de Poe e em um professor de Doyle. Sherlock tinha qualidades de raciocínio crítico (apesar da extrema fantasia) muito apreciadas por Doyle, antes que seu filho morresse na guerra e ele, covardemente, abraçasse o espiritismo, dando uma guinada de 180 graus em suas preferências.
    .
    Vou ver o link do Contra agora (Tom e Jerry).

  135. Marciano Diz:

    Mabuse não era invisível, ele criou (no filme citado) uma máquina de invisibilidade, tornando suas garras invisíveis.
    Die unsichtbaren krallen des Dr. Mabuse = As garras invisíveis do Dr. Mabuse.

  136. Gorducho Diz:

    eu digo do que se trata, antecipando que acredite que seja mais uma sigla.
     
    Sim, isso está – até especulei que possa a ser para Transatlântica.
    Mina curiosidade é o que possa ser o fim a meia abreviação que vê-se:
    ?SEBR. TRANSAS
     
    depois consta: EXPEDIÇÃO – ARMAZENAMENTO – TRANSPORTE INTERNACIONAL
     
    Depois vou ver o filme, tem que ser com alto falantes acoplados ao notebook (em particular estou num CCE que é péssimo de teclado – pula, parece atuado por espíritos – e som fraquinho. Mas em 3½ nunca deu o menos problema.

  137. Gorducho Diz:

    Viu já pulou e emitiu a msg!
    Em 3½ anos [...]

  138. Gorducho Diz:

    TRANSPORTE INTERNACIZONAL
     
    acho que refere-se ao tráfego c/a DDR + Berlim pelos pontos-de-cruze que havia…

  139. Marciano Diz:

    Gorducho, estou revendo o filme. Apareceu uma viatura da Greb. Transas. Procurei no dicionário eletrônico de abreviaturas e apareceu a seguinte mensagem: Keine entsprechende Abkürzung gefunden = Nenhuma abreviatura correspondente encontrada.
    Deve ser apenas um nome de fantasia, criado para o roteiro.
    Na viatura aparece Greb. Transas – Transporte e Armazenagem – Spedition und Lagerhaus (mais ou menos 22 min de filme).
    .
    Por sinal, esse filme deixa muito a desejar, principalmente se comparado aos dois anteriores, das décadas de 20 e 30.
    Estou vendo que na década de 60 fizeram vários filmes com o personagem Mabuse. Acredito que os demais sejam do mesmo nível.
    Não têm nada a ver com os dois primeiros, que revi recentemente e que dão um banho nessa tentativa de recriar o personagem.
    .
    Contra, o Dr Mabuse não inventa uma máquina de invisibilidade, ele se apropria da máquina inventada por outro gênio, Erasmus. Este último deve ser um idiot-savant, porque apesar de criar uma máquina de invisibilidade, usa-a para espionar uma atrizinha de oitava categoria.

  140. Gorducho Diz:

    Spedition und Lagerhaus – Interzonenverkehr
    (que acho refere-se ao &c.)
     
    Era o Erasmus então que estava no teatro? Bota falta-de-uso p/uma máquina de invisibilidade :(

  141. Vladimir Diz:

    Em homenagem aos Ateus do Blog…
    https://www.youtube.com/watch?v=0Xsst7YtDKQ

  142. Gorducho Diz:

    IRMÃOS TRANSAS

  143. Marciano Diz:

    Acabo de rever o filme.
    Nesta releitura, vejo que o filme de ’62 é bem infantil. Eu devia estar bêbado quando o vi da primeira vez.
    Fritz Lang deve ter ficado possesso quando viu o que fizeram com seu personagem.

  144. Toffo Diz:

    Vlad, existem várias instituições espíritas de assistência respeitáveis, assim como existem similares de matriz católica e evangélica. Não é o espiritismo que as diferencia das demais, mas sim o desejo sincero de mitigar o sofrimento alheio, que é comum aos membros de todas elas, independentemente da religião.

  145. Toffo Diz:

    E na verdade o alvo a que me referi como $uce$$o é o ramo editorial espírita. Só a FEB vende milhões de exemplares de obras de CX, Kardec e outros todos os anos.
    .
    Sei que a maioria dos líderes e médiuns espíritas não liga para dinheiro, mas a maioria deles liga para outras coisas tão tentadoras quanto: prestígio, fama, notoriedade, e assim por diante.

  146. Marciano Diz:

    Alguém que copia descaradamente livros de outros e diz que é psicógrafo está atrás do quê?
    Os “espíritas”, ultimamente, andam bem esotéricos, como se pode ver do mais novo livro do “médium” comentado, pela bagatela de 59 reais.
    Para quem gosta de esoterismo, histórias bíblicas, ciências ocultas de letras apagadas, é um prato cheio.
    Já leu, Vlad?
    Aqui está cheio de crianças índigo, nefilins, wiccas e marcianos.

  147. Marciano Diz:

    Ainda tem os paranormais, os santos… Mabuse não dá nem pra saída. Não paga placet. Quem gosta de turfe sabe das coisas.

  148. Yacov Kadowski Diz:

    Vitor,
    Acredito ter encontrado plagio em dois livros de “Cabala Pop” publicados no Brasil.
    Tem interesse em analisar?

    Saudações

    Yacov

  149. Vitor Diz:

    E macaco recusa banana? Claro que tenho interesse! Manda aí, por favor!

  150. Yacov Kadowski Diz:

    Só me passa um email de contato para que eu possa te enviar…

    Saudações

    Yacov

  151. Vitor Diz:

    Yacov,

    coloca o mouse em cima do meu nome no fim da página, do lado de “Responsável”, aparecerá meu email.

  152. Yacov Kadowski Diz:

    Encontrei, tá jóia!
    Vou enviar.
    Obrigado

  153. Gorducho Diz:

    Ratet mal: nicht Dr. Mabuse verwendet kabbalistischen Kräfte, um seine Ziele zu erreichen…?

  154. Vitor Diz:

    Yacov,
    ainda não recebi!!

  155. Yacov Kadowski Diz:

    Oi Vitor,
    Na verdade estou cruzando as referências entre os dois livros para “facilitar” o trabalho rs.
    Por enquanto cruzei apenas os temas repetidos, vou só agora indicar as páginas em cada um aí te mando…

  156. Marciano Diz:

    Dr. Mabuse hypnose verwendet, unter anderem, seine Ziele zu erreichen.

  157. Marciano Diz:

    Schaue du “Das Testament des Dr. Mabuse”, 1933, auf Youtube, mit englischen Untertiteln:
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=Pu-G5_Jo-LQ

  158. Phelippe Diz:

    Marciano, ich verstehe deustch nur ein wenige, so, bitte, schreiben Sie auf portuguiesisch. Wenn Sie wollen, schreiben auf holländisch. ich verstehe holländisch besser. GrüBe aus Anvers.

  159. Juliano Diz:

    Cada vez mais me espanta a “cara de pau” deste povo! O cidadão para fins de faturar R$$$ não se furta plagiar obras antigas! E aí eu me pergunto: como é que este povo coloca a cabeça no travesseiro e dorme todas as noites??

  160. Marciano Diz:

    Phelippe, o recado era só para o médium G Grassouillet, que tem o dom de falar em línguas.
    Eu também não sou lá essas coisas em alemão, já no que diz respeito ao holandês, aí não sei nada mesmo. Minha ignorância dessa língua só é superada pelo meu desconhecimento de farsi espelhado.

  161. Marciano Diz:

    Outra coisa, Phelippe, não precisa dessa cerimônia toda para se dirigir a mim (Sie), um “du” está de bom tamanho.

  162. Marciano Diz:

    Phelippe, ik ben bezig met een lange, saaie verhandeling over mediumship, in de stijl van jcff, alleen in het nederlands. Speciaal voor u.

  163. Gorducho Diz:

    Ratet mal: haben nicht Dr. Mabuse verwendet kabbalistischen Kräfte, um seine Ziele zu erreichen…?
     
    Erklärung: …war am Kabbalistischewissenchaften Hausaufgabe zu kann darüber reden…

  164. Gorducho Diz:

    Sr. Administrador: fvr desictalizar a aclaración! Sorry!

  165. Gorducho Diz:

    Mercy!

  166. Gorducho Diz:

    Mercyi!
    :(

  167. Marciano Diz:

    Doktor Mabuse ist kein Wissenschaftler, er ist ein Psychiater, der nutzt hipnosis Verbrechen zu begehen.
    Er hatte anscheinend besitzt übersinnliche Kräfte zu. Er lebt in anderen Menschen denken, nach seinem Tod.
    Das ist warum ich glaube, er hat etwas zu tun mit diesem Blog, Pummelig.

  168. Marciano Diz:

    Montalvão, ich würde gerne Eure Meinung wissen über die psychischen Kräfte des Doktor Mabuse, in Niederländisch, bitte.

  169. Marciano Diz:

    Ich mache nur ein schertz, Spaß, natürlich.

  170. Marciano Diz:

    JAG testar för att se om bloggen gör specialtecken.
    Har någon här talar svenska?

  171. Marciano Diz:

    Det fungerade!

  172. Phelippe Diz:

    Valeu, Marciano. E essa coisa de falar em línguas, sei não, loucura. Caso eu encontre o médium q diz incorporar o dr Fritz vou tentar bater um papo em alemão com ele. Dizem q o tal Fritz morreu durante a 1a guerra e tal. Vou perguntar em qual setor, a qual unidade pertencia, quem era o comandante e nomes de companheiros de jornada. Mas acho que ele não vai responder.

  173. Marciano Diz:

    Oi, Phelippe.
    Aproveite e pergunte a ele sobre táticas de guerra da época, sobre as trincheiras. Pode ser em portugiesische mesmo. Também acho que ele não vai saber responder a nada, só vai ficar com aquele papo piegas de jesus pra cá, FORREST GUMP pra lá, vovozinho, querida mãezinha…

  174. Vitor Diz:

    Oi, Yacov
    vc já enviou? ainda não recebi!

  175. Luana Diz:

    Senhores, boa noite, permitam me intrometer no assunto,também fui espirita durante um bom tempo e acho , sem querer ficar em cima do muro,que todos tem um certo grau de razão,porque nessa vivência dentro do espiritismo e mesmo fora, analisando outras seitas espiritualistas, o que pude constatar é que nem todo fenômeno é autêntico, pode ser que não seja totalmente autêntico e mesmo sendo autêntico nem tudo o que um espírito comunica traduz a verdade, ou muitas vezes pode traduzir a verdade dele, de acordo com o conhecimento dele sobre o assunto. As fraudes existem,as enganções sejam intencionais ou não, e podem partir do medium ou da entidade comunicante também,MAS isso não quer dizer que fenômenos não ocorram, porque eles ocorrem tanto dentro como fora dos centros espíritas e se eles ocorrem, devem ser estudados .Nem sempre esses fenômenos são induções ou influências da doutrina, porque é muito comum que as pessoas procurem um centro espirita para tentar entender o que se passa e muitos desses nunca abriram um livro ou ouviram falar de Kardec .Como explicar crianças que apresentam manifestações desses fenômenos desde pequenos? Hoje, justamente por questionar muitas coisas na doutrina e nos métodos dos CE escolhi me manter afastada, mas não posso ignorar fenômenos que eu mesma presenciei e muitos dos quais eu mesma protagonizei em diferentes épocas da minha vida e para os quais a medicina e a ciência não tiveram explicações.
    Vladimir, quando voce comenta sobre epilepsía lá em cima, gostaria de perguntar se voce já ouviu falar do Dr.Eliezer Mendes. Ele era um médico obstetra, sem nenhuma ligação com espiritismo e que começou a estudar e a pesquisar os casos de epilepsia e fez algumas
    constatações (escreveu alguns livros a esse respeito) de que em muitos casos havia um fenômeno que ele denominou de personalidade intrusa atuando.Muitos pacientes ´diganosticados como epiléticos foram curados pelo método dele, alguns passara a trabalhar com ele depois. Eu tive a chance de conhecê-lo, infelizmente, digo infelizmente, porque foi por um grave problema na familia que entrei em contato com ele.
    Outra coisa que eu gostaria de lhe perguntar, porque me pareceu que voce conhece bem a Kabbalah, a letra AYIN, se voce visse gravada no corpo de alguém,qual o significado que voce daria a isso?(desculpem se estou fugindo um pouco do assunto do tópico, mas é importante pra mim, está no meu “pacote” de fenômenos inexplicáveis ). Grata. Luana (já que aqui tem um Marciano, para não colocar Lunática, escolhi Luana que é mais bonitinho rssss)

  176. Mariana Couto Diz:

    Infelizmente, este suposto médium buscou por este meio a fama e iludir as pessoas para ganhar dinheiro. Ele plagiou obras de outros psicógrafos e seduz as pessoas com a autoajuda fajuta. Creio que uma análise, mesmo sumário, revela isso.

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)