3 Cartas Inacreditáveis que Chico Xavier Psicografou (2015) – Matéria da SUPERINTERESSANTE

Para ler a matéria da Superinteressante, clique aqui.

200 respostas a “3 Cartas Inacreditáveis que Chico Xavier Psicografou (2015) – Matéria da SUPERINTERESSANTE”

  1. Gorducho Diz:

    Deixe-me ver se entendi… deve ser a falta de cerveja pois que já são 18:37…
    CX nada sabia nem tinha como obter informações durante 1 ano via recursos da crosta sobre falecido infante cujo avô presidira a casa espírita fundada por ele, CX, em Pedro Leopoldo?

  2. Vitor Diz:

    Essa matéria tem vários problemas, especialmente ao citar o Rômulo Joviano… verei como vai repercutir para saber se vai valer a pena fazer alguma refutação. Mas é difícil, porque faltam dados na reportagem, como qual a garantia que a jornalista tem de que Chico não teve mesmo acesso às informações?

  3. Gorducho Diz:

    Informações que Chico desconhecia
    A. O apelido do pequeno Rangel era Tetéo.
    B. Vô Lico era como Tetéo chamava o seu avô materno, Manoel Diniz, morto em 1979, que presidiu o Centro Espírita Luiz Gonzaga, fundado por Chico, em Pedro Leopoldo.
    :shock:
    Parei aí…
     
    Paro também de lhe obtemperar p/liberá-lo p/seu retiro fimdesemanal. Bom descanso e diversão.
    Mas, Super Interessante nós não merecemos, por mais sacanagens que lhe aprontemos :(

  4. Senhor dos Anéis Diz:

    Do contrário que a jornalista afirma, a assinatura do suposto espírito Arthur Joviano NÃO confere com a original. Detalhes podem ser observados, sobretudo na forma como o “J” de Joviano está escrito, assim como as três últimas letras do sobrenome. O “A” de Arthur tenta imitar a grafia original, mas observando com maior atenção, não passa de imitação. E a curvatura do final da assinatura é bem diferente. Não há como dizer que se trata da assinatura de Arthur, mesmo quando admitimos que uma mesma assinatura pessoal pode ter pequenas variações.

  5. Marciano Diz:

    Superdesinteressante.
    Vamos ver se dá em algo.

  6. Borges Diz:

    A palavra (“inacreditáveis”) constante no título não espelha a realidade dos fatos relatados na reportagem.
    No caso de “menino que se despediu da família”, fica obvio que o intervalo de um ano é mais do que suficiente para a obtenção de todas aquelas informações, tendo em vista que a família era ligada ao centro espírita.
    Chamou-me a atenção o trecho 2:
    “Eu estou vivo e vou crescer. Estou aprendendo a escrever só para dizer ao seu carinho e ao carinho da mamãe Célia quenão morri (E).”
    Comentário:- Acho que uma criança de quatro anos não teria a preocupação de dizer estas coisas, mesmo porque, o filho estava vendo a mãe e a abraçava a todo instante. Esta mensagem poderia ter sido induzida pelo avô, porém, como ele estava na erraticidade há mais tempo (não há a data de morte do garoto Rangel), e como era espírita, já estava acostumado com esta ideia, não tinha necessidade de expô-la.
    Obrigado

  7. Borges Diz:

    Caso do professor influente:- O Sr. Arthur Joviano faleceu em 1934, e esta mensagem foi recebida em 1941. É tempo mais do que suficiente para garimpar dados, até para fazer uma biografia, sem que seus parentes fiquem sabendo, mesmo porque era um personagem conhecido. Como CX era subordinado do filho ficava fácil obter informações que permeavam o meio familiar. Para uma mente observadora, qualquer palavra rende uma informação.
    Gostaria de destacar o trecho 1 da mensagem:
    “Meus caros filhos e queridos netos, seja a paz de Deus a alegria de vocês todos.Na visita afetuosa de sempre, renovo-lhes minha dedicação de cada dia. Durante quase todo o dia em que se comemorou seu aniversário, minha bondosa Maria (A), estive ao seu lado com os votos paternais de muito amor, pedindo a Deus por sua saúde e tranquilidade. À noite, sua e nossa amiga Helena (B) trouxe muitas flores. Você não as viu, mas recebeu-lhes o perfume no coração.”
    Comentário:- É possível notar que a autoria desta mensagem está mais próxima de CX do que de um educador altamente especializado. As características da redação permite lembrar outros trabalhos do médium.
    Obrigado

  8. Gorducho Diz:

    As características da redação permite lembrar outros trabalhos do médium de CX.
     
    Médiuns não existem ABo; tirante isso, sua análise está impecável.
    Nossa(o) é típica: em quase todas cartinhas tem p/identificar algum conhecido cuja ligação c/o falecido CX jamais poderia ficar sabendo por meios terrícolas.

  9. Borges Diz:

    Voltando ao caso do professor influente, gostaria de dizer que as assinaturas à primeira vista parecem semelhantes, porém, se observarmos os detalhes existem muitas diferenças. É evidente que a qualidade da reprodução não nos permite verificar as diferenças de pressão exercida sobre o papel, porém, podemos destacar diversos problemas. A assinatura aparentemente se inicia no “J” de Joviano e progride até o fim, quando é feito um retorno para fazer a letra “A”. No documento as letras “A” e “J” estão afastadas, ao passo que na carta de CX, estão juntas. No documento o “J” é bem maior que o “A” e na carta são quase do mesmo tamanho. O “J” do documento é bem diferente do “J” da carta de CX. Os traços de retornos também são diferentes. É importante notar que a escrita da carta do CX parece ser mais fluente que a do documento. Se houve falsificação ele treinou bastante.
    Na minha época de bancário, assinaturas com esses problemas, me obrigavam a ligar para o cliente emitente do cheque, para tirar eventuais dúvidas.
    Obrigado

  10. Borges Diz:

    Caso do filho que não quis partir:-
    O falecimento de William ocorreu em Setembro de 1941, um ano antes do recebimento da mensagem que estamos analisando. Como outras mensagens foram recebidas neste intervalo é possível concluir que o CX teve oportunidade de garimpar as informações que constam na referida mensagem.
    Gostaria de destacar o trecho 1 da carta:

    “Querida mamãe, peço ao seu bom coração me abençoe e, por minha vez, rogo a Deus que nos ajude a vencer suas lutas de sempre. Sua alma sensível continua atravessando o perigoso mar das provas e prossigo ao seu lado, somando, quando lhe faltam, forças no leme para a condução do barco, sei como lhe dói a tempestade dos últimos dias. Para o espírito materno, as nuvens do horizonte dos filhos são sempre mais pesadas e mais tristes. Multiplicam-se as dores, os receios, as aflições (A).”
    Comentário:- Este trecho reflete mais a alma poética de CX, do que o pensamento de um jovem de 17 anos. Só faltaram as rimas.
    Obrigado

  11. Gorducho Diz:

    Considerando que o chefe de CX era filho do espírito comunicante, a discussão sobre a assinatura me parece irrelevante – c/todo respeito aos Srs. debatedores -; visto que provavelmente havia muitos escritos deste assinados ou digamos rubricados, acessíveis.
    Ainda mais que RJ não era um chefe no estrito senso comum organizacional, senão que se relacionava pessoalmente c/o funcionário. Se bem me lembro até séances ocorriam na casa dele (Romulo).

  12. Gorducho Diz:

    Este trecho reflete mais a alma poética de CX, do que o pensamento de um jovem de 17 anos.
     
    É que em 1941 os jovens recitavam poesias e faziam serenatas p/suas amadas, ABo.
    Não é como agora onde os espíritos índigo provenientes de Alcione amanhecem encostados nos pontos H24 tomando cerveja ou correndo de automóvel ou motociclos.

  13. Gorducho Diz:

    Se não me engano a SUPERINTERESSANTE já andou incorrendo na ira dos chiquistas. Agora talvez tenham querido recuperar uns pontos c/este segmento, e caíram no ridículo.

  14. Espírita Sp Orlando Diz:

    A cada dia que passa fica provada a autenticidade de psicografias de Chico. Onde ele ia arrumar essas informações? A não ser que ele tivesse dúzias de mexeriqueiros em seu centro e nos arredores de uberaba.
    E sobre a assinatura eu mesmo já assinei a minha com leves diferenças.
    As assinaturas da reportagem tem leves diferenças a nivel de traçado, não há nenhum nome a mais ou a menos,letra suprimida ou adicionada.
    Chico garimpar mensagens? Kkk só ele fosse um futriqueiro de primeira.
    Um jovem de 17anos com certeza ja aprendeu a fazer poesias.
    GORDUCHO mediuns não existem? Nenhunzinho? Olha..

  15. Gorducho Diz:

    Desculpe! Falei no presente e esqueci o Sr.!
     
    Existiu Ms Piper.
    Existe o Sr.
     
    Acaso já psicografou Dr. Bezerra?

  16. Contra o chiquismo Diz:

    De novo Borges:
    .
    .
    Aonde que ele era ‘medium’?
    Como se nem sequer ‘espiritos’ existem?

  17. Marciano Diz:

    Certo, CONTRA. Medium é o meio (de comunicação) entre os mortos e os vivos. Só que os mortos morreram, não existem mais, não pensam mais, não têm mais consciência, portanto, as comunicações provêm dos muito “vivos” mediuns.
    Pueris etiam perspicuum, como eu disse mais acima.
    É por isto que as comunicações têm, todas, o mesmo estilo corny, beletrista, kitsch, brega, piegas, melífluo, superadjetivado, religioso, ridículo, extravagante, chato, insuportável, maçante, entediante, asqueroso, revoltante, zombeteiro, sardônico, no qual só as mãezinhas desesperadas pela perda do filhinho o mais das vezes maconheiro podem crer, além, claro, dos aproveitadores de plantão e dos ingênuos, que almejam continuar a viver depois que voltarem à inexistência, em vez de acostumarem-se à lama que os espera, tomarem um fósforo, acenderem um cigarro e escarrarem nessa boca que os beija, como acaba de me induzir a escrever o querido Augusto, que agora mora com os Anjos.

  18. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Espírita Sp Orlando Diz:
    A cada dia que passa fica provada a autenticidade de psicografias de Chico. Onde ele ia arrumar essas informações? A não ser que ele tivesse dúzias de mexeriqueiros em seu centro e nos arredores de uberaba.
    E sobre a assinatura eu mesmo já assinei a minha com leves diferenças.
    As assinaturas da reportagem tem leves diferenças a nivel de traçado, não há nenhum nome a mais ou a menos,letra suprimida ou adicionada.
    Chico garimpar mensagens? Kkk só ele fosse um futriqueiro de primeira.
    Um jovem de 17anos com certeza ja aprendeu a fazer poesias. [ó] GORDUCHO mediuns não existem? Nenhunzinho? Olha…
    /.
    POMDERAÇÃO: dileto psíritasamporlando, este é o tipo de prova que reputo “prova pra quem não precisa de prova”: tudo tá nela e, digo mais, funciona! Basta agregar algumas questões aparentemente irrespondíveis (só respondível se se considera a presença de mortos em comunicação), tipo: “como é que chico iria achar sozinho essas informações?”. Visto ser indagação de difícil respondimento, para o crente, não resta dúvida: o médium efetivamente hablava com muertos.
    .
    Mas aí desce dos céus o fantasma de S. GPoa e retumba: “nunca é bem assiiiiiimmm”…
    .
    Quando se descreve o quadro direitinho para favorecer a crença de que falecidos voltem para levar leros com vivos, tudo dá certo, mas ante a inquirição: “e se não tiver sido exatamente como se conta? E se houver aspectos que fazem parte do contexto e foram, táticamente, deixados na sombra?
    .
    Aí, o crente retruca: “de modo algum! Acha que Chico, que deu tudo o que ganhou para os outros, que abriu mão de direitos autorais que lhe renderiam fortuna, iria se prestar a um papel desses?”. Assim, diante de tão científica assertiva não fica dúvida na cabeça de ninguém: Xavier falava com mortos!
    .
    Vê como é fácil provar a mediunidade?
    .
    Será que os espíritos de Xavier aceitariam uns testezinhos objetivos? Só pra eliminar quaisquer resquícios de dúvidas… será? Vê se consegue ao menos unzinho assim disposto…

  19. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Como se nem sequer ‘espiritos’ existem?”
    /.
    PONDERAÇÃO: Contra, não dê munição ao exército invasor: não se pode afirmar/garantir a existência ou inexistência de espíritos. Provar o negativo, embora possível nalgumas circunstâncias, normalmente é impraticável.
    .
    O que devemos postular, sem medo de ser feliz, é que espíritos, mesmo que existam, não comunicam. Isto porque a comunicação pode ser aferida e conferida, apesar de os crentes evitarem entrar nessa seara por todos os meios possíveis…

  20. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Ó Psiritasamporlando, que tal conferir a presença de Jair Presente, o espírito que tão ricamente fez contato com Chico, que começou “normal” (que dizer, do mesmo modo xaroposo que os mortos de Chico escreviam) e depois desandou a falar em gíria (isso por que alguém cobrou o estilo real do morto em vida) e depois disse que voltaria ao original, porque no além não se deve redigir daquele modo, mas que continuou girioso até o final dos contatos?
    .
    Além disso, Jair teve despertado talentos que na Terra não ostentou, eis que enviou para Chico vários poemas que lucubrara na sua nova morada.
    .
    Então, você que médium é, faça contato com Nosso Lar (pois deve ser lá que Jair está) e o chame para dar prova de presença. Jair deve ser fácil de ser acionado, visto que com Chico foi tão generoso em fazer-se presente.
    .
    Já que estamos falando de talentos, você que tem intimidade com os mortos, esclareça-nos: por que Chico só recebia recados de poetas, escritores, além, é claro, de gente do povão? As incursões do médium pela ciência foram tragédias: apenas repetia o saber disponível ou inventava barbaridades.
    .
    Agora me diga: por que nenhum filósofo, antigo ou moderno, retornou para deixar mensagem filosófica? Tipo resolver questões que ficaram em aberto? Por que nenhum músico, enquanto comunicava, não tomou do violão de entoou sua canção predileta, sob acompanhamento harmonioso? Ou mesmo enviou composições inéditas que preparara nos momentos de ócio em NL?
    .
    Por que os defuntos de Chico mandavam crônicas, romances, contos, poemas, e não remeteu uma pauta musical?
    .
    Não seria pelo fato de os “mortos” comunicantes estarem adstritos às habilidades do médium? Como ele tinha facilidade com poesia, então poetas falavam e despachavam poemas, mas não aparecia um músico, nem mesmo amador.
    .
    Ora, dentre os milhares de recados de gente comum e famosa que Chico psicografou havia vários que tinham habilidades musicais, seja para compor, seja para executar instrumento. Entretanto, nunca, nunquinha um deles se valeu dos dedos do médium sequer para tocar cai-cai balão…
    .
    Estranho, não?

  21. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “As assinaturas da reportagem tem leves diferenças a nivel de traçado”
    /.
    PONDERAÇÃO: Ao ler, a dúvida acossou-me: se existe “”a” nível de traçado” então deve haver outros níveis, e quais seriam? Pensei muito e não descobri…
    .
    Por favor, descreva a escala da qual o nível de traçado faz parte e a posição que ele nela ocupa

  22. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Quanto à reportagem, banalidade pura, nada acrescenta, nem o assunto é inédito: vários livros falam de informações que Chico grafou em psicografias e, garantem os crentes, não sabia. Consultem “Jovens no Além”, “Novamente em Casa”, e outros, todos contém alegações de que a psicografia prolatou informes impossíveis de serem conhecidos pelo médium.
    .
    Pelo visto o pisiritasamporlando não conhece essas obras, vez que se mostrou empolgadéssimo com a reportagem da superinteressante…

  23. Bagel Diz:

    Sr. Borges

    Um comentário aos seus comentários.
    Na mediunidade não é um espírito que expõe suas ideias e um médium que as copia fielmente. A mediunidade é uma intenção de um lado e uma interpretação do outro. Pelo menos é dessa forma que o Espiritismo entende o processo mediúnico. Não examine, portanto, as cartas de Chico Xavier pelo estilo, maneirismos, cadência do texto, etc. Isso, sabemos, é uma característica dele. Outros médiuns também possuem um estilo que os identificam independentemente do espirito que assina a mensagem.
    Os pontos fundamentais na análise dos textos da Superinteressante (especialmente no que diz respeito aos objetivos do blog) são aqueles que podem ser efetivamente verificados. Eles tratam de personagens (e grau de parentesco) conhecidos pela família e fatos específicos ao grupo como alguém que não gosta de ler (caso 1), outro que possui algum tipo de problema no rosto (caso 2), um caderno perdido (caso 3). Esses são os elementos de análise.
    A primeira hipótese, e a mais elementar, é que Chico Xavier obteve essas informações utilizando uma rede de informantes. É possível? Sim, é possível. De fato isso ocorreu? Aqui é uma outra história. Até onde se sabe não houve tal “rede de informantes” e, caso houvesse, é improvável que ao longo de vários anos psicografando cartas uma rede estruturada para coleta de informações em larga escala não houvesse sido desmascarada. Honestamente, acho que é necessário examinar outras hipóteses. A dificuldade a partir desse ponto é que nem o Chico Xavier e nem os familiares estavam preocupados em provar nada quanto à comunicabilidade dos espíritos. Um lado procurava consolar e o outro ser consolado; eis tudo. Várias opções aparecem a partir desse ponto e cada um é livre para conjecturar como explicar os elementos de comprovação das cartas de Chico Xavier.

  24. Gorducho Diz:

    O J é completamente diferente, sendo o restante da palavra escrita em cursivo algo convencional. A característica é que imagino o A seja feito retrospectivamente após o fim do Joviano – parecendo-me fácil de imitar, porém o traço de retorno é completamente diferente.
    Ocorre que CX não era apenas funcionário, senão que privava da amizade do chefe que casualmente era o filho do espírito. Então em tese haveria muitas oportunidades p/acesso a assinaturas do falecido.
    E as “informações desconhecidas” são patéticas.
     
    Analista Montalvão: não houve um caso em que a SUPER incorreu na ira dos chiquistas?
    Estou certo ou enganado acerca disso?

  25. Gorducho Diz:

    Pra mim o momento culminante do CX foi o rosas sem espinhos que ele põe na boca tanto dum menino de 10 anos se bem me lembro, quanto na dum jovem porém já adulto se bem me lembro programador de computadores.
    E aí nem dá pra alegar que eram os aos ’40 e anteriores, quando os jovens, na falta de automóveis, cerveja e motociclos, se dedicavam à poesia…

  26. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Analista Montalvão: não houve um caso em que a SUPER incorreu na ira dos chiquistas?
    Estou certo ou enganado acerca disso?
    ./
    PONDERAÇÃO: está certo: foi na edição nº 277, abril de 2010. Se quiser a reportagem tenho-a…

  27. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Tem outra também, de outubro de 2011, sob o título “Ciência Espírita”.

  28. Marciano Diz:

    Antecipo-me ao Mestre MONTALVÃO e repondo a GORDUCHO:
    A edição que despertou a ira dos crentes foi:
    http://super.abril.com.br/historia/uma-investigacao-chico-xavier
    Edição277
    Abril de 2010
    Matéria de capa.
    Reação:
    http://espiritualidadeciencia.blogspot.com.br/2010/04/revista-superinteressante-denigre-chico.html
    Revista SUPERINTERESSANTE denigre Chico Xavier e recebe resposta de Richard Simonetti.
    Nas bancas, a revista SUPERINTERESSANTE com a reportagem de capa:

    Superinteressante ed. 277

    abril/2010

    Chico Xavier – Uma investigação

    Quem foi o homem que fez milhões de brasileiros acreditar em espíritos?

    O grifo é nosso… Tendenciosa a manchete? Imagine o conteúdo…

    Mas não percamos tempo em ler a matéria. Melhor que isto é a carta que Richard Simonetti encaminhou à redação, de cujo teor se deduz o material tendencioso e chulo da revista da Abril Cultural.

    Para quem não sabe, Richard Simonetti é autor de mais de 40 livros espíritas de elevada qualidade, coerência doutrinária e confiabilidade.

    Senhor Sérgio Gwercman

    Diretor de redação da revista Super Interessante

    Sou assinante dessa revista há muitos anos. Sempre a encarei como publicação séria, fonte de informações a oferecer subsídios para meu trabalho como escritor espírita, autor de 49 livros publicados.

    Essa concepção caiu por terra ao ler, na edição de abril, infeliz reportagem sobre Francisco Cândido Xavier, pretensiosa e tendenciosa, objetivando, nas entrelinhas, denegrir e desvalorizar o trabalho do grande médium.

    Isso pode ser constatado já na seção “Escuta”, com sua assinatura, em que V.S. pretende distinguir respeito de reverência, como se reverência não fosse o respeito profundo por alguém, em face de seus méritos.

    Podemos e devemos reverenciar Chico Xavier, não por adesão de uma fé cega, mas pela constatação racional, lúcida, lógica, de que estamos diante de uma personalidade ímpar, que fez mais pelo bem da Humanidade do que mil edições de Superinteressante, uma revista situada como defensora do bom jornalismo, mas que fez aqui o que de pior existe na mídia – a apreciação superficial e tendenciosa a respeito de alguém ou de uma notícia, com todo respeito, como pretende seu editorial, como se fosse possível conciliar o certo com o errado, o boato com a realidade, o achincalhe com o respeito.

    Para reflexão da repórter Gisela Blanco e redatores dessa revista que em momento algum aprofundaram o assunto e nem mesmo se deram ao trabalho de ler os principais livros psicografados pelo médium, sempre com abordagem superficial, pretendendo “explicar” o fenômeno Chico Xavier, aqui vão alguns aspectos para sua reflexão e – quem sabe? – um cuidado maior em futuras reportagens.

    De onde a repórter tirou essa bobagem de que “toda essa história começou com as cartas dos mortos?”

    Se as eliminarmos em nada se perderá a grandeza de Chico Xavier. A história começa bem antes disso, com a publicação, em 1932, do livro Parnaso de Além-Túmulo, quando o médium tinha apenas 22 anos.

    A reportagem diz: “Ele dizia que não escolhia os espíritos a quem atenderia, só via fantasmas e ouvia vozes. Mas parecia ser o escolhido por celebridades do céu. Cruz e Souza, Olavo Bilac, Augusto dos Anjos e Castro Alves lhe ditaram versos e prosa.”

    Afirmativa maliciosa, sugerindo o pastiche, a técnica de copiar estilo literário. O repórter não se deu ao trabalho de observar que no próprio Parnaso há, nas edições atuais, 58 poetas desencarnados, menos conhecidos e até desconhecidos, como José Duro, Alfredo Nora, Alma Eros, Amadeu, B.Lopes, Batista Cepelos, Luiz Pistarini, Valado Rosa… Poetas do Brasil e de Portugal que se identificam pelo seu estilo, em poesias personalíssimas enriquecidas por valores de espiritualidade.

    Não sabe ou preferiu omitir a repórter que Chico psicografou poesias de centenas de poetas desencarnados, ao longo de seus 75 anos de apostolado, na maior parte poetas provincianos, conhecidos apenas nas cidades onde residiam no interior do Brasil. Pesquisadores constatam que esses poemas não são “razoavelmente fiéis ao estilo dos autores”. São totalmente fiéis.

    Não tem a mínima noção de que a técnica do pastiche, a imitação de estilo literário, é extremamente difícil, quase impossível. Pastichadores conseguem imitar uma página, uma poesia de alguém, jamais toda uma obra ou as obras de centenas de autores.

    Afirma que Chico foi autodidata e leitor voraz durante toda a vida, sempre insinuando o pastiche. Leitor voraz? Passava os dias lendo? Só quem não conhece sua biografia pode falar uma bobagem dessa natureza, já que Chico passava a maior parte de seu tempo atendendo pessoas, psicografando, participando de reuniões e atendendo à atividade profissional. Não conheço um único documentário, uma única foto mostrando Chico lendo “vorazmente”. Ah! Sim! Para a repórter Chico certamente escondia isso.

    Fala também que Chico teria 500 livros em sua biblioteca e que “a lista inclui volumes de autores cujo espírito o teria procurado para escrever suas obras póstumas, como Castro Alves e Humberto de Campos”.

    E as centenas de poetas e escritores que se manifestaram por seu intermédio. Chico tinha livros deles? E de poetas que sequer publicaram livros?

    Quanto a Humberto de Campos, cuja família tentou receber na justiça os direitos autorais pelas obras psicografadas por Chico, o que seria ótimo acontecer, o reconhecimento oficial da manifestação dos Espíritos, esqueceu-se a repórter de informar que Agripino Grieco, o mais famoso crítico literário de seu tempo, recebeu uma mensagem do escritor, de quem era amigo. Reconheceu que o estilo era autenticamente de Humberto de Campos, mas que o fato para ele não tinha explicação, já que, como católico praticante, não admitia a possibilidade de manifestação dos espíritos.

    Esqueceu ou ignora que Chico, médium psicógrafo mecânico, recebia duas mensagens simultaneamente, com ambas as mãos sendo usadas por dois espíritos. Desafio Superinteressante a encontrar um prestidigitador capaz de fazer algo semelhante.

    Uma pérola de ignorância jornalística está na referência sobre materialização de Espíritos: “seria necessário produzir um total de energia duas vezes maior do que é hoje produzido pela hidroelétrica de Itaipu por ano, segundo os cálculos feitos por especialistas exibidos por reportagens sobre Chico nos anos 70.” Seria superinteressante a repórter ler sobre as pesquisas de Alfred Russel Wallace, Oliver Joseph Lodge, Lord Rayleigh, William James, William Crookes, Ernesto Bozzano, Cesare Lombroso, Alexej Akzacof e muitos outros cientistas respeitáveis que estudaram o fenômeno da materialização e o admitiram. Leia, também, sobre quem eram esses cientistas, para constatar que não agiam levianamente como está na revista.

    A repórter reporta-se às reuniões mediúnicas das quais Chico participava como shows que o tornaram famoso e destila seu veneno. Cita o sobrinho de Chico que, dizendo-se médium, confessou que era tudo de sua cabeça, o mesmo acontecendo com o tio. Por que passar essa informação falsa, se o próprio sobrinho de Chico, notoriamente perturbado e alcoólatra, pediu desculpas pela sua mentira? Joga penas ao vento e espera que o leitor as recolha? Omitiu também a informação de que ele confessou que pessoas interessadas em denegrir o médium pagaram-lhe pela acusação.

    Eram frequentes nas reuniões a ocorrência de fenômenos como a aspersão de perfumes no ambiente, algo que, deveria saber a repórter, costuma ocorrer com os médiuns de efeitos físicos. No entanto, recusando-se a colher informações mais detalhadas sobre o assunto, limitou-se a dizer que em 1971 um repórter da revista Realidade, José Hamilton Ribeiro, denunciou que viu um dos assessores de Chico Xavier levantar o paletó discretamente e borrifar perfume no ar. Sugere que havia mistificação, aliás, uma tônica na reportagem. Por que não foram consultadas outras pessoas, inclusive centenas que tiveram seus lenços inexplicavelmente encharcados de perfume ou a água que levavam para magnetizar, a exalar também um olor suave e desconhecido que perdurava por muitos dias?

    Na questão das cartas, milhares e milhares de cartas de Espíritos que se comunicavam com os familiares, sugere a repórter que assessores de Chico conversavam com as pessoas, anotando informações para dar-lhes autenticidade. Lamentável mentira. E ainda que isso acontecesse, Chico precisaria ser um prodígio para ler rapidamente as informações e inseri-las no contexto de cada mensagem, de cada espírito, mistificando sempre.

    E as mensagens dirigidas a pessoas ausentes? E os recados aos presentes? Não eram só mensagens. Eram incontáveis recados. A pessoa aproximava-se de Chico e ele, sem conhecer nada de sua vida, transmitia recados de familiares desencarnados, na condição de um ser interexistente, que vivia simultaneamente a vida física e a espiritual, em contato permanente com os Espíritos.

    Lembro o caso de um homem inconformado com a morte de um filho. Ia toda noite deitar-se na sepultura do rapaz, querendo “ficar com ele”. Não contava a ninguém, nem mesmo aos familiares. Em Uberaba recebeu mensagem do filho pedindo-lhe que não fizesse isso, porquanto ele não estava lá.

    Durante muitos anos Chico psicografou receituário mediúnico de homeopatia. Perto de 700 receitas numa noite. Ficava horas psicografando. E os medicamentos correspondiam à natureza do mal dos pacientes, sem que o médium deles tivesse o mínimo conhecimento. Na década de 70 tive uma uveíte no olho esquerdo. Compareci à reunião de receituário. Escrevi meu nome e idade numa folha de papel. Não conversei com ninguém. Após a reunião recebi a indicação de dois medicamentos. Tornando a Bauru, onde resido, verifiquei num livro de homeopatia que o dois medicamentos diziam respeito ao meu mal. Curaram-me.

    Concebesse a repórter que, como dizia Shakespeare, há mais coisas entre a Terra e o Céu do que concebe nossa vã sabedoria, e não se atreveria a escrever sobre assuntos que desconhece, com o atrevimento da ignorância.

    Outras “pérolas” da reportagem:

    Oferece “explicações” lamentáveis para o fenômeno Chico Xavier.

    Psicose, confundindo mediunidade com anormalidade.

    Epilepsia, descarga elétrica que “poderia causar alheamento, sensação de ausência, automatismo psicomotor”, segundo a opinião de um médico. Descreve algo inerente ao processo mediúnico, que não tem nada a ver com desajuste mental, ou imagina-se que o contato com o Espírito comunicante não imponha uma alteração nos circuitos cerebrais, até para que ocorra a manifestação? E porventura o médico consultado sabe de algum paciente que produza textos mediúnicos durante a crise epilética?

    Criptomnésia, memórias falsas, lembranças escondidas no subconsciente do médium, ao ouvir informações sobre o morto.

    Inconscientemente ele “arranjaria” essas informações para forjar a “manifestação”.

    Telepatia. Aqui o médium captaria informações da cabeça dos consulentes e as fantasiaria como manifestação do morto. Como dizia Carlos Imbassahy, grande escritor espírita, inconsciente velhaco, porquanto sempre sugere que é um morto quem se manifesta, não ele próprio.

    Informa a repórter que “acuado pelas críticas na Pedro Leopoldo de 15 mil habitantes, Chico resolveu fazer as malas e partir para Uberaba, um polo do Espiritismo onde contaria com um apoio de amigos”.

    Mentira. Ele deixou Pedro Leopoldo, onde tinha muitos amigos, não por estar “acuado”, mas simplesmente seguindo uma orientação do Mundo Espiritual, em face de tarefas que desenvolveria em Uberaba que, então sim, com sua presença transformou- se em “polo do Espiritismo”.

    Na famoso pinga-fogo a que Chico compareceu, em 1971, na TV Tupi, um marco na história das entrevistas televisivas, com uma quase totalidade de audiência, diz a repórter que Chico foi “bombardeado por perguntas. Mas se safou.” Bombardeado? Safou-se? O que foi essa entrevista, um libelo acusatório contra um mistificador? Se a repórter se desse ao trabalho de ver a entrevista toda, o que lhe faria muito bem, verificaria que o clima foi de cordialidade, de elevada espiritualidade, e que em nenhum momento os entrevistadores “bombardearam” Chico. E em nenhum momento ele deixou de responder as perguntas com a sobriedade e lisura de quem não está ali para safar-se, mas para ensinar algo de Espiritismo.

    Falando da indústria (?) Chico Xavier, há um box sobre “Dieta do Chico Xavier”, que jamais seria veiculada por Chico. Usaram seu nome. Por que incluí-la nas inverdades sobre o médium, simplesmente para denegrir sua imagem, aqui sugerindo que seria ingênuo a ponto de conceber semelhante bobagem? Se eu divulgar via internet que Superinteressante recomenda o uso de cocô de galinha para deter a queda de cabelos, seria razoável que alguma revista concorrente citasse essa tolice, mencionando a suposta autoria, sem verificação prévia?

    Falando dos 200 livros biográficos sobre Chico Xavier, a repórter escreve: “Tem até um de piadas, Rindo e Refletindo com Chico Xavier”. Certamente não leu o livro, porquanto não conhece nem o autor, eu mesmo, Richard Simonetti, nem sabe que não se trata de um livro de piadas, mas um livro de reflexão em torno de ensinamentos bem-humorados do médium.

    Não fosse algo tão lamentável, tão séria essa agressão contra a figura respeitável e venerável de Chico Xavier, eu diria que essa reportagem, ela sim, senhor redator, foi uma piada de péssimo gosto!

    Doravante porei “de molho” as informações dessa revista, sem o crédito que lhe concedia.

    A repórter Gisela Branco esteve em Pedro Leopoldo e Uberaba com o propósito de situar Chico Xavier como figura mitológica. É uma pena! Não teve a sensibilidade nem o discernimento para descobrir o médium Chico Xavier, cuja contribuição em favor do progresso e bem estar dos homens foi tão marcante que, a exemplo do que disse Einstein sobre Mahatma Gandhi, “as gerações futuras terão dificuldade para conceber que um homem assim, em carne e osso, transitou pela Terra.”

    E deveria saber que não vemos Chico Xavier como um mártir, conforme sugere. Não morreu pelo Espiritismo. Viveu como espírita. E se algo se aproxima de um martírio em seu apostolado, certamente foi o de suportar tolices e aleivosidades como aquelas presentes na citada reportagem.

    Finalizando, um ditado Zen para reflexão dos redatores da Super:

    O dedo aponta a lua.

    O sábio olha a lua.

    O tolo olha o dedo.

    Richard Simonetti

    Bauru, 3 de abril de 2010.

  29. Marciano Diz:

    Antecipei-me ao comentário do Mestre MONTALVÃO, mas o poltergeist publicou o comentário dele primeiro.
    Tenho a reportagem em pdf, mas não consegui localizá-la, por isto, rogo-LHE, MONTALVÃO, para que a disponibilize.

  30. Marciano Diz:

    Simonal diz que semper encarou a revista como uma publicação séria.
    .
    Para quem encara o chiquismo como uma coisa séria, nada demais.
    .
    .
    ARDUIN já colaborou, uma única vez, com essa porcaria de revista, estando arrependido até hoje.
    Só li a matéria porque denegria, no dizer de Simonal, cx.
    .
    Para mim Simonal tinha morrido. Dizem que era x-9.

  31. Marciano Diz:

    Segundo o Aurélio (também falecido), denegrir significa Tornar negro, escuro; enegrecer, escurecer:
    .
    Será que foi a revista que deixou cx mulatinho? Mas ele já era assim antes da revista publicar a matéria.
    Quando foi capa da revista, já estava em adiantadíssimo estado de decomposição decomposta.
    .
    No tempo em que ARDUIN era criança, podia-se dizer que Simonal denegria tudo o que estava a seu redor. Hoje, não mais se pode, por isso risquei o texto.

  32. Marciano Diz:

    Agora vou dar uma passadinha no Bar do Bigode, para tomar um Buchanan’s 18 anos.
    I’ll be back, one of these days, like the PF song.
    That’s all for now, folks.
    See ya!

  33. Marciano Diz:

    https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/736x/ae/c2/8f/aec28f0b31f6f5bbf6c6b4321eed2186.jpg
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=b9434BoGkNQ

  34. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    /
    /
    Gorducho, prevendo que deve querer, antecipo-me…
    .
    Vou ter que cortar em dois, ou três, o texto inteiro está sendo recusado…
    .
    A reportagem, em certo trecho, faz referência ao Vitor.
    /
    /
    ==================================.

    Uma investigação: Chico Xavier
    .
    Há 100 anos nascia o homem que faria brasileiros de todos os credos acreditar na vida após a morte. Que mudaria a vida de famílias desconsoladas. E que colocaria a ciência atrás de respostas para as vozes do outro mundo. o mito Chico Xavier gerou tudo isso. mas o que gerou o mito chico xavier?
    .
    por Gisela Blanco. Com reportagem de Hellen Samantta em Foz do Iguaçu
    .
    Até hoje chegam chegam cartas a Uberaba, Minas Gerais, endereçadas a Chico Xavier. Vêm pelo correio ou são jogadas por cima do muro do centro em que ele trabalhava. Parece que seus autores não se lembram de que Chico não está lá – morreu há 8 anos. Quer dizer, o homem morreu. O mito não. Normal para quem, como ele, teve trajetória de superstar. Nos anos 80, mais de 100 pessoas faziam fila à sua porta todo dia. Nos 90, foi destinatário recordista de cartas no Brasil: 2 mil por mês. Seus mais de 450 livros venderam 25 milhões de cópias. E sua influência ajudou a tornar o Brasil o maior país kardecista do mundo, com 20 milhões de fiéis. Em 2 de abril, Chico completaria 100 anos. Nem após sua morte outro médium despertou tamanho fascínio. O que Chico tinha de diferente? A SUPER investigou. E achou uma fórmula com 3 ingredientes. Comecemos por aquele que foi a origem de toda essa história: as cartas dos mortos.
    .
    As cartas
    .
    Em 35% das cartas, a assinatura era muito parecida com a do morto, diz um estudo feito com familiares
    .
    É numa gaveta do guarda-roupa que Hilda Braga mantém há 30 anos a carta do filho Eurípedes, morto aos 21 anos por um aneurisma. A casa simples da periferia de Uberaba – sem telefone e cheia de eletrônicos quebrados, como a TV preto e branco – também guardou por um tempo 100 cópias da mensagem. Mas todas já foram distribuídas por Hilda a amigos e conhecidos. “Mãezinha Hilda, agradeço as suas preces”, diz o texto. “Encontrei na vovó Sinhana a continuação do seu devotamento de mãe.” A mensagem foi escrita pelas mãos de Chico Xavier. Mas Hilda, hoje uma senhora de 80 anos, não tem dúvida sobre a autoria das palavras. “Vieram de meu filho.”
    .
    A declaração é comum no discurso de famílias que receberam alguma mensagem do além por Chico Xavier. Qual o trunfo do médium capaz de gerar essa certeza?
    .
    Pioneirismo não é. Nos anos 20, a carioca Yvonne do Amaral Pereira já psicografava receitas do médico Bezerra de Menezes, morto no século 19. Em Minas, Zilda Gama colocava as mãos sobre os olhos e escrevia livros com a assinatura de espíritos. Mas os textos dificilmente continham algum indício que servisse como prova irrefutável da autoria.
    .
    Já as psicografadas por Chico tinham indícios: dados familiares aos quais o médium supostamente não teria acesso. Na assinada por Eurípedes, são citados a avó Sinhana, o pai, Ibrahim, e um irmão, Vicente. Além dos amigos, que estavam com ele nos últimos momentos de vida, e da morte pelo aneurisma.
    .
    É um padrão nas cartas de Chico. Nomes de parentes aparecem em 93% das mensagens analisadas em um estudo da Associação Médico-Espírita de São Paulo, de 1990. Baseada em entrevistas com 45 famílias para quem Chico psicografou, a pesquisa também mostrou que a assinatura da carta era tida como muito parecida com a de seu suposto autor em 35% dos casos.
    .
    “Foi um susto ver nas cartas o nome da babá que trabalhava em casa”, diz a mineira Célia Diniz, que recebeu uma mensagem assinada pelo filho, morto em um acidente de bicicleta aos 3 anos de idade. Célia representa o público cativo de Chico: as mães. Atrás de notícias dos filhos mortos, elas compareciam em massa nos dois centros que Chico teve – o primeiro em Pedro Leopoldo, cidade mineira onde o médium nasceu, e o segundo em Uberaba, onde ele virou mito. Chico recebeu até mães famosas, como a atriz Nair Bello. Ela foi 3 vezes a Uberaba antes de receber, em 1977, uma mensagem do filho Manoel, morto dois anos antes em um acidente de carro.
    .
    A atração das cartas estava no conforto que traziam. As mães buscavam consolo, explicação para a perda ou um mero alívio para a saudade. E encontravam isso nas mensagens. Além das referências familiares, que davam o ar de autenticidade, as cartas traziam boas notícias sobre o além. E vinham cheias de expressões reconfortantes. Grande parte começava do mesmo jeito: “Querida mãezinha”.
    .
    “Eu estava prestes a enlouquecer quando a primeira carta chegou. Já havia pedido para ser internada”, diz a paulista Sônia Muszkat. Foi em 1979 que Sônia recebeu essa mensagem do filho Roberto, morto aos 19 anos com um choque anafilático após uma cirurgia de desvio de septo. “Na carta, Roberto descrevia sua morte e pedia que eu não me culpasse”, afirma Sônia. Ela receberia outros 53 textos psicografados por Chico. Alguns vinham com frases em hebraico – Sônia e o marido são judeus. Roberto não falava o idioma, mas Chico dizia ao casal que ele estava aprendendo em uma colônia judaica no mundo espiritual. David, o pai de Roberto, chegou a desconfiar da história. Mas acabou convencido. “Em uma das sessões de psicografia, um cheiro delicioso de gardênias invadiu a sala. Depois veio uma mensagem assinada por Roberto: mãezinha querida, dedico essas flores a você.”
    .
    Assim como Roberto, muitos desconfiaram das informações que apareciam nas cartas. E desconfiam até hoje.
    .
    A rotina nas sessões de psicografia era assim: Chico se sentava à cabeceira da mesa, todas as sextas e sábados. Psicografava 4 ou 5 cartas de parentes de alguns sortudos entre as dezenas de presentes à sessão. Segundo Chico, ele não podia escolher quem seria atendido – apenas os próprios espíritos. “O telefone só toca de lá para cá”, dizia. Quem entrava na fila deixava o nome em uma lista de espera e podia até acompanhar as sessões de psicografia, mas sem garantias. Daí a estupefação das famílias quando Chico lia em voz alta uma mensagem cheia de referências à família e a situações vividas pelo morto.
    .
    Mas há quem diga que Chico tinha um jeito de conseguir os dados. “Funcionários do centro espírita iam à fila pegar detalhes dos mortos. Ou aproveitavam as histórias relatadas por parentes nas cartas em que pediam uma audiência. As mensagens de Chico continham essas informações”, diz o médico Waldo Vieira, com quem Chico dividiu o trabalho no centro entre 1955 e 1969. A dupla psicografava junto: quando um terminava de escrever as frases no papel, o outro assumia o lápis. “Os dois produziam textos complementares assinados pelo mesmo autor”, diz o jornalista Marcel Souto Maior em As Vidas de Chico Xavier. A parceria acabou nos anos 60, quando Vieira continuou seus estudos de medicina no exterior. Hoje ele vive em Foz do Iguaçu, onde fundou um centro de estudos religiosos.
    .
    Gente como Célia Diniz e Sônia Muszkat diz não ter fornecido qualquer dado a Chico. Mas a pesquisa da Associação Médico-Espírita de São Paulo indica que Chico fazia uma entrevista – de até 10 minutos – com famílias que participariam das sessões de psicografia. Aconteceu com a do engenheiro paulista Mauricio Lopes, de 38 anos. Nos anos 70, seu irmão de 9 anos foi atropelado e morto. A família foi várias vezes a Uberaba atrás de ajuda. “Chico perguntou a minha mãe detalhes da morte e nomes de parentes. E tudo foi citado na carta depois”, diz Maurício.
    .
    Mas será que Chico era o líder de um grupo que saía à caça de dados de mortos? O filho adotivo do médium, Eurípedes Higino dos Reis, garante que não: “Chico conversava com cerca de 60 pessoas toda semana, mas sobre vários assuntos. Elas pediam conselhos financeiros, falavam sobre doenças. Nunca vi funcionários questionarem famílias desde que comecei a cuidar do centro em 1975″.
    .
    Até hoje poucos estudos tentaram verificar a autenticidade da psicografia de Chico. Um dos que mais avançaram, conduzido hoje pela Federação Espírita Brasileira, aponta que os textos podem ser genuínos. A prova seriam fatos históricos que Chico dificilmente conheceria, mas aparecem em alguns de seus textos (veja no boxe à direita).
    .
    O fato é que as cartas ganharam credibilidade, inspiradas por fontes do além ou terrenas. Até serviram como prova em 3 julgamentos – e absolveram um empresário acusado de homicídio. (Chico psicografou uma mensagem da vítima dizendo que a morte havia sido acidental.) As cartas geraram mais fé do que desconfiança. A verdadeira polêmica surgiria no outro filão do médium: os romances.
    .
    - continua-

  35. MONTALVÃO Diz:

    - continuação –
    .
    AS VOZES
    Algumas das mensagens que Chico disse ouvir. E os dados que as tornam tão impressionantes.
    .
    “Tenho procurado melhorar, a fim de auxiliar ao papai Ibrahim e aos irmãos Vicente e os outros dois, que perfazem um trio de bênçãos para a nossa casa.”
    Carta de Eurípedes Braga, psicografada em fevereiro de 1981.
    .
    “Rogo a Ricardo preparar-se com atenção para colocar o tefiliN com o êxito necessário e habilitar-se para recitar com clareza o Sidur.”
    Carta de Roberto Muszkat, setembro de 1980. O texto cita as caixas de couro e um livro usados nas rezas judaicas.
    .
    “Mamãe Elvira, você se lembrará de quantas faixas precisei para suportar as queimaduras.”
    Carta de Ericson Fábio Diniz de Oliveira, abril de 1985. Ericson morreu por causa de queimaduras sofridas em um acidente com tíner.
    .
    “Sou eu, o Tetéo.Vovô me auxilia a escrever, porque estou aprendendo.”
    Carta de Rangel Diniz Rodrigues, novembro de 1984. Rangel morreu antes de ser alfabetizado, aos 3 anos de idade.
    .
    “O carro deslizou sem que eu pudesse controlá-lo. A manobra infeliz veio fatal e com tamanha violência que a idEia de suicídio não devia vir à baila.”
    Carta de Manoel Francisco Neto, psicografada em junho de 1977. Manoel era filho da atriz Nair Bello e morreu em um acidente de carro.
    .
    A polêmica
    Show de materialização de espíritos e truques para incrementar as sessões de psicografia. O lado pirotécnico de Chico Xavier provocou desconfiança. E atraiu de vez a atenção da mídia.
    .
    A carreira literária de Chico começou cedo. Aos 22 anos, ele publicava Parnaso de Além-Túmulo, um livro com poesias psicografadas de nada menos do que 14 poetas célebres, do Brasil e de Portugal. Uma estreia inspirada por um conselho vindo da mãe de Chico. Da finada mãe de Chico.
    .
    Chico tinha acabado de entrar em contato com o espiritismo. Aos 17 anos, Francisco Cândido Xavier – seu nome completo, pelo qual ainda era conhecido – acompanhou uma irmã doente a um tratamento espírita em Pedro Leopoldo (cidade em que morava com os pais e os 15 irmãos). Lá, conheceu a obra de Allan Kardec. E foi incentivado por líderes espíritas a psicografar. Logo nas primeiras cartas psicografadas, veio a carta de sua mãe, morta quando o médium tinha apenas 5 anos de idade. Ela pedia que Chico se aprofundasse no espiritismo.
    .
    Chico seguiu o conselho. Em grande estilo. Ele dizia que não escolhia os espíritos a quem atenderia, só via fantasmas e ouvia vozes. Mas parecia ser o escolhido pelas celebridades do céu. Cruz e Sousa, Olavo Bilac, Augusto dos Anjos e Castro Alves lhe ditaram versos e prosa. O material viraria o Parnaso.
    .
    No mundo de poesias espíritas, ninguém havia publicado um livro invocando tantos nomes importantes do além. O lançamento colocou Chico Xavier sob os holofotes. Não só porque ele dizia que gente da Academia Brasileira de Letras estava agora escrevendo por uma via pouco ortodoxa. Mas porque o rapaz de 22 anos tinha produzido obras razoavelmente fiéis ao estilo dos autores que as assinavam. E sem ter tido uma educação formal. Chico havia estudado até a 4ª série do primário. Deixou o colégio aos 13 anos, porque havia começado a trabalhar – primeiro em uma fábrica de tecidos, depois como caixa de um armazém.
    .
    A história dividiu o mundo da literatura. Alguns desconfiavam de que tudo não passava de uma fraude. A viúva de Humberto de Campos até tentou na Justiça, sem sucesso, levar os direitos autorais sobre as obras psicografadas do marido. Mas outros o defendiam. “Se Chico Xavier produziu tudo aquilo por conta própria, merece quantas cadeiras quiser na Academia Brasileira de Letras”, declarou Monteiro Lobato.
    .
    A desconfiança dos críticos tinha motivo. Apesar de não ter ido longe na escola, Chico foi autodidata e leitor voraz durante toda a vida. Colecionou cadernos com recortes de textos e poesias. Comprou livros de sebos em São Paulo. Em sua biblioteca, preservada até hoje em Uberaba, há mais de 500 livros e revistas, com obras em inglês, francês e até hebraico. A lista inclui volumes de autores cujo espírito o teria procurado para escrever suas obras póstumas, como Castro Alves e Humberto de Campos.
    .
    O debate em torno dos romances colocou Chico na mídia. “Foi aí que ele ficou conhecido”, diz Nestor João Masotti, presidente da Federação Espírita Brasileira. Pesquisadores começaram a bater à porta do médium. Em 1939, até cientistas russos tentaram estudar seus poderes. “Mas Chico recusou, dizendo que seu guia espiritual Emmanuel não autorizava”, diz Souto Maior em seu livro.
    .
    Das investidas da imprensa ele não escaparia. Eles queriam explicações não só para a linha direta que Chico dizia ter com as celebridades do outro lado, mas também para alguns shows que o médium andava fazendo por aí.
    .
    A pirotecnia
    .
    O que você veria se estivesse na plateia de Chico Xavier na década de 1940? Pra começar, um médium sentado em frente a uma cortina, a cerca de 10 metros dos espectadores. Luzes coloridas surgiriam detrás do pano. Um cheiro de éter encheria a sala. Lentamente, vultos brancos apareceriam – os médiuns explicavam que eram espíritos que haviam se materializado. “Muitas vezes a plateia podia até tocá-los e tirar fotos”, afirma o médico espírita Eurípedes Tahan, que por mais de 30 anos acompanhou Chico em Uberaba e participou de várias dessas reuniões. Em alguns casos, o médium expelia uma pasta branca da boca, do nariz e dos ouvidos. Seria o ectoplasma, um produto da energia dos espíritos, considerado prova material da existência do além.
    .
    Os personagens principais da noite eram médiuns de outras cidades, acostumados a rodar o país com seus shows. Mas, em algumas delas, o próprio Chico emprestava seus poderes para a materialização. Ficava sentado em concentração enquanto os espíritos surgiam por detrás do pano. Registre-se: materializar uma pessoa, ou fazer surgir massa do nada equivalente a um homem de 70 quilos, não seria tarefa fácil. Seria necessário produzir um total de energia duas vezes maior do que é hoje produzido pela hidrelétrica de Itaipu por ano, segundo os cálculos feitos por especialistas e exibidos por reportagens sobre Chico nos anos 70.
    .
    Com shows como esses, Chico foi ficando famoso, graças a reportagens como uma publicada em 1944 por O Cruzeiro, então a revista mais importante do país. Mas ele ganharia manchetes mais bombásticas uma década depois. No fim dos anos 50, Amauri Pena Xavier, sobrinho do médium que também psicografa, deu uma entrevista ao jornal Diário de Minas – dizendo-se uma farsa. “Aquilo que tenho escrito foi criado pela minha própria imaginação”, declarou. Só que o rapaz, de 25 anos à época, também insinuou que as cartas produzidas por Chico Xavier poderiam ser uma fraude. “Assim como tio Chico, tenho enorme facilidade para fazer versos, imitando qualquer estilo de grandes autores. Com ou sem auxílio do outro mundo, ele vai continuar escrevendo seus versos e seus livros.”
    .
    Pegou mal para o tio. Mesmo depois que o sobrinho, denunciado como alcoólatra pelo próprio pai, pediu desculpas publicamente pelo que disse. Chico respondeu: “Não recebi as palavras dele como acusação nem desafio. Tenho a felicidade de possuir amigos que, em matéria religiosa, não possuem a mesma convicção que eu”. Acuado pelas críticas na Pedro Leopoldo de 15 mil habitantes, Chico resolveu fazer as malas e partir para Uberaba, um polo do espiritismo onde contaria com o apoio de amigos. Mas não adiantou muito.
    .
    A imprensa seguiu na cola. Em 1971, um repórter da revista Realidade, José Hamilton Ribeiro, visitou as sessões de psicografia. E denunciou: tinha truque ali. “Meu fotógrafo viu um dos assessores de Chico levantar o paletó discretamente e borrifar perfume no ar. As pessoas pensavam que o perfume vinha dos espíritos”, diz Ribeiro. Os questionamentos colocavam Chico cada vez mais em evidência no país. E o prepararam para aquela que seria sua prova final na mídia, também em 1971: o programa Pinga-Fogo, da TV Tupi.
    .
    Por quase 3 horas, o médium foi bombardeado por perguntas. Mas se safou. “Não me constam que obras complexas como a de Platão e Aristóteles tenham sido psicografadas. Não seria por causa da dificuldade?”, questionou João de Scantimburgo, respeitado escritor da Academia Brasileira de Letras e homem católico. Chico respondeu: “Com todo respeito ao senhor, eu me permitiria perguntar se eles também não seriam médiuns”. Assim Chico driblou os ataques. Disse estar sendo ajudado pelo guia Emmanuel. Foi um recorde de audiência: 75% dos televisores paulistas ficaram ligados no programa até as 3 horas da manhã. A entrevista rendeu retransmissão para 4 emissoras em rede nacional. Estava pronto o mito Chico Xavier.
    .
    A POLÊMICA HOJE
    Ainda tem gente tentando entender os fenômenos de Chico, vasculhando as referências históricas e literárias que ele deixou em seus livros.
    .
    Literárias
    Chico poderia ter plagiado obras. É o que investiga o espírita Vitor Moura, criador do site Obras Psicografadas. A tese é baseada na comparação entre textos. Como esta:
    .
    • “Ao norte, os barrancos cobertos de neve do Hermon se recortam em linhas brancas no céu; a oeste, os planaltos ondulados da Gaulonítida e da Pereia.” Vida de Jesus, do filósofo Ernest Renan.
    .
    • “Ao norte, as eminências nevosas do Hermon figuravam-se em linhas alegres e brancas, divisando-se ao ocidente as alevantadas planícies da Gaulanítida e da Pereia.” Há Dois Mil Anos, de Chico Xavier.
    .
    Históricas
    A Federação Espírita Brasileira está avaliando citações históricas que aparecem nos romances de Chico. Pelo que já foi apurado, os pesquisadores defendem que as cartas podem mesmo ter vindo do além. “Alguns relatos são tão detalhados que Chico não os faria nem com a ajuda das melhores bibliotecas”, afirma Gilberto Trivelato, coordenador do estudo. “Um deles diz que a Catedral de Notre-Dame, em Paris, tinha escadas. Hoje ela não tem. Mas, se você pesquisar a fundo, descobre que no século 19 tinha, por causa de enchentes.”
    .
    A CIÊNCIA E CHICO XAVIER
    Palavras do outro mundo? Fraude? Nem um nem outro. Para cientistas, a explicação pode estar num meio-termo.
    .
    Psicose
    Nada de espíritos – por essa tese, as cartas seriam produzidas pelo próprio Chico. Só que ele não se lembraria disso. É como se fosse uma ação do inconsciente, ou de uma outra personalidade que ele assumiria. “A mente deixaria de ser única e vários pedaços assumiriam vida autônoma”, afirma o psiquiatra Alexander Moreira de Almeida. “Mas fizemos testes com 115 médiuns, e eles têm uma sanidade mental acima da média da população”, diz.
    .
    Epilepsia
    Nos anos 70, a revista Realidade publicou a cópia de um eletroencefalograma do cérebro de Chico Xavier. Sem saber o nome do paciente, um médico analisou o exame e concluiu: havia ali uma descarga elétrica anormal, capaz de provocar uma convulsão. “Poderia causar alheamento, sensação de ausência, automatismo psicomotor”, afirmava o médico Juvenal Guedes.
    .
    Criptomnésia
    Um distúrbio de memória que faz com que as pessoas se esqueçam de que conhecem uma determinada informação. Os dados que Chico colocava nas cartas seriam apenas lembranças escondidas em seu próprio subconsciente. “Mas não há exame que detecte memórias falsas. Para evocá-las, o cérebro usa exatamente o mesmo mecanismo das verdadeiras”, explica o neurologista Ivan Izquierdo, especialista em memória da PUC do Rio Grande do Sul.
    .
    Telepatia
    Tem cientista que acredita que Chico poderia captar, inconscientemente, as memórias do morto – só de conversar com um parente dele. “O médium poderia usar poderes considerados paranormais para captar informações direto da cabeça das pessoas”, afirma o psiquiatra Almeida. Até hoje, no entanto, a telepatia ainda não foi provada pela ciência.
    .
    O carisma
    Órfão Maltratado na infância, um piadista quando adulto, vítima de UMA SÉRIE DE doenças na velhice. Não foi à toa que Chico Xavier conquistou a compaixão de todo o país.
    .
    “Em 1931, o espírito do poeta Augusto dos Anjos sentia muita dificuldade em escrever por meu intermédio. Na época eu trabalhava em um armazém e cuidava de uma plantação de alho. Os espíritos começavam a conversar comigo. E então ele ditou uma poesia, chamada Vozes de uma Sombra. Começou a falar com aquelas palavras maravilhosas, muito técnicas. Eu com o regador na mão e custava a compreender. Quem era eu pra entender aquilo, que estava aguando canteiro de alho?”, contava com jeitinho mineiro, fazendo a plateia do Pinga-Fogo gargalhar. Chico era um piadista. Mas não só o humor deu o carisma que o acompanharia até o fim da vida. Chico Xavier era visto como um mártir, acima de tudo.
    .
    A começar por sua história antes de virar o médium que o país conheceu. Mineiro de família pobre, Chico dizia ouvir espíritos aos 5 anos de idade. Afirmava conversar com a mãe, recém-falecida. Da madrinha, com quem morava, ouviu um diagnóstico: estaria louco. E ganhou uns corretivos: garfadas (isso, golpes com garfo mesmo) no abdome. Rita de Cassia, a madrinha, ainda o obrigava a lamber as feridas de um primo, pra não falar mais daquelas maluquices de além. Órfão, mal-tratado e obrigado a trocar a escola pelo trabalho: assim era o pequeno Chico Xavier. Pelo menos na visão que Clementino de Alencar, jornalista de O Globo, passou em uma das primeiras reportagens sobre o médium, de 1935. Ela serviria como base para muitas das biografias já lançadas sobre Chico, e ajudaria a perpetuar a imagem de sofredor atribuída ao médium. Mesmo que detalhes da história tenham sido mais tarde desmentidos, como a versão de que Chico não era letrado.
    .
    Contribuiu para essa imagem uma política adotada por Chico desde sua primeira obra: doar todo o dinheiro conseguido com os direitos autorais de seus livros às editoras espíritas que os publicavam – e que costumavam manter instituições assistenciais. Ele nem assinava as obras. A autoria ficava em nome do espírito que teria ditado as palavras, como André Luiz e Emmanuel, os mais frequentes. “Os livros não me pertencem. Não escrevi nada. Eles escreveram”, dizia. Se tivesse ficado com os direitos autorais, Chico teria levado uma bolada: 2,1 milhões de cruzeiros por ano, o suficiente para comprar 160 fuscas na época e equivalente a R$ 670 mil hoje. O cálculo foi feito nos anos 70 por especialistas, considerando uma venda de 300 mil livros por ano. Com a doação, Chico ajudou mais de 2 mil instituições do país, segundo seus assessores.
    .
    Desde 1960, quando se aposentou, Chico vivia com uma pensão de funcionário público (trabalhou como escrivão e datilógrafo no Ministério da Agricultura). Sua casa em Uberaba, preservada pelo filho Eurípedes, tinha um portão de quase 3 metros de altura para impedir que os mais fanáticos a invadissem. Por dentro era simples: tinha móveis baratos de madeira corroídos e decoração feita com presentes dos amigos (bordados, mantas, placas, quadros). Está lá também a coleção com mais de 40 boinas, que Chico usava para esconder a careca (e que substituiriam as perucas).
    .
    O médium também aparecia sob os olhos do país como um homem de saúde frágil. Ainda em seus 20 anos, quando já passava horas em sessões de psicografia à luz de velas, Chico descobriu uma catarata no olho direito. Depois dos 60, sofreu com pressão alta, uma hérnia e um tumor na próstata, que ele se recusou a operar com Zé Arigó, o amigo médium que dizia receber o médico Dr. Fritz. Em junho de 2001, quando se acreditava que estaria à beira da morte por causa de uma pneumonia nos dois pulmões, Chico conseguiu se salvar. E o Brasil inteiro comentou o que parecia um milagre.
    .
    Uma imagem captada pela TV Globo mostrou um raio de sol entrando no quarto do medium exatamente no dia em que Chico teve uma melhora repentina. “Ele já vinha tomando antibióticos havia 4 dias quando, de repente, começou a se recuperar”, diz Eurípedes Tahan, o médico então responsável por Chico, e também amigo do médium. Dois dias depois, Chico recebia alta do hospital. Providência divina ou resultado dos remédios? Ninguém cravou a resposta. Mas o vídeo do episódio continua sendo visto até hoje pelos brasileiros no YouTube – tem mais de 100 mil visualizações.
    .
    Chico morreu em 2002, aos 92 anos, cumprindo uma profecia sua. “Só vou morrer no dia em que o Brasil todo estiver feliz”, dizia Chico. E morreu mesmo. O médium teve uma parada cardíaca no dia 30 de junho, horas antes de o Brasil ganhar a Copa do Mundo de Futebol. Cerca de 120 mil pessoas foram a seu enterro, formando uma fila de 4 quilômetros e 3 horas de espera. O então presidente Fernando Henrique Cardoso emitiu uma nota lamentando a ida daquele que era “um grande líder espiritual e uma figura querida e admirada pelo Brasil inteiro”.
    .
    Assim que Chico morreu, vários documentos que ele guardava – em geral cartas de pessoas que escreviam para ele – foram queimados por seu filho adotivo, Eurípedes Higino. Foi um pedido do pai em testamento. “Ele achava que era necessário para não dar nenhuma confusão para ninguém no futuro”, diz. O filho também cuida da marca que se criou em torno de Chico Xavier (veja o boxe acima). Graças ao registro da patente da assinatura do pai, ele hoje recebe 10% do lucro de tudo o que é lançado com ela (inclusive de filmes, como As Vidas de Chico Xavier, nos cinemas brasileiros a partir de abril). O trabalho de Chico continua hoje nas mãos de outros médiuns, como seu colega e seguidor Carlos Bacelli, que atrai centenas de fiéis por semana a suas sessões de psicografia em Uberaba (há excursões toda semana saindo de São Paulo e do Rio de Janeiro). Bacelli inclusive diz receber mensagens do próprio Chico Xavier. E não é o único. “Mais de 20 médiuns já disseram ter psicografado textos de Chico”, diz Higino. “Tudo mentira. Chico disse que não voltaria tão cedo.” Como ele tem tanta certeza? O pai teria deixado um código, conhecido apenas por Higino e por Tahan, para ser identificado caso resolvesse mandar um alô para o mundo dos vivos. “Continuaremos esperando”, diz o filho.
    .
    A INDÚSTRIA CHICO XAVIER
    O legado do médium foi parar nos cinemas, na boca de Fábio Jr. e até no Twitter.
    .
    • 5 filmes serão lançados em 2010, como As Vidas de Chico Xavier, previsto para estrear em abril.
    .
    • Mais de 200 livros sobre Chico Xavier já foram publicados. Tem até um de piadas: Rindo e Refletindo com Chico Xavier.
    .
    • Mais de 20 CDs e DVDs de homenagens musicais, audiobooks e preces. Até Fábio Jr. pegou carona e fez uma música para Chico.
    .
    E AINDA:
    .
    • Dieta do Chico Xavier: revistas dos anos 80 publicavam o ritual – meio copo de água pela manhã, com grãos de arroz dentro do copo representando o número de quilos que se quer perder.
    .
    • Twitter: Dá para receber tweets de Chico! Falsos, claro. Já há perfis em homenagem ao médium, como o @chicoxavier.
    .

    Para saber mais
    As Vidas de Chico Xavier
    Marcel Souto Maior, Planeta do Brasil, 2003.
    .
    Chico Xavier
    Magali Oliveira Fernandes, Annablume, 2008.
    .
    The Psychic Mafia
    M. Lamar Keene, Prometheus Books, 1997.

  36. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    De Marte buchaneiro:
    .
    A carta que citou, de Simonetti, juntamente com a de Alamar (dentre as muitas que foram enviadas à Super) foi objeto de discussão no Obras.
    .
    Confira em: http://obraspsicografadas.org/2010/resposta-a-richard-simonetti-e-alamar-rgis/

  37. Gorducho Diz:

    Por isso: m/tese é que agora tentaram recuperar pontos c/os chiquistas.
    E resultou nisso aí… :(
     
    O Professor colaborou se bem me lembro no concernente a tomates…
    Eles distorceram as informações dele?
    Ele se molestou c/algo?

  38. Contra o chiquismo Diz:

    Acho que não foi desvendada nem a METADE sobre cx… e divaldo tb, esse nem começou a se falar nada dele.

  39. Espírita Sp Orlando Diz:

    Falar no Divaldo: o movimento você e a paz teve lotação máxima. Vieram personalidades de outros religiões tambem. Teve psicofonia com Meimei, Bezerra e Manoel Philomeno. Bezerra comoveu fez muitos chorarem falou de sua reunião com Celina, das moratórias concedidas por Jesus, da necessidade da paz entre todos. Philomeno falou sobre a sexualidade sob controle, sobre homofobia e lembrou da cidade estranha. Meimei falou sobre as criancinhas no alem, sobre os educandarios, elogiou a eliminação do limbo por parte da Igreja etc

  40. Larissa Diz:

    Sr. espiritoide de SP….
    É o que ele,falou de novo, que já não constasse, porventura, dos anais do espiritismo? É o que disso tudo é verificável?
    .
    Uma das mensagens do divaldo que já foi objeto de refutação pela ciência, foi aquela de crianças índigo que ele fala, sem propriedade nenhuma, de astronomia moderna.
    .
    Lamentável!!!

  41. Larissa Diz:

    https://m.youtube.com/watch?v=7cTkr0IsD28
    .
    Tá aqui o saco de baboseiras. Só pra começar, o sistema solar não faz périplo nenhum em torno de alcione, mas sim da galáxia. O resto segue a mesma linha….

  42. Gorducho Diz:

    Ele é velho conhecido Srª Larissa… não entendeu ainda? :(

  43. Larissa Diz:

    Ah. É quem estou pensando?

  44. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    SAMPOLARDO DIZ: Falar no Divaldo: o movimento você e a paz teve lotação máxima. Vieram personalidades de outros religiões tambem. Teve psicofonia com Meimei, Bezerra e Manoel Philomeno. Bezerra comoveu fez muitos chorarem falou de sua reunião com Celina, das moratórias concedidas por Jesus, da necessidade da paz entre todos. Philomeno falou sobre a sexualidade sob controle, sobre homofobia e lembrou da cidade estranha. Meimei falou sobre as criancinhas no alem, sobre os educandarios, elogiou a eliminação do limbo por parte da Igreja etc
    /.
    PONDERAÇÃO: E esses mortos comunicantes deram mostras concretas de suas presenças, por exemplo, lendo trecho de livro postado fora do alcance visual dos presentes, e tudo devidamente fiscalizado? Ou só se tem a alegação de acreditantes de que “eles” lá estavam?

  45. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Larissa Diz:
    Ah. É quem estou pensando?
    /.
    PONDERAÇÃO: ó, não é por nada não, mas essas desconfianças de que qualquer alienígena que aporte por aqui seja o Scur já causou certas injustiças: pelo menos dois defenestrados o foram injustamente, de um não posso garantir, mas não me parecia que fosse, de outro tenho certeza que não era e mesmo assim o desinfeliz foi mandado pro espaço…

  46. Gorducho Diz:

    A noite esplendia de belezas em razão do azul safira do zimbório adornado de estrelas parecidas a crisântemos luminosos. [Dr. Manoel Philomeno de Miranda]
     
    O zimbório estrelado, aos raios liriais da Lua, espalhava em torno vibrações de beleza inexprimível, semeando esperança, alegria e consolo. [Dr. André Luiz]
    :shock:
    Acredito que antigamente no básico das escolas de Medicina da Bahia e do RJ eles aprendiam a falar assim!

  47. Gorducho Diz:

    tenho certeza que não era e mesmo assim o desinfeliz foi mandado pro espaço
     
    Quem foi ele? Era o Sr.?

  48. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Dileto Samporlandinho, várias indagações lhe fiz em postagens precedentes neste tópico, tomou conhecimento? Se não, reveja o que passou e se manifeste. Se tomou, vai responder ou vai dizer nada? Lembre-se, quem cala consente e seu silêncio corroborará a certeza exposta de que mortos não comunicam com vivos porque não dão mostras de suas presenças.
    .
    Pense, repense…

  49. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Gorducho Diz:
    SETEMBRO 27TH, 2015 ÀS 11:24 AM
    tenho certeza que não era e mesmo assim o desinfeliz foi mandado pro espaço…

    Quem foi ele? Era o Sr.?
    /.
    PONDERAÇÃO: Gorducho tenho idade para ser seu irmão, se mais velho ou novo só medindo… não se chama irmão de “senhor”…
    .
    Só estou autorizado a dizer que conheço pessoalmente a figura, por isso não posso falar mais nada: perguntas surgirão e não sei se o referido se sentiria bem se soubesse que me manifesto sem estar autorizado. E, pelo que percebi, não há da parte dele o menor interesse em retornar a esse espaço, dada a condição em que mandado para o exílio…

  50. Gorducho Diz:

    Eu chamava um ex-chefe meu de Dr. e Sr., e ele sempre m/dizia: Grassouillet, o Senhor está no seu.
    E eu dizia: Dr. xxxxxx, vendo sua inteligência, perspicácia (e é verdade ele é um executivo competentíssimo e honestamente bem sucedido!); esse seu terno e essa sua pasta de couro legítimo… simplesmente não consigo…
    Hoje somos amigos pessoais, já que há muito p/ele não trabalho, e sigo tratando-o assim.
    O mesmo digo cá face ao enorme respeito que me merecem os debatedores deste prestigioso sítio.
     
    Quanto a expulsar debatedores, concordo c/o que disse: ele dá um tiro-no-metapé do próprio sítio; mas o qual é dele – a bola é dele :(
    Só fiquei c/pena de D. Larissa argumentando… entende?

  51. Gorducho Diz:

    :mrgreen: CÉU

  52. Borges Diz:

    “Aonde que ele era ‘medium’?
    Como se nem sequer ‘espiritos’ existem?”
    Encontrei na Wikipédia:-

    “Pseudo-ceticismo
    O termo pseudo-ceticismo ou ceticismo patológico é usado para denotar as formas de ceticismo que se desviam da objetividade. A análise mais conhecida do termo foi conduzida por Marcello Truzzi que, em 1987, elaborou a seguinte conceituação:

    Uma vez que o ceticismo adequadamente se refere à dúvida ao invés da negação – descrédito ao invés de crença – críticos que assumem uma posição negativa ao invés de uma posição agnóstica ou neutra, mas ainda assim se auto-intitulam “céticos” são, na verdade, “pseudo-céticos” ”
    Obrigado

  53. Larissa Diz:

    É melhor não argumentar nada mesmo…

  54. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Larissa Diz:
    É melhor não argumentar nada mesmo…
    /.
    PONDERAÇÃO: Larissa, mesmo que sua argumentação toque ouvidos surdos, uma sementinha estará sendo plantada… Além disso, seus pronunciamentos e sua graça abrilhantam esse espaço… não nos deixe…

  55. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Borges Diz:
    .
    “Aonde que ele era ‘medium’?
    Como se nem sequer ‘espiritos’ existem?”
    .
    Encontrei na Wikipédia:-
    “Pseudo-ceticismo
    O termo pseudo-ceticismo ou ceticismo patológico é usado para denotar as formas de ceticismo que se desviam da objetividade. A análise mais conhecida do termo foi conduzida por Marcello Truzzi que, em 1987, elaborou a seguinte conceituação:
    Uma vez que o ceticismo adequadamente se refere à dúvida ao invés da negação – descrédito ao invés de crença – críticos que assumem uma posição negativa ao invés de uma posição agnóstica ou neutra, mas ainda assim se auto-intitulam “céticos” são, na verdade, “pseudo-céticos” ”
    Obrigado
    /.
    PONDERAÇÃO: Prezado, parece-me que está a responder ao que lhe pedi (“defina pseudocético), no entanto postou citação não exarada de minha mente, tampouco de minhas cordas vocais (“espíritos não existem”): confundiu-se ou almeja confundir?
    .
    Enquanto você pensa, vamos analisar a bela invenção do Truzzi. Especulo que ele tenha dado forma à expressão como meio de atacar os que refutam o paranormal o que, para ele e para alguns nossos conhecidos, é blasfêmia passível de condenação às masmorras inquisitoriais.
    .
    Mas, deixando de lado as mui louváveis intenções do Truzzi, o que ele diz tá certo até certo ponto. O cético realmente é quem acalenta dúvida produtiva, notadamente quando identifica alegações firmes alicerçadas em solo movediço, qual o caso das asseverações de alguns parapsicólogos (não todos) e dos mediunistas.
    .
    No referente à paranormalidade remeto-o (mais uma vez) à conjetura de Moi, que expressa muito bem postura de cética prudência, vez que não descarta radicalmente a possibilidade de haver psi, mas pontifica que, se existir, será “força” incerta, tênue, incontrolada e sem aplicação prática.
    .
    A conjetura de Moi é baseada nos resultados dos experimentos psi disponíveis (incluindo o ganzfeld), conquanto o gerente do site tenha, em sua algibeira de contraprovas, relato de experiências que diz provarem a força psi expressiva e sua controlabilidade, qual o exemplo da sensitiva Lina J. Johansson, a quem apresenta como “grande sucesso”. Lamentavelmente, a algibeira do gerente está repleta de provas muito complicadas para serem acatadas, lá se acham a espertíssima Osborne, a misteriosa e mal estudada Piper, Ingo Swann, Joseph McMoneagle, Sean Harribance, Robert Rollans e, vários outros… Em suma, os “grandes sucessos” quando vistos de perto mostram-se nem grandes nem sucessos…
    .
    Por outro turno, o zetético pode e deve fazer negações sim. Nada obsta que se proceda desse modo sem ferir o conceito de que deva cultivar a dúvida proveitosa. Veja o exemplo da mediunidade. A reflexão a respeito é das mais salutares e assim se resume: “se mortos comunicam deverão ter meios de comunicarem claramente suas presenças”. Então, se “eles” são incapazes de oferecer essas demonstrações a cética e produtiva conclusão é que não comunicam, ainda que existam. Contudo, a porta fica aberta para receber a confirmação de presença, na hipótese de a imaginada espiritualidade mudar de ideia e decidir derribar tal remate.
    .
    Espero que tenha compreendido…

  56. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Eu chamava um ex-chefe meu de Dr. e Sr., e ele sempre m/dizia: Grassouillet, o Senhor está no seu.
    E eu dizia: Dr. xxxxxx, vendo sua inteligência, perspicácia (e é verdade ele é um executivo competentíssimo e honestamente bem sucedido!); esse seu terno e essa sua pasta de couro legítimo… simplesmente não consigo…
    /.
    PONDERAÇÃO: curiosa descoincidência: eu chamava meu penúltimo chefe de um nome ligeiramente diferente, algo parecido com rebento da meretriz. Vendo a inteligência dele, voltada para o mal, e as safadezas que, na surdina, aprontava contra seus comandados, eu pensava cá comigo: “não consigo chamá-lo de outro modo”. Graças, em boa parte, a “ajuda” dele, perdi uns três contos de reforço na aposentadoria…
    .
    Recentemente, o sacripanta enviou convite para ser meu “amigo” no face… Será que devo, chicoxaverianamente, aceitar?

  57. Borges Diz:

    “PONDERAÇÃO: Prezado, parece-me que está a responder ao que lhe pedi (“defina pseudocético), no entanto postou citação não exarada de minha mente, tampouco de minhas cordas vocais (“espíritos não existem”): confundiu-se ou almeja confundir?”
    É claro, óbvio e ululante que não foi exarada pela sua mente; minha citação foi dirigida exclusivamente ao Contra, em resposta ao seu “post”:-
    “Contra o chiquismo Diz:
    SETEMBRO 26TH, 2015 ÀS 12:34 PM
    De novo Borges:
    .
    .
    Aonde que ele era ‘medium’?
    Como se nem sequer ‘espiritos’ existem?”
    Parece que a confusão não foi minha.

  58. Espírita Sp Orlando Diz:

    PONDERAÇÃO: E esses mortos comunicantes deram mostras concretas de suas presenças, por exemplo, lendo trecho de livro postado fora do alcance visual dos presentes, e tudo devidamente fiscalizado? Ou só se tem a alegação de acreditantes de que “eles” lá estavam?

    Não tinha como fazer isso lá caro Montalvão. Ele estava num pulpito distante. Admito de que no momento dos autógrafos alguém poderia chegar aos ouvidos dele e propor o desafio. Não pude fazer isso pois minha mulher não quis ficar até o final.
    Por enquanto tudo é crença na minha vida. Admito nenhuma prova palpável. É só admiração que tenho pela vida dessas pessoas.

  59. Espírita Sp Orlando Diz:

    Larissa Diz:
    setembro 27th, 2015 às 8:56 A
    .
    Uma das mensagens do divaldo que já foi objeto de refutação pela ciência, foi aquela de crianças índigo que ele fala, sem propriedade nenhuma, de astronomia moderna.

    Também não gosto da tese das indigos. E não concordo. Nem tudo é100% em tudo na vida.
    Sobre a ciencia o espiritismo caminha ao lado dela e se o espiritismo estiver enganado volta atrás como diz kardec.

    O público que estava lá era ecumênico, não havia só espiritas, um parque público. Tinha gente que nem sabia quem era ele.

  60. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Samporlando, tequetutá com umas considerações bem maduras…

  61. Contra o chiquismo Diz:

    Borges, vc me chama de pseudo cético só pq eu afirmei que ‘mediuns’ e ‘espiritos’ não existem? Quem afirma a existência deles é a doutrina que vc crê que se proclama uma ‘ciencia’. Então, a prova cabe a vc que crê no que diz kardec e cx.

  62. Contra o chiquismo Diz:

    Larissa, uma pena vc ficar discutindo com o sCUr.

  63. Contra o chiquismo Diz:

    Gorducho, voltando as coisas antigas… o fusca só chegou ao Brasil em novembro de 1950. Vc deve ter andando muito nele não? E deve de ter tido um…

  64. Contra o chiquismo Diz:

    Engraçado, o fusca foi o transporte mais popular de todo o Brasil e nunca o vi num texto de cx…

  65. Borges Diz:

    Contra:- Num pequeno trecho você conseguiu produzir quatro informações que não correspondem à realidade: 1- não o chamei de “pseudo-cético”, 2- não creio em doutrina alguma, 3- não creio em Kardec e 4- não creio em CX. Apenas procurei relacionar o que você disse com um trecho que encontrei na Wikipédia; que fique bem claro: não o que você é, mas o que você disse.
    Obrigado

  66. Braulio Diz:

    Não sei por que, tanto mimimi em torno do CX.
    Já está mais do que provado que o médium, fraudava.
    .
    Não é temerário supor que fazia o mesmo com psicografias…
    .

  67. Braulio Diz:

    Quem pensa que a “Religião Espírita” é uma Ciência, ou não entendeu o que é Ciência, ou não entendeu o que é Religião.
    .
    Difícil decidir…

  68. Gorducho Diz:

    Analista Montalvão:
     
    AMa antecipou-se sugerindo tangencialmente e eu notei (na outra rubrica, claro): está diferente; está fazendo efeito…
     
    FACEBOOK: não, não aceitaria. Aliás sou muito restritivo, não gosto do. Aceito a maioria dos poucos por obrigação, p/não ser deselegante, e também porque infelizmente o MSN terminou e no Skype ninguém entra…

  69. Gorducho Diz:

    Gorducho, voltando as coisas antigas… o fusca só chegou ao Brasil em novembro de 1950. Vc deve ter andando muito nele não? E deve de ter tido um
     
    É claro mas não tive. Sabia que ele boiava por expressivos metros pois as portas eram absolutamente estanques; mantendo claro o piloto uma certa rpm constante em 2ª? Ocorreu conosco numa viajem, mas eu no banco traseiro.

  70. Gorducho Diz:

    Uma época os taxis aí eram obrigatoriamente VW – portas, claro – não eram?
    Vê (ACoC) como sou velho?
    Sou do tempo do Galeão – onde hoje é a base aérea…
     
    Viram o escândalo da VW?
    Nunca imaginei – e isso que não m/considero uma donzela vitoriana…- que uma empresa privada pudesse chegar a tanto. O afã (bem sucedido por 2 ou 3 meses) de passar a Toyota q qualquer custo…

  71. Espírita Sp Orlando Diz:

    Isso sim é fraude,o caso da volkswagen.
    O Divaldo dificilmente aparecia com o Chico em eventos e o Bacelli rompeu com o Chico e o Waldo também. Não sei porque tanta implicância do pessoal com o chico

  72. Espírita Sp Orlando Diz:

    Minha mãe e minha avó discutiam muito por causa do Espiritismo.minha saudosa avó não simpatizava com o espiritismo e minha mãe é muuuito espirita.
    Minha avó achava o Chico meloso e dramatico demais e o Divaldo verdadeiro chato principalmente quando berrava incorporado. Achava o Bezerra santo demais para um politico e ainda acreditando em Jesus fluidico e que os espíritos desviavam o leite de Maria para não contaminar o divino mestre

  73. Espírita Sp Orlando Diz:

    .
    Contra o chiquismo Diz:
    setembro 27th, 2015 às 3:38 PM
    Larissa, uma pena vc ficar discutindo com o sCUr.

    Daqui a pouco acabarei sendo eSCURracado daqui.
    Contra o chico voce está sendo cruel com seu colega de forum e a Larissa abriu meus olhos sobre as crianças indigo e Alcione. Quem sabe serei um futuro Contra o Divaldismo

  74. Gorducho Diz:

    Essa mesma que ditou a psicografia lhe aconselhando tomar homeopatia em conjunto c/remédios?
     
    os espíritos desviavam o leite de Maria para não contaminar o divino mestre
    :lol:
    Do Dr. Bezerra também sempre tem novidades: essa não sabia também.
    Por sugestão do AV comprei o Estudos Filosóficos III – recomendo: 19,90 edição de alta qualidade gráfica & papel. É genial: tem desde uma pimenteira que um espírito arranca e arrasta morro acima em Cupertino (?) RJ; até a explicação do dilúvio universal. Tem o artigo onde ele deduz que Jesus não poderia ter um corpo terrícola por repugnar à razão dum espírito divino tomar a carne de pecadores. Mas essa do leite não tem!

  75. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Espírita Sp Orlando Diz:
    Minha avó achava o Chico meloso e dramatico demais e o Divaldo verdadeiro chato principalmente quando berrava incorporado. Achava o Bezerra santo demais para um politico e ainda acreditando em Jesus fluidico e que os espíritos desviavam o leite de Maria para não contaminar o divino mestre
    /.
    PONDERAÇÃO: sua vó era porreta, hem? Tomara que o neto a ela tenha saído…

  76. Espírita Sp Orlando Diz:

    Oi gorducho
    Sim kkk essa mesmo que ditou sobre a homeopatia.
    Por isso eu havis falado da diferença

  77. Espírita Sp Orlando Diz:

    Mostrei a minha mãe o site e ela falou: tome cuidado com esses sites, inventam muita coisa. Não quis nem olhar.Ela é diretora de centro

  78. Contra o chiquismo Diz:

    Borges, vc citou ‘ médium ‘, vc acredita que existem intermediários entre esse mundo e o ‘além’. Eu disse que não existem, vc vem com uma citação de pseudo ceticismo. Não tendi nada… aonde vc quer chegar? Quer se convencer que a maioria de nós aqui está errada e vc quer que acreditemos na fantasia em q vc crê? Não tem provas Borges. ‘Espiritos’ não existem.

  79. Contra o chiquismo Diz:

    “Gorducho Diz:
    SETEMBRO 27TH, 2015 ÀS 6:23 PM
    Uma época os taxis aí eram obrigatoriamente VW – portas, claro – não eram?
    Vê (ACoC) como sou velho?
    Sou do tempo do Galeão – onde hoje é a base aérea…”
    .
    .
    Até hoje em Niterói tem um zé do caixão (vw 4 portas) de taxi, mas tá ameaçado. Veja:
    .
    .
    http://oglobo.globo.com/videos/t/todos-os-videos/v/lei-obriga-taxista-de-niteroi-a-aposentar-carro-que-usa-ha-43-anos/4398149/

  80. Contra o chiquismo Diz:

    Engraçado, vi cx citando automóveis, mas nunca as suas marcas e modelos.

  81. Contra o chiquismo Diz:

    Achei essa daqui do cx e fusca:
    .
    .
    http://grupoamigoespirita.blogspot.com.br/2012/06/chico-amor-xavier.html
    .
    .
    E essa versão mais completa que disse que ele trocou o fusca por alimentos:
    ,
    ,
    http://reflitasempre.blogspot.com.br/2013/10/chico-e-o-fuscao-uma-transacao-que.html

  82. Contra o chiquismo Diz:

    Quem acha a 2ª foto da cidade de Valença RJ parecida com o mapa do nosso lar? (estrela de 6 pontas do cartaz do filme)
    .
    .
    http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=808052
    .
    .
    Em Valença RJ fica a Serra da Beleza que tem alta incidência de Ufos, com gente acampando lá e tudo pra ver…tem gente que já até foi perseguida por eles…

  83. Larissa Diz:

    Uma das coisas que me decepcionou muito no espiritismo foi justamente a falta de diálogo e debate. Aqui encontrei esse espaço e entendi pq sempre fui hostilizada ao questionar impropérios espiritoides, questionadora que sou.

  84. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, esse livro, The Psychic Mafia
    M. Lamar Keene, Prometheus Books, 1997, eu já li.
    Tenho ele (em inglês).
    O Lamar foi médium e confessa tudo no livro.
    Vale a pena ler.
    .
    Conferi. Eu acompanhava o blog, nessa época, mas não comentava.
    O ARDUIN fala sobre o episódio a que me referi.
    .
    Mais tarde ele voltou a falar do assunto, aqui.
    .
    .

    .
    CONTRA, não foram tomates, foram legumes.
    .
    .
    Será que na hora da Meimei teve cheiro de perfume?
    .
    .
    .
    1. Gorducho Diz:
    SETEMBRO 27TH, 2015 ÀS 9:19 AM
    Ele é velho conhecido Srª Larissa… não entendeu ainda? :sad:
    2. Larissa Diz:
    SETEMBRO 27TH, 2015 ÀS 9:36 AM
    Ah. É quem estou pensando?
    .
    Estou vendo que telepatia existe mesmo.
    E acho que é quem vocês estão pensando, mas não tenho certeza. Não tenho falado com o Scur e não vou incomodá-lo por causa disso.
    Há pequenas diferenças no estilo, embora o chiquismo seja o mesmo.
    .
    .
    .
    Gorducho Diz:
    SETEMBRO 27TH, 2015 ÀS 11:21 AM
    A noite esplendia de belezas em razão do azul safira do zimbório adornado de estrelas parecidas a crisântemos luminosos. [Dr. Manoel Philomeno de Miranda]

    O zimbório estrelado, aos raios liriais da Lua, espalhava em torno vibrações de beleza inexprimível, semeando esperança, alegria e consolo. [Dr. André Luiz]
    :shock:
    Acredito que antigamente no básico das escolas de Medicina da Bahia e do RJ eles aprendiam a falar assim!
    .
    Acaso Vossa Mercê não sabe que espíritos têm estilo corny, beletrista, kitsch, brega, piegas, melífluo, superadjetivado, religioso, ridículo, extravagante, chato, insuportável, maçante, entediante, asqueroso, revoltante, zombeteiro, sardônico, no qual só as mãezinhas desesperadas pela perda do filhinho o mais das vezes maconheiro podem crer, além, claro, dos aproveitadores de plantão e dos ingênuos, que almejam continuar a viver depois que voltarem à inexistência, em vez de acostumarem-se à lama que os espera, tomarem um fósforo, acenderem um cigarro e escarrarem nessa boca que os beija, como acaba de me induzir a escrever o querido Augusto, que agora mora com os Anjos?
    .
    .
    .
    Juro que pensava que GRASSOUILLET estava brincando, quando escreve “senhor”.
    Eu dispenso a cerimônia. O senhor pode não estar no céu, mas aqui somos todos iguais. O único diferente é o VITOR, pois tem o jus variandi e pode exonerar ad nutum, por ser o dono da bola, mas é um dos mais novos.
    .
    .
    .
    Borges, sem querer polemizar (tanto que não vou me estender sobre este assunto, do qual já me ocupei no passado, aqui mesmo), pseudo-cético é um termo usado por crentes para sustentar que a gente acredita ou acredita, não tem outra opção. Se não acredita, é pseudo-cético.
    Se é assim, eu sou pseudo-cético com relação ao coelhinho da páscoa, papai do céu, espiritices, mortos-vivos, mulas-sem-cabeça, paranormalidade, homeopatia, astrologia, e o diabo-a-quatro.
    Pouco me importa o que os crentes pensam de mim. Eles têm o miolo mole mesmo…
    .
    .
    Sou cético com relação a buracos negros, bóson de Higgs, etc. No sentido de que tenho dúvidas.
    Já as mulas-sem-cabeça…

    .
    .
    .
    MONTALVÃO:
    “Graças, em boa parte, a “ajuda” dele, perdi uns três contos de reforço na aposentadoria…”.
    ,
    Tá explicado onde encontra tempo para tanta coisa, cachorros incluídos.
    .
    Não aceite!
    Qui tangit picem, contaminabitur.
    Qui tetigerit picem, inquinabitur ab ea.
    Quem anda com traça, traça o come.
    Quem com cães se deita, com pulgas se levanta.
    He that handles pitch, shall foul his fingers.
    Touch pitch, and you will be defiled.
    Qui touche à la poix, s’embrouille les doigts.
    Quien anda con pez, se manchará los dedos.
    Chi toca la pece, s’imbratta.
    .
    .
    .
    CONTRA, o fusca foi um carro desenhado por Porsche, a pedido de Hitler, que queria um carro do povo, um Volkswagen.
    http://usercontent2.hubimg.com/99721_f520.jpg

    Ele também criou, se não me falha a carcomida memória, a primeira lei de proteção aos animais. Não bebia bebidas alcoólicas, era católico romano, vegetariano, pintava paisagens, tirou a Alemanha do buraco (depois jogou-a novamente no buraco).
    .
    .

    .
    Espírita de SP, pelo que você disse, estou achando que sou a reencarnação de sua avó.
    Penso igualzinho a ela. Parecem minhas as palavras.
    Deus te abençoe, meu netinho.
    Já pensou que ela pode estar reencarnada? E que continua não acreditando na espiritice?
    Minha conjectura não é tão disparatada.
    .
    Quem sabe serei um futuro Contra o Divaldismo.
    .
    Deus te ouça!
    Quando quiser, seja bem-vindo à nossa bancada.
    .
    .
    Mostrei à minha mãe o site…
    .
    Logo ela vai dizer que nós inventamos coisas?!
    .
    Diga a ela para que leia só os meus comentários.
    Ela vai achar que sou o diabo.
    .
    .
    .
    CONTRA, conheço Valença muito bem, mas nunca fui à tal serra. Preciso arranjar um tempo pra ver uns discos-voadores, ver se compro um modelo novo.
    Conheço toda aquela região, Volta Redonda, Piraí, Barra do Piraí, Vassouras, Mendes, Rio das Flores…
    Amanhã mesmo estarei lá.
    .
    ..
    .
    LARISSA, continue questionando sempre. Lembre-se sempre de que você já acreditou em coisas das quais hoje ri.

  85. Antonio G. - POA Diz:

    A parte mais elucidativa da carta do Simonetti à superinteressante é esta: Doravante porei “de molho” as informações dessa revista, sem o crédito que lhe concedia.. Descortina o grau de discernimento do gajo.
    .
    Larissa falou da baboseira das crianças índigo do Divaldo. De fato, uma estultice. Mas ainda mais estúpida foi sua afirmação de que o Sai Baba era “um dos espíritos mais evoluídos já encarnados na Terra”. Só que o tal era um sujeito abjeto, bandido, pedófilo, estuprador, farsante e mentiroso. Tremenda “bola fora” do Divaldo. Seus mentores espirituais lhe aprontaram uma “pegadinha” indigesta. E ele parece ter esquecido o assunto. Nunca mais falou a respeito, pelo que sei.

  86. Gorducho Diz:

    CONTRA, não foram tomates, foram legumes.
     
    Fui eu quem falou… Mas, justo, não era a querela fruta vs legume?

  87. Antonio G. - POA Diz:

    Morro, e não vejo tudo… Eu disse que, pelo que sabia, o Divaldo não falava mais do Sai Baba. Só que ele fala. E fala bem. No ano passado, prestou este depoimento, gravado em vídeo, exaltando os poderes milagrosos do guru indiano, dizendo que ele, Divaldo, foi curado de uma angina pelo “venerável mestre”. O DPF é mesmo um cara de pau…
    http://www.youtube.com/watch?v=8EDZl07BjB4

  88. Espírita Sp Orlando Diz:

    O sai baba é aquele envolvido em montao de crimes? Putz mais um tapa na minha crença.To parecendo filiado de partido com denúncias de corrupção.

  89. Gorducho Diz:

    O parceiro (de espiritismo, claro) do Stevenson aquele tão admirado pela Casa uma vez se encantou pelo SB. Só claro que não proferiu as sandices do Divaldo, ao menos em público.
    O que pesou ou ainda pensará na cabeça dele claro que é impossível saber. Foi a principal razão p/eu descartar o Stevenson como pesquisador…

  90. Gorducho Diz:

    Sobre supostos “crimes” do SB, nada sei, Sr. Orlando.
    Mas veja a mente d’alguém que se encanta por um ser desses…
    E se é que não é o AS, se convença: nós cá dizemos a verdade sobre o espiritismo.

  91. Vinicius Diz:

    CX está perdendo a popularidade: o leilão de seus objetos foi um fracasso. E para uma boa causa hein: ajuda a hospitais.

    ” Com um público reduzido, estimado em 50 pessoas, o leilão de objetos pessoais do médium Chico Xavier (1910-2002) foi suspenso neste sábado (29), em Uberaba (MG). O leilão só aceitava lances presenciais para a compra de objetos como o boné, os óculos de lentes grossas e a flanela que pertenceram ao médium. Agora, o leilão aceitará lances pela internet, porém ainda não há data para o início do sistema ”
    “Os objetos foram autenticados pelo herdeiro do médium, o dentista Eurípedes Humberto Higino dos Reis, responsável pelo acervo de Chico Xavier, e doados para o Rotary Clube Uberaba e Instituto Boa Fé”
    http://boainformacao.com.br/08/29/baixo-publico-frustra-leilao-de-objetos-pessoais-de-chico-xavier/

  92. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, essa é clássica demais. Porsche mostra o fusca em projeto e hitler sorri:
    .
    http://f.i.uol.com.br/folha/ilustrada/images/10337724.jpeg
    .
    .
    Você já teve um fusca tb?
    .
    .
    A serra da beleza em valença tem muitos “casos”, dizem que é o maior local de incidência do “fenômeno ufo” no Brasil.
    .
    .
    Eu duvido vc passar lá de noite com seu carro depois de ver no youtube um vídeo que vou postar a noite!! Mesmo vc com uma .50, granadas crucifixo!! Vc vai tremer…

  93. Gorducho Diz:

    Não foi o Analista Scur que foi abduzido pela tripulação dum disco voador quem vai pra Vacaria?

  94. Contra o chiquismo Diz:

    Não, ele pediu pra descer em Pelotas sua terra natal.

  95. Contra o chiquismo Diz:

    Gorducho, vc foi do tempo que o Campo de Santana (onde o dr bezerra arma o hospital no carnaval) não tinha grades?

  96. Vinicius Diz:

    ele também monta hospital em carnaval fora de época kkk?
    qual a obra que fala que o Dr.Bezerra monta esse hospital?
    Sexo e Obsessão?

  97. Antonio G. - POA Diz:

    Gorducho, eu também não conheço em detalhes a biografia do auto-intitulado “Deus na Terra”, Sathya Sai Baba. Mas há bastante material na internet, com depoimentos de vítimas do cara e vídeos mostrando as grosserias fraudes de materializações de esferas, anéis e correntes de ouro que o guru protagonizava. Segue um texto sobre um já falecido detrator de Sai Baba e um vídeo que, de tão escandaloso, chega a ser risível.
    .
    “Sai Baba: guru ou charlatão?
    por Tanya Datta, repórter, Secret Swami
    Basava Premanand é o maior caçador de gurus da Índia. Ele acredita que o maior líder espiritual do país, Sri Satya Sai Baba, é um charlatão e deve ser exposto.
    A casa de Basava Premanand foi arrombada… de novo.
    É a terceira vez em apenas um mês. Mas ele não tem dúvidas sobre os motivos dos ladrões.
    Ele suspeita que estavam procurando por evidência que ele tem coletado por mais de 30 anos contra o maior guru espiritual da Índia, Sri Satya Sai Baba.
    O senhor Premanand acredita que essa evidência prova que o auto-intitulado “guru”, Sai Baba, é não apenas uma fraude como um perigoso molestador sexual.
    “Sai Baba não é nada além de um mafioso, enganando pessoas e enriquecendo”, ele diz.
    Como o maior caçador de gurus da Índia, Basava Premanand é a pedra no sapato de todos os milagreiros.
    Ele é o fundador da Federação de Associações Racionalistas Indianas e o editor da revista mensal chamada The Indian Skeptic.
    Ele acredita que seu dever é lutar contra “a maldição da credulidade assolando este país na forma de mito e superstição”, substitituindo-a ao invés pelo “evangelho da pura compreensão científica”.
    Desde 1976 Premanand tem estado em uma feroz guerra contra Sai Baba, um homem que comanda milhões de seguidores tanto na Índia quanto no exterior. Seus devotos acreditam que ele seja um Avatar, ou encarnação de Deus em forma humana.
    Mas para Premanand, este Deus não é nada sagrado.
    Alegações
    Rumores sobre Sai Baba abusar sexualmente de meninos devotos têm circulado por anos.
    Em 1976 um ex-seguidor americano, Tal Brooke, escreveu um livro chamado Avatar da Noite: o Lado Secreto de Sai Baba. Nele, referiu-se à exploração sexual do guru.
    Mas as alegações de Brooke foram ignoradas de pronto pela organização rigidamente controlada de Sai baba.
    O doutor Michael Goldstein, presidente da organização internacional Sai Baba, admitiu que ouviu os rumores, mas nos disse que não acredita neles. Ele disse: ‘Meus coração e minha consciência dizem que isso não é possível’.
    Mas nos últimos quatro anos, e com o crescimento da internet, a maré de acusações contra Sai Baba tem aumentado.
    Antigos devotos como Alaya Rahm e Mark Roche, entrevistados no filme da BBC Secret Swami, têm vindo à tona com histórias cada vez mais gráficas da séria exploração sexual do guru.
    Suas próprias experiências têm uma semelhança assustadora, embora se estendam a um período de quase 30 anos.
    Ambos foram sujeitos a Sai baba esfregando óleo em seus genitais.
    ‘Ele me escolheu’, disse Alaya Rahm, ‘colocou óleo em suas mãos, disse para que eu abaixasse minhas calças e esfregou meus genitais com o óleo. Fiquei perplexo’.
    Todas as alegações contra Sai baba até agora foram feitas por ocidentais.
    Mas o senhor Premanand diz que há muitos indianos que também dizem ter sido abusados mas têm medo de contar o que lhes aconteceu.
    Bem conectado
    Não é surpresa que as vítimas indianas tenham medo de represálias. A influência de Sai Baba sobre a elite na Índia é impressionante.
    Primeiros-ministros, presidentes, juízes e generais, todos vieram ao ashram (retiro religioso) em Puttaparthi no sul da Índia para demonstrar seus respeito.
    O antigo primeiro-ministro da Índia, o senhor Atal Vajpayee, certa vez divulgou uma carta com seu selo oficial chamando os ataques contra Sai baba de “selvagens, irresponsáveis e inventados”.
    Sai Baba também mantém relação íntima com a polícia. Um antigo chefe de polícia já foi seu chofer pessoal.
    Nada disso, contudo, detém o senhor Premanand que tem obstinadamente perseguido Sai Baba ao longo dos anos pelos tribunais, mídia e vários livros.
    Não surpreende que sua campanha tenha enfurecido alguns dos seguidores do homem santo.
    Até hoje, Basava Premanand sobreviveu a quatro tentativas de assassinato e leva as cicatrizes de vários espancamentos selvagens.
    Em 1986, foi preso pela polícia por marchar a Puttaparthi com 500 voluntários para um confronto bem divulgado com Sai baba.
    No mesmo ano, ele levou Sai baba ao tribunal por violar o Ato de Controle do Ouro ao produzir colares de ouro do puro ar sem a permissão do Administrador de Controle do Ouro.
    Quando o caso foi arquivado, o senhor Premanand apelou com base no fato de que o poder espiritual não era uma defesa reconhecida pela lei.
    Invasão
    Em junho de 1993, a paz do ashram foi quebrada quando um violento incidente ocorreu.
    Quatro devotos, que eram próximos de Sai Baba, invadiram de madrugada os aposentos privados do guru armados com facas.
    Seus motivos não são claros. Alguns dizem que eles avisariam seu guru da corrupção nos altos escalões do ashram. Outros dizem que eles pretendiam raptar ou mesmo matar Sai Baba.
    Eles foram detidos pelos ajudantes pessoais de Sai Baba e na violenta luta que se seguiu, dois dos ajudantes foram mortos e dois seriamente feridos.
    Sai Baba Conseguiu escapar através de uma escada secreta e deu o alarma.
    Pouco antes da polícia chegar, os quatro homens escaparam para o quarto de Sai Baba. Foi lá, diz a polícia, que os quatro foram alvejados pelos policiais em auto-defesa.
    O senhor Premanand diz que houve um encobrimento e foi à justiça.
    “O governo central interrompeu a investigação, porque se ela tomasse lugar muitas coisas seriam reveladas, como delitos econômicos e sexuais”.
    Ele ficou ultrajado porque Sai Baba – uma das testemunhas chave nos eventos daquela noite – não foi sequer interrogado.
    Ao longo dos próximos três anos, ele levou o caso até a Suprema Corte, onde foi finalmente derrotado.
    .
    Vídeo:
    https://www.youtube.com/watch?v=NOhxftt5Hn4

  98. Gorducho Diz:

    M/memória é com gradis.
    Mas não é um local onde andasse particularmente durante m/infância. Parávamos na frente do Iate Clube (Av. Pasteur) e na Praça Nicarágua.

  99. Antonio G. - POA Diz:

    Esse vídeo também é muito bom. Que sujeitinho FDP…

  100. Contra o chiquismo Diz:

    Vinicuis, vai dizer que não sabia dessa? Essa obra foi detratada aqui por nós há pouco tempo e nos garantiu boa diversão. Só um trecho pra vc:
    .
    .
    Ricardo alegou não ter relaciona­mento com bichos, especial­mente com os que se entregaram aos Falcões.(1)
    /////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
    (1) Os Falcões são um grupo de Entidades perversas, que trabalham mediante hipnose profunda, agindo nos centros perispiríticos, de modo a produzir os fenômenos de zoantropia psíquica nos que caem em suas garras.

    .
    .
    Não sei se vc conhece o RJ onde se passa o cenário do livro nas fronteiras da loucura, mas sempre é o meu caminho do trabalho.Quando eu era crente no ‘espiritismo’ ficava olhando para dentro do Campo de Santana na época do carnaval e ficava forçando a minha mente, me concentrando para ver o ‘HOSPITAL DO DR BEZERRA PARA ATENDIMENTO AOS DESENCARNADOS DO CARNAVAL CARIOCA’…e no canal do mangue, uns jovens depois de ficarem doidões por uso drogas enfiaram o carro no canal e morreram. Pode ver esse canal pra vc ter noção aqui no filme Macunaíma aos 1:18:15 em diante:
    https://www.youtube.com/watch?v=FNoga3IxPHs
    .
    .
    a cena do acidente no canal do mangue descrita nas fronteiras da loucura que aparece no filme:
    //
    //
    //
    Um acidente fatal – A movimentação prosseguia mais intensa nas atividades do Posto Central, à medida que a madrugada avançava. Os desfiles das Escolas de Samba continuavam pelo amanhecer e os foliões permaneciam excitados, quando dolorosa ocorrência reclamou a atenção do Dr. Bezerra de Menezes. Cinco jovens que pareciam embriagados tra­fegavam com velocidade, quando outro veículo fez uma ultrapassagem rápida. De repente, este freou violentamente em razão de um obstáculo na pista. Colhido pelo imprevisto, o jovem que guiava o outro carro ten­tou desviar-se, subindo ao passeio e chocando-se contra a balaustrada. O golpe muito forte rompeu a proteção, indo o carro cair nas águas lo­dosas do mangue, perecendo todos os seus ocupantes. Nas imediações do local, Dr. Bezerra foi saudado por veneranda mulher, desencarnada, que lhe relatou, comovida: “A par da compaixão que me inspiram os jovens, ora tombados neste trágico insucesso, por imprevidência, sofro o drama que ora se inicia com o meu neto, rapazote de 17 anos, cujo corpo jaz no fundo do pântano entre os ferros retorcidos do veículo destroçado”.
    .
    .
    Continua…

  101. Contra o chiquismo Diz:

    Tem tb a rede luminosa do dr bezerra que pescava espiritos, ela aparece em outro trecho do livro que não vou procurar agora.. mas tem esse trecho aqui da tarrafa luminosa:
    nas fronteiras d a loucura
    ///
    //
    //
    O atendimento – A prece do Dr. Bezerra atraíra vários coope­radores, inclusive do Posto Central, que captara a oração superior. Eram Espíritos adestrados em diversos tipos de salvamento, inclusive naquele gênero de acidentes. Os enviados do Posto haviam-se munido de uma rede especial. Os Benfeitores desceram ao fundo do mangue repleto de resíduos negros, densamente pastosos, onde jaziam os corpos dos cinco rapazes. Quatro cooperadores distenderam a rede, que se fez lu­minosa à medida que descia suavemente, sobre os despojos, superando a escuridão compacta. Alguns corpos estavam lacerados, com fraturas in­ternas e externas, estampando no rosto as marcas dos últimos momentos físicos. Fortemente imantados aos corpos, os Espíritos lutavam, em de­sespero frenético, em tentativas inúteis de sobrevivência. Morriam e ressuscitavam, remorrendo em contínuos estertores… Se gritavam por socorro, experimentavam a água pútrida dominar-lhes as vias respirató­rias, desmaiando, em angústias lancinantes. Os lidadores destrinçaram os laços mais vigorosos e colocaram os Espíritos na rede protetora, que foi erguida à superfície do mangue, sendo dali transferidos para padiolas

  102. Contra o chiquismo Diz:

    Esse dr bezerra é o ídolo dos ‘espiritas’ não é atoa … .
    (ainda nas fronteiras da loucura)
    //
    //
    //
    A luz vence sempre as trevas – Os agressores formavam uma horda ruidosa e expressiva e, logo que viram Dr. Bezerra e seus ami­gos, começaram os doestos e as imprecações sem sentido. “Chegaram os salvadores! – baldoou um deles, de fácies patibular. – Vêm em nome do Crucificado, que a si mesmo, sequer, não se salvou.” Um coro de blasfêmias estrugiu no ar. Punhos se levantaram cerrados e as agressões verbais sucederam-se, ameaçadoras. “Formemos uma muralha em torno deles – rosnou ímpio verdugo, que se aproximou denotando suas intenções maléficas – e impeçamos que se intrometam em nossos direi­tos. Esmaguemos os impostores, não convidados.” Dr. Bezerra mantinha-se em oração, tendo ao lado apenas três servidores do Bem, e, subita­mente, se transfigurou. Uma luz irradiante dele se exteriorizou, débil a princípio, forte a seguir, envolvendo os quatro amigos, enquanto co­meçaram a cair leves flocos de substância delicadíssima, igualmente luminosa, que parecia provocar choques na malta irreverente, graças às desencontradas reações que eclodiam. Alguns se afastaram, assustados. Outros caíram de joelhos e, de mãos postas, julgando estar diante de anjos, rogaram socorro e proteção. Os mais pertinazes malfeitores tei­mavam, porém, em permanecer, afirmando que os desgraçados que haviam acabado de morrer lhes pertenciam e dali não arredariam pé. Um clarão mais forte fez-se, então, de inopino, atemorizando a turba furibunda, que se dispersou em verdadeira alucinação… Rapidamente diluiu-se a treva densa e desapareceram os comensais da maldade, vítimas de si mesmos, ficando o ambiente respirável. As impressões fortes da cena permaneciam, po­rém, na mente de Philomeno: aqueles Espíritos apresen­tavam-se anima­lescos, lupinos e simiescos, enquanto os que preservavam as formas hu­manas estavam andrajosos e sujos, formando um quadro dantesco, realmente apavorante. Aqueles seres vitalizados pelas ema­nações humanas no desenfreio da orgia pareceram-lhe mais horripilantes e te­merosos do que os que ele já vira nas regiões inferio­res… Dr. Bezer­ra pediu-lhe então não estranhasse sua apa­rente indiferença em re­lação à dor dos que ali suplicaram socorro. “O apelo de ajuda resulta-lhes, no momento, do medo e não de um sincero desejo de renovação. To­dos respiramos – asseverou o Mentor – o clima dos interesses que susten­tamos. Logo os necessitados se voltem na di­reção da misericór­dia, a terão.” (Cap. 10, pp. 78 a 80)
    .
    .
    Dr bezerra era demais!! Fez nevar flocos de 220v! O cara faz N E V A R ! ! !

  103. Contra o chiquismo Diz:

    Mais sobre a rede luminosa do dr bezerra:
    ..
    .
    Os cooperadores que vieram em auxílio, alguns enviados do Posto Central que captara a oração superior, eram adestrados em diversos tipos de salvamento, inclusive naquele gênero de acidentes. Os que chegaram do Posto haviam-se munido antes de uma REDE especial e apresentaram-se. O Mentor convidou-nos à concentração e descemos ao fundo do mangue repleto de resíduos negros, densamente pastosos. Betume e restos de solventes, hulha, petróleo bruto misturavam-se no solo pestilento do canal onde o veículo mergulhara, no qual pereceram, asfixiados, os moços. QUATRO COOPERADORES DISTENDERAM A REDE QUE SE FEZ LUMINOSA, À MEDIDA QUE DESCIA SUAVEMENTE, SOBRE OS DESPOJOS, SUPERANDO A ESCURIDÃO COMPACTA.

  104. Contra o chiquismo Diz:

    Ainda nesse livro… ( E NEM EXISTIA OS COMPRIMIDOS DE ECSTASY!!)
    .
    .
    //
    “, paradas cardíacas por excesso de movimentação e exaustão de forças, desencarnação por abuso de drogas ofereciam um índice elevado de vitimas de si mesmas, pela imprevidência, nos dias tormentosos da patuscada irrefreável…”
    ///
    //
    poxa… “paradas cardíacas por excesso de movimentação ”
    então o cabra de tanto sambar pode morrer ??
    Agora entendo a música do Chico Buarque:
    //
    //
    “O Que Será (À Flor da Pele)
    Chico Buarque”
    ….
    Que é feito uma aguardente que não sacia
    Que é feito estar doente de uma folia.
    //
    doente de uma FOLIA.

  105. Contra o chiquismo Diz:

    Vinicius, tem o livro completo aqui para vossa alegria:
    .
    .
    http://bvespirita.com/Nas%20Fronteiras%20da%20Loucura%20(psicografia%20Divaldo%20Pereira%20Franco%20-%20espirito%20Manoel%20Philomeno%20de%20Miranda).pdf

  106. Contra o chiquismo Diz:

    Agora que eu vi… ALÔ BR DISTRIBUIDORA, TEM PETRÓLEO BRUTO NO CANAL DO MANGUE CARIOCA!!!!!
    .
    .
    “O Mentor convidou-nos à concentração e descemos ao fundo do mangue repleto de resíduos negros, densamente pastosos. Betume e restos de solventes, hulha, “”petróleo bruto”"” misturavam-se no solo pestilento do canal onde o veículo mergulhara, no qual pereceram, asfixiados, os moços.”

  107. Espírita Sp Orlando Diz:

    Dr Vlad, demostenes
    Estou precisando de conselhos para não desistir do espiritismo. Minha mãe ainda não sabe e desde criança faço cursos.

  108. Larissa Diz:

    Dr Vlad, demostenes
    Estou precisando de conselhos para não desistir do espiritismo. Minha mãe ainda não sabe e desde criança faço cursos.
    .
    Meu conselho: Desprenda-se das religiões oficiais e busque a verdade, seja ela qual for.

  109. Larissa Diz:

    O espiritismo, infelizmente, é um circo…

  110. Larissa Diz:

    Muito se diz que o espiritismo é a terceira revelação…mas como, se não houve a primeira??
    https://www.youtube.com/watch?v=coTDdzp2iZY

  111. Gorducho Diz:

    Estou começando a achar que não é ele…
    É bom d+ pra ser verdade: AS não conseguiria disfarçar tão bem…
    E mais: tanto tempo em SP, visto que a Administração certamente monitora toda zona #54 :(

  112. Larissa Diz:

    Outra coisa que descobri recentemente sobre umas das bases do espiritismo que trata-se apenas de uma das inúmeras teorias do século XVIII – XIX hoje completamente refutadas pela ciência: o principio vital.
    Hoje, a teoria do vitalismo foi totalmente refutada pela bioquímica.
    .
    Veja você mesmo:
    https://pt.wikibooks.org/wiki/Bioqu%C3%ADmica/Hist%C3%B3ria#O_fim_do_vitalismo
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Vitalismo
    .
    Eu também preciso de conselhos para não desistir da espiritualidade.

  113. Gorducho Diz:

    Por outro ângulo: quando a esmola é d+ o santo desconfia
    :mrgreen:

  114. Larissa Diz:

    Pois é amigo… mas não custa deixar as mensagens, crendo estarem todos de boa-fé…

  115. Gorducho Diz:

    Alô alô Dr.: (todos sabemos que espreita…) dê seu conselho p/o Sr. Orlando!

  116. Gorducho Diz:

    Então vou dar supondo que não é sacanagem:
     
    o espiritismo é um circo; procure sua própria verdade sabendo que esta não é…

  117. Gorducho Diz:

    E claro, comoo supradito: todos oficialismos, todas cartolagens religiosas, são circos destinados a tirar $ ou ao menos exercer poder político – ainda que indireto – sobre os mentalmente pedestres.

  118. Contra o chiquismo Diz:

    seja voluntário da FEB, nesse carnaval eles vão montar uma barraca no campo de santana pra vibrar e ajudar o dr bezerra… vai ficar legal os espiritas vestidos todos de branco com uma camisa com uma cruz vermelha estampada. Dra scheila vai ser a mentora da barraca.

  119. Vinicius Diz:

    Obrigado Contra, vou folheá-lo ou talvez lê-lo inteiro. Na verdade já ouvi essa história do Carnaval, mas nunca havia lido nos livros. Tem até palestras de Divaldo falando disso (acho que é Carnaval e Espiritismo a palestra, ele fala que o Carnaval é praticamente sacanagem aqui e acolá (não falou nesses termos hein…
    Ele fala que a palavra CARNAVAL significa : a CARNe nAda VALe.

  120. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Marciano Diz:
    MONTALVÃO, esse livro, The Psychic Mafia
    M. Lamar Keene, Prometheus Books, 1997, eu já li.
    Tenho ele (em inglês).
    O Lamar foi médium e confessa tudo no livro.
    Vale a pena ler.
    /.
    PONDERAÇÃO: tomem tenho o livro, tá guardo pra quando eu dominar o idioma lê-lo.
    .
    Esta seria uma boa obra para o Vitor traduzir…
    .
    No site http://saudesabervirtude.blogspot.com.br, achei artigo a respeito que me soou interessante, dele posto partes, chamo a atenção para os últimos parágrafos em que a reflexão do autor é magistral:
    .
    ==============================.
    “Como vimos nas postagens anteriores os supostos fenômenos espiritualistas e pretensões de poderes paranormais sempre foram acompanhados de perto por céticos que não pouparam esforços para denunciar suas fraudes e artimanhas.
    .
    Os espiritualistas tentam se defender alegando perseguição religiosa e os paranormais, preconceito com aquilo que as pessoas não conseguem explicar. Porém, quando alguém do próprio meio deles resolve “colocar a boca no trombone”, “a casa cai”!
    .
    Foi exatamente isto que aconteceu quando M.Lamar Keene, um médium altamente bem sucedido que trabalhava no Acampamento Chesterfield (retiro espiritualista localizado no estado de Indiana nos Estados Unidos), resolveu contar toda a verdade.”
    [...]
    Sua crise de consciência não aconteceu porque ele estava utilizando seus “dons” para fins de lucro financeiro, mas porque ele sabia que todas suas capacidades mediúnicas eram resultado de encenação fraudulenta, truques de ilusionismo e “vigaritisse” no nível mais elevado.
    [...]
    Em seu livro “A Máfia Psíquica”, Keene detalha todas suas trapaças, expondo em detalhes como conseguia através de vários truques relativamente simples, enganar tantas pessoas.
    .
    Ele explica:
    .
    “Fosse minha trombeta flutuante inexplicável, por que os comunicadores de espírito falaram com as suas famílias e amigos ainda aqui na terra; minhas formas resplandecentes de espírito, que só não falaram aos vivos, mas os tocaram, mesmo abraçando-os; minha clarividência perturbadoramente exata, que provou que o espírito acompanhava o cotidiano da existência de seus entes queridos, cientes das coisas mais triviais em suas vidas – foram estes fenômenos psíquicos misteriosos que mantiveram as pessoas vindo e, bem importante, o dinheiro fluindo.” (A Máfia Psíquica, pág. 90, Edição de brochura de Dell, 1977).
    /
    [...]
    Muitos ficavam admirados com a clarividência demonstrada por Keene em suas sessões. Para muitos a revelação de vários detalhes sobre os mortos que consultavam era uma prova irrefutável da comunicação com estes espíritos desencarnados.
    [...]
    As pessoas que procuravam seus serviços “espirituais” já o faziam pré-dispostas a acreditar que tudo aquilo era a mais absoluta verdade, por este motivo eram tão ingênuas fornecendo sem qualquer desconfiança tantas informações preciosas.
    [...]
    bom mesmo é fornecer ao médium informações falsas, pois assim, se o mundo dos espíritos for realmente verdadeiro, ele deverá ser avisado pelo além do engodo e poderá até receber uma mensagem de repreensão àquele que procura enganá-lo.
    [...]
    Imagine a cena:
    .
    Você vai consultar um médium em uma cidade situada a milhares de quilômetros do local onde reside, e durante a sessão este médium, que nunca lhe viu antes e de posse apenas de seu nome e local de origem, lhe conta detalhes de sua vida familiar, sua saúde, o nome de seu suposto guia espiritual e até que você há uns dois anos atrás consultou um outro médium que lhe disse tais e tais coisas.
    .
    Seguramente você sairia de lá impressionado e crendo piamente que tudo só seria possível caso a comunicação com os espíritos fosse uma realidade, não é mesmo?
    .
    [...]
    Mas o ponto alto e verdadeiramente marcante das sessões feitas por Keene era a materialização dos espíritos. Estas aparições fantasmagóricas eram sempre realizadas em um ambiente convenientemente escurecido, mas com a desculpa que isto era necessário para que o ectoplasma da figura pálida e etérea do espírito pudesse ser visualizado pelos olhos humanos.
    .
    Vou deixar que o próprio “mestre” Lamar Keene lhe explique tudo:
    .
    “As luzes eram desligadas com exceção de um bulbo vermelho grande controlado por um interruptor que lançava brilho suficiente para iluminar o ectoplasma… Para as sessões de materialização eu usava calça e meias pretas que absolutamente nada apareciam escuridão. Então, enquanto os assistentes cantavam (um hino), eu vestia meu traje de espírito de gaze… Quando estava pronto – o que pode ser em tão pouco tempo quanto dez segundos caso fosse necessário – sairia do gabinete, arrastando nuvens de ectoplasma…”
    /
    [...]
    “Nós às vezes permitimos fotografias infravermelhas para provar a realidade dos fenômenos de materialização. Estas eram batidas só quando os espíritos davam o sinal garantindo que só o que nós quiséssemos fosse capturado na película… Com outros médiuns de preto furtivamente entrando no lugar podíamos e às vezes produzíamos uma delegação de espíritos materializados… Os cabides cobertos em ectoplasma também faziam um espírito transitável, tipo semi-materializado. Para retratar uma criança eu me ajoelhei na escuridão. Às vezes os clientes eram convidados a aproximar-se do espírito para perscrutar diretamente em seu rosto. Eu tinha uma variedade de máscaras de rosto de homens, mulheres e crianças para todas tais ocasiões…”
    /
    [...]
    Lamar Keene não deixa dúvidas em seu livro de que acredita que todos os fenômenos mediúnicos são falsos, embora entenda que algumas pessoas podem ter algum tipo de Percepção Extra-Sensorial natural.
    .

    William Rauscher, um pesquisador psíquico que escreveu a apresentação para o livro, já pensa diferente. Apesar das revelações de Keene serem avassaladoras para o espiritualismo moderno, Rauscher prefere crer na existência de verdadeiros médiuns, pois entende que tais fraudes não se apliquem a toda e qualquer experiência espírita.
    .
    É fato inquestionável de que a vontade de crer em algo supera as evidências da razão, pois apesar das inúmeras provas contrárias, o crédulo sempre se permitirá crer que algum dia, em algum lugar, surgirão as evidências que coadunem com a sua crença.
    .

    Realmente a fé é poderosa! Por exemplo: A médium Eusápia Palladino foi pega comprovadamente em fraude, porém alguns insistem em enfatizar que, como alguns fenômenos realizados por ela permanecem até hoje sem explicação, é possível que exista algo de genuíno. Quer dizer, não basta provar de uma vez por todas que a mulher é uma farsante, mas é preciso desmascarar 100% de tudo que ela fez, pois caso fique apenas um fenômeno sem explicação, os crédulos encontrarão ali seu “preguinho” para pendurar suas crendices.
    .

    A história registra vários médiuns como Gladys Leonard, Leonora Piper e Eileen Garrett que “dizem” terem sido exaustivamente testados sem nunca terem sido pegos em algum tipo de fraude qualquer. Alguns preferem interpretar isto como uma evidência da realidade do mundo dos espíritos, porém, a bem da verdade, eu insisto em querer saber quais foram estes testes, quem testou, em que condições eles aconteceram, antes de chegar a qualquer tipo de conclusão.
    .
    Keene dá a entender que se a maioria ou apenas alguns fenômenos são resultados de fraude, então a conclusão mais provável é de que todos sejam fraudes. Os crédulos são rápidos em refutar este tipo de raciocínio argumentando que tal pensamento equivale a concluir que todas as notas são falsas por existir algumas comprovadamente falsificadas.
    .

    Chamo isto a sutilezas do pensamento crente. Note a perspicácia da argumentação: realmente é um absurdo afirmar que todo dinheiro que existe é falso, com base na descoberta comprovada de que algumas ou várias notas são frutos de falsificação.
    .
    Mas calma lá! É um absurdo tentar extrapolar este tipo de raciocínio para o assunto em questão, por vários motivos:
    .

    Primeiro, antes que surgisse a nota falsa, já existia a nota comprovadamente verdadeira.
    .
    Segundo, enquanto as notas comprovadamente verdadeiras são a esmagadora maioria em circulação, as notas falsas serão sempre uma reduzida parte.
    .
    Terceiro, as notas falsas são identificadas como falsas a partir da comparação com as notas comprovadamente verdadeiras.
    .
    Agora tente aplicar os três pontos acima ao espiritismo:
    .

    Primeiro, há fortes indícios na história de que o espiritismo moderno, que se originou com as batidas na casa das Irmãs Fox, tenha sido resultado de fraude, como elas próprias mais tarde admitiram. Então temos aqui o falso sendo gerado antes do verdadeiro.
    .
    Segundo, no caso dos fenômenos mediúnicos ou sobrenaturais, a esmagadora maioria é fruto de fraude comprovada. Apenas uma pequena parte permanece sem uma explicação satisfatória, porém, desta minoria, nenhum (sem exceção) foi até hoje comprovado de forma cientificamente irrefutável como um fenômeno genuíno.
    .

    Terceiro, se não temos nenhum fenômeno comprovadamente autêntico, qual é o parâmetro de comparação para se determinar o verdadeiro?
    .
    Percebeu como a argumentação do dinheiro verdadeiro e falso é sutil e até pode ser convincente para aqueles que não pararam para analisá-la com o devido critério?
    .
    Concluindo, o livro “A Máfia Psíquica” de M. Lamar Keene, bem como todas as desmistificações feitas pela ciência atual e até por mágicos como Harry Houdini no século passado, continuarão sendo a única referência comprovadamente segura que temos para avaliar tais fenômenos.
    .
    Qualquer coisa diferente disto não passa de conjectura ou um simples ato de “fé”.

  121. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Tá explicado onde encontra tempo para tanta coisa, cachorros incluídos.”
    /.
    PONDERAÇÃO: até para dormir, por incrível que seja, encontro um tempinho…

  122. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Quem anda com traça, traça o come.
    Quem com cães se deita, com pulgas se levanta.”
    /
    .
    PONDERAÇÃO: quem dorme como morcego acorda mijado…
    .
    Eu, vez por outro durmo com meus cães, mas as pulgas os preferem a mim…

  123. MONTALVÃO Diz:

    /.
    /
    “tirou a Alemanha do buraco (depois jogou-a novamente no buraco).”
    /.
    PONDERAÇÃO: tirou-a do buraco para jogá-la no abismo…

  124. Contra o chiquismo Diz:

    MONTALVÃO Diz:
    SETEMBRO 28TH, 2015 ÀS 1:29 PM
    /.
    /
    “tirou a Alemanha do buraco (depois jogou-a novamente no buraco).”
    /.
    PONDERAÇÃO: tirou-a do buraco para jogá-la no abismo…
    .
    .
    Mas nos deu o fusca, he he he…
    .
    .

    Montalvão, sabia que fuscas reencarnam? Depois de encostados, batidos com pt, ou totalmente apodrecidos, aproveita-se o chassi e vira um reluzente buggy. Tem muitos perto de vc na região dos lagos.

  125. Borges Diz:

    Contra o chiquismo Diz:
    SETEMBRO 27TH, 2015 ÀS 9:30 PM
    Borges, vc citou ‘ médium ‘, vc acredita que existem intermediários entre esse mundo e o ‘além’.”
    Resposta: – Acredito. A citação no texto foi apenas um recurso literário para evitar a repetição de palavras; penso que isto é comum no meio jornalístico para a identificação do personagem. Eu não estava afirmando com todas as letras que CX era médium. Se prestar atenção vai notar que a citação está presente numa frase que desabona a capacidade mediúnica do mencionado.
    Embora você não tenha indagado, minha inclinação é aceitar certo grau de mediunidade em CX e já apresentei os motivos em outro comentário.

    “ Eu disse que não existem, vc vem com uma citação de pseudo ceticismo. Não tendi nada… aonde vc quer chegar? Quer se convencer que a maioria de nós aqui está errada e vc quer que acreditemos na fantasia em q vc crê?”
    Comentário:- Gostaria que lesse novamente meu “post” a respeito, a única citação que saiu da minha mente é : “encontrei na Wikipédia”.
    Eu não quero convencer ninguém, note que digo sempre: eu penso, eu acho, eu acredito; não sou dono da verdade absoluta. Não se preocupe, não acho que vocês estão errados, apenas penso que ninguém tem certeza absoluta sobre estes assuntos.

    “ Não tem provas Borges. ‘Espiritos’ não existem.” “
    Comentário:- (ESPÍRITOS NÃO EXISTEM) – Este tipo de citação, esta certeza absoluta da negação, é que me levou a extrair o texto da Wikipédia, até então eu desconhecia o termo pseudo ceticismo. Infelizmente eu não sou iluminado como você, portanto não tenho esta certeza absoluta, vou continuar pesquisando até o fim da vida; minha religião é a PESQUISA.
    Obrigado

  126. Contra o chiquismo Diz:

    Borges Diz:
    SETEMBRO 28TH, 2015 ÀS 1:54 PM
    .
    .
    Embora você não tenha indagado, minha inclinação é aceitar certo grau de mediunidade em CX e já apresentei os motivos em outro comentário.
    .
    .
    Ótimo, então nosso lar, andre luiz, emmanuel, irmã josefa… tudo isso existe.
    .
    .
    Não existe certo grau, meio ‘medium’. Ou é ou não é.
    .
    .
    E cx não era e nem outro hj em dia é.
    .
    .
    Booooorgeeeees…. ‘espiritos’ não existem. Como diz o Montalvão: ‘se existem não se comunicam’.

  127. Contra o chiquismo Diz:

    Borges, se eles ‘existem’ vc acha mesmo que tomam choques de flocos de neve? Que ditam coisas racistas? Que se agarram a tarrafa luminosa como se fossem pacus? Que se materializam e vão lá centro frei luiz matar um ‘medium’?

  128. Borges Diz:

    Bagel:- perdoe-me, notei seu comentário apenas na segunda varredura, portanto estou respondendo com atraso.

    “ Na mediunidade não é um espírito que expõe suas ideias e um médium que as copia fielmente. A mediunidade é uma intenção de um lado e uma interpretação do outro. Pelo menos é dessa forma que o Espiritismo entende o processo mediúnico.”
    Comentário:- Então, não vale nada,” ou melhor dizendo”, é um VALE TUDO.

    “Não examine, portanto, as cartas de Chico Xavier pelo estilo, maneirismos, cadência do texto, etc. Isso, sabemos, é uma característica dele. Outros médiuns também possuem um estilo que os identificam independentemente do espirito que assina a mensagem.”
    Comentário:- Me perdoe Bagel, também frequentei o espiritismo, li as chamadas cinco obras básicas do mestre de Lyon, li também um punhado de livros do CX e um monte de outros livros tidos como espíritas. Acho que tenho cacife suficiente para dizer que isto não corresponde a verdade. Será que um espírito e um médium que se esforçam para reproduzir fielmente uma assinatura, não têm capacidade conjunta para transmitir e reproduzir palavra por palavra.
    A primeira hipótese, e a mais elementar, é que Chico Xavier obteve essas informações utilizando uma rede de informantes. É possível? Sim, é possível. De fato isso ocorreu?”
    Responda você mesmo Bagel: Waldo Vieira disse que encontrou frascos de perfumes no armário de CX, que eram utilizados durante as seções em que surgia o espírito de Sheila, portanto, perfume da Botica Veado de Ouro e não perfume paranormal.
    Diversos trechos de obras de CX, podem ser considerados plágios ou quase plágios de outras obras, assunto exaustivamente tratado neste blog.
    A denúncia do sobrinho Amauri Pena.
    As materializações falsas da médium Otília Diogo, com participação de CX e WV.
    O desentendimento entre CX e Divaldo devido a prováveis plágios deste último.
    Inúmeros outros detalhes que desabonam a mediunidade do CX você poderá encontrar lendo os assuntos postados neste blog, basta pesquisar.
    Obrigado.

  129. vinicius Diz:

    http://noticias.r7.com/tecnologia-e-ciencia/fotos/vida-fora-da-terra-nasa-divulga-existencia-de-agua-liquida-em-marte-28092015#!/foto/1
    http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2015/09/marte-tem-corregos-sazonais-de-agua-salgada-revela-sonda-da-nasa.html
    Marte tem ‘córregos’ sazonais de água salgada, revela sonda da Nasa
    Veios de salmoura se formam em encostas de montanhas em meses quentes.
    Descoberta reacende discussão sobre se planeta é habitável por micróbios.
    E agora o “Circo dos Espíritos”, qual MARTE escolher???
    Trechos do site: http://falhasespiritismo.org/tag/marte/#trogloditas
    Os Marcianos Trogloditas da Codificação
    O planeta Marte é, sem dúvida, uma fonte de controvérsias entre diversas comunicações mediúnicas.
    Revista Espírita de março de 1858, Júpiter e alguns outros mundos:
    (…) . Segundo os Espíritos, o planeta Marte seria ainda menos avançado do que a Terra; os Espíritos que nele estão encarnados pareceriam pertencer, quase exclusivamente, à nona classe, a dos Espíritos impuros, de sorte que o primeiro quadro, que demos acima, seria a imagem desse mundo.(…)
    Revista Espírita de outubro de 1860:
    Marte é um planeta inferior à Terra da qual é um esboço grosseiro; não é necessário habitá-lo. Marte é a primeira encarnação dos demônios mais grosseiros; os seres que o habitam são rudimentares; têm a forma humana, mas sem nenhuma beleza; têm todos os instintos do homem sem o enobrecimento da bondade. Entregues às necessidades materiais, eles bebem, comem, lutam, se unem carnalmente. (…)
    No Livro dos Espíritos (LE, 1862, 2ª ed.) parte II, cap. IV, q. 188, é repetida a classificação de Marte.
    Segundo os espíritos, de todos os mundos que compõem o nosso sistema planetário, a Terra é dos de habitantes menos adiantados, física e moralmente. Marte lhe estaria ainda baixo, sendo-lhe Júpiter superior de muito, a todos os respeitos (…)
    O curioso é que os espíritos de terceira ordem não são, pelo LE, seres irracionais. Segundo o LE, parte II, cap. I, 101:
    A inteligência pode achar-se neles aliada à maldade ou à malícia; seja, porém, qual for o grau que tenham alcançado de desenvolvimento intelectual, suas idéias são pouco elevadas e mais ou menos abjetos seus sentimentos. Ainda que brutais, portanto, os marcianos teriam algum grau de inteligência, no mínimo; sendo, com certeza, formas de vida complexas. Hoje se sabe que o ambiente de Marte é desolado, hostil, com rala atmosfera e alta incidência de radiação solar. Talvez o planeta tenha tido um passado mais hospitaleiro, tendo inclusive considerável quantidade de água na superfície. Se alguma forma de vida surgiu e sobreviveu, deve estar no subsolo e calotas polares (onde ainda há água congelada). Não se espera mais do que micróbios.
    Flammarion e o Marte Avançado
    Curiosamente, um dos companheiros e auxiliares de Kardec, Camille Flammarion, publicou em 1888 o livro Uranie (Urânia, na versão em português da FEB), Flammarion entre em choque com a Codificação
    Os habitantes de Marte são muito superiores aos da Terra, pela sua organização, pelo número e pela delicadeza de seus sentidos, e pelas faculdades intelectuais. O fato de ser a densidade muito fraca na superfície daquele mundo, e as substâncias constitutivas dos corpos menos pesadas lá do que aqui, permitiu a formação de seres incomparavelmente menos pesados, mais aéreos, mais sutis, mais sensíveis. O fato de ser nutritiva a atmosfera, libertou os organismos marcianos das grosserias das necessidades
    Chico Xavier no livro Novas Mensagens do Espírito de Humberto de Campos( FEB, 1940, pp. 57-68) recebeu a revelação de que em Marte é povoado por seres em “adiantadíssima evolução”.
    Hercílio Maes psicografou de Ramatis o livro A Vida no Planeta Marte onde diz serem os marcianos avançados tecnologicamente mil anos em relação à Terra e 500 no aspecto moral.
    Emmanuel – Dissertações Mediúnicas
    “Assim como Marte ou Saturno já atingiram um estado mais avançado em conhecimentos, melhorando as condições de suas coletividades, o vosso orbe tem, igualmente, o dever de melhorar-se, avançando, pelo aperfeiçoamento das suas leis, para um estágio superior, no quadro universal”

  130. vinicius Diz:

    nas outras religiões que passei (católico e evangélica) não há essas coisas engraçadas (pelo menos para mim) . os espíritos, o CX, o Bezerra,o DPF, os livros sacanas sobre sexo, o aérobus, o umbral , os chegam a ser “engraçados” literalmente! Hoje dou risada da pimenteira, do vaso que some de um lugar e aparece em outra, do Kardec ouvindo o espirito batendo na parede do seu quarto e no dia seguinte esse espirito falar que era o tal “verdade” e que ele não estava gostando do que o lyon estava escrevendo kkkk, a mensagem do espirito verdade aparecendo como falsa no livro dos médiuns e verdadeira no evangelho segundo o espiritismo, os famigerados “ovoides” do André Luiz, as senhas secretas do CX, o tumulo blindado do CX, o filho adotivo a falar na mídia que estão depredando o tumulo, o CX ou alguma história ligada a ele sempre aparecer na mídia (impressa, visual etc) seja mal ou bem, a TV globo, as revistas nunca questionarem a mensagem com a tal senha, porque ele não deu mais mensagem com essa senha, kkk
    de fato, um CIRCO.

  131. Espírita Sp Orlando Diz:

    Gorducho Diz:
    setembro 27th, 2015 às 7:31 PM

    Essa mesma que ditou a psicografia lhe aconselhando tomar homeopatia em conjunto c/remédios?

    os espíritos desviavam o leite de Maria para não contaminar o divino mestre
    :lol:
    Do Dr. Bezerra também sempre tem novidades: essa não sabia também.
    Por sugestão do AV comprei o Estudos Filosóficos III – recomendo: 19,90 edição de alta qualidade gráfica & papel. É genial: tem desde uma pimenteira que um espírito arranca e arrasta morro acima em Cupertino (?) RJ; até a explicação do dilúvio universal. Tem o artigo onde ele deduz que Jesus não poderia ter um corpo terrícola por repugnar à razão dum espírito divino tomar a carne de pecadores. Mas essa do leite não tem!

    A do leite está nos Quatro evangelhos de Roustaing Tomo I pag 243

  132. vinicius Diz:

    Quase vendi o meu ao gorducho, mas depois que deu uma folheada na internet resolvi ficar para ler por inteiro kkk

  133. Larissa Diz:

    Orlando, já contou pra sua mãe que você não é mais espírita??

  134. Gorducho Diz:

    A do leite está nos Quatro evangelhos de Roustaing Tomo I pag 243
    :o
    O mais parecido que vi é o #65, pg. 255 da ed. ’66; mas não fala especificamente em leite…
    Les esprits supérieurs, qui l’entouraient, en nombre incalculable pour vous, – soumis à sa volonté et dévoués, – faisaient disparaître les aliments qui lui étaient présentés et dont il n’avait que faire: ils les enlevaient, de manière à faire illusion complète aux yeux humains, au fur et à mesure quíls paraissaient être pris et consommés par Jésus, en les enveloppant de fluides qui les dérobaient à la vue; et ils les transportaient et dispersaient de telle façon qu’ils pussent servir et servissent aux besoins d’autres créatures.

  135. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, vai lá de carro a noite, quero ver tu ter coragem!!!!
    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=yknVUgy9WKA
    .
    em especial aos 4:15 do vídeo.

  136. Borges Diz:

    “Ótimo, então nosso lar, andre luiz, emmanuel, irmã josefa… tudo isso existe.”
    Contra:- Tudo isso, penso eu, não “equixiste”, está fora do “certo grau de mediunidade de CX”.
    “Não existe certo grau, meio ‘medium’.”
    Assim como existem diferentes graus de audição e de acuidade visual, também existem diferentes graus de mediunidade conforme meu entendimento.
    “Ou é ou não é”.
    Acho que você cometeu ato falho admitindo que é, ou seja, considera as duas possibilidades.

    “Booooorgeeeees…. ‘espiritos’ não existem.”
    Se você provar ganha uma caixa de “bis”.
    “Borges, se eles ‘existem’ vc acha mesmo que tomam choques de flocos de neve? Que ditam coisas racistas? Que se agarram a tarrafa luminosa como se fossem pacus? Que se materializam e vão lá centro frei luiz matar um ‘medium’?”
    Há muita mentira e fantasia envolvendo os fenômenos mediúnicos, é necessário separar o joio do trigo. Como diz um velho ditado: Nem tudo o que reluz é ouro.
    Obrigado

  137. Marciano Diz:

    Que eu me lembre, era sobre a definição do termo “legume”.
    O que importa é que essa revista é um lixo e, como bem lembrou ANTONIO, o grau de discernimento do Simonal é bem claro, pois que só parou de dar crédito a essa revista infantil depois que ela falou dos dois lados do santo cx.
    .
    .
    ANTONIO, o que mais será que o babão e o DPF, que ainda baba por ele mesmo depois de seu desenlace, aprontaram, além da cura da angina?
    .
    .
    Espírita Sp Orlando Diz:
    SETEMBRO 28TH, 2015 ÀS 9:27 AM
    O sai baba é aquele envolvido em montao de crimes? Putz mais um tapa na minha crença.To parecendo filiado de partido com denúncias de corrupção.
    .
    Já te falei, quando criar juízo, será bem-vindo na nossa bancada.
    Está de braços abertos a todos os que abrem os olhos.
    .
    .
    .
    .
    .
    Gorducho Diz:
    SETEMBRO 28TH, 2015 ÀS 9:35 AM
    Sobre supostos “crimes” do SB, nada sei, Sr. Orlando.
    Mas veja a mente d’alguém que se encanta por um ser desses…
    E se é que não é o AS, se convença: nós cá dizemos a verdade sobre o espiritismo.
    .
    http://exposedsaibaba.blogspot.com.br/
    .
    Mais o que citou ANTONIO.
    .
    .
    .
    .
    O leilão só aceitava lances presenciais para a compra de objetos como o boné, os óculos de lentes grossas e a flanela que pertenceram ao médium.
    .
    Deve haver mais de um boné e óculos. Ele foi enterrado de óculos e de boné.
    Marciano Diz:
    JUNHO 22ND, 2014 ÀS 2:09 AM
    .
    Outra semelhança com os temas do blog é que Batman está no caixão vestido a caráter, inclusive com a máscara. cx também foi velado e enterrado de óculos e boné.
    .
    http://obraspsicografadas.org/2014/batman-o-que-aconteceu-ao-cavaleiro-das-trevas/
    .
    ..
    .
    .
    CONTRA, nunca tive fusca, mas já dirigi.
    Quando tirei habilitação, as aulas e teste eram de fusca.
    .
    Poste o tal vídeo, fiquei curioso.
    .
    .
    .
    .
    GRASSOUILLET, O Scur filmou o disco voador, com um celular de 3 megapixels. As imagens são uma merda, mas ele jura até hoje que era disco voador.
    Disse que o veículo interagiu com ele e que tinha outras testemunhas.
    .
    .
    .
    .
    .
    Gorducho Diz:
    SETEMBRO 28TH, 2015 ÀS 12:56 PM
    Estou começando a achar que não é ele…
    É bom d+ pra ser verdade: AS não conseguiria disfarçar tão bem…
    .
    Também estou achando que não, mas o Scur andava meio cambaleante com o espiritismo, na última conversa que tivemos, faz alguns meses.
    Por outro lado, Scur não tem nada que fazer em SP.
    .
    .
    .
    .
    MONTALVÃO Diz:
    SETEMBRO 28TH, 2015 ÀS 1:29 PM
    /.
    /
    “tirou a Alemanha do buraco (depois jogou-a novamente no buraco).”
    /.
    PONDERAÇÃO: tirou-a do buraco para jogá-la no abismo…
    .
    .
    Leia sobre a Alemanha e sua humilhação depois da primeira guerra, sobre desemprego, miséria e inflação pior do que a de Collor/Sarney, exército controlado, e veja se já não estava no abismo.
    E ela já se reergueu, sendo, atualmente, a maior economia da Europa.
    Deutschland Über Alles!
    https://www.youtube.com/watch?v=yLHGTJjHXLo
    .
    Já o abismo no qual o PT está jogando o Brasil, não há santo ou demônio que resolva.

  138. Marciano Diz:

    CONTRA, ainda estou no RJ, mas amanhã devo ir a Valença e região.
    Só não tenho tempo para passeios.
    Um dia rola.
    Vou ver o vídeo agora.

  139. Marciano Diz:

    Que sujeito cara de pau!
    Tudo pra vender o tal livro.
    Já ouvi dizer que o tal lugar é frequentado por maconheiros, o que ajuda muito a ver discos voadores.
    Existem dois tipos de videntes de discos voadores, os crentes que compram livros como o do malandro mostrado no vídeo e os maconheiros.
    Existe um interseção dos dois conjuntos.

  140. Gorducho Diz:

    Disse que o veículo interagiu com ele e que tinha outras testemunhas.
     
    Ah! não chegou a ser abduzido… achei que tivesse sido.
    Menos mal…

  141. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, tem os casos da ‘revista ufo’ falando da serra da beleza:
    .
    .
    http://www.ufo.com.br/artigos/a-serra-da-beleza-no-centro-da-ufologia
    .
    .
    http://www.ufo.com.br/artigos/contatos-imediatos-na-serra-da-beleza
    ..
    .
    Esse saiu no “O Tempo”, um jornal sério:
    .
    .
    http://www.otempo.com.br/interessa/pesquisador-narra-a-busca-de-ovni-s-na-serra-da-beleza-1.846959
    .
    .
    Mesmo assim duvido vc ir lá de noite mesmo armado até os dentes depois e ler isso… :mrgreen

  142. Marciano Diz:

    Com a ressalva de que não sou nazista nem a Alemanha é minha Vaterland, meu compromisso é apenas com a investigação de todos os ângulos da questão, veja isto, MONTALVÃO:
    .
    Veja que o autor do artigo é inglês.
    .
    http://nazismo-verdades-e-mentiras.blogspot.com.br/2015/01/a-alemanha-pos-primeira-guerra-mundial_27.html
    .
    Veja estas fotos, depois da primeira, não da segunda guerra:
    https://www.google.com.br/search?q=alemanha+no+p%C3%B3s+primeira+guerra&biw=1242&bih=601&tbm=isch&tbo=u&source=univ&sa=X&ved=0CBsQsARqFQoTCIyG_efjmsgCFUOEkAodHXgM4w&dpr=1.1

  143. Contra o chiquismo Diz:

    Po, o mr green não saiu.. até ele tá com medo!!!

  144. Contra o chiquismo Diz:

    Legal Borges, existe ‘meio medium’, meio fenômeno e meia psicografia.

  145. Gorducho Diz:

    O indivíduo que não consegue estacionar numa lombada aberta ao tráfego não é motorista;
    o indivíduo que não consegue pousar numa pista c/comprimento e vento dentro dos limites constantes do manual do aparelho não é piloto;
    o indivíduo que precisa de estatística e júri não é médium;
    Analista Borges.

  146. Marciano Diz:

    E eu, que pensava que cx fosse o maior médium do mundo.
    Não passava de um médium meia-boca.
    Merecia meio cascudo na careca.

  147. Marciano Diz:

    Esqueci-me do fato de que nem todos aqui são do RJ.
    Cascudo, aqui, é o golpe desferido com os nós dos dedos no alto da cabeça.
    Não é para ferir, só pra zoar.
    Tipo cachação.

  148. Bagel Diz:

    Borges, tudo bem. O que ocorreu é que o administrador do blog apenas liberou o comentário hoje.
    Você disse:
    “Será que um espírito e um médium que se esforçam para reproduzir fielmente uma assinatura, não têm capacidade conjunta para transmitir e reproduzir palavra por palavra”.
    Não é assim que funciona. Na mediunidade o espírito procura transmitir a ideia, o sentimento, e o médium procura interpretar (normalmente através da intuição) o que ele acredita venha dos espíritos. Não há uma correspondência direta (palavra por palavra) entre o que deseja transmitir o espírito e o que o médium é capaz de produzir. Entendendo como funciona a mediunidade é possível entender como em algumas vezes (talvez várias vezes!) o Chico Xavier psicografou textos que foram da autoria dele, anímicos, para ser claro. De modo geral, mesmo numa mensagem inspirada, e seja quem for o médium, haverá sempre o componente anímico pois no final das contas quem produz a mensagem é a mente do médium. No caso específico das cartas que estamos comentando, elas fornecem elementos de verificação que, nos exemplos da Superinteressante, se mostraram corretos. Teria o Chico Xavier uma rede de informantes para o instruir nos momentos que antecediam reunião?

  149. Marciano Diz:

    Pra quem não conhece, vejam um cascudo:
    https://www.youtube.com/watch?v=5s7vtosKYrU
    .
    Cachação é um tapa desferido na nuca.
    Não é para machucar, só pra sacanear.

  150. Contra o chiquismo Diz:

    Um MOCÃO mesmo marciano! E ele já andou levando um sacode dos ‘obsessores’ não?

  151. Contra o chiquismo Diz:

    Bagel Diz:
    SETEMBRO 28TH, 2015 ÀS 9:20 PM
    .
    .
    Não é assim que funciona. Na mediunidade o espírito procura transmitir a ideia, o sentimento, e o médium procura interpretar (normalmente através da intuição) o que ele acredita venha dos espíritos.
    .
    .
    Mais um… Sr Bagel: Se não existem ‘espiritos’ , quanto mais ‘mediuns’.

  152. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Montalvão, sabia que fuscas reencarnam? Depois de encostados, batidos com pt, ou totalmente apodrecidos, aproveita-se o chassi e vira um reluzente buggy. Tem muitos perto de vc na região dos lagos.”
    /.
    PONDERAÇÃO: rapaz, Fusca, mesmo virado em Buggy, só para saudosista apaixonado. Eu sou saudosista, mas não do fusquinha, embora tenha tido dois e talvez por isso… Ô carrinho danado de ruim: um jogo de volante terrível, pra manobrar em estrada estreita era a maior encrenca; duro que só ele; visibilidade perto de zero; e onde estava a mala? Ele todo era uma mala. Dia desses vi um sujeito vendendo um 67, queria doze mil… rezei pelos dois…

  153. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    SOYCONTRA”vc acredita que existem intermediários entre esse mundo e o ‘além’.”
    BORGES: – Acredito.
    /.
    Contra: talvez (do verbo sugiro) seja interessante perguntar ao Borges onde ele arrima a crença na existência de afortunados contatadores do além, visto que os mortos, unanimemente, se existem, recusam-se a dar demonstrações de suas presenças entre os vivos.
    .
    Talvez ele conheça caminho que lhe faculte fundamentar a esperança. Se houver seria bom que o conhecêssemos, pois poderia nos fazer rever a conclusão a que chegamos de que mortos não falam com vivos, justamente por não assinarem o livro terreno de presença. Ou será que vai ser mais um a desconversar quando confrontado com essa realidade?
    .
    REsumindo, podemos, se nos apetece, acreditarmos que Deus existe, que a virgem maria está santificado nos céus, que santantão nos vigia, que espíritos estão vivos e conscientes no além, tudo isso e muito mais, vez que se eles estão “lá” lá estarão. Mas, quando se afirma que essas entidades intervêm na natureza essa intervenção pode ser averiguada, fiscalizada e testada, e confirmada se provém dadonde se atribui.
    .
    No caso dos espíritos comunicantes, incluindo os de chicoxavier, cabe a eles, espíritos, mostrar que estão atuandos ao nosso lado. Mas cadê que mostram? Nunca o fizeram e, pelo visto, nunca “fazerão”…
    .
    Quem sabe não será o Borges quem nos trará a luz?

  154. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Já o abismo no qual o PT está jogando o Brasil, não há santo ou demônio que resolva.”
    /.
    PONDERAÇÃO: ainda conservo a fé, ponhei os nomes dos quadrilheiros na lista da pomba-gira, do tranca-ruas, do sete-encruzilhadas e do seu sete rei da lira (esse para pensar as feridas). Eles tão o que se chama algo que começa com “f” e termina com “didos”…

  155. Contra o chiquismo Diz:

    Montalvão, 12 mil num 67 anônimo?
    .
    .
    Quanto valeria num leilão hoje o fusca que foi de CX?

  156. Contra o chiquismo Diz:

    Montalvão, quero que um raio caia na cabeça do dr vlad se eu tiver mentindo. Mas sem sacanagem nenhuma, falando sério mesmo. Meu falecido tio (chiquista dos bons) contava que uma certa vez, um cara comprou um fusca e não havia mecânico que fizesse ele funcionar. Contado o drama a um chiquista /kardecista, este desconfiado pediu que se rebocasse o vw até o centro. Em lá chegando , um ‘médium’ com clarevidência viu o falecido dono dentro do carro e ele disse pro atual proprietário: “claro que o carro não funcionar nunca, o antigo e falecido dono tá aí dentro agarrado a ele…”

    .
    .
    Feitas as preces e a remoção do antigo dono por um ‘espirito trabalhador da casa’ de dentro do fusca, o ‘medium’ disse: “liga lá”… vruuummmm, pegou de estalo.
    .
    .
    Essa podia figurar entre os lindos casos de cx, mas foi com pessoas comuns…

  157. Contra o chiquismo Diz:

    Esses políticos devem ter uma ‘proteçao’ muito boa, pois o que deve ter de entidades ‘do mal’ querendo dar flame out nos motores das aeronaves deles não tá no gibi..

  158. Espírita Sp Orlando Diz:

    Larissa Diz:
    setembro 28th, 2015 às 5:35 P

    Orlando, já contou pra sua mãe que você não é mais espírita??

    Oi, ainda sou Espirita. To analisando ainda os prós e os contras. Minha mãe nem vai me ouvir direito eu acho. Vai me dar umas bolachas e falar pra eu ajudar no centro que ela dirige.

  159. Contra o chiquismo Diz:

    Tentaram com cx, mas emmanuel botou eles pra correr (morra com educação!!!!! – lembra?).

  160. Vinicius Diz:

    é verdade. E eu assisti o filme e o Emmanuel ainda é mais sinistro. Parece uma assombração a ronda CX.

    E quando ele entrou naquela casa de prostituição Emmanuel não ameaçou ele também?

    Se bem que depois do LSD tudo pode acontecer!

  161. Vinicius Diz:

    Feitas as preces e a remoção do antigo dono por um ‘espirito trabalhador da casa’ de dentro do fusca, o ‘medium’ disse: “liga lá”… vruuummmm, pegou de estalo.

    Espirito trabalhador da casa deu um montão de socos no ex-dono do fusca isso sim. Mandou ele correr de lá.
    Disseram lá na FEESP que existem espiritos enormes e fortes guardando a frente da casa e poe pra correr os espiritos que querem invadir lá.

  162. Marciano Diz:

    Espírito leão de chácara, uma classificação de que Rivail esqueceu-se.

  163. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Cascudo, aqui, é o golpe desferido com os nós dos dedos no alto da cabeça.
    Não é para ferir, só pra zoar.
    Tipo cachação.
    /.
    PONDERAÇÃO: parente do pescoção…

  164. MONTALVÃO Diz:

    /.
    “Quanto valeria num leilão hoje o fusca que foi de CX?”
    /.
    PONDERAÇÃO: se mo dessem de graça (dado só de graça, não? Mesmo sendo essa desgraça), mais um tanque cheio e duas rapaduras e diria educadamente: “quero não, enfia no… primeiro estacionamento que vir e largue-o lá”…

  165. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Em lá chegando , um ‘médium’ com clarevidência viu o falecido dono dentro do carro e ele disse pro atual proprietário: “claro que o carro não funcionar nunca, o antigo e falecido dono tá aí dentro agarrado a ele…”
    .
    .
    Feitas as preces e a remoção do antigo dono por um ‘espirito trabalhador da casa’ de dentro do fusca, o ‘medium’ disse: “liga lá”… vruuummmm, pegou de estalo.
    .
    Essa podia figurar entre os lindos casos de cx, mas foi com pessoas comuns…
    /.
    PONDERAÇÃO: mas pode figurar nos “lindos casos da mediunidade geral…
    .
    Pô, o samporlando estava quase convencido, ouvindo uma história dessas vai ter uma recaída…

  166. Gorducho Diz:

    Pô, o samporlando estava quase convencido, ouvindo uma história dessas vai ter uma recaída
     
    Pensei a mesma cousa: que falta de tirocínio político!
    AMa, ad referendum seu até já mandou uma ficha de filiação pra ele…
     
    Ô carrinho danado de ruim
    :o
    Qual gostava?
    ☐ Simca Chambord
    ☐ Aero Willys (elite… :( )
    ☐ DKW Vemag
    ☐ ________________________________________

  167. Contra o chiquismo Diz:

    ROMI ISETTA TB..

  168. Gorducho Diz:

    Cá será que teve essas tricíclicas?
    Eu cheguei a vê-las rodando mas nunca entrei dentro…
    Essas deviam ter o volante macio, não AMo?
    Era esse seu carro preferido?
     
    https://contagiros.files.wordpress.com/2009/08/romi_isetta_motor_2009_6.jpg

  169. Gorducho Diz:

    Já eram relíquias fora de produção, bien entendu.

  170. Contra o chiquismo Diz:

    A Romi Isetta era BMW, não esqueçam.

  171. Contra o chiquismo Diz:

    Esqueceu do Gordini Gorducho.

  172. Marciano Diz:

    Qual gostava?
    ☐ Simca Chambord
    ☐ Aero Willys (elite… :sad: )
    ☐ DKW Vemag
    ☑ Buick Skylark
    http://quatrorodas.abril.com.br/galerias/especiais/rabos-de-peixe-739075.shtml#foto2

  173. Marciano Diz:

    E o Dauphini.

  174. Contra o chiquismo Diz:

    Tb a Rural.

  175. Gorducho Diz:

    Não esqueci: o Gordini era considerado mecanicamente horrível pelas pessoas que conheci – hoje todas já desencarnadas, claro. Apesar de que lobriguei vários rodando longos anos.
    Quanto a carrões maiores não coloquei na pesquisa porque seria desleal comparar o Fusca com categoria de veículos mais elite. Além do que estou presumindo uma época anterior ao excelente Galaxie.
    Em casa teve 2 ou 3 péssimos Simca Chambord e depois um bom Itamaraty.
    O Simca qualquer poça apagava. Uma vez ficamos parados de noite na saída do aeroporto por bom tempo no escuro total. Não me lembro mais como reacenderam-no, se alguém socorreu…

  176. Gorducho Diz:

    Sim, Rural teve: excelente. Seriam as SUVs da época, só que as nomenclaturas não eram tão chics.
    Só relacionei carro carro: “passeio” familiar.

  177. Contra o chiquismo Diz:

    Gorducho, na segunda crise do petróleo em 79 foi decretado o fim das ‘banheiras’ (Galaxie, Dodge, Landau…) em 1981, vc comprava um Dodge Dart e no fim do ano trocava pau a pau num fusca 81 0km.

  178. Borges Diz:

    “Não é assim que funciona. Na mediunidade o espírito procura transmitir a ideia, o sentimento, e o médium procura interpretar (normalmente através da intuição) o que ele acredita venha dos espíritos. Não há uma correspondência direta (palavra por palavra) entre o que deseja transmitir o espírito e o que o médium é capaz de produzir.”
    Bagel:- tentei convencê-lo sobre a possibilidade de um médium receber a mensagem passada pelo espírito palavra por palavra, utilizando o exemplo da fidelidade da assinatura, porém acho que não foi suficiente. Assim vou citar outro exemplo onde, com certeza, a mensagem teria sido passada palavra por palavra. Trata-se de uma mensagem recebida por CX e que teria sido transmitida por emmanuel. No livro “As vidas de Chico Xavier”, de Marcel Souto Maior, nas páginas 65 e 66 aparece a referida mensagem que consiste de uma sequência de letras que aparentemente não tem significado algum, porém, ao ler a mensagem de traz para frente, ela se torna inteligível, eis a mensagem:
    My Brothers, Our Generous Father’s House is truly very large. Truth and hope to the men. You have many friends of the your well.
    Observe que neste caso não houve transmissão de ideia ou de sentimento, pois além de ser em inglês, idioma que o CX não dominava, a mensagem foi escrita de traz para frente e sem intervalos entre as palavras.
    “Teria o Chico Xavier uma rede de informantes para o instruir nos momentos que antecediam reunião?”
    Vou deixar para o WV responder.

    https://www.youtube.com/watch?v=AXKpZ2uNe-g
    Obrigado

  179. Borges Diz:

    “Gorducho Diz:
    SETEMBRO 28TH, 2015 ÀS 8:07 PM
    O indivíduo que não consegue estacionar numa lombada aberta ao tráfego não émotorista;
    o indivíduo que não consegue pousar numa pista c/comprimento e vento dentro dos limites constantes do manual do aparelho não é piloto;
    o indivíduo que precisa de estatística e júri não é médium;
    Analista Borges.”
    Comentário:- Não seja tão radical, o mundo está cheio de motoristas barbeiros e barbeiros motoristas e também de pilotos, médicos, dentistas, professores e outros profissionais mal preparados. Em geral, todo profissional recém–formado não está plenamente capacitado.
    Com relação à mediunidade eu penso que não é tão corriqueira como deixam transparecer os ditos médiuns famosos. O CX costumava dizer que o telefone toca somente de lá para cá; eu penso que quando não tocava ele fingia que estava telefonando.
    Obrigado.

  180. Borges Diz:

    Marciano Diz:
    SETEMBRO 28TH, 2015 ÀS 9:18 PM
    Esqueci-me do fato de que nem todos aqui são do RJ.
    Cascudo, aqui, é o golpe desferido com os nós dos dedos no alto da cabeça.
    Não é para ferir, só pra zoar.
    Tipo cachação
    Cascudo eu conheço, cachação não.

  181. Marciano Diz:

    BORGES e MONTALVÃO:
    Essa mensagem em inglês recebida por cx foi transmitida pelo espírito Google Translator.
    It doesn’t make any sense!
    .
    Truth and hope to the men.
    What men?
    .
    You have many friends of the your well
    WTF?!
    .
    .
    Em se tratando de aviação, não há espaço para barbeiragens.
    Pilotos muito raramente têm oportunidade de reincidirem em erro. Em geral, não erram mais de uma vez.
    .
    Cachação é a mesma coisa que pescoção.
    Eu prefiro levar um cascudo ou um mocão, como disse CONTRA.
    safanão, cachação, pancada (no pescoço), na nuca, conforme o Michaelis.
    Não encontrei no Houaiss nem no Aurélio.

  182. Marciano Diz:

    Vou logo avisando que estou brincando: pilotos são selecionados pela natureza. Os navalhas deixam menos descendentes.
    O mesmo diga-se de atiradores (refiro-me a policiais ou militares da infantaria, visto que a artilharia não troca tiros com ninguém, como o nome pode sugerir).
    Os que atiram mal deixam menos descendentes (Darwin).

  183. Gorducho Diz:

    Comentário:- Não seja tão radical, o mundo está cheio de motoristas barbeiros e barbeiros motoristas e também de pilotos, médicos, dentistas, professores e outros profissionais mal preparados. Em geral, todo profissional recém–formado não está plenamente capacitado.
     
    Mas p/”ser” motorista ou piloto tem que ser-se proficiente nos mínimos.
    Estacionar numa lombada duma certa declividade – normalmente na prática acho que é ½ que aleatório sendo a declividade a existente no local da prova…
    Pousar a aeronave de instrução como lhe disse em pista c/comprimento e Dv/Vv dentro dos limites constantes do manual desta sem pane, i.e., com tudo funcionando, é obrigação. Fazer as curvas padrão em condições de turbulência, mantendo altitude e velocidade…
    Claro que não se exige o piloto ser como aquele que pousou o 737 no Hudson após engolir o pássaro na subida do La Guardia.
    Bem comparando: não se exige que todos médiuns retransmitam até o problema nas cordas vocais ou pulmões do Dr. Bezerra, ou que escreva em francês invertido ou mesmo em hebraico; como fazem indivíduos dotados de excepcional mediunidade.
    Mas psicografar ou psicofonar a mensagem ou a imagem transmitida pelo espírito sem distorcê-la é o mínimo necessário p/”ser” (i.e., “ter carteira” de) médium.

  184. Marciano Diz:

    GRASSOUILLET, não precisa escrever ter carteira de medium entre aspas.
    Conhecia esta?
    .
    Certification Programs for
    Psychics, Mediums, and Healers

    Institute for Mediumship, Psychic, Astrological, and Reiki Training (IMPART)
    .
    Welcome to a marvelous opportunity to expand and deepen your connection to Spirit while you transform your life and the lives of everyone you touch! The Institute for Mediumship, Psychic, Astrological, and Reiki Training (hereafter referred to as IMPART) is proud to offer you Certification Programs with specialties for Psychics, Mediums, and Healers.
    .
    http://www.annereith.com/certification/program-overview/
    .
    B4N.
    BBT.

  185. Borges Diz:

    “Mas psicografar ou psicofonar a mensagem ou a imagem transmitida pelo espírito sem distorcê-la é o mínimo necessário p/”ser” (i.e., “ter carteira” de) médium.”
    Gorducho:- concordo plenamente, foi o que tentei passar para o Bagel. Quando me refiro à mediunidade limitada do CX, o que pretendo afirmar é que os personagens famosos de sua literatura são criações de sua mente e não uma realidade. Talvez tenha recebido algumas mensagens verdadeiras, porém, penso que o resto ficou por conta de sua imaginação.
    Obrigado

  186. Contra o chiquismo Diz:

    Difícil acreditar que o Borges não seja chiquista do modo como tanto prega que o mineirinho era ‘medium’.
    .
    .
    Marciano, tem tb o famigerado TELEFONE!! Esse era f… muito usado em delegacias tb …
    .
    .
    Marciano , era um A320 e não um 737 no Hudson. E pilotos se envolvem em 2 acidentes fatais sim. O Comandante Gilberto Araújo da VArig foi um dessses, ele tava no comando do 707 acidentado em Paris em 73 e no 707 cargueiro que sumiu no Pacífico em 79 na rota Tóquio x RJ . Esse sim o maior mistério da aviação mundial até os nossos dias.

  187. Gorducho Diz:

    Conhecia esta?
     
    Essa não mas esta sim:
    http://www.windbridge.org/mediums.htm
    tanto que sugeri ao Sr. Administrador pleitear uma franquia.
    Step 1: Written Questionnaire
    Step 2: Personality/Psychological Tests
    Step 3: Phone Interview (with an existing WCRM)
    Step 4: Phone Interview (with a Windbridge Investigator)
    Step 5: Two Blinded Phone Readings
    Step 6: Mediumship Research Training
    Step 7: Human Research Subjects Training
    Step 8: Grief Training
     
    Upon successful completion of the eight steps, the medium becomes a Level 1 Windbridge Certified Research Medium (WCRM-1). The mediums’ certification levels increase over time, from Level 1 to Level 5, as they participate in additional research studies
    .
     
    Note que o item #8 do programa é o mais crítico e útil, mas exige tropicalização. Foi aí que tomei a liberdade de recomendar o AMo como a pessoa ideal.
    Ocorre que cá não temos – daí o pioneirismo que m/visão implicava -; de sorte que por enquanto valem as aspas duplas.

  188. Bagel Diz:

    Borges
    Irretocável os comentário do Waldo Vieira. Uma solução simples é óbvia. Lamento que o Chico Xavier não esteja mais vivo para dar a versão dele dos fatos.

  189. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Ô carrinho danado de ruim”
    /
    GORDUCHO: Qual gostava?
    ? Simca Chambord
    ? Aero Willys (elite…)
    ? DKW Vemag
    ? ________________________________________
    /.
    RESPOSTA: Gorducho, gostar, gostar, no papel de motorista, nenhum, mesmo porque meu primeiro carro, que foi um fusca, só me veio quando entravam no mercado algumas novidades, quais o Maverick (minha paixão nunca realizada: queria um V8); Corcel (a primeira versão), e outros. Os que cita acima estavam nos estertores finais, e nunca os dirigi.
    .
    Eu, para lhe dar resposta, incluiria na relação o Karmanghia, que também nunca dirigi mas tinha o sonho de um dia ter um…
    .
    Hoje tô nem aí pra carro, contento-me com uma bike e talvez compre uma motinha só pra rodar cá nessa roça onde moro. Tenho um Celta: mais para agradar minha mulher que propriamente para uso, aliás quem usa é ela…

  190. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Ontem pus na discussão mais nova a mensagem:
    ./
    /
    “MONTALVÃO Diz:
    SETEMBRO 30TH, 2015 ÀS 12:13 AM
    /
    “O CONTRA DO BLOG QUER FALAR COM VOCÊS. O email dele é [...]”
    /.
    Confere? Estou recebendo tanta mensagem de malandragem que já não sei… Além disso, o e-mail do remetente do recado não confere com o que tenho…
    =================================.
    /.
    Mas ninguém disse nada: ou não viram ou não entenderam. Se não entenderam, nem o Contra, então vou dar como recado espúrio de hacker, o que tá demais na minha caixa de correio, apesar de antivírus atualizado e antimalware idem…

  191. Gorducho Diz:

    Eu aprendi a dirigir num Maverick… Mecanicamente era excelente, mas de extremo desconforto p/pax.
    Aliás o Brasil das 2 portas… :(
     
    Excepcionais foram o Corcel/Belina I. Tem um amigo meu que percorreu praticamente todo Brasil exceto Maranhão, Amazônia e os matos grossos num; que só foi se terminar uns 10 anos atrás.
    Doginho também foi ótimo…
    Mas já são duma geração posterior, claro.
    Eu detesto automóveis, só que há a obrigação pela necessidade de deslocamentos nessas amplas cidades atuais onde não se pode perder tempo.
    Motos gosto mas não tenho justo por não ter capacidade de carga.
    Fora de serviço, sempre que possível, é a mulher ou outro quem dirige.

  192. Gorducho Diz:

    Se não era chiste seu dístico acerca do numerário que iria receber nas Nações Unidas, há algo errado c/seu provedor de serviços postais, ou não está sabendo configurá-lo :(

  193. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Gorducho Diz:
    SETEMBRO 30TH, 2015 ÀS 9:14 AM
    Se não era chiste seu dístico acerca do numerário que iria receber nas Nações Unidas, há algo errado c/seu provedor de serviços postais, ou não está sabendo configurá-lo :(
    /.
    PONDERAÇÃO: Ontem, contei 12 mensagens de benefícios, que vão de 500 mil a 25 milhões de dólares. Sem contar os recados nacionais de brindes, contratos fechados, financiamento de veículos…
    .
    Estas mensagens, e outras legítimas, estavam represadas no servidor da Oi (utilizo o Outlook 2013), por qualquer razão o programa não as estava baixando. Depois que fiz umas configurações em meus e-mails vieram todas de roldão.
    .
    O provedor da Oi foi recentemente reformulado, imagino que nessa mudança os filtros de Spam tenha deixado de atuar. Mas, como não sou (muito) bobo nem nada, estou cuidando para corrigir as ameaças.
    .
    Só estou em dúvida se realmente o Contra disse que quer falar comigo off-sítio. Pelo visto não…

  194. Gorducho Diz:

    ANALISTA BORGES
    Desculpe! Ficou algo confusa em sua resposta a Bagel – aliás nem tinha entendido a quem se referia pela mensagem ter sido publicada atrasadamente sem ter portanto sido visualizada pela maioria, creio…- o que era seu parecer ou não.
    Então acabei proferindo contra si longa argumentação sendo que estávamos a dizer a mesma coisa!
    Perdão de novo…
    Claro: médium que é médium reproduz assinaturas passíveis de notarização; escreve em hebraico, latim ciceroniano ou francês invertido; descreve minuciosamente os pinduricalhos nas paredes dum escritório (veja-se os estudos científicos do Charles Drayton Thomas, adorado pela Administração…); sente os distúrbios pulmonares ou vocais do espírito.
    Quem não consegue retransmitir o que o espírito lhe passa não é médium.
    Gosto de poder concordar consigo…

  195. Contra o chiquismo Diz:

    Sim, confere Montalvão. Esse email mesmo que o Vitor te passou.
    .
    .
    Gorducho, corcel era um carro dos sonhos mesmo. Até hoje vejo um e me admiro.
    .
    .
    Fiat 147 deve ter passado longe não?

  196. Lunático Diz:

    Este post está uma delícia cética que, como eu, cada vez mais cético, não acredito nem no refluxo da maré. Desconfio que nesta volta tem mutreta.

  197. Marciano Diz:

    CONTRA, a psicologia cognitiva manda avisar a você que tenha mais atenção, sob pena de levar um TELEFONE, ajoelhar nos caroços de milho, passar pelo dínamo e mais meia hora de pau de arara.
    .
    .
    Quem falou em 737 no Hudson foi o GRASSOUILLET ™ .
    .
    E eu não disse que pilotos NÃO erram duas vezes. O que eu disse, foi:
    .
    Marciano Diz:
    SETEMBRO 29TH, 2015 ÀS 9:11 PM
    (…)
    “Pilotos muito raramente têm oportunidade de reincidirem em erro. Em geral, não erram mais de uma vez.” (destaquei o “raramente” e o “em geral” desta vez, para chamar sua atenção.
    .
    .
    GORDUCHO, está certo! Médiuns brasileiros são piores do que médiuns anglófonos ou médiuns xing ling.
    .
    .
    .
    Bagel Diz:
    SETEMBRO 30TH, 2015 ÀS 7:37 AM
    Borges
    Irretocável os comentário do Waldo Vieira. Uma solução simples é óbvia. Lamento que o Chico Xavier não esteja mais vivo para dar a versão dele dos fatos.

    .
    PMBI* Seria lamentável se não fosse possível psicografar a versão xaveriana dos fatos. Ainda tem a senha, para validar a psicografia.
    Qui tacet, consentit.
    .
    .
    .
    Minha visão remota me diz que o CONTRA queria falar com o GORDUCHO, off-sítio.
    Acho difícil ele topar, mas se o fizer, candidato-me.
    Vele para AMo.
    .
    * Pardon My Butting In.

  198. Contra o chiquismo Diz:

    Devido a desatenção, cedo a palma da mão para 5 vezes a palmatória descer ferozmente sobre ela.
    .
    .
    Sim, seria legal podermos trocar umas idéias fora do espaço público.

  199. Rafael Espírita Diz:

    Deixa eu ver se entendi bem toda essa discussão de vocês… O vitor (velho conhecido, mas ele não me conhece) e seus colegas a anos “provaram” que Chico Xavier é uma fraude e ainda continuam a alimentar o site com assuntos relacionados à ele ?

    Cara, ou isso é doença ou falta do que fazer, ou simplesmente vocês nao tem certeza do que estão fazendo.

    Essa roda não gira não ?

    Essa tenacidade parece ser proporcional à força da idéia. Vocês ao inves de enfraquecê-la, a deixam mais forte na mente das pessoas…

  200. Rfernando Diz:

    Primeiramente, gostaria de cumprimentar os colegas. Devo dizer que gosto do Chico Xavier. Não entrarei no mérito da pessoa, pois acredito que não há o que discordar da pessoa caridosa que foi esse homem.

    Segundo, não sou espirita, mas acredito em espíritos, pois já tive experiências bem contundentes para duvidar. Portanto, acredito sim. Acredito em Deus tbm, e realmente tento viver de forma bondosa

    Não é a primeira vez que entro nesse site, e me desculpem pelo que vou falar mas a resposta àquele trabalho que identificou o ppublius foi uma das coisas mais engraçadas que já li.

    Vamos fazer um retrospecto, desde as primeiras manifestações de chico, não existiam telefones, então essas “informações” de pessoas de outros estados seria mto difícil conseguir.

    Mas vou abordar agora matérias mto discutidas que li em muitos comentarios nesse site

    Primeiro, sobre o plagio, se vcs fossem descrever o Cristo redentor no RJ, provavelmente sob a ótica de vcs , a maioria cometeria plagio kkkkkkk

    2o, a velocidade que chico escrevia, desafio qualquer um a criar um texto com aquela velocidade, mas um texto coerente, inclusive o padre Quevedo, coloca um video no YouTube de alguem daqui escrevendo dessa forma

    3 quem seria o idiota que podendo se comunicar, escreveria o teorema de Pitágoras?? Imagina, mãe só queria dizer q a soma dos catetos….chega a ser piada um sujeito querer isso, partindo do principio q o espírito está vendo seus parentes em desespero

    4 pericia grafotecnica, argumentar contra perícias grafotécnicas chega a ser absurdo, mas tudo bem digamos q sejam iluminatis

    5 a famosa agua na lua do programa pinga fogo, se alguem acha q uma época q não existia internet, o sujeito cravar uma descoberta dessas, então algum colega que é contra o chico que diga( e com auxilio da NET) qual a descoberta desse naipe daqui 1 ano, pq 50 anos seria mto pra acompanhar pelo site. Ou talvez sejam os iluminaria da NASA que foram para MG.

    6 diferenças entre doutrinas, livros ou QQ coisa, dia desses estava vendo um filme na sky dublado e com legenda, o percebi, como QQ genio, notei que a legenda nao era a mesma da dublagem, então desse principio poderia haver diferenças, mas tudo bem.

    7 e ultima pq cansei de escrever
    CX era tao poderoso que dominava ate drones que atiraram um raio de luz em seu quarto, e manipulava ate prontuários médicos. Há publicações nesse site mesmo onde há estudos publicados por cientistas professores etc gringos que aceitam cx como sendo bem verdadeiros. Então para quem tem complexo de vira latas esses gringos tbm estariam mentindo??

    Convido a todos( sei que não tem nada a ver com o assunto) a entrarem no site do globoesporte e ler qualquer noticia de Ayrton Senna, vcs vão ver que nos comentarios isso que é dito do Chico e do Ayrton são iguais, e idolatrando gringos e que os brasileiros são uma mentira.

    OK, cada um tem sua liberdade e eu respeito mas que é engraçado é, religião e esporte tão diferentes e com as mesmas opiniões

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)