A Não Tão Imaginária Bessie Beals, por Greg Taylor (2008)

Uma breve discussão sobre um dos pontos mais comumente levantados pelos céticos relacionado à notável médium Leonora Piper. Para ler o artigo, clique aqui.

1.054 respostas a “A Não Tão Imaginária Bessie Beals, por Greg Taylor (2008)”

  1. Victor Diz:

    Excelente artigo,Vitor!
    Realmente ele evidencia o quanto os “controles” foram enganados por Stanley e Hall.
    .
    Ou seja de “espírito” ali não tinha nadica de nada, necas…

  2. Gorducho Diz:

    A explicação natural desinteressa aos Crentes, os quais odeiam a navalha de Guilherme…
    Senão vejamos:
    ou a minha sobrinha, Bessie Beals?
     
    O cara inventou um nome aleatoriamente, certo? Conscientemente sim, de fato não.
    Para completar a confusão, um parente no prazo de três dias me falou incidentalmente de uma Bessie Beals, ainda viva, como uma amiga, a quem eu posso ter ouvido falar antes.
     
    É claro que o cara achou que “inventou” um nome que na realidade ele conhecia só que não lembrava que conhecia – aí sim foi deveras o tal animismo que os espíritas usam tanto como desculpa p/os plágios.
     
    É uma variante da tia Elvira.
    É isso: simples. Mas p/que o óbvio, se se pode viajar e assim alimentar a crença no maravilhoso?

  3. Marciano Diz:

    Acabo de receber a elevada incumbência de gerir os interesses do planeta Terra junto à elevada esfera espiritual.
    Vou substituir jc, que encontra-se de férias durante o próximo milênio.
    Alguém aí acredita?
    Se não, então por que acreditam em coisas semelhantes ditas por outros?
    Por eles sabem truques de circo que eu não sei?

  4. Victor Diz:

    Então, Marciano.
    .
    Por enquanto ninguém acredita em você…
    .
    Todavia, se pegarmos um cientista para validar estatisticamente essa sua afirmação aí a coisa muda de figura…

  5. Vitor Diz:

    Victor,
    comentando:
    01 – “Realmente ele evidencia o quanto os “controles” foram enganados por Stanley e Hall. Ou seja de “espírito” ali não tinha nadica de nada, necas…”
    .
    Não se pode dizer isso. É inegavelmente verdade que alguns controles confabulam em um esforço para agradar o consulente se nenhuma informação autêntica estiver disponível. Os críticos tomam isso como evidência de que o controle não passa de uma personalidade secundária do médium, mas é igualmente possível que o controle se comporte muito parecido com a mente inconsciente sob hipnose, porque ele cai em um estado semelhante ao da hipnose ao tentar controlar o médium. Qualquer que seja a explicação, o caráter paranormal de diversas comunicações é inegável.

  6. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Marciano Diz: Acabo de receber a elevada incumbência de gerir os interesses do planeta Terra junto à elevada esfera espiritual.
    Vou substituir jc, que encontra-se de férias durante o próximo milênio.
    Alguém aí acredita?
    /.
    NÃO SÓ ACREDITO com lhe desejo sucesso na empreitada. Sempre almejei poder dizer que tenho amigo geridor de planetas… Não queira ser o rei, mas seja amigo do rei…

  7. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    O presidente da SPR era tão cego em sua crendice que sequer se apercebia dela.

  8. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    E não só ele…

  9. Vitor Diz:

    E outros parecem que veem demais… aliás, Montalvão, já viu como na tradução o Greg Taylor nada fala sobre Hall e Tanner serem responsáveis sobre Piper perder sua mediunidade? Você havia dito:
    .
    Também assume (ou dá a entender, minha “tradução”, como bem sabe, é modesta) que os testes que implementou com Piper seriam responsáveis pela “perda” de sua mediunidade, como se se pudesse perder o que não tem…”
    .
    Não sei onde vc viu isso… vc já está sofrendo de alucinações?! Olha o mal do ceticismo patológico aí, fazendo ver coisas que não existem…

  10. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Você havia dito:
    .
    “Também assume (ou dá a entender, minha “tradução”, como bem sabe, é modesta) que os testes que implementou com Piper seriam responsáveis pela “perda” de sua mediunidade, como se se pudesse perder o que não tem…””
    .
    VISONI: Não sei onde vc viu isso… vc já está sofrendo de alucinações?! Olha o mal do ceticismo patológico aí, fazendo ver coisas que não existem…
    /.
    PONDERAÇÃO: e onde eu havia dito isto? Certamente não foi neste tópico… Então, quem estaria vendo coisas?

  11. Vitor Diz:

    “e onde eu havia dito isto? Certamente não foi neste tópico… Então, quem estaria vendo coisas?”
    .
    Além de alucinado, já tá gagá… (bem, isso eu já sabia :D ). Eu sei que não foi nesse tópico. Foi no tópico:
    .
    http://obraspsicografadas.org/2015/discussao-dos-fenomenos-de-transe-da-sra-piper-por-frank-podmore-1899
    .
    Mensagem de apenas 4 dias atrás, busque por NOVEMBRO 14TH, 2015 ÀS 3:36 PM

  12. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vitor Diz: E outros parecem que veem demais… aliás, Montalvão, já viu como na tradução o Greg Taylor nada fala sobre Hall e Tanner serem responsáveis sobre Piper perder sua mediunidade? Você havia dito: (seguem ditos do Montalvão):
    .
    1) [...]”minha “tradução”, como bem sabe, é modesta”
    .
    2) “Se a mediunidade fosse real e Piper fosse a contatadora maior da espiritualidade, seu mise en scène deveria ser típico de toda a manifestação de espíritos que se seguisse, ou muito próximo disso. Entretanto, não só Leonora foi singular, seu estilo é irrepetido na história das comunicações entre vivos e mortos.”
    .
    3) “Tem duas coisas com Piper que o Moura despreza: 1º: Piper, por “melhor” que tenha sido em atuação mediúnica, sozinha é insuficiente para ratificar a mediunidade, e, considerando que a mediunidade dela foi singular, algo de estranho tem nesse imbróglio e que não é explicada; 2º: sempre tenha em mente que hodiernamente nenhuma evidência satisfatória de espíritos presentes é dada. Se Piper deu sozinha temos outra encrenca a ser esclarecida, a qual não é levada em conta pelos defensores da Piper mediúnica.”
    .
    4) “Esclarecer o fenômeno Piper psicologicamente é ponto muito óbvio, diga: qual foi o trabalho que buscou esgotar (e conseguiu) as possibilidade de elucidar o teatro de Leonora pela conjugação de aspectos psicológicos e habilidades pessoais? Nenhum pesquisador foi até o fundo, buscando esvaziar todas as hipóteses nesse campo. Observe que diversos deles pensaram em fraude bem elaborada, até puseram detetives para vigiá-la, entretanto, poucos pensaram que singularidades do psiquismo pudesse ser o caminho esclarecedor.”
    .
    5) “A história de Piper, sob certos aspectos, vem se repetindo ao longo do tempo: a mediunidade é dada por demonstrada a partir de eventos considerados sensacionais, exemplo: Chico a dizer coisas dos falecidos que, segundo se divulga, não teria como saber; os muitos detalhes que alegadamente constam nas missivas psicografadas, etc. Piper é supervalorizada pelo show que dava, em vez de ser apreciada pelo que lhe faltava: a demonstração inequívoca de que havia mortos varejando em torno dela. Ela acertava muitas coisas e errava outro tanto. Os acertos são contabilizados, os desacertos menosprezados. Desse modo o balanço sempre fecha com lucro mediúnico.”
    .
    6) “Afirmo que Piper seja explicável pela psicologia porque essa linha investigativa não foi levada à exaustão. Os sábios (notadamente os da SPR) se deram por satisfeito com algumas incursões nos itens que consideraram averiguáveis e partiram para o místico/nebuloso como melhor hipótese.” [Como se verifica na horrenda resposta que o presidente(!) da SPR deu a Tanner e Hall]
    .
    7) “Acho não há como fugir: se mortos estiveram presentes com Piper, estariam presentes com outros no decorrer dos tempos, mas sabemos que isso não se deu, nem se dá. Mesmo que não levemos em conta outros tópicos, o tempo comunga desfavoravelmente à idéia de que Piper dialogasse com defuntos.”
    .
    .
    VISONI: Para mostrar que o caso não tem até hoje explicação por vias normais.
    .
    8) “se há debates há opiniões divergentes, então deve haver (e há) quem considere Piper explicável por vias naturais. O problema maior são os crédulos de carteirinha que veem na mulher seu bastião inexpugnável a ratificar a mediunidade, ou, se esta for muito forte para ser alegada, recorrem à paranormalidade. Se se pode optar pela beleza do mistério e pela luz que provém das trevas da crendice, para quê se esforçar em trilhar caminhos alumiados pelo sol do esclarecimento?”

    .
    9) “Greg classifica o Hall de criatura detestável, o que dá a dimensão do lado para o qual optou, o do misticismo e credulidade. TAMBÉM ASSUME (OU DÁ A ENTENDER, MINHA “TRADUÇÃO”, COMO BEM SABE, É MODESTA) QUE OS TESTES QUE IMPLEMENTOU COM PIPER SERIAM RESPONSÁVEIS PELA “PERDA” DE SUA MEDIUNIDADE, COMO SE SE PUDESSE PERDER O QUE NÃO TEM…”
    .
    PONDERAÇÃO ATUAL: aqui foi realmente uma extrapolação minha, porém com certa base, visto que alguns dos da SPR insinuavam que a mediunidade de Piper fora abalada pelos testes que Hall e Tuner sobre ela impuseram. Então, o Greg ao mencionar tais experimentos, apresentando-os sob foco negativista, pode estar fazendo, na surdina, alusão à desmediunização de Leonora. Tudo vale na defesa do cliente, até submiliminarizações…

    .
    10) “Além disso, o caso foi bem discutido aqui mesmo no blog. Pena estou sem o material ilustrativo a mão, mas breve o terei, espero.”
    /
    .
    VISONI: Errado. Ele tinha conhecimento de medicina sim. Um exemplo:[...]
    /.
    11) “diversas alegações sobre falhanças do controle phinuit foram apontadas, o Visoni tenta resgatar a legitimidade de algumas, como se as outras nada importassem. Acredita, o Visoni, ter evidências de que phinuit fosse versado em medicina. Sobre saber falar francês, ele um espírito que vivera uma existência em França, nada diz. Quer dizer, reconhece que o espírito não “lembrava” seu idioma natal, mas como sabia medicina uma coisa deve compensar a outra, provavelmente seja este o mambembe raciocínio.”
    .
    12) “Quanto aos conhecimentos médicos do Dr. phinuit estes continuam na berlinda, pois não foram devidamente avaliados. Piper ter acertado alguns diagnósticos não garante a formação médica do alegado médico morto. Em verdade não garante nada, nem que phinuit fosse médico, que fosse francês, ou sequer que existisse…”
    .

    I’m sorry, do verbo sinto muito.

  13. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Pra quem tá gagaguizando (conforme acusa a oposição) até que dou minhas cambalhotas e caio empezinho…

  14. MONTALVÃO Diz:

    /
    empezinho= em pé(zinho)

  15. Gorducho Diz:

    Sobre saber falar francês, ele um espírito que vivera uma existência em França, nada diz.
     
    Ué, até aí nada demais… O Lentulus também foi senador romano e depois jesuíta, e também esqueceu o latim!
    E era (digo era porque agora está reencarnado…) inteligentíssimo, a 2ª maior figura do espiritismo evangélico (i.e., depois do dr. Bezerra).

  16. Victor Diz:

    Pois é os “crentes” estão utilizando do “efeito-gaveta” na defesa da Piper.
    .
    Ignoram os erros e saúdam os acertos alardeando que a vida após a morte é provada…
    .
    Se eu fosse eles alegava que Piper “apenas” era paranormal e que os controles eram personalidades secundárias…
    .
    Ficaria mais difícil refutar

  17. MONTALVÃO Diz:

    /.
    “Sobre saber falar francês, ele um espírito que vivera uma existência em França, nada diz.”

    FAT BOY: Ué, até aí nada demais… O Lentulus também foi senador romano e depois jesuíta, e também esqueceu o latim!
    E era (digo era porque agora está reencarnado…) inteligentíssimo, a 2ª maior figura do espiritismo evangélico (i.e., depois do dr. Bezerra).
    /.
    PONDERAÇÃO: pois é, e chegaste onde almejo ver o Visoni: Se Lentulus sabidamente não falava latim e sabemos não existiu (não apenas por isso, mas também por isso), por analogia (legítima) Phinuit também não existiu (não apenas por não falar francês, mas também por isso), sendo ambos frutificações fabulosas de seus médiuns.
    .
    Será que o Moura lá chega?

  18. Marciano Diz:

    1. Victor Diz:
    NOVEMBRO 18TH, 2015 ÀS 1:54 PM
    Pois é os “crentes” estão utilizando do “efeito-gaveta” na defesa da Piper.
    .
    Ignoram os erros e saúdam os acertos alardeando que a vida após a morte é provada…
    .
    Se eu fosse eles alegava que Piper “apenas” era paranormal e que os controles eram personalidades secundárias…
    .
    Ficaria mais difícil refutar
     
    Tu não tens jeito. Adoras dar luz a cegos.
    Daqui a pouco eles começam a fazer exatamente isto.

  19. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Se eu fosse eles alegava que Piper “apenas” era paranormal e que os controles eram personalidades secundárias…”
    ./
    PONDERAÇÃO: vista na superficialidade, a hipótese paranormal aplicada a Piper parece mais difícil de ser descartada. Mas só na superficialidade. Muitos, e não foram poucos, dos estudiosos dela lepidamente alegaram a insuficiencia do paranormal em esclarecer, conquanto defendam que nalguns eventos coubesse.
    .
    A paranormalidade ao tempo de Piper, chamada metapsiquismo, força psíquica, força ódica, e outras denominações, “aparecia” pujante e intensa, tanto que os pesquisadores sempre tinham o cuidado de investigar se não seria telepatia ou clarividência atuando.
    .
    Sem adentrar em minúcias, basta olhar o tempo. Este comungou não só contra a mediunidade, também contra as manifestações paranormais. Hoje qualquer parapsicólogo que não seja da linha deslumbrada, admite que psi, se existe, é força tênue, incerta, sem controle da parte que quem diz a possuir, e sem aplicação prática. Piper não se enquadra nessa realidade…
    .
    Ou o “poder” encolheu inexplicavelmente (o que não faz muito sentido) ou nunca existiu, ao menos não como se pensava no tempo dos avôs e uns e bisavôs doutros.
    .
    Como diria Platão: ai-eme-sóri…

  20. JP Diz:

    Boa noite Vitor. O livro “Os Sábios e Leonora Piper” é bom? Abraço.

  21. JP Diz:

    Você poderia negociar com alguma editora de ser o tradutor do livro Resurrecting Leonora Piper: How Science Discovered the Afterlife de Michael Tymn!

  22. Borges Diz:

    “Em 1915 a sra.
    Sidgwick publicou um estudo sobre a psicologia do transe da sra.
    Piper e que foi considerado o mais completo estudo psicológico
    sobre qualquer médium (34). Ela defende enfaticamente que não
    tem dúvidas de que o conhecimento freqüentemente exibido nos
    transes da sra. Piper só poderiam ter surgido por algum meio
    supranormal. Não discute tais evidências e se detém em examinar
    a situação dos “controles”, suas relações com o médium e
    entre eles mesmos. Todavia, Salter (34) lastima que apesar do
    estudo ela mantém opiniões antigas, de que “a inteligência
    comunicante diretamente com o consulente, através do organismo
    da sra. Piper, é a sra. Piper”. A respeito das posições céticas
    da sra. Sidgwick, seu irmão, o Lord Balfour (ex-primeiro ministro
    da Inglaterra) declarou ao ler relatórios dela sobre atividades
    da Sociedade para Pesquisas Psíquicas, em 1932: “Tenho certeza
    de que a sra. Sidgwick mantém para si mesma uma firme crença
    na sobrevivência e na realidade das comunicações entre os vivos
    e mortos”.”
    .
    Trecho do livro “Os Sábios e a Senhora Piper” de “Antonio Cesar Perri de Carvalho”

  23. Contra o chiquismo Diz:

    Borges, pq vc citou apenas o trecho de um livro e não emitiu opinião sobre o mesmo? Diga o que acha ao que fez referência, senão vou postar receita de bolo e escalação das seleções russas tb.

  24. Gorducho Diz:

    Vê o que digo? Esses “cientistas” sempre têm uma agenda oculta!
    Por isso digo sempre: nenhum experimento nesse ramo terá jamais validade se não contar c/a participação e o controle da fiscalização propriamente dita de céticos de fato (“nós”).
    É isso: simples assim!

  25. Contra o chiquismo Diz:

    Yuri Nikiforov, Vladyslav Ternavs’kyi, Illya Tsymbalar, Viktor Onopko , Serhiy Yuran, Syarhey Harlukovich , Andrey Pyatnitskiy ,Omar Tetradze , Valeriy Karpin, Oleg Salenko e Stanislav Cherchesty .
    /
    /
    /
    Bolo Exótico:
    .
    .
    Como fazer
    Bolo Exótico Ingredientes – 4 ovos – 1 colher (chá) de adoçante em pó – 1 xícara (chá) de suco de laranja – 1 ½ xícara (chá) de farinha de trigo – 60 g de margarina light derretida – 1 colher (sopa) rasa de fermento em pó Recheio – 1 xícara (chá) de leite desnatado – 1 colher (sopa) de amido de milho – 2 colheres (sopa) de adoçante em pó – 1 gema – 1 colher (chá) de essência de baunilha – 40 g de cerejas picadas – 20 g de nozes picadas Cobertura – 1 xícara (chá) de creme de leite light – 1 colher (sopa) de adoçante em pó – 1 colher (chá) de essência de baunilha – cerejas para decorar – 20 g de nozes para enfeitar ldl Modo de Preparo Para a Massa: bata as claras em nevee junte as gemase o adoçante.
    Bata mais um pouco e alterne a farinha de trigo, o suco de laranja e a margarina light derretida.
    Por último, adicione o fermento em pó.
    Asse em uma forma média, untada com margarina light e polvilhada com farinha de trigo.
    Para o Recheio: misture os ingredientes exceto as cerejas e leve ao fogo para engrossar.
    Corte o bolo ao meio e coloque o recheio e as cerejas picadas.
    Para a Cobertura: bata todos os ingredientes até encorpar.
    Cubra o bolo e enfeite com as cerejas e as nozes.
    Sirva gelado.

  26. Contra o chiquismo Diz:

    Gorducho, não a toa ning ganhou o 1 milhão do James Randi até hj.

  27. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Ela defende enfaticamente que não
    tem dúvidas de que o conhecimento freqüentemente exibido nos transes da sra. Piper só poderiam ter surgido por algum meio supranormal. Não discute tais evidências e se detém em examinar a situação dos “controles”, suas relações com o médium e entre eles mesmos. Todavia, Salter (34) lastima que apesar do estudo ela mantém opiniões antigas, de que “a inteligência comunicante diretamente com o consulente, através do organismo
    da sra. Piper, é a sra. Piper”.”
    /.
    PONDERAÇÃO: pelo que se vê, a Sra. Sidgwick descartava mediunidade e apoiava a paranormalidade. Menos ruim, embora não tão bom. Entretanto, minha consideração não se abala, visto que a ausência de estudo psicológico exaustivo com Piper realmente faltou.
    .
    Considere-se que naqueles tempos, tanto a mediunidade quanto a paranormalidade eram, pelas partes acreditantes, consideradas forças reais, portanto recorríveis como explicação ante qualquer dificuldade explicativa. O problema é que a realidade dessa força não se confirmou e hoje os esforçados pesquisadores tentam achar vestígios de manifestações mínimas (até no mundo quântico estão incursionando) que possam ao menos salvar a realidade de psi, mesmo que seja algo de manifestação tão branda quem nem vale perder tempo com ela…
    .
    Em suma, estão apenas tentando corroborar a conjetura de Moi, dela eliminando o “se existir” e o “supostamente”, conforme reza: “psi, SE EXISTIR, é força branda, incerta, sem controle da parte de quem SUPOSTAMENTE a ostenta e sem utilidade.”

  28. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Desse modo, se psi for confirmada de fato (e não apenas na cabeça dos crentes, dos quais o Visoni é nobre representante), a conjetura, que se transformaria em lei, diria: “psi é força de manifestação mui branda, de ocorrência incerta e esporádica e sem controle por parte de que a ostenta, além de não possuir qualquer utilidade conhecida.”

  29. Borges Diz:

    “Contra o chiquismo Diz:
    NOVEMBRO 19TH, 2015 ÀS 10:39 AM
    Borges, pq vc citou apenas o trecho de um livro e não emitiu opinião sobre o mesmo? Diga o que acha ao que fez referência, senão vou postar receita de bolo e escalação das seleções russas tb.”
    .
    Contra:- Às vezes o silêncio representa um comentário, como você não percebeu, vou apresentá-lo, através de outro trecho do mesmo livro.
    .

    Colecionamos algumas opiniões de obras e de volumes dos
    Proceedings que conseguimos ter acesso. Há muitos outros
    trabalhos. Porém, a amostra já nos oferece uma visão a respeito
    do posicionamento dos pesquisadores, além daqueles que a
    analisaram por tempo mais prolongado. Sente-se dúvidas e
    controvérsias principalmente nas tentativas para a explicação do
    fenômeno. Porém, apesar disto, é evidente que todos reconhecem
    a existência de um fenômeno diferente em Leonore Piper. Como
    anotou Podmore, ela seria, pelo menos, muito superior a todos os
    enganadores! Dentro de todas essas opiniões e em face da declaração
    de Lord Balfour a respeito de sua irmã, ficamos em dúvida
    se o academicismo e posições preconcebidas não estariam falando
    mais alto…
    Obrigado

  30. Borges Diz:

    Contra:- percebo ansiedade e precipitação em seus atos, pois apresentou a receita de bolo antes que eu fizesse os comentários solicitados. Não que seja totalmente inútil; alguém poderá aproveita-lo; quanto a mim prefiro um prato salgado; bolo dá muito trabalho.
    Obrigado

  31. Contra o chiquismo Diz:

    Borges:
    .
    .
    Receita de Acarajé da Bahia
    .
    .
    Ingredientes

    2 kg de feijão fradinho
    3 dentes de alho
    2 cebolas grandes
    Azeite de dendê para fritar
    Sal a gosto
    Modo de preparo

    Coloque o feijão fradinho de molho em água fria por 4 horas.
    Quando o feijão começar a inchar, lave-o com água fria até soltar toda a casca.
    Moa o feijão sem casca (em moinho especial ou processador) até formar uma massa branca espessa e acrescente o alho e a cebola previamente moído.
    Aqueça uma frigideira ou tacho com quantidade suficiente de azeite de dendê para cobrir os bolinhos de acarajé enquanto são fritos.
    Os bolinhos devem ser feitos com uma colher (quantidade de massa que é retirada com uma colher do recipiente).
    Frite em azeite bem quente virando-os uma única vez.
    Os bolinhos devem ficar com uma tonalidade avermelhada por fora e claro por dentro.
    Sirva com pimenta, vatapá, caruru, camarão seco e salada de tomate verde, cebola e coentro.

    Dificuldade: Difícil
    Tempo de preparo: 1 hora e 20 minutos
    Rendimento: 20 porções

  32. Contra o chiquismo Diz:

    Borges, foi só pra vc ver como fica sem sentido postar uma coisa sem emitir opinião. É a mesma coisa que eu postar a escalação da seleção russa, ou bolo ou sopa de hipopotamo. Tem que comentar o que se diz.

  33. Contra o chiquismo Diz:

    Visoni, sumiram as fotos. Tem como repor?
    ..
    .
    http://obraspsicografadas.org/2010/resgaste-histrico-revista-o-cruzeiro-de-27101970/

  34. Vinicius Diz:

    Olha só, a FEB publicou mensagem anual do Dr. Bezerra e ainda se explicou da razão em “antecipar a publicação”:

    Em todos os anos na Reunião anual do CFN, depois de recebida a mensagem do Espírito Bezerra de Menezes por intermédio de Divaldo Pereira Franco, a Federação Espírita Brasileira transcreve todo o material, TENDO O ZELO DE SUBMETÊ-LO À REVISÃO DO ESPÍRITO. Após retorno, a mensagem oficial é publicada na edição seguinte da Revista Reformador para conhecimento de todos.
    No entanto, DEVIDO ÀS NOVAS FERRAMENTAS DE COMUNICAÇÃO QUE HOJE CONCEDEM GRANDE IMPULSÃO E ALCANCE DE PALAVRAS CONSOLADORAS E DE REFLEXÃO, PROCEDEREMOS NESTE ANO À PUBLICAÇÃO ANTECIPADA DA MENSAGEM NO PORTAL E REDES SOCIAIS DA FEB. Confira a mensagem na íntegra, a seguir. Para fins de registro histórico, a mensagem será igualmente publicada no Reformador do mês de janeiro.”

    A FEB quis explicar que anteriormente que o próprio espirito fazia uma revisão na mensagem e só depois publicavam. Agora com o avanço da Internet, YOUTUBE, celulares que gravam , não dá mais tempo de alterar nada!

  35. Vladimir Diz:

    Sr. Contra,
    .
    Vamos manter o nível do debate, por favor…
    Publicar receitas de bolo, em nada contribui com a discussão em voga.
    .

  36. Vinicius Diz:

    Dr.Vladimir
    Tudo bem?
    Me ajuda a entender, o WV no vídeo da entrevista fala que CX obtia os apelidos das cartinhas antes de psicografá-las e em outra ocasião você teve outro entendimento, de que ele não falou nada disso.
    Ajude um quase ex-espirita , por favor!
    Ainda estou concorde há alguns ensinamentos da doutrina kardecista, embora seja dificil engolir em seco o que ele e São Luiz falou dos negros.

  37. Contra o chiquismo Diz:

    : [cleader]

  38. Contra o chiquismo Diz:

    Ih… esse vlad cismou comigo, as ultimas vezes que apareceu foi pra me perturbar…
    .
    .
    Nem citar trechos de livros sem comentar contribui tb. Reclame com o Borges. Se ele posta por postar sem comentar, tb posso postar receita de sopa de hipopotamo ou de acarajé sem comentar.

  39. Vladimir Diz:

    Contra diz:
    .
    Nem citar trechos de livros sem comentar contribui tb. Reclame com o Borges. Se ele posta por postar sem comentar, tb posso postar receita de sopa de hipopotamo ou de acarajé sem comentar.
    .
    COMENTARIO: Se o livro citado tem que ver com o tema discutido, é valido sim pois agrega na construção do conhecimento e no debate proposto.
    .
    Já as receitas de bolo em nada contribui.

  40. Vladimir Diz:

    Vinicius,
    .
    Veja esse vídeo:
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=nNtHEvqcFaQ

  41. Contra o chiquismo Diz:

    Vladimir Diz:
    NOVEMBRO 19TH, 2015 ÀS 2:42 PM

    .
    Já as receitas de bolo em nada contribui.
    ;
    ;
    ;
    Em que contribui o Nosso Lar?

  42. Contra o chiquismo Diz:

    Um bolo é real. Mato a fome das pessoas. Nosso lar e ‘espiritos’ não existem. 1.2345.3567.090 de vezes é mais útil uma receita de bolo ou de sopa de hipopotamo do que a leitura do nosso lar.
    ;
    ;
    Bolo enche barriga e mata fome.
    .
    .

    Nosso lar e todo o chiquismo e kardecismo enchem a cabeça de ilusão.

  43. Gorducho Diz:

    Eu ai fazer-lhe ver mas ele se antecipou, Analista Vinícius. Observe que, pouco surpreendentemente o Dr. cita uma versão do vídeo que os chiquistas editaram truncando e colocando textos deles na tentativa de obstruir e atrapalhar o entendimento de quem desconhece o tema.
    Veja o trecho que interessa clean, sem interferência dos chiquistas:
     
    https://www.youtube.com/watch?v=AXKpZ2uNe-g

  44. Gorducho Diz:

    Mas aquela história de colocar adoçante em pó… :(
     
    Sim… sim… sei que pensou em mim ao bolar a receita, mas quem quer emagrecer não come bolo :P

  45. Gorducho Diz:

    A mesma coisa aquelas mensagens que o Chico recebia.
     
    Lá em Uberaba na minha época o Chico não recebia essas mensagens
    .
     
    Naturalmente isso o Dr. “esqueceu” de ver e escutar…

  46. Contra o chiquismo Diz:

    O dr já foi desmascarado aqui. É um chiquista inveterado. Agora vem pedir respeito pela religião…

  47. Gorducho Diz:

    Bolo enche barriga e mata fome.
     
    Tanto que na teimosia sádica do Anacleto em não mandar fazer bolos (já que não tem pão pelo menos possam comer bolo, parafraseando a Maria Antonieta – será que reencarnou já?) eu vi numa psicografia atual que segue a revolta pela falta de comida.
    Vou tentar localizar.

  48. Contra o chiquismo Diz:

    Sò pra lembrar dr:
    .
    .
    PRINCÍPIOS DO MÉDICO ESPÍRITA

    1) O médico espírita sabe que o seu diploma pertence a Jesus.
    .
    .
    Pra quem se diz ateu…

  49. Gorducho Diz:

    Dr.: o Dr. Bezerra não dita uma mensagem anual p/vocês?
    Se sim, que diz acerca do corpo fluídico de Jesus?
    Afinal o Roustaing tinha ou não tinha razão?

  50. Vinicius Diz:

    gozado que nessas mensagens anuais nenhum dos cerca de 1.000 participantes da palestra não propõe ao Dr.BEZERRA via Divaldo algumas questões para atestar sua presença, até para ver se não estão sendo vitimas de um engano por parte de algum outro espirito, ou até mesmo questionar onde anda Chico Xavier, Waldo Vieira e o que estes tem a dizer do plano espiritual… O que acha Dr. ?
    Não acho que seria transgressão, pecado, falta de fé, até TOMÉ pediu provas e Jesus deu (ou FG sei lá) . Porque DIVALDO ficaria irritado ou até mesmo BEZERRA?
    Se prezam pela verdade, pela honestidade, pela lisura qual o impedimento em se propor questões ao espírito.
    Quando eu morrer, e se continuar vivo, e algum médium me chamar eu ficaria muito contente e honrado em pessoas presentes me pedir provas que seria eu, afinal de contas eu vivi na Terra e sei quantos enganos, equivocos, e estudos que tivemos que fazer aqui!!!
    O presidente da FEB em conjunto com a AME poderia propor ao Divaldo uma entrevista.
    Ou então colocar José Medrado, Divaldo Franco e José Carlos de Lucca todos juntos e cada um trazer o Bezerra :lol:
    Já viram a diferença entre os “velhinhos” Medrado e DPF?
    :mrgreen:

  51. Marciano Diz:

    Segundo WV, os médiuns recebiam tudo mastigadinho, com todas as informações.
    1min10s do vídeo.
     
    … quem quer emagrecer não come bolo”.
    Ledo engano!
    O que tem de gente gorda (de verdade, não só no nome) comprando e fazendo bolos, sorvetes, quitutes variados, desde que light, não tá no esquema.
    Gordo (de verdade) adora comer porcarias, desde que tenham o rótulo light ou diet.
     
    Produto light é aquele em que tiram 10⁻ ⁶ ⁸% de alguma substância; diet é aquele sem sacarose ( C₁ ₂H₂ ₂O₁ ₁ ), para diabólicos, digo, diabéticos.
     
    GORDUCHO, parece que essa frase atribuída à Marie Antoinette foi inventada depois da execução dela. Outro factóide.
     
    O melhor remédio para emagrecer é homeopatia.
    Como é água pura e como água tem 0 cal, é só encher a pança de água. Não sobra lugar pra comida e não engorda.
     
    VINICIUS, é FG mesmo. Só existe na imaginação.

  52. Gorducho Diz:

    Pois é… eu não como nada diet ou light mesmo :mrgreen: : considero uma palhaçada!
    Ia até criticar outro ingrediente da receita de CoC – a margarina light (aliás também não como margarina!).
     
    Claro que não me refiro a diabéticos que, por óbvio, necessitam ter dieta adequada!
     
    É o que eu digo: quem quer emagrecer para de comer.
    Simples: sem diets.

  53. Marciano Diz:

    Tem gente gorda que come produtos diet com intenção de emagrecer.
    Estou até prestes a formular a hipótese de que praticar atividades físicas engorda.
    Vejo um monte de gente gorda (a maioria) malhando em academias, correndo pelas ruas, nas esteiras… :mrgreen:
     
    E o que Vossa Mercê acha das pesquisas ψ :?:

  54. Marciano Diz:

    O ψ minúsculo foi por causa da conjectura de MONTALVÃO; o itálico aberto foi esquecimento.

  55. Gorducho Diz:

    A AME até não digo, mas a FEB se tivesse convicção e firmeza na crença da mediunidade e da presença de Dr. Bezerra teria por obrigação exigir que ele se pronunciasse definitivamente acerca de se JC foi um fantasma ou não!
    Visto ele Dr. Bezerra ter sido na crosta um dos principais defensores da ideia, como temos no capítulo 74 – Corpos Celestes, Corpos Fluídicos, do nosso livro.
     
    Ao invés, temos como sempre o tradicional de platitudes que não comprometem.
    É como repito sempre: no fundo no fundo, e talvez nem tão no fundo assim, os espíritas intuem que “mediunidade” não existe. Então, bom não arriscar…

  56. Marciano Diz:

    Estamos falando de publicações oficiais.
    Vejam que absurdo:
    http://www.clarionproject.org/news/islamic-state-isis-isil-propaganda-magazine-dabiq

  57. Gorducho Diz:

    Pois é… mas aí me lembra daquela famosa propaganda: telefonema as 3 da manhã.
    O IS tem que ser combatido, não “contido”. O território livremente concedido a eles pela irresponsável alienação do Obama é o melhor instrumento de propaganda e portanto o fértil terreno p/o crescimento do câncer.
     
    Ficar brincando de videogame, 2 ou 3 bombinhas desde 3000+ pés p/atingir alguma caminhonetinha c/alguma metralhadorazinha montada em cima.
    Ou brincar de tentar matar indivíduos específicos…
    Não existe guerra sem riscos, sem mortes. Pela liberdade e civilidade tem-se que lutar.
    E um líder de verdade tem que agir, como o Roosevelt percebeu e armou a armadilha de Pearl Harbour p/poder entrar na guerra.

  58. Borges Diz:

    “Contra o chiquismo Diz:
    NOVEMBRO 19TH, 2015 ÀS 12:30 PM
    Borges, foi só pra vc ver como fica sem sentido postar uma coisa sem emitir opinião. É a mesma coisa que eu postar a escalação da seleção russa, ou bolo ou sopa de hipopotamo. Tem que comentar o que se diz.”
    .
    Contra:- Sem querer polemizar, porque o assunto já se esvaiu, eu acho que você não deu a devida atenção ao texto, caso contrário, teria notado que não havia necessidade de comentário. Assim, fica valendo as opiniões do Sr. Salter e do Lord Balfour (ex-primeiro ministro da Inglaterra). Afinal, tem um peso maior do que deste Zé ninguém.
    Obrigado

  59. Borges Diz:

    “Nem citar trechos de livros sem comentar contribui tb. Reclame com o Borges. Se ele posta por postar sem comentar, tb posso postar receita de sopa de hipopotamo ou de acarajé sem comentar.”
    .
    Contra:- seja razoável, o texto era pertinente, receita de bolo não. Isto foi bem lembrado pelo Vladimir.
    Obrigado

  60. Borges Diz:

    “Contra o chiquismo Diz:
    NOVEMBRO 19TH, 2015 ÀS 3:08 PM
    Um bolo é real. Mato a fome das pessoas. Nosso lar e ‘espiritos’ não existem. 1.2345.3567.090 de vezes é mais útil uma receita de bolo ou de sopa de hipopotamo do que a leitura do nosso lar.

    Bolo enche barriga e mata fome.

    Nosso lar e todo o chiquismo e kardecismo enchem a cabeça de ilusão.”

    .
    Contra:- Acho que resolvi o problema, você está no blog errado.

  61. Gorducho Diz:

    [...] Lord Balfour
     
    Certo: a opinião dele era que ela era uma crédula disfarçada. O que eu digo sempre em relação a todos eles.
    E daí :?:

  62. Marciano Diz:

    Tá parecendo que o assunto já se esgotou.

  63. Victor Diz:

    Borges: Assim, fica valendo as opiniões do Sr. Salter e do Lord Balfour (ex-primeiro ministro da Inglaterra)
    .
    COMENT: Só porque o cidadão era Primeiro-Ministro da Inglaterra a opinião dele a respeito de assuntos “Metapsíquicos” deveria ser levada em consideração?
    .
    Que tal perguntarmos ao Lula, o que ele acha da Piper???
    .

  64. Marciano Diz:

    Vamos ver se conseguirmos recuperar a chama.
     
    Só porque o cidadão era Primeiro-Ministro da Inglaterra a opinião dele a respeito de assuntos “Metapsíquicos” deveria ser levada em consideração?
     
    Resposta:
    Argumentum ad verecundiam.
    Apelo à opinião de uma autoridade, fora do campo de sua atuação.
    Ainda que fosse uma autoridade no assunto, não deixaria de ser uma falácia.
    É por causa dessa falácia que mostram artistas e desportistas fazendo propaganda de produtos.
     
    Prestígio não qualifica, por si só, a opinião de alguém.
     
    Não acredito que BORGES tenha apelado para essa falácia.
    Deve ser por seu costumeiro laconismo. Deve haver algo mais.
     
    Que tal perguntarmos ao Lula, o que ele acha da Piper???
     
    Provavelmente ele diria que não tem opinião formada, pois ainda não experimentou essa cachaça :mrgreen:

  65. Marciano Diz:

    se conseguimos, sem o “r” colocado pelo poltergeist.

  66. JP Diz:

    “(…) uma proposição universal pode ser mostrada falsa por um exemplo particular. Se você deseja questionar a lei que todos os corvos são negros, você não precisa mostrar que nenhum corvo o é; é suficiente se você provar que um único corvo seja branco. Meu próprio corvo branco é a Sra. Piper. Nos transes desta médium, não posso resistir à convicção de que surgem conhecimentos os quais ela nunca obteve pelo uso habitual dos seus olhos, ouvidos e sagacidade. Qual a fonte deste conhecimento, eu não sei (…); mas não vejo escapatória de admitir o fato de tal conhecimento. Então, quando eu me volto para o restante das evidências (…) não consigo carregar comigo o viés irreversivelmente negativo da mente científica rigorosa, com sua presunção sobre o que a verdadeira ordem da natureza deve ser.” – William James

    Acho que isso é a menção mais imponente que alguém já recebeu. Que discurso! E é impressionante ver como diminuiu tanto a fama dessa médium que mudava a vida dos maiores sábios da época e fascinava todos. É a vontade de não acreditar de materialistas e religiosos que manipulam e escondem os fatos.

  67. Contra o chiquismo Diz:

    Borges, cite então uma fonte que afirme que ‘espiritos’ existem. (óbvio que não as chiquistas-kardecistas) Conte-nos por que vc acha que a fonte está correta. Ou conte-nos sua experiência particular com detalhes, pode escrever 200 linha eu vou ler.

  68. JP Diz:

    Seus trabalhos de tradução são fenomenais Vitor mas pena que incrivelmente desprezados. Mas algum dia terão a notoriedade que merecem. Parafraseando Nietzche e também no contexto mediúnico, talvez o seu trabalho está “nascendo póstumo” Hahaha.

  69. Marciano Diz:

    Nietzsche (deve ter sido o poltergeist que comeu o “s” no comentário de JP) foi um grande médium ateu que gostava de filosofar nas horas vagas.
    A última pessoa que se espera seja citada por um cristão (de qualquer denominação, mesmo o esotérico e psicodélico bezerro-chiquismo).
     
    Um homem que disse que o budismo era “cem vezes mais realista do que o cristianismo”, que “o cristianismo promete tudo, mas não cumpre nada” que “O cristianismo foi, até o momento, a maior desgraça da humanidade”.
     
    Autor de “O Anticristo”, livro no qual chama o cristianismo de maldição, ” vitória dos fracos, doentes e rancorosos sobre os fortes, orgulhosos e saudáveis, persuadindo e induzindo a massa por meio de idéias pré-fabricadas”.
     
    Realmente é espantoso vê-lo citado por um cristão.

  70. Marciano Diz:

    Por falar em Piper, no tópico sobre ela
    http://obraspsicografadas.org/2015/discussao-dos-fenomenos-de-transe-da-sra-piper-por-frank-podmore-1899/#comments
    tem comentário endereçado a MONTALVÃO e a quem queira saber curiosidades sobre Emmânuel.

  71. Demóstenes Diz:

    Já que falaram no IS, fico chateado é com muçulmanos que vivem na França e na Europa, não terem feito uma grande manifestação dizendo “não somos IS, escolhemos viver aqui”. O que dá pra perceber com o 1 e o 2 ataque, é uma certa conivência com a situação. Você não escolhe o país onde nasce, mas constrói a pátria onde vive – autor desconhecido.

  72. JP Diz:

    Sou cristão? Reparei que nesse blog qualquer um que concordar com o Vitor é tachado como chiquista fanático… Interessante. Onde usei Nietzsche para defender o cristianismo ou a mediunidade? Vc que fez parecido com isso, usando um médium “projeciologo” pra defender uma posição contra Chico Xavier. Eu só fiz uma relação de brincadeira dizendo que as traduções do Vitor iriam ser melhor reconhecidas depois da morte.

  73. JP Diz:

    Mas não tenho paciência pra provocações, nem sei pq respondi assim, não estou aqui para me discutir ou discutir outros comentaristas . Foi mal. Então desconsidere e não vou continuar. Até mais.

  74. Gorducho Diz:

    Já que falaram no IS, fico chateado é com muçulmanos que vivem na França e na Europa, não terem feito uma grande manifestação dizendo “não somos IS, escolhemos viver aqui”.
     
    Perfeito! Muito grave e sintomático…
    Mas é como tenho comentado c/meus conhecidos: se de “+” algo sairá desse horror de sexta pp., é alertar a Europa – especialmente o UK onde eles estavam começando a tomar conta até com cortes islâmicas – é p/isso e o excesso de tolerância; não no que concerne à liberdade de crença e culto religioso, mas quando isso sai do terreno da metafísica que é o que lhe corresponde.
     
    M. Dali Boubakeur presidente da Grande Mosquée disse o claramente o que eu disse cá: é necessário derrotar o IS, ocupar o território que o irresponsável do Obama concedeu p/eles. Mas é uma voz isolada e provavelmente considerado como reacionário e “elite” nesse meio.
    Palavras minhas, bien sûr: e não vai ser brincando de atirar 2 ou 3 bombinhas desde 1000+’ sem saber em quem e no que pois que siquer têm pessoal em terra p/ditar os alvos.
    Então concordo 100% consigo!
     

  75. Gorducho Diz:

    http://edition.cnn.com/videos/world/2015/11/19/french-muslim-leader-condems-paris-attacks-dalil-boubakeur-intv-amanpour.cnn/video/playlists/amanpour-isis/

  76. Gorducho Diz:

    Reparei que nesse blog qualquer um que concordar com o Vitor é tachado como chiquista fanático.
     
    Bem vê-se que desconhece o Sítio. O Administrador foi quem liderou e lidera na INTERNET o desmascaramento da farsa CX!
    Bem como detona todo o espiritismo clássico. A crença dele é uma salada-de-frutas ψquica baseada na telepatia e na estatística, seguindo as linhas da parapsicologia.
    Crê na reencarnação mas não na reencarnação kardecista, pois que o universo dele (Administrador) é um infinito t, x, y, z completado, i.e., já ocorreu. Tanto que podemos nos lembrar do futuro.

  77. Gorducho Diz:

    Seus trabalhos de tradução são fenomenais Vitor mas pena que incrivelmente desprezados.
     
    Os trabalhos de tradução dele de fato são inestimáveis para quem queira se enfronhar do tema, visto que em português praticamente só há disponível a literatura kardecista e bezerrochiquista. E certamente são apreciados por esse público.
     
    Quanto a nós, não se trata de desprezar a tradução (até em geral se faz uma brincadeira – que até ajuda claro – tentando encontrar possíveis melhorias…) mas pelo fato de conhecermos profunda e exaustivamente o tema. Modéstia à parte: falsa modéstia não é legal.
    Então, o fato de tudo sempre ter ocorrido há 100+ anos, e agora terem se refugiado na estatística é a prova de que tudo foi fantasia.
    Daí a questão que paralelamente rolou acima: o fato desses “pesquisadores” sempre serem crentes, com agenda oculta, o que lhes anula o senso crítico.

  78. Gorducho Diz:

    ESCLARECIMENTO
    Irresponsável do Obama são palavras minhas, não de M. Boubakeur, bien entendu!
    Quem governa uma superpotência não pode ser omisso, ainda mais que foram eles que destruíram o Estado iraquiano – e quando deviam ter deposto o Saddam 10 anos anetes não o fizeram! – e colocaram depois aquele louco sectário shiita no poder.
    Deram corda p/os revolucionários sem terem quem por no lugar do Assad. E finalmente o Obama tentou o cúmulo do ridículo: querer que esses mesmo revolucionários islamistas combatam não o Assad que é o inimigo deles, mas o IS!

  79. Gorducho Diz:

    Só porque o cidadão era Primeiro-Ministro da Inglaterra a opinião dele a respeito de assuntos “Metapsíquicos” deveria ser levada em consideração?
     
    Mas pelo que entendi – corrija-me ABo ele só revelou que ela era Crente.
    Depois pesquiso sobre o background desse casal, mas tem raízes religiosas sim, apesar deles terem sido dentre os mais sensatos.
    Não opinou Lord Baulfor sobre a realidade da metapsíquica, pelo que entendi…

  80. Gorducho Diz:

    Sobre o marido dela então [fonte: EnciclopédiaStanford]
    - como de praxe: negritos meus:
     
    Sidgwick’s parapsychology was clearly and admittedly an extension of his religious studies and as such relevant to the solution of the dualism of practical reason. He did not often spell out the precise chain of argument leading from evidence for survival to a unified conception of practical reason, but the general Theistic idea of a “friendly Universe” enjoying a utilitarian moral government was obviously behind his efforts. Again, although he was not sure that he could rationally defend it, he was strongly drawn to the Theistic view that there is a “Heart and Mind” behind phenomena—a “Sovereign Will that orders all things rightly” (Sidgwick and Sidgwick, 1906: 604)—and that the universe is ethically meaningful, even if the storm and stress that he had suffered in the 1860s had permanently distanced him from Christian orthodoxy.
     
    Aliás, o utilitarismo foi mencionado en passant cá pelo Analista Victor. CX tinha (a vida é mais importante que a verdade) e certamente muitos dos defensores das cartinhas têm essa concepção ética…
     
    Mas retomando meu ponto, então é isso: as pesquisas e relatos decorrentes provindas desse meio ficam irremediavelmente comprometidas pela agenda oculta de quererem, por razões éticas ou simplesmente religiosas, provarem a todo custo fantasias metafísicas.
    É isso.

  81. Vinicius Diz:

    AG, sobre as cartinhas sei que famosos também as receberam: Nair Bello, Christiane Torloni. Até onde sei esta última não é mais espirita, será que ela se apercebeu que a carta não era de fonte espiritual e abandonou o espiritismo?
    O que pude perceber é que há um “encanto inicial” pelas cartinhas, até pela emoção profunda pela qual os enlutados estão passando, a rigor, não conseguem pensar racionalmente (isso é normal, nada condenável na minha opinião). É o mesmo caso de uma morte repentina, a familia não ter se preparado para isso, daí aparecem aqueles vendedores de sepulturas que “facilitam” as coisas , a burocracia do IML etc.
    A senhora que eu falei outro dia, que recebeu a carta do filho, embora fale que a assinatura é parecida, não o faz com entusiasmo e ainda diz que não foi buscar outras que disseram que ia ter (se acreditasse de fato, ia até lá buscar)

  82. Vinicius Diz:

    esqueci de colocar: o assunto “morte” é um tabu muito grande. A empresa que eu trabalho possui um seguro com um “0800″ no caso de um empregado ou dependente falecer, e esse 0800 providencia tudo que for necessário. Mesmo assim, ninguém toca no assunto, ficam com medo até de imprimir e deixar esse 0800 em lugar de fácil acesso.

  83. Borges Diz:

    O silêncio desta úmida manhã primaveril é quebrado apenas pelo som das gotas pluviais se estilhaçando ao beijarem a cobertura de alvenaria com a qual os homens vestem a mãe terra, criando um ambiente propício ao relaxamento, é um autêntico convite à preguiça.
    Minha inquietude diz-me que preciso reagir a esta malemolência, recorro então ao meu “gagá cibernético” e o que vejo? O Contra contrariado, vamos a ele:
    .

    “Contra o chiquismo Diz:
    NOVEMBRO 19TH, 2015 ÀS 11:45 PM
    Borges, cite então uma fonte que afirme que ‘espiritos’ existem. (óbvio que não as chiquistas-kardecistas) Conte-nos por que vc acha que a fonte está correta. Ou conte-nos sua experiência particular com detalhes, pode escrever 200 linha eu vou ler.”
    .

    Prólogo:
    Eu penso que o mundo espiritual, bem como os espíritos e tudo mais relacionado, fazem parte da natureza, porém, a ciência formal ainda não conseguiu enxergar os subsídios necessários para o devido enquadramento. Relâmpagos e trovões eram considerados, num passado longínquo, como ação divina perpetrada pelos deuses, no entanto hoje, até um simples lavrador que seja desaculturado, sabe que se trata de ação da natureza.
    É sabido que tudo tem uma finalidade na evolução natural, como exemplo podemos citar a abertura da maçã seca da mamona que acontece num dia ensolarado, esta abertura instantânea permite o espalhamento das sementes. As sementes de algumas árvores apresentam uma membrana que constitui um formato de hélice, possibilitando o espalhamento devido à ação do vento. Assim verificamos que a natureza se encarrega de preservar estas espécies, ocupando um território cada vez maior.
    O que isto tem a ver com espírito?
    Considerando como um fenômeno natural, e como uma certeza que permeia a cabeça do homem desde a antiguidade, a noção de vida após a morte, não pode ser uma coisa inútil, pois na natureza tudo tem uma finalidade.
    Se fosse uma ideia inútil, presente na mente de um monte de carne e osso, a natureza já a teria descartada, assim como fez com o “rabo” no “Homo erectus”. Assim, penso que o elo de realimentação que impede o abandono desta noção é a reencarnação. Acho que o prólogo ficará maior que o assunto principal.
    .

    Imagino que para a conscientização da existência de um mundo paranormal é necessário predisposição para estudar
    o assunto com isenção; neste ponto, me parece, que os céticos são muito carentes.
    Experiência pessoais, só ocorrem com pessoas predispostas à vive-las; fotos e filmes de manifestações espirituais existem aos montes; ação de entidades paranormais sobre o corpo humano, como arranhões e quedas, já foram filmadas. Não sei mais o que você espera para se interessar pelo assunto.
    Não deu duzentas linhas, porém, acho que está razoável.
    Um abraço.

  84. Borges Diz:

    “Mas pelo que entendi – corrija-me ABo ele só revelou que ela era Crente.
    Depois pesquiso sobre o background desse casal, mas tem raízes religiosas sim, apesar deles terem sido dentre os mais sensatos.
    Não opinou Lord Baulfor sobre a realidade da metapsíquica, pelo que entendi…”
    .
    Tudo indica que Lord Balfour percebeu que sua irmã, Sra. Sidgwick, convenceu-se da sobrevivência do espírito e na comunicação entre vivos e mortos, porém, se manteve cética, provavelmente com receio do julgamento de seus pares.
    Obrigado

  85. Borges Diz:

    “JP Diz:
    NOVEMBRO 20TH, 2015 ÀS 1:18 AM
    Mas não tenho paciência pra provocações, nem sei pq respondi assim, não estou aqui para me discutir ou discutir outros comentaristas . Foi mal. Então desconsidere e não vou continuar. Até mais.”
    .
    JP não deixe a balança pender apenas para um lado, é da discussão que surge o entendimento. Você pode abandonar um pleito, mas não abandone a arena.
    Um abraço.

  86. Gorducho Diz:

    gotas pluviais se estilhaçando ao beijarem a cobertura de alvenaria
     
    S/cobertura é de alvenaria (adensada?)?

  87. Gorducho Diz:

    convenceu-se da sobrevivência do espírito e na comunicação entre vivos e mortos
     
    Aí é que está o fulcro, como, pouco surpreendentemente dada sua perspicácia, captou!
    Não funciona assim; a casualidade é inversa: primeiro a crença religiosa e a vontade de “prová-la” cientificamente. Depois as “pesquisas” quando então o discernimento está já comprometido pela agenda prévia!
    Leia mais sobre o casal na Stanford (donde tirei o trecho) e em qualquer outra fonte séria!
    Mas de qualquer sorte, os Sidgwick foram dos mais compostos e cordatos, há que reconhecer.

  88. Marciano Diz:

    O problema com as crenças metafísicas é que elas são tantas e tão diversas.
    O pior de tudo é que funcionam só na base da crença mesmo. Nada ratifica a multidão de “realidades” imaginadas pelos mais variados crentes.

  89. Contra o chiquismo Diz:

    Borges, vc não citou nenhuma fonte e nem nos relatou experiências pessoais. Nem um rap que seja..

  90. Contra o chiquismo Diz:

    Borges, como vc acredita sem nem ter uma mínima experiência pessoal que fosse?

  91. Marciano Diz:

    (???)????

  92. Marciano Diz:

    em { font-family: serif; }
    Todo fim de semana prolongado isto aqui vira um cemitério. Nem uma viva alma.
    E CSS não funciona.

  93. Contra o chiquismo Diz:

    Borges, vc não tem a ‘FÉ RACIOCINADA’ que os ‘espiritas’ pregam…

    .
    .
    Vc acredita cegamente.
    .
    .
    Nem kardecista/chiquista sua fé é. Nem fé é, é ilusão.
    .
    .
    .
    Só pra te lembrar: ‘espiritos’ não existem Borges.

  94. Borges Diz:

    “Contra o chiquismo Diz:
    NOVEMBRO 20TH, 2015 ÀS 9:51 PM
    Borges, como vc acredita sem nem ter uma mínima experiência pessoal que fosse?”
    .
    Você é que pensa, assim como eu, muitas pessoas sonegam informações sobre experiências pessoais, para não serem execradas pelos céticos. Isto é o resultado do sarcasmo desmedido, algo parecido com o tão falado booling. Com este comportamento, afastam os colaboradores, fechando assim as portas para quaisquer esclarecimentos relacionados ao assunto. Nesta linha, receio que jamais terão alguma resposta e permanecerão na escuridão; mas tudo indica, é o que desejam. Estes assuntos rolam intensamente no meio das pessoas que se respeitam, e não assumem ares de superioridade.
    Quanto às fontes, já indiquei muitos vídeos, só não encontrei ainda o dos arranhões que vi no canal Syfy; são muitos vídeos para serem verificados; se encontra-lo eu colocarei o link.
    Um abraço

  95. Borges Diz:

    “Gorducho Diz:
    NOVEMBRO 20TH, 2015 ÀS 1:18 PM
    gotas pluviais se estilhaçando ao beijarem a cobertura de alvenaria

    S/cobertura é de alvenaria (adensada?)?”
    .
    Eu estava fazendo referência ao barulho da chuva ao se chocar com a calçada de alvenaria.
    Um abraço

  96. Gorducho Diz:

    Analista Borges
     
    O Sr. talvez tenha até um pouco de razão quanto a sarcasmo desmedido. Mas por outro lado veja que relato de causos de experiências pessoais se enquadram em experiências místicas, não sendo o tema do Sítio.
     
    Experiências místicas sempre foram alegadas desde que se tem relatos, como sabe. Espiritismo e sua filha do desespero pelo fracasso, a parapsicologia, têm pretensões de fornecerem provas verificáveis por terceiros, e é esse o tema cá.
    E isso não ocorre exceto nas lendas de 100 anos atrás, da qual o supremo exemplo é Ms. Piper.
    Fracassou o espiritismo, fracassou a metapsíquica, e o último refúgio agora é a matemática. Já que os fenômenos alegados nunca foram de fato comprovados, para que possamos preservar nossa crença – e até em alguns casos conseguir verbas públicas…- refugiemo-nos na matemática…
    Desculpe se qualquer mágoa pessoalmente lhe causei, pois que é (sem sarcasmos nem ironias cá) um personagem (pois que nosso conhecimento é virtual…) simpático!

  97. Contra o chiquismo Diz:

    Viu Borges? O gorducho, eu e tantos afirmamos o mesmo, uns de forma sutil que nem ele outros de forma mais crua e rude como eu. Mas a verdade é essa: nada verificável nesse campo. Vc mesmo não está querendo postar experiências pessoais com medo de ser execrado pela gente. Não é isso, eu não faria isso com vc. Mas vc ficou com medo, e vem com o velho papo dos ‘espiritas’
    .
    .
    —” jamais terão alguma resposta e permanecerão na escuridão; … Estes assuntos rolam intensamente no meio das pessoas que se respeitam, e não assumem ares de superioridade.”
    .
    .
    A velha superioridade (só tem prova pra que é crédulo), e só pra quem é evoluído e restrito apenas ao círculo dos crentes. Só esses tem provas.
    .
    .
    Borges, vc é apenas um crente querendo um fio de esperança que seja de provar a sua fé. Está a ver tudo ruir e mesmo assim continua acreditando de forma desesperada. Pare pra pensar um pouco. E por fim:
    .
    .
    Só pra te lembrar: ‘espiritos’ não existem Borges.

  98. Vinicius Diz:

    Em “O Livro dos Espíritos” diz que:
    Pergunta 798. O Espiritismo se tornará crença comum, ou ficará sendo partilhado, como crença, apenas por algumas pessoas?
    Resposta. “Certamente que se tornará crença geral e marcará nova era na história da humanidade, porque está na Natureza e chegou o tempo em que ocupará lugar entre os conhecimentos humanos. Terá, no entanto, que sustentar grandes lutas, mais contra o interesse, do que contra a convicção, porquanto não há como dissimular a existência de pessoas interessadas em combatê-lo, umas por amor-próprio, outras por causas inteiramente materiais. Porém, como virão a ficar insulados, seus contraditores se sentirão forçados a pensar como os demais, sob pena de se tornarem ridículos.”

    Isso foi há mais de 150 anos, e Kardec diz que quem não pensar como os demais, poderão se passar por ridiculos.
    Vemos as estatísticas e pouquissimos declaram-se espiritas, na frança então mal lembram quem foi Kardec.

    Essa ideia de crença universal cercava Kardec , repete o isolamento que acontecerá com aqueles que não acreditarem no espiritismo, em “O Livros dos Médiuns, Cap.03 it 30 “O Espiritismo está no ar; ele se espalha pela força dos fatos e porque torna felizes aqueles que o professam. Quando seus adversários sistemáticos o ouvirem ressoar ao redor deles, entre seus próprios amigos,compreenderão seu isolamento e serão forçados a se calar ou a se render”
    Até o momento ainda não encontrei esse montão de amigos falando de Espiritismo, pelo contrário, falam mais é de igreja evangélica kkk

    E de novo, regenerar a humanidade (e alguns médiuns chiquistas falam que estamos entrando no mundo de regeneração) mas e no estado islâmico, por exemplo, conhecem a doutrina espirita? (digo ‘conhecer’, ‘ouvir falar´)

    “aquele que se inicia no Espiritismo vendo uma mesa girar ou bater está mais propenso ao espetáculo, porque não imagina que de uma mesa possa sair uma doutrina regeneradora da humanidade(OLM Cap.3-IT.32)

    E Kardec ainda fala que outros religiosos comparecem as sessões e tal: “Seu verdadeiro caráter é, pois, o de uma ciência, e não de uma religião; e a prova disso é que ele conta entre os seus aderentes homens de todas as crenças, que por esse fato não renunciaram às suas
    convicções: católicos fervorosos que não deixam de praticar todos os deveres do seu culto, quando a Igreja os não repele; protestantes de todas as
    seitas, israelitas, muçulmanos e mesmo budistas e bramanistas (O que é o Espiritismo, cap.I, pág.106)

    Muçulmanos interessados no Espiritismo? só na época de Kardec mesmo!

    E essa ideia universal, como já disse certa vez, chegou a São Paulo, onde Bezerra de Menezes ditou que a FEESP é o farol a iluminar a humanidade.

  99. Borges Diz:

    “O Sr. talvez tenha até um pouco de razão quanto a sarcasmo desmedido. Mas por outro lado veja que relato de causos de experiências pessoais se enquadram emexperiências místicas, não sendo o tema do Sítio.”
    .
    Peço permissão para discordar de seu posicionamento, pois Ian Stevenson e Hernani Guimarães Andrade, dois renomados pesquisadores, basearam seus trabalhos em relatos pessoais. Acredito que todo assunto relacionado com paranormalidade, independente de respaldo científico, é digno de figurar neste blog. Porém, não pretendo levar adiante esta discussão, pois você navega por aqui há mais tempo e deve conhecer os “Icebergs” da rota.
    .
    “Desculpe se qualquer mágoa pessoalmente lhe causei, pois que é (sem sarcasmos nem ironias cá) um personagem (pois que nosso conhecimento é virtual…) simpático!”
    .
    Conheço estas coisas, por isso não fico magoado, contudo, lamento o fato, pois afugenta colegas ou futuros colegas que poderiam contribuir com suas ideias.
    Obrigado

  100. Borges Diz:

    “Contra o chiquismo Diz:
    NOVEMBRO 21ST, 2015 ÀS 10:41 AM
    Viu Borges? O gorducho, eu e tantos afirmamos o mesmo, uns de forma sutil que nem ele outros de forma mais crua e rude como eu. Mas a verdade é essa: nada verificável nesse campo. Vc mesmo não está querendo postar experiências pessoais com medo de ser execrado pela gente”

    .
    Eu não gosto de ser zoado. Você gosta???.
    .

    “Borges, vc é apenas um crente querendo um fio de esperança que seja de provar a sua fé. Está a ver tudo ruir e mesmo assim continua acreditando de forma desesperada.”
    .
    Você notou desespero em minha escrita? Você percebeu ansiedade em meus argumentos? Por acaso já fui advertido por extrapolar os limites de civilidade?
    .
    “Só pra te lembrar: ‘espiritos’ não existem Borges.”
    .
    Apreciaria que fosse além da superficialidade do mantra “espíritos non equixistem”, para conhecer a profundidade de seus argumento.
    Um abraço

  101. Borges Diz:

    Desculpe faltou um “s” no “argumento” – (argumentos)

  102. Marciano Diz:

    GORDUCHO, você foi direto ao ponto.
    BORGES é um cara simpático, boa praça.
    Deu-me vontade de fazer sarcasmo, mas não tem graça fazê-lo com ele, porquanto sua postura amigável e sua honestidade intelectual (embora defenda coisas absurdas) tiram a graça do sarcasmo ou ironia (sarcasmo é uma forma exacerbada de ironia).
     
    Dito isto e dirigindo-me a VOCÊ e ao BORGES, o que ocorre, na verdade, é o contrário do que BORGES diz.
    Ele diz que pessoas vivenciam experiências paranormais (digamos assim) e não as relatam para não serem execradas.
    Não é beeem assim, como diria ANTONIO. As pessoas mais crédulas vêem rostos em Marte, FG em torradas e bundas de cachorros, porque não querem saber de investigar a fundo, não querem conhecer o fenômeno psicológico da pareidolia, produto da seleção natural.
    O mesmo fenômeno que faz a gente ouvir coisas diabólicas em músicas bobas, sempre DEPOIS que alguém diz o que a gente tem de ouvir.
    Pessoas crédulas não querem investigar nada a fundo, contentam-se com qualquer análise perfunctória que lhes dê suporte à crença de que sentem necessidade.
     
    Claro que BORGES deve achar que isto é apenas uma questão de POV, 50/50, mas não é assim que são as coisas.
    Se a gente fala seriamente, BORGES reduz tudo a uma questão de POV, se faz ironias, ele diz que a gente reprime relatos.
    Não têm saída.
     
    Tem de haver os relatos e todos devem expressar suas interpretações desses relatos, tudo sendo pesado na balança.
    SCUR garantiu-me que viu um disco voador. Forneci a ele uma dezena de explicações alternativas(via facebook ou telefone) que explicariam melhor, mostrei-lhe o ridículo de discos voadores que, como fantasmas, só aparecem claramente para quem neles crê, escondendo-se com perfeição de quem tem mente crítica e não acredita naquilo que tem vontade de acreditar.
    Não adiantou. Ele cisma que viu um disco voador.
    Fiz tudo isso de forma amigável e respeitosa, sem as ironias e sarcasmo com que o tratava aqui no blog, mas não adiantou.
     
    VINICIUS, pelo texto que você postou fica claro o delírio de Rivail (Kardec era maluquice dele). Mas não adianta, os (poucos) crentes que sobraram no Brasil (na França, sem comentários) arranjam uma racionalização, puro mecanismo de defesa psicológica, adaptam a doutrina de Rivail ao bezerrochiquismo reinante aqui, e seguem em frente.
    Não querem ver a verdade.
     
    Depois de um sesquicentenáro o espiritismo murchou, encolheu, virou uma crença genuinamente brasileira e discrepante da doutrina de Rivail.
     
    A mesma coisa acontece com os TJs, que já tiveram vários Armageddons adiados, mas ninguém para pra pensar que os anciões (também pode ser anciãos ou anciães) não sabem de nada, não acertam nem a data do Armageddon.
     
    Crenças, existem centenas de milhares (mutuamente excludentes), já existiram outras tantas, hoje abandonadas, como as virgens Vestais virgo vestalis, e ainda surgirão outras, pois todos os dias surgem várias novas.
    A realidade é uma só, está do lado de fora da janela. É só olhar.
     
    Quem nos ajuda a ver com mais clareza a realidade é a física (da qual a eletrônica de que BORGES gosta é um ramo), a química, a biologia (principalmente a seleção natural), a geologia.
    Tudo com ajuda da matemática, para evitar a distorção que criaram com a mecânica quântica de apartamento.
     
    Para quem não é capaz de entender a linguagem matemática, a qual fornece modelos (matemáticos) de comportamento de subpartículas, os quais, reais ou não, funcionam na prática, os físicos fazem analogias, alegorias, usando linguagem gramatical. Os quânticos de apartamento levam tudo ao pé da letra, distorcem tudo, e ficam achando que mecânica quântica é coisa ao alcance de qualquer idiota, quando são incapazes de lidar até com a mecânica newtoniana.
    Trazem todos os conceitos (gramaticais) para o mundo macrocósmico, como se as interações físicas que predominam no microcosmo superassem as forças que atuam no macrocosmo, e a festa está feita.
     
    Discos voadores? Movem-se com energia quântica (não importa que isto não seja definido), por um espaço ultradimensional (pouco importa o que significa isto), e por aí vai.
    E tomem dardos “magnéticos”.

  103. Marciano Diz:

    For those few who can easily read English texts, here goes a very good article about JWs changes of creeds:
    http://www.jwfacts.com/watchtower/1800s.php

  104. Marciano Diz:

    Depois desses vários fins de mundo fracassados, não deveria haver mais um crente na doutrina dos TJs, mas eles estão aí.
    Vejam um dos maiores fracassos, 1975:
    http://www.jwfacts.com/watchtower/1975.php

  105. Marciano Diz:

    Quem nos ajuda a ver com mais clareza a realidade é a física (da qual a eletrônica de que BORGES gosta é um ramo), a química, a biologia (principalmente a seleção natural), a geologia.
    Tudo com ajuda da matemática, para evitar a distorção que criaram com a mecânica quântica de apartamento.
     
    Ora, diríeis, física e química com matemática, tudo bem, mas biologia ⁉
     
    Antes que o digais, vos direi, no entanto, que para entender ecologia, genética e evolução há necessidade de pelo menos rudimentos de matemática.
     
    Para quem duvidar, eis aqui uma apostila de genética matemática.
    Vejam, especialmente, a partir da página 123.
    http://www.ufsj.edu.br/portal2-repositorio/File/i-ermac/anais/minicursos/mc7.pdf

  106. Borges Diz:

    “BORGES é um cara simpático, boa praça.”
    .
    Obrigado, o sentimento é recíproco.
    .
    “ não querem conhecer o fenômeno psicológico da pareidolia,”
    .
    Sou um especialista em pareidolia desde criança, pois minha família, muito católica, mantinha sempre na parede uma folhinha dos “Sagrados Corações”; destacava-se uma pequena folha por dia. Esta folha, além de referências ao dia, continha muitas curiosidades, principalmente charadas e um desenho contendo um detalhe oculto (um animal, rosto humano, um objeto, etc). Assim, tornei-me um especialista no assunto. Quando fiz teste para trabalhar no banco, apresentaram-me um borrão para que identificasse alguns detalhes; identifiquei tantos, que a psicóloga deve ter feito hora extra naquele dia, porém não fui reprovado. Fiz este relato para deixar claro que sei muito bem distinguir entre pareidolia e uma imagem, ou som sugestivos. Creditar tudo a este fenômeno psicológico é comodismo de céticos. É como dizer que qualquer imagem de água no deserto é miragem.
    .
    “Para quem duvidar, eis aqui uma apostila de genética matemática.
    Vejam, especialmente, a partir da página 123.”
    .
    Bola dentro, já salvei.
    Um abraço

  107. Espírita Sp Orlando Diz:

    Aqui um video mostrando que Waldo Vieira falou que outros mediuns fraudavam e o Chico não.
    Também mostra como Waldo Vieira contribuiu com todos.os.processos de ajuda no movimento espirita.
    E que ele foi Zéfiro em encarnação passada e que Chico foi sua mãe na Catalunha.
    https://youtu.be/QNpva_sZQmc

  108. Demóstenes Diz:

    Vinicius,
    /
    /
    “O Espiritismo está no ar; ele se espalha pela força dos fatos e porque torna felizes aqueles que o professam …
    … Até o momento ainda não encontrei esse montão de amigos falando de Espiritismo, pelo contrário, falam mais é de igreja evangélica kkk”
    /
    Podem até não falar, mas eles assistem e veem. Não vou falar das novelas brasileiras, por que existe um interesse estratégico tanto da FEB, como da ” TV Grubo”. Mas falo dos filmes americanos, da quantidade de filmes que abordam o tema espiritual ou paranormal ou pelo menos espiritualista, Não só o “Ghost”, “a Viagem”, etc. Muitos deles, sem citar “espiritismo”, é uma verdadeira aula de kardecismo, como o “Um olhar do Paraíso”.
    .
    Baseado em um livro de ficção, o filme aborda o desencarne e a situação espiritual de uma adolescente que foi morta. Existe uma análise do blog “Um olhar espírita” não só, discordando das “colonias espirituais” (inclusive a que está acima da casa do Contra CX), como também a semelhança com o LE.
    .
    http://umolharespirita1.blogspot.com.br/2011/11/uma-analise-espirita-do-filme-um-olhar.html
    .
    Concluindo, se fala, se divulga, encarnação, espíritos, mundo espiritual, etc, e muitos, tirando as novelas brasileiras, estão de acordo com o LE.

  109. Gorducho Diz:

    Essa é a videomontagem feita pelos chiquistas colocando textos e truncando na tentativa de obstruir o entendimento dos ventes.
    Veja a parte sem cortes que apresentamos Analista Borges e eu; onde fica bem claro a questão das cartinhas.

  110. Gorducho Diz:

    Concluindo, se fala, se divulga, encarnação, espíritos, mundo espiritual, etc, e muitos, tirando as novelas brasileiras, estão de acordo com o LE.
     
    Certo, mas concorda que é insignificante, nada do que a megalomania do Kardec previra!
    Na França ao invés de se propagar, simplesmente desapareceu.
    Cá até pode ter pegado a árvore do evangelho que o CX trouxe da palestina, mas foi via os evangélicos. Os espíritas elegeram os católicos como os adversários e se deram muito mal pois foram esmagados pelos que eles ignoraram!
     
    E os news ages americanos são ecléticos, não amarrados à seita cristã nem aos dogmas reencarnacionistas românticos: nada a ver c/o que imaginou o Kardec.

  111. Marciano Diz:

    BORGES, eu não creditei tudo à pareidolia. Citei-a como exemplo.
    Existem muitas outras coisas que fazem com que a gente não veja o que deveria. Existem ilusões cognitivas, interpretações derivadas da cultura predominante, etc.
    Citei a pareidolia porque é a mais comum causadora desse tipo de má interpretação da realidade.
    Existem também fraudes, como o sudário de Turim e várias coisas ainda inexplicáveis que pessoas apressadas dizem logo tratar-se disto ou daquilo, sem qualquer prova.
    Não é qualquer imagem de água no deserto que é miragem, mas quase todas o são.
    Nem precisa ser no deserto. Estou acostumado a ver água no asfalto em estradas, em dias ensolarados. Quando a gente se aproxima, a água desaparece. Não é pareidolia, é difração mesmo.
     
    Gostei de ver que você se interessou pela apostila de genética matemática.
    Um abração pra você também!

  112. Borges Diz:

    NOVEMBRO 19TH, 2015 ÀS 7:10 PM
    https://www.youtube.com/watch?v=AXKpZ2uNe-g

  113. Contra o chiquismo Diz:

    Borges Diz:
    NOVEMBRO 21ST, 2015 ÀS 2:27 PM

    .
    Eu não gosto de ser zoado. Você gosta???.
    .

    .
    Você notou desespero em minha escrita? Você percebeu ansiedade em meus argumentos? Por acaso já fui advertido por extrapolar os limites de civilidade?
    .

    .
    Apreciaria que fosse além da superficialidade do mantra “espíritos non equixistem”, para conhecer a profundidade de seus argumento.
    .
    .

    Desculpe faltou um “s” no “argumento” – (argumentos)

    BORGES, TE DISSE QUE NÃO ZOARIA E NEM FAREI ISSO. APENAS COLOQUE PRA GENTE O QUE VC VIVEU PRA DARMOS UMA ANALISADA. O QUE EU VI NOS 16 ANOS QUE PASSEI LÁ? POR ISSO QUE SAÍ, PQ NÃO VI NADA. E NÃO IA ESPERAR PRA VER, POIS A ORDEM ERA ‘AMAI-VOS E INSTRUÇÃO’ . APENAS ESTUDAR PQ A “ÉPOCA DOS FENÔMENOS” JÁ PASSOU.
    -
    -
    -
    BORGES, VC TENTA PROVAR E NÃO DÁ EXEMPLO CONCRETO, SÓ CITA TEXTOS E VÍDEOS. TODOS REFUTADOS E VC CONTINUA A POSTAR E NEM SE DÁ AO TRABALHO DE COMENTAR O QUE POSTA.
    -
    -
    -
    NÃO É SUPERFICIALIDADE. É A REALIDADE. MEUS ARGUMENTOS? 16 ANOS NUMA CASA FILIADA A CEERJ e nada , SÓ ESTUDO E NADA. E ENGANAÇÃO E ERA FINGIMENTO DE ‘MEDIUM’ QUANDO APARECIA ALGUEM.
    -
    -
    -
    NÃO ESQUENTE COM ERROS DE PORTUGÊS.

  114. Contra o chiquismo Diz:

    Ah, só pra lembrar:
    .
    .
    ‘Espiritos’ não existem Borges.

  115. Marciano Diz:

    CONTRA, o vídeo que o BORGES postou por último é do WV falando das falsas cartas, tudo malandreado para que os médiuns fizessem as psicografias.
    Ele disse que não quis participar, que rejeitou ofertas.
    Deve ter sido uma resposta para ORLANDO.
    Mas que espíritos non eczistem, non ecxistem.
    Nisso o Quevedo tem razão.

  116. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    VLAD: Se o livro citado tem que ver com o tema discutido, é valido sim pois agrega na construção do conhecimento e no debate proposto.
    .
    Já as receitas de bolo em nada contribui.
    /.
    PONDERAÇÃO: contribui sim, eu aprecio muito ler as mensagens postadas no blog enquanto saboreio um café com bolo…

  117. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano Diz:
    NOVEMBRO 21ST, 2015 ÀS 2:35 PM
    ….O mesmo fenômeno que faz a gente ouvir coisas diabólicas em músicas bobas, sempre DEPOIS que alguém diz o que a gente tem de ouvir.
    .
    .
    AAAAHHHHHHHH!!!! DISCORDO RADICALMENTE DE VC!!!
    :mrgreen:
    .
    .

    https://www.youtube.com/watch?v=ejmAoDpKFuE
    .
    .
    :mrgreen:

  118. Contra o chiquismo Diz:

    MONTALVÃO Diz:
    NOVEMBRO 21ST, 2015 ÀS 7:39 PM
    /
    /

    /.
    PONDERAÇÃO: contribui sim, eu aprecio muito ler as mensagens postadas no blog enquanto saboreio um café com bolo…
    .
    .
    Isso pq vc ainda não tomou a sopa de hipopótamo!

  119. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    JP Diz:
    “(…) uma proposição universal pode ser mostrada falsa por um exemplo particular. Se você deseja questionar a lei que todos os corvos são negros, você não precisa mostrar que nenhum corvo o é; é suficiente se você provar que um único corvo seja branco. Meu próprio corvo branco é a Sra. Piper. Nos transes desta médium, não posso resistir à convicção de que surgem conhecimentos os quais ela nunca obteve pelo uso habitual dos seus olhos, ouvidos e sagacidade. Qual a fonte deste conhecimento, eu não sei (…); mas não vejo escapatória de admitir o fato de tal conhecimento. Então, quando eu me volto para o restante das evidências (…) não consigo carregar comigo o viés irreversivelmente negativo da mente científica rigorosa, com sua presunção sobre o que a verdadeira ordem da natureza deve ser.” – William James
    /.
    JP: Acho que isso é a menção mais imponente que alguém já recebeu. Que discurso! E é impressionante ver como diminuiu tanto a fama dessa médium que mudava a vida dos maiores sábios da época e fascinava todos. É a vontade de não acreditar de materialistas e religiosos que manipulam e escondem os fatos.
    /.
    PONDERAÇÃO: curioso… muitos mediunistas utilizam o discurso de James para consignar que o grande psicólogo teria acatado “poderes” em Piper. O que está correto, mas que modalidade de poder William James admitiu? A resposta está no próprio texto: “QUAL A FONTE DESTE CONHECIMENTO, EU NÃO SEI”. Quer dizer, James reconhecia que Piper fosse especial, sem se atrever a defender nela legítima contatabilidade com mortos ou autêntica ação metapsíquica.
    /
    /
    JP Diz:
    Seus trabalhos de tradução são fenomenais Vitor mas pena que incrivelmente desprezados. Mas algum dia terão a notoriedade que merecem. Parafraseando Nietzche e também no contexto mediúnico, talvez o seu trabalho está “nascendo póstumo” Hahaha.
    /.
    PONDERAÇÃO: lambição vale. Creio que aqui ninguém despreza o brilhante esforço do Vitor em se dedicar por diletantismo a traduzir textos (conquanto, compreensivelmente, ele traduz o que acha que vale, dificilmente, por exemplo, verterá para o português escritos de Hall e Tanner). Portanto, ninguém critica o belo trabalho que o Visoni realiza, sim as ideias que defende.
    /
    /
    Marciano Diz:
    Por falar em Piper, no tópico sobre ela
    http://obraspsicografadas.org/2015/discussao-dos-fenomenos-de-transe-da-sra-piper-por-frank-podmore-1899/#comments
    tem comentário endereçado a MONTALVÃO e a quem queira saber curiosidades sobre Emmânuel.
    /.
    PONDERAÇÃO: devidamente comentado.
    /
    /
    JP Diz:
    Sou cristão? Reparei que nesse blog qualquer um que concordar com o Vitor é tachado como chiquista fanático… Interessante. Onde usei Nietzsche para defender o cristianismo ou a mediunidade? Vc que fez parecido com isso, usando um médium “projeciologo” pra defender uma posição contra Chico Xavier. Eu só fiz uma relação de brincadeira dizendo que as traduções do Vitor iriam ser melhor reconhecidas depois da morte.
    /.
    PONDERAÇÃO: JP is new here, don’t know about Visoni… O Vitor, meu caro, nada a ver com Xavier. Visoni está para Chico assim como verdugo está para dramaturgo. Se quem concorda com o Moura recebe a pecha de chiquista (inda mais fanático) significaria que o Visoni seria também um chiquista fanatizado. Mas, como o Gorducho bem explicou, as crenças do Vitor precisam ser conhecidas para ser compreendidas. As traduções do Vitor, conforme outros disseram, são reconhecidas, tanto pelo esforço e quanto desapego quase xaveriano em realizá-las.
    .
    És cristão? Que bom que seja, Deus o abençoe. Mas ser cristão não o livravrá de crer em infundadas coisas, considere.

  120. Vinicius Diz:

    Demosténes, Kardec fala do mundo inteiro e eu acrescento por minha conta: o universo inteiro! Na minha opinião o livro “O que é o Espiritismo” não foram visitas de céticos, sacerdotes e livre pensadores e sim o próprio Kardec simulando diálogos. Pode até parecer calúnia mas os diálogos encaixam direitinho, aquele esquema de perguntas e respostas aparece todo lá, tem um momento no diálogo com o padre em que aparece uma única vez um tal de “livre pensador” que faz uma pergunta e depois some. Fala que muçulmanos participam das reuniões e tal. E olha essa pérola aqui :

    “Acreditais, por exemplo, que um Espírito esclarecido, fosse mesmo Fénelon, dirigindo-se a um muçulmano, irá inabilmente dizer-lhe que Maomé é um impostor, e que ele será condenado se não se fizer cristão? Não o fará, porque seria repelido”

    Se contarmos que Kardec fala sobre isso em 185… e hoje estamos em 2015 e nenhum muçulmano menciona hordas de espiritos desencarnados falando para que eles semeiem a paz, que Alá quer a concórdia e o amor? Se lá no oriente há tanta confusão porque não promover mais fenômenos, quais as mesas girantes, e esses terroristas islâmicos fiquem “aterrorizados” e passem a ver que é inútil a destruição que fazem ? Porque não se materializam espiritos de politicos já falecidos e voltam no Congresso Nacional dizendo que corrupção precisa terminar para que se possa implantar o reino da fraternidade aqui no Coração do Mundo???

    No começo eu fiquei deslumbrado com o Espiritismo, faz uns 16 anos, era a fase do namoro, depois o casamento e agora o processo de divórcio :lol:

    O que achou da comparação da obra “Cartas de uma Morta” e “Urânia” ? CX colocar a memória da própria mãe descrevendo Marte e ainda na mesma ordem que Flammarion foi ridículo.

    Sobre novelas e filmes tem de tudo, atualmente o sucesso mesmo é “o Dez Mandamentos” . Muita audiência para a abertura do Mar Vermelho, derrubando até o tradicional Jornal Nacional.
    Quando passou Nosso Lar no Cinema um amigo evangélico assistiu e riu muito (foi o que ele falou). Achou o máximo aquelas construções todas, o aérobus, os ministérios. Assim como tem gente que assiste para aprender , outros para escarnecer. Este meu amigo ficou tirando o sarro uma semana kkk, falou que o CX parecia o professor Xavier, do X-MEN. E eu, super crente, explicava que não era bem assim, que se tem metrô aqui, qual problema em ter aérobus lá não é? Mas nessa época nem suspeitava que havia o Rev.Owen, as divergências de Marte, Brasil Anedótico copiado em um livro de CX, Kardec e no máximo dez médiuns (ele apregoava que eram vários milhares, mas nas biografias parece-me que não eram bem assim) etc etc

  121. Contra o chiquismo Diz:

    Vinicius Diz:
    NOVEMBRO 21ST, 2015 ÀS 9:11 PM
    …Sobre novelas e filmes tem de tudo, atualmente o sucesso mesmo é “o Dez Mandamentos” . Muita audiência para a abertura do Mar Vermelho, derrubando até o tradicional Jornal Nacional.
    ~
    ~
    ~~
    VINICIUS, VAI POR MIM: em breve o ‘espiritsmo’ não terá pra onde correr e vai adotar a TEOLOGIA DA PROSPERIDADE. Ah vai sim. Visto que o dr bezerra arrumou dinheiro do ‘alem’ trazido por um ‘aluno’, os ‘espiritas’ tb nunca passarão necessidades, pois que virá dinheiro do ‘alem’ sempre que precisarem.
    .
    .
    A sede da FEB de Brasília em nada deve a uma catedral do macedão. Estão faltando poucos passos pro ‘espiritismo’ entrar nessa. Apologia a miséria e conformismo não atrai mais ninguém. Até atrai, mas logo afasta.

  122. Contra o chiquismo Diz:

    Ah, olhem quanto os cantores gospel cobram pra cantar por ae…
    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=8FcN8VyXC34
    .
    .
    Bem os ‘espiritas’ não cobram pra dar palestra até agora, mas viajam com tudo pago inclusive para fora do país.. o sr raul teixeira que o diga…

  123. Demóstenes Diz:

    Vinicius,
    Compreendo seu ponto de vista.
    /
    /
    A todos, inclusive o Contra CX,
    Não sei se cabe nesse post, o assunto. Mas o Vitor, administrador desse blog, colocou o Livro Herculanum a disposição nesse sitio:
    http://obraspsicografadas.org/2013/livro-gratuito-herculanum-1937-da-sr-w-krijanowsky/
    .
    Pra quem não está familiarizado, o livro é uma psicografia do J.W. Rochester, do qual sou fã (apesar dele não manifestar nas minhas reuniões espíritas). O livro é um romance sobre a erupção do Vulcão Vesúvio.
    Acontece que acabei de ver um documentário sobre Pompéia:
    https://www.youtube.com/watch?v=dsktvcddnTc
    .
    Até alguns anos atrás existia uma dúvida sobre o que causou a morte e por que dos corpos petrificados. A conclusão do documentário, bate com o trecho do livro, pag. 98, do livro baixado:
    /
    … visto que uma cinza espessa e comburente começava a cegá-los e oprimi-los, dificultando a respiração.
    Pedras candentes, de todos os tamanhos, choviam a granel ferindo uns, matando outros, aumentando em todos a confusão e o terror …
    .
    …E, como se aquela vibração subterrânea fosse mais intensificar a atividade vulcânica, imensa nuvem negra golfou da cratera e espalhou por todo o ambiente uma verdadeira chuva de pedras rubras.
    Virgília, atingida, também tombara. Nero e Fábius apressaram-se a levantá-la e procuraram estugar o passo, quando uma pedra, zunindo, bateu na fronte do segundo, que tombou fulminado, sem um gemido.
    A moça atirou-se ao corpo inerte do marido, esforçando-se por levantá-lo, mas, tanto que o viu imóvel, de olhos arregalados, a golfar sangue das narinas e da boca, deu um grito lancinante e tombou sobre o cadáver.”
    /
    A pergunta é, a escritora Wera sabia das escavações nas ruínas de Pompéia? Na época, (da escrita do livro) existia a teoria da “cinza quente” que sufocou os moradores?
    /

  124. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Isso pq vc ainda não tomou a sopa de hipopótamo!”
    /.
    Eu bem que gostaria, o difícil é arrumar panela que caiba a iguaria…

  125. Marciano Diz:

    CONTRA, ouvi sem ler as legendas, não entendi nada!
    DEPOIS, lendo as legendas, até parece um pouco.
     
    “tem comentário endereçado a MONTALVÃO e a quem queira saber curiosidades sobre Emmânuel.
    /.
    PONDERAÇÃO: devidamente comentado”.
    /
    /
    Devidamente respondido.
    Desculpe qualquer coisa, estou me embriagando enquanto assisto ao UFC, which is boring.
    Don’t get me wrong. Eu apoio a bancada, principalmente o presidente e o vice, mas gosto de umas palhaçadas de vez em quando.
    É pra isso que serve o booze.
     
    Falando em UFC, gostei de ver a Ronda levando porrada. Embora eu seja fã de carteirinha dela, estava precisando, pra deixar de ser besta.
    O de hoje tá um porre, daí o porre.
    Por que o nome dela é Ronda, e não Rhonda? Alguém sabe?
     
    VINICIUS:
    “ Se lá no oriente há tanta confusão porque não promover mais fenômenos, quais as mesas girantes, e esses terroristas islâmicos fiquem “aterrorizados” e passem a ver que é inútil a destruição que fazem ? “.
     
    Resposta: Maktub.
     
    Que diabos é isso de “Dez Mandamentos”?
    Além do que consta do deuterionômio (eu sei que é deuteronômio, quis brincar com deutério) e do gênesis, conheço um filme do tempo de matusalém. É remake?
    Já tá passando na TV e eu nem ouvi falar dele?
     
    CX parece o professor Xavier (até no nome) e com Roy Orbison.
    Check this out:
    https://omusicologo.files.wordpress.com/2013/04/roy-orbison-2.jpg
     
    Gostaria de saber como sua filha de 8 anos consegue ser mais esperta do que você há 16 anos?
    Pelo que diz, presumo que era, ao menos, adolescente. Acho que adulto mesmo.
    Menor de idade pode se casar com o espiritismo?
    É divórcio ou anulação de casamento?
     
    Desculpe a franqueza, é culpa do C₂H₆O.
     
    DEMÓSTENES, o que você está esperando para largar essa π ω ρ ρ α :?:

  126. Marciano Diz:

    Pra quem já se esqueceu, isso aí em cima é a fórmula do álcool etílico, C₂H₆O, também conhecido como etanol.
    In vino veritas.
    E também BS (bullshit).
    Sei que amanhã vou me arrepender do que escrevi, mas querem saber? Fuck it!
    My apologies to everyone.
    Entschuldigung!

  127. Marciano Diz:

    Misturar carbono, hidrogênio e oxigênio não dá certo.
    Bem que minha mãe me falava pra não ficar misturando coisas.

  128. Marciano Diz:

    Eu sei que não é “mistura”, é “reação”.
    Posso brincar um pouco?

  129. Marciano Diz:

    Escrevo diante da tela da TV, com o UFC.
    Se pudesse, pediria um refunding.
    Tá uma m&rδ@.

  130. Marciano Diz:

    Vou acabar com meu caro (no duplo sentido) vinho, tomar dois Rohypnol ™ e um Alprazolam ™ e tentar dormir.
    Espero não acordar junto com a Amy Winehouse.

  131. Marciano Diz:

    No caso dela, foram 3 garrafas de vodka.
    Nada na Rússia presta.
    Fim de papo! Foi pra conta!
    Mais uma luta morna.
    Deu pra mim.
    Bye.
    Pra vocês e pro UFC.

  132. Marciano Diz:

    Fim de papo, foi pra conta, é o que o retardado do comentarista do canal Combate fala, sempre que uma luta termina sem knock out ou finalização.
    Vai pra contagem.
    O cara SEMPRE fala a mesma coisa.
    Criatividade zero, igual à dos lutadores de hoje.

  133. Marciano Diz:

    Tenho saudade dos meus tempos de porrada.
    Nunca fui grande coisa, mas mantive a invencibilidade, ainda que lutando só com gente medíocre.
    Agora só sirvo pra saco de pancada, por isso, parei, faz tempo.
    Agora eu vou mesmo.
    Tchüs!

  134. Gorducho Diz:

    Na época, (da escrita do livro) existia a teoria da “cinza quente” que sufocou os moradores?
     

    Ashes were already falling, not as yet very thickly. I looked round: a dense black cloud was coming up behind us, spreading over the earth like a flood.’Let us leave the road while we can still see,’I said,’or we shall be knocked down and trampled underfoot in the dark by the crowd behind.’We had scarcely sat down to rest when darkness fell, not the dark of a moonless or cloudy night, but as if the lamp had been put out in a closed room.

    You could hear the shrieks of women, the wailing of infants, and the shouting of men; some were calling their parents, others their children or their wives, trying to recognize them by their voices. People bewailed their own fate or that of their relatives, and there were some who prayed for death in their terror of dying. Many besought the aid of the gods, but still more imagined there were no gods left, and that the universe was plunged into eternal darkness for evermore.

    There were people, too, who added to the real perils by inventing fictitious dangers: some reported that part of Misenum had collapsed or another part was on fire, and though their tales were false they found others to believe them. A gleam of light returned, but we took this to be a warning of the approaching flames rather than daylight. However, the flames remained some distance off; then darkness came on once more and ashes began to fall again, this time in heavy showers. We rose from time to time and shook them off, otherwise we should have been buried and crushed beneath their weight. I could boast that not a groan or cry of fear escaped me in these perils, but I admit that I derived some poor consolation in my mortal lot from the belief that the whole world was dying with me and I with it.

    [Gaius Plinius Cæcilius Secundus, Epistulæ]

  135. Gorducho Diz:

    A pergunta é, a escritora Wera sabia das escavações nas ruínas de Pompéia?
     

    Herculanum, Retina (Resina) et Oplonte furent ensevelies sous la lave dans quelques parties, mais principalement par un déluge d’eau et de cendres que vomit la montagne, et qui remplit ces villes comme le métal en fusion remplit les concavités du moule. Cette espèce de mortier devint bientôt par le refroidissement aussi dur que la pierre, et les malheureuses cités se trouvèrent englouties sous une couche solide de plus de 20 mètres d’épaisseur.

    Pompéi, au contraire, soit parce que sa position élevée la préserva de ces torrents, soit parce que les courants d’eau et de lave prirent une autre direction, fut, aussi bien que Stabies, recouverte surtout d’une couche de 6 à 7 mètres de cendres et de petites pierres ponces qu’on nomme à Naples Lapilli. Cette pluie volcanique tomba sans doute par ondées successives et non en masse, car aucun des habitants n’eût échappé, tandis que jusqu’à présent on n’a encore trouvé qu’environ 500 squelettes, nombre bien faible pour les deux tiers d’une ville dont les calculs les plus modérés évaluent la population à près de 110.000 âmes.

    [Pompeia d'Ernest Breton (3eme éd. 1870)]
     
    Aliás…
    Dion dit, et une foule d’auteurs ont répété après lui, qu’au moment de la catastrophe, le peuple presque entier était au théâtre et y fut enseveli. Les auteurs qui ont adopté la version de l’historien de Nicée n’ont pas réfléchi qu’elle est absolument contraire à la nature et à l’action des volcans et particulièrement du Vésuve, dont les éruptions sont toujours précédées d’indices sur lesquels il n’est pas permis de se méprendre. D’ailleurs, ce qui est bien plus décisif, un seul squelette a été découvert dans le théâtre.
     
    CX não fala no teatro na obra?

  136. Gorducho Diz:

    ESPECIAL p/o ANALISTA MARCIANO
     
    A cartolagem sabe das cousas…
    :mrgreen:
    http://www.bbc.com/news/uk-34893039

  137. Gorducho Diz:

    [Soprintendenza Speciale per Pompei, Ercolano e Stabia]
     
    Gli edifici scavati fra il 1860 e il 1910.
     
    Gli edifici scavati fra il 1860 e il 1910.
     
    Le scoperte del Fiorelli:

    Casa di Sirico (1862)
    Casa del balcone pensile (1862)
    Porta Marina (1863)
    Vicolo del Lupanare (1863)
    Casa di M. Lucrezio Stabia (1871)
    Tempio di Venere
    Casa di Epidio Sabino
    Casa del Citarista
    Casa di Epidio Rufo
     
    Le scoperte del Ruggero:
    Casa di L. Cecilio Giocondo (1875-76)
    Terme Centrali (1877-78)
    Casa del Centenario (1879-80)
    Casa delle Nozze d’Argento (1891-93)
    Sepolcri lungo via Nolana (1886-87)
    Sepolcri lungo via di Stabia (1889)
     
    Le scoperte fra il 1893 e il 1910:
    Casa dei Vetti (1894-95)
    Casa di M. Lucrezio Frontone (1895)
    Casa degli Amorini Dorati (1895; 1903-5)
    Tratto di mura tra la torre X e XI (1897-99)
    Tempio di Venere Pompeiana (1897-98)
    Saggi al Tempio di Giove (1897-98)
    Saggi al Tempio di Apollo (1897-98)
    Saggi fuori porta Vesuvio (1897)
    Castellum aquae presso porta Vesuvio (1901-2)
    Casa dell’Ara Massima (1903)
    Casa dei Gladiatori (1899; 1905-6)

  138. Gorducho Diz:

    Aliás sempre é bom relembrar pois que sempre tem os que tentam redescobrir a pólvora (não é seu caso, b>Sr. Demóstenes, fique claro: s/pergunta é perfeitamente razoável!)
    Wera Krijanowskaia publica Herculanum em 1937, e dia 7 de setembro de 38 Emmânuel anuncia o propósito de ditar suas memórias que terminarão na… erupção do Vesúvio!

  139. Espírita Sp Orlando Diz:

    Há uma relação entre Herculanum e o Há dois mil anos?
    Gorducho sou muito mal em traduções: o que você quis citar são fontes de que teoria da cinza quente e outros já eram conhecidos antes de Wera?
    Demostenes comparou um documentário e a psicografia e viu que na epoca não conheciam as teorias no livro da Wera.
    Sobre o video do Waldo ainda estou analisando as 4 versões que encontrei.

  140. Gorducho Diz:

    Claro que sim: já cá foi analisado.
     
    Sorry Dr., mas agente não pode fiar traduzindo tudo. Literatura séria em português e mesmo em espanhol é mínima.
     
    Quem foi que disse que não conheciam: a literatura chiquista?
     
    Não precisa analisar as 4 versões, apenas veja o trecho pertinente sem a tentativa de edições por parte doss chiquistas.

  141. Contra o chiquismo Diz:

    MONTALVÃO Diz:
    NOVEMBRO 21ST, 2015 ÀS 10:11 PM
    /

    /.
    Eu bem que gostaria, o difícil é arrumar panela que caiba a iguaria…
    .
    .
    ORA… pra que existe machado, cutelo… um boi tb não caberia em tese, mas vc toma sopa de musculos no centro espirita como? Os ‘espiritos’ os transformam em bois leprechauns?

  142. Demóstenes Diz:

    Marciano,
    Criativo, tentei traduzir a “? ? ? ? ?”, não saiu nada. ai ouvi.
    /
    /
    Gorducho,
    Vous êtes l’une encyclopédie.
    /
    /
    Contra Cx,
    Don’t eat hippopotame
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=2p3MwO8ba7I

  143. Gorducho Diz:

    And ever as the winds swept, howling along the street they bore sharp streams of burning dust, and such sickening and poisonous vapors as took away, for de instant, breath and consciousness, followed by a rapid revolution of the arrested blood, and a tingling sensation of agony trembling through every nerve and fibre of the frame.
    Lord Lytton. Os Últimos Dias de Pompéia.
    Em dois volumes
    volume II
    com ilustrações
    Boston, Estes and Lauriat (1891)
    pg. 213

  144. Espírita Sp Orlando Diz:

    Demostenes agora que o Gorducho trouxe essas obras a respeito dos últimos dias de Pompeia a Medium Wera pelo visto não trouxe algo tão inédito assim. O que acha?
    GORDUCHO os livros que mencionou traz alguma suspeita de que WERA poderia saber da teoria da cinza quente? DEMOSTENES
    ” a pergunta é, a escritora Wera sabia das escavações nas ruínas de Pompéia? Na época, (da escrita do livro) existia a teoria da “cinza quente” que sufocou os moradores?

    Sobre os videos de Waldo o que eu pude entender é que ele quis dizer que enquanto estava no espiritismo com ele não tinha essas cartas marcadas e que depois ele Waldo não tinha mais como saber, afinal deixou o movimento espirita… “na minha época… ” foi o que ele falou. E falou que 90% dos mediuns fraudam… Não sei como ele fala algo que ele não foi a campo pesquisar. Achei Waldo ressentido com o Espiritismo (é o que parece) que não deu valor pra suas obras( ele enfatiza que via Emanuel e André luiz antes mesmo do Chico) e quis colocar na mesmo saco todos os mediuns do Brasil como se eles fossem mexeriqueiros da vida alheia.

  145. Gorducho Diz:

    O espetáculo corria no meio da maior animação, cada qual mais atento aos jogos da arena, quando Metela tocou o braço da filha do questor, que lhe ficara ao lado:
    — Pompônia, veja “aquilo” lá no cimo do Vesúvio… É extraordinário, eu nunca vi semelhante coisa
    !
     
    Observem os Sres. que n’Os Últimos Dias a erupção também é lobrigada numa cena no anfiteatro…
    Os “espíritos” não são muito criativos…
     
    HDMA acho que também tem uma cena no teatro, mas não lembro agora…

  146. Gorducho Diz:

    De permeio com os atletas e gladiadores, estavam os músicos, os cantores e os dançarinos.
    Tudo era um farfalhar de sedas, um delicioso chocalhar de alegrias ruidosas, ao som de flautas e alaúdes.
    Em dado instante, porém, a atenção geral foi solicitada por um fato estranho e incompreensível. Do cimo do Vesúvio elevava-se grossa pirâmide de fumo, sem que ninguém atinasse com a causa do fenômeno insólito.
    Continuavam os jogos animadamente, mas agora, no seio da coluna fumarenta que se elevava em caprichosos rolos para o alto, surgiam impressionantes labaredas

    [HDMA]

  147. Gorducho Diz:

    The eyes of the crowd followed the gesture of the Egyptian, and beheld, with ineffable dismay, a vast vapor shooting from the summit of Vesuvius, in the for of a gigantic pine-tree, the trunk, blackness, the branches, fire, – a fire that shifted and wavered in its hues with every moment, now fiercely luminous, now of a dulland dying red, that again blazed terrifically forth with intolerable glare.
    [Últimos Dias]

  148. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Marciano Diz:
    “tem comentário endereçado a MONTALVÃO e a quem queira saber curiosidades sobre Emmânuel.
    /.
    MOI: devidamente comentado”.
    /
    MARTE: Devidamente respondido.
    /.
    PONDERAÇÃO: devidamente re-respondido…
    /
    /
    MARTE: Falando em UFC, gostei de ver a Ronda levando porrada. Embora eu seja fã de carteirinha dela, estava precisando, pra deixar de ser besta.
    /.
    PONDERAÇÃO: ela fez o que faz todo império: quando não conhece adversário à altura relaxa e aí se dá mal.
    /
    /

    MARTE: O de hoje tá um porre, daí o porre.
    /.
    PONDERAÇÃO: teve umas lutas boas, mas teve umas que não valeu a pena a vigília. Só não consegui acompanhar a última porque os olhos fecharam em protesto pelo excesso de acordamento.
    /
    /
    MARTE: Por que o nome dela é Ronda, e não Rhonda? Alguém sabe?
    /.
    PONDERAÇÃO: sei, o tabelião era meio desalfabetizado e esqueceu o “h”…
    /
    /

    MARTE: Que diabos é isso de “Dez Mandamentos”?
    Além do que consta do deuterionômio (eu sei que é deuteronômio, quis brincar com deutério) e do gênesis, conheço um filme do tempo de matusalém. É remake?
    Já tá passando na TV e eu nem ouvi falar dele?
    /.
    PONDERAÇÃO: o mal de não assistir a rede do Macedo é este: fica sem saber das coisas… Dez Mandamentos, a grande produção da Record, da qual não assisti um capitulozinho que fosse…
    /
    /
    Marciano Diz:
    Pra quem já se esqueceu, isso aí em cima é a fórmula do álcool etílico, C?H?O, também conhecido como etanol.
    /.
    PONDERAÇÃO: quando o etanol não mais fizer efeito restar-lhe-á o metanol…
    /
    /

    Marciano Diz:
    Vou acabar com meu caro (no duplo sentido) vinho, tomar dois Rohypnol ™ e um Alprazolam ™ e tentar dormir.
    Espero não acordar junto com a Amy Winehouse.
    /.
    PONDERAÇÃO: NO, NO, NO…
    /
    /
    Marciano Diz:
    No caso dela, foram 3 garrafas de vodka.
    Nada na Rússia presta.
    .
    PONDERAÇÃO: Brasil tem a melhor cachaça, México a melhor tequila, Japão o melhor saquê, Russia a melhor vodka. Mas três garrafas matam…
    /
    /

    “Na época, (da escrita do livro) existia a teoria da “cinza quente” que sufocou os moradores?”
    /.
    PONDERAÇÃO: rê, rê e rê… “teoria” da cinza quente… Boa essa “teoria”… se os contemporâneos da tragédia sabiam que foram os de Pompéia e Herculano calcinados pela lava do vulcão, por que se elaborariam “teorias” a posteriori?

    /
    /.
    “Eu bem que gostaria, o difícil é arrumar panela que caiba a iguaria…”
    .
    CONTRA: ORA… pra que existe machado, cutelo… um boi tb não caberia em tese, mas vc toma sopa de musculos no centro espirita como? Os ‘espiritos’ os transformam em bois leprechauns?
    /.
    PONDERAÇÃO: mas aí não seria sopa de hipopótamo, mas sopa de perna de hipopótamo, ou orelha, dente, rabinho, escroto…
    /
    /
    Espírita Sp Orlando Diz:
    Não sei como ele fala algo que ele não foi a campo pesquisar. Achei Waldo ressentido com o Espiritismo (é o que parece) que não deu valor pra suas obras( ele enfatiza que via Emanuel e André luiz antes mesmo do Chico) e quis colocar na mesmo saco todos os mediuns do Brasil como se eles fossem mexeriqueiros da vida alheia.
    /.
    PONDERAÇÃO: simples, Waldo sabia que espíritos, mesmo que existam, não comunicam. E como sabia? Por que, depois que bandeou-se para o lado das projeções abriu-se-lhe os olhos e viu.
    .
    Nem Waldo, nem Chico, nem nenhum outro deu ou dá mostras conclusas de espíritos presentes nas imaginadas comunicações. Nunca perca de vista esta realidade…

  149. Marciano Diz:

    Se o arcebispo de Canterbury tem a fé menor do que um grão de mostarda, o que pode esperar dos fiéis?
     
    DEMÓSTENES, se eu tive criatividade, ela só foi útil devido à sua imaginação e perspicácia. Se tivesse ficado só com a tentativa de tradução, não teria graça.  
    Se RAUL SEIXAS era uma metamorfose ambulante, GORDUCHO é uma enciclopédia ambulante. Quiçá uma biblioteca ambulante.
    Não é à toa que é o vice-presidente da bancada.
     
    MONTALVÃO, que bom que voltaste.
    Vou deixar um pedido endereçado ao presidente (MONTALVÃO), especialista em textos bíblicos e sua interpretação:
     
    MATEUS
    [6]
    5 E, quando orardes, não sejais como os hipócritas; pois gostam de orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam a sua recompensa.
    6 Mas tu, quando orares, entra no teu quarto e, fechando a porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.
    7 E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque pensam que pelo seu muito falar serão ouvidos.
    8 Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes.
    9 Portanto, orai vós deste modo: Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome;
    10 venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu;
    11 o pão nosso de cada dia nos dá hoje;
    12 e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós também temos perdoado aos nossos devedores;
    13 e não nos deixes entrar em tentação; mas livra-nos do mal. [Porque teu é o reino e o poder, e a glória, para sempre, Amém.]

     
    Pergunto:

    1 Se meu pai sabe o que me é necessário ANTES de eu pedir-lhe, para o quê preciso pedir?

    2 Se não devo usar de vãs repetições, como os gentios, por que ele me ensina uma fórmula?

     
    A impressão que me fica é a de que alguns textos foram interpolados.
    Não faz sentido ensinar a pedir algo a quem já sabe do que me é necessário ANTES que eu o perceba; também não faz sentido dizer que não devo usar fórmulas para, logo em seguida, ensinar uma fórmula.
     
    Foi a mesma pessoa que escreveu todo o texto?
     
    Aproveito a ocasião, servindo-me da oportunidade, para diante do ensejo que se me apresenta responder:
     
    “ó não consegui acompanhar a última porque os olhos fecharam em protesto pelo excesso de acordamento.”
     
    Não perdeu nada.
    Como não consegui dormir, assisti até o final (terminou lá pelas 4 horas).
    A luta principal e a que a antecedeu terminaram na contagem.
    Não teve nada de memorável.
     
    Dez mandamentos:
    Até ouvir falar, mas realmente não vejo a Record. Por isso não entendi nada.
     
    Metanol, vou deixar para o dia em que precisar. Quando chegar a hora da partida, para antecipá-la, se tiver chance.
     
    Cachaça:
    Desculpe pela inguinorança, mas existe cachaça “não brasileira”?

  150. MONTALVÃO Diz:

    /
    /DE MARTE
    “MONTALVÃO, que bom que voltaste.
    Vou deixar um pedido endereçado ao presidente (MONTALVÃO), especialista em textos bíblicos e sua interpretação”
    /.
    MIO CARISSIMI, depois que tomei um sacode bíbliogênico do Gorducho abdiquei de minha autorreconhecida miúda concepção de que soubesse interpretar texto da Bíblia, mas, mesmo assim, farei titâtico esforço almejando sua felicidade.
    /
    /
    MATEUS [6]
    5 E, quando orardes, não sejais como os hipócritas; pois gostam de orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam a sua recompensa.
    6 Mas tu, quando orares, entra no teu quarto e, fechando a porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.
    7 E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque pensam que pelo seu muito falar serão ouvidos.
    8 Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes.
    9 Portanto, orai vós deste modo: Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome;
    10 venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu;
    11 o pão nosso de cada dia nos dá hoje;
    12 e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós também temos perdoado aos nossos devedores;
    13 e não nos deixes entrar em tentação; mas livra-nos do mal. [Porque teu é o reino e o poder, e a glória, para sempre, Amém.]

    Pergunto:
    1 Se meu pai sabe o que me é necessário ANTES de eu pedir-lhe, para o quê preciso pedir?
    /.
    RESPOSTA: mole esta: orar, Jesus ensinou, não é meramente pedir no sentido de despertar o todo-poderoso para nossas necessidades, as quais ele bem conhece, sim um ato de humildade da criatura ante o Criador. Ninguém modifica a Deus tampouco seus desígnios, portanto, a oração que reivindica mudança nos soberanos propósitos divinos é inócua.
    /
    /
    2 Se não devo usar de vãs repetições, como os gentios, por que ele me ensina uma fórmula?
    /.
    RESPOSTA: a fórmula é um modelo a ser adaptado às circunstâncias, desde que não fuja do que é normatizado. Por exemplo, pedir a Deus que inspire seu fiel a marcar certo o cartão da megasena, e combinar com ele (com Deus) que, em ganhando, ajudará uma cacetada de gente: este tipo de acordo não se enquadra no padrão oferecido, sendo assim, bate no céu e retorna sem resposta. As vãs repetições eram mesmo repetições e vãs, tipo pedir cem vezes a mesma coisa, supondo que assim teria mais probabilidade de ser ouvido; ou ficar a rogar chuva até que a chuva viesse, ou a voz faltasse, o que primeiro ocorresse…
    /
    /

    A impressão que me fica é a de que alguns textos foram interpolados.
    .
    RESPOSTA: provavelmente sim, no caso da oração do Pai Nosso, a parte final, entre colchetes, é uma provável interpolação.
    /
    /
    Não faz sentido ensinar a pedir algo a quem já sabe do que me é necessário ANTES que eu o perceba; também não faz sentido dizer que não devo usar fórmulas para, logo em seguida, ensinar uma fórmula.
    /.
    RESPOSTA: isso porque está considerando o modelo uma fórmula. Se Deus é o que dele pensamos (inclusive em relação à existência) ele sabe tudo e tem seu projeto elaborado, o qual será cumprido à risca, gostemos ou não, queiramos ou não. Sendo assim, oração não tem qualquer valor em termos exigitivos, tem importância apenas como devoção.
    /
    /
    Foi a mesma pessoa que escreveu todo o texto?
    /.
    RESPOSTA: supõe-se que sim, descontadas as citadas interpolações… certeza? Quem sabe?
    /
    /
    Cachaça:
    Desculpe pela inguinorança, mas existe cachaça “não brasileira”?
    /.
    RESPOSTA: cada civilização tem sua “cachaça”, mudando “tão somente” a fórmula e o modo de fazer:
    EUA: bourbon
    ESCÓCIA: whisky
    MÉXICO: tequila
    JAPÃO: saquê
    ALEMANHA: steinhäger
    RUSSIA: vodca
    ÁFRICA: amarula
    FRANÇA: champanhe
    GRÉCIA ANTIGA: cicuta
    IMEMORIAL: vinho
    OLIMPO: néctar
    MESOPOTÂMIA: cerveja
    PIRATALÂNDIA: rum
    E outras.

  151. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Alguém me enviou comentário que meu querido parceiro de discussões, Sandro Fontana, postou, noutro endereço, sobre o artigo e sobre mim, o qual reproduzo. O Sandro, para quem não sabe ou não lembra, é um que esporadicamente aterrissa por estas bandas, levas uns esfregas e desaparece até a próxima.
    /.
    SANDRO: “Interessante artigo, mostrando q essa coisa de ficar “iludindo” médiuns não ajuda nada, senao na crença pessoal do cético.. Esperando ele que o médium fosse dizer: Hey.. você está mentindo.. essa pessoa não existe!
    .
    Ahhhh se fosse tao simples assim.. Me lembrou a tal entrevista sacana do Moizes com a Sonia.. e eu mentalizando pra dar certo.. O q deu? Surgiu um tal senhora com nome da avó da minha mulher.. hehe.. Será q a velha foi la pra tentar ajudar? Será?
    /
    /
    PONDERAÇÃO: a “entrevista sacana” de que fala foi porque inventei uma parente morta e a médium prontamente a achou, que nem Piper…

  152. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, obrigado pela resposta.
     
    Embora não queiras aprender inglês, vai aqui uma palavra para a qual desconheço tradução, por isso não a traduzirei, deixando a você a tarefa de descobrir seu significado.
     
    Sabe o que é chato aqui no blog?
    Tá cheio de nitpickers.
    Não sei como se diz isso em português, mas nitpicker é o cara que vasculha tudo o que a gente diz, procurando qualquer detalhe para encher o saco, para mostrar algum erro no que a gente disse.
    O vocabulário inglês é mais rico do que o português.
    Existem muito mais coisas que se pode dizer em inglês sem correspondente em português do que o contrário.
     
    Dito isto, vou dar uma de nitpicker e encher seu saco de cachaça:
    modo de fazer:
    EUA: bourbon (feito de milho, não de sugarcane)
    ESCÓCIA: whisky (feito de cevada, milho e trigo, não de sugarcane)
    MÉXICO: tequila (feita de ágave – Agave sisalana, não de sugarcane)
    JAPÃO: saquê (nem é destilado, é um fermentado, feito de arroz, não de sugarcane)
    ALEMANHA: steinhäger (feita de juniperus, não de sugarcane)
    RUSSIA: vodca (feita de arroz, não de sugarcane)
    ÁFRICA: amarula (não é destilado, é fermentado, e feito de marula, não de sugarcane) aliás, elefantes adoram marula, inclusive podre, para poderem ficar bêbados.
    FRANÇA: champanhe (não é destilado, mas vinho – fermentado, portanto, feito de uvas, especialmente Chardonnay, não de sugarcane)
    GRÉCIA ANTIGA: cicuta (esta eu me lembro de ter bebido em outra encarnação, mas pelo que o véu do esquecimento me deixa lembrar, não era alcoólica)
    IMEMORIAL: vinho (fermentado, não destilado, feito de qualquer tido de Vitis vinifera, não de sugarcane)
    OLIMPO: néctar (também já bebi, em outra encarnação, e pelo que me é dado lembrar, era de uva terrena mesmo, o néctar dos deuses)
    MESOPOTÂMIA: cerveja (pô, quantos outros fermentados vai citar?)
    PIRATALÂNDIA: rum (pelo menos esse é feito de sugarcane, mas outro processo – e é da América Central, embora os marinheiros, piratas ou não, o bebessem nos bons tempos da Marinha)
     
    Esqueceu-se do cognac, armagnac, bagaceira, (todos de uvas, não de sugarcane), que devem estar compreendidos no (outras).
     
    Calvados (maçã), poire (pêra), grappa (uva)…
     
    Parece que cachaça, feito de sugarcane, só aqui mesmo.
     
    SANDRO não é o ✈ :?:

  153. Marciano Diz:

    Acabei dizendo o significado de nitpicker.
    Deixo a tradução para você.

  154. Marciano Diz:

    Aqui tem uns cherry pickers também.

  155. Marciano Diz:

    Ficar falando de bebidas me deu uma sede…
    Vou tomar um grau e pular pra cama.

  156. Demóstenes Diz:

    Orlando Sp,
    /
    Os textos que o Gorducho postou, mostra que já se conhecia a história do vulcão, o que é claro, há indícios, que a médium letrada, culta, poderia conhecer. E revendo a história, as escavações começaram pra valer em 1748.
    .
    Por ser espírita, posso até acreditar que a médium “recebeu” do J.W. Rochester. Mas não há nada de diferente, informação relevante na estória, que não se possa encontrar em outros livros.

  157. Gorducho Diz:

    Prossiga, Sr. Demóstenes…
    não há nada de diferente, nenhuma informação; falecidos ficam se repetindo no ultramundo (sarcasmo do verdadeiro H de C contra CX que resultou na vingança posterior deste último…).
     
    Navalha de Guilherme então: espíritos, caso existam, não se comunicam.
    Médiuns não existem :!:

  158. Gorducho Diz:

    nitpicker
     
    Picuinha :mrgreen:

  159. Vinicius Diz:

    Demóstenes Diz:
    NOVEMBRO 23RD, 2015 ÀS 12:11 AM

    Por ser espírita, posso até acreditar que a médium “recebeu” do J.W. Rochester. Mas não há nada de diferente, informação relevante na estória, que não se possa encontrar em outros livros.”

    Demóstenes, no centro que você frequenta há aquelas reuniões mediúnicas para atender espiritos obsessores que acompanham assistidos? Por curiosidade, na FEESP, o assistido não pode ouvir o que estes espiritos falam, no seu centro pode?

  160. Gorducho Diz:

    Mas vai além, Sr. Demóstenes & Dr. SpOrlando: observem que nas 3 histórias a erupção é lobrigada desde uma arena…
    No original (Últimos Dias) isso talvez tenha ocorrido por causa do que observou o Ernest Breton (supracitado por mim). Lord Lytton faz várias citações justificando escolhas a partir de dados históricos…
     
    Aliás m/lembrei que tinha esse livro junto c/centenas de outros, em português, em casa. Depois, pelas várias mudanças que fizemos, tiveram que ser doados :(
    Mas acho que não o li e só por acaso relocalizei-o a partir da inquietação cá postada. Então tende-se a ir pesquisar e fontes históricas e/ou arqueológicas mais formais, quando a resposta pode ser bem mais simplória: romances históricos, ou almanaques & similares…

  161. Gorducho Diz:

    Esclareça melhor essa história que relatou o Ϡ Analista Montalvão
    Teria sido análoga à tia Elvira do CX, i.e., o Sr. inventou uma parenta sua e a administração de Nosso Lar intimou a genitora da sogra dele a depor na sessão de vocês :?:
     
    Foi isso?

  162. Vinicius Diz:

    já que os espiritos não trazem mais nenhuma novidade, então é melhor nem perder dinheiro e tempo lendo novos romances: “cinco dias no umbral”, não li, só o julguei pela capa e sinopses, deve ser aquele mesmo lenga-lenga de sempre: umbral-sofrimento-salvação-lugar melhor.

    a médium Wera é russa, como está a edição de romances mediúnicos na Rússia hein? Lá tem continuadores desse tipo de literatura?

  163. Gorducho Diz:

    Esclareça melhor essa história que relatou o ϠAnalista Montalvão
    Teria sido análoga à tia Elvira do CX, i.e., o Sr. inventou uma parenta sua e a administração de Nosso Lar intimou a genitora da sogra ou sogro dele a depor na sessão de vocês :?:

  164. Gorducho Diz:

    Os russos são bastante místicos, de sorte que há “espiritismo” lá sim, mas na linha de ocultismo em geral.
    I.e., evidentemente eles não seguem a cartilha kardecista nem o espiritualismo anglo ortodoxo.

  165. Marciano Diz:

    GORDUCHO, valeu a intenção, mas nitpicker é o cara que faz nitpicking.
    Nitpicking até poderia ser picuinha, mas esta é a atitude de quem mostra implicância, e nitpicking é a atitude de quem fica procurando firulas para atacar o dito por outrem, só pra provar que seu dito não está correto.
    Não é uma implicância gratuita, mas visa a mostrar que o raciocínio de outrem é incorreto ou incompleto.
    É como o personagem antigo de comédia de televisão que queria tudo explicadinho, nos seus mínimos detalhes, e que fica mostrando que o que o outro disse não está inteiramente correto.

  166. Marciano Diz:

    Sampi?
    Ϡ MONTALVÃO :?:
    WTF?

  167. Marciano Diz:

    Espíritos, reencarnação, todas essas fantasias já existiam há milênios.
    Rivail só quis fazer uma compilação das crenças e associá-la com sua visão do catolicismo romano e com o modismo dos fenômenos inventados nos anos 1800.
    E, claro, lançar-se como um novo fundador de religião.
    Tudo isso, claro, impressionado pelas ideias amplamente discutidas pelo ANALISTA TOFFO, e bem conhecidas de nosso caro GORDUCHO.

  168. Vinicius Diz:

    Mas será que ainda tem esses romances estilo Rochester? A FEB não “importa” mais romances? kkk :lol: :mrgreen:

  169. Marciano Diz:

    Eu, audaciosamente, suponho que o nom de plume Kardec tenha sido inventado por Rivail para não manchar sua reputação como escritor de livros pedagógicos.
    É o que aconteceu com o fundador da ABL, Medeiros e Albuquerque, que lançou um livro sobre hipnotismo e outro com dicas para conquistar mulheres, com pseudônimo, para não manchar seu prestígio como escritor.
    Claro que ISTO é só achismo.
    Não precisa nenhum nitpicker vir a lume para desconstruir o que eu disse.
    Essa história de druida em outra encarnação é história para hipnose de bovinos.

  170. Marciano Diz:

    E essas crenças todas são apenas ♿ para quem não consegue andar com suas próprias pernas.

  171. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano Diz:
    NOVEMBRO 22ND, 2015 ÀS 11:49 PM
    Aqui tem uns cherry pickers também.
    .
    .
    E tb uns Burn back cookie screw

  172. Contra o chiquismo Diz:

    Demóstenes Diz:
    NOVEMBRO 23RD, 2015 ÀS 12:11 AM
    Orlando Sp,
    /
    … a médium letrada, …
    .
    Por ser espírita, posso até acreditar que a médium “recebeu” do J.W. Rochester…
    .
    .
    .
    DEMO, COMO PODE TER ‘MEDIUM’ SE ‘ESPIRITOS’ NÃO EXISTEM? V C DISSE “POSSO ATÉ ACREDITAR”… É SÓ CRENÇA E NADA MAIS. NÃO TEM PROVAS, VC ACREDITA NO QUE NÃO EXISTE. NÃO SE ENCABULA DE TER UMA CRENÇA ASSIM NO NADA?

  173. Contra o chiquismo Diz:

    Gorducho Diz:
    NOVEMBRO 23RD, 2015 ÀS 7:06 AM

    Navalha de Guilherme então: espíritos, caso existam, não se comunicam.
    Médiuns não existem :!:
    .
    .
    .
    ENTENDERAM DEMO, ORLANDO E BORGES?
    .
    .
    ‘ESPIRITOS’ NÃO EXISTEM. AFIRMADO POR QUASE TODOS AQUI, SÓ VCS 3 ACREDITAM SEM PROVAS. CREEM NO NADA, NO Ø, NO 1-1, NA RAIZ QUADRADA DE Ø.

  174. Vinicius Diz:

    estou desinformado: o JW ROCHESTER migrou da Rússia para o Brasil, olha o que eu achei, por 30 pratas!

    http://livroespirita.net/produto/reencarnacao-de-uma-rainha-jw-rochester/

    Não sabia que o dito cujo estava por aqui, um tal médium Arandi Gomes.

    Pensei que esse diabo tivesse reencarnado e ainda está por aqui ! Deve ter pedido para Celina para ele continuar aqui nos ajudando.

    Demóstenes, você já leu os livros de Rochester de médiuns Brasileiros?

  175. Gorducho Diz:

    Para quem tenha um pingo de senso crítico: reflitam…
    Para que um “espírito” vai vim ditar um romance ou se repetir estilisticamente em poesias?
    Não faz nenhum sentido!
     
    Suponhamos que exista o tal ultramundo c/”colônias” (aliás, por que esse nome patético; por que não chamar cidades?); então esses espíritos talentosos estariam escrevendo lá, publicando nas editoras de lá, nos Kindles de lá para entretenimento dos commuters no aeróbus!

  176. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    MARTE: Embora não queiras aprender inglês [...]
    /.
    PONDERAÇÃO: maquemfalou que não? Apenas estou acertando minha vida para mergulhar do alto do penhasco na piscina linguistica de meio metro de lâmina d’água…
    /
    /
    MARTE: Sabe o que é chato aqui no blog?
    Tá cheio de nitpickers.
    Não sei como se diz isso em português, mas nitpicker é o cara que vasculha tudo o que a gente diz, procurando qualquer detalhe para encher o saco, para mostrar algum erro no que a gente disse.
    /.
    PONDERAÇÃO: sempre sonhei com esse dia, quando o gafanhoto ensinaria ao louva-deus… nitpickers do elevado de minha sapiência, traduziria, metaforicamente (claro), por piolho-de-púbis, o popular chato, aquele chato que chateia tanto ou mais quanto o chato do saco.
    /
    /

    MARTE: Dito isto, vou dar uma de nitpicker e encher seu saco de cachaça:
    modo de fazer: [...]
    /.
    PONDERAÇÃO: como eu sabia, és altamente versado em manguaças, mas deverias ter olhado meu previous comment: “cada civilização tem sua “cachaça”, mudando “tão somente” a FÓRMULA e o modo de fazer”… faltou-me sim acrescentar que no “modo de fazer” e na “fórmula” está implícito que os componentes variam, mas, para uma pessoa de elevada catilogência qual com a que falo o implícito torna-se explícito…
    /
    /
    MARTE: Esqueceu-se do cognac, armagnac, bagaceira, (todos de uvas, não de sugarcane), que devem estar compreendidos no (outras). Calvados (maçã), poire (pêra), grappa (uva)…
    /.
    PONDERAÇÃO: não propriamente esqueci, mas de tanto falar em biritas minha mente anuviada ficou.
    /
    /
    MARTE: SANDRO não é o ?
    /.
    PONDERAÇÃO: o próprio.
    /
    /
    Gorducho Diz:
    “Prossiga, Sr. Demóstenes…
    não há nada de diferente, nenhuma informação; falecidos ficam se repetindo no ultramundo (sarcasmo do verdadeiro H de C contra CX que resultou na vingança posterior deste último…). Navalha de Guilherme então: espíritos, caso existam, não se comunicam. Médiuns não existem ”
    /.
    PONDERAÇÃO: quando os diletos mediunistas descobrirem que podem resolver de uma penada só as dúvidas mediúnicas não mais hesitarão em requerer dos espíritos provas de presença. Por que não o fazem nem o Visoni explica…
    /
    /
    Gorducho Diz:
    Esclareça melhor essa história que relatou o ? Analista Montalvão…
    Teria sido análoga à tia Elvira do CX, i.e., o Sr. inventou uma parenta sua e a administração de Nosso Lar intimou a genitora da sogra dele a depor na sessão de vocês Foi isso?
    /.
    PONDERAÇÃO: foi o seguinte. O Sandro apareceu todo engabolado afirmando ter achado médium que lhe proveu de revelações admiráveis. Até um amigo do qual ele não lembrava mais, e que tinha se suicidado a mulher conseguiu trazer. Discorria sobre a poderosa com tanta admiração que admirei-me não visse ele as claras evidências (tiradas de seu próprio discurso) de que estaria vitimado por leitura fria. Mas ele rechaçou a ideia, alegando que não era de ser iludido facilmente.
    .
    A discussão atravessou noites.
    .
    Então resolvi tentar contato com a lídima senhora. Mas ela mora no RS eu no RJ. Acrescente que pago para não sair de casa. Como resolver? Resolvi ligar para a dita, a fim de averiguar como era a mecânica do atendimento. Foi aí que ela me disse que dava consulta por telefone, e os espíritos apareciam do mesmo jeito. Na época (tem uns quatro anos) o preço era de R$90,00. Paguei e gravei tudinho. Dentre outras escorreganças da mulher (por exemplo, não prolatou um nome certo, mas quando eu confirmava os epítetos que citava ela os levava adiante), inventei uma irmã que morrera de câncer e a família desconfiava que houvera abreviado a existência por saber-se condenada. Essa “irmã” rendeu gordos comentários. Mostrei ao Sandro que a mulher era uma malandríssima. Ele ficou mordido mas não aceitou que a crença lhe embotara o julgamento, pois até hoje a cita como válida.
    .
    É por essa e outras que não vejo vantagem em avaliar médium por médium e ressaltar-lhes as fraquezas. Para cada medianeiro desvendado têm os mediunistas dez outros que seriam legítimos contatadores do além. A solução é exigir verificações objetivas, nas quais as presenças dos mortos possa ser firmemente aferida. Essa proposta funciona qual alho para vampiro: espanta todos, espíritos e crentes. Então, nem precisa testes: a negança mostra não só que mortos não comunicam, mas também que os adeptos sabem disso, apenas fingem que não: se tivessem certeza de que defuntos falam com os vivos seriam os primeiros a pleitear verificações taxativas.
    .
    Fim da história. Se quiser tenho a transcrição da gravação para exame. Só não posso ceder de imediato porque está no meu computador com defeito, que acessarei quando consertar. Finalmente descobri o defeito: CPU bichada. O processador mais barato dessa série custa R$1.200,00, estou tentando com a Intel uma reposição gratuita. Tentar nada custa…

  177. Marciano Diz:

    No LAR DELES a tensão residencial é de 110 ou 220V?
     
    Chove lá?
     
    As plantas fazem fotossíntese?
     
    A chuva é causada pela evaporação das águas nossolarinas?
     
    Tem relâmpagos?
    Existe dia e noite?
     
    O que faz a sombra lá, a Terra ou a colônia mesmo?
     
    Como é tratado o sistema de esgoto?
     
    Como é produzida a energia usada pelos aeróbus?
     
    Que idioma é usado lá (português – foi fundada por portugueses – ou esperanto)?
     
    A telepatia serve para alguma coisa lá?
     
    O aeróbus se move por telecinese?
     
    Como é percebido o odor fétido do umbral pelos desencarnados? Como são os sentidos deles? Como funcionam?
     
    Se a luz passa direto pelo corpo dos fantasmas, eles não são cegos?
    Estou cheio de dúvidas.
    Estou querendo acreditar no LAR DELES, mas é meio difícil.

  178. Marciano Diz:

    SALVE, MONTALVÃO.
    Eu me lembro do diálogo com a médium, você já o transcreveu aqui.
    Vou ter de parar agora, senão me atrapalho todo no meu trabalho.
    Se Odin quiser, volto mais tarde.
    A cachaça foi só pra te mostrar como funciona o nitpicker.
    As perguntas sobre o LAR DELES também.

  179. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Navalha de Guilherme então: espíritos, caso existam, não se comunicam.
    Médiuns não existem :!:

    .
    ENTENDERAM DEMO, ORLANDO E BORGES?
    .
    ‘ESPIRITOS’ NÃO EXISTEM. AFIRMADO POR QUASE TODOS AQUI, SÓ VCS 3 ACREDITAM SEM PROVAS. CREEM NO NADA, NO Ø, NO 1-1, NA RAIZ QUADRADA DE Ø.
    /.
    PONDERAÇÃO: take easy CONTRA. Não foi afirmado que “espíritos não existem” mas que “médiuns não existem” (médiuns no sentido de legítimos articuladores com o além). Para se afirmar que “espíritos não existem” seria necessário acessar o mundo espiritual e verificar que lá nada se verifica. Ou, alternativamente, elaborar raciocínio inderribável em que a insustentabilidade da realidade espiritual seja concluída.
    .
    No que diz respeito à comunicação e a consequente atividade mediúnica, a coisa muda de figura, pois estas alegações podem ser tecnicamente conferidas. Considerando que não passam nos testes, podemos afirmar, sem receio da felicidade, que mortos não comunicam e médiuns non eczistem…
    .
    Em suma, espíritos podem até haver, conforme alguns aqui acreditam, mas se hão estão nas nuvenzinhas que elegeram por morada, tangendo pagodes em suas cítaras, e nada mais têm com as coisas deste mundo. Quer dizer, do mesmo modo que não podemos ir até “lá” levar com eles um lero, eles não podem vir cá bisurar com ninguém, nem com Chico nem Francisco. Isso, caso existam, bem entendido…

  180. Gorducho Diz:

    Certo, mas o Sr. inventou um nome p/a sua parenta fictícia e coincidiu c/o nome da mãe dum dos sogros dele.
    I.e., análogo à Tia Elvira do CX…
     
    Foi isso que se sucedeu, não?

  181. Marciano Diz:

    Para se afirmar que “espíritos não existem” seria necessário acessar o mundo espiritual e verificar que lá nada se verifica.
    Para se afirmar que a quinta dimensão não existe seria necessário acessar o mundo pentadimensional e verificar que lá nada se verifica.
    Vou almoçar e só volto à noite, pois não terei mais tempo à tarde.
    Estarei transitando entre universos paralelos, nos quias TUDO existe.

  182. Contra o chiquismo Diz:

    MONTALVÃO Diz:
    NOVEMBRO 23RD, 2015 ÀS 11:00 AM
    /
    /
    Para se afirmar que “espíritos não existem” seria necessário acessar o mundo espiritual e verificar que lá nada se verifica. Ou, alternativamente, elaborar raciocínio inderribável em que a insustentabilidade da realidade espiritual seja concluída.
    .
    .
    Se ninguém acessou, não existem provas. Não se acessou o núcleo do planeta Terra, mas sabe-se que ele existe.
    .
    .
    Montalvão: ‘espiritos’ não existem. Não há provas.

  183. Gorducho Diz:

    Sim, de fato se não há nenhuma prova e nenhuma razão para se supor que algo exista, deve -se supor que não exista!
    A orientação eurística do Guilherme: não se multipliquem entidades sem motivos para tanto.

  184. Contra o chiquismo Diz:

    Alguém aí interessado em saber sobre:
    .
    .
    Infecção fluídica e parasitose da alma?
    .
    Evidências científicas da fé?
    .
    .
    Esses e outros temas serão alvo de palestras por renomados doutores cujo diploma … enfim, são médicos da AME – DF.
    ..
    .
    http://www.febnet.org.br/blog/geral/noticias/ciclo-de-palestras-da-ame-df-14/

  185. Vinicius Diz:

    Contra o chiquismo Diz:
    NOVEMBRO 23RD, 2015 ÀS 12:59 PM
    Alguém aí interessado em saber sobre:
    Infecção fluídica e parasitose da alma?
    Evidências científicas da fé?
    Esses e outros temas serão alvo de palestras por renomados doutores cujo diploma … enfim, são médicos da AME – DF.
    http://www.febnet.org.br/blog/geral/noticias/ciclo-de-palestras-da-ame-df-14/

    O último tema visa “o impacto da religiosidade e espiritualidade na saúde pública” , quem sabe se trouxessemos algumas pessoas que utilizarem o SUS nos ultimos 6 meses na platéia para compartilhar a experiência que tiveram lá , desde o atendimento humanizado e imediato até a respectiva alta. Que eles venham relatar toda a atmosfera de harmonia, fé e esperança que há nos superlotados corredores dos diversos hospitais públicos existentes no pais.
    Olha quanta gente precisando de passe:

    Ah, também precisam visitar a cidade do Espiritismo, UBERABA, parece q

  186. Vinicius Diz:

    Ah, também precisam visitar a cidade do Espiritismo, UBERABA, parece que estão tendo problemas com a saúde por lá:

    http://g1.globo.com/minas-gerais/triangulo-mineiro/noticia/2015/11/relatorio-aponta-para-atendimento-deficitario-da-pro-saude-em-uberaba.html

    E já que vão falar de Saúde Pública, peçam a espiritualidade vibrações e recursos para os lugares abaixo:

    http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2015/11/hospital-universitario-fecha-leitos-do-sus-e-demite-funcionarios-em-canoas.html

    http://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/noticia/2015/11/pacientes-do-sus-estao-sem-exame-de-raio-x-em-santa-rita-do-sapucai.html

    http://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/2015/11/mpf-denuncia-casal-de-ex-deputados-por-desvio-de-dinheiro-do-sus-no-rn.html

    http://g1.globo.com/mato-grosso/noticia/2015/11/fila-de-espera-por-exames-pelo-sus-em-cidade-de-mt-tem-2-mil-pessoas.html

    http://g1.globo.com/rj/regiao-serrana/noticia/2015/11/mp-quer-que-hospital-em-teresopolis-rj-retome-atendimentos-pelo-sus.html

    http://www.folhageral.com/noticias/goias/goiania/2015/11/sms-mobiliza-servidores-para-marcha-pelo-sus/

    http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2015/10/greve-deixa-situacao-caotica-nos-servicos-de-saude-do-distrito-federal.html

    http://www.midianews.com.br/conteudo.php?sid=24&cid=247892

    ESPÍRITAS, AMAI-VOS, INSTRUÍ-VOS

  187. MONTALVÃO Diz:

    ///
    MARTE? Para se afirmar que “espíritos não existem” seria necessário acessar o mundo espiritual e verificar que lá nada se verifica [donde decorre que...]:
    Para se afirmar que a quinta dimensão não existe seria necessário acessar o mundo pentadimensional e verificar que lá nada se verifica.
    /.
    PONDERATION> ou sentiu a sutileza da ironia ou ironiza em cima dela… craro clóvis que adentrar no mundo espiritual é impossible (ao menos até hoje), logo, impossible por essa via provar algo, seja quinta dimensão, espíritos, fadas, anãozinho giant, etc.
    .
    Há outras vias, das quais falarei se oportunidade surgir, uma delas apresentei: argumento irreprochável que dê consistência ao nonsense da proposta.
    .
    Vou trabalhar, alguém precisa fazê-lo…

  188. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Montalvão: ‘espiritos’ não existem. Não há provas.
    /.
    CONTRA, QUASE inteiro contigo estou, mas não dê munição ao lado contrário: ausência de provas não é prova de ausência. A afirmação “espíritos não existem” é declaração de autoridade, argumento falacioso. Deixará de sê-lo, porém, se houver ou como verificar se existem ou argumentar fundadamente da insustentabilidade da suposição.
    .
    É certo que algumas coisas desprezamos sem maiores considerações, devido as fragilidades das propostas, tipo postular existência de duendes, fadas, abominável homem das neves, incrível homem verde comedor de pedras… Mesmo porque estas crenças podem ser verificadas, mas outras ofertas requerem considerações refutativas melhor assentadas, qual a suposição de que haja uma realidade além da matéria, dita espiritual.
    .
    Fuio craro?

  189. Contra o chiquismo Diz:

    MONTALVÃO: BOLO DE COCO COM RAPADURA EXISTE, ‘ESPIRITOS’ NÃO.

  190. Victor Diz:

    A existência ou não de espíritos não me parece ser uma proposição falseável, de modo que cientificamente falando não podemos determinar se espíritos existem ou não.
    Portanto o que podemos fazer é que dada a ausência de evidências podemos presumir e inferir que é provável que não existam.
    Mas não podemos afirmar em termos estritamente científicos.

  191. Gorducho Diz:

    Para os fins que nos propomos (combater a credulidade e promover o desenvolvimento do senso crítico nos participantes do Sítio), serve então a cláusula menos restritiva: “espíritos”, se existirem, não se comunicam.

  192. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Contra o chiquismo Diz:
    MONTALVÃO: BOLO DE COCO COM RAPADURA EXISTE, ‘ESPIRITOS’ NÃO.
    /.
    PONDERAÇÃO: como opinião, que merece respeito, aceito, mas como demonstração infelizmente não atende. Permita-me indagar-lhe: de quais evidências dispõe que atestem a inexistência de espíritos?
    /
    /
    Gorducho Diz: Para os fins que nos propomos (combater a credulidade e promover o desenvolvimento do senso crítico nos participantes do Sítio), serve então a cláusula menos restritiva: “espíritos”, se existirem, não se comunicam.
    /.
    PONDERAÇÃO: nestes termos assino.

  193. Braulio Diz:

    Manolos,
    .
    Tenho de discordar das ideias apresentadas.
    Existem evidências consistentes para afirmar que espíritos se comunicam, e estas evidências passam pelo crivo científico da SPR e sua pesquisa feita com as Sras. Piper, e Leonard.
    .
    A menos, que vocês consigam provar que houve fraude, ou falha metodológica na pesquisa, sigo com as conclusões da SPR.

  194. Gorducho Diz:

    Sim, já exaustivamente vimos apontando as falhas metodológicas, que são todas: 100% errado.
    Aliás, quanto a Ms. Piper nem consenso há de que fossem “espíritos”. E.g., Dr. Phinuit poderia ser qualquer coisa menos um espírito espírita.

  195. Gorducho Diz:

    E sobre a “tia Elvira” e o ✈ Analista Montalvão?
    Lhe perguntei e o Sr. não respondeu…

  196. Braulio Diz:

    Os controles possivelmente não eram espíritos, e sim personalidades secundárias, porém sem dúvida alguma Piper e Osborne contatavam Espíritos.

  197. Victor Diz:

    Braulio,
    .
    Daquilo que o Vitor me mostrou, no máximo poderíamos inferir que talvez os pesquisadores da SPR tenham registrado fenômenos anômalos PSI.
    .
    Mas como tais fenômenos não se reproduziram mais, a não ser em um nível estatístico, fica difícil não presumir que houve falha metodológica ou fraude.

  198. Marciano Diz:

    Vamos tentar colocar ordem na bancada cética, para que ela não fique parecida com a bancada crente, na qual cada um defende seu universo particular, negando os dos outros.
     
    CONTRA afirma categoricamente que espíritos não existem.
     
    MONTALVÃO diz que se existirem, não comunicam.
     
    Eu aceito a hipótese de GORDUCHO:
    se não há nenhuma prova e nenhuma razão para se supor que algo exista, deve -se supor que não exista!
     
    Eu suponho que espíritos não existem, que papai noel não existe, nem o coelhinho da páscoa, fadas ou lobisomens.
    Suponho isso porque não há nenhuma prova de que essas coisas existam e nenhuma razão para se supor que existam.
     
    Há gente que acredita em fadas (inclusive o falecido Conan Doyle), há quem acredite em lobisomens, muitas crianças acreditam em papai noel e coelhinho da páscoa.
     
    Muita gente acredita em espíritos, mas o fato de muita gente acreditar em algo não torna esse algo mais ou menos provável.
     
    GORDUCHO diz que não há nenhuma razão para se supor que espíritos existam, mas há muitas razões PARA SE SUPOR QUE NÃO EXISTAM.
     
    Uma delas é o fato de não comunicarem, assim como as fadas e o coelhinho da páscoa.
     
    Quando se vê um espírito comunicando é farsa ou má interpretação dos fatos.
    Como aconteceu com Doyle, quando acreditou ter visto fotos de fadas. Como acontece com crianças, quando pensam que o presente do papai e da mamãe veio do velho noel.
     
    Ausência de prova não é prova de ausência.
    Pois desafio qualquer um a me provar que não existem fadas ou lobisomens.
    Vale para eles também ou só para espíritos e divindades?
     
    Se ninguém consegue provar que não existem fadas isto não significa que está provada sua ausência.
     
    A existência ou inexistência de fadas é uma coisa falseável?

    Podemos falar cientificamente que fadas não existem?
     
    Acho que em termos estritamente científicos não podemos afirmar a inexistência de lobisomens.
     
    Tem caipira na zona da mata de MG que acredita em lobisomens. No interior de Pernambuco também.
    Vamos dizer para eles que lobisomens, se existirem, não comunicam.
    Aposto como vai ter um monte de gente dizendo que comunicam sim, inclusive tiveram uma avó que foi morta por um lobisomem.
     
    Claro que se eu disser ao Zé Carneiro ou ao seu Fulgêncio que lobisomens não existem eles dirão que minha proposição, como demonstração, não atende.
    Provavelmente vão me perguntar quais as evidências que tenho que atestem a inexistência do lobisomem que matou sua vovó, em 1923, na fazenda do Seu Nerso.
     
    Sendo assim, assino a proposição: “lobisomens”, se existirem, não se comunicam nem matam a vovó.
     
    Já sei, a SPR não estuda lobisomens. Tá.
    Eis aí um bom critério.
    Como a SPR não estuda divindades, posso supor que essas não existam.
     
    Ou será que a SPR estuda divindades :?:

  199. Contra o chiquismo Diz:

    MONTALVÃO Diz:
    NOVEMBRO 23RD, 2015 ÀS 5:04 PM
    /
    Permita-me indagar-lhe: de quais evidências dispõe que atestem a inexistência de espíritos?
    /
    ——————————————————————–
    Tá lá no site FEB que o ‘espiritismo’ é uma ‘ciencia’. Se é ‘ciencia’, tem que provar pelo Método Científico o seu maior dogma: a existência de ‘espiritos’.
    .
    .
    • “O Espiritismo é uma Ciência que trata da natureza, origem e destino dos Espíritos,
    bem como de suas relações com o mundo corporal.” (KARDEC, Allan. O que é o espiritismo.
    Preâmbulo.)
    ..
    ..
    • Pode e deve ser estudado, analisado e praticado em todos os aspectos fundamentais
    da vida, tais como: científico, filosófico, religioso, ético, moral, educacional e social.
    .
    http://www.febnet.org.br/wp-content/uploads/2015/06/Conhe%C3%A7a-o-Espiritismo-folder.pdf
    .
    .
    Conhece algum cientista que entrou em algum laboratório e usou o Método Científico para provar a existência ‘deles’ ?
    .
    .
    Se não tem provas, não existem.

  200. Contra o chiquismo Diz:

    Porra, ainda tem gente falando em spr de 200 anos atrás… hoje não se prova mais nada?
    .
    .
    Pelo menos nas igrejas do macedão, valdemiro, malafaia, rr soares tem milagre todo dia. Se só existissem milagres há mais de 2000 anos não tinha mais nenhuma igreja. Por isso que falo que a teologia da prosperidade é 1233x melhor que a teologia conformista do kardecismo-chiquismo. Vc fica milionário, curado e vai pro céu.
    .
    No kardecismo-chiquismo, é conformismo, doença é benção, se vc for muito, mas muito bom mesmo ainda assim vai pro umbral. E não se prova nada, tem que crer a acabou.

  201. Contra o chiquismo Diz:

    Jesus, no diálogo com Ismael, o Espírito protetor do Brasil, no capítulo VI , A Civilização Brasileira , do livro Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho , do Espírito Humberto de Campos , psicografado por Francisco Cândido Xavier , diz:

    — Ismael, nas tuas obrigações e trabalhos, considera que a dor é a eterna lapidária de todos os espíritos .

  202. Contra o chiquismo Diz:

    — Ismael, nas tuas obrigações e trabalhos, considera que a dor é a eterna lapidária de todos os espíritos .
    .
    .
    É mole? A dor é que faz o ‘espirito’ se lapidar.. ah vá!!

  203. Victor Diz:

    Acho que está havendo uma confusão lógico-categorial.
    Lobisomens, Fadas e Papai-Noel não são nem ontologicamente iguais entre si, tampouco categorialmente similares.
    .
    E menos ainda “Espíritos” e “Deus”.
    .
    E por que não o são?
    .
    Em primeiro lugar porque tais “mitos” tem sua origem histórico-genealógica muito bem definida ao logo da História e isso pode ser verificado através da crítica textual, de modo que fica patente a regionalização, e a singularidade de tais mitos.
    .
    O mesmo não ocorre com o conceito de “Espírito” que possui uma universalidade característica em diversas culturas em diferentes épocas formando uma um “corpus” conceitual substancialmente diverso e amplamente multicultural.
    .
    Portanto, a analogia mostra-se falaciosa e não válida pois tenta categorizar essências diferentes sob o mesmo signo linguístico.
    .
    É evidente que partindo do paradigma filosófico materialista, podemos inferir e concluir logicamente que entes ontologicamente diversos da natureza material, não possuem estatuto fundante na realidade existente, porém cabe lembrar que isso é apenas um único ponto de vista, em termos mais estritos uma perspectiva gnoseológica a respeito da realidade.
    .
    Para sermos filosoficamente éticos, não devemos impor nosso paradigma aqueles que dele não compartilham, tampouco devemos tomar como o particular e assumir como universal.
    .
    Sendo assim, presumo que tais entes não possuem realidade ontológica, mas apenas ôntica no discurso religioso, porém reconheço a limitação de minha perspectiva de apreensão da realidade.
    .
    Em termos científicos então é exatamente aquilo que comentei mais acima:
    .
    Espíritos e Deus não são proposições falseáveis de modo que não cabe a episteme da Ciência aferir a sua existência ou não.
    .
    Podemos simplesmente estudar e verificar as suas demostrações falseáveis (comunicações mediúnicas, orações, meditações) e a partir daí sim aventar as probabilidades e esboçar hipóteses a respeito de tais entidades.
    .

  204. Vinicius Diz:

    CX em quadrinhos!!! Inventam cada uma!
    http://evangelizacao-infantil.blogspot.com.br/2011/05/quadrinhos-toinzinho-e-chico-xavier.html

  205. Vinicius Diz:

    “Contra o chiquismo Diz:
    NOVEMBRO 23RD, 2015 ÀS 8:54 PM
    — Ismael, nas tuas obrigações e trabalhos, considera que a dor é a eterna lapidária de todos os espíritos .
    É mole? A dor é que faz o ‘espirito’ se lapidar.. ah vá!!

    se a moda pega hein contra? Imagina um mega-empresário chiquista kardecista fanático contratando uns caras para chicotear os trabalhadores hein , ainda bem que o fanatismo não chega a tanto.

    mas pode reparar: o palestrante pode repetir a torto e a direito que a dor lapida, mas qualquer unha encravada já corre ao “doutor fritz” para acabar com a dita cuja.

    conhecem a pomada vovô pedro?
    na FEESP se você quiser um vidro tem que colocar seu nome, e a finalidade. Quando eu era bem crédulo peguei dois vidros para tentar “curar” minha bronquite asmática .. Como fede aquilo nossa….

  206. Vinicius Diz:

    ei, reparei uma coisa:
    o DR. Vladimir só tem aparecido aqui para dar bronca no Contra só porque ele postou receita de bolo. Mas as vezes mandam questões ao Dr. e ele não responde pô!!!
    CONTRA, na verdade , quando você postou a receita de bolo o DR. ficou bravo porque no Nosso lar o sistema de alimentação já causou inúmeros problemas, provavelmente colocar vigias no umbral para que não entre nenhum alimento sólido. Pena que não temos mais CX para atualizar os dados do Lar deles.
    bom quem sabe aparece outro para continuar a saga!

  207. Braulio Diz:

    Manolos,
    .
    Gostaria de apenas uma evidência que apontasse que houve “Falha Metodológica”, ou “Fraude” nos estudos da SPR seja com a médium Leonora Piper ou com a Sra. Gladys Osborne Leonard.
    .

  208. Demóstenes Diz:

    Vinicius,
    Sim, no nosso centro a sala de passe e a mesa dos médiuns ficam próximas, algumas reuniões permitem que se ouça, outra não.
    /
    Já li um livro Brasileiro do rei da persa, darius creio, que se dizia ser de J. W. Rochester, não. Fiquei muito convensido.
    \
    /
    Contra CX.
    As minhas experiências misticasfilosoficasespirituais me levam a dar um voto de confiança as pessoas que dizem passar pelas mesmas experiências. Já contei aqui.
    /
    Se é crença que faz a gente acreditar, tornando real, pode-se realmente tornar o processo inverso, em que o desacreditar se torne a crença.

  209. Marciano Diz:

    VICTOR, resuma para mim sua filosofia, da seguinte maneira:
    Você acredita que possam existir espíritos?
    É uma coisa viável?
     
    Pude perceber que você tem notável conhecimento de filosofia.
    Resumindo, toda sua erudição ainda deixa dúvida razoável quanto à possibilidade de existência de espíritos e divindades, ainda que não possam ser objeto de estudo da ciência (claro que não podem!)?
     
    Vou tentar me expressar de melhor forma. Se a ciência não tem como avaliar esses conceitos (e realmente não tem) podemos imaginar que são possíveis no mundo real, fora da imaginação?
     
    Estou realmente perguntando, tentando entender sua filosofia.
    Não são perguntas retóricas.
     
    Eu, particularmente, penso que a universalidade da crença em espíritos, embora seja muito variada quanto ao conteúdo, cada época e local vendo-os de forma bem diversa, pode ser explicada pelo desejo de imortalidade, bastante compreensível.
    Em outras palavras, acho que a psicologia explica melhor o pensamento mágico universal do que a filosofia.
    Eu gostaria de ser imortal, mas SEI que isto é impossível.
    Universalidade, para mim, não é indício de verdade. Muito ao contrário.
    Durante muito tempo foi pensamento universal que a Terra era plana.
    O fato de isto ser diferente de mitos de origem histórico-genealógicos bem definidos não achatou a Terra.
     
    A universalidade característica em diversas culturas e em diferentes épocas , • formando uma um “corpus” conceitual substancialmente diverso e amplamente multicultural de que a Terra era redonda NÃO mudou a esfericidade dela.
     
    • É evidente que partindo do paradigma filosófico materialista, podemos inferir e concluir logicamente que a Terra pode ser esférica, • porém cabe lembrar que DURANTE MILÊNIOS isso foi apenas um único ponto de vista, em termos mais estritos uma perspectiva gnoseológica a respeito da realidade.
     
    Acho que, para sermos filosoficamente éticos, não deveríamos impor nosso paradigma de que a Terra é quase uma esfera perfeita àqueles que achavam que ela era plana.
     
    Apreendamos ou não a realidade, ela é o que é, não o que pensamos que seja.
     
    O pensamento de que somos espíritos que sobrevivem à morte é confortante, mas, para ser filosoficamente honesto, me parece irreal, fantasioso.
    Pena que não sou filósofo nem cientista, só procuro não ser idiota, acreditar em marxismo, leninismo, espíritos, milagres.
     
    Sei que é uma atitude antipática e arrogante de minha parte, pois é apenas minha opinião.
    Em tese (em tese, tudo é possível) é possível que eu seja um espírito ignorante, que nem sabe que tem a graça de ser imortal, mas eu, realmente, não sinto isso.
    Para mim, é e sempre foi pura ilusão.
    Sinto-me privilegiado de nunca ter tido uma das centenas de milhares de crenças atuais ou passadas.
    Reconheço que sou filósofo de botequim e cientista de padaria, mas tenho o atrevimento de discordar do Zé Carneiro, do Nerso da Capitinga e de alguns filósofos e alguns cientistas. Por mais que eles se expressem de forma erudita e impressionante.
    Podem gastar latim à vontade comigo, mas nenhum filósofo, honesto ou não, nenhum cientista, vai me convencer de que o quadrado é realmente redondo e de que a soma dos ângulos internos de um triângulo, no plano, é maior ou menor do que 180º.
     
    Na minha estúpida cabeça só cabem coisas como x = +- b/√b¹- 4 ac/2 a.
    ¹
    Entendo perfeitamente a mecânica celeste, sei que na superfície da Terra pesamos nossa massa vezes a massa da Terra multiplicadas pela constante de gravitação universal, dividida pelo quadrado da distância de nossos centos de massa e do centro de massa da Terra, por isso sei que astronautas não estão em microgravidade, pesam praticamente o mesmo que aqui, mas estão em queda angular sobre o centro de gravidade da Terra.
    Conheço as fórmulas, sei calcular, mas tenho dificuldades com universos paralelos, viagem no tempo e fantasmas.
     
    O adiantado da hora e o longo tempo sem dormir podem ter tirado minha capacidade de comunicar meus pensamentos, mas acho que consegui resumir o que penso, embora nao tenha a menor importância, porque sou apenas mais uma besta, nem filósofo sou.

  210. Marciano Diz:

    Saiu tudo errado.
    Vou corrigir apenas a expressão matemática, o resto deixo pra lá, pela hora.
    Daqui a pouco tenho de trabalhar.
     
    x = mais ou menos b sobre b2 menos 4ac sobre 2a.
     
    A pressa realmente é inimiga da perfeição.

  211. Marciano Diz:

    Apesar dos erros, acho que deu pra entender.
    Aqui só tem gente inteligente (quase todos).

  212. Marciano Diz:

    Não tenho tempo de aprender mais nada, sou escravo do trabalho.
    Atrevi-me a ensaiar HTML, mas sou insipiente e incipiente.
    Se tivesse mais tempo, não teria errado, mas qualquer imbecil conhece a fórmula da resolução das equações quadráticas, de modo que os erros de HTML não prejudicaram o entendimento.
    Não tentei reproduzir os operadores porque sei que sairiam errados de novo e que todo mundo conhece (não HTML, a fórmula matemática).
     
    Vou tentar dormir um pouco.
    Nos sonhos, também tudo é possível.
    Quando dormimos, somos todos crentes.

  213. Marciano Diz:

    Só rindo mesmo.
    x é igual a menos b mais ou menos a raiz quadrada de b2 menos 4 ac sobre 2a.
    Correção da correção. :lol:

  214. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, embora não tenha formação em filosofia, é o melhor filósofo do blog.
    Vai cair de pau em cima do meu texto.
    Amigo MONTALVA, estou sem dormir há quase quarenta horas e tomando um whiskinho, pra ajudar no sono.
    Daqui a pouco tenho de levantar e ir pra labuta.
    Dê um desconto.

  215. Marciano Diz:

    GORDUCHO, desculpe-me pela cavalice em HTML.
    O pouco que aprendi até agora ou foi contigo (VITOR, não VICTOR, também me ensinou umas coisinhas) ou nas escolas w3.
    Quem sabe um dia eu aprendo?

  216. Marciano Diz:

    Vai dar 4 horas daqui a pouco.
    Preciso de levantar às 7.
    Chega¹
    Vou tomar o último gole (de hoje) e dormir.
    Minha cicuta acabou, só tenho whisky.
    They tried to make me go to rehab
    I said, “no, no, no”

    What a shame¹

  217. Marciano Diz:

    O espírito da Amy está me chamando.
    Se pelo menos ela fosse bonitinha…
    Ela me chamou e eu disse: no, no, no.
    O espírito dela me disse que sou uma besta quadrada por não acreditar em espíritos redondos.

  218. Marciano Diz:

    Quem tá escrevendo aqui é o pai do MARCIANO.
    Esse bobão foi dormir.
    Vou contar um segredo pra vocês: ele fica se fazendo de descrente aqui, mas é bezerrochiquista católico romano testemunha de belzebu sufita hashídico filho de osíris e idólatra de vesta inveterado.
    Fala de física e de matemática, mas gosta mesmo é de arriar despacho em encruzilhada, depois da meia-noite.
    É por isso que ele fica acordado até altas horas.
    Vai perder todos os clientes, por causa de sua negligência.
    Apostei nessa besta, passei minha clientela pra esse bronco, demovi-o de ser uma autoridade de merda e ganhar miséria, e o idiota está botando tudo a perder.
     
    Estou desencarnado, mas estou incorporado no corpo desse animal, enquanto ele dorme drogado com hipnóticos, álcool e ansiolíticos.
    Ele não sabe que uso o corpo dele.
    Não contem, por favor.
    Ajudem-me a ajudar esse cego, que não quer ver a realidade da pós-vida além mar, lá no Porto, próximo do Tejo, que já emprestou o nome a um cão desse cavalo.
     
    Enquanto encarnado, fiz de tudo para que esse incrédulo se curvasse diante do pai celestial, mas o orgulho dele só me deu desgostos.
    Rogo a nosso senhor forrest gump (não consigo ter controle total sobre ele, mesmo enquanto dorme) que o perdoe por essa apostasia (a rigor, não é apostasia, porque ele sempre foi descrente).
     
    Amados irmãos, oremos por esse filho ingrato.
    Só na caridade há salvação.
    No fundo, despido de sua vã arrogância, ele é de bem.
    Não é por ser meu filho, ele realmente é de bem.
     
    Acordei!
    Se nem meu pai e minha mãe me iludiram, vocês pensam que têm alguma chance comigo?
    :lol: :mrgreen:
    Sujeito sarcástico, arrogante, estúpido, metido a besta (metido, não, é besta mesmo).

  219. Marciano Diz:

    The real Martian: :twisted:

  220. Marciano Diz:

    Look out, ’cause here he comes!

  221. Marciano Diz:

    CONTRA, vamos arranjar umas bombas, vamos nos enroscar nelas e explodir esses infiéis.
    Tem coisas que só um 7.62 é capaz de resolver.

  222. Marciano Diz:

    Esse ingrato não dorme.
    Tenho uma longa tradição espiritual e compromissos adquidos em tempos imemoriais na Peninsula Ibérica com esse inpírito indômito.
    Tenho por ele grande apreço, amor paternal e espiritual compromissos milenares, e minha tarefa parece inglória, pois meu seu espírito empedernido mostra-s avesso a tudo o que me comprometi no além a ajudá-lo
    Deve ser um caso grave de obsessao, talves de possessão.
    Meus esforços são baldados.
    Acho que ele está submetido a forças incontroláveis do lado negro da força (sem conotação racil, até porque somos todos nórdicos de origem ibérica, embora ele apresente traços de ifluência dos mouros.
    Sua rebeldia me desanima por vezes, mais o amor paternal e espiritual me lembram de compromissos espirituais e fraternais adquidiridos com as esferas superiores.
    Nunca tive um caso tão rebelde em toda minha existência carnal, as nao desito dos compromissos esprituais e e do amor paternal assumdio perante as esferas superiores.
    Minha misão há de ser cumprida, com a grala e nosso salador.
    Todo o amor fraternal que dediquei a esta tarefa há de ser recompesado.
    Dias de glórias haverão de se suceder.
    Dante do tout poissant, nada é impossível
    Meu compromisso espirtual ha de ser cumprido, ainda qeu teha de cmrpri a árdua tarefa de converter um espirito empedernido e obsitnado.
    Conto com a colaboração das almas desprenidas, que hão me ajudar a mina tarefa.
    O bem sempre triunfa.
    Tenhamos esperança e perietENCIA em nossa árdar tarefa, pois o senhor ha de nos recompesnar no resgate de uma alma peridida
    Não percamos e esperanaça

  223. Marciano Diz:

    talvez de

  224. Vinicius Diz:

    Marciano
    “Vou contar um segredo pra vocês: ele fica se fazendo de descrente aqui, mas é bezerrochiquista católico romano”
    já leu CX em quadrinhos?
    leia e terá bons sonhos e bom sono (ou será ao contrário?)

    http://evangelizacao-infantil.blogspot.com.br/2011/05/quadrinhos-toinzinho-e-chico-xavier.html

    :mrgreen:

  225. Gorducho Diz:

    ACHO QUE O ADMINISTRADOR ESTÁ VIAJANDO…
    então responderei mesmo na vigência do negrito :(
     
    Gostaria de apenas uma evidência que apontasse que houve “Falha Metodológica”, ou “Fraude” nos estudos da SPR seja com a médium Leonora Piper ou com a Sra. Gladys Osborne Leonard.
     
    i) Como eu já lhe expliquei ontem, Ms. Piper poderia ser qualquer coisa menos uma “médium” espirita, i.e., alguém que canalizasse espíritos espíritas.
     
    ii) A falha metodológica foi total, pois que como temos explicado, o que tem de ser testado é aa presença do espírito no ambiente.
    Só: ponto final. E isso não foi feito para poderem os Crentes _ disfarçados de “cientistas” – preservarem suas Crenças.

  226. Vinicius Diz:

    GORDUCHO, na minha opinião somente crente fanático, preso a instituição, pessoas ou personagens podem “maquiar” resultados das pesquisas. O que se ganha “maquiando”? só massagem no ego talvez.
    a somatória de experiências místicas pessoas poderiam indicar que onde há fumaça, há fogo !
    Mas tenho outra experiência em família que lembrei agora: minha esposa viu na ponta de nossa cama uma criança, se assustou e deu um grito, eu me levantei , perguntei o que houve, ela contou isso e depois não quis falar mais nada (ou seja, geralmente não tem como fazer pesquisas, tem gente que fica com medo, outras acham é ridículom e

  227. Gorducho Diz:

    Não é maquiar resultado de pesquisa, AV; é fazer o experimento corretamente: testar a presença do espírito no ambiente.
     
    E sim, o Geley abafou o caso das fotos estereoscópicas da Marthe. E quase certamente c/o conhecimento do Richet. Veja que isso é admitido pelos próprios caras do IMI.
    E eu simplesmente desconsidero estudos e relatos de alguém que se encante c/o Sai Baba… Bem como quem faça trabalhos em colaboração com semelhantes pessoas.
     
    Ok… ok…, mas experiência mística é experiência mística. Se eu algum dia tiver uma, talvez volte a creditar no Sobrenatural, admito…

  228. Vitor Diz:

    Oi, JP
    comentando:
    .
    01 – “O livro “Os Sábios e Leonora Piper” é bom?”
    .
    É uma boa introdução, sem dúvida! É óbvio que eu queria traduções das sessões no livro, que me pouparia um grande trabalho. Mas é um trabalho digno.
    .
    02 – “Seus trabalhos de tradução são fenomenais Vitor mas pena que incrivelmente desprezados. Mas algum dia terão a notoriedade que merecem.
    .
    Obrigado, JP, lembro que o autor do site “Autores Espíritas Clássicos” também possui um excelente site com traduções.

  229. Vinicius Diz:

    “Ok… ok…, mas experiência mística é experiência mística. Se eu algum dia tiver uma, talvez volte a creditar no Sobrenatural, admito…”

    confesso que fico com “a pulga atrás da orelha” mas porque essas coisas não se repetem? (falei isso pra minha mulher e ela falou: e nem quero Deus me livre kkk)

    e muitos gostam de “romancear” tudo, pintar céus azuis e sóis coloridos e acabam comprometendo qualquer experimento.

    Gorducho, sobre a biografia de Kardec na obra “o que é o espiritismo” ele insere uma nota dizendo ” tenho sido traído por aqueles em quem depositara confiança, e pago com a ingratidão por aqueles a quem tinha prestado serviços. A Sociedade de Paris tem sido um contínuo foco de intrigas,urdidas por aqueles que se diziam a meu favor, e que, mostrando-se amáveis em
    minha presença, me detratavam na ausência”

    Sabe se lá na França havia uma espécie de concorrência de publicações das obras ou explicações “espiritualistas” ou “espiritas”?

    As vezes me dá impressão que KARDEC queria centralizar tudo nele.

    No meio espirita falam muito que se Kardec falhasse Leon Denis assumiria seu lugar. Acho que no Brasil fizeram essa associação de Kardec com Leon Denis, mas na França pareciam “concorrentes” nas explicações.

    kkk, e a sociedade de Paris continuo foco de intrigas, essas históras se repetem !!!

  230. Gorducho Diz:

    O Kardec queria “médiuns” que ele controlasse – aliás por isso mesmo a história das “psicografias” que o Sr. mesmo sabe que é treino, por isso os cursos da FEESP, &c.
    Então, na Société eles não mijavam sem que o Kardec autorizasse.
    Então alguns como a Honorine Huet não se conformavam com o Kardec ditando o que e sobre o que eles podiam escrever.
    Foi isso.

  231. Vinicius Diz:

    e Leon Denis tinha alguma relação com Kardec, isto é, participa das reuniões dele?
    Nos livros de Leon Denis não me lembro de nenhuma menção a Kardec.

  232. Gorducho Diz:

    As menções a Kardec nos livros de LD são infinitas! Mas não participava porque ele morava em Tours, e seus contatos pessoais foram muito poucos, a saber:
    Em ’67 Kardec foi a Tours mas o intendente não autorizou a reunião dos espíritas, de sorte que o grande número de espíritas foi à vila do hospedeiro (do casal Rivail) prestar as homenagens. Aí LD conheceu o Kardec mas diluído entre todos os outros espíritas. Kardec recebeu-os e fez seu pronunciamento no jardim à luz de lamparinas, claro.
    No outro dia, LD foi visita-lo enquanto o Mestre trepado numa escada repassava cerejas a Mme. Amélie-Gabrielle.
    Depois viu-o só mais 2x: na passagem Santa-Ana (conheço), e em Bonneval :?: numa confraternização de espíritas.

  233. Gorducho Diz:

    Outro que não se conformava em “psicografar” só o que o Kardec queria foi o J. Roze
     
    https://books.google.com.br/books/about/R%C3%A9v%C3%A9lations_du_monde_des_esprits.html?id=zYJqTtTO_P4C

  234. Gorducho Diz:

    Acho que no Brasil fizeram essa associação de Kardec com Leon Denis, mas na França pareciam “concorrentes” nas explicações.
     
    Não. LD segue a linha do Kardec, só “viajando” um pouco mais na questão dos druidas por causa de exacerbado nacionalismo francês. E segundo ele o Kardec viveu do outro lado do canal, em território da atual Escócia; não na Gália :!:
    Parece o Vênus do Dr. Bezerra vs o Vênus do Kardec :mrgreen:

  235. vinicius Diz:

    AG,
    na verdade, eu não me expressei bem, a concorrência que eu quis dizer foi “comercial” mesmo. Não no intuito de $$$ mas talvez ficar conhecido como o explicador do espiritismo.
    Por exemplo, embora ambos DPF e CX sejam médiuns espiritas e direcionados a caridade e tal, havia uma “concorrência de fundo comercial” em seus livros, tanto é que CX e WALDO foram se queixar a FEB sobre as psicografias a serem editadas do DPF.
    ambos DPF e CX seguem a mesma linha, porém, são concorrentes fraternos na questão da vendagem de livros. Natural isso, qualquer ramo, música, literatura etc.

  236. Vitor Diz:

    “Aliás, quanto a Ms. Piper nem consenso há de que fossem “espíritos”. E.g., Dr. Phinuit poderia ser qualquer coisa menos um espírito espírita.”
    .
    Há uma boa evidência de que Phinuit fosse DE FATO um espírito. Em Proceedings, vol. VIII pp. 120-121, ele APARECEU para um homem moribundo. Uma personalidade secundária jamais poderia fazer isso. Hodgson diz:
    .
    Outro relato, que perdeu muito de seu valor por não ter sido registrado por escrito até um ano depois, foi fornecido pelos Sr. e Sra. “M. N.” (Relato No. 34) que, embora sejam meus conhecidos, até onde sei, não residem nos EUA. Segundo o relato, a morte do pai do Sr. M. N. foi anunciada como prestes a acontecer em algumas semanas e, subitamente, deu-se poucas semanas depois, na Inglaterra, por insuficiência cardíaca. Provavelmente, o Sr. M. N. sabia que seu pai fora vitimado por um ataque de bronquite. Dois ou três dias depois da morte, Phinuit descreveu alguns detalhes do testamento de seu pai, alegando tê-lo influenciado enquanto ainda vivo sobre tais questões; mas a parte mais extraordinária do relato é a afirmação atribuída à irmã do Sr. M. N., na Inglaterra, que velava na cabeceira de seu pai nos últimos três dias de sua vida, que disse que seu pai “tinha repetidamente se queixado da presença de um sujeito velho ao pé da cama, que o irritava ao discutir seus negócios particulares”. Porém, presentemente, “o testemunho” da Srta. M. é apenas de segunda mão; não me recordo de qualquer outro testemunho de aparição de Phinuit (?), exceto um incidente relatado pela Sra. Holmes (minha ajudante em vários experimentos com a Sra. Piper, ver os Relatos Nos. 45-50), no qual nada mais há para mostrar senão que o que foi visto foi uma alucinação puramente subjetiva. A recepção de uma carta especial, que Phinuit corretamente profetiza para o Sr. “M. N.”, pode eventualmente ter sido antecipada na mente inconsciente do assistente, mas a afirmação de que um parente tinha uma úlcera ou ferida no polegar (depois confirmada) estava provavelmente inteiramente fora do conhecimento dos assistentes.
    .
    Eis o relato nº 34:
    .
    34. “Sr. M. N.” Março de 1888.
    05/04/[1889].
    Resumidamente, os três casos de profecia que experimentei com a Sra. Piper, e que se tornaram realidade, são os seguintes:—
    .
    Fui ver a senhora Piper por volta do fim de março do ano passado (desde os primeiros dias de fevereiro, eu tinha o hábito de ir à sua casa uma vez a cada 15 dias). Ela me predisse a morte de um parente próximo a mim, que aconteceria dentro de seis semanas, mais ou menos, e me daria alguma vantagem pecuniária. Pensei naturalmente em meu pai, com idade muito avançada, de cuja personalidade a senhora Piper havia falado com uma admirável evidência muitas semanas antes, se bem que ela se comportou de maneira a fazer crer que ela falava, não do meu pai, mas de uma outra pessoa à qual ligava-me um estreito parentesco. Perguntei, todavia, se a pessoa que devia morrer era a mesma que ela havia descrito em tal ocasião; mas ela se defendeu, de maneira que não cheguei a nada saber. Alguns dias depois, aconteceu da minha noiva visitar a senhora Piper, e esta predisse-lhe, então, sem reticências, que meu pai estaria morto no período de algumas semanas.
    .
    Por volta da metade de maio, meu pai, que se recompunha de um ligeiro ataque de bronquite, morreu subitamente em Londres em conseqüência de uma paralisia cardíaca: isto aconteceu no mesmo dia em que os médicos tinham-no declarado fora de perigo. Anteriormente, Phinuit, através da senhora Piper, tinha me anunciado que estaria junto de meu pai para exercer sobre ele sua própria influência em vista de certas disposições testamentais tomadas por ele. Dois dias depois que recebi o anúncio telegráfico da morte, eu ia à casa da senhora Piper com minha mulher; Phinuit anunciou que meu pai encontrava-se com ele, e que sua chegada no mundo dos espíritos havia sido súbita.
    .
    Depois disso, assegurou-me estar empenhado junto ao meu pai para persuadi-lo a propósito das disposições testamentais em questão. Depois, ele me informou sobre o conteúdo do testamento, descreveu a pessoa do principal executor testamentário, e disse que este último, desde a minha chegada a Londres, teria adiantado certa proposição em meu favor, para submeter ao consentimento dos dois outros executores.
    .
    Três semanas depois, encontrava-me em Londres. O principal executor testamentário correspondeu à descrição de Phinuit; o testamento tinha sido redigido nos termos que ele havia predito; a proposição em meu favor foi, efetivamente, adiantada e
    minha irmã, que nos três últimos dias não tinha quase nunca saído da cabeceira do meu pai, contou que ele se lamentara repetidas vezes da presença de um velho ao pé da sua cama, que o importunava querendo discutir sobre seus interesses privados.
    .
    O segundo exemplo que eu lhe daria é o seguinte:—
    .
    O Dr. Phinuit declarou que eu receberia uma oferta profissional dentro de duas semanas, por carta, no meu endereço atual, com o nome da empresa de gestão no canto esquerdo do envelope, e (até onde pude entendê-lo) ou de um homem chamado French ou de um francês. Dentro do prazo concedido, a carta chegou, correspondendo à descrição de sua aparência, e a este endereço, mas a oferta foi de um francês.
    .
    O terceiro é o seguinte:
    .
    O Dr. Phinuit declarou numa ocasião que algum parente estava sofrendo naquele momento de um polegar dolorido ou ferido. Não sabíamos de ninguém no momento, e pensamos que este seria um bom teste. Poucos dias depois, fomos até a avó da minha esposa para jantar, e perguntamos a nossa tia como toda a família estava, e particularmente se ela conhecia alguém que tinha um dedo inchado ou dolorido. Ela disse: “Não.” Logo após essa conversa, minha tia disse ter recebido uma carta de primos na Filadélfia. Minha esposa perguntou como estavam, e particularmente uma certa prima Jennie. “Oh, a propósito”, foi a resposta, “Jennie teve um pequeno acidente, ela lesionou um dedo numa máquina.”
    .
    Escolhi esses três exemplos por sua simplicidade, e espero que eles sejam úteis a você. Minha esposa, via de regra, participou das minhas sessões com a Sra. Piper, e pode atestar esses fatos. Não posso estar certo de alguém mais que eu possa recorrer para apoiar o meu testemunho. Tenho certamente mencionado as predições a outros antes de elas tornarem-se fatos, mas não me lembro para quem eu fiz assim, já que estes assuntos dizem respeito mais a mim e à minha esposa. Deixo ao seu bom gosto imprimir nada que possa me identificar ou à minha família com qualquer publicação que você possa emitir, tanto em suas conferências [meetings] como nos jornais [papers]. Posso também dizer que o Dr. Phinuit curou-me, ou aparentemente fez isso, por meio de uma prescrição enviada pela Sra. Piper a mim, de um problema interno do qual eu sofri durante dezoito meses.
    [“M. N.”]
    Por este meio corroboro as afirmações acima.
    [“SRA. M. N.”]

    .
    Assim, por mais “maluco” que fosse, Phinuit além de saber medicina (o que comprova que ele fora um médico), deu mostras de sua presença neste mundo. A única explicação alternativa a espíritos que penso para esse caso é que Piper projetou uma imagem de Phinuit na mente do moribundo por telepatia.

  237. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Braulio Diz: MANOLOS,
    .
    Tenho de discordar das ideias apresentadas.
    Existem evidências consistentes para afirmar que espíritos se comunicam, e estas evidências passam pelo crivo científico da SPR e sua pesquisa feita com as Sras. Piper, e Leonard. A menos, que vocês consigam provar que houve fraude, ou falha metodológica na pesquisa, sigo com as conclusões da SPR.
    /.
    PONDERAÇÃO: BANDOLO: um fato científico é comprovável ao longo do tempo. Crookes quando descobriu o tálio deixou a senda aberta para que qualquer que quisesse conferisse se realmente um novo elemento fora detectado. Já com as pesquisas crookianas em materialização esse caminho encheu-se de mato e desapareceu: eis que nenhum cientista consegue hoje achar espíritos materializados. O passado é confirmado pelo presente. Se espíritos comunicaram com Piper, e supostamente, comunicam com outros, essa comunicação teria de ser hoje conferível e confirmável. Então, deixe o passado um pouco quieto e volte ao presente. Dê as evidências atuais do intercâmbio entre defuntos e não-defuntos. Depois que assim proceder aí então, e só então, podemos retornar ao passado e apurar o que houve, agora municiados da certeza de que mortos voltam e falam.
    .
    O outro caminho seria postular que os falecidos se deram bem apenas com Piper e fim da história. Se for essa a opção, será outra história.
    /
    /

    Gorducho Diz: E sobre a “tia Elvira” e o ? Analista Montalvão?
    Lhe perguntei e o Sr. não respondeu…
    /.
    PONDERAÇÃO: foi diferente do que supôs. Conteceu seguinte. Falei para a médium que queria conversar com minha mãe e a mãe apareceu. Bem diferente da que era em vida. Eu disse (mais ou menos): “parece ser ela…”, e a médium pontuou: “é ela sim!”. A partir daí passou a falar da mãe minha que ela trouxera, que nada a ver tinha com a verdadeira. Depois falei-lhe de uma irmã que falecera com câncer e havia suspeita na família de que ingerira dose excessiva de medicamentos para antecipar o fim. A médium roncou uns instantes (o ronco parece era o motor espiritual em busca do espírito) e então fez contato com a morta inexistente, a qual protestou ter recorrido ao suicídio. Disse a “falecida” que a morte foi natural, e que eu e os demais ficássemos tranquilos porque ela jamais pensara no ato de desespero.
    .
    Além da mãe falecida, vieram meu pai, amigos, vizinhos, minha avó e outros. Nenhum bateu com a realidade. Ainda tentei impingir um teste: solicitei-lhe se poderia enviar minha mãe até perto de mim, de modo que eu pudesse “sentí-la”. Em realidade, eu estava com um livro à minha frente e iria pedir a mamãe que informasse o título. Mas a mulher pareceu desconfiar e preferi não insistir.
    .
    Foi mais ou menos assim. A transcrição está numa das discussões aqui havidas, só não recordo qual.

  238. Gorducho Diz:

    Eu não sei dizer se o LD viveu depois do espiritismo, ou se tinha rendimentos próprios e não visaria lucro comerciais abertamente… depois vejo isso.
     
    Mas ele se innicia profissionalmente no ramo c/o opúsculo Pourquoi la Vie de setembro ’85, portanto 10 anos depois do processo, e com o Leymarie completamente desmoralizado já.
    O grande sucesso e salto dele p/a fama dá-se em Lyon domingo 23/10/87 com a palestra Les Mondes et la vie universelle ; les existences progressives de l’être.
    Ele foi ovacionado dizem que por 1800 almas.
     
    Mas como lhe disse: se a partir daí ele passou a viver do espiritismo não sei lhe dizer por enquanto.

  239. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Braulio Diz: Os controles possivelmente não eram espíritos, e sim personalidades secundárias, porém sem dúvida alguma Piper e Osborne contatavam Espíritos.
    /.
    PONDERAÇÃO: esse “sem dúvida alguma” expressa tão somente o agarradio à crença, arrimado em nuvens. Se a misteriosa Piper e a vigaríssima Osborne contataram espíritos então hoje, quando os meios fiscalizativos são mais eficazes, devemos ter facilidade em detectá-los presentes nos eventos mediúnicos. Mostre-nos como fazê-lo, pois estamos aqui quebrando cabeças sem achar solução, e os mediunistas não ajudam nada: apenas desconversam quando o assunto é validar presença…

  240. Gorducho Diz:

    Há uma boa evidência de que Phinuit fosse DE FATO um espírito.
     
    Um “espírito” que ditava wills e esqueceu o francês porque trabalhou muito tempo em Metz adonde tinha muitos ingleses (lembra aquela história do gajo ricaço português que foi morar em Londres p/aprender bem o inglês e voltou mudo?); e que não sabia qual era o nome dele…
    Mas certamente seu pronunciamento supra será de grande agrado para os crédulos.
    Só lamento que o Sr. tenha enveredado por essa senda de, ao invés de combater, procurar incentivar a credulidade e destruir o (às vezes pouco…) senso crítico dos leitores :(

  241. Gorducho Diz:

    O outro caminho seria postular que os falecidos se deram bem apenas com Piper e fim da história. Se for essa a opção, será outra história.
     
    Se bem m/lembro esse foi o caminho postulado pelo Dr. mrh em seu último pronunciamento cá.
    Ele achava que eu discordaria, mas de forma alguma: pode ser então que algumas “leis” da natureza tenham mudado de 1911 p/cá.
    Possível é…

  242. Gorducho Diz:

    Ou melhor: postulava ele (mrh) a possibilidade de terem mudado algumas “leis” das Naturwissenschaften, digamos assim.
    Ou seja: até 1911 (ano que o M. Brady Brauer dá para o começo da perca de poderes de Ms. Piper – e portanto eu tomo como referência para a mudança de algumas “constantes” que entrem nas equações descritivas de fenômenos não-metafísicos) havia médiuns; mesas giravam; ovos de peru voavam; almas se condensavam; corbeilles toupies explicavam o Evangelho.

  243. Gorducho Diz:

    Nenhum bateu com a realidade.
    :?:
    Mas baixou o espírito da parenta do ✈ que bateu!
    É isso que não entendi: como esse espírito apareceu?

  244. Vinicius Diz:

    Montalvão, este teste foi espetacular hein. Mas se você pedisse para informar o título do livro, acho que a mulher iria dar um “ronco” de caminhão!

    “Além da mãe falecida, vieram meu pai, amigos, vizinhos, minha avó e outros. Nenhum bateu com a realidade. Ainda tentei impingir um teste: solicitei-lhe se poderia enviar minha mãe até perto de mim, de modo que eu pudesse “sentí-la”. Em realidade, eu estava com um livro à minha frente e iria pedir a mamãe que informasse o título. Mas a mulher pareceu desconfiar e preferi não insistir”

  245. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    DE MARTE, seu reflexológico clama por algumas considerações que talvez eu as faça, ou não, a depender das circunstâncias. Por ora concentro-me nos dizeres reproduzidos a seguir:
    /
    “A existência ou inexistência de fadas é uma coisa falseável? Podemos falar cientificamente que fadas não existem? Acho que em termos estritamente científicos não podemos afirmar a inexistência de lobisomens.”
    /.
    PONDERAÇÃO: podemos sim. Fadas e lobisomens estariam na natureza se existissem. Ao menos desconheço postulação que os insira nalgum reino apartado da matéria. Sendo assim pode-se verificar tecnicamente a presença de lobisomens, fadas, duendes, gnomos, pés-grandes (estes existem, sabemos), homem das neves, monstro do Lago Ness, mulas sem cabeça, sacis e quejandos. Já os espíritos podemos “apenas” conferir suas intervenções na natureza, se condizem com o que delas dizem. Não condizendo, como efetivamente não condizem, podemos dar por assente que mortos, se existem, não comunicam. Resta, verificar-lhes a existência o que constitui outro desafio.
    .
    Do you understanding me?

  246. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Contra o chiquismo Diz:
    MONTALVÃO Diz: Permita-me indagar-lhe: de quais evidências dispõe que atestem a inexistência de espíritos?
    /
    ——————————————————————–
    Tá lá no site FEB que o ‘espiritismo’ é uma ‘ciencia’. Se é ‘ciencia’, tem que provar pelo Método Científico o seu maior dogma: a existência de ‘espiritos’.
    ./
    PONDERAÇÃO: mio caro amiglio do Contra: neste caso você estaria provando que o espiritismo não existe enquanto ciência, o que não é pouca coisa. Porém, não é só o kardecismo que labora com a hipótese de uma realidade espiritual, portanto…

  247. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    CONTRA: Pelo menos nas igrejas do macedão, valdemiro, malafaia, rr soares tem milagre todo dia. Se só existissem milagres há mais de 2000 anos não tinha mais nenhuma igreja. Por isso que falo que a teologia da prosperidade é 1233x melhor que a teologia conformista do kardecismo-chiquismo. Vc fica milionário, curado e vai pro céu.
    .
    No kardecismo-chiquismo, é conformismo, doença é benção, se vc for muito, mas muito bom mesmo ainda assim vai pro umbral. E não se prova nada, tem que crer a acabou.
    /.
    PONDERAÇÃO: brilhante reflexão: realmente, vai seja por isso que as universais da vida estão pululando de fiéis enquanto o espiritismo tá igual aos Testemunhas de Jeová: crescem bem devagarinho…

  248. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Braulio Diz:
    Manolos,
    .
    Gostaria de apenas uma evidência que apontasse que houve “Falha Metodológica”, ou “Fraude” nos estudos da SPR seja com a médium Leonora Piper ou com a Sra. Gladys Osborne Leonard.
    /.
    SUGESTA: antes de considerações contemporâneas, recomenda-se viajar pelas postagens que falam de Piper, SPR e Osborne e as discussões que a elas seguiram: não examine só os artigos, mór parte expondo a visão do lado crente. Depois do examinado, se tiver argumentos novidadeiros apresente-os para que a conversa seja reaberta.

  249. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Marciano Diz:
    MONTALVÃO, embora não tenha formação em filosofia, é o melhor filósofo do blog.
    Vai cair de pau em cima do meu texto.
    Daqui a pouco tenho de levantar e ir pra labuta.
    DÊ UM DESCONTO.
    /.
    PONDERAÇÃO: vou lhe dar 12%, tá bom? Mas não vou cair de pau, porque será um notável desvio na discussão principal, porém miúdas considerações serão ou foram adotadas. Adiante, talvez, volte ao tema.
    /
    /

    “Amigo MONTALVA, estou sem dormir há quase quarenta horas e tomando um whiskinho, pra ajudar no sono.”
    /.
    PONDERAÇÃO: quando digo que nascestes para a vigília eis a prova…

  250. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Amados irmãos, oremos por esse filho ingrato.
    Só na caridade há salvação. No fundo, despido de sua vã arrogância, ele é de bem. Não é por ser meu filho, ele realmente é de bem.”
    /.
    PAI DO DE MARTE: anotei o nome do filho e de toda família na listinha da universal para oração: pedi melhoria geral, mas se quiser algo específico informe que lá anotarei. Percentual de satisfação dos usuários: 99,9%…

  251. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    GORDUCHO: Ou melhor: postulava ele (mrh) a possibilidade de terem mudado algumas “leis” das Naturwissenschaften, digamos assim.
    Ou seja: até 1911 (ano que o M. Brady Brauer dá para o começo da perca de poderes de Ms. Piper – e portanto eu tomo como referência para a mudança de algumas “constantes” que entrem nas equações descritivas de fenômenos não-metafísicos) havia médiuns; mesas giravam; ovos de peru voavam; almas se condensavam; corbeilles toupies explicavam o Evangelho.
    /.
    PONDERAÇÃO: parcela dos mediunistas aposta em 1930 com ano da transição entre os poderes escancarados e a mediocridade, sendo a data defendida pelo saudoso Arduin. Segundo este pensador, os espíritos “cansaram” de dar provas de si mesmos e foram para a Bessarábia reagregar energias, por isso não mais se materializam, nem movem coisas pesadas, tampouco levitam corpos…

  252. Vitor Diz:

    “A falha metodológica foi total, pois que como temos explicado, o que tem de ser testado é a presença do espírito no ambiente.”
    .
    Veja então isso obtido com a Sra. Leonard, em que Feda fala à pesquisadora Jane H. Sagendorph sobre o que outro espírito viu nos aposentos da pesquisadora na madrugada do dia da sessão (alguns detalhes são tão íntimos que tiveram que ser omitidos):
    .
    Justo no momento em que você estava pensando nisso você estava em um quarto, então em outro — de um lugar para outro — movendo, movendo, e não parado.
    .
    [Isso é claro se refere ao trem].
    .
    Sabe o que eu quero dizer? Você queria algumas outras toalhas? Isso o intrigou um pouco — como se o incomodasse de alguma forma. Recebo fortes sensações de que você não deveria ter estado lá. [Feda dirigiu esta observação para o comunicador.] [Aqui alguns detalhes verdadeiros são omitidos.] Por que para os puros todas as coisas são puras. Somente dado como um teste.
    .
    [Ou isso é uma verdadeira leitura da mente ou o espírito esteve em meu quarto de madrugada. Eu acredito que eu serei perdoada, no interesse da ciência, por admitir que, após tomar um banho eu não encontrei nenhuma toalha e tive a divertida (e irritante) necessidade de usar a toalha de mesa como toalha de banho, já que a empregada não respondeu quando a chamei usando o sino. Os detalhes omitidos, sobre a minha roupa, etc, são realmente muito pessoais para serem discutidos, mesmo no “interesse da ciência”, embora eles fossem impressionantemente verdadeiros.]
    .
    Futuramente espero trazer traduzidas situações experimentais em que Phinuit se saiu bem, demonstrativas de sua presença no ambiente (embora telepatia não possa ser descartada).

  253. Vitor Diz:

    Aviso que já respondi ao Victor no tópico http://obraspsicografadas.org/2015/o-espiritualismo-e-uma-crise-de-evidencia-em-meados-da-epoca-vitoriana-2004-por-peter-lamont/ e ao Montalvão no tópico http://obraspsicografadas.org/2015/discussao-dos-fenomenos-de-transe-da-sra-piper-por-frank-podmore-1899/#comments

  254. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Gorducho Diz: Nenhum bateu com a realidade.
    :?:
    Mas baixou o espírito da parenta do ? que bateu!
    É isso que não entendi: como esse espírito apareceu?
    /.
    PONDERAÇÃO: fiu, agora desentendi: falas da parenta do aviador, não de minha parentela… do aviador apareceu até gente que ele “conhecia” e de quem acabou lembrando após a fala da vigaris, digo, sensitiva. Contudo, fácil, fácil aparecer espírito que a médium não conheça: leitura fria básica. Ela fala vários nomes, ou dá letras, e ele, alheado, vai preenchendo os claros e municiando a vidente com material de trabalho. Instei com o comandante-piloto para que filmasse o evento, ele recusou alegando que ela recusava; sugeri, então, que ao menos gravasse a conversa. O que fez? Desconversou… Prometeu que na próxima tentaria e a próxima ou não houve ou houve e foi mais do mesmo. Vou ver se recupero a discussão para postar trechos.

  255. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “A falha metodológica foi total, pois que como temos explicado, o que tem de ser testado é a presença do espírito no ambiente.”
    .
    VISONI: Veja então isso obtido com a Sra. Leonard, em que Feda fala à pesquisadora Jane H. Sagendorph sobre o que outro espírito viu nos aposentos da pesquisadora na madrugada do dia da sessão (alguns detalhes são tão íntimos que tiveram que ser omitidos): [...]
    /.
    PONDERAÇÃO: chiu bello! Realmente, acontecimentos perfeitamente testáveis e conferíveis! O que mais querem os céticos, que ficam a pedir (irritantemente) testes objetivos, repetíveis e não geradores de dubiezas?
    .
    Eu tomém sou médium, mediunizo neste momento que minha vizinha gostosona está a procurar uma calcinhha preta que pretende vestir para visitar o namorado. Podem ir lá confirmar com ela… e tem outros detalhes que a espiritualidade está me revelando, mas são tão íntimos que abstenho-me de citá-los…
    .
    Agora, se ela abrir um livro na mesa da sala e pedir que daqui eu diga umas duas frases que o espírito leu, aí já não garanto: minha especialidade mediúnica são intimidades…

  256. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Eu acredito que eu serei perdoada, no interesse da ciência, por admitir que, após tomar um banho eu não encontrei nenhuma toalha e tive a divertida (e irritante) necessidade de usar a toalha de mesa como toalha de banho, já que a empregada não respondeu quando a chamei usando o sino.”
    /.
    QUERIDA JANE: infelizmente não podemos perdoá-la: da próxima requeira do espírito algo mais concreto e repetível, para que possamos nós mesmos, que não cremos mas queremos “incriditar”, conferir a presença do espírito, de modo que possamos, conjuntamente, apregoar a legitimidade do experimento. Dá pra ser?

  257. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vinicius Diz: “Montalvão, este teste foi espetacular hein. Mas se você pedisse para informar o título do livro, acho que a mulher iria dar um “ronco” de caminhão!”
    /.
    DE FATO, percebi que quando tentava levar a conversa para um lado mais revelativo ela se encolhia, por exemplo, tentei obter o nome de minha avó materna, o qual eu não conhecia (ou havia esquecido). A médium respondeu que só poderia noticiar o que o espírito lhe dissesse e esse dado “ele” não lhe passou. Depois falei que minha esposa tinha um problema de saúde (e tem, esta foi verdadeira), se o espírito poderia ajudar no diagnóstico, vez que os médicos estavam em dúvida (porém já estava diagnosticada). Ela fez algumas indagações e soltou a revelação: fibromialgia. Passou longe…
    .
    Depois pedi o nome da minha esposa, considerando que ela tinha “acertado” seu apelido (acertou coisa nenhuma): mais uma vez culpou o espírito por não querer passar o informe…
    .
    E assim foi…

  258. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Pensando bem, Osborne me deu uma ideia: os consulentes devem indagar do espírito a cor e modelo de suas calcinhas e cuecas. Seria um teste preliminar produtivo, pois já mostraria que, ou o médium é versado em peças íntimas e sabe das tendências, ou há algo mais. Mas os espírito têm que acertar 100%, ou será que nem calcinhas enxergam direito?

  259. Vitor Diz:

    “infelizmente não podemos perdoá-la: da próxima requeira do espírito algo mais concreto e repetível, para que possamos nós mesmos, que não cremos mas queremos “incriditar”, conferir a presença do espírito, de modo que possamos, conjuntamente, apregoar a legitimidade do experimento. Dá pra ser?”
    .
    RESPOSTA DE JANE: “Sim, Montalvão, dá sim. O espírito logo após isso forneceu uma descrição precisa de vários acontecimentos bem específicos que aconteceram comigo, e que foram presenciados por outras pessoas além de mim, como a Sra. Allison, fornecendo mais provas de que o espírito esteve presente no ambiente. Segue o relato do espírito, e minhas explicações entre colchetes:
    .
    Feda: Talvez ele esteja brincando — o que quer que seja — não consegue se lembrar? Queria fazer algo sobre uma janela que a deixou inquieta — aquilo sobre a janela é muito importante.
    .
    [Às 21 horas, na sala de jantar, eu pedi ao garçom para fechar a janela. Nota feita pela Sra. Allison: Jantamos um pouco antes das oito horas e depois tomamos café no salão. Em ambos os lugares a Sra. S. sentiu uma corrente de ar e pediu que a janela fosse fechada e isso deve ter acontecido aproximadamente na mesma hora mencionada por Feda.]
    .
    Pense principalmente no ato de trancar e destrancar.
    .
    [Eu tive um problema, me aborreci quando tive que trancar [a porta] e deixar a chave no hotel em Oxford, na tarde e noite do dia anterior.]
    .
    Ele diz que acha que você vai se lembrar disso. Você não fez o barulho, mas você podia sentir que havia algum barulho — como um bang — claro que aconteceu um pouco tarde — eu não fiz isso — quisera eu ter feito isso — eu quero que você se lembre de um [interrupção no registro] barulho isso foi — algo fez bang — desse jeito — ele pensou que vocês tinham ouvido com certeza que queria fechar;
    .
    [O único barulho que me lembro foi um estrondo nítido das portas depois que eu estava dormindo.]
    .
    alguma dificuldade — algo enquanto se vestia — parte de suas roupas e não conseguia fazê-lo apropriadamente — algo que estava fazendo com que ela se sentisse desconfortável [repete]
    .
    [Tudo isso eu lembrei perfeitamente, e entendi como correto.]

  260. Gorducho Diz:

    fiu, agora desentendi: falas da parenta do ✈ não de minha parentela
     
    Claro! A parenta dele não apareceu na sua séance?
    Pelo que entendi teria S/Pessoa inventado a pseudo-suicida e a médium mordido a isca apresentando o “espírito” da parenta do ✈
    Se não, não entendi o episódio :(

  261. Vinicius Diz:

    “Ela fez algumas indagações e soltou a revelação: fibromialgia. Passou longe…”

    acho que tentou fazer uma leitura fria e não conseguiu.
    de qualquer forma, me pergunto, como fica a questão da moralidade e da ética em um caso desses? ficar na tentativa e erro até acertar em algo que envolve o sentimento de dor e saudade de um enlutado?
    até mesmo em “o evangelho segundo o espiritismo” vai de encontro a questões como essa…

  262. Gorducho Diz:

    Sabe o que eu quero dizer? Você queria algumas outras toalhas? Isso o intrigou um pouco — como se o incomodasse de alguma forma. Recebo fortes sensações de que você não deveria ter estado lá. [Feda dirigiu esta observação para o comunicador.] [Aqui alguns detalhes verdadeiros são omitidos.] Por que para os puros todas as coisas são puras. Somente dado como um teste.
     
    Só que não é assim que se faz o experimento! O experimento consiste em testar a presença do espírito no ambiente da séance real time!
    Nada de toalhas de mesa ou cuecas (femininas ou masculinas!). Um objeto, a leitura dum trecho de livro, ou (melhor) hoje a sugestão do ABo adaptada: 10 roletas geradas no Excel.
    Aliás, considerando a atitude bizarra da cientista espírita, qual seja ter-se secado c/uma toalha de mesa, onde está o relato não ambíguo disso pelo espírito :?:

  263. Vitor Diz:

    “O experimento consiste em testar a presença do espírito no ambiente da séance real time!
    .
    Não seja por isso! Abaixo segue Phinuit buscando descrever o que Hodgson fazia no momento da sessão:
    .
    He is talking to someone named William, but not William James. I have got the two mixed — Mrs. Holmes and Hodgson. Now I get it clearer. He takes a stick and is poking about in the funniest kind of way, and he seems as if he is talking and laughing to me, and saying all kinds of things, to me. He said : “Oh, Phinuit, you’re no good.” Now he says, “Now, Phinuit, you see if you can see that.” And he has piled a lot of things one on top of another [and in same breath] How’s Kate? You’ve sent her a book. Your father say it has reached its destination. [I had recently sent Kate a book.] . . . [Returns to Dr. H.] Oh, now I see him open the window — now he uses water. I see him brushing his hair. I see him drinking something from a cup). Now he’s making a picture like a great big scrawl — funny looking thing! Now I see him go to a closet-like thing and open it and take out something. (What is the “something”?) Looks like a dish of some kind. Now he is walking up and down. Oh, now lie’s making such a horrid-looking face. He has put his hands in his pocket and sat back and is looking at something. He’s taken a wreath, a funny thing, and put it on his head. What are those books and papers round him? He’s got so many of them. Are they his? (I expect so.) He goes downstairs, pat-a-pat, and gets letter and goes upstairs, pat-a-pat. That’s not his house. An old lady there. (Landlady?) I don’t know. Who’s William? A light-haired old lady. (Light-haired ?) Well, perhaps grey — it’s not black, anyhow. (Why, yes, grey is light, it is not dark.) Yes, grey is light. I was right in saying “light-haired.” A gent has called with a book in his hand. (Do you know him ?) He lectures or something. Hodgson has sat down and talks to someone.
    .
    Eis as anotações de Hodgson do que fazia, registrando-as no momento de suas ações, ou logo após:
    .
    The notes of my own doings, which I made during the hour of the experiment, are as follows : —
    .
    11.30. 12. — Getting up with usual incidents — boiling kettle, making tea, etc.
    12 noon. — In office, turning chair upside down, &c Getting letters, then writing these notes.
    12.3. — Pull up window blind.
    12.8. — Put on jester’s cap with bells. Took it off.
    12.12. — Walked about room with jester’s hat on. Went into bedroom, took up ginger-ale bottle, having cheroot in my mouth unlit. Light cheroot. Printed “sly veal” on paper and placed it on top of desk, next little clock, saying, ” Phinuit, do you see that?” repeatedly and pointing to it with pen. Open and read various letters, occasionally directing my attention to sly veal.
    12.20. — Put teacup away in cupboard.
    12.25. — Postman comes in with registered letter from England.
    12.26. — Read Mrs. Sidgwick’s letter — envelops contains photograph, &c.
    12.35. — Take out large shell from box, and hold it up near sly veal. Take piece of brick from shell and fit it to the other fragment, &c. Then read reports of Mrs. H.’s sittings.
    .
    The description of my having bath, going downstairs to get letters, drinking tea, &c., would have been true if given at the right time; but these form part of the usual morning routine, and were known to Miss Edmunds and I believe also to Mrs. Piper. Phinuit’s account of my talking and laughing to him might, perhaps, have been a shrewd guess, since he was aware that I had arranged the experiment. His reference to my making “a picture like a great big scrawl,” putting the “wreath, a funny thing ” on my head, and the calling of “a gent with a book in his hand” might, indeed, be vague glimpses of my doings in printing the words “sly veal,” putting the jester’s cap on, and receiving the postman and signing in his little book for the registered letter. I sat down at my desk to sign, and interchanged a few words with the postman. This last incident must have occurred only a very few minutes before Phinuit’s mention of the person calling. Taken altogether, there is enough coincidence to suggest that further experiments in this direction may be successful. It is worth while adding, with regard to possible hypotheses, that there were three ” wreaths ” (which had been there since Christmas) hanging in my room, and that I had contemplated placing one of these on my head during the hour of the experiment, but found them too dusty.

    .
    “Aliás, considerando a atitude bizarra da cientista espírita, qual seja ter-se secado c/uma toalha de mesa, onde está o relato não ambíguo disso pelo espírito?”
    .
    A não ambiguidade está na referência explícita ao desejo da pesquisadora por outras toalhas, o que é bem específico, bem como a descrição da roupa íntima da pesquisadora, que teve que ser omitida. E é interessante notar a atitude de Feda, que repreende o espírito por ter visto a pesquisadora pelada.

  264. Gorducho Diz:

    he description of my having bath
    :o
    O Hodgson tomava banho enquanto faziam as séances?
    Puxa… isso tá parecendo já o xHamster :(
     
    He takes a stick and is poking about in the funniest kind of way, and he seems as if he is talking and laughing to me, and saying all kinds of things, to me. He said : “Oh, Phinuit, you’re no good.” :?: :?: :?: :?:
     
    E é interessante notar a atitude de Feda, que repreende o espírito por ter visto a pesquisadora pelada.
    Bem que fez a Feda! Aliás até no bezerrochiquismo os espíritos são proibidos de espreitarem a intimidade do tálamo conjugal – desde que este constituído segundo os princípios do cristianismo, claro!

  265. Gorducho Diz:

    A coisa mais estranha justo ela não falou: a mulher se secar c/a toalha da mesa!
    É como a mãe do CX que justo o que seria mais notável p/nós terrícolas, qual seja o céu de Marte apresentar-se alaranjado, ela não descreveu!

  266. Vitor Diz:

    “O Hodgson tomava banho enquanto faziam as séances?”
    .
    Está dito que isso não foi durante a sessão:
    .
    The description of my having bath, going downstairs to get letters, drinking tea, &c., would have been true if given at the right time; but these form part of the usual morning routine
    .
    O experimento em si começou a partir de 11h30min. Phinuit relatou algumas das ações dele de antes. Várias descrições, porém, foram simultâneas, e não foram apenas coisas que ele viu, como ouviu também:
    .
    a) Now he says, “Now, Phinuit, you see if you can see that.” —> “Phinuit, do you see that?” repeatedly
    .
    b) now I see him open the window —>12.3. — Pull up window blind.
    .
    c), d), e) His reference to my making “a picture like a great big scrawl,” putting the “wreath, a funny thing ” on my head, and the calling of “a gent with a book in his hand” might, indeed, be vague glimpses of my doings in printing the words “sly veal,” putting the jester’s cap on, and receiving the postman and signing in his little book for the registered letter.
    .
    f) Hodgson has sat down and talks to someone. —> I sat down at my desk to sign, and interchanged a few words with the postman. This last incident must have occurred only a very few minutes before Phinuit’s mention of the person calling.

  267. Gorducho Diz:

    Então, como eu estava explicando a Sr. Bráulio, o experimento tem que testar a presença do espírito (vou desdobrar e negritar por didatismo):
    no ambiente da séance;
    no momento da séance.

  268. Vitor Diz:

    a) no momento da séance.
    .
    FOI NO MOMENTO DA SÉANCE!!! A Sra. Piper entrou em transe por volta das 11h45min. Hodgson começou suas anotações às 11h30min.
    .
    b) no ambiente da séance;
    .
    Pombas, você está de sacanagem! Então eu te mostro um experimento ainda mais difícil para a médium, já que é completamente inacessível à médium por meios normais, e você pede por um teoricamente mais fácil para ela, dentro do ambiente próximo a ela?!

  269. Borges Diz:

    https://www.youtube.com/watch?v=LzupqJuOORk

  270. Gorducho Diz:

    Não, não estou de sacanagem. Aliás esqueci o mais importante – no contexto de explicar a metodologia correta p/Sr. Br: os experimentadores é quem dirão ao “espírito” o que fazer, sem deixar à “médium” a discreção de por leituras frias ou background (não esquecer que essas pessoas conviviam e se falavam in off!) dizer o que se lhe apraza!
    Simples, simplíssimo. Por que toda essa conversa e não serem capazes de recitar uma carta de baralho; uma frase de livro?
    Aliás, lembra daquela história relatada pelo saudoso Professor do espírito que relatou n° de patas existentes da sala mediúnica?

  271. Marciano Diz:

    Estarei fora da discussão, por um tempo.
    Motivo:
    De asini umbra disputare. [Erasmo, Adagia 1.3.52]. Brigar por causa da sombra do burro. (=Disputar sobre nugas).
     
    Discutir o sexo dos anjos.
    Discutir por lã de cabra.
    Discutir se penico de barro dá ferrugem.
    Tratar de coisa que nem vai nem vem.
    lDe asini umbra disceptare. [Medieval / Tosi 488]. lDe asini prospectu incusatio est. [Medina 582]. A acusação é por ter pisado a sombra do burro.
     
    lDe fumo disceptare.
    lDe lana caprina contendere.
    lDe lana caprina rixare.
    lDe pilis lutove disceptare.
    lDe umbra aselli verba sunt.
    lRixatur de lana saepe caprina.

  272. Vitor Diz:

    “Por que toda essa conversa e não serem capazes de recitar uma carta de baralho; uma frase de livro?”
    .
    Porque ler é muito mais difícil… envolve uma atenção muito maior. É mais fácil descrever ações como Hodgson fez, ou descrever imagens de forte conteúdo emocional….

  273. Gorducho Diz:

    É +fácil p/o espírito descrever as cuecas d’uma mulher do que uma carta de baralho ou o que se passa na sala da séance?
    É isso que diz?
    Percebe o suicídio político que comete?

  274. Vitor Diz:

    Francamente, exigir que o experimento se dê no ambiente da sessão, o que é, a meu ver, metodologicamente muito inferior ao que Hodgson fez, apenas ilustra a vontade enorme dos (pseudo) céticos de não querer dar o braço a torcer. O fato é que o teste de Hodgson é sim um teste da presença de espíritos no ambiente (embora também possa ser explicado por telepatia) que obteve estrondoso sucesso. Não é explicável por fraude da médium, validação subjetiva, coincidência ou qualquer outra coisa ‘normal’ que se queira inventar.

  275. Gorducho Diz:

    Qual é o o problema de se exigir que a resposta se dê no ambiente da séance e sem nenhum tipo de ambiguiade?
    Vamos testar o tal “médium” que o Sr. alegou que aquelas Sraªs da América haviam descoberto há 5 anos atrás?

  276. Borges Diz:

    Agora uma imagem térmica curiosa (campo de energia? aura?)
    https://www.youtube.com/watch?v=KPGv5wZ5Zp4

  277. Contra o chiquismo Diz:

    Vitor Diz:
    NOVEMBRO 24TH, 2015 ÀS 8:36 PM
    …presença de espíritos no ambiente (embora também possa ser explicado por telepatia) …
    .
    .
    existência de ‘espiritos’… telepatia…
    Vitor, vc acredita nisso mesmo? Sério?

  278. Contra o chiquismo Diz:

    Antes alguém aí falou em Leon Denis…
    trata-se do maior centro kardecista-chiquista do RJ.
    CELD. Tem até transmissão via rádio AM (e internet) da sessão de sábado em que o ‘espirito’ faz ‘psicofonia’. Um dr alemão com sotaque.
    ..
    .
    Por que essa obsessão por médicos alemães?

  279. Contra o chiquismo Diz:

    Essa radio Rio de Janeiro AM é curiosa mesmo.. em seus programas tem um non sense:
    .
    .
    Agenda de um Psiquiatra Espírita
    .
    http://www.radioriodejaneiro.am.br/?page_id=48009

  280. Contra o chiquismo Diz:

    Dizem que existe um “hospital colonia” em cima do CELD.. alguns “videntes” podem vê-lo. (canábicos tb…)

  281. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Há uma boa evidência de que Phinuit fosse DE FATO um espírito. Em Proceedings, vol. VIII pp. 120-121, ele APARECEU para um homem moribundo. Uma personalidade secundária jamais poderia fazer isso. Hodgson diz:”
    .
    “Outro relato, QUE PERDEU MUITO DE SEU VALOR por não ter sido registrado por escrito até um ano depois, foi fornecido pelos Sr. e Sra. “M. N.”
    /.

    REALLY: mutcho buena evidência… só Jesus…

    /
    /
    Vitor Diz:
    Aviso que já respondi ao Montalvão no tópico http://obraspsicografadas.org/2015/discussao-dos-fenomenos-de-transe-da-sra-piper-por-frank-podmore-1899/#comments
    /.
    AVISO QUE RESPOSTA foi dada.
    /
    /
    GORDUCHO: Claro! A parenta dele não apareceu na sua séance?
    Pelo que entendi teria S/Pessoa inventado a pseudo-suicida e a médium mordido a isca apresentando o “espírito” da parenta do ?
    Se não, não entendi o episódio
    /.
    NO, NO, NO: seria um arraso se um parente do esvoaçante Sandro viesse bisurar minha sessão: sentir-me-ia nos ares! A parente inexistente que a médium trouxe foi minha “irmã” a quem nunca tive, posto que meu genitor gerou só mancebos.
    /
    /
    “Não seja por isso! Abaixo segue Phinuit buscando descrever o que Hodgson fazia no momento da sessão”
    /.
    PONDERAÇÃO: ó, mas então estamos avançando passos largos! Quem venham os phinuits da vida (da outra vida) a nos conceder mostras de suas presenças! Feito isso nada mais nos restará senão entregar os pontos e reconhecer que mortos comunicam! É o que queremos: falta “eles” realizarem suas partes…
    /
    /
    “Pombas, você está de sacanagem! Então eu te mostro um experimento ainda mais difícil para a médium, já que é completamente inacessível à médium por meios normais, e você pede por um teoricamente mais fácil para ela, dentro do ambiente próximo a ela?!”
    /.
    POIS É, a ideia não é criar dificuldades para a espiritualidade, sim facilitar-lhe a demonstração de presença e eliminar até onde possível subjetivismos. Em vez de o morto ficar esperando o vivo ir tomar banho para que lhe diga de suas intimidades, vamos simplificar: 1) ler trecho de livro postado fora do alcance visual do médium e dos crentes; 2) informar posição de ponteiros de relógio cujos mostradores foram girados à êsmo em sala escura; 3) ir o espírito ao aposento contíguo de onde se encontra o médium e nomear cinco objetos postados em ponto específico; 4) informar o conteúdo de caixa lacrada, sem dar pista do que lá foi postado; 5) informar número da cédula de R$10,00 que trago no bolso (queria fosse uma de 50,00 mas a maré tá brava); 6) informar se estou ou não usando cueca e em sim qual a cor (licença Gorducho)…
    .
    Mas se o desespírito quiser produzir o mais complicado, tudo bem: vamos todos tomar banho (cuidado com o sabão!), aguardar que fale de nossas íntimas intimidades e depois conferir…
    /
    /
    “Estarei fora da discussão, por um tempo.”
    /
    VAI DORMIR?
    /
    /

    “Por que toda essa conversa e não serem capazes de recitar uma carta de baralho; uma frase de livro?”
    .
    VISONI: Porque ler é muito mais difícil… envolve uma atenção muito maior. É mais fácil descrever ações como Hodgson fez, ou descrever imagens de forte conteúdo emocional….
    /.
    PONDERAÇÃO: sem descurar do fato de que a regra é casuística, para proporcionar a quem não tem uma desculpa, nontem “pobrema”: substituímos os textos por imagens (de “forte” conteúdo emocional: espírito “enxerga” a emoção da imagem…); os objetos na sala ao lado podem permanecer, pois são imagens; o relógio creio que dá pra salvar, se o espírito alegar que não sabe ver horas, usamos relógios infantis em que os marcadores são bichinhos; o dinheiro no bolso pode ser substituído por uma figurinha… de “forte” conteúdo emocional…
    .
    Firulas não salvarão o insalvável…
    /
    /
    “Francamente, exigir que o experimento se dê no ambiente da sessão, o que é, a meu ver, metodologicamente muito inferior ao que Hodgson fez, apenas ilustra a vontade enorme dos (pseudo) céticos de não querer dar o braço a torcer. O fato é que o teste de Hodgson é sim um teste da presença de espíritos no ambiente (embora também possa ser explicado por telepatia) que obteve estrondoso sucesso. Não é explicável por fraude da médium, validação subjetiva, coincidência ou qualquer outra coisa ‘normal’ que se queira inventar.”
    /.
    FRANCAMENTE, ficar “agrudado” a um passado incerto e não confirmável, a fim de fugir do fato de que não se consegue dar a prova atual, conferível, repetível e saneadora explica bem o sem-saída de quem não tem outro caminho senão se esconder nas brumas do que se foi…
    .
    Fui…

  282. Vitor Diz:

    “FRANCAMENTE, ficar “agrudado” a um passado incerto e não confirmável, a fim de fugir do fato de que não se consegue dar a prova atual, conferível, repetível e saneadora explica bem o sem-saída de quem não tem outro caminho senão se esconder nas brumas do que se foi…”
    .
    Mas já serve para obrigar você a se retratar na declaração que os pesquisadores não testaram a presença de espíritos no ambiente, não?

  283. Gorducho Diz:

    Qual foi o teste de presença no ambiente?

  284. Vitor Diz:

    Esse que Hodgson fez, descrito em inglês. E se incluirmos o desejo do Montalvão de “informar o conteúdo de caixa lacrada, sem dar pista do que lá foi postado”, então o seguinte também pode ser considerado um teste de presença no ambiente:
    .
    RESUMO:
    .
    o Sr. Rich levou uma caixa cujo conteúdo desconhecia completamente, e Phinuit descreveu corretamente a pessoa X. que deu ao Sr. Rich a caixa, a pessoa Y. que deu a X. o objeto para o experimento e a pessoa Q. que deu o objeto para Y. O objeto na caixa foi descrito por Phinuit como um “amuleto” e “cintilante” que foi trazido “de longe, pelo mar”; tratava-se de uma gema esculpida (que não era “cintilante”) trazida do Japão e “ultimamente usada como um amuleto com um acessório de ouro”.
    .
    DESCRIÇÃO COMPLETA:
    .
    26/03/1889. Minha oitava sessão. Um teste foi-me dado por um amigo do qual eu nada sabia. O objeto foi colocado em algodão dentro de uma caixa, embrulhado em papel e amarrado com uma corda. O “Doutor”, disse ele “poderia vê-lo”, e descreveu o objeto razoavelmente bem, mas disse que se eu abrisse a caixa, ele poderia dizer exatamente de onde ele veio. Eu não tinha ideia do que estava na caixa, e a caixa não foi aberta até eu retorná-la ao meu amigo. Na sequência, ele descreveu bem meu amigo X que me dera o pacote; depois, descreveu seu amigo Y, que havia dado o artigo, a pessoa que deu a Y o artigo de “muito longe, cruzando o mar”, e explicou algumas características dessas pessoas e suas ligações com o meu amigo X. Todas essas descrições, X me disse depois, estavam corretas. O objeto que o “Doutor” descreveu como um “amuleto” e “brilhante”, provou ser uma gema lindamente esculpida, mas não “brilhante”, mais tarde usada como um amuleto com ouro anexo, anteriormente na posse de uma família nobre japonesa de grande antiguidade, e sub-repticiamente retirada de lá por um visitante e trazida a este país. Uma mecha de cabelo que pertenceu a um amigo que era bastante conhecido por sua divertida vaidade foi saudada com uma gargalhada e reconhecida como pertencente à “Sua Alteza Real”, ou o “Duque B”, chamando-o pelo seu verdadeiro nome, e atribuindo os títulos de pilhéria.

  285. Gorducho Diz:

    É, esse experimento atende os requisitos sim.
    É assim que tem que ser os experimentos: sem estatísticas e sem ambiguidades. Na hora e no ambiente da séance!

  286. Victor Diz:

    Marciano Diz:
    novembro 24th, 2015 às 2:19 AM
    .
    VICTOR, resuma para mim sua filosofia, da seguinte maneira:
    Você acredita que possam existir espíritos?
    É uma coisa viável?
    .
    Resumindo, toda sua erudição ainda deixa dúvida razoável quanto à possibilidade de existência de espíritos e divindades, ainda que não possam ser objeto de estudo da ciência (claro que não podem!)?
    .
    Se a ciência não tem como avaliar esses conceitos (e realmente não tem) podemos imaginar que são possíveis no mundo real, fora da imaginação?
    .
    COMENT:
    .
    Marciano,
    Conforme disse em postagens anteriores, eu parto da perspectiva gnoseológica materialista, de modo que pelo menos
    a mim isso não parece ser possível.
    .
    Mas entendo que isso é uma posição filosófica e não científica, de modo que reconheço a limitação de minha CRENÇA, em relação
    a existências do entes ontologicamente constituídos, bem como a apreensão da realidade tal qual ela se apresenta ao sujeito cognoscente.
    .
    Penso que a Ciência não tem condições de se pronunciar a respeito da existência ou não existência de entes, como Deus, Espíritos e etc
    pois tais propósições não são passíveis de falseabilidade.
    .
    Sendo assim, enquanto sujeito cognoscente, não posso assumir a prerrogativa de sujeito fundante da realidade, de modo a atribuir como Universal
    minha perspectiva particular, de modo que mostra-se claramente impossível poder determinar o estatuto último da realidade ontologicamente constituído.
    .
    Sabemos claramente, que do noumeno nada conhecemos senão, de fato o modo como as coisas aparecem a nossa consciência, ou seja a realidade fenomênica.
    E a mim tal realidade é material, mas ainda sim é fenômeno, pois é onde está limitado tanto meu discurso, quanto meu pensamento diante hermenêutica
    da linguagem.
    .
    Marciano Diz:
    novembro 24th, 2015 às 2:19 AM
    pode ser explicada pelo desejo de imortalidade, bastante compreensível.
    .
    COMENT: Poderia por gentileza, definir o conceito de “imortalidade” em termos culturais e temporais, e depois demonstrar de que modo esse conceito está presente em diversas culturas e em épocas diferentes através de estudos etnográficos e etnológicos?
    .
    Marciano Diz:
    novembro 24th, 2015 às 2:19 AM
    Em outras palavras, acho que a psicologia explica melhor o pensamento mágico universal do que a filosofia
    .
    COMENT: Qual Psicologia?
    Em qual teórico e em qual teoria da Psicologia, voc? está se baseando?
    Freud? Skinner? Jung?
    Poderia clarificar, fundamentar e desenvolver, por gentileza o tema?
    .
    Marciano Diz:
    novembro 24th, 2015 às 2:19 AM
    Eu gostaria de ser imortal, mas SEI que isto é impossível.
    .
    COMENT: Eu já acho que imortalidade deve ser uma coisa muito chata, prefiro a vivência do momento presente, e em saber que depois de uma longa jornada
    teremos o descanso merecido.
    .
    Marciano Diz:
    novembro 24th, 2015 às 2:19 AM
    Universalidade, para mim, não é indício de verdade. Muito ao contrário.
    Durante muito tempo foi pensamento universal que a Terra era plana.
    .
    COMENT: Porém a proposição : Seria um Planeta Terra, chato?, é uma proposição falseável, portanto passível de experimentação científica, já “Deus” e “Espíritos” não.
    .
    Marciano Diz:
    novembro 24th, 2015 às 2:19 AM
    O pensamento de que somos espíritos que sobrevivem à morte é confortante, mas, para ser filosoficamente honesto, me parece irreal, fantasioso.
    .
    COMENT: Para mim não é nada confortante, em realidade parece aterrorizante, tenho fé de que isso não irá acontecer rs
    .
    Marciano Diz:
    novembro 24th, 2015 às 2:19 AM
    Podem gastar latim à vontade comigo, mas nenhum filósofo, honesto ou não, nenhum cientista, vai me convencer de que o quadrado é realmente redondo e de que a soma dos ângulos internos de um triângulo, no plano, é maior ou menor do que 180º.
    Na minha estúpida cabeça só cabem coisas como x = +- b/?b¹- 4 ac/2 a.
    .
    COMENT: Ironicamente, aquilo em que você deposita sua segurança ontológica e epistemológica, são apenas raciocínios analíticos a priori, que de fato não possuem existência no mundo real.
    Como de fato bem demonstrou Quine: O Positivismo Lógico, nada mais é do que mero Platonismo.
    Ao tentar evitar a Metafisica, você acabou adotando um discurso Metafísico.
    .
    Abraços

  287. Demóstenes Diz:

    Contribuição,
    /
    A umbanda chega na Alemanha: Branco velho, Caboclo Viking, Mãe Valkíria, Pai Odim… Ae, ae, ae … Artigo El Pais.
    .
    http://brasil.elpais.com/brasil/2015/11/21/cultura/1448124516_884022.html

  288. Marciano Diz:

    Continuo lendo tudo, mas só responderei ao que me for perguntado.
     
    Estarei fora da discussão, por um tempo.”
    /
    VAI DORMIR?
    /
    /
    Infelizmente isto não depende da minha vontade.
    O motivo, eu disse mais acima. Vou esperar terminar a discussão sobre se penico de barro enferruja.
     
    VICTOR, obrigado por sua resposta.
    Li tudo atentamente.

  289. Vitor Diz:

    Gorducho disse sobre a Sra. Sidgwick:
    .
    “Certo: a opinião dele era que ela era uma crédula disfarçada. O que eu digo sempre em relação a todos eles.”
    .
    Errado. Ela só passou a ser “crédula” muitos anos após iniciadas as investigações. Ela mesma diz, em 1915:
    .
    Eu digo apenas que desde que eu escrevi o meu artigo anterior, em 1899, duas coisas muito importantes aconteceram. Primeira, evidência tendendo, em minha opinião, a apoiar decididamente a hipótese de comunicação dos mortos, foi obtida por outros automatistas além da Sra. Piper; e segunda, o desenvolvimento das correspondências cruzadas introduziu uma nova linha de evidência à qual a Sra. Piper contribuiu com a sua parte. A fraqueza que eu assinalei em 1899 — de que a evidência para a comunicação dos mortos dependia de um único médium — desapareceu, portanto.
    .
    A evidência decisiva, para ela, foram as correspondências cruzadas. O materialista Antonhy Cambell confirma:
    .
    The group did not achieve a consensus about the central question: did their investigations yield firm proof of postmortem survival? Sidgwick had doubts and so did Gurney. Myers was finally convinced and so too was another prominent investigator, Richard Hodgson, who had initially been sceptical. Mrs Sidgwick also moved cautiously towards belief. Myers, indeed, went on to elaborate a theory of the “subliminal self” to explain how survival worked, linking this with fullblown cosmological speculations.

  290. Contra o chiquismo Diz:

    Vitor Moura… ainda não respondeu:
    .
    .
    Vitor Diz:
    NOVEMBRO 24TH, 2015 ÀS 8:36 PM
    …presença de espíritos no ambiente (embora também possa ser explicado por telepatia) …
    .
    .
    existência de ‘espiritos’… telepatia…
    Vitor, vc acredita nisso mesmo? Sério?

  291. Vitor Diz:

    Contra,
    considero telepatia provada, e as evidências de espíritos bem sugestivas. Essa é a posição oficial da Parapsychological Association também:
    .
    http://parapsych.org/articles/36/55/what_is_the_stateoftheevidence.aspx
    .
    What is the state-of-the-evidence for psi?
    .
    To be precise, when we say that “X exists,” we mean that the presently available, cumulative statistical database for experiments studying X, provides strong, scientifically credible evidence for repeatable, anomalous, X-like effects.
    .
    With this in mind, ESP exists, presentiment (physical changes in skin reactivity, pupil size, heart rate, and other factors indicating precognition before a stimulus is applied) exists, telepathy (direct mind-mind communication) exists, and mind-matter interaction (previously known as psychokinesis or PK) exists. The survival of bodily death remains unproven, though there is suggestive evidence for this from the reincarnation research performed by Ian Stevenson and others.
    .
    It should be noted that an increasing number of parapsychologists are moving beyond proof-oriented research (feeling that psi has already been sufficiently proven for anyone willing to actually read and consider the experimental research) to process-oriented, qualitative research.

    .
    Achei a posição da Parapsychological Association praticamente impecável.

  292. Marciano Diz:

    Somente respondendo a perguntas, alertando que, DORAVANTE, NEM MAIS A PERGUNTAS RESPONDEREI, PELO MENOS ENQUANTO O TEMA “FERRUGEM EM PENICO DE BARRO” ESTIVER EM PAUTA.
     
    Poderia por gentileza, definir o conceito de “imortalidade” em termos culturais e temporais, e depois demonstrar de que modo esse conceito está presente em diversas culturas e em épocas diferentes através de estudos etnográficos e etnológicos?
    .
    Não vou fazer isso porque você não o fez quando disse que “mitos” tem sua origem histórico-genealógica muito bem definida ao logo da História e isso pode ser verificado através da crítica textual, de modo que fica patente a regionalização, e a singularidade de tais mitos.
     
    Não definiu o conceito de “mito” em termo culturais e temporais, nem demonstrou de que modo esse conceito está presente em diversas culturas e em épocas diferentes, através de estudos etnográficos e etnológicos.
     
    Não demonstrou a “origem histórico-genealógica muito bem definida ao logo da História e que isso pode ser verificado através da crítica textual, de modo que fica patente a regionalização, e a singularidade de tais mitos.
     
    Da mesma forma, não o fez quando disse que “É evidente que partindo do paradigma filosófico materialista, podemos inferir e concluir logicamente que entes ontologicamente diversos da natureza material, não possuem estatuto fundante na realidade existente, porém cabe lembrar que isso é apenas um único ponto de vista, em termos mais estritos uma perspectiva gnoseológica a respeito da realidade.
     
    Não teve a gentileza de esclarecer qual ou quais os teóricos em que se baseou para determinar o conteúdo do paradigma filosófico materialista, não clarificou nem desenvolveu o tema, nada do que quer eu que faça.
     
    Quando disse “COMENT: Para mim não é nada confortante, em realidade parece aterrorizante, tenho fé de que isso não irá acontecer rs” , não teve a gentileza de explicar por que razão sua convicção pessoal determina aquela do resto do mundo, nada disso.
     
    Em outras palavras, está exigindo de mim o que não foi capaz de fazer.
     
    Posso não ser filósofo, mas não sou bobo.
    Por tal razão, ignorarei, daqui por diante, qualquer tipo de provocação ou palavreado supostamente erudito e me calarei até que acabe a discussão sobre ferrugem em penico de barro.
     
    Estou perdendo tempo de trabalho (sou profissional liberal, não posso ficar enganando o patrão usando o computador da empresa no horário de trabalho, porque o patrão sou eu mesmo), estou perdendo horas de sono, pois já sou naturalmente insone mesmo, etc.
     
    Se e quando a discussão sair do sexo dos anjos, eu volto a comentar.
    Não vai fazer falta mesmo.
     
    Passem bem!

  293. Gorducho Diz:

    Ela só passou a ser “crédula” muitos anos após iniciadas as investigações.
     
    :(
    Ela disse p/a Srtª Johnson que a matemática a atraíra particularmente na juventude porque achava que uma vida futura valeria mais a pena ser vivida se incluísse atividades intelectuais.
    E que ela estava se referindo à vida futura no sentido de ultramundo pós morte (e não no sentido de vivência em tempo futuro cá na crosta) fica claro pelo comentário da Srtª:
    Imagino que a natureza abstrata da matemática pura afigurava-se-lhe especialmente adaptada a uma vida incorpórea.
     
    Então é o que eu digo sempre: são crentes com agenda oculta…

  294. Vitor Diz:

    Gorducho,
    a Srta. Johnson disse “Imagino”… e me soou que ela falou num sentido de brincadeira. Mas onde vc achou tal depoimento?

  295. Vinicius Diz:

    Estou desatualizado: CX já tem mensagens psicografadas e o BACELLI as reuniu em livros
    http://www.rcespiritismo.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=64:relembrando-chico-xavier&catid=34:artigos&Itemid=54

    trechos da entrevista
    “Quanto as questionadas mensagens psicografadas por ele e ditadas por Chico Xavier, logo responde que Allan Kardec em O Livro dos Médiuns salienta que se identifique a autoria pelo conteúdo e não pelo nome. Também afirma não acreditar em códigos secretos deixados pelo amigo de tantos anos a pessoas que identificariam a veracidade de suas mensagens. “Quem passou a vida inteira repetindo para quem quisesse escutar que era um cisco, não deixaria senha para se identificar. Aqueles que dizem possuí-la deveriam exibir um documento assinado por ele, e mesmo que fosse examinada a autenticidade dessa assinatura, não duvido até mesmo que em determinadas ocasiões possa ter sido falsificada”

    “Você psicografou mensagens de Chico Xavier?
    Porque o espírito de Chico não poderia se comunicar? No que ele seria melhor que Jesus, que no terceiro dia veio ao encontro dos discípulos se mostrando a Madalena e aos apóstolos.
    Seria contraditório um homem que sempre lidou com mediunidade se negar ao intercâmbio conosco que tanto precisamos dele. Quanto ao livro que psicografamos, O Espírito de Chico Xavier, está ai para a apreciação dos estudiosos; que julguem o conteúdo da obra. Se não a considerarem digna, que a JOGUEM NO LIXO e o problema estará resolvido”

    “Outro ponto relevante que precisa ser destacado é a entrevista realizada pelo médium com as pessoas interessadas em uma psicografia. É nesse momento que começa o trabalho de triagem e entrosamento com o espírito, porque até então esse espírito é um ser estranho para o médium. Embora Chico Xavier não precisasse fazer essas entrevistas com as famílias dos desencarnados, mesmo assim a fazia. Como Emmanuel no diz no livro Seara dos Médiuns, ser médium é ser ajudante do mundo espiritual.”

  296. Gorducho Diz:

    Eu sou um estudioso, Sr. Administrador
     
    E o Myers era um fanático religioso que flertava c/o budismo e tudo, para o qual o agnosticismo era só um breve interlúdio entre religiosidades.

  297. Gorducho Diz:

    Embora Chico Xavier não precisasse fazer essas entrevistas com as famílias dos desencarnados, mesmo assim a fazia.
     
    Interessante não?

  298. Victor Diz:

    Marciano Diz:
    novembro 25th, 2015 às 2:07 PM
    .
    Não vou fazer isso porque você não o fez quando disse que “mitos” tem sua origem histórico-genealógica muito bem definida ao logo da História e isso pode ser verificado através da crítica textual, de modo que fica patente a regionalização, e a singularidade de tais mitos.
    .
    COMENT:
    .
    Sem problemas caro Marciano,
    Tenho cá em meu computador:
    .
    Enciclopedia de Mitologia Universal, de Arthur Cotterell.
    Excelente livro que traça a origem das mitos citados por você a saber:
    Papai-Noel, Lobisomen, Coelho da Páscoa
    Quer que eu lhe envie?
    .
    Como bibliografia complementar recomendo:
    GEERTZ, Clifford. The Interpretation of Cultures
    CAMPBELL, Joseph. The Hero with a Thousand Faces
    CAMPBELL, Joseph. The Flight of the Wild Gander: Explorations in the Mythological Dimension
    MAUSS, Marcel. Esquisse d’une théorie générale de la magie
    DURKHEIM, Emile. Les Formes élémentaires de la vie religieuse
    ELIADE, Mircea. Patterns in Comparative Religion
    ELIADE, Mircea. The Sacred and the Profane: The Nature of Religion
    ELIADE, Mircea. Myths, Dreams and Mysteries: the Encounter between Contemporary Faiths and Archaic Realities
    .
    Marciano Diz:
    novembro 25th, 2015 às 2:07 PM
    .
    Não definiu o conceito de “mito” em termo culturais e temporais, nem demonstrou de que modo esse conceito está presente em diversas culturas e em épocas diferentes, através de estudos etnográficos e etnológicos.
    .
    COMENT:
    .
    http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69092012000200015
    Destaco:
    .
    “Os mitos, dirá Lévi-Strauss, se pensam entre si ao mesmo tempo em que pensam a sociedade de onde provêm, com a ressalva de que jamais pertencem a uma única sociedade, pois o que é mais próprio deles é viajar por entre elas e, assim, transformarem-se. Ressoa nesta tese uma afirmação de Franz Boas, antropólogo que lhe foi contemporâneo e responsável pela organização de um imenso material dedicado à mitologia dos povos norte-americanos: “Dir-se-ia que os universos mitológicos são destinados a ser pulverizados mal acabam de se formar, para que novos universos nasçam de seus fragmentos.”
    .
    Marciano Diz:
    novembro 25th, 2015 às 2:07 PM
    .
    Da mesma forma, não o fez quando disse que “É evidente que partindo do paradigma filosófico materialista, podemos inferir e concluir logicamente que entes ontologicamente diversos da natureza material, não possuem estatuto fundante na realidade existente, porém cabe lembrar que isso é apenas um único ponto de vista, em termos mais estritos uma perspectiva gnoseológica a respeito da realidade.
    Não teve a gentileza de esclarecer qual ou quais os teóricos em que se baseou para determinar o conteúdo do paradigma filosófico materialista, não clarificou nem desenvolveu o tema, nada do que quer eu que faça.
    .
    COMENT: A respeito do extensão do tema, recomendo inicialmente:
    .
    KANT,Immanuel. Critica da Razao Pura
    HUME, David. Investigação Sobre o Entendimento Humano
    POPPER, Karl. Conjecturas e Refutações
    POPPER, Karl. A Lógica da Pesquisa Científica
    KUHN, Thomas. A Estrutura das Revoluções Científicas
    FEYERABAND, Paul. Contra o Método
    CHALMERS, David. The Conscious Mind: In Search of a Fundamental Theory
    NAGEL, Thomas. Mind and Cosmos
    .
    Marciano Diz:
    novembro 25th, 2015 às 2:07 PM
    Quando disse “COMENT: Para mim não é nada confortante, em realidade parece aterrorizante, tenho fé de que isso não irá acontecer rs” , não teve a gentileza de explicar por que razão sua convicção pessoal determina aquela do resto do mundo, nada disso.
    .
    COMENT:
    Mas eu não disse que essa perspectiva era universalizante, foi exatamente o oposto!
    Foi você que aludiu de que o “desejo de imortalidade” era uma crença universal aqui:
    /
    /
    Marciano Diz:
    novembro 24th, 2015 às 2:19 AM
    Eu, particularmente, penso que a universalidade da crença em espíritos, embora seja muito variada quanto ao conteúdo, cada época e local vendo-os de forma bem diversa, pode ser explicada pelo desejo de imortalidade, bastante compreensível.
    /
    /
    Marciano Diz:
    novembro 24th, 2015 às 2:19 AM
    Em outras palavras, está exigindo de mim o que não foi capaz de fazer.
    .
    COMENT: Done!
    Segue agora as perguntas que não respondeu!
    .
    Poderia por gentileza, definir o conceito de “imortalidade” em termos culturais e temporais, e depois demonstrar de que modo esse conceito está presente em diversas culturas e em épocas diferentes através de estudos etnográficos e etnológicos?
    .
    Marciano Diz:
    novembro 24th, 2015 às 2:19 AM
    Em outras palavras, acho que a psicologia explica melhor o pensamento mágico universal do que a filosofia
    .
    COMENT: Qual Psicologia?
    Em qual teórico e em qual teoria da Psicologia, voc? está se baseando?
    Freud? Skinner? Jung?
    Poderia clarificar, fundamentar e desenvolver, por gentileza o tema?
    .
    Seria interessante se puder comentar essa aparente antinomia em seu discurso:
    Marciano Diz:
    novembro 24th, 2015 às 2:19 AM
    Podem gastar latim à vontade comigo, mas nenhum filósofo, honesto ou não, nenhum cientista, vai me convencer de que o quadrado é realmente redondo e de que a soma dos ângulos internos de um triângulo, no plano, é maior ou menor do que 180º.
    Na minha estúpida cabeça só cabem coisas como x = +- b/?b¹- 4 ac/2 a.
    .
    A qual eu detectei aqui:
    .

    COMENT: Ironicamente, aquilo em que você deposita sua segurança ontológica e epistemológica, são apenas raciocínios analíticos a priori, que de fato não possuem existência no mundo real.
    Como de fato bem demonstrou Quine: O Positivismo Lógico, nada mais é do que mero Platonismo.
    Ao tentar evitar a Metafisica, você acabou adotando um discurso Metafísico.
    .
    Obrigado!

  299. Victor Diz:

    Marciano Diz:
    novembro 25th, 2015 às 2:07 PM
    Estou perdendo tempo de trabalho (sou profissional liberal, não posso ficar enganando o patrão usando o computador da empresa no horário de trabalho, porque o patrão sou eu mesmo), estou perdendo horas de sono, pois já sou naturalmente insone mesmo, etc.
    .
    COMENT: Já eu, não preciso trabalhar, de modo que posso me dedicar exclusivamente ao ócio intelectual como diria Bertrand Russell…
    .
    E durmo como um bebê rs

  300. Gorducho Diz:

    O Outro Mundo da Janet Oppenheim.
    Nesse livro ela mostra que todos eles da SPR eram religiosos, como eu digo sempre. Talvez a que menos fosse fosse mesmo a Eleanor – que aliás sempre se me afigurou como a mais centrada desse meio em todos os tempos…

  301. Vitor Diz:

    Gorducho, sugiro que leia a revisão do livro dela por Braude, verá que o livro dela, apesar de aparentemente ser um trabalho de ótimo nível, não está livre de problemas:
    .
    http://userpages.umbc.edu/~braude/ftp/pages/pdfs_pubd/braude–Review%20of%20The%20Other%20World.pdf

  302. Gorducho Diz:

    Não disse que não. Mas não vai dizer que não houve o comentário de Ms. Eleanor p/Miss. Johnson; nem que o Myers não era um religioso, não é?
     
    Agora quero descobrir quem eram os donos do amuleto: a rota de vazamento tem que ser por aí, tipo como o Grameiro…

  303. Vitor Diz:

    Gorducho, não estou dizendo que Sidgwick e os demais eram descrentes da vida após a morte. Mas eles tinham muitas e muitas dúvidas quanto a uma vida futura, e pareciam dispostos a aceitar qualquer resultado que suas investigações os levassem, ainda que fosse contrário a uma vida futura. O Anthony Campbell em sua revisão do livro de Gauld “The Founders of Psychical Research” (e que, aparentemente, a Janet usou) diz que
    .
    For all three men [Myers, Sidgwick, Gurney] the main reason they were interested in the paranormal was the wish to find a way of stilling their religious doubts. By the late nineteenth century the advance of scientific knowledge had made the religious ideas of earlier times appear less certain than they had been, and Sidgwick, in particular, felt it was essential to enlist science itself in an attempt to discover a firm empirical foundation for belief. Earlier in the century the rise of Spiritualism in the USA had stimulated a corresponding wave of interest in alleged paranormal phenomena in other countries, including England from about 1852, and it was against this background that the three friends began their investigations. Sidgwick married Arthur Balfour’s sister, Eleanor; she was a formidable intellectual in her own right and became deeply involved in the group’s researches.
    .
    The group did not achieve a consensus about the central question: did their investigations yield firm proof of postmortem survival? Sidgwick had doubts and so did Gurney? Myers was finally convinced and so too was another prominent investigator, Richard Hodgson, who had initially been sceptical. Mrs Sidgwick also moved cautiously towards belief. Myers, indeed, went on to elaborate a theory of the “subliminal self” to explain how survival worked, linking this with fullblown
    cosmological speculations.
    .
    This is a fascinating study. Gauld is a respected academic psychologist, and his comments on his subjects carry considerable authority. In an epilogue he presents a judicious discussion of the status of the evidence that the founders of the SPR obtained for the existence of paranormal phenomena. This is well worth reading in full. He concludes that there is at least enough evidence to show that crass materialism won’t do justice to the facts. Whether or not one agrees with this, he has at least shown that Sidgwick and his friends were not totally naive, gullible, or deluded? they were trying to do something serious and their work at least deserves our serious attention.

  304. Gorducho Diz:

    Mas é isso mesmo, nada a discordar. Essas pessoas têm agendas religiosas ocultas: só isso que eu digo.
    E então eles tentam provar a todo custo, pois que o propósito deles não é pesquisar o mundo como ele se apresenta, e sim (o absurdo de) encontrarem supostas “provas” para as crenças metafísicas (religiosas de fato) deles.
    Agora reconheço plenamente que o casal Sidgwick era centrado, equilibrado. Assim todos fossem a ½!
     
    Rich era o gerente do correio de Liverpool?

  305. Vitor Diz:

    A acusação de uma “agenda” também pode ser feita aos céticos:
    .
    http://www.parapsych.org/section/49/skepticism.aspx

  306. Vitor Diz:

    Não, o Rich não era gerente de correio. Ele era pintor. O nome dele é dado como Sr. J. Rogers Rich. Ele disse sobre seu conhecimento da Sra. Piper:
    .
    Tendo ouvido freqüentemente das coisas notáveis ditas serem feitas pela Sra. Piper, eu finalmente me convenci a visitá-la. Eu sempre tive uma antipatia por “médiuns” ou “espiritualistas” de todos os tipos, mas ao encontrar esta mulher eu fui imediatamente atraído por ela pela maneira simples e simpática que ela mostrou em me cumprimentar, e eu senti um pudor sobre marcar um encontro para uma sessão, ela me parecia muito nobre e refinada para um negócio deste tipo. Eu fiquei imediatamente impressionado com a luz peculiar, ou a expressão interior, em seus olhos. A voz dela era ampla e agradável, mas em todos os sentidos uma voz “feminina”, e havia toda uma ausência de masculinidade em seus modos, o que eu estava esperando encontrar nas circunstâncias.
    Minha primeira sessão com ela foi em 6 de setembro de 1888. Com pouca dificuldade ela entrou em transe—um estado que me era inteiramente novo—e depois de um momento de silêncio em que seguiram movimentos bastante violentos, fiquei assustado com a notável mudança em sua voz—uma exclamação, uma espécie de grunhido de satisfação, como se a pessoa tivesse atingido o seu destino e por causa disso dado vazão ao seu prazer por este som, pronunciado com uma voz inconfundivelmente masculina, mas bastante rouca. Eu fui imediatamente abordado em francês com “Bonjour, Monsieur, vous portez comentar vous?” a quem eu dei uma resposta na mesma língua, com a qual eu sou perfeitamente familiar. Minha resposta foi replicada com uma espécie de grunhido inquiridor, bem como o francês “Hein?” e, em seguida, a conversa continuou em inglês, com raramente uma palavra em francês, e mais raramente ainda surgia uma expressão em francês. Quase todas as minhas entrevistas foram iniciadas da mesma maneira. Eu não tinha fornecido meios de identificação, e simplesmente aguardava resultados. Na época em que fiz as minhas primeiras visitas à Sra. Piper eu estava muito mal, com problemas nervosos, aos quais eu estive em tratamento por um famoso especialista. A primeira coisa que me disse foi “uma grande luz atrás de mim, um bom sinal”, &c. Então, de repente todos os meus males foram muito clara e distintamente explicados e tão completamente que eu tinha certeza de que a própria Sra. Piper teria hesitado em usar esse tipo de linguagem simples [plain language]! Prescrições foram-me dadas para a compra de ervas, e a maneira de prepará-las, o que eu próprio estava por fazer. Eu falo isso agora, mas terei ocasião de me referir a isso mais adiante. Minha profissão (pintura) foi descrita, e os meus talentos e maneirismos particulares em desenho foram mencionados. Eu estava cercado por quadros—“Oh! Quadros em todo lugar!” Nesta entrevista minha mãe foi claramente descrita! Ela estava “ao meu lado, vestida como em seu retrato (pintado um ou dois anos antes de sua morte), e usando certo broche de camafeu, o retrato de meu pai.” Duas tias ainda vivas, que são muito queridas para mim, meu irmão e sua esposa “Nellie” foram bem descritos, e de tal forma que era impossível à Sra. Piper ter se informado tão minuciosamente sobre eles.

    .
    Mais algumas curiosidades:
    .
    O Sr. Rich (Relato No. 40) foi informado de erros cometidos por seu cozinheiro de cor na preparação de medicamentos e, embora ignorasse as circunstâncias no momento da sessão, confirmou posteriormente as declarações feitas por Phinuit. Ele também foi informado de ter tido uma irmã natimorta (nascimento prematuro), alguns anos antes de seu próprio nascimento e, tanto quanto sabia, ouviu pela primeira vez o fato de Phinuit. Ele foi orientado por Phinuit a verificar a informação junto às suas “tias” e, de fato, obteve sua confirmação.

  307. Gorducho Diz:

    Viu? Era um deslumbrado.
    Agora resta saber quem eram os donos do amuleto…

  308. Vitor Diz:

    O Rich diz que “Eu sempre tive uma antipatia por “médiuns” ou “espiritualistas” de todos os tipos” e vc diz que ele era um deslumbrado?? Não acha uma péssima descrição do Rich?! Não merecia ao menos uma ressalva ou algo do tipo?!

  309. Gorducho Diz:

    Eu fiquei imediatamente impressionado com a luz peculiar, ou a expressão interior, em seus olhos. A voz dela era ampla e agradável, mas em todos os sentidos uma voz “feminina”, e havia toda uma ausência de masculinidade em seus modos, o que eu estava esperando encontrar nas circunstâncias.
     
    Se isso não é um deslumbrado, não sei mais nada.
    Entenda: os espíritas também tentam alegar que o Kardec era um “pesquisador” inicialmente “cético”. Se não fosse pelo relato do Maurice de que ele desde adolescente pretendia reformar o cristianismo – e portanto nada tendo a ver c/”pesquisas científicas” sobre mesas girantes – poderíamos ser levados a crer.

  310. Contra o chiquismo Diz:

    Gorducho Diz:
    NOVEMBRO 25TH, 2015 ÀS 5:28 PM
    …relato do Maurice de que ele desde adolescente pretendia reformar o cristianismo –
    .
    .
    Poxa, pode citar esse trecho por gentileza ou indicar a fonte?

  311. Demóstenes Diz:

    Meu coment foi bloqueado? Era pro contra cx. Why?

  312. Vitor Diz:

    Demóstenes, tinha caído no spam.

  313. Vitor Diz:

    “Se isso não é um deslumbrado, não sei mais nada.”
    .
    Você quer dizer com isso o quê, que ele perdeu todo e qualquer senso crítico só porque teve à primeira vista uma uma boa impressão da médium?

  314. Gorducho Diz:

    Nascido na religião católica, mas criado num país protestante, os atos de intolerância que sofreu a esse respeito lhe fizeram conceber, desde os quinze anos de idade, a ideia de uma reforma religiosa, na qual trabalhou em silêncio por muitos anos, com o pensamento de chegar à unificação das crenças; mas faltava-lhe o elemento indispensável à solução desse grande problema.
    [Nouveau Dictionnaire Universel. Docks de la Librairie, 38 - Paris, 1866]
     
    Note que um menino de 15 anos estar preocupado c/querelas protestantes vs católicos e cogitando em reformas religiosas, mostra como era um fanático!

  315. Gorducho Diz:

    http://gallica.bnf.fr/ark:/12148/bpt6k506777/f201.item.zoom
     
    pg. 199

  316. Gorducho Diz:

    Os médiuns alemães atendem os seus invocando a energia das entidades conhecidas dos brasileiros, mas também trabalham com arquétipos da cultura local, como druidas e wikas, da mitologia celta.
     
    Talvez isso lhe ajude a compreender definitivamente – processo que creio já esteja em curso…- que é tudo fantasia, Sr. Demóstenes.
    Cada um imagina os personagens (seres) e rituais de acordo com as regras preestabelecidas em cada respectivo espaço cultural/religioso.

  317. Contra o chiquismo Diz:

    Grato.

  318. Demóstenes Diz:

    Gorducho,
    /
    Me corrija, mas todos os povos possuem ou possuíram alguma religião ou culto. Aliás a própria palavra cultura é uma derivação de culto, cultuar. Sempre a crença em algo surreal ou do “lado de lá”. Qual a motivação pra tal crença?
    .
    Você já teve uma inspiração, intuição ou um Dejavu, uma situação em que diz “já vi isso”, “lembro disso”?

  319. Vinicius Diz:

    “KARDEC- Nascido na religião católica, mas criado num país protestante, os atos de intolerância que sofreu a esse respeito lhe fizeram conceber, desde os quinze anos de idade, a ideia de uma reforma religiosa, NA QUAL TRABALHOU EM SILÊNCIO POR MUITOS ANOS, com o pensamento de chegar à unificação das crenças; mas faltava-lhe o elemento indispensável à solução desse grande problema. [Nouveau Dictionnaire Universel. Docks de la Librairie, 38 - Paris, 1866] Note que um menino de 15 anos estar preocupado c/querelas protestantes vs católicos e cogitando em reformas religiosas, mostra como era um fanático!”
    “Esse silêncio por muitos anos”? Há artigos religiosos de RIVAIL (antes de ser tornar Kardec) sabe se os há AG? “
    Unificação de crenças = espiritismo mundo inteiro = ridículos quem não se adaptar a essa realidade, é uma megalomania mesmo. Isso sem contar a questão de ter “concordado” com as teses dos Negros e seus espíritos serem inferiores e o “espirito São Luiz” ter falado em 1800 e bolinha de que eles desapareceriam ! Acho que era exagerado pelas questões religiosas e pela raça caucásica e única…

  320. Gorducho Diz:

    O fato de sabermos que nada sabemos e o medo do desconhecido e das terríveis forças da natureza que nos aplastam.
    Não esqueça que os cultos em geral sempre foram uma tentativa de subornar esses fenômenos naturais terríveis, que esses sim é que sempre foram os deuses.
    Se caia um raio, não seria natural p/um antigo supor que alguém estava atirando algo do céu pra baixo?
     
    E o dejà-vu me parece perfeitamente explicável por associações que fazemos em n/mecanismo mental programado p/racionalizar e encontrar correlações – onde não necessariamente as haja…
     
    Mas o fulcro não é esse: é que o fato de cada um inventar seres diferentes é que prova ser tudo fantasia – não necessariamente fraude, entenda!
    Dr. Bezerra profere sempre suas abobrinhas acerca de Jesus Cristo e em apoio à diretoria da FEB; os umbandistas manifestam arquétipos diferentemente estilizados e até agora da wicca que é uma crença urbana moderna, artificial.
    Nada fecha, nada bate, ninguém diz coisaa com coisa. Prova que tudo é fantasia.

  321. Gorducho Diz:

    Acho que não, AV. Mas note que o Maurice de la Châtre foi amigo pessoal dele, de sorte que deve-se confiar no relato.
    A propósito, sua algo estranho o criado num em país protestante, mas certamente ele quis se referir ao internato em Yverdon (em Genebra reinava feroz ditadura calvinista; não sei o que vigiria em Yverdon).
    Aliás sempre achei meio estranho: apesar de que a mãe visitava-o, me parece que ½ “se livraram” dele lá… Do pai nada se sabe que eu saiba…

  322. Vinicius Diz:

    hoje veio um chefe de seção, sabe que era espirita, e veio me falar da prisão do tal senador, o Delcidio. Disse que não entende como ainda possa existir tanta gente desonesta, “será que eles não se preocupam com o futuro Vinicius”, eu que já tinha “captado” que futuro ele se referira, ou seja, vida após a morte, mas mesmo assim perguntei “que futuro? ” e depois emendei “acho que não”. Não tive coragem de falar que minhas ideias espiritas foram para água corrente da dúvida ( ideias que eu tinha = justiça “divina” , “sofrimento no umbral” ).
    Esse chefe de seção não é espirita, ele é católico e me confidenciou que é MAÇÔNICO. De espiritismo mesmo, ficou deslumbrado com o umbral do Nosso Lar(do filme) e se pergunta como as pessoas continuam fazendo coisas erradas sabendo que tem um lugar desses!

  323. Gorducho Diz:

    Unificação de crenças = espiritismo mundo inteiro
     
    O problema maior não foi esse; foi que ele amarrou o espiritismo ao cristianismo, detonando então c/qualquer possibilidade de universalismo.
    Ele era bitolado e até p/os padrões da época pouco viajado. Que eu saiba fora da França Metropolitana só foi passar umas férias em Konstanz (Suiça) e aquele giro rápido pela Bélgica (ali grudado…). E o internato, claro, também perto e convivendo c/franceses.
    Siquer o canal atravessou que eu saiba.

  324. Gorducho Diz:

    Note que no LE + LM ainda são obras razoáveis, onde se poderia com bastante boa vontade dizer que ele na cabeça dele achava que estava “estudando” fenômenos que ocorriam na Europa e na América.
    Mas aí no ESE + G cai o disfarce e ele se revela no que era mesmo: passa abruptamente e sem nexo causal a fazer uma reinterpretação da mitologia católica. Jesus Cristo e a religião cristã caem de para-quedas na obra dele.
    Quem não conhece a fundo os reais propósitos por detrás dos “estudos” fica pasmado, sem saber o que se sucedeu!

  325. Gorducho Diz:

    Mas então esse “católico” e maçônico :?: é mais crente que os caras da AME :(

  326. Vinicius Diz:

    SIM, gorducho. E me veio na mente o seguinte: podemos ter graduação, pós graduação e o diabo a quatro e ainda assim “concordamos” com historinhas estapafúrdias, dando como “certas” (nem ao menos hipóteses). Na cabeça dele tem aérobus, ministérios, tem tudo mesmo e principalmente o umbral e sua lama! Pode até ser que não acredite 100% em todo a série NL mas no umbral sim :lol:

  327. Vinicius Diz:

    Acontece o seguinte AG: esse chefe aí, mais crente que a AME, tem um filho com problemas psiquiátricos graves Um dos sintomas (exemplo bem tolo hein): hoje “amar” feijão e amanhã “odiá-lo” , e depois de amanhã “amá-lo de novo” . Esqueci completamente a classificação psiquiátrica desse negócio (ele tinha me falado). Esse filho parou de falar com ele durante 3 anos seguidos , e ele mal mesmo, não entendia o que ocorria, o que ele fez de mal, sempre foi um bom pai, sempre deu tudo etc etc etc. , até encontrar os “espíritas” e suas explicações (eu me incluo nisso) .
    Um dos espiritas começou a convencê-lo de que o filho o trata assim pois em reencarnações anteriores ele o tratou mal (basicamente isso, tem mais detalhes, mas nada fora do padrão FEB, tudo teoria, nem consulta a médium teve, só livro do CX mesmo).
    Esse filho parou de tomar os remédios tarja preta e sumiu da vida dele e só tornou a aparecer quando precisou de grana.
    E ele se culpa e diz que de fato foi coisa de vida passada pois nessa vida ele não fez nada para merecer essa injustiça.
    As pessoas (inclusive eu) queremos explicações para coisas e fatos “aparentemente injustos” e por isso a simpatia pela “causa e efeito”, que no fundo é a pena de talião.
    A pena de talião está no fundo de todos, esses dias, 20 pessoas conseguiram espancar um bandido em um ponto de ônibus até sua morte, daí me pergunto: dado as estatísticas religiosas de que o brasil e eminentemente cristão será que no meio dessas 20 não havia aqueles que pregam “perdoar setenta vezes sete vezes??? .
    No fundo no fundo todos queremos que aquele que nos fez mal, se “dê mal” de alguma forma !

  328. Vinicius Diz:

    E esqueci: e queremos que “nosso mal” tem alguma explicação, de preferência, que seja uma espécie de punição. exemplo: bronquite asmática=fumante excessivo em reencaranção passada.

  329. Demóstenes Diz:

    Gorducho,
    /
    Agradecido.

  330. Contra o chiquismo Diz:

    Gorducho, já que kardec era centralizador, será que o livro ‘viagem espirita em 1862′ foi pra ele por as mãos de ferro nos centros pra dominar tudo de acordo a sua vontade?
    ..
    Sabe algo desse livro de ak?

  331. Victor Diz:

    Caríssimo Marciano,
    .
    Se você não responder aos questionamentos feitos por mim, depois de eu ter respondido aos seus ficará a impressão (não digo que seja esse o fato, longe disso, creio que não é o caso) de que você não possui as prerrogativas necessárias para sustentar sua posição.
    .
    De fato, quero crer que esse não é o caso e que certamente você me questionou, tendo evidentemente uma contra argumentação e uma tese sustentável.
    .
    Quero crer, que suas posições “filosóficas” não são embasadas por “Folk Psychology” e “Pop Science”.
    .
    E acima de tudo, tenho Fé, de que seus livros de cabeçeira não são de “pensadores” como Richard Dawkins, Lawrence Krauss, Michael Shermer, Christopher Hitchens e etc, que apesar de serem bons cientistas (creio eu) são alunos primários na Reflexão Filosófica, na Retórica e na Ética.
    .
    Por tudo isso, aguardo suas respostas, com a Fé de que meus temores sejam apenas isso, temores.
    .
    Abraços

  332. Contra o chiquismo Diz:

    Olhem que coisa curiosa… no livro ‘viagem espirita em 1862′ tem uma parte que fala como se formar uma ‘sociedade espirita’. Algo só para os crentes da época mesmo e em um dos mandamentos, destaco esse:
    ..
    .
    “12) – a) O silêncio e o recolhimento devem ser observados durante as sessões. Ficam
    proibidas as questões fúteis, de interesse pessoal, de mera curiosidade ou feitas com a intenção
    de submeterem os Espíritos à prova, bem assim as que não tiverem um fim instrutivo. ”
    .
    .
    Viram? “a intenção de submeterem os Espíritos à prova”, já naquela época provas nem para os crentes, eles eram probidos de testar a presença deles no ambiente.
    .
    .
    http://www.autoresespiritasclassicos.com/allan%20kardec/A%20Viagem%20Espirita/Allan%20Kardec%20-%20Viagem%20Esp%C3%ADrita%20em%201862.pdf
    ..
    .
    p.45

  333. Victor Diz:

    Interessante Contra,
    .
    Isso prova que o Kardecismo, de “científico” não tem nada, nem a origem.

  334. Vitor Diz:

    Excelente achado, Contra!

  335. Vinicius Diz:

    “Contra o chiquismo Diz:
    NOVEMBRO 26TH, 2015 ÀS 1:25 PM
    Olhem que coisa curiosa… no livro ‘viagem espirita em 1862? tem uma parte que fala como se formar uma ‘sociedade espirita’. Algo só para os crentes da época mesmo e em um dos mandamentos, destaco esse:
    “12) – a) O silêncio e o recolhimento devem ser observados durante as sessões. Ficam
    proibidas as questões fúteis, de interesse pessoal, de mera curiosidade ou feitas com a intenção
    de submeterem os Espíritos à prova, bem assim as que não tiverem um fim instrutivo. ”
    Viram? “a intenção de submeterem os Espíritos à prova”, já naquela época provas nem para os crentes, eles eram probidos de testar a presença deles no ambiente.”

    Nossa, dá a impressão que Kardec “sabia” que as coisas não eram tão espirituais assim e temia que seus livros ou sua doutrina caíssem em descrédito.

    .

  336. Contra o chiquismo Diz:

    Kardec tinha mãos de ferro mesmo, e esse livro deve ter sido escrito por ele pra impor aos asseclas dele a diretriz que ele queria. Daí ele viajar por toda a França. E o principal achado até agora nessa ‘obra’ : a proibição de testes da presença de ‘espiritos’ no ambiente.

  337. Contra o chiquismo Diz:

    Kardec foi claro:
    .
    .
    “Ficam PROBIDAS… intenção de submeterem os Espíritos à prova” .
    ..

    .
    Mas não era a época dos fenômenos? Não é no dias de hoje a era da instrução? Teria sentido proibir isso hoje.

  338. Contra o chiquismo Diz:

    Sim, faz sentido a teoria de kardec querer reformar o cristianismo, mas o catolicismo parecia enraizado nele e nos asseclas dele, veja essa aclamação a kardec no mesmo livro ‘viagem..’ : “”Senhor Allan Kardec, discípulo de Jesus, intérprete do Espírito de Verdade, sois nosso
    irmão em Deus. Estamos reunidos todos com o mesmo coração, sob a proteção de São João
    Batista, protetor da Humanidade e precursor do grande Mestre Jesus, nosso Salvador. ”
    .
    .
    “”Todos o dizemos do fundo do coração; estamos animados do mesmo fogo e repetimos
    todos: Glória a Allan Kardec e aos bons Espíritos que o inspiraram! E vós, bons irmãos, Sr. e
    Sra. Dijoud, os abençoados por Deus, Jesus e Maria, estais gravados em nossos corações para
    jamais sair, porque por nós sacrificastes os vossos interesses e os vossos prazeres materiais.
    Deus o sabe; nós lhe agradecemos por vos ter escolhido para esta missão, agradecendo também
    ao nosso protetor superior, São João Batista. ”
    ..

    .
    P. 57.

  339. Contra o chiquismo Diz:

    Na p 72 kardec esteve na Bélgica. Será que lá o ‘espiritismo’ resistiu ou já era?

  340. Vinicius Diz:

    Chamou-me a atenção um trecho do prefácio da tradução feita por Wallace Leal Rodrigues, tons “discriminatório e preconceituoso”(expressões destacadas em letras maiúsculas)

    “Noite de 19 de setembro de 1860. Kardec é recebido no Centro Espírita de Broteaux, o único existente em Lyon. À porta esperam-no Dijou, OPERÁRIO, CHEFE DE OFICINAS, e sua esposa. Este é, na História, o primeiro encontro de dirigentes espíritas. Dijou encontra-se à testa do grupo lionês, Kardec desempenha as funções maiores na Societé parisiense. A MÃO DO EMÉRITO PENSADOR APERTA VIGOROSAMENTE OS DEDOS CALOSOS E ÁSPEROS DO COMPANHEIRO, A QUEM CHAMA “IRMÃO”.

    Acho que quem prega a igualdade social e diz que não há racismo na doutrina não acharia “surpreendente” uma troca de cumprimentos entre pessoas. Só porque um labora com a mente e outro com objetos não quer dizer diferenças enquanto “raça humana”. Só porque o camarada tem dedos calosos e ásperos , seria uma “grande sensibilidade de Kardec” chama-lo de irmão e cumprimenta-lo calorosamente?

    No olhar grave que trocam vê-se que mutuamente se entendem:
    embora em planos diferentes, suas responsabilidades se equivalem.
    Transpostos os portais, o coração de Kardec se rejubila. O “milagre” a que tantas vezes já fizera menção, sempre com arrebatamento e orgulho, o grande feito que compete à Doutrina Espírita realizar, consubstancia-se ali, ante seus olhos, e é um mentor espiritual, ERASTO, em sublime epístola dirigida à comunidade lionesa, quem vai encontrar palavras para vestir a emoção do Codificador: “Não podeis imaginar quanto nos é doce e agradável presidir ao vosso banquete, onde o RICO E O OPERÁRIO SE ABRAÇAM, bebendo a fraternidade

    Rico é o Kardec e o Operário o dirigente espirita com as mãos calosas e ásperas?

  341. Contra o chiquismo Diz:

    Reparei como nesse livro kardec dá uma supervalorizada no ‘espiritismo’ destacando ‘os inimigos’ e as ‘zombarias’. Como aparecem essas 2 expressões. Aliás não tem como não se opor e não zombar disso.

  342. Contra o chiquismo Diz:

    Tem outro trecho que fala que necessariamente o ‘espiritismo’ teve que nascer na elite para afastar as superstições do povão e assim chegar puro a ele. Essa idéia tb é repetida no livro ‘o que é o espiritismo’ .

  343. Gorducho Diz:

    Essa viagem de ’62 pode-se dizer que foi o pináculo, onde a ele parecia mesmo que o espiritismo iria se espraiar e substituir o catolicismo. Depois atingiu seu limite de mercado, estacionando.
     
    Será que lá o ‘espiritismo’ resistiu ou já era?
    Afora alguns indivíduos em Portugal, não há espíritas na Europa. Inclui-se nisso o UK onde eu já cá divulguei – em homenagem ao Marden (tudo bem aí, está chovendo?) – o n° deles.
    Os centros que existem são de brasileiros e/ou casados/filhos com/de. O Conselho Espírita “Internacional” CEI não é internacional: é um departamento da FEB.
    É, por assim dizer, o Dpt° Internacional da FEB.

  344. Vinicius Diz:

    AG,
    “Dr. Bezerra profere sempre suas abobrinhas acerca de Jesus Cristo e em apoio à diretoria da FEB”

    Além de proferir abobrinhas, quando eu o ouço dá a impressão que está agonizante (voz de um idoso de 100 anos) e corcunda. Enquanto que na FEESP, segundo alguns médiuns, ele parece “correndo para lá e para cá”, trazendo instrumentos, microscópios, montando laboratórios na sala, trazendo jovens desencarnados para serem tratados, purificando água, limpando miasmas, afastando formas pensamento, longe daquela corcunda que aparece no DPF quando fala.

    Detalhe: dizem que Dr. Bezerra conta com milhares de “colaboradores desencarnados” e juntos com mais outras milhares de fraternidades limpam a FEESP desde as 7 da manhã (a FEESP fecha as 22 horas, nunca perguntei se os espíritos trabalham em regime de plantão para poder ver a família na grande colônia que fica sobre São Paulo).

    Falar em Bezerra, quando DPF desencarnar, quem vai trazê-lo nas mensagens anuais e congressos ? E no congresso internacional quem vai trazer LEON DENIS escrevendo inversamente?

    :lol: :mrgreen:

  345. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “FRANCAMENTE, ficar “agrudado” a um passado incerto e não confirmável, a fim de fugir do fato de que não se consegue dar a prova atual, conferível, repetível e saneadora explica bem o sem-saída de quem não tem outro caminho senão se esconder nas brumas do que se foi…”
    .
    VISONI: Mas já serve para obrigar você a se retratar na declaração que os pesquisadores não testaram a presença de espíritos no ambiente, não?
    /.
    PONDERAÇÃO: houvessem de fato testado condizentemente este crucial quesito, não só serviria para uma retratação como não estaríamos aqui cobrando demonstrações objetivas da presença de espíritos…
    .
    E se houvessem condizentemente testado, hoje a história da mediunidade seria outra e os procedimentos nessa seara bem diferentes da papalvice presente.

  346. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Gorducho Diz:
    Qual foi o teste de presença no ambiente?
    Vitor Diz:
    Esse que Hodgson fez, descrito em inglês. E se incluirmos o desejo do Montalvão de “informar o conteúdo de caixa lacrada, sem dar pista do que lá foi postado”, então o seguinte também pode ser considerado um teste de presença no ambiente:
    /.
    PONDERAÇÃO: engraçados és, caro Visoni. Desafiado a apoiar os testes objetivos pensa safar-se continuando arduinicamente no passado incerto. Então, se acha alguma coisa que pareça atender ao reclamado saltita qual cabra ao comer café. O mal dos testes que tão garimpeiramente apresenta, o grande mal, é que não foram continuados. Foram ocorrências esporádicas, não resultado de um trabalho investigativo, em que a real presença de mortos se fizesse firmada. Os consulentes de Piper, em maioria, estavam ciosos de que a mulher tinha acesso ao além e de lá traziam quem chamado fosse, a nenhum ocorreu fazer a verificação técnica.
    .
    Mas já que quer se salvar com Piper, tudo bem, mostre trabalho dos da SPR, trabalho continuado, do tipo que faziam normalmente (em alguns casos por anos seguidos) em que presença de mortos foram conferidas e os sucessos expressivos, de modo a não deixar dúvidas de que defuntos esvoaçavam ao redor de Leonora, qual varejeiras em torno de cadáveres.

  347. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “nenhum cientista, vai me convencer de que o quadrado é realmente redondo”
    /.
    Nenhuma quadrado é redondo, mas todo quadrado é apto a conter um redondo e vice-versa.

  348. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Amado Visoni, há resposta ao seu “poste” na postagem da Piper, embora ainda não completa.

  349. Vitor Diz:

    “Mas já que quer se salvar com Piper, tudo bem, mostre trabalho dos da SPR, trabalho continuado, do tipo que faziam normalmente (em alguns casos por anos seguidos) em que presença de mortos foram conferidas e os sucessos expressivos, de modo a não deixar dúvidas de que defuntos esvoaçavam ao redor de Leonora, qual varejeiras em torno de cadáveres.”
    .
    Sem problema!
    .
    RESUMO 1 DA EXPERIÊNCIA:
    .
    Algo do mesmo tipo foi sugerido por uma experiência que meu amigo, Sr. Gonner, tinha organizado numa sessão anterior. (No. 39.) Tinha combinado com sua irmã em Londres de observar sua mãe numa certa hora, num certo dia, não contando a ela qualquer coisa sobre isso, mas ao mesmo tempo tentando persuadi-la a fazer algo extraordinário, por razões a serem depois explicadas. Depois descobrimos que a escolha do procedimento incomum seria dar voltas em torno de Regent’s Park numa charrete em tempo chuvoso. E isto é o que ela fazia durante o tempo que seu filho participava da sessão em Liverpool, com o Dr. Phinuit, que segurava um pequeno livro dela à cabeça da Sra. Piper. Ele, cuidadosamente, não tinha organizado nem tinha sugerido algo como um procedimento conveniente, mas teve um pressentimento que alguma ocorrência não muito chamativa provavelmente seria considerada suficiente. É impossível dizer que a idéia de uma possível excursão ao ar livre não pode ter estado latente na sua mente.
    .
    Éramos completamente ignorantes do que se sucedia em Londres, mas o Dr. Phinuit descreveu os arredores de uma velha senhora e as duas meninas que estavam com ela—descreveu-a a como sendo convencida a sair, embora ela não quisesse, e como claramente estava se preparando para sair, várias minúsculas ações, tais como a abertura de uma caixa, a retirada de uma fotografia da penteadeira para olhar, e assim por diante, sendo mencionado corretamente. Mas aí ele parou. Não chegamos ao Regent’s Park, nem à charrete, apesar desta ser a etapa [que estava sendo] alcançada enquanto ele falava, mas [a] interrompeu logo quando a sessão começou; embora dissesse que estava descrevendo o momento presente. (p. 488). Mais experiências desta natureza são desejadas, e muito possivelmente foram feitas por outros. Eu não pretendo que esta experiência seja bastante satisfatória por si só, mas é notável até aonde vai

    .
    RESUMO 2 DA EXPERIÊNCIA:
    .
    O outro incidente em favor de clarividência direta e contra transferência de pensamento de qualquer espécie reconhecida, a saber, a experiência concebida pelo Sr. Gonner (pp. 462 e 487), teve seu valor bastante fortalecido por entrevistas com as respectivas senhoras em Londres. Foi uma experiência cuidadosamente organizada, planejada por ele e por mim juntos em Liverpool, e executada numa maneira satisfatória pela ajuda bondosa de seus parentes em Londres.
    .
    O problema era remover a transferência de pensamento a tantas ordens de distância quanto possível. Ele então escreveu a sua irmã, Srta. Gonner, dando-lhe detalhes completos do que se pretendia. Sua mãe deveria ser impelida a decidir fazer algo incomum em uma hora especificada, sem deixar que a Srta. Gonner soubesse o que era; ela não deveria ter qualquer suspeita quanto à razão do pedido, nem saber que era ligado a seu filho. Isso tudo foi realizado com precisão. Com o auxílio da Srta. Ledlie (a senhora descrita corretamente e nomeada como “Annie” por Phinuit), que igualmente não sabia absolutamente nada a respeito das razões, a mãe foi persuadida a consentir ao pedido; e decidiu, portanto, sair sob circunstâncias perfeitamente improváveis, acompanhada pela Srta. Ledlie, ambas as senhoras muito perplexas ao atender ao pedido singular e vago da Srta. Gonner. Esta última, a única do trio que tinha alguma idéia do motivo, propositadamente ausentou-se da casa antes que qualquer decisão fosse tomada a respeito do que deveria ser feito. O percurso de charrete ao redor do parque em uma manhã chuvosa de sábado, embora suficientemente incongruente para espantar mesmo o cocheiro, era um tipo infelizmente passivo de ação a escolher; mas considerando a ausência de qualquer tipo de informação ou pista quanto à razão para se fazer qualquer coisa, é de se espantar que qualquer coisa tivesse sido feita. A Srta. Ledlie relata que depois que a Srta. Gonner deixou a casa e ela a Sra. Gonner decidiram o que fazer, um veículo foi chamado. Logo por volta das 11 ela correu para o andar superior a ver se a Sra. Gonner estava pronta, e viu-a sair de seu quarto em direção a um armário, tirar uma caixa dele, colocá-la numa soleira, abri-la e tirar um agasalho para as mãos, muito parecido com o descrito por Phinuit meia hora mais tarde. Ela tinha seu capote e coisas sobre ele, e o capote é problemático de abotoar, de modo que havia uma grande quantidade de coisas fixadas por volta do pescoço. A subida e olhadela à fotografia quase certamente teriam sido feitas antes de sair, embora de fato não tenham sido presenciadas. O “tomar de um lápis para escrever,” e o “escovar algo,” se por “algo” se quer dizer uma peça de roupa, são ações improváveis. Embora o êxito estivesse longe de ser completo, Phinuit distintamente nos deixou em Liverpool com a impressão que “sair” era a coisa selecionada a ser feita.
    .
    O episódio do cabelo de Srta. Ledlie não ter sido cortado curto, quando Sr. Gonner, tendo sido informado em brincadeira que tinha, sentiu-se desagradado com a resposta de Phinuit (p. 489) encerrando que nada havia de especial a dizer sobre seu comprimento—descontentamento que ele expressou a mim,—do mesmo modo fala contra a costumeira transferência de pensamento.
    .

    .
    EXPERIÊNCIA DESCRITA DE FORMA COMPLETA:
    .
    Sessão No. 39. Manhã de sábado, 21 de Dezembro, 1889, começando às 11 horas.
    .
    Presentes: E. C. K. Gonner e O. L. somente.
    (O. L. estava sentado com a Sra. P. mas trocou de lugar com Gonner enquanto ela caía no transe, de modo que o Dr. P. se encontrou com Gonner).
    Ah, eu o conheço. Vi-o com outro cavalheiro. Onde está o livro?
    (Referia-se a um livro dado a E. C. K. G. pela mãe, e nas mãos da médium anteriormente.)
    “Aqui está. Lembra-se do que você disse sobre ele?”
    Oh sim, eu não sou um maldito idiota. É a influência da sua mãe. Mãe, irmão, e irmã comigo. Irmã chamada Mary. [Errado]. Há muita coisa para você fazer o ano que vem—novo campo, novo negócio—indefinido para mim, bem à frente ainda. Algo para você interessar-se em outras pessoas. Você tem uma senhora encarnada. Annie [Correto. Nota E.], falando comigo. Irmã e mãe ambas juntas. [Verdade]. Alguém chamando por Ed—cabeça ; o que há com a cabeça? Algum Ed encarnado; uma espécie de preocupação quanto a ele, preocupado quanto ao Ed. Ed, não Fred, é Ed.
    “Algo mais? Edward?”
    Edward, é isto. A influência da senhora é de pessoa encarnada; a mãe está em espírito. Mas há uma senhora que se encontra longe, em dificuldades.
    “Senhora que se encontra longe?”
    Oito deles. A senhora que está longe, bastante doente, uma pena. Ela tem um problema no estômago devido ao coração, uma pequena tosse, anemia. É uma tia que não está bem.
    “Que tia?”
    A única tia que está doente, longe. [Tudo isto ininteligível].
    “Qual é o seu nome?”
    Como ela pode contar-me se está encarnada? Oito de vocês. Oito ao todo. São seis ao todo, e pai e mãe fazem oito. [Nota F.]
    Nesse momento o assistente deixou transparecer descrença, e o Dr. P. disse: “Bem, acredito que estou misturando você com o outro sujeito que participou com você. Capitão, não misture dois sujeitos outra vez. Não posso distingui-los apropriadamente. Receio que eu não possa obter muito de você, mas eu gostaria. Embora eu consiga captar o livro.
    Quatro encarnados e dois desencarnados. Um morreu muito pequeno. Duas crianças morreram. Havia dois, você não soube disso? Um antes disso mal viveu, e outro muito, muito pequeno. Quatro encarnados… não, cinco encarnados. A mãe, pai, você, três irmãs, um irmão, e você, três irmãos e duas irmãs. [Tudo errado enquanto aplicado a E. C. G. Ver Nota F.]
    Como está Annie? Ela está um pouco nervosa.
    “Por quê?”
    Ela tem motivos. A situação a deixa assim. Ela está escrevendo neste instante. (11. 25. Errado).
    Sua mãe está muito perto de mim; ela é aquela que tem o problema na cabeça.
    O. L.: “Conta-o sobre sua mãe e o que ela faz agora. É muito importante”. [Ver comentários no fim da sessão, Nota A.]
    Ha, ha! Contarei a você por que é importante, porque ele próprio não o sabe. Leio seus pensamentos então. Eu geralmente não consigo isso. Sua mãe está exatamente neste instante prendendo seu cabelo, pondo algo por entre seu cabelo (indicando) e pondo-o por entre seu cabelo num quarto com um catre dentro, levantado. Você soube que ela teve algum problema com a sua cabeça? [Nota A.]
    “Não”.
    Longa distância entre você e sua mãe, separação entre vocês. Ela está em outro lugar. [Sim, em Londres]. E quem é William?
    “Bem, quem é ele?”
    Penso que é um irmão.
    “Meu irmão?”
    Não, o irmão dela, William. Esse é um tio. [Correto, Nota B.]
    Então eu capto… ela ajeita algo à sua garganta e veste um xale aqui, aqui em volta, e agora levantou a tampa de uma caixa sobre uma estante. (11.30.) [Nota A.] Ela está muito bem, mas teve um pequeno problema com a cabeça e o estômago há poucas horas, uma pequena dor e indigestão; tomou uma bebida quente para isso. Em um dia ou dois ouve da morte de um amigo. Vejo um lugar exterior, alto—colinas altas, você sabe, um tipo de lugar montanhoso, uma paisagem—uma paisagem muito bonita—um parente dela está lá; parece a Austrália. É um cavalheiro que está lá, um parente de sua mãe. Ele não importa. Voltarei a sua mãe. [Nota C]
    .
    Houve alguma notícia, alguma correspondência chegou ao grande edifício onde sua mãe está. Ela esteve com um resfriado. Uma senhorita está com ela, e acredito que é sua filha; uma menina muito amável. Ela desenha um tanto, faz muito trabalho em agulha e muita leitura. Há uma menina bonita com cabelo claro e olhos azulados. Fala a sua mãe neste instante. [Praticamente tudo correto, exceto o parentesco].
    “O seu cabelo é longo ou curto? “[Ver Nota E.]
    O que você quer dizer? É um cabelo claro e encaracolado. Ela é um pouco pálida, sorridente e tem bons dentes. Sua mãe está saindo. [Nota A.] Sua mãe teve problemas na perna, um tipo de reumatismo. Há uma jovem dama, não Annie, com cabelo claro, pele clara, boa influência. [Esta é a filha]. Há cinco deles ao todo—mãe, duas irmãs, e dois irmãos.
    “Acho que não”.
    Bem, elas são irmãs ou cunhadas. Se você não tem nenhum irmão casado, e se você não tem nenhuma esposa, eu posso captar bem sua irmã—de outra forma recebo-os misturados. Sua esposa tem três irmãs [tem cinco], são quatro ao todo; isso é tudo que posso receber. As irmãs dela são suas irmãs de certa maneira.
    “Pode captar meu pai?”
    Seu pai não está com você. Ele chegará logo. Vejo-o vindo. Receio ter, a princípio, confundido com aquele outro cavalheiro. Não posso captar duas pessoas de uma vez. De quem é aquele menininho? Seu? É um dos seus. Penso que pertence a Mira. Há aqui um espírito chamado Charles. Fale a ele.
    “Bem, Charles, você virá nos ver na cidade?”
    Ele está assentindo com a cabeça. Tio Charles, ele está desencarnado. Sim, está. São duas pessoas. Ele está ligado a William. Ele é o irmão da mãe. Dois irmãos. É isso. Há um chamado Henry na Austrália. J. H. [Nota C] Este é seu, Capitão?
    O. L.: “Não acho; talvez”.
    “Pode captar meu pai?”
    Seu pai está desencarnado. Ele pode vir, mas devemos esperar por ele. Ele mal sabe que você ainda está aqui.
    Quem é Emma? Seu pai chama Emily. Você conhece Eliza—Elizza—Lizzie? Está encarnada. Nome Lizabeth. É a influência dela que recebo pelo livro. Chamam-na Lizzie—L—I—ZEE—ZEE—I—E. Seu pai assim diz. [Ver Nota D.]
    Ele está aqui agora. (Falando em sussurros). “Deus abençoe Lizzie. Fiel sempre. Não poderia ter havido mãe mais espiritualizada, verdadeira e de coração mais bondoso”.
    Ele está bem surpreso em vê-lo outra vez. Você mudou—cresceu—mudou muito. Você se lembra dele, não?
    “Sim”.
    Bem, ele se lembra de você, mas você mudou. Você teve uma doença há algum tempo, há cerca de 10 anos. Isso foi bem conhecido pelos seus amigos espirituais, e desde então você parece diferente. Foi uma doença muito perturbadora—uma febre. [Ver notas]. Ele teve algum problema com o seu coração e estômago e intestinos. Quando ele enviou aquela mensagem a sua mãe, ele a sussurrou a ela.
    “Ela tem uma filha?
    Sim, tem uma filha encarnada—ganhou o mesmo nome dela—mas recebeu outro nome também. [Nota D.] Seu pai levanta os seus dedos para dizer dois. Tem uma testa alta e uma barba. Devo falar com ele outra vez.
    John Gordon—Gonder—Gorman—Gonner. [Primeiro nome errado].
    “Quem é?”
    Este cavalheiro falando a mim. “Elizabeth Gonner, Lizzie, isso está certo. Pai, Deus abençoe-os”. [Ver Notas e Nota D.]
    (Observações desconexas, e então repentinamente) : William era bom. Ele não conhece você, mas é um bom sujeito. Morreu num acidente. Esse foi William. Esteve um longo tempo doente. Foi pela sua cabeça; ele está segurando a sua cabeça aqui; é como um tiro, mas não é um tiro, é um golpe na cabeça. Ele não o sente agora, naturalmente, mas quando volta aqui se lembra dele. Eu não consigo tê-lo mais perto. [Nota B.] Todos eles gostam tanto de sua mãe. Você deve pensar muito nela.
    “Sim”.
    Bem, se não pensa, deve ser criticado. Terei que falar com seu pai e descobrir mais sobre vocês todos. Sua irmã está falando à sua esposa. [Muito provavelmente, a esta hora, o passeio [Nota A] deveria ter acabado há pouco.]
    “Você vê primo Harold em espírito?”
    Ah! Que eu tomei por seu irmão. Ele tem muitos livros a sua volta, tosse um pouco. Os dois pequenos eram seus irmãos, não dele.
    “Não os conheço”. [nota F.]
    Verdade, você não os conhece. Eles mal existiram. Mas não se esqueça, um é seu próprio irmão, e outro por uma tia. Eles se foram juntos, e se parecem como irmãos. Vou lhe dizer. Você sabia que seu pai tinha reumatismo? Bem, ele tinha, no corpo todo, e sofria dos intestinos e rins, e morreu com problema aqui (abdome); essa doença o levou. [Não está incorreto]. Estômago e cabeça, e houve outro problema com William na cabeça—um acidente.
    Não ponha duas pessoas outra vez, Capitão. Fiquei confuso com você a princípio. Duas pessoas são demais. Pergunte-me o que quiser.
    “Pode me contar o que é esta carta?”
    É uma carta comum sobre um compromisso. Para ir em algum lugar e manter um compromisso. Isto esteve com você algum tempo. Não posso ver um nome. Eu o verei outra vez. Sua mãe não queria ir, mas quiseram que ela fosse, e ela decidiu que iria. Então foi. [Nota A.] Capitão—
    (E a Sra. Piper volta a si).
    Notas tomadas e escritas por extenso por O. J. L. logo depois.
    .
    NOTA A.—Em preparação para a entrevista eu tinha escrito e pedido a minha irmã (Ellen Elizabeth Gonner) para convencer a minha mãe que fizesse algo incomum entre as 11 e 12 horas da manhã de sábado; e observar o que ela fazia. Minha mãe não deveria saber, e não soube, que fazia isso a meu pedido. Na manhã de sábado, nalguns minutos antes das 11h, ela se preparou para dar um passeio numa charrete. Isso a surpreendeu como um procedimento fora do comum, visto que estava chovendo. Tais preparativos envolveram os toques em sua cabeça ao colocar seu toucado, e em seu pescoço e ombros quando vestia sua capa (p. 488). Então ela foi especialmente observada ao pegar sua caixa de regalo do guarda-roupa, colocá-lo numa mesa, levantar a tampa, e tira seu regalo (p. 488). Sobre sua penteadeira há uma pequena fotografia de meu pai, que ela muito freqüentemente pega e olha intencionalmente (p. 490). Se ela fez isso na ocasião em questão não pode ser determinado, já que é uma dessas ações costumeiras cuja performance não causa qualquer impressão. Não pode ser dito, no entanto, que ela esteve com dor de cabeça. Há uma cama de cabeceira feita de madeira em seu quarto, que poderia ser chamada um “catre”. [Ver também notas no fim desta série, p. 529.]
    .
    Há aqui uma correspondência geral entre as ações dela nos poucos minutos antes das 11h, e aquelas atribuídas a ela pela médium entre 11h25min—11h30min. Mas a sessão começou às 11h, e a médium começou imediatamente falando de minha mãe. É então uma questão interessante examinar se ela tentava descobrir o que minha mãe fazia no momento ou procurava se lembrar de suas ações como ela as percebera na última vez.
    .
    NOTA B.—A referência instantânea a William (p. 488) em relação a minha mãe parece indicar uma conexão entre a médium e minha mãe, antes que uma conexão entre a médium e eu. Meu tio, William Carter, foi morto numa revolta da eleição em Yorkshire, próximo de Wakefield, em 1837, por uma pedra que o atingiu na cabeça (p. 490). A notícia da sua morte foi um choque terrível a minha mãe, que estava então numa escola na Alemanha.
    Penso que a referência a “um tempo longo” significa que ele estava doente e morreu há muito tempo; pelo menos entendi assim na sessão.
    .
    NOTA C.—Nenhum irmão de minha mãe morreu na Austrália (p. 488). Sobre o nome do lugar a médium pareceu incerta (p. 488). Um de meus tios morreu na Índia, de cólera. Seu nome, no entanto, não era Henry, embora suas iniciais fossem J. H. (John Halliley Carter) (p. 489). Eu não sabia da existência do seu segundo nome.
    .
    NOTA D.—O nome da minha mãe é Elizabeth (pp. 489-90). Ela era invariavelmente chamada Lizzie por meu pai. O nome da minha irmã é Ellen Ellizabeth Gonner (p. 489).
    .
    NOTA E.—“Annie” (p. 487) é o nome da jovem de quem sou noivo. Além do fato de seu nome, a descrição foi vaga demais para ser considerada prova substancial de conhecimento de qualquer espécie, embora correta até onde vai. “O seu cabelo está curto ou comprido?” (p. 489), fiz esta pergunta, tendo sido informado por carta que ela tinha cortado seu cabelo bastante curto. A resposta da médium claramente passou a impressão que não era esse o caso; e concluí que fora um exemplo de erro. Ao chegar a Londres, descobri, para minha surpresa, que ela estava correta,—que seu cabelo não tinha sido cortado curto afinal de contas.
    .
    NOTA F.—Estes exemplos, penso, mostram que as informações da Sra. Piper, embora genuínas e notáveis, não eram invariavelmente exatas, uma conclusão grandemente fortificada quando o restante da sessão é levado em conta.
    .
    Eles indicam, talvez, um outro ponto de interesse. A Sra. Piper parece ter estado em comunicação com a mente da minha mãe, parecendo, para todos os efeitos, tão completa quanto a que mantinha com a minha. Às vezes ela pareceu, de fato, mais perto da minha mãe. Por conseqüência, nestas vezes houve alguma confusão entre seus irmãos e meus próprios (p. 488). Ela teve vários irmãos que morreram na infância. Eu não tive um sequer.
    .
    Escritas por meio de comentário sobre o registro da entrevista de 21 de dezembro de 1889, como anotado pelo Professor Lodge, e em explicação ao mesmo.
    13 de Janeiro, 1890. E. C. K. GONNER.

  350. Gorducho Diz:

    Quem eram dos donos do amuleto?

  351. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Ou o Vitor não entende ou se faz de desentendido…
    /.
    CONTRA, você que gosta de discutir o racismo em Kardec, há um livro que aborda o assunto (defendendo Rivail) e está disponível para download. Caso não conheça, visite:
    http://www.multiajuda.com.br/livro.php?id=18966&n=pagina-digitada

  352. Vinicius Diz:

    Sobre o livro do Paulo Neto – Racismo:

    “9. (A São Luís). A raça negra é verdadeiramente uma raça inferior? -
    R. A raça negra desaparecerá da Terra. Ela foi feita para uma latitude diferente da vossa.
    10. (A Pai César). Dissestes que procuráveis o corpo pelo qual poderíeis
    avançar; escolhereis um corpo branco ou um corpo negro? – R. Um branco, porque o desprezo me faria mal.
    11. Vivestes realmente a idade que se vos atribui: 138 anos? – R. Não contei bem, pela razão que dissestes.
    Nota. Vem-se de fazer a observação de que os negros, não tendo estado civil, sua idade não é julgada senão aproximadamente, sobretudo quando nasceram na África.
    12. (A São Luís). Os Brancos se reencarnam, algumas vezes, em corpos negros? – R. Sim, quando, por exemplo, um senhor maltratou um escravo, ele pode pedir para si, por expiação, viver num corpo de negro para sofrer, a seu turno, todos os sofrimentos que fez sentir e, por esse meio, avançar e alcançar o perdão de Deus. (KARDEC, 1993e, p. 162-163)
    (grifo nosso)”

    “Comentários do Paulo Neto”
    Os problemas aqui são em relação aos itens 9 e 12. No primeiro, na resposta não se referendou o conceito de época; apenas foi dito que a raça negra, que surgiu por adaptar-se às condições naturais de um local específico, entretanto desaparecerá da face da Terra. No
    segundo, reforça o caráter de igualdade que surge diante da reencarnação, pois o Espírito propriamente dito não tem cor; reencarna em qualquer uma das condições existentes para um ser humano, no seio da sociedade terrena. Antes de adentrar no próximo texto de Kardec, veremos, primeiro, o que é frenologia;”

    Interessante que Paulo Neto não menciona, em nenhum momento, que quem “falou” isso foi o espirito superior são luiz e não Kardec em si. Limitou-se a dizer que foi um problema relacionado ao conceito da época e repetir o que foi dito por um dos componentes da falange da verdade: “apenas foi dito que a raça negra, que surgiu por adaptar-se às condições naturais de um local específico, entretanto desaparecerá da face da Terra.”

    Que elementos científicos o tal São Luiz trouxe para afirmar isso? Assemelha-se a ideia das datas que o mundo vai acabar !

  353. Gorducho Diz:

    O Administrador viajou p/o fim-de-semana deixando o ictálico aberto… :(

  354. Vitor Diz:

    Gorducho, não sei quem eram os donos do amuleto. Agora só olhando as notas originais (coisa que o Gauld fez e que lhe permitiu escrever seu artigo impecável com os dois casos inéditos da Sra. Piper).

  355. Gorducho Diz:

    Eu acho que o furo está aí, tipo como a “Conexão Grameiro” &c. Esse tal Rich estava completamente deslumbrado, como um típico chiquista.
     
    Quais são as notas originais (tem citadas no livro?)?
    Pode-se ver esse livro de Gauld no Google?

  356. Vitor Diz:

    Esse caso não está narrado no livro de Gauld, está narrados nos Proceedings, que você pode baixar facilmente.
    .
    O livro de Gauld está em http://www.esalen.org/ctr-archive/mediumship.html
    .
    Achei um livro com as obras artísticas do Sr. Rich:
    .
    https://ia801302.us.archive.org/13/items/paintingsbyameri00ande_0/paintingsbyameri00ande_0.pdf

  357. Vitor Diz:

    Enganei-me, ele só é citado, não tem as obras dele.

  358. Gorducho Diz:

    Como é mesmo aquele sítio que tem as obras (irei salvá-lo agora…)?
    Será o vol. 13?

  359. Vitor Diz:

    É do ano de 1892. Volume VIII.
    .
    https://archive.org/search.php?query=creator%3A%22Society+for+Psychical+Research+%28Great+Britain%29%22&page=2

  360. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Para contrabalançar a defesa de Kardec, deixo texto de Orlando Fedeli “metendo o pau” no codificador. Conquanto seja confronto religioso, não deixa de ser ilustrativo. O texto a seguir é comentado no livro que indiquei antes.
    /
    /
    Allan Kardec, um racista brutal e grosseiro
    Orlando Fedeli
    .
    É bem sabido que o darwinismo suscitou uma grande onda racista. Pois se a luta pela sobrevivência causava a seleção das espécies, a luta entre as raças causaria o aperfeiçoamento da espécie. Assim, o nazismo foi um dos efeitos do darwinismo.
    .
    O que, porém se deixa à sombra, é a influência do darwinismo no racismo de Allan Kardec, o fundador do espiritismo “moderno”.
    .
    Kardec, cujo verdadeiro nome era Hypolite Léon Dénizard Rivail, foi um homem que aprendeu bem mal a Gnose típica das sociedades secretas a que pertenceu. Nessas sociedades do seçulo XIX, se ensinava uma doutrina mais ou menos influenciada pelo romantismo, doutrina em geral originada do cabalista Jacob Boehme. Se Kardec aprendeu mal essa doutrina teosófica e romântica, ensinou-a pior ainda. Daí nasceu o sistema gnóstico grosseiro e cheio de contradições do espiritismo moderno.
    Lendo os livros de Kardec, tem-se a impressão de ler textos de um aluno de ginásio que, não tendo compreendido bem a lição que recebeu, e com presunção própria aos ignorantes, escreve obras sem nexo, contraditórias e mal feitas. O resultado é uma Gnose de “basse cour”, isto é, uma “gnose de galinheiro”.
    .
    Por ela se passa pisando como em “lama” pseudo intelectual.
    .
    Pois lendo — com repugnância — o livro A Gênese de Allan Kardec (Ed . Lake, São Paulo, 1a edição, comemorativa do 100o aniversário dessa obra) pode-se encontrar o seguinte texto, escandalosamente racista, do fundador do espiritismo moderno:
    .
    “O progresso não foi, pois, uniforme em toda a espécie humana; as raças mais inteligentes naturalmente progrediram mais que as outras, sem contar que os Espíritos, recentemente nascidos na vida espiritual, vindo a se encarnar sobre a Terra desde que chegaram em primeiro lugar, tornam mais sensíveis a diferença do progresso(sic!). Com efeito, seria impossível atribuir a mesma antiguidade de criação aos selvagens que mal se distinguem dos macacos, que aos chineses, e ainda menos aos europeus civilizados”
    (Allan Kardec, A Gênese, ed. cit. p. 187, o sublinhado e o negrito são meus).
    .
    Kardec afirma aí o mais grosseiro e brutal racismo.
    .
    ________________________________________
    Allan Kardec, um racista brutal e grosseiro – 2
    Orlando Fedeli
    .
    Vimos já várias citações escandalosamente racistas de Allan Kardec, frutos de sua doutrina caudatária do evolucionismo darwinista.
    .
    Hoje, queremos apresentar mais um texto desse autor, que, embora tendo baixíssimo nível intelectual, vem causando muito mal, particularmente no Brasil.
    .
    Na obra intitulada O Livro dos Espíritos, Allan Kardec pergunta:

    “6 –Por que há selvagens e homens civilizados? Se tomarmos uma criança hotentote recém nascida e a educarmos nas melhores escolas, fareis dela, um dia, um Laplace ou um Newton?” (Allan Kardec, O Livro dos Espíritos, Instituto de Difusão Espírita, Araras, São Paulo, sem data, capítulo V, p. 126).
    .
    Já a pergunta denota um certo racismo, pois supõe que uma criança hotentote, ainda que educada nas melhores escolas, não teria possibilidade natural de alcançar o nível de um cientista branco.
    .
    Allan Kardec explicita seu racismo brutal e grosseiro na resposta que dá a essa pergunta, por ele mesmo feita:
    .
    “Em relação à sexta questão, dir-se-á, sem dúvida, que o Hotentote é de uma raça inferior; então, perguntaremos se o Hotentote é um homem ou não. Se é um homem, por que Deus o fez, e à sua raça, deserdado dos privilégios concedidos à raça caucásica? Se não é um homem, porque procurar fazê-lo cristão ?” (Allan Kardec, O Livro dos Espíritos, Instituto de Difusão Espírita, Araras, São Paulo, sem data, capítulo V, p. 127).
    .
    Como é possível se imprimir e difundir, ainda hoje, uma doutrina racista tão brutal e tão grosseira?
    .
    É patente, nas frases citadas, que Allan Kardec considerava a raça branca — a caucásica — superior à raça hotentote.
    .
    E Kardec chega ao absurdo de levantar a hipótese de que um hotentote não seria um homem!
    .
    Hitler aprovaria a doutrina racista de Kardec.
    .
    E os espíritas tupiniquins, repudiam eles esse racismo grosseiro e brutal, ou o aceitam?
    .
    Se o repudiam, como poderão continuar aceitando a doutrina espírita de Kardec como revelada por “espíritos superiores”?
    .
    E será que esses “espíritos superiores” eram “caucásicos”, isto é, arianos?
    .
    Não há dúvida, pois: Allan Kardec era um racista grosseiro e brutal. E a doutrina espírita é racista.
    .
    Daí, o orgulho que ela suscita em seus seguidores, que — se são caucásicos — se julgam superiores aos demais mortais, quer porque os consideram de raças inferiores, quer – quando se comparam a outros brancos — os julgam pouco evoluídos espiritualmente.
    .
    Como católico, repudio totalmente essa doutrina herética e racista.
    _._______________________________________
    Allan Kardec, um racista brutal e grosseiro – 3

    Orlando Fedeli
    .
    Allan Kardec foi de fato um racista grosseiro e bruto, acrescentando ao evolucionismo darwiniano a sua doutrina gnóstica, muito mal aprendida e pior explicada. Seus textos indicam um homem cheio de contradições e de baixo nível intelectual.
    .
    Quero citar dele novos textos, comprovantes desse evolucionismo bruto e grosseiro do espiritismo kardecista.
    .
    No mesmo livro A Gênese, que já mencionei, se pode ler o seguinte:
    .
    “Esses Espíritos dos selvagens, entretanto pertencem à humanidade; atingirão um dia o nível de seus irmãos mais velhos, mascertamente isso não se dará no corpo da mesma raça física, impróprio a certo desenvolvimento intelectual e moral. Quando o instrumento não estiver mais em relação ao desenvolvimento, emigrarão de tal ambiente para se encarnar num grau superior, e assim por diante, até que hajam conquistado todos os graus terrestres, depois do que deixarão a Terra para passar a mundos mais e mais adiantados” (Revue Spirite, abril de 1863, pág. 97: Perfectibilidade da raça negra, in Allan Kardec, A Gênese, Lake _ Livraria Allan Kardec editora, São Paulo, p. 187. O negrito é do original e o sublinhado é meu).
    .
    Nesse texto do fundador do espiritismo moderno, está explicita a tese de que Kardec considerava os selvagens e a raça negra como inferiores.
    .
    O que é racismo bruto e grosseiro.
    .
    Se algum espírita ousar defender esse racismo kardecista, hoje, estará cometendo uma violação das leis anti-racistas vigentes no Brasil.
    .
    E Allan Kardec considerava raças inferiores não só os indígenas e negros, mas também os indivíduos de raça amarela.
    .
    Raça superior seria só a branca.
    .
    Para o racista grosseiro e bruto que foi Allan Kardec também os chineses seriam de uma raça inferior.
    .
    Eis a prova do que estou afirmando, retirada de outro livro de Allan Kardec:
    .
    “Um chinês, por exemplo, que progredisse suficientemente e não encontrasse na sua raça um meio correspondente ao grau que atingiu, encarnará entre um povo mais adiantado” (Allan Kardec, O que é o Espiritismo, Edição da Federação Espírita Brasileira, Brasília, 32a edição, sem data, pp. 206-207. A edição original de Qu’est ce que le Spiritisme é de 1859).
    .
    Portanto, para Kardec e para os espíritas, também os amarelos (japoneses, chineses, etc.), teriam que se reencarnar em raças superiores ou mais adiantadas. Hitler não diria muito diferente.
    .
    E Allan Kardec, esse racista bruto e grosseiro, pretendia que sua palavra fosse superior à palavra de Deus, na Sagrada Escritura,. pois ele escreveu:
    .
    “A reencarnação fazia parte dos dogmas judaicos sob o nome de ressurreição; só os Saduceus, que pensavam que tudo acabava com a morte, não acreditavam nela. As idéias dos Judeus sobre esse ponto, como sobre muitos outros, não estavam claramente definidas, porque não tinham senão noções vagas e incompletas sobre a alma e sua ligação com o corpo. Eles acreditavam que um homem que viveu podia reviver, sem se inteirarem com precisão da maneira pela qual o fato podia ocorrer; designavam pela palavra ressurreição o que o Espiritismo, mais judiciosamente, chama reencarnação” (Allan Kardec, O Evangelho segundo o Espiritismo, Instituto de Difusão Espírita, Araras 1978, p. 59. O negrito e o sublinhado são meus. O itálico é do autor).
    .
    Portanto Allan Kardec se considerava mais “judicioso” do que a Bíblia, porque, naquilo que os autores inspirados por Deus erraram, ele Kardec elucidou.
    .
    Além de ser, então, um racista brutal e grosseiro, Allan Kardec era um presunçoso soberbo, que se colocava até mesmo acima da Bíblia.
    .
    ________________________________________
    Para citar este texto:
    Orlando Fedeli – “Allan Kardec, um racista brutal e grosseiro”
    MONTFORT Associação Cultural
    http://www.montfort.org.br/index.php?secao=veritas&subsecao=religiao&artigo=kardec&lang=bra
    Online, 27/11/2015 às 14:47h

    .
    http://www.montfort.org.br/old/index.php?secao=veritas&subsecao=religiao&artigo=kardec&lang=bra

  361. Gorducho Diz:

    Aquele livro é patético…
     
    O ponto que deve-se tirar disso tudo é que sim o Kardec era pouco surpreendentemente um indivíduo do tempo dele – aliás bem “classe média” parisiense… – e que não tem “espírito” nenhum nos escritos dele e dos “médiuns” da Société.

  362. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vitor Diz:
    “Mas já que quer se salvar com Piper, tudo bem, mostre trabalho dos da SPR, trabalho continuado, do tipo que faziam normalmente (em alguns casos por anos seguidos) em que presença de mortos foram conferidas e os sucessos expressivos, de modo a não deixar dúvidas de que defuntos esvoaçavam ao redor de Leonora, qual varejeiras em torno de cadáveres.”
    .
    VISONI: Sem problema!
    .
    RESUMO 1 DA EXPERIÊNCIA: [...]
    .
    “MAIS EXPERIÊNCIAS DESTA NATUREZA SÃO DESEJADAS, e muito possivelmente foram feitas por outros. Eu não pretendo que esta experiência seja bastante satisfatória por si só, mas é notável até aonde vai”
    .
    PONDERAÇÃO: realmente, mais experiências com Piper eram desejadas, infelizmente não realizadas. Provavelmente as “mais experiências”, que o relator acredita terem ocorrido, se houve, foram meia dúzia de duas ou três, insuficientes para proporcionar conclusão satisfatória. Sem falar da subjetividade do experimento e da dificuldade de controle (ainda mais naquele tempo e naquela distância).
    .
    O que o Visoni não vê, PORQUE NÃO QUER, é que as pessoas envolvidas não estavam conferindo presença de espíritos coisa alguma (tal não lhes passava pela cabeça): para eles os mortos estavam lá e ponto. O que pretendiam era verificar até onde a mediunidade de Piper conseguia ir. Quer Piper falhasse (e ela falhava pracaramba), quer tivesse sucesso, a mediunidade (a crença na) estaria preservada…
    /
    /

    “RESUMO 2 DA EXPERIÊNCIA:
    .
    O outro incidente em favor de clarividência direta e contra transferência de pensamento de qualquer espécie reconhecida, a saber, a experiência concebida pelo Sr. Gonner (pp. 462 e 487), teve seu valor bastante fortalecido por entrevistas com as respectivas senhoras em Londres. Foi uma experiência cuidadosamente organizada, planejada por ele e por mim juntos em Liverpool, e executada numa maneira satisfatória pela ajuda bondosa de seus parentes em Londres.
    .
    O problema era remover a transferência de pensamento a tantas ordens de distância quanto possível. Ele então escreveu a sua irmã, Srta. Gonner, dando-lhe detalhes completos do que se pretendia. Sua mãe deveria ser impelida a decidir fazer algo incomum em uma hora especificada, sem deixar que a Srta. Gonner soubesse o que era; ela não deveria ter qualquer suspeita quanto à razão do pedido, nem saber que era ligado a seu filho. Isso tudo foi realizado com precisão. Com o auxílio da Srta. Ledlie (a senhora descrita corretamente e nomeada como “Annie” por Phinuit), que igualmente não sabia absolutamente nada a respeito das razões, a mãe foi persuadida a consentir ao pedido; e decidiu, portanto, sair sob circunstâncias perfeitamente improváveis, acompanhada pela Srta. Ledlie, ambas as senhoras muito perplexas ao atender ao pedido singular e vago da Srta. Gonner. Esta última, a única do trio que tinha alguma idéia do motivo, propositadamente ausentou-se da casa antes que qualquer decisão fosse tomada a respeito do que deveria ser feito. O percurso de charrete ao redor do parque em uma manhã chuvosa de sábado, embora suficientemente incongruente para espantar mesmo o cocheiro, era um tipo infelizmente passivo de ação a escolher; mas considerando a ausência de qualquer tipo de informação ou pista quanto à razão para se fazer qualquer coisa, é de se espantar que qualquer coisa tivesse sido feita. A Srta. Ledlie relata que depois que a Srta. Gonner deixou a casa e ela a Sra. Gonner decidiram o que fazer, um veículo foi chamado. Logo por volta das 11 ela correu para o andar superior a ver se a Sra. Gonner estava pronta, e viu-a sair de seu quarto em direção a um armário, tirar uma caixa dele, colocá-la numa soleira, abri-la e tirar um agasalho para as mãos, MUITO PARECIDO COM O DESCRITO POR PHINUIT meia hora mais tarde. Ela tinha seu capote e coisas sobre ele, e o capote é problemático de abotoar, de modo que havia uma grande quantidade de coisas fixadas por volta do pescoço. A subida e olhadela à fotografia quase certamente teriam sido feitas antes de sair, EMBORA DE FATO NÃO TENHAM SIDO PRESENCIADAS. O “tomar de um lápis para escrever,” e o “escovar algo,” se por “algo” se quer dizer uma peça de roupa, são ações improváveis. EMBORA O ÊXITO ESTIVESSE LONGE DE SER COMPLETO, Phinuit distintamente nos deixou em Liverpool com a impressão que “sair” era a coisa selecionada a ser feita.”
    .
    PONDERAÇÃO: para um piperiano este é o tipo do experimento supimpa: chegam a dizer que supera quaisquer das sugestões de testes objetivos aqui dadas. Superam sim, em complexidade, subjetividade e dificuldade de replicação. E nem vou falar da continuidade, essencial e indispensável. Tampouco das claras validações completativas (o imaginário Phinuit diz algo parecido e conta-se ponto).
    .
    Se este é o “programa” investigativo da real presença de mortos junto a Piper que o Visoni consegue desencavar então babou geral…

  363. Vitor Diz:

    MONTALVÃO: “realmente, mais experiências com Piper eram desejadas, infelizmente não realizadas.”
    .
    Infelizmente, o Montalvão não se cansa de afirmar besteiras. Houve uma replicação de sucesso na sessão de 15/06/1891 com Julia Holmes. Alguns exemplos:
    .
    12h15min. Ela parece colocar algumas flores num vaso. [Sim, era isso que eu fazia.] Ela as corta e coloca nele. [Sim, eu tirei os gravetos mortos e coloquei o vaso na estante]. Desde que eu vi a influência dela noutro dia [Quarta-feira, 10 de junho.—R.H.], ela mudou os travesseiros do quarto onde dorme, e algumas coisas mudaram na cama. [Sim, a cama quebrou—novo suporte colocado dentro], e ela está colocando algo sobre a janela. [Sim]. Você conhece a menina dela? (Sua filha?) Sim. (Sim, eu a conheço.) Ela é uma boa garota. . . . Sua filha tem um amigo que vai se casar imediatamente. [Sim, achamos que sim.] (Uma dama?) Oui. A última parte do nome dela termina em son, não é? (Não.) A última parte de seu primeiro nome? (Não.) Ela tem três nomes. Eliza vem com isso (veludo) e está encarnada. [Sim, “tia Eliza”, irmã da mãe de Albert.] [Vide abaixo.—R. H.].
    .
    12h22min. Agora, ela está fazendo algo com um quadro—a mãe, que ainda está encarnada—acho que há algo de errado com seus dentes. [Minhas notas não são claras se esta declaração foi sobre a Sra. Holmes ou a mãe dela, mas a minha impressão durante a sessão foi, creio, que se referia à mãe da Sra. Holmes, a saber, a Sra. Sadler, que escreve em 04/12/1891: “Não posso me lembrar de dor de dente em 15/06/1891. Tenho tido problemas com meus dentes por todo o ano”.—R.H.] [Sim, perdi o ouro de meus dentes de trás ontem.] [No início da sessão, Phinuit perguntou se ele não estava certo sobre a mãe, o pai e o irmão estarem em espírito. Eu disse que a sogra estava em espírito.—R.H.] Eu ouço o nome de William Henry, que é chamado Henry. [No início da sessão, Phinuit perguntou-me se William não era o nome do irmão. Eu disse que a dama o reconheceu, embora não de início.—R.H.] Você já a viu pintar? (Não.) [Minha filha é uma artista.] Ela está fazendo algo com um pincel. Agora, ela o largou—senta-se à mesa para escrever. Charles está na página à sua frente. [Eu sentei à mesa para escrever, não minha filha.] [As observações acima, incluindo a pintura, foram aplicadas por Phinuit à Sra. Holmes.—R.H.]
    .
    12h25min. Agora, vejo-a ir para a janela e falar com um homem, baixo, do tipo corpulento. [Sim, o açougueiro.] Ela estende a mão e puxa algo para baixo. [Eu abri a veneziana para mais luz e ajeitei a cortina.] Ela voltou para sentar-se novamente, na mesa. [Sim.] Eu ouço “Caroline, tia, faleceu com problemas de estômago e coração, reconheça essa influência”. [Sim. Uma querida amiga, tia Caroline Mason—Katherine era sua cunhada, também chamada por mim tia Kate.] Ela parece estar escrevendo. [Sim, eu estava escrevendo com uma prancheta.] Albert—primo, uma espécie de companheiro errante, algo a ver com soldados, lutando. Imagem antiquada dele tomada alguns anos atrás. [Sim, num cavalo de batalha.] Ele não sabe se ela ou a mãe dele, a tia dele, tem a foto. [Tia Eliza a tem.] Ele gostava muito de atirar. [Sim, mas Albert está vivo.] Maria. Uma parenta do lado do marido. [Maria Holmes, mas do lado da minha mãe, a esposa do irmão dela. Eu sou chamada Julia Maria por esta tia.]

    .
    Quando o Montalvão vai aprender a ler antes de criticar? Ou, ao Menos, a humildade de perguntar antes de fazer afirmações como a que acabou de fazer? Acho que nunca…
    .
    MONTALVÃO: “O que o Visoni não vê, PORQUE NÃO QUER, é que as pessoas envolvidas não estavam conferindo presença de espíritos coisa alguma (tal não lhes passava pela cabeça): para eles os mortos estavam lá e ponto.”
    .
    Mais besteira…se o Phinuit sempre teve sua existência como espírito questionada pelos pesquisadores, como você me sai com essa de que “os mortos estavam lá e pronto”? Assim fica muito difícil não pensar que você resolveu bancar o Scur e só ficar trollando, Montalvão.
    .
    MONTALVÃO: “Se este é o “programa” investigativo da real presença de mortos junto a Piper que o Visoni consegue desencavar então babou geral…”
    .
    Se as críticas do Montalvão são o que de melhor os céticos podem apresentar contra Piper e os investigadores então realmente não há nada com o que se preocupar… :D

  364. Gorducho Diz:

    PARA SR. ADMINISTRADOR 2ª
     
    Ah! eu havia feito confusão. Não foi o Hodgson que conduziu o experimento; se trata duma secção onde ele relata relatos de 3°s – no caso o deslumbrado aquele. Como as mães chiquistas… detonado portanto!
    [Vol. VIII pg. 129]
     
    Aliás o Dr. Jean Phinuit Scliville (Rue Dupuytren, 113 ou 115 Paris) estava aprendendo inglês que nem o Emmânuel :!:
    C’est une alliance, how you call that? A weddin ring, n’est-ce pas?

  365. Vitor Diz:

    Nada detonado. Embora Hodgson não estivesse presente, Rich fez notas contemporâneas das sessões:
    .
    O relato a seguir foi feito a partir de notas contemporâneas das sessões. No dia de cada sessão, eu fazia anotações no meu diário de todos os pontos importantes.
    .
    E claramente ele não é um deslumbrado, pois ele continuamente buscou checar as informações:
    .
    Houve muita repetição nas minhas sessões, e algumas outras questões foram referidas, especialmente sobre o desembarque de meus antepassados na América, o que eu não tive ainda a oportunidade de provar ou refutar.
    .
    Pode-se considerar que o sr. J. Rogers Rich agiu como um pesquisador independente.

  366. MONTALVÃO Diz:

    /
    /

    MONTALVÃO: “realmente, mais experiências com Piper eram desejadas, infelizmente não realizadas.”
    .
    VISONI (!): INFELIZMENTE, o Montalvão não se cansa de afirmar besteiras. Houve UMA replicação de sucesso na sessão de 15/06/1891 com Julia Holmes. Alguns exemplos: [...]
    .
    Quando o Montalvão vai aprender a ler antes de criticar? Ou, ao Menos, a humildade de perguntar antes de fazer afirmações como a que acabou de fazer? Acho que nunca…
    /.
    PONDERAÇÃO: infelizmente o Visoni continua cego, e dos pior: aquele que não quer ver… Além de citar a quem critica descontextualizadamente, apenas para validar seu tortuoso raciocínio. Confiramos o que foi dito:
    .
    MONTALVÃO: “realmente, mais experiências com Piper eram desejadas, infelizmente não realizadas. Provavelmente AS “MAIS EXPERIÊNCIAS”, QUE O RELATOR ACREDITA TEREM OCORRIDO, SE HOUVE, FORAM MEIA DÚZIA DE DUAS OU TRÊS, INSUFICIENTES PARA PROPORCIONAR CONCLUSÃO SATISFATÓRIA. Sem falar da subjetividade do experimento e da dificuldade de controle (ainda mais naquele tempo e naquela distância).”
    .
    PONDERAÇÃO: então “mais experiências com Piper” não foram mesmo realizadas. As que foram caem na declaração: “meia dúzia de duas ou três, insuficientes para proporcionar conclusão satisfatória”. Para quem se ufana de ser “expert” em interpretação de texto tá cochilando pra mais de metro…
    .
    Efetivamente, nenhum programa de experimentos, visando conferir espíritos laborando junto a Piper foi impetrado. O visoni, pode, se quiser e puder, contestar essa declaração, contudo o que ele apresenta com tal intenção nada a ver com o solicitado.
    .
    Ou será que imagina que esses exemplinhos, que nada exemplificam dentro do que é requerido, atendem ao reclamo da falta de demonstração de mortos trabalhando na matéria por intermédio da mulher Piper? Se este for o pensamento do nobre acreditante estará testificando contra sua própria inteligência.
    .
    Lamentavelmente, o Visoni só lê as partes dos comentários que lhe apetecem e estas traduz como seu labiríntico cérebro deseja.
    .
    Faço mais uma tentativa, a derradeira: ONDE, SE EXISTE, HÁ O REGISTRO DE UM PROGRAMA DE INVESTIGAÇÃO COM PIPER, QUE OBJETIVASSE DEMONSTRAR A REALIDADE DE DEFUNTOS ATUANDO POR MEIO DA “FORÇA” MEDIÚNICA DE QUE, SE ACREDITAVA, FORA DOTADA? É este esclarecimento que aguardamos.
    .
    SE não se demonstrou, acima da dúvida razoável, que falecidos possuíam Leonora e assim agiam, os “poderes” da moça podem ter qualquer origem e essa origem nenhum dos pesquisadores a elucidou, nem mesmo James, que declarou textualmente não saber de onde provinha, embora haja quem queira transformar o ilustre psicólogo em manifestante taxativo.
    .
    Considerando que, contemporaneamente, pode-se dar por estabelecido que mortos não comunicam com vivos, visto que em mais de cem anos de oportunidades jamais conseguiram produzir demonstrações continuadas e conferíveis de suas presenças, por tabela, podemos afirmar, com a tranquilidade de um monge budista, que não havia espíritos de mortos com Leonora Piper, nem junto dela nem de nenhum outro.
    .
    Mas a porta e a janela estão abertas para receber contestações bem firmadas, que possam demonstrar o contrário.
    .
    Vão, pois, à luta os que forem de lutar…

  367. bagel Diz:

    O primeiro parágrafo do Sr. Fadeli mostra que se é para falar do que não conhece, é melhor ficar quieto.
    .
    “É bem sabido que o Darwinismo suscitou uma grande onda racista.” Bem sabido ? Por quem ? O Darwinismo, ao contrário do que afirma o Sr Fadeli, faz ver de forma clara a origem da diferença. E entender os que nos torna diferentes é o primeiro passo para superar a intolerância, essa sim a raiz do nazismo (e não só ele, infelizmente)
    .
    “Pois a luta pela sobrevivência causava a seleção das especies, a luta entre as raças causaria o aperfeiçoamento da espécie”. Affff…
    .
    “Assim, o nazismo foi um dos efeitos do darwinismo.” Por atalhos desse calibre poderíamos também concluir que a tortura foi aperfeiçoada pelo catolicismo durante a inquisição, que a pedofilia entre os padres é uma consequência do celibato, e que foram racistas os missionários católicos que converteram e dizimaram, em nome da fé cristã, a cultura indígena do continente americano. Sim pois se é racismo Kardec afirmar que os espíritos dos “povos primitivos” são inferiores aos do branco europeu, então também é racismo considerar que a religião cristã é superior às religiões desses mesmos “povos primitivos”.
    .
    Certamente o deus do Sr. Fadeli não entende assim e naturalmente aprova, satisfeito, quando ele lê com repugnância o racista brutal que foi Allan Kardec.

  368. Gorducho Diz:

    É, por isso muitos cá desprezamos tudo que provenha de religiosos.
    Quando entra religião no meio o placar do Maracanã registra -&#8734 x -∞

  369. Gorducho Diz:

    Quando entra religião no meio o placar do Maracanã registra -∞ x -∞
     
    Mas serviu p/rememorar o racismo explícito do Kardec em relação aos chineses.
     
    O que tem de ficar claro p/os leitores anônimos é que não há espíritos na obra do Kardec. Era um professor primário c/vocação p/a pedagogia – que ele foi um dos pioneiros em procurar estabelecer como um ofício cientifico formal…-, com mente “classe média” parisiense.
    Claro que os adeptos têm certa razão ao reclamarem que se julgue anacronicamente ele pelos nosso padrões de hoje. Mas daí cai todo castelo-de-cartas deles postulando que esse catolicismo reencarnacionista tenha provindo de “ensinamentos” de “espíritos” incorpóreos (pois que dos “espíritos dos socialista românticos enquanto vivos, sim!).

  370. Gorducho Diz:

    Aliás indiretamente relacionado com essa oportuna lembrança: então também é racismo considerar que a religião cristã é superior às religiões desses mesmos “povos primitivos”, vêm-me de novo à mente outra clássica – é bom relembrar sempre p/leitores ocasionais do Sítio ou desatentos… – preciosidade do nosso “intelectual” lionês [Revista, agosto ‘64] – referindo-se à invasão do México pelo Cortez. Perguntam então ao guia espiritual dele (dito por ele mesmo na revue):
     
    Onde está o progresso, e que benefício moral colheu a Humanidade de tanto sangue derramado? Não teria sido melhor que a velha Europa ignorasse o Novo Mundo, tão feliz antes dessa descoberta?
     
    O “espirito” responde entre outras cousas (médium 8 de julho de 1864 – Médium: M. d’Ambel)
    Era preciso retemperar as fontes vitais desses incas degenerados, [o “espírito” e tão imbecil que acha que incas são astecas!] dos quais os astecas representavam a decadência fatal, que deveria ferir todos aqueles povos. A essas causas inteiramente fisiológicas, se juntarmos as causas morais, notaremos que o nível das ciências e das artes ali tinha igualmente ficado em prolongada infância. Havia, pois, utilidade de pôr essas regiões pacíficas no mesmo nível das raças ocidentais. [...]
     
    Seguem-se comentários provenientes da pluma de nosso “intelectual”, dos quais destaco e negrito o que pertine:
    A essa judiciosa explicação acrescentaremos algumas reflexões:
    [...]
    Suponhamos toda a raça negra destruída: não será destruída senão a vestimenta negra; mas o Espírito, que vive sempre, revestirá, inicialmente, um corpo intermediário entre o negro e o branco e, mais tarde, um corpo branco. É assim que o ser, colocado no último degrau da Humanidade, atingirá, num dado tempo, a soma das perfeições compatíveis com o estado do nosso globo.
    [pg. 329 da tradução de Evandro Noleto Bezerra publicada pela própria FEB]

  371. Vinicius Diz:

    “A essa judiciosa explicação acrescentaremos algumas reflexões:
    [...]
    Suponhamos toda a raça negra destruída: não será destruída senão a vestimenta negra; mas o Espírito, que vive sempre, revestirá, inicialmente, um corpo intermediário entre o negro e o branco e, mais tarde, um corpo branco. É assim que o ser, colocado no último degrau da Humanidade, atingirá, num dado tempo, a soma das perfeições compatíveis com o estado do nosso globo. [pg. 329 da tradução de Evandro Noleto Bezerra publicada pela própria FEB]”

    AVE MARIA, como diz minha chefe e tantos outros. PQP, mais uma passagem que eu não conhecia. No “catecismo” que passei por 15 anos fiquei “bitolado” no pentateuco e só nas lições de amor e caridade, e agora aos poucos estou vendo quando joio e “areia mijada” tem nesse KARDECRACISMO!!!!
    AG, muitos que passam e passaram aqui (como eu venho lendo desde 2007) acham que vocês falam sem conhecer, mas eu reconheço, vocês me fizeram conhecer e enfatizar que essa doutrina é de mentes encarnadas da época, egocêntricas com seu povo e sua raça.
    “incas degenerados” , olha só o que esse médium fala , que absurdo.
    me fez lembrar o que você postou recentemente sobre o texto de um site no centro espirita em que o autor do artigo diz que prefere o jesus de olhos azuis e tal…
    as vezes espiritas defendem que isso aconteceu naquela época e hoje não mais, porém, o artigo que você citou é bastante recente e ainda está lá (ninguém de lá ainda reconheceu racismo ou discriminação no conteúdo e nem responderam meu e-mail)…
    http://www.grupoandreluiz.org.br/ler_materia.php?id=14

    “Um homem de traços fisionômicos grosseiros, cabelos pretos levemente encaracolados e pele queimada pelo Sol. Creio que essa figura apresentada pela ciência não condiz com a elevação espiritual do Mestre. Pois, segundo a Doutrina Espírita, quanto mais elevado o Espírito, tanto mais perfeito será seu corpo carnal, física e esteticamente. ”

    BAGEL
    o texto acima é de 2007 (recente em comparação ao elevado branco “omo dupla ação” kardec e o “alvo lençol levitante São Luiz)

    estou com gorducho, quando entra religião o placar do maracanã fica do jeito que ele postou… podres de todos os lados… não é porque tem pedofilia entre alguns padres católicos temos de aceitar de cabeça baixa os comentários notoriamente racistas de Allan Kardec e do espirito superior São Luiz (os espiritas consideram ditado por espirito e kardec nomeou como São Luiz).

  372. Vinicius Diz:

    Sim pois se é racismo Kardec afirmar que os espíritos dos “povos primitivos” são inferiores aos do branco europeu, então também é racismo considerar que a religião cristã é superior às religiões desses mesmos “povos primitivos”.

    Kardec não só falou que são inferiores como também que são feios, grosseiros etc. (deu uma opinião pessoal sobre padrões de beleza em corpos humanos) . Vide “teoria do belo” em obras póstumas.
    Acreditem , tem gente que acha que “plantaram” estes textos no escritório de Kardec e inimigos deram um jeito de publicar em obras póstumas :lol:

  373. Marciano Diz:

    Parabéns, VINICIUS!

  374. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, uma outra palavra inglesa para a qual não tenho uma tradução nem encontro em dicionários é gobbledygook, coisa bastante encontradiça nas dicussões aqui.

  375. Marciano Diz:

    Sinônimos (em inglês, claro – em português desconheço palavra com o mesmo sentido): mumbo jumbo, gibberish

  376. Marciano Diz:

    “Papo furado” não é uma tradução, pois é mais do que papo furado, é um papo furado pretensioso, cheio de palavras de pouco uso ou fora de seu senso comum.
    Um papo furado enfeitado, pavoneado.
    Aliás, gobbledygook é uma palavra derivada da onomatopeia que se refere ao som emitido por um peru (gobble), também uma ave cujos machos exibem uma cauda de penas parecida.
    Aqui um peru exibindo a cauda:
    https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/3/3e/Peru_macho.JPG
    Aqui, um pavão:
    https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/7/74/Lightmatter_peacock.jpg
     
    Para ver pavonice (talvez uma tradução para gobbledygookI/i> – já é uma aproximação), é só ler a maior parte dos comentários aqui postados.

  377. Marciano Diz:

    Dito isto, volto ao meu voto de “silêncio”, como disse mais acima:
    “Por tal razão, ignorarei, daqui por diante, qualquer tipo de provocação ou palavreado supostamente erudito e me calarei até que acabe a discussão sobre ferrugem em penico de barro”.

  378. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    45 – “primeiro, há de convir que não é a mesma coisa que falei: explicar Piper pela psicologia e por ela tê-la testado à exaustão foi coisa que ninguém o fez, conquanto Hall e Tanner tenha dado preciosa contribuição no quesito.”
    .
    VISONI: Preciosa? Veja o que Sidgwick diz da contribuição deles:
    .
    “Suas incursões na psicanálise Freudiana foram incompletas e de pouco interesse”.
    .
    PONDERAÇÃO: se bem entendi, Sidgwick queria que Hall e Tanner fizessem avaliação psicanalítica de Piper, como não fizeram não contribuiram… mas desde quando Freud e a psicanálise representam a psicologia? A teoria freudiana teve seus dias de glória: no tempo em que Sidgwick escreveu o que disse certamente gozava de maior prestígio que atualmente.
    ./
    /
    46 – “Newbold sugere um “mix” de psicologia com paranormalidade, isso passa a quilômetros do que postulo.”
    .
    VISONI: A paranormalidade foi necessária como SUPLEMENTO, pois Newbold percebeu obviamente ser impossível explicar o caso Piper apenas pela psicologia.
    .
    PONDERAÇÃO: seria necessário conhecer os descaminhos trilhados por Newbold para avaliá-los, de momento considero a expressão “percebeu obviamente ser impossível explicar o caso Piper apenas pela psicologia” exagerada e despropositada. Como foi que ele “percebeu” isso? Será que foi o Visoni que lhe disse que a psicologia seria insuficiente, mesmo sem examinações aprofundadas?
    .
    Suplemento ou complemento? Se foi suplemento, então tamos conversados: Piper se explica no geral pela psicologia, apenas alguns pontinhos teriam ficado sem amarrar, necessitando, provisoriamente, de uma hipótese adicional…
    ./
    /
    47 – “E, mesmo que ele mencione a hipótese psicológica como alternativa nada muda quanto ao fato de que Leonora não foi averiguada ao nível condizente pela psicologia.”
    .
    VISONI: Não há psicologia que explique como ela obtinha as informações. Isso está além da psicologia. E temos excelente controle contra possíveis vazamentos de informação.
    /.
    PONDERAÇÃO: que para você, Visoni, a psicologia é insuficiente sabemos, mas tal não altera o fato de que não houve exaustão da psicologia no caso Piper, apenas alguns psicólogos “perceberam” que haveria algo a mais, então deixaram a psicologia de lado e foram, famélicos, explorar esse “algo mais”… o resultado foi o que conhecemos: a maior confusão para explicar as peculiaridades da mulher. Os místicos fazem a festa: “só podem ser espíritos”; os parapsicólogos retrucam do alto de suas sapiências: “tolinhos, psi tudo explica e se não explicar temos a superpsi”…
    /
    /

    48 – “Se consta do texto, até agora não vi, que Newbold tenha levado em conta as erranças no objetivo de melhor entender o fenômeno.”
    .
    VISONI: É porque você parou antes da página 22…
    .
    PONDERAÇÃO: ler as sessões de Piper exige saco colossal, mas examinei adiante, além da pag. 22, e não vi o que diz haver. O que Newbold faz é citar declarações da mulher que não correspondiam à realidade. Isso quase todos os que a estudaram fizeram. O que ressalto é outra coisa: para a adequada compreensão do que foi o fenômeno Piper far-se-ia necessário refletir-se o porque dela algumas vezes acertar admiravelmente e outras equivocar-se dramaticamente. Isso certamente tem um significado que não foi aprofundado pelos que a investigaram, nem mesmo formularam hipóteses em cima dessa situação. Por exemplo, alguém poderia alegar que a espiritualidade quando adentra o âmbito da matéria fica meio abestalhada, ora lembra das coisas, ora esquece; ora sabe o que está dizendo, ora não diz nada que mereça registro. Seria um começo investigativo e, certamente, teriam que pôr a suposição em teste para conferir se correspondia ao postulado.
    .
    Outro caminho seria selecionar em que circunstâncias os acertos e os erros ocorriam e verificar se havia um padrão que indicasse o porque dela acertar ou falhar; desse modo ter-se-ia boa pista a apontar para onde deveria ser direcionada a investigação. Se se conseguisse esse padrão, ou algo próximo disso, far-se-iam experimentos visando encontrar a real origem de suas habilidades.
    .
    Acontece que a mediunidade e a paranormalidade, hipóteses carecentes de confirmação, surgem como “facilitadores” explicativos, dispensando estudos demorados e trabalhosos. Não foram poucas vezes em que os investigadores garantiam que certo evento seria “com certeza” mediúnico, enquanto outros cairiam, “sem dúvida alguma”, no campo da telepatia. Eles achavam que sabiam muito a respeito da ação de mortos na natureza e conheciam tudo, ou quase, a respeito do paranormal. Hoje vemos como estavam enganados…
    /
    ./
    49 – “ria mas entenda, e se conhece Leonora sendo testada exaustivamente por meio de testes psicológicos traga-nos o material para nos deleitarmos com novos saberes…”
    .
    VISONI: O próprio Gauld disse:
    .
    “ela é dos poucos médiuns cujas palavras e escritos em transe foram submetidos a uma séria e extensa análise psicológica”
    .
    PONDERAÇÃO: que tenha sido conforme Gauld informa, a questão, porém, é a seguinte: essa “séria e extensa análise psicológica” foi suficiente para dizer que Piper fosse médium (no sentido de legítimo contatador do além), ou paranormal (no sentido de quem efetivamente capta informações que transpassam o limite dos sentidos)? Quer resposta?
    /
    /
    50 – “Se eu achar tempo examinarei o caso Podmore para confirmar a lisa aplicação da conjetura citada…”
    .
    VISONI: Ele mesmo diz: Em todos esses anos — treze ou mais — a Sra. Piper tem permanecido sob estrita observação, primeiro do Professor William James e depois do Dr. Hodgson e de outros indivíduos competentes — embora ela tenha sido também secretamente seguida por detetives, e seus itens pessoais, como nos disse o Professor Lodge, tendo sido revistados, suas correspondências lidas e suas idas e vindas mantidas sob estrita observação —, durante todos estes anos sequer a menor indicação com o poder de afetar sua honestidade veio à luz. Certamente não há outro médium que tenha sido exposto a provação tão rigorosa. Quanta importância deve ser dada a considerações gerais deste tipo é difícil dizer, mas haja vista especialmente o fato de que as pesquisas do próprio Dr. Hodgson e de investigadores muitos menos competentes conseguiram trazer à luz acusações de desonestidade abarcando tantos médiuns profissionais, o fato de esta médium ter passado pelas investigações mais profundas e extensas sem sequer um único boato acerca da exposição ou descoberta de uma única circunstância suspeita é fato merecedor de certa importância.
    .
    PONDERAÇÃO: pode-se dizer que, no quesito fraude, Piper passou no teste. Isso não se discute, embora o próprio James e outros nos informem que seus mentores (ou “controles”) às vezes fraudavam acintosamente, como quando colhiam escancaradamente das declarações dos consulentes informes que diziam ser deles (dos controles); essa forma de fraude foi ocasional e é do tipo que chamamos “inconsciente”, ou seja, não é feita intencionalmente.
    .
    Porém, reconhecer que Leonora não fosse fraudadora consciente não equivale a reconhecer nela poderes mediúnicos, nem paranormais…
    ./
    /
    51 – “Harribance, ou qualquer outro, contará quando houver sido testado condizentemente por céticos, coisa da qual ele foge malandramente.”
    .
    VISONI: É mais crível dizer que os céticos fugiram dele… Harribance aceitou ser testado por Persinger, que é ateu, e nem acredita em espíritos.
    /.
    PONDERAÇÃO: ora, Vitor Moura é ateu e acredita em espíritos: Persinger apenas lhe seria um passo adiante no processo evolutivo, ponto em que o Visoni um dia chegará, quero dizer: um dia deixará de crer que mortos falem com vivos… depois passará a desconfiar que não existem evidências satisfatórias do paranormal, isso se houver tempo nesta existência…
    .
    Com espíritos ou sem, Persinger é crente consagrado no paranormal: os testes que fez com o EEG são a coisa mais surrealista que se possa imaginar. Qual foi a conclusão saudável que se pôde extrair desses estudos? Persinger comprovou a paranormalidade de Harribance? Persinger eliminou por inteiro a suspeita de fraudagem consciente da parte de Harribance? Duvido muito…
    ./
    /
    52 – “O médium misterioso de Kelly, como bem o epíteto a ele aplicado diz, é um “mistério”…”
    .
    VISONI: Que os céticos também parecem não querer investigar…
    ./
    PONDERAÇÃO: eu conheço essa: os céticos “morrem de medo” de testar médiuns autênticos. Certamente receiam ver seus ceticismos derribados qual fossem torres de gelatina. Os médiuns estão aí, batendo às portas dos céticos, se oferecendo para serem verificados e estes fingem que não estão em casa… não é o que acontece aqui, nesse sítio? Quando “ousamos” pedir que algum médium se propusesse a demonstrar a realidade de espíritos atuando o que aconteceu? Fila quilométrica de medianeiros dispostos a serem provados…
    .
    Não é assim?
    .
    Agora caindo na realidade: querer testar médiuns, com certeza os céticos querem. Mesmo aqui, vimos propondo intensivamente que videntes aceitem a fiscalização de seus espíritos quanto à presença. Temos apresentado diversas sugestões, todas simples, todas ao alcance do mais chinfrim morto realizar. Qual a resposta? Preciso dizer?
    .
    Esse médium misterioso de Kelly duvido que consiga e, ou, aceite dar mostra da real presença de quaisquer dos espíritos que diz o assessoram.
    ./
    /
    53 – “estão por aí porque Visoni assim o deseja, “tentretetanto”, prefiro esperar por outras opiniões e conhecer outras avaliações…”
    .
    VISONI: À vontade. Mas a evidência reunida por Harribance até aqui é bastante comprovadora de fenômenos paranormais pela revisão exposta no livro “The Evidence for Psi”. O silêncio dos céticos quanto a Harribance desde 1969 chega a ser constrangedor…
    .
    PONDERAÇÃO: o mesmo você pode dizer do Amyr Amiden, apenas com a diferença de que este atua há menos tempo e é nacional (o que não desperta o interesse do Visoni). Parece estar querendo dizer que céticos temem o Harribance e preferem deixá-lo quieto. De onde foi que tirou tal ideia; de qual cartola furada extraiu esse coelho? Pense certo, Harribance é esperto o suficiente para não se deixar verificar por quem lhe despiria por completo.
    ./
    /
    VISONI: Geller veio depois e há uma saraivada de críticas (JUSTAS, NA MAIORIA). Quanto a Harribance… silêncio ensurdecedor…
    .
    PONDERAÇÃO: é o que se espera de um crente: mesmo o salafrário tendo sido revelado cretino, ainda fica um dedinho de esperança de que “haja algo” que dele salve um pedacinho. Todas as críticas a Geller, todas as que dão conta tratar-se de um aldrabão do paranormal, são justas: algumas podem ser exageradas, nenhuma injusta.
    .
    Mas se acha que os céticos entram em diarréia perante Harribance, não seja por isso, traga-o até nós e faço-lhe umas testagens simples e reveladoras…
    .
    Fui, do verbo volto.

  379. Gorducho Diz:

    O médium misterioso de Kelly, como bem o epíteto a ele aplicado diz, é um “mistério
    Venho alfinetando há semanas, mas solenemente ignorado…
     
    Quanto à alfinetada que preparara p/2ª feira – e ele já de saída ontem justifica-se ter ignorado por ser fim-de-expediente…-, retiro-a.
    Dr. Jean Phinuit Scliville (Rue Dupuytren, 113 ou 115 Paris)
    Reflito e reinterpreto que o espírito deve ter informado 11, apt°/quarto/sala 3 ou 5…

  380. Victor Diz:

    Caro Marciano,
    .
    O fato de você ignorar completamente minhas perguntas, depois de eu responder as suas e ainda por cima desferir comentários jocosos as minha indagações, me deixa muito decepcionado.
    .
    De fato, pensei ter encontrado um debatedor que valia “Ouro” mas qual não foi minha surpresa em perceber que por baixo de tão fina camada do nobre metal, encontro simplesmente latão barato.
    .
    Que não era filósofo como reiteradas vezes repetiu, isso já era notório e de amplo conhecimento, visto o “quilate” de vossos comentários.
    .
    Mas confesso que esperava ao menos um esforço de vossa parte, já que questionou as minhas posições filosóficas.
    .
    Infelizmente o que eu temia, revela-se verdadeiro, em perceber que o caro colega é um leitor e propagador de “folk psychology” e “pop science”, e que não está preparado para um debate mais aprofundado, mais “acadêmico” por assim dizer.
    .
    Sendo assim, penso que faz certo, em ficar em silêncio, já que como diria Ludwig Wittgenstein: “Daquilo que não se pode falar, é melhor calar”
    .
    Se porventura,(infelizmente não tenho mais tanta Fé) quiser retomar o debate, minhas questões a vossa pessoa, estão em aberto.
    .
    Caso não, desejo-lhe paz em seu retiro silencioso intelectual, e penso que assim contribui mais visto que é melhor o silêncio do que um discurso vazio, raso, e popular.
    .
    Abraços

  381. Victor Diz:

    Eis que fico com uma indagação nada filosófica:
    .
    Marciano diz que é Juiz de Direito.
    Marciano demonstra clara aversão a Filosofia (disciplina basilar do Direito)
    .
    Ou o Marciano não é Juiz, ou os nossos juízes são filosoficamente limitados (cousa da qual duvido muito haja vista as sumidades como Gilmar Mendes, Joaquim Barbosa, ou Ricardo Lewandowski), ou Marciano é um fato atípico (para usar a terminologia jurídica rs)
    .
    Como Marciano é um pseudônimo, até que se prove o contrário, tendo a duvidar de que o homem que se oculta sob tal acunha seja de fato Magistrado.
    .
    By the way, conheço vários magistrados cuja postura e discurso não condizem com a do Sr.Marciano.
    .
    Mas para que esse comentário não pareça rancoroso, tendo a contribuir e disponibilizar um ebook de Introdução a Filosofia do Prof.Dr. Miguel Reale ao amigo Marciano, para que o mesmo possa se instruir na matéria filosófica.
    .

  382. Vladimir Diz:

    Sr.Victor,
    .
    Tem algumas coisas que nunca mudam.
    Talvez o Sr. não saiba mas o dileto cidadão que se oculta sob a alcunha de Marciano, além de alegar ter sido Juiz, alega também ter sido Contador, Delegado de Polícia, Promotor de Justiça, Oficial do Exercito, Advogado, e mais alguma coisinha que devo ter esquecido.
    .
    Algumas pessoas compartilham da opinião que a Psicanálise explica comportamentos atípicos e é por isso que sempre usam a expressão: “Freud explica”.
    .
    Eu penso que sim, mas tendo a ampliar e no caso em questão (sendo isso um mero palpite) eu diria: “Adler explica”.
    .
    Saudações Adlerianas

  383. Vladimir Diz:

    Ah propósito,
    devo alerta-lo que daqui a pouco nosso caro alienígena, vai acionar a “Lei da Mordaça” pois apesar de se dizer defensor da Democracia, o mesmo porta-se como um Ditador contra aqueles que duvidam de suas alegações.
    .

    Todavia lembro ao ilustre “Magistrado” que a Constituição Brasileira permite a livre expressão mas veda o Anonimato.
    .
    Saudações Democráticas

  384. Espírita Sp Orlando Diz:

    [...]
    Suponhamos toda a raça negra destruída: não será destruída senão a vestimenta negra; mas o Espírito, que vive sempre, revestirá, inicialmente, um corpo intermediário entre o negro e o branco e, mais tarde, um corpo branco. É assim que o ser, colocado no último degrau da Humanidade, atingirá, num dado tempo, a soma das perfeições compatíveis com o estado do nosso globo.
    [pg. 329 da tradução de Evandro Noleto Bezerra publicada pela própria FEB]

    Gente. Foi uma suposição!!! Qualquer raça ou até mesmo todo mundo pode sumir ou ser sumido a qualquer momento.

    Vladimir, o que acha dos posts e textos do kardec explicando como funciona a evolução corporal?

  385. Espírita Sp Orlando Diz:

    VLADIMR
    O que acha dos textos de Kardec citando a raça negra w chinesa?

  386. Gorducho Diz:

    Qualquer raça ou até mesmo todo mundo pode sumir ou ser sumido a qualquer momento.
     
    Capacidade de interpretação de textos não se exige de todos… :(
    Supondo que D•us exterminasse os negros, todos os espíritos deveriam passar a reencarnar então como indivíduos “brancos”, “amarelos”, mulatos, native-americans + os nossos “peles vermelhas”,…; i.e., nas “raças” disponíveis.
    Até aí truísmo que siquer justificaria gastar tinta, espaço e tipos numa revista paga!
    Claramente ele não quer dizer isso pois que por que então ele revestirá, inicialmente, um corpo intermediário entre o negro e o branco – ou seja: como mulato – e, mais tarde, um corpo branco.
    :?:
    Como eu disse: inexistindo a “raça” negra “disponível” digamos assim para reencarnação, os espíritos reencarnariam em qualquer outro tipo físico, e não inicialmente como “mulatos” e depois – por que depois? – em corpos “brancos”.
    E ainda ele se auto-derrama a pá-de-cal, p/não deixar dúvidas quanto ao racismo:
    É assim que o ser, colocado no último degrau da Humanidade, atingirá, num dado tempo, a soma das perfeições compatíveis com o estado do nosso globo.

  387. Gorducho Diz:

    ERRATA & COMPLEMENTO
    [Revista, agosto ‘64] – referindo-se à invasão do México pelo Cortés, perguntam então um missivista de Bordeaux ao guia espiritual dele missivista (dito por ele mesmo na revue).
    O guia espiritual do missivista diz que esse médium não está em condições de assimilar a resposta, e aconselha ele a consultar o Kardec:
    Nós te responderíamos com prazer, se teu Espírito se
    achasse em condições de tratar, neste momento, de assunto tão sério, que exige alguns desenvolvimentos espirítico-filosóficos. Dirige-te a Kardec. Esta ordem de idéias já foi debatida, mas a ela voltarão de maneira mais lúcida do que poderias fazê-lo, porque sempre tens o espírito tenso e o ouvido à espreita. É uma conseqüência de tua posição atual e a ela te deves submeter
    .
     
    Kardec se sente feliz e honrado c/o conselho do guia espiritual do missivista, e leciona:
    Disto resulta uma primeira instrução, a de que não
    basta ser médium, mesmo formado e desenvolvido, para obter à vontade comunicações sobre o primeiro assunto que surgir. Aquele fez suas provas, mas, no momento, seu próprio Espírito, fortemente e penosamente preocupado com outras coisas, não dispunha da calma necessária. É assim que mil circunstâncias podem opor-se ao exercício da faculdade mediúnica; nem por isso
    a faculdade deixa de subsistir, mas nada é, sem o concurso dos Espíritos, que lhe dão ou lhe recusam, conforme julgam conveniente, e isto, muitas vezes, no interesse do próprio médium.
    Quanto à questão principal, eis a resposta obtida na
    Sociedade de Paris:
    (8 de julho de 1864 – Médium: Sr. d’Ambel)

     
    E aí segue-se o pronunciamento do espírito, que aparentemente é o Erasto…
     
    Mais outro trecho das reflexões do Mestre Lionês à judiciosa explicação do Erasto (aparentemente era…) – negrito meu [pg. 330 da edição da FEB]:
    Sabe-se que da raça negra e da raça branca saiu uma
    raça intermediária, muito superior à primeira, e que é como que um degrau para os Espíritos desta
    .
     
    E aí Dr. SpOrlando: que tem a dizer?

  388. Espírita Sp Orlando Diz:

    Ok Gorducho quanto as expressões que sugerem racismo jogo a toalha, eu me rendo! Mas mesmo assim não posso jogar tudo que ele e os espíritos escreveram na lata do lixo. Há textos maravilhosos exortando a humanidade para a bondade, o amor, a caridade. Veja o Evangelho segundo o espiritismo em O homem de bem, fora da caridade não há salvação e a explicação da oraçao dominical. Isso sem contar que trouxe a contribuição de grandes Santos.
    Pode ser que Kardec tenha se arrependido dessas passagens no mundo espiritual. Vou pesquisar e ver se tem comunicaçao mediunica dele falando disso. Talvez uma ressalva que deveria ser anexada aos livros.

  389. Espírita Sp Orlando Diz:

    Mas perceba que eles costumavam alertar que o médium não estava em condições. As vezes o médium não estava bem sintonizado

  390. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “De fato, pensei ter encontrado um debatedor que valia “Ouro” mas qual não foi minha surpresa em perceber que por baixo de tão fina camada do nobre metal, encontro simplesmente latão barato.”
    /.
    PONDERAÇÃO: embora não me tenha sido pedido, dou opinamento nesse entrevero: pelo que percebo, ambos possuem boa formação em áreas distintas. Suspeito que a discussão (no sentido produtivo) enveredou por caminho desviante. Se conseguirem manter o rumo escorreito reflexões produtivas advirão, penso.
    ./
    /.
    “Sendo assim, penso que faz certo, em ficar em silêncio, já que como diria Ludwig Wittgenstein: “Daquilo que não se pode falar, é melhor calar”
    /.
    PONDERAÇÃO: conquanto não tenha relação com a conversa, Wittgenstein me parece um tanto surrealista, uma de suas frases: “o mais importante é o que não foi dito” (e não teria sido dito porque indizível, algo assim)…
    ./
    /.
    “Ou o Marciano não é Juiz, ou os nossos juízes são filosoficamente limitados (cousa da qual duvido muito haja vista as sumidades como Gilmar Mendes, Joaquim Barbosa, ou Ricardo Lewandowski), ou Marciano é um fato atípico (para usar a terminologia jurídica rs)”
    /.
    PONDERAÇÃO: Marciano não é juiz, foi juiz. Hoje advoga. Isso ele já informou repetidas vezes.
    /
    /
    .
    “Como Marciano é um pseudônimo, até que se prove o contrário, tendo a duvidar de que o homem que se oculta sob tal acunha seja de fato Magistrado.”
    /.
    PONDERAÇÃO: uma notícia: Marciano não é pseudônimo, mas isso deixo que ele esclareça, se quiser.
    /
    /
    Vladimir Diz:
    .
    Sr.Victor,
    .
    Tem algumas coisas que nunca mudam.
    Talvez o Sr. não saiba mas o dileto cidadão que se oculta sob a alcunha de Marciano, além de alegar ter sido Juiz, alega também ter sido Contador, Delegado de Polícia, Promotor de Justiça, Oficial do Exercito, Advogado, e mais alguma coisinha que devo ter esquecido.

    ./
    PONDERAÇÃO: novamente digo: apesar de não convidado, dou meu pitaquinho. O nobre Vlad, que tem a interessante mania de quase nunca responder as ponderações que recebe, insiste em questionar as declarações do Marciano. Acho que o caminho não é por aí… Por que não retorna à conversa saudável e aproveita para se manifestar sobre as várias questões que ficaram pendentes de resposta? Só minhas deve ter pra mais de dezena.
    /
    /
    “Todavia lembro ao ilustre “Magistrado” que a Constituição Brasileira permite a livre expressão mas veda o Anonimato.”
    .
    PONDERAÇÃO: “Da discussão nasce a luz”, diz o antigo provérbio, certamente se referindo a troca produtiva de ideias. Vlad aparece, quando quer, apenas para dar alfinetadas. Que tal conversarmos de forma rentável, com dividendos esclarecedores para quem investir no confronto de pontos de vista?
    .
    Ou não?

  391. Vladimir Diz:

    Dr.Orlando,
    .
    Penso que as assertivas de Rivail a esse respeito refletem única e exclusivamente a mentalidade de sua época.
    .
    Não podemos esquecer que enquanto espíritos (encarnados ou não) estamos limitados ante as nossas crenças, padrões e ideias.
    .
    De modo algum isso abala minha Fé Raciocinada
    .
    Abalaria sim, se ficasse provado que Kardec foi homem de moral duvidosa ou que foi pego fraudando e etc.
    .
    Coisa que cético nenhum provou até hoje.
    .
    O Espiritismo não é perfeito, mas está em constante atualização e evolução como tudo na Natureza.
    .
    É uma religião aberta e inovadora, a prova disso é a obra que Chico Xavier acrescentou a DE.
    .
    Penso que aqueles que abandonam a DE, por “descobrirem” um texto de Kardec ou uma citação, de fato nunca foram espíritas, pois o que mais incentivamos é a leitura exaustiva das Obras Codificadas.
    .
    Espírita que não gosta de ler ou que não o faz não é Espírita.
    .
    Saudações Kardecianas

  392. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Aproveito que tô na área pra fazer umas apreciações…
    /
    /
    Vladimir Diz:
    Dr.Orlando,
    .
    Penso que as assertivas de Rivail a esse respeito refletem única e exclusivamente a mentalidade de sua época.
    .
    PONDERAÇÃO: o que mostra que o espiritismo é obra humana, espíritos fora.
    /
    /.
    VLAD: Não podemos esquecer que enquanto espíritos (encarnados ou não) estamos limitados ante as nossas crenças, padrões e ideias.
    .
    PONDERAÇÃO: e, pelo visto, o desencarnado nada aprende (em contradição ao que ensinou Kardec): continua tão ou mais preconceituoso como quando vivo…
    ./
    /
    VLAD: De modo algum isso abala minha Fé Raciocinada. Abalaria sim, se ficasse provado que Kardec foi homem de moral duvidosa ou que foi pego fraudando e etc.
    .
    PONDERAÇÃO: pode ser que se se mostrasse que Kardec fora um salafrário isso abalasse sua fé, mas certamente não abalaria o espiritismo, pois Kardec poderia ser um vilão e mesmo assim prolatar com fidelidade as orientações dos espíritos. O que abalaria e abala o espiritismo é o fato de sabermos que mortos não comunicam com vivos. Esse ponto é tão grave que os espíritas sequer querem cogitar de examiná-lo com a merecida atenção. Quando instados a buscarem provas de que os acreditados espíritos estão presentes fazem de conta que não estão entendendo nada…
    .
    O Espiritismo não é perfeito, mas está em constante atualização e evolução como tudo na Natureza.
    .
    PONDERAÇÃO: “atualização” sim, mas só idealísticamente, visto que nada até hoje da doutrina foi atualizado: os marcianos de kardec continuam trogloditas, em conflito com os de chico que são chic, e em conflito com a realidade de que não há viventes em Marte. Os “espíritos” continuam saindo do corpo durante o sono e passeando pela erraticidade, contrariando o conhecimento atual e as experiências neurológicas. O magnetismo animal continua presente nos ensinamentos espíritos em flagrante contraste com o saber científico.
    .
    Quanto a haver “evolução” no espiritismo, desconheço…
    .
    /
    VLAD: É uma religião aberta e inovadora, a prova disso é a obra que Chico Xavier acrescentou a DE.
    .
    PONDERAÇÃO: Chico não “acrescentou”, mas modificou, e muito, o ensino do mestre lionês. Quer exemplos? 1) a erraticidade de Kardec foi substituída por cidades aladas; 2) o inexistente umbral em Kardec foi tornado real na pena de Chico; 3) os marcianos de Rivail foram substituídos por outros, mais bonitos e inteligentes, na fantasia de Francisco; 4) Chico trouxe exilados de Capela, coisa que jamais passou pela cabeça de Kardec e de seus “espíritos superiores”, e outras.
    /
    /
    VLAD: Penso que aqueles que abandonam a DE, por “descobrirem” um texto de Kardec ou uma citação, de fato nunca foram espíritas, pois o que mais incentivamos é a leitura exaustiva das Obras Codificadas.
    .
    PONDERAÇÃO: realmente, o correto seria abandonar a doutrina que já não mais atende aos anseios do fiel, tampouco lhe supre com respostas satisfatórias.

  393. MONTALVÃO Diz:

    /
    Good night.

  394. JP Diz:

    Boa noite Vitor. Você já traduziu artigos científicos sobre premonição ou precognição? Poderia indicar algum com evidências desses fenômenos? Vi em um link que você postou da Parapsychological Association que para a associação a precognição está provada cientificamente, ou quase isso, não é? E a premonição? Você poderia traduzir algo sobre o Edgar Cayce, ele parece ser bem recebido na Parapsicologia, não é? Abraço.

  395. Gorducho Diz:

    Penso que aqueles que abandonam a DE, por “descobrirem” um texto de Kardec ou uma citação, de fato nunca foram espíritas, pois o que mais incentivamos é a leitura exaustiva das Obras Codificadas.
    Abandonam a Doutrina quando descobrem que os alegados fenômenos não existem; bem como que os “ensinamentos” não são provenientes de seres ultramundanos, mas fruto da imaginação dos socialistas românticos adaptada e ampliada p/incluir certos dogmatismos católicos pelo Kardec.
    A prova é o racismo…
     
    É uma religião aberta e inovadora, a prova disso é a obra que Chico Xavier acrescentou a DE.
    Inovou no que :?:
    Na contradição entre NL e as cartinhas feitas p/proselitizar a religião e consolar as mamães desesperadas?
     
    O Espiritismo não é perfeito, mas está em constante atualização e evolução como tudo na Natureza.
    A “evolução” é a pregação ao retorno do cristianismo medieval das catacumbas da FEB :?:
    Jesus Cristo fantasma :?:
    O espírito do Dr. Bezerra :?:

  396. Gorducho Diz:

    Pregar teocracias (modelo ideal = NL)?
    Isso é a inovação de vocês?

  397. Gorducho Diz:

    O “anjo” Ismael…
    Essas são as inovações progressistas do espiritismo :?:

  398. Gorducho Diz:

    Suspeito que a discussão (no sentido produtivo) enveredou por caminho desviante. Se conseguirem manter o rumo escorreito reflexões produtivas advirão, penso.
     
    Interessante que ele se pronunciou acerca de filosofia formal quando o tema era as cartinhas de CX…
    Quando eu propus então a discussão ética acerca delas – ética filosofia – ele alegou que o tema não lhe interessava.
    Então que faz num sítio dedicado ao espiritismo e ao sobrenatural. Quer nele discutir filosofia abstrata acadêmicamente?

    ./

  399. Gorducho Diz:

    Chico trouxe exilados de Capela, coisa que jamais passou pela cabeça de Kardec e de seus “espíritos superiores”
    Na real Kardec proto-delineia a tese no Ensaio sobre a interpretação da doutrina dos Anjos decaídos [Revue, 01/62]. Mas sem especular explicitamente acerca de detalhes e/ou local.
    Especulo que CX tenha se inspirado no Lumen do Flammarion, que é mencionado na revue pelo Kardec.
     
    Outra coisa que estou muito curioso é dadonde terá se originado o anjo Ismael – canalizado aparentemente pelo pessoal do Grupo Confúcio em ’73.
    Qual literatura católica popular terá feito tal menção?
    Pena que o Sr. JCFF após ter esgotado o tema Lentulus se desinteressou pelo espiritismo :(

  400. Espírita Sp Orlando Diz:

    É isso colega Dr.Vlad :época!
    Se o racismo existesse os “pretos velhos” e “indios” nem chegariam perto de sessões mediunicas!!!
    E quanto as cartas de Chico que Gorducho falou, o que acha delas? Mais especificamente o Jair Presente?
    Li que a primeira mensagem dele era de um estilo religioso e depois de meses veio outra com um Jair vocabulário mais próximo quando em vida.
    Falei outro dia que minha avó mandou mensagem: ela não era espirita declarada, ficava bem brava com quem mexia com ela, e na mensagem veio um pouco diferente.

  401. Gorducho Diz:

    Tem uma análise do AMo acerca do JP, bem como dentro do sítio a provável fonte de conexão (i.e., o fluxo de infos que alimentaram as psicografias).
    Foi extremamente bizarro: aparentemente esse JP (que aliás já nem era tão jovem para…) usava muita gíria e os familiares/conhecidos protestaram. Daí CX resolveu introduzir gírias nas cartas, e faça ideia de CX tentando usar de gírias “jovens”!
     
    Pouco surpreendentemente, já cá analisado:
    http://obraspsicografadas.org/2015/explicando-o-caso-jair-presente/

  402. Gorducho Diz:

    É difícil imaginar alguém com 25 anos (eu estagiara desde os 20 e já tinha 2 como empregado :( ) usasse tal vocabulário.
    Dos meus conhecidos “jovens” – aliás 25 já não é mais jovem… -mas cada pessoa é uma pessoa, claro :mrgreen:

  403. Gorducho Diz:

    ERRATA
    [...] e aos 25 já tinha 2 como empregado [...]
     
    Dos meus conhecidos “jovens” que estão em cursos superiores não… Nas reuniões deles onde às vezes a gente está junto falam e fazem brincadeiras, claro; mas não com “tanta” “gíria”.
    Não se me afigura verossímil nem sob esse aspecto. Mas cada pessoa é uma pessoa, claro!

  404. Gorducho Diz:

    Aquele negócio de Praia Azul no domingo, não deve meter medo de qualquer modo. O modo era aquele mesmo: dar uma de afogado, para não cair em outra de doente; porque doente nunca fui e afogado não fiquei sendo. Morem nisto aí se puderem.
     
    Um quartanista de MechE… mas cada pessoa é única e talvez a época…

  405. Contra o chiquismo Diz:

    “Espírita Sp Orlando Diz:
    NOVEMBRO 28TH, 2015 ÀS 7:43 PM
    …Mas mesmo assim não posso jogar tudo que ele e os espíritos escreveram na lata do lixo.

    /
    /
    //
    “espiritos” não existem.
    /
    /

    Há textos maravilhosos exortando a humanidade para a bondade, o amor, a caridade.
    /
    /
    Sim, entre os brancos europeus.

  406. Contra o chiquismo Diz:

    “Vladimir Diz:
    NOVEMBRO 28TH, 2015 ÀS 10:18 PM

    .

    .
    Não podemos esquecer que enquanto espíritos (encarnados ou não) estamos limitados ante as nossas crenças, padrões e ideias.
    .
    ‘ESPIRITOS’ NÃO EXISTEM.
    .
    .
    De modo algum isso abala minha Fé Raciocinada
    .
    .
    FANATISMO EU DIRIA.
    .
    .

    Abalaria sim, se ficasse provado que Kardec foi homem de moral duvidosa ou que foi pego fraudando e etc.
    .
    .
    .
    HITLER TB TINHA REPUTAÇÃO ILIBADA E ERA VEGETARIANO, NÃO COMIA OS NOSSOS ‘IRMÃOZINHOS ATRASADOS’

    .
    O Espiritismo não é perfeito, mas está em constante atualização e evolução como tudo na Natureza.
    .
    É FRAUDULENTO E PRODUTO DA IMAGINAÇÃO HUMANA.

    .
    .
    É uma religião aberta e inovadora, a prova disso é a obra que Chico Xavier acrescentou a DE.
    .
    .
    SIM, ACRESCENTOU A IRMÃ JOSEFA TB.

    .
    .
    Penso que aqueles que abandonam a DE, por “descobrirem” um texto de Kardec ou uma citação, de fato nunca foram espíritas, pois o que mais incentivamos é a leitura exaustiva das Obras Codificadas.
    .
    .
    ACORDARAM.
    .
    .
    Espírita que não gosta de ler ou que não o faz não é Espírita.
    .
    .
    .
    NÃO É PQ ‘ESPIRITOS’ NÃO EXISTEM.
    .
    .

    Saudações Kardecianas
    .
    .
    ARGHHH!!

  407. Contra o chiquismo Diz:

    Dr sempre escondia ser chiquista… engraçado.

  408. Victor Diz:

    MONTALVÃO Diz:
    novembro 28th, 2015 às 10:13 PM
    .
    PONDERAÇÃO: embora não me tenha sido pedido, dou opinamento nesse entrevero: pelo que percebo, ambos possuem boa formação em áreas distintas. Suspeito que a discussão (no sentido produtivo) enveredou por caminho desviante. Se conseguirem manter o rumo escorreito reflexões produtivas advirão, penso.
    /
    /
    COMENT: Concordo contigo, Montalvão.
    .
    De modo que deixo em aberto as perguntas não respondidas pelo Marciano, para que possamos prosseguir
    a discussão.
    .

    Segue agora as perguntas que não respondeu!
    .
    Poderia por gentileza, definir o conceito de “imortalidade” em termos culturais e temporais, e depois demonstrar de que modo esse conceito está presente em diversas culturas e em épocas diferentes através de estudos etnográficos e etnológicos?
    .
    Marciano Diz:
    novembro 24th, 2015 às 2:19 AM
    Em outras palavras, acho que a psicologia explica melhor o pensamento mágico universal do que a filosofia
    .
    COMENT: Qual Psicologia?
    Em qual teórico e em qual teoria da Psicologia, voc? está se baseando?
    Freud? Skinner? Jung?
    Poderia clarificar, fundamentar e desenvolver, por gentileza o tema?
    .
    Seria interessante se puder comentar essa aparente antinomia em seu discurso:
    Marciano Diz:
    novembro 24th, 2015 às 2:19 AM
    Podem gastar latim à vontade comigo, mas nenhum filósofo, honesto ou não, nenhum cientista, vai me convencer de que o quadrado é realmente redondo e de que a soma dos ângulos internos de um triângulo, no plano, é maior ou menor do que 180º.
    Na minha estúpida cabeça só cabem coisas como x = +- b/?b¹- 4 ac/2 a.
    .
    A qual eu detectei aqui:
    .

    COMENT: Ironicamente, aquilo em que você deposita sua segurança ontológica e epistemológica, são apenas raciocínios analíticos a priori, que de fato não possuem existência no mundo real.
    Como de fato bem demonstrou Quine: O Positivismo Lógico, nada mais é do que mero Platonismo.
    Ao tentar evitar a Metafisica, você acabou adotando um discurso Metafísico.
    .
    Obrigado!

  409. Victor Diz:

    Gorducho Diz:
    novembro 29th, 2015 às 7:44 AM
    Interessante que ele se pronunciou acerca de filosofia formal quando o tema era as cartinhas de CX…
    .
    COMENT:
    Em primeiro lugar, quem me questionou filosoficamente foi o Marciano:
    .
    Marciano Diz:
    novembro 24th, 2015 às 2:19 AM

    VICTOR, resuma para mim sua filosofia, da seguinte maneira:
    .
    COMENT: Ademais o tema já estava sendo discutido “filosoficamente” pelo Contra e Montalvão veja:
    .
    Contra o chiquismo Diz:
    novembro 23rd, 2015 às 12:33 PM
    Montalvão: ‘espiritos’ não existem. Não há provas.
    .
    MONTALVÃO Diz:
    novembro 23rd, 2015 às 3:37 PM
    CONTRA, QUASE inteiro contigo estou, mas não dê munição ao lado contrário: ausência de provas não é prova de ausência. A afirmação “espíritos não existem” é declaração de autoridade, argumento falacioso. Deixará de sê-lo, porém, se houver ou como verificar se existem ou argumentar fundadamente da insustentabilidade da suposição.
    É certo que algumas coisas desprezamos sem maiores considerações, devido as fragilidades das propostas, tipo postular existência de duendes, fadas, abominável homem das neves, incrível homem verde comedor de pedras… Mesmo porque estas crenças podem ser verificadas, mas outras ofertas requerem considerações refutativas melhor assentadas, qual a suposição de que haja uma realidade além da matéria, dita espiritual.
    Fuio craro?
    .
    Quando eu propus então a discussão ética acerca delas – ética ? filosofia – ele alegou que o tema não lhe interessava.
    .
    COMENT: Gorducho, eu nunca fui espírita, de modo que o tema se CX fraudou, se era Gay, se era Santo me é completamente irrelevante.
    Não estou nenhum pouco preocupado com isso.
    Não muda em absolutamente nada minha vida.
    Eu nunca vi espíritos, não conheço quem tenha visto, de modo que Espiritismo para mim é tão relevante quanto sei lá, a Igreja do Reverendo Moon…
    .
    Então que faz num sítio dedicado ao espiritismo e ao sobrenatural. Quer nele discutir filosofia abstrata acadêmicamente?
    .
    COMENT: Se o Contra pode discutir plágio em músicas, e postar receita de bolo, por que eu não posso discutir o Ceticismo Academicamente?
    Penso que meu tema tem mais que ver a proposta do blog do que o dele, não acha?
    .

  410. Gorducho Diz:

    Penso que meu tema tem mais que ver a proposta do blog do que o dele, não acha?
     
    Mais ou menos… Segundo bem obtemperou o Dr. acima, Chico Xavier acrescentou à DE, e uma das coisas que acrescentou foi a informação que que havia revoltas porque o Governador Anacleto se recusava a distribuir comida!
    Não tenho agora a fonte mas se bem m/lembro há informações mais recentes de que essas revoltas
    persistem por lá ainda hoje.
    Então CoC sugeriu algumas receitas que quiçá o Dr., na próxima reunião que mantiver c/o espírito de Dr. Bezerra, poderá repassar como sugestão para amenizar a fome reinante lá em Nosso Lar.
    Pertinente ao objeto do Sítio portanto.

  411. Contra o chiquismo Diz:

    Victor e Gorducho, precisam experimentar a SOPA DE HIPOPÓTAMO…
    .
    .
    Victor, a receita foi de propósito dentro de um contexto.

  412. Gorducho Diz:

    Naturalmente qualquer adepto da Fé Raciocinada perceberá que CoC não está propondo literalmente que a sopa seja enriquecida c/músculos de hipopótamos (que por lá não há…). Mas, dentre os acréscimos que Dr. oportunamente informou ter CX aportado à DE, está o fato de lá haver aves chamadas ibis viajores. Estas então poderão muito bem, após cozidos em água fluídica seus músculos, formar um consommé-base para a posterior sopa que, seguida do bolo como sobremesa, certamente amenizará a fome por lá reinante.
     
    e aquelas aves – acrescentou, indicando-as no espaço -, que denominamos íbis viajores

  413. Gorducho Diz:

    É uma religião aberta e inovadora, a prova disso é a obra que Chico Xavier acrescentou a DE.
     
    [2:20]
    https://www.youtube.com/watch?v=YhLHjwYenNI
     
    Com base nos acréscimo de CX, CoC esteve contribuindo c/valiosa sugestão para o alívio da fome lá vigente.
    Total pertinência ao propósito do Sítio!

  414. Vinicius Diz:

    Seguem comentários:
    Vladimir Diz:
    “Penso que as assertivas de Rivail a esse respeito refletem única e exclusivamente a mentalidade de sua época”
    Não foi somente Rivail quem disse isso. Foi o espírito São Luiz também, em o Negro Pai César. O mesmo espírito que faz parte da falange do Espírito Verdade.
    “Não podemos esquecer que enquanto espíritos (encarnados ou não) estamos limitados ante as nossas crenças, padrões e ideias.”
    Escala espírita (São Luiz é considerado por Kardec como Superior)
    “111. Segunda classe. Espíritos superiores. — Reúnem a ciência, a sabedoria e a bondade. Sua linguagem só denota a benevolência, sendo inalteravelmente digna, elevada, freqüentemente, sublime. Sua superioridade torna-os, mais do que os outros, aptos a nos dar as noções mais justas sobre as coisas do mundo incorpóreo, nos limites do que é permitido ao homem conhecer. Comunicam-se de boa vontade com aqueles que, de boa-fé, procuram a verdade e cuja alma já está bastante desprendida das ligações terrestres para compreendê-la; porém, afastam-se daqueles a quem apenas a curiosidade anima, ou em quem a infl uência da matéria desvia da prática do bem.”
    “De modo algum isso abala minha Fé Raciocinada
    Abalaria sim, se ficasse provado que Kardec foi homem de moral duvidosa ou que foi pego fraudando e etc.
    Coisa que cético nenhum provou até hoje.”
    Moral duvidosa até agora não: ele tinha as opiniões dele como qualquer outra pessoa. Ele pode ter a liberdade de achar uma pessoa negra feia, lábios grosso etc, sem dúvida, mas colocar isso como esclarecimento de como funciona a evolução corporal na doutrina e ainda corroborado por São Luiz é demais. Simplesmente lamentável. SE O UMBRAL EXISTIR ESSES DOIS DEVEM ESTAR LÁ, COMO ESCRAVOS.
    “Penso que aqueles que abandonam a DE, por “descobrirem” um texto de Kardec ou uma citação, de fato nunca foram espíritas, pois o que mais incentivamos é a leitura exaustiva das Obras Codificadas.
    Espírita que não gosta de ler ou que não o faz não é Espírita.”

    Se fosse um texto ou uma citação :lol: :mrgree: !!!
    É uma avalanche de coisas, e nenhuma delas sugere calúnia, tudo bem fundamentado, com comparações de trechos lado a lado , argumentações etc. E mais, tenho lido desde 2007 , inclusive os comentários, o VITOR teve de ter muita paciência e resignação para colocar estes estudos adiante: xingamentos por parte daqueles que se dizem espiritas, ameaças que iriam procurar a justiça, um tal de Carlos Magno e Sabrina que só sabiam xingar e maldizer, elevando CX a Santo Imaculado .
    Dr. Vladimir, está enganado se aqui só tem gente que não lê ou nunca leu as obras kardecistas, chiquistas etc. . Eu fiz cursos , respondi questionários sobre livros do Chico, tais como “Mensageiros”, “Nosso Lar” , “Lindos Casos de Bezerra” e muitos outros. Confesso que eu era bem mais deslumbrado no começo (não tenho vergonha de esconder isso), e li e leio muitas obras, embora, pense que é MUITO MELHOR LER OBRAS RELACIONADAS AO NOSSO COTIDIANO PROFISSIONAL: ELAS NOS AJUDAM A TER MAIS CHANCES DE GANHAR MAIS DINHEIRO PARA PAGAR AS CONTAS E TER MAIS CONHECIMENTO DO NEGÓCIO QUE ESCOLHEMOS PARA NOSSAS VIDA. Em todo caso, já li de tudo, desde VIOLETAS NA JANELA e toda obra de kardex, EXCETO as revistas espíritas. Sobre as passagens racistas de Kardec tenho conhecimento a mais tempo, creio que 5 anos e um amigo da FEESP me ajudou a colocar isso de lado. Agora, sobre os plágios, Jair Presente, Baccelli, cartas das mamães, fui mais a fundo este ano, foi uma operação LAVA JATO :lol:
    Aliás , lemos, fazemos cursos, assumimos trabalhos e o problema é abandonar tudo de uma hora para outra. Eu tenho levado , ainda não sai do Centro, mas bem mais cético, numa definição parecida com o Biasetto que é definido em seu trabalho como “simpatiza com a doutrina espírita – contudo, ultimamente, caminha no sentido da crítica e do ceticismo. Link: http://www.scientiaestudia.org.br/associac/marciohorta/LibertacaoArtigo%20-%2023.09.2011.pdf)

  415. Gorducho Diz:

    Atualizando a informação p/2009 [calendário cristão terrícola, bien entendu...], a fome por lá persiste mesmo!
     
    E não adestramos mesmo, Doutor – enfatizou a querida irmã. — Vejamos o meu caso, no que tange ao estômago somente: por vezes, ainda sinto uma fome!… Tenho que me controlar para não atacar as panelas… da
    Terra! Não fosse o relativo esclarecimento que possuo, estaria vampirizando os inveterados comedores de carne apimentada!
    Eu e Manoel sorrimos da franqueza de Domingas que, para fazer bom humor, às últimas palavras pronunciadas, lambera os beiços, como se estivesse degustando uma coxa de frango ou um pedaço de picanha assada
    .
    [relato do espírito do Dr. Inácio Ferreira na obra Estudando Nosso Lar, pg. 21]
     
    Bem que uma sopa de músculos de ibis seguida pelo bolo dietético de CoC ajudaria lá…

  416. Victor Diz:

    Gorducho Diz:
    novembro 29th, 2015 às 12:49 PM
    Pertinente ao objeto do Sítio portanto.
    .
    COMENT: Claro, claro.
    Tão pertinente quanto os plágios do Roberto Carlos.
    .
    Confesse Gorducho, você “cismou” comigo justamente por eu não dar a menor bola para algo que para você, parece ser demasiado relevante, a saber o Espiritismo.
    .
    Sinto muito, mas não vejo relevância alguma em uma Religião que só existe expressivamente no Brasil, e ainda sim politicamente irrelevante.
    .
    Se é para discutir religião organizada, prefiro discutir o movimento evangélico no Brasil, ou então a ascensão dos Radicais Islâmicos no Mundo.
    .
    Estou mais preocupado com o ISIS e a AL-QAEDA do que com a FEB…
    .
    Mas eu prefiro muito mais discutir Metafísica, do que discutir Sociologia da Religião.
    .

  417. Victor Diz:

    A propósito, fica como sugestão:
    .
    Já que aqui tem tantos ex-espíritas “traumatizados” com sua antiga religião, poderiam talvez criar um “Grupo de Apoio” nos moldes do AA, NA, e fazer quem sabe uma “Terapia em Grupo”.
    .
    #ficaadica

  418. Vinicius Diz:

    kkkk essa foi boa Gorducho. os problemas alimentares de NOSSO LAR pelo visto serão sempre prorrogados, como o fim do planeta TERRA e as credenciais de DR Bezerra para atuar junto aos miseráveis deserdados, com a autenticação de Celina sempre.

  419. Vinicius Diz:

    “Victor Diz:
    NOVEMBRO 29TH, 2015 ÀS 3:07 PM
    A propósito, fica como sugestão:
    Já que aqui tem tantos ex-espíritas “traumatizados” com sua antiga religião, poderiam talvez criar um “Grupo de Apoio” nos moldes do AA, NA, e fazer quem sabe uma “Terapia em Grupo”.

    Acho que vou na orientação fraterna, na FEESP chama-se DEPOE- Departamento de Orientação e Encaminhamento. No meu caso, como sou voluntário, vão me colocar no tratamento desobssessivo chamado de P5.

  420. Vinicius Diz:

    GORDUCHO, essa obra foi escrita pelo BACELLI?

  421. Gorducho Diz:

    Confesse Gorducho, você “cismou” comigo justamente por eu não dar a menor bola para algo que para você, parece ser demasiado relevante, a saber o Espiritismo.
    :o
    Então por que está num sítio dedicado a esse tema :?:
    Não m/interprete mal, é claro que o Sr. tem o direito de estar onde bem entenda, mas não faz sentido num sítio dedicado ao espiritismo criticar quem queira debater… espiritismo!
    Se quer mesmo saber, já disse: em casa, no trabalho e na roda de amizades esse tema não rola simplesmente. Nem existe!
     
    Sinto muito, mas não vejo relevância alguma em uma Religião que só existe expressivamente no Brasil
    Só que o Sítio é dedicado e esse tema :mrgreen:
     
    Estou mais preocupado com o ISIS e a AL-QAEDA do que com a FEB
    Eu também… aliás critiquei já cá a alienação do Obama que possibilitou eles ocuparem um território e daí formarem uma base sólida.
    Viu que agora já controlam 150 milhas de costa na frente da Europa, em Sirte (a cidade do Cel. Gaddafi)?

  422. Gorducho Diz:

    Quase todos meus primos essa hora estão em sítios dedicados ao (Texas é só agora não?) Poker…
     
    Em sítios dedicados à aeronáutica (m/carteira é de PP…) discute-se… aviação…

  423. Gorducho Diz:

    essa obra foi escrita pelo BACELLI?
     
    Foi um ditado do espírito Dr. Inácio; captado pela pineal e posto no papel pela pluma dele, claro.

  424. Victor Diz:

    Gorducho Diz:
    NOVEMBRO 29TH, 2015 ÀS 3:29 PM
    Então por que está num sítio dedicado a esse tema :?:
    .
    COMENT: Porque acho interesse travar o debate com pessoas crédulas, independentemente da religião
    .
    Gorducho Diz:
    NOVEMBRO 29TH, 2015 ÀS 3:29 PM
    Não m/interprete mal, é claro que o Sr. tem o direito de estar onde bem entenda, mas não faz sentido num sítio dedicado ao espiritismo criticar quem queira debater… espiritismo
    .
    COMENT: Mas eu não critico-o.
    Foi você quem “cismou” comigo, porque eu não quis debater as cartas do CX.
    Me é muito mais interessante, entender o mecanismo por trás da crença, do que o objeto de crença. Capisce?

    Gorducho Diz:
    NOVEMBRO 29TH, 2015 ÀS 3:29 PM
    Viu que agora já controlam 150 milhas de costa na frente da Europa, em Sirte (a cidade do Cel. Gaddafi)?
    .
    COMENT: Agora me parece que a Europa acordou.
    Vamos ver se eles conseguem formar uma coalizão internacional e varrer esses “animais” de vez da face do planeta.

  425. Vinicius Diz:

    kardec já pensou em renunciar a presidência da Sociedade, mas como os membros votaram para que ele continuasse, ele, por consideração a eles, resolver ficar e só sairia da presidência se viesse alguém de posição social. Segue trecho da Revista Espírita, Julho 1859
    “Hoje limitamo-nos a dizer que o Sr. Allan Kardec, a
    despeito da intenção expressa em seu discurso de encerramento – de renunciar à presidência, quando da renovação de sua diretoria – foi reeleito por unanimidade, à exceção de um voto contrário e uma
    abstenção. Ele julgou deselegante sustentar essa decisão diante de um testemunho deveras lisonjeiro. Contudo, só o aceitou condicionalmente e sob reserva expressa de demitir-se de suas funções no momento em que a Sociedade estiver em condições de oferecer a presidência a alguém, cujo nome e posição social
    sejam capazes de imprimir-lhe maior relevo. Seu desejo era poder consagrar todo o seu tempo aos trabalhos e aos estudos que vem desenvolvendo. E a nota da tradução da FEB: “13 N. do T.: Parece que esse momento jamais chegaria, pois Allan Kardec, mau grado seu, permaneceu à frente da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas até a sua desencarnação, em 1869″
    Ou seja nunca apareceu nenhum membro de nome e posição social, só o MEGA KARDEC!

  426. Gorducho Diz:

    PERGUNTA P/O SR. ADMINISTRADOR
     
    http://www.nytimes.com/2015/11/30/world/middleeast/hope-for-nefertitis-tomb-and-egypts-economy.html?hp&action=click&pgtype=Homepage&clickSource=story-heading&module=photo-spot-region&region=top-news&WT.nav=top-news
     
    Por que aquele seu conhecido que contratou espíritos p/mergulharem em Alexandria não faz esse serviço agora?
    Não seria bem mais barato?

  427. Contra o chiquismo Diz:

    Pra quem quiser saber mais do RACISMO nas TESTEMUNHAS DE JEOVÁ (Tão nocivo ou pior que o de kardec) tem o link abaixo com várias passagens tiradas das publicações deles:
    .
    .
    “Deus… evidentemente tem sido um respeitador das raças, e tem abençoado especialmente e favorecido certos ramos da raça Ariana na Europa e América… a raça branca tem sido mais abundantemente abençoada com a luz das boas novas do que as outras… a igreja eleita será provavelmente composta principalmente da altamente favorecida raça branca… ” – A Bíblia versus A Teoria da Evolução, 1898, pp. 30,31 (em inglês)
    ..

    .
    http://extestemunhasdejeova.net/forum/viewtopic.php?f=11&t=3873

  428. Vinicius Diz:

    Obrigado Contra, quero fazer uma coleção dessas passagens . O de Kardec particularmente acho pior pelo seguinte: o espírito São Luiz é apresentado ao leitor (espírita ou não-espirita) como um espírito superior, que atingiu o alto nível da escala de qualidades que um espirito deva reunir e esse mesmo espirito dita esclarecimentos discriminatórios acerca da Raça Negra, teorizando ou prevendo até mesmo seu desaparecimento da face da Terra. Mesmo que não existam espíritos, é uma obra apresentada ao público como vinda de “espíritos avançados”.

  429. Vinicius Diz:

    Conheço pessoas que não acreditam na manifestação de espíritos , nem vão em Centros,mas que curtem os “ensinamentos” do Evangelho Segundo o Espiritismo” ? Tenho quase certeza essas pessoas não sabem dessas passagens obscuras.

  430. Contra o chiquismo Diz:

    Por isso que a cada dia Vinicius, eu gosto mais do macedão, malafaia, valdemiro santiago, rr soares entre outros. Muito melhor ser rico do que pobre (tb de espirito com pensamentos conformistas).

  431. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    JP: “Você poderia traduzir algo sobre o Edgar Cayce, ele parece ser bem recebido na Parapsicologia, não é?”
    /.
    PONDERAÇÃO: prezado JP, visto estou em fase intrujona, comento essa parte da consulta que fez ao Vitor.
    .
    Edgar Cayce, conhecido como “profeta dorminhoco”, foi um espertalhão de primeira. Fez sucesso porque representava bem, mas nada do que dizia tinha boa fundamentação. Cayce dava prescrições médicas mediúnicas e muita gente ficava satisfeita, mas estas eram vagas e imprecisas: pesquisadores melhor formados, mesmo crentes no paranormal (dentre os quais se alinha Rhine) não davam trela para o sujeito. Um dos grandes “sucessos” de Cayce eram as leituras de vidas passadas: a coisa mais ridícula que se possa imaginar que, no entanto, agradava aos crentes. Para Cayce, todos seus consulentes teriam vivido na lendária Atlântida e sido membros de um dos dois partidos que ali digladiavam: o “filhos de Belial” e os adeptos da “Lei do Um”.
    .
    Cayce, no entanto, tem certa utilidade: serve para mostrar até onde pode ir a crendice…

  432. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Se o Contra pode discutir plágio em músicas, e postar receita de bolo, por que eu não posso discutir o Ceticismo Academicamente?
    Penso que meu tema tem mais que ver a proposta do blog do que o dele, não acha?”
    .
    PONDERAÇÃO: sem pretensão de tomar partido (nem mesmo do lado do nobre PT), considero que discutir academicamente o ceticismo (e, proponho mais, discutir-se academicamente a credulidade) vale a pena: quanto mais conhecimento agregado melhor, desde que a discussão seja produtiva, certamente…

  433. Marciano Diz:

    Meus caros amigos, continuo no aguardo de que o sítio volte às suas origens, não sei por quanto tempo ainda.
    Mencionar outras questões dentro do contexto, acho normal.
    Transformar isto aqui em ataques gratuitos e mentirosos a pessoas que ousam discordar de uma opinião me cansa.
    Não sou obrigado a fazer um trabalho acadêmico fora de minha área para poder opinar sobre o óbvio, qual seja, a adoção de crenças bizarras está muito mais para uma necessidade psicológica do que para uma reflexão filosófica.
     
    Quanto às opiniões de Victor e Vladimir de Freitas Junior sobre mim, estou liberando sobras de alimentos não digeridos e caminhando, para não fazer montinho.
    De onde eles acham que suas opiniões a meu respeito me interessam?
    Não preciso fazer um trabalho filosófico para demonstrar minha total ausência de preocupação sobre o que pensam sobre mim.

  434. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Quase todos meus primos essa hora estão em sítios dedicados ao (Texas é só agora não?) Poker…”
    /.
    QUASE TODOS meus parentes, em qualquer hora, estão dedicados ao facebook e ao whatsapp… fazer o quê?

  435. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Por isso que a cada dia Vinicius, eu gosto mais do macedão, malafaia, valdemiro santiago, rr soares entre outros. Muito melhor ser rico do que pobre (tb de espirito com pensamentos conformistas).”
    /.
    PONDERAÇÃO: só tem um senão a respeito das orientações desses “grandes” líderes: eles prometem prosperidade a todos, mas, inexplicavelmente, ela só se achega a eles (aos líderes e asseclas). Alguém consegue entender o mistério?

  436. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Por que aquele seu conhecido que contratou espíritos p/mergulharem em Alexandria não faz esse serviço agora?
    Não seria bem mais barato?”
    /.
    EU QUANDO ERA LEITOR PSÍQUICO A DISTÂNCIA, fazia o seguinte: deixava o pessoal escanear bastante, enquanto isso eu estudava as referências históricas sobre o caso. Se descobrissem algo durante a “escaneação”, eu comentaria como quem não quer nada: “se tivessem me chamado não teriam tanto trabalho e sairia mais em conta”.
    .
    Caso nada descobrissem eu eliminaria as áreas já perscrutadas e me concentraria no que sobejou. Se não as “leituras” nada achassem, diria: “meus poderes dizem que não é por aqui”. Se nalgum dos chutes acertasse, mais um sucesso para o meu inabalável currículo de arqueólogo clarividente…

  437. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Se não as “leituras” nada achassem” = “Se as “leituras” nada achassem.”

  438. Contra o chiquismo Diz:

    MONTALVÃO Diz:
    NOVEMBRO 30TH, 2015 ÀS 11:48 AM
    /
    /

    /.
    PONDERAÇÃO: só tem um senão a respeito das orientações desses “grandes” líderes: eles prometem prosperidade a todos, mas, inexplicavelmente, ela só se achega a eles (aos líderes e asseclas). Alguém consegue entender o mistério?
    ..

    .
    Prosperidade é REAL. nosso lar, vale dos artistas entre outras não. Pelo menos uma coisa real é prometida, no ‘espiritismo’ é prometido o que não existe.
    ..
    ,
    O MAIOR BEM QUE O ‘ESPIRITISMO’ PODE FAZER A HUMANIDADE É DEIXAR DE EXISTIR”.

  439. Contra o chiquismo Diz:

    Kd o Borges? Amigo se estiver lendo e não estiver comentando, apenas vou te refrescar a memória:
    .
    .
    ‘espiritos’ não existem Borges.

  440. Carlos Diz:

    Espíritos existem sim…e milhões de pessoas já tiveram provas pessoais.

  441. Gorducho Diz:

    considero que discutir academicamente o ceticismo (e, proponho mais, discutir-se academicamente a credulidade) vale a pena
    Da m/parte eu não tinha entendido que o que ele queria discutir era o ceticismo.
    Ok, discutamos: abra os trabalhos quem propôs o tema, certo?
     
    QUASE TODOS meus parentes, em qualquer hora, estão dedicados ao facebook e ao whatsapp… fazer o quê?
    M/resposta deus-se no contexto dele ter proferido que não dá a menor bola para o espiritismo, explicitamente alfinetando-me por eu ter-me pós-doutorado no tema!
    Daí obtemperei num sítio dedicado ao espiritismo deve-se debater primariamente espiritismo. Quem não se interessa pelo tema – como meus vários primos esses – vai para os respectivos sítios especializados.
    Mas ele esclareceu que acha interesse travar o debate com pessoas crédulas – alfinetando a Casa, suponho :( – e já está tudo bem. Paz :!:
     
    EU QUANDO ERA LEITOR PSÍQUICO A DISTÂNCIA &c.
    Veja que esse caso é infinitamente mais simples: não requer barcos, sonar, peri-GPS; nada!
    Basca alugarem um motor home no Cairo e acamparem ali ao lado. Nem atrapalham radarista japonês nem nada.
    E o permisso p/pernoitarem na área arqueológica o Sisi dá na hora pois que precisa “recuperar pontos” c/o Obama por causa da revolução, dereitos humanos &c. e tal (como diz o Professor).

  442. Contra o chiquismo Diz:

    Carlos Diz:
    NOVEMBRO 30TH, 2015 ÀS 12:41 PM
    Espíritos existem sim…
    .
    .
    PROVE-NOS.

  443. Gorducho Diz:

    Kd o Borges?
     
    Ele se magoou com o que considera sarcasmos, acho:(

  444. vinicius Diz:

    “Carlos Diz:
    novembro 30th, 2015 às 12:41 PM
    Espíritos existem sim…e milhões de pessoas já tiveram provas pessoais.”

    Existem mas não são nada criativos. Até para plagiar textos dão maquiadas básicas: vide Brasil Coração do Mundo x Tesouros da Juventude: a mesma sequência de acontencimentos, páginas seguidas, CX e o Padre Humberto acrescentaram alguns jargões espiritas e tal.
    Dr. Bezerra quando vem dar mensagens aqui parece uma fita cassete gravada e retransmitida via playback.
    Kardec pelo menos, até onde eu li, interrogava os que diziam espíritos, fazia perguntas, aqui não se pode questionar, ninguém da plateia pode levantar a mão e fazer perguntas ao Bezerra. Não pode nem conversar, diferente de Kardec que promovia diálogos.
    Também já tive e conheço experiências pessoais, mas não creio que os espíritos possam fazer muita coisa por aqui, no máximo aparecer em sonhos.

  445. Contra o chiquismo Diz:

    Borges era insistente. Mas essa crença não tem como se sustentar mesmo. Não existem ‘espiritos’.

  446. vinicius Diz:

    vários espiritas deslumbrados e que torcem pela unificação mundial veicularam que DIVALDO se reuniu com PAPA FRANCISCO. (https://grupoespiritaonazareno.wordpress.com ) Até nisso os fatos são aumentados. Como diz o Nelson Rubens , eu aumento mas não invento!

    “Há quatro meses, graças à interferência de amigos, concordei que fosse estudada a possibilidade de um encontro com o Papa Francisco. Ante a impossibilidade de um encontro pessoal, pela sua Agenda superlotada e de alto significado com autoridades de todo tipo do mundo que o buscam, concordei em participar da audiência pública no Salão Paulo VI com a família com a qual estou viajando. Quando da entrada do Papa Francisco pelo corredor superlotado, ele foi abraçando crianças, doentes e apertando mãos. Ao passar por mim, porque estivesse numa posição privilegiada, distendi-lhe a minha e ele a apertou e sorriu. Nada mais houve além disso. Não trocamos uma palavra sequer, nem seria possível. Qualquer comentário que seja adicionado é resultado da imaginação de quem o fizer”

    http://radioboanova.com.br/jornal-nova-era/nota-de-esclarecimento-proprio-divaldo-franco-acerca-seu-encontro-com-o-papa-francisco/

  447. Vitor Diz:

    MONTALVÃO: “então “mais experiências com Piper” não foram mesmo realizadas. As que foram caem na declaração: “meia dúzia de duas ou três, insuficientes para proporcionar conclusão satisfatória”. Para quem se ufana de ser “expert” em interpretação de texto tá cochilando pra mais de metro…”
    .
    Continua a falar besteira! O material que enviei já serve para mostrar que houve vários experimentos, mas há muito mais! Há várias nos Proc. XIII. A sua afirmação de que os pesquisadores não testaram a presença de espíritos no ambiente por anos cai por terra. Eis, inclusive, a conclusão de Hodgson (citando inclusive a grande massa de experimentos feitos por ele até chegar a conclusão de que GP era de fato um espírito):
    .
    This suggested that G. P. had a very obscure perception generally of our physical world, and that he had mistaken for contemporary physical events a series of recent scenes in Mrs. Howard’s subliminal consciousness. A similar conclusion, to which I called attention in my previous report, was indicated by the experiments which I made with Phinuit in relation to the doings of Mrs. Holmes in New York, which I said “strongly suggested that Phinuit in some way” was getting glimpses into the mind of Mrs. Holmes, was reading off some of her past experiences.” [Proceedings S.P.R., Vol. VIII., pp. 24-25.)
    .
    Another conclusion to which I have come is that usually for experiments of this type to be successful, the agent should be thinking strongly, and “emotionally,” of the real person who claims to act as percipient, and should also be concerned with matters directly relating to him. The failures as well as the successes of G. P. in such experiments point to the existence of a real G. P. as distinguished from a fragment of Mrs. Piper’s personality.

    .
    Pronto! Fica PROVADO que Hodgson fez testes SUFICIENTES (POR ANOS! Seus experimentos nessa linha cobrem no mínimo um período de 7 anos) para considerar a PRESENÇA de ESPÍRITOS no ambiente como PROVADA.
    .
    MONTALVÃO: “Efetivamente, nenhum programa de experimentos, visando conferir espíritos laborando junto a Piper foi impetrado. O visoni, pode, se quiser e puder, contestar essa declaração, contudo o que ele apresenta com tal intenção nada a ver com o solicitado.”
    .
    Lógico que tem a ver, só lamento sua teimosia em dizer que não. São experimentos controlados em que se diz ao espírito o que ele tem que fazer, no caso ir a outro ambiente e dizer o que ele vê lá. São múltiplos experimentos nessa linha de sucesso, com resultados bem expressivos e descrições bem específicas, muitas delas sem ambiguidades.
    .
    MONTALVÃO: “Seria necessário conhecer os descaminhos trilhados por Newbold para avaliá-los, de momento considero a expressão “percebeu obviamente ser impossível explicar o caso Piper apenas pela psicologia” exagerada e despropositada. Como foi que ele “percebeu” isso? Será que foi o Visoni que lhe disse que a psicologia seria insuficiente, mesmo sem examinações aprofundadas?”
    .
    Do mesmo modo que Hodgson:
    .
    Já apresentei minha convicção de que a Sra. Piper é honesta e, ademais, sustentei que os relatos aqui citados—sem falar dos já publicados no vol. VI—estabelecem a existência de alguma faculdade em Phinuit e, no mínimo, demonstram a telepatia. Os próprios relatos detalhados são oferecidos como justificativa dessa visão, e—uma vez que já foram publicados—considero supérfluo oferecer qualquer resumo deles com o fito de provar seja que a Sra. Piper não podia ter adquirido por meios normais as informações fornecidas aos assistentes, seja que Phinuit (como distinto da Sra. Piper) não podia ter obtido todas essas informações por palpite, interrogatório, interpretação muscular e outras indicações fornecidas consciente ou inconscientemente pelos assistentes.
    .
    Tudo que foge do consciente ou inconsciente não é explicável pela Psicologia. Fim de papo.
    .
    Aguardo sua retratação pelas asneiras que disse sobre os pesquisadores.

  448. Vitor Diz:

    Gorducho,
    “Venho alfinetando há semanas, mas solenemente ignorado…”
    .
    Você pode me explicar o que diabos te impede de mandar um email para a Kelly? Você ficou me pedindo para falar com o Sheldrake, eu te disse para vc mandar um email para ele, o que você não fez, aí eu mandei, ele respondeu. Qual é a sua dificuldade? Por que eu tenho sempre que bancar o pombo correio?!

  449. Gorducho Diz:

    Porque é o Sr. quem diz que foram produzidos estudos “conclusivos” :mrgreen:
    Se foram produzidos estudos conclusivos e foi descoberto um(a) excelente médium, em 5 anos muita coisa deve ter sido desenrolada certo?
    Como a figura que lhe apresentei, era a época do W7 e já estamos no 10 e no Android…
     
    E sobre os mergulhões também foi o Sr. quem postou! Lembra que eu me dei o trabalho de plotar c/uma precisão ~ 10m e propus debater o assunto e o Sr. escapuliu-se alegando que não havia estudado geografia na escola?
    Por que agora eles não foram lá já que o assunto rola desde o inicio do ano… não é de hoje.
    Hoje eu só coloquei porque por casualidade saiu no NYT.

  450. Gorducho Diz:

    Qual é a dificuldade dele levar os médiuns dele ali e os espíritos dizerem se tem outras salas c/múmias ou não?
    Claro que provavelmente os espíritos não poderão dizer se é mesmo da Nefertiti, a qual mesmo provavelmente esteja reencarnada cá no Brasil, trabalhando na divulgação do Evangelho, claro.
     
    https://www.youtube.com/watch?v=BLBoDYH39Uc

  451. Contra o chiquismo Diz:

    Vitor Diz:
    NOVEMBRO 30TH, 2015 ÀS 1:56 PM
    .
    .
    Pronto! Fica PROVADO que Hodgson fez testes SUFICIENTES (POR ANOS! Seus experimentos nessa linha cobrem no mínimo um período de 7 anos) para considerar a PRESENÇA de ESPÍRITOS no ambiente como PROVADA.
    .
    .
    Sim, tá provado beleza. E as comunicações? O que “eles” disseram naquela época ou dizem nos dias de hoje?
    .
    .
    estão na ‘erraticidade’ ou encarnados? Quem hoje em 2015 os contacta? Onde tem uma mensagem ‘verdadeira’ vinda do ‘além’?

  452. Gorducho Diz:

    Em tempo: o filmezinho subsequente (em m/reprodução automática) dá mais detalhes p/quem desconhece o tema
     
    Has Queen Nefertiti been found behind King Tut’s tomb ?

  453. Gorducho Diz:

    Sim, tá provado beleza. E as comunicações? O que “eles” disseram naquela época ou dizem nos dias de hoje?
     
    Pois é… ele diz que no ano 10 (portanto há 5 anos atrás…) foi obtido conclusivo estudo.
    E :?:

  454. Contra o chiquismo Diz:

    Gorducho, mudando radicalmente de assunto, (depois voltamos aos ‘espiritos’), o que vc achou de findarem o DAC e criarem a ANAC?

  455. Contra o chiquismo Diz:

    Voltando aos ‘espiritos’.
    .

    .
    Vitor Diz:
    NOVEMBRO 30TH, 2015 ÀS 1:56 PM
    Pronto! Fica … a PRESENÇA de ESPÍRITOS no ambiente como PROVADA.
    .
    .
    Só uma pessoa no mundo conseguiu esse fato?

  456. Gorducho Diz:

    Acho que não mudou muita coisa…

  457. Victor Diz:

    Marciano Diz:
    novembro 30th, 2015 às 11:42 AM
    Não sou obrigado a fazer um trabalho acadêmico fora de minha área para poder opinar sobre o óbvio, qual seja, a adoção de crenças bizarras está muito mais para uma necessidade psicológica do que para uma reflexão filosófica.
    .
    COMENT: Não, não é.
    Mas então não cobre dos outros aquilo que você não tem competência para fazer!
    .
    Marciano Diz:
    novembro 30th, 2015 às 11:42 AM
    Quanto às opiniões de Victor e Vladimir de Freitas Junior sobre mim, estou liberando sobras de alimentos não digeridos e caminhando, para não fazer montinho.
    .
    COMENT: Ad hominem? Uuii fiquei toda arrepiada!!!
    Que meda…
    Por que não estou surpreso?
    .
    Marciano, dá próxima vez chamar alguém para o embate intelectual, verifique se você tem condições de manter sua posição.
    .
    Fica feio jogar a toalha e não descer do salto!!!
    .
    Beijinho no Ombro para você, querido!!!

  458. Vitor Diz:

    Só uma pessoa no mundo conseguiu esse fato?
    .
    Não. O J. Rogers Rich, como mostrado, também testou a presença do espírito com o teste da caixa lacrada e obteve sucesso.

  459. vinicius Diz:

    Enquanto em 2015 acontece isto:
    http://gcn.net.br/noticia/302382/franca/2015/11/sem-repasse-hospital-allan-kardec-atrasa-salarios

    Em 18xx (expressões toda em maiúscula fui eu hein?!)

    “De uma feita, quase fora despejado de seu humilde quarto. Devia o seu SENHORIO IMPIEDOSO vários meses de aluguel. Orou a Deus e manifestou desejo de lecionar temendo o futuro. O alto lhe ouviu a rogativa, o desejo e o desespero. Um aluno lhe aparece. Deseja-lhe aulas intensivas de matemática e paga-lhe dois meses adiantadamente. Bezerra reluta em receber a importância adiantada. Por fim, lembrando-se da sua situação, resolve aceita-la. Corre a biblioteca e, durante dias seguidos, recorda da matemática alguns TEOREMAS ESQUECIDOS. Espera o aluno e este, jamais lhe aparece. Era, na verdade, um aluno do “outro mundo”… Tal fato, no entanto, fê-lo confiar mais e mais na providencia divina, no infinito amor de DEUS e deveria ser mais tarde, como o foi o médico dos pobres, mais de almas que de corpos. (Lindos casos de Bezerra de Menezes. Um aluno do ‘’outro mundo’’. Ramiro Gama)”

    http://www.passatempoespirita.com.br/aulas/aula-38-biografia-de-bezerra-de-menezes/

    Acho que vou procurar um psiquiatra espírita. Victor disse que ficamos traumatizados com a doutrina espírita.

  460. Contra o chiquismo Diz:

    Victor Diz:
    NOVEMBRO 30TH, 2015 ÀS 3:17 PM

    .
    COMENT: Ad hominem? Uuii fiquei toda arrepiada!!!
    Que meda…

    .
    .
    Victor… vós queimais?

  461. Contra o chiquismo Diz:

    Vitor, e no Brasil? Quem conseguiu?
    ..
    Esses testes devem ter sido validados por crentes…

  462. Gorducho Diz:

    CoC & Sr. Administrador!
    Vejam isso se escutei direito: prova científica da reencarnação cá no Brasil, sem necessidade dos estrangeirismo do Ian Stevenson!
    O Nabucodonosor, que naturalmente estava encarnado cá no Brasil e era espírita, morre, encontra Dr. Bezerra e uns caras que ele havia cegado que ainda estavam no umbral desde então (claro, não eram cristãos…) – me lembrou daquele espíritos árabe do Professor só que faz muito mais tempo.
    Então Dr. Bezerra e Nabucodonosor mandam 10 reencarnarem cá na Bahia e eles por não terem no periespírito a matriz linguística ocidental, simplesmente não conseguiram aprender o português direito!
    Estou com pouco som agora, mas se entendi direito foi esse fato que ocorreu!
     
    https://www.youtube.com/watch?v=o9OZ7cY_PPA

  463. Vitor Diz:

    Oi, JP
    comentando:
    01 – “Você já traduziu artigos científicos sobre premonição ou precognição? Poderia indicar algum com evidências desses fenômenos?”
    .
    Sim, aqueles relativos a Malcolm Bessent. A wikipedia em português tem um ótimo resumo das pesquisas com ele:
    .
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Precogni%C3%A7%C3%A3o
    .
    02 – “Vi em um link que você postou da Parapsychological Association que para a associação a precognição está provada cientificamente, ou quase isso, não é?”
    .
    É.
    .
    03 – “E a premonição?”
    .
    Na verdade são 3 tipos: “pressentimento” (resposta fisiológica inconsciente), “precognição implícita” e “precognição explícita”. Não sei bem a diferença entre as duas últimas, mas diferem da primeira por envolver ações conscientes. Para todos os tipos há evidências.
    .
    04 – “Você poderia traduzir algo sobre o Edgar Cayce, ele parece ser bem recebido na Parapsicologia, não é?”
    .
    Não conheço relatórios científicos sobre as habilidades de Cayce para traduzir.

  464. Vitor Diz:

    “Victor… vós queimais?”
    .
    Na boa, Contra… o que interessa se o cara queima ou não? Vamos tentar manter a vida sexual dos outros fora da discussão, please.

  465. Vitor Diz:

    “Vitor, e no Brasil? Quem conseguiu?”
    .
    Acho que aqui ninguém sequer tentou….

  466. Borges Diz:

    Gorducho Diz:
    NOVEMBRO 30TH, 2015 ÀS 12:51 PM
    Kd o Borges?
    .
    Estou aqui – de plantão.

  467. Contra o chiquismo Diz:

    Vitor, … deixa p lá.
    .
    .
    Mas esses que ‘validaram’ não são cientistas crentes?

  468. Contra o chiquismo Diz:

    Borges, some não. Precisamos da oposição.

  469. Gorducho Diz:

    Foi ACoC quem perguntou por si…
    A propósito então: será que o Akhenaton e a Nefertiti não eram ETs?
    Os crânios longos; pesquisei e não vi reencarnações deles…

  470. Borges Diz:

    Contra o chiquismo Diz:
    NOVEMBRO 30TH, 2015 ÀS 1:30 PM
    Borges era insistente. Mas essa crença não tem como se sustentar mesmo. Não existem ‘espiritos’.
    .
    Espíritos? Existem sim. Pelo andar da carruagem, infelizmente, você só se dará conta, quando tentar conversar com um encarnado e ele não responder.
    Nota: espero que demore uns trezentos anos para isto acontecer.
    Um abraço

  471. Gorducho Diz:

    Mas esses que ‘validaram’ não são cientistas crentes?
     
    O pintor aquele era um completo deslumbrado.
    Aliás alfinetei a questão do endereço do Dr. Phinuit – e depois arrumei eu mesmo uma “explicação” – e o Administrador de novo solenemente ignorou…

  472. Vitor Diz:

    Mais alguns experimentos de sucesso:
    .
    The fifth sitting was largely occupied with other inquiries and communications. Mr. Howard was not present and Phinuit at the beginning of the sitting said that G. P. had gone to find him. Later on G. P. wrote that Mr. Howard had gone to see his friend Fenton.
    This was correct. Fenton lived in a town in the country. In reply to a question as to what Howard and Fenton were talking about, G. P. ‘s statement ” about this very subject and about me,” although correct, cannot of course count for anything evidentially, as it was so probable, but the statement made earlier in the sitting, at 9.10 p.m., that Mr. Howard was reading, or was a few minutes previously, and which was afterwards ascertained to be correct, perhaps counts for a little in the direction of telaesthesia. G. P. also said that he had something to tell Orenberg that would surprise him, and told us to ask Orenberg ” what he wanted to destroy my papers and letters which I gave him,” the fact being that Orenberg had helped Mr. Pelham to destroy G. P.’s letters after his death. This, however, was known to the Howards.
    .
    In connection with this I may refer to an incident that occurred much later, at a sitting with Mr. A. B., on April 17th, 1894, who inquired whether G. P. knew what he, Mr. A. B., had done on G. P.’s behalf after the latter’s death. G. P. stated correctly that A. B. had destroyed some “cigar checks” which he had left about. These had
    apparently been retuined to G. P. living, after his payment of Club bills, and after G. P.’s death Mr. A. B. had found them and destroyed them.
    .
    During the sixth sitting, December 7th, G. P. asked for his mother’s letter. A letter from his mother had been received by Mr. Howard, and this was put into the hand. As I have explained elsewhere (p. 317 footnote) when the hand is “controlled” apparently independently of the head, the head sags down and to the left in such a position that the hand is outside of the field of vision,
    and there is no possilbility of Mrs. Piper’s reading by any normal process a letter given to the hand under those circumstances
    . After handling the letter G. P. stated correctly that his father was not well, that his mother said in the letter that she was going somewhere, that the house and property in N. Y. were to be disposed of. These matters were mentioned in the letter and also known to Mrs. Howard who had read it. When asked to mention the name of the place he wrote Potomac. This was not correct. The name of the place had been mentioned correctly by G.P. at a previous sitting (p. 302).
    .
    I think it improbable that there was here any clairvoyant reading of the letter, but that the information was obtained possibly from the mind of Mrs. Pelham by some process akin to telaesthesia, or perhaps from the mind of Mrs. Howard by direct thought-transference. In the ninth sitting of this series, December 19th, when G. P. was using the voice, a letter written by Mr. Pelham was given to him by Mrs. Howard. The Howards supposed that it was a letter in which Mr. Pelham referred to G. P.’s manifestation at the sittings and his own interest in hearing of them. It was not, however, this letter, but another one from Mr. Pelham entirely on business matters, which Mrs. Howard had given. Yet G. P. referred to the character of the contents of the letter which directly concerned himself, saying that his father ” believes that I exist. He was pained, but he is no longer pained, because he feels that I exist.” This was right, but obviously was not obtained by any reading of the words of the letter which had been given. It might be said that G. P. merely made a not unlikely guess, especially since he had been told that there was something in the letter that would please him ; but if any supernormal knowledge was shown it must apparently be ascribable either to some direct appreciation of liis father’s slate of mind or to thought-transference from the Howards.

    .
    Aqui segue duas replicações de sucesso da caixa lacrada com Hyslop e Hodgson. O espírito é o pai de Hyslop. Há dois objetos na caixa, uma caneta e um óculos. O espírito acertou os dois.
    .
    (I think there are some more inside this [box]. Can you ask Mr. Hyslop if he can tell what they are inside before I open.) [Pause.]
    .
    He is saying something. Wait until I hear it clearly.
    [Pause.] This I think is the one I used to put my Pen ho [•]••• no not pen. Paper cutter . . P . . sounds like . . . in . . [As a matter of fact I had kept father's pen in this spectacle case ever since his death, and it was there in the case when thus shown to Mrs. P. But, as indicated by Dr. Hodgson, it had not yet been opened. The allusion to a paper cutter I thought nonsense, as I had never known father to have a paper cutter. He never needed one for the purpose of cutting the leaves of new books, as I suppose he had not bought any books that would need cutting of the leaves for forty years, and the newspapers he took needed no such instrument. Hence I treated the reference here as nonsense. But I took no risks in the matter, and asked my stepmother whether father ever owned such an article, and if so, whether he ever put it in his spectacle case, expecting to find my suspicion confirmed. Her reply is that he did have a paper cutter, a wooden one made by my brother, for opening letters, but that he carried it in his vest pocket. I believe also that he never kept his pen in this case. The later statements seem much clearer on this matter. — J. H. H.] [Cf. Note 34, p. 414]
    .
    (Does he wish to say anything about the present contents of this box) [Pause.] (before I open it ?) Only concerning his spectacles, that is all. I have to say . . . let me go a minute and return. I am very blind and I begin to feel strange.[The box did contain his spectacles as well as his pen.—J. H. H.]

    .
    Aí está, replicação de sucesso da caixa lacrada.

  473. Gorducho Diz:

    Pelo menos deu pra desopilar nesse fim de tarde em que não poderei ter a happy hour…
    Clara leitura fria num estojinho que deveria ser semelhante a usados naquela época p/carregar canetas (provavelmente nem tinha ainda as automáticas moderníssimas tinteiro das quais tínhamos 2 em casa!) ou óculos.
    - Essa acho que é a que eu usava pra guardar minha caneta ah!… não a caneta. Cortador de papel.
    Cortador de papel… P
    [pois que em inglês, claro]… soa como… em
    Estava bêbado o espírito (eu queria poder estar bebendo agora!)? Pen e Paper cutter soa PÊ – não como o â de Emmanuel em chiquês!
     
    No fim ela faz a opção:
    - Só sobre seus óculos.
     
    Ou seja o espírito (aparentemente embriagado) não viu de fato o que tinha o estojo e ficou só tergiversando. Acertou 2 dos 3 chutes, reconheço.
    E certamente ela estava captando as reações do Crente.
     
    A perfeição do nosso experimento é que nem nós saberemos do que se trate até após o “espírito” ter se pronunciado.

  474. Gorducho Diz:

    - I am very blind and I begin to feel strange.
     
    Viu :?:
    O espírito já tava passando mal :lol: :lol: :lol: :lol:

  475. Vitor Diz:

    E certamente ela estava captando as reações do Crente.
    .
    Crente? Veja o que o próprio Hyslop diz do experimento:
    .
    His gold glasses were in it, but the statement, though correct, is not important, as it might be guessed from the nature of the case. No clairvoyance is indicated by the experiment.
    .
    Muito crente…
    .
    Ainda assim, poderia ser os óculos de qualquer pessoa, e o espírito reconheceu como sendo seus próprios óculos. São dois “chutes” corretos em vez de um. E ainda tem a caneta, que foi a primeira tentativa…

  476. Gorducho Diz:

    Vede Analista Borges
    Que diz da m/tese :?:
     
    https://www.youtube.com/watch?v=7jGP7yh9pkU

  477. Marciano Diz:

    Esto es lo que ocurre cuando comparamos uno de los cráneos de los yacimientos precolombinos y una estatua del cráneo de Nefertiti, madre de la estirpe real faraónica, descendiente directa de los Elohim. Las formas encajan y las evidencias también. Una vez más sería interesante pasar por encima de las mentiras oficiales, de la historia y los mitos que nos han vendido y realizar un análisis de ADN a estos cráneos precolombinos y a las momias de esta estirpe faraónica. Si algún laboratorio tuviera la valentía de realizar los análisis, probablemente los resultados superarían nuestras expectativas y demolerían los dogmas históricos imperantes, abriendo paso a un nuevos planteamientos sobre nuestros orígenes.
     
    http://www.narom.org/faraones%20006.jpg
     

    “Now I’m a believer. Not a trace of doubt in my mind”
    Seeing is believing.
    An image is worth a thousand words.

  478. Vinicius Diz:

    Kardec já foi um faraó em vidas anteriores:
    http://www.redeamigoespirita.com.br/group/recordandoallankardec/forum/topics/vivencias-evolutivas-de-allan

  479. Gorducho Diz:

    O fato da Nefertiti aparentemente não ter reencarnado cá na Terra me reforça a tese de que fossem ETs…

  480. Borges Diz:

    “Gorducho Diz:
    NOVEMBRO 30TH, 2015 ÀS 5:51 PM
    Foi ACoC quem perguntou por si…
    A propósito então: será que o Akhenaton e a Nefertiti não eram ETs?
    Os crânios longos; pesquisei e não vi reencarnações deles…”
    .
    Encontraram crânios longos com suturas diferentes das encontradas normalmente nos crânios terrestres. ETs ? clonagens?

  481. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Na boa, Contra… o que interessa se o cara queima ou não? Vamos tentar manter a vida sexual dos outros fora da discussão, please.
    /.
    NÃO DEVIA MAS NÃO RESISTO… é bom deixar fora mesmo, porque se deixar dentro melou…

  482. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    VISONI:Continua a falar besteira! O material que enviei já serve para mostrar que houve vários experimentos, mas há muito mais! Há várias nos Proc. XIII. A sua afirmação de que os pesquisadores não testaram a presença de espíritos no ambiente por anos cai por terra. Eis, inclusive, a conclusão de Hodgson (citando inclusive a grande massa de experimentos feitos por ele até chegar a conclusão de que GP era de fato um espírito): [...]
    .
    Pronto! Fica PROVADO que Hodgson fez testes SUFICIENTES (POR ANOS! Seus experimentos nessa linha cobrem no mínimo um período de 7 anos) para considerar a PRESENÇA de ESPÍRITOS no ambiente como PROVADA.
    /.
    PONDERAÇÃO: se o trecho que postou prova alguma coisa então faltou nele coisa para que seja probante… Equivoca-se sua pessoa em considerar que quanto mais tempo em pesquisa melhor a pesquisa. Se o experimentador seguir caminho torto poderá estudar trinta anos (como houve quem assim estudasse a mediunidade) e continuar com ideias tortas.
    .
    Quanto ao programa técnico, projetado pelos estudiosos da SPR, de verificação da presença de espírito, que foi requisitado para que o examinássemos, nada né?
    .
    Que tal uma engenharia mediúnica reversa? Comecemos de hoje, mostrando que os espíritos dão garantias atuais de suas presenças e, a partir dessa constatação, recuemos até Piper, a fim de verificar se as demonstrações presentes podem ser a ela aplicadas. Agir assim nos livrará de muito blablablá esticativo: eu de cá dizendo que espíritos não foram detectados junto a Piper e sua enérgica pessoa asseverando que sim.
    .
    Até alguns que apoiavam o trabalho investigativo de James acharam falhanças em seu método perquiritivo (o que pode ser estendido a todos os da SPR, pois não esgotaram, e, em verdade, nem tentaram de verdade, esclarecer Piper psicologicamente). Considere o texto a seguir (tradução de Visoni):
    .
    “James havia comentado que Piper era o seu “corvo branco”, negando a proposição universal de que todos os corvos são pretos, ou seja, que todos os médiuns são fraudes. A sobrinha imaginária de Hall se torna o corvo branco dos céticos, uma instância que nega a alegação de que Piper seja uma médium cuja autenticidade suportou todos os testes. Isso mostra que Piper, ou alguma parte dela — ou talvez algo que assumiu o controle de Piper — em pelo menos uma ocasião construiu personalidades, ao invés de apenas transmitir informações das pré-existentes, o que causou danos irreparáveis(?) à alegação de que Piper está apenas relatando o que vê. Isso deve ser concedido para o cético.
    .
    Outra armadilha veio da própria casa de James. A pedido de seu irmão, a irmã de James, Alice, mandou-lhe uma mecha de cabelo para que Piper pudesse meditar a seu respeito, como uma forma, talvez, de diagnosticar a misteriosa e debilitante doença de Alice. James queria que a amostra fosse dela, mas Alice enviou cabelo de um amigo morto em seu lugar. “Se James relatou os resultados a Alice, sua carta aparentemente não sobreviveu”, diz Gardner, implicando uma leve conspiração. “James ficou, provavelmente, muito envergonhado para registrá-la. Ele estava tão convencido da honestidade da Sra. Piper que ele teria considerado revelar tal fracasso um insulto a uma mulher nobre” (Gardner 40).
    .
    James manteve a fé em seu corvo branco. Talvez fosse melhor dizer que ele simplesmente acreditou que Piper foi só a casa de um corvo branco, o paraíso para ao menos um pedaço de evidência genuína no meio do disparate, e até mesmo da fraude. E desejando preservar o animal, ele decidiu não perturbar o seu habitat. Ele era como um ambientalista que protegeria a área maior para salvar uma pequena, mas de alguma forma valiosa, espécie que poderia estar vivendo ali. James, como os homens vitorianos com quem ele trabalhava, tinha um senso de proteção sobre as mulheres também. Se a armadilha de Alice foi de fato bem-sucedida, James teria ficado realmente embaraçado. Mais do que isso, os céticos desacreditariam em Piper inteiramente, juntamente com todo o fenômeno mediúnico. Certamente James teria se preocupado com Piper pessoalmente e consigo profissionalmente. Sua reputação, diz ele, está ligada à sua crença na sua honestidade. É presunçoso assumir, no entanto, que sua única preocupação fosse com a proteção de egos.
    .
    É provável que, principalmente, ele temesse que estas armadilhas bem sucedidas permitissem que as pessoas dissessem que a investigação mediúnica está encerrada, com o rótulo de “fraude” para sempre colocado no arquivo. Isso, ao que parece, seria parar o progresso psicológico o qual acreditava poderia ser feito nos estudos, e, além disso, prejudicar as relações que James viu tanto como filosoficamente valiosas quanto como pessoalmente importantes.
    .
    Um romântico filosófico, James era especialmente sensível à ética das relações, de uma maneira que deixa os cientistas de mente fechada desconfortáveis. Comentando sobre as suas interações com Piper, James faz uma admissão vulnerável:
    .
    JAMES: ‘Quando você encontrar respostas às suas perguntas e as suas alusões entendidas; quando são feitas alusões que você acha que entende, e seus pensamentos são entendidos por antecipação, negação ou comprovação; quando você tiver aprovado, aplaudido, ou trocado brincadeiras, ou agradecidamente ouvido conselhos que você acredita; é difícil não tirar a impressão de ter encontrado algo sincero no meio de um fenômeno social.’ (como citado em Simon 288)
    .
    Isso soa como um diário escrito por alguém que está apaixonado. Mas James parece estar caindo por algo mais do que apenas a conversa doce de Piper. Ele está impressionado com o fenômeno em si, e é difícil culpá-lo por isso. Mesmo que os médiuns não estejam, de fato, falando com os mortos, não deve ser difícil encontrar algo de valor pessoal, e talvez mesmo mais especificamente filosófico, na compreensão da dinâmica de comunicação médium-assistente.”
    (ÚLTIMA CHAMADA PARA WILLIAM JAMES: SOBRE O PRAGMATISMO, PIPER E O VALOR DA PESQUISA PSÍQUICA (2012))
    ./
    PONDERAÇÃO: o texto ajuda-nos a elucidar diversos pontos, alguns bem sutis, que não se percebem em leituras dos registros investigativos. Primeiramente que, para William James, não era tão importante a veridicidade dos eventos, mas sua utilidade no contexto em que inserido. Mesmo que Piper não fosse o que pensavam, se sua atuação produzia frutos então se tornava aceitável.
    .
    Outro ponto importante é que nem James, nem seus colegas da SPR, tentaram realmente aferir se havia espíritos na parada. Se quisessem realizar tal verificação (um dos modos de conferir) preparariam “armadilhas” das quais, se Leonora estivesse assessorada por mortos, as teria percebido. Tipo a que Hall e Tanner fizeram com a sobrinha inexistente. Entretanto, a maior armadilha veio de onde o próprio James não esperava: do seio da própria família.
    .
    Nunca é demais lembrar a frouxa resposta que o presidente da SPR deu à dupla de psicólogos quando lhe indagaram sobre engodos lançados contra o médium. Resposta típica de quem não estava interessado em investigar a real presença de mortos entre os vivos: ele já havia assumido (assumido, mas não confirmado) que defuntos viviam ao derredor da médium e nem percebia a importância de tais verificações.
    .
    Mas a mente mágica do Visoni consegue achar programa de testes dessa natureza entre os fascinados por Leonora…
    .
    Melhor dormir: Marciano, tem um single 12 sobrando?

  483. MONTALVÃO Diz:

    /
    /

    54 – “ao contrário, seis sessões, ceticamente conduzidas, disseram muitos mais que anos de investigações por acreditadores…”
    .
    VISONI: Muito? Sidgwick diz sobre a pesquisa de Tanner e Hall: “Estes resultados não irão, acredito, surpreender qualquer um dos investigadores ingleses”.
    /.
    PONDERAÇÃO: ok, e daí? Se os investigadores não se surpreenderam foi por quê? Estariam cientes de que Piper fosse explicável psicologicamente?
    ./
    /
    55 – “autonegação?”
    .
    VISONI: Sim. De suas atitudes típicas de pseudocético. Tipo sequer ler a obra inteira de Gauld e se julgar apto a criticá-lo… é uma pena que Antonhy Campbell seja uma joia rara no meio cético…
    /.
    PONDERAÇÃO: pobrezinho, nem sabe o que significa pseudocético… Mas, vou lhe contar um SEGREDO e fazer uma INDAGAÇÃO. O SEGREDO: seguindo seu próprio esquema de avaliar autores, não é preciso ler Gauld inteiro para comentá-lo. E a PERGUNTA: lestes a completa obra gauldeana?
    /
    /
    57 – “pode ser que Hall e Cia tenham sido um tanto rudes nesse aspecto, mas pode ser que os fãs estejam exagerando. O “detestável” do Greg não está aí, sim na insistência dos psicólogos em explicar, como explicaram, Piper pela psicologia.”
    .
    VISONI: Não explicaram, eles entraram em contradição diversas vezes.
    .
    PONDERAÇÃO: favor, exponha as tais contradições… E das limitações e falhas das pesquisas da SPR, levadas a cabo por vários anos, destas nada a declarar?
    /
    /
    58 – “Isso é o que Greg não admite, tampouco admitiram os sábios da SPR, os que estavam vidrados no misticismo. Eles queriam, porque queriam, que a pantomima de Piper expressasse manifestação de defuntos e, quando lemos descrições mais ou menos detalhadas dos ocorridos, ficamos a nos perguntar: sera que eles bebiam (muito) 51 ou o quê?”
    .
    VISONI: Você quer enganar a quem dizendo que leu descrições mais ou menos detalhadas?
    /.
    PONDERAÇÃO: por incrível que lhe possa parecer sim, para tanto tomei sacos e mais sacos emprestados… o próprio artigo do Newbold, a quem sua pessoa vota grande veneração, contém descrições detalhadas… Se ainda não percebeu, sugiro que o leia…
    ./
    /
    59 -”PONDERAÇÃO: claro que “em NENHUM lugar ele diz isso”, quanto a dar a entender, entendo que dá sim. É claro que estou especulando, conforme falei antes, mas há base, ainda que indireta, para tal especulação. Certamente Greg conhece as alegações de que Hall e Tanner perturbaram a mediunidade da moça. ”
    .
    VISONI: Pois você está errado, até porque Greg está bem ciente que a mediunidade de Piper não acabou com os testes de Stanley e Hall.
    /.
    PONDERAÇÃO: conforme falei (e se Greg disso estiver ciente ótimo): não se perde o que não se tem. Por outro turno, a acusação de que foram Hall e Tanner quem estrumbicaram com Piper tornou-se mito comum na SPR: até Gauld, que chefiou a organização quase um século depois do trabalho dos psicólogoso repete a aleivosia. Creio que disso esteja ciente… Ou não?
    /
    /

    60 – “Se “ele” falou nessa língua diante dos olhos de Hodgson seria preciso confirmar o que e quanto falou: ”
    .
    VISONI: Seria o ideal. Mas já basta para dizer que a frase cética de que Phinuit não falava francês “não é bem assim…”. Como, aliás, vindo dos céticos, nunca é.
    /.
    PONDERAÇÃO: pô, agora quem pisa na bola é o “especialista” em Gauld: o próprio admite que o francês estava tão distante de Phinuit quanto o sol dista da lua; se tem este autor como referência deveria levar em conta o que diz. E Gauld “quase” reconhece que a veridicidade da existência de Phinuit era diretamente proporcional à realidade das fadas de Doyle.
    /
    /
    61 – “que S.POA nos socorra: não é bem assim. James ficou no cimo do muro, não fechou conclusão.”
    .
    VISONI: FECHOU SIM!
    .
    “A minha impressão após a primeira visita foi de que a Sra. Piper era portadora de poderes supranormais ou conhecia os membros da família de minha esposa de vista e tinha, por alguma coincidência, tomado conhecimento de uma variedade de suas situações e condições domésticas para causar a impressão impactante que causou. O meu conhecimento posterior sobre suas reuniões e o contato pessoal com ela me levam a rejeitar a última hipótese e a CRER QUE ELA TEM PODERES SUPRANORMAIS.”
    .
    Fica provado mais um erro montalviano…
    /.
    PONDERAÇÃO: “Nunca é bem assim”, diz-nos a conjetura de POA… ao que acrescento, “mesmo que, à primeira vista, pareça (quando se trata de defender alegações nebulosas, obviamente). Usando o texto que o JP postou (com pretensão apologética, e que extraiu da wikipédia) achamos:
    /
    WILLIAM JAMES: “(…) uma proposição universal pode ser mostrada falsa por um exemplo particular. Se você deseja questionar a lei que todos os corvos são negros, você não precisa mostrar que nenhum corvo o é; é suficiente se você provar que um único corvo seja branco. Meu próprio corvo branco é a Sra. Piper. Nos transes desta médium, não posso resistir à convicção de que surgem conhecimentos os quais ela nunca obteve pelo uso habitual dos seus olhos, ouvidos e sagacidade. QUAL A FONTE DESTE CONHECIMENTO, EU NÃO SEI (…); mas não vejo escapatória de admitir o fato de tal conhecimento. Então, quando eu me volto para o restante das evidências (…) não consigo carregar comigo o viés irreversivelmente negativo da mente científica rigorosa, com sua presunção sobre o que a verdadeira ordem da natureza deve ser.” – William James.
    ./
    Então, se James, em algumas declarações, mostrou-se inclinado ao paranormal, em outros pronunciamentos preferiu a prudência de confessar-se insabedor do que seria efetivamente o fenômeno Piper.
    ./
    James, também, declarou o que segue que, apesar de não se referir a Piper, expressa a simpatia que o autor tinha pela hipótese de entidades espirituais atuando no mundo (não esqueça que, nada obstante tratar de uma mente brilhante, James provinha de ambiente influenciado pelo misticismo, o que certamente norteou suas preferências, apesar dele as vivenciar dentro do conceito de pragmatismo por ele mesmo criado):
    .
    “A recusa do “iluminismo” moderno em tratar a “possessão” como uma hipótese a ser considerada pelo menos plausível, apesar de ter a seu favor uma vasta tradição baseada em experiências humanas concretas, sempre me pareceu um exemplo curioso da força dos modismos nas coisas “científicas”. Que a teoria dos demônios (i. e., espíritos malignos) irá novamente predominar é para mim absolutamente certo. A pessoa precisa ser mesmo “científica”, para ser tão cega e ignorante a ponto de não suspeitar de tal possibilidade.”
    .
    Da wikipédia nacional tiro:
    .
    “Ao longo de sua pesquisa, James considerou as seguintes hipóteses sobre ela: primeiro, a possibilidade de fraude, o que ele rejeitou depois de anos de observações cuidadosas; em segundo lugar, a teoria de uma extensão “subliminar” da mente de Piper, o que implicaria a aceitação de um reservatório mundano de informações expressas apenas através de estados de transe; terceiro, a hipótese da telepatia, que também considerou insuficiente para alguns casos; e quarto, A HIPÓTESE DO ESPÍRITO, QUE ELE RECONHECEU COMO “NÃO SÓ A MAIS NATURAL, MAS A MAIS SIMPLES” EMBORA NÃO APOIADA POR EVIDÊNCIA CONCLUSIVA.[16]”
    Obtida de “https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Leonora_Piper&oldid=43663652″
    ./
    Conquanto não se possa confiar centos por cento na wikipédia, a referência à declaração remete ao Alexander Moreira que, se estiver correta, correta estará (logicamente, correta a referência não o conteúdo…)
    /.
    Na wikipedia americana achamos:
    .
    “Researchers and scientists who studied Piper’s mediumship have described mentalist techniques such as cold reading, muscle reading and “fishing” she may have used to gather information about séance sitters.[3][4][5][6] Science writer and mathematician Martin Gardner dismissed Piper as a “clever charlatan.”[7]
    /.
    DEVAGARINHO vamos desconstruindo mais um mito mediúnico…

  484. Gorducho Diz:

    &c. & Mesmo que os médiuns não estejam, de fato, falando com os mortos, não deve ser difícil encontrar algo de valor pessoal, e talvez mesmo mais especificamente filosófico, na compreensão da dinâmica de comunicação médium-assistente.”
    (ÚLTIMA CHAMADA PARA WILLIAM JAMES: SOBRE O PRAGMATISMO, PIPER E O VALOR DA PESQUISA PSÍQUICA (2012))

     
    Foi por cá m/engano quanto aos propósitos de discussão filosófica propalados pelo Sr. Victor
    Achei que a intenção dele seria discutir essa linha do pragmatismo/utilitarismo. Assim, digamos poderiam os chiquistas defender que visto as mamães se sentirem melhor, poderem retornar a seus afazeres, não dispenderem suados $ com psiquiatras e drogas químicas (ainda que fazendo uso de drogas religiosas), então seria “verdade”, porque “útil” a crença, que os falecidos não falecerem, e agora junto à vovó e ao vovô se dedicam a Jesus.
     
    Muito boa a do nosso corvo branco!
     
    Credo! Que a teoria dos demônios (i. e., espíritos malignos) irá novamente predominar é para mim absolutamente certo.
    O WJ disse isso? Onde?
    Se sim podemos dá-lo por definitivamente finalizado!

  485. Vinicius Diz:

    “Assim, digamos poderiam os chiquistas defender que visto as mamães se sentirem melhor, poderem retornar a seus afazeres, não dispenderem suados $ com psiquiatras e drogas químicas (ainda que fazendo uso de drogas religiosas), então seria “verdade”

    Quando se questiona algum médium sobre a identidade do espirito comunicante ou autentidade 99% respondem que o que importa é o conteúdo e se está de acordo com o evangelho de Jesus.
    Será que Jesus “forjou” um encontro com Moises e Elias somente para consolar seus discipulos de que eles ainda estavam trabalhando pelas leis e profecias?

    Supondo-se que venha uma mensagem de Dr.Bezerra hoje falando em amor, união e fé e amanhã alguém diga que Dr.Bezerra não mandou essa mensagem, a explicação é:
    01) Bezerra mandou um outro auxiliar para ditar;
    02) O que importa é o conteúdo, o amor é maior
    Enfim…
    Eis a ciência espírita definida por Kardec:

    “O Espiritismo é, ao mesmo tempo, uma ciência de observação e uma doutrina filosófica. Como ciência prática ele consiste nas relações que se estabelecem
    entre nós e os espíritos; como filosofia, compreende todas as consequências morais que dimanam dessas mesmas relações.
    Podemos defini-lo assim:
    O Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, origem e destino dos Espíritos, bem como de suas relações com o mundo corporal (O que é o Espiritismo-Preâmbulo)

    E Kardec coloca o cimento na tumba:

    “Entre os que se manifestam, muitos não têm nomes para nós, mas, então, para fixar as nossas ideias, eles podem tomar o de um Espírito conhecido, da mesma categoria da sua; de modo que, se um Espírito se comunicar com o nome de Pedro, por exemplo, nada nos prova que seja precisamente o Apóstolo desse nome; tanto pode ser ele como outro da mesma ordem, como ainda um enviado seu. A questão da identidade é, neste caso, inteiramente secundária e seria pueril atribuir-lhe importância; o que importa é a natureza do ensino, se é bom ou mau, digno ou indigno da personagem que o assina; se esta o subscreveria ou repeliria: eis a questão. (o que é o espiritismo-identidade dos espíritos)”

    :lol:

  486. Vitor Diz:

    Que a teoria dos demônios (i. e., espíritos malignos) irá novamente predominar é para mim absolutamente certo.
    .
    Mas quem foi o IMBECIL irresponsável por essa tradução? James escreve:
    .
    “That the demon-theory – NOT NECESSARILY a devil-theory”
    .
    Justamente ele disse que NÃO está se referindo necessariamente a ‘espíritos malignos’. Baseado nisso, entendo que James está falando de “demônio” no sentido de “daemon”, tal qual Sócrates tinha o dele (entendido por “gênio pessoal”).
    .
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Daemon
    .
    A palavra “daimon”, da qual fizeram o termo demônio, não era, na Antiguidade, tomada à má parte, como nos tempos modernos. Não designava exclusivamente seres malfazejos, mas todos os Espíritos, em geral, dentre os quais se destacavam os Espíritos Superiores, chamados de DEUSES, e os menos elevados, ou demônios propriamente ditos, que comunicavam diretamente com os homens.
    .
    Que esse é o verdadeiro sentido das palavras de James fica claro para quem ler a frase IMEDIATAMENTE anterior:
    .
    To consider the case of permanent entities first, there is no a priori reason why human spirits and other spiritual beings might not either co-operate at the same time in the same phenomenon, or alternately produce different manifestations. Prima facie, and as a matter of “dramatic” probability, other intelligences than our own appear on an enormous scale in the historic mass of material which Myers first brought together under the title of Automatisms”.
    .
    Por isso eu digo que é sempre bom consultar as fontes originais…

  487. Gorducho Diz:

    Onde ele escreveu isso p/que possamos checar e ver o contexto?
    Porque se ele disse isso então está desqualificado doravante – tipo aquele que se encantou c/o Sai Baba e por extensão aquele “outro” que com ele colaborou…).

  488. Vitor Diz:

    Por que ele está desqualificado doravante? Físicos não viram nenhum problema em considerar a hipótese de “anjos”, por exemplo.
    .
    http://obraspsicografadas.org/2012/fsica-moderna-e-mundos-sutis-no-mutuamente-exclusivos-2000/
    .
    No mesmo lugar onde você agora se senta, aí também pode, nesse mesmo instante, sentar-se uma superabundância de outros seres conscientes, alguns dos quais podem também estar ponderando as limitações sensórias de sua versão particular de teoria de campo quântica.
    .
    Neste contexto, a proposta de que um céu ou um inferno coexistem em espaço conosco pode começa a parecer bastante plausível. Da mesma forma os relatórios de encontros próximos de UFOs em que alegadas civilizações avançadas parecem ser capazes de manipulação e locomoção entre mundos não físicos e físicos.
    .
    A lista prontamente se expande a túneis de quase-morte, espíritos, anjos, auras, planos astrais, outras “dimensões”, e vários outros conceitos relegados por muitos cientistas da corrente principal ao terreno da fantasia. Quando certos indivíduos afirmam que eles percebem tais coisas, talvez a resposta científica adequada deva ser a investigação, ao invés da prática mais comum de descrédito e descarte. Algo na fisiologia dessas pessoas pode estar de alguma forma unida, de modo presumivelmente delicado, a um ou mais outros campos de força do mundo. Sabemos que a consciência individual e o seu correspondente corpo físico interagem de formas que nós ainda não entendemos plenamente. Essa mesma consciência também não poderia reagir, por formas ainda menos compreendidas, com corpos transfísicos quase impalpáveis mas igualmente reais?

    .
    O físico que escreveu isso por acaso é maluco? Não me parece nem um pouco. É o mesmo que William James está escrevendo. A título de hipótese, claro. Ele escreveu isso nos Proccedings XXIII, pág, 118.

  489. Gorducho Diz:

    Analista Vinicius, cá o fulcro não seria esse. É que quando Sr. Victor manifestou a intenção de promover uma discussão filosófica “formal” digamos assim, i.e., baseada em correntes reconhecidas pelo ramo – i.e., pelos que formalmente exercem o ofício… – eu achei que poderia querer ele analisar essa corrente filosófica.
    Segundo algumas linhas de pensamento dessas, “verdade” filosoficamente não existiria, mas sim “verdade” seria o “útil”.
     
    CX claramente não pensava assim pois que disse p/o Jaci Régis (veja se quiser no sítio do Instituto Cultural Kardecista de Santos que aparentemente é controlado por adeptos e familiares dele) a vida é mais importante que a verdade.
    Não sei em que contexto ele disse isso – provavelmente não se referindo às cartinhas especificamente -, mas revela a “ideologia” subjacente. Provavelmente pensasse que as tarefas supostas “nobres” de proselitizar o tal espiritismo evangélico da FEB e consolar as mamães justificasse.
    Interpreto, claro.

  490. Gorducho Diz:

    Físicos não viram nenhum problema em considerar a hipótese de “anjos”, por exemplo.
     
    Ah! e quer que eu lhe diga a verdade acerca dum “físico” que acredita em anjos?

  491. Vitor Diz:

    Eu não disse que o físico acredita, apenas que não vê nenhum empecilho a priori. Que foi o que o James disse:
    .
    To consider the case of permanent entities first, there is no a priori reason why human spirits and other spiritual beings might not either co-operate at the same time in the same phenomenon, or alternately produce different manifestations. Prima facie, and as a matter of “dramatic” probability, other intelligences than our own appear on an enormous scale in the historic mass of material which Myers first brought together under the title of Automatisms”.

  492. Gorducho Diz:

    Veja como o cara é um sem-noção, que deveria se limitar ao cale a boca e calcule – pois que eu sei o formalismo quântico ele conhece…
    Isso é o que dá o fanatismo religioso – i.e., a metafísica se a entendermos na sua concepção original que se referia à teologia – interferir nas profissões que exercemos no mundo real.
     
    There is a common misconception, held by many scientists and nonscientists alike, that the laws of physics preclude the existence of nonphysical entities and any concomitant metaphysical realms.
     
    Ora, a física e portanto suas teorias, por definição não se envolvem com a metafísica :!:

  493. Gorducho Diz:

    Afinal e o texto do WJ :?:

  494. Vitor Diz:

    “Ora, a física e portanto suas teorias, por definição não se envolvem com a metafísica :!:
    .
    FALE ISSO PROS PSEUDOCÉTICOS!!! :D Esse erro, por exemplo, ocorre direto no recentíssimo livro “The Myth of an Afterlife: The Case against Life After Death ” O físico está justamente criticando isso.
    .
    “Afinal e o texto do WJ :?:
    .
    Já te dei a referência. E mostrei que ao contrário do que a tradução disse, ele NÃO está dizendo que acredita em demônios. Ele fala de espíritos de uma maneira geral.

  495. Gorducho Diz:

    Quanto a S/mais nova observação, não. Tanto que a orientação da liderança da N/bancada, a qual eu acompanho é invocar a cláusula menos restritiva: espíritos, se existirem, não se comunicam.
    Agora queres misturar física com metafísica como fez o por si citado é… bah :!:

  496. Vitor Diz:

    “Agora queres misturar física com metafísica como fez o por si citado é… bah ”
    .
    Mais uma vez, quem faz isso são os pseudocéticos, e o físico está justamente criticando isso!!!!

  497. Gorducho Diz:

    Aliás foi a fantástica sandice do Kardec do espiritismo original: tentar provar cientificamente propostas metafísicas.
     
    Por isso digo sem nenhuma ironia que a FEB pelo menos é mais sensata ao ter abandonado qualquer tentativa de cientificidade e se postar como qualquer outra igreja baseado-se em revelação fé.

  498. Gorducho Diz:

    Mas foi ele que num artigo sobre física – i.e. ele faz toda aquela conversa p/dizer que o princípio da exclusão do Pauli não se aplica a todos objetos quânticos – como se alguém não soubesse disso :( – e aí larga aquela pérola associando física c/meta.

  499. Vitor Diz:

    “como se alguém não soubesse disso :(
    .
    O livro “The Myth of an Afterlife: The Case against Life After Death” mostra justamente que tem muita gente que não sabe disso!!!!!!
    .
    Hoje tá difícil, uma tradução medonha do Montalvão e o Gorducho criticando o físico que está plenamente correto em suas colocações. Pelo menos hj é dia de 13º…

  500. Gorducho Diz:

    Já te dei a referência.
    :?:

  501. Vitor Diz:

    Veja o post DEZEMBRO 1ST, 2015 ÀS 8:26 AM EDIT

  502. Gorducho Diz:

    Entenda: seres metafísicos “existem” no universo das idéias do Platão, i.e. dentro da cabeça das pessoas.
    É o tipo e existência que que têm i, e, π, todos os outros números finitos e transfinitos 0, c (infinito contínuo infinitamente mais infinito que ⇽0), um quadrado, uma esfera, o amor, D∙us…
    Isso nada tem a ver com o universo físico!

  503. Gorducho Diz:

    ERRATA
    Onde se lê quadrado leia-se aleph- zero (infinito contável).

  504. Contra o chiquismo Diz:

    Borges Diz:
    NOVEMBRO 30TH, 2015 ÀS 5:52 PM
    .
    Espíritos? Existem sim. Pelo andar da carruagem, infelizmente, você só se dará conta, quando tentar conversar com um encarnado e ele não responder.
    Nota: espero que demore uns trezentos anos para isto acontecer.
    Um abraço
    .
    .

    Aí o que eu faço? Vou prum centro ser doutrinado? E vc? por mais bonzinho que seja, vai passar no mínimo uns 13 anos no ‘umbral’. E vc deve fazer tudo nessa ‘encarnação ‘ pra escapar de lá ou passar no máximo 3 anos não?

  505. Vitor Diz:

    seres metafísicos “existem” no universo das idéias do Platão, i.e. dentro da cabeça das pessoas. É o tipo e existência que que têm i, e, ?, todos os outros números finitos e transfinitos ?0, c (infinito contínuo infinitamente mais infinito que ?0), um quadrado, uma esfera, o amor, D?us… Isso nada tem a ver com o universo físico!
    .
    Esse seu parágrafo daria discussões infindas em várias frentes. Por exemplo, os números imaginários parecem ser muito mais reais do que se poderia imaginar. Alguns séculos atrás, descobriu-se que é possível solucionar alguns problemas matemáticos até então “irresolvíveis” se você, de modo aparentemente “artificial”, considerar que a raiz quadrada de -1 é i. (Bem, não é exatamente isso. Mas é algo, digamos, suficientemente parecido com isso…). Cita-se que Rafael Bombelli conseguiu, lançando mão de tal artifício (ou de artifício similar a esse), chegar à solução de equação até então impossível de ser resolvida. Onde todos os demais matemáticos paravam, ele pode seguir, e encontrar o resultado que “X = 4″ (no caso em questão). Isso aparece citado no link abaixo (da famigerada Wikipedia):
    .
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Rafael_Bombelli
    .
    Aí durante séculos a fio a maioria dos matemáticos seguiu convicta de que tal expediente era apenas um artifício totalmente separado da realidade física do mundo ao nosso redor. E isso permaneceu assim até que começaram a aparecer (começaram a ser descobertas) facetas do universo físico que só podem ser explicadas se… lançarmos mão dos números imaginários! Isso é uma reviravolta e tanto. Aquilo que parecia mera invenção instrumental se mostra como uma talvez (muitos diriam mesmo: como uma provável) descoberta! Penrose cita que os números imaginários (mais especificamente os números complexos) são fundamentais no desenvolvimento da Teoria do Caos, que é uma teoria que consegue dar conta de alguns fenômenos físicos complexos intratáveis sem ela. A Teoria do Caos é parte da Física Clássica (assim como a Teoria da Relatividade; mas creio que a Relatividade não usa os números imaginários). Também a Mecânica Quântica (a outra grande teoria física a disputar a explicação do universo com sua única rival: a Teoria da Relatividade) depende dos números complexos. Um pequeno estudo apresentado na internet expõe uma considerável quantidade de exemplos de coisas Reais que dependem dos números “imaginários” para serem adequadamente entendidas e manipuladas. No link abaixo:
    .
    http://rossroessler.tripod.com/
    .
    Enfim, já viu que isso dá muito pano pra manga… quer discutir isso?
    .
    Quem disse que Deus, se existir, nada tem a ver com o universo físico? Até porque dizem que foi Ele quem criou o Universo físico… quer discutir isso?
    .
    Você disse que isso nada tem a ver com o universo físico, mas e se o universo não for físico, e sim informacional? Chalmers diz: “Wheeler (1990) has suggested that information is fundamental to the physics of the universe. According to this “it from bit” doctrine, the laws of physics can be cast in terms of information, postulating different states that give rise to different effects without actually saying what those states are.”. (o artigo do qual Chalmers fala é: Wheeler, J. A. 1990. Information, Physics, Quantum: The Search for Links. In W. Zurek, ed., Complexity, Entropy, and the Physics of Information. Redwood City, Calif.: Addison-Wesley.).Ao ser não físico e sim informacional, o universo parece mais próximo de algo matemático do que de algo físico. Quer mesmo discutir isso?
    .
    Francamente, eu não me sinto à vontade de discutir nenhum desses assuntos, e nem quero. O que você precisa aceitar é que nem james nem o físico estão errados em suas colocações. No livro “The Myth of an Afterlife”, por exemplo, você vai encontrar diferentes autores afirmando repetidamente esse argumento: espíritos, se existirem, não podem interagir com o nosso mundo, por isso seria uma violação da primeira lei da termodinâmica (ou algo similar) que determina que a energia/massa não pode ser criada ou destruída (ela só pode ser alterada), nem pode ser aumentada ou diminuída. Conservação de energia. Fortemente ligado a isso, está a noção de que espíritos não pode interagir com a matéria, porque os dois são muito diferentes um do outro. Ambos os argumentos são nonsense! É triste ver que até mesmo alguns pesquisadores da vida após a morte sérios dão algum crédito a este disparate. Se espíritos existem, não sabemos o que eles realmente são, e do que eles são feitos. Dizer que os espíritos não são feitos de matéria, ou que eles não são feitos de algo que possa interagir com o nosso mundo conhecido, é colocar a carroça na frente dos bois. É uma falácia. Materialistas caem nisso em grande quantidade (muitas vezes de forma desonesta). Espiritualistas também. E é esse alerta que o físico está dando.
    .
    PS: pq vc escreveu D.us em vez de Deus? É para não dizer o nome Dele em vão?!

  506. Gorducho Diz:

    Enfim, já viu que isso dá muito pano pra manga… quer discutir isso?
    Querer não quero (prefiro discutir espiritismo como sabe) mas sim podemos visto Sr. Victor querer discutir filosofia formal.
     
    Quem disse que Deus, se existir, nada tem a ver com o universo físico? Até porque dizem que foi Ele quem criou o Universo físico… quer discutir isso?
    Se esse ser existir não sabemos se terá os atributos dessa outra divindade a qual, face não termos nenhum motivo p/supor que exista afora dentro dos neurônios de alguns – visto que as divindades não são semelhantes dentro das 56001 religiões, certo? – então será um ser físico e não esse metafísico de por enquanto.
    Querer não quero mas sim podemos: melhor que ficar eternamente ruminado Ms. Piper.
     
    Sim, ontem vendo o assunto – aliás, já cobrou aquilo do cientista conhecido seu aquele? – lembrei-me que não se podia proferir o nome de Faraó. Claramente daí que os judeus tiraram isso :!:

  507. Contra o chiquismo Diz:

    Gorducho, existem entidades de umbanda?
    .
    O que leva pessoas a curvarem a coluna e falar igual a um ancião de 94 anos? (afrodescendentes da 4ª idade – não podemos falar preto velho)
    .
    O que leva uma pessoa a rodar e dar risadas altíssimas – iááááa ha haaaaaaaaaa!!! – (exus-p giras)?
    .
    O que leva uma pessoa a brincar com brinquedos infantis e chupar dedo ( crianças )?
    .
    O que faria pessoas se ajoelharem e dar flexadas no ar simulando esse ato? (caboclos)
    .
    O que fariam pessoas andar sobre brasas e cacos de vidro, tomar cachaça com pimenta e fumar charutos?
    .
    Seria histeria coletiva? Auto engano dos brabos? Ou simulação sem vergonha?
    .
    Esses mesmos eram perseguidos dos kardecistas, daí fundaram essa religião afro ameríndia.
    .
    .
    ** no início dos ‘trabalhos’ aqui no Brasil os kardecistas eram perseguidos pela polícia (se gabam disso) e as reuniões eram meio que secretas de portas fechadas. Ráaa… fizeram o mesmo com os umbandistas (não com poder de polícia óbvio)…

  508. Contra o chiquismo Diz:

    Senhores… apelo para que acabem com essa coisa de Filosofia, poxa, tem um monte de sites sobre isso, agora discutir coisas do ‘espiritismo’ como nós, acho que somos os únicos na internet. Se ficarmos com isso de Filosofia ficará um site como outro qualquer… até mesmo Piper que nada provou já deu. Voltemos as origens. Também podemos discutir o butchering de hipopótamos e a filetagem de carne de urso, (sim come-se ursos tb) quiçá os melhores temperos para espetos escorpiões e tanajuras.

  509. Gorducho Diz:

    É o que sempre se diz; cada grupo imagina entidades diferentes conforme seu contexto. O que prova que é tudo fantasia – desconsiderando casos de fraude consciente/intencional, claro.
    O fracasso da metapsíquica levou ao desespero estatístico da parapsicologia. Hoje os parapsicólogos siquer consideram a possibilidade das “materializações”, que eram dadas como certas no tempo da metapsíquica.
    É isso: tudo fantasia.

  510. Gorducho Diz:

    Segundo CX há excelentes hospitais nas colônias, certo?
    No entanto Dr. Bezerra em 115 anos nunca se tratou e apresenta-se nesse aparente deplorável estado seja das cordas vocais seja dos próprios pulmões.
    Tem nexo?
    Fecha?
    Não :!:

  511. Vitor Diz:

    “Hoje os parapsicólogos siquer consideram a possibilidade das “materializações”
    .
    Não é bem verdade:
    .
    http://www.survivalafterdeath.info/letters/fontana1.htm

  512. Marciano Diz:

    MONTALVÃO aconselha e pergunta:
     
    “Melhor dormir: Marciano, tem um single 12 sobrando?”
     
    É nisso que tenho pensado, MONTALVÃO.
    Melhor mesmo tentar dormir, relaxar, deixar a pseudofilosofia e as bravatas de gente doente da cabeça de lado.
    Estou cansado de discutir sexo dos anjos.
     
    A propósito, tenho um Cardhu e um Glenfiddish sobrando (12 anos).
    Vamos partilhar uma garrafa no Bar do Bigode, por minha conta.
    É melhor do que fazer análises “filosóficas” sobre óxido de ferro em bispote de substância terrosa proveniente da degeneração de rochas feldspáticas, constituída basicamente pela combinação da sílica e da alumina, cozida entre 800 e 1500ºC :lol:
     
    Vou trabalhar um pouco, pois não vivo de ócio, como alguns filósofos vagabundos confessos (a confissão está mais acima, é só procurar por “não trabalho”).
    Vou limitar mais um pouco minha participação aqui.
     
    Como diz o ditado, “Non c’è cosa così cattiva che non sai buona.
    Não há coisa tão ruim de que não provenha um bem.
    Ando perdendo tempo de trabalho e de sono por pouca coisa.

  513. Marciano Diz:

    Procurem por “não preciso trabalhar”, que dá mais ou menos no mesmo.
    Pode não ser um caso de vagabundagem, mas de grande riqueza material, excesso de dinheiro.

  514. Gorducho Diz:

    Não é bem verdade:
     
    Está bem, tem razão, é mesmo… mas esse não se encaixa no perfil dum parapsicólogo típico – digamos o Dr. Zangari -; está é na linha daqueles cientistas chiquistas que nós conhecemos bem…
    Duvido que e.g. o Dr. Zangari acredite em materializações, certo?
     
    I have always been fascinated by the deeper mysteries of life. Even as a very Young boy I remember pondering about the next world. At church there was talk of heaven for those who lived a good life, and a darker place for the wicked, but beyound this broad division the details were few and far between. When I was a little older and started seeking to fill some of the gaps, adults gave me the distinc impression that everything shoul be left to faith. For me this didn’t remove the mistery. What would we live? Would we meet old friends and Family again?

  515. JP Diz:

    Vitor, obrigado pelas respostas. Li sobre o Bessent, realmente impressionante.

    Sobre o Cayce , esse artigo fala sobre ele e outros parecidos: http://www.alipsi.com.ar/articulos_parra/parra-and-argibay-token-object-effect.pdf

    E sobre Alex Tanous? Vi que você traduziu uma rápida passagem sobre ele do livro do Roggo. Mas você pretende traduzir mais sobre ele? Acho que vale muito. Tem esse artigo do Journal of American Society for Psychical Research , junto com a repercussão dos experimentos com Tanous em outros documentos: http://www.alextanous.org/sites/default/files/172_370278175.pdf

  516. JP Diz:

    Também há videos interessantes com filmagens dos experimentos da ASPR com Tanous no you tube..

  517. Vitor Diz:

    MONTALVÃO:”se o trecho que postou prova alguma coisa então faltou nele coisa para que seja probante… ”
    .
    Se vc não quer aceitar as provas, aí é problema seu. Para mim não há problema em sua recusa nisso. Mas se continuar a dizer que os pesquisadores não testaram repetidas vezes os espíritos no ambiente será desonestidade sua. Os experimentos corroboram que os espíritos são capazes de saber o que ocorre em ambientes distantes deles em situações controladas, e vislumbrar objetos em caixas lacradas, mas especialmente imagens de forte conteúdo emocional. Muitos dificilmente veem letras e números.
    .
    MONTALVÃO: “Equivoca-se sua pessoa em considerar que quanto mais tempo em pesquisa melhor a pesquisa.Se o experimentador seguir caminho torto poderá estudar trinta anos (como houve quem assim estudasse a mediunidade) e continuar com ideias tortas. ”
    .
    Verdade. Você mesmo mostra isso. Por mais literatura que eu te apresente, você continua incorrendo nos mesmos erros.
    .
    MONTALVÃO: “Que tal uma engenharia mediúnica reversa? Comecemos de hoje, mostrando que os espíritos dão garantias atuais de suas presenças e, a partir dessa constatação, recuemos até Piper, a fim de verificar se as demonstrações presentes podem ser a ela aplicadas. Agir assim nos livrará de muito blablablá esticativo: eu de cá dizendo que espíritos não foram detectados junto a Piper e sua enérgica pessoa asseverando que sim.”
    .
    Harribance, Lina, Ingo Swann… escolha.
    .
    MONTALVÃO: “Outro ponto importante é que nem James, nem seus colegas da SPR, tentaram realmente aferir se havia espíritos na parada. Se quisessem realizar tal verificação (um dos modos de conferir) preparariam “armadilhas” das quais, se Leonora estivesse assessorada por mortos, as teria percebido.”
    .
    “Um dos modos” está bem longe de ser “o único modo”. E esse modo de “inventar personalidades” é um dos piores modos possíveis, até porque é facilmente explicável, e no fim não resolve em nada a questão. O próprio Hall e a Tanner meteram os pés pelas mãos porque viram que uma Bessie Beals de fato existia. O autor do artigo que você citou não parece ter sabido disto. Mas diversas armadilhas, de outros tipos, foram preparadas sim pelos pesquisadores e assistentes.
    .
    MONTALVÃO: “Entretanto, a maior armadilha veio de onde o próprio James não esperava: do seio da própria família.”
    .
    Nesse episódio, autor se baseou em Gardner, que frequentemente conta tudo errado. De minha parte, ignoro tal episódio. Aliás, o episódio todo parece pura suposição de Gardner.
    .
    MONTALVÃO: “Nunca é demais lembrar a frouxa resposta que o presidente da SPR deu à dupla de psicólogos quando lhe indagaram sobre engodos lançados contra o médium. Resposta típica de quem não estava interessado em investigar a real presença de mortos entre os vivos: ele já havia assumido (assumido, mas não confirmado) que defuntos viviam ao derredor da médium e nem percebia a importância de tais verificações.”
    .
    Não gostou da resposta do presidente? Fique com os motivos de Sidgwick então:
    .
    Acho que o Dr. Stanley Hall — embora fosse um psicólogo e, embora acreditasse que as personalidades de transe eram formas da Sra. Piper — negligenciou o fato de que ele poderia estar desse modo ferindo permanentemente seu psicológico como sujeito da experiência
    .
    Ou então os motivos de Hyslop:
    .
    Both authors confess to deception. Dr. Hall even more frankly admits the “ugly word,” that they lied to the trance personalities or the subliminal of Mrs. Piper, and then gloat over the evidence for suggestibility, as if we psychic researchers had not long ago discovered that we should get nothing else by this policy, and so adopted the policy of encouraging this very delicate mechanism to see if anything more than an echo of our own statements would be forthcoming. This was the only sane policy for any one seeking to test the nature of the phenomena. But these troglodyte experimenters have never learned any lessons from the fable of the goose that laid the golden egg. They confess to lying to accomplish their object, in naive ignorance of the simple fact that, if suggestibility is there, they will only get back what they give and disqualify themselves for passing judgment upon the possibilities of the supernormal. Even the despised Spiritualists long ago learned this lesson and their stock phrase: “You only get back what you give” is common parlance for just this liability of defeating rational experiments by trying irrational ones for settling the issue.
    .
    MONTALVÃO: “ok, e daí? Se os investigadores não se surpreenderam foi por quê? Estariam cientes de que Piper fosse explicável psicologicamente?”
    .
    Respondido imediatamente acima, nas palavras de Hysplop.
    .
    MONTALVÃO: “pobrezinho, nem sabe o que significa pseudocético…”
    .
    Eu não dei o significado, e sim uma atitude típica.
    .
    MONTALVÃO: “Mas, vou lhe contar um SEGREDO e fazer uma INDAGAÇÃO. O SEGREDO: seguindo seu próprio esquema de avaliar autores, não é preciso ler Gauld inteiro para comentá-lo.”
    .
    A menos que os erros de um autor já sejam muito bem conhecidos, para criticar é preciso ler sim.
    .
    MONTALVÃO: “E a PERGUNTA: lestes a completa obra gauldeana?”
    .
    Li seu livro mais famoso – Mediunidade e Sobrevivência – bem como seus artigos e revisões. Ainda não li “The Founders of psychical research” e “Poltergeists”.
    .
    MONTALVÃO: “favor, exponha as tais contradições… ”
    .
    Leia a revisão de Andrew Lang sobre o livro “Studies in Spiritism”. Lá fica claro que os autores em um momento acham que Piper tinha um ouvido muito bom, em outro achavam que era subnormal. São um bando de atrapalhados…
    .
    MONTALVÃO: “por incrível que lhe possa parecer sim, para tanto tomei sacos e mais sacos emprestados…”
    .
    Que caíram sobre sua cabeça, imagino…. sim, porque para você chegar ao ponto de dizer “até agora não vi que Newbold tenha levado em conta as erranças no objetivo de melhor entender o fenômeno” devem ter-lhe causado um derrame cerebral. Na página 10 fica claro que ele levou em conta.
    .
    MONTALVÃO: “a acusação de que foram Hall e Tanner quem estrumbicaram com Piper tornou-se mito comum na SPR: até Gauld, que chefiou a organização quase um século depois do trabalho dos psicólogoso repete a aleivosia. ”
    .
    Apenas como possibilidade, e apenas para o término do transe, não para a mediunidade de uma forma geral. Ele diz: Sua mediunidade de transe acabou em 1911, talvez como conseqüência do tratamento agressivo que recebeu por parte de dois psicólogos norte-americanos, o prof. G. Stanley Hall e a dra. Amy Tanner (156). Entretanto, ela continuou com a escrita automática.
    .
    Vê se aprende a ler o que está escrito.
    .
    MONTALVÃO: “pô, agora quem pisa na bola é o “especialista” em Gauld: o próprio admite que o francês estava tão distante de Phinuit quanto o sol dista da lua; se tem este autor como referência deveria levar em conta o que diz.”
    .
    Eu levo em conta e concordo com ele. Não concordo é com sua interpretação do que Gauld disse. Ele disse “seu conhecimento da língua francesa era de fato escasso”. Escasso sim. Nulo não. Isso é muito diferente de dizer “o francês estava tão distante de Phinuit quanto o sol dista da lua”. Era difícil para ele falar em francês, mas em alguns momentos ele mostrou que conseguia entender o que era dito em francês para ele, como nas conversas que teve com o Sr. Rich.
    .
    Um dia, a Sra. Piper apontou para um anel de ouro no meu dedo e disse: “C’est une alliance, como você chama isso? Um anel de casamento, n’est-ce pas?” Isso era verdade. Agora, se a Sra. Piper houvesse aprendido francês na escola, aqui ela teria muito provavelmente chamado este anel de “un anneau de marriage”, e não fornecido o nome técnico “alliance”. Eu várias vezes conduzi uma breve conversa em francês, fazendo minhas observações nessa língua e recebendo respostas na mesma, mas sempre concisas, e terminando com um desejo expresso em inglês quebrado “para não me incomodar com a língua francesa, mas para falar em inglês”. Fiz uso também de certas gírias, expressões que aparentemente foram perfeitamente compreendidas, mas respondidas em inglês, embora corretamente.
    .
    MONTALVÃO: “Então, se James, em algumas declarações, mostrou-se inclinado ao paranormal, em outros pronunciamentos preferiu a prudência de confessar-se insabedor do que seria efetivamente o fenômeno Piper.”
    .
    Só na sua péssima interpretação das palavras de James. A fonte de conhecimento ele podia não saber qual era, mas ele sabia quais não eram…Veja: “não posso resistir à convicção de que surgem conhecimentos os quais ela nunca obteve pelo uso habitual dos seus olhos, ouvidos e sagacidade”. Assim, mais uma vez, ele repete que excluiu qualquer fonte normal como fonte de conhecimento. Ele não sabia qual era a fonte paranormal. Mas sabia que era paranormal.
    .
    MONTALVÃO: “DEVAGARINHO vamos desconstruindo mais um mito mediúnico…”
    .
    Veja, apesar do Gardner já ter sido exposto como um charlatão por Roberto de Andrade Marins, por Hansen, por Greg Taylor, você continua se baseando nele…. é triste. Muito triste.

  518. Gorducho Diz:

    Da ASPR não tem Proceedings vol. 23!
    Foi publicado na GB?

  519. Gorducho Diz:

    Essa do inglês é genial: o Phinuit tava aprendendo inglês que nem o Emmânuel… E no entanto alegara que tinha esquecido o francês justo porque tinha muitos ingleses em Metz (e ele presumivelmente falava então c/eles)!

  520. Vitor Diz:

    Veja o que CWF, um assistente selecionado por Hodgson, diz do francês de Phinuit:
    .
    Overall, Dr. CWF was very impressed with his three sittings. “All have been interesting, and rather force me to believe that Dr. P. is not a fictitious personage,” he wrote in a report to Professor James. He added that Dr. Phinuit “had partially forgotten his French, so far as speaking it goes, yet I am convinced that he understands all I say in that language, and that Mrs. P[iper] does not, from my tests of her capacity, and she impresses me as being a truly honest woman

  521. Vitor Diz:

    Mais um:
    .
    When Mrs. Piper was coming out of the trance, she told Hodgson that she felt very queer and did not know what was wrong with her. She then went back into the trance state, when Phinuit took over and shouted, complaining that G.P. forgot to signal to him that he was leaving. Phinuit then began speaking French with Katharine, who had lived in France and knew the language well. Hodgson and Howard were much impressed with the conversation that took place between Phinuit and Katharine. It certainly conflicted with reports by Professors James and Leaf that Phinuit knew little French.

  522. Vitor Diz:

    “Da ASPR não tem Proceedings vol. 23!”
    .
    É da Inglesa…

  523. Gorducho Diz:

    C’est une alliance, how you call that?
    A wedding ring, n’est-ce pas
    ?
     
    Não concorda que ele estava aprendendo inglês como o Emmânuel?
     
    Vou alfinetar de novo já que sexta ignorou…
    Dr. Jean Phinuit Scliville 113 ou 115 Rue Dupuytren, Paris [pg. 130]

  524. Vitor Diz:

    Se ele quisesse mesmo aprender francês ele continuaria a conversa, e não pediria para interromper, dizendo para não incomodá-lo com o francês.

  525. Gorducho Diz:

    That the demon-theory (not necessarily a devil-theory) will have its innings again is to my mind
    absolutely certain. One has to be “scientific” indeed, to be blind and ignorant enough to suspect no such possibility.

    Que a teoria dos demônios (i. e., espíritos malignos) irá novamente predominar é para mim absolutamente certo. A pessoa precisa ser mesmo “científica”, para ser tão cega e ignorante a ponto de não suspeitar de tal possibilidade.
     
    Certo, a tradução não está boa mas dão desvirtua o fato dele crer na possessão demoníaca, irrelevante sendo cá a natureza metafísica dos demônios.

  526. Gorducho Diz:

    Ignorou de novo m/alfinetada :(

  527. Victor Diz:

    Marciano Diz:
    DEZEMBRO 1ST, 2015 ÀS 12:43 PM
    Vou trabalhar um pouco, pois não vivo de ócio, como alguns filósofos vagabundos confessos (a confissão está mais acima, é só procurar por “não trabalho”).
    Vou limitar mais um pouco minha participação aqui.
    .
    COMENT: Querido Alienígena,
    Se seu pai não soube poupar, e investir para lhe dar conforto material, sinto muito por ti.
    .
    Não é o meu caso que a despeito da crise, vivo de renda, da herança deixada por papai.
    .
    Evidentemente que levo uma vida modesta, sem muitas extravagâncias, de modo que posso me dedicar inteiramente ao “ócio intelectual”.
    .
    Imagino que você não saiba diferenciar ócio intelectual de “vagabundagem”, ou melhor até sabe, mas a inveja é tanta… :mrgreen:
    .
    Beijinho no Ombro Again!!!
    .

  528. Victor Diz:

    A propósito, sou “estudante” :lol:
    Mas não conto isso como trabalho…

  529. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Poderia por gentileza, definir o conceito de “imortalidade” em termos culturais e temporais, e depois demonstrar de que modo esse conceito está presente em diversas culturas e em épocas diferentes através de estudos etnográficos e etnológicos?
    /.
    PONDERAÇÃO: minha reflexão, não exatamente definição. A questão que levanta raramente é aprofundada ao nível de uma compreensão satisfatória do tema. Explico melhor. Pensa-se na imortalidade de forma vaga, incerta, sem se deter no que significaria viver infindamente, e de que maneira seria essa vivência.
    .
    Considerando que a mór parte das concepções de vida além projeta a experiência terrenal noutra esfera, a ela acrescendo adaptações julgadas suficientes para expor como seria a existência transcendente, teríamos de meditar numa situação em que o vivente permanecesse perenemente estável (sem decadência orgânica) e o que isso significaria em termos práticos.
    .
    Tenho dificuldade em imaginar como alguém manteria o equilíbrio psíquico vivendo vida sem fim, mas posso imaginar, por exemplo, sujeito que conservasse a força juvenil durante, digamos, duzentos anos, após o quê iniciaria lento enfraquecimento físico e mental até definhar por completo. Antes de findo o primeiro século o longevo jovem certamente passaria fortes surtos de tédio e depressão. A não ser, talvez, que se dedicasse a agregar conhecimento e fosse tipo afortunado que nunca se enfadasse do exercício.
    .
    A vida por demais comprida, a partir de certo ponto, passa a ser torturante repetição. Dizem que a natureza é sábia. Não duvido. Tão sábia que nos fez do jeito que somos: jovens, adultos, velhos, mortos.
    .
    Se há vida eterna nos esperando esta será de natureza completamente distinta da aqui experimentada. A vida terrena mesmo que “aperfeiçoada” não serve para ser infinita.
    .
    De modo semelhante, a crença no vaivém continuado de encarnações: mais e mais do mesmo até não se sabe quando. Em tal perspectiva, quando chegasse ao nível de “espírito puro”, agora livre do ciclo reencarnatório, restaria ao afortunado encerrar-se num hospício celestial e desfrutar interminável catatonia, este o prêmio.
    .
    Eis o ponto que “espíritos” comunicantes, por mais elevados que sejam (tampouco místicos de confissões religiosas variadas) esclarecem. E não esclarecem porque nada sabem do que vem após a despedida deste mundo, caso venha alguma coisa.
    .
    Apenas um arremedo meditativo…

  530. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Credo! Que a teoria dos demônios (i. e., espíritos malignos) irá novamente predominar é para mim absolutamente certo.
    O WJ disse isso? Onde?
    Se sim podemos dá-lo por definitivamente finalizado!”
    /.
    PONDERAÇÃO: confira em:
    http://netdia.blogspot.com.br/2015/07/os-fatos-sobre-espiritos-guias.html

  531. Vitor Diz:

    “mas dão desvirtua o fato dele crer na possessão demoníaca, irrelevante sendo cá a natureza metafísica dos demônios.”
    .
    A possessão em si é perfeitamente possível. De fato, uma das maiores provas de vida após a morte veio de um caso de possessão estudado por Ian Stevenson e reinvestigado por Antonia Mills décadas depois.

  532. Vitor Diz:

    O caso de possessão que citei é:
    .
    Mills, A., Dhiman, K. Shiva Returned in the Body of Sumitra: Posthumous Logitudinal Study of the Significant Shiva/Sumitra Case of the Possession Type. Proceedings of the Society for Psychical Research, Vol. 59, part 233, October 2011.
    .
    O caso é impressionante.

  533. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    DIÁLOGO:
    A) “espíritos não existem!”
    B) “espíritos existem!”
    A) “prove que espíritos existem!”
    B) “prove você que espíritos não existem!”
    A) “mas como é que se pode provar que uma coisa não existe?”
    B) “ué, se vira, quem afirmou que não existe foi você e o ônus da prova é de quem afirma!”
    A) “mas você também afirmou que existem, então o ônus de provar a existência é seu!”
    B) “e o de provar a inexistência seu! Quando puder provar que não existem provarei que existem!”
    [...]
    .
    EXPECTADOR: “até onde chegará essa conversa?”

  534. Vitor Diz:

    Mas quem está travando esse diálogo?!

  535. Gorducho Diz:

    Nós.

  536. Vitor Diz:

    Sério? Odeio quando colocam palavras na minha boca… mas já que traduziram errado o William James, colocar palavras na minha boca não é nada…

  537. Gorducho Diz:

    Quem colocou palavras na sua boca?
    Por acaso nosso “diálogo” – de todos nós cá, não está assim?
    E a tradução está errada no sítio não foi feita pelo AMo. E mesmo assim não na substância porque sim o WJ acreditava que a tese da possessão teria de novo vez – i.e., acreditava como alguns desses chiquistas na magia medieval sim! – sendo irrelevante a natureza metafísica dos seres invasores.
     
    E que é tudo besteira papo furado eu lhe mostrei ontem no caso concreto da Nefertiti. Os espanhóis escanearaam a menos de 1mm de precisão; o japonês está passando radar; e não teve nenhum “médium” a se habilitar ao simplíssimo trabalho de acender umas velas (se necessário for…) e mandarem um espírito ver se tem um compartimento ao N c/múmia; se tem a W (se bem m/lembro do layout) a despensa.
    Ou se é diferente ou se nada tem.
    Claro que ninguém vai exigir que o espírito diga se múmia houver se á da Neferiti – isso claro que o espírito só poderia saber acaso Dr. Bezerra esteja junto o que não ocorrerá certamente.

  538. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    VISONI: Mas quem foi o IMBECIL irresponsável por essa tradução? James escreve:
    .
    “That the demon-theory – NOT NECESSARILY a devil-theory”
    .
    PONDERAÇÃO: sei lá, inglês não é minha praia, mas demon-theory significa-me “teoria dos demônios”; devil-theory “teoria do diabo”. Parece que James distingue entre demônios (entidades decaídas), aos quais parece admitir-lhes realidade (mesmo que hipoteticamente), e o diabo (Belzebú, Lúcifer, Dragão…)…
    /.
    /
    VISONI: Justamente ele disse que NÃO está se referindo necessariamente a ‘espíritos malignos’. Baseado nisso, entendo que James está falando de “demônio” no sentido de “daemon”, tal qual Sócrates tinha o dele (entendido por “gênio pessoal”).
    /.
    PONDERAÇÃO: para quem é pouco versado em religião a saída seria satisfatória: porém, os daemons não se aplicam ao dito de James, se se aplicassem certamente ele faria a chamada para o sentido especificado. Então ele está mesmo se referindo a espíritos malignos (considerados “anjos pervertidos”) e questionando o capeta como entidade real, personalizada.
    .
    VISONI: https://pt.wikipedia.org/wiki/Daemon
    .
    “A palavra “daimon”, da qual fizeram o termo demônio, não era, na Antiguidade, tomada à má parte, como nos tempos modernos. Não designava exclusivamente seres malfazejos, mas todos os Espíritos, em geral, dentre os quais se destacavam os Espíritos Superiores, chamados de DEUSES, e os menos elevados, ou demônios propriamente ditos, que comunicavam diretamente com os homens.”
    .
    PONDERAÇÃO: a definição da wikipedia, apesar de conter parte matchomenos certa, é que está horrenda, parece ter sido produzida por espírita-kardecista…
    ./
    /
    VISONI: Que esse é o verdadeiro sentido das palavras de James fica claro para quem ler a frase IMEDIATAMENTE anterior:
    .
    To consider the case of permanent entities first, there is no a priori reason why human spirits and other spiritual beings might not either co-operate at the same time in the same phenomenon, or alternately produce different manifestations. Prima facie, and as a matter of “dramatic” probability, other intelligences than our own appear on an enormous scale in the historic mass of material which Myers first brought together under the title of Automatisms”.
    .
    (tradução google)”Para considerar o caso de entidades permanentes em primeiro lugar, não há uma razão a priori porque os espíritos humanos e outros seres espirituais podem não querer cooperar, ao mesmo tempo em um mesmo fenômeno, ou alternadamente produzir diferentes manifestações. Prima facie, e por uma questão de probabilidade “dramática”, outras inteligências do que o nosso próprio aparecem em enorme escala na massa histórica de material que Myers primeiro reunidos sob o título de automatismos “.
    .
    VISONI: Por isso eu digo que é sempre bom consultar as fontes originais…
    /.
    PONDERAÇÃO: acrescido de bom interpretador de textos… onde que o texto mostra que James se referia a daemons socráticos?
    /
    /

    “Vitor, e no Brasil? Quem conseguiu?”
    .
    VISONI: Acho que aqui ninguém sequer tentou…
    /.
    PONDERAÇÃO: o maior país mediúnico de mundo e nem uma provinha de presença espiritual…
    /
    /
    “Pelo menos hj é dia de 13º…”
    /.
    PONDERAÇÃO: proporcional, para quem ainda não tenha 11 meses de trabalho…
    /
    /
    “Onde se lê quadrado leia-se aleph- zero (infinito contável).”
    /.
    PONDERAÇÃO: é, o bagulho é mesmo muito doido: existem infinitos maiores que outros infinitos…
    /
    /
    VISONI: “A possessão em si é perfeitamente possível. De fato, uma das maiores provas de vida após a morte veio de um caso de possessão estudado por Ian Stevenson e reinvestigado por Antonia Mills décadas depois.”
    /.
    PONDERAÇÃO: o que dá uma bela temperatura da credulidade… possessão=um ente errante (sem corpo) apossar-se de um organismo vivo, afastar a alma que nele habita, e passar a dirigí-lo como se fosse seu… no mínimo dos mínimos, se tal fantasia pudesse ser concebida aceitável, esperar-se-ia que durante bom tempo o dominador manobrasse muito mal o novo veículo que conduz: falasse pelo pinto, andasse pelas orelhas, enxergasse pelo umbigo, comesse pelo nariz, pensasse com a bunda…
    .
    Mas, para quem admite que “marcas de nascença” expressem reencarnação, que objetos registrem o psiquismo de seu manuseadores e que fotos sejam instrumentos para identificar peculiaridades dos fotografados, acreditar em possessão (quiçá em materializações) é fichinha… ao menos serve para mostrar o porque da dificuldade de fazê-lo entender que mortos não comunicam…
    /
    /
    VISONI: “Se espíritos existem, não sabemos o que eles realmente são, e do que eles são feitos. Dizer que os espíritos não são feitos de matéria, ou que eles não são feitos de algo que possa interagir com o nosso mundo conhecido, é colocar a carroça na frente dos bois. É uma falácia. Materialistas caem nisso em grande quantidade (muitas vezes de forma desonesta). Espiritualistas também. E é esse alerta que o físico está dando.”
    /.
    PONDERAÇÃO: daí nossa admiração, diria mesmo estupefação, de a gerência não dar a menor importância aos testes objetivos de presença de espíritos. Se espíritos comunicam hão de ser capazes de comprovar que estão onde se pensa que estejam. É fato que, mesmo que entes espirituais existam, de nada sabemos sobre suas constituições: seria excelente começo começar por detectar-lhes presença e, a partir desse esclarecimento, passar para outros patamares.
    .
    Mas o melhor (melhor não se sabe para quem) é ficar do jeito que está: na nebulosidade e no agarradio a um passado incerto, por meio do qual obtém-se “prova” do que bem se queira…
    /
    /
    “Senhores… apelo para que acabem com essa coisa de Filosofia, poxa, tem um monte de sites sobre isso, agora discutir coisas do ‘espiritismo’ como nós, acho que somos os únicos na internet.”
    /.
    PONDERAÇÃO: penso viável, possível e, talvez, até desejável inserir um dedinho de filosofia nas conversas, não haverá perda dos objetivos e enriquecerá o conteúdo… mas posso estar errado, se não estiver certo…
    /
    /
    “O fracasso da metapsíquica levou ao desespero estatístico da parapsicologia. Hoje os parapsicólogos siquer consideram a possibilidade das “materializações”, que eram dadas como certas no tempo da metapsíquica.”
    /.
    PONDERAÇÃO: deveras, o universo das manifestações metapsíquicas (e das mediúnicas) atrofiou desmesuradamente. Se isso não for indício de que o futuro é negro não sei do que será…
    /
    /
    “A propósito, tenho um Cardhu e um Glenfiddish sobrando (12 anos). Vamos partilhar uma garrafa no Bar do Bigode, por minha conta. É melhor do que fazer análises “filosóficas” sobre óxido de ferro em bispote de substância terrosa proveniente da degeneração de rochas feldspáticas, constituída basicamente pela combinação da sílica e da alumina, cozida entre 800 e 1500ºC ”
    /.
    PONDERAÇÃO: concordo ao tempo em que discordo. Não sei de você, mas eu, depois que tomar umas doses desses tesouros, discuto e provo não só sexo dos anjos, também alienígenas no apartamento do artista, nomeio os componentes da frota de Asthar Sheran e demonstro que os deuses eram astronautas. Isso antes de a garrafa chegar ao meio. Depois não sei…
    /
    /
    VISONI: “Se vc não quer aceitar as provas, aí é problema seu. Para mim não há problema em sua recusa nisso. Mas se continuar a dizer que os pesquisadores não testaram repetidas vezes os espíritos no ambiente será desonestidade sua. OS EXPERIMENTOS CORROBORAM QUE OS ESPÍRITOS SÃO CAPAZES DE SABER O QUE OCORRE EM AMBIENTES DISTANTES DELES EM SITUAÇÕES CONTROLADAS, e vislumbrar objetos em caixas lacradas, mas especialmente imagens de forte conteúdo emocional. Muitos dificilmente veem letras e números.”
    /.
    PONDERAÇÃO: para não ficarmos nos perdendo em infindas retrucações, nós que perdidos já estamos, que tal levar a sério a sugestão da engenharia reversa-mediúnica? Se espíritos são capazes de saber o que ocorre em ambientes distantes (deles?), então serão capazes de nomear cinco objetos postados em sala lacrada; identificar o conteúdo de caixas fechadas em experimentos corretamente controlados (não essas bundinhas que pensa serem reais experimentações, nos quais o “espírito” diz muito de nada). Ou, ao menos, dizer a posição dos ponteiros de relógio parado, mexido no escuro e colocado em sala trancada. Então, vamos ver hoje o que “eles” são capazes de fazer e, depois de convictos (se assim ocorrer), regridamos até o passado que tanto o fascina e faremos as devidas conferências…
    .
    Como sou clarividente precognitivo antecipo que preferirá manter-se grudado aos antigamentes… é mais seguro, conquanto falsamente.
    /
    /
    MONTALVÃO: “Equivoca-se sua pessoa em considerar que quanto mais tempo em pesquisa melhor a pesquisa.Se o experimentador seguir caminho torto poderá estudar trinta anos (como houve quem assim estudasse a mediunidade) e continuar com ideias tortas. ”
    .
    VISONI: Verdade. Você mesmo mostra isso. Por mais literatura que eu te apresente, você continua incorrendo nos mesmos erros.
    /.
    PONDERAÇÃO: é isso aí: se eu que sou eu e me conheço continuo incorrendo nos mesmo erros, imagine o pessoal da SPR? E o Visoni?
    /
    /
    MONTALVÃO: “Que tal uma engenharia mediúnica reversa? Comecemos de hoje, mostrando que os espíritos dão garantias atuais de suas presenças e, a partir dessa constatação, recuemos até Piper, a fim de verificar se as demonstrações presentes podem ser a ela aplicadas. Agir assim nos livrará de muito blablablá esticativo: eu de cá dizendo que espíritos não foram detectados junto a Piper e sua enérgica pessoa asseverando que sim.”
    .
    VISONI: Harribance, Lina, Ingo Swann… escolha.
    /.
    PONDERAÇÃO: qualquer um ou os três, desde que possamos trazê-los até nós. Não sendo possível, algum daqui mesmo: ou será que os nossos são menos capazes? Que tal Amyr Amiden? Posso tentar enviar-lhe um convite. Mas precisamos primeiro definir o que será testado, vai que tragamos Lina, por exemplo, para conferir se há espíritos com ela e a maland, digo, sensitiva nos diga: eu não lido com essas coisas?
    .
    Meu desafio inicial é conferir espíritos presentes. Outros imaginados poderes veremos noutra hora.
    /
    /
    MONTALVÃO: “Outro ponto importante é que nem James, nem seus colegas da SPR, tentaram realmente aferir se havia espíritos na parada. Se quisessem realizar tal verificação (um dos modos de conferir) preparariam “armadilhas” das quais, se Leonora estivesse assessorada por mortos, as teria percebido.”
    .
    VISONI: “Um dos modos” está bem longe de ser “o único modo”. E esse modo de “inventar personalidades” É UM DOS PIORES MODOS possíveis, até porque é facilmente explicável, e no fim não resolve em nada a questão. O próprio Hall e a Tanner meteram os pés pelas mãos porque viram que uma Bessie Beals de fato existia. O autor do artigo que você citou não parece ter sabido disto. Mas diversas armadilhas, de outros tipos, foram preparadas sim pelos pesquisadores e assistentes.
    /.
    PONDERAÇÃO: Visoni está se saindo melhor que vaselina lubrificada. A Bessie Beals pedida não era qualquer Bessie, mas a solicitada, sem contar que a Bessie comentada por Piper ainda estava na carne. Isso lembra sua amada Gladys Osborne quando trazia do além o espírito do pequeno Bobby Newlove. Ocorre que a médium entendeu “truelove”, mesmo assim trouxe o falecido e ficou por isso mesmo…
    .
    “facilmente explicável”, tudo é facilmente explicável para quem queira preservar a crença. Uma coisa é certa: sempre que se inventa, bem inventado, personalidade falecida inexistente o médium dá jeito de contatá-la. Entenda isso, mesmo que seu espírito crédulo não queira aceitar a consequência dessa realidade, ao menos reconheça que os “espíritos” falham miseravelmente nesse quesito.
    .
    Por outro turno, dou-lhe unha de razão: sugerir personalidades falsas pode não ser o melhor teste (apesar de ser eficaz), sou mais favorável a verificação de presença e nestas os pseudocomunicantes fracassam dramaticamente. Em suma, para qualquer direção em que se atire acerta-se qualquer coisa exceto mortos, visto que, para seu desencanto, não comunicam.
    /
    /
    “Se seu pai não soube poupar, e investir para lhe dar conforto material, sinto muito por ti.”
    /.
    PONDERAÇÃO: meu finado pai deixou-me polpudo patrimônio: oito livros velhos, dos quais dois valiam ser lidos… e cabelos…
    /.
    Retorno quando, e se, o escroto desintusmecer…

  539. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vitor Diz:
    Mas quem está travando esse diálogo?!
    Gorducho Diz:
    Nós.
    /.
    PONDERAÇÃO: nós não exatamente, é mais para o Contra e seu amigo debatetivo…

  540. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, vc acha que o Billy Joel plagiou o The Walkers?
    .
    .
    Walkers – “Sha La La La La” – 1974:
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=Hxd39_-XI2A
    -
    -
    -
    Billy Joel – “My Life” – 1978:
    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=HYayK5uEvfo

  541. Vinicius Diz:

    MONTALVÃO diz .”Mas precisamos primeiro definir o que será testado, vai que tragamos Lina, por exemplo, para conferir se há espíritos com ela e a maland, digo, sensitiva nos diga: eu não lido com essas coisas?.
    Meu desafio inicial é conferir espíritos presentes. Outros imaginados poderes veremos noutra hora”

    E se vocês convidarem Demostenes, Borges, Orlando, Dr.Vladimir ?
    E o experimento de ler títulos de obras em estantes de uma sala, por exemplo?
    os médiuns ficariam em uma sala, se concentrariam, fariam a prece inicial, pediriam que os espiritos viessem e perguntariam os nomes das obras que estavam dispostas na sala ao lado? (os médiuns entrariam de olhos vendados na sala e os experimentadores contratariam algumas pessoas para colocar esses livros na sala em um horário diferente).

  542. Contra o chiquismo Diz:

    Vinicius, se vc chamar o dr Vlad os ‘espiritos’ que ‘baixarão’ para o experimento serão só os zombeteiros que acompanham ele.
    .
    .
    ***esqueceu da ORDEM DE KARDEC dada aos crentes?
    .
    .
    “12) – a) O silêncio e o recolhimento devem ser observados durante as sessões. Ficam
    proibidas as questões fúteis, de interesse pessoal, de mera curiosidade ou feitas com a intenção
    de submeterem os Espíritos à prova, bem assim as que não tiverem um fim instrutivo. ”

    .
    .
    http://www.autoresespiritasclassicos.com/allan%20kardec/A%20Viagem%20Espirita/Allan%20Kardec%20-%20Viagem%20Esp%C3%ADrita%20em%201862.pdf
    ..
    .
    p.45
    .
    .
    Kardec PROIBIU colocar os ‘espiritos’ a prova. Sendo assim, esquece chamar o Borges, vlad, orlando e o demo. Eles como crentes não vão desobedecer o mestre lionês.

  543. Contra o chiquismo Diz:

    “Ficam
    proibidas as questões fúteis, de interesse pessoal,…”
    .
    .
    Interesse pessoal??? E as cartas de cx pras mães eram o que? Interesse governamental?

  544. Marciano Diz:

    EXPECTADOR: “até onde chegará essa conversa?”
     
    O expectador e espectador sou eu.
    Infinitas vidas eternas não seriam suficientes para assistir ao fim desse debate sobre a oxidação do penico.
    O que eu não entendo é como penico de barro pode enferrujar. O debate é o menos importante.
     
    PONDERAÇÃO: sei lá, inglês não é minha praia, mas demon-theory significa-me “teoria dos demônios”; devil-theory “teoria do diabo”.
     
    Demon
    n.
    1. An evil supernatural being; a devil.
    2. A persistently tormenting person, force, or passion: the demon of drug addiction.
    3. One who is extremely zealous, skillful, or diligent: worked away like a demon; a real demon at math.
    4. Variant of daimon.
    ________________________________________
    [Middle English, from Late Latin daem?n, from Latin, spirit, from Greek daim?n, divine power; see d?- in Indo-European roots.]
    ________________________________________
    de•mon?ic (-m?n??k) adj.
    de•mon?i•cal•ly adv.
    American Heritage® Dictionary of the English Language, Fifth Edition. Copyright © 2011 by Houghton Mifflin Harcourt Publishing Company. Published by Houghton Mifflin Harcourt Publishing Company.
     
    Demon
    n
    1. an evil spirit or devil
    2. a person, habit, obsession, etc, thought of as evil, cruel, or persistently tormenting
    3. Also called: daemon or daimon an attendant or ministering spirit; genius: the demon of inspiration.
    4.
    a. a person who is extremely skilful in, energetic at, or devoted to a given activity, esp a sport: a demon at cycling.
    b. (as modifier): a demon cyclist.
    5. a variant spelling of daemon1
    6. Austral and NZ a detective or policeman
    7. (Computer Science) computing a part of a computer program, such as a help facility, that can run in the background behind thecurrent task or application, and which will only begin to work when certain conditions are met or when it is specifically invoked
    [C15: from Latin daem?n evil spirit, spirit, from Greek daim?n spirit, deity, fate; see daemon]
    Collins English Dictionary – Complete and Unabridged © HarperCollins Publishers 1991, 1994, 1998, 2000, 2003
     
    Devil
    1. often Devil In many religions, the major personified spirit of evil, ruler of Hell, and foe of God. Used with the.
    2. A subordinate evil spirit; a demon.
    3. A wicked or malevolent person.
    4. A person: a handsome devil; the poor devil.
    5. An energetic, mischievous, daring, or clever person.
    6. Printing A printer’s devil.
    7. A device or machine, especially one having teeth or spikes and used for tearing.
    8. An outstanding example, especially of something difficult or bad: has a devil of a temper.
    9. A severe reprimand or expression of anger: gave me the devil for cutting class.
    10. Informal Used as an intensive: Who the devil do you think you are?
    American Heritage® Dictionary of the English Language, Fifth Edition. Copyright © 2011 by Houghton Mifflin Harcourt Publishing Company. Published by Houghton Mifflin Harcourt Publishing Company.
    1. Devil – (Judeo-Christian and Islamic religions) chief spirit of evil and adversary of God; tempter of mankind; masterof Hell
    Beelzebub, Lucifer, Old Nick, Prince of Darkness, Satan, the Tempter
    faith, religion, religious belief – a strong belief in a supernatural power or powers that control human destiny;”he lost his faith but not his morality”

     
    A julgar pelos três consagrados dicionários citados, parece que lá como aqui é tudo a mesma m(coisa).
     
    PONDERAÇÃO: concordo ao tempo em que discordo. Não sei de você, mas eu, depois que tomar umas doses desses tesouros, discuto e provo não só sexo dos anjos, também alienígenas no apartamento do artista, nomeio os componentes da frota de Asthar Sheran e demonstro que os deuses eram astronautas. Isso antes de a garrafa chegar ao meio. Depois não sei…
     
    Com whisky ou qualquer outro C₂H₆O, eu não provo nada disto, mas ainda não experimentei ayahuasca.

  545. Marciano Diz:

    CONTRA, acho que o Billy Joel não precisaria plagiar. Sobra-lhe talento.
    Deve ser criptomésia.
    Como não tenho carteira de filósofo, fico só no achismo.
    Vou perguntar ao espírito do Michel Foucault.
     
    Quanto aos Walkers, acho que é do mesmo cd, tem “There’s no more corn on the Brasos”, música adaptada para o grupo e muito bonita.
    Era cantada, com versos semelhantes, por presidiários. The ball and chain gang.

  546. Marciano Diz:

    That’s the sound of the men working on the chain gang.

  547. Marciano Diz:

    I’m going back to New Orleans, to wear that ball and chain.

  548. Marciano Diz:

    Sam Cooke e Eric Burdon, dos Animals.
    Falando em Animals, Pigs on the Wing, Dogs, Pigs, three different ones.

  549. Gorducho Diz:

    Eu não vejo nada nessa história da BB: é análoga à tia Elvira. O cara propôs um nome que ele na hora tinha como fictício mas do qual já ouvira falar e portanto tinha subconscientemente…
    To complete the confusion, a relative within three days mentioned to me incidentally one Bessie Beals, still living, as a friend, whom I may have heard her speak of before.
     
    Daí a “médium” produziu um espírito a partir duma senhora encarnada algumas milhas ao longo da crosta americana! O próprio Crente de donde o Administrador recorreu p/abrir a rubrica reconhece:
    This doesn’t change the fact that Hodgson claimed Bessie Beals as being in the spirit, when the girl was in fact alive.
     
    Foi como o caso do CX que tinha em mente a ilustre espírita da região e coincidiu que havia a tia e madrinha da mãe do falecido cujos ramos familiares haviam se afastado quanto ao relacionamento!
     
    [o personagem de CX é a ilustre espírita da região]
    Aqui comigo estão o meu avô Basso e um coração de benfeitora a quem chamo Irmã Elvira.
     
    [CX ficara sabendo dessa Srª remotamente relacionada ao falecido e muda o discurso]
    Hoje pedi à tia Elvira (4) (mamãe faz questão que fale na tia e madrinha) e tive permissão

  550. Vitor Diz:

    MONTALVÃO 1: “sei lá, inglês não é minha praia, mas demon-theory significa-me “teoria dos demônios”; devil-theory “teoria do diabo”. Parece que James distingue entre demônios (entidades decaídas), aos quais parece admitir-lhes realidade (mesmo que hipoteticamente), e o diabo (Belzebú, Lúcifer, Dragão…)…”
    .
    MONTALVÃO 2: “Então ELE ESTÁ MESMO SE REFERINDO A ESPÍRITOS MALIGNOS (considerados “anjos pervertidos”) e questionando o capeta como entidade real, personalizada.”
    .
    ERRADO! NÃO É ESSE O SIGNIFICADO! JÁ FALEI QUE SUA INTERPRETAÇÃO É SIMPLESMENTE HORROROSA, MAS VOCÊ INSISTE NO ERRO! QUE SACO! ELE NÃO ESTÁ SE REFERINDO A ESPÍRITOS MALIGNOS! QUER A PROVA? LÁ VAI:
    .
    Carta do falecido Professor William James, da Harward, a J. Godfrey Raupert:
    .
    Cambrigde, 19 de Março de 1910.
    «Estou em preparativos para uma viagem à Europa, e, por isso, só posso responder resumidamente a sua interessante carta. Li, há pouco, o seu livro e posso felicitá-lo por lhe ter sido possível reunir tantas experiências em primeira mão. Com exceção de um só caso, são de boa espécie as minhas experiências em matéria de escritura automática. Nesse citado caso, ordenou o escrevente, ao poder que dele se assenhoreara, que o abandonasse em nome de Deus, sendo obedecido.
    .
    Como lhe disse pessoalmente, considero a teoria dos espíritos PARASITAS não somente como justificada, mas também como altamente verossímil. NÃO PERCEBO, porém, porque devamos supor sempre, QUE SEJAM MAUS esses espíritos. No mundo supra-sensível, deve haver várias espécies…»

    .
    Aceite, sempre que eu disser que sua interpretação está errada, é porque está :-)

  551. Vitor Diz:

    Montalvão é meu espírito parasita :D

  552. Gorducho Diz:

    É, AMo aparentemente fez essa confusão relativa ao conceito de δαιμόνιον.
    Mas não muda a essência de que o WJ era sim um crédulo então que supunha as superstições medievais tivessem algum fundamento e retornariam á consideração do mainstream científico.
    Então aquele pequeno erro de tradução – daquele sítio, não dele! – a natureza metafísica dos seres em tela não muda a essência da assertiva acerca de da credulidade de James :!:

  553. Vitor Diz:

    MONTALVÃO: ” o maior país mediúnico de mundo e nem uma provinha de presença espiritual…”
    .
    Não pagam nem os professores e você quer provas aqui de presença espiritual?! Só o Ian Stevenson para a pesquisa dele consumiu 1 milhão de dólares… só para investigar a médium Piper consumiram 150 mil dólares (distribuídos em 25 anos de pesquisa, ok, mas isso ainda dá 6 mil dólares por ano, ou 24 mil reais por ano, ou 2 mil reais por mês… veja: um único médium). O Gabriel Guerrer precisou de 48 mil reais para investigar se a mente afeta a matéria, não obteve patrocínio, e apelou pro crownfunding, conseguindo a grana (agora é esperar).
    .
    Afinal, em que planeta vc vive, Montalvão?
    .
    MONTALVÃO: “o que dá uma bela temperatura da credulidade… possessão=um ente errante (sem corpo) apossar-se de um organismo vivo, afastar a alma que nele habita, e passar a dirigí-lo como se fosse seu… no mínimo dos mínimos, se tal fantasia pudesse ser concebida aceitável, esperar-se-ia que durante bom tempo o dominador manobrasse muito mal o novo veículo que conduz: falasse pelo pinto, andasse pelas orelhas, enxergasse pelo umbigo, comesse pelo nariz, pensasse com a bunda…”
    .
    Se pensar com a bunda é prova de possessão então o Montalvão é a prova viva de tal fenômeno :D
    .
    Montalvão, antes de fazer tais comentários infelizes, vê se lê antes, esse caso de possessão é simplesmente extraordinário em todos os sentidos, e foi muito bem investigado em suas possibilidades. A pesquisa de Ian Stevenson encontra-se aqui:
    .
    http://obraspsicografadas.org/2012/um-caso-do-tipo-possesso-na-ndia-com-evidncia-de-conhecimento-paranormal-1989/
    .
    Na reinvestigação do caso, Mills encontrou provas INÉDITAS para um caso que já era muito forte. A conclusão dela: “Concluímos que o caso Shiva/Sumitra apoia fortemente a hipótese de vida após a morte.”
    .
    MONTALVÃO: “daí nossa admiração, diria mesmo estupefação, de a gerência não dar a menor importância aos testes objetivos de presença de espíritos.”
    .
    Errado, eu dou importância a tais testes “objetivos” só não aceito que se façam com números e letras, e sim com imagens de forte conteúdo emocional, tal qual fizeram com Lina.
    .
    MONTALVÃO: “A Bessie Beals pedida não era qualquer Bessie, mas a solicitada, sem contar que a Bessie comentada por Piper ainda estava na carne.”
    .
    Na carne sim, mas em que situação ela estava? Será que ela não estaria muito mal de saúde, à beira da morte, em um estado tal que permitisse ao controle legítima confusão? Alguns controles citaram que é apenas uma “luz” diferente que permite distinguir entre o espírito de um vivo e de um morto, e em certos casos tal diferença não é marcante. Como a pesquisa de Hall e Tanner é uma porcaria, nunca saberemos (pelo menos até inventarem a máquina do tempo).
    .
    MONTALVÃO: ” Ou, ao menos, dizer a posição dos ponteiros de relógio parado, mexido no escuro e colocado em sala trancada.”
    .
    Ha, ha, ha, algo sem qualquer conteúdo emocional, e que ainda por cima envolve números. Não funciona. E Hodgson tentou isso sem sucesso (mais uma vez isso serve para mostrar que os pesquisadores testaram sim a presença de espíritos no ambiente):
    .
    Em várias oportunidades, tentei alguns experimentos de “clarividência”, apresentando envelopes cujos escritos eu desconhecia e girando os ponteiros de um relógio de pulso de forma que eu estivesse ignorante de sua posição. Phinuit negou qualquer habilidade de dizer o conteúdo das cartas, mas achou que podia “sentir” as posições dos ponteiros através do estojo do relógio. Todavia, na ocasião, os resultados não justificaram sua crença e não repeti os experimentos do relógio
    .
    Foi por isso que ele concluiu que os espíritos “tinham uma percepção muito obscura, geralmente, de nosso mundo físico”. No entanto, espíritos se saíam bem em descrever quadros e ações das pessoas (note que isso confirma os testes ganzfeld, que mostraram que alvos dinâmicos são melhores do que alvos estáticos):
    .
    12h25min. Agora, vejo-a ir para a janela e falar com um homem, baixo, do tipo corpulento. [Sim, o açougueiro.] Ela estende a mão e puxa algo para baixo. [Eu abri a veneziana para mais luz e ajeitei a cortina.] Ela voltou para sentar-se novamente, na mesa. [Sim.] Eu ouço “Caroline, tia, faleceu com problemas de estômago e coração, reconheça essa influência”. [Sim. Uma querida amiga, tia Caroline Mason—Katherine era sua cunhada, também chamada por mim tia Kate.] Ela parece estar escrevendo. [Sim, eu estava escrevendo com uma prancheta.] Albert—primo, uma espécie de companheiro errante, algo a ver com soldados, lutando. Imagem antiquada dele tomada alguns anos atrás. [Sim, num cavalo de batalha.]

  554. Gorducho Diz:

    Sr. Administrador
    acaso sabe algo sobre a Nefertiti estar encarnada (claro que cá no Brasil!) :?:
    Pois se sim estará detonada a tese de Borges & Grassouillet acerca deles serem alienígenas… :(

  555. Vitor Diz:

    GORDUCHO: “Mas não muda a essência de que o WJ era sim um crédulo então que supunha as superstições medievais tivessem algum fundamento e retornariam á consideração do mainstream científico.”
    .
    E voltaram. Veja o que diz Alan Gauld, um psicólogo do mainstream (e lembre-se que ele escreve isso antes da publicação de Stevenson do forte caso de possessão por ele estudado):
    .
    Com os fenômenos de mediunidade, que ocuparão os próximos sete capítulos, logo atingiremos o cerne do debate concernente à alegada evidência da imortalidade da alma. Demos, no primeiro capítulo, um breve sumário da moderna mediunidade espírita e suas origens dentro do movimento de magnetismo animal do começo do século XIX. Mas estas formas de mediunidade – conhecidas, ao menos de ouvir dizer, para a maioria dos ocidentais modernos – são só versões locais culturalmente moldadas de fenômenos que tiveram e têm seus equivalentes em muitas sociedades do passado e do presente. Este ponto evidenciar-se-á forçosamente a qualquer um que folheie alguns dos numerosos estudos sobre possessão e fenômenos sobrenaturais, publicados por antropólogos sociais (por exemplo, 7; 25; 38; 65; 124; 168). Estou falando aqui de “possessão” no sentido lato – o controle ostensivo da fala e do comportamento de alguém por uma entidade desencarnada capaz de comunicação inteligente. Em algumas sociedades, todos os tipos de doença e deficiência são atribuídos à possessão por maus espíritos; mas com a “possessão”, neste sentido, não estamos preocupados.
    .
    As pessoas possuídas podem ser divididas em duas categorias amplas: as que são vítimas involuntárias da possessão e manipuladas por entidades desencarnadas (usualmente hostis); e as que convidam e, de fato, cultivam a possessão por seres de boa vontade, através das quais obras de um ou outro tipo podem ser executadas. Nesta classe, estão os xamãs, pagés, curandeiros, videntes e médiuns que exercem papéis análogos em sociedades tão diferentes e isoladas umas das outras. As entidades desencarnadas que possuem pessoas destas duas categorias incluem, em muitas culturas, não só pessoas mortas (como no espiritismo ocidental), mas toda espécie de deuses maiores e menores, demônios e espíritos da Natureza e dos animais. Estes, creio, não são os espíritos de animais mortos individualmente, mas espíritos do tigre-em-geral, do crocodilo-em-geral, e assim por diante, ou entidades sobre-humanas que assumem a forma de animais, como nas numerosas lendas orientais de espíritos de raposas, macacos, etc.
    .
    Os antropólogos de uma geração anterior tendiam a definir os xamãs ou curandeiros como impostores, histéricos, ou alguma almágama dos dois. Sir James Frazer, por exemplo, escreveu em 1913 (42. p. 15):
    .
    …estas pessoas, mais ou menos enlouquecidas, e particularmente histéricas ou epilépticas, são, por esta mesma razão, consideradas peculiarmente favorecidas pelos espíritos, e são assim consultadas como oráculos, suas palavras confusas passando por revelações de um poder superior, deus ou espírito, que vela sua luz cegante sob um véu espesso de palavras obscuras e frases misteriosas. Não preciso apontar os sérios perigos que ameaçam qualquer sociedade onde tais teorias sejam comumente mantidas e seguidas.
    .
    A despeito dos prognósticos demolidores de Frazer, muitas sociedades em que xamãs e curandeiros têm papel preponderante sobreviveram muito bem, e parece que continuam a fazê-lo. Isto sugere que, por mais que as aparências sugiram o contrário, tais pessoas possuem um maior grau de eficiência no mundo que os antropólogos vitorianos aceitavam. Os antropólogos modernos reconhecem isto, e tendem a ver o xamanismo não como uma forma de alienação mental, perigosa para sua vítima e para a sociedade, mas como fenômeno multifacetado, exigindo talvez uma explicação em níveis múltiplos. Um nível de explicação pode, de fato, ser o psicopatológico. O xamã “clássico”, siberiano ou esquimó, costuma sofrer, ao longo de seu treinamento ou iniciação, um período de instabilidade emocional e perturbação mental; mas dali ele pode emergir mais forte e mais integrado que antes (37, pp. 23-32). Foi curado pelo sofrimento, ou melhor, através do sofrimento, curou a si mesmo. Para xamãs noviços, em outras partes do mundo, este período de sofrimento e perturbação nem é necessário. Depois de realizar entrevistas em profundidade com dez ngangas Shona, Michael Gelfand concluiu que todos eram “física e mentalmente normais” (47, p.133), ao passo que os editores de uma obra típica antropológica sobre mediunidade na África dizem (7, p. XXIV) que, na África, os médiuns não são, de modo algum, doentes mentais. “Pelo contrário, costumam ser espertos, inteligentes e membros bem aceitos em suas comunidades.”
    .
    Muito embora ser “possuído” por espíritos desencarnados, e o inverso: deixar o corpo para visitar o mundo dos espíritos e tratar com seus habitantes, sejam as habilidades mais espetaculares dos xamãs, são apenas parte de seu repertório. O xamã (estou usando este termo no sentido amplo, para incluir não só os xamãs esquimós ou siberianos, mas todo tipo de curandeiro, médium, etc.) é, em muitas sociedades, acima de tudo, um repositório de doutrinas cosmológicas e teológicas. Sabe que lugar sua tribo ocupa no Universo, os poderes invisíveis que possuem e o governam, e os meios de se aproximar deles e propiciá-los. Este conhecimento pode ser vital para o controle do clima, da plantação e da caça. O xamã pode se comunicar e obter informação dos espíritos ancestrais da tribo. Exerce papel de proa em toda espécie de cerimônias religiosas e “ritos de passagem” que podem não só ter significados internos, mas recreacionais, de modo que suas capacidades dramáticas e artísticas podem ser de grande importância para a comunidade. Acima de tudo, o xamã é um curandeiro. Diagnostica, quiçá por clarividência, a natureza e as causas de desgraças, expulsa os maus espíritos responsáveis por isto, prescreve ervas para curar o dano físico residual. Pode ser especialmente bem-sucedido com o que nós chamamos de doenças mentais, e se estas tomarem a forma de possessão, podemos ter o curioso espetáculo de um xamã possuído tratando um paciente possuído. Sua clarividência e capacidade de sonhar podem ser necessárias para localizar coisas perdidas e descobrir ladrões. Pode assim ficar envolvido na manutenção da ordem social. Um bom xamã obviamente requer muitos dons, além de entrar em transe e esbravejar e dizer palavras misteriosas enquanto possuído. Requer inteligência, cultura, senso dramático, tato, diplomacia e uma profunda compreensão das pessoas com quem lida.
    .
    O exercício bem-sucedido destes dons pode trazer a um xamã grandes recompensas, na forma de riqueza e status social. Este fato levou muitos escritores (v. especialmente 92) a dar ênfase às possibilidades de prosperidade que a carreira de xamã pode oferecer a pessoas normalmente oriundas das camadas inferiores da sociedade – mulheres, homossexuais, miseráveis e membros de minorias. Não há dúvida que há nisto alguma verdade, assim como em muitos outros enfoques de um fenômeno tão complexo. É preciso, no entanto, tomar cuidado para não supor que os xamãs de classe social baixa, em seu todo, ou mesmo na maioria, adotaram esta posição de caso pensado. O comportamento de um xamã em transe ou possessão, que, sob um determinado ponto de vista, pode parecer irracional e arbitrário, pode ocultar uma racionalidade mais profunda, e uma estratégia que não é bem compreendida nem mesmo pelo próprio agente.
    .
    Uma questão de particular interesse para os parapsicólogos é, evidentemente, se os xamãs (usamos a palavra ainda no sentido mais amplo) podem incluir entre seus dons aqueles “paranormais” de PES e PK. Este é um tema difícil. Só recentemente uns poucos antropólogos deram uma verdadeira atenção à possibilidade de haver elementos paranormais no desempenho dos xamãs, mas pesquisas adequadas ainda restam por fazer (ver, por exemplo, 4 e 94; e quanto a material mais antigo, 87a e 113). Enquanto isso, temos um bom número de narrativas de viajantes de credibilidade diversa, e um número ainda menor de notas de rodapé e observações incidentais de antropólogos. Gostaria de ter espaço para sumariar literatura tão curiosa. Minha impressão pessoal é que há alguma evidência de que certos xamãs ocasionalmente exibem PES e talvez PK; e há indícios de que alguns (às vezes aqueles mesmos) podem fazer maravilhas – não com intenção criminosa, deve-se ressaltar, mas como parte de seu drama, representado para manipular a mente de seu paciente em direção à cura.

    .
    Há poucos estudos de uma perspectiva antropológica sobre mediunidade na sociedade ocidental. Isto pode parecer surpreendente, pois que o fato é relativamente comum. A maioria dos relatos sobre mediunidade vem de crentes dedicados ou de parapsicólogos interessados principalmente em avaliar evidências em favor de PES. Pode ser que os antropólogos receiem por suas reputações. Acho, porém, que a maioria das pessoas que têm qualquer conhecimento do espiritismo ocidental perceberão que muita das objeções acima sobre xamãs e xamanismo aplicam-se igualmente aos médiuns espíritas em nossa sociedade. É verdade que as entidades desencarnadas que “possuem” ou se comunicam através dos médiuns (se bem que nem sempre) alegam ser apenas os espíritos humanos já mortos, ao invés de deuses, demônios, espíritos de animais e outros seres que se manifestam através de xamãs. Mas as formas exteriores dos fenômenos apresentam muitas analogias que seria supérfluo apresentar em detalhe. De fato, há poucos fenômenos mediúnicos para os quais a literatura do xamanismo não pode oferecer paralelos, e poucos desempenhos xamanísticos para os quais o espiritismo não ofereça algo semelhante. Nunca ouvi falar de qualquer xamã que tenha produzido materializações de corpo inteiro vestido de véus de ectoplasma, nem, para minha consternação, sei de algum centro espírita de nossos dias em que o médium oficiante dance loucamente sob o controle de um espírito. Mas estes, e umas poucas outras, são as exceções que justificam a regra.
    .
    Assim como os antropólogos vitorianos tendiam a julgar os xamãs como meros loucos, alguns psiquiatras e religiosos, dramaticamente, ou irrefletidamente, asseveraram que muitos médiuns são mentalmente perturbados. Tais afirmativas são incorretas, tanto neste caso como naquele. A maioria dos médiuns não exibe, em suas vidas ordinárias, qualquer sintoma de histeria, epilepsia ou perturbação mental. Há, é claro, exceções, mas eu hesitaria dizer que são mais numerosas que a média da população. Na verdade, muitos médiuns estão dentre as pessoas mais pragmáticas que conheço. Entretanto, alguns médiuns alegam ter passado por um período de sofrimento e distúrbio emocional, devido às primeiras experiências psíquicas que eles não entendiam e que os fez recear que estivessem enlouquecendo. Assim como com os xamãs, esses problemas iniciais desapareceram depois do contato e do treinamento junto com outros médiuns mais desenvolvidos.
    .
    De novo fica bem claro que, mesmo que a comunicação com os mortos seja a principal função de um médium, ele ou ela (usualmente ela) pode exercer também outras funções. Assim como os xamãs, os médiuns são repositórios ou veículos de diversos ensinamentos teológicos ou cosmológicos, se bem que a importância deste papel esteja um tanto diluída na nossa sociedade pela existência de um grande corpo de literatura espírita prontamente acessível. Os médiuns que são ministros de igrejas espíritas podem, como os xamãs, oficiar “ritos de passagem” como casamentos e funerais (sem dúvida o mais significante “rito de passagem” de todos!). A cura e a mediunidade andam de mãos dadas, quase como o xamanismo e o tratamento de doenças. As doenças físicas são tratadas em sessões de cura por curadores espirituais dedicados, muitos dos quais crêem que os espíritos canalizam forças curativas através de suas mãos. A maioria dos médiuns consegue sugerir remédios caseiros (freqüentemente ervas) para os males menores. Muitos funcionam mais como psicoterapeutas e conselheiros, e não me surpreenderia saber que, com uma clientela com a devida crença como pano de fundo, conseguem um índice de sucesso tão alto quanto o dos profissionais qualificados. Um médium de reputação, como um xamã, deve ser esperto, equilibrado e bem-intencionado, ter talvez um toque de vaidade e gosto pelo dramático, mas para,a cima de tudo, causar mais bem do que mal.
    .
    Já foi sugerido muitas vezes, como disse, que o xamanismo oferece o caminho de status para pessoas de talento que, de outro modo, se encontrariam desprivilegiadas ou mesmo desprezadas, na obscuridade. Argumentos similares podem ser adiantados em conexão com a mediunidade espírita. As médiuns superam em grande número os médiuns (o que não acontece com os xamãs, mas o xamanismo é uma carreira – quase única – aberta às mulheres). Deve ser mais fácil para uma mulher tornar-se ministro ou líder de igreja do movimento espírita do que em quase qualquer outra organização religiosa. Ademais, estas senhoras costumam provir de ambientes pobres e de pouca educação. Não poucos os médiuns homens são (como certos xamãs) notoriamente homossexuais, o que pode ser acrescido à tese em discussão. Não é uma tese que eu levaria muito longe, mas o que pode ser dito em favor do xamanismo, pode também ser dito em favor da mediunidade espírita.
    .
    Expressei acima uma crença razoável de que alguns xamãs podem, no exercício de sua profissão, por vezes, exibir PES ou PK. Minha crença de que certos médiuns costumem exibir habilidades paranormais é muito menos qualificada – quase tive a audácia de dizer que ela é desqualificada –, mas como a maior parte dos próximos cinco capítulos será devotada ao tipo de evidência sobre a qual se baseia minha crença, não vou mais discutir, neste momento, o assunto.
    .
    Tentei, neste breve e inadequado relato de material antropológico relevante, mostrar que a mediunidade espírita, como conhecemos na Europa e na América, tem afinidades tão claras com o que chamei amplamente de xamanismo, que ela só pode ser vista como uma variedade culturalmente condicionada deste último. Seria uma variante local de um potencial humano geral. Esta conclusão agora pode ser temporariamente armazenada e esquecida. Será apresentada de novo, quando tentarei dar uma avaliação geral da natureza da mediunidade. Agora, precisamos voltar-nos para uma descrição mais detalhada dos fenômenos mediúnicos.

    .
    Note que algumas das coisas que Gauld disse estão datadas, ou mudando rapidamente. Por exemplo, quando ele disse:
    .
    “Há poucos estudos de uma perspectiva antropológica sobre mediunidade na sociedade ocidental.”
    .
    O livro “Talking with the Spirits”, de David Luke, visa a corrigir isso:
    .
    http://www.amazon.com/Talking-Spirits-Ethnographies-Between-Worlds/dp/0987422448
    .
    Rather than attempting to reduce or dismiss such experiences, the authors featured in this collection take the experiences of their informants seriously and explore their effects at personal, social and cultural levels.
    .
    Fica bem claro que em vez de crédulo, James foi profético. É óbvio que houve uma radical mudança na forma de tratar e ver as experiências de possessão da época de James para cá.

  556. Gorducho Diz:

    Sim, foi o que eu disse: WJ era tão crédulo como alguns chiquistas que pregam o retorno à magia e possíveis usos dela na medicina.
    Assim como pregam como socialmente ideal o sistema teocrático de governo e o retorno ao tempo das catacumbas romanas (“cristianismo redivivo”).
    E :?:

  557. Vitor Diz:

    WJ era tão crédulo como alguns chiquistas que pregam o retorno à magia e possíveis usos dela na medicina.
    .
    Piper dava conselhos médicos precisos, e resolveu o problema de muitos. Não vejo nenhum problema em tal “retorno” – na verdade, isso nunca sumiu – desde que não se abandone o tratamento médico convencional (quando disponível, evidentemente. No caso de xamãs da Floresta Amazônica isso fica difícil). No próprio Psychological Bulletin, no artigo sobre ganzfeld de 2010, é dito:
    .
    Quanto a aplicações práticas de psi, este é um território largamente inexplorado (especialmente em laboratório), mas por muitos anos temos tido ciência de indivíduos psíquicos que são, ou foram, empregados remunerados na prática de psi e produziram resultados úteis ou rentáveis (ver Schouten, 1993; Schwartz, 1983, 2000, 2005). Em sua abrangente revisão, Schouten (1993) constatou que “psíquicos podem, ocasionalmente, ter impressões que são difíceis de explicar e que poderiam ser consideradas paranormais” (p. 387), também comentando que “a medicina complementar merece um lugar no sistema de cuidados de saúde” (p. 399). Schwartz (1983, 2000, 2005) tem feito grandes esforços para demonstrar os usos de psi em arqueologia e antropologia, e essa abordagem estende-se à resolução e detecção de crimes— áreas que já viram aplicações (Schouten, 1994).
    .
    No artigo “Paranormal phenomena in the medical literature sufficient smoke to warrant a search for fire” publicado no journal Medical Hypotheses, é dito:
    .
    Uma entidade multifacetada que antecede o Cristianismo, a feitiçaria comumente se refere a um combate cerimonial de forças espirituais maléficas (ou negativas). Está num sentido oposto ao da oração, que se refere aos bons (ou positivos) poderes da espiritualidade. Ironicamente, as pessoas ficaram conhecidas por orar para o infortúnio de seus inimigos, e Kirkpatrick (7) informou um caso bem documentado de feitiçaria que envolveu uma mulher de 28 anos filipina-americana sofrendo de systemic lupus erythematosis com problemas renais. A biópsia renal mostrou glomerulonephritits focal membranoso e doença imune-complexa; o paciente era proteinúrico (4 +) com RBC e moldes de WBC, anêmico (Hgb 9,0 g/ dL) e teve um ESR (Westergren) de 149 mm/h. Ela não podia tolerar a terapia de prednisone e os níveis de sorum creatinine começaram a subir. Relutante para tomar quantias crescentes de prednisone, ela retornou à remota aldeia filipina de seu nascimento onde o médico feiticeiro ‘retirou a maldição colocada nela por um pretendente prévio’. Retornou à América três semanas mais tarde, sem medicamento, parecendo normal. Ela recusou mais testes ou tratamentos, e dois anos mais tarde passou por uma gravidez normal, com tranqüilidade, com proteinuria intermitente, e deu à luz uma menina saudável. Estava ainda bem quando o relatório foi publicado quatro anos depois de sua viagem. O autor achou improvável que a biópsia de lúpus positivo do paciente repentinamente desaparecesse, e não podia explicar isso.
    .
    O artigo é de 2003, e o de Kirkpatrick, em que relata o caso, é de 1981, publicado na JAMA.
    .
    Assim, sua tentativa ridícula de desqualificar James só mostra o quão estupidificante seu ceticismo é. Ele estava bem longe de ser crédulo, e havia ao menos um caso de possessão bem impressionante de sua época, o de Lurancy Vennum, a “Maravilha de Watseka”. Gauld faz um excelente resumo do caso. De lá para cá a evidência só aumentou, e os psicólogos e antropólogos mudaram radicalmente sua maneira de ver tais casos, se aproximando muito mais da linha que James queria, como mostrado.

  558. Gorducho Diz:

    Bom, da próxima vez que tiver um problema de saúde – espero que demore muito! – trate-se com passes e homeopatias.
    Eu e meus familiares não…
     
    E sobre a Nefertiti encarnada, não sabe nada?

  559. Vitor Diz:

    GORDUCHO: “Bom, da próxima vez que tiver um problema de saúde – espero que demore muito! – trate-se com passes e homeopatias.”
    .
    Por acaso eu disse para abandonar o tratamento convencional?
    .
    GORDUCHO: “E sobre a Nefertiti encarnada, não sabe nada?”
    .
    Até sei. Passo depois. Hoje sairei mais cedo da net.

  560. Vinicius Diz:

    GORDUCHO e outros
    sabiam que há curso de pós graduação em pedagogia espírita? Apenas 24 parcelas de R$ 420,00. Tem Coffee break, aulas com intervalo, filosofia, história, SÓ NÃO TEM MANIFESTAÇÃO DE ESPÍRITOS DESENCARNADOS(NÃO INSISTA!!!)

    http://pedagogiaespirita.org.br/posgraduacao

  561. Marciano Diz:

    De que adiantam as aulas de filosofia, história, etc., se os espíritos não se manifestam (porque não existem) :?:

  562. Vinicius Diz:

    MARCIANO, pior ainda é pagar algo que tem as pencas na Internet e que não servirá para nada no dia a dia profissional ou pagar contas.
    Bom para quem vai receber a grana e ainda ser “paparicado” com um monte de puxa saco ao redor.

  563. Gorducho Diz:

    Pedagogia espírita :o :?:
     
    Analista Borges: estou começando a desconfiar que a nossa tese sofre a Nefertiti e o Akhenaton está fazendo água… :(

  564. Marciano Diz:

    Caraca :!:
    Tem aulas de filosofia, história, sociologia, psicologia, artes, tecnologia (acho que é tecnologia “terrícola”, não “espiritual”), metodologia científica, só não tem a presença de espíritos.
     
    Tem até “educação para a morte”.
    Vejam o último item antes da apresentação do corpo docente.
     
    Taxa de matrícula no valor de R$ 100,00 + 24 parcelas de R$ 420,00

    Para efetuar a sua inscrição primeiramente você precisa depositar o valor referente à taxa de matrícula.

    Os dados para o depósito são:

    Pampédia Educação
    Banco: Itaú
    Agência: 0775
    Conta: 77999-4
    CNPJ : 10.993.484/0001-70
    Caraca :!:
    Tem aulas de filosofia, história, sociologia, psicologia, artes, tecnologia (acho que é tecnologia “terrícola”, não “espiritual”), metodologia científica, só não tem a presença de espíritos.
     
    Tem até “educação para a morte”.
    Vejam o último item antes da apresentação do corpo docente.
     
    Taxa de matrícula no valor de R$ 100,00 + 24 parcelas de R$ 420,00

    Para efetuar a sua inscrição primeiramente você precisa depositar o valor referente à taxa de matrícula.

    Os dados para o depósito são:

    Pampédia Educação
    Banco: Itaú
    Agência: 0775
    Conta: 77999-4
    CNPJ : 10.993.484/0001-70
     
    Acho que entendi o objetivo do curso: preparar as pessoas para a morte e ensinar a ensinar que espíritos existem.
    O dinheiro é só para as despesas, pois nem todo mundo é egoísta e vive às custas so sacrifício do pai – tem gente que quer somar e deixar algo para os descendentes também.
     
    Back to work!
    Embora meu pai tenha me deixado dinheiro mais do que suficiente, quero mais e também não sou egoísta, quero deixar para eventuais descendentes ou colaterais.

  565. Vinicius Diz:

    e tem a sessão de perguntas frequentes e nela diz que a universidade só vai oferecer refeições vegetarianas ao preço módico de 70,00. Não sei se terá revoltas alimentares como em Nosso Lar, um hamburguer escondido na mochila e come no banheiro…
    E prepare-se para todo sabadão ficar lá das 8:30 as 19:00! Longe da familia, só se alimentando de pedagogia espirita.

    “Como vai funcionar a alimentação nos dias de curso?

    • A alimentação do final de semana incluirá, almoço e jantar no sábado; café da manhã e almoço no domingo, fora os cafés nos intervalos das aulas. O valor total será de 70 reais por pessoa.

    • Todos os almoços e jantares na Universidade Livre Pampédia serão vegetarianos. Se houver alguma restrição alérgica a algum tipo de alimento, pedimos que o aluno nos informe com antecedência.

    • As refeições serão planejadas antecipadamente e preparadas pela equipe da Universidade Livre Pampédia, contando com o número de pessoas que estarão presentes. Caso os alunos queiram se organizar para fazer um almoço especial ou queiram trazer sua própria refeição, as instalações da cozinha estarão à disposição. Mas, para isso, pedimos que nos informem com antecedência (no encontro anterior).
    • Ainda dentro da filosofia da sustentabilidade, pedimos que todos alunos lavem os utensílios (pratos, copos e talheres) que utilizarem e que se atentem para a separação do lixo para reciclagem e compostagem.”

  566. Marciano Diz:

    VINICIUS, vamos ver se nós dois conseguimos uma bolsa?
    Será que eles, caridosamente, nos concedem uma?
     
    GORDUCHO, quero fazer coro com você e BORGES, sobre a Nefertiti alienígena reencarnada.
    Como faço para subscrever a tese?
    Preciso de carteira de filósofo? Filiação ao sindicato dos filósofos?
     
    Não quero ficar fora dessa. Acho mais provável a Nefertiti ser alienígena (parecia-se, pelo que se depreende, com o que o imaginário popular refere atualmente sobre eles) do que acreditar na igualmente provável tese de BB e cia.

  567. Marciano Diz:

    VINICIUS, desisti.
    Eu não tinha reparado na frescura do vegetarianismo.
    Não vivo sem sopa de hipopótamo.

  568. Marciano Diz:

    Se o espiritismo agora é vegetariano, como fica a sopa de músculos?
    Foi mais um erro da espiritualidade superior?

  569. Vinicius Diz:

    Imagina só Marciano, ficar sábado e domingo o dia inteiro ouvindo esses caras e ainda pagar por isso e ter de lavar a louça e comer vegetais… Adeus praia, churrasco na casa de praia,
    NA FEESP cortaram essa sopa,a vizinhança entrou com ação na justiça, eles faziam muita bagunça, era xixi e xingos pra tudo quanto é lado.

    mandei um e-mail para eles, como um aluno interessado e deslumbrado :mrgreen:

    “para pampedia, amelia
    boa tarde Srs.
    Que bom que temos mais cursos sobre a doutrina espírita.
    Dúvidas:
    01) Já estarão abertas matrículas para o ano de 2016?
    02) Os valores serão os mesmos no inicio de 2016? Quais valores?
    03) As aulas serão somente aos sábados e domingos?
    04) Haverá temas abordando a paranormalidade atual e pesquisas que estão sendo feitas sobre comunicação mediúnicas e Reencarnação?
    05) Caso não for abordado no item 02, há algum outro curso sobre isso?
    06) A exemplo de Allan Kardec, serão feitas sessões mediúnicas para contato com mundo espiritual?

    Acredito que seria extremamente interessante se houvesse interação entre espíritos encarnados e desencarnados, até para que haja maior fixação das ideias espiritas, assim como fez Kardec, amplamente exemplificado na Revista Espirita e o Céu e o Inferno, afinal o Espiritismo, como define o Codificador é “O Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, origem e destino dos Espíritos, bem como de suas relações com o mundo corporal”

    No aguardo,

  570. Espírita Sp Orlando Diz:

    Marciano, a sopa de músculos tem chuchu, cenoura, repolho, tomate e pãozinho. O regulamento da universidade diz que quem tiver problema alérgico com vegetais é só avisar antes.
    Eu não faço o curso porque já faço outros e já gastei muito dinheiro para me formar.
    Vinicius o que são 420,00 por mes? Lá tem um monte de mestres e doutores. Prefere gastar 500 na balada, praia, churrascos e bebidas?
    E contato com desencarnados só em Centro preparado. Pode ser perigoso. Os obsessores estão por toda parte onde não há guias protetores e mentores.

  571. Victor Diz:

    Marciano Diz:
    dezembro 2nd, 2015 às 12:29 PM
    pois nem todo mundo é egoísta e vive às custas so sacrifício do pai – tem gente que quer somar e deixar algo para os descendentes também.
    .
    COMENT: Ainda que bem que sou filho único, solteiro e sem filhos :mrgreen:
    .
    Ademais, qual o problema do egoísmo? Nunca ouviste falar da Filosofia de Ayn Rand?
    Egoísmo Racional?
    Objetivismo?
    .
    Viva a Sociedade de Mercado e o Estado de Direito onde as pessoas podem ser Egoístas :lol:
    .
    PS: Leia o livro “Atlas Shrugged” e assuma o Capitalismo em seu coração!!! :o
    #fikaadica

  572. Contra o chiquismo Diz:

    Espírita Sp Orlando Diz:
    DEZEMBRO 2ND, 2015 ÀS 1:00 PM
    Marciano, a sopa de músculos tem chuchu, cenoura, repolho, tomate e pãozinho..
    .
    .
    Mas tem MÚSCULOS DOS NOSSOS IRMÃOZINHOS atrasados. Não devemos comê-los. Mesmo que seja um malvado pitbull estraçalhador de idosos e crianças. Sim na Coréia e na China as sopas dos centros de la´são com carne canina.

  573. Vinicius Diz:

    e segundo kardec chineses são atrasados.
    orlando, sobre gastar R$ 420,00, depende muito do que seja , mas COM CERTEZA, não pagaria R$ 20,00…
    Marciano, nem quero bolsa, não aguentaria ficar 2 anos todos os finais de semana nesse lugar :lol:
    poderiamos até tentar uma bolsa e logo no segundo dia questioná-los sobre a necessidade da prova da intervenção de espiritos para que a pedagogia espirita possa mostrar na prática em que consiste a mediunidade…
    Fariamos uma revolta também contra a alimentação vegetal kkk

  574. Gorducho Diz:

    sobre a Nefertiti alienígena reencarnada.
    Não… a m/tese – aí não sei se Analista Borges tem a mesma posição – é que se ela (e o marido, claro) era alienígena não terá reencarnado mais cá na Terra.
    E caso reencarnasse naturalmente seria no Brasil porque todos reencarnam no Brasil como sabemos.
    Aliás, já se aperceberam que CX foi quem recolheu o cestinho c/o Moisés do Nilo?
     
    Ainda sobre essa espantosa PEDAGOGIA ESPÍRITA, acho que deve ser mesmo ensinar a ensinar que espíritos e possessões demoníacas existem.

  575. Vinicius Diz:

    “ainda sobre essa espantosa PEDAGOGIA ESPÍRITA, acho que deve ser mesmo ensinar a ensinar que espíritos e possessões demoníacas existem”
    Somente ensinar a ensinar, mas na programa não há prática mediúnica. :lol:
    Ensinar com base nos livros de Kardec e André Luiz explicando como é o lado de lá :?:

  576. Victor Diz:

    Teste :lol:

  577. João Diz:

    Gosto muito de observar o embate entre céticos e crentes. Vou deixar aqui um vídeo :( https://www.youtube.com/watch?v=VpnnFj8e01U). Não sei se algum dos amigos aqui já viu, a partir dos 24:50 é que fica interessante. É sobre uma suposta detecção por uma máquina de ressonância magnética das “energias” que os espiritualistas afirmam que existem, eu achei muito interessante. O que os amigos aqui do blog acham?

  578. Gorducho Diz:

    O que os amigos aqui do blog acham?
     
    Lobrigando apenas o vídeo me parece que refere-se (indiretamente claro) ao princípio da eficácia da homeopatia, i.e., ela atua restabelecendo o equilíbrio quântico – no sistema que no caso é o paciente/pessoa – das bioenergias. I.e., neutraliza os fluxos bioenergéticos nefastos que provocam desconfortos no vaso carnal.
    Por isso mesmo tenho m/tese que na homeopatia aplica-se uma variante da exclusão de Pauli, assumindo as vibrações quânticas bioenergéticas contidas na dose homeopática uma defasagem π relativo à original (por isso a eficácia do princípio dos iguais).

  579. Marciano Diz:

    VINICIUS, se eles responderem, partilhe a resposta conosco.
     
    Se for para fazer uma revolução no curso, eu topo.
    Vamos esperar pela aula de espiritismo e anarquia.
    Podemos, também, propor aulas práticas. Materializações, como usar a gaze para simular um inexistente ectoplasma, etc.
    Claro que o ectoplasma espírita não é o mesmo das aulas de citologia.
     
    ORLANDO, se eles pregam o vegetarianismo não deveriam servir nossos irmãozinhos mais atrasados na sopa.
    É a mesma a opinião do CONTRA.
     
    GORDUCHO, já ouvi de uma bezerrochiquista que teria sido outra pessoa, do sexo feminino, a recolher a cestinha com o moses.
    Deve ter sido uma operação conjunta.
     
    JOÃO, eu acho que de conscienciologistas (não foi o WV quem inventou isso, depois que desfez a parceria com cx?) pode-se esperar qualquer absurdo.
    Você sabe o que significa estado vibracional :?:
     
    Já li alhures que:
     

    “OS PSEUDOCIENTISTAS INVENTAM SEU PRÓPRIO VOCABULÁRIO, NO QUAL MUITOS TERMOS CARECEM DE DEFINIÇÕES PRECISAS OU SEM AMBIGUIDADE, E ALGUNS NÃO POSSUEM NENHUMA DEFINIÇÃO.

    Os ouvintes são amiúde forçados a interpretar as afirmações conforme suas próprias preconcepções. Por exemplo, o que significa ‘energia biocósmica’ ou ‘sistema psicotrônico de amplificação’? Os pseudocientistas buscam com frequência imitar o jargão científico e técnico jorrando uma algaravia que soa científica e técnica. Os curandeiros estariam perdidos sem o termo “energia”, mas o emprego que dele fazem não tem absolutamente nada que ver com o conceito de energia usado pelos físicos”.

     

    Seria isso?
     
    GORDUCHO, excelente explicação :!:

  580. Gorducho Diz:

    http://artigos.netsaber.com.br/resumo_artigo_80672/artigo_sobre_chico-xavier-salvou-moises-das-aguas-do-rio-nilo

  581. Marciano Diz:

    O que é isso, companheiro GORDUCHO ⁉
     
    O texto por você indicado diz que:
     
    “Linda esta história da Bíblia. Pois bem, a filha do Faraó que salvou Moisés, foi a jovem Hatshepsut, que mais tarde se tornou rainha do Egito e depois se transformou em Faraó. Teve que se fazer de homem, porque não se aceitava Faraó mulher”.
    (…)
    “Hatschepsut era filha de Tutmose I e mais tarde casou-se com Tutmose II.
    O quadro geral de Hatshepsut leva-nos a identificá-la como a ousada filha do Faraó que resgatou Moisés”.
    (…)
    “De acordo com o livro “Chico, Diálogos e Recordações…”, escrito por Carlos Alberto Braga Costa a partir das memórias de Arnaldo Rocha, podemos anotar algumas das reencarnações do amigo Chico Xavier entre as quais a da Rainha-Faraó: Hatshepsut.

    Era o nosso amigo Chico Xavier que já praticava a caridade no Egito Antigo há 1500 anos antes de Cristo”.

     
    “Fazer caridade. 1. Ser caritativo. 2. Bras. Chulo Irôn. Dar (93) sem ter vínculos amorosos e sem exercer a prostituição.”
    FONTE: Dicionário Aurélio.
     
    Se não acredita, consulte seu Aurélio (o completo, não o abreviado.

  582. Marciano Diz:

    O Dicionário Aurélio abreviado não têm a expressão. Só o completo.
    É aquele grosso, com muitas páginas, enorme.

  583. Marciano Diz:

    Aurélio abreviado é aquele de capa azul.

  584. Marciano Diz:

    Existe mais de um Aurélio abre-viado.
    A versão disponível online é uma delas.
    Tem de ser o de papel mesmo.

  585. Marciano Diz:

    Veja como a aparência de cx mudou nesses últimos 33 séculos:
    http://www.egitoantigo.net/images/hatshepsut_ok22ex09.jpg

  586. Marciano Diz:

    http://www.institutochicoxavier.org.br/wp-content/uploads/2014/12/chico-xavier-homenagem-foto.jpg

  587. Marciano Diz:

    Neste sítio você pode ver a múmia de cx:
    http://www.redeamigoespirita.com.br/group/artigosespiritas/forum/topics/hatshepsut-de-tebas-para-as-estrelas
     
    Claro que é a múmia antiga, não a recente.
    Com as várias reencarnações, a gente vai deixando um monte de corpos por aí.

  588. Marciano Diz:

    Pode ser lido no link acima:
    “Muitas das vidas deste grande amigo se refletem na atualidade, mostrando que o presente de cada um é uma construção colossal. Para muitos de nós, o momento atual está inserido entre os departamentos das pirâmides que dimensionam o nosso passado na engenharia psicológica da evolução, e se projeta para os céus em busca da luz do Sol de nossas vidas, o Cristo.
    Repetimos, comparando as duas vidas que revestem o perfil psicológico de Chico Xavier, e sem querer cansar o leitor atento, que só temos que prestar um preito a este Espírito que nos ensina – como um rei representa aos seus súditos – a importância da Vida e do Amor. Vencendo os desafios do caminho, aguardaremos o momento certo em que os Benfeitores nos ajudem a redescobrir e aprimorar o passado adormecido nas ruínas do tempo.
    Ave, ó faraona esquecida! (sic)
    Ave, Chico Xavier! Amigo para Sempre!
    Ave, Cristo!”

  589. Marciano Diz:

    Um faraó esquecido é o faraó Struz.
    Um ave pare ele também!

  590. Marciano Diz:

    Rivail deve estar se revirando no Père Lachaise.
    http://static.panoramio.com/photos/original/16838854.jpg

  591. Marciano Diz:

    Repare nos dizeres na lápide do codificador.
    Queria ver a cara dele agora, depois dessa revelação (a quarta?).

  592. Marciano Diz:

    Vamos editar a wikipedia e revelar que foi ela quem tirou moisés do rio e que é cx.
    Isto ainda não consta do verbete.
    https://en.wikipedia.org/wiki/Hatshepsut

  593. Marciano Diz:

    Repare na semelhança entre as duas múmias:
    http://www.redeamigoespirita.com.br/group/artigosespiritas/forum/topics/hatshepsut-de-tebas-para-as-estrelas
     
    http://static1.1.sqspcdn.com/static/f/304385/6734577/1272537903453/chico-xavier.jpg?token=28PmpX4k7WWPyK7xBC2GFndzhBI%3D

  594. Marciano Diz:

    Aqui ele está um pouco piorado, parecendo com o atual Dr. Bezerra:
    http://api.ning.com/files/iTkxhT7gZrt7aOsa*pp0pSLmQooYGVTHTtEMy3SU2RGhZFq1XiofXrZtQoziEnn-vnrqeiXSkYITPHeZq8R8vKRuSXYvF3LB/mumia_hatshepsut.jpg

  595. Marciano Diz:

    Neste pdf pode-se ver as anteriores encarnações de BEZERRA:
     
    http://www.damasceno.info/damasceno/MeuSite/Espiritual/BezerraMenezesVidas.pdf
     
    Bezerra foi Zaqueu, aka Matias, Quinto Varro (WTF?), Parmênio.

  596. Marciano Diz:

    Vou dar um tempo e depois eu volto para continuar discutindo a oxirredução do utensílio de barro.

  597. João Diz:

    Marciano

    Bom, eu sinto estas “energias” (porém não tenho opinião se elas têm uma causa objetiva ou se são mera alucinação), então “estado vibracional” parece uma definição tão clara para mim quanto “sentir frio”.Então não penso que a definição de “estado vibracional” seja vaga e mal definida.

    O que eu sinto é um pouco difícil de explicar, mas é como se fosse um tipo de um “fluido” (me falta termo melhor) bem pouco denso localizado ao redor do meu corpo o qual eu posso controlar a frequência com que pulsa . Eu geralmente sinto isso ao redor da cabeça quando estou meditando, não parece ser a minha pulsação cardíaca, já que eu posso controlar a pulsação, e a sensação é fenomenologicamente distinta da sensação na superfície do corpo do sangue pulsando.

    Só para frisar: não estou dizendo que esta “coisa” existe objetivamente, só estou narrando minha experiência.

  598. João Diz:

    Vitor, bem que você poderia por uma opção para editar o comentário, ficaria melhor o diálogo.

  599. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vinicius Diz: E se vocês convidarem Demostenes, Borges, Orlando, Dr.Vladimir ?
    E o experimento de ler títulos de obras em estantes de uma sala, por exemplo?
    os médiuns ficariam em uma sala, se concentrariam, fariam a prece inicial, pediriam que os espiritos viessem e perguntariam os nomes das obras que estavam dispostas na sala ao lado? (os médiuns entrariam de olhos vendados na sala e os experimentadores contratariam algumas pessoas para colocar esses livros na sala em um horário diferente).
    /.
    PONDERAÇÃO: a ideia é boa, qualquer proposta de testagem que elimine (ou ao menos minimize o quanto possível) subjetividades é válida. Difícil vai ser (já estou prevendo, com meus poderes) conseguir reunir o grupo sugerido. Mais ainda difícil será vê-los aceitar de bom grado, e cheios de fé e esperança, o desafio…
    /
    /
    Contra o chiquismo Diz:
    Vinicius, se vc chamar o dr Vlad os ‘espiritos’ que ‘baixarão’ para o experimento serão só os zombeteiros que acompanham ele.
    .
    ***esqueceu da ORDEM DE KARDEC dada aos crentes?
    .
    “12) – a) O silêncio e o recolhimento devem ser observados durante as sessões. Ficam
    proibidas as questões fúteis, de interesse pessoal, de mera curiosidade ou feitas com a intenção de submeterem os Espíritos à prova, bem assim as que não tiverem um fim instrutivo. ”
    ./
    PONDERAÇÃO: Contra, estou certo de que Kardec, lá em NL (que ele não é bobo de ficar vagando na erraticidade havendo uma cidade confortável para abrigá-lo) está dando o maior apoio ao projeto. Note que ele disse “que não tiverem fim instrutivo”, quer fim mais instrutivo do que demonstrar de vez que espíritos estão presentes, calando assim a boca dos que não creem? Ou não…

  600. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “O que eu não entendo é como penico de barro pode enferrujar.”
    /.
    EXPLICA-LO-EI E ENTENDERÁS: se o barro contiver quantidade expressiva de ferro oxidará…

  601. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    MONTALVÃO 2: “Então ELE ESTÁ MESMO SE REFERINDO A ESPÍRITOS MALIGNOS (considerados “anjos pervertidos”) e questionando o capeta como entidade real, personalizada.”
    .
    VISONI (irado): ERRADO! NÃO É ESSE O SIGNIFICADO! JÁ FALEI QUE SUA INTERPRETAÇÃO É SIMPLESMENTE HORROROSA, MAS VOCÊ INSISTE NO ERRO! QUE SACO! ELE NÃO ESTÁ SE REFERINDO A ESPÍRITOS MALIGNOS! QUER A PROVA? LÁ VAI
    /.
    PONDERAÇÃO: Visoni irado, tive a “urmidade” de reconhecer minha canhestrice no ingrês, e fiz o reflexológico baseado no que me pareceu, entretanto sua corretiva em nada o ajuda, pois mantém o Dr. James acreditante na ação de entidades alienígenas, só que nem todas seriam do mal. Feita esta ressalva o restante fica salvaguardado, portanto, é factível afirmar que James, ao menos, simpatizava com a ideia de espíritos esvoaçando ao derredor de Leonora.
    .
    Brave o mito cai.

  602. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Como estou lendo e comentando, agora vi que o Gorducho agasalha igual apreciação que a minha.
    .
    Cuidado aí em baixo, Visoni: mito piperiano em despencação!

  603. Marciano Diz:

    Obrigado pela resposta, JOÃO.
    Eu acredito nas suas sensações, mas, como você mesmo admite, são sensações.
    Em tese, podem ou não consistir em algo objetivo.
    Eu acho que não.
    Pelo menos você está sendo cauteloso.
     
    MONTALVÃO Diz:
    DEZEMBRO 2ND, 2015 ÀS 10:27 PM
     
    “ … se o barro contiver quantidade expressiva de ferro oxidará…”.
     
    Em primeiro lugar, você está discutindo o assunto do tópico: se penico de barro enferruja; em segundo, você só encontra barro com alto teor de ferro com ajuda da Samarco. Mesmo assim, não dá pra enferrujar.
    Se não acredita, recolha um pouco do barro da Samarco, molde-o em forma de penico e asse-o.
    Isto é mais fácil de testar do que os tais espíritos.

  604. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    VISONI: Não pagam nem os professores e você quer provas aqui de presença espiritual?! Só o Ian Stevenson para a pesquisa dele consumiu 1 milhão de dólares… só para investigar a médium Piper consumiram 150 mil dólares (distribuídos em 25 anos de pesquisa, ok, mas isso ainda dá 6 mil dólares por ano, ou 24 mil reais por ano, ou 2 mil reais por mês… veja: um único médium). O Gabriel Guerrer precisou de 48 mil reais para investigar se a mente afeta a matéria, não obteve patrocínio, e apelou pro crownfunding, conseguindo a grana (agora é esperar).
    .
    Afinal, em que planeta vc vive, Montalvão?
    /.
    PONDERAÇÃO: vivo no Brasil, terra de fartura e engordecimento: a petralhada que o diga, pois tão todos rindo à tripa forra, mesmo tendo que devolver (ínfima) parte do que surrupiaram.
    .
    Basta procurar no lugar certo. No caso mediúnico, sugiro pedir aos Gasparetos, que têm de sobra… Peçam, também, ao Green Morton, aos médiuns do Dr. Fritz, ao João de Deus… e se não vir nada dessas bandas, ainda resta o crownfunding do povo espírita…
    .
    De qualquer modo, nossa proposta atende até mesmo a falta de recursos: eis que para os experimentos (desde que o médium não seja mercenário), basta uns tico-ticos e alguns pãos (vide Guimarães Rosa) com linguiça e tudo resolvido. A formalização do experimento é de custo quase zero, o deslocamento dos participantes pode ser negociado, e digo mais, pode-se mesmo planejar experiência via internet, quase limpando gastos.
    .
    O que falta não são recursos, sim coragem nos mediunistas… coragem de assumir que, no fundo, sabem que mortos não comunicam, mas são timoratos para comunicar tal conhecimento…

  605. Marciano Diz:

    O barro é composto, basicamente, de óxido de alumínio, dióxido de silício e água.
    Não tem ferro.
    Qualquer quantidade que possa ser contida não é suficiente para ser percebida a olho nu, se oxidar.
    Acho que nem a olho vestido dos melhores microscópios que se pode comprar.
     
    Confira:
    Composição da argila pura

    Al2O3

    39,45%

    SiO2

    46,64%

    H2O

    13,91%
    http://fazeres.no.sapo.pt/frameslayout/conteudoquimica.htm

  606. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Na reinvestigação do caso, Mills encontrou provas INÉDITAS para um caso que já era muito forte. A conclusão dela: “Concluímos que o caso Shiva/Sumitra apoia fortemente a hipótese de vida após a morte.”
    /.
    Ó MAQUEBELEZA: Mills provou a vida após a morte (e de reboque a reencarnação)! Pena que o mundo não ficou sabendo e continua sem saber.
    .
    O triste não é que Mills tenha cara de pau de afirmar essas coisas, triste mesmo é contemplar pessoas inteligentes aceitando…
    .
    Choro mesmo.

  607. Marciano Diz:

    Barro com ferro é com a Samarco.
    Será que agora o Brasil vai começar a limpar o penico?
    Refiro-me ao impeachment.

  608. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    MONTALVÃO: “A Bessie Beals pedida não era qualquer Bessie, mas a solicitada, sem contar que a Bessie comentada por Piper ainda estava na carne.”
    .
    VISONI: Na carne sim, mas em que situação ela estava? Será que ela não estaria muito mal de saúde, à beira da morte, em um estado tal que permitisse ao controle legítima confusão? Alguns controles citaram que é apenas uma “luz” diferente que permite distinguir entre o espírito de um vivo e de um morto, e em certos casos tal diferença não é marcante. Como a pesquisa de Hall e Tanner é uma porcaria, nunca saberemos (pelo menos até inventarem a máquina do tempo).
    /.
    NOSSA SENHORA: melhor ouvir isso que ser surdo…
    Tá bom: já que os “controles” explicaram tudo direitinho quem somos nós para questioná-los?

  609. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    VISONI: “Ha, ha, ha, algo sem qualquer conteúdo emocional, e que ainda por cima envolve números. Não funciona. E Hodgson tentou isso sem sucesso (mais uma vez isso serve para mostrar que os pesquisadores testaram sim a presença de espíritos no ambiente)”
    /.
    CLARO, NADA QUE SEJA OBJETIVO e revelador lhe interessa. Não considero Hodgson referência satisfatória para testes objetivos de presença. Ele serve apenas para lhe conceder uma pseudo-saída da encrenca de não ter como demonstrar que mortos estão presentes.

  610. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Todavia, na ocasião, os resultados não justificaram sua crença e não repeti os experimentos do relógio”
    /.
    PUTZ DO CÉU: a demonstração clara de que quando estavam para perceber que Phinuit não era espírito porcaria nenhuma desistiam… é este que você quer usar como testador de presença de espíritos? Será que sequer não passou pela cabeça crentelha do sujeito indagar o motivo de um espírito presente não enxergar horas, enquanto podia ver um monte de outras coisas? E achar ao menos explicação coerente que formasse hipótese verificável?
    .
    Acho que para salvá-lo teremos que usar submarino atômico, pois estás afogado sob toneladas de águas da crendice.

  611. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “O barro é composto, basicamente, de óxido de alumínio, dióxido de silício e água.
    Não tem ferro.”
    /.
    PONDERAÇão: SÓSIFOR o barro detuaterra: cá em casa por exemplo, estou a reformar meu lar e remendando emboços, os quais estão expondo altas quantidades de óxidos de ferro nos conduítes metálicos neles incrustados. Se o barro daqui mostra-se infestado de conduítes ferrosos que dirá barro mineiro…
    /.
    “Alguns anos vivi em Itabira.
    Principalmente nasci em Itabira.
    Por isso sou triste, orgulhoso: de ferro.
    Noventa por cento de ferro nas calçadas.
    Oitenta por cento de ferro nas almas.
    E esse alheamento do que na vida é porosidade e comunicação.
    .
    A vontade de amar, que me paralisa o trabalho,
    vem de Itabira, de suas noites brancas, sem mulheres e sem horizontes.
    .
    E o hábito de sofrer, que tanto me diverte,
    é doce herança itabirana.
    .
    De Itabira trouxe prendas diversas que ora te ofereço:
    esta pedra de ferro, futuro aço do Brasil,
    este São Benedito do velho santeiro Alfredo Duval;
    este couro de anta, estendido no sofá da sala de visitas;
    este orgulho, esta cabeça baixa…
    .
    Tive ouro, tive gado, tive fazendas.
    Hoje sou funcionário público.
    Itabira é apenas uma fotografia na parede.
    Mas como dói!”

  612. Marciano Diz:

    Counduítes metálicos?
    Está explicado. Devem ser feitos de uma liga de ferro e outro(s) metal(is).
    O barro só fornece o oxigênio para a oxidação da liga de metal.
     
    Com 80% de ferro na alma, ela enferruja.
    A alma do Drummond atualmente vive em Copacabana.
    Está bastante oxidada.

  613. Marciano Diz:

    Conduítes.
    Esse poltergeist faz cada coisa!

  614. vinicius Diz:

    “Marciano Diz: dezembro 2nd, 2015 às 10:56 PM
    Barro com ferro é com a Samarco.
    Será que agora o Brasil vai começar a limpar o penico?
    Refiro-me ao impeachment”

    Fraudes e corrupção por toda parte, tanto lado material(Petrolão, Mensalão etc.) quando do lado espiritual (Cartas das mamães, Bezerra 115 anos pós graduação espirita etc)

  615. vinicius Diz:

    Como seria a psicografia de CX para Saddam Hussein ou Osama Bin Laden?
    Encontrariam Hittler no planeta presidio Plutão?

  616. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Barro com ferro é com a Samarco.
    Será que agora o Brasil vai começar a limpar o penico?
    Refiro-me ao impeachment.”
    /.
    PONDERAÇÃO: parece que o impeachment vai adiante: vamos ver como será corrupto julgando corrupto…
    .
    Ambientalistas haviam sugerido a Samarco que usasse aquele mundão de barro para produzir tijolos, que poderiam ser vendidos a preços populares, ajudando a população carente (e daria para fazer muuuuuitos tijolos). A resposta: tô nem aí…

  617. Gorducho Diz:

    Suspeito que o ferro já estivesse oxidado – FeO2 – de sorte que os utensílios cozidos não se oxidariam posteriormente, como postula AMa.
     
    Quanto a usar o barro p/fazer tijolos especulo que seria procurar sarna-pra-se-coçar com as ONGs, pois que poriam toda sorte de pedrinhas alegando danos aos trabalhadores por poluentes.
     
    Notou AMo que reina absoluto silêncio acerca do túmulo do Tut?
    Naquele outro caso quando havia os mapas medievais, os espíritos alegremente mergulharam na baia (e, claro, cometeram o mesmo erro dos mapas, mas isso não vêm ao caso cá…).

  618. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “E contato com desencarnados só em Centro preparado. Pode ser perigoso. Os obsessores estão por toda parte onde não há guias protetores e mentores.”
    /.
    PONDERAÇÃO: bem que minha vózinha dizia: “não se deve mexer com essas coisas…”.
    .
    Vê-se que o mundo espiritual-kardecista é mera repetição do terrenal, talvez acrescido de coisas até mais graves que por aqui. Então lá há facínoras, que agem na surdina, espreitando os incautos e abusando deles. Nota-se que a polícia do além é pouco eficiente e, pelo visto, lá faltam mecanismos coercitivos que impeçam a ação de marginais, ou alguém já ouviu psicografia que falasse de cadeia espiritual? (À exceção do umbral, que não é bem cadeia).
    .
    Se formos esmiuçar (coisa que os mediunistas não fazem) essas alegações de que contatar mortos traz consequências funestas acharemos a mais medonhas incongruências na tese. Mas como a fantasia não conhece aporias, a superstição é levada adiante sem que percebam a insustentabilidade do que propõem.
    .
    Aliás, quando esmiuçamos a alegação de que mortos comunicam cedo verificamos tratar-se de devaneio que se pereniza por haver simpatizantes…

  619. Gorducho Diz:

    ou alguém já ouviu psicografia que falasse de cadeia espiritual?
    Claro que sim :!: :P
     
    Só que talvez os governantes teocratas chiquistas comunguem uma ideologia à la Fidel Castro, priorizando a detenção de opositores políticos.
     
    mandou fechar provisoriamente o Ministério da Comunicação, determinou funcionassem todos os calabouços da Regeneração, para isolamento dos
    recalcitrantes

  620. Gorducho Diz:

    Sim na Coréia e na China as sopas dos centros de lá são com carne canina.
     
    Conhece a psicografia por lá :?:
    https://www.youtube.com/watch?v=NOrrNmlxmwI

  621. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Em várias oportunidades, tentei alguns experimentos de “clarividência”, apresentando envelopes cujos escritos eu desconhecia e girando os ponteiros de um relógio de pulso de forma que eu estivesse ignorante de sua posição. Phinuit negou qualquer habilidade de dizer o conteúdo das cartas, mas achou que podia “sentir” as posições dos ponteiros através do estojo do relógio. Todavia, na ocasião, os resultados não justificaram sua crença e não repeti os experimentos do relógio”
    /.
    PONDERAÇÃO: quem assim se pronuncia é Hodgson, considerado um dos melhores e mais profícuos estudiosos de Piper. Hodgson, se diz, converteu-se ao espiritualismo graças as exibições de Leonora e, depois de convertido, passou a tratar as manifestações de Piper como mediúnicas-acima-de-qualquer-suspeita. Observa-se que fala de Phinuit como de alguém que sabe o que diz, cujos pronunciamentos sejam inquestionáveis. Então, Phinuit negou capacidade de ver o conteúdo de envelopes opacos, Hodgson acatou sem discutir; Phinuit “acreditou” poder enxergar a posição dos ponteiros estando o relógio fechado (não eram relógios de pulso, sim de bolso), mas o experimento mostrou que o espírito estava equivocado. Quer dizer, ele pensava que podia mas não sabia que não podia. Hodgson via as coisas acontecerem, tirava conclusões superficiais e a encrenca morria por ali.
    .
    Verifica-se que, contrariamente ao que o Visoni afirma, Hodgson não estava conferindo presença de espíritos: ele tentava conferir a clarividência de Piper, conforme o próprio declarara.
    .
    Este o grande pesquisador de Piper.
    .
    Por isso que o presidente da SPR deu aquela resposta cretina aos psicólogos quando lhe indagaram se não haviam tentado interpor armadilhas aos guias piperianos. Fica claro que aqueles homens não estavam a esgotar as possibilidades explicativas do que seria Piper, nada disso. Uns haviam fechado conclusão em torno de espíritos, outros hesitavam entre os mortos e a metapsíquica. Só uns poucos perceberam que ainda muito caminho na psicologia a ser trilhado, aspecto que os das sociedades de pesquisa não pareciam nem um pouco interessandos em explorar.

  622. Gorducho Diz:

    UniEsOP UNIVERSIDADE ESPÍRITA OBRAS PSICOGRAFADAS
    LICENCIATURA PLENA EM PEDAGOGIA ESPÍRITA
    ——————————————————————————————————————————————-
     
    Psicografia 101
    docente: GRASSOULILLET G, PhD.
    Aula 1 – A psicografia nos vários continentes

  623. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Hodgson e Visoni, ao menos, estão parelhos nas loucas considerações.
    .

    VISONI: “Foi por isso que ele concluiu que os espíritos “tinham uma percepção muito obscura, geralmente, de nosso mundo físico”. No entanto, espíritos se saíam bem em descrever quadros e ações das pessoas (note que isso confirma os testes ganzfeld, que mostraram que alvos dinâmicos são melhores do que alvos estáticos)”:
    /.
    PONDERAÇÃO: Pô e Pô: o ganzfeld lida com telepatia. Desconhece-se experimentos nessa linha que confiram a comunicação com mortos. Além disso, a alegação de que alvos dinâmicos são melhores não me parece ter sido bem conferida: um parapsicólogo defendeu que sim (frustrado com os miúdos resultados dos experimentos clássicos) e jogou esse 171: alvos ricos em conteúdos dão melhores resultados. É claro que dão: é mais fácil dizer algo que atine a vários conteúdos que a um só, pois a possibilidade de acertar ao acaso se torna mais expressiva. Vejam um exemplo: se tenho uma caixa lacrada em cujo interior está o número 597, com a mais ampla certeza, o clarividente não vai nem em 999 tentativas (nem em 100.000) acertar o conteúdo (desde que ele não sabia nada a respeito do que pode ser). Agora, se lá estiver imagem rica em opções a probabilidade de dizer algo que possa ser ligado ao quadro cresce desmesuradamente. Isso é considerado sinal de clarividência. E o Visoni aceita sem sequer piscar o olho…
    .
    Por fim, propor que os mortos têm visão obscura das coisas da matéria, sem trabalho que examine a literatura que propugna o contrário e sem levantar hipóteses daquilo que os mortos enxergariam bem (o que indicaria um norte nas investigações) soa mais como meditação de hospício que reflexão de pesquisador sério.

  624. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Piper dava conselhos médicos precisos, e resolveu o problema de muitos. Não vejo nenhum problema em tal “retorno” – na verdade, isso nunca sumiu – DESDE QUE NÃO SE ABANDONE O TRATAMENTO MÉDICO CONVENCIONAL (quando disponível, evidentemente. No caso de xamãs da Floresta Amazônica isso fica difícil).”
    ./
    PONDERAÇÃO: o pulo do gato está em “não abandonar o tratamento convencional”. Isso faz toda diferença. A chamada medicina alternativa, que sabe-se tratar-se de placeboterapia (de momento, só lembro da fitoterapia como exceção que, em várias situações, resolve), pode ter utilidade no sentido de proporcionar ao doente maior confiança e otimismo na recuperação. É fato que quem positivamente estimulado responde melhor ao tratamento. Cessa aqui o alcance das terapêuticas místicas. O que ocorre na prática é que quando um doente de doença grave se recupera o crédito vai todo para o místico e assim cresce a crendice.
    .
    Eu mesmo tenho experiência significativa nesse quesito. Dois parentes meus, marido e mulher, estavam contaminados pela SIDA. O marido repudiou medicamento alopático (na época só havia de eficaz o AZT), optou por consultar curandeiros (era eu quem que o levava aos diversos “terapeutas” que consultou: na época também acreditei que a fitoterapia daria conta). A esposa ficou com o AZT. Ela sobreviveu quase um ano após ele. Mas a história não acaba aí: em certo ponto da doença, a mulher decidiu buscar na Universal o milagre. Passou a ser usuária do Macedo. Até que em certo encontro um profeta a declarou curada. Até eu quase acreditei ao vê-la transformada. Engordou, a face ficou iluminada, era só sorrisos, ninguém dizia que estivera acometida de moléstia fatal. Seis meses depois faleceu, vítima de complicações da doença…
    .
    Piper não resolveu o problema de “muitos”, resolveu problemas dos que resolveram que seus problemas haviam sido por ela resolvidos… do mesmo modo que hoje tantos se declaram curados por médiuns e depois morrem do mesmo mal do qual haviam sido “libertos”…

  625. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Notou AMo que reina absoluto silêncio acerca do túmulo do Tut?
    Naquele outro caso quando havia os mapas medievais, os espíritos alegremente mergulharam na baia (e, claro, cometeram o mesmo erro dos mapas, mas isso não vêm ao caso cá…).”
    /.
    PONDERAÇÃO: pois é, falta tão somente o Visoni utilizar sua visão remota para ver essa coisas…

  626. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “ou alguém já ouviu psicografia que falasse de cadeia espiritual?”
    /.
    Claro que sim :!: :P (Só que talvez os governantes teocratas chiquistas comunguem uma ideologia à la Fidel Castro, priorizando a detenção de opositores políticos.)
    .
    ‘mandou fechar provisoriamente o Ministério da Comunicação, determinou funcionassem todos os calabouços da Regeneração, para isolamento dos
    recalcitrantes’
    /.
    PONDERAÇÃO: tudo bem, cadeia há (ao menos em NL) porém, pelo que se depreende só em usada em situações especiais. Não há como aqui presídios onde os ofensores da lei são (cada vez menos) encarcerados. O que de que reclamo é o seguinte: já que lá é tal qual aqui (acrescido dos melhoramentos que a vida “superior” deve ter produzido), seria de esperar que os meliantes fossem mais eficientemente controlados e impedidos de agir em plena liberdade como dizem fazem. Se cá na Terra, mesmo com todas as limitações, a polícia consegue deter boa parte dos do mal, muito mais produtivo seria o policiamento de lá.
    .
    Maquenada: nem puliça eles têm… :-/

  627. Contra o chiquismo Diz:

    Gorducho Diz:
    DEZEMBRO 3RD, 2015 ÀS 10:01 AM
    Sim na Coréia e na China as sopas dos centros de lá são com carne canina.

    Conhece a psicografia por lá :?:
    .
    .
    Imaginei que sim..
    não, não conheço a psicografia de lá, aqui não abre o youtube. Só mais tarde em casa.

  628. Vitor Diz:

    PARA O GORDUCHO – RESPOSTA DA KELLY SOBRE O MÉDIUM QUE ELA INVESTIGOU:
    .
    Unfortunately, no further work has been done here, either with that medium or any other. I have retired, and we do not have the funds to hire anyone else to carry on this research.
    Emily Kelly

    .
    Da próxima vez que me pedir para mandar um email eu nem vou me dar ao trabalho de responder. Você não é aleijado e pode fazer isso perfeitamente. Chega de bancar o pombo correio.

  629. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “PARA O GORDUCHO – RESPOSTA DA KELLY SOBRE O MÉDIUM QUE ELA INVESTIGOU:
    .
    Unfortunately, no further work has been done here, either with that medium or any other. I have retired, and we do not have the funds to hire anyone else to carry on this research.
    Emily Kelly”
    /.
    TRADUÇÃO: nada se conseguiu de consistente… não era este o médium que, foi dito, ombreia com Piper? Nem a SPR ou sua filial americana por ele se interessou? Kelly e a mediunidade estão mesmo sem prestígio… Só uns poucos teimosos ainda insistem em defender que mortos falem com vivos.
    ./
    /
    VISONI: Da próxima vez que me pedir para mandar um email eu nem vou me dar ao trabalho de responder. Você não é aleijado e pode fazer isso perfeitamente. Chega de bancar o pombo correio.
    /.
    ISSO MEU JOVEM, desabafe sua frustração de verificar que não há médiuns (nem nunca houve) capazes de dar uma respostinha tão simples como a de que espíritos estão presentes…
    .
    Breve terás de contemplar irrefutavelmente a destronação de seus mitos. O próximo será a visão remota… (minha visão remota futurística mostra-mo que assim será).
    .
    Sorry.

  630. Gorducho Diz:

    Se não se der o trabalho de responder feio ficará p/o Sr. que insiste em fazer a apologia da credulidade cá.
    Provavelmente ela caiu em si como a Susan Blackmore e se tocou que médiuns não exitem.
    Menos mal: antes tarde do que nunca.
     
    E o outro? Já está lá em Tebas c/os médiuns dele?

  631. Gorducho Diz:

    Agora a tradução saiu perfeita: ele não vai poder alegar como fez anteontem que o Sr. errou 2 ou 3 palavrinhas, AMo :!:

  632. Gorducho Diz:

    capazes de dar uma respostinha tão simples como a de que espíritos estão presentes ou se atrás da parede norte tem uma múmia e atrás da parede oeste tem uma despensa…

  633. Vitor Diz:

    MONTALVÃO: “Quem assim se pronuncia é Hodgson, considerado um dos melhores e mais profícuos estudiosos de Piper.”
    .
    Até aqui, correto.
    .
    MONTALVÃO: “Hodgson, se diz, converteu-se ao espiritualismo graças as exibições de Leonora e, depois de convertido, passou a tratar as manifestações de Piper como mediúnicas-acima-de-qualquer-suspeita.”
    .
    A frase “passou a tratar as manifestações de Piper como mediúnicas-acima-de-qualquer-suspeita” está errada. Hodgson sabia que algumas manifestações eram puramente telepáticas, sem espíritos.
    .
    MONTALVÃO: “Observa-se que fala de Phinuit como de alguém que sabe o que diz, cujos pronunciamentos sejam inquestionáveis.”
    .
    Você só pode estar ALCOOLIZADO. NADA sugere isso, nada, nada, nada… há de fato várias passagens que refutam essa alucinação que você teve.
    .
    MONTALVÃO: “Então, Phinuit negou capacidade de ver o conteúdo de envelopes opacos, Hodgson acatou sem discutir;”
    .
    Acatar sem discutir é a própria recomendação do cético Ray Hyman. Ele diz:
    .
    “Sempre que possível, você não deve tentar contrariar uma alegação paranormal específica sem obter o maior número de fatos relevantes possível. Ao longo do caminho, você deve documentar cuidadosamente suas fontes. Não dependa de um relatório nos meios de comunicação, quer para o que está sendo reivindicado quer para fatos relevantes à reivindicação. Tente obter os detalhes do pedido diretamente do reclamante.”
    .
    No entanto, eu já citei um caso em que o espírito leu o conteúdo da carta sem qualquer possibilidade de conhecimento por meios normais. Não era Phinuit, e sim G.P.:
    .
    During the sixth sitting, December 7th, G. P. asked for his mother’s letter. A letter from his mother had been received by Mr. Howard, and this was put into the hand. As I have explained elsewhere (p. 317 footnote) when the hand is “controlled” apparently independently of the head, the head sags down and to the left in such a position that the hand is outside of the field of vision, and there is no possilbility of Mrs. Piper’s reading by any normal process a letter given to the hand under those circumstances. After handling the letter G. P. stated correctly that his father was not well, that his mother said in the letter that she was going somewhere, that the house and property in N. Y. were to be disposed of. These matters were mentioned in the letter and also known to Mrs. Howard who had read it.
    .
    MONTALVÃO: Phinuit “acreditou” poder enxergar a posição dos ponteiros estando o relógio fechado (não eram relógios de pulso, sim de bolso)
    .
    Aceito a correção. Aproveite e vê se descobre para mim uma tradução para “cardplate” ou “card-plate”.(Marciano pode ajudar…)
    .
    MONTALVÃO: “mas o experimento mostrou que o espírito estava equivocado. Quer dizer, ele pensava que podia mas não sabia que não podia. Hodgson via as coisas acontecerem, tirava conclusões superficiais e a encrenca morria por ali.”
    .
    Conclusões superficiais? Morria por ali? Ele simplesmente não dá os saltos lógicos que você dá, Montalvão…
    .
    MONTALVÃO: “Verifica-se que, contrariamente ao que o Visoni afirma, Hodgson não estava conferindo presença de espíritos: ele tentava conferir a clarividência de Piper, conforme o próprio declarara.”
    .
    ERRADO. Ele mesmo diz:
    .
    “Neste momento, faz-se necessário considerar diretamente a afirmação persistente que Phinuit faz sobre si mesmo em suas comunicações: que ele é um “espírito” que há pouco tempo vivia como um ser humano, que ocupa o organismo da Sra. Piper durante seu transe e recebe mensagens diretamente de “espíritos” amigos dos assistentes. Esta, como os leitores dos relatos publicados anteriormente sabem, é a forma invariável do transe da Sra. Piper, ressalvado que outros “controles”, que também alegam ser “espíritos” de seres humanos que já viveram, às vezes tomam o lugar de Phinuit.
    .
    Agora, o status a ser atribuído a Phinuit dependerá EM PARTE do próprio relato de si mesmo—COM VERIFICAÇÃO OU NÃO—nossa opinião sobre sua veracidade, AS CONCLUSÕES QUE PODEMOS ALCANÇAR SOBRE SEUS “PODERES” etc., e também sobre as impressões produzidas por outros supostos “controles”.”

    .
    Mais um erro claro do Montalvão.
    .
    MONTALVÃO: “Este o grande pesquisador de Piper.”
    .
    E de fato era. Infelizmente não posso dizer que você seja um grande crítico dela ou dos pesquisadores.
    .
    MONTALVÃO: “Por isso que o presidente da SPR deu aquela resposta cretina aos psicólogos quando lhe indagaram se não haviam tentado interpor armadilhas aos guias piperianos.”
    .
    A resposta dele foi muito bem complementada por Hyslop e Sidgwick.
    .
    MONTALVÃO: “Fica claro que aqueles homens não estavam a esgotar as possibilidades explicativas do que seria Piper, nada disso.”
    .
    Fica claro que você não leu a resposta de Hyslop e de Sidgwick. Nem a pesquisa de Andrew Lang (no máximo correu os olhos superficialmente). Triste.

  634. Vitor Diz:

    GORDUCHO: “Provavelmente ela caiu em si como a Susan Blackmore e se tocou que médiuns não exitem. Menos mal: antes tarde do que nunca.”
    .
    Está bancando o Montalvão e extraindo coisas do texto que não existem? Escreva um email a ela e veja se sua opinião se confirma…

  635. Vitor Diz:

    TRADUÇÃO DO MONTALVÃO: nada se conseguiu de consistente… não era este o médium que, foi dito, ombreia com Piper? Nem a SPR ou sua filial americana por ele se interessou? Kelly e a mediunidade estão mesmo sem prestígio… Só uns poucos teimosos ainda insistem em defender que mortos falem com vivos.
    .
    Graças a traduções como essa que dizem que tradutor = traidor…já até me arrependi de ter pedido ajuda para “cardplate”….

  636. Gorducho Diz:

    Sim, seria o mesmo que perguntar ao Crookes se a KK se materializava; mas ele destruiu as fotos!
     
    Se ele sustentar que não prossegue só por falta de tempo e de dinheiro, a desculpa será esfarrapadíssima. Para que presta então aquele pessoal do Carlos Alvarado (no qual confio…)?
    Se o Carlos Alvarado quiser, estou disposto a orientá-lo e talvez até a ajudar a fiscalizar. Como já disse, estou mais livre agora.

  637. Gorducho Diz:

    Ele não: she, Ms. Kelly.

  638. Gorducho Diz:

    ter pedido ajuda para “cardplate”…. :?:

  639. Vitor Diz:

    MONTALVÃO: “a demonstração clara de que quando estavam para perceber que Phinuit não era espírito porcaria nenhuma desistiam…”
    .
    Isso é demonstração só na cabeça de quem adora fazer saltos lógicos… seu raciocínio é do tipo:
    .
    01 – Fulano não enxerga.
    02 – Beltrano nasceu de Fulano.
    03 – Logo, Beltrano não enxerga.
    .
    MONTALVÃO: “é este que você quer usar como testador de presença de espíritos? Será que sequer não passou pela cabeça crentelha do sujeito indagar o motivo de um espírito presente não enxergar horas, enquanto podia ver um monte de outras coisas?”
    .
    Passou. Se você lesse os relatórios, saberia. Eis um trecho:
    .
    Phinuit alega não ter paladar, olfato, nem ser capaz de dar quaisquer indicações deles; mas numa oportunidade, quando eu testava o conhecimento de Phinuit sobre ervas (ver a p. 51), a Sra. Blodgett degustava um dos espécimes quando Phinuit pôs uma porção na boca; ao responder minha inquirição, disse que não podia saboreá-lo. Alegou não obter quaisquer “sensações olfativas de um frasco ou mesmo de uma garrafa cheia de perfume”—o que não surpreende, pois, numa ocasião anterior, não pude detectar o menor sinal de desconforto após ele cheirar algumas fortes inalações de amônia (fui muito cuidadoso ao ver se a amônia fora de fato inalada). De modo similar, quando coloquei uma colher cheia de sal em sua boca, ele absolutamente não pareceu perceber.
    .
    Ele localizou beliscões corretamente em várias partes do corpo; sensações de toque, temperatura, pressão; a sensação muscular pareceu estar inteiramente presente, embora aparentemente algo debilitada. O sentido de audição está presente, apesar de, até certo ponto, parecer variar qualitativamente em diversos transes. Quando fiz alguns experimentos rudes de localização, beliscando—algumas vezes muito severamente—, Phinuit explicou ter “perdido o controle” temporariamente daquela parte do corpo: “É como um pedaço de pau [Makes it like a stick]. Não tenho qualquer sensação ali por certo tempo; mas quando você solta, sinto-a novamente”. Mais tarde, sem avisar, segurei um fósforo aceso em seu antebraço esquerdo; o braço moveu-se não repentina, mas lentamente, muito embora um vago desconforto tenha sido sentido. “Oui, eu senti isso”, exclamou Phinuit. “Você sentiu dor?” “Não, senti frio—frio, acho”. Eu não havia tentado qualquer teste severo de dor (ver os Proceedings, vol. VI, p. 447). No transe mediúnico, quando examinei as órbitas oculares, encontrei-as movendo-se e as pupilas reagindo à luz. Elas reagiram também, soube pelo professor James, na hipnose comum que ele conseguiu fazer com a Sra. Piper. Numa ocasião, tendo persuadido Phinuit a levantar-se, segurei suas pálpebras e solicitei que ele forçasse as órbitas oculares para dentro das posições que ocupam quando ordinariamente despertas. Isto pareceu envolver considerável esforço da parte de Phinuit, e a face da Sra. Piper tornou-se muito contraída e bastante medonha durante o processo. As órbitas oculares, com um olhar vago, permaneceram abaixo por cerca de meio minuto, embora eu não tenha aferido o tempo exato e, então, repentinamente, moveram-se novamente (no fim daquela sessão, a Sra. Piper precisou de um tempo excepcionalmente longo para se recuperar do transe. Phinuit disse: “au revoir”, mas depois de alguns minutos, falou novamente numa voz baixa e reclamou que tinha “andado em círculos e não pôde encontrar o caminho da saída”. Porém, após um breve intervalo, a Sra. Piper começou a voltar ao normal.

    .
    Vê-se, assim, Hodgson sempre experimentando as percepções de Phinuit do mundo físico, e questionando o que ele diz de si próprio.

  640. Marciano Diz:

    GORDUCHO, você tem razão (como sempre). O penico da Samarco seria feito com barro contendo ferrugem, portanto, seria impossível enferrujar (já estava oxidado antes).
    Conclusão: ferrugem em penico de barro é impossível.
     
    Isto se aplica ao assunto sob comento neste tópico.
    Por mais que se discuta o sexo dos anjos, anjos não existem, portanto, a discussão é bizantina. Lana caprina.
     
    MONTALVÃO:
    DESDE QUE NÃO SE ABANDONE O TRATAMENTO MÉDICO CONVENCIONAL
     
    A medicina alternativa funciona, DESDE QUE NÃO SE ABANDONE O TRATAMENTO MÉDICO CONVENCIONAL
     

    A recíproca não é verdadeira: “a medicina convencional (leia-se real) funciona, desde que não se abandone a medicina alternativa”.
    Curioso…
    Não sei como ORLANDO lida com isso.
    O Vlad lida bem, com certeza. É que ele é médico homeopata:
    http://www.catalogo.med.br/doutor/vladimir+de+freitas+junior+285615.htm
     
    Maquenada: nem puliça eles têm… :-/
     
    Então, como põem os dissidentes nos calabouços?
     
    VITOR,
     
    Graças a traduções como essa que dizem que tradutor = traidor…já até me arrependi de ter pedido ajuda para “cardplate”….
     
    Eu não tinha percebido o pedido de tradução para CARDPLATE
    Não sei o nome em português, mas é uma etiqueta metálica que se põe em portas ou gavetas, para identificar o sujeito que se encontra no aposento ou o que se encontra na gaveta.
    Imagina uma porta com uma placa metálica grudada nela, escrito assim:
    Dr. Vlad – Médico Homeopata. Isto é uma card plate.
    Se souber como se diz em português, agradeço.
     
    Ah, a grafia correta é card plate.

  641. Vitor Diz:

    MARCIANO, acho que cardplate não é isso daí não. Vê se o contexto ajuda:
    .
    February 11th, 1887, my sister L. wished me to ask Phinuit where she should find her missing card-plate. To be thoroughly explicit, I took her calling-card with me and placed it in Mrs. P. ‘s hand, inquiring, “Where is the plate from which this is engraved?”
    .
    Parece ser algo que se coloca ou se grava os cartões de visita?! Seria estojo de prata/metal de cartões?

  642. Vitor Diz:

    GORDUCHO: “Para que presta então aquele pessoal do Carlos Alvarado (no qual confio…)?”
    .
    Você acha que Alvarado ou seus colegas são ricos?! Você já viu o valor monetário dos prêmios da Associação Parapsicológica?

  643. Marciano Diz:

    Devido ao fato de que leio muitos livros americanos e ingleses, tem coisas que sei em inglês e não sei em português.
    A gente vai pegando pelo contexto e, quando desconhece o vocábulo em nossa língua, fica o conceito e falta a tradução correspondente.
    Não sei como se traduz ghoul, por exemplo.
    And grizzly ghouls, from every tomb, are closing in, to seal your doom.
    Eu sei o que são ghouls, como sei o que são lobisomens (werewolves – plural de werewolf), mas desconheço palavra na língua pátria para descrevê-los.
    Vale o mesmo para leprechaun, far darrig…

  644. Marciano Diz:

    Pode ser, VITOR, mas o único card plate que conheço foi aquele de que falei.
    Nesse contexto, vê-se que não é a mesma coisa.

  645. Marciano Diz:

    Pode ser também aqueles que se colocam sobre a mesa, para identificar o ocupante.

  646. Marciano Diz:

    Procurei no webster e no oxford, mas não encontrei nem card plate.
    Os que tenho são edições menores.

  647. Gorducho Diz:

    http://dickstrophies.com/images/p500x500/desk-wedge-name-plates-32qFmq.png
     
    Mas não sei traduzir; porta cartões não exprime.

  648. Vitor Diz:

    Marciano, não existe tradução para ghoul, é ghoul mesmo, veja no livro “A Cripta do vampiro”, esse livro-jogo é nota mil!
    .
    https://gjjovq.dm2302.livefilestore.com/y3mSU61azzjLSEGkvq-xpDhVrbw44npDivvPu83cKBcPk6mwfg7c_BA6dA4XVPLSmZNEzuBw1Ou-YfMLPJDVhOxvJi8HnbWfAcCzWX0Xj_vDYT1lcgoxTQfk6CkUN1DlWqk/Aventuras%20Fant%C3%A1sticas%2013%20-%20A%20Cripta%20do%20Vampiro.pdf?psid=1
    .
    Tem um desenho do que é um Ghoul na referência 70 (ou melhor, na página anterior à referência 70).

  649. Vitor Diz:

    Minha dúvida é que esse card plate parece que grava algo no cartões de visita, não parece ser um local só em que se coloca os cartões.

  650. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Para acreditar em clarividência e visão remotinha…
    /.
    https://www.youtube.com/watch?v=Uc-KDjBd34U

  651. Gorducho Diz:

    Você acha que Alvarado ou seus colegas são ricos?
     
    Mas p/que prestaria o Dept° deles se houvesse de fato sido descoberto um(a) médium na América – então fato extraordinário em 99 anos (retroagindo a 2010 tomando o fim da mediunidade de Ms. Piper no ano 11 como sugere o Braude no Espíritos Rebeldes) – e eles não testam?

  652. Marciano Diz:

    Pela pergunta, parece que o cartão de visitas foi impresso com o tal card-plate.
    Talvez seja algo que se usava para imprimir cartões de visita que não se usa mais.
    Não encontrei card-plate (com essa grafia) em lugar nenhum.
    Procurando no google, só encontrei o que eu disse.
    Veja um exemplo aqui:
    http://cardview.net/wp-content/themes/cardview/templates/License-Plate-Business-Card-283-single.jpg

  653. Victor Diz:

    Marciano Diz:
    dezembro 3rd, 2015 às 4:29 PM
    .
    Não sei como se traduz ghoul , por exemplo.
    .
    COMENT: Uma tradução possível seria “Carniçal”

  654. Vitor Diz:

    Acho que o Victor matou a charada pro ghoul. E para o card plate?

  655. Vitor Diz:

    Eu pensei numa espécie de estojo com carimbo… sei lá…

  656. Gorducho Diz:

    Informo que resolvi copiar o Zuckerberg e estou aprendendo mandarim. Já sei traduzir 扶乩
     
    psicografia.

  657. Marciano Diz:

    Um urubu é um carniçal, mas não é um ghoul.
    Acho que não existem palavras em português para essas coisas porque não fazem parte da nossa cultura.
    Quanto ao card-plate, o texto dá a entender que é ou era algo com que se imprime cartões de visita.

  658. Vitor Diz:

    Acho que cardplate é ESTOJO DE CARIMBO.

  659. Marciano Diz:

    Carniçal é qualquer um que se alimente de carniça.
    Ghoul é isso aqui:
    https://en.wikipedia.org/wiki/Ghoul
    A ghoul is a monster or evil spirit in Arabian mythology, associated with graveyards and consuming human flesh. The oldest surviving literature that mention ghouls is likely One Thousand and One Nights.[1] The term was first used in English literature in 1786, in William Beckford’s Orientalist novel Vathek,[2] which describes the gh?l of Arabian folklore. In modern fiction, the term has often been used for a certain kind of undead monster. By extension, the word ghoul is also used in a derogatory sense to refer to a person who delights in the macabre, or whose profession is linked directly to death, such as a gravedigger or graverobber.
     
    Não sei se saci-pererê tem correspondente em inglês. Nunca vi menção a esse ser fantástico em qualquer livro em língua inglesa.

  660. Marciano Diz:

    Sugiro traduzir provisoriamente como estojo de carimbo, até que se encontre uma tradução adequada.
    Ou então, manter a palavra no original, com nota de rodapé.
    Esse era um macete que eu usava com frequência.

  661. Marciano Diz:

    Será que se fazia cartões de visita com carimbos?
    Se for, era o carimbo para tal finalidade.

  662. Marciano Diz:

    GORDUCHO, existe a palavra psicografia em mandarim ou você está brincando?

  663. Victor Diz:

    Marciano Diz:
    dezembro 3rd, 2015 às 4:55 PM

    Carniçal é qualquer um que se alimente de carniça.
    .
    COMENT: Sim, mas tem sido usado com frequência o termo “Carniçal” como sinônimo de Ghoul em diversos jogos de RPG, bem com Games, em que a criatura é referenciada.

  664. Marciano Diz:

    Vitor, estou vendo que o cara que traduziu o jogo não traduziu a palavra ghoul.
    “O Ghoul monstruosamente grande se afasta de você…”.

  665. Marciano Diz:

    Foi uma mulher: Lilia Oliveira.

  666. Vitor Diz:

    Pois é, não traduziu, mas Carniçal acho bem aceitável, pode ser aceito como se referindo também especificamente a um tipo de monstro, não vejo problemas.

  667. Gorducho Diz:

    Sim, mas tem sido usado com frequência o termo “Carniçal” como sinônimo de Ghoul em diversos jogos de RPG
     
    Mas está errado! Só porque os caras não sabem traduzir não vamos nós cá ficar dizendo MUUU!!!
    Ghoul é uma palavra do idioma árabe que significa esse ser específico, e não carniçais genéricos.
    Aliás… será que não é o chupa-cabra :?:
    Aí, se sim… sim.

  668. Marciano Diz:

    O mais importante é que ghouls, far darrig, leprechauns, sacis, espíritos, nada disso existe fora da imaginação das pessoas.
    É o que eu acho.
    O jogo deve ser legal, mas eu não jogo RPG, PS3 (nem comprei PS4), etc., há alguns anos.
    Meu tempo livre é usado em compromissos sociais, outros tipos de lazer e aqui no blog.
    Por isso, estou até pensando em limitar minha aparição aqui.
    Facebook, google + e outras redes, passo mais de um mês sem acessar.
    Preciso ser menos ganancioso.
    Quase não vejo mais filmes e livros, só tenho lido não-ficção. Ou técnicos.

  669. Marciano Diz:

    Nem só de trabalho vive o homem.
    GORDUCHO, concordo com você.
    É melhor deixar palavras intraduzíveis no original e colocar uma nota de rodapé.
    A Lilia mandou mal.

  670. Marciano Diz:

    Quero dizer, a Lilia mandou bem, quando optou por não traduzir.
    A nota de rodapé, no caso dela, é dispensável, pois quem joga RPG conhece todos os personagens.

  671. Gorducho Diz:

    GORDUCHO, existe a palavra psicografia em mandarim ou você está brincando?
     
    Não sei se é mandarim: é chinês padrão atual (“simplificado”).
    Não viu a sessão que mostrei hoje de manhã a CoC :?:

  672. Marciano Diz:

    Acho que minha cota aqui, hoje, já foi suficiente.
    Vou fechar a “quitanda” e agendar os compromissos de amanhã.
    Inch”Allah, eu volto logo mais.
    That’s all for now, folks.
    Happy showtime! Here “goes” Woody.

  673. Marciano Diz:

    Não, GORDUCHO, não vi.
    Estou ficando desleixado, por falta de tempo.
    Vou ver agora e depois é câmbio final e desligo.

  674. Marciano Diz:

    Eu tinha lido o comentário, mas não assisti ao vídeo.
    Vou assistir agora.

  675. Marciano Diz:

    Putz! 28 minutos.
    Vou ver mais tarde.
    Bis bald!

  676. Marciano Diz:

    Nem precisei ver tudo.
    A mulher fica (aparentemente) escrevendo umas coisas, parece que diz o que escrever, o cara apaga e o outro vai anotando.
    Como não conheço nem a língua nem a cultura chinesas (graças a deus), não entendi nada.
    Aquela figura que fica atrás da mulher é alguma assombração?
    Se não é, parece.

  677. Vitor Diz:

    Na wikipedia tem uma tradução de ghoul como goule.

  678. Gorducho Diz:

    Na wikipedia tem uma tradução de ghoul como goule.
    :o
    Apesar da Wikipedia em português ser virtualmente inaproveitável, não encontrei essa imbecilidade :!:
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Ghoul

  679. Vitor Diz:

    Há referência a esta criatura mitológica na clássica obra da literatura árabe, “As Mil e Uma Noites”, da qual se retira a seguinte passagem: “Não ignorais que as goules de um e de outro sexo são demônios errantes. Vivem geralmente nas ruínas, de onde se lançam de repente sobre os transeuntes, a quem matam e cuja carne devoram. Quando estes faltam, vão de noite aos cemitérios para alimentar-se da carne dos mortos” [GALLAND, Antoine. As Mil e Uma Noites. Trad. Alberto Diniz. v. 2, Ediouro, 2002, p. 377].

  680. Vitor Diz:

    O Gorducho tá pegando a mania do Montalvão de não ler nada direito. :D

  681. Marciano Diz:

    Goule é um aportuguesamento que acho que ainda não foi adicionado aos dicionários.
    Os que eu tenho, mais novos do que a tradução, não registram a palavra (Houaiss, Aurélio e Michaelis, sendo que os dois primeiros são completos – unabridged, não abreviados).

  682. Marciano Diz:

    Em francês, existe a tradução goule.

  683. Marciano Diz:

    Pronuncia-se gulll (caprichando no “l”).

  684. Marciano Diz:

    O “e” é praticamente mudo.

  685. Marciano Diz:

    Da wikipedia francesa (não vou transcrever os caracteres não aceitos no blog, porque dá muito trabalho e todos podem consultar o link):
    La goule (de l’arabe ?????, al-ghoûl (féminin al-ghoûla), « l’ogre »), est une créature monstrueuse du folklore arabe1 et perse2 qui apparaît dans les contes des Mille et Une Nuits. Elles forment une classe de Jinn, comme les Éfrits par exemple, et sont donc à ce titre l’engeance du diable, Iblis. Les goules changent de forme, prenant le plus souvent l’apparence d’une hyène ou celle d’une femme, mais elles sont reconnaissables à leurs pieds fourchus, seul élément constant de leur apparence1. La ghoûla, féminisation du mot arabe, est l’équivalente arabe/perse de Lilith (Lamia)2. On retrouve ses homologues dans la mythologie hindoue, Yogni et Dakini, chaldéenne, Utug et Gigim (démons du désert) et slave, Baba Yaga2. Le poète préislamique Ta’abbata Charrane décrit dans l’un de ses poèmes1 sa rencontre et sa lutte contre une goule.
    https://fr.wikipedia.org/wiki/Goule

  686. Marciano Diz:

    Moral da história: as pessoas já acreditaram e ainda acreditam em cada coisa…

  687. Marciano Diz:

    Esses seres fantásticos (fantasmas principalmente, foram eles que deram origem ao adjetivo) só são legais mesmo em videogames, livros e filmes.
    Na vida real, non ecxistem.

  688. Gorducho Diz:

    È vero: o cara traduziu do francês!
    [Antoine Galland]
     

    Je courus aussitôt à la porte, qu’elle avoit laissée entr’ouverte ; et à la faveur du clair de la lune, je la suivis, jusqu’à ce que je la vis entrer dans un cimetière qui étoit voisin de notre maison. Alors je gagnai le bout d’un mur qui se terminoit au cimetière ; et après m’être précautionné pour ne pas être vu, j’aperçus Amine avec une goule [1].

    [1] Goule, ou Goul : ce sont, suivant la religion Mahométane, des espèces des larves, qui répondent aux Emuses des anciens, et qui n’en diffèrent qu’en ce que ces derniers étoient toujours du sexe féminin.

  689. Marciano Diz:

    O Far Darrig é divertido.
    Confiram:
    ________________________________________
    FAR DARRIG IN DONEGAL.
    MISS LETITIA MACLINTOCK.
    Pat Diver, the tinker, was a man well-accustomed to a wandering life, and to strange shelters; he had shared the beggar’s blanket in smoky cabins; he had crouched beside the still in many a nook and comer where poteen was made
    p. 91
    on the wild Innishowen mountains; he had even slept on the bare heather, or on the ditch, with no roof over him but the vault of heaven; yet were all his nights of adventure tame and commonplace when compared with one especial night.
    During the day preceding that night, he had mended all the kettles and saucepans in Moville and Greencastle, and was on his way to Culdaff, when night overtook him on a lonely mountain road.
    He knocked at one door after another asking for a night’s lodging, while he jingled the halfpence in his pocket, but was everywhere refused.
    Where was the boasted hospitality of Innishowen, which he had never before known to fail? It was of no use to be able to pay when the people seemed so churlish. Thus thinking, he made his way towards a light a little farther on, and knocked at another cabin door.
    An old man and woman were seated one at each side of the fire.
    “Will you be pleased to give me a night’s lodging, sir?” asked Pat respectfully.
    “Can you tell a story?” returned the old man.
    “No, then, sir, I canna say I’m good at story-telling,” replied the puzzled tinker.
    “Then you maun just gang farther, for none but them that can tell a story will get in here.”
    This reply was made in so decided a tone that Pat did not attempt to repeat his appeal, but turned away reluctantly to resume his weary journey.
    “A story, indeed,” muttered he. “Auld wives fables to please the weans!”
    As he took up his bundle of tinkering implements, he observed a barn standing rather behind the dwelling-house, and, aided by the rising moon, he made his way towards it.
    It was a clean, roomy barn, with a piled-up heap of straw in one corner. Here was a shelter not to be despised; so Pat crept under the straw and was soon asleep.
    He could not have slept very long when he was awakened
    p. 92
    by the tramp of feet, and, peeping cautiously through a crevice in his straw covering, he saw four immensely tall men enter the barn, dragging a body which they threw roughly upon the floor.
    They next lighted a fire in the middle of the barn, and fastened the corpse by the feet with a great rope to a beam in the roof. One of them began to turn it slowly before the fire. “Come on,” said he, addressing a gigantic fellow, the tallest of the four–”I’m tired; you be to tak’ your turn.”
    “Faix an’ troth, I’ll no’ turn him,” replied the big man.
    “There’s Pat Diver in under the straw, why wouldn’t he tak’ his turn?”
    With hideous clamour the four men called the wretched Pat, who, seeing there was no escape, thought it was his wisest plan to come forth as he was hidden.
    “Now, Pat,” said they, “you’ll turn the corpse, but if you let him burn you’ll be tied up there and roasted in his place.”
    Pat’s hair stood on end, and the cold perspiration poured from his forehead, but there was nothing for it but to perform his dreadful task.
    Seeing him fairly embarked in it, the tall men went away.
    Soon, however, the flames rose so high as to singe the rope, and the corpse fell with a great thud upon the fire, scattering the ashes and embers, and extracting a howl of anguish from the miserable cook, who rushed to the door, and ran for his life.
    He ran on until he was ready to drop with fatigue, when, seeing a drain overgrown with tall, rank grass, he thought he would creep in there and lie hidden till morning.
    But he was not many minutes in the drain before he heard the heavy tramping again, and the four men came up with their burthen, which they laid down on the edge of the drain.
    “I’m tired,” said one, to the giant; “it’s your turn to carry him a piece now.”
    “Faix and troth, I’ll no’ carry him,” replied he, “but
    p. 93
    there’s Pat Diver in the drain, why wouldn’t he come out and tak’ his turn?”
    “Come out, Pat, come out,” roared all the men, and Pat, almost dead with fright, crept out.
    He staggered on under weight of the corpse until he reached Kiltown Abbey, a ruin festooned with ivy, where the brown owl hooted all night long, and the forgotten dead slept around the walls under dense, matted tangles of brambles and ben-weed.
    No one ever buried there now, but Pat’s tall companions turned into the wild graveyard, and began digging a grave.
    Pat, seeing them thus engaged, thought he might once more try to escape, and climbed up into a hawthorn tree in the fence, hoping to be hidden in the boughs.
    “I’m tired,” said the man who was digging the grave; “here, take the spade,” addressing the big man, “it’s your turn.”
    ‘Faix an’ troth, it’s no’ my turn,” replied he, as before. “There’s Pat Driver in the tree, why wouldn’t he come down and tak’ his turn?”
    Pat came down to take the spade, but just then the cocks in the little farmyards and cabins round the abbey began to crow, and the men looked at one another.
    “We must go,” said they, “and well is it for you, Pat Diver, that the cocks crowed, for if they had not, you’d just ha’ been bundled into that grave with the corpse.”
    Two months passed, and Pat had wandered far and wide over the county Donegal, when he chanced to arrive at Raphoe during a fair.
    Among the crowd that filled the Diamond he came suddenly on the big man.
    “How are you, Pat Diver?” said he, bending down to look into the tinker’s face.
    “You’ve the advantage of me, sir, for I havna’ the pleasure of knowing you,” faltered Pat.
    “Do you not know me, Pat?” Whisper–”When you go back to Innishowen, you’ll have a story to tell!”
    ________________________________________

  690. Marciano Diz:

    O Far Darrig, assim como os leprechauns, é irlandês, daí o inglês estranho.

  691. Marciano Diz:

    CONTRA, pra você, que gosta do Woody (eu também), especialmente:
    http://fatoefarsa.blogspot.com.br/2014/11/a-historia-do-leprechaun-figura.html

  692. Marciano Diz:

    Desça até o final do texto e assista ao episódio.

  693. Marciano Diz:

    Traduziram leprechaun como duende.
    Embora seja corrente essa tradução, não há uma correspondência entre os termos.

  694. Marciano Diz:

    A mesma coisa acontece com o kobold alemão.
    Por falar em alemão, aqui no blog tem um poltergeist, que costuma bagunçar os textos.
    Tomara que nunca apareça um doppelgänger.

  695. Marciano Diz:

    Kobold
    Kobold ist ein Begriff für Haus- und Naturgeister.
    https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/7/7f/Kobold_artlibre_jnl.jpg

  696. Borges Diz:

    Gorducho:- encontrei um artigo que talvez responda à sua indagação, sobre a ausência de pessoas dotadas de capacidade paranormal em nosso país. Acho que vale a pena dar uma olhadela.
    .
    http://super.abril.com.br/ciencia/eles-veem-espiritos

  697. Gorducho Diz:

    São as experiências místicas que eu tanto ressalto, ABo. Por aí nunca vai se chegar a nada, pois sim, sempre foi alegado, mas não é isso que os espíritas alegam.
    E entenda: distúrbio mental tipificado tem que satisfazer todos quesitos formais da CID, tais como atrapalhar no serviço &c.
    Então o sujeito pode ter distúrbios, alucinações, escutar vozes, mas não satisfazer todos requisitos p/ser formalmente diagnosticado.
    P/mim era claramente o caso do CX que levou o tiro no ombro e que o Emmânuel ameaçava ele de morte. Mas não preencheria o n° mínimo de itens – é como uma check list – p/ser formalmente diagnosticado c/algum distúrbio específico.
     
    Por outro lado m/questionamento mais especificamente foi sempre por que os casos de reencarnação ocorrem desproporcionalmente na Asia, considerando que cá os postulados do bezerrochiquismo são perfeitamente conhecidos mesmo pelos evangélicos?
    E no regime de liberdade que vivemos – ao contrário e.g. de Iran, Saudi Arabia &c…- ninguém ficaria c/medo de externalizar as tais “memórias” e sofrer represálias dos fanáticos de outras seitas cristãs :?:

  698. Gorducho Diz:

    Favor fechar o bold Sr. Administrador.
    Desculpe! Prometo nesta rubrica não mais constrangê-lo com a tumba do Tut!

  699. Borges Diz:

    Trecho do comentário do Vitor:
    .
    “ Fortemente ligado a isso, está a noção de que espíritos não pode interagir com a matéria, porque os dois são muito diferentes um do outro. Ambos os argumentos são nonsense! É triste ver que até mesmo alguns pesquisadores da vida após a morte sérios dão algum crédito a este disparate. Se espíritos existem, não sabemos o que eles realmente são, e do que eles são feitos. Dizer que os espíritos não são feitos de matéria, ou que eles não são feitos de algo que possa interagir com o nosso mundo conhecido, é colocar a carroça na frente dos bois. É uma falácia. Materialistas caem nisso em grande quantidade (muitas vezes de forma desonesta). Espiritualistas também. E é esse alerta que o físico está dando.”
    .
    Bingo !!!
    .

    “Vitor Diz:
    NOVEMBRO 24TH, 2015 ÀS 7:45 PM
    “Por que toda essa conversa e não serem capazes de recitar uma carta de baralho; uma frase de livro?”
    .
    Porque ler é muito mais difícil… envolve uma atenção muito maior. É mais fácil descrever ações como Hodgson fez, ou descrever imagens de forte conteúdo emocional….”
    .
    Kardec parece não concordar plenamente com isto, ou será que interpretei incorretamente. Vide interrogação abaixo.
    .

    248. O Espírito vê as coisas distintamente como nós?
    — Mais distintamente, porque a sua vista penetra o que a vossa não pode penetrar; nada a obscurece.
    .
    Obrigado

  700. Marciano Diz:

    “Então o sujeito pode ter distúrbios, alucinações, escutar vozes, mas não satisfazer todos requisitos p/ser formalmente diagnosticado.”
     
    “As distorções cognitivas e perceptivas devem ser avaliadas no contexto do meio cultural do indivíduo. Características gerais determinadas pela cultura, particularmente aquelas relativas a crenças e rituais religiosos, podem parecer esquizotípicas aos olhos de pessoas desinformadas (por ex., vodu, falar em línguas, vida após a morte, bruxaria, ler mentes, sexto sentido, mau olhado e crenças mágicas relacionadas a saúde e doença).”

     
    Em outras palavras: para ter carteira de maluco não basta ter pensamento delirante. É importante observar o meio sócio-cultural em que vive o indivíduo.
    Pessoas absolutamente normais do ponto de vista da saúde mental podem ter pensamento delirante, por causa do meio cultural em que foram criadas.

  701. Gorducho Diz:

    Em outras palavras: para ter carteira de maluco não basta ter pensamento delirante.
     
    E além disso satisfazer as check lists, tais como as visões e alucinações atrapalharem ele no serviço; gerar problemas em casa &c.
    É como tirar carteira p/veículos: o candidato tem que estacionar o carro numa inclinação de tantos ° entre balizas distantes tantos pés;
    tem que fazer curvas coordenadas mantendo +/-10kt 100′;
    360°/2′; pousar c/o motor reduzido…
    Então o indivíduo pode ter de fato alucinações – i.e., não ser um farsante ou excessivamente imaginativo – e ainda assim formalmente não se enquadrar.
    É o mesmo que num cidade pequena ou local remoto emprestarmos o carro p/um filho ou alguém que não tem carteira nem frequentou auto-escola.
    É isso Analista Borges.

  702. Gorducho Diz:

    Trecho do comentário do Vitor &c.
     
    Nada a ver: se espíritos segundo o kardecismo poderiam interagir, pois que o kardecismo é uma doutrina materialista!
    Aliás, nem sei se “matéria” ainda existe na física (não sei mesmo, não é sarcasmo agora).
    O que ocorre é que aquele físico – que de fato é sério: é um profissional respeitável – fez uma salada-de-frutas misturando física c/metafísica; universo físico c/universo metafísico.
    É isso Analista Borges.

  703. Gorducho Diz:

    Kardec parece não concordar plenamente não concorda com isto, ou será que interpretei incorretamente. Vide interrogação abaixo.
    .
    248. O Espírito vê as coisas distintamente como nós?
    — Mais distintamente, porque a sua vista penetra o que a vossa não pode penetrar; nada a obscurece.
    .
    Obrigado

    O Administrador já jogou no lixo o kardecismo. Agora ele idealiza é lá na América, sem vínculos c/o dogmatismo destes. E ontem sofreu também aí duro revés na da lenda que cá procurava difundir…

  704. Vitor Diz:

    Oi, Borges
    de fato o Kardec não concordava, para ele os espíritos tinham uma visão super-aguçada, mas os experimentos até aqui mostram que pelo menos quanto ao mundo físico a visão dos espíritos parece ser bastante nublada.

  705. Vitor Diz:

    GORDUCHO: “O que ocorre é que aquele físico – que de fato é sério: é um profissional respeitável – fez uma salada-de-frutas misturando física c/metafísica; universo físico c/universo metafísico.”
    .
    Repito que quem fez a confusão foram os pseudocéticos. O físico está justamente tentando desemaranhar a confusão feita.

  706. Gorducho Diz:

    Qual é a nossa confusão?
    Perceba: se “espíritos” existem mas de nenhuma maneira possam interagir c/nosso universo físico, então isso será um conceito metafísico – e portanto por definição inverificável, i.e., um conceito que, tal como o de D•, só existe nos neurônios (i.e., no universo metafísico das ideias do Platão) do imaginnante.
    Algum de nós diz isso?

  707. Vitor Diz:

    GORDUCHO: “E ontem sofreu também aí duro revés na da lenda que cá procurava difundir…”
    .
    Que lenda? Da existência de goules?! :D
    .
    Caso se refira à Piper dos dias atuais, fico triste, evidentemente, que não haja ninguém estudando tal médium. Mas isso eu já esperava. O Malcolm Bessent, que passou em diversos testes de precognição, quando foi perguntado porque ele não estava participando de pesquisas em múltiplos laboratórios, disse: “Porque ninguém me pediu”. E ele disse isso quando já tinha apresentado resultados altamente comprovadores de precognição!
    .
    CHARLES HONORTON: Bessent voltou-se aos negócios após retornar para a Inglaterra. Embora tenha mantido um contato ocasional comigo, ele não teve mais nenhum envolvimento em pesquisa parapsicológica até o verão de 1987 quando uma viagem a negócios até os Estados Unidos forneceu a oportunidade de uma breve visita aos Laboratórios de Pesquisa Psicofísica (PRL). Quando perguntado porque ele não foi um participante ativo da pesquisa psi no R.U., respondeu: “Porque ninguém me pediu”.
    .
    Se Piper foi a “rainha da mediunidade inteligente”, Bessent foi o “rei da precognição”.
    .
    O próprio relatório de Hyslop de 650 páginas sobre Piper só foi publicado após uma enorme avaliação dos custos que isso envolveria. Muito sacrifício teve que ser feito para que tal relatório viesse à tona.

  708. Gorducho Diz:

    Que lenda? Da existência de goules?!
     
    De que no ano 10 tinham descoberto um (em americanês he or she) médium lá na América.
     
    Quanto à goule ele transformou ela em égua… pouco castigo p/tanta ingratidão!

  709. Vitor Diz:

    Qual é a nossa confusão?
    Perceba: se “espíritos” existem mas de nenhuma maneira possam interagir c/nosso universo físico, então isso será um conceito metafísico – e portanto por definição inverificável, i.e., um conceito que, tal como o de D•, só existe nos neurônios (i.e., no universo metafísico das ideias do Platão) do imaginnante.
    Algum de nós diz isso?

    .
    Extraído do livro “The Myth of an Afterlife”:
    .
    if the mind were truly a nonphysical substance, then conceptually it would not possess any distinctively physical characteristics. But how could something that has no size, no mass, and no spatial location interact with a physical brain that has a very definite size, mass, and location in space? Since a nonphysical mind would have no momentum to transfer, physical contact is clearly out of the question. It could not use electromagnetic signals, as electromagnetic radiation is a byproduct of physical processes. Moreover, since it would have no particular location in space, how could it interact with (or be connected to) the brain at any particular spot? In short, a nonphysical mind would need to influence the brain in order to control the body; but it seems inconceivable in principle that a nonphysical thing could ever have any effect on something physical. This problem of interaction has led most philosophers of mind to conclude that the brain itself is the seat of consciousness, and that the brain alone controls the body.
    .
    O neurocientista prêmio Nobel Benjamin Libet possui um conceito de mente não física que interage perfeitamente com o cérebro. Os pseudocéticos erram justamente negando tal possibilidade de interação. E Libet diz em “Reflections on the interaction of the mind and brain” (2006), publicado na Progress in Neurobiology 78:
    .
    Problems associated with the topic of the mind–brain interaction are reviewed and analyzed. If there is an interaction, then the ‘‘mind’’ and ‘‘brain’’ are independent variables; the mind represents subjective experience and is therefore a non-physical phenomenon. This fact led to the need for a field theory, termed here the ‘‘cerebral mental field’’ (CMF). By definition, the CMF is a system property produced by the appropriate activities of billions of neurons. An experimental test of this theory is possible and a test design is presented. The most direct experimental evidence has been obtained by use of intracranial stimulating and recording electrodes. Important information has also been developed, however, with extracranial imaging techniques. These can be very fast (in ms), but the cerebral neuronal events that produce changes in physiological properties require a time delay for their processing. A number of surprising time factors affecting the appearance of a subjective somatosensory experience are described, and their wider implications are discussed. Among these is a delay (up to 0.5 s) in the generation of a sensory awareness. Thus, unconscious cerebral processes precede a subjective sensory experience. If this can be generalized to all kinds of subjective experiences, it would mean that all mental events begin unconsciously and not just those that never become conscious. In spite of the delay for a sensory experience, subjectively there appears to be no delay. Evidence was developed to demonstrate that this phenomenon depends on an antedating of the delayed experience. There is a subjective referral backward in time to coincide with the time of the primary cortical response to the earliest arriving sensory signal. The subjective referral in time is analogous to the well-known subjective referral in space. In conclusion, features of the CMF can be correlated with brain events, even though the CMF is non-physical, by study of subjective reports from the human subject. [...] The nature of the interaction between mind and brain is clearly difficult to understand, since it involves the production of non-physical subjective experiences by appropriate neuronal activities. If an experimental test of the CMF was to be carried out, like that described above, it might confirm or contradict the kind of alternatives possible for a mind–brain interaction. The eminent neuroscientist, Robert W. Doty, has remarked to me that he does not believe that a CMF test will produce a positive response. But if it does indeed deliver a positive confirmation, this will create a Galilean type of revolution in neuroscience, and science in general!
    .
    Além disso, se entendemos imaterialidade como característica dos sistemas com massa de repouso nula, a todo momento vemos interações do imaterial com o material. O caso luz/olhos seria um exemplo. Então, é bem possível que a comunicação espírito/cérebro seja análoga à interação luz/olhos.

  710. Vinicius Diz:

    “Gorducho Diz:
    NOVEMBRO 24TH, 2015 ÀS 10:51 AM
    Outro que não se conformava em “psicografar” só o que o Kardec queria foi o J. Roze
    https://books.google.com.br/books/about/R%C3%A9v%C3%A9lations_du_monde_des_esprits.html?id=zYJqTtTO_P4C”

    Este “revelação do mundo dos espíritos “ do J Roze não foi traduzido pela FEB ou por qualquer outra :lol: :?:

    Às vezes me passa uma ideia de uma certa “concorrência comercial ou concorrência de vaidades” entre todos eles (AK, médiuns revoltados com a SPEE de AK, Roustaing etc|)
    Observei que Roze (ou a editora) colocou na capa a mensagem “chez les éditeurs du livre des esprits “ (algo como dos mesmos editores de O livro dos espíritos). E as conhecidas assinaturas dos espíritos: Vicente de Paula, Arago, Agostinho e até o “espirito verdade” , isto é, os mesmos que AK “aprovou” para fazer parte da “codificação”.
    Esse tal J Roze abandonou os trabalhos com Kardec?

  711. Gorducho Diz:

    Além disso, se entendemos imaterialidade como característica dos sistemas com massa de repouso nula, a todo momento vemos interações do imaterial com o material. O caso luz/olhos seria um exemplo. Então, é bem possível que a comunicação espírito/cérebro seja análoga à interação luz/olhos.
     
    Já lhe expliquei acima que “matéria” é um conceito sem muito sentido na física. Quem de nós faz fincapé em “matéria”?
    Entenda: o que nós dizemos é que temos o fato desses alegados fenômenos não ocorrem. Nós não estamos postulando uma impossibilidade de interações – o que dizemos é que elas não existem!
    E por favor, não é capaz de manifestar sua opinião :?: Tem que só sempre ficar se limitando a papagaiar outros?

  712. Gorducho Diz:

    O J Roze e a Honorine Huet fazem parte dos revoltosos de ’61.
    O Kardec queria manipular os “médiuns”: eles não urinavam sem pedir licença pra ele. Ele ditava o que tinha que conter e como deveria ser a forma das “mensagens”. Mais ou menos como vocês aí na FEESP aprendem a psicografar; ou os pronunciamentos do Dr. Bezerra:
     
    Filhos e filhas do coração, guarde-nos na sua paz o Mestre incomparável.
    Os ciclos da evolução sucedem-se invariavelmente obedecendo à planificação superior. Períodos de ascendência evolutiva caracterizados pelo conhecimento, períodos outros de maturidade para fixação dos postulados apreendidos. É inevitável que vivamos as crises existenciais decorrentes da situação moral em que se encontra o nosso planeta
    .
    [...]
     
    Eles queriam escrever o que os espíritos ditavam pra eles, e então saíram. Aliás, a HH produzia raps que encantaram o Flammarion, mas o Kardec proibia raps.

  713. Gorducho Diz:

    Perceba que constitui um treino p/de forma “enfeitada” (para um tipo de público literariamente pedestre, claro) nada dizer e sem se arriscar com coisas objetivas.
     
    Ele arrisca dizer se Jesus Cristo foi mesmo um fantasma como ele achava que era naquele nosso livro?
    Não: claro que não…

  714. Vitor Diz:

    GORDUCHO: “Já lhe expliquei acima que “matéria” é um conceito sem muito sentido na física. Quem de nós faz fincapé em “matéria”?”
    .
    Mais um motivo para não negar a possibilidade de interação entre espíritos e o cérebro, como faz o livro “The Myth of an Afterlife”. É isso que o físico critica.
    .
    GORDUCHO: “Entenda: o que nós dizemos é que temos o fato desses alegados fenômenos não ocorrem. Nós não estamos postulando uma impossibilidade de interações – o que dizemos é que elas não existem!”
    .
    Então você(s) incorre(m) na falácia da petição de princípio.
    .
    GORDUCHO: “E por favor, não é capaz de manifestar sua opinião :?: Tem que só sempre ficar se limitando a papagaiar outros?”
    .
    Sim, porque você negou que pseudocéticos fizessem justamente aquilo que o físico critica, então busquei na literatura recente um exemplo do tipo.

  715. Vitor Diz:

    “De que no ano 10 tinham descoberto um (em americanês he or she) médium lá na América.”
    .
    Repito que descobriram. É o mesmo caso de Bessent. Infelizmente a falta de fundos atrapalha.

  716. Gorducho Diz:

    Então p/que presta aquela turma do Carlos Alvarado?
    Podemos imaginar que eles tenham um budget, certo?
    Para :?:

  717. Vinicius Diz:

    Gorducho Diz:
    DEZEMBRO 4TH, 2015 ÀS 10:23 AM
    “Ele arrisca dizer se Jesus Cristo foi mesmo um fantasma como ele achava que era naquele nosso livro?
    Não: claro que não…”
    Nunca, em nenhuma Bezerra fala sobre Jesus Fantasma e nenhum barão da FEB ou qualquer outro dirigente de Centro ou Federativa não quer promover nenhum pinga-fogo com o mesmo. Embora claro, mesmo um “pinga-fogo” pode ser manipulado. Digamos que numa platéia de 1000 pessoas, eu tenho certeza que pelo menos 1 ou mais não concorda que seja Bezerra, ou tem vontade de questioná-lo no momento da manifestação, porém, a encenação não deixa espaço nem para isso. Certa feita DPF veio a FEESP, uns “seguranças fraternos” com lenços brancos o acompanham, poucos o acessam.

  718. Vinicius Diz:

    ops, a Fila para ver DPF foi gigantesca! e CX estava quase morrendo na época.

  719. Vitor Diz:

    GORDUCHO: “Então p/que presta aquela turma do Carlos Alvarado?”
    .
    Para fazer tradução, crítica e revisão de material histórico (bem como revisão de livros atuais).
    .
    GORDUCHO: “Podemos imaginar que eles tenham um budget, certo?
    Para :?:
    .
    Budget limitadíssimo!
    .
    The Parapsychological Association (PA) received a generous donation from Dr. Gertrude Schmeidler to establish an endowment for scholarships and grants-in-aid. Its purpose is to encourage parapsychological research by students and other researchers. Dr. Schmeidler is one of parapsychology’s leading researchers and educators, and with this endowment she continues and broadens her contributions to scientific parapsychology. The awards are administered by the Board of the Parapsychological Association through a committee that evaluates the grant requests. One or more awards are made each year, and the Board’s preference is to enable two or more projects that require on the order of US$2,000 to US$5,000. These awards are primarily intended to pay for direct costs of conducting research, but may also be used to help defray other expenses provided the applicant is able to document the relevance of such support to parapsychological research.

    Ordinarily upon award, 90% of the funds are provided. After the awardee sends a final report to the committee detailing the results of the project and how the money was spent, the final 10% of the grant is disbursed. Under exceptional circumstances the grant committee may decide to disburse the entire amount before the final report is submitted, but a report is still required. Researchers who have received a PARE grants in prior years must complete that research before being considered for additional funding.

  720. Gorducho Diz:

    Mais um motivo para não negar a possibilidade de interação entre espíritos e o cérebro,
     
    Mas nós – ao menos AMo e eu – não!
    AMa também: ele vai por outra trilha, afirmando que espíritos não existem; o que é completamente diferente de dizer que se existissem não pudessem interagir!
    Mas que cousa que faz fincapé nalgo que não integra o programa da nossa bancada :( :( :( :(
     
    Não, não é petição de princípio e sim a navalha de Guilherme. Foi o que fez o Einstein em relação ao æ. Depois teve que reconsiderar como nós reconsideraremos se os experimentos resultarem positivos. Desde que tenham a participação nossa ou de indivíduos por nós acreditados (Polidoro, &c.), claro.

  721. Vitor Diz:

    GORDUCHO: Não, não é petição de princípio e sim a navalha de Guilherme.
    .
    Péssimo uso da navalha, então. Usa-a de modo errado.

  722. Gorducho Diz:

    [...] em relação ao æter [...]
     
    E é tão caro pagar a passagem, o hotel, os hamburgers, batatas e ovos ovos frito, sucrilhos, panquecas doces, café aguado & Coke p/he or she “medium” :?:
    As instalações eles têm – não seria nosso caso nosso se tivermos que alugar uma sala comercial ou em centro empresarial p/materializações. Se nem isso pode o Dept°, não acha que seria mais melhor fechar.
    Acredito que Analista Vinicius faria a título voluntário uma análise do orçamento deles e sua utilidade…

  723. Gorducho Diz:

    Não se multiplique entidades sem necessidade. Não havendo motivos p/supô-las, não se as postule.

  724. Vitor Diz:

    “Desde que tenham a participação nossa ou de indivíduos por nós acreditados (Polidoro, &c.), claro.”
    .
    Falácia do “escocês de verdade”.

  725. Gorducho Diz:

    Para fazer tradução, crítica e revisão de material histórico (bem como revisão de livros atuais).
     
    Ah! entendi: ratos de biblioteca…

  726. Vitor Diz:

    GORDUCHO: “Não havendo motivos p/supô-las, não se as postule.”
    .
    Mesmo o cético ateu materialista Anthony Campbell concluiu haver motivos para supor espíritos e psi. Ele analisou as evidências de forma honesta. Se você faz questão de ignorar as evidências, é um problema seu e de sua consciência.

  727. Vitor Diz:

    GORDUCHO: “Ah! entendi: ratos de biblioteca…”
    .
    Fazem mais que o Montalvão que nem lê aquilo que critica :-)

  728. Gorducho Diz:

    Falácia do “escocês de verdade”.
     
    É que o histórico no ramo é o pior possível, então não podemos nos entregar nas mãos de indivíduos que coloquem açúcar no mingau.
    Ademais, como n/proposta prevê comissões paritárias, os Crentes nada têm a reclamar.
    E lógico, qualquer abuso da parte cética ficará gravado e constará na ata, e invalidado o experimento, claro.
    Qual a dificuldade c/isso :?:

  729. Borges Diz:

    Acredito que esta dubiedade com relação à capacidade que o espírito possui de enxergar o universo físico prende-se a duas situações. Numa delas, o espírito se acha “enroscado” no corpo do médium, ficando sujeito às limitações deste. Noutra ele se acha livre, contando com a plenitude de sua visão. Outro ponto a ser considerado é a capacidade de percepção tendo como base as “energias” agregadas aos objetos pelos seus proprietários; esta capacidade parece existir também em alguns encarnados.
    Assim, penso que em qualquer experiência para comprovação da existência de espíritos e que envolva reconhecimento de objetos ou números, deve ficar claro, que o espírito observador, deve estar livre de qualquer laço que o prenda a um corpo.
    Obrigado

  730. Vitor Diz:

    GORDUCHO: “É que o histórico no ramo é o pior possível, então não podemos nos entregar nas mãos de indivíduos que coloquem açúcar no mingau.”
    .
    Mesmo o Polidoro disse que a SPR conduziu as melhores pesquisas céticas já feitas.

  731. Gorducho Diz:

    Mesmo o cético ateu materialista Anthony Campbell concluiu haver motivos para supor espíritos e psi.
     
    Percebe o que eu digo: se coloca como incapaz de pensar!
    Sei que não é o caso, mas só faz citar terceiros.
    Tem medo de pensar por si?
    Quem sabe umas homeopatias não lhe façam bem…
     
    Já lhe disse que eu penso com o meu neurônio: absolutamente não me interessa o que pense esse tal de Anthony Campbell – que nem sei e nem vou ficar sabendo que é.
    A opinião desse Sr. e dos nossos 5 cachorros + 1 gato tanto se me dão, entenda!

  732. Vitor Diz:

    GORDUCHO: “E lógico, qualquer abuso da parte cética ficará gravado e constará na ata, e invalidado o experimento, claro.”
    .
    Abusos da parte cética foi o que não faltou no caso Natasha Demkina.
    .
    a) http://www.criticandokardec.com.br/CSICOP_vs_Natasha_Demkina.htm
    .
    b) http://www.criticandokardec.com.br/embarrassing_answers.htm
    .
    Em resumo:
    .
    There were indeed many violations of the protocols from the part of the researchers: 1- They attempted to exclude Natasha’s mother. 2- They introduced two clinical conditions alien to the protocols. 3- They convinced Natasha to agree with these two conditions using deceiving and technically incorrect arguments. 4- The man with the metal plate also had an resected appendix. 5- The man with the metal plate seemed to be improperly blinded. 6- The subjects never showed medical documents to prove their clinical conditions. Maybe I forgot some violation. But I think that suffices…
    .
    Apesar disso, os céticos NÃO invalidaram o experimento…

  733. Gorducho Diz:

    4… 1 morreu aparentemente envenenado (rato?) há uns 3 meses. Fiquei tão irritado que até me perdi na soma :(

  734. Vitor Diz:

    GORDUCHO: “Já lhe disse que eu penso com o meu neurônio: absolutamente não me interessa o que pense esse tal de Anthony Campbell – que nem sei e nem vou ficar sabendo que é.”
    .
    Diz que não interessa o Campbell, mas que aceitaria o Polidoro, sendo que próprio disse que as pesquisas da SPR são as melhores que existem… vc está ficando sem ter pra onde fugir…

  735. Gorducho Diz:

    Pois no nosso experimento em conjunto eventual abuso ficará registrado.
    Qual S/dificuldade c/isso?
    Não entendo…
    Se nós estivéssemos propondo experimentos onde só nós fossemos atuar aí sim.
    Mas até os protocolos serão redigidos em conjunto; o ambiente será totalmente neutro e sem nenhum mobiliário prévio.
    Qual sua dificuldade com isto :?:

  736. Gorducho Diz:

    Não disse isso. Disse que aceitaria o Polidoro como partícipe nalgum experimento em que não pudéssemos participar (o que é quase obvio que não poderíamos na se for na América, certo?).
    Então, não se trataria da opinião do Polidoro, e sim de confiar que ele ajudou a fiscalizar. Entendeu?
    A opinião do Polidoro não m/interessa!

  737. Vitor Diz:

    GORDUCHO: “Se nós estivéssemos propondo experimentos onde só nós fossemos atuar aí sim. Mas até os protocolos serão redigidos em conjunto; o ambiente será totalmente neutro e sem nenhum mobiliário prévio. Qual sua dificuldade com isto?”
    .
    Eu é que pergunto a sua. Sua exigência de que as evidências sejam presenciadas diretamente por você ou por um grupinho seleto seu é estranha (embora não de todo improcedente). Ela é algo que foge ao normal da ciência. Afinal, a quase totalidade do conhecimento científico é aceita por você (e por todos os demais cientistas) sem que se tenha que presenciar a prova experimental.
    .
    Espíritos são possibilidades. Considero fundamental que um crítico de um determinado assunto (no caso vc ou especialmente o Montalvão) conheça a fundo tal assunto, e isso está longe de ser o caso de vocês. O suposto *conhecimento* que vcs têm os iludem em achar que conhecem o suficiente para criticar assuntos como espíritos e a pesquisa psi.
    .
    O fato é que existem sim evidências que indicam a existência de espíritos, ou do fenômeno “sobrevivência pós morte”. Não dá pra ficar sentado no gabinete dizendo “Não existe”, “Não existe”, “Não existe”; “É crença improcedente”, “É crença improcedente”, “É crença improcedente”. Comodidade, ou preguiça, não é ciência. Ciência é fazermos afirmações compatíveis com nossa base de dados.
    .
    Os trabalhos da SPR são clássicos na área. Possuem uma solidez impressionante (imperfeitos, sem dúvida). Mas eles não tem nada de fáceis de serem analisados. Eles demandam um olhar muito apurado, e muito tempo de estudo; tanto para perceber a solidez quanto para perceber as fraquezas. E não vejo a mínima vontade de tal exercício de sua parte ou do Montalvão.
    .
    Um protocolo em conjunto com vc, Montalvão ou seu grupinho escolhido considero IMPOSSÍVEL de se chegar a um acordo, justamente porque não aceitam provas vindas da estatística, querem fenômenos que não envolvam qualquer “impressão”, querem visões claras e indubitáveis de números, letras, bla blá blá… já tentamos isso, vocês não querem testar o verdadeiro fenômeno mediúnico, e sim o que vocês IMAGINAM ou DESEJAM que seja o fenômeno mediúnico. Não dá.

  738. Contra o chiquismo Diz:

    Borges Diz:
    DEZEMBRO 4TH, 2015 ÀS 11:21 AM
    Acredito que esta dubiedade com relação à capacidade que o espírito possui de enxergar o universo físico prende-se a duas situações. Numa delas, o espírito se acha “enroscado” no corpo do médium, ficando sujeito às limitações deste. Noutra ele se acha livre, contando com a plenitude de sua visão. Outro ponto a ser considerado é a capacidade de percepção tendo como base as “energias” agregadas aos objetos pelos seus proprietários; esta capacidade parece existir também em alguns encarnados.
    Assim, penso que em qualquer experiência para comprovação da existência de espíritos e que envolva reconhecimento de objetos ou números, deve ficar claro, que o espírito observador, deve estar livre de qualquer laço que o prenda a um corpo.
    Obrigado
    -
    -
    -
    TÁ BOM BORGES, ENTÃO QUEM VC CONHECE QUE CONTATE OS ‘ESPIRITOS’?
    *
    *
    ***LEMBRO-TE QUE ‘ELES’ NÃO EXISTEM.

  739. Contra o chiquismo Diz:

    Vitor Diz:
    DEZEMBRO 4TH, 2015 ÀS 7:52 AM
    Oi, Borges
    de fato o Kardec não concordava, para ele os espíritos tinham uma visão super-aguçada, mas os experimentos até aqui mostram que pelo menos quanto ao mundo físico a visão dos espíritos parece ser bastante nublada.
    -

    **
    -
    VITOR E BORGES: ‘ESPIRITOS’ NÃO EXISTEM. QUANTO MAIS TEREM VISÃO AGUÇADA OU NUBLADA…

  740. Vitor Diz:

    CONTRA: “LEMBRO-TE QUE ‘ELES’ NÃO EXISTEM.”
    .
    Mas eu acabei de dizer…
    .
    Não dá pra ficar sentado no gabinete dizendo “Não existe”, “Não existe”, “Não existe”; “É crença improcedente”, “É crença improcedente”, “É crença improcedente”. Comodidade, ou preguiça, não é ciência.

  741. Gorducho Diz:

    justamente porque não aceitam provas vindas da estatística
    Ah! claro que não justo porque isso não foi originalmente alegado. Como comentamos ontem, lá por 1930 era tido como certo as materializações, e hoje siquer se cogita nisso (exceto aquela “figurinha” c/a qual alfinetou-me…).
    E por essas e por outras (i.e., pelos experimentos no IMI & semelhantes) é que essa classe de pessoas não merece crédito, devendo sempre ser fiscalizada por nós céticos.
    Então qual a solução? Simples: comissões paritárias!
    E quanto ao Hodgson, AMo tem mostrado como não havia planejamento duma linha experimental coerente – como e a nossa.
     
    IMAGINAM ou DESEJAM que seja o fenômeno mediúnico. Não dá.IMAGINAM ou DESEJAM que seja o fenômeno mediúnico.
    Não :!: É o que sempre foi alegado serem os fenômenos mediúnicos até que o fracasso em constatá-los motivou os Crentes a fugir p/a estatística.

  742. Gorducho Diz:

    Não dá pra ficar sentado no gabinete dizendo
     
    Não, mas quem não quer experimento é S/Pessoa!
    E vem c/a desculpa esfarrapada de que no ano 10 descobriram um(a) médium mas que não prosseguiram nos experimentos por falta de $
    Por favor…

  743. Gorducho Diz:

    Outra coisa que era dada como certa por 1930 é a psicocinese. Hoje também nem se fala, exceto na fuga estatística.
    Então: qual a credibilidade daqueles que estavam convictos da realidade da psicocinese (de verdade, não a “estatística”) :?:

  744. Gorducho Diz:

    O grande cientista Crookes disse que ovos de peru luminíferos flutuavam sozinhos.
    Qual a credibilidade dum indivíduo desses :?:

  745. Vitor Diz:

    GORDUCHO: “Ah! claro que não justo porque isso não foi originalmente alegado. Como comentamos ontem, lá por 1930 era tido como certo as materializações [...] Outra coisa que era dada como certa por 1930 é a psicocinese. Hoje também nem se fala, exceto na fuga estatística.”
    .
    O próprio Zangari presenciou fenômenos psicocinéticos. Um artigo recente sobre o assunto: http://arxiv.org/abs/0801.0382
    .
    Mas tais fenômenos são espontâneos, obtidos em condições naturais.
    .
    GORDUCHO: “E quanto ao Hodgson, AMo tem mostrado como não havia planejamento duma linha experimental coerente – como e a nossa.”
    .
    Pelo contrário. O Montalvão sugeriu um teste com ponteiros de relógio igualzinho ao que Hodgson fez. E ele ainda dizia que os pesquisadores não testaram a presença de espíritos…
    .
    GORDUCHO: “O grande cientista Crookes disse que ovos de peru luminíferos flutuavam sozinhos. Qual a credibilidade dum indivíduo desses :?:
    .
    A que você quiser dar. Qual a credibilidade que vc dá ao Zangari por dizer que viu uma tampa de bule de café girar e saltar alcançando o teto?
    .
    Estando o pesquisador e a família reunidos à mesa tomando o lanche da tarde, a tampa do bule de café começou a girar e saltou, alcançando o teto. rio mesmo instante um ruído foi ouvido em outro cômodo da casa. O pesquisador sozinho correu até o local e verificou que uma lata de cerveja utilizada como cofrinho havia sido atirada da estante em que ficava guardada, indo parar a cerca de dois metros de distância da mesma. Os fenômenos pareciam estar realmente relacionados ao filho de 12 anos.

  746. Gorducho Diz:

    Eu digo que agora sim, é isso mesmo que sempre foi alegado; sem estatísticas. Como a Angélique Cottin.
    Eles vão investigar mais a fundo então?
    Mas que não venham c/estatísticas!
     
    http://www.historicmysteries.com/wp-content/uploads/2011/11/Poltergeist.jpg

  747. Contra o chiquismo Diz:

    Vitor Diz:
    DEZEMBRO 4TH, 2015 ÀS 12:40 PM
    CONTRA: “LEMBRO-TE QUE ‘ELES’ NÃO EXISTEM.”
    .
    Mas eu acabei de dizer…
    .
    Não dá pra ficar sentado no gabinete dizendo “Não existe”, “Não existe”, “Não existe”; “É crença improcedente”, “É crença improcedente”, “É crença improcedente”. Comodidade, ou preguiça, não é ciência.
    *
    *
    *
    ‘FDP de poltergeist!!!!!!!!!

  748. Contra o chiquismo Diz:

    Contra o chiquismo Diz:
    DEZEMBRO 4TH, 2015 ÀS 1:43 PM
    Vitor Diz:
    DEZEMBRO 4TH, 2015 ÀS 12:40 PM
    CONTRA: “LEMBRO-TE QUE ‘ELES’ NÃO EXISTEM.”
    .
    Mas eu acabei de dizer…
    .
    Não dá pra ficar sentado no gabinete dizendo “Não existe”, “Não existe”, “Não existe”; “É crença improcedente”, “É crença improcedente”, “É crença improcedente”. Comodidade, ou preguiça, não é ciência.
    *
    *
    JÁ TE CONVIDEI PARA VERIFICAR COM OS ANTIGOS FUNCIONÁRIOS da Biblioteca Nacional os ‘fenômenos’ lá vistos, já te convidei para ir no Meier comigo ver a senhora que ‘psicografa’ , para ir no CELD ver o ‘medium

  749. Contra o chiquismo Diz:

    Contra o chiquismo Diz:
    DEZEMBRO 4TH, 2015 ÀS 1:43 PM
    Vitor Diz:
    DEZEMBRO 4TH, 2015 ÀS 12:40 PM
    CONTRA: “LEMBRO-TE QUE ‘ELES’ NÃO EXISTEM.”
    .
    Mas eu acabei de dizer…
    .
    Não dá pra ficar sentado no gabinete dizendo “Não existe”, “Não existe”, “Não existe”; “É crença improcedente”, “É crença improcedente”, “É crença improcedente”. Comodidade, ou preguiça, não é ciência.
    *
    *
    JÁ TE CONVIDEI PARA VERIFICAR COM OS ANTIGOS FUNCIONÁRIOS da Biblioteca Nacional os ‘fenômenos’ lá vistos, já te convidei para ir no Meier comigo ver a senhora que ‘psicografa’ , para ir no CELD ver o ‘medium’ que ‘incorpora’ o ‘médico’ alemon dr Heramnn’ e tb pra tomar uma no cartão postal secreto do RJ (VM) e o sr não mostrou interesse.
    -
    -
    então, eu afirmo: ‘ESPIRITOS’ NÃO EXISTEM.

  750. Contra o chiquismo Diz:

    POLTERGEIST MALDITO, QUASE NÃO ESCREVO ESSE POST!!

  751. Espírita Sp Orlando Diz:

    GORDUCHO: “O grande cientista Crookes disse que ovos de peru luminíferos flutuavam sozinhos. Qual a credibilidade dum indivíduo desses :?:

    Vitor
    E quanto as materializações do Espírito Katie King? Sabe se foram válidas e autenticas?

    Gorducho
    As vezes é falta de dinheiro também. Os equipamentos precisam de manutenção, as despesas com viagens, profissionais medicos psiquiatras que querem receber pela hora trabalhada, etc

  752. Espírita Sp Orlando Diz:

    Querem não = Precisam receber!
    Ou não vai ter psiquiatra no experimento?

  753. Espírita Sp Orlando Diz:

    CONTRA VC afirma tanto que espíritos não existem só porque Chico, segundo vocês, fraudou. Mas existem outros mediuns, outros experimentos, etc.
    Desprezar qualquer hipótese porque Chico fraudava é radicalismo puro.
    Os espiritos não foram criados pelo Chico ou Kardec.
    Venha tomar uma sopa conosco para se acalmar.
    Abs

  754. Gorducho Diz:

    Biblioteca Nacional os ‘fenômenos’ lá vistos, já te convidei para ir no Meier comigo ver a senhora que ‘psicografa’ , para ir no CELD ver o ‘medium
     
    Pois é isso mesmo: ele é o supra sumo do pregador de armchairismo e reverte p/nós que justo pregamos levantar os traseiros e ver se é verdade!
    E não pense que tenho medo de chaleiras, Sr. Administrador, pois que desde estagiário sempre trabalhei c/vapor d’água.

  755. Espírita Sp Orlando Diz:

    Gorducho
    Os espíritos são confusos as vezes. Dr.Bezerra para doutrinar um obsessor precisou “mentir” falando que a policia estava atrás do espirito. Preciso pesquisar qual livro li isso. Se lembrar ou souber me fale ok?
    Um doente terminal que está internado eu nao vou falar pra ele que 90% chance de que vai morrer e aos famíliares procuro falar disso com muito tato, floreando a verdade para nao ser tão direto e frio.
    infelizmente é assim.

  756. Contra o chiquismo Diz:

    Alguém faça alguma coisa , os cebídeos estão enlouquecidos assoviando na fiação urbana agora. Devem estar sendo atormentados..

  757. Contra o chiquismo Diz:

    ORLANDO, vc mesmo conhece algum ‘medium’? Caso positivo, este está disposto a ser testado ou vai vir com o papo de que os ‘espiritos’ não estão a nossa disposição?
    .
    .
    Não existem ‘espiritos’ Orlando.

  758. Vinicius Diz:

    Contra o chiquismo Diz:
    DEZEMBRO 4TH, 2015 ÀS 2:01 PM
    Alguém faça alguma coisa , os cebídeos estão enlouquecidos assoviando na fiação urbana agora. Devem estar sendo atormentados..

    São cebídeos médiuns. Estão “vendo” alguma revolta dos animais do umbral do Nosso Lar (se você mora no RJ, se for em SP, Instituto Confrateernização)

  759. Contra o chiquismo Diz:

    Sim Vinicius RJ.

    ´
    ´
    Eles devem estar vendo os ‘FALCÕES’. Conhece os ‘falcões’?
    .
    .
    Procure no livro ‘Nas Fronteiras da Loucura’.

  760. Vitor Diz:

    CONTRA: “JÁ TE CONVIDEI PARA VERIFICAR COM OS ANTIGOS FUNCIONÁRIOS da Biblioteca Nacional os ‘fenômenos’ lá vistos, já te convidei para ir no Meier comigo ver a senhora que ‘psicografa’ , para ir no CELD ver o ‘medium’ que ‘incorpora’ o ‘médico’ alemon dr Heramnn’ e tb pra tomar uma no cartão postal secreto do RJ (VM) e o sr não mostrou interesse.”
    .
    Restrições $$$ e de tempo impedem-me.

  761. Vitor Diz:

    ESPÍRITA SP ORLANDO: “E quanto as materializações do Espírito Katie King? Sabe se foram válidas e autenticas?”
    .
    A meu ver, decididamente fraudulentas. A própria Florence foi pega em fraude umas duas vezes. E os experimentos elétricos de Crookes com a Florence e Anna Eva Fay foram replicados por meios normais.

  762. Vinicius Diz:

    “Contra o chiquismo Diz:
    DEZEMBRO 4TH, 2015 ÀS 2:27 PM
    Sim Vinicius RJ.
    Eles devem estar vendo os ‘FALCÕES’. Conhece os ‘falcões’?
    Procure no livro ‘Nas Fronteiras da Loucura’”

    Não Contra. Vou ver !
    No RJ que fica a sede da FEB?

  763. Vinicius Diz:

    $$$ para as agências de Turismo. kkk Vejam o bonequinho de CX sobre o túmulo. Visitam bastante Uberaba, Bacelli etc.

    http://boainformacao.com.br/2015/11/26/caminhada-acampamento-e-luau-sao-atrativos-de-turismo-religioso-no-brasil/

    “Há 12 anos, o agente de turismo Ailton Ceródio percebeu a demanda e pensou que seria interessante levar adeptos da doutrina espírita, assim como ele, para uma espécie de circuito turístico temático. Tornou-se o responsável por organizar uma caravana anual – a próxima está prevista para maio de 2016 – que visita as cidades mineiras de Uberaba, Araxá e Sacramento.

    Os municípios recebem visitantes interessados no legado do médium mineiro Chico Xavier, que nasceu em Pedro Leopoldo, mas foi radicado em Uberaba desde 1959. No entanto, médiuns como Carlos Baccelli e hospitais como o Fogo Selvagem e o Sanatório Espírita também atraem o interesse dos visitantes, sem contar as centenas de Centros Espíritas localizadas na cidade.
    “Além dos trabalhos de doação para pessoas carentes, existe o de psicografias (segundo o vocabulário espírita, é a capacidade atribuída a certos médiuns de escrever mensagens ditadas por espíritos), Evangelhos no Lar (espécie de grupo de oração) e passes (transmissão conjunta, ou mista, de fluidos magnéticos por meio das mãos), entre outros. É muito interessante”, ressalta Ailton.

    :lol:

  764. Contra o chiquismo Diz:

    Fica aqui sim e no DF tb não? A do DF nada deve a uma catedral do Macedão.

  765. Contra o chiquismo Diz:

    Ah, que isso Vitor.. só vai gastar passagem. R$ 6,80 ida e volta.

  766. Gorducho Diz:

    No RJ que fica a sede da FEB?
    BSB; tem um palácio lá…

  767. Gorducho Diz:

    Tem sucursal regional ainda aí, CoC?
     
    Obs: o palácio da FEB em BSB não conheço nem sei onde fica. Viram aquele relato do Divaldo acerca do Nabucodonosor e dos babilônicos que reencarnaram na Bahia e (por serem babilônicos) não conseguiram nunca aprender bem o brasileiro?
    Era nos jardins de lá…

  768. Gorducho Diz:

    Ah, que isso Vitor.. só vai gastar passagem. R$ 6,80 ida e volta.
     
    Ele não deve querer se misturar c/a plebe em transportes públicos…
    Só vai se disponibilizarem limousine (aquelas dos americanos c/bar, som…), ou helicóptero.
    Elite é assim…

  769. Contra o chiquismo Diz:

    Vamos arrumar uma carona no AERÓBUS pra ele :mrgreen:

  770. Contra o chiquismo Diz:

    Bem… está no site como ‘seccional’… não sei se a FEB Mor está no DF. Veja o endereço no site da FEB da sede do RJ:
    .
    http://www.febnet.org.br/blog/geral/conheca-a-feb/seccional-rio-de-janeiro/

  771. Vinicius Diz:

    “Obs: o palácio da FEB em BSB não conheço nem sei onde fica. Viram aquele relato do Divaldo acerca do Nabucodonosor e dos babilônicos que reencarnaram na Bahia e (por serem babilônicos) não conseguiram nunca aprender bem o brasileiro?
    Era nos jardins de lá…”

    Esses médiuns (a la DPF, CX, Baceli) fazem estilo bonachão, bem-humorado, dão risadinhas no canto da boca, fazem “mistério” quando alguém questiona se FULANO foi reencarnação de BELTRANO ou CICLANO (levantam os olhos para cima , risadinha no canto da boca, ar de suspense e depois contam as papagaiadas). A impressão que deu foi “vou falar mais uma lorota para esses otários” . Depois ele brinca com a colombiana e tal Só confete e paparico, quem vai querer provar se espirito se comunica num ambiente destes?
    Não estão nem aí.
    Brasil Coração do Mundo Patria das mentiras

  772. Vitor Diz:

    GORDUCHO: Elite é assim…
    .
    Muito… a situação tá tão grave que tenho comido basicamente miojo com linguiça pra economizar… mas pelo menos faço 2 miojos em vez de um….

  773. Contra o chiquismo Diz:

    Eu tive que uma vez cobrir a secretária do nosso trabalho que foi fazer uma excursão a FEB no DF. Miserável, foi no final uma traíra comigo. Pra essa, tem 28 anos de ‘umbral’ a espera dela!

  774. Vitor Diz:

    Na promoção o miojo tá saindo a R$1,25 e a linguiça tá 4,99 (o pacote vem com 4)

  775. Contra o chiquismo Diz:

    Po Vitor, se tu for no centro comigo te arranjo uma sopa de hipopótamo e leva uma caixa vazia de sorvete p vc levar um bocado p sua casa :mrgreen:

  776. Contra o chiquismo Diz:

    Po.. KINOJO é muito ruim e faz muito mal p saúde! Leva até cera de vela na composição. Assim tu vai que nem o andreluiz p ‘umbral’ sem escalas. SUICIDAAAAAAAAAAAAAA!

  777. Contra o chiquismo Diz:

    Se prepara pra encontrar o dr vlad lá fazendo coro com os amigos zombeteiros dele: – “Suicida, suicida, suicida!!”

  778. Vitor Diz:

    Mas eu gosto de miojo pacas.

  779. Gorducho Diz:

    Um doente terminal que está internado eu não vou falar pra ele que 90% chance de que vai morrer e aos familiares procuro falar disso com muito tato, floreando a verdade para não ser tão direto e frio.
    infelizmente é assim
    .
     
    Mas também não vai dizer a ele e à família que um “espírito” lhe disse que em breve ele vai se recuperar. Ou vai?
     
    E quanto as materializações do Espírito Katie King? Sabe se foram válidas e autenticas?
    Aparentemente foi ele quem destruiu as fotos, de sorte que especulo ele tenha se envergonhado.
    É aquilo que sempre digo e vale p/vocês médicos e qualquer um de nós: não misturemos a física c/a metafísica; profissão e vida real c/ religião.
    O âmbito da religião é o do foro íntimo. Quando cientistas (como o Crookes antes que me cobre as descobertas dele como se eu não soubesse…) ou profissionais tentam misturar as coisas, só sai porqueira.
    Obs: note que as fotos publicadas são as que escaparam, não por vontade dele.
     
    As vezes é falta de dinheiro também. Os equipamentos precisam de manutenção, as despesas com viagens, profissionais médicos psiquiatras que querem receber pela hora trabalhada, etc
    Mas se esse pessoal não tem nem dinheiro p/testar um médium, p/que serve o Dept° deles então?
    Mas segundo o Administrador, a função deles é serem ratos de biblioteca.
    Tudo bem.
     
    Ou não vai ter psiquiatra no experimento?
    Da nossa parte não nos importamos c/carteirinhas – como sempre diz N/Companheiro de bancada AAG.-POA diploma não encurta orelhas…- e claro que ninguém vai receber salários.
    Agora também não cabe a cada corrente vetar as indicações da outra. Então FEB, AME, FEESP ou seja que entidade espírita for indica quem quiser. E se quiserem pagar horas p/os indicados por eles é problema dessas entidades.

  780. Gorducho Diz:

    Miojo tem um cheiro ruim quando ferve… tem algum composto químico que quintessencia-se p/o ambiente o qual não sei qual é.
    Não como mas alguns em casa comem.

  781. Gorducho Diz:

    Eu não sei bem essa história, é mais ou menos assim: Dr. Bezerra encarnado presidindo tenta por horas doutrinar recalcitrante obsessor mas não há modo das palavras evangélicas e amorosas do homeopata desempedernirem o coração da alma.
    Dr. Bezerra perde a paciência e diz:
    - Você precisa de prisão e não de conselhos!
    E se dirigindo p/os componentes da mesa diz:
    - Então chame-se a polícia.
     
    Mas não sei o desfecho, i.e., se foi só um cagaço que fez a alma reconsiderar sua postura ou se ele foi mesmo recolhido pela polícia da Legião dos Servos de Maria (suponho…).
    Vou tentar descobrir…

  782. Gorducho Diz:

    Aparentemente o causo está em Lindos Casos de Bezerra de Menezes por Ramiro Gama…

  783. Espírita Sp Orlando Diz:

    Há pacientes bem doentes que dizem ver espírito de parentes que ja foram.
    E familiares que morrem de medo quando um parente internado fala que viu alguém. Muitos achan que é sinal de morte próxima.
    Só exerço minha mediunidade em centros preparados, para que os obsessores possam dialogar fraternalmente conosco.

  784. Gorducho Diz:

    Sim… 2008, m/tio e padrinho estava c/80 e picos e já malito. Telefonei e m/madrinha disse: sabes aquelas 2 cadeiras que tem no canto do corredor (apt° na Prudente de Morais)? O [meu padrinho] está sentado e diz que o [meu já há muitíssimos anos falecido pai] está na outra cadeira conversando c/ele.
    Uns 2 dias depois recebi o telefonema avisando…
     
    Mas o Sr. como médico tem que saber que pessoas idosas recordam o passado e não o presente. E, claro, mais os familiares queridos.
     
    Não nos diga… é médium :?:

  785. Gorducho Diz:

    Em tempo: ele era médico e ateu convicto.
    Aliás a corrente paterna somos todos ateus. Eu de início fui ovelha negra mas retornei ao rebanho familiar após amadurecer!

  786. Braulio Diz:

    Vitor Diz:
    dezembro 4th, 2015 às 12:18 PM
    .
    Eu é que pergunto a sua. Sua exigência de que as evidências sejam presenciadas diretamente por você ou por um grupinho seleto seu é estranha (embora não de todo improcedente). Ela é algo que foge ao normal da ciência. Afinal, a quase totalidade do conhecimento científico é aceita por você (e por todos os demais cientistas) sem que se tenha que presenciar a prova experimental.
    .
    O fato é que existem sim evidências que indicam a existência de espíritos, ou do fenômeno “sobrevivência pós morte”. Não dá pra ficar sentado no gabinete dizendo “Não existe”, “Não existe”, “Não existe”; “É crença improcedente”, “É crença improcedente”, “É crença improcedente”. Comodidade, ou preguiça, não é ciência. Ciência é fazermos afirmações compatíveis com nossa base de dados.
    .
    vocês não querem testar o verdadeiro fenômeno mediúnico, e sim o que vocês IMAGINAM ou DESEJAM que seja o fenômeno mediúnico. Não dá.
    .
    Gorducho Diz:
    dezembro 4th, 2015 às 12:55 PM
    Ah! claro que não justo porque isso não foi originalmente alegado. Como comentamos ontem, lá por 1930 era tido como certo as materializações, e hoje siquer se cogita nisso (exceto aquela “figurinha” c/a qual alfinetou-me…).
    E por essas e por outras (i.e., pelos experimentos no IMI & semelhantes) é que essa classe de pessoas não merece crédito, devendo sempre ser fiscalizada por nós céticos.
    .
    PONDERAÇÃO: Deixe-me da um pitaquinho…
    .
    Gorducho, é evidente que não podemos levar a maioria dos testes do século retrasado a sério. Pelas razões óbvias!
    Por outro lado tenho a concordar com o Vitor de que vocês da bancada cética, imaginam um fenômeno e querem que ele se encaixe exatamente no modelo de resposta
    desenhado por vocês.
    O maior exemplo desse tipo de postura foi a do recém chegado Analista Victor.
    .
    De minha parte penso que as evidências científicas que dispomos, podem não apontar com consistência o intercâmbio entre mortos e vivos, mas certamente apontam
    com uma certa solidez a existência de fenômenos parapsíquicos.
    .
    É por isso que não advogo a hipótese “Sobrevivencialista”, mas penso que o termo “Super-ESP” explicar a maioria dos casos relatados de fenômenos anômalos.
    .
    Só que tem um detalhe, o fenômeno não é reproduzível “ad infinitum” e tampouco depende da vontade do psíquico (pressupondo aqui que médiuns no eczistem).
    .
    Sendo assim realizar testes em variáveis controladas é muito difícil, temos que nos contentar com as Evidências Anedóticas, Relatos de Caso, e alguns testes estatísticos que foram feitos.
    .
    A minha posição é essa: Fenômenos Anômalos Psíquicos Incontroláveis e Eventuais.
    .
    Abraços

  787. Braulio Diz:

    PS: Antes que venham me dizer que estou caindo em “contradição” com o que eu disse nos posts anteriores, digo que nesse meio tempo revirei algumas discussões do blog, alguns livros, e por isso mudei de posição.
    .
    Realmente contar com Piper para defender a existência de Espíritos é o “fim da picada”.
    .
    A hipótese de “SUPER ESP” se encaixa melhor.

  788. Espírita Sp Orlando Diz:

    Sim GORDUCHO
    Sou medium e valho menos que um cisco.

  789. Gorducho Diz:

    Já conseguiu canalizar alguma cousa afora os textos padronizados à la Divaldo/cursos FEESP?
    Se sim, não acharia interessante publicar cá p/debatermos?

  790. Vitor Diz:

    Oi, Braulio
    embora discorde de alguns pontos, no geral gostei do seu post. Meu interesse maior é divulgar essas pesquisas para ver o que mais pode advir daí. Há um verdadeiro leque de capacidades humanas que precisam explicação (para mim, comprovadas já estão). Se é super-pes ou sobrevivência, não sei. Tendo para sobrevivência em alguns casos, mas fechar a questão é muito difícil. Permita-me só comentar um pouco sobre porque não acho “o fim da picada” defender a sobrevivência com Piper. Os fenômenos que ela exibia desciam a uma quantidade de minúcias inacreditável! Não se tratava apenas de passar informações corretas e inacessíveis por meios normais, até o sotaque e maneirismos dos falecidos ela conseguia reproduzir. Há mais ocorrendo do que apenas um adquirir e regurgitar extremamente rápido de informações. Um exemplo:
    .
    O Relato das Sessões da Srta. E. G. W. com a Sra. Piper
    .
    As minhas 45 sessões com a Sra. Piper abrangeram o período de 12/11/1886 até 19/06/1889. Em 41 delas, por ao menos uma parte da hora, o controle foi mantido por um amigo pessoal, cujos assuntos de conversação, modos de expressão e de olhar as coisas eram nitidamente diferentes tanto dos da Sra. Piper quanto do Dr. Phinuit. A personalidade claramente marcada daquele amigo, a quem chamarei de T., para mim é a prova mais convincente do poder sobrenatural da Sra. P., mas é uma prova impossível de apresentar a alguém mais. As mensagens, em alguns casos características, foram recebidas de outros amigos, mas apenas conversas curtas foram realizadas, salvo com T. e o Dr. Phinuit. Enquanto vivo, T. foi um ministro congregacional, falou de temas religiosos (dos quais Phinuit declinava qualquer interesse ou conhecimento), de assuntos profissionais, do nosso grande círculo de conhecimento mútuo e de muitos assuntos particulares conhecidos por ele mesmo e por mim.
    .
    T. era um homem do oeste que conservou por toda a vida o hábito local de utilizar
    que nem como uma conjunção, apesar de minhas correções frequentes. Em minha sessão de 16/12/1886, ele comentou: “Se você pudesse ver isso que nem eu.” Esquecendo por um instante das circunstâncias alteradas, prontamente repeti: “Como eu.” “Ah”, veio a resposta, “isto soa natural. Isto soa que nem nos velhos tempos”.

  791. Marciano Diz:

    GORDUCHO, minha linha não muito diferente da sua ou daquela do MONTALVÃO.
    Eu apenas parto do princípio de que, enquanto uma coisa não se mostra viável, enquanto só se tem referências mentirosas ou imaginativas, podemos afirmar que ela não existe.
     
    Para mim, a respeitável proposta do presidente e do vice, de que se espíritos existem não se comunicam, é semelhante à proposta de que se universos paralelos existem, não são detectáveis por nenhum meio fora da imaginação ou de relatos distorcidos.
     
    É por aí.
    Também estou sempre pronto a mudar de opinião, na hora em que me mostrarem algo que não seja só lero-lero.
    As evidências de espíritos e de ψ (minúscula proposital) são as mesmas de universos paralelos.
     
    Já que é para falar doideira pura (alertando aos chatos de plantão que não tenho carteira de maluco, por isso não sou bom em maluquices), proponho o seguinte:
     
    Espíritos, se existissem, estariam num universo paralelo, indetectável no nosso uni-verso (hífen proposital).
     

  792. Marciano Diz:

    “Não dá pra ficar sentado no gabinete dizendo “Não existe”, “Não existe”, “Não existe”; “É crença improcedente”, “É crença improcedente”, “É crença improcedente”. Comodidade, ou preguiça, não é ciência.”
     
    “Eu é que pergunto a sua. Sua exigência de que as evidências sejam presenciadas diretamente por você ou por um grupinho seleto seu é estranha (embora não de todo improcedente). Ela é algo que foge ao normal da ciência. Afinal, a quase totalidade do conhecimento científico é aceita por você (e por todos os demais cientistas) sem que se tenha que presenciar a prova experimental.”
     
    Como coadunar esses dois pensamentos?
    Logo VITOR, que vive sentado em seu gabinete, dizendo:
    Existe! Existe!
    Existe!

    É crença procedente! É crença procedente!
    É crença procedente!
     
    Vamos deixar a comodidade e a preguiça e partir para os “nossos” experimentos?

  793. Marciano Diz:

    Vitor Diz:
    DEZEMBRO 4TH, 2015 ÀS 3:39 PM
    GORDUCHO: Elite é assim…
    .
    Muito… a situação tá tão grave que tenho comido basicamente miojo com linguiça pra economizar… mas pelo menos faço 2 miojos em vez de um….
     
    Isso é falsa modéstia. Deve viver comendo caviar, trufas e faisão. Tudo acompanhado de Romanée Conti.
    Funcionário público.
     
    Miojo com molho de trufas.
     
    Gorducho Diz:
    DEZEMBRO 4TH, 2015 ÀS 4:04 PM
    Miojo tem um cheiro ruim quando ferve… tem algum composto químico que quintessencia-se p/o ambiente o qual não sei qual é.
     
    É o molho de trufas.
     
    Espírita Sp Orlando Diz:
    DEZEMBRO 4TH, 2015 ÀS 6:19 PM
    Sim GORDUCHO
    Sou medium e valho menos que um cisco.
     
    Mentira! Ninguém aqui é mais modesto do que eu. Sou a pessoa mais modesta que existe ou já existiu.
    Eu não valho nem um cisco, não valho nada!
    Valho menos infinito (- ∞ ) .
    Não tem nem pra FG. (modo ironia ligado).

  794. Vitor Diz:

    MARCIANO: “Como coadunar esses dois pensamentos?”
    .
    Simples. Ler a base de dados disponível já é sair da preguiça e da comodidade. Como eu disse, analisar tal base não é fácil. Mas é altamente gratificante. Dá segurança para falar e evitar inúmeros erros que leigos no assunto cometem.

  795. Marciano Diz:

    Como eu já disse aqui antes, quem é modesto de verdade a gente nem percebe.
    Modéstia propalada aos quatro ventos é humilhar-se para ser exaltado.
    FG ensinou isso.
    «Quando fores convidado para um banquete nupcial, não tomes o primeiro lugar. Pode acontecer que tenha sido convidado alguém mais importante do que tu; então, aquele que vos convidou a ambos terá que te dizer: ‘Dá o lugar a este’; e ficarás depois envergonhado, se tiveres de ocupar o último lugar.

    [Lc 14, 1.7-11]

  796. Marciano Diz:

    Pois então, VITOR, façamos melhor ainda e partamos para os testes.
    Se for no Rio, eu topo.
    Nem só de teoria vive o homem.

  797. Marciano Diz:

    I’ll be back in a while.

  798. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Maquenada: nem puliça eles têm… :-/
    /.
    DE MARTE: Então, como põem os dissidentes nos calabouços?
    /.
    PONDERAÇÃO: não sou o melhor para lhe explicar os mistérios do além, visto que tenho sido ostensivo em dizer que acredito mas nada sei a respeito, tampouco posso garantir que exista, apenas garanto a esperança de que. Muito bem, tendo em conta que estamos em terreno especulativo, especulo que, mesmo sem puliça organizada, quando necessário, o governador organiza uma brigada, dá-lhe poderes temporários e a envia ao trabalho. Que nem que acontecia no velho oeste, quando o xerife nomeava delegados entre os cidadãos civis para caçarem assaltantes de Banco.
    .
    Não sesqueça que lá tudo ingual que nemnaqui, ou quase…

  799. Gorducho Diz:

    Sr. Bráulio… sim, respeitável S/Pronunciamento.
    Só que, perceba: jogam os Crentes no lixo tudo que é alegado pelos espíritas e o foi pela metapsíquica.
    Mas sim, coerente & digno de consideração séria.

  800. Gorducho Diz:

    Muito bem, tendo em conta que estamos em terreno especulativo, especulo que, mesmo sem puliça organizada, quando necessário, o governador organiza uma brigada, dá-lhe poderes temporários e a envia ao trabalho. Que nem que acontecia no velho oeste, quando o xerife nomeava delegados entre os cidadãos civis para caçarem assaltantes de Banco.
     
    Veja se consegue o relato do fato verídico completo posto a lume pelo Dr. SpOrlando, p/vermos se a ordem de prisão dada por Dr. Bezerra foi efetivamente efetivada no ultramundo, e por quem (os indus da Legião dos Servos de Maria, cogito… mas não sei :( ).

  801. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vitor Diz:
    Oi, Borges
    de fato o Kardec não concordava, para ele os espíritos tinham uma visão super-aguçada, mas os experimentos até aqui mostram que pelo menos quanto ao mundo físico a visão dos espíritos parece ser bastante nublada.
    /.
    PONDERAÇÃO: ressalte-se: a visão do espíritos angloamericanos é turva (e para as coisas que lhes convêm); já a dos espíritos latinos é boa pracacete. Visto que para o Visoni a veromediunidade é aquela à qual vota veneração e, considerando que ele vota repúdio aos nacionais (os quais provêm da vertente latina do espiritualismo), explica-se o que passa na cabeça desse ardoroso defensor de uma das pernas mediúnicas (a outra, para ele, é podre).
    .
    Só que também há espírito anglo-saxão que vê de um tudo.
    .
    Mas acho que jatô entendendo: tendo em conta que lá é como aqui, certamente existem míopes, presbiopes, hipermetropes, astigmatistas, ou mesmo quem tenha de tudo um pouco, que nem eu. Portanto, não se lhes pode censurar que às vezes vejam tudo, às vezes não vejam nada. Só precisamos entender o motivo de a visão turvar justamente quando deveriam dar mostras de suas presenças… decifrando esse mistério tudo ficará esclarecido…

  802. Borges Diz:

    “*LEMBRO-TE QUE ‘ELES’ NÃO EXISTEM.”
    .
    Contra: – Se eu encontrasse um site destinado à discussão sobre a ida do homem à lua, onde os participantes tivessem que discutir se acreditavam ou não em tal feito, eu não participaria, pois eu não acredito que o homem foi à lua, eu sei que ele foi. No seu caso, se você sabe que espíritos não existem, então, penso eu, não deveria haver nenhuma motivação para que participasse de qualquer discussão sobre este assunto. Minha conclusão é que a sua certeza sofre de alguma fragilidade.
    Um abraço

  803. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, essas patrulhas formadas pelos xerifes tinham o nome de posse, assim mesmo, em inglês, mas com significado diferente do homógrafo lusitano que usamos por empréstimo.
    Os sheriffs também falam língua emprestada.
     
    Posse = A temporary police force.
     
    Posse = Exercício, pleno ou não, de algum dos poderes inerentes à propriedade (definição do CC).
     
    Não se deve confundir posse com propriedade. O proprietário possui o domínio sobre um bem, podendo utilizá-lo, fruir de suas funções econômicas ou, ainda, dele dispor, transmitindo-o gratuita ou onerosamente para outra pessoa em caráter definitivo, quando assim bem entender. Basta que o bem de sua propriedade não tenha qualquer ônus ou gravame que possa limitar o exercício do direito que é, conforme foi destacado no Capítulo anterior, o mais importante dos direitos reais.
     
    A posse, por sua vez, pode ser atribuída a quem é o proprietário ou a quem não é. Exemplos: o possuidor de um imóvel somente obtém a propriedade dele quando o bem estiver registrado em seu próprio nome junto ao cartório de registro de imóveis; o inquilino tem a posse do imóvel que lhe foi alugado pelo locador, que se mantém como o proprietário da coisa mesmo durante a vigência do contrato; o credor pignoratício tem a posse da coisa imóvel que lhe foi dada em garantia a título de penhor, cuja propriedade continua sendo do devedor pignoratício mesmo durante a vigência do contrato de empréstimo. E assim por diante.
     
    Logo, a posse é um minus em relação à propriedade. Todo proprietário tem a posse, ainda que indireta. Nem todo possuidor, por sua vez, tem o direito de propriedade (Roberto Senise Lisboa).
     
    Posse = possession, que não é possessão, embora possa ter também esse sentido e que se pronuncia pozéchon, com esse o meio aberto, um som entre o “o” e o “a”.
     
    Estímulo para que você passe a dedicar um tempo para estudar inglês.

  804. Marciano Diz:

    Ouça o Lennon cantando:
    “when your prized possessions start to wear you down…”.

  805. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    GORDUCHO: “Entenda: o que nós dizemos é que temos o fato desses alegados fenômenos não ocorrem. Nós não estamos postulando uma impossibilidade de interações – o que dizemos é que elas não existem!”
    .
    VISONI: Então você(s) incorre(m) na falácia da petição de princípio.
    /.
    PONDERAÇÃO: petição de princípio tem certa similaridade com a falácia da autoridade. Trata-se de afirmar com firmeza uma postulação e, a partir do declarado, construir um raciocínio. Exemplo: “espíritos não existem, portanto a discussão sobre espíritos agindo na natureza é vã”. Por outro lado, se houver legítima fundamentação para que se afirme a inexistência de espíritos, não haverá falácia.
    .
    Venho dizendo aqui que afirmar a irrealidade de inteligências invisíveis, sem um raciocínio bem firmado que possa alicerçar a asserção, equivale a incorrer em falácia. Concretar não haver almas errantes pode ser feito, mas há que se produzir cadeia de premissas que redunde em tal conclusão.
    .
    Por isso, deixa-se, por ora, a existência ou não, em regime de espera e passa-se para o que é passível de imediato ser averiguado, ou seja, a afirmada ação de mortos em meio aos vivos. A lógica aqui é cristalina: se mortos articulam com vivos podem dar mostras de que estão presentes onde se pensa estejam. Não há como fugir: se “eles” são capazes de mandar recados serão capazes de mostrarem-se reais e comunicantes.
    .
    Então, vimos o Gorducho declarar que inexistem interações entre vivos e mortos. Por que tanta certeza? Há base para formalizá-la legitimamente? Claro que há. O Visoni se sacode por inteiro, agarrado às saias de Piper e Osborne, achando que debaixo delas encontrará refúgio para a certeza de que mortos voltam e falam. E pior: que mortos possuem vivos e usam-nos para suas intenções inconfessáveis…
    .
    Toda essa confiança esboroa-se ante a recusa peremptória dos extintos confirmarem suas presenças. Quaisquer sugestões nesse sentido são rechaçadas, tanto pelas imaginadas almas desencarnadas, quanto pelos médiuns que as canalizariam, bem assim pelo advogados da comunicação interdimensional.
    .
    Desse modo, a sábia declaração do Gorducho tem implícita a consideração de que as interações entre mortos e vivos não existem porque se existissem aqueles não titubeariam em produzir evidências de que estão ativos em meio aos vivos.
    .
    Pronto, dá-se por cancelada a acusação de petição de princípio…

  806. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Gorducho Diz:
    4… 1 morreu aparentemente envenenado (rato?) há uns 3 meses. Fiquei tão irritado que até me perdi na soma :(
    /.
    PONDERAÇÃO: eu estou com 13 caninos e um felino, se quiser uma doação é só falar…
    .
    Pode escolher:
    Fêmeas: Mel, Rosquinha, Pretinha, Princesa, Ráissa, Meri, Sandy, Safira, Risadinha.
    Machos: Floppy, Lucky, Max, Brau.
    Felina: Suzi.
    .
    Frete por conta do adotante.

  807. Contra o chiquismo Diz:

    Borges Diz:
    DEZEMBRO 4TH, 2015 ÀS 8:27 PM
    “*LEMBRO-TE QUE ‘ELES’ NÃO EXISTEM.”
    .
    Contra: – Se eu encontrasse um site destinado à discussão sobre a ida do homem à lua, onde os participantes tivessem que discutir se acreditavam ou não em tal feito, eu não participaria, pois eu não acredito que o homem foi à lua, eu sei que ele foi. No seu caso, se você sabe que espíritos não existem, então, penso eu, não deveria haver nenhuma motivação para que participasse de qualquer discussão sobre este assunto. Minha conclusão é que a sua certeza sofre de alguma fragilidade.
    Um abraço
    .
    .
    BORGES, FUI CRENTE QUE NEM VC. CONHEÇO OS 2 LADOS. VC SÓ CONHECE 1 – O DA CRENDICE. POR EU CONHECER OS 2, TE AFIRMO COM TODAS AS LETRAS: ‘ESPIRITOS’ NÃO EXISTEM.

  808. Contra o chiquismo Diz:

    Vitor Diz:
    DEZEMBRO 4TH, 2015 ÀS 3:45 PM
    Mas eu gosto de miojo pacas.
    ,
    ,
    Na boa? Cup Noodles é bem melhor.
    .
    .
    Uma dica de pobre: se vc tiver na rodoviária do RJ, no 2ª andar tem uma bomboniere que vende e faz o cupnoodles na hora p vc. Dá p economizar uma grana e tanto c restaurante :mrgreen:

  809. Contra o chiquismo Diz:

    O Cup Noodles é feito na hora no microondas…

  810. JP Diz:

    ” Se eu encontrasse um site destinado à discussão sobre a ida do homem à lua, onde os participantes tivessem que discutir se acreditavam ou não em tal feito, eu não participaria, pois eu não acredito que o homem foi à lua, eu sei que ele foi. No seu caso, se você sabe que espíritos não existem, então, penso eu, não deveria haver nenhuma motivação para que participasse de qualquer discussão sobre este assunto. Minha conclusão é que a sua certeza sofre de alguma fragilidade.”

    Parabéns. Acho que isso foi a maior verdade que já li aqui. Quem gosta de simplesmente repetir “Não existe!” , “Não existe!”

  811. JP Diz:

    (continuando..)

    quem gosta de repetir uma negação ou uma afirmação assim como dono da verdade é sinal de insegurança na opinião que emite.

  812. JP Diz:

    Agora vi que Vitor já havia expressado o pensamento do colega de forma melhor!:

    “O fato é que existem sim evidências que indicam a existência de espíritos, ou do fenômeno ‘sobrevivência pós morte’. Não dá pra ficar sentado no gabinete dizendo ‘Não existe’, ‘Não existe’; ‘Não existe’; ‘É crença improcedente’, ‘É crença improcedente’, ‘É crença improcedente’. Comodidade, ou preguiça, não é ciência. Ciência é fazermos afirmações compatíveis com nossa base de dados.
    .
    vocês não querem testar o verdadeiro fenômeno mediúnico, e sim o que vocês IMAGINAM ou DESEJAM que seja o fenômeno mediúnico. Não dá.”

  813. JP Diz:

    Desculpe se você respondeu e eu não vi (procurei) mas, Vitor, viu o artigo que passei sobre o Alex Tanous? Ele me pareceu que forneceu tantas evidências científicas de psi quanto Ingo Swann. Eles foram muito estudados pelo mesmo pesquisador que presidiu a ASPR, Karlis Osis. Mas meu inglês é fraco para entender bem sobre o Tanous

  814. Marciano Diz:

    JP e BORGES, justamente por causa dessa “insegurança” é que queremos fazer os testes.
    Há muito mais certeza em testes práticos do que supõe nossa vã filosofia.
    Topam?
    Ninguém aqui vai mais negar, depois de constatarmos os fatos.
    cx e cia. não nos convenceram.
    Queremos fantasmas “de verdade”.

  815. Marciano Diz:

    Não conheço nenhum blog que discuta as viagens à Lua, mas conheço e frequento alguns que acreditam em comunismo.
    Eu sei que comunismo/socialismo é balela, mas gosto de debater, justamente para isso. Para mostrar aos inocentes (os safados, não adianta, eles já sabem) que estão sendo usados.
    Não sei de onde vocês tiraram a ideia de que se nós sabemos de alguma coisa não vamos discutir essa ciência com outros, que dela não sabem.
    Isso é egoísmo, falta de caridade.
    Fazer com que alguém deixe de dar dinheiro para Macedo, Malafaia ou mordomias a DPF é a mesma coisa que fazer (pelo menos tentar) com que alguém deixe de votar na pretralha corrupta.

  816. JP Diz:

    Discutir sim! Mas ficar falando coisas “Não existe e pronto! sem mais!, aceite pois eu sei a verdade e o caminho!” não. Ficou melhor pela colocação do Vitor.
    Mas obrigado por me solicitar para participar de algum teste, eu gostaria de me sentir um Ghostbuster hahaha mas já estou satisfeito com os testes postados no blog. Mas espero que vocês encontrem o teste que procuram!

  817. Gorducho Diz:

    Mas espero que vocês encontrem o teste que procuram!
     
    Os testes nós já encontramos e os expomos exaustivamente cá.
    Não encontramos é médiuns porque… não exitem :mrgreen:

  818. Gorducho Diz:

    Perceba, Sr. JP, como funciona esse ramo, e porque então somos tão confiantes em nossas assertivas.
    A Casa alardeava insistentemente – p/fins de propaganda cujo público alvo é quem não conhece o tema, claro… – que em 2010 havia sido descoberto(a) um(a) médium na América. Aí eu fiz uma figura: era no tempo do W7 e já estamos no 10 + Android; então muita cousa tem que ter sido obtida dessa memorável descoberta.
    Cobrei… cobrei… e sempre havia um jeito de escapulir.
    Até que essa semana apresentou-se a esfarrapada desculpa que deve ter cá visto.
    Então, apesar de materializações não existirem, pode ser que o(a) tal médium tenha se desmaterializado…
    É isso: por isso falamos com tanta autoridade, não é por arrogância e falta de humildade chiquista.

  819. Gorducho Diz:

    All people who live in cities should have the address in the lower right corner, engraved in smaller letters than the name. In the country, addresses are not important, as every one knows where every one else lives. People who have town and country houses usually have separate cards, though not necessarily a separate plate.
     
    ECONOMICAL ENGRAVING
     
    The economically inclined can have several varieties of cards printed from one plate. The cards would vary somewhat in size in order to “center” the wording.
    [Etiqueta por Emily Post]

  820. Gorducho Diz:

    http://www.americanantiquarian.org/Inventories/Johnston/b10f1.jpg

  821. Marciano Diz:

    One question remains: how do we call this things in Portuguese?

  822. Marciano Diz:

    I presume they are no longer in use, but did we use it anytime, in our past?
    If so, what did we call those cards?
    For me, this is a real mystery, not the ghosts.

  823. Gorducho Diz:

    P/mim 2:
    1) Imprimiam eles em casa (do it yourself)?
    Ou levavam a plate na gráfica que elegiam p/confeccionar determinado lote?
     
    2) Essa. E se sim, i.e., se em Portugal &/ou ultramar usaram portar isso, como se chamava na época.
    Só poderemos saber via literatura oitocentista em português, claro.
    Placa de impressão é um nome moderno mas que não sabemos se se aplicaria a e na época…

  824. Borges Diz:

    Marciano Diz:
    DEZEMBRO 5TH, 2015 ÀS 12:08 AM
    JP e BORGES, justamente por causa dessa “insegurança” é que queremos fazer os testes.”
    .
    Essa insegurança já o tira do extremismo, você não é um cético.
    Um abraço

  825. Marciano Diz:

    Oi, BORGES.
    Esqueci-me de dizer que estava com o modo ironia ligado.
    O que eu disse é que para discutir um assunto com outra pessoa não há necessidade de não termos certeza quanto ao assunto discutido e propus os testes justamente para provar meu ponto, qual seja, de que assombrações não existem.
    Assim, paramos com lero-lero e resolvemos a questão.
    Claro que para os que não participarem, ainda haverá o que o que questionar, para para nós, os eventuais participantes, tollitur quæstio.

  826. Borges Diz:

    Inadvertidamente entrei no Link sugerido pelo Gorducho; imediatamente pensei, “desta vez ele exacerbou seu lado enigmatista”. Imaginei a seguir, que fosse para procurar “imagens pareidólicas”. Achei um monte. Finalmente resolvi ler os comentários precedentes, com a ajuda do “pai dos burros”.
    Um abraço

  827. Borges Diz:

    Marciano Diz:
    DEZEMBRO 5TH, 2015 ÀS 11:39 AM
    Oi, BORGES.
    Esqueci-me de dizer que estava com o modo ironia ligado.
    .
    Agora, já era.
    Um abraço

  828. Gorducho Diz:

    Que enlace, ABo?
    Não entendi…

  829. Borges Diz:

    Foi um jeito bem humorado de expressar minha atrapalhada quando acionei o link que você postou. Fui entender somente após ler, com a ajuda de um dicionário, os comentários que antecederam o referido link.
    Um abraço

  830. Marciano Diz:

    Say what?

  831. Vinicius Diz:

    isso: por isso falamos com tanta autoridade, não é por arrogância e falta de humildade chiquista.

    Enquanto isso, no diálogo ultramundos eis que o espirito Chico Xavier, se manifesta novamente, em Novembro de 2015 (olha só, experimentos atuais!!!)

    https://www.facebook.com/obreirosamoremisericordia/videos/927526150673706/

    “CX” começa a papagaiar em 0:57, daquele jeito a lá BEZERRA, talvez sofrendo muito em algum lugar desconhecido.
    Não achei o video em youtube, só no meu facebook

  832. Marciano Diz:

    Alguém aí conhece o fenômeno das transformações adiabáticas?
     
    É o que ocorre quando um fantasma se transforma em diabo sem trocar calor com o meio exterior, como quando o fantasma está contido no interior de um recipiente termicamente isolado do ambiente ou quando ele sofre expansões e compressões suficientemente rápidas para que as trocas de calor com o ambiente possam ser consideradas desprezíveis.
    Nesses casos, dizemos que Δ∪ = Q – τ, e sendo Q = 0, vem Δ∪ = – τ .
    Resulta daí a lei de que numa tarnsformação adiabática a variação de energia interna é igual em módulo e de sinal contrário ao trabalho realizado na transformação.
     
    Quem disse que na fantasmagoria não há ciência?

  833. Marciano Diz:

    transformação adiabática. Esse poltergeist não dá sossego.

  834. Espírita Sp Orlando Diz:

    CX não está sofrendo. Está colhendo os frutos da bondade que espalhou. Ele cometeu erros: sim, mas quem não erra? A contabilidade divina é que nunca erra. Provavelmente ele deve ter se esclarecido junto a Bezerra e Emmanuel acerca quando foi enganado pela Otilia Diogo. Também sofreu um revés ao ser enganado por espiritos inferiores que tomaram sua obra de vez em quando e o fizeram escrever coisas parecidas de vários autores.
    Claro que ele não foi santo e por isso deve ter pego 4 anos de umbral( mas numa ala diferente da do André luiz)

  835. Espírita Sp Orlando Diz:

    Gorduchi, segue uma psicofonia minha :
    Arai irmãos Espiritas. Arai a terra boa enquanto tendes tempo. Orai e sede vigilantes a todo instantes. Hordas malignas e perversas rodeim as cercanias de todos os templos espiritas e espiritualistas. Mesmo com todo trabalho digno os espiritos das trevas tentam destruir a grande e colossal obral do Consolador e do Jesus salvador. Meditai, amai, ensinai. Kardec é o guia para entender Jesus. Kardec o apostolo da ciencia espírita, desvendador dos meandros do além. Kardec que sofreu absurdos, sabia da vaidade e inveja e por isso garantiu a segurança dos centros com suas fulgurantes instruçoes

  836. Gorducho Diz:

    Não adianta querer fazer brincadeirinha: o Sr. sabe bem que acaso só escreva essas abobrinhas ensinadas nos cursos de formação de médiuns não há porque supor que tenha mediunidade.
    Não m/parece ser seu caso, pois que é bem humorado o que é indicativo de inteligência e autoconfiança, mas se acaso quisesse postar uma psicografia sua – que não contenha dados privados, nem seja esse conteúdo padrão treinado, claro! – poderia se quisesse ser negociada Proteção Administrativa contra sarcasmos.
    I.e., só ser examinado o conteúdo de forma séria e respeitosa.
    Que diz?

  837. Marciano Diz:

    ORLANDO, diga a esse espírito que ditou a psicografia pra você que não existem hordas malignas e perversas, não existem espíritos das trevas.
    Eles são nossos irmãos. Estão precisando de nossa caridade.
     
    O espírito que ditou a psicografia esqueceu-se da lei do progresso.
    Mande ele ler o livro dos espíritos, questões 780 e seguintes.
     
    Nossos irmãozinhos trilharão a senda do progresso da mesma forma que nós.
     
    116. Há Espíritos que ficarão perpetuamente nas classes inferiores?

    — Não; todos se tomarão perfeitos. Eles mudam, embora devagar, porque, como já dissemos uma vez, um pai justo e misericordioso não pode banir eternamente os seus filhos. Querias que Deus, tão grande, tão justo e tão bom, fosse pior que vós mesmos?
     
    Ore por eles.
    Ah, foi psicofonia. Dá no mesmo.
    De qualquer forma, perdoai-os. Eles não sabem o que fazem.
     
    Lembre-se das palavras de nosso divino mestre FORREST GUMP:
     
    “Ouvistes que foi dito: Amarás ao teu próximo, e odiarás ao teu inimigo. Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis filhos do vosso Pai que está nos céus; porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e faz chover sobre justos e injustos. Mateus 5:43-45”. Lc. 6.27,28

  838. Marciano Diz:

    ORLANDO, seja um verdadeiro cristão, um verdadeiro espírita, e ore pelos nossos irmãozinhos necessitados.
    Lembre-se de que todos estão condenados ao progresso.
    Ajude nossos irmãozinhos em sua caminhada rumo ao progresso.

  839. Marciano Diz:

    ORLANDO, lembre-se dos ensinamentos do evangelho segundo o espiritismo:
     
    III – Pelos Inimigos E Os Que Nos Querem Mal
    46 – Prefácio – FORREST GUMP disse: Amai os vossos inimigos. Esta máxima nos revela o que há de mais sublime na caridade cristã. Mas, FORREST GUMP não queria dizer que devemos ter pelos inimigos a mesma ternura que dedicamos aos amigos. Por essas palavras ensina-nos a perdoar as ofensas, perdoar todo o mal que nos fizerem e pagar o mal com o bem. Além do merecimento que tem essa conduta aos olhos de Deus, serve para mostrar aos homens o que é a verdadeira superioridade.
     
    47 – Prece – Meu Deus, perdôo a Fulano o mal que me fez e o que pretendia fazer-me, como desejo que me perdoeis, e que ele por sua vez me perdoe às faltas que eu tenha cometido. Se o pusestes no meu caminho como uma prova, seja feita a Vossa vontade. Afastai de mim, ó meu Deus, a idéia de maldizê-lo, e qualquer sentimento malévolo contra ele. Que eu não sinta jamais nenhuma alegria pelos males que o possam atingir, nem qualquer aborrecimento pelos benefícios que ele venha a receber, a fim de não manchar minha alma com sentimentos indignos de um cristão. Possa a Vossa bondade, Senhor, ao tocar-lhe o coração, induzi-lo a melhores sentimentos para comigo!
     
    Bons Espíritos, inspirai-me o esquecimento do mal e a lembrança constante do bem! Que nem o ódio, nem o rancor, nem o desejo de lhe retribuir o mal com o mal, penetre m no meu coração, porque o ódio e a vingança são próprios unicamente dos maus Espíritos,encarnados e desencarnados! Que eu esteja, pelo contrário, sempre pronto a lhe estender a mão fraterna, a pagar-lhe o mal com o bem, e a ajudá-lo quando possível.
     
    Desejo, para experimentar a sinceridade das minhas palavras, que se me apresente uma oportunidade de lhe ser útil. Mas, sobretudo, ó meu Deus, preservai-me de fazê-lo por orgulho ou ostentação, abatendo-o com uma generosidade humilhante, o que anularia os méritos da minha atitude.porque, nesse caso, eu bem mereceria estas palavras do Cristo:Já recebestes a vossa recompensa. (Cap. XIII, nºs 1 e segs.)

     
    Não chame mais nossos necessitados irmãozinhos de malignos e perversos.

  840. Espírita Sp Orlando Diz:

    Eu ainda não consigo perdoar profundamente. Depende muito do que me fizerem: se for um pisão no pé eu perdoo já se me roubarem não.
    Esses irmaozinhos são ainda perversos mas vão aprender sem dúvida.

  841. Gorducho Diz:

    Aliás esse “espírito” exalta o Kardec mas não conhece o kardecismo: tentam destruir a grande e colossal obra do Consolador e do Jesus salvador.
     
    No kardecismo não tem salvação :!:

  842. Espírita Sp Orlando Diz:

    Salvador no sentido de ensinar a nós ignorantes espirituais que precisamos ser salvos deste rio cheio de piranhas e tubarões

  843. Espírita Sp Orlando Diz:

    Perdão rio=mar

  844. Marciano Diz:

    Como diria Roger Waters, “I’m feeling a little bit confused”.
     
    O Evangelho Segundo o Espiritismo
    por ALLAN KARDEC – tradução de José Herculano Pires
    I – Fora Da Caridade Não Há Salvação
    PAULO
    Paris, 1860
     
    10 – Meus filhos, na máxima: Fora da caridade não há salvação, estão contidos os destinos do homem sobre a Terra e no céu. Sobre a Terra, porque, à sombra desse estandarte, eles viverão em paz; e no céu, porque aqueles que a tiverem praticado encontrarão graça diante do Senhor. Esta divisa é a flama celeste, coluna luminosa que guia os homens pelo deserto da vida, para conduzi-los à Terra da Promissão. Ela brilha no céu como auréola santa na fronte dos eleitos, e na Terra está gravada no coração daqueles a quem Jesus dirá: “Passai à direita, benditos de meu Pai”. Podeis reconhecê-los pelo perfume de caridade que espargem ao seu redor. Nada exprime melhor o pensamento de FORREST GUMP, nada melhor resume os deveres do homem, do que esta máxima de ordem divina. O Espiritismo não podia provar melhor a sua origem, do que a oferecendo por regra, porque ela é o reflexo do mais puro Cristianismo. Com essa orientação, o homem jamais se transviará. Aplicai-vos, portanto, meus amigos, a compreender-lhe o sentido profundo e as conseqüências de sua aplicação, e a procurar por vós mesmos todas as maneiras de aplicá-la. Submetei todas as vossas ações ao controle da caridade, e a vossa consciência vos responderá: não somente ela evitará que façais o mal, mas ainda vos levará a fazer o bem.Porque não basta uma virtude negativa, é necessária uma virtude ativa. Para fazer o bem, é sempre necessária a ação da vontade, mas, para não fazer o mal, bastam freqüentemente à inércia e a negligência.
     
    Meus amigos, agradeçam a Deus, que vos permitiu gozar a luz do Espiritismo. Não porque somente os que a possuem possam salvar-se, mas porque, ajudando-vos a melhor compreender os ensinamentos do Cristo, ela vos torna melhores cristãos. Fazei, pois, que vos vendo, se possa dizer que o verdadeiro espírita e o verdadeiro cristão são uma e a mesma coisa, porque todos os que praticam a caridade são discípulos de FORREST GUMP, qualquer que seja o culto a que pertençam.

     
    Claro que não é a salvação dos demais cristãos, que salvam-se da danação eterna, mas que diabos de salvação é esta⁉
     
    Fiquei ainda mais confuso porque o corão também fala em caridade e os muçulmanos não são discípulos de FORREST GUMP, o qual é apenas mais um profeta, mas sim de muhammad, outro que nunca existiu.

  845. Marciano Diz:

    Terceiro Pilar do Islã: Caridade Compulsória (zakat).
    A caridade não é apenas recomendada pelo Islã, mas é requerida de todo muçulmano financeiramente estável. Dar caridade àqueles que a merecem é parte do caráter do muçulmano e um dos Cinco Pilares da prática islâmica. O Zakat é visto como “caridade compulsória”; é uma obrigação daqueles que receberam sua riqueza de Deus responder aos membros necessitados da comunidade.

  846. Marciano Diz:

    Pelo menos os muçulmanos são roubados em 1/4 do valor dos cristãos.
    Não é dízimo.
     
    Em árabe é conhecido como zakat, que literalmente significa “purificação”, porque se considera que o zakat purifica o coração da ganância. O amor pela riqueza é natural e é preciso uma crença firme em Deus para uma pessoa se desfazer de parte de sua riqueza. O Zakat deve ser pago sobre categorias diferentes de propriedade – ouro, prata, dinheiro; gado, produção agrícola; e mercadorias – é pagável a cada ano após um ano de posse (dos bens). Requer uma contribuição anual de 2,5% dos bens e fortuna do indivíduo.

  847. Marciano Diz:

    Como a oração, que é tanto uma responsabilidade individual quanto comunitária, o zakat expressa a adoração e agradecimento do muçulmano a Deus, ao ajudar os necessitados. No Islã, o verdadeiro proprietário das coisas não é o homem, mas Deus. A aquisição de riquezas como um fim, ou para aumentar o valor de um homem, é condenada. A mera aquisição de riqueza não conta nada aos olhos de Deus. Não dá ao homem qualquer mérito nessa vida ou na vida futura. O Islã ensina que as pessoas devem adquirir riqueza com a intenção de gastá-la em suas próprias necessidades e nas necessidades de outros.
     
    “‘O homem’, disse o Profeta, ‘diz: Minha riqueza! Minha riqueza!’ Vocês não têm mais riqueza, exceto a que dão como caridade e, assim, preserva, gasta e destroça, come e consome?”
     
    Todo o conceito de riqueza é considerado como um presente de Deus no Islã. Deus, que a provê para a pessoa, destinou uma porção dela para o pobre, e assim o pobre tem direito sobre essa riqueza. O Zakat relembra os muçulmanos que tudo que eles têm pertence a Deus. As pessoas recebem suas fortunas como uma custódia de Deus, e o zakat tem a finalidade de livrar os muçulmanos do amor pelo dinheiro. O dinheiro pago no zakat não é algo que Deus precise ou receba. Ele está acima de qualquer tipo de dependência. Deus, em Sua misericórdia infinita, promete recompensas pela ajuda aos necessitados com a condição básica de que o zakat seja pago em nome de Deus; ninguém deve esperar ou exigir ganhos mundanos dos beneficiários nem ter como objetivo fazer nome como filantropo. Os sentimentos de um beneficiário não devem ser feridos fazendo-o se sentir inferior ou relembrando-o da ajuda.
     
    O dinheiro dado como zakat só pode ser usado em certas coisas específicas. A Lei Islâmica estipula que a caridade seja usada para ajudar os pobres, órfãos e viúvas, para libertar escravos e devedores, e outros necessitados, como mencionado especificamente no corão (9:60). O Zakat, que se desenvolveu há quatorze séculos, funciona como uma forma de seguridade social na sociedade muçulmana.

  848. Marciano Diz:

    Uma vez eu disse aqui que me filiaria a TODAS as religiões que existem, para garantir minha salvação.
    Sabem o que me fez mudar de ideia?
    Não há dinheiro suficiente pra isso.
    2.5% pra uma, 10% pra outra, 30% para ainda outra, e assim por diante, eu acabaria tendo de aprender o milagre da multiplicação das ofertas, para poder dar conta de muito mais do que 100% do que ganhasse.
    Como nem deus faz esse milagre, desisti.

  849. Marciano Diz:

    Perguntei a deus como faria para dar mais de 100% do que ganho, uma vez que se eu dou tudo, nada me sobra.
    Ele disse que não sabia também.
    E olhem que o cara o onisciente.
    Quer dizer, onisciente -1. Pelo menos.
    Uma vez ele me disse também que não poderia fazer com que o Botafogo e o Vasco ganhassem o mesmo jogo.
    Onipotente -1. Pelo menos.

  850. Marciano Diz:

    Procurai e achareis, perguntai e vos será respondido, batei e a porta para a vossa liberdade ser-vos-á aberta! Entrai, vós que procurais e estareis em Paz!
    Quelle mensonge!

  851. Marciano Diz:

    Dio è un buggiardo.

  852. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    JP: vocês não querem testar o verdadeiro fenômeno mediúnico, e sim o que vocês IMAGINAM ou DESEJAM que seja o fenômeno mediúnico. Não dá.”
    /.
    PONDERAÇÃO: sem “pobrema”: dê sua sugestão sobre a melhor maneira de testar o fenômeno para que a analisemos: se for mesmo melhor a adotaremos como sugestão aos mediunistas. No aguardo…

  853. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “viu o artigo que passei sobre o Alex Tanous? Ele me pareceu que forneceu tantas evidências científicas de psi quanto Ingo Swann.”
    /.
    PONDERAÇÃO: de fato, Ingo Swann forneceu muitas evidências “científicas” de psi, uma delas foi “enxergar”, com sua visão paranormal, a existência de bases extraterrenas instaladas na face não-visível da lua. A outra “grande evidência científica” que produziu foi ser excelente propagandista de si mesmo…

  854. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Claro que para os que não participarem, ainda haverá o que o que questionar, para para nós, os eventuais participantes, tollitur quæstio.”
    /.
    PONDERAÇÃO: penso que podemos dar passo mais firme: os testes que propomos devem servir para os que participam e para os que não. Quero dizer, os que não acompanharam disporão de orientativos adequados para, eles mesmo, conferirem os resultados, como deve ser todo experimento científico: replicável.

  855. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Eu ainda não consigo perdoar profundamente. Depende muito do que me fizerem: se for um pisão no pé eu perdoo já se me roubarem não.”
    /.
    PONDERAÇÃO: então o PT jamais lhe terá o perdão, ou não?
    /
    /
    “No kardecismo não tem salvação ”
    /.
    CREIO QUE melhor fica: no kardecismo não há salvador… ou, melhor ainda, “o homem é o salvador de si mesmo, no kardecismo”…
    /
    /

    Espírita Sp Orlando Diz: Salvador no sentido de ensinar a nós ignorantes espirituais que precisamos ser salvos deste rio cheio de piranhas e tubarões
    .
    Perdão rio=mar
    /.
    PONDERAÇÃO: quando alguém inventou que a emenda saiu pior que o soneto devia estar pensando em coisa assim: substituiu-se “deste RIO cheio de piranhas e tubarões” por “deste MAR cheio de piranhas e tubarões”, mas nenhum dos dois resolve. Creio melhor ficaria: “deste rio cheio de piranhas e deste mar cheio de tubarões…

  856. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Marciano Diz:
    “Perguntei a deus como faria para dar mais de 100% do que ganho, uma vez que se eu dou tudo, nada me sobra.
    Ele disse que não sabia também.
    E olhem que o cara o onisciente.”
    /.
    PONDERAÇÃO: creio que Deus não estava num bom dia quando assim lhe respondeu: se ele mesmo fez com que dois pães e quatro peixes alimentassem a multidão, como não saberia fazê-lo doar mais do que tem? Nunca ouviu falar que o pouco com deus é muito? E que quem semeia vento colhe tempestade? E quem planta um caroço colhe um montão? Então?
    /
    /

    “Uma vez ele me disse também que não poderia fazer com que o Botafogo e o Vasco ganhassem o mesmo jogo. Onipotente -1. Pelo menos.”
    /.
    PONDERAÇÃO: deus pode tudo exceto o absurdo. Não que seja limitação da parte dele, mas para não ferir o princípio da não contradição: uma coisa não pode ser e não ser simultaneamente. Desse modo, Marciano é ou não é… ser os dois é que não dá… quer dizer, depende…

  857. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Embora deva ser difícil até para deus fazer o vasco ganhar…

  858. Borges Diz:

    O Armando Marques fez a Portuguesa e o Santos ganharem o mesmo título em um mesmo jogo.

  859. Contra o chiquismo Diz:

    Espírita Sp Orlando Diz:
    DEZEMBRO 5TH, 2015 ÀS 5:34 PM
    CX não está sofrendo. Está colhendo os frutos da bondade que espalhou.
    ;
    ;
    ;
    CX não está sofrendo mesmo! E muito menos se alegrando. CX NÃO EXISTE MAIS!
    .
    .
    ‘ESPIRITOS’ NÃO EXISTEM.

  860. Contra o chiquismo Diz:

    JP Diz:
    DEZEMBRO 4TH, 2015 ÀS 11:30 PM
    (continuando..)
    quem gosta de repetir uma negação ou uma afirmação assim como dono da verdade é sinal de insegurança na opinião que emite.
    ;
    ;
    ;
    Não sr JP, é a certeza de quem conhece os 2 lados. Fui crente e vc nunca foi cético. Vc só conhece o lado da crendice.

  861. Contra o chiquismo Diz:

    Borges Diz:
    DEZEMBRO 5TH, 2015 ÀS 11:19 AM
    ;
    Essa insegurança já o tira do extremismo, você não é um cético.
    Um abraço
    ;
    ;
    ;
    BORGES, NÃO HÁ INSEGURANÇA E NEM EXTREMISMO. HÁ O CONHECIMENTO DOS 2 LADOS DA COISA E HÁ COMBATE A CRENDICE E A ALEGAÇÕES SEM PROVAS (EXISTÊNCIA DE ‘ESPIRITOS’).
    .
    .
    ,
    Ah, ia me esquecendo… ‘espiritos’ não existem Borges.

  862. Contra o chiquismo Diz:

    Espírita Sp Orlando Diz:
    DEZEMBRO 5TH, 2015 ÀS 6:28 PM
    Eu ainda não consigo perdoar profundamente. Depende muito do que me fizerem:
    ;
    ;
    ;
    Há ha ha.. eu queria ver se um zombeteiro botasse LSD na sua água ‘fluidificada’ …(que nem emmanuel botou na água de cx).

  863. Contra o chiquismo Diz:

    Realmente, não dá pra levar o ‘espiritismo’/kardecismo/chiquismo a sério mesmo. Como diversão, é bem legal.

  864. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Borges Diz: O Armando Marques fez a Portuguesa e o Santos ganharem o mesmo título em um mesmo jogo.
    /.
    ENTÃO ISSO deve ser coisa do demônio…

  865. Marciano Diz:

    ONDERAÇÃO: creio que Deus não estava num bom dia quando assim lhe respondeu: se ele mesmo fez com que dois pães e quatro peixes alimentassem a multidão, como não saberia fazê-lo doar mais do que tem?  
    Não foi deus, foi o filho.
     
    Se eu dou cem por cento e fico devendo contribuições de outras religiões, então ele me dá mais algum, aí esse algum entra no total de cem por cento.
    Não tem saída.
     
    PONDERAÇÃO: deus pode tudo exceto o absurdo.
     
    O absurdo está fora do tudo? Isto é um absurdo!
     

    MONTALVÃO Diz:
    DEZEMBRO 5TH, 2015 ÀS 8:51 PM
    /
    /
    Embora deva ser difícil até para deus fazer o vasco ganhar…
     
    Quero ver você repetir isto em São Cristóvão, mais propriamente, na Barreira do Vasco, na toca do gigante da colina.
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Barreira_do_Vasco
     

    Borges Diz:
    DEZEMBRO 5TH, 2015 ÀS 9:01 PM
    O Armando Marques fez a Portuguesa e o Santos ganharem o mesmo título em um mesmo jogo.
     
    Armando Marques é mais poderoso do que deus.
     
    CX não está sofrendo mesmo! E muito menos se alegrando. CX NÃO EXISTE MAIS!
     
    Flawless!
    Não sr JP, é a certeza de quem conhece os 2 lados. Fui crente e vc nunca foi cético. Vc só conhece o lado da crendice.
     
    Agora quem ficou mal fui eu. Nunca fui crente.
    Só conheço o lado da sanidade.
     
    Existe um lado cético e centenas de milhares de crendices atuais, passadas ou futuras.
    Cada crente é cético com as crendices dos outros crentes.
    Você, CONTRA, quando era espírita, acreditava nas testemunhas de jeová? E na santa madre igreja?
    Acreditava em maomé? Buda, krishna?
    Apolo, Themis (êpa! Themis foi mal. É ela quem provê meu sustento).
    Tenho esculturas dela nos meus escritórios (são duas e dois).
    http://www.stf.jus.br/portal/cms/verTexto.asp?servico=bibliotecaConsultaProdutoBibliotecaSimboloJustica&pagina=temis

  866. Marciano Diz:

    MONTALVÃO Diz:
    DEZEMBRO 5TH, 2015 ÀS 10:24 PM
    /
    /
    Borges Diz: O Armando Marques fez a Portuguesa e o Santos ganharem o mesmo título em um mesmo jogo.
    /.
    ENTÃO ISSO deve ser coisa do demônio…
     
    Ergo, o demônio é mais poderoso do que deus.

  867. Contra o chiquismo Diz:

    Montalva, tenho amigos e parentes Testemunhas de Jeová. São gente muito boa. Mas a crença deles… Minha família é toda adepta da S M Igreja, eu fui a ovelha afrodescendente que foi pro kardecismo-chiquismo. Hj quero ir pra cúpula neo pentecostal, he he he… Automóveis, Mansões, Iates, Mulheres!! Veja, só 30 segundos:

    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=a7qjgfwCBMA

  868. Contra o chiquismo Diz:

    Agora, o estranho (quando eu era crente) é que conheci muitos kardecistas-chiquistas que me decepcionaram profundamente. E depois de de renegar, me decpcionei mais ainda.

  869. Marciano Diz:

    CONTRA, a crença deles é que só TJ é a religião verdadeira.
    Só terá vida eterna depois do armaggedon que for TJ.
    Se eles (seus parentes) são realmente gente muito boa, devem estar fazendo de tudo para te salvar.

  870. Marciano Diz:

    Frei Betto publicou em sua coluna no site do jornal O Globo um artigo intitulado “Deus é Gay?”. No texto, ele faz uma série de elogios ao papa Francisco “por colocar a sexualidade no centro do debate eclesial”, afirmando que a postura do atual líder da Igreja Católica em trazer tais temas à discussão é uma atitude “contra o cinismo” predominante na instituição.
     
    Ele afirma em seu texto que é necessário “reler o Evangelho pela ótica gay, como pela feminista, já que a presença de Jesus entre nós foi lida pelas óticas aramaica (Marcos); judaica (Mateus); pagã (Lucas); gnóstica (João); platônica (Agostinho) e aristotélica (Tomás de Aquino)”.

    – Quem, como eu, transita há décadas na esfera eclesiástica sabe que é significativo o número de gays entre seminaristas, padres e bispos. Por que não gozarem, no seio da Igreja, do mesmo direito dos heterossexuais de se assumir como tal? Devem permanecer “no armário”, vitimizados pela Igreja e, supostamente, por Deus, por culpa que não têm? – questionou Frei Betto.
     
    Ele afirma ainda que “a unidade na diversidade é característica da Igreja”, e ressalta que os evangelhos apresentam quatro enfoques distintos sobre Jesus. Frei Betto comenta ainda sobre as mudanças graduais das visões teológicas dentro do cristianismo.
     
    – Até a década de 1960, predominava no Ocidente uma única ótica teológica: a europeia, tida como “a teologia”. O surgimento da Teologia da Libertação, com a leitura da Palavra de Deus pela ótica dos pobres, causa ainda incômodo aos que consideram a ótica eurocentrada como universalmente ortodoxa – destaca.
     
    – Diante dos escândalos de pedofilia, dos 100 mil padres que abandonaram o sacerdócio por amor a mulheres, e da violência física e simbólica aos gays, Francisco ousa se erguer contra o cinismo dos que se arvoram em “atirar a primeira pedra – completa.
     
    Colocando Jesus como exemplo de conduta, o religioso afirma que “a Igreja não pode discriminar ninguém em razão de tendência sexual, cor da pele ou condição social”, e reforça que “O que está em jogo é a dignidade da pessoa humana, o direito de casais gays serem protegidos pela lei civil e educarem seus filhos na fé cristã, o combate e a criminalização da homofobia”, que ele classifica como “um grave pecado”.
    – A Igreja não pode continuar cúmplice e, por isso, acaba de superar oficialmente a postura de considerar a homossexualidade um “desvio” e “intrinsecamente desordenada” – afirmou o religioso.
     
    – Deus é gay? “Deus é amor”, diz a Primeira Carta do apóstolo João, e acrescenta “o amor é de Deus, e todo aquele que ama nasceu de Deus e conhece a Deus.” E, se somos capazes de nos amar uns aos outros, “Deus permanece em nós” – destaca.

  871. Marciano Diz:

    Source:
    http://noticias.gospelmais.com.br/coluna-o-globo-frei-betto-questiona-deus-gay-72323.html

  872. Marciano Diz:

    Para que não achem que é intriga de crentes, eis aqui a fonte original:
    http://oglobo.globo.com/sociedade/deus-gay-14329562

  873. Marciano Diz:

    CONTRA, você que é uma verdadeira enciclopédia da música, conhece esta?
    Se todo filho de Deus fosse maconheiro
    Seria festa o ano inteiro,
    Quero saber do meu litrão
    Eu sempre ando com um na mão
    Todo mundo tem um ideal
    Eu tô sem idéia mas tô legal…

    Amanhã é um novo dia ohhh mulecada de larica
    Amanhã é “qui nóis vai” beber até trincar…
    Amanhã é um novo dia ohhh mulecada de larica
    Curtindo um som e agitando sem parar

    O meu nome é ezykyel
    Já comprei briga até no céu
    Ooo mulecada que não sacode
    Filho da puta ou motherfucker??
    “Pros” meu irmãos de zuação, vamo canta esse refrão!

    E esse bando de maloqueiro?
    Mandando fumo até debaixo do chuveiro
    E no ensaio sabadão?
    Meu vizinho vai chamar o camburão
    Mas eu nao to nem aí…
    Quero saber de “se divertir”!
    https://letras.mus.br/fistt/377835/

  874. Contra o chiquismo Diz:

    Sim, como pregaram pra mim já…
    .
    .
    Pior é o kardecismo dizer que o futuro de todas as religiões seria convergirem pra o ‘espiritismo’.

  875. Contra o chiquismo Diz:

    Po, essa eu nao conhecia….to até tonto de ler a lyric.

  876. Contra o chiquismo Diz:

    kardecistas são mais presunçosos que as T de Jeová.

  877. Contra o chiquismo Diz:

    Não sei se mais ou menos racistas do que elas.

    Mas o racismo das TJs é de lascar tb, veja:
    .
    .

    “Deus… evidentemente tem sido um respeitador das raças, e tem abençoado especialmente e favorecido certos ramos da raça Ariana na Europa e América… a raça branca tem sido mais abundantemente abençoada com a luz das boas novas do que as outras… a igreja eleita será provavelmente composta principalmente da altamente favorecida raça branca… ” – A Bíblia versus A Teoria da Evolução, 1898, pp. 30,31 (em inglês)
    .
    .
    Tem mais passagens racistas das TJs aqui:
    .
    .
    http://extestemunhasdejeova.net/forum/viewtopic.php?f=11&t=3873

  878. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, será possível plagiar VOZ??? Veja se não é o caso do grupo “Tetê e o Lírio Selvagem (1978)”.
    .
    Plágio da voz do Milton Nascimento!!
    .
    .

    https://www.youtube.com/watch?v=iFSVMHkyF8Y

  879. Gorducho Diz:

    Será que a voz do Dr. Bezerra é plágio :?:
    :mrgreen:

  880. Vinicius Diz:

    CONTRA, como você descobriu os textos racistas de Kardec?
    Eu fiquei sabendo em um antigo fórum no yahoogrupos onde debatiamos a codificação e um tal de Zeca falou que Kardec escorregou feio e nos mostrou as tais passagens.

  881. Gorducho Diz:

    Uma card-plate custa £ 55
    If this is your first order with us for this type of stationery, we will produce an engraved copper plate for you. We will look after the plate for you and you will be able to use it at no cost in all future orders.
    Leeming Brothers Fine Stationery
    7 Nobel Square
    Burnt Mills
    Basildon
    Essex SS13 1LS
     
    Então eles mandavam fazer a placa e ficavam na posse dela, podendo levar na gráfica que quisessem a cada lote encomendado. Muito lógico…
    Só resta saber se em Portugal & colonias houve esse hábito. Ou mesmo perguntar p/algum entendido em artes gráficas como se chamava cá, mesmo que os aborígenes não levassem p/casa o objeto.
    Eu tenho 2 conhecidos casuais que tiveram gráficas (cada um a sua), mas tenho vergonha de perguntar p/não passar por louco. Pois que como sempre Cæsar tinha razão: o importante é não parecer :(

  882. Gorducho Diz:

    CONTRA, como você descobriu os textos racistas de Kardec?
     
    É bem conhecido de nós que estudamos – de verdade – o tema espiritismo, AV.
    Emmânuel também é racista. Conhece A Caminho da Luz, não?

  883. Victor Diz:

    Contra o chiquismo Diz:
    dezembro 5th, 2015 às 11:26 PM
    .
    A Bíblia versus A Teoria da Evolução, 1898, pp. 30,31 (em inglês)
    .
    COMENT:
    .
    Contra, veja a data em que foi escrito isso…
    Evidentemente muitos textos da época científicos, filosóficos, e religiosos tinham esse cunho “racista”.
    .
    Mas sob a ótica do pensamento daquela época isso não era racismo.
    .
    Seria racismo, se ainda hoje eles continuassem, defendendo tais ideias.
    .
    O que creio ser pouco provável.
    .
    É muito importante, sempre que lermos um texto histórico mais antigo, analisá-lo a luz do conjunto de crenças e valores da época sob pena de incorrermos em uma gigantesca anacronicidade histórico-crítico textual.
    .
    Sendo assim, você pode até alegar que o texto era “racialista” (algo comum na época) mas não racista.
    .

  884. Vinicius Diz:

    VICTOR concordo com o fator “tempo” claro. Mas é o que já argumentou Analista GORDUCHO, isso prova que não espirito algum na obra de Kardec, somente a mentalidade dos pretensos médiuns e adeptos das reuniões de Kardec e sua sociedade de estudos…

    Vejamos São Luiz e Emmanuel: segundo veiculam em todos os cursos e livros estes dois são espiritos superiores e pela lógica não deveriam aceitar a teoria racista da época. Mesmo que tenham sido “inventados” por encarnados , estes não tiveram a mínima criatividade de seguir a escala espírita (OLE).

    SE ESPÍRITOS SE COMUNICASSEM DE FATO , IMAGINO QUE HAVERIA UMA DISCORDÂNCIA DE VÁRIOS ESPIRITOS DITOS SUPERIORES AOS ENSINOS RACISTAS DA ÉPOCA. VEJA:

    Seriam superiores de verdade se atacassem a tal frenologia, São Luiz falasse a Kardec que ele estava equivocado com relação a inferioridade da raça negra, que ele mesmo viveu inúmeras encarnações e nesse tempo aprendeu que o corpo é apenas uma vestimenta, pouco importando se ele é preto, amarelo, azul, rosa…
    Ele daria um puxão de orelhas em Kardec assim como o espirito “Verdade’ fez com ele quando o mesmo estava escrevendo coisas que o desagradava (batidas nas paredes).
    Além disso Kardec coloca opinião pessoal , não só o lado científico da frenologia: ele fala que os negros são feios e grosseiros (Kardec falou isso e não “os sábios da época”)

    Kardec pergunta a si mesmo em Obras Póstumas: “Somos realmente mais belos do que os Hotentotes e os Cafres, e por que?” (ele mesmo se julgava mais belo :lol: )

    E depois de ter feito um “ctrl c ctrl v ” de uma obra sobre revoluções no globo, emite sua opinião pessoal:

    “O negro pode ser belo para o negro, como um gato é belo para um gato; mas não é belo no sentido absoluto, porque os seus traços grosseiros, seus lábios espessos acusam a materialidade dos instintos; podem bem exprimir as paixões violentas, mas não saberiam se prestar as nuanças delicadas dos sentimentos e modulações de um espÌrito fino. Eis porque podemos, sem fatuidade, eu creio, nos dizer mais belos do que os negros e os Hotentotes”

    Depois de ler isso me dá nojo , sinceramente falando.
    Presunção, vaidade e arrogância .

  885. Gorducho Diz:

    Até um francês metropolitano do século xix ser racista não surpreende, e corresponde à época de fato.
    Agora, um mulato brasileiro pregando ideias racistas é demasiado bizarro, não lhe parece, Sr. Victor :?:
     
    ORIGEM DAS RAÇAS BRANCAS
    Aquelas almas aflitas e atormentadas reencarnaram, proporcionalmente, nas regiões mais importantes, onde se haviam localizado as tribos e famílias primitivas, descendentes dos “primatas”
    1, a que nos referimos ainda há pouco. Com a sua reencarnação no mundo terreno, estabeleciam-se fatores definitivos na história etnológica dos seres.
    Um grande acontecimento se verificara no planeta. É que, com essas entidades, nasceram no orbe os ascendentes das raças brancas.
    Em sua maioria, estabeleceram-se na Ásia, de onde atravessaram o istmo de Suez para a África, na região do Egito, encaminhando-se igualmente para a longínqua Atlântida, de que várias regiões da América guardam assinalados vestígios.
    Não obstante as lições recebidas da palavra sábia e mansa do Cristo, os homens brancos olvidaram os seus sagrados compromissos.
    Grande percentagem daqueles Espíritos rebeldes, com muitas exceções, só puderam voltar ao país da luz e da verdade depois de muitos séculos de sofrimentos expiatórios; outros, porém, infelizes e retrógrados, permanecem ainda na Terra, nos dias que correm, contrariando a regra geral, em virtude do seu elevado passivo de débitos clamorosos.
    QUATRO GRANDES POVOS
    As raças adâmicas guardavam vaga lembrança da sua situação pregressa, tecendo o hino sagrado das reminiscências.
    As tradições do paraíso perdido passaram de gerações a gerações, até que ficassem arquivadas nas páginas da Bíblia.
    Aqueles seres decaídos e degradados, a maneira de suas vidas passadas no mundo distante da Capela, com o transcurso dos anos reuniram-se em quatro grandes grupos que se fixaram depois nos povos mais antigos, obedecendo às afinidades sentimentais e linguísticas que os associavam na constelação do Cocheiro. Unidos, novamente, na esteira do Tempo, formaram desse modo o grupo dos árias, a civilização do Egito, o povo de Israel e as castas da Índia.
    Dos árias descende a maioria dos povos brancos da família indo europeia nessa descendência, porém, é necessário incluir os latinos, os celtas e os gregos, além dos germanos e dos eslavos.
    As quatro grandes massas de degredados formaram os pródromos de toda a organização das civilizações futuras, introduzindo os mais largos benefícios no seio da raça amarela e da raça negra, que já existiam
    2.
     
    INTERPRETAÇÃO
    1) A “raça branca” não descende dos “primatas”!
    2) A “raça branca” “beneficiou” as populações de “raças” “amarela” e “negra”.

  886. Contra o chiquismo Diz:

    ViCtor, foram homens ‘inspirados’ por Deus (que não faz acepção de pessoas). É inadmissível tal idéia. No ‘espiritismo’, pior ainda, que foram os ‘espiritos’ superiores que ditaram a kardec essas ideias racistas e não é admissível isso de um ‘espirito adiantado’.

  887. Contra o chiquismo Diz:

    Vinicius Diz:
    DEZEMBRO 6TH, 2015 ÀS 9:27 AM
    CONTRA, como você descobriu os textos racistas de Kardec?
    .
    .
    Vinícius, lá dentro ainda crente, comecei a desconfiar de algumas coisas. E fuçando, vamos descobrindo. Vc sabia que a ‘genese’ de kardec diz que Marte não tem lua quando na verdade tem 2 luas? Ainda tem a passagem que ele fala dos habitantes da lua, agora não lembro se é na genese mesmo ou na revista de espiritismo que ele editava.

  888. Gorducho Diz:

    Os habitantes do outro lado da Lua não são lunáticos: são alienígenas (relativo à Lua, claro).
    Se têm dúvidas, perguntem amanhã ao Administrador se não é verdade o que eu estou dizendo.

  889. Victor Diz:

    Vinicius Diz:
    dezembro 6th, 2015 às 12:24 PM
    .
    Mas é o que já argumentou Analista GORDUCHO, isso prova que não espirito algum na obra de Kardec, somente a mentalidade dos pretensos médiuns e adeptos das reuniões de Kardec e sua sociedade de estudos
    .
    COMENT: Mas isso é evidente, Vinicius.
    O que não é evidente é independentemente dessa questão é analisarmos um texto antigo e incorrermos em um Anacronismo.
    .
    Esse é o ponto.

  890. Victor Diz:

    Contra o chiquismo Diz:
    dezembro 6th, 2015 às 1:37 PM

    ViCtor, foram homens ‘inspirados’ por Deus (que não faz acepção de pessoas).
    .
    COMENT: Quero saber que “deus” é esse, porque sem dúvida não é o “judaico-cristão” da Bíblia que matava a torto e direito a seu bel prazer.
    .
    Mas como eu disse ao Vinicius, esse não é ponto.
    O ponto é que não devemos incorrer em anacronismos desse tipo, pois isso depõe contra a nossa própria argumentação.

  891. Victor Diz:

    Gorducho Diz:
    dezembro 6th, 2015 às 12:51 PM
    Agora, um mulato brasileiro pregando ideias racistas é demasiado bizarro, não lhe parece, Sr. Victor :?:
    .
    COMENT: Penso que não Gorducho, pois ao que me parece esse escrito deve ter por inspiração a Teosofia, que por sua vez tem uma Teoria Racialista, das Sete Grandes Raças-Raízes que povoaram o Planeta desde Atlântida e Lemúria e etc.
    .
    Evidentemente é um monte de baboseira oitocentista, mas explica, o fato de CX ter usado isso em seu vocabulário.
    .

  892. Victor Diz:

    Essa Teoria da Teosofia ( e porque não dizer o próprio Kardecismo) foi uma reação ao Positivismo e ao p?oprio Darwinismo nascente que tirava o homem do centro da criação divina e colocava-o ao lado dos outros primatas habitantes desse planeta.
    .
    Demorou para aceitarmos que não somos mais do que “macacos falantes” :mrgreen:

  893. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Quero ver você repetir isto em São Cristóvão, mais propriamente, na Barreira do Vasco, na toca do gigante da colina.”
    /.
    FA-LO-EI NO DIA em que lá for, isto é, nunca. Se nalgum tempo do tempo que de vida me resta encontrardes-me em estádio berrando em favor de qualquer agremiação, por favor, recolha-me ao sanatório mais próximo, tranque-me e lance a chave ao mar…

  894. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Borges Diz: O Armando Marques fez a Portuguesa e o Santos ganharem o mesmo título em um mesmo jogo.
    /.
    MOI: ENTÃO ISSO deve ser coisa do demônio…

    MARTE: Ergo, o demônio é mais poderoso do que deus.
    /.
    PONDERAÇÃO: mais poderoso não, se o fosse o demônio seria deus e deus seria qualquer outra coisa. O capeta é mais enrolador que o todo-poderoso, isso sim…

  895. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Hj quero ir pra cúpula neo pentecostal, he he he… Automóveis, Mansões, Iates, Mulheres!! Veja, só 30 segundos:
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=a7qjgfwCBMA
    /.
    PONDERAÇÃO: o cara lá do filme deve ser sonhador, doido ou milagrante. Com cem mil dólares conseguirá tudo aquilo?
    .
    Eu fui um quase testemunha de jeová: apaixonei-me por uma cachopa com a qual pretendia casar e ela foi taxativa: caso mas converta-se!

  896. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    DE MARTE: CONTRA, a crença deles é que só TJ é a religião verdadeira.
    Só terá vida eterna depois do armaggedon que for TJ.
    Se eles (seus parentes) são realmente gente muito boa, devem estar fazendo de tudo para te salvar.
    /.
    PONDERAÇÃO: Contra, aceite a deles salvação: você tem grande chance de compor os 144.000 que governarão o universo após o fim do sistema iníquo de coisas…
    .
    Eu se não fosse você jamais desperdiçaria tamanha oportunidade…

  897. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    FREI BETO: “– Até a década de 1960, predominava no Ocidente uma única ótica teológica: a europeia, tida como “a teologia”. O surgimento da Teologia da Libertação, com a leitura da Palavra de Deus pela ótica dos pobres, causa ainda incômodo aos que consideram a ótica eurocentrada como universalmente ortodoxa – destaca.”
    /.
    FREI BETO E BOFF eram os arautos da teologia da libertação que, segundo críticos nem era de libertação, tampouco teologia, nada mais que fútil tentativa de inserir o chamado materialismo dialético na ideologia católica. O apelo pelos pobres não provinha de um almejado retorno à pureza doutrinária dos primórdios do cristianismo, mas de fundamentos marxistas. Quer dizer, os caras tinham o direito de pensar com bem quisessem, porém queriam que a Instituição da qual participavam aderisse à proposta que traziam, mesmo contrariando os fundamentos sobre os quais se assenta. Seria algo mais ou menos parecido como pretender que o espiritismo passasse a admitir a fé em Cristo como único caminho de salvação…

  898. Contra o chiquismo Diz:

    Montalvão, 100 mil dólares em 1945, segundo o CPI Inflation Calculator, que é um site do governo americano corrige os USD 100.000 para USD 1.211.000,00, que daria cerca de R$ 2.011.835.
    .
    .
    O desenho é de 1945. Veja e calcule:
    .
    .
    http://www.bls.gov/data/inflation_calculator.htm

    .
    .
    Naquela época dava pra tudo isso sim.

  899. Gorducho Diz:

    R$ 2.011.835 não compra nem um AP aí no Leblon :(
    E depois como paga o condomínio + IPTU :?:
     
    Me faz lembra a história do cara aquele que perguntou p/o (falecido) JP Morgan se a manutenção dum iate custava muito (ele tinha ganhado uns dólares e estava pensando em adquirir um…).

  900. Gorducho Diz:

    :?: $1.321.320
    tá só 2 o dólar :o

  901. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “COMENT: Quero saber que “deus” é esse, porque sem dúvida não é o “judaico-cristão” da Bíblia que matava a torto e direito a seu bel prazer.”
    /.
    MAQUEM QUE CABOU DE DIZER que não se deve analisar anacronicamente os fatos?

  902. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Naquela época dava pra tudo isso sim.”
    /.
    DUVIDO MUITO: com aquele monte de mulheres com que ele sonhava, menos da metade delas lhe comeria tudo e ainda ficaria devendo…

  903. Gorducho Diz:

    Agora, um mulato brasileiro pregando ideias racistas é demasiado bizarro, não lhe parece?
     
    Penso que não Gorducho, pois ao que me parece esse escrito deve ter por inspiração a Teosofia
    , &c.
     
    Tentemos modificar a proposição, p/lhe agradar, então…
    Um mulato brasileiro aculturado por literatura racista produzida por uma branca ucraniana. Bizarro…

  904. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Conta-se que,na época da loteria esportiva, um sujeito que vendia doces na rodoviária, no município vizinho do de onde moro, acertou sozinho. Enricou e endoudou. De imediato arrumou três amantes, comprou uma mansão, carros, e dava festa todo fim de semana, sempre regrada com as mais apetitosas fêmeas que o dinheiro podia atrair. Era dinheiro que não acabava mais… pena que o milionário levou a sério o “não acabava mais”: em um ano mais ou menos conseguiu torrar tudo e ainda saiu endividado. Para quem o censurava dizia: “ainda vou dar outra porrada e desta vez terei juízo…”
    .
    Ah sim: ele voltou a vender doces… quem quiser ajudá-lo…

  905. Gorducho Diz:

    É que o gato aquele do Pica-pau é um sem-noção mesmo!
    Eu achei que era uma propaganda de igreja do ano ’45 e embarquei…
     
    O problema c/essas coisas caras é manter depois; tem que ter fluxo de renda.
    Agora mulheres não; pega R$ 4.959.542 dá sim pra usufruir com mulheres…

  906. Victor Diz:

    MONTALVÃO Diz:
    dezembro 6th, 2015 às 6:12 PM
    MAQUEM QUE CABOU DE DIZER que não se deve analisar anacronicamente os fatos?
    .
    COMENT: Onde que estou sendo anacrônico?
    A Morte não é um construto histórico-cultural (como o Racismo), e sim um fato concreto da realidade.
    .
    Pegue o Antigo Testamento, e verá a matança perpetrada por Jeová e os Hebreus.
    .

  907. Victor Diz:

    Gorducho Diz:
    dezembro 6th, 2015 às 6:19 PM
    Tentemos modificar a proposição, p/lhe agradar, então…
    Um mulato brasileiro aculturado por literatura racista produzida por uma branca ucraniana. Bizarro…
    .
    COMENT: Sejamos mais preciosistas :lol:
    .
    “Um mulato brasileiro aculturado por literatura racialista (estamos falando do século XIX) produzida por uma branca ucraniana… :mrgreen:
    .
    COMENT: Não me surpreende, afinal de contas sempre “engolimos” a Cultura do Imperialismo.
    .
    Primeiro da Zoropa, depois dos Esteites…
    .
    Nesse sentido, o Candomblé ao menos tem uma brasilidade…

  908. Gorducho Diz:

    É.
    Outra passagem bizarra é quando Jesus manda o Helil encarnar em Portugal p/fundar a Escola de Sagres e destarte poderem “descobrir” o Brasil.
    Nosso mulato era completamente eurocentrado :!:

  909. Contra o chiquismo Diz:

    Obrigado pela correção do Real Gorducho. Mas lembre que lá uma mansão custa menos da metade do que um ap no Leblon de alto nível. Já teve várias reportagens aqui no RJ mostrando os aps daqui e as mansões de lá. Um Camaro lá custa o mesmo que um VW GOl 1.6 completo aqui. Lá GM Cruze é carro de pobre, de entrada, coisa que empregada doméstica tem (uma parente minha foi em Orlando e Mia e visitou uma empregada doméstica lá que era amiga deles aqui no Brasil e ela anda de Cruze lá), aqui é carro de gente bem de vida, classe média. Então, dava pra em 1945 tem mansão, iate, automóvel e mulher sim.

  910. Contra o chiquismo Diz:

    E não é gato Gorducho, é uma RAPOSA.

  911. Contra o chiquismo Diz:

    Victor Diz:
    DEZEMBRO 6TH, 2015 ÀS 2:49 PM
    Contra o chiquismo Diz:
    dezembro 6th, 2015 às 1:37 PM
    ViCtor, foram homens ‘inspirados’ por Deus (que não faz acepção de pessoas).
    .
    COMENT: Quero saber que “deus” é esse, porque sem dúvida não é o “judaico-cristão” da Bíblia que matava a torto e direito a seu bel prazer.
    .
    .
    ViCtor, eles dizem que são inspirados por fonte divina, eu não acredito. Usaram a Bíblia pra justificar a religião deles. Por isso coloquei o inspirados entre aspas.

  912. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Pegue o Antigo Testamento, e verá a matança perpetrada por Jeová e os Hebreus.”
    /.
    PONDERAÇÃO: a matança era perpetrada pelos hebreus, Jeová (melhor Javé) apenas dava as “orientações” aos seus profetas, os quais as transmitiam à nação. Era assim que os deuses agiam naqueles tempos, deles se esperava que conduzissem os exércitos protegidos à vitória e ao aniquilamento do inimigo. Trucidar o adversário (o que incluía, dependendo da situação, homens mulheres, crianças, e até animais) era típico. Não se questionava esse orientativo provindo das divindades. Ninguém diria, como se diz hoje: “Ó, mas que Deus sanguinário!” Somos nós no presente que contemplamos o passado e nos pasmamos com a ferocidades dos entes superiores.
    .
    Provavelmente, se os homens de antanho vissem no que Deus se transformou modernamente (um ser amoroso, perdoador, condescendente), diriam: “não, esse não é Deus nem aqui nem na China!”
    .
    Em suma, não era apenas o deus dos hebreus sanguinário, todos tinham igual índole e era assim mesmo que queriam que fosse.
    .
    Se pensarmos bem, não estamos tão longe daqueles tempos: quando o lutador agradece a Deus por ter lhe dado a vitória, está, de certa forma, repetindo o que faziam seus antepassados. Kaká quando faz gol aponta para cima, a dizer que foi Deus quem abriu o caminho para a bola. O que mostra que, mesmo ante o ensino de que Deus não faz acepção de pessoas, ou seja, não tem preferidos, os homens continuam se achando…

  913. Marciano Diz:

    Plágio de voz, pra mim, é imitação.
    Imitação é muito comum na música.
    Pra ficar só em um exemplo: Claudia Leite e Ivete Sem Galo.
     
    A voz do Bezerra é tentativa de imitação de alguém cuja voz ninguém conhece, com cerca de 154 anos. Give or take a few.
     
    Imitação é o que DPF faz com o estilo piegas de cx.
     
    GORDUCHO, você é muito inteligente. Arranje um jeito de perguntar sem parecer louco. Mas eu acho que eles não saberão. Acho que por aqui nunca teve esse negócio de card-plate, by any other name.
     
    O problema com a bíblia, Rivail, etc., não é racismo ou racialismo.
    O problema é que religião não pode ficar atrelada ao zeitgeist. Isto prova que foram pessoas comuns de escreveram os textos. Não tem nada a ver com divindades, profetas, espíritos, nada disso.
    Como é que deus ou um espírito superior pode ter um modo de pensar igual ao dos terrícolas que habitam a crosta num dado momento, logo eles, que são imortais?
     
    Para que alguém seja chamado de botafoguense, é preciso que existam outros que sejam corintianos, flamenguistas, etc.
    Se todos forem do fluminense (torcida), ninguém nota, não existe necessidade de um nome.
     
    Sendo assim, se todos eram racistas naquele tempo, não podia haver consciência de racismo, mas isto não justifica o racialismo ou qualquer outro nome para esses espíritos superiores e divindades.
     
    De povos antigos espera-se que tenham qualquer visão de mundo, o que não se espera é que divindades e espíritos superiores tenham a mesma visão dos povos antigos.
    O racismo nos livros “sagrados” é importante e deve ser ressaltado, justamente para demonstrar que provém de pessoas comuns, não de espíritos inexistentes.
     
    Uma divindade não aprovaria a escravidão em época alguma, portanto, quando a bíblia apóia a escravidão, chegando até a dizer o preço justo para se vender uma filha como escrava (Levítico), fica claro que isso é coisa de homens, não de espíritos superiores ou divindades.
     
    Se não há nada de errado com a escravidão, é questão de época e de costumes, não existe nada errado com a matança do deus judaico-cristão.
     

    PONDERAÇÃO: mais poderoso não, se o fosse o demônio seria deus e deus seria qualquer outra coisa. O capeta é mais enrolador que o todo-poderoso, isso sim…
     
    Quer dizer que deus é poder (o mais poderoso). Então, deus é Armando Marques. Tão poderoso que conseguiu a dupla vitória de times adversários (o que seria absurdo para um mortal).
     
    Eu fui um quase testemunha de jeová: apaixonei-me por uma cachopa com a qual pretendia casar e ela foi taxativa: caso mas converta-se!
     
    Não nos deixeis cair em tentação.
    A cachopa foi mandada pelo demo. Falhou em sua missão.
    Da próxima vez, vem o próprio.
    O diabo veste Prada.
    https://www.youtube.com/watch?v=CpFxhOXwCaM
     
    tentativa de inserir o chamado materialismo dialético na ideologia católica (codidoido!).
     
    “COMENT: Quero saber que “deus” é esse, porque sem dúvida não é o “judaico-cristão” da Bíblia que matava a torto e direito a seu bel prazer.”
    /.
    MAQUEM QUE CABOU DE DIZER que não se deve analisar anacronicamente os fatos?
     
    Good point! A morte pode até não ser um construto cultural, mas não ver nada demais em morticínios tem tudo a ver.
    Jeová nunca matou ninguém, pelo singelo fato de nunca ter existido, a não ser na mente dos assassinos.
     
    Conta-se que,na época da loteria esportiva, …
     
    O que aconteceu com a falecida loteria esportiva? Por que não faz mais miliotários?
     
    Nesse sentido, o Candomblé ao menos tem uma brasilidade…
     
    O candomblé não vem da África?
     
    quando o lutador agradece a Deus por ter lhe dado a vitória, está, de certa forma, repetindo o que faziam seus antepassados. Kaká quando faz gol aponta para cima, a dizer que foi Deus quem abriu o caminho para a bola. O que mostra que, mesmo ante o ensino de que Deus não faz acepção de pessoas, ou seja, não tem preferidos, os homens continuam se achando…
     
    O que mostra mesmo é que algo não faz sentido.
    Se os dois lutadores ou jogadores de clubes diferentes pedem a vitória a deus, não podem ambos ser atendidos.
    Tem de pedir ao Armando Marques, o verdadeiro deus todo-poderoso.

  914. Marciano Diz:

    BORGES, eu não entendo nada de futebol.
    Se lhe for possível, explique-me de forma concisa essa história do Armando Marques.

  915. Contra o chiquismo Diz:

    Mas é ou não a mesma voz do M Nascimento?

  916. Gorducho Diz:

    STATEMENT OF ACCOUNT
    ———————————————–
    Opening balance 100,000.00 C
    Buick Roadmaster Sedan model 1946 1,822.00 D
     
    Balance in your favour at 12/6/1945 98,178.00 C

  917. Gorducho Diz:

    Balance carried forward 98,178.00 C
    Home 6 room with basement garage and laundry oil steam heat 10,900.00 D
     
    Balance in your favour at 12/7/1945 87,278.00 C

  918. Marciano Diz:

    A voz é parecida, mas não é o Milton Nascimento.
    Voto pela imitação.

  919. Vinicius Diz:

    “Marciano, disse tudo: “De povos antigos espera-se que tenham qualquer visão de mundo, o que não se espera é que divindades e espíritos superiores tenham a mesma visão dos povos antigos. O racismo nos livros “sagrados” é importante e deve ser ressaltado, justamente para demonstrar que provém de pessoas comuns, não de espíritos inexistentes.”
    Deve ser ressaltado, mas qual religião não coloca a sujeira e o pó embaixo de seu tapete dourado? Nenhuma igreja ou Centro vai falar das passagens obscuras da Bíblia/Codificação em seus cultos/eventos .Nos estudos bíblicos ou cursos espíritas até abordam, mas acentuam a questão da antiguidade dos escritos em conformidade aos homens da época.

    Minha esposa tem uma certa admiração pelos cultos da Congregação Cristã, já fui com ela algumas vezes e ela me assegura que quando o pastor/expositor (lá eles não chamam de pastor, mas não me recordo o nome agora) diz que é hora de receber a mensagem do espirito Santo, ele abre “inspirado por Deus” a página da bíblia “ao acaso” e sempre cai em mensagem boa, de amor, de paz, exortação a sentimentos bons etc. Certa vez falei: nunca caiu nessas mensagens que lhe mostrei (obscuras) ? Ela respondeu que não. Eu opinei que há uma preparação prévia de qual mensagem ira ser passada, de que pode haver algum “clip” ou “marcador” em um salmo, um provérbio enfim. Questão de fé: rebateu-me dizendo que eles não fazem isso mas nunca pediu para subir no púlpito e checar se há o que eu falei.
    Agora me lembrei de outra: há um momento em que crentes que queiram fazer testemunhos sobem ao palco e contam algum “milagre” na vida. Uma senhora foi e disse que estava internada em hospital e viu um senhor velhinho, barbas brancas, todo de branco, bigode, e depois disso ela deu uma melhorada ( isso faz uns 8 anos, eu ainda era kardecista/chiquista e me lembrei do Dr.Bezerra e de anjos protetores)… MANIA DE ACHAR QUE TODO VELHINHO ASSIM É DR. BEZERRA, PODE SER O PAPAI NOEL PÔ!!!

  920. Vinicius Diz:

    “Marciano Diz:
    DEZEMBRO 2ND, 2015 ÀS 4:11 PM
    VINICIUS, se eles responderem, partilhe a resposta conosco.”

    olá pessoal
    Enviaram a resposta em 04/12/15 sobre as dúvidas em relação ao curso de pós graduação de pedagogia espírita:
    Como de praxe, a interação com os espíritos desencarnados foram descartadas.

    “Olá Vinicius

    Seguem alguns esclarecimentos:

    - o curso de Pedagogia Espírita não é sobre a Doutrina Espírita. É um curso de Pedagogia que se baseia na filosofia que é possível extrair dos escritos de Kardec e de outros filósofos anteriores a ele que consideravam a dimensão espiritual do ser humano.

    - o curso não tem como objetivo investigar o fenômeno espírita, por isso não existe contexto para reuniões mediúnicas ou outras formas de contato com os espíritos. A reencarnação e a parapsicologia serão abordadas no curso pelo ponto de vista da ciência.

    - Exatamente por ter seu foco na EDUCAÇÃO o curso é inter-religioso, contando inclusive com a participação de professores e representantes de diversas religiões e inclusive ateus.

    Todas as informações sobre datas, valor de inscrição e mensalidade e conteúdo do curso você encontra aqui:
    http://www.universidadelivrepampedia.com/#!pos/c19e4
    Qualquer dúvida estou sempre por aqui

    Abs
    Mauricio Zanolini”

    Já que será sobre escritos de Kardec será que vão abordar as teses “racialistas” :mrgreen: :lol:

  921. Contra o chiquismo Diz:

    Gorducho, dava ou não com 100 mil USD comprar mansão , automóvel, iate e ter umas 5 mulheres em 1945?
    .
    .
    Marciano, claro que não é a mesma voz, mas as vezes é feito isso com essa intenção de chamar mesmo a atenção…
    .
    .
    Vinicius, essa Congregação Cristã do Brasil é uma das mais nocivas. Para eles, só eles tem a verdade e só dão “A Paz do Senhor” entre si, não cumprimentam os outros evangélicos com a saudação tradicional pois não sabem a que ‘senhor’ servem os crentes da batista, assembléia, universal, quadrangular, etc. Se beijam sistematicamente entre si, as mulheres usam véu e tem um monte de coisas… A Igreja Maranata tb abre a Bíblia em qualquer passagem e passam esta mensagem que caiu ao acaso. Quero ver se cair nesta passagem:
    .
    “12 E o que comeres será como bolos de cevada, e cozê-los-ás sobre o esterco que sai do homem, diante dos olhos deles. (Ez 4,12)”

  922. Gorducho Diz:

    Que uma escola de Pedagogia não aborde a “doutrina”, i.e. a teologia espírita; nem sua pseudo-base experimental m/parece obvio.
    Mas então em que consiste uma pedagogia espírita :?:
    Acho que em nada – algo como homeopatia…

  923. Vinicius Diz:

    Gorducho, acredito eu que seria um forma de unir o útil ao agradável(à eles) : ganhar dinheiro com as papagaiadas de Kardec, fazer uma correlação com os filosófos do passado, ficar bem na fita com demais religiões e ateus.
    Acredite: isso é feito na FEESP e de graça- Há um curso lá que eu fiz e se chama “Filosofia Espírita” (a diferença : só quem pode fazer são espiritas que fizeram o ciclo básico FEESP).

  924. Vinicius Diz:

    Gorducho, eu já tinha 100% de certeza de que na resposta eles colocariam que não haveria interação com espíritos. Na verdade, fiz uma provocação e ainda os lembrei do conceito de que Kardec denomina o espiritismo como ciência e relacionamento COM ESPÍRITOS.

  925. Gorducho Diz:

    Iate não CoC.
    Iate tem que alugar marina, ter tripulação (ainda que os custos trabalhistas no ano 45 nem de longe se equiparem aos d’agora…). Não confunda iate c/esses veleirozinhos de 30′ que a família ou 3 a 4 amigos operam
    http://www.marealtacharter.com.br/images/embarcacoes/891ce-Veleiro-30-pes-salao.jpg
     
    O resto sim vi que tem razão pois não basta deflacionar pelos índices oficiais…
    Botando $7000 fornirias condizentemente a bela casa – não é uma mansão mas bela casa (se bem m/lembro em Cape Cod).
    Restando $80000, i.e., 80% do montante original.
    Aliás, c/um belo carro como aquele (principalmente) + a bela casa, mulheres choveriam sem que precisasses gastar folhas do livro de cheques que receberias ao abrir a conta :!:

  926. Gorducho Diz:

    Gorducho, eu já tinha 100% de certeza de que na resposta eles colocariam que não haveria interação com espíritos.
     
    Mas nem caberia mesmo – falando sério!
    Pedagogia nada poderia ter a ver c/a prática de incorporação espíritos.
    Até aí tudo bem…
    Só que em que consiste essa tal? Só pode ser como disse se não me engano AMa, ensinar a ensinar que algo inexistente existe.
    Imagino que seja esse o objetivo deles :(

  927. Contra o chiquismo Diz:

    Então a raposa do desenho estava correta, talvez o (iate) barco poderia ser menor, porém de luxo…

  928. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    MARTE: Sendo assim, se todos eram racistas naquele tempo, não podia haver consciência de racismo, mas isto não justifica o racialismo ou qualquer outro nome para esses espíritos superiores e divindades.
    ./
    PONDERAÇÃO: correto, porém o fato é que sempre houve mentes ponderadas cujas opiniões não encontravam ouvidos dentre os que mandavam. A escravidão fora condenada na antiguidade por vários sábios, entretanto, era mais conveniente (e lucrativo) ter escravos (conquanto nem todas as culturas praticassem a escravidão, caso em que optavam pelo morticínio dos inimigos), então os antiescravagistas amargavam o desprezo. O próprio Aristóteles, um dos mais poderosos pensadores de todos os tempos, posicionava-se ostensivamente contrário aos que defendiam igualdade para todos: para ele uns haviam nascido para ser serviçais e tentar mudar seria loucura.
    .
    Quando no parlamento francês digladiavam partidários católicos e protestantes, em diatribes mútuas, na qual se manifestavam como se o outro lado fosse representante do demo (nos dias que antecederam a famosa Noite de São Bartolomeu que, em verdade, durou várias noites e dias), um (apenas um) dos presentes conclamou os manifestantes à tolerância, fazendo referência à máxima cristã de “amai-vos uns aos outros”. Coitado, quase o lincharam…
    /
    /

    MARTE: De povos antigos espera-se que tenham qualquer visão de mundo, o que não se espera é que divindades e espíritos superiores tenham a mesma visão dos povos antigos.
    O racismo nos livros “sagrados” é importante e deve ser ressaltado, justamente para demonstrar que provém de pessoas comuns, não de espíritos inexistentes. Uma divindade não aprovaria a escravidão em época alguma, portanto, quando a bíblia apóia a escravidão, chegando até a dizer o preço justo para se vender uma filha como escrava (Levítico), fica claro que isso é coisa de homens, não de espíritos superiores ou divindades.
    /.
    PONDERAÇÃO: concordo com você e isto, realmente, mostra que as supostas manifestações das divindades no mundo são, tão somente, expressões dos anseios humanos projetados numa suposta outra dimensão. Aliás, Nietszche dissera isso muito antes de nós. Os crentes se defendem, postulando que Deus se adéqua às peculiaridades de momento, pois se não o fizesse não seria recebido. Imagine, suponhamos, num tempo em que matar animais (e até gente) para agradar o divino, um deus mandasse recado esclarecendo que a prática era horrenda? Que profeta desse deus teria futuro? Daí, dizem, haver normas reguladoras (que nem as do pentateuco), que visavam evitar desmandos, qual o de sacrificar virgens e crianças.
    /
    /

    “mais poderoso não, se o fosse o demônio seria deus e deus seria qualquer outra coisa. O capeta é mais enrolador que o todo-poderoso, isso sim…”
    .
    MARTE: Quer dizer que deus é poder (o mais poderoso). Então, deus é Armando Marques. Tão poderoso que conseguiu a dupla vitória de times adversários (o que seria absurdo para um mortal).
    /.
    PONDERAÇÃO2: de fato, se Armando Marques fez o que outro mortal não faria, ou ele é deus, ou está possuído do mais alto poder divino. Mas, considerando a conjetura de POA, recomenda-se examinar melhor o milagre e conferir se realmente o foi.
    /
    /
    “Eu fui um quase testemunha de jeová: apaixonei-me por uma cachopa com a qual pretendia casar e ela foi taxativa: caso mas converta-se!”

    MARTE: Não nos deixeis cair em tentação.
    A cachopa foi mandada pelo demo. Falhou em sua missão.
    Da próxima vez, vem o próprio.
    /.
    PONDERAÇÃO: não vos preocupeis: quando aconteceu, a tentação era avassaladora, mas eu já tinha um dedinho de inclinação à verificação e constatei que os testemunhas (eles gostam que os chamem AS Testemunhas) eram muito doidões para meu gosto. Hoje, mas de quarenta anos passados resta vaga recordação…
    /
    /
    “Conta-se que,na época da loteria esportiva, …”
    .
    MARTE: O que aconteceu com a falecida loteria esportiva? Por que não faz mais miliotários?
    ./
    PONDERAÇÃO: perdeu o “chalme” e caiu de preferência. Ainda existe, mas poucos apostam. Para piorar, teve um tempo em choveram denúncias de fraudes.

  929. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “A reencarnação e a parapsicologia serão abordadas no curso pelo ponto de vista da ciência.”
    /.
    PONDERAÇÃO: esta eu gostaria de ver…

  930. Contra o chiquismo Diz:

    Montalva, a desassociação das TJs deveria ser crime contra a humanidade.

  931. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Quero ver se cair nesta passagem:
    .
    “12 E o que comeres será como bolos de cevada, e cozê-los-ás sobre o esterco que sai do homem, diante dos olhos deles. (Ez 4,12)”
    /.
    PONDERAÇÃO: na continuidade, vê-se que o profeta protestou e Deus o liberou de usar excremento humano como combustível. Naqueles tempos (e inda hoje nalguns lugares) fezes secas são usadas para propiciar fogo de cozimento: a necessidade determina a adaptação.

  932. Gorducho Diz:

    Sim.
    Associei as cousas porque lá em Boston (não cape Cod!) já paramos na casa-de-fim-de-semana dum casal ela parenta da mulher; veleirozinho de 30′ (claro que não essa foto que é da INTERNET!).
     
    Só não recomendaria 5 mulheres ao mesmo tempo senão na melhor das hipóteses iria acabar ficando sem Server: Msg 50001, Level 16, State 1
    Favor manter o alto nível do Sítio – segmento impróprio detectado e deletado!

  933. Gorducho Diz:

    I.e., “casa” = barco, bien sûr…

  934. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “mulheres choveriam sem que precisasses gastar folhas do livro de cheques que receberias ao abrir a conta”
    /.
    PONDERAÇÃO: René Sena ganhou mais de cinquenta milhões na mega. Quando aconteceu já havia perdido as duas pernas para o diabetes, amputadas na altura da virilha. Tudo ia bem quando apareceu-lhe na vida uma loira linda. Ele, cuja mulher mais bonita que transitara em sua existência fora a mãe, quedou-se enlevado pela declaração da moça de que sempre dele admirara a beleza e o charme, mas nunca tivera coragem declarar sua paixão.
    .
    Em pouco mais de um ano a fogosa donzela mamou-lhe o que pode e, agora que ele se foi (morto não se sabe a mando de “quem”), disputa na justiça o que ficou de herança…

  935. Gorducho Diz:

    A Noite de São Bartolomeu impressionara profundamente m/avó (a espírita mais da corrente umbandista…). Me criei escutando ela falar no fato. Desconfio que a fonte principal fossem romances da Baronesa d’Orczy que os havia vários em casa (em português).
     
    Nunca entendi a lógica da divindade mandar matar até os animais. Seria isso sim por superstição pura e simples (estariam contaminados pela divindade derrotada na batalha) :?:

  936. Gorducho Diz:

    Mas certamente não é o caso de nosso bem apessoado correligionário :!:

  937. Gorducho Diz:

    Essa era já conhecida do ganhador, então?

  938. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Gorducho Diz: Essa era já conhecida do ganhador, então?
    /.
    ERA “AMIGA” da filha do ganhador…

  939. Vinicius Diz:

    VITOR, lhe enviei email. As imagens constantes no tópico
    http://obraspsicografadas.org/2012/como-chico-xavier-imitava-as-assinaturas-de-alm-tmulo/não estão aparecendo.

  940. Contra o chiquismo Diz:

    Poxa, na casa chiquista que eu frequentava um dos dirigentes falou que ali a ‘espiritalidade’ reuniu os algozes da noite de S Bartolomeu… será que eu fui um verdugo em outrora?

  941. Contra o chiquismo Diz:

    Gorducho, quando vc a Boston foi de Boeing 707? Meu sonho era voar nele.

  942. Vinicius Diz:

    Montalvão, achei esplêndida a sua abordagem a respeito do trecho “A palavra do morto”. CX trouxe-nos o espirito SAMUEL totalmente convertido ao espiritismo cristão, adocicado, piegas :lol: . Confesso que até dei risada da maneira ingênua com que o tal espirito falava ao consulente SAUL.
    Quanta distorção do relato bíblico, bem como dos comportamentos e linguajar da época.
    Sensacional a seriedade e o compromisso com a coerência que vocês tem. Parabéns.
    Fonte: http://obraspsicografadas.org/2009/chico-xavier-e-a-crnica-a-palavra-do-morto/
    Confesso que atualmente procuro entender a razão de CX ter inventado tudo isso. E se foi ele sozinho ou em conjunto com mais pessoas, por exemplo, membros da FEB. Ou se a FEB entrou de “gaiato” e o “gaiato” lhe rendeu ouro (isto é, não sabiam dos plágios ou incoerências, mas resolveram editar os livros por conta da “fama” do médium em Uberaba e isso impulsionaria as vendas e o espiritismo).

  943. Gorducho Diz:

    Não CoC: 707s pertencem à m/infância, exceto os residuais operados pela Transbrasil cá dentro depois.
    Na América só fui ir depois de formado, e já eram os 747, DC-10/Tristar. Mas nas rotas entre cá e lá eram basicamente 747s que eu m/lembre.
     
    Cheguei a viajar num 707 que comentaram na ocasião era o que mais horas de voo tinha, não lembro de só na VARIG ou no mundo todo; provavelmente fosse o VJA! Lembro bem que tinha bocais de descarga subdivididos (não sei como se chama), sendo o RR Conway Mk508 que S/Pessoa já gentilmente forneceu foto num museu.
    Nunca vi um motor desses nem em museu.

  944. Contra o chiquismo Diz:

    Poxa, legal o relato. Eu viajei no 737-200 Vasp e no malfadado Fokker 100 da Tam. As mais velhas que eu lembre.

  945. Contra o chiquismo Diz:

    Vinicius Diz:
    DEZEMBRO 7TH, 2015 ÀS 1:51 PM
    ….
    Confesso que atualmente procuro entender a razão de CX ter inventado tudo isso. E se foi ele sozinho ou em conjunto com mais pessoas, por exemplo, membros da FEB.
    .
    .
    Pra escrever 400 e poucos livros (muita repetição é verdade e livros com poucas páginas) eu penso que CX poderia ser uma equipe cuidadosamente mantida em sigilo sob juramento. Diz-se que o Aleijadinho não produziu aquilo tudo sozinho, que ele tinha um atelier com uma equipe. Assim deveria ser CX.

  946. Contra o chiquismo Diz:

    Gorducho, aqui o fim de alguns 707 em Manaus:
    .
    http://spottermanaus2.blogspot.com.br/2011/01/eduardo-gomes-o-cemiterio-dos-boeing.html

  947. Gorducho Diz:

    Sim, conheço esse cemitério. P/nós que gostamos, é muito mais triste que ir num cemitério humano!
     
    Falando do 747, teve o anão, no qual tive oportunidade de ir daí à Cidade do Cabo.
    Agora acho que a SAA não opera mais aí não é?

  948. Borges Diz:

    Marciano Diz:
    DEZEMBRO 6TH, 2015 ÀS 8:49 PM
    BORGES, eu não entendo nada de futebol.
    Se lhe for possível, explique-me de forma concisa essa história do Armando Marques.
    .
    http://www.apitonacional.com.br/noticias/noticiasantigas/doiscampeoes.htm
    .
    Após empate no tempo normal e na prorrogação, a disputa foi para os Pênaltis, cinco para cada lado.
    Depois de três cobranças alternadas para cada time, O Santos havia feito dois gols e a Portuguesa nenhum; por um erro de cálculo, o juiz Armando Marques entendeu que a Portuguesa não teria mais chance de empatar e encerrou a contenda. Como faltavam duas cobranças para cada lado, é evidente que dava para empatar, desde que o Santos errasse os dois e a Portuguesa fizesse os dois. Dizem que a Portuguesa saiu “depressinha” do estádio, porque certamente ela perderia o certame, tendo em vista que um dos batedores faltantes era o Sr. Edson Arantes do Nascimento (a fera).
    Um abraço

  949. Marciano Diz:

    VINICIUS, desculpe-me pela franqueza, mas eu fiquei decepcionado com sua esposa.
    Ela é tão sagaz ao perceber os disparates espíritas e acredita nas bobagens dessa tal congregação.
    É o famoso seis por meia-dúzia.
    Veja mais sobre essa igreja aqui:
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Congrega%C3%A7%C3%A3o_Crist%C3%A3_no_Brasil
     
    Obrigado por partilhar conosco a resposta.
     
    Interessante a mistureba que eles fazem de parapsicologia com kardecismo.
    Já reparou como crenças bizarras são sempre das religiões dos outros e como sempre tem alguém redescobrindo a pólvora?
    Luigi Francesconi com a congregação cristã, Rivail com o espiritismo, Luiz de Mattos com o racionalismo cristão, Joseph Smith com o mormonismo, Charles Russel, com os TJs…
     
    Sobre o “racialismo”, leia aqui:
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Racialismo
     
    Sabe o porquê de não haver interação com os espíritos :?:
    Talvez porque espíritos não existam, como diz CONTRA, talvez porque se existissem, não conseguiriam comunicar, como supõe MONTALVÃO, etc.
     
    MONTALVÃO, essa desculpa esfarrapada dos crentes é a famosa “racionalização”.
    “A racionalização é um mecanismo de defesa, parte consciente e parte inconsciente, no qual as falhas e os erros são perdoados e desculpados, tanto para o próprio sujeito como perante os outros, de modo a que seja preservada a autoestima do sujeito. O ego ajusta-se à realidade não só tendo em conta a realidade das coisas, mas também as necessidades instintivas do indivíduo. O sujeito apoia-se num raciocínio lógico para explicar os seus sentimentos e emoções, os quais não controla. Torna racionais e coerentes pensamentos e ações inaceitáveis, cujos mecanismos inconscientes lhe escapam, e com esta atitude tenta disfarçar os seus conflitos internos perante si e perante os outros.”
     
    PONDERAÇÃO2: de fato, se Armando Marques fez o que outro mortal não faria, ou ele é deus, ou está possuído do mais alto poder divino. Mas, considerando a conjetura de POA, recomenda-se examinar melhor o milagre e conferir se realmente o foi.
    /
    /

     
    Foi exatamente o que pedi a BORGES, mais acima. Estou no aguardo de sua (dele) resposta.
     

    Fraudes e loteria: recomendo ao CONTRA que pesquise esse assunto, porque nunca gostei de qualquer espécie de jogo, por associar sua prática com fraudes (não sei por que).
    Ele é entusiasta da mega-sena, e pode estar financiando a petralha com seu sonho irrealizável (em termos práticos, diga-se – claro que sempre existe a possibilidade de cair um meteorito de 3,4839583995kg no meu quintal, exatamente às 18h14min16s de 15/04/2017, mas se eu apostar nisso, posso esperar perder a aposta).

     
    MONTALVÃO Diz:
    DEZEMBRO 7TH, 2015 ÀS 10:21 AM
    /
    /
    “A reencarnação e a parapsicologia serão abordadas no curso pelo ponto de vista da ciência.”
    /.
    PONDERAÇÃO: esta eu gostaria de ver…
     
    Sem pagar pelo curso :?:
    Vai continuar gostando.
     
    René Sena, etc.
    Com esse nome, não é de estranhar que o cara ganhe na mega-sena. Estava predestinado.
    Deus me livre dessas mulheres que não se interessam por Server: Msg 50001, Level 16, State 1
    Favor manter o alto nível do Sítio – segmento impróprio detectado e deletado!
    , só por dinheiro.
     
    Contra o chiquismo Diz:
    DEZEMBRO 7TH, 2015 ÀS 12:29 PM
    Poxa, na casa chiquista que eu frequentava um dos dirigentes falou que ali a ‘espiritalidade’ reuniu os algozes da noite de S Bartolomeu… será que eu fui um verdugo em outrora?
     
    Se o foste, ore a deus pela oportunidade de resgatar o mal que fizeste.
    Depois, vá fazer um passeio em Realengo, e certamente será atendido.
     
    Contra o chiquismo Diz:
    DEZEMBRO 7TH, 2015 ÀS 12:46 PM
    Gorducho, quando vc a Boston foi de Boeing 707? Meu sonho era voar nele.
     
    GORDUCHO, já que voltamos ao recorrente tema aviação, eu sonhei com isso, interpretei mal, ou você é piloto privado?
    Em caso afirmativo, de Esquilo, Cessna, ou que espécie de aeronave?
     
    Se é piloto privado, não pode trabalhar como piloto.
    Tens ✈ ?
     
    Desculpe-me pela invasão de espaço privado e tem permissão concedida para ignorar a pergunta, se o preferir, atentando para o fato de que qui tacet, consentit.
     
    Diz-se que o Aleijadinho não produziu aquilo tudo sozinho, que ele tinha um atelier com uma equipe. Assim deveria ser CX.
     
    Também se diz que foi moda atribuir os mais diversos “barrocos brasileiros” ao Aleijadinho, proviessem de quem proviessem.
    Era quase tão lucrativo quanto uma igreja.

  950. Marciano Diz:

    Enquanto eu escrevia, BORGES respondeu.
    Vou ler a resposta.
    Obrigado, BORGES.

  951. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, o milagre do Armando Marques está explicado.
    Agora explique os milagre de Jeová e de seu (do Jeová) filho.
     
    Será que esse Armando errou mesmo, ou será que tinha interesse no resultado?
    O nome do cara é Armando (já é um indício, vejam o René Sena, citado por MONTALVÃO).
    Um árbitro de futebol não entender nada das regras do jogo já e difícil de engolir, mas desconhecer aritmética fundamental, é impossível.
    Na minha modesta opinião, salvo melhor juízo, Armando armou o resultado.
    Foi armação do Armando.
    Estou com a mente aberta para outras interpretações, principalmente se ganhar algum por fora.

  952. Marciano Diz:

    os milagre é por conta do poltergeist.

  953. Marciano Diz:

    Contra o chiquismo Diz:
    DEZEMBRO 7TH, 2015 ÀS 12:29 PM
    Poxa, na casa chiquista que eu frequentava um dos dirigentes falou que ali a ‘espiritalidade’ reuniu os algozes da noite de S Bartolomeu… será que eu fui um verdugo em outrora?
     
    MARCIANO:
    Se o foste, ore a deus pela oportunidade de resgatar o mal que fizeste.
    Depois, vá fazer um passeio em Realengo, e certamente será atendido.
     
    Explicação para os residentes em outras cidades:
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Massacre_de_Realengo
     
    Alô, Alô Realengo. Aquele Abraço!!!!!!!
    Gilberto Gil sobre Realengo

    Çou muitu filiz di morá aqui!!
    Morador de Realengo sobre Realengo

    Onde fica isso?
    Eduardo Paes sobre Realengo
    O cão foi quem botô pra nóis morá
    Jeremias sobre Realengo
    Nunca viajei pro exterior
    Carla Perez sobre Realengo
    Realonge?!Roçalengo?!
    Engraçadinho sobre Realengo
    Engenho de Dentro. Quem não “soltar” agora só em Realengo!!
    Jorge Ben Jor sobre Como forçar os passageiros de trem a descerem em Engenho de Dentro
    Isto é plágio! Eu criei HELLalengo!!!
    Satan, Lúcifer, Capiroto, etc sobre Indignado por terem roubado sua ideia de criar uma sucursal do inferno
     
    Localização
    Pense em um lugar longe. É longe o suficiente? Não é tão longe quanto Realengo. A localização geográfica (virtual) é encrustada a aproximadamente 50 km do Centro do Rio de Janeiro, porém, em virtude das péssimas condições para se chegar ao local em questão, encontra-se localizado a muitas horas da civilização.
     
    Realengo fica situado entre Bangu e Deodoro. Por incrível que pareça, Bangu consegue estar ainda mais longe que Realengo. Caso alguém pergunte: “Como chego a Realengo?”, diga: “Segue direeeeeeeeeeto pela Av. Brasil, se achar que passou direto, não se preocupe, ainda falta muito para chegar, quando vir uma placa (a única) escrito Realengo, saia da Av. Brasil. Você verá 3 motéis fudidos, um posto de gasolina adulterado e então uma favela. Aí então você terá chegado a Realengo.”
    Realengo está localizado bem próximo à linha do Equador, apesar de erroneamente ser dito que Realengo faz parte do município do Rio de Janeiro. Algumas pessoas informam que chegaram ao Acre em menos tempo que a Realengo, sempre tendo como ponto de partida o Centro do Rio de Janeiro.
    Caso a Av. Brasil esteja engarrafada (99,9% dos casos), a alternativa é sair por Benfica e então pela Av. Dom Helder Câmara ou Av. Suburbana. Nessas avenidas você segue em frente durante aprox. 2 horas com trânsito bom (0,000001% dos casos), sempre sem ver placa de Realengo. Em um determinado momento, você irá entrar em um portal e ser teletransportado direto para uma favela, essa favela é Sulacap, continue seguindo em frente por mais algumas horas e… Parabéns!!! Você chegou a Realengo pelo caminho alternativo.
     
    Existe uma linha de ônibus que passa por 483 bairros da cidade do Rio de Janeiro (inclusive Realengo), a linha 689 (Campo Grande – Meier), detalhe, Campo Grande fica muito mais longe do centro do Rio de Janeiro do que Realengo (por incrível que pareça). A viagem nesta linha dura aproximadamente 22 horas e 43 minutos.
     
    Realengo também possui uma estação de trem, que fica bem no Viaduto de Realengo, que divide o bairro entre o Inferno e a casa do Mephisto.
     
    Isso sem falar nas kombis e moto-táxis que são o meio de transporte mais abundante para quem precisa se deslocar entre os sub-bairros de Realengo.
    Ao Circular de carro, preste bem atenção! Os moradores têm por costume andar pelo meio das ruas (Muitos motoristas já foram linchados ao atropelar moradores)!
     
    Sub-bairros (ou favelas) de Realengo
    • Barata – dizem que esse nome foi dado em virtude das ruas serem infestadas destes insetos asquerosos. Porém, informações mais recentes dizem que o nome é em virtude do mau-cheiro dos moradores locais, que não têm o hábito de tomar banho, não por costume histórico como os franceses e sim pelo fato de sequer terem água em casa.
    Há ainda os que dizem se tratar de uma referência à genitália das moradoras locais ou ainda o preço das putas locais, que costumam ser bem baratas.
    É uma favela um sub-bairro bem conhecido em Realengo. Famoso pelas putas que cercam as esquinas e calçadas, os fofoqueiros, vagabundos e desocupados que costumam ficar o dia inteiro sentados na calçada bebendo cerveja, soltando pipa e olhando para cada carro que passa como se fosse uma Ferrari.
    • Batan – não se sabe o motivo do nome, talvez seja pelo fato de haverem muitos batalhões do exército na área. O imbecil que deu o nome, por ser analfabeto e não saber escrever Batalhão, escreveu apenas Batan.
    É uma favela uma área perigosa de Realengo, hoje dominada pela milícia. Os moradores de lá não possuem acesso ao restante da civilização, portanto, maiores informações são desconhecidas. Aqueles que tentaram entrar em Batan, não voltaram vivos. Dizem que apenas Chuck Norris possui informações sobre o Batan, mas até ELE se sentiu horrorizado no local. Capitão Nascimento e o BOPE não têm culhão para entrar lá.
    Jardim Novo – o nome foi dado por algum imbecil tão sem-criatividade como este que vos escreve. O tal imbecil, ao se deparar com um jardim novo (tentando) ser plantado em uma das milhares de praças do bairro, delimitou algumas ruas e ali fundou seu legado, a favela o sub-bairro de Jardim Novo.
    Jardim Novo não fica atrás de Barata quanto à presença de desocupados nas ruas. Aliás, Realengo é plenamente ocupada por desocupados e pessoas com um nível educacional tendendo a zero. Jardim Novo não possui peculiaridades marcantes, exceto pelo jardim que deu nome à favela ao sub-bairro (que já não é tão novo assim e hoje virou boca-de-fumo).
    Piraquara – É chamado de Filial do Inferno pois abriga dois dos principais inferninhos de Realengo (Babilônia e “Das Flores”), mas não passa de uma favela com asfalto nas ruas, e só chamam assim pra jogar na cara dos moradores da Cohab e do Jardim-Novo que seus alugueis e valores dos imóveis é 30% maior do que dessas duas favelas regiões. É onde se concentra o maior número de puteiros infanto-juvenis escolas públicas, tendo, pelo menos, quatro quarteirões de escolas. Mas, incrivelmente, quase sem professores. A Rua Piraquara tem uma procriação, a Rua do Cacau, que sabe-se lá porque tem esse nome, já que não tem nenhuma fábrica de chocolate no local. A criatividade dessa região é tanta, que existem 1.120 ruas denominadas “Rua Um” e outros numerais.

    Nojeira Nogueira
    – A Estrada Nojeira Nogueira de Sá liga o bairro de Sulacap até o Cafundó de Judas, e nele tem um complexo de favelas que um dia sonha ser igual ao Complexo do Alemão. É o único lugar do lado pobre nobre de Realengo (ou seja, o da Av. Santa Cruz) que é oficialmente uma favela.
    Periquito – Não se sabe bem os limites desse favela sub-bairro. O que se sabe é que é identificado por uma praça, onde é o ponto-final do ônibus da Fatal Feital, entre eles, o 3 mata 7 367. Nessa praça, uma vez por mês, acontece uma rave, onde são vendidas balas de crack a preços populares, porque ninguém tem dinheiro suficiente para comprar comprimidos de ectasy nesse favela bairro. É apenas um punhado de terreno entre a Cohab e o Barata.
    • COHAB – Apesar dos seus prédios velhos, sua gente feia, porém mulheres boas e gostosas é sem dúvida o melhor local de Realengo. Possui uma praça que não tem nada pra servir de entretenimento, mas vive absurdamente lotada todos os dias. Esse lugar é dominado por milicianos. Cuidado, pois o índice de morte no local é um dos mais altos do bairro .
    Becos & Vielas Vila Vintém – Apesar de ser um lugar infestado de lixo e de mendigo pedindo esmola , Becos & Vielas Vila Vintém , já recebeu artistas como Chuck Norris ,Patati e Patatá e Ave Maria . Tem pontos Turísticos como a Rua Maloca (Cheia de vagabundos , putas e corinthianos. ) e o Castelinho (Ao entrar nesse beco , você pode sair em Nova Iguaçu ) . Hoje em dia A Favela Área é dominada pela facção Amigos Dos Amigos Os famosos ” Adelaide ” Mas não é tão perigosa pois a favela inteira é cercada por uma barreira de merda !

     
    Trecho da Wikipédia:
    Massacre de Realengo refere-se à chacina ocorrida em 7 de abril de 2011, por volta das 8h30min da manhã (UTC-3), na Escola Municipal Tasso da Silveira, localizada no bairro de Realengo, na cidade do Rio de Janeiro. Wellington Menezes de Oliveira, de 23 anos, invadiu a escola armado com dois revólveres e começou a disparar contra os alunos presentes, matando doze deles, com idade entre 13 e 16 anos. Oliveira foi interceptado por policiais, cometendo suicídio.[3] [4]
    A motivação do crime figura incerta, porém a nota de suicídio de Wellington e o testemunho público de sua irmã adotiva e o de um colega próximo apontam que o atirador era reservado, sofria bullying e pesquisava muito sobre assuntos ligados a atentados terroristas e a grupos religiosos fundamentalistas.[5] [6] [7] [8] O crime causou comoção no país e teve ampla repercussão em noticiários internacionais.[9] [10] [11] [12] A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, decretou luto nacional de três dias em virtude das mortes.[13]
     
    Wellington Menezes de Oliveira era um gay, muçulmano, adotado, maluco, nerd, otaku, geek, emo e manco, ou seja, pertencia a todas a minorias do mundo ao mesmo tempo, de forma que foi o principal alvo de bullying da História do Universo desde Carrie a estranha, praticado principalmente por terríveis menininhas de 12 anos. Com isso ele jurou um dia se vingar da Sociedade Judaico-Cristã Ocidental.
    Wellington até então ainda era virgem, pois, diferente de colégio pra crianças da rede pública, para entrar em um puteiro de esquina é preciso mostrar o RG. (Seu cabaço só viria a ser perdido no post-mortem, quando passou a ser diariamente violado pelo tridente afiado do Capeta).
    Um dia, cansado da própria noobice, decidiu entrar no site HowStuffWorks e aprender como montar uma bomba-caseira. Mas como era viciado em CS, achou que uma arma de fogo seria mais divertido pra matar as demoníacas criancinhas. Comprou então um 38 baratinho de alguns policiais que recolhiam armas pra campanha de desarmamento.

  954. Marciano Diz:

    Ainda dizem que o umbral é ruim.

  955. Vitor Diz:

    JP: “Desculpe se você respondeu e eu não vi (procurei) mas, Vitor, viu o artigo que passei sobre o Alex Tanous?”
    .
    Sim. Sobre o Tanous, a Susan Blackmore tem uma análise dele no livro “Experiências Fora do Corpo”.
    .
    Alex Tanous, um paranormal de Maine que dizia ter EFCs desde os cinco anos de idade e que apresentou sinais promissores nos testes de Osis com uma centena de voluntários, foi submetido aos experimentos com esse aparelho. Tanous ficava deitado num quarto à prova de som, depois de ter recebido instruções para sair do corpo, ir até onde estava a caixa contendo a aparelho, espiar dentro dela através da abertura de observação, voltar e contar o que vira. Osis narra que, a princípio, Tanous não foi bem-sucedido, mas que finalmente pareceu melhorar (103d).
    .
    Durante cada tentativa Tanous era informado se estava certo ou errado e, portanto, contava com critérios que poderiam ajudá-lo a saber quando estava obtendo bons resultados. Naquelas tentativas em que ele demonstrou maior segurança, seus resultados “aproximaram-se significativamente” do aspecto relativo à cor no alvo. Osis afirmava que esse aspecto era o mais importante recurso de que dispunha para testar sua teoria, porque algumas cores eram modificadas pelo aparelho, o que tornava muito difícil acertar por meio de PES. Os testes seguintes, portanto, usaram apenas um círculo de cores com três figuras e seis cores. Desta vez, no cômputo geral, os resultados não foram significativos, mas obtiveram-se resultados bastante confiáveis para o alvo completo e, na segunda metade do experimento, Tanous alcançou marcas significativas em vários aspectos do alvo, especialmente naqueles que, segundo Osis, exigiam uma “percepção localizada”.
    .
    A impressão de que tudo isto serve de estímulo para a teoria exossomática se desvanece quando vêm à tona vários fatos importantes. Em primeiro lugar, os resultados foram divididos em duas partes. Osis esperava por um declínio nas marcas obtidas por Tanous, assim como havia acontecido em experimentos anteriores. Se a primeira parte dos resultados tivesse sido melhor, seria indício de uma queda; porém, se a segunda parte tivesse um desempenho melhor, seria indício de um aprendizado, exatamente como aconteceu. Em qualquer uma das alternativas estamos diante de uma “descoberta”. Além disso, não se sabe ao certo quantas análises foram feitas, mas o número deve ter sido grande. Registraram-se, inicialmente, os pontos obtidos para o alvo completo e, depois, para cada aspecto individual; para cada um desses aspectos particulares marcaram-se os pontos conseguidos na primeira e na segunda parte, que foram classificados como tentativas de alto e baixo grau de acerto. Quanto maior o número de análises efetuadas, maior a probabilidade de se atingir um resultado de acertos aleatoriamente “significativo”. Finalmente, além de ter havido um número considerável de análises, acresce dizer que os resultados foram tidos como “bastante significativos”. Levando-se tudo em conta, isto não constitui prova segura de que Tanous estivesse alcançando resultados melhores do que os que se poderiam atribuir ao acaso.
    [...]
    Osis continuou fazendo novos experimentos com Alex Tanous. Em muitos deles, Tanous foi aconselhado a tentar influir em sensores colocados num local afastado. Estes resultados serão examinados adiante, mas nestes mesmos experimentos Tanous foi lavado a crer que sua principal tarefa consistia em ver o alvo como fizera antes. Desta vez havia quatro cores possíveis e quatro quadrantes nos quais a imagem poderia aparecer e cinco contornos diferentes. Marcava-se um tento certo se qualquer um dos aspectos fosse corretamente percebido (105a, b, c). Osis diz que em 197 tentativas houve 114 acertos. Parece uma média razoável, apesar de Osis não afirmar em parte alguma se este resultado foi ou não significativo. Se você tentar calcular por si mesmo, verá que com uma quantidade tão grande de aspectos do alvo, há uma probabilidade de 55% de acerto em cada tentativa, e que havia uma previsão de ocorrerem 108 acertos por acaso. Ora, 114 não parece uma média tão boa e, portanto, mais uma vez os resultados não fornecem nenhuma prova de percepção correta na EFC.
    .

  956. Vitor Diz:

    VINÍCIUS:
    .
    “VITOR, lhe enviei email. As imagens constantes no tópico
    http://obraspsicografadas.org/2012/como-chico-xavier-imitava-as-assinaturas-de-alm-tmulo/não estão aparecendo.”
    .
    Eu sei, problema é que estou sem paciência para consertar…

  957. Contra o chiquismo Diz:

    Gorducho a SAA opera sim. Vc conhece esse site? É fantástico!!
    .
    .
    https://www.flightradar24.com/-23.55,-46.64/7

  958. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, a Mega é real. E paga em Real.
    .
    .
    Realengo?? Uma das maiores concentrações de mulher bonita por metro quadrado! Dá pra economizar, não é necessário Iates, mansões, automóveis pra consegui-las dada a renda per capta do bairro… A Castelo Branco é uma m.. de faculdade, mas tem cada mulher…viva Realengo!

  959. Contra o chiquismo Diz:

    Gorducho, só me diga se vc conhece ou se não conhece se gostou e conseguiu usar facilmente o monitoramento.

  960. Vinicius Diz:

    VITOR
    Lembre-se da paciência e resignação :
    “Sede pacientes. A paciência também é uma caridade e deveis praticar a lei de caridade ensinada pelo Cristo, enviado de Deus. A caridade que consiste na esmola dada aos pobres é a mais fácil de todas. Outra há, porém, muito mais penosa e, conseguintemente, muito mais meritória: a de perdoarmos aos que Deus colocou em nosso caminho para serem instrumentos do nosso sofrer e para nos porem à prova a paciência.
    A vida é difícil, bem o sei. Compõe-se de mil nadas, que são outras tantas picadas de alfinetes, mas que acabam por ferir.”
    (O Evangelho Segundo o Espiritismo Cap IX it 7) site espirito.org… Esse trecho “mil nadas” é de matar e as picadas de alfinetes então nem se fala…
    Se possível manda pra mim essas imagens. Quero ver o que tem nelas.

  961. Gorducho Diz:

    GORDUCHO, já que voltamos ao recorrente tema aviação, eu sonhei com isso, interpretei mal, ou você é piloto privado?
    Em caso afirmativo, de Esquilo, Cessna, ou que espécie de aeronave
    ?
    Sim tenho carteira de PP: monomotores terrestres (i.e. não inclui hidrodroplanos).

  962. Gorducho Diz:

    Se é piloto privado, não pode trabalhar como piloto
     
    Não: m/profissão é MechE.

  963. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    VINICIUS: Confesso que atualmente procuro entender a razão de CX ter inventado tudo isso. E se foi ele sozinho ou em conjunto com mais pessoas, por exemplo, membros da FEB. Ou se a FEB entrou de “gaiato” e o “gaiato” lhe rendeu ouro (isto é, não sabiam dos plágios ou incoerências, mas resolveram editar os livros por conta da “fama” do médium em Uberaba e isso impulsionaria as vendas e o espiritismo).
    /.
    PONDERAÇÃO: Vinicius nãodemorais, minha opinion: Chico e a FEB (e outras agremiações espíritas) constituíram belo exemplo de simbiose, um ajudou o outro e o outro ajudou o um. Chico fez um bem danado ao espiritismo e o kardecismo permitiu que Xavier desse vazão aos seus delírios produtivamente (de outro modo teria ensandecido desde cedo).
    .
    Neste contexto, todos pecados são perdoáveis. Quando Xavier se metia em encrencas, qual o imbróglio das materializações, sobre ele era erigido cordão protetor, de modo que sua santidade fosse preservada. Pelo visto a tática foi sucesso: hoje poucos são os que vêm em Chico apenas sujeito dotado de habilidades incomuns as quais aplicou no fomento da fé espiritista. A grande maioria, até mesmo quem não ligado ao kardecismo, o considerou turbinado por entes espirituais (sejam do bem ou do mal).

  964. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Sabe o porquê de não haver interação com os espíritos :?:
    Talvez porque espíritos não existam, como diz CONTRA, talvez porque se existissem, não conseguiriam comunicar, como supõe MONTALVÃO, etc.”
    /.
    PONDERAÇÃO: não “como supõe”, mas “como propõe”. Suposição é muito vago para expressar o que defendo (juntamente com outros que cá transitam). E a proposição é a seguinte: “espíritos, se existem, não comunicam”.

  965. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Marciano Diz: MONTALVÃO, o milagre do Armando Marques está explicado.
    Agora explique os milagre de Jeová e de seu (do Jeová) filho.
    /.
    E MILAGRE se explica?

  966. JP Diz:

    Vitor, você leu as fontes primárias pra conferir se a análise de Blackmore é consistente? Como não sou fluente em inglês, não posso fazer isso muito bem por enquanto mas pelo que já li os acertos de Tanous com Osis foram muito maiores e mais complexos que isso. Blackmore é confiável? Achei louvável as denúncias que ela fez sobre CSICOP mas não conheço muito sobre ela. Assim como você, tomo cautela antes de acreditar em alguém que se denomina paranormal e também tomo a mesma cautela antes de acreditar em que se denomina cético

  967. JP Diz:

    E apesar disso não me considero cético. Ser cético de verdade é muito difícil e mais raro do que paranormal de verdade. Considero que a grande maioria dos que consideram céticos claramente são pseudo-céticos, como a tal CSICOP.

  968. JP Diz:

    “dê sua sugestão sobre a melhor maneira de testar o fenômeno para que a analisemos: se for mesmo melhor a adotaremos como sugestão aos mediunistas. No aguardo…”

    O método usado por Richard Hodgson com Leonora Piper e o espírito George Pellew, já postado por Vitor, foi excelente

  969. Marciano Diz:

    CONTRA, eu conheço o site.
    Acesso-o frequentente. Dá pra acessar no celular.
    É bom para resolver vários casos de disco voador.
     
    GORDUCHO, eu cheguei a cogitar de tirar um brevet de piloto privado de Helicóptero, tipo um Esquilo. Entraria de sócio com mais uns dois polotos, mas fui dissuadido por váriaz razões.
    1º Dá muito rolo no início da sociedade, porque todo querem usar, tem de administrar pra não dar rolos;
    2º, Tem os custos de manutenção, muito caros, e dá problemas de montão;
    Terceiro, depois de algum tempo, o pessoal perde grande parte do interesse, e aí ninguém quer mais pagar pela manutenção.
    Para mim, seria só lazer e o prazer de pilotar um helicóptero modesto que fosse.
    É muito bonito, emocionante, gratificante, a gente rapidamente a qualquer lugar.
    Um amigo queria me vender um ultra leve, mas ele é, ao meu ver, muito perigoso e pouco confiável, não faz pousos com a liberdade de um helicóptero.
    Até no meu trabalho eu ganharia tempo e prazer.
    Acho que a única coisa que eu gostaria além de dirigir carros e motos potentes.
    `Podia gastar 40 minutos para tomar um banho de praia em Trindade, com direito a acompanhantes.CONTRA, eu conheço o site.
    Acesso-o frequentente. Dá pra acessar no celular.
    É bom para resolver vários casos de disco voador.
     
    GORDUCHO, eu cheguei a cogitar de tirar um brevet de piloto privado de Helicóptero, tipo um Esquilo. Entraria de sócio com mais uns dois polotos, mas fui dissuadido por váriaz razões.
    1º Dá muito rolo no início da sociedade, porque todo querem usar, tem de administrar pra não dar rolos;
    2º, Tem os custos de manutenção, muito caros, e dá problemas de montão;
    Terceiro, depois de algum tempo, o pessoal perde grande parte do interesse, e aí ninguém quer mais pagar pela manutenção.
    Para mim, seria só lazer e o prazer de pilotar um helicóptero modesto que fosse.
    É muito bonito, emocionante, gratificante, a gente rapidamente a qualquer lugar.
    Um amigo queria me vender um ultra leve, mas ele é, ao meu ver, muito perigoso e pouco confiável, não faz pousos com a liberdade de um helicóptero.
    Até no meu trabalho eu ganharia tempo e prazer.
    Acho que a única coisa que eu gostaria além de dirigir carros e motos potentes.
    `Podia gastar 40 minutos para tomar um banho de praia em Trindade, com direito a acompanhantes.
    Houve um roubo de Helicóptero na semana passada. O cara tava de papai noel.
    Procure no noticiário.

    Houve um roubo de Helicóptero na semana passada. O cara tava de papai noel.
    Procure no noticiário.

  970. Marciano Diz:

    Tô sendo assediado pelo dippelgänger do blog, primo do poltergiest.
    Vou parar por aqui.

  971. Marciano Diz:

    Tá na cara que o ladrão que ameaçou o pilo com a arma não sabia pilotar a aeronave, e a ameça foi feita com o chopper em vôo.
    Se fosse comigo, ganharia altitude e diria para o sequestrados que ele tinha duas opões: me dar um tiro e morrer junto comigo, ou jogar fora a arma de fogo e outras que estivessem eu seu poder e depois eu desceria e depois descer comigo para ser preso.
    Se não acedesse, eu voaria bem alto até acabar o combustível.
    Duvido que o ladrão tivesse tomates para assinar sua própria sentença de morte.

  972. Gorducho Diz:

    Dá muito rolo no início da sociedade, porque todo querem usar, tem de administrar pra não dar rolos;
    Sim.
     
    Tem os custos de manutenção, muito caros, e dá problemas de montão;
    Altíssimos: é aquilo que o JP Morgan disse pro cara que estava pensando comprar um iate.
     
    depois de algum tempo, o pessoal perde grande parte do interesse, e aí ninguém quer mais pagar pela manutenção.
    Sim. Isso é como aquele caso da construção em condomínio – todos membros do grupo têm que ser rigorosamente escaneados p/não chegar 6ª feira e o Grassouillet alegar que está sem folhas de cheques ou que o cara pra quem ele vendeu as reses não depositou o dinheiro…
     
    Para mim, seria só lazer e o prazer de pilotar um helicóptero modesto que fosse.
    É muito bonito, emocionante, gratificante, a gente rapidamente a qualquer lugar.
    Um amigo queria me vender um ultra leve, mas ele é, ao meu ver, muito perigoso e pouco confiável, não faz pousos com a liberdade de um helicóptero.
    Até no meu trabalho eu ganharia tempo e prazer
    .
    Eu voo quando dá em aeroclubes ou aparelhos de conhecidos/amigos. Mas quanto a helicóptero não sei se tem essa possibilidade.
    Todos unanimemente me dizem que após voar helicóptero “você não vai querer saber mais de aeroplano!”
    Mas por incrível que pareça neles nunca sentei nem à esquerda; nem teoricamente sei bem como se maneja. Só sei que é tudo do contra: pra decolar se embica ele, &c.
    Mas já voei – de carona claro, mas manejando-o – um girocóptero.
    Ultra leves hoje são aviões apenas é por artifício p/driblar a questão das carteiras da FAA. São completamente seguros, c/motores aeronáuticos – foi-se o tempo de botar motor de Santana c/polia de redução!
    Bem como aquelas asas de pandorga sem aerofólio!
    Vá (Jacarepaguá fechou não é?) num aeroclube num fim-de-semana, manifeste interesse e faça um vuelo de bautismo.
    É um passeio…

  973. Gorducho Diz:

    Estamos descurando o estudo da Doutrina:(
     
    Vou na nova rubrica procurar algo p/alfinetar :!:

  974. Gorducho Diz:

    ULTRA LEVES
    E principalmente driblar a questão da homologação e aquela loucura americana – entre tantas, o excesso de riqueza endoideceu eles :( – da indústria dos processos que fez os fabricantes tradicionais desistirem do ramo.

  975. Contra o chiquismo Diz:

    Mas Gorducho, esqueceu de dizer se conhece o site o não.
    .
    .
    Marciano, do celular ele é incompleto e trava pra caramba.
    .
    .
    Marciano, se eu fosse o piloto subiria mais e mais e diria ao gatuno: “ali acima daquela nuvem negra é o ‘umbral’, olha as criaturas que rodeiam a nuvem… se vc se redimir e jogar as armas fora agora, vc terá como se livrar de lá”.

  976. Contra o chiquismo Diz:

    JP Diz:
    DEZEMBRO 7TH, 2015 ÀS 11:33 PM

    O método usado por Richard Hodgson com Leonora Piper e o espírito George Pellew, já postado por Vitor, foi excelente.
    .
    .
    EXCELENTE PARA O SR. QUE TAL TESTES EM 2015?

  977. Gorducho Diz:

    Sim, conheço, e é facilmente usável. Muito bom é ele.

  978. Contra o chiquismo Diz:

    Gorducho, conhece a história do Eastern 401 e seus fantasmas?
    .
    .
    http://www.desastresaereos.net/maioresacidentes_eastern401_01.htm

  979. Marciano Diz:

    CONTRA, como não sei falar japonês, vai aqui uma transliteração de uma música:
    Uê ô muitê arukô
    Namidaná koborê, naiomi.
     
    Quer dizer que enquanto caminha, o cara fica olhando pra cima, pra tentar reter as lágrimas (música de quem ficou sem mulher).
    O cara que compôs e cantava isso fez sucesso nos EE UU, dois anos depois de fazer sucesso no Japão, consequentemente, fazendo sucesso no mundo inteiro, inclusive no Brasil.
     
    Ouça a música, enquanto lê o restante:
     
    Como o DJ americano que lançou a música nos States achou que o título era grande e incompreensível para o público americano (e é mesmo), chamou a música de sukiaki, que é um prato japonês chic.
    O chef vai preparando e a gente comendo.
    Você que gosta de receitas, pegue e faça (se conseguir, porque é bom).
     

    Ora, dirás, certo que gosto de comida e de música, e conheço quase todas (provavelmente conhece essa e sabe cantar de trás para a frente), mas o que isso tem a ver com espíritos ou aviação?
     
    Pois eu respondo:
    Leia isto:
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Voo_Japan_Airlines_123
     
    O cara virou assombração, foi o segundo maior acidente da história da aviação, até hoje, e muitos, inclusive o Kyu, escreveram cartas de despedida para os parentes (tragédia anunciada e inevitável, como a do Titanic).
    Apesar do incêndio, você deve saber, na hora do impacto muitos fragmentos, inclusive documentos, são espalhados e não são atingidos pelo fogo.
    Dava um filme (não sei se fizeram).

  980. Marciano Diz:

    Esqueci-me do link da música, com transliteração e tradução: