Um Conto de um Esqueleto: As Origens do Espiritualismo Moderno, por Joe Nickell (2008)

Esse eu acho que é o único artigo publicado na Skeptical Inquirer relativo ao paranormal até hoje que considero de boa qualidade (o que não quer dizer isento de falhas, mas aos meu olhos é muito bom). O autor, Joe Nickell, aborda o caso das irmãs Fox, a meu ver provando acima da dúvida razoável que o episódio do mascate assassinado que se comunicou por meio de batidas para as irmãs, e que marcou a origem do Espiritualismo Moderno, é uma farsa. O artigo pode ser lido neste link.

39 respostas a “Um Conto de um Esqueleto: As Origens do Espiritualismo Moderno, por Joe Nickell (2008)”

  1. Gorducho Diz:

    Como não é essa a história que sabia acerca da Lucretia Pulver, fui pesquisar…
    ?
     
    [Boston Journal November 22, 1904]
    ROCHESTER, N.Y., 1904: The skeleton of the man supposed to have caused the rappings first heard by the Fox sisters in 1848 has been found in the walls of the house occupied by the sisters, and clears them from the only shadow of doubt held concerning their sincerity in the discovery of spirit communication.
    The discovery was made by school children playing in the cellar of the building in Hydesville known as the “Spook House,” where the Fox sisters heard the wonderful rappings. William H. Hyde, a reputable citizen of Clyde, who owns the house, made an investigation and found an almost entire human skeleton between the earth and crumbling cellar walls, undoubtably that of the wandering pedlar who it was claimed was murdered in the east room of the house, and whose body was hidden in the cellar.
    Mr. Hyde has notified relatives of the Fox sisters, and the notice of the discovery will be sent to the National Order of Spiritualists, many of whom remember having made pilgrimage to the “Spook House,” as it is commonly called. The finding of the bones practically corroborates the sworn statement made by Margaret Fox, April 11, 1848.

     
    Boston Journal de 23 de novembro de 1904:
    O esqueleto do homem quem causou as batidas ouvidas pelas irmãs Fox, em 1848, foi encontrado entre as paredes da casa ocupada pelas irmãs e dissipou a única sombra de dúvida mantida sobre a sua sinceridade na descoberta da comunicação do espírito.As irmãs Fox declararam que elas aprenderam a se comunicar com o espírito de um homem, e que ele disse que tinha sido assassinado e enterrado na adega. A escavação não conseguiu localizar o corpo e, assim, dar uma prova positiva de sua história.
    A descoberta foi feita por crianças de uma escola brincando no porão do prédio em Hydesville conhecido como “A Casa do Espanto”, onde as irmãs Fox ouviram pela primeira vez as batidas maravilhosas. Um cidadão respeitável de Clyde, que é dono da casa, fez uma investigação e encontrou um esqueleto humano quase completo entre as paredes em ruínas, sem dúvida, o do mascate, que foi dito ter sido assassinado no quarto a leste e enterrado no porão. O exame revelou que uma parede interna falsa e não observada tinha sido construída. O esqueleto foi encontrado entre esta parede interna falsa e a parede exterior original e próxima do centro do porão. É interessante saber que a parede falsa é composta de pedras, como as usados 50anos atrás na construção de muros de pedra. Isso lembra uma declaração feita mais de 50 anos atrás por Miss Lucretia Pulver, que o Sr. Bell [o anterior dono da casa e provável assassino]trabalhou cada noite, sob a proteção da escuridão, carregando pedras do muro para o porão. Adescoberta dos ossos corrobora a declaração juramentada feita por Margaret Fox [a mãe das meninas], 11 de abril de 1848.

    :o

  2. Vitor Diz:

    Gorducho,
    não entendi. Esse trecho que você traduziu já se encontra no artigo traduzido, na seção “A Descoberta”. Também não entendi a diferença entre as datas, no trecho em inglês está 22 de novembro, na tradução está 23…. a data correta pelo artigo do Nickell é dia 23…

  3. Gorducho Diz:

    A diferença entre datas é a diferença entre datas… engano acho.
    Não traduzi nada: colei de seu artigo.
    Não lobrigou nada diferente entre os textos?

  4. Gorducho Diz:

    A história que eu sabia sobre o relato da Lucretia é que o patrão alegava estar a tapar buracos de ratos e carregava entulho. Nunca vira nada acerca de pararelepípedos, e muito menos que desmanchasse o muro…
    Por isso fui conferir…
    Mas coloquei a título de dúvida, bien entendu.

  5. Vitor Diz:

    Ah, sim… não tinha buscado por diferenças entre os textos. Houve uma profunda alteração no texto. O Nickell se baseou em um livro de 1942, e não no jornal original. Um texto parece ser uma reprodução do Banner of Light, e lá parece haver uma confusão nas datas, um momento escrevendo 22, em outro 23.
    .
    Lá diz:
    .
    Regardless of what the ” Banner ” knows of this
    matter, we prefer to present the following statement
    as given in the Boston Journal of Nov. 23. To
    opponents of the claims made by Spiritualists, the
    account may bear greater weight than if made by a
    Spiritualist paper. Take note that the Journal says,
    ” an almost entire human skeleton,” and not the bones
    of a large dog or of any four-footed animal.
    .
    Rochester, N. Y., Nov. 22, 1904. — The skeleton of the man supposed to have caused the rappings first
    heard by the Fox sisters in 1848 has been found in
    the walls of the house occupied by the sisters

    .
    Assim a diferença entre as datas já tem uma explicação. Agora não achei o Boston Journal para tirar a dúvida quanto ao texto original.

  6. Gorducho Diz:

    O texto original original também não consegui. Diz</i. que esse é um OCR do tal…
    http://psychicinvestigator.com/demo/FOXtx2.htm

  7. Gorducho Diz:

    O despacho de NY é de 22 publicado dia 23.
    De qq. forma, como são coisas editadas – não se tem o original verdadeiro – não é muito confiável.
    O Boston Journal foi absorvido pelo Herald o qual aparentemente não digitalizou ou não quer disponibilizar os arquivos :(

  8. Gorducho Diz:

    A origem da transcrição do artigo do jornal é a mais obvia de todas :mrgreen: : o Conan Doyle!

  9. Antonio G. - POA Diz:

    Bom dia! Ando meio ausente, mas sempre dou uma passada para atualizar-me nas postagens.
    .
    A propósito do incidente com o Airbus da Germanwing: Ontem à noite, num encontro social, um amigo espírita me disse: “Sei que não acreditas, mas, por mais entranho que possa parecer, o episódio é um caso de expiação coletiva dos espíritos daquelas 150 pessoas que morreram”. Bem, eu só consegui responder que não achava nada estranho. E que, a verdade, achava que a sua afirmação fazia todo sentido.
    Acho que estou ficando velho. Eu poderia, no mínimo, dizer que a tragédia vai muito além das 150 pessoas vitimadas pelo que parece ter sido um ato de insanidade ou, quem sabe, fanatismo de um jovem copiloto. Que elas, na verdade, não “expiaram” nada, porque estão todas mortas. Que certamente passaram por alguns minutos de extremo terror. E mais nada. Que o sofrimento é para as pessoas que ficam, e etc… Mas não tenho mais a menor paciência para argumentar contra essas asneiras…

  10. Gorducho Diz:

    Veja-se as incoerências teóricas do espiritismo. Todos não morrem? Claro que sim…
    Então por que morrer em poucos instantes sem maiores sofrimentos exceto o stress nos poucos minutos quando eles viram o comandante machadear porta será uma expiação de pecados?
    E o sofrimento dos que ficam é o mesmo de qualquer morte de hominais ou animais de estimação. Exceto talvez pela estatística da média de idades dos falecidos vis-à-vis a expectativa de vida das populações europeias.
     
    Quanto a religiões eu e meus familiares adotamos a prática de não falar sobre isso com outros. Nem em casa é assunto nunca.
    Ultimamente sim tenho sido um pouco mais agressivo quando meus amigos – vários, chiquistas filiados à FEB todos… – me tentam falar algo. Aí disparo que se trata dum catolicismo reencarnacionista que nada tem a ver com espiritismo… E nunca ousaram me contestar. Baixam a cabeça e desconversam…

  11. Gorducho Diz:

    Aliás e aquela vez que o “espírita” CX esqueceu de disfarçar e prestou homenagem à santa (católica, claro – não sei se os protestantes têm santos…) N. Srª da Abadia? Se não me engano é a santa padroeira de Uberaba.
    Patético…
    Não há como negar que mesmo há 170 anos atrás, o Kardec ainda foi o mais sensato.

  12. Marciano Diz:

    Antonio e Gorducho, estou entre vocês dois. Ao mesmo tempo que estou de saco cheio de discutir com quem tem cabeça feita, fico irritado.

  13. Larissa Diz:

    Nunca engoli essa história das irmãs Fox….pra mim sempre foi fraude.

  14. Gorducho Diz:

    Elas tentaram avisar, tanto que deram a dica do 1° de abril. Mas aí a cousa saiu do controle quando a velhota chamou os vizinhos.

  15. Toffo Diz:

    Bah, Antonio, guri, foi a coisa mais sensata que tu fizeste. Que a afirmação de teu amigo espírita fazia sentido. Para ele, é claro. E tiraste o time de campo. Deixa ele com a “verdade” dele. O mundo está tão cheio de verdades…
    .
    Eu me diverti mesmo foi hoje com a caixa do supermercado. Vejo ela quase todo dia, rotina puxada, hoje parecia cansada, perguntada ela me respondeu que havia dormido mal por causa de pernilongos e porque acima de onde ela mora “tem uns espíritas que passam a noite fazendo trabalhos”.
    .
    Interessante é que em todos os centros espíritas se ensinam os “primórdios do espiritismo” como o episódio das irmãs Fox em 1848. Desde criancinha eu soube isso nas aulas de “moral cristã” na “escolinha dominical” que eu frequentava. Quer dizer, que me faziam frequentar. E nunca ninguém no meio se preocupou em saber se isso era realmente verdadeiro ou falso. Como falso parece ser, mas para eles tudo bem. Continuam ensinando isso nas escolinhas de moral cristã.

  16. Gorducho Diz:

    ‘O, mother, I know what it is: tomorrow is April?fool day, and it’s somebody trying to fool us.’
     
    Mas não teve jeito… Quando alguém quer crer, Crê :(
    E o direito à Crença é assegurado, claro.

  17. Marciano Diz:

    Everybody has the right to make a fool of himself. It’s a constitutional right, here,there, and everywhere.

  18. Gorducho Diz:

    A médium mais forte era a Kate, tanto que o filho dela com 6 meses já psicografava em grego. Teria sido muito melhor médium que o CX certamente. Mas especulo que com a morte do pai, a volta p/NY e a degringolação delas (mãe e & tia) talvez não tenha desenvolvido bem a mediunidade. Nada mais sei dele após o telegrama “MAMÃE FALECEU” p/a amiga Sarah Taylor dia 2/7/92.
     
    A Kate também tinha mediunidade de escrita direta, constatada até pelo insuspeito Crookes:
    Uma mão luminifera baixou de cima da sala, e após flutuar perto de mim por alguns segundos, tirou o lápis da minha mão, escreveu rapidamente numa folha de papel, jogou o lápis e então subiu sobre nossas cabeças, gradualmente esmaecendo na escuridão.

  19. Gorducho Diz:

    Como não era bobo, o Crookes tomou todas as providências para inviabilizar possíveis tentativas de fraude:
     
    Estava sentado perto da médium, Srtª Fox, [ela não tinha casado ainda...] sendo as únicas outras pessoas presentes minha esposa e uma moça parente, e eu segurava as duas mãos da médium com uma das minhas, enquanto seus pés repousavam sobre meus pés. Tinha papel sobre a mesa na nossa frente, e minha mão livre segurava um lápis.

  20. Larissa Diz:

    Os espiritoides fingem na maior cara dura que desconhecem q o caso das irmãs Fox é fraude?

  21. Antonio G. - POA Diz:

    Larissa, a maioria deles também defendem, por exemplo, que as materializações da Irmã Josefa, avalizadas pelo CX, são autênticas.

  22. Antonio G. - POA Diz:

    a maioria defende

  23. Gorducho Diz:

    No amanhecer do dia 31 o Andrew Jackson teve o aviso que a regeneração da humanidade finalmente começara. E registrou o fato no diário:
     
    About daylight this morning, a warm breathing passed over my face and I heard a voice, tender and strong, saying ‘Brother, the good work has begun—behold, a living demonstration is born.’

    Read more: http://www.smithsonianmag.com/history/the-fox-sisters-and-the-rap-on-spiritualism-99663697/#8hYqyv6WmZj1CqAo.99
    Give the gift of Smithsonian magazine for only $12! http://bit.ly/1cGUiGv
    Follow us: @SmithsonianMag on Twitter

  24. Juliano Diz:

    Olá, o caso das Irmãs Fox é uma frande já comprovada. O grande problema do pessoal espírita é que com o avanço da tecnologia os chamados “experimentos” de materialização sumiram do mapa. Hoje no Brasil o espiritismo virou mais uma religião com forte presença cristã no seu discurso, e só. É isto.

  25. Larissa Diz:

    É o povo mais crédulo de que se tem notícia.

  26. Juliano Diz:

    Larissa, para muitos a crença é uma necessidade de sobrevivência, vou mais além, creio que é hereditário a necessidade de crer, e disto o senso crítico e a noção da realidade vão para o espaço. Manter-se o mais próximo possível da realidade é algo nada fácil! Eu me questiono sempre, será que estou sendo realista com minhas convicções, pensamentos e por aí vai? Não é mole não!

  27. Juliano Diz:

    Aí Vitor, quanto tempo? Ando sumido! Viu o carneirinho com cara de ser humano que anda bombando na internet? Olha a prova da metempsicose aí, para desespero dos espíritas!!! kkk Grande abraço.

  28. Gorducho Diz:

    Interessante é que quando se propõem experimentos p/testar a veracidade do espiritismo, um dos argumentos é que os “espíritos” não iriam se submeter a testes. Argumento se bem me lembro utilizado até pelo Kardec na época…
    No entanto os “espíritos” canalizados pelas meninas – “médiuns” legítimas reconhecidas como tais pelo próprio Kardec -, apresentavam-se com hora marcada e não se melindravam ou se sentiam explorados nem um pouco…
    A partir de 14/11/49 se apresentaram 3 noites no Corinthian Hall de Rochester @ 75¢ (o que é a inflação monetária… :( ). 400 pagantes só na 1ª noite.
    Em junho de ’50 em NYC no Barnum’s Hotel (?), 3 sessões diárias – tipo como cinema – @ $1.
     
    E hoje em dia os espíritos se ofendem se forem testados. Quanta susceptibilidade adquirida em 165 anos… Será orgulho e vaidade das almas século xxi?
    Será que na erraticidade não praticam os ensinamentos do Emmânuel?

  29. Vladimir Diz:

    .
    Nesse link que deixou aqui tem uma discussão entre o Administrador do Blog (espiritualista defensor da Piper), e um cético (obviamente crítico).
    .
    Parece até um “deja vu” das discussões do Vitor e do Montalvão.
    .
    Eu gostei por que traz muitos informações sobre os “erros” cometidos pela Piper
    .
    Essa história de “macacos no Sol” é melhor que a Casa de Mozart em Jupiter…rs
    .
    http://www.dailygrail.com/Essays/2013/12/Top-Five-Phenomena-Offer-Evidence-Afterlife

  30. Gorducho Diz:

    Parece até um “deja vu” &c.
     
    Por isso digo serem debates sobre supostos fatos ocorridos no passado e que não se repetem hoje em dia escolásticos.
    Os debatedores esgrimam lógica e racionalidade – along the lines proposed by Kardec – mas sem a possibilidade de aportes da realidade empírica escolástica.
    Nós céticos temos do nosso lado a realidade em tempo presente e o histórico das “pesquisas” e dos “pesquisadores” espíritas.
    Os crentes tem do lado deles os juramentos que o espírito viu a tabela de línguas no log book – que ela não vinha colada nesses da gráfica; que a descrição das circunstância do falecimento da irmã (lembrando as Fox em NY…) muitos anos atrás é exata, &c. &c.
    E sem pesquisas e aportes empíricos nunca se sairá disso – como convém aos espíritas.

  31. Antonio G. - POA Diz:

    Vi uma entrevista com um brasileiro que iria apanhar o fatídico vôo da Germanwings e que, “por uma graça de Deus”, adiou o embarque e escapou da morte.
    Ele apenas esqueceu de mencionar que, pela graça do mesmo deus, 150 pessoas foram destroçadas na queda do avião.
    .
    Deus é mesmo todo-poderoso. Mas não tem qualquer remorso.

  32. Vitor Diz:

    Vladimir,
    .
    aqui se encontram refutações aos principais ataques do cético quanto a Hodgson:
    .
    A comment on the Fiske/Pellew letter – this is a central argument for debunkers, so refuting it would make their case more problematic.
    .
    First – in an SPR review of Joseph Rinn’s book, p. 434, the letter is dismissed as hearsay for good reason, and some of Rinn’s errors are discussed in the review:
    .
    https://ia601200.us.archive.org/13/items/NotesonSpiritualismandPsychicalResearch/Salters%20Review%20of%20Rinn%20JSPR%20Volume%2036_pg93to100.pdf
    .
    But much more importantly, in the following SPR article comparing the “letter” to the actual facts, Pellew’s brother’s charges are found, even in the case of Fiske, to be completely spurious – thus his brother is impeached as a witness, not Hodgson – Hodgson is rehabilitated as a source:
    .
    https://ia601200.us.archive.org/13/items/NotesonSpiritualismandPsychicalResearch/MunvesJGpsYoungerBrotherANoteJsprVolume60_pg401to405.pdf
    .
    This blows away a major argument of debunkers.

  33. Marciano Diz:

    Juliano acha que a crença pode ser hereditária. Eu acho que pode ser pior ainda, pode ser genética.

  34. André Paiva Diz:

    Pessoal, andei lendo a respeito das irmãs Fox e vi, em um livro do Ernesto Bozzano, que as primeiras escavações já haviam achado cabelos, ossos e fragmentos de um crânio humano. A referência é o livro da Sra. Emma Hardinge Britten, “Modern American Spiritualism”, p. 37:

    “In the summer of 1848, when the ground was dry and the water lowered, “the diggings” again commenced, when they found a plank, a vacant place or hole, some bits of crockery, which seemed to have been part of a wash-bowl, charcoal, quicklime, some human hair, bones [declared on examination by a surgeon to be human], and a portion of a human skull. Such were the results of the examination of the cellar”

    No caso, não há, pelo que vi, nenhum detalhe mais preciso, tal como o nome do suposto “cirurgião” que teria certificado a origem humana dos ossos, o que sugere a possibilidade da Sra. Emma Britten estar simplesmente inventando ou tomando como factual uma narrativa criada e posta em circulação no meio espírita da época. Que vocês acham?

  35. Vitor Diz:

    Oi, André
    parece ser invenção. Qual foi o ano de publicação do livro?

  36. André Paiva Diz:

    Foi 1870.

  37. Vitor Diz:

    É preciso ver se jornais da época falam algo a respeito. Mas duvido.

  38. André Paiva Diz:

    De fato. Ao que parece, essa história foi inventada pelos próprios Fox, como o Podmore comenta no “[i]Modern Spiritualism[/i]“:
    .
    “[i]On the two following days some hundreds of persons came to witness the marvel; and on the Sunday, again to quote from Mr. Duesler’s account, the raps indicated, in reply to his questions, that the body of a man had been buried in the cellar. From the statement of David Fox, preserved for us by his sister Mrs. Underhill, we learn that in the early days of April, 1848, the Fox family and some of their neighbours, following the indications given by the spirit, dug in the cellar to the depth of about three feet, when they were stopped by water, without finding anything. Later, in July of the same year, when the water in the hole had gone down, the digging is said to have been resumed, a depth of several feet was reached, and some teeth, bones and hair supposed to be human, and fragments of a browen bowl were discovered; a wooden board was also found, which apparently covered a hollow space. [b]But the authority alike for the discovery and for the identification of the teeth and bones appears again to be the Fox family alone[/b][/i]” (p. 182)

  39. Vitor Diz:

    Perfeito, André!

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)