Médium Nilton Sousa é validado por Perita Criminal Adjunta (2014)

Segue um trecho do livro “Cartas da Imortalidade”, lançado em 2014 e com 2ª edição em 2015. O livro traz a análise da perita criminal adjunta (hoje aposentada) Isabel Cristina Lima de Sousa de algumas cartas psicografadas pelo médium Nilton Sousa, com o parecer favorável à autenticidade. Para ler o trecho com as fotos das cartas e o exame da perita, clique aqui. Espero que mais peritos se debrucem sobre o material ofertado e possam dar seu parecer, concordando ou discordando.

29 respostas a “Médium Nilton Sousa é validado por Perita Criminal Adjunta (2014)”

  1. Gorducho Diz:

    necessário foi pesquisar no campo doutrinário do espiritismo através das obras de Allan Kardec os fenômenos da psicografia, bem como, observar e acompanhar in loco as manifestações dos modos atuantes do psicógrafo no ato das referidas psicografias, para então capacitar-se a emitir a conclusão de que as cartas examinadas foram manuscritas pelo médium Sr. Francisco Erionilton Ivo de Sousa (Nilson), sob a influência de uma força impulsionadora exterior exercida no punho escritor do psicógrafo no momento do ato de escrever (PSICOGRAF’AR).
     
     
    :shock:
    Pra fazer um laudo técnico de grafoscopia foi necessário estudar postulados doutrinários do Kardec :?:
    Me deu um nó no neurônio…

  2. Vitor Diz:

    Aproveitando antes de sair, Gorducho, atualizei o artigo, porque não é Nilson, e sim Nilton. Foi erro do OCR, no livro está certo. Já corrigi. Pega a nova versão.

  3. Vinicius Diz:

    Pode ser um perito contador?

  4. Gorducho Diz:

    Sim, justo o que eu quis expressar.
    Imagine-se um relatório de auditoria onde os peritos contadores nas considerações metodológicas informem que para a consecução da peça necessário foi pesquisar o Corpus Hermeticum do Hermes Trimegistro.
     
    RESSALVA
    A menos que o Kardec tenha entre tantas atividades didáticas sido instrutor de grafoscopia da Haute Banque; ou escrito alguma apostila para uso das Casas da, claro.
    Dele só conheço a aritmética; gramática; e a tal apostila do Liceu Polimático contendo astronomia, física, química & biologia a qual infelizmente nunca consegui vê-la [se alguém souber algum sebo que tenha me informe que vou ou mando buscar pelo correio se for possível :!: ].

  5. Mariana M Diz:

    Vitor, e vc sabe se nas cartas desse médium continham informações verídicas, desconhecidas do mesmo? Seria interessante saber…

  6. Vinicius Diz:

    Vitor, sabe se neste livro há as 13 cartas da “Luisa” ?
    E quantos anos ela tinha quando faleceu?

  7. Gorducho Diz:

    De qualquer maneira o fato de espíritos assinarem perfeitamente seus nomes corrobora o que sempre dizemos nossa bancada: com muito mais razão serão perfeitamente capazes de fazer a tarefa mais obvia de transmitir as imagens que mostraremos na telinha.
    Claro: implícito que o “médium” tem mediunidade a um nível mínimo de proficiência que permita que se o considere médium.
    Assim como para ser motorista tem que ser capaz de estacionar com segurança em vias com determinada inclinação; ou p/ser PP tem que ser capaz de pousar em comprimento de pista + Dv/Vv (direção & velocidade do vento) dentro dos limites do aparelho.

  8. Vinicius Diz:

    “Verifica-se bastante discrepância nas letras “F”, o que também se repete na psicografia do médium Nilton Sousa. Podemos então concluir que a Nicole, agora no além – e através da psicografia – ainda continua a grafar o “F” sem a mesma uniformidade? ”
     
    bem, Gorducho, a assinatura de Nicole não foi tão perfeita assim. O próprio autor fala da diferença do “f” mas pelo
    “conjunto da obra” é autentica.
     
    “capazes de fazer a tarefa mais obvia de transmitir as imagens que mostraremos na telinha”
     
    Quando fala assim imagina uma experiência “real time” com o médium, isto é, nada de cartas depois de 6 meses ?

  9. Gorducho Diz:

    Perfeito; qualquer reconhecimento de firma em estabelecimentos notariais ou bancários é pelo conjunto da obra.
    Se ele fosse maior e tivesse assinado um cheque este teria sido pago pela Casa Bancária onde detivesse a conta, certo?
     
    Sim, a experiencia claro que será real time. O objetivo é ver se tem espírito no ambiente (e, claro, se o “médium” é médium :mrgreen: ).
    Será definido um n° de imagens a serem transmitidas. Então o notebook fica numa “cabine” e a nova imagem é apresentada o apresentador girando a roda (imagino eu, em Java seria mouse-wheel listener) do mouse wireless, claro. Então teria um n° de beeps que corresponde ao
    n° da imagem pra orientar os experimentadores.
    Já repassei o software básico pro Administrador.
    Ainda falta acrescer esses detalhes tais como o n° de imagens que terá no diretório. Eu hard codifiquei em 6 pra testes mas na prática coloca-se como parâmetro.
    E essa parte da mouse wheel + beeps – no meu teste só mostra 1 imagem.

  10. Gorducho Diz:

    Ele espírito que no caso era ela Nicole – não li estou me baseando no que disse s/Pessoa.
    Não importa: vale genericamente.
    Nosso teste básico de mediunidade é muito menos exigente.

  11. Vinicius Diz:

    Já tentou fazer essa experiência de software com alguém?
    O java que você fala é o “Java Script” ?
    tem alguma coisa a ver com plugin NPAPI que o Chrome e outros estão bloqueando?

  12. Gorducho Diz:

    Estamos à espera de que apareça algum médium cientificamente verificável cá no maior país cultor da Ciência Espírita…
     
     
    Não: Java.
    Mas note que a linguagem é irrelevante importando a ideia: as imagens num diretório montado por nós sem conhecimento dos Crentes; a seleção aleatória sem ninguém saber; e a troca delas se for acordada amostragem estatística segundo a norma de controle de qualidade; e salvar o relatório das imagens que foram mostradas se forem várias…
    Aliás dentre os cientistas da bancada crédula acho que tem um que entende de informática bem mais que eu, o ✈
    Então, esse burilamento final ou reescrita do programinha é o de menos.

  13. Vinicius Diz:

    e o que achou dessa validação da perita? será que não foi um bom experimento? o médium fez igualzinho ao caderno de caligrafia da criança, confesso que estou entre acreditar ou não …

  14. Phelippe Diz:

    As famílias foram entrevistadas antes?

  15. Vitor Diz:

    Desculpem a demora. Respondendo a todos de uma forma geral, só consegui por enquanto esse trecho do livro, que disponibilizei. Depois adquirirei o livro completo para ver se responde a algumas das perguntas feitas.

  16. Marciano Diz:

    Qual seria o propósito de Erionilton ao reunir as cartas endereçadas a pessoas específicas em um livro, destinado ao público em geral?
     
    Por que procuraria validação de uma perita em grafoscopia?
     
    Algumas respostas podem ser depreendidas da seguinte reportagem:

    Pelos traços do médium
    Escritor cearense Nilton Sousa lança livro onde reúne série de cartas psicografadas durante os anos de ofício espírita.
    É sobre o aspecto da exatidão que o médium e historiador cearense Nilton Sousa organiza a mais recente obra. Porém, interessa ao escritor realizar um serviço capaz de divulgar uma mensagem edificadora a leitores e comunidade em geral.

    Tais premissas podem ser conferidas no livro "Cartas da Imortalidade: Os espíritos escrevem aos seus familiares", com lançamento hoje, às 19h, no auditório da Livraria Cultura.

    Na ocasião, haverá palestra com o autor sobre a temática espírita, seguida de sessão de autógrafos.

    A obra reúne 27 cartas psicografadas por Sousa e resgata um material advindo dos primeiros anos de atuação como médium, entre outubro de 2010 e 2012.

    Para o espírita, as mensagens direcionadas aos parentes e amigos tornam-se testemunhos dotados de força e importância dentro da sociedade. Até serem reunidas em livro, as missivas tiveram que passar por um processo de curadoria.

    A investigação foi um trabalho realizado a seis mãos, com o objetivo de atestar a veracidade dos dados. Uniram-se ao autor o pesquisador Clóvis Nunes e a perita criminal Isabel Cristina. Confiante pela adição desses profissionais, Sousa acredita que o livro possa tocar o público, a despeito de seu caráter íntimo (afinal, são cartas de teor pessoal, direcionadas a familiares).

    "Como médium, ofereço a matéria prima para a facilitação das cartas. Os pesquisadores surgem para dar o foco necessário para a obra", destaca.

    Testes

    Foi realizada uma série de testes nos relatos resgatados pelo espírita. As orientações prestadas por Clóvis Nunes consistiam na atenção às peculiaridades das cartas – entre elas, identificar fatos e situações apenas de conhecimento dos familiares e amigos, como apelidos e outras informações de foro íntimo.

    Outro fator relacionado à dita veracidade das cartas são as assinaturas psicografadas. Para analisar a autenticidade das mesmas, Isabel usou critérios de traços curvilíneos.

    A grafoscopia é a parte da documentoscopia que estuda o grafismo ou escritas analisando a autenticidade, falsidade ou autoria gráfica.

    O exame visa o reconhecimento de uma grafia por comparação, a partir de talhes ao longo da letra. Além dos critérios apontados acima, o livro segue uma linha específica quanto à sua estrutura. Todos os passos dos levantamentos empreendidos pela equipe estão diluídos e concentrados na obra.

    Um capítulo é dedicado às análises das assinaturas. Está impresso também um texto que reflete sobre os caminhos da mediunidade e expõe como é possível escrever sobre o intermédio do médium.

    Fac-símiles

    Em outro capítulo, Sousa disponibiliza a exposição das cartas, algumas com o fac-símile original. Completa a pesquisa o depoimento dos parentes após a leitura das mensagens.

    "A importância do livro é oferecer, para qualquer pessoa, de toda preferência religiosa e filosófica, a oportunidade de entender que existe uma vida além, uma outra dimensão onde a mente sobrevive à morte", comenta Sousa.

    "É também oferecer subsídios acessíveis para entender o papel da mediunidade e entender como é possível estudar o intercâmbio que existe para o mundo além da vida", assevera o autor.

    Planos

    A dedicação do espírita cearense deve render outras publicações no futuro. Uma das possibilidades consideradas pelo autor é um livro composto por poemas psicografados dos escritores Augusto dos Anjos (paraibano, 1884-1914), Patativa do Assaré (cearense 1909-2002) e Antero de Quental (português, 1842-1891). A outra consiste num material especial dedicadas às assinaturas dos espíritos.

    Professor de História desde 1996, Nilton Sousa concilia a vida de professor com as atividades na Sociedade de Estudos Espíritas Casa de Francisco e também no Lar Clara de Assis, obra assistencial de amparo a crianças carentes.

    Médium ainda na juventude, recebeu mais de 1.800 cartas de espíritos que escreveram aos familiares.

    Livro

    Cartas da Imortalidade – Os espíritos escrevem aos seus familiares

    Nilton Sousa

    Expressão Gráfica
    267 páginas
    R$35

    Mais informações:

    Palestra e lançamento do livro "Cartas da Imortalidade – Os espíritos escrevem aos seus familiares", com Nilton Sousa. Hoje, às 19h, na Livraria Cultura (Av. Dom Luis, 1010, Meireles). Contato: (85) 4008.0800

     
    É, acho que entendi o propósito de Erionilton e a razão de ele ter formado uma equipe para mostrar a “veracidade” das cartas.
     
    Parece que a Administração está em desespero.
    Encerro aqui minha participação neste tópico, pois infelizmente estou com pouco tempo, em razão de estar com atividades extra-profissionais, que me tomam o pouco do tempo que resta após o trabalho.
     
    Os tópicos mais recentes consistem basicamente em Aranearum telas texere. [Erasmo, Adagia 1.4.47]. Tecer teias de aranha. (=Realizar tarefas inúteis). Chover no molhado.
     
    Tenho fé em Anúbis e em Bastet que o blog há de voltar a ser bom, como já foi antes.
     
    Aliás, para quem quiser ler a matéria acima, aqui vai o link:
    http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/cadernos/caderno-3/pelos-tracos-do-medium-1.1415376
    O Diário do Nordeste anda bastante interessado em mediunidade, sendo boa fonte para a administração buscar suas “provas” do paranormal.

  17. Gorducho Diz:

    Quem fez sonetos ou cordéis neste planeta, está condenado a faze-los em todos os pontos do espaço e da eternidade a que o leve o dedo divino. E sem mudar de estilo. E sem variar de temas. E sem modificação de ritmos, de rimas ou de inspiração.
    Admitindo essa verdade, a vida literária do outro mundo deve ser mais variada, embora mais fatigante do que neste. Lá estarão ainda Patativa do Assaré a fazer repentes; Antero de Quental a declamar ao estilo dos Sonetos Completos e das Odes Modernas; Augusto dos Anjos com sua lira mórbida; e os parnasianos; e os simbolistas; e os futuristas, que morreram antes do futurismo morrer.
    :(

  18. vinicius Diz:

    e viram espíritos puros e só reencarnam em grandes missões, ou seja, raramente.
    Dr.Bezerra também tem seus momentos de “escritor” , observe:
     
    360 – Mensagem do Dr Bezerra de Menezes psicografada em 21/08/2012 no Centro Espírita LAR DE CLARA (Caucaia-CE) pelo médium Nilton Souza
     
     
    Caríssimo Professor Pinheiro,
     
    Livros são como filhos – eles tem um tempo, tem capítulos elaborados na fornalha da mente em expansão de inteligência; mas também têm lindos escritos pela destra do coração…
     
    Há livros lá fora; livros na biblioteca; livros na universidade; mas há aqueles livros que somos nós mesmos pedindo a co-autoria de Deus no destino de nossas crônicas; de nossos poemas; de nossas novelas e de nossa literatura em geral…
     
    Sejam a vírgula, o ponto e a pontuação apenas adornos nas escolhas feitas pela nossa vontade. Deus está na fonte de tudo, de toda inspiração boa e verdadeira.
     
    Devagar, mas, sempre, busquemos a liberdade, pois a veste corporal é só a casca da borboleta que somos todos, com morada certa e primordial no céu…
     
    Paternalmente,
     
    Bezerra.
     
    http://www.professorpinheiro.net/mensagem.html

  19. MONTALVÃO Diz:

    /
    Participação incidental.
    /
    Estamos diante de nova baldada tentativa de provar que mortos falam com vivos, por meio de atividades típicas de vivos.
    /
    Para atingir a meta, erige-se que no além as coisas funcionam da maneira que o expositor IMAGINA que seja. Eis que agora, ficamos “sabendo” que lá continuam a escrever do jeito que cá redigiam… Por tabela, “aprendemos” que as tarefas no mundo maior são repetições das atividades humanas, porque no além não há novidade alguma, tudo igual ao que aqui é.
    /
    Essas verificações confusas teriam, talvez, alguma validade se a verificação crucial fosse plenamente atendida, a qual sabemos não é, e a qual sabemos qual seja, ou seja: mortos são incapazes de atestar objetivamente suas presenças em meio aos vivos. De nada adianta fingir que esse quesito seja irrelevante, ou dispensável: ele sempre estará presente a denunciar que espíritos, se existem, não comunicam.
    /
    Fico a imaginar meu amigo Sandro, que às vezes sassarica por cá, engruvinhado em seus experimentos grafotécnicos-mediúnicos, na patética pretensão de comprovar que defuntos comunicam porque escrevem “a manieri” de como escreviam quando viviam.
    /
    Sandro, para quem não sabe, pretendeu ser o continuador da obra “científica” de Perandrea, fazendo um “mix” de mediunidade com grafotecnia. Há anos labuta nessa lida sem conseguir uma demonstração concreta que há espírito na parada.
    /
    Nada de novo no front…
    /
    Reitero minha retirada.
    /
    Abraços aos abraçáveis.
    /
    E fui-me, do verbo: hasta la vista baby…

  20. Gorducho Diz:

    Que é Dr. Bezerra é sem dúvida! Por mais que possa tentar disfarçar, o catolicismo aparece: com morada certa e primordial no céu

  21. Gorducho Diz:

    De novo aquele fato dos espíritos não conseguirem se comportar como espíritos – plot hole…-. O “espírito” está lá onde o Kardec disse que eles tão, sabe porque está vivenciando, que as coisas se sucedem como o Kardec disse. Mas na hora de produzir o texto, o que aparece é o imaginário abraâmico: tomara que vamos pro céu.

  22. Vinicius Diz:

    GORDUCHO,
     
    Conhecia essa? Dr.Bezerra intercedeu por algumas subvenções atrasadas :mrgreen:
    :?:
     
    “ Luiz Montolfano, Diretor do Solar Bezerra de Menezes, sediado nas imediações do
    Campo de S. Cristóvão, lutava para receber subvenções atrasadas dos cofres da
    Prefeitura do Estado da Guanabara. Tantas vezes havia ido àquela Tesouraria. As desculpas eram as mesmas; não há verba, aguarde mais uns dias. E isto durava um ano. E as, crianças sob sua guarda passavam sérias privações, tanto mais que havia abrigado mais algumas dezenas de crianças fiando-se naquela ajuda financeira.
    Como tentando um último esforço» fez uma Prece ao Espírito de Bezerra e compareceu à repartição incumbida do pagamento. O serventuário que o atende, lhe pergunta em altas vozes qual é o nome de sua instituição:
    — Solar Bezerra de Menezes —
     
    — Não, não há ainda nenhuma ordem de pagamento.
    Luiz Montolfano, desanimado, vai sair, quando um dos chefes da sessão levanta-se e
    vai ao seu encontro.
     
    — O senhor falou no nome de Bezerra de Menezes. Que há com ele?…
    Luiz Montolfano contou-lhe o que sucedia. Há um ano, vinha tentando receber as
    subvenções atrasadas…
     
    — Não sabia, meu amigo, que se tratava de uma Instituição com o nome de Bezerra
    de Menezes. Por gratidão ao seu Espirito, de quem já recebi tantas graças, sou obrigado
    a trabalhar pela sua causa. Deixe comigo o número do protocolo e vou sindicar. Volte,
    amanhã para saber do resultado.
     
    No dia seguinte, Luiz Montolfano voltou e, com surpresa e emoção, viu na tesouraria
    a ordem de pagamento das subvenções E até hoje não encontrou mais obstáculos…
    O nome de Bezerra de Menezes abriu-lhe todas as portas”
    &nbsp
    Campo de São Cristóvão é onde o Dr.Bezerra monta o hospital itinerante?
    &nbsp
    Qual razão dele não ajudar estas:
    http://www.hospitalnossolar.com.br/portal/noticias/hospital-nosso-lar-pede-apoio-de-deputados-para-superacao-de-crise-e-renovacao-de-contratos-para-2016/
    &nbsp
    http://www.guarulhosweb.com.br/noticia.php?nr=157149&t=Afetada+pela+crise+Casas+Andre+Luiz+pedem+ajuda+para+manter+atendimento

  23. Gorducho Diz:

    Se no século XX os milagres dum Santo vão surgindo assim, imagine os dos santos católicos nos tempos primevos e na idade média sem os meios de comunicação!
    Vemos ao vivo como se fazem os santos…

  24. Gorducho Diz:

    É ali em frente do Souza Aguiar, naquele parque que tem…

  25. Gorducho Diz:

    Por falar no Dr. Bezerra; outro plot hole. O escritor não consegue assumir a postura dos espíritos de fato.
    São ex-marido & mulher franceses e parou um amigo do marido na granja deles. E o cara mau caráter dava em cima e ela dava corda pro hóspede apesar de que aparentemente não chegaram às vias de fato…
    Ela fala pro ex-marido:
    – O escândalo foi terrível, longos os inquéritos policiais, com tentativas de envolvimento da minha pessoa, busca pelo evadido, que logo mais partiu para o front na Linha Maginot, fronteiriça com a Alemanha…
     
     
    (Sim eu sei que tinha um pedaço da linha nos alpes!) Ora, franceses falando entre eles precisa salientar que era na fronteira com a Alemanha que se se sucedia o contexto?
    Plot hole…

  26. Gorducho Diz:

    “Amigo”… da onça, claro :P

  27. Vinicius Diz:

    O que fico “encafifado” é com o caso do caderno de caligrafia da menina !
     
    Até agora só soube que esse médium tem um monte de vídeo no youtube sob o pseudônimo de Professor Pybore, bem desenvolto, bem humorado e nesses vídeos não falam de espiritismo (pelo menos os que vi ontem em casa).

  28. Marcelo Esteves Diz:

    Para mim, a prova cabal da sobrevivência após a morte seria a revelação das senhas deixadas em vida. Não há um caso sequer em que as senhas foram reveladas. Há uma série de anomalias travestidas de prosopopeias espíritas, mas nenhuma prova cabal.

  29. Phelippe Diz:

    Concordo com vc, Marcelo. Só acredito se as senhas forem reveladas. Esperando as senhas do CX, do Monteiro Lobato, as senhas deixadas por meus avós, etc. Até lá continuo cético.

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)