Crimes e Desaparecimentos Resolvidos com a Ajuda de Psíquicos (Parte 13)

Em outubro de 1921, o periódico German Forester (Deutscher Förster) — uma publicação normalmente dedicada a questões relacionadas com a silvicultura — apresentou um artigo peculiar envolvendo assassinato e ocultismo. O autor, um detetive de Berlim chamado Busdorf, descreveu sua investigação do assassinato de um guarda florestal perto da pequena cidade saxônica de Mügeln, em maio de 1921. Enquanto o inquérito de Busdorf começou de maneira previsível com sua equipe fazendo uma busca nas casas dos larápios locais, houve uma reviravolta surpreendente depois que o caso falhou por falta de provas. Embora o calibre da arma do crime, uma pistola 7,65 mm, tenha sido verificado, Busdorf e sua equipe não conseguiram localizar nem rastros (como fibras e pegadas), nem testemunhas, apesar da oferta de uma recompensa de 3000 marcos. Frustrado pelo fracasso dessas medidas forenses e investigativas padrão, o advogado promotor enviou uma carta a Leipzig convocando Luise Diederich, uma clarividente, e Marie Hessel, sua irmã e hipnotista, que obtivera sucesso em casos semelhantes. O detetive e o advogado promotor realizaram quatro sessões com as irmãs em que a clarividente Diederich forneceu uma descrição detalhada das circunstâncias em torno do assassinato, parte do nome do perpetrador, a localização de sua casa, informações sobre o seu cúmplice e o paradeiro da arma do assassinato. Na investigação dessas afirmações, os itens pertencentes à vítima e uma pistola do mesmo calibre que a arma do crime foram encontrados na posse de dois larápios que combinavam com a descrição da clarividente. Ambos os homens foram detidos para aguardar julgamento no tribunal distrital. Em outro caso, em março de 1922, com a insistência dos amigos da vítima, a polícia e o advogado em Tilsit trouxeram as irmãs Diederich e Hessel na esperança de resolver o assassinato do caçador Olbrisch, de outubro de 1921, ocorrido perto de Reisterbruch. A descrição de Diederich sobre o assassino levou à prisão de um açougueiro local chamado Wilhelm T., que mais tarde confessou o crime. Para ler o restante do artigo, clique aqui. Para ler o artigo em inglês, clique aqui.

112 respostas a “Crimes e Desaparecimentos Resolvidos com a Ajuda de Psíquicos (Parte 13)”

  1. Gorducho Diz:

    Pra quem se sinta desestimulado pelo título e tema: vale a pena ler.
    É um artigo sério que retrata uma curiosidade histórica acontecida durante a República de Weimar.
     
     
    A pesquisa e a redação deste artigo foram possíveis através da Bolsa Frances P. Bolton, fornecida pela Parapsychology Foundation, Nova
    York

    Será que o Sr. não consegue uma bolsa pra gente – S/Pessoa, AMa & moi – irmos a Paris e depois na Bélgica investigar aquela encarnação do Divaldo (acho que) em Port Royal :?:
     
     
    along the lines – conforme; segundo…

  2. Gorducho Diz:

    ao longo de linhas militares
    em moldes

  3. Gorducho Diz:

    A encarnação é essa [2:00].
    Acho que é Port Royal mas não cheguei a uma conclusão de quem ele foi
    :?:

  4. Marciano Diz:

    Alô, alô, Analista Gorducho:
    Respondi no outro tópico, mas acho que ninguém mais o visita.
    Transponho para cá:
     
     
    Ausschneiden/einfügen (Copy/paste)
    Marciano Diz:

    setembro 6th, 2017 às 10:45 PM

    1. ===============================================================
    Gorducho Diz:
    SETEMBRO 5TH, 2017 ÀS 4:25 PM
    Sr. Administrador,
    Analista Marciano,
    Analista Vinícius que é daí do estado mesmo…):
    caso o Dr. instale a corneta e eles consigam ouvir Dr. Bezerra direto, ¿vamos marcar um encontro lá?
    Depois jantamos, tomamos uns chopps… claro.
    Combinado de antemão

    ===============================================================
     
    De minha parte, topo.
    Desculpe a demora na resposta. Ando muito atarefado, mas combinando de antemão, dá pra gente fazer.

    Marciano Diz:

    setembro 6th, 2017 às 10:46 PM

    Eu quis dizer que já está combinado de antemão, mas a gente deverá, se outros toparem, combinar com bastante antecedência.

  5. Marciano Diz:

    No que diz respeito à bolsa para investigarmos a vida passada de DPF, estou dentro também.
    Count me in!

  6. Gorducho Diz:

    Observe que a encarnação que iremos estudar é essa que ele conta na palestra.
    Não consegui correlacionar o confessor que pos Mère Angélique nos trilhos e depois se foi (não morreu lá) com o fundador ( :?: ) da ordem.
    E talvez não seja Port Royal, então se prepare pra ficarmos pelo menos 1 mês entre Paris e a Bélgica…

  7. Mariana Diz:

    Esse artigo não trás nenhuma evidência de poderes psi como pode sugerir sua introdução Vitor, muito pelo contrário, ele trás apenas umas curiosidades sobre a relação entre investigadores psi e a polícia dessa época, na Alemanha. E fica uma conclusão muito clara lendo, os psíquicos foram um fracasso, já que nem se adquiriam conhecimento por meios normais não tinha como se saber…

  8. Mariana Diz:

    “A telepatia criminal, no entanto, que se mostrou não confiável em inúmeros testes, tanto em campo quanto no tribunal, parecia apenas criar mais trabalho. Além disso, o uso policial dos clarividentes era problemático, como sugerem as declarações do censor e do ministro, porque fragmentava a autoridade epistêmica sobreve o crime” … etc e tal

  9. Marciano Diz:

    Desde que a bolsa cubra danos emergentes e lucros cessantes, eu fico quanto tempo for necessário, em qualquer lugar.
    Que tal um crowdfunding que compense o que deixarei de ganhar no período da investigação e os clientes que perderei em função dela?
    Só com crowdfunding mesmo.

  10. Vitor Diz:

    Oi, Mariana
    eu discordo, penso que o artigo traz sim evidências dos poderes psi, por vários motivos, especialmente relacionado às irmãs.
    .
    1) O 1º caso das irmãs foi publicado em uma revista de sivicultura, logo, não era uma revista sensacionalista.
    .
    2) O autor do artigo foi o próprio detetive do caso.
    .
    3) É dito que as irmãs já haviam desfrutado do sucesso antes, em outros casos (plural).
    .
    4) O 2º caso das irmãs foi publicado numa revista científica, a Zeitschrift fur kritischen Okkultismus, que tinha contribuições de Max Dessoir, Rudolph Tischner, E.J. Dingwall, Schrenck Notzing e outros.
    .
    5) Houve um 3º caso de sucesso mencionado no artigo, o de Günther-Geffers (embora este fosse de um caráter mais duvidoso).
    .
    6) É dito que “o uso de telepatas criminais pela polícia de Weimar [era] insignificante”. Logo, 3 sucessos (no mínimo… as irmãs tiveram mais sucessos do que os 2 mencionados) para um uso insignificante se torna bastante relevante.
    .
    7) Dizer que não se sabia se as irmãs poderiam ter obtido as informações por meios normais ou não, embora possível, me parece muito implausível, dado o histórico de sucesso delas, e o fato que é dito que até então o caso havia falhado por “falta de provas”. Além disso, é dito que havia uma recompensa de 3 mil marcos. Elas poderiam ter pego a recompensa, já que até parte do nome do criminoso foi dado por elas, e sua localização. E elas só foram chamadas para elucidar o crime após a carta do advogado promotor, o que mostra que elas não estavam antenadas com o caso, ou poderiam ter requerido a recompensa antes.

  11. Vitor Diz:

    8) Mesmo boa parte dos casos de fracassos de telepatas criminais não eram de clarividentes, e sim de astrólogos. Isso claramente melhora o índice de acerto dos clarividentes (cujo uso, lembrando, era insignificante).

  12. Vitor Diz:

    Atualizei a tradução com a sugestão do Gorducho, e outras mudanças menores.

  13. Gorducho Diz:

    O Sr. está “no barco” pra gente tentar obter a bolsa :?:
    É importante se ter um nome “institucional” e de reconhecida seriedade como é o Sítio pra gente apresentar o projeto (deve ser along these lines…).
    AMa já vi que não tem disposição de fazer nenhum sacrifício monetário em prol do nosso hobby :(
    e AMo acho que só entende o português.
    Então a priori seríamos só nos 2 mesmo…
    Que diz :?:

  14. Gorducho Diz:

    Acho que com uns 50000€ a gente se vira e apresenta um bom artigo científico.

  15. Vitor Diz:

    Eu não estou no barco. Todo o dinheiro que consigo no meu blog – atualmente e já por muito tempo zero – invisto ou em livros ou em traduções. Além disso, essa encarnação do Divaldo é bastante fantasiosa pra mim.

  16. Gorducho Diz:

    Mas que burrice :( – desculpe a franqueza mas franqueza não deve ofender :!:
    É CLARO que não vai ser usado o (inexistente nestas cifras, CLARO :!: ).
    Nós pleiteamos uma bolsa dessa Parapsychology Foundation de NY; que financiou o (aliás ótimo…) trabalho em tela.
    ENTENDEU :?:

  17. Gorducho Diz:

    É CLARO que não vai ser usado o (inexistente nestas cifras, CLARO) $ da Casa.
    Por favor…
    :roll:

  18. Vitor Diz:

    Bolsas precisam se reverter em artigos científicos. A Bial Foundation faz patrocínios do tipo:
    .
    https://www.bial.com/en/bial_foundation.11/grants.18/grants_for_scientific_research_.a38.html
    .
    Mas antes de tentar uma bolsa com eles, acho que tal pesquisa poderia ser feita por alguém que mora na França. Ao menos ter uma investigação inicial. Um parapsicólogo que mora lá é o Renaud Evrard. O email dele é evrardrenaud@gmail.com

  19. Gorducho Diz:

    O Sr. acha que nós não temos capacidade pra escrever um artigo científico acerca dessa encarnação dele :?:

  20. Gorducho Diz:

    Qual a fundação que vai nos garantir a bolsa S/Pessoa está mais ao par desse ramo.
    E, obvio que teremos que apresentar o projeto de pesquisa pra mas de uma.
    Não sou tão burro assim…

  21. Vitor Diz:

    Eu disse, Fundação Bial. Não disse nada sobre não ter capacidade para escrever um artigo científico, só lembrei da contraparte. Deve ter que traduzir para o inglês. De repente o Renaud sabe de outras bolsas.

  22. mrh Diz:

    Muiiito bão o texto. Faz algum tempo discutia-se neste blog pq os médiuns, psíquicos e outros seres estranhos não forneciam pistas para, p. ex., achar a menina raptada, saber quem foi um assassino etc.
    .
    Esta indagação era considerada uma crítica forte contra os poderes macabros.
    .
    Agora, graças a insistência do Vitor, vamos aos poucos descobrindo a existência de literatura responsável sobre o assunto… ambos os lados foram bem avaliados. E a resposta vai aparecendo.
    .
    O sistema foi esmagando a espontaneidade, condenando quem tentava fazê-lo ou investigar tal possibilidade.
    .
    Por outro lado, a imparável multidão de pilantras que se traveste de psíquico produzia um monte de escolhos, que desviava o foco da polícia e das autoridades de algumas pessoas aparentemente capazes.
    .
    Vc traduziu esse trem do alemão?

  23. Gorducho Diz:

    Além do AMa acho que cá só o Analista Phelippe sabe alemão :(
    O trem não é da Deutsche Bahn. É do Jornal de História Contemporânea.
     
    O título e principalmente a apresentação cá feita enganam completamente.
    Sim: o artigo é sobre uma peculiaridade bizarra daquele nefasto período da nossa querida & simpática Alemanha!

  24. Vitor Diz:

    A revista alemã com um dos casos evidenciais das irmãs é facilmente encontrada pelo google. Já baixei. Espero traduzi-la em breve (nem que seja no tradutor do google).

  25. Gorducho Diz:

    O Sr. sabe alemão?
    Ano passado deu um pulinho bem rapidinho em Berlin, não é?

  26. Vitor Diz:

    Eu não sei alemão. Mas sei me virar.

  27. Vitor Diz:

    E para ficar claro, nunca saí do Brasil.

  28. Gorducho Diz:

    Interpreta tudo pro lado da sacanagem…
    Perguntei por curiosidade numa boa porque falei que só AMa + Analista Phelippe sabiam…
    Lembra que até olhamos horários e conexões?
     
    Na Alemanha quase todos falam inglês e sem sotaque americano então é tranquilo.
    Eu “me viro” também lá… só :mrgreen:

  29. Gorducho Diz:

    feche o bold e paro de lhe importunar…

  30. Marciano Diz:

     
    ===============================================================
    AMa já vi que não tem disposição de fazer nenhum sacrifício monetário em prol do nosso hobby
    ===============================================================
     
    Não é beeem assim.
    Sou profissional liberal. Eu até poderia fazer o sacrifício de ficar um tempo sem trabalhar e deixar de ganhar dinheiro, a troco de uma bolsa insignificante, em prol de nossa missão investigativa.
     
    O problema é que eu perco meus clientes. Não posso, de uma hora para outra, substabelecer poderes para um colega e largar os clientes. Isto destruiria minha reputação; eu perderia clientes atuais e deixaria de ser indicado para outros futuros.
     
    Advogados e médicos têm clientela. Uma boa clientela é obtida com bons serviços e indicação de gente satisfeita.
     
    Além do mais, essas tais fundações jamais colaborariam com a nossa investigação. Diriam que não somos profissionais, que não temos capacitação para investigar nada, tirariam o corpo fora.
     
    Se o fizéssemos às nossas custas, eles só se interessariam se nós “comprovássemos” as hipóteses deles.
    No caso em tela, teríamos de comprovar que DPF “realmente” viveu uma vida passada por aquelas bandas.
     
    Meu alemão está bastante enferrujado. Numa breve conversa que tive em alemão com o Phellipe, aqui, pareceu-me que ele é bem melhor do que eu.
    No momento, estou tendo aulas particulares com um alemão de verdade, o qual está me dando aulas de gramática e de conversação, quando tenho tempo.
    Para a pesquisa da prévia “encarnação” de DPF, temos tudo aquilo de que precisamos, menos tempo e dinheiro.
     
    AMo é aposentado, tem todo o tempo do mundo (tirando o que gasta com a cachorrada), além do fato de que poderíamos servir de intérprete dele.

  31. Marciano Diz:

    “Cachorrada”, to texto acima, não é pejorativo, diga-se bem claramente.
    É que o Montalvão cuida de vários cachorros, com o maior carinho.

  32. Marciano Diz:

    Em outubro de 1921…
    Em outro caso, em março de 1922…
    E no caso mais recente, no Ceará, o caso do Galdino?
    Alguma novidade?
     
    Para o caso Galdino não precisamos ir à Alemanha, Bélgica ou França, nem precisamos voltar no tempo.
     
    Será bem mais fácil aferirmos a realidade ou irrealidade Ψ com o caso Galdino do que com esses casos longínquos no tempo e no espaço.

  33. Marciano Diz:

    Alguém já foi preso ou confessou algum crime no caso Galdino?
    Foi morte acidental?
    O que dizem os magos?

  34. Marciano Diz:

    Dado que as provas que eu e o Analista Gorducho obtivemos de que o médium Gilberto, assassinado no centro Frei Luiz, não foram aceitas pela polícia, vamos tentar esclarecer aquela morte no banheiro da FEESP.
    Algum adivinho já se posicionou?
    Quem sabe algum guarda-florestal encontra o possível assassino do Galdino?

  35. Marciano Diz:

    Um cara desaparece dentro da FEESP e um punhado de médiuns não consegue localizar o corpo no banheiro.
    Já não se fazem mais psíquicos como antigamente.
     
    Em 1830 um escravo fugitivo foi localizado com a ajuda de um capataz médium. O caso é impressionante.
    Qualquer dia desses eu o conto aqui.
    Se eu encontrar a edição de “O Paiz” que publicou a história, claro.
    O jornal só foi publicado em 1º de outubro de 1884, mas misteriosamente, um exemplar foi encontrado em 1830, narando a história do escravo fugitivo. Coisas da retrocausação.

  36. Marciano Diz:

    Errei a data.
     
    Durante a década de 1830, a economia cafeeira começou a despontar no Brasil Império, principalmente na região fluminense do Vale do Rio Paraíba. A afluência de escravos para as fazendas da região aumentou, sendo ainda intensificada a exploração do trabalho. No contexto de início da produção cafeeira, estourou mais uma revolta de escravos, que se consubstanciou na tentativa de formação do que ficou conhecido como Quilombo de Manoel Congo.
     

    É indicado como uma tentativa em decorrência da efemeridade do Quilombo de Manoel Congo, situado no município de Vassouras no Rio de Janeiro, porém, o medo suscitado nos latifundiários da região manteve viva a memória dessa luta dos escravos, conhecida também como Revolta de Paty dos Alferes.
     

    A revolta ocorreu em novembro de 1838, entre os escravos do capitão-mor Manuel Francisco Xavier, que detinha algumas fazendas na região. O motivo do levante contra o fazendeiro teria tido origem após a morte do escravo Camilo Sapateiro pelo capataz de uma de suas fazendas. Indignados com o assassinato do companheiro de cativeiro, os escravos liderados pelo também escravo e ferreiro Manoel Congo resolveram protestar junto ao latifundiário, que prometeu tomar providências. Porém, essas providências nunca foram colocadas em prática.
     

    O não cumprimento da promessa deixou ainda mais indignados os escravos. O assassinato de Camilo era um excesso brutal dos hábitos disciplinares de trabalho na fazenda. Como o senhor não tomou providências, os escravos mataram o capataz. Após essa ação, os escravos fugiram. A fuga em massa de cerca de 200 escravos ocorreu em duas fazendas do capitão-mor, entre os dias 06 e 10 de novembro de 1838.
     
    O senhor da fazenda contratou um psíquico, que localizou Manoel Congo e, logo depois, todos os demais fugitivos.
     
    Passado tanto tempo, fica difícil provar o fato, mas juro que é verdade.

  37. Marciano Diz:

    5 Anzeichen, dass eine verstorbene Person noch in deiner Nähe ist.
    5 sinais de que pessoas mortas ainda estão perto de você.
     
    Es ist spürbar, dass die verstorbene Person gegenwärtig ist.
    É possível perceber que a pessoa morta está presente.
     
    http://www.brigitte.de/liebe/persoenlichkeit/kontakt-mit-verstorbenen–5-zeichen-aus-dem-jenseits-10917220.html

  38. Marciano Diz:

    Quem quiser fazer contato com os mortos, que procure através da Brigitte.
    Zufriedenheit garantiert, oder Ihr Geld zurück.

  39. Marciano Diz:

    Sinais de que uma pessoa morta está perto de você.
    Vou fazer igual ao Gorducho e parar de importunar.
    Espero (ansiosamente) pela 14ª parte.
    [{-_-}] ZZZzz zz z...

  40. Marciano Diz:

    Schlaflosigkeit ist verdammt schlecht.
    💤 💤 💤

  41. Marciano Diz:

    Psychographische Geschichte.
     
    Spiritus (Geist ist für die schlechten): Wolfgang Karlis Meier.
     
    Mittel: Marsbewohner.
     
     

    Mit leichtem Druck gegen ihre Innenschenkel gab ich ihr zu verstehen, daß sie die Beine weiter spreizen solle, was sie auch sofort tat. Ich begann mit meiner Zunge ihre Schamlippen zu lecken. Genüßlich bearbeitete ich das Areal zwischen Anus und Venushügel. Tina hatte schon längst die Arbeit eingestellt und genoß die Zungenbehandlung. Um mir mehr Möglichkeiten zu geben, drehte sie sich um und plazierte ihre Muschi genau über meinem Mund. Jetzt konnte ich richtig loslegen. Ich schob meine Zunge soweit es ging in Ihre Muschi, ließ sie dann langsam nach vorne in der gesamten Länge über ihren Kitzler gleiten. Tina griff nach meinem Kopf und drückte ihn fest auf ihre Liebesgrotte. Ich nahm ihren Kitzler zwischen meine Lippen, saugte daran und bearbeitete gleichzeitig mit meiner Zungenspitze den Kopf ihres Kitzlers. Tina stöhnte bei dieser Behandlung laut auf. Ein heftiger Orgasmus folgte. Nachdem sie sich wieder gefaßt hatte, zog sie mich am Kopf nach oben und drückte mir ihre Lippen auf meinen, mit Mösensaft eingeschleimten Mund. Es folgte ein langer, wilder Zungenkuß, bei dem sie mir mein Hemd und das T-Shirt auszog. Bevor sie mir das Shirt über den Kopf gestreift hatte, ließ sie noch einmal ihre Zunge durch meinen Mund gleiten. Während sie sich dann mit ihrem Mund intensiv meinen Brustwarzen widmete, begann sie mir den Hosengürtel zu öffnen. Als das geschafft war, zog sie den Reißverschluß auf und schob die Jeans und die Boxershorts nach unten. Mein Schwengel schoß wie ein Katapult nach vorne. Langsam, ganz langsam glitt Tina mit ihrem Mund nach unten und ließ dabei ihre Fingernägel über meinen Oberkörper gleiten. Mit der linken Hand griff sie an meinen stahlharten Ständer und zog meine Vorhaut von meiner verschleimten Eichel soweit es ging nach hinten. Dann schaute sie sich das Stück genüßlich an, ließ ihre Zunge über ihre Lippen gleiten, um sie dann über meine Nille zu stülpen. Wie an einem Lolli saugte sie an meiner Eichel. Ich konnte es nicht fassen, meine prüde, kleine Amerikanerin saugte genüßlich an meinem Schwanz. Doch damit nicht genug, immer weiter schob sie ihre Lippen zum Ende meines Prügels und sog ihn immer tiefer in ihre Kehle.
     
    Ich hätte nie geglaubt, daß Tina in der Lage ist, meinen Schwanz in voller Länge zu schlucken. Langsam ließ sie meinen Ständer wieder aus ihrem Mund aber nur soweit, bis ihre Lippen am Kranz der Eichel angekommen waren. Wie ein Blitz durchfuhr es mich, als sie meine Eichel mit ihrer Zunge bearbeitete. Von oben nach unten, von unten nach oben, dann wie ein Kreisel wanderte ihre Zunge über meine, mittlerweile dunkelrote, Eichel. Dann sog sie wieder meinen Schwanz bis zum Anschlag in ihre Kehle. Das war jetzt doch zu viel, ich packte mit beiden Händen ihren Kopf, und fickte sie mit aller Macht in den Mund. Ich war so heiß. Deshalb dauerte es auch nicht mehr lange und ich entlud mein Sperma in ihrem Mund. Eine Fontäne nach der Anderen landete auf ihrer Zunge und in ihrem Rachen. Da sie meinen Schwanz nicht eine Sekunde aus ihrem Mund gelassen hatte, ging kein Tropfen Sperma verloren. Sie schluckte alles. Jeden Tropfen saugte sie aus meinem Ständer. Sie ließ ihn nicht aus ihrem Mund und gab ihm keine Chance sich zu erholen. Ihre Hände widmeten sich meinem Körper. Mal wanderten sie nach oben, um sich meinen Brustwarzen zu widmen oder nach hinten, um meine Arschbacken zu packen, damit sie sich meinen Schwanz so weit es ging, in ihren Rachen zu schieben. Dann wieder drückte sie mit der linken Hand meinen Prügel damit meine Eichel noch praller wurde, wie sie sowieso schon war. Gleichzeitig nahm sie meinen Sack in ihre rechte Hand und massierte ganz leicht meine Eier. Nach einer Weile packte ich sie unter den Armen und zog sie zu mir hoch. Während eines intensiven Zungenkusses hob ich sie an, und setzte sie auf die Theke. Über den Hals und die kleinen, festen Brüste wanderte mein Mund zu ihrem Schoß. Mit meiner Zunge teilte ich ihre Schamlippen. Intensiv widmete ich mich ihrer Muschi und dem Kitzler, der zwischen den Schamlippen hervorlugte. Der Saft lief unaufhaltsam zwischen ihre Arschbacken. Langsam begann ich mit dem Zeigefinger, während ich an ihrem Kitzler saugte, ihre Rosette zu stimulieren. Tina hob ihre Beine an und stellte ihre Fersen auf die Theke. Gleichzeitig schob sie ihr Becken weiter zu mir. Dadurch öffnete sich ihre Po-Spalte ein bißchen mehr und erleichterte mir den Zugang zu ihrer Rosette.

  42. Espírita Sp Orlando Diz:

    Para a investigação da reencarnação de DPF seria necessário levá-lo junto também para que relate aos pesquisadores. Certo?
    Vitor, porquê acha fantasiosa? Divaldo não tem motivos para inventar…

  43. Espírita Sp Orlando Diz:

    Marciano, está falando do caso abaixo, sobre a FEESP?

    Meu tio, Claudio Arouca, não respondeu mais as mensagens do Whatsapp por volta das 11h de Quinta-feira (13/07), tinha uma reunião importante no período da tarde e não compareceu. A família ficou preocupada e começamos a procura-lo. O último lugar que ele estava quando respondeu a última mensagem era na Federação Espírita do Estado de São Paulo na Rua Maria Paula, 140. Fomos na Feesp perguntar se alguém tinha passado mal, se viram ele e pedimos acesso as gravações das cameras de segurança. Não foi passado nenhuma informação e foi negado o acesso as gravações. Estavamos desesperados, com um ente querido desaparecido e mesmo nessa situação negaram o acesso, alegando que liberariam somente perante ordem judicial. Começamos a procurar em todos hospitais da cidade, iml, delegacias e nenhuma notícia. O carro que meu tio estava usando estava no estacionamento da federação desde quinta de manhã e ele não fez nenhuma movimentação na conta bancária depois das 10h de quinta. Na sexta (14/07) continuamos as buscas nos arredores da feesp, verificamos as cameras dos estabelecimentos ao redor ( que diferentemente da feesp, se sensibilizaram e liberaram o acesso) e fomos novamente na feesp verificar se tinham visto ele e novamente foi negado o acesso as cameras. Um milhão de pensamentos começaram a passar pela cabeça, que ele podia ter sequestrado, torturado, etc. Cada ligação para o iml era angustiante com a possibilidade de confirmação da morte. Ontem, 15/07, fomos novamente na feesp e comunicaram que encontraram um corpo no banheiro. Demoraram para liberarem para irmos reconhecer o corpo porque estava tendo festa na federaçao, mesmo com um corpo no prédio. A alegação era essa “está tendo uma festa, tem muita gente , vocês vão ter que esperar”. Depois de muito desgaste, conseguimos ir e fazer o reconhecimento do Claudio. O corpo já estava em estado de decomposição. As funcionárias da limpeza alegavam que tinha realizado a limpeza do banheiro na sexta e não tinha nenhum corpo, o que é mentira porque segundo a pericia o corpo estava desde quinta e pelo estado de deteriorização não era possível ter menos de 24h da morte. A minha família foi tratada com total desrespeito pelos funcionários da feesp, desde os funcionários do nível operacional até os diretores, em especial pela presidente da feesp Zulmira da Conceição Chaves Hassesian. O que mais me surpreendeu e entristeceu foi a falta de empatia e boa vontade dos funcionários e da Zulmira. Estavamos desesperados, precisando de ajuda e foi negado em um lugar que se propoe a ajudar os outros. Depois do reconhecimento do corpo, mesmo com a confirmação da perícia que o corpo estava desde quinta, a feesp continuou defendendo que tinha menos de 24h do falecimento. A doutrina espírita é realmente muito bonita, é uma pena que seus líderes tenham ações completamente distoantes do que é pregado”
    Estranho e chato.

  44. Gorducho Diz:

    Veja que o sistema de vigilância espiritual da Casa – que durante pelo menos um certo tempo se bem me lembro era coordenado pelo (espírito do, claro) Dr. Bezerra – não foi capaz de avisar NENHUM membro do corpo mediúnico do falecimento.
    :o
    :?:

  45. Gorducho Diz:

    Claro que se era do planejamento reencarnatório (“destino”) daquele Sr. falecer naquela circunstância e/ou naquela dia, os espíritos não iriam IMPEDIR o desencarne dele só porque estava dentro da Casa.
    Mas depois, por “caridade” – martelam tanto e tanto na tal “caridade” eles os espíritos :( – para com os familiares aflitos avisarem logo após o sucesso…

  46. Marciano Diz:

    Sim, Orlando. Estou me referindo, dentre outros, ao caso FEESP.
     
    Durante o sono, caí em profundo transe mediúnico e psicografei uma mensagem. Só descobri hoje, quando aqui entrei. Estava inconsciente durante a escrita automática.
     
    Como o Analista Gorducho não se manifestou sobre a psicografia, como fez de outras vezes em que psicografei espíritos italianos, acho que ele, realmente, não fala alemão.
     
     
    Sobre o caso Galdino, ninguém tem nada a dizer?
    Volto a perguntar:
     
     
    Em outubro de 1921…
    Em outro caso, em março de 1922…
    E no caso mais recente, no Ceará, o caso do Galdino?
    Alguma novidade?
     
    Para o caso Galdino não precisamos ir à Alemanha, Bélgica ou França, nem precisamos voltar no tempo.
     
    Será bem mais fácil aferirmos a realidade ou irrealidade Ψ com o caso Galdino do que com esses casos longínquos no tempo e no espaço.

     
    Alguém já foi preso ou confessou algum crime no caso Galdino?
    Foi morte acidental?
    O que dizem os magos?

  47. Gorducho Diz:

    =================================================================
    Como o Analista Gorducho não se manifestou sobre a psicografia
    =================================================================

    Tava me (re)atualizando sobre a encarnação.
    Fazendo o dever de casa pro caso (provável) da gente conseguir a bolsa.
    Aquela parte do chão desgastado acho que me lembro de já ter visto quando andei pesquisando originalmente. Agora perdi ou não tinha visto isso e estou imaginando coisas…
    By the way: chapelet secret seria um livreto :?:
    Porque foi “composto”…

  48. Marciano Diz:

    Le « Chapelet Secret du Saint-Sacrement» diffusé en milieu janséniste à la même période que le « Chapelet de la Petite Couronne » de Marguerite du Saint-Sacrement, se présentait comme un sorte de petit traité mystique – faussement attribué à Saint-Cyran (1581-1643), puisque composé en réalité par Agnès Arnauld (1593-1672), qui deviendra en 1658 abbesse de Port-Royal lors de la période la plus hostile au jansénisme, organisant le mouvement de résistance à la signature du Formulaire d’Alexandre VI.
     
    Afin de disculper Saint-Cyran des accusations que l’on portait contre lui, Agnès Arnauld, écrivit une reconnaissance officielle du Chapelet secret, exposant les circonstances de sa rédaction (Cf. P. Faugère, Lettres de la mère Agnès Arnauld, abbesse de Port-Royal, Duprat, 1858, t.1, pp. 226-227, in Port-Royal, Anthologie établie et présentée par Laurence Plazenet, Flammarion, 2012, pp. 974-975).
     
    Cependant, comme il était à craindre, Le 18 juin 1633, le « Chapelet Secret » fut condamné par la Sorbonne et, le 26 avril de l’année suivante, le pape Urbain VIII (1568-1644) ordonnait sa destruction. Mais, fort heureusement, la pratique du « Chapelet secret » se maintint elle-même secrètement, alors que l’abbé de Saint-Cyran, ayant étudié attentivement le texte du « Chapelet secret », le trouva théologiquement parfait et obtint une approbation signée des docteurs de Louvain, en particulier de Jansénius, écrivant anonymement une « Apologie pour servir de défense au Chapelet secret» (1634), afin de répondre aux violentes critiques, également anonymes, publiées contre le Chapelet, par un jésuite que l’on croit être le Père Binet (1569-1639).
     
    Celle qui deviendra Mère Agnès, plusieurs années avant l’Augustinus (1641), posait donc les bases d’une spiritualité de l’annihilation volontaire, faisant de l’Oportet illum crescere, me autem minui, une rigoureuse perspective ascétique et mystique, parlant de « l’inapplication », et mettant en lumière l’infinie distance qui sépare la créature de Jésus-Christ, l’Être Divin ne devant point se soucier, ni n’avoir aucun égard pour notre néant, l’âme ayant à préférer être exposée à la perte plutôt qu’au souvenir de Dieu, ceci afin de disparaître dans l’abîme de l’oubli : « Afin que Jésus-Christ s’occupe de Lui-même, et qu’il ne donne point dans Lui d’être aux néants; qu’Il n’ait égard à rien qui se passe hors de Lui; que les âmes ne se présentent pas à Lui pour l’objet de son application, mais plutôt pour être rebutées par la préférence qu’Il doit à soi-même; qu’elles s’appliquent et se donnent à cette inapplication de Jésus-Christ, aimant mieux être exposées à son oubli, qu’étant en son souvenir, lui donner sujet de sortir de l’application de soi-même pour s’appliquer aux créatures. » Il convient, selon le « Chapelet secret », en choisissant le néant et l’extrême délaissement : « que les âmes se rendent à l’ignorance et qu’elles aiment le secret des conseils de Dieu, qu’elles renoncent à la manifestation des choses cachées de Dieu.»
     
    On constate, à la lecture des lignes d’Agnès Arnauld composant les méditations du « Chapelet secret », la grande proximité, pour ne pas dire leur intime parenté, avec certains textes du courant mystique qui fut désigné sous le nom de « quiétisme » au XVIIe siècle, prônant l’anéantissement des facultés et le saint repos intérieur de l’âme dans l’exercice de l’oraison. A première vue, ce rapprochement pourrait d’ailleurs surprendre, tant l’idée subsiste parfois chez beaucoup, d’un rejet de la part du jansénisme à l’égard de la mystique passive.

  49. Gorducho Diz:

    ========================================================
    Para a investigação da reencarnação de DPF seria necessário levá-lo junto também para que relate aos pesquisadores. Certo?

    ========================================================

    Wrong.
    O relato é a palestra. Nós vamos constatar cientificamente, de forma “independente”, ou seja sem sermos influenciados pelo relatante.
    Isso aliás será certamente uma das condições pra obtermos a bolsa.
    Eu não consegui chegar a uma conclusão porque pela descrição do trajeto me parece ser Port-Royal (des-Champs) mas em 1625 o que foi fundado é a (antiga) sucursal de Paris – hoje um hospital/maternidade perto das faculdades…– e não onde então ele estaria segundo minha dedução (claro que pode não ser Port-Royal o monastério referido :!: ).
    O fundador da Ordem (dos Cîteaux) foi saint Robert “de Champagne”; e esse mosteiro campino foi fundado em 1204.
    É essa por enquanto minha dúvida…

  50. Gorducho Diz:

    Sabe que eu não tenho coragem :oops: de falar sobre essas coisas (ainda bem que o Pastor não anda por cá :( ).
    Aquela vez me manifestei porque S/Pessoa me aprontou uma “brincadeirinha”…

  51. Marciano Diz:

    Chapelet (dans ce cas) = Objet de dévotion consistant en une sorte de collier de grains enfilés, que l’on fait passer successivement entre ses doigts, en récitant certaines prières, notamment, chez les catholiques, le Credo, le Pater et l’Ave Maria.
    Prières que l’on récite en faisant passer dans ses doigts les grains d’un chapelet ; récitation de ces prières.

    LAROUSSE.
    Chez nous, catholiques, c’est une chose commune.

  52. Marciano Diz:

    Não confundam rosário com chapeleta.
    E claro que sei que A. Gorducho é muito pudico, por isso sempre o provoco.

  53. Gorducho Diz:

    Então… chapelet no caso é um livreto/texto missal, e não um rosário.
     
     
    O abbé de Saint-Cyran ele não foi porque morreu em Port-Royal mas na filial de Paris.
    Des amis interviennent alors en faveur de Saint-Cyran. Le 6 février 1643, Duvergier de sort de Vincennes : il est conduit par Robert Arnauld d’Andilly directement au monastère de Port-Royal, au faubourg Saint-Jacques : par la suite, il y revient de manière régulière et reprend ses activités.
    [Sociedade dos Amigos de Port-Royal]

  54. Marciano Diz:

    O rosário tem duplo significado: o colar que se usa para contar as rezas e as orações (ensinadas num livrinho) que são usadas enquanto se o desfia.
    Check it out:
    substantivo masculino
    1 Rubrica: liturgia católica.
    fileira de 165 pequenas contas dispostas de maneira sucessiva, representando cada uma delas uma oração
    1.1 Rubrica: liturgia católica.
    oração em honra de Nossa Senhora em que se intercalam ave-marias com a meditação dos mistérios, iniciados pela oração do padre-nosso e encerrados pelo glória [Divide-se em três partes, das quais cada uma é composta de cinco dezenas de ave-marias e de cinco padre-nossos.]
    2 Derivação: sentido figurado.
    grande quantidade; sequência ininterrupta; enfiada, série, sucessão

  55. Marciano Diz:

    https://www.youtube.com/watch?v=Tyeu2Z_p9sM&list=PL4NcLprM70pFreCyuw3mO03A_l_ITBwiM&t=23

  56. Marciano Diz:

    Gorducho, se não sabe, a polícia militar do RJ treina cães em alemão.
    Se não acredita, pesquise a respeito.
    Até cães estão falando alemão.
    Braver Hund! (braffer Hoont)
    ________________________________________
    Setzen (zet-zen)
    ________________________________________
    Platz (plutz)
    ________________________________________
    Steh (sh-tay)
    ________________________________________
    Bleib (blibe)
    ________________________________________
    Nimm (nimbi)
    ________________________________________
    Aus (ous)
    ________________________________________
    Lass es
    ________________________________________
    Achtung (Ahktoong)
    ________________________________________
    Warten (varten)
    Zwinger!
    ________________________________________
    Hier (heere) / Komm
    ________________________________________
    Fuss (Foos)
    ________________________________________
    Zurückweichen (Zuruk-vaishen)
    ________________________________________
    Voran (vo-ron) / Such (sukh)
    ________________________________________
    Ruhig (Rui)
    ________________________________________
    Apport (ah-port) / Bring (brink)
    ________________________________________
    Anhalten
    ________________________________________
    Gib laut (gib-lout)
    ________________________________________
    Brummen (bromen)
    ________________________________________
    Fass (faas)
    Zwinger!
    ________________________________________
    Hier (heere) / Komm
    ________________________________________
    Fuss (Foos)
    ________________________________________
    Zurückweichen (Zuruk-vaishen)
    ________________________________________
    Voran (vo-ron) / Such (sukh)
    ________________________________________
    Ruhig (Rui)
    ________________________________________
    Apport (ah-port) / Bring (brink)
    ________________________________________
    Anhalten
    ________________________________________
    Gib laut (gib-lout)
    ________________________________________
    Brummen (bromen)
    ________________________________________
    Fass (faas)

  57. Marciano Diz:

    A pronúncia das palavras (entre parênteses) está em inglês.

  58. Marciano Diz:

    Dizer que os cães falam alemão é força de expressão. Claro que eles entendem comandos em alemão e latem na linguagem mundial dos cães.

  59. Gorducho Diz:

    Todos que convivem com cães, como AMo & moi – e S/Pessoa já teve, certo :?: – sabem que eles entendem.
    Gatos não… Há 3½ anos apareceu um gato cá… e esse não entende o que a gente fala.
    Muito menos obedece, claro.
     
     
    E afinal aí na Montanha Sagrada… prenderam algum suspeito encarnado derrubando a nossa investigação mediúnica :?:
    Ou segue valendo a nossa informação psíquica :?:

  60. Gorducho Diz:

    Acredito que como são pastores “alemães” usem algum método de treinamento ou até mesmo tenham consultores de lá…
    Ou e sem contradição com o acima, seja alguma padronização entre as polícias locais/INTERPOL – a Copa… as Olimpíadas aí…

  61. Marciano Diz:

    ===============================================================
    Todos que convivem com cães, como AMo & moi – e S/Pessoa já teve, certo :?: – sabem que eles entendem.
    ===============================================================
     
    Certo, minha pessoa já os teve, e não mais os quer porque os que teve causou-lhe muito sofrimento, quando desencarnaram.
    Minha pessoa não quer mais passar por isso.
     
    ===============================================================
    Gatos não… Há 3½ anos apareceu um gato cá… e esse não entende o que a gente fala.
    Muito menos obedece, claro.

    ===============================================================
     
    Not quite! Não generalize o que parece ter sido a única experiência de sua pessoa com gato (no singular).
    Já tive gatos também (e também sofri quando eles se foram) e sei que eles não obedecem (em geral), que parecem não entender, mas entendem muita coisa.
     
    Tive um que se escondia quando ouvia a palavra “veterinário”.
    Eles não interagem conosco como os cães, mas não são burros como parecem ser.
     
     
    ===============================================================
    E afinal aí na Montanha Sagrada… prenderam algum suspeito encarnado derrubando a nossa investigação mediúnica :?:
    Ou segue valendo a nossa informação psíquica :?:

    ===============================================================
     
    Não sei se houve prisão, mas tinham embuchado o crime num encarnado. Mas nós sabemos (graças ao livro no qual são relatadas tentativas anteriores) que houve homicídio praticado por desencarnados materializados.
     
     
    ===============================================================
    Acredito que como são pastores “alemães” usem algum método de treinamento ou até mesmo tenham consultores de lá…
    Ou e sem contradição com o acima, seja alguma padronização entre as polícias locais/INTERPOL – a Copa… as Olimpíadas aí…

    ===============================================================
     
    Na na ni na não!
    Por volta da primeira década dos anos 1900 os alemães foram pioneiros em treinar cães para a polícia e até para o exército.
    Com o tempo, popularizou-se (até certo ponto) comandos em alemão, mais por tradição, acho.
     
    Tem até policiais cachorros que lidam profissionalmente com cachorros policiais que pensam que os comandos em alemão são para que bandidos não dêem ordens aos cães, mas não é nada disso.
     
    Claro que cães e gatos não fazem análise sintática e morfológica das palavras que lhes são ditas (e muitos humanos também não), mas sabem exatamente o que cada palavra ou frase curta significa, em qualquer língua.
     
    Para entender “deite-se!”, “levante-se!”, etc., tanto humanos quanto nossos amigos não humanos não precisam entender de colocação do pronome átono, morfemas, funções sintáticas de preposições.
     
    Basta associar o som da palavra ou locução com a conduta.
     
    Tem até quem defenda campos morfogenéticos, telepatia canina, etc., mas aí acho que é exagero.

  62. Marciano Diz:

    Onde se lê “Certo, minha pessoa já os teve, e não mais os quer porque os que teve causou-lhe muito sofrimento, quando desencarnaram.”, leia-se:
    Certo, minha pessoa já os teve, e não mais os quer porque os que teve causaram-lhe muito sofrimento, quando desencarnaram.
     
    Tem horas em que minha pessoa é mais burra do que um asno, que dirá um cão ou um gato.

  63. Marciano Diz:

    Com o tempo, popularizou-se o costume de …
     
    Ou então: com o tempo, popularizaram-se comandos em alemão…
     
    Estou tentando corrigir as cachorradas que cometi.
     
     
    Minha pessoa é uma vergonha para alemães de até a metade do século passado. Não para os atuais, que desonram sua nação.
    Se Bismarck estivesse vivo, teria vergonha de ver no que deram seus esforços de unificação de um povo tão glorioso no passado.

  64. Marciano Diz:

    Bismarck, assim como Herr Adolf e outros, combateram o comunismo o quanto puderam, mas essa praga é pior do que câncer.
    Usam os métodos da religião, que é o de doutrinar pessoas desde a infância, através dos próprios pais, para que pensem com as cabeças dos outros e não com a sua própria.
     
    Veja se os ladrões que ora se dizem socialistas estão preocupados com o proletariado (a não ser para usá-los como massa de manobra para se perpetuarem no poder).
     
    Foice e martelo é para inglês ver.
    O que importa para os comunistas é o caviar, as malas de dinheiro (público, roubado por eles), o populismo, a vida burguesa.

  65. Marciano Diz:

    Os comunistas, sejam filhinhos da mamãe e do papai, sejam os profissionais da política, vivem vida burguesa, usam smartphones para propagar seu engodo.
    Veja o exemplo dos “artistas” que aplicam o dinheiro que ganham vendendo “arte” no mercado de capitais, têm latifúndio (Chico Buarque, Caetano, Gil, etc.).
     
    O personagem FG, sempre bonzinho, irritava-se com os hipócritas, os “fariseus”, vendilhões do templo (já foi a Aparecida, em SP?).
    Não tive o desprazer de conhecer Marx e Engels pessoalmente, mas creio que ficariam irritados com os comunistas burgueses de hoje em dia.
     
    Qualquer semelhança com a caridade e bondade dos religiosos não é mera coincidência.

  66. Vitor Diz:

    Orlando,
    para mim é fantasiosa porque o Divaldo não apresenta nenhuma prova, e a história parece coisa extraída de um romance espírita… quanto a motivos, esse tipo de coisa faz a pessoa parecer especial perante o público, um ser iluminado…

  67. Gorducho Diz:

    O Sr. apagou o enlace que eu tinha posto pra palestra :?:
     
     
    Justo a nossa bolsa seria pra constatar cientificamente quem ele foi.
    Eu não consegui chegar a uma conclusão por enquanto.

  68. Vitor Diz:

    Não apaguei nada. Lembro que você havia pedido para consertar o negrito de uma mensagem, nada mais.

  69. Gorducho Diz:

    Dr. Orlando, pra S/referência, e encarnação em tela é essa

  70. Marciano Diz:

    Vitor diz que “…quanto a motivos, esse tipo de coisa faz a pessoa parecer especial perante o público, um ser iluminado…”
    Pela afetação de DPF, parece-me realmente que ele se acha muito especial.
    Pena que confunda um bairro da Cidade Maravilhosa com TODA a cidade luz.

  71. Marciano Diz:

    Aqui
    http://www.diasdacruz.org.br/2014/07/14/divaldo-franco-fala-de-mensagens-psicografadas-em-outras-linguas/
    DPF deixa subentendido que fala em várias línguas, inclusive árabe e “alemão antigo”, graças a Joanna, pois ele mesmo não saberia.
    No convento ele fala de boa com todo mundo, sem qualquer dificuldade.
    Assim, o francês espelhado perde a graça.

  72. Marciano Diz:

    Ao término o mediador do programa perguntou se eu poderia psicografar, EXPLIQUEI-LHE QUE NÃO DEPENDIA DE MIM, MAS COMO VI A MENTORA JOANNA DE ANGELIS PRESENTE, EU AQUIESCI E DISSE QUE IRÍAMOS TENTAR Para minha surpresa veio uma mensagem escrita em Inglês especularmente para ser lida através do próprio espelho. A surpresa foi geral, Chico Xavier ainda estava encarnado e acompanhou o programa pela televisão como me disse depois.

    Posteriormente eu psicografei outra na cidade de Ellon College na Carolina do North, na residência do senhor Haddad em uma reunião íntima.

    Mais tarde, voltei a psicografar em uma atividade em uma igreja no cidade de San Antonio no Texas, em uma reunião promovida pelo Dr. John Zerio, ainda mais uma vez eu tive a experiência em Inglês.

    E essa em Francês em Paris, foi uma grande surpresa. No entanto já havia escrito linearmente em Francês, em Italiano, Alemão e até mesmo em Árabe, cujas mensagens conservamos os originais com muito carinho.

    Pra quem chega a um convento na França e conversa fluentemente com várias freiras, francês espelhado é mole.
    Plot hole?

  73. Marciano Diz:

    Quando se deu conta, estava falando francês.
    Foi o espírito santo.

  74. Marciano Diz:

    O histriônico DPF fala para freiras católicas que é um defunto reencarnado, depois de 300 anos.
    A língua francesa, diferentemente das demais, nada mudou nos últimos 300 anos.

  75. Marciano Diz:

    DPF é um mentiroso hilário.

  76. Marciano Diz:

    Qual o propósito de ele contar essa imaginária aventura numa palestra? Exibir-se? Doutrinar alguém?

  77. Marciano Diz:

    DPF converteu as freiras ao espiritismo com muita facilidade. A madre superiora só não tirou o hábito porque estava muito velha.
    Lá pelos 10 minutos.
    DPF passa muita confiabilidade em suas palestras.
    Tem que ser muito doidão para assistir a tamanha canastrice e continuar espírita.

  78. Vinicius Diz:

    kkk, Marciano, acabei rindo aqui no escritório.
     
    Dificilmente a gente ri aqui, vão achar que encontrei algo errado em algum relatório :mrgreen:
     
    Eu acho que ele até foi neste lugar mas não contou história nenhuma para estas freiras.
     
    Outro dia assistir entrevista que ele deu ao Jô: como a história dele parece com a do CX, minha nossa.

  79. Vinicius Diz:

    MENSAJE RECIBIDO POR DIVALDO PEREIRA FRANCO En el ACTO DE CLAUSURA de la 3ª. REUNIÓN del CEI – Región Suramérica – Lima, Perú, 11 de octubre de 2008.
    Queridas hermanas del alma, queridos hermanos del corazón:

    Permanezca con nosotros la mirífica luz de Jesucristo.

    El venerado apóstol doctor Bezerra de Menezes me confió la tarea de clausurar este Encuentro en nombre de los Espíritus Espíritas de América, a modo de homenaje a la mujer espiritista.
    Recuerdo los días luminosos en Gracia y Barcelona, los momentos de júbilo con Colavida(1), Solanot(2) y con Miguel Vives y Vives(3), en que cantábamos el Evangelio de Luz a través de la sabia interpretación del Espiritismo. Desde aquel entonces en que iba yo a llevar a las cárceles barcelonesas la Doctrina Liberadora, hasta este momento grandioso de divulgación internacional, ha habido un ponderable crecimiento respecto de la Verdad.
    ¡Espiritistas, regocijaos! ¡Cantad la gloria de la inmortalidad! Y al recordar el pensamiento de Jesucristo acerca del amor, sería necesario en primer término, que no olvidásemos el apoyo que Allan Kardec recibió de su devota esposa Amélie Gabrielle Boudet, la dulce Gaby.
    A la mujer espiritista le corresponde la misión maternal de divulgar la doctrina, como si la humanidad naciera de sus entrañas y ella debiera conducir a todos los seres humanos al aprisco de Jesucristo, el Buen Pastor.
    A la mujer espiritista le cabe el honor de dignificar a la mujer que se convirtió en objeto sexual y, olvidada de la maternidad triunfante, se deja consumir por el aborto trágico y funesto a causa de los desvíos del sexo desequilibrado, en el intento de negociar la vida por un instante de ilusión.
    A vosotras, como a todos los seres humanos conscientes de la Verdad, os cabe luchar por el establecimiento de la gran transición regeneradora, a fin de favorecer, en el ser que piensa, el encuentro con Dios.
    No más las tinieblas de la indolencia, no más las persecuciones de la intolerancia religiosa, sino la música sublime de la fraternidad que reúna a los pueblos en una sola familia, bajo la protección paternal del Señor de la Vida.
    Amados, agradecemos con lágrimas de legítima emoción estos dos días de iluminación y hosannas, que nos han brindado los Guías Espirituales en nombre del Maestro Jesús, para fortalecernos en la lucha de redención en que estamos empeñados con la mirada puesta en el porvenir.
    Dios nos propicie la paz, la alegría permanente y la labor dignificante, tales son los votos de vuestra hermanita del ramillete de violetas.
    AMALIA DOMINGO SOLER(4)
    http://www.divaldofranco.com.br/mensagens.php?not=104

  80. Marciano Diz:

    Cuidado, VINICIUS! Assim vai acabar levando um flagrante.
    É melhor ser flagrado vendo pornografia do que vendo palestra do DPF. Ou lendo a respeito.

  81. Marciano Diz:

    Sei que deve haver uma explicação, mas não conheço.
    Por que a gente deve aprender doutrina espírita, se quando morremos temos de aprender tudo de novo, como fez AL, no NL e se esquecemos de tudo quando nascemos de novo?
    Se AL tivesse pós-doutorado em DE, estaria livre dos 8 anos de umbral?
    Melhor passar 8 anos no umbral do que a vida toda frequentando centros e estudando DE.
    Uma palestra do DPF já equivale a 800 anos de umbral.
    Estou me baseando na descrição xaveriana, através do personagem fictício AL.

  82. Marciano Diz:

    Quem aguenta uma hora e meia de afetação de DPF, escuta as lorotas e dá sorrisinhos de satisfação, tira a lama do umbral e os epítetos dos fantasminhas (Suicida! Suicida!) de letra.
    Já estou “acostumado com a lama que me espera”, com a ajuda de meu mentor espiritual Augusto dos Anjos:
    Acostuma-te à lama que te espera!
    O Homem, que, nesta terra miserável,
    Mora, entre feras, sente inevitável
    Necessidade de também ser fera.

    Modéstia à parte, eu sou fera. Perguntem ao Augusto (numa sessão espírita, pois ele ainda está desencarnado).

  83. Marciano Diz:

    Augusto dos Anjos descobriu-se gay depois que desencarnou.
    Basta ver o que escrevia quando encarnado e comparar com o que passou a escrever através de cx, no Parnaso do Além Túmulo.
    Parece até uma gazela francesa, cheio de maneirismos e afetação. E era um cabra macho da Paraíba, onde até as mulheres são macho.
    https://www.youtube.com/watch?v=69rv13vRK98

    Quando a lama virou pedra
    E Mandacaru secou
    Quando o Ribação de sede
    Bateu asa e voou
    Foi aí que eu vim me embora
    Carregando a minha dor
    Hoje eu mando um abraço
    Pra ti pequenina

    Paraíba masculina,
    Muié macho, sim sinhô

    Eita pau pereira
    Que em princesa já roncou
    Eita Paraíba
    Muié macho sim sinhô

    Eita pau pereira
    Meu bodoque não quebrou
    Hoje eu mando
    Um abraço pra ti pequenina

    Paraíba masculina,
    Muié macho, sim sinhô

    Quando a lama virou pedra
    E Mandacaru secou

    Quando arribação de sede
    Bateu asa e voou
    Foi aí que eu vim me embora
    Carregando a minha dor
    Hoje eu mando um abraço
    Pra ti pequenina

    Paraíba masculina,
    Muié macho, sim sinhô

    Eita, eita

    ATENÇÃO! Estes versos íntimos são do Luiz Gonzaga(acho), não do Augusto.

  84. Eu Sou a Universal Diz:

    Disse o amigo Marciano: Marciano Diz:
    SETEMBRO 11TH, 2017 ÀS 3:54 PM
    DPF é um mentiroso hilário.
    ————————————————————-
    Gostaria de ver esse senhor Divaldo psicografar uma mensagem ou incorporar um espírito de um parente de algum pastor num altar de um culto de libertação. Ele não passa nem na porta de uma igreja que trabalha com libertação.

  85. Gorducho Diz:

    Pero… ¿ya lo invitaron uds. a el?
    Eu duvido-do que vocês derrubem ele e vou assistir assim como vou assistir caso o Dr. mande construir por um latoeiro a corneta capaz de canalizar o (espírito do, claro) Dr. Bezerra.

  86. Eu Sou a Universal Diz:

    Por que? Ele tem poderes sr Gorducho? Que poder é esse que ele não cairia acaso estivesse incorporado com uma entidade que faz o mal? Ainda assim o poder não é dele. Para mim, ou é um cavalo de macumbaria que incorpora um preto velho ou um ator apenas que encena um médico de 200 anos atrás. Para saber mesmo, somente colocando a mão na cabeça dele.

  87. Eu Sou a Universal Diz:

    E o sr Gorducho? Qual a sua opinião? Ele é ator ou cavalo de macumba?

  88. Marciano Diz:

    Olá, amigo Pastor.
    Vou responder, embora não tenha dirigido a pergunta a mim.
    É ator e canastrão. Péssimo ator. He overacts (não sei dizer em português :oops: ), ele sobreatua (tive de inventar a palavra), no sentido de que exagera nas caras e bocas, é caricato.

  89. Marciano Diz:

    Ali não tem espírito, diabo, nada. Só um enganador hiper ultra vaidoso e ridículo.
    Perceba que ele tem 89 anos e pinta o cabelo (ou será um milagre espírita?).
    Imita o estilo xaveriano, rebuscado e tolo ao mesmo tempo.

  90. Marciano Diz:

    Quando a gente aprende direito línguas estrangeiras, passa a pensar nelas, aprende novos conceitos nelas, depois não consegue dizer em português.
    Se alguém souber como traduzir to overact em português, eu agradeço, penhoradamente.

  91. Marciano Diz:

    Tenho uma lista enorme de palavra e expressões de outras línguas que não sei dizer em português.
    Shame on me. I have nothing between my ears.
    Não adianta traduzir ao pé da letra, palavra por palavra, ou traduzir literalmente, pelos radicais.
    Não existe (que je sache) o verbo “sobreatuar” em português.
    Não ter nada entre as orelhas não significa nada em português. Shame on me acho que pode ser traduzido como “que vergonha para mim!”

  92. Marciano Diz:

    Ich bin ein Blödmann!

  93. Marciano Diz:

    Stultus odit vocari stultum.
    O estulto odeia ser chamado de estulto.
    No nominativo é “stultus”, no acusativo, “stultum”.
    Eu posso; vocês, não!

  94. Marciano Diz:

    O assunto do guarda florestal já deu.
    Vou ler o tópico mais novo, que parece ser fora dessa linha suicida de parapsicologia.

  95. Marciano Diz:

    Ledo engano!
    Trata-se de mediunidade norte-americana.
    Prefiro continuar na tangente (no sentido geométrico), aqui mesmo.

  96. Espírita Sp Orlando Diz:

    Nosso Honoraldon precisou sr afastar e fazer um tratamento espiritual. Não vai poder participar mais de Psicofonia e psicografia, por enquanto. Então não vai dar para fazer a experiência com a corneta.
    mas o senhor Anastácio, do comitê doutrinario, pediu maiores detalhes e tem uma dúvida : não sabemos a real voz do Dr. Bezerra então como se certicar se é a voz dele mesmo?

  97. Gorducho Diz:

    Eu vou levar umas perguntas sobre a ferrovia…

  98. Eu Sou a Universal Diz:

    Sr Gorducho, por favor, sua opinião importa para mim. Gostaria de saber a sua opinião sobre o Sr Divaldo. Suba um pouco a página para ver o questionamento que lhe fiz. O amigo Marciano, já deu a opinião dele (obrigado) e afirma que é um ator dos mais fracos em cena. Então Sr Gorducho, o Sr Divaldo é um ator ou cavalo de macumba?

  99. Gorducho Diz:

    Já lhe disse várias vezes, mas ok: repito.
     
     
    i) Se vocês convidarem o médium Divaldo ele VAI e eu vou assistir – aproveitando p/conhecer S/Apdª claro :!:
    Obvio que convite tem que ser educado e ele tem que ser recebido no Templo civilizadamente: sem apupos ou outros atos de hostilidade. Se não ele se retira de imediato antes do Dr. Bezerra “baixar”.
    Qualquer um de nós procederia se fosse hostilizado num lugar p/o qual tivéssemos sido invitados, right :?:
     
    ii) Vocês NÃO DERRUBAM ele :!:
    Dr. Bezerra foi militar e a única vez que eu me lembre dele ter arrepiado foi numa aproximação a Nibiru 1 ou 2 tripulantes (ele era o comandante da nave, claro) movidos por curiosidade vã quiseram prosseguir p/pouso e ele recusou por prudência – ele é sempre ponderado, claro…
    Não é prudente que nos acerquemos muito  mais porquanto já daqui de onde estamos, recebemos o impacto desagradável de suas emanações primitivas, carregadas de um magnetismo inferior.
     
    Ademais depois ele pesa a perca de tempo que essa operação inútil demandaria…

  100. Gorducho Diz:

    S/Apdª Pessoa &c…
    procederia assim &c…

  101. Gorducho Diz:

    Aproximação do Dr. Bezerra a Nibiru

  102. Eu Sou a Universal Diz:

    Mas o Sr acha que ele é ator ou cavalo de macumba?

  103. Gorducho Diz:

    O espírito do Dr. Bezerra só faz o bem Pastor.
    Veja por exemplo esse fato que justo se sucedeu num terreiro que ele visitava (pelo lado espiritual acompanhado pelos guias da Casa – claro).
    Um espírito bate siririca (já que AMa publica suas psicografias cá, me sinto mais à vontade… :evil: ) numa pobre mulher (viva, “encarnada”) tresloucando-a. Ele orienta como acabar com aquilo.
    Repito-to-lhe: ELE SÓ FAZ O BEM :!:
     
     
    Um deles, de aspecto repelente pela vulgaridade em que se apresentava, excitava-lhe o desejo, comprimindo-lhe, habilmente, certa região do aparelho genésico
    [...]
    Dr. Bezerra entra em ação…
    A nossa irmã está enferma da alma. Além disso, padece de estranha e grave obsessão vampirizadora, que lhe exaure as energias, despedaçando-lhe os nervos. Envolvamo-la em vibrações de afeto e de piedade, aguardando as providências iniciais que serão tomadas aqui.
    Segue-se os tratamentos tanto espiritual quanto pelos trabalhadores encarnados (“vivos”) da Casa orientando ela (a mulher obsidiada).

  104. Eu Sou a Universal Diz:

    Sr Gorducho, é bizarro esse caso que trouxe sobre esse médico de 200 anos atrás. Mas veja bem. Vamos falar do Sr Divaldo. O sr não me respondeu, e é importante a sua opinião , visto que é um dos que mais conhece aqui. Só queria saber se o sr Acha que o Sr Divaldo incorpora mesmo um espírito (um preto velho para mim e não um médico) ou finge que incorpora e faz encenação barata. E então?

  105. Gorducho Diz:

    Nós iremos tentar escutar diretamente Dr. Bezerra através duma trombeta fluorescente – veja a descrição do modelo na rubrica de agosto 29th – que permite escutar diretamente o espírito (es decir: sem intermediação do sistema vocal do médium).
    Dr. (Espírita Sp Orlando) (espero) mandará fazer, e endereçando a inquietação dele – e sobre cuja dificuldade eu já me apercebera! &#15); eu vou fazer perguntas relativas ao setor ferroviário (caso não saiba ele presidiu uma e trabalhou no ramo bom tempo…) e outras.
    Claro que as perguntas só eu se quais serão e lhe garanto que só ele vai saber responder.
    Não vai ter nada a ver Jesus; esses tempos difíceis que estamos atravessando… blah blah blah…
    Daí nós vamos “ver” como é a voz e a caraterística em geral da fala do espírito dele.

  106. Gorducho Diz:

    Fvr. corrigir o travessão, Sr. Administrador :(

  107. Marciano Diz:

    ===============================================================
    (já que AMa publica suas psicografias cá, me sinto mais à vontade…
    ===============================================================
     
    Calma, calma!
    Não precisa fazer essa cara :evil:
     
    Minhas psicografias são em alemão, italiano. Nunca em português claro.
     
    Sin embargo, acho que pior do que escrever palavras é falar sobre o assunto, por mais que se use eufemismos, ou ainda pior, fazer igual ao tal espírito, que fica molestando encarnados.
     
    Se fosse num vagão de metrô ou em um ônibus, estaria preso.
    https://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/homem-e-preso-por-estupro-apos-ejacular-em-mulher-dentro-de-onibus-no-abc.ghtml
     
    Já o espírito, faz o que bem quer, não fica preso no umbral ou outro lugar equivalente, e nós nem podemos falar a respeito.
     
     
    Por falar nisso, aproveito a oportunidade para esclarecer que o ejaculador foi vítima de INJUSTIÇA, visto que o crime de estupro é assim definido no CP:
     
    ===============================================================
    Art. 213. Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso: (Redação dada pela Lei nº 12.015, de 2009)
    Pena – reclusão, de 6 (seis) a 10 (dez) anos. (Redação dada pela Lei nº 12.015, de 2009)

    ===============================================================
     
    “Constranger”, no CP, não é deixar constrangido, mas obrigar, forçar alguém a fazer ou deixar de fazer alguma coisa.
    Não houve constrangimento.
     
    Acresce que o tipo exige ao menos um de dois elementos normativos, a violência ou a grave ameaça.
    Não houve violência nem grave ameaça.
     
    Tratar um tarado que ejacula numa passageira como outro que a ameça com uma faca, por exemplo, pratica com ela todo tipo de atos libidinosos, etc. é suma injustiça.
     
    Trata-se de mera contravenção penal, definida no art. 61 da LCP, transformada em crime para satisfazer a sanha da imprensa.
     
    Estou assoberbado de tarefas, por isso, encerro por aqui.

  108. Marciano Diz:

    Não estou defendendo o tarado. Só estou esclarecendo que só a lei pode definir crimes, não a imprensa ou quem quer que seja.
    Nem podem sair criticando estupidamente o juiz que cumpre a lei e exaltar o juiz que a descumpre para satisfazer os anseios da imprensa ou da vítima e seus parentes.
    Igualdade perante a lei é isto.
    Sem contar que os tribunais superiores exigem condenação em segundo grau para trancafiar criminosos condenados, como a MuLLa, mas na hora do zé-ruela tarado, são dois pesos e duas medidas.

  109. Gorducho Diz:

    =======================================================Minhas psicografias são em alemão, italiano. Nunca em português claro.
    =======================================================

    Menos mal :mrgreen:
    Sempre me lembro do Russell:
    Omitting some physiological details which the translator has very properly left in the decent obscurity of the original Latin, the above is Saint Augustine’s
    theory as regards sex
    .

  110. Espírita Sp Orlando Diz:

    Bom, já fizemos um teste que envolveu a ferrovia e ele respondeu errado. Daí conversei com Honoraldon com calma e prudência sobre isso e o mesmo não soube me explicar. Mas quem sabe dessa vez Dr. Bezerra se lembra do que fez aqui, esquecendo Jesus e religiões.
    Esse teste foi proposto aqui mas não me lembro do post.
    Queria conversar com dr. Miranda um dia. Quem sabe..

  111. Eu Sou a Universal Diz:

    É, o sr Gorducho de forma alguma me respondeu sobre se o Sr Divaldo incorpora mesmo ou é ator fingindo incorporar. Desisto. Desculpe a importunação.

  112. Marciano Diz:

    ATENÇÃO, POR FAVOR!
    Vitor pediu-me para avisar que está doente, com febre.
    Já faz alguns dias. Só hoje vi o recado dele.

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)