Felícia Parise – Psíquica Excepcional (1993)

Segue artigo com diversos resultados obtidos com a psíquica Felícia Parise. Felícia foi validada também por um mágico, se destacando tanto em PES como em macro-pk. Nunca foi pega em fraude. A tradução é de Luis Felipe de Lima Correa Leite, a quem agradeço muitíssimo. Para ler o artigo em português, clique aqui.

260 respostas a “Felícia Parise – Psíquica Excepcional (1993)”

  1. Marciano Diz:

    excepcional Datação: 1858

    adjetivo de dois gêneros
    em que há exceção
    1 que é fora do comum, que ocorre além dos limites do estabelecido ou do que é normal, frequente ou corriqueiro
    Exs.: ocasião e.
    sorte e.
    2 que está muito acima do padrão ou da qualidade normal; excelente, brilhante
    Exs.: inteligência e.
    talento e.

    adjetivo de dois gêneros e substantivo de dois gêneros
    3 diz-se de ou indivíduo que tem deficiência mental (baixo QI [quociente de inteligência]), física (deformação do corpo) ou sensorial (cegueira, surdez etc.)

    excepcional
    [Do fr. exceptionnel.]
    Adjetivo de dois gêneros.
    1.Em que há, ou que constitui ou envolve exceção:
    lei excepcional.
    2.Que goza de exceção; privilegiado:
    Na firma, dirigida pelo tio, ocupa um cargo excepcional.
    3.Excêntrico, extravagante.
    4.Excelente; incomum; extraordinário:
    “A abertura das Memórias de Lázaro é de uma perfeição estilística excepcional” (Fausto Cunha, Situação da Ficção Brasileira, p. 38);
    Apesar do mau tempo, fez uma viagem excepcional.
    5.Med. Diz-se do indivíduo que tem deficiência mental (índice de inteligência significativamente abaixo do normal), deficiência física (mutilação, deformação, paralisia, etc.), ou deficiência sensorial (cegueira, surdez, etc.), e, por isso, incapacitado de participar em termos de igualdade do exercício de atividades normais. [V. portador de necessidades especiais.]
    Substantivo de dois gêneros.
    6.Med. Indivíduo excepcional (5); anormal. [Var.: excecional.]
     
     
    Pela quantidade de psíquicos “excepcionais” que já vi aqui, acredito que eles não têm de excepcional, muito ao contrário. São a regra.
     
    Excepcional de verdade seria um psíquico real, um que tivesse os dons apregoados pelos crentes. Seriam exceção à regra. A regra é clara. Não existem pessoas que percebem coisas que não existem, só as que acreditam que percebem e aquelas que fingem que percebem.
     
     
    DPF é médium.
     
    médium Datação: 1881

    substantivo de dois gêneros
    1 segundo o espiritismo, pessoa capaz de se comunicar com os espíritos
    2 Derivação: por extensão de sentido.
    pessoa detentora de dons que supostamente lhe permitem conhecer coisas, dados, ocorrências etc. por meios sobrenaturais
     
    Psychic
    1. A person apparently responsive to psychic forces.
    2. A person who is sensitive to psychic influences or forces; medium.
    sensitive, spiritualist, medium – someone who serves as an intermediary between the livingand the dead; “he consulted several mediums”
     
    DPF é médium, logo, é psychic.
    Já foi pego em fraudes?
    Não?
     
    DIVALDO PEREIRA FRANCO
    UM MÉDIUM EXCEPCIONAL
     
     
    Ora, direis, ele nunca foi testado nem validado por mágicos.
    E eu vos direi, no entanto, que nunca foi ele procurado por algum ser associado à PA, que tenha publicado em revistas parapsi, etc. Nunca foi procurado por um mágico.
     
     
    Sirvo-me da oportunidade para exteriorizar ainda mais minha inguinorança e perguntar:
    – Quantos psychics “excepcionais” ainda faltam?

     
    70 x7? 40? 7? 3?

  2. Marciano Diz:

    Quo usque tandem dabis nobis, Catilina, mediuns eximia?
    Nihil horum ora vultusque moverunt?

  3. Vitor Diz:

    MARCIANO DISSE: “DPF é médium, logo, é psychic.
    Já foi pego em fraudes? Não?”
    .
    Se você considerar que os plágios são uma fraude, já foi pego sim… e já teria sido pego em outras, de um tipo mais forte.
    .
    Ariston Teles me disse que o Divaldo “foi flagrado [em fraude de materialização] por Holzmann Netto, Rubens Romanelle e por muitas outras personalidades que preferiram evitar escândalos. Estamos diante do caso mais lamentável na história de nossa respeitável Doutrina. O livro Chico Xavier – apóstolo do Brasil, revela alguns acontecimentos ocorridos em Uberaba. Que Deus nos proteja e nos livre do mal que sempre ameaçou o progresso e o trabalho dos Espíritos e médiuns sérios.”

  4. Marciano Diz:

    O Ariston “disse”, mas preferiram evitar escândalos.
    Um passarinho me disse que todos as exceções mostradas até agora no blog foram pegas em fraude, mas os que os pegaram preferiram evitar escândalos.
     
    Por falar nisso, pense bem no significado de exceção, excepcional, para não transformar a exceção em regra.
     
    Se quer mesmo que alguns psychics sejam excepcionais, limite seu número, ou não fará sentido.
    Se continuar com a lista, do jeito que vem fazendo, os psychics comuns é que serão excepcionais.

  5. Marciano Diz:

    Um passarinho me contou…

    (idiomatic) a little bird told me (I received the information from a confidential source).
    I will not tell it was the CIA, once the information is classified.
    Maybe in 40 years. Or 7.

  6. Vitor Diz:

    Oi, Marciano
    considero os psíquicos aqui excepcionais por passarem em situações controladas, um tanto distantes das condições em que estão mais acostumados operar.

  7. Marciano Diz:

    Entendi, Vitor. Está usando o termo num sentido estendido.
    O pior é que está estendendo a lista.
    Vou ler o artigo, mais tarde.

  8. Marciano Diz:

    In 1971, an American psychic named Felicia Parise allegedly moved a pill bottle across a kitchen counter by psychokinesis. Her feats were endorsed by the parapsychologist Charles Honorton. Science writer Martin Gardner wrote Parise had “bamboozled” Honorton by moving the bottle by an invisible thread stretched between her hands.
     
    Stein, Gordon (1996). The Encyclopedia of the Paranormal (2nd ed.). Amherst, New York: Prometheus Books. p. 384.
     
    Frazier, Kendrick (1991). The Hundredth Monkey: and other Paradigms of the Paranormal. Buffalo, New York: Prometheus Books. ISBN 9780879756550. Retrieved 11 December 2015.
     
     
    From the journal Parapsychological Review:

    One evening, the two classes had a joint meeting in order to see a film showing psychokinesis by Felicia Parise. This demonstration was filmed by a skeptical photographer and witnessed by Charles Honorton. After the area was thoroughly examined, the photographer had to believe what he saw. Felicia Parise moved a plastic pill box on a table a few inches. Under a very heavy bell jar, she was able to cause a cork to roll and strips of aluminum foil to flutter. This ten minute film took her many hours to produce and proved very enervating. She had to rest between attempts. Her hands hovered over the object and she said the sensation was like pitching. When she finished she couldn’t move her arm, it was too painful. At another time, they tested her physical reaction during an experiment. She lost two pounds, during a 40-minute session, her blood pressure was affected, blood sugar rose, and her heart rate increased. She claimed that she performs best when under personal stress.

    For the following week, we were told to bring a compass to class. No one in the class could move the needle but we watched Felicia Parise move it a few degrees on three different compasses. She no longer attempts PK, except every once in a while to see if she still has the ability.

    Felicia says this about her reasons for quitting:

    Finally, I made a film, and then I continued to do PK for a year or two after that. But I don’t do it now. It has been almost a year since I have tried to move any objects. There were many factors involved in making my decision to discontinue the PK. It was not made quickly or easily. It took many months of deep thought. But my reasons are personal and valid considering my personality, character, future plans in life, etc.

    First, PK subjects must be able not only to defend what they are doing but must get used to the idea of having their integrity under question at all times. I do not enjoy having to defend myself, nor having my integrity under fire to the extent that even my closest and dearest friends are afraid to commit themselves about a phenomenon that they themselves have witnessed often.

    We have overcome these skepticisms by exercising the tightest controls possible in our experiments. Yet how can one be expected to defend such abilities when there are always those few others who take a great deal of pleasure from deception? How does one cope with every magician in the country who can through sleight-of-hand duplicate such manifestations on network television? Every time you meet someone who knows your ability, he pushes an object in your face and says, “Lees see you move this.” It is all most disconcerting. And how can one avoid the notoriety and publicity that comes with such an ability?

    When you are attempting to demonstrate your ability, it is not easy to curb your anxiety. It is almost impossible to travel around the country and satisfy the people who want to work with you. Everyone is very kind and very cooperative and financially very generous, but I cannot sell this ability. I cannot sell my clairvoyance, precognition, or anything else. To me it’s like selling my blood. I’m in a position where I earn a good living because I have knowledge about another area, so I can’t condemn those who do sell their psychic talents. But I just can’t do it. And it’s a great responsibility to know that your success or failure might determine the fate of a particular institution’s existence, and this kind of situation was put to me at one time.

    Between PK and my work in hematology, let my just say, I am very confident, secure, and successful in my present position in medicine. On the other hand, I lack the same confidence in PK and I sometimes wonder if someday my ability might just dwindle.

    In order to maintain a high order of success with PK, I have to devote all my time to it, and I mean all my time. I have tried to maintain a normal life style continuous with PK and found it impossible to do so. Lastly, I’m aware of subjects who are successful with PK tests and can demonstrate their ability without putting a stress on themselves physically or emotionally. This is not the case with me. It is extremely stressful, and continually putting one’s physical body under such stress can only result in poor health and a shortening of one’s natural life.

    However, there is one thing I wish to make clear; I have strong feelings about this. I have said I have no desire to sell my ability, but I do feel very strongly about defending the reality of the phenomenon. I began it in the first place because I believed it could be done and because I wanted to find out if I could do it. I learned the answer to these questions. Yes, it can be done. Yes, I can do it. And now I would like to move on to something else.

    Se ela pensa assim…

  9. Marciano Diz:

    Faltou a fonte: http://www.skeptiko-forum.com/threads/why-felicia-parise-walked-away-from-parapsychology.2151/

  10. Marciano Diz:

    Errei o alvo.
     
    FREQUENTLY, WHEN SOMEONE claims a positive psi result, Dr. Richard Wiseman appears in the media giving reasons why it probably isn’t psi, often quoting a similar experiment that he has done which has failed. To his credit, he has been exploring his consistent failure with Marilyn Schlitz (1998) and they have discovered that whether in his lab or hers just by having Richard involved as experimenter the experiment will fail. However, I have never yet heard Richard mention this when telling the media of yet another of his failed experiments. I also know him as an accomplished stage magician and member of the Magic Circle who performed at the SPR Christmas meeting in 1998. The use of magicians in psychical research is important. They are aware of all the tricks that can be used to manipulate people and can thus help separate true results from false ones. However, it seems dubious that they should be performing experiments themselves. With their powers of manipulation they could easily, even subconsciously, be getting the results they want. Perhaps this is the origin of the Wiseman experimenter effect.
     
    The first I heard of “THE WORLD’S LARGEST ESP EXPERIMENT EVER” was on the evening of the sixth of December 2000 when I heard Richard on BBC Radio 4′s Midweek describing how thousands of people were expected to take part in a public experiment to test telepathy the next day. Richard’s press release (13/11/2000) showed he was replicating the well-known Ganzfeld telepathy experiment but using many ‘senders’ based on a 1971 experiment with 2000 senders at 6 ‘Grateful Dead’ concerts, described by Ullman, Krippner and Vaughan (1973).
     
    Richard was to attempt 10 trials and he accurately pointed out, 6 direct hits were required for significance (p = 0.0197, binomial p:0.25). The Ganzfeld with single senders has an expected hit rate of 1 in 4 or 0.25 and an observed hit rate of about 0.30 but Ullman et al. concluded of many senders that “Certainly no particularly striking improvement in accuracy was noted when compared with what ordinarily occurs when single agents are used”. So, based on the two past experiments that he was trying to replicate, psi can be expected to manifest with a hit rate of only 0.30, not the 0.60 required for 6 hits. Indeed, the probability of getting 6 hits is still significantly unlikely using an expected of 0.30 (p = 0.047, binomial p:0.30). In other words, here is an experiment which should fail whether psi exists or not.
     
    Despite Richard being a Council member he apparently hadn’t informed the SPR of the experiment, thereby foregoing the potential involvement of interested volunteers and independent expert invigilators. Suspicious that someone didn’t want psychic investigators to attend and intrigued by the Wiseman experimenter effect, I organised a tape recorder and camera and managed to arrive just as the first trial was starting barely 12 hours later.
     
    The first point to make was that there was no-one there. Well, Richard and his technicians and venue staff were and perhaps 5 or 10 members of the press but absolutely no-one else. This was more like a press conference than an experiment to test many senders.
     
    The experiment was apparently well-financed and technologically sophisticated. It involved the co-experimenter Matthew Smith putting a ‘receiver’ through the standard Ganzfeld procedure: relaxation while white noise was played through headphones and a red light was shone at halved ping pong balls placed over their open eyes. The receivers had been chosen, not for any psychic abilities but for their artistic and extravert temperaments and were in an acoustically isolated room on the 19th floor of a tower block. Meanwhile any senders started looking at a slide randomly selected from 4 in the nearby “Museum Of The Unknown”. A one way audio link transmitted whatever the receiver said they visualised back to the senders and was noted by Matthew. At the end of about 10 minutes the session finished and Matthew read back to them what they had said. They were then shown the correct image mixed with 3 decoys and had to sort them into order of correspondence with what they had visualised. During the course of the day 10 trials, each with a different receiver, were attempted; 8 inside the museum and 2 with many more senders in an adjacent park. The first trial was a ‘direct miss’: the correct image being placed in 4th place. The next, 11 o’clock, trial may have had a couple more members of ‘the public’ and the receiver’s visualisations seemed much closer to the image, placing it 2nd. I then heard that an extra trial had been done live on GMTV at 8:30 a.m. that morning and been a ‘direct hit’: first place. For me, this was exciting because I knew this was right in the middle of the local sidereal time window which James Spottiswoode (1997) has found enhances the Ganzfeld effect size dramatically. I am finding a similar enhancement in my current Lottery project.
     
    During the day Richard was relaxed, entertaining and seemed fair. For example, he made a point of not mentioning the results of the earlier failed trials to the senders before each trial.
     
    Of the eight small scale indoor trials there was 1 direct hit, 2 in second place and 5 direct misses: noticeably below chance. However, the next two outside trials attracted more senders: 50 to 100. The first outside target was an image of the famous sculpture of George Washington cut into Mount Rushmore. Although the early feedback from the receiver was not particularly appropriate, towards the end he came up with “America, like a 3D virtual image/map….. old man..”. The receiver then selected the correct image easily. The crowd was very encouraged and were cheering enthusiastically.
     
    At this stage, experimental protocols seemed to be forgotten. Chronologically my criticisms are:
     

    1 For each trial the image to project had been decided by volunteers selecting balls from gold and silver magician’s bags. When this was completed for this trial Richard said “..which translates on mine to the animal..”. In other words, Richard already knew which image would have been used as a result of which number. The protocol of Ganzfeld experiments has been laid down by Hyman and Honorton (1986) in a rare spirit of agreement between sceptics and psi proponents. This protocol makes it clear that two people must be used to prevent the experimenter having any idea which image will result from the randomisation. When it is being done by a magician using magician’s paraphernalia, the requirement seems much more crucial. One reason for this part of the protocol is that otherwise it would be possible for an unconsciously biased experimenter to make sure that the chosen target image was one which had more (or potentially less) chance of being selected.
     
    2 On selection of an Elephant image. Richard immediately said “Earlier today we had a moose and it didn’t go at all well”. Not only did this break the admirable protocol of not giving the results of previous trials to the senders but it clearly undermined the task at hand.
     
    At this stage Richard announced that he had just been told that the next trial was to be shown live on Channel 4 news.
     
    3 Richard then informed the senders about the 1971 experiment in which the receivers were professional psychics, saying “one psychic was not bad and the other was absolutely dreadful”. In this experiment, one psychic was the well-known Malcolm Bessent(1944-1997). The senders had been shown slides saying “Try using your ESP to ‘send’ this picture to Malcolm Bessent. He will try to dream about the picture. Try to ‘send’ it to him. Malcolm Bessent is now at the Maimonides Dream Laboratory in Brooklyn.” (45 miles away). THE SECOND PSYCHIC: FELICIA PARISE WAS A CONTROL PSYCHIC AND WASN’T MENTIONED TO THE SENDERS.
     
    OF THE 6 TRIALS FELICIA GOT 1 DIRECT HIT: EXACTLY CHANCE, AS YOU MIGHT EXPECT FROM A CONTROL PSYCHIC WHOM THE AUDIENCE KNEW NOTHING ABOUT. MALCOLM GOT 4 DIRECT HITS.

     
    Crucially, Richard omitted to mention that Felicia was a control. As a scientist who has spent much of the last 20 years developing control groups it upsets me to see a colleague diminishing an experiment by presenting a control group as if it were the main experimental group. I cannot think of a worse misrepresentation.

     
     
    Fonte: http://www.skepticalinvestigations.org/Mediaskeptics/O'Neill.html

  11. Phelippe Diz:

    Marciano, eu li o texto publicado pelo Vitor e, para ser honesto, fiquei na dúvida sobre os poderes de Parise. A metodologia empregada para atestar os tais “poderes” foi pobre, as pessoas envolvidas na pesquisa eu as achei suspeitas, e o próprio texto foi escrito – minha opinião – num estilo rebuscado, como se o autor tentasse dar mais credibilidade aos experimentos.
    Tem uma parte, sobre as pesquisas dos Watkins, em que o autor diz que as experiências desse casal foram confirmadas por outra equipe de pesquisadores. Qual equipe? Onde? Qual a metodologia usada? E mais, desde quando acordar ratos postos para dormir com éter tem a ver com o uso do poder da mente para a cura? Parece até o dr Joseph Murphy e a sua teoria da cura pelo poder da mente.

  12. Gorducho Diz:

    Nosso experimento de pK não vais ser em pia de cozinha nenhuma.
    A gente põe uma mesa como essa num canto nu da nossa sala-lab;
    uma cadeira pro ou pra paranormal;
    uma campanula de vidro em cima do objeto a ser telecinesiado;
    e as câmaras real time, claro.

  13. Phelippe Diz:

    Em tempo: estilo rebuscado em inglês e que, em alguns pontos, pode ser interpretado de mais de uma forma. Foi a minha impressão. Daí que vc pode interpretar do jeito que quiser e, se alguém contestar, é só dizer: Olha, vc entendeu errado, não foi isso o que eu quis dizer…

  14. Phelippe Diz:

    Apoiado, Gorducho.

  15. Vitor Diz:

    PHELIPPE PERGUNTA: “Tem uma parte, sobre as pesquisas dos Watkins, em que o autor diz que as experiências desse casal foram confirmadas por outra equipe de pesquisadores. Qual equipe? Onde? Qual a metodologia usada?”
    .
    A equipe consistia de Roger Wells e Judith Klein, em 1972, um dos psíquicos era Sean Harribance, ele é excepcional também!
    .
    http://search.proquest.com/openview/16f93f6f1478a2c0ab195a1584b4862a/1?pq-origsite=gscholar&cbl=1818062

  16. Marciano Diz:

    Phelippe, você deve ter visto que até a Parise tem dúvidas sobre os poderes dela.
    Também apoio as sugestões do Gorducho.
    Quem é joao :?:

  17. Marciano Diz:

    Não sou eu. Se não é Gorducho, nem Montalvão acho, quem poderá ser?

  18. Marciano Diz:

    armadilha?

  19. Marciano Diz:

    O nome do joão aponta para uma lanterna militar.
    WTF :?:

  20. Gorducho Diz:

    ==============================================================
    Se não é Gorducho, nem Montalvão acho, quem poderá ser?
    ==============================================================
    Quiçá seja o Sr…. João.
    Acho que talvez ele venda essa lanterna :mrgreen:

  21. Marciano Diz:

    Que maneira mais estranha de se anunciar uma lanterna.

  22. Marciano Diz:

    Uri Geller : He is one of the most famous psychics he did spoon bending he is nicknamed the godman but sometimes he cheats and uses sleight of hand.
     
    Nina Kulagina: Is a popular Soviet psychic of the late 1960s and early 1970s was filmed apparently doing telekinesis while seated in lots of numerous black-and-white short films.
     
    Felicia Parise: used thread to move pill bottle across table.
     
    Eusapia Palladinio: could move objects without touching them during meetings at which people make contact with the dead, but she was caught levitating a table with her foot by the magician Joseph Rinn and using tricks to move objects by the psychologist Hugo Münsterberg.
     
    Stanis?awa Tomczyk: was a Soviet Spiritualist who claimed to be able to perform various acts of telekinesis, such as levitating objects, in a way she called “Little Stasia”.she had pictures taken of her doing telekinesis but that exposed her as a fraud. Scientists suspected Tomczyk performed her feats by the use of a fine thread or hair, running between her hands to lift and make the objects in the air. This was found out correct when psychical researchers who tested Tomczyk occasionally observed a thread.
     
    James Hydrick: Said he turned pages and moved pencils on end of table with his mind but he used air currents so he was fraud.
     
    Ronnie Marcus: was an Israeli psychic and claimant of psychokinetic metal bending. According to magicians his psychokinetic feats were sleight of hand tricks. He also bent a spoon from pressure from his thumb by ordinary, physical means.
     
    Annemarie Schaberl: was a 19-year old secretary who was said she had telekinetic powers by the parapsychologist Hans Bender in the Rosenheim Poltergeist case. Magicians and scientists who looked into the case suspected the amazing event was made by trickery.
    http://avoca37.org/18diarmaidh/

  23. Marciano Diz:

    O texto que transcrevi acima tem, na minha sempre humílima opinião, alguns erros ortográficos.
    E.G.:
    The first point to make was that there was NO-ONE there. Well, Richard and his technicians and venue staff were and perhaps 5 or 10 members of the press but absolutely NO-ONE else. This was more like a press conference than an experiment to test many senders.
     
    Percebam que o cara escreve bem, mas peca no no-one. O certo é no one, sem o hyphen.
     
    DER BINDESTRICH – EIN KLEINES ZEICHEN MACHT GROSSE PROBLEME.

  24. Vitor Diz:

    Marciano, essa ideia de a Felicia usar fios para mover os objetos vem do Gardner, que relata de forma errada tudo aquilo que puder, e não só relativo a psi, o Roberto de Andrade Martins refutou-o completamente. E essa ideia de fios está bem refutada por Honorton, basta ler o relatório dele:
    .
    Eu peguei o frasco e o examinei cuidadosamente. Não havia nada preso a ele: nenhuma corda ou fio de cabelo; nenhum ímã escondido ou outro dispositivo qualquer [...] As pontas dos dedos de Parise descansavam levemente sobre a borda do balcão e não estavam próximas do frasco.
    .
    Se eu fosse apostar numa hipótese normal seria a de ela assoprar os objetos, e talvez ela fizesse isso de forma inconsciente. Mas há testes que colocam obstáculos a tal explicação:
    .
    Os próximos objetos utilizados foram as rolhas. Elas foram colocadas sobre um disco de papel preto (para aumentar a visibilidade), e então cobertas com uma pesada jarra de vidro (vidro pirex, VA centímetros de espessura, 30 cm de altura, 30 cmde diâmetro, capacidade para 5 galões de fluido, 15 libras.) O movimento foi alcançado após 2,5 minutos e consistiu num movimento de balanço de uma ou mais rolhas. Em nenhum momento as rolhas se moveram em sincronia, ou todas ao mesmo tempo, como seria o caso, por exemplo, se o balcão tivesse sido balançado ou chutado. Os próximos objetos foram as tiras de folhas de alumínio. Os resultados foram melhores do que com as rolhas.
    .
    Só se o sopro conseguiu passar por debaixo da jarra pesada de vidro, aí não sei. Mas que ela era psíquica, era.

  25. Marciano Diz:

    Oi, Vitor.
    Você sabe se Honorton teve o cuidado de fazer como Randi fez com Hydric, ou seja, colocar um pouco de styrofoam em volta do frasco onde se encontrava o alvo?
    Isto, certamente, a inibiria, se estava soprando.
    Seja como for, ela parou logo com isso, caiu fora, então fica difícil avaliar.

  26. Vitor Diz:

    Marciano, a Felicia é honesta. Se ela soprava, fazia isso sem saber. O Hydric confessou a fraude a um repórter pouco depois da exposição do Randi. A Felicia foi entrevistada em 2013, e disse:
    .
    Rosemarie: Right. People are accusing you of fraud—the skeptics and the pseudoskeptics . . .
    .
    FELICIA: Yes, and not only that, I didn’t like it either because I had a lot of respect for Chuck and I didn’t want his integrity to suffer in any way. I tell people I started this only because I wanted to see if it could be done by me. For no other reason. So, now I’ve done it and I’d like to move on. [...] And, I never, you know. I never [cheated].

    .
    Honorton também disse:
    .
    Eu nunca tive qualquer razão para duvidar da honestidade de Felícia. Ela sempre foi cooperativa e propensa a sugestões razoáveis para melhorar as condições de observação. Ela estava totalmente ciente da extrema incredulidade que cercava afirmações desse tipo, e ela compreendeu e apreciou a necessidade por cautela extrema.
    .
    Para mim isso mostra que ela era honesta.
    .
    O Honorton não colocou a espuma, deve ter pensado que a jarra impedia qualquer corrente ar. Como não temos a jarra, fica agora difícil saber.
    .
    Há, assim, muitas diferenças de comportamento entre Hydric e Parise. A mais importante delas, porém, é que Parice demonstrou seus poderes psíquicos perante cientistas independentes. O Hydric só exibia a telecinese fajuta dele.

  27. Marciano Diz:

    Alô, pessoal.
    Isto aqui está meio parado.
    Vamos agitar um pouco.
    Parece que quem tem menos tempo aqui, sou eu, mas vou tentar prosseguir.
     
    Mais acima, eu transcrevi dois trechos (com fonte): este  e este 
     
    Pelo que pude entender dos dois trechos, Felícia teve um desempenho bem modesto, pois a par do alegado sucesso com a experiência relatada, não de destacou no meio psi, tendo desistido da atividade logo depois.
     
     
    Dito isto, pergunto ao Vitor: não estaria você um pouco entusiasmado demais ao incluí-la em sua lista de psychics excepcionais?

  28. Vitor Diz:

    Oi, Marciano
    .
    meus motivos para incluí-la como psíquica excepcional são:
    .
    1) ela passou perante Charles Honorton. Mesmo Uri Geller recusou-se a ser testado perante Honorton.
    .
    2) Ela passou perante um mágico.
    .
    3) Ela demonstrou um sonho precognitivo perante Steve Goldfinger.
    .
    4) Ela passou perante os Watkins.
    .
    5) Ela aceitou bastante bem qualquer teste por um bom tempo.

  29. MONTALVÃO Diz:

    /
    CATABUM E PIMBA!
    .
    Mais um “PÍSICO ESSEPICIONAL” no pedaço!
    .
    E como não poderia deixar de ser: também “NUNCA PEGO EM FRAUDES”. O gerente acha que essa expressão tem peso para carácola, verdadeira insustentável leveza do ser…
    .
    Ah esse repetido chamego com superlativos, como se fossem argumentos favorecedores das ingênuas crenças que apregoa…
    .
    Mas a história já nasce cadáver…
    .
    Começa com a “a especialidade de Parise”, que é a de “mover frascos de comprimidos, desviar agulhas de bússolas e obscurecer filmes fotográficos”, a mostrar que, mais uma vez, a Conjetura de Moi se confirma: PSI, caso exista, NÃO TEM UTILIDADE.
    .
    Que cacete! A fraude está descrita na descrição da “especialidade” da sujeita, para quem queira ver. Como é que uma maledeta psicocinese só funciona com comprimidos, agulhas de bússola e filmes? E que psicocinese doida é essa que vela filmes? Filmes são velados (quando se usavam) se expostos à claridade. Psiconese é o imaginado poder de mover a matéria sem contato. Qual a psicocines envolvida em velar filmes? Só se a indivídua “pegasse” o filme, o levasse para uma dimensão alternativa, apartada dos olhos dos bobos, digo, experimentadores, lá a expusesse e depois, veladamente, o recolocasse velado no lugar…
    .
    Doideira!
    .
    O artigo ainda nos desinstrue que Felicia está ligada a Kulagina, outra safadinha, até mesmo como tal outrora reconhecida pelo administrador. Vejamos como o artigo atual descreve o trabalho de um dos experimentadores da russa:
    .
    ============================.
    “Tudo isto começou meses antes, quando MONTE ULLMAN retornou de uma viagem sabática para centros de parapsicologia na Europa Oriental. Durante a estadia na União Soviética, ELE OBSERVOU PESSOALMENTE UMA DONA DE CASA DE LENINGRADO, NINA KULAGINA, MOVER PEQUENOS OBJETOS SEM CONTATO APARENTE. Os objetos, incluindo tampas de caneta em pé, grandes clipes de papel e uma caixa de fósforos, foram vistos por Monte se movendo tanto de forma independente e juntos, em direção a Kulagina, em pequenos movimentos bruscos, cerca de 2,5 cm cada vez. Essas observações ocorreram no quarto de hotel de Monte em Leningrado, sobre uma mesa coberta por uma toalha. Os objetos pertenciam a Monte.”
    ============================.
    /
    CONSIDERAÇÃO: Ullman é amigo do fascinado Krippner e com ele participou no Maimonides de experimentos de telepatia em sonhos. Cansados de não achar transmissão/recepção de pensamentos na vigília sonharam achá-la durante o sono…
    .
    Acontece que, conforme falei, Nina Kulagina fora considerada malandra pelo próprio Visoni, num de seus produtivos lapsos de clarividência cética, coisa rara mas acontecível. Entretanto, temos visto retorno radical às origens supersticiosas, estragando as boas meditações que realizava, lentas porém profícuas, num contínuo processo de autoesclarecimento que começa a se perder…
    .
    O trecho a seguir ilustra:
    /
    =============================.
    PUBLICADO EM QUARTA-FEIRA, MAIO 2ND, 2012,
    .
    NINA KULAGINA E MIRABELLI: FIM DO MISTÉRIO.
    .
    (VISONI): “Por muito tempo a psíquica russa Nina Kulagina e o médium brasileiro Carlos Mirabelli foram considerados como genuínos na literatura psíquica. Entretanto, minha pesquisa revelou diversas fraudes cometidas por Mirabelli e o mesmo padrão para a realização de seus truques foi encontrado em Nina Kulagina, SUGERINDO FORTEMENTE QUE ELA TAMBÉM FRAUDAVA.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: ora, ora, considerando que o “mesmo padrão” de Kulagina se encontra em Felícia significa FORTEMENTE que ela também frauda. CASO ENCERRADO: a excepcional Felícia é mais uma dentre tantas espertas que iludem até gente esclarecida…
    /
    Nesta discussão de 2012 é interessante citar ponderação do saudoso G.-Poa:
    /
    =====================.
    Antonio G. – POA Diz:
    MAIO 4TH, 2012 ÀS 1:31 PM
    .
    É comum confundirem “pesquisador” com “especulador apaixonado por determinada causa”…
    .
    Pesquisar cientificamente é diferente de passar anos cavando “evidências” que corroborem uma crença.
    .
    Não é o tempo dedicado a um determinado assunto que garante a legitimidade das conclusões. Método e isenção são muito mais importantes do que o tempo dispendido.
    ============================.
    /.

  30. MONTALVÃO Diz:

    /
    A quem interessar: nosso amigo Sandro lançou nova edição de Revista Espírita:
    /

    https://revistacienciaespirita.files.wordpress.com/2017/06/rce-jun2017.pdf

  31. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “O artigo ainda nos desinstrue que Felicia está ligada a Kulagina, outra safadinha, até mesmo como tal outrora reconhecida pelo administrador. ” [...] ora, ora, considerando que o “mesmo padrão” de Kulagina se encontra em Felícia significa FORTEMENTE que ela também frauda. CASO ENCERRADO: a excepcional Felícia é mais uma dentre tantas espertas que iludem até gente esclarecida…
    .
    Vamos ter que reabrir o caso de Kulagina. Houve uma defesa fantástica do caso dela, refutando Gardner e Randi:
    .
    http://jamesaconrad.com/TK/Ninel-Kulagina-telekinesis-case-rebuttals-to-skeptical-arguments.html

  32. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Vamos ter que reabrir o caso de Kulagina. Houve uma defesa FANTÁSTICA do caso dela”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: recaída atrás de recaída… Exaltações atrás de exaltações…
    .
    Breve nos cinemas: REVISÃO DO CASO MIRABELLI…

  33. Vitor Diz:

    Para o Montalvão nenhuma prova é convincente, nem mesmo quando o psíquico passa perante cientistas e mágicos céticos….

  34. Marciano Diz:

    Errei no e-mail (maldito teclado) e caiu no spam.
    Lá vai, de novo!
     

    ===============================================================
    Vamos ter que reabrir o caso de Kulagina. Houve uma defesa fantástica do caso dela, refutando Gardner e Randi
    ===============================================================

     
    Pô, fala sério!
    ===============================================================
    Para o Montalvão nenhuma prova é convincente, nem mesmo quando o psíquico passa perante cientistas e mágicos céticos….
    ===============================================================
    Decida-se, cara. Você tá parecendo com o “drunkard walk”, o caminhar do bêbado.
    Não sabe se vai ou se fica…

  35. Marciano Diz:

    Refiro-me à Kulagina, claro.

  36. Marciano Diz:

    Vai que qualquer hora aparece uma defesa fantástica no caso cx, refutando tudo o que tu mesmo (Vitor) publicaste cá sobre ele…

  37. Vitor Diz:

    Marciano, sempre que novas provas surgem, é preciso reavaliar o caso, e às vezes o melhor é ficar em cima do muro mesmo…
    .
    Para defender o Chico teria que ser algo bem fantástico mesmo… tipo achar evidências de que o Publio Lentulus bisneto existiu… mas é o que eu digo, surgindo novas evidências, então a gente reavalia…

  38. Vitor Diz:

    PQP! Foi só eu falar….
    .
    http://super.abril.com.br/historia/inteligencia-artificial-pos-a-prova-psicografia-de-chico-xavier/

  39. Vitor Diz:

    Isso é culpa do Marciano, que falou primeiro nele! :D

  40. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Vamos ter que reabrir o caso de Kulagina. Houve uma defesa FANTÁSTICA do caso dela, REFUTANDO GARDNER E RANDI:”
    /
    CONSIDERAÇÃO:
    Trecho da “fantástica defesa de Kulagina:
    /
    ===================.
    “Nem Randi, nascido no Canadá, que se tornou um cidadão dos EUA em 1987, ou o Gardner nascido na América conheceu pessoalmente a Kulagina nascida na Rússia. Eles formaram suas posições resolutivas como não-cientistas sobre os fenômenos alegados a milhares de quilômetros e um continente e oceano longe, enquadrando suas conclusões negativas como fato, não opinião e sendo desdenhoso pela competência da ciência russa.
    .
    Vale ressaltar que os russos inventaram ou descobriram a tabela periódica de elementos, rádio, televisão, vôo espacial, estação espacial, helicóptero, avião, ferrovias eletricamente, o transformador elétrico, a célula solar, o diodo emissor de luz (LED), grafina, vírus, coração artificial, transplantes de órgãos principais e muito mais, todos os principais avanços em ciência e tecnologia que mudaram o curso da civilização humana.”
    ===================.
    .
    CONSIDERAÇÃO: sorte dela, e de seus exaltadores, que nem Randi nem Gardner a tenham testado, senão não teriam material para defendê-la tão deslumbradamente…
    .
    Agora: vai ser do piru se a ciência oficial da Russia tiver dado atestado de idoneidade à sujeita, como parece insinuar o autor do louvatório. Mas duvido muito que tal tenha sucedido: deve ter sido uma meia dúzia de dois ou três que a aprovou, talqualmente a meia dúzia de dois ou três ocidentais que validam os do lado de cá. Aí os fascinados alegam que até a ciência rendeu-se às evidências: me engana que eu choro…

  41. Marciano Diz:

    ===============================================================
    Isso é culpa do Marciano, que falou primeiro nele! :grin:
    ===============================================================

     
    Marciano é um psychic excepcional :mrgreen:

  42. Marciano Diz:

    Se PK é a força da MENTE sobre a matéria, por que é necessário que os psychics fiquem fazendo gestos com as mãos ao derredor dos objetos alvo, por que os movimentos com o corpo, por que as caretas de quem está com prisão de vente há uma semana :?:
    https://www.youtube.com/watch?v=lt-BJg-bX74
    Eu até entenderia tanto esforço físico para movimentar o bolo fecal endurecido pela desidratação, mas se o poder é da mente…

  43. Marciano Diz:

    A prisão é de ventRe, obviamente.
     
    O Ministério da Saúde e Regeneração Cármica adverte: PK pode causar hemorroidas.

  44. Vitor Diz:

    MARCIANO DISSE: “Se PK é a força da MENTE sobre a matéria, por que é necessário que os psychics fiquem fazendo gestos com as mãos ao derredor dos objetos alvo”
    .
    Até cegos conversando com outros cegos fazem gestos com as mãos, Marciano. Creio que isso os ajuda a ordenar os pensamentos.

  45. Marciano Diz:

    Eu concordo com o fato de que a gente tem de manter-se em cima do muro com relação a muita coisa.
    Se surgem novas “provas” de verdade, temos de reavaliar nossas convicções.
    Nada obstante, est modus in rebus. Se alguém disser que surgiram novas provas sobre a Terra Plana, não temos de reavaliar nada.
    Também não devemos ficar em cima do muro sobre a possibilidade de alguém virar lobisomem na lua cheia.
    Mesmo na lua nova eu acho que é impossível.

  46. Marciano Diz:

    Sim, mas os gestos de Kulagina são de quem está fazendo muito esforço físico.
    Faço 3 de 10 no supino com 40 de cada lado sem fazer as caretas que ela fazia.
    E veja que no vídeo falam que ela sofria muito, fisicamente, com o esforço mental.
    Nesse angu tem caroço.

  47. Vitor Diz:

    No dia em que começarem a pipocar artigos em revistas científicas sugerindo a existência real de lobisomens e que a terra é plana aí acharei a analogia válida, Marciano. Até lá, não. As provas de poderes psíquicos e de vida após a morte são muito, muito mais vastas do que a do lobisomem ou de que a terra é plana.

  48. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Se PK é a força da MENTE sobre a matéria, por que é necessário que os psychics fiquem fazendo gestos com as mãos ao derredor dos objetos alvo, por que os movimentos com o corpo, por que as caretas de quem está com prisão de vente há uma semana?”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: Isso aí, matou geral! A fraude demonstra-se por si mesma na teatralização do esperto…

  49. MONTALVÃO Diz:

    mas tem que olha e não vê…

  50. Borges Diz:

    Oi Marciano:
    Você já tentou movimentar algum objeto com a mente?
    Um abraço

  51. MONTALVÃO Diz:

    /
    “As provas de poderes psíquicos e de vida após a morte são muito, muito mais vastas do que a do lobisomem ou de que a terra é plana.”
    /
    CONSIDERAÇÃO: Kulavagina que o diga… que o dissesse, quando viva… e a Terra não é plana, é oca: dentro dela vivem civilizações ultradesenvolvidas, inclusive atlantes que escaparam do dilúvio.

  52. Marciano Diz:

    Dizem que maluco de verdade é quem rasga dinheiro (fica implícito que é o próprio dinheiro, não o dos outros) e come cocô.
     
    Aí vem o meu amigo Borges, perguntando se eu já tentei fazer 3 x 10 no supino, com 40 de cada lado, com a força da mente.
     
    Tá bem, que seja mover uma pequena agulha em cima de uma rolha boiando na água.
     
    Eu só tentaria uma coisa dessas se fosse completamente louco. Posso até parecer, mas garanto que não o sou.
     
     
    Por outro lado, eu pergunto: Borges ou qualquer outro aí já tentou?
     
    Não sei, pode ser que alguns tenham tentado. No entanto, vou mostrar minha clarividência com a seguinte afirmação categórica:
     
    Podem até ter tentado, mas NUNCA conseguiram.
     
    Como posso ter tanta certeza?
    Simples!
    Isto non ecziste :!:
     
     
    Um abraço, Borges!

  53. Marciano Diz:

    Antes que alguém pense que eu não acredito na força da mente, vou logo esclarecendo que acredito sim. Todos os dias vemos provas disto.
     
    Se não fosse a força da mente de grandes cientistas, não poderíamos trocar essas ideias aqui; não existiriam os satélites geoestacionários que possibilitam essas coisas; não usaríamos smartphones; não teríamos ido à Lua; não viajaríamos de avião pra todo lado.
     
    Esta é a verdadeira força da mente.

  54. Marciano Diz:

    É com a força da mente que enviam probes ao meu planeta natal e ficam fuçando o chão por lá, à procura de coisas que nunca encontrarão.
    A simples alavanca do Arquimedes, meu colega de infância, já é um multiplicador de força extraordinário.
    Uma vez, meu amiguinho Eratóstenes, com a força de sua mente, calculou o diâmetro da Terra com extraordinária precisão, numa época em que nem o número zero tinha sido inventado.
     
    Em vez de ficar tentando mover agulhas (com o risco de acabar com hemorroidas) vocês (a bancada crente) deveriam estudar física e matemática.
     
    Querem se comunicar à distância? Usem um celular barato.
     
    Querem saber o que está acontecendo agora no no outro hemisfério? Liguem a TV na CNN ou acessem no smartphone.
     
    Querem levantar toneladas até a Lua? Peçam ao meu amigo (ora falecido, mas atende o smartphone da colônia espiritual onde habita atualmente) Wernher (von Braun).

  55. Borges Diz:

    “Por outro lado, eu pergunto: Borges ou qualquer outro aí já tentou?”
    .
    Eu esperava essa pergunta. Claro que já tentei, contudo até agora, nada consegui; vou continuar tentando, se um dia conseguir prometo informar aqui.
    Um abraço

  56. Borges Diz:

    http://super.abril.com.br/comportamento/psicocinese-vira-mexe-quebra/

  57. Marciano Diz:

    Se algum de vocês, excelentes argumentadores, me enviar uma mensagem telepática dizendo que estou errado, aceitarei de pronto (desde que a receba). Se vierem com lero-lero AQUI pelo blog, vão gastar tinta (no sentido figurado, claro) e latim à toa, pois nenhum argumento tem o poder de transformar mentiras em verdades.
     
    Veritas laborare potest, vinci non potest.
    Você pode trabalhar a verdade, vencê-la, não pode.
    It is truth that makes a man angry.
    Verité engendre haine.
    La verità genera odio.
    Acta simulata veritatis substantiam mutare non possunt. [Codex Iustiniani 4.22.2]. Os atos simulados não podem mudar a essência da verdade.

  58. Marciano Diz:

    Existe uma grande semelhança entre crentes e comunistas. Embora estes últimos sejam ateus de carteirinha, ambos têm a desfaçatez de usar tablets, smartphones, notebooks, uns para falar mal do capitalismo (deveriam enviar sinais de fumaça ou comunicar suas ideias malcheirosas por tambor) e outros para propagar telepatia e afins, quando deveriam enviar mensagens telepáticas.

  59. Marciano Diz:

    Querem convencer a todos de que o capitalismo é o mal da sociedade?
    Vão trabalhar num torno, em vez de viajar de avião particular pra todo lado, beber vinho de 40 mil reais a garrafa, ter triplex no Guarujá e mais sei lá o quê.
     
    Façam como FG ensinou. Venda tudo o que têm e doem o dinheiro para o proletariado, para que comprem foices e martelos melhores.
     
    VÁ E VENDA TUDO O QUE TEM E DÊ AOS POBRES Mc 10,17-30
     
    Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, segue- me. Mateus 19:21
     
    Querem convencer a mim que telecinese existe?
    Movam minha mão. (Estou plagiando uma piada em que um cara diz: — Se tem algum paranormal na plateia, levante minha mão!).

     
    Querem me convencer de que telepatia existe?
    Digam-me isto por telepatia. Não usem meios materiais.
     
    Querem me convencer de que existe vida após a morte?
    Morram, depois venham puxar meu lençol de madrugada.

  60. Marciano Diz:

    Senhor Comandante, se permite a este humílimo marujo dirigir-lhe a palavra, por onde anda o imediato GORDUCHO?
    Abandonou o barco?

  61. Marciano Diz:

    Imediato, aí acima, não está no sentido de que não tarda; instantâneo, rápido, e sim no sentido de
    Rubrica: termo de marinha.
    oficial que ocupa o segundo lugar na linha de comando de um navio.

  62. Marciano Diz:

    Para ser bem entendido, esclareço que o Comandante não é o dono do navio.
    O dono do navio é o Vitor, o Comandante é o Montalvão, imediado, ficou esclarecido acima quem é, e marujo é este vil projeto falho de cisco que vos escreve.
    Se precisarem de alguém para lavar o convés, é só ordenar.
    Marujo e soldado não pensam, obedecem.
    Obedecem de imediato.

  63. Marciano Diz:

    Imediato, não imediado.

  64. Gorducho Diz:

    Sempre digo que ficar discutindo nomes “famosos” não é a minha praia…
    Simplesmente não me interessa o que, say, Sr. Wisemann “ache” ou deixe de achar; se ele “é” parapsicólogo ou não, &c.
    E esses assuntos dos ψquicos são TÃO interessantes…
     
     
    Se esse Sr. programador programar bem o computador dele vai ver os adjetivos e o vocabulário peculiar e então a AI dele vai “descobrir” que foram produzidas pela mesma cabeça.
    E a AI dele vai “descobrir” também que médicos não falam assim nem são boca-abertas que se assombram com tudo que vêm num país estrangeiro…
    E HdeC era bem humorado… sarcástico até. CX era completamente incapaz de reproduzir isso.

  65. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Não sei, pode ser que alguns tenham tentado. No entanto, vou mostrar minha clarividência com a seguinte afirmação categórica:”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: tentei várias vezes usar minha mente para mover coisas: fechar janelas de ônibus abertas em dias frios ou portas que deixavam entrar corrente de vento; ligar a televisão quando o controle não estava à mão; capturar parafusos que caíram em locais inacessíveis manualmente; estender o lençol na cama quando insistia em cair desarrumado; juntar a poeira dos móveis num cantinho; dar um cascudo disciplinador em cachorro latidor; passar de uma aba a outra aberta no navegador sem uso do mouse; desembrulhar coisas; amarrar cadarços; abrir ziper estando com as mãos ocupadas, e muito mais…
    /
    Grau de sucesso: 0,00000000000000000%
    /
    O Visoni, como ativo pesquisador de Psi e acerbo crente na coisa, deveria encetar enquetes cá e noutros arrebaldes, a fim de conferir as manifestações de psi que depoentes tenham a relatar. Já relatei a minha…

  66. MONTALVÃO Diz:

    /
    Afinal, Visoni nos ensina que a psi espontânea é deverasmente mais intensa que a laboratorial, então, há de haver quem a tenha em atividade e possa noticiar suas experiências para que os incréus vejam e se convençam…

  67. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Senhor Comandante, se permite a este humílimo marujo dirigir-lhe a palavra, por onde anda o imediato GORDUCHO?”
    /.
    SAIU num barco a remo, rumo a Antártica, em busca do Abominável Homem das Neves dos Santos: volta quando achar o bruto ou acabar o combustível, o que primeiro suceder…

  68. MONTALVÃO Diz:

    /
    “VÁ E VENDA TUDO O QUE TEM E DÊ AOS POBRES”
    /.
    MUITOS encontraram melhor solução: não venderam nada, mesmo assim estão dando…

  69. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Querem convencer a mim que telecinese existe?
    Movam minha mão. (Estou plagiando uma piada em que um cara diz: — Se tem algum paranormal na plateia, levante minha mão!).”
    /.
    CONSIDERAÇÃO:

  70. MONTALVÃO Diz:

    “Querem convencer a mim que telecinese existe?
    Movam minha mão. (Estou plagiando uma piada em que um cara diz: — Se tem algum paranormal na plateia, levante minha mão!).”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: Quevedo costumava desafiar publicamente os espíritos: levantava o dedo e os provocava, caso estivessem presentes então que lhe dobrassem o indicador em riste. Nunca nenhum falecido reagiu…
    .
    Só que o padre sesqueceu que igual desafio podia ser lançado a qualquer entidade metafísica: o anãozinho gigante, os gnomos, as fadas, o dragão na garagem, a Virgem, e até mesmo a Deus.
    .
    Faria melhor se, nessas ocasiões desafiadouras, tirasse da algibeira livro recoberto por papel pardo (selecionado e encapado por outra pessoa que não o clérico) e provocasse os mortos a lerem o título da obra.

  71. Gorducho Diz:

    Logiciel Intelligent d’IA – LIdIA
    © GRASSOUILLET G
     
     
    auteurSpirituel[0] = “Esprit HdeC”;
    dicteeSpirituel[0] = “Se os homens o ignoram, o Céu deve conhecer os seus heroísmos obscuros e os seus sacrifícios nobilitantes”;
    auteurSpirituel[1] = “Esprit Emmânuel”
    dicteeSpirituel[1] = “Segue construindo… Aqui, erguerás uma casa ao ideal nobilitante.”;
    auteurSpirituel[2] = “Esprit Dr. André Luiz”;
    dicteeSpirituel[2] = “É imprescindível, porém, que o clima da prece, da renúncia edificante, do espírito de serviço e fé renovadora, através de padrões morais nobilitantes, constitua a nota fundamental de nossas atividades no psiquismo transformador, a fim de que nos encontremos, realmente, num serviço de elevação para o Supremo Pai.”;
    LIdIA.AnalyseAuteurs((array) auteurSpirituel, (array) dicteeSpirtuel);
    LIdIA.System.ImprimerResultat(console, Locale(‘pt-BR’));
     
    ================== RESULTADO ==================
    Os espíritos são o mesmo.
    (fin de la sortie voie console)

  72. Gorducho Diz:

    Vou posso registrar o nome :( : já tem (vários ao que parece…) LIDIA no mercado informático :mrgreen:

  73. Gorducho Diz:

    ERRATA
    Vou Não posso &c.

  74. Phelippe Diz:

    Só falta confirmarem a mediunidade através desse computador aí. Pensou? Será um baque. Pena que não dá para analisar as cartas psicografadas. E se confirmarem que foram escritas por inteligências diferentes? Se bem que o “mamãe querida” , própria dos finados, não deixa margem para dúvidas. O sujeito era um canalha em vida e depois de morto vem dizendo “mamãe querida”. Melhor era no Centro que conheci. Supostos espíritos baixavam, davam nomes, e desciam a lenha nos vivos. Um não se conformava ter morrido logo após ter ficado rico; outro reclamava do neto, que o insultara em vida; um terceiro mandava um recado à família, coisas assim. Nenhum se manifestava dizendo “mamãe querida”.

  75. Gorducho Diz:

    É um centro filado à FEB :?:

  76. Borges Diz:

    “Eu só tentaria uma coisa dessas se fosse completamente louco. Posso até parecer, mas garanto que não o sou.”
    .
    O Marciano acredita que fazer exercícios de telecinese é um PKdo.
    Um abraço

  77. Borges Diz:

    “e marujo é este vil projeto falho de cisco que vos escreve.”
    .
    Colando do CX ehim!!! Faltou a pulga.
    Um abraço

  78. Phelippe Diz:

    Não que eu saiba, Gorducho. Mas é muito antigo, foi inaugurado nos anos 20 do século passado. E eu testemunhei esses episódios. Os supostos espíritos davam muitos detalhes, nomes, mas fica sempre a dúvida.

  79. Marciano Diz:

    Plagiei do cx, mas fui mais humilde. Ele era um cisco, eu sou um projeto de cisco que nem deu certo.
    Mas dou muito mais humilde do que ele.
    Um abraço.

  80. Marciano Diz:

    Mas Sou muito mais humilde.
    Dessa vez, fui eu que teclei errado.

  81. Marciano Diz:

    Ele talvez desse. Eu só dou porrada e tiro.

  82. Marciano Diz:

    Aí, Montalvão. Pra não dizerem que nunca tentei, estou tentando uma experiência telecinética.
    Minha ultra modéstia não me permite nada além do que estou tentando.
    Estou tentando mover a Terra para uma órbita além daquela do meu planeta natal.
    Se der certo, morreremos todos, mas isso não será um problema. Com a vida post morten, saberemos se deu certo ou não.

  83. Marciano Diz:

    J’ai créé un petit logiciel sur excel et je voulais savoir s’il est possible d’en faire un réel programme, à part entière, puis le mettre sous la forme d’un shareware.
     
    Malheureusement, je ne m’y connait pas du tout en programmation (j’ai juste fait un peu de Matlab) mais je suis prêt à m’y mettre !

  84. Marciano Diz:

    Attendez!
    Si je réussis, je le mettrai ici.

  85. Gorducho Diz:

    Para criar programinhas autônomos eu recomendaria o Python que é mui light de usar (ao contrário do C# ou menos ainda do Java), mas bem dotado de recursos.
    O VBA só roda dentro do Office.

  86. Marciano Diz:

    Tô brincando, não dá pra mim. Não tenho tempo e estou cheio de outros projetos.
    Mas cheguei a fazer umas coisas legais em Quick Basic e alguns batches em DOS 6.2, nos velhos tempos.
    Não é a mesma coisa, mas era legal.
    Depois, fiz umas macros em windows 3.1 (windows era só interface, o OS era o DOS).
    O máximo que eu fiz recentemente foi aprender o bê do bê-a-bá da HTML.
    Quando tiver tempo, aprendo o “a”. :mrgreen:

  87. Gorducho Diz:

    Obvias diferenças entre Dr. André Luiz e o Emmânuel que qualquer laptop de 32 bits capta é (i) a narrativa em 1ª pessoa pessoa;
    (ii) ele é um perguntinha boca-aberta: pergunta… pergunta… e se pasma com tudo que ouve e vê.
    Esses eu obtive só com meu neurônio em exatos 5′ – pra ter alguma metodologia…)
     
    String[] perguntinha;
    perguntinha[0] = “– Mas, meu amigo – perguntei, assaz impressionado –, que teria motivado seu martírio moral?”;
    perguntinha[1] = “– Ao passado? – perguntei, surpreendido.”;
    perguntinha[2] = “– Mas esta organização imensa restringe-se ao movimento de transmissão de mensagens? – perguntei, curioso.”;
    perguntinha[3] = “– Mas, que é isto? – perguntei, admirado da profunda modificação ambiente.”;
    perguntinha[4] = – A sua família sempre viveu lá? – perguntei com interesse.”;
    perguntinha[5] = “– Neste caso – perguntei, respeitoso –, como corresponder aos pedidos de orientação?”;
    perguntinha[6] = “Impressionado com o que via, perguntei ao orientador, em voz baixa, a razão de alguns enfermos não terem sido beneficiados com a água e com o socorro de forças novas, através do passe e do sopro vivificante.”;
     
     
    Foram criados 3 robots virtuais que imitam os espíritos.
    Ok…
    Erro de 22% pro André Luiz;
    5% pro Emmanuel;
    32% pro Espírito HdeC.
    Se são imitações, textos gerados por informacionalmente, ¿como se mede “erro” relativo a escritos reais?
    :evil:

  88. Marciano Diz:

    Montalvão, pra seu governo, esta noite simplesmente não consegui dormir.
    Vou guardar o sono que me aflige e tantar logo mais, à noite, lá pra meia-noite.
     
    Essas vãs tentativas de validar cx são pueris.

  89. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Minha ultra modéstia não me permite nada além do que estou tentando.
    Estou tentando mover a Terra para uma órbita além daquela do meu planeta natal.
    Se der certo, morreremos todos, mas isso não será um problema. Com a vida post morten, saberemos se deu certo ou não.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: MORREREMOS, mas antes de morrermos teremos tempo para homenagear o autor do feito, com as mais poéticas louvações…

  90. MONTALVÃO Diz:

    /
    Melhor ficar na modéstia da agulhas de bússola…no máximo chama-lo-ão Kugina de calças…

  91. MONTALVÃO Diz:

    /
    Kulagina de calças…

  92. MONTALVÃO Diz:

    /
    Há pouco tivemos um (como é mesmo que se diz?excepcional, extraordinário?) iogue que se deixava enterrar vivo e não morria, agora temos outra excepcional que mexe frascos de comprimidos e agulhas (nossa excepcional para carácola!), breve teremos um “assombroso sonhador”, que sabemos que existe mas ainda não descobrimos quem…

  93. MONTALVÃO Diz:

    /
    Tô mal hoje, pior que nos outros dias:
    .
    - Nossa, excepcional para carácola!
    .
    Faltou a coma, digo, vírgula…
    .
    Será que essa Felícia Parise é parente daquela Aparise que aparece no programa do Ratinho?

  94. Marciano Diz:

    O mais engraçado com o iogue é que ele está morto; apenas recusam-se a reconhecer sua morte.
    Está lá nos comentários.

  95. Marciano Diz:

    Ashutosh, also known as Ashutosh Maharaj (1940s), is an Indian spiritual leader, preacher, satguru, and founder head of Divya Jyoti Jagriti Sansthan, a non-profit spiritual organisation. On 29 January 2014, he was declared clinically dead by a team of doctors(may be he is dead). However, his followers firmly believe him to be alive and in the state of a samadhi or deep meditation based on their innumerable divine experiences during meditation. Ashutosh Maharaji has gone into deep stages of samadhi quite a number of times ranging from few days to years over the past 3 to 4 decades. Ashutosh Maharaj has bestowed millions across the world with divine knowledge or “Brahm Gyaan”. “Brahma Gyaan” is an ancient technique of God-realization or direct perception of God which has been bestowed by perfect masters of their time. Since then his body has been kept in a freezer by the management of DJJS, with a firm belief that he will come out of meditation. That has been done so as to create an environment in accordance with one on the Himalayas.
     
    On 29 January 2014, Ashutosh Maharaj was claimed to have suffered from a heart attack and was declared clinically dead by a team of doctors. His followers however firmly believe him to be alive and in a state of deep meditation called samadhi.[16][17] Since then, his body has been kept in a freezer by the management to create Himalayan-like environment suitable for meditation.[1][18][19][20]
     
    Pooran Singh filed a habeas corpus writ, seeking the release of Ashutosh’s body. After the writ was rejected, he petitioned the court for a post-mortem examination of the corpse.[21] A person named as Dilip Kumar Jha, who claims to be the son of Ashutosh Maharaj, also appealed to court, demanding that the body be brought to his home town in Bihar for cremation according to local rituals. The DJJS management have claimed that Ashutosh was single and had no family.[22] On 1 December 2014 the Punjab and Haryana High Court ordered that the last rites for Ashutosh be performed in 15 days. The ruling was later suspended, with further hearings postponed to 9 February 2015.[23][24]
     
    https://en.wikipedia.org/wiki/Ashutosh_(spiritual_leader)

  96. Marciano Diz:

    Disciples of millionaire guru refuse to have him cremated because they say he’s not dead – just meditating (in a deep freezer since January)
    Family of His Holiness Ashutosh Majaraj say he’s been dead for months
    Followers insist he is in a deep meditative state and is thankful for visits
    Now guru’s wife and son have reportedly launched a court claim for body
     

    Disciples of a millionaire spiritual guru have refused to have him cremated because they say he is meditating – in a freezer.
    Now the wife and son of His Holiness Shri Ashutosh Maharaj, who is said to be worth £100million, have reportedly launched a court battle to retrieve his body after saying he died in January.

    His followers at the Divya Jyoti Jagrati Sansthan (Divine Light Awakening Mission) insist he is just in a ‘deep meditative state’, and called on followers to stand by his 31-year-old sect ‘under all circumstances’.

    But according to reports, doctors declared the guru clinically dead of a heart attack on January 29 – a verdict his loyal followers refused to accept.
    Insisting he was in a deep spiritual state called samadhi, they placed him in a deep freezer on the outskirts of the Punjab city of Jalandhar and waited for him to wake up.

    Now the spiritual guru’s wife and son Dilip Jha, 40, have filed a court claim to obtain his body for cremation and have called on police to investigate his death, according to the Daily Telegraph.
    It comes after a previous court challenge to the placing of the guru in a freezer by a man claiming to be his former driver.
    It was alleged his followers were keeping him in the guarded freezer so they could claim a share of his vast wealth.

    Reeta Kohli, additional advocate general of Punjab state, said previously: ‘The man is clinically dead and it is up to his followers to decide what they want to do with the body.’

    Read more: http://www.dailymail.co.uk/news/article-2643134/Disciples-dead-millionaire-guru-refuse-cremated-say-hes-alive-just-meditating-deep-freezer-January.html#ixzz4lgTuezsR

  97. Marciano Diz:

    Relação de outros ilustres que estão meditando (não morreram):
    1 – Santa Bernadete de Lourdes
    Santa Bernadete de Lourdes faleceu em 1879 e, em 1909, ou seja, trinta anos após a sua morte, o corpo permanecia intacto. De acordo com os médicos que acompanharam a primeira exumação, o cadáver se encontrava rígido, mas incrivelmente preservado. Em 1919, ocorreu uma segunda exumação, e as condições do corpo de Santa Bernadete permaneciam as mesmas, e o mesmo foi observado em 1925, na terceira exumação.

    2 – Santa Catarina de Bolonha
    Quando Santa Catarina de Bolonha faleceu, em 1463, seu corpo foi enterrado diretamente na cova — sem o uso de um caixão — e, até onde se sabe, não passou por qualquer processo de embalsamamento. Após 18 dias, o cadáver foi exumado, e permanecia em perfeito estado, sem mostrar qualquer sinal de putrefação.
    Maestro Giovanni Marcanova, o médico que examinou a santa na época, não conseguiu encontrar uma explicação para o fato e, então, o corpo foi vestido com um hábito limpo e colocado em uma cadeira.
    Santa Catarina de Bolonha se encontra até hoje — mais de 500 anos depois de sua morte — na Capela da Ordem das Clarissas da Igreja de Corpus Domini em Bolonha, na Itália, e o seu corpo pode ser visto através de uma proteção de vidro. Por certo, a coloração escurecida da santa se deve à ação de milhares de velas que foram sendo queimadas pelos fieis ao longo dos séculos.

    3 – Santa Cecília
    Não existem informações muito precisas sobre a data na qual Santa Cecília foi martirizada, e sua história só foi registrada no século 5. Mas acredita-se que ela foi condenada à morte por decapitação entre anos de 176 e 180 por Turcius Almachius, o então prefeito de Roma. Dizem que o carrasco não conseguiu separar a cabeça do corpo mesmo depois de três golpes no pescoço de Cecília — e que ela ainda agonizou durante três dias antes de finalmente morrer.
    O corpo da mártir teria sido encontrado incorrupto e na mesma posição em que foi abandonado entre os anos de 817 e 824, ou seja, mais de 600 anos após a sua morte. Mais tarde, em 1599, Cecília voltou a ser exumada, e seus restos mortais permaneciam iguais. Foi então que uma estátua reproduzindo a forma como o seu corpo foi descoberto foi colocada sobre a tumba da santa, e ela pode ser visitada na Igreja de Santa Cecília no Trastevere, em Roma.

    4 – São Silvano
    São Silvano se encontra em exposição na Igreja de São Brás em Dubrovnik, na Croácia, e também é mais um exemplo famoso de Santo Incorrupto. Ele foi martirizado com um ferimento no pescoço durante o século 4, e até hoje — cerca de 1700 anos depois! — seu corpo ainda existe. O cadáver provavelmente recebeu uma camada de cera para ser preservado, mas, mesmo assim, é extraordinário que ele tenha resistido por tanto tempo.
    5 – Sor María de Jesús de Ágreda
    María de Jesús foi uma freira espanhola que morreu em 1665, e seu corpo se encontra até hoje em exposição no Convento de la Concepción, localizado em Ágreda, na Espanha, onde ela foi abadessa. Como você pode ver na imagem, uma estátua de Sor María foi criada para marcar o local de sua sepultura, e o corpo incorrupto — sobre o qual foi aplicada uma fina camada de cera para dar uma corzinha à freira — fica em uma urna de vidro logo abaixo.

    6 – Santa Rita de Cássia
    Santa Rita de Cássia, a santa das causas impossíveis, morreu em 1457, e seu corpo incorrupto — embora se encontre bem desidratado atualmente — pode ser visitado na Basílica de Santa Rita em Cascia, na Itália. Segundo alguns rumores, os olhos da santa já foram flagrados se abrindo e fechando sozinhos, e ela também parece mudar de posição no interior da urna de vidro que guarda o seu corpo.

    7 – Santa Catarina de Labouré
    Santa Catarina de Labouré faleceu em 1876, e quando o seu corpo foi exumado em 1933, ou seja, cerca de 56 anos após sua morte, ele foi encontrado incorrupto. Dizem que seus olhos permaneciam tão azuis como no dia em que ela morreu, e atualmente Santa Catarina de Labouré pode ser vista em exposição em uma capela na Rue du Rac, em Paris.

    8 – São João Maria Vianney
    Também conhecido como o “Santo Cura D’Ars”, São João Maria Vianney morreu aos 73 anos no início de agosto de 1859, e foi sepultado usando uma máscara de cera. Mas quando seu corpo foi exumado em obediência aos trâmites necessários para a sua beatificação, ele foi encontrado incorrupto, e seu coração foi removido e colocado em um relicário. Atualmente, São João Maria Vianney pode ser visitado no Santuário de Ars, na França.

    9 – Padre Pio
    Nascido em Pietralcina, na Itália, em 1887, Padre Pio foi um capuchinho que se tornou famoso por seus estigmatase milagres. Após uma longa vida de devoção, ele morreu em 1968, na Igreja de Santa Maria das Graças, localizada em San Giovanni Rotondo, na Itália.
    Pio foi canonizado pelo Papa João Paulo II em 2002, e seu corpo — supostamente — incorrupto foi exumado no início de 2008 e, desde então, se encontra em exposição em uma urna de vidro e é visitado por milhares de peregrinos todos os dias.

    10 – São Francisco Xavier
    Também conhecido como “Apóstolo do Oriente”, São Francisco Xavier nasceu em 1506, na Espanha, e não só ajudou a fundar a Companhia de Jesus, como foi um dos maiores evangelizadores da Igreja, atuando como missionário no Oriente, sobretudo no Japão e na Índia. São Francisco morreu em dezembro de 1552, na China, mas, em fevereiro de 1553, ele foi exumado e descoberto incorrupto. Aliás, a história do corpo do santo é uma viagem!
    Em março de 1553, após ser exumado, o corpo de São Francisco foi levado a Malacca, na Malásia, onde foi sepultado em um caixão com duas camadas de cal para acelerar o processo de degradação e ajudar no transporte de seus ossos. Mas, para a surpresa de todos, passados dois meses e meio, o cadáver foi novamente exumado e, depois de a cal ser removida, o corpo permanecia intacto.
    São Francisco foi mais uma vez sepultado — com uma pitadinha de cal —, só que desta vez diretamente na terra. Pois, em dezembro do mesmo ano, o santo continuava inteirinho e, como não dava sinais de querer se decompor, ele foi enviado assim mesmo até Goa, que era o local no qual São Francisco queria que seus ossos fossem enterrados.
    Finalmente, em 1637, o corpo incorrupto foi colocado em uma urna de vidro e prata, onde permanece até hoje em exposição na Basílica do Bom Jesus. No entanto, depois de tantas idas e vindas — e tanto tempo! — São Francisco Xavier se encontra um tanto quanto deteriorado.

    O que não falta é gente em animação suspensa.
     
    Agora vou tentar morrer um pouquinho e ressuscitar logo mais.

  98. MONTALVÃO Diz:

    /
    “O mais engraçado com o iogue é que ele está morto; apenas recusam-se a reconhecer sua morte.
    Está lá nos comentários.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: “Em 29 de janeiro de 2014, Ashutosh Maharaj foi noticiado ter sofrido um ataque cardíaco e declarado clinicamente morto por uma equipe de médicos. Seus seguidores, no entanto, acreditam firmemente que ele esteja vivo e em um estado de meditação profunda chamado samadhi .
    .
    Desde então , seu corpo foi mantido em um congelador para criar um ambiente parecido com o Himalaia adequado para a meditação.”
    https://en.wikipedia.org/wiki/Ashutosh_(spiritual_leader
    /
    Quer dizer: o astuto Maharaj morreu, cá entre nós: antes ele do que eu…
    .
    Dizem que ioga é sinônimo de longa vida, fosse assim esse astuto viveria não 74 mas 140 e morreria não de taquecardíaco mas de saco cheio de viver…

  99. Phelippe Diz:

    Olha os feitos da Kulagina aí: https://www.youtube.com/watch?v=zXuI0Bgb9mc

  100. Borges Diz:

    “Estou tentando mover a Terra para uma órbita além daquela do meu planeta natal.
    Se der certo, morreremos todos, mas isso não será um problema.”
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=l7RG1gMctT0

  101. Borges Diz:

    https://www.youtube.com/watch?v=1hc-APK-wjI

  102. Marciano Diz:

    Para não dizerem que não tentei.

  103. MONTALVÃO Diz:

    /
    .
    VISONI: Oi, Marciano
    .
    MEUS MOTIVOS PARA INCLUÍ-LA COMO PSÍQUICA EXCEPCIONAL SÃO:
    ./
    CONSIDERAÇÃO: nem precisava dar motivos: qualquer bundinha é guindado à categoria de excepcional, extraordinário, pelos olhos generosos do deslumbrado administrador.
    /
    /
    VISONI:
    1) ela passou perante Charles Honorton. Mesmo Uri Geller recusou-se a ser testado perante Honorton.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: que qui tem uma com a outra? Cada qual teve seus motivos, ou para aceitar ou para recusar, e ambos são espertos…
    ./
    /
    VISONI: 2) Ela passou perante um mágico.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: perante um fotógrafo que era mágico amador. O mágico de verdade deu logo a sentença: falsa!
    ./
    /
    VISONI: 3) Ela demonstrou um sonho precognitivo perante Steve Goldfinger.
    ./
    CONSIDERAÇÃO: ora, ora, ora, fazes rir a quem te ouve… foi sonho precognitivo ou retrocausativo? O que ela fez se enquadra na nova moda que tentou introduzir e foi mais que os anteriores, pois viu o caso duas semanas antes de acontecer! Retrocausação de primeira!
    /
    ———————————.
    “Felícia também relatou numerosas experiências precognitivas espontâneas. Em outra sessão de sonho em laboratório, em julho de 1973, ela foi acordada e relatou um sonho no qual ela viu um colega de trabalho olhando para uma foto de um prédio destruído na primeira página do New York Daily News. Após fazer seu relatório do sonho, Felícia disse para o experimentador, Steve Goldfinger: “Registre este sonho, Steve, é precognitivo.” Duas semanas depois, o velho hotel central Broadway ruiu, e o Daily News trouxe uma foto dos destroços em sua primeira página.”
    ———————————–.
    /
    CONSIDERAÇÃO: por isso é que, desde esse tempo, criou-se a máxima: “Felícia é do piru!”…
    .
    Isso prova, bem provadinho, que precognição (ou retrocausação, parece que o gerente ainda não se decidiu), qual o resto de psi, não serve mesmo para nada nem para coisa alguma: a malandra “viu”, duas semanas antes, o prédio ruir, mas não pôde fazer nada para avisar ninguém da tragédia, apenas disse ao tolo que a pesquisava tratar-se de “sonho de aviso”, pois não enxergou que prédio era, quando ia acontecer (ou “viu” mas deixou o barco correr)… Realmente: “excepcional psíquica”! Excepcional crendice…
    /
    /

    VISONI: 4) Ela passou perante os Watkins.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: ó meus sais de banho! Passar perante os Watkins é sinônimo de legítima legitimidade! Inclusive, Truzzi diria que todo alegado paranormal que não tenha passado pelos Watkins deve ter sua capacidade questionada!
    .
    E para quem ainda não conhece os Watkins (difícil porém possível) segue trecho informativo:
    /
    —————————-.
    “Os Watkins conduziam EXPERIMENTOS BEM CONTROLADOS E ENGENHOSOS VOLTADOS PARA A CURA PSÍQUICA.
    .
    Eles punham dois camundongos para dormir com éter, então um psíquico entrava na sala, olhava para os camundongos por uma divisória de vidro, e tentava psiquicamente fazer um camundongo acordar antes do outro. O camundongo designado para ser acordado pelo poder psíquico era escolhido aleatoriamente, após ambos terem sido eterizados, de forma a evitar preferências. Numa série de experimentos, Graham e Anita acumularam forte evidência de que o camundongo no qual se concentrava a energia psíquica era o “camundongo que RUGIA primeiro”. Suas descobertas foram mais tarde confirmadas independentemente por outro time de investigadores.”
    ———————————.
    /
    CONSIDERAÇÃO: se alguém tá com vontade de rir, pode fazê-lo, eu também não resisti. Tadinho do “comondongo”: deve ter dado cada rugido ao ser cutucado psiquicamente que só Deus sabe…
    /
    /
    .
    5) Ela aceitou bastante bem qualquer teste por um bom tempo.
    /
    CONSIDERAÇÃO: que nem Ingo Swann, que aceitava qualquer desafio, desde que lhe interessasse…
    .
    Mas, informa-nos o “esclarecido” Honorton: Felicia tinha mais o que fazer na vida, além de ficar provando que psi é psi e o resto é conversa…
    .
    De qualquer modo, a informação talvez sirva para o Marciano, que não consegue dormir desde que deixou seu planeta: embora não seja camundongo, talvez o éter o leve ao mundo dos sonhos… mas não abuse que vicia…

  104. Gorducho Diz:

    Graves, A. (2013). Generating sequences with recurrent neural networks. CoRR, abs/1308.0850.
     
     
    ‘BPC’ is bits-per-character. ✅
    ‘Error’ is next-step classification error rate, for either characters or words. :?:

  105. Vinicius Diz:

    Da Revista ciência espírita postada pelo Montalvão, um trecho de uma mensagem “inocentando” a médica:
     
    “Mamãe as manchinhas do meu corpo sumiram. A meningite foi apenas uma desculpa que precisava para me levar embora da Terra. NÃO CULPE A DOUTORA, ERA MINHA HORA.”
     
    Comentário da revista:
     
    (5) Não culpem a doutora – Embora seja comum pais culparem médicos, o caso relatado pela família demonstra evidente descaso da médica envolvida. Outro detalhe considerado importante foi o fato do sexo (feminino) da prestadora pública de serviço, onde poderia ter sido um médico.
     
    E o primo não mencionado:
     
    (12) Um primo próximo – Na entrevista com o pai, um primo disse não acreditar no teor da carta pois ele não fora citado e era muito ligado ao mesmo.
     
    E o papai:
     
    (10) Expressão “papai” – Segundo o pai de Matheus esse não era o jeito que o chamava, apenas de “pai”

  106. Espírita Sp Orlando Diz:

    Vitor, você reprovou a mediunidade de Chico por completo por causa do Públio? Não há médium é 100%.
    Nem mesmo Chico designado por Ismael e Celina para ser um missionário no Brasil.

  107. Espírita Sp Orlando Diz:

    O médium recebe diversas palavras, este interpretou a figura paterna como pai ao invés de papai.
    E o primo aqui pode ter sido melhor amigo lá no mundo espiritual não é mais.

  108. Gorducho Diz:

    A igreja sempre soube que a carta essa era fake Dr. (como a Sacra Sindone que o Vaticano não alega ser também – só considera como peça pra simbolismo devocional).
    Mas em muita literatura devocional pop – inclusive n’O Reformador de 1903 (já o citei cá) e na Crestomatia que era uma cartilha escolar adotada no ensino primário em MG ela aparece como vera. É isso que enganou CX: ele achava que essa pessoa tinha existido.

  109. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “nem precisava dar motivos: qualquer bundinha é guindado à categoria de excepcional, extraordinário, pelos olhos generosos do deslumbrado administrador.”
    .
    Por acaso validei Chico Xavier (ele é um bundinha?) Ou o Divaldo (outro bundinha?)?
    .
    MONTALVÃO DISSE: ” que qui tem uma com a outra? Cada qual teve seus motivos, ou para aceitar ou para recusar, e ambos são espertos…”
    .
    E ambos tinham dons de pk, e nem Uri Geller, um mágico profissional, conseguiu passar nos testes de macro-pk de Targ e Puthoff, Montalvão. E ainda fugiu do Honorton… a Felicia não era mágica profissional e passou perante o Honorton, outro mágico, e os Watkins, demonstrando sonhos precognitivos perante o Steve… paranormalidade ela tinha.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “ora, ora, ora, fazes rir a quem te ouve… foi sonho precognitivo ou retrocausativo?”
    .
    Ela mesma disse que foi precognitivo.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Isso prova, bem provadinho, que precognição (ou retrocausação, parece que o gerente ainda não se decidiu), qual o resto de psi, não serve mesmo para nada nem para coisa alguma: a malandra “viu”, duas semanas antes, o prédio ruir, mas não pôde fazer nada para avisar ninguém da tragédia, apenas disse ao tolo que a pesquisava tratar-se de “sonho de aviso”, pois não enxergou que prédio era, quando ia acontecer (ou “viu” mas deixou o barco correr)… Realmente: “excepcional psíquica”! Excepcional crendice…”
    .
    Se psi é que nem um neutrino dextrógiro (que não serve para nada, mas existe), pelo menos é bem mais fácil de ser detectada. Daqui a pouco você vai culpar aquele integrante do Mamonas Assassinas que sonhou que o avião ia cair e não fez nada para impedir. Mas milhares de pessoas se salvam devido a esses sonhos precognitivos que você diz que não servem para nada, Montalvão. Inclusive muitos se salvaram do Titanic assim.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “E para quem ainda não conhece os Watkins (difícil porém possível) segue trecho informativo”
    .
    O experimento deles, embora você tente ridicularizar, foi replicado por outro time de pesquisadores independente.

  110. Gorducho Diz:

    Pois é… justo essa padronização prova que não se trata de “mediunidade”, como fizemos ver ao ✈ lá no CC quando ele achou que poderia cooptar o pessoal e foi arrasado pelo Alquimista.
    Até em tese poderia ser algum tipo de aquisição anômala a partir dos parentes, mas nunca um “espírito” entidade individual inteligente.

  111. Phelippe Diz:

    Montalvão, usei o verbo “rugir” por assim constar no texto original. Poderia ter adaptado, mas achei que estaria alterando o pensamento do autor. Já li traduções que de tão adaptadas nada tinham a ver com o original. Tradução perfeita, acredito, só com a língua alemã, extremamente detalhada, exata, específica, que permite a expressão de ideias com total clareza. Isto reflete o caráter dos de raça alemã, perfeccionistas em tudo.
    Mas vou melhorar. E pobres ratinhos.

  112. Phelippe Diz:

    Gorducho, só para contrariar, advogo a possibilidade do Publius bisneto ter existido. Depois de tanto tempo os registros de uma tal genealogia desapareceram. E genealogia é o que mais se presta a mentiras. Sem contar possível conchavo em Roma para alcançar o Senado. Enfim, tantas as alternativas que dou o benefício da dúvida.
    E, como dizia o Gal. Isidoro Dias Lopes, se a história antiga foi escrita como a atual, não dá para confiar.

  113. Gorducho Diz:

    Já foi cá exaustivamente mostrado pelo Sr. JCFF.
    A Administração lhe pode indicar os enlaces.
    Agora… sim, nós dotados de mente científica sempre estamos abertos pra comprovação científica (no caso a ciência historiográfica, claro).
    Ademais é completamente implausível o cara ter ido pra lá fazer o que todo aquele tempo :?:
    Cura pra lepra não porque lepra sempre foi um grande problema lá – basta ver a bíblia; o Baldwin IV…
    Então nem tem como alegar um “clima” propício…

  114. Gorducho Diz:

    É como sempre digo: metafísica só pode ser estudada de fato em alemão.

  115. Vinicius Diz:

    Dr., o espírito ALLAN KARDEC defendendo o corpo fluídico?
    Conhecia essa Gorducho?
     
    extraído  do Reformador (FEB) 1949
     
    Médium: Zilda Gama
    Data : Agosto de 1913
     
    Trecho de uma comunicação publicada
    integralmente no livro “Diário dos Invisíveis”(Ed. Pensamento), em 1929.
     
                Afirmo, agora, baseado nas verdades transcendentes, que Jesus, o Emissário divino, foi o Ente mais evoluído, da mais alta estirpe sideral que já baixou à Terra, em cumprimento de uma incumbência direta do Pai Celestial, e, portanto, o que houve de anormalidade em sua existência não foi uma seleção parcial feita por Deus, mas uma justa homenagem que lhe era devida ao próprio mérito.
     
                Nós, distanciados como estamos de sua perfectibilidade, não gozamos das mesmas regalias ou prerrogativas que lhe foram outorgadas, mas podemos adquiri-las, em séculos e milênios de dedicação, labor, esforço próprio, prática de todas as virtudes.
     
    Era, pois, Jesus, já naquela época – a do início do Cristianismo – uma personalidade superior, que, para bem desempenhar sua missão planetária, teve de tecer suas vestes tangíveis, com as quais ofuscou o brilho de sua alma radiosa, constituída de eflúvios cósmicos, que se solidificaram, que se aderiram ao mediador plástico, dando-lhe a aparência de materialidade, mas que podiam ser dissolvidos ao influxo de sua vontade.
     
    Allan Kardec

  116. Phelippe Diz:

    Oi, Vinicius.
    O espírito Alan Kardec, nessa mensagem, usa algumas palavras no estilo CX, “eflúvios cósmicos” , “influxo de sua vontade” etc. Não digo que é igual, mas guarda pontos de contato. Acho que de tanto ler esse tipo de livro nosso amigo CX foi incorporando o vocabulário piegas.

  117. Phelippe Diz:

    E ontem foi aniversário do desencarne do nosso amigo WV. Alguém sabe se ele já se comunicou? O Blade faz falta, estava relendo os comentarios dele no tópico do WV, de 2015. Puxa vida! Saudades das tertúlias. Eu mesmo enviei algumas perguntas para ele responder (o WV). Lembro quando ele disse que as músicas do Saint-Saens são malditas pois ele as viu, em desdobramento, serem tocadas no umbral, ou na baratrosfera (essa a grafia, acho), como ele chamava.

  118. Marciano Diz:

    ===============================================================
    De qualquer modo, a informação talvez sirva para o Marciano, que não consegue dormir desde que deixou seu planeta: embora não seja camundongo, talvez o éter o leve ao mundo dos sonhos… mas não abuse que vicia…
    ===============================================================
     
    Já experimentei cheirar éter, quando era criança, só porque gostava do cheiro e tinha curiosidade, porque tinha gente que dizia que era maneiro.
    O único efeito que fez em mim foi o de provocar uma euforia trasitória. Não fiquei viciado, pois achei uma bobeira. Ademais, não sou propenso a vícios (comportamentos compulsivos).

     
     
    ===============================================================
    O médium recebe diversas palavras, este interpretou a figura paterna como pai ao invés de papai.
    E o primo aqui pode ter sido melhor amigo lá no mundo espiritual não é mais.
    ===============================================================
     
    Assim, a gente explica qualquer coisa. Sonhei com um gato no telhado. Joguei no gato, mas deu burro. É porque o gato caiu do telhado, portanto, era um gato burro.
    Qual é?

  119. Marciano Diz:

    TraNsitória.

  120. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Montalvão, usei o verbo “rugir” por assim constar no texto original. [...]
    Mas vou melhorar. E pobres ratinhos.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: não critiquei a tradução, que me pareceu muito boa (mesmo por que não tenho cabedal para avaliar traduções – quem me dera…): ironizei a experiência…

  121. MONTALVÃO Diz:

    /
    Phelippe Diz:
    .
    Olha os feitos da Kulagina aí: https://www.youtube.com/watch?v=zXuI0Bgb9mc
    /.
    CONSIDERAÇÃO: bom achado, mostra que os devaneios do Visoni não se sustentam…
    /
    ——————–.
    VISONI: Vamos ter que reabrir o caso de Kulagina. Houve uma defesa FANTÁSTICA do caso dela, refutando Gardner e Randi:
    http://jamesaconrad.com/TK/Ninel-Kulagina-telekinesis-case-rebuttals-to-skeptical-arguments.html
    —————————.
    /
    CONSIDERAÇÃO: nesse “belorrível” panegírico em favor de Kulagina, citado pelo Visoni e que o fez, célere e festivamente, voltar atrás em sua madura apreciação de outrora, é dito que o desafio lançado ao mundo de alguém repetir os feitos da espertalhona nunca fora atendido, como se isso significasse grande coisa. Não fora atendido porque nenhum mágico profissional se interessou em perder tempo com o que sabia ser falcatrua. Mas, eis que aparece um e rapidinho mostra que não havia nada de psi na russa.
    /
    Considerando o saudável raciocínio do Vitor, quando esteve em período de fértil conscientização, de avaliar que o modelo do espetáculo de Mirabelli se repetia em Kulagina, portanto podia dar por certo que a “psíca” do Kremlin era fraudadora (visto que Mirabelli fora revelado safado), e considerando que Felícia é cria de Kulagina, por coerência, deve ele concluir que esta também não merece maior consideração. Caso encerrado.

  122. Gorducho Diz:

    Me deixa transtornado quando “traduzem” unidades – já vi até “traduzirem” $ pelo nome de moeda brasileira…- mas reconheço que pra uso informal dos leitores brasileiros facilita…
     
    4½” aproximadamente 10 centímetros
    :(

  123. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “bom achado, mostra que os devaneios do Visoni não se sustentam…”
    .
    O autor do site faz referência ao vídeo acima (sinal que você não leu o link, Montalvão), e diz o óbvio: o mágico está no controle total da situação.
    .
    In one instance that originated on a German-language television show, the magician has his own rigged table and props brought in as the camera records and he is the one who places the objects to be mentally targeted by his “telekinesis” precisely on the table where the effect would work by means of a magnet device hidden inside the table and operated by remote control.
    .
    Em um caso que se originou em um programa de televisão em língua alemã, o mágico tem sua própria mesa e acessórios trazidos para dentro como registra a câmera e é ele quem coloca os objetos para serem mentalmente visados por sua “telecinesia” precisamente na mesa onde o efeito funcionaria por meio de um dispositivo magnético escondido dentro da mesa e operado por controle remoto.
    .
    No artigo que faz a defesa, é dito:
    .
    The test demonstration protocol required that Kulagina not be allowed to touch the objects. The protocol required that film footage be devoted at the beginning to show that Russian biologist-parapsychologist Eduard Naumov (pronounced “Now-er-mahv”) had total possession of the objects and, always seated next to her, it was he who determined where the objects were to be placed on the table.
    .
    É claro que, se a Kulagina de fato tocava os objetos, aí fica difícil se proteger contra a fraude. Eis a dúvida.

  124. Gorducho Diz:

    Não entendi que defesa é essa se diz que tinhaum sempre perto dela &c…
    :?:
     
     
    No filme trazido pelo Analista Phelippe se bem me lembro alfinetam o mágico porque ele move em angulo a bola; não como ela.

  125. MONTALVÃO Diz:

    /
    “4½” aproximadamente 10 centímetros
    :(
    /.
    CONSIDERAÇÃO: ô louco! Aproxima-se para (dããããã) o mais próximo: de 8,5 a 9,4: aproximadamente 9; de 9,5 a 10,4: aproximadamente 10…

  126. MONTALVÃO Diz:

    /
    MONTALVÃO DISSE: “nem precisava dar motivos: qualquer bundinha é guindado à categoria de excepcional, extraordinário, pelos olhos generosos do deslumbrado administrador.”
    .
    VISONI: Por acaso validei Chico Xavier (ele é um bundinha?) Ou o Divaldo (outro bundinha?)?
    /.
    CONSIDERAÇÃO: quando digo, aplicado a você, “qualquer bundinha”, está implícito que a bundinha é estrangeira. As nacionais são avaliadas, em geral, com o rigor devido, ressalvadas as escorregadelas. Não validou Chico mas valida Swann; não validou Divaldo mas valida Felícia e, para complicar, quer voltar a validar a antes invalidada Kulagina… desse jeito só matando o prefeito…
    ./
    /
    MONTALVÃO DISSE: ” que qui tem uma com a outra? Cada qual teve seus motivos, ou para aceitar ou para recusar, e ambos são espertos…”
    .
    VISONI: E AMBOS TINHAM DONS DE PK, e nem Uri Geller, um mágico profissional, conseguiu passar nos testes de macro-pk de Targ e Puthoff, Montalvão. E ainda fugiu do Honorton… a Felicia não era mágica profissional e passou perante o Honorton, outro mágico, e os Watkins, demonstrando sonhos precognitivos perante o Steve… paranormalidade ela tinha.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: não entendi: “ambos” quem? Felicia e Geller? Você insiste no “nada a ver com coisa alguma”: o fato de Geller fugir de Honorton e Felícia aceitá-lo não tem a conotação que pretende dar. Precisaria analisar os contextos tanto da recusa quanto da aceitação e conferir se são parelhos. Geller certamente replica-lo-ia que foi conferido por muito mais testadores que Felícia e que não aceitou o convite de Honorton por estar ocupado sendo testado por outros, e aí?
    .
    Beira o ridículo essa sua pretensão de levar os dois patetas ao pedestal da competência depois de, merecidamente, execrá-los como pseudopesquisadores. Essa de que Geller não passou nos testes de dobradura de Targ e Puthoff é coisa de quem não conhece a história ou quer torcê-la para que se encaixe nas suas divagações. Embora eles realmente tenham ficado em cima do muro, no que diz respeito às entortações de colheres, validaram a mór parte do que viram Geller realizar. Isso após estarem com ele meses seguidos, quase diariamente, observando atentamente seus feitos e dispondo de ferramental mais que suficiente para declarar o sujeito perfeito kid vigarista.
    .
    ————————–.
    “Numa reunião de PK realizada no salão de festas de um hotel em Palo Alto, Jack e eu estávamos tentando filmar em videoteipe um caso em que se dobrasse o metal paranormalmente — um esforço que quase sempre terminava em fracasso. Quando estávamos fazendo a limpeza depois de outro evento decepcionante, ouvimos um grito vindo de um canto do salão; era Jane Katra. Ela estivera sentada em silêncio, meditando com uma colher de chá prateada na mão, quando, de repente, a colher “adquiriu vida” em sua mão e arrancou do devaneio.
    .
    Ela descreveu como uma sensação repentina de ter um grilo esfregando a palma de sua mão; foi isso que a fez gritar. Quando vários de nós corremos para ver o que havia acontecido, nós a encontramos olhando para uma colher muito esquisita. Enquanto estava na sua mão, a concha da colher encurvou-se 180 graus em direção ao cabo. Nós fotografamos a colher e a colocamos em um saco plástico. Quando chegamos em casa, a colher havia encurvado até 270 graus e agora parecia uma conchinha de nautilus. Ou seja, a concha da colher — não o cabo — se havia dobrado.
    .
    Não consigo imaginar um modo, seja com força manual ou tecnologia de laboratório, de alguém fazer isso – seguramente não a Jane, cujas mãos têm pequena ossatura e se machucam só de cortar rosas.
    .
    No mês seguinte, compareci a uma segunda reunião de PK. Dessa vez, tive sucesso em curvar em cerca de 30 graus uma vareta de alumínio com quase um centímetro de diâmetro e medindo cerca de 30 cm. Quando me sentei, meditando com os olhos fechados, a vareta se tornou flexível nas minhas mãos — e então ela se encurvou! Levei para casa uma vareta idêntica para meus dois atléticos filhos tentarem dobrar. Nenhum dos dois altos e fortes remadores conseguiu executar a façanha.
    .
    Não estou contando essas histórias para insinuar qualquer talento paranormal meu ou de Jane, mas porque
    .
    ACHO IMPORTANTE RELATAR FINALMENTE QUE DE FATO EXISTE ISSO DE CURVAR METAIS PARANORMALMENTE, e que não é preciso ser Uri Geller para fazê-lo.
    .
    A conclusão é que, SE JANE E EU PUDEMOS CURVAR METAL NUMA REUNIÃO DE PK, ENTÃO É MUITO PROVÁVEL QUE GELLER, QUE INVENTOU ESSA LOUCURA, TAMBÉM POSSA.
    .
    O fato de que um mágico de palco possa fazer mágica mental ou fingir que entorta colheres no programa de TV Tonight Show não prova que essas coisas não possam de fato ocorrer.”
    (Mente sem Limites – Russel Targ)
    ———————————.
    /
    Se consegue perceber o besteirol argumentativo do autor então há esperança… se não conseguir pede que explico…

  127. Marciano Diz:

    Marciano Diz: Seu comentário será publicado depois de aprovado pelo editor. Obrigado.
    JULHO 4TH, 2017 ÀS 2:27 AM
    Was is passiert?
    ch bin sehr müde. Ich werde das morgen lesen.

  128. Marciano Diz:

    Ich bin.

  129. Marciano Diz:

    Ich bin betrunken.
    Enschuldigung!
    Ich hoffe morgen in einem guten Zustand.

  130. Vitor Diz:

    Pô, Gorducho, 4,5 polegadas dá 11,43 cm. Eu ou o Phelippe arredondamos para 10 cm. Deixa de ser chato. Se eu botar 11 cm vai parecer que o Honorton colocou uma régua lá e mediu a distância.

  131. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “quando digo, aplicado a você, “qualquer bundinha”, está implícito que a bundinha é estrangeira. ”
    .
    Então vamos lá…Por acaso validei Florece Cook? Elizabeth D’Esperance?
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Não validou Chico mas valida Swann; não validou Divaldo mas valida Felícia e, para complicar, quer voltar a validar a antes invalidada Kulagina…”
    .
    Swann e Felicia passaram pelo escrutínio de pesquisadores independentes. Swann ajudou a fazer descobertas arqueológicas (subaquáticas). Felicia passou perante um mágico. Desconheço recusas de Swann a ser testado, e Felicia sabemos bem porque ela parou com a PK, já que o próprio Honorton admite a culpa dele nisso.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Geller certamente replica-lo-ia que foi conferido por muito mais testadores que Felícia e que não aceitou o convite de Honorton por estar ocupado sendo testado por outros, e aí?”
    .
    Bom, então era só dizer quais eram esses outros cientistas. Lembro que ele recusou o convite tanto de Honorton quanto de Rhine. E não passou nos testes de macro-pk de Targ e Puthoff (que pelo visto, não são tão ruins metodologicamente como os céticos querem fazer acreditar).
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Beira o ridículo essa sua pretensão de levar os dois patetas ao pedestal da competência depois de, merecidamente, execrá-los como pseudopesquisadores.”
    .
    Não estão no pedestal da competência, mas não estão no buraco da incompetência também.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Embora eles realmente tenham ficado em cima do muro, no que diz respeito às entortações de colheres, validaram a mór parte do que viram Geller realizar.”
    .
    Validaram apenas a visão remota. Coisa que foi replicada por outros cientistas, com outros psíquicos.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Se consegue perceber o besteirol argumentativo do autor então há esperança… se não conseguir pede que explico…”
    .
    Não há besteira na argumentação, eu só não diria que é “muito provável” que Geller tenha o poder de entortar metais. Consideraria como uma possibilidade remota. No mais, considerando a experiência pessoal do Targ, a argumentação está ok.

  132. Gorducho Diz:

    O que eu quis dizer mesmo é que fico transtornado quando “traduzem” unidades.
    Tem 2 interpretações possíveis:
    ☐ facilitar ao leitor brasileiro;
    ☐ implicitamente chamar o leitor (deste culto Sítio) de analfabeto.
     
    “Traduzir” ® … :(
    ( vidro pirex, VA centímetros de espessura, 30 cm de altura, 30 cm de diâmetro, capacidade para 5 galões :mrgreen: de fluido, 15 libras :mrgreen: .)
     
     
    :?: Não entendi o tal artigo de “defesa” dela (onde é citado o tal Sr. Эдуард ) :?:

  133. Gorducho Diz:

    ==============================================================
    Swann e Felicia passaram pelo escrutínio de pesquisadores independentes.
    ==============================================================
    Perfeito…
    Os operários pelados aqueles lá na Lua ¿seriam obras no presídio onde está o Lampião?
    Se sim o Sr. tem que validar CX também.

  134. Gorducho Diz:

    Se ele pôs ½ é porque ele pôs uma régua.
    Claro, naquela distância do lab onde ele fala 70 sim pode-se supor que não :P

  135. Vitor Diz:

    Sim, o Hodgson validou os macacos no Sol da Piper também…
    .
    Para os céticos ou é 8 ou é 80….

  136. Gorducho Diz:

    Uma das melhores matérias que tivemos na escola foi metrologia. Foi 100% em lab com todos pontos baseados em trabalho prático de medição.
    E o lente sempre estressou muito essa questão dos algarismos depois da vírgula. Pô-los a + é erro tão grande quanto pô-los pra -; &c…

  137. Vitor Diz:

    Ok, atualizei o artigo colocando 11 cm, em vez de 5 galões virou 19 litros e em vez de 15 libras virou 7 quilos.

  138. Gorducho Diz:

    Assim como na antiga construção civil – hoje já mudou, claro…- não fazia sentido usar mm (usavam cm).

  139. Vitor Diz:

    GORDUCHO DISSE: “Não entendi o tal artigo de “defesa” dela (onde é citado o tal Sr. ?????? ) :?:
    .
    O artigo é esse:
    .
    http://jamesaconrad.com/TK/Ninel-Kulagina-telekinesis-case-rebuttals-to-skeptical-arguments.html
    .
    Agora quem é esse ?????? que vc fala nesses caracteres aí não sei.

  140. Gorducho Diz:

    O SENHOR não disse que esse Sr. ficava sempre ao lado dela e determinava onde os semoventes deveria serem colocados sobre a mesa :?:
     
     
    Segundo a calculadora do W10
    5 gal = 1/20 banheiras
    Será que é uma unidade bíblica :?:

  141. Gorducho Diz:

    Então 1 gal é 1 centésimo de banheira…
    Será que é essa a origem do galão americano :?:

  142. Vitor Diz:

    Ah, vc se refere a esse trecho:
    .
    The protocol required that film footage be devoted at the beginning to show that Russian biologist-parapsychologist Eduard Naumov (pronounced “Now-er-mahv”) had total possession of the objects and, always seated next to her, it was he who determined where the objects were to be placed on the table.
    .
    Isso é bem diferente do que o mágico fez, já que logo no início é mostrado ele mexendo nos objetos, que são objetos dele, aliás. Até a mesa parece ser do mágico.

  143. Phelippe Diz:

    Gorducho, deixei as medidas no sistema inglês para ser mais fiel ao texto original. Mas o Vitor pode alterar, se achar adequado. Como estudei pelo Aritmética Progressiva, do senhor Trajano, não vejo problema em dizer libras, léguas, ou pence, guinéus, xelins etc.

  144. Vitor Diz:

    Eu prefiro passar tudo para as medidas que estamos mais habituados, acho que isso poupa o leitor.

  145. MONTALVÃO Diz:

    /
    Espírita Sp Orlando Diz:
    .
    Vitor, você reprovou a mediunidade de Chico por completo por causa do Públio? Não há médium é 100%.
    Nem mesmo Chico designado por Ismael e Celina para ser um missionário no Brasil.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: dado que estamos fechados que espíritos, mesmo que existam, não comunicam, o que faz das pretensas comunicações simulações conscientes ou inconscientes, ou seja, fabulações, algumas dolosas, outras frutos do anseio de confirmar a crença, qualquer referência a entidade em ação é vazia.
    .
    Assim, se se diz que entes nominados Ismael e celina deram instruções a Xavier o que temos é uma ficção que tem função de realidade apenas no contexto validativo do espiritismo.

  146. MONTALVÃO Diz:

    /
    Espírita Sp Orlando Diz:
    .
    O médium recebe diversas palavras, este interpretou a figura paterna como pai ao invés de papai.
    E o primo aqui pode ter sido melhor amigo lá no mundo espiritual não é mais.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: a mediunidade é, mal comparando, como um software de código aberto: qualquer um pode mexer. A diferença é que o software funciona e se der defeito outras mãos tratam de providenciar os acertos; já a mediunidade, por ser mera cogitação, permite qualquer arranjo que se queira, mesmo que entre em choque com o discurso de outrem.
    .
    Vejam o caso acima: um pouco a doutrina kardecista e, muito mais, a xaveriana ensina que os espíritos buscam recadear àqueles que lhes eram queridos em vida. Já o samporlando traz uma inovação: há desafetos intermundos, quer dizer, foi amigo em vida, mas no além a amizade minguou… muito criativo…

  147. Vitor Diz:

    Oi, Orlando
    .
    desculpe, esqueci de lhe responder sobre o Chico. Eu não reprovei a mediunidade do Chico 100% por causa do Público, embora inicialmente sim. Depois com o controle Phinuit da Piper meu ânimo a esse respeito diminuiu (mas não por completo!). O problema maior são as fraudes de materialização, os plágios, a recusa a se submeter a testes controlados (é dito que cientistas russos queriam levá-lo para estudo, e o Emmanuel teria dito que se o Chico fosse, ele ficava….), as repetições extremas nas cartas aos familiares (querida mãezinha….) etc.

  148. MONTALVÃO Diz:

    /
    MONTALVÃO DISSE: “ora, ora, ora, fazes rir a quem te ouve… foi sonho precognitivo ou retrocausativo?”
    .
    VISONI: Ela mesma disse que foi precognitivo.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: ah sim, agora quem decide é o experimentado! Se ela diz que foi precognitivo morreu a retrocausação… Intonces, pra quê pesquisadores? Basta a palavra do suject “sou precognitivo”, “sou isso”, “sou aquilo” e caso encerrado…
    .
    Pensei que o investigador buscasse por seus meios técnicos definir claramente o que sucede com o “psíco”: se realmente possui os poderes que apregoa; mas agora parece ter virado moda (mais uma!) no meio psi usar o experimentado com parceiro da experiência. Já não mais se avalia se as alegações do alegador são merecedoras de crédito, desde que ele, ao chegar no laboratório consiga espontaneamente influenciar aparelhos eletrônicos (como disseram Targ e Puthoff de Swann) então o caso tá resolvido: legítimo paranormal! “Chega pra cá parceirão! Vamos bolar uns experimentos em conjunto só para mostrar ao mundo que temos mais um mutante em ação!”
    ./
    /
    MONTALVÃO DISSE: “Isso prova, bem provadinho, que precognição (ou retrocausação, parece que o gerente ainda não se decidiu), qual o resto de psi, não serve mesmo para nada nem para coisa alguma: a malandra “viu”, duas semanas antes, o prédio ruir, mas não pôde fazer nada para avisar ninguém da tragédia, apenas disse ao tolo que a pesquisava tratar-se de “sonho de aviso”, pois não enxergou que prédio era, quando ia acontecer (ou “viu” mas deixou o barco correr)… Realmente: “excepcional psíquica”! Excepcional crendice…”
    .
    VISONI: Se psi é que nem um neutrino dextrógiro (que não serve para nada, mas existe), pelo menos é bem mais fácil de ser detectada. Daqui a pouco você vai culpar aquele integrante do Mamonas Assassinas que sonhou que o avião ia cair e não fez nada para impedir. Mas milhares de pessoas se salvam devido a esses sonhos precognitivos que você diz que não servem para nada, Montalvão. Inclusive muitos se salvaram do Titanic assim.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: ô fantasia! Se salvaram porque, por motivos vários, não embarcaram. Depois do acidente surgiram as “premonições”. Se nada houvesse acontecido durante a viagem os que ficaram estariam lamentando não ter ido até hoje…
    .
    Psi talvez seja fácil de ser detectada (embora tão poucos a detectem e ela não se mostre ao senso comum de jeito maneira), pena que a ciência, normalmente tão sequiosa por investigar qualquer novidade, ainda não se tenha apercebido dessa realidade… o que prova cientificamente que os cientistas não querem saber de nada que mexa com seus confortos! Eles são é medrosos, isso sim…
    .
    Mesmo assim, registro um avanço (que não é desodorante): já reconhece que psi, mesmo que exista, para nada serve… ainda há esperança…
    /
    /
    .
    MONTALVÃO DISSE: “E para quem ainda não conhece os Watkins (difícil porém possível) segue trecho informativo”
    .
    VISONI: O experimento deles, embora você tente ridicularizar, foi replicado por outro time de pesquisadores independente.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: outro time de Watkins nº 2?

  149. Gorducho Diz:

    ==============================================================
    Depois com o controle Phinuit da Piper meu ânimo a esse respeito diminuiu
    ==============================================================
    Um “controle externo” irreal, ser inexistente criado pela mente pode ser qualquer coisa menos “mediunidade” no sentido espírita.
    Como nas cartinhas. Nos termos da nossa discussão c/o ✈ lá no CC poderá ser qualquer coisa -
    aquisição anômala, ou o que seja – mas jamais “mediunidade”. A menos que se admita o absurdo de que Emmânuel possa ser um gobelin farsante.
     
     
    =============================================================
    as repetições extremas nas cartas aos familiares (querida mãezinha….) etc.
    =============================================================
    Talvez o supra sumo disso CX tenha cometido nessa…
    O falecido era – notem bem; e registro todo meu respeito pra pessoa real dele e familiares, claro! – PC IFR multimotor – visto que voava Navajo.
    Negritos meus:
    Tempo de chuva, com a famosa cerração enganando os mais experimentados viajantes do ar. Fizemos o possível para que o dever fosse cumprido, mas o resultado não foi o previsto.
    Painel tranqüilo e segurança total. Um leve movimento da máquina
    (pra CX aeronave era uma “máquina”…) e o choque apareceu, inevitável. Duvido que alguém por mais informado, nas condições em que nos achávamos, consiga historiar nas palavras do mundo a ocorrência de que fomos vítimas.
    Não creio que o fenômeno possa ser anatomizado com todos os rigores da técnica, até mesmo em nos reportando às caixas de
    informação
    :?: nos instantes mais graves. Em mim o acontecimento adquiriu as proporções de uma bomba que me alcançasse, arrasando-nos.
    Experimentei por dentro de mim aquela ansiedade de socorrer os viajores amigos, ou melhor, os companheiros que me faziam presença
    , (que é isso :?: os ocupantes da aeronave :?: ) mas nem de muito leve, consegui atuar com o meu intento.

  150. MONTALVÃO Diz:

    /

    Phelippe Diz:
    .
    Gorducho, só para contrariar, advogo a possibilidade do Publius bisneto ter existido. Depois de tanto tempo os registros de uma tal genealogia desapareceram. E genealogia é o que mais se presta a mentiras. Sem contar possível conchavo em Roma para alcançar o Senado. Enfim, tantas as alternativas que dou o benefício da dúvida.
    E, como dizia o Gal. Isidoro Dias Lopes, se a história antiga foi escrita como a atual, não dá para confiar.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: Phelippe, respeita-se que pense do modo que pensa… Mas antes de firmar-se nessa ideia é mais do que recomendável examinar os estudos do José Carlos, publicados cá no Obras. Ele aprofundou a pesquisa até onde seja possível tal investigação, inclusive, fora do Obras, esteve às turras com historiadores espíritas que diziam ter provas concretas da existência de Lêntulo: derribou firme e convincentemente tais alegações. Supor que possa ter existido alguém que a história não registrou mas médiuns desencavaram, considerando as fantasias que a mediunidade carreia, equivale a apostar nas trevas e desprezar a luz.
    .
    Mesmo porque, para advogar a existência de Emmanuel precisa partir de algum ponto sólido: simplesmente defender que acredita em tal porque simpatiza com a ideia, funciona para conforto pessoal,nada de produtivo acrescenta à elucidação do caso.
    .
    É fato que a história nunca é cem porcento resgate do passado, mas partir desse fato para inserir em eventos idos personagens que bem se queira é mais que temerário, funciona só na literatura.
    .
    Observe que a fantasiação de Chico partiu de um ponto (meio) sólido: a famigerada carta de Públio Lêntulo, que iniciou a circular no século XIV. Chico, desapercebidamente, a tomou como veraz, baseando-se em publicações de deslumbrados, que declaravam a autenticidade do documento. Tivesse ele investigado melhor, veria que nem a ICAR, que seria a maior interessado em propalar a missiva como legítima, a reconhecia como tal.

  151. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “ah sim, agora quem decide é o experimentado! Se ela diz que foi precognitivo morreu a retrocausação… Intonces, pra quê pesquisadores? Basta a palavra do suject “sou precognitivo”, “sou isso”, “sou aquilo” e caso encerrado…”
    .
    Os pesquisadores vão fazer testes para confirmar (ou não) as alegações. E retrocausalidade envolve precognição também. É apenas um subtipo, como o pressentimento também é (uma resposta fisiológica inconsciente a um alvo futuro). Mas tudo enquadrado dentro de precognição. No caso não há evidência de retrocausalidade envolvida.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Pensei que o investigador buscasse por seus meios técnicos definir claramente o que sucede com o “psíco”: se realmente possui os poderes que apregoa; mas agora parece ter virado moda (mais uma!) no meio psi usar o experimentado com parceiro da experiência.”
    .
    Sim, porque um clima de parceria é excelente para se obter bons resultados. Tratar o psíquico como uma cobaia (como o Honorton fez com a Felícia) ou como uma fraude que precisa ser exposta (como o Hodgson fez com a Piper) não ajuda em nada… aliás, só atrapalha.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Se salvaram porque, por motivos vários, não embarcaram. Depois do acidente surgiram as “premonições”. ”
    .
    E quando surgem antes vc culpa os psíquicos por não terem feito nada para ajudar. Vai lá culpar o integrante dos Mamonas Assassinas por não ter impedido a tragédia no dia, vai!
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Psi talvez seja fácil de ser detectada (embora tão poucos a detectem e ela não se mostre ao senso comum de jeito maneira), pena que a ciência, normalmente tão sequiosa por investigar qualquer novidade, ainda não se tenha apercebido dessa realidade…”
    .
    Quem disse que não? Os Simpósios de retrocausalidade feitos sob aos auspícios da AAAS mostram exatamente o oposto.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “outro time de Watkins nº 2?”
    .
    Roger Wells e Judith Klein, em 1972:
    .
    http://search.proquest.com/openview/16f93f6f1478a2c0ab195a1584b4862a/1?pq-origsite=gscholar&cbl=1818062

  152. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Já experimentei cheirar éter, quando era criança, só porque gostava do cheiro e tinha curiosidade, porque tinha gente que dizia que era maneiro.
    O único efeito que fez em mim foi o de provocar uma euforia trasitória. Não fiquei viciado, pois achei uma bobeira. Ademais, não sou propenso a vícios (comportamentos compulsivos).”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: cheirar éter por ser gostoso também fiz muito (no tempo em que se o usava como antissético), nunca dormi, nunca viciei. Para dormir ou viciar tem que ser quantidade maior e absorção igualmente elevada. Soube de gente que embebia tabletes de açúcar nessa substância volátil e ingeria: ficava zuretão…

  153. MONTALVÃO Diz:

    /
    MONTALVÃO DISSE: “bom achado, mostra que os devaneios do Visoni não se sustentam…”
    .
    VISONI: O autor do site faz referência ao vídeo acima (sinal que você não leu o link, Montalvão), e diz o óbvio: o mágico está no controle total da situação.
    .
    —————————-.
    “Em um caso que se originou em um programa de televisão em língua alemã, o mágico tem sua própria mesa e acessórios trazidos para dentro como registra a câmera e é ele quem coloca os objetos para serem mentalmente visados por sua “telecinesia” precisamente na mesa onde o efeito funcionaria por meio de um dispositivo magnético escondido dentro da mesa e operado por controle remoto.”
    ————————-.
    .
    No artigo que faz a defesa, é dito:
    .
    ————————-.
    “O protocolo de demonstração de teste exigiu que a Kulagina não pudesse tocar os objetos. O protocolo exigiu que as filmagens fossem dedicadas no início para mostrar que o biólogo-parapsicólogo russo Eduard Naumov (pronunciado “Now-er-mahv”) possuía total posse dos objetos e, sempre sentado ao lado dela, foi ele quem determinou onde Os objetos deveriam ser colocados sobre a mesa.
    ———————–.
    .

    VISONI: É claro que, se a Kulagina de fato tocava os objetos, aí fica difícil se proteger contra a fraude. Eis a dúvida.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: resta saber se alguém cobrou do mágico montagem igualzinha a de Kulagina e ele tenha arriado as armas… O que ele fez, entendo, foi mostrar que o feito é repetível por prestidigitação, mas sabe-se que para os parapsicólotras, mesmo que isso aponte para a simulação por parte de suposto paranormal, não é tido como taxativo. Veja o que disse Targ no texto que postei acima: “mesmo que um mágico faça não significa que o paranormal não possa fazer por poder psi”.
    .
    Então, o modo de mostrar que Kulagina e quejandos sejam espertalhões é dando-lhes o flagra no momento propício, o que nem sempre é aberto a quem possa fazê-lo e é dessa dificultação que surgem os “nunca pegos em fraude”…
    .
    E mais, a parapsicolotria vai além: mesmo que o malandro seja flagrado isso não impede de que nas vezes em que não houve a denúncia seja aclamado legítimo: é o famoso “FRAUDA MAS É AUTÊNTICO, SÓ QUE ÀS VEZES”, como foi fortemente defendido em favor de Eusápia Palladino.
    .
    Quer dizer, a parapsicolatria faz sua reserva de mercado e dela não abre mão nem com apelo de nossa senhora…

  154. Vinicius Diz:

    “Eu prefiro passar tudo para as medidas que estamos mais habituados, acho que isso poupa o leitor.”
     
    Que tal incluir as duas medidas :) ? Do texto original e a traduação entre parênteses?
     
    1 pol (2,54 cm).

  155. Espírita Sp Orlando Diz:

    Tudo bem Victor, os cientistas russos tentaram leva-lo, ouvi dizer que iam pagar uma boa nota a ele, alguns mais próximos dele ficaram P da vida com isso, alegando que Emmanuel é contrário a ciência e Kardec não era… enfim…
    Mas Chico, pobre homem, acossado por enfermidades, familiares contra ele, se eu fosse o Chico teria caído fora disso tudo…
    E o tal do “querida mãezinha” talvez seja por conta de que os espíritos tem mais facilidade de se comunicar por símbolos (vide sonhos, por exemplo).
    As fraudes de materialização – ele foi enganado, e o Waldo e o médico dele também. os 3 caíram , mas Emmanual o advertia sempre , foi a vaidade mundana..
    Os médiuns lá do centro de minha mãe também tem vocabulário muito parecido com obras de CX,

  156. Espírita Sp Orlando Diz:

    Montalvão há muita gente que aqui parece amigo mas lá no além a mascara cai.
    Perseguições terriveis são arquitetadas por ambos os lados. Depois de 8 anos mais ou menos vem um mentor esclarecido e tenta apaziguar os ânimos aflorados.
    Daí ingressam em Educandarios especializados e após algum tempo programam abençoadas reencarnações.
    O mergulho no corpo fará com que ambos renovem seus votos de tentativa conciliatória.

  157. Vitor Diz:

    Oi, Orlando
    o Chico não foi enganado nas materializações, é dito que o Emmanuel se materializou por meio dele, logo o Chico com certeza fraudou.

  158. Gorducho Diz:

    Nessa da URSS o Emmânuel teve razão :!:
    Ele ia ficar empenhado lá pela Barbarossa. Voltar como: via Arcangel > Groenlândia > Canada :?:
    Arriscava até um U-Boot acertar eles :(

  159. Gorducho Diz:

    E como que o Stalin ia pagar ele :?:
    Ia pagar adiantado cá no Brasil :?: Aqui, ó…

  160. Vinicius Diz:

    “Tudo bem Victor, os cientistas russos tentaram leva-lo, ouvi dizer que iam pagar uma boa nota a ele, alguns mais próximos dele ficaram P da vida com isso, alegando que Emmanuel é contrário a ciência e Kardec não era… enfim…”
     
    E se os cientistas russos detectassem fraudes nele, como ia ser? Iam pagar a viagem de volta ? :mrgreen:
     
    Certa vez assisti o Bacelli no Globo Repórter falando que passaram uns cientistas da Nasa lá na casa do CX e mediram a aura dele que era de 100 metros :!:

  161. Gorducho Diz:

    Fins de ’39…
    Até ele acertar tudo; tirar passaporte; visto no Consulado da URSS…
    Ia ter que ir de navio via America ou Canada, porque na Europa Ocidental já era guerra. Tudo isso acumulado ia passar 1+ ano e a Barbarossa ia empenhar ele.
    Voltar de carona n’algum cargueiro americano que atracasse por acauso em Argangel :?:
    Nesse vamos convir que o Emmânuel foi sábio :!:

  162. Gorducho Diz:

    E na passagem ele ia abrir uma conta em NY pro Stalin girar os pagamentos pra ele (isso antes da invasão, claro!) :?:

  163. Vinicius Diz:

    Eu acho que tanto a NASA quanto cientistas russos, tudo historinha plantada lá mesmo e espalhada, de boca em boca! Para quem ouvisse ficasse “deslumbrado” .

  164. Espírita Sp Orlando Diz:

    Vitor, por gentileza, meu Inglês é sofrível confesso.
    Poderia enviar um email à NASA para ver se respondem sobre tais estudos?
    Acho até que lhe dispensariam mais atenção por ser famoso estudioso da para normalidade.
    Estou falando sério mesmo. Vamos apurar isso.
    Voce manda emails para tantas associações etc. Manda pra essa também.
    Valeu

  165. Espírita Sp Orlando Diz:

    Gorducho e Vinicius
    Quero crer que todas despesas seriam pagas, ouso até dizer que o usariam na policia russa. Mas Emmanuel o lembrou da missão cristã no Brasil

  166. Gorducho Diz:

    A aura de CX atingia 20 m.

  167. Marciano Diz:

    ===============================================================
    Agora quem é esse ?????? que vc fala nesses caracteres aí não sei.
    ===============================================================
     
    Sempre ouvi dizer que nomes não se traduzem. Bem, quando os nomes são históricos ou provenientes de idiomas que não usam caracteres latinos, costumam-se inventar nomes aportuguesados, “inglesados”, “afrancesados”, etc.
     
    O nome do cara é вом́уаН драудЭ.
     
    O autor do artigo “inglesou” o nome do russo, escreve com caracteres latinos e ensina a pronunciar corretamente o nome.
    Assim: “ … Eduard Naumov (pronounced “Now-er-mahv) … ”.
     
    Ora, se é para “inglesar”, por que não diz logo que o nome do cara é вом́уаН драудЭ , pronounced Ay-doo- ard Na-00-mav?
    Ou então diz que o cara se chama Edward Naoomav.
     
    Deve ser minha deficiência intelectual que me impede de entender essas e outras coisas.
     
    Vou ver se tem alguma vantagem (tipo cota) para deficientes mentais. Assim, tiro vantagem da minha burrice.
     
     
    ===============================================================
    Daqui a pouco você vai culpar aquele integrante do Mamonas Assassinas que sonhou que o avião ia cair e não fez nada para impedir.
    ===============================================================
     
     
    Mãe Dinah também previu a morte dos Mamonas (ou será que a morte dos Mamonas retrocausou a precognição de Mãe Dinah? Não estou muito certo).
     
    https://videos.bol.uol.com.br/video/mae-dinah-fala-sobre-premonicao-da-morte-dos-mamonas-04020C1B3970DCB95326
     
     
    ===============================================================
    Inclusive muitos se salvaram do Titanic assim.
    ===============================================================
     
    Todos os dias, milhares de pessoas faltam ao trabalho, perdem o avião, por causa de um atraso, voltam em casa para pegar algo que esqueceram e se atrasam, etc.
    Quase sempre, não acontece nada. Quando desaba o prédio onde o idiota trabalhava, quando cai o avião, aí o imbecil diz que só escapou por causa disso, por causa daquilo.
    Assim fica difícil.

  168. Marciano Diz:

    ERRATA: o nome do cara é Эдуард Нау́мов

  169. Marciano Diz:

    Esse cara também se chama Эдуард Наумов , mas ele tem um poder psicocinético muito maior do que a Parise.
    Vejam o objeto que ele consegue mover:
    https://www.youtube.com/watch?v=AzydD3RhE8s

  170. Vitor Diz:

    Oi, Marciano
    no link https://www.youtube.com/watch?v=KRPdlKS6P5o é possível ver a previsão da Mãe Dináh registrada no jornal no dia 25 de dezembro de 1995. O acidente ocorreu em 2 de março de 1996. E no dia anterior o integrante sonhou com o desastre, documentado em vídeo.

  171. Marciano Diz:

    Quero aproveitar a ocasião para deixar aqui meu protesto contra a LEI Nº 8.213, DE 24 DE JULHO DE 1991.
     
    Esta lei é discriminatória e eu, particularmente, sinto-me injustiçado por ela.
     
    A lei mencionada prevê uma variedade de medidas em favor dos mais variados deficientes, mas nada, absolutamente nada, para os deficientes mentais.
     
    Por incrível que pareça, para parentes ou cônjuges de deficientes mentais são previstos benefícios, como, por exemplo,
    Art. 16. São beneficiários do Regime Geral de Previdência Social, na condição de dependentes do segurado:
    I – o cônjuge, a companheira, o companheiro e o filho não emancipado, de qualquer condição, menor de 21 (vinte e um) anos ou inválido ou que tenha deficiência intelectual ou mental ou deficiência grave;
     
    Já é alguma coisa, mas cadê as cotas para deficientes mentais, cadê as vagas prioritárias em estacionamento, cadê a prioridade em fila de banco?
     
    Não tem cota para concurso público, não tem cota em universidades públicas, nada.
     
    Como todos já devem ter percebido, tenho uma grave deficiência mental, a qual me impede de entender quase tudo o que aqui se escreve.
    Tenho dificuldade de entender religiões, parapsicologia, os grandes avanços da mecânica quântica, os debates aqui travados.
     
    A única coisa que recebo aqui é irrisão, sarcasmo, ofensas.
     
    Quando muito, algum paternalismo. Respeito, que é bom, não mereço nenhum.
     
    Se em vez de faltar-me inteligência para entender os assuntos relevantíssimos e (para mim) incompreensíveis e alto nível aqui discutidos, faltasse-me um olho, um braço ou um perna, todos me tratariam com respeito.
     
    Como o que falta é inteligência, o máximo que recebo e condescendência, complacência. Isto quando não me chamam de burro, incompetente, como se fosse culpa minha não ter sido agraciado pela natureza, senão com uma capacidade paranormal qualquer, ao menos com a capacidade de compreendê-la, de alcançar os desígnios da alta espiritualidade.
     
     
    Só não dou um tiro na própria cabeça ou tomo veneno para matar ratos porque sei que não adiantaria nada.
    Nasceria com marcas reencarnatórias. Enquanto errasse no umbral, seria menosprezado e hostilizado como suicida.
    Woe is me!

  172. Marciano Diz:

    Oi, Vitor.
    Falando seriamente, sei que isto é verdade.
    Sei do sonho do cara e da previsão da mãe Dinah.
    Mas também vejo todos os dias gente tendo premonições que não se realizam, a própria mãe Dinah previu muita coisa que nunca aconteceu.
     
    Como eu já disse aqui várias vezes, se você ligar uma metralhadores e começar a fazer previsões as mais malucas, para cada 10.000 que errar vai acertar uma.
    Isto prova o quê?

  173. Marciano Diz:

    Onde se lê “metralhadores”, leia-se “metralhadoras”.
    Não foi o poltergeist do blog nem castigo divino.
    É minha burrice mesmo. Admito.

  174. Marciano Diz:

    A maldita deficiência mental fez-me embaralhar um dos comentários acima.
    Tem benefícios para deficientes mentais filhos, etc., na previdência social, mas faltam as cotas, as prioridades, etc.
     
    Garantem-se vagas em cargos públicos, universidades, etc., até para quem não é deficiente, como mestiços que se declaram negros, etc., mas não tem cota para deficientes mentais, talvez a deficiência mais grave que se possa conceber.
     
    Estão aí os meus comentários, que não me deixam mentir.
    Até quando durara essa injustiça?

  175. Gorducho Diz:

    Essa história da NASA supostamente está no ESTADÃO de 30/4/78.
    É um daqueles antigos jornais dominicais com dezenas de páginas e eu não consegui localiza-la lá. Também sem muita paciência de ficar procurando aleatoriamente no imenso jornal.
    Porque seria interessante ver a fonte do jornal.

  176. Marciano Diz:

    Durara é pretérito mais-que-perfeito. Eu quis escrever o futuro do presente, durará.
    Faltou o acento.
    Viram como é grave esse negócio de deficiência mental?
     
    Se faltassem dedos, como falta um na MuLLa (aliás, outro deficiente mental), isto não atrapalharia a escrever.
     
    A MuLLa é o único deficiente mental que conheço que tem benefícios, até demais, mas deve ser por causa do dedinho.
    Duvido que seja pela imbecilidade.
     
    Ou talvez seja beneficiado porque ladrões têm privilégios.

  177. Marciano Diz:

    GORDUCHO, eu NUNCA acreditei nessa história de que a NASA queria estudar o cx. Sempre achei que fosse historinha pra boi dormir, inventada por chiquistas. Só que agora, que vi os arquivos declassified da NASA, que sei que estudaram INGO SWAN e outros, que viram operários alienígenas pelados trabalhando no outro lado da LUA, não duvido do interesse dos gringo em estudar NOSSO charlatão.

  178. Gorducho Diz:

    Mas seria interessante a gente ver até onde vai essa lenda. A fonte mais antiga possível. Alguém de Uberaba – algum corrresponsal, digo – passou a matéria pra redação em SAO. De alguém eles receberam o despacho.
     
    Agora eles puseram um limite de 5 views pra quem não é assinante.

  179. Marciano Diz:

    Todos os erros acima em meus comentários devem ser atribuídos não ao poltergeist do blog, ao meu teclado, à pressa, mas à minha deficiência mental.
    É dura a vida de um idiota.
    Quisera eu, em vez de ter nascido burro, ter nascido sem perna, sem braço, sem olho, ou até sem cabeça.
    Certamente minha desgraçada vida seria muito menos espinhosa.
     
    Não peço a vocês que me tratem com condescendência, com paternalismo, nem com zombaria ou hostilidade.
    Peço apenas paciência para com minhas limitações.
     
    Talvez algum dia eu consiga entender os debates de vocês.
    Não perco essa esperança.
     
    Algo me diz que são coisas da mais elevada importância para a humanidade, mas não consigo alcançar o elevado debate aqui travado. Não consigo enxergar quem tem razão, quem não tem.
     
    TEnho, às vezes, a impressão de que estamos no limiar de uma nova era, cheia de revelações científicas e espirituais da mais subida importância, mas não consigo depreender o conteúdo dos discursos aqui proferidos, num ou noutro sentido.
     
    Tomara que exista mesmo esse negócio de reencarnação. Talvez numa próxima eu consiga voltar inteligente e, quiçá, com algum dom paranormal.
    Mesmo que venha cego dos dois ouvidos e surdo dos dois olhos, sem as quatro pernas.

  180. Marciano Diz:

    Agora é que embaralhou-se tudo na minha mentecapta.
    http://dossieespirita.blogspot.com.br/2015/10/nasa-desmente-pioneirismo-de-chico.html

  181. Marciano Diz:

    Procurando a NASA estudando a aura de cx, encontro espíritas falando mal de cx e citando a NASA como fonte.

  182. Marciano Diz:

    Tem espírita que diz que essa história é lenda urbana:
    http://www.redeamigoespirita.com.br/forum/topics/nasa-estuda-a-aura-de-chico
    Tem espírita que garante que é verdade:
    https://www.youtube.com/watch?v=AHmkJ0JWZXo
    Hilfen mich¹

  183. Marciano Diz:

    Minha “aura”, durante o beijo sensual, tem aproximadamente 18cm. Durante o beijo materno (minha também já morreu) eu não tenho a menor ideia, pois acho que não tem nada a ver medir a aura nesses casos.
     
    Percebam que no vídeo, DPF diz que cx foi estudado por parapsicólogos.
    Foi ou não foi?
    DPF é mentiroso? Se não é, cx submeteu-se a estudos psi.

  184. Marciano Diz:

    GORDUCHO, veja se isto ajuda na sua pesquisa:
    http://ensinoespirita.blogspot.com.br/2010/01/nasa-estuda-aura-de-chico-xavier.html

  185. MONTALVÃO Diz:

    /
    MONTALVÃO DISSE: “quando digo, aplicado a você, “qualquer bundinha”, está implícito que a bundinha é estrangeira. ”
    .
    VISONI: Então vamos lá…Por acaso validei Florece Cook? Elizabeth D’Esperance?
    /.
    CONSIDERAÇÃO: não desconverse: se validasse a todos indistintamente aí não teria mais esperança para a humanidade! Você tem especial predileção pelos estrangeiros “nunca pegos em fraude”, embora com nacionais nessa condição seja bem mais severo. Aliás, seria interessante publicar a lista de seus aprovados, para que possamos conhecer melhor os descaminhos de suas reflexões. Há muitos nomes ainda sem definição, exemplos:
    .
    - Carlos Bacelli (nacional)
    - Clóvis Nunes (nacional, teceísta)
    - Peixotinho (nacional)
    - Perandrea (nacional)
    - Ramatis (nacional)
    - João de Deus (nacional)
    - Zé Arigó (nacional)
    - Eva Carriere
    - irmãos Davenport;
    - Hèléne Smith
    - Leonore Curran
    - Henry Slade
    - as Fox (Margareth e Kate)
    -
    Só para ficar com alguns exemplos…
    /
    /
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Não validou Chico mas valida Swann; não validou Divaldo mas valida Felícia e, para complicar, quer voltar a validar a antes invalidada Kulagina…”
    .
    VISONI: Swann e Felicia passaram pelo escrutínio de pesquisadores independentes. Swann ajudou a fazer descobertas arqueológicas (subaquáticas). Felicia passou perante um mágico. Desconheço recusas de Swann a ser testado, e Felicia sabemos bem porque ela parou com a PK, já que o próprio Honorton admite a culpa dele nisso.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: interessante… a desculpa de Amyr Amiden para não mais dar xous foi semelhante à de Felícia, apesar de diferente. Amiden falou de problemas de saúde; Felícia disse estar cansada de dar provas que nada provam… já eu, que de nada desconfio, desconfio que foi igual para ambos: recearam que os controles apertassem e eles nada soltassem… nem um traque…
    .
    A fraude de Felícia está claríssima, só não vê quem honortamente não queira. No próprio relato de Honorton está a revelação: a sujeita tentou uma vez e não deu certo, aí foi para casa se concentrar melhor: um mês depois ligou para o pesquisador dizendo estar pronta para a demonstração… O que ela ficou fazendo nesse tempo? Os honortianos defendem que esteve a desenvolver sua capacidade de concentração; já outros, menos condescendentes, afirmam que treinou o truque até que funcionasse direitinho…
    .
    /
    /
    MONTALVÃO DISSE: “Geller certamente replica-lo-ia que foi conferido por muito mais testadores que Felícia e que não aceitou o convite de Honorton por estar ocupado sendo testado por outros, e aí?”
    .
    VISONI: Bom, então era só dizer quais eram esses outros cientistas. Lembro que ele recusou o convite tanto de Honorton quanto de Rhine. E não passou nos testes de macro-pk de Targ e Puthoff (que pelo visto, não são tão ruins metodologicamente como os céticos querem fazer acreditar).
    /.
    CONSIDERAÇÃO: pô, acabei de postar (ontem) declaração de Targ que defende os poderes PK de Uri:
    —————————-.
    “ACHO IMPORTANTE RELATAR FINALMENTE QUE DE FATO EXISTE ISSO DE CURVAR METAIS PARANORMALMENTE, e que não é preciso ser Uri Geller para fazê-lo.
    .
    A conclusão é que, SE JANE E EU PUDEMOS CURVAR METAL NUMA REUNIÃO DE PK, ENTÃO É MUITO PROVÁVEL QUE GELLER, QUE INVENTOU ESSA LOUCURA, TAMBÉM POSSA.”
    —————————-.
    .
    Não parafraseei o autor, foi o que ele disse ipsis litteris. E essa de que ele “não passou nos testes do SRI” é furada. Eles validaram sim o Geller, porém, no que tange às dobraduras de talheres (que seria seu “macro pk”) preferiram a reticência estupidosa, conforme declararam: “não pudemos confirmar se ele realmente transforma o metal em plástico ou se usa excepcional força nos dedos para o feito”. Em nenhum momento as palavras “fraude”, “enrolação”, “safadeza”… foram utilizadas…
    .
    Então, eles não deram parecer conclusivo, mas ficaram tão ou mais feios do que se o fizessem.
    .
    Não é de supor que a dupla fosse tão ingênua que não houvesse percebido que o sujeito recorria a truques para dobrar colheres. Acontece que se fizessem a denúncia todo o experimento restaria comprometido, fatalmente os analistas questionariam: “se vocês identificaram fraude nesse item como saber se nos demais não tenha havido e vocês não viram?” Consequentemente os estudos cairiam no ridículo mais cedo que o esperado.
    .
    Vê-se que Targ continuou a defender a psicocinese-dobradora-de-colheres, afirmando que ele próprio conseguira o feito, portanto (na cabeça de Targ), não havia razão para duvidar que Geller também não o fizesse…

  186. Marciano Diz:

    Eu sempre achei que a NASA não estudava auras, até porque NASA stands for National Aeronautics and Space Administration.
    Segundo o próprio site da NASA, NASA does a lot of different things. NASA makes satellites. The satellites help scientists learn more about Earth. NASA sends probes out into space. NASA scientists study things in the solar system, and even farther away. A new program will send humans to explore asteroids, Mars and beyond. People at NASA work on ways to make air travel better for everyone on Earth, too. People at NASA also share the things they learn with others. This can help make life on Earth better.
     
    Não vejo como encaixar auras nisto.
     
    Por outro lado, vendo que a agência de administração aeronáutica e espacial tem interesse em paranormais e homens pelados na Lua, pode ser verdade.

  187. Marciano Diz:

    O jornal O Estado de São Paulo de 1978, divulgou interessante reportagem com o título: “Nasa estuda a mediunidade de Chico Xavier”.

    National Aeronautics and Space Administration – NASA (Administração Nacional do Espaço e da Aeronáutica), conhecida como Agência Espacial Americana, é uma agência do Governo dos Estados Unidos da América, criada em 29/07/1958, responsável pela pesquisa e desenvolvimento de tecnologias e programas de exploração espacial.

    Segundo a referida reportagem e entrevista, também em 1978, de Carlos A. Baccelli ao canal de televisão SBT, a NASA solicitou uma bateria de estudos da mediunidade de Chico. O objetivo era utilizar-se da mediunidade dele para estabelecer contato com inteligências extraterrenas.

    Com isso, a agência americana enviou o cientista americano Paul Hilds, engenheiro eletrônico da NASA, a Uberaba, por 6 dias. Com o auxílio de sofisticados aparelhos eletrônicos, o renomado cientista, detectou vozes de espíritos (COMO ELE SABIA QUE AS VOZES ERAM DE ESPÍRITOS? A NASA também estuda espíritos? Nota minha) no recinto onde o médium estava e uma exteriorização energética (Irradiação de Energia, ou Halo Energético) em torno de Chico Xavier. Era a aura do médium.

    Para quem não está familiarizado com o termo aura e o acha místico, informamos que entre 1912 e 1920, o doutor Walter Kilner, médico-cirurgião do Colégio Real dos Físicos de Londres, pesquisador dos raios X, recém-descobertos, e de técnicas de eletroterapia, proclamou a existência da aura humana e divulgou um método capaz de torná-la visível, dando-lhe o nome de fluvioscopia. (E POR QUE NUNCA MAIS OUVIMOS FALAR NESSA PORCARIA? Nota minha).

    Mais tarde Keith Sherwood, outro notável nessas pesquisas, membro do Conselho Britânico de Cores, catalogou os tons da aura e definiu 1.400 tons de azul, mil matizes de vermelho, mais de 1.400 de marrom, acima de 80 de verde, 55 de laranja, 26 matizes de violeta e mais de 12 tons de branco. Chegou à conclusão que a aura tem um formato oval e segue de certa forma o corpo, mas que varia muito de um para outro, segundo a vitalidade do indivíduo, podendo-se estender muito além do corpo físico. A textura, a cor e o tamanho indicariam a disposição da pessoa. Segundo tais estudos, a textura indicaria o caráter enquanto a forma e a cor diriam da saúde e condição emocional.

    No caso de Francisco Cândido Xavier, o que espantou o pesquisador da NASA foi que a aura dele se propagava por um raio de 10 metros ao seu redor. Pesquisas anteriores utilizando outros Médiuns mostraram que a maioria das irradiações não ultrapassava 2cm, chegando, no máximo, a 4 metros.

    http://espiritadoterceiromilenio.blogspot.com.br/p/lancamentos.html
     
    Esse Bacelli…
     
     
    E eu que pensava que esse negócio de aura fosse conversa fiada, coisa de malucos e de maconheiros.
     
    Vivendo e aprendendo (principalmente com a NASA).

  188. Marciano Diz:

    ===============================================================
    A aura, em sentido científico, corresponde a uma das etapas cefaleia enxaquecosa clássica. Corresponde ao período imediatamente posterior ao pródromo e anterior à dor de cabeça em si. A dor de cabeça é seguida pelo pósdromo. A aura não ocorre na cefaleia enxaquecosa comum, onde ao pródomo segue-se diretamente a dor de cabeça.
    ===============================================================
     
    Em outra acepção, a doravante enfocada, a aura é, segundo várias religiões e tradições esotéricas, um elemento etéreo, imaterial, que emana e envolve seres ou objetos. É por vezes também considerada como um atributo inerente aos seres vivos.
    Apesar da disponibilidade de detectores de alta sensibilidade para campos eletromagnéticos e radiação eletromagnética, propriedades comumente atribuídas a aura, não existe nenhum estudo que demonstre empiricamente a existência desta última. Adicionalmente nenhuma pessoa conseguiu até o momento demonstrar sob condições controladas a habilidade de detectar auras, apesar do enorme número de pessoas que se dizem capazes de tal feito.
     
    Essa Wikipédia é mesmo um lixo.
     
    Nesta Aura, eu acredito: https://en.wikipedia.org/wiki/Aura_(mythology)
     
    Para os que lêem inglês, aqui vai a aura verdadeira:
    https://en.wikipedia.org/wiki/Aura_(symptom)
    Aqui a aura estudada pela NASA (de verdade):
    https://en.wikipedia.org/wiki/Aura_(satellite)

  189. Marciano Diz:

    E a aura para bovinos tirarem uma soneca:
    https://en.wikipedia.org/wiki/Aura_(paranormal)

  190. Marciano Diz:

    Eu também tenho aura.
    Para provar, envio a vocês esta foto:
    http://www.brejas.com.br/media/reviews/photos/original/90/28/33/9930-aura-lager-2-1469562306.jpg

  191. Marciano Diz:

    ESCLARECIMENTOS NECESSÁRIOS
    O Decreto Legislativo 186, de 9/7/08, ratificou a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência com valor constitucional e no Decreto 6.949, de 25/8/09. O Brasil assumiu o compromisso de executar e cumprir tudo o que está escrito na Convenção, o que inclui as pessoas com deficiência psicossocial. Desde então, elas também passaram a ser consideradas “pessoas com deficiência” e foram acrescentadas ao segmento das pessoas com deficiência pelo Decreto n. 5.296/04.
     
    A Lei 12.764, de 27/12/12, prevê que a pessoa com transtorno do espectro do autismo (TEA) seja considerada “pessoa com deficiência” inclusive para a Lei de Cotas (Art. 1°, § 2°).
     
    Convém salientar que o termo “deficiência psicossocial” é utilizado pela ONU na Convenção dos Direitos das Pessoas com deficiência em todo o documento ao comentar sobre os impedimentos de natureza mental, ou seja, relativa à saúde mental.
     
    Em todo mundo, temos mais de 400 milhões de pessoas com algum tipo de transtorno mental, conforme a Organização Mundial de Saúde. No Brasil, são cerca de 23 milhões de pessoas que necessitam de algum tipo de atendimento em saúde mental. Dessas, 3 milhões de pessoas com deficiência psicossocial possuem sequelas do transtorno mental.
     
    Devido a isso, como foi dito anteriormente, é importante entender a diferença entre transtorno mental e as sequelas do transtorno mental para esclarecer quem pode ser contemplado na lei de cotas.
     
    Para entrar na cota a pessoa com deficiência psicossocial deverá apresentar:
    1. Certificado de Reabilitação Profissional emitido pelo INSS.
    2. Laudo emitido por profissional da saúde de nível superior, preferencialmente habilitado na área da deficiência psicossocial ou em saúde do trabalho, que deve contemplar as seguintes informações e requisitos mínimos:
    1. Identificação do trabalhador com deficiência psicossocial;
    3. Identificação do tipo de deficiência;
    4. Descrição detalhada das alterações psicossociais e as interferências funcionais delas decorrentes;
    5. Data, identificação, nº de inscrição no Conselho Regional de Fiscalização da profissão correspondente e assinatura do profissional de saúde; e
    6. Concordância do trabalhador com deficiência psicossocial para divulgação do laudo à Auditoria-Fiscal do Trabalho e ciência do seu enquadramento para lei de cotas.
     
    Existem algumas possibilidades de contratação de pessoa com deficiência psicossocial: a tradicional na qual a pessoa está qualificada e pronta para ser colocada no mercado de trabalho, e pela metodologia do emprego apoiado que visa a colocação em primeiro lugar para depois treinar a pessoa no próprio posto de trabalho com o apoio de um profissional até que as metas de aprendizagem, desenvolvimento e autonomia sejam alcançadas.
     
    A outra possibilidade e mais comum praticada pelo mercado é a inclusão de pessoas com deficiência psicossocial através de programas de aprendizagem. Após o periodo de aprendizagem e com o devido acompanhamento, a pessoa com deficiência psicossocial poderá ser contratado pela empresa no sistema de Lei de Cotas.
     
    A minha deficiência não é psicossocial.
    Percebam que a legislação não contempla a debilidade mental, classificada na CID-10 como
    “F70.- Retardo mental leve| | Nota: Amplitude aproximada do QI entre 50 e 69 (em adultos, idade mental de 9 a menos de 12 anos). Provavelmente devem ocorrer dificuldades de aprendizado na escola. Muitos adultos serão capazes de trabalhar e de manter relacionamento social satisfatório e de contribuir para a sociedade.| | Atraso mental leve| Debilidade mental| Fraqueza mental| Oligofrenia leve| Subnormalidade mental leve
    F70.0 Retardo mental leve – menção de ausência de ou de comprometimento mínimo do comportamento|
    F70.1 Retardo mental leve – comprometimento significativo do comportamento, requerendo vigilância ou tratamento|
    F70.8 Retardo mental leve – outros comprometimentos do comportamento|
    F70.9 Retardo mental leve – sem menção de comprometimento do comportamento|
    F71.- Retardo mental moderado| | Nota: Amplitude aproximada do QI entre 35 e 49 (em adultos, idade mental de 6 a menos de 9 anos). Provavelmente devem ocorrer atrasos acentuados do desenvolvimento na infância, mas a maioria dos pacientes aprendem a desempenhar algum grau de independência quanto aos cuidados pessoais e adquirir habilidades adequadas de comunicação e acadêmicas. Os adultos necessitarão de assistência em grau variado para viver e trabalhar na comunidade.| | Atraso mental médio| Oligofrenia moderada| Subnormalidade mental moderada
    F71.0 Retardo mental moderado – menção de ausência de ou de comprometimento mínimo do comportamento|
    F71.1 Retardo mental moderado – comprometimento significativo do comportamento, requerendo vigilância ou tratamento|
    F71.8 Retardo mental moderado – outros comprometimentos do comportamento|
    F71.9 Retardo mental moderado – sem menção de comprometimento do comportamento|
    F72.- Retardo mental grave| | Nota: Amplitude aproximada de QI entre 20 e 40 (em adultos, idade mental de 3 a menos de 6 anos). Provavelmente deve ocorrer a necessidade de assistência contínua.| | Atraso mental grave| Oligofrenia grave| Subnormalidade mental grave
    F72.0 Retardo mental grave – menção de ausência de ou de comprometimento mínimo do comportamento|
    F72.1 Retardo mental grave – comprometimento significativo do comportamento, requerendo vigilância ou tratamento|
    F72.8 Retardo mental grave – outros comprometimentos do comportamento|
    F72.9 Retardo mental grave – sem menção de comprometimento do comportamento|
    F73.- Retardo mental profundo| | Nota: QI abaixo de 20 (em adultos, idade mental abaixo de 3 anos). Devem ocorrer limitações graves quanto aos cuidados pessoais, continência, comunicação e mobilidade.| | Atraso mental profundo| Oligofrenia profunda| Subnormalidade mental profunda
    F73.0 Retardo mental profundo – menção de ausência de ou de comprometimento mínimo do comportamento|
    F73.1 Retardo mental profundo – comprometimento significativo do comportamento, requerendo vigilância ou tratamento|
    F73.8 Retardo mental profundo – outros comprometimentos do comportamento|
    F73.9 Retardo mental profundo – sem menção de comprometimento do comportamento|
    F78.- Outro retardo mental|
    F78.0 Outro retardo mental – menção de ausência de ou de comprometimento mínimo do comportamento|
    F78.1 Outro retardo mental – comprometimento significativo do comportamento, requerendo vigilância ou tratamento|
    F78.8 Outro retardo mental – outros comprometimentos do comportamento|
    F78.9 Outro retardo mental – sem menção de comprometimento do comportamento|
    F79.- Retardo mental não especificado| | Deficiência mental SOE| Oligofrenia SOE| Subnormalidade mental SOE
    F79.0 Retardo mental não especificado – menção de ausência de ou de comprometimento mínimo do comportamento|
    F79.1 Retardo mental não especificado – comprometimento significativo do comportamento, requerendo vigilância ou tratamento|
    F79.8 Retardo mental não especificado – outros comprometimentos do comportamento|
    F79.9 Retardo mental não especificado – sem menção de comprometimento do comportamento|
    F80.- Transtornos específicos do desenvolvimento da fala e da linguagem| | Nota: Transtornos nos quais as modalidades normais de aquisição da linguagem estão comprometidos desde os primeiros estádios do desenvolvimento. Não são diretamente atribuíveis a anomalias neurológicas, anomalias anatômicas do aparelho fonador, comprometimentos sensoriais, retardo mental ou a fatores ambientais. Os transtornos específicos do desenvolvimento da fala e da linguagem se acompanham com freqüência de problemas associados, tais como dificuldades da leitura e da soletração, perturbação das relações interpessoais, transtornos emocionais e transtornos comportamentais.”

     
    Deficiência psicossocial não se enquadra em nenhuma das rubricas acima.
     
    Os transtornos psicossociais estão classificados na CID-10 nas rubricas F90 a F94, portanto, minha deficiência não está contemplada na legislação pertinente.
     
     
    Suma injustiça!

  192. Marciano Diz:

    Meu retardo é leve, por isso consigo trabalhar e manter relacionamento social satisfatório e de contribuir para a sociedade (ou assim espero).
    Está lá na F70.
    O que me atrapalha é o QI entre 50 e 69 (no meu caso específico, 50 – por isso eu falo aqui, de vez em quando, em 50/50) e idade mental de 9 a menos de 12 anos (no meu caso, 9 anos).
     
    O que me deixa mais revoltado é o fato de que com mais 50 eu chegaria à normalidade. Falta só a metade.
     
    O mais incrível é que com 2 anos de idade, minha idade mental era de 9 anos. Só que ela não progrediu.
     
    Com o que fui aprendendo (com muita dificuldade) ao longo da vida (ou pensando ter aprendido), dei uma disfarçada, de forma que fico parecendo um garoto de 9 anos um pouco inteligente para a idade.
     
     
    O mais irônico é que a aura normal (de quem tem, segundo DPF) é de dois centímetros. cx tinha 20 metros de aura. A minha (que eu menti, quando disse que chegava aos 18 quanto ereta) passa 288 jardas, tendo 45 pés de diâmetro, e eu não consigo nem aprovação como projeto de cisco.
     
     
    Na próxima encarnação, vou pedir para voltar como pulga.
    É melhor ser um idiota no meio de pulgas do que um retardado num mundo cheio de pessoas normais e algumas geniais, como esses cientistas que são louvados aqui neste blog.

  193. Marciano Diz:

    Não consegui esclarecer direito, devido à minha burrice, mas debilidade mental é F70, justamente a minha, como descrito acima.
    Acho que isto prova que o tamanho da aura não tem nada a ver com inteligência.
    Com uma aura avantajada como a minha (medida por várias cientistas da NASA e do CERN (Conseil européen pour la recherche nucléaire), sendo a medida replicada por várias cientistas independentes por todo o planeta, um sem-número de vezes, eu deveria ser um pouquinho mais inteligente.

  194. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “Há muitos nomes ainda sem definição, exemplos:”
    .
    pegando por amostragem o 1º e o último:

    a) – Carlos Bacelli (nacional)”
    .
    http://obraspsicografadas.org/2007/carlos-baccelli-e-suas-psicografias/
    .
    b) “as Fox (Margareth e Kate)”
    .
    http://obraspsicografadas.org/2014/psicomancia-1853-do-prof-charles-g-page-o-livro-que-prova-que-as-irms-fox-eram-uma-fraude/
    .
    MONTALVÃO DISSE: “A fraude de Felícia está claríssima, só não vê quem honortamente não queira.”
    .
    O mágico também não viu…
    .
    MONTALVÃO DISSE: “acabei de postar (ontem) declaração de Targ que defende os poderes PK de Uri:”
    .
    Ele apenas considera possível, mas não atestou.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Em nenhum momento as palavras “fraude”, “enrolação”, “safadeza”… foram utilizadas…”
    .
    Nem era preciso. E vc acha mesmo que a Nature publicaria algo que pudesse lhe expor a um processo? Não havia provas de fraude. Ponto.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Não é de supor que a dupla fosse tão ingênua que não houvesse percebido que o sujeito recorria a truques para dobrar colheres.”
    .
    Ainda que tivessem percebido, se não podem provar, o melhor é ficar quieto. O mais importante fora dito: “Foi amplamente divulgado que Geller demonstrou a capacidade de dobrar o metal por meios paranormais. Apesar de a flexão de metal por Geller ter sido observada em nosso laboratório, não fomos capazes de combinar essas observações com experimentos controlados adequadamente para obter dados suficientes a apoiar a hipótese paranormal.”

  195. MONTALVÃO Diz:

    /
    MONTALVÃO DISSE: “Geller certamente replica-lo-ia que foi conferido por muito mais testadores que Felícia e que não aceitou o convite de Honorton por estar ocupado sendo testado por outros, e aí?”
    .
    VISONI: Bom, então era só dizer quais eram esses outros cientistas. Lembro que ele recusou o convite tanto de Honorton quanto de Rhine [e de James Randi]. E não passou nos testes de macro-pk de Targ e Puthoff (que pelo visto, não são tão ruins metodologicamente como os céticos querem fazer acreditar).
    /.
    CONSIDERAÇÃO: ESQUECI de retornar sua solicitação. Pegue aí, alguns cientistas que alegremente declararam a legitimidade de Geller, além, óbvio, da dupla Targ e Puthoff:
    .
    - o primeiro, o que descobriu Geller e o apresentou à ciência, foi Andrija Puharich, formado em medicina, que montou um laboratório para pesquisar o paranormal. Geller lhe foi um achado, do trabalho que efetuou com o israelense resultou o livro: “Uri Geller, um fenômeno da Parapsicologia”.
    .
    - Depois teve o David Bohm e vários outros mais ou menos conhecidos, como: Edward Bastin, Wilbur Franklin, Brian Inglis, Edgard Mitchel, Adrienne Puthoff, e grande elenco…
    .
    E para quem pensa que Geller caiu no ostracismo está enganado: muitos ainda o procuram esperando que seus “poderes” lhes deem as respostas que buscam. Recentemente ele “explicou” que os novos smartphones, que entortam com facilidade, estão assim por acenderem os poderes psíquicos dos usuários…

  196. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: Pegue aí, alguns cientistas que alegremente declararam a legitimidade de Geller, além, óbvio, da dupla Targ e Puthoff:
    .
    Já que voltou a falar neles, aproveito para postar uma frase do Targ que com certeza você desconhece ;)
    .
    The experimenters are conscious of the possibility of dishonesty. “I feel confident that Geller will cheat if given a chance,” Targ told me, and he seemed highly sceptical of some of Geller’s metal bending attempts.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “- o primeiro, o que descobriu Geller e o apresentou à ciência, foi Andrija Puharich, formado em medicina, que montou um laboratório para pesquisar o paranormal. Geller lhe foi um achado, do trabalho que efetuou com o israelense resultou o livro: “Uri Geller, um fenômeno da Parapsicologia”.”
    .
    Você tem o livro? Pode escaneá-lo?
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Depois teve o David Bohm”
    .
    Está sendo injusto com o Bohm.
    .
    Sir,—Dr Hanlon quotes a telephone conversation with me, and comments on a preliminary report of observations carried out under the direction of Professor Hosted at Birkbeck College, which I witnessed and which was also under my name, as well as those of several other colleagues. Since he has quoted me without giving the full context of our conversation, I would like to make some remarks here that may clarify our general approach in working with Uri Geller, and with others who appear to exhibit psychokinetic powers. Firstly, I want to emphasize that the report was intended only for a very limited circulation among a few people, who we hoped would, by their criticisms, help us to improve our methods of experimentation. Consequently, I was very surprised to learn that Dr Hanlon had a copy of our report and, on the spur of the moment. I decided to try to clear up certain misunderstandings which he expressed in his conversation. In doing this was completely frank, . I also told him, however, that on balance we felt that there seems to be something genuine about the phenomena and that there is a good case for further investigation. I also indicated to him that we had a number of much better tests lined up, and that we expected to carry these out in the future. To have my remarks quoted out of context in this way definitely gives a false impression of our attitude to our work with Mr Geller.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Edward Bastin,Wilbur Franklin”
    .
    Desconheço.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Brian Inglis”
    .
    O mesmo que escreveu “O Mistério da Intuição”? Brian Inglis NÃO é cientista. E vc disse: “Pegue aí, alguns cientistas que alegremente declararam a legitimidade de Geller”. Incluir Inglis na lista é, portanto, errôneo.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Edgard Mitchel”
    .
    Outro que NÃO é cientista, é astronauta. Já falecido.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Adrienne Puthoff”
    .
    É a mulher do Puthoff?

  197. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Você tem o livro? Pode escaneá-lo?”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: TENHO, tanto o de Puharich quanto o de Geller “Minha História”. Escanear… quem sabe? Mas não agora…
    .
    Deste último extraio o que Uri disse dos experimentos que com ele foram feitos no SRI:
    /
    ——————————.
    EPÍLOGO
    I
    Muita gente me falou que achava que quando a Nature publicasse os resultados dos testes do Instituto Stanford de Pesquisas a controvérsia diminuiria e que os cientistas demonstrariam maior empenho em se aprofundar no assunto. Fiquei realmente emocionado ao saber que a nota do ISP sairia no número de outubro de 1974, embora já fizesse tanto tempo que andava em cogitações. A reação da imprensa em geral foi imediata e apesar de não contribuir para atenuar a controvérsia, pelo menos mostrou que ia surgir novo interesse científico por um setor que até então só era posto no ridículo ou ignorado.
    .
    Mesmo o New York Times, que não costuma dedicar muito espaço a questões paranormais, se saiu com um editorial, dizendo: “A comunidade científica foi notificada de que ‘há algo digno de sua atenção e pesquisa’ nas possibilidades da percepção extra-sensorial. Com essas palavras, a respeitável publicação Nature pediu aos cientistas para se aliarem — ou refutarem — aos milhões de não-cientistas que acreditam que a consciência humana dispõe de um número maior de capacidades de percepção real que os cinco sentidos… Os editores da Nature deram um passo importante para estimular o raciocínio científico, colocando abertamente a questão de ‘se a ciência se acha preparada para enfrentar as pretensões do paranormal’.”
    .
    A Nature publicou seu próprio editorial, declarando que a nota do Instituto Stanford de Pesquisas estava destinada a provocar uma comoção nos meios científicos, como de fato sucedeu. The New Scientist, que teve acesso ao texto do ISP antes da publicação, fez um artigo de capa que saiu no mesmo mês em que a Nature divulgou o dela. The New Scientist se mostrou extremamente crítico, no que lhe assistia todo o direito.
    .
    Só que o artigo gastou páginas e páginas para criticar a nota do ISP não sob um ponto de vista científico, mas usando entrevistas com mágicos e especulações que nada tinham que ver com o método científico que o articulista colocava em tão alta conta. Noutras palavras, o próprio articulista do New Scientist desrespeitou todas as normas que julgava indispensáveis para uma experiência científica.
    .
    A coisa mais lisonjeira que disse sobre mim foi que Russell Targ e Hal Puthoff “não são adversários à altura de Uri Geller”. Como esses dois físicos são, há muitos anos, especialistas em raios laser, eu me sentiria orgulhoso se isso fosse verdade — o que não é.
    .
    A acusação mais absurda que a New Scientist fez em seu artigo foi a insinuação de que eu tenho um rádio em miniatura implantado nos dentes, baseado num projeto que Andrija Puharich aperfeiçoou para solucionar os problemas da surdez humana. As vezes não consigo entender como é que uma pessoa que possui conhecimentos científicos se dá ao trabalho de inventar uma história dessas. O Time continuou tentando depreciar os testes do ISP em seu número de 4 de novembro de 1974, ao comentar o editorial da New Scientist.
    .
    Mas o mais importante foi que a parte dos testes do ISP que saíram na Nature constituía apenas a ponta do iceberg no que diz respeito aos outros fenômenos, como por exemplo o entortamento de metais. As experiências feitas na Universidade de Londres ainda não estavam concluídas na ocasião em que saiu o artigo na Nature, e o que tinham de importante, conforme já tive oportunidade de mencionar, é que incluíam testes confirmados por outras pessoas impulsionadas pelas minhas apresentações na televisão.
    .
    Quer dizer, eu nem sequer estava na Inglaterra quando concluíram os testes com essas pessoas, de modo que não há possibilidade de estabelecer qualquer relação entre eles e os meus. No entanto estão apresentando resultados idênticos e indicando que essas energias e forças parecem estar agindo como algo novo e maravilhoso no universo.
    .
    Em última análise, não sei realmente o que essas capacidades pretendem. A única coisa que eu sei é que estão trabalhando e se comunicando, por mais difícil que seja de acreditar. Na minha opinião, as forças energéticas se manifestam através de mim, impul¬sionadas por uma fonte superior. Não estou me referindo a Deus, mas a entidades sujeitas a Ele. Mesmo assim, realmente não compreendo todas as coisas que estão acontecendo comigo, ou através de mim.
    .
    O que estou tentando conseguir é isto: acho fundamental que o mundo saiba dessas capacidades, porque são verdadeiras e vão demonstrá-lo, ainda que leve tempo. Há outra maneira de proceder, que consiste em esconder tudo, mantendo o maior sigilo. Não acredito nisso. Quero colocar as cartas na mesa. Sei que essas forças só se empenharão pelo bem da humanidade, e que nada de sinistro há de resultar da situação.
    .
    Tudo estará, então, funcionando como uma força positiva. Estou trabalhando muito agora por esse motivo e para a segurança que nunca tive, realmente, no passado. É por isso que ando fazendo conferências pelo mundo afora, gravando disco, filmando para o cinema e para.a televisão e é por isso que escrevi este livro.
    .
    Como toda gente, não gosto de me preocupar com contas de telefone, prestações mensais, atraso nos pagamentos, e coisas desse feitio. Se conseguir um relativo grau de segurança, posso ficar parado mais ou menos um mês e pensar no que realmente quero fazer. Devo trabalhar exclusivamente com a ciência? Ou continuar perambulando pelo mundo inteiro? O que é que eu faço? Isto ou aquilo? Ainda não tenho certeza.
    .
    O que importa é tentar compreender por que acontecem tais fenômenos. Por que um pedaço de metal perde peso com essas forças?
    .
    Por que essas vozes graves, maquinais, surgem nessas fitas magnéticas? Como consegui tirar aquelas fotos de discos voadores? Nem gosto de usar esse termo, disco-voador, por ser uma palavra que não é verossímil. As pessoas acham que a gente está louco. Mas ainda que ignore o que são, sei que existem. Pode ser que seja aquele grande palhaço cósmico que já mencionei anteriormente, se divertindo à nossa custa. Talvez ande espalhando uma porção de pistas, mas não parece estar se comunicando conosco com a freqüência que devia.
    .
    Continuo achando que deve haver um motivo. Um motivo para toda a controvérsia que se criou, para uma revista como o Time se encarniçar tanto contra isso, mesmo diante de provas irrefutáveis. Deve haver um motivo para eu ir à Universidade de Londres, para fazer demonstrações na televisão e nas conferências.
    .
    Sinto que tanta coisa remonta àquele jardim árabe em Tel Aviv há tantos anos atrás, quando era tão pequeno. É uma cena que relembro com freqüência.
    .
    E certas coisas – que constituem o fundamento de tudo – me vêm com clareza à mente e ao coração.
    .
    Acredito que Deus existe. Quanto a isso não resta dúvida.
    .
    Sinto que sujeitas a Ele existem capacidades infinitas, várias das quais superiores às nossas.
    .
    Estou convencido de que há pessoas aqui na Terra dotadas de poderes incríveis, embora muitas nem se dêem conta disso. Acho que todo mundo tem uma espécie de mensagem. O que aconteceu e está acontecendo comigo, pode acontecer com você.
    ————————-.

  198. MONTALVÃO Diz:

    /
    MONTALVÃO DISSE: Pegue aí, alguns cientistas que alegremente declararam a legitimidade de Geller, além, óbvio, da dupla Targ e Puthoff:
    .
    VISONI: Já que voltou a falar neles, aproveito para postar uma frase do Targ que com certeza você desconhece
    .
    “Os experimentadores estão conscientes da possibilidade de desonestidade. “Eu estou convicto de que Geller vai trapacear se for dada uma chance”, disse Targ, e ele parecia altamente cético em algumas tentativas de curvatura de metal de Geller.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: de fato, desconhecia, mas lá me diga esse menino: 1) a frase consta do relatório que enviaram para publicação na Nature?
    .
    2) o mesmo Targ que teria se mostrado desconfiado também disse: “se eu que sou eu dobrei metal com a mente, por que Uri não o faria?”
    ./
    /.
    MONTALVÃO DISSE: “Depois teve o David Bohm”
    .
    VISONI: Está sendo injusto com o Bohm:
    .
    “Senhor, Hanlon cita uma conversa telefônica comigo e comenta sobre um relatório preliminar de observações realizadas sob a direção de Professor Hospedado no Birkbeck College, que testemunhei e que também estava sob meu nome, bem como de vários outros Colegas.[...]”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: eu estou sendo injusto ou você condescendente? A explicação de Bohm soa mais como amenizadora da pisada de bola no relatório que ele intitulou “preliminar”…
    /
    /

    MONTALVÃO DISSE: “Edward Bastin,Wilbur Franklin”
    .
    VISONI: Desconheço.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: também eu, mas são citados pelo próprio Geller…
    /
    ./
    MONTALVÃO DISSE: “Brian Inglis”
    .
    VISONI: O mesmo que escreveu “O Mistério da Intuição”? Brian Inglis NÃO é cientista. E vc disse: “Pegue aí, alguns cientistas que alegremente declararam a legitimidade de Geller”. Incluir Inglis na lista é, portanto, errôneo.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: não é cientista de ciências exatas, mas como Doutor em História e jornalista cabe-lhe o classificativo de “cientista social”.
    /
    ./
    MONTALVÃO DISSE: “Edgard Mitchel”
    .
    VISONI: Outro que NÃO é cientista, é astronauta. Já falecido.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: falecido agora, mas não na década de 1970… Mitchel é (foi) doutor em Ciências… e foi o fundador do Instituto de Ciências Noéticas, onde seu amigo Dean Randin apronta as travessuras entrelaçadas.
    /
    /
    MONTALVÃO DISSE: “Adrienne Puthoff”
    .
    VISONI: É a mulher do Puthoff?
    /.
    CONSIDERAÇÃO: ou filha, não achei a informação…

  199. Gorducho Diz:

    Saiu a sentença: o iogui pode continuar meditando.

  200. Gorducho Diz:

    Interessante: nunca tinha observado picante ser usado nesse contexto e achei bem elegante.
    Vou adotar!

  201. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “de fato, desconhecia, mas lá me diga esse menino: 1) a frase consta do relatório que enviaram para publicação na Nature?”
    .
    Não, mas conta na New Scientist, que como o próprio livro do Uri diz nos trechos que você colocou, acompanhou o caso.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “eu estou sendo injusto ou você condescendente? A explicação de Bohm soa mais como amenizadora da pisada de bola no relatório que ele intitulou “preliminar”…”
    .
    Você está sendo injusto. Claramente o relatório preliminar não era para ter vazado. No artigo que foi publicado na Nature, em 10/04/1975 (https://www.nature.com/nature/journal/v254/n5500/pdf/254470a0.pdf) Bohm diz:
    .
    IN February 1974 we made contact with Mr Uri Geller and were able throughout the year to observe psychokinetic phenomena at four sessions, in addition to participating in sessions with children. A brief report of our observations has been prepared for circulation to those interested. Among the claims made are that plasticity of metal was paranormally produced and that part of an enscapsulated single crystal of vanadium carbide apparently vanished. It is clear both to us and to the referees used by Nature that this account does not amount to a rigorous loop-hole-free report on a subject historically shot through with loop-holes. Nevertheless we believe that we have some significant work in progress, and the experience we have gained may be of value to other physicists interested, like ourselves, in the interactions between mind and physical systems.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “não é cientista de ciências exatas, mas como Doutor em História e jornalista cabe-lhe o classificativo de “cientista social”.”
    .
    Ok, apenas lembre-se que ele não fez pesquisa direta sobre o paranormal como Targ, Puthoff, Bohm et al fizeram. E mais que isso, ele mesmo reconhece que os motivos que o fizeram acreditar em Geller não seriam suficientes para convencer outras pessoas. Ele mesmo conhece explicações normais para os motivos que o levaram a crer em Geller.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Mitchel é (foi) doutor em Ciências… e foi o fundador do Instituto de Ciências Noéticas, onde seu amigo Dean Randin apronta as travessuras entrelaçadas.”
    .
    Diferentemente de Randin, desconheço artigos de Mitchell publicados. Ele foi, no entanto, co-experimentador em testes psi, inclusive na pesquisa no SRI (com o auxílio, vi agora, do tal do Dr Wilbur Franklin da Kent State University). E ele mesmo diz:
    .
    “Hal [Puthoff] and Russ [Targ] were so eager to keep Geller around that they worked themselves into a box by meeting his every whim. If he threatened to walk off they would relent and do what he wanted. Of course, they lost control of the situation and it got worse and worse and worse.” Mitchell—a strong believer in Geller’s abilities who was present for many of the tests—admitted that during the tests they should have demanded “that he curb his impulsiveness, that he should not touch equipment, that he keep his hands properly in view of the camera at all times, and that he cut down his chatter when we were trying to work. It becomes distracting and he uses it, not consciously to distract, but to create a climate of too much noise and muss and bustle.”
    .
    Ou seja, mesmo crendo em Geller, Mitchell não era cego para os problemas da pesquisa.

  202. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Ou seja, mesmo crendo em Geller, Mitchell não era cego para os problemas da pesquisa.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: NÃO era cego, mas só tinha olhos para suas crenças místicas, até a câmara fotográfica que havia esquecido (deixado) na lua acreditava que Uri a recuperaria com seus poderes…

  203. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Diferentemente de Randin, desconheço artigos de Mitchell publicados. Ele foi, no entanto, co-experimentador em testes psi, inclusive na pesquisa no SRI (com o auxílio, vi agora, do tal do Dr Wilbur Franklin da Kent State University). E ele mesmo diz:[...]
    /.
    CONSIDERAÇÃO: depois da casa invadida, tranca nas portas… antes era tudo festa: tinham as certezas previamente estabelecidas, só precisavam compartilhar com o mundo o fenomenal (ou “extraordinário”, como bem gosta o administrador) achado. Ao virem a m* que fizeram surgiram com as “expricações” e justificativas…
    .
    Só que essas “expricações” e justificativas só serviram para mostrar que, se tivessem juízo, não deviam ter insistido em publicar o artigo: não esqueça que procuraram vários órgãos pedindo a divulgação e foram rejeitados, e a Nature o devolveu várias vezes para que acertassem/melhorassem o conteúdo.
    .
    Isso mostra que, antes do naufrágio, estavam convictos de que “nem Deus afundaria o navio”, depois é que as “dúvidas e suspeitas” magicamente surgiram…

  204. MONTALVÃO Diz:

    /
    Quando o filho nasce feio ninguém quer assumir a paternidade…

  205. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “Ao virem a m* que fizeram surgiram com as “expricações” e justificativas…”
    .
    O estudo não é tão ruim. Geller não passou em nas demonstrações de macro-pk. Nesse ponto me parece bem melhor controlado do que o estudo preliminar do David Bohm. O próprio Bohm reconhecia as fraquezas no estudo dele. As fraquezas do Targ e Puthoff estão nas pistas deixadas com outros psíquicos que o Mark ressaltou, mas mesmo aí não parece que o barco tenha afundado de todo. E a explicação oferecida pela New Scientist para os testes de clarividência e telepatia do Geller me parece possível mas um tanto fantasiosa, mas isso tenho que ver com mais calma.
    .
    Espero que vc possa escanear tanto o livro do Puharich como o do Geller. Essas traduções são importantes.
    .
    []s.

  206. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Espero que vc possa escanear tanto o livro do Puharich como o do Geller. Essas traduções são importantes.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: Pô, primeiro foi para escanear um, só porque falei no outro entra também na lista…
    /
    Inda bem que não citei “De Newton à Percepção Extra-sensorial”; “Mentes Interligadas”; “Coincidências”; “A sensação de Estar sendo Observado”; “The Supernatural”; “Extensões da Mente”…

  207. Vitor Diz:

    O De Newton já disponibilizei, Mentes Interligadas vc já escaneou, esqueceu?

  208. Gorducho Diz:

    Esse “Newton” é o Newton :?:
    Se sim o que tem ele a ver c/paranormalidade :?:

  209. Marciano Diz:

    Extra! Extra!
    Tiroteio durante palestra em centro espírita deixa quatro mortos.

  210. Marciano Diz:

    Não é sacanagem!
    Foi hoje cedo.
    Imaginem a cena.
    Não sei qual era o tema da palestra, mas quatro desencarnes durante uma palestra é inimaginável.
    http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/quatro-pessoas-sao-mortas-e-oito-ficam-feridas-durante-tiroteio-em-centro-espirita-no-grande-recife.ghtml

  211. Marciano Diz:

    Foi ontem à noite.
    Dúvidas que ficam:
    1- como os espíritas vão explicar o fato? Acertos kármicos?
    Como quando crianças são mortas por assaltantes?
    2- Por que os espíritos que guarnecem os centros não avisaram, não interferiram?
    3- Houve equipe de socorristas desencarnados no local?

  212. Marciano Diz:

    Será que alguma das vítimas fornecerá psicografia inocentando algum dos bandidos?
    Dois deles foram mortos. Será que foram direto para o umbral?
    Um PM foi executado. Foi carma? Executava cristãos HDMA?
    Outro PM reagiu e matou dois bandidos. Uma mulher levou bala perdida e morreu. Vários feridos.
    O PM que reagiu deveria ter orado pelos inimigos, em vez de retribuir o mal com o mal?
    Tem muitas questões doutrinárias para serem discutidas aqui, com remissão a obras espíritas que tratam de assuntos semelhantes (o famoso “pimenta nos olhos dos outros”).

  213. Borges Diz:

    “O autor fez diversos experimentos com as irmãs Fox e demonstrou, a meu ver de forma cabal, que elas não estavam se comunicando com espíritos, mas meramente fazendo truques.”
    .
    Gostaria de dar um “pitaquinho” sobre essa história ocorrida em Hydesville envolvendo as irmãs Fox. Penso que esses acontecimentos sugerem mais fenômenos compatíveis com ”casa assombrada” do que com “mediunidade de efeitos físicos”.
    Um abraço

  214. Marciano Diz:

    Esse negócio de espiritismo tá ficando perigoso.
    Primeiro um médium é assassinado depois de várias tentativas de espíritos materializados, como noticiado em livro publicado e comentado por mim e por Gorducho.
    Agora morrem 4 de uma vez, durante uma palestra.
    Qual seria o tema? Amai os vossos inimigos? Os espíritos que protegem os centros? Karma? Perdão?
    O Eclesiastes é que tá certo. O que acontece a um, acontece a outro. Pouco importa que sejam crentes, descrentes, bons, maus, animais humanos, animais não-humanos.

  215. Gorducho Diz:

    ==============================================================
    Penso que esses acontecimentos sugerem mais fenômenos compatíveis com ”casa assombrada” do que com “mediunidade de efeitos físicos”.
    ==============================================================
    São paradigmas diferentes. O espiritismo desenvolveu a tese de que pra se consubstanciarem efeitos físico é necessário haver algum médium atuando mesmo que sem saber que.
    De qualquer maneira não esqueça que as meninas tentaram fazer a mão se tocar que era o dia-dos-bobos.
    Quem armou toda confusão de fato foi a velha.

  216. Gorducho Diz:

    mãe

  217. Borges Diz:

    “De qualquer maneira não esqueça que as meninas tentaram fazer a mão se tocar que era o dia-dos-bobos.
    Quem armou toda confusão de fato foi a velha.”
    .
    Então você acha que toda a história se iniciou com uma brincadeira de “1º de abril”, dia da mentira?
    Um abraço

  218. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Um PM foi executado. Foi carma? Executava cristãos HDMA?
    Outro PM reagiu e matou dois bandidos. Uma mulher levou bala perdida e morreu. Vários feridos.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: A NOTÍCIA DIZ que um PM reagiu e foi ele quem morreu, ele mais a mulher, estes do lado do bem; do do mal dois bandidos mortos e um ferido. Os meliantes fugiram sem nada levar.

  219. Gorducho Diz:

    Não! O chalé já tinha fama de assombrado.
    Dezembro 11 eles se mudaram e em meados de março começaram os sons.
    Dia 30 a família quase não dormiu e a velha era religiosa, impressionável. Daí dia 31 eles deitaram todos cedo (fim de inverso naquela zona ainda é mui frio…) e as meninas começaram a bater palmas e pedir pro Pé Rachado repetir o n° de vezes *das palmas, claro).
    Concluo eu que foi quando elas notaram que a velha ia chamar a vizinhança – o que o fez a seguir como sabe…- a Cathie tentou fazer ela se tocar:
     
    Ah! mãe, eu sei o que é. Amanhã é o dia dos bobos e é alguém tentando enganar a gente.

  220. Marciano Diz:

    Não é isso que a notícia diz, Montalvão.
    Vou colar aqui:A princípio, a Polícia Civil havia informado que um policial militar de 40 anos que assistia à palestra estava armado e reagiu ao assalto quando foi morto pelos assaltantes. Na tarde desta quinta (6), as investigações avançaram e a polícia confirmou que os dois assaltantes foram mortos por um segundo PM que estava na parte de cima da casa e reagiu à investida dos assaltantes.
    Quer dizer, primeiro a polícia informou que o PM morto teria reagido. DEPOIS, infirmou a informação, retificando-a, para informar que “um segundo PM” reagiu e matou dois bandidos.

  221. Borges Diz:

    “Não! O chalé já tinha fama de assombrado.”
    .
    Coincide com o que mencionei; tratava-se de casa assombrada. Os moradores anteriores, casal Michael e hannah, conviveram com problemas semelhantes, conforme seus relatos.
    Um abraço

  222. Gorducho Diz:

    Michael & Hannah eram os patrões da Jane :?:

  223. Gorducho Diz:

    Me lembrei… não sei se sabia (se sim, desculpe, claro!): o filhinho (inglês) da Cathie (Kate) com 6 meses psicografava em grego.
    E depois cá no Brasil dizem que era CX quem tinha grande mediunidade :(

  224. Vinicius Diz:

    ” o filhinho (inglês) da Cathie (Kate) com 6 meses psicografava em grego.”
     
    o quê?! dessa eu não sabia, 6 meses psicografando, em grego ainda?!

  225. Gorducho Diz:

    Pois é… e cá acham “gran cosa” CX; ou o Divaldo psicografar em francês invertido…
     
     
    Que vexame Analista Borges eu que garganteio tanto conhecimento do espiritismo :(
    Tá no apêndice (do História, claro). Eu tinha me esquecido do apêncide :!:

  226. MONTALVÃO Diz:

    /
    Marciano Diz:
    .
    Não é isso que a notícia diz, Montalvão.
    Vou colar aqui: [...]
    /.
    CONSIDERAÇÃO: CHII, foi mal! Li até o mapa e pensei que o noticiamento findara, mas tinha mais texto abaixo… Ponto procê!

  227. MONTALVÃO Diz:

    /
    Esta é para quem tem saudades…
    /
    ARDUIN e as 50 obras anti-espíritas…
    /
    /
    EU JÁ LI MAIS DE 50 OBRAS CRISTÃS ANTI-ESPÍRITAS, visando conhecer outros argumentos, contrários ao Espiritismo, e assim formar uma opinião mais abalizada, pesando os prós e contras. Porém NADA obtive de útil, que demonstrasse a falência do Espiritismo em seu aspecto religioso ou filosófico. Quanto à pesquisa científica feita, o pessoal religioso limitava-se aos lugares comuns de sempre: “descobriu-se que”, “soube-se que”, “apurou-se”, sem dar nomes aos bois e aos fatos. É sempre um sujeito, e predicado também, indeterminados.
    (site: Sociedade Racionalista USP): 28/12/2011
    .
    /
    No OBRAS:
    .
    Marcos Arduin Diz:
    OUTUBRO 1ST, 2010 ÀS 10:14
    .
    EU LI MAIS DE 50 OBRAS CRISTÃS ANTI-ESPÍRITAS, pois meu desejo era saber se os argumentos apresentados pelos contrários ao Espiritismo tinham consistência. Já vi que não tinham e isso me deixa mais satisfeito. É como aqui neste caso em particular, onde os argumentos mais consistentes são de uma fonte dúbia e não confiável. Mas cada qual tem suas razões para confiar nisto ou naquilo.

    /

    Marcos Arduin Diz:
    NOVEMBRO 29TH, 2014 ÀS 7:39 PM
    .
    Ô Malvadão! Vamos cair na real? EU JÁ LI MAIS DE 50 OBRAS CRISTÃS ANTI-ESPÍRITAS e uma coisa que notei é que os autores cristãos raramente se servem das obras originais, preferindo recorrer a outros autores cristãos como forma de ganhar tempo. Então se Houdini lera sobre os feitos de Crookes citados por autores como aquele do texto que postou acima, como imagina que ele formaria uma imagem imparcial do cientista? Se Houdini houvesse feito um trabalho sério, faria a leitura no original e aí ELE NÃO TERIA SIDO ENGANADO.
    /
    Marcos Arduin Diz:
    FEVEREIRO 7TH, 2012 ÀS 12:39 PM
    .
    - JÁ LI MAIS DE 50 OBRAS CRISTÃS ANTI ESPÍRITAS. Numa delas havia uma “classificação” de Espiritismo. Era um saco de gatos que misturava pajelança, macumba, candomblé, racionalismo cristão, LBV, esoterismo e por aí vai. Faz-me rir a ignorância dos apologistas cristãos em vista do seu desconhecimento do assunto ou pior: sua má fé. Agora nesta “classificação” aí, eu seria um espírita “paganizante” e indicavam o grande autor espírita Carlos Imbassahy como um representante dessa “corrente”. Isso porque este autor, e concordo com ele, era taxativo em dizer que o Espiritismo não é Cristianismo. E não é mesmo: Cristianismo é um amontoado de elucubrações teológicas fundamentadas na Bíblia. E o Espiritismo não se fundamenta na Bíblia: nosso ensino é proveniente dos espíritos e daí o termo Espiritismo.
    /
    Marcos Arduin Diz:
    DEZEMBRO 30TH, 2013 ÀS 11:54
    .
    Sobre essa questão do absurdo ser coisa de época, lembrei-me de algo engraçado. JÁ LI MAIS DE 50 OBRAS CRISTÃS ANTI ESPÍRITAS, desde algumas escritas em 1900 e pouco até 1990 e quase fim. Algumas até apresentavam Kardec como um caloteiro que não pagava o que devia aos locadores dos imóveis que alugava e por isso foi despejado numerosas vezes. Mas NENHUMA dessas obras jamais comentou o racismo do Kardec. Por que será? Simples, o racismo só muito recentemente tornou-se POLITICAMENTE incorreto (antes era incorreto só legalmente). Então agora na hora de malhar o Kardec, os críticos não esquecem a pérola: _ O racista Allan Kardec…
    /
    ————————————-.
    ECAE
    .
    Aqui cabe uma intervenção minha. JÁ LI MAIS DE 50 OBRAS CRISTÃS ANTI-ESPÍRITAS e notei algo interessante em vários dos apologistas cristãos: eles não querem desperdiçar argumento algum contra o Espiritismo. É provável que o leitor note mais abaixo que Chico ora é apresentado como um louco, um ignorante, um nada e logo em seguida é apresentado como muito culto, ávido leitor, devorador de livros, que leu e reteve o estilo de vários autores… Para não jogar fora quaisquer argumentos contra o Espiritismo, os apologistas cristãos usam todos e nem se mancam de que tais argumentos podem se contradizer e se anularem uns aos outros. (2010)
    /
    Bem, é o que li em revistas e livros cristãos (JÁ LI MAIS DE 50 OBRAS CRISTÃS ANTI-ESPÍRITAS) e outras onde é dito isso. Só não explicaram bem como isso funciona… Da minha parte, acho que NÃO FUNCIONA. (2010)
    ————————–.

  228. MONTALVÃO Diz:

    /
    e aí Vitor, não vai postar a notícia da Superinteressante sobre Chico Xavier? Você diz que sempre que surgir novidades a respeito deve reavaliar o que tinha por estabelecido, então, mate dois coelhos com uma só bomba atômica, traga o Chico fenômeno para cá para ser avaliado. Garanto que vai dar ibope…

  229. MONTALVÃO Diz:

    /
    Embora, já adianto: é pesquisa bem bundinha… mas já tem apregoe a “prova” da mediunidade por esse estudo…

  230. Vitor Diz:

    Quando o estudo for devidamente publicado eu divulgo.

  231. MONTALVÃO Diz:

    /
    Dando uma passada d’olhos no fórum cético deparei postagem antiga mas atual. O que tem de mais interessante nela é que atine a comentários que vimos cá fazendo, a respeito de espíritos darem provas de suas presenças, o que demonstraria (desde que em testagem adequada) a verdade dos contatos mediúnicos. Sabemos que os mediunistas não querem, de modo algum, produzir essas demonstrações, o que nos leva a concluir pela irrealidade das comunicações entre mortos e vivos.
    .
    Vejam o teste que propôs o Chris Angel…
    /
    ————————-.
    A Farsa do Ateísmo
    Enviado por: Tupac em 18 de Setembro de 2008, 00:14:36
    .
    “estava eu assistindo um programa chamado Phenomenon (something like that), que é tipo um idolos, só que dos ilusionistas e tem como juizes o Cris Angel e (pasmem) o Uri Geller. Obviamente, se alguem chegar lá e dizer que o que ele faz não provêm de truques e ilusões, e sim de poderes paranormais, o Uri Geller já se anima todo, enfim…
    .
    Um participante disse que iria psicografar um tal de Raymond, que começou a falar com ele uns tempos atras e tal, ao vivo no programa. Fez todo um ritual, gemeu, escreveu de tras pra frente, de forma indireta, [viu] o conteudo de uma caixa que estava fechada e com aqual não teve nenhum contato… caiu no chão, etc…
    .
    Aí todo mundo aplaudiu, ele levantou como se estivesse exausto, ofegante, pediu para colocar a mão no ombro do apresentador pra se apoiar (tava fraquinho hehe), aí o apresentador perguntou ao Uri Geller qual o veredito sobre o feito apresentado, e pra variar, o Uri apoiou, disse que “os poderes paranormais do cara eram muito controversos, mas que ele passava uma credibilidade e não sei oq eu mais, terminou dizendo que foi uma otima apresentação (or something like that). E o cara todo feliz…
    .
    Aí o apresentador disse algo como:
    .
    “Cris, vejo que você esta com muita vontade de expressar sua opinião, e aí, qual seu veredito?”
    .
    Aí o Cris Angel disse algo assim:
    .
    “Chega a ser hilario (risos). Bem, eu vou fazer uma proposta ao Uri e seu amiguinho aí, eu darei 1 milhão do meu proprio dinheiro (enquanto falava, procurava tirar algo do bolso), aqui e agora (tirou um envelope), sem enrolação, se vocês puderem me dizer o que contem este envelope”… aí o cara fez menção de dizer algo e o Cris interrompeu… “Aqui e agora, não me venha com esse papo de energia, diz o que tem no envelope”.
    .
    Aí o cara ficou nervosinho, começou a falar coisas sem sentido, que não tinham nada a ver com nada, “eu vou te dizer uma coisa, você é um preconceituoso!” gritava o cara (e meio que andou na direção do Cris pra peita-lo), o Cris Angel sentado, com um braço levantado apresentando o envelope, “Não quero saber de blablabla, me diz o que tem no envelope, aí o cara continuou com uma postura desafiadora, tipo querendo brigar e tal, aí o Cris levantou e foi na direção dele dizendo, “diz o que tem no envelope, diz…”
    .
    O cara que poucos segundos antes, demonstrava-se completamente exausto (a ponto de pedir apoio no ombro do apresentador) estava indo em direção do Cris, aí o apresentador e o Uri se colocaram entre os dois, pra não haver um full contact, e o apresentador tentou tirar o cara de perto do Cris, foi hilario, o cara que estava exausto, agora estava com energia suficiente pra se livrar bruscamente do apresentador e partir pra cima do Cris…
    .
    Eu “rachei o bico”… isso porque o Uri disse que o cara transmitia credibilidade, honestidade. Foi demais… procurem no youtube pra ver se encontram algo…
    .
    Acabou que o cara fugiu da simples proposta de ganhar 1 milhão (e ele esta no programa pra isso, pois o premio pro novo Phenomenon é 1 milhão de dolares) alí, naquele exato momento,
    .
    e O QUE ELE TINHA QUE FAZER SERIA A MESMA COISA QUE ELE ACABARA DE FAZER, OU SEJA, INVOCAR O ESPIRITO E DESCOBRIR O QUE TINHA NO ENVELOPE (ASSIM COMO ELE HAVIA INVOCADO SEGUNDOS ANTES E DESCOBERTO O QUE CONTINHA UMA CAIXA FECHADA)…”
    ———————–.

  232. Gorducho Diz:

    ==============================================================
    Quando o estudo for devidamente publicado eu divulgo.
    ==============================================================
    Particularmente aquela medição do “erro“…
    Aquilo é todo cerne da coisa e tem que ser MUITO bem esmiuçado – pra usar uma figuração dentro da informática: “bit a bit”.

  233. Gorducho Diz:

    De qq. maneira e diferenciação entre Dr. André e Emmânuel é obvia como mostrei.
    Em relação ao Espírito HdeC aí sim é um debate mais fértil.

  234. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Quando o estudo for devidamente publicado eu divulgo.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: QUE qui é “devidamente publicado”? Sair na Scientific American, na Nature? Saiu no correlato delas cá na terrinha: não é à toa que a Superinteressante está entre as preferidas do Martiniano…

  235. Gorducho Diz:

    A b>Administração está certa Presidente. Não tem um estudo formalmente publicado. Aquele .zip > .pdf é um abstract com generalidades.
    Em particular e principalmente, não é detalhado como é feito o cálculo do “erro” – e que portanto qualifica os textos gerados pelo programa como aderentes ao estilo de cada um dos 3 espíritos em tela.

  236. MONTALVÃO Diz:

    /
    “A b>Administração está certa Presidente. Não tem um estudo formalmente publicado. Aquele .zip > .pdf é um abstract com generalidades.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: NÃO questiono, tanto que falei que o estudo não é lá grande coisa, mesmo assim, para efeito de avaliação, mesmo que preliminar, considero válido o que foi publicado, mesmo porque quando o experimento for divulgado mais amplamente acho difícil que traga novidade que mereça maior exame em termos de legitimar a mediunidade, seja de Chico, seja de quem for.
    .
    Mas, posso estar errado, claro…

  237. Gorducho Diz:

    COMPUTER GENERATED READINGA
    A primeira vez mais providencial de serviço de sua consciência, a senhora Laura encontrava-se com a presença de alguns, com a sua consciência espiritual e a medicina de amor, acrescentou:
    – O controlador de serviço está disposto a escapar com as mesmas expressões de alegria.
    A primeira vez mais forte de algum tempo, se a senhora de Alexandre prosseguiu a companheira de serviço e considerando a alegria da conversação e despediu-se:
    – Neste momento, a maioria dos companheiros encarnados estão através de construções destruidoras e desencarnadas. A consciência tem sempre a construção do coração
    .
     
    Comé qui (lembra da cartinha aquela?) se mede o “erro” em relação aos ditados do Dr. André Luiz que é a referência :?:
    Perceba que boa parte da discussão é como se chega a essa conclusão.
    Nesse abstract é feita referência a um certo método o qual não é discutido (por não ser o local claro).
     
     
    Analisando os resultados da Figura 1, o bot Emmanuel, recriando textos artificiais do autor, obteve uma taxa de erro menor que do próprio bot Paulo Coelho.
    Os demais bots, mesmo que um pouco acima em taxa de erro que Paulo Coelho, não passaram de 32%. Uma taxa aceitável principalmente no contexto do autor Humberto
    de Campos. Com tipos de textos bastante variados – contos, anedotas e poesias
    .
     
    Bos parte e talvez a maior parte dum estudo formal deverá ser a apresentação e demonstração de eficácia desse método pelo qual se mede “erro” vis-à-vis a base de textos referencial.
    Deve ser % de adjetivos; % e estrutura das perguntas; descrição em qual pessoa (Dr. AL é sempre em 1ª então aí já é um ponto…); comprimento das frases…
    Por aí; mas precisa ser detalhadamente demonstrado.

  238. MONTALVÃO Diz:

    /
    GORDUCHO: Comé qui (lembra da cartinha aquela?) se mede o “erro” em relação aos ditados do Dr. André Luiz que é a referência
    Perceba que boa parte da discussão é como se chega a essa conclusão.
    Nesse abstract é feita referência a um certo método o qual não é discutido (por não ser o local claro).
    [...]
    Boa parte e talvez a maior parte dum estudo formal deverá ser a apresentação e demonstração de eficácia desse método pelo qual se mede “erro” vis-à-vis a base de textos referencial.
    .
    Deve ser % de adjetivos; % e estrutura das perguntas; descrição em qual pessoa (Dr. AL é sempre em 1ª então aí já é um ponto…); comprimento das frases…
    Por aí; mas precisa ser detalhadamente demonstrado.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: pois é, você já está adentrando na denúncia de prováveis falhas ou vagueidades do experimento. Por isso falei que o material publicado já permite uma avaliação preliminar, mesmo sem sabermos o critério utilizado para mensurar os erros.
    /
    Mas há um outro problema, que reputo mais sério nesse computador mediúnico, o qual fica claro quando se compara o texto de Chico com o da máquina, conforme postado pelo artigo da Super. Confira a seguir:
    /
    —————————————.
    SUPERINTERESSANTE
    .
    ESTE PRIMEIRO TEXTO FOI PSICOGRAFADO POR CHICO XAVIER
    .
    Os encarnados presentes viam tão-somente o corpo de Otávia, dominado pelo sacerdote que lhes era invisível, quase a rebentar-se de soluços atrozes, mas nós víamos além. A nobre senhora desencarnada postou-se ao lado do filho e começou a beijá-lo, em lágrimas de reconhecimento e amor. Pranto copioso identificava-os. Cobrando forças novas, a genitora continuou:
    .
    – Perdoe-me, filho querido, se noutra época induzi o seu coração à responsabilidade eclesiástica, modificando o curso de suas tendências. Suas lutas de agora me atingem a alma angustiada. Seja forte, Marinho, e ajude-me! Desvencilhe-se dos maus companheiros! Não vale rebelar-se. Nunca fugiremos à lei do Eterno! Onde você estiver, a voz divina se fará ouvir no imo da consciência…
    .
    Nesse momento, observei que o sacerdote recordou instintivamente os amigos, tocado de profundo receio. Agora que reencontrava a mãezinha carinhosa e devotada a Deus, que sentia a vibração confortadora do ambiente de fraternidade e fé, sentia medo de regressar ao convívio dos colegas endurecidos no mal.
    /
    JÁ ESTE FOI CRIAÇÃO DA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL
    .
    A primeira vez mais providencial de serviço de sua consciência, a senhora Laura encontrava-se com a presença de alguns, com a sua consciência espiritual e a medicina de amor, acrescentou:
    .
    – O controlador de serviço está disposto a escapar com as mesmas expressões de alegria.
    .
    A primeira vez mais forte de algum tempo, a senhora de Alexandre prosseguiu a companheira de serviço e considerando a alegria da conversação despediu-se:
    .
    – Neste momento, a maioria dos companheiros encarnados estão através de construções destruidoras e desencarnadas. A consciência tem sempre a construção do coração.
    ————————————-.
    /
    CONSIDERAÇÃO: PERCEBEU? Se não, explico. O texto de Chico, nada obstante a pieguice e o excesso de açúcar nas frases, difere radicalmente do da máquina e num ponto crucial: o que o médium escreveu faz sentido, já a produção do computador não diz coisa com coisa! É só amontoado de palavras. É bem capaz de leitores desatentos acharem que entenderam alguma coisa do que lerem, mas estarão iludidos se pensarem assim.

  239. Gorducho Diz:

    Um teste real de aderência é o inverso: dado um texto que não esteja já na base de dados ditado por um dos 3 espíritos, o software identifica o autor.
    Mas de qq. forma o que caracteriza ser de CX a autoria é a peculiaridade do vocabulário e não o óbvio fato de que os 3 personagens diferem em seus propósitos e portanto em estrutura textual.
    Repito: AL é em 1ª pessoa;
    pergunta tudo;
    se espanta com tudo que vê ou com o que lhe explicam.

  240. Marciano Diz:

    ===============================================================
    … não é à toa que a Superinteressante está entre as preferidas do Martiniano…
    ===============================================================
     
    Explique isto direito.
    Alguém que pegue o bonde andando ou que seja distraído pode achar que eu gosto dessa porcaria.
    Já manifestei diversas vezes minha indignação com essas revistas vagabundas (superdesinteressante, etc.).
    Quem gosta delas é o Vitor. Ou gostava, não sei mais.
     
    Como exemplo do meu repúdio, aqui vai uma citação antiga:
     
    Marciano Diz:
    OUTUBRO 2ND, 2015 ÀS 9:33 PM
    Antonio G. – POA Diz:
    OUTUBRO 2ND, 2015 ÀS 10:02 AM
    Então, Émile Coué foi um precursor da homeopatia.
    .
    E como se vê do texto acima, extraído da wikipedia, era dotado de premonição, pois já sabia que todos os dias, sob todos os aspectos, a revista Superdesinteressante está cada vez pior.
    Coué condense sa méthode en une phrase-clef : « Tous les jours, à tout point de vue, le magazine Superinitéressant va de pire en pire. ».

  241. Gorducho Diz:

    [Espírito Dr. André Luiz] Aquietou-se de súbito. Sentou-se mais calmo, embora trêmulo e espantadiço.
     
    [Espírito Emmânuel] O rapaz cumprimentou o Instrutor e comunicou, espantadiço:
     
    [Espírito HdeC/IX] E o viajante recebeu primoroso documento, em cuja face leu espantadiço:
     
     
    Qualquer software minimamente inteligente verá de cara que a autoria é a mesma.
    Eu gosto de informática e portanto me agrada esse tema. Só que não tenho ligações com a área de letras e portanto com softwares frees nesse ramo; nem conhecimento técnico.
    Mas a análise de CX é por essa linha:
    ♦ Dentro do uso d’algum idioma (pt_BR no caso, claro) tem a estatística de uso de palavras geral, e outras que podem ser ajustadas por autor e época. Daí pode montar σ e outras estatísticas e constatar que determinado autor usa determinado conjunto de termos com muito mais frequência que todos os outros.
    ♦ Classes gramaticais como % adjetivos.
    ♦ Estruturas como pergunta adjetivada e seguida por surpresa/espanto. Claro que me falta um conhecimento técnico em letras pra aprofundar, mas está claro que analiticamente isso pode ser feito.

    O road map é esse.

  242. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Explique isto direito.
    Alguém que pegue o bonde andando ou que seja distraído pode achar que eu gosto dessa porcaria.
    Já manifestei diversas vezes minha indignação com essas revistas vagabundas (superdesinteressante, etc.).
    Quem gosta delas é o Vitor. Ou gostava, não sei mais.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: FOI só usted quem não notou o tom irônico de meu declaramento ou também o restante da humanidade?

  243. MONTALVÃO Diz:

    /
    O caso é que morri e, atendendo seu desafio, vim lhe puxar o pé. Aguarde novos puxões…

  244. MONTALVÃO Diz:

    /
    Já que o Vitor não vai postar a desrreportagem da Superinteressante (e ninguém perde nada com isso), posto eu, cá, minha avaliação preliminar do publicado, a quem interessar possa:
    /
    /
    Francisco Cândido Xavier morreu há 15 anos, deixando para trás mais de 412 livros escritos. Mas ele sempre rejeitou a autoria de todos: a obra seria inteira psicografada, ditada diretamente de espíritos que falavam ao médium.
    .
    Com o aniversário de falecimento do líder espírita, uma empresa brasileira resolveu investigar a obra de Chico usando inteligência artificial. Ao longo da vida, ele psicografou livros de vários autores diferentes. A ideia era usar todo o poder de computação para responder duas perguntas: esse autores têm cada um seu estilo próprio? Eles são suficientemente diferentes entre si?
    .
    A Stilingue, uma empresa que trabalha com análise de textos via inteligência artificial para “resumir a internet”, encontrando tendências nas redes sociais, resolveu testar como as obras psicografadas seriam analisadas por uma técnica de aprendizado de máquinas chamada Deep Learning.
    /
    ————————————.
    CONSIDERAÇÃO: o sonho dos artífices da inteligencia artificial é produzir máquina que simule o humano, a ponto de qualquer interlocutor não saber distinguir se dialoga com pessoa de carne e osso ou com circuitos integrados. Embora alguns artefatos se mostrem promissores ainda está longe de termos uma máquina “pensando”.
    .
    Conquanto seja informado que o objetivo do estudo não toque na questão de ser ou não a mediunidade real, vê-se que a coisa acaba pendendo, ainda que indiretamente, para esse lado.
    ————————————.
    /
    A partir de grandes quantidades de dados, o computador aprende a criar relações entre eles, sem precisar aprender, por exemplo, o que é um verbo, um adjetivo, um substantivo. Se fosse reconstruir a Bíblia, o computador logo ia aprender que precisa colocar um número antes de cada frase, porque o livro é estruturado em versículos.
    /
    ————————————.
    CONSIDERAÇÃO: é possível escrever sem saber de gramática: basta saber ler… e ler. A partir da intimidade com o idioma, mesmo desconhecendo-se as regras, intuitivamente o redator é capaz de produzir textos e a qualidade destes vai depender do talento de cada um. Em realidade, ninguém escreve pensando em verbos, substantivos, adjetivos… a não ser que esteja produzindo material atinente às normas gramaticais.
    .
    Ocorre que, no caso da máquina ela não é capaz de produzir texto coerente, por mais que “pratique”, essa habilidade ainda não é possível de ser concedida a um computador; o que ele realiza está bem explícito no artigo: “criar relações entre dados”. Para aplicações matemáticas a máquina funciona muito bem, mas na gramática ainda está longe de se obter resultado satisfatório. Basta examinar uma “redação” feita pelo equipamento que a incoerência do conteúdo salta aos olhos. Nenhum computador atual seria capaz de escrever, por exemplo, uma crônica ao modo de Humberto de Campos, quanto mais um sucedâneo da Bíblia…
    .
    Mas, se no raciocínio a máquina não se dá bem, na burrice está bem nivelada com o humano, dou um exemplo: há meses vinha eu recebendo chamada de empresa de cobrança procurando uma tal de Alzira. De início procurei ajudar a moça que ligava, até me propondo a passar recado para a buscada, desde que ela me desse algum dado adicional, como o endereço. Depois vi que também sou burro, pois essas pessoas tão nem aí para apoios desse tipo, então passei simplesmente a dizer que não conhecia a fulana. Só que continuaram meses a fio ligando, querendo falar com a dita. Até que, exasperado, eu simplesmente respondia, com voz cavernosa: “Alzira é o carvalho!A Pomba-Gira vai pegar você!” Coincidência ou não, graças ao carvalho e a pomba-gira, pararam de ligar.
    .
    Agora veio a inovação. Puseram um computador no encalço de um tal de Valdemar. O programa faz a ligação automática. Quando atendo a voz indaga: “bom dia, estou falando com o Valdemar?” Respondo: “não!”. E a máquina continua: “Mas… o senhor conhece o Valdemar?” Respondo: ‘NÃO!”. Então “ele” termina educadamente: “Oh, me desculpe, deve ter sido engano”. Beleza não? Sim, seria beleza se o sujeito informático não viesse repetindo a ladainha dia após dia.
    .
    Com esse nem posso recorrer a pomba-gira, pois está cientificamente provado que os poderes paranormais dessa entidade não afetam sistemas informatizados…
    ————————————.
    /

    A mesma técnica também já foi usada para recriar Shakespeare. Depois de ler milhões de caracteres do dramaturgo, o computador era capaz de escrever sozinho “imitando” o estilo do inglês, sem nunca ter passado por uma aula de literatura. NEM SEMPRE AS FRASES FAZEM TOTAL SENTIDO, mas os tempos verbais e a mania de criar palavras novas mudando o final delas ficam reproduzidos, igualzinho.
    /
    ————————————.
    CONSIDERAÇÃO: o comentarista diz: “nem sempre as frases fazem sentido”, como se isso fosse um quase nada. Ora, é claro que o computador não escreve “a maniere” de Shakeaspeare, nem com lambida de boi, o que faz é usar termos comuns que o dramaturgo utilizava. Dá a impressão de que, por enquanto, o programa é mais um brinquedinho curioso, talvez com algumas aplicações úteis, mas nada que seja capaz de simular produtivamente o estilo redativo de humanos.
    ————————————.
    /
    No caso de Chico Xavier, o estudo da Stilingue selecionou três dos principais autores psicografados pelo médium: Emmanuel, André Luiz e Humberto de Campos.
    .
    Para “alimentar” a rede neural artificial, eles selecionaram três livros de cada autor – que precisam ser enormes, porque A TÉCNICA DEEP LEARNING EXIGE, NO MÍNIMO, UM MILHÃO DE CARACTERES POR AUTOR CONSEGUIR APRENDER COM SUCESSO.
    .
    “No caso de Humberto de Campos, sentimos um pouco de falta de mais material. Ele é um autor mais desafiador porque escrevia diferentes tipos de texto [contos, anedotas e poesias]”, explica Milton Stiilpen Jr., fundador da Stilingue.
    .
    Devidamente treinado, o computador começou a reproduzir os textos. ANDRÉ LUIZ, POR EXEMPLO, TINHA O HÁBITO DE COLOCAR FALAS ESPAÇADAS ENTRE BLOCOS DE TEXTO MAIORES, AO INVÉS DE CRIAR LONGOS BLOCOS DE DIÁLOGOS.
    .
    André Luiz: entidade espírita vs. Bot
    .
    Este primeiro texto foi psicografado por Chico Xavier
    .
    Os encarnados presentes viam tão-somente o corpo de Otávia, dominado pelo sacerdote que lhes era invisível, quase a rebentar-se de soluços atrozes, mas nós ví?amos além. A nobre senhora desencarnada postou-se ao lado do filho e começou a beijá-lo, em lágrimas de reconhecimento e amor. Pranto copioso identificava-os. Cobrando forças novas, a genitora continuou:
    .
    – Perdoe-me, filho querido, se noutra época induzi o seu coração à responsabilidade eclesiástica, modificando o curso de suas tendências. Suas lutas de agora me atingem a alma angustiada. Seja forte, Marinho, e ajude-me! Desvencilhe-se dos maus companheiros! Não vale rebelar-se. Nunca fugiremos à lei do Eterno! Onde você estiver, a voz divina se fará ouvir no imo da consciência…
    .
    Nesse momento, observei que o sacerdote recordou instintivamente os amigos, tocado de profundo receio. Agora que reencontrava a mãezinha carinhosa e devotada a Deus, que sentia a vibração confortadora do ambiente de fraternidade e féé, sentia medo de regressar ao convívio dos colegas endurecidos no mal.
    .
    JÁ ESTE FOI CRIAÇÃO DA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL.
    .
    A primeira vez mais providencial de serviço de sua consciência, a senhora Laura encontrava-se com a presença de alguns, com a sua consciência espiritual e a medicina de amor, acrescentou:
    .
    – O controlador de serviço está disposto a escapar com as mesmas expressões de alegria.
    .
    A primeira vez mais forte de algum tempo, a senhora de Alexandre prosseguiu a companheira de serviço e considerando a alegria da conversação despediu-se:
    .
    – Neste momento, a maioria dos companheiros encarnados estão através de construções destruidoras e desencarnadas. A consciência tem sempre a construção do coração.
    .
    Depois de criar três bots capazes de imitar os autores com uma precisão considerável (erro de 22% para André Luiz, 5% para Emmanuel e 32% para o Humberto de Campos), DÁ PARA DIZER QUE CADA AUTOR TEM UM ESTILO RAZOAVELMENTE MARCANTE E UNIFORME.
    .
    Agora, dá para dizer que eles são diferentes entre si? Ou será que o estilo delata que teriam sido escritos por uma só pessoa? Para fazer o teste, eles decidiram confundir a máquina. Misturaram os textos de diferentes autores. Mandaram o bot do Emmanuel escrever com base na obra do Humberto, o do Humberto imitar o André e assim por diante. DEU ERRADO: a taxa de erro disparou. Os modelos eram incapazes de encontrar os mesmos padrões de estilo de uma entidade espírita nos livros da outra. OS AUTORES SÃO, SIM, MARCADAMENTE DIFERENTES.
    ./
    ————————————.
    CONSIDERAÇÃO: sei não, vai ver não estou percebendo algo que devia ter percebido, mas se o trabalho da máquina é identificar maneirismos dos escritores, baralhar textos só iria confundi-la, a não ser que fossem produções estilisticamente assemelhadas. Neste caso, então, o equipamento respondeu conforme o esperado: ao misturar textos diversos ele não encontrou padrões que pudessem ser referenciados. Embora não tenha sido dito, parece insinuado que a mediunidade de Chico foi apontada, visto que escrevia diferente conforme fosse o comunicador. Se for isso mesmo que pretendem dar a entender é coisa pra lá de louco!
    ————————————.
    /
    A questão que resta é: há outras formas de explicar o resultado?
    .
    Misturar textos de diferentes temas e épocas de um mesmo autor já é suficiente para aumentar a taxa de erro. Mas não tanto assim. “Fizemos um teste com o Paulo Coelho justamente para testar um único autor com diferentes livros e muitos textos. A taxa de erro aumenta – mas mesmo assim continua baixa”, explica Milton. O teste com Paulo Coelho retornou uma taxa de apenas 10%.
    /
    ————————————.
    CONSIDERAÇÃO: como diria meu bisavô: e daí? Basta um Paulo Coelho para o pretendido? Fizeram experimentos com outros autores? Por exemplo: Tolstoi? Aristóteles? Kardec? Swedenborg? Kant? Montalvão? Gorducho tem razão: faltam melhores informes para adequada avaliação do que foi feito, mas dá para deixar a suspeita de que seja codilouco…
    ————————————.
    /
    Outra possibilidade cética seria a criação consciente e deliberada de Chico Xavier de diferentes personas, uma para cada autor – coisa parecida com o que o escritor Fernando Pessoa fez, com seis heterônimos marcadamente diferentes.
    .
    MILTON TAMBÉM TINHA UMA RESPOSTA PARA ISSO: eles fizeram o teste de deep learning também com Fernando Pessoa. “Faltou quantidade de dados suficiente para atender essa técnica”, responde Stiilpen. A Stilingue não conseguiu acesso fácil e digitalizado à quantidade necessária de material de cada heterônimo de Pessoa. Relembrando, o mínimo necessário para a análise usando deep learning é de 1 milhão de caracteres o que significa, nesse caso, 6 milhões para uma análise de todos os “autores” em questão. E isso só para aquecer.
    /
    ————————————.
    CONSIDERAÇÃO: então o Milton não tinha resposta, tinha uma informação: não deu para fazer o teste com Fernando Pessoa por falta de dados suficientes. Ponto.
    ————————————.
    /
    Graças a esses resultados, a análise textual deve virar um projeto de pesquisa oficial que vai, inclusive, selecionar outras técnicas mais adequadas a autores como Fernando Pessoa e Nelson Rodrigues. Mas, de tudo isso, qual foi o veredito do estudo sobre Chico Xavier?
    .
    A psicografia segue como uma questão de fé. Mas SE O ESTUDO ATESTA ALGO, É A GENIALIDADE DO MÉDIUM. Escrever o volume de texto que ele escreveu, com personas comprovadamente distintas, mas uniformes entre si, não precisa nem ser sobrenatural para ser absolutamente impressionante. Ou, como colocou Monteiro Lobato, “Se Chico Xavier produziu tudo aquilo por conta própria, então ele merece ocupar quantas cadeiras quiser na Academia Brasileira de Letras.”
    /
    ————————————.
    CONSIDERAÇÃO: infantil exaltação! Quem estude Chico desnecessita de programa dessa natura para perceber que o sujeito fora literariamente talentoso, embora seu estilo não seja dos mais agradáveis: a melosidade que o médium imprimia em seus textos certamente cativa algumas pessoas, outras a repudiam. Em termos de esclarecer a mediunidade (como hipótese de real intercâmbio comunicativo entre vivos e mortos) o material em nada contribui.
    ————————————.
    /

    Agora, vamos ver algumas apreciações a respeito do artigo, seguidas de meus comentários:
    /
    ————————————.
    COMENTÁRIOS:
    .
    Kah Oliveira 30 jun 2017 – 19h17
    Na minha opinião esse cara era um fanático. E outra, CRIPTOGRAFIA NÃO EXISTE. Ele simplesmente falou os que os outros queriam ouvir. E quanto aos livros, esses ele escreveu por conta própria e botou a culpa nos tais espíritos
    /
    CONSIDERAÇÃO: DEVERAS, “criptografia não existe”: os documentos criptografadas que circulam pela rede e por outras vias são todos ilusórios…
    /
    Alex Rosa 30 jun 2017 – 20h18
    Kah Oliveira, não é “CRIPTOGRAFIA” e sim “PSICOGRAFIA”… Você poderia produzir uma critica melhor, SE LÊ-SE A MATÉRIA… E outra coisa, o que você escreveu não é OPINIÃO, pois opinião tem base, tem fundamento, e você não apresentou nenhum… O que você escreveu é ACHISMO…
    /
    CONSIDERAÇÃO: de fato, se ela LESSE a matéria…
    /
    Lavínia Faria 30 jun 2017 – 21h04
    Disse tudo Alex Rosa!!
    /
    CONSIDERAÇÃO: e você, infeliz, não disse nada!
    /
    Marcia Van Der Ham 30 jun 2017 – 22h56
    A intercambio com o mundo dos espíritos esta mais que provado !!!!!
    /
    CONSIDERAÇÃO: disse “TUDO”…de coisa alguma…
    /
    Maxuel D. 30 jun 2017 – 23h59
    Perdeu uma grande chance de ficar calada, Kah Oliveira.
    /
    CONSIDERAÇÃO: té aqui todos que se manifestação perderam essa grande chance (excetuando-se minhas ponderações; modestamente falando, claro)…
    /
    Lizete da Penha 01 jul 2017 – 00h21
    Nossa Alex, concordo plenamente contigo. Essa Senhora sim, deve ser fanática. Ela deveria se informar melhor sobre Chico Xavier e depois sim, postar comentários. ELA DEVIA SE ENVERGONHAR DE POSTAR TANTOS ERROS DE INTERPRETAÇÃO
    /
    CONSIDERAÇÃO: e você deveria se envergonhar de exagerar na acusação: a mulher cometeu apenas um erro…
    /
    Marcel Brasil 01 jul 2017 – 00h44
    Quando uma pessoa escreve sem conhecer o assunto ou as pessoas envolvidas, acaba por escrever asneiras como este Kah. Duvido até mesmo que conheça alguma obra espírita.
    /
    Marya Cidoka 01 jul 2017 – 01h27
    Kah Oliveira, única coisa que lhe digo que você irá se surpreender quando chegar do lado de lá. Vc vai levar um susto e lembrar do que você acabou de escrever aqui.
    /
    CONSIDERAÇÃO: que nem vai acontecer com o MARCIANO quando chegar do lado de lá…
    /
    .
    http://super.abril.com.br/historia/inteligencia-artificial-pos-a-prova-psicografia-de-chico-xavier/

  245. MONTALVÃO Diz:

    /
    “té aqui todos que se MANIFESTAÇÃO perderam essa grande chance” /
    /
    “todos que se MANIFESTARAM…”
    .
    anta…

  246. MONTALVÃO Diz:

    /
    Postei lá na Super o seguinte comentário:
    /
    ———————————–.
    Quando o assunto é Chico Xavier os sentimentos afloram, alguns para endeusá-lo, outros a repudiar o pobre sujeito.
    .
    A verdade é que Xavier foi um homem bom, cioso de que lhe fora destinada a tarefa de consolar sofredores, e, indiscutivelmente, um talento literário, embora seu estilo não fosse agradável a todos.
    .
    No que diz respeito à mediunidade, no sentido de legítimo contato entre mortos e vivos, é que a coisa se complica. Para os fãs, o fato de ter escrito 412 livros em vida e psicografado milhares de cartinhas consoladoras seria prova mais que satisfatória de que almas de falecidos contataram o homem de Uberaba. Infelizmente, tal não é verdade. O fato de pessoas talentosas atribuírem seus feitos à suposta ação de entidades desencarnadas não é suficiente para comprovar que tal aconteceu.
    .
    O modo de se achar a confirmação seria atestando a real presença de entes invisíveis entre os vivos. Cartas alegadamente psicografadas ou livros que seriam ditados por espíritos não são suficientes, pois sempre fica aberta a probabilidade de que o produto proveio de vias terrenas.
    .
    Podem ser propostas verificações simples, capazes de indicar a ação de algo além da capacidade do médium e descartar a suspeita de que, para elaborar a psicografia, recorra a técnicas que lhe permitam pescar informações. Dou um exemplo, dentre muitos possíveis.
    .
    O médium evoca, de sua livre escolha, um espírito receptivo. Enquanto entra em sintonia com a entidade, num outro aposento, às escuras, um experimentador põe sobre uma mesa um relógio desses antigos, de corda, que esteja parado, e gira os ponteiros a esmo. Feito isso retira-se da sala e a tranca. O médium deverá solicitar (educadamente, é claro) ao espírito que vá ao local, veja e lhe noticie a posição dos ponteiros. Repete-se o procedimento algumas vezes, a fim de evitar acertos por casualidade. Embora experimento dessa natureza não seja taxativo, seria forte indicativo de que ente invisível efetivamente participou. Com investigações complementares chegar-se-ia à comprovação definitiva, caso realmente mortos comunicassem.
    .
    Admiravelmente, nenhum adepto da mediunidade busca a comprovação por tal via: a fé lhe é suficiente…neste caso, azar de quem não a tem…

  247. MONTALVÃO Diz:

    /.
    Andre Luiz Duarte Cavalcante 01 jul 2017 – 12h15
    .
    Psicografia é uma questão de fé? Rapaz essa é boa. Um fenômeno que existe há milênios, ocorre a mancheia no mundo todo, através de milhares de pessoas diferentes e que não se conhecem, devidamente documentado na história da humanidade e, quando um dos ditos médiuns se sobressai a ponto de se tornar conhecido no mundo todo, passar por várias provas científicas, ter sido capaz de psicografar dezenas de espíritos diferentes, com assinaturas diferentes, muitas delas reconhecidas por familiares e peritos forenses e, agora, mesmo um programa de IA (que não tem viés moral ou religioso, isto é, puramente racional)) mostra que os estilos dos ditos espíritos que se comunicam são diferentes e consistentes, a conclusão que chegam é que é uma questão de fé.
    .
    Mas, realmente, é preciso ter muita fé para aceitar que não se trata de um fenômeno verdadeiro, que se trata de “coisas da cabeça do médium” é que a matéria pode explicar tudo, muito embora isso vá contra a navalha de Occham e a explicação mais simples, e mais demonstrada, seja deixada de lado por puro pré-conceito.
    O que é preciso acontecer para que a academia vença o pré-conceito e passe a encarar a verdade do mundo espiritual?

  248. MONTALVÃO Diz:

    /
    Luiz Roberto Turatti 03 jul 2017 – 09h26
    ? “Isso non eczisteeeeeee!!!” “É tudo tcharlataniceeeeee!!!” “Demônios, exus, ondinas, salamandras, larvas astrais, ETs, espíritos dos mortos, venham TODOS contra mim! POR FAVOR!” (Jesuíta Prof. Dr. Padre Oscar González-Quevedo – Especialista em Parapsicologia, respeitado no mundo inteiro).

  249. Marciano Diz:

    ===============================================================
    CONSIDERAÇÃO: FOI só usted quem não notou o tom irônico de meu declaramento ou também o restante da humanidade?
    ===============================================================
     
    Claro que eu notei, mas minha preocupação foi a de que neófitos no blog (dentre eles, eventuais leitores que não comentam) pudessem entender literalmente.
     
     
    Quando eu falo para morrerem e puxarem meu pé, digo-o literalmente. Puxões metafóricos só me fazem crer em espíritos metafóricos.
     
     
    ===============================================================
    Gorducho Diz:
    JULHO 8TH, 2017 ÀS 10:19 AM
    [Espírito Dr. André Luiz] Aquietou-se de súbito. Sentou-se mais calmo, embora trêmulo e espantadiço.

    [Espírito Emmânuel] O rapaz cumprimentou o Instrutor e comunicou, espantadiço:

    [Espírito HdeC/IX] E o viajante recebeu primoroso documento, em cuja face leu espantadiço

    ===============================================================
     
    Além do fato de três “espíritos” usarem a mesma palavra incomum, usam-na de forma errada.
    Espantadiço não é sinônimo de espantado, como cx imaginava.
     
    espantadiço Datação: sXV

    ???????? adjetivo
    que se espanta com facilidade ou por motivo fútil

     
     
    espantadiço

    Adjetivo.
    1.Que se espanta facilmente; arisco. 
     
     
    espantado
    [Part. de espantar.]
    Adjetivo.
    1.Que se espantou; assustado.
    2.Surpreendido, admirado, maravilhado.
    3.Pasmado, atônito.
    4.Bras. Fam. V. berrante (2 e 3):
    “Chapéu inexistente em cima, só tem aba, que é de três cores bem espantadas.” (Carlos Drummond de Andrade, em Jornal do Brasil, 16.11.1972.). 
     
     
    espantado Datação: sXIII

    ???????????? adjetivo
    1 que se espantou ou assustou
    2 que se surpreendeu ou maravilhou com algo; admirado
    3 Regionalismo: Brasil. Uso: informal.
    que chama a atenção pelo excesso; berrante, chamativo
    3.1 Regionalismo: Brasil. Uso: informal.
    de cor muito forte e viva

     
     
    Vê-se claramente (acho) que cx, ao tentar se passar por porta-voz de três “espíritos” diferentes, quis usar a palavra “espantado”, mas como essa é de uso comum e como ele era beletrista, trocou, erroneamente, por “espantadiço”, por acreditar que eram expressões sinônimas e que a segunda seria erudita.
     
     
    A matéria é tão ordinária que até o Vitor, leitor compulsivo de Superdesinteressante, não levou a sério.
     
     
    ===============================================================
    MONTALVÃO Diz:
    JULHO 8TH, 2017 ÀS 12:29 PM
    /
    “té aqui todos que se MANIFESTAÇÃO perderam essa grande chance” /
    /
    “todos que se MANIFESTARAM…”
    .
    anta…
    ===============================================================
     
    Olhe a falta de modéstia!
    Não se esqueça do conselho do grande mestre imaginário: humilhe-se, para ser exaltado.
     
    Que anta, qual o quê! Diga projeto mal sucedido de cisco de cocô de anta. Fica muito mais modesto.
     
     
    ===============================================================
    A verdade é que Xavier foi um homem bom, cioso de que lhe fora destinada a tarefa de consolar sofredores, e, indiscutivelmente, um talento literário, embora seu estilo não fosse agradável a todos.
    ===============================================================
     
    Questão de POV, acho.
    A verdade é que cx foi um homem extremamente vaidoso, cioso de que tinha de ser idolatrado como rei dos médiuns e indiscutivelmente um falsário sofrível, embora seu estilo fosse uma porcaria.
     
    Antes que pergunte, POV é point of view.
     
     
    ===============================================================
    O que é preciso acontecer para que a academia vença o pré-conceito e passe a encarar a verdade do mundo espiritual?
    ===============================================================
     
    Que as pessoas deixem de ser idiotas, como esse tal André Luiz.
    Pelo nome, infiro que é mal de família.
     
     
    ===============================================================
    Luiz Roberto Turatti 03 jul 2017 – 09h26
    ? “Isso non eczisteeeeeee!!!” “É tudo tcharlataniceeeeee!!!” “Demônios, exus, ondinas, salamandras, larvas astrais, ETs, espíritos dos mortos, venham TODOS contra mim! POR FAVOR!” (Jesuíta Prof. Dr. Padre Oscar González-Quevedo – Especialista em Parapsicologia, respeitado no mundo inteiro).
    ===============================================================
     
    Pô, Quevedo. Deixe de ser egoísta. Deixe que alguns deles venham contra mim também.
     
     
    Não tenho como verificar, mas acho que o Turatti é oficial do Exército. Lendo essa porcaria…

  250. Marciano Diz:

    Não, já vi que é apenas um homônimo.
    Ainda bem, pois o LRT que conheci não lia essas porcarias, era focado no seu mister.

  251. MONTALVÃO Diz:

    /
    MONTALVÃO Diz:
    JULHO 8TH, 2017 ÀS 3:43 PM
    /
    Gorducho, o Gigaview está querendo seu face para adicioná-lo como amigo, você tem?

  252. Marciano Diz:

    O Turatti aqui mencionado é militante em discussões sobre crendices, sempre citando Quevedo, de quem parece que foi aluno.
    E Gorducho, na qualidade de agente especial da CIA, não tem facebook.
    É o que suponho.

  253. Marciano Diz:

    Amo verecundiam, tu potius libertatem loquendi.
    Erit lucro lingua retenta tuo.

  254. Marciano Diz:

    PROVÉRBIOS
    [5]
    1 Filho meu, atende à minha sabedoria; inclinão teu ouvido à minha prudência;
    2 para que observes a discrição, e os teus lábios guardem o conhecimento.

  255. Marciano Diz:

    inclina, não inclinão. diabão.

  256. Marciano Diz:

    Se o seu amigo tem um amigo, e o amigo do seu amigo tem também um amigo – então seja discreto.

    Talmude
    Agora o dever me chama.
    Groß Gott!
    Servus!

  257. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Antes que pergunte, POV é point of view.”
    /.
    PENSEI QUE fosse PoV… mas é meu point of view…

  258. MONTALVÃO Diz:

    /
    Se o seu amigo tem um amigo, e o amigo do seu amigo tem também um amigo – então pode ser que vocês venham a ser amigos, mas também pode não ser…
    -Montalvão-

  259. MONTALVÃO Diz:

    /
    agora o dever me chama: sei que devo, pago quando puder…

  260. Marciano Diz:

    MONTALVÃO Diz:
    JULHO 8TH, 2017 ÀS 6:13 PM
    /
    “Antes que pergunte, POV é point of view.”
    /.
    PENSEI QUE fosse PoV… mas é meu point of view…
     
     
    POV
    American Heritage® Dictionary of the English Language, Fifth Edition. Copyright © 2016 by Houghton Mifflin Harcourt Publishing Company. Published by Houghton Mifflin Harcourt Publishing Company.
     
    POV
     
    Random House Kernerman Webster’s College Dictionary, © 2010 K Dictionaries Ltd. Copyright 2005, 1997, 1991 by Random House, Inc.
     
     
    Preciso desfazer-me de meus retrógrados dicionários.

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)