Hella Hammid – Psíquica Validada pela Polícia (1974)

O tenente de polícia Walter S. Konar valida a capacidade paranormal da psíquica Hella Hammid (jamais pega em fraude em anos de pesquisas com cientistas e pesquisadores diferentes, inclusive céticos). Para ler, clique aqui.

181 respostas a “Hella Hammid – Psíquica Validada pela Polícia (1974)”

  1. Gorducho Diz:

    :o
    Não tou conseguindo compreender quais infos úteis o Sobrenatural proporcionou…
    :?: :?: :?:
     
     
     
    Ao entrar na igreja, Hella indicou precisamente uma série de bancos como o local onde a vítima se sentou. A equipe investigadora determinou que a vítima de fato se sentou nessa área antes de sua morte.
     
    Testigo não literal das 2 pessoas que tavam no fundo à direita
    she padded down the main aisle into one of the front rows on the left and knelt.
     
    Então (como diz o paulista…), ¿não foi ali que ela se posicionou ?
    Porque se foi não faz sentido os espíritos 3 semanas depois repetirem o que os testigos disseram certamente no 1° dia de investigação, certo?
     
     
    então procedeu à abside leste e declarou que o homicídio ocorreu nessa área.
     
    The body was partially under the last pew in the left-side alcove, near from where she was seen praying by the two worshippers . Above was a large engraving of a cross sculptured into the wall.
    Então, ¿em que a leitura parapsicológica difere e acrescenta ao que foi apurado domingo cedo?
    ¿Não foi aí que aconteceu o homicídio proper?
     
     
    forneceu uma descrição muito correta e precisa da vítima, incluindo a altura, peso, vestuário, etc
     
    Quer dizer que nem o marido dela nem o legista de Stª Clara foram capazes de determinar a altura e peso dela, precisando recorrer ao Sobrenatural pra isso :?:
     
     
    indicou com precisão uma área (a base esquerda do crânio) que foi exatamente o ponto de entrada da ferida letal.
     
    De novo: o(s) legista(s) precisou(aram) dum paranormal pra dizer pra ele(s) o local da ferida que de fato foi a fatal mesmo eles tendo achado o picador de gelo embutido no crânio dela atrás do ouvido esquerdo :?:
    Ou então, de novo: ¿não foi essa a ferida de fato causa mortis e os espíritos – ou genericamente o Sobrenatural, claro! – elucidaram um engano das autoridades.
    Foi isso :?:
    :?: :?: :?:
    .

  2. Vitor Diz:

    Quer dizer que a simples confirmação de que ela possui poderes paranormais, dizendo informações só conhecidas pela equipe de 6 integrantes da polícia, para você não é suficiente? É isso?
    .
    Ela foi muito útil na arqueologia psíquica, inclusive diante de um arqueólogo cético, passando em testes propostos pelo próprio cético, descobrindo e descrevendo artefatos.
    .
    http://obraspsicografadas.org/2011/caso-fantstico-na-arqueologia-a-localizao-e-reconstruo-de-uma-estrutura-bizantina-em-marea-egito-incluindo-uma-comparao-entre-o-sensor-remoto/

  3. Vinicius Diz:

    Vitor, como fazer para se ter várias pessoas como Hella Hammid espalhadas pelo mundo? Será que teria como?

  4. Vitor Diz:

    Vinícius, já estão espalhados. Tem sempre notícia de psíquico ajudando a polícia.

  5. Gorducho Diz:

    Deixe-me ver se entendi… chamam um paranormal pra… repetir o que a polícia, testemunhas e os conhecidos da vítima sabem.
    É pra isso que serviu :?:
     
    Vai querer reabrir o causo do porto de Alexandria :?: :mrgreen:
    Agora não botei fora, tenho todos mapas salvos…

  6. Gorducho Diz:

    Nas cartinhas chiquistas também só o papai e a mamãe do falecido é que sabem o nome da vovó e do falecido Dr. ilustre da cidade que vai esperar e ajudar ele no céu, não é :?:

  7. mrh Diz:

    Caros Victor e Fatboy,
    .
    As informações da psíquica são úteis para corroborar a hipótese de poderes psíquicos.
    .
    Mas sua possível inutilidade para a investigação também é relevante, pois permite o recorte, a circunscrição do fenômeno. Qual poder psíquico?
    .
    Ela só sabe aquilo que alguém vivo já sabe? Então podemos ter um caso de telepatia inter vivos e involuntária, algo similar ao da Piper? Essa limitação “utilitária” parece ser, ela mesma, útil para precisar a hipótese de trabalho.

  8. mrh Diz:

    Não seria portanto uma ocorrência “sobrenatural” (as aspas se justificam porque não considero a existência de espíritos algo sobrenatural – se existem são seres naturais), como alguns falam para fins retóricos, mas inusual.

  9. Vitor Diz:

    O caso do Porto de Alexandria foi considerado pelo próprio Schwartz o mais fraco da série. O de Marea é substancialmente mais forte, em que os psíquicos passaram pelos 3 desafios do arqueólogo cético.

  10. Gorducho Diz:

    Dr. mrh: sim.
    Só que em Filosofia da Ciência tem uma coisa chamada navalha de Guilherme.
    Cumé qui alguém vai imaginar que numa comunidade relativamente fechada e interligada como é Stanford em 3 semanas não fosse se espraiar esses detalhes tão simplórios sobre o caso :?:
    Aliás só o encrustramento do picador de gelo atrás da orelha esquerda é que seria um pouco mais “secreto”.
    Os outros pontos eram públicos pois a posição onde ela se ajoelhou inicialmente foi testemunhada pelas 2 pessoas que estavam no fundo – provavelmente a roupa também;
    a posição do corpo foi vista pelo (apavorado) vigia Sr. Crawford – e provavelmente as roupas também;
    idem o marido quanto as roupas;
    e peso + altura dela poramordeDeus :(
     
    Então, claro, sim, até ela pode ter obtido essas informações por meios Sobrenaturais; mas que seria um “segredo” sabido por quase todos lá no campus claro que era.
    O Administrador parecer crer que a única maneira de inquéritos policiais ficarem sendo conhecidos pela cidade inteira é se saírem no Good Morning América ou no JN da TV Globo :P

  11. Gorducho Diz:

    Quer reabrir o caso Marea :?:

  12. mrh Diz:

    Interessante é q o Fatboy considera q a hipótese d desonestidade da parte d alguém não precisa ser demonstrada, basta postulá-la.
    .
    Brasília não é ubíqua. Na verdade, a maior parte das pessoas desta cidade é honesta.
    .
    Se essa atitude coubesse para toda a ciência, então cada vez q 1 físico passasse uma observação do experimento para um artigo científico a credibilidade da pesquisa estaria completamente abalada.
    .
    E nem serve aquela cantilena pseudo metodológica d q afirmações excepcionais precisam d procedimentos ou provas excepcionais.
    .
    As postulações da física teórica atual são d arrepiar e absolutamente fora do intuitivo, do senso comum, do bom senso etc., inclusive dos físicos. Recentemente pretendia-se criar um buraco negro em laboratório e os responsáveis garantiam não haver perigo, apesar da crítica d q estariam colocando a existência do mundo em risco.
    .
    Os experimentos da física de ponta são irrepetíveis para a esmagadora maioria da humanidade, a não ser que se possua um acelerador de partículas do tamanho d um estádio no quintal. Multiverso, determinismo einsteiniano etc. …
    .
    O princípio da economia parece falar em desfavor d sua posição, pois é vc quem pressupõe acontecimentos fora do descrito no documento para explicar as ocorrências. A narrativa apresentada foi bastante econômica, lacônica mesma.
    .
    E a faculdade humana q pode surgir como explicação não é uma novidade – na verdade, já há vasta literatura sobre o assunto vinda do séc. XIX (ou até de antes).
    .
    Assim, cogitar a hipótese paranormal (e natural) não é, a princípio, anti-metodológico. Se a pessoa não tiver compromisso com a negação sistemática, pode até se permitir fazê-lo.

  13. Marciano Diz:

    ===============================================================
    Ela foi muito útil na arqueologia psíquica, inclusive diante de um arqueólogo cético, passando em testes propostos pelo próprio cético, descobrindo e descrevendo artefatos.
    ===============================================================
     
    Mas parece que no caso sub comento não mostrou qualquer utilidade, pois só disse o que já se estava careca de saber.
     
    ===============================================================
    Vitor Diz:
    MAIO 30TH, 2017 ÀS 11:42 AM
    Vinícius, já estão espalhados. Tem sempre notícia de psíquico ajudando a polícia.
    ===============================================================
     
    Ajudando à la Hammid :?:
    Repetindo o óbio ululante?

     
    ===============================================================
    Vitor Diz:
    MAIO 30TH, 2017 ÀS 1:45 PM
    O caso do Porto de Alexandria foi considerado pelo próprio Schwartz o mais fraco da série. O de Marea é substancialmente mais forte, em que os psíquicos passaram pelos 3 desafios do arqueólogo cético.
    ===============================================================
     
    Mas aqui estamos discutindo Hella Hammid, não?
    Ou estaremos desviando do assunto, por falta de respostas?

  14. Marciano Diz:

    Este assunto é tão científico que já foi até programinha barato de TV, apresentado pelo “Sr. Spock”, o orelhudo de Star Trek, ora habitante de alguma colônia espiritual.
    Vejo-o ganhando o bônus-hora de cada hora com o suor do rosto, em vez de ganhar rios de dinheiro como ator de séries vagabundas e apresentados de programas piores ainda.

  15. Marciano Diz:

    Não era nessa época que a CIA estudava o assunto?
    http://www.remoteviewed.com/remot-eviewing-undersea-with-ingo-swann-and-hella-hammid/

  16. Gorducho Diz:

    ==============================================================
    Interessante é q o Fatboy considera q a hipótese d desonestidade da parte d alguém não precisa ser demonstrada, basta postulá-la.
    ==============================================================
    :o
    “Então, claro, sim, até ela pode ter obtido essas informações por meios Sobrenaturais”
    Não viu que deixei bem claro que não postulei isso :?:
    Só achei bizarro a CIA mandar uma detective paranormal pra dizer o que certamente sabiam em todos barzinhos e fraternidades de lá há pelo menos umas 2 semanas (visto que a leitura ψquica foi 3 wks depois, certo?).
    Assim como achei bizarro a polícia não ter providenciado nos retratos falados do cara que aparentemente entrou na igreja e do que foi falar com ela sexta ao ½ dia
    [segundo o livro The Ultimate Evil que tou usando como fonte: Surprisingly, they didn't assign a police artist to draw sketches of the two men for comparison or identification purposes.]
     
     
    =============================================================
    As postulações da física teórica atual são d arrepiar e absolutamente fora do intuitivo, do senso comum, do bom senso etc
    =============================================================
    Sempre faço muito fincapé acerca disso: o real supera qualquer “intuição” e “lógica”.
    Ninguém nunca intuiu os fenômenos da física e quanto tentou intuir em geral se deu mal (o Galileu por exemplo “intuiu” que o βράχιστος χρόνος
    seria um arco circular não é?).
    E NINGUÉM entende a QM.
    ¿Y qué?

  17. Vitor Diz:

    GORDUCHO DISSE: Assim como achei bizarro a polícia não ter providenciado nos retratos falados do cara que aparentemente entrou na igreja e do que foi falar com ela sexta ao ½ dia
    [segundo o livro The Ultimate Evil que tou usando como fonte: Surprisingly, they didn't assign a police artist to draw sketches of the two men for comparison or identification purposes.]
    .
    http://stanforddailyarchive.com/cgi-bin/stanford?a=d&d=stanford19741023-01.2.5&srpos=1&e=——-en-20–1–txt-txIN-%22police+release+composite+picture%22——

  18. Vitor Diz:

    GORDUCHO DISSE: “Quer reabrir o caso Marea :?:
    .
    Por mim, sem problemas.

  19. Vitor Diz:

    MARCIANO DISSE: “Mas parece que no caso sub comento não mostrou qualquer utilidade, pois só disse o que já se estava careca de saber.”
    .
    Careca de saber sim, mas restrito a um número bastante limitado de pessoas.
    .
    MARCIANO DISSE: “Ajudando à la Hammid :?:
    .
    Às vezes muito mais do que isso. O livro de Truzzi, “The Blue Sense”, possui vários exemplos. E olha que aquele livro já tem algumas décadas, muitos outros casos surgiram desde então.
    .
    MARCIANO DISSE: “Mas aqui estamos discutindo Hella Hammid, não? Ou estaremos desviando do assunto, por falta de respostas?”
    .
    Estamos dentro do assunto, já que o caso Marea tem a participação de Hella Hammid.

  20. Gorducho Diz:

    Bom, agora me deum um nó total no neurônio :)
    Kidnap e deduz-se assalto sexual contra esposa dum funcionário…
    :?:

  21. Gorducho Diz:

    Assalto não consumado felizmente…
     
    He forced Mrs. Adams to drive into the foothills behind campus, and later fled on foot. The woman was not raped, police said.
     
    Nosso assunto não era um macabro assassinato na MemChu :?:
    :o :o :o

  22. Marciano Diz:

    =============================================================
    As postulações da física teórica atual são d arrepiar e absolutamente fora do intuitivo, do senso comum, do bom senso etc
    =============================================================
     
    Você não entendeu nada, GORDUCHO!
     
    As postulações de Maxwell também eram de arrepiar, eram fora do intuitivo, fora do bom senso (common sense = Sound judgment not based on specialized knowledge., according to American Heritage® Dictionary of the English Language, Fifth Edition. Copyright © 2016 – plain ordinary good judgment; sound practical sense, according to Collins English Dictionary – Complete and Unabridged, 12th Edition 2014 ).
     
    As postulações de Wilhelm Roentgen, Henri Bequerel, Pierre Curie, Rutherford e outros também eram de arrepiar, absolutamente fora do bom senso, mas e daí?
     
    Devemos acreditar em assombrações e lobisomens por causa disso?
     
    A história da física está cheia dessas coisas. A própria eletricidade levou muita gente, inclusive Rivail, a acreditar que isto justificaria qualquer absurdo que pensássemos.
     
    Veja este trecho do livro dos espíritos:
     

    Para uns o princípio vital é uma propriedade da matéria, um efeito que se produz achando-se a matéria em dadas circunstâncias. Segundo outros, e esta é a idéia mais comum, ele reside em um fluido especial, universalmente espalhado e do qual cada ser absorve e assimila uma parcela durante a vida, tal como os corpos inertes absorvem a luz. Esse seria então o fluido vital que, na opinião de alguns, em nada difere do fluido elétrico animalizado, ao qual também se dão os nomes de fluido magnético, fluido nervoso, etc.

     
    Veja este outro trecho, da mesma porcaria de livro:
     

    O primeiro fato observado foi o da movimentação de objetos diversos. Designaram-no vulgarmente pelo nome de mesas girantes ou dança das mesas. Este fenômeno, que parece ter sido notado primeiramente na América, ou, melhor, que se repetiu nesse país, porquanto a História prova que ele remonta à mais alta antiguidade, se produziu rodeado de circunstâncias estranhas, tais como ruídos insólitos, pancadas sem nenhuma causa ostensiva. Em seguida, propagou-se rapidamente pela Europa e pelas outras partes do mundo. A princípio quase que só encontrou incredulidade, porém, ao cabo de pouco tempo, a multiplicidade das experiências não mais permitiu lhe pusessem em dúvida a realidade. Se tal fenômeno se houvesse limitado ao movimento de objetos materiais, poderia explicar-se por uma causa puramente física. Estamos longe de conhecer todos os agentes ocultos da Natureza, ou todas as propriedades dos que conhecemos: a eletricidade multiplica diariamente os recursos que proporciona ao homem e parece destinada a iluminar a Ciência com uma nova luz. Nada de impossível haveria, portanto, em que a eletricidade modificada por certas circunstâncias, ou qualquer outro agente desconhecido, fosse a causa dos movimentos observados. O fato de que a reunião de muitas pessoas aumenta a potencialidade da ação parecia vir em apoio dessa teoria, visto poder-se considerar o conjunto dos assistentes como uma pilha múltipla, com o seu potencial na razão direta do número dos elementos.

     
    Não é de hoje que pessoas deslumbradas com o sobrenatural vêm usando esse argumento fajuto.
     
     
    VITOR, reconheço que Hammid também tem relação com Marea, mas peço a você e ao GORDUCHO que, pelo amor de deus, não recomecem com isso.
     
    Você deixou apenas uma pergunta minha sem resposta:
     
    1. Marciano Diz:
    MAIO 30TH, 2017 ÀS 6:19 PM
    Este assunto é tão científico que já foi até programinha barato de TV, apresentado pelo “Sr. Spock”, o orelhudo de Star Trek, ora habitante de alguma colônia espiritual.
    Vejo-o ganhando o bônus-hora de cada hora com o suor do rosto, em vez de ganhar rios de dinheiro como ator de séries vagabundas e apresentados de programas piores ainda.
    2. Marciano Diz:
    MAIO 30TH, 2017 ÀS 6:20 PM
    Não era nessa época que a CIA estudava o assunto?
    http://www.remoteviewed.com/remot-eviewing-undersea-with-ingo-swann-and-hella-hammid/
     
    Era?

  23. Marciano Diz:

    No tempo de Rivail era a eletricidade que nos levava a acreditar no sobrenatural. Hoje é a física de partículas (sempre dispensada a chata matemática).
    Os espíritos eram “elétricos”; hoje, são “quânticos”.

  24. Marciano Diz:

    O primeiro fato observado foi o da movimentação de objetos diversos. Designaram-no vulgarmente pelo nome de mesas girantes ou dança das mesas. Este fenômeno, que parece ter sido notado primeiramente na América, ou, melhor, que se repetiu nesse país, porquanto a História prova que ele remonta à mais alta antiguidade, se produziu rodeado de circunstâncias estranhas, tais como ruídos insólitos, pancadas sem nenhuma causa ostensiva. Em seguida, propagou-se rapidamente pela Europa e pelas outras partes do mundo. A princípio quase que só encontrou incredulidade, porém, ao cabo de pouco tempo, a multiplicidade das experiências não mais permitiu lhe pusessem em dúvida a realidade.
    (…)
    Nada de impossível haveria, portanto, em que a eletricidade modificada por certas circunstâncias, ou qualquer outro agente desconhecido, fosse a causa dos movimentos observados. O fato de que a reunião de muitas pessoas aumenta a potencialidade da ação parecia vir em apoio dessa teoria, visto poder-se considerar o conjunto dos assistentes como uma pilha múltipla, com o seu potencial na razão direta do número dos elementos.
     
     
    Este ridículo trecho do livro dos espíritos, citado acima in totum, diz que as mesas giravam por causa da eletricidade.
    Muita gente junta funcionaria como uma pilha elétrica.
     
    Hoje, se diz que qualquer maluquice que desejemos imaginar, como remote viewers, deve-se à FQM, aquela que dispensa matemática, da qual Vereza é catedrático.

  25. Gorducho Diz:

    É de fato foi maus mesmo: me expressei mal.
    A física surpreende e as postulações correm atrás da realidade. Então quando se postula que determinado fenômeno possa ser modelizado matematicamente por, say, por operadores lineares cujos vetores próprios blah blah blah estão se buscando objetos matematicamente válidos pra representar fatos que de fato às vezes são d arrepiar e absolutamente fora do intuitivo, do senso comum, do bom senso &c.
    A intuição nunca funcionou na física. A física aristotélica era o que eles intuíam.
    O magnetismo foi descoberto, não intuído e a regra é sempre essa.

  26. Gorducho Diz:

    Ok Analista Marciano
    Por via das dúvidas já comecei a me preparar, mas só vou me manifestar se a Casa provocar.

  27. Gorducho Diz:

    Sem provocações Sr. Administrador
    PAZ

    F. El-Fakharani da Universidade de Alexandria será que é aquele Sr. que o Sr. tentou contactar :?:

  28. Marciano Diz:

    Oh, God!
    I’ve been through this before.

  29. Marciano Diz:

    GORDUCHO, por coincidência (juro!) eu estava lendo um livro que fala, en passant, no problema do sandy-haired.
    Realmente, “cabelo cor de areia” não se diz em português, por isso te sugeri “louro dourado”.
    Agora, veja que curioso:

    Although it is obvious that specific languages differ from each other on the surface, if we look closer we find that human languages are surprisingly similar. For instance, all known languages are at a similar level of complexity and detail, there is no such thing as a primitive human language. All languages provide a means for asking questions, making requests, making assertions, and so on. And there is nothing that can be expressed in one language that cannot be expressed in any other. Obviously, one language may have terms not found in another language, but it is always possible to invent new terms to express what we mean: anything we can imagine or think, we can express in any human language.

    Sandy hair é esta cor:
    https://www.matrix.com/~/media/NEW%20MEDIA%20LIBRARY/Get%20Inspired/Blog/Blogs/2016Updates/24blondes/Blog%20Images_0005_Blonde%206.jpg?h=750&la=en&w=1500&hash=F781AE837F8F0D85B179A7DC7726645F1E7D4BC3
    Desconheço palavra em português para descrevê-la, mas como disse o cara acima, “there is nothing that can be expressed in one language that cannot be expressed in any other. Obviously, one language may have terms not found in another language, but it is always possible to invent new terms to express what we mean.”
    Chame de “louro dourado” ou “loiro doirado”.
    Não dá pra dizer que você é um cavalo escuro, ou um cavalo negro (dark horse), pois a expressão inglesa é intraduzível. Mas podemos dizer que você is a person who keeps your interests and ideas secret, especially you, who have surprising abilities and skills.
    Como eu saio dessa sinuca de bico?
    Digo que você é uma pessoa discreta e perpicaz. Em vez de dark horse.
    Também pode ser traduzido por “azarão”, no sentido bíblico do comensal que volta e meia nos surpreende com sua sagacidade. Quando menos se espera, sai com algo genial.
    Como o malandro FG ensinou.
    Aí, a gente é forçado a dizer:
    – Levante da cadeira da vice-presidência, GORDUCHO, e assuma a curul presidencial.

  30. Marciano Diz:

    Livremente adaptado de Mateus, 23, 12.
    Ou de Lucas, 14
    “8 Quando fores convidado às bodas, não te sentes no primeiro lugar, pois pode ser que seja convidada outra pessoa de mais consideração do que tu,
    9 e vindo o que te convidou, te diga: Cede o lugar a este. Terias então a confusão de dever ocupar o último lugar.
    10 Mas, quando fores convidado, vai tomar o último lugar, para que, quando vier o que te convidou, te diga: Amigo, passa mais para cima. Então serás honrado na presença de todos os convivas.
    11 Porque todo aquele que se exaltar será humilhado, e todo aquele que se humilhar será exaltado.”

  31. Marciano Diz:

    – I know it’s true! I heard it straight from the horse’s mouth!
    Como traduzir horse’s mouth?
    Boca do cavalo?
    Veja o sentido:
    from the horse’s mouth = from a reliable source, on the best authority.
    – Eu sei que é verdade! Ouvi direto do papa do assunto!
    Can you dig it?
    Obviamente, não pergunte se consegue cavar, mas se percebeu, se compreendeu.

  32. Marciano Diz:

    Não perguntei. Não saiu o “i”.

  33. Gorducho Diz:

    Ok…
     
     
    cara que (aparentemente) ia entrar na igreja
    cabelo louro dourado repartido pra esquerda
     
    cara que discutiu c/ela sexta ao ½ dia
    cabelo aloirado crespinho não muito comprido

  34. Vitor Diz:

    GORDUCHO DISSE: “Nosso assunto não era um macabro assassinato na MemChu :?:
    .
    Então, é dito “Meanwhile, police flatly denied a television report that the suspect has been linked to three unsolved campus murders, including the stabbing death of Arlis Perry in Memorial Church a week and a half ago. Stanford Police Lt. Walt Konar said the investigators “would sure like to talk to the guy,” but there is no evidence that the assault is linked to the murders. “We just can’t rule anything out yet,” he said.”
    .
    Assim, foi divulgado um retrato falado em que a mídia cogitou que o retratado estaria ligado ao assassinato de Arlis Perry. A própria polícia gostaria de falar com o suspeito. Apesar de, segundo a polícia, ele não estar aparentemente ligado ao assassinato de Arlis Perry, essa hipótese ainda não podia ser descartada.
    .
    Eu imagino que essa divergência com a mídia possa ter sido um dos motivos para evitar divulgar outros retratos falados em que não se tivesse algo de mais concreto.

  35. Gorducho Diz:

    Como traduziria o negrito?
    Obs: é do célebre artigo do Edgar Saveney sobre o Espiritismo na Revista dos 2 Mundos. Alfinetei nosso oponente lá no CC com isso ontem, mas não muito satisfeito com a tradução que fiz.
    Note como é bom o OCR indicado pela Administração!
     
     
    En résumé, on a vu que, depuis les grossières pratiques de M. Home jusqu’aux dictées médianimiques de M. Kardec, le spiritisme emploie un même procédé : il cherche en pleine matière les moyens de s’élever au monde spirituel. Quelle est la valeur de son effort? Celle à peu près de l’effort que le baron de Münchausen fit, au dire de la légende allemande, pour sortir d’un marais où il était embourbé. Cet illustre personnage saisit, comme on sait, sa perruque à deux mains, et la tira si fort le bas en haut qu’il parvint presque à s’extraire du bourbier!
    :?:

  36. Gorducho Diz:

    Maus :( negrito é só
     
    «il cherche en pleine matière les moyens de s’élever au monde spirituel.»

  37. Gorducho Diz:

    Fizeram os retratos falados
     
    DO CARA QUE APARENTEMENTE ESTAVA A ENTRAR NA IGREJA POUCO ANTES DA ½
     
    DO CARA QUE DISCUTIU COM ELA SEXTA AO ½
    :?:

  38. Gorducho Diz:

    DIA
     
     
    Se convença: eu CONFIRO a realidade do que S/Pessoa põe cá.

  39. Vitor Diz:

    GORDUCHO DISSE: “Fizeram os retratos falados DO CARA QUE APARENTEMENTE ESTAVA A ENTRAR NA IGREJA POUCO ANTES DA ½ DO CARA QUE DISCUTIU COM ELA SEXTA AO ½ DIA?”
    .
    Que eu saiba não. Mas se a polícia foi incompetente, isso seria um motivo para explicar porque Hammid não teria sido útil neste caso, embora tenha passado informações bastante precisas, inclusive descrevendo o assassino. Sua hipótese de que ela conversou com quem descobriu o corpo não se adequa ao fato de ela ter dito que a vítima usava brincos, aparentemente o único erro dela.

  40. Gorducho Diz:

    Sim, se ela descreveu o assassino sim, claro :!:
    Ela descreveu o assassino :?:
     
    Não fiz hipótese nenhuma. Só fale no patético que é a CIA mandar uma colaboradora pra repetir o que CERTAMENTE era sabido em todos barzinhos, fraternidades & sororities do Campus. E ainda alardearem isso!
    Agora, claro que se o Sobrenatural forneceu uma descrição do tarado muda tudo pois era só isso que interessava.
    Afinal: forneceu ou não :?:

  41. Vitor Diz:

    Em particular, ela deu detalhes do local do crime, descreveu a vítima e seu assaltante, indicou a localização exata da ferida fatal, aludiu ao tom ritualístico do crime e rastreou os movimentos da vítima antes do crime, bem como a recolocação do corpo depois. Da riqueza de detalhes dada, a única informação conhecida como incorreta foi a declaração de Hella de que a vítima usava brincos. A excelência geral do desempenho de Hella foi atestada por uma carta enviada pelo tenente Konar para o SRI, e pelo fato de que eles estão acompanhando as pistas que ela forneceu.
    .
    In particular, she gave details of the crime location, described the victim and her assailent, indicated the exact location of the fatal wound, alluded to the ritualistic tone of the crime, and traced the victim’s movements before the crime as well as the relocation of the body afterwards. Of the wealth of detail given, the only information known to be incorrect was Hella’s statement that the victim was wearing earrings. The overall excellence of Hella’s performance has been attested to by a letter sent from Lt. Konar to SRI, and by the fact that they are following up leads she provided.

  42. Gorducho Diz:

    Perfeito, só que nada sabemos sobre em que consistiu a “descrição”; i.e. se acrescentou algo às descrições feitas pelo passer by e pelo colega dela.
    E se sim, como não foi identificado esse “assailent” não se tem como saber se foi correta :P
    O “wealth of detail” aforamente essa suposta descrição que a nada conduziu foi zilch.

  43. Gorducho Diz:

    Na verdade quando eu estudei o depoimento das testemunhas vivas – fazendo o dever-de-casa, claro…- estava me vacinando contra uma previsível tentativa sua de nos aplicar uma “descrição” “paranormal” igual às já conhecidas pelas vias normais.
    Mas isso não aconteceu; ok.
    O que ela poderia ter aportado de relevante que justificasse essa propaganda seria:
     
    i) um retrato falado diferente das descrições extremamente vagas que a polícia tinha e que tivesse levado a resultados (porque se não não se teria como checar a autenticidade do aporte Sobrenatural certo?);
     
    ii) a localização/moradia/esconderijo desse monstro.

  44. MONTALVÃO Diz:

    /
    O bagulho aqui tá cada vez mais doido!
    .
    “O tenente de polícia Walter S. Konar valida a capacidade paranormal da psíquica Hella Hammid”
    /
    Então um tenente de polícia responde por toda a polícia?
    /
    Aí, a administração entende que faz sentido declarar:
    .
    HELLA HAMMID – PSÍQUICA VALIDADA PELA POLÍCIA
    .
    Isso é que é falácia sofismática!
    .
    Hammid nem para confirmar a Conjetura de Moi serve…
    .
    Breve teremos a manchete obriana:
    .
    MEDICINA CONFIRMA AS MATERIALIZAÇÕES ECTOPLASMÁTICAS!
    .
    “Dezenove médicos em Uberaba estudaram atentamente a médium Otília Diogo e concluíram que são legítimas as ESTUPENDAS materializações que produz. A medicina nunca mais será a mesma!”

  45. MONTALVÃO Diz:

    Só Jesus…

  46. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “Então um tenente de polícia responde por toda a polícia?”
    .
    Pela teoria do órgão, SIM.
    .
    https://fundamentojuridico.wordpress.com/2014/03/26/teoria-do-orgao/
    .
    A teoria do órgão enuncia que toda atuação do agente público deve ser imputada ao órgão que ele representa e não à sua pessoa. Por consequência, sendo o órgão uma divisão das pessoas que compõe a Administração Pública direta ou indireta, a atuação dos servidores públicos é atribuída diretamente à pessoa jurídica para a qual trabalha.

  47. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “Breve teremos a manchete obriana: “MEDICINA CONFIRMA AS MATERIALIZAÇÕES ECTOPLASMÁTICAS!”
    .
    A analogia correta seria com o ente ou a entidade (no caso, o IMI), não com o ramo da ciência. Eu não disse “Ciência Forense Confirma Visão Remota”…

  48. mrh Diz:

    O criminoso foi pego? Como verificar as alegações da psíquica se não? Descreveu o crime, o ritual etc. interessante, possível para crimes deste tipo, mas verdadeiro?
    .
    Vcs tem um texto não disponibilizado aqui, e estão discutindo sobre ele… isso não vale!

  49. Espírita Sp Orlando Diz:

    Na verdade tem muitos fenômenos já comprovados, falta a chancela da ciência oficial. mas já temos renomados médicos, advogados , engenheiros atestando a presença e ação de entes desencarnados. Na minha opinião Hella Hammid estabelecia contatos com espíritos envolvidos na trama e lhe davam as coordenadas. é uma mediunidade rara, uma pena não ter mais gente estudando em cursos de médiuns ! Nem no centro de minha mãe tem gente assim.
     
    “Extraído do livro Materializações de Uberaba, de Jorge Rizzini. Ed. Livro Fácil – Nova Luz Editora. Fotos de Nedyr Mendes da Rocha
    É realizada na cidade de Uberaba-MG, em Janeiro de 1964, uma seção de materialização espiritual, através da Médium Otília Diogo, com a presença de Chico Xavier, no pequeno consultório médico de Waldo Vieira, e em condições capazes de evitar possibilidade de fraude.”
     
    “Estavam presentes no consultório do Dr. Waldo Vieira (local da experimentação) treze médicos, alguns professores de faculdades. Eram eles: Dr. Eurípedes Tahan Vieira, Dr. Cleomar Borges de Oliveira, Dr. Adroaldo Modesto Gil, Dr. Alberto Calvo, Dr. Adelor Alves Gouveia, Dr. Waldo Vieira, Dr. Oswaldo de Castro, Dr. Elias Barbosa, Dr. Armando Valente de Couto, Dr. José Américo Junqueira de Mattos, Dr. Ismael Ferreira da Rezende, Dr. Milton Skaff e Dr. Sebastião de Mello, que dirigiu a sessão propriamente dita. Rigorismo absoluto, inclusive entre os próprios médicos”

  50. Vinicius Diz:

    Dr. Orlando, o o que acha da Homeopatia? Foi recomendada por Santo Agostinho ao Dr.Bezerra(vivo).
     
    “Bezerra – De acordo. Mas a Assistência aos Necessitados está adotando exclusivamente a Homeopatia no tratamento dos enfermos, terapêutica que eu adoto em meu tratamento pessoal, no de minha família e recomendo aos meus amigos, sem ser, entretanto, médico homeopata. (…) 
    Bittencourt – E por que não te tornas médico homeopata?
     
    Bezerra – Não entendo patavinas de Homeopatia. Uso a dos Espíritos e não a dos médicos.
     
    Nessa altura, o médium Frederico Júnior, incorporando o Espírito de S. Agostinho, deu um aparte:
     
    S.Agostinho – Tanto melhor. Ajudar-te-emos com maior facilidade no tratamento dos nossos irmãos.
     
    Bezerra – Como, bondoso Espírito? Tu me sugeres viver do Espiritismo?
     
    S.Agostinho – Não, por certo! Viverás de tua profissão, dando ao teu cliente o fruto do teu saber humano, para isso estudando Homeopatia como te aconselhou nosso companheiro Bittencourt. Nós te ajudaremos de outro modo: Trazendo- te, quando precisares, novos discípulos de Matemática…

  51. Gorducho Diz:

    ==============================================================
    O criminoso foi pego?
    ==============================================================
    Claro que não.
     
    ==============================================================
    Como verificar as alegações da psíquica se não?
    ==============================================================
    Pergunte pro Administrador.
     
    ==============================================================
    Descreveu o crime, o ritual etc. interessante, possível para crimes deste tipo, mas verdadeiro?
    ==============================================================
    Verdadeiro e conhecido desde o momento e que o Sr. But now, at five-thirty, alerted by the forced side door,
    Crawford viu a porta arrombada às 5:30 de domingo.
     
    =============================================================
    Vcs tem um texto não disponibilizado aqui, e estão discutindo sobre ele… isso não vale!
    =============================================================
    Quer o que :?:
    Que eu vá ficar colando ou pondo enlaces pra tudo que consulto :?:
    Acha que baseio meus comentários nas via de regra barbaridades que a Administração põe cá depois que mudou a linha editorial antes tão boa da Casa :?:

  52. Gorducho Diz:

    Desculpe acabei esquecendo de editar. Mas m/fonte primária já dei o devido crédito ontem.
    Please pay attention aos trabalhos :(

  53. MONTALVÃO Diz:

    /
    Não seria melhor, mais correto e honesto, postar:

    .
    HELLA HAMMID – PSÍQUICA VALIDADA POR 1 POLICIAL?

  54. Vitor Diz:

    Mas aí eu não estaria seguindo a teoria do órgão, Montalvão….

  55. MONTALVÃO Diz:

    /
    “A teoria do órgão enuncia que toda atuação do agente público deve ser imputada ao órgão que ele representa e não à sua pessoa. Por consequência, sendo o órgão uma divisão das pessoas que compõe a Administração Pública direta ou indireta, a atuação dos servidores públicos é atribuída diretamente à pessoa jurídica para a qual trabalha.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: essa o Marciano vai tirar de letra, mas, na minha leiguice, esclareço que atuação e opinião são coisas diferentes, muito.
    .
    O ponto de vista de um agente só se tornará o do órgão em que atua se este oficializar aquele ponto de vista. Assim, se um servidor da CIA em serviço mata alguém é atuação imputável à entidade, mas se ele assevera que na CIA só tem viado não significa que seja oficial.

  56. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “O ponto de vista de um agente só se tornará o do órgão em que atua se este oficializar aquele ponto de vista.”
    .
    E ele não mandou uma correspondência oficial?

  57. MONTALVÃO Diz:

    /
    .
    Espírita Sp Orlando Diz:
    .
    Na verdade tem muitos fenômenos já comprovados, falta a chancela da ciência oficial. mas já temos renomados médicos, advogados , engenheiros atestando a presença e ação de entes desencarnados. [...]
    .

    “Extraído do livro Materializações de Uberaba, de Jorge Rizzini. Ed. Livro Fácil – Nova Luz Editora. Fotos de Nedyr Mendes da Rocha
    .
    É realizada na cidade de Uberaba-MG, em Janeiro de 1964, uma seção de materialização espiritual, através da Médium Otília Diogo, com a presença de Chico Xavier, no pequeno consultório médico de Waldo Vieira, e em condições capazes de evitar possibilidade de fraude.”
    .

    “Estavam presentes no consultório do Dr. Waldo Vieira (local da experimentação) treze médicos, alguns professores de faculdades. Eram eles: Dr. Eurípedes Tahan Vieira, Dr. Cleomar Borges de Oliveira, Dr. Adroaldo Modesto Gil, Dr. Alberto Calvo, Dr. Adelor Alves Gouveia, Dr. Waldo Vieira, Dr. Oswaldo de Castro, Dr. Elias Barbosa, Dr. Armando Valente de Couto, Dr. José Américo Junqueira de Mattos, Dr. Ismael Ferreira da Rezende, Dr. Milton Skaff e Dr. Sebastião de Mello, que dirigiu a sessão propriamente dita. Rigorismo absoluto, inclusive entre os próprios médicos”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: já que estamos em extraimentos, não estranhe que extraiamos mais do citado livro, com comentário, óbvio:
    .
    ========================.
    “Novamente o flash espocou e, a todo instante, Irmã Josefa repetia: “Viva Jesus!” As preces eram continuadas. De repente, a música do disco: voz de Inesita Barroso cantando uma modinha típica em que falava de Deus.
    .
    Assistência em silêncio, desta vez. Irmã Josefa abençoa a reportagem de “Fatos e Fotos” e diz que gostou muito do fotógrafo. Pergunta-lhe o nome. Móri, do fundo da sala, ensaia um “Geraldo”. Antenor repete: “Irmão Geraldo”.
    .
    “O espírito materializado avisa que vai embora. O plasma está acabando. Todos rendem graças a Deus e a luz é ligada novamente. No aclarar-se a sala, já não se vê mais Irmã Josefa. Desapareceu.
    .
    “Meus olhos ardem. A cortina á aberta e a médium é libertada, sob as minhas vistas. Nenhum buraco no chão, nenhum teto falso, nada, nada. Um líquido branco – o plasma – escorre da sua boca. Móri fotografa sobre o tablado.
    .
    “Eu acabara de assistir a um espetáculo raro, como jamais sonhei ver! Durou noventa minutos – noventa minutos a escuridão total. Saí da sala perguntando-me se tudo aquilo era mesmo verdade. Não sabia responder. Vi, ouvi, senti. E agora?”
    .
    A reportagem de Salomão Schvartzman (repórter, insisto, que não é espírita) além da esplêndida divulgação doutrinária teve um outro mérito: CHAMOU A ATENÇÃO DE DEZENOVE MÉDICOS PARA A PESQUISA DOS FENÔMENOS ECTOPLÁSMICOS.
    .
    Essa equipe médica, que se vem reunindo na cidade de Uberaba, no consultório de Waldo Vieira (o conhecido psicógrafo que também é odontólogo e doutor em medicina) JÁ COMPROVOU, exaustivamente, a fenomenologia apresentada pela sensitiva Otília Diogo.
    .
    O RESULTADO DESSA PESQUISA SERÁ EM BREVE APRESENTADO AO PÚBLICO EM UMA OBRA REVOLUCIONÁRIA que podemos considerar, desde já, clássica dentro da biblioteca fenomenológica espírita – não obstante os ataques que lhe promoveram repórteres da revista “O Cruzeiro”, que pela imprensa, quer pela televisão.
    ======================.
    .
    CONSIDERAÇÃO: como é que, após tão veemente testemunho, algum descréu poderia duvidar da legitimidade de Otília e da realidade das materializações?
    .
    Inda bem que a Conjetura de G.Poa nos socorre: “nunca é bem assim”….
    .
    No decorrer da leitura [do livro de Rizzini], ficará patente que os médicos não realizaram qualquer investigação sobre o ectoplasma. Tampouco o livro prometido foi publicado.
    .
    No que tange ao ectoplasma, a questão mais importante seria responder à questão:
    .
    ? O ectoplasma existe?
    .
    A partir daí a conversa flui…

  58. Espírita Sp Orlando Diz:

    Vinicius homeopatia não é o meu forte. Prefiro silenciar sobre isso.
    Montalvão ectoplasma segundo o dicionário houaiss: 2parap substância visível considerada capaz de produzir materialização do espírito

  59. Espírita Sp Orlando Diz:

    No site que localizei sobre o assunto há fotos de como é esse ectoplasma. E explicações.
    https://textosespiritas.wordpress.com/2013/06/25/ectoplasma/
    Vitor, já conduziu algum estudo sobre isso?
    Outra dúvida: médiuns brasileiros tem colaborado com a policia?

  60. Vitor Diz:

    Oi, Orlando

    parece que os médiuns brasileiros não veem problemas em trabalhar com a polícia, o SBT já fez testes com eles com a participação de uma delegada:
    .
    http://obraspsicografadas.org/2014/sbt-testa-mediuns-e-psiquicos-programa-de-19102014/
    .
    Não conduzi estudos sobre ectoplasma não. Quem escreveu um livro (problemático, a meu ver) a respeito foi o Matthieu Tubino:
    .
    http://www.browardspiritistsociety.com/literature/diversos/um_fluido_chamado_ectoplasma.pdf

  61. Marciano Diz:

    Acredito que a questão posta (de poser une question) foi endereçada a mim, por isso passo a respondê-la:
     
    Médianimiques (que acredito tenha sido sua dúvida) tem o mesmo sentido de mediúnico.
     
    Ficaria assim:
    Em resumo, vimos que, das rudes práticas do Sr. Home até os ditados mediúnicos do Sr. Kardec, o espiritismo emprega um mesmo procedimento: procura em plena matéria os meios de se elevar ao mundo espiritual.
     
     
    A citação do Barão de Münchausen foi genial!
     
    É um esforço tão ilógico quanto a mentira do Barão (e eu diria tão mentiroso quanto, mas não direi, em respeito aos crentes no espiritismo).
     
     
    Veja estes exemplos da palavra médianimique no
    LE LIVRE DES MEDIUMS
     
    Dissertation d’un esprit sur les apports. 98. La théorie du phénomène des apports, et des manifestations physiques en général, se trouve résumée d’une manière remarquable dans la dissertation suivante, par un Esprit dont toutes les communications ont un cachet incontestable de profondeur et de logique. On en trouvera plusieurs dans la suite de cet ouvrage. Il s’est fait connaître sous le nom d’Eraste, disciple de saint Paul, et comme Esprit protecteur du médium qui lui a servi d’interprète : « Il faut nécessairement, pour obtenir des phénomènes de cet ordre, avoir avec soi des médiums que j’appellerai sensitifs, c’est-à-dire doués au plus haut degré des facultés MÉDIANIMIQUES d’expansion et de pénétrabilité ; parce que le système nerveux de ces médiums, facilement excitable, leur permet, au moyen de certaines vibrations, de projeter autour d’eux avec profusion leur fluide animalisé.
     
    Mais adiante:
     
     
    Mais de la production de ces phénomènes à l’obtention de celui des apports, il y a tout un monde ; car, dans ce cas, non seulement le travail de l’Esprit est plus complexe, plus difficile, mais, bien plus, l’Esprit ne peut opérer qu’au moyen d’un seul appareil MÉDIANIMIQUE, c’est-à-dire que plusieurs médiums ne peuvent pas concourir simultanément à la production du même phénomène.
     
    Ao agora vejo que a dúvida era só sobre o final do período. Estou adotando o método discursivo do presidente.
     
    Ele procura em plena matéria os meios de se elevar ao mundo espiritual.
     
     
    ===============================================================
    Mas se a polícia foi incompetente, isso seria um motivo para explicar porque Hammid não teria sido útil neste caso, embora tenha passado informações bastante precisas, inclusive descrevendo o assassino.
    ===============================================================
     
    A culpa é da polícia…
     
    Pela teoria do órgão na interpretação vitoriana, quando agentes públicos põem-se a dar informações díspares, como soe acontecer, o órgão fica tão confuso quanto a bíblia.
    Barbaridade, tchê!
     
     
    No direito administrativo brasileiro vige a teoria do órgão. De acordo com a teoria, presume-se que a pessoa jurídica manifesta sua vontade por meio dos órgãos, que são partes integrantes da própria estrutura da pessoa jurídica, de tal modo que, quando os agentes que atuam nestes órgãos manifestam sua vontade, considera-se que esta foi manifestada pelo próprio Estado. Assim, sendo o promotor de justiça, policial, prefeito, ou qualquer agente publico ou agente político, pratica atos em nome do Ministério Público, Polícia, Município, etc. Nesses casos, a vontade é do próprio órgão da Administração Pública e não do sujeito que o praticou.
     
    A teoria não tem o alcance que Vitor quer lhe emprestar, mas entende-se. Ele pode até decorar algo de direito, mas não qualquer formação jurídica.
    Depois de cinco anos de faculdade, entenderia melhor a diferença entre o que disse e o que quis dizer.

  62. Marciano Diz:

    TEORIA DO ÓRGÃO PÚBLICO
     

    A doutrina sempre procurou explicar como a atuação do agente público é atribuída ao Estado. A evolução do tema encontrou respaldo na formulação de quatro teorias diferentes:
     

    a) teoria da identidade: a primeira tentativa de explicar o assunto afirmava que órgão e agente formam uma unidade inseparável, de modo que o órgão público é o próprio agente. O equívoco dessa concepção é evidente, pois sua aceitação implica concluir que a morte do agente público causa a extinção do órgão;
     

    b) teoria da representação: influenciada pela lógica do Direito Civil, a teoria da representação defende que o Estado é como um incapaz, não podendo defender pessoalmente seus próprios interesses. Assim, o agente público atuaria exercendo uma espécie de curatela dos interesses governamentais suprindo a incapacidade. Essa teoria também falha na tentativa de explicar o problema, na medida em que, sendo incapaz, o Estado não poderia nomear seu representante, como ocorre com os agentes públicos;
     

    c) teoria do mandato: outra teoria concebida para explicar o problema sustentava que entre o Estado e o agente público haveria uma espécie de contrato de representação, de modo que o agente receberia uma delegação para atuar em nome do Estado. O erro dessa concepção está em não conseguir apontar em qual momento e quem realizaria a outorga do mandato;
     

    d) teoria da imputação: aceita pela unanimidade dos doutrinadores modernos, a teoria da imputação defende que o agente público atua em nome do Estado, titularizando um órgão público, de modo que a atuação do agente é atribuída ao Estado.
     
    O idealizador da moderna teoria do órgão público baseada na noção de imputação volitiva foi o alemão Otto Friedrich von Gierke (1841-1921). Gierke comparou o Estado ao corpo humano. Cada repartição estatal funciona como uma parte do corpo, como um dos órgãos humanos, daí a origem do nome “órgão” público. A personalidade, no corpo, assim como no Estado, é um atributo do todo, não das partes. Por isso, os órgãos públicos não são pessoas, mas partes integrantes da pessoa estatal. E mais. Assim como no corpo humano há uma especialização de funções capaz de harmonizar a atuação conjunta das diferentes partes, com órgãos superiores responsáveis por comandar, e outros, periféricos, encarregados de executar as ordens centrai, o Estado também possui órgãos dispostos de modo hierarquizado, razão pela qual alguns exercem funções superiores de direção enquanto outros atuam simplesmente executando os comandos que lhes são determinados.
     
    MANUAL DE DIREITO ADMINISTRATIVO
    ALEXANDRE MAZZA
    2ª EDIÇÃO – 2010
     
    O livro tem 686 páginas e não abrange todo o direito administrativo, claro.
    Tem só noções gerais, para estudantes de direito.
    O perigo de aprender coisas fora da faculdade é grande.

  63. Marciano Diz:

    Mas não tem qualquer formação jurídica.
    Ficou faltando o “tem”.

  64. Marciano Diz:

    Se um policial prende em flagrante um delinquente, é correto dizer que ele foi preso pela polícia.
    Isto não quer dizer que quando um policial, no exercício de suas funções, diz que um médium lhe forneceu uma pista para uma investigação, possa se dizer que “a polícia” emprega médiuns em suas investigações.

  65. Marciano Diz:

    Trabalho para os detetives médiuns:
    http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/mundo/brasil/noticia/2017/05/31/jovem-que-sumiu-no-acre-deixou-contratos-para-amigos-lucrarem-com-a-venda-dos-livros-287028.php

  66. Gorducho Diz:

    Não, a dúvida é en pleine matière.
    Faz sentido dizer procura em plena matéria :?:
    Eu lá na alfinetada pus a fundo mas sem estar seguro.
    Em pleine matière é uma expressão com a qual não lido bem. É algo como no interior do material na usinagem…

    Parce que l’idée de théâtre s’est perdue, Artaud entend la restaurer dans sa fonction sacrée, celle d’une métaphysique aboutissant à l’unité originelle. En s’inspirant du théâtre balinais, qui possède son propre langage de signes, il en vient à opposer la conception d’un théâtre occidental, assujetti à la parole et aux textes, à celle d’un théâtre oriental « taillé en pleine matière, en pleine vie, en pleine réalité », qui élimine l’auteur au profit du metteur en scène promu au rang « de maître de cérémonies sacrées ».

    [LE THÉÂTRE ET SON DOUBLE, por Antonin Artaud]

  67. Gorducho Diz:

    http://www.universalis.fr/encyclopedie/le-theatre-et-son-double/
     
     
    Uma DP enquanto entidade endossar um médium que trabalhou num caso que não foi resolvido…
    Ai Jesus! como dizia m/vovó espírita…

  68. Marciano Diz:

    Tem razão, GURDUCHO. Na “própria” matéria seria o ideal. Ou no “miolo” da matéria.
     
    En plein + nom = au milieu, au cœur de quelque chose : Être en plein soleil.
    No coração da matéria não seria de todo ruim, acho.

  69. Marciano Diz:

    Désolée!
    GORDUCHO.

  70. Marciano Diz:

    Escrever em um teclado hostil prejudica a atenção e faz a gente se atrapalhar.

  71. Marciano Diz:

    Note que o mecanismo do blog “corrige” o que escrevemos, também.
    Você escreveu “En pleine matière e saiu Em pleine.
    Aqui.
    Na primeira linha, saiu correto; na quarta, ele “corrigiu”.
    Se escrever no word, também acontece isto.

  72. Gorducho Diz:

    Sim, claro que tentei escrever certo “en” mas ele muda. Agora saiu certo acho que porque entre as aspas.
    Lá eu pus “a fundo”.
    Veja que naquele trecho sobre metafísica teatral já não encaixa.
    É um termo comum principalmente em usinagem com o qual eu não lido bem.
    Agora excelente é o OCR indicado pelo Administrador. Só como desvantagem é que em modo free só capta 1 página.
    Mas também já seria pedir d+ pr’algo free :(
    Nos Words instalei francês. Agora, claro, em textos mistos não tem jeito.

  73. Gorducho Diz:

    Na engenharia en pleine matière é sinônimo de Vollmaterial – ou seja barras, tarugos, blocos…
    Veja esta firma austríaca especializada em terceirizar obras de alumínio. No original eles dizem
    Aluminiumvollmaterial – Die Prototypenlösung
    [...]
    denn im Prototypenbereich oder bei Kleinstserien kann auf mechanisch bearbeitetes Vollmaterial meist nicht verzichtet werden.
    e vertem como
    Aluminium fraisé en pleine matière – La solution prototype
    [...]
    car pour le prototypage ou la production unitaire, les bruts usinés dans la masse sont presque incontournables .

  74. Vinicius Diz:

    “Marciano Diz: Trabalho para os detetives médiuns:”
     
    Escultor crê que jovem desaparecido no Acre seja reencarnação de filósofo retratado em estátua – Jornal O Popular
     
    Veja mais em: http://www.opopular.com.br/editorias/cidade/escultor-cr%C3%AA-que-jovem-desaparecido-no-acre-seja-reencarna%C3%A7%C3%A3o-de-fil%C3%B3sofo-retratado-em-est%C3%A1tua-1.1253450

  75. mrh Diz:

    Dizer onde a menina não está foi muito engraçado.
    .
    Lembrei-me da teologia negativa, uma linha q na idade média sustentava q apenas temos condições de dizer o q Deus NÃO é.
    .
    Uma aproximação um tanto desesperada do objeto.
    .
    Costumava me ocorrer uma pilhéria acerca do assunto: deus não é um pão com manteiga; deus não é um jiló amargo etc.
    .
    Piada d filósofo.
    .
    Claro q o uso era outro.

  76. mrh Diz:

    Uma visão remota q mostre apenas onde a menina não passou tem a utilidade d um índio q aprendeu a fazer a dança da seca.

  77. Gorducho Diz:

    Uma das poucas coisas que D·us não pode fazer por exemplo é se suicidar…
     
     
    E sim, essa investigação ψquica teve a mesma utilidade que ensinar uma eficaz dança-da-seca pra índios lá do Mojave.

  78. MONTALVÃO Diz:

    /
    Espírita Sp Orlando Diz:
    ,
    Montalvão ectoplasma segundo o dicionário houaiss: 2parap substância visível considerada capaz de produzir materialização do espírito
    /.
    CONSIDERAÇÃO: sim, meu caro, “considerada”, mas considerada por quem? Lógico, por quem acredita em materializações. A abreviatura “parap”, que dever ser de parapsicologia, é erroneamente aplicada: a parapsicologia, de há muito, deixou de incluir materializações entre os fenômenos que considera legítimos, já lhes bastam as ilusões telepáticas e de clarividência…
    .
    O Houaiss comete mais um equívoco: a substância não é visível, não no sentido comum, só é visível em fotos e em espetáculos materializativos realizados para plateias crédulas.
    .
    Fosse uma substância real, de verdade, a ciência estaria papando uma mosca elefantina em não conhecê-la, não acha?

  79. MONTALVÃO Diz:

    /
    MONTALVÃO DISSE: “O ponto de vista de um agente só se tornará o do órgão em que atua se este oficializar aquele ponto de vista.”
    .
    VISONI: E ele não mandou uma correspondência oficial?
    /.
    CONSIDERAÇÃO: creio e acredito que os clareamentos de nosso causídico-conselheiro foram suficientes, mas, como leigo curioso, acrescento: mandou, sim, um relatório à instituição na qual labora, não foi um comunicado externo, falando pela entidade. A não ser que o agente seja incumbido de ser o porta-voz da instituição, fora disso, o que ele relatar e opinar apenas expressa o ponto de vista do servidor.
    .
    Digamos que você trabalhasse no Banco Central e recebesse de seu chefe a incumbência de avaliar a situação financeira dos parlamentares. No seu relatório constaria: “no Congresso só tem ladrão, não achei um honesto…”
    .
    Então, poderíamos dizer que o Banco Central reconhece que a política nacional é conduzida por larápios?

  80. Gorducho Diz:

    Aliás é um memorando, não um ofício.
    Seria como um email de hoje em dia.
     
    Revendo-o, hummm…
    pelo que entendo o Sobrenatural também não localizou o picador gelo…

  81. Marciano Diz:

    Sobre a dança da seca, lembra-me uma expressão desconhecida do direito, no qual se usam muitas expressões em latim, a qual já usei só de sacanagem, para indeferir uma diligência estúpida requerida pelo MP, na época em que era juiz: iuxta fluvium puteum fodere, literalmente, “junto rio poço cavar”, na sintaxe do português, “cavar um poço à beira do rio”, que se aplica a trabalho insano, despropositado, inútil, desnecessário.
     
    Foi uma oportunidade de indeferir uma diligência ilógica ao mesmo tempo em que usei palavras latinas que têm um significado bem diferente do que parecem ter para quem fala português, a última flor do Lácio, no dizer de Bilac.
     
    Prima facie, parece ao leitor não familiarizado que está-se a proferir palavras de baixo calão.

  82. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “Então, poderíamos dizer que o Banco Central reconhece que a política nacional é conduzida por larápios?”
    .
    No meu entender, sim, se não, mandou fazer o relatório para quê?
    .
    GORDUCHO DISSE: “Aliás é um memorando, não um ofício.”
    .
    Mas memorando e ofício são correspondências oficiais.
    .
    GORDUCHO DISSE: “Seria como um email de hoje em dia.”
    .
    Não, não seria. Email, memorando e ofício são coisas diferentes. Todos eles coexistem hoje, o email não é um substituto para o memorando.

  83. Vitor Diz:

    MARCIANO DISSE: “Isto não quer dizer que quando um policial, no exercício de suas funções, diz que um médium lhe forneceu uma pista para uma investigação, possa se dizer que “a polícia” emprega médiuns em suas investigações.”
    .
    Empregar, no sentido de “dar emprego”, “remunerar”, não. Mas no sentido de “usar”, “utilizar”, sim, ainda que de forma informal.

  84. Marciano Diz:

    Reza a lenda que em tempos remotos, um célebre pintor de nome Apeles, na mira de um maior rigor, colocou os quadros acabados de pintar à entrada da casa, de modo a que todos os passantes os pudessem apreciar. De orelhas atentas, colocou-se escondido atrás da porta, a ouvir os comentários.
    Um sapateiro remendão, que naquela ocasião por ali passava, ficou com os olhos presos nas pernas da figura representada, não tanto pela curvatura e beleza daquelas partes femininas, mas pelas correias das sandálias que as envolviam. E, em breve, pronunciados os primeiros comentários críticos às sandálias, passava da barriga das pernas às formas da esbelta figura e às pregas ondulantes das vestes que a cobriam.
    Sem mais detença, que as críticas eram de leigo, saiu Apeles detrás da porta e, encarando-o olhos nos olhos, lançou-lhe as palavras que o fariam parar: Ne sutor ultra crepidam ascendat, que é como quem diz, «Não vá o sapateiro além da chinela».
    Trata-se de uma citação de Plínio, o Velho (Naturalis Historia 35.36.85 – XXXV, 10, 36), atribuída ao pintor grego Apeles (352 – 308 AC), retratista oficial de Alexandre Magno (“o Grande”)

    Dementis convitia nihil facias.
    Literalmente, “Demente abuso nada faças”.
    Sintaxe do português, “Diante do abuso do louco, nada faças”.
    Com louco, não se discute.
    Não dês importância ao alarido do insano.
    A palavras loucas, ouvidos moucos.
    A palavras loucas, orelhas moucas.
    Antes calar que com doido altercar.

  85. MONTALVÃO Diz:

    /
    mrh Diz:
    .
    Dizer onde a menina não está foi muito engraçado.
    .
    Lembrei-me da teologia negativa, uma linha q na idade média sustentava q apenas temos condições de dizer o q Deus NÃO é.
    .
    Uma aproximação um tanto desesperada do objeto.
    .
    Costumava me ocorrer uma pilhéria acerca do assunto: deus não é um pão com manteiga; deus não é um jiló amargo etc.
    .
    Piada d filósofo.
    .
    Claro q o uso era outro.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: MRH apreciou a psi antipositiva… Talvez seja ela o caminho para mostrar ao mundo que a paranormalidade é realidade: funciona bem assim, desetulitariamente…
    .
    Por exemplo, o sujeito está para ser atropelado por uma carroça, em vez de mandar sinal telepático para o cavalo ou o condutor do bólido, de modo a desviar a máquina mortífera, envia o pedido de socorro para a irmã, que se encontra a centenas de quilômetros de distância. E é um sinal tão sem-vergonha que a pobre sister não sabe o que está a acontecer, apenas sente um “incômodo”, uma sensação de que algo não vai bem. Então, ela precisa escrever para o irmão e indagar-lhe se está tudo escorrendo nos trinques (não, não havia mail na época desse acontecimento)…
    .
    Ah, sim, quanto a Deus, não é o nada do tudo…
    /
    /
    mrh:
    .
    Uma visão remota q mostre apenas onde a menina não passou tem a utilidade d um índio q aprendeu a fazer a dança da seca.
    /
    CONSIDERAÇÃO: A visão remota é ampla para vasculhar as imediações do sistema solar, isso foi provado cientificamente por Ingo Swann; a clarividência escaneia o ambiente terrestre, conforme postula o anãozinho gigante.
    .
    Atualmente, a dança da seca cairia bem no nordeste…

    /
    /
    Gorducho Diz:
    .
    Uma das poucas coisas que D·us não pode fazer por exemplo é se suicidar…
    /.
    CONSIDERAÇÃO: claro, com um pescoço resistente a qualquer corda, um corpo invulnerável a balas e um organismo imune a todos os venenos, nem que quisesse…

  86. Gorducho Diz:

    Seus conhecimentos de Teologia são de arrepiar…
    :(

  87. Marciano Diz:

    Este processo eu gostaria de acompanhar:
    https://www.businessinsider.com.au/conjuring-movie-lawsuit-warner-brothers-ed-lorraine-warren-annabelle-james-wan-2017-4

  88. Marciano Diz:

    TEm quem defenda Hammid, tem quem defenda Edelarzil (lembram-se?).
    http://seteantigoshepta01.blogspot.com.br/2012/07/padre-quevedo-desmascara-edelarzil.html

  89. Marciano Diz:

    The CIA took a particular interest in the program. They even sent some spooks over to train in remote viewing for intelligence purposes. That seems like a pretty legitimizing thing, but today you’d be hard-pressed to find any sort of official funding for something like this. Why is that the case?
     

    We had more scientific acceptance at that time because we had more money. The CIA spent $25 million on us. We had a lot of respectability, but by and large the public didn’t know what was going on. The great psychic Ingo Swann taught a woman named Hella Hammid and I how to do remote viewing. Hella and I taught six people from army intelligence how to do it and from there it just spread. In a way, the army is responsible for teaching the world. Now there are over a million websites about remote viewing. On the flipside, there are fewer people publishing papers about remote viewing, so it has less of a footprint in the scientific world.
     
    Have your remote travels ever led you to really weird, unearthly places?
     

    I once visited a UFO, which was somewhat frightening. I saw an array of bodies lined up under violet light and things that looked like hair dryers. Nobody was around but it seemed very menacing. I described this to Pat Price, who told me I was in a body-storage area and I was lucky I didn’t get grabbed. There is the possibility that it might have been a hallucination.
     
    Hey, if remote viewing is so accurate, why haven’t you guys figured out where Osama bin Laden is hiding?
     

    Because nobody has asked us. Let’s say Ingo Swann quieted his mind and said, “OK, I see, he’s in northern Pakistan in a cave between two mountains.” What would he do with that information? Nobody would believe him. Unsolicited psychic information is never looked at.
     
     
    Precisa dizer mais alguma coisa :?:

  90. Marciano Diz:

    A íntegra da entrevista está aqui:
    https://www.vice.com/en_au/article/psychic-spy-139-v15n10

  91. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Precisa dizer mais alguma coisa?”
    /.
    NO MORE, basta agora o Visoni ver e entender…

  92. Vitor Diz:

    Li, gostei das respostas do Targ. Não vi nada que o condenasse aí.

  93. Gorducho Diz:

    Conclui-se que nenhum detective ψquico foi consultado acerca da menina inglesa aquela, certo :?:
     
    Conclui-se que nenhum vidente remoto foi consultado sobre o outro lado das 2 paredes da tumba do Tut, certo :?:

  94. Vitor Diz:

    Sobre a menina inglesa: http://www.emol.com/noticias/nacional/2008/04/14/300040/psiquica-de-chimbarongo-madeleine-no-fue-asesinada-tuvo-un-accidente.html

  95. Gorducho Diz:

    [Y su paradero cuál es?

  96. Vitor Diz:

    http://www.emol.com/noticias/nacional/2008/07/02/311114/psiquica-de-chimbarongo-describe-como-habria-muerto-madeleine-mccann.html
    .
    La mujer -quien el año pasado elaboró un croquis con la ubicación donde estaría el cuerpo de la menor y se lo envió a las autoridades lusas-, relata a Emol que, de acuerdo a su percepción, esa trágica noche del 3 de mayo de 2007, mientras la familia vacacionaba en un resort de Portugal, Madeleine fingió que dormía. “Salieron sus papás de la habitación, ella se hizo la dormida, la vienen a ver nuevamente y ella se vuelve a hacer la dormida. Y ahí se levanta la niña y sale a caminar, camina y se pierde en la oscuridad de la noche”, describe Isabel Cristina. Relata que, mientras caminaba, se encuentra con “un afluyente de agua y ahí tiene un accidente”. Aclara que “los padres no tienen ninguna responsabilidad por el accidente que tuvo Madeleine, la niña habría caído en forma accidental”. Asimismo indica que “no hay terceras personas involucradas” en su desaparición. La psíquica sostiene que el cuerpo de Madeleine McCann aún se encuentra en ese lugar, rodeado de agua y barro, cerca del resort. “Ella está fallecida y solamente se encontraría algo de ella solamente (no su cuerpo completo)… Es fuerte“, expresa. Sin embargo, y pese a sus múltiples aciertos, Isabel Cristina manifiesta “ojalá mi percepción sea errada y la niña aparezca viva”. “Siempre en las percepciones yo tengo un 95% de aciertos y un 5% de margen de error, yo me quiero aferrar a ese 5%, porque también tengo derecho a equivocarme y ojalá que sea ésta la vez”.

  97. Vitor Diz:

    Os acertos da psíquica:
    .
    Cristina Ávila ha contribuido con las autoridades a encontrar a numerosas personas desaparecidas, para lo que suele realizar un croquis con la ubicación de los cuerpos. Se hizo conocida en 2001 al aparecer en un capítulo de “El día menos pensado” con el caso de Sigilberto Rojas, un comerciante y agricultor que desapareció en los años noventa. Una primera versión indicó que había sido detenido debido a unos cheques protestados. Pero sus hermanos desconfiaron y pidieron ayuda a Isabel Cristina, quien les dijo que estaba muerto y les entregó un croquis indicando que estaba enterrado en el patio de su casa, donde efectivamente apareció. Del mismo modo ayudó a encontrar a Raquel Donoso Vera, perdida desde 1971, cuyo cuerpo también fue hallado en el patio de su casa; y a la menor Gloria Sofía Iturriaga, quien desapareció al caer el auto en que viajaba con sus padres al río Jofré, cerca de Aisén, y fue encontrada gracias a las señas de la psíquica. También en la tragedia de Antuco, el entonces Comandante en Jefe del Ejército, general Juan Emilio Cheyre, la llevó hasta la zona donde trabajó con los rescatistas que finalmente encontraron a los últimos cinco soldados desaparecidos en la nieve, motivo por el cual el general Cheyre le entregó una medalla al mérito.

    Fuente: Emol.com – http://www.emol.com/noticias/nacional/2008/07/02/311114/psiquica-de-chimbarongo-describe-como-habria-muerto-madeleine-mccann.html
    .
    Se metade disso for verdade essa psíquica é fantástica… agora é preciso conferir!

  98. Gorducho Diz:

    E :?:
    Faz 9 anos… acharam :?:

  99. Vitor Diz:

    Tem uma reportagem aqui com um caso de sucesso, recente, mas não consegui botar o play pra funcionar:
    .
    http://www.chilevision.cl/matinal/reportajes/psiquica-de-chimbarongo-ayudo-a-encontrar-cuerpo-de-nina-perdida-por-12/2014-11-12/104704.html

  100. Vitor Diz:

    essa notícia é de ontem: http://www.chilevision.cl/matinal/noticias/psiquica-apoyara-busqueda-de-joven-desaparecida-en-quilpue/2017-06-01/092223.html (também não consegui fazer o play funcionar)

  101. Gorducho Diz:

    Já pulou de assunto… :mrgreen:
    Mas tudo bem… não passam as matérias mesmo; só a propaganda institucional sobre menstruação.
    Quem diria, hein :?:
    Espiritismo chileno na frente do brasileiro :!:
    Cá só ficam no “Jesus”, “caroável Bezerra”.
    Acompanhe então a Psíquica de Chimbarongo e nos dê notícias periódicas.
    Quiçá um rubrica pra sair um pouquinho da sua paixão nórdico-anglicista. Se no espiritismo brasileiro não tem nada que preste, pelo menos parece que no Chile tem então :!:

  102. mrh Diz:

    Ñ kreio em “materialização” d espritos. Lembro d 1 engenheiro afirmar q para produzir tal energia seria necessário + q 1 Itaipu. A alegação d tal fenômeno passa por cima d detalhes bem pouco irrelevantes. + racional admitir q aquele narigão era da Otília mesmo.

  103. mrh Diz:

    E esses “médiuns” ficam engolindo pano p/ depois apresentá-lo como ekitoplasma… ughthhigoign…
    1 vez o Vitor mostrou 1 “medium” q tirava d outro lugar… foi o fim… o end… q porkisse.

  104. Marciano Diz:

    Pena que não sou engenheiro. Nunca vou entender como o tal engenheiro calculou a quantidade de energia que teria de ser produzida para “materializar um espírito”.
    Parece ser tudo uma questão de energia. Com energia suficiente, podemos materializar até a imaginação das pessoas.
    Boa essa!

  105. Vitor Diz:

    Eu acho que ele usou E = mc^2.

  106. Marciano Diz:

    E=mc²

  107. Marciano Diz:

    Sendo a massa de um espírito = n, multiplicando-se sua massa pelo quadrado da velocidade das OEM, tem-se uma Itaipu.

  108. Marciano Diz:

    Baseado no raciocínio do tal engenheiro, acho que os problemas de produção de energia no mundo estariam resolvidos, se começássemos a fazer o inverso, qual seja, desmaterializar pessoas.
    Pega-se um desencarnado, desencarna-se-o e tem-se uma Itaipu.
    Com quase sete bilhões e meio, podemos usar até na guerra.
    Este é o verdadeiro soldado universal.

  109. Marciano Diz:

    Se bem que, a acreditar-se na equação einsteiniana, com uma pessoa de 80 kg teríamos muito mais que uma Itaipu.
    E a desmaterialização não é difícil. É só pegar uma antipessoa, juntar com uma pessoa, e pronto!
    As duas se aniquilam, viram pura energia.
    Antipessoas a gente consegue na undécima dimensão.
    É só pegar um wormhole que tem ali na esquina.

  110. Marciano Diz:

    Antes que pensem que estou brincando, abram
    http://institutoespiritadrcruz.blogspot.com.br/2011/08/antimateria.html
    desçam até a “matéria” sobre antimatéria (ou será o contrário) e leiam.

  111. mrh Diz:

    Uma antipessoa… kkk
    Mas dá para calcular: tem-se a massa e o resto o Victor faz… até valeria tentar, para que os adeptos da materialização percebessem as implicações de sua convicção…
    Quantas Itaipus, Victor?

  112. mrh Diz:

    Minha conta: 9 meses de itaipu para parir um espirito.

  113. mrh Diz:

    E=60.299792458.
    E=1.798.754.780
    Converter em Itaipus. 2,4 bilhões de Joules (?) ano?
    Conta de filósofo. Aguardo os exatos.

  114. Gorducho Diz:

    Não é assim que funciona não.
    Certamente a maior parte da energia mc² já é contida no próprio espírito que vai se materializar. E devem pegar energia escura também.
     
    Que eu me lembre Itaipu tem uma capacidade nominal instalada de 14GW.

  115. Gorducho Diz:

    Pessoa de 50 kg = 4500000000 GJ
    4500000000 ÷ 14 = 321428571,4 s
    321428571,4 ÷ 86400 = 3720 dias

  116. Gorducho Diz:

    Essa é uma das melhores calculadoras pra grandes n°s

  117. Marciano Diz:

    Os espíritos têm muitas formas de energia.
    Tem os chakras, o Ki, o Cosmo, a psicoenergia…
    O espírito pode ter um bloqueio da kundalini.
    A psicoenergia já está provada pela ciência.
    A existência dessa energia ficou plenamente demonstrada em experiências realizadas em universidades norte-americanas. Numa dessas experiências algumas plantas foram objeto de ódio por grupos de voluntários, enquanto outras recebiam vibrações de amor e carinho. As primeiras murcharam e algumas até morreram, ao passo que as outras, as que receberam pensamentos e sentimentos de amor ficaram cada vez mais exuberantes. Isto prova que há uma energia psíquica que pode ter efeitos benéficos ou maléficos, a depender dos sentimentos ou intenções do seu emissor.
    Outras experiências, bastante divulgadas pela mídia, têm sido feitas em hospitais nos EUA.
    Para essas experiências foram selecionados aleatoriamente, por computador, dois grupos de doentes: o Grupo A receberia orações feitas por voluntários de determinada igreja. O Grupo B não as receberia. Seria o grupo controle.
    Ninguém, nem os médicos, enfermeiros e ajudantes sabiam quais pacientes pertenciam a este ou aquele grupo.
    No final de alguns meses foram computados os resultados e descobriu-se que os pacientes do grupo A (que receberam as preces) tiveram significativas melhoras, com relação aos do outro grupo.
    Essas e outras pesquisas semelhantes acabaram mudando alguns paradigmas nas atividades médicas.

  118. Marciano Diz:

    A nova era chegou e ninguém (quase ninguém) percebeu.

  119. mrh Diz:

    Então, mais de dez anos…

  120. Marciano Diz:

    https://en.wikipedia.org/wiki/Quantum_mysticism
     
    Quantum physics tells us that when a measurement is made, the wave aspect of the duopoly dies, leaving only the particle aspect. This phenomenon, called “wavefunction collapse,” has found special resonance with the New Agers.
     
    Naively, the measurement process requires a measurer — someone to actually observe the system. Thus you and I have the power to collapse wavefunctions merely by looking at something.
     
    It is only baby steps to the idea that the act of observing something actually causes it to exist. And if it is the Mind of Man that brings things into existence, can’t we create anything with our thoughts? Indeed, is the moon there if no one is looking at it?

  121. Marciano Diz:

    When the moon is in the Seventh House
    And Jupiter aligns with Mars
    Then peace will guide the planets
    And love will steer the stars
     
    This is the dawning of the age of Aquarius
    The age of Aquarius
     
    Harmony and understanding
    Sympathy and trust abounding
    No more falsehoods or derisions
    Golding living dreams of visions
    Mystic crystal revalation
    And the mind’s true liberation
    Aquarius!

  122. Marciano Diz:

    Revelation.

  123. Marciano Diz:

    http://www.swedenborg.com/quantum-physics-can-tell-us-afterlife/
    Mark Van Raamsdonk, a string theorist at the University of British Columbia in Vancouver, likens the holographic concept [of the structure of the universe] to a two-dimensional computer chip that contains the code for creating the three-dimensional virtual world of a video game. We live within that 3-D game space. . . .

    In 2010 Van Raamsdonk proposed a thought experiment to demonstrate the critical role of entanglement in the formation of space-time, pondering what would happen if one cut the memory chip in two and then removed the entanglement between qubits [quantum bits of information] in opposite halves. He found that space-time begins to tear itself apart, in much the same way that stretching a wad of gum by both ends yields a pinched-looking point in the center as the two halves move farther apart. Continuing to split that memory chip into smaller and smaller pieces unravels space-time until only tiny individual fragments remain that have no connection to one another. “If you take away the entanglement, your space-time just falls apart,” said Van Raamsdonk.

  124. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Numa dessas experiências algumas plantas foram objeto de ódio por grupos de voluntários, enquanto outras recebiam vibrações de amor e carinho. As primeiras murcharam e algumas até morreram, ao passo que as outras, as que receberam pensamentos e sentimentos de amor ficaram cada vez mais exuberantes.”
    /,
    AO TOMAR CONHECIMENTO dessas experiências, anos atrás, resolvi eu mesmo testar a coisa. Havia um abacateiro no meu quintal, meio murchinho, que não dava nada e o elegi como objeto experimentativo.
    .
    Toda manhã logo que acordava me abraçava ao caule do abacateiro, transmitindo-lhe eflúvios de amizade, paz, saúde. Ficava a ele abraçado, emitindo o prana até senti-lo revigorado. Não é que a planta começou a responder, cada dia mais viçosa?
    .
    Um dia, no meio do abraço matinal, meus olhos se abriram! Percebi então que o que eu abraçava era um pau duro do caule de um abacateiro…
    .
    Infelizmente para a ciência o estudo ficou inconclusivo devido ao inesperado abandono do experimento pelo experimentador…

  125. Marciano Diz:

    Don’t try this at home.
    O abacateiro é uma árvore de grande porte, de crescimento rápido, ultrapassando os 30 metros de altura, segundo a Wikipedia.

  126. Marciano Diz:

    Para quem quiser aprender também:
    http://www.rviewer.com/
    ou
    http://farsight.org/learning.html

  127. Marciano Diz:

    Approach #1 (Free! Begin today!) With this method, you can download the complete 18 hour intensive Farsight Voyager SRV® audio course. There is also a comprehensive printed text that has explicit instructions on the procedures of Scientific Remote Viewing®. This method is supplemented with lots of other resources as well, such as being able to listen to actual recorded remote-viewing sessions to get a feel of what is actually going on, computer software, lots of printed examples, and much more. All of this is available for free on this web site. Remember, we are a nonprofit research and educational organization! Our purpose is to serve the public!
     
    Approach #2 The best way to learn remote viewing is with a certified personal instructor. First you need to decide which style of remote viewing you want to learn. (Some viewers learn many styles and become RV-multilingual!) We recommend CRV, HRVG, and SRV procedures since we work with these styles in our research. But some other styles of remote viewing are also effective even though we do not list them here. For CRV and HRVG learning opportunities, here is the contact information:
     
    CRV Training: Contact CRVIEWER web site.
     
    HRVG Training: Contact Sita or Dick.
     
    SRV Learning Center

  128. Marciano Diz:

    Esse negócio de visão remota dá dinheiro:
    https://www.amazon.com/Remote-Viewing-Training-Course/dp/1591791014

  129. Gorducho Diz:

    A Administração não tem nenhum espírito de empreendedorismo (copiando o americanês dos vídeos de informática onde só se fala estaremos vendo; estarei mostrando a vocês…).
    Lembram quando eu propus abrir uma franchise pra certificação de médiuns cartistas. Na época o Analista Scur morava lá na America se não me engano e m/ideia seria convencer ele a fazer os 1°s contatos prospectivos.
    Analista Montalvão seria o Diretor de Didática e responsável pela tropicalização do curriculum.
    NEM BOLA :(

  130. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Lembram quando eu propus abrir uma franchise pra certificação de médiuns cartistas.”
    /.
    consideração: médium cartista é o que lê (baralho, tarô) ou que escreve cartas?
    .
    Essa franchise não teria futuro: considerando que os administradores da empresa são honestos e esclarecidos, antes da certificação fariam os testes necessários para comprovar espíritos de mortos atuando. Qual seria o resultado?
    .
    Não iam achar um cartista… nem fonologista, psicopictografista, psicocantor, escrevinhador… nada. A empresa fecharia por falta de produção…

  131. Gorducho Diz:

    Ok… missivista.
    Um dos módulos do treinamento seria Grief Training a sua cuja pessoa ficaria a cargo tropicalizar.
    Claro, por definição se houvesse acerto pra concessão duma franchise.

  132. Gorducho Diz:

    “Missiva” em sentido figurado, claro. Principalmente em leituras via telefone ela poderá ser oral.
    Falo genericamente em certificar-se médiuns pra que contactem entes queridos e (claro) retransmitam fielmente o que está sendo dito pelo falecido (note que no mediunismo chiquista isso não ocorre, pois quase todos têm vocabulário e estrutura epistolar semelhante, o que evidencia falta de fidedignidade na retransmissão).
    Isso por definição. Ninguém normalmente vai querer contactar o espírito, say, do Giordano Bruno e ficar perguntando como é lá em Vênus (exceto o Dr. Bezerra).
    Então o foco da nossa franquia seria nessa especialidade, e não num mediunismo genérico.

  133. Marciano Diz:

    I was born an entrepreneur, so count me in if you have a change of heart.

  134. Marciano Diz:

    A certificação operacional de psicografia é o processo que atesta a capacidade do médium psicógrafo missivista para executar os procedimentos constantes no Manual de Psicografia Missivista – MPM – aprovado pela Associação Nacional de Psicógrafos Missivistas – ANPm, visando à garantia da fidelidade das operações psicográficas.

     
    A certificação é obrigatória para todo médium psicógrafo missivista que atua em centro espírita brasileiro que processa ou pretende processar as seguintes operações:
    ? Comunicações entre maconheiros recém-falecidos e suas queridas mãezinhas;
    ? Comunicações entre maconheiros suicidas que desejem enviar mensagens do vovozinho ou da vovozinha;
    ? ou
    ? Comunicações entre maconheiros suicidas que tenham por objetivo inocentar seus algozes perante juízes macumbeiros.
     
    Os médiuns psicógrafos missivistas que não estavam obrigados a obter o certificado passam a depender do certificado para que aumentem a frequência de comunicações mediúnicas ou realizem psicografias mais fidedignas.
     
    Caso não deseje aumentar a frequência de comunicações mediúnicas ou realizar psicografias mais fidedignas, os médiuns psicógrafos missivistas não precisarão do Certificado Operacional de Médium Psicógrafo Missivista.

  135. Vinicius Diz:

    Cá só ficam no “Jesus”, “caroável Bezerra”.
     
    Tem livro que é bem exagerado ao qualificar Bezerra. Lembro-me de um em que o Dr. Miranda (ou outro puxa saco não me recordo) em que ele narra que avistou a figura bonissima e iluminada do campeão da caridade Dr. BEZERRA DE MENEZES. DEPOIS bla bla bla e diz que o excelso médico dos pobres estava atendendo uns maltrapilhosde uma escura região.
    Eu ficaria “vermelho” com esse excesso de adjetivos e deslumbramento.falta pouco para o igualarem ao JC

  136. Gorducho Diz:

    Mais… Jesus Cristo não é referido com tanto exagero nas literaturas confessionais acho que de nenhuma facção cristã :!:

  137. Gorducho Diz:

    Dr. Bezerra tem mais histórias que CX pensando bem.
    Essa é aquela clássica do Lindos Casos pela 1ª vez lembrada cá pelo Dr.

    Espíritos rebeldes, travessos, brincalhões, incorporavam-se nos médiuns e experimentavam a paciência e a potencialidade de fé do Presidente do Grupo. Numa delas, aparece um Espírito insensível às mais sentidas admoestações. Em dado momento, o bom velhinho lhe diz séria e amorosamente:
    – Você precisa é de prisão e não de conselhos. E, virando-se para os companheiros, em redor da mesa, em concentração.
    – Chamem a Polícia…
    Imediatamente, o Espírito zombeteiro, assustado, largou o médium e partiu. Imediatamente, também, pelo mesmo médium, apareceu outro Espírito e, encarando bem de frente o Presidente do Grupo, desafia-o:
    – Chame, então, para mim a Polícia, e prenda-me… Vamos…
    Bezerra, sem perder a serenidade e como que esperando aquele desfecho, responde-lhe com brandura:
    – Aquele, que o antecedeu, precisava de prisão, de um corretivo policial, mas você, meu filho, precisa de Prece e de Amor! E, levantando seu Pensamento para
    o Alto, ora sentida mente com os companheiros, a favor do Espírito desafiador… que, recebendo algo intraduzível, vindo da Espiritualidade, chora e, arrependido, despede-se:
    – Deus lhe pague, bom Irmão! Ganhei algo de que precisava: Prece e Ãmor!
    E partiu como quem ganhara um Presente do Céu!

  138. Gorducho Diz:

    A própria caracterização como “velhinho” já faz parte da lendarização.
    29/8/31
    19/4/00
    Ele era 68, portanto nem muito idoso.

  139. Marciano Diz:

    Como espírito, preferiu a aparência de um homem de 98 anos.
    Tem dificuldade até para falar.
    Vejam que DPF, que fez 90 no mês passado, fala bem melhor do que quando finge estar possuído pelo Bezerra.

  140. Vinicius Diz:

    Olha só, em 1916, o mencionam como “bom velhinho”, na página 158 (acervo FEB) e em seguida uma mensagem ditada pelo mesmo :mrgreen:
     
    http://www.sistemas.febnet.org.br/acervo/revistas/1916/WebSearch/page.php?pagina=158
     
    Logo no inicio também “lamentam” que “talvez” o médium não tenha o cabedal e afinidade mediúnica mas mesmo assim “reconhecem Bezerra” (segundo parágrafo).

  141. Vinicius Diz:

    ah, também o mesmo se auto-flagela dizendo que é um insignificante soldado das hostes de Jesus.
    E que é um obscuro e sempre dedicado.

  142. Vinicius Diz:

    Marciano, encontrei um artigo de Luciano dos Anjos sobre Marte. Diz que alguns espiritualistas ficaram frustados com as descobertas das naves Mariner 6 e 7 e ele pede calma e depois um “bla bla bla” (parafraseando Gorducho)…
     
    Até Dona Maria João de Deus é mencionada!
     
    Arduin, observe a FEB não editou a obra “Cartas de uma Morta” mas a utilizou como defesa de existência de vida no planeta Marte???
     
    Link http://www.sistemas.febnet.org.br/acervo/revistas/1971/WebSearch/page.php?pagina=53#
     
    O louco, aqui colocaram vários médiuns contra o “Georges” de Kardec!!!

  143. mrh Diz:

    Muito bom, Vinícius…

  144. mrh Diz:

    Interessante saber q a evolução da ciência gerou crise.

  145. Marciano Diz:

    Vinicius, tem como disponibilizar pra gente o artigo?
    Se for escrito em papel, você pode escanear e usar o OCR.
     
    Eu sempre achei que isso deve ter sido um banho de água gelada nos crentes da vida em todos os globos.

  146. Vinicius Diz:

    “Vinicius, tem como disponibilizar pra gente o artigo?
    Se for escrito em papel, você pode escanear e usar o OCR.”
     
    olá Marciano, eu encontrei este artigo no acervo virtual da FEB, onde estão as edições do “Reformador” digitalizadas desde 19xx.
     
    Digitalizaram em formato de imagem, não sei se tem como transformar pelo OCR, será que tem?
     

  147. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Digitalizaram em formato de imagem, não sei se tem como transformar pelo OCR, será que tem?”
    /.
    TEM…

  148. MONTALVÃO Diz:

    /
    Arduin tem hora que some, tem hora que desaparece… sujeito versátil, sô…
    .
    Tem hora que não responde, tem hora que deixa de dar retorno… sujeito imperscrutável, sô…

  149. Vinicius Diz:

    “Digitalizaram em formato de imagem, não sei se tem como transformar pelo OCR, será que tem?”
    /.TEM…”
     
    Manda o link, Montalvão,

  150. Marciano Diz:

    Teste de premonição.
    Estou vendo as seguintes dezenas, para a mega-sena:
    22-26-20-70-59
    Dizem que não tem 70 na mega-sena, mas é o que estou vendo.

  151. Espírita Sp Orlando Diz:

    Pessoal um amigo meu me confidenciou que há um outro “truque” feito por chico: uma ou duas mini lanternas por baixo da boina dele. Pode ser difamação mas vai saber. Já ouviram falar disso? Eram sessões que envolviam iluminação do ambiente

  152. MONTALVÃO Diz:

    /
    Vinicius Diz:
    .
    “Digitalizaram em formato de imagem, não sei se tem como transformar pelo OCR, será que tem?”
    /.TEM…”
    .
    Manda o link, Montalvão,
    /.
    CONSIDERAÇÃO: link? deve ter, mas não conheço, tem que ter o programa. Eu uso o ABBYY, muito bom.
    .
    Se você tem escaner deve ter um programa de OCR, vasculhe seu micro e veja se o que tem não dá conta. Alguns permitem abrir imagem de texto e transformar para texto propriamente dito…

  153. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Estou vendo as seguintes dezenas, para a mega-sena:
    22-26-20-70-59″
    /.
    SÃO SEIS NÚMEROS, cê só viu cinco. Volte a dormir e sonhe com o que falta…

  154. Marciano Diz:

    DPF já disse, em palestra, que cx emitia uma luz. Só pode ser o tal truque.
    Veja se um cara humilde como cx, que se dizia apenas um cisco, iria ficar se exibindo com exibições de luzes misteriosas.
     
    VINICIUS, experimente este:
    https://www.onlineocr.net/

  155. Marciano Diz:

    Mas no meu sonho apareciam apenas estas dezenas.
    Talvez meu mentor espiritual quisesse que eu acertasse apenas a quina.

  156. MONTALVÃO Diz:

    /
    Também sonhei com números… 12, 13, 14, 15, 16, 25.

  157. Marciano Diz:

    VINICIUS, acabo de me batizar na Igreja Batista do Calvário.

  158. MONTALVÃO Diz:

    /
    F = S*P²

  159. MONTALVÃO Diz:

    /
    F = S*P2²

  160. Marciano Diz:

    Essas dezenas com as quais tu sonhaste, honrado Mestre, têm a mesma probabilidade de serem sorteadas quanto quaisquer outras.
    A sequencia de cinco delas não muda nada.
    É o que diz a Igreja Batista da Análise Combinatória.

  161. Marciano Diz:

    Tá rateando na HTML.

  162. MONTALVÃO Diz:

    /
    Falhou… era a fórmula da felicidade, mas o html comunga contra…

  163. Marciano Diz:

    Batendo pino.
    Use gasolina de alta octanagem.

  164. MONTALVÃO Diz:

    /
    Queria fazer o serviço completo: números da mega e equação que leva à felicidade…
    .
    Fica pra próxima… encarnação…

  165. Marciano Diz:

    AFK.
    BBS.
    The server encountered an internal error or misconfiguration and was unable to complete your request.

    Please contact the server administrator, [email protected] and inform them of the time the error occurred, and anything you might have done that may have caused the error.

    More information about this error may be available in the server error log.

  166. Marciano Diz:

    La formula della felicità esiste. Ed è un’equazione. La felicità, spiega il professor Paolo Gallina, è “la variazione rispetto al tempo dello stato di una persona”. In altre parole, la felicità è il passaggio da una condizione peggiore a una migliore, ed è tanto più intensa quanto più in fretta avviene questo cambiamento. La felicità non è la bella casa o il televisore a 350 pollici in sé, ma il momento in cui li hai avuti, in cui te li sei goduti la prima volta. Come ogni formula matematica il concetto è cristallino ed elegante, le sue conseguenze implacabili. La prima è che “la felicità non dura. E se si vuole farla durare le cose non sono così semplici”. L’altra è che “è molto difficile incrementare il proprio stato con costanza. Nella maggior parte dei casi, dato che gli stati non possono essere incrementati all’infinito, a un picco di felicità segue una fase di stasi, di aspettativa, di non-felicità sostanziale”. Oppure, parlando di shopping e consumismo, tocca rilevare che “se qualcuno sceglie di essere felice entrando e uscendo da centri commerciali, concessionarie e boutique, con pacchi e pacchi di roba, necessita di molta disciplina per rimanere immerso a un livello di felicità accettabile”. Il ragionamento è rigoroso, fra gradienti, costanti, derivate, teoremi… Ma niente paura, il professor Gallina sa fare esempi inconsueti e illuminanti, alleggerire la lettura con spassose narrazioni, riportare sempre i suoi discorsi al grado zero della nostra esperienza quotidiana.

  167. Marciano Diz:

    Fe=ds/dt
    Xk+1(Ha) = max / / [h(s, t) + hD(s, t)} f(s)f(t)dsdt f–\\f\\=i,fe{f?,…,f£}-i- J J max / / h(s,t)f(s)f(t)dsdt –i,fe{f f%V J J /:||/Il = l max f–\\f\\=ije{f,…,fzy hD(s …)
     
    Acertei?

  168. Marciano Diz:

    Tem outra fórmula mais fácil:
    F= CH₃CH₂OH
    Pode ser simplificada para F=C₂H₆O
    Para os mais orelhudos, é a fórmula do etanol, aka álcool etílico.
    A primeira fórmula destaca a oxidrila ou hidroxila ligada a um átomo de carbono saturado.
    Sejam felizes!

  169. Marciano Diz:

    Dois átomos de carbono, seis de hidrogênio, um de oxigênio, arranjados da maneira correta, e todo mundo fica feliz, pelo menos até que a ADH (álcool desidrogenase – isto mesmo, uma enzima) oxide as moléculas, que se transformam em acetaldeído, para que depois a ALDH (aldeído desidrogenase) converta o aldeído em acetato.
     
    É por isso que o Professor Gallina diz que felicidade dá e passa.
    Passa pelo sistema digestório (antigo aparelho digestivo).

  170. Marciano Diz:

    Considerando que la felicità è il passaggio da una condizione peggiore a una migliore, ed è tanto più intensa quanto più in fretta avviene questo cambiamento, sugiro grandes doses de etanol.
    Assim que começar a passar, ingiram mais.
    Todo cachaceiro deveria conhecer química orgânica e fisiologia. Pelo menos até a sexagésima dose.

  171. Marciano Diz:

    Estou começando a ficar feliz de novo.
    Antes que passe, vou tomar um flunitrazepan com um alprazolam, um hemitartarato de zolpiden e mais um pouco de álcool.
    O uso combinado com depressores do SNC (antipsicóticos, hipnóticos, ansiolítico-sedativos, antidepressivos, analgésicos narcóticos, anticonvulsivantes, anestésicos e anti-histamínicos sedativos)aumentam o efeito depressor central do flunitrazepam.
    Efeitos aumentados sobre a sedação, respiração e hemodinâmica podem ocorrer quando Rohypnol® é co-administrado com qualquer agente depressor de ação central, incluindo álcool.
    É um caso especial em que a soma das parcelas é maior do que o total da adição (não no sentido de addiction – no de aritmética, mesmo).

  172. Marciano Diz:

    Explicando o óbvio, é que os anglos chamam de adição (addiction) o vício e adição (addition – sem o “c”) de adição, a soma.
    Não confundir com soma, aquela substância imaginária que era administrada aos personagens de Brave New World, de Aldous Huxley, para enchê-los de felicidade.

  173. Marciano Diz:

    Estou me sentindo um mero mortal.
    Vou aproveitar para dormir e sonhar com o resultado da próxima mega-sena.
    Mas não vou jogar. Não jogo. Os parcos conhecimentos de teoria das probabilidades e estatística não deixam.
    Quem já estudou um pouquinho de análise combinatória não perde tempo com mega-sena e outras tolices.

  174. Marciano Diz:

    Montalvão, o que você queria era F = S*P² :?:
    Se for, está provado que o álcool etílico associado a outros depressores do SNC deprime este e estimula a paranormalidade.

  175. Marciano Diz:

    Nas casamatas, casas vivas, caso morras
    E nos delírios, meus grilos temer
    O casamento, o rompimento, o sacramento, o documento
    Como um passatempo quero mais te ver
    Ô, ô, ô, ô, com aflição.

  176. Marciano Diz:

    https://www.youtube.com/watch?v=VIqSJIFC3Hk
    Som horripilante, mas pelo menos a gravação é original.

  177. Marciano Diz:

    Acústico, mas audível.
    https://www.youtube.com/watch?v=vWyq-6lYdM4
    Pega aí, Montalvão:
    E|7——————-7—-7——————-7/10-7—————10-8\7——–|
    B|–10-10\8——-8—–10—10\8——-8/10-8——–10-8/10—8-7——–10\8—|
    G|———-9-7/9—9————-9-7/9———————–9—————–9-|
    D|——————————————————————————–|
    A|——————————————————————————–|
    E|——————————————————————————–|

  178. Marciano Diz:

    Tem (aparentemente) tudo a ver com felicidade.
    Reza a lenda que a vila do sossego era um lugar onde Ramalho se reunia com outros músicos, mas minha visão remota mostra um prostíbulo onde se embriagavam e pegavam treponemas com as profissionais locais, o que lhes garantia momentânea felicidade.

  179. Gorducho Diz:

    ==============================================================
    Eram sessões que envolviam iluminação do ambiente
    ==============================================================
    Nos ’40s ’50s foi bastante comum fenômenos luminíferos.
    Pros brasileiros a principal provavelmente é aquela que o Emmânuel se materializa semelhante a um destaque de escola de samba e manda pararem com aquilo…
    Tem também a séance na qual o espírito do Dr. Bezerra manda adiar um pouco o encerramento e o peito de CX brilha através do paletó e ele humildemente procura esconder dos outros sentantes.
     
     
    Sr. Administrador qual era aquela materialização luminosa do século XIX que parece que eles tão segurando uma pedra brilhante :?:
    Tem uma aquarela que circula documentando o fenômeno mas não me lembro onde foi pra mostrar por Dr.
    Tem ideia de como fariam essa luminosidade :?:
    Alguma pedra fosforescente será :?:
    A luz em geral é azulada como na do Emmânuel.

  180. Gorducho Diz:

    Pra se ver como o “espiritismo” brasileiro regrediu.
    Até no Chile sem maior tradição espírita tem detectives ψquicos, e cá o “espiritismo” é Dr. Bezerra: – Queridos filhos, Jesus blah blah blah…
    ou as cartinhas padrão CX.

    Com uma pequena lâmpada na mão, uma lâmpada esquisita e desconhecida, de luz verde, ele iluminava determinadas partes do recinto.
    Aproximou-se de mim e disse que ia fazer uma mágica
    Eu lhe disse respondi que estava esperando uma mágica.
    Ele então me mostrou um disco de vitrola, que iluminou
    com sua lâmpada e me perguntou:
    Esta vendo este disco, Ranieri.
    – Estou, respondi-lhe.
    – Segure no disco e não solte. Vai contar até três Quando atingir o três você o solte e segure imediatamente.
    Eu assim fiz. Segurei o disco. Quando contou: três, eu o
    larguei e segurei instantaneamente. Qual não foi minha surpresa: o disco estava completamente enrolado coma se fosse um canudo, em minhas mãos.
    Admirado, propus-lhe o seguinte:
    – Gostei da mágica, Zé Grosso. Será que você não poderia fazer o contrário, isto é, desenrolar o disco outra vez?
    Ele concordou com a proposta.
    Eu examinei então o disco detidamente, o que já fizera da primeira vez, li o nome da música e o autor, e aguardei o resultado.
    Ao contar de novo três, o disco, o mesmo disco, estava
    perfeito e desenrolada em minhas mãos.
    Agradeci e pedi ao Zé Grosso repetir a mágica enrolando o disco de novo, pois eu desejava levá-lo enrolado para o Grupo André Luís, o que fiz. E lá se encontra o disco.
    Depois de realizar o fenômeno para mim, o Zé Grosso fez
    o mesmo com outro disco para o Inácio, em todas as suas
    fases foi reproduzido o fato, entregando também no final o disco enrolado, que seguiu o mesmo destino e se encontra atualmente formando um par na vitrina do G.E.A.L.
    O fenômeno, a não ser enquanto demoram os exames
    sucessivos que fazemos dos discos, antes e depois do
    enrolamento, a leitura do nome da música e do seu autor, e mais alguma verificação, é rápida, fulminante. Não demora mais do que um ou dois segundos, se demorar isso. O espírito está à nossa frente, de pé e segura o disco com a mão num lado e nós o seguramos no outro. Respira à nossa frente e conversa como um amigo. Não é dentro da cabina, não é escondido, é fora, no meio de todos, sem disfarces, sem nada.
    Essa é a pequena diferença que assinala o fenômeno relativamente às outras experiências que tenho lido: o espírito neste caso enrolou e desenrolou o disco o nosso pedido e pudemos verificar que era o mesmo, assim como não notamos no disco sinal algum de violência.
    Perguntei ao Zé Grosso como é que ele realizava o fenômeno e ele me respondeu muito simplesmente:
    – É com um aparelho que temos aqui. Esse aparelho serve para muitas outras coisas sérias e eu aproveitei para realizar a minha mágica.
    Em toda a parte os espíritos têm-se referido, quando conversam conosco, e especialmente em reuniões de
    materialização, aos aparelhos, as roupas, às construções, às cidades, aos educandários e aos costumes, semelhantes aos nossos existentes no mundo invisível. O nosso mundo é uma projeção do mundo invisível, não resta a menor dúvida, e lá existe muita coisa que em breve a humanidade terrestre irá conhecer.

    Do livro MATERIALIZAÇÕES LUMINOSAS
    autor R.A.RANIERI

  181. Gorducho Diz:

    Favor eliminar o restante da citação Sr. Administrador (depois da menção à fonte :( )
    Obrigado. prometo que não lhe provoco na rubrica sobre leitura de jornais futuros (os espíritos só são cegos pra jornais já impressos: compreendido e entendido).

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)