Estudos sobre um iogue durante um confinamento de oito dias em uma cova fechada subterrânea (1973)

Eis a versão completa do artigo sobre o iogue capaz de parar o próprio coração. Para ler, clique aqui. Eu busquei saber se seria possível reproduzir o fenômeno por meio de truque. Achei a exibição de um mágico (Guy Bavli) que supostamente simula o fenômeno aqui. Mostrei o vídeo a um neurocientista, que disse que o que o mágico fez é um truque muito mal feito. Monitores de ECG são muito sensíveis ao movimento, razão porque o paciente tem que ficar completamente imóvel durante o exame, caso contrário os artefatos atrapalham completamente o traçado. Chama a atenção também que os batimentos cardíacos observados através dos sinos estão em frequência mais alta do que o do ECG. Em suma o truque é muito simples, um monitor de ECG pré programado para simular a assistolia, duas atrizes como auxiliares de palco e uma encenação de uma parada cardíaca. Algo extremamente diferente do que o iogue fez…

69 respostas a “Estudos sobre um iogue durante um confinamento de oito dias em uma cova fechada subterrânea (1973)”

  1. Marciano Diz:

    Pô, ioga de novo?
    Tem gente reclamando que não tem mais livros espíritas e cartinhas consoladoras.

  2. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Mostrei o vídeo a um neurocientista, que disse que o que o mágico fez é um truque muito mal feito.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: e o iogui fez o quê? Um truque bem feito? O apontamento do Marciano, na rubrica precedente, que trata do mesmo tema, continua pertinente. Este apontamento é que deveria ter sido apresentado ao neurocientista para ver como ele explica…
    /
    ————————–.
    MARTE: Quando ao iogue que para o coração, antes mesmo de ler o artigo, gostaria de saber como ele faz para manter tecidos vivos sem irrigação sanguínea.
    .
    Parar o coração, é mole, mas não sofrer as consequências de morte dos tecidos não irrigados é que é realmente fantástico.
    .
    Qualquer pessoa que já estudou o beabá da biologia sabe que essa alegação é, no mínimo, hilariante.
    [...]
    Acho que nesse apertado resumo dá para ver que, independentemente da causa da parada cardíaca, a falta de irrigação provoca a necrose de células e tecidos (formados por células).
    .
    Não precisa acreditar em mim, (nem quero que acredite). Dê uma olhada em livros de medicina legal, de citologia (estudo de células) e histologia (estudo de tecidos).
    .
    ————————–.
    /
    CONSIDERAÇÃO: é o que venho falando: o gerente dá a mínima de nenhuma atenção as objeções feitas (nos variados artigos que publica) e volta ao assunto como se fora inatacado. Assim fica fácil “comprovar” a mediunidade, o paranormal e, agora, o controle ióguico profundo sobre as funções orgânicas…
    .
    O que mais não virá? A prova de que os ets estão entre nós?

  3. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: ” Quando ao iogue que para o coração, antes mesmo de ler o artigo, gostaria de saber como ele faz para manter tecidos vivos sem irrigação sanguínea.”
    .
    Isso é respondido no artigo. Os autores ao menos apontam um caminho. Se tivesse lido, saberia. Ei-lo:
    .
    Outro aspecto significativo do feito foi a relativa hipotermia do iogue. Quando a cova foi aberta, sua temperatura bucal era de 34,8 °C, e ele começou a tremer violentamente. Isto continuou por quase duas horas, até que ele esquentou. A baixa temperatura corporal é ainda mais surpreendente porque a temperatura do ar dentro da cova esteve ao longo da faixa confortável de 24 °C a 33 °C. A inanição, o repouso completo e a escuridão total durante oito dias não podem ser esperados reduzir a temperatura corporal. A hipotermia autoinduzida fisiológica é comum em mamíferos hibernantes, nos quais a frequência cardíaca pode baixar até 3 por min., mas é desconhecida no homem (Handbook of Physiology, 1964). Se a temperatura do corpo puder cair pela prática ióguica, isso seria um mecanismo eficaz para reduzir a atividade metabólica e visceral. Este é um aspecto interessante do problema e necessita de mais exploração.
    Pode ser pertinente mencionar aqui que em animais hibernando o cérebro permanece comparativamente alerta, enquanto todos os outros sistemas ficam adormecidos e um estado exatamente semelhante foi visualizado pelo iogue para o seu estado de ‘samadhi’ (“A mente está desperta em pensamento profundo, enquanto o corpo está submerso em sono profundo”).

  4. Gorducho Diz:

    Falando sério… o Sr. acredita mesmo que o cara possa ter parado o coração :?:
    O Sr. obviamente é uma pessoa inteligente (sem sarcasmos cá…); eu simplesmente não aceito que S/Pessoa possa considerar essa hipótese.
    Please tell you’re just kidding us…
     
    Um bom Sítio dedicado a desmascarar as besteiras do espiritismo virou nisso…
    Se toque… numa boa; abraço fraterno :!:

  5. Alexandre C. N. Diz:

    Marciano, o blog esta seguindo o caminho natural da maioria dos espíritas.

  6. Alexandre C. N. Diz:

    Gorducho, então os pesquisadores mentiram e foram falhos.

  7. Gorducho Diz:

    Pode ter reduzido os batimentos talvez como mencionado acima.
    Agora, parar parar que eu saiba só tem esse causo que eu citei que o iogui esta(va?) concentrado meditando há já 2 anos. A hipotermia providenciaram pondo ele num freezer.

  8. Vitor Diz:

    Ele pode ter reduzido a ponto de bater uma vez a cada 8 dias.

  9. Vitor Diz:

    Várias outras coisas ocorrem quando um animal está hibernando:
    .
    O ritmo cardíaco cai a até 2,5% de seu nível normal. O ritmo cardíaco de uma tâmia diminui para 5 batidas por minuto em vez das 200 normais.
    .
    A freqüência respiratória cai de 50% a 100% (sim, 100%). Alguns animais param de respirar completamente. Alguns répteis atravessam seu período de hibernação sem respirar e mesmo mamíferos mostraram capacidade de sobreviver com suprimentos de oxigênio bem reduzidos.

    A consciência é muito diminuída e varia conforme a espécie, mas muitos animais em hibernação ficam completamente esquecidos de seu ambiente, sendo quase impossível despertá-los. Se você fosse despertar um animal hibernando no meio do inverno, talvez o matasse. Ele usaria tanta energia para despertar que não teria chance de fazer isso na primavera, mesmo se pudesse reentrar em hibernação.
    .
    http://www.ebah.com.br/content/ABAAABmFQAG/funcoes-metabolicas-nos-animais-que-hibernam
    .
    Fiquei mais impressionado com parar a respiração completamente do que parar o coração completamente…

  10. Vitor Diz:

    Até a Scientific American aceita a possibilidade de hibernação em humanos:
    .
    http://www2.uol.com.br/sciam/noticias/sera_que_humanos_podem_hibernar_.html

  11. Gorducho Diz:

    Qual era a temperatura da cova dele :?:

  12. Gorducho Diz:

    Por uma questão de lealdade e transparência informo que o Professor lhe alfinetou lá no RéV e eu expliquei pra ele que o Sítio mudou de foco e agora se dedica a promover a parapsicologia e a yoga…

  13. Vitor Diz:

    pode passar o link? achei que o reV tinha acabado…

  14. Vitor Diz:

    Sobre a temperatura da cova, é dito:
    .
    Durante o período de oito dias a temperatura do ar dentro da cova variou apenas entre 24° C e 33° C, enquanto que do lado de fora as temperaturas máxima e mínima ficaram entre 29,3º C e 9,2º C.

  15. Gorducho Diz:

    Então… +24ºC só é “frio” pra vocês.
    Nessas condições não tem hipotermia.
     
    Atenção Analista Marciano: conversão pra F CAI :!:

  16. Vitor Diz:

    Só que o iogue é capaz de alterar a temperatura do próprio corpo. Ele não depende das condições externas.

  17. Gorducho Diz:

    Viola a 2ª lei da termo então?
    Cumé qui (viu como entendo de espiritismo?) ele bota pra fora calor pela pele pra +34°C – por evaporação de água não dá concorda? – e como ficam os gradientes térmicos dentro dele?

  18. Alexandre C. N. Diz:

    Será que algum pesquisador da época está vivo?

  19. Vitor Diz:

    Pelo que entendi, quando a temperatura do corpo cai, eles passam a queimar mais gordura.
    .
    http://mundoestranho.abril.com.br/mundo-animal/quais-animais-hibernam-por-que/

  20. Alexandre C. N. Diz:

    “No início dos anos 90, cientistas investigando mudanças bioquímicas durante a hibernação de esquilos – uma espécie de laboratório que serve como modelo de hibernação – documentou o primeiro gene que exibia diferenças em seus níveis de expressão entre o estado de esquilos ativos e o de esquilos em hibernação profunda. Esse gene, o Alfa-2-Macroglubulina (?2M), que serve para inibir a coagulação do sangue, apresenta níveis mais altos de expressão quando um animal está hibernando se comparado ao estado ativo do animal. Isso é especialmente importante para a sobrevivência durante a hibernação, porque a circulação quase cessa devido à redução da frequência cardíaca, o que aumenta o risco potencial de coágulos sanguíneos fatais quando a circulação desacelera.”

  21. Gorducho Diz:

    Se a temperatura do ambiente é 34ºC como o paranormal consegue se por a menos que essa bombeando calor pra fora de si?
    Nas bombas de calor (fridges ou condicionadores de ar) isso se consegue isolando – pelo menos até certo grau claro – os ambientes resfriado e externo (fonte quente).
    E isso às custas de energia, claro.
    E o paranormal?

  22. Gorducho Diz:

    Esquilos ficam @ -2°C claro, mas a temperatura da toca deles é muito menor.
    O que eu não entendi é como o paranormal consegue ficar abaixo da temperatura do ambiente no qual ele medita de coração parado…

  23. Gorducho Diz:

    Ou seja nos lugares onde está mais que 37°C a gente consegue manter às custas de suar certo?
    Uma fez fiquei um bom tempos nuns 55°C e algo úmido e uma hora se me preteou os olho…

  24. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Isso é respondido no artigo. Os autores ao menos apontam um caminho. Se tivesse lido, saberia.”
    /.
    PARA SEU GOVERNO: li o artigo, inclusive a parte que acha que responde à objeção, mas informo-lho: não responde.

  25. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Gorducho, então os pesquisadores mentiram e foram falhos.”
    /.
    QUE MENTIRAM, não digo, mas que foram falhos isso foram, provavelmente se deixaram lograr por alguma malandragem…

  26. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Várias outras coisas ocorrem quando um animal está hibernando”
    /.
    UÉ, e o iogui é um animal em hibernação?

  27. MONTALVÃO Diz:

    /
    Vitor Diz:
    .
    Ele pode ter reduzido a ponto de bater uma vez a cada 8 dias.
    /.
    COM CERTEZA, está provado scientiphicamente que um batimento a cada oito dias é mais que suficiente para irrigar os órgãos e manter o tônus vital… as fadas demonstraram isso na noite de S. Bartolomeu.

  28. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Até a Scientific American aceita a possibilidade de hibernação em humanos”
    /.
    COM BASE NUMA ocorrência incomum conjetura-se dessa possibilidade, ou seja, diz o autor: “é plausível”. No entanto o estado do iogui não era de hibernação. Os batimento pararam e, supõe-se, a respiração cessou… Nada a ver o xou do iogue com hibernação.
    .
    E até prova em contrário: o ser humano não é hibernante…

  29. Marciano Diz:

    Bem, como os dignos colegas perceberam, eu já disse tudo o que tinha a dizer sobre estes casos no outro tópico, inclusive sobre hipotermia.
    Não vou ficar girando em círculos.
     
    Além do texto transposto por Montalvão, julgo oportuno acrescentar o seguinte, sobre a alegada hipotermia:
     
    Marciano Diz:
    MARÇO 14TH, 2017 ÀS 8:02 PM
    GORDUCHO, tenho aberto aqui diante de mim um livro de medicina legal que diz que uma “hemorragia da sensibilidade, um gasto súbito e excessivo de energia nervosa, atuando por via reflexa sobre o aparelho circulatório, origina taquicardia débil, pulso filiforme e rápido, hipotensão, hipotermia, fácies pálida, sudorese e morte”.
    Manual de Medicina Legal – Delton Croce
    (página 431)
    Este tópico da UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA também diz:
     
    A hipotermia em humanos ocorre quando a temperatura central do corpo humano, que em situações normais é de aproximadamente 36,5ºC, desce abaixo dos 35ºC. Essa perda excessiva de calor pode causar danos como hiperglicemia, devido à estimulação simpático-adrenérgica que aumenta a produção de glicose a partir de glicogênio hepático e também devido à menor produção de insulina pelo pâncreas; diminuição da pressão arterial e do débito cardíaco devido a vasoconstrição periférica (pode inclusive ocasionar necrose das extremidades por falta de aporte sanguíneo) e arritmias cardíacas; aumento da afinidade da hemoglobina pelo oxigênio, tornando difícil a liberação deste para os tecidos, o que ocasiona desaceleração do metabolismo e aumento do ph sanguíneo pela diminuição da produção de dióxido de carbono; e uma diminuição na formação de urina, devido à diminuição do fluxo sanguíneo renal. Para evitá-la é essencial vestir roupas apropriadas, que isolem e que protejam do vento e da água. Poderá ser detectada em outras pessoas, já que o auto-diagnóstico é difícil, através de sintomas como alterações comportamentais, maior irritabilidade, agressividade e sonolência.
     
    O corpo humano tem um mecanismo próprio de controle da sua temperatura, chamado Mecanismo Termorregulador. Ele envolve centros e vias nervosas e químicas no cérebro, na medula espinal e em nervos por todo o corpo, além de receptores especiais de temperatura. Abaixo do nosso limite inferior de temperatura (36,5ºC) vários sintomas surgem, desde pele fria e tremores, até a morte. Quando as terminações nervosas detectam uma queda na temperatura, além da sensação de frio e arrepios, surge umavasoconstrição (diminuição do calibre) dos vasos sangüíneos da pele. Por isso a pele fica fria. Essa é a resposta inicial do corpo, no sentido de diminuir a perda de calor, mantendo constante a temperatura corporal interna. Quando essa vacoconstrição não é eficiente para evitar a queda da temperatura, surgem os tremores(contrações involuntárias dos músculos esqueléticos que geram calor).
     
    Se esse corpo continua exposto ao frio ambiental, os tremores diminuem ou cessam, surgem alterações mentais e a performance motora diminui. Progressivamente há um colapso do mecanismo termorregulador, que não consegue mais responder às necessidades do organismo, causando inclusive vasodilatação na pele e conseqüente aumento da perda de calor para o exterior. Assim, o indivíduo começa a diminuir seu nível de consciência, fica prostrado e sonolento, as funções vitais se alteram (principalmentefreqüência cardíaca, respiratória e pressão arterial) e esses sintomas vão evoluindo até a vítima entrar em coma e depois morrer. No decorrer desses eventos, podem surgir lesões pelo frio, principalmente nas extremidades (mãos, pés, nariz, orelha e lábios), das quais a mais grave é o congelamento.
     
    http://biobio-unb-extremos1.blogspot.com.br/2008/06/hipotermia_15.html

     
    Esta página mal traduzida do inglês também diz:
     
    Pelo Dr. Ananya Mandal, DM
     
    Uma parada cardíaca igualmente é chamada uma apreensão cardiopulmonar ou apreensão circulatória e indica uma parada repentina na circulação sanguínea eficaz e normal devido à falha do coração bombear o sangue.
     
    A parada Cardíaca é diferente do enfarte do miocárdio ou do cardíaco de ataque mas pode ser causada por um cardíaco de ataque. Quando a circulação sanguínea ao coração é devida parado reduzir ou artérias coronárias obstruídas, um cardíaco de ataque ocorre. Isto pode conduzir a um choque cardiogénico e a uma parada cardíaca.
     
    O Que acontece na parada cardíaca
     
    1. Uma Vez Que a circulação sanguínea usual para, a entrega do oxigênio a todos os órgãos vitais está parada igualmente. O órgão que é afectado o mais rapidamente e severamente por este é o cérebro. O paciente perde a consciência e respirar é rasa e minimizada. Se a parada cardíaca persiste por mais de cinco minutos, os danos cerebrais permanentes podem ocorrer.
    2. O pulso que é considerado geralmente na artéria carotídea no pescoço também nos pulsos e nos tornozelos está faltando.
    3. A parada Cardíaca pode conduzir à morte cardíaca repentina ou ao SCD. O cardíaco de Ataque é uma causa importante de SCD.
     
    http://www.news-medical.net/health/What-is-Cardiac-Arrest-(Portuguese).aspx

     
    Tudo o que aprendi até agora em livros de medicina legal e outros de biologia dizem que parada cardíaca e hipotermia causam morte, não importa a causa pela qual o coração deixou de pulsar.
    Esses casos são muito suspeitos.
     
     
    Sobre o outro caso:
     
    Marciano Diz:
    MARÇO 14TH, 2017 ÀS 9:44 PM
    A wikipedia fala na morte dele e na maluquice de guardarem o corpo num freezer.
     
    Ashutosh, also known as Ashutosh Maharaj (1946 – 2014), was an Indian spiritual leader, preacher, and founder head of Divya Jyoti Jagriti Sansthan, a non-profit spiritual organisation. On 29 January 2014, he was declared clinically dead by a team of doctors after suffering a heart attack. However his followers believe him to be alive and in the state of a samadhi or deep meditation. Since then his body has been kept in a freezer by the management of DJJS, hoping for him to come out of meditation.
     
    Isso é mais maluco do que criogenia.

  30. Marciano Diz:

    O cara morreu, puseram o corpo num ambiente refrigerado, e recusam-se a cremá-lo ou enterrá-lo, por motivos religiosos.
    O que tem isso demais?
     
    ===============================================================
    Ele pode ter reduzido a ponto de bater uma vez a cada 8 dias.
    ===============================================================
     
    Ou então pode reduzido a ponto de bater uma vez a cada 8 anos.
    Tão plausível quanto.
     
     
    Marciano Diz:
    MARÇO 14TH, 2017 ÀS 9:45 PM
    O cara está meditando há 3 anos, com o coração parado.
    WTF?

  31. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Nós tivemos que manter a instrumentação ao mínimo para evitar qualquer restrição indevida, distração ou desconforto que o impedissem de alcançar a plena concentração mental. Pela mesma razão, o iogue explicou, isso não poderia ser feito no laboratório ou ao ar livre.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: o que prova cientificamente que a máxima concentração ióguica se obtém em covas previamente cavoucadas pelo iogui ou discípulos… Vai ver foi por isso que em meus exercícios iogais nunca cheguei ao estado de samadhi… nem falei línguas estranhas… estranho mesmo…

  32. MONTALVÃO Diz:

    /
    Alguém notou que o iogui era hipertenso?

  33. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Às 17h15min no segundo dia, quando o iogue já estava dentro da cova por 29 h, para nossa grande surpresa, descobrimos que uma linha reta tinha substituído o traçado do ECG (faixa C na Foto CXXXVI, Fig. 1). Não houve uma desaceleração do coração imediatamente antes. Também foi notável que não houve distúrbio elétrico de qualquer tipo, mesmo com maior amplificação e com fios diferentes. Imediatamente pensamos em três possibilidades”
    /.
    ISSO LEMBRA AS EXPERIÊNCIAS DE CROKES monitoradas pelo galvanômetro: sabia-se que alguma coisa acontecera, mas não se podia ver o que era… por que não instalaram micro câmeras, que filmam no escuro, para acompanhar o que acontecia na cova?
    .
    Sesqueceram?

  34. Gorducho Diz:

    A presença da câmara IR atrapalharia a concentração do iogui.
    Já aprendemos que o superdotado tem que ter absoluta confiança de que não há nenhuma dúvida em nenhum dos experimentadores acerca das suas para-capacidades.
    Veja nesse caso científico dos sonhos no Maimonides cujos resultados não puderam ser replicados porque no outro lugar não foi dada a necessária deferência aos sensitivos:

    S indicated that “the red carpet was rolled out” on his visits to Maimonides. He knew there that he was among believers in the phenomenon under investigation. With us, there was much less fanfare attending his performance

  35. MONTALVÃO Diz:

    /
    “A presença da câmara IR atrapalharia a concentração do iogui.”
    /.
    DE FATO, já não se fazem ioguis como antigamente… há relato de iogues que, em concentração, pareciam mortos, nada os tirava do estado de enlevo: podia-se beliscá-lo, sacudi-lo, espetá-lo e o cara ficava impávido. Hoje, digo, no tempo da experiência, as coisas devem ter mudado, uma simples microcâmara seria suficiente para pôr tudo a perder…
    .
    Desconfio que o do enterramento seja um iogui antiquântico: se for observado o efeito alardeado não ocorre…

  36. Marciano Diz:

    Como os monges tibetanos, os iogues indianos parecem ter um talento incomum para manipular os processos fisiológicos, enquanto em meditação profunda. Depois de ouvir histórias de iogues que passavam 28 dias enterrados e sobreviviam, em 1936, um cardiologista francês chamado Therese Brosse viajou para a Índia, para ver se os iogues realmente tinham tais talentos. Nos experimentos de Brosse, os iogues teriam diminuído tanto as batidas do coração, que elas só foram detectadas por meio de um aparelho de eletrocardiograma.
    Na década de 1950, o estudo de Brosse foi ampliado por outro grupo de pesquisadores que viajou pela Índia com aparelhos de eletroencefalografia e vários outros instrumentos usados para monitorar a atividade cerebral dos iogues, bem como a respiração, temperatura corporal, alterações no sangue e condutância da pele. Dois iogues foram colocados em caixas fechadas hermeticamente, em duas ocasiões distintas e foram monitorados por 8 a 10 horas. Durante esse tempo, os iogues mostraram características biológicas semelhantes a quando estamos dormindo e foram capazes de diminuir a frequência cardíaca e a respiração para níveis tão baixos, que mantiveram o oxigênio e as quantidades de dióxido de carbono dentro da caixa praticamente nas mesmas proporções como as encontradas ao ar livre, ao nível do mar. Assim, provou-se que, diminuindo os processos corporais e não entrando em pânico (como a maioria de nós faria) os iogues podem sobreviver enterrados por muito mais tempo do que as pessoas normais, possivelmente por semanas a mais.

     

    Há um caso bem documentado, relatado pelo famoso psiquiatra Ian Stevenson, sobre um homem indiano chamado Durga Jatav que, durante uma batalha com a febre tifoide, teve um sonho muito vívido sobre estar sendo mantido em cativeiro, em outro reino. Para impedi-lo de fugir, os captores cortaram as pernas de Jatav na altura do joelho. Infelizmente, as pernas já estavam cortadas quando os sequestradores perceberam que tinham pego o homem errado e não tinham necessidade de mantê-lo prisioneiro. Quando Jatav perguntou como ele poderia partir sem pernas, lhe ofereceram vários pares de pernas, ele então escolheu seu próprio par e elas foram milagrosamente recolocadas.

    Enquanto Jatav tinha esse estranho sonho, seu corpo se tornou muito frio e sua família pensou que ele havia morrido, mas ele recuperou-se poucos dias depois. Uma vez acordado, sua irmã e uma vizinha notaram fissuras profundas em volta dos joelhos que não estavam lá antes. As radiografias não mostraram nenhuma anormalidade abaixo da superfície da pele, o que levou Jatav e sua família a acreditar que as marcas vieram de sua experiência onírica. O Dr. Stevenson conheceu Jatav cerca de 30 anos mais tarde, em 1979, e tirou fotos das cicatrizes ainda visíveis. Embora Stevenson não tenha testemunhado o evento, ele aparentemente acreditou na história, que foi confirmada por todos os envolvidos, e ele ainda incluiu o caso e as fotografias em seu livro “Reencarnação e Biologia: Uma Contribuição para a Etiologia de Marcas de Nascença e Defeitos de Nascimento”

    Obviamente, não há nenhuma prova científica para esse conto intrigante, mas não é exagero considerar que ele seja verdadeiro, tendo em vista tudo o que já sabemos sobre o poder da mente sobre o corpo.

     
    Lobisomem Ronda a cidade de Jacarezinho no Paraná
    Local: Jacarezinho – PR / Data: 02 de abril de 2.012
    Diversos relatos sobre a aparição de um lobisomem na cidade de Jacarezinho, no Paraná, vêm apavorando os moradores da região. Duas garotas que conversavam em frente de casa, por volta das 2 horas da manhã, ouviram sons estranhos e quando olharam para a direção do barulho avistaram uma criatura estranha. Elas imediatamente correram para o interior da uma das casas, os cachorros não paravam de latir e com as portas trancadas não viram mais nada. O bicho foi descrito como um cachorro bem grande, que possuía a cara preta e estava no meio da grama onde puderam ver seu corpo por inteiro.

    O fato ganhou tanta repercussão que a RPC, afiliada da rede globo no PR, gravou uma matéria sobre o assunto colhendo mais depoimentos.
    A TV registrou o fato:
    https://www.youtube.com/watch?v=rbI0vXIaUII

  37. Marciano Diz:

    Ian Stevenson está em todas.
    Todas, desde que seja na Índia.

  38. Marciano Diz:

    Todo mundo tem uma história pra contar:
    https://oliviobritto.wordpress.com/2010/12/26/pesquisas-do-dr-ian-stevenson-sobre-reencarnao/

  39. Alexandre C. N. Diz:

    MONTALVÃO: Eu também não descarto que o cidadão fez alguma malandragem, ele pode muito bem ter fingido estar morto.

  40. Alexandre C. N. Diz:

    Malandragem parecida com a que crianças fazem quando os pais entram no quarto e elas fingem estarem dormindo.

  41. Alexandre C. N. Diz:

    Em 1973, acredito que seria muito difícil, mas hoje seria possível colocar uma câmera secreta e não confiar apenas no ECG.

  42. Alexandre C. N. Diz:

    Além disso, o iogui deve ter levado umas cream cracker no bolso.

  43. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “QUE MENTIRAM, não digo, mas que foram falhos isso foram, provavelmente se deixaram lograr por alguma malandragem…”
    .
    Malandragem que, até hoje, aparentemente ninguém descobriu, nem mesmo os mágicos…

  44. Vitor Diz:

    MARCIANO DISSE: “Ou então pode reduzido a ponto de bater uma vez a cada 8 anos. Tão plausível quanto.”
    .
    Pela perda de peso que ele sofreu em 8 dias, ele não sobreviveria 8 anos nesse ritmo…

  45. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “UÉ, e o iogui é um animal em hibernação?”
    .
    Parece que sim. Ao menos se comportou como um.

  46. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “COM CERTEZA, está provado scientiphicamente que um batimento a cada oito dias é mais que suficiente para irrigar os órgãos e manter o tônus vital… as fadas demonstraram isso na noite de S. Bartolomeu.”
    .
    Falou o Nobel em Medicina/Fisiologia Moizés Montalvão…

  47. Vitor Diz:

    MARCIANO DISSE: “Tudo o que aprendi até agora em livros de medicina legal e outros de biologia dizem que parada cardíaca e hipotermia causam morte, não importa a causa pela qual o coração deixou de pulsar.”
    .
    A parada cardíaca hipotérmica é uma técnica que foi desenvolvida nos idos de 1950 e é usada desde então em diversos procedimentos cardíacos, vasculares e neurocirúrgicos. Nessa técnica o coração e a respiração param e a temperatura do corpo é resfriada até 60 graus Fahrenheit (ou 15,5 graus Celsius), e o sangue drenado da cabeça. Foi a essa técnica que Pam Reynolds se submeteu. E sobreviveu.

  48. Alexandre C. N. Diz:

    Agora estamos vendo bastante ciência nos comentários.

  49. Alexandre C. N. Diz:

    Por isso que a investigação científica é fantástica, de sorte que é arriscado fazer certas afirmações.

  50. Gorducho Diz:

    Perfeito… e como o iogue se auto-abaixa pra 60°F com a temperatura da toca @ 93° e suponho umidade próxima dos 100% (visto ele estar fechado lá) :?:
    Suando :?:

  51. Vitor Diz:

    O hipometabolismo observado não foi consequência da hipotermia. A queda na temperatura simplesmente não foi suficiente para explicar uma diminuição tão grande no metabolismo. Portanto, mesmo que uma temperatura reduzida possa ser parte do bhogarbha samadhi, não é o mecanismo que resulta em diminuição do metabolismo.

  52. Gorducho Diz:

    Hipometabolismo não; zilchmetabolismo.
    Porque se o coração dava 1 batida a cada 8h em termos práticos o metabolismo era zilch, não :?:

  53. Marciano Diz:

    O Buck Rogers Gordon ficou 500 anos meditando, usando essa técnica científica desenvolvida nos anos 50:
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Buck_Rogers
    Em 1987 o pessoal da televisão ainda não conhecia a técnica desenvolvida nos anos 50 e tratou-a como ficção científica.

  54. Marciano Diz:

    Animação suspensa
    Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
    A animação suspensa consiste na desaceleração dos processos fisiológicos vitais por meios externos sem levar à morte. A respiração, pulsação, e outras funções involuntárias podem continuar ocorrendo, mas poderiam ser detectadas apenas por meios artificiais. O frio extremo pode ser utilizado para exarcebar a desaceleração das funções de um individual; o uso deste processo tem levado ao desenvolvimento da criônica. A criônica é outro método de preservação da vida, mas a preservação se dá através do congelamento do organismo em nitrogênio líquido até a reanimação. Laina Beasley foi mantida em animação suspensa como um embrião de duas células por 13 anos.[1][2]
     
    A suspensão da animação de astronautas tem sido proposta como uma maneira de estes viajantes do espaço alcançarem o meio interstelar ou intergaláctico, evitando a necessidade de uma nave geracional; ocasionalmente os dois processos combinados têm sido propostos, em que gerações de “zeladores” supervisionam grandes populações de passageiros congelados.
     
    Desde os anos 70, a hipotermia induzida tem sido utilizada em algumas cirurgias cardíacas abertas como alternativa às máquinas cardiopulmonares. PORÉM, A HIPOTERMIA SÓ PERMITE UMA QUANTIDADE LIMITADA DE TEMPO PARA A OPERAÇÃO E HÁ O RISCO DE DANOS A TECIDOS E AO CÉREBRO POR PERÍODOS PROLONGADOS.
     
     
    Esses iogues deviam deixar de ser egoístas e ensinar a técnica aos cirurgiões. Quantas vidas não seriam salvas se médicos soubessem manter a hipotermia por uma quantidade menos limitada de tempo…
    Talvez, se eles ensinarem isso aos médicos, um de nós venha a se beneficiar da técnica no futuro.
     
    Parece que, por enquanto, só iogues sabem controlar tão bem essa técnica.
    Será que esses pesquisadores de iogues não conseguem aprender com eles, para que a medicina possa avançar um pouco nessa área?

  55. Marciano Diz:

    Indução química[editar | editar código-fonte]
    Um artigo publicado na edição de 22 de abril de 2005 da revista científica Science descreveu o sucesso de uma técnica de indução de um estado de hipotermia similar à animação suspensa em camundongos. Os resultados foram significativos, considerando que os camundongos não hibernam na natureza. O laboratório de Mark B. Roth no Fred Hutchinson Cancer Research Center em Seattle, Washington, introduziu os camundongos numa câmara contendo 80 ppm de sulfeto de hidrogênio por um período de 6 horas. A temperatura corporal dos camundongos caiu a 13 graus celsius e o metabolismo, em decorrência da redução da produção de dióxido de carbono e uso do oxigênio diminuiu em 10 vezes.[5] Eles também induziram a hipóxia em embriões de nemátodos e peixes-zebra, suspendendo a animação desses organismos por horas, os reanimando através do reenvio de oxigênio aos embriões.
     
    O Hospital Geral de Massachusetts em Boston anunciou que seus pesquisadores conseguiram forçar a hibernação de camundongos utilizando este método. A taxa de batimentos cardíacos foi reduzida de 500 a 200 batimentos por minutos, e a respiração caiu de 120 a 25 expirações por minuto e a temperatura corporal caiu de 39ºC a 30°C. Após 2 horas sem respirar ar contendo sulfeto de hidrogênio, os camundongos retornaram ao normal. São necessários estudos adicionais para averiguar se o gás causou efeitos danosos no cérebro, considerando que o efeito do sulfeto de hidrogênio no corpo é similar ao do cianeto de hidrogênio; essa substância não diminui a taxa do metabolismo, mas inibe a transferência de energia no interior das células pelo ATP (o sulfeto de hidrogênio forma uma ligação complexa com o ferro nas enzimas de citocromo mitocondriais).[6]
     
    Experimentos em ovelhas sedadas[7] e porcos anestesiados parcialmente ventilados[8] não têm obtido sucesso, sugerindo que a aplicação deste método em mamíferos de grande porte pode não ser viável.
     
    Hibernação humana[editar | editar código-fonte]
    Há vários projetos de pesquisa em andamento buscando um meio de atingir a “hibernação induzida” em humanos.[9][10] Essa capacidade de provocar a hibernação em humanos poderia ser útil por várias razões, tal como o salvamento da vida de pessoas muito feridas ou doentes através da indução temporária da hibernação até que o tratamento possa ser dado.
     
    Há casos de hibernação humana acidental. O caso mais recente foi o de Mitsutaka Uchikoshi, um japonês que sobreviveu ao frio por 24 dias em 2006 sem alimento e água, quando atingiu um estado de hipotermia similar à hibernação.[11]
     
     
    Esses bobalhões de Massachusetts deveriam deixar o orgulho de lado e perguntar aos iogues como se faz.
    Tanto trabalho para conseguir 200 bpm com camundongos, quando se pode atingir 1 batimento a cada 8 horas em HUMANOS.

  56. Marciano Diz:

    http://www.livescience.com/211-hibernation-technique-work-humans.html
    New Hibernation Technique Might Work on Humans
     
    Mas que idiotas! Será que não sabem que funciona? E bem melhor do que com camundongos, sem qualquer dano cerebral ou a qualquer outro tecido.
    Qualquer iogue sabe.

  57. Marciano Diz:

    Please, close the bold for me .
    Thanks!

  58. MONTALVÃO Diz:

    /
    Alexandre C. N. Diz:
    .
    Além disso, o iogui deve ter levado umas cream cracker no bolso.
    /.
    OU UMAS BARRINHAS de cereais…

  59. MONTALVÃO Diz:

    /
    MONTALVÃO DISSE: “QUE MENTIRAM, não digo, mas que foram falhos isso foram, provavelmente se deixaram lograr por alguma malandragem…”
    .
    VISONI: Malandragem que, até hoje, aparentemente ninguém descobriu, nem mesmo os mágicos…
    /.
    VAMOS VER, ENTÃO…
    .
    Se biologicamente o ser humano não sobrevive com o coração parado mais que um tempinho e aparece um que viva nessa condição um tempão, o que pensar?
    .
    Ou estaremos diante do super stopheart, ente lendário que dizem habita covas e nelas sobrevive sem comer nem beber, ou perante um safado truque…
    .
    Lembra o Arduin, quando diz: até hoje ninguém provou que detrás das cortinas havia truque e não materialização…

  60. MONTALVÃO Diz:

    /
    MARCIANO DISSE: “Tudo o que aprendi até agora em livros de medicina legal e outros de biologia dizem que parada cardíaca e hipotermia causam morte, não importa a causa pela qual o coração deixou de pulsar.”
    .
    VISONI: A parada cardíaca hipotérmica é uma técnica que foi desenvolvida nos idos de 1950 e é usada desde então em diversos procedimentos cardíacos, vasculares e neurocirúrgicos. Nessa técnica o coração e a respiração param e a temperatura do corpo é resfriada até 60 graus Fahrenheit (ou 15,5 graus Celsius), e o sangue drenado da cabeça. Foi a essa técnica que Pam Reynolds se submeteu. E sobreviveu.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: ah, agora tá explicado: o iogui aplicou em si mesmo, e por si próprio, e sem equipamento, a técnica cirúrgica utilizada em Pam Reynolds!
    .
    Nada como falar com quem sabe…
    /
    /
    Alexandre C. N. Diz:
    .
    Agora estamos vendo bastante ciência nos comentários.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: teria faltado aspas em “estamos vendo bastante ciência nos comentários”, ou realmente é o que pensa? [falava, suponho, do comentário que comparava a cirurgia de Reynolds com a malandragem do iogui]
    .
    Eu vejo bastante nonsense…

  61. MONTALVÃO Diz:

    /
    E da hipertensão do iogue, ninguém vai falar? Como um iogui hipertenso (!) consegue o feito de controlar seu coração, ao ponto de pará-lo vários dias e não se autocura da pressão alta?

  62. MONTALVÃO Diz:

    /
    Há quarenta anos tive uma desilusão amorosa, foi aí que substituí meu coração por uma pedra e a trago comigo na cavidade torácica até hoje.
    .
    Sobrevivo 40 décadas sem coração…
    .
    Té hoje ninguém ligou…

  63. MONTALVÃO Diz:

    /
    Mais que a resistência do iogui surpreende a teimosia do Visoni em defender certas excrescências, e, por meio delas, querer provar sabe-se lá o quê…

  64. Alexandre C. N. Diz:

    Ainda bem que dispomos de especialistas tupiniquins (os melhores) sempre prontos a salvar-nos de cientistas gringos malandrões.

  65. Marciano Diz:

    Os gringos não são tão bons quanto os tupiniquins, mas também existem os que duvidam.
     
    What science actually says about breathlessness
    The claims that yogis can stop their breath ought to be verifiable in a controlled laboratory.

    What is the scientific evidence that yogis can stop breath? None. In fact, it would be dangerous if they did.
    I was not able to find any scientifically verified examples of meditators who can stop their breath or heartbeat. Read my post Can Yogis Stop Their Heart? click, you stupid!
    Yogis or anyone who could demonstrate breathlessness could earn millions of dollars and promote their “worthy” causes if they would only demonstrate the truth of their supernatural claims.
     
    http://skepticmeditations.com/2015/05/04/evidence-against-breathlessness-and-samadhi/

  66. Marciano Diz:

    Acho que o Vitor também pensa que o assunto seja discutível, ou não o teria postado aqui.
    Qual o propósito de postar artigos sobre verdades provadas e comprovadas?

  67. Marciano Diz:

    Já que o Vitor gostou, vou deixar outro link aqui:
    https://www.reference.com/science/long-can-brain-survive-oxygen-a9cbc3304b63a488#

  68. Vitor Diz:

    Espalhar a verdade, torná-la conhecida… mas a princípio em ciência tudo é discutível.

  69. Marciano Diz:

    Estou seguindo o líder de voo Gorducho.
    Assim que ele iniciar a aproximação final, eu entro na fila de pouso (mantendo a distância, para evitar wake turbulence).

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)