Livro Gratuito! “Semíramis”, de Camilo Chaves (1995)

Para baixar o livro, clique aqui.

13 respostas a “Livro Gratuito! “Semíramis”, de Camilo Chaves (1995)”

  1. Gorducho Diz:

    Mas que eu saiba o autor não alega que a obra lhe tenha sido ditada pelo espíritos dela ou d’algum que com ele tenha convivido…
    Ele posiciona a obra como um romance sem pretensões de conter dados obtidos via Revelações do Sobrenatural.
    ☐ ERRADO
    ☐ CERTO

  2. Vitor Diz:

    CERTO. NÃO É obra psicografada. Mas pode ter sido plagiada. Ou o autor pode ter plagiado (o que não acredito, mas…). A disponibilização facilita a busca por coisas assim.

  3. Gorducho Diz:

    Logo no início o Simas – que pela lenda real era uma espécie de Secretário da Agricultura & Produção Animal do Município de Ascalon – é eleito sumo-sacerdote de todo Egito :!:
    É dito (até aí coerentemente, que ele era sírio de nascença).
     
    Se grande era a significação da data dedicada a Amon, outra importante razão contribuía para o esplendor da festividade. Com a morte do velho detentor do cargo, procedia-se, naquele dia, à sagração do novo grão-sacerdote ou sumo pontífice do Egito. Dos vários conclaves, realizados nos círculos religiosos, resultara a eleição do sacerdote Simas, diretor do templo da Esfinge. Figura preeminente no meio sacerdotal, reunia às virtudes morais e cívicas vasta erudição e cultura.
     
     
    Ora, no xaverianismo esse sumo-sacerdote Simas é ninguém mais e ninguém menos que o Emmânuel.
    A questão interessante – dependente das cronologias…– é se ele autor terá se baseado na alegação xaverianista pra construir o personagem – sem problemas uma vez que a obra é apresentada como ficção…– ou se terá sido uma sequencia reversa…
    :?:

  4. Vitor Diz:

    GORDUCHO DISSE: “Ora, no xaverianismo esse sumo-sacerdote Simas é ninguém mais e ninguém menos que o Emmânuel.”
    .
    Daonde vc tirou isso?

  5. Gorducho Diz:

    :(
    Eu não “TIREI” de lugar nenhum :!:
    Eu ESTUDO o espiritismo.
    Meu pós Ph.D. na matéria não é fajuto: é fruto de ESTUDO desde que me conheço por gente (li o Martírio ou o Memórias – isso sim não me lembro qual dos 2… :mrgreen: – com 10- por exemplo).
     
     
    [Wiki]
    Emmanuel (espírito)
    A 1ª encarnação de Emmanuel conhecida na Terra data do século IX a.C.. Seu nome era Simas, grão-sacerdote do templo de Amon-Rá na antiga cidade egípcia de Tebas. Foi reitor da escola de Tânis e pai da futura rainha Samura-Mat (Semíramis), do império da Assíria, da Babilônia, do Sumér e do Akad
    .

  6. Vitor Diz:

    Refazendo a pergunta: QUEM ORIGINALMENTE ligou esse Simas a uma vida passada de Emmanuel? Não foi o Camilo. Se não foi ele, quem foi? E onde está documentado?

  7. Vitor Diz:

    Já vi que está documentado no livro “Deus Conosco”, lançado em 2006…

  8. Vitor Diz:

    Fui conferir a informação, é dito:
    .
    Revelação do Espírito do ex-presidente da União Espírita Mineira (UEM), Camilo Rodrigues Chaves, através do médium Chico Xavier, na residência de Maria Philomena Aluotto Berutto, D. Neném, na presença de diversos confrades como Zeca Machado, Adélia Machado de Figueiredo, Paulo e Wanda Noronha, Ademar Dias Duarte, Bady Elias Cury, José Martins Peralva Sobrinho e Jupira Silveira Peralva, e Arnaldo Rocha. Informação confirmada décadas adiante em conversa particular com Geraldo Lemos Neto. Veja dados tipográficos da obra mencionada em Bibliografia indicada.
    .
    O Camilo Chaves morreu em 1955. A data de 1995 para o livro Semíramis é da 5ª edição. A 3ª edição é de 1989. A 2ª edição parece ser de 1958:
    .
    https://www.estantevirtual.com.br/sebotraca/camilo-chaves-semiramis-197950880
    .
    Não consegui achar a data da primeira edição.
    .
    Em suma: o espírito do Camilo desdisse tudo o que havia dito antes sobre o livro ser ficção!

  9. Phelippe Diz:

    Esse Emmânuel é versátil, não?

  10. Gorducho Diz:

    Então… é o que especulei…
     
    Se (i) os xaverianistas informaram antes do livro que Emmânuel foi esse Simas sumo-sacerdote (e não o Simas da lenda real “capataz” do rei de Ascalon – e portanto Secretário Municipal da A&PA em termos modernos…) – ou seja que Simas era um sumo-sacerdote da religião egípcia – e Dr. Camilo Rodrigues Chaves aproveitou isso pro seu personagem na obra admitidamente DE FIÇÃO, não tem problema nenhum.
    O livro é de ’37 – Cia. Ed. Piratininga.
    Agora, se
    (ii) os xaverianistas se basearam na obra de ficção, temos um problema. Teríamos – registre-se o condicional…– um problema: mais uma origem terrena, admitidamente pelo próprio autor como fantasiosa, duma narrativa que adquire status de Verdade Revelada perante os fiéis :!:
    Percebe :?:
     
    Segundo essa explicação que circula: revelação do espírito do ex-presidente da União Espírita Mineira (UEM), Camilo Rodrigues Chaves
    portanto DEPOIS dele falecido e então – claro :!: :mrgreen:MUITÍSSIMO DEPOIS do romance publicado
    através do médium Chico Xavier, &c…
    Ora, teríamos a situação (ii) numa circularidade: o autor CRC cria um personagem admitidamente ficcional e CX usa a informação alegando que ela veio dele :!:
    Que diz :?:

  11. Vitor Diz:

    É a situação II, por certo.

  12. Gorducho Diz:

    ERRATA
    O livro é de ’37. Interpretei mal a nota obituária existente no sítio da FEB
     
    A desencarnação do querido e bondoso Dr. Camilo Rodrigues Chaves, às 23,30 horas do dia 3 de Fevereiro de 1955, com a avançada idade de 70 anos, causou profunda e indescritível saudade à Família Espírita de Minas e do Brasil.
    [...]
    Já se encontra no prelo a sua segunda obra intitulada «Semíramis», editada pela Companhia Editora Piratininga, de São Paulo.
     
    Portanto o livro é de ’55 escrito em ’54…

  13. Gorducho Diz:

    A viagem de retorno da esquadra fenícia realizou-se pela costa sul da península itálica e pela Sicilia, de cuja extremidade alcançou a costa africana. Samura-mat foi recebida em Tânis pela faraona, como se tivesse voltado de empresa temerária. Os dias em que permaneceu na capital egípcia foram empregados em preparativos para a volta à Babilônia.
    Grandes forças, estacionadas na Arábia e na Etiópia, já haviam regressado, quando Samura-mat se despediu de sua amiga Chams.
    – Minha irmã, disse-lhe, volto a Babilônia, cativa da tua hospitalidade. Dias felicíssimos passei ao teu lado, e, aqui, pude reviver a fase venturosa da infância.
    – Agradeço ao Todo-Poderoso a benevolência, que me conferiu, ao permitir-me abraçar a minha querida Samara, que eu julgava para sempre afastada de mim. O destino confirmou, pela nossa amizade fraterna, a paz que impera nas nações do mundo, porque, juntas e irmanadas, ninguém se atreverá a atacar-nos.
    – Seremos irmãs, e nada nos separará. Duas mulheres dirigem os destinos do mundo e trabalharão para que os homens se entendam.

    Se não me engano, essa Chams era o CX…

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)