Uma Abordagem Experimental para Sonhos e Telepatia (1966), por Montague Ullman

Esse estudo foi um dos primeiros a evidenciar telepatia em sonhos na situação laboratorial, e foi feito com sujeitos que não eram conhecidos por qualquer atividade psíquica regular, ou seja, pessoas comuns. Anda assim, o estudo obteve bons resultados. Para lê-lo, clique aqui. Muito agradeço a Luis Felipe de Lima Correa Leite pela tradução!

186 respostas a “Uma Abordagem Experimental para Sonhos e Telepatia (1966), por Montague Ullman”

  1. MONTALVÃO Diz:

    /
    Tantas especulações oníricas, vamos acabar tendo pesadelos…

  2. MONTALVÃO Diz:

    /
    Uma pergunta que se pode fazer sem receio: o artigo é de 1966, o gerente diz que nessa data foi evidenciada telepatia em sonhos. Passados 51 anos o que temos de evolução nesse conhecimento?
    .
    Terei ouvido alguém murmurar “nada”?
    .
    Mas o 51 me deu uma boa ideia…

  3. Marciano Diz:

    Nichts.

  4. Marciano Diz:

    Überhaupt nichts.

  5. MONTALVÃO Diz:

    /
    Desconfio que o poltergeist, cansado de obsediar o de Marte, resolveu possuí-lo…

  6. MONTALVÃO Diz:

    /
    Não sei por que o texto em duas colunas… pra dificultar e desestimular a leitura?

  7. MONTALVÃO Diz:

    /
    Quem mal começa mal termina…
    .
    O artigo inicia com equívocos:
    /
    ——————————–.
    “O interesse científico a respeito do tema telepatia tem, de tempos em tempos, influenciado a tendência da dinâmica psiquiátrica atual.”
    ——————————–.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: se tem é muito pouco. A telepaticrendice não consta dos currículos para a formação de psiquiatras. Pode até haver psiquiatras acreditantes (eu, pelo menos, conheço um), mas tal não significa que a psiquiatria vote importância a psi.
    /
    /
    ——————————–.
    “De um ponto de vista histórico, é interessante notar os diferentes pontos de vista sobre este assunto, defendido pelos três pais e fundadores do movimento psicanalítico. Embora ele nunca, explicitamente, reconhecesse a crença no fenômeno, Freud (1-4) considerou, em vários trabalhos escritos ao longo dos anos, algumas das implicações da hipótese telepática e sua possível relevância para o pensamento da teoria psicanalítica.”
    ——————————–.
    /
    CONSIDERAÇÃO: mintchura… Freud se interessou por um certo tempo pelos imaginados fenômenos paranormais, depois deixou o assunto de lado. A teoria psicanalítica não incorporou mais essa fantasia às que defende;
    /
    /
    ——————————–.
    “Jung (5) parece ter amadurecido com uma inquestionável aceitação da telepatia. Em seus últimos anos desenvolveu um elaborado sistema teórico para explicar ocorrências paranormais deste tipo (6).”
    ——————————–.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: Jung não pode, legitimamente, ser reputado um dos “três pais da psicanálise”. Carl Jung criou uma teoria própria que, embora tenha parecenças com a psicanálise desta tem várias diferenças. A escola de Jung denomina-se “psicologia analítica”. Carl Gustav Jung era fortemente inclinado ao misticismo e foi esta característica um dos motivos que culminaram na separação entre ele e Freud.
    /
    /

    “Adler (7) rejeitou a ideia da telepatia, considerando tais afirmações como não mais que mecanismos neuróticos compensatórios.
    .
    FREUD PERCEBEU DIVERSOS TIPOS DE EXPERIÊNCIAS PARANORMAIS OCORRENDO NO CONTEXTO DE UMA SITUAÇÃO DE TRATAMENTO PSIQUIÁTRICO, incluindo a possibilidade de influência telepática no sonho. Ele foi o 1º a sugerir que, fosse telepatia uma realidade, um dos fatores que impedem o reconhecimento direto, de um evento percebido telepaticamente, seria a probabilidade da distorção dinâmica que tal percepção estaria apta a sofrer em sua transição de um nível inconsciente para outro consciente.”
    —————————–.
    /
    CONSIDERAÇÃO: parece haver exagero no declarado acima: Freud não se interessava pelo ocultismo, que é como ele classificava os “milagres” que se alardeavam no seu tempo, o que incluía a metapsíquica. Da parapsicologia só se interessava pela telepatia, assim mesmo de forma um tanto superficial: procurava saber se no conteúdo dos sonhos ditos telepáticos haveria algo que pudesse ser útil à análise (psicanálise). Ele próprio declarou que não tinha opinião definida a respeito da realidade da telepatia e que, em mais de duas décadas de análise de sonhos, nunca topara pessoalmente com um que pudesse reputar “telepático”.

  8. Eu Sou a Universal Diz:

    Ao amigo Marciano que quer ser piloto, eu ofereço essa música:

    https://www.youtube.com/watch?v=jAMG84-zeYc

  9. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “o artigo é de 1966, o gerente diz que nessa data foi evidenciada telepatia em sonhos. Passados 51 anos o que temos de evolução nesse conhecimento?.
    Terei ouvido alguém murmurar “nada”?”
    .
    Meu Zeus… lembro que esse artigo foi feito com pessoas comuns. Depois passou-se a utilizar sujeitos selecionados, um dos primeiros foi Malcolm Bessent. Que era fotógrafo. Mesma profissão da Hella Hammid, outra psíquica. Começou-se a perceber que pessoas artisticamente dotadas pontuavam melhor. Houve a criação da técnica Ganzfeld, que diminuiu os custos dos experimentos com sonhos.
    .
    MONTALVÃO DISSE: ” mintchura… Freud se interessou por um certo tempo pelos imaginados fenômenos paranormais, depois deixou o assunto de lado. A teoria psicanalítica não incorporou mais essa fantasia às que defende”
    .
    Será que deixou de lado mesmo?
    .
    Depois da primeira comunicação, em Viena em 1908, de três casos suscetíveis de serem interpretados como casos de transmissão de pensamento, será preciso esperar até 1919 para a publicação de escritos sobre os fenômenos de telepatia. O interesse de Freud pelo assunto foi reanimado depois da guerra e se revela, ao longo dos escritos, portador de uma escolha forçada que ele decide assumir: “Pensar nessa maçã ácida me faz tremer, mas não há meio de evitar ter que mordê-la” (a Eitingon).
    .
    http://www.latusa.com.br/pdf_latusa_digital_46_a1.pdf

  10. Marciano Diz:

    Amigo Pastor, há quanto tempo!
    Não quero ser piloto profissional. Quero só voar em minha própria aeronave, comigo no comando.
    Essa menina linda que canta essa música deve ser, atualmente, uma velha horrorosa. Acertei?
    Se sim, o tempo é imperdoável.
    Se não, esperemos mais alguns anos…

  11. MONTALVÃO Diz:

    /
    MONTALVÃO DISSE: “o artigo é de 1966, o gerente diz que nessa data foi evidenciada telepatia em sonhos. Passados 51 anos o que temos de evolução nesse conhecimento?.
    Terei ouvido alguém murmurar “nada”?”
    .
    VISONI: Meu Zeus… lembro que esse artigo foi feito com pessoas comuns. Depois passou-se a utilizar sujeitos selecionados, um dos primeiros foi Malcolm Bessent. Que era fotógrafo. Mesma profissão da Hella Hammid, outra psíquica. Começou-se a perceber que pessoas artisticamente dotadas pontuavam melhor. Houve a criação da técnica Ganzfeld, que diminuiu os custos dos experimentos com sonhos.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: Ganzfeld e sonhos? Não me parece que se misturam…
    .
    A questão continua, pois, malgradas as “explicações” visonianas: “Passados 51 anos o que temos de evolução nesse conhecimento, além da cachacinha que leva o nome?”
    /
    É interessante lembrar o que Freud disse, ele que era membro das SPR inglesa e americana: “em 24 anos de análise nunca deparei um sonho telepático”…
    .
    Se Krippner e Ullman acharam telepatia em sonho isso significa que essa manifestação está perfeitamente enquadrada na Conjetura de Moi, ou seja, “de ocorrência esporádica e fora do controle de quem supostamente a possui e sem utilidade conhecida”. Mais uma vez a Conjetura se confirma!
    /
    /
    .
    MONTALVÃO DISSE: ” mintchura… Freud se interessou por um certo tempo pelos imaginados fenômenos paranormais, depois deixou o assunto de lado. A teoria psicanalítica não incorporou mais essa fantasia às que defende”
    .
    VISONI: Será que deixou de lado mesmo?
    .
    “Depois da primeira comunicação, em Viena em 1908, de três casos suscetíveis de serem interpretados como casos de transmissão de pensamento, será preciso esperar até 1919 para a publicação de escritos sobre os fenômenos de telepatia. O interesse de Freud pelo assunto foi reanimado depois da guerra e se revela, ao longo dos escritos, portador de uma escolha forçada que ele decide assumir: “Pensar nessa maçã ácida me faz tremer, mas não há meio de evitar ter que mordê-la” (a Eitingon).”
    .
    http://www.latusa.com.br/pdf_latusa_digital_46_a1.pdf
    /.
    CONSIDERAÇÃO: bem, a última parte de meu declaramento você não questionou (“A teoria psicanalítica não incorporou mais essa fantasia às que defende”), portanto com ela concorda e seria um desatino se não concordasse.
    .
    As referências de Freud ao ocultismo (título que utilizava para classificar inclusive as alegações do paranormal) são incidentais e não geraram reflexões aprofundadas. É fato que Freud achou que a telepatia talvez pudesse elucidar alguns sonhos atípicos, mas não fechou questão a respeito. É dele a declaração em “Sonho e Telepatia”, após expor os casos que considerava passíveis de serem explicados telepaticamente (2 casos);
    ./
    “Deixo aos senhores decidir se a explicação que sugeri é sustentável. Não posso prová-la nem negá-la.”
    ./
    Em “Sonhos e Ocultismo” o mesmo freud diz:
    /
    “Infelizmente, porém, aqui deparamos com circunstâncias que são por demais desfavoráveis para nossas honestas intenções. As observações, das quais se supõe dependa o nosso julgamento, realizam-se sob condições que tornam incertas as nossas percepções sensoriais e que turvam a nossa capacidade de atenção; ocorrem na escuridão, ou sob luz vermelha mortiça, após longos períodos de vã expectativa.
    .
    É-NOS DITO QUE, DE FATO, NOSSA ATITUDE DESCRENTE — OU SEJA, NOSSA ATITUDE CRÍTICA — PODE EVITAR QUE OS FENÔMENOS ESPERADOS ACONTEÇAM.
    .
    A SITUAÇÃO ASSIM CRIADA NÃO É SENÃO UMA CARICATURA DAS CIRCUNSTÂNCIAS EM QUE GERALMENTE ESTAMOS ACOSTUMADOS A REALIZAR PESQUISAS CIENTÍFICAS.
    .
    As observações são feitas no que se chama de ‘médiuns’ — indivíduos aos quais se atribuem faculdades especialmente ‘sensíveis’, mas que de modo algum se distinguem por qualidades excepcionais de inteligência ou de caráter, e que não são, como os fazedores de milagres do passado, inspirados por qualquer idéia grandiosa ou propósito sério.
    .
    Pelo contrário, são considerados, até mesmo por aqueles que acreditam em seus poderes secretos, como particularmente indignos de confiança; A MAIOR PARTE DELES JÁ FOI DESMASCARADA COMO SENDO CONSTITUÍDA DE TRAPACEIROS, E COM RAZÃO PODEMOS ESPERAR QUE O MESMO DESTINO AGUARDA OS RESTANTES.”
    /
    E NESTE mesmo artigo, a respeito da telepatia, o pai da psicanálise diz:
    /
    “O que denominamos ‘telepatia’ é, conforme sabem, o fato suposto de que um evento, que ocorre em um determinado tempo, aproximadamente no mesmo momento chega à consciência de alguém distante no espaço, desprezando as vias de comunicação conhecidas.
    .
    Pressupõe-se implicitamente que tal evento interessa a essa pessoa, por quem a outra pessoa (o recebedor da informação) tem um intenso interesse afetivo. Por exemplo, a Pessoa A pode ser vítima de um acidente, ou pode morrer, e a Pessoa B, que lhe tem uma ligação estreita — sua mãe, ou filha, ou noiva — sabe do fato, quase ao mesmo tempo, através de uma percepção visual ou auditiva.
    .
    Nesse último caso, portanto, é como se tivesse sido informada por telefone, embora não seja este o caso; é um tipo de equivalente psíquico da telegrafia sem fio.
    .
    NÃO PRECISO INSISTIR COM OS SENHORES SOBRE A IMPROBABILIDADE DE TAIS FATOS, e há bons motivos para desprezar a maior parte desses relatos.
    .
    Restam alguns que não podem ser eliminados assim tão facilmente. Permitam-me, agora, em razão do propósito daquilo que tenho para dizer-lhes, que eu omita a cautelosa palavrinha ‘suposto’ e continue como se eu acreditasse na realidade objetiva do fenômeno da telepatia. MAS TENHAM CLARO EM MENTE QUE NÃO É ESTE O CASO E QUE NÃO ADERI A NENHUMA CONVICÇÃO.”

  12. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “Ganzfeld e sonhos? Não me parece que se misturam…”
    .
    O Ganzfeld é justamente uma EVOLUÇÃO dos testes em Maimonides. Agora não é mais preciso dormir no laboratório para registrar as impressões recebidas. Isso poupa tempo e dinheiro. E aumenta a replicação.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Se Krippner e Ullman acharam telepatia em sonho isso significa que essa manifestação está perfeitamente enquadrada na Conjetura de Moi, ou seja, “de ocorrência esporádica e fora do controle de quem supostamente a possui e sem utilidade conhecida”. Mais uma vez a Conjetura se confirma!”
    .
    Nada disso impede a confirmação laboratorial da existência do fenômeno. E já vimos a utilidade em casos espontâneos…
    .
    MONTALVÃO DISSE: “se tem é muito pouco. A telepaticrendice não consta dos currículos para a formação de psiquiatras. Pode até haver psiquiatras acreditantes (eu, pelo menos, conheço um), mas tal não significa que a psiquiatria vote importância a psi.”
    .
    Ao menos na psicanálise a telepatia segue com toda a força…
    .
    http://journals.sagepub.com/doi/pdf/10.1177/0952695116684311
    .
    Houve um interesse constante na telepatia na psicanálise desde o início. A psicanálise relacional, que é um desenvolvimento relativamente novo na teoria e prática psicanalítica, parece mais receptiva às experiências entre paciente e analista que sugerem capacidades comunicativas ostensivamente anômalas. Para estabelecer esta abertura aos fenômenos telepáticos com abordagens relacionais, é examinada uma seleção de trabalhos recentemente publicados nos principais periódicos acadêmicos em psicanálise relacional. Isso demonstra a medida em que as experiências de telepatia são abertamente apresentadas e seriamente consideradas na comunidade relacional. O artigo discute as características da abordagem relacional que podem facilitar uma maior abertura à experiência telepática. O argumento é que a psicanálise relacional fornece um quadro coerente no qual os fenômenos anômalos da interação paciente-analista podem ser entendidos.
    .
    Artigo publicado em 28/12/2016.
    .
    MONTALVÃO DISSE: ” a última parte de meu declaramento você não questionou (“A teoria psicanalítica não incorporou mais essa fantasia às que defende”), portanto com ela concorda e seria um desatino se não concordasse.”
    .
    NÃO CONCORDO :-)
    .
    In 1956, Michael Balint published observations on the operation of telepathy in therapy, based on his own clinical experiences (Balint, 1956). Strean and Coleman-
    Nelson (1962) published an analysis of telepathic events in clinical practice that supported Freud’s argument that telepathic phenomena could be observed to obey the same psychodynamic laws as unconscious mental activity. Weiler’s (1967) reflections on telepathy in psychotherapy begin by acknowledging that most analysts have experienced psi-like phenomena; his analysis of his own data leads him to conclude that it is possible for the unconsciouses of two separate people to become aligned in some as yet unexplained way. Meerloo (1968) argued that telepathy in therapy was a form of direct unconscious communication, which was both instinctual and currently ‘unexplored as yet by physical sciences’ (ibid.: 60).
    .
    In 1976, Dieckmann published the results of a study of transference and countertransference undertaken by a group of German psychoanalysts. [...]
    .
    Major and Miller (1981) claimed that the Freudian notion of thought transference and telepathy are so similar as to be one and the same thing. They drew from parapsychological research, which suggests that, unlike other natural physical phenomena, the agency of ESP and telepathy does not seem to be diminished by distance. Consequently they argued that if telepathy can occur across vast distances,
    .
    . . . it is not surprising that it should occur in the analytic situation with persons who are involved in [a] significant relationship in which they have surrendered to their unconscious mental activity. (Major and Miller, 1981: 454)
    .
    Simon (1981) proclaimed himself to be an ‘ESP atheist’ but still discussed – and took seriously – other therapists’ experiences of telepathy in their clinical practice. Mintz (1983) published a monograph-length analysis of paranormal experiences in therapy, a book produced in conjunction with Gertrude Schmeidler, a leading parapsychologist and academic psychologist. Silverman (1988) suggested that Freud seemed sufficiently convinced of telepathy that he began to sketch a theoretical account of its emergence and role in therapy, noting, for example, that material likely to be a subject of telepathy was at the start of the process of being repressed. Silverman contributed to this, observing that his own clinical experiences of telepathy usually occur at the beginning of the analytic hour, and tend to reflect his ongoing anxieties about unrelated topics.

    .
    E posso citar muitas referências mais :-)

  13. MONTALVÃO Diz:

    /
    MONTALVÃO DISSE: “Ganzfeld e sonhos? Não me parece que se misturam…”
    .
    VISONI: O Ganzfeld é justamente uma EVOLUÇÃO dos testes em Maimonides. Agora não é mais preciso dormir no laboratório para registrar as impressões recebidas. Isso poupa tempo e dinheiro. E aumenta a replicação.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: de onde tirou essa ideia, de que o Ganzfeld é evolução de psi mediada por sonhos? Esclareça, urgentemente, please…
    /
    ./
    MONTALVÃO DISSE: “Se Krippner e Ullman acharam telepatia em sonho isso significa que essa manifestação está perfeitamente enquadrada na Conjetura de Moi, ou seja, “de ocorrência esporádica e fora do controle de quem supostamente a possui e sem utilidade conhecida”. Mais uma vez a Conjetura se confirma!”
    .
    VISONI: Nada disso impede a confirmação laboratorial da existência do fenômeno. E já vimos a utilidade em casos espontâneos…
    /.
    CONSIDERAÇÃO: não, não “vimos”… vimos, sim, muita fantasia e pouca evidência, aliás, evidência de verdade nenhuma, só anedotas, a começar por Hans Berger…
    /
    ./
    MONTALVÃO DISSE: “se tem é muito pouco. A telepaticrendice não consta dos currículos para a formação de psiquiatras. Pode até haver psiquiatras acreditantes (eu, pelo menos, conheço um), mas tal não significa que a psiquiatria vote importância a psi.”
    .
    VISONI: Ao menos na psicanálise a telepatia segue com toda a força…
    .
    http://journals.sagepub.com/doi/pdf/10.1177/0952695116684311
    .
    “Houve um interesse constante na telepatia na psicanálise desde o início. A psicanálise relacional, que é um desenvolvimento relativamente novo na teoria e prática psicanalítica, parece mais receptiva às experiências entre paciente e analista que sugerem capacidades comunicativas ostensivamente anômalas. Para estabelecer esta abertura aos fenômenos telepáticos com abordagens relacionais, [...]”
    ./
    CONSIDERAÇÃO: psicologia (onde a psicanálise se insere) e psiquiatria são áreas distintas, embora interconectadas.
    .
    E nada dessa de “Ao menos na psicanálise a telepatia segue com toda a força”, tu tá é doido, sô! Quer buscar numa seita psicanalítica “provas” de que a telepatia faz parte da área, agora tá valendo tudo? Tem que pegar material de psicanalistas clássicos. Do jeito que faz seria como querer comprovar que a psicologia se curva à parapsicologia citando divagações de psicólogos transpessoais.
    .
    Mostre trabalhos de Freud, e de seus seguidores próximos (Melanie Klein, Adler, Lacan, ou mesmo Wilhem Reich) em que a telepaticrendice seja citada.
    /
    ./
    MONTALVÃO DISSE: ” a última parte de meu declaramento você não questionou (“A teoria psicanalítica não incorporou mais essa fantasia às que defende”), portanto com ela concorda e seria um desatino se não concordasse.”
    .
    VISONI: NÃO CONCORDO
    /.
    CONSIDERAÇÃO: então, meu filho, babou geral!
    ./
    /
    VISONI: [não concordo porque:]
    ————–.
    “In 1956, Michael Balint published observations on the operation of telepathy in therapy, based on his own clinical experiences (Balint, 1956). Strean and Coleman-Nelson (1962) published an analysis of telepathic events in clinical practice that supported Freud’s argument that telepathic phenomena could be observed to obey the same psychodynamic laws as unconscious mental activity.[...]
    .
    Silverman (1988) suggested that Freud seemed sufficiently convinced of telepathy that he began to sketch a theoretical account of its emergence and role in therapy, noting, for example, that material likely to be a subject of telepathy was at the start of the process of being repressed. [...]
    .
    VISONI: E posso citar muitas referências mais
    /.
    CONSIDERAÇÃO: gaste seu precioso tempo com coisas que valham a pena. Citar uns doidos na doideira que é a psicanálise que acreditam em telepatia não vai mudar nada. Se Silverman “sugeriu” que Freud “acreditara o suficiente”, esteja certo, Silverman errou… Freud não se confessou convencido, apenas sugeriu que telepatia pudesse ser explicação satisfatória para uns poucos casos que lhe chegaram ao conhecimento, nenhum que ele tenha estudado pessoalmente, pois, conforme ele próprio declarou:
    .
    “Outro fato por certo me parece de maior significação: que durante cerca de 27 anos de trabalho como analista, nunca me achei em posição de observar um sonho verdadeiramente telepático em qualquer de meus pacientes.” (Sonhos e Telepatia)
    /.
    (Eu havia dito que tinham sido 24 anos, foram mais: 27anos)

  14. MONTALVÃO Diz:

    /
    O assunto é mesmo espantativo: ninguém…

  15. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Essa menina linda que canta essa música deve ser, atualmente, uma velha horrorosa. Acertei?”
    /.
    HOJE ELA TÁ que nem a Rogéria: vai dizer que você não pegava?

  16. MONTALVÃO Diz:

    “Essa menina linda que canta essa música deve ser, atualmente, uma velha horrorosa. Acertei?”
    /.
    Quer ver como ela está hoje?☟
    .
    https://www.facebook.com/leilapraxedesoficial/
    /
    /
    “Leila Santana Praxedes, Norte ? Riograndense, nascida em Mossoró no dia 10/02/1962. Filha do Pastor João Fernandes Praxedes e Alderina de Santana Praxedes. Nascida e criada no evangelho, onde atualmente é membro da Igreja Assembléia de Deus de Cabedelo- PB, pastoreada por seu pai.
    .
    Teve sua primeira oportunidade para louvar a Deus na cidade de Patu-RN, onde logo, se percebeu que tinha um talento nato para o louvor.
    .
    Na adolescência teve grande atuação em recitais, cantatas e interpretações em diversas partes do país, onde se destacou brilhantemente. Dedicou-se aos estudos, especialmente as aulas de canto, na Escola de Música Anthenor Navarro.
    .
    Em 1978 ao completar 15 anos participou de um festival de música evangélica em Recife-PE, sendo enviada a fita do evento pelo irmão Otacílio, para a gravadora Bompastor e prontamente aprovada, sendo contratada imediatamente, gravando, portanto seu 1º disco:
    .

    - Em 1978 – Deus é meu refúgio (Bom Pastor),

    - Em 1980 – Certeza de paz (Bom Pastor),

    - Em 1981 – Falando com você (Bom Pastor),

    - Em 1982 – Sombras da tarde (Bom Pastor),

    - Em 1983 – Adoração (Bom Pastor) NL,

    - Em 1986 – Deus é o mesmo (Bom Pastor),

    - Em 2001 – Só pra te adorar (Bom Pastor).

    .
    Em 16/09/89 casou-se com o irmão Moisés Salvador, homem dígno, sério e respeitado, e dessa união teve duas filhas: Kárin Magdielle e Ellen Melynne. Durante um longo período, se dedicou ao lar, à família. Parou de gravar e não de louvar a Deus. Em fevereiro deste ano, aos 23 anos de carreira, Jesus abriu as portas para um novo trabalho, lançado pela gravadora BOMPASTOR.
    .
    Leila Praxedes se destacou em vários festivais de música evangélica, como cantora e compositora de várias obras, onde recebeu inúmeros [?!] prêmios, inclusive, título da gravadora Bompastor, dentre outros.
    .
    Nome: Leila Santana Praxedes
    Nascida em 10 de Fevereiro de 1962
    Naturalidade: Mossoró-RN
    Estado Civil: Casada
    Esposo: Pb. Moisés Salvador
    Igreja Assembléia de Deus – Cabedelo-PB
    Pastor João Fernandes Praxedes
    CDs Gravados: 7
    Anos de Carreira: 23 anos

    Gravadora: Bompastor
    Crer: Em Deus
    Um Livro: A Bíblia
    Sucesso: É agradar a Deus e sob sua bênção conquistar um lugarzinho no coração das pessoas
    Inesquecível: Os bons momentos da vida
    Hino: Agindo Deus
    Cantor: Jair Santos
    Cantora: Melissa
    Motivo de Alegria: Estar com Moisés e as duas filhas
    Desejo: Ser útil na obra de Deus, ajudar as pessoas que necessitam espiritual e materialmente.
    Gratidão: Ao meu pai
    Um amigo: Dr. Alny Moura
    Reconhecimento: À minha querida irmã Léa Praxedes
    Uma Virtude: Coragem
    Um Defeito: Sensibilidade Acentuada
    Uma Palavra: Amo Vocês

  17. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “de onde tirou essa ideia, de que o Ganzfeld é evolução de psi mediada por sonhos? Esclareça, urgentemente, please…”
    .
    Páginas 115 e 116 da tese do Fabio Eduardo da Silva, do InterPsi:
    .
    http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47134/tde-09082013-122528/publico/fabiodasilva_completa.pdf
    .
    Quando o programa de pesquisas em Maimonides estava terminando, concluiu-se que os requisitos de dinheiro e tempo eram grandes obstáculos e que se precisava desenvolver um estado que induzisse a ESP tão favoravelmente quanto o sonhar, mas que fosse mais barato e rápido. Charles Honorton (1946-1992), que fez parte das pesquisas com sonhos de Maimonides, achava que a direção tomada pelas pesquisas – explorando os EMC – estava correta. Seu enfoque baseava-se na análise de estudos de casos espontâneos; no estudo de textos antigos, como os Sutras de Patanjali e nos escritos de médiuns e psíquicos, entre outros. A partir desses estudos ele encontrou algumas condições comuns, favoráveis ao aparecimento da psi: a. relaxamento e vazio mental, b. aquietamento dos sentidos sensoriais, c. atitude mental de introversão. Com base nesses e outros estudos, e inspirado na pesquisa com sonhos, Honorton passou a utilizar em suas pesquisas a técnica Ganzfeld de privação sensorial, a qual produz um estado semelhante ao do sonho, porém com duração e custos muito menores. (EYSENCK, SARGENT, 1993; ZANGARI, 1996)
    .
    A pesquisa Ganzfeld pode ser considerada como produto da evolução dos estudos psi com outros estados modificados de consciência, como meditação, relaxamento, hipnose e sonho. Possivelmente por esta razão é que se tornou a principal técnica atual de pesquisa psi dos fenômenos de telepatia e clarividência, alcançando resultados cumulativos tão ou mais impressionantes que aqueles obtidos nas técnicas anteriores. Assim, o estado ganzfeld também pode ser considerado psi-condutivo.

  18. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “não, não “vimos”… vimos, sim, muita fantasia e pouca evidência, aliás, evidência de verdade nenhuma, só anedotas, a começar por Hans Berger…”
    .
    Anedotas que foram confirmadas em base laboratorial (e no caso de Hans Berger, havia base documental confirmando a anedota). Lembrando que ganzfeld “se tornou a principal técnica atual de pesquisa psi dos fenômenos de telepatia e clarividência, alcançando resultados cumulativos tão ou mais impressionantes que aqueles obtidos nas técnicas anteriores.”

  19. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “Mostre trabalhos de Freud, e de seus seguidores próximos (Melanie Klein, Adler, Lacan, ou mesmo Wilhem Reich) em que a telepaticrendice seja citada.”
    .
    FREUD E KLEIN: Campbell e Pile (2010) argumentaram que a ideia de telepatia ameaçava a visão de Freud sobre a psicanálise porque enfraquecia o conceito central subjacente à teoria psicanalítica e à prática terapêutica: a medida em que o inconsciente era realmente reprimido. As experiências telepáticas sugeriram que o inconsciente reprimido ainda poderia se comunicar, o que significa que não está totalmente reprimido. Eles argumentam que Freud abordou este problema ao incluir dentro do conceito de transferência precisamente aquelas transmissões inconscientes de afeto de mente para mente que de outra forma poderiam ser citadas como formas de telepatia. As formas anômalas de comunicação entre paciente e analista foram assim incorporadas a um conceito psicanalítico que ainda é central para a grande maioria das tradições psicanalíticas contemporâneas. O argumento de Campbell e Pile faz eco das reivindicações anteriores dos psicanalistas de que as características mais misteriosas da relação paciente-analista são sanitizadas em conceitos ostensivamente científicos. Brottman faz esse ponto com respeito à noção Kleinian de identificação projetiva (Brottman, 2011). Há, então, fortes argumentos de que a telepatia foi fundamental para a psicanálise desde o início.
    .
    Aí está, Montalvão, Freud incorporou a telepatia em seu conceito de transferência. Ele simplesmente não deu esse nome… mas está lá. E Klein também, em seu conceito de “identificação projetiva”. Tudo formas de telepatia.

  20. Vitor Diz:

    Freud aceitou a telepatia SIM!
    .
    http://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/10481885.2014.870840?journalCode=hpsd20
    .
    My purpose in this paper is twofold. First, I explore Freud’s relation to the occult and demonstrate his acceptance of one particular region of this obscure field—that of telepathy. Second, I suggest that, paradoxically, the most important and detailed exploration of this Freudian relation to the occult, that of Ernst Jones, diminished its significance for psychoanalytic theory by conceiving it as a product of irrational superstition.
    .
    In exploring Freud’s relation to the occult, I first demonstrate how it relates to the spiritualist movement and its study by the new science of psychical research. Both the movement and its scientific study became important for the construction and understanding of supernatural phenomena during the late nineteenth and early twentieth centuries. I will here indicate that while Freud easily rejected most of the claims put forward by spiritualism, he was never able to dismiss completely the possibility of telepathy. His correspondences, conferences, and published works indeed demonstrate that, at least during the 1910s, 1920s, and 1930s, Freud was increasingly convinced of the possibility of telepathy.

    .
    Vamos às provas de que Freud saiu de cima do muro e aceitou a telepatia plenamente:
    .
    Freud had already stated his belief in telepathy before the 1910s, when corresponding with Ferenczi. In 1909, the two men had indeed gone to see Frau Seidler, a medium who claimed that she could read letters while blindfolded. After conducting a séance with her, Freud concluded that the medium possessed a physiological gift that had allowed her to read Ferenczi’s thoughts. He wrote to the latter: “I am almost afraid that you have begun to recognize something big here, but we will encounter the greatest difficulties in exploiting it” (Brabant et al., 1992, p. 81). One year later, he wrote to Ferenczi that he could no longer doubt the reality of telepathy, so convincing were the “—carefully preserved—observations” (p. 211) that his disciple had collected.
    .
    Assim, de forma privada, em 1910, Freud já aceitava plenamente a telepatia. Mas e de forma pública?
    .
    In the public sphere, however, Freud only began to allude to his convictions about telepathy during the 1920s. His first public allusion to telepathy occurred in the conference paper “Psychoanalysis and Telepathy,” which he read before his closest followers in 1921 (Freud, 1921/1953c). [...] Freud (1921/1953c) added, more reserved and cautious here than in his correspondence, that his “personal attitude toward such material remains one of reluctance and ambivalence” (p. 60).
    .
    Notamos que, de forma pública, Freud fazia questão de se mostrar mais cauteloso e ambíguo. Mas houve alguma vez em que ele aceitou a telepatia plenamente de forma pública? Sim, houve. Vejamos como e quando isso se deu:
    .
    More than ten years later, in his last paper on the matter of telepathy, however, Freud demonstrated a much stronger conviction. Indeed, in “Dreams and the Occultism” Freud (1933/1973) resolved to report almost all the peculiar cases of possible telepathy that he had collected and mentioned over the years. After presenting these cases, he stated, “I must confess that I have a feeling that here too the scale weights in favor of thought-transference” (p. 84).
    .
    Assim, quando Freud disse que “NÃO ADERI A NENHUMA CONVICÇÃO”, ele falou uma inverdade. Ele já havia aderido de forma privada a favor da telepatia desde 1910.. Porém, de forma pública, ele era relutante. Mas, como visto, saiu de cima do muro de forma pública dez anos após ter dito que “não aderiu a nenhuma convicção”.

  21. Vitor Diz:

    Relendo, vi que o Montalvão já havia abordado ao conceito de telepatia na transferência de Freud. Mas ele se defendeu dizendo que Freud não tinha aderido a nenhuma convicção. Vimos que isso é falso, ao menos na esfera privada.
    .
    O que denominamos ‘telepatia’ é, conforme sabem, o fato suposto de que um evento, que ocorre em um determinado tempo, aproximadamente no mesmo momento chega à consciência de alguém distante no espaço, desprezando as vias de comunicação conhecidas.
    .
    Pressupõe-se implicitamente que tal evento interessa a essa pessoa, por quem a outra pessoa (o recebedor da informação) tem um intenso interesse afetivo. Por exemplo, a Pessoa A pode ser vítima de um acidente, ou pode morrer, e a Pessoa B, que lhe tem uma ligação estreita — sua mãe, ou filha, ou noiva — sabe do fato, quase ao mesmo tempo, através de uma percepção visual ou auditiva.
    .
    Nesse último caso, portanto, é como se tivesse sido informada por telefone, embora não seja este o caso; é um tipo de equivalente psíquico da telegrafia sem fio.
    .
    NÃO PRECISO INSISTIR COM OS SENHORES SOBRE A IMPROBABILIDADE DE TAIS FATOS, e há bons motivos para desprezar a maior parte desses relatos.
    .
    Restam alguns que não podem ser eliminados assim tão facilmente. Permitam-me, agora, em razão do propósito daquilo que tenho para dizer-lhes, que eu omita a cautelosa palavrinha ‘suposto’ e continue como se eu acreditasse na realidade objetiva do fenômeno da telepatia. MAS TENHAM CLARO EM MENTE QUE NÃO É ESTE O CASO E QUE NÃO ADERI A NENHUMA CONVICÇÃO.”

    .
    Mais uma vez, fica provado que Freud inseriu a telepatia no conceito de transferência. Ele já aceitava a realidade da telepatia desde 1910. Mas evitava dizer isso em público. Só disse dez anos depois.

  22. Vitor Diz:

    Mais exemplos de que Freud aceitou plenamente a telepatia de forma pública:
    .
    In this text, Freud (1925/1953b) had for the first time publicly proclaimed his belief in telepathy by stating,
    .
    If reports of telepathic occurrences are submitted to the same criticism as stories of other occult events, there remains a considerable amount of material which cannot be so easily neglected . . . . I believe I have found a class of material which is exempt from the doubts which are otherwise justified. (p. 88)
    .
    Then referring to “experiments” he would have conducted “in [his] private circle,” Freud even attempted to explain the process and functioning of telepathy by adding, “I am inclined to draw the conclusion that though-transference . . . comes about particularly easy at the moment at which an idea emerges from the unconscious, or, in theoretical terms, as it passes over from ‘the primary process’ to the ‘secondary process’” (p. 89).
    .
    Vamos a mais provas de que Freud aceitou a telepatia plenamente?
    .
    The experiments mentioned by Freud were those of February 15, 1925, in which he himself became a medium, analyzing the captured thoughts of his daughter and Ferenczi. After these experiments, Freud had written to Jones: “Ferenczi was here recently on Sunday. The three of us carried out experiments in thought-transference. They were remarkably good, particularly those in which I played the medium and then analyzed my associations. The matter is becoming urgent for us” (Jones, 1957, p. 393).
    .
    Assim, Freud aceitou a realidade da telepatia por seus próprios experimentos.
    .
    Jones escreveu a Freud perguntando porque ele saiu do muro. Freud escreveu para Jones dizendo:
    .
    “Time held me back enough, but finally one must show ones’ colors and not bother about the scandal”
    .
    Veja, ele só estava preocupado com o escândalo. Mas perdeu o medo com o tempo. Jones ainda escreveu de novo a Freud, num tom de reprimenda:
    .
    You are lucky to live in a country where “Christian Science” together with all forms of so-called “psychical research” mingled with hocus-pocus and palmistry do not prevail as they do here. . . . You forget sometimes in what a special position you are personally. When many things pass under the name of psychoanalysis, our answer to inquirers is “Psycho-analysis is Freud,” so now the statement that psycho-analysis leads logically to telepathy, etc., is more difficult to meet. (p. 394)
    .
    Freud respondeu:
    .
    You remember how I had already at the time of our Harz travels expressed the favorable prejudice towards telepathy. But there seemed to be no need to do so publicly, my own conviction was not really strong and the diplomatic consideration of guarding psychoanalysis from any approach to occultism easily gained the upper hand. . . . Now . . . my own experiences through tests I made with Ferenczi and my daughter won such convincing force for me that diplomatic considerations . . . had to give way. (Jones, 1957, p. 394)
    .
    O autor do artigo diz:
    .
    while Jones wished to preserve psychoanalysis from this tainted field, Freud asserted that his study on the topic of telepathy, as convincing as his previous inquiries into other unwelcomed truths, deserved to become—if only in part—integrated to the psychoanalytic project.

  23. Marciano Diz:

    ===============================================================
    MONTALVÃO Diz:
    JULHO 24TH, 2017 ÀS 11:38 PM
    /
    O assunto é mesmo espantativo: ninguém…

    ===============================================================
     
    Esse negócio de universos paralelos me espanta mesmo. Num deles, Freud é o pai da psicanálise. Noutro, deve ter escrito um livro chamado “Aplicações Práticas da Telepatia Canina em Psicanálise”.
    Temo por minha sanidade mental.
     
    ===============================================================
    “Leila Santana Praxedes, Norte ? Riograndense, nascida em Mossoró no dia 10/02/1962. Filha do Pastor João Fernandes Praxedes e Alderina de Santana Praxedes. Nascida e criada no evangelho, onde atualmente é membro da Igreja Assembléia de Deus de Cabedelo- PB, pastoreada por seu pai.
    ===============================================================
     
    À parte o fato de que a mulher estragou-se mesmo, como eu previra, pelo menos conseguiu atrair minha atenção.
    Esse universo paralelo em que faz-se psicanálise à distância, via telepática, como ensinava Freud, give me the creeps.
     
    Já que é para viajar na maionese, prefiro viagem no tempo. Eu iria ao final dos anos 70 ou início dos 80, quando suponho foi gravado aquele vídeo mostrado pelo Pastor, e tentaria a sorte com a crentezinha.
    Esse negócio de crentes fingirem que não gostam de sexo dá um tesão danado.
     
    Esse irmão Moisés Salvador não seria o irmão Moizés, seria?
     
    ===============================================================
    Mais uma vez, fica provado que Freud inseriu a telepatia no conceito de transferência. Ele já aceitava a realidade da telepatia desde 1910. Mas evitava dizer isso em público. Só disse dez anos depois.
    ===============================================================
     
    E disse em segredo. Ainda bem que temos o Vitor para revelar essas preciosidades, ou morreríamos sem conhecer a ciência moderna, a patafísica, nós que estamos aferrados à ciência ultrapassada de 1470 BG (Before Gump).

  24. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Aí está, Montalvão, Freud incorporou a telepatia em seu conceito de transferência. Ele simplesmente não deu esse nome… mas está lá. E Klein também, em seu conceito de “identificação projetiva”. Tudo formas de telepatia.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: qual a parte que você não registrou de minha solicitação?
    /
    “Mostre trabalhos de Freud, e de seus seguidores próximos (Melanie Klein, Adler, Lacan, ou mesmo Wilhem Reich) em que a telepaticrendice seja citada.”
    /.
    O que está citando são psicanalistas marginais que querem introduzir à força o conceito de telepatia na psicanálise. Está se baseando nessa tal de análise relacional, como se fora ela a expressão oficial da teoria psicanalítica.
    .
    Onde os escritos de Freud, Melanie Klein, Alfred Adler, Jacques Lacan e outros clássicos defendendo a importância da telepatia para a psicanálise?

  25. Marciano Diz:

    Aliás, desta nem o Moizés vai gostar, mas eu não acredito em psicanálise.
    A diferença entre quem faz psicanálise e quem não faz é que os que fazem passam a vida dando dinheiro para um charlatão, para ficarem falando de coisas a que o charlatão não dá a mínima importância.
    Se revelar algo bombástico aos 49 minutos da sessão, o charlatão, fleumaticamente, avisa que o tempo acabou e manda o otário voltar na semana seguinte. Ad æternum.
    Psychoanalysis my ass!
    O Freud que me perdoe, lá na colônia espiritual onde se encontra.

  26. Vitor Diz:

    MARCIANO DISSE: “E disse em segredo.”
    .
    Não. Disse de forma pública.
    .
    In a 1932 letter toWeiss, Freud warned the latter about the dangers of publishing his enthusiastic research on the telepathic and telekinetic powers of a medium, for he judged too difficult to remove from the practice of mediumship all suspicion of deception. He added, however, that having himself collected evidences of thought-transference, he was “thinking of expressing my opinion publicly about it” (Weiss, 1991, p. 69). Furthermore, he stated, “I want to remove a misunderstanding: a psychoanalyst’s refraining from taking part publicly in occult studies is a purely practical measure, and only a temporary one, not at all an expression on principle” (p. 70). Freud wrote this correspondence one year before he indeed published his acceptance of telepathy, in nothing other than the New Introductory Lectures on Psychoanalysis (1933/1973), thus including the topic among the theoretical corpus of psychoanalysis.

  27. Marciano Diz:

    Actually, the idea that psychoanalysis contributed a lot to psychology is really a bit of a myth. Freud did come up with a couple of concepts that have survived in some form into today, like some of his defence mechanisms, but many of the main claims of his contributions are either outright wrong or exaggerations.
    For example, the idea that the modern understanding of unconscious processes came from Freud is just simply impossible to support with any kind of evidence or reasoning. Unconscious processes existed long before Freud and it is these earlier forms, from scientists like Fechner, that contributed to our understanding of the unconscious. Freud’s specific adaptation of the unconscious is so at odds with the current understanding that there was an intentional terminological shift from “unconscious processes” to “automatic processes” in order to avoid the Freudian connotations.

  28. Marciano Diz:

    Digamos que Freud tenha mesmo proferido essa tolice em uma carta “pública” a Weiss. Freud era outro pseudocientista, então, uma bobagem a mais ou a menos…

  29. MONTALVÃO Diz:

    /
    ´
    É fácil transformar Freud em adepto da telepatia e é até fácil de fazer malabarismo maior: advogar que a telepatia faz parte da psicanálise! Mas como, se psicanalistas não falam do assunto? É que ela estaria lá, mas oculta, sob outra roupagem, uma explicação do tipo religiosa: para quem tem olhos de ver… que nem reencarnacionista dizem da Bíblia, que a reencarnação consta dos testamentos mas só para quem consegue vê-la…

  30. Marciano Diz:

    Ah, tá.
    Vejo agora que a declaração pública foi em New Introductory Lectures on Psychoanalysis.
    Muito bem, continua valendo minha afirmação de que Freud não passa de outro pseudocientista, como afirmei nos comentários acima.

  31. MONTALVÃO Diz:

    /
    O que você, visoni, está fazendo é trazer leituras de uma classe de intérpretes de Freud (e que intérpretes: benza-os Deus!) e querendo com eles fazer o impossível: converter o patriarca da psicanálise em aderido ao paranormal!
    .
    Outra coisa: já viu que só estamos nós aqui? Esse assunto não desperta o interesse de mais ninguém.
    .
    Não sei você, mas não gosto de ficar escrevendo para o vazio.
    .
    Então, responderei a alguns de seus comentários, aos principais (porque o demais é encheção de linguiça), só que a medida que sobrar tempo.

  32. Marciano Diz:

    Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2016/06/1783036-estudos-de-neurociencia-superaram-a-psicanalise-diz-pesquisador-brasileiro.shtml ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos da Folha estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização da Folhapress ([email protected]). As regras têm como objetivo proteger o investimento que a Folha faz na qualidade de seu jornalismo. Se precisa copiar trecho de texto da Folha para uso privado, por favor logue-se como assinante ou cadastrado.

    http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2016/06/1783036-estudos-de-neurociencia-superaram-a-psicanalise-diz-pesquisador-brasileiro.shtml

  33. Marciano Diz:

    Essa Folha comunista é fogo. Eu pus o link, mas eles querem que você mostre só o link.
    Mas muitos neurocientistas consideram Freud datado.
    Toda teoria envelhece. Freud é uma grande referência, deu contribuições importantes. Mas a psicanálise foi superada pelos estudos em neurociência, é coisa de quando não tínhamos condições de fazer testes, ver o que acontecia no cérebro. Hoje a pessoa vai me falar em inconsciente? Onde fica? Sou cientista, não posso acreditar em algo só porque é interessante.

    Para mim, a psicanálise hoje é um exercício estético, não um tratamento de saúde. Se a pessoa gosta, tudo bem, não faz mal, mas é uma pena quando alguém que tem um problema real que poderia ser tratado deixa de buscar um tratamento médico achando que psicanálise seria uma alternativa.

     
    Claro que há controvérsia.
    Sobre o quê não há opiniões contrárias?

  34. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “O que você, visoni, está fazendo é trazer leituras de uma classe de intérpretes de Freud (e que intérpretes: benza-os Deus!) e querendo com eles fazer o impossível: converter o patriarca da psicanálise em aderido ao paranormal!”
    .
    Então o impossível foi feito, porque ele confessou de forma tanto pública quanto privada isso.

  35. Marciano Diz:

    ===============================================================
    Outra coisa: já viu que só estamos nós aqui? Esse assunto não desperta o interesse de mais ninguém.
    ===============================================================
     
    Será que morri e não fui avisado :?:
     
    Postei vários comentários, o Vitor respondeu a um.
    Entrei só pra falar mal do Freud, um pseudocientista.

  36. Marciano Diz:

    Esclarecendo: claro que o assunto telepatia na psicanálise não me interessa (maluquice ao quadrado).
    Mas postei vários comentários sobre os temas.
    Vitor respondeu a um deles.
    Montalvão não consegue me ver.
    Será que eu e Vitor estamos mortos e o médium Montalvão só conseguiu sintonizar o Vitor, porque estão na mesma faixa vibratória?

  37. Vinicius Diz:

    Marciano, o assunto do corpo encontrado na FEESP está fervilhando no facebook…
     
    (ALGUÉM da FEESP) Realmente esse senhor foi encontrado morto dentro de um dos banheiros. Quando um funcionário da limpeza bateu na porta e ninguém atendeu, ele chamou os seguranças, que nos avisaram, na Secretaria da Assistência Espiritual. Chamamos o SAMU. O SAMU descobriu que ele estava morto e chamou a polícia e os familiares
     

    . Fechamos o andar para a perícia e o IML.
     

    A Feesp fez tudo dentro dos conformes e se manifestará no momento certo. Pena que nossa Casa continua sendo alvo de ataques, até mesmo dentro do movimento espírita.
     
    (filho do sr.encontrado na FEESP) Dentro dos conformes para não atrapalhar a boa festa que acontecia no sábado em que meu pai foi achado.. se fossem espíritas de verdade se comoveriam já na quinta a noite, pois mesmo com o carro do meu pai no estacionamento da FEESP, se negaram a mostrar qualquer câmera ou a procurar por ele…
     
    (amiga da família) Feesp fez tudo nos conformes burocráticos, onde o ser humano é deixado de lado….Minha senhora esta família procurou o irmão por 3 dias, pediu por esses 3 dias a essa Sra, que não merece o posto que tem, não os acolheu. Os espiritos intuiam a familília de que ele estava ali… E FOI NEGADOOOO!!!! e a senhora vem dizer que agiram nos conformes…que conformes, o que vc pregam, leis ou espiritualidade?
     
    Os conformes do espiritismo é acolher quem esta pedindo ajuda….não negar ajuda e ser indiferente,,,,,O CORPO FOI ENCONTRADO PORQUE CHEIRAVA MAL, PORQUE TINHAM SE PASSADO 48 HORAS, E DESDE AS PRIMEIRAS HORAS A FAMÍLIA PEDIA A VCS..EU FALO COM PROPRIEDADE, SOU AMIGA DA FAMILIA, ACOMPANHEI DESDE AS PEIMEIRAS HORAS DO DESAPARECIMENTO, VI O TERROR QUE A FAMILIA PASSOU SEM SABER ONDE PROCURAR, POIS, O ULTIMO CONTATO DELE COM A FAMÍLIA FOI DENTRO DA FEESP…
     
    E, o mais tenebroso, foi quando a família quiz subir no andar para RECONHECER, E AINDA ASSIM DISSERAM QUE NÃO PORQUE TINHA A FESTA DOS 100 ANOS…QUE ÁLIAS SERÁ SEMPRE LEMBRADA POR ESTE ACONTECIMENTO…MARCA DESUMANA NOS 100 ANOS DA FEDERAÇÃO…
     
    .e ainda se lamenta dos ataques…ninguem aqui ataca, aqui falamos a verdade, demostramos nossa indignação a desumanidade desta senhora que se diz ser uma lider espíritual, que dirige uma casa desse porte….
     

  38. Marciano Diz:

    Bem, preciso trabalhar e já que estou semi-invisível, over and out.
    Só faço mais uma afirmação: se psicanálise já é pseudociência, misturada com telepatia então…

  39. Marciano Diz:

    Oi, Vinicius!
    Eu já estava de saída.
    Pensei até que tinha morrido e não sabia.
    REalmente, os 100 anos da feesp serão inesquecíveis.
    Maior demonstração de hipocrisia do que esta é inimaginável.
    E eles parecem a turma do PT, estão preparando uma resposta há mais de uma semana.
    Imagino o que vem por aí.

  40. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Esse irmão Moisés Salvador não seria o irmão Moizés, seria?”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: não, não seria, o irmão Moizés não namorava as moçoilas pentecostais, elas eram inimigas, mas uma TJ ainda ia lá, mas sabendo que não tinha futuro.
    /
    /
    “Aliás, desta nem o Moizés vai gostar, mas eu não acredito em psicanálise.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: esta nem o Marciano irá acreditar, mas eu também não acredito em psicanálise, o que não me impede de expressar meu pasmo ante quem queira transformar Freud em parapsicólogo!

  41. Vitor Diz:

    O Michel de Pracontal defende a cientificidade da Psicanálise, Marciano :-)
    .
    À parte teorias recentes, existem outras áreas da ciência, ou em todo caso do saber, que não respondem ao critério de Popper. A história, por exemplo, não é regida por leis preditivas que permitiriam antecipar de maneira segura tal ou tal acontecimento. E como se poderia testar, de maneira experimental, a exatidão de uma predição histórica?
    .
    Karl Popper via na psicanálise freudiana o exemplo exato de uma teoria não refutável. Os biólogos reducionistas criticam na teoria de Freud sua falta de objetividade científica, suas estruturas conceituais inverificáveis de maneira rigorosa. Seja qual for a maneira de considerar a teoria freudiana, não se vê absolutamente como testá-la por um procedimento calcado sobre o modelo da refutabilidade das teorias físicas. Que experiência “objetiva” permitiria, por exemplo, testar a existência do inconsciente no sentido freudiano?
    .
    Frequentemente se esquece que o próprio Freud tinha consciência do problema. Primeiramente médico e anatomista, ele inventou uma técnica para isolar as células nervosas e passou longas horas estudando no microscópio os gânglios e a medula espinhal do petromizonte, peixe próximo da enguia.
    .
    Sua ambição inicial era compreender as bases fisiológicas do psiquismo, como tentam os pesquisadores de hoje, dos quais em certo sentido ele é o predecessor. A impossibilidade de levar a cabo essa tarefa com os meios disponíveis no fim do século XIX, ao mesmo tempo que razões pessoais o levaram a abandonar seus trabalhos de laboratório em 1885.
    .
    Que a psicanálise não seja uma teoria científica como a física quântica ou a relatividade não significa que ela não tenha nenhuma utilidade para compreender o cérebro, ao contrário. A neurobiologia contemporânea trabalha com uma eficácia indiscutível sobre sistemas muito limitados: tal tipo de neurônios, tal neurotransmissor, tal canal iônico etc. Esses sistemas não dizem muita coisa da paisagem de conjunto. Ora, não aprece que seja possível compreender a consciência ou o cérebro sem ressituar os sistemas locais na sua paisagem global. Saber, por exemplo, que a depressão é acompanhada de uma baixa da serotonina não diz grande coisa do indivíduo deprimido.
    .
    Sem aprofundar muito essa discussão, queria sublinhar que o modelo das ciências da natureza não se aplica a todas as formas de conhecimento e de teorias. Podemos sustentar que a teoria psicanalítica é uma teoria interpretativa, que permite dar sentido a comportamentos subjetivos. A experiência mostra que encontrar um sentido para os acontecimentos da vida pode ajudar a viver melhor, ou menos mal. De certa maneira, ela valida assim as teorias de Freud. Mas aqui se trata de experiência clínica, subjetiva, não de experiência científica no sentido das ciências físicas. O que se pode esperar da psicanálise não é da mesma ordem daquilo que se aprende da física, da química ou da biologia.
    .
    De resto, é revelador observar que a oposição entre neurobiologia e psicanálise parece pouco a pouco sair de moda. Pesquisadores como Olivier Sachs, Jean-Didier Vincent ou Antonio Damásio reabilitam o estudo das emoções, das paixões ou da personalidade em seu conjunto, que o reducionismo dominante tinha rejeitado como pouco suscetível de investigação científica. O grande interesse do pensamento freudiano no universo atual das ciências do espírito é talvez mostrar que não se explicará o todo do homem com um único tipo de teoria. Que as ações, os comportamentos, os acontecimentos que afetam um indivíduo e dos quais ele participa não se reduzem a uma série de mecanismos. A psicanálise não é “objetiva”, e a história só o é parcialmente. Mas os humanos não são objetos.

  42. Marciano Diz:

    Vinicius Ferraz Siqueira Sabemos não ser fake, é fato, inclusive no site deles há uma nota de lamentação. ACHO estranho não aparecer nos jornais da Record por exemplo. Coisas terríveis como esta não deveria faltar no Cidade Alerta ou Brasil Urgente.

  43. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “o que não me impede de expressar meu pasmo ante quem queira transformar Freud em parapsicólogo!”
    .
    MAS ELE ERA! Não só fez experimentos próprios, como ele era FILIADO da SPR!

  44. Vitor Diz:

    Olha aqui, Montalvão, a filiação, e ele também publicou em jornais científicos:
    .
    http://psychoanalysis.org.uk/who-we-are/100-years-of-history/freud-becomes-an-honorary-member-of-the-spr
    .
    Parapsicólogo sem sombra de dúvida :-)

  45. Marciano Diz:

    O Michel de Pracontal defende a cientificidade da Psicanálise, Marciano :-)
     
    Ninguém é perfeito. 
     
    CONSIDERAÇÃO: esta nem o Marciano irá acreditar, mas eu também não acredito em psicanálise, o que não me impede de expressar meu pasmo ante quem queira transformar Freud em parapsicólogo!
     
    Que alívio! Pensei que acreditasse em Freud.
    Até o Pracontal acredita…

  46. Marciano Diz:

    E você, Vitor, acredita em psicanálise?
    Faz ou já fez?
    Entrega seu dinheiro molinho, assim?

  47. Vinicius Diz:

    “Pensei até que tinha morrido e não sabia.”
     
    GHOST só na ficção;;; direito a vasos de barro e tudo.

  48. Marciano Diz:

    Agora, desculpem-me, mas preciso trabalhar.
    Bis bald, Leute!

  49. Marciano Diz:

    Vinicius, naquele tempo a Demi Moore era uma tentação.
    O tempo estraga tudo.
    Aquela cena com os vasos de barro deixa a gente de (censurado!).

  50. Marciano Diz:

    Let’s just say it gives us a boner.
    That’s all for now folks.
    https://www.youtube.com/watch?v=gBzJGckMYO4

  51. Marciano Diz:

    A precognição está cientificamente comprovada.
     
    Cientificamente provado dispensa ciência e prova.
     
    Está cientificamente provado que o iogurte Activia® é bom para a digestão.
    Só que não. http://www.slate.com/articles/news_and_politics/hey_wait_a_minute/2008/07/gut_instinct.html
     
    ExtenZe aumenta o prazer sexual e até aumenta o tamanho do pênis, fato cientificamente comprovado, conforme estudos conduzidos pelo dr. Daniel S. Stein.
    Só que não.
    http://www.cbsnews.com/news/extenze-settles-a-false-advertising-suit-now-the-ftc-should-go-after-jimmy-johnson/

  52. Gorducho Diz:

    Não foi o Sr. que falou cá uns dias atrás que Dr. Bezerra não incorporou na FEESP (noutro evento, não nesta festa de 100 anos, bien sûr) Analista Vinícius :?:
     
    ☐ foi;
    ☐ você está delirando Gorducho.

  53. Gorducho Diz:

    Ou muito me engano ou psicanálise tá algo démodé, não :?:

  54. Vinicius Diz:

    Foi GORDUCHO, em um congresso de Maio/2017.
     
    A propósito , são 81 anos e não 100 (o pessoal se enganou nos cálculos :mrgreen: ).
     
    Não tá delirando não. Bezerra fal

  55. Gorducho Diz:

    Pois é… Dr. Bezerra é sábio como todos sabemos…
    Pra mim ele se desentendeu com a equipe de protetores espirituais de lá…
    Porque se os fatos se sucederam de fato como está sendo divulgado foi um vexame espiritual: nenhum espírito guardião da Casa avisou algum médium do acontecido há H48 :?:
    Foi preciso um(a) funcionário(a) da limpeza bater na porta (que então aparentemente estaria fechada), e nenhum espírito avisou :?:

  56. Vitor Diz:

    Os espíritos de luz foram feitos reféns dos obsessores.

  57. Marciano Diz:

    Que je sache, démodé está a psicanálise freudiana. A de Lacan, vai bem, obrigado.
    Mas no meio cientifico sério, a psicanálise é vista como pseudociência.
    Se interessar, posso ver se encontro algo nos meus alfarrábios.

  58. Vitor Diz:

    MARCIANO DISSE: “Mas no meio cientifico sério, a psicanálise é vista como pseudociência.”
    .
    Não é não. A American Psychoanalytic Association faz parte da AAAS. Bem como a American Psychiatric Association e a American Psychological Association.

  59. Marciano Diz:

    Se bem me lembro, a principal crítica é que não é falsifiable.
    O pior é que Popper acreditava em psicanálise.
    Minha principal crítica é que os pacientes ficam dependentes de uma coisa que nunca tem fim e não se percebe qualquer diferença entre quem faz e quem não faz, salvo o fato de que quem faz fica uns dólares non the richer e non the wiser, além de perder uma ou duas horas por semana, sem contar a espera no consultório e o deslocamento até ele e de lá para outro lugar realmente útil.

  60. Marciano Diz:

    ===============================================================
    Vitor Diz:
    JULHO 25TH, 2017 ÀS 3:54 PM
    MARCIANO DISSE: “Mas no meio cientifico sério, a psicanálise é vista como pseudociência.”
    .
    Não é não. A American Psychoanalytic Association faz parte da AAAS. Bem como a American Psychiatric Association e a American Psychological Association.

    ===============================================================
     
    Big deal! A parapsicologia também é reconhecida pela AAAS e coisa e tal.
    Isto só “prova” que é pseudociência mesmo.
    Se a AAAS endorses até mesmo Φ, por que não iria apoiar a psicanálise, muito menos psicodélica?

  61. Vinicius Diz:

    “Os espíritos de luz foram feitos reféns dos obsessores.”
     
    Que falta faz Dr.Bezerra liderando os guardiões.
     
    ” foi um vexame espiritual: nenhum espírito guardião da Casa avisou algum médium do acontecido há H48 ”
     
    E familiares foram lá 2 dias antes, perguntando do mesmo e não lhes deram resposta, sendo que o carro estava lá estacionado e havia uma mensagem WhatsApp dias antes dele falecer avisando que estava por lá…
     

  62. Marciano Diz:

    Até a Ψ …
    Errei o código.

  63. Marciano Diz:

    Psicanálise é tão científica quanto homeopatia.
    Aliás, será que a grande AAAS também apoia a homeopatia?
    Esta é uma pseudociência que goza de grande prestígio nos meios acadêmicos.

  64. Marciano Diz:

    Sigmund’s Freud psycho-analytic theory had been very influential in the course of psychology. His ideas had been generally considered as correct and fundamental for newer theories. Many assumed so because it was always able to provide explanation to any state and therefore thought of psycho-analysis as unfalsifiable. Webster (1995) mentions that what theorists firstly considered as an advantage of Freud’s theory was the fact that he discovered a way of proposing his own hypothesis and therefore finding theoretical solutions on a pseudo-empirical basis. In fact, Freud firstly made assumptions about phenomena which were not previously observed and then suggested that he is the only person capable of investigating this entity.

    Karl Popper (1963) stated that in order for a theory to be scientific, it has to be testable. This can be a problem for the psycho- analysis. Popper assumed that this theory provides explanations for any possible situations and cases and therefore it is, especially by its supporters, considered as flawless. It is important to note that, by Popper, this is not seen as an advantage of Freud’s theory. He disagreed with such opinions and supported these ideas by stating that Freud’s theory, or psycho-analysis as whole, is not refutable. However, he thought that this makes the theory not stronger, but much weaker, as it does not take any unpredictable scenarios into consideration. Popper’s suggestion was to test the theories while one gets to a point when this theory is viewed as refuted. He also mentioned that psycho-analysts suppose they can explain every case in terms of their theory. It is also necessary to say that Popper did not consider those theories, which were found to be non-scientific as not valid or insignificant. He simply supposed that such theories cannot be supported empirically but only can be outcomes of observation.

    When it comes to the theories of personality or also other hypothesis, every one of them is always tested in a process of acceptance. If it does not provide a satisfying explanation, newer and different solutions are looked for and tested again. A prove of such testability is that the theory offers explanations for unexpected finding and it does not only adjust the findings to itself. But Popper’s idea might have been slightly different from this. Although he should get credit for reasonable doubting of Freud’s theory, in general, he thought that everything needs to be testable in order to be scientific. And this might conclude in testing and therefore refuting and rejecting every idea which is not scientific. Constant testing of theories does not bring them closer to being proven right, by contrast, many might provide proofs of being falsifiable, but this won’t be noticed as further tests of falsification will follow.This would most probably conclude in rejecting most of the psychological theories. However, Webster (1995) emphasised that this is something Popper was aware of.

    Many theorists, mistakenly, supposed that the way how to show that the psycho-analysis is not a pseudo-science is to prove that is it testable (Cioffi, 1998). Grünbaum (1986) disagreed with Popper and he supported his opinion by saying that Freud was open to provide explanations to situations which were not predicted by his theory, but no such instances were found. Grünbaum therefore stated that psycho-analysis is a testable theory. He supported his arguments by using an example from Freud’s 1925 paper in which he admits finding of an individual who contradicts his theoretical assumptions. But what Grünbaum had not predicted was that Freud did not admit the failure of his theory to describe such situation and later explained also this unexpected finding (Robinson, 1993). This fact proves that Popper’s statements about the unfalsifiability of psycho-analysis as relevant. But Grunbaum also stated that the Popper’s criterion is not relevant as there are many different and more appropriate ways to test the differences between pseudo-sciences and real sciences (Eysenck, 1985).

    Eysenck (1985), have also disagreed with Popper’s statements by pronouncing that the criterion of falsifiability is irrelevant. In order to support his opinion, he provided some instances in which it is clearly showed that Freud’s theory can be proven false and therefore is testable, despite thinking that such criterion is not decisive.

    Freud’s ideas have been widely accepted in the twentieth century. It is surprising that there are still many supporters of Freud’s theory among the psychologists as his assumptions have not been scientifically proven and are often compared to the myths. As one of a very few theories, psycho-analysis is still very favoured, although many valid criticisms have been found. Those, who support this theory, will find its ideas always relevant, even if it can conclude in lowering its status among other theories. Although this finding should be, according to Popper (1963), perceived as weakness, it could be also noted that the psycho-analysis is always going to be viewed as very influential, regardless of criticisms.

    References

    Cioffi, F. (1998). Freud and the Question of Pseudoscience. USA: Carus Publishing Company.

    Eysenck, H. J. (1985). Decline and Fall of Freudian Empire. United Kingdom: Harmondworth

    Grünbaum, A. (1986). Précis of The Foundations of Psychoanalysis: A Philosophical Critique. Behavioral and Brain Sciences, Vol. 9, 217-284.

    Popper, K. (1963). Conjectures and Refutations. London: Routledge and Keagan Paul.

    Robinson, P. (1993). Freud and His Critics. Berkeley: University of California Press.

    Webster, R. (1995). Why Freud was wrong: Sin, Science and Psychoanalysis. United Kingdom: Harper Collins Publishers

    Vejam esta Portaria do Min. da Saúde e confiram o status de que goza a homeopatia.
    Alguém aqui defende isso?
    http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2006/prt0971_03_05_2006.html

  65. Vitor Diz:

    MARCIANO DISSE: “Aliás, será que a grande AAAS também apoia a homeopatia?”
    .
    Não existe nenhuma associação de Homeopatia filiada à AAAS. Nem de Criacionistas. Nem de Terra Planistas.

  66. Marciano Diz:

    Destaco, da Portaria do Ministério da Saúde:
    “Considerando que a Homeopatia é um sistema médico complexo de abordagem integral e dinâmica do processo saúde-doença, com ações no campo da prevenção de agravos, promoção e recuperação da saúde;”.
     
     
    O Min. da Saúde apoia a homeopatia.
    E daí?
     
    Tudo farinha do mesmo saco.
     
    Se alguém aqui, além do Vlad, que é homeopata, defende isso, que levante a mão.

  67. Marciano Diz:

    Assim como podemos dizer que a AAAS apoia a psicanálise, podemos dizer que ela também apoia a parapsicologia.
    ???
    E o Ministério da Saúde apoia a homeopatia.

  68. Marciano Diz:

    A Organização Mundial da Saúde (OMS) reconhece oficialmente a Homeopatia como medicina complementar desde 1978, e recomenda a aplicação dessa disciplina em todos os sistemas de saúde no mundo.Estima-se de acordo com dados fornecidos pela OMS que cerca de 500 milhões de pessoas recebem tratamento homeopático em todo o mundo.
    Se a aprovação da AAAS de parapsicologia e psicanálise validam essas crendices, o mesmo vale para a homeopatia, aprovada pela OMS e pelo MS do Brasil.

  69. Marciano Diz:

    A comparação com Terra Plana e Criacionismo lembra a falácia da falsa analogia.
    A analogia de verdade deve ser feita com a homeopatia.
    Ou será que a OMS não entende nada de medicina?
    Nem o Ministério da Saúde.

  70. Vinicius Diz:

    Do livro “Instituto de Confraternização Universal”
     
    “Desde a sua fundação, em 12 de julho de 1936, a Federação Espírita do Estado de São Paulo conta com a proteção e a assistência do Venerável Dr. Adolfo Bezerra de Menezes.”
     
    “Certa vez, disse que quando veio colaborar na Federação ainda não se sabia quem era o Mentor Espiritual. Isto em 1940. Após essa data, foi revelado o nome do Dr. Bezerra de Menezes, por sugestão do Plano Espiritual.”
     
    “Por essa ocasião, foi feita uma revelação por um médium de respeitável dotação, em que um espírito Superior sentenciou: “No mundo, o Brasil, no Brasil, esta terra que leva o nome do grande Apóstolo da gentilidade, aqui, esta Casa que será o farol a iluminar os quatro cantos do mundo”.
    Com relação a segurança até Duque de Caxias e o Almirante Tamandaré são mencionados :!:
    “ Quando Duque de Caxias se faz presente, sempre que se tornam necessárias vigilância e disciplina maiores, LEVA EM SUA TÚNICA DUAS ESPADAS CRUZADAS, enquanto o Almirante Tamandaré, continuamente ativo, quando se apresentam problemas marítimos, traz uma embarcação, parecendo um cisne branco”
    OBSERVATÓRIO – vejam que há estrutura para localizar criaturas que necessitam ser atendidas :!:
    “Um desses seres extraordinários é o Venerável Dr. Bezerra de Menezes, que possui no plano espiritual um laboratório, ou seja, um observatório; nesse local os Legionários do reino procuram localizar as criaturas que precisam de atendimento.”

  71. Marciano Diz:

    O deus do Vitor é a AAAS. No dia em que o lobby dos criacionistas conseguir aprovação da AAAS, ele vira neopentecostal.

  72. Marciano Diz:

    E o laboratório do Bezerra não conseguiu localizar o cadáver no banheiro?
    Antes de morrer, o cara deve ter precisado de atendimento.
    Depois de morto, a família precisava de atendimento.
    Atendimento fraterno.
     
     
    Cadê a humildade espírita do Caxias? Por que essa ostentação, com espadas cruzadas, etc.
    Tamandaré é outro poser, que não entendeu a “humirdade” espiritual.
    Shame on them!

  73. Marciano Diz:

    Em 1980 a homeopatia foi reconhecida como especialidade médica pela Associação Médica Brasileira (AMB) e, no ano seguinte, o Conselho Federal de Medicina (CFM) a incluiu no rol de suas especialidades.
     
    Em março de 1996 foi reconhecida como especialidade pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária. Em 1952 foi tornado obrigatório o ensino da Farmacotécnica Homeopática em todas as faculdades de farmácia do Brasil. Em 1966, foram publicadas várias portarias, com instruções de instalação e funcionamento de farmácias homeopáticas e industrialização dos medicamentos; em 1976 foi oficializada a Farmacopéia Homeopática Brasileira.
     
    Atualmente no mundo a homeopatia adentra as universidades e cursos de graduação médica, ora como disciplina opcional, ora fazendo parte da grade curricular.
     
    A homeopatia é oferecida como terapêutica médica na rede pública em vários municípios brasileiros, amparados pela portaria do Ministério da Saúde de maio de 2006, que recomenda o atendimento homeopático nas unidades básicas de saúde pública.
     
    Para se tornar homeopata no Brasil, é preciso ser graduado nas áreas de Medicina, Medicina Veterinária, Farmácia ou Odontologia. Nosso país atualmente conta com 15 cursos de pós-graduação em Homeopatia reconhecidos pela Associação Médica Homeopática Brasileira (AMHB).
     
    A Organização Mundial da Saúde (OMS) vem estimulando o uso da Medicina Tradicional/Medicina Complementar/Alternativa nos sistemas de saúde de forma integrada às técnicas da medicina ocidental modernas e que em seu documento “Estratégia da OMS sobre Medicina Tradicional 2002-2005” preconiza o desenvolvimento de políticas observando os requisitos de segurança, eficácia, qualidade, uso racional e acesso.

  74. Vinicius Diz:

    Conhecem a máquina de filmar pensamentos?
     
    “São, ainda, da criação desse Grupo os aparelhos ultrassensíveis, usados para filmar pensamentos e reações daqueles que, trabalhando com as fraternidades nas Casas Espíritas, estão sempre sendo alvo de atenção, para que se tornem elementos positivos nas transformações do Planeta.
     
    ” São microfilmadores que gravam as mais delicadas reações mentais e emocionais, para que não faltem o apoio e a atenção para a nossa melhoria.”
     
    “Os Irmãos de Saturno recebem, também através de aparelhos especiais, orientação de seres extraplanetários, interessados em que o Universo se torne realmente uma escola”

  75. Marciano Diz:

    Não existe OMS, AAAS, Ministério da Saúde ou o que o valha que me façam perder o juízo.
    Over and out.

  76. Marciano Diz:

    Não sei quem é mais maluco: os espíritas, com esse roteiro de filme trash de ficção científica e fantasia ou os parapsicólogos, com esses operários pelados na Lua, esses gurus indianos que ficam em morte aparente por 30 anos, esses cães telepatas.
    Agora é OVER AND OUT for real!

  77. Vitor Diz:

    MARCIANO DISSE: “A Organização Mundial da Saúde (OMS) reconhece oficialmente a Homeopatia como medicina complementar desde 1978, e recomenda a aplicação dessa disciplina em todos os sistemas de saúde no mundo.”
    .
    Pois é, Marciano. Medicina Complementar. Repito: COMPLEMENTAR. Ou seja, não é para abandonar o tratamento tradicional. A Medicina Complementar é usada junto com a Medicina Convencional, já a Medicina Alternativa é usada no lugar da Medicina Convencional.
    .
    Sendo assim, a OMS faz bem em colocar a Homeopatia como Medicina Complementar, já que os pacientes não devem deixar de buscar o tratamento convencional. Se colocasse a Homeopatia como Medicina Alternativa, o tratamento convencional seria abandonado.

  78. Gorducho Diz:

    ==============================================================
    Os espíritos de luz foram feitos reféns dos obsessores.
    ==============================================================
    Tá visto que Dr. Bezerra se incomodou com o atual time de espíritos que guardam lá e se retirou.
    E talvez mesmo obsessores tenham feito esses de reféns
    :(
    Mas Dr. Bezerra não pode se omitir: tem que invadir o prédio e retomar as rédeas espirituais da coisa :!:
    Ou será que ele também tá ficando acomodado :?:

  79. MONTALVÃO Diz:

    /
    MONTALVÃO DISSE: “o que não me impede de expressar meu pasmo ante quem queira transformar Freud em parapsicólogo!”
    .
    VISONI: JULHO 25TH, 2017 ÀS 2:09 PM
    MAS ELE ERA! Não só fez experimentos próprios, como ele era FILIADO da SPR!
    /.
    CONSIDERAÇÃO: descobriu a pólvora e não fez barulho! ➴
    >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>.
    MONTALVÃO Diz:
    JULHO 24TH, 2017 ÀS 9:03 PM
    /
    [...]
    /
    É interessante lembrar o que Freud disse, ELE QUE ERA MEMBRO DAS SPR INGLESA E AMERICANA: “em 24 anos de análise nunca deparei um sonho telepático”…
    >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>.
    /
    O “probrema”, aliás vários pobremas… quantos deles uma simples postagem visoniana não suscita…
    .
    Não foi defendido aqui (não por mim) que para ser parapsicólogo, sem ter sua credencial questionada, tem que ser membro da PA?
    Freud era membro da PA?
    .
    Com o acréscimo da criatividade visoniana, se não for da PA tem que ter publicado em jornais psi. Freud publicou alguma coisa em tais publicativos?
    .
    Tá, sei: Freud desencarnou em 1939, a PA só foi fundada em 1959, portanto, nem que quisesse poderia ter ingressado nessa associação…
    .
    Consequentemente…
    .
    Freud não era parapsicólogo!
    .
    Ah, Montalvão, diria o Visoni, não tendo PA vale a SPR… Vale? Se vale, então porque o sujeito que o Visoni elegeu autoridade, o Truzzi, não incluiu as SPR entre as entidades que validariam o título de parapsicólogo? As SPR existem até os dias atuais…
    .
    Embora criado em fins do século XIX, o termo parapsicologia ganhou uso na década de 1930 com os trabalhos pioneiros de Joseph Banks Rhine.
    .
    Então, Freud, nem que quisesse poderia ser parapsicólogo. Freud era, sim, um analista. Mesmo que alguns, doidamente, queiram fazer de Freud aficionado das lides paranormais, seu interesse no assunto foi incidental. Desconhece-se que tenha contribuído com estudos para os anais das SPR. Ao que tudo indica, nem mesmo Piper, que encantou alguns (note bem: ALGUNS) membros dessas entidades, parece ter despertado a curiosidade do psicanalista. Em tempo: há quem pense que Piper boquiabertou todos os congregados da SPR: nada dilso Wilso, foram uns meia dúzia que quedaram-se pasmados com a misteriosa mulher e a analisaram conforme suas prévias crenças.
    .
    O que sabemos, a partir de declarações do próprio Freud, é que ele não dava muita atenção àqueles que se diziam dotados de poderes paranormais.
    .
    Com um pouco de generosidade, Freud poderia ser reputado “metapsiquista”, pois vinha da velha escola, a seguir a denominação dada por Charles Richet, mas seria metapsiquista bem gazeteiro, pois seu tempo era inteiro dedicado ao desenvolvimento da teoria psicanalítica.

  80. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “É interessante lembrar o que Freud disse, ELE QUE ERA MEMBRO DAS SPR INGLESA E AMERICANA: “em 24 anos de análise nunca deparei um sonho telepático”…”
    .
    Você mesmo disse que eram 27… e Freud TAMBÉM DISSE:
    .
    “Ferenczi was here recently on Sunday. The three of us carried out experiments in thought-transference. They were remarkably good, particularly those in which I played the medium and then analyzed my associations. The matter is becoming urgent for us” (Jones, 1957, p. 393).
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Freud publicou alguma coisa em tais publicativos?”
    .
    SIIIIIIIIMMMMMMM!!!!!! Ele publicou nos Proceedings da SPR de 1912, Volume 26, página 312-318.
    .
    confirmado: FREUD ERA PARAPSICÓLOGO!

  81. MONTALVÃO Diz:

    /
    MONTALVÃO DISSE: “de onde tirou essa ideia, de que o Ganzfeld é evolução de psi mediada por sonhos? Esclareça, urgentemente, please…”
    .
    Páginas 115 e 116 da tese do Fabio Eduardo da Silva, do InterPsi:
    .
    http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47134/tde-09082013-122528/publico/fabiodasilva_completa.pdf
    .
    “Quando o programa de pesquisas em Maimonides estava terminando, concluiu-se que os requisitos de dinheiro e tempo eram grandes obstáculos e que se precisava desenvolver um estado que induzisse a ESP tão favoravelmente quanto o sonhar, mas que fosse mais barato e rápido. Charles Honorton (1946-1992), que fez parte das pesquisas com sonhos de Maimonides, achava que a direção tomada pelas pesquisas – explorando os EMC – estava correta. Seu enfoque baseava-se na análise de estudos de casos espontâneos; no estudo de textos antigos, como os Sutras de Patanjali e nos escritos de médiuns e psíquicos, entre outros. A partir desses estudos ele encontrou algumas condições comuns, favoráveis ao aparecimento da psi: a. relaxamento e vazio mental, b. aquietamento dos sentidos sensoriais, c. atitude mental de introversão. Com base nesses e outros estudos, e inspirado na pesquisa com sonhos, Honorton passou a utilizar em suas pesquisas a técnica Ganzfeld de privação sensorial, a qual produz um estado semelhante ao do sonho, porém com duração e custos muito menores. (EYSENCK, SARGENT, 1993; ZANGARI, 1996)”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: veja o motivo da tese do Fábio Eduardo:
    .
    ————————-.
    “Dissertação apresentada [...] para obtenção do título de Mestre em Psicologia”(!) 🙈
    —————————-.
    /
    Isso bem merece um PUTZGRILA! O sujeito para ser titulado mestre em psicologia apresenta dissertação com o seguinte epíteto:
    /
    “PSI: É POSSÍVEL TREINAR?
    REVISANDO A LITERATURA SOBRE DESENVOLVIMENTO PSI”
    /
    Cacete, isso pede um PUTZGRILA! Elevado a quinta potência!
    .
    Pelo menos, parece, a conclusão do autor é saudável: “psi não é treinável”…
    .
    Se Fábio Eduardo conhecesse a Conjetura de Moi, não precisaria ter o trabalho de produzir uma tese para chegar à igual conclusão, a qual a citada Conjetura fornece sinteticamente.
    .
    Finalmente, vamos ver se a fonte do Visoni diz o que ele quer que diga:
    .
    Leia e releia o texto quem quiser e confira se dele se pode depreender que o ganzfeld seja evolução dos estudos de psi em sonhos. Podem ir lá e ver.
    .
    O que é dito é que os experimentos ganzfeld constituem ALTERNATIVA economicamente mais viável para se estudar a PES (no caso, a telepatia). Não significa que o ganzfeld seja mais eficaz que o estudo dos sonhos, tampouco que os substitua.
    .
    Nota-se, ainda, no trecho que o Visoni postou, se o autor estiver correto, as influências místicas que subsidiaram a ideia de que telepatia seja captável em estados alterados de consciência:
    ./
    “Seu enfoque baseava-se na análise de estudos de casos espontâneos; no ESTUDO DE TEXTOS ANTIGOS, como os SUTRAS DE PATANJALI e nos ESCRITOS DE MÉDIUNS E PSÍQUICOS, entre outros.”
    ./
    QUANDO se diz que o mundo psi é cousa de doudo tem gente que esbraveja…

  82. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “O que é dito é que os experimentos ganzfeld constituem ALTERNATIVA economicamente mais viável para se estudar a PES (no caso, a telepatia). Não significa que o ganzfeld seja mais eficaz que o estudo dos sonhos, tampouco que os substitua.”
    .
    É substituto sim, pois é dito: Honorton passou a utilizar em suas pesquisas a técnica Ganzfeld de privação sensorial, a qual produz um estado semelhante ao do sonho, porém com duração e custos muito menores.
    .
    Portanto, substitui. E é mais eficaz?
    .
    [Ganzfeld] se tornou a principal técnica atual de pesquisa psi dos fenômenos de telepatia e clarividência, alcançando resultados cumulativos tão ou mais impressionantes que aqueles obtidos nas técnicas anteriores.
    .
    Sim, é.
    .
    Conclusão: Montalvão não sabe interpretar um texto.

  83. MONTALVÃO Diz:

    /
    MAS, na continuidade do texto, o Visoni parece encontrar apoio para a tese evolucionista aplicada ao Ganzfeld:
    /
    ————————–.
    Fabio Eduardo: “A pesquisa Ganzfeld pode ser considerada como produto da evolução dos estudos psi com outros estados modificados de consciência, como meditação, relaxamento, hipnose e sonho. Possivelmente por esta razão é que se tornou a principal técnica atual de pesquisa psi dos fenômenos de telepatia e clarividência, alcançando resultados cumulativos tão ou mais impressionantes que aqueles obtidos nas técnicas anteriores. Assim, o estado ganzfeld também pode ser considerado psi-condutivo.”
    ———————————.
    /
    Então, o Fabio também comungaria a ideia de que o ganzfeld seja evolução dos “estudos”, isso porque produziria melhores respostas que as técnicas anteriores. Mas produziria respostas mais ágeis por serem mais simples de implementados, pois o próprio Fábio reconhece que o Maimonides obteve “resultados excelentes”.
    .
    Desse modo, quando ele fala em “evolução”, a vê pelo aspecto econômico do processo.
    .
    Por outro lado, é claro que os alardeados resultados excelentes, maravilhosos, tanto com estudos do sonho ou com o ganzfeld deriva mais da empolgação dos pesquisadores que de retornos substanciais, que comprovassem taxativamente a realidade de PSI.

  84. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “Por outro lado, é claro que os alardeados resultados excelentes, maravilhosos, tanto com estudos do sonho ou com o ganzfeld deriva mais da empolgação dos pesquisadores que de retornos substanciais, que comprovassem taxativamente a realidade de PSI.”
    .
    Até céticos replicaram ganzfeld com sucesso…

  85. MONTALVÃO Diz:

    /
    Marciano Diz:

    ================================
    Outra coisa: já viu que só estamos nós aqui? Esse assunto não desperta o interesse de mais ninguém.
    =============================================
    .
    Será que morri e não fui avisado?
    /.
    CONSIDERAÇÃO: eu pretendo morrer sem ser avisado, acho mais emocionante.
    .
    Quando postei a postagem não havia ninguém no pedaço e dentre esses ninguém, além do ninguém que vos fala, ninguém havia feito qualquer apreciação ao tema da rubrica.
    .
    Fatalmente, a conversa vai recair na mediunidade e médiuns, e o Visoni vai sair do palco cioso de que deu mais uma prova de Psi em sonhos ou no escambau, o que não deixa de ser um pesadelo…

  86. Marciano Diz:

    Bem, eu prefiro discutir homeopatia, mediunidade, chiquismo, und so weiter und so fort, and so on, and on and on, do que sonhos psicóticos ou parapsicóticos.
    Nada obstante, sempre leio as discussões de vocês dois, não por interesse no assunto discutido, pois é assunto de doido, mas pela perspicácia que ambos mostram nas defesas de seus POVs.

  87. Marciano Diz:

    Quanto a ser avisado da morte, já o fui, mais de uma vez, mas não só não fiquei emocionado como ela furou e não deu as caras.
    Um dia a gente se encontra (eu e ela, quero dizer).
    Ela mandou recado pra vocês, dizendo que suas datas são certus an, incertus quando.

  88. MONTALVÃO Diz:

    /
    1. Vitor Diz:
    2. JULHO 25TH, 2017 ÀS 5:35 PM
    MONTALVÃO DISSE: “É interessante lembrar o que Freud disse, ELE QUE ERA MEMBRO DAS SPR INGLESA E AMERICANA: “em 24 anos de análise nunca deparei um sonho telepático”…”
    .
    Você mesmo disse que eram 27… e Freud TAMBÉM DISSE:
    /.
    CONSIDERAÇÃO: not não entendeu? A citação que eu queria transmitir era a de que já havia informado que Freud fora membro não só da SPR inglesa, também da americana, portanto sua notícia chegava atrasada. Nessa postagem citei de memória o tempo de Freud com a análise de sonhos. A correção veio adiante.

  89. MONTALVÃO Diz:

    /
    MONTALVÃO DISSE: “Freud publicou alguma coisa em tais publicativos?”
    .
    VISONI: SIIIIIIIIMMMMMMM!!!!!! Ele publicou nos Proceedings da SPR de 1912, Volume 26, página 312-318.
    .
    confirmado: FREUD ERA PARAPSICÓLOGO!
    /.
    CONSIDERAÇÃO: faria lindo trabalho se noticiasse o que fora publicado. Os Proceedings contém milhares e milhares de páginas, se Freud publicou apenas 7 não deve ter sido nenhum estudo que lhe desse mérito para ser metapsiquista ativo e operante.
    .
    A partir de Rhine, com a parapsicologia, foram introduzidas novas metodologias de pesquisa e o campo de abrangência encolheu. Freud não viveu essa nova dispensação…

  90. MONTALVÃO Diz:

    /
    A dissertação de mestrado que o Visoni desencavou, no intuito de provar que o ganzfeld seja evolução das pesquisas psi e não o que é de fato – um dentre os vários modismos -, além do inusitado de um mestrado de psicologia ter por tema assunto atinente à parapsicologia, ainda tem uns troços discutíveis. Vejamos o seguinte trecho.
    /
    ———————.
    “A pesquisa Ganzfeld pode ser considerada como produto da evolução dos estudos psi com outros estados modificados de consciência, como meditação, relaxamento, hipnose e sonho”
    /
    ——————————.
    .
    Depois o Visoni dissera:
    /
    ———————–.
    MONTALVÃO DISSE: “O que é dito é que os experimentos ganzfeld constituem ALTERNATIVA economicamente mais viável para se estudar a PES (no caso, a telepatia). Não significa que o ganzfeld seja mais eficaz que o estudo dos sonhos, tampouco que os substitua.”
    .
    VISONI: É substituto sim, pois é dito: Honorton passou a utilizar em suas pesquisas a técnica Ganzfeld de privação sensorial, a qual produz um estado semelhante ao do sonho, porém com duração e custos muito menores.
    .
    Portanto, substitui. E é mais eficaz?
    [...].
    Sim, é.
    .
    Conclusão: Montalvão não sabe interpretar um texto.
    ————————-.
    /
    CONSIDERAÇÃO: Que meigo esse menino, não?
    .
    Vamos meditar melhor no discurso do Fábio, autor da dissertação. Ele diz:
    /.
    “A pesquisa Ganzfeld pode ser considerada como produto da evolução dos estudos psi”
    ./
    CONSIDERAÇÃO: pois, então, ele diz: “pode ser considerada”: a afirmação não é taxativa. Nem poderia ser, pois se o ganzfeld cobre a área da pesquisa com sonhos deve ser cobertura parcial. Experimento ganzfeld não é o mesmo que dormir, sonhar e ver se sai fumacinha telepática no devaneio onírico.
    .
    No ganzfeld o receptor está num estado alterado de consciência em que procura “esvaziar” a mente de pensamentos, na suposição de que a mensagem chegue perceptivelmente (mesmo assim, se chega chega bem mirradinha, mas, como diria o Visoni, isso é outra história). Estar em “estado ganzfeld” não é o mesmo que dormir e sonhar doces sonhos psi (caso existissem).
    .
    Se o ganzfeld substituísse os experimentos com sonhos o que seria dos estudos dos sonhos precognitivos? Teriam findado?
    .
    Desse modo, a afirmação do Fábio: “pode ser considerada” deve ser entendida em termos relativos, mais como conjetura que como fato, ou seja, as pesquisas com sonhos certamente continuaram. Pode ser sim, que o ganzfeld tenha se mostrado opção mais promissora que os métodos precedentes, mas não se tornou a única.
    .
    Outras esquisitices esquisitas:
    .
    “A pesquisa Ganzfeld pode ser considerada como produto da evolução dos estudos psi com outros estados modificados de consciência, como meditação, relaxamento, hipnose e sonho.”
    .
    Falemos da hipnose.
    .
    Ainda hoje há quem afiance que o hipnotismo produz efeitos psi. Embora seja ideia sem fundamento, pois se hipnotizados adquirissem habilidades psíquicas seria uma maneira eficaz e barata de demonstrar a realidade da “força” e, certamente, a ferramenta estaria sendo utilizada (pelo jeito até o pessoal do Interpsi acredita nisso). Entretanto, não se vê experimentador do paranormal incursionando na área.
    .
    Agora vejam o paradoxo: pessoas sob influência hipnótica tendem obter estado de relaxamento profundo e têm a mente focada nas instruções dadas pelo agente. Então, o hipnotismo seria excelente para produzir respostas psi: mais eficaz e econômico que o ganzfeld (induzir alguém ao transe hipnótico é relativamente fácil). Então por que não é utilizado?
    .
    Eu tenho uma ideia: usando a hipnose fica claro que psi é ilusão e nenhum pesquisador vai arriscar viver tal frustração. Por isso, alguns ainda falam que sim, mas ninguém faz uso, a não ser, talvez, uns poucos tresloucados, ou espertos…

  91. Marciano Diz:

    Existem até uns tresloucados, mas a maioria é esperta.

    Montalvão, tur mir Leid, aber Herr Doktor Fritz ruft mich an. Ich muß los.
    Bis bald.

  92. Marciano Diz:

    Tut mir Leid.
    Das ist das Tastatur.

  93. MONTALVÃO Diz:

    /
    Tut mir Leid.
    Ich verstehe nicht, was Sie sagen

  94. Vinicius Diz:

    “Quanto a ser avisado da morte, já o fui, mais de uma vez, mas não só não fiquei ”
     
    Eu também achei que ia morrer várias vezes!
     
    Certa vez tive de ser “ressuscitado” por um desfibrilador.
    A equipe médica disse que dei um susto neles… antes de desligar dei uns chutes para oo ar (foi o que me disseram).

  95. Vinicius Diz:

    Eu era bem espírita na época e fiquei me perguntando a razão de não lembrar de nada, não encontrar nenhum túnel de luz, meus vovô e vovó não apareceram, enfim!

  96. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “faria lindo trabalho se noticiasse o que fora publicado.”
    .
    https://app.box.com/s/iuoq55xlu60h8gi371kgee91xsdgip32

  97. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “Os Proceedings contém milhares e milhares de páginas, se Freud publicou apenas 7 não deve ter sido nenhum estudo que lhe desse mérito para ser metapsiquista ativo e operante.”
    .
    Freud era membro honorário, não era membro profissional. Um membro honorário é definido pela PA como:
    .
    An Honorary Member shall be a person:
    .
    a) who, in the opinion of the Membership Committee, has made outstanding contributions to the advancement of parapsychology in areas other than scientific research
    b) who has been nominated by three Directors
    c) who has been elected by a unanimous vote of the Membership Committee
    .
    An Honorary Member shall not pay membership dues. Honorary Members do not have voting rights in the corporation. There is no application for this membership catagory.

    .
    Assim, as ideias de Freud sobre inconsciente, entre várias outras, foram contribuições fora da Parapsicologia mas que certamente tiveram um impacto profundo no campo.

  98. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “pois, então, ele diz: “pode ser considerada”: a afirmação não é taxativa.”
    .
    Claro que é taxativa! Da mesma forma, ele diz: “o estado ganzfeld também pode ser considerado psi-condutivo”. Ora, o estado ganzfeld é psi condutivo. Antes, ele também diz que “o estado modificado de consciência natural do sonho é também considerado psi-condutivo.” Sonhos são psi condutivos.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Nem poderia ser, pois se o ganzfeld cobre a área da pesquisa com sonhos deve ser cobertura parcial. Experimento ganzfeld não é o mesmo que dormir, sonhar e ver se sai fumacinha telepática no devaneio onírico.”
    .
    Já ouviu falar em bem substituto na Economia, Montalvão? Manteiga e margarina não são a mesma coisa, mas um é bem substituto do outro, pois exercem a mesma função. Se um fica mais caro, aumenta a demanda do outro. Ou carne bovina e carne de frango. Também não são a mesma coisa, mas atendem a mesma função. No caso do paranormal, a função é captar impressões telepáticas. Já que os testes em Maimonides eram muito caros para isso, foram substituídos pelo Ganzfeld.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Se o ganzfeld substituísse os experimentos com sonhos o que seria dos estudos dos sonhos precognitivos? Teriam findado?”
    .
    Não. Dale Graff conseguiu baratear imensamente os testes de sonhos precognitivos. Ele inovou na metodologia. Mais uma evolução. E não modismo.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Desse modo, a afirmação do Fábio: “pode ser considerada” deve ser entendida em termos relativos, mais como conjetura que como fato, ”
    .
    É fato, tanto quanto Ganzfeld é psi condutivo por qualquer literatura que se busque.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Ainda hoje há quem afiance que o hipnotismo produz efeitos psi. Embora seja ideia sem fundamento, pois se hipnotizados adquirissem habilidades psíquicas seria uma maneira eficaz e barata de demonstrar a realidade da “força” e, certamente, a ferramenta estaria sendo utilizada (pelo jeito até o pessoal do Interpsi acredita nisso). Entretanto, não se vê experimentador do paranormal incursionando na área.”
    .
    Não?
    .
    Felícia Parise, uma médica-técnica no Departamento de Hematologia de Maimonides, esteve ocupada em pesquisa sobre leucemia por alguns anos. Ela é uma mulher vivaz e atraente cujo interesse em parapsicologia começou como fruto de uma série de experiências pessoais de PES. Em 1968 ela se voluntariou como um sujeito de pesquisa em nosso laboratório. A habilidade excepcional de Felícia em PES ficou aparente no primeiro experimento que fizemos juntos. Este era um estudo de sonhos clarividentes hipnoticamente induzidos, no qual as pessoas hipnotizadas recebiam sugestões para sonhar, enquanto em hipnose, sobre imagens seladas em envelopes opacos. Neste experimento, Felícia informou um sonho hipnótico sobre “Um quarto com decoração de festa… Nenhuma decoração no chão, a decoração estava toda no teto e nas paredes… Balões vermelhos….” Esta foi uma descrição precisa da imagem alvo, a qual era um templo japonês, com uma grande lanterna vermelha japonesa pendurada no teto.

  99. MONTALVÃO Diz:

    /
    MONTALVÃO DISSE: “pois, então, ele diz: “pode ser considerada”: a afirmação não é taxativa.”
    .
    VISONI: Claro que é taxativa! Da mesma forma, ele diz: “o estado ganzfeld também pode ser considerado psi-condutivo”. Ora, O ESTADO GANZFELD É PSI CONDUTIVO. Antes, ele também diz que “o estado modificado de consciência natural do sonho é também considerado psi-condutivo.” SONHOS SÃO PSI CONDUTIVOS.
    /
    CONSIDERAÇÃO: correto, na cabeça de crente Ets estão nos vigiando e visitando amiúde, pessoas são abduzidas rotineiramente, psi existe, ganzfeld e sonhos são psi-condutivos…
    .
    Sonhar nada custa.
    .
    Nem se sabe se psi existe, quanto mais se algo lhe é condutivo…

  100. MONTALVÃO Diz:

    /
    Ah, esqueci: na cabeça do crente espíritos comunicam…

  101. MONTALVÃO Diz:

    /

    MONTALVÃO DISSE: “faria lindo trabalho se noticiasse o que fora publicado.”
    .
    VISONI: https://app.box.com/s/iuoq55xlu60h8gi371kgee91xsdgip32
    /.
    CONSIDERAÇÃO: pois é, como eu desconfiava: um trabalho sobre psicanálise, o que reforça a suposição de que atinente à metapsíquica Freud nada publicou, o que faz dele, segundo a tese visoniana anexada à tese truzziana, um não-parapsicólogo (e, até mesmo um não-metapsiquista).

  102. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “Nem se sabe se psi existe, quanto mais se algo lhe é condutivo…”
    .
    Quem não sabe? A PA já declarou a existência de psi.

  103. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “um trabalho sobre psicanálise, o que reforça a suposição de que atinente à metapsíquica Freud nada publicou, o que faz dele, segundo a tese visoniana anexada à tese truzziana, um não-parapsicólogo (e, até mesmo um não-metapsiquista).”
    .
    https://www.amazon.com/Studies-Parapsychology-Sigmund-Freud/dp/0020765509

  104. Vinicius Diz:

    Marciano, tem um novo comunicado da FEESP no site deles. Não é uma “versão” , mas deram mais alguns detalhes.
     
    http://feesp.com.br/comunicado-aos-colaboradores-feesp/

  105. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Eu também achei que ia morrer várias vezes!”
    /.
    EU TAMBÉM, não só achei que ia morrer como morri várias vezes, ao menos para alguns, p.ex., uma moça que fora perdidamente apaixonada por mim (acreditem, verdade!) um dia me disse: “você morreu pra mim”…
    /
    SNIFF…

  106. Marciano Diz:

    Montalvão, você tanto entendeu que respondeu.
    Claro que usou o Google, dá pra notar, pois tratou-me com formalidade. “was Sie sagen”, quando deveria ter dito “was du sagst”.
    A culpa é do Dr. Fritz, aquele médico alemão da primeira guerra. Ou do teclado virtual alemão que instalei (software). Só o uso para falar com um alemão de carne e osso, que está me dando aulas (caras) presenciais para desenferrujar meu alemão, que anda mal das pernas, por falta de uso.
     
     
    VINICIUS, o que é isso, companheiro? Você tem arritmia cardíaca? Tua sorte é que tinha um desfibrilador por perto e alguém que sabia usá-lo, ou estaria agora enviando mensagens do além para os médiuns do blog.
     
    Procure ver isso direitinho, pois coração é coisa séria.
     
     
    A discussão entre Vitor e Montalvão é infinita. Ambos são excelentes argumentadores, nenhum entrega o braço, ambos sabem defender muito bem os ataques ao braço.
    O problema, para mim, que sou amador em discussões eternas, é que só um pode estar certo. Se Montalvão estiver certo, Freud era apenas um futuro ícone que inventou um método de tratamento de perturbados mentais, que no futuro teria muita fama, mas pouco uso prático, criticado pelos próprios discípulos, como o outro maluco, Jung, pelo Lacan, etc.
    Se Vitor estiver certo, Freud foi também um dos pioneiros da parapsicologia, com trabalhos importantes no ramo, fato desconhecido dos psicanalistas que ainda existem, embora o critério truzziano pareça indicar o contrário, mas assim não seja; nós é que não sabemos interpretar Truzzi, o cara que decide quem é paprapsicólogo de verdade ou não.
     
    Vitor desencavou um livro de Freud que, a julgar pelo título, trata de parapsicologia.
     

    Edited by Susan Sontag’s first (and only) husband, Studies in Parapsychology is a delicious oxymoron: a scientific study of the unscientific. It gathers three treatises, the most lengthy of which is “The ’Uncanny’.” Let me open it at random:
     
    “Taking another class of things, it is easy to see that here, too, it is only this factor of involuntary repetition which surrounds with an uncanny atmosphere what would otherwise be innocent enough, and forces upon us the idea of something fateful and inescapable where otherwise we should have spoken of ’chance’ only. For instance, we of course attach no importance to the event when we give up a coat and get a cloakroom ticket with the number, say, 62; or when we find that our cabin on board ship is numbered 62. But the impression is altered if two such events, each in itself indifferent, happen close together, if we come across the number 62 several times in a single day, or if we begin to notice that everything which has a number – addresses, hotel-rooms, compartments in railway-trains – always has the same one, or one which at least contains the same figures. We do feel this to be ’uncanny,’ and unless a man is utterly hardened and proof against the lure of superstitution he will be tempted to ascribe a secret meaning to this obstinate recurrence of a number, taking it, perhaps, as an indication of the span of life allotted to him.”
     
    Freud died at the age of 83, in case you were wondering.
     
    Also, I transcribed that word precisely, “superstitution.” I assume it is a misprint for “superstition.”
     
    Like Sherlock Holmes, his contemporary and fellow cocaine-fancier, Sigmund finds new answers to ancient mysteries. (And what is the Oedipal Theory if not a murder investigation?) THIS IS ONE OF THOSE SOLITARY SECONDHAND BOOKSTORE DISCOVERIES THAT REDEEMS, FOR THREE MONTHS, ONE’S LIFE. (I found it at Half Moon Books in palatial Kingston, New York.)

    [Big Freud-fans will enjoy the non-canonical translators in this volume: Alix Strachey, C. J. M. Hubback, Edward Glover (in order).
     
     
    VINICIUS, trecho do tal comunicado:
     
    “Aproveitamos para esclarecer que, assim que fomos informados do fato, imediatamente tomamos todas as providências possiveis junto às autoridades e também para localizar os familiares, que foram acolhidos e apoiados no 8º andar da FEESP, pela Presidência e membros da Diretoria da Federação Espírita do Estado de São Paulo, durante todo tempo que aqui permaneceram, até a saída do corpo, que foi enviado ao Instituto Médico Legal no final da tarde. Simultaneamente a essas providências encaminhamos o nome do Sr. Claudio Arouca para ser assistido em nossa Assistência Espiritual, P3C – CONSOLO (sábado – 14:00 horas), juntamente com nossos pedidos de amparo e sustentação a todos os seus familiares.” 
     
    Não foi isto que o sobrinho e outros membros da família disseram.
     
    Quem estará mentindo :?:
     
     
    Freud já tinha morrido pra mim, mesmo depois de morto. Agora, incrivelmente, morreu de novo.
     
    Explico: se psicanálise já é pra jacu, o cara ainda incursionou em parapsicologia?
     
    Como tem gente que não merece a fama que tem.

  107. MONTALVÃO Diz:

    /
    MONTALVÃO DISSE: “Os Proceedings contém milhares e milhares de páginas, se Freud publicou apenas 7 não deve ter sido nenhum estudo que lhe desse mérito para ser metapsiquista ativo e operante.”
    .
    VISONI: FREUD ERA MEMBRO HONORÁRIO, não era membro profissional. Um membro honorário é definido pela PA como:[...]
    /.
    CONSIDERAÇÃO: quando eutava pra nascer veio um anjo e mo inquiriu: “lá embaixo, você quer ser rico e sisudo ou ser pobre e ter muitas alegrias?”.
    .
    Então, obtemperei, mesmo sabendo que não era permitido às almas nascedouras questionar os mensageiros celestes: “mas não há rico feliz?”, a resposta: “Só um, porém não é do planeta, um dia conece-lo-á…”
    .
    Por isso vim parar cá, no Obras, lugar onde não se ganha nada mas diverte-se muuuuuito,,,
    /
    Entonces, Freud era membro honorário das SPR? E como tal não precisava trabalhar porque a honorobilidade lhe garantia o ócio?
    .
    Agora, quem estabeleceu que seria assim? Claro, a PA, quem mais?
    .
    A PA, fundada vintanos pós morte do psicanalista…
    .
    Eis a prova científica da retrocomendação! E a prova científica de que Freud fora legítimo parapsicólogo!
    .
    Com uma piadas dessas ninguém se entristece… viu como é bom ser pobre?

  108. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “Entonces, Freud era membro honorário das SPR? E como tal não precisava trabalhar porque a honorobilidade lhe garantia o ócio?”
    .
    Você sabe o que significa um membro honorário, Montalvão?
    .
    Em algumas associações existe a figura do “membro honorário”. Trata-se geralmente de um membro que não preenche os requisitos para ser um membro regular e que, por isso, lhe é fornecido pela associação esse título, geralmente como reconhecimento de sua contribuição significativa para a Associação.

  109. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Você sabe o que significa um membro honorário, Montalvão?”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: claro que sei-o, inclusive sou membro honorário de várias e diversas agremiações, por modéstia, cito apenas algumas:
    .
    - comandante honorário da sexta Frota Estelar, capitaneada por Asthar Sheran;
    /
    - comendador honorário do Clube do Membro Viril;
    /
    - membro honorário dos Frequentadores do Bar do Bigode;
    /
    - membro honorário perpétulo do clube do Guaraná Caçula.
    .
    E muito mais…

  110. MONTALVÃO Diz:

    /
    Mas, não fique triste: a piada foi boa…

  111. Marciano Diz:

    Reconhece-se a obsessão pelas seguintes características:
     
    1) Insistência de um Espírito em comunicar-se queria ou não o médium, pela escrita, pela audição, pela tiptologia etc., opondo-se a que outros Espíritos o façam.
     
    2) Ilusão que, não obstante a inteligência do médium, o impede de reconhecer a falsidade e o ridículo das comunicações recebidas.
     
    3) Crença na infalibilidade e na identidade absoluta dos Espíritos que se comunicam e que, sob nomes respeitáveis e venerados, dizem falsidades ou absurdos.
     
    4) Aceitação pelo médium dos elogios que lhe fazem os Espíritos que se comunicam por seu intermédio.
     
    5) Disposição para se afastar das pessoas que podem esclarecê-lo.
     
    6) Levar a mal a crítica das comunicações que recebe.
     
    7) Necessidade incessante e inoportuna de escrever.
     
    8) Qualquer forma de constrangimento físico, dominando-lhe à vontade e forçando-o a agir ou falar sem querer.
     
    9) Ruídos e transtornos em redor do médium, causados por ele ou tendo-o por alvo.
     
    Fonte:
    http://www.institutochicoxavier.com/index.php/informativo/o-que-e-o-espiritismo-2/2223-como-reconhecer-a-obsessao
     
     
    Com exceção do item 9, o qual não sabemos se está presente ou não, parece-me que alguém apresenta todos os demais sinais de obsessão.
     
    Insistência de provar o que já estaria mais do que provado, qual seja, a realidade da psi.
    Se isto é uma realidade, por que tanta insistência em provar o óbvio, que todo mundo sabe, salvo alguns comentaristas aqui?
     
    Não obstante a inteligência do proponente da realidade psi, está impedido de reconhecer o ridículo e a falsidade das afirmações e textos de artigos postados.
     
    Crença na prova insofismável da psi como realidade e na verdade absoluta dos escritos e “estudos” dos “cientistas” aqui citados como provas do que já estaria tudo provado.
     
    Aceitação de tudo o que publicam os mais loucos parapsicólogos, sejam cães telepatas, gurus indianos que estão em animação suspensa há décadas, qual num filme B de ficção científica, e outras pérolas pararreais.
     
    Disposição para sempre encontrar algum argumento contra o que dizem as pessoas que podem esclarecê-lo.
     
    Embora não pareça levar a mal a crítica das “provas” que oferece, costuma atacar interlocutores, chamando-os de portadores de Mal de Alzheimer, de incapazes de interpretar textos, etc.
     
    Necessidade incessante e inoportuna de continuar a publicar matérias que só parecem interessar a Montalvão, afastando Gorducho e fazendo com que outros, como este humilde etc. e Vinicius só falem de assuntos paralelos, fazendo com que outros, como Pastor, Phelippe, Orlando, Toffo, Antonio, etc., sumam de vez, baldados os esforços deste cisco imprestável que vos escreve de manter acesa a chama do blog suicida.
     
    Aparente constrangimento (físico ou de outra natureza) compelindo sua vontade e forçando-o a publicar incessantes artigos destinados a provar o que todos menos nós já saberiam e a defender com unhas e dentes os artigos publicados.
     
    Só não sabemos se existem ruídos e transtornos.
     
     
    Será que é obsessão de espíritos de parapsicólogos mortos?

  112. Gorducho Diz:

    Aquele arqueólogo cujo o Sr. tentou contatar é presidente honorário da Soc. Arqueológica de Alexandria, ¿não é Sr. Administrador?

  113. Marciano Diz:

    Alô, alô, Analista Vinicius!
    Mantenha-nos informados sobre o caso de descaso da feesp, pois assim temos algum assunto para discutir.
     
    Veja que nem Vitor e Montalvão conseguem discutir sobre o tema (abordagem psicodélica de Ullman), pois estão discutindo se Freud era parapsicólogo ou não, se Truzzi disse ou não quem pode ser considerado parapsicólogo, se ele tinha ou não autoridade para dizer isto, etc.

  114. Marciano Diz:

    E Lulla é doutor honoris causa da Universidade de Coimbra.

  115. Marciano Diz:

    Vejam o tamanho da honra de Lulladrão:
     
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Pr%C3%AAmios_e_honrarias_recebidos_por_Luiz_In%C3%A1cio_Lula_da_Silva
     
    Big deal!

  116. Marciano Diz:

    Sérgio Cabral foi agraciado com título honorário do MPRJ.
    Com sua prisão, a honraria foi cassada.

  117. Marciano Diz:

    Vejam quanta honra:
    https://jb.fm/jb-noticias/mprj-cassa-medalha-do-merito-concedida-a-ex-governador-sergio-cabral/

  118. Marciano Diz:

    E no Montague Ullman, não vai nada?

  119. Vitor Diz:

    GORDUCHO DISSE: “Aquele arqueólogo cujo o Sr. tentou contatar é presidente honorário da Soc. Arqueológica de Alexandria, ¿não é Sr. Administrador?”
    .
    Acabei de saber que ele morreu… em 13/02/2017. O último contato que eu tentei foi em 10/02/2017. Bem, de fato quando falaram que ele estava com sério risco não era mentira…
    .
    https://www.economist.com/news/obituary/21718447-man-behind-recreation-great-library-alexandria-was-88-obituary-mostafa
    .
    O nome dele ainda consta como Presidente, não diz honorário:
    .
    http://asalex.org/support_asa.html e http://asalex.org/presidents.html
    .
    Que tenha ido em paz…

  120. Marciano Diz:

    Com relação ao Prêmio Internacional Don Quixote de la Mancha, eu até concordo.
    Acho um insulto alguém ser indicado para um prêmio desses.
    O personagem ridículo era um doido que vivia combatendo moinhos de vento, uma sátira à babaquice da época.
    Será que os instituidores do prêmio nunca leram o livro?

  121. Marciano Diz:

    Vitor, não pare de tentar contatar o cara só porque ele morreu.
    Isto seria desculpa para descrentes na vida após a morte, como eu.
    Para você, não é obstáculo algum.

  122. Marciano Diz:

    GORDUCHO, você lembrou do Marden, no tópico que ninguém comenta.
    Veja o que o Biasetto tinha me dito:
    https://espiritismoracional.wordpress.com/tag/vitor-moura-visoni/

  123. Marciano Diz:

    O Biasetto tinha me falado que o cara criou um blog para falar mal da gente, mas eu nunca tinha me interessado.
    Vejam só:
     
    Este vídeo é dedicado ao blog católico ObrasPsicografadas.org, seus comentaristas católicos e seu administrador Vitor Moura Visoni. Esta é uma obra de ficção, qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações terá sido mera coincidência.
     
    Como era esperado por nós, o blog católico, ObrasPsicografadas, não iria deixar uma data tão importante para eles, católicos, passar em branco, como é a semana santa. Dito e feito e lá vêm eles, outra vez, a levantarem suas bandeiras, a hastearem…
     
    O que tanto temem os “céticos católicos” do blog ObrasPsicografadas?
    Hoje faz 12 dias que experimentei postar um comentário no blog católico ObrasPsicografadas. Como já imaginava, meu comentário não seria publicado. E tudo isso por uma razão, que ao meu ver, parece bastante óbvia: porque eu toco na ferida deles.…
     
    Poderia o blog Espiritismo Racional ter começado a incomodar e influenciar o blog católico Obras Psicografadas?
     
    O tal de Marden é mais louco do que eu pensava.

  124. Gorducho Diz:

    Acho que ele deve ter se invocado c/o Sr. JCFF e o apoio que a Administração dava pra ele.
    Por outro não me lembro d’alguma rixa entre ele (Marden) e o Sr. JCFF
    :?:
     
     
    Por sinal eu queria fazer uma pergunta pro Sr. JCFF: onde que S. Agostinho diz aquilo sobre vida futura que o Kardec diz ele disse.
    Nem nosso oponente no CC sabe onde está isso na obra do SA.
    Pena que ele desapareceu :(

  125. Gorducho Diz:

    ERRATA
    Por outro lado não me lembro [...]
    Os únicos católicos de que de cá me lembro foram Srs. JCFF + Analista Otávio.
    E nenhum dos dois me lembro que discutissem com o Marden :!:
    :?:

  126. Gorducho Diz:

    A Presidenta é a Srª que lhe respondeu, Sr. Administrador :!:
    :( :( :(

  127. Vitor Diz:

    Sim, à época foi a Monna que me respondeu.

  128. Gorducho Diz:

    Na verdade eu imagino que o Marden mora(va?) em Marden :mrgreen:

  129. Gorducho Diz:

    Eu SEI que foi ela quem lhe respondeu :(
    Eu só estou lhe dizendo que ela É a presidenta :!:

  130. Marciano Diz:

    Gorducho, se o Marden morava em Marden, ele nunca disse.
    Lembro-me de que ele disse que morava perto de um centro (tem outro nome, do qual não me lembro agora) daquele espiritismo esquisito dele (RC), do Luís de Mattos, o português maluco.
     
    Ele nunca discutiu com JCFF ou o Otávio.
     
    Ele cismou que todo mundo aqui era católico, que o blog era católico, porque, provavelmente, é esquizofrênico.
     
    Muitos esquizofrênicos têm mania religiosa, fanatismo religioso.
    Era o caso dele com esse racionalismo cristão.
     
    Ele entrou aqui pra fazer proselitismo desse troço. Antes, eu nem sabia que isso existia.
     
    E olha que conhece um monte de crentes e de crendices.

  131. Marciano Diz:

    Ficou na terceira do singular, mas era primeira.
    E olhe que conheço um monte de crentes e de crendices.
    Graças a ele, descobri mais uma maluquice.
    Não sei se lembra, mas é uma divergência no espiritismo, criada por Luís de Mattos, pratica por uma quantidade de pessoas ainda mais insignificante do que a quantidade de chiquistas.
     
    Tudo era copiado do chiquismo.
    Tinha uma higiene mental, com um nome estranho.
    Limpeza psíquica.
    Eu postei uma gravação da rádio deles aqui.
    O limpeza psíquica é uma coisa ridícula demais. Mesmo malucos deveriam achar estranho.

  132. Marciano Diz:

    O cara é tão maluco que criou um blog só para falar mal de mim, do Biasetto e do Vitor.
    De quebra, falava mal de todos os demais, que eram “católicos”.
    Católico, na cabeça dele, deve ser quem não é adepto dessa crença estranhíssima.

  133. Marciano Diz:

    Quer rir um pouco?
    Veja este curto (7min) vídeo de limpeza psíquica, a higiene mental dos RC.
    https://www.youtube.com/watch?v=teVqzEqTqE8

  134. Gorducho Diz:

    Ele mora(va?) na Inglaterra. Eu concluí que em Marden por uma resposta dele acerca do nom de plume (dele, claro).

  135. Marciano Diz:

    O cara era tão doido e sua intenção de fazer proselitismo tão gritante que colocava um link no seu nome, endereçando ao sítio oficial do RC.
    Isto pode ser visto AQUI ou em qualquer outro comentário feito por ele.
    É só clicar no nome dele, que aparecia em azul, e abre-se o sítio do RC.

  136. Marciano Diz:

    As reais intenções dele aparecem aqui:
    https://www.youtube.com/watch?v=cGLUWS0eizQ

  137. Marciano Diz:

    A profissão dele e sua simpatia pela quadrilha petista podem ser verificados aqui:
    https://mardencarvalho.wordpress.com/

  138. Marciano Diz:

    Rolem a página e verão que o cara tem o atrevimento de defender a Dilma.

  139. Marciano Diz:

    Pelo visto, continua morando na Inglaterra, pois só fala de lá.
    Chama quem não é petralha de coxinha.
    Rolem a página e vejam quem é esse cara.

  140. Marciano Diz:

    Vejam o que ele diz em seu blog (este outro, mostrado acima):
     
    Todo capitalista é essencialmente um egoísta, pois o desejo desenfreado pelo lucro faz com que ele sempre passe por cima das dignidades humanas, inclusive que despreze a vida dos outros seres, plantas, animais e própria a vida humana.
     
    O episódio “recente” envolvendo os frigoríficos brasileiros é uma prática comum e recorrente dentro do sistema capitalista. E que para muitos revelou-se como uma guerra de mercados. Como podemos ver nesta matéria, a JBS vinha subindo na bolsa de valores e isso com certeza passou a incomodar outros produtores de carne. E um boicote aos produtos nacionais é tudo o que querem as indústrias estrangeiras.
     
     
    Ele só se esqueceu de dizer que o capitalismo que condena é o que seus amiguinhos Lulladrão e Dilmanta tanto adoram, pois foram corrompidos pelo Joesley.

  141. Marciano Diz:

    A quantidade de erros crassos dele deve ser porque está morando na Inglaterra há muito tempo.
    Vejam que escreve :

    á tinha visto este vídeo que foi divulgado pela BBC e um amigo acaba de enviar novamente para mim. Para quem não sabe o que seja a BBC, a melhor definição que tenho é que é que nem a Globo dos nossos coxinhas, só que para os britânicos coxinhas daqui. Afinal crer na grande mídia não é proeza só dos nossos coxinhas.

    Alguém consegue me dizer que viu uma mulher pulando ali? Por que ela pula depois que o carro passa? Por que ela deixa um rastro no ar? Por que foi filmado de tão longe? Por que a imagem está tão embassada? Por que o carro parece uma imagem holográfica? Por que quase não haviam pessoas do lado onde o carro passava?

    Vejam que chega ao cúmulo de escrever “embassada”.
    É típico de “intelectuais” esquerdistas.

  142. MONTALVÃO Diz:

    /

    “Veja que nem Vitor e Montalvão conseguem discutir sobre o tema (abordagem psicodélica de Ullman), pois estão discutindo se Freud era parapsicólogo ou não, se Truzzi disse ou não quem pode ser considerado parapsicólogo, se ele tinha ou não autoridade para dizer isto, etc.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: ui uai, eu num tô discutindo essas coisas não! Apenas esforço-me por acertar o mau pensar do gafanhoto. Essa de que Freud fora parapsicólogo não é fruto desse cérebro depauperado que me encima o cocuruto; e o Truzzi, ah o Truzzi… deste não resta a menor dúvida…
    /
    Quanto a discutir o artigo, realmente não dá… o arrazoado é tão ruim que só consegue ser suplantado em ruinzice pelo descritivo das experiências. Tenho a impressão de que nem o Visoni mais acredita em sonhos telepatéticos após ler esse amontoado de abobrices…
    .
    Agora, que fique entre nós: respeito a predileção das partes, mas, entre, de um lado, debater as imaginadas inclinações de Freud ao paranormal e das pretensões de alguém dar a Truzzi autoridade credenciativa e, de outro, discutir a respeito das peculiaridades do finado vetusto e insosso Bezerra de Menezes, sou mais a outra… mas, gosto é gosto… que seria de mim se todos apreciassem tim?

  143. Marciano Diz:

    Concordo em gênero e número, mas discordo em grau.
    Percebo que reconheces que as “experiências” de Ulmann são indiscutíveis, no sentido de que não há estômago que aguente. Já no que diz respeito ao Freud parapsicólogo e ao Truzzi regulador de conceitos e interpretação do que ele disse ou não disse, prefiro o chato do Bezerra.
     
    Eis o porquê: Bezerra atrai comentaristas e leitores para o blog, uns a reconhecer a maluquice, outros a defender as ideias estapafúrdias dos espíritas; já o personagem Freud parapsicólogo e Truzzi ditador de normas, acrescido de interpretação de suas palavras ou adivinhação de seus falecidos pensamentos, dá nisso. Ficam só os mais aguerridos aqui. Os outros caem fora.
     
    No caso, ficam você e Vitor discutindo assuntos paralelos e nosotros discutindo assuntos diagonais.
     
    Maluquice por maluquice, falemos daquelas que dão vida ao blog.
    Tente imaginar suas infindáveis discussões com Vitor através de whatsapp. Imagine que este blog fosse um grupo de whatsapp. Ficariam só você e Vitor e nenhum dos dois teria saco de escrever tanto.
     
    Tá explícito que o blog está asfixiado por falta de interessados.
    No dia em que sumir the last of the mohicans não vai ter como reencarná-lo.
     
    Quando conheci isto aqui, fervilhavam os comentários, tinha acirrados debates, diversas opiniões.
    A gente aprendia uns com os outros e se divertia. Agora é só diversão e as piadas são velhas e repetidas.
     
    Quamvis acerbus, qui monet, nulli nocet.
    Conquanto acerbo, quem admoesta, ninguém prejudica.
    Fiz uma tradução literal e deixei a pontuação em latim, para melhor compreensão da frase de Publio Lentulus, digo, Publilio Siro.
    A tradução comum em língua pátria é:
    Por mais áspero que seja, quem adverte não prejudica a ninguém.

  144. Marciano Diz:

    Publilius Syrus è stato un drammaturgo romano.

  145. Marciano Diz:

    Originario di Antiochia (odierna Turchia), fu condotto a Roma come schiavo dalla Siria, anche se gli fu poi data la libertà. Era dunque un liberto, pur se non sappiamo se continuò a vivere nella casa del patrono. Ebbe la possibilità di studiare l’arte teatrale e di intraprendere questa carriera, attratto soprattutto dall’interesse dei vari ceti sociali al riguardo.
    Ci conosciamo bambini. Io era più vecchio.

  146. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “Essa de que Freud fora parapsicólogo não é fruto desse cérebro depauperado que me encima o cocuruto”
    .
    Freud era filiado a sociedades parapsicológicas? Sim. (Condição importante mas não essencial para alguém ser parapsicólogo… vide Gardner, na visão de Truzzi)
    Freud publicou em jornais psi? Sim. (Condição essencial para alguém ser parapsicólogo)
    Freud fez experimentos psi próprios? Sim. (Condição importante mas não essencial para alguém ser parapsicólogo… vide Carlos Alvarado que faz essencialmente pesquisa histórica)
    Freud ficou convencido da realidade de psi? Sim. (Condição não essencial para alguém ser parapsicólogo, vide Blackmore ou Richard Wiseman)
    .
    Conclusão: Freud era parapsicólogo.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “e o Truzzi, ah o Truzzi… deste não resta a menor dúvida…”"
    .
    A menor dúvida de quê? De que tinha o cérebro depauperado? Não foi o Truzzi que foi detonado por Roberto de Andrade Martins, George Hansen, Greg Taylor… foi Gardner…

  147. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “Quanto a discutir o artigo, realmente não dá… o arrazoado é tão ruim que só consegue ser suplantado em ruinzice pelo descritivo das experiências. ”
    .
    Dizer que o artigo é ruim sem dar a menor explicação disso só mostra a ruindade do crítico ;)
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Tenho a impressão de que nem o Visoni mais acredita em sonhos telepatéticos após ler esse amontoado de abobrices…”
    .
    De fato não acredito, eu SEI que telepatia e sonhos telepáticos existem.

  148. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Eis o porquê: Bezerra atrai comentaristas e leitores para o blog, uns a reconhecer a maluquice, outros a defender as ideias estapafúrdias dos espíritas; já o personagem Freud parapsicólogo e Truzzi ditador de normas, acrescido de interpretação de suas palavras ou adivinhação de seus falecidos pensamentos, dá nisso. Ficam só os mais aguerridos aqui. Os outros caem fora.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: quem está com a maioria está feliz. Como minha existência foi pautada pela agregação à marginália, não me surpreende que, mais uma vez, seja voz que clama no deserto. Que futuro tem um apreciador de Francisco Petrônio, Dilermando Reis, Zequinha de Abreu perante a multidão dos cultuadores dos ritmos modernos? Fico só, a curtir:
    .
    “há tempos a vi
    eu a conheci
    ela era linda
    um primor de amor
    misto de estrela e de flor
    mas também sofreu eu sei vou contar
    pois vi naqueles olhos cansados de chorar …”
    /
    /
    “No caso, ficam você e Vitor discutindo assuntos paralelos e nosotros discutindo assuntos diagonais.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: quando chegarmos nos oblíquos aí danou-se de vez…
    /
    /
    “Maluquice por maluquice, falemos daquelas que dão vida ao blog.
    Tente imaginar suas infindáveis discussões com Vitor através de whatsapp. Imagine que este blog fosse um grupo de whatsapp. Ficariam só você e Vitor e nenhum dos dois teria saco de escrever tanto.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: por regra (e como toda regra, há exceções) o Zap é conversa de surdo-mudo que não conhece a linguagem gestual. Não há colóquio que prospere nesse espaço. O zap, na minha definição, é ajuntamento de quem queira jogar conversa pra fora(sic). Embora, é claro, tenha sua utilidade, mas tem que saber garimpar…
    .
    O zap (e seu pai, o face) é área ideal para quem aprecia repassar o que recebe sem avaliação crítica, verdadeira central de boataria. Por outro lado, se bem utilizado é até legal.
    /
    /
    “Tá explícito que o blog está asfixiado por falta de interessados. No dia em que sumir the last of the mohicans não vai ter como reencarná-lo.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: quando chegar esse dia, o Visoni dirá: “minha missão missionária finda aqui, a verdade foi divulgada, aceite-a quem quiser”.
    /
    /
    “Quando conheci isto aqui, fervilhavam os comentários, tinha acirrados debates, diversas opiniões.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: isso tinha mesmo: G-Poa, Toffo, Contra, Gilberto, JCFF, Arnaldo, Larissa, André Ribeiro, Biasetto, Scur, e tantos outros. Sumiram todos. A política suicida da administração de ficar expulsando participantes ajuda neste esvaziamento.
    /
    /
    “A gente aprendia uns com os outros e se divertia. Agora é só diversão e as piadas são velhas e repetidas.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: quer uma piada nova? Embora sei, de fonte segura que a conhece, mando assim mesmo:
    /
    >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>.
    “A jovem, bela e rica Glorinha descobriu que o pai era gay. Incapaz de aceitar a situação, resolveu se matar.
    .
    Mas queria se matar com classe, de forma diferente, em grande estilo.
    .
    Mandou aprontar o jatinho da família, só ela e o piloto. Pretendia se atirar lá de cima. Enquanto se preparava para o salto fatal, o comandante da aeronave indagou o motivo do gesto extremo. Ela, chorando, contou o que ocorria:
    .
    - Papai é viado. Não consigo conviver com esta vergonha e vou me matar.
    .
    Vislumbrando a oportunidade, já que ele vinha cobiçando aquela mulher havia tempo, o comandante sugeriu-lhe uma trepadinha como despedida.
    .
    Glória concordou, afinal ia morrer mesmo: não custava nada quebrar o galho do aviador que se declarara tão apaixonado por ela.
    .
    E foi, piloto automático ligado e…vuco !…vuco!…vuco…vuco!
    .
    Glória tanto gostou que desistiu do suicídio…
    .
    E a moral da história?
    /
    > GLÓRIA DEU NAS ALTURAS
    .
    > E O PAI, NA TERRA, AOS HOMENS DE BOA VONTADE” ??? ?????? ?
    >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>.
    /
    [...]A tradução comum em língua pátria é:
    Por mais áspero que seja, quem adverte não prejudica a ninguém.
    /.
    AMÉM!

  149. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “G-Poa, Toffo, Contra, Gilberto, JCFF, Arnaldo, Larissa, André Ribeiro, Biasetto, Scur, e tantos outros. Sumiram todos. A política suicida da administração de ficar expulsando participantes ajuda neste esvaziamento.”
    .
    O único que foi expulso da lista citada foi o Scur. O Contra está suspenso até 23 de setembro.

  150. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Acabei de saber que ele morreu… em 13/02/2017. O último contato que eu tentei foi em 10/02/2017. Bem, de fato quando falaram que ele estava com sério risco não era mentira…”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: será que essa última tentativa de contatação teve a ver com o passamento do de cujus?
    .
    Agora que morreu inaugura-se nova instância nas comunicações, continue, mediunicamente, no intento de fechar contato.
    /
    /
    “Que tenha ido em paz…”
    /.
    PARA O Nosso Lar de lá? Ou o umbral?

  151. Vinicius Diz:

    “Alô, alô, Analista Vinicius! Mantenha-nos informados sobre o caso de descaso da feesp, pois assim temos algum assunto para discutir.”
     
    Estou no “escuro” também. Só relatos do facebook e a maioria a favor dos argumentos da família, inclusive que houve até “ânimo exaltado” do marido da presidenta contra a mãe do rapaz….(o rapaz se manifestou sobre a nota dizendo ser mais uma “nota hipócrita”)
     
    Não sei se NO PRIMEIRO DIA (ou seja QUINTA 13/07 as 11:00 quando o Senhor entrou no banheiro e não saiu mais) a família procurou diretamente com a diretoria e sim algum outro voluntário ou até mesmo os seguranças particulares da FEESP (em suma, não se sabe ainda quem “não deu bola” para o problema deles).
     
    E NO SÁBADO de manhã 15/07 uma funcionária (voluntária?) da limpeza encontra o corpo morto e segundo a nota FEESP a partir disto a diretoria toma conhecimento do fato e entra em contato com os familiares .
     
    Então há um “lapso de tempo” em que não se sabe se as buscas dentro da FEESP prosseguiram entre quinta 13/07 e sábado 15/07 (dia em que a diretoria entrou em contato com familiares sobre o lamentável incidente).
     
    Alguns médiuns alegam que houve o fenômeno mediúnico da intuição da família dizendo que o corpo estava lá, por isso foram até lá… MAS , e a mensagem whatsapp que ele mandou avisando que estaria lá? Sendo assim, onde procurariam, ora bolas!!!

  152. Marciano Diz:

    A mensagem de whatsapp e o carro dele estacionado lá dentro.
    Assim, qualquer um é médium.

  153. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Veja que nem Vitor e Montalvão conseguem discutir sobre o tema (abordagem psicodélica de Ullman), pois estão discutindo se Freud era parapsicólogo ou não, se Truzzi disse ou não quem pode ser considerado parapsicólogo, se ele tinha ou não autoridade para dizer isto, etc.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: DE Marte, esqueci de lembrar uma coisa que queria falar e agora veio-me à mente depauperada, seguinte:
    /
    Discutir Freud não tá fora do assunto, pois o dito é parte destacado do artigo, que você não leu e não o censuro por isso… Confira:
    /
    ——————————-.
    Freud (1-4) considerou, em vários trabalhos escritos ao longo dos anos, algumas das implicações da hipótese telepática e sua possível relevância para o pensamento da teoria psicanalítica. Jung (5) parece ter amadurecido com uma inquestionável aceitação da telepatia. Em seus últimos anos desenvolveu um elaborado sistema teórico para explicar ocorrências paranormais deste tipo (6). Adler (7) rejeitou a ideia da telepatia, considerando tais afirmações como não mais que mecanismos neuróticos compensatórios.
    .
    Freud percebeu diversos tipos de experiências paranormais ocorrendo no contexto de uma situação de tratamento psiquiátrico, incluindo a possibilidade de influência telepática no sonho. Ele foi o 1º a sugerir que, fosse telepatia uma realidade, um dos fatores que impedem o reconhecimento direto, de um evento percebido telepaticamente, seria a probabilidade da distorção dinâmica que tal percepção estaria apta a sofrer em sua transição de um nível inconsciente para outro consciente.
    .
    Seguindo essas primeiras conjecturas de Freud, informes dispersos (8-14) começaram a aparecer na literatura, fazendo referência à ocorrência da telepatia no curso da terapia psicanalítica. Não foi, contudo, até meados dos anos 40, quando um revitalizado interesse no assunto (em suas implicações psiquiátricas) foi desencadeado pelas contribuições de Eisenbud (15-19) e Ehrenwald (20-26), aos quais se juntaram mais tarde um punhado de outros investigadores (27-31). Esses informes eram essencialmente descritivos por natureza, focando sobre um sonho ocasional do paciente, o qual era sentido como presumivelmente telepático pelo terapeuta.”
    ———————————.
    /
    Então, não estávamos assim tão destoados do texto…

  154. Gorducho Diz:

    Não tem explicação NENHUM espírito dos guardiões espirituais da Casa não terem alertado NENHUM membro do corpo mediúnico do sucedido.
    Nem o ad hoc de “cegueira” de espíritos à crosta para cuja quando em desespero apela a Administração poderia ser alegada pois que o espírito (já desencarnado) do Sr. falecido transitou então pelas dependências.
    Isso ignorando só pra fins de argumento que espíritos designados para essa tarefa de guarnecer o local jamais seriam tão atrasados ao ponto de serem cegos, claro :!:

  155. MONTALVÃO Diz:

    /
    MONTALVÃO DISSE: “Quanto a discutir o artigo, realmente não dá… o arrazoado é tão ruim que só consegue ser suplantado em ruinzice pelo descritivo das experiências. ”
    .
    VISONI: Dizer que o artigo é ruim sem dar a menor explicação disso só mostra a ruindade do crítico
    ./
    CONSIDERAÇÃO: Já fiz, sim, comentários parciais apontando ruidades do texto.
    .
    Um artigo que desvirtua a cabeça visoniana, fazendo-o acreditar, e tornar-se advogado de, que Freud fora parapsicólogo, só nisso já é ruim…
    .
    Um artigo que quer defender a realidade de psi em sonhos com experiência qual:
    /
    - Alvo: um círculo.
    .
    - Disse o infeliz sonhador: “Eu sinto como se estivesse flutuando para dormir, neste momento. Eu tinha uma imagem de um, oh, não foi realmente como um sonho. Foi algo como estar em uma estrada redonda, como metade do fundo de um tubo grande, tal como se você estivesse entrando no Túnel Holanda ou alguma coisa do tipo como uma estrada. Como se eu estivesse viajando, parecia haver gente lá, mas não se parecia com um sonho típico. Quando eu dormi eu capturei uma imagem e eu estava consciente de ter acabado de cair no sono. Eu estava numa estrada cujo formato parecia uma curva de uma calha.”
    .
    E não se sabe se o comentário acima foi tudo o que o sujeito disse ou se do que falou extraiu-se a parte melhor correlacionada com o alvo…
    /
    E:
    /
    - 04h: Para efetuar um contraste com o 1º alvo, o agente desenhou uma flecha apontando para o alto. Para fazer com que se parecesse mais como uma flecha, a figura de um arco foi desenhada (Fig. 2).
    - 04h30min: Como um contraste adicional à redondeza do 1º alvo, formas angulares adicionais foram desenhadas (Fig. 3).
    .
    >O sonhador depõe:>
    .
    “05h30min: O sujeito relatou o seguinte: “Não foi um sonho único, apenas algumas coisas passaram, imagens. Eu não me lembro de nada, era como se eu estivesse indo de um sonho pequeno para outro. É só o que me lembro. Eu lembro uma pequena parte de um sonho onde Flo Bonime estava fazendo um nó no cinto de Leah ou ajeitando a parte de trás de seu cinto, e isto parecia ser, não sei, algum tipo de relacionamento amigável e gentil. Este foi um dos sonhos pequenos que tive, um de vários.”
    .
    06h30min: O sujeito relatou o seguinte sonho:
    .
    “Eu tive alguns sonhos em sequência, mas não lembro bem deles. Num deles estávamos em pé por aí, algumas pessoas estavam em pé ao redor, e elas tinham bastões em suas mãos, na forma de tacos de hóquei, virados de cabeça para baixo, a parte curva para cima. Mas os bastões tinham um formato mais solto do que os bastões de hóquei. E no sonho estavam dois primos de minha esposa, são casados. Nós os vemos umas duas vezes por ano e no sonho eu era indiferente, ou crítico para com eles, por causa de algumas opiniões que eles tinham. E você perguntou: ‘Por quê você é tão crítico?’ E tive outros sonhos, dos quais não tenho lembrança, uma série deles. Parece que você me acordou logo após eu ter sonhado. Quero dizer, você me questionou sobre os sonhos depois de algum tempo de eles terem acabado. Na verdade, eu me lembro de acordar passado o sonho com os bastões de hóquei, e adoraria saber por que você não me perguntou se eu tinha sonhado. Eu voltei a dormir. É tudo o que me lembro.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: além da má redação de pôr zero antes do numeral (sem que haja necessidade), o autor quer que experiências dessa natureza sejam, como gosta o Visoni, fortes evidências de psi em sonhos! 😠
    .
    Mais poderia ser dito, mas seria investimento de precioso tempo para garimpar lixo.
    /
    /
    MONTALVÃO DISSE: “Tenho a impressão de que nem o Visoni mais acredita em sonhos telepatéticos após ler esse amontoado de abobrices…”
    .
    VISONI: De fato não acredito, eu SEI que telepatia e sonhos telepáticos existem.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: e eu sei que estás se tornando excelente piadista…

  156. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “E não se sabe se o comentário acima foi tudo o que o sujeito disse ou se do que falou extraiu-se a parte melhor correlacionada com o alvo… ”
    .
    Foi tudo o que se disse. Ele foi despertado às 03h53min, deu seu relato, e um novo desenho foi feito às 04h00min. Aí você pergunta, o sujeito tinha ido dormir antes das 04h? Sim, pois é dito: “Durante a fase exploratória, os alvos usados foram desenhos feitos à mão, iniciados pelo agente após o sujeito ter ido dormir, ou uma figura escolhida aleatoriamente de uma série preparada com antecedência por outro investigador. ”
    .
    Então o sujeito doi acordado às 03h53min, deu seu relato e antes das 04h já tinha ido dormir de novo. Então, sim, só deu tempo de ele dizer aquilo mesmo.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “além da má redação de pôr zero antes do numeral (sem que haja necessidade), o autor [...]”
    .
    Quem pôs o zero antes do numeral fui eu! O autor não põe. Aprendi no BB a fazer isso para evitar fraudes relativas a falsificação de datas.
    .
    MOTALVÃO DISSE: “quer que experiências dessa natureza sejam, como gosta o Visoni, fortes evidências de psi em sonhos!”
    .
    E por que não seriam, Montalvão? Por quê? Foi desenhado um arco. E foi escrita a palavra arco também. Em inglês arco é BOW. O cara imaginou um nó. Sabe como é nó em inglês? BOW.

  157. Vinicius Diz:

    “Não tem explicação NENHUM espírito dos guardiões espirituais da Casa não terem alertado NENHUM membro do corpo mediúnico do sucedido.”
     
    Já deram uma conhecidíssima desculpa para isso :!: Adivinha qual?
     
    E mais: eu complementaria: espirituais encarnados TAMBÉM…
    Sabia que lá há um “colegiado de médiuns” ?

  158. Gorducho Diz:

    :o
    Qual :?:
     
     
    Certes… algum dos espíritos protetores teria que ter avisado algum dos membros do colegiado de médiuns – ou qualquer outro médium de lá, claro :!:

  159. Gorducho Diz:

    ==============================================================
    E foi escrita a palavra arco também. Em inglês arco é BOW. O cara imaginou um nó. Sabe como é nó em inglês?
    ==============================================================
    Mas S/Pessoa não dizia que espíritos não conseguem ler :?:
    Que só se lhes impressiona os peri-sentidos imagens emocionantes :?:
    Se os espíritos conseguem ler a palavra bow podemos proceder c/os nossos testes. Finalmente por ato falho reconheceu que temos razão e que nossos desenhos experimentais são perfeitos
    :lol: :lol: :lol:

  160. Vitor Diz:

    GORDUCHO DISSE: “Mas S/Pessoa não dizia que espíritos não conseguem ler :?:
    .
    Não. Eu disse que a visão levava bastante tempo para se desenvolver… e que a informação vinda da leitura dificilmente era processada pela parte do cérebro que recebe a informação psi. Tal informação, no entanto, podia ser sentida… o tema referido, em linhas gerais.
    .
    GORDUCHO DISSE: “Se os espíritos conseguem ler a palavra bow podemos proceder c/os nossos testes. Finalmente por ato falho reconheceu que temos razão e que nossos desenhos experimentais são perfeitos”.
    .
    Não, se ele tivesse lido a palavra ele tinha dito que viu escrita a palavra BOW. Mas não foi o que aconteceu. Ele, no entanto, recebeu a impressão, ou sentiu, ou intuiu, de que o que queriam lhe passar tinha a ver com BOW, mas não sabia o significado. O cérebro, por livre associação, transformou o “arco” em “nó”.

  161. Vinicius Diz:

    Sim, caso a mediunidade fosse real (atualmente com tantos fatos contra, não mais acredito sabe?)
     
    E também indicar os tratamentos para as pessoas que procuram a FEESP, além de pedir para que façam o evangelho no lar.

  162. Gorducho Diz:

    Qual foi a “desculpa” afinal :?:

  163. Gorducho Diz:

    O Sr. (Sr. Administrador) disse mas se fez de sonso depois que eu lhe OCRizei as 1 + 2 páginas anteriores onde não se vê essa sua “tese”.
    Como é que letras impressas vão transmitir impressões exceto após lidas – Cristo :!: acuda :!:

  164. Vinicius Diz:

    Falta de sintonia mediúnica devido aos médiuns estarem invigilantes e melindrosos.

  165. Vinicius Diz:

    Vitor, teve o especial do Dia das Bruxas (li isso no link do Marden) :mrgreen: ?

  166. Vitor Diz:

    GORDUCHO DISSE: “O Sr. (Sr. Administrador) disse mas se fez de sonso depois que eu lhe OCRizei as 1 + 2 páginas anteriores onde não se vê essa sua “tese”.”
    .
    Por acaso as páginas dizem que os espíritos tinham uma visão perfeitamente clara do mundo físico?
    .
    GORDUCHO DISSE: “Como é que letras impressas vão transmitir impressões exceto após lidas – Cristo :!: acuda”
    .
    Foi feito um desenho, não foi? Além disso, o agente, no momento que ele escreveu bow, pensava em bow. Assim o dorminhoco pode ter captado o pensamento do agente, e não lido a palavra em si, com o cérebro transformando o “bow” de “arco” em “bow” de “nó”. O teste é de telepatia, não de clarividência…

  167. Gorducho Diz:

    Só falta S/Pessoa formular a tese que cada palavra impressa dá origem a um “espírito” (da espécie gobelins quiçá?) que fica grudado e que este canaliza impressões associadas aos múltiplos sentidos do vocábulo em seus respectivos idiomas…
    Tipo aquela biblioteca que o Divaldo visitou em desdobramento astral junto c/o Dr. Manoel Philomeno (na colônia onde ele morava na época)
    Quando a pessoa escreve por ideal e não é remunerado, ao se abrirem esses livros, as letras adquirem relevo e são de uma forma muito agradável à vista, tendo uma peculiar luminosidade. Se a pessoa, porém, o faz por ideal e estando num momento difícil, sofrido, mas ainda assim escreve com beleza, esquecendo-se de si mesma, para ajudar a sociedade,
    a criatura humana, ao abrir-se o livro, as letras adquirem
    uma vibração musical e se transformam em verdadeiros cantos, em que a pessoa ouve, vê e capta os registros psíquicos de quando o autor estava elaborando a tese.
    O oposto também é verdadeiro
    .

  168. Vitor Diz:

    Vinícius, não teve. Era um livro sobre a Inquisição. Vou ver se acho… é que daria muito trabalho com o OCR, e aí acabei não pondo.

  169. Gorducho Diz:

    NÃO, NÃO FOI desenho :!:
    Desde quando arco tem a ver com exceto por uma peculiaridade linguística e, claro, uma remota etimologia relacionada a dobrar (tanto uma vara quanto uma corda ou fita &c.). :?:

  170. Gorducho Diz:

    Teve sobre a Inquisição AVi, onde procuravam “aliviar” essa.
    Que foi deplorável foi, mas não sei se foi isso que terá estressado ele ( :?: )
    Também se bem me lembro teve um que alegava que a ICAR tinha sido positiva pro desenvolvimento da crosta.
    Tou falando de memória, pois que se vão tempos desde isso…
     
     
    Bom… mas então será que seria algum tipo de mea culpa mesmo :?:
    A ausência de incorporação do Dr. Bezerra foi estranha…
    O espírito dele pode estar desgostoso, não :?:

  171. Vitor Diz:

    Vinícius, achei o livro, não fiz o especial dia das bruxas, mas pelo menos o livro tá entregue com anos de atraso:
    .
    http://md.intaead.com.br/geral/historia-moderna/pdf/A-Inquisicao-em-seu-mundo.pdf

  172. Vinicius Diz:

    “A ausência de incorporação do Dr. Bezerra foi estranha…
    O espírito dele pode estar desgostoso, não ”
     
    Sim! Tenho várias teorias , eis 1 delas
     
    Pode ter acontecido como nas empresas terrícolas: substituição do quadro dos funcionários antigos. Bezerra centenário, pode ter sido demitido por Ismael e substituído por um jovem desencarnado cheio de ideias, com “power points” lindos, cheios de imagens mas aí chegou na prática faltou experiência do antigo.

  173. Vinicius Diz:

    “Vinícius, achei o livro, não fiz o especial dia das bruxas, mas pelo menos o livro tá entregue com anos de atraso”
     
    Pois é o Marden te obsediou por longos 4 anos por causa disso…
    Só faltou ele falar que você é aluno do Padre Quevedo

  174. Gorducho Diz:

    [SE BEM ME LEMBRO...: FALO TUDO DE MEMÓRIA E SE PASSOU-SE TANTO TEMPO]
    Se lembram daquela do Professor :?:
     
     
    O Marden tava tentando costurar uma aliança c/o Professor (ambos espíritas, claro…). Aí ele fala pro oponente (e quiçá esperando que o Professor fosse entrar do lado dele):
    O que vem de baixo não me atinge!
     
    E o Professor se mete detonando com qq. possibilidade duma aliança:
    Experimente sentar em cima dum formigueiro então

  175. Marciano Diz:

    ===============================================================
    DA SÉRIE I FORGOT TO REMEMBER TO FORGET.
    ===============================================================
     
    Nem pode censurar, Montalva.
    Eu sempre li todos os artigos e ainda leio todos os comentários, mas de um tempo pra cá ficou difícil.
    No máximo, é uma leitura dinâmica, como se dizia em 1927.
    Não é por falta de tempo, pois este sempre me faltou, mas por causa dos assuntos. Tá vendo?
     
     
    Pois é, GORDUCHO e VINICIUS, não tem espírito nenhum, por isso ninguém viu nada.
    Também não tem caridade nenhuma, fraternidade nenhuma.
     
     
    GORDUCHO, só falta ser eu o que vinha de baixo :mrgreen:
    Não me lembro mais disso.
    Bote o href aí, please.

  176. MONTALVÃO Diz:

    /
    MONTALVÃO DISSE: “E não se sabe se o comentário acima foi tudo o que o sujeito disse ou se do que falou extraiu-se a parte melhor correlacionada com o alvo… ”
    .
    VISONI: Foi tudo o que se disse. Ele foi despertado às 03h53min, deu seu relato, e um novo desenho foi feito às 04h00min. Aí você pergunta, o sujeito tinha ido dormir antes das 04h? Sim, pois é dito: “Durante a fase exploratória, os alvos usados foram desenhos feitos à mão, iniciados pelo agente após o sujeito ter ido dormir, ou uma figura escolhida aleatoriamente de uma série preparada com antecedência por outro investigador. ”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: ok, embora só a gravação poderia dar uma mediana certeza, não tenho motivo maior para duvidar, mesmo assim, o sujeito poderia ter falado que no sonho apareceu-lhe a avó torta fazendo caretas para a Maricota que corria pelada na via Dutra…
    .
    /
    /.
    MONTALVÃO DISSE: “além da má redação de pôr zero antes do numeral (sem que haja necessidade), o autor [...]”
    .
    VISONI: Quem pôs o zero antes do numeral fui eu! O autor não põe. Aprendi no BB a fazer isso para evitar fraudes relativas a falsificação de datas.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: quem foi que lhe ensinou isso? E o traumatizou a ponto de temer que alguém pudesse fraudar as datas do experimento, só para mostrar que psi não existe? Quando eu trabalhava no banco “aprendi” que deveria escrever “hum mil” que era pra evitar falsificação. Um dia me revoltei e passei a gravar só “mil”. Ninguém falsificou um cheque meu…
    .
    Vejo que seu trauma foi tão intenso que não se avexou de gravar 04h, 03h53min… feio e errado, mas prefessor de banco é otoridade…
    .
    Esses “prefessores” de banco ensinam cada coisa…
    .
    /
    /
    MOnTALVÃO DISSE: “quer que experiências dessa natureza sejam, como gosta o Visoni, fortes evidências de psi em sonhos!”
    .
    VISONI: E por que não seriam, Montalvão? Por quê? Foi desenhado um arco. E foi escrita a palavra arco também. Em inglês arco é BOW. O cara imaginou um nó. Sabe como é nó em inglês? BOW.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: eu ia dar umas obtemperaçõeszinhas, mas o gorducho fê-lo melhor que eu faria…
    .
    Veja quantas cambalhotas precisa dar a fim de sustentar seus sonhos…

  177. Gorducho Diz:

    Não, não era. Disso tenho certeza apesar de de mais nada ter…
    Não tenho hrefs: falo de memória…

  178. Gorducho Diz:

    Cambalhotas que ele dava c/a história dos espíritos cegos que ele num ultimo soluço de desespero me fez OCRizar 2 paginas antes da tentativa de aplicada dele pra cima de moi.

  179. Marciano Diz:

    De fato, Vitor faz uma cansativa ginástica intelectual para tentar conseguir coerência.
    Isso deve dar um bow nos neurônios, no sentido de bent, curved, or arched object.
    Imaginem como ficam os dendritos.

  180. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Imaginem como ficam os dendritos.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: e as mitocôndreas? As tonsilas? as ilhotas? Falo das de Langheran… o perôneo e seu primo períneo?

  181. MONTALVÃO Diz:

    /
    MONTALVÃO DISSE: “Essa de que Freud fora parapsicólogo não é fruto desse cérebro depauperado que me encima o cocuruto”
    .
    VISONI: 1) Freud era filiado a sociedades parapsicológicas? Sim. (Condição importante mas não essencial para alguém ser parapsicólogo… vide Gardner, na visão de Truzzi)
    .
    2) Freud publicou em jornais psi? Sim. (Condição essencial para alguém ser parapsicólogo)
    .
    3) Freud fez experimentos psi próprios? Sim. (Condição importante mas não essencial para alguém ser parapsicólogo… vide Carlos Alvarado que faz essencialmente pesquisa histórica)
    .
    4) Freud ficou convencido da realidade de psi? Sim. (Condição não essencial para alguém ser parapsicólogo, vide Blackmore ou Richard Wiseman)
    .
    Conclusão: FREUD ERA PARAPSICÓLOGO.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: belo conjunto de meias-verdades… um amontoado de verdades parciais não faz uma verdade verdadeira…
    .
    1) Freud NÃO era filiado a sociedades parapsicológicas: a parapsicologia não existia ao tempo do pai da psicanálise. Os métodos de investigação da parapsicologia diferem dos das propostas que a antecederam.
    .
    2) Freud publicou nos anais da SPR artigo sobre psicanálise: desconhece-se estudo que tenha feito de temas investigados pela metapsíquica de seu tempo.
    .
    3) os experimentos próprios foram ensaios caseiros, que não fomentaram artigos técnicos, apenas esparsos comentários.
    .
    4) Não se pode afirmar que Freud se convenceu da realidade do paranormal. Se tivesse se convencido certamente corrigiria comentários desairosos que fizeram anteriormente a respeito da “força”. O que parece é que ele entendeu haver necessidade de melhor investigar UM aspecto das alegações psi que lhe parecia promissor, qual seja, a telepatia.
    .
    5) CONCLUSÃO: reputar Freud parapsicólogo é erro crasso!
    /
    /
    MONTALVÃO DISSE: “e o Truzzi, ah o Truzzi… deste não resta a menor dúvida…””
    .
    VISONI: A menor dúvida de quê? De que tinha o cérebro depauperado? Não foi o Truzzi que foi detonado por Roberto de Andrade Martins, George Hansen, Greg Taylor… foi Gardner…
    /.
    CONSIDERAÇÃO: não resta a menor dúvida de que eleger Truzzi autoridade definidora da política parapsicológica é doideira!

  182. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “ok, embora só a gravação poderia dar uma mediana certeza, não tenho motivo maior para duvidar, ”
    .
    Ótimo. Ponto elucidado. Sigamos adiante.
    .
    MONTAVÃO DISSE:”eu ia dar umas obtemperaçõeszinhas, mas o gorducho fê-lo melhor que eu faria… Veja quantas cambalhotas precisa dar a fim de sustentar seus sonhos…”
    .
    Não teve cambalhota alguma. Como eu disse, era um teste de telepatia, não de clarividência. O dorminhoco no sonho não viu a palavra “BOW”. Ele a “ouviu” provavelmente repetidamente no sonho: “bow, bow, bow…” Daí essa informação veio sem qualquer significado, e no sonho ela foi interpretada como “nó”. Isso não é plausível? Qual a forçação de barra que você vê aí? Ullman ainda considera que o fato de sujeito ter sonhado com a Flo Bonime também indica uma referência a BOW (afinal, o sobrenome é BOnime). Mas só a referência a bow como nó já é um acerto extraordinário.

  183. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “Freud NÃO era filiado a sociedades parapsicológicas: a parapsicologia não existia ao tempo do pai da psicanálise. Os métodos de investigação da parapsicologia diferem dos das propostas que a antecederam.”
    .
    Pombas, Montalvão! Ele era filiado à SPR. SOCIEDADE para Pesquisas Psíquicas. O nome já diz tudo. E o termo já existia desde 1889, criado por Max Dessoir. Rhine em 1930 adotou o termo como substituto à Pesquisa Psíquica. E a SPR é reconhecidamente uma sociedade parapsicológica. Os métodos podem ter mudado, mas isso é natural em uma ciência. Ciência não é estática.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “os experimentos próprios foram ensaios caseiros, que não fomentaram artigos técnicos, apenas esparsos comentários.”
    .
    Não fomentou porque ele tinha medo do escândalo. Mas serviu-lhe para aceitar a realidade do fenômeno.
    .
    MONTALVÃO DISSE: “Não se pode afirmar que Freud se convenceu da realidade do paranormal.”
    .
    Pô… de novo, mas traduzido dessa vez:
    .
    Você se lembra de como eu já havia no momento de nossas viagens a Harz expressado viés favorável à telepatia. Mas pareceu não haver necessidade de fazê-lo publicamente, minha própria convicção não era realmente forte e a consideração diplomática de manter a psicanálise fora de qualquer abordagem ao ocultismo facilmente ganhou vantagem. . . . Agora . . . Minhas próprias experiências através de testes que fiz com Ferenczi e minha filha ganharam uma força tão convincente para mim que considerações diplomáticas. . . tiveram que ser abandonadas. (Jones, 1957, pág. 394)

  184. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “não resta a menor dúvida de que eleger Truzzi autoridade definidora da política parapsicológica é doideira!”
    .
    O pensamento dele está em linha com os de outros que lhe mostrei, inclusive do Zangari.

  185. Vinicius Diz:

    “Marciano Diz: julho 27th, 2017 às 6:21 PM
    Pois é, GORDUCHO e VINICIUS, não tem espírito nenhum, por isso ninguém viu nada. Também não tem caridade nenhuma, fraternidade nenhuma.”
     
    FG (parafraseando Marciano) fala para não julgar , mas julga o tempo todo então vou julgar também:
     
    Supondo serem legítimos SOMENTE os depoimentos de todos os familiares no Facebook, a indignação etc. creio ser muito mais grave a ausência da caridade(*) a ausência de comunicação mediúnica e no sábado, quando o corpo foi encontrado, estava havendo uma palestra com toda a diretoria sobre Caridade desinteressada (uma ironia muito grande).
     
    https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=10213887483967089&id=1408309505
     
    (*) entenda-se por caridade se disporem a ajudar a buscar o desaparecido tão logo ao serem procurados pela família. E nada de espíritos, vão lá pessoalmente procurar e ponto! Se não tem como a presidenta/diretores procurar, manda os seguranças pagos com o dinheiro dos frequentadores.

  186. Marciano Diz:

    Creio que mais cedo ou mais tarde a feesp vai se manifestar.
    Conto com você, VINICIUS, para nos alertar, quando acontecer.
    Vai ser difícil explicar essas coisas.

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)