Chico Xavier se Comunicava com os Mortos? por Carlos Orsi (2015)

Excelente artigo escrito por Carlos Orsi sobre o caso Jair Presente publicado na revista Explore. Para lê-lo, clique aqui.

174 respostas a “Chico Xavier se Comunicava com os Mortos? por Carlos Orsi (2015)”

  1. Marciano Diz:

    Vejam só que coisa. Uma conceituada revista científica publica pesquisa feita com dinheiro da FAPESP, dizendo que há provas de que cx se comunicava com mortos. Fica implícita a “prova” da existência de espíritos.
    Como se pode perceber, revistas científicas e fundações se prestam a mistificações. Como se pode alegar a existência de paranormalidade com esses critérios?
    É tudo farinha do mesmo saco.

  2. Marciano Diz:

    Curioso é que escolheram logo um dos maiores fiascos de cx. O caso Jair Presente é emblemático.
    cx pisou feio na bola. Fez mais uma de suas cartinhas padronizadas e, quando informado de que o defunto, quando vivo, falava muitas gírias, tentou improvisar uma carta cheia de gírias estranhas, incompatíveis com a linguagem do falecido, gíria ou não.
    Isto deveria mostrar como ele era ladino, não que falava com imaginários espíritos.
    Eu também converso com Ashtar Sheran, o qual sempre me dá dicas técnicas quando tenho problemas com meu disco voador, mas isto não quer dizer que Ashtar Sheran exista fora do mundo da imaginação.

  3. Marciano Diz:

    Com o critério “científico” desses estudiosos podemos provar qualquer coisa.
    Suposições baseadas em suposições que são baseadas em suposições.
    Propaganda descarada do chiquismo, que nada tem a ver com o também imaginário e irreal kardecismo.

  4. Vitor Diz:

    MARCIANO DISSE: “Uma conceituada revista científica publica pesquisa feita com dinheiro da FAPESP, dizendo que há provas de que cx se comunicava com mortos. ”
    .
    Isso não é dito. O que é dito é:
    .
    Os resultados de nossa investigação sugerem que as cartas de Xavier transmitiram informações exatas e precisas e que as explicações normais para isso (ou seja, a fraude, o acaso, o vazamento de informações, e a leitura a frio) são apenas remotamente plausíveis. Este estudo parece render suporte empírico para as teorias não-reducionistas da mente. Certamente mais pesquisas sobre o fenômeno mediúnico são necessárias, e recomendamos que mais pesquisas sobre outras cartas psicografadas por Xavier sejam realizadas, a fim de expandir o escopo desta investigação.
    .
    Não é preciso (nem justo) retratar os problemas do artigo pior do que eles já são…

  5. Vitor Diz:

    Gostaria de deixar registrada minha indignação com uma coisa: o pessoal daqui pede TANTO Chico Xavier, mas quando há um livro INTEIRO sobre ele e que NINGUÉM tem, exceto os católicos, que vão digitalizar o livro mas precisam de dinheiro para isso, o pessoal daqui não deu até agora UM centavo. O livro é uma raridade – não tem NEM na ESTANTE VIRTUAL – e NINGUÉM os ajudou até agora. Eles continuam precisando de 1894 reais.
    .
    Da próxima vez que vierem pedir Chico Xavier, vou mandar catar coquinhos.

  6. Gorducho Diz:

    Qual é a obra ❓

  7. Gorducho Diz:

    Por que é tão caro digitalizar ❓
    Presumo que inclui nisso ©

  8. Vitor Diz:

    A obra é Vozes Em Defesa da Fé (Caderno 04: Psicografia e Chico Xavier) – Frei Boaventura Kloppenburg, O. F. M.
    .
    Está caro porque eles estão escaneando outros 58 livros e revistas católicos junto. Nesse sentido, considerando o volume de obras, está baratíssimo. O problema é que só interessa essa do Chico para a gente. Mas se pensar que ninguém mais tem a obra, que o livro é uma tremenda raridade, está até um preço justo.

  9. Gorducho Diz:

    OCRrização + revisão humana do texto…

  10. Gorducho Diz:

    Ok… então nós ateus deveríamos contribuir pra OCRrizarem obras… católicas

    Não sei bem por que, mas me lembrei do Marden…
     
     
    Se estiver na escuta… abraço Marden!
    (cá tá nublado e frio tb. :mrgreen: )

  11. Vitor Diz:

    GORDUCHO DISSE: “Ok… então nós ateus deveríamos contribuir pra OCRrizarem obras… católicas?”
    .
    Para os ateus interessados em críticas ao Espiritismo, sim.

  12. Gorducho Diz:

    Agora que sabemos qual é o texto, lhe digo que acho difícil que tenha muito mais detalhes que o já conhecido texto d’Orientação, já cá recordado pelo AMa

  13. Marciano Diz:

    Gorducho Diz:
    JUNHO 27TH, 2018 ÀS 10:24 AM
    Agora que sabemos qual é o texto, lhe digo que acho difícil que tenha muito mais detalhes que o já conhecido texto d’Orientação, já cá recordado pelo AMa
     
    Num país de maioria católica, com 123,2 milhões de pessoas que se declaram católicas, segundo dados do Censo Demográfico divulgado nesta sexta-feira (29) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), acho engraçado que católicos precisem de dinheiro de ateus para escanearem livros católicos.
    Eles deveriam fazer o trabalho de graça e, se quisessem que fosse feito por outras pessoas, deveriam eles mesmos pagarem, ou pedir à riquíssima igreja que pagasse.
     
    Além do mais, o trecho que transcrevi do Kloppenburg é posterior ao caderno que ele escreveu (não é um livro) e contém TODOS os argumentos do trabalho anterior.
     
    E eu não aprovo que dinheiro público possa ser usado para promover religião de malucos (espiritismo e seus aeróbus, materializações, etc.). Não interessa se o “estudo” PARECE ou não concluir isto ou aquilo.
    Temos de deixar de ser bobos.
    Que o diga o clima de “oba! oba!” com os jogos de futebol da seleção brasileira.
    Não precisa nem de panis, basta o circensis.
    Só não enxerga a propaganda chiquista (nem espiritismo kardecista é) infiltrada da FAPESP quem é cego.
     
    Injusto é usar dinheiro público, num país laico, para financiar uma propaganda disfarçada de “estudo” de uma “religião” pra lá de esquisita, com suas crianças índigo, provenientes de Alcyone e outras zombarias.

  14. Marciano Diz:

    Para qualquer um que tenha um mínimo de bom-senso, bastam as trapalhadas de cx nesse caso, principalmente a “carta” com gírias estapafúrdias, para provar que foi tudo um embuste.

  15. Vitor Diz:

    MARCIANO DISSE: “Além do mais, o trecho que transcrevi do Kloppenburg é posterior ao caderno que ele escreveu (não é um livro) e contém TODOS os argumentos do trabalho anterior.”
    .
    Como vc sabe disso? que contém TODOS os argumentos do trabalho anterior?

  16. Marciano Diz:

    Porque ele mesmo diz que é um resumo do que tinha escrito antes.

  17. Vitor Diz:

    Se o trecho que vc transcreveu do Kloppenburg é posterior ao caderno que ele escreveu e é um resumo do que ele escreveu antes, então o caderno teria mais coisa, não?

  18. Marciano Diz:

    Com 25 reais se consegue o que os católicos estão querendo:
    https://www.estantevirtual.com.br/livros/frei-boaventura-kloppenburg/espiritismo-orientacao-para-os-catolicos/377701768
    Frete grátis.
    A wikipedia separa as obras de Kloppenburg em cadernos e livros:
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Carlos_Jos%C3%A9_Boaventura_Kloppenburg#Cadernos

  19. Vitor Diz:

    O Orientação para católicos está disponível gratuitamente. O Caderno é que não está.

  20. Marciano Diz:

    Aqui Kloppenburg fala em espiritismo em geral e sobre a psicografia de cx e seu livro, NOSSO LAR:
    https://pt.slideshare.net/dommarco42/espiritismo-orientacao-para-catlicos-frei-boaventura-kloppenburg

  21. Marciano Diz:

    Você mesmo já disponibilizou outro livro do bispo, com arquivos gráficos (sem ocr):
    http://www.obrascatolicas.com/livros/Apologetica/O%20LIVRO%20NEGRO%20DO%20ESPIRITISMO%20.pdf
    Nada impede que escaneie o livro e deixe o ocr de lado, para poupar trabalho.

  22. Vinicius Diz:

    Pelo que eu entendi querem escanear um lote grande de livros e este do CX está incluso certo?
     
    Será que eles não emprestariam só esse livro, diga que é para divulgar no seu blog que trata sobre médiuns e que tem uma porção de críticas bem fundamentadas sobre os trabalhos de CX.
     
    Ainda falta muito dinheiro eu acho. Precisa de mais de 180 pessoas para dar 10,00 cada.
     
    Mas eu concordo com o Gorducho, deve ser praticamente o mesmo blá blá blá dessa orientação aos católicos. Vai saber fala até dos cadernos do CX , coisa que vc já abordou.

  23. Vinicius Diz:

    Vai saber aborda até Kardec e sua predileção pelos Santos Católicos em sua “codificação” e “revista espírita”. Mensagem assinada pelos tais é mais valiosa que mensagem de um espirito budista por exemplo.

  24. MONTALVÃO Diz:

    /
    O artigo é continuidade de discussões anteriores, localizadas nos endereços a seguir:
    .
    http://obraspsicografadas.org/2014/investigando-o-acerto-e-a-preciso-da-alegada-escrita-medinica-um-estudo-de-caso-das-cartas-de-chico-xavier-2014/
    .
    http://obraspsicografadas.org/2015/explicando-o-caso-jair-presente/
    .
    A novidade aqui é a apresentação de artigo do Carlos Orsi. A apreciação desse autor se divide em duas manifestações. Na primeira ele condena, por piegas, a proposição implícita na pesquisa de Alexander Moreira e outros, de que se Chico trouxe nas psicografias informações além de seu conhecimento só poderia tê-las obtido por via extraordinária. São suas palavras:
    ./
    “O problema que apontei é que o conceito de “extraordinário” adotado pelos autores é curiosamente arbitrário. Eles consideram, por exemplo, extremamente improvável que Chico Xavier, em Uberaba (MG), tivesse acesso a jornais da cidade de Campinas, durante a década de 70.
    .
    Para esses pesquisadores, suponho, o acesso seria algo extraordinário. No entanto, para a linha de raciocínio do artigo fazer sentido, isso teria de ser ainda mais extraordinário do que um morto ditar cartas. O que é uma opinião, para dizer o mínimo, controversa.
    .
    Há mais de 100 anos, a psicóloga americana Amy Tanner já ensinava, em seu clássico “Estudos do Espiritismo”, que não é correto pressupor que a comunicação com os mortos seja uma explicação em pé de igualdade com as demais: antes de levá-la em conta é preciso, primeiro, descartar todas as vias alternativas normais.”
    ./
    Na consideração seguinte, Orsi critica a “escala Leak”, usada pelos pesquisadores para validar a qualidade das informações prolatadas por Chico.
    .
    Embora não conheça como essa tal escala é ofertada, sabemos que as aferições validativas da mediunidade se baseiam em testemunhos de quem se sente atendido pela comunicação mediúnica e, quando há estudos pretensamente técnicos, na qualidade e quantidade de “acertos” que a mensagem apresenta, principalmente quando se detectam informes de difícil obtenção por meios comuns.
    .
    Sem dúvida que há grande dose de subjetivismo nesse procedimento e, normalmente, a generosidade avaliativa dos crédulos “ajuda” muito na conclusão de que mortos comunicando seja a melhor opção explicativa para os casos.
    .
    Entretanto, a mediunidade está distante de ser “melhor explicação”, tampouco pode ser reputada explicação: não sem a prova cabal e irrefutável de que mortos comunicam. Orsi comenta o quesito de passagem e aqui no Obras já foi exaustivamente demonstrado que, sem exibições objetivas e concretas da presença de entes “espirituais” nos eventos mediúnicos, tudo o que se diz em apologia à mediunidade esbarra na inegável ausência de espíritos nas ocorrências atribuídas à ação “deles”!
    .
    Carlos Orsi destaca que a aplicação da escala é acompanhada de grande simploriedade, o que facilita para os pesquisadores chegar à conclusão pretendida, conquanto esta seja de pouco valor. Eis trecho:
    ./
    Os pesquisadores, embora afirmem o contrário, também são extremamente generosos na aplicação da escala. Eles consideram que informações como “eles me chamaram”, “eles me massagearam”, “eles me fizeram respirar”, referentes às circunstâncias da morte de J.P., tinham uma probabilidade extremamente baixa de terem sido obtidas naturalmente pelo médium. Mas a verdade é que são ilações lógicas, vindas de uma única peça de informação real, que poderia muito bem ter sido entreouvida na sala de espera: a de que o jovem morreu afogado, enquanto nadava com amigos.
    ./
    Em comentário que fiz há alguns anos, coincidentemente, também destaquei esse ponto em carta que enviei ao Alexander Moreira. Trata-se de um aspecto lógico, típico da atuação de médiuns e videntes, ou seja de um fato conhecido extrair várias ilações (no meu comentário falei em “informação deduzida de outra):
    ./
    7 – “Sou eu quem deu tanto trabalho aos amigos” – [fácil deduzir que alguém que se afoga dá trabalho para os amigos]
    .
    8 – “Notei quando me chamavam” – [fácil deduzir do afogamento]
    .
    9 – “quando me abraçavam” – [idem, como acima]
    .
    10 – “Massageavam” – [idem, como acima]
    .
    11 – “e me faziam quase respirar sem conseguir” – [idem, como acima]
    ./

    A Orsi passou despercebido (ou ele não quis comentar) o ponto mais gritante do caso Jair, que foi a súbita e dramática mudança de estilo do “comunicador”, a partir do 2º contato!
    .
    Os admiradores de Chico, implicitamente, aceitaram o desvio como demonstração de que o espírito comprovava aos seus companheiros de folguedos que era ele mesmo na linha. Ocorre que o exame dessa mudança mostra muito bem que a mão (e o cérebro) de Xavier ditava o recado! Em verdade, não deparei um espírita ao menos tentando dar motivos plausíveis para o ocorrido.
    .
    Isso até há pouco… tomei ciência de reflexão do Guilherme Riccipio Netto que, se não estou enganado, é neuropsiquiatra, em que opina sobre a questão. Conquanto eu discorde da apreciação do autor vale a pena conhecê-la. A parte mais frágil na alegação do Guilherme é a de que seja comum haver mudança de “postura” (o que também se aplicaria à modificação no estilo), à medida que o espírito fica mais à vontade no intercâmbio com os vivos. Eis que o ele defende:
    /.
    SOBRE A QUESTÃO DAS GÍRIAS:
    .
    Pelo que temos observado, é relativamente comum que o espírito tenha uma mudança de postura com o passar do tempo após a desencarnação. As primeiras mensagens refletem um espírito angustiado/inseguro, isso quando ele consegue escrever…
    .
    O Adão foi a um centro psicografar no Rio e para surpresa de todos, no início da sessão, ele falou: O Espírito de “fulano” está querendo se comunicar mas está chorando muito, está pedindo para a mãe dele orar para ele ter força para escrever. No interessante documentário “As Cartas de Chico Xavier”(https://www.youtube.com/watch?v=-zVRALLyG5E), a mãe do famoso Augusto Cézar relata sobre a primeira tentativa de psicografia do filho, em que o Chico avisou que ele não conseguiria escrever porque estava chorando muito…
    .
    Após a psicografia inicial, com a maior resignação da família, parece haver uma maior aceitação/confiança do desencarnado, o que justifica a mudança de estilo. Portanto, no caso JP, há uma repetição do que tem acontecido com outros espíritos. A partir da segunda mensagem, o espírito mais habituado a sua nova vida, teria toda condição de assumir sua linguagem corriqueira, ainda mais se percebesse que isso tranquilizaria seus familiares sobre a realidade de suas mensagens.
    .
    Atribuir o uso de gírias apenas ao desejo do Chico de dar maior credibilidade a cartas forjadas é um argumento com o intuito de desacreditar o trabalho do médium, mas que não adiciona evidência relevante a demonstrar que houve realmente fraude neste caso.

  25. Marciano Diz:

    Legal! O Presidente voltou.
    Mas essa questão das gírias é ainda pior, porque o cx fez uma trapalhada danada com as gírias que se usava ao tempo em que o morto deixou de viver e outras, de várias épocas, e até algumas que deve ter inventado ou eram regionais, de sua terrinha no interior de MG.
    Ademais, embora o Presidente SEMPRE enfatize que não há provas de que os mortos comunicam, NÃO HÁ PROVA DE QUE OS MORTOS TENHAM VIDA ULTRAMUNDO, ou seja, de que espíritos existam.

  26. Vitor Diz:

    MARCIANOdisse: “Ademais, embora o Presidente SEMPRE enfatize que não há provas de que os mortos comunicam, NÃO HÁ PROVA DE QUE OS MORTOS TENHAM VIDA ULTRAMUNDO, ou seja, de que espíritos existam.”
    .
    E embora ambas as coisas sejam SEMPRE ditas por alguns céticos, elas estão ERRADAS, simples assim. O livro de Gauld, “Mediunidade e Sobrevivência”, que oferece provas do tipo, é elogiado por céticos intelectualmente honestos, por exemplo.

  27. Espirita SP Orlando Diz:

    “A obra é Vozes Em Defesa da Fé (Caderno 04: Psicografia e Chico Xavier) – Frei Boaventura Kloppenburg, O. F. M.”
    Este livro não dever ser só sobre o chico. é um conjunto de cadernos?

  28. Phelippe Diz:

    Mas, e se não forem espíritos de mortos que se manifestam? Considerando o que o Vitor alega, que espíritos existem. E se for outra coisa, sei lá, seres de outra dimensão que conseguem ler nossos pensamentos e, para nos trollar, aparecem de quando em vez sempre falando bobagem? Para se pensar. Quem acredita, claro.

  29. Phelippe Diz:

    Orlando=Montalvão, certo?

  30. Vitor Diz:

    Não, o Orlando não é o Montalvão.

  31. Espirita SP Orlando Diz:

    Formas pensamento Phelippe?
    Também há a teoria das monadas espirituais.
    E o lance dos próprios humanos deixarem “rastros mentais” em objetos e outros conseguirem captar isso.
    Li outro dia que quando há o desencarne as informações mentais do espírito ficam em arquivos em nuvem, aguardando resgate dos arquivos via perispirito quando necessário. E na reencarnação os arquivos são “baixados” e incorporados na nova vida.

  32. Espirita SP Orlando Diz:

    Phellipe, estou querendo falar sobre espiritismo e não minha identidade. Se quiser revelar a sua fique a vontade, cada um na sua meu caro. Nunca ofendi ninguém aqui.
    Tem bilhões de sites com vários bilhões de nicknames e eu tenho a liberdade de colocar o nick que eu quiser.

  33. Espirita SP Orlando Diz:

    Já encheu o saco me falarem que sou Montalvão.
    &&&&4$$$$))))ºº{ô?56?
    vou fazer um despacho, to colocando o nome do Phellipe na boca do sapo! chega!

  34. Phelippe Diz:

    Onde leu sobre isso, Orlando? Pode indicar o livro? Achei interessante.

  35. Gorducho Diz:


    Couldn’t find neither “Boaventura” nor “Bonaventura”

    About spiritism just
    Pe Pascoal Lacroix, O Espiritismo à luz da razão.

  36. Gorducho Diz:

    ============================================================
    é um conjunto de cadernos?
    ============================================================
    👍

  37. Marciano Diz:

    Et latrat canis, sed frustra agitur vox irrita ventis, peragit cursus surda Diana suos.
    Generosus equus haud curat latratum canum. Latrantem curatne alta Diana canem?

  38. Espirita SP Orlando Diz:

    Nossa, ainda não achei sobre os arquivos em nuvem.
    Como não pago mais a mensalidade não consigo acessar!
    Segue link grátis de um artigo que cita cascão astral
    https://guardioesdahumanidade.org/blog/5-curiosidades

  39. Marciano Diz:

    Não adianta usar o Google. Ele é incompetente como tradutor.
    https://www2.uni-mannheim.de/mateo/camenaref/valeriano/valeriano1/Valeriano_hieroglyphica_4.html

  40. Marciano Diz:

    Vou almoçar e trabalhar.
    Parece que o assunto, finalmente, despertou interesse. Era meu objetivo.
    Volto mais tarde.

  41. Marciano Diz:

    Despeço-me, por ora, registrando apenas que os mortos estão mortos, não existem mais. Espíritos não existem, por mais que se force a barra para provar sua existência.
    cx não se comunicava com mortos pela simples razão de que dead men tell no tales. Qualquer bandido americano sabe disso.
    Como diria Nelson Rodrigues, por enquanto, “É só!”.

  42. Gorducho Diz:

    Debalde ao vento ladram os cães, surda, segue Diana…
    Puro sangues ignoram latidos… deveria Diana se importar?

    :mrgreen:

    Quem é essa Diana?

  43. Gorducho Diz:

    ============================================================
    e se não forem espíritos de mortos que se manifestam?
    ============================================================
    Aí voltamos ao cristianismo evangélico ortodoxo, onde são demônios que se manifestam.
    👍

  44. Espirita SP Orlando Diz:

    Não se esqueçam que há comunicações entre espíritos de vivos também.

  45. Gorducho Diz:

    Esse argumento da descontração – so to say…– do espírito é hábil…
    Mas ainda que ele siga com as gírias, como já exaustivamente comentado, na 3ª carta o espírito dá claramente a entender que não está à vontade com as gírias:
    Estou bem, estou melhorando, mas vou largar esse negócio de palavras giradas.

     

    Porque se essa era a maneira natural dele se expressar, pra que esse desconforto para com os próprios textos dele?
    Taria a NSA Ultramundana ameaçando bloquear as comunicações dele com os familiares & amigos por excesso de gírias ❓

    Será que era esse o sentido real desse trecho ❓

  46. Gorducho Diz:

    Mas não no cristianismo ortodoxo, exceto por milagre/carisma (D·us tudo Pode, claro), como foi os casos do Pe Pio de Pietrelcina;
    S. António de Lisboa;

  47. Vinicius Diz:

    Acho que estava começando a ferir o padrão FEB E DR. Bezerra.
    CX ficou bastante contrariado com o episódio pelo visto.
    Jair Presente passou a ditar poemas, textos evangélicos etc.

  48. Phelippe Diz:

    Há o caso de Paulo expulsando o espírito de adivinhação da escrava. Seria um espírito de morto que adivinhava? Daí minha tese faz mais sentido. Mas não teria o espírito mais o que fazer no além?

  49. Espirita SP Orlando Diz:

    Mas não teria o espírito mais o que fazer no além?
    Você está levando muito a sério o fator “espaço-tempo”. Lá no mundo maior o tempo não é o mesmo que o daqui.
    os espiritos sérios desenvolvem muitos trabalhos, complexos, delicados. Envolvem coisas que ser humano ainda não consegue mexer. Engenharias de placas tectonicas, divisões de continentes e agora um trabalho bem grande: a transição planetária.
    Aqui no tempo terrestre foi prorrogado para 2057. Os espíritos usam esse ano como convencional mesmo, pois há vários calendários na Terra e no Universo.
    Leia o processo de reencarnação de Segismundo em Missionário da Luz.

  50. Espirita SP Orlando Diz:

    Espíritos não adivinham, coletam informações. Paulo e até mesmo Jesus tratavam os espíritos como pobres diabos, quase debeis mentais. Veja onde Jesus manda os espiritos: para os porcos do chiqueiro.
    O espírita é diferença: uma teraupêtica mais de acordo com os tempos modernos, a linguagem mais tolerante, o amor mais presente, não tratamos esses seres como desprezíveis. Há diálogos constantes. Em sessões de desobssessão nenhum espírito é expulso: procuramos esclarecer fraternalmente sobre seu novo estado. E os mentores também tentam ajudar. E casos muito severos espíritos são aprisionados por espiritos enfermeiros e levados a locais semelhantes aos hospicios terrenos. Um famoso é dirigido pelo Dr. Inácio Ferreira.

  51. Espirita SP Orlando Diz:

    Cometi um engano Phellipe: o diretor é o Sr.Euripedes Barsanulfo e o Dr.Inácio trabalha lá. Há uma certa confusão do meio espírita, mas o Divaldo é mais confiável.
    http://www.doutrinaespirita.com.br/?q=node/20

  52. Espirita SP Orlando Diz:

    “na obra de Baccelli, o Dr. Inácio reclama do trabalho:
     
    “(…) grande hospital, cuja direção, no Mais Além, estava sob minha responsabilidade (eu não sei quando é que vou me livrar desse carma!) (Na Próxima Dimensão, 12)
     
    Entretanto, Ignácio Ferreira, no livro de Divaldo, em conversa com Manoel Philomeno de Miranda, declara que é responsável somente por um pavilhão do hospital:
     
    “Esclareceu-me que era responsável somente por um dos pavilhões que albergava médiuns e alguns outros equivocados, enquanto diversos trabalhadores (…).” (Tormentos da Obsessão, 89)
     
    Neste contexto, para que se delineie com justiça o perfil do Dr. Ignácio, vejamos um trecho da obra “Entre dois Mundos”, psicografia de Divaldo Franco, onde ele é citado, notando-se que ele é situa-do entre dois veneráveis nomes :
     
    “Encontramo-nos, porém, dispostos a seguir adiante, abrindo espaços para o futuro, como fize-ram nossos predecessores, particularmente o apóstolo da caridade, Dr. Adolpho Bezerra de Menezes Cavalcanti, o eminente Dr. Ignácio Ferreira, o inesquecível médium Eurípedes Barsanulfo e muitos outros que se empenharam em atender os distúrbios mentais gerados nas obsessões de natureza espiri-tual.” (Entre dois Mundos, 146)
     
    O Dr. Ignácio (grafamos conforme está no livro) apresentado nas obras de Divaldo Franco é muito diferente do Dr. Inácio que se apresenta através de Carlos A. Baccelli. Manoel Philomeno de Miranda refere-se a ele como o médico prudente, ponderado, gentil, bondoso, afável, figura bem compatível com a idéia que se tem de um Espírito a quem foi dada importante tarefa no Mundo Espiritual. Modesto, que quase não fala de si, ficando as descrições a seu respeito a cargo do Autor do livro.
     
    Nas obras de Baccelli, nos relatos do seu tempo de encarnado, o Dr. Inácio mostra-se rude, impaciente, irônico, irreverente “

  53. Phelippe Diz:

    Mas Orlando, veja, eu me refiro a esses médiuns videntes que veem a sorte pelas cartas e que dizem que trabalham com um casal de espíritos de ciganos sentados em seus ombros. Como a pessoa trabalha todo dia lendo a sorte, pergunta-se: os espíritos ciganos não têm mais o que fazer no além? São escravos dos médiuns videntes? Podem ler a sorte impunemente, mesmo Deus proibindo tais práticas? Serão de Deus?

  54. Vinicius Diz:

    Afinal quem é o diretor do nosocomio? Uma rixa interna aí hein.

  55. MONTALVÃO Diz:

    /
    De MARTE: Ademais, embora o Presidente SEMPRE enfatize que não há provas de que os mortos comunicam, NÃO HÁ PROVA DE QUE OS MORTOS TENHAM VIDA ULTRAMUNDO, ou seja, de que espíritos existam.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: correto, ocorre que as alegadas intervenções de entes espirituais na matéria são mensuráveis, consequentemente, se “eles” intervissem no meio material essa intervenção contaria com evidências de montão: sólidas e robustas; já a existência desses entes não é mensurável…
    /
    /
    FATBOY: Quem é essa Diana?
    /.
    CONSIDERAÇÃO: pelo latim, há de ser a deusa da caça… existe um provérbio árabe, utilizado com certa frequência por Ibrahim Sued (há quem pense que a expressão fora criada por ele), que diz: “os cães ladram, a caravana passa”…

  56. Gorducho Diz:

    Minha PRÓXIMA pergunta pro nosso correligionário seria justo sobre o provérbio!
    Se é arabe, se e por que Sr. Giovanni teria feito uma construção baseada nesse provérbio, &c…

  57. Marciano Diz:

    Muito bem, Gorducho! Seu latim está ótimo.
     
    Exercício de fixação:
    Qui diligit ranam, ranam putat esse Dianam.
     
    ===============================================================
    Quem é essa Diana?
    ===============================================================
     
    Se foi ironia, foi tão fina que não percebi.
    Se foi um lapso, esclareço que Diana é a minha deusa, a deusa da caça, filha de Júpiter e de Latona, irmã gêmea de Phebo (não o sabonete, o deus), também conhecida como Ἄρτεμις :mrgreen:
    Прочитать и сделать перевод текста :
    Romani antiqui multos deos et multas deas colŭnt. Magnus et optĭmus est Juppiter. Juppiter est deus caeli et terrae.
    Diana et Minerva deae sunt. Diana est dea lunae et item dea silvarum est. Diana sagittas habet. Sagittis bestĭas silvarum necat.
    Minerva dea littěrarum et pugnarum est. Minerva hasta pugnat.
    In Italia sunt multae statŭae Dianae et Minervae. Poētae Romani fabŭlas de deis scribŭnt.
     
    A tradução literal de Gorducho está boa, mas o Presidente acertou no olho do touro, digo, na mosca.
     
    Não conheço o provérbio em árabe, nem sei se essa é sua origem. Quanto ao Ibrahim Sued, só sei que Ibrahim é o mesmo Abraão judaico, mas que eu saiba, ele não falava nem português, muito menos árabe.
    Era conhecido por sua gigantesca burrice. Só superada pela minha, que sou o mais burro e mais humilde ser que o universo já viu e verá.

  58. Gorducho Diz:

    Ah! é pra 9ª campanha – #45
    👍

  59. MONTALVÃO Diz:

    /
    Espirita SP Orlando Diz:
    .
    Não se esqueçam que há comunicações entre espíritos de vivos também.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: samporlando, que alguns julgaram fosse mim, o que muito me honrou, pois sê-lo ser-me-ia satisfação pra nenhum defeito, voltaste a samporleandear? Não tinhas te resumido no singular Orlando? Conflito de personalidades?
    .
    Concordo com seu dito, desde que miudamente retificado:
    .
    Não se esqueçam de que só há comunicações entre espíritos de vivos.

  60. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Era conhecido por sua gigantesca burrice. Só superada pela minha, que sou o mais burro e mais humilde ser que o universo já viu e verá.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: verdade dum lado, excessiva modéstia doutro: sério candidato a ser o novo Chico…
    .
    Da sapiência do Ibrahim rolou uma história:
    /.
    Ibrahim Sued no Céu
    .
    Conta-se que, ao morrer, Ibrahim Sued foi recebido por São Pedro, que lhe disse:
    - Pode entrar, seu Ibrahim. Você foi uma ótima pessoa, de muito bom coração. Mas só tem um detalhe: você não fez nem sequer um pequenino esforço para ao menos tentar desenvolver a sua inteligência. Portanto, você vai passar um período na Ala dos Filósofos e Intelectuais.
    .
    E Ibrahim Sued foi levado para a Ala dos Filósofos e Intelectuais e, em pouco tempo estava rodeado de valiosíssimas personalidades, tais como Aristóteles, Platão, Ptolomeu, Socrates, etc.
    .
    Algum tempo depois, ouviu-se um berro, e São Pedro, assustado (um berro no Céu!!), foi ver o que era: e, na Ala dos Filósofos e Intelectuais, um dos Filósofos, impaciente com Ibrahim Sued e com o dedo apontado para ele:
    .
    - Não adianta, seu Ibrahim! Eu desisto! Pela última vez que eu vou lhe repetir que:
    - Epístola não é mulher de Apóstolo;
    - Encíclica não é bicicleta de uma roda só;
    - Eucaristia não é o aumento de custo de vida;
    - Quem trabalha na Nasa não é Nazista;
    - Quem tem pacto com o diabo não é diabético;
    - Cristão não é um Cristo Grande;
    - Superstição não é um tição deste tamanho;
    - Jesus Cristo viveu na Galileia, mas não morreu de gonorreia.
    - O Papa Paulo não viu coisa nenhuma! Não é Paulo vi; é Paulo Sexto!
    - Ah, e tem mais uma coisa: o meu nome é Confucio! Pafúncio é a Puta que Pariu!!!

    .
    http://www.piadas.com.br/

  61. Marciano Diz:

    ===============================================================
    CONSIDERAÇÃO: … : sério candidato a ser o novo Chico…
    ===============================================================
    Parabéns, de novo! Pegou a ironia perfeitamente.
    É o que sempre sustentei. Se cx fosse realmente humilde, a gente nem saberia. Humildade não se propala. É próprio dos verdadeiramente humildes discrição.
    Quem se diz um “cisco” está justamente desejando que se diga o contrário. Quer ser elogiado pela capacidade e pela falsa modéstia.
     
    Sobre a piada, nenhuma biografia é capaz de retratar com tamanha acuidade a personalidade de Ibrahim. Ninguém confundia alhos e bugalhos melhor que ele. Nem eu.

  62. Marciano Diz:

    Alhobugalho .

  63. Marciano Diz:

    Foto dos testículos de Ibrahim Sued.

  64. Marciano Diz:

    Peguei emprestado do Nelson Tangerini.
    Roqueiro inveterado, meu amigo Adalberto me convenceu a ir a um centro de mesa.
    Juro que não entendi. Mas ele insistia no assunto.
    – Eu explico. Li, na Folha Espírita, que um médium inglês recebeu o espírito de John Lennon.
    Ele não sabia precisar a data do jornal e o nome do médium. Mas acreditava naquilo, no conteúdo daquela psicografia. E estava convencido de que o ex-Beatle continuava fazendo música no além.
    – Ele enviou uma mensagem para Yoko. Disse que continuava fazendo música. E agradeceu a Elton John pela belíssima canção, Empty Garden, que o cantor dos grandes óculos compusera para ele (*só que a letra é do Bernie Tauping).
    – Mas você acha que ele está fazendo música do outro lado?…
    – Sim, pois John está montando uma super banda.
    – Super banda?
    – Sim, uma super banda. Ele convidou Sid Vicious, baixo; Pete Ham, guitarra solo; Ian Stewart, teclados, e Keith Moon, bateria, para tocarem com ele.
    – Mas você tem uma grande imaginação. Neste caso, como estariam Janis Joplin, Jimi Hendrix, Jim Morrison, Elvis, Mama Cass, John Boham, Bill Haley, Karen Carpenter…?
    – Estão todos produzindo. Janis não gostava dos Beatles. Ela está montando uma banda com Brian Jones, Jimi, Boham… Elvis e Bill também estão formando suas bandas…
    Bem, eu já estava me sentindo um vovô, com toda aquela constelação desfiada por Adalberto. Mas eu me sentia orgulhoso e feliz. Foi uma época de contestação, uma época frutífera, e eu sobrevivi a tudo. Mas não estava disposto e nem interessado em assistir aos concertos dessas bandas…
    – Mas… como você pode provar isto? – perguntei.
    – Eu tenho intuição, bicho!
    – Ah, vá lá!…
    Venha comigo. Vamos a um centro espírita. Quero que você testemunhe isto. Vai ser um ti-ti-ti na imprensa. Tipo: Bomba, bomba…
    Era bom mesmo que Ibrahim Sued estivesse aqui por baixo!
    Tendo consideração com o amigo, fui com Adalberto ao centro espírita mais próximo. Ele vive no mundo da música… Talvez pudesse mesmo falar com os deuses.
    A pedido de Adalberto, os médiuns se concentram…
    E quem disse que a mensagem vinha?!
    Todos insistiam. Não podíamos sair dali sem a tal mensagem. Não podia desapontar o amigo. E, se desse, eu pediria até um autógrafo.
    Um dos componentes da mesa nos disse que as coisas não eram bem assim… Que não podíamos forçar a barra…
    De repente, um rapaz, atendendo ao pedido de Adalberto, incorpora um espírito. Era inglês. Fiquei entusiasmado. É o ex-Beatle!, pensei. Mas… , para a nossa decepção, não, não era John. E deixou a seguinte psicografia:
    – John Winston Lennon e sua banda, Super Nova, estão excursionando por outras dimensões.
    E assinou:
    – Brian Epstein.

  65. Marciano Diz:

    بْـرَاهِـيْـم , aka אַבְרָהָם , é um personagem imaginário de uma coletânea de livros com histórias estúpidas, concebida com a ideia de induzir o sono no Bos taurus, primo do Bos taurus indicus.
    Devido à quantidade de idiotas que habita e já habitou este orbe, é de longe o maior best seller de todos os tempos.

  66. Gorducho Diz:

    #22 (da 9ª campanha) –
    Manual de Teologia Dogmática pelo Pe. Jesus Bujanda, S. J., é muito legal.

    Vejam só uma das provas dele pra virgindade da Maria (o que segue é citação? pra manter maior clareza não ictalizo):
     
     
    CAPITULO IV
    DE MARIA, MADRE DE JESUCRISTO
    [...]
    Art. 2° La Inmaculada Concepción.
    [...]
    433 Prueba de la Escritura. – Em el Génesis 3.15, disse Dios a la serpiente: «Pondré enemistades entre ti y la mujer y entre tu descendencia y la suya. Ella (la descendencia de la mujer) quebrantará tu cabeza.»
    Aquí promete Dios que habrá enemistades entre la mujer y la serpiente, y victoria perfecta por medio de la descendencia de la mujer. Ahora bien: no parece que la victoria sería perfecta si la mujer de que se trata hubiese estado sujeta al demônio por el pecado, aunque éste hubiese sido sólo el original. Que la mujer de que aqui se trata sea María, y la serpiente el demônio, es doctrina frecuente entre los Padres y escritores eclesiásticos, aunque varios de los más notables dan otra interpretación (63). La prueba anterior está, pues, sacada de las palavras de la Escritura, tal como deben entenderse según la explicación más corriente en la Iglesia.

  67. Gorducho Diz:

    Fvr. fechar a ictalização depois do título, Sr. Administrador
    Desculpe :oops:

  68. Marciano Diz:

    Vou tentar dar uma de VINICIUS e trazer uma novidade para cá.
    Vocês sabiam que o Jair Presente virou escritor espírita depois de morto?
    Não é brincadeira.
    Eis alguns livros dele:
    https://www.mensagemespirita.com.br/livro/1810207/rapidinho-jair-presente-espirito
     
    https://www.mensagemespirita.com.br/livro/1808096/revelacao-jair-presente-espirito

  69. Marciano Diz:

    Vou passar rapidinho o livro de poemas de Jair Presente, de presente para vocês:
    http://falandodeespiritismo.com.br/wp-content/uploads/2017/10/Chico-Xavier-Livro-325-Ano-1989-Rapidinho.pdf

  70. Gorducho Diz:

    “disse”
    “demônio”

    fvr. corrigir tb. Sr. Administrador

  71. Gorducho Diz:

    Não, eu não sabia dessa sequel :!:

  72. Marciano Diz:

    Quem quiser baixar de graça o livro “Revelação”, ditado pelo “espírito” de Jair Presente para o cx, aqui vai o link:
    http://www.oconsolador.com.br/linkfixo/bibliotecavirtual/chicoxavier/chico351a360.html#REVELA%C3%87%C3%83O
    Obs.: De presente, vão os links para todos os 412 livros escritos por cx.

  73. Marciano Diz:

    Prefácio:
    Amigo Leitor
    Jair Presente era o poeta juvenil, cujas produções lhe retratavam, acima de tudo, a graciosa mocidade.
    Atualmente, em plena renovação no Plano Espiritual, produziu este livro, em que o humor e a graça do estilo, se lhe enriqueceram de formosa revelação.
    Leiamos as suas páginas, pontilhadas de ensinamento e beleza e ver-nos-emos, ao lado de um jovem, surpreendentemente levado ao Conhecimento Superior, doando-nos os frutos de sua inteligência e criatividade, além de conduzir-nos às áreas de inspiração e entendimento do Evangelho do Senhor Jesus.
    Que saibamos assimilar e aproveitar as suas lições e apontamentos, são os nosso votos.
     
    EmmÂnuel
    (Uberaba, 18 de junho de 1992)

  74. Marciano Diz:

    Isto é antigo, Gorducho!
    Tem 25 anos.
    Deve ter sido um dos últimos livros “psicografados” por cx.

  75. Marciano Diz:

    Logo abaixo, você encontra o link para baixar o “Rapidinho”, grafado “Ligeirinho”, mas este eu já deixei em formato pdf, acima, podendo ser lido online ou baixado, ao gosto do freguês.

  76. Marciano Diz:

    Provavelmente foram os dois últimos livros “psicografados” por cx, pouco antes de o Zé Maria levá-lo sei lá para onde.

  77. Marciano Diz:

    Zé Maria, pra quem não conhece, é primo do Davy Jones.
    Para quem também não conhece o Davy Jones (não confundir com o personagem do Piratas do Caribe, baseado no “verdadeiro” Davy Jones) é an idiom for the bottom of the sea: the state of death among drowned sailors and shipwrecks.
    It is used as a euphemism for drowning or shipwrecks in which the sailors’ and ships’ remains are consigned to the bottom of the sea (to be sent to Davy Jones’ Locker).
    The origins of the name of Davy Jones, the sailors’ devil, are unclear, with a 19th-century dictionary tracing Davy Jones to a “ghost of Jonah”. Other explanations of this nautical superstition have been put forth, including an incompetent sailor or a pub owner who kidnapped sailors.
    Source: Wikipedia.

  78. Marciano Diz:

    When out upon the open sea
    The admiral, the mate and me
    Prepared to face eternity
    But The Grey Goose flew away

    She flew into the stormy sea
    Davy Jones was calling me
    But heading for tranquility
    The Grey Goose flew away

    Right on down at the bottom of the sea
    Tell me are you receiving me?
    My name is Morse Moose and I’m calling you

  79. Marciano Diz:

    Morreram várias celebridades esta semana… Zé Maria, tá solto por aí!

  80. Marciano Diz:

    Enquanto o “Zé Pereira”, descrito por Luiz Edmundo, juntava o mundo do trabalho e o mundo da festa, a expressão “à espera do Zé-Maria”, muito utilizada por João do Rio, faz emergir um significado inteiramente diverso, pois se refere à morte, ou melhor, “à espera da morte”, como podemos observar na seguinte passagem da crônica “As Mulheres Mendigas”:
    – Chamo-me Zoarda. Sou cubana. Vim para o Rio com um pelotari [jogador de bola]. Ao chegar aqui, outro conquistou-me.
    Fui explorada por ambos. Eram bonitos, eram fortes!
    Adoeci; eles tomaram outra. Quando saí do hospital só
    pensava em matá-la!
    - A quem?
    - A ela, a outra. Fui, entretanto, presa e novamente segui para a Gamboa, onde cheguei a ser enfermeira. Quando de lá saí, roída pela moléstia, estava este trapo à espera do Zé-Maria.
    - O Zé-Maria?
    - Sim, da morte!
    João do Rio.”As Mulheres Mendigas”. Op. cit., p. 129.

  81. Marciano Diz:

    Quem quiser ler de graça o livro do João do Rio, aqui vai o link:
    http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/bi000183.pdf
    Obs.: Bem melhor do que as porcarias escritas por cx.

  82. Marciano Diz:

    Obs.:Прочитать и сделать перевод текста. = Leia e traduza o texto.
    Era um exercício de fixação para o Gorducho. Não era para ler e traduzir em russo, mas em latim.

  83. Marciano Diz:

    O objetivo era mostrar como o latim é fácil para quem fala italiano, português, espanhol, francês, romeno e até inglês.
    O Google Translator faz uma trapalhada dos infernos, mas o texto é facílimo de entender e, consequentemente, de traduzir.

  84. Marciano Diz:

    Romani antiqui multos deos et multas deas colŭnt. Magnus et optĭmus est Juppiter. Juppiter est deus caeli et terrae.
    Diana et Minerva deae sunt. Diana est dea lunae et item dea silvarum est. Diana sagittas habet. Sagittis bestĭas silvarum necat.
    Minerva dea littěrarum et pugnarum est. Minerva hasta pugnat.
    In Italia sunt multae statŭae Dianae et Minervae.
    Se botar no Google, sai:
     

    As deusas são adorados muitos deuses e muitos, até mesmo os antigos romanos. Júpiter é também uma ótima opção. Júpiter, o deus do céu e da terra.
    Minerva, a deusa Diana. Diana, a deusa da lua e também a deusa da floresta. Setas Diana. Setas mata animais do bosque.
    Deusa da aprendizagem e da luta. Minerva lutas lança.
    Na Itália, há muitas estátuas de Diana e Minerva. Assim, poetas dos contos romanos sobre os deuses são escritos.
     

    Mas é porque o Google é uma porcaria de tradutor.
    Vou traduzir, só para que vejam como é fácil (comparem com o original e vejam como o texto “pede” para ser traduzido:
     
    Os romanos antigos cultuavam muitos deuses e muitas deusas. Um grande e bom deus é Júpiter. Júpiter é o deus dos céus e da terra.
    Diana e Minerva são deusas. Diana é a deusa da lua e de todas as (criaturas) da selva. Diana tem uma flecha. A flecha mata os animais da selva.
    Minerva é a deusa dos literatos e dos lutadores. Minerva luta com uma lança.
    Na Itália existem muitas estátuas de Diana e Minerva. Os poetas romanos escrevem histórias de deuses.

     

    Atenção, eventuais senhores latinistas do blog!
    Fiz a tradução livremente. Podem existir alguns erros (muito menos do que as cretinices do Google).
    Meu objetivo foi o de mostrar como é fácil entender latim (para quem fala as línguas acima elencadas).
    Também quis mostrar como o Google é incompetente (o programa, naturalmente).

    Claro que não sou latinista nem cachorro. Só quis mostrar como é fácil entender um texto numa língua mãe, desde que sejamos um pouquinho audaciosos e não fiquemos com medo, como o Presidente.
    Errare humanum est.

  85. Marciano Diz:

    Antes que o Presidente venha com chorumelas, vou logo explicando:
    O Presidente ficou com medo de aprender inglês, língua que conhece melhor do que eu conheço latim.
    Se fizer um pouquinho de esforço, vai ver como é fácil, para quem já sabe o básico, como ele.
    Quisera eu que tivesse alguém disposto a me ensinar latim, como eu e Gorducho quisemos ensinar inglês ao Presidente.
    É só acertar umas coisinhas aqui, outras ali.
    O texto que transcrevi, em latim, foi retirado de um curso de latim em russo, língua que não conheço.
    Não tem a tradução em russo, muito menos em português.
    A última flor do Lácio não difere muito do latim, na formação das palavras. A sintaxe é que é muito diferente, mas um pouquinho de ousadia e boa vontade deixam qualquer texto bastante compreensível.
    Um vocabulário básico e um mínimo de conhecimento de gramática (latina) fazem milagres (claro que o entendimento não vai ser perfeito – para tanto, há de se polir o conhecimento, como quisemos fazer com o Presidente).

  86. Marciano Diz:

    Quem duvidar da “tradução” do Google, recorte o texto, cole no tradutor e confira.
    Eu fiz isto, só para ver.
    Não deu outra. O Google é hilário.
    Achei o texto bem fácil. Claro que para os russo deve ser um pesadelo. Para portugueses, brasileiros, italianos, franceses, é uma moleza. Desde que saibam ein bisschen.

  87. Marciano Diz:

    Os russos, óbvio. Os russo foi coisa do poltergeist, que adora me sacanear.
    Amanhã, com a graça de Diana, eu volto.
    Gostaria de ver comentários a respeito do tema. Munição, não falta.
    Linkei (aportuguesamento do inglês, de propósito) dois livros de cx, atribuídos a Jair Presente.
    Embora poesia e versificação não sejam o meu forte, achei os poemas um lixo total.
    Até letras de música são melhores do que aquela xaropada.
    A culpa não é do Jair, é do cx.

  88. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Vocês sabiam que o Jair Presente virou escritor espírita depois de morto?”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: embora filão não tão fértil quando outros (quais Humberto de Campos, Fred Figner), Chico conseguiu extrair de Presente produções variadas. Até que os poemas eram legalzinhos, como o exemplo que segue:
    .
    Amor apenas Terrestre
    .
    Amor apenas terrestre
    Carrega dupla afeição:
    Um parece cordeiro,
    Outra parece leão.
    .
    Ambas formam na pessoa
    Um todo conforme sinto:
    Vejo o cordeiro no afeto
    E noto o leão no instinto.
    .
    A vida une as criaturas
    Nos passos do dia-a-dia:
    Logo após criam-se grupos
    Nos laços da simpatia.
    .
    Afinidade surgindo,
    A amizade vem depois,
    E aparecem comumente,
    Ligações de dois a dois.
    .
    Quando o par se enxerga preso
    A cativante feitiço,
    O casamento é o socorro
    Para proveito e serviço.
    .
    Mas quando a fera triunfa,
    Largando o cordeiro ao chão.
    Quem não queira compromisso,
    Fuja logo do leão.
    .
    Jair Presente.
    .
    FCX – do livro Seguindo Juntos edição GEEM.

    /
    /
    João do Rio e Humberto de Campos foram os grandes cronistas brasileiros e eram inimigos figadais. João do Rio era gay, além de negro e gordo, num tempo em que sê-los era de lascar…
    .
    É dele a, talvez, primeira pesquisa jornalística sobre as religiões do Rio de Janeiro, no qual há um capítulo dedicado ao espiritismo. Trecho:
    /.
    —————————-.
    (O Espiritismo entre os Sinceros)
    por João do Rio

    .
    O marechal Ewerton Quadros esperava um bonde para a cidade, quando um bonde passou inteiramente vazio.
    .
    - Por que não toma este? – perguntaram-lhe.

    O marechal mergulhou mais a face adunca nas barbas matusalêmicas:

    - Não é possível. Está cheio de espíritos maus! – e, como aparecesse outro inteiramente cheio, agarrou-se ao balaústre e veio de pé até à cidade.

    Desde que se deixa a traficância do baixo espiritismo, que se conversa nas rodas intelectuais cultivadas, esse estado alucinante torna-se normal.

    Ao subirmos as escadas da Federação, o meu amigo ia dizendo.

    There are more things in heaven and earth, Horatio,
    There are more dreams in your philosophy.

    Esses melancólicos versos temerosos, do mundo invisível, resumem o nosso estado mental.

    Muita coisa há no mundo de que não cuida a nossa vã filosofia, muita coisa há neste mundo invisível…

    Já não se conta o número de espíritos ortodoxos, conta-se a atração dos nossos cérebros mais lúcidos pela ciência da revelação. A Marinha, o Exército, a advocacia, a medicina, o professorado, o grande mundo, a imprensa, o comércio têm milhares de espíritas. Há homens que não fazem mistério da sua crença. Os generais Girard e Piragibe, o major Ivo do Prado, o almirante Manhães Barreto, Quintino Bocaiúva, Eduardo Salamonde, os Drs. Geminiano Brasil, Celso dos Reis, Monte Godinho, Alberto Coelho, Maia Barreto, Oliveira Menezes, Alfredo Alexander proclamam a pureza da sua fé. A Federação tem 800 sócios e ainda o ano passado expediu 48 mil receitas.

    Os que não praticam a moral, aceitam a parte fenomenal. E ao chegar a essa esfera que se começa a temer a frase do católico: “O espiritismo é um abismo encantador; foge ou de lá nunca mais sairás”. Se na sociedade baixa, centenas de traficantes enganam a credulidade com uma inconsciente mistura de feitiçaria e catolicismo, entre a gente educada há um número talvez maior de salas onde estudam o fenômeno psíquico e a adivinhação do futuro, com correspondência para Londres e um ar superiormente convencido.

    Decerto, em parte, a frivolidade que faz senhoras elegantes citarem poetas franceses e conversarem de ocultismo nos gutters invernais, faz de algumas dessas sessões um divertimento idêntico à lanterna mágica e ao laun-tennis; decerto há entre os mais convictos Bouvard, Pécuchet e mesmo o conselheiro Acácio; mas, frívolos e tolos foram sempre os meios inconscientes de expansão de uma crença, e o espiritismo científico deles se serve para triunfar.

    Nas rodas mais elegantes, entre sportsmen inteligentes, lavra o desespero das comunicações espíritas, como em Paris o automobilismo.

    Ainda há alguns meses senhores do tom, ao voltarem do Lírico, encasacados e de gardênia ao peito, comunicavam-se no Hotel dos Estrangeiros com as almas do outro mundo, por intermédio de uma cantora, medium ultra-assombroso.

    À tarde na Colombo, esses senhores combinavam a partie de plaisir, e à noite nos corredores do Lírico, enquanto o Caruso rouxinoleava corpulentamente para encanto das almas sentimentais, eles prelibavam as revelações sonambúlicas da medium musical.

    Esses fatos são raros, porém, e as experiências assombrosas multiplicam-se; os mediuns curam criaturas a morrer. Leôncio de Albuquerque, que tratava caridosamente a Saúde em peso, anuncia, sem tocar no doente, o primeiro caso de peste bubônica, e cada vez mais aumenta o número de crentes.

    O meu amigo dizia-me:

    - Nunca se viu uma crença que com tal rapidez assombrasse crentes. Se o Figaro dava para Paris cem mil espíritas, o Rio deve ter quase igual soma de fiéis. O Brasil, pela junção de uma raça de sonhadores como os portugueses com a fantasia dos negros e o pavor indiano do invisível, está fatalmente à beira dos abismos de onde se entreve o além. A Federação publicou uma estatística de jornais espíritas no inundo inteiro. Pois bem: existe no mundo 96 jornais e revistas, sendo que 56 em toda a Europa e 19 só no Brasil.
    [...]

  89. Gorducho Diz:

    Certo, mas continua a dúvida: por que Sr. Giovanni vez aquela paráfrase (so to say) com o provérbio supostamente árabe?

  90. Gorducho Diz:

    Bah!
    É brabo não ter editor cá :(
    ERRATA
    Onde se lê atraente/elegante leia-se “?”
    Favor apagar também amanhã Sr. Administrador

    DESCULPE de novo :oops:

    Mas o Sítio tinha que ter editor :(

  91. Marciano Diz:

    Já estava de saída quando se me depararam os comentários do Presidente e do Vice.
    Senhor Presidente, sua sapiência e sagacidade me enchem de admiração. Por outro lado, os enigmas e ironias do Vice me deixam perplexo (no sentido de Indeciso, duvidoso, hesitante, irresoluto).
    Há vezes em que penso que se o Vice expressasse seus pensamentos algebricamente eu entendê-lo-ia melhor.
    Como posso responder suas perguntas, se não tenho a menor ideia do que está falando?
    A loquacidade do Presidente contrasta com as sínteses do Vice. Um loquaz, outro reticente.

  92. Marciano Diz:

    Quem, diabos, é esse Sr. Giovanni?
    O que tem ele a ver com os cães que ladram?
    Será que só eu não entendo o Vice?
    Sei que ele é perspicaz, arguto, mas também excessivamente (para um jumento como eu) sucinto.
    Tem horas em que faltam-me neurônios para captar seus ditos.

  93. Marciano Diz:

    Er ist stumm wie ein Fisch.
    Whilst the President est un bavard.
    Eu e o Presidente falamos pelos cotovelos, enquanto o Vice é tão mudo quanto a pedra que guardava o cadáver de NSFG.
    NSFG se fez de mudo no sábado em homenagem ao pai.

  94. Marciano Diz:

    Escafederam-se?
    Eu já tinha feito as malas, já tinha completado o check list de take off, mas abortei no V1, porque os chefes da Bancada voltaram. Mas eu apareço e eles desaparecem.
    Como eu ia dizendo antes de suas respectivas aparições, À demain, que eu vou em frente. Como dizia o falecido Ibrahim.

  95. Marciano Diz:

    Vou facilitar para o Presidente.
    Er ist stumm wie ein Fisch. Literalmente, ele é mudo como um peixe. Em bom português, mudo como uma pedra.
    Daí a pedra que guardou o falecido NSFG durante o sábado.
    Whilst the President est un bavard. Mistura de inglês e francês. Enquanto que o Presidente é eloquente. No bom sentido, claro.
    Agora eu vou em frente mesmo.

  96. Marciano Diz:

    Bavard = qui parle beaucoup, qui aime à parler.
    Moi non plus.

  97. Marciano Diz:

    Acabo de detectar um erro crasso na minha tradução acima.
    Sagittas = flecha.
    Sagittis = flechas.
    Logo eu, que vivo a elogiar as declinações.
    Shame on me!
    :oops:

  98. Gorducho Diz:

    Et latrat canis, sed frustra agitur vox irrita ventis, peragit cursus surda Diana suos.
    Generosus equus haud curat latratum canum. Latrantem curatne alta Diana canem
    ?

  99. Gorducho Diz:

    Veja que coisa, Sr. Administrador
    ❓ é x2753
    e maquiar/bem vestido/bonito/atraente é x9753 :!:
    :oops:
    Mas apague faz favor porque mandarim é complicado e pode ter outras conotações cujas não sabemos.
    DESCULPE

  100. Gorducho Diz:

    É uma espécie de minienciclopédia, acho.
    Em que verbete está essa espécie de paráfrase?

  101. Marciano Diz:

    Se entendi direito, a fonte é Alciato, numa das emblematas, plural de emblematum.
    Lunarem noctu, ut speculum, canis inspicit orbem,

    Seque videns, alium credit inesse canem,
    Et peragit cursus surda Diana suos.
    Foi professor de direito. Nasceu em 1492.
    C’est tout (que je sais).
    About him, I mean.
    Se quiser o texto integral, dou de “Presente”:
    https://archive.org/stream/emblemataandreae00alcia/emblemataandreae00alcia_djvu.txt
    Era isto ❓
    🔙
    Mas que tal deixarmos o passado para trás e falarmos do Presente (o Jair, para não deixar dúvidas).
    Mas se preferir falar da minha deusa, estou a postos.

  102. Marciano Diz:

    Estou em horário de almoço e volto à labuta, pois igne de lapide surgit mediante labore.
    Logo mais, à noite, estarei a postos.
    Se é que entendi o enigma.

  103. Marciano Diz:

    Por falar em Alciato, hoje ele seria considerado racista.
    Outra frase famosa dele:
    Mutare non potest Aethiops pellem suam.

  104. Marciano Diz:

    Como não sou bom de enigmas, deixo o desenho bem claro e ainda explico.
    O cão late e a lua (Diana) passa.
    Quem dá a mínima para a opinião do cão?

  105. Marciano Diz:

    Voltei pra corrigir outro erro. Vou acabar ficando com fome.
    Emblemata é plural de emblematum.

  106. Marciano Diz:

    Seria numa das emblemata, não emblematas.
    Era latim, não português.
    Falar claramente já é difícil, que dirá por charadas.

  107. Gorducho Diz:

    👍
    Tinha entendido que a fonte fora o HIEROGLYPHICA – obra do Sr. Giovanni Pietro Bolzani Dalle Fosse :oops:
     
    Sim: deixemos o passado para trás :!:

  108. Gorducho Diz:

    Mas não EXATAMENTE o mesmo texto ainda que o sentido é…
    Mas não entendi: ¿o cão se vê refletido/espelhado na Lua? e então acha que é outro…
    :o

  109. Gorducho Diz:

    Qual espelho fosse a noturna Lua, nela vê-se o cão crendo ser outro,
    e surda Diana segue seu rumo

  110. Marciano Diz:

    Inanis impetus = impulso vazio, impulso sem sentido, inútil, desnecessário.
    Lunare noctum = luar noturno
    Ut specum = para espelho, como espelho
    canis inspicit orbem = vê o cão na terra
    Seque videns = e ao vê-la, e enquanto a vê
    alium credit inesse canem = acredita que é outro cachorro, acha que é outro cachorro
    Et latra = e ladra
    sed frustra agitur vox irrita ventis = mas sua voz inútil, nula, ao vento se frustra (se torna vã, sem razão de ser)
    Et peragit cursus surda Diana suos = E Diana (a lua) continua seu curso, seu caminho, surda, sem ouvi-lo.
     
    Nenhuma língua se traduz palavra por palavra.
    Exemplos:
    Altare spoliat ut aliud operiat = altar despojar para outro cobrir = descobrir um santo para cobrir outro
    Dem Peter nehmen und dem Paul geben = o Pedro tirar e o Paulo dar = titar de Pedro para dar a Paulo = descobrir um santo para cobrir outro
    To Rob Peter to pay Paul = roubar Pedro para pagar Paulo = descobrir um santo para cobrir outro
    Découvrir Saint Pierre pour couvrir Saint Paul = idem
    Non si scopre un altare per ricoprire un altro – ibidem
     
    Em outras palavras:
    Vontade inútil, ou esforço inútil.
    O cachorro, na terra, olha para a lua como se fosse outro cachorro, e late, e enquanto a vê, sua voz (seu latido, se preferir) se perde no vento, enquanto a lua continua seu caminho, sem ouvi-lo.

     
    Em resumo (o que eu não queria fazer, dizer tão claramente):
    De que adianta o cachorro latir, se não faz a menor diferença para a deusa Diana?
    Fez-me lembrar da piada que contei aqui, um dia desses. Qual o melhor jogador de baseball de todos os tempos, na opinião do cachorro?
    O cara pensou que ele estava somente latindo, mas na opinião dele era Babe Ruth. Confuso, o cão ficou em dúvida se era Ruth ou Joe DiMaggio. Só tem graça para americanos ou pe’ chi vuo’ fa’ l’americano.
    Ma si nato in italy, sient’ a me, non ce sta’ niente a fa, ok, napolitan?
    A guy has a talking dog. He brings it to a talent scout. “This dog can speak English,” he claims to the unimpressed agent.
    “Okay, Sport,” the guys says to the dog, “what’s on the top of a house?”
    “Roof!” the dog replies.
    “Oh, come on…” the talent agent responds. “All dogs go ‘roof’.”
    “No, wait,” the guy says. He asks the dog “what does sandpaper feel like?” “Rough!” the dog answers.
    The talent agent gives a condescending blank stare. He is losing his patience.
    “No, hang on,” the guy says. “This one will amaze you. ” He turns and asks the dog: “Who, in your opinion, was the greatest baseball player of all time?”
    “Ruth!” goes the dog. And the talent scout, having seen enough, boots them out of his office onto the street. And the dog turns to the guy and says
    “Maybe I should have said DiMaggio?”
     
    Who cares for the dogs opinion?

  111. Marciano Diz:

    for the dog’s opinion
    tirar de Pedro

  112. Marciano Diz:

    I’m gonna take a leak, wash my hands, eat something and get back here ASAP.

  113. Gorducho Diz:

    Responderei por partes…
    lunare notum
    claro q. m/intuição imediata foi “luar noturno”.
    Mas pesquisei alguns dicionários e não cheguei a uma conclusão quanto à palavra “luar”

    E como o luar vai ser como um espelho (ou óculo, que seja…) pelo cujo o cachorro se mira
    :o

  114. MONTALVÃO Diz:

    /
    Marciano Diz:
    .
    Escafederam-se?
    Eu já tinha feito as malas, já tinha completado o check list de take off, mas abortei no V1, porque os chefes da Bancada voltaram. Mas eu apareço e eles desaparecem.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: Estou fora de forma, devo aparecer uma vez por dia, se tanto…
    .
    Gripe avassaladora corrói-me as entranhas. Suspeito seja a espanhola selecionando-me para o retorno triunfal. À noite não durmo, entopecem-me os dutos nasais e não respiro. Temendo morrer desoxigenado permaneço acordado. Meus cães não entendem que estou nas últimas e exigem o passeio diário. A reclamança canina sensibiliza a emoção dos vizinhos que brindam-me com as mais belas maldições do cancioneiro.
    .
    Provavelmente não passo d’oje…

  115. Gorducho Diz:

    Le clair de la lune, qual fora um foco, vê o cão da terra e acha que é outro [cachorro]

  116. MONTALVÃO Diz:

    /
    “O cachorro, na terra, olha para a lua como se fosse outro cachorro”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: outro cachorro? Cães latem para qualquer coisa que considerem suspeita. Esses dias a Sedosa latia desesperada. Fui ver. Gritava com uma abelhinha que, caída ao chão, tentava soeguer-se e tornar ao aprisco. Tenho um que não pode ver o aspirador de pó. Outro, se ouve som de moto entra em espasmo neurótico-latitivo. Os que moram no terraço não podem ver urubu…
    .
    Sem falar de gatos, cavalos, gambás, bois…
    .
    Mas, pra lua inda não contemplei nenhum a latir…
    .
    Vai ver Minerva os apaziguou…

  117. Gorducho Diz:

    Suador: – 5 cobertores (pra vocês aí mantinhas de acrílico tecido mesmo…); 2 meias do mesmo material.

    Amanhã de manhã 👍

  118. Gorducho Diz:

    Note que temos 2 textos, de mesmo sentido mas não idênticos. O 1° que eu acho que é do Sr. João Pedro, e este outro agora…

  119. Gorducho Diz:

    Eles uivam sim pro plenilúnio.
    Uivam: não latem

  120. MONTALVÃO Diz:

    /
    Espirita SP Orlando Diz:
    .
    os espiritos sérios desenvolvem muitos trabalhos, complexos, delicados. Envolvem coisas que ser humano ainda não consegue mexer. Engenharias de placas tectonicas, divisões de continentes e agora um trabalho bem grande: a transição planetária.
    Aqui no tempo terrestre foi prorrogado para 2057. Os espíritos usam esse ano como convencional mesmo, pois há vários calendários na Terra e no Universo.
    Leia o processo de reencarnação de Segismundo em Missionário da Luz.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: Samporlando, inda não respondeu porque voltou a ser samporlando e deixou o xaveriano Orlando de lado… O elucidamento deste mistério revolucionará a gnoseologia. Não o guarde só para si!
    .
    Não sei porque as gentes daqui não comentam seus comentários, pois eles sempre pedem para ser comentados tão logo prolatados…
    .
    Desconheço que alfarrábios compulsou para apresentar suas “spritualfakes” a respeito dos trabalhos da espiritualidade. Consulte os akhasicos, toda resposta neles está. Se espíritos cuidassem das placas tectônicas teriam que ser despedidos por justa causa: estariam trabalhando pior que o PT na Petrobras! Terremotos, vulcões, tsunamis estão aí para demonstrar. Os akhasicos esclarecem (Enc.VI, Par. 171. Inc. tipo zero, Cap. 8, do Livro de Enoque), onde se lê: “espíritos, se existem, cuidam das coisas dos espíritos, o mundo material segue seu rumo conforme programado, sendo nele vedada qualquer interferência dos de outras dimensões”.
    .
    Transição planetária? Oh, que falta faz o básico de akhasiano! Mesmo houvesse uma (olha a Era de Aquário aí!) seria um devir normal da caminhada do orbe terrestre rumo ao infinito. Além da disposição do akhásico retro citado, também achamos no inciso do molar seguinte, o seguinte: “ transição planetária é cueca de boneca!
    .
    Da próxima, fale comigo que lhe libero acesso temporário a essa fenomenal biblioteca cósmica!

  121. Marciano Diz:

    Acredito que seja no sentido metafórico, Gorducho.
     
    Montalvão é mesmo estiloso. Até para descrever sua morte (de gripe espanhola, em outra encarnação, por óbvio).
     
    Não tenho procuração do Alciato, mas acho que ele tinha estilo, como o Presidente acamado tem.
    Daqui a uns 600 ou 700 anos, quem ler numa língua futura, derivada do português, “A reclamança canina sensibiliza a emoção dos vizinhos…”, vai se perguntar:
    – E como os cães reclamavam da falta de passeio? Será que clamavam aos vizinhos para que entoassem canções ao Montalvão, para que estes intercedessem junto a ele
    :eek:

     
    Silva Jardim deve ser um zoológico a céu aberto. Urubus, bois, gambás, cavalos…
     
    Aqui no Rio também se usa cobertor, claro que com menor frequência.
    Vai sem href, pois estou com preguiça: http://portalradar.com.br/portal-radar/wp-content/uploads/2014/05/cobertor.jpg
     
    Mas para gripe, o melhor é repouso e muito líquido. O resto é crendice, inclusive vitamina C.
     
    O repouso é bom para o paciente e para os outros, pois não sai contaminando todo o mundo, por aí afora.
     
    Faz tempo que não ouço cães uivando. Acho que eles estão se distanciando mais ainda do Canis lupus.
    Pelo que me consta, tanto Canis lupus quanto Canis familiaris uivam para comunicarem-se à distância (sem a telepatia sheldrakiana). Pode dar a impressão de que estão olhando para a lua por causa da posição da cabeça, que favorece o tom mais agudo.
     
    Rogo ao Gorducho que passe a anotar uivos em lua cheia e outros períodos lunares, para ver se a hipótese se confirma.
     
    E no Jair Presente, não vai nada?
    Já foi dito tudo o que se tinha pra dizer?
    Eu postei os dois livros que cx atribuiu a seu imaginário espírito. Montalvão achou um poema legal, mas eu achei todos um lixo, e acho que foi proposital.
     
    cx esmerou-se para fazer os pastiches de “Parnaso”, mas infantilizou os versos de Presente, para passar mais credibilidade.
    É minha hipótese.

  122. MONTALVÃO Diz:

    /
    Espirita SP Orlando Diz:
    .
    Espíritos não adivinham, coletam informações. Paulo e até mesmo Jesus tratavam os espíritos como pobres diabos, quase debeis mentais. Veja onde Jesus manda os espiritos: para os porcos do chiqueiro.
    /
    CONSIDERAÇÃO: tá vendo? Quando digo não falo à toa! Nem Paulo nem Jesus trataram espíritos com se fossem de porcos! Os que foram mandados para suínos o foram a pedido. O pobre desinfeliz e lunático estava lotado de coisas-ruins! Eles disseram: “nosso nome é LEGIÃO, porque somos muitos!”. Ora, uma legião tinha entre cinco e dez mil soldados! Mesmo ficando com a cifra menor é capeta demais para um desgraçado carregar! Jesus ia fazer uma sessão de descarrego com eles, mas os ditos, sabendo que não adiantava resistir, propuseram o acordo: “deixa a gente ir pros porquinhos, vai!”. Mesmo não gostando de demônios, o bom coração de Cristo foi tocado pelo candente apelo: então autorizou!
    .
    Visto que malignos são iguais à certa parcela de torcedores dessa coisa horrenda chamada futebol, eles pularam fora do possuído igual quando a turba pega trem na central: um pulando por cima do outro, se empurrando, xingando a mãe… Resultado: os porquinho não aguentaram o tranco e deu no que já sabe…
    /
    /

    SAMPORLANDO: O espírita é diferença: uma teraupêtica mais de acordo com os tempos modernos, a linguagem mais tolerante, o amor mais presente, não tratamos esses seres como desprezíveis. Há diálogos constantes. Em sessões de desobssessão nenhum espírito é expulso: procuramos esclarecer fraternalmente sobre seu novo estado.

    /
    CONSIDERAÇÃO: entendi, vocês praticam a arte da conciliação: se o obsessor entrou, então, já que tá dentro deixa ficar! Só carece ser orientado a respeito do que pode ou não fazer no corpo-casa em que se instalou! Técnica interessante!

    /
    /

    SAMPORLANDO: E os mentores também tentam ajudar. E casos muito severos espíritos são aprisionados por espiritos enfermeiros e levados a locais semelhantes aos hospicios terrenos. Um famoso é dirigido pelo Dr. Inácio Ferreira.
    /
    CONSIDERAÇÃO: “mentores” são o quê, espíritos que mentem? É bem como dizia Trimegisto: “já que ocê não sabe o que tem do outro lado, qualquer coisa que disser e tiver quem escute tá valendo!” Trimegisto sabia das coisas!

  123. Marciano Diz:

    Depois da regeneração planetária, os cães passarão a se comunicar entre si através de aparelhos eletrônicos, semelhantes aos atuais smartphones.
    NSFG, Bezerra e o resto da cambada não iriam se dar a tanto trabalho só por causa dos humanos. O planeta vai melhorar para todos os que o habitam, até os vegetais.

  124. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Mas para gripe, o melhor é repouso e muito líquido.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: um tanto vago… muito líquido, mas qual? Cerveja, vinho, uísque? Já sei (?): muito conhaque de alcatrão!

  125. Marciano Diz:

    Não seria Trismegisto?
    Isto foi psicofonia do mineirinho cx?

  126. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Faz tempo que não ouço cães uivando.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: tenho cá um cão, o Floppy, que não late nem uiva para selene, mas volta e meia puxa uma sessão de uivação que contagia a todos os cães que o ouvem: e ficam todos a choramingar felizes! Durante o dia até que é bonitinho, mas de madrugada…

  127. Marciano Diz:

    “As above, so below”.

  128. Marciano Diz:

    The union of the Word and the Mind produces that mystery which is called Life… Learn deeply of the Mind and its mystery, for therein lies the secret of immortality.

    Hermes Trismegistus in Divine Pymander

  129. Marciano Diz:

    Listen within yourself and look into the infinitude of Space and Time. There can be heard the songs of the Constellations, the voices of the Numbers, and the harmonies of the Spheres.

    Se Trismegistus disse mesmo isto, ele não sabia que constelações são apenas ilusões de ótica.
    Era um parvo.

  130. Marciano Diz:

    Esse Floppy é muito desengonçado?

  131. Marciano Diz:

    https://noticias.r7.com/fala-brasil/videos/cachorros-desengoncados-a-culpa-pode-ser-dos-donos-15102015
    Floppy = desengonçado, desajeitado.

  132. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Não seria Trismegisto?”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: tá certo, tanto tempo que não falo do Hermes que esqueci que era tríplice mestre com “s”…

  133. Marciano Diz:

    Montalvão calls his dog “Floppy”. How come?

  134. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Esse Floppy é muito desengonçado?”
    /.
    More ou less, é gorducho então tem lá seu desengoçamento…
    .
    Agora vou ver se consigo falecer em paz. Adios a todos, vejo-os no umbral do zé-Maria.

  135. Marciano Diz:

    Requiescat in pacem!
    Memento homo, quia pulvis es, et in pulverem reverteris.

  136. Gorducho Diz:

    ============================================================

    Faz tempo que não ouço cães uivando.

    [...]
    Rogo ao Gorducho que passe a anotar uivos em lua cheia e outros períodos lunares, para ver se a hipótese se confirma.

    ============================================================
    Porque mora (nessa N/querida :!: ) megalópole :(
    Já tivemos até 9 mas agora só tem 5 (+ 1 gato).
    Por que uivam pro plenilúnio não sei.

  137. Marciano Diz:

    Genesis 3, 19.
    In sudore vultus tui vesceris pane, donec revertaris in terram de qua sumptus es : quia pulvis es et in pulverem reverteris.

  138. Marciano Diz:

    É, nesta Metropolis não é comum ouvir cães uivando, mas latindo se ouve. E vê-se, pelas ruas, com os donos ou sozinhos, ou em companhia de outros cães.
    Eu acho estranho que eles tenham sua atenção voltada para a lua.
    Cães parecem estúpidos, mas se ficam intrigados com a luz da lua, devem ser menos do que a gente acha.

  139. Marciano Diz:

    Procurei e achei, naquelas revistas de que a Casa gosta.

    Não! Eles fazem isso principalmente para chamar seu grupo para a caça. Acontece de uivarem com muito mais freqüência em noites de Lua cheia porque o clarão do luar é uma condição altamente propícia para localizarem suas presas. Depois da caçada, o som serve também para reunir novamente o bando: os lobos são capazes de reconhecer uns aos outros apenas pelo uivo de cada um. “Mas eles também podem uivar quando não há Lua. Afinal, caçam todos os dias”, diz a bióloga Ana Maria Beresca, da Fundação Parque Zoológico de São Paulo. A outra função do uivo, idêntica ao latido dos cachorros, é marcar seu território. Dois grupos que pretendem ocupar a mesma região podem deduzir o tamanho do bando rival: a diversidade dos uivos revela o número de animais.
    Os lobos vivem na América do Norte, Groenlândia, Europa e na Ásia. Antigamente, seus uivos podiam ser escutados em todos os Estados Unidos, mas hoje em dia os lobos estão entre os animais em risco de extinção. O problema é que eles atacam o gado e outros animais domésticos e, por isso, fazendeiros costumam oferecer recompensas por suas peles, tornando-os bastante caçados. Embora sejam temidos, raramente atacam o homem, preferindo, em geral, evitá-lo.

    Se é verdade, como os cães descendem de lobos, pode ser um resquício evolutivo.

  140. Marciano Diz:

    Parece até que eu já tinha lido antes. Tipo criptomnésia:

    Os lobos são os antepassados dos nossos pets, e eles são conhecidos por uivar para a lua. Mas, você sabia que a lua não tem nada a ver com o uivo dos lobos? Os lobos são noturnos e precisam se comunicar. Então, eles uivam à noite. Eles também jogam suas cabeças para trás, o que faz parecer que estão olhando para cima.

    Eles fazem isso independentemente da posição ou “tamanho” da lua, e seu peludo ainda pode ter alguns desses instintos enterrados no fundo que o faz querer gritar a todos os cães vizinhos após a hora de dormir.

    Mas, seu cachorro não é um lobo noturno, então por que ele está tentando acordar todo o bairro durante a noite? Bom, os cães realmente ouvem melhor depois que o sol se apaga. Existem menos distúrbios à noite, então o som viaja muito mais longe. Há também menos carros e máquinas operando enquanto todos os humanos se deitam, então há menos interferências. É basicamente a hora do dia em que seu cachorro e seus amigos recebem a melhor recepção para seus chamados.

    No entanto, os uivos podem ser relacionados à um problema maior. Os cães têm fobias como pessoas. Há muitos cães que temem coisas como balões, faróis e, basicamente, qualquer coisa grande e redonda flutuando acima de suas cabeças, o que inclui a lua.

    Se você acha que seu cão tem medo da lua, tente mantê-lo fora de sua linha de visão em caminhadas e veja se seu cachorro está mais calmo. Se o medo persistir, pode ser hora de consultar um veterinário ou um treinador.

    https://www.caoativoclub.com.br/mito-ou-verdade-caes-uivam-para-lua-cheia/

  141. Marciano Diz:

    Cachorro com medo da lua?
    E porque só lua cheia?
    Não sei, não…

  142. Marciano Diz:

    De acordo com Rubia Burnier, veterinária especialista em comportamento animal, uivar é um recurso usado pelo cão para se comunicar à distância, uma ferramenta útil especialmente quando não há contato visual. Quando o animal uiva, sua voz atinge um timbre mas alto e ele pode ser ouvido de longe.
    https://p2.trrsf.com/image/fget/cf/940/0/images.terra.com/2017/08/23/cao-uiva-istock-477400424.jpg
     
    “O uivo de um cão pode ser percebido a quilômetros de distância e serve para chamar atenção, localizar e reunir os membros do grupo. Esse comportamento foi herdado do lobo e é uma característica marcante em algumas raças, como husky siberiano, samoieda e malamute do Alaska. Esses cães uivam em vez de latir”, diz a veterinária.
     
    Outro motivo que estimula o cão a uivar, ressalta a especialista, é a presença de uma cadela no cio, cujo cheiro se espalha pelo vento, atraindo machos mesmo distantes e criando assim uma “sinfonia de uivos”. Uivar geralmente não significa dor ou sofrimento, mas muitas vezes serve para aliviar o tédio e a solidão. Pode ser também uma maneira de o cão extravasar sua frustração.
     
    Segundo Rubia, cães que ficam sozinhos por períodos longos uivam numa tentativa de trazer de volta seus companheiros de matilha, no caso, a família. “O uivo também expressa excitação e contentamento, como aqueles cães que uivam quando ouvem música”, exemplifica a veterinária.

  143. Marciano Diz:

    VISÃO DOS ANIMAIS
     
    O cão e o cavalo veem ou sentem os Espíritos. Nunca testemunhastes a repugnância que manifestam, por vezes, esses animais, de passar por um lugar onde ignoravam tivesse sido enterrado um corpo humano? Certamente direis que seus sentidos podem ser despertados pelo odor particular dos corpos em putrefação. Então por que passam indiferentes ao lado do cadáver enterrado de um outro animal? Porque se diz que o cão sente a morte? Jamais ouvistes cães uivando sob a janela de uma pessoa agonizante, quando esta lhe era desconhecida? Não vedes, também, fora da superexcitação da raiva, diversos animais se recusarem a obedecer à voz do dono, recuar com medo, ante um obstáculo invisível, que parece lhes barrar a passagem? e se encolerizarem? e depois passarem tranquilamente pelo mesmo lugar que lhes inspirava tão grande terror, como se o obstáculo tivesse desaparecido? Têm-se visto animais salvarem seus donos de um perigo iminente, recusando percorrer o caminho onde estes teriam podido sucumbir. Os fatos de visões nos animais se encontram na antiguidade e na idade média, assim como em nossos dias.
     
    Assim, sem dúvida os animais veem os Espíritos. Aliás, dizer que eles têm imaginação não é lhes conceder um ponto de semelhança com o espírito humano? e o instinto não é neles a inteligência rudimentar, apropriada às suas necessidades, antes que tenha passado pelos cadinhos modificadores, que a devem transformar e lhe dar novas faculdades? O homem também tem instintos, que o fazem agir de maneira inconsciente, no interesse de sua conservação. Mas, à medida que nele se desenvolvem a inteligência e o livre-arbítrio, o instinto se enfraquece, para dar lugar à razão, porque o guia cego lhe é menos necessário.
     
    O instinto, que tem toda a sua força no animal, perpetuando-se no homem, onde se perde pouco a pouco, certamente é um traço de união entre as duas espécies. A sutileza dos sentidos no animal, como no selvagem e no homem primitivo, substituindo nuns e noutros a ausência ou insuficiência do senso moral, é outro ponto de contato. Enfim, a visão espiritual que, muito evidentemente, lhes é comum, posto que em graus diversos, também vem diminuir a distância que parecia erguer uma barreira intransponível. Contudo, nada concluais de modo absoluto: observai atentamente os fatos, porque somente dessa observação um dia vos surgirá a verdade. (Mensagem do Espírito Moki – Revista Espírita de 1865)
     
    Obs.: Este conselho é muito sábio, pois, evidentemente, apenas nos fatos é que se pode assentar uma teoria sólida; fora disto só haverá opiniões e sistemas. Os fatos são argumentos sem réplica, cujas consequências, mais cedo ou mais tarde, quando constatados, terão que ser aceitas. Foi este princípio que serviu de base à Doutrina Espírita, o que nos leva a dizer que ela é uma ciência de observação – Allan Kardec.
     
     
    Quot capita, tot sensus.

  144. Gorducho Diz:

    Companheiro CoC, SE acaso estiver na escuta: ¿lobriga dai Marte seguindo Diana?
    Que maravilha!

  145. Marciano Diz:

    “Wer nie einen Hund gehabt hat, weiß nicht, was lieben und geliebt werden heißt.”

    (Arthur Schopenhauer)
    “Ein Leben ohne Hund ist ein Irrtum!”
    “Wenn es im Himmel keine Hund gibt, gehe ich dort auch nicht hin.”
    “Der Hund ist der sechste Sinn des Menschen.”
    “Kein Psychiater der Welt kann es mit einem Hund aufnehmen, der einem das Gesicht leckt.”
    “Je mehr ich von den Menschen sehe, umso lieber habe ich meinen Hund.”
    “Hunde haben alle guten Eigenschaften des Menschen, ohne gleichzeitig seine Fehler zu besitzen.”

  146. Marciano Diz:

    Montalvão, für dich:
    https://www.schaeferhundseite.de/wp-content/uploads/2017/04/schaeferhund-zitate-sprueche-01-1.jpg

  147. Marciano Diz:

    https://www.schaeferhundseite.de/wp-content/uploads/2017/04/schaeferhund-zitate-sprueche-08.jpg
    Mich auch!
    Ninguém quer falar do Presente, só porque ele está ausente.

  148. Marciano Diz:

    Marte está perto de novo. Cada 2,2 anos a gente se encontra.
    Em oposição ao Sol (Marte cheio) e mais próximo, ele brilha que é uma beleza.
    Ontem eu vi. Hoje está nublado.

  149. Gorducho Diz:

    Wer nie einen Hund gehabt hat, weiß nicht, was lieben und geliebt werden heißt.

     

    👍 (2)

  150. Gorducho Diz:

    Allez les Bleus ! ALLEZ !”

  151. Marciano Diz:

    Ich hatte drei, in meinem ganzen Leben. Ich habe nicht die Absicht, eine andere zu haben, weil wir viel leiden, wenn sie sterben, und ihr Leben ist sehr kurz.

  152. Marciano Diz:

    Allez les Bleus = Those Were the Days.
    Those were the days, my friend, we thought they’d never end. We sing and dance forever and a day. We live the life we choose, we find and never loose…

  153. Gorducho Diz:

    É… se sofre muito.
    Tanto que a ideia era nunca mais pegar nenhum, mas aparecem…
    E há 4½ apareceu 1 gato que cruzava em cima dos muros. Neste momento dorme bem enroscado numa cadeira velha bem do meu lado…

  154. MONTALVÃO Diz:

    /
    • Espirita SP Orlando Diz: .
    Também há a teoria das monadas espirituais.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: as mônadas são, no pensamento leibniziano, elementos singelos que compõem todas as coisas existentes. As mônadas espirituais são, no pensamento espíritista, a união do elemento inteligente com o fluido universal. Não vejo como chamar isso de teoria… no máximo uma conjetura, uma dentre as muitas que o espíritismo defende, sem qualquer fundamento fático…
    /
    /
    SAMPORLANDO: E o lance dos próprios humanos deixarem “rastros mentais” em objetos e outros conseguirem captar isso.
    /
    CONSIDERAÇÃO: pois é, e o lance de haver quem acredite nessa tolice? Quando se fiscaliza as “leituras” desses “rastros” aparecem velhas bobeirinhas tipo: “fulano era pessoa nervosa, tinha saúde débil, era inteligente mas dizia besteiras, gostava de viajar…”. Nenhuma leitura da espécie (chamada “psicometria”) tem utilidade, embora, é claro, sempre vai ter quem diga que não, que o negócio é útil pracaramba!
    .
    Já pensou que se a psicometria funcionasse quantos crimes não seriam facilmente solucionados?
    /
    /

    SAMPORLANDO: Li outro dia que quando há o desencarne as informações mentais do espírito ficam em arquivos em nuvem, aguardando resgate dos arquivos via perispirito quando necessário. E na reencarnação os arquivos são “baixados” e incorporados na nova vida.
    /
    CONSIDERAÇÃO: já dizia Pafúncio, primo de Confúcio: “não creia em tudo o que leu noutro dia”. Quem falou em arquivos em nuvem no meio espiritual sei quem foi: o cibernético doidão! Internado dezenas de vezes e a cada vez vem com uma novidade doidônica!
    .
    Houvesse esses arquivos em nuvem e houvesse reencarnação haveria lembranças. Se nada lembramos das vidas passadas nada de reencarnação. Simples e lógico!

  155. MONTALVÃO Diz:

    /
    OS ANIMAIS VEEM ESPÍRITOS?
    .
    Psicografia recebida.
    .
    Perguntai frequentemente: animais veem espíritos? E os espíritos respondem: SIM, veem e temem! Mas eu vos digo: não crede nesses tolos. Espíritos que dizem assim não sabem o que dizem. Vós bem sabeis que os desencarnados vez em quando visitam seus antigos lares. Se os animais os vissem, cães e gatos, por exemplo, não os contemplaríamos extasiados de alegria ante a presença invisível? Não latiriam, os cães, doudamente empolgados por virem seus amigos de volta? Não seria fácil fazer uma ponte comunicativa entre mortos e desencarnados, por meio da visão espiritual dos pets?
    .
    E, por que Deus daria visão privilegiada a irracionais e a negaria aos homens? Estaria Deus carecente de parafuso a ponto de conceder benesses a quem delas não faria uso adequado, considerando o potencial desse dom, se existisse?
    .
    Não, irmãos, não deem ouvidos a tais alegações. Aqui na erraticidade tem de tudo, safadezas de todo tipo, nada do que daqui sai merece ser escrito sem prévia verificação. Visto não ser possível verificar se o que daqui sai daqui saiu mesmo, então melhor não haver comunicação para evitar confusão. Portanto: espíritos, mesmo que vivos, não comunicam! Pronto, falei!
    .
    Pelo espírito NHOKI.

  156. MONTALVÃO Diz:

    /
    Montalvão, für dich:
    https://www.schaeferhundseite.de/wp-content/uploads/2017/04/schaeferhund-zitate-sprueche-01-1.jpg
    /.
    CONSIDERAÇÃO: sonho em ter um desse, mas não há mais espaço cá em casa.

  157. MONTALVÃO Diz:

    /
    SAMPORLANDO: Li outro dia que quando há o desencarne as informações mentais do espírito ficam em arquivos em nuvem, aguardando resgate dos arquivos via perispirito quando necessário. E na reencarnação os arquivos são “baixados” e incorporados na nova vida.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: curioso como a tecnociência espiritual depende do progresso material. Agora se fala de “memórias em nuvem”, que são baixados e aplicados nas novas existências. Esse “explicamento” copia a recente tecnologia de armazenamento de dados informatizados. Nos tempos de Kardec e sucessores, incluindo o imaginativo Chico, ninguém cogitou de coisa assim!

  158. Marciano Diz:

    ===============================================================
    CONSIDERAÇÃO: curioso como a tecnociência espiritual depende do progresso material. Agora se fala de “memórias em nuvem”, que são baixados e aplicados nas novas existências. Esse “explicamento” copia a recente tecnologia de armazenamento de dados informatizados. Nos tempos de Kardec e sucessores, incluindo o imaginativo Chico, ninguém cogitou de coisa assim!
    ===============================================================
     
    Isto se deve ao fato de que tudo o que “existe” lá é copiado daqui. Ao contrário do que afirmam os “espíritos superiores”.

  159. Marciano Diz:

    Meu último cão foi um Schäeferhund, que recebeu o nome de Tejo, por causa do rio português.
    No dia em que ele morreu fiquei tão triste que não consegui esconder a tristeza de ninguém. Era estudante de direito. Todos os colegas de turma e do escritório modelo perceberam meu sofrimento, e não entenderam que era por causa de um cão.
    Já tive gatos, também.
    Diante da realidade, resolvi virar a face para o outro lado.
    Pode ser cobardia, mas ninguém é de ferro e também tenho meu calcanhar.
    Ultimamente tenho procurado ser hedonista e pragmático, eu, que já fui espartano e estoico. Mas sempre fui cético. E cínico, porém no sentido vulgar, não no sentido filosófico.

  160. Marciano Diz:

    When I was a lad
    And old Shep was a pup
    Over hills and meadows we’d stray
    Just a boy and his dog
    We were both full of fun
    We grew up together that way
    I remember the time at the old swimmin’ hole
    When I would have drowned beyond doubt
    But old Shep was right there
    To the rescue he came
    He jumped in and then pulled me out
    As the years fast did roll
    Old Shep, he grew old
    His eyes were fast growing dim
    And one day the doctor looked at me and said
    “I can do no more for him, Jim”
    With hands that were trembling
    I picked up my gun
    And aimed it at Shep’s faithful head
    I just couldn’t do it, I wanted to run
    I wish they would shoot me instead
    He came to my side and looked up at me
    And laid his old head on my knee
    I had struck the best friend a man ever had
    I cried so I scarcely could see
    Old Shep, he has gone where the good doggies go
    And no more with old Shep will I roam
    But if dogs have a heaven there’s one thing I know
    Old Shep has a wonderful home

  161. Marciano Diz:

    The German Shepherd (German: Deutscher Schäferhund, German pronunciation: [????f??h?nt]) is a breed of medium to large-sized working dog that originated in Germany. The breed’s officially recognized name is German Shepherd Dog in the English language (sometimes abbreviated as GSD).
    Widipedia.

  162. Marciano Diz:

    Sorry abou that.
    Pronunciation: ʃɛːfɐˌhʊnt.
    Montalvão: chêfarrunt. Com “r” de carioca, gutural.

  163. Marciano Diz:

    Para os não cariocas: “r” tem o mesmo som de “h”, em home, his home.

  164. Marciano Diz:

    Montalvão escolheu viver em SJ, mas é carioca da gema.

  165. Marciano Diz:

    Já fomos vizinhos, mas não tivemos o prazer de nos conhecer.
    Frequentamos os mesmos lugares, mas em épocas diferentes.
    Só para mostrar meus poderes paranormais, uma vez, aqui, de brincadeira, disse para o Montalvão que morei numa casa onde ele morou, e ele acreditou. Mas foi só brincadeira. Queria mostrar que também sou médium, como o cx.
    Meu propósito foi este mesmo, mostrar como é fácil enganar pessoas inteligentes e descrentes. Ou ex-crentes.
    Depois que ele mordeu a isca eu, imediatamente, revelei o truque. Ele chamou a atenção do Vitor para o caso (também usei minha paranormalidade com o Vitor), mas este fez ouvidos moucos.

  166. Marciano Diz:

    Marciano:
    Eu já morei em Delfina Enes.
    Cidade pequena, porém decente.
     
    Rua Delfina Enes, 426, Penha Circular.
    Era pertinho da De Millus, fábrica de soutiens, pertencente a um judeu chamado Nahum Manela.
     
    Psicografia obtida pelo método xaveriano.
    Leitura morna. Nem fria, nem quente.
     
     
    MONTALVÃO:
    DE MARTE, fui dar uma conferida no Google maps e me arrepiei todinho.
    .
    O endereço em que morei, na Delfina Enes é nº 426!
     
    Marte: o proprietário do prédio chama-se (se estiver vivo): Armando. Um português, pão-duro que só ele! É este?
    .
    Conheceu um morador chamado Heleno? Deve ser do seu tempo…
     
    Marciano:
    ===============================================================
    Fomos vizinhos, embora em tempos diferentes, mas o que que é o tempo diante da retrocognição?
    ===============================================================

    Essa vizinhança foi retrocausada pelos nossos diálogos aqui no blog, provavelmente. Pelos menos na visão visoniana.

    ===============================================================
    MONTALVÃO:
    CONSIDERAÇÃO: MARTE, acaba de acontecer um milagre: passei a acreditar em psicografia e descobri-o médium mais arretado que o Xavier!
    ===============================================================

    Marciano:
    Era esse o meu propósito. Mostrar como o esperto cx trabalhava.

    Se der uma olhadinha nos palpites da mega-sena, verá mais coisas relacionadas a cx e seu passado malandro.
     
    Montalvão, na verdade eu morei na Lobo Júnior, e conheci uma menina que morava na Delfina Enes.
    Eu estava fazendo uma brincadeira privada com você, que decidiu torná-la pública.
    Meu objetivo era justamente mostrar como é fácil psicografar cartinhas do além.
    Tem mais sobre cx, mas que fique entre nós.
     
    Está codificado, mas se prestar atenção, decifrará facilmente o código.
    Tornei-o fácil de propósito, mas não muito, pois aqui só tem raposa.
     
    Montalvão:
    Sesculpe, vi que se explicou, meu ex-vizinho inventador de história. Fiquei desarrepiado…
     
    MARTE disse: Eu estava fazendo uma brincadeira privada com você, que decidiu torná-la pública.
    Meu objetivo era justamente mostrar como é fácil psicografar cartinhas do além.
    Tem mais sobre cx, mas que fique entre nós.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: realmente, brincadeiras à parte, sua brincanagem mostrou algo sério: como é fácil fazer um suposto cético tornar-se crente ao deparar algo para ele surpreendente. Visoni deveria olhar com atenção para essas coisas.
     
    Marciano:
    Sonhei que trabalhei no Banco do Brasil por 3 períodos, em 2008, como ajudante por 4 meses, em 2013 como escriturário na agência Copacabana – Zona Sul, e em 2014 na agência Abolição, por alguns meses.
     

    Fui servidor da CVM, tendo me desligado do Banco.
     

    Nos 2 últimos períodos, trabalhei com Juliana Silva de Azevedo, ou seja, nas agências Copacabana e Abolição. Na agência Abolição eu era assistente de negócios. Juliana também trabalhava lá; ela era voltada especificamente para empréstimos, “mas fazia tudo o que um escriturário fazia”, ou seja: venda de produtos (títulos de capitalização, seguro de vida, seguro de casa), abertura de contas. Ela não possuía senha e pedia a mim e a outros para que abrissem o sistema com nossas senhas; acho provável que ela tenha trabalhado com a senha do gerente Luis Paulo, mas não posso afirmar com certeza.
     

    Fora da agência, ela apenas saía para apanhar alguma assinatura de algum cliente que estivesse faltando.
     

    As tarefas dela eram equivalentes e de escriturário; a recomendação do banco era de que não se usasse senha de terceiros, não recomendando que não fosse do conhecimento de outras pessoas a sua senha pessoal.
     
    Fim das psicografias fajutas, só para demonstrar como é fácil.

  167. Marciano Diz:

    Lembra-se disso, Montalvão?
    Na época, de forma disfarçada e codificada, para não revelar coisas a terceiros, deixei várias informações de outros participantes também, todas codificadas, mas que os próprios poderiam perceber, com um pouco de atenção.
    Tudo obtido pelo método xaveriano.
    Só para mostrar como é fácil.
    Disfarçado de palpite da mega-sena, etc.
    Se você tivesse se calado, só você perceberia que eu dei um endereço de uma casa onde você morou, e por aí vai.
    “Coisas que só uma pessoa deveria saber”.
    Big deal!
    Piece of cake.

  168. Marciano Diz:

    ░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░░░░░░░░█████████████░░░░░░░░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░░░██████░░░░░░░░███████░░░░░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░████░░░░░░░░░░░░░░░░░░████░░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░███░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░███░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░██░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░███░░░░░░░░
    ░░░░░░░███░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░██░░░░░░░
    ░░░░░░██░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░██░░░░░░
    ░░░░░██░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░█░░░░░
    ░░░░██░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░█░░░░
    ░░░██░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░█░░░░░░░░██░░░
    ░░░██░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░███████░░░░░██░░
    ░░░██░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░██░░░░░██░░░░░█░░
    ░░░██░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░██░░░░██░
    ░░░████░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░█░░░░░██░
    ░░░███████░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░██████░██░░░░░█░
    ░░██░░░░░█░░░░░░░░░░░░░░░░░██░░░░██░░░░█░█░░░░░░█░
    ░██░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░█░░░░░░░░░░░░░░█░
    ░██░░░█████░░░░░░░░░░░░░██░░░░░██████░░░░░░░░░░░█░
    ░░██░█░░█████░░░░░█░░███░░░░███▓▓▓▓▓█░░██░░░░░░░█░
    ░░░██░░░█▓▓▓███░░░░███░░░░███▓▓▓▓▓▓▓█░██░░░░░░░██░
    ░░░░░█████▓▓▓▓███░░████░███▓▓▓▓▓▓▓▓▓█░██░░░░░░░█░░
    ░░░░░░░███▓▓▓▓▓▓▓███░░██▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓█░██░░░░░░██░░
    ░░░░░░░██░█▓▓▓▒▒▒██░░█░█▓▓▓▓▓▓▓▒▒▒██░░░█░░░░░██░░░
    ░░░░░░░██░░░█████░█░░█░████▓▓▒▒▒███░░░░████████░░░
    ░░░░░░██░░░░░░░░░░█████░░░███████░░░░░░░░░░░░██░░░
    ░░░░░░█░░░░░░░░█░██░░█████░░░░░░░░░░░░░░░░████░░░░
    ░░░░░░██░░░░░░███░░░░░░██_██░░░░░░░░░░░░████░░░░░░
    ░░░░░░░██░░░░░░█░░░░░░░░░░█░░░░░░░░░░░███░█░░░░░░░
    ░░░░░░░░███░███░░░░░░░░░░░░░░░░█░░░░███░░░█░░░░░░░
    ░░░░░░░░░███░░██░░░░░░░░░░░░░████████░░░░░█░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░█░░████████████████░░░░██░░░░░░█░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░█░░█░██░███░███░███░░░░█░░░░░░░█░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░████░░░█░█░█░█░█░░█░░░█░░░░░░██░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░██░█░███░░█░███░█░█░░█░░░░░███░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░░█░░██░█░░█░█░█░█████░░░░░██░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░░░█░░█░███░██████░░██░░░░██░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░░░██░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░█░░░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░░░░██░░░░░░░░░░░░░░░░░░█░░░░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░░░░██░░░░░░░░░░░░░░░░░█░░░░░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░░░░██░░░░░░░░░░░░░░░░█░░░░░░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░░░░░█░░░░░░░░░░░░░░░█░░░░░░░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░░░░░███░░░░░░░░░░░░█░░░░░░░░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░░░░░░░██████████████░░░░░░░░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░

  169. Marciano Diz:

    Para quem quer acreditar, tudo é misterioso, fantástico.
    Para os verdadeiros céticos existem mentiras bem contadas, só isto.
    E cx realmente era um amador. Um exemplo são as cartas de Jair Presente. Logo um fiasco desses escolhido como prova científica de mediunidade.

  170. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Silva Jardim deve ser um zoológico a céu aberto. Urubus, bois, gambás, cavalos…”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: um dia desses tinha um tatu passeando cá em frente de casa…
    .
    Todo dia, passam na minha porta carroceiros, cavaleiros e montarias, às vezes, montarias sem cavaleiros; eventualmente bois também são vistos. Gambás estão meio desaparecidos, desmatamento e caça assassina estão fazendo com que desapareçam. Dia desses vi uma mulher matando uma pauladas. Disse-lhe que aquilo era crime. A resposta: “crime é deixar ele (o gambá) comer minhas galinhas”.
    .
    Às vezes jogam animais mortos (principalmente cachorros) numa estradinha secundária aqui perto e aí, não tem jeito, os urubus aparecem…
    .
    As cobras também estão sumindo… todos as odeiam…

  171. MONTALVÃO Diz:

    /
    old Shep sempre me leva às lágrimas…

  172. MONTALVÃO Diz:

    /
    Marciano:
    “Sonhei que trabalhei no Banco do Brasil por 3 períodos, em 2008, como ajudante por 4 meses, em 2013 como escriturário na agência Copacabana – Zona Sul, e em 2014 na agência Abolição, por alguns meses.

    [...]

    Nos 2 últimos períodos, trabalhei com Juliana Silva de Azevedo, ou seja, nas agências Copacabana e Abolição. [...]
    .

    Fora da agência, ela apenas saía para apanhar alguma assinatura de algum cliente que estivesse faltando.
    [...]
    /.
    CONSIDERAÇÃO: isso deveria servir para mostrar ao Vitor que nossos médiuns são poderosos e ele perde um rico filão aurífero ao não valorizá-los, preferindo a pirita estrangeira!

  173. MONTALVÃO Diz:

    /
    Gripado, com conjuntivite, o corpo todo quebrado, indago-me se há algo de bom extraível dessa experiência enviada pelo céu… Logo encontro resposta: claro que há!
    .
    Gripe implica em espirros e espirros conduzem à felicidade! Porém nem toda felicidade é plena. Quando gripei enchi-me de esperança de que uma boa centena de espirros me seriam concedidos.
    .
    Qual o quê! Completo hoje uma semana e um dia e nem trinta espirradas dei!
    .
    Sentindo-me lesado (quase enviei queixa ao PROCON celeste) decidi chutar o balde e contrariar ordens médicas: levei os cachorros para o passeio que não dava há quatro dias!
    .
    E aí o milagre aconteceu! Nessas duas horas e meia da caminhança espirrei mais que em todos os dias anteriores. Lavei a alma!
    .
    A parte ruim desse entorno se dá quando o espirro não se concretiza. Espirro não realizado é pior que passar em concurso público e não ser classificado! Acredito que essas situações ocorrem para que entendamos bem o que significa frustração! Realmente, se há algo que frustre mais que espirro recolhido desconheço: vai subindo aquela vontade, subindo, subindo… quando tá lá em cima, quase virando, retorna tudo pra trás!
    .
    Considerando o alcance terapêutico dos espirros, estou a desenvolver a metatese de que espirrar não implica na mera expelição de toxinas, há, ainda, implicações transcendentais. No âmbito metafísico, quando espirramos lançamos nossos demônios para o éter fundamental.
    .
    Pouca gente disso sabe, eis porque gastam fortunas em sessões de descarrego e desobsessão. Tendo a natura dotado o ser de ferramenta própria dela não faz uso por desconhecimento!
    .
    Todos temos demônios, carrega-mo-los do mesmo modo que hospedamos sem opção multidão de organismos. Mas nem sempre eles estão ativos. Muitos dormitam dentro de nós, esperando o momento certo para entrar em ação. Se esse momento não surge ficam por lá a vida inteira como se não existissem.
    .
    A maneira eficiente de expulsar demônio no espirro é concomitante ao ato proferir imperativamente: “SAI DIABO!”, e pronto! Limpeza efetuada!
    .
    Pena que quem sai pode entrar de novo, por isso, “sai diabo” sempre! O preço da paz é a eterna vigilância!
    .
    ===Este é mais um serviço de utilidade pública de Moi.==

  174. Marciano Diz:

    Montalvão, excelente contador de histórias que é, seria um bom cronista ou até um talentoso escritor.
    Vê sempre o lado bom das coisas, como a desobsessão ou exorcismo através do espirro.
    Do ponto de vista individual, nada mais perfeito. Ocorre que ao espirrar, o indivíduo espalha bilhões de vírus para todos os lados, os quais podem permanecer em perdigotos por vários minutos, viajar a grandes distâncias e espalhar a peste para todos os humanos saudáveis que tiverem a infelicidade de aspirá-los.
    Chamar vírus de demônios também é injusto, pois eles servem de controle populacional em espécies animais e vegetais, equilibrando o ecossistema.
    Claro que não é tarefa exclusiva dos vírus, mas o papel deles é de suma importância.
    A seleção natural não sabe o que faz, mas faz bem. No sentido de que manda bem.
    Este é mais um serviço de inutilidade pública marciana.

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)