RELATÓRIO SOBRE O CONTROLE-HODGSON DE MRS. PIPER (1909), por William James

Importantíssimo artigo sobre a Sra. Piper, com mais exemplos de conhecimento paranormal. James, falando sobre as sessões com o Prof. Newbold, diz: “Algumas pessoas parecem ser melhores consulentes que outras, e o Prof. Newbold está evidentemente entre os melhores. As duas sessões efetuadas por ele, e donde eu tirei as minhas citações, são mais naturais e contêm talvez menos coisas supérfluas que outras. Se o R. H. que apareceu então não é mais que uma ficção do eu subconsciente de Mrs. Piper a «representar», então temos de pôr na conta desse eu um autêntico gênio para acumular os traços apropriados e não se desviar da linha da personalidade verdadeira. Quase não houve nas sessões pormenores certamente errados, e a grande maioria era seguramente exata. Se se pudessem ter publicado duas das comunicações omitidas, o efeito de verdade produzido teria sido com isso consideravelmente aumentado.” Para ler o artigo em português, clique aqui. Para ler em inglês, clique aqui.

174 respostas a “RELATÓRIO SOBRE O CONTROLE-HODGSON DE MRS. PIPER (1909), por William James”

  1. MONTALVÃO Diz:

    /
    Hummm… vejo melhoras. Noutros tempos leríamos: “sensacional demonstração de que Piper era paranormal (ou médium)”, agora, embora ainda não no ideal, temos um “importantíssimo artigo”…
    .
    Mas, vamos ver se Piper ostentava mesmo “conhecimento paranormal”, aí é que a cousa pega…

  2. Gorducho Diz:

    Durante vários anos, [o Hodgson] esteve com ela três vezes por semana (salvo durante os meses das férias do verão)
     
    Imagine-se o vínculo de conhecimento & familiaridade que se estabelece entre pessoas que se reúnem – num ambiente familiar, informal; uma casa: siquer salas-de-reuniões empresariais onde todos se policiam quanto aos temas – thrice-a-wk several yr.
     
     
    Os dados deste caso não comportam mais verdade que outro grupo de fenômenos Piper anteriores, particularmente os da época do velho controle Phinuit. E como eu dizia no princípio, tem infinitamente mais lacunas e é mais susceptível de uma interpretação natural que qualquer outro elemento dos fatos Piper anteriormente registrados
    👍
     
     
    eu fico indeciso e espero mais fatos, fatos que não levarão claramente a uma solução antes dos próximos cinquenta ou cem anos.
     
    Bom… já se passaram 109 anos e nada
    🤣
    O aparecimento dos “espíritos” fica adiado + 40 anos quando o Brasil vai ser o coração-do-mundo e (claro…) o mundo vai ser uma maravilha 😊

    O meu relatório foi demasiado desconexo, e a cordialidade do tom sofreu pelo

  3. Gorducho Diz:

    O meu relatório foi demasiado desconexo, e a cordialidade do tom sofreu pelo

  4. MONTALVÃO Diz:

    /
    “O aparecimento dos “espíritos” fica adiado + 40 anos quando o Brasil vai ser o coração-do-mundo e (claro…) o mundo vai ser uma maravilha ????
    O meu relatório foi demasiado desconexo, e a cordialidade do tom sofreu pelo”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: parece que o mundo espiritista brasileiro sesqueceu da profecia xaveriana para 2018. Até 2016 falava-se nisso com frequência, em 2017 os comentários diminuíram vistosamente. Agora, no ano do cumprimento ninguém espírita parece mais lembrar dos vaticínios do maior médium do orbe…

  5. Gorducho Diz:

    O ano do cumprimento é 2058-9 😠

  6. Marciano Diz:

    JORNAL FOLHA ESPÍRITA, número 439, maio de 2011:
     

    Assim, tive a felicidade de conviver na intimidade com Chico Xavier, dialogando com ele vezes sem conta, madrugada a dentro (sic), sobre variados assuntos de nossos interesses comuns, notadamente sobre esclarecimentos palpitantes acerca da Doutrina dos Espíritos e do Evangelho de Jesus”, recorda.
     
    “Lembro-me, como hoje, a expressão surpresa do Chico me respondendo:

    ‘Ora, Geraldinho, você está querendo privilégios para a Pátria do Evangelho, quando o fundador do Evangelho, que é Nosso Senhor Jesus Cristo, viveu na pobreza, cercado de doentes e necessitados de toda ordem, experimentou toda a sorte de vicissitudes e perseguições para ser supliciado quase abandonado pelos seus amigos mais próximos e morrer crucificado entre dois ladrões?
     
    Não nos esqueçamos de que o fundador do Evangelho atravessou toda sorte de provações, padeceu o martírio da cruz, mas depois ele largou a cruz e ressuscitou para a Vida Imortal! Isso deve servir de roteiro para a Pátria do Evangelho. Um dia haveremos de ressuscitar das cinzas de nosso próprio sacrifício para demonstrar ao mundo inteiro a imortalidade gloriosa!’, esclareceu”.
     

    Geraldo Lemos Neto – Na sequência da nossa conversa, perguntei ao Chico o que ele queria exatamente dizer a respeito do sacrifício do Brasil. Estaria ele a prever o futuro de nossa nação e do mundo? Chico pensou um pouco, como se estivesse vislumbrando cenas distantes e, depois de algum tempo, retornou para dizer-nos:
     

    “Você se lembra, Geraldinho, do livro de Emmanuel A Caminho da Luz? Nas páginas finais da narrativa de nosso benfeitor, no capítulo XXIV, cujo título é O Espiritismo e as Grandes Transições?
     

    Nele, Emmanuel afirmara que os espíritos abnegados e esclarecidos falavam de uma nova reunião da comunidade das potências angélicas do Sistema Solar, da qual é Jesus um dos membros divinos, e que a sociedade celeste se reuniria pela terceira vez na atmosfera terrestre, desde que o Cristo recebeu a sagrada missão de redimir a nossa humanidade, para, enfim, decidir novamente sobre os destinos do nosso mundo.
    “Pois então, Emmanuel escreveu isso nos idos de 1938 e estou informado que essa reunião de fato já ocorreu. Ela se deu quando o homem finalmente ingressou na comunidade planetária, deixando o solo do mundo terrestre para pisar pela primeira vez o solo lunar.
     

    O homem, por seu próprio esforço, conquistou o direito e a possibilidade de viajar até a Lua, fato que se materializou em 20 de julho de 1969.Naquela ocasião, o Governador Espiritual da Terra, que é Nosso Senhor Jesus Cristo, ouvindo o apelo de outros seres angelicais de nosso Sistema Solar, convocara uma reunião destinada a deliberar sobre o futuro de nosso planeta.

     
    O que posso lhe dizer, Geraldinho, é que depois de muitos diálogos e debates entre eles foram dadas diversas sugestões e, ao final do celeste conclave, a bondade de Jesus decidiu conceder uma última chance à comunidade terráquea, uma última moratória para a atual civilização no planeta Terra. Todas as injunções cármicas previstas para acontecerem ao final do século XX foram então suspensas, pela Misericórdia dos Céus, para que o nosso mundo tivesse uma última chance de progresso moral.
    “O curioso é que nós vamos reconhecer nos Evangelhos e no Apocalipse exatamente este período atual, em que estamos vivendo, como a undécima hora ou a hora derradeira, ou mesmo a chamada última hora”.

     
    Perguntei-lhe sobre qual fora (sic) então as deliberações de Jesus, e ele me respondeu:

    “Nosso Senhor deliberou conceder uma moratória de 50 anos à sociedade terrena, a iniciar-se em 20 de julho de 1969, e, portanto, a findar-se em julho de 2019. Ordenou Jesus, então, que seus emissários celestes se empenhassem mais diretamente na manutenção da paz entre os povos e as nações terrestres, com a finalidade de colaborar para que nós ingressássemos mais rapidamente na comunidade planetária do Sistema Solar, como um mundo mais regenerado, ao final desse período.

     
    Algumas potências angélicas de outros orbes de nosso Sistema Solar recearam a dilação do prazo extra, e foi então que Jesus, em sua sabedoria, resolveu estabelecer uma condição para os homens e as nações da vanguarda terrestre.

    Segundo a imposição do Cristo, as nações mais desenvolvidas e responsáveis da Terra deveriam aprender a se suportarem umas às outras, respeitando as diferenças entre si, abstendo-se de se lançarem a uma guerra de extermínio nuclear. A face da Terra deveria evitar a todo custo a chamada III Guerra Mundial.
     

    Segundo a deliberação do Cristo, se e somente se as nações terrenas, durante este período de 50 anos, aprendessem a arte do bom convívio e da fraternidade, evitando urna guerra de destruição nuclear, o mundo terrestre estaria enfim admitido na comunidade planetária do Sistema Solar corno um mundo em regeneração. Nenhum de nós pode prever, Geraldinho, os avanços que se darão a partir dessa data de julho de 2019, se apenas soubermos defender a paz entre nossas nações mais desenvolvidas e cultas!”
    “Nós alcançaremos a solução para todos os problemas de ordem social, como a solução para a pobreza e a fome que estarão extintas;

     
    Teremos a descoberta da cura de todas as doenças do corpo físico pela manipulação genética nos avanços da Medicina;

    O homem terrestre terá amplo e total acesso à informação e à cultura, que se fará mais generalizada;

    Também os nossos irmãos de outros planetas mais evoluídos terão a permissão expressa de Jesus para se nos apresentarem abertamente, colaborando conosco e oferecendo-nos tecnologias novas, até então inimagináveis ao nosso atual estágio de desenvolvimento científico;

     
    Haveremos de fabricar aparelhos que nos facilitarão o contato com as esferas desencarnadas, possibilitando a nossa saudosa conversa com os entes queridos que já partiram para o além-túmulo;

    Enfim estaríamos diante de um mundo novo, uma nova Terra,uma gloriosa fase de espiritualização e beleza para os destinos de nosso planeta.”
    “Caso a humanidade encarnada decida seguir o infeliz caminho da III Guerra mundial, uma guerra nuclear de consequências imprevisíveis e desastrosas, aí então a própria mãe Terra, sob os auspícios da Vida Maior, reagirá com violência imprevista pelos nossos homens de ciência.

     
    O homem começaria a III Guerra, mas quem iria terminá-la seriam as forças telúricas da natureza, da própria Terra cansada dos desmandos humanos, e seríamos defrontados então com terremotos gigantescos;

    Maremotos e ondas (tsunamis) consequentes;

    Veríamos a explosão de vulcões há muito extintos;

    Enfrentaríamos degelos arrasadores que avassalariam os povos do globo com trágicos resultados para as zonas costeiras, devido à elevação dos mares;

    E, neste caso, as cinzas vulcânicas associadas às irradiações nucleares nefastas acabariam por tomar totalmente inabitável todo o Hemisfério Norte de nosso globo terrestre”.
    “Em todas as duas situações, o Brasil cumprirá o seu papel no grande processo de espiritualização planetária. Na melhor das hipóteses, nossa nação crescerá em importância socio-cultural, política e econômica perante a comunidade das nações.

     
    Não só seremos o celeiro alimentício e de matérias-primas para o mundo, como também a grande fonte energética com o descobrimento de enormes reservas petrolíferas que farão da Petrobrás uma das maiores empresas do mundo”.
    “O Brasil crescerá a passos largos e ocupará importante papel no cenário global, isso terá como consequência a elevação da cultura brasileira ao cenário internacional e, a reboque, os livros do Espiritismo Cristão, que aqui tiveram solo fértil no seu desenvolvimento, atingirão o interesse das outras nações também.

     
    Agora,caso ocorra a pior hipótese, com o Hemisfério Norte do planeta tornando-se inabitável, grandes fluxos migratórios se formariam então para o Hemisfério Sul, onde se situa o Brasil, que então seria chamado mais di retamente a desempenhar o seu papel de Pátria do Evangelho, exemplificando o amor e a renúncia, o perdão e a compreensão espiritual perante os povos migrantes.
    “A Nova Era da Terra, neste caso, demoraria mais tempo para chegar com todo seu esplendor de conquistas científicas e morais, porque seria necessário mais um longo período de reconstrução de nossas nações e sociedades, forçadas a se reorganizarem em seus fundamentos mais básicos”.

     
    “Nosso Brasil como o conhecemos hoje será então desfigurado e dividido em quatro nações distintas.

    Somente uma quarta parte de nosso território permanecerá conosco e aos brasileiros restarão apenas os Estados do Sudeste somados a Goiás e ao Distrito Federal.

     
    Os norte-americanos, canadenses e mexicanos ocuparão os Estados da Região Norte do País, em sintonia com a Colômbia e a Venezuela.

    Os europeus virão ocupar os Estados da Região Sul do Brasil unindo-os ao Uruguai, à Argentina e ao Chile.

    Os asiáticos, notadamente chineses, japoneses e coreanos, virão ocupar o nosso Centro-Oeste, em conexão com o Paraguai, a Bolívia e o Peru.

    E, por fim, os Estados do Nordeste brasileiro serão ocupados pelos russos e povos eslavos.

     
    Nós não podemos nos esquecer de que todo esse intrincado processo tem a sua ascendência espiritual e somos forçados a reconhecer que temos muito que aprender com os povos invasores.

    O Brasil não terá privilégios e sofrerá também os efeitos de terremotos e tsunamis, notadamente nas zonas costeiras.

    Acontece que, de acordo com o médium, o impacto por aqui será bem menor se comparado com o que sobrevirá no Hemisfério Norte do planeta.
    Não estamos entregues à fatalidade nem predeterminados ao sofrimento. Estamos diante de uma encruzilhada do destino coletivo que nos une à nossa casa planetária, aqui na Terra.

     
    Temos diante de nós dois caminhos a seguir.

    O caminho do amor e da sabedoria nos levará a mais rápida ascensão espiritual coletiva.

    O caminho do ódio e da ignorância acarretar-nos-á mais amplo dispêndio de séculos na reconstrução material e espiritual de nossas coletividades.
    Tudo virá de acordo com nossas escolhas de agora, individuais e coletivas. Oremos muito para que os Benfeitores da Vida Maior continuem a nos ajudar e incentivar a seguir pelo Caminho da Verdade e da Vida.
     
    O próprio espírito Emmanuel, através de Chico Xavier, respondendo a uma entrevista já publicada em livro nos diz que as profecias são reveladas aos homens para não serem cumpridas.

     
    São na realidade um grande aviso espiritual para que nos melhoremos e afastemos de nós a hipótese do pior caminho.

    Quanta sandice.
    Na época, parecia aos ingênuos espíritas que esse besteirol poderia ser viável.
    Não podemos deixá-los se esquecerem disso.
    Tem umas malandragens aí no meio, pois deixaram saídas para todos os lados, como é comum com “profetas”.
     
    O adiamento é técnica manjada também.
    Crentelhos só gostam de viajar na maionese. Daí as previsões para o futuro (que acaba chegando) e os consequentes adiamentos.

  7. MONTALVÃO Diz:

    /
    Gorducho Diz:
    .
    O ano do cumprimento é 2058-9 ????
    /.
    CONSIDERAÇÃO: De Marte acertou meu erro, em vez de 2018, 2019.
    .
    Gorducho, devemos estar a nos referir a vaticínios distintos. Que circula no meio espírita a profecia para a data referida, se não sabe, saiba que é fato: tem até livro falando do assunto. A Dra. Marlene Nobre realizou palestras alertando aos interessados.
    .
    Se o texto que o Marciano postou não foi suficiente, fique com o que segue:
    /
    _____________________________
    CHICO XAVIER e 2019
    .
    Uma revelação feita em 1986, pelo médium Francisco Cândido Xavier a Geraldo Lemos Neto, fundador da Casa de Chico Xavier de Pedro Leopoldo (MG) e da Vinha de Luz Editora, de Belo Horizonte/MG, sobre o futuro reservado ao planeta Terra e a todos os seus habitantes nos próximos anos.
    .
    Chico Xavier teria dado este depoimento a alguns seletos amigos, entre eles Marlene Nobre e Geraldo Lemos Neto, em uma conversa informal ocorrida em 1986, após um jantar em sua casa, em Uberaba, e que eles relataram no livro “Não Será em 2012”.
    .
    [...]
    .
    Para quem nunca ouviu falar sobre o assunto, o médium brasileiro Chico Xavier abriu caminho para o leitor se aprofundar no tema da Data Limite,”a transformação da terra” pela qual a humanidade será avaliada por 50 anos, a partir de 20 de julho de 1969. Isso intrigou Geraldo Lemos Neto, fundador da Casa de Chico Xavier, de Pedro Leopoldo (MG), que com 19 anos de idade conheceu Chico Xavier, e foi amigo da família desde os tempos de sua meninice.
    .
    “Chico Xavier nos informou que havia sido dado à humanidade terrestre um período extra de tempo de 50 anos a partir do momento em que o homem pisou pela primeira vez na lua em julho de 1969. O que a raça humana e, principalmente, as nações mais poderosas e desenvolvidas do mundo fizerem nesse período que se encerra em 2019 é que atestará a capacidade de nos desenvolvermos mais rapidamente e em paz a caminho de uma comunidade interestelar, gerando avanços ainda inimagináveis numa sociedade mais fraterna e mais justa, num mundo em regeneração.
    .
    Ou, caso contrário, atrasarmos o nosso passo evolutivo com um conflito nuclear de consequências arrasadoras e imprevisíveis para todos nós” – Geraldo Lemos Neto.
    .

    Confira trechos do livro:
    .
    “Militares atestam acerca da intervenção extraterrestre quanto às armas nucleares desde outrora já em curso em nosso mundo. Para quem nunca ouviu falar sobre o assunto, Chico Xavier abriu caminho para o leitor se aprofundar no tema da Data Limite pela qual a humanidade será avaliada por 50 anos, em ocasião de sua participação no programa Pinga Fogo, em 1971 e à confissão feita a Geraldo Lemos Neto (fundador da Casa de Chico Xavier, Pedro Leopoldo-MG).
    .
    Este período de prova consiste na obrigatoriedade de não haver um holocausto bélico pelo prazo de 50 anos, a partir de 20 de julho de 1969.“
    .
    “Caso alcançarmos esta data sem o referido dissabor, a humanidade galgaria avanços extraordinários desde então. Avanços em todas as áreas do conhecimento e desenvolvimento e, os extraterrestres teriam permissão para nos contatar formalmente, caso julguem conveniente.”
    .
    “O Tema da transformação da Terra de mundo de expiação e provas para mundo de regeneração, levantado pelo próprio codificador da Doutrina Espírita, Allan Kardec, sempre interessou e intrigou Geraldo Lemos Neto, fundador da Casa de Chico Xavier, de Pedro Leopoldo (MG).”
    .
    “Com 19 anos de idade, já tendo lido e estudado toda a obra de Kardec, conheceu o médium Chico Xavier, amigo da família desde os tempos de sua meninice em Pedro Leopoldo.”
    .
    “Perguntei, então, ao Chico a que avanços ele se referia e ele me respondeu: “Nós alcançaremos a solução para todos os problemas de ordem social, como a solução para a pobreza e a fome que estarão extintas; teremos a descoberta da cura de todas as doenças do corpo físico pela manipulação genética nos avanços da Medicina; o homem terrestre terá amplo e total acesso à informação e à cultura, que se fará mais generalizada;”
    .
    https://www.outromundo.net/2019-chico-xavier-e-a-data-limite/

    —————————————

  8. Gorducho Diz:

    É um ponto técnico bem sutil, então nada surpreendente que Ss/Pessoas, admitidamente não-especialistas como alguns de nós outros (e.g. CoC, AVi, Dr.) tenha dificuldade em captar.
    Então… encantado com a caminhada na Lua, Jesus Cristo (que como deve saber é o Governador da Terra) estipulou que se nós próximos 50 anos a humanidade terrícola não promovesse o auto-aniquilamento térmico (GTW) Ele desencadearia o processo de Melhoria do Mundo e transformação do Brasil no Coração (no sentido figurado de referência moral; fraternidade; Guardião da Árvore do Evangelho &c…, claro) da crosta.
    Então Jesus “aperta o botão” daqui 1 ano.
    Mas o processo se completa lá por 57-8-9
    Note que o Espiritismo é uma religião científica, sem espaço portanto pra datas misticamente fixas. Por isso não existe essa “data-limite” TÃO rigidamente fixada.
    Falta APROXIMADAMENTE 1h (Divina, claro) portanto.
     
     
    Emmanuel afirma que a Terra será um mundo regenerado por volta de 2057. Cabe, a cada um, longa e árdua tarefa de ascensão.
    Plantão de Respostas
    CONDIÇÕES DO PLANETA (I)

  9. Marciano Diz:

    Tudo bem que os pós doutores do blog saibam, como ensina o livro dos médiuns, que não se pode confiar em “espíritos” que dão datas certas, como já comentei em tópico anterior, mas vejam a malandragem embutida no texto transcrito por Montalvão.
     
    Este período de prova consiste na obrigatoriedade de não haver um holocausto bélico pelo prazo de 50 anos, a partir de 20 de julho de 1969.“
    .
    “Caso alcançarmos esta data sem o referido dissabor, a humanidade galgaria avanços extraordinários desde então. Avanços em todas as áreas do conhecimento e desenvolvimento e, os extraterrestres teriam permissão para nos contatar formalmente, caso julguem conveniente.”

     
    Desde o final da segunda guerra que todo mundo passou a esperar por uma terceira, dessa vez com nukes.
    O malandro cerca pelos dois únicos lados possíveis; ou haveria uma terceira guerra no prazo de 50 anos ou não.
    Havendo, fica o dito pelo não dito, pois é condição para o cumprimento da profecia que não haja guerra.
    Não havendo, a humanidade ganharia avanços em todas as áreas do conhecimento (como sempre aconteceu, num longo período de tempo), e os ETs teriam permissão para um contato do terceiro grau (só se quisessem). Quer dizer, NÃO TEM COMO ERRAR.

     
    “Perguntei, então, ao Chico a que avanços ele se referia e ele me respondeu: “Nós alcançaremos a solução para todos os problemas de ordem social, como a solução para a pobreza e a fome que estarão extintas; teremos a descoberta da cura de todas as doenças do corpo físico pela manipulação genética nos avanços da Medicina; o homem terrestre terá amplo e total acesso à informação e à cultura, que se fará mais generalizada;”
     
    Nesta, o “profeta” errou feio!
    Não existe a menor perspectiva para solução de TODOS os problemas de ordem social, seja agora ou até 2060.
     
    Solução para a pobreza, idem.
     
    Extinção da fome, idem.
     
    Cura de todas as doenças, idem, sendo que até surgiram várias novas doenças depois da “profecia”, como AIDS, por exemplo.
     
    Acesso a cultura e informação, nós até temos, mas, ironicamente, nunca as pessoas (em geral) foram tão ignorantes como agora, quando a cultura e a informação são acessadas, recortadas e coladas, mas não assimiladas.
     
    Quem tiver uns 20 anos agora verá, quando fizer 70, que não acontecerá nada disso.
    Aí, certamente, vão racionalizar, dizendo que foi adiada a data, ou esquecendo-se, convenientemente, tais afirmações, ou dizendo que as condições não foram cumpridas pelos terrícolas.
     
    Quem viver verá.
     
     
    Agora, desculpem-me, mas estou assistindo ao UFC.
    Até a luta do Thiago, os brasileiros se deram bem, nessa jogada comercial de casar as lutas para que os anfitriões fiquem felizes e o negócio continue sendo rentável.

  10. Marciano Diz:

    Estou torcendo para o Machida bombado ser derrotado.
    Atleta que usa esteroides e compete não merece o respeito de ninguém.

  11. Gorducho Diz:

    Carried forward da rubrica que não está mais em foco, por relevante…
     
    O fato é que os melhores experimentos do paranormal, realizados com alto rigor técnico, conseguem apontar da paranormalidade o que está contido na Conjetura de Moi, nada mais
     
     
    É isso: como bem sublinhou AMa toda essa suarenta 🥵 campanha da Casa pra tentar promover a Parapsicologia como Ciência só faz reforçar a Conjectura de Moi (nome oficial técnico da até agora irreprochável conjectura formulada pelo Presidente ❗
    /

  12. Gorducho Diz:

    [MP pro AMa:
    suarento x1F975; (11.0)
    não renderizou (nem cá...)
    acho que justo por ser β...
    FIM DA MP]

  13. Gorducho Diz:

    [MP pro AMa:
    suarento x1F975; (11.0)
    não renderizou (nem cá...) acho que justo por ser β...
    FIM DA MP]

     
     
    [MP p/AMa
    suarento x1F975; (11.0β) não renderizou nem aí nem cá...
    Acho que justo por ser β...
    FIM DA MP]

  14. MONTALVÃO Diz:

    /
    “É um ponto técnico bem sutil, então nada surpreendente que Ss/Pessoas, admitidamente não-especialistas como alguns de nós outros (e.g. CoC, AVi, Dr.) tenha dificuldade em captar.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: penso o seguinte: se a profecia teve data definida, em 2018/2019, e as mudanças se concretizam em 2058, não se trata de questão técnica sutil, se trata simplesmente de que o vaticínio começa a funcionar em 2019 (ou 2018, se preferir, para que a conta feche) e seus efeitos perduram por 40 anos. O tempo de vigência não estava, penso eu, em relevo quando o assunto veio à baila.
    .
    Pelo que entendi (não examinei o assunto detalhadamente) a partir de 2019 a Terra deixa de ser mundo de provas e expiações para se tornar planeta de “regeneração”.
    .
    Por outro lado, não digo que houve “desconhecimento técnico” de algum lado, apenas abordou-se o assunto sob ângulos distintos, ou distintas pretensões.
    .
    Captou?
    .
    Pensando bem, este seria tema interessante para se discutir no Obras… pena que o gerente não aceite sugestões…:-(

  15. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Note que o Espiritismo é uma religião científica, sem espaço portanto pra datas misticamente fixas. Por isso não existe essa “data-limite” TÃO rigidamente fixada.
    Falta APROXIMADAMENTE 1h (Divina, claro) portanto.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: parece que não era essa a ideia de Chico; ou seus porta-vozes nada entenderam do que dele ouviram, se é que ouviram…
    .
    A rigor, uma das características essenciais das profecias é não fixarem datas, por isso elas sobrevivem longo tempo, até serem enquadradas nalgum acontecimento pela interpretação de um sábio tradutor. Entretanto, há exceções. Se a conversa entre Chico e seus interlocutores realmente ocorreu, esse palpite profético tinha data (ainda que aproximada) para começar e para terminar.

  16. MONTALVÃO Diz:

    /
    Leve em conta o texto postado pelo Marciano. Nele verá que, desde o início dos novos tempos, mudanças expressivas ocorrerão, dentre as quais se destacam:
    /
    ______________________________.

    “Segundo a deliberação do Cristo, se e somente se as nações terrenas, durante este período de 50 anos, aprendessem a arte do bom convívio e da fraternidade, evitando urna guerra de destruição nuclear, o mundo terrestre estaria enfim admitido na comunidade planetária do Sistema Solar corno um mundo em regeneração.
    .
    Nenhum de nós pode prever, Geraldinho, os avanços que se darão a partir dessa data de julho de 2019, se apenas soubermos defender a paz entre nossas nações mais desenvolvidas e cultas!”
    [Então, Chico passa a relatar as transformações que a humanidade vivenciará]
    .
    “Nós alcançaremos a solução para todos os problemas de ordem social, como a solução para a pobreza e a fome que estarão extintas;
    .

    Teremos a descoberta da cura de todas as doenças do corpo físico pela manipulação genética nos avanços da Medicina;
    .
    O homem terrestre terá amplo e total acesso à informação e à cultura, que se fará mais generalizada;
    .
    Também os nossos irmãos de outros planetas mais evoluídos terão a permissão expressa de Jesus para se nos apresentarem abertamente, colaborando conosco e oferecendo-nos tecnologias novas, até então inimagináveis ao nosso atual estágio de desenvolvimento científico;[...]”

    ______________________________.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: então veja, em 2058 seria a concretização desses e outros acontecimentos, quando a nova ordem se implantaria em definitivo. Contudo, já a partir de 2019, devem-se se registrar ocorrências que, claramente, marcarão o início da nova dispensação.

  17. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Agora, desculpem-me, mas estou assistindo ao UFC.
    Até a luta do Thiago, os brasileiros se deram bem, nessa jogada comercial de casar as lutas para que os anfitriões fiquem felizes e o negócio continue sendo rentável.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: Cê viu a sacanagem que fizeram com aquela menina brasileira, a Pedrita?
    .
    Foi sacaneada fora e dentro do octágono!
    .
    Começou que a puseram para lutar, na sua primeira luta, com lutadora top de linha. Tudo bem que a Pedrita vinha de uma série de vitórias, mas daí achar que poderia se dar bem com nível superior ou é burrice ou vontade mesmo de ferrar com a pobrezinha.
    .
    Ela tomou mais de cem porradões, não acertou um!
    .
    O juiz, desde o primeiro assalto, viu que a moça não tinha condição de enfrentar a adversária e deixou a luta prosseguir. “Ah, mas ela estava ‘viva’ na luta”, dirão. Viva sim, tem garra e coragem, mas em que situação? Tava viva só para apanhar.
    .
    E o córner? Poderia ter jogado a toalha (tem isso no UFC?) mas preferiu deixá-la no castigo. Talvez pensem que seja uma boa experiência, só se puta sacanagem mudou de nome…

  18. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Estou torcendo para o Machida bombado ser derrotado.
    Atleta que usa esteroides e compete não merece o respeito de ninguém.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: ele também! Não sabia dessa? Não se valia ele das técnicas orientais de meditação e autocontrole? Descobriu que a química supera?
    .
    Pena, porque torci por ele… por outro lado, não é justificativa, mas sabemos que mais atletas que supõe nossa vã imaginação, optam por esse tenebroso atalho…

  19. Gorducho Diz:

    ============================================================
    Captou?
    ============================================================
    👍
    ============================================================
    Pelo que entendi (não examinei o assunto detalhadamente) a partir de 2019 a Terra deixa de ser mundo de provas e expiações para se tornar planeta de “regeneração”.
    ============================================================
    👍
    ============================================================
    esse palpite profético tinha data (ainda que aproximada) para começar e para terminar.
    ============================================================
    👍
    Mas cá é que é o ponto a requerer um pouco mais de tecnicismo exegético pra ver que o processo A SER desencadeado por Jesus ano-que-vem DURARÁ APROXIMADAMENTE 1 hora [II Pe 3:8].
    Pra isso temos:
     
    ► Emmânuel explícito no Plantão.
     
    ► O fato sabido de que lá pelos fins do governo de D. Pedro I o anjo Ismael fez uma reunião geral de staff e anunciou:
    Irmãos, o século atual, como sabeis, vai ser assinalado pelo advento do Consolador à face da Terra. Nestes cem anos se efetuarão os grandes movimentos preparatórios dos outros cem anos que hão de vir. As rajadas de morticínio e de dor avassalarão a alma da humanidade, no século próximo, dentro dos imperativos das transições necessárias, que serão o sinal do fim da civilização precária do Ocidente.
    Ora, ¿que significa “nestes cem anos”?
    ¿Seria a partir de 1831 e portanto terminando em 1931?
    Ou ¿seria a partir da vinda a lume do LE-1 e portanto terminando em 1957 (a preparação pra melhoria do mundo) + (os outros) 100 = 2057?
    Se adotarmos a 2ª exegese tudo fecha :!:

  20. Mariana Diz:

    Sabe Vitor, sobre os estudos psi e as metanálises e todas essas coisas, eu ando bem mais cautelosa agora, andei lendo bastante sobre o assunto e vi que existem muitas fraudes no meio, e que agora se pedem que os estudos sejam pre registrados, eu acho que muita coisa que a gente considera comprobatória de psi na verdade não seja, é bom estar cada vez mais atentos…

  21. Gorducho Diz:

    Esse “anjo” “Ismael” eu desconfio que seja oriundo duma corruptela em relação à literatura francesa – que era a cá dominante na época (apesar da Superpotência onde o Sol não se punha ser o Império Britânico, claro).
    Porque não me consta esse no panteon católico (e muito menos no judaísmo ou no islam, claro :!: ).
    Aparentemente o proto-”Ismael”ele aparece como O – notar o artigo definido…– Anjo de Deus no grupo mediúnico pioneiro do Luiz Olympio Telles de Menezes em SSA.

    Foi ás 11 ½ horas d’a noite de 17 de Septembro de 1865 que tivemos a ineffavel felicidade de receber a primeira communicação spiritica; tendo, depois, muitas outras tido logar em presença de amigos nossos e de pessoas notaveis por sua circumspecção e seo saber.
    Catholico, como somos, de nascimento e de crença, d’o que assás nos-congratulàmos, dirigindo ào Supremo Creador uma fervorósa préce, para que, em nossa humildade, possàmos sempre glorificar sua Infinita Bondade, não podemos ser indifferentes ás feições characteristicas d’o Spiritismo ‘n-o Brazil.
    N-a primeira communicação, que obtivemos, nota-se que o Spirito, que se-manifestou, começou por dar um testemunho não equivoco d’a sublimidade d’a Religião Catholica, porquanto, procurando nós verificar a identidade d’o Spirito, que se-annunciava ANJO DE DEOS, pedimos que se-dignasse de ractificar o, que declárara ser, jurando em nome de Deos: esse elevado Spirito jurou, immediatamente, pel-o Sagrado nome de Maria Santissima, e por DEOS TODO PODEROSO, ser, effectivamente, o ANJO DE DEOS.

    Ora, em literatura francesa antiga aparece algumas vezes – poucas vezes, mas aparece…– “ange d’Ismaël” – no sentido real do anjo que apareceu pra Agar Egípcia no deserto, claro.
    E.g.:
    [...]
    Mais l’ange d’Ismaël apparait à ma vue ;
    [...]
    Napoléon: ses exploits et sa mort
    (poema elegia heróica em 12 cantos)
    por Félix E. Belly
    2° Canto, pg. 67
    1830
     
     
    7 E o anjo do Senhor a achou junto a uma fonte de água no deserto, junto à fonte no caminho de Sur.
     
    Daí eu especulo que com o tempo, mais possivelmente aí que em SSA, tenha sido feita uma corruptela fundindo-se os “anjos”.
    Só uma TESE pra tentar explicar a origem desse “anjo” que não consta (repito: até onde eu saiba :!: ) no panteon cristão.

  22. Marciano Diz:

    ===============================================================

    [MP pro AMa:
    suarento x1F975; (11.0)
    não renderizou (nem cá...)
    acho que justo por ser β...
    FIM DA MP]
    ===============================================================
     
    [MP pro AMa:
    Também acho. O poltergeist não tem suporte nem o Chrome.
    Testei nas w3 e também não renderizou. Experimentei UTF-16 e também não deu certo. Engraçado é que não é nenhuma novidade.
    FIM DA MP]
     
     
    ===============================================================
    Pelo que entendi (não examinei o assunto detalhadamente) a partir de 2019 a Terra deixa de ser mundo de provas e expiações para se tornar planeta de “regeneração”.
    ===============================================================
     
    O LIVRO DOS MÉDIUNS, 266.
    8º Reconhecem-se ainda os Espíritos levianos, pela facilidade com que predizem o futuro e precisam fatos materiais de que não nos é dado ter conhecimento. Os bons Espíritos fazem que as coisas futuras sejam pressentidas, quando esse pressentimento convenha; nunca, porém, determinam datas. A previsão de qualquer acontecimento para uma época determinada é indício de mistificação.
     
    A GÊNESE
    Capítulo XVI
    Teoria da presciência
    16. Os Espíritos, que formam a população invisível do nosso globo, onde eles já viveram e onde continuam a imiscuir-se na nossa vida, estão naturalmente identificados com os nossos hábitos, cuja lembrança conservam na erraticidade. Poderão, por conseguinte, com maior facilidade, determinar datas aos acontecimentos futuros, desde que os conheçam; mas, além de que isso nem sempre lhes é permitido, eles se veem impedidos pela razão de que, sempre que as circunstâncias de minúcias estão subordinadas ao livre-arbítrio e à decisão eventual do homem, nenhuma data precisa existe realmente, senão depois que o acontecimento se tenha dado. Eis aí por que as predições circunstanciadas não podem apresentar cunho de certeza e somente como prováveis devem ser acolhidas, mesmo que não tragam eiva que as torne legitimamente suspeitas. Por isso mesmo, os Espíritos verdadeiramente ponderados nada nunca predizem para épocas determinadas, limitando-se a prevenir-nos do seguimento das coisas que convenha conheçamos. Insistir por obter informes precisos é expor-se às mistificações dos Espíritos levianos que predizem tudo o que se queira, sem se preocuparem com a verdade, divertindo-se com os terrores e as decepções que causem.
     
    Nunca é demais repetir.
     
     
    ===============================================================
    A rigor, uma das características essenciais das profecias é não fixarem datas, por isso elas sobrevivem longo tempo, até serem enquadradas nalgum acontecimento pela interpretação de um sábio tradutor.
    ===============================================================
     
    Sempre depois dos eventos, o que meus amigos americanos (no norte) chamam de hindsight.
     
     
    ===============================================================
    CONSIDERAÇÃO: Cê viu a sacanagem que fizeram com aquela menina brasileira, a Pedrita?
    ===============================================================
     
    Vi. Colocaram dinamite na Pedrita, explodiram e depois ainda levaram os pedaços para a britadeira acabar de triturar.
     
    Sacanagem mesmo foi dar a vitória para o Machida, que perdeu de 4 x 1.
     
    ===============================================================
    E o córner? Poderia ter jogado a toalha (tem isso no UFC?)
    ===============================================================
     
    Claro que tem, mas raramente é usado.
     
    ===============================================================
    Não se valia ele das técnicas orientais de meditação e autocontrole? Descobriu que a química supera?
    ===============================================================
     
    Esse negócio de técnicas orientais de meditação e autocontrole é pior do que parapsicologia. Já a química é altamente eficiente, mas é desonestidade, uma vez que é proibida e nem todos usam, apesar de que nem todos que usam são pegos. Mas o Machida foi flagrado e cumpriu suspensão.
     
    ===============================================================

    ► Emmânuel explícito no Plantão.
     
    ► O fato sabido de que lá pelos fins do governo de D. Pedro I o anjo Ismael fez uma reunião geral de staff e anunciou:
    Irmãos, o século atual, como sabeis, vai ser assinalado pelo advento do Consolador à face da Terra. Nestes cem anos se efetuarão os grandes movimentos preparatórios dos outros cem anos que hão de vir. As rajadas de morticínio e de dor avassalarão a alma da humanidade, no século próximo, dentro dos imperativos das transições necessárias, que serão o sinal do fim da civilização precária do Ocidente.
    Ora, ¿que significa “nestes cem anos”?
    ¿Seria a partir de 1831 e portanto terminando em 1931?
    Ou ¿seria a partir da vinda a lume do LE-1 e portanto terminando em 1957 (a preparação pra melhoria do mundo) + (os outros) 100 = 2057?
    Se adotarmos a 2ª exegese tudo fecha :!:
    ===============================================================
     
    A Gênese, Cap. XVI. 16 e no Cap. XVIII item 9, segundo parágrafo:
     
    A humanidade terrestre, tendo chegado a um desses períodos de crescimento, está em cheio, há quase um século, (na época da em que foi escrito o livro) no trabalho da sua transformação, pelo que a vemos agitar-se de todos os lados, presa de uma espécie de febre e como que impelida por invisível força. Assim continuará, até que se haja outra vez estabilizado em novas bases.

  23. Marciano Diz:

    Chiquistas e kardecistas não se entendem.

  24. MONTALVÃO Diz:

    /
    Troquei a pontuação…
    /
    “Ele também? Não sabia [eu] dessa! (sai ?, entra !)

  25. MONTALVÃO Diz:

    /
    GORDUCHO: Mas cá é que é o ponto a requerer um pouco mais de tecnicismo exegético pra ver que o processo A SER desencadeado por Jesus ano-que-vem DURARÁ APROXIMADAMENTE 1 hora [II Pe 3:8].
    /.
    CONSIDERAÇÃO: você está fazendo a coisa certa, profeticamente falando, ou seja, realizando as contas de chegar para ver se chega onde pretende…
    .
    Muitos exegetas alardeiam que a Bíblia diz que para Deus mil anos é como um dia, mas não tenho conhecimento se Kardec ou Xavier adotaram essa concepção.
    .
    Para complicar, o texto em II Pedro 3:8 não explicita isso. Veja o que ele diz:
    /
    Mas vós, amados, não ignoreis uma coisa: que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia.
    /
    Então, parece que tem algo estranho aí, não? Para Deus tanto um dia equivale a mil anos quanto vice-versa! O que o autor quer dizer com isso? Bem, pode querer dizer muita coisa, ou coisa nenhuma… eu entendo que a ideia é a de que o tempo para Deus não tem o mesmo significado que para nós…
    .
    Se formos considerar literalmente teremos que entender que tanto mil anos seja igual a um dia quanto um dia igual a mil anos, quer dizer, vale um e outro. Na primeira condição, realmente: pouco mais de uma hora divina durará o processo de transição; na segunda acepção, porém, o tempo de cumprimento se estenderia por 365.000 x 40 = 14.600.000 anos! Nenhum de nós, com certeza, viverá para ver…

  26. Gorducho Diz:

    Aparentemente essa é a 1ª manifestação do Anjo Ismael aí [2/8/73].
    Claro que não quer dizer que seja o mesmo anjo aquele de SSA – é só uma tese tentativa-de-explicar minha, bien sûr.
    O anjo nada tem de árabe, mais parece um anjo português, bem aculturado à ótica Metropolitana:
    os navegadores;
    os jesuítas;
    a religião católica.

    O Brasil tem a missão de cristianizar. É a Terra da Promissão. A Terra de todos. A Terra da fraternidade. A Terra de Jesus. A Terra do Evangelho…
    Na Era Nova e próxima, abrigará um povo diferente pelos costumes cristãos.
    Cumpre ao que ouve os arautos do Espaço, que convocam os homens de boa vontade para o preparo da Nova Era, reconhecer em Jesus o chefe espiritual. Com o Evangelho explicado à luz do Espiritismo, a moral de Jesus, semeada pelos jesuítas e alimentada pelos católicos, atingirá a sua finalidade, que é rejuvenescer os homens velhos, que aqui nascerão ou para aqui virão de todos os pontos do Globo, cansados de lutas fratricidas e sedentos de confraternidade. A missão dos espíritas no Brasil é divulgar o Evangelho em espírito e verdade. Os que quiserem cumprir o dever, a que se obrigaram antes de nascer, deverão, pois, reunir-se debaixo deste pálio trinitário: Deus, Cristo e Caridade.
    Onde estiver esta bandeira, aí estarei eu, Ismael.

  27. MONTALVÃO Diz:

    /
    MARIANA Diz:
    .
    Sabe Vitor, sobre os estudos psi e as metanálises e todas essas coisas, eu ando bem mais cautelosa agora, andei lendo bastante sobre o assunto e vi que existem muitas fraudes no meio, e que agora se pedem que os estudos sejam pre registrados, eu acho que muita coisa que a gente considera comprobatória de psi na verdade não seja, é bom estar cada vez mais atentos…
    /.
    CONSIDERAÇÃO: não entendi essa de estudos pré-registrados…
    .
    Mariana, estude a Conjetura de Moi, ela lhe diz tudo o que precisa saber sobre parapsicologia…

  28. Gorducho Diz:

    Não, essa figura da última hora se bem me lembro eu vi numa palestra dum Pregador espírita no YouTube sobre a Regeneração. Não é do CX nem muito menos do Kardec.
    Mas quem sabe não é isso mesmo, não acha ુ
    O mundo melhorar, todos virarem cristãos e o Brasil ficar sendo o “coração” dele parece mais provável daqui a
    14.600.000 anos do que daqui a 41, não lhe parece ુ
    Em Profecias tudo se resume em interpretá-las corretamente :mrgreen:

  29. Gorducho Diz:

    ERRATA
    Onde se vê ુ
    leia-se ❓

  30. Gorducho Diz:

    Aquela Profª da divisão Koestler [Univ. de Edinburgh] que também promove o próximo curso on-line propõe o pré-registro.
    É uma forma de evitar a deficiência obvia que comentamos: dificilmente alguém vai publicar ou mesmo ser aceito por algum editor para publicação um estudo cujo conteúdo seja nada.
    Daí que isso evidentemente invalida qq. tentativa de “meta-análises” do Sobrenatural.

  31. Gorducho Diz:

    Falei bobagem: o Ismael não menciona “navegadores” :(
    Me retrato.

  32. Marciano Diz:

    ===============================================================
    Troquei a pontuação…
    ===============================================================
     
    Apesar disto eu tinha entendido, tanto que respondi corretamente. Minha pineal não está tão oxidada assim.
     
    ===============================================================
    Muitos exegetas alardeiam que a Bíblia diz que para Deus mil anos é como um dia…
    ===============================================================
     
    E esse idiota (deus) mandava seus “profetas” escreverem para ele mesmo ou para nós, os mortais?
    Se era para nós, deveria ditar suas besteiras na nossa linguagem, não na dele.
     
    ===============================================================
    Mas vós, amados, não ignoreis uma coisa: que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia.
    ===============================================================
     
    Ele perdeu a orientação temporal, um dos sintomas de esquizofrenia.
     
    ===============================================================
    … eu entendo que a ideia é a de que o tempo para Deus não tem o mesmo significado que para nós…
    ===============================================================
     
    Então eu volto a perguntar: esse idiota ditava essas sandices para seus profetas para que ele mesmo lesse ou era para a gente?
     
    Quando eu começar a fazer o curso não sei se poderei comentar o que aprender com vocês. Vocês não pagaram 250 libras.
     
    Ismael não poderia falar em navegadores, pois em seu tempo não existiam Chrome, Firefox, etc.

  33. Gorducho Diz:

    O Ismael salva um degredado que estava tentando se suicidar porque tinha sido condenado injustamente, durante o desembarque em Porto Seguro

    – Jesus, tende piedade da minha infinita amargura! Enviai a morte ao meu espírito desterrado. Sou inocente, Senhor, e padeço a tirania da injustiça dos homens. Mas, se a traição e a covardia me arrebataram da pátria, afastando dos meus olhos as paisagens queridas e os afetos mais santos do coração, essas mesmas calúnias não me separaram da vossa misericórdia!
    Nesse instante, porém, o pobre exilado sente que uma alvorada de luz estranha lhe nasce no âmago da alma atribulada. Uma esperança nova se apossa de todas as suas fibras emotivas e, como por delicado milagre, a sua jangada rústica regressa, celeremente, à praia distante. Em vão as ondas sinistras e poderosas tentam
    arrebatá-lo para o oceano largo. Uma força misteriosa o conduz a terra firme, onde o seu coração encontrará uma família nova.
    Ismael havia realizado o seu primeiro feito nas Terras de Vera Cruz.
    Trazendo um náufrago e inocente para a base da sociedade fraterna do porvir, ele obedecia a sagradas determinações do Divino Mestre.

     
     
    Mas o relato é de CX [BCdoMPdoE] e não do próprio Ismael…

  34. Gorducho Diz:

    Outro POTENCIAL problema com experimentos mesmo pré-registrados nesse mau, inaplicável uso da estatística pra investigar o Sobrenatural a suposta “paranormalidade” é a a meu ver muito provável realização de “rodadas-treino”, preparatórias.
    Essas em princípio devem ser desconsidradas. Mas se alguma – pela própria natural existência das flutuações em torno das esperanças matemáticas em que toda essa inadequada metodologia se apoia…&– acabar resultando “+“, isso PODE tentar os pesquisadores a publicar o resultado.
    Isso escaparia até dessa otimamente bem intencionada prática de obrigatoriedade de pré-registro pra que meta-análises passem a ter significação confiável…
    Não digo que ocorra, mas vejo como uma POSSIBILIDADE; “TENTAÇÃO”

  35. Vitor Diz:

    MARIANA DISSE: ” andei lendo bastante sobre o assunto e vi que existem muitas fraudes no meio,”
    .
    São as ditas Práticas de Pesquisa Questionáveis. Não é exatamente fraude.
    .
    MARIANA DISSE: “e que agora se pedem que os estudos sejam pre registrados, eu acho que muita coisa que a gente considera comprobatória de psi na verdade não seja, é bom estar cada vez mais atentos…”
    .
    Já temos estudos pré-registrados confirmando psi, como no tópico de precognição.

  36. Vitor Diz:

    GORDUCHO DISSE: “dificilmente alguém vai publicar ou mesmo ser aceito por algum editor para publicação um estudo cujo conteúdo seja nada.”
    .
    Conteúdo NULO ou NEGATIVO não é problema na Parapsicologia.
    .
    GORDUCHO DISSE: “Daí que isso evidentemente invalida qq. tentativa de “meta-análises” do Sobrenatural.”
    .
    BULLSHIT. Há diversas maneiras de se verificar se há estudos nulos ou negativos não publicados em número suficiente para se invalidar os resultados positivos. O artigo que postei sobre ganzfeld fala sobre isso detalhadamente. Além de técnicas estatíticas, a própria Blackmore fez uma limpa nos estudos ganzfeld e viu que a taxa de sucesso nos artigos não publicados era a mesma que nos publicados.

  37. Vitor Diz:

    GORDUCHO DISSE: “Outro POTENCIAL problema com experimentos mesmo pré-registrados nesse mau, inaplicável uso da estatística pra investigar o Sobrenatural a suposta “paranormalidade” é a a meu ver muito provável realização de “rodadas-treino”, preparatórias. Essas em princípio devem ser desconsidEradas. Mas se alguma – pela própria natural existência das flutuações em torno das esperanças matemáticas em que toda essa inadequada metodologia se apoia…&– acabar resultando “+“, isso PODE tentar os pesquisadores a publicar o resultado. Isso escaparia até dessa otimamente bem intencionada prática de obrigatoriedade de pré-registro pra que meta-análises passem a ter significação confiável… Não digo que ocorra, mas vejo como uma POSSIBILIDADE; “TENTAÇÃO”
    ?”
    .
    BULLSHIT 2. Os estudos pré-registrados precisam dizer quantas rodadas preparatórias serão feitas, e quantas serão formais, justamente para evitar esse problema.

  38. Mariana Diz:

    Sim Vitor, práticas questionáveis. ..
    Onde está esse tópico de pré cognição por favor? Não achei osuper estudos pré registrados. ..obrigada

  39. Mariana Diz:

    Osuper não, quis dizer não achei aqui os estudos pré registrados que confirmam precog. ..estão onde por favor? Valeu bjs

  40. Vitor Diz:

    Oi, Mariana
    te respondi no tópico http://obraspsicografadas.org/2018/precognico-2018/

  41. Gorducho Diz:

    Not Found
    The requested URL /Doc-uments/Study_Results_1004.pdf was not found on this server.
    Additionally, a 404 Not Found error was encountered while trying to use an ErrorDocument to handle the request.

  42. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Importantíssimo artigo sobre a Sra. Piper, com mais exemplos de conhecimento paranormal.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: de onde será que o Vitor tirou essa ideia, de que o texto ilustra a paranormalidade de Piper? Do artigo certamente não foi!

  43. Gorducho Diz:

    Joga ao futebol, ao tênis?
     
    😕

  44. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “de onde será que o Vitor tirou essa ideia, de que o texto ilustra a paranormalidade de Piper? Do artigo certamente não foi!”
    .
    Acho melhor você reler o artigo então…
    .
    Tal como eu concebo a coisa, é do bloco da personalidade segunda e automática de que, nos últimos anos, «Rector» foi o centro, e que forma o sólido fundamento dos transes de Mrs. Piper, é a partir desse bloco que fulgura a centelha do conhecimento supranormal que ela manifesta de maneira incontestável. Centelha, enxerto, rebento — empregue o termo que mais lhe agradar — o automatismo da atividade de médium é em todo o caso o intermediário necessário; o conhecimento supranormal vem, por assim dizer, de além, e o automatismo emprega as suas próprias modalidades para comunicá-lo à testemunha. (págs. 03 e 04)
    .
    O conhecimento minucioso assim revelado das conversações de R. H. nos hotéis de Boston onde estavam estas senhoras, parece-me ser um dos pormenores mais comprovativos de toda a série. É improvável que conversas de tão pouca importância tenham sido relatadas por R. H., enquanto vivo, a Mrs P., quer no estado de vigília quer no estado de transe com outros consulentes; e, a meu ver, a única explicação plausível é supranormal, quer se lhe chame «retorno dos espíritos», quer leitura por telepatia do espírito do consulente por parte do médium em transe. (p. 106)
    .
    Entre o meus amigos da Universidade de Harvard que tinham «feito a viagem», o mais íntimo era I. J. Child. Hodgson, durante a sua vida, nunca encontrara o Prof. Child. Que uma mensagem a seu respeito me tenha sido dirigida espontaneamente pelo controle R. H., eis o que me parece ser próprio de uma leitura supranormal dos meus próprios estados mentais (porque eu tinha dito muitas vezes que o melhor argumento que conhecia em favor de uma vida imortal era a existência de um homem que a merecesse tanto como Child).
    .
    Eu não tinha seguramente falado de C. a Mrs. Piper, jamais recebera antes qualquer mensagem do seu espírito, e se eu tinha expresso a R. H. ainda em vida os meus sentimentos para com C, isso não fazia senão reforçar o valor do fato como prova.
    .
    A mensagem, por meio de R. H., chegou a Miss Robbins, em 06/06/1906.
    .
    R. H. — Há um homem chamado Child, falecido recentemente, que quer enviar as suas lembranças a William e a sua mulher que está em vida.
    Miss R. — A mulher de Child?
    R. H.—Sim, em vida. Ele diz… espero que L. compreenderá o que eu quero dizer. Eu (isto é, R. H.) não conheço essa L. (L. é a inicial do nome próprio da viúva de Child — W. J.).
    (págs. 113 e 114)
    .
    E ainda:
    .
    A sessão de Mrs. Putnam, foi extremamente pobre, excetuando um pequeno pormenor (cf. infra, p. 114); quanto à do Dr. James Putnam, dificilmente se poderá considerá-la boa, embora Mrs. Piper o conhecesse de nome. A dificuldade que o consulente tinha em ler o testemunho escrito explicará talvez a falta de facilidade de Hodgson neste último caso. Só houve nele um pormenor nitidamente supranormal, mas infelizmente não o posso reproduzir. (p. 99)
    .
    Estes onze pequenos incidentes, seja quem for que neles fala, têm mais ar de comunicações verídicas que de felizes coincidências do acaso. No seu conjunto, dão-me a impressão de serem supranormais. (p. 115)

  45. Gorducho Diz:


    Joga ao futebol, ao tênis?

  46. Gorducho Diz:

    Mr. Child era o mais intimo dentre os colegas de Harvard dele já falecido, certo :?:
    Quão espantoso ela ficar sabendo disso depois de tanto convívio :?:
    O problema todo é que essas trocas de recados entre pessoas que convivem(ram) entre sis é completamente estéril para qq. tipo de conclusão por parte de pessoas como nós sem comprometimento com Causas.

  47. Vitor Diz:

    GORDUCHO DISSE: “Quão espantoso ela ficar sabendo disso depois de tanto convívio?”
    .
    Espanto 01: Eu não tinha seguramente falado de C. a Mrs. Piper, jamais recebera antes qualquer mensagem do seu espírito, e se eu tinha expresso a R. H. ainda em vida os meus sentimentos para com C, isso não fazia senão reforçar o valor do fato como prova.
    .
    Espanto 02: Pessoalmente, não tinha tido qualquer sessão com Mrs. Piper e já a não via praticamente há nove anos;

  48. Gorducho Diz:

    Falando em possibilidade, claro: ela teve 9+ anos pra ficar sabendo que o falecido esse era sumamente apreciado por ele.
    Lógico que nunca se terá como saber o que de fato se sucedeu — SE foi assim ou assado que a informação surgiu, &c.
    Por isso mesmo que, se se quer saber se há um “espírito” presente, se começa por um dos nossos testes antes de qq. outra coisa :!:
    Depois o “espírito” diz se tem uma pera murcha no guarda comidas;
    se virou uma banheira no sótão;
    o nome daquele cachorrinho;
    e tudo mais que quiser.
    DEPOIS.
     
     

    Joga ao futebol, ao tênis?

  49. Gorducho Diz:

    corrija o travessão, faz favor…

  50. Vitor Diz:

    O que é que tem o “Joga ao futebol, ao tênis”?

  51. Vitor Diz:

    GORDUCHO DISSE: “ela teve 9+ anos pra ficar sabendo que o falecido esse era sumamente apreciado por ele.”
    .
    Não só isso. Ela teria que saber que Hogson NÃO conheceu o Child NEM a mulher dele. E isso é muito mais difícil.

  52. Gorducho Diz:

    TRAVESSÃO não é hífen, que coisa…
    :(
    – se escreve assim: –
     
     
    ❓ Joga ao futebol, ao tênis? ❓

  53. Gorducho Diz:

    ¿Por que? se foi ela quem falou pro WJ…
    O Hodgson estava morto, certo :?:

  54. Gorducho Diz:

    Será que lá em Boston no ano ’9 (como dizia vovô…) jogar bola queria dizer jogar futebol :?:
    Especificamente o Hodgson ao que me lembre jogava andebol, não era :?:

  55. Vitor Diz:

    O artigo está traduzido no português de Portugal. Eu apenas atualizei algumas palavras. Em uma parte que o tradutor pôs “a sessão foi levantada”, eu substituí por “a sessão foi suspensa”. Houve uma ou outra diferença que substituí (de “textual” para “exato”, por exemplo), mas deixei a tradução dele 99% intocável por dar um ar mais antigo aos discursos dos personagens.

  56. Vitor Diz:

    Eu digo que é difícil porque é muito perigoso se dizer que não conheceu fulano em vida. Algumas pessoas que vc conheceu na infância e fica sem se ver por anos, do nada essa pessoa reaparece, se lembra de vc e vc não se lembra dela. Já aconteceu comigo.

  57. Gorducho Diz:

    Apesar de semianalfabeto assumido, eu SEI que o artigo está em pt_PT.
    Eu CONHEÇO os principais lugares de Portugal e tenho vários amigos portugueses.
    😠
     
    Do you play ball ? – tennis ?
    pode se verter como “futebol” considerando o falar lá em Boston no ano ’9 :?:
    SÓ ISSO QUE LHE PERGUNTEI
     
     
    O que a priori falando, o Hodgson c/o falecido Mr. Child e a (ainda viva na época) viúva dele :?:

  58. Vitor Diz:

    Bom, não sei responder a sua pergunta sobre se pode verter como “futebol”. Acho que sim, mas não posso dar certeza.
    .
    Já sua segunda pergunta “O que a priori falando, o Hodgson c/o falecido Mr. Child e a (ainda viva na época) viúva dele?” não entendi

  59. Gorducho Diz:

    Ms. Piper estava falando c/WJ e citou o tão apreciado dele falecido Mr. Child e sua respectiva viúva Ms. “L”, certo :?:
    Onde entra – i>e., a priori usando a navalha de Guilherme…– falecido Hodgson nisso :?:
    Quanto ao falecido chamar a ex-esposa de “el” pode ser que fosse, assim como se fala o “l” de LA talvez ele chamasse ela assim em vida. Até aí tudo bem…

  60. Vitor Diz:

    GORDUCHO DISSE: “Onde entra – i>e., a priori usando a navalha de Guilherme…– falecido Hodgson nisso :?:
    .
    Na parte “Eu (isto é, R. H.) não conheço essa L. (L. é a inicial do nome próprio da viúva de Child — W. J.).” e na parte “Há um homem chamado Child, falecido recentemente,. Se ele conhecesse diria, “Aqui está o Child, que conheci…”, e não “Há um homem chamado Child…”, típico de quem nunca ouviu falar.

  61. MONTALVÃO Diz:

    /
    Acho engraçado a Mariana: ela dá seus pitacos mas não participa, não discute, não defende seus pontos de vista…

  62. MONTALVÃO Diz:

    Vitor, já, já lhe respondo. Estou meio enrolado hoje, mesmo assim, inda neste hoje mando-lhe o retruque.

  63. Vitor Diz:

    Não precisa ter pressa, Montalvão…

  64. Gorducho Diz:

    Ms. Piper diz pro WJ…
    “Hodgson” está sendo anti-navalhescamente introduzido P/S/Pessoa…
    ¿Qual a dificuldade dela em 9+ anos ter ficado sabendo que ele apreciava bastante esse colega falecido?
    O fato de ter sido citada só a 1ª letra do nome da viúva sugere informações captadas por jornal/magazines.
     
    Mrs. L. Child compareceu ao chá beneficente das Damas Auxiliadoras Bostonienses blah blah blah
    Claro, não quer dizer…
    Pode ser que lá na America chamassem ou ainda chamem quando-em-vez esposa/namorada só pela 1ª letra.
    Como cá às vezes dizemos “Vi”viane, &c.
     
     
    REPITO: ESTOU SÓ ESPECULANDO pois nunca teremos como saber o que de fato se sucedeu.
    Por isso que remoer essas coisas do passado em nada nos fará avançar. Só o nosso método é que oferece um caminho legítimo pra essa situação.

  65. Marciano Diz:

    Do you play ball é a mesma coisa que perguntar: — Você joga bola?
    Dependendo do lugar e da época, o interlocutor entende uma coisa ou outra.
    É como se alguém perguntasse a um de vocês: — Você joga baralho?
    Pode estar se referindo a qualquer jogo de baralho.

    No caso do texto, pode ser cricket, futebol, basket ball, dependendo dos costumes sociais no meio social e época em que a pergunta foi feita.

  66. Marciano Diz:

    Na época atual, pelo menos aqui no Rio, se alguém pergunta a outra pessoa se ela joga bola, vai ser entendido como futebol, seja futebol de verdade, de salão, pelada da calçada, etc.

  67. Marciano Diz:

    Pelada na calçada.
    Para os habitantes de outras cidades onde talvez não se conheça o vocábulo, pelada é jogo, principalmente, de crianças, que arranjam uma bola qualquer, botam chinelos de baliza e jogam um arremedo de futebol na calçada, onde elas ainda são largas e com pouco movimento de pedestres.
    Está em extinção.

  68. Marciano Diz:

    De acordo com o Aurélio,
    1.Jogo de futebol ligeiro, sem importância, em geral entre garotos ou amadores, e que se realiza em campo improvisado.
    2.Partida de futebol mal jogada ou sem maior interesse.

    Bater uma pelada. 1. Bras. Jogar pelada.

  69. Marciano Diz:

    Em Boston, pelo menos recentemente, play ball era gíria para cooperar com alguém.
    Alguém, querendo cooperação, dizia ao outro: — Play ball!

  70. Marciano Diz:

    http://playballfoundation.org/

  71. Marciano Diz:

    Em Boston, quando se pensa em ball, pensa-se nisto:
    🏈

  72. Gorducho Diz:

    Sim let’s play ball é vamos cooperar…
    Mas no causo era esporte porque a pergunta foi:
    (tu) ¿jogas bola? … tênis?
    Que quere dizer: ¿jogas algo?

  73. Gorducho Diz:

    🏈
    Sim, essa é m/duvida…
    Si lá, nomeadamente no ano ’9, “play ball” seria entendido como referindo-se a futebol.
    Como cá no .br todos entendemos “vamo joga bola” por let’ play soccer.
    É isso mesmo m/dúvida.

  74. Marciano Diz:

    Não li o texto (confesso).
    Aí, sem conhecer o contexto sócio-cultural dos falantes, fica difícil saber se era 🏈, ⚽️, ⚾️ (segunda pergunta), 🎾, 🎱, 🏓, 🏸 (badmington), 🏑 ou um jogo de cavalheiros (🏏).

  75. Marciano Diz:

    Acho melhor traduzir por:
    – Você joga bola? Tênis?

  76. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Pelada na calçada.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: joguei muita pelada na calçada: descalço, o pé grosso que parecia um pneu: caminhava ao sol do meio-dia no asfalto com se andasse em tapete de veludo; nas peladas vez em quando chutava o meio-fio em lugar da bola, aí tinha que ir para casa com o dedo estuporado receber os primeiros socorros, que se constituíam de lavar a parte ferida e tomar uma bronca… eu era feliz e não sabia…

  77. Marciano Diz:

    Não usava mercurocromo ou merthiolato?
    O Presidente e o Vice Presidente são pessoas curiosas. Um gosta dos telefones do tempo em que se tocava manivela e esperavam-se horas por uma ligação do Rio para Petrópolis (mais ou menos a distância de Liverpool a Manchester – cidades dos melhores grupos de rock que já existiram).
    Outro ficava feliz de se arrebentar todo e ter pelo igual a unha (casco) de cavalo.
    Por outro lado, como ex-cisco de terceiro secretário (abandonei o cargo), não posso falar muito, pois gosto de ter costelas quebradas, entorses.
    Na verdade, não é disso que eu gosto, isso são ossos (literalmente) do ofício.
    Acho que o Presidente está querendo dizer duas coisas:
    1- que era bom quando era menino;
    2- que era prazeroso jogar pelada, apesar dos machucados (dos quais não poderia gostar).
    🥊
    O Presidente também gosta (assim como eu). A diferença é que ele já fez um pouco e eu fiquei só na vontade.
    Mas já me esbaldei e pretendo voltar a fazê-lo em breve, noutras paragens: 🥋

  78. Marciano Diz:

    Até este este humilde projeto fracassado de cisco pode enxergar, mercurocromo e merthiolato são iguais a água fluidificada, água benta, homeopatia (outro tipo de água).
    Puro embuste!

  79. Marciano Diz:

    Até “onde”.
    Ah! Esse poltergeist…

  80. Marciano Diz:

    Vejam que bonito:
    http://www.bbc.com/future/story/20150629-the-intriguing-history-of-ghost-photography

  81. Marciano Diz:

    Extrato do texto:
    “Others, however, were less confident. In 1937, The Society for Psychical Research, concluded that it was simply because the camera had been shaken during a six-second exposure. “I used to think there was maybe something in the Brown Lady of Raynham Hall until I found the original SPR research file,” says Murdie.
     
    Like many investigators, Murdie has himself seen an enormous amount of what people believe are ghosts captured on film. “I think there are very few photographs that might be considered evidence of something paranormal,” he says.”

  82. Marciano Diz:

    Escrita marciana, segundo Helène Smith:
    https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/4/43/H%C3%A9l%C3%A8neSmith_martien01.jpg/440px-H%C3%A9l%C3%A8neSmith_martien01.jpg

  83. Marciano Diz:

    Um bom artigo para se entender Piper:
    https://www.psychologytoday.com/blog/out-the-ooze/201507/why-some-people-see-ghosts-and-other-presences

  84. Vitor Diz:

    GORDUCHO DISSE: “¿Qual a dificuldade dela em 9+ anos ter ficado sabendo que ele apreciava bastante esse colega falecido? O fato de ter sido citada só a 1ª letra do nome da viúva sugere informações captadas por jornal/magazines.”
    .
    A dificuldade não está em ela saber isso. A dificuldade está em ela guardar a informação quiçá por anos e permanecer atenta às notícias aguardando a morte de Child para soltar a informação em um momento propício, fazendo ainda uma ligação correta com Hodgson e com a mulher de Child. Isso sem falar nas centenas ou milhares de outros clientes que viveram situações semelhantes.

  85. Marciano Diz:

    [MP pro Vice-Presiente:
    Learning a new programming language can take huge amounts of time - especially if you have to drive to a physical classroom every day. This crash online course, however, will put you on the fast track to learning Python, teaching you everything you need to know about this powerful general-purpose language in just two sittings.

    Access 28 lectures & 3 hours of content 24/7
    Learn Python language fundamentals
    Progress into more advanced topics like functions & classes
    Fortify your learning by completing challenges.

    FIM DA MP]

  86. Gorducho Diz:

    Sim, o Python é, so to say, o novo Basic muito turbinado.
    Já tenho um bom conhecimento…
    E.g. um programinha pra selecionar 1 diretório com imagens, contá-las e delas após um certo tempo começar a expor aleatoriamente n delas pra gente ver se o “médium” É médium faz-se mui facilmente.
    Muito mais light que em Java com todos aqueles boilerplates…
    Ou tocar mp3s &c. pro espírito escutar (no caso Espírito Bezerra o problema seria a gente saber quais marchas rodavam por aí até 1899 de sorte que ele as conhecesse :mrgreen: )

  87. Gorducho Diz:

    Eu fiz isso há tempos por curiosidade em Java e depois agora em Python…
    Muito mais simples em Python.

  88. Marciano Diz:

    Já temos o ferramental e o know-how. Falta apenas a aceitação da Administração, para que possamos testar a hipótese Ψ e a Conjectura de Moi.

  89. Marciano Diz:

    class FormatData:
    def __init__(self, Name=”", Age=0, Married=False):
    self.Name = Name
    self.Age = Age
    self.Married = Married
    def __str__(self):
    OutString = “‘{0}’, {1}, {2}”.format(
    self.Name,
    self.Age,
    self.Married)
    return OutString

  90. Marciano Diz:

    Relação de barbaridades de Piper, coletada da RationalWiki:
     
    Piper’s supposed “spirit” controls made false predictions, her control Moses said that a great world war was going to take place.
     
    Germany would have no part in it and that it would be caused by Russia and France against England.
     
    Piper’s control Walter Scott made absurd statements about the planets. He claimed beautiful creatures live inside Venus and the Sun is populated by “dreadful looking creatures” which he described as monkeys that live in caves made out of sand and mud.  
    Her control “Walter Scott” claimed to have visited all the planets and when asked if he had seen a planet further away from Saturn answered “Mercury”.
     
    Piper’s control who claimed to be the writer George Pellew did not know any Greek or philosophy but during his life Pellew was well educated in these subjects. Pellew’s family members were shown the communications of Piper’ control and they were insulted by what they had read. A cousin of Pellew declared that the impersonation was “beneath contempt” and his brother said the communications were nothing like the real Pellew and were “utter drivel and inanity”.
     
    Piper’s control “Phinuit” who claimed to be a French doctor could speak very little French and had no knowledge of medicine. Phinuit’s historical existence could not be verified by any researcher. William James described the Phinuit communications as “tiresome twaddle”.
     
    Piper’s control who claimed to be the deceased psychical researcher Edmund Gurney was heavily criticized by parapsychologists who had known Gurney during his life. Frank Podmore wrote that the control sounded nothing like the personality of the real Gurney. William James also strongly rejected the claim that Gurney communicated through Piper.
     
    Before his death, the psychical researcher Frederic Myers left a message in a sealed envelope. Piper’s Myers control failed to reveal the message. The Myers control of Piper also failed to understand Greek and Latin, this was unlike the real Myers who was a classicist scholar.
     
    The Hodgson control of Piper sounded nothing like the real Richard Hodgson. When friends put test questions to the control of Hodgson about his early life in Australia, the answers were all wrong. Before he died Hodgson had written a test letter, and claimed that if he was to communicate through Piper he would reveal the contents inside the letter. Piper’s Hodgson control failed to reveal the test letter.
     
    The Irish anatomist Alexander Macalister who attended a séance sitting wrote that apart from one common guess Piper got nothing correct and that her trance mediumship was a poor imposture.
     
    Thomas Barkworth who held the hand of Piper in one of her séances accused her of practicing muscle reading. Piper liked to hold a client’s hand throughout a sitting, or even to place the hand against their forehead.
     
    The English astronomer George Darwin attended two séance sittings with Piper anonymously. The control of Piper mentioned names, but according to Darwin “not a single name or person was given correctly, although perhaps nine of ten were named.”
     
    Horace Howard Furness attended a séance with Piper and concluded that the she had feigned her trances. During the séance Furness caught Piper with her eyes open, looking at some flowers which he had placed in the room.
    The Scottish folklorist Andrew Lang wrote that Piper would practice cold reading. According to Lang “Piper would cheat when she could—that is to say, she would make guesses, try to worm information out of her sitter, describe a friend of his, alive or dead, as ‘Ed.,’ who may be Edgar, Edmund, Edward, Edith, or anybody.”
     
    The English classical scholar Walter Leaf attended séances with Piper and described them as unsatisfactory as she got nothing correct.
    Thomas W. M. Lund before a séance with Piper told another sitter about his son’s illness and his wife’s plans “within earshot of Mrs. Piper.” In the séance Piper’s control mentioned his statements. Lund suggested that Piper was not unconscious during the séance and that she had used clever guesswork and other mentalist tricks.
     
    The American paleontologist Nathaniel Shaler attended some séances with Piper and wrote in a letter to William James that he could not “exclude the hypothesis of fraud”.
     
    In an experiment to test if Piper’s controls were purely fictitious the psychologist G. Stanley Hall invented a niece called Bessie Beals and asked Piper’s Hodgson control to get in touch with it. Bessie appeared, answered questions and accepted Dr. Hall as her uncle.
    Piper’s control told Richard Hodgson he would get married, have two children and have a long life but Hodgson died a few months later, unmarried and childless.
     
     
    Dá para ficar discutindo Piper over and over again?

  91. Marciano Diz:

    N.B.:
    William James described the Phinuit communications as “tiresome twaddle”.
     
    Piper’s control who claimed to be the deceased psychical researcher Edmund Gurney was heavily criticized by parapsychologists who had known Gurney during his life. Frank Podmore wrote that the control sounded nothing like the personality of the real Gurney. William James also strongly rejected the claim that Gurney communicated through Piper.
     
    Usque tandem?

  92. Gorducho Diz:

    Só que não é necessário em Python seguir esse modelo das classes (objetos) pra rotinas + simples.
    Isso é quase que um dogma religioso “da moda” que nem sempre é necessário – JavaScript funciona muito bem sem esse dogmatismo.

  93. Vitor Diz:

    Oi, Marciano
    .
    está muito mais para barbaridades da Rational Wiki sobre a Piper. Uma das barabidades é desmistificada no próprio artigo em questão: “The Hodgson control of Piper sounded nothing like the real Richard Hodgson.” Selecionei justamente um dos trechos que destroi essa ideia:
    .
    Se o R. H. que apareceu então não é mais que uma ficção do eu subconsciente de Mrs. Piper a «representar», então temos de pôr na conta desse eu um autêntico gênio para acumular os traços apropriados e não se desviar da linha da personalidade verdadeira. Quase não houve nas sessões pormenores certamente errados, e a grande maioria era seguramente exata.
    .
    Não dá para confiar na Rational Wiki…

  94. Vitor Diz:

    O Gorducho está tentando postar, mas está usando outro email. Gorducho, volta para o email antigo…

  95. MONTALVÃO Diz:

    /
    MONTALVÃO DISSE: “de onde será que o Vitor tirou essa ideia, de que o texto ilustra a paranormalidade de Piper? Do artigo certamente não foi!”
    .
    VITOR: Acho melhor você reler o artigo então…
    /.
    CONSIDERAÇÃO: melhor seria dizer: “Deve ler o artigo inteiro, então”. De fato, meu saco aguentou até o início do relato das sessões. Parei no “incidente do anel” e, até ali, há elementos sobejos a mostrar a incerteza da paranormalidade. Mas, parece que no seguimento a coisa mudou de figura. Como ainda não consegui ânimo para fazer a leitura completa, trabalharei minha resposta nas partes que citou ilustrativamente.
    .
    Certo, deveria realmente ter enfrentado minha falta de paciência e examinar a xaropada toda, suportando a tortura até o final, embora ninguém mereça. 🙍
    .
    .
    🙌
    .


    Porém… Ah, porém, há um fato diferente, que marcou num breve tempo… minha convicção para sempre… era quase carnaval… ♫ ♫ (cante com a melodia de “foi um rio que passou em minha vida” e seja feliz!)
    🙋
    .
    Então, mesmo o Vitor estando certo, sempre há um porém que comunga contra as certezas visonianas.
    .
    Vamos ver esse porém, pois.

    .
    A primeira coisa que o Vitor não percebeu, e não poderia perceber, pois sua busca incansável é por provas do paranormal, é que James está expressando a opinião dele a respeito do que viu e ouviu. Ele não comprovou que Piper tivesse dons supranormais, apenas opinou que sim!
    .
    E mais: esses supostos dons, ainda que houvessem, se manifestavam esporadicamente. Basta ler o artigo (e não precisa lê-lo todo) para conferir que em muitos momentos o imaginado poder metapsíquico da mulher falhava feio. Quer dizer, mesmo naqueles dias pioneiros, onde tudo era deslumbramento e todos os mistérios se explicavam por telepatia e clarividência, a Conjetura de Moi se fazia presente, na parte que diz (veja o grifado):
    .
    “PSI, caso exista, é “força” de atuação tênue, de ocorrência esporádica e imprevisível, sem controle da parte quem supostamente a possui, e sem utilidade conhecida.”
    .
    Vamos conferir que, nos excertos selecionados pelo Vitor, William James expressa a interpretação dele do que vê, em vez de dar provas conferíveis:

    /
    ——————————————–.
    -1-
    Tal como eu concebo a coisa, é do bloco da personalidade segunda e automática de que, nos últimos anos, «Rector» foi o centro, e que forma o sólido fundamento dos transes de Mrs. Piper,.
    .
    -2-
    a meu ver, a única explicação plausível é supranormal, quer se lhe chame «retorno dos espíritos», quer leitura por telepatia do espírito do consulente por parte do médium em transe. (p. 106)
    .
    -3-
    eis o que me parece ser próprio de uma leitura supranormal dos meus próprios estados mentais
    .

    -4-
    [No trecho a seguir, James noticia uma das muitas falhanças de Piper na utilização de seus imaginados dons paranormais: uma sessão inteira em que só se obteve “trash” (lixo)]
    .
    A sessão de Mrs. Putnam, foi extremamente pobre, excetuando um pequeno pormenor (cf. infra, p. 114); quanto à do Dr. James Putnam, dificilmente se poderá considerá-la boa, embora Mrs. Piper o conhecesse de nome. A dificuldade que o consulente tinha em ler o testemunho escrito explicará talvez a falta de facilidade de Hodgson neste último caso. Só houve nele um pormenor nitidamente supranormal, mas infelizmente não o posso reproduzir. (p. 99)
    .
    -5-
    Estes onze pequenos incidentes, seja quem for que neles fala, têm mais ar de comunicações verídicas que de felizes coincidências do acaso. No seu conjunto, dão-me a impressão de serem supranormais. (p. 115)
    ————————————-.
    /
    CONSIDERAÇÃO: pois bem, cabe a questão: onde William James demonstra, acima da dúvida razoável, que Piper fosse paranormal? Ele tão somente diz que, perante certas atuações da mulher (não todas) não encontrava outra explicação que não fosse pela via do inexplicável…
    .
    Mas, eu disse ao início que na parte inicial havia fartas indicações de que, até mesmo para James, o paranormal seria hipótese a ser requerida em derradeira instância (embora, com Piper, hoje se pode perceber, ele não tenha utilizado o rigor que preconizava).
    .
    James lembra um pouco Richet, severo na exposição de quão rigorosa devesse ser a investigação antes de concluir-se em favor da metapsíquica e, ao mesmo tempo, tão crédulo perante pseudo-fenômenos de materialização de mortos.
    .
    —————————————–.
    “As fontes das comunicações verídicas emanando do Controle-Hodgson, e diferentes do «espírito» sobrevivente de R. H., poderiam ser enumeradas assim:
    (1) Coincidências felizes e de puro acaso.
    (2) Conversas.
    (3) Indicações fornecidas irrefletidamente pelos assistentes.
    (4) Informações dadas ainda em sua vida por R. H. a Mrs. P. em estado de vigília e conservadas por esta na sua memória, supraliminar e subliminar.
    (5) Informações dadas ainda em vida por R. H. ou por outros, em diversas sessões e conservadas pela memória de médium de Mrs. P., mas fora do alcance da sua consciência em estado de vigília.
    (6) «Telepatia», ou seja, influência exercida sobre o espírito do assistente ou de alguma pessoa viva afastada, de uma maneira inexplicável.
    (7) Comunicação com algum reservatório cósmico, onde as recordações de todos os fatos do universo seriam colocados de reserva e agrupados à volta de centros pessoais de associação.”
    ——————————————.
    /
    CONSIDERAÇÃO: observe-se que na lista de possibilidades explicativas, James não cita a de um um morto em efetiva comunicação! Ele encerra o rol na hipótese do “arquivo cósmico”. É que aqui ele se fixa nos acertos passíveis de explicações outras que não a mediúnica (nalguns episódios ele considera que a elucidação pede que se leve em conta a real personalidade do falecido, porém dá a entender que não pretende se aprofundar nessa seara). Apesar de no artigo não ser citada, a lista completa inclui a conjetura de alma desencarnada agindo entre os vivos, contudo, sempre no finalzinho da fila.
    .
    Tal nos é informado pelo psicólogo Everton Maraldi em sua tese de mestrado, onde encontramos:
    .
    ——————————–.
    “Um dos casos de mediunidade que mais havia intrigado William James era o da médium Leonora Piper, estudada por vários integrantes da Society. Suas manifestações de mediunidade, ricas em detalhes, levaram James (1894/1973, p. 62) a concebê-la como um caso raro e desafiador a muitas das crenças religiosas e científicas acerca desses fenômenos: “[...] Quando esta médium está em transe, eu não posso resistir à convicção de que há nela um conhecimento que lhe não foi revelado pelo uso ordinário de seus olhos, seus ouvidos ou sua razão”.
    .
    Todavia, James jamais abandonou sua perspectiva científica, pragmática e rigorosa, e se voltava contra toda hipótese apressada em torno dessas manifestações. Elogiava a forma como os relatórios da Society abordavam esses eventos ‘com dureza’, e só formulou suas próprias explicações concernentes à mediunidade da senhora Piper, após exaustiva investigação e observação de suas atividades como médium.
    .
    Tendo por base esse esplêndido caso , James (1909/1973) esclarecerá que as experiências mediúnicas podem ser categorizadas segundo diferentes critérios, dispostos numa ordem gradativa que vai das explicações ‘naturais’, para as ‘sobrenaturais’. Esse procedimento deve ser feito antes de se assumi-las como verídicas e quando já se descartou a hipótese de fraude. As explicações levantadas por James para as manifestações da mediunidade podem ser compiladas aqui da seguinte maneira:
    .
    a)Coincidências resultantes de puro acaso – acertos arbitrários;
    .
    b)Conversas em que a médium participou e cujas informações ficaram registradas em sua memória – disponíveis, no entanto, durante estados de transe;
    .
    c)Indicações fornecidas irrefletidamente pelo pesquisador e seus assistentes – aqui também se incluiria a possibilidade de obter informações por meio de comunicação não-verbal;
    .
    d)Informações dadas ao médium por parte dos próprios familiares da pessoa falecida e a partir da qual é possível engendrar outras associações – principalmente nos casos em que o(a) médium conhecia os familiares ou o próprio espírito comunicante;
    .
    e)Telepatia, ou a aparente possibilidade de se captar as informações requisitadas diretamente do psiquismo das pessoas que conheciam o indivíduo;
    .
    f)Acesso a algum reservatório ‘cósmico’, onde todos os fatos do universo ficariam armazenados;
    .
    g)A real comunicação da pessoa falecida, com todas as conseqüências filosóficas e religiosas que poderiam advir disso.
    .
    James considerará as últimas três hipóteses como ‘místicas’ ou ‘sobrenaturais’ e, portanto, menos prováveis que as restantes. “É óbvio que nenhuma explicação mística deve ser invocada enquanto houver nem que seja uma única explicação natural plausível” (James, 1909/1973, p. 129).
    .
    O mais difícil, segundo o autor, é controlar as diferentes variáveis envolvidas, de modo a se obter informações fidedignas em favor das explicações paranormais. Considerando-se as diferentes explicações alternativas citadas antes, pouquíssimos casos de mediunidade são fortemente sugestivos da imortalidade de alguém ou da presença, no (a)médium, de faculdades paranormais – conquanto também não seja possível excluir tais possibilidades diante de casos bastante sugestivos.
    .
    A maioria das evidências deixa sempre uma réstia de dúvida. De maneira a enfatizar uma postura imparcial, James admitirá, por fim, que a adesão dogmática a um ou outro desses pontos de vista depende, quase sempre, do “sentido das probabilidades dramáticas da natureza” (James , 1909/1973, p. 224), isto é, do temperamento de quem enuncia determinado julgamento em favor de uma das muitas eventualidades de que a natureza dispõe.
    .
    No trecho a seguir , James (1909/1973, p. 158) parece oferecer uma importante elucidação das reações das pessoas frente às crenças paranormais; para ele, a questão de se escolher entre uma hipótese ou outra…
    /
    JAMES:
    “É uma questão de probabilidade e de improbabilidade. Agora, em todo ser humano que, em casos semelhantes, decide a questão em vez de suspender o seu juízo, o sentido da probabilidade depende das formas da imaginação dramática de que o seu espírito é capaz. A explicação deve, em todos os casos, ser dramática. Fraude, personificações, telepatia, espíritos, tudo isso são hipóteses dramáticas. Se a nossa imaginação é absolutamente incapaz de conceber a hipótese dos espíritos, proclamaremos precisamente que tal hipótese é “impossível” [...] e assim nos consideraremos inaptos para discutir seriamente a alternativa”
    .
    (Everton Maraldi – “Dissertação apresentada ao Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Psicologia.”

    ——————————————.
    /
    CONSIDERAÇÃO: Opino que, James deveria ter percebido que alegar-se poderes imaginados em substituição da insustentável hipótese de espíritos comunicantes significava trocar seis por cinco e meio. Bem, ele meio que aventou isso, pois tanto a paranormalidade quanto a mediunidade foram por ele juntadas no mesmo canto das suposições sobrenaturais.
    .
    Pois bem, para não alongar muito esta reflexão, destaco a seguinte declaração de James, agora voltando ao artigo postado no Obras:
    /
    _____________________________.
    “Chamemos «naturais» às primeiras cinco destas explicações, e «sobrenaturais» ou «místicas» às duas últimas. É óbvio que nenhuma explicação mística deve ser invocada enquanto houver nem que seja uma única explicação natural plausível. Só quando tivermos sido levados a considerar como inverosímeis as cinco primeiras explicações é que será altura de confrontar as teorias da telepatia e do reservatório cósmico com a do «espírito» sobrevivente de R. H.
    .
    O conjunto das informações verídicas fornecidas pelo controle-R.H. às diversas testemunhas é copioso. Tais informações estão na maioria dos casos relacionadas com acontecimentos – ordinariamente sem importância – nos quais elas próprias tomaram parte juntamente com R.H. no tempo da sua existência terrestre.

    /.
    CONSIDERAÇÃO: aqui, seria o caso de indagar se os pesquisadores não se indagaram duas coisas, e se não se indagaram por que não fizeram:
    /
    1. Será que realmente esgotaram as explicações naturais? Ou pularam para a paranormalidade (ou mediunidade) mais rápido que recomendava a prudência?
    .
    2. Porque um morto, qualquer que seja, muito mais um cientista de renome, voltaria ao mundo dos vivos para comunicar trivialidades?
    /

    Em resumo, Vitor, o relato, de modo algum, roça na probabilidade de que Piper fosse paranormal; médium então nem se fala; portanto, se quiser adequar ao preâmbulo os fatos, em vez de:
    .
    “Importantíssimo artigo sobre a Sra. Piper, com mais exemplos de conhecimento paranormal”
    .
    DIGA:
    .
    “Importantíssimo artigo sobre a Sra. Piper, mostrando a opinião de William James favorável à paranormalidade da médium”.
    /.
    Câmbio, desligo.

  96. Gorducho Diz:

    ANALISTA MARCIANO,
    segue rotina exemplo em 3.6 pro nosso teste de mediunidade;
    basta colar no IDLE (o ed. de códigos do Python)
    e no Windows rodar direto (clicar);
    pus —- no lugar das indentações por clareza cá na formatação bem como linhas em branco entre algumas new-lines pra evidenciar também;
    o tempo-de-espera em minutos é
    (i) pros cientistas sairem do recinto e o/a “médium” se concentrar, fazer as preces, evocar o espírito &c.
    (ii) dar tempo do espírito ir olhar a imagem e voltar informando…
    põe as imagens em formato 0.jpg [...] n.jpg
    num diretório o qual é selecionado de início pelo “file chooser” que aparece (se rodar a partir do IDLE às vezes a janelinha fica escondida debaixo só piscando :!: )

    Note que em Python pra rotinas simples como essa não é necessário o dogmatismo religioso das “classes”.
    Tem 1 plot hole ainda no experimento que é as imagens subsequentes não abrirem maximizadas no viewer de fotos do W-10…
    Então o “espírito” pode alegar que enxergou de novo as imagens que aparecem parcialmente embaixo ainda.
    Não sei ainda maximizar (em Mac ou Linuxes o comportamento pode ser diferente)
    ——————————————————————————————————————————-
     
     
    import webbrowser, os, sys, time, random
     
    from tkinter import *
     
    from tkinter import filedialog
     
    from tkinter.filedialog import askdirectory
     
    def SelImagens():
     
    —-root = Tk()
     
    —-dir = askdirectory(title=’SELECIONE O DIRETÓRIO QUE CONTÉM AS IMAGENS’) + ‘/’
     
    —-root.destroy()
     
    —-if dir == ‘/’:
     
    ——–return dir, 0
     
    —-else:
    ——–ni = 0
     
    ——–max_imagem = 0
     
    ——–for f in os.listdir(dir):
     
    #EXTRAI O NOME DO FICHEIRO SE FOR .jpg
    ————id = f[:f.find('.jpg')]
    #EXTRAI O N° DA IMAGEM .jpg ATUAL
    ————if id.isdecimal(): ni = int(id)
    #ENCONTRA A ÚLTIMA (MAIOR #) IMAGEM A SER CONSIDERADA NO SORTEIO
    ————if max_imagem < ni: max_imagem = ni
    ——–return dir, max_imagem
    #BLOCO MAIN
    try:
     
    —-rodadas = int(input('N° de imagens a serem mostradas:'))
     
    —-espera = 60 * int(input('Tempo de espera em minutos:'))
     
    —-imagens = SelImagens()
     
    except (TypeError, ValueError) as en: print(en)
     
    if imagens[0] == '/': print('Nenhum diretório foi selecionado!')
     
    else:
    —-try:
    ——–for _ in range(rodadas):
    ————time.sleep(espera)
     
    ————webbrowser.open(imagens[0] + str(random.randint(0, imagens[1])) + '.jpg')
    —-except Exception as eg:
    ——–print(e)
    input('Pressione qualquer tecla para sair…')

  97. Gorducho Diz:

    Tem que checar as indentações pra que fechem…
    cá não tem como formatar direito :!:

  98. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “observe-se que na lista de possibilidades explicativas, James não cita a de um morto em efetiva comunicação! ”
    .
    Montalvão, QUAL É O TEU PROBLEMA? O James antes de citar a lista, diz:
    .
    As fontes das comunicações verídicas emanando do Controle-Hodgson, e diferentes do «espírito» sobrevivente de R. H., poderiam ser enumeradas assim:
    .
    Sacou? Captou? Entendeu que o rol é das hipóteses alternativas à hipótese de espíritos?

  99. Vinicius Diz:

    “Somente uma quarta parte de nosso território permanecerá conosco e aos brasileiros restarão apenas os Estados do Sudeste somados a Goiás e ao Distrito Federal.
     
    Os norte-americanos, canadenses e mexicanos ocuparão os Estados da Região Norte do País, em sintonia com a Colômbia e a Venezuela.
     
    Os europeus virão ocupar os Estados da Região Sul do Brasil unindo-os ao Uruguai, à Argentina e ao Chile.
     
    Os asiáticos, notadamente chineses, japoneses e coreanos, virão ocupar o nosso Centro-Oeste, em conexão com o Paraguai, a Bolívia e o Peru.
     
    E, por fim, os Estados do Nordeste brasileiro serão ocupados pelos russos e povos eslavos.”
     
    Isso tudo em 2019 ??? Jesus e os seres angélicos terão de correr hein ?!
     
    Precisa passaportes , habitações. Eles virão de navio? Geraldinho precisa avisar a marinha costeira para recebe-los bem.
     
    Sinto no ar uma nova prorrogação, mas falta um médium BOM para atualizar os Geraldinhos.

  100. Vinicius Diz:

    “Tem umas malandragens aí no meio, pois deixaram saídas para todos os lados, como é comum com “profetas”.
     
    Há espíritas que estão chamando isso de lenda , que CX estava entusiasmado e acabou falando coisas que não foram aprovadas por Emmanuel.
     
    Outros já destacam que a profecia estabelece condições para que tais fatos se realizem ou não: se não melhorarem serão sugados pelo “Chupão” por exemplo.
     
    https://www.youtube.com/watch?v=Pv0tcOYRtoA
     
    “O Planeta Chupão foi citado pela primeira vez pelo médium Chico Xavier. Também é conhecido como “Planeta higienizador” por Ramatis. Os astrônomos o denominaram como “Planeta X”, a Gnose o chama de “Hercólubus”, “Nibiru” para os babilônios e “Marduk” pelos antigos escritos.”

  101. Gorducho Diz:

    2019 COMEÇA
    Jesus “aperta do botão” do processo que termina APROXIMADAMENTE em ’59.
     
     
    Aliás segundo CX cá cabem 900.000 de almas.
    Imagine como vai ficar a Amazônia e os Matos Grossos se c/200 já está nesse estado :evil:

  102. Gorducho Diz:

    900.000.000
     
     
    fonte

  103. Vinicius Diz:

    Geraldo ainda é vivo? Não consegui localizar isso…
     
    Não sei, sempre vejo finalidades comerciais em historinhas como essa… mesmo que tudo destinado a filantropia e nada ficando com o contador de história.

  104. Gorducho Diz:

    A Revista da Boa Vontade (LBV) ano I n°4 outubro 1956

  105. Gorducho Diz:

    Fvr corrigir o string de enlace Sr. Administrador
    desculpe
    😳

  106. Vinicius Diz:

    :mrgreen:
    Gorducho, me chamou a atenção a informação de que há mais um “assessor” de Jesus, este confesso que não conhecia, um tal de “Antúlio”. Parece-me ser um “bam-bam” do além também.
     
    Mais um comentário da mala: na época de CX , espírito de Dr.Bezerra ainda não era tão “badalado” como hoje né?
     
    faz tempo que não entro no CC: ainda há embates com o tal SPENCER?

  107. Gorducho Diz:

    Não: Sr. Spencer se recolheu…
     
    Espírito Bezerra me parece ter sido mais popularizado pelo Divaldo, que, óbvio, é quase 1 geração posterior a CX.
    Vovó ADORAVA o Dr. Bezerra de Menezes – ela falava sempre assim…– mas não que ele incorporasse. Ela se referia à ex-pessoa viva dele…
     
    Mas Antúlio não é Jesus em anterior encarnação em Atlântida ❔

  108. Marciano Diz:

    Valeu, Gorducho.
    Vou salvar, para eventual consulta no futuro (próximo, espero).
     
    Do link do Gorducho:
    ===============================================================
    Não podemos olvidar que a Europa, superalfabetizada, se encontra num carma de débitos clamorosos, à frente da LEI, em dolorosa expectação, para o reajuste moral que lhe é necessário.
    ===============================================================
     
    O carma deve ser por causa da colonização.
    Se não fosse pela Europa, como já disse aqui antes, as Américas estariam cheias de selvagens que matavam-se uns aos outros.
    Sacrificavam uns aos outros, em nome de divindades inexistentes. Viviam em guerra, tribo contra tribo.
    A maldita Europa trouxe hospitais, universidades, bibliotecas, conhecimento, civilização, e está em carma?
     
    Discurso comunista detectado!
     
     
    O imaginário jesus encarnado na imaginária Atlântida❓ ❗️
     
    Isto é imaginação demais‼️ ‼️

  109. Marciano Diz:

    Durante os milênios em que a Europa esteve progredindo, as Américas permaneceram em estado de selvageria, na idade da pedra lascada.
    Estaria assim até hoje, se não fossem os “malditos” europeus.
    Ingratos!

  110. Marciano Diz:

    As Américas foram, durante milênios, habitadas por cruéis selvagens, que praticavam sacrifícios humanos, viviam em guerra, devastavam a natureza como gafanhotos.
    Ainda estariam assim, se não fossem os grandes navegadores.
    Câmbio final e desligo 📴

  111. Marciano Diz:

    Desta vez eu perdi o comentário número 💯.
    Vou ficar sem a caixinha de bis.

  112. MONTALVÃO Diz:

    /
    MONTALVÃO DISSE: “observe-se que na lista de possibilidades explicativas, James não cita a de um morto em efetiva comunicação! ”
    .
    VITOR: Montalvão, QUAL É O TEU PROBLEMA? O James antes de citar a lista, diz:
    .
    As fontes das comunicações verídicas emanando do Controle-Hodgson, e diferentes do «espírito» sobrevivente de R. H., poderiam ser enumeradas assim:
    .
    Sacou? Captou? Entendeu que o rol é das hipóteses alternativas à hipótese de espíritos?
    /.
    CONSIDERAÇÃO: qual o seu problema, Vitor Visoni, só porque confessei não ter lido o artigo inteiro você não lê minha postagem? Montalvão destacou essa “ausência” e a explicou, mira:
    /
    ———————————
    observe-se que na lista de possibilidades explicativas, James não cita a de um um morto em efetiva comunicação! Ele encerra o rol na hipótese do “arquivo cósmico”.
    .
    É que aqui ele se fixa nos acertos passíveis de explicações outras que não a mediúnica (nalguns episódios ele considera que a elucidação pede que se leve em conta a real personalidade do falecido, porém dá a entender que não pretende se aprofundar nessa seara).
    .
    Apesar de no artigo não ser citada, a lista completa inclui a conjetura de alma desencarnada agindo entre os vivos, contudo, sempre no finalzinho da fila.
    .
    Tal nos é informado pelo psicólogo Everton Maraldi em sua tese de mestrado, onde encontramos:

    —————————
    /
    CONSIDERAÇÃO: não deve ter entendido minha pretensão: citei a ausência e a expliquei porque tencionava ganchear trecho da dissertação do Maraldi, que considero esclarecedora.
    .
    Sacou? Captou? Se tiver dúvida, não se acanhe, fale que esclareço…

  113. Vitor Diz:

    MARCIANO DISSE: “Se não fosse pela Europa, como já disse aqui antes, as Américas estariam cheias de selvagens que matavam-se uns aos outros. Sacrificavam uns aos outros, em nome de divindades inexistentes. Viviam em guerra, tribo contra tribo. A maldita Europa trouxe hospitais, universidades, bibliotecas, conhecimento, civilização, e está em carma?”
    .
    Discurso eurocêntrico detectado. E penso que historicamente indefensável.

  114. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “não deve ter entendido minha pretensão: citei a ausência e a expliquei ”
    .
    Aí é que está. Não precisava explicar porque o próprio James já a explica. Não há ausência de fato. O rol é de explicações alternativas à de espíritos. Por isso espíritos não consta nesta lista. Isso está dito.

  115. Marciano Diz:

    ===============================================================
    Discurso eurocêntrico detectado. E penso que historicamente indefensável.
    ===============================================================
    Quem não for eurodescendente aqui, que atire a primeira pedra.
    E quem defende que os selvagens sairiam sozinhos do estado de selvageria em que se encontravam estagnados há milênios, que o prove.

  116. Vitor Diz:

    MARCIANO DISSE: “E quem defende que os selvagens sairiam sozinhos do estado de selvageria em que se encontravam estagnados há milênios, que o prove.”
    .
    Estavam em estado de selvageria?

  117. Marciano Diz:

    Outra coisa: quem é contra a Europa aqui, que o diga em língua não-europeia.
    A língua que vocês usam para comentar aqui é europeia.
    As línguas que os selvagens daqui falavam não tinha escrita (claro, eles estavam na pré-história).

  118. Marciano Diz:

    Logo o Vitor, que vive postando artigos de europeus, citando europeus, dizer que sou eurocentrista…
    Eurocentrista, radical…
    O que mais?

  119. Marciano Diz:

    ===============================================================
    Estavam em estado de selvageria?
    ===============================================================
    http://historiadomundo.uol.com.br/curiosidades/canibalismo.htm

  120. Marciano Diz:

    No Brasil, os relatos de Hans Staden davam conta da presença de tribos que apreciavam o consumo de carne humana. Os índios Pacura, da Amazônia, chegavam a elaborar um tipo específico de “engorda” para que a carne de seus prisioneiros fosse bem mais palatável.
     
    A existência de tribos canibais na América foi uma questão presente durante o processo de colonização européia, a partir do século XVI. O canibalismo, sob olhar do colonizador, era uma evidência da selvageria a ser banida das culturas nativas, seja pela via do conflito, ou pela aculturação.
     
     
    Se isto não é selvageria…

  121. Vitor Diz:

    MARCIANO DISSE: “A maldita Europa trouxe hospitais, universidades, bibliotecas, conhecimento, civilização, e está em carma?”
    .
    Não existe nenhuma sociedade no mundo que não seja civilizada. Entenda que “civilização” não é sinônimo de viver em uma cidade grande. O dicionário Michaelis conceitua civilização como “estado de adiantamento cultural”. Nada mais longe da verdade.
    .
    Pierre Clastres diz que um povo é civilizado quando consegue viver bem em sua civilização, em seu contexto social. Tenho certeza que, ao viver em uma comunidade indígena, você será bem menos civilizado do que seus anfitriões, afinal você não sabe caçar nem pescar. Você não sabe viver bem no contexto social que eles vivem. Por isso evite usar o termo “civilizado” como sinônimo de “urbanização”.

  122. Marciano Diz:

    E por favor, Vitor, se quer falar mal da Europa, use uma língua não-europeia.
    E pare de postar artigos de europeus.
    Seja coerente.

  123. Marciano Diz:

    Canibalismo é civilização?

  124. Marciano Diz:

    Só o fato de viverem na selva já justificaria o nome.

  125. Marciano Diz:

    Se não viu o comentário, repito-o:
     
    No Brasil, os relatos de Hans Staden davam conta da presença de tribos que apreciavam o consumo de carne humana. Os índios Pacura, da Amazônia, chegavam a elaborar um tipo específico de “engorda” para que a carne de seus prisioneiros fosse bem mais palatável.
     
    A existência de tribos canibais na América foi uma questão presente durante o processo de colonização européia, a partir do século XVI. O canibalismo, sob olhar do colonizador, era uma evidência da selvageria a ser banida das culturas nativas, seja pela via do conflito, ou pela aculturação.
     
     
    Se isto não é selvageria…

  126. Vitor Diz:

    MARCIANO DISSE: “Canibalismo é civilização?”.
    .
    Também havia canibalismo entre os celtas, e eles foram os grandes responsáveis pela difusão do manuseio do ferro e da metalurgia no continente europeu. Não eram uma civilização pela prática de canibalismo?

  127. Marciano Diz:

    Lo ede ti kii ?e ede Europe.

  128. Marciano Diz:

    Desculpem-me. O mecanismo do blog não reconhece línguas não europeias.
    Vou consertar.
    Lo ede ti kii ṣe ede Europe.

  129. Marciano Diz:

    Repare que o alfabeto é romano.

  130. Marciano Diz:

    Explicando melhor, em português (língua europeia) claro:
    A língua é não-europeia, mas o alfabeto é romano, pois eles não tinham grafia antes do contato com a Europa.

  131. Vitor Diz:

    http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/2017/08/1907383-livro-conta-a-historia-do-brasil-antes-de-cabral-para-acabar-com-os-cliches-de-um-pais-intocado-e-cheio-de-indios-preguicosos.shtml

  132. Vitor Diz:

    Também sugiro que você assista aos videos do Morel em que ele rebate a visão eurocêntrica, Marciano.

  133. Vitor Diz:

    http://cafesempo.com.br/veja-50-palavras-de-origem-indigena-e-seus-significados/

  134. Marciano Diz:

    O canibalismo foi apenas um exemplo, mas a prática foi abandonada na Europa muito antes de ser forçadamente abandonada por aqui.
    A mesma coisa aconteceu com a escravidão. Europeus abandonaram a prática há muitos séculos, mas africanos continuaram praticando. Quando europeus precisaram de mão de obra escrava, a quem recorreram, para comprar escravos?
    Alías, na África e no mundo islâmico a escravidão existe até hoje.

  135. Vitor Diz:

    Você pode assistir esse video tb:
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=mP721XCqhhQ,
    .
    Se quiser pode pular pros 7 minutos em diante.

  136. Marciano Diz:

    - Estima-se que existam, hoje, 29,8 milhões de pessoas que vivem em regime de escravidão. A África é o continente que tem a maior concentração de escravos no mundo. A região do Paquistão e Índia também não ficamuito atrás (a Índia, inclusive, é o país que mais tem escravos em números brutos: quase 14 milhões de pessoas). Os dados são do Global Slavery Index, que estima o número de escravos nas nações. O ranking foi feito respeitando a proporção sobre a população geral dos países. Se apenas o número absoluto de escravos fosse considerado, ele ficaria bastante diferente, com países mais populosos do mundo tomando a liderança, mas ainda forte presença de nações africanas: Índia, China, Paquistão, Nigéria, Etiópia, Rússia, Tailândia, Congo, Mianmar e Bangladesh. Na lista de 162 países, o Brasil aparece em 94º lugar, com um número estimado de 209.622 escravos.
    https://exame.abril.com.br/mundo/os-paises-com-os-maiores-numeros-de-escravos-atualmente/

  137. Marciano Diz:

    Lembra-se desta notícia do G1?
    http://g1.globo.com/Noticias/Brasil/0,,MUL995160-5598,00-INDIOS+SAO+SUSPEITOS+DE+CANIBALISMO+NO+AMAZONAS.html

  138. Marciano Diz:

    Existem várias “civilizações” que faziam a prática de sacrifícios humanos, alguns deles, por exemplo, foram os Astecas, os Incas e os Maias.

  139. Marciano Diz:

    Depois eu volto.
    Preciso sair agora.

  140. Vitor Diz:

    http://m.folha.uol.com.br/ciencia/2008/08/439186-estudo-ve-urbanismo-antigo-no-xingu.shtml
    .
    29/08/2008 09h33
    .
    Um artigo publicado hoje no periódico "Science" sustenta que, entre os anos 1200 e 1600, a sociedade xinguana desenvolveu um tipo de urbanismo pré-histórico, comparável a algumas "pôleis" gregas.

  141. Vitor Diz:

    MARCIANO DISSE: “Quem não for eurodescendente aqui, que atire a primeira pedra.”
    .
    Embora, de maneira geral, a contribuição dos ameríndios para o DNA “principal” dos brasileiros seja pequena (inferior a 10%, em média) perto da europeia (predominante) e africana (logo atrás), muitos dos que se consideram brancos por aqui têm mtDNA indígena — sinal de uma matriarca esquecida no passado remoto de inúmeras famílias brasileiras [...]. Para ser mais exato, entre 20% e 30% dos brasileiros vivos hoje descendem de uma tataravó índia, como mostra o mtDNA.

  142. Vitor Diz:

    De alguma maneira, os xinguanos e os habitantes primevos de Marajó, de Altamira e de outros lugares encontraram maneiras de transformar o ambiente que ocuparam — e que exploraram de forma relativamente intensa e planejada, aliás — sem bagunçar tudo, diferentemente do que o Estado e a iniciativa privada da República Federativa do Brasil têm feito desde o último século. Acho difícil que não tenhamos nada a aprender com eles. No mínimo, sou capaz de apostar que o pessoal da Embrapa (a gloriosa Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, uma das grandes responsáveis pelo nosso status como potência agropecuária tropical) faria de tudo para pegar carona numa máquina do tempo e aprender, tintim por tintim, a “receita” da terra preta amazônica com os agrônomos indígenas do ano 1000 d.C. Aliás, excetuando-se o pequeno detalhe da máquina do tempo, é exatamente isso que pesquisadores da Embrapa e de outros lugares têm feito nas últimas décadas: experimentar diferentes formas de recriar as
    propriedades interessantíssimas da terra preta.
    .
    Quem ainda acha que esse tipo de preocupação não passa de obsessão de “ecochato” ou maluquice de abraçador de árvore deveria abrir os olhos e os ouvidos, nem que seja para prestar atenção a algumas das mazelas que preencheram o noticiário nacional dos últimos anos — da seca em São Paulo ou em Manaus ao mar de lama em Mariana. A saúde do seu bolso e mesmo a saúde física das pessoas ao seu redor vão depender, em grande medida, de soluções menos burras para os desafios que as primeiras civilizações brasileiras já enfrentavam.

  143. Vitor Diz:

    Além de mencionar as enormes aldeias, que poderiam muito bem ser classificadas como cidades, o frade louva a alta qualidade da cerâmica amazônica, “louça que é da melhor que já se viu no mundo, porque a de Málaga [na Espanha] não se iguala a ela, pois é toda vidrada e esmaltada, de todas as cores e tão vivas que espantam, e além disso os desenhos e pinturas que nela fazem são tão detalhados [...] como os da louça romana”. Os índios encontrados pela expedição consomem quantidades pantagruélicas de peixes e tartarugas de água doce, que eles criam em grandes currais e viveiros; plantam milho, mandioca e frutas em vastas roças; obtêm os mais variados tipos de carnes de caça, de macacos a felinos.

  144. Vitor Diz:

    MARCIANO DISSE: “Existem várias “civilizações” que faziam a prática de sacrifícios humanos, alguns deles, por exemplo, foram os Astecas, os Incas e os Maias.”
    .
    http://www.if.ufrgs.br/~dpavani/FIS02008/AULAS/2011_1_ciclo_1/Astronomia_pre_colombiana-Caroline.pdf

  145. Vitor Diz:

    http://www.tribunapr.com.br/arquivo/tecnologia/astronomia-pre-colombiana/
    .
    As civilizações pré-colombianas que viveram nas Américas atingiram um nível de conhecimento astronômico notável, como comprovam as inscrições que figuram em suas estrelas, bem como em suas pinturas rupestres. Uma notável descoberta astronômica foi efetuada recentemente pela equipe do Museu Nacional, chefiada pela arqueóloga Maria Beltrão, na Bahia, onde se encontrou o que poderia ser talvez a mais antiga representação de um cometa associada a três estrelas de brilho diferente. Os registros de pintura rupestres, no Brasil, são muito freqüentes.
    .
    Na localidade de Pedra Lavrada, na Paraíba, existe uma representação da Plêiades, aglomerado aberto de estrelas que teve importância enorme na cultura indígena brasileira como marco inicial do período da chuva. Em Varzelândia, em Minas Gerais, existe uma representação de um Sol ao lado de um crescente lunar, que poderia estar associado à explosão da supernova do ano 1054, que os chineses registraram e que, segundo o astrônomo Miller, teria sido assinalada em pinturas rupestres elaboradas por antigos habitantes da América do Norte. Apesar de todas as descobertas arqueológicas efetuadas, ainda não fora assinalada nenhuma representação cometária tão notável. A completa ausência de uma linguagem, ou mesmo de um sistema de contagem, deixam os arqueoastrônomos totalmente desorientados quanto à interpretação, ao contrário do que ocorre com as inscrições legadas pelos maias e astecas. De fato, os maias, com seu sistema de contagem na base vinte, conseguiram resultados notáveis na determinação dos períodos de visibilidade dos principais astros, bem como na elaboração de um sistema de calendário muito preciso.
    .
    Os astecas e os maias foram, por razões religiosas, o que aliás ocorreu com todos os povos primitivos, observadores muito assíduos e cuidadosos dos fenômenos celestes. Eles sabiam reconhecer os planetas, avaliar, com notável precisão, a duração do ano, das estações e do mês lunar, o movimento do Sol, a revolução sinódica de Vênus etc. Com auxílio destes conhecimentos, conseguiram prever os eclipses da Lua e do Sol.
    .
    Além de observatórios azimutais que se baseavam na observação do nascer e ocaso dos astros no horizonte, construíram os primeiros observatórios zenitais, os quais permitiam observar o instante de culminação de determinados astros no céu. Convém lembrar que os outros povos utilizavam, em geral, o primeiro sistema de observação, que tinha, como plano fundamental de referência, o horizonte.
    .
    Apesar dos seus instrumentos terem sido muito rudimentares, foi graças às visadas minuciosas e repetidas que se tornou possível aos maias atingirem uma precisão notável na determinação dos períodos sinódicos de alguns astros, dentre eles o do planeta Vênus.
    .
    O valor do período sinódico de Vênus, intervalo de tempo que decorre entre duas posições iguais e sucessivas do planeta no céu, foi estimado em 584 dias segundo os maias, valor muito próximo do atualmente aceito 583,9 dias.
    .
    Uma das grandes preocupações dos maias foi seu interesse pela medida do tempo. Ao constatar que determinados fenômenos se repetiam a intervalos regulares, imaginaram que estes eventos deviam se reproduzir em outras datas.
    .
    Essa preocupação em datar tudo está muito bem assinalada nas inscrições de seus monumentos, aos quais põem as datas do início e fim em que foram elaborados.
    .
    Possuíam dois calendários: um solar, de 18 meses de 20 dias, e mais 5 dias desastrosos e, um outro, ritual, religioso, que compreendia 20 períodos de 13 dias, designados cada um deles por um nome particular precedido do número 1 ao 13. Um calendário semelhante era adotado pelos astecas.
    .
    O atual período de tempo decorrido entre o aparecimento de Vênus, como estrela da manhã, e como estrela da tarde, é muito próximo do valor do ano ritual de 260 (263 dias em média). Por outro lado, 3 ciclos de 260 dias são quase exatamente iguais ao período sinódico de Marte (779,94).
    .
    A associação desses dois calendários maias permitia a repetição dessa sequência idêntica a cada 18980 dias, correspondendo a 52 anos do calendário solar (52×365=18980) e a 73 anos do calendário ritual (73×260= 18980). Como a aritmética maia desconhecia as frações e, sendo os períodos astronômicos quase todos fracionários. Assim, o dobro do ano ritual (520 dias) era equivalente a três metades do ano eclipse de 346,62 dias (3×172,31=519,93), fator que deve ter sido importante nas suas previsões de eclipses.

    Grande parte do conhecimento da civilização maia, que conhecia o conceito de zero antes dos ocidentais, perdeu-se nas mãos destruidoras dos conquistadores fanáticos, que se consideravam donos da cultura, da sabedoria e da verdade.
    .
    Autor: Ronaldo Rogério de Freitas Mourão, strônomo, criador e primeiro diretor do Museu de Astronomia e Ciências Afins .

  146. Marciano Diz:

    Em janeiro deste ano, Ruschi submeteu-se a uma pajelança – ritual indígena conduzido pelo cacique e pajé Raoni, da tribo Txucarramãe, e pelo pajé Sapaim, dos Camaiurá – porque, segundo afirmou na época, queria curar-se do veneno de sapos da espécie dendrobata, que ele teria contraído no Amapá. Depois da pajelança, o naturalista afirmou sentir-se curado dos males provocados pelo veneno – hemorragia nasal, desânimo e falta de apetite. “As outras doenças do fígado e do estômago – afirmou – vou continuar tratando com a medicina alopata”.
     

    O presidente José Sarney, 56, tomou conhecimento às 19h de ontem, por intermédio do secretário de imprensa interino, Frota Neto, da morte do naturalista Augusto Ruschi. Segundo o assessor do presidente, “ele recebeu a notícia com bastante tristeza”. O ministro Costa Couta, do Interior, disse que “todo o Brasil está de luto.”
     
    Fonte: http://almanaque.folha.uol.com.br/cotidiano_041jun1986.htm
     
    Se até o Ruschi acreditou nisso, entendo que você também acredite, pois é dado a crenças exóticas mesmo.
     
     
    Se os selvagens eram assim tão evoluídos, deveriam ser eles a colonizar a Europa.
     
    Até hoje, os poucos selvagens que não foram aculturados, que ainda vivem como indígenas, são atrasados, ainda comem gente, como na notícia acima…
     
    Cuidado com a esquerdopatia ensinada nas escolas e nas faculdades.

  147. Marciano Diz:

    É melhor ser eurocentrista do que ser afrocentrista, sinocentrista e outros “istas”.

  148. Marciano Diz:

    Eu não corro o risco de ter DNA mitocondriano selvagem, pois minha família paterna, até o meu nascimento, estava na Europa desde tempos imemoriais, e a materna estava aqui há menos de duzentos anos, não tendo contato nenhum com indígenas.

  149. Marciano Diz:

    Em outras encarnações eu devo ter feito coisas terríveis, para ser condenado a nascer nesse país de merda.
    Por outro lado, a Europa está tomada por comunistas (também) e sendo invadida constantemente por hordas de imigrantes, inclusive muçulmanos.
    Eu bem que gostaria de viver em Marte, bem longe dessa porcaria. Se fosse possível…
    Olharia para o céu, veria isto, e morreria de apoplexia, de tanto rir.

  150. Marciano Diz:

    Estando em órbita e com um bom telescópio, eu veria isto.

  151. Marciano Diz:

    The image combines two separate exposures taken on Nov. 20, 2016, by the High Resolution Imaging Science Experiment (HiRISE) camera on NASA’s Mars Reconnaissance Orbiter. The images were taken to calibrate HiRISE data, since the reflectance of the moon’s Earth-facing side is well known. For presentation, the exposures were processed separately to optimize detail visible on both Earth and the moon. The moon is much darker than Earth and would barely be visible if shown at the same brightness scale as Earth.
     
    The combined view retains the correct positions and sizes of the two bodies relative to each other. The distance between Earth and the moon is about 30 times the diameter of Earth. Earth and the moon appear closer than they actually are in this image because the observation was planned for a time at which the moon was almost directly behind Earth, from Mars’ point of view, to see the Earth-facing side of the moon.

  152. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    MONTALVÃO DISSE: “observe-se que na lista de possibilidades explicativas, James não cita a de um morto em efetiva comunicação! ”
    ./
    VITOR disse:
    Montalvão, QUAL É O TEU PROBLEMA? O James antes de citar a lista, diz:
    .
    As fontes das comunicações verídicas emanando do Controle-Hodgson, e diferentes do «espírito» sobrevivente de R. H., poderiam ser enumeradas assim:[...]
    .
    Sacou? Captou? Entendeu que o rol é das hipóteses alternativas à hipótese de espíritos?
    /.
    .
    MONTALVÃO DISSE2:
    qual o seu problema, Vitor Visoni, só porque confessei não ter lido o artigo inteiro você não lê minha postagem? Montalvão destacou essa “ausência” e a explicou, mira:[...] não deve ter entendido minha pretensão: citei a ausência e a expliquei porque tencionava ganchear trecho da dissertação do Maraldi, que considero esclarecedora.
    .
    Sacou? Captou? Se tiver dúvida, não se acanhe, fale que esclareço…
    ./
    VITOR disse2:
    Aí é que está. Não precisava explicar porque o próprio James já a explica. Não há ausência de fato. O rol é de explicações alternativas à de espíritos. Por isso espíritos não consta nesta lista. Isso está dito.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: Sabemos disso – que James explicou – (viu como em muitas coisas concordamos?), contudo esse ponto não estava em jogo quando falei o que disse: você é que não me entendeu… e, ao que parece, continua não entendendo, pois está esclarecendo o desnecessário.
    .
    Além de tudo, cá entre nós (e bem baixinho pra ninguém mais ouvir): está criando um espantalho… sabe disso, não? Achou que achou um ponto fraco na minha explanação e o ataca como se fosse ele o cerne de meu comentário. Espantalho mais legítimo que esse não existe!
    .
    O cerne de meu comentário foi: William James não demonstrou, além de qualquer dúvida aceitável, que Piper fosse paranormal, apenas entendeu que, em alguns casos, as manifestações da moça se explicavam por essa via. Sendo assim, alegar que o artigo mostra exemplos de “conhecimento paranormal” por parte de Piper não está correto. Ponto.
    .
    Compreendeu agora, sem espantalhos?

  153. Vitor Diz:

    MARCIANO DISSE: “É melhor ser eurocentrista do que ser afrocentrista, sinocentrista e outros “istas”.”
    .
    Parece que você parou no tempo de Kardec, que tinha uma visão eurocêntrica do mundo e falou/aceitou diversas besteiras sobre os povos ameríndios e africanos.

  154. Vitor Diz:

    MARCIANO DISSE: “Se os selvagens eram assim tão evoluídos, deveriam ser eles a colonizar a Europa.”
    .
    A gama de doenças trazidas pelos ‘evoluídos’ europeus foi o principal fator de extermínio das populações ameríndias, possibilitando a colonização aqui.
    .
    By the time Columbus set sail, the people of the Old World held the distinction of being thoroughly diseased. By domesticating pigs, horses, sheep and cattle, they had infected themselves with a wide array of pathogens. And through centuries of war, exploration and city-building, they had kept those agents in constant circulation. Virtually any European who crossed the Atlantic during the 16th century had battled such illnesses as smallpox and measles during childhood and emerged fully immune.
    .
    By contrast, the people of the Americas had spent thousands of years in biological isolation. Their own distant ancestors had migrated from the Old World, crossing the Bering Strait from Siberia into Alaska. But they traveled in bands of several hundred at most. The microbes that cause measles, smallpox and other “crowd type” diseases require pools of several million people to sustain themselves. By the time Columbus arrived, groups like the Aztecs and Maya of Central America and Peru’s Incas had built cities large enough to sustain major epidemics.
    .
    Archeological evidence suggests they suffered from syphilis, tuberculosis, a few intestinal parasites and some types of influenza (probably those carried by waterfowl). Yet they remained untouched by diseases that had raged for centuries in the Old World. When the newcomers arrived carrying mumps, measles, whooping cough, smallpox, cholera, gonorrhea and yellow fever, the Indians were immunologically defenseless.
    .
    The disaster began almost as soon as Columbus arrived, fueled mainly by smallpox and measles. Smallpox–the disease that so ravaged Tenochtitlan on the eve of Cortes’s final siege– was a particularly efficient killer.
    .
    By the time the conquistadors reached Peru in the 1520s, smallpox was already decimating the local Incan civilization and undermining its political structure. The empire’s beloved ruler, Huayna Capaj, had died. So had most of his family, including the son he had designated as his heir. The ensuing succession struggle had split the empire into two factions that were easily conquered by Francisco Pizarro and his troops. “Had the land not been divided,” one Spanish soldier recalled, “we would not have been able to enter or win.”

  155. MONTALVÃO Diz:

    /
    Marciano Diz:
    ===============================================
    Discurso eurocêntrico detectado. E penso que historicamente indefensável.
    ==============================================
    Quem não for eurodescendente aqui, que atire a primeira pedra.
    E quem defende que os selvagens sairiam sozinhos do estado de selvageria em que se encontravam estagnados há milênios, que o prove.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: aí discordo um tanto do meu amigo, embora concorde outro tanto. Realmente, os indígenas não sairiam de seu estado não científico e não tecnológico sozinhos, como muitas tribos ainda não sairam e as que sairam viraram uma caricatura de civilização: nem exatamente civilizados nem exatamente indígenas.
    .
    A questão aqui é: precisavam mesmo mudar os rumos de suas culturas para mergulharem na estrada que os conquistadores trilhavam? A ideia vigente na mente de muitos é a de que a cultura européia não precisava de contribuições da indígena, mas esta necessitava crucialmente da ajuda dos europeus! Este é o ponto a ser discutido. Os indígenas haviam encontrados suas soluções para os problemas que vivenciavam e viviam bem assim. O que seria deles se fossem deixados em paz para seguir adiante?
    .
    O fato é que o choque entre as duas culturas (como é historicamente de praxe) significou grande prejuízo para o lado fraco. Vigorou a política do “ou adere ou te aniquilo”. E a “adesão” do indígena ao modo de vida europeu não foi de incorporação plena, mas de plena exploração e, embora jesuítas tentaram minimizar essa realidade, o quadro não mudou desde então.
    .
    EM TEMPO: estou comentando enquanto leio, se adiante a questão já foi abordada não é plágio!

  156. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “William James não demonstrou, além de qualquer dúvida aceitável, que Piper fosse paranormal, apenas entendeu que, em alguns casos, as manifestações da moça se explicavam por essa via. Sendo assim, alegar que o artigo mostra exemplos de “conhecimento paranormal” por parte de Piper não está correto. Ponto.”
    .
    Está correto sim:
    .
    Miss Bancroft efetuou ainda duas sessões, em 02 e 03/12/1907. Em 02/12, Hodgson parece ter tido conhecimento de algumas mudanças introduzidas na propriedade de Owl’s Head: havia uma nova tapeçaria de cor amarela, uma nova cabine, um novo paredão e um novo terraço, etc, fatos dos quais Mrs. Piper não estava em condições de ter qualquer conhecimento. Ele manifestou também um conhecimento exato de um assunto de ordem absolutamente privada que interessava duas outras pessoas e que Miss Bancroft tinha sido levada a observar.
    .
    Veja que as conclusões das outras partes referentes a Piper são absolutamente idênticas.
    .
    Dr. Bailey: O Dr. Bayley escreveu-me pessoalmente após estas sessões: «Elas são bastante boas e quase me convenceram (porque os fatos se juntavam à minha experiência anterior) que o meu caríssimo amigo não está longe de mim. Eu tinha efetuado cinco ou seis sessões, algumas delas com Miss Bancroft, antes da morte de R. H. Que eu saiba, Mrs. Piper não sabia o meu nome, nem sabia que eu estava em Filadélfia, nem que eu conhecia Newbold. Dou-me conta de que a média dos leitores destes relatórios perde muito não reconhecendo neles pequenas modalidades de expressão e de personalidade: trata-se de subtilezas que não é possível exprimir na linguagem.
    .
    Prof. Newbold: O Prof. Newbold dá-me a sua própria impressão final nas linhas seguintes: «As provas a favor da identidade de H., tal como em favor da identidade dos outros espíritos comunicantes, parecem-me na verdade muito fortes. Não são absolutamente concludentes; mas na única alternativa possível, a teoria telepática não me parece explicar tão bem os fatos como a teoria espírita. Considero em todo o caso como absolutamente impossíveis de aceitar os corolários necessários da teoria espírita, particularmente os que se relacionam com o grupo Imperator, e sou por conseguinte forçado a suspender o meu juízo».
    .
    Note que Newbold não duvida da paranormalidade de Piper. Ele suspendeu o juízo porque não consegue decidir entre a teoria telepática e a espírita.

  157. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Outra coisa: quem é contra a Europa aqui, que o diga em língua não-europeia.
    A língua que vocês usam para comentar aqui é europeia.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: 66&&¨()(* $%# @@@ ?? “”” &*&¨¨…
    .
    Informação: falei em etrusco alsaciano que, creio, não é língua européia. Para aqueles que, admiravelmente, não têm habitualidade com o etrusco alsaciano, traduzo: não sou contra a europa e não acho que a conversa deva caminhar por aí
    /
    /
    “As línguas que os selvagens daqui falavam não tinha escrita (claro, eles estavam na pré-história).”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: depende a que “selvagens” se refira: as américas agasalharam centenas de culturas, várias delas com escritas, algumas até hoje não decifradas como as dos Nazca, olmecas, toltecas…, diversas desapareceram antes da chegada dos europeus e delas só ficaram os vestígios.

  158. MONTALVÃO Diz:

    /
    O canibalismo praticado entre certas tribos americanas não era propriamente o de caçar seres humanos para sobreviver de suas carnes. Tinha um componente religioso-social que era aceito pelos envolvidos, inclusive pelos sacrificados.
    .
    Havia a ideia de que a carne do imolado transmitiria suas qualidades aos que comessem. Se algum deles quisesse escapar dessa morte bastava mostrar-se covarde e chorão: ninguém quereria ganhar qualidades tais.
    .
    Antes do sacrifício antecedia cerimônia em que o sacrificado era acossado pela tribo que o capturou, incluindo mulheres e crianças, ocasião em que mostrava sua ferocidade e destemor diante do que lhe esperava. Quanto mais firme fosse a reação do prisioneiro mas era valorizado.
    .
    No fim das contas todas viviam felizes para sempre, com exceção, claro, do morto que vivera feliz até ser cozido…

  159. MONTALVÃO Diz:

    /

    “Em janeiro deste ano, Ruschi submeteu-se a uma pajelança – ritual indígena conduzido pelo cacique e pajé Raoni, da tribo Txucarramãe, e pelo pajé Sapaim, dos Camaiurá – porque, segundo afirmou na época, queria curar-se do veneno de sapos da espécie dendrobata, que ele teria contraído no Amapá. Depois da pajelança, o naturalista afirmou sentir-se curado dos males provocados pelo veneno – hemorragia nasal, desânimo e falta de apetite. “As outras doenças do fígado e do estômago – afirmou – vou continuar tratando com a medicina alopata”.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: Ruschi, um naturalista experimentado, deu o maior mole da vida, ao se encantar com o dendrobata: um sapinho colorido, aparentemente inofensivo. Várias vezes acolheu o bichinho em suas mãos e ficou a contemplá-lo embevecido. Não sabia que um silencioso veneno, que lhe atravessava a pele e se instalava no fígado iria destruir esse órgão irremediavelmente.
    .
    Quando descobriu era tarde para qualquer medida, fosse pajelança fosse alopatança.
    .
    Claro que o pajé não curaria Ruschi, a pajelança é placeboterapia (falo do ritual em si, havendo uso de fitoterápicos pode ser outra história, embora não necessariamente seja). O ritual talvez ajude o organismo a enfrentar doenças leves, mas não tem atuação sobre intoxicações crônicas. Ruschi sentiu os efeitos do enlevo que a cerimônia propiciava e isso faz com que as pessoas se sintam bem e se julguem curadas. Processo parecido ocorre nas cirurgias espirituais, nos cultos de “libertação e cura”, no Johrei, no passe espírita, etc.
    .
    Se a boa e velha alopatia não cura dificilmente outro caminho dará solução!

  160. MONTALVÃO Diz:

    /
    Putz, dei mole! Se meu fecha bold solitário não solucionou, Vitor quebra essa. Prometo que não me deixarei mais influenciar pelo Gorducho ;-)

  161. vinicius Diz:

    GORDUCHO DIZ: Mas Antúlio não é Jesus em anterior encarnação em Atlântida ?
     
    Na entrevista achei que não, mas que CX dá uma enrolada em quem perguntou e só diz que precisa de um estudo maior a respeito desse camarada e tal , mas que é um espirito de alta hierarquia. Não achei que este fosse Jesus pois se refere como alguém que ajudou Jesus na construção do Orbe. Talvez ajudando a carregar as bolas de fogo :mrgreen:
     
    Marciano Diz:
    FEVEREIRO 7TH, 2018 ÀS 5:45 PM
    Estaria assim até hoje, se não fossem os “malditos” europeus. Ingratos!
     
    Estaríamos andando peladões sem saber onde carregar canetas, celulares e carteiras… se é que estas coisas chegariam aqui :mrgreen:

  162. vinicius Diz:

    Aliás percebo que CX tenta sempre dar uma enrolada nas respostas quando é questionado de imediato sem tempo para pesquisar em seus cadernos… ops…Emmanuel…
     
    Tem uma entrevista que Gugu pergunta a ele sobre a AIDS , dá uma resposta extremamente sem sentido (vou ver se acho o vídeo). E termina com a famosa enrolação de que os humanos precisam se melhorar blá blá blá

  163. Gorducho Diz:

    Aquela do Nibiru então é genial…
    esclarece nosso orientador espiritual que o assunto alusivo à aproximação de um Planeta ou de Planetas, da zona – ou melhor da aura da Terra – deve, naturalmente, basear-se em estudos científicos, que possam saciar a curiosidade construtiva das novas gerações renascentes no mundo.
     
     
    Mas será que o Emmânuel não tinha capacidade siquer pra perguntar pr’algums lá nas altas esferas onde ele morava (já que agora, claro, ele está reencarnado) se tinha ou não algum paneta se aproximando ❔
    Responder
    SIM
    NÃO
    NÃO SEI
     
    Como o espírito do Dr. Bezerra que nunca se pronuncia sobre o que foi o cavalo-de-batalha dele: SE afinal Jesus
    era um fantasma condensado como ele achava em vida;
    OU se era de carne-e-osso como nós…
    Fica eternamente naquela ladainha genérica do grave momento que estamos vivendo blah blah blah 😠

  164. Gorducho Diz:

    Ponha o semicolon na question mark faz favor, Sr> Administrador
    desculpe :oops:

  165. MONTALVÃO Diz:

    /
    MONTALVÃO DISSE: “William James não demonstrou, além de qualquer dúvida aceitável, que Piper fosse paranormal, apenas entendeu que, em alguns casos, as manifestações da moça se explicavam por essa via. Sendo assim, alegar que o artigo mostra exemplos de “conhecimento paranormal” por parte de Piper não está correto. Ponto.”
    .
    VITOR retruca veemente: Está correto sim [seu feio!]:
    .
    “Miss Bancroft efetuou ainda duas sessões, em 02 e 03/12/1907. [...].”
    .
    VITOR: Veja que as conclusões das outras partes referentes a Piper são absolutamente idênticas.
    .
    “Dr. Bailey: [...]
    .
    Prof. Newbold: «As provas a favor da identidade de H., tal como em favor da identidade dos outros espíritos comunicantes, parecem-me na verdade muito fortes.
    [PORÉM]
    Não são absolutamente concludentes;
    mas na única alternativa possível [quer dizer: “na única alternativa que me ocorre aplicável], a teoria telepática não me parece explicar tão bem os fatos como a teoria espírita.
    Considero em todo o caso como absolutamente impossíveis de aceitar os corolários necessários da teoria espírita, particularmente os que se relacionam com o grupo Imperator, e sou por conseguinte forçado a suspender o meu juízo».
    .
    VITOR: Note que Newbold não duvida da paranormalidade de Piper. Ele suspendeu o juízo porque não consegue decidir entre a teoria telepática e a espírita.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: como diria meu amigo Vitor Visoni: “qual o seu problema?”
    .
    Que parte de: “o artigo não mostra que Piper fosse paranormal, apenas expressa a opinião de James (acrescente-se, e de amigos) nesse sentido” você não entendeu?
    .
    Vê-se que Newbold, embora resistisse à hipótese espírita, ante Piper viu-se inclinado a admití-la, conquanto com restrições, o que o deixou pasmado tendo em conta as incongruências mediúnicas de que tinha conhecimento (inclusive da parte de Piper) e a aparente exata personalidade de H. em comunicação.
    .
    Quer dizer, as vias explicativas que alguns sábios encontraram foi ou paranormalidade ou mediunidade, mas tal não significa que fosse um ou outro, certamente não era nem um nem outro…
    .
    Psicologia, habilidades naturais, concatenações afortunadas, etc… ou seja, esgotar o natural antes de cair alegremente para a indemonstrável “sobrenaturalogia”… Este o caminho que não foi trilhado até o fim!
    .
    Fim.

  166. Vitor Diz:

    MONTALVÃO DISSE: “Quer dizer, as vias explicativas que alguns sábios encontraram foi ou paranormalidade ou mediunidade, mas tal não significa que fosse um ou outro, certamente não era nem um nem outro…”
    .
    Continuamos à espera de explicações melhores… o fato é que o artigo oferece exemplos julgados acima da dúvida razoável por James, Bailey, Newbold e outros como paranormais. Ou seja, o fenômeno foi replicado perante diversas pessoas, todas chegando à mesma conclusão: ou psi ou espíritos.

  167. MONTALVÃO Diz:

    /
    Muitos e não poucos mediunistas, ante o incontestável fato de que imaginados espíritos sejam incapazes de darem mostras de suas presenças, apegam-se à confortável tese da “satisfação do freguês”, quer dizer, se o consulente se diz convencido de que o ente comunicante é quem acredita ser, então, está provado um morto vivo em comunicação!
    .
    Esta alegação é brandida inclusive por espiritualistas cultos, exemplos do Vitor e do Arduin. Sei que eles sabem que não é tão mole assim, se fosse o mainstream da ciência não teria como recusar essa férrea demonstração.
    .
    Com Piper não foi diferente. Visto que a mulher personificava com a eficiência de uma atriz algumas das pessoas que dizia contatar, parte de seus admiradores e pesquisadores acharam que o mistério estava solucionado.
    .
    Não percebiam que explicar o misterioso com o mais misterioso não explica nada!

  168. MONTALVÃO Diz:

    /
    MONTALVÃO DISSE: “Quer dizer, as vias explicativas que alguns sábios encontraram [não se esqueça: ALGUNS] foi ou paranormalidade ou mediunidade, mas tal não significa que fosse um ou outro, certamente não era nem um nem outro…”
    .
    VITOR: Continuamos à espera de explicações melhores… o fato é que o artigo oferece exemplos julgados acima da dúvida razoável por James, Bailey, Newbold e outros como paranormais. Ou seja, o fenômeno foi replicado perante diversas pessoas, todas chegando à mesma conclusão: ou psi ou espíritos.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: Newbold não, ele não optou pela paranormalidade ou mediunidade: sentiu-se confuso e preferiu não emitir opinião…
    .
    Ficamos, então, com James e Bailey… perfeita sua explanação e, conforme falei, o que temos é o ponto de vista desses dois a respeito do que presenciaram. Isso não é prova de paranormalidade ou de mediunidade…
    .
    Por outro lado, a frase final precisa ser acertada:
    .
    VITOR: Ou seja, o fenômeno foi replicado perante diversas pessoas, todas chegando à mesma conclusão: ou psi ou espíritos.
    .
    CONSIDERAÇÃO: correto que Piper se exibiu perante diversas pessoas, errado que TODAS chegaram à mesma conclusão “ou psi ou espíritos”. Esta não foi conclusão nem dos simpatizantes das hipóteses místicas. Alguns ficaram com a paranormalidade, outros com a mediunidade e uns poucos sim: preferiram a indecisão, exemplo de Newbold.
    .
    Um outro grupo (parece se esquecer) permaneceu com pés e cabeça na Terra: inferiram que o singular psiquismo da mulher, somado com habilidades naturais de que era dotada, matavam a charada.
    .
    Numa coisa, contudo, tocontigo: “Continuamos à espera de explicações melhores” [mais amplas e aceitáveis]

  169. Marciano Diz:

    ===============================================================
    O canibalismo praticado entre certas tribos americanas não era propriamente o de caçar seres humanos para sobreviver de suas carnes. Tinha um componente religioso-social que era aceito pelos envolvidos, inclusive pelos sacrificados.
    ===============================================================
     
    Por certo que sim!
    Como bem disseste, “certas” tribos americanas se encaixam nesse perfil. Mas parece que tu não viste o link com a notícia do G1, que deixei acima.

     
    Ei-la, de novo:
     
    http://g1.globo.com/Noticias/Brasil/0,,MUL995160-5598,00-INDIOS+SAO+SUSPEITOS+DE+CANIBALISMO+NO+AMAZONAS.html
     
    Transcrevo uma parte. Leia o resto no link.
     

    Corpo de rapaz de 21 anos foi esquartejado e encontrado em aldeia kulina.
    Polícia de Envira (AM) diz que órgãos teriam sido ingeridos pelos indígenas.

                       Seis índios são suspeitos de canibalismo em uma aldeia da tribo kulina, na cidade de Envira (AM). A vítima é Océlio Alves de Carvalho, 21 anos, deficiente intelectual, que desapareceu na tarde de 1º de fevereiro. O corpo dele foi esquartejado e encontrado por familiares, sem órgãos e vísceras, perto da aldeia, na terça-feira (3). A polícia informou ter ouvido uma testemunha, que afirmou ter visto os índios comerem órgãos da vítima.

                       O rapaz foi sepultado na quarta-feira (4), em um cemitério da cidade. Os representantes da Fundação Nacional do Índio (Funai) chegaram ao local no dia seguinte ao sepultamento. A Funai foi procurada pelo G1 para comentar o caso, mas ainda não se pronunciou.

                       Segundo o laudo do Instituto de Medicina Legal (IML) de Envira, a morte foi provocada pela quantidade de facadas no corpo da vítima, que tinha cerca de 60 marcas, seguida de esquartejamento. “Os órgãos foram assados em uma espécie de ritual na aldeia. Não foram encontrados o coração, cérebro, fígado e outros pedaços do corpo”, disse o sargento José Carlos Correia da Silva, da Polícia Militar, e que também responde pela delegacia da cidade.

     
    E isto agora, no século XXI.
    Claro que tem quem queira tapar o sol com a peneira, como lerá no restante da notícia.
     
     
    Isto mesmo, VINICIUS! Em vez de smartphones, faríamos sinais de fumaça.
    Andaríamos peladões e sem lugar para guardar cartões bancários.
     
     
    Jesus não era fantasma condensado nem de carne e osso. Era e é totalmente imaginário, assim como o Visconde de Sabugosa.
     
    Quanto ao tema propriamente dito, os paranormais não fazem nada que os santos da igreja católica não tenham feito em vida, como já mostrei.
    Se formos acreditar nas pessoas encantadas com médiuns do passado, por que não nos encantarmos com os milagres dos santos católicos❓

  170. Marciano Diz:

    Como afirmei no tópico mais recente (o da ubiquidade), santos também sabem bilocação, levitação, curas, emanação de perfumes…

  171. MONTALVÃO Diz:

    /
    ==========================================
    O canibalismo praticado entre certas tribos americanas não era propriamente o de caçar seres humanos para sobreviver de suas carnes. Tinha um componente religioso-social que era aceito pelos envolvidos, inclusive pelos sacrificados.
    ====================================
    MARTE DIZ:
    Por certo que sim!
    Como bem disseste, “certas” tribos americanas se encaixam nesse perfil. Mas parece que tu não viste o link com a notícia do G1, que deixei acima.

    Ei-la, de novo:

    http://g1.globo.com/Noticias/Brasil/0,,MUL995160-5598,00-INDIOS+SAO+SUSPEITOS+DE+CANIBALISMO+NO+AMAZONAS.html

    Transcrevo uma parte. Leia o resto no link.

    [...]

    E isto agora, no século XXI.
    Claro que tem quem queira tapar o sol com a peneira, como lerá no restante da notícia.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: pelo que entendi, trata-se de ocorrência atípica e não configura prática comum naquela comunidade indígena. E não há certeza de que houve realmente canibalismo.
    Supondo que os criminosos tenham mesmo comido partes do corpo da vítima, trata-se de grupo degenerado, comparável aos marginais de nossas cidades, cada vez mais violentos e cruéis.
    .
    Aliás, canibalismos marginais se registram modernamente em várias partes do mundo. Recentemente um casal russo foi preso, acusado de matar e devorar cerca de 30 pessoas. Nos Estados Unidos outro casal foi acusado de praticar a antropofagia em rituais religiosos. No Brasil ficou famoso o trio de baianos que matava, comia e usava parte da carne para rechear os bolinhos de carne que vendia, quer dizer, muitos fregueses do grupo, inadvertidamente, participaram da devoração.
    .

  172. Marciano Diz:

    Montalvão, não sei se foi coincidência ou se houve causalismo, mas seu último comentário foi o de número 171.
    Fiz-lhe uma pergunta no tópico mais recente, mas o Gorducho respondeu por você, estragando tudo.
    Pode responder assim mesmo, pois o que eu queria era a sua resposta, não a dele.
    Da próxima vez mando uma MP.

  173. MONTALVÃO Diz:

    /
    Quanto ao tema propriamente dito, os paranormais não fazem nada que os santos da igreja católica não tenham feito em vida, como já mostrei.
    Se formos acreditar nas pessoas encantadas com médiuns do passado, por que não nos encantarmos com os milagres dos santos católicos?
    /.
    CONSIDERAÇÃO: está correto, apenas eu alteraria a declaração:
    “os paranormais não fazem nada que os santos da igreja católica não tenham feito em vida”
    para:
    os paranormais não chegam nem perto do que os santos da igreja católica fizeram em vida
    /
    Scott Rogo escreveu livro em que exaltava os poderes de santos católicos e defendeu que no ambiente religioso a paranormalidade encontra campo propício para se manifestar com força total!

  174. MONTALVÃO Diz:

    /
    O site deveria ter um sistema de avisos, um para noticiar que há novos tópicos e outro, este mais importante, para avisar no mail dos participantes (os que optem pelo facilitador, naturalmente) que há novos comentários em rubricas específicas.
    .
    Tecnologia há, só implantar…

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)