A Resposta de Hyslop a Tanner (1911)

A chegada do artigo traduzido com a resposta de Hyslop a Tanner referente às pesquisas com a médium Piper obrigou-me a interromper minhas férias por um dia. A tradução custou 5.600 reais e foi paga com o auxílio do Guilherme, do Jandir, do Arduin, do Márcio e do Massa. Muito agradeço a eles! Para baixar a tradução, clique aqui. Para baixar o artigo original, clique aqui.

126 respostas a “A Resposta de Hyslop a Tanner (1911)”

  1. Borges Diz:

    http://fraterluz.blogspot.com.br/2017/04/documentario-o-experimento-de-scole.html

  2. Borges Diz:

    Quero apenas deixar registrado o momento mais importante, talvez de toda história, para o Brasil e para os brasileiros.
    Viva o novo Brasil!!!

  3. Marciano Diz:

    RESPOSTA DE MARCIANO A BORGES:
    Aleluia!
    Tomara que seja de verdade; que não saia antes do cumprimento.

  4. Borges Diz:

    https://www.youtube.com/watch?v=ga2YgGhF3zM

  5. Borges Diz:

    Para quem está bem familiarizado com internet, celular e facebook, não é o meu caso, eis aí uma grande oportunidade de se fazer uma experiência paranormal ao vivo para diversas pessoas, da forma como fez o Daniel do vídeo que coloquei.

  6. Contra o chiquismo Diz:

    Ainda Psi… KJU vai ficar amigo do Trump e abrir a CN e aqui ainda se acredita em PSI…

  7. Orlando Diz:

    Bem. Estou tentando fortalecer minhas ideias quanto à Junta Médica Espiritual no além.
    No livro Fronteiras da Loucura, por exemplo, Dr.Bezerra e Dr.Arthur Figueiredo praticam seus serviços:
    “O doutor Artur Figueiredo recebeu-nos afetuo-samente, prontificando-se a auxiliar-nos no ministério da caridade, logo se inteirou do móvel da nossa visita.
    Mantendo uma atitude de respeito à dor que ali se apresentava em multiface atordoante, vencemos a distância que nos separava da enferma.
    Encontramo-la em um apartamento especial, adormecida sob a alta dose de um antidepressivo.
    O ambiente, em razão da psicosfera geral, era irrespirável. Podia-se notar, à primeira vista, a presença de Espíritos perturbados e irresponsáveis, que en- xameavam naqueles sítios, não necessariamente vinculados à paciente.
    Solicitado pelo olhar percuciente do caroável Bezerra, o diretor espiritual elucidou, paciente:
    - Trata-se de jovem senhora de 25 anos…”

  8. Orlando Diz:

    Fora os poderes que o espírito adquiri depois da desencarne:
    “Vi Dr. Bezerra aproximar-se do algoz e deixar-se perceber, na grandeza comovedora da sua humildade.
    O Espírito cruel, defrontando-o, blasonou:
    - Ela é minha. Ninguém a tomará de mim”
    “Enquanto isso sucedia, o irmão Artur semi-incor- porava o médico, que aplicou a primeira descarga elétrica na área do coração. O corpo semimorto foi sacudido com violência, após o que recebeu a segunda dose…
    À medida que se concentrava, Dr. Bezerra começou a irradiar poderosa luz que saía do seu plexo solar, inundando a sala de forte claridade espiritual.
    - Em nome de Deus – ordenou, então -, devolva esta jovem ao seu corpo!
    O Espírito da treva ficou paralisado sem compreender a ocorrência. Soltou o Espírito, que sentiu o impacto das descargas elétricas e o forte apelo da matéria debilitada, parecendo, à nossa visão, que era violentamente sugado pelo invólucro carnal.”
     
    Dr.Bezerra, juntamente com Dr.Arthur Figueiredo dispararam descargas elétricas nos algozes.

  9. Vinicius Diz:

    Vitor e outros
     
    Será que tem mais material para os livros, a exemplo dos “cadernos de CX”?
     
    “Pedreiro conta como encontrou acervo raro sobre Chico Xavier em Uberaba”
     
    https://g1.globo.com/mg/triangulo-mineiro/noticia/pedreiro-conta-como-encontrou-acervo-raro-sobre-chico-xavier-em-uberaba.ghtml
     
    “O material estava guardado há 50 anos, em um cômodo de um imóvel da Comunhão Espírita Cristã – o primeiro centro que Chico fundou em 1959, quando chegou à cidade mineira. O pedreiro foi fazer um serviço no local, a pedido de um amigo, e encontrou os documentos por acaso .
    “Eu estava andando no telhado, daí vi uma abertura, me deu curiosidade e vi que tinha muito material que pertencia ao Chico no passado”, relembrou.

  10. Maruzio Diz:

    Estou tentando fortalecer minhas ideias quanto à Junta Médica Espiritual no além.
    .
    WTF

  11. Phelippe Diz:

    Maruzio, vc acredita nas cidades espirituais? na Junta Médica do Além? O que acha que existe do outro lado? Só curiosidade mesmo.

  12. Gorducho Diz:

    JUNTA MÉDICA
    Se lembra Dr. que no Tsunami eles trabalharam com o espírito daquele médico (inglês) que tinha (quando encarnado, claro) o cadáver duma mulher em casa :?:

  13. Maruzio Diz:

    Phelippe, não dá pra saber. O que sei com certeza, é que não se pode confiar 100% no que dizem as pessoas.

  14. Maruzio Diz:

    Agora, junta médica para o que exatamente?? Depende muito do que vc acredita. Eu só não entendo a lógica kardecista com esse negócio de arquétipo platônico. Se aqui é uma cópia de lá, aqui serve para quê?

  15. Phelippe Diz:

    Gostei, Maruzio, tbm sigo essa linha de pensamento. E vc tocou num ponto essencial: se aqui é cópia de lá, qual o objetivo da vida? Não seria possível se aperfeiçoar por lá mesmo? Perde sentido até a necessidade da reencarnação.

  16. Gorducho Diz:

    Por “junta médica” o Dr. figurativamente estava a se referir aos vários médicos falecidos que atuam junto ou próximos do espírito do Dr. Bezerra…

  17. Gorducho Diz:

    E uma das besteiras mais clássicas do Kardec…
    O “mundo espiritual” e o “mais importante” mas é necessário encarnar (?)
    Completo nonsense muito agravado no espiritismo brasileiro onde é tudo copia de cá.

  18. Marciano Diz:

    Encarnar, para os que acatam esta doutrina, refere-se ao primeiro nascimento do Espírito em um corpo físico, ou em determinada Humanidade. Reencarnar, diz respeito aos renascimentos sucessivos do Espírito, em um mesmo Planeta ou em outros. Assim, Deus impõe aos homens a “encarnação com o fim de fazê-los chegar à perfeição. […] Mas para alcançarem essa perfeição, têm de sofrer todas as vicissitudes da existência corporal […].”1

    A encarnação tem ainda outra finalidade: a de por o Espírito em condições de cumprir sua parte na obra da Criação. Para executá-la é que, em cada mundo, ele toma um instrumento [corpo físico] em harmonia com a matéria essencial desse mundo, a fim de nele cumprir, daquele ponto de vista, as ordens de Deus. É dessa forma que, contribuindo para obra geral, ele próprio se adianta. 1

    A reencarnação é aceita como lei natural, que favorece a evolução do Espírito. Em cada existência corpórea, o Espírito recebe oportunidades para reparar equívocos comentidos em existências anteriores e para desenvolver novos aprendizados. Cada reencarnação é precedida de um planejamento, que permite ao reencarnante renascer no meio propício e junto a pessoas onde se faz necessário desenvolver aprendizados e os acertos espirituais.

    A reencarnação expressa a justiça e a misericórdia divinas que, não condenando o infrator — tal como apregoa algumas interpretações religiosas — concede ao Espírito a oportunidade de corrigir erros, cometidos devido à própria ignorância de não saber medir as consequências das próprias ações, magoando ou prejudicado pessoas.

    Nesses termos, a reencarnação é, por princípio, o reajuste da consciência culpada perante as leis sábias e amorosas que governam o Universo. Ninguém dela está livre.

    É processo superior de aquisição de felicidade a que está destinada todas as criaturas, por efeito de sua herança divina: “A passagem dos Espíritos pela vida corporal é necessária para que eles possam cumprir, por meio de uma ação material, os desígnios cuja execução Deus lhes confia.”1

    Os reajustes promovidos e viabilizados pela reencarnação assumem a forma de provas e de expiações, sempre de acordo com os erros cometidos e no âmbito da aquisição moral e intelectual de cada indivíduo. As provas são obstáculos naturais, impulsionadores do progresso. Já as expiações são provas mais difíceis, dolorosas, a que o Espírito se submete, decorrentes de um endividamento maior.

    1. KARDEC, Allan. O livro dos espíritos. O Livro dos Espíritos. Tradução de Evandro Noleto Bezerra. 2 ed. Rio de Janeiro: FEB, 2010, questão 132, p.147.

  19. Marciano Diz:

    O Evangelho Segundo o Espiritismo
    por ALLAN KARDEC – tradução de José Herculano Pires
     

    II – Necessidade da Encarnação
    SÃO LUIS
    Paris

    25 – A encarnação é uma punição, e somente os Espíritos culpados é que lhe estão sujeitos?

    A passagem dos Espíritos pela vida corpórea é necessária, para que eles possam realizar, com a ajuda do elemento material, os propósitos cuja execução Deus lhes confiou. É ainda necessária por eles mesmos, pois a atividade que então se vêem obrigados a desempenhar ajuda-os a desenvolver a inteligência. Deus, sendo soberanamente justo, deve aquinhoar eqüitativamente a todos os seus filhos. É por isso que Ele concede a todos o mesmo ponto de partida, a mesma aptidão, as mesmas obrigações a cumprir e a mesma liberdade de ação. Todo privilégio seria uma preferência, e toda preferência uma injustiça. Mas a encarnação, para todos os Espíritos, é apenas um estado transitório. É uma tarefa que Deus lhes impõe, no princípio da existência, como primeira prova do uso que farão do seu livre arbítrio. Os que executam essa tarefa com zelo, sobem rapidamente, e de maneira menos penosa, os primeiros degraus da iniciação, e gozam mais cedo o resultado do seu trabalho. Os que, ao contrário, fazem mau uso da liberdade que Deus lhes concede, retardam o seu progresso. E é assim que por sua obstinação, podem prolongar indefinidamente a necessidade de se reencarnarem. E é então que a encarnação se torna um castigo.

    26 – Observação – Uma comparação vulgar nos fará melhor compreender esta diferença. O estudante não atinge os graus superiores, sem ter percorrido a série de classes que o levam até lá. Essas classes, por mais trabalho que exijam, são o meio de atingir o fim, e não uma punição. O estudante laborioso abrevia a caminhada, encontrando menos dificuldades. Acontece o contrário com aquele que a negligência e a preguiça obrigam a repetir certas classes. Não é, porém, o estudo que constitui uma punição, mas a obrigação de recomeçá-lo em cada classe.

    É o que se passa com o homem na Terra. Para o Espírito do selvagem, que está quase no começo da vida espiritual, a encarnação é um meio de desenvolver a inteligência. Mas, para o homem esclarecido, em que o senso moral está largamente desenvolvido, e que se vê obrigado a repetir as etapas de uma vida corporal cheia de angústias, enquanto já podia ter atingido o fim, é um castigo, pela necessidade em que se acha de prolongar a sua permanência nos mundos inferiores e infelizes. Aquele que, ao contrário, trabalha ativamente para o seu progresso moral, pode não somente abreviar a duração de sua encarnação material, mas franquear de uma vez os graus intermediários, que o distanciam dos mundos superiores.

    Os Espíritos não poderiam encarnar-se uma só vez num mesmo globo, e passar suas diferentes existências em diferentes esferas? Esta opinião seria admissível, se todos os homens estivessem na Terra, exatamente no mesmo nível intelectual e moral. As diferenças existentes entre eles, desde o selvagem até o homem civilizado, revelam os graus que têm de percorrer. A encanação, aliás, deve ter uma finalidade útil. Ora, qual seria a finalidade das encarnações efêmeras, das crianças que morrem em tenra idade?

    Teriam sofrido sem qualquer proveito, nem para elas nem para os outros? Deus, cujas leis são todas soberanamente sábias, nada faz de inútil. Pelas reencarnações no mesmo globo, quis que os mesmos Espíritos se pusessem de novo em contato, tendo assim ocasião de reparar as suas faltas recíprocas. E tendo e conta as suas relações anteriores, quis, ainda, fundar uma base espiritual os laços de família, apoiando numa lei natural os princípios de solidariedade, fraternidade e igualdade.

     
    Bem, isto é o que diz a DE.
    Claro que para que essas coisas fizessem sentido seria necessário que existissem espíritos, divindades, etc.
    Ainda não vi provas desses pré-requisitos, portanto, discutir o consequente sem provar o antecedente é perda de tempo, acho.
     
    Um abraço, Borges.
    Estou viajando, passeando, curtindo merecidas férias, portanto, não posso dizer tudo o que gostaria de dizer, mas as transcrições acima são úteis para a discussão, na minha míope visão.

  20. Marciano Diz:

    Se Belphegor permitir, amanhã eu reapareço. Desde que seja para o bem de todos e felicidade geral da nação, claro.

  21. Gorducho Diz:

    Válido sublinhar que esse nonsense não tem no espiritismo anglo, onde as almas depois de encarnarem cá na crosta vão ascendendo nas esferas sem voltarem.

  22. Orlando Diz:

    “Por “junta médica” o Dr. figurativamente estava a se referir aos vários médicos falecidos que atuam junto ou próximos do espírito do Dr. Bezerra…”
     
    Isso mesmo GORDUCHO.
    “Sou o vosso irmão Charles White, de origem inglesa, que exercera a medicina convencional.
    “Encontramo-nos em vossa Colônia, realizando um estágio, para o qual trouxemos diversos amigos, que vestiram a indumentária de diferentes nacionalidades, a fim de treinarmos técnicas de socorro especial com os vossos guias e podermos aplicá-las em nossa área de atendimento, conforme, logo mais, teremos oportunidade de o fazer.”

  23. Orlando Diz:

    Aqui creio que seja uma ambulância coletiva, foram 80 socorridos por membros da equipe do Dr.White:
    O momento não permitia ampliação do diálogo, porque, naquele instante, HAVIA PARADO A REGULAR DISTÂNCIA UM VEÍCULO do qual saltaram alguns lidadores do Bem que se aproximaram, apresentando-se ao DR. WHITE. Tratava-se da ajuda solicitada aos responsáveis pelo acolhimento e cuidados em relação aos irmãos arrependidos que se haviam proposto renovação e entendimento. Diversos desses operários da caridade adentraram-se em nosso campo de socorro e passaram a assistir os sofredores, conduzindo-os, um a um, AO TRANSPORTE QUE PAIRAVA NO AR, a um metro, mais ou menos, acima do solo. Alguns se movimentavam com dificuldade, embora a assistência recebida, logo sendo acomodados, num total de oitenta. O responsável pela condução agradeceu ao nosso mentor e, de imediato, a NAVE DECOLOU COM VELOCIDADE, seguindo o roteiro estabelecido.

  24. Orlando Diz:

    “Phelippe, não dá pra saber. O que sei com certeza, é que não se pode confiar 100% no que dizem as pessoas.”
     
    Maruzio, não se pode confiar mas devemos ao menos colocar como hipótese de trabalho a ser considerada.
    Já manifestei aqui outras ocasiões que médicos do além não deveriam fazer cirurgias espirituais em encarnados. Sou contra! Os espíritos devem cuidar dos desencarnados!
    Pacientes meus, sabendo da minha condição de espírita, já me questionaram a respeito e tenho os orientado a combinarem o tratamento médico com o religioso estritamente orações, evangelho no lar, passes e participações em cursos, de preferência aos ligados à FEB.

  25. Maruzio Diz:

    “Sou o vosso irmão Charles White, de origem inglesa, que exercera a medicina convencional.”
    .
    Pra mim esse trecho parece uma carteirada do tipo: “Confiem em mim. Sou europeu, provavelmente branco e médico.”
    Honestamente, diga-me sr. Orlando, nossos pretos velhos não são dignos da mesma confiança?

  26. Maruzio Diz:

    “Já manifestei aqui outras ocasiões que médicos do além não deveriam fazer cirurgias espirituais em encarnados.”
    .
    Pois é, até pq fantasma não opera corpo físico. Isso não ecziste.
    .
    “Sou contra!”
    .
    Eu também sou. Por isso prefiro a umbanda. São passes e conselhos e pronto.
    .
    “Os espíritos devem cuidar dos desencarnados!”
    .
    Claro, é mais difícil de provar a tal cirurgia no “não sei o quê” dos desencarnados, concorda?

  27. Maruzio Diz:

    “Pacientes meus, sabendo da minha condição de espírita, já me questionaram a respeito e tenho os orientado a combinarem o tratamento médico com o religioso estritamente orações, evangelho no lar, passes e participações em cursos, de preferência aos ligados à FEB.”
    .
    Espero que o senhor não seja médico psiquiatra.

  28. Orlando Diz:

    “Honestamente, diga-me sr. Orlando, nossos pretos velhos não são dignos da mesma confiança?”
    Claro que são! Divaldo apenas dá nome aos bois, só isso.
    E quanto a descrição do Dr.White, ora bolas: uma referência a quem ele foi. Não vejo carteirada.

  29. Orlando Diz:

    “Claro, é mais difícil de provar a tal cirurgia no “não sei o quê” dos desencarnados, concorda?”
    os cirurgiões e médicos da Terra estudam anos e anos, quando fazem cirurgias o fazem com equipamentos cientificamente construídos, locais esterilizados etc etc.
    que coisa um espírito incorporar um médico, pegar uma tesoura, mesmo que esterilizada não importa, e enfiar em alguém? Aqui não é idade da pedra.

  30. Orlando Diz:

    “Espero que o senhor não seja médico psiquiatra.”
    Sou, qual o problema?
    Olha só quantos hospitais espíritas, por exemplo:
    http://www.psicologiahailtonyagiu.psc.br/esclarecendo/enderecos-uteis/587-lista-de-hospitais-espiritas-no-estado-de-sao-paulo

  31. Orlando Diz:

    “Eu também sou. Por isso prefiro a umbanda. São passes e conselhos e pronto.”
    Em São Paulo , vai ver que muitos centros kardecistas são passes e conselhos, não foge disso.Nada de cirurgias.
    Claro sabemos nos corredores que tem companheiros espíritas que não gostam dessa postura, prefeririam cirurgias , pomada vovo pedro etc.

  32. Gorducho Diz:

    Ele guardava ela numa caixa de relógio-pedestal, não é :?:

  33. Maruzio Diz:

    “Espero que o senhor não seja médico psiquiatra.”
    Sou, qual o problema?
    .
    (:O)

  34. Maruzio Diz:

    Claro que são! Divaldo apenas dá nome aos bois, só isso.
    E quanto a descrição do Dr.White, ora bolas: uma referência a quem ele foi. Não vejo carteirada.
    .
    Há um vídeo do Divaldo no youtube metendo o pau nos pretos velhos…

  35. Maruzio Diz:

    1. O Bezerra de Menezes é um hospital psiquiátrico.
    2. O João Marchesi é uma organização social oferece tão somente os seguintes serviços: “Dar acolhimento, oferecendo atendimento multidisciplinar e assistência bio-psico-socio-espiritual às pessoas acometidas por transtornos mentais e dependentes químicos visando sua reinserção familiar e social”. Ou seja, na mesma linha do Bezerra.
    3 – Hospital Psiquiátrico Allan Kardec – A especialidade fala por si.
    4 – Os outros deixo a pesquisa com os senhores, mas acho muito difícil que haja neles tratamento de quimioterapia espírita, antibióticos para infecções perispirituais, médicos generalistas aplicando vibrações positivas a doentes crônicos.
    .
    Vija bem, não estou tirando o mérito do trabalho desempenhado por estes hospitais. Eu acho sim que a doença mental é negligenciada pela nossa sociedade. Só não gostei do seu argumento dando a entender que há hospitais multidisciplinares baseados na doutrina espírita-febista. Não há, nunca houve e nunca haverá. Fim de papo.

  36. Orlando Diz:

    Maruzio,
    Vamos lá: conheço o vídeo do DPF -realmente deu bola fora (quem não dá?)
    Para mim os espíritos vieram tão somente complementar os evangelhos, desenvolvê-los e demonstrar a sobrevivência após a morte.
    Os hospitais mencionados são como os outros, apenas com os nomes de espíritas, talvez como homenagem.
    Vamos lá: meu filho estuda em um colégio de nome de santo católico , isso não quer dizer que ele é católico por exemplo e se fosse não haveria problema algum.
    Não é por conta de o nome da escola ser de santo católico que se vai oferecer hóstias no fim das aulas aos alunos, faça-me o favor.
    E para mim e meus próximos frequentamos somente centros ligados à FEB . Minha mãe é sócia de um inclusive.

  37. Orlando Diz:

    Ele guardava ela numa caixa de relógio-pedestal, não é :?:
    sim, ela tinha medo de ser enterrada viva.

  38. Marciano Diz:

    É, de nada adianta essa teimosia de ficar postando paranormalidade.
    O que agrada aqui e rende comentários é e sempre será o assunto espiritismo.

  39. Phelippe Diz:

    De preferência o espiritismo tupiniquim. E se possível com fotos de materializações.

  40. Maruzio Diz:

    “conheço o vídeo do DPF -realmente deu bola fora (quem não dá?)”
    .
    Ele ou Joana de Angelis deu a bola fora?

  41. Orlando Diz:

    qualquer um dá bola fora. Joanna não estava num terreiro, ao contrário do espírito Dr.Bezerra de Menezes que já estava várias vezes, POR EXEMPLO.

  42. Marciano Diz:

    Espíritos, se existissem, não teriam cor, pois cor é um conceito material, é o resultado da absorção de algumas ondas eletromagnéticas e reflexão (ou até refração, como pombos) de outras.
     
    Como pode uma coisa imaterial apresentar propriedades de matéria?
     
    A luz deveria passar direto pelos espíritos, o que os tornaria sempre invisíveis para os “encarnados”.
     
    A idade dos “espíritos” também não deveria depender da idade em que morreu na mais recente encarnação.
     
    O termo “preto velho” não faz sentido, referindo-se ao imaginado espírito, como o imaginam.
     
    Se algum “espírito” se apresentasse num centro kardecista como preto velho, deveria ser orientado pelos “encarnados” (e até por outros espíritos “superiores”) e não incentivado a permanecer com o linguajar e características que a umbanda atribui aos tais pretos velhos.
     
    Para mim, em minha confessada ignorância sobre assuntos sem sentido, isso só comprovaria a inexistência desses tais seres.
    Bota bola fora nisso!
    Com a devida vênia, Orlando.

  43. Marciano Diz:

    A propósito, hoje é dia de um cara que TAMBÉM nunca existiu.
    Até o Papa Paulo VI reconheceu isto. Depois, o João Paulo Segundo, vendo que o populacho queria continuar com a veneração, reconduziu “jorge” ao seu antigo posto de “santo”.
     
    Jorge ou Ogum? Tanto faz, é tudo imaginação de crentes mesmo.
     
    Cada povo, em cada lugar, em cada época, tem suas crendices sobre coisas inexistentes.
    Odin que o diga.
     
    Agora vou bater um papinho com Bastet, pois isto sim, vale a pena: ela é uma gata!

  44. Marciano Diz:

    Por falar nisto, um outro espírito, também Bezerra, mas não o de Menezes, o da Silva, apareceu agorinha mesmo para mim, dizendo que, no além, mudou a letra de sua canção de
    “malandro é malandro mesmo e otário é otário mesmo” para
    “maluco é maluco mesmo e crentelho é crentelho mesmo”.
     
    Eu disse para ele que a letra ficou melhor.
     
    Em vez de tomar uma cachaça e fumar um cachimbo ou charuto, ele queria enrolar um fininho, mas desistiu, pois o ambiente estava cheio de fio desencapado.
     
    Daí ele me disse que iria apertar, mas não iria acender agora, que iria se segurar, pois para fazer a cabeça tem hora.
     
    Apresentou-se como preto maconheiro velho.
    Que Ishtar o tenha!

  45. Gorducho Diz:

    Uma das vezes que o espírito do Dr. Bezerra esteve num terreiro foi aquela vez que o espírito bateu siririca na consulente, levando-a a um tresvario
    :(

  46. Marciano Diz:

    Com quantos bagulhos se faz um espírito?
    R: Depende da qualidade.
    Tem bagulho com mais canabinol, outros com menos, tem bagulho batizado.
    Para ficar lelé de vez, o importante é consumir algum estupefaciente, de preferência, em altas doses.

  47. Gorducho Diz:

    Um deles, de aspecto repelente pela vulgaridade em que se apresentava, excitava-lhe o desejo, comprimindo-lhe, habilmente, certa região do aparelho genésico
    [...]
    A pobre mulher de-batia-se em sofreguidão entre as duas sensações, de lubricidade e de frustração, entregando-se ao tresvario

  48. Marciano Diz:

    Pois é, veja se tem cabimento uma coisa dessas.
    Espírito devasso, aproveitando-se da tara de uma donzela desvairada e tarada, viciada em siririca.
    Como se chamam essas mulheres? Siririqueiras?
     
    Eu, se fosse um espírito, metia-lhe o fumo. Se quiser siririca, que o faça sponte sua.
    Obs.: Fumo, na frase acima, significa cachimbo ou charuto.

  49. Marciano Diz:

    Taradas que queiram se masturbar deveriam fazê-lo de motu proprio e não valendo-se de espíritos devassos.
     
    Em vez de entregar ao tresvario, a meretriz deveria chamar a polícia espiritual.

  50. Marciano Diz:

    E o tal espírito tarado deveria seguir o conselho de Dionísio Catão, em Monosticha, 33:
    Meretricem fuge. – Fuja da meretriz.

  51. Marciano Diz:

    Pisces, perdices, vinum, nec non meretrices, corrumpunt cistam, et quicquid ponis in istam.
    Peixes, perdizes, vinho, bem como meretrizes, corrompem o cofre e tudo que nele se coloca.

  52. Marciano Diz:

    Balnea spiritus non prosunt, nec meretrici, nec meretrix munda, nec cornix alba fit unda.
    Os banhos não têm utilidade nem para o espírito, nem para a meretriz, pois, com a água, nem a meretriz fica limpa, nem a gralha fica branca.
     
    Moral da história: Com quantos banhos se embranquece um preto velho?
    Não adianta! Preto velho não tem cura. Não há trabalho espírita ou doutrinação que o faça tornar-se um espírito de luz (branca).

  53. Marciano Diz:

    Por falar nisso, aqui vai uma dúvida técnica para o Gorducho dirimir:
    Dado que espíritos são seres de luz, um preto velho seria um espírito desprovido de luz (ausência de qualquer cor) ou um perispírito que absorve todas as luzes, não refletindo nenhuma (síntese subtrativa), daí sendo invisível aos olhos humanos e desumanos?
     
    Creio que, se for desprovido de luz (daí ser preto, não emite radiação magnética na faixa que excita os olhos humanos), não é espírito de luz.
    Segue-se que deve ser espírito trevoso (como a Mater Tenebrarum, aka Theresa).

  54. Marciano Diz:

    E como o Orlando quedou-se em silêncio sepulcral, volto-lhe a afirmação acima, rogando que bondosamente clarifique:
     
     
    Espíritos, se existissem, não teriam cor, pois cor é um conceito material, é o resultado da absorção de algumas ondas eletromagnéticas e reflexão (ou até refração, como pombos) de outras.
     
    Como pode uma coisa imaterial apresentar propriedades de matéria?
     
    A luz deveria passar direto pelos espíritos, o que os tornaria sempre invisíveis para os “encarnados”.
     
    A idade dos “espíritos” também não deveria depender da idade em que morreu na mais recente encarnação.
     
    O termo “preto velho” não faz sentido, referindo-se ao imaginado espírito, como o imaginam.
     
    Se algum “espírito” se apresentasse num centro kardecista como preto velho, deveria ser orientado pelos “encarnados” (e até por outros espíritos “superiores”) e não incentivado a permanecer com o linguajar e características que a umbanda atribui aos tais pretos velhos.
     
    Para mim, em minha confessada ignorância sobre assuntos sem sentido, isso só comprovaria a inexistência desses tais seres.
     
    A regra é clara ou escura, Orlando?

  55. Marciano Diz:

    Outra pergunta para o Orlando:
    às vezes tenho a impressão de que você incorpora o Montalvão.
    É possível incorporar um encarnado?
    Por que fico com a impressão de que você e o Montalvão são almas gêmeas?

  56. Marciano Diz:

    Vou trabalhar um pouco (também trabalho em casa) e depois volto, para ver se minhas ponderações dirigidas ao Gorducho (assuntos técnicos) e ao Orlando (assuntos espirituais) foram respondidas.
     
    Espero ter o júbilo de vê-las respondidas claramente (ou obscuramente, se preferirem – é melhor do que resposta alguma).

  57. Gorducho Diz:

    A “cor da pele” é aparência do perispirito, não do espírito cujo apresenta-se como um brilho/centelha que vai desde uma coloração opaca escura até um tom rubi brilhante conforme a evolução deste (rubi brilhante ⇔ + puro)[LE 88:a]
    Mas o que vêem (outros espíritos no mesmo plano ou médiuns videntes) é o perispirito. A forma humana (no caso) está neste perispirito (o corpo éter aromal do Fourier).

  58. Marciano Diz:

    Obrigado pela resposta, GORDUCHO.
     
    Bem, se o espírito molda a aparência do perispírito segundo sua vontade, creio estar provado que Divaldo tem razão. Os pretos velhos são mesmo espíritos atrasados, pois seus perispíritos têm a aparência que seus corpos tinham na mais recente encarnação.
     
    Se os espíritos irradiam luz, que varia de cor, creio ser possível, através de uma espectroscopia (espectro é sinônimo de fantasma) determinar-se quais átomos compõem sua, digamos assim, substância.
     
    Da próxima vez em que avistar um espectro vou estar munido de um espectrômetro, com o qual espero determinar com quantos elementos se faz um espírito.
     
    Já pude perceber que os espíritos mais evoluídos irradiam luz de comprimento de onda bem longo e os menos evoluídos irradiam luz de onda bem mais longa ainda.
     
    Por extrapolação, creio que os espíritos superiores irradiam na faixa do ultravioleta.
    Quero dizer, aqueles realmente superiores.
     
    Os mais evoluídos estudados por Rivail devem ser compostos de hidrogênio, principalmente. Os que estão além do estudo kardequiano devem ir desde o sódio neutro até o cálcio ionizado.
     
    Os verdadeiramente superiores devem ser invisíveis para os olhos humanos, pois estão acima do ultravioleta.
     
    Espíritos superiores demais para serem vistos por seres humanos devem ser vistos por insetos, répteis, aves, etc., o que me leva à conclusão de que abelhas devem ver espíritos superiores (em missão na Terra) o tempo todo.
     
    Imagino até uma abela dizendo: — I see dead people. All the time.
     
    Meus olhos são deficientes, nesse aspecto. Nunca vejo espíritos, atrasados ou evoluídos. Ainda assim, da próxima vez em que vir um deles, vou fazer uma espectrografia.
    Não é mágica. Usarei instrumentos apropriados.
     
    Minha futura ocupação: caça-fantasmas.

  59. Gorducho Diz:

    O espírito do Dr. Bezerra também se mantém como um “branco velho”, certo :?:
    Aliás aparentemente BEM depauperado como já exaustivamente analisado por cá.
    Então acho que ele (Divaldo) deveria examinar 1° o próprio umbigo, não :?:

  60. Marciano Diz:

    Se usarmos IR nos nossos futuros e incertos experimentos, poderemos detectar pretos velhos. Se usarmos UV, poderemos detectar espíritos superiores em ação.
    De brinde, poderemos pegar alguns médiuns em flagrante de mistificação. Flagrante, porque suas mãos aparecerão vermelhas (não de vergonha, pela atuação das lentes).

  61. Marciano Diz:

    Red handed. Em flagrante. Ainda ardendo em chamas.

  62. Gorducho Diz:

    IMAGINO que seja mais ou menos assim que os médiuns videntes enxergam o (peri, claro :!: )espirito dele, não :?:
    E o aparente depauperamento tem sido exaustivamente comentado.

  63. Gorducho Diz:

    Não é bem assim, porque essa luz do espírito espírito proper fica envolta na prática pelo perispirito.
    Não sei exatamente em quais condições é possível ver essa luminescência. E certamente é em frequências vibratórias correspondentes ao (ultra)mundo espiritual não captável por aparelhos terrícolas (assim como não captam a presença dos perispiritos generalizadamente falando-se).

  64. Gorducho Diz:

    Favor acertar o string do enlace, Sr. Administrador
    ACHO que não fechei as aspas duplas…
    DESCULPE
    :(

  65. Marciano Diz:

    Bem dito.
    Se os pretos velhos não podem apresentar-se como pretos nem velhos, por que diabos o Bezerra pode apresentar-se como um velho depauperado, caquético, afônico.
     
    E percebam que o próprio DPF faz psicofonia do branco velho.
    Sendo que, de branco, o DPF só tem os cabelos, tingidos de preto. A carapinha mostra que mais nada nele é branco.
     
    Como diria a Sandra Sá,
    “a verdade é que DPF tem sangue crioulo, tem cabelo duro, sarará crioulo”.
     
    Ou será saravá crioulo?
    Meus ouvidos estão piores do que a voz do branco velho Bezerra.

  66. Marciano Diz:

    Perispírito do Bezerra: 👴🏼

  67. Marciano Diz:

    Outro perispírito: 🐵

  68. Marciano Diz:

    Meu próprio perispírito: 🐷
    É que espíritos de porco têm o perispírito assim mesmo.

  69. Marciano Diz:

    Deixe-me ver se entendi.
    Quer dizer que o perispírito é uma espécie de invólucro opaco que contém o espírito. Quando nele se faz uma abertura, é possível enxergar-se a luz do espírito nele contido.
    Seria isso?
     
    Por favor, tente o href de novo.

  70. Marciano Diz:

    Dizem as boas línguas que o espírito de Maria (a mãe do filho do homem) brilha pra cacete.
    Que é uma luz branca muito forte, tipo um zigalhão de k.
     
    Reza a lenda que
    na noite de 1º de dezembro de 1984, que com vistas às homenagem do Dia das Mães de 1984, o Espírito de Emmanuel ditou, por ele, um retrato falado de Maria de Nazaré ao fotógrafo Vicente Avela, de São Paulo. Esse trabalho artístico foi sendo realizado aos poucos, desde meados de 1983, com retoques sucessivos realizados pela grande habilidade de
    Vicente, em mais de vinte contatos com o médium mineiro, na Capital paulista.
    Em nossa rápida entrevista, Chico frisou que a fisionomia de Maria assim retratada, revela tal qual Ela é conhecida quando de Suas visitas às esferas espirituais mais próximas e perturbadas da crosta terrestre; como por exemplo, disse-nos ele, na Legião dos Servos de Maria, grande instituição de amparo aos suicidas descrita detalhadamente no livro Memórias
    de um Suicida, recebido mediunicamente por Yvonne A. Pereira.

     
    Espírito de muita luz. Mais do que o próprio portador da luz.

  71. Marciano Diz:

    Meu perispírito, às vezes, apresenta-se assim: 😎

  72. Marciano Diz:

    Foto kirlian do meu perispírito (não sei se vai sair direito):
    __________________¶________________¶
    _________________¶¶________________¶¶
    _______________¶¶¶__________________¶¶¶
    _____________¶¶¶¶____________________¶¶¶¶
    ____________¶¶¶¶¶____________________¶¶¶¶¶
    ___________¶¶¶¶¶______________________¶¶¶¶¶
    __________¶¶¶¶¶¶______________________¶¶¶¶¶¶
    __________¶¶¶¶¶¶¶__¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶__¶¶¶¶¶¶¶
    __________¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    ___________¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    ____________¶¶¶¶¶¶¶¶____¶¶¶¶¶¶____¶¶¶¶¶¶¶¶
    ___¶________¶¶¶¶¶¶¶______¶¶¶¶______¶¶¶¶¶¶¶
    ___¶_______¶¶¶¶¶¶¶¶___O_¶¶¶¶¶__O__¶¶¶¶¶¶¶¶
    __¶¶¶______¶¶¶¶¶¶¶¶¶____¶¶¶¶¶¶____¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    __¶¶¶_____¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    _¶¶¶¶¶____¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶__¶¶
    _¶¶¶¶¶____¶¶¶__¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶__¶¶¶
    ___¶¶_____¶¶¶__¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶__¶¶¶
    ___¶¶______¶¶¶_____¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶_____¶¶
    ____¶¶______¶¶________¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶_______¶¶
    _____¶¶______¶¶¶_______________________¶
    _____¶¶________¶¶____¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶______¶
    ______¶¶________¶¶¶_____¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶__¶
    _______¶¶__________¶¶¶_____¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    _________¶¶___________¶¶¶¶¶__¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    _____________________________¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    ______________________________¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    _______________________________¶¶¶¶¶¶¶

  73. Marciano Diz:

    O Montalvão, se por aqui estivesse, diria que viu meus chifres.
    Que atire a primeira pedra aquele que nunca os teve.

  74. Marciano Diz:

    Aliás, esse é um dos drawback de gostar de mulher. De vez em quando a gente leva uma chifrada pelo meio dos cornos e fica ainda mais galhudo. Mas ainda é melhor do que ser o bambi.

  75. Marciano Diz:

    Foto kirlian do perispírito do DPF:
    _______0¶¶¶¶¶¶
    ______¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶0
    ____¶¶¶¶_______0¶¶¶___¶¶¶¶¶¶¶0
    ___¶¶¶0__________¶¶00¶¶¶¶00¶¶¶¶¶
    ___¶¶0___________¶¶¶¶¶________¶¶¶0
    ___¶¶0__________¶¶¶¶¶0_________¶¶¶
    ___¶¶0________0¶¶___¶¶__________¶¶¶
    ___0¶¶_______________000________¶¶¶
    ____¶¶¶_________________________¶¶0
    _____0¶¶0______________________¶¶¶
    _______¶¶____________________¶¶¶0
    __0¶¶¶¶¶¶¶0_______________0¶¶¶¶
    ¶¶¶¶0000¶¶¶0___________0¶¶¶¶0
    ¶¶________¶¶_________¶¶¶¶¶
    ¶¶________o¶¶______¶¶¶¶¶¶¶¶¶0
    ___________¶¶____0¶¶0______¶¶¶
    ___________¶¶___0¶¶_________¶¶¶
    _______¶¶¶_0¶___¶0__________¶¶¶
    ________¶¶¶¶¶00¶¶¶¶_________0
    _________¶¶¶¶¶¶¶¶¶0
    ________¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    _______¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    _______¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    _______¶¶¶00¶¶¶¶
    _______0¶¶¶___¶¶¶
    _______0¶¶¶0__________________________00
    ________¶¶¶¶0_________________________¶¶¶
    ________0¶¶¶¶_________________________¶¶¶
    _________¶¶¶¶¶¶______________________0¶¶¶
    __________¶¶¶¶¶¶0________________¶¶¶¶¶¶¶
    __________¶¶¶¶¶¶¶¶0___________0¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    ___________¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶______0¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶0
    ____________¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    _____________¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    ______________¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    _______________¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶__0¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶0
    ________________¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶____¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    ______________0¶¶¶¶¶¶¶¶¶0______¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    _________0¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶__________0¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    ______¶¶¶¶¶¶¶0__0¶¶¶0___________¶¶¶¶¶¶¶¶
    ____¶¶¶¶¶________¶¶¶¶____________¶¶¶¶¶¶¶
    ___¶¶0___________0¶¶¶____________¶¶¶00¶¶0
    ___¶¶_____________¶¶¶_____________¶¶¶_0¶¶
    ___¶¶0____________0¶¶______________¶¶0_¶¶
    ___0¶0_____________¶¶0______________¶¶__¶¶
    ____¶¶_____________¶¶¶______________0¶¶__¶¶
    ____¶¶¶____________0¶¶_______________¶¶¶_¶¶¶
    _____¶¶_____________¶¶_______________0¶¶__¶¶
    ____________________0¶________________¶¶__¶¶
    _____________________¶0______________0¶___¶0
    _____________________¶0______________0¶___¶0
    _____________________¶¶_____________0¶____¶
    _____________________¶¶0____________¶¶___¶¶
    _____________________0¶____________0¶0__¶¶0
    Vejam, antes que seja censurada.

  76. Marciano Diz:

    Que nojo!
    ░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░▓░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░▓▓░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░█▓░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░░█▒░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░▒██░░▓▓░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░▓█▒▓▒░░░░░░░░░░░░░░░░▓██▒░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░▒██░░░░░░░░░░░░░▒██▓░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░░▒▓▓▒░░░░░░░░░▒▓▓▒░░░▒▒▓░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░░▓▒░▒▓░░▒▒░░░▓▓░░░░██▓▓▒░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░░▓█░░░▓▓███░▓▒░░░░░█░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░░▒█▓░░░█████░░░░░░▓▓░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░░░▓█░░░█████░░░░░░█▒░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░▒▒▒░░▓██▒██████▒░░░░██░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░▒▒░░▓████████▓░░▓█▓▒░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░░░░▒█████████▓█▓░▓▓░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░▒▓▓▓█████████████░▓▒░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░███████████████████▓▒▒▒▒▒▓█▓█▒░
    ░░░░░░░░░▒██████████████████████░▒██▒▒▒░░
    ░░░░░░░░▓▓▒█████▓▒▒▒▓▓▒▓███████▒░▒░░░░░░░
    ░░░░░░▒▓░░░███████▓▓▓▓▓████████▒░░░░░░░░░
    ░░░▒███▓▒▒▓███████████████████▒░░░░░░░░░░
    ░░██▒░░░░░▒███████████████████▒░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░███████████████████▓▒░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░███████████████████▒░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░███████████████████████▒░░░░░░░░░░
    ░░░░░░▓█▒░░███████████████████░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░▓▒░░▓███████████████████░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░█▓▓████████████████████▒░░░░░░░░░░
    ░░░░░░▒█▒░▓███████████████████▓█▓░░░░░░░░
    ░░░░░░░█░░▓███████████████████░▒█▒░░░░░░░
    ░░░░░░░▓▒░▒███████████████████▓▒▓▒░░░░░░░
    ░░░░░░░▒█░▒██████████████████▒░▓█░░░░░░░░
    ░░░░░░░░█▒░█████████▓████████▒░▒█░░░░░░░░
    ░░░░░░░░▒█░██████████████████▒░▓▒░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░██▓████████████████▓░▒▓░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░▒█▒▓████████████████▓░▓▒░░░░░░░░░
    ░░░░░░░▒█░░▓███████████████▓▒▓▓░░░░░░░░░░
    ░░░░░░▒█░░░▒▓█████████████▓▓▓█░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░▓▓████████████▓██░░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░▓▓███████████▓▓█▓░░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░░▓██████████▓▓▒░█░░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░░▒▓█████████▓▒░░▒▓░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░░░▓▓██████▓▓▒░░░░█▒░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░░░░▓▓▓███▓▓▒░░░░░░░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░░░░░▒▒▒▒▒▒▒░░░░░░░░░░░░░░░░░░

  77. Marciano Diz:

    Em 1950, ocorre no plano espiritual uma reunião para homenagear os 50 anos de sua desencarnação. Chico Xavier um dos convidados, relata que Bezerra achava-se naquele ambiente de luz vivendo com grande emoção aqueles momentos em que recordava dos 69 anos vividos na Terra como o Médico dos Pobres, o Irmão dos sofredores.

    De repente, sob a surpresa dos que compunham a grande assembléia, de mais Alto, uma Estrela luminescente dá presença. Era Celina, a enviada de Maria que chega e lê a sua mensagem, promovendo Bezerra a uma tarefa maior em uma Esfera mais Alta. Ele chora emocionadíssimo e ajoelha-se agradecendo entre lágrimas, a graça recebida, suplicando-lhe, por intermédio de sua enviada sublime, para ficar no seu humilde posto, junto a Terra, a fim de continuar atendendo seus irmãos terrestres que tantas provas lhe dão de estima.

    O espírito luminoso de Celina sobe às esferas elevadas de onde veio e se dirige à Mãe Celestial, submetendo à sua apreciação o pedido de seu servo agradecido.Daí a instantes, volta e traz a resposta de Maria, Mãe de Jesus. – “Que sim, que Bezerra ficasse no seu Posto o tempo que quisesse e sempre sob suas bênçãos!”.

    Eis porque com muita justiça ende­reçarmos ao incansável benfeitor espiritual, o nosso pensamento de grati­dão e de profundo reconhecimento por tantas lágrimas enxugadas nas dobras de sua alma gene­rosa. Obrigado Bezer­ra de Menezes por tudo e por todos. Deus abençoe, cada vez mais, a sua eterna existência a serviço do Cristo.

     
    Exemplo de caridade de nosso amado mestre Bezerra.
    Quem somos nós para criticá-lo?

  78. Marciano Diz:

    Percebo, através da história, que o mundo espiritual não é lá tão adiantado assim.
    Bastaria Celina fazer uma ligação gratuita de vídeo-chamada para falar diretamente com Maria, mas ela se dá ao trabalho de “subir” às esferas elevadas e “descer” de novo, com o recado.
     
    Como será que a gente sobe e desce no mundo espiritual.
    Qual o critério para que a gente saiba quais esferas estão mais ou menos “elevadas”.
    Elevadas em relação a o quê :?:

  79. Gorducho Diz:

    Eu ACHO que os médiuns videntes enxergam o (peri, claro)espirito do Dr. Bezerra mais ou menos assim.
    I.e.: como um “branco velho”. Além da voz e da postura, claro…

  80. Marciano Diz:

    Antes que digam que o fato deu-se nos idos do ano de nosso senhor jesus cristo de mil novecentos e cinquenta, digo-vos, no entanto, que a tecnologia de que aqui dispomos é cópia imperfeita da que lá existe e que a tecnologia lá no ultramundo é muito superior à da Terra.
     
    Podem conferir no filme NOSSO LAR que André Luiz e outros já usavam notebooks ao tempo da grande guerra.

  81. Marciano Diz:

    Para quem não se lembra (vai sem href mesmo, pois estou com pressa), aqui está a imagem de ANDRÉ LUIZ usando notebook numa lan house no NOSSO LAR:
    https://www.google.com/search?biw=1366&bih=675&tbm=isch&sa=1&ei=0obeWqvoEsn7wgSSkL-IDQ&q=andr%C3%A9+luiz+usando+notebook+nosso+lar&oq=andr%C3%A9+luiz+usando+notebook+nosso+lar&gs_l=psy-ab.12…8549.9922.0.12174.10.10.0.0.0.0.287.797.1j3j1.5.0….0…1c.1.64.psy-ab..5.0.0….0.L1su5-0jPm4#imgrc=0oqRoVAZqa-7nM:

  82. Marciano Diz:

    Droga, o link é grande demais.
    Mas é só copiar (acho) e colar no navegador.
    Se não conseguirem ou forem acometidos de preguiça, vejam a foto nesta matéria:
    http://www.porraman.com/2010/09/porque-eu-nao-vou-assistir-nosso-lar/
    É só descer até ela, segunda página.

  83. Marciano Diz:

    Comentário extraído do blog acima:

    Quando vi aqueles notebooks me pareceu super estranho de início, mas conheço um pouco de espiritismo e acho que dá para explicar se considerarmos que o livro no qual o filme se baseia foi publicado em 1944, e para a crença espírita o mundo físico é uma cópia do mundo espiritual. Tenta-se reproduzir com os recursos materiais terrestres tecnologias já em uso no plano espiritual. Sendo assim, em 1944, tecnologias de comunicação como notebooks eram impensáveis no nosso mundo, mas algo semelhante já seria de uso habitual entre os espíritos de Nosso Lar. Parece que o diretor do filme interpretou as descrições do livro como sendo da internet que utilizamos.

    Quer dizer, os caras usavam lan house e notebook em 1944 e seis anos depois a Celina (reparem no nome) não podia fazer uma vídeo-chamada para a virgem maria?

  84. Marciano Diz:

    O Presidente Montalvão renunciou ao cargo, o Vice-Presidente Gorducho não o assumiu.
    A bancada cética está entregue às baratas (até apareceu uma mais acima, emporcalhando um de meus comentários).
     
    Vou tomar uns goles e dormir, pois amanhã tenho de acordar muito cedo.
     
    Ainda espero pelas respostas de Orlando.
    Gorducho respondeu, Montalvão, se aqui estivesse, teria respondido, o Orlando não vai me deixar sem resposta. Tenho fé em maria.
     
    Não sei por que, sempre que penso no Orlando, lembro-me do Montalvão e sempre que penso no Montalvão, lembro-me do Orlando.
     
    Eles devem ser ligados no mundo espiritual. Só pode ser isso.

  85. Marciano Diz:

    Gorducho, você é 💯 :!:
    Vi agora o href.
    Você atendeu gentilmente ao meu pedido e colocou-o, corrigido.
     
    Acho que faz mesmo sentido que o Bezerra apareça aos videntes e aos mortos com a aparência que tinha perto do final de sua vida.
     
    É mesmo um branco velho. Mas pela aparência não se justifica aquela voz de moribundo que o DPF psicofona (existe o verbo psicofonar? Se não existe, invente-mo-lo.
     
    Consta que ele morreu com 69 anos e pela voz eu diria que tinha uns 218. Será que continuou envelhecendo depois de morto ( o perispírito dele, claro!).
     
    Veja que a rainha acabou de fazer 92 e, exceto pela dicção, que anda prejudicada, pela voz parece ter uns 18.
     
    Aliás, e a propósito, acho que o Charles vai esticar as canelas antes da mãe. Ela vai passar o cetro direto para esse cara que teve o terceiro filho agora.
    Esqueci-me do nome dele.

  86. Marciano Diz:

    Aliás, tratando-se do Gorducho, acho melhor dizer que ele é 10², em vez de 💯 .
    Fica mais profissional.
    Aceite meus humildes encômios e amanhã conversamos mais, uma vez que os demais resolveram entrar em greve.

  87. Marciano Diz:

    Todos sabem que não sou puxa-sacos, mas é um prazer inenarrável conversar com Gorducho ou com Montalvão.
    Não que não seja prazeroso trocar uma ideia com os demais analistas, claro que é. O que quero dizer é que o prazer que os demais comentários proporcionam são passíveis de descrição por palavras e o prazer causado pela conversa com Gorducho e Montalvão é inexprimível em linguagem gramatica. Só em linguagem matemática seria possível descrevê-lo (e apelando para os transfinitos de Cantor).
    Mas como o blog não aceita LaTeX, fico sem palavras, quero dizer, símbolos.
    Até amanhã, preclaro Gorducho.
    Lá pelas tantas eu devo voltar aqui.

  88. Marciano Diz:

    O poltergeist deu o ar de sua graça.
    Inseriu uns erros de concordância, comeu umas letras.
    Tava demorando.
    Não vou corrigir nada, devido ao adiantado da hora.
    Ademais, só quem está lendo é o Gorducho (talvez, mais adiante, reapareça o Orlando), e eles sabem que quem faz essas coisas é o poltergeist, pois minha inguinorança não é tão monumental.
    O prazer … são passíveis não é coisa que um marciano diga.
    Linguagem gramatica não existe. Eu ia escrever “linguagem gramatical”, com “l” no final, mas o poltergeist não deixou.
    Será que ele (o poltergeist) é bom de matemática?
    Se for, LaTeX não vai ajudar muito, pois uma interferência dessas num texto gramatical não prejudica muito o entendimento, mas numa expressão algébrica muda tudo.

  89. Marciano Diz:

    Convidei alguns amigos para virem comentar aqui.
    Vejamos se eles aparecem.

  90. Vinicius Diz:

    “Marciano Diz: ABRIL 23RD, 2018 ÀS 10:14 PM -Exemplo de caridade de nosso amado mestre Bezerra.
    Quem somos nós para criticá-lo?”
     
    Há kardecistas contrários a esse relato… Dizem que o inolvidável Dr.Bezerra contrariou a lei da reencarnação, do progresso, da evolução e bla bla bla.
     
    Já ouvi uma expositora(em uma aula do curso da federação) corajosamente eu diria, que isso era uma balela, que não fazia sentido. Como diria DPF: “carantonhas” se fizeram presentes.

  91. Vinicius Diz:

    Putz, GORDUCHO, não consegui ir ao tal simpósio onde palestrou o “famoso” Geraldo Lemos, o “geraldinho do CX”.
    a ÚNICA coisa que sei até o momento é o preço absurdo do almoço : R$ 120,00 para uma pessoa (mas dizem que é para ajudar… então).
    Vou ver se consigo mais informações deste evento.

  92. Gorducho Diz:

    Ouvi dizer que no espiritismo chinês – dificuldades obvias pra gente checar melhor :mrgreen: – o objetivo do espírito é se tornar um protetor d’algum lugar (de preferencia o lugar onde ele mais viveu, claro).
    Então parece que Dr. Bezerra adotou esse caminho contrariando tanto a “lei” das reencarnações kardecistas, quanto a “lei” da evolução. Ele sempre permanece rodando a crosta – principalmente sobre território brasileiro, claro – ao invés de seguir pra outras missões compatíveis com espíritos + evoluídos…
     
     
    Se puder vá. Devem parcelar no cartão…
    Deve ter muita informação interessante. Inclusive se não me engano a de que Jesus governa 5 planetas e não tão só a Terra como pode parecer a priori pra leigos…

  93. Gorducho Diz:

    Aparentemente ele nunca vê Jesus;
    nunca vê a Maria (só tem acesso a uma assessora);
    estagnou, parece…

  94. Maruzio Diz:

    Alguém sabe o que a FEB faz com os royalties dos livros de “Xico Chavier” ?

  95. Gorducho Diz:

    Deve entrar como Receitas (obvio…).
    A FEB é uma instituição suntuosa – veja o palácio dela em BSB – e tem um programa de proselitismo religioso externo (o CEI na prática é um Dept° da FEB e IMAGINO que tenha funcionários remunerados).
    Isso envolve despesas – viagens, aluguel de locais, material de divulgação, &c…
    SE BEM ME LEMBRO alguns anos atrás até doaram lotes de livros pros espíritas cubanos (3° país espírita do mundo aparentemente – depois das Filipinas que não adota a linha espírita brasileira).

  96. Vinicius Diz:

    Uma dúvida: aquele filho adotivo recebe parte das vendas de livros do CX ou uma vez cedidos os direitos só a FEB receberia?

  97. Gorducho Diz:

    Tem uma história referente à desilusão dele com o veto da FEB à tradução das obras pro americanês.
    Mas não sei se isso mudou alguma coisa nessa questão dos direitos cedidos originalmente à… :?:
    Quem sabe sobre isso é o Professor.

  98. Marciano Diz:

    De passagem, rapidinho.
     
    VINICIUS, essa expositora tem toda razão. Bezerra tá morto e enterrado, logo, não poderia aceitar ou rejeitar incumbência alguma. Não existe mais.

     
    R$ 120,00 por um almoço de centro espírita?
    Esses caras estão partindo pra linha do Macedo.
     
    De novo essa história de Capela.
    Isto já foi completamente detonado. Por espíritas.
     
    https://literatura-espirita.blogspot.com.br/2008/02/porque-os-exilados-no-vieram-de-capella.html
     
    ===============================================================
    Aparentemente ele nunca vê Jesus;
    nunca vê a Maria (só tem acesso a uma assessora);
    estagnou, parece…

    ===============================================================
     
    Por amor a nós, seu ingrato!

  99. Gorducho Diz:

    Viram que CX – perispiriticamente em desdobramento, claro – levado pelo Emmanuel se encontrou c/1 cidadão SUPERIOR a JC nas proximidades de Saturno?
    Por essas & outras que se reafirma sempre que o Espiritismo e a religião do ESTUDO, permanente ESTUDO!

  100. Gorducho Diz:

    Ah! entendi mal… :(
    (O espírito do) CX não se encontra c/o cara superior a Jesus Cristo. O comandante da nave é SUBORDINADO DIRETAMENTE e esse.
    (O espírito do) CX, claro, se encontra c/o comandante da frota junto a um dos satélites de Saturno.

  101. Maruzio Diz:

    “(O espírito do) CX, claro, se encontra c/o comandante da frota junto a um dos satélites de Saturno.”
    .
    Han Solo, muito prazer.

  102. Gorducho Diz:

    Note-se que essa nau capitania é (peri)espiritual pois mesmo sendo QUASE do tamanho do próprio satélite não perturbou o equilíbrio orbital do sistema croniano.
    Então em caso dela engajar invasões alienígenas ela deve usar torpedos materializados (pra eles poderem atuar no nosso universo físico, claro), deduzo…

  103. Marciano Diz:

    ===============================================================
    Viram que CX – perispiriticamente em desdobramento, claro – levado pelo Emmanuel
    ===============================================================
     
    Pois então fale corretamente, não em latim, mas em chiquês: EmmÂnuel
    Vossa mercê já aprendeu isto.
     
    Além de chiquês, nosso amado Vice-Presidente da Bancada Quase   Cética
    está precisando estudar física de novo.
     
    O importante não é o tamanho da nave e sim sua massa. Como ela é feita de matéria quintessenciada, sua massa tende a 0️⃣ , portanto, não poderia causar nenhuma perturbação nas órbitas de Chronos (um dos meus deuses prediletos) ou qualquer outro satélite.

     
    Para usar torpedos materiais, os bondosos militares espirituais materializam-nos na hora, usando o citoplasma, digo, ectoplasma de médiuns.

  104. Marciano Diz:

    With all due respect, this spirit thing is turning into a clownery.
    It looks like some D C Comics.

  105. Marciano Diz:

    O chiquismo está ficando assim.

  106. Marciano Diz:

    Vejam que o cara ficou sem comer nada pesado, como carne e outras frescuras. Ficou só do sucozinho.
     
     
    Como é que as pessoas conseguem ficar sérias durante uma palestra dessas :?: :!:

  107. Marciano Diz:

    na base do sucozinho.
    Eu já disse que a única coisa sobrenatural que existe é o poltergeist do blog.

  108. Gorducho Diz:

    Eu escrevi aquele comentário num telefone onde não sei fazer o â.
     
     
    Então… justo os corpos (perispíritos) são matéria quintessenciada. É dizer o mesmo que eu disse com palavras diferentes.
    Mas pra engajar possíveis frotas invasoras alienígenas ao sistema solar – que é a finalidade do grupo de combate deles, certo :?: – feitas de matéria matéria – i.e.: atuando no nosso universo material – eles têm então que materializarem (desquintessenciarem) os mísseis e projetis de artilharia.

  109. Marciano Diz:

    Eu também tinha esse problema com acentos, até que instalei um teclado americano em alemão (instale o swift key – escolha Tastatur Deutsche).
    Eles têm bastante prática em materializar e desmaterializar coisas e pessoas.
    Veja que espíritos se materializam, matam médiuns e se desmaterializam em seguida, tornando difícil o trabalho da polícia.

  110. Marciano Diz:

    Ah! Antes que me esqueça e para não desmotivá-lo.
    O teclado alemão começa sugerindo palavras em alemão, mas depois sugere outras línguas, inclusive português.
    Você vai poder escrever em qualquer língua que use alfabeto romano no telefone, inclusive o ß alemão, menos, claro, línguas que utilizam outros alfabetos, como grego, coreano, etc.

  111. Gorducho Diz:

    Eu não sou manso c/telefones.
    Não gosto de telefones nem tenho paciência de ficar baixando os tais apps. Me stresso c/os teclados pequenos e tudo.

  112. Marciano Diz:

    Os teclados pequenos são mesmo chatos, ainda mais que são virtuais, mas a gente acaba se acostumando.
    Pior eram aqueles Blackberries, que tinham um teclado físico, com uma tecla para cada letra ou sinal.

  113. Marciano Diz:

    A gente tinha de teclar com as unhas, pois os dedos pressionavam mais de uma tecla de cada vez.
    Com o tempo e o uso constante, as letras sumiam, de tanto levar unhadas.
    Outra estupidez é usar teclado querty, físico ou virtual, como se a gente pudesse usar todos os dedos para teclar.

  114. Marciano Diz:

    Os mais chatos dirão que a gente tá acostumado com teclados querty, mas o problema é que num tablet ou notebook a gente usa um dedo para cada grupo de letras e sinais, enquanto que no virtual de telefones são só os polegares.
    E qualquer pessoa conhece melhor o alfabeto do que a ordem das letras e sinais no teclado.

  115. Marciano Diz:

    Logo os polegares, que são os dedos mais grossos.

  116. Marciano Diz:

    Para os ainda mais chatos, esclareço que “a gente está acostumado” é gramaticalmente correto, quando se refere a pessoas em geral.
    A gente está acostumada seria se no conjunto dos acostumados só existissem mulheres.

  117. Marciano Diz:

    Claro que a forma culta é a gente está acostumada, mas, em se tratando de grupo de homens e mulheres, é perfeitamente aceitável usar o complemento no masculino. Apesar de opiniões em contrário de comunistas.

  118. Marciano Diz:

    Tipo essa gente que fala “eles e elas”, “brasileiros e brasileiras”, etc.
    Pior do que isso, só o gerúndio e o anacoluto mal empregados, como ” a gente vai estar fazendo” e “os advogados, eles …”.
    Relativo sem antecedente está na moda, sendo in a colocação de pronomes onde são inteiramente desnecessários e o anglicismo do gerúndio despropositado.
    Tem gente ( e como tem) que acha charmoso.

  119. Marciano Diz:

    Mudando um pouco de assunto. Será que a Administração ainda não percebeu que Hyslop e Tanner não interessam a ninguém? Que o pessoal está esperando por espiritismo, de preferência chico-divaldista?
    Tem gente que escafedeu-se de vez, como o honorável Presidente, o CoC, etc.
    Vinicius ainda dá o ar de sua graça, de quando em vez.

  120. Marciano Diz:

    Sei que a Administração não aceita sugestões, mas acho que aquele livro do DPF que fala do tsunami renderia bons comentários, dadas as atrocidades nele narradas.
    Tem equipe de resgate, vampiros do além, e tudo o mais.
    Quando os crente virem que o assunto chiquismo voltou também voltarão.
    No momento, só tem cético aqui.
    Uns mais, outros menos, mas só céticos. O único que finge que é crente é o Orlando.

  121. Marciano Diz:

    Tem um livro (que estou lendo) do Gegê contando sua “vida” no ultramundo, depois do suicídio, dizendo que ele foi preparado na espiritualidade para a Presidência da República, mas aqui chegando meteu os pés pelas mãos e esqueceu-se do objetivo para o qual fora programado, que era o de ser defensor dos fracos e oprimidos, cedendo à tentação de tornar-se o dono de uma grande fazenda chamada Brasil.

  122. Marciano Diz:

    Quando os crenteS. Esta foi por conta do poltergeist. Sinal para eu calar o bico.

  123. Vinicius Diz:

    “esqueceu-se do objetivo para o qual fora programado, ”
     
    Ainda não encontrei alguém que se lembre do que foi programado no além !!! :mrgreen:
     
    JC ou NSFG tinha sua história “programada” Marciano?
     
    Não concordo que amaldiçõem para sempre o Judas Iscariotes: já se sabia que ele seria o “delator”. Pode ser que não estava prevista a propina das moedas de prata talvez?

  124. Vinicius Diz:

    O assunto do momento agora em matéria de religião é a não aceitação de transfusão de sangue pelos TJs. Vejam no que deu:
     
    https://g1.globo.com/sp/sao-jose-do-rio-preto-aracatuba/noticia/recem-nascido-de-familia-testemunha-de-jeova-que-passou-por-transfusao-de-sangue-segue-na-uti.ghtml

  125. Marciano Diz:

    Vinicius, espero que veja minha resposta.
     
    Eu também sempre achei a maior sacanagem esse negócio de Judas ser traidor. Se estava escrito, ele não poderia fazer nada além de cumprir a profecia.
    Se tem algum culpado, é o roteirista, ou seja, deus.
    NSFG sabia de antemão que seria “traído” por Judas.
     
    Tem mais: ele se mata duas vezes. Num evangelho se enforca, em outro se joga num abismo.
     
     
    A respeito de Gegê, eu não inventei. No livro dizem claramente que ele foi programado para a Presidência. E quem narra a história, pasme, é o Eça de Queiroz, grafado no livro como “Queirós”.
     
    Essa é demais!
     
    Veja um trecho do livro, onde é narrada a programação do Gegê:
     

    Há Espíritos que têm em mente, não só um círculo pequeno e acanhado que se reúne dentro do lar, mas pretendem muito mais!… Visam a ajudar, a fazer progredir toda uma cidade, um estado, ou mesmo uma nação.
    São os idealistas, amantes da Pátria, e desejam fazê-la crescer, equiparando-a às grandes nações do Universo. Desejam ajudar a reerguer todo um povo sofrido e sacrificado, proporcionando-lhe oportunidades para uma vida mais feliz, dentro de condições de trabalho digno e construtivo, atendendo às suas necessidades particulares, pois que, do trabalho de todos, a nação cresce, progride, enriquece!
    Esse é o objetivo de alguns que partem do Mundo Espiritual, para levarem à Terra a sua colaboração, em um país que amam e desejam vê-lo evoluído.
    Se voltarmos nossos olhos àquela pequena Colônia, localizada num dos espaços siderais, vamos encontrar uma entidade feliz, idealista, planejando, organizando empreitada, submetendo seu plano à aprovação de Mentores maiores. Um trabalho muito bem concatenado, para que, ao retornar, pudesse executar o que desejava.
    E o desejo daquela entidade era ser o mandatário supremo de uma nação! Desta Nação amada, desta Nação tão carente, tão sofrida, e com tanta urgência de ser bem organizada, de progredir, de saciar tanta fome, de cobrir tantos corpos desnudos.
    Como seus objetivos eram nobres! Como sua planificação era sublime! A dedicação, a renúncia com que se aplicaria nessa tarefa, era a mais abnegada possível, a mais nobre, a mais bela. Era um idealista! Mas a Nação precisava desse idealista, precisava de vontade firme, para que essa planificação fosse executada, e este País, organizado adequadamente!
    As promessas eram efetuadas, os planos arquitetados e, diante de tanta convicção, a aprovação foi conseguida.
    Tudo fariam a fim de que aquela entidade, no momento certo, reencarnando, tivesse as facilidades para colocar em prática plano tão elevado, tão direcionado às urgências desta Nação!
    Quando tudo estava já delineado, a preparação para a reencarnação se iniciou.
    Para tais propósitos, a família era importante! Os ideais dos pais colaborariam na concretização dos ideais do filho. Assim também, unindo necessidades afetivas do passado, unindo objetivos que seriam postos em prática, a família foi preparada para receber aquela entidade, que deveria se tornar, um dia, um grande defensor da Nação, aquele que teria em suas mãos, os cordéis para manejar em favor dos necessitados! Aquele que traria o desejo de promover o seu crescimento, levando consigo o progresso de cada indivíduo, livrando-o da miséria e proporcionando-lhe também oportunidades para tantos colaborarem. Cada ser vivente, diante de uma nação, é uma peça importante a contribuir para o seu crescimento!
    Escolhida a família, dentro do que era essencial, iniciou-se a preparação do Espírito. Quando aqui chegasse, trazendo em si, do Mundo Espiritual, aquela semente, deveria encontrar as condições para a germinação no tempo certo.
    Aquele preparo, imprescindível ao Espírito, para esquecer as existências anteriores e viver tão-somente restrito ao que idealizou, foi efetuado. Aconselhamentos realizados, enfim, tudo o que se executa nesses momentos para que, ao chegar ao mundo dos encarnados, haja apenas a semente para a germinação futura, contendo em seu cerne o firme desejo de conseguir o que prometeu, através dos planos arquitetados, sem nem mesmo ter ciência dos compromissos assumidos.
    É um período de desligamento das lembranças do Mundo Espiritual, favorecendo a visão do futuro, deixando solidificadas no seu íntimo, para trazer ao plano terrestre, as convicções a serem concretizadas no momento adequado.
    Completada essa preparação, aquela entidade, com uma missão muito importante, era trazida ao orbe terrestre, para uma pequena cidade do Rio Grande do Sul, a fim de vir à luz.
    Passado o tempo necessário à formação do corpo, e os primeiros vagidos fossem dados diante da luz terrestre, diante do sorriso dos pais felizes, eis que aquele Espírito, já encarnado naquele corpinho frágil, é colocado nos braços dos pais, que o batizaram com o nome de Getúlio — Getúlio Dornelles Vargas! Aquele que trazia, sem que ninguém o soubesse, uma bagagem direcionada ao País, ao povo de sua terra, a toda esta Nação Brasileira!
    A alegria de receberem aquele entezinho no lar foi muito grande, e confirmava os anseios dos pais, quando um bebê chega, satisfazendo muito mais ainda o orgulho do pai, que sempre deseja receber filhos homens.
    Ao saber que era mais um homenzinho que chegava — o terceiro de seus filhos, também homens, — e, de acordo com suas próprias tendências, já prenunciava o seu futuro:
    — Quero fazer dele um militar, aquele que um dia poderá ter cargos elevados dentro da Escola Militar, dentro do Exército, e, quiçá, do nosso País!
    — Cuidado, querido, ele mal acaba de chegar, por que esses prognósticos tão longínquos? — contestava a esposa.

    — É o que pretendo para ele, e tudo farei para conseguir!

     
    O Eça avisa logo que mudou de estilo, que não escreve mais como nos anos oitocentos.

  126. Marciano Diz:

    Vitor, esqueci-me do e-mail e comentei duas vezes. Pode ignorar o anterior.
    Tive de redigir tudo de novo, mas é bom para deixar de ser desatento.

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)