Arquivo ‘Obras de Allan Kardec’ Categoria

Livro Gratuito! Em Nome de Kardec (2015), de Adriano Calsone

terça-feira, outubro 24th, 2017

Este é mais um livro que ajuda a compreender melhor o período histórico seguinte ao desencarne de Allan Kardec. Para ler o livro, clique aqui.

Resgate Histórico! “Muita Luz”, de Berthe Fropo (1884)

terça-feira, outubro 10th, 2017

O livro revela em detalhes o que aconteceu ao movimento espírita kardecista após a morte de Kardec, e traz:
.
- diversas comunicações mediúnicas inéditas de Kardec para a sua mulher
- a revelação de que diversos documentos de Kardec foram incinerados
- como ocorreu a morte da mulher de Kardec
- os roubos financeiros e a deturpação de Leymarie da doutrina espírita para a Teosofia
.
O livro é uma raridade. Foram feitos apenas 1200 exemplares à época. Dos 1200, só restou… 1. Isso mesmo, 1. Pelo menos é o que dizem. E desse 1 foi feita a tradução, sendo que havia borrões atrapalhando a leitura, páginas cortadas nas pontas, uma série de dificuldades. Mas quem ler o livro não percebe nada disso. Um trabalho primoroso, traduzido e disponibilizado de forma gratuita por Ery Lopes e Rogério Miguez. Muito agradeço a ambos. Para ler o livro, clique aqui.

Blog ‘Obras Psicografadas’ é citado em Tese (2016)

sexta-feira, setembro 22nd, 2017

Para lerem a tese, chamada “De Allan Kardec a Chico Xavier: Uma Visão Histórica das Poesias e dos Romances Mediúnicos”, de autoria de Denise Adélia Vieira Prata, cliquem aqui. O blog é citado entre as páginas 213 e 216. A tese também compara uma poema de Castro Alves com um psicografado por Chico Xavier. Muito agradeço à Denise pela menção ao blog!

O Espiritismo, esta loucura do séc. XIX – Tese de Augusto César Dias de Araújo (2014)

quarta-feira, agosto 24th, 2016

Excelente material para se entender Kardec e o Espiritismo. Para baixar, clique aqui.

Por que o Espiritismo Kardecista não é Ciência?

domingo, março 3rd, 2013

Algumas pessoas acreditam que o paradigma kardequiano é similar em qualidade aos paradigmas da termodinâmica, do eletromagnetismo, das teorias da relatividade, e da mecânica quântica, no que tange à sua coerência, abrangência, adequação empírica, e fertilidade heurística, o que elevaria o Kardecismo ao status de uma Ciência legítima. Isso é um enorme equívoco.

(mais…)

Algumas Notas sobre a Origem, e os Primeiros Tempos, do Espiritismo

sábado, agosto 18th, 2012

Mais um texto de José Carlos Ferreira Fernandes revelando os movimentos sociais e culturais e as influências que deram origem ao espiritismo kardecista.

(mais…)

ALLAN KARDEC FOI UM DRUIDA?

segunda-feira, julho 30th, 2012

Este texto, de José Carlos Ferreira Fernandes, tinha originalmente 64 páginas. Tomei a liberdade de fazer uma versão resumida com apenas 20 páginas para melhor se adequar ao formato de um blog. Entretando, disponibilizo a versão integral neste link.

O texto busca-se saber o que há de verdade na história atualmente contada sobre Allan Kardec ter sido um druida com esse nome numa vida anterior. Seria isso mesmo possível ou tal figura jamais poderia ter existido? E como surgiu o nome Allan Kardec? Saiba a seguir.

(mais…)

Minhas primeiras experiências no grupo de Allan Kardec e com médiuns daquela época (Por Camille Flammarion, 1907)

quinta-feira, julho 26th, 2012

Este é o Capítulo 2 do livro de Camille Flammarion, “As Forças Naturais Desconhecidas”. Neste capítulo Flammarion apresenta diversas provas que os médiuns de Kardec não estavam incorporados por espírito algum, sendo todo ou quase todo o material produzido por meio deles oriundo de suas próprias mentes, sem a influência de qualquer causa externa, alguns vítimas de autossugestão. Também denuncia a existência de fraude por parte da senhorita Huet, que era uma das médiuns do grupo de Kardec. A doutrina espírita, portanto, não é fruto do ensinamento dos espíritos, e sim fruto de puro animismo dos médiuns.

Para baixar o capítulo em pdf, clique aqui.

(mais…)

Provando que o Deus Kardecista não existe

quinta-feira, julho 5th, 2012

Já que estamos numa época em que não se fala de outra coisa além do Bóson de Higgs, ou chamado pela mídia de “A Partícula de Deus”, achei por bem provar de uma vez por todas que é um fato científico que Deus não existe. Ao menos, o Deus como definido pelo Kardecismo. Fato, aqui, não quer dizer algo irrefutável, já que isso não existe em Ciência, e sim que está “confirmado a tal ponto que seria perverso suprir uma concordância provisória com ele”. Pois bem, na 1ª pergunta do Livro dos Espíritos, é perguntado “O Que é Deus?”. A resposta foi de que “Deus é a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas”. Apesar de curta, essa definição é suficiente para tornar a hipótese da existência de Deus falseável, do seguinte modo: se Deus é a causa primária de todas as coisas, então se achássemos uma única coisa, um único fenômeno que fosse acausal – sem a necessidade de uma causa para ocorrer – então o Deus kardecista estaria refutado. E essa coisa existe e se chama decaimento radioativo. E há uma miríade de outros exemplos além desse. Selecionei diversas explicações de Ernesto Von Rückert, físico e cosmologista do importantíssimo Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF) sobre essa questão da existência de fenômenos acausais e mesmo sobre a necessidade de o Universo necessitar de uma causa para surgir, extraídas de seu blog. As respostas são perfeitamente compreensíveis, mesmo para uma pessoa leiga. Como base para as perguntas, selecionei o texto “Eventos sem Causa”, reproduzido a seguir. Fica claro que, atualmente, pela Física, o Deus kardecista está refutado.

(mais…)

Livro Gratuito: “O Erro Espírita” (1923), de René Guenon

segunda-feira, julho 2nd, 2012

Abaixo segue um livro interessante de René Guenon, com críticas bem acertadas ao kardecismo e muitas mensagens interessantes de “espíritos” ateus. Uma das muitas críticas ao kardecismo foi feita pelo próprio Daniel Douglas Home, um médium de efeitos físicos a quem Kardec admirava. Não sei quem traduziu o livro para o português, mas agradeço imensamente!

Para baixar o livro, clique aqui. A seguir, alguns trechos.

(mais…)

Entradas (RSS)