Arquivo ‘Obras de Chico Xavier’ Categoria

3 Cartas Inacreditáveis que Chico Xavier Psicografou (2015) – Matéria da SUPERINTERESSANTE

sexta-feira, setembro 25th, 2015

Para ler a matéria da Superinteressante, clique aqui.

Dissertação de Raquel Marta da Silva sobre Chico Xavier (2002)

sexta-feira, setembro 18th, 2015

A dissertação “CHICO XAVIER: IMAGINÁRIO RELIGIOSO E REPRESENTAÇÕES SIMBÓLICAS NO INTERIOR DAS GERAIS – UBERABA, 1959/2001″ de Raquel Marta da Silva traz à tona diversos rompimentos de Chico Xavier com seus companheiros e como o movimento espírita buscava abafar tudo que pudesse prejudicar sua imagem. E mais, revela que Eurípedes Humberto Higino dos Reis jamais foi filho adotivo de Chico Xavier, e que isso é uma criação da imprensa. Para baixar a dissertação, clique aqui.

Mediunidade no Brasil: aspectos históricos e investigação científica (2015)

sexta-feira, setembro 11th, 2015

Segue um artigo escrito por membros do grupo Inter-Psi sobre mediunidade no Brasil. O artigo será disponibilizado em espanhol no E-BOLETÍN PSI de setembro de 2015, em http://www.alipsi.com.ar/publicaciones_ipp.asp, com fotos. O artigo em português já pode ser encontrado aqui, sem fotos.  Um dos artigos postados neste blog escrito foi citado como referência, o que envolvia o caso Jair Presente. É mais um artigo daqui que ganha os círculos acadêmicos!

Livro Gratuito: “Nossa Vida no Além”, de Marlene Nobre (1998)

terça-feira, julho 28th, 2015

Livro escrito pela recentemente falecida Marlene Nobre, baseado na psicografia de Chico Xavier. Para lê-lo, clique aqui.

Notícia urgente: Desencarna Waldo Vieira

sexta-feira, julho 3rd, 2015

Faleceu dia 02/07/2015, aos 83 anos, Waldo Vieira, médium que trabalhou com Chico Xavier e participou das sessões de materialização em Uberaba, posteriormente se desligando do Espiritismo. Acusou o Chico de participar de um esquema de “cartas marcadas”. Foi o propositor da Conscienciologia e da Projeciologia. Mais informações aqui.

Análise do livro Adeus Solidão (1982), de Chico Xavier

segunda-feira, maio 11th, 2015

Este artigo busca analisar a ocorrência de algum fenômeno paranormal no livro “Adeus Solidão” (1982), que reúne 16 casos de cartas psicografadas por Chico Xavier. Para lê-lo, clique aqui.

As Cartas Psicografadas de Chico Xavier com Pessoas Desconhecidas às Famílias das Vítimas (2015)

quarta-feira, abril 22nd, 2015

Este artigo revela um padrão nas cartas psicografadas de Chico Xavier e explica por meios normais a grande maioria dos casos em que constam nomes de pessoas desconhecidas à família e que depois se mostram verídicos. Além disso, revela um caso claro do uso da técnica de leitura fria. Para lê-lo, clique aqui.

Explicando o caso Jair Presente

terça-feira, abril 14th, 2015

Esse artigo é uma resposta ao artigo de Moreira et al. Investigating the Fit and Accuracy of Alleged Mediumistic Writing: A Case Study of Chico Xavier’s Letters” (Investigando o Acerto e Precisão de Suposta Escrita Mediúnica: Um Estudo de Caso de Cartas de Chico Xavier) publicado na revista Explore. O artigo de Alexander já foi traduzido por mim e pode ser lido aqui. Minha resposta pode ser lida aqui.

Semelhanças entre “Nosso Lar” (1944), “Memórias de Um Suicida” (1954), e “Violetas na Janela” (1993)

sexta-feira, dezembro 19th, 2014

Apresento as semelhanças que pude encontrar em 3 livros psicografados (Nosso Lar, Memórias de um Suicida, Violetas na Janela) de diferentes médiuns. Um dos livros – “Violetas na Janela” – porém, em determinado trecho, admite conhecimento do livro “Nosso Lar”:

Tinha lido muitos livros espíritas, gosto muito de ler. E me veio à lembrança o livro Nosso Lar, de André Luiz. O autor narra bem como é viver numa Colônia. (Capítulo 3, pág. 6).

Feita essa ressalva, vamos às semelhanças. Para acessar o artigo, clique aqui.

Ainda Lêntulo, o sufeta – resposta a Nagipe Assunção

quinta-feira, dezembro 11th, 2014

O  sr.  Carlos  Henrique  Nagipe  Assunção,  bacharel  em  História  e  pesquisador  da ambiência sócio-cultural de “Há Dois Mil Anos”, psicografia de Francisco Cândido Xavier, fez publicar na Internet um artigo no qual, a partir do estabelecimento dum cônsul sufeta  para o ano 27 dC de  nome “Públio  Cornélio  Lêntulo”,  defendia  a existência histórica do “Públio Lêntulo” da referida psicografia, o qual seria, de fato, tal sufeta.  Uma análise de tal trabalho, de autoria do Sr. JCFF, já teve a sua primeira parte publicada no  portal  “Obras  Psicografadas”;  tal  análise  procurava  demonstrar  a inconsistência de tal identificação, malgrado o fato de ter havido, de fato, com razoável grau de probabilidade, um sufeta em 27 dC com o nome de Públio Cornélio Lêntulo (mais exatamente, Públio Cornélio Lêntulo Cipião). Não obstante, o sr. Nagipe Assunção levantou alguns questionamentos acerca da anteriormente referida pesquisa sobre o sufeta de 27 dC. Basicamente, contestou o fato de o sufeta de 27 dC ser um Lêntulo Cipião; além disso, fez ver que a identificação do sufeta de 27 dC constante em trabalho anterior estava equivocada (com o prenome “Lúcio”, ao invés de “Públio”); enfim, questionou algumas conclusões esposadas noutra pesquisa do sr. JCFF, acerca da antroponímia utilizada por Xavier em sua psicografia. O pequeno trabalho aqui apresentado, por conseguinte, procura dar resposta às observações levantadas pelo sr. Nagipe Assunção. Para acessá-lo, clique aqui.

Entradas (RSS)