Falsários Pintam Melhor que Médiuns

Este artigo visa apresentar casos de falsários que ludibriaram especialistas em arte, e faz uma comparação com dois médiuns: Florêncio Anton e José Medrado.

Elmyr de Hory (1906-1976) foi um famoso falsário húngaro que conseguiu ludibriar diversos especialistas em arte Diferentemente de outros falsários, evitava fazer apenas cópias de quadros já existentes, preferindo criar “originais” com as técnicas dos artistas que ele imitava. Isso tornava a descoberta da fraude muito mais difícil. Entrou aos 18 anos na escola de arte Academia Heinmann em Munique, na Alemanha. Em 1926 se mudou para a França e estudou arte na Académie de la Grande Chaumière, uma das mais conceituadas na época. Começou a vender quadros falsos de Picasso para amigos que os tomavam como originais. Além de Picasso, Hory imitava fielmente o traço de diversos artistas, como Vlaminck, Chagall, Toulouse-Lautrec, Dufy, Derain, Matisse, Degas, Bonnard, Laurencin e Modigliani. Em 1955, no que é considerado um dos momentos mais brilhantes de sua “carreira”, ludibriou o Fogg Art Museum da Universidade de Harvard, vendendo um Matisse seu. É bastante provável que o quadro antes de ser comprado pelo museu tenha sido examinado por diversos especialistas. A Universidade de Harvard apenas descobriu a fraude por uma investigação que durou quase uma década e que envolveu diversos negociantes e museus de arte de todo o mundo. Também em 1955, pela primeira vez, vendeu quadros de Picasso que não eram originais seus, mas réplicas exatas, para Joseph W. Faulkner, um negociante de arte de Chicago. Posteriormente Faulkner descobriu serem fraudes, e Hory teve de fugir para o México, mas voltou aos Estados Unidos pouco depois. Nisso, olhando livros de arte, descobriu que diversas obras suas estavam entre originais, e valendo tanto quanto eles. Ficou furioso com isso, pois os museus lhe pagavam uma fração ínfima do quanto suas obras valiam agora. Em 1959 voltou à Europa, e adquiriu uma casa na ilha de Ibiza, Espanha. Vendeu centenas de quadros por somas astronômicas, chegando a comprar um luxuoso apartamento em Paris.  Em 1964 começou a ficar cansado e a qualidade de seu trabalho piorou, tornando mais fácil de detectar a fraude. O FBI e a Interpol ficaram no seu rastro e Hory se viu forçado a se mudar para a Austrália, onde morou por cerca de 1 ano, voltando à Europa em 1965. Em 1966 mais de suas obras foram reconhecidas como fraudes. Voltou à Espanha, terminando seus dias em Ibiza, onde cometeu suicídio tomando uma overdose de pílulas para dormir. 

Ainda há excelentes falsários nos dias de hoje. Um deles é o alemão, natural de Berlim, Edgar Mrugalla. Nasceu em 1938 e começou a pintar em 1969, tendo já copiado 3.500 quadros de artistas famosos, entre eles Rembrandt, Picasso, Renoir, Klimt, Macke e muitos outros, mas nunca Dali, por não gostar dele. Em 1987 ficou 2 anos na cadeia, sendo  libertado por ter colaborado com as autoridades e ajudado a desmascarar falsificações de obras de arte, as suas e as de outros, supõe-se. Parte da culpa foi atribuída também aos vendedores de arte. 

Das suas falsificações, 1.500 foram encontradas, mas 2000 continuam no mercado.  

Vamos agora nos voltar para dois médiuns psico-pictógrafos: Florêncio Anton e José Medrado.  

O Modus Operandi de Florêncio Anton 

O blog Espírito de Arte traz informações sobre como Anton opera: 

O ritual é o mesmo em todos os lugares: pequena palestra de abertura com apresentação e explicações sobre o tema, prece inicial, música ambiente… e começa o transe. 

O público observa atento a transformação de Florêncio, que leva alguns minutos. De pé, atrás de mesa organizada para a pintura, ele se enverga ligeiramente, mãos sobrepostas e braços arqueados. Um gesto característico é o sinal para que o ajudante lhe entregue a tela em branco. Os movimentos iniciais são bruscos, aparentemente desconexos. À medida que passam os minutos, os contornos ganham forma e já é possível entrever uma típica natureza-morta. Vasos com flores são muito comuns na pintura atribuída a Espíritos. Mas dividem também espaço com paisagens e retratos. Olhos fechados na maior parte do tempo, o médium termina a obra, assina e exibe o resultado à platéia, enquanto escreve algo atrás da tela. 

Em média, a sessão completa leva pouco mais de uma hora. Ao final, entre dez e vinte quadros foram produzidos. As assinaturas variam bastante. “Desde sacros, dos séculos XI e XII, até modernos, como Picasso, Tarsila do Amaral e outros”, explica Florêncio. Até hoje, ele contabiliza cerca de 24 mil telas, assinadas por 105 nomes ligados à pintura.  

Notemos que, pelo escrito, o médium não fica com os olhos fechados todo o tempo. Uma questão pertinente é, porque o médium não opera com uma venda para ficar mais crível – embora ainda não convincente – a existência de algum fenômeno paranormal? Também seria interessante observar se as assinaturas são idênticas às dos artistas falecidos ou não. 

Qual o Conhecimento de Florêncio Anton sobre os Artistas Incorporados 

O blog ainda informa que Florência faz pesquisa sobre os artistas que incorpora: 

O baiano garante que tem pouca afinidade com as belas artes. Diz que quase foi reprovado na escola, durante o Ensino Fundamental, pelo mau desempenho nas aulas de Educação Artística. E que hoje em dia, o quadro não mudou. “Num sentido técnico, meu conhecimento em artes plásticas é mínimo. Num sentido histórico, até por respeito a todos esses Espíritos que têm se utilizado da nossa faculdade, eu já conheço alguma coisa”, assegura. 

O conhecimento assumido de Anton sobre os artistas prejudica testes confirmação de identidade. Por outro lado, demonstra honestidade. Penso que se poderiam fazer perguntas altamente específicas na língua original do pintor falecido. Será que Anton as entenderia e responderia corretamente? Até que isso seja feito, fica a dúvida. 

Qual a Qualidade das Obras de Florêncio Anton 

Eis o que diz o artista plástico Roberto Galvão, membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte, com 36 anos de carreira e diversas exposições internacionais: 

As obras não são muito significativas, insignificantes até. De uma técnica profundamente elementar, espontânea, e com um resultado compatível com o tempo que ele gasta pra fazer a obra”.  

Noutras palavras, Galvão não vê motivos para acreditar que haja, de fato, pintores famosos por trás dos quadros que saem das mãos de Anton. 

O médium José Medrado 

Eis a reportagem publicada no site Cidade da Luz sobre José Medrado, médium nascido em Salvador, Bahia, em 1961. Alguns comentários que julguei pertinentes, de autoria de meu amigo Moizés Montalvão, feitos num esboço desse artigo, serão inseridos entre colchetes ao longo da narrativa: 

José Medrado, médium de múltiplas faculdades, algumas manifestadas a partir da infância, outras da adolescência, começou a pintar mediunicamente aos 27 anos, quando o espírito Renoir lhe apareceu, propondo transformar tintas em pães.  

Inicialmente, Medrado relutou em aceitar o convite, pois jamais havia feito qualquer curso de pintura e não entendia de arte. Mas, a proposta era exatamente esta, transformá-lo em pincel vivo e, assim, ajudar no sustento do orfanato mantido pelo Centro, que passava por dificuldades financeiras.  

[Possível explicação “psicológica” para a eclosão do talento de Medrado, e de outros: o autor, em dado momento de sua vida, percebeu que tinha habilidade para a pintura. Por estar inserido num ambiente onde a mediunidade é valorizada, e, provavelmente, por ter inclinações mediúnicas (leia-se capacidade dissociativa), canalizou sua habilidade para a esfera da espiritualidade e elaborou (talvez inconscientemente) o enredo espiritual, o que lhe rende mais louvores do que se se apresentasse meramente como um imitador. É mais gratificante estar sob a influência dos espíritos, em vez de ser conhecido como habilitado apenas para reproduzir o trabalho alheio.] 

Os primeiros esboços foram como que desestimulantes, perseverou, porém. Após as primeiras tentativas sem sucesso, na noite de 20 de dezembro de 1988, ao som da Nona Sinfonia de Beethoven, o espírito Van Gogh, por seu intermédio, retratou este compositor alemão Beethoven que viveu cerca de cem anos antes do pintor holandês. Os resultados, a seguir, foram notáveis prenunciando o que, mais tarde, iria ocorrer, projetando Medrado no cenário da arte mediúnica, não só na Bahia, mas no Brasil e no exterior. Medrado realiza publicamente, em questão de minutos, trabalhos mediúnicos que pintores profissionais levariam muito tempo para concluir. Geralmente, nas pinturas públicas, manifestam-se os impressionistas, maioria deles pintores franceses que viveram no século XIX. Mas, também, pinta mediunicamente em ateliê, onde predominam clássicos da pintura, pintores sacros, renascentistas, etc.  

Antes de pintar publicamente, Medrado se submeteu à avaliação de muitos críticos de arte, que identificaram nas telas por ele produzidas, traços de Renoir, Claude Monet, Berthe Morisot, Toulouse Lautrec, Van Gogh, Gauguin, Edouard Manet, Picasso… 

[É dito que os críticos de arte encontraram “traços” de pintores famosos na obra de Medrado, mas o texto é inconclusivo, pois não informa se esses traços correspondem a trabalhos de alto nível ou apenas a indicações que lembram vagamente os autores originais.] 

Vejamos o que declarou Matilde Mattos sobre o médium, ao Jornal da Bahia, em 05/05/90. “Sabemos que quem nunca teve o treino da pintura jamais seria capaz de fazer uns poucos traços, esfregá-los e dali sair um quadro. Teria de ter muita experiência e prática para saber que efeito conseguiria, mudando as cores e o equilíbrio da composição. É quase impossível para uma mão pouco treinada! E no caso de Medrado, as figuras estão bem centradas e as proporções são sempre corretas.” (Matilde Mattos é integrante da Associação Internacional de Críticos de Arte e Associação Brasileira de Críticos de Arte). 

[A apreciação de Matilde Mattos pode ser lida de duas maneiras, uma favorável à mediunidade, e é assim que vem sendo apresentada; outra que põe dúvidas quanto a declarada insapiência artística de Medrado. Ela diz: “quem nunca teve treino não consegue pintar com facilidade. E Medrado consegue”, pode-se inferir: portanto, Medrado teve treino.] 

Toda a renda obtida através da pintura mediúnica é destinada ao orfanato Lar Luz do Amanhã, à ajuda a outras instituições, à distribuição de cestas básicas…, mantendo o acordo firmado, à época, de Renoir com Medrado, que a faculdade mediúnica lhe seria suspensa, caso houvesse distanciamento do seu propósito básico, a filantropia. Desde 1988, portanto, atuando no bem ao próximo.  

A venda das obras mediúnicas produzidas pelo médium José Medrado ajuda na manutenção do Centro Espírita Cavaleiros da Luz e do orfanato por ele mantido. 

Ainda que um médium ou outro receba elogios de críticos, já vimos que especialistas de arte muitas vezes se enganam sobre a autenticidade de uma obra. Minha conclusão diante do exposto é que não existem boas evidências de espíritos vindas exclusivamente da psico-pictografia. De fato, falsários parecem realizar um trabalho melhor que os médiuns porque demoram, capricham mais. Já os médiuns pictográficos pintam velozmente porque o fazem superficialmente. Assim, outras características precisam estar presentes para se ter certeza de um fenômeno autêntico, e isso só virá por meios de testes, como os sugeridos no decurso deste artigo.  

Bibliografia 

http://www.espiritodearte.blogspot.com/2008/07/mais.html (acessado dia 29/11/2008) 

http://en.wikipedia.org/wiki/Elmyr_de_Hory (acessado dia 29/11/2008) 

http://www.trutv.com/library/crime/criminal_mind/scams/elmyr_de_hory/index.html (acessado dia 29/11/2008) 

http://blog.uncovering.org/archives/2008/05/edgar_mrugalla.html (acessado dia 29/11/2008) 

http://diario.iol.pt/sociedade/pintura-arte-falsificacoes-crime-obras-quadros/866156-4071.html (acessado dia 29/11/2008) 

http://www.mrugalla.com/index.htm (acessado dia 29/11/2008) 

http://es.wikipedia.org/wiki/Edgar_Mrugalla (acessado dia 29/11/2008)

32 respostas a “Falsários Pintam Melhor que Médiuns”

  1. Carlos Magno Diz:

    Falsários pintam melhor que médiuns? Concordo, Vitor, em muitos casos. De certa maneira o falsário também é um artista, somente não é original.

    Aliás, não nos enganemos, há certos falsários que são incríveis, e não somente pintam, mas copiam outras coisas de maneira inacreditável. Dinheiro falso então, é com eles mesmos!

    Infelizmente os artistas desencarnados nem sempre encontram num médium áreas cerebrais tão bem desenvolvidas como são ou foram as suas. Como diríamos a grosso modo: utilizam-se de instrumentos imperfeitos. E mesmo assim, mediunizam e pintam deixando suas antigas e exigentes vaidades de lado.

    Para lhe ser franco, tem muita gente que tem preferências por produções de falsários. Não se pode agradar a todos com um só produto.

  2. Liana Diz:

    Primeiramente eu gostaria de dizer que o que fascina na mediunidade é o fato do medium em questão nao saber nada de arte , e pintar de uma forma além da sua capacidade, ou seja, este nao poderia ter pintando por que nao é o seu talento. E isto é fascinante! Nao importa se estes pintam pior ou melhor do que um artista famoso , esta nao é a questão! A questão é que ele faz algo que nao poderia fazer sem ser em estado de transe!
    E na minha opinião nao importa se este faz de olhos abertos ou fechados , ou se a pintura é de um pintor famoso ou nao! O importante é se o fenômeno é real ou nao! E fechar levemente os olhos é melhor para entrar em transe de qualquer forma!E nao necessariamente deve-se ficar com os olhos fechados todo tempo!
    Se a pessoa teve treino ou nao para pintar , nao se tem prova sobre isso é apenas uma teoria! E se ele nao teve treino e mesmo assim pinta é uma prova de que seria possível a “incorporação” durante uma sessão espírita!
    E se todo o contexto social que este estava vivendo levou este a pintar mediunicamente, isto na verdade pode ter sido o que levou este a desenvolver a mediunidade, afinal como nós já vimos no texto anterior a mente é incrível!

  3. Marcelo Druyan Diz:

    Grande Vitor!

    Realmente, afirmar que falsários pintam melhor do que médiuns não significa nada.

    O que me chama a atenção é o objetivo da obra “pictografada”. Não creio que um grande pintor desencarnado utilize-se de um médium por puro diletantismo. O que se quer demonstrar, creio eu, é a imortalidade da alma; ou seja; um Henri Matisse utiliza-se um médium para dizer: a morte não existe!

    No entanto, esta afirmação termina por não ser dita. Se um espírito – por uma razão ou outra – não tem condições de ser fiel a si mesmo quando encarnado, melhor não levantar polêmicas. Obras pictografadas ou psicografadas têm sido objeto de estudo e, infelizmente, não são a impressão digital de seus autores encarnados.

    Então, repito, qual o objetivo destas comunicações? Respondo: provar que a morte não existe. Mas, se existem problemas na comunicação mediúnica ou no estado espiritual dos desencarnados, para que forçar a barra? Para levantar polêmicas em blogs?

    Não! Os espíritos superiores têm que se valer de algo melhor do que foi mostrado até hoje. Uma prova irrefutável, uma revelação que não apele ao “terror mortis” e que resista ao exame científico.

    Os que crêem, não precisam de provas. Mas os que duvidam … o que será de nós? Todos queremos viver para sempre. Eu adoraria rever o meu pai, falecido em 82. Mas não tenho motivos para crer que isso seja possível.

    Infelizmente, tenho que dizer, a história dos contatos mediúnicos tem muito mais a depor contra o espiritismo kardecista, do que a favor. E, na retaguarda, ficam companheiros bem intencionados, chupando uma manga amarga.

    Saudações

    Marcelo Druyan

  4. silvio selva Diz:

    o que mais me fascina na pintura mediúnica é a fé!!! A FÉ QUE OS PRÓPRIOS MÉDIUNS TÊM EM SI! Eles se sugestionam de uma forma tão profunda que acreditam que são os Renoirs da vida, ou ainda os que escrevem coisas toscas e dizem que são Machado de Assis, o incrível de tudo isso é que as pessoas vão nas “apresentações” dos sujeitos e acreditam que é o “desencarnado”em ação! Me expliquem por exemplo porquê eles só “incorporam” no Brasil e não na França ou em seus paises de origem; realmente a morte não existe, pois após esta, bactérias, fungos e vários organismos se fartam de corpo “desencarnado”; outra coisa me incomoda é a quantidade de pessoas que existe hoje e não havia antes: as almas simplesmente estavam num arquivo esperando o momento de incorporar? Uma vez fui assistir um “show” desses, uma amiga (sempre elas…) ficou extasiada ao comprar um autêntico Renoir igualzinho ao original, detalhe: ele só havia visto pinturas do mestre francês em fotos de enciclopédias… MAs vou acreditar nisso no dia em que Andy Warhol “incorporar” e o médium fizer uma serigrafia ou mesmo Rodin “incorporar” produzir uma escultura de mármore, até lá, fico com meu ceticismo….

  5. silvio selva Diz:

    Apenas complementandoi uma parte que creio ter ficado obscura é o seguinte: como se hoje o mundo tem bilhões de habitantes e não havia esse número de pessoas no planeta antes, como se dá a explicação para a reencarnação?

  6. Carlos Magno Diz:

    O Silvio faz bem em criticar, nenhum pouco em debochar, e muito mal em não buscar novas respostas fora de seu pessoal e limitado universo.

  7. Marcelo Druyan Diz:

    Sílvio, tudo bem?

    Concordo, em parte, com você. Acredito que existam picaretas dentro do espiritismo, explorando a fé dos incautos. Mas devo admitir não ser um “privilégio” do meio espírita. Mistificadores há em outras religiões, como por exemplo, em algumas Igrejas Pentecostais, onde são vendidas espadas de plástico que possuem o poder de expulsar demônios (esta aberração baseia-se em uma passagem bílbica de Paulo ).

    Por outro lado, acredito em pessoas bem intecionadas que realmente acreditam estar psicografando ou pictogrando. Algumas de maior talento, outras, nem tanto. Pessoalmente, não tenho razões para acreditar na comunicação dos mortos e explico os fenômenos mediúnicos como animismo, produção inconsciente do “médium”.

    Mas se tais fenômenos ficassem restritos aos eventos de maior porte, a grande pintores ou escritores, o dano seria menor. O debate correria – como acontece – em torno da produção mediúnica, estudo de técnicas, comparação de obras, etc e tal.

    O que acho mais preocupante á a mediunidade do dia-a-dia, aquela espalhada pelos milhares de centros espíritas do Brasil. Vidas são afetadas por revelações de guias, diagnósticos de obssessões, tratamento de doenças à base de água fluidificada e passes magnéticos, mensagens de espíritos, etc. Enfim, por uma infinidade de recursos que nunca se provaram válidos, a não ser pelo poder da sugestão e por “testemunhos” pessoais. E quem fiscaliza tudo isso?

    Um amigo pessoal estava com problema de alcoolismo. Procurou um conhecido centro espírita aqui de Belo Horizonte e foi informado de que um espírito obssessor – antigo desafeto de outra vida – era quem o impelia ao vício. Passou a ter dois problemas. Além do alcoolismo, teve que lidar com a idéia de um “encosto” que gostaria de destruir sua vida. Tomou passes, bebeu litros de água fluidificada, participou de sessões de desobssessão e – a princípio – teve um remissão aparente, fruto visível de seu entusiasmo pela “nova” religião.

    Tempos depois, visto que o tratamento espiritual não surtia o efeito esperado, afundou-se ainda mais na desesperança e no fundo do copo. Até que foi levado por outro amigo ao A.A.A. Há dois anos não coloca um gole de álcool na boca!

    Esta “história” é apenas uma ilustração do perigo a que estão expostos aqueles que preferem o misticismo à razão. Sei que a Ciência não tem resposta para tudo, mas a Religião não tem resposta para nada.

    Kardec foi pródigo em suplicar o atrelamento da doutrina à Ciência. Mas isto nunca aconteceu. O Movimento Espírita Brasileiro está divido em facções. Umas pregam a revisão do Kardecismo, outras defendem a manutenção de seus princípios e outras, ainda, fundaram movimentos independentes e ortodoxos.

    Realmente, não é possível haver consenso sobre uma doutrina marcada – em seu início – por um método duvidoso, contradição, erros crassos e – atualmente – por explicações ad-hoc que tentam, com a colaboração de pessoas bem intecionadas, explicar o que não pode ser explicado pelas vias normais de uma sadia investigação.

    Saudações

    Marcelo Druyan

  8. silvio selva Diz:

    Em nenhum momento tive intenção de deboche, mesmo por quê, sempre guardo o máximo respeito pelas pessoas de maneira geral inclusive respeitando suas crenças. Mas algo me incomoda muito mesmo, não só no espiritismo, em outras formas de crença também: Simplesmente, não consigo acreditar! Assim como digo que não sou cristão, simplesmente por não crer que Cristo ressucitou ao terceiro dia. Religião depende de crença, não de comprovação. Tenho fé sim, mas tenho muito mais fé no ser humano e em sua capacidade transformadora do que em crenças que necessitam de prodígios, sinais e milagres para angariar mais adeptos…

  9. Liana Diz:

    Em primeiro lugar o espiritismo é uma religião brasileira , em decorrência do contexto histórico do nosso país. E é por isso que esta religião ganhou força no Brasil . E na Europa não! E só por que é uma religião sul-americana não quer dizer que é ruim. A “incorporação ” é a forma pelo qual nós usamos para comunicarmos com os seres que não mais pertencem a este mundo, não só os espíritas kardecistas. Em outras religiões não espíritas ,mas que se comunicam com espíritos ,eles se utilizam da clarividência e não tem como comprovar , quem vê sabe ,quem não vê duvida. O que é natural do ser humano. Outros se utilizam do Tabuleiro Ouija, bastante conhecido e difundido no mundo .
    .
    Quanto ao fato de achar que todas as respostas para a saúde estão no espiritismo , lógico que é errado! No meu centro espírita é sempre dito que a pessoa deve ir ao médico e na ficha de tratamento espiritual ( passe ) esta escrito que a pessoa não deve abandonar tratamento médico , assim como quem procura técnicas alternativas de tratamento como a acupuntura. Existem certas doenças que a acupuntura não trata e outras que são tratadas junto com a medicina tradicional.
    .
    Muita paz a todos

  10. silvio selva Diz:

    Outra coisa que me deixa muito curioso sobre “aparições” de espíritos (kardecistas ou não) e fantasmas em geral é que sempre surgem com roupas (vestimentas têm espírito?)e é muito comum as pessoas dizerem: estava com a mesma roupa com que foi enterrado, ou estava com a roupa daquela fotografia, isto pra mim nada mais são que indícios de auto sugestão ou auto hipnose se preferem, mas como disse, sou aberto a quaisquer coisas, e se um dos mortos de minha família aparecer pra mim e comprovar por A + B que não é alucinação minha, com certeza mudarei de idéia…

  11. Liana Diz:

    Oi Sílvio! Você fez uma pergunta muito difícil de responder , mas vou tentar:
    .
    Os espíritos não precisam mais dos órgãos para se comunicarem , para ver ou para sentir, mas nós sim ! Nós percebemos o mundo dos espíritos através dos nossos sentidos do corpo , dogmas e tabus, mas precisamente falando , através do nosso cérebro! Se alguém da sua família aparecer para você sem parecer exatamente como era , como você iria reconhecer? Na teoria espírita acreditamos que os espíritos podem aparecer como quiserem o que dita a sua aparência são os seus pensamentos. Ajudou?
    Mas eu não acho que ninguém ,espírito ou pessoa, tem que te convencer de algo , você acredita no que você quiser.

  12. Dante Luz Diz:

    Eu tenho gente espirita aqui na minha casa, convivo com eles já há algum tempo. No meu Blog http://www.globoonliners.com.br/icox.php?mdl=pagina&op=listar&usuario=1986&mostrar=meublogdesculpe fazer isso, não sei se pode], tem a minha opinião sobre essa coisa chamada espiritismo, a meu ver apenas fruto do medo que as pessoas tem da morte.

  13. Gilberto Diz:

    Por que falsários pintam melhor que médiums? Simples: os falsários querem enganar compradores, especialistas, críticos e conhecedores de arte, enquanto os ditos médiums querem apenas ludibriar (na maioria das vezes conscientemente) pessoas impressionáveis que já são crentes em qualquer fenômeno dito “espiritual”. As pinturas e desenhos apresentados de forma infantilóide são facilmente descartáveis até mesmo pela menos esclarecida pessoa que conheça apenas rudimentos do Espiritismo. As questões levantadas são: esse pintor não reencarnou? Por que agora ele pinta tão mal? Por que esse pessoal só contacta brasileiros dessa religião? Por que, caso o espírito seja real, em 200 anos ele não evoluiu em sua técnica, se em vida ele o fazia? Por que, então, ele nem se deu ao luxo de adotar até mesmo um outro estilo ou técnica, ou simplesmente mudou de fase? Esse dito fenômeno de pictografia é apenas mais uma tentativa furada do Espiritismo dar uma credibilidade e uma aura de intelectualidade à religião. Os espíritas estão sempre sedentos em mostrar como são inteligentes e conhecedores de uma cultura que os pobres católicos, evangélicos e umbamdistas, dentro de suas dogmáticas ou involuídas religiões não têm, por não conhecerem a verdade revelada por Kardec. Oe Espíritas possuem cultura, mesmo que seja simplesmente uma cultura que eu chamo “cultura de Almanaque Biotônico Fontoura”. Essa sede em dar credibilidade ao Espiritismo faz justamente o oposto, pois a enxurrada de factóides causa no mínimo desconfiança de quem está de fora. A última “pérola” nesse sentido que eu tive notícia foi a capa de uma revista Espírita, que diz que o novo presidente americano tem idéias calcadas na doutrina Espírita. Eles não usam os termos “espiritualizadas”, ou “espiritistas”, nem mesmo “espirituosas”, mas sim “Espíritas”, termo cunhado por Kardec. O menos atento pensa: “Oh, até Barack Obama é conhecedor da doutrina!!!” Vida longa ao Jeca Tatu.

  14. Marcelo Druyan Diz:

    Liana escreveu:
    “Quanto ao fato de achar que todas as respostas para a saúde estão no espiritismo , lógico que é errado! No meu centro espírita é sempre dito que a pessoa deve ir ao médico e na ficha de tratamento espiritual ( passe ) esta escrito que a pessoa não deve abandonar tratamento médico , assim como quem procura técnicas alternativas de tratamento como a acupuntura. Existem certas doenças que a acupuntura não trata e outras que são tratadas junto com a medicina tradicional.”

    Oi Liana, tudo bem?

    Se você reler minha msg com mais atenção, verá que eu não afirmei nada em contrário do que você defendeu. Eu citei um diagnóstico espírita, específico: obssessão! Que eu saiba, ainda não existem terapias não-espíritas para isto, excluindo-se, claro, os rituais de exorcismo pentecostal.

    O que eu apontei foi o desamparo a que muitas pessoas ficam entregues frente a “diagnósticos” como esse. Esse tipo de racionalização é a orgia que favorece a loucura e a subjugação de doentes físicos e mentais à uma fantasia sem lastro na Ciência e no bom-senso.

    Meu amigo curou-se no A.A.A., como outras pessoas poderiam ter se curado com psicólogos, psiquiatras e médicos de verdade, se a primeira opção fosse uma destas. Mas a cultura espírita, miúda, do dia-a-dia posterga a medicação em troca do passe, da prece, da sessão, da água fluída ou da vela acesa ao anjo da guarda.

    O que eu perguntei, foi: e quem fiscaliza tudo isso?

    Eu sei que toda comunicação mediúnica tem um viés de animismo, mas quem pode diferenciar, em grau, uma comunicação anímica de outra, mediúnica? E as mistificações? E toda a cultura que se forma ao largo?

    Vou citar outro exemplo. Conheci, certa vez, uma pessoa que incorporava um soldado morto na segunda guerra mundial. A entidade dava conselhos, contava alguns causos, aplicava passes. Perguntei como havia se desencarnado. Respondeu que foi no “Dia D”, na famosa batalha da Normandia. Perguntei, então, a qual exército ela servia e a resposta veio sem lampejos: “Ao Exército Brasileiro, filho”.

    Pois bem, você já testou seu guia hoje?

    Saudações

    Marcelo Druyan

  15. Liana Diz:

    Marcelo , tudo bem? Eu li com muito interesse o que você escreveu!

    Eu acho que não tem como saber se o fenômeno mediúnico é realmente 100% , sem nenhum fator Anímico. Como julgar se uma pessoa realmente não tinha o conhecimento prévio ? Ela pode perfeitamente ter treinado em casa e falar que não, ou mesmo já ter o talento. Mas pode ser que ela não tenha. Então eu acho muito difícil.
    Quanto a fiscalização nas casas espíritas, tinha que ter mesmo . Assim como em muitas igrejas que por aí enganam. Mas eu discordo com você quando você fala que o “diagnóstico” de obsessão favorece a loucura. Eu acho só que é errado dar um “diagnóstico” deste por que assusta um pouco. Como você sabe no espiritismo se acredita que quando você bebe muito atrai espíritos que não conseguiram ainda deixar este mundo , ou as coisas mundanas para trás. Ao meu ver os espíritos são os maiores prejudicados e não o contrário. E quando se faz um trabalho de obsessão não se deve mostrar para as pessoas ou ficar falando e fazer disto um circo . Não é legal! E de qualquer forma eu acho errado falar que os espíritos de forma geral são responsáveis por tudo que fizermos de errado. Mas se a pessoa realmente acredita que esta sendo ajudada e se esforça para melhorar não importa se foi no AAA , ou na igreja , ou no psicólogo. Se ela quer ser ajudada e tem garra , vontade e se sente motivada, ela sai no buraco.
    .
    Saudações !

  16. el cid loco Diz:

    acredito em pinturas psicografadas, em fantasmas, em feitiços, em ovnis, em fadas, em papai noel, em duendes, na honestidade do pc farias, na boa intenção do busch, no viés democratico dos democratas(pfl), que o lula não birita, que o brasil é o país do futuro, que a xuxa gosta de crianças, que o bbb é tudo verdade, etc…

  17. MAGALY Diz:

    FICO IMPRESIONADA COMO AS PESSOAS QUE SE ACHAM TÃO CULTAS OU INTELIGENTES, OU MESMO RACIONAIS E MESMO ASSIM PREOCUPAM-SE TANTO COM O ESPIRITISMO, QUE MAL ELE PODE FAZER ? SE NÃO CRÊEM , PORQUE BUSCAM RESPOSTAS TIDAS COMO LÓGICAS? O QUE REALMENTE ESTÃO QUERENDO COMPROVAR ? A QUEM TENTAM CONVENCER ? TALVEZ A SÍ MESMO, NUMA FORMA DE DEMONSTRAR SUPERIORIDADE INTELECTUAL, PARECE TOLICE NÃO CRER EM ALGO, ENTÃO PRECISAM ESCLARECER TUDO, TER UM DIAGNÓSTICO ATÉ PARA AS COISAS QUE FOGEM A SUA COMPETÊNCIA.DEVE NO MÍNIMO SER TRISTE, VIVER ESSE DILEMA. PARTICULARMENTE CREIO EM UM SER SUPERIOR, NÃO POSSO CRER QUE EU SURGI DO NADA,”ELE” NÃO É TÃO “INTELIGENTE” ASSIM, NEM ME SINTO RIDICULA PORQUE ME PERGUNTO AINDA HOJE DE ONDE VIM E PARA ONDE IREI E ENTRE UM E OUTRO QUE SENTIDO TEM VIVERMOS AQUI NA TERRA ??? SÓ PARA PASSEAR , APRENDER E NÃO PODER EXPERIMENTAR, JUNTAR E NÃO PODER LEVAR, SOFRER PRA QUÊ ?

  18. Dante Luz Diz:

    Magaly,

    Não é esse o problema, o espiritismo faz mal as pessoas, eu tenho um espirita dentro de casa….e descobri quando ela passou a desprezar tudo, os problemas domesticos, o dia a dia pois ela acha que vai desencarnar logo e tudo isso deixa de existir. Passou a mentir pois Chico Xavier ensinou que a “Verdade que fere é pior que a mentira que consola” e ela passou a viver da mentira. Ela fica achando que tudo na vida ocorre por que os espiritos querem assim. Então eu digo o Espiritismo faz mal as pessoas. Em tempo ela parou de tomar os remedios p0or que um espirito disse que os passes vão cura-la.

  19. Bruna Diz:

    … Não entendi!!!é disputa de quem pinta mais e melhor?
    Algum corcurso?
    A despeito do último paragrafo do texto acima, quero ressaltar que não é o espiritismo que faz mal as pessoas, são as “pessoas” que se dizem espiritas é que fazem mal a si mesmo e aos outros.
    Não são os ensinamentos que são falhos…somos nós que falhamos.

  20. Gabriel Santos. Diz:

    Amigos;Espiritismo carregado de dogmas,sem estudo e sem busca do evangelho esclarecedor deixado por Jesus,e narrado pelos evangelistas,é quimérico. Será ilusão,controvércio e mistificador,se não nos permitir conhecer a verdade e por ela nos esclarecermos. Avaliar questões sem procurar entender seu compromisso perante a voce mesmo,ao meio em que vive e com aqueles com quem vive,exteriorizando responsabilidades sem tê-las para conosco mesmos,só nos faz demorarmos na ignorância.
    Paz para todos nós.

  21. Dante Luz Diz:

    Gabriel, voce fala em entender Cristo, mas com o entede-Lo sem os milagres que os espiritas negam?

  22. PRISCILA Diz:

    NOSSA QT DESCRENÇA …ANTES DE CRITICARMOS TEMOS QUE TER CONHECIMENTO DO FATO.
    TD É VALIDO, QD SE TEM DEUS NO CORAÇÃO. TODAS AS RELIGIÕES SÕA VÁLIDAS QD ESTAO AJUDANDO A QUEM FREQUENTA. ENTAO ESCOLHA A SUA, E SEJA FELIZ! TENHA DEUS NO CORAÇÃO, FAÇA CARIDADE. ENTENDA O SIGNIFICADO DA VIDA. AS PINTURAS PSICOGRAFADAS SÃO ENCANTADORAS, JA FUI EM UMA ONDE TEVE QUADROS DE PICASSO, MONET, VNCENT…E NAO PRECISA SER MEDIUM P VER QUE EXISTE UMA FORÇA MAIOR UMA ENERGIA MAIOR! O QUE ACONTECE E QUE FALTA RESPEITO AO PRÓXIMO..DEIXE AS PESSOAS TERM LIVRE ARBITRIO…VC JA VIU ALGUM ESPIRITA INDO DE CASA EM CASA PREGANDO? NAO, QUEM FREQUENTA SABE O QT É BOM E NAO É INDUZIDO A NADA! RESPEITEM AS OPINIÕES…DEIXE DEUS ENTRAR NO CORAÇÃO E O AMOR FLUIR!

  23. Daniela Diz:

    Quero saber aonde posso comprar um quadro e assistir a um mediun pintando ? Obrigada

  24. Roberto Diz:

    Tenho procurado Ciência e só tenho encontrado ciência!!!! É lamentável como se colocam em posturas de pseudo-sábios e sem base Científica nenhuma saem a opinar sobre os mais variados fenômenos do mundo. O que dizem que é ciência não passa de opinião!!!!! Ciência se faz com base em processos investigativos e com farto material teórico com provando ou não as hipóteses levantadas. Cresca e apareça meu caro Victor … Não fique apunhalando pelas costas Homens de Bem que com suas mediunidades fazem a diferença para pessoas pobres e sofridas que de suas mediunidades recebem alimento, atendimento médico, educação… entre outros.
    Forte e fraternal abraço

  25. lilith Diz:

    Concordo PLE-NA-MEN-TE.

    Outra questão… porque será que sempre que fazem pintura pública esta é no estilo impressionista?? Pintem um Rembrandt com a qualidade de um Rembrandt em público e talvez eu me impressione. Não acreditarei, mas talvez fique impressionada com a habilidade.

    Realmente…

  26. valdomiro Diz:

    nao entendo nada de artes, nem mesmo sei definir se é deste ou daquele.o unico objetivo das pinturas mediunicas a meu ver é de provar que por detras do medium existe uma força atuando, e que força é esta?Kardec correu atras e descobriu que as mesas giravam nao por magnetismo pessoal, a partir do momento que elas tomavam direções diferentes,deveria haver uma força ou uma vontade que faziam com que elas se movessem, as obras de Kardec estao aí. a outra questão sao os direitos autorais e a ganancia do homem de nao querer dividir nada com ninguem. quer ter excluzividade em tudo como diz a Lady Kate : é tudo meu !por outro lado o descrente ou os , querem que os outros tenham a mesma opiniao que a dele, errado nenhum de nós está dentro do ponto de vista de cada um até que o tempo passe e a verdade vem a tona, por enquanto estamos nadando contra a maré ! a verdade um dia vem.boa sorte !!!

  27. Rafael Jacaúna Diz:

    Bom dia a todos! Como é fantástico as pessoas julgarem sem conhecimento de causa! Minha sugestão, simples e direta: quem não acredita na pintura mediúnica, deveria assistir a uma e comprovar com os próprios olhos. Vai aqui uma deixa: um falsário pintaria um quandro de “Van Gogh” em menos de 10 minutos? Um “Da Vince” em menos de 20 minutos? Apareçam em alguma mostra. Quem ainda não acredita, terá grandes revelações… Podem acreditar!

  28. Igor Diz:

    Gostaria apenas de esclarecer que o autor deste texto, ao colocar sua opinião sobre o Médium Florêncio Anton, não se preocupou com a coisa mais básica para qualquer pessoa desejosa de conhecer a Verdade: assistir a pelo menos uma apresentação do Médium. Se tivesse assistido a pelo menos uma apresentação teria visto que está equivocada a informação de que ele fica a maior parte do tempo de olhos fechados, porque nas 3 apresentações que eu assisti ELE FICOU O TEMPO TODO DE OLHOS FECHADOS. Se a pessoa que escreveu este texto tivesse assistido a pelo menos uma apresentação antes de emitir sua opinião, saberia disto e constataria o que um especialista em Arte certa vez escreveu sobre este Médium: “É humanamente impossível fazer de olhos abertos o que este senhor faz de olhos fechados”. Nunca ouvi falar de um falsário que pinta de olhos fechados, em cerca de 10 minutos cada quadro, vários quadros por apresentação, de pintores diferentes respeitando o estilo de cada um. Os quadros são belíssimos. Porque esta pressa em rejeitar um fenômeno tão interessante? Talvez este fenômeno vai de encontro com o seu sistema, com tudo que você foi acostumado a acreditar, mas não é melhor conhecer a Verdade ao invés de ficar rejeitanto assim tão depressa a tudo que vai de encontro com o que você acredita? Assista algumas apresentações dele e veja por si mesmo.

  29. Lucas Diz:

    Fora essas discussões intermináveis dos que não creem no ar porque não conseguem vê-lo, o que os pobres pseudo-céticos jamais conseguem explicar é essa questão, tão longe de seu alcance, do mais absoluto desinteresse dessas pessoas que fazem o bem, ao divulgar essa doutrina que, sem a análise do aspecto moral, nunca poderá ser compreendida. Isso nunca entra nos seus “arrazoados”.

  30. Débora Martins Diz:

    Quem sabe se analisássemos outra área artística? Alguém já viu e ouviu a jovem Anatasha Meckenna? O cantar dessa artista, as línguas que são cantadas, a forma? É uma menina que nasceu pobre e tornou-se autodidata e diz cantar inspirada por grandes artistas da música. Bom, eu já fui muito cética, não acreditada em nada, acreditava só em mim mesma, mas hoje sei que antes de renascer eu pedi para o meu mentor espiritual tornar minha vida bem complicada para eu ver que eu nada sou, que por mais que eu lutasse, eu não chegaria a lugar nenhum, por mais que eu buscasse, lutasse, estudasse, eu acabava sem explicações para os meus dramas familiares e meu rumo era o vazio existencial. Até que, depois de muita insistência de amigas, eu fui buscar o espiritismo, que me tornou deslubrada no início, pois a tudo eu atribuía uma influência espiritual e a capacidade de resolver todos os meus problemas com frequencia ao centro espírita. Passados os anos, eu percebi que o Espiritismo, como qualquer religião, é composto por pessoas falíveis, a maioria espíritos endividados e alguns raros missionários, que já tem uma conduta moral ilibada. A maioria são pessoas que erraram muito e por isso, apesar do esforço e da consciência da realidade espiritual, ainda continuam errando, algumas ainda sustentam forte orgulho que as fazem sentir-se videntes poderosos, que, por sua mediunidade, são capazes de saber tudo. Cheguei a me decepcionar, mas estudando a Doutrina, vi que é séria e que se seus adeptos são falíveis a culpa não é da Doutrina dos Espíritos e sim da dificuldade que todos nós temos de transformar nossos seculares defeitos morais. E o que mais me confortou e me fez compreender tudo e todos os revezes da minha vida e o que ocorre no mundo foi a Terapia do Mentor Espiritual, que não é uma terapia kardecista, mas é a terapia da verdade, pois há o contato com o nosso Mentor Espiritual, um ser evoluído e maravilhoso que fez nosso planejamento reencarnatório (com nossa anuência ou não, se o reencarnante saiu direto das trevas e demonstrou rebeldia, o mentor impõe as expiações a fim de que o espírito aprenda as lições e evolua moralmente) e nos guia por toda a encarnação através da inspiração e dos sonhos. Hoje eu entendo e compreendo que esse nosso mundinho é muito atrasado, é está na 2ª escala evolutiva, por isso seus habitantes são tão pouco intuitivos e muito presos aos sentidos materiais, tendendo a duvidar de tudo ou a tornar-se fanático e sem razão. O idela é o equilíbrio e a necessidade de transcedentalidade, aí o espiritismo kardecista faz todo o sentido. E quanto ao fato de termos hoje mais de 7 bilhões de encarnados, se deve ao fato de que grande parte desses espíritos estavam nas trevas a muitos anos (meu caso, 100 anos no umbral e quase 80 anos no plano astral depois do resgate, preparando-me para essa difícil encarnação, ou seja, da minha última morte para a vida atual transcorreram quase de 180 anos) e alguns vieram de outros planetas mais evoluídos para nos dar o exemplo moral e nos ajudar a evoluir.

  31. Débora Martins Diz:

    O Médium baiano Florêncio Anton, têm sua mediunidade testada na Universidade de Coimbra

    http://blogdobamberg.blogspot.com.br/2012/07/o-medium-baiano-florencio-anton-tem-sua.html

  32. urbanmovel Diz:

    Convido aos amigos a lerem o presente artigo:

    http://dossieespirita.blogspot.com.br/2014/05/fraude-em-duas-pinturas-mediunicas.html

    Ele explica melhor, numa análise mais apurada, a fraude da pintura supostamente mediúnica de José Medrado.

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)