Arquivo fevereiro, 2024

“Os Exilados da Capela” (1949), de Edgar Armond x “História da Criação Natural” (1868), de Ernest Haeckel

quinta-feira, fevereiro 29th, 2024

Este artigo mostra que algumas ideias racistas constantes no livro “Os Exilados da Capela”, do médium Edgar Armond, já existiam 80 anos antes no livro “História da Criação Natural”, de Ernest Haeckel. Encontrei uma tradução para o português do livro de Haeckel publicada em 1930, portanto é possível que o médium tenha lido a obra do cientista, que fez muito sucesso no Brasil. Para saber mais, clique aqui.

Divergências acadêmicas sobre Parnaso de Além Túmulo

segunda-feira, fevereiro 26th, 2024

Cláudio Bersot, do canal “Caminhos do Imaginário”, fez um ótimo resumo das pesquisas acadêmicas sobre “Parnaso de Além Túmulo”, do médium Chico Xavier. Aproveitem e confiram os outros vídeos também!

“Kant & Swedenborg” (2024) por Márcio Rodrigues Horta

sexta-feira, fevereiro 23rd, 2024

Em 1743, Swedenborg começou a manifestar insanidade; mas esta não era de um tipo comum, incapacitante – tinha método. Acostumado a trabalhar quase ininterruptamente, o notável cientista passou a frequentar jantares, encontros, proferir palestras e escrever livros para divulgar sua boa nova: ele via espíritos, inclusive acordado.

Como era um homem extremamente culto, passou a elaborar conceitos afins e justificar teoricamente suas experiências. Como responder a esta esfinge? Ela devorou o filósofo sueco, que até o fim de sua vida não conseguiu decifrá-la. Todavia, Kant iniciou a produção de uma resposta que considero parcialmente pertinente.

Meu primeiro contato com o Swedenborg mistico foi decepcionante. Para um leitor contemporâneo, o enigma do que ocorreu com esse vidente de espíritos é fácil e rapidamente decifrável – insanidade. Li extratos de suas obras nos quais supostamente sua alma deixava seu corpo, viajava para outros orbes celestes (evento comumente chamado “viagem astral”) e os descrevia. Marte, Júpiter, Lua etc. – todos possuíam cidades com multidões de pessoas que, ao desencamarem, seguiam para as contrapartes espirituais dos seus astros, tal como ocorria na Terra. O avanço da astronomia no séc. XX e a corrida espacial nos libertou. Ademais, céu e inferno hoje não gozam de popularidade acadêmica e dificilmente persuadem com a facilidade com que faziam no séc. XVIII.

Por ocasião do mestrado, li pela primeira vez a tradução espanhola de Pedro Chacon & Isidoro Reguera de Los suenos de un visionario explicados por los suenos de la metafisica, de Kant, ensaio originariamente publicado em 1766, no qual o hoje famoso filósofo criticou duramente a obra Arcana coelestia, de oito volumes, escrita por Swedenborg. Os prefácios das duas traduções espanholas utilizadas para auxiliar a elaboração da tradução para o português de Sonhos (abaixo) repercutem a opinião tradicional de que Kant representava a razão no embate e vitória sobre o obscurantismo. Assim eu pensava também naqueles dias idos.

Relendo recentemente o texto, agora em inglês (Dreams of a spirit-seer ilustrated by dreams of metaphysics, de Emanuel Goerwitz e Frank Sewall, tradução publicada em 1900), pude notar da parte dos organizadores americanos da versão certa simpatia por Swedenborg. Como? O que eles sabiam que eu não sei? A curiosidade me conduziu a ler o texto todo, e a primeira tese imbricada aos comentários e notas é que Kant não leu ou não leu com atenção toda a obra de Swedenborg. Vários extratos desta, apresentados como notas, tocam exatamente em pontos da critica de Kant em Sonhos. Ademais, e eis o tema mais candente: em algumas de suas obras posteriores, Kant teria utilizado conceitos e ideias presentes em Arcana coelestia (e desenvolvidos em outros escritos pelo vidente de espíritos). E os comentadores americanos os apontaram, junto com as passagens correspondentes de Swedenborg.

Para ler mais, clique aqui. (Artigo atualizado em 07/06/2024!)

Livro Gratuito! “Um Espírito Através do Cosmo” (1942), de Isaltino Barbosa

segunda-feira, fevereiro 19th, 2024

Esta obra foi recebida num grupo já extinto de Niterói em 1911, e acabou indo parar nas mãos da FEB mais de 30 anos depois, por ter sido esquecida entre vários papéis velhos, num arquivo abandonado, de um tal de José Liberato dos Santos. O espírito comunicante seria Castro Lopes, e o médium Isaltino Barbosa (ou Izaltino Barboza, ou uma combinação desses nomes, aparecem diversas grafias). As descrições dos planetas do Sistema Solar estão bastante erradas à luz do conhecimento atual, para dizer o mínimo. Para ler e baixar o livro, clique aqui.

A médium Maíra Rocha obtém informações dos espíritos ou da internet? – parte 2

quarta-feira, fevereiro 14th, 2024

Segue a segunda parte da pesquisa de J.A., dessa vez referente ao caso Adolfo Duzzi. Mais uma vez, não estamos acusando a médium de fraude, apenas expondo explicações alternativas e ressaltando a importância de testes controlados.

A médium Maíra Rocha obtém informações dos espíritos ou da internet? – parte 1

terça-feira, fevereiro 13th, 2024

A médium Maíra Rocha faz muito sucesso no instagram e tik tok. Meu amigo J. A. começou a analisar alguns dos casos que comprovariam a mediunidade dela, mas achou explicações normais para as informações que ela supostamente transmite dos espíritos. Não estamos aqui chamando a médium de charlatã, apenas esperamos que algum dia ela se submeta a testes controlados de sua mediunidade para sanar esse tipo de dúvida que, convenhamos, é perfeitamente normal de se ter. Abaixo e aqui segue a primeira parte da pesquisa de J. A., sobre o caso Raul Sudário, em que todas as informações transmitidas estão disponíveis na internet e redes sociais (e, repetimos, não estamos dizendo que a médium fez uso delas, estamos apenas mostrando explicações alternativas):

Livro Gratuito ! “Moisés, o Vidente do Sinai – Volume 1”

segunda-feira, fevereiro 12th, 2024

Obra da médium argentina JOSEFA ROSALÍA DEL CORAZÓN DE JESÚS LUQUE ALVAREZ. Para ler, clique aqui.

Chico Xavier plagiou Wallace Leal V. Rodrigues? Republicação e acréscimos

segunda-feira, fevereiro 5th, 2024

Esse artigo já havia sido publicado, mas novas descobertas foram feitas, o que exigiu uma atualização. Para saber mais, clique aqui.

Harpas Eternas (1949) x Ben-Hur (1880) x O Mártir do Gólgota (1866) x Vida de Jesus Ditada por Ele Mesmo (1885)

quinta-feira, fevereiro 1st, 2024

Josefa Rosalía Luque Álvarez foi uma médium argentina nascida em 18/03/1893. Entre o final da década de 1940 e início da década de 1950 ela psicografou vários livros, incluindo Harpas Eternas, que busca ser mais um relato da vida de Jesus Cristo. O espírito comunicante seria um tal de Hilarião de Monte Nebo, supostamente contemporâneo de Cristo, e que em outra vida chamava-se Essen, discípulo e filho adotivo de Moisés (que, por sua vez, se trataria da penúltima encarnação de Jesus). Graças à disponibilização da Revista Internacional do Espiritismo, vários plágios referentes a este livro puderam ser redescobertos. Quem primeiro denunciou os plágios foi Waldomiro Benedito de Abreu (1914-1999), um advogado, político, poeta, escritor e historiador. Pus o livro Harpas Eternas disponível aqui e o artigo original do Waldomiro aqui. [O artigo do Waldomiro mereceria uma postagem só para ele, agradeço demais o serviço que ele prestou com a denúncia que fez, e se por um lado ele cometeu um grande erro referente ao livro Há Dois Mil Anos ao dizer que “Emanuel não calcou sua obra em outra conhecida da literatura mundial, romanesca”, o que hoje sabemos ser falso, por outro lado ele foi até profético quando escreveu “se viéssemos a descobrir que outra obra romanesca teria «inspirado» Emanuel, [ele] se transformaria num mísero papel-carbono.”] Para as comparações dos trechos da obra Harpas Eternas com os livros plagiados, clique aqui.

Entradas (RSS)