AS PESQUISAS DE WILLIAM CROOKES – PARTE 2

Neste artigo finalmente é demonstrado como Florence Cook e a Sra. Eva Fay podem ter enganado os cientistas William Crookes e Cromwell Varley nos testes elétricos.  É interessante notar que recentemente – em abril de 2010 – o senhor Egydio Régis publicou um artigo no site “Pense” [Pensamento Social Espírita] em que afirma que o Espiritismo está cientificamente demonstrado graças às pesquisas de William Crookes – e outros – com a médium Florence Cook:

“Por tudo isso, não temos a menor dúvida em admitir tranquilamente que está mais do que provado científicamente a existência do espírito independente da matéria , bem como da sua sobrevivência à morte do corpo”

Essa é uma afirmação altamente temerária. Em 1966 já havia sido publicado um artigo em inglês de autoria de C. J. Stephenson em que ele demonstrava as falhas nos experimentos de Crookes e de Cromwell Varley – cientista amigo de Crookes que replicara seus experimentos com a médium Florence Cook. O artigo de Stephenson nunca antes havia sido traduzido ao português. O blog Obras Psicografadas, portanto, preenche agora uma lacuna importantíssima sobre as pesquisas de Crookes para o leitor brasileiro.

O artigo de Stephenson pode ser baixado gratuitamente aqui.

A tradução desse segundo artigo – na verdade, a revisão da tradução – custou ao todo 352 reais. Quem puder fazer doações para que mais artigos como esse venham a ser disponibilizados, agradeço. Dados para depósito abaixo:

Banco Real (nº 356, para quem for fazer DOC)

Agência: 0939

Conta: 3000536-3

Vitor Moura (CPF: 091188277-48, para quem for fazer DOC)

Aqueles que também quiserem se oferecer para traduzir artigos também podem entrar em contato comigo, pelo blog mesmo, ou pelo meu email, fornecido ao final da página (basta colocar o mouse sobre o meu nome para aparecer meu email).

107 respostas a “AS PESQUISAS DE WILLIAM CROOKES – PARTE 2”

  1. Paulo Cesar Diz:

    Queria dizer ao Vitor que o artigo do Stephenson não está baixando na internet.
    Outra coisa, gostaria de saber da idoneidade deste Sr.(Stephenson) e qual os seus objetivos. Pois sabemos da grande assumidade de Crookes no meio científico inglês nos séculos XIX e XX, que com suas pesquisas espiritualistas, foram criadas bastantes inimizades e contraditores na época e ainda, atualmente..

  2. Vitor Diz:

    Oi, Paulo

    duas pessoas já baixaram o artigo. Tente novamente. Mas mais importante do que a idoneidade de Stephenson – que, a meu ver, agiu de modo bem imparcial – é a reprodução dos experimentos de Crookes considerando diversas possibilidades.

  3. Paulo Cesar Diz:

    Olá Vitor, continua da mesma forma, não consegui baixar o artigo ( Parte 2 – C.J.Stephenson, apesar de que, já tentei em outros computadores).
    Fica difícil acreditar que o Stephenson não seja parcial. Mesmo sem ter conhecimento do artigo dele. Como admitir que uma adolescente de 16 anos ( médium Florence Cook) e uma suposta Senhora Eva Fay pudessem enganar dois cientistas renomados à época, nos testes elétricos?? Por seus próprios meios conhecidos de trabalho?!Mesmo que pudessem tê-los enganados; aí eu pergunto: e as outras testemunhas, presentes nas sessões, que confirmaram tudo o que ambos (cientistas) disseram, viram, apalparam, mediram etc..
    Acho, sinceramente, que os nossos críticos têm de procurar outros meios e argumentos, pois, este, não é convincente! É importante relembrar que animosidades, ofensas, críticas, difamações, foram e ainda são direcionadas ao grande cientista inglês Crookes, pela seriedade e independência que teve com esse trabalho de investigação. Poucos ou quase nenhum cientista modernamente se presta a isso!!
    Abraço.
    Paulo Cesar – DF

  4. Vitor Diz:

    Oi, Paulo
    mandei o artigo – parte 2 – para seu email, mas aviso que 7 pessoas já baixaram o artigo. Caso você tenha lido a parte 1, sabe que Luxmoore estaria em conluio com as médiuns. E Luxmoore entendia bastante dos testes elétricos. Outros além de Luxmoore teriam ajudado na fraude, como o Sr. Tapp.

  5. Gilberto Diz:

    “Espiritismo é Filosofia, Religião e Ciência,” diz a máxima espírita. Parece perfeito, não? Principalmente nos dias em que ele surgiu e para alguns “pseudo-intelectualóides-que-carregam-Violetas-na-Janela-embaixo-do-braço” dos dias de hoje. Da trinca eu só aceito (bem aceitado) a afirmação de religião. A filosofia é simplista e infantil e a ciência é apenas um emaranhado de crentes tentando dar roupagem científica a testemunhos sem base. William Crookes foi um grande cientista, mas não existem grandes cientistas que também não digam grandes bobagens. O próprio Einstein dizia que buracos negros não podiam ser formados e explicava isso cientificamente. Por isso não acho que tudo o que Crookes dizia era real só porque ele inventou o tubo de raios catódicos (e protesdandes) e acabamos por usá-lo até o surgimento das telas de plasma, LCD e de OLED. Ele foi um grande homem, mas com seus erros e acertos, como todos nós. Nenhum trabalho no campo paranormal crente parece ser infalível, como os trabalhos sobre raios catódicos são. Esses foram provados, publicados e são verdades até hoje, imutáveis. Os fenômenos paranormais, a vida após a morte, etc são apenas atos de fé. Agora, fazer dessas coisas verdades científicas é muita pretensão. E não adianta dizer que no Século 16 se achava que a terra era chata e agora se sabe que não é, e que a ciência vai um dia provar esses fatos miraculosos. ANTES do Século MENOS 16 já se achava que a alma era imortal e até agora NADICA de indício de que ela não seja.

  6. Gilberto Diz:

    Desculpe o duplo-negativo. Escorreguei no quiabo!! Ui! Leia-se: “…NADICA de indício de que ela (a alma) seja (imortal).”

  7. Junior Diz:

    Sr. Gilberto. É preciso primeiro conhecer o Espiritismo e em lugar algum encontra-se esta tal “máxima” a qual citou, Filosofia, Religião e Ciência. Kardec começou e desenvolveu (além de definir) o Espiritismo como Ciência (psíquica) e Filosofia. Jamais o formulou como religião, embora declare (por óbvio que seja) que o Espiritismo “toque” em pontos vitais da religião, o que absolutamente não o faz “uma religião”. Já no que se tornou o “movimento espírita” no Brasil, é outra coisa. Portanto antes de declarar uma máxima, procure a autoria. No movimento espírita, infelizmente, ganhou fama esta tríplice aspecto inventado a partir da fantasiosa Federação Espírita(sic) Brasileia que prestou grande deserviço à Doutrina.

  8. Gilberto Diz:

    Desculpe Junior, mas você respondeu sua própria pergunta. A máxima espírita a que me referi foi justamente criada por Kardec e pelo Kardecismo, ou “espiritismo brasileiro”. Por que critica a FEB? Será que você e tantos outros não são espíritas devido justamente ao patrulhamento, distorções, mentiras e outras manobras de propaganda perpetradas pela própria FEB? Ela repete mentiras indefinidamente até que virem “verdades”. E é nessa cultura espírita que você está incluído. É nesse mar de hoaxes, de exageros, de afirmações sem verificação, de casuística, de invencionices e de mentiras que o espiritismo se propaga. Ou o “seu” espiritismo é melhor que o dos outros? O seu é um “espiritismo de raíz”? A sua “verdade” liberta mais que a “verdade” do seu vizinho? Então me dá o endereço do seu centro. Já ouvi essa história muitas vezes, fui a centros “esse sim que faz as coisas certo” diversas vezes, e só vejo mais do mesmo. Invariavelmente.

  9. Bentes Diz:

    Entra ano sai ano é o mesmo blá, blá, blá, a mesma literatura de cordel dos céticos e pseudo, a mesma retórica, os mesmos infindáveis argumentos contrários, a mesma arrogância dos eu sei, vocês espíritas nada sabem, são uns mentirosos, etc. etc. Aonde querem chegar? Lugar algum, com certeza.

    O negócio é papo, conversa jogada fora de quem não tem o que fazer e resolveu que sabe mais que todos os espíritas e à doutrina e vem aqui jogar suas bilis.

    Enquanto isso, os espíritas estão trabalhando, trabalhando, trabalhando; subindo, subindo e subindo.

    Ano que vem, quando eu voltar por aqui, certamente encontrarei os mesmos cantores, a mesma infindável cantilena, os mesmos eu sei e vocês nada sabem.

    Enquanto isso os espíritas continuarão trabalhando, trabalhando, trabalhando; subindo, subindo e subindo.

    Essa é uma versão paupérrima de “A Cigarra e a Formiga”, e sem um final feliz para os cantores zangões.

    Uffa! Que lástima! Acho que cuidar de seus haveres é bem melhor e mais útil.

    Espíritas, por favor, que os deixem falando sozinhos!

  10. Gilberto Diz:

    Bentes, só não se esqueça é que são os espíritas que afirmam tudo saber. Bem, talvez não tudo… Apenas os MAIORES MISTÉRIOS DO UNIVERSO, como: o que acontece depois da morte, a verdade sobre a vida em outros planetas, a vontade de Deus, detalhes incríveis sobre a aplicação prática da Física Quântica, a causa das doenças ainda misteriosas para a medicina, o verdadeiro trabalho em consultório e cirúrgico de doenças incuráveis (feitos por médicos que quando desencarnaram nem se lavava as mãos antes de cirurgias), e a lista continua… Só isso. Bobagem. O espiritismo é muito modesto e cresce sem parar. Quem sabe nos próximos 20 anos eles voltam a ter o mesmo número de adeptos que tinham há 30?

  11. Bentes Diz:

    Muito pelo contrário, os derrotistas vivem a arrotar sabedoria em detrimento da doutrina espírita. Jamais um espírita afirmará tudo saber, jamais!

    Cansei de ouvir de pacientes espíritas sobre depoimentos de médicos da Terra que, estupefatos, não sabiam ao que atribuir as cicatrizes em orgãos do examinado, quando os pacientes afirmavam que somente foram operados espiritualmente. Cansei de ver gente curar-se ao toque cirúrgico de médicos do espaço, quando após infindável romaria por consultórios e hospitais jamais se curara. Ao contrário, vira antes suas economias desaparecerem e sua saúde cada vez mais debilitar-se pelo uso cotidiano de fortíssimos, caros e inúteis medicamentos. Vi isso com meus olhos!

    Mas a isso os detratores daqui e de outros lugares fingem não existir, mesmo porque pouco sabem, ou a nada querem saber, pois suas mensagens são indignas de um ser humano dito civilizado e informado. Posição tola, absurda e fanática.

    Quando há erros, há, nada é perfeito. Mas negar somente por negar, nem os primitivos hotentotes ou qualquer outra etnia julgada atrasada, assim fazem.

    Passe bem, sr. Gilberto, e nem se preocupe em desejar debater, pois vim aqui ao acaso e tenho ocupações mais úteis e necessárias em minha vida do que perder tempo em tentar convencer quem não deseja saber.

  12. Gilberto Diz:

    Que debate que nada, você já resumiu a clássica falsa humildade espírita muito bem. Primeiro diz que os céticos é que dizem saber de tudo, e depois afirma: “…(os detratores céticos) pouco sabem, ou a nada querem saber…” Depois diz que somos ‘fanáticos” por não conseguirmos acreditar no que um “não-fanático” espírita acredita: curas milagrosas através de uma medicina “superior” espírita. Só não afirma quantas doenças já tiveram tratamentos criados e certificados em centros espíritas, pois as curas de “gatos-pingados” em religiões, de forma psicologicamente manjada a gente vê todo dia na televisão em QUALQUER religião. O processo é o mesmo. Quero ver um espírito criar um tratamento eficaz contra a AIDS, por exemplo. Isso NUNCA vai acontecer, pois isso depende de estudo, dedicação, ceticismo, tentativa e erro, suor, decepções e poucos acertos. Num centro espírita a resposta tem que estar na ponta-da-língua. Ninguém vai sentar o rabinho numa cadeira e passar décadas estudando, por exemplo o autismo, e procurar formas melhores de tratamento. Não, os espíritas preferem entrar em transe e dar uma explicação infantilóide, lógica e rápida a fenômenos como esse e dizer: “é a lei da causa e efeito”, ou “é cármico”. Depois fechas com chave de ouro a retórica atrasada espírita, mencionando a “inferioridade” dos negros (hotentotes, em ‘jargão’ espírita). É, meu caro, nem precisa debater. Apenas trabalhe, trabalhe e trabalhe, além de crescer, crescer e crescer. É o único caminho. Sem volta. É isso que este blog e a ciência fazem. Viram-se as páginas e caminha-se para sempre. É assim que a banda toca. Quem quiser fica pra trás. Mas quem não tem medo da decepção, do trabalho árduo, de deteriorar suas relações pessoais, de perder noites em claro, de deixar de fazer dinheiro, e se fizer, não ter chance de gastá-lo, que encare a realidade e sue a camisa de verdade, sentando o rabinho num laboratório, num escritório, numa biblioteca ou onde quer que seja e lute pelo crescimento do ser humano. O único crescimento que deu ao homem a verdadeira vida em abundância e a cura de males sem privilégio a esse ou àquele grupo de “escolhidos”: a ciência. Abraços.

  13. Bentes Diz:

    Discurso teratológico. Polvo sem cabeça. Não esperava outra coisa de v.sa. após ter dado rápidas olhadas em seus catastróficos argumentos.
    Até nunca mais.

  14. Rafael Diz:

    “quem não tem medo da decepção, do trabalho árduo, de deteriorar suas relações pessoais, de perder noites em claro, de deixar de fazer dinheiro, e se fizer, não ter chance de gastá-lo, que encare a realidade e sue a camisa de verdade, sentando o rabinho num laboratório, num escritório, numa biblioteca ou onde quer que seja e lute pelo crescimento do ser humano”
    -
    Ô Gilberto, como é que você está dizendo isso para o Bentes? Você faz exatamente isso que está mandando os outros fazerem? Quem critica mostra serviço!

  15. Gilberto Diz:

    Faço. O meu ramo é a cultura. Cá estou eu na frente do meu computador trabalhando enquanto minha esposa e filha viajam. Não pude ir com elas por causa do meu trabalho. Escrevo livros didáticos, além de fazer trabalhos de tradução e roteiros para TV. A minha contribuição é pequena, mas constante. Acho que com o meu trabalho deixo as pessoas informadas e a minha participação na educação é de grande importância pessoal. Ajudo pessoas a se comunicar melhor em inglês através dos meus livros, utilizados no CCAA no Brasil e em vários outros países. É pequena a minha contribuição, mas não utilizo truques de salão, não abuso de superstições populares, não pego nada de mão-beijada de espíritos supostamente sábios. Se eles são sábios poderiam pelo menos ensinar inglês ou outras línguas para o Chico Xavier, assim ele não pagaria “mico” escrevendo mensagens copiadas displicentemente de dicionários, cartões postais ou de livros escolhidos ao acaso, como ele fazia. O que me deixa irado é ler, em sites espíritas, as “pérolas” das descobertas espíritas. Voltando ao assunto autismo, a explicação espírita é ridícula, mas misteriosamente acolhida por todos os espíritas. Me lembro de um senhor que me disse que achava uma “pena” os médicos não terem o esclarecimento que os espíritas têm sobre o autismo. É… É realmente uma “pena” essas pessoas dedicarem suas carreiras inteiras por uma coisa de explicação tão “óbvia”, retruquei em silêncio… Mas como a vida é como a pilha (tem o seu lado positivo), ainda existem MUITOS espíritas que se dedicam à caridade, ao bem-estar dos menos necessitados e a causas nobres. Esse ponto é que eu sempre reitero ser a grande contribuição do verdadeiro espírita. Lutar pelo crescimento espiritual. Não da forma ‘esotérica”, mas da forma real. Onde o espírito humano luta para crescer e achar a sua verdadeira “salvação” e “evolução”. Abraços.

  16. Rafael Diz:

    Gilberto, você é realmente do time: “faça o que eu mando e não faça o que eu faço.”
    Você não é didático, amigo, você é anti-didático, preconceituoso, perseguidor, mente fanatizada como disse o Bentes, tem idéia fixa, o que denota estreiteza de raciocínio e visão limitada.
    Na realidade você está dia após dia, botando pra fora todas as suas frustrações, e certamente você sabe o motivo de tamanha agressividade, fazendo dos ataques aos espíritas sua pessoal terapia.
    Pra encerrar, meu caro, informe quais são os livros ou obras didáticas (se é que existem!) que você orienta e textos que trabalha, porque também sou professor e desejo informar aos meus alunos para tê-los como parâmetros negativos, pois nossas obras são a extensão de nós mesmos.
    Grande abraço.
    “Rafa”.

  17. Gilberto Diz:

    Rafael, tudo bem com você? Você precisa urgentemente de terapia. O Bentes (além de Kardec, é claro) diz que os negros são inferiores, e eu sou o preconceituoso. Você diz que sou anti-didático, mas centenas de milhares de pessoas já aprenderam com meus livros. Você diz que tenho estreiteza de raciocínio e você quer informar seus alunos que meus trabalhos são ruins sem mesmo vê-los (os alunos). Grande educador você deve ser… A agressividade veio de você, e de forma pessoal, com xingamentos e dizendo que sou mentiroso. Quando se perde a razão apela-se pra a agressão. E a agressão vem toda de sua parte. Procure ajuda e tenho certeza de que os resultados serão positivos. Boa sorte.

  18. Rafael Diz:

    Quais são os livros, querido? Qual é sua didática? Mostre-nos onde está sua fonte, o seu outro lado cordeirinho.
    -
    Se você, Gilberto, não é agressivo, se você não é um perseguidor fanatizado, quem seria então? Um outro terrível alterego, algo aleatório à sua comportada e sensata personalidade – um execrável, impulsivo e irrefreável ser – uma energia traumatizante que o toma e o transforma de bondoso didáta a derrogador de Kardec? Ou algo como “O Médico e o Monstro” de Robert Louis Stevenson? Aí sim, a terapia pode ajudá-lo, não a mim, porque sou tranquilo, não tenho esses alteregos.
    -
    E não precisa se defender acuado, ferozmente, como faz agora, por que não o estou acuando, nem inventando, somente estou constatando do “legado” que você mesmo deixa consignado nesse blog, nas dezenas e dezenas de comentários feitos aqui. Se isso não é terapia mórbida de um anti-espírita o que seria então? Didática, que didática? Ah, queridinho, suas próprias palavras escritas falam por você: documentam, o desmentem categoricamente nesse exato instante; é tudo tão cristalino e espelha sem qualquer subterfúgio sua violenta ira contra a doutrina e aos espíritas. Vai negar mais uma vez? Vai querer mais uma vez nos passar atestados de burros, colocar-se como vítima, querer manipular-nos com sua esquisita semântica, nos desejando empurrar ao cadafalso e sair por cima liso e solto?
    -
    Quem você pensa que engana? Está tudo escrito, tudo muito nítido nos seus ataques e comentários, nos seus ímpiedosos deboches, na sua impressionante sapiência do alto de uma “autoridade cética”, sob singela e fina ironia que faz tremer as máximas de grandes estudiosos do espiritismo, os seus “não ví não acredito”. Até um mentecapto entende que você está certo e toda uma incestuosa corrente espírita mundial está errada – não se precisa nem interpretar. Que mais devo dizer Gilberto?
    -
    Grande e fraternal abraço, amigo.
    “Rafa”

  19. Gilberto Diz:

    Desisto, Rafael… Você descreveu exatamente como eu sou e quem eu sou. Tentei por muitos anos enganar os outros, mas finalmente fui desmascarado… O gosto amargo da derrota me entorpece os sentidos…. Cabisbaixo, acabrunhado e arruinado me esgueiro pelos esgotos fétidos da Paris de Leroux… Com o silêncio e os vermes infectos à minha volta cambaleio em direção ao oblívio… Deixo para trás felizes recordações dos espíritas que repudiei. De tão nobre doutrina que eu outrora vilipendiei. De tempos onde me achava satisfeito, mas mal compreendia que o vazio se apoderava do meu ser. O preço por tais momentos deveria de ser cobrado. E esta é a hora. Neste momento me encontro mais que perdedor! As palavras me faltam, tudo me falta. Desmoralizado. Destruído. Destituído de qualquer fiapo de moral… Me encontro a caminho do esquecimento, da vergonha, do nada. Um nada que traga minha alma, algo que eu cria não existir. Mas agora sinto uma dor em minh’alma que não consigo descrever. Entretanto, sei que a mereço. Minha dor é como um corvo. Negro. Sombrio. E esse corvo nunca me deixará só, pois está ainda sentado, ainda sentado sobre o pálido busto de Palas, bem acima dos umbrais de minha câmara. E seus olhos têm a aparência dos de um demônio que sonha. E a luz que tremula por sobre tal criatura projeta sua sombra sobre o chão. E minh’alma, de dentro dessa sombra que treme fantasmagoricamente por sobre o chão jamais, JAMAIS, sairá…

  20. Rafael Diz:

    Sniff, sniff, oh, quanta tristeza!
    -
    Estou cheio de remorsos por tão vís palavras proferidas a um inocente crítico do espiritismo que já encaminhou milhares pelas vias da cultura! Oh! Oh! e Oh!
    -
    “Ave ou demônio que negrejas!
    Profeta, ou o que quer que sejas!
    Cessa, ai, cessa! clamei, levantando-me, cessa!
    Regressa ao temporal, regressa
    À tua noite, deixa-me comigo.
    Vai-te, não fique no meu casto abrigo
    Pluma que lembre essa mentira tua.
    Tira-me ao peito essas fatais
    Garras que abrindo vão a minha dor já crua.”
    E o corvo disse: “Nunca mais”.
    -
    E o corvo aí fica; ei-lo trepado
    No branco mármore lavrado
    Da antiga Palas; ei-lo imutável, ferrenho.
    Parece, ao ver-lhe o duro cenho,
    Um demônio sonhando. A luz caída
    Do lampião sobre a ave aborrecida
    No chão espraia a triste sombra; e, fora
    Daquelas linhas funerais
    Que flutuam no chão, a minha alma que chora
    Não sai mais, nunca, nunca mais!”
    -
    (O Corvo, de Edgar Allan Poe [negro e sombrio, encarnação do próprio Gilberto, dito por ele mesmo])
    -
    - Touchée!

  21. Gilberto Diz:

    Esqueça a tradução de Machado de Assis. É péssima. Como tradutor ele era um ótimo escritor. Tente ler a tradução de Fernando Pessoa. Ela é a definitiva para a língua portuguesa. Veja o link:
    -
    http://www.insite.com.br/art/pessoa/coligidas/trad/921.html
    -
    Ou faça como Chico Xavier e Emmanuel e finja que entende o original em inglês, de preferência lido do reflexo de um espelho:
    -
    http://www.insite.com.br/art/pessoa/coligidas/trad/theraven.html
    -
    -Tartaruga Touché!

  22. Rafael Diz:

    Nada de Fernando Pessoa, nem do Grande Chico ou do casto Emmanuel.
    -
    E em lugar do “péssimo” Machado de Assis, pedra angular da Academia Brasileira de Letras, esperarei por uma eternidade, se necessário, pela Vossa Tradução, MAGNO GILBERTO, Enigmático Sábio, Homero de nossos atuais e gloriosos dias, e Cronos mitológico, em quem o tempo é mero brinquedo a rolar pelos simbolismos do passado, presente e futuro!
    -
    Touchée, deux fois – once more and definively!
    -
    “Rafa”

  23. Rafael Diz:

    Oh, que punição insólita, diante do Mestre nesse arrabalde em que me encontro. Preciso corrigir! Preciso corrigir!
    -
    Não é definively – é definitively!
    -
    Perdão! Perdão! Perdão!

  24. Gilberto Diz:

    Desculpe, Rafael, mas em matéria de inglês tu és RUIM pacas. Com quem aprendeu inglês? Com o grande Emmanuel ou com o casto Chico? Pare de pagar mico e encontre uma pedra pra se esconder embaixo. O CERTO É “ONCE MORE AND ONCE FOR ALL.” “Definitively” é usado por você como no sentido literal do português (“definitivamente”?). Erro típico usado por Chico, logo vocês devem ter tido o mesmo professor no além… Além disso é sabido que Machado de Assis era um grande escritor e um crítico teatral espetacular, mas era um tradutor apenas esforçado, na melhor das hipóteses. Você e a sua cultura espírita de Almanaque Biotônico Fontoura deve estar de HD cheio (3.2 Gigas) de “pedras angulares” (“angular stones”? “Rolling Stones”? “Flintstones”? Sharon stones”?)

  25. M&M Diz:

    Rafael: permita-me uma sugestão
    Faça como Bentes e todos os outros seres humanos vigilantes q por aqui têm passado para amadurecer com as armadilhas q lhes colocam
    Deixemos o orgulho bacoco e deixemo-los a falar sozinhos
    A história deprimente deste blog comprova-o
    “Só os lobos caem em armadilhas de lobos”
    Nesse sentido, a experiência por aqui aproveita-se mas o nível é tão básico q em poucos posts dá pra perceber o triste objectivo dos seus co-criadores
    Onde somos postos à prova é na vida real
    “A cada um 2º as suas obras” Jesus
    Não é a nós q eles q têm q as demonstrar
    Se nem a nós nos iludem pq nada apresentam do q fazem de útil quando lhes perguntam (pq será?), q mostrarão eles depois?…
    Apenas evidenciam suas fugas psicológicas graves e projecções passadas e futuras..
    Sendo benevolentes, respeitemos e aceitemos a faixa de interpretação em q cada um está
    Sabemos bem como podemos ajudá-los anonimamente
    De resto é lamentável q o mentor deste blog permita e seja conivente com ofensas dos seus apaniguados bem como daqueles q ingenuamente lhes reagem e censure mails de cariz informativo
    Também sabemos a troco $$ de quê…
    A lei de Deus está eternamente na consciência,
    acredite nela(s) ou não!…
    Beijinhos Espirituais

  26. M&M Diz:

    Rafael: permita-me uma sugestão
    Faça como Bentes e todos os outros seres humanos vigilantes q por aqui têm passado para amadurecer com as armadilhas q lhes colocam
    Deixemos o orgulho bacoco e deixemo-los a falar sozinhos
    A história deprimente deste blog comprova-o
    “Só os lobos caem em armadilhas de lobos”
    Nesse sentido, a experiência por aqui aproveita-se mas o nível é tão básico q em poucos posts dá pra perceber o triste objectivo dos seus co-criadores
    Onde somos postos à prova é na vida real
    “A cada um 2º as suas obras” Jesus
    Não é a nós q eles q têm q as demonstrar
    Se nem a nós nos iludem pq nada apresentam do q fazem de útil quando lhes perguntam (pq será?), q mostrarão eles depois?…
    Apenas evidenciam suas fugas psicológicas graves e projecções passadas e futuras..
    Sendo benevolentes, respeitemos e aceitemos a faixa de interpretação em q cada um está
    Sabemos bem como podemos ajudá-los anonimamente
    De resto é lamentável q o mentor deste blog permita e seja conivente com ofensas dos seus apaniguados bem como daqueles q ingenuamente lhes reagem e censure mails de cariz informativo
    Também sabemos a troco $$ de quê…
    A lei de Deus está eternamente na consciência,
    acredite nela(s) ou não!…
    Beijinhos Espirituais
    PS 1. Quem realmente estuda já sabe há muito a vivência mediúnica de Fernando Pessoa contada pelo próprio
    72 espíritos (“heterónimos”) q piscografaram através dele
    Basta consultar os arquivos correspondentes
    É melhor não atirar mais nomes pro ar…
    PS 2. Todos os dias tenho transferido 100 reais para ajudar esta “instituição de caridade” e subsistência individual q traduz estes pseudoartigos mas no banco dizem q não aceitam tão pouco

  27. Gilberto Diz:

    E quanto ao Poe? Alguém já “recebeu” ele num centro? Acabei de visitar sua casa na Virginia e ‘senti’ sua presença. Seu trabalho será eterno, e com certeza ele não precisará de “médiums” semi-analfabetos para ajudá-lo nessa empreitada… Aproveito para deixar a sugestão: procurem ler os trabalhos reais e originais dos grandes escritores. Esqueçam essas psicografias de pé-quebrado. Tem gente que lê poemas supostamente psicografados de certos autores e ignoram completamente a obra real deles. Vamos dar um voto à cultura. Vamos prestigiar a educação formal e cair no mundo real. Ele é muito mais fantástico que o supersticioso. O ser humano é capaz de fazer maravilhas. A beleza da literatura, real forma de contatar outras vidas, outras mentes, outros corações, é uma grande dádiva de Deus ao homem. Não vamos desperdiçar essa vida, presente único e breve de Deus, com fantasias sobre outras vidas. Vamos viver o hoje, o agora. Antes que seja tarde, pois, até se prove o contrário, temos apenas UMA chance. “Seize the Day!”

  28. Gilberto Diz:

    “Carpe diem, quam minimum credula postero”. Ou seja, “Agarre-se ao dia, acreditando o mínimo possível no futuro.” Ou, com tradução de Emmanuel: “a carpa odeiem, o quão mínima é a medula no posterior.”

  29. Rafael Diz:

    Ave Magno Gilberto:
    -
    Quem lhe falou que não posso usar “once more and definitively?” É ruim? Fere-lhe os ouvidos? Ah, logo quem vem me corrigir?
    -
    A propósito, quando você faz mímica do Elvis nos seus shows “didáticos” infantis ou adolescentes, você fecha a boquinha nos momentos em que o Rei do Rock fala gírias, e usa aquele inglês casto dos cantores de rock? Conte pra gente, vai? Faça a gravação de um clip, e nos dê o prazer de vê-lo em sensacional estilo, se rebolando e “mimicando” sob o frenético ritmo do rock ao inglês americano! Acho que os leitores de sua privilegiada e irrepreensível gramática iriam a-d-o-r-a-r, e nós tumém! Afinal, inglês bom é o popular. Aliás, o Português too!
    -
    “Além disso, é sabido que Machado de Assis era um grande escritor e um crítico teatral espetacular, mas era um tradutor apenas esforçado, na melhor das hipóteses”.
    -
    Sabido por quem, queridinho? Por quais críticos literários? Bolas pra eles, aqueles claustrofóbicos da língua portuguesa. O que me interessa, de verdade, é vossa magnânima análise morfológica, a sensacional semântica, a métrica avassaladora que vossa verve de tradutor e autor original é capaz de produzir, demonstrar, ridicularizar e matar de vergonha aos Camões da vida, aos Aurélios Buarques estúpidos, aos Saramagos, ou quem sabe aos Evanildos Becharas medíocres.
    -
    Que Machado de Assis qual o quê! Aquele idiota que escreveu “A Carolina”, considerado um soneto tecnicamente perfeito? Fora Machado cego! Luz Gilbertina em seu lugar!
    -
    E a propósito, e uma vez mais, não nos deixe órfãos de suas análises sobre o espiritismo, sobre o Chico, Emmanuel e de toda aquela fanfarronice espírita, que só a vossa intervenção mediadora, disciplinadora, gramatical e inigualável sob todos os aspectos críticos, científicos e filosóficos, e porque não dizer também líricos, é capaz de brindar ao mundo.
    -
    Touchée, trois fois – and almost definitively!
    -
    “Rafa”

  30. Rafael Diz:

    M&M:
    -
    Ah, isso não é nada! Estou exercitando meu conteúdo crítico um tanto enferrujado. Foi bom ter encontrado um tatu mecânico para me ajudar. O carma me foi bom.
    -
    Mas não vou me demorar muito por aqui, se deixar o tatu mecânico sozinho com sua prosa e cultura, que falam por ele, não precisarei nem responder. Mas aí perde a graça! Pera lá, mas em compensação não vamos precisar abrir guarda-chuvas para nos proteger! É…, tem razão M&M, vou concordar com você!
    -
    Antes porém, na saideira, releiam a pérola do tatu mecânico sobre E.A.Poe: “Seu trabalho será eterno, e com certeza ele não precisará de “médiums” semi-analfabetos para ajudá-lo nessa empreitada…” Não é uma graça? Primeiro ele cansou de dizer que o Chico era culto e mentia nas comunicações, pois usava sua própria cultura para escrever em nome dos mentores. Agora o tatu vem e rotula outros médiuns de semi-analfabetos, e incapazes de falar do Grande Poe. O tatu quer o Poe somente para ele. Mas afinal quem serve melhor aos espíritos: médium culto ou inculto?
    -
    Voltando ao Poe: “Ah, incompreendido negro corvo, mensageiro do malogro, só faltas jurar-me que espíritos não existem!” (qualquer semelhança com pessoas vivas, mortas ou brilhantes escritores em blogs, será mera coincidência).
    -
    Abraços a todos.
    -
    - Touchée, quatre fois – and hope now definitively!
    -
    “Rafa”

  31. Gilberto Diz:

    Correção: “hopefully”, advérbio, por favor. O resto já sabe… Quanto às minhas mímicas do Elvis, eu postei esta no Youtube:
    -
    http://www.youtube.com/watch?v=rfO6HmVsjew
    -
    E quanto ao Chico, veja que slideshow de fotos sensacional, com a música de fundo “O que você quiser eu faço pra você.”
    -
    http://www.youtube.com/watch?v=SUUD0gfaM5Y

  32. Rafael Diz:

    Imagino o Elvis cantando um rock arretado e dizendo “hopefully”, “hopefully…”
    -
    Bem, claro, de monóculos, polainas, luvas e cartola, como nos tempos em que Poe era um garotinho, “of course Charles!”
    -
    Sobre o Chico, bem já sabemos da irracionalidade dos pseudo.
    -
    Um dia desses, quem sabe, darei uma olhada no youtube do Elvis como sugerido – hoje, definitively, não terei coragem.
    -
    Forever gone.
    -
    Rafa

  33. Gilberto Diz:

    Rafael, neste caso de agora é DEFINITELY, ok? Você precisa parar de usar inglês, ou vai continuar a pagar mico falando SEMPRE errado. Matricule-se num bom curso, e verá que linguagem coloquial não tem nada a ver com falar inglês errado. E esqueça essa mitologia falsa de que se psicografa em outras línguas. É golpe, tá amigo? Isso NUNCA aconteceu, COMPRENDE, “doctrine’s friend”? – Só pra usar um pouco do inglês sem polainas (e sem sentido) do nosso amigo imaginário Emmanuel…

  34. Rafael Diz:

    Well, it’s one for the money,
    Two for the show,
    Three to get ready,
    Now go, cat, go.
    -
    But don’t you step on my blue suede shoes.
    You can do anything but lay off of my Blue suede shoes.
    -
    Well, you can knock me down,
    Step in my face,
    Slander my name
    All over the place.
    -
    Do anything that you want to do, but uh-uh,
    Honey, lay off of my shoes
    Don’t you step on my Blue suede shoes.
    You can do anything but lay off of my blue suede shoes.
    -
    You can burn my house,
    Steal my car,
    Drink my liquor
    From an old fruitjar.
    -
    Do anything that you want to do, but uh-uh,
    Honey, lay off of my shoes
    Don’t you step on my blue suede shoes.
    You can do anything but lay off of my blue suede shoes.

  35. Gilberto Diz:

    Pena que não existia “copiar e colar” na época de Xavier. Pelo menos ele não erraria ao tentar emular uma psicografia em língua estrangeira…

  36. Leonardo Diz:

    Victor,

    Sempre leio com atenção seu blog. Apesar de Espírita e de muitos artigos virem na contra-mão do que acredito, isto me fascina.

    Não conheço outra pessoa que publique estes artigos – e temos uma deficiência história neste sentido – e te agradeço por isso.

    Sempre leio, reflito e repasso os mesmos. Não tenho costume de comentar porque surgem sempre debates improdutivos, infantis e às vezes impróprios.

    Agradeço novamente, abraço.

  37. Roberto Scur Diz:

    Leonardo,
    Como você pode estimular o autor do blog sendo espírita? Você diz que repassa os artigos?
    Você não se compadece do autor por se comprometer desta forma e deseja que ele prossiga na queda flagorosa?
    Se algo está na contramão do que acreditas você seria mais amigo do autor se expusesse sua opinião contrária de forma clara, pensada, estudada, para que quêm sabe ele seja mais criterioso em lançar estes artigos inconclusivos, tendenciososo e com a pretenção de serem “verdadeiros”, “científicos” e o que é pior, “esclarecedores” para os espíritas.
    Estude mais, leia mais os artigos dele, aprofunde-se nos argumentos, use o raciocínio lógico e descobrirás os propósitos reais dos autores.
    Estimulá-los é querer-lhe os mal amigo, ou você não têm realmente as convicções no que acredita e aí seria muito útil fazer este estudo mais profundo para se decidir.

  38. Gilberto Diz:

    Definições espíritas (ou melhor, de um espiritóide) para o que O Sr. Scur mencionou no post acima:
    -
    pensar de forma clara: pensar como o grande Kardec, que explicou espiritamente porque os negros são feios e inferiores aos brancos.
    -
    opinião pensada: obviamente o lado escuro da Lua e Marte possuem cidades avançadas, pois assim afirmavam Kardec e Xavier.
    -
    opinião estudada: os autistas estão pagando o preço nessa vida por serem pessoas manipuladoras em outra.
    -
    ser criterioso: se uma pessoa qualquer disse que se comunicou com um espírito, é porque ela realmente se comunicou com um espírito.
    -
    argumentos aprofundados: os gnomos e as fadas da floresta são pequenos em estatura por ainda se encontrarem em estágio elementar de evolução.
    -
    raciocínio lógico: as vítimas da fome na Biafra estão magras por que são reencarnação dos nazistas que deixavam seus prisioneiros magros.
    -
    estudo profundo: Xavier, grande astrônomo, disse que o planeta “Chupão” passará de “raspão” pela Terra (alguns espíritos poderosos, como Ramatís diz que isso acontecerá no “longínquo” ano de 1999) e fará uma “higienização” na Terra.
    -
    Simples, não? Só mesmo um “tolo” como o Sr. Leonardo para querer ler artigos que questionem tais verdades e querer que sua religião melhore, cresça e se desenvolva. É claro que ela não precisa se desenvolver. Ela já explica tudo. Ou alguém vai querer duvidar de Kardec ou de Xavier e arriscar a ter que reencarnar como um negro?

  39. Leandro Diz:

    Roberto Scur, se me permite uma observação: vai cair na armadilha do Leonardo? Ele é mais uma isca robótica para alongar comentários contra espíritas.
    Olhe só o resultado, já chegou um para falar coisas preparadinhas, de cor e salteado, onde falta o mínimo de imaginação, que nós espíritas já estamos carecas de saber.

    Abraços, e desculpe minha interferência.

  40. Gilberto Diz:

    É , o Sr. Leonardo não deve mesmo existir. Deve ser um pseudônimo qualquer para enganar os espíritas. Desculpe, Leandro, mas será que não existem espíritas que queiram quebrar paradigmas e crescer? Eles só podem ser robôs? A trindade Kardec-Xavier-Qualquer Um, tem que ser a palavra final sobre o espíritismo? Não se pode experimentar, discutir, estudar? Vamos continuar com “Qualquer Um” sendo o maior especialista nos segredos e mistérios da Humanidade e da vida? Sem verificação, sem estudo, sem trabalho árduo? Sinto muito, mas quem ficar pra trás vai ver gnomos e acreditar em explicações infantis PRO RESTO DA VIDA. O caminho é pra frente. Sem volta. É assim que a banda toca.

  41. Roberto Scur Diz:

    Leandro,
    Entendo o que você está dizendo.
    O que acontece aqui no blog do autor é claro para mim.
    O autor quando percebe que seus monumentais e sapientes artigos – esclarecedores da verdade verdadeira completa, total e única – não estão gerando interesse e comentários principalmente de espíritas entristecidos com a prosápia destas pessoas que se consideram sumamente inteligentes, então coloca aqui e ali comentários desafiadores usando um nome qualquer como LEONARDOS, ANDRÉS, KATIAS, etc., tentando ressuscitar o blog.
    Passam os anos e os artigos são requentados uns, reformulados outros, e recebem nomes pomposos como “redux (sei lá o que isso significa)”, republicação e acréscimos, e tal e coisa.
    Ele acredita, talvez, que isto não seja percebido por quem lê, mas para quem alega, por exemplo, que Chico Xavier, Divaldo P. Franco, W. Crookes, o próprio Kardec entre outros veneráveis e venerandos médiuns, cientistas e honoráveis cidadãos sejam fraudadores, sem considerar o desprezo pelo Mestre Jesus Cristo, se torna absurdamente contraditório que ele próprio se utilize de fraude simplórias, ou o que é pior, de fraudes intelectuais a que se entrega tenazmente.
    O blog só não passa de uma armadilha, como você cita, para pessoas perderem tempo para que ele consiga algum dinheiro pois a notoriedade penso que ele nunca terá uma vez que o mundo está mais esclarecido hoje do que na época do falso padre que se chamava Quevedo, e a gravidade das afirmações aqui feitas são insustentáveis à luz de uma investigação séria, idônea e responsável.
    O maior mal construído aqui, na minha opinião, é para com o patrimônio moral do autor e de seus asseclas. Palavras ditas já são inapagáveis, o que se dirá então das escritas. Longo caminho a percorrer para reconstruir o que estão tentando infantilmente destruir. Os atacados permanecerão impolutos embora entristecidos com a ignorância de tantos, já os agressores carpirão vasto terreno de aflições. É uma pena mesmo.
    Já o Gilberto penso ser mais light pois é notório que ainda está com o entendimento obliterado e o dia que pegar o fio da meada irá facilmente se direcionar para melhores caminhos. Não vejo má fé da parte dele, mas apenas desconhecimento e um interesse superficial nos temas que opina além de uma jocosidade própria dos folgazões.

  42. Rafael Diz:

    Roberto Scur,
    -
    Vou entrar num pedacinho de sua inteligente exposição. Somente discordo do quesito Gilberto, pois o curare cético já lhe corroeu as entranhas atacando-lhe mais ainda a miopia espiritual. Tem jeito não: é perda de tempo.
    -
    Ademais, ele necessita atacar espíritas para o seu alimento diário; coisas vampirescas.
    -
    Abraços.

  43. mem Diz:

    M&M
    PALAVRAS DA NOSSA QUERIDA AMIGA DRA MARLENE NOBRE
    Presidente da Associação Médica Espírita do Brasil e Internacional – activa com congressos científicos semanais nas Academias de dezenas de países da Europa e todo continente Americano
    QUERIDOS AMIGOS:
    Ainda estou sob o impacto das cenas e emoções do filme NOSSO LAR. Há momentos de grande comoção. Chorei muito mesmo. Benditas lágrimas.
    É inacreditável a vitória alcançada e o entusiasmo por tudo quanto poderá render em termos espirituais os extraordinários ensinamentos e as abençoadas revelações de nossos Amigos Espirituais.
    Confiemos no futuro e nas mudanças fundamentais que trarão à Terra uma nova civilização, calcada no Amor e na Verdade, aquela com a qual todos nós sonhamos. Sem violência, sem guerras. Apenas e tão somente a fraternidade e o amor permeando os corações dos futuros habitantes.
    Agradeçamos a Deus por essa Vitória do Plano Superior e oremos para que o filme faça uma brilhante carreira. Que ele toque fundo os corações na direção das mudanças para melhor.

    Abraços mil,
    Marlene

    ________________________________________
    Caros amigos,
    Acabo de ver o filme Nosso Lar.
    É simplesmente maravilhoso! O diretor Wagner de Assis conseguiu materializar a obra prima dos nossos amados André Luiz / Chico Xavier com perfeição em termos cinematográficos. Além disso, Wagner presta uma homenagem maravilhosa a Emmanuel e Chico. As cenas da cidade Nosso Lar são perfeitas do ponto de vista de uma estética nova na cinematografia. Um detalhe; o filme apesar de ser temática espírita não é um filme somente para espíritas e sim para todos. Tem cenas emocionantes que nos leva as lágrimas que só um diretor espírita faria.
    Parabéns Wagner Assis. Você fez o primeiro filme 100% espírita da história baseado numa obra espírita sem falar em espiritismo. O que você fez para o cinema, aprendemos com Kardec, Emmanuel, André e Chico Xavier.
    Vamos ao cinema dia 3/9. Verei de novo.
    OCEANO VIEIRA DE MELO
    Documentarista e pesquisador espírita

  44. M&M Diz:

    Espíritas cristãos como Roberto, Leandro, Bentes:
    ( e não os falsos espíritas e falsos profetas céticos)
    Permitam-me uma sugestão
    façamos como nos últimos meses e as provocações ecoarão algodão do nosso silêncio
    Depois dos ataques q (des)qualificam os seus autores á honra e dignidade da vida e obra do querido Chico
    a resposta condizente foi dada
    Chico Xavier – o filme
    4 Milhões de espetadores no Brasil e mtos mais em todo o mundo – cópia original via net
    download http://www.megaupload.com/?d=8B6BVU8R
    Preparemo-nos com novas investidas furiosas face ao “Nosso Lar”
    Quem não faz obra visível aos olhos de Deus
    limita-se a invejas quem faz obras úteis
    e apenas assistirá ao triste desenrolar do filmito das suas tristes vidas
    P.S. Cada post q o Sr Gilberto (ou Vitor Moura) publiquem é mais um q fogem e não respondem com provas e evidências ao q alegam fazer
    Calemo-nos e comecemos a fazer a contagem:
    - crescente de chorrilhos de posts inúteis
    - descrescente para o Obra-prima divinal NOSSO LAR
    Beijinhos espirituais

  45. M&M Diz:

    P.S. Faltam 2 semanas
    http://www.nossolarofilme.com.br/

  46. Gilberto Diz:

    M&M, é impressão minha ou você está incentivando a pirataria? Se você gostou mesmo do filme, peça pras pessoas o comprarem ou o alugarem. Baixar um filme na Internet não é a mesma coisa que baixar um espírito no centro. No primeiro caso você está fazendo com que os produtores, diretor e atores do filme sejam negados os seu devidos direitos. Como você disse, posso não ter provas físicas que os gnomos das florestas NÃO existem, conforme afirmado por Kardec, nem que Marte NÃO está cheio de cidades, como afirmou Xavier, mas tenho provas que você incentiva a pirataria. Elas estão aqui. Mais respeito com os artistas brasileiros, por favor. Eu, mesmo não sendo espírita, comprei o referido filme legalmente nas Lojas Americanas. Recomendo que as pessoas que se interessem também o façam. A propósito, será que a Globo Filmes destinou alguma parte dos lucros do filme para associações de caridade? Seria uma boa idéia, pois é nisso que o espiritismo sério se faz mais presente. Mas temo que a idéia foi apenas propagar a religião dos Marinho, junto com incontáveis novelas, além de pagar pelo caro estilo de vida daquela família (reconheço, eu os ajudo também!). Não haviam intenções filantrópicas. A propósito, já estão vendendo o “Nosso Lar” na 25 de Março/Uruguaiana?

  47. Rafael Diz:

    M&M, use o silêncio que você sugeriu. Além do mais está mesmo na internet e não foi você quem pôs lá. Vou baixar para mim, obrigado pela dica.
    -
    O tatu mecânico quer conversa fiada, quer o seu alimento diário! E já destilou veneno, o mesmo veneno, repete a mesma conversa, as mesmas coisa de sempre. Não foi ele quem disse ter fraudado uma tradução do Discovery numa boa, e acha normal fazer-se isso? Está documentado.
    -
    Que santinho do pau ôco!

  48. Roberto Scur Diz:

    Gilberto/Vitor Moura ou Vitor Moura/Gilberto.

    A realidade da tua identidade se expõe como vísceras abertas. Não poderiam se sustentar por muito tempo, é verdade, mas podia ser menos melancólico.

    Gilberto é o nome de uma pessoa que não existe, assim como várias outras que apareceram neste blog elogiando o tal Vitor, dando parabéns, tentando puxar o trem de comentários para ressuscitar o defunto destas ideias aqui defendidas.

    Um dia após o outro e a farsa é revelada. Você Vitor/Gilberto, que tanto se esmera nessas imitações de Elvis Presley me lembra um colega que eu tive na colégio que era aficionado pelo “Elvis the pelvis”. Ele tinha todos os discos, fazia todas as caretas e trejeitos dançantes, engrossava a voz para cantar, usava golas altas e suíças longas e passou a vida, pelo menos até onde eu tive notícias dele, fugindo da realidade, buscando um protagonismo que nunca alcançaria e que inspirava piedade de uns, risos de outros, e que o haviam conduzido à loucura anos depois.

    Fantasiar a consciência de si mesmo com a enxertia da personalidade do famanaz Elvis debilitado pelas projeções do ego doente que cultivou e que acabaram por lhe consumir na bebida, na dogradição e na megalomania.

    Gilberto/Vitor, você perdeu o chão de sua própria identidade e passou a viver da mentira sobre si próprio. Retorne para realidade meu caro, não vai valer à pena esta desabalada corrida rumo à um sucesso enganador que nunca chegará, esqueça as miragens que se fazem na sua mente pois elas são tuas inimigas ferozes que te cobraram elevado preço por teres te deixado empolgar por elas.

    Gilberto/Vitor, Vitor/Gilberto, você não têm a mínima condição de revelar nada à ninguém pois não conhece a si mesmo, você não vai reformar a Doutrina Espírita, não vai abrir os olhos dos espíritas, ou do “povo” como você disse (salvador da pátria, herói?), você não têm nada à acrescentar com estes textos caducos e sofistas e por fim você precisa de um tratamento psicológico responsável e quem sabe um atendimento espiritual pois a tua situação é deveras crítica.

    Problemas todos nós, criaturas humanas e imperfeitas, temos. Tentar mitigá-los ou solucioná-los é nossa tarefa elementar que acaba nos fazendo evoluir. Ajuda-te a ti mesmo amigo, pois ainda há tempo para saires desta barrafunda em que te metestes de moto próprio.

    Que Jesus te proteja de ti próprio.

  49. Francisco Boni Neto Diz:

    Alo galera to aqui no Centro Multidimensional da Paz, aonde os nossos técnicos para-físicos conseguem estabelecer um feixe prismático (interface para os terrenos) com as redes da internet física. Tudo muito legal aqui, meus chakras estão curando e breve meu amparador irá lançar um novo desafio e elevarei meu estado quasi-vibracional do meu corpo mental para outro nível (level). Queria mandar um abraço para o Vitor, meu irmão ainda encarnado. Preciso sair logo para conseguir pontos de experiência emanando energias positivas contra espíritos obssesores. Muita luz colorida sabor Nutella pra vocês! Vitor, Jesus te ama e te espera aqui no Centro Galático do Amor infinito. Beijos.

  50. Gilberto Diz:

    Caramba, já não me bastavam as minhas costumeiras crises de identidade, agora vem o Scur ainda me embananar mais ainda! Será que eu não existo? Serei eu um avatar de outro? Serei eu uma idéia implantada na mente do Vitor Moura? Serei eu na verdade um tatu mecânico concebido pela alta tecnologia marciana, mas que penso ser um humano, devido a inúmeras viagens astrais que faço a este plano de existência? Será que nunca vou obter alta do meu analista? The horror! The horror! Preciso parar de baixar torrents piratas das russas da Met-Art peladas. Elas estão me deixando louco e com olheiras roxas.

  51. Carlos Diz:

    Considero o Espiritismo uma religião honesta e em geral com adeptos sinceros que procuram viver o bem.
    .
    No entanto, o próprio Espiritismo se coloca como uma ciência e, se pretende manter-se como tal, precisa entender como funciona o método científico. Reclamar dos que consideram a parte científica do Livros dos Espíritos e A Gênese ultrapassada e caduca, para ficar nesses dois livros, não resolve nada; argumentem que os livros são atuais (pois ditados por espíritos superiores!), justifiquem com base no conhecimento e “deixem as pedras rolarem”. No método científico não adianta gritar mais alto ou se repetir indefinidamente; cedo ou tarde o correto prevalece (ver, por exemplo, todas as bobagens que foram publicadas em livros sobre a pretensa civilização no planeta Marte).
    .
    Considero o trabalho do Vitor Moura muito bom, e necessário. Vários dos temas e informações são de interesse por todos os de alguma forma olham para as “ciências psíquicas” . Alguns espíritas não gostam do que lêem, notadamente quando afrontam a doutrina estabelecida. Sugiro que respondam com argumentos e deixem que muitos outros que acompanham o post reflitam e tirem suas conclusões.
    .
    Leio regularmente o material que é colocado no site. Como sou “maior de idade”, avalio o tema, leio os comentários que me parecem pertinentes (muito poucos no tema do post, por sinal!) e formo minha opinião. Mensagens espíritas, filmes e louvação a uns e outros não dizem nada aqui; se fosse o caso, iria a um CE ou ao cinema. Aliás, vou ao cinema ver o Chico Xavier – o pessoal comenta que astral do filme é muito bom!

  52. Rafael Diz:

    Zzzzzzz! Zzzzzz! Zzzzzzz!
    -
    Hummm! Hummm! Hummm!

  53. Leonardo Diz:

    Roberto Scur,

    Sou Espírita e tenho convicções. Mas, igualmente, tenho apreço pela verdade, seja ela qual for. O Espiritismo, sendo uma Doutrina Racional, não me faz temer aquilo que pode vir e contradizê-lo (alguma semelhança com alguma frase de Kardec?), muito ao contrário.

    Além do mais, o artigo apresentado não se trata da opinião do Vitor e, sim, de uma publicação. Então, qual o problema?

    O seu conselho sobre apresentar opiniões também é o que recomendo: Se há algum erro, por que não há um contraponto de peso?

    O que vejo são sempre lamurias e tramas descaradas (algumas até bem impróprias para quem se diga espírita) em se tratando das intenções – seja quais forem – do autor do site. Que isto nos importa?

    Não digo ser o seu caso, pois passaria por batido seu comentário se eu não tivesse por acaso tido o interesse de ler o restante dos comentários após o meu, Ok?

    Portanto, companheiro… Sou, sim, espírita e, não tenho uma fé cega. Se algo vir e contradizer, eu vou aceitá-la, até que uma nova apareça. Ao menos, assim pretendeu ensinar Kardec.

    Abraço.

  54. Roberto Scur Diz:

    Leonardo,

    Leonardo? Será Leonardo mesmo? Este diálogo me é familiar no Vitor. Pena que não têm como saber quem está realmente opinando, não é Vitor?
    Vou fazer de conta que acredito que você seja realmente um “Leonardo”.

    Primeiro: Que têm a ver um fenômeno mediúnico específico, alegado ou presumido, documentado ou não, testemunhado ou não, com a doutrina Espírita? Acaso o sapiente comentador “acha” que por conta de um (1) fenômeno apenas ter-se-á o poder avassalador de “CONTRADIZER” o Espiritismo? O espiritismo, por acaso, é circunscrito à um (1) fenômeno ou a um (1) médium ou a um (1) pesquisador? Que bobagem meu caro “Leonardo” espírita convicto racional, surpreendente, nossa, uau! Quando eu crescer quero ser um espírita convicto como você viu.

    Segundo: “O artigo não se trata da opinião do Vitor…”. Ah tá. Você não leu, por acaso, a opinião claríssima do publicador do artigo no blog? Vitor, você é mais inteligente do que esta alegação.

    Terceiro: “Contraponto de peso…”. Um elefante serve? Este assunto não pede contraponto de quem quer que seja meu caro. Se você quiser começar a entender o mínimo, o básico, o elementar sobre Espiritismo, ou menos, sobre espíritos, sobre materializações, médiuns, etc…, etc… e etc…, bem meu caro, você é quem deve buscar denodadamente respostas, entendimento, racionalidade, e não o Espiritismo ou algum espírita é quem deve vir tentar te convencer, e muito menos através de “fenômenos”. Se faz sentido, estude, se te interessa, estude, se não, deixa para lá pois não é para ti ainda.
    Você fica pedindo “contraponto”, provas ao contrário e blá-blá-blá para quê? Você já não é “convicto” velhinho? Então, para que você, que já é convicto, quer que façam “contraprova” daquilo que você supostamente acredita? Que viagem velho, que viagem!

    Quarto: “…lamúrias e tramas …”. O que tu está falando Vitor?

    Quinto: “… OK?”. Poxa, que magnânimo tu és Vitor, puxa vida, obrigado hein, não deixou passar batido meu comentário, puxa, estou no Olimpo da glória por ter merecido a leitura de um miserável comentário meu. Que emoção inenarrável, muito obrigado pela benevolência.

    Sexto: Ah tá, tu és espírita, sei, sei, o “experimentador” aquele né?. Agora, tu ainda está nesta fase do espiritismo amigo? Preocupa-te tanto assim com ter ou não ter sido materializado um espírito por fulano ou beltrano, por mais notável que seja, para te confirmar nesta tua suprema convicção na doutrina? Esta é a tua praia, ainda!?!? Sei, sei.

    Portanto, te empenhe mais Vitor, gaste os dias da tua vida tentando ser este “contraditor” excepcional de fenômenos mediúnicos, de médiuns, de Kardec, até de Jesus Cristo. Bom trabalho para ti, sucesso, bastante trocados pelos acessos ao teu blog, e, como diríamos, os espíritas, “e que assim seja”.

    Bom, agora, te deixo por aqui e daqui a uns 3 ou 4 meses dou mais uma lidinha e um pitaco, talvez, para cair mais algumas moedas no teu cofrinho.

  55. Gilberto Scur Diz:

    Quero fazer uma revelação: EU SOU o Roberto Scur. Tenho escrito mensagens com diferentes nicks pra mode confundir os espíritas, e, na confusão, todos se converterem à Igreja Intermunicipal da Paciência Enorme de Deus (IPED). Na verdade, meu nome completo é Gilberto Vitor Scur Moura (CPF: 987.945.451.434-83), e como ninguém nunca postava nada aqui, eu mesmo resolvi escrever mensagens diferentes o tempo todo. Aliás, este é um site fechado e somente eu escrevo e leio os posts e as mensagens. Sei que apenas eu lerei isto que escrevo, mas faço a revelação assim mesmo, pra descargo de consciência…

  56. Roberto Scur Diz:

    Puxa Gilberto Scur Moura Quevedo Mori! Você está se escondendo atrás de um nick falso? Sempre pensei que você o fosse o Elvis Presley psicografando através do Vitor Moura, afinal, o Elvis Não Morreu não é verdade?
    Você me enganou direitinho em seu espertalhão?
    Sai, xô desse corpo do Vitor, vade retro Elvis, deixa o Gilberto Mori Scur Moura em paz!!!
    Espíritos não existem, passa, sai, xô, o Elvis não Morreu, ficou um pouco mais gordinho, cabelho clareou um pouco, rejuvenesceu e a voz ficou mais grave mas a presunção continua a mesma.
    Coloca aí uma matéria sobre a materialização do Elvis naquele vídeo do youtube, vamos decifrar, não é possível, achei que a Otília Diogo tinha se aposentado.
    Chama o síndico!

  57. juliano silva barbosa Diz:

    ola vitor, gosto muito dos seus artigos. Sou espirita e gostaria de saber de voçe:

    Voçe é ou não é espirita?
    voçe escreve as vezes pensando na racionalidade e objetitividade da cienica, porem alguns artigos seus parecem questionar a veracidade do espiritismo.

  58. Vitor Diz:

    Oi Juliano

    considero-me espírita experimentador, ou seja, analiso apenas os fenômenos. Não sigo a filosofia nem a religião espírita. De fato, o espiritismo como Doutrina considero errado em muitos pontos.

  59. Roberto Scur Diz:

    “Olá Vitor, sou espírita, gosto muito dos teus artigos, são muito inteligentes, muito lógicos, muito científicos, muito fundamentados…
    Nossa, você é demais viu.
    Como espírita tenho muita coisa para aprender contigo, puxa vida, fico emocionado viu?
    Alguns artigos teus fazem parecer, veja só, nada a ver, mas até parece que você não é espírita coisa nenhuma e quer fundar uma nova doutrina. Vitor, será que você é um novo Kardec reencarnado hein?
    Puxa Vitor, você é muito bom mesmo. Acho que vou até deixar de ser espírita para acreditar na tua visão superior do que seja a verdade.
    Que legal. Sou espírita viu, mas tu é muito melhor que o Kardec.
    Tchau!

  60. M&M Diz:

    Texto de Osvaldo Shimoda
    Glândula Pineal – Dr. Sérgio Felipe de Oliveira
    Medicina reconhece obsessão espiritual
    Uma nova postura da medicina frente aos desafios da espiritualidade.
    Dr.Sérgio Felipe de Oliveira, médico que coordena a cadeira de Medicina e Espiritualidade na USP:
    A obsessão espiritual como doença da alma, já é reconhecida pela Medicina. Em artigos anteriores, escrevi que a obsessão espiritual, na qualidade de doença da alma, ainda não era catalogada nos compêndios da Medicina, por esta se estruturar numa visão cartesiana, puramente organicista do ser e, com isso, não levava em consideração a existência da alma, do espírito.

    No entanto, quero retificar, atualizar os leitores de meus artigos. Essa informação, pois desde 1998, a Organização Mundial da Saúde (OMS) incluiu o bem-estar espiritual como uma das definições de saúde, ao lado do aspecto físico, mental e social. Antes, a OMS definia saúde como o estado de completo bem-estar biológico, psicológico e social do ser humano e desconsiderava o bem estar espiritual, isto é, o sofrimento da alma; tinha, portanto, uma visão reducionista, organicista da natureza humana, não a vendo em sua totalidade: mente, corpo e espírito.

    Mas, após a data mencionada acima, ela passou a definir saúde como o estado de completo bem-estar do ser humano integral: biológico, psicológico e espiritual. Desta forma, a obsessão espiritual oficialmente passou a ser conhecida na Medicina como possessão e estado de transe, que é um item do CID – O Código Internacional de Doenças – que permite o diagnóstico da interferência espiritual Obsessora.

    O CID 10, item F.44.3 – Define estado de transe e possessão como a perda transitória da identidade com manutenção de consciência do meio-ambiente, fazendo a distinção entre os normais, ou seja, os que acontecem por incorporação ou atuação dos espíritos, dos que são patológicos, provocados por doença.

    Os casos, por exemplo, em que a pessoa entra em transe durante os cultos religiosos e sessões mediúnicas não são considerados doença.

    Neste aspecto, a alucinação é um sintoma que pode surgir tanto nos transtornos mentais psiquiátricos – nesse caso, seria uma doença, um transtorno dissociativo psicótico ou o que popularmente se chama de loucura – bem como na interferência de um ser desencarnado, a Obsessão espiritual. Portanto, a Psiquiatria já faz a distinção entre o estado de transe normal e o dos psicóticos que seriam anormais ou doentios.

    O manual de estatística de desordens mentais da Associação Americana de Psiquiatria – DSM IV – alerta que o médico deve tomar cuidado para não diagnosticar de forma equivocada como alucinação ou psicose, casos de pessoas de determinadas comunidades religiosas que dizem ver ou ouvir espíritos de pessoas mortas, porque isso pode não significar uma alucinação ou loucura..

    Na Faculdade de Medicina DA USP, o Dr. Sérgio Felipe de Oliveira, médico, coordena a cadeira (hoje obrigatória) de Medicina e Espiritualidade. Na Psicologia, Carl Gustav Jung, discípulo de Freud, estudou o caso de uma médium que recebia espíritos por incorporação nas sessões espíritas.

    Na prática, embora o Código Internacional de Doenças (CID) seja conhecido no mundo todo, lamentavelmente o que se percebe ainda é muitos médicos rotularem todas as pessoas que dizem ouvir vozes ou ver espíritos como psicóticas e tratam-nas com medicamentos pesados pelo resto de suas vidas. Em minha prática clínica, (também praticada por Ian Stevenson) a grande maioria dos pacientes, são rotulados pelos psiquiatras de “psicóticos” por ouvirem vozes (clariaudiência) ou verem espíritos (clarividência), na verdade, são médiuns com desequilíbrio mediúnico e não com um desequilíbrio mental, psiquiátrico. (Muitos desses pacientes poderiam se curar a partir do momento que tivermos uma Medicina que leva em consideração o ser integral).

    Portanto, a obsessão espiritual como uma enfermidade da alma, merece ser estudada de forma séria e aprofundada para que possamos melhorar a qualidade de vida do enfermo.

  61. M&M Diz:

    Como médicos e psiquiatras transpessoais é interessante analisar O CASO q aqui temos neste blog.
    O criador do mesmo criou personalidades múltiplas q hoje já não consegue controlar
    Temos muitos destes casos nos nossos consultórios
    Estes são os casos com melhor prognóstico,
    pq já conseguem reconhecer q estão doentes e precisam de ajudam
    Em muitos casos é difícil distinguir os delírios, alucinações e fenómenos mediúnicos
    Para desilusão do seu mentor, tudo indica q não há aqui fenómeno (mediúnico) nenhum, o q se configura preocupante para o mesmo
    Aconselhamo-lo a procurar ajuda, ninguém vai saber pq ninguém sabe o seu nome verdadeiro
    Comece pela Medicina Convencional uma vez q é materialista.
    Como leigo q é tal como os seus colegas céticos pseudocientíficos, nem sequer (re)conhece o CID da OMS
    O 1º e grande passo é reconhecer e depois ter vontade de melhorar
    Estamos disponíveis quando estiver preparado para o ajudar, de braços abertos com amizade e sem ressentimentos
    Paz e saúde
    Os espíritas verdadeiros vibramos por si

  62. Gilberto Scur M. e M. Diz:

    Também sou o M&M… Preciso de ajuda. Ajudem-me, por favor.

  63. Rafael Diz:

    Scur:
    -
    Quanto mais o mundo volteia em torno de seu imaginário eixo, mais as ilusões dos materialistas e ateus vão virando poeira através, justamente, de quem eles alardeavam aos quatro cantos do mundo ser a sua maior aliada.
    -
    A traidora ciência, ex-aliada, não consegue calar-se, permanecer amordaçada e sufocada diante dos absurdos dos materialistas-ateus que a proclamavam de sua única propriedade, e a cada dia ela vai mostrando janelões, portões e infinitos arcos que conduzem a visões maiores e transcendentais.
    -
    Essas visões de uma realidade causal, que as mentes simples conseguem ver e enxergar, os açuladores contaminados do corrosivo orgulho, transformaram em Cavalo de Tróia para adentrar e demolir os redutos e cidadelas espíritas, debochar, ironizar de crentes e religiosos e se proclamar, sob a fragilidade da perecível carne, “os racionalistas” donos da verdade.
    -
    Acusam a todos os espíritas de iludidos, a tantos de mentirosos e fraudadores; buscam desmoralizar aos pilares sensacionais dessa doutrina verdadeira, e tomam por bandeiras casos destacados, afligindo-lhes mentiras e transformando esses casos discutíveis em credos anti-espíritas.
    -
    E fizeram dessa triste romaria uma profissão.
    -
    Não esperemos, prezado Scur, uma confissão explícita de reconhecimento deles, sob a veracidade das lídimas mensagens espíritas comprovadas pela ciência, e sobre a existência de Deus, seja o Deus uma Inteligência acima deles mesmos, um Moto Contínuo, ou Perpétuo, ou uma Força ainda verdadeiramente Inimaginável por nosso pobre e infantil intelecto. Mais uma vez os geniais céticos fingirão nada saber dos atuais e corrigidos postulados científicos, e continuarão, como sempre, a arguir espíritas, a debater com suas cartilhas manipuladas à mão e a tentar inverter a realidade demonstrada pelas mentes aclaradas, sejam elas espíritas ou de homens lúcidos da ciência.
    -
    Enquanto isso, nesse exato momento, por incontáveis locais do planeta, crentes sinceros vivem a verdade em correntes sem se importar com idéias e pensamentos dos demolidores, pois conhecendo a verdade sentem-na intimamente e vibram na tônica elevada que cético algum consegue vibrar, quanto mais entender.

  64. M&M Diz:

    As projecções tb são explicadas pela psiquiatria
    Fazer os outros à sua imagem
    A negação é sempre um dos piores sintomas
    Cada post q V.M./ Gilb/ etc.. etc…
    engana-se a ele mesmo
    Cada post q publica está a negar-se a apresentar as obras
    q disse q fazia
    Tantos sofismas, tanta prosápia, tanta pseudosabedoria…
    Obras úteis: zero!
    Aos mais incautos: este blog é financiado por videntes, bruxos, etc. o q demonstra a coerência do seu criador ateu
    Claro q a estes interessa chafurdar e caluniar quem realmente quer ajudar os outros de forma gratuita e desinteressada
    Quem atira lama, é q fica sujo
    Pedem dinheiro aos ingénuos para financiar “traduções”, esta situação é para ser denunciada
    Comprove para onde aplica este dinheiro
    Cada post q publicar e não o fizer está a fugir com o rabo à seringa, típica de quem tem o médico e não quer tomar o remédio
    Continue a atirar areia para os seus próprios olhos
    A aranha ficou enredada na sua teia de trevas
    Quem aponta o dedo, tem 3 virados para si
    Continuaremos sempre à sua espera quando estiver receptivo
    Não adianta perder seu tempo
    As provocações ficarão sempre embebidas no algodão do silêncio
    Quem perfuma os outros fica perfumado
    Só é solitário quem não é solidário
    Preferimos aprender com Jesus, Allan Kardec, Chico Xavier, Divaldo e Raul – e toda a espiritualidade superior
    P.S. Roberto, Leonardo, Rafael, espíritas vigilantes, isto é uma prova, um teste para nós não respondermos
    Kardec ensinou-nos há 153 a conhecer as comunicações pelo estudo da sua linguagem, não pelas suas assinaturas
    Este blog é apócrifo desde sempre
    O(s) seu(s) mentor(es) evidencia e comprova de forma inconsciente q a Doutrina Espírita nos ensina
    Beijinhos espirituais e adeus – até próxima vida

  65. Francisco Boni Neto Diz:

    Projeções astrais são explicadas pela psiquiatria?

    Link para algum artigo revisado por pares em qualquer período científico com alto fator de impacto (Nature, Science, Journal of Neuroscience, PNAS, PLoS) que chegue perto de afirmar o que você disse acima.

  66. Gilberto Diz:

    Ô, Francisco! Não se mete, não. Esses três são meu passatempo favorito. Adoro ler as asneiras deles e exercitar um pouco de humor nonsense. Esses carinhas viajam na maionese BIG TIME, e escrevem primores irretocáveis de ignorância, pseudo-intelectualidade e, permita-me dizer, pura burrice. São hilários e preenchem minhas noites solitárias à frente do computador. Dá licença e sai de fininho, por favor. Abraços pra você, pro Vítor e pra todos os leitores daqui. Ahhh, as russas da Met-Art… Elas também preenchem as minhas noites!

  67. Carlos Diz:

    Esse site propõe a análise científica de livros e mensagens ditos psicografados apontando erros e acertos (está logo abaixo do “enviar comentário”).
    .
    A impressão que fica é a de que como “os vigilantes” não controlam os temas e suas discussões, tentam desqualificar os que apontam as incoerências da mediunidade e suas consequências. A “fé verdadeira” não é aquela “que pode encarar a razão face a face…” ? Qual o temor quanto a isso ?

  68. Juliano Diz:

    Olá, não sou o Juliano espírita que fez um comentário. Eu sou o cético. rsrs Já fazia algum tempo que não entrava aqui, saudades, andei lendo algumas coisas. Li a obra do Chico Xavier, “Nosso Lar”. Que agora vai sair o filme. Com todo respeito aos espíritas, mas basta ler o livro para se atestar que é uma criação mental do “Chico Xavier” a história toda. Salta aos olhos que não tem André Luiz nenhum. A obra é a estória de uma colônia espiritual da forma idealizada pelo Chico Xavier. Muita reza, muito trabalho assistencial, sofrimento e consolação. Tem algumas partes interessantes, a melhor é, no meu entender, da senhora aristocrata racista convicta que acha que só por ajudar a igreja merece o “céu”. Mensagem interessante, quantas vezes a gente, literalmente, não se encherga e não muda em pontos que mereceriam mudança. Mas no geral a obra é fraca. Uma senhora que continua senhora no outro mundo. Desejo sexual, desejos mais humanos não fazem parte da obra. Ela é uma obra bem cristã mesmo. Pra quem gosta e se sente bem, ótimo. Mas pra quem tem um pouco de bom senso, não tem como notar que é (…) uma literatura de autoajuda espírita. E só. Um abraço a todos. Estava com saudades.

  69. Gilberto Diz:

    Isso, Juliano. O que certas pessoas não entendem é que ser um livro de auto-ajuda espírita NÃO DESABONA suas qualidades terapêuticas e consoladoras. O problema é quando se quer ler LITERALMENTE tudo. Comparando-se com o cristianismo, estar “sentado à direita de Deus” era uma expressão normal na época da concepção do Novo Testamento para mostrar a grandeza de um homem mesmo após a sua morte. Isso é lindo. Agora, pensar nisso de forma literal é besteira. Será que há cadeiras do além? Claro que não. E Xavier deixou uma grande obra de auto-ajuda espírita cujo valor deve ser mais que respeitado: deve ser venerado. Mas não adorado. Não visto como reflexo da realidade. Apesar das aparentes fraudes, Xavier teve uma vida verdadeiramente monástica e dedicada ao próximo. Não há dúvida. Por isso que não gosto de sites que xinguem o cara, ou que o chamem de louco, tudo de forma pessoal. Gosto do respeito, e poucos brasileiros merecem tanto respeito. Poucos brasileiros tiveram sua índole. Poucos brasileiros que adquiriram poder o usaram de forma tão altruísta. Estudar a ciência dos fenômenos ditos extraordinários e, quase sempre, se chegar a explicações menos fantásticas não desabona em nada as experiências pessoais no âmbito religioso. Isso não é separar o “joio do trigo”, pois não há “joio”, ou seja, “aspecto negativo”, nem no ponto-de-vista religioso, nem no ponto-de-vista científico. Vamos em frente. Abraços.

  70. Roberto Scur Diz:

    Juliano,

    Veja como são as coisas, eu, quando li Nosso Lar, tive uma opinião oposta a tua.
    Foi o segundo livro que li há 17 anos atrás. Não era espírita, não era religioso pois católico de dizer que era por não ter outra coisa para dizer não é o que podemos chamar de religioso.

    Não achei de maneira nenhuma que fosse autoajuda. Naquela época eu recém havia iniciado a ler livros, procurar alguma coisa que eu não sabia o que era.

    Conhecidos meus, entusiastas de Lair Ribeiro, da neurolinguística, do Og Mandino, falaram maravilhas sobre os livros e acabei comprando. Li e não gostei. Àquilo sim era autoajuda meu caro, frases chavões, pensamentos fáceis que qualquer pessoa consome e diz “puxa, é verdade mesmo, é isso aí, têm que fazer assim…” só que depois nada muda na vida da criatura.

    Aí me chegou as mãos um livro mais simples de um autor espiritual com linguagem solta, mais jovem, que havia morrido e narrava o que encontrou do outro lado. Bem, se não achei a leitura maravilhosa me despertou o interesse em ver de onde vinham àquelas alegações, quiz saber mais.

    Depois veio também às minhas mãos o Nosso Lar. Juliano, para mim não foi autoajuda coisa nenhuma, pelo contrário velho, foi um ducha de água fria, me confrangeu, me oprimiu, porque a lógica é profunda, não há floreios, não há sentimentalismo barato, paraísos contemplativos de inutilidade, não há ninguém sentando à direita de ninguém, e há sim MUITA COLHEITA DAS OBRAS QUE FIZEMOS NA TERRA, muita responsabilidade intransferível sobre nossos próprios atos, muito trabalho para prosseguir tentando se aperfeiçoar.

    Juliano, parece que lemos livros diferentes viu. Como muda de uma pessoa para outra o entendimento das coisas, incrível.
    Cheguei a me desmotivar, por um tempo, de ler novamente livros espíritas porque algo estava pesado, desconfortável, deprimente talvez, mas este algo era dentro do meu ser mesmo, pois me deparar com realidades tão escarncaradamente lógicas e saber que não se é grande coisa, que o valor que nos atribuímos não é o valor que valemos, bem, não deixa de ser um despertar amargurado pois SOMENTE COM MELHORES ATITUDES, PENSAMENTOS e direcionando-se para outros objetivos é que conseguiremos paz, serenidade para enfrentar a única coisa que é certa na vida, a MORTE do corpo físico e o encontro conosco mesmos, nós e nós, sem rezas, sem flores de defunto, sem recomendações de missas e padres, sem o nada para evitar assumir as responsabilidades das bobagens que fizemos, sem jurumelas, etc…

    Cada um, cada um Juliano.

  71. Juliano Diz:

    Isto Roberto.

    Cada um é cada um. Pra mim é claro que o livro “Nosso Lar” é autoajuda, consolação e sentimentalismo na veia, e apenas isto. Mas repito, é um livro que faz bem ler. 1º Ele deixa claro que não é psicografado. Há nele um claro ar novelesco. Os personagens principais são “purezas” externas que lembram a “pureza” do autor do livro (Chico Xavier). Onde ou se é mau ou se é bom. Um lugar sem lugar para o ser humano de fato. A VIDA E OS SERES HUMANOS NÃO SÃO O RELATO DO LIVRO. E SE HOUVER UM OUTRO PLANO ACREDITO QUE ESPÍRITOS MAS EVOLUÍDOS NÃO SEJAM O QUE RELATA O LIVRO. GOSTE-SE OU NÃO DISTO! SE FOR, E ME PROVAREM QUE É, ENTÃO O NEGÓCIO É ENTRAR NUMA IGREJA DESTAS POR AÍ E ESTÁ TUDO RESOLVIDO! 2º Repito, em matéria de consolação para o espírito ele dá conta do recado pra muita gente. E se faz bem, ótimo. Tal relato é apenas a minha opinião pessoal. Mas valeu o contraditório Roberto. Estamos aí pra isto.

  72. Roberto Scur Diz:

    Juliano,

    É uma pena que você não tenha entendido o livro.
    Talvez tenha lido sem prestar muita atenção. Você descura da lógica ao afirmar que, por exemplo, que os espíritos evoluídos não seriam como relatado no livro, pois os espíritos que trabalham na cidade Nosso Lar estão em escalas primeiras em termos de evolução, haja visto que são espíritos de pessoas que erram e acertam, mas que já reconhecem a necessidade de servirem mais para evoluirem.

    Quais são os “espíritos evoluídos” narrados no livro à que você está se referindo que “não são o que você acha de deveriam ser”?

    Não entendi o que queres dizer com a afirmação sobre “entrar numa igreja para resolver tudo” pois se tu dizes que se te provarem alguma coisa tu vais entrar numa igreja qualquer então significa que não serão provas que te bastarão pois a lógica do mundo espiritual, ou “outro plano” como você chamou, transcende à questões de credos específicos, de casas religiosas da marca “A” ou “B”, mas está muito mais vinculado à convicção pessoal, racional e natural de que exista algo além das fronteiras da matéria.

    Se qualquer religião que seja tiver a capacidade de esclarecer e despertar nos que buscam respostas esta noção segura da vida espiritual então cumprirá com sua função na sociedade, se não, então o indivíduo pode procurar por si mesmo pois não é necessário ser membro de bandeiras religiosas para se ter acesso à realidade espiritual.

    Mas este é um assunto deveras longo e complexo para ser conversado em textos breves e incultos quais os meus.

  73. Juliano Diz:

    Vamos por partes Roberto

    O livro é um relato típico de um ambiente irreal do dia a dia da vida, mesmo num outro plano, se existir outro plano. O livro é um típico relato de um ambiente dentro de uma igreja, de um centro espírita; onde é viva o amor, viva o amar, viva a bondade, viva a (…). Mas não me contrarie, jamais! Uma coisa enrustida, hipócrita, onde o ser humano de verdade, livre, não aparece. Onde se aparece alguém e resolve mostrar com fatos que a conversa de Jesus Cristo é um tró lo ló histórico, por exemplo. Um pelo menos levantar um debate crítico. O cidadão arrisca apanhar. Este é o ponto.

    Sobre a questão da igreja, até peço desculpas, eu exagero algumas vezes. Eu fui irônico. Ando buscando me controlar, nestas situações não é legal não a ironia. Mas o que não muda minha opinião de que o livro é um típico relato de um ambiente de uma igreja.

    Eu ando até (…) bondoso com as religiões. Teve um professor de filosofia tempos atrás que disse algo que mudou um pouco meu enfoque. Quando lhe questionei sobre o que é a verdade? Ele disse que a verdade é vida. É dar a alegria do dia a dia para as pessoas. Eu achei bacana. Então se você acha que o livro “Nosso Lar” te dá vida, te dá alegria, te dá crença, te dá confiança. Ótimo. Porém daí a eu deixar de achar o que eu acho, e dizer o que eu penso, não dá né?

    Por espíritos ditos evoluídos no livro, tem a mãe do personagem principal, o próprio governador, um espírito de uma mulher que vai dar um sermão, se não me engano. A citação de alguém, não lembro bem quem, que já viu o espírito de Jesus, na visão espírita o coordenador geral de tudo e espírito máximo conhecido evoluído.

    Por fim. O que alguns de nós aqui já estamos “carecas” de dizer é que o que está aí posto NÃO DÁ UMA RESPOSTA CONCRETA SEQUER SOBRE O QUE OCORRE QUANDO MORREMOS!! VOCÊ VAI DIZER: MAS CLARO QUE HÁ RESPOSTAS. E AÍ EU TE PERGUNTO: VOCÊ, UMA PESSOA DE BEM, JÁ TEVE A EXPERIÊNCIA, COMO O CHICO E OUTROS DISSERAM TER, DE UM ESPÍRITO CHEGAR PRA VOCÊ E, NO SEU QUARTO E DIZER, AÍ ROBERTO, ENTRE NÓS, TIRE AS TUAS DÚVIDAS, FIQUE TRANQUILO PELOS TEUS FILHOS, ESTAMOS SEMPRE AQUI AO TEU LADO. QUANDO PRECISAR ME CHAME QUE EU APAREÇO PRA VOCÊ. Pode até ser que tenham espíritos ao teu lado, eu não estou dizendo que não tem, mas você já teve esta conversa? Se teve, ótimo e esqueça o que eu disse. Mas se não teve, você vive na crença, nada errado. Mas é uma crença apenas. Valeu a conversa Roberto. Dá pra ver que você é gente boa, bem intencionado. É isso.

  74. Roberto Scur Diz:

    Juliano,
    A minha convicção não é uma crença apenas, é uma constatação do meu raciocínio lógico, e não precisei de provas como tu sugeres para ter este entendimento da vida.
    Se tu fizesses esta pergunta logo no início dos meus estudos eu responderia sem pestanejar, “sim, é assim que se dão as coisas”, mas, mesmo sem precisar, mesmo sem ter pedido, eu tive contato espiritual manifestado inequivocamente através de um fenômeno físico ocorrido em mim mesmo, numa ocasião, e no ambiente em que eu estava, em família, mais umas 3 vezes no mínimo.
    Nunca busquei isto como condição para minha, digamos, crença, mas ocorreu, porém, em incontáveis vezes eu já ter percebido companhias espiritual, tanto boa quanto negativa, ao meu lado, não visualmente (clarividência) mais psiquicamente (por pensamentos). É uma questão sutil de percepção, não é simples pois atribuímos os pensamentos que temos somente à nossa vontade e não a uma inteligência outra, mas, sei que isto não é tão simples de entender (não era para mim mesmo até que eu começasse a racionalizar melhor, analisar as situações) para pessoas que estão focadas mais no palpável, no físico.

  75. Roberto Scur Diz:

    E Juliano,
    Devemos considerar que não faria sentido para os que estão reencarnados que qualquer problema, qualquer dúvida que surgisse ele chamasse um gênio da lampada para resolver.
    Esta citação de que seria indispensável que um espírito viesse ao meu quarto me esclarecer disto ou daquilo tiraria o objetivo de uma reencarnação pois nós precisamos entender, crescer em inteligência e em humanidade através dos aprendizados que conseguirmos alcançar pelos nossos próprios esforços.
    Se você resolver os problemas da escola, fizer as tarefas de um infante em seus primeiros anos ao invés de deixá-los praticar e estudar por suas próprias forças você estará fazendo um grande mal à criança.
    Assim somos nós, espíritos reencarnados, que precisamos fazer nossas lições no plano físico para aprendermos a domar nossas paixões, substituir os instintos pela razão e pelos sentimentos, e se tivéssemos cada um de nós um, digamos assim, espírito guia que se materializasse em nosso quarto quando quiséssemos então perpetuaríamos nossa infantilidade intelectual e moral, ficaríamos propensos à preguiça, ao comodismo. Me parece tão comprovado este tipo de comportamento, tão óbvio que me surpreenderia a sua não constatação.
    Os espíritos estão sempre ao nosso lado. Ninguém há que não tenha a companhia de alguns, impossível isto pois todos temos pelo menos um espírito guia que cuida de nossos progressos, de nossa reencarnação. O que ocorre é que nem sempre estamos dispostos à ouvir as intuições construtuivas que eles nos endereçam e preferimos então, por exclusiva escolha e vontade própria, ouvir os direcionamentos de outros espíritos interessados em nos perder uns, porque nossos inimigos, em nos utilizar para perder outras pessoas, pois inimigos são destas, ou em prejudicar qualquer causa nobilitante e edificante pois são inimigos do bem, da paz, do amor ao próximo bem como à criação.

    Portanto Juliano, estas tão citadas e criticadas “provas” não bastam para quem não deseja de fato concebê-las, para quem não quer modificar suas ambições e paixões íntimas, e qualquer manifestação que pudesse ser esclarecedora neste sentido é tomada à conta de fraude, de mentira, de má fé, de fé cega, fanatismo, ignorância, cegueira, e por aí vai.

    Por isso que no espiritismo a questão das manifestações físicas é uma pré-escola de espiritualidade. Para se avançar em conhecimento e sentimentos superiores é necessário estudo e boa vontade, racionalidade e responsabilidade, interesse em crescer e também uma boa dose de humildade haverá de ajudar muito pois quando descobrimos que não somos tudo aquilo que pensavamos ser, quando vemos nossa ignorância, precisamos de humildade para ir em busca de novos patamares de saber.

    Saudações portanto, Juliano.

  76. Juliano Diz:

    Roberto

    O teu enfoque e o meu são questões pessoais. Mesmo não sendo religioso, mas fazendo uma analogia com um santo da igreja. Eu sou como São Tomé, só acredito vendo. Por acreditar entenda ter a maior convicção possível do que falo. E o espiritismo e a religião não me dão essa convicção. Pelo contrário. Mas não nego que lá no meu íntimo eu acho que não terminamos quando morremos, TOMARA QUE NÃO TERMINEMOS!! rrsrsrs Eu já disse isto aqui várias vezes, inclusive já falei várias vezes aqui que vejo nas pesquisas de rememorações em crianças de vidas passadas a “chave do enigma”. E acho que o espiritismo me surpreenderia se partisse para uma pesquisa séria, científica neste ponto. Bem como, se houvesse uma autorenovação inclusive na doutrina, Kardec é ultrapassado. Não entra na minha cabeça ficar estudando textos ultrapassados e glorificando personagens bíblicos (Jesus mesmo) e não bíblicos de autenticidade no mínimo questionável. Mas vida que segue. E cada um na sua. Um abraço.

  77. Roberto Scur Diz:

    Juliano,
    Kardec não é ultrapassado assim como Sócrates, como Platão seu discípulo, como Pitágoras, e como tantos outros filósofos ou cientistas que deram conta da verdade.
    Apontem um erro na Doutrina Espírita codificada por Kardec e ela será corrigida de imediato pois está aberta para a verdade.
    Kardec não é o autor das idéias exaradas na Doutrina dos Espíritos porque ela é DOS ESPÍRITOS e não de uma individualidade, de uma personalidade exclusiva.
    Pesquisas sérias no Espiritismo foram muitas, principalmente nos seus primórdios. Não podemos esquecer que o básico do básico que deu início ao advento do Espiritismo foram “justamente os fenômenos físicos” das batidas, das mesas girantes, que se proliferaram naqueles tempos da metade do século XVIII, e à partir deste fenômenos àqueles indivíduos mais compenetrados, mais inquietos e menos fúteis, mais questionadores, e dentre eles o próprio Kardec, passaram da posição segura e criteriosa, além de necessária, de ceticismo, para a convicção racional de sua realidade.
    Após, pesquisas e estudos sérios vieram em profusão através de cientistas renomados da época, mas o caso é que, assim como ocorreu naquele tempo, ficar volteando somente em pesquisas sem fim não levando em conta o conteúdo moral das manifestações mediúnicas é inútil, sem proveito algum.
    Por esta razão o Espiritismo feneceu em a Europa Iluminista e Positivista da época. Perderam-se em nonadas.

    Então, se você diz que o espiritismo “te surpreenderia” nesta circustância, te digo que ele “não te surpreendeu” porque em realidade você não está movido em definitivo com a mesma ordem de questionamentos, análises, racionalizações e disposições que tiveram pessoas como Kardec.

    Mas, como afirmas, a vida segue não é? Pois que siga então seu carreiro de lutas, frustrações, descobertas e aprendizados que nos levarão inevitavelmente à perfeição relativa a qual estamos todos fadados à alcançar.

    Meus sinceros cumprimentos Juliano e fique em paz.

  78. Carlos Diz:

    “Apontem um erro na DE… e ela será corrigida de imediato…”
    .
    Que tal começar revendo o que os “espíritos” afirmaram sobre o aparecimento da vida na Terra.
    .
    Os seres vivos, incluindo a espécie humana em particular, NÃO apareceram a partir de “germes” que esperam o tempo certo para eclodir (LE, q. 43 a 49).

  79. Roberto Scur Diz:

    Carlos,

    Qual é o problema desta afirmação (tirando o NÃO que tu acrescentastes)?
    O que não entendeste?
    Podemos conversar sobre isto, aponte o erro por gentileza, e não deixe a frase solta no ar apenas.

    Vou aproveitar e copiar aqui as questões do Livro dos Espíritos que tu consideras necessitadas de correção.

  80. Roberto Scur Diz:

    LIVRO DOS ESPÍRITOS – ALLAN KARDEC

    FORMAÇÃO DOS SERES VIVOS.

    . FORMAÇÃO DOS SERES VIVOS.

    43 – Quando a Terra começou a ser povoada?
    – No começo, tudo era caos; os elementos estavam em confusão. Pouco a pouco, cada coisa tomou o seu lugar; então, apareceram os seres vivos apropriados ao estado do globo.

    44 – De onde vieram os seres que vivem sobre a Terra?
    – A Terra continha os germes que aguardavam momento favorável para se desenvolverem. Os princípios orgânicos se congregaram desde que cessou a força que os mantinha afastados, e eles formaram os germes de todos os seres vivos. Os germes estiveram em estado latente e inerte, como a crisálida e as sementes das plantas, até o momento propício para a eclosão de cada espécie; então, os seres de cada espécie se reuniram e se multiplicaram.
    45 – Onde estavam os elementos orgânicos antes da formação da Terra?
    – Eles estavam, por assim dizer, em estado de fluido pelo espaço, entre os Espíritos, ou em outros planetas, esperando a criação da Terra para começar uma nova existência sobre um novo globo.

    A química nos mostra as moléculas dos corpos inorgânicos unindo-se para formarem cristais de uma regularidade constante, segundo cada espécie, desde que estejam nas condições desejadas. A menor perturbação nessas condições basta para impedir a reunião dos elementos, ou, pelo menos, a disposição regular que constitui o cristal. Por que não ocorreria o mesmo com os elementos orgânicos? Conservamos durante anos sementes de plantas e de animais que não se desenvolvem senão em uma dada temperatura e num meio propício; têm-se visto grãos de trigo germinarem depois de vários séculos. Há, portanto, nessas sementes, um princípio latente de vitalidade que aguarda uma circunstância favorável para se desenvolver. O que se passa diariamente sob nossos olhos, não pode ter existido desde a origem do globo? Essa formação de seres vivos, partindo do caos pela força da própria Natureza, diminuiu alguma coisa da grandeza de Deus? Longe disso, ela responde melhor à ideia que fazemos de sua força se exercendo sobre os mundos infinitos por meio de leis eternas. Essa teoria não resolve, é verdade, a questão da origem dos elementos vitais; mas Deus tem seus mistérios e pôs limites às nossas investigações.

    46 – Existem, ainda, seres que nasçam espontaneamente?
    – Sim, mas o germe primitivo existia já em estado latente. Sois testemunhas, todos os dias, desse fenômeno. Os tecidos dos homens e dos animais não encerram os germes de uma multidão de vermes que
    aguardam, para eclodir, a fermentação pútrida necessária à sua existência? É um pequeno mundo que dormita e que se cria.

    47 – A espécie humana se encontrava entre os elementos orgânicos contidos no globo terrestre?
    – Sim, e ela veio a seu tempo; foi o que levou a se dizer que o homem foi feito do limo da Terra.
    48 – Podemos conhecer a época do aparecimento do homem e dos outros seres vivos sobre a Terra?
    – Não; todos os vossos cálculos são quiméricos.

    49 – Se o germe da espécie humana se encontrava entre os elementos orgânicos do globo, por que não se formam mais, espontaneamente, os homens como na sua origem?
    – O princípio das coisas está nos segredos de Deus; todavia, pode-se dizer que os homens uma vez espalhados sobre a Terra, absorveram neles os elementos necessários à sua formação para os transmitir
    segundo as leis da reprodução. O mesmo se deu com as diferentes espécies de seres vivos.

  81. Roberto Scur Diz:

    Agora vamos ao significado da palavra GERME, segundo o Aurélio velho de guerra:

    [Do lat. germen, por via erudita.]
    Substantivo masculino.
    1.Rudimento de um novo ser.
    2.P. ext. O princípio, a origem ou a causa de qualquer coisa.
    3.Estado rudimentar.
    4.Bot. V. embrião (2).
    5.Zool. A cicatrícula (q. v.) do ovo das aves.
    6.Micróbio (2).

    Portanto, Carlos, talvez Carlos, mas deixemos assim: Qual é o ponto? Qual o X da questão? O que está para ser corrigido?

    Aguardo resposta, porém, para continuarmos em algum diálogo útil, por favor, seja objetivo em apontar o equívoco, sem ser prolixo nem conciso, apenas exato no raciocínio.
    Tenho que me referir assim porque a sua frase NADA DISSE de concreto, ficou perdida na matriz de pontos da tela que leio.

  82. Roberto Scur Diz:

    Posso tentar antecipar opções para sua tréplica. Talvez os seres vivos nasceram, não todos, mas o homem quem sabe, do barro que gerou Adão?

    Estou ansioso para saber qual é a origem não de todas as espécies, pois seria te pedir em demasia, mas APENAS do homem sobre a face da Terra. Qual é a explicação que você têm sobre que seja melhor aquinhoada do que à que os Espíritos deram à Kardec?

  83. Juliano Diz:

    Roberto

    Realmente Sócrates e Platão não são ultrapassados. Pois eram filósofos com uma visão da vida. E nesta visão não havia doutrinação por doutrinação. Já Kardec, que concordo contigo tinha, até onde sei, as melhores intenções, provavelmente hoje ficaria desgostoso, pois não sei aonde que eu vi que ele mesmo disse que a sua “doutrina” era para o seu tempo. Cada coisa tem seu tempo, e sacralizar um conhecimento doutrinário gera necessariamente atraso. Que os espíritas e os espíritos criem uma nova codificação em conformidade com a atualidade. Na vida tudo se transforma. Creio que não haveria mal algum nisto, pelo contrário. Meus sinceros cumprimentos pra você também.

  84. Roberto Scur Diz:

    Juliano,
    Sim, certo, mas me diga um caso onde o Espiritismo esteja carecendo de atualização.
    A obra é deveras grande, o pentateuco de Kardec, e haverá certamente algum ponto, alguma consideração mal posta, na sua opinião ou de alguém mais, para ser citada aqui e que merece nossos comentários objetivos, diretos, como no exemplo que o “Carlos” apresentou acima em relação à origem da vida na Terra.
    Para ele já respondi com mais perguntas às quais aguardo resposta para prosseguir, se eu souber fazê-lo, mas quanto à ti reapresento a indagação: QUAL O PONTO A SER REFORMADO, TRANSFORMADO pois como bem o disseste, de minha parte, certamente não haveria objeção alguma em fazê-lo, pelo menos no meu foro íntimo pois não sou ninguém para querer reformar a Doutrina Espírita além de um mero aprendiz.
    Começe por um (1) apenas.
    Aguardo.

  85. Juliano Diz:

    Um exemplo Roberto

    A colocação que Jesus Cristo é o governador do planeta terra, o espírito mais evoluído que passou por aqui é ultrapassada. Ele não é. Um espírito evoluído no alcance que se quer dar a Jesus não teria arroubos de ódio, conforme consta na Bíblia. Não sou religioso, sou estudioso do assunto. Mas se verdadeiro os termos da Bíblia, um espírito superior não poderia ter os acessos de raiva que Jesus, supostamente, teve. Mateus (23:33; 13: 41-42; 11: 12-21). Apesar de ter sérias críticas ao Waldo Vieira, alguns conceitos que ele tornou público merecem ser levados em consideração. Um exemplo, o de Serenão, espíritos bem mais evoluídos encarnados e no plano astral que trabalham anônimos pelo melhoramento constante da terra, dentro das limitações deles, pois não são deuses. Mas enfim, e diga-se que espíritas da época de Kardec já diziam também da existência dos mesmos. Veja o espírita conterrâneo de Kardec, Dupont de Nemours. Bem como o não espírita, mas reconhecido até por presidentes americanos pela simplicidade e amor pelo mundo, o hindu Vivekananda também no fim do século XIX e início do século XX falava da existência dos mesmos. Enfim, são tantas questões que num debate livre e aberto surgiriam e que oxigenariam o processo todo espírita. Mas queria um exemplo está aí. Uma boa noite.

  86. Juliano Diz:

    Ia dormir mas não pude deixar de citar mais alguns exemplos. Exercícios de bioenergética, nós somos energia!! Técnicas para se desenvolver o verdadeiro sentir o ouro; o sentir o belo e o não belo. Uma interação de fato entre as pessoas, inclusive com técnicas do teatro; um estudo mais acurado e implementação de técnicas comportamentais atuais da psicologia. E por aí vai. Vivemos no século XXI com cabeça e idéias do século XIX, se não de dois mil anos atrás, no campo espiritual. Uma lástima. E ainda quando aparece alguém pensando um pouco diferente, o cidadão é um verdadeiro poço de egocentrismo, como o Waldo. Mas (…) fazer o quê? Valeu

  87. Carlos Diz:

    Caro Roberto,
    .
    A espécie humana, para ficar apenas nessa, surgiu no planeta através dos mecanismos da seleção natural. Não há um “germe primitivo” (q. 46) que espera apenas o momento certo para eclodir. Essa variação do modelo da “geração espontânea”, então em voga à época de Kardec, foi refutada definitivamente por Louis Pasteur em 1862.
    .
    Recomendo a leitura do biólogo Richard Dawkins (A grande história da evolução e/ou O maior espetáculo da Terra – Companhia das Letras) que mostra didaticamente como funciona a seleção natural de Charles Darwin (contemporâneo de Kardec!). Dawkins é ateu… releve isso, contudo. Ainda na Wikipedia em português procure o verbete “abiogênese” onde há um bom resumo sobre a evolução desses conceitos.
    .
    De resto, é importante frisar que Kardec foi defensor do modelo “embrionário” da evolução da vida. Não há nada de errado nisso, porém provavelmente ele teria reconsiderado sua posição se tivesse conhecimento pleno, antes de falecer em 1869, dos trabalhos de Darwin e Pasteur.
    .
    O equívoco, notadamente entre os espíritas que defendem a “infabilidade” da codificação, é permanecer engessados pela obra revelada. Retomando o seu comentário anterior, o Espiritismo não feneceu na Europa pelo “conteúdo moral”, porém pela fraude dos “grandes médiuns” bem como pelo anacronismo de algumas de suas revelações, notadamente no campo científico.

  88. Rafael Diz:

    Juliano, ou Gilberto, ou como você queira ser chamado.
    -
    Jesus está superado, Kardec está superado, Buda está superado, Lao Tse está superado, o Lama está superado – enfim toda a sabedoria milenar está superada, porque representam um mesmo novelo cuja linha veio sendo puxada através dos tempos e adaptada às situações. Hoje a linha simplesmente apodreceu de velha, os tempos são outros.
    -
    Somente gostaria de saber dos céticos que assim pensam qual é a solução proposta para consertar esse mundo que está de cabeça para baixo, por conta justamente de bilhões (3/5 aproximadamente da população mundial) ter resolvido levar a vida segundo unicamente sua próprias e egocêntricas diretrizes e soluções científicas e tecnológicas.
    -
    Gostaria que me explicassem também, porque essas religiões e filosofia antigas de ensinamentos ultrapassados e terapias orientais (por coincidência trazidas do lado do mundo de onde tudo começou) estão cada dia mais sendo buscadas como tábuas de salvação por milhões e milhões de pessoas em todos os países, a fim de atenuar ou curar às angustias, os medos, os vazios internos, devolver-lhes a saúde e a alegria de viver, ou dar-lhes um sentido à vida que o mundo material das facilidades tecnológicas, biológicas, laboratoriais enfim, não consegue realizar com a presteza e eficiência com que são anunciadas, mas ao contrário, mais ainda esse mundo laboratorial mecânico estimula aos povos desorientados à loucura consumista que no final de tudo nunca satisfaz.
    -
    Como exercício fugaz de observação, é só ver os povos ora escravizados ora esquecidos, morrendo de fome na mais torturante miséria; as guerras horrorosas e fratricidas, as loucuras exploradas pela mídia (U$S), as novelas e filmes “altamente instrutivos”, os vícios que arrasam os jovens e destroem milhões de famílias, a violência descontrolada etc, etc e etc., como nunca antes se viu. Realmente, há razões de sobra para apagar os ensinamentos ultrapassados de Jesus e colocar um deus cético e tecnológico num pedestal mais alto que nossas vistas possam alcançar e com adicionais telescópios.
    -
    Ao invés dessas sínteses derrogatórias gostaria sobremaneira que nos fossem mostradas e demonstradas onde deveriam existir as correções, qual o modelo de trabalho seguir, uma vez que pelos milhares de anos passados – ou mesmo milhões – esses homens admirados pela sabedoria e cultura vindas não se sabe de onde, jamais conseguiram de fato conhecer a alma humana e a psicologia dos povos.
    -
    Se esse apagão cético é proposto aqui para o Jesus e Kardec superados, e toda a sabedoria do passado, então quem impõe a crítica também dispõe de novas regras e normas mundiais, de preferência expostas após acurados estudos, conforme rezam os métodos modernos, ou no mínimo, depois de observadas e devidamente entendidas as idiossincrasias dos diferentes povos para aplicar-lhes uma Nova Era de Sabedoria – preferencialmente tecnológica sem Deus, sem alma nem espírito – pois esses senhores sempre atrapalharam a evolução das nações. Então iremos levar a nova exegese aos especialistas para elegerem novos textos-padrão para Cristo, sob a fusão de um cristianismo tecnológico, moderno e atualizado, a que já me referi.
    -
    Simples assim, e todas as guerras terminarão, pois eles ao seguir até hoje, ipsis litteris, aos ensinamentos dos sábios e enviados de todos os tempos deu no que deu – portanto nunca mais – e todos os males escorrerão pelos ralos e todos os povos aclamarão de pé o Novo Ceticismo Mundial E quem detiver maior arsenal tecnológico, principalmente armamentista – somente simbólico, claro, de brincadeirinha – mandará no país do outro como bons e humanitários cidadãos que de repente mudarão da água para o vinho – não o vinho de Cristo, naturalmente. E nessa cândida e simples solução moderna, e aparada as pequenas arestas que Jesus, Kardec e tantos outros sábios não conseguiram aparar, por absoluta incompetência, viveremos em paz e felizes para sempre, num happy end dos grandes épicos de Hollywood. De fato, para que o Cristo de outrora?
    -
    Rafa.

  89. Juliano Diz:

    Rafael

    Em primeiro lugar eu não sou Gilberto, muito menos o Vítor. Sequer conheço o Gilberto ou o Vítor. Basta você ler os meus comentários e comparar com os do Gilberto e do Vítor para ver que são diferentes destes. Inclusive tem um pessoal espírita que escreve aqui que sabe disto. Eu sou Juliano K. Pedroso, fiquei um tempinho sem escrever aqui e voltei a escrever recentemente.

    Segunda item. Eu não disse que as verdades milenares estão superadas. Ao contrário, elas devem ser estudadas e conhecidas, até para serem criticadas, questionadas e até exaltadas. Apenas não concordo com o mecanismo de colocação dogmático, venerativo, inquestionável que se dá a certos personagens históricos e suas idéias.

    Terceiro ponto. A solução é educação de qualidade. Por educação de qualidade digo se ter uma educação com visão holística da vida, das pessoas, do mundo. Sem medos e sem dogmas. É estudar e aplicar conceitos da psicologia, das filosofias orientais e ocidentais sim, que são relevados e ignorados. O que eu disse para o Roberto é que continuamos no campo espiritual com a mesma visão de duzentos anos atrás, se não mais anterior ainda. Por que será? Pra quem serve esta visão anacrônica?

    Quarto ponto. Eu já respondo o teu outro questinomanto, antes uma correção, em termos quantitativos, algumas religiões e visões religiosas fanáticas estão sendo procuradas e crescendo. Infelizmente. Por quê? Simples. Houve um avanço materialista violento desacompanhado de um avanço espiritual efetivo. Continua-se acreditando que Jesus e Maomé são “os caras”. E quando eu morrer se não seguir a cartilha terríveis castigos me esperam. E pra fins de dominação vende-se estas e outras crenças e elas fazem o seu papel, qual seja, geram poder e $$$$$$$$.

    Quinto Ponto. Mesmo assim, pegando uma carona no termo lulista “como nunca antes se viu neste (…)”, tal afirmativa que nunca se teve uma violência tão descontrolada na história da humanidade não é verdade. Em absoluto. Em termos percentuais nunca se esteve numa sociedade tão pacata. Até bem pouco tempo atrás tinham-se guerras constantes. Se matava, percentualmente falando, muito mais. Horrores como os cometidos por exemplo no Irã de apedrejamento em praça pública, queima em fogueira, crucificação, enforcamento, genocídios e por aí vai eram comuns e frequentes e faziam parte do repertório das sociedades como coisas normais. Hoje já existe uma escandalização pelo menos e busca de extirpar tais condutas. Tanto que a população mundial só teve uma alta elevação na sua população em face também das melhoras inclusive em termos de violência. Está perto do razoável os níveis de busca de paz? Em absoluto, mas melhorou. Um pesquisa histórica mais aprofundada demonstra isto facilmente.

    Sexto Ponto. Quer uma sugestão de modelo de sociedade? Os nórdicos (Suécia, Noruega, Islândia e Finlândia). Lá os índices de criminalidade são baixíssimos. E a crença religiosa em Jesus e todos os salvadores da humanidade é baixíssimo também. No entanto é o local onde a qualidade de vida e os níveis de satisfação das pessoas são elevados. É onde se tem hoje os maiores ìndices de qualidade de vida do mundo. Educação, educação e educação e visão moderna da vida. Há relatos inclusive, tem no youtube, que em certas igrejas, que quase sempre estão vazias ou com pouquíssimos fiéis, até os padres são pouco religiosos. São padres por profissão e uma certa fé é claro. Mas nada (…) E os nórdicos só não são mais elevados em qualidade de vida e satisfação em face do clima que é terrível no inverno. Inclusive sobre os nórdicos há uma tese espírita, que eu não sei aonde eu vi, que aquela região na verdade em face da transmigração houve um conjunto de espíritos transmigrados já um pouquinho mais avançados que aportaram por lá e começaram a nascer e daí houve a transformação na região. Que diga-se, há cem anos atrás era uma miséria só também.

    Sétima ponto. Eu pessoalmente defendo o fim do cristianismo. Fique-se alguns pontos dele que são interessantes de serem mantidos, um ponto específico, o amar ao próximo. É uma filosofia se efetivada fantástica. E se retirem as bobagens que dão força de fato ao cristianismo da existência do pecado original e salvação e ter que fazer para um benefício futura, coisa de maluco! Onde se coloca uma coleira, um cabresto, já numa pobre criança no batismo e lhe impinge um comportamento de culpa, que é reforçado, dependendo da família e das contingências durante a vida, uma culpa que ela sequer tem idéia do que é culpada. Mas é. Um absurdo gerador de um monte de neuroses! É isso. Espero ter lhe respondido Rafael.

  90. Roberto Scur Diz:

    Carlos,

    Refutar definitivamente, em primeiro lugar, é uma alegação SUA, não de Pasteur. O que Pasteur fez foi descobrir a microbiologia em 1857 e em 1858 começar um trabalho sobre a geração espontânea à partir de um artigo publicado por Félix-Archimède Pouchet.

    O que caiu por terra com estas pesquisas de Pasteur foi a crença de que ratos nasciam de roupas velhas, vermes nasciam de carne podre, etc., MAS ATÉ HOJE nem Pasteur nem NINGUÉM deu um veredito final sobre a origem da vida, e quanto mais os cientistas pesquisam mais sem respostas ficam. O tempo é CARRASCO da ciência materialista pois o que ela já sabe hoje é que NÃO HÁ DIFERENÇA ENTRE MATÉRIA VIVA E MATÉRIA INANIMADA, e se não era a carne podre que gerava vermes também não podemos precisar qual combinação química de moléculas dá origem à vida e em quais condições ambientais.

    Não faz sentido você dizer que a questão 46 está errada pois nela não é negada a existência da microbiologia ou da química, mas diz o que na época era desconhecido pois a certidão de nascimento da microbiologia se deu no mesmo ano em que Kardec publicou o Livro do Espíritos (1857), ou seja, a resposta da questão 46 foi corroborada pelo que a ciência estava por revelar ao mundo através das pesquisas de Pasteur logo em seguida.

    Hoje sabemos que “não há uma teoria apenas para o processo, mas várias diferentes possibilidades, sem que qualquer uma seja vista como definitivamente melhor que a outra, apesar de haver as que são mais populares.” – fonte: Wikipédia (abiogênese).

    Assim como não sabemos pela ciência materialista o porquê da fecundação não para todas as células inseridas num útero via inseminação artificial, também com a ciência materialista não saberemos o porque da origem da vida em si, e no futuro a conjunção da vida espiritual e a vida material dará a solução para este enigma que não é tão misterioso para àqueles que concebem o espírito.

    A posição da ciência de hoje não deixa margem para ti nem para ninguém afirmar que a resposta do Espírito Verdade está errada, e pelo contrário, ela mostra o quão atual ela permanece mesmo 150 anos depois.

    Portanto me diga em que ponto a questão 46 do LE está errada ou desatualizada?

  91. Roberto Scur Diz:

    Juliano,

    Jesus com ódio? Humm, estranho hein meu garooooto!!
    Pois eu estou preocupado contigo viu! Você está com uma coceirinha de medo deste imaginado ódio de Jesus, e citas estes capítulos e versículos que falam basicamente das consequências para àqueles que repelirem a mensagem libertadora das virtudes superiores às quais Ele foi excelso porta-voz.

    É mais cômodo invectivar contra o mensageiro e sua mensagem do que ter a humildade de aplicar o bom conselho à si próprio. Quando se está confortavelmente acomodado numa posição de negação, de desprezo por algo suspeitosamente superior, então o negócio é arrumar um serenão da vida para dar-te razão, dar-te um álibi de conduta, dar-te a ilusão de estar à serviço de uma causa misteriosamente “mais avançada, mais atualizada, mais nobre” do que o charopão do Jesus Cristo que ficou pregando humildade, amor, caridade, perdão, e estes outros montes de coisas difíceis do nosso orgulho metidinho conceber.

    Tu abre o olho guri, te cuida vivente senão o tal “caldeirão fervente” vai te assar “ad infinitum”. Dá um jeito de arrumar um outro ser superior aí, tipo um serenão, sei lá, para te salvar deste destino ingrato.

    Bem, agora sem brincadeiras, vou te dizer que o que tu falastes no último comentário, no finzinho, dá uma boa noção do quanto você está confuso em relação ao que seja o Cristianismo Juliano, pelo menos o Cristianismo segundo o Espiritismo, pois é muito claro na Doutrina Espírita que não têm fundamento nenhum o que tu falaste sobre a “força do cristianismo vir de um monte de bobagens”, e que sobra de bom esta conversinha interessante é o tal de “amar o próximo”.

    Juliano, Jesus falou que “TODA A LEI E OS PROFETAS” se resumem neste único mandamento: “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo”, ou seja, não precisaria de uma Bíblia inteira para escrever esta frase, mas nem tentando explicá-la com tantos capítulos e versículos a humanidade quis dar razão ou atenção à esta leizinha pequenina, curtinha, simplesinha, não é?

    Se tu achares legal esta do “amor ao próximo”, e buscar praticá-la, pode ficar tranquilito que não vai dar problema na hora de separar o tal “joio” do “trigo” pois tu Julianinho, vai ser “SALVO” independente de tu ser ateu, ateia, abominar Jesus, gostar de serenões superiores, ser bonito, feio, negro, índio, branco, muçulmano, judeu, espírita, católico, reformista, materialista, espiritualista, etc.

    Vai firme na onda do AMOR que tu vai surfar bem sem se arrebentar nos corais da praia.

  92. Roberto Scur Diz:

    Pessoal,

    Mas agora complicou, vou ter que dar novo tempo às conversas aqui. Daqui uns 2 ou 3 meses eu volto a escrever pois isto toma muito tempo.

    Tchau, e não deixem de assistir o Nosso Lar no cinema, dia 3/9 estreia. Os espíritas estarão satisfeitos com o belo trabalho que a espiritualidade vêm desenvolvendo junto aos encarnados para apresentar a realidade da vida após à morte para os sinceramente interessados em aprender, enquanto os céticos terão, no mínimo, um interessante filme de ficção científica fruto da mente imaginativa de Chico Xavier.

  93. Juliano Diz:

    Cansei, água e vinho não se misturam. Paciência.

  94. Juliano Diz:

    Na verdade não é água e vinho. É água e óleo que não se misturam. Feita a correção. Entenda quem quiser. Julianinho é fogo.

  95. Roberto Scur Diz:

    Jujuba,
    Estou lembrando de um cara muito legal, alto astral, boa gente mesmo, com quem eu tinha este tipo de conversa, e que não entendia muito bem deste tipo de assunto mas ouvia atentamente, não sei se por educação, não sei se por interesse.

    Era dono de uma academia de musculação na minha cidade, jovem, menos de 26 anos acho. Se chamava Juliano também.

    Depois de uns 2 anos que o conheci ele foi morto em um assalto quando saia do futebol de salão com amigos.
    Bem Juliano, nesta hora, a da morte, nós precisamos ter algum preparo para não ficar muito alarmado, transtornado, perdido, revoltado talvez, e pode ter certeza meu amigo que o que tu têm que aturar, às vezes muito à contragosto, lendo este blá-blá-blá parecido com este azeite aí que não se mistura na tua água, poderá ser útil um dia.

    Espero que tenha sido assim para este Juliano meu amigo, assim como foi para mim mesmo quando estive face à face com a morte do meu filho, e assim como será com todas as pessoas, por mais cética e materialista que sejam, pois a vida segue seu carro inexorável do berço à sepultura e do astral ao útero materno.

    Que Deus te abençõe Juliano, e o “Julianinho” é uma demonstração de estima que tenho por ti, pois sei que és bem jovem ainda e têm muito pela frente.

  96. Juliano Diz:

    Roberto.

    Como eu já havia dito, de coração, nota-se que você é gente boa. Uma última coisa. Você talvez não tenha notado, mas eu me lembro dos teus primeiros textos aqui e tinham um linguajar extremamente (…) espírita, alá Chico Xavier, só com dizeres abstratos e linguagem antiga/arcaica. Com o tempo, você continua defendendo o teu ponto de vista, e ainda sai uns dizeres espíritas, mas a tua linguagem melhorou, no sentido que veio para os pobres mortais. Você talvez não tenha notado isto, mas leia os teus textos iniciais e os atuais que você vai notar isto. No meu modo de ver já é um grande avanço. Um grande abraço.

  97. Rafael Diz:

    Juliano,
    -
    Bom você ter esclarecido não ser o outro. O pensamento é basicamente igual, e a maneira confusa e controvertida de explicar as coisas, idem.
    -
    E continua confuso nas suas respostas – sem o menor sentido em muitas coisas que se interligam que você não percebe ou desconhece, com vãs palavras que demonstram claramente estar muito longe do conhecimento, vivência prática dos assuntos, experiência verdadeira e coerência.
    -
    Observação: os países nórdicos de regimes mistos democrático-socialistas, monarquico-socialistas, ou outra coisa qualquer, que segundo se afirma têm índices muito baixos de religiosidade, são, exatamente, os que apresentam os índices mais altos de suicídios comparando-se com países adiantados – e por estranho que possa parecer – altíssimos índices entre jovens na pré e na adolescência, e nos idosos. Alguma coisa está errada com o sistema “perfeito”, de baixa religiosidade nas sociedades lá existente, não acha?
    -
    E se os índices de criminalidade são também baixos, as populações também o são comparativamente a muitos países de outras terras e continentes super populosos, pois as histórias étnicas e miscigenações desses últimos são outras; seus problemas populacionais, territoriais e atavismos idem. Não dá para comparar e sacramentar num único estereótipo. Cada um na sua!
    -
    Mas uma coisa é concreta – as pilhagens, a pirataria, as invasões de terras alheias, as guerras assassinas, as cruéis torturas e estupros a que os nórdicos, usando também Thor como pretexto, submeteram outros povos, muitos deles indefesos, são relativamente recentes, e ainda ecoam pelo mundo como selvageria, mas os ajudaram muito nas suas economias.
    -
    E não sei se você sabe, por exemplo, que os marinheiros suecos são temidos nos portos, justamente por serem extremamente desordeiros, violentos e beber demasiadamente. Que pena, né!
    -
    Sobre você ser favorável ao cristianismo acabar é mais um devaneio de seu cérebro. Primeiro de tudo é necessário saber o que é de fato o cristianismo, o que ele impulsiona e impulsionou nas demais religiões, filosofias, educação, história universal, e representa na economia mundial, governos, culturas, até na ciência em si mesma, bem como quais são suas raízes anteriores a Cristo, emergindo com outros epítetos, e não somente após Cristo. Saberia você ombrear-se com filósofos, pesquisadores, esotéricos, cientistas do pensamento e conhecedores profundos da matéria, que abrange desdobramentos profundos, e vasculham por anos a fio todo o passado, para simplesmente opinar da forma como manifesta sua sentença? Esperaria que sim, mas com certeza não! Entretanto, a tribuna é livre para se dizer qualquer coisa, importe-se quem queira. E como não me importo e somente alerto, vou indo. Inté.
    -
    Grande abraço.
    _
    Rafa

  98. Gilberto Diz:

    Esse pessoal que vem postando aqui tá fazendo um ótimo serviço de má propaganda do espiritismo. Paranóia (todo mundo que posta aqui sou eu, e mesmo eu não sou eu, mas o Vitor Moura, que por sua vez DEVE ser o Padre Quevedo!!), filosofia de botequim, biologia de Almanaque Biotônico Fontoura, cristianismo de “ouvi-falar”, falsa humildade, além uma desinformação sem precedentes. Vamos estudar um pouco, pessoal. Não faz mal nenhum. A falecida Tia Teteca da pré-escola vai dar pulos de alegria no além!!!

  99. Kirk Hammett Diz:

    Rafael,

    As taxas de suicídio nos países nórdicos são relativamente baixas, esse é mais um grande mito, uma mentira daquelas que alguém contou alguma vez, alguém veiculou na mídia e, como sabemos, uma mentira repetida várias vezes acaba tornando-se verdade (como bem sabem, aliás, os políticos, diga-se de passagem, mormente os do PT). Em resumo, isso é hoax. Basta ver os dados da OMS sobre taxas de suicídio em http://www.who.int/mental_health/prevention/suicide/suiciderates/en/ . As maiores taxas de suicídio estão na Rússia, Bielo-Rússia e Japão. As do Brasil são bem baixas, mas as estatísticas do Brasil a esse respeito não são confiáveis.

    Cara, a história do Cristianismo é a mais bárbara possível, é de escorrer sangue por todos os lados. O que dizer das Cruzadas, da Inquisição, de inúmeras guerras, intolerância e perseguição perpetrados por cristãos contra judeus na Europa, muçulmanos (as Cruzadas) e mesmo entre si (p.e., Irlanda do Norte)?

    Religião é isso. Irracionalidade, intolerância, que atrasa o progresso da Ciência e da humanidade. Religião divide as pessoas.

    Carlos, você citou duas obras do Richard Dawkins que são espetaculares. Eu citaria outras três: O Gene Egoísta, talvez sua principal obra; A Escalada do Monte Improvável e Deus, Um Delírio. A evolução das espécies pela seleção natural é um fato científico comprovado, que Kardec desconhecia (ou não acreditava) e traz como corolário a não existência de um designer, ou um criador, muito menos espíritos que encarnam. Do Big Bang aos dias de hoje, 15 bilhões de anos depois, simplesmente não há Deus nem espíritos nessa equação.

    Um forte abraço a todos!!!

  100. Rafael Diz:

    Kirk,
    .
    Então alguém precisa tomar alguma providência para demonstrar que isso é mentira, porque eu vi um reecente documentário na net acerca dessas constações, com entrevistas, etc.e confirmam-se os altos índices nórdicos.
    .
    Desde meus tempos de estudante essas altas estatísticas foram suficientemente discutidas pelos especialistas. Estariam enganados?
    .
    Olhe, prezado, seus questionamentos sobre guerras religiosas estão justamente naquele tópico que você citou, sobre mentiras repetidas que são tomadas por verdades. Isso é um mito dos ateus e céticos. Pesquise sobre as verdadeiras causas de guerras que você ficará surpreso como as religiões perdem longe.
    .
    Vou somente dar-lhe três exemplos pueris:
    - Bombas atômicas em Hiroxima e Nagazaki.
    - Primeira e Segunda Guerras Mundiais.
    - Mortandade dos espanhóis contra os ameríndios. 9o(Noventa) milhões de assassinatos em menos de 50 anos. Há autores que dizem ainda terem sido mais!
    .
    Quanto a Richard Dawkins, um inventor brincalhão, não sabe nada.
    .
    God bless you!
    .
    Rafa

  101. Cida Rodrigues Diz:

    Sou adimiradora fiel dos trabalhos de Chico Xavier, Irmã Dulce, Tadeu (Araxá-MG, Casa do Caminho), entre outros. Estes jamais perderiam tempo num blog como este!
    Tentemos trabalhar servindo os mais necessitados…
    Mais gostei dos comentários a favor do Espiritismo.
    Abraços
    Cida Rodrigues

  102. Alexandre Borges Diz:

    Caroável e integérrimo Gilberto, bom dia.
    Ab initio, gostaria de aclarar que é pedante utilizar o termo Kardecismo e “espiritismo brasileiro” (escrito seu em agosto 7 th, 2010 às 3:55 pm). Sugiro compulsar o item 1 de o Livro dos Espíritos inteirando-se melhor acerca da anfibologia. Calha mencionar que, os argumentos expendidos por vossa senhoria são xenofóbicos e divorciados de um mínimo de ética e civilidade, não podendo vossa senhoria, arrogar-se na posição de vítima, posto que partiu do senhor, primeiramente, ventilar assuntos contrários a profissão de fé dos adeptos de tal designação ética-moral, e não religiosa. Com atitudes tais, percebe-se o ranço que dormita em os seus mais recônditos processos de conflito íntimo.
    Flanco outro, o senhor acha, que o descbridor do tálio, dos raios catódicos iria ser enganado por uma médium de parcos recursos intelectivos? Detalhe que o senhor omitiu: todas as experiências foram contraladas e feitas sob a batela de vários sábios ingleses. Mais importante ainda: todas as experi~encias se deram em casa de mister Cookes. Nessa época, meu caro, a médium em apreço contava com 15 anos de idade. Quantas falácias! E a materialização do espírito de katie King? fato esse testemunhado por várias testemunhas??? O senhor sabe o que vem a ser ectoplasma? Tudo o que falo aqui, o senhor pode ler em: (Doyle 1926: volume 1, página: 241) ninguém menos do que o senhor Arthur Conan Doyle ( autor do livro Sherlock Holmes, clássico da literatura mundial). Como pode um artigo, derribar a obra monumental de um sábio do jaez de Crookes? Somente uma mente doente como a sua. Quanta abobrinha. Amplexos. Alexandre

  103. Alexandre Borges Diz:

    A retórica utilizada pelo senhor é a calúnia revestida de cientificismo de botequim. O sr. é indefesso em atacar o Espiritismo, e, o faz de maneira indigente, utlizando-se de estratagemas surrados, tais como: menosprezar o autor analisado, que no caso é Kardec. Através da dialética erística de Schopenhauer, fica patente tais comprovações. Chega às raias do ridículo os argumentos aqui expostos. Dizer que a médium Florence Cook (15 anos de idade) enganara William Crookes, seria o mesmo que a Xuxa ingressar no Petit Trianon. O senhor quer fazer acreditar que os seus argumentos sejam soi disant, mas não o são. O sr. engana aos parvos que aqui aportam, neófitos, estultos e néscios que se encantam com os petardos escatológicos de vossa senhoria. A estória pelo senhor veiculada fora uma lambança mal armada pelo senhor Henry Steel Olcott, que, através da senhorita Eliza White, armou uma trapaça no sentido de descredibilizar William Crookes. Tal estratagema fora utilizado contra as irmãs Fox. E, qual seria o nobre argumento? Respondo: utilizar-se de terceira pessoa para que essa descredibilizasse o oponente. Assim foi com Amauri Pena Xavier (sobrinho de Chico Xavier), idem com as irmãs Fox, e, assim acontece aqui, nesse valhacouto. O senhor deve abandonar as caturras e melhorar os argumentos, pois a continuar desse jeito, nem as criancinhas do ginásio lhe darão a honra de o lerem. Para quem afirma que Machado de Assis era um tradutor obtuso, e o senhor pagar R$ 352,00 reais, para se proceder à revisão da tradução, vez que o senhor é um expert no assunto, risível. Amplexos

  104. Vitor Diz:

    Oi, Alexandre
    Frederic Myers foi enganado pelas irmãs Creery que à época eram duas menininhas. Então, em comparação, Cook enganar Croores aos 15 anos não é nada difícil.
    .
    O artigo não trata de Eliza White, sinal que você nem leu o artigo.

  105. Douglas Albrecht Diz:

    Vitor Diz, você pode enviar no meu mail, os links? Na página não abre. Estou fazendo um estudo sobre esse tema. Se puder mande todos os arquivos dos links, amigo. Abraço. meu mail: [email protected]

  106. Vitor Diz:

    Já mandei!

  107. Dercio Conceicao Diz:

    parece-me estranho ao meio esse pessoal que tudo nega sem jamais ter estudado os fenômenos mediúnicos – negar por negar não muda a realidade das coisas – ao estudo então pessoal – Huberto Rohden (1.893 – 1.981, filósofo e pensador cristão) em seu livro Alegorias: na calada da noite os pirilampos aclamaram a seguinte sentença, ditada por seu Chefe Dom Sapiêncio, acomodado em suntuoso trono dentro da mata escura: “Não há nada mais luminoso que nossos faróis, por isso não passa de mentira essa história da existência do Sol, inventada pelos que pretendem diminuir o nosso valor fosforescente”. E os vaga-lumes dizendo amém, amém, ao supremo chefe, continuaram a vagar nas trevas, com suas luzinhas mortiças e talvez pensando: “Se havia uma tal coisa chamada Sol, deve agora ter morrido”. Moral da estória: Há no mundo aqueles que preferem continuar na ilusão de poder fugir de algumas verdades, e tão somente porque tais verdades estão fora do alcance da das suas crenças, ou ainda, por falta de interesse ou mesmo inteligência, não têm da capacidade de compreender certas coisas.

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)