Falsa a Materialização de Uberaba, Redux

Após a divulgação em Ceticismo Aberto das reproduções de “O Cruzeiro” lidando com as “materializações de Uberaba” e material relacionado em Obras Psicografadas, inúmeros defensores da autenticidade de tais materializações manifestaram contrariedade. Poucos, contudo, apresentaram contra-argumentos e informações que de fato configurassem mesmo um início de refutação às considerações que levam à conclusão de fraude.

Entre estes, “William X” publicou no blog “Crítica Espiritualista” em 1 de abril de 2010 o texto “Crítica: “Materializações de Uberaba” X “O Cruzeiro””[1]. Infelizmente, no momento em que esta tréplica é publicada, o blog em questão não está mais acessível abertamente. Ainda assim, e ressaltando como foi uma das poucas réplicas, o material agora indisponível será o núcleo para a continuidade de uma discussão sobre o tema, centrada na análise da evidência disponível.

O texto é de autoria de Kentaro Mori, editor do Ceticismo Aberto.

 

A credibilidade de “O Cruzeiro”

Logo de início, “William X” questiona a credibilidade da publicação. E com certa razão. Que “O Cruzeiro” chegou a promover e vender embustes, é ponto pacífico: mesmo em CeticismoAberto aborda-se, por exemplo, o caso do suposto disco voador que teria sobrevoado a Barra da Tijuca em 1952, fraude notória elaborada pelos funcionários Ed Keffel e João Martins, explorada com estardalhaço pela publicação. É apenas uma das histórias questionáveis do “Cruzeiro”.

Ceticismo redobrado com relação à apuração jornalística desta fonte é bem apropriado, por tanto. O que o ceticismo significa, no entanto, é que a evidência deve ser considerada com cautela em busca de elementos objetivos e corroboração independente. De forma alguma implica seja em seu descarte de antemão, e muito menos que fontes tão ou mais tendenciosas no caso, como a obra do apologista espírita Jorge Rizzini sejam consideradas como fontes automaticamente válidas.

Ceticismo é necessário na análise de todas as fontes, todos os envolvidos no caso possuíam seus próprios interesses. É na consideração e confronto de todas as diferentes versões que conclusões que permitam uma interpretação da evidência objetiva poderão ser extraídas.

Quando uma fonte fornece uma declaração que pareça ser contrária a seus próprios interesses, por exemplo, esta pode ser considerada com mais atenção. Como veremos, isto é relevante de pronto.

 

A evidência objetiva

No caso, são as fotografias publicadas. Defensores do caso sugerem que as fotos podem ter sido retocadas, mas não apresentam qualquer evidência a respeito. Em verdade, evitam mesmo afirmar inequivocamente que qualquer uma das fotos foi adulterada. Contentam-se com vagas suspeitas.

Vale notar que nem todas as fotografias foram tomadas por repórteres do Cruzeiro. Mais contrária à realidade dos fenômenos é a questão de por que, se os fenômenos foram autênticos, os defensores do caso não apresentaram suas próprias fotografias, tomadas nessas sessões ou mesmo em outras, que demonstrassem feitos extraordinários como o espírito materializado atravessando grilhões sólidos de metal.

De fato, aparentemente os mesmos defensores do caso afirmaram entusiasticamente que as fotografias publicadas pelo “Cruzeiro” demonstravam este feito insólito – o que é em verdade demonstração clara de sua credulidade e lapsos ao analisar a evidência, abordada adiante.

Toda a evidência objetiva que restou no caso consiste, como repetimos, nas fotografias publicadas e conhecidas. É sim possível que tenham sido retocadas ou adulteradas e que os apologistas das materializações não o tenham comprovado. É, contudo, pouco provável.

Ressaltamos mais uma vez que os apologistas possuíam todo o interesse em demonstrar uma suposta adulteração das fotografias pelo Cruzeiro e devem ter investido todos os esforços neste sentido. Mesmo na indisponibilidade dos negativos para análise, adulterações mais grosseiras poderiam ter sido descobertas. Mesmo porque, ao mesmo tempo, apologistas do caso também se animaram a implicar como sua análise das fotografias era tão ou mesmo mais válida que a análise conduzida pelo especialista a serviço do Cruzeiro. Clamam inclusive que sua análise “com melhor aparelhagem” refutaria a do Cruzeiro.

Que tenham se resumido a divulgar simples suspeitas sobre a integridade das imagens é um indicador que de que não encontraram evidência de adulteração, e sugere desta forma que as imagens não devem ter sido adulteradas.

Repetimos também, ainda outra vez, que toda esta questão seria de menor relevância caso os apologistas tivessem produzido evidência objetiva que ilustrasse a extraordinariedade das materializações. Não o fizeram. A evidência objetiva disponível ao invés denuncia a fraude, por ser em todo aspecto ordinária e plenamente compatível com os métodos de fraude pelos quais a médium Otília Diogo foi exposta.

 

A evidência subjetiva e testemunhal

Defensores das materializações de Uberaba estendem-se longamente nos relatos e nas muitas versões e contestações mútuas das diferentes partes envolvidas. Embora isto seja relevante, sugerimos aqui que são de muito pouca relevância, justamente porque, como atentamos no início, todas as partes envolvidas possuíam seus próprios interesses. Não havia nenhuma parte desinteressada, e todo o episódio foi apenas um simulacro de teste controlado.

Ainda que declarassem o contrário, ainda que buscassem demonstrar o contrário, mesmo uma simples lembrança do histórico da investigação espiritualista, da metapsíquica à pesquisa parapsicológica moderna demonstra há mais de um século como testemunhos podem ser pouco confiáveis, e como mesmo pesquisadores experientes podem ser enganados em seus mais elaborados controles. Pode-se mesmo indicar que quanto mais elaborados, quanto mais dependentes de inúmeros elementos, mais propensos à fraude são os controles. O cético James Randi e seu Project Alpha são um caso ilustrativo aos interessados.

Os elaborados controles descritos em detalhe e com destaque pelos apologistas são assim de pouco valor metodológico e não serão abordados em qualquer profundidade aqui. Afirmar que seria “impossível” a fraude é em verdade apenas expor certa ingenuidade. A fraude é quase sempre possível, e a pesquisa parapsicológica moderna investe enorme esforço para projetar experimentos que sejam menos propensos à enganação ou ao engano – e ainda assim, mesmo experimentos metodologicamente sofisticados como os Ganzfeld são temas polêmicos.

Comparados a eles, os “controles” usados nas sessões de materialização de Uberaba são risíveis, típicos e em nada diferentes das primeiras experiências espiritualistas Vitorianas em fins do século 19. Experiências, é relevante atentar, vulneráveis a todo tipo de fraude. Considerá-los invulneráveis é manifestar mero pensamento positivo por parte dos que defendam a autenticidade dos fenômenos.

Consideração mais atenta a tais controles sim seria interessante se o restante da evidência indicasse que eles teriam obtido sucesso em evitar fraude. Ocorre justamente o contrário.

 

O Contrário

clip_image001

O DR. ELIAS BOAINAIM, ladeado pelo Dr. Oswaldo de Castro, mostra perante às câmaras de televisão a foto, que aparece ao lado, da materialização da Irmã Josefa atravessando a jaula”.

É parte da apresentação televisiva em 29 de novembro de 1963 da equipe de médicos que teria investigado e asseverado a autenticidade dos eventos. Boianaim era cardiologista do Instituto de Cardiologia, já Castro era cirurgião do Hospital das Clínicas, ambos de São Paulo. Títulos respeitáveis. Não significam, contudo, que fossem invulneráveis ao engano. E mesmo ao engano elementar.

A foto apresentada por Boianaim e Castro é claramente esta, contando com Waldo Vieira e Chico Xavier:

clip_image002

Seria mesmo evidência do espírito materializado atravessando as barras? O blog “Crítica Espiritualista” defendeu que sim, argumentando que a posição das barras faria com que pelo menos uma delas atravessasse a cabeça de uma pessoa de carne e osso. Infelizmente, o blog foi restrito, aparentemente pelo próprio autor, e a ilustração que divulgava para comprová-lo não está mais disponível.

Apresentamos aqui no entanto uma ilustração simples e elementar indicando como em verdade não há nenhuma evidência de que a foto exibe algo além de uma pessoa coberta de panos, com parte da viseira (a), os dois braços (b e c) e um pedaço de pano (d) do lado de fora das grades[2].

clip_image003

Note-se que o crânio de Diogo em nenhum momento é “trespassado” por qualquer dos grilhões. A suposta médium simplesmente posicionou a cabeça no vão entre dois grilhões verticais, jogando o capuz que a recobre sobre uma das barras horizontais.

Os braços estão simplesmente, e igualmente atravessando os vãos. E um simples pedaço de pano também foi jogado por sobre grilhões horizontais. Essa é a extraordinária “evidência” de que o “espírito” estaria atravessando as grades, de acordo com a equipe de médicos, de acordo com William X em sua “Crítica Espiritualista”.

Como ressaltamos, esta nem é uma análise aprofundada. É, ou deveria ser, óbvio. É opinião deste autor que modelagem tridimensional da cena poderia ilustrar adicionalmente como não há em nenhum momento algo extraordinário aqui e como Otília Diogo permaneceu atrás das grades, mas esta é desnecessária. Nem mesmo a precária ilustração acima deveria ser necessária.

O impressionante é que a reportagem do Cruzeiro de 8 de fevereiro de 1964 já expunha toda esta obviedade logo de início! Ainda assim, apologistas do caso, 46 anos depois, insistem no erro e inventam posições absurdas para as barras supostamente atravessarem o corpo de um espírito materializado.

clip_image005

Note-se como as imagens do Cruzeiro tornam ainda mais claro o pedaço de véu jogado sobre as barras horizontais (d), bem como a disposição das barras. O Cruzeiro ainda aponta vincos nos véus, que embora pouco claros, podem sim ser vistos, indicando como o véu havia sido dobrado.

A evidência objetiva denuncia claramente o embuste desde a denúncia do Cruzeiro de 1964[3]. Se a publicação em si possuía credibilidade questionável, a evidência objetiva, as fotografias, como vimos, são mais confiáveis. Ainda mais, o especialista Carlos Eboli que conduziu a análise exposta realizou um trabalho simples e claro por si mesmo.

É apenas uma mulher coberta de panos. Que os técnicos apresentados pelos apologistas do caso para refutar a análise de Éboli tenham ignorado estas obviedades, e toda a questão dos “laudos” conflitantes, será abordada em mais detalhe em uma outra oportunidade.

 

Dessemelhanças óbvias?

Além de alegar que as fotos evidenciariam o espírito atravessando a jaula, o que como vimos, é exatamente o oposto do que demonstram, alega-se que:

“A perícia de São Paulo identificou óbvias dessemelhanças entre a face de Otília Diogo e Irmã Josefa (espírito) confrontadas com Alberto Veloso (espírito). Houve identificação de algumas pequenas diferenças entre a médium e a freira irmã Josefa”.

Muito bem. Quais seriam estas dessemelhanças óbvias? William X resume-se a afirmar que “os rostos são diferentes (infelizmente a imagem não possui qualidade das originais)”.

As dessemelhanças não são nada óbvias. Pelo contrário. Há semelhanças óbvias:

clip_image006

Otília Diogo possuía sobrancelhas demarcadas e um nariz proeminente, que podem ser vistos claramente no espírito masculino. Também se destaca o volume acima da cabeça, explicado facilmente pela cabeleira de Diogo. Todos estes elementos, repetimos, já eram ressaltados na análise de Carlos Eboli em 1964.

A única dessemelhança óbvia parece ocorrer na parte inferior do rosto, mas esta teria explicação simples: Otília Diogo usava falsa barba para “materializar” o espírito masculino.

Haveria outras dessemelhanças óbvias? Se havia, como ocorreu com a sugestão de que as fotos teriam sido adulteradas, os apologistas do caso simplesmente não parecem interessados em apontá-las. Ou talvez não sejam capazes, porque as fotos não foram adulteradas, e porque os espíritos eram ambos a própria médium.

 

Semelhança morfológica

Curiosamente, mesmo apologistas do caso notam como “a semelhança morfológica entre Otília Diogo e irmã Josefa, até certo ponto, é notória”.

Esta é, evidentemente, uma declaração muito comedida para uma semelhança escandalosa. Quão conveniente não é que o suposto espírito fosse idêntico ao rosto da médium que dizia materializá-lo?

clip_image008clip_image009 

Acima, Otília Diogo, e a suposta materialização como a irmã Josefa.

clip_image008clip_image011 

Novamente Diogo em comparação com a suposta imagem da irmã Josefa em vida.

Quão conveniente também não é que o espírito masculino materializado por Diogo possuísse não apenas face similar a ela (com exceção da barba postiça), como também um porte físico idêntico à médium… e ao espírito feminino.

clip_image013

 

“Saliência feminina”

“Crítica Espiritualista” busca questionar os volumes que podem ser vistos na suposta materialização masculina, atribuídos por Eboli aos seios de Diogo – e visíveis, também obviamente, na suposta materialização feminina.

De fato, apenas uma fotografia com dobras dos véus que indicassem possíveis volumes na altura do tórax poderia talvez ser explicada como mera casualidade. Roupas podem dobrar-se de forma peculiar.

Quando porém quase todas as fotografias do espírito masculino mostram as mesmas dobras indicando o volume de mamas, e de forma idêntica ao espírito feminino, a incerteza deve ser proporcionalmente menor.

Já na comparação acima entre o porte físico dos espíritos feminino e masculino se pode perceber o volume dos seios em ambos “espíritos”. A comparação também indica pregas nos ombros e mangas dos véus usados por eles.

clip_image014

Todos estes comentários podem ser encontrados já na análise de Eboli em 1964[4], com fotografias de referência.

 

Conclusão

Como mesmo apologistas admitem, Otília Diogo fraudou materializações, utilizando véus, barbas postiças e outros adereços, idênticos aos que se evidenciam desde as materializações testemunhadas por Chico Xavier e Waldo Vieira, tema da celeuma inicial. Há de se notar que o próprio Xavier, que endossou enfaticamente a autenticidade das supostas materializações que teria testemunhado, teceu comentários lamentando, e reconhecendo, que Diogo recorreu à fraude.

O detalhe, lembram os defensores das “materializações de Uberaba”, é que este reconhecimento pacífico da fraude só se refere às materializações de Diogo a partir de 1965. Convenientemente e quase imediatamente posteriores ao envolvimento de Xavier e Vieira.

Vimos aqui entretanto que a única evidência objetiva das sessões de Uberaba demonstra claramente sinais de fraude, e fraude precária, evidente, óbvia. Argumentamos como a evidência subjetiva e testemunhal não é de grande valia, e notamos como a equipe que deveria assegurar e “testar” os fenômenos foi crédula a ponto de apresentar fotografias nada extraordinárias como evidência de um espírito atravessando grilhões de uma jaula.

Indicamos como mesmo hoje, 46 anos depois, apologistas do caso continuam demonstrando tal credulidade ao enxergar nas imagens feitos sobrenaturais, quando elas evidenciam o contrário. Simplesmente uma mulher coberta de véus, passando-se por um espírito feminino e outro masculino que eram em todos os aspectos idênticos a ela mesma. Salvo pelos véus, vincados por dobras, e por adereços como barbas postiças. Que foram encontrados na maleta da suposta médium anos depois. Que confessou promover sessões fraudulentas.

Recentemente, mesmo Waldo Vieira, das figuras consideradas enfaticamente por Jorge Rizzini como autenticando os fenômenos e acima de qualquer dúvida, admitiu que desde o início considerava Otília Diogo uma figura duvidosa. Vieira defende que Diogo possuiria alguma mediunidade autêntica, mas reconhece e dá boa margem ao entendimento de que as materializações de Uberaba testemunhadas por ele e Xavier sim foram fraudadas.

Apologistas passaram então a questionar o testemunho de Vieira, algo que enfatizamos,contraria os muitos comentários Rizzini, que os mesmos apologistas continuam tomando como referência. Pelo visto, apenas quando lhes é conveniente.

Nesta questão, este autor foi questionado por que aceitaria o testemunho de Vieira, da mesma forma, apenas quando lhe seria conveniente. Espero que esteja clara aqui a diferença: o testemunho de Vieira admitindo a natureza dúbia dos fenômenos de Diogo é apenas um elemento secundário e adicional, parte da evidência testemunhal.

Ele é considerado aqui como passível de aceitação e consideração séria não apenas porque apenas complementa a evidência objetiva, como porque, como notamos inicialmente, contraria o próprio interesse aparente de Vieira. É curioso notar que apologistas passem mesmo a questionar a sanidade ou a boa fé de Vieira.

Já sua declaração de que Diogo possuiria mediunidade autêntica, é algo que não possui qualquer evidência corroboradora independente. Por sua vez, a questão da mediunidade de Chico Xavier seria outra questão quase completamente diferente, tema para outro espaço e discussão.

Deve estar claro que a única figura que se pode afirmar ter agido de má fé em todos estes eventos é Otília Diogo. A própria confessou seu embuste, exposto claramente. Todos os outros envolvidos podem ter sido enganados, em um ou outro momento.

Todo e qualquer um pode se enganar; pode ser enganado. É natural de todo ser humano. Devotos de Chico Xavier parecem não admitir a possibilidade de que o mesmo fosse humano, e no processo, elaboram justificativas elaboradas para acreditar no inacreditável, em uma demonstração clara de dissonância cognitiva.

Há 46 anos já era evidente, como deve ser hoje: era falsa a materialização de Uberaba.




[1] http://criticaespiritualista.blogspot.com/2010/04/critica-materializacoes-de-uberaba-x-o_01.html

[2] Note-se que uma das linhas horizontais na ilustração é pontilhada. Ela aparentaria ser uma barra horizontal da jaula, e de fato é, mas é uma barra horizontal da jaula ao fundo. Outras imagens da jaula demonstram que havia apenas três barras horizontais. Isso facilita e torna ainda mais fácil compreender a disposição do corpo da suposta médium.

[3] http://obraspsicografadas.haaan.com/2010/resgate-histrico-revista-o-cruzeiro-de-08021964/

[4] http://obraspsicografadas.haaan.com/2010/resgate-histrico-revista-o-cruzeiro-de-08021964/

204 respostas a “Falsa a Materialização de Uberaba, Redux”

  1. Jarbas Diz:

    Será que vocês não se cansam desta história. Já foi discutida ad nauseum neste site, inclusive com a publicação da versão do Prof Waldo Vieira em outro grupo de discussão. O que mais haveria a ser discutido?
    Porque não discutir os trabalhos sobre EQM publicados pela Lancet?
    http://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140673601071008/abstract

  2. Lisangelo Berti Diz:

    Este caso é importante porque envolve o nome mais conhecido do movimento espírita brasileiro que é o Chico Xavier. Realmente impressiona a quantidade de texto e trabalho dedicados para ilustrar uma farsa tão óbvia quanto esta. Mais impressionante ainda é ver tantas pessoas sendo ludibriadas por uma mulher envolta em um lençol, e novamente, entre elas o nome do Chico Xavier avalizando o fato como verdadeiro e não como embuste. Qual seria o interesse dele? Ganhar publicidade em cima do fato? Ou se ele também foi enganado tão grosseiramente, isso o habilita a continuar recebendo crédito por suas afirmações?
    Parabéns ao pessoal do site.

  3. raph Diz:

    “Recentemente, mesmo Waldo Vieira, das figuras consideradas enfaticamente por Jorge Rizzini como autenticando os fenômenos e acima de qualquer dúvida, admitiu que desde o início considerava Otília Diogo uma figura duvidosa. Vieira defende que Diogo possuiria alguma mediunidade autêntica, mas reconhece e dá boa margem ao entendimento de que as materializações de Uberaba testemunhadas por ele e Xavier sim foram fraudadas.”

    Waldo Vieira diz isso claramente. Como simpatizante do espiritismo não vejo nenhum problema em admitir que muito provavelmente eram materializações fraudadas – até mesmo porque em todo caso uma sessão de materialização não necessariamente ajuda em nada a reforma íntima e moral, a evolução espiritual das pessoas.

    “Todo e qualquer um pode se enganar; pode ser enganado. É natural de todo ser humano. Devotos de Chico Xavier parecem não admitir a possibilidade de que o mesmo fosse humano, e no processo, elaboram justificativas elaboradas para acreditar no inacreditável, em uma demonstração clara de dissonância cognitiva.”

    É que a maioria busca santos salvadores, e não seres humanos como nós – embora obviamente muito mais evoluídos moralmente do que a média.

    Não basta o sujeito ter doado milhões para a caridade e ter dado exemplo moral toda a vida – ele precisa ser “sobrenatural”, precisa ser um santo…

    Nada disso tem algo a ver com reforma íntima, pelo contrário. Nesse sentido, o ceticismo tem MUITO a ajudar aos espíritas e simpatizantes.

    ps. Quero deixar claro que não tenho opinião formada sobre a validade de TODAS as materializações da história do espiritismo. Algumas me parecem bem mais de “forte evidência” do que outras… Esta analisada acima me parece uma de “baixa evidência”, no caso.

    Abs
    raph

  4. Marcio Diz:

    Parabéns aos pesquisadores pelo trabalho cuidadoso e científico, além do excelente serviço à sociedade.

  5. Marcos Arduin Diz:

    “Logo de início, “William X” questiona a credibilidade da publicação. E com certa razão. Que “O Cruzeiro” chegou a promover e vender embustes, é ponto pacífico:(…)”
    - Problema é quando se usam dois pesos e duas medidas
    para um caso. Se a Otília foi pega em fraude, isso é a PROVA PROVADA de que ela FRAUDOU SEMPRE. Se Chico, Waldo e os 19 médicos não anunciaram isso é porque:
    1 – Eram um bando de cretinos que se deixaram enganar por uma espertalhona.
    2 – Eram um bando de canalhas vendendo uma farsante como legítima, mas deram com os burros n’água, graças à sagacidade dos repórteres de O Cruzeiro.
    O time contrária sustenta essa tese pois:
    .
    “O que o ceticismo significa, no entanto, é que a evidência deve ser considerada com cautela em busca de elementos objetivos e corroboração independente.”
    - Ah! Agora ceticismo é isso… Mas qual cético por aqui e por lá tem feito um serviço deste nível? No caso em questão, quem está buscando (e julgando) os elementos objetivos e a corroboração independente?
    .
    “No caso, são as fotografias publicadas. Defensores do caso sugerem que as fotos podem ter sido retocadas, mas não apresentam qualquer evidência a respeito. Em verdade, evitam mesmo afirmar inequivocamente que qualquer uma das fotos foi adulterada. Contentam-se com vagas suspeitas.”
    - Como já vi em vários artigos céticos (ou de “céticos”), qualquer suspeita lançada contra médiuns JÁ É ACEITA COMO PROVA. Mas se a suspeita for lançada contra sábios céticos, aí torna-se uma suspeita vaga… Mesmo que o cético em questão seja um semanário alicerçado em sensacionalismo barato. Rizzini mostrou que um dos mesmos repórteres envolvidos no caso escreveu um artigo onde revelava que O Cruzeiro adulterava fotografias. Faço então a pergunta: por que não poderiam ter fajutado as fotos que tiraram eles próprios?
    .
    “(…) Mesmo na indisponibilidade dos negativos para análise, adulterações mais grosseiras poderiam ter sido descobertas.(…)”
    Já ouvi esse mantra. Quando pesquisadores favoráveis aos fenômenos publicam fotos “das boas”, seriam produto de HABILIDOSAS adulterações. Mas quando são gente que publica fotos contra os fenômenos, aí, coitada dessa gente… Não há falsários habilidosos entre eles. Tudo o que poderiam fazer seriam adulterações grosseiras, facilmente descobertas. Registrado.
    .
    “Repetimos também, ainda outra vez, que toda esta questão seria de menor relevância caso os apologistas tivessem produzido evidência objetiva que ilustrasse a extraordinariedade das materializações. Não o fizeram. A evidência objetiva disponível ao invés denuncia a fraude, por ser em todo aspecto ordinária e plenamente compatível com os métodos de fraude pelos quais a médium Otília Diogo foi exposta.”
    - Fico sempre sem saber qual seria essa “evidência extraordinária”…
    - A fraude da forma como Otília foi flagrada anos depois era TÃO GROSSEIRA, que não entendi como é que os repórteres não a descobriram. Meios para isso eles tinham.
    -
    “Defensores das materializações de Uberaba (…) mesmo experimentos metodologicamente sofisticados como os Ganzfeld são temas polêmicos.”
    - Resumindo: NADA do que for feito nesse campo contentará ao pessoal cético, que se queixa de a gente não querer perder nosso tempo com ele.
    .
    “Comparados a eles, os “controles” usados nas sessões de materialização de Uberaba são risíveis, típicos e em nada diferentes das primeiras experiências espiritualistas Vitorianas em fins do século 19. Experiências, é relevante atentar, vulneráveis a todo tipo de fraude. Considerá-los invulneráveis é manifestar mero pensamento positivo por parte dos que defendam a autenticidade dos fenômenos.”
    - Certo! Por isso mesmo estou até hoje no aguardo de uma descrição, passo a passo, de como a fraude teria ocorrido… e até agora, nada. Talvez uma evidência em favor da má-fé dos repórteres seria o caso onde lhes foi dito para trazerem seus próprios cadeados e algemas, mas não os trouxeram. Usaram os já existentes no local. Isso não foi sem interesse: pode-se jogar a suspeita de que os médicos, Chico e Waldo teriam cópias das chaves em algum lugar…
    .
    “Consideração mais atenta a tais controles sim seria interessante se o restante da evidência indicasse que eles teriam obtido sucesso em evitar fraude. Ocorre justamente o contrário.”
    - Entendi errado um parágrafo anterior, que sugeria que nenhum controle estaria imune a fraude e até um tal “ganso” aí é altamente polêmico?
    .
    “O Contrário (…) Éboli tenham ignorado estas obviedades, e toda a questão dos “laudos” conflitantes, será abordada em mais detalhe em uma outra oportunidade. ”
    - Uma questão dessas obviedades é que Éboli disse que o tecido apresentava claros sinais de dobras e vincos, o que sugeriria um tecido dobrado e passado a ferro sucessivamente, de forma a deixá-lo o mais compacto possível. Só que isso não é o que se viu nas fotos. O tecido na foto parece ter saído de um cabide. Mas eu vejo aqui um problema mais sério: essas fotos indicadas FORAM DADAS PELOS MÉDICOS. Se tudo era uma farsa montada por eles & Cia Bela, então poderiam ter mostrado coisas MUITO mais bacanas… Até a tal evidência exigida pelos céticos.
    -
    “Dessemelhanças óbvias? (…) Ou talvez não sejam capazes, porque as fotos não foram adulteradas, e porque os espíritos eram ambos a própria médium.”
    - Não sei se é impressão minha, mas estou notando uma dessemelhança óbvia. Reparem no nariz da Otília e no do Veloso. Como se pode ver nas fotos seguintes, o nariz da Otília é longo e fino, apontando para o chão. Já o do Veloso é largo e aponta para cima, deixado à vista as narinas. Poderia ser essa uma “dessemelhança óbvia”?
    -
    “Semelhança morfológica (…) (com exceção da barba postiça), como também um porte físico idêntico à médium… e ao espírito feminino.”
    - Em outra foto (não está entre as mostradas aqui), que mostra o rosto da fantasma em proximidade, creio haver mais semelhança entre a falecida e a médium…
    .
    ““Saliência feminina” (…) com fotografias de referência.”
    - Realmente é muita incompetência da Otília & Cia Bela imitar um homem fantasma SEM TER POSTO UMA FAIXA PARA PRESSIONAR O BUSTO. Mas eu já apelaria para a fraude fotográfica (que como já foi dito, o Cruzeiro fazia eventualmente). A fraude poderia ser feita em cima de uma cópia, retocando-a e fazendo-se uma foto da foto. Assim, nem no negativo a fraude apareceria. Já que o rosto está todo coberto, seria mais fácil ainda os repórteres colocar a mesma fantasia numa mulher de porte igual e fotografarem a dita num cenário semelhante…
    .
    Quanto à conclusão, o que me incomoda é que o Waldo posa até hoje de científico, tinha suspeitas quanto à médium… Mas EM NENHUM MOMENTO declarou o que fez para eliminar essas suspeitas. Num artigo que o Vitor e eu traduzimos muito mal de primeira e agora está refeito pelos tradutores pagos, William Crookes diz algo assim: “Não me darão meus adversários o crédito para a posse de um mínimo de bom-senso? Por que acreditam eles que as objeções que me fazem JAMAIS me teriam ocorrido?”
    Pois muito bem! A Otília se fantasiar de fantasma seria A PRIMEIRA COISA QUE EU PENSARIA. E já que a conclusão até dá um boi pro Chico & Cia Bela, fico pensando: será que nenhum deles teria pensado nisso também?
    Quem aqui tem contato com o Waldo, que tire essa dúvida.

  6. Roberto Scur Diz:

    Marcos,

    Pertinentes comentários. Parabéns pelo tempo dispensado. Teria-se que ver se vale à pena dar-se à este trabalho.

    Estas materializações foram autênticas, perfeitas, examinadas por tantos duvidadores, e mesmo assim não tiraram proveito do evento favorecedor da compreensão da realidade. Porque imaginar que quereriam que isto ficasse confirmado? É por esta razão que Emmanuel, em determinado tempo após o início das experiências de materialização encetadas por Chico, asseverou com certa autoridade que deveriam cessar estas experiências e dedicar-se aos livros, pois estes teriam real valor.

    Todo o resto é sujeito a miríades de contestações, às mais esdrúxulas às vezes, sempre mais imaginativas, criativas e até pueris. Não haverá maneira de renegar ou reconfirmar o que já foi feito na época.

    Requentar este assunto, agora que Chico não está entre os encarnados, e principalmente, agora que o objetivo mor da mensagem espírita está sendo alcançado, que é impulsionar a renovação moral da humanidade, ainda que lentamente, que é promover a reforma íntima de valores, enfim, isto hoje pouco importa.

    Quem não compreender o conteúdo moral da obra do Consolador Prometido por Jesus ficará se desgastando, se debatendo nas questiúnculas destas experiências.

    No momento em que a criatura se depara com os reais desafios da existência os convocando a passamentos dolorosos de toda ordem, eis que as bençãos do esclarecimento e da solicitude fraterna oferecidos por homens e mulheres de boa vontade, inspirados ou não por uma fé religiosa, dispensarão o bálsamo que mitigará a carga que tende a curvar quem foi colhido nas tramas da aflição. Não será o ceticismo improdutivo que estará ocupado em negar tudo, buscar provas meticulosas, ou o ateísmo que constói um destino desértico do nada, que irão ter utilidade para quem quer que seja.

    Mas é a liberdade de cada um que precisa ser compreendida. Cada um ao seu tempo.

    Paz à todos.

  7. Emilio Peres Diz:

    Marcos, Roberto e Emanuel:
    .
    Vocês continuam caindo nas armadilhas do Vitor e do Mori.
    .
    Sem a interferência dos espíritas, estes assuntos morreriam e, junto com eles, as difamações em cima do Chico.
    .
    Os amigos me desculpem, mas estão dando combustível o tempo todo para eles. E, além do mais, o Vitor “ganha” às custas daquele(s) que difama e tenta destruir o tempo todo, ou seja, o Chico e o Espiritismo. Vejam o adcense do blog!
    .
    Não percebem que é sempre o mesmo assunto? Agora, foram “fuçar” até o blog do William. Ficam tirando leite de pedra, para justificar a introdução do nome do Chico, que é o que chama a atenção para o blog, ao mesmo tempo em que eles deixam sempre dúvidas sobre o caráter do Chico, justamente agora que ele está em ascensão, mais vivo do que nunca.
    .
    Emmanuel:
    Desculpe-me, mas você interferiu algumas vezes, dizendo o mesmo que estou dizendo agora. Entretanto, tomou conta do blog, com uma informação atrás da outra, a ponto do Gilberto comentar com muita graça que isso era coisa de espíritos inferiores (eu ri muito!). A sua “martelação” estava irritando até os espíritas. Você estava sendo extremamente incoerente. Defender o Chico Xavier é uma coisa, mas martelar o Espiritismo neste blog é suicídio moral, psicológico, energético, filosófico, religioso e científico, enquanto eles se matam de rir…
    .
    Roberto:
    Você, meu amigo, está totalmente desacreditado, porque já se despediu desse blog mais de uma vez e sempre volta. A última despedida foi saldada com alívio por parte de vários leitores que acompanham o blog, sendo desagradáveis com a sua pessoa.
    É muito chato isso! Vocês estão viciados no debate.
    E num debate que não leva a nada…de bom!
    .
    Marcos:
    Você que é tão “despachado” e perspicaz, não entendeu ainda qual é a deles? Você continua caindo nas armadilhas, dando material valioso a quem não é de direito. O tal do Montalvão, o que tem de debochado tem de ignorância; ignorância camuflada com palavreado presunçoso, rebuscado, na intenção de confundir aos incautos. O mesmo se aplica ao Sr. José Carlos F. Fernandes, com a diferença de ser menos dado às brincadeiras, porque tem mostrado “a que veio” na verdade, deixando a “antiga educação esmerada” de lado, quando lhe pisam os calos, ou seja, quando alguém lhe contraria a “pesquisa”, na qual não se encontra de maneira nenhuma a figura de Publio Lentulo (ou Publius Lentulus). Então, ele imediatamente, vem todo nervosinho:”provem…provem que Publio Lentulus existiu, ou então esse “tal” de Emannuel”. Sempre que ele se irrita assim, me lembra o Quevedo, com o dedo duro: “me entortem o dedo…me entortem o dedo…”
    Enquanto a galera mostra o dedo prá ele…
    .
    Deixem o ceticismo para os céticos. Vamos apenas observar (é o que eu tenho feito) para ver o que eles têm prá falar! Se é que sobra alguma coisa!
    .
    Sds.

  8. Emanuel Oliveira Diz:

    Debate de Clóvis Nunes com Padre Quevedo
    http://video.google.com/videoplay?docid=-6289525992691881191#
    sobretudo um exemplo de como exercitar a paciência
    para tentar conversar com pessoas assim..
    Clóvis Nunes é um dos pioneiros no Brasil no estudo da Transcomunicação Instrumental (TCI), professor, projetista técnico, parapsicólogo, pesquisador, escritor, conferencista e espírita
    É uma questão de justiça retribuir toda a publicidade que o Sr Padre fez ao Espiritismo, ele q “inspira” tantos blog por aqui perdidos
    http://www.tvpaz.net/cronicas/padrequevedo.htm
    De onde tb vêm estas estratégias tão antigas mas recorrentes?
    Quevedo e o Espiritismo: o fim de uma farsa
    http://www.apologiaespirita.org/objecoes_refutadas/quevedo_e_o_espiritismo.htm
    Naturalmente continuará a alimentar os seus fiéis, mesmo
    depois do seu programa na Globo ter perdido audiência quando os debates entre ele e Divaldo Franco e entre ele e Clóvis Souza Nunes o descredibilizaram.
    Paciência…A ciência da Paz

  9. Emanuel Oliveira Diz:

    Sr Emílio Peres:
    Se não discuto com os não espíritas, mto menos o farei com espíritas num espaço anti-espírita. Acho q eles se riem mto mais da discórdia e da desunião q podem provocar a espíritas invigilantes
    Portanto, façamos todos essa reflexão íntima
    Respeito a sua opinião mas vale um. Já vários espíritas se pronunciaram agradecendo o material q envio e agradeço ao blog ser o único médium q nos permite isso
    Bastaria ela ter consolado e orientado uma pessoa para ter valido a pena. Todos temos livre arbítrio, eu respeito o sei se não quiser ler. Fique em Paz com Jesus

  10. Roberto Scur Diz:

    Emilio Perez,

    Grande verdade, é um vício no debate, mas se não leva a nada, porque tu lês, acompanhas? Não estás viciado também meu amigo?

  11. Emanuel Oliveira Diz:

    P.S. Companheiros Espíritas:
    quando comecei a ficar viciado, desintoxiquei-me com recomendações de Kardec,Emmanuel e Joanna de Angelis
    Há mto tempo q deixei de ler a maior parte dos comentários. Só leio livros de autores q gosto. Se vejo uma vossa resposta a um autor credível tento lê-lo mas é tão raro, né?
    Estou aqui pela positiva, não para tentar abaixo as convicções dos outros. Enquanto mto se degladiam,
    opto por colocar um post informativo
    Portanto, permitam-me q seja um mero carteiro da divulgação do Espiritismo, como sugere Emmanuel.
    Por isso agradeço tb ao Vitor. Embora discordemos em vários pontos, concedamos-lhe esse mérito: dá liberdade de expressão. Os motivos q o levam a publicar a resposta dos espíritas só ele poderá dizer

  12. Roberto Scur Diz:

    Emilio Peres,

    Mais um aparte.
    Já passei da fase de dizer palavras duras, críticas ou desafios, e analisando friamente foi graças à opinião dos céticos, não questionando sua sinceridade ou ética, apenas a opinião em si, foram de valia para mim, espírita (ou projeto de um), porque nunca havia tido contato com as argumentação contraditória para àquilo que aceitava racionalmente, naturalmente.

    Foi com este pessoal cético e com a contraargumentação do não céticos que fiquei conhecendo detalhes, por exemplo, do processo de materialização com ectoplasma de Otília Diogo. Não conhecia o livro de Rizzini, não conhecia o que houvera ocorrido na revista O Cruzeiro, não conhecia as fotografias que puseram Chico Xavier em posições sofríveis expondo não tanto à ele quanto aos repórteres que usaram de ardis para ridicularizarem-no, descobri o que poderia haver ou não haver de registros históricos sobre senadores romanos, conheci um pouco da famosa prosopopéia que o José Carlos apresenta, conheci um pouco de um livro de Settipani, fixei a origem de Emmanuel pois não lembrava que ele tinha sido a reencarnação do avô de Públio que participou da revolta catilinária, enfim, muitos conhecimentos úteis no meu entender.

    Já percebi os momentos de inquietação do Vitor e do José Carlos quando suas pesquisas são contrariadas, as inquietações dos espíritas, a comemoração dos não espíritas, suas estratégias de afirmação, de tranquilização de si próprios firmando suas convicções em textos que expressam o profundo do seus raciocínios e compreensões, até mesmo os xô, sai fora para mim, e está tudo tranquilo, não me incomodo.

    As comemorações por meu anúncio de saída do debate podem ser ruins mas podem ter sido boas pois de alguma forma minhas opiniões ou os incomodam por serem absolutamente ridículas, ou como você diz, desacreditadas, ou elas incomodam porque mexem em qualquer coisa diferente no íntimo deles, quem sabe.
    Não podemos esquecer que o Vitor, o agora global Mori e o erudito católico José Carlos nos brindam sempre com novos temas, novos assuntos palpitantes que chamam os viciados, como tu também é meu amigo senão não teria escrito nada logo acima, a pensarem, a lerem, a se posicionarem perante suas próprias convicções.

    Há coisa mais útil e proveitosa para ser feita? Certamente meu amigo, e nossa presença aqui mostra bem o quanto estamos ainda engatinhando na prática do que a Doutrina ensina, mas não podemos dizer que não seja mais proveitoso do que ficar assistindo futebol, vendo novelas, jogando conversa fútil e anedodatária fora, enfim, coisas bem mundanas que não colaboram para nosso progresso, em verdade.

    Graças à postagem que vi aqui acessei links muito interessantes que eu não buscaria por mim mesmo, mostrando vídeos de palestras, de opiniões de espíritas e de cepticos dos mais fervorosos, e tudo para mim foi útil pois tento separar o joio do trigo.

    Para teres uma outra idéia, nem sabia onde andava o Waldo Vieira, no que ele acreditava, o que ele falava hoje em dia. Graças à links daqui pude assistí-lo e tirar conclusões muito úteis sobre a dificuldades gigantesca que praticar o cristianismo provoca, sobre como pessoas que tiveram contato direto com espíritos, que os viram materializarem-se, psicografaram pensamentos sábios, conviveram com obras de assistência e caridade fundamentadas no amor ao próximo, e que nem por isso conseguiram abandonar o personalismo que os escraviza.

    Entrei aqui na porque acessei o site do Mori onde falavam sobre o planeta Nibiru e passei tempo (2 meses talvez) comentando, depois vi o assunto de Chico Xavier e deste cheguei aqui no Vitor.

    Concluindo digo que o melhor seria fazer como os médiuns proeminentes, os trabalhadores abnegados que põe mãos à charrua do atendimento fraterno aos necessitados de todos os matizes, mas não estando neste nível ainda aqui estou.

    Desculpe se te incomodo Emilio.

  13. Emilio Peres Diz:

    Roberto:
    .
    Não estou viciado, pois, não tenho participado dos “debates”. E não leio todos os comentários, pois, não tenho tempo para isso.
    .
    Mas, infelizmente, o que se percebe é que vocês, teimosamente, estão trabalhando para o Vitor.
    .
    Emanuel, as informações que você posta aqui são aproveitadas pelos espíritas e não pelos céticos, que se riem da sua boa vontade ingênua. Esta tarefa que você se impôs, de doutrinar a todos no blog, toma sim o seu tempo. Não me venha desmentir, porque é impossível tanta informação surgir do nada. Você se contradiz quando bombardeia o blog com informações relacionadas ao que está acontecendo no meio espírita.
    Sermão é coisa de padre e não de espírita. Essa linguagem que você e o Roberto empregam, depõe contra os espíritas, porque, soa tão falsa…mordem e depois sopram, usando frases de Emannuel ou de Chico…
    Quanto à linguagem prefiro a do Marcos, mais verdadeira, mais sincera, mais condizente com a vida real e não a celestial (telepática!) que estamos muito longe de alcançar…
    As pessoas que usam essa linguagem “dos anjos” e são verdadeiras, são sempre iguais, como o Chico, o Divaldo, o Celso de Almeida, porque atingiram a verdadeira humildade. Mas, vocês, façam-me o favor… perdem a paciência, fazem ameaças quanto ao futuro dos céticos e depois, no comentário seguinte, começam chamando-os de “meus irmãos” e pedindo desculpas e bla, blá, blá. Vocês se ofendem com qualquer comentário contrário, igual a eles. Então, me digam, qual a diferença?
    Ficaram ofendidos, inclusive com o meu comentário. Se querem trocar informações sobre Espiritismo, abram um blog espírita e usem todo o conhecimento e informações que você têm para dar, a quem se interessar, inclusive os céticos.
    Roberto, você disse que aprendeu um monte de coisas aqui, num blog de céticos, inclusive, da área do Espiritismo. Se não estou enganado, você citou em algum comentário que é dirigente de um Centro Espírita. Pense nisso! Se me enganei, pelo desculpas.
    .
    Emanuel, me desculpe, mas você é daqueles espíritas que acham que toda pessoa que usa o seu livre arbítrio, contrariando aquilo que VOCÊ entendeu como uma pérola de vida eterna, está possuido por obsessores. Pensar diferente para você, significa estar obsidiado. Você deve ter sido católico ferrenho. Substituiu o diabo pelo obsessor. Não concordo com você. Leia a pergunta 381 e consequente resposta, de Emannuel, no livro “O Consolador”. Aliás, o livro todo é excelente, pois, é uma verdadeira “revisão” do Espiritismo. Kardec em “Obras Póstumas” , também deixa claro que, quase sempre, os espíritos são responsabilizados pela maior parte dos erros cometidos pelos encarnados. As verdadeiras obsessões são raras. O que existe, normalmente, é “sintonia”, ou seja, mesmo que não houvesse um espírito desencarnado “auxiliando” o encarnado a fazer bobagens, ele faria sozinho mesmo, porque é o que ele tem vontade de fazer, usando o seu livre arbítrio (leia o livro “Sintonia”, de Emannuel). E o Senhor não interfere, com voz de trovão, para que ele não o faça (como fazia antigamente, no AT). O Senhor permite, porque livre arbítrio é para ser usado, seja certo ou errado. O que vem depois, é outra história.
    .
    Ser bom não é falar bonito. É FAZER bem feito!
    .
    Sds.

  14. Roberto Scur Diz:

    Emilio Peres,

    Não sou (nunca fui) dirigente de centro espírita, não sou médium, nem sequer trabalhador espírita sou. Estudo o espiritismo, tenho muitos livros, educo meus filhos (5) com conceitos espíritas, vão à aulas de evangelização toda a semana (vou junto acompanhar palestras), faço Evangelho no Lar também semanalmente, ensino-os a conversar com Jesus em preces diárias, enfim, TENTO ser melhor hoje do que fui ontem.

    Você me diz, opinião sua, que eu sou completamente desacreditado. Ok, sem problemas, aí eu digo algo e você diz que eu me ofendi consigo? Fui ofensivo no que escrevi? Não, não posso ter sido porque não me sinto ofendido, me sinto, como citei, contente por poder sim conhecer os pontos de vistas contraditórios dos céticos, que faz abram-se espaços para respostas como a recente do Emanuel Oliveira que postou 3 links interessantíssimos que vi, todos, e que não conhecia também.

    No meu entendimento (acho até que já escrevi isto e você estava presente no debate) quero que o blog aumente ao máximo a sua frequencia, não importa se o Vitor ganha ou não dinheiro com isto. Através dos detratores se está divulgando contra e também à favor do tema.

    Hoje tenho 42 anos. Aos 26 tive os primeiros contatos com o espiritismo, mas antes disto, se houvesse na época internet, blog, etc., talvez eu pudesse ter antecipado meu acesso à estas informações.

    Não entendo qual o teu ponto, realmente. Esta queixa do bate e assopra é problema porque? Soa falso? Não creio. Para mim o estado de ânimo de uma pessoa não é um equação linear do 1o grau, e num dia pode ser mais severa que no outro, principalmente pessoas em aprendizado, categoria que me enquadro. O que você está fazendo é criticar, ou melhor, “bater” e “assoprar” dizendo “Emanuel, me desculpe…”, ora, desculpar porque se vai dar uma sarrafada na sequência? Seja autêntico como o Marcos, então, senta a marreta à gosto que os mais preparados vão digerir ou quiçá nem sentir o golpe.

    Terminando Emílio, eu nunca disse “sou humilde”, ou usei “linguagem dos anjos”. Digo o que penso e sou autêntico, não finjo ser o que não sou, e você não conhece praticamente nada sobre a minha vida, como ajo com as pessoas, o que faço com o que tento aprender na doutrina espírita.

    Te retribuo o “faça-me o favor” que usaste acima, sem delongas, porque não entendi esta história de vida celestial telepática e vida real. Do que falas, IRMÃOZINHO?

  15. Roberto Scur Diz:

    Vitor,

    Já que sou teu “funcionário” (espero que seja pelo menos dos bons) se quizer me “demitir” do teu blog fique à vontade.

    Lá no blog do Mori ceticistaaberto (donde tudo começou) não vou mais. Lá tu me chamaste de mentiroso e fanfarrão (sem queixas pois como não minto como dissestes não me senti atingido).

    Quando o Mori decidiu apagar os comentários que o desabonavam no dia que foi no Jô Soares, adulterando a sequência dos diálogos, não fazia sentido dizer mais nada pois ele se revelou por completo, mas aqui, embora eu não seja teu aliado de ideal, têns te mantido leal à livre opinião, por enquanto, e claro que daqui a pouco não irei postar mais nem vou criar qualquer blog pois os assuntos se esgotarão ou se tornarão repetitivos.

  16. Roberto Scur Diz:

    Pensando melhor, vou dizer as minhas últimas palavras NO BLOG do Vitor, e não numa matéria dele.

    Quer queiramos ou não o caso é que as portas estão se fechando. O que digo não é fruto do meu conhecimento, mas informações que colho nas obras espíritas.

    Temos no Evangelho a parábola de Jesus sobre o banquete nupcial, e sobre a túnica que todos os convidados devem estar trajando para poderem permanecer na festividade do Senhor. O convite é feito para todos, bons e maus, e o momento de decisão é agora, já está acontecendo. Que tipo de convidado somos? Qual é nossa indumentária?

    Os avisos estão multiplicados de todas as formas, por todos os meios de comunicação hoje tão velozes e espraiados pelo planeta. Ninguém poderá alegar ignorância dos convites que os planos superiores dirigem para a humanidade para participarem do banquete.

    Manter-se ceptico ou ateu não é o problema, ser religioso, médium, orador, pastor, padre, coroinha, não é a salvação.

    Jesus diz que não serão todos os que dizem “Senhor, Senhor” que entrarão no reino dos céus, mas àqueles que fazem a vontade de meu Pai que está nos céus”. Conversa tola, crendiçe dirão muitos, mas o fato é que não é assim. A transição planetária está ocorrendo e os sinais são claros, é o óbvio ululante que os adormecidos não querem ver e ouvir.

    Muitos chamam os portadores dos convites de fanáticos, loucos, crentes, cegos, etc., e não se interessam, ridicularizam, debocham, enxotam, mas as mudanças ocorrerão sem embargo, e “somente os que tiverem se autoelegido para serem escolhidos em face da autodoação e da entrega ao amor incondicional é que poderão se fazer presentes no banquete de bençãos da imortalidade em triunfo.

    EM QUE CLASSE DE CONVIDADO TE ENCONTRAS?
    REFLEXIONA E DECIDE, PORQUE O BANQUETE DE NÚPCIAS JÁ COMEÇOU…
    CUIDA DE RENOVAR AS TUAS ATITUDES.”

    As últimas linhas desde o apóstrofe são baseadas na mensagem “Convidados” do livro “Atitudes Renovadas” que é o último lançamento de Joanna de Ângelis por Divaldo Franco.

    Felicidades à todos.

  17. Emanuel Oliveira Diz:

    Prezado Roberto:
    tal como o Eduardo, cada vez admiro mais as suas intervenções. Tenho aprendido bastante com elas.
    Mais um bom teste q nos é proposto
    Já sabíamos q é difícil ser espírita no centro, não só fora, mas temos uma nova vertente
    Este companheiro está a discutir com ele próprio
    “Não julgueis!” diz-nos Jesus
    Prefiro pensar q é outro espírito com o mesmo nome
    O 1º era cordial e agradecia os mails
    Este 2º Emilio Peres Diz:
    a May 25th, 2010 em resposta a Juliano
    Lembrando o saudoso Carlos Magno:
    “Se beber, não escreva”…!
    Por favor companheiros ateus: esta frase representa quem a diz, não representa o espiritismo
    Uma coisa é o movimento espírita feito de pessoas falíveis como nós, tão ou mais endividados q outros
    Outra pela sua pureza é a Doutrina Espírita
    Já agora aproveitando um post anterior com conteúdo equivocado dum sr q se diz dirigente espírita
    Não há Espiritismo Científico, Espiritismo Filosófico ou Espiritismo Religioso. Quem só entende uma das partes, o tripé cai. Só unindo as 3 vertentes – Ciência e Filosofia e Religião e estudando-as de forma metódica e sistematizada poder-se-á começar a compreender. Quantos anos/vidas de curso para abarcar tanto conhecimento intelectual e sobretudo moral?

  18. Marcos Arduin Diz:

    Meu caro Emílio, da parte que me toca:
    “Marcos:
    Você que é tão “despachado” e perspicaz, não entendeu ainda qual é a deles? Você continua caindo nas armadilhas, dando material valioso a quem não é de direito.”
    - Talvez eu não seja tão despachado e perspicaz quanto lhe tenha dado essa impressão. Assim então poderia especificar melhor que material valioso é esse que estou dando a quem não é de direito?
    .
    “O tal do Montalvão, o que tem de debochado tem de ignorância; ignorância camuflada com palavreado presunçoso, rebuscado, na intenção de confundir aos incautos.”
    - De fato tenho notado certa ignorância de alguns por aqui quando falam de Espiritismo, se bem que nem sempre se pode culpá-los por isso. Já chego lá.
    .
    “O mesmo se aplica ao Sr. José Carlos F. Fernandes, com a diferença de ser menos dado às brincadeiras, porque tem mostrado “a que veio” na verdade, deixando a “antiga educação esmerada” de lado, quando lhe pisam os calos, ou seja, quando alguém lhe contraria a “pesquisa”, na qual não se encontra de maneira nenhuma a figura de Publio Lentulo (ou Publius Lentulus). Então, ele imediatamente, vem todo nervosinho:”provem…provem que Publio Lentulus existiu, ou então esse “tal” de Emannuel”.
    - Um momento, Emílio: só se pode provar que uma coisa EXISTE OU EXISTIU. Não se prova a inexistência de algo. Se o Zé Carlos aí fez uma pesquisa SÉRIA, esmerada, em busca de evidências históricas de que o tal Lêntulo citado pelo Chico existiu e o que lhe é dito a respeito de fato aconteceu e NADA ENCONTROU, então não posso criticá-lo por isso.
    - Nós espíritas NÃO PODEMOS TEMER O LIVRE EXAME. Se um médium, fenômeno mediúnico, romance, livro técnico, autor ou orador espírita “pisou na bola” em algum lugar e as provas disso são incontestáveis, acabou história e morreu vitória. Temos mais é que agradecer a quem nos trouxe tal esclarecimento.
    - Pois bem, então o Zé Carlos nos mostrou que do tal Lêntulo, que segundo o romance não era nenhum romano Zé Mané, não existe qualquer evidência de prova de sua existência, então qual é o problema? O Vitor parece achar que o Emmanuel era só uma personalidade dissociada do Chico. E pode muito bem estar certo! Eu talvez prefira acreditar que é o espírito mentor do Chico, MAS NEM POR ISSO SERIA UM ESPÍRITO DE ALTA CATEGORIA. Pode muito bem ser um do nosso nível. Inclusive, caso realmente tivesse sido o Padre Manuel da Nóbrega, isso até explicaria o seu anti-semitismo de jogar a culpa da condenação de Jesus nos judeus e de poupar Pilatos. É como se essa parte do romance fosse só uma outra transcrição dos escritos dos Evangelhos. Emmanuel poderia muito bem ter feito isso: transmitido a Chico este romance ESCRITO DE SUA PRÓPRIA CABEÇA (espiritual) e não porque foi algum Lêntulo…
    - Eu já concluí e já encaminhei para a impressão um romance espírita. Minha fonte de inspiração foi a novela A pequena órfã, de Antonio Teixeira Filho. Só que não vi essa novela e tudo o que sei dela é uma curta sinopse de cinco linhas. O meu romance só toma emprestado o título, pois da temática quase nada pude aproveitar. É uma OUTRA história e na introdução já disso isso claro. Emmanuel pode ter feito a mesma coisa tomando por tema os Evangelhos e a esparça documentação histórica…
    -
    “Sempre que ele se irrita assim, me lembra o Quevedo, com o dedo duro: “me entortem o dedo…me entortem o dedo…”
    - Enquanto a galera mostra o dedo prá ele…”
    Bem, acho que ficamos chateados quando temos em mãos um trabalho feito depois de ampla pesquisa provando que não há evidência de que tal figura existiu e ainda há quem ache que isso não prova nada…
    .
    “Deixem o ceticismo para os céticos. Vamos apenas observar (é o que eu tenho feito) para ver o que eles têm prá falar! Se é que sobra alguma coisa!”
    - Buscar o contraditório é um vício meu, Emílio. Antes de descobrir os céticos, li mais de 50 obras cristãs anti-espíritas. Todas elas repetitivas e que clamavam pelo Demo e em nada me ajudaram a descobrir erros no Espiritismo.
    - Foi em 2001 que descobri os tais “céticos racionalistas” e participei do terceiro debate lá na “Sociedade da Távola Redonda” (brincadeirinha). Para a minha tristeza, eu vi que os céticos são TÃO OU MAIS CRÉDULOS que os próprios crentes. Cumpriram a frase do filósofo alemão que acabou doido: “De tanto perseguir o Dragão, você se torna o Dragão”. A prova definitiva para mim foi um artigo do grande bam-bam-bam cético Massimo Polidoro, onde fala da mentalista que iludiu Crookes. Quando li esse artigo, fiquei um pouco ressabiado, mas se as coisas se passaram como ele disse, então seria possível que Crookes houvesse sido enganado. Nunca pensei que ele fosse infalível.
    Até o dia em que li o relatório de Crookes sobre o experimento feito e que Polidoro cita no seu artigo. Só aí é que eu vi que o autor eliminou as evidências que o desmentiriam e aceitou testemunhos de pessoas duvidosas para fundamentar a sua tese. Isso é coisa que eu vi de monte nas obras cristãs anti-espíritas. Isso me fez perder o respeito pelos céticos e antes de saber se são sérios e imparciais, vejo-os primeiro como crentes inrustidos.
    .
    É isso.

  19. Marcos Arduin Diz:

    Roberto, é o seguinte:
    1 – Existe uma parte científica no Espiritismo que é muito neglicenciada no Brasil. Assim, o pouco que se faz ou que se fez mereceria ao menos ter algum destaque para não ficar na mesmice de sempre.
    .
    2 – Uma vez que essa parte é criticada pelos que acham que fenomenologia mediúnica deveria ser líquida e certa como os experimentos feitos em escolas e se não for assim, não pode ser considerada Ciência, então ao menos teríamos de fazer um esforço para mostrar que não é assim. Se isso não serve para os céticos, ao menos daria alguma orientação para os nossos confrades.
    .
    3 – No seu livro, Jorge Rizzini agradece aos repórteres e ao Cruzeiro pelo que fizeram, pois até então nunca se vendera tanto livro espírita como naquela época em que a denúncia da farsa fora feita. Mas como o autor salienta: a verdade deveria ser colocada em seu lugar.
    .
    4 – Esse assunto requentado volta sempre COM AS MESMAS ARGUMENTAÇÕES. Claro, nada há de novo a dizer. Eu ficaria mais satisfeito se os do contra ao menos tentassem reproduzir o fenômeno fraudulento do jeito que supõem que a fraude tenha ocorrido. Mas sabe que eu NUNCA vi nada disso? No máximo teve um Colin Brookesmith que fez um serviço muito porco, servindo-se de um galvanômetro de 90 anos de existência e tempo semelhante de desuso…
    .
    Quanto ao resto aí sobre o bem que o Espiritismo pode fazer ao melhoramento do ser humano, vamos muito bem, obrigado. Mas isso não é motivo para amarrar o burro na sombra.
    .
    é isso.

  20. Gerald Diz:

    Cada vez que alguém elogia a “pesquisa séria e histórica” do jcff, eu fico aqui muito grato a pensar com meus botões: quem mentiu mais? O Chico? O Emmanuel? Então que somos nós senão meros joguetes de um demônio esperto e genial que enganou milhões com palavras melífluas, e citou por toda a vida um mentor demoníaco, se existiu de fato?
    .
    Ou seria o Chico todos os personagens ao mesmo tempo; uma série de alteregos fantásticos, deslumbrantes nas suas ciências e artes de enganar o povo, que ele com aquele jeitinho de mineiro bobo, rindo por dentro e que no seu discipulado satânico passou milhares de diplomas de burros aos pesquisadores in loco: homens calejados no mediunismo e tantos incorporadores de mensageiros (aliás, já desconfio que os mensageiros de outros médiuns eram uma falange de demônios macomunados com o Chico) que sequer desconfiaram ser Públio Lêntulo um personagem inexistente?
    .
    Foi necessário que um pesquisador independente – da igreja, claro – mas isso é irrelevante, fizesse um estudo histórico para descobrir o que estava diante dos narizes dos espíritas e filósofos espíritas de ontem e de hoje, para demonstrar que o CHICO FOI UM MENTIROSO, O EMMANUEL FOI UMA MENTIRA, O ESPIRITISMO BRASILEIRO É A CARA MENTIROSA DESSES DOIS E O CERNE DA VERDADE ESTÁ MESMO NA PESQUISA HISTÓRICA MATERIALISTA!.
    .
    Agora sinto-me aliviado por saber que o Chico era um mentiroso e comprometido com farsas. Pois como seguir ensinamentos passados por alguém de tão baixa moralidade, capaz de inventar personagens, mesmo em estado de transe – pois demônios também deixam médiuns em transes – e eu tolinho da silva ainda acreditava que aquilo foi só uma brincadeirinha de um demônio, pois no espiritismo quem faz um cesto Não Faz um Cento? Ah, como é bom saber que há pensadores espíritas que nos fazem refletir e descobrir a verdade através de céticos!

  21. Vitor Diz:

    Chico está mais para um “doente mental que achava que os fins justificavam os meios” do que para um “demônio esperto e mentiroso”.

  22. Juliano Diz:

    Ao Marcus Arduim e o Roberto Scur

    Roberto
    Obrigado por confirmar o que eu disse num comentário meu. Faço minha as tuas palavras:
    “Jesus diz que não serão todos os que dizem “Senhor, Senhor” que entrarão no reino dos céus, mas àqueles que fazem a vontade de meu Pai que está nos céus”. Conversa tola, crendiçe dirão muitos, mas o fato é que não é assim. A transição planetária está ocorrendo e os sinais são claros, é o óbvio ululante que os adormecidos não querem ver e ouvir.”
    Quer dizer, vocês espíritas não se aguentam. Vivem no medo e não conseguem viver sem fazer o que os outros cristãos faze, qual seja, espalhar também o medo. “O olha que o bicho papão vai pegar”.

    Ao Marcus Arduim diz:

    “4 – Esse assunto requentado volta sempre COM AS MESMAS ARGUMENTAÇÕES. Claro, nada há de novo a dizer. Eu ficaria mais satisfeito se os do contra ao menos tentassem reproduzir o fenômeno fraudulento do jeito que supõem que a fraude tenha ocorrido. Mas sabe que eu NUNCA vi nada disso? No máximo teve um Colin Brookesmith que fez um serviço muito porco, servindo-se de um galvanômetro de 90 anos de existência e tempo semelhante de desuso…”

    Você tenta impor aos céticos uma obrigação que é de vocês na verdade. Quem afirma categoricamente se comunicar com os espíritos são os espíritas. Ou eu estou errado? Ora, a maior prova que a fraude da materialização de Uberaba foi uma fraude é que provavelmente o Sr. Chico Xavier e Sr. Waldo Vieira, Sr. Rizzini e cia quando viram que a conversa de materialização não iria pegar, e iriam inevitavelmente ser desmascarados não fizerem mais experiência alguma de materialização. Você acha que os cidadãos acima, apaixonados que são e eram, aos que já se foram, pelos holofotes, caso o processo de materialização fosse sério eles não iriam fazer e refazer e fazer de novo o processo? Poupem-me.

    Outra coisa, quando você diz:
    “3 – No seu livro, Jorge Rizzini agradece aos repórteres e ao Cruzeiro pelo que fizeram, pois até então nunca se vendera tanto livro espírita como naquela época em que a denúncia da farsa fora feita. Mas como o autor salienta: a verdade deveria ser colocada em seu lugar.”

    Isto só prova que o cidadão Jorge Rizzini não tinha escrúpulo algum, e além de mentiroso era debochado. Quer dizer, se orgulha, mesmo que negue, do espiritismo ter crescido em face de uma mentira!

  23. Juliano Diz:

    Roberto

    Outra coisa. Você parece com esta história do agora eu vou embora mesmo, viu! Olha … que agora eu vou embora, viu? Ooolha (…). – Roberto, você já tem cinco filhos e é claramente uma pessoa bem intencionada. Não precisa ficar com este discurso, com todo respeito, infantil. Fica por aí, critica quando tem que criticar. Concorda quando tem que concordar. Defende quando acha que tem que defender. E, quando realmente quiser não entrar mais, simplesmente não entre mais e pronto. Agora, ficar anunciando a despedida é, com todo respeito, no mínimo patético.

  24. Gerald Diz:

    Vitor, querido:
    .
    Então milhões de espíritas não viram isso? Somente você e meia-dúzia de céticos descobriram essa anomalia mental e caso psiquiátrico do Chico? Ou não há reconhecidos psiquiatras e autoridades competentes na área médica e investigativas de fenômenos, que não sejam espíritas? Você é médico?
    .
    Acho exatemente o oposto, pois o ceticismo barato dos anti-espíritas é fanátismo doentio! Querem remar contra a maré a todo custo!
    .
    O que me admira aqui são são os elogios aos céticos anti-espíritas. Isso não é ser democrata, na minha terra tem outro nome.

  25. Vitor Diz:

    Gerald,

    os milhões de espíritas não viram isso porque eles não tinham acesso ao Chico 24 horas do dia. Quem vivia junto dele certamente percebeu, mas ficou calado, porque não era do interesse falar.

    Não, não sou médico, mas não é preciso ser médico para saber que quem diz ver espíritos que não existem muito provavelmente tem problemas mentais…

  26. Gerald Diz:

    Vitor:
    -
    Não precisa de 24 horas por dia para se notar os desequilíbrios psíquicos de uma pessoa, muito menos de um medium. O Chico viveu quase 100 anos; logo havia muito tempo para experimentados psiquiatras o rodearem em tantos encontros acontecidos, notarem isso e expedirem alertas para a comunidade espírita e população em geral. Questão de idoneidade médica profissional e científica. Quanto mais psiquiatras do meio espírita, e por que acreditar que eles também não acusariam?
    .
    E não me consta que mesmo psiquiatras não espíritas hajam acusado esse gravíssimo pseudo problema do médium. Talvez algum doido por aí, como tantos, tenha feito isso, mas se houve onde estaria a repercussão do fato? Seria um escândalo mundial em se tratando especificamente do Chico!

  27. Vitor Diz:

    Desconheço qualquer psiquiatra não espírita que tenha podido examinar o Chico.

  28. Gerald Diz:

    Também não conheço nenhum outro que o tenha examinado e declarado sua insanidade. Aliás, acho que ele também tinha vida privada, apesar de tudo, e não me consta que havia paparazzi atrás dele todos os dias.

  29. Roberto Scur Diz:

    Juliano,

    Claro velhinho, meu irmãozinho camarada, não viu que eu estou no joguinho infantil de “não brinco mais”, e “fim de amigo”?

    O problema é que custa bem carinho manter a turma aqui em casa, escola, uniforme, livros. Quem mandou ser espírita e gostar de trazer os antigos inimigos para o meu regaço convertendo as inimizades em amor?

    Quer me odiar Julianinho? E tu Vitor menino levado? Olha que se vocês me detestarem bastante vão ter que voltar como meus filhinhos, quiça, em outra vida hein?

    Já sei, vou pedi a benção ao Senhor da vida que me conceda tu, o Vitor, o JCFF (talvez até o Gilbertinho)para virem como meus filhinhos amados, vou trocar as fraldinhas, botar nanar, levar pra escola e desde cedinho fazer prece na cama para conhecerem Jesus, e vou levar na evangelização tooooda a semana, evangelho no lar toooodo o domingo, vou fazer um revertério nas cabecinhas céticas de vocês, e aí meu querido, aí, quando vocês estiverem crescidinhos, bonitinhos, bem versadinhos na doutrina do crucificado que teimava em falar de amor, de perdão, de caridade, de fraternidade, enfim, então, então que os meus filhinhos vão entrar nos futuros blogs dos céticos, que se lá qual será a tecnologia existente, talvez hologramas em tempo real na sala de casa, e vão se descabelar defendendo os mesmos valores deste Jesus e de seus seguidores, pobrezinhos, humildezinhos, e que deixaram provas vivas do testemunho ao Mestre Jesus que os ensinou o verbo Amar em espírito e verdade.

    Aguardo vocês meus filhinhos, na próxima reencarnação, se der tempo, é claro né, pois a coisa tá ficando complicadinha para quem não quiser saber mesmo da conversa de “vida continua”, de “espírito se comunica”, de que a “gente reencarna”, de que “têm que abrir o olho e ser bonzinho para ser feliz”.
    Sou um pai meio severo, exigente, mas não peço para ajoelhar no milho, nem pagar penitência, dou umas palmadinhas 1 ou 2 vezes por ano mas na próxima vida vou ver se consigo não dar nenhuma, viu, pois estou tentando evoluir um pouquinho por vez.

    Agora, deixa eu tentar não responder mais e não ser tão infantil e patético assim, tá?

  30. Gerald Diz:

    Quero deixar aqui o seguinte comentário, ou mensagem aos céticos, espíritas intelectuais inseguros, pseudo espíritas, céticos enrustidos em espíritas, e céticos se passando por espíritas que vem aqui botar lenha na fogueira:
    .
    “Agora é tarde para provar que Emmanuel era ou não Públio Lêntulo. Pena que vocês não pediram detalhes pessoalmente ao Emmanuel quando o Chico estava entre nós. Os espíritas verdadeiros com vergonha na cara, cultos ou incultos, não têm dúvidas sobre o que disse Emmanuel e quem foi Chico. Os céticos que busquem onde quiserem, falem o que lhes der na telha, mostrem suas provas mudas e surdas, pois nada mudará: será sempre meia dúzia de céticos contra milhões espíritas! Quem se disser espírita e duvidar do Chico e do Emmanuel, que vista em definitivo a camisa cética – pelo menos estará sendo honesto consigo mesmo. E a discussão aqui cairá para 10%”.
    .
    É só!

  31. Juliano Diz:

    Roberto Scur

    Você é o máximo. Muito engraçado o teu comentário. De minha parte visões de vida são visões de vida e amizades são amizades. Não o tenho como inimigo. Juro. Não vou dizer em nome de Jesus, pois eu não acredito neste. E o critico abertamente. Mas você pode ler os meus comentários. Critico mas ao mesmo tempo respeito a tua crença. Pois, infelizmente ainda, quem não tem crenças é um grande mentiroso. Eu tenho as minhas crenças e nunca neguei.
    Mas valeu o belo e engraçado comentário. Parece que agora vai ser em definitivo a saída? Pensa bem. Acho que não vale a pena, nada é definitivo. Mas se for um grande abraço. Seja feliz na tua crença, tem muita coisa boa nela. Por fim,não nutro este ódio que vocês imaginam. Só quero a verdade, na medida do possível desta ser encontrada. É isso.

  32. Juliano Diz:

    Gerald

    Parabéns pela tua forte e sincera crença na tua religião. O Pessoal evangélico e carismático católico também vai na mesma linha nas religiões deles. É crer por crer. E são milhões como vocês. Se faz bem para a pessoa, ótimo. Puro pragmatismo. Eu e acho que o pessoal crítico aqui não tem nada a se opor.
    A propósito. Eu não questionei o Chico Xavier sobre a figura do Emmanuel, pois na época além de não ter qualquer contato com ele. Faltava-me algo essencial para tal, idade. Quando o Chico Xavier morreu eu tinha 18 anos. Mas valeu a intenção.
    Um grande abraço.

  33. Gerald Diz:

    Juliano:
    .
    Pragmatismo aos pragmatistas, pesquisas aos pesquisadores e coerência aos coerentes. Espiritismo pretende conjugar seu verbo com, filosofia, fé e ciência. As contradições acontecem quando os que se dizem espíritas:
    .
    - Adentram tão somente aos corredores das experiências laboratoriais e crucificam as duas outras asas nos gélidos conceitos da física.
    .
    - Perdem-se em sofismas, em vãs considerações filosóficas e comparações errôneas dos fenômenos espíritas com as leis regentes da matéria, características do ceticismo.
    .
    - Depreciam a fé, que é justamente o elo que liga a matéria ao espírito, sendo a responsável em auxiliar o despertar da intuição, pois sem a fé nada existe na espiritualidade, além daquilo que os olhos simplesmente contemplam. E sem a intuição seremos os eternos céticos dominados pelo concretismo perverso e limitado do intelecto. A fé, por ela mesma, desperta poderes na alma que nenhuma das duas proposições anteriores consegue alcançar, ficando, pois, elas – sem o auxílio da fé – totalmente órfãs e inócuas em suas pretensas ações de espiritualidade.
    .
    Portanto amigo, defendo a fé como primeira e insofismável realidade. Aquele que não tem fé e nem confiança nos seus lídimos líderes, tenha a bondade de procurar outra cabana, pois desse modo se alia ao ceticismo, que é a maneira mais rápida de enlaçar-se às correntes da dúvida e voltar-se a crer em nada. Que peça a conta e saia pelos fundos.
    .
    É só

  34. Roberto Scur Diz:

    Gerald,

    Na próxima vida que aludi acima você poderia vir junto como evangelizador da infância e juventude no centro espírita que levarei meus filhos levados da breca, o Vitor, ao qual vou chamar de Francisco, ou Chico para os íntimos, e o outro, mais erudito e pomposo, o JCFF, que darei o nome de Públio.

  35. Roberto Scur Diz:

    Gerald,

    O Gilbertinho, que disse alhures entender bastante de mulher e coisarada, vai vir como minha filha querida que vou chamar de “Otília”.

  36. Gerald Diz:

    Scur:
    .
    Obrigado, mas declino da sugestão, ou ameaça? Esse carma é por demais pesado, tô fora!

  37. Gerald Diz:

    Scur:
    .
    Não pelos seus filhos, claro. Mas carma de evangelizador e reencontrar essa turma, é dose!

  38. Marcos Arduin Diz:

    Juliano, é o seguinte:

    “Você tenta impor aos céticos uma obrigação que é de vocês na verdade.”
    - OBRIGAÇÃO, ou seja, ônus da prova, cabe a quem AFIRMA. Quando se afirma que houve fraude, eu esperaria que essa fraude houvesse sido descoberta NO ATO, EM FLAGRANTE. Como aconteceu anos depois quando, AÍ SIM, Otília tinha uma mala onde guardava seus apetrechos (no caso em Uberaba todo o consultório foi revistado e NADA suspeito foi encontrado). Então como foi que ela teria feito a fraude? Ninguém até agora me disse. Eu também nunca vi qualquer descrição dos mecanismos de fraude em médiuns validados por pesquisadores, mesmo os dos tempos vitorianos. Por que a CRENÇA na fraude deveria ser mais aceita do que a crença em manifestação espiritual? Crença por crença…
    .
    “Quem afirma categoricamente se comunicar com os espíritos são os espíritas. Ou eu estou errado?”
    - Quem estabelece o contato são os médiuns. Agora as provas disso não produzidas à vontade. E NADA do que tentamos apresentar convence aos céticos. Se é assim, então ficamos na nossa. Que ganhamos ao convencer um cético? Um adepto a mais ou a menos…
    .
    “Ora, a maior prova que a fraude da materialização de Uberaba foi uma fraude é que provavelmente o Sr. Chico Xavier e Sr. Waldo Vieira, Sr. Rizzini e cia quando viram que a conversa de materialização não iria pegar, e iriam inevitavelmente ser desmascarados não fizerem mais experiência alguma de materialização. Você acha que os cidadãos acima, apaixonados que são e eram, aos que já se foram, pelos holofotes, caso o processo de materialização fosse sério eles não iriam fazer e refazer e fazer de novo o processo? Poupem-me.”
    - Infelizmente falta a postagem das reportagens restantes sobre o caso. Tomara que se consiga obtê-las. Aí então você ficará sabendo que os médicos foram chamados de canalhas, farsantes, gangsters; a Otília foi chamada de puta. Se esses “elogios” fossem dirigidos à sua pessoa por algum repórter, você ainda teria muita disposição em lhe conceder entrevistas e fazer de conta nada significaram para você?
    - Pois é EXATAMENTE o caso. O Cruzeiro era um semanário baseado em sensacionalismo barato. Não tinha compromisso com a verdade. Acusar um médium de ser farsante e canalha (ainda mais com o Chico e Waldo junto dele!) venderia muito mais do que dizer que sim… é autêntico. Todo mundo é curioso pra saber dos podres, ô meu!
    .
    “Isto só prova que o cidadão Jorge Rizzini não tinha escrúpulo algum, e além de mentiroso era debochado.”
    - Especifique a mentira e o deboche, por favor.
    .
    “Quer dizer, se orgulha, mesmo que negue, do espiritismo ter crescido em face de uma mentira!”
    - Desde que a mentira não tenha sido dita por nós espíritas… Quem mentiu foi o Cruzeiro e os repórteres. Se eles foram burros demais para queimar a ponte com o que já tinham em mãos e depois tiveram de correr atrás do prejuízo quando Jorge Rizzini e Luciano dos Anjos estragaram a farsa que montaram, o problema foi deles.
    .
    É isso.

  39. Marcos Arduin Diz:

    Gerald, dá para fazer um favor, não a mim, mas a si próprio e ao Espiritismo? CAIA NA REAL!
    .
    Contra FATOS, não há argumentos. Se Lêntulo EXISTIU, e foi o que Chico descreveu, então alguma coisa deveria subexistir na História sobre ele. CABE AOS HISTORIADORES ESPÍRITAS acharem o cara. Está a fim de fazer esse trabalho? Pode começar com a lista bibliográfica que o Zé Carlos já disponibilizou. Agora se o tal Lêntulo nunca for encontrado… A razão estará com o Zé.
    .
    Você está reagindo igualzinho aos evangélicos carolas. Se um dia resolver largar o Espiritismo, pode ir a uma dessas igrejas, que vai se dar muito bem. Nelas vale o que não vale no Espiritismo: FÉ CEGA. Os evangélicos ficam melindrados quando se coloca em dúvida qualquer coisa referente à Bíblia. Há dezenas, senão centenas, de evidências que comprovam que o Dilúvio de Noé NUNCA ACONTECEU. Mas vá dizer isso ao povo cristão! Esse pessoal acredita num monte de besteiras “científicas” que “comprovam” a ocorrência do Dilúvio.
    E você vai fazer que nem eles com relação ao Chico Xavier e suas obras? Desde quando existem escritos sagrados no Espiritismo? Desde quando temos profetas infalíveis entre nós que falam pelo Divino? Essa é a maior vantagem que temos sobre o povo evangélico: nossos profetas e seus escritos SÃO PASSÍVEIS DE ESTAREM ERRADOS. Daí então nenhum espírita tem de se assustar se lhe mostram que em Marte não tem aquilo que a mãe do Chico disse que tinha…
    Já os cristãos não têm essa sorte: seu livro sagrado, a Bíblia, é tida por EXATA E INFALÍVEL, ABSOLUTAMENTE VERDADEIRA EM TUDO SOBRE O QUE E MANIFESTA. Quando se constata que nela há erros, aí o cristão é obrigado a fazer tudo quanto é malabarismo para justificar e continuar validando o texto. Nós espíritas não podemos cometer o mesmo vexame.
    .
    Tome tenência, ô meu!

  40. Juliano Diz:

    Marcus Arduim

    “OBRIGAÇÃO, ou seja, ônus da prova, cabe a quem AFIRMA. Quando se afirma que houve fraude, eu esperaria que essa fraude houvesse sido descoberta NO ATO, EM FLAGRANTE. Como aconteceu anos depois quando, AÍ SIM, Otília tinha uma mala onde guardava seus apetrechos (no caso em Uberaba todo o consultório foi revistado e NADA suspeito foi encontrado). Então como foi que ela teria feito a fraude? Ninguém até agora me disse. Eu também nunca vi qualquer descrição dos mecanismos de fraude em médiuns validados por pesquisadores, mesmo os dos tempos vitorianos. Por que a CRENÇA na fraude deveria ser mais aceita do que a crença em manifestação espiritual? Crença por crença…

    1º Por que foi uma fraude a pretensa materialização de Uberaba. Não é crença. Eu creio que seria interessante você ler todas as reportagens do Cruzeiro. Ler o laudo do perito Carlos Eboli; ler sobre materialização. E no foi pego na hora pois os repórteres dizem claramente que foi combinado algo, repetir-se a experiência no outro dia. E no outro dia a Otília “picou a mula”.

    Quem estabelece o contato são os médiuns. Agora as provas disso não produzidas à vontade. E NADA do que tentamos apresentar convence aos céticos. Se é assim, então ficamos na nossa. Que ganhamos ao convencer um cético? Um adepto a mais ou a menos…
    2º Típico do argumento vazio. E que denota verdadeira arrogância pelo ser humano. Coisa diga-se típica de religioso. Pois fique com a tua crença.

    - Pois é EXATAMENTE o caso. O Cruzeiro era um semanário baseado em sensacionalismo barato. Não tinha compromisso com a verdade. Acusar um médium de ser farsante e canalha (ainda mais com o Chico e Waldo junto dele!) venderia muito mais do que dizer que sim… é autêntico. Todo mundo é curioso pra saber dos podres, ô meu!
    3º No melhor estilo Waldo Vieira, já que não se tem argumentos, então se desqualifica a fonte, os argumentos contrários. Eu já vi isto em muito político pilantra que sem poder contestar uma revista a desqualifica.

    - Especifique a mentira e o deboche, por favor.
    “4º A mentira é a fraude de Uberaba. E o deboche… faço minha as tuas palavras: 3 – No seu livro, Jorge Rizzini agradece aos repórteres e ao Cruzeiro pelo que fizeram, pois até então nunca se vendera tanto livro espírita como naquela época em que- Desde que a mentira não tenha sido dita por nós espíritas… Quem mentiu foi o Cruzeiro e os repórteres. Se eles foram burros demais para queimar a ponte com o que já tinham em mãos e depois tiveram de correr atrás do prejuízo quando Jorge Rizzini e Luciano dos Anjos estragaram a farsa que montaram, o problema foi deles.
    a denúncia da farsa fora feita. Mas como o autor salienta: a verdade deveria ser colocada em seu lugar.” Se isto não é deboche então meu amigo eu não sei o que é deboche. Uma pessoa séria deveria ficar no mínimo chateada e não se orgulhar da coisa toda.

    - Desde que a mentira não tenha sido dita por nós espíritas… Quem mentiu foi o Cruzeiro e os repórteres. Se eles foram burros demais para queimar a ponte com o que já tinham em mãos e depois tiveram de correr atrás do prejuízo quando Jorge Rizzini e Luciano dos Anjos estragaram a farsa que montaram, o problema foi deles.
    “5º Espírita mentir pode então. Vale tudo. O problema foi nosso! E não vi onde o Jorge Rizzini e Luciano dos Anjos estragaram a farsa. Eles se defenderam, e bem mau defendido. Mas isto já foi exaustivamente descrito aqui. Provavelmente o Vitor vai novamente demonstrar que a defesa dos dois foi pífia.

  41. Gerald Diz:

    Marcos Arduin:
    .
    Acho bom você ler melhor o que eu escrevi, ao invés de falar besteiras. Em momento algum falei de profeta, sagrado etc., embora sagrada seja a doutrina para os religiosos. Para intelectuais que se compactuam com céticos, o negócio muda, não é mesmo? Sequer citei você, a carapuça coube-lhe? Problema seu!
    .
    Mas já que vem me atacar diretamente digo-lhe: não tem meio termo: ou é ou não é. Lendo seus comentários sabe o que eu acho? Você é um tremendo de um vaidoso que está fazendo propaganda de um livro que diz ter escrito, e com toda a certeza vai querer debatê-lo nesse espaço. Por isso está todo maneiroso com o Vitor e jcff, Gilberto e toda a galera cética que quer que o espiritismo se funique. É, continue preparando terreno, e daqui a pouco eles vão é lhe dar um nó fixo, e acho que você vai mesmo adorar.
    .
    Não, muito obrigado, dispenso seus comentários, e seus conselhos invertidos. Já caí na real e com você não tem conversa. Imagine, duvidar do Emmanuel, do Chico e trocá-los por um pesquisador católico que escreve bonito! Que belo espírita é você. E ainda vem com essa conversa mole de fanatismo.
    Vade retum!
    .
    P.S. Se sentir-se ofendido a tribuna é livre, pode chorar à vontade.

  42. Marcos Arduin Diz:

    Sei não, Juliano.
    1 – Como é dito na reportagem do Cruzeiro mesmo, aquela era a SÉTIMA experiência que os médicos estavam fazendo, ou seja, a pesquisa já se estendia por meses, mas não se faziam experimentos todo fim de semana…
    .
    2 – Os repórteres NÃO SE MOSTRAM CONFIÁVEIS QUANTO A COMBINADOS. Havia sido combinado que DOIS repórteres estariam presentes ao experimento. Mas no dia marcado apareceram SETE REPÓRTERES. E mesmo assim, DURANTE A SESSÃO, não acharam coisa alguma suspeita.
    .
    3 – Pra começar, nem médium, nem pesquisador pode garantir sucesso em sessão alguma e daí dizer que “haviam combinado mais sessões” é uma afirmativa DOS REPÓRTERES. E pelo visto, você CRÊ piamente neles. Certo?
    .
    4 – Já que afirma que a materialização de Uberaba FOI FRAUDE, então fico no aguardo das suas provas sobre o caso. IMPORTANTE: Está EXCLUÍDA qualquer uma fornecida pela revista O Cruzeiro. Suas provas terão de partir de outras fontes mais confiáveis.
    .
    5 – É. Ficamos com nossa crença mesmo. E como temos a vantagem de não sermos missionários, então o conforto é maior.
    .
    6 – O começo desse tópico JÁ MOSTRA o que era a revista O Cruzeiro. Por que eu deveria confiar que fizeram algo de sério no caso em questão?
    .
    7 – É um problema DE FÉ. Você tem FÉ de que a materialização de Uberaba foi fraude. Já eu aceitarei isso quando me demonstrarem como a fraude teria sido feita dentro das condições em que ocorreu. Quando me derem os motivos pelos quais Chico, Waldo e os 19 médicos embarcaram nela. E finalmente como apesar de farsantes foram logo aceitar repórteres de um semanário famoso por sua postura anti-espírita. Enquanto isso não acontecer, fico na minha e você, com sua FÉ, achará que trata-se de deboche e mentira.
    .
    8 – Você está partindo do sem ponto de vista egocêntrico. Já tem a sua opinião como a absoluta verdade. Em seu livro, Rizzini diz ter testemunhado o fenômeno de materialização da Josefa (não o citado na reportagem) onde viu coisas que não poderiam ser produto de fraude. Então se ele confiava na veracidade do fenômeno, não estaria mentindo. Já os repórteres, por até se contradizerem, dão pistas de estarem mentindo. E a revista, quando “fabrica” uma mãe para a Otília, com base em documentos oficiais, mentiu descaradamente. Se não sabe do que estou falando, a revista fala que a mãe da Otília não era a freira Josefa e sim uma tal de Maria Luísa Barbosa, identificada com base em “documentos oficiais”. Só que uma das filhas dessa fulana cometeu uma gafe quando disse que a mãe se chamava Maria Luísa DA COSTA. Quem mentiu? A revista e os documentos oficiais ou a própria filha?
    Ah! E quanto ao laudo do Éboli (que depois ele próprio desmentiu ser um laudo) parece que ele falou que a virgindade da freira Josefa era INCONTESTÁVEL. Não sabia que se podia atestar virgindade num esqueleto…
    .
    Vai ter que argumentar melhor, meu caro.

  43. Marcos Arduin Diz:

    Mas Gerald
    VOCÊ está fazendo do Chico um profeta e de seus livros, obras sagradas. Não precisa me falar diretamente: sua postura já denuncia isso.
    _ Qual é o problema em DUVIDAR do Chico, do Emmanuel, do Kardec, do Ramatis ou de qualquer outro figurão espírita? Se a coisa que falaram ou escreveram não parece fazer sentido, USANDO DO MEU DIREITO DE ESPÍRITA, eu DUVIDO MESMO. Se está confortável na sua condição de vaquinha-de-presépio, feliz de você.
    - E não sou do tipo que se ofende facilmente, especialmente se quem pensa em me ofender é um pobre-coitado.

  44. Gerald Diz:

    Arduin:
    -
    Vivemos num mundo de relativos, e valores podem ser discutidos. Os pares de opostos existem na natureza, pois ela é mesmo dual, mas não a natureza espiritual da qual fala Jesus, Kardec, Emmanuel etc. Naquela, os valores são de outra natureza, verdadeiramente inabordáveis pelos sentidos comuns, e muito menos pelo intelecto traiçoeiro e limitado.
    -
    A afirmação pressupõem a negação, e vice versa nesse jogo de opostos. Se você que se diz espírita, nega Emmanuel, que é uma encarnação de uma doutrina, prove, pois o oposto e demonstre sob os termos dele por que o nega e à doutrina, ou grande parte dela. Se não consegue provar suas dúvidas, aceite pela fé, se não consegue ter fé não assopre poeira nos seus próprios olhos, pois dúvida não é negação!
    .
    Talvez você não possa se sentir ofendido, mas sim ofender com sua incoerência, pois não desejei lançar ofensas, mas sim responder às suas próprias palavras, e procurei desenhar seu perfil, da mesma maneira que você antes desenhou o meu.
    .
    Se você é incoerente ao sugerir-me um pobre-coitado, admiro-me da sua comparação, pois quem seria o pobre-coitado, quem duvida sempre daquilo em que vive e daquilo que pretende ensinar, ou quem alerta desta incoerência? Julgue quem puder!

  45. Emanuel Oliveira Diz:

    Quantos de nós Espíritas já lemos todas as publicações de Allan Kardec, incluindo Obras Póstumas e os 12 volumes da Revista Espírita? “O q é o Espíritismo” é uma delícia http://www.espirito.org.br/portal/codificacao/oq/
    Leiam os dialogos com o crítico, o cético e o sacerdote
    e constatarão q os argumentos q Kardec desmontou há 153 anos são os mesmos de hoje
    A Reencarnação como lei biológica natural tb explica isto!…

  46. Gilberto Diz:

    Amigos, tenho fé que um dia os espíritas aprenderão a ter fé e assumir que o espiritismo é questão de fé, pois POUCA coisa, ou quase NADA se verificou. Tenho fé que os seguidores de Xavier um dia entenderão que ele apostava na fé, sendo louco ou não, e escreveu ficção para aguçar a fé das pessoas. Tenho fé que as pessoas trabalharão mais NESTA vida, lembrando que a próxima só existe no âmbito da fé, pois ninguém NUNCA voltou. Tenho fé que os céticos arregaçarão as mangas e pesquisarão seriamente a PSP e levará os crentes, não a repensar sua fé, mais a deixar de ter fé em hoaxes e falsa ciência e aprenderão que a fé faz crescer o espírito, mas quando mal usada pode atrofiar o cérebro. Tenho fé que os crentes espíritas brasileiros entenderão que o caminho trilhado pelo Vítor é um caminho sem volta, e que ele não questiona a fé que faz crescer, mas sim a fé que atrofia, mesmo tendo ele pouca (ou nenhuma fé) neste “hodgepodge” que se chama espiritismo. Tenho fé que os espíritas verão que pessoas como o Vítor e até mesmo eu estamos do lado deles no tocante à nossa vontade de que tudo que foi feito não se desperdice com fé cega em truques de salão de quinta categoria. Tenho fé que os espíritas deixarão suas interpretações rasas da bíblia de lado e que entenderão que mencionar Cristo o tempo todo NÃO DÁ credibilidade ao espiritismo, mas sim o transforma numa seita neo-católica, onde santos católicos, mensagens soltas do evagelho e falsa humildade são usados para atrair católicos não-praticantes. Ah, e tenho fé que nunca me pedirão para provar que o Chupa-cabras nunca existiu, pois aí eu teria um grande problema, pois sou totalmente ignorante em Chupacabrologia…

  47. Juliano Diz:

    Marcos

    Só me responde uma coisa. Por quê o segundo espírito que apareceu naquele dia apareceu de branco e não aparecendo o rosto também? Ele era uma freira enrustida? Ainda por cima com peitos salientes?

    Outra coisa. Por quê sumiram os médiuns que tinham o poder da materialização? Eles eram tão comuns antigamente? Era uma festa. Será que é pelo motivo da tecnologia hoje inibir os fenômenos? Hoje não tem como armar um circo. E naquele tempo já o pessoal do Chico e Cia viu que com a materialização o circo fatalmente cairia?

    Mais uma. Suponha que fosse verdadeiro o processo de materialização da Otília. Passa pela tua cabeça uma pessoa ficar meia hora, quarenta minutos expelindo ectoplasma (se é que existe)? Isto é energia em tese bem mais densa, é matéria. Fique meia hora fazendo passe sem parar pra você ver se aguenta. E olha que o passe, se ectoplasma, não passa nem perto du pretensa energia de ectoplasma. Este seria um passe onde você veria energia branca, densa então, saindo de você. Aqui que uma senhora já com seus, sei lá, quarenta anos, ia aguentar.

    O próprio Waldo Vieira ao responder esta pergunta se alterou todo e falou falou e não disse nada. No final do vídeo dele ele quase chega a admitir a culpa pelo ocorrido em Uberaba. Se ele tivesse convicção que a experiência fosse real, ele teria sido taxativo. Veja o vídeo. A única coisa que ele não foi é taxativo.

    O Marcel Souto Maior narra no livro “As vidas de Chico Xavier” que o episódio da materialização de Uberaba foi frustrante para o Chico. Diz o Marcel Souto Maior que o Chico Xavier falou que naquele dia houve na verdade uma projeção do perispírito da Otília com as roupas da freira. Quer dizer, como a, em tese, irmã Josefa falou que era a irmã Josefa, ela provavelmente incorporou no perispírito da Otília. Uma salada tremenda. E o pior, aí o outro espírito que baixou naquela noite também incorporou o perispírito da irmã Josefa e apareceu como uma freira!!! rsrsrs Algo extraordinário!! Quando eu falei para um crente como você a uns tempos atrás. Aí foi pau no Marcel Souto Maior. Ele tava errado quando disse isto!!

    Outra coisa. Frio. É sabido. Pelos menos os espíritas, quando não envolvidos neste assunto, dizem que o ectoplasma esfria e muito o ambiente. É só procurar na internet que você acha. Caindo radicalmente a temperatura. Veja nas fotos se alguém demonstra alguma sensação de estar com frio? Ou narrou que houve de fato uma redução na temperatura do ambiente?

    Por fim. Os defensores da experiência dizem que a materializada, ou incorporada no perispírito e materializada só o véu, que ficou depois né quando da materialização do espírito masculino, alegam que na foto colocada acima resta claro que ela trespassou a grade. Ocorre que trespassou a grade, mas a cortinão. Aí teve um crente como você que me disse tempos atrás, não000, é que a cortina é mais densa que a grade….. Tá bom.

    É isso.

  48. Emanuel Oliveira Diz:

    Alerta para os Espíritas pela Espiritualidade Superior
    (quem não tiver interessado neste aviso passe ao post seguinte..)
    in http://purezadoutrinaria.wordpress.com/
    O espírito Camilo, através da psicografia de José Raul Teixeira, fez um alerta muitíssimo pertinente intitulado “Uma Reflexão sobre o Movimento Espírita”, constante da obra “Desafios da Educação“(Editora Fráter). Como o prezado e atento leitor poderá notar, a citada entidade espiritual analisa detalhadamente a quantas anda o Movimento Espírita em vista da falta de estudo e conhecimento do Espiritismo, resultando na tentativa de enxertias e desvios de todo tipo, incentivadas pela espiritualidade inferior, interessada em promover o sincretismo e a confusão em nossa fileiras.
    Leiamos com atenção e vejamos a estreita conexão com aquilo que analisamos aqui neste blog.
    Inicialmente, a nobre entidade fala sobre a excelência da mensagem espírita e da grandiosa figura do Codificador Allan Kardec e sua preocupação com a UNIDADE doutrinária.
    “A excelente Mensagem Espírita chega ao mundo como refrescante e iluminada aurora, anunciando um dia novo de bençãos para o planeta, atendendo as imensas carências da alma terrestre, que vivia a braços com as trevas ocasionadas pelo absolutismo materialista, que tem seus fundamentos balançados, em razão das Vozes altíssimas e claras que rasgaram o silêncio dos túmulos, para invadir os ouvidos da Humanidade inteira.
    Como chuva bondosa, a Doutrina Espírita penetra o solo ressequido das almas, onde, a partir de então, as sementes nobres dos ensinamentos do Mundo Superior teriam toda a chance de germinar e medrar, estabelecendo ventura e progresso.
    Eram novos tempos para a cultura e para a fé, que, agora, irisadas por luzes espirituais que se mostravam diante de todos, formulando convite ao espírito humano para um pensamento mais alto.
    No centro das ocorrências, destaca-se a figura augusta do professor Rivail, universalmente conhecido como Allan Kardec, e na sua visão de espírito de escol, sabia e afirmava que seria ponto de honra para o desenvolvimento da Mensagem na Terra a manutenção da unidade. Seria indispensável que em toda parte, onde surgisse um núcleo de estudos do Espiritismo, se pudesse falar a mesma linguagem, sem que houvesse riscos de ser ele desfigurado, sem riscos de que viesse a sofrer enxertias, o que seria descabida ocorrência no bojo de uma doutrina de tamanha lucidez. A preocupação do Codificador, porém, dizia que tais dificuldades eram passiveis de ocorrer.”
    Prosseguindo, o espírito Camilo comenta sobre o crescimento do Movimento Espírita e faz um alerta:
    “O tempo passa, as atividades em torno da Doutrina Espírita são desenvolvidas com rapidez. Da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas, em 1858, aos dias atuais, podem-se contar por milhares as instituições levantadas no mundo em nome da Veneranda Doutrina. Do pequeno grupo de almas dispostas, que ladearam o Codificador, suportando toda agrestia e fereza dos primeiros preconceitos até hoje, quando se torna status importante dizer-se espírita, há quase um século e meio de modificações na mentalidade geral.
    À semelhança do que ocorreu com a primitiva comunidade dos Apóstolos de Jesus, que foi perdendo em qualidade à medida que se foi expandindo, se popularizando e ganhando notoriedade através do prestígio político de Roma, as atividades ao redor do Espiritismo – o Movimento Espírita – foi tomando contornos preocupantes em todo lugar, na proporção do seu agigantamento acompanhado pelo desconhecimento declarado dos seus fundamentos.”
    Como pudemos perceber, Camilo aponta o desconhecimento decorrente da falta de estudo do Espiritismo como razão principal para a perda de qualidade que se nota em todo lugar no que tange à prática doutrinária, tal qual ocorreu com o Cristianismo, que em praticamente nada se assemelha àquilo que foi legado por Jesus.
    “Allan Kardec, valendo-se do seu inesgotável bom senso, estabeleceu que o Espiritismo é uma doutrina de livre exame, significando que, não sendo impositiva, oferece ao indivíduo que vai ao seu encontro todas as possibilidades de discussão e de análises, até que tenha podido compreender suas bases, de modo a vivê-las com claridade mental e segurança. Tristemente, muitos pensaram que tal condição de Mensagem lhes permita adaptar os seus preceitos doutrinários aos próprios gostos e tendências, sem causarem problemáticas adulterações no trabalho de profunda coerência dos Numes Tutelares da Terra.”
    Realmente perfeita a colocação do espírito Camilo. Muitos acham que podem adaptar seus atavismos ao corpo doutrinário espírita, demonstrando, com isso, total incoerência. Se não encontram-se satisfeitos com o Espiritismo, e não sendo esta uma Doutrina exclusivista e impositiva, nada mais sensato que dedicarem-se aos seus movimentos religiosos, deixando a prática espírita livre de adulterações e enxertias descabidas.
    “Referiu-se o Codificador à compreensão do Espiritismo dizendo que quem deseje tornar-se versado numa ciência tem que a estudar metodicamente, começando pelo princípio e acompanhando o encadeamento e o desenvolvimento das suas idéias (Kardec, A. O Livro dos Espíritos, introdução, parte VIII). Lamentavelmente, porém, muitos admitiram que poderiam falar e agir em seu nome, sem o mínimo de estudo de sua doutrina, na pressa inconsequente por obter fenômenos que bem podiam ser buscados fora dos arraiais espíritas, o que não vincularia a possível má qualidade ou a sua impostura ao respeitável estatuto espiritista.
    Os abnegados Prepostos do Cristo ensinam na Codificação que o ensino dos espíritos tem que ser claro e sem equívocos, para que ninguém possa pretextar ignorância e para que todos o possam julgar e apreciar com a razão (O Livro dos Espíritos, questão 627). Desafortunadamente, indivíduos oriundos dos mais diversos territórios intelectuais, das mais variadas regiões morais, com as mais estranhas idiossincrasias, atiraram-se a propor alterações doutrinárias, a fazerem adaptações inconsistentes quão perigosas, introduzindo idéias e práticas francamente estranhas aos textos e contexto da Doutrina. São muitos os que, ignorantes, vão mantendo outras criaturas no seu mesmo nível, abominando estudos, detestando análises, impossibilitando a aeração dos movimentos do raciocínio. Um grande número não crê no que o Espiritismo expõe, mas se vale da atenção dos crédulos e ingênuos, sempre abundantes, para impor as suas próprias fantasias que trata de envolver com as cores da Veneranda Doutrina, porque sabe do desvalor do produto que oferece querendo adesões que lhe incense a vaidade.
    Nenhum problema provocaria o indivíduo que criasse uma ordem de idéias, uma doutrina pessoal e que a defendesse com insistência, em seu nome mesmo, e a partir disso cobrasse atendimento, forjasse distintivos, premiações, imagens de “santos” encarnados, liturgias sacramentais e ordenações. Toda a sua prática seria buscada e seguida pelas almas que sintonizassem com isso, como deparamos no mundo dos intocáveis ismos , personalizados e personalistas, arrebanhando grupos imensos de fanatizados, que pagam bem caro para comprar um lugar no céu…, conforme a promessa dos seus líderes.”
    Camilo cita aquilo que também defendemos: sigam a quem quiserem e aquilo que bem entenderem, têm todos esse direito, mas aqueles que se dizem espíritas devam cuidar para que o Espiritismo mantenha-se livre de misturas, atavios e enxertias, permanecendo claro e límpido conforme nos foi legado pela Espiritualidade Superior.
    “Quanto ao Espiritismo, porém, as coisas devem ser diferentes. Não havendo obrigação da pessoa ser espírita; inexistindo qualquer ameaça infernal para quem não aceite sua orientação; não se prometendo premiações celestiais a quem quer que seja e sendo uma escolha livre da criatura, em meio de tão diversificadas opções, torna-se imprescindível que quem queira ser espírita se despoje dessa terrível vaidade de que querer que as coisas sejam a seu gosto, ao invés de ajustar-se aos espirituais ensinamentos da Grande Luz. Imprescindível que o sincero espírita assuma, de fato, a disposição de melhorar-se com o conteúdo assimilado das lições do Infinito, pelejando para domar as suas inclinações inferiores.”
    No trecho a seguir, Camilo fala da estratégia da espiritualidade inferior para aniquilar o Movimento Espírita:
    “Com tristeza, percebe-se hoje que o Movimento Espírita, que dispõe de tudo o que a Doutrina Espírita lhe brinda para ser amadurecido, pujante e avançado, tem sido alvo das investidas das Sombras organizadas e se encharcado com seus conteúdos peçonhentos e danosos. Daí, são núcleos criados para reverenciar personalidades vaidosas, que não abrem mão da relação de vassalagem; são instituições montadas somente para atender os corpos, sem qualquer compromisso com o espírito imortal que permanece vagueando nas trevas de si mesmo; são casas erguidas para desfigurar o pensamento espírita, em razão das mesclas implantadas com doutrinas, filosofias e práticas orientalistas ou africanistas que, mesmo merecendo respeito, têm propostas bem distintas das do Consolador.”
    Tais observações de Camilo não poderiam ser mais claras: a ênfase em trabalhos de cura de corpos em detrimento do estudo da Doutrina; a inserção de práticas orientalistas e africanistas; a idolatria a personalidades vaidosas e centralizadoras, encarnadas e desencarnadas, tidas como detentoras exclusivas da Verdade… Tudo isso com o velado objetivo de desfigurar o Espiritismo.
    “Ainda em nosso Movimento Espírita, se há confundido o caráter universalista do Espiritismo com uma infausta tendência agregacionista, pois, ao invés de o pensamento espírita ajudar a ver o mundo dentro da óptica da Vida Superior, para que o indivíduo saia do nível das considerações meramente materiais, vê-se que tudo que é encontrado de “interessante” mundo afora, deseja-se agregar ao Espiritismo. Cânticos, terapias, experimentações psíquicas diversas, mantras, vestuário, jargões, festividades de gosto execrável e coisas outras ocupando variado espectro, têm despontado aqui e ali, em nome da Doutrina Espírita. E o que é mais contristador, é que tudo isto se dá diante da postura inerme dos que aceitaram responsabilidades diretivas das quais não dão conta. Tudo isto tem sido acompanhado com o consentimento dos que dirigem, coordenam, “orientam”…”
    Exatamente como pensa a seita ramatisista: tudo crêem devam incorporar ao Espiritismo, em nome de um suposto “universalismo”, que, na verdade, não passa de confusão sincrética oriunda de atavismos e falta de aprofundamento e entendimento da proposta doutrinária espírita. Disseminam aos quatro cantos que Kardec (entenda-se a Codificação) estaria ultrapassado, como se as verdades universais fossem mutáveis, ao mesmo tempo que desejam inserir no Espiritismo as crendices e superstições cujam origens remontam milhares de anos, quando a civilização achava-se em sua infância. E quando chamados a atenção, colocam-se na posição de vítimas, de perseguidos, raivosamente alegando “falta de caridade” daqueles que lutam pacificamente pela manutenção da unidade doutrinária. No entanto, como bem disse o espírito Camilo, falta de caridade é justamente nada fazer e tão-somente observar o crescimento dessas estranhas idéias em nosso meio.
    Conclui Camilo, magistralmente:
    “Afirmou o Celeste Guia que ninguém pode servir a dois senhores…
    Estabeleceu o Excelso Mestre: Seja o vosso falar sim, sim, não, não…
    Informa o Espírito da Verdade: Deus procede ao censo dos seus servidores fiéis e já marcou com o dedo aqueles cujo devotamento é apenas aparente.
    Vale a pena refletir em todos esses brilhantes dizeres e nessas imagens tão expressivas dos mentores da Humanidade. A hora é, incontestavelmente, de testemunhos difíceis, e quem ainda não se sinta em condições de tomar do conteúdo da luminosa Revelação e dar-lhe impulso positivo, fazendo-a útil a si e aos irmãos do caminho, comece ou recomece o esforço íntimo para o fortalecimento da vontade de crescer, de despojamento do comodismo do homem velho, uma vez que Jesus Cristo confia nos empenhos das suas ovelhas, e conta que esses empenhos sejam verdadeiros, para que o seu devotamento não seja tão somente aparência, a fim de que se possa, então, construir um Movimento Espírita vívido e forte, capaz de representar as excelências do Espiritismo vivenciado e sofrido, se necessário, através das ações e convicções dos seus seguidores fiéis.”

  49. Gilberto Diz:

    Meu botão de rolagem vai quebrar. Quanta asneira. Precisa de um espírito pra ver o óbvio? A Veneranda Doutrina está escoando pelo ralo. Pela enorme quantidade de adjetivos mal-empregados, vemos que esse Teixeira lia muito Xavier. Agora, querer comparar 1,3 milhão de espíritas com 2 bilhões de cristãos é um exercício em pretensão. Só podia mesmo vir de um espírito superior como esse Camilo mesmo… Um show de adjetivos para o espiritismo. Se você repetir esses adjetivos na frente do espelho diariamente, o espiritismo vai até, quem sabe, incorporá-los de verdade:
    -
    pertinente
    -
    nobre
    -
    grandiosa
    -
    refrescante
    -
    iluminada
    -
    bondosa
    -
    augusta
    -
    lúcida
    -
    veneranda
    -
    inesgotável bom-senso
    -
    abnegados
    -
    claros
    -
    límpido
    -
    superior
    -
    sincero
    -
    amadurecido
    -
    punjante
    -
    avançado
    -
    excelso
    -
    brilhante
    -
    expressiva
    -
    luminosa

  50. Marcos Arduin Diz:

    “Vivemos num mundo de relativos, e valores podem ser discutidos. Os pares de opostos existem na natureza, pois ela é mesmo dual, mas não a natureza espiritual da qual fala Jesus, Kardec, Emmanuel etc. Naquela, os valores são de outra natureza, verdadeiramente inabordáveis pelos sentidos comuns, e muito menos pelo intelecto traiçoeiro e limitado.”
    - Este parágrafo tem tudo de um nada sonoro. Se a natureza espiritual tem valores de OUTRA NATUREZA, INABORDÁVEIS PELOS SENTIDOS COMUNS e (pior ainda!) PELO INTELECTO TRAIÇOEIRO E LIMITADO, então como chegamos à essência desses valores? Não podem ser sentidos, nem raciocinados… Então é como se nem existissem para nós.
    -
    “A afirmação pressupõem a negação, e vice versa nesse jogo de opostos. Se você que se diz espírita, nega Emmanuel, que é uma encarnação de uma doutrina, prove, pois o oposto e demonstre sob os termos dele por que o nega e à doutrina, ou grande parte dela.”
    -
    Gerald, você está tirando do que escrevo muito mais do que pertence. Desde quando NEGUEI a doutrina espírita? O que acontece é que estou negando validade A CERTOS ESCRITOS DE EMMANUEL pelo fato de não terem sido comprovados pela História, uma vez que isso seria possível. Se acha que isso é ruim, saiba que pode ser pior ainda.
    -
    “Se não consegue provar suas dúvidas, aceite pela fé, se não consegue ter fé não assopre poeira nos seus próprios olhos, pois dúvida não é negação!”
    - Provar minhas dúvidas? O que é isso? É de comer ou de beber? Se estou com dúvidas, desejo que sejam esclarecidas. A minha dúvida? Chico psicografou um romance, ditado pelo tal Emmanuel, que se apresentou como tendo sido o tal Lêntulo da carta descritiva de Jesus e que naqueles tempos foi isso e aquilo. E vivenciou estas e aquelas situações. Pois muito que bem, tudo o que existe desse tal Lêntulo é uma carta de origem duvidosa. Historicamente nada restou dele e, como já dito, várias pessoas de mesma categoria na época ficaram registradas. Então a dúvida é: tal Lêntulo existiu mesmo, como Emmanuel o descreveu, ou foi uma figura fictícia, da qual o espírito (por desconhecimento disso – veja bem, os espíritos não sabem tudo) se serviu para compor um personagem do romance?
    - Se nada na história confirma a existência do Lêntulo, então eu estou em desvantagem ao defendê-lo. Só poderia fazê-lo por fé, como você me sugere. Mas vale a pena eu investir nessa fé? O Espiritismo vai ruir feito castelo de cartas se eu preferir a hipótese de que Emmanuel simplesmente escreveu um romance em cima de uma figura inexistente? É lógico que não! TRATA-SE APENAS DE UM ROMANCE. Não é um livro doutrinário que faz o alicerce da Doutrina Espírita. Até no Livro dos Espíritos há pontos que mereçam reparos e nem por isso o Espiritismo fica a perigo. Ficaria sim se fôssemos fazer que nem os cristãos a defender o indefensável.
    -
    - Como lhe falei, tem coisa muito pior: a FEB foi dominada por rustenistas por muitos anos. Estes faziam publicar Os Quatro Evagelhos, do J. B. Roustaing, e vários outros livros (Elos Doutrinários, Elucidações Evangélicas, Jesus Perante a Cristandade, Universo e Vida) TOTALMENTE ANTI-DOUTRINÁRIOS em relação ao Espiritismo. E saiba você que Chico foi envolvido e dominado pela FEB por vários anos também. Leia o livro Conscientização Espírita, de Gélio Lacerda da Silva, Editora Opinião, 1995 e verá que a FEB fez de Chico um rustenista não declarado, mas introduzia em suas obras frases de pensamento rustenista. Emmanuel, talvez pelo seu ranço católico, não se opôs até que finalmente perdeu a paciência. Por volta de 1983 determinou a Chico que se servisse de outras editoras e não mais a FEB.

  51. Marcos Arduin Diz:

    “Só me responde uma coisa. Por quê o segundo espírito que apareceu naquele dia apareceu de branco e não aparecendo o rosto também? Ele era uma freira enrustida? Ainda por cima com peitos salientes?”
    - Porque sim. Os TRAJES eram distintos, como se pode ver pelas fotos. E o rosto APARECIA, tanto quanto o da freira, embora estivessem cobertos por um véu ralo, COMO SE PODE VER PELAS FOTOS. Ah! Falei aqui sobre uma diferença na forma dos narizes da freira/Otília e o Veloso e até agora ninguém me contestou. Você se habilita?
    .
    “Outra coisa. Por quê sumiram os médiuns que tinham o poder da materialização? Eles eram tão comuns antigamente?”
    - Comuns quanto, cara pálida? Tem-se a Florence Cook e sua irmã, Eva Fay, Eva Carriere, Eusápia Paladino, Madame D’Esperance, Helen Duncan, Maria Silbert, Rudi Schneider, Ana Prado, Peixotinho, Otília Diogo… Talvez eu tenha esquecido um ou outro, mas em confronto com os médiuns psicógrafos e psicofônicos, é muita gente para você ao longo de 140 anos?
    .
    “Era uma festa. Será que é pelo motivo da tecnologia hoje inibir os fenômenos? Hoje não tem como armar um circo. E naquele tempo já o pessoal do Chico e Cia viu que com a materialização o circo fatalmente cairia?”
    - É engraçado como vocês acham que a materialização caduca por conta da tecnologia, como se os métodos comuns e antigos de verificação pudessem sempre ser facilmente burlados… O meu problema aqui, Ju, é que NENHUM CÉTICO soube me descrever como se deu a burla em cima de métodos de verificação tão precários…
    .
    “Mais uma. Suponha que fosse verdadeiro o processo de materialização da Otília. Passa pela tua cabeça uma pessoa ficar meia hora, quarenta minutos expelindo ectoplasma (se é que existe)? Isto é energia em tese bem mais densa, é matéria. Fique meia hora fazendo passe sem parar pra você ver se aguenta. E olha que o passe, se ectoplasma, não passa nem perto du pretensa energia de ectoplasma. Este seria um passe onde você veria energia branca, densa então, saindo de você. Aqui que uma senhora já com seus, sei lá, quarenta anos, ia aguentar.”
    - Coitado! Acho que você aprendeu sobre materialização com aquele artigo imbecil da SuperInteressante…
    .
    “O próprio Waldo Vieira ao responder esta pergunta se alterou todo e falou falou e não disse nada. No final do vídeo dele ele quase chega a admitir a culpa pelo ocorrido em Uberaba. Se ele tivesse convicção que a experiência fosse real, ele teria sido taxativo. Veja o vídeo. A única coisa que ele não foi é taxativo.”
    - Uma pena. Talvez fosse porque se milindre toda vez que o lembram do seu passado junto com o Chico (PÔ, GENTE! FALEM DA MINHA CARREIRA SOLO!). Ou ele não fez experimentos o bastante para sanar suas dúvidas ou, diante da comprovação de fraude posterior por parte da médium, tenha receio de ser taxativo. Se eu não tivesse obtido algo com absoluta certeza, eu também não seria taxativo. Mas se o obtivesse, então faria como William Crookes, que JAMAIS voltou atrás quando validou algum médium.
    .
    O Marcel Souto Maior narra no livro “As vidas de Chico Xavier” que o episódio da materialização de Uberaba foi frustrante para o Chico. Diz o Marcel Souto Maior que o Chico Xavier falou que naquele dia houve na verdade uma projeção do perispírito da Otília com as roupas da freira.”
    - O que já é um fenômeno! E não caracteriza fraude.
    .
    “Quer dizer, como a, em tese, irmã Josefa falou que era a irmã Josefa, ela provavelmente incorporou no perispírito da Otília. Uma salada tremenda. E o pior, aí o outro espírito que baixou naquela noite também incorporou o perispírito da irmã Josefa e apareceu como uma freira!!! rsrsrs Algo extraordinário!! Quando eu falei para um crente como você a uns tempos atrás. Aí foi pau no Marcel Souto Maior. Ele tava errado quando disse isto!!”
    - Como não vi o outro espírito vestido de freira, vou supor que você bebeu antes de escrever (como diz outro por aqui). Quanto ao Chico e Marcel, o crente de quem fala não é como eu, pois o que digo é Chico de fato ficou frustrado com a médium. Ele não conseguiu fazê-la entender a importância de sua missão. Ela, sendo pobre, viu naquilo uma oportunidade de ganhar grana, COMO JÁ VINHA FAZENDO ANTES DO CASO EM QUESTÃO. E assim prosseguiu, mas como é sabido no Espiritismo, o médium nada pode fazer sem a intervenção dos espíritos. Quando sua mediunidade decaiu de vez, nada mais lhe restava senão a fraude. E deu no que deu.
    .
    “Outra coisa. Frio. É sabido. Pelos menos os espíritas, quando não envolvidos neste assunto, dizem que o ectoplasma esfria e muito o ambiente. É só procurar na internet que você acha. Caindo radicalmente a temperatura. Veja nas fotos se alguém demonstra alguma sensação de estar com frio? Ou narrou que houve de fato uma redução na temperatura do ambiente?”
    - E como é que os espíritas(?) NÃO ENVOLVIDOS neste assunto sabem que a temperatura cai drasticamente? Nos livros que li, NADA DISSO É MENCIONADO. O que se diz é que o ectoplasma pode ser frio ao toque, mas pode ter uma temperatura próxima ao do corpo humano.
    .
    “Por fim. Os defensores da experiência dizem que a materializada, ou incorporada no perispírito e materializada só o véu, que ficou depois né quando da materialização do espírito masculino, alegam que na foto colocada acima resta claro que ela trespassou a grade. Ocorre que trespassou a grade, mas a cortinão. Aí teve um crente como você que me disse tempos atrás, não000, é que a cortina é mais densa que a grade….. Tá bom.”
    - Sua escrita aí está tão confusa que até pediria para reescrevê-la com mais atenção. Eu digo que a forma materializada atravessou alguns dos grilhões da jaula, mas isso NÃO A IMPEDIU DE AFASTAR A CORTINA, pois manteria o ectoplasma mais denso na zona de contato com esta. Difícil?

  52. Gilberto Diz:

    “…NENHUM CÉTICO soube me descrever como se deu a burla em cima de métodos de verificação tão precários…”
    -
    Brincadeira de mau gosto. O truque foi tão infantil e básico no mundo da mágica que não apenas pode ser reproduzido com facilidade, como coisas muito mais fantásticas já foram desenvolvidas de lá pra cá. Juliano, defender uma farsa tosca, onde inclusive os envolvidos principais confirmaram que foi realmente farsa, é tirar toda a sua credibilidade e nos fazer ter pena de você, pois isso não é coisa de pessoa normal. Você precisa de psicoterapia, amigo. E urgente. Isso não é ceticismo, é conselho de amigo. Isso pode te trazer muitos problemas na sua vida pessoal. Considere a idéia com carinho. Quanto a Kardec, sua boa vontade não apaga sua pesquisa falha, sua crença cega em médiums capengas, que ele simplesmente desenvolveu toda uma gama de suposições que soavam lógicas e desejáveis. Seu dom foi o dom da retórica, não da iluminação espiritual. Mas sua falsa humildade mostrava uma pretensão sem limites: Sua doutrina era a derradeira REVELAÇÃO, e ela iria crescer absurdamente tragando todas as outras crenças no mundo. Essa sua previsão não se concretizou, é claro, e o espiritismo apenas encolhe. Ou os espíritas se tornam mais críticos e abandonam seus “livros sagrados” imexíveis e “perfeitos”, além de se desdogmatizarem, ou ele sumirá e muitas das coisas boas propagadas por ele sumirão junto. E isso seria uma pena. Sinceramente, eu preferia ver os espiritismo crescendo, principalmente no que ele tem de melhor: promover o crescimento da pessoa NESTA vida (o que sem dúvida ocorre) e difundir sentimentos fraternais tão raros hoje em dia. Não precisa ser muito sensível pra se ver o quanto os verdadeiros espíritas são pessoas amáveis, preocupadas com seus semelhante e com a caridade. De vez em quando alguns deles aparecem aqui. Dá uma saudade deles quando a gente lê esses idiotas que acham que estão doutrinando alguém com a mágica do “copiar e colar” de artigos ou extratos de livros espíritas…

  53. Marcos Arduin Diz:

    “…NENHUM CÉTICO soube me descrever como se deu a burla em cima de métodos de verificação tão precários…”
    “Brincadeira de mau gosto. O truque foi tão infantil e básico no mundo da mágica que não apenas pode ser reproduzido com facilidade, como coisas muito mais fantásticas já foram desenvolvidas de lá pra cá.”
    - Ô Giberto! Não estou pedindo coisas mais fantásticas. Só quero que reproduzam o truque tão infantil nas mesmas condições de experimentação, concordando com o que os observadores relataram… Só isso.
    .
    “Juliano, defender uma farsa tosca, onde inclusive os envolvidos principais confirmaram que foi realmente farsa, é tirar toda a sua credibilidade e nos fazer ter pena de você, pois isso não é coisa de pessoa normal.”
    - Como se pode ver, parece que o Giberto, com seu senso AGUÇADÍSSIMO acusou o Juliano de algo que ele não cometeu, a frase inicial é minha e não dele. E o Juliano parece-me ser um igual a você… Se comete um erro tão grosseiro assim, como confiar na sua capacidade de me descrever o truque mágico tão infantil?
    .
    “Você precisa de psicoterapia, amigo. E urgente.”
    - Não acho. O que eu preciso é de algum cético inteligente que faça um serviço completo e não os meia-bocas que estão por aí, na literatura cética.
    .
    “Isso não é ceticismo, é conselho de amigo. Isso pode te trazer muitos problemas na sua vida pessoal. Considere a idéia com carinho.”
    - Que problemas seriam esses?

    “Quanto a Kardec, sua boa vontade não apaga sua pesquisa falha, sua crença cega em médiums capengas, que ele simplesmente desenvolveu toda uma gama de suposições que soavam lógicas e desejáveis. Seu dom foi o dom da retórica, não da iluminação espiritual.”
    - Gosto não se discute: lamenta-se.
    .
    “Mas sua falsa humildade mostrava uma pretensão sem limites: Sua doutrina era a derradeira REVELAÇÃO, e ela iria crescer absurdamente tragando todas as outras crenças no mundo. Essa sua previsão não se concretizou, é claro, e o espiritismo apenas encolhe.”
    - Bem, de fato Kardec viu a coisa muito maior do que se deveria ser. Também não é pra menos: cometeu um erro gravíssimo. Ele NÃO PREPAROU UM SUCESSOR. Envolvido com um projeto pessoal pouco antes de morrer, negligenciou essa tarefa fundamental. A direção da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas ficou por conta do seu gerente, Pierre Gaetän Leymarie. Boa pessoa no sentido moral, mas sem pulso para a tarefa exigida. Aí as coisas começaram a dar errado…
    .
    “Ou os espíritas se tornam mais críticos e abandonam seus “livros sagrados” imexíveis e “perfeitos”, além de se desdogmatizarem, ou ele sumirá e muitas das coisas boas propagadas por ele sumirão junto.”
    - Deus te ouça! Mas tenho lá as minhas dúvidas: acho que foi numa Isto É que falou do futuro do Espiritismo e indicou que pessoas o deixam por causa desse dogmatismo. Entretanto, a bronca é porque acham que o Espiritismo deveria se “atualizar” e incluir coisas como Cromoterapia, Florais de Bach, Homeopatia, Cristalologia, Pirâmides e outras pataquadas esotéricas. Para mim, esse “conserto” vai sair pior que o enguiço.
    .
    “E isso seria uma pena. Sinceramente, eu preferia ver os espiritismo crescendo, principalmente no que ele tem de melhor: promover o crescimento da pessoa NESTA vida (o que sem dúvida ocorre) e difundir sentimentos fraternais tão raros hoje em dia.”
    - As igrejas cristãs deveriam ter feito isso. Onde foi que erraram?
    .
    “Não precisa ser muito sensível pra se ver o quanto os verdadeiros espíritas são pessoas amáveis, preocupadas com seus semelhante e com a caridade. De vez em quando alguns deles aparecem aqui. Dá uma saudade deles quando a gente lê esses idiotas que acham que estão doutrinando alguém com a mágica do “copiar e colar” de artigos ou extratos de livros espíritas…”
    - Bem… Ninguém é perfeito.

  54. Juliano Diz:

    Gilberto

    Tem um personagem do Pânico na TV que aparece apenas para dizer um bordão fantástico: “EU NÃO ENTENDI NADA!”. Que farsa tosca eu defendo? Acho que é você que precisa de análise.

  55. Gerald Diz:

    Há muitos erros na sua visão, Alduin, incoerências e desejo de mudar porque não entende. Ou, pior, porque lhe são simpáticos os argumentos materialistas de outro religioso.
    .
    Os livros de Emmanuel têm muita sabedoria, ele encarna a sabedoria, como Kardec encarnou a doutrina, para que discutir ou se opor a essas validades?
    .
    Mas se os homens não foram de todo correto com a divulgação das obras do Chico, elas de todas as formas chegaram às mãos de milhões e isso divulgou a sabedoria do espiritismo e alicerçou um necessário arcabouço da doutrina no Brasil.
    .
    O que Chico, Emmanuel ou a doutrina têm haver diretamente com isso? A ambição humana alavanca o progresso, e pelos imperfeitos caminhos se alcançam também aos objetivos superiores Emmanuel interferiu junto ao Chico? Então chegara o momento, qual o problema? A vida continua!
    .
    Veja como você está confuso e envolto por argumentos dialéticos e oposicionistas dos céticos: Você disse:
    .
    “A minha dúvida? Chico psicografou um romance, ditado pelo tal Emmanuel, que se apresentou como tendo sido o tal Lêntulo da carta descritiva de Jesus e que naqueles tempos foi isso e aquilo”. Para você “o tal Emmanuel” é duvidoso, vagante, um tal que o jcff achou por bem em nome de sua pesquisa pessoal e carismática, anti-espírita, tirá-lo de circulação, mostrando-o (o alterego do Chico) inexistente. Tanto o ceticismo do possível clérigo jcff quanto o seu mostraram-se aqui por achar Emmanuel inexistente. Nenhuma dúvida quanto a isso.
    .
    Porém, mais adiante você afirma categoricamente:
    .
    “Emmanuel, talvez pelo seu ranço católico, não se opôs até que finalmente perdeu a paciência. Por volta de 1983 determinou a Chico que se servisse de outras editoras e não mais a FEB”. Então servindo aos seus argumentos Emmanuel ressuscita verdadeiro e leal, não mais “um tal Emmanuel” duvidoso e volta a brilhar com a coerência que lhe serve. Agora são duas personalidades lídimas e destacadas, Chico e Emmanuel. São finalmente verdadeiros! Vê o teor pessoal de seus conflitantes argumentos?

    Emmanuel não tem ranço católico algum, é um espírito superior – um mestre na acepção perfeita do termo. E não estranho sua crítica subliminar, Alduin, ao ranço católico do Emmanuel, porque muitos espíritas criticam duramente a igreja. Mas aqui encontrei mais do que uma coincidência: a coerência bem visível de suas palavras de simpatia à igreja e ao jcff. Particularmente acredito que você já pretendeu seguir os caminhos do catolicismo, talvez sacerdotais, e guarda no subconsciente fortes reminiscências, que, aliás, até acho que a igreja apesar de seus erros tem sabedoria e muitas coisas boas, a despeito dos homens. Nada contra, pois é visível aqui e noutros espaços que o espiritismo também tem dissensões e limitações, que se não forem sanadas levarão a uma grande divisão, o que seus inimigos aproveitarão para mais ainda tripudiar e destruir. Portanto, todo o cuidado é pouco.
    .
    Não volto mais ao assunto. Já disse tudo o que tinha a dizer e em absoluto me sinto afligido por suas palavras.
    .
    É só!

  56. Gerald Diz:

    Desculpe errar seu nome. É Arduin. Não foi proposital.

  57. Gilberto Diz:

    Marcs, Juliano e Gerald. Acho que temos um denominador em comum então. O espiritismo precisa se adaptar e evoluir (não incluindo é claro essas besteiras de Nova Era, que ninguém merece) e que sucessores de Kardec precisam se pronunciar, se já existem, ou precisam se desenvolver, se não. Não se pode perder as coisas boas já alcançadas pelo espiritismo. Sou cético, mas não sou burro. Conheço o valor da boa religião e como tenho muito contato com a Igreja Católica, por intermédio da minha esposa, vejo coisas grandiosas sendo feitas e não vejo toda essa manipulação, maldade e ignorância que alguns citam aqui. Algumas das pessoas mais inteligentes e esclarecidas que conheço são católicas. No espiritismo também há coisas grandiosas. E isso não pode ser perdido, creio eu. Einstein, um modelo pra mim, se achava extremamente religioso e via a necessidade e importância da religião. Ele era cético, não acreditava na vida após a morte, dentre outras coisas, mas não era burro. Ele sabia o que era bom quando ele via algo bom. Não quero me comparar a ele, mas ele é meu ídolo (depois do Elvis, a quem devo meu topete e minhas costeletas cumpridas, além de eu fazer dublagem do Rei em clubes da Baixada Fluminense nos fins de semana). Abraços.

  58. Gilberto Diz:

    Contato para shows:
    -
    http://www.dubladoresdoreieternoelvissempreelvis.com.br

  59. Juliano Diz:

    Marcus Arduim

    1º TRAJES DISTINTOS – É verdade, estavam com trajes distintos. A Freira usava um traje de freira por cima da roupa de baixo do outro espírito materializado. Tá certo.
    2º O FENÔMENO DE MATERIALIZAÇÃO – Deve ter ocorrido, só pode, uma reunião no plano espiritual que estabeleceu que a partir de 1965/66, não tem mais tem mais materialização. Acho que resolveram que estava dando muito problema e acabaram com o fenômeno. Senão vejamos. Segundo sua descrição tem-se a data de nascimento e falecimento do povo descrito por você.
    Eva Fay (1851 – 1927); Eva Carriere (1886 – 19??) mas já deve ter morrido e as fotos são das antigas, como todas; Eulália Paladino (1854 – 1918); Madame D´Esperence (1849 – 1918); Helen Duncan (1897 – 1956); Maria Silbert (1866 – 1936); Rudi Schneider (1908 – 1957); Anna Prado (???? – 1923); Peixotinho (1905 – 1966); Otília Diogo (???? – 1965) ano este que ela alega ter entrado em recesso. Para bom entendedor meia palavra basta.
    3º A burla se deu exatamente pois naquela época os métodos de verificação eram precários. O que nós queremos é que se repita o fenômeno hoje para nós atestarmos e verificarmos o mesmo? Será que é tão complicado assim? E além do mais quando viram que os repórteres iam desmascarar a coisa toda, não repetiram mais o processo. Até por quê, como disse o Rizzini, livros e mais livros espíritas já estavam com venda garantida.
    4º O teu comentário só denota que você não entende nada de Biologia, Física. Bem como parece que nunca foi num centro espírita e fez um simples passe.
    5º WALDO VIEIRA – Quem o conhece sabe que ele está com a razão, elé não é taxativo, ele é muito taxativo. Você sai pela tangente e não responde. É que não tem o que dizer né? O Waldo deixa a coisa toda muito clara.
    6º O Chico relatou ao Marcel um novo fenômeno, qual seja, Materialização no Perispírito Projetado. Quer dizer, a Otília se projetou, e daí expeliu ectoplasma (os véus) para ela projetada. (…) Bacana.
    7º Vai ler o que vocês dizem sobre ectoplasma e a sensação de frio que dizem, em tese, gerar.
    8º Calma pacato cidadão. Confesso a minha burrice. Não entendi a tua explicação. Mas (…) tudo bem.

    OBS: Marcus Arduim. Você pode ter certeza que as pessoas mais interessadas em esclarecer o processo de materialização são os céticos. Nos incomoda não termos respostas claras! Não dá pra engolir este meio termo espírita religioso que só geram dúvidas e mais dúvidas. E todo um processo de pesquisa científica que se faz necessário não é feito. Ou se é ninguém comenta e ninguém vê. Ontem mesmo numa aula de Psicologia Experimental, estudando sobre se há comportamento inato, parece que não. E eu mesmo a contragosto tenho que admitir que o ateísmo radical é muito plausível. Nós morremos e acabamos. E isto é assustador! Eu só não sou um ateu radical pois tive uns processos que ainda me mantém na esperança de provar o pós-vida. Agora o que não dá pra engolir, e você quer acreditar o problema é teu, um circo como aquele ocorrido em Uberaba. Mas valeu. Sem ressentimentos. Eu perdi meia hora aqui. Daqui a pouco vou ficar sem emprego. Não vou mais te responder sobre este tema. O que tinha pra dizer eu já falei. Fiquemos com as nossas crenças e um grande abraço.

  60. Juliano Diz:

    Estava pensando durante o almoço. A extrema bondade de coração da figura humana Chico Xavier, pra mim, é algo que eu não questiono. Pelo contrário, acho que ele na sua essência tinha muita boa intenção. E pelo que falam os espíritas ajudou muita gente. O que eu acredito que seja verdade.
    Então, após o debate com o espírita Marcus Arduim não retiro uma palavra do que disse. Mas tem um fenômeno envolvendo o Chico Xavier que eu acredito ter sido verdadeirametne sobrenatural. Pelo menos eu não consigo ver uma explicação natural para o mesmo. O porquê do mesmo ter ocorrido eu não sei. Mas é algo até acalentador que ele tenha ocorrido. Pode ser até que seja outra fraude. Mas eu não acredito. Eu falo do episódio do facho de luz captado por uma câmara que entrou no quarto do hospital onde Chico Xavier estava convalescente, a beira da morte. E ao que parece ele se recuperou após o episódio. Eu gostaria da opinião de todos sobre aquele processo ocorrido. E até possíveis explicações contra e a favor para o mesmo. Desde já agradeço.

    Um abraço

  61. Gilberto Diz:

    Simples Juliano. Reflexo. O feixe passo diante da câmera dando a ilusão que passou em frente do quarto, pois é lá que a câmera apontava. O feixe terminou no canto inferior esquerdo do vídeo, bem abaixo da janela do quarto, dando a impressão que ia para o chão. Mas não foi para o chão. Ele simplesmente acabou no final do campo ótico da lente. Simples. Mas é assim que surgem os hoaxes. Uma suposição, um fiapo de realidade, que é multiplicada à enésima potência. MUITAS pessoas, inclusive que não viram o vídeo, disseram que o facho ENTROU no quarto de Xavier, mas ele deu a impressão de se esvanecer abaixo da janela em questão. Mais um episódio que se une aos incontáveis outros que fazem a mitologia Xaveriana, junto da escrita em outros idiomas (frases soltas tiradas de dicionários e até de cartões postais, como no caso do jovem judeu), da materialização de Emmanuel como um louro de 1m90cm, das cartas que inocentaram réus, da indicação ao Prêmio Nobel, entre outras. Um fiapo de verdade exagerado a cada vez que se conta o ponto. Quanto ao vídeo, Ufologia está repleta dessas coisas. Abraços.

  62. Gerald Diz:

    Ah! Ah! Ah!

  63. Marcos Arduin Diz:

    “Não volto mais ao assunto. Já disse tudo o que tinha a dizer e em absoluto me sinto afligido por suas palavras.”
    - Quando um cético me escreve algo parecido, esfrego as mãos e digo baixinho: _ Ganhei!
    .
    Então, para encerrar esse assunto:
    1) Não tenho motivos para duvidar da EXISTÊNCIA do espírito que assina pelo pseudômino Emmanuel, nem da sua condição como mentor do Chico Xavier.
    .
    2) Mas tenho razões para duvidar que seja um ESPÍRITO SUPERIOR, pois…
    .
    3) Espíritos Superiores são aqueles situados logo abaixo dos Espíritos Puros, ou seja, já estão a caminho disso. São espírito de alta categoria, com amplo saber e moralidades reunidos e RARAMENTE reencarnam e só para missões de grande envergadura. Tanto quanto eu saiba, o único espírito superior que deu as caras por aqui foi aquele tal de Jesus Cristo.
    .
    4) Muita pretensão achar que Emmanuel seria um espírito superior, portanto, ainda mais por ter feito algo que um espírito superior jamais faria: escrever um romance onde perpetuava uma visão distorcida e anti-semita e tendo por personagem principal um cara que não foi registrado pela história. E também não permitiria que Chico se rendesse à vontade da FEB, que o induziu ao pensamento rustenista.
    .
    5) Portanto Emmanuel é um espírito do mesmo nível que nós.
    .
    6) É tolice defender o indefensável. Sei lá se o Carlos Magno defende que em Marte há tudo aquilo que o Ramatis falou, mas se o fizer, é uma defesa insustentável. A mesma coisa é aqui com o Emmanuel. Se o tal Lêntulo não deixou nenhum traço na História, seria um tremendo azar, considerando o que Emmanuel diz o que ele foi. Se fosse um espírito mais prudente, diria logo de cara que se tratava de um romance ficcional, com objetivo de ensinar moral aos leitores. Aí então nem estaríamos discutindo nada.
    .
    É isso.

  64. Juliano Diz:

    Ao Marcus Arduim

    Parabéns pela tua vitória. Fala um cético que tem a humildade de ver que em determinado momento ficar trocando argumentos que não irão convencer nem um, nem outro, é pura perda de tempo. Mas parabéns grande Marcus, você venceu. Pode levar o troféu Jorge Rizzini.

  65. Gerald Diz:

    Meu filho, realmente não vou mais voltar ao assunto. O tal ganhei, coloque na parede ou na sala, na prateleira dos troféus por que realmente sua sabedoria é um espanto! Insuperável! O “tal Jesus”, o único que deu as caras por aqui deve estar sorrindo de orelha a orelha diante de sua demonstração de sapiência e respeito. Sobre espíritos superiores – que banho, que aura. Nossa!!! Foi manero mesmo!
    .
    Realmente seu ego é muito, muito maior que a sabedoria doutrinária de Emmanuel e não caberia nela!
    .
    Matou tudo com um só tiro. Se mal me pergunto: por que não chamá-lo só de Mané? Afinal, deve ser ainda de escolinha dominical, não é mesmo? Meus parabéns por rasgar preconceitos, dogmas, etc. Voto em você para Reformador!
    .
    À propósito, se tiver tempo naturalmente, por favor explique-me por que você nega o Mané, e depois no caso da FEB o elogia pela grande atuação junto ao Chico. Parece-me que se esqueceu de responder. Se não puder não faz mal, é somente um detalhe a mais, sem importância, só curiosidade. Afinal, já to mesmo de saída – tenho de cumprir a promessa!
    .
    Grande abraço mestre e desculpe qualquer coisa!

  66. Emanuel Oliveira Diz:

    3ª)O MARAVILHOSO E O SOBRENATURAL
    V. — O Espiritismo tende, evidentemente, a fazer reviver as crenças fundadas no maravilhoso e no sobre¬natural; ora, no século positivo em que vivemos, isto me parece difícil, porque é exigir que se acredite nas superstições e nos erros populares, já condenados pela razão.
    A. K. — Uma idéia só é supersticiosa quando falsa; mas cessa de o ser desde que passe a ser uma verdade reconhecida.
    A questão está em saber se os Espíritos se mani¬festam, ou não; ora, isso não pode ser tachado de supers¬tição, antes de ficar provado que não existem espíritos.
    Direis: a minha razão não aceita essas comunicações; porém, os que crêem e que não são nenhuns mentecaptos invocam também as suas razões e, além disso, os fatos; para que lado se deve pender? O grande juiz, nesta questão, é o futuro — como tem sido em todas as ques¬tões científicas e industriais classificadas como absurdas e impossíveis em sua origem.
    Pretendeis julgar a priori segundo a vossa opinião; nós só o fazemos depois de, por muito tempo, ter visto e observado. Acresce que o Espiritismo esclarecido, como o é hoje, procura, ao contrário, destruir as idéias supersticiosas, mostrando o que há de real ou de falso nas crenças populares, denunciando o que nelas existe de absurdo, fruto da ignorância e dos preconceitos.
    Vou mais longe e digo que é precisamente o positi¬vismo do nosso século que faz com que adotemos o Espi¬ritismo, e que este deve, em parte, àquele a rapidez da sua propagação, antes que, como alguns pretendem, a uma recrudescência do amor ao maravilhoso e ao sobre¬natural.
    O sobrenatural desaparece à luz do facho da Ciência, da Filosofia e da Razão, como os deuses do paganismo ante o brilho do Cristianismo. Sobrenatural é tudo o que está fora das leis da Natureza, O positivismo nada admite que escape à ação dessas leis; mas, porventura, ele as conhece a todas?
    Em todos os tempos foram reputados sobrenaturais os fenômenos cuja causa não era conhecida; pois bem: o Espiritismo vem revelar uma nova lei, segundo a qual a conversação com o Espírito de um morto é um fato tão natural, como o que se dá por intermédio da eletri¬cidade, entre dois indivíduos separados por uma distân¬cia de cem léguas; o mesmo acontece com os outros fenômenos espíritas.
    O Espiritismo repudia, nos limites do que lhe per¬tence, todo efeito maravilhoso, isto é, fora das leis da Natureza; ele não faz milagres nem prodígios, antes explica, em virtude de uma dessas leis, certos efeitos, demonstrando, assim, a sua possibilidade. Ele amplia, igualmente, o domínio da Ciência, e é nisto que ele pró¬prio se torna uma ciência; como, porém, a descoberta dessa nova lei traz conseqüências morais, o código das conseqüências faz dele, ao mesmo tempo, uma doutrina filosófica.
    Deste último ponto de vista, ele corresponde às aspi¬rações do homem, no que se refere ao seu futuro; e como a sua teoria do futuro repousa sobre bases positivas e racionais, ela agrada ao espírito positivo do nosso século.
    É o que compreendereis, quando vos derdes ao tra¬balho de estudá-lo. (O Livro dos Médiuns, cap. 2º, Revue Spirite, dezembro de 1861, pág. 393, e janeiro de 1862, pág. 21.)

  67. Marcos Arduin Diz:

    “1º TRAJES DISTINTOS – É verdade, estavam com trajes distintos. A Freira usava um traje de freira por cima da roupa de baixo do outro espírito materializado. Tá certo.”
    - Não! Tá errado! Vista uma roupa de homem, bote um turbante na cabeça e depois vista um traje de freira por cima (ou peça à sua senhora ou outra mulher da família para fazer isso) e depois me mande as fotos. Vejamos se não fica meio estranho. E finalmente, faça tudo isso caber num dedal ou num bolso, sem deixar nenhuma suspeita em quem olhar.
    .
    “2º O FENÔMENO DE MATERIALIZAÇÃO – Deve ter ocorrido, só pode, uma reunião no plano espiritual que estabeleceu que a partir de 1965/66, não tem mais tem mais materialização. Acho que resolveram que estava dando muito problema e acabaram com o fenômeno. Senão vejamos. Segundo sua descrição tem-se a data de nascimento e falecimento do povo descrito por você.
    Eva Fay (1851 – 1927); Eva Carriere (1886 – 19??) mas já deve ter morrido e as fotos são das antigas, como todas; Eulália Paladino (1854 – 1918); Madame D´Esperence (1849 – 1918); Helen Duncan (1897 – 1956); Maria Silbert (1866 – 1936); Rudi Schneider (1908 – 1957); Anna Prado (???? – 1923); Peixotinho (1905 – 1966); Otília Diogo (???? – 1965) ano este que ela alega ter entrado em recesso. Para bom entendedor meia palavra basta.”
    - Bem, soube de outros fenômenos de materialização e que há um centro no Rio de Janeiro que ainda faz isso. Só que aprendemos finalmente a lição: é só para os nossos. O resto que se danem.
    .
    “3º A burla se deu exatamente pois naquela época os métodos de verificação eram precários.”
    - O velho mantra cético da precariedade dos controles… Bem, isso já me encheu, especialmente quando não conseguem me dizer como foi que os tais controles precários foram burlados. Preencha a lista então, por favor: Como ela escapou das algemas? Como abriu os cadeados sem romper os lacres? Como entrou com todos aqueles trajes, montes de panos, sem deixar nenhuma suspeita evidente? Como os vestiu sem fazer barulho ou movimentos? Como esses panos foram desdobrados SEM DEIXAR MARCAS DE VINCOS E DOBRAS ou sinais de AMARROTAMENTO?
    -
    “O que nós queremos é que se repita o fenômeno hoje para nós atestarmos e verificarmos o mesmo? Será que é tão complicado assim? ”
    - Além de complicado, é INÚTIL. Mais de 200 cientistas fizeram pesquisas com médiuns e chegaram a resultados semelhantes. Por que não convenceram aos céticos?
    .
    “E além do mais quando viram que os repórteres iam desmascarar a coisa toda, não repetiram mais o processo.”
    - Como assim, viram que iam desmascarar a coisa toda? Os repórteres deixaram declarações GRAVADAS E ESCRITAS de que ficaram impressionados e nada acharam de errado ou fraudulento na coisa. Tendo em vista o severo exame feito no consultório e nas pessoas (rasgaram os bolsos do Chico e examinaram até os saltos dos sapatos), certamente todos tinha esperança de que tudo tinha se passado bem e que os repórteres fariam uma boa reportagem favorável ao fenômeno. Inclusive fizeram até uma primeira reportagem neutra. Ora, isso certamente os teria deixados mais propensos a convidá-los para novas sessões…
    Ficamos aqui com algo a ser resolvido: Chico, Waldo e os médicos eram ingênuos que foram empulhados pela Otília ou eram canalhas macomunados com a fraude?
    No primeiro caso, não teriam porque temer novas visitas dos repórteres, pois acreditavam que o fenômeno era genuíno. Já no segundo, de certo nem concordariam com a visita de repórter nenhum, até pelo “currículo” que o Cruzeiro tinha no meio espírita. É só uma questão de lógica.
    .
    “Até por quê, como disse o Rizzini, livros e mais livros espíritas já estavam com venda garantida.”
    - Já que você não entendeu, então vou explicar: isso aí foi uma CONSTATAÇÃO que Rizzini observou. Ao invés de ARRASAR o Espiritismo, como desejava fazer David Nasser, o que aconteceu foi exatamente o inverso: várias pessoas ficaram curiosas para saber sobre ele. Por isso que se vendeu tanto livro espírita.
    É como aconteceu com um livreiro conforme o dono de uma banca espírita junto à Câmara Municipal de S. Carlos me contou. Ele recebera uma doação de livros espíritas usados e os colocou a venda por preços baixos, mas pouca gente se interessava por eles. Ficavam lá, encalhados. Até o dia em que o Padre Quevedo deu as caras por lá e fez aquele seu curso de parapsicologia de fundo de quintal, onde disse “cobras e lagartos” do Espiritismo. Pois nos dias que se seguiram, todos aqueles livros velhos foram vendidos e o livreiro teve de fazer encomenda de novos para atender aos interessados.
    .
    “4º O teu comentário só denota que você não entende nada de Biologia, Física. Bem como parece que nunca foi num centro espírita e fez um simples passe.”
    - Então para o seu governo: sou botânico e atuo num centro espírita na parte de atendimento espiritual. De física, de fato sei pouco… Mas o bastante para saber que um fenômeno de MATERIALIZAÇÃO, que não se perca pelo nome, NÃO É CONVERSÃO DE ENERGIA EM MATÉRIA.
    .
    “5º WALDO VIEIRA – Quem o conhece sabe que ele está com a razão, elé não é taxativo, ele é muito taxativo. Você sai pela tangente e não responde. É que não tem o que dizer né? O Waldo deixa a coisa toda muito clara.”
    - Ué? Quem falou que ele não foi taxativo e titubeou foi você mesmo. Eu nem vi o vídeo.
    .
    “6º O Chico relatou ao Marcel um novo fenômeno, qual seja, Materialização no Perispírito Projetado. Quer dizer, a Otília se projetou, e daí expeliu ectoplasma (os véus) para ela projetada. (…) Bacana.”
    - Bacana mesmo… Só se for pra você. Acho que o Quevedo também tem uma explicação parecida, só que com outros termos…
    .
    “7º Vai ler o que vocês dizem sobre ectoplasma e a sensação de frio que dizem, em tese, gerar.”
    - Vocês quem, cara pálida?
    .
    “8º Calma pacato cidadão. Confesso a minha burrice. Não entendi a tua explicação. Mas (…) tudo bem.”
    - Já que está tudo bem, não vou repetir.
    .
    “OBS: Marcus Arduim. Você pode ter certeza que as pessoas mais interessadas em esclarecer o processo de materialização são os céticos.”
    - IMPROVÁVEL. Existe uma coisa que à falta de melhor nome eu chamo de INFELIZ DESCOINCIDÊNCIA. Veja que quando há médiuns bons atuando, NUNCA aparece um cético qualificado para examiná-lo e tentar descobrir a real natureza dos fenômenos que ele produz. Olha só o Chico: viveu 92 anos, atuou como médium por mais de 60 e… Nunca foi estudado por cético algum. E veja só a gracinha deste blog: faz dele o super-homem que era capaz de comandar uma equipe de assessores abnegados, detetives, grampeadores de telefones, etc e tal; era bam-bam-bam em leitura fria, morna e quente; era telepata, criptopata, psicopata, poeta, romancista, pasticheiro, etc e tal… Mas só se discute isso a posteriori… POR QUE NENHUM CÉTICO INVESTIGOU O CHICO ENQUANTO ELE ESTAVA VIVO?
    .
    A mesma coisa aconteceu COM TODOS OS OUTROS MÉDIUNS. Os únicos que os investigaram eram cientistas aos quais os céticos acusam de terem sido babacas, idiotas, imbecis, canalhas, vendidos, sacanas, etc e tal. Não é mesmo uma infeliz descoincidência? E quando os médiuns morrem ou se aposentam, aí sim aparecem os MUITO INTERESSADOS CÉTICOS… Só para demonstrar que tudo não passava de fraude e tolice. E vocês ainda querem ser levados a sério…
    .
    “Nos incomoda não termos respostas claras! Não dá pra engolir este meio termo espírita religioso que só geram dúvidas e mais dúvidas. E todo um processo de pesquisa científica que se faz necessário não é feito.”
    - Ciência, meu caro, é DINÂMICA. Nos tempos vitorianos, só havia possibilidade de controles que vocês reputam como “precários”. Se fossem mesmo, o grande bam-bam-bam cético Massimo Polidoro não precisaria ter mentido para defender a fé cética. Por isso não dou crédito a esse seu mantra de que “os controles eram precários”.
    .
    “Ou se é ninguém comenta e ninguém vê. Ontem mesmo numa aula de Psicologia Experimental, estudando sobre se há comportamento inato, parece que não. E eu mesmo a contragosto tenho que admitir que o ateísmo radical é muito plausível. Nós morremos e acabamos. E isto é assustador! Eu só não sou um ateu radical pois tive uns processos que ainda me mantém na esperança de provar o pós-vida. Agora o que não dá pra engolir, e você quer acreditar o problema é teu, um circo como aquele ocorrido em Uberaba.”
    - Você só tem duas opções, cara: ou VIVENCIA UMA EXPERIÊNCIA PESSOAL, OU ACREDITA EM QUEM VIVENCIOU. Só que os céticos, POR MOTIVO DE FÉ, acham que esses que relatam suas experiências SÃO TODOS MENTIROSOS. Aí, fazer o que?
    .
    “Mas valeu. Sem ressentimentos. Eu perdi meia hora aqui. Daqui a pouco vou ficar sem emprego. Não vou mais te responder sobre este tema. O que tinha pra dizer eu já falei. Fiquemos com as nossas crenças e um grande abraço.”
    - Certo. Ganhei!

  68. Marcos Arduin Diz:

    É só um problema de cegueira voluntária sua Gerald.
    O nosso presidente Mulla já foi chamado de “o cara” pelo Obama. Que fez o Mulla para ganhar esse elogio? Apesar da grande incompetência do Amorim e do Top Top Top Garcia, ele granjeou simpatia por sua atuação em diversos encontros, tidos por sérios, mas com forte cheiro de perfumaria.
    Mas o Nosso Guia Mulla já não é mais o cara. Debochou dos presos cubanos, continua às boas com ditadores enrustidos como Chavez e Moralez, e agora deu de apoiar o Amajirnãoseioque, o que irritou o resto dos manda-chuvas. Conseguiu um acordo, segundo ele com as diretrizes dadas pelo próprio Obama e… Agora a Hilária lá não o quer mais.
    .
    Com o Mané aí é a MESMA COISA. Se ele fez coisa errada, eu o critico por ter feito coisa errada. Se fez coisa certa, aí eu o elogio. Já perdeu de vista que os espíritos são apenas humanos sem corpo físico, mas com as mesmas limitações de moral e intelecto?

  69. Gerald Diz:

    Ai, ai, ai! Já botei óculos e to consequindo enxergar melhor sua lógica. Ufa, valeu beliscão mestre. Me fez até voltar à realidade por uns segundos. Então vejamos de novo:
    .
    “Com o Mané aí é a MESMA COISA. Se ele fez coisa errada, eu o critico por ter feito coisa errada. Se fez coisa certa, aí eu o elogio”.
    .
    Ora, então não é só o Lula o cara! Bom, bom, então o Mané não é uma sombra, uma ficção, um alterego do Chico: ELE EXITE MESMO !- IUUUPY !- IA BADÁ BADU!

  70. Juliano Diz:

    Marcos

    Parabéns vencedor. Só corrigindo um erro de digitação meu quando falei do Waldo. A idéia que eu quis passar é que quando o Waldo fala sobre algo que ele não está mentindo, tem plena convicção, ele é muito taxativo.
    Outra coisa. Você disse no último comentário que um Centro Espírita no Rio faz os fenômentos da materialização nos dias atuais. Eu acho que por uma questão de justiça você deve dizer que Centro é este. Este tom belicoso/debochado teu não vai a lugar nenhum. Depõe só contra o espiritismo. E o azar é de vocês.
    Acho que até para nós podermos analisar a situação toda e atestarmos a veracidade ou não do fenômeno de materialização neste Centro Espírita você tem a obrigação de dizer que Centro é este. Sob pena de assim não o fazendo ser um legítimo Jorge Rizzini, você já ganhou o troféu dele. Diga-se, um grande mentiroso. Como eu disse, eu e muita gente aqui quer é a verdade apenas, só isto. Não estou aqui de brincadeira ou querendo lixar o espiritismo por lixar. Repito, você tem a obrigação de dizer onde está ocorrendo este fenômeno no Rio. Que Centro Espírita é este? Nos de a possibilidade de avaliarmos o digo fenômento hoje. Eu não tenho medo algum de mudar de opinião. É isso.

  71. Juliano Diz:

    Pra você não querer tirar sarro de novo e se fazer de desentendido. Na penúltima linha do último comentário meu quando eu disse digo é “dito.” Dito fenômento hoje.

  72. Emanuel Oliveira Diz:

    É natural q não-espíritas não saibam; mas não é nada normal q frequentadores e sobretudo trabalhadores não saibam a Escala Espírita no livro básico da Doutrina dos Espíritos
    Uma coisa é a opinião pessoal dum espírita “o achismo”;
    outra bem diferente é o q faz doutrina
    Quando não temos a certeza do q falamos, mas vale abstermo-nos de qq comentário, sobretudo para não induzir em erro espíritas a apalpar terreno.
    “2ª ordem – Bons Espíritos
    2ª classe. Espíritos Superiores – Reúnem a ciência, a sabedoria e a bondade. Sua linguagem revela sempre a benevolência e é constantemente digna, elevada, muitas vezes sublime. Sua superioridade os torna mais aptos que os outros para nos dar noções mais justas sobre as coisas do mundo incorpóreo, dentro dos limites do que é permitido ao homem conhecer. Comunicam-se benevolentemente com os que procuram de boa-fé a verdade e que têm a alma já liberta dos laços terrestres para compreendê-la. Mas se afastam dos que são movidos apenas pela curiosidade ou dos que a influência da matéria desvia da prática do bem.

    Quando, por exceção, encarnam na Terra, é para realizar uma missão de progresso e nos oferecem, então, o modelo de perfeição a que a humanidade pode aspirar neste mundo.

    1ªordem – Espíritos puros
    Características gerais – Não sofrem nenhuma influência da matéria. Superioridade intelectual e moral absoluta em relação aos Espíritos das outras ordens.

    1ª classe. Classe Única – Passaram por todos os graus da escala e se libertaram de todas as impurezas da matéria. Tendo atingido o mais elevado grau de perfeição de que é capaz a criatura, não têm mais que sofrer provas nem expiações. Não estando mais sujeitos à reencarnação em corpos perecíveis, a vida é para eles eterna e a desfrutam no seio de Deus.

    Gozam de uma felicidade inalterável por não estarem sujeitos nem às necessidades, nem às variações e transformações da vida material. Mas essa felicidade não é de uma ociosidade monótona passada numa contemplação perpétua. São os mensageiros e ministros de Deus, cujas ordens executam para a manutenção da harmonia universal. Comandam todos os Espíritos que lhes são inferiores, ajudando-os a se aperfeiçoarem e lhes designam missões. Assistir os homens em suas aflições, incitá-los ao bem ou à expiação das faltas que os afastam da felicidade suprema é para eles uma agradabilíssima ocupação. São chamados, às vezes, de anjos, arcanjos ou serafins.

    Os homens podem entrar em comunicação com eles, mas presunçoso seria aquele que pretendesse tê-los constantemente às suas ordens.”
    A Espiritualidade Superior esclarece bem q Jesus é o único Espírito Puro q esteve na Terra; Espíritos Superiores são como é natural Allan Kardec, Joanna de Ângelis, Emmanuel, Chico Xavier, Divaldo, Gandhi, Madre Teresa Calcutá, Francisco de Assis, etc..
    Os Espíritos q fazem parte da falange do Espírito da Verdade ajudaram na codificação: e como é natural são Espíritos Superiores! Joanna de Ângelis tem 2 mensagens como espirito Amigo; Emmanuel assina “O Egoísmo”- por tudo o q nos dá chamam-lhe o 5º Evangelista

  73. William X Diz:

    Vitor,
    -
    Eu tinha fechado o blog porque estou realizando uma matéria sobre a última discussão que eu tive com você (sobre Allan Kardec e o Espiritismo). Abri o blog novamente ao público e não irei fechar mais para realizar novas matérias, pois agora aprendi a salvar em rascunho antes de torná-las acessíveis.
    -
    Gostaria de esclarecer os seguintes pontos:
    -
    Primeiro lugar, toda matéria do blog “Crítica Espiritualista” é opinião minha e não se responsabiliza como uma verdade estabelecida pela Doutrina dos Espíritos, assim como o caso em si, das materializações de Uberaba, independente do resultado não afeta em nada o Espiritismo.
    -
    Segundo lugar, toda matéria do blog estará sujeita às modificações, mesmo no que se relaciona às conclusões. Estarei constantemente corrigindo meus próprios erros.
    -
    Terceiro lugar, infelizmente até agora só eu escrevo matéria no blog, não tenho tempo e boas condições para fazer algo do tipo que gostaria, ou seja, sempre irei “sumir” e aparecer depois de um tempo, estou cheio de coisas para fazer.
    -
    Esclarecido esses pontos, vamos às questões.
    -
    “No caso, são as fotografias publicadas. Defensores do caso sugerem que as fotos podem ter sido retocadas, mas não apresentam qualquer evidência a respeito”.
    -
    Errado, os espíritas (contando Jorge Rizzini) em pleno debate na televisão reclamam o negativo da foto que “evidenciam” seios no espírito Alberto Veloso. Essa foto (que é a mais interessante em questão) não foi analisada por Carlos Petit.
    -
    “Vale notar que nem todas as fotografias foram tomadas por repórteres do Cruzeiro”.
    -
    Grande parte das fotos foram tiradas por Geraldo Móri de “Fatos e Fotos”, isso já estava publicado em “Crítica Espiritualista”. Waldo Vieira parecia que estava envolvido em um projeto de lançar um livro sobre o caso, mas em declarações recentes o que é que aconteceu mesmo? Ele fugiu para algo do tipo, um sítio, a conselho de alguém próximo do pessoal de “O Cruzeiro”? Foi isso? “Sorte” dos repórteres que puderam provocar Rizzini nos programas perguntando onde estava Waldo, agora eu entendi.
    -
    “Mesmo porque, ao mesmo tempo, apologistas do caso também se animaram a implicar como sua análise das fotografias era tão ou mesmo mais válida que a análise conduzida pelo especialista a serviço do Cruzeiro”.
    -
    Respeito todo conhecimento, desde que não fira meus olhos e raciocínio m certas condições. Nesse ponto, você por acaso está usando o recurso de autoridade? Basta o Papa na igreja católica!
    -
    “Repetimos também, ainda outra vez, que toda esta questão seria de menor relevância caso os apologistas tivessem produzido evidência objetiva que ilustrasse a extraordinariedade das materializações”.
    -
    Se o fenômeno existe, a qualidade e o desejo de situações extraordinárias, fora de leis pertencem à pessoa insensata, de idéias pré-concebidas.
    -
    “Não havia nenhuma parte desinteressada, e todo o episódio foi apenas um simulacro de teste controlado”.
    -
    Então “O Cruzeiro” foi incompetente?
    -
    “Pode-se mesmo indicar que quanto mais elaborados, quanto mais dependentes de inúmeros elementos, mais propensos à fraude são os controles. O cético James Randi e seu Project Alpha são um caso ilustrativo aos interessados”.
    -
    Errado, James Randi gosta de imitar fora do ambiente de controle, enganando que está refutando.
    -
    “Seria mesmo evidência do espírito materializado atravessando as barras? O blog “Crítica Espiritualista” defendeu que sim, argumentando que a posição das barras faria com que pelo menos uma delas atravessasse a cabeça de uma pessoa de carne e osso”.
    -
    Errado, você não apresentou a foto que o blog “Crítica Espiritualista” apresentou:
    (http://3.bp.blogspot.com/_M497x5e8Vj4/S84eqlfkmsI/AAAAAAAAARA/gny54UIG2EQ/s1600/analise-foto-A-critica-espiritualista.jpg)
    -
    “Essa é a extraordinária “evidência” de que o “espírito” estaria atravessando as grades, de acordo com a equipe de médicos, de acordo com William X em sua Crítica Espiritualista”.
    -
    Não. Essa é a extraordinária “falta de atenção” sua.
    -
    “As dessemelhanças não são nada óbvias. Pelo contrário. Há semelhanças óbvias”.
    -
    Fica a critério dos leitores, podem acessar meu blog e comparar o rosto da freira e de Alberto Veloso.
    -
    “A única dessemelhança óbvia parece ocorrer na parte inferior do rosto, mas esta teria explicação simples: Otília Diogo usava falsa barba para “materializar” o espírito masculino”.
    -
    Onde ela escondia barba, trajes diferentes, etc.? Naquela maleta da década de 70?
    -
    “Esta é, evidentemente, uma declaração muito comedida para uma semelhança escandalosa. Quão conveniente não é que o suposto espírito fosse idêntico ao rosto da médium que dizia materializá-lo?”.
    -
    Você certamente acha William Crookes e TODOS os envolvidos no caso Katie King, ANTES DELE, uns tremendos idiotas não? Ou seja, recurso de fuga, argumento fora de contexto e, portanto, fraco.

  74. Gilberto Diz:

    Emmanuel, a sua má fé em “copiar e colar” aulas ridículas sobre a tal “doutrina espírita” só mostra que você está bagunçando o Blog, com toda essa má fé. Nem os espíritas que vêm aqui devem ler seus textos “copiados e colados”. Acho que nem você! Somente graças a educação do Vitor é que você está aqui. Pois o que você posta é spam!! É propaganda de uma religião, apostilas de cursos desses espíritas que colocam o “Violetas na Janela” embaixo do braço e se acham intelectuais do espírito! Seus posts deveriam ser apagados, pois eles NÃO SÃO comentários sobre o que está sendo discutido. Repito, essa sua MÁ FÉ é resultado de sua frustração em convencer outros de sua própria fé rasinha. Você quer se autoafirmar usando este blog de forma jocosa. E você está ridicularizando a própria doutrina espírita, usando-a como veículo de sua infantilidade e imaturidade espiritual. A prova que nem você lê o que está postando é a repetição de textos em vários posts. Isso é “trollagem”. O seu uso das palavras de Kardec jogadas pra “provocar” as pessoas é um desrespeito ao próprio Kardec. Amadureça, por favor. Procure ajuda. Para seu próprio bem. Abraços.

  75. Gilberto Diz:

    E Faça como o William, arregace as mangas e lute pelas suas idéias. Desenvolva-se, sei lá, mas PARE de jogar esses textos repetidos na nossa cara. Este Blog tinha que ter uma caixa de spam e só quem quisesse a abriria… E o Emmanuel estaria lá, bem ao lado da propaganda do “Viaghra”, do Cialliz” e do Levita Indianos!!!!

  76. William X Diz:

    http://criticaespiritualista.blogspot.com/2010/04/critica-materializacoes-de-uberaba-x-o_01.html

  77. Marcos Arduin Diz:

    Juliano
    Não lembro o nome do centro, mas o Vitor deve saber, pois salvo engano até tentou contato com esse centro. Mas se está pensando em chegar, posando de cético sábio, culto, racional e inteligente e achando que vão lhe abrir as portas para qualquer bobagem que você pense ser o supra-sumo da experimentação, pode tirar o cavalo da chuva.
    .
    Quanto ao meu tom belicoso, danço conforme a música, muito embora nem saiba dançar. Um cabo de vassoura dança melhor que eu. Se um cara me vem com as pataquadas habituais, fazendo-me apelo ao “bom-senso”, então falo a língua dele. Sacou?

  78. Marcos Arduin Diz:

    Pois é, William.
    Na foto que aqui aparece, onde comentam haver semelhanças óbvias, apontei uma dessemelhança óbvia: o nariz fino, comprido e apontado para chão da Otília e o nariz largo, chato e apontado para cima do Veloso. E até agora ninguém me desmentiu…

    Já no seu blog achei falta dos testes que o Petit fez com o manequim, mostrando como ficaria um tecido passado a ferro e dobrado sucessivamente… Coisa que o sábio Éboli nem testou.

  79. Juliano Diz:

    Marcus Arduim

    Me devolva o troféu. Você já sabe o que eu penso de você.

  80. Emanuel Oliveira Diz:

    Prezado Robert Scur e companheiros espíritas:
    Hoje no Centro Espírita na aula do Departamento Infanto Juvenil demos a aula sobre cientistas espíritas clássicos. Na próxima vida se Deus o permitir e se quiser disponibilizo-me para ser monitor dos seus 3 filhos Chico, Públio e Otília no DIJ. A experiência gratificante nesta vida com meninos da favela e outros meninos “queques” tão ou mais difíceis são desafiantes e ajudam-nos a melhorar as didáticas pedagógicas e sobretudo a resgatar as nossas grandes dívidas actuais. Quando eles forem mais crescidinhos os novos currículos já incluirão novas descobertas científicas pois a Reencarnação já terá sido aceite como lei biológica. Naturalmente os espíritos ainda mais ligados à matéria ouvirão estas aulas com mtas dúvidas mas mta curiosidade..
    Todos fizemos o trabalho de casa e ficámos a saber (sim porque aprendo mto mais com eles do q ensino) que grandes cientistas do séc.19, 20 e 21 que eram materialistas-organicistas-reducionistas convictos, conseguiram libertar-se da capa do orgulho e do personalismo com investigações sérias e imparciais ao tentar descredibilizar os factos espíritas acabaram por comprová-los. Tal como Allan Kardec constatou e previu. A grande diferença para alguns pseudo-sábios: souberam retratar-se humildemente porque a formação moral e intelectual honesta é conquista do espírito imortal.
    Agora caro leitor você decide a quem dar credibilidade
    1) a personalidades, cientistas e médiuns imortalizados na história pelos seus feitos e suas descobertas científicas (para não ser fastidioso vou só citar do séc.19, quem duvida pode consultar biografias de não espíritas)
    exs. Alexandre Aksakof, Alfred Russel Wallace, Arthur Conan Doyle, Benjamin Franklin, Camille Flammarion, Cesar Lombroso, Charles Richet, Daniel Dunglas Home,Ernesto Bozzano, Eusápia Paladino, Florence Cook, Fredrich William Henry Myers,Gabriel Delanne,George Vale Owen,Gustave Geley,Henry Slade,James Hervey Hyslop,Johan Carl Friedrich Zöllner,Katie King,Léon Denis,Robert Dale Owen,Sir Joseph Oliver Lodge (Oliver Lodge),William Crookes,William James,William Stainton Moses
    2) a pessoas que nunca fizeram qualquer tipo de investigação nesta área (e ainda bem porque não têm formação para isso). Se uma criança não deve entrar num laboratório por explodir os reagentes, imaginem tratar do “Laboratório do Mundo Invisível” sem ter estudado o mínimo.
    A única pessoa que de forma humilde o reconhece é o autor deste blog que se diz ateu e “creio que se possa dizer que sou parapsicólogo e espírita experimentador.
    Você pode conferir o resumo de uma pesquisa minha sobre reencarnação aqui:
    http://www.unibem.br/cipe/3_links_pdf/7%20%20III%20Encontro%20Psi.pdf
    Também há uma participação minha num artigo sobre mediunidade, em que eu e meu amigo Kentaro Mori detectamos a origem de uma foto ‘paranormal’
    Entretanto, nenhuma das duas envolve ‘experimentação’, tecnicamente falando.”
    Quanto aos outros ilustres desconhecidos… aguardamos há mto tempo os resultados das vossas investigações científicas e experimentações técnicas, que provarão que os factos espíritas são o q vocês queriam q eles (não) fossem.
    Nós estamos sempre na expectativa, aprendendo convosco para demonstrar q estamos errados nesse ponto e seremos os 1ºs a reconhecê-lo honestamente. Nós não temos de provar nada. O interesse é de quem quer provar que só existe o nada.

  81. Vitor Diz:

    Emanuel,

    vários médiuns aí da sua lista foram pegos em fraude (Eusapia Palladino, Slade, Florence Cook) e diversos cientistas ou ilustres foram enganados (Myers, Crookes, Conan Doyle, e bem provavelmente Aksakof, Wallace e Cesar Lombroso).

  82. Emanuel Oliveira Diz:

    Precisaríamos de várias páginas para dar uma lista completa de todos os intelectuais que se têm debruçado sobre as relações entre os vivos e os chamados mortos. Todos estes pesquisadores eminentes da fenomenologia espírita teriam sido alvo de zombarias, fraudes, mistificações?
    Precisamente o que queriam desmascarar?
    Que fossem enganados umas dezenas..Agora centenas deles?
    Breves testemunhos históricos, lições de vida autênticas:
    ALFRED RUSSEL WALLACE
    Foi um dos maiores cientistas que investigaram a sobrevivência e a comunicabilidade dos Espíritos; o Sr. Wallace partilhou com Darwin, a honra de criar a doutrina da seleção natural. Investigou os fenômenos das mesas girantes; a mediunidade de Mr. Marshall, de Mr. Cuppy e outras, estabelecendo, mais tarde, que os fenômenos espíritas “são inteiramente comprovados tão bem como quaisquer fatos que são provados em outras ciências”.
    THOMAS EDISON
    Eletricista americano, realizou vários inventos, inclusive o fonógrafo. Por ocasião do Congresso de Investigações Psíquicas, celebrado em Chicago, disse: “O Congresso será, sem dúvida, proveitoso para o interesse do Espiritismo, porque dele resultará a distinção entre o falso e o verdadeiro, contribuindo por igual a fazer luz no assunto. Será salutar para os espíritas, porque sua insuperável filosofia tornar-se-á patente.”
    BENJAMIN FRANKLIN
    Célebre estadista americano, colaborou nos trabalhos de elaboração da Constituição dos Estados Unidos. inventor do pára-raios. Sobre o Espiritismo, declarou: “O homem só nasce completamente depois que morre. Por que então atormentarmo-nos por ter uma criança nascido entre os mortais? Nós somos estúpidos. A cedência de corpos por empréstimo, enquanto eles nos podem proporcionar alegria, ajuda-nos a adquirir conhecimentos ou contribuir para fazer o bem aos nossos semelhantes, é um ato bondoso e benevolente de Deus”…
    CESARE LOMBROSO
    foi um dos maiores médicos cirurgiões criminalistas do século passado. Lombroso ridicularizou as manifestações espíritas com a publicação do “Estudo do hipnotismo” Durante muitos anos, negou os fenômenos psíquicos e espirituais como charlatanice e credulidade simplória. Porém, após assistir a algumas sessões mediúnicas realizadas por Eusápia Paladino (pesquisas publicadas na obra “Hipnotismo e Mediunidade”) e verificando a veracidade e autenticidade da produção dos fenômenos e das manifestações espirituais, Lombroso começou suas pesquisas. Em 1891 foi publicada uma carta onde declarou sua rendição aos fatos espirituais: “Estou muito envergonhado e desgostoso por haver combatido com tanta persistência a possibilidade dos fatos chamados espiríticos; digo fatos, porque continuo ainda contrário à teoria. Mas os fatos existem, e deles me orgulho de ser escravo.”

  83. Emanuel Oliveira Diz:

    JOSÉ HERCULANO PIRES
    Filósofo, educador, jornalista, escritor, parapsicólogo
    desencarnou em 1979
    (A quem o autor deste blog também recorreu para sustentar uma opinião sua em Janeiro 2010, transcrevendo uma carta sua completa; naturalmente nestes vários testemunhos estava enganado…só no outro é q tava certo!)
    A CIÊNCIA ESPÍRITA
    A Ciência não é mais que o conjunto das concepções de um século, que a Ciência do século seguinte ultrapassa e submerge. (Léon Denis).
    “Quando, pois, um pretenso parapsicólogo se propõe a ‘ensinar’ que a parapsicologia nega a existência de espíritos, de comunicações espirituais, de princípios religiosos e filosóficos, como da reencarnação e o da existência de Deus, os seus diplomas e certificados não têm sequer o valor de atestado de informação sobre o assunto”. (Parapsicologia Hoje e Amanhã, pág. 25).
    “Os fenômenos espíritas, que revelavam inteligência, não eram simples efeitos dos processos biológicos e fisiológicos. Eram fenômenos muito mais complexos, que podiam provir da mente ou das entranhas humanas, mas também podiam ser produzidos por forças ainda não suficientemente conhecidas, como o magnetismo natural, a eletricidade, energias e elementos procedentes de regiões ainda não devassadas da própria consciência humana. O inconsciente era uma incógnita. Kardec o abordou quando Freud estava ainda na primeira infância. Kardec deu à Revista Espírita, órgão que fundou para divulgar seus trabalhos e pesquisas de opiniões, o subtítulo de Jornal de Estudos Psicológicos, provando já estar convencido de que enfrentava os problemas do psiquismo humano”. (Ciência Espírita, 54).
    O professor Charles Richet, da Academia de Medicina de Paris, criador da Metapsíquica, origem da atual Parapsicologia, disse:
    “1º – Não há contradição alguma entre os fatos e teorias do Espiritismo e os fatos positivos estabelecidos pela Ciência. 2º – O número dos escritos, memórias, livros, narrações, notas, experiências, é tão considerável e firmado por autoridades tais, que não é lícito rejeitar esses inúmeros documentos sem um estudo aprofundado. 3º – A nossa ciência contemporânea se acha tão pouco adiantada ainda relativamente ao que serão um dia os conhecimentos humanos, que tudo é possível, mesmo o que mais extraordinário se nos afigura… Em lugar, portanto, de parecer ignorarem o Espiritismo, os sábios o devem estudar. Físicos, químicos, fisiologistas, filósofos, cumpre que se dêem ao trabalho de tomar conhecimento dos fatos espíritas. Um longo e árduo estudo é necessário. Será indubitavelmente frutuoso” (No Invisível, Leon Denis).
    E falando sobre as experiências de Willian Crookes, afirma Richet: “são de granito” (Parapsicologia Hoje e Amanhã, pág. 83). Crookes realizou experiências relacionadas às materializações de Espíritos, tendo inclusive tirado várias fotografias dos que se apresentaram.
    Herculano Pires, nos informa que:
    “Charles Richet, prêmio Nobel de Fisiologia e fundador da Metapsíquica, discordante de Kardec, declarou no seu próprio Tratado de Metapsíquica, que Kardec era quem mais havia contribuído para o aparecimento das novas ciências, e lembrou que Kardec jamais fizera uma afirmativa que não estivesse provada em suas pesquisas” (Ciência Espírita, pág. 55).
    Deve-se a Joseph Banks Rhine, professor catedrático de filosofia e psicologia na Universidade de Duke/EUA, o surgimento da Parapsicologia. Sua esposa, Sra. Louisa Rhine, colaboradora de sua obra, publicou o livro “Os canais ocultos do espírito”, em que “reconhece que uma parte significativa dos fenômenos psíquicos somente pode ser explicada através da hipótese espirítica” (Fundamentação da Ciência Espírita, pág. 312), conclusão que teve o apoio de Rhine em O Novo Mundo da Mente (Parapsicologia Hoje e Amanhã, pág. 25).
    Continuando com o pensamento de Herculano Pires:
    “Convém deixar bem claro que alguns parapsicólogos de renome mundial, sérios e altamente capacitados, chegaram a sustentar, com base nas ilações que tiraram de suas investigações, a supervivência da mente após a morte física. O Prof. Whately Carington, da Universidade de Cambridge, responsável pelas famosas experiências de telepatia com desenhos que forneceram as primeiras provas científicas da precognição, chegou a formular uma teoria parapsicológica da existência post-mortem. O Prof. Harry Price, catedrático de lógica da Universidade de Oxford, sustenta a mesma tese afirmando que a mente humana sobrevive à morte e tem o mesmo poder da mente do homem vivo, de influir sobre outras mentes e sobre o mundo material. O Prof. Soal, da Universidade de Londres, realizou com êxito experiências com ‘voz-direta’, nas quais a voz do comunicante vibra no espaço independentemente do sensitivo ou médium”. (opus cit. Pág. 25).
    Loeffler, citando o livro de Louisa Rhine, transcreve passagens em que a hipótese da sobrevivência é avaliada por ela:
    “Viverá depois da morte alguma parte do Homem? Certas experiências de psi sugerem respostas afirmativas. Realmente, a idéia da vida post mortem viu-se reforçada pelas ocorrências psíquicas que sugerem atuação de pessoas desaparecidas. (p. 233)”.
    “É razoável supor que, se existem personalidades desencarnadas capazes de influir sobre os vivos e com eles manter comunicação, assim o farão com certo grau de freqüência. É possível que a prova esteja à mão, sendo necessária tão somente abrir os olhos para vê-la. (p. 254)”.

  84. Emanuel Oliveira Diz:

    ERNESTO BOZZANO (1862-1943)
    pesquisador espírita italiano, e um dos mais famosos do seu tempo
    “Tornei-me um positivista-materialista convicto a tal ponto que me parecia incrível existissem pessoas de cultura intelectual, dotadas normalmente de senso comum, que pudessem crer na existência ou na sobrevivência do espírito.
    Não somente pensava assim como até escrevia audaciosos artigos em apoio de minhas convicções. A lembrança de tal proceder me faz indulgente e tolerante para com uma classe particular de antagonistas que, de boa fé, sustentam ser capazes de refutar as rigorosas conclusões experimentais a que tem chegado o neo-espiritualismo, opondo-me às induções e deduções da Psicofisiologia, nas quais eu acreditava há 40 anos passados.
    É preciso que se compreenda que, nos tempos a que me refiro, eu nada conhecia das investigações mediúnicas ou do Espiritismo, com exceção de breves artigos que eu lia nos jornais, sem lhes prestar maior atenção e nos quais se apontavam estratagemas de médiuns e se comentava piedosamente a credulidade dos espíritas.
    Cientistas Espiritas – Cientistas Espiritas – Cientistas Espiritas
    Aconteceu, porém, que no ano de 1891 o professor Th. Ribot, diretor da Revue Philosophique, me escreveu comunicando a próxima publicação de uma nova revista sob o título de Annales des Sciences Psychiques, tendo como diretor o Dr. Darieux, antecessor do professor Charles Richet. Era uma revista que se propunha principalmente a colher e investigar certos casos curiosos de transmissão de pensamentos à distância, compreendidos sob a denominação de “fenômenos telepáticos”.
    A misteriosa psicologia, oculta nestas frases, me atraiu a curiosidade, do mesmo modo que o nome do prof. Richet bastava para garantir a seriedade científica do empreendimento. Respondi ao prof. Ribot, agradecendo-lhe a atenção e incluindo-me entre os assinantes da revista.
    Devo sinceramente declarar que a leitura dos seus primeiros números produziu desastrosa impressão sobre o meu irreconciliável criterium positivista.
    Parecia-me escandaloso que certos representantes da ciência oficial quisessem discutir seriamente a transmissão de pensamento de um continente a outro, as aparições de fantasmas telepáticos, como entidades reais, e casos atuais de assombração. O inibitivo poder das preconcepções tornara a minha faculdade de raciocinar inteiramente inacessível a tais idéias novas, ou, melhor, a tais fatos novos, pois realmente se tratava de fatos demonstrados cientificamente e rigorosamente documentados, embora eu não estivesse habilitado a assimilá-los.
    Quando ainda era esse o meu estado mental, apareceu na Revue Philosophique um longo artigo do prof. Rosenbach, de São Petersburgo, Rússia, atacando com violência a “sacrílega intromissão deste novo misticismo” nos recintos da Psicologia oficial e explicando os novos casos pelas hipóteses da “alucinação”, das “coincidências fortuitas” e mais algumas de que não me lembro.

    Tais refutações me pareceram tão deficientes e inábeis a produzir efeito contrário ao que me repugnava à mente, como o autor pretendia, que me convenci de que a questão era realmente de fatos.
    Catalogava cada obra que lia, anotando os respectivos assuntos por ordem alfabética adequada, com a intenção de os utilizar para a classificação comparativa e a análise dos fatos e casos.
    A excelência de semelhante método de investigação ficou de tal modo provada, que continuo a empregá-lo até à presente data. Guardo imorredoura lembrança desse período de fervorosas e perseverantes pesquisas, porque por meio delas me tornei capaz de assentar as minhas novas convicções espíritas sobre uma base cientificamente inabalável. Entre as obras que mais me influenciaram para a adoção de meu novo ponto de vista, mencionarei as seguintes:
    • Robert Dale Owen: Footfalls on the Boundary of another World e The Debatable Land between this World and the Next;
    • Epes Sargent: Planchette, the Despair of Science;
    • Sra. de Morgan: From Matter to Spirit;
    • Dr. N. B. Wolfe: Startling Facts in Modern Spiritualism.
    Do ponto de vista da fenomenologia mediúnica e de efeitos físicos, as atas, redigidas pela Sra. Speer, das sessões experimen-tais com William Stainton Moses foram as que produziram maior efeito persuasivo sobre as minhas convicções, em virtude da intervenção do espírito na fenomenologia, demonstradas nos comentários da Light de 1892 a 1893.
    Fiquei assim apto a formar para mim mesmo um sólido co-nhecimento científico, tirado dos argumentos. Entendi, porém, que chegara o momento em que deveria confirmar os meus conhecimentos teóricos com investigações experimentais

  85. Emanuel Oliveira Diz:

    WILLIAM CROOKES
    grande químico e físico inglês – Ouçamos o próprio
    (agora é facil inventar o q quer q seja, provem tudo o q inventarem, façam as vossas investigações científicas e publiquem-nas à Ciência Oficial q ainda tem o paradigma materialista- aproveitem q não é pra sempre.
    Posso dar-vos cerca de mais 300 nomes de cientistas
    antigos e actuais q estudam a imortalidade da alma, para vocês comprovarem com trabalho científico técnico experimental q eles tb foram enganados
    Das duas uma: ou dão poderes divinos a pessoas q julgam comuns ou q tipo de influência espiritual é esta- q não reconhecem- q ludibria e produz alucinação colectiva em cientistas q afinal demonstram lucidez e sanidade mental? Podia dar os nomes mas vou poupar-vos todos desse esforço, uma vez q têm trabalho para várias vidas…)
    Crooks na sua obra “Fatos Espíritas”, faz completo relato de todas as experiências realizadas com o Espírito materializado de Katie King, que não deixa dúvida quanto ao poder extraordinário que possui o Espírito de dar a forma desejada, utilizando a matéria física. Numerosos cientistas de renome, mesmo diante dos fatos mais convincentes, hesitaram em proclamar a verdade, com receio das conseqüências que isso poderia acarretar aos olhos do povo. Crookes, porém, não agiu assim. Ele penetrou o campo das investigações com o intuito de desmascarar, de encontrar fraudes, entretanto, quando constatou que os casos eram verídicos, insofismáveis, ele rendeu-se à evidência, curvou-se diante da verdade, tornou-se espírita convicto e afirmou: – “Não digo que isto é possível; digo: isto é real!

  86. Emilio Peres Diz:

    Emanuel:
    .
    Por que você não aproveita toda essa disposição, tempo e interesse genuíno em esclarecer a respeito da Doutrina Espírita, e auxilia o William, com o blog dele, que tem o objetivo de esclarecer os erros de interpretação que ocorrem aqui?
    .
    Acredito que você seria mais útil aos dois lados. O William, pelo jeito, precisa de auxílio. Por que não?
    .
    Sds.

  87. Rafael Diz:

    Engraçado, sou capaz de jurar que o Emílio Peres é o Gilberto disfarçado com outro nick. A conversa é exatamente a mesma! Só fala no William!

  88. Emanuel Oliveira Diz:

    Prezado Emílio:
    Graças a este blog, conheci companheiros espíritas interessados em aprender como eu e q me ensinam mto
    Mesmo com as minhas limitações há mto tempo q eu e o William estamos em contacto, tendo eu me manifestado em privado quando fui contactado
    A participação neste blog serve tb para reforçar as minhas convicções. Nunca me moveu o desejo de polémicas estéreis. Como diz o Roberto, faz bem nos de vez em quando fazermos uma reciclagem das nossas convicções. Faz-me lembrar uma comunidade evangélica q há 3 anos me convidou para participar pessoalm/ das suas reuniões de estudo. Aprendi imenso, a amizade reforçou-se. Infelizmente para eles não me tornei protestante, como eles depois reconheceram q pretendiam. Sempre num clima de respeito mútuo,com a falta de respostas q tinham para as minhas colocações fiquei mais espírita! Q hei-de fazer? No dia q me apresentarem doutrina + sólida mudo logo, sou mesmo vendido!
    Graças aos companheiros deste blog estudo mais a doutrina qdo posso, pq gosto, nunca para mostrar uma ilusória superioridade no conhecimento para com ele ferir alguém, pq isso era prova q não tinha percebido nada.
    Ninguém é obrigado a ler nada, e todos os companheiros espíritas sabemos pq incomoda. Mas estamos num espaço democrático, a inquisição e censura não são tão explícitas. Só lê quem quer, os artigos do José Fernandes ( q tem mto mais conhecimento, trabalho e tempo q os meus posts) tb têm o seu público-alvo q aqui felizmente é diferenciado
    Esteja descansado q a sequência do raciocínio de Kardec-cético já foi concluída nos vários posts.
    Cumprimentos Fique bem

  89. Emanuel Oliveira Diz:

    Rafael: realmente a telepatia existe!…
    Embora não o possa comprovar, há dias surgiu-me a ideia e escrevi-o q preferia pensar q era outro espírito com o mesmo nome. Não o do Sr Gilberto nem de outra qualquer pessoa,pq não sei quem é quem e não fixo nomes. Prefiro discutir ideias em vez de pessoas. Mas é mto curioso como os espíritos desencarnados tomam atitudes semelhantes, escondendo-se atrás duma assinatura para o médium invigilante. Pois é, a natureza não dá saltos e afinal os espíritos, não são mais do q os homens e mulheres q viveram na Terra.

  90. Rafael Diz:

    Será que é amor às avessas? Lembrei logo da música do Chico, não o Xavier, mas o Buarque; Atrás da Porta. Aliás, música dor de cotovelo, mas linda de morrer!
    .
    É Gilberto sái pra outra, nessa você foi pego.

  91. Marcos Arduin Diz:

    Uma pergunta, Vitor:
    Quem enganou o Crookes? Como o enganou?

  92. Roberto Scur Diz:

    Emanuel Oliveira,

    Preciso dizer-te que continuo lendo tudo o que sai e parabenizo-te por cada postagem com conteúdos das obras básicas de Kardec, tão pouco lidas pelos espíritas novatos quão pelos céticos que por preconceito e certo comodismo preferem a negação sem pesquisa. Leio cada linha e recordo leituras feitas no passado além de colher novos dados.

    Congratulo-te por tua perseverança e por permaneceres de espírito desarmado pois este é o melhor caminho para expor idéias.

    Achei muitíssimo curioso detectar que és amigo do Mori, que fizeram trabalhos juntos, e que ele tenha dado uma guinada tão radical. As razões que o levaram à isto são confusas, à ponto de assinar este artigo aqui e não ter tido, pelo menos ainda, coragem de tê-lo posto em seu próprio blog. Será que a corrida em busca da fama é capaz de tanto assim?

    Quem sabe não nos veremos mesmo numa próxima reencarnação dando-lhe evangelho na cabeça do Públio (JCFF), Chico (Vitor Moura) e Otílinha (Gilberto), eu em casa como pai xaropão e severo, e tu na aula de evangelização do Centro Espírita?

    Prossiga e que Deus te abençoe meu amigo.

  93. Marcos Arduin Diz:

    Vendo com mais atenção aquela foto da “saliência feminina”, notei algo um tanto estranho: só há a mama direita e, pode ser uma impressão errada, estranhamente deslocada da sua posição, muito junto da axila. Mas não se nota a mama esquerda. Que houve com ela?
    .
    E com o Veloso em pé, não se percebe nenhuma saliência. Por que?

  94. Vitor Diz:

    Arduin,

    Rosina Showers enganou Crookes, e muito possivelmente Florence Cook e a Sra. Fay. No artigo “WILLIAM CROOKES E OS FENÔMENOS DA MEDIUNIDADE FÍSICA” é dito explicitamente que Crookes foi enganado na página 122:

    Apesar disso, muitos partirão do princípio de que quaisquer que fossem suas dificuldades pessoais, Crookes fracassou no seu dever em relação ao assunto e à causa da verdade científica ao não expor a confissão da Srta. Showers, nem mesmo quando ela voltou a praticar os seus ‘truques’. Crookes havia publicamente por implicação atestado as duas formas espirituais de Florence Cook e de Rosina Showers quando apareceram juntas, na sua mensagem a Harrison publicada no The Spiritualist (vide p. 105); e pode-se considerar que ele devia a seus leitores fiéis a revelação dos fatos, uma vez que o seu pronunciamento anterior, pelo menos em parte, foi provado como falso e que ele próprio foi enganado.”

  95. Vitor Diz:

    Arduin,
    sobre o seu comentário ao Juliano:

    - Não! Tá errado! Vista uma roupa de homem, bote um turbante na cabeça e depois vista um traje de freira por cima (ou peça à sua senhora ou outra mulher da família para fazer isso) e depois me mande as fotos. Vejamos se não fica meio estranho. E finalmente, faça tudo isso caber num dedal ou num bolso, sem deixar nenhuma suspeita em quem olhar.

    A Rosina Showers fazia isso cabendo em suas ceroulas:

    “. . . Mas descobri como a fraude é feita. Li a descrição da mesma na carta de uma médium enviada a outra médium que desejava receber instruções. A carta foi escrita com a caligrafia dela, e o estilo da escrita prova a veracidade da mesma.
    Ela informa a sua amiga que vai para as sessões preparada com um vestido que pode ser facilmente tirado com um pouco de prática. Diz que consegue fazê-lo em dois ou três minutos. Ela veste duas camadas de roupas (provavelmente para se manter aquecida). Carrega um véu de musselina de material fino (para o qual ela deu um nome, mas esqueci). Ela o carrega em suas ceroulas! Pode ser comprimido em um pequeno espaço, embora quando espalhado cubra a pessoa inteira. Um lenço de bolso em volta da cabeça prende o cabelo. Ela declara que tira todas as roupas exceto pelas duas camadas de baixo, e então se cobre com o véu. O vestido é espalhado cuidadosamente no sofá, sobre os travesseiros. E é com esta vestimenta que ela aparece. Ela faz festa com os espiritualistas e assim os engana, enquanto sua linguagem sobre eles é tudo menos cortês.
    Isto explica toda a questão. A pergunta antes feita com freqüência era — onde o manto seria carregado? Já que não caberia nem no peito nem na manga. Ninguém parece ter pensado nas ceroulas.
    ” (pág. 117 de WILLIAM CROOKES E OS FENÔMENOS DA MEDIUNIDADE FÍSICA)

  96. Emanuel Oliveira Diz:

    Amigo Roberto:
    obrigado pelas suas palavras generosas de estímulo
    Só um esclarecimento: tudo o q está entre aspas são palavras do Vitor. Assim perceberá melhor
    A única pessoa que de forma humilde o reconhece é o autor deste blog que se diz ateu e “creio que se possa dizer que sou parapsicólogo e espírita experimentador.
    Você pode conferir o resumo de uma pesquisa minha sobre reencarnação aqui:
    http://www.unibem.br/cipe/3_links_pdf/7%20%20III%20Encontro%20Psi.pdf
    Também há uma participação minha num artigo sobre mediunidade, em que eu e meu amigo Kentaro Mori detectamos a origem de uma foto ‘paranormal’
    Entretanto, nenhuma das duas envolve ‘experimentação’, tecnicamente falando.”
    Volte sempre para aprendermos consigo
    P.S. Espero q não tenha saído por causa da intervenção de um sr “Emílio Peres”. Ora aqui está uma boa averiguação para se fazer, só gestor do blog nos poderá esclarecer sobre esta dupla personalidade. Aguardamos há 2 intervenções.
    Comparem as intervenções do Emílio Peres inicial com a “do” mais recente
    Vejam como um espírita virou cético, quase anti-espírita
    É impressionante como um blog cético faz milagres
    O último post de “Emílio” no artigo anterior é emblemático dum crítico sistemático q se trai por querer criticar tudo por nada
    O Roberto postou mensagem q no final dizia Divaldo (1927-)
    O tal “Emílio” diz “Vocês prestam atenção às mensagens? Possivelmente, em 1927, Divaldo estaria nascendo. Faça as contas!”, falando de “êrro de cálculo”…
    Às vezes seria bom ser ingénuo.
    Querem arranjar erros em tudo, procurar o mal à força onde ele não existe
    Podem convencer alguns desavisados, mas estão a enganar a vossa consciência q irá sempre para onde forem. Criticar tudo por sistema faz mto mal à saúde do vosso corpo: preservem-no pois é a única coisa em vocês q acreditam!
    Como é natural, a atenção deve ser para todos
    Espíritas: estejamos então mais atentos para quem veste a máscara de espírita, inimigos dentro do movimentopara provocar desunião e discórdia
    Como avisa Jesus, nem todos os espíritos são de Deus

  97. Marcos Arduin Diz:

    Vitor
    A menos que eu esteja com falha de memória (não reli os textos traduzidos por falta de tempo), Crookes NÃO VALIDOU Rosina. Se me lembro direito, ele primeiro deixava os médiuns fazerem tudo do jeito deles, para ganhar confiança, e depois ia cercando as possibilidades de fraudes. No caso da Cook, com quatro sessões já achou que com ela valia a pena trabalhar. Já no caso da Rosina, fez 8 sessões e depois mais 8 e NÃO FICOU SATISFEITO. Motivo: enquanto a fantasma da Cook era VARIÁVEL, a da Rosina SEMPRE SE PARECIA COM ELA, TANTO NA CARA, COMO NO PORTE. No final ela própria acabou lhe confessando ser uma fraude e mantinha o que fazia porque sua mãe era uma fanática espiritualista.
    .
    Agora no caso aí da Otília, ficam sempre os mesmos problemas: como ela se libertou das algemas, correias, vestiu os trajes e tudo na escuridão e sem nenhum som que a denunciasse? Otília vestia um traje escuro… que foi rasgado no final da experiência, deixando suas roupas íntimas à mostra e… nenhum volume suspeito foi visto, nem as roupas fantasmagóricas, nada.

  98. Marcos Arduin Diz:

    Ah! E quanto a Eva Fay e a Florence Cook, TUDO O QUE JÁ DISSERAM sobre elas terem enganado o Crookes só tem valor de piada sem graça. E você sabe disso.

  99. Vitor Diz:

    Arduin,

    o problema não chega a ser que ele tenha validado a Srta. Showers, mas que, embora ela não tenha passado nos testes, ele não detectou fraude nela.

    “Crookes cogita que ela pudesse ter estado sob a influência de espíritos que talvez forneçam o vestido, já que ela esteve inconsciente o tempo todo.” (pág. 107)

    Note que Crookes NÃO IMAGINOU que ela vinha com duas camadas de roupa! AÍ É QUE ELE FOI ENGANADO! Ele desconhecia o truque, e pensava ainda que havia algo de autêntico em Showers. E certamente ela não estava inconsciente o tempo todo…

    Para piorar, no início ela – Showers – chegou a andar de braços dados com Katie King e nem o espírito de Katie King nem Crookes perceberam a impostura. O artigo chega a dizer:

    “se considerarmos a história de Crookes sobre estes acontecimentos ao pé da letra, com base em sua carta publicada no The Spiritualist em 10 de abril de 1874 (vide p. 105) e nas cartas escritas a Home, imaginaremos com perplexidade como Crookes teria conciliado a confissão da Srta. Showers de que todas as suas manifestações eram fraudulentas com as sessões Cook-Showers em conjunto. Ele certamente teria indagado a Srta. Showers sobre essa questão durante as reuniões clandestinas. Teria ele também discutido esse assunto com Florence Corner (ela estava em Londres na época)? Não devemos esquecer que o que temos agora é apenas uma fração da correspondência e da documentação que deve ter existido outrora, e que papéis que agora estão perdidos ou que são inacessíveis sem dúvida esclareceriam muitos dos pontos que nos confundem. É certo que Crookes manteve, ou pelo menos alegou ter fé na autenticidade dos fenômenos de Florence até a morte dela (vide págs. 73 e 74), mas até onde sabemos ele nunca se ofereceu para justificar esta difícil situação que envolve a genuína ‘Katie’ de braços dados com a confessadamente falsa ‘Florence’.”

  100. Vitor Diz:

    E quanto a Eva Fay e a Florence Cook, TUDO O QUE JÁ DISSERAM sobre elas terem enganado o Crookes só tem valor de piada sem graça. E você sabe disso.
    -
    Aguarde cenas dos próximos capítulos…

  101. Gilberto Diz:

    Rafael, me desculpe, mas eu não sou um babacóide internético que sai por aí criando nomes falsos, postando com vários nicks e etc. (bom, meu nick no site da Buttman é “bigbooblover”, mas isso não vem ao caso). Além disso, melhore seu português: “sai” NÃO têm assento!! Que mania de perseguissão voces espíritas tem! Deve ser por isso que voçes sempre “acham” que vem “Dead People”…

  102. Gilberto Diz:

    Alias, se quiserem realmente entender o espírito humano, por favor leiam D.H. Lawrence! Vocês precisam de uma sacudida intelectual, ou vão ficar o resto da vida lendo um certo pedagogo francês que era louco pra conhecer o plano espiritual, mas achou que o espírito verdadeiro precisava ser sobrenatural e girar mesas. Pouco ele sabia que o espírito humano é muito mais complexo e belo. Indecifrável. Deliciosamente misterioso. Pena que seus seguidores aqui no Brasil se perdem numa doutrina capenga e, na espera de outras vidas, perdem o bonde desta. O acaso não existe, leiam Lawrence, Joyce, Drummond. Vejam como a espiritualidade é tangível de verdade, mesmo sendo invisível. Deixem que espíritos especiais, como os nomes que citei, toquem suas vidas e as transformem numa maravilhosa “ENM”, ou seja, numa “Experiência de Não-Morte”, uma coisa chamada “Vida”. Inesgotável apesar de finita. Breve como uma peça pregada por um bufão, mas infinita em sua criatividade ao produzir sensações, experiências, sentimentos e mentiras verdadeiras. Permitam-me voltar ao meu Kindle…

  103. Juliano Diz:

    Vítor

    O Marcos Arduim disse que você sabe, ou pelo menos deve saber, de um Centro Espírita aí no Rio que faz materializações, ou pelo menos o Centro diz fazer. E, segundo o Marcos, pela tua arrogância você foi barrado na porta. Como eu também serei. Se realmente tal história é verdadeira, me passa o nome do Centro Espírita. Se a tua resposta for negativa, não dá muita bola pra este cidadão, pois não há dúvida nenhuma que ele é irmão cármico do Pinóquio. Só pode. Tem muito espírita aqui que apesar das posições contrárias, vê-se que é bem intencionado, pelo menos (Roberto Scur, Carlos Magno, Dárcio, Sônia, Gerald e outros). O irmão cármico do Pinóquio e do Jorge Rizzini e de outros não vale um debate, caso você não confirme o que ele disse. E o duro é que eu perdi um tempão com o cidadão, caso você não confirme.

    Um grande abraço Vítor.

  104. Vitor Diz:

    Juliano,

    o centro é o Lar de Frei Luiz, na Estrada da Boiúna. A programação das reuniões de materialização é essa:

    http://www.lardefreiluiz.org.br/prgm_anual_br.html

    O que eles disseram é que não permitiam pesquisa, essas reuniões eram apenas para o tratamento de doentes. Agora eu nem lembro mais se isso foi comigo ou com um dos autores do site “A Busca da Verdade”, hoje extinto. Isso tem anos, não sei se a política mudou.

  105. Emilio Peres Diz:

    Sr. Emanuel:
    .
    Enganos acontecem… assim como aconteceu com o Roberto Scur. Quando se coloca o ano entre parênteses ao citar o livro de um autor, a idéia que se dá é que o livro foi lançado naquele ano.
    .
    Mais estranho foi o Roberto ter “achado” que você e Kentaro Mori são amigos e escreveram artigos juntos. Mas, como o Roberto vive bajulando você, esse engano absurdo não tem importância alguma, não é mesmo?
    .
    Quanto à mensagm de Joana de Angelis, você não deu opinião alguma. Não quer se comprometer? E quanto às crianças indigo, história surgida nos Estados Unidos (como toda novidade espiritualista-capitalista) e corroborada por Divaldo?
    .
    Você também é daqueles que não acreditam que o Chico ficou muito contrariado com o início da mediunidade do Divaldo, pedindo ao meio espírita ficar alerta quanto aos seus plágios? Você também é daqueles que jamais permitiriam que o Chico tivesse opiniões próprias? Que fosse a vida inteira uma “vaquinha de presépio” dos “controladores” do Espiritismo?
    .
    Você comparou alguma vez, as mensagens de Emmanuel com as mensagens de Joana de Angelis? Principalmente aquelas em que eles se referem aos próprios médiuns dos quais se utilizam para seus trabalhos, ou seja, Chico e Divaldo, respectivamente?
    .
    Já disse aqui e repito: ser bom não é falar bonito. É fazer bem feito!
    .
    Você pensa que somos dois Emilios… Sou um só, com opiniões diferentes sobre coisas diferentes. Dou-me o direito de uso do livre arbítrio. Se estiver errado, ninguém irá “pagar” ou “sofrer” por mim. A cada um segundo suas obras…
    .
    Infelizmente (ou, felizmente!), sou muito observador. Não é isso recomendado pelo Mestre Lionês? Ou, pelo contrário, ele nos assevera crer em qualquer coisa que nos é dita, por qualquer espírito que fale bonito? Esse tipo de mensagem consta do “O Evangelho segundo o espiritismo” , como advertência de Kardec, para usarmos o crivo da razão. Fiz esta experiência, em um centro enorme, que frequentei durante um tempo. Li uma destas mensagens, durante uma reunião e todos acharam-na “divina”, porque é rebuscada, cheia de palavras difíceis, mas ao mesmo tempo, não diz nada.
    .
    Quanto à história do Divaldo e suas crianças indigo e cristal, aguardo opiniões, de quem quiser se manifestar.
    .
    Sds.

  106. Vitor Diz:

    Arduin,
    comentando:

    01 – Agora no caso aí da Otília, ficam sempre os mesmos problemas: como ela se libertou das algemas, correias, vestiu os trajes e tudo na escuridão e sem nenhum som que a denunciasse? Otília vestia um traje escuro… que foi rasgado no final da experiência, deixando suas roupas íntimas à mostra e… nenhum volume suspeito foi visto, nem as roupas fantasmagóricas, nada.

    Houve sons que a denunciaram.

    Novos gemidos, mais vômito da médium Otília, o som desta vez saindo da cabina. É “Irmã Josefa” de volta, informando que não está materializada: é apenas voz e está saindo a poucos centímetros da boca da médium. Diz que vai dar uma demonstração da sua “presença”, apertando ainda mais as algemas que prendem os pulsos de Otília. Ouvimos, então, o barulho característico de uma algema fechando. Se o “espírito” não desse a necessária “explicação”, nós poderíamos concluir que a algema estava aberta. Mas se a “Irmã Josefa” era apenas voz, com que mão apertou as algemas? Mais preces e termina a sessão.”

    Esses truques de algemas são muito comuns com mágicos. Lembro ainda que Houdini conseguia escapar facilmente de algemas reais de policiais.

  107. Rafael Diz:

    Gilberto:

    Com toda a certeza você é o Emílio Peres. Não dá para mentir.
    -
    Além disso, melhore seu português: “sai” NÃO têm assento!! Que mania de perseguissão voces espíritas tem! Deve ser por isso que voçes sempre “acham” que vem “Dead People”…
    -
    Boa sugestão da correção do português. Que tal começar por você mesmo, pelas palavras “perseguissão” (terrível), “babacóide” e tem (é plural, querido; é têm com chapeuzinho, a nova ortografia manda). O “sái”, foi erro de digitação, não de conhecimento, não justifica pelo olho de santo, tudo bem, mas “perseguissão” – faça-me o favor! Ah, já sei, foi brincadeirinha!
    -
    Pô, Emílio, assim fica “rim”!
    -
    Abrasssos!

  108. Rafael Diz:

    Ah, mais uma, caríssimo Gilberto:
    -
    “sai” NÃO têm assento!!
    -
    O tem aqui é singular, e tal como sai, também não tem chapeuzinho.
    - See you soon, bigbooblover.

  109. Vitor Diz:

    Rafael,
    nitidamente o Gilberto escreveu errado de propósito. Não viu o ‘voces’ sem acento circunflexo, ou com cedilha (voçes) ou o vem quando devia ser ‘veem’ – penso que sem acento na nova ortografia?

  110. Rafael Diz:

    Vitor,
    -
    Foi tudo proposital? Num crêdito!
    -
    Noutro texto ele começou: Alias, se quiserem entender… Alias, tem acento.

  111. Emilio Peres Diz:

    Rafael, você não é nem um pouco observador…
    .
    Se fosse, já teria percebido que o Gilberto é até confundido com o responsável pelo blog, pois, ele é cético quanto ao Espiritismo.
    .
    EU SOU ESPÍRITA! E praticante! Contariando todas as opiniões de espíritas que postam aqui…
    .
    O Espiritismo permite o livre pensamento, contanto que a moral seja respeitada, porque é válida em qualquer época e em qualquer religião.
    .
    Discordo de diversos pensamentos e consequentes atitudes, “ditas espíritas”, que terminam por ser idênticas às que são criticadas, inclusive, por Kardec, em outras religiões. Só que com nomes diferentes.
    .
    Infelizmente, no meio espírita, “discordar” significa sempre “obsessão”, situação esta que eu questiono, baseado na própria doutrina. Já postei aqui, a importância do livro “O Consolador”, de Emmanuel, mas NINGUÉM se posicionou. Nenhum espírita fez qualquer comentário a respeito deste livro.
    .
    Sds.

  112. Emilio Peres Diz:

    Em tempo:
    .
    Não tenho absolutamente nada contra o Gilberto. Aliás, eu o admiro pela criatividade de expressão, às vezes, engraçada, outras, irônica. E outras ainda, muito pertinentes. Mas, com certeza, sempre interessante (ou divertida). Dentro das suas crenças, eu o considero um ótimo comentarista.
    .
    Ele tem uma característica que o distingue: é emocionalmente inteligente.
    .
    Já o Vitor é de uma frieza congelante e mórbida.
    .
    Sds.

  113. Marcos Arduin Diz:

    A situação permanece, Vitor. Já temos o problema de que parte da correspondência de Crookes está perdida e PODE SER que uma eventual “conciliação” para isso se perdeu também.
    .
    Cá comigo eu penso que a Katie King não revelou a farsa para que Crookes, seguindo o seu método, a descobrisse sozinho (o que provaria que seu método para desmascarar farsantes funcionava). Só que antes dos finalmentes ele dispensou a Showers e ficou só com a Cook, pela razão que já mencionei.

  114. Marcos Arduin Diz:

    Vejamos se as cenas dos próximos capítulos valem a pena, pois aquelas apresentadas pelos céticos sábios, cultos, racionais e inteligentes são uma palhaçada que só perde para o circo do nosso Congresso Nacional, onde os palhaços somos nós.
    -
    Para quem não sabe do que estou falando, Massimo Polidoro, no seu artigo a mentalista que iludiu Crookes, não tem dúvidas de que o truque usado foi o que se segue (as palavras podem não ser exatamente as mesmas, mas o sentido é):
    -
    Ana Eva Fay se entrevistou com Houdini e ficou toda encantada pelo charme dele e revelou todos os seus truques numa boa. E também como enganou o babacão do Crookes. O caso foi que ela e o marido partiram para fazer uma turnê na Inglaterra, mas a situação melou logo no início, pois Maskeline, um brilhante ilusionista a “expôs” (por exposição querem dar a entender que ela fazia truques ilusionistas, atribuindo-os a espíritos – não que ela tenha sido pega em flagrante, mas simplesmente porque o colega mágico fez tudo igual).
    .
    Para correr atrás do prejuízo, o jeito foi buscar o tal Crookes, que era um brilhante cientista e que validara alguns médiuns. Como Houdini diz, com um brilho no olhar ela revelou que se aproveitaria dele. Só que ela se viu quase impossibilitada de fazer qualquer fraude com fiscalização feita pelo galvanômetro. O caso é que ela tinha de segurar dos dois contatos do galvanômetro e se soltasse algum deles, imediatamente isso seria acusado no marcador, denunciando a tentativa de fraude. Mas para sorte dela e azar do Crookes, faltou força o teatro por um segundo e isso foi tempo o bastante para ela colocar um dos contatos na dobra do joelho e assim libertar uma mão e fazer os truques.
    .
    Simples não? O Crookes foi feito de idiota. Giberto, Juliano, vocês acreditam? Aguardem as cenas do próximo capítulo.

  115. Marcos Arduin Diz:

    Bem, Ju, acho que pode me retirar da lista dos pinóquios e se incluir nessa. Reli o meu texto e não falei NADA sobre arrogância em relação ao Vitor. Dei a entender que a arrogância parte de VOCÊ, pois acha que entende muito do assunto.

  116. Marcos Arduin Diz:

    Se bem me lembro, Vitor, o Nilo Oliveira, que algemou a Otília, DEIXARA TRÊS DENTES DA ALGEMA SEM APERTAR. Daí então Otília NÃO PRECISARIA TER TIRADO A ALGEMA. Além disso, como foi dito, eram algemas modelo espanhol, que tendiam a se apertar mais e mais quanto mais o algemado tentasse se libertar.
    .
    Muito esquisito que a Josefa anunciasse isso sobre as algemas. Era só a Otília fazer mais sons de vômitos e fechar a algema segurando o aro para diminuir a ressonância e ela poderia tê-la fechado quase sem barulho algum.
    .
    Além disso tinha de tirar as chaves escondidas, abrir os cadeados (ia ter de ficar testando as chaves até achar a certa) para soltar as correias, sem violar os lacres, levantar-se da espreguiçadeira (será que ela não ia ranger?), tirar as roupas do esconderijo, vesti-las no escuro, tomar cuidado para não deixar a algema cair no chão, depois voltar, despir os trajes, escondê-los de novo, recolocar as correias, os cadeados, repor os lacres, esconder as chaves e finalmente se algemar de novo. Alguém SEM TREINAMENTO já tentou fazer isso? Sim, pois se a Otília fez tudo isso com sua habilidade, então poderia ganhar mais grana fazendo truques ilusionistas em festinhas de aniversário do que se fantasiando de Josefa… E sem risco de dar o bode que deu.

  117. Gilberto Diz:

    Ops, “aliás” têem assento sim! Foi mau. É burrisse cronîca. E já notei as semelhanças entre o Vitor e eu. Eu sou o Curinga e o Vitor, o Sr. Frio. Mas ambos inimigos do Batman, da verdade kardecista e da justiça cármica!! Enquanto isso, na Sala de Justiça… E Marcos, esse truque nada mais é que o velho truque da “Ponta do Galvanômetro Colocado Atrás da Dobra do Joelho Durante Uma Falha de Luz No Teatro”. Truque antigo dos mágicos da época. Tem vários vídeos dele no Youtube!! Bom domingo a todos!

  118. Roberto Scur Diz:

    Emanuel,

    Nêm tinha visto que houve este comentário sobre a data 1927. Copie exatamente como constava no próprio livro, e como havia a data também da publicação do livro, para mim não houveram dúvidas de que se tratava a data de nascimento do autor e depois a data de publicação do livro. Talvez atendendo à alguma norma de bibliografias.

    Sobre ter confundido o texto entre aspas, realmente, me enganei redondadmente, e olhe que cheguei a ver o pdf e só encontrei o nome do Vitor Moura lá, mas posso dizer apenas que é muito contraditório o que ele dizia lá com o que ele diz hoje.

    Minha referência à ti, feita por teres me citado nominalmente, era para ser breve pois quando alguém fala comigo não serei deseducado à ponto de ignorar. O erro de interpretação obrigou o já totalmente desacreditado (eu, claro) se manifestar novamente depois de ter dito seriam minhas últimas palavras no blog (já seria a terceira ou quarta vez que faço isso, uma hora eu consigo).

  119. Marcos Arduin Diz:

    Errou, Giberto. Tente de novo. Vejamos o que o Ju diz.

  120. Roberto Scur Diz:

    Emanuel,

    Aliás, de todo o conteúdo da mensagem o que gerou algum comentário aqui foi a última linha, numa data não entendida? O conteúdo moral têm importância nula não é mesmo?

    Eu leio todo o teu texto copiado e colado das obras básicas de Kardec, nunca é demais, nunca assimilei tudo, assim como li todo o texto, letra à letra, das matérias deste blog (confesso que o terceiro em diante sobre Públio e sua presença na história conhecida pelo JCFF não me interessaram mais, bastaram 2 para mim). Como dissestes, procurar por erros minúsculos é muito mais importante para quem não quer acreditar em nada que não seja seu próprio corpo.

    O Vitor, ou melhor, o Chiquinho da próxima reencarnação vai nos dar trabalho viu.

  121. Rafael Diz:

    Gilberto:
    -
    Vamos deixar de lado essa questão de nicks, semântica, ortografia, etc. Pra encerrar tudo, que tal nos brindar com um “Blue Suede Shoes”, “Tutti Frutti”, “Love me Tender” ou mesmo “I Got a Woman”?
    -
    Assim o domingo vai ser melhor que o Domingão do Faustão – urra meu!

    Regards.

  122. Juliano Diz:

    Marcos Arduim

    Bem, ao contrário do que eu pensei, temos algo. Não sei se vai se conseguir alguma coisa, mas (…) vamos ver. Por hora aqui não tenho mais nada a dizer. E é desgastante esta troca velada de ofensas. Pelo menos pra mim. Pode ficar com o troféu. Eu vou, digamos, para um retiro. Vamos ver se tem alguma utilidade.

    Um grande abraço a todos. E sem ressentimentos.

  123. Marcos Arduin Diz:

    Bem, já que Giba se calou e o Ju vai prum retiro, então, por caridade aos que desconhecem o caso:
    .
    Houdini escreveu um livro em 1922, onde relatou esse encontro e entrevista com a Ana Eva Fay, e registrou sua confissão de como enganara o babacão do Crookes, nos termos que descrevi acima. É esse livro, mas as experimentações capengas de Colin Brookesmith que Massimo Polidoro usa para endossar sua tese de que NÃO HÁ MAIS DÚVIDAS DE QUE TAL TRUQUE DE FATO ACONTECEU.
    .
    Mas vamos ver umas coisinhas:
    1) Os experimentos que Crookes fez com Ana Eva Fay FORAM FEITOS NA CASA DO CIENTISTA e não num TEATRO.
    2) O galvanômetro funcionava A BATERIA e não na tomada. Portanto, uma queda de força em nada afetaria o processo de leitura.
    3) O experimento principal, onde ele registra num relatório que publicou (e que Massimo Polidoro LEU, pois o registra em suas referências bibliográficas), foi feito EM 1875.
    4) A lâmpada elétrica só foi inventada em 1876 e sua comercialização, que dependia antes da instalação de hidroelétricas, termoelétricas e redes de fiação só aconteceu anos depois. ANTES DISSO AS CASAS ERAM ILUMINADAS A CHAMA DE GÁS!
    .
    Conclusão: se Massimo Polidoro tivesse apenas o interesse em BUSCAR A VERDADE, teria logo de cara percebido que aquela confissão era muito estranha. O que ele deveria ter raciocinado é que Houdini, por viver numa época onde já havia ampla iluminação elétrica nas grandes cidades e inclusive já havia alguns eletrodomésticos, simplesmente escreveu o que ELE faria. Mas não se deu conta que 40 anos antes os modos de vida eram muito diferentes.
    .
    Isso se Polidoro buscasse a verdade. Mas o qual é o propósito de Polidoro com o seu artigo? DEFENDER A FÉ CÉTICA. Como a fé tem o poder de cegar as pessoas para aquilo que não as agrada e inclusive mudar seu nível de honestidade, então Polidoro escreveu um artigo mentiroso. Para defender a fé, vale mentir… Especialmente quando a honestidade falha.
    .
    Como se vê, isso é um pecado muito grave, mas não é “privilégio” só dos crentes religiosos.

  124. Gilberto Diz:

    Oi, Arduin. Bingo!! Vinte casas pra você e ainda tem o direito de jogar o dado de novo! Observações bem notadas!! Esse tipo de post vale mais que 20 “Espírito-Aulas, com o Professor Emmanuel “Copia-e-Cola”!!

  125. Roberto Scur Diz:

    Emanuel Oliveira,

    Não tenho outra forma de contato consigo que não através do blog do Vitor Moura, por isso utilizo-me deste meio para agradeçer-te o empenho em teres postado link utilíssimos.

    Sabes que assisti os 2 vídeos que indicastes sobre o depoimento do médium Wagner Paixão no Espiritismo BH, conforme copiei à seguir:

    Emanuel Oliveira comenta:
    “Assista ao belo testemunho de Wagner Paixão sobre a vida de Chico Xavier
    1) http://vimeo.com/5273318
    2) http://vimeo.com/5349565

    E devo dizer do júbilo de assistí-lo, o Wagner, à quem não conhecia e que graças à um outro link teu sobre a participação dele no Congresso Espírita deste ano, onde psicografou uma mensagem de Chico Xavier, pude travar o primeiro contato com este digníssimo médium espírita que foi tão próximo à Chico, seus amigos, à Divaldo e ao movimento espírita em geral.

    Para não abusar mais do veículo do Vitor Moura, tão útil que foi para aumentarmos nosso aprendizado, ofereço-te meu email para qualquer contato que possa ser útil: [email protected]

    No convívio aqui cultivado, mesmo que às vezes sob o tiroteio que a vaidade e o orgulho provocam, pude aprender com outros lidadores do ideal espírita e com os imãos céticos também, e as horas que consumimos em pensamentos, argumentações, leituras e debates promoveram, de certa forma, algum estreitamento de nossos laços fraternos em humanidade e quiçá algum crescimento espiritual do qual somos tão carentes.

    Paz na Terra aos homens de boa vontade e que Jesus apacente às ovelhas desgarradas do seu redil.

  126. Eduardo Diz:

    Roberto Scur,
    -
    Tomei a liberdade de anotar seu e-mail tb.
    -
    Tenho anotado os links postados pelo Emanuel Oliveria tb e uso para aprendizado.
    -
    Abraços,
    -
    Ps.: Vitor, li seu e-mail.

  127. Roberto Scur Diz:

    Eduardo,

    Não há grande valia a minha opinião limitada e caso os amigos de boa vontade puderem enviar alguma informação esclarecedora do tipo às que o Emanuel Oliveira trouxe e das quais a Doutrina Espírita se esmera em produzir, agradeço de antemão.

    Te recomendo Eduardo assistir os 2 vídeos do Wagner Paixão. São longos e reveladores sobre detalhes da personalidade de Chico Xavier. Sabia que ele tinha sido mulher desde a reencarnação como Flávia, filha de Públio de Há Dois Mil Anos, passando por Joana, a “louca”, da corte espanhola? E que Taciano, o personagem de Ave Cristo, é o amigo do Chico chamado Arnaldo que está reencarnado ainda hoje? Eu não sabia. Para mim valeu.

    Cumprimentos fraternos.

  128. William X Diz:

    Marcos Arduin,
    -
    Vc está realizando algumas boas postagens sobre Crookes. Aqui há uma enxurrada de postagens, fica difícil acompanhar tudo. Depois irei escrever sobre Crookes e todo esse movimento do final do séc. XIX e começo do XX. Irei expor material mt interessante, e demonstrar a resistência do meio cientifico perante os FATOS. Em minha opinião, a conseqüência do fenômeno mediúnico que leva inevitavelmente à Doutrina dos Espíritos estava em uma sinuca de bico, enfrentava resistência muito maior que a teoria da evolução de Wallace e Darwin. Se as pesquisas sobre a evolução das espécies sofriam ataques do clero e sátira dos jornais da época, o Espiritismo codificado por Allan Kardec enfrentava a igreja, enlouquecida com ensinamentos que afrontavam sua suposta autoridade, além de sofrer ações contrárias de um número de homens de ciência, apesar de ilustres e importantes cientistas atestarem o fato mediúnico. A igreja não querendo perder terreno, somando uma parcela desgastada, sobretudo, com o catolicismo em alguns paises e a ciência derrubando a golpes mortais os dogmas, o Espiritismo “surgiu” como uma ponte em meio esse quadro. Provavelmente a ciência espírita não obteve aval da ciência oficial por certos detalhes que sob meu ponto de vista chegam a ser desleais (irei descrever em uma longa matéria futura em meu blog), apenas por isso, mas cedo ou tarde ela irá estar no seu devido lugar.

  129. Emanuel Oliveira Diz:

    Companheiros Espíritas: dadas as minhas limitações, vou sendo mero carteiro de pessoas com quem mto aprendo
    em Videos e Audios, procure na busca de Temas/Tipo/Categoria/Convidado
    http://www.espiritismobh.com.br/paginas … &chave=106
    Qualidade doutrinária da União Espírita Mineira
    Wagner Gomes Paixão, Haroldo Dutra, Nestor Mazotti,Arnaldo Rocha,Roberto Lúcio, etc
    e ainda Várias Palestras do
    3º Congresso Espírita Brasileiro 2010-
    100 anos Chico Xavier (e outras anteriores)
    http://www.radioriodejaneiro.am.br/RRJsiteCMS/?cat=34
    Eduardo: siga o conselho do Roberto e veja aos poucos as várias palestras de Wagner Paixão e Haroldo Dutra (só pra destacar estas)
    Permitam-me sugerir outro grande trabalhador médium da seara espírita: Emanuel Cristiano, autor de “Aconteceu na casa Espírita”, “Yvonne entre nós”, “O zelo na tua casa” dos espíritos Eurípedes Barsanulfo; Yvonne Amaral Pereira, Bezerra de Menezes, Nora, etc, obras obrigatórias para dirigentes, trabalhadores e frequentadores da casa espírita e simpatizantes da causa espírita
    Grandes trabalhadores e oradores como Marlene Nobre, Roberto Lúcio, Irvênia Prada, Alberto Almeida (emocionante) e Décio Iandoli Jr , Sérgio Filipe de Oliveira da Associação Espírita Internacional têm prestado serviço relevante ao novo paradigma da Medicina q a Humanidade merece aí no Brasil, aqui na Europa (Portugal, Espanha, França, Bélgica, Suiça,Àustria, Alemanha, Holanda, Itália,etc), Estados Unidos e Canadá entre mtos outros países sul-americanos.
    Podem queimar corpos, livros, caluniar quem só fez o bem, mas os Espíritos bons chovem do Universo, do Mundo das Ideias como diz Platão, tal como Sócrates um dos percursores da 3ª Revelação
    Abraço, bons estudos, trabalhos e obras

  130. Emanuel Oliveira Diz:

    errata: onde está Associação Espírita Internacional, deve ler-se Associação Médico Espírita Internacional, composta por médicos de várias especialidade, psiquiatras, psicólogos(clínicos) e outros investigadores

  131. Marcelo Diz:

    Vítor,

    Será que não tem como limitar o tamanho dos comentários (por exemplo, 250 caracteres por comentário) e número de comentários por usuário (exemplos: 3 comentários por usuário, ou 1 comentário por hora por usuário)?

    Essas “rajadas” de comentários longos/do mesmo autor poluem muito a leitura… acredito que a maioria dos leitores não tem paciência/tempo para ficar lendo esse monte de texto de “copy and paste”

  132. Vitor Diz:

    Marcelo,
    deve ter uma maneira de limitar, mas prefiro assim. De qualquer forma, apaguei os comentários do Emanuel que eram só enxertos de Kardec. Já deu pra diminuir bem :-)

  133. Gilberto Diz:

    “…mas os Espíritos bons chovem do Universo, do Mundo das Ideias como diz Platão, tal como Sócrates um dos percursores da 3ª Revelação…”
    -
    Nossa, como chove ignorância arrogante em pele de cordeiro usando óculos de fundo-de-garrafa. É impressionante!! Será essa a “nata” do espiritismo? Parece discurso de Paiva Neto, que aliás são hilários e imperdíveis. As suas vídeo-aulas sobre o Apocalipse são uma pérola. Assisti a todas na TV. Ele tinha frases interessantíssimas, do tipo “Como provou Einstein, tudo é relativo” (sic). E com efeitos de câmera, pra dar credibilidade, eles colocavam as fotos dele e dos filósofos e outros mestres no fundo da tela. Mas pelo menos Paiva Neto é sucessor de Alziro Zarur, auto-proclamado reencarnação de Alan Kardec. Não é de se admirar o encolhimento sem precedentes dessa tal doutrina… Um “smorgasbord” de informações desconexas com cara pseudo-intelectualóide. Que falta um sistema de educação decente faz a um país…

  134. Emanuel Oliveira Diz:

    Sr Vítor Moura:
    um comentário de minha autoria de manhã não foi aprovado
    Qual a justificação desta vez?
    Obrigado pela atenção

  135. Emanuel Oliveira Diz:

    Um 2º comentário foi censurado contendo referências ao livro “O que é o Espiritismo” de Allan Kardec
    O q está a tentar esconder e porquê?
    Porque publica estes 2 comentários e não um dos outros…
    Os leitores q tirem as devidas conclusões

  136. Vitor Diz:

    Emanuel,
    eu estou realmente agora tentando limitar os posts àqueles que realmente acrescentem algo à discussão. Não era o caso de seu post, que era mais uma reclamação absurda de censura. Você já mandou literalmente dezenas de posts imensos fazendo propagandas de palestras, videos, trechos gigantescos de livros de kardec etc muitas vezes nada tendo relação com a matéria ou com o que estava sendo debatido (que eu me lembre, o único que teve a ver foi aquela entrevista com o Wagner Paixão que até foi feita uma matéria refutando o que ele dizia). Eu me incomodava bastante, mas até então eu tinha ‘tolerado’, só que a partir do momento que reclamações de diversas pessoas começaram a surgir com relação a sua atitude, achei melhor agir. Não é porque UMA gostava do que você postava que vou deixar de atender à maioria.

  137. Emanuel Oliveira Diz:

    Ninguém de boa fé acredita em si
    O Sr prova q censura ao não postar “uma reclamação absurda de censura”
    Se fosse coerente não publicava estes 2 posts irrelevantes e já os tinha apagado
    É um médium subserviente dos autores morais deste blog
    O descrédito é total pq nem liberdade de expressão de forma correcta existe
    O seu intuito persecutório traiu-o, denunciando-se de forma mto ingénua.
    Tinha-o por mais racional, afinal a emoção tb existe
    Na falta de argumentos e factos queima os posts
    Problema da sua consciência.
    Que não o de consciências livres pensadoras – Espíritos livres!

  138. Emanuel Oliveira Diz:

    Quem quiser saber o q foi censurado e porque incomodava tanto pela argumentação imbatível de Kardec veja na net
    o livro O que é o Espiritismo (o link aqui é proibido)
    Diálogos com o Crítico (ex. a Otília, filha do Roberto Scur)
    com o Cético (ex, o Chico, tb futuro filho dele)
    e o Sacerdote (ex. Públio, irmão dos 2)
    Estude Kardec para entender Jesus e Deus

  139. Emanuel Oliveira Diz:

    Agradecemos o Auto de Fé de Vitor Moura
    Tal como em Barcelona no sec.19 podem queimar livros ou posts de Kardec q isso só contribui para a as pessoas quererem saber o q tanto incomoda o status quo
    As reminiscências inquisitoriais permanecem no inconsciente (nos 2 sentidos do termo)
    Curiosíssimo um mentor dum blog q se diz espírita e censura e calunia Kardec, permite diversos insultos de usuários por hora, milhares de caracteres e referências bibliográficas q nunca ninguém lerá sequer a referência.
    Engraçadíssimo verificar q “espíritos infantis” vêm fazer queixinhas q este menino q vos fala se portou mal e de imediato é repreendido pela polícia política. Sim, Senhor!
    Enquanto isso censura diversos posts sobre o assunto em discussão q estavam a ser lidos por várias pessoas como se comprova acima.
    Reiteramos assim a este blog mais um agradecimento por serviços relevantes prestados à divulgação da Doutrina Espírita. Bem hajam!

  140. Gilberto Diz:

    Emmanuel, tenha santa paciência. A sua má fé em postar textos “copiados e colados” desconexos sem nada a ver com a discussão era claramente uma tentativa de inundar este blog com aulas espiritóides. Se os espíritas são tão aplicados e superiores em inteligência à média dos brasileiros, eles devem, no mínimo, ter acesso aos textos de Kardec. Agora, colocar propaganda ou transcritos de palestras é SPAM!! É má fé. São pessoas como você que trazem tanto ceticismo por parte de não-espíritas. Use argumentos (como de fato já o fez, brilhantemente) e se abra a discussão (como de fato nunca fez, salvo rasgação de seda com outros espíritas). Dispa-se (ops!) de seus dogmas inquebrantáveis, de seu vocabulário Xaveriano e parta para a (saudável) luta por seus ideais, pra evolução de sua religião, para resgatar a credibilidade que o espiritismo tinha, por exemplo, na época do Pinga-Fogo. Nenhum programa fez nada como aquele nos últimos 40 anos porque ninguém vai querer ouvir os caras que estão aí como queriam ouvir o Xavier. A coisa tá preta (como diria a namorada do 50 Cent) pro lado de vocês. Quando um espírita fala durante um papo com os amigos, todo mundo fica calado ouvindo pra não acabar falando besteira e ofender o tal amigo espírita!! Isso acontece de montão. Fica aquele silêncio, como o tal “silêncio que precede o esporro”!! Lutem não apenas por credibilidade (quem precisa dos outros, anyway!) mas principalmente para o crescimento de algo aparentemente bom (pelo menos pra mim, pois não considero religião nenhuma um “veneno”) e que atraí tanta gente decente. Vale apena, creio eu, mas com spam e má fé não se chega a lugar algum. Abraços e tudo de bom.

  141. Emilio Peres Diz:

    O Emmanuel deixou de lembrança o seu “retrato” falado por ele mesmo.
    .
    Este tipo de “espírita” é que depõe contra o Espiritismo.
    .
    Bastou pôr limite à sua atitude abusiva e abusada, totalmente destituída de coerência e respeito, em face do objetivo do blog, para mostrar quem exatamente ele é.
    .
    É como digo sempre: Ser bom não é falar bonito, é fazer direito. Quem faz direito, respeita o próximo.
    .
    Emanuel, antes de forçar os outros a aprender isso e aquilo sobre Espiritismo, você é que está precisando prestar mais atenção ao que lê, para pôr em prática. Não adianta nada ser bonzinho com quem é bonzinho e bate palmas prá você. Isso todo mundo faz. Não adianta conhecer Kardec, Jesus e Deus, sem conhecer a si mesmo. Observe a sua arrogância com o Vitor, que teve muito mais tolerância com você esse tempo todo em que você transformou o blog dele numa sucursal da Federação Espírita Brasileira.
    .
    O blog virou “point” de “espiriteiras” de egos inflados, jogando confete uns nos outros, e mais chatos do que aqueles evangélicos dominicais que batem à nossa porta às 8:00 hs para trazer a “palavra” e, caso não estejamos dispostos à conversão num domingo às 8:00 da manhã, eles nos ameaçam com o fogo dos infernos.
    .
    É por isso que eu não aguento essa linguagem rançosa e dissimulada desses “espíritas” que têm certeza que vão para as esferas de Jesus, quando desencarnarem e que todo o resto da humanidade irá para o “chupão”, principalmente aqueles que não se tornaram “espíritas”.
    .
    Gilberto e Marcelo, valeu. Valeu mesmo!
    .
    Vitor (Chiquinho, rsss), dessa vez estou com você!
    .
    Cadê o Carlos Magno, a Sonia e o Gilgamesh?

    Sds.

  142. Gilberto Diz:

    O Carlos Magno foi cuidar de sua vida espiritual (leia-se: receber umas Pombas-Gira e Erês, além de beber muita marafa), a Sonia foi proibida pelo marido de entrar na Internet depois que ele descobriu que ela tinha colocado perfil no Par-Perfeito-Espírita (ou foi no Alma-Gêmea?), e o Gilgamesh foi fazer uma ponta no filme dos Smurfs, no papel de Gargamelo (ele foi escolhido pela semelhança de nome). Saudades…

  143. Emilio Peres Diz:

    E você, Gilberto, está se preparando para ser “Otilinha”, a filha de Roberto Scur, na próxima encarnação, apadrinhada pelo Emanuel de Oliveira?
    .
    O José Carlos anda sumido… Penso que ele tem meditado muito a respeito de sua próxima encarnação, profetizada como sendo seu irmão, filho também do generoso Roberto Scur, recebendo o cognome de Publio.
    Imagino o inferno que tem sido para ele, imaginar se vão colocar-lhe o nome de Públio Lentulo, ou Públio Lentulus, ou Publius Lentulus, ou Publius Lentulo, ou Púbis Lentos, ou Purus Lentus…rssss
    .
    Vão me rogar tanta praga, em nome de Deus, de Jesus, de Bezerra, de Joana de Angelis, de Emanuel e de toda a plêiade de luminares, para se certificarem de que a praga vai pegar mesmo!
    .
    E vão dizer que sou um espírita totalmente obsidiado…
    estou acostumado…é meu estigma!
    .
    Sds.

  144. Gilberto Diz:

    Pode ser Emílio, mas um médium me disse certa vez que o meu espírito é muito evoluído e esta é a minha última encarnação na Terra (sem brincadeira, é verdade!!). Mas podemos interpretar isso de duas formas: ou eu não vou mais encarnar porque eu vou DIRETO pro tacho do Capeta, ou vou encarnar em lugares mais evoluídos, como o Marte de Xavier (espero que não o de Kardec, e muito menos o de verdade verdadeira, que só tem rocha e buraco!). Mas isso também pode dizer que eu não vou mais encarnar porque só tem esta vida mesmo e se eu perder o bonde vou ficar pastando. Qualquer que seja a verdade admito que é TUDO ruim!! Até que se prove o contrário, vou aproveitar bem esta aqui. Passei a manhã toda cantando músicas românticas pra minha filhinha de 4 anos, e aqueles olhinhos de apaixonada me olhando valeram mais que duas encarnações voando!! Ah, como a minha vida é boa. E desejo o mesmo a você e a todos que leem este blog. Um ótimo feriadão pra todos!!

  145. Marcos Arduin Diz:

    Ei, Emmanuel
    Depois de dar uma revisada em alguns posts, encontrei um erro seu:
    Jesus foi o único espírito PURO que deu as caras por aqui. Errado! Espíritos Puros estão em condição DEFINITIVA e NÃO MAIS REENCARNAM. Aqueles que RARAMENTE reencarnam para executar missões de grande importância são ESPÍRITOS SUPERIORES.
    Quanto aos outros citados, vai me desculpar, mas eles têm ou tiveram defeitos humanos demais para se qualificarem como espíritos superiores.
    Melhor estudar o Livro dos Espíritos direito….

  146. Marcos Arduin Diz:

    Com relação ao Consolador, Emílio, vejamos umas coisas, que você pode conferir no livro de Gélio Lacerda da Silva, que já citei aqui.
    .
    Segunda Parte, V – Evolução-Dor (os febeanos fizeram perguntas capciosas, que Emmanuel respondeu ao gosto deles)
    - 243 – Todos os espíritos que passaram pela Terra tiveram as mesmas características evolutivas, no que se refere ao problema da dor?
    R – Todas as entidades espirituais encarnadas no orbe terrestre são Espíritos que resgatam ou aprendem nas experiências humanas, após as quedas do passado, com exceção de Jesus-Cristo, fundamento de toda a verdade neste mundo, cuja evolução se verificou em linha reta para Deus, e em cujas mãos angélicas repousa o governo espiritual do planeta, desde os seus primórdios.
    .
    Essa expressão “linha reta” é o que os rustenistas usam para designar “espíritos infalíveis”, que atingiram a perfeição sem nunca terem errado e por isso não ficaram sujeitos à encarnação humana.
    .
    Emmanuel também dá respostas ao gosto rustenista às perguntas 205, 248, 249 e 277, mas às perguntas 323 até a 328, pisou na bola quando falou das “almas gêmeas”, teoria anti-doutrinária. Em “defesa de Kardec” (na verdade em defesa do rustenismo, pois contra outras coisas que há nas obras de Kardec, mas a favor de Roustiang, a FEB aplaudia) esta colocou uma NOTA no final da obra.
    .
    Chico ficou durante muito tempo dominado pela FEB. Aquela patriotada imbecil, “Brasil, Coração do Mundo e Pátria do Evangelho” é outro exemplo dos bons. Até contradiz o Emmanuel, que colocou Jesus como governante da Terra desde a sua origem. Pois bem, nesse livro aí, aparece um Jesus perdido e confuso, que pergunta a Helil: “onde fica, nestas terras novas, o recanto planetário do qual se enxerga, no infinito, o símbolo da redenção humana?” Para um governante planetário, tá mals pacas!
    .
    Pra quem não sabe: J. B. Roustaing foi contemporâneo de Kardec e, servindo de apenas UMA médium obsediada, escreveu uma massuda obra, escrita em espírito e verdade, com a ajuda dos evangelistas e ainda com o apoio de Moisés, onde “explicava” os textos evangélicos. É um lixo de obra, mas fez sucesso no Brasil, pois os que se converteram ao Espiritismo eram ex-católicos carolas. No Espiritismo, entretanto, acharam grande falta da Virgem Santíssima e do Cristo-Deus. E estes aparecem na obra de Roustaing, pois diz que Jesus teria evoluído apenas no mundo dos espíritos, sem jamais errar (pois do contrário seria submetido à reencarnação) e pois isso esteve entre nós como um agênere, ou seja, um espírito materializado sem auxílio de um médium. Com isso, resgatava-se a virgindade de Maria, pois ela ficou “grávida” sem nunca ter transado, teve um parto ilusório e cuidou e amamentou o “menino” Jesus.
    .
    Tudo isso é uma baita tolice no Espiritismo (o codificado por Kardec!). Para que o espírito que animou Jesus pudesse ser infalido, teria de ter recebido condições muitíssimo especiais, absolutamente injustificavéis e sem nenhum motivo plausível. O espírito que animou Jesus evoluiu EXATAMENTE como todos os outros. Ele pode ter animado personalidades equivalentes a Hitler, Átila, Tarmelão, Gengis-Khan, Torquemada, etc? Sim, perfeitamente. Assim como os espíritos que animaram aquelas personalidades um dia serão espíritos como Jesus é hoje.
    E Maria, sua mãe, transou com José normalmente e seu filho primogênito foi o tal Jesus e que teve irmãos também.
    .
    É isso.

  147. Emanuel Oliveira Diz:

    Prezado Marcos: obrigado pela sua atenção e pelos ensinamentos de vária ordem q nos traz
    Os espíritas devem ter espírito crítico construtivo como e não destrutivo(por ignorância e desconhecimento, não por má fé…) como se vê por aí
    De forma resumida, pois tudo isto é desdobrado e confirmado em toda a codificação ( 5 livros e complementares)
    Jesus é Espírito Puro, não estando sujeito a mais nenhuma reencarnação. Apenas o fez por missão e por sua vontade
    A principal diferença com os Espíritos Superiores é q eles ainda têm que reencarnar, mesmo que em missão (que pode ser de natureza expiatória ou provatória no sentido lato – não confundir no sentido estrito. Os Espíritos aconselham sempre para nos entendermos na linguagem q é limitada e gera desentendimentos desnecessários)
    Precisamente por aquilo q apontou, porque ainda têm defeitos e imperfeições q têm q sublimar pela reencarnação. Desta forma podem reencarnar em missão e expiação, resgatando débitos e sendo alavancas essenciais para a Humanidade, conforme nos explicou Raul Teixeira com diversos exemplos de homens e mulheres do nosso tempo (ver artigo abaixo)
    P.S.Quando tiver oportunidade coloque pessoalmente por estas suas grandes dúvidas (ex. último post) q assolam o seu espírito a Divaldo e Raul Teixeira que terão todo o gosto em esclarecê-lo
    Para mim estudando de forma profunda e sistematizada
    e com espírito crítico (já fui ateu/agnóstico, etc..) a codificação de Kardec e todas as obras complementares de Chico. No início tb me deparava com apaerentes contradições mas apenas pq o fazia de forma mto superficial. Kardec é a base actualizada (e bem à frente ainda do nosso tempo) e Chico foi desdobrando os conteúdos q não era possível em 5 obras básicas, e para a qual a Humanidade se foi preparando para abarcar mais conhecimentos (tb eles mto profundos e bem à frente do nosso tempo). A Ciência e Medicina actuais têm vindo a comprovar sucessivamente factos apontados por Emmanuel/André Luiz- Chico Xavier há + 60 anos
    Não é preciso ser espírita: basta ver as inestigações do séc. 21 e comparar as datas dos livros de André Luiz
    Se quiser (para não incomodar pessoas q não sei porquê lêm os meus posts, quando eles são dirigidos sobretudo a espíritas – seria mto mau sinal alguém querer converter com posts convicções de décadas q se têm q respeitar, cada um faz seu percurso Individual) posso enviar para o seu e-mail (como faço a outros companheiros espíritas daqui e mtos outros) um trabalho em powerpoint com a antecipação de mtos conhecimentos científicos na obra Emmanuel de André Luiz (resumo de vários trabalhos de Cientistas materialistas q estão cada vez mais a comprovar os postulados médico-espíritas e as obras de Kardec e Chico)

  148. Emanuel Oliveira Diz:

    Convidamos todos ao estudo mais atento de toda obra de Kardec como fez o nosso companheiro Sérgio Fernandes Aleixo neste artigo:
    Jesus na visão Espírita
    Em meio à crescente proliferação de doutrinas exóticas no seio mesmo do nosso movimento, sobremodo nos preocupam aquelas cujo resultado é a deturpação da legitima visão espírita de Jesus de Nazaré.
    Ao contrário do que a negligência de muitos confrades pode supor, Allan Kardec deixou-nos bem definida a concepção espírita sobre a natureza do Cristo, quer física, quer, sobretudo, espiritualmente.
    No comentário ao nº 226 de O Livro dos Espíritos, o codificador estabelece que, quanto ao estado no qual se encontram, os espíritos podem ser encarnados, errantes ou puros. Acerca dos puros, dizem os espíritos superiores: “Não são errantes… Esses se encontram no seu estado definitivo.”
    Tal é a condição espiritual de Jesus: a dos espíritos puros, ou seja, a dos espíritos que “percorreram todos os graus da escala e se despojaram de todas as impurezas da matéria” (Ob.cit.,nº 113). Apesar de integrar o número dos que “não estão mais sujeitos à reencarnação em corpos perecíveis”, dos que “realizam a vida eterna no seio de Deus” (id. Ibid.), entre nós, por missão, o mestre encarnou-se. Conforme o nº 233 de O livro dos espíritos esclarece, “os espíritos já purificados descem aos mundos inferiores”, a fim de que não estejam tais mundos “entregues a si mesmos, sem guias para dirigi-los”.
    É bem verdade que no comentário ao nº 625 da mencionada obra, Allan Kardec apresenta Jesus como “o tipo da perfeição moral a que a humanidade pode aspirar na Terra”, em quase exata conformidade com o que diz sobre os espíritos superiores, os quais, segundo ele: “Quando, por exceção, encarnam na Terra, é para cumprir missão de progresso e então nos oferecem o tipo da perfeição a que a humanidade pode aspirar neste mundo” (nº 111).
    Cumpre-nos salientar que na doutrina espírita o rigor do conceito de pureza se concentra na expressão “puro espírito”, que Kardec explicou ser o estado dos seres que tradicionalmente são chamados “anjos, arcanjos ou serafins”; entretanto, com isso, não quis o codificador estabelecer a existência de gradações no estado de pureza espiritual; basta confrontarmos o item 111 com o item 226 de O livro dos espíritos.
    Contudo, o sacrifício tipicamente missionário de um retorno à Terra, mesmo quando já não há necessidade desse tipo de experiência para evoluírem, é meritório aos espíritos superiores, do ponto de vista de sua progressão, pois não integram ainda a classe dos puros espíritos, não se encontram ainda no seu “estado definitivo”.
    Alguns entendem que este seria o caso de Jesus de Nazaré. Ele teria atingido a perfeição, ou, quiçá, um grau evolutivo mais alto entre os filhos do homem somente após o cumprimento de sua missão, o que, alias, é sugerido pelo autor da Epístola aos hebreus, o qual entende que Jesus, por seus sacrifícios, teria passado, de `sacerdote’, à condição de `sumo sacerdote’ da ordem de Melquisedeque.
    Não desposamos essa idéia, embora admitamos que não confronta com o ensino de O livro dos espíritos, no qual, de fato, Jesus figura ainda como espírito superior; passível seria ele, portanto, de aperfeiçoamento.
    A codificação espírita, todavia, não termina em O livro dos espíritos, começa nele. Allan Kardec desenvolveu e aprimorou o conceito espírita sobre a condição espiritual de Jesus como fez com relação a outros temas. Se não, vejamos.
    Já mesmo em O livro dos médiuns, obra que constitui, segundo o próprio codificador, a seqüência de O livro dos espíritos, Allan Kardec passou a classificar Jesus como espírito puro. Na nota que escreve à dissertação IX do cap. XXXI, distingue, com absoluta clareza “os espíritos verdadeiramente superiores” daquele que representa “o espírito puro por excelência”, por desvelada menção a Jesus Cristo.
    Ora, Allan Kardec diz que tais espíritos, mesmo superiores, não têm as qualidades do Cristo; de novo estabelece, portanto, diferença entre Jesus e os espíritos superiores, como fez em O livro dos médiuns, na aludida nota à dissertação IX do cap. XXXI. Isso tão- só porque os espíritos superiores ainda não são puros.
    Do livro: “Reencarnação – Lei da Bíblia, Lei do Evangelho, Lei de Deus.” – Sergio Fernandes Aleixo, ed. Lachâtre

  149. Emilio Peres Diz:

    Emanuel, Marcos e outros espíritas que postam neste blog:
    .
    Sendo espírita, sempre estranhei a “suposta capacidade” do inferior, em “definir” o que seja o Superior (que desconhece totalmente). E principalmente, as discussões em torno deste tema, querendo cada um exclusividade no acerto da “opinião”.
    .
    Sendo espírita, sempre estranhei também o axioma “perfeição”. Perfeição, limita! Limite não se coaduna com Eternidade!
    .
    “Nascer, morrer, renascer. PROGREDIR SEMPRE. Esta é a Lei”. Sendo espírita, considero esta a resposta!
    .
    Sendo espírita, entendo Emmanuel (o espírito), quando advertia, através de Chico: “Se vão polemizar, eu vou embora”. Porque são discussões estéreis, que não levam a nada. Enquanto se discute, se debate, criam-se grupos de estudo, escrevem-se livros e artigos, se Jesus existiu mesmo, se é espírito superior, puro, se esteve ou não, sujeito à “lei do carma”, se evoluiu em linha reta ou linha torta (como todos nós), a verdadeira “salvação” fica por fazer, que é a caridade, de acordo com a Doutrina Espírita.
    .
    Sendo espírita, que diferença faz, “saber” se Jesus é superior ou puro? ou se Ele evoluiu em linha reta ou como nós (em linha tortíiiiiiiissima!). Prá NÓS, qual a diferença se Ele é superior ou puro, se NÓS não temos idéia sequer do que seja ser um ou outro?
    .
    Sendo espírita, vejo os “estudiosos espíritas”, repetindo o mesmo comportamento dos Doutores da Lei, tão contraditado por Jesus, merecendo Dele, os adjetivos pejorativos constantes do Evangelho: “víboras”, “hipócritas”, etc.
    .
    Sendo espírita, penso que, enquanto se debate sobre o que ele foi ou não foi, o que Ele é ou não é, o que Ele FEZ, NINGUÉM faz.
    .
    Só o Chico!!!
    .
    Sds.

  150. Emanuel Oliveira Diz:

    Desculpem a falta de revisão dum texto anterior, sobretudo os que “leêm”.
    P.S. Chico Xavier : ” A melhor forma para prevenir e combater as obsessões é o estudo sincero e sistematizado das obras da codificação de Allan Kardec”
    Todos os dias ele lia o Evangelho 2º Espiritismo e O Livro dos Espíritos…
    “Estude Kardec para entender Jesus”

  151. Emilio Peres Diz:

    Emanuel, achei ótima sua colocação:
    .
    ” A melhor forma para prevenir e combater as obsessões é o estudo sincero e sistematizado das obras da codificação de Allan Kardec”
    Todos os dias ele lia o Evangelho 2º Espiritismo e O Livro dos Espíritos…
    “Estude Kardec para entender Jesus”
    .
    Estudo!!! E não debate ou polêmica estéril. Estudar e praticar o cristianismo (é o que o Chico fez), no dia a dia é o melhor meio de manter-se longe de obsessões. Porque todos nós já SABEMOS o que significou e significa Jesus e seus ensinamentos para a reforma do sêr humano. Só é preciso pôr em prática, nada mais…
    .
    O fato de Jesus não ter feito questão alguma de deixar nada escrito é muito significativo. Ou Ele escrevia ou agia, no pouco tempo em que esteved entre nós. E deu certo, porque seus exemplos sobrevivem há dois mil anos, originando um número enorme de denominações criadas em Seu Nome. E TODAS PARA O BEM. Isso é o que importa!
    .
    Sds.

  152. Emanuel Oliveira Diz:

    De acordo Emílio.
    Na linha do Espírito da Verdade: Espíritas: Amai-vos! (eis o 1º ensinamento); Instruí-vos (o 2º)
    Jesus “os meus discípulos conhecer-se-ão por mto se amarem”
    Escrevo mas quem deve interiorizar 1º sou eu
    orAÇÃO e Vigilância
    Fiquem com Deus

  153. Emilio Peres Diz:

    Emanuel, novamente aplaudo a tua colocação:
    .
    Na linha do Espírito da Verdade: Espíritas: Amai-vos! (eis o 1º ensinamento); Instruí-vos (o 2º)
    Jesus “os meus discípulos conhecer-se-ão por mto se amarem”
    .
    Observamos que o Espírito da Verdade colocou o amor em primeiro lugar. E Jesus ensinou apenas o amor, como forma de iluminação e crescimento.
    .
    Judas era amado por Jesus e pelos outros discípulos?
    .
    Só nos resta compreender que amar-nos uns aos outros, não significa apenas troca de elogios entre os pares. Aliás, isto fica claro aqui neste blog, onde ninguém se conhece, nunca se viu, não se sabe se são mesmo o que dizem ser e, mesmo assim, nota-se ressentimentos nas entrelinhas, quando as opiniões divergem. A canção começa a mudar de tom.
    .
    Por isso, continuo afirmando que ser bom (olha o amor!) não é falar bonito; é fazer direito.
    .
    O Espírito da Verdade não fala bonito e nem rebuscado. É curto e objetivo. Por que? Porque palavras bonitas tiram a atenção do conteúdo. Principalmente, quando não há muito conteúdo ou quando é ele é duvidoso.
    .
    Por isso, continuo com Emmanuel (o espírito), quando ele diz que há um outro tipo de oração e vigilância…
    .
    Um bom fim de semana a todos.

  154. Marcos Arduin Diz:

    Emílio e Emmanuel
    Este é um blog de discussão onde alguns dos membros, anti-espíritas ou espíritas mais críticos, colocam pontos a serem discutidos. Pontos esses que de fato ou em aparência indicam falhas em obras espíritas de autores diversos, consagrados ou não.
    .
    Acho que temos que nos ater a isso e não ficar na base de proselitismo espírita, que não interessa a ninguém por aqui. Como já disse alguém: _ Nunca se justifique. Os amigos não precisam e os inimigos não acreditam.
    .
    Pois bem, quem já é espírita está pouco se lixando para mais uma postagem de algum trecho de obra espírita que já tenha lido talvez. E quanto aos outros, para eles, esses textos nada significam.
    .
    Eu só pediria para não perderem de vista que os que encarnam neste mundo, mesmo bons missionários, ainda são espíritos longe da categoria de espíritos superiores e menos ainda dos puros (que como disse Kardec, já estariam em condição DEFINITIVA e por isso não podem reencarnar _ nem por excessão, pois isso seria um esforço desnecessário). Se o Nosso Guia Mulla pode mandar um Marco Aurélio Top Top Top Garcia para falar a um representante estrangeiro as mesmas besteiras que ele falaria, não há necessidade de ir ter com o cara pessoalmente. Assim é com os espíritos puros e os superiores. Os superiores podem muito bem encarnar e decidir questões que um puro faria. Por isso entendo que Jesus seria um Espírito Superior e não Puro. Já os outros, ainda vão ter de comer muito arroz e feijão para chegar onde Jesus chegou.

  155. Emanuel Oliveira Diz:

    Exposição mediúnica no Metropolitan Museum em Nova Iorque (Artigo do New York Times)
    artigo de César Perri
    http://www.geb-portugal.org/Admin/Ficheiros/REVISTAV167.pdf

  156. Gilberto Diz:

    Amigos, acho que estou no blog errado. Cadê a discussão sobre a falsa materialização de Uberaba? A que essa discussão sobre o que seria o espírito de Jesus leva, se vocês não fazem o que Ele pediu, que é seguir as escrituras. Lembrem-se que o evangelho NÃO É o escrito sagrado a que Jesus se propôs a tornar-se “o “verbo vivo”, e sim as únicas escrituras que haviam em sua época, i.e., o Antigo Testamento. Ele NUNCA o contradisse, e se pegarmos as escrituras a que ele se referia, o Espiritismo está em maus lençóis, pois todo tipo de comunicação com os mortos é severamente condenado (até hoje, pergunte a qualquer judeu). Usar o evangelho (que são livros à parte, contando as “boas novas”, pós-messiânicas) é claramente desdizer Jesus. O que não é problema, mas recriar um Jesus para o espiritismo, tendo Ele já sido recriado pela Igreja Católica recente, é um exercício ANTI-CRISTÃO. Mas e o Xavier, heim? Se atolou com essa Otília, né? Compararam ele a Jesus. Será que Jesus também usava de truques de salão de quinta categoria? E será que daqui a mil novecentos e dez anos, 2 bilhões de pessoas adorarão o Xavier como hoje se adora Jesus? Pretensãozinha, pois o espiritismo tende a se isolar em seus dogmas e em seus feitos mágicos que, para o próprio bem do espiritismo, hoje em dia só são feitos trancados à sete-chaves, para uma seleta “platéia” composta só de crentes iniciados. Só esses caras mesmo pra acreditar em toda essa misè-en-scene mesmo…

  157. Gilberto Diz:

    E na questão “materializações”, olhe como o grande Sai Baba, citado por Divaldo Franco como o espírito mais evoluído hoje na Terra, faz aparecer “do nada” (ou melhor, de sua mão fechada), o pó-mágico chamado Vibhuti, que serve para abençoar pessoas. Ele faz isso em todas as suas aparições públicas. Esse truque é do tipo da Otília, a diferença é que milhões, inclusive o Carlos Magno, Divaldo Franco, aplaudem de pé…
    -
    http://www.youtube.com/watch?v=_XVWEyyjt5s

  158. Marcos Arduin Diz:

    O problema da Otília é que vocês não trazem nada de novo que já não tenha sido dito.
    Eu aqui apontei uma dessemelhança na foto com relação ao nariz do Veloso em comparação ao da Otília e até agora nem você, nem nenhum outro do contra disse nada.
    Que tal começar por aí?

  159. Gilberto Diz:

    Digamos assim, Arduin, ponto pra você. Então o “placar” está 531 a 1. Pelo menos você não precisa dizer que perdeu de zero!! Mesmo assim, já viu o nariz da Gisele Bündshen? Em cada foto ele tá diferente, dependendo da luz, do ângulo e da idade em que ela tirou a foto. Isso acontece. Conheci a Grazi Massafera e ela tem uma nareba enorme, apesar da cirurgia, cujas cicatrizes são aparentes ao vivo. Mas os ângulos mudam e ela pode até ficar com um narizinho arrebitado. E, tá bom, sou do contra, junto com a própria confissão da Otília, do Waldo Vieira (que viu o nariz de perto) e de muitos outros que estavam lá, além das dezenas de milhares, se não milhões, que viram as fotos. E o nariz. Aliás, que saudades do meu nariz de quando tinha 18 anos…

  160. Emanuel Oliveira Diz:

    Galileu Galilei negou acreditar no heliocentrismo, sendo ridicularizado pelos “cientistas” da época.
    Alguns deles convidados a observar mundos macroscópicos no telescópio negaram-se ” Não quero ver!…”
    E o sol para eles ainda hoje continua a girar à volta do seu orgulho terreno.
    Há 1 século e meio atrás “pseudocientistas” humilharam Louis Pasteur quando este disse que havia um universo de seres microscópios responsáveis pelas doenças físicas do Homem.
    Houve cientistas que, na época da descoberta das bactérias, chamados a olhá-las no microscópio recusaram-se: “Mesmo que eu visse uma, não acreditaria !”
    Será que hoje já aquecem o seu leite e tomaram alguma vacina?
    Desde há 153 anos Allan Kardec tem sido caluniado pelos religiosos e cientistas dogmáticos, e outros pseudosábios. Os médiuns idóneos são os “microtelescópios” que permitem observar e compreender o mundo invisível dos espíritos, que são somente os homens e as mulheres que viveram na Terra, mas num estado vibracional diferente do nosso.
    O Espiritismo é Ciência enquanto observa e estuda esse fenómeno inusitado que nos põe em relação com o mundo espiritual; a partir dos factos observados constituiu-se a Filosofia, que nos responde racionalmente às questões que sempre inquietaram o espírito humano: Quem sou? Donde Vim? Para onde vou? Porque sofro?, etc..E é Religião quando nos fala racionalmente do Criador, da evolução rumo à perfeição, dando-nos uma fé racional em contrapartida à fé cega e dogmática das religiões e seitas. A moral da Doutrina Espírita radica nas lições de Jesus na sua pureza primitiva que os homens adulteraram ao longo dos tempos para servirem a interesses particulares.
    No séc. 20, Chico Xavier foi perseguido pela ignorância e má fé. Quem já despertou da “consciência de sono” poderá aproveitar o seu exemplo de verdadeiro “Homem de bem”. Só num estado de consciência desperta o ser humano por si, poderá combater o “homem velho” que há em todos nós. Depende da sua vontade combater as doenças morais graves que o afligem. Somos espíritos em sucessivas experiências terrenas. Enquanto acreditarmos q somos só corpos…

  161. Emanuel Oliveira Diz:

    P.S. Mesmo com espíritos materializados à sua frente, tocando-lhes, sentindo a sua respiração, falando com eles, várias pessoas não se sensibilizaram com as consequências morais dos fenómenos. Cada um está no seu tempo e devemos respeitar o seu espaço

  162. Gilberto Diz:

    “A moral da Doutrina Espírita radica nas lições de Jesus na sua pureza primitiva que os homens adulteraram ao longo dos tempos para servirem a interesses particulares.”
    -
    Inclusive o espiritismo só faz isso: Adulterar as lições de Jesus para servirem a interesses particulares!! No caso, colocando-O como “espírito evoluído” ou “puro” ou “reencarnado a enésima potência da evolução que um ser pode reencarnar”. Distorcendo Suas palavras para dizer que Ele ratifica a reencarnação ou a comunicação com os mortos. Tudo isso e muitas mais adulterações descaradas, transformando-O em um garoto-propaganda (ou seria “Garoto-propaganda”, em caixa-alta?) dessa capenga doutrina espírita, esquecida pelos seguidores e conterrâneos de Kardec, numa desesperada tentativa de reavivá-lo, criando uma seita neocristã chamada “espiritismo científico cristão xaveriano pós-moderno”. Boa semana a todos!!

  163. Emilio Peres Diz:

    Emanuel:
    .
    Você é muito melhor, quando dá sua opinião pessoal sobre o assunto, do que quando “copia e cola” textos que, como disse o Arduim: “espíritas já conhecem e anti-espíritas não têm o mínimo interêsse”.
    .
    Na minha (humilde) opinião, você deveria continuar nesse “caminho”. Todos lucrariam muito mais e o seu objetivo, com certeza, seria alcançado.
    .
    Sds.

  164. Emilio Peres Diz:

    Gilberto:
    .
    Quem me parece desesperado em desacreditar o Espiritismo é você, meu amigo!
    .
    Ser contrário a determinadas idéias, não vai mudar em nada a realidade dos fatos.
    .
    Reencarnação, espírito, fenômenos mediúnicos, não são de maneira nenhuma da alçada exclusiva dos espíritas. Tudo isso faz parte da vida, dando-lhe sentido. A única diferença é que os espíritas aceitam e abrem-se às possibilidades. Enquanto que os outros, fecham-se a elas, permanecendo nas mesmices controláveis.
    .
    Sds.

  165. Gilberto Diz:

    Então somos 6 bilhões de “pobres almas” nas “mesmices controláveis”, enquanto os parcos 1,3 milhão de espíritas brasileiros são “donos da verdade”. Que pretensão. Que falta de humildade, apesar de afirmar que a pussuí. Que desespero de vocês em dar credibilidade ao espiritismo. Mas falham enormemente, mesmo com o vocabulário empolado e com a ilusão de darem sentido às suas vidas. Ser a favor de idéias estapafúrdias não vai mudar em nada a realidade dos fatos, amigo!!!!

  166. Emilio Peres Diz:

    Gilberto Diz:
    May 28th, 2010 às 11:40 am
    .
    (…)
    .
    “Sinceramente, eu preferia ver os espiritismo crescendo, principalmente no que ele tem de melhor: promover o crescimento da pessoa NESTA vida (o que sem dúvida ocorre) e difundir sentimentos fraternais tão raros hoje em dia. Não precisa ser muito sensível pra se ver o quanto os verdadeiros espíritas são pessoas amáveis, preocupadas com seus semelhantes e com a caridade. De vez em quando alguns deles aparecem aqui. Dá uma saudade deles quando a gente lê esses idiotas que acham que estão doutrinando alguém com a mágica do “copiar e colar” de artigos ou extratos de livros espíritas…”
    .
    Gilberto, destaco, principalmente, esse trecho do seu texto, referindo-se aos espíritas: “difundir sentimentos fraternais tão raros hoje em dia”.
    .
    Palavras suas: “sentimentos fraternais tão raros hoje em dia”
    Por que tão raros? Afinal de contas, como você afirma, são 6 bilhões de almas que vivem de acordo com as Escrituras Sagradas, em desacordo com o espiritismo que vive das fraudulentas e ilusórias renovações trazidas pelos espíritos.
    .
    Você afirma que somos minguados 1,3 milhões de espíritas brasileiros… o que é uma pena, para a sociedade, porque a medida que diminuimos, aumenta o número de denominações “ditas cristãs”, aumentando cada vez mais também, os níveis de criminalidade, do tráfico de drogas, de mulheres, de crianças, de suicídios, de assassinatos, de corrupção, de abortos,
    da miséria… Tudo isto, resultando do egoísmo, que as religiões tradicionais não conseguem conter ou modificar. Por que? Porque são inócuas, não dão um sentido à vida, não responsabilizam seus fiéis pelos seus atos. Porque não têm cumprido o seu papel, ÚNICO, que é MORALIZAR o sêr humano, tão preocupadas sempre estiveram em amealhar riquezas, cujo líder de todas elas, afirmou diversas vezes: “Meu reino não é deste mundo”. Atos de imoralidade são encobertos por polpudas doações às Igrejas, numa descarada barganha com Deus, como se fosse possível comprá-Lo. O dízimo tudo ameniza e tudo encobre, tirando totalmente a responsabilidade do sêr humano, perante seus erros e afirmando cada vez mais seus preconceitos, com pessoas de outras religiões. O que é de se temer, com o aumento crescente de religiosos preconceituosos na política.
    .
    Gilberto, considero você um homem inteligente, pelas suas “tiradas”, pela forma interessante e divertida de expressar suas idéias, mas em determinados momentos você é infeliz, inclusive, contradizendo-se, como você mesmo pode confirmar.
    .
    Faça uma pesquisa para confirmar a proporção de criminalidade (em todos os níveis) entre os l,3 milhões de espíritas e os 6 bilhões de outras religiões.
    Observe que eu disse PROPORÇÃO. Eu não disse números absolutos.
    .
    Possivelmente, você chegará à conclusão de que as idéias espíritas não são estapafúrdias, como você pensa. Elas moralizam e dão responsabilidade àqueles que as conhecem, porque somos “batizados com o fogo” e não com a água. Isto te lembra alguma coisa?
    “Ouçam quem tem ouvidos de ouvir e vejam quem tem olhos de ver”. E esta te lembra alguma coisa, também?
    .
    Sds.

  167. Marcos Arduin Diz:

    O problema é que o narigão da Otília e o do Veloso estão praticamente na mesma linha de horizonte. Não acho que um nariz pudesse mudar TANTO ASSIM (naquele tempo não tinha Photoshop… Quanto aos outros 500 e tantos pontos que auto se atribui, não faço ideia de quais vitórias fala. Ainda estou esperando a análise que o Malvadão está fazendo do livro do Rizzini.
    -
    A “confissão” da Otília foi só para o declínio de sua mediunidade PÓS 1965, ou seja, ela NUNCA confessou que fraudou no caso de Uberaba.
    .
    O Waldo também não confessou coisa alguma. No máximo disse nem sim, nem não. Talvez porque tenha achado que os experimentos não teriam sido suficientes para se chegar uma conclusão definitiva.

  168. Emanuel Oliveira Diz:

    Tipos de incrédulos e materialistas
    - os materialistas por sistema – negação absoluta sobre a existência da alma
    Com estas pessoas, nada há a fazer; ninguém mesmo se deve deixar iludir pelo falso tom de sinceridade dos que dizem: “fazei que eu veja, e acreditarei”. Outros são mais francos e dizem sem rebuço: “ainda que eu visse, não acreditaria”.
    - incrédulos de má-vontade – fecham os olhos para não ver e tapam os ouvidos para não ouvir (lamentá-los é tudo o que se pode fazer)
    - incrédulos por interesse ou de má-fé (não há com eles o que fazer)
    - os incrédulos por pusilanimidade, por escrúpulos religiosos, por orgulho, por espírito de contradição, por negligência, por leviandade, etc. (pouco se pode fazer)
    Falar-lhes de DEUS, DA IMORTALIDADE DA ALMA, DA COMUNICABILIDADE DOS ESPÍRITOS, DAS CONSEQUÊNCIAS MORAIS DA REENCARNAÇÃO, DA MORAL DE JESUS, É PURA PERDA DE TEMPO!
    Todos os trabalhadores vigilantes sabem que não se devem ocupar, mto menos (pre)ocupar com este tipo de espíritos (de)batedores!
    - os materialistas por falta de coisa melhor – a crença na alma não é de todo nula, há um gérmen latente (é o náufrago a quem se lança uma tábua de salvação)
    - incrédulos por decepções – os que passaram de uma confiança exagerada à incredulidade – resultado de incompleto estudo do Espiritismo e de falta de experiência.
    - os incertos – há uma vaga intuição das idéias espíritas – não lhes falta aos pensamentos senão serem coordenados e formulados.
    Um dos tipos de crentes
    Sem um estudo direto
    1. os espíritas sem o saberem – Sem jamais terem ouvido tratar da Doutrina Espírita, possuem o sentimento inato dos grandes princípios que dela decorrem…
    http://www.espirito.org.br/portal/codificacao/lm/lm-03.html#lm3a2

  169. Gilberto Diz:

    Reitero o que disse: se o espiritismo crescer com o que tem de melhor, melhor pra todos. Mas o que eu vejo é um crescimento de falsa humildade, e postura de “escolhidos” por Deus e “donos da verdade”. Isso é o que há de pior no espiritismo, e você representa isso tão bem. Sei que parece rude, mas quem fala (as milhões de palavras de falsa humildade que você fala aqui) o que quer, ouve o que não quer… Arduin, nariz por nariz sou mais o da Gisele Bündshen!! Mas de qualquer forma te admiro pela coerência. Abraços.

  170. Gilberto Diz:

    Aliás, essa postura de falsa humildade não é monopólio do espiritismo. Ela existe em todas as religiões. Infelizmente. Me lembra o “Encontro de Descasados em Cristo (sic)” que a Igreja Católica promove todo ano. Ora, pela doutrina católica, quem “descasa” não pode mais comungar por estar em “pecado”, ou seja, não pode participar da eucaristia, que vem a ser a coisa mais importante em todo o catolicismo, pois é ela que define a comunhão do homem com Deus, através da partilha do que acreditam ser o verdadeiro corpo de Cristo (e NÃO um símbolo do mesmo, como muitos pensam). E a Igreja, nos reclames do tal encontro, deixa claro que ela deve acolher humildemente essas pessoas que vivem em pecado e que não podem usufruir da salvação, trazendo-as ao seu seio e oferecendo amor e compaixão. Caramba, que falsa e pretensa humildade! É como dizer: esses coitados não mais fazem parte dos “escolhidos”, mas somos tão humildes, caridosos e piedosos, que isso não é problema! Rezemos por eles e aceitemo-nos em nosso meio, mas não mais parte do nosso seleto grupo de “escolhidos”. Este é só um exemplo, e coisas semelhantes são feitas em todas as religiões. Falsa humildade. Falso cristianismo. Falsidade. É uma praga toda essa hipocrisia, e quem lê as palavras de Jesus com atenção vê que ele perdoava todos os pecados, até mesmo os mais cabeludos em sua época, mas ele NUNCA sequer insinuou perdoar o PIOR de todos os pecados, aquele para o qual NEM ELE cogitava perdoar: A HIPOCRISIA!!! Concordo também com a idéia da violência que se espalha no mundo. Mas sou um pouco mais otimista que você. Há 70 anos, o mundo era um barril de pólvora, e na Europa todos queriam se matar. Agora a paz reina lá. E sabe quantas guerras declaradas existem no mundo hoje: NENHUMA! Vivemos uma paz sem precedentes, apesar da crecente criminalidade urbana. Mas ela já mostra sinais de desarrefecimento, e em Copacabana, no primeiro semestre deste ano, a criminalidade ficou no mesmo patamar da Suíça. Aqui na Tijuca, onde moro, os índices caíram enormemente. Além disso, numa análise mais abrangente ainda, levando em conta as últimas décadas, a expectativa de vida cresceu mais que em qualquer época, devido a avanços científicos. Nenhum espírito ou espiritualidade qualquer aumentou num dia sequer a vida humana. Foi a ciência “materialista” e odiosa do espiritismo que fez esse derradeiro “milagre”: DAR VIDA, E VIDA COM ABUNDÂNCIA. Mais do que jamais se esperou. E nenhum presente é maior que esse, que quebrou feio a lei da “causa e efeito” pregada pelo espiritismo. Ninguém mais precisa ‘pagar’ por pecados de outra vida, pois a ciência já derrubou, e continua a derrubar, vários “instrumentos de justiça divina”, como a pólio, a AIDS, o câncer, a mortalidade infantil, e outros. Se essas coisas eram de Deus para punir erros de outras vidas, então nós ensinamos uma lição a Ele. Mas como tais conceitos são humanos e frutos da ignorância, apenas continuamos o nosso caminho, evoluindo, mas com suor no rosto e vidas dedicadas aos estudos SÉRIOS, e não aos pretensos estudos que querem compreender o incompreensível, que é a vontade de Deus. Compreendê-lO: Pretensão. Arrogância. Falsa humildade.

  171. Andre Diz:

    Olá a todos.
    Vitor, desculpe fugir um pouco do tema mas o que você pensa da obra “Vida Antes Da Vida” por JIM B. TUCKER?

  172. Vitor Diz:

    é uma obra voltada para o público leigo, mas é bem escrita e interessante. É relativamente detalhada, mas não aborda todos os assuntos relativos ao tema, especialmente alguns temas *espinhosos*. Eu também queria que a obra se voltasse um pouco mais às críticas do cético Leonard Angel, mas se limitou às críticas do cético Richard Wiseman. Mas recomendo sim. É uma excelente introdução ao tema.

  173. Ed Ondo Diz:

    Ok, gente. Vamos lá.

    Quais foram os intuitos das exibições? Revelar a existência das materializações?

    Por que então não vemos mais disso? Só botar num canal de TV e pronto: a doutrina espírita nunca mais seria questionada.
    Mas não. Parece que o sobrenatural gosta de brincar de esconde-esconde. Pra ver, sentir, vc tem que se desenvolver como medium (leia-se, ir se induzindo), assim como nas outras religiões a pessoa precisa ter fé INABALÁVEL.

    O que se vê é gente sugestionada e/ou fingindo presenciar fenômenos pra não passar vergonha diante dos colegas.

    Alguém aí já foi fer a Monga, a Mulher Gorila, num parque fuleiro qualquer? Essas fotos da revista não tem muita diferença.

    Truques existem. E se era do interesse dos tais espíritos provarem suas existências, tenho certeza que diante de tanta sabedoria que lhes é atribuída, teriam feito de maneira bem mais inteligente que um espetáculo circense pra alguns espectadores.

    Sabem por que eles não vão dar um ponto final nisso, aparecendo de vez e acabando com essa palhaçada?

    Esqueçam as desculpas orquestradas pra camufluar a mais óbvia das respostas.

    Ah, eu tenho quase certeza que o mais crédulo de vcs de vez em quando pensa nisso.

  174. Marcos Arduin Diz:

    Seu Hediondo é o seguinte:
    1) O ectoplasma não se sustenta sob iluminação mais forte. Logo, não dá para fazer o fenômeno acontecer num palco.
    .
    2) O fenômeno foi pesquisado e validado por VÁRIOS cientistas, testemunhas e observadores. Mas há um DOGMA cético com relação a isso: os cientistas que analisaram os ditos fenômenos eram bons caras nas suas áreas de pesquisa, mas eram TOTALMENTE despreparados para lidar com ilusionistas e escamoteadores habilidosos. Assim então teriam sido risivelmente ludibriados.
    .
    3) Fossem os céticos antigos (Carpenter, Douglas Ramsay, Lord Kelvin, E. von Hartman, Salter, Jules Bois, etc) ou os modernos (Trevor Hall, Massimo Polidoro, James Randi, Weissman, etc) o resultado teria sido muito diferente! Mas entra aqui a INFELIZ DESCOINCIDÊNCIA: quando aparece algum médium dos bons, ou que assim e parece, os ÚNICOS que aparecem para estudá-los são aqueles cientistas incompetentes para lidar com ilusionistas. Os hábeis céticos citados (e outros não citados) NUNCA estão disponíveis nessas ocasiões. Só quando o médium morre ou deixa de atuar, aí sim aqueles céticos aparecem só para dizer que nunca houve fenômenos nenhuns e assim caminha o ceticismo.
    .
    É isso.

  175. Verdade nua e crua Diz:

    SR. MARCUS ARDUIN,

    Me perdoe mas preciso fazer esta pergunta:

    O Sr. como espirita já viu um espirito?
    Além dos espiritas alguem mais viu alguma coisa?

    Se algum dia a doutrina comprovar materialmente a existência de algum espirito, acabaram todas as mezelas das religiões. O problema do planeta seria resolvido. Ninguem mais praticaria nenhum um crime, pois o acerto do outro lado seria fatal.
    Então não adianta ficar aqui falando de livros, teorias sem provas cabais e inquestionaveis.
    O dia que os espiritas comprovarem vida depois da morte, estaremos todos muitos felizes em saber que a vida não é só esta mercadoria de todos os dias.

    Fui

  176. Gilberto Diz:

    Esse Ed Ondo não sabe mesmo de nada!! Pra início de conversa, a importante entidade, já comprovada por parapsicólogos espíritas em DIVERSAS publicações especializadas e abalizadas, NÃO se trata de Monga, a Mulher Gorila, mas sim de KONGA, a mulher gorila. Informe-se mais, meu cético e dogmático amigo. Patético…

  177. Sonia N. Diz:

    Gilberto:
    .
    Voltei! Saudade de você, do Marcos, do Vitor e, por incrível que pareça, do José Carlos…
    .
    Hoje fazem oito anos que Chico Xavier desencarnou. Para tristeza de muitos de nós. E alegria para outro tanto, do lado de lá, que privam de sua companhia…
    .
    Quanto ao seu comentário de 9 de junho, às 12:19 PM, meu querido e doce Gilberto, infelizmente, você conhece do Espiritismo, o que os “espiritólicos” divulgam, ou seja, que encarnamos para “pagar dívidas do passado”.
    .
    Repito a máxima espírita que sintetiza os princípios da reencarnação e, consequentemente, da Vida:
    .
    “NASCER, MORRER, RENASCER. PROGREDIR SEMPRE. ESTA É A LEI”.
    .
    Beijos e abraços saudosos…mesmo!

  178. Gilberto Diz:

    Sonia, querida amiga. Que bom te ver :) de novo.
    -
    Um super abraço.
    -
    BEBER. CAIR. LEVANTAR. Essa è a mìnima.
    -
    Desculpem, meu teclado sò tem crase e à maiùsculo. Estou escrevendo da Virginia, USA, se bem que nÃo faz a maior diferença pra Internet!!!!! Tà 38 graus à sombra!! Sem diferença do Rio, sò que aì nÃo faz 10 negativos no inverno!!!!!!

  179. Sonia N. Diz:

    Gilberto, meu querido amigo:
    .
    “Tão longe dos “olhos” e tão perto do coração”…
    .
    Esteja aonde estiver, você é um destaque!
    .
    É o sal da terra árida (e deserta) deste blog. Cadê o pessoal? O que aconteceu, enquanto estive fora?
    .
    Não creio que seja a Copa de Futebol, a responsável pela ausência das “cabeças pensantes”, que “atuavam” constantemente neste espaço. Para onde foram as “pulgas e os piolhos”, a cutucarem-se em comentários intermináveis, querendo cada qual prá si, a “originalidade” de suas idéias?
    .
    Abraços saudosos de um passado recente…

  180. Gilberto Diz:

    Sonia, acho que todos estao esperando pelo proximo post do Vitor: “A Materializacao Falsa de Ze Do Caixao No Filme Esta Noite Encarnarei no Teu Cadaver“!!!! Abracos mis!!

  181. Sonia N. Diz:

    Gilberto, meu querido, olha a pérola que eu encontrei no Youtube!!!
    .
    Use a sua imaginação (que é fértil!) e “materialize” o Maradona, no lugar do Bienvenido Granda. É show…de bola!!!!!!
    .
    http://www.youtube.com/watch?v=Qc-w9PrCdtM&NR=1
    .
    Abraços saudosos…

  182. Marcos Arduin Diz:

    Caro Sr ou Sra Verdade nua e crua
    .
    - O Sr. como espirita já viu um espirito?
    Não. Eu não sou médium vidente. Mas ensaiei algumas psicografias e psicofonias.
    .
    - Além dos espiritas alguem mais viu alguma coisa?
    Muitos. Medinuidade é atributo que certas pessoas têm mais ou menos. Isso independe de religião, moralidade, crença, condicionamento, etc e tal.
    .
    - Se algum dia a doutrina comprovar materialmente a existência de algum espirito, acabaram todas as mezelas das religiões.
    Você acredita em Papai Noel? A Ciência já demonstrou por muitos meios, bem materiais, que o Universo e a Terra têm muito mais de 6.000 anos, que a formação das espécies vivas não se deu em três dias, que tecnicamente é impossível haver um Dilúvio que inunde todo o planeta, etc e tal, mas há religiões de sobra que defendem essas coisas e outras pataquadas piores.
    .
    - O problema do planeta seria resolvido.
    Qual problema? Temos vários.
    .
    - Ninguem mais praticaria nenhum um crime, pois o acerto do outro lado seria fatal.
    Então por que tantos religiosos cheios de muita fé (e que deveriam crer num acerto do outro lado, ainda que por outros meios) cometem crimes do mesmo jeito? Lembra lá da oração em agradecimento pela propina lá em Brasília?
    .
    - Então não adianta ficar aqui falando de livros, teorias sem provas cabais e inquestionaveis.
    O que vem a ser provas cabais e inquestionáveis? Até agora nenhum cético me disse.
    .
    - O dia que os espiritas comprovarem vida depois da morte, estaremos todos muitos felizes em saber que a vida não é só esta mercadoria de todos os dias.
    Bem, as provas nesse sentido são PARTICULARES. Pais, filhos ou parentes mais precavidos, ao receberem mensagens de algum médium ou este dar uma comunicação ao vivo e a cores de um parente falecido, podem reconhecer evidências de que se trata mesmo do espírito do parente e não de alguma mistificação do médium. Temos vastos exemplos disso.
    .
    - Fui.
    Volte se tiver coragem, ou melhor, se tiver algo mais consistente para me apresentar e que seria válido como prova.

  183. katia Diz:

    Até o papa, que é o “representante de Deus na terra” durante anos permitiu a sacerdotes pedofilos de continuarem praticando este ato vil, e ele os protegeu antes , durante e depois, e continua sendo conivente com tal degradacao. Quer dizer, abuso de poder e descaramento. Estao todos rindo de Deus e de sua lei de amor e respeito. Se o proprio papa nao acredita em Deus e além do mais pisa com escarnio no pretenso amor de Deus e o povo inteiro do planeta ve e nao faz nada… o que mais esperam?

  184. katia Diz:

    … enfim, tudo isso é uma pena. Eu sempre quiz uma prova, ou ao menos que nos deem um sinal evidente da vida além tumulo. Mas infelizmente, até hoje nada de concluente. Queremos acreditar, eu pelo menos. Mas como fazer espiritos serem claros, lucidos, diretos e verdadeiros? NINGUÉM ainda conseguiu.
    Depois da morte de meu marido ha quase 2 anos eu estou esperando. Sem contar que toda a minha vida eu sempre quiz um contato com o mundo espiritual, um contato direto, claro, sem duvidas. E mesmo tendo na familia varios espiritas, mediuns, etc… nada!!!
    Eu ja disse que eu seria uma grande defensora do espiritismo e da vida além tumulo se Deus me desse provas e eu pudesse conversar tranquilamente com um espirito, e ele me explicasse como funciona realmente as coisas. Ja fiz 50 anos e carreguei esta vontade toda a minha vida. E nada! E olha que sou um ser altruista, bom, honesto, inteligente, trabalhador…. mas nada! Inexplicavel.

  185. Sonia N. Diz:

    Katia:
    .
    Acho que os espíritos não dão prova para aqueles que nascem perfeitos, como você…
    .
    Bem…pelo menos, é o que você afirma ao final de seu comentário…
    .
    Abração

  186. Gilberto Diz:

    Tive um querido tio chamado carinhosamente de “Zé da Macumba”. Um figuraça sensacional. Ele era mais ateu que Marx, Saramago e Vitor Moura juntos. Mas ele tinha uma loja de artigos de umbanda. Sua fama de milagreiro se espalhou rápido, pois quando uma pessoa com problema chegava na loja, ele olhava em volta e escolhia aleatoriamente seus podutos, e pedia pro cliente fazer um “trabalho” com eles. Ele quase sempre acertava. Trazia a pessoa amada em três dias, a pessoa conseguia pagar uma dívida, e por aí vai. E ele sempre dizia: “A religião só funciona pra quem acredita. E eu não acredito em nada, mas meus clientes sim”. Ele não se considerava de má fé. Ele apenas “chutava” tratamentos novos. Ele não via diferença disso dos tratamentos “tradicionais” propostos nos terreiros. Por isso ele era considerado por umbandistas como um homem muito poderoso. Mas ele deve ter ido umas duas vezes à um terreiro na vida toda… Se a Kátia quisesse mesmo ver espíritos, ela os veria. Mas ela apenas quer que as coisas caiam do céu. Isso só acontece na Igreja Internacional da Paciência de Deus (IPED). Venha também pra IPED. Lá você pede pelo ipad, que deus te dá pelo iphone um ipod de 64 gb. Vai, pede. Você pode.

  187. dodo Diz:

    Aos incredulos da vida apos a morte posso ´somente dizer uma coisa: Vcs terão uma grande surpresa qdo partirem.
    Isso não é religião, é ciencia.

  188. William Diz:

    Comunicado,
    -
    O blog “Crítica Espiritualista” será excluído para dar lugar a um outro blog com nome mais apropriado, matérias revistas e com mais qualidade. Não pretendo de forma alguma deter o blog a refutação de cada matéria do espaço “Obras Psicografadas”, uma vez que irei priorizar a qualidade em vez da quantidade.
    -
    Por isso, para essa matéria da materializações de Uberaba não ficar no ar compreendida forma como está, apenas gostaria de acrescentar que o Vitor Moura não reproduziu a foto em questão de uma barra vertical, aparentemente atravessando a cabeça da irmã Joseja. Espero que ele tome as providencias para não induzir o leitor de forma equivocada. Não há problemas em procurar falhas em minhas observações, mas não podemos tolerar a reprodução de uma foto que não corresponde a que estava em análise.
    -
    William

  189. Milton Diz:

    Senhores, uma grande dúvida e vejam se me ajudam: O site ceticismo aberto diz que vitor Moura visoni é espírita. Já este site obraspsicografadas diz apenas vitor Moura. São duas pessoas distintas ou são a mesma? diz também que vitor visoni é espírita, está correto? Grato.

  190. Vitor Diz:

    São a mesma pessoa, no caso eu. Sou espírita experimentador (classificação kardequiana) e ateu.

  191. Bentes Diz:

    Espírita não se baseia em Deus e Sua criação? A própria substância imaterial e conscencional chamada espírito de que se derivam os fenômenos do espiritismo e suas doutrinas, é uma criação da essencialidade de Deus e não da natureza concreta, isso é bastante conhecido.
    Como então existir espírita ateu? Que sofisma é esse?

  192. Roberto Scur Diz:

    Bentes,

    Não se alarme, é isso mesmo. O espírita experimentador acredita nas manifestações espíritas mas não dá nenhuma importância para as consequências disto.

    Nas definições de Kardec o espírita deste jaez é apenas um curioso, algém afastado da parte moral, do teor das comunicações, e só quer saber do fenômeno e em verdade ele afirma que “não é um VERDADEIRO ESPÍRITA”. É só dar uma olhadinha no Livro dos Médiuns para compreender o que move o rapaz Vitor Moura.

    Acredite que sendo ele tão iletrado e neófito em matéria de espírito ou espiritismo ele crê que será capaz de REFORMAR O ESPIRITISMO, revelar a VERDADE para o povo que precisa conhecer esta verdade pelo seu magnânimo intermédio, que esta é a sua grandiosa tarefa, ou seja, não leve tão à sério o que ele diz e publica com pretenção de ser “científico”.

    Digamos que é alguém que está na infância, no berçário do estudo e compreensão do espiritismo. Um dia irá evoluir pois é da lei progredir.

    O melhor é deixá-los com seus chocalhos, chupetas, fraldas ou com suas traquinagens se for um pouquinho mais grandinho. Não é preciso dar importância demasiada para seus brinquedos e peraltices pois a vida se encarregará de dar juízo ao travesso.

    Como está Vitor? Um recadinho cada 3 ou 4 meses não faz mal não acha?

  193. William Diz:

    Vitor,
    -
    Por favor, corrige sua matéria sobre a foto de Josefa em relação as grades. Enquanto o espaço “Crítica Espiritualista” ficou no ar, todos puderam ver que você criticou a foto errada (aquela que parecia que uma barra horizontal estava atravessando a cabeça da figura, ou pelo menos, parecia estar em uma posição bem interessante). Não há problema em apontar uma possível falha na observação alheia, mas não é correto distorcer a ponto de publicar uma foto que não se relaciona ao material em questão.

    Irei abrir um outro espaço onde as matérias antigas irão aparecer com mais força e todos poderão rever que você “refutou” a foto errada em tom de deboche ao dizer “Essa é a extraordinária “evidência” de que o “espírito” estaria atravessando as grades, de acordo com a equipe de médicos, de acordo com William X em sua “Crítica Espiritualista”.

  194. Milton Diz:

    Prezado vitor,
    grato pela resposta. Agora ficou outra dúvida. Seu nome completo é Vitor Moura Visoni, porém no cpf para deposito contribuição sua conta consta apenas vitor Moura, por que? Gostaria de também de ver sua opinião sobre como chegou a sua convicção de ateu. Obrigado mais uma vez.

  195. Vitor Diz:

    É que inseri o nome de meu pai depois, e alguns documentos ainda não tem essa atualização.

    A minha convicção ateísta chegou porque percebi que diversos conceitos atribuídos à Divindade eram contraditórios entre si, e mesmo alguns eram internamente contraditórios consigo mesmo. O conceito de onipotência é internamente contraditório; não é possível conciliar onisciência com livre-arbítrio; nem conciliar “onibenevolência” com “onipotência”.

    Seres que são logicamente contraditórios não podem existir, tal qual um “triângulo de 5 pontas”. É contraditório consigo mesmo.

  196. Roberto Scur Diz:

    Vitor, falou e nada disse.
    Qual era a pergunta mesmo?

  197. Gilberto Diz:

    Vitor, se me permite. Nos seus argumentos sobre seu ateísmo você leva em consideração conceitos de Deus criados pelos homens. Principalmente conceitos tirados de escrituras que, apesar de serem atribuídas a Deus, foram escritas por homens. Onisciência, onipresença, onipotência e onibenevolência são apenas palavras encontradas por seres diminutos para descrever o que pra nós é gingantesco e incompreensível. Pela sua cultura pessoal ser eminentemente espírita, esses conceitos ficaram ainda mais enraizados, pelo simples fato do espiritismo querer tanto “moldar” as escrituras judaico-cristãs à sua doutrina. Só existem, em minha humilde opinião de não-teólogo, o livre-arbítrio e, como obra divina, o sopro da criação e a não intromissão de Deus. As regras foram criadas, agora é com a gente. Estamos entregues à nossa própria sorte. Hum, isso é feio do ponto de vista judaico-cristão-espírita, pois significa que Deus deixa os maus impunes e os bons sem recompensa. Bom, assim eu acho. É a minha observação do mundo. Não vejo grandes recompensas a pessoas bondosas e crianças, se eles ergueram suas casa no sopé de um vulcão. Quando o vulcão entrar em erupção, não restará muita coisa boa. Ou má. Pra mim é difícil conceber um Deus que separe suas criaturas em grupos de “escolhidos” e de “não-escolhidos”. Esse conceito sempre faz com que homens se unam e se auto-proclamem mais “merecedores” que outros. É um conceito humano também, e que Deus não deve levar muito a sério. O conceito de Divindade também é humano. Nesse sentido sou totalmente de acordo com o Corão. Só existe um Deus, e se só existe um Deus, a palavra “divindade” deixa de ter relevância. É mais uma palavra no dicionário. Não há contradição quando apenas uma coisa existe. Nada se contrapõe a Deus, mesmo porque nem conseguimos entendê-lo, quanto mais compará-lo com qualquer coisa. São pensamentos de um homem sem religião, mas que viu grandes coisas serem feitas em nome delas. E que viu grandes horrores vindo também delas. Essas duas coisas na verdade vieram do homem, esse sim um enigmático triângulo de cinco pontas: uma boa, uma má, uma por Deus, uma pelo diabo, e todas se unem a uma quinta: na sua louca, desvairada e genial mente, pedaço de Deus existente em todos nós.

  198. Paulo Diz:

    Ah sim, os entes mortos e suas almas que vivem 100, 200, 6000 anos luz de nós… ou até mais, dependendo de sua fama, glória ou status aqui nesse mundo que pensamos ser da maneira que é… aposto em condições remotas e memoráveis de tempos em tempos que viram!! Parem de discutir e brigar por asneiras, pois mais cedo ou mais tarde todos nós teremos (que sozinhos) darmos conta de nós mesmos!!!!

  199. O Melhor de Ceticismo Aberto em 2010 Diz:

    [...] autor continuou explorando o tema no blog Obras Psicografadas, respondendo a críticas em “Falsa a Materialização de Uberaba, redux”. Waldo Vieira confirmou que se tratava de uma fraude, e a investigação, longe de mostrar [...]

  200. Tinael Junior Diz:

    Sobre as imagens de materialização, li no seu texto afirmações totalmente equivocadas, mostrando o quanto o seu estudo “ciêntifico” é completamente tendencioso e apenas lança dúvidas baseados em informações levianas!

    http://www.saindodamatrix.com.br/archives/2006/07/materializacao.html

  201. Sergio Diz:

    O Doutor, Professor, Mestre, Illumindao, blablabla, Waldo Vieira faz a mesma coisa, absolutamente idêntica, total, pura e simplesmente idêntica ao que ocorre em centros espíritas, apenas muda os nomes e cobra pelo que faz.
    Projeção da Consciência = Desdobramento
    Ampardador = Anjo Guardião
    Consiex = Desencarnado
    Baratosfera = Umbral, Limbo, etc.
    blablabla
    Só para constar: Já sei que vão colocar várias diferenças entre uma coisa e outra…nem precisa, mas pra quem estuda, amigo, tudo é totalmente e absolutamente igual.
    Já filmei “trabalhos” de “desdobramento” em centros espíritas que são idênticos, totalmente idênticos aos trabalhos de projeção feitos por Dr, Amado, Mestre, Guru, etc, Waldo Vieira, Wagner Borges, entre tantos outros, com uma “pequena grande” diferença…nos centros espíritas é gratuíto.
    Obs. Estes cursos com preços absurdos de PROJECIOLOGIA que são feitos em todo Brasil, são todos a mesma coisa, nada muda e não conheço ninguém que fez tais cursos, ou que os faz e que já teve experiências do tipo (das que eles falam), eu mesmo, para estudo fiz um curso de PROJECIOLOGIA em São Paulo, se não me engano em Tatuapé, rua Francisco Marengo, ou Emilia Marengo (é que faz tempo), o cara, tbm acho que se chama Alvaro, não tenho certeza, dizia-se o 1º aluno de Wagner Borges. Resultado…anotei telefone de 90% das pessoas que ali estavam e até hoje, olhem bem, até hoje, nenhuma, absolutamente nenhuma delas teve as experiências prometidas pelo curso…nenhuminha sequer. Aí essa tchurminha vem com a seguinte conversa:
    “ah, depende da energia, depende do local, depende das suas outras encarnações, blablabla”…mas na hora do aluno pagar o curso, eles não falam isso, apenas garantem que tais experiênicas vao acontecer.

  202. Sergio Diz:

    Ah lembrei, o professor de projeciologia, é “Cabral” e ele não dizia que era aluno do Borges, mas sim, que havia se formado com ele. Se não me engano, Alberto Cabral, ou Alvaro Cabral, algo assim…mas enfim, só mais umda tchurminha.

  203. Claudio Diz:

    Sem dúvida alguma o Waldo é uma piada.
    Sua obsessão em se criar um dicionário e um jargão próprio é hilária.
    Ele mostra acreditar em tudo o que se coloca na internet. (vide o caso da carta do Lula sobre o veículo a álcool Corcel). O Waldo trata o assunto como verdadeiro. (é muito cômico e põe em dúvida a qualidade de suas pesquisas pois até um um assunto simples de se comprovar a mentira ele passa batido)
    Com relação às materializações de Uberaba, há laudos técnicos feitos por peritos do Rio e de São Paulo. E ambos se contradizem. (http://jefferson.freetzi.com/Materializ-Uberaba2.html).
    Enfim, com este pessoal, só se pode mesmo é perder tempo.

  204. Alexandre Borges Diz:

    Da mesma forma que existem os apologistas das materializações, existem os “apologistas” das “não-materializações. Mais uma vez vocês querem empurrar argumentos goela abaixo. Por qual motivo vocês não citaram a obra: “Materializações Luminosas”, de Rafael Ranieri? O qual era delegado de polícia?
    No indigitado livro, o autor afirma claramente que, tendo participados de várias materializações, inclusive ao lado de Chico xavier, nunca, jamais, evidenciou qualquer embuste. Depois de participar de tais experiências, tornou-se definitivamente espírita. Sabe qual o motivo da conversão? A filha dele, de nome Heleninha, que contava com apenas 3 anos de idade materializou-se em frente ao pai (Rafae Ranieri), dai fazermos uma ilação óbvia: será que Chico Xavier contratou uma criança de 3 anos para enganar o pai que era delegado de Polícia? Faça-me rir! Da mesma forma que o autor do artido diz que os espíritas eram “apologistas” dos eventos ectoplásmicos, os senhores repórteres eram “apologistas” do “não embuste”. Por meio desse raciocínio tacanho, chegamos à conclusão de que: nem A nem B falam a verdade, logo é perda de tempo escrever esse artigo e, mais ainda, eu perder tempo em refutá-lo. A médium em apreço, era a Otília Diogo, a qual, inclusive, fora objeto de críticas do próprio Rafael Ranieri (delegado). Depois de tais participações, a referida medianeira, afastou-se de tais eventos, nunca mais tendo sido vista ou classificada como uma pessoa que professasse doutrina Espírita. Digo mais: se as fotos trazidas pelo Gilberto, são tomadas em conta de verdadeiras, exijo os originais, sob pena de o paladino da verdade estar incurso em estelionato. Amplexos. Alexandre Borges

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)