O Eletroencefalograma de Chico Xavier

Este artigo apresenta uma reportagem com o resultado de um eletroencefalograma feito com o médium Chico Xavier, e a resposta espírita. Não consegui identificar precisamente qual foi a revista em que saiu a reportagem (aparentemente foi a Realidade, mas é preciso confirmar), mas o ano do eletro, segundo a revista Isto É, foi 1973. Além disso, pedi a um médico especialista em Neurologia, Guilherme Gustavo Riccioppo Rodrigues, que analisasse tanto a reportagem quanto a resposta espírita. Assim, ambas são intercaladas com comentários dele, identificado como GGRR. Peço também que se algum leitor por ventura tiver o eletro completo, que entre em contato comigo.

 

A reportagem de 1973  

Abaixo segue uma cópia da reportagem e sua transcrição, já com os comentários do Guilherme.  

image

No eletroencefalograma o cérebro lesado de Chico Xavier  

Comentários de Chico ao resultado do eletro: “Os focos no meu cérebro seriam sinal de epilepsia, mas eu nunca tive acessos”.  

Em maio deste ano, Chico Xavier foi submetido, em Uberaba, a um eletroencefalograma. Conclusão do médico que fez o teste:  

– 1. À hiperpnéia (respiração forçada). Surtos de ondas pontiagudas tipo Sharp, nas regiões temporais à esquerda, com predomínio nas anteromediais. 2. Durante a psicografia, deu-se o aparecimento de raros surtos de ondas Sharp, nas regiões temporais à direita, sem predomínio nítido.  

GGRR:

A qualidade do eletroencefalograma (EEG) é muito ruim, não apresenta referência de velocidade ou voltagem, nem mostra o conjunto completo de derivações – o que limita muito qualquer interpretação. Falando sobre o trecho que eu vi, aquilo lá não é Sharp wave nem tem características que sugiram anormalidade, ou seja, não há evidência de anormalidade de EEG até o momento.  

Em São Paulo, e sem se saber de quem se tratava, o neurologista Juvenal Guedes deu estes esclarecimentos:  

– Não é um eletro normal, absolutamente. Durante a ativação pela hiperpnéia e pela psicografia, nota-se uma disritmia de origem subcortical, com predominância nas regiões temporais do hemisfério esquerdo. Em miúdos: há uma descarga elétrica anormal produzida abaixo do córtex que se irradia ora à direita, ora à esquerda, com predominância para a esquerda. Diante de uma ativação dessa descarga, o paciente pode chegar à convulsão de tipo epilético, ou equivalente (alheamento, sensação de ausência, automatismo psicomotor, sensação de já visto, etc.). Qualquer afirmação médica, no entanto, precisa ser cotejada com a história clínica do paciente.  

GGRR:

1) Esse senhor deve ter comentado sobre outro trecho do EEG, visto que o apresentado na reportagem mostra o hemisfério direito.

2) Esse termo “disritmia” não tem significação clínica e, embora amplamente utilizado pela população leiga, é desencorajado no meio médico especializado (e atualizado).

3) Cerca de 50% dos indivíduos epilépticos tem EEG normal fora das crises, e cerca de 20% da população normal apresentam anormalidades que podem ser compatíveis com epilepsia. O diagnóstico de epilepsia se baseia na presença de 2 ou mais crises epilépticas, mesmo o EEG sendo totalmente normal. O diagnóstico de epilepsia não pode ser firmado em alguém que nunca teve crises epilépticas, por maior que sejam as anormalidades encontradas no EEG.  

Aliando uma curiosidade natural à constatação de que porcentagem apreciável de pessoas que procuram as clínicas psiquiátricas foi antes submetida a tratamentos espirituais, o dr. Eunofre Marques, médico-assistente da Clínica Psiquiátrica do Hospital das Clínicas, freqüentou sessões espíritas e umbandistas com o objetivo de estudar as personalidades dos médiuns. Ele os enquadra em quatro categorias: 1. altamente sugestionáveis; 2. indivíduos pouco dotados e com sentimentos de inferioridade; 3. portadores de disritmia cerebral; 4. casos de psicose delirante. De um artigo do dr. Eunofre, retiramos estes trechos:  

1. Os altamente sugestionáveis. São indivíduos com distúrbios neuróticos e possuidores de fértil imaginação. Apesar de levarem vida normal, chegam a acreditar que são mesmo reais as fantasias que engendram. Como médiuns, realizam-se dando vazão a suas fantasias, nas quais assumem o papel de espíritos eruditos ou messiânicos. Ao mesmo tempo em que satisfazem seus desejos de auto-engrandecimento, satisfazem também as expectativas da assistência, que neles acredita.  

2. Pessoas de baixa capacidade intelectual. Intelectualmente pouco dotados, têm dificuldade de compreensão dos acontecimentos da vida cotidiana, para os quais aceitam qualquer explicação. São também muito sugestionáveis e, ao serem apontados como médiuns, acreditam nisso e passam a explicar com esse fato tudo que lhes acontece. Geralmente recebem espíritos atrasados (de acordo com sua capacidade intelectual) e são mais numerosos nos centros umbandistas.  

3. A disritmia cerebral. A disritmia consiste na existência de descargas elétricas anômalas em certas regiões do cérebro (focos) e pode ser causada por dificuldades no parto, contusões na cabeça, etc. Costuma ser acompanhada de convulsões (ataques epilépticos), mas isso pode não ocorrer. Principalmente quando o foco se localiza na região temporal do cérebro, surgem com maior freqüência as alterações psíquicas que levam o portador à sessão espírita: ele apresenta crises alucinatórias (tem visões, ouve vozes, perturbações de consciência (como se estivesse sonhando acordado) ou momentos em que tem dificuldades para compreender o que se passa consigo e com o ambiente em que está. Como as alucinações se referem algumas vezes a pessoas falecidas ou têm conteúdo religioso, passam imediatamente a ser consideradas como manifestações mediúnicas. A associação entre a disritmia cerebral e a sugestionabilidade elevada tem sido observada com freqüência.  

4. Psicoses delirantes. É o caso de pessoas que se acham enviadas por Deus para salvar a humanidade, ou que se consideram possuidoras de poderes paranormais. Essas psicoses são freqüentemente acompanhadas de alucinações que, ao ver do indivíduo, confirmam sua missão.  

Em certas situações culturais, é muito melhor ser médium do que ser doente mental. Ser médium traz prestígio, respeito e uma condição de normalidade, enquanto o tratamento mental implica ser considerado anormal por amigos e familiares. Assim, assistimos à procura de centros espíritas e umbandistas por neuróticos e psicóticos.  

Abaixo segue a resposta de J. Herculano Pires publicada na Revista Planeta, Numero 10, de Junho de 1973, em artigo intitulado Chico Xavier: O Homem do Futuro III  

Chico Xavier e a epilepsia  

A reportagem de uma revista nacional conseguiu fotocópia de um eletroencefalograma de Chico Xavier e submeteu-o ao exame de psiquiatras paulistanos. Estes chegaram a conclusão de que o médium é epilético. A revista anunciou que o cérebro de Chico era anormal. Mas acontece que o eletro não fora provocado por nenhuma consulta de Chico e sim pelo seu próprio medico, dr. Elias Barbosa, professor da Faculdade de Medicina de Uberaba, interessado em pesquisas sobre o transe mediúnico. Por outro lado, o gráfico examinado e publicado referia-se apenas a um momento de pesquisas, que exigira vários registros. Os gráficos feitos com Chico em estado normal não acusavam alterações significativas das ondas cerebrais. Somente o gráfico correspondente ao estado de transe; quando Chico recebia uma mensagem, acusou alterações que os psiquiatras consideraram graves. Evans e Osborn apresentaram no Colóquio Parapsicológico de Utrech, em 1953, uma comunicação sobre experiências de eletroencefalografia com sujeito hipnotizado, sem resultados apreciáveis. Wallwork aplicou o eletro em experiências com cartas especiais para testes parapsicológicos mas o sujeito saia de transe a cada aplicarão. O transe mediúnico – como no caso de Chico Xavier – por sua maior profundidade e também pela aquiescência de entidade comunicante, é o que mais se presta a essas pesquisas. O objetivo das experiências do dr. Elias Barbosa foi plenamente atingido, como se vê pelos gráficos que publicamos. No caso de Chico Xavier verificou-se a interferência, no cérebro, de influências estranhas ao seu estado normal. Longe, pois, de tratar­-se de alteração patológica. O que ali se verificava era um indicio positivo daquilo que o professor Ernesto Bozzano considerava “a ação de uma mente não-encarnada sobre a mente encarnada do médium.”  

Rhine esclarece bem esse problema em O Novo Mundo da Mente e Pratto apóia em Parapsychology – Frontier Science of the Mind, lembrando ambos que psi reclama uma nova concepção da personalidade humana, encarada essencialmente psíquica e não somática. Estas palavras de Rhine definem claramente a questão: “A prova experimental que hoje possuímos, de que a personalidade humana possui princípios não-físicos, permitirá aos psiquiatras armarem-se melhor para se dirigirem a uma filosofia menos materialista no tocante à interpretação dos seus pacientes a da sua pratica. O resultado seria uma resistência mais firme ante o conceito totalmente materialista da terapia. Essa reorientação do pensamento abriria caminho para a consideração de novas hipóteses, bem como pa­ra novas explorações das zonas fronteiriças, que atualmente permanecem relativamente fechadas”.  

A concepção materialista-mecanicista dominante em nossa cultura, particularmente no campo da medicina a da terapia em geral, como acentuou Rhine, está agora sob o impacto das novas descobertas da parapsicologia e da física. Estamos naquilo que Kilpatrick chamou “uma civilização em mudança”. Não podemos encarar um sujei­to paranormal como anormal ou patológico, nem também como um ser sobrenatural. Os extremos se encontram no erro. Chico Xavier é apenas um exemplar do homem-psi da era cósmica, que já se desenvolve aceleradamente na Terra.

O mecanismo do paranormal

O eletroencefalograma de Chico Xavier, mesmo no campo da psiquiatria, pode e deve ser interpretado com maior largueza de vista. Ao invés de acusar um estado patológico que não se confirma por sintomatologia típica nem pelo comportamento mental e psicológico do sujeito, nem ainda por suas reações fisiológicas fora do transe, confirma em termos de pesquisa a sua paranormalidade espontânea e exaustivamente com­provada. Essa a tese do dr .Elias Barbosa, que dirigiu a pesquisa e se considera muito satisfeito tom os resultados iniciais. Tentaremos resumir o que nos disse a respeito o ilustre medico e professor de medicina.  

Ainda não há – disse-nos ele – explicação definitiva para a causa das descargas de alta freqüência nos focos críticos de um paciente epilético típico. Alterações bioquímicas locais, isquemia e perda dos sis­temas inibitórios vulneráveis de .pequenas células estão entre os mecanismos possíveis que contribuem para a hiperexcitabilidade e/ou respostas hipersincronizadas e excessivas. Essa a opinião de James Toman, apoiada pelo professor De Robertis, para quem as lesões focais podem simular certas formas de epilepsia, mas parece que as crises podem ocorrer sem lesões aparentes, e que o mecanismo fundamental estará por­tanto em nível macrocelular a bioquímico. Sabemos que um eletroencefalograma normal não é garantia absoluta da normalidade e que, segundo Grossmann, 20 por cento dos pacientes nesse caso continuam apresentando fenômenos psico-sensoriais como o do já visto ou o do nunca visto; perturbações auditivas, autemismos ou crises psicomateriais. No estudo da mediunidade psicográfica e dos fenômenos mediúnicos em geral, é bom lembrar a advertência de Donald Klass de que o registro e a interpretação adequados do eletro requerem treinamento especial e extrema experiência, em virtude das muitas armadilhas técnicas existentes. Uma interpretação errônea pode acarretar conseqüências mais graves que a falta de informação. É que também re­fere Garchedi Luccas ao tratar do trabalho de Falconer que contraria o conceito de Penfield.. Luccas conclui sua análise afirmando que ficam muitas questões em aberto a relacionando varias delas.  

Só pelo registro de ondas pontiagudas tipo Sharp nas regiões temporais a esquerda – após a hiperpneia – inicialmente tom predomínio nas anteromediais e depois com o aparecimento de raros surtos de ondas Sharp nas regiões temporais a direita, sem predomínio nítido (como se vê do relatório do dr. Borges) poderíamos concluir que o cérebro de Francisco Candido Xavier seja enfermo? Absolutamente não!  

Ao que tudo indica, o foco critico nada mais seria do que o ponto de ligação entre as forças da entidade comunicante e as forças do aparelho receptor. Estudos posteriores em outros médiuns em atividade poderão confirmar essa hipótese. Esse foco com­promete o grande sistema límbico, responsável pelo comportamento do individuo, pela sue homeostase afetivo-emocional. Epilepsy is not a disease but a symptom [Epilepsia não e uma doença, mas um sintoma], escreveu Neville Seuthwell. Diga-se o mesmo da mediunidade, que no caso de Chico Xavier é uma síndrome de faculdades superiores que desabrocham no homem atual em benefício de toda a humanidade.  

Em acréscimo a esses esclarecimentos do dr. Elias Barbosa lembraremos que parapsicologicamente o cérebro de Chico Xavier não é anormal nem patológico, mas simplesmente paranormal. A palavra paranormal foi cunhada especialmente para distinguir as funções a os fenômenos inabituais, dos habituais que caracterizam a nossa vida rotineira a das suas alterações mórbidas estudadas pela patologia. Já é tempo de aprendermos a fazer essa distinção na terapia e na imprensa.  

GGRR:

Conheço o Dr. Elias Barbosa. Uma ótima pessoa. Médico psiquiatra em Uberaba dos mais antigos. Mas, em vista dos conhecimentos médicos atuais, não há nada apresentado neste texto ou nestes recortes de EEG que sugiram uma anormalidade clínica em FCX e muito menos algo que suporte a idéia de que seu cérebro é paranormal.

145 respostas a “O Eletroencefalograma de Chico Xavier”

  1. Carlos Magno Diz:

    “dr. Eunofre Marques, médico-assistente da Clínica Psiquiátrica do Hospital das Clínicas, freqüentou sessões espíritas e umbandistas com o objetivo de estudar as personalidades dos médiuns. Ele os enquadra em quatro categorias: 1. altamente sugestionáveis; 2. indivíduos pouco dotados e com sentimentos de inferioridade; 3. portadores de disritmia cerebral; 4. casos de psicose delirante.”
    -
    Pelos estudos altamente científicos desse doutor aqui apresentados não existem médiuns genuínos e as quatro categorias por ele inventadas são de psicóticos. Logo tudo é farsa.
    -
    É o que dá mandar esses sábios da ciência cética, de mente gessada, estudar uma área de que nada conhecem porque logo discriminam e transportam suas censuras aos espíritas e umbandistas para laudos viciados.
    -
    Estou cansado de ver o Vitor colocar aqui poetas do ceticismo, quer da literatura verborrágica, do jornalismo, da ciência ou de qualquer outra área, desde que falem mal do Chico e do espiritismo. Que tal virar o jogo no intervalo e dar chances para autoridades espíritas e científico-espíritas? Ou vai continuar para sempre esse massificante ataque cético como um patético samba de uma nota só?
    -
    Quanto ao eletro do Chico, já era conhecido.
    -
    Fui!!!

  2. Vitor Diz:

    Pelos estudos altamente científicos desse doutor aqui apresentados não existem médiuns genuínos e as quatro categorias por ele inventadas são de psicóticos. Logo tudo é farsa.

    Isso é você quem está dizendo, Carlos. A pesquisa dele aparentemente diz respeito apenas às sessões que ele freqüentou. Pode ser que todos os médiuns que ele tenha visto fossem pseudomédiuns e se enquadrassem nessas categorias. Ele não tem culpa se ele não observou qualquer fenômeno paranormal nas sessões. E, francamente, achar médiuns legítimos no Brasil parece uma tarefa bem árdua.

  3. Carlos Magno Diz:

    “Pode ser que todos os médiuns que ele tenha visto fossem pseudomédiuns e se enquadrassem nessas categorias.”

    - Se ele somente viu o que você diz, para mim então ele é cego, ou burro, ou não foi a lugares certos. É por isso que eu digo: se é “pseudo” não deve se meter nisso.
    -
    “Ele não tem culpa se ele não observou qualquer fenômeno paranormal nas sessões.”

    - Se ele foi atrás de fenômenos paranormais na umbanda quebrou a cara. Lá são locais de trabalhos mediúnicos de curas pela lei da magia; não têm telequineses, materializações, etc, – essas proezas desnecessárias que não levam a nada e na umbanda não se provocam. Se foi no cardecismo e nada viu, da mesma forma perdeu tempo, e se desapontado resolveu enquadrar médiuns em categorias esdrúxulas, fez essa droga de classificação que faz rir quem é do ramo.
    -
    “E, francamente, achar médiuns legítimos no Brasil parece uma tarefa bem árdua.”
    -
    Erro crasso seu mais uma vez apoiado em teorias. Há, sim, médiuns genuínos e muitíssimos. Conheci e conheço muitos na umbanda e nos grupos esotéricos que frequentei. Mas para céticos nada serve, tudo é suspeitoso e nada se respeita. Eu acho que o ceticismo brasileiro, que perde de goleada para os estrangeiros, deveria ser mais hábil e ágil, como a época atual exige.
    -
    Quer outro exemplo? As autoridades americanas resolveram mandar seus ex agentes-técnicos d e importantes escalões dos serviços secretos de investigações de UFOS, contar tudo o que sabem; idem estão fazendo os astronautas aposentados e ex funcionários da NASA. Há relatos puríssimos sobre naves, a Lua, Marte, alienígenas e encontros recentes deles com o governo americano. E o Haan do Mori que está fazendo? Ainda fica naquela picuinha de mostrar as farsas infantis, repercutindo bobagens e um monte de outras repetidas coisas. Dá um tempo Vitor!

  4. Gilberto Diz:

    Impressionante! Agora é oficial? O homem realmente já fez contato com extraterrestres? E de forma oficializada pelo Governo Americano? Puxa, é o furo do século. Que notícia boa. Agora podem aposentar o Programa SETI e as sondas marcianas. O projeto Earth-Moon-Mars pode ser engavetado. Relatos puríssimos ratificados pela Casa Branca? Dou a mão à palmatória. Agora sou um crente no ocultismo!! Frente à tais fatos, não há ceticismo que resista. Incrível! Fantástico! Extraordinário! Além disso, o C.M. nos informa que as religiões africanas fazem curas. Que bom, então a expectativa de vida na África deve ter aumentado, e não deve mais ser equivalente à da Idade Média na Europa. Que notícias boas: Os E.T.s existem mesmo oficialmente e a Umbanda cura doenças! Sou um novo homem!!

  5. Vitor Diz:

    Carlos,

    comentando:

    Se ele somente viu o que você diz, para mim então ele é cego, ou burro, ou não foi a lugares certos. É por isso que eu digo: se é “pseudo” não deve se meter nisso.

    Não é ele que é cego, Carlos. É você que vê demais…

    Há, sim, médiuns genuínos e muitíssimos. Conheci e conheço muitos na umbanda e nos grupos esotéricos que frequentei.

    Como você sabe que eles eram genuínos se você mesmo disse que não há fenômenos paranormais na umbanda? Lembrando:

    Se ele foi atrás de fenômenos paranormais na umbanda quebrou a cara“.

  6. Carlos Magno Diz:

    Vitor:
    -
    Mediunidade só é paranormalidade na cabeça de cético e da ciência materialista que rotula. Mediunidade e incorporações são corriqueiras na Umbanda, nada de estranho para quem é do ramo.
    -
    Até a Bíblia se manifesta sobre videntes e homens incorporados de espíritos. Mediunidade remonta de Atlântida. Não é nada de paranormal. Milhões da massa mundial são médiuns de várias categorias, talvez bilhões, e a maioria é inconsciente desse fator natural. Mediunidade é principalmente astral, prezado, e a humanidade vibra intensamente, a cada minuto, no astral – no emocional – logo nenhuma estranheza em ser médium. Nada dessa bobagem de paranormalidade!
    -
    Se você fala de mediunismo de fenômenos físicos (e não de incorporações de trabalhadores espirituais), que realizam essas coisas sem valor algum para a evolução do homem, aí é visão especial de quem adora espetáculos. Então tudo bem, quem gosta disto pode chamar do que quiser, mas dessa coisa inútil os umbandistas estão fora.
    -
    A prática de umbanda é a caridade. Espetáculo mesmo é o trabalho humilde que realizam. Falo de Umbanda desenvolvida aqui no Brasil, não de outras práticas. Sacou?

  7. Vitor Diz:

    “Mediunidade e incorporações são corriqueiras na Umbanda, nada de estranho para quem é do ramo.”

    Você alguma vez já tentou averiguar se os espíritos que aparecem na umbanda são capazes de provar sua antiga existência terrena, fornecendo nome do pai, da mãe, local e ano de nascimento, de morte, profissão, coisas assim?

  8. Carlos Magno Diz:

    Prezado, você não sabe o que é Umbanda. Não vou nem lhe responder porque essa sua pergunta compromete o que você pretende sobre mediunidade, espiritismo e Umbanda.
    -
    A única coisa que posso dizer-lhe é sugerir que largue seus livros e pesquisas internet e saia um pouco para a vida. Vá in loco, como fazem pesquisadores de verdade, escritores e conhecedores de fato. Já diz a sabedoria popular: “Mais vale a prática do que a gramática!”. Olhe, leve o José Carlos com você; assim vocês juntos vão aprender um bocado! Mas o bom pesquisador leva anos pesquisando! Terás essa dedicação, terás?
    -
    Abraços.

  9. Vitor Diz:

    Carlos Magno,

    o dr. Eunofre Marques foi fazer a pesquisa in loco e você o atacou do mesmo jeito. O Senhor José Carlos já pesquisa há anos e você também continua atacando-o. O fato é que NADA vai te convencer que você está errado, nem mesmo uma confissão assinada do Chico que ele era uma fraude, nem um depoimento em vídeo, NADA. Você é uma pessoa dogmática, e pessoas dogmáticas não mudam de ideia por nada.

  10. Marcelo Diz:

    Atlântida?

  11. Carlos Magno Diz:

    Vitor, prezado.
    -
    Se o cara é só teórico como o José Carlos, e ataca as bases do espiritismo vou acreditar nele? Se o médico só disse bobagens e demostrou que não conhece nada do assunto apesar de médico, vou aceitar o que ele disse? Não importa se pesquisaram a seus modos, pois puxaram para o preconceito e estreitamento da visão.
    -
    Eu não vou opinar sobre engenharia, nem regatas, nem sobre o idioma alemão porque só falaria besteiras. Mas daquilo que eu conheço um pouco e tenho experiências práticas posso opinar e rebater. E esses dois que você apontou falaram bobagens e outros também que muitos comentaristas rebateram.
    -
    Se estiver errado estou, ninguém é o dono da verdade, mas quando a coisa é gritante, como com esses dois aí, a gente esperneia, ora essa! Mas certinhos mesmo e não dogmáticos são os céticos que se dizem abertos e democráticos, e nisso mentem descaradamente, porque nada que não seja ciência materialista e laboratorial lhes serve.
    -
    No entanto, apesar de você arremessar o julgamento contra mim, noto aqui também, justamente, um dogmatisco-teórico-acadêmico, orgulhoso e absolutista, como afinal é in totum o ceticismo.
    -
    Abraços.

  12. William Diz:

    Pessoal,
    -
    A “DC” perdeu força ao longo do tempo, devido ao abuso em diagnosticar genericamente qualquer tipo de alterações muitas vezes insignificante no organismo, relacionados ao cérebro, pelo termo.
    -
    Portanto, Guilherme Gustavo Riccioppo Rodrigues ou o Vitor (que nunca contextualiza) deveriam especificar que mesmo realmente havendo, sobretudo atualmente, o desincentivo do termo, o mesmo não remete a incompetência de um colega de trabalho da década de 70 se há uma boa interpretação das pulsações captadas por eletrodos no encefalógrafo de Berger. O caso em questão foi publicado em uma revista inglesa em 1975 (fonte: Nosso Chico Xavier).
    -
    O Vitor deveria procurar a cópia completa dos exames antes de induzir o leitor a qualquer conclusão, e provavelmente oferecer ao seu colega a reportagem que estampa “No eletroencefalograma o cérebro lesado de Chico Xavier”.
    -
    Vocês leitores, vejam, cérebro lesado! Por que será que o Vitor se apressa tanto?
    -
    Qual profissional que se limita, talvez, por enquanto, apenas a pós-graduação, capaz de emitir uma opinião séria e com algum valor se apenas leu essa fonte e alguns textos que não se aprofundam, se limitando em referências dos originais, sendo que o médico deve se abster antes de um estudo mais completo do caso?
    -
    Pois é, esse tipo de coisa preenche as páginas proposta a difamar um médium legítimo, o maior psicógrafo do Brasil.
    -
    Vejam o que o Vitor me disse em outro tópico depois de eu mencionar esse caso do Chico Xavier:
    “Qual eletro você está falando? Do Chico? Não estou com o resultado do eletro completo, não posso dizer”.
    -
    Ou seja, a analise aqui não prima pela seriedade, mas pela pressa em distorcer os fatos.
    -
    O Dr. Eunofre Marques que também usou o termo “DC” deu uma interpretação não espírita, relacionando epilepsia com conteúdos religiosos subjetivos, aparentando pender para a visão de uma manifestação patológica sobre Chico Xavier. Já Alexander Moreira de Almeida analisa de outra forma, o histórico de muitos outros médiuns (inclusive do C.Xavier) não se enquadram perfeitamente na epilepsia ((http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5142/tde-12042005-160501/ ).
    -
    Outra coisa, a analise do dr. Borges provavelmente foi retirada do texto de H. Pires: “Só pelo registro de ondas pontiagudas tipo Sharp nas regiões temporais a esquerda -após a hiperpneia – inicialmente com predomínio nas anteromediais e depois com o aparecimento de raros surtos de ondas Sharp nas regiões temporais a direita, sem predomínio nítido (como se vê do relatório do dr. Borges) poderíamos concluir que o cérebro de Francisco Candido Xavier seja enfermo? Absolutamente não!”.
    -
    Ora, Vitor, agora que eu “especulei” de onde você tirou essas conclusões, isso se relaciona com qual leitura dos registros?
    -
    Espero que seja a mesma que o seu colega Guilherme tenha lido, pois este conclui levianamente que Chico Xavier não possui paranormalidade.
    -
    Aliás, Eureka! O Guilherme pensa saber explicar todos os registros (que não leu!) e, no entanto, tem a virtude de apoiar a opinião dos espíritas, ou seja, que tais registros não enquadram Chico como um epiléptico normal, malgrado os registros significativos dos originais que devem ser adquiridos para uma critica mais lúcida.
    -
    Continuando, diz H. Pires: “Em acréscimo a esses esclarecimentos do dr. Elias Barbosa lembraremos que parapsicologicamente o cérebro de Chico Xavier não é anormal nem patológico, mas simplesmente paranormal. A palavra paranormal foi cunhada especialmente para distinguir as funções a os fenômenos inabituais, dos habituais que caracterizam a nossa vida rotineira a das suas alterações mórbidas estudadas pela patologia. Já é tempo de aprendermos a fazer essa distinção na terapia e na imprensa”.

    Ainda assim, o Guilherme conclui: “Conheço o Dr. Elias Barbosa. Uma ótima pessoa. Médico psiquiatra em Uberaba dos mais antigos. Mas, em vista dos conhecimentos médicos atuais, não há nada apresentado neste texto ou nestes recortes de EEG que sugiram uma anormalidade clínica em FCX e muito menos algo que suporte a idéia de que seu cérebro é paranormal”.
    -
    Leitores, o que vocês concluem?

  13. Gilberto Diz:

    Que sendo paranormal, epilético ou vascaíno, Chico Xavier fraudava seus feitos ditos paranormais vezes demais para darmos ao sujeito toda essa veneração que os espíritas dão. Só isso.

  14. Vitor Diz:

    E esses dois que você apontou falaram bobagens e outros também que muitos comentaristas rebateram.

    Para você, qualquer um que discorde de suas crenças fala bobagem, Carlos. Isso é ser dogmático. Você não passou anos numa faculdade estudando medicina, nem é autodidata para estudar história, e se acha capaz de criticar o trabalho dos outros por ter estudado “Ciências Ocultas”? É o mesmo que criticar o trabalho de Darwin/Wallace por ter estudado o Criacionismo.

  15. Vitor Diz:

    William,

    você está fazendo uma confusão dos diabos. Comentando:

    01 - O Vitor deveria procurar a cópia completa dos exames antes de induzir o leitor a qualquer conclusão, e provavelmente oferecer ao seu colega a reportagem que estampa “No eletroencefalograma o cérebro lesado de Chico Xavier”.Vocês leitores, vejam, cérebro lesado! Por que será que o Vitor se apressa tanto?

    Logo na introdução eu peço ajuda aos internautas para quem tiver o exame completo me enviar. E o texto “No eletroencefalograma o cérebro lesado de Chico Xavier” faz parte da reportagem, que inclusive está reproduzida! Não fui eu quem inventou isso!

    02 – Qual profissional que se limita, talvez, por enquanto, apenas a pós-graduação, capaz de emitir uma opinião séria e com algum valor se apenas leu essa fonte e alguns textos que não se aprofundam, se limitando em referências dos originais, sendo que o médico deve se abster antes de um estudo mais completo do caso?

    Muito pior seria se eu tivesse reproduzido apenas a reportagem, sem as considerações do Guilherme! A questão de um estudo mais completo, assim que alguém se dignificar enviar o eletro completo isso será feito!

    03 – Pois é, esse tipo de coisa preenche as páginas proposta a difamar um médium legítimo, o maior psicógrafo do Brasil.

    Se Chico Xavier é um médium legítimo cite-me apenas um fenômeno fortemente sugestivo de paranormalidade dele, em boas condições de controle, sem chance de vazamentos sensoriais. Encare isso como um desafio :)

    04 – Espero que seja a mesma que o seu colega Guilherme tenha lido, pois este conclui levianamente que Chico Xavier não possui paranormalidade.

    Não, William. Ele conclui que o eletro EXIBIDO NA REPORTAGEM não dá para concluir nem a favor nem contra o Chico! Assim que alguém se dignificar a enviar o exame completo, isso pode vir a mudar.

  16. homeover Diz:

    LAMENTÁVEL MAIS ESSA INVERDADE PLANTADA NO BLOG.

  17. William Diz:

    Vitor,
    -
    Você tem essa “reportagem de 1973” legíveis ou possui apenas esse minúsculo arquivo que está anexado em “Obras Psicografadas” (um parecer da revista “Realidade” foi dado em 1971 pelo Dr. Eunofre Marques)?
    -
    Por outro lado, todos os leitores sabem que você não tem os exames completos (está escrito). Dessa forma, eu argumentei que você e o Dr.Guilherme deveriam se abster até maiores informações. Uma de suas fontes é uma revista que estampa “cérebro LESADO de Chico Xavier” que não está acessível aos leitores e outros textos que remetem vagamente (para o tipo de crítica que o médico se propôs) ao exame. Tenha dó!
    -
    O leitor imparcial irá concluir o valor da palavra do Dr. Guilherme confrontada com as fontes do objeto de estudo (como o texto do doutor que discorda de seu colega sem ter ou saber qual gráfico se trata logo a baixo das referências de H. Pires sobre Dr. Borges, relacionando imprudentemente com os gráficos de outra revista que os leitores mal conseguem visualizar, é piada!).
    -
    O próprio Dr. Guilherme diz que falta um monte de dados e mesmo assim continua a crítica!
    -
    Você pode ver de quem é a confusão do “diabo”.
    -
    De resto, eu irei abordar a mediunidade do Chico, de acordo com a oportunidade e minhas limitadas possibilidades, futuramente e em outro espaço. Aqui eu me limito a criticar seus textos, o que já é de grande valor.
    -
    O ônus do médium mistificador que ganha dinheiro por tabela é seu (que, diga-se de passagem, está falhando beirando a comédia).
    -
    Nenhum médico espírita, pelo menos que eu li até agora, disse que o caso de Chico é patológico, apenas que detectaram caracteres significativos no momento do transe. Não uma boa explicação para esse fato.

  18. Vitor Diz:

    William,

    comentando:

    01 – Você tem essa “reportagem de 1973” legíveis ou possui apenas esse minúsculo arquivo que está anexado em “Obras Psicografadas” (um parecer da revista “Realidade” foi dado em 1971 pelo Dr. Eunofre Marques)?

    Clica no minúsculo arquivo que ele aumenta. Depois, vc salva no computador e dá zoom. De qualquer forma, eu TRANSCREVI o que a reportagem diz! E você tem o parecer do dr. Eunofre na revista Realidade de 71?

    02 - eu argumentei que você e o Dr.Guilherme deveriam se abster até maiores informações.

    Eu fiz o post JUSTAMENTE com o intuito de obter maiores informações!

    03 – Uma de suas fontes é uma revista que estampa “cérebro LESADO de Chico Xavier” que não está acessível aos leitores

    Está acessível! É justamente o arquivo minúsculo que você tanto reclama. E a reportagem está transcrita ainda por cima!

    04 – O próprio Dr. Guilherme diz que falta um monte de dados e mesmo assim continua a crítica!

    Porque fui eu que pedi para ele analisar a reportagem! Estamos esperando alguma boa alma enviar o eletro completo!

  19. William Diz:

    Gostaria de persistir em certo esclarecimento.
    -
    O Dr. Guilherme diz:
    -
    “A qualidade do eletroencefalograma (EEG) é muito ruim, não apresenta referência de velocidade ou voltagem, nem mostra o conjunto completo de derivações – o que limita muito qualquer interpretação. Falando sobre o trecho que eu vi, aquilo lá não é Sharp wave nem tem características que sugiram anormalidade, ou seja, não há evidência de anormalidade de EEG até o momento”.
    -
    O doutor se limita em algo que leu e diz faltar um monte de dados (eu já fiz a crítica sobre essa atitude).
    -
    O que acontece?
    -
    O “bem intencionado” do Vitor relacionou a analise do Dr. Borges que não possui (provavelmente) com a analise do Dr. Guilherme. Isso se chama MANIPULAÇÃO (assim como o caso do suposto plágio de “Há 2000 Anos”).

  20. William Diz:

    Vitor,
    -
    “Clica no minúsculo arquivo que ele aumenta. Depois, vc salva no computador e dá zoom. De qualquer forma, eu TRANSCREVI o que a reportagem diz! E você tem o parecer do dr. Eunofre na revista Realidade de 71?”.
    -
    O arquivo aumenta e a resolução fica a mesma porcaria. Por favor, diga qual parte é a transcrição da revista (afinal, você transcreveu). Tenho o parecer do Dr. Eunofre (depois eu posto).

  21. Vitor Diz:

    A parte transcrita da revista é o que está em itálico. A resposta espírita também está em itálico.

  22. Carlos Magno Diz:

    Vitor:
    -
    Você acha mesmo quem todos os que saem de faculdades podem dizer o que quiser, esfregar nos narizes alheios suas teses como irrefutáveis para leigos, ou copiar, copiar e copiar, escrever laudos à vontade e todos acharmos que eles são os maiores e inquestionáveis? Você nunca se indignou contra um diagnóstico médico, ou dentário e estava certo? Você nunca achou um professor de história um energúmeno? Ou um psiquiatra um doido varrido a serviço de outros interesses, e dele mesmo (R$)? Você sempre acha que todos os políticos, porque tem PhD disso ou daquilo, fazem tudo certinho com nossa economia e nosso país e nós não vemos nada de errado? Ingênuo você não é, amigão!
    -
    Além do mais, teimoso blogueiro, espiritualidade, ciências ocultas, espiritismo, mediunismo, Umbanda, Chico Xavier e coisas afins, não se medem nem são aprofundados por diplomados acadêmicos ou laboratoristas; para conhecermos à médio termo ou profundamente essas coisas não precisamos de faculdades nem stricto sensu, ou PhD. Na verdade, são duas áreas que normalmente caminham em vias paralelas. E cada vez que esses bonitinhos de jalecos ou gravatas, que não frequentam nada e não são do meio, se metem a pesquisar a espiritualidade, dar opiniões, emitir laudos técnicos, julgar, sentenciar, etc., dá é m….!
    -
    Principalmente porque são céticos e materialistas, generalizam tudo por baixo, revelam-se dogmáticos do academismo gessado ou estão a serviços de outras causas e interesses!
    -
    Vitor, vamos encerrar esse triste diálogo, está bem? Não pretendo mais replicar, nem treplicar ou qualquer coisa assim.

  23. Gilberto Diz:

    Concordo com o C.M. Quem esses homens de ciência pensam que são? Só porque aumentaram a expectativa de vida da humanidade em 40 anos em apenas um século, e agora querem aumentar em mais 30 neste? São um bando de PhDs energúmenos. São uns céticos odiadores da espiritualidade e passam anos e décadas em laboratórios e salas de aula estudando. Pra quê? Pra desenvolver uma tecnologia fútil, que nada acrescentou à vida humana, ou para desenvolver tratamentos para doenças que todos sabem que existem pra justiça da causa-e-efeito. Esses acadêmicos gessados jamais conhecerão a profundidade do saber dar ciências ocultas, como por exemplo, beber dois litros de marafa sem ficar com bafo, e outras maravilhas do espiritualismo. Nem preciso citar coisas que REALMENTE contribuem para a humanidade desenvolvidas pela Umbanda, como a técnica de matar ritualisticamente um animal com o maior sofrimento possível, ou mesmo fazer pessoas de idade manifestarem Erês e pularem amarelinha com apenas um pé! Vítor, você é um ingênuo por acreditar quando o seu dentista diagnosticou duas cáries e fez você pagar pelas obturações. Deverias ter procurado um médium Odontopírita, que esfregaria pó de raís de babosa, junto com cânticos centenários, e não cobraria consulta, além de trazer a pessoa amada em 3 dias. Abaixo os diplomas. Abaixo as faculdades. Vamos todos evoluir de verdade e fazer cabeça na Tenda do Caboclo Sete Flechas, pois é lá que mora o verdadeiro conhecimento!

  24. Ricardo RJ Diz:

    A ironia sem refinamento é realmente um meio detestável de se expressar.

  25. Vitor Diz:

    Declaro-me um fã do Gilberto. Acho seus posts muito engraçados, e se humor é sinal de inteligência, acho o Gilberto um gênio :)

  26. Lay Diz:

    Ele pode ser até engraçado, mas é um exemplo típico de uma pessoa irônica, cínica e que só abre a boca pra falar besteira…pessoas assim eh melhor ficar calada!!!

  27. Carlos Magno Diz:

    Gilberto você está muito doente!

  28. William Diz:

    Gilberto,
    -
    “Quem esses homens de ciência pensam que são?”.
    -
    Respeito muito o agnóstico, o ateu, o materialista sincero dentro de sua filosofia. Porém, você iria se impressionar se eu escrevesse uma lista de nomes dos sábios que os “céticos” menores pedem benção que não se classificam em nada disso supramencionado. Creio que não preciso citar Leibniz, Newton, Gödel, G. Cantor, etc., etc., etc., etc.
    -
    As filosofias espiritualistas e idealistas, diretamente ou indiretamente contribuíram com o mundo que você vive hoje muito mais do que supõe. O materialismo não está absolutamente provado, não é ciência como você deve pensar e compete em pé de igualdade com o idealismo.

  29. William Diz:

    Vitor,
    -
    Só me responde uma coisa:
    -
    O Dr. Guilherme opinou apenas com esses textos que estão aqui e aquele arquivo minúsculo da “reportagem de 1973”?
    -
    Você pode fornecer um arquivo legível com uma resolução que possibilite eu ler o texto inteiro?

  30. Vitor Diz:

    Lay,

    não vi nenhuma besteira nas palavras do Gilberto. Quanto a você, até agora não vi uma única crítica construtiva, sequer minimamente embasada de sua parte.

  31. Vitor Diz:

    Carlos Magno,

    no meu entender, qualquer pessoa dogmática é uma pessoa doente. Sem exceção. Eu não vejo dogmatismo no Gilberto, mas em vc…

  32. Vitor Diz:

    William,
    comentando:

    01 – Só me responde uma coisa:-

    Você pede para eu responder uma coisa, mas me faz duas perguntas… :)

    02 -O Dr. Guilherme opinou apenas com esses textos que estão aqui e aquele arquivo minúsculo da “reportagem de 1973”?

    Sim. Ele fez isso a meu pedido. É o material que dispomos até então. Se você puder contribuir com mais material, será muito útil.

    03- Você pode fornecer um arquivo legível com uma resolução que possibilite eu ler o texto inteiro?

    Você já leu o texto inteiro. Eu transcrevi TUDO o que eu tinha. Em todo caso, você pode fazer o download aqui:

    http://www.4shared.com/file/233196276/3f59c7c/_Chico__condi__es_neurologicas.html

  33. William Diz:

    Parecer do Dr. Eunofre Marques (Hospital das Clínicas de São Paulo) de 1971 para a revista “Realidade”.
    -
    Após examinar o Eletroencefalograma de Chico Xavier (ele detecta alterações, mas “conversa” a sua maneira, se afastando da tese espírita para o fenômeno):
    -
    “A disritimia (eu, William, quero lembrar que o termo não remete absolutamente à incompetência do médico, mas apenas hoje em dia está sendo repreendida pelos motivos que esclareci) consiste na existência de descargas elétricas anômalas em certas regiões do cérebro (focos) e pode ser causada por dificuldades no parto, contusões na cabeça, etc. Costuma ser acompanhada de convulsões (ataques epilépticos), mas isso pode não ocorrer. Principalmente quando o foco se localiza na região temporal do cérebro, surgem com maior freqüência as alterações psíquicas que levam o portador à sessão espírita: ele apresenta crises alucinatórias (tem visões, ouve vozes), perturbações da consciência (como se estivesse sonhando acordado) ou momentos em que tem dificuldade para compreender o que se passa consigo e com o ambiente onde está. Como as alucinações se referem, algumas vezes, as pessoas falecidas ou têm conteúdo religioso, passam imediatamente a serem consideradas como manifestação mediúnicas. A associação entre disritimia cerebral e a sugestionabilidade elevada tem sido observada com freqüência”.

  34. Vitor Diz:

    William, esse texto é exatamente o item 3 da reportagem. Não traz absolutamente nada de novo.

  35. William Diz:

    Pessoal,
    -
    Os médicos espíritas em nenhum momento trataram o caso do Chico como patológico! Ele não se encaixa perfeitamente no quadro de um epléptico, alguns espíritas brincamaté que é ele seria um “pseudo-epiléptico”.
    -
    Apenas detectaram alterações significativas nos gráficos do EEG e tentaram explicar. Assim que o Dr. Elias Barbosa arriscou uma tese.
    -
    Se o Dr. Guilherme conhece realmente o Dr. Elias, deveria procurar os arquivos originais para emitir uma opinião séria e importante, por se tratar (o Chico) de uma figura de elevada importância à cultura brasileira e porque não, mundial.
    -

  36. William Diz:

    Vitor,
    -
    Verdade, fui ver novamente e lembrei que eu tinha lido hoje de manhã, porém, a fonte que utilizo diz que o parecer do Dr. Eunofre é de 1971 (Revista Realidade). Não sei qual o ano correto (parece que o seu diz que é 73).

  37. Vitor Diz:

    A reportagem é de 73, mas aquele trecho é retirado de um artigo do dr. Eunofre, e isso é dito explicitamente: “De um artigo do dr. Eunofre, retiramos estes trechos: (…)”

    Agora sabemos que os trechos foram retirados da revista Realidade de 71. Grato. Mas é só isso que diz o parecer?

  38. Carlos Magno Diz:

    Carlos Magno,
    -
    Não quero voltar ao nosso diálogo, porque é chover no molhado, e você se tornou infantil em suas respostas, mas vou comentar sobre sua pérola:
    -
    “no meu entender, qualquer pessoa dogmática é uma pessoa doente. Sem exceção. Eu não vejo dogmatismo no Gilberto, mas em vc…”
    -
    Mas veja só quem fala sobre doença! O Vitor gente! E defende o Gilberto, outro doente! Macaco olhe seu rabo!
    -
    Que é dogmatismo Vitor? Há dogmatismos até na mesa do café da manhã! Há na ciência, e como há! Há em tudo, depende da cabeça da cada um! E o seu dogma qual é? O seu lema doentio qual é prezado? Sua idéia fixa, obsessiva e magalômana, qual é? Você quer que eu diga ou está mais uma vez desmerecendo a inteligência de todos os que aqui vêm!
    -
    Macaco, olhe seu rabo! Again and again!

  39. Vitor Diz:

    Dogmatismo é quando uma pessoa é incapaz de sugerir as provas necessárias para mudar de opinião sobre determinado assunto. Por exemplo:

    01 – O que provaria a você, CM, que Atlântida não existiu?

    02 – O que provaria a você, CM, que Deus não existe?

    03 – O que provaria a você, CM, que Chico Xavier foi um farsante, ainda que bem intencionado?

    04 – O que provaria a você, CM, que Públio Lentulus jamais existiu?

    Se você é incapaz de fornecer um critério para mudar de opinião, você é dogmático, e nada do que for apresentado aqui te fará mudar de opinião, então você no fundo só quer enfiar goela abaixo dos outros sua crença.

    Faça-se essas perguntas, CM. Veja se consegue respondê-las… de minha parte, eu sempre ofereci a chance aqui de me apresentarem boas evidências da mediunidade de Chico, em condições que impeçam o vazamento de informações, até agora sem sucesso. Ou de me apresentarem evidências da existência de Públio Lentulus (mas tem que me explicarem direitinho porque um nome está em português e o outro em latim…) , também sem sucesso. No dia que isso acontecer, eu mudo de opinião. Assim, me mostro aberto a mudar meu pensamento. Com você, parece que não se pode dizer o mesmo.

  40. Gilberto Diz:

    Não pretendi ofender umbandistas. Quis somente criticar essa pretensão de alguns de se colocar a ciência em contraponto com a religião. Sei que quando Kardec afirmou que o Espiritismo é ciência, criou-se automaticamente um dogma inquebrantável. Mas o próprio Kardec disse que o Espiritismo precisava evoluir, e muitos espíritas dizem que Kardec estava errado em muitos pontos. Então, será que ele também não estava errado ao afirmar que o Espiritismo é ciência? Talvez o Espiritismo seja APENAS uma religião, e quando os espíritas se libertarem desse dogma, um grande peso sairá de seus ombros, e acredito que aí o Espiritismo vai crescer de novo. No âmbito da fé, nada pode ser contestado, pois depende da experiência pessoal e de suas crenças. Não há nada a se opor. O Catolicismo cresce no mundo de hoje (e se prepara para superar o Protestantismo nos EUA) justamente por ter assumido o lado espiritual e ter colocado rituais mágicos, opiniões sobre a ciência e outras besteiras “meio” de lado. Não sou anti-religioso, nem acho a religião um “veneno”. Ela PODE se tornar veneno, em doses cavalares, como xarope pra tosse, por exemplo. Sugiro a algumas pessoas que sigam a bula e parem de se intoxicar com uma coisa tão boa para tantos, que é se encontrar numa religião, e descobrir a sua “salvação”.

  41. William Diz:

    Pessoal,
    -
    Por enquanto, não consegui os gráficos e a análise (EGG), tal como eu anseio. O que temos está praticamente no nível de “prosa”, como se tivéssemos encontrado um colega médico na rua e o mesmo resumisse sua opinião. Não é isso o que eu quero.Há um gráfico muito mais completo no filme “Chico Xavier Inédito – De Pedro Leopoldo a Uberaba” (que eu tenho), inclusive com uma pessoa disponibilizando a maioria das pesquisas que já foram feitas com o médium e comprovam sua paranormalidade.
    -
    Segue o resumo da minha critica sobre a página “O Eletroencefalograma de Chico Xavier” :
    -
    1-Parece ser muita “sede ao pote” do Vitor (que todos sabem qual é essa sede) pretender reunir dados tão precários na intenção de submetê-los ao médico. O Dr. Guilherme critica a qualidade dos dados estampados em uma revista provavelmente sensacionalista (como a maioria são até hoje), não especializada e mesmo assim prossegue na analise, malgrado minhas observações supramencionadas.
    -
    2-O Dr. Guilherme admite que o Dr. Juvenal Guedes deve ter interpretado outro gráfico, portanto, que sua critica não se relaciona com a de seu colega.
    -
    3-O Dr. Guilherme sentencia no trecho precário e incompleto, segundo sua observação, que não há anormalidade na EGG. Ora, quando é possível interpretar algo, o mesmo gráfico deveria ser apresentado no mínimo a três médicos, por se tratar de um caso polêmico. De resto, nenhum médico espírita disse que Chico Xavier é um epiléptico, pelo contrário.
    -
    4-Diz que 20% da população normal aparentam epilepsia, porém, é honesto (pelo menos aqui) em dizer que necessita de um histórico do individuo para diagnosticar com segurança a epilepsia.
    -
    5-O Dr. Guilherme, com todos os ares de ser correto e atualizado expõe o fato do termo “disritmia” ser usado por leigos e desencorajado entre os médicos. Eu esclareci basicamente que “a “DC” perdeu força ao longo do tempo, devido ao abuso em diagnosticar genericamente qualquer tipo de alterações muitas vezes insignificante relacionados ao cérebro, pelo termo”, e que o uso da expressão, sobretudo entre médicos dos anos 70 não o tornam incompetentes e pode ser tolerada dentro de um contexto.
    -
    6-O Dr. Guilherme ganhou na loteria, pois mesmo com “dados precários” e sem ter os originais e provavelmente não saber do histórico de Francisco Cândido Xavier concorda com os médicos espíritas, ou seja, que o caso do médium não é patológico, não é um quadro de epilepsia como os detratores queriam (chamaram ele de doente, cérebro enfermo, etc).
    -
    7-O Dr. Guilherme compra gato por lebre e acaba por ser imprudente. Mesmo assumindo no começo que não sabe ou não possui os gráficos que seus colegas de profissão se referem, diz que o Chico Xavier não é um sujeito paranormal (através dos dados precários e disponíveis, segundo suas palavras), e coisa para se pensar, discorda de todas as referências indiretas de outros médicos sobre os gráficos do médium (que ele não possui), quer dizer, a grande maioria concordou que houve alterações significativas, porém, discordaram quanto a opinião do fenômeno, que só acontece quando Chico está em transe.
    -
    8-Portanto, a única coisa que poderíamos arriscar de longe levar a sério seria a observação do gráfico da revista não especializada, que parece não ser bom realmente e estar mais do que incompleto (deveria haver mais de um médico opinando).
    -
    9-Novamente, a posição do médico espírita foi constatar alterações (EGG) significativas no momento do transe mediúnico, comparar com os gráficos quando o experimentado se encontra em estado normal e arriscar alguma tese. Apenas isso.
    -
    10-O Vitor irá ficar triste com minha crítica :-)

  42. Vitor Diz:

    William,

    comentando:

    01 – e que o uso da expressão, sobretudo entre médicos dos anos 70 não o tornam incompetentes e pode ser tolerada dentro de um contexto

    O Guilherme não chamou ninguém de incompetente, que fique bem claro.

    02 – O Dr. Guilherme ganhou na loteria, pois mesmo com “dados precários” e sem ter os originais e provavelmente não saber do histórico de Francisco Cândido Xavier concorda com os médicos espíritas

    Na reportagem o próprio Chico diz que nunca teve acessos. Esse é o histórico. Você sabe de alguma crise epilética que ele tenha tido e não contou?

    03 – Quanto ao ponto 7, uma vez que o leitor foi avisado de que apenas as reportagens expostas foram analisadas, não creio que nem eu nem o Guilherme possamos ser chamados de imprudentes por isso. Com base no mostrado, é isso que ele pode dizer. De qualquer forma, duvido muito que um exame possa dizer que um cérebro é paranormal. Qual seria o critério para esse diagnóstico? Você sabe? Bem, se o aparelho do eletro começar a levitar, aí acho que podemos dizer com segurança que aquele cérebro é paranormal. Fora isso…

  43. William Diz:

    Vitor,
    -
    “O Guilherme não chamou ninguém de incompetente, que fique bem claro”.
    -
    Tudo bem, mas sugeri que não é preciso usar todas as letras para induzir o leitor.
    -
    “Na reportagem o próprio Chico diz que nunca teve acessos. Esse é o histórico. Você sabe de alguma crise epilética que ele tenha tido e não contou?”.
    -
    Ele não é um epiléptico como os sensacionalistas falaram!Estranho é não ter aparecido uma pessoa denunciando epilepsia em Chico antes do exame (EGG), pois você deve bem saber que essas crises “não gostam” de escolher hora. Eu sei disso porque uma pessoa muito próxima tem essas crises (o caso dela chega até assustar quem não está acostumado). Se o efeito do médium fosse semelhante dessa pessoa, por exemplo, ele não iria nem ter condições para escrever de forma tão lúcida e surpreendente, assim como produzir os conteúdos em sua psicofonia, etc.
    -
    “De qualquer forma, duvido muito que um exame possa dizer que um cérebro é paranormal. Qual seria o critério para esse diagnóstico? Você sabe? Bem, se o aparelho do eletro começar a levitar, aí acho que podemos dizer com segurança que aquele cérebro é paranormal”.
    -
    Paranomal não se equivale com o que se popularizou designar “sobrenatural”. Se todos os médicos que tiveram acesso aos gráficos concordam que há alterações significativas (APENAS NO MOMENTO DE TRANSE provoca alterações) e comparam com outros gráficos em seu estado normal você vai fazer o que né?
    -
    Vamos supor que o quadro do Chico o enquadra em um “pseudo-epiléptico” (como brincam alguns espíritas) apenas no momento do transe. Para você é natural sair por ai vendo pessoas que sentam nas mesas, fazem uma oração e entram em epilepsia fornecendo conteúdos lúcidos e inteligentes, para mim não! :-)

  44. Vitor Diz:

    William,
    comentando:

    Tudo bem, mas sugeri que não é preciso usar todas as letras para induzir o leitor.

    Ele não está sugerindo incompetência de ninguém. Está apenas alertando os leitores que o termo é leigo, antiquado, ultrapassado.

    Paranomal não se equivale com o que se popularizou designar “sobrenatural”. Se todos os médicos que tiveram acesso aos gráficos concordam que há alterações significativas (APENAS NO MOMENTO DE TRANSE provoca alterações) e comparam com outros gráficos em seu estado normal você vai fazer o que né?

    Dizer que há uma anomalia, detectou-se a presença de anormalidades, mas de forma alguma dizer que é paranormal, esse critério não existe. A anormalidade pode indicar qualquer coisa, incluindo epilepsia, mas como Chico aparentemente nunca teve acessos, pode sugerir outro quadro clínico.

  45. Carlos Magno Diz:

    Vitor, veja bem, não adianta você querer se dizer uma coisa, quando tudo o que você demonstra é o oposto. Você não se acha dogmático, está bem, repita isso no espelho quantas vezes desejar. Certamente não irá achar que a ciência tem dogmas (embora tenha) e nem que esses acusadores científicos sejam ortodoxos (embora sejam).

    Realmente, prezado, não há como você convencer os espíritas e espiritualistas de que tudo o que você apresenta é a verdade, que as denúncias sejam úteis e irrefutáveis. As pretendidas provas não têm convencido espíritas, exceto a essa corrente de céticos preconceituosos e sem qualquer experiência nos assuntos. Infantilidade sua teimar que as provas sejam irrefutáveis porque têm fotos e denuncias. A prova está que todos os espíritas o contestam e você continua surdo a se prender a afirmações céticas, à jornalistas suspeitos e pitaqueiros da mesma categoria. Não apresenta nada aqui de autoridades espírita com a mesma ênfase em defesa do Chico e do espiritismo. Por quê? Medo?
    -
    Esses anos todos você sempre foi o mesmo, não mudou nada e diz-se não dogmático. E pretende ensinar-me o que seja dogmatismo. Você não ouve ninguém que o contrarie, muitas vezes argumenta por argumentar, sem a mínima convicção ou procedência, por que está dizendo o oposto?
    -
    Tenho um comentário: há algum tempo li um post seu naquele sofrível blog bule voador. Aquele que fechou porque o presidente da ATEIA – que tem duas caras – revelou-se vegetariano e o dono do blog ficou furioso com isso, mas agora parece que reabriu o blog com os mesmos lemas e bandeira. Pos bem, em certo trecho do comentário você acusa e se opõe aos céticos de plantão. Confesso que não entendi nada por que no seu blog você é exatamente isso, faz plantão contra o espiritismo há anos. Haverá duas considerações sobre esse posicionamento, ou você faz jogo duplo? Fiquei curioso.
    -
    Abraços, prezado.

  46. Carlos Magno Diz:

    Gilberto, fique tranquilo, a Umbanda jamais se ofenderá com qualquer comentário pífio de bufões de terceira categoria.
    -
    A Umbanda segue seu caminho glorioso como sempre seguiu.
    -
    Abraços.

  47. Vitor Diz:

    CM,
    comentando:

    01 – Certamente não irá achar que a ciência tem dogmas (embora tenha) e nem que esses acusadores científicos sejam ortodoxos (embora sejam).

    Engano seu. Sei perfeitamente que a ciência tem dogmas. Há muita resistência da corrente principal à Parapsicologia e aos seus dados, por exemplo. E há muita resistência sua à pesquisa do senhor José Carlos e à minha própria pesquisa. Os dois estão sendo dogmáticos.

    02 – Realmente, prezado, não há como você convencer os espíritas e espiritualistas de que tudo o que você apresenta é a verdade, que as denúncias sejam úteis e irrefutáveis. As pretendidas provas não têm convencido espíritas, exceto a essa corrente de céticos preconceituosos e sem qualquer experiência nos assuntos. Infantilidade sua teimar que as provas sejam irrefutáveis porque têm fotos e denuncias. A prova está que todos os espíritas o contestam e você continua surdo a se prender a afirmações céticas, à jornalistas suspeitos e pitaqueiros da mesma categoria.

    Contestação sempre vai haver em qualquer campo. Há contestação que o Holocausto nunca existiu, que o Homem não pisou na Lua, que a Aids não é causada por um vírus, e por aí vai. Assim, o mero fato de haver constestação não é prova de nada. Quais as evidências que sustentam a contestação? São boas? São ruins? Isso é que interessa.

    03 – Não apresenta nada aqui de autoridades espírita com a mesma ênfase em defesa do Chico e do espiritismo. Por quê? Medo?

    Não. Estou esperando que me mostrem evidências obtidas em condições controladas. Só. Relato anedótico pouco tem valor.

    04 – Esses anos todos você sempre foi o mesmo, não mudou nada e diz-se não dogmático. E pretende ensinar-me o que seja dogmatismo. Você não ouve ninguém que o contrarie, muitas vezes argumenta por argumentar, sem a mínima convicção ou procedência, por que está dizendo o oposto?

    Porque o que você está dizendo é absolutamente falso. Eu tenho sempre ouvido quem me contrarie, respondendo e mesmo aceitado mudanças nos textos.

    05 – Tenho um comentário: há algum tempo li um post seu naquele sofrível blog bule voador. Aquele que fechou porque o presidente da ATEIA – que tem duas caras – revelou-se vegetariano e o dono do blog ficou furioso com isso, mas agora parece que reabriu o blog com os mesmos lemas e bandeira. Pos bem, em certo trecho do comentário você acusa e se opõe aos céticos de plantão. Confesso que não entendi nada por que no seu blog você é exatamente isso, faz plantão contra o espiritismo há anos. Haverá duas considerações sobre esse posicionamento, ou você faz jogo duplo? Fiquei curioso.

    Eu não faço jogo duplo. Sempre critiquei os dois lados por seus excessos. Há crédulos dogmáticos e há céticos dogmáticos. O que ocorre é que geralmente ambos os lados só conhecem uma parte do meu trabalho – justamente a parte que odeiam :)

  48. Carlos Magno Diz:

    Muito bem, prezado, não esperava outra coisa de você senão a autodefesa enfática. Tudo bem.
    -
    Não tem jeito, continuaremos sempre em campos opostos e nos bicando.
    -
    Grande abraço.
    -
    OM MANI PADME HUM!
    -
    Fui!!!

  49. Gilberto Diz:

    OH, MANO, A PADME É HUM PITÉU!

  50. Vitor Diz:

    Gilberto,
    grato pela tradução. :)

  51. Carlos Magno Diz:

    Vitor:
    -
    Não pretendia voltar, mas como você elogiou do bufão juramentado mais um besteiról, somente cabível no cérebro privilegiado dele, gostaria que você me traduzisse essa máxima, ou pérola:
    -
    “Não. Estou esperando que me mostrem evidências obtidas em condições controladas. Só. Relato anedótico pouco tem valor.”
    -
    Ouso conjeturar antes de sua resposta. Não seria isso um dogma, ortodoxismo, discriminação rasteira, exigência metodológica acadêmica (que lástima!), ou desprezo mesmo aos militantes do espiritismo e ao próprio espiritismo? O “relato anedótico”, cá prá nós, é uma sacada e tanto de céticos que conhecem tudo! Mas é para rir por quê? Os espíritas todos são humoristas?

    -
    Abraços.

  52. Gilberto Diz:

    Carlos Magno, a palavra “anedótico” não tem nada a ver com “piada”. Use seu dicionário. Longe de mim querer taxá-lo de ignorante, mas o bom uso do português lhe cairia bem, já que tenta passar uma imagem de “intelectual do esotérico”. É claro que vai ver você é tão superior em inteligência a mim (o que não seria surpresa), ou a todos, que você apenas “brincou” com o Vítor e com os leitores deste blog. Que anedota pândega!! De qualquer forma, eu também tenho o maior tesão na Padme!!

  53. Carlos Magno Diz:

    Perguntei ao Vitor e quem vem responder é seu escudeiro e bufão juramentado.
    -
    Troquei relato anedótico, com evidência anedótica que é uma evidência informal uma anedota do grego anédokdota. Falhou a memória, e daí? Tenho humildade para reconhecer.
    -
    Mas isso diante de suas asneiras e besteiras é um grão de areia comparado à sua duna. E nada muda, continuo com os mesmos valores e saudável. E continuarei intelectual, inteligente, esotérico, equilibrado, espiritualista, Umbandista, lúcido, não ortodoxo e não dogmático. Orgulho? Não, consciência!
    -
    Bufão, olhe, um bom conselho para ganhar dinheiro: vai girar noutro picadeiro, dar cambalhotas para outro público cético que ache alguma graça nas suas bobagens! Ou vá travestir-se de Carlos Martel noutros blogs onde ainda na lhe conhecem.
    -
    Gracinha, bilú, bilú tetéia!
    -
    OM MANI PADME HUM!

  54. Carlos Magno Diz:

    correção: anékdota.

  55. Vitor Diz:

    CM,

    sugiro que você leia esse artigo:

    http://bulevoador.haaan.com/2010/02/25/relato-anedotico-versus-relato-estatistico/

    Ali você vai entender o que é uma evidência anedótica e porque elas geralmente têm pouco valor.

  56. Gilberto Diz:

    Além de humilde, intelectual, inteligente, esotérico, equilibrado, espiritualista, umbandista, lúcido, não ortodoxo, não dogmático e consciente, você também é modesto. Aliás, a modéstia é a maior de suas inúmeras virtudes! Quanto à história do picadeiro, vou considerar seriamente. Dá dinheiro mesmo? Sei que travesti dá. Só acho que “Carlos Martel” não é um nome chamativo. Prefiro “Jennyffer Hollywood”!
    -
    OH, MANO A PADME É HUMA TETÉIA!

  57. Carlos Magno Diz:

    ” Dá dinheiro mesmo? Sei que travesti dá.”
    -
    Bufão, não lhe estranho mais. Há algum tempo você afirmava que era gay, lembra? Você mesmo quem disse, não estou inventando. Tem razão, bufão, Jennifer cai bem pacas! Que tal Jennifer Rose? Só sugestão! Vai fundo, não se importe com as críticas. O importante é ser feliz!
    -
    Que é ser humilde e modesto, bufão? É baixar a cabeça para esses céticos doidos cheios de orgulho e pretensão? É ficar calado quando você, bufão, busca humilhar a religião alheia, não respeita a devoção da família, do debatedor, faz troça com as entidades, e acha tudo legal, engraçado, e normal? É baixar a cabeça para os ataques dos racionais céticos que nada fazem além de criticar os que trabalham e realizam? Ser humilde é ficar omisso diante disso? Então não sou humilde mesmo, bufão, tão pouco modesto e viva minha altivez, minha sapiência e aquilo sobre o que me apoio!
    -
    OM MANI PADME HUM!

  58. Carlos Magno Diz:

    Vitor:
    -
    Sei o que é evidência anedótica, e se ainda tiver dúvidas tenho fontes onde pesquisar. Mas por favor, você indicar esse ninho de desvairados céticos para eu clicar? Tive lá no anterior e não aguentei tanto cinismo e pretensão de sabedoria. Depois dei gargalhadas quando eles romperam pelos motivos alegados. Foi a coisa mais pífia e hilária que vi na internet.
    -
    E você quer me jogar de volta para aquele buraco negro? Dá licença Vitor, vou ali e já volto!

  59. Vitor Diz:

    CM,

    rompimentos existem em qualquer movimento. O próprio espiritismo possui diversas divisões. O que eu lhe pedi foi que lesse um artigo. Apenas 1.

  60. Gilberto Diz:

    Deixando o bufonismo de lado, e voltando ao assunto EEG, descobri que um certo Charles H. Hapgood escreveu em seu livro “Voices of Spirit” (1975, pgs. 224 a 227), que um EEG foi feito num médium chamado Elwood Babbitt, supostamente num ambiente controlado. O EEG deu quatro resultados diferentes: um para o médium fora do transe, e três diferentes enquanto o médium supostamente “canalizava” três espíritos de finados diferentes. Sei que esta pode ser uma evidência anedótica, dentre as centenas perpetradas pelos crentes no sobrenatural (“I Want to Believe”, como diria Fox Mulder), mas quem sabe? Hapgood aparentemente foi um historiador sério de Harvard, trabalhou pra CIA e pra Cruz Vermelha. Publicou vários livros, um deles inclusive foi prefaciado por Albert Einstein. Quando ele conheceu o médium Babbitt, ele o estudou por anos. Uma cópia desse livro deve ser difícil de achar, mas parece ser uma boa evidência (talvez não anedótica) de um EEG feito num paranormal. A única coisa que depõe contra o tal médium é que ele se comunicava com tudo quanto era defunto: o presidente Kennedy, a Rainha Vitória (que discutiu sobre o Vietnam!), Socrates, Mark Twain, entre outras “estrelas desencarnadas”. Mas nada muito diferente do que Xavier fazia. Babbitt até psicografava poemas de Wordsworth! É como Xavier psicografando Olavo Bilac. Pode ser um precedente de EEG de um paranormal.

  61. Carlos Magno Diz:

    Vitor,
    -
    “rompimentos existem em qualquer movimento”.
    -
    De fato existem, mas foi a coisa mais pífia e hilária que já vi no gênero. Até hoje quando lembro desopilo o fígado, principalmente pela “fidelidade” de ambos os lados ao movimento.
    -
    Lamento, mas não vou entrar naquele blog extremamente preconceituoso. Tenho outras fontes onde há artigos certamente melhores.
    -
    Aliás, vou mesmo ausentar-me. Vou à India visitar um Ashram de amigos. Coisa fantástica, só quem conhece e medita sabe o valor. Abraços a todos e particularmente para Jennyffer Hollywood.
    -
    Fui de vez!!!

  62. Carlos Magno Diz:

    Ah, sim, importante:
    -
    OM AUM MANI PADME VAJRA GURU SIDDHI HUM!

  63. Vitor Diz:

    Oi, Gilberto

    muito interessante isso que você me apresenta. Esse livro e médium eu desconhecia. Será que ele também exibia conhecimento paranormal ou somente estados alterados de consciência registrado no EEG? Pelos espíritos que ele canalizou (até Jesus e seu pai, José, Pôncio Pilatos tb), acredito que ele não exibia conhecimentos paranormais, sendo tais entidades fruto de seu inconsciente e cultura. Mas, claro, só lendo o livro para saber com certeza.

    Um abraço.

  64. Gilberto Diz:

    C. M., apresento-lhe 60 Mantras Hindús para você decorar e entoar em sua viajem pela Índia. O que eu mais te recomendo é o seguinte: TADIATA OM GATE GATE PARAGATE PARA SAM GATE BODHI SO HÁ (aumenta a inteligência, permite eliminar o apego ao ego como uma entidade individual dotada de existência própria e entender que os fenômenos estão vazios de natureza própria)
    -
    Ei-los:
    -
    OM MANI PADME HUM (mantra para harmonizar os chakras e iluminação)

    OM MANE PADME HUM HRI

    OM BABAGI AH HUM (mantra para iluminação, sabedoria, amor e desapego)

    OM YAMANTAKA HUM PHAT – (mantra dque elimina os padrões mentais negativos)

    OM HRIM GAURYAI NAMAH (mantra para desenvolvimento em todas as áreas)

    OM TARE TUTTARE TURE SOHA (produz modificações no nosso interior e em todo o universo à nossa volta)

    OM SRI GOVINDAYA NAMAH (mantra para felicidade e riqueza)

    OM AH RA PA TSA NA DHI

    OM TARE TUTTARE TURE SVAHA

    OM VAJRASATTVA HUM

    OM AH HUM (mantra para iniciação a ioga)

    OM DHUPE AH HUM (mantra para oferecer incensso)

    OM KALI AH HUM (mantra saudação á Divindade)

    OM WAGI SHORI MUM

    GAYATHRI (mantra para obter criatividade)

    OM AIM HRIM SRIM KLIM SOU HU OM (mantra chakra coroa)

    OM KRIM NAMAHA (mantra chakra olho)

    OM SO HU NAMAHA (mantra chakra garganta)

    OM AIM HRIM KLIM CHAMUNDAYE VICHE (mantra chakra coração)

    OM SRIM NAMAHA (mantra chakra plexo)

    OM HRIM NAMAHA (mantra chakra alma)

    OM AIM NAMAHA (mantra chakra base)

    OM SANAT KUMARA AH HUM (mantra para força e coragem)

    OM CHANDRAYA NAMAH ( mantra para tranqüilidade e clareza de raciocínio)

    OM TARE TUTARE TURE SOHA (mantra Tara, que contém todos os 21 mantras Tara, harmonia, paz, amor, prosperidade, cura, proteção, etc.)

    OM TARE TUTARE TURE DZAMBEH MOHEH DANA METI SHRI SOHA (mantra de Tara para a prosperidade)

    OM BEMA TARE SENDARA HRI SARVA LOKA WASHUM KURU HO (mantra de Tara para evoluir)

    OM VAJRASATTVA HUM (mantra para purificar e esvaziar a mente)

    OM SRI GANESHAYA NAMAH (mantra para proteção, prosperidade, desobstrução e qualquer pedido)

    OM SRI KALIKAYA NAMAH (mantra transformador:Karma e auto limitações)

    OM NAMAH SHIVAYA (mantra transformador: Karma e Auto limitações)

    OM SRI MAHALAKSHMYAI NAMAH (mantra para a prosperidade)

    OM SRI SARASWATTI NAMAH (mantra para pedir iluminação e desenvolvimento intelectual)

    OM NARAYANAYA VIDMAHE VASUDEVAYA DHI MAHI TANNO VISHNU PRACHODAYA (mantra para proporcionar força, crescimento, bem estar espiritual, físico, mental e emocional.

    OM HRIM BRAHMAYA NAMAH (mantra para elevar o estado de animo, para felicidade)

    OM KLIM KRISHNAYA NAMAH (mantra para termos paz, coragem e poder)

    AUM SOM SOMAYE NAMAH AUM (mantra para controlar nosso psiquismo, transmutar a energia solar em energia visual, magnética e protetora)

    Mantras que canalizam a energia solar: renova: metabolismo, vigor físico, emocional e mental.
    OM BHUR BHUWAH SWAH
    TAT SAVITUR VARENYAM
    BHARGO DEVASYA DHIMAHI
    DHIYO YO NAH PRACHODAYAT

    AUM BRING HANSAH SURYAYE NAMAH AUM (mantra para purificação, iluminação, prosperidade e revitalizante)

    HÃMURÃBI ÕM SHIKTË SANSALA PHRÃSHIVATA. ( mantra para obter vitória )

    OH HA HUM VAJRA GURU PADME SIDDHI HUM

    OH AH MA RA NI JI VAN TI YE SVAHA

    PÃLAYATI GRHA ARI OM. ( mantra para proteger a casa dos inimigos )

    PÃLAYATI GRHASTHA ARI OM. ( mantra para proteger o dono da casa dos inimigos )

    GATE GATE PARAGATE PARASANGATE BODHI SVAHA

    TATYATA OM MUNI MUNI MAHA MUNI SHAKYAMUNIYE SVAHA

    RAM YAM KAM (mantra para equilibrar as energias do ambiente)

    ALMANAH MARE ÃLBEHA AREHAIL ( mantra para proteção )

    UM BANZA TARE SARVA BIGANEN SHINDHAN KURU SOHA (Protege contra acidentes e afasta todo o mal)

    UM RATANA TARE SARVA LOKAJANA PITEYA DARA DARA DIRI DIRI SHENG SHENG DZA DZANIJA NA BU SHENG KURU UM (Ajuda a desenvolver a inteligência e sabedoria)

    UM TARE TUTTARE TURE MAMA SARVA RANDZA DUSHEN DRODA (Ajuda a superar problemas de saúde e auxilia no tratamento de doenças graves)

    OM BENDSA PANI HUNG (permite desenvolver a coragem na ação para o bem de todos os seres)

    OM MANI PEME HUNG (elimina os sofrimentos e permite atingir a paz mental)

    OM TARE TUTARE TURE SARVA ATA SIDDHI SHIDDHI KURU SOHA – (mantra de Tara para pedidos)

    OM AMI DEWA HRI (permite desenvolver um amor infinito para todos os seres)

    OM AMARANIDSI WENTIYE SO HÁ (ermite obter longevidade para poder ajudar a todos os seres)

    OM AH VAJRA-VINE HUM (Mantra de Tara azul, que toca o alaúde)

    OM AH VAJRA-VAM SHE HUM (Mantra de Tara amarela, que toca a flauta)

    OM AH VAJRA-MURAGE HUM (Mantra de Tara vermelha que toca o tambor)

    OM AH VAJRA-MRIDAMGE HUM (Mantra de Tara verde que toca o tambor)

    OM AH GURU HASA BENSA HUNG (desenvolve a diligencia e o fervor na prática)

    OM HÁ HUNG BENSA GURU PEMA SIDHI HUNG (permite afastar os obstáculos e receber os benefícios ordinários e último; o insuperável despertar)

  65. William Diz:

    Vitor,
    -
    “Ele não está sugerindo incompetência de ninguém. Está apenas alertando os leitores que o termo é leigo, antiquado, ultrapassado”.
    -
    O Dr. Guilherme deveria alertar de forma conscienciosa, dentro de um contexto, sobretudo por se tratar de um exame da década de 70. Já que não o fez, eu concertei isso.
    -
    “Dizer que há uma anomalia, detectou-se a presença de anormalidades, mas de forma alguma dizer que é paranormal, esse critério não existe”.
    -
    Errado. A ciência baseia-se na existência de fenômenos e a paranormalidade pode ser uma das vias para tentar explicar o evento, se o caso do Chico Xavier for raro e não compatível com a população.
    -
    As alterações acontecem, segundo os médicos tanto a favor da idéia espírita quanto contra, no momento do transe (muitas delas relacionadas com conteúdos religiosos, ou não). Nesse ponto, cada um fez a sua tese.
    -
    Você provavelmente solicitou o Dr. Guilherme, enviou algumas informações precárias que remetem apenas muito indiretamente aos gráficos originais e colocou tudo de forma a induzir o leitor.
    -
    O Dr. Guilherme já sabia que se tratava do Chico ou de algum médium, uma vez que ousou levianamente concluir que não há paranormalidade (afinal, provavelmente criticou opiniões sobre os gráficos originais que não possui), mesmo com pouquíssimas informações.
    -
    Tem algo acrescentar sobre essa página ou encerra a questão até você agir de forma mais eficiente?

  66. Vitor Diz:

    William,

    comentando:

    01 – O Dr. Guilherme deveria alertar de forma conscienciosa, dentro de um contexto, sobretudo por se tratar de um exame da década de 70.

    Ele fez isso. Ele disse: Esse termo “disritmia” (…)é desencorajado no meio médico especializado (e atualizado).

    O que mostra que ele está apenas alertando que HOJE esse termo não deve ser mais usado.

    02 – A ciência baseia-se na existência de fenômenos e a paranormalidade pode ser uma das vias para tentar explicar o evento, se o caso do Chico Xavier for raro e não compatível com a população.

    Se for raro e não compatível com a população ainda assim não quer dizer que seja único, e mesmo que seja único não quer dizer que seja paranormal. Há pessoas que fazem cálculos inacreditáveis em poucos segundos, e nem por isso elas são julgadas paranormais. Há só uma pessoa imune a hipotermia no planeta inteiro nem por isso é considerada paranormal. Para ser considerado paranormal deveria haver demonstração de PES ou PK. Nem um nem outro se verificou até agora no caso de Chico.

    03 – Você provavelmente solicitou o Dr. Guilherme, enviou algumas informações precárias que remetem apenas muito indiretamente aos gráficos originais e colocou tudo de forma a induzir o leitor.

    eu acredito que o leitor é suficientemente inteligente e atento para as palavras usadas:

    não há nada apresentado NESTE texto ou NESTES recortes de EEG que sugiram uma anormalidade clínica em FCX e muito menos algo que suporte a idéia de que seu cérebro é paranormal

    04 – O Dr. Guilherme já sabia que se tratava do Chico ou de algum médium, uma vez que ousou levianamente concluir que não há paranormalidade (afinal, provavelmente criticou opiniões sobre os gráficos originais que não possui), mesmo com pouquíssimas informações.

    Novamente: ele concluiu que no TEXTO e nos RECORTES APRESENTADOS nada há que forneça indício seja de anormalidade, seja de paranormalidade. Você é quem está distorcendo o que foi dito, querendo dar a entender que ele concluiu que não existe qualquer forma de paranormalidade para qualquer pessoa.

    05- Tem algo acrescentar sobre essa página ou encerra a questão até você agir de forma mais eficiente?

    Eu peço que você aja de forma menos inflamada, pois isso acaba prejudicando a qualidade dos seus argumentos.

  67. William Diz:

    Vitor,
    -
    “Ele fez isso. Ele disse: Esse termo “disritmia” (…) é desencorajado no meio médico especializado (e atualizado)”.
    -
    Logo abaixo do texto do Dr. Juvenal Guede, segue as observações:
    -
    “Esse termo ‘disritmia’ não tem significação clínica e, embora amplamente utilizada pela população leiga, é desencorajado no meio médico especializado (e atualizado)”.
    -
    Por que você ou ele encaixou a critica em baixo do texto de outro médico?
    -
    Por acaso é alguma tentativa de induzir o leitor que o Dr. Juvenal é totalmente incompetente (por usar o termo “disritmia” e que pode ser tolerado dentro de um contexto profissional e histórico) ao aceitar alterações significativas no eletroencefalograma, mesmo que seja contra a interpretação espírita para o fato?
    -
    “Nem um nem outro se verificou até agora no caso de Chico (sobre paranormalidade)”.
    -
    Isso é o que você deseja do fundo de sua alma e não se relaciona aos fatos.
    -
    Primeiro ponto, se o Chico Xavier altera o eletroencefalograma apenas no momento do transe e se pudermos associar à psicografia, psicofonia, entre outras, já prova que o médium não é um mistificador.
    -
    O conteúdo das mensagens abrange cultura, ciência, moral, filosofia, poesia, que podem ser explicadas, até certo ponto, através do inconsciente do médium, etc.
    -
    Segundo ponto, se as psicografias contêm dados objetivos, muitas vezes, onde nem o familiar sabia e outra que apenas descobriu depois de determina situação relacionada aos seus parentes, sugeri fortemente paranormalidade assim como possível sobrevivência de alguma individualidade após a morte.
    -
    De resto, você está muito enganado, pois não existe autoridade completamente competente, cientificamente falando, para explicar o fenômeno mediúnico.
    -
    Existe a opinião de alguns estudiosos e cientistas sobre o fato e só. A química não fornece um parecer absolutamente plausível para os fenômenos, assim como a física, e mesmo a neurociência hoje em dia enraizada na concepção materialista do fenômeno mental, embora cada área possa colaborar em determinados pontos.
    -
    Por isso muitos cientistas competentes, ilustres e sérios, sobretudo do séc. XIX comprovaram os fenômenos mediúnicos, mas não souberam fazer muita ciência em torno disso tudo, apesar de ajudarem muitos a levantar o véu que obscurece os eventos.
    -
    “Novamente: ele concluiu que no TEXTO e nos RECORTES APRESENTADOS nada há que forneça indício seja de anormalidade, seja de paranormalidade. Você é quem está distorcendo o que foi dito, querendo dar a entender que ele concluiu que não existe qualquer forma de paranormalidade para qualquer pessoa”.
    -
    Ele não pode concluir nada, como médico sério, apoiando em comentários que se relacionam indiretamente ao exame dos originais.
    -
    Resumindo, o leitor imparcial pode verificar que o Dr. Guilherme não poderia concluir que Francisco C. Xavier não é paranormal sem os gráficos originais nas mãos, nem pode emitir uma boa opinião sem contextualizar de acordo com o histórico do médium (como fizeram os médicos que aceitaram haver traços significativos através do eletroencefalograma, mas criticaram cegamente o espiritismo).
    -
    Ele não tem autoridade para falar sobre paranormalidade sem conhecer as teses e concepções espiritualistas e idealistas sobre os fenômenos.
    -
    “Eu peço que você aja de forma menos inflamada, pois isso acaba prejudicando a qualidade dos seus argumentos”.
    -
    Aponte a falta de fundamento nos argumentos.

  68. William Diz:

    Vitor,
    -
    Para você apenas ficar um pouquinho dentro do tema:
    -
    (http://www2.uol.com.br/sciam/artigos/religiao_e_epilepsia.html)
    -
    (http://www.polbr.med.br/arquivo/artigo0701_b.htm)
    -
    O tema é vasto, se diversifica, não é fácil estabelecer regras, classificarem pacientes. Está praticamente inexplorado e ainda cheio de pré-conceitos.

  69. Vitor Diz:

    William,
    comentando:

    01 – Por que você ou ele encaixou a critica em baixo do texto de outro médico?

    Meu Zeus! Isso é explicado logo na introdução!

    pedi a um médico especialista em Neurologia, Guilherme Gustavo Riccioppo Rodrigues, que analisasse tanto a reportagem quanto a resposta espírita. Assim, ambas são intercaladas com comentários dele, identificado como GGRR.

    À medida que o texto fornece dados e informações, ele tece os seus comentários. Só isso.

    02 – Por acaso é alguma tentativa de induzir o leitor que o Dr. Juvenal é totalmente incompetente (por usar o termo “disritmia” e que pode ser tolerado dentro de um contexto profissional e histórico) ao aceitar alterações significativas no eletroencefalograma, mesmo que seja contra a interpretação espírita para o fato?

    Só na sua cabeça.

    03 – Isso é o que você deseja do fundo de sua alma e não se relaciona aos fatos.

    Isso não é fruto do meu desejo, isso é fruto da minha pesquisa e de várias outras pessoas. E tem tudo a ver com os fatos, William. Caso se queira classificar um cérebro como paranormal, o mínimo que se pede é que o indivíduo seja capaz de exibir fenômenos paranormais.

    04 – Primeiro ponto, se o Chico Xavier altera o eletroencefalograma apenas no momento do transe e se pudermos associar à psicografia, psicofonia, entre outras, já prova que o médium não é um mistificador.

    Quem disse? Só porque a pessoa entrou em um estado alterado de consciência não quer dizer que ela não fraude, ainda que inconscientemente. Não conhece o caso de Eusapia Palladino?

    05 – Segundo ponto, se as psicografias contêm dados objetivos, muitas vezes, onde nem o familiar sabia e outra que apenas descobriu depois de determina situação relacionada aos seus parentes, sugeri fortemente paranormalidade assim como possível sobrevivência de alguma individualidade após a morte.

    Se fossem obtidas em condições de controle, que impedissem o vazamento de informações. Não foi o caso do Chico…

    06 – De resto, você está muito enganado, pois não existe autoridade completamente competente, cientificamente falando, para explicar o fenômeno mediúnico.

    E onde eu disse que havia?

    07 – Ele não pode concluir nada, como médico sério, apoiando em comentários que se relacionam indiretamente ao exame dos originais.

    Ele pode concluir – e é isso que ele faz – que A REPORTAGEM não fornece dados suficientes para qualquer conclusão, pró ou contra o Chico.

    08 – Resumindo, o leitor imparcial pode verificar que o Dr. Guilherme não poderia concluir que Francisco C. Xavier não é paranormal sem os gráficos originais nas mãos, nem pode emitir uma boa opinião sem contextualizar de acordo com o histórico do médium (como fizeram os médicos que aceitaram haver traços significativos através do eletroencefalograma, mas criticaram cegamente o espiritismo).

    Idem acima.

    09 – Ele não tem autoridade para falar sobre paranormalidade sem conhecer as teses e concepções espiritualistas e idealistas sobre os fenômenos.

    Ele tem autoridade para falar sobre o que se viu na reportagem.

    10 – Aponte a falta de fundamento nos argumentos.

    Você está criticando o que NÃO dissemos. Esse é o problema.

  70. William Diz:

    Vitor,
    -
    “Só na sua cabeça” (sobre tentativa de induzir o leitor a incompetência do Dr. Juvenal).
    -
    Na minha e das pessoas que intuíram essa indução, uma vez que não tem motivo algum para criticar um texto antigo de um médico que usou o termo “disritmia” (colocado como termo antiquado e usado entre leigos). Trata-se de um texto antigo que deve ser valorizado dentro de um contexto.
    -
    Depois ele veio com papinho dizendo que ” cerca de 50% dos indivíduos epilépticos tem EEG normal fora das crises, e cerca de 20% da população normal apresentam anormalidades que podem ser compatíveis com epilepsia”, ora, o mesmo diz antes que, “esse senhor deve ter comentado sobre outro trecho do EEG, visto que o apresentado na reportagem mostra o hemisfério direito”.
    -
    A análise do colega de profissão não pode ser um chute.
    -
    Os leitores decidem.Intenção mais polida que essa não existe.
    -
    “Isso não é fruto do meu desejo, isso é fruto da minha pesquisa e de várias outras pessoas”.
    -
    Você não pesquisa seriamente, apenas desqualifica com teorias sem fundamento, o que torna de certa forma irrefutável. É como expliquei a colega Sonia N. em outra página, se há dados objetivos na psicografia aqui se evoca a leitura fria, vazamento de informações, cartas marcadas, mas se apresentar lago que enfraquece essas hipóteses haverá a “máfia psíquica”. Tenha dó!
    -
    Veja como se pesquisa (obviamente você com suas teorias mirabolantes apenas ficam no “se isso, se aquilo” e “irá explicar tudo”):
    -
    http://parapsi.blogspot.com/2007/12/continuamos-vivos-mente-alm-ou-aqum-do.html
    -
    “Só porque a pessoa entrou em um estado alterado de consciência não quer dizer que ela não fraude, ainda que inconscientemente”.
    -
    Não frauda o fenômeno em si eu quis dizer, pois disse que muitas coisas podem ser explicadas pelo conteúdo inconsciente do médium. Eu particularmente, não gosto muito do termo “fraude inconsciente”.
    -
    “Se fossem obtidas em condições de controle, que impedissem o vazamento de informações. Não foi o caso do Chico”.
    -
    O que está fora de controle é o “se, se, se”. Há um monte de arquivos e estudos sobre Chico Xavier, inclusive disponibilizando tudo para consultas (veja no DVD “Chico Xavier Inédito – De Pedro Leopoldo a Uberaba”).
    -
    “Ele pode concluir – e é isso que ele faz – que A REPORTAGEM não fornece dados suficientes para qualquer conclusão, pró ou contra o Chico”.
    -
    Pois é, palavras do Dr. Guilherme: “Mas, em vista dos conhecimentos médicos atuais, não há nada apresentado neste texto ou nestes recortes de EEG que sugiram uma anormalidade clínica em FCX e muito menos algo que suporte a idéia de que seu cérebro é paranormal”.
    -
    Essa conclusão é contra ou a favor do Chico?
    -
    Conclusão totalmente precipitada, visto que os textos são pobres para uma analise séria e profissional (apenas remetem indiretamente aos originais) e há um gráfico incompleto e quase que tosco salvo em jpg.
    -
    Ele, como médico, não pode se contentar em apenas emitir uma opinião em cima de outra opinião.
    -
    Os leitores decidem.

  71. Vitor Diz:

    William,
    comentando:

    01 – Trata-se de um texto antigo que deve ser valorizado dentro de um contexto.

    Não se está desvalorizando o texto. Apenas alertando a população de hoje quanto ao uso do termo.

    02 – Você não pesquisa seriamente, apenas desqualifica com teorias sem fundamento, o que torna de certa forma irrefutável. É como expliquei a colega Sonia N. em outra página, se há dados objetivos na psicografia aqui se evoca a leitura fria, vazamento de informações, cartas marcadas, mas se apresentar lago que enfraquece essas hipóteses haverá a “máfia psíquica”. Tenha dó!

    Tudo isso poderia ser descartado se Chico apenas tivesse aceitado se submeter a condições de laboratório. Mas… não foi o caso. E olha que ele teve chance, como se vê aqui: http://www.n-a-u.org/Stoll2.html

    Chico Xavier afirma que a postura de Emmanuel era implacável em todas as situações. Inclusive diante das dificuldades econômicas por ele enfrentadas. Ele conta que em 1939 um grupo de cientistas russos lhe fez uma oferta: convidaram-no a passar seis meses em Moscou, com o fim de realizar testes sobre sua mediunidade. A oferta parecia tentadora: “o dinheiro era suficiente para construir cinqüenta casas populares. Uma fortuna para quem estava às voltas com a primeira de oito prestações de um novo chapéu” (Souto Maior, 1995: 56). Mas Emmanuel foi logo pondo fim às suas pretensões: “Se quiser, pode ir ­ disse ele ­ eu fico”.

    Eu sempre desconfio MUITO de médiuns que se recusam a exames científicos.

    03 – Há um monte de arquivos e estudos sobre Chico Xavier, inclusive disponibilizando tudo para consultas (veja no DVD “Chico Xavier Inédito – De Pedro Leopoldo a Uberaba”).

    Alguma coisa foi obtida em condições de laboratório?

    04 – Essa conclusão é contra ou a favor do Chico?

    Nem um nem outro. Os dados apresentados na reportagem não permitem uma conclusão nem a favor de paranormalidade nem a favor de anormalidade. Aqui o que está se analisando é o que a reportagem apresentou.

  72. William Diz:

    Vitor,
    -
    “Eu sempre desconfio MUITO de médiuns que se recusam a exames científicos”.
    -
    Está vendo como toda sua visão e argumentos giram em torno do “se” e não se contentam com fatos?
    -
    Você preferiu não encontrar méritos em Chico Xavier seguir os conselhos de Emmanuel, afinal, o médium não estava nas melhores condições financeiras (mesmo podendo ser um dos escritores mais remunerados do Brasil) e poderia recorrer ao valor oferecido pela pesquisa russa.
    -
    O médium preferiu continuar em condição humilde em favor da caridade. Sua missão na Terra era outra, havia outra prioridade, embora Chico nunca recusasse se sujeitar as experiências, desde que pessoas sérias se dispusessem em não atrapalhar significativamente sua rotina.
    -
    Agora seja sincero, você como “bom cético” não iria considerar seriamente os cientistas russos, afinal, deve conhecer a posição dos “céticos” em relação ao caso de Nine Kulagna:
    -
    http://www.youtube.com/watch?v=QPTyc2nM5VA
    -
    Senhor cético, suas considerações carecem de força e são contraditórias.
    -
    Por outro lado, as minhas criticas sobre o Dr. Guilherme e a montagem dos textos não irei repetir, os leitores decidem. Sua intenção e os meios que se utilizam para induzir são evidentes.

  73. Gilberto Diz:

    Vítor disse:
    -
    “Eu sempre desconfio MUITO de médiuns que se recusam a exames científicos”.
    -
    William respondeu:
    -
    Está vendo como toda sua visão e argumentos giram em torno do “se” e não se contentam com fatos?
    -
    Gilberto retruca:
    -
    Primeiro o Carlos Magno não conhecia o significado da palavra “anedótica”, e agora o William não sabe distinguir “se” conjunção do “se” pronome. Esse cara distorce TUDO! E ainda desafia o Vítor a considerar os cientistas russos numa experiência bem sucedida que nem ocorreu!! Estou começando a perder a boa impressão que eu tinha dos espíritas!

  74. Vitor Diz:

    Agora seja sincero, você como “bom cético” não iria considerar seriamente os cientistas russos

    Eu consideraria SE as pesquisas tivessem sido obtidas em boas condições de controle, o que NÃO foi o caso. Nina SEMPRE tocava os objetos antes que pudesse movê-los. Isso permitia que ela colocasse um fio neles. Esse fio era ligado a sua roupa.

    Veja o mágico James Randi reproduzindo o mesmo fenômeno de Nina:

    http://www.youtube.com/watch?v=pYGjtlgGtY4

  75. Codename V. Diz:

    Excelente artigo. Continue firme nas pesquisas, Vitor. Mesmo sendo espírita, eu considero seu site um excelente ponto de partida para repensar a mediunidade.

  76. Philis Diz:

    Ah, por favor, acredito realmente que quem quer que se envolva com espiritismo é uma pessoa altamente propensa a ter – isso se já não for portadora – desequilíbrios psicológicos. Só isso explica o fato de uma pessoa achar que está falando com espíritos, tendo experiências de telecinese e outras bobeiras mais. Logo, pra quê ficar discutindo com tais pessoas??? Deixem-nas no mundo de ilusão no qual elas vivem, contanto que elas não façam mal a ninguém (exceto no caso das tais ‘cirurgias espirituais’, acho que já passou da hora da intervenção do Estado nessas práticas de curandeirismo, metendo todos atrás das grades).

  77. William Diz:

    Vitor,
    -
    Eu já sabia que você iria citar J. Handi, pois já debati isso em outro espaço com outras pessoas (e utilizara o mesmo recurso no debate).
    -
    Desculpa, mas seu argumento é fraco, primeiro porque J.Handi faz imitação e não refuta nada, segundo porque você é ingênuo o bastante para considerar que Nina Kulagna enganou um monte de cientistas com fraude (teoria destituída de fundamento e totalmente improvável).
    -
    Vitor, é óbvio que Nina Kulagna não enganou sozinha, se houve fraude muito provavelmente os cientistas foram cúmplices (e nesse sentido você poderia argumentar, mas tornaria sua exigência hipócrita de submeter Chico Xavier aos cientistas russos).
    -
    Apenas postei o vídeo para mostrar que seu argumento é frágil e contraditório uma vez que você em teoria seria um “bom cético”.
    -
    Todo leitor atento está descobrindo sua forma de argumentar.

  78. William Diz:

    Philis,
    -
    Sua opinião é fraca. Vai estudar e voltar para postar, pois as pesquisas demonstram que os espíritas não são pessoas desequilibradas como você quer.
    -
    Desequilibrado é você que acusa e não expõe os motivos do seu argumento.
    -
    Tchau, vai com Deus.

  79. William Diz:

    Gilberto,
    -
    Primeiro lugar seu argumento é falho, um lixo na verdade. Eu não disse que era autêntico ou não o fenômeno con Nina, apenas demonstrei a hipocrisia de exigir investigação de cientistas russos.
    -
    Segundo lugar, demonstre que houve fraude (eu nunca disse que se fez muita ciência em torno desses tipos de fenômenos).
    -
    PRESTA ATENÇÃO para argumentar comigo PARA NÃO PASSAR VERGONHA.

  80. William Diz:

    Vitor,
    -
    “Nina SEMPRE tocava os objetos antes que pudesse movê-los”.
    -
    Vai estudar a literatura dos fenômenos, pois grande parte dos médiuns como Sr. Home tocavam (parecia até ser necessário) e não foram pegos em fraude em certas circunstâncias.

  81. Vitor Diz:

    William,

    James Randi ofereceu uma explicação normal para os testes de Nina. Talvez alguns dos cientistas estivessem envolvidos em cumplicidade. Não sabemos. O fato é que o que você apresentou não requer que pensemos em fraude dos cientistas. Eles desconheciam truques de mágica, e assim podem ter sido enganados. Leia os posts sobre Mirabelli, a fenomenologia de ambos é muito idêntica para ser mera coincidência. No meu entender, ambos são fraudes.

    Note que se já temos possibilidades de fraude em situações de laboratório, imagine os problemas em condições frouxas, sem rigor algum, como com Chico Xavier…

  82. William Diz:

    Vitor,
    -
    James Randi não ofereceu nada, além de caçoar de experiências que ele não participou sobre fenômenos paranormais. O vídeo que você postou deveria levar o título “como se pratica leviandade”, pois não logra alguma refutação séria.
    -
    Vitor, para pessoas que especulam como você, as únicas opções que poderiam ganhar um pouquinho de força seriam:

    a) Nina Kulagina enganou a maioria dos cientistas com uma linha (e pensar nisso é um absurdo)!
    -
    b) Houve outros mistificadores ajudando dentro das pesquisas (se você concordar com isso, realmente não sei qual motivo de desejar que Chico Xavier se juntasse aos cientistas russos).
    -
    Para você ou todos que aceitam os fenômenos são verdadeiros idiotas ou todos os médiuns são iguais ou melhores que Houdini.
    -
    Não acredito que os leitores atentos não detectam especulações fantasiosas em seus argumentos.
    -
    Tira-me uma curiosidade:
    -
    Você é o Vitor Moura Visoni?

  83. Vitor Diz:

    William,
    continuando:

    a) Nina Kulagina enganou a maioria dos cientistas com uma linha (e pensar nisso é um absurdo)!

    Por quê? Mirabelli fez exatamente isso. Se você tivesse lido os posts sobre ele, saberia disso.

    b) Houve outros mistificadores ajudando dentro das pesquisas (se você concordar com isso, realmente não sei qual motivo de desejar que Chico Xavier se juntasse aos cientistas russos).

    Eu continuo com a letra “a”.

    Para você ou todos que aceitam os fenômenos são verdadeiros idiotas ou todos os médiuns são iguais ou melhores que Houdini.

    Não coloque palavras na minha boca.

    Não acredito que os leitores atentos não detectam especulações fantasiosas em seus argumentos.

    É porque a fantasia às vezes se torna realidade, como quando você disse que era absurdo a Nina enganar os cientistas com um fio e Mirabelli fez exatamente isso.

    Tira-me uma curiosidade: Você é o Vitor Moura Visoni?

    Sim.

  84. William Diz:

    Vitor,
    -
    Irei responder aos poucos (quando me sobra tempo) sobre Mirabelli.
    -
    Qual sua opinião sobre a hipótese do seu colega André Luís N. Soares em relação ao Chico Xavier?
    -
    http://parapsi.blogspot.com/2007/12/continuamos-vivos-mente-alm-ou-aqum-do.html
    -
    Qual sua opinião sobre James Randi afinal?
    -
    http://parapsi.blogspot.com/2008/09/um-clssico-relatrio-do-naturalista.html
    -
    http://parapsi.blogspot.com/2008/02/mais-um-detonando-james-randi-o-mito-do.html

  85. Vitor Diz:

    William,

    como as conversas não foram gravadas, existe algo chamado “falha de memória” em que o consulente acredita que não tenha dado uma informação ao médium quando na verdade deu, e depois se esqueceu. Isso já explicaria muitos dos casos mostrados. O caso 12 na análise do André, por exemplo, eu analiso minuciosamente aqui:

    http://obraspsicografadas.haaan.com/2008/uma-anlise-do-caso-ilda-mascaro-saullo/

    O caso 9 usa de wishful thinking (pensamento fantasioso). Não havia esse código, “os beijos N”. O Marcel Souto Maior se baseou no relato do livro “A Vida Triunfa”, fonte original. No meu entender, os autores e a família literalmente viajaram na maionese quando deram essa explicação. O que ocorreu é que havia um monte de “Ns” na mensagem e coincidentemente uma caiu ao lado da palavra beijos. Aí, a mãe pensou que a filha se referia aos beijos que ela (a mãe) dava no nariz da filha. Mas isso é wishful thinking pra mim.

    Quanto a James Randi, ele tem virtudes e defeitos como todos. Ele já desmascarou charlatães e isso é algo positivo. Ele já mentiu e isso é algo negativo. A demonstração que ele fez do truque da Nina eu incluo como algo positivo. Serve, ao menos, de alerta.

  86. Philis Diz:

    Viu como são desequilibrados?? ‘Várias pesquisas demonstram blá blá blá”

    Quais pesquisas??? Cite as referências (nome dos pesquisadores, instituições a que estão vinculados, métodos utilizados, resultados alcançados). Enquanto isso não aparecer, não discutirei com mais alucinados como você.

  87. William Diz:

    Philis,
    -
    Você não conhece muito para poder criticar. Não irei responder mais, pode festejar.

  88. William Diz:

    Vitor,
    -
    Você sabe que discordo de sua opinião sobre o Chico Xavier, já disse que há elementos para estudos que foram oferecidos e está registrado no DVD (que você já sabe qual é).
    -
    Eu me limitei aqui em alertar os leitores sobre a opinião (contra a maioria de seus colegas de profissão) do Dr. Guilherme baseada no “eletroencefalograma do Chico Xavier”, que não viu, com efeito, não possui, além dos textos que nada mais são do que opiniões relacionadas apenas indiretamente aos exames dos médicos (incluindo os médicos contra as teses espíritas), afirmando que o eletroencefalograma mostra sinais significativos.
    -
    Como os espíritas dizem que as alterações ocorrem apenas no momento do transe e não se relacionam com o histórico do médium (não é patológico), arriscaram uma tese enfatizando a mediunidade.
    -
    Quer dizer, a página “O Eletroencefalograma de Chico Xavier” foi uma empreitada estéril e apressada para as supostas pretensões de uma pesquisa apurada.
    -
    James Randi contribuiu apenas para demonstrar que em certas condições (esse ponto chega ser ingênuo) pode-se imitar um fenômeno. O dia que ele fizer isso na luz, no meio de um monte de cientistas, o argumento dele ganha um pouco mais de moral ok.
    -
    Estou lendo “suas” páginas sobre “Mirabelli” e respondendo conforme o tempo me permite. Não pense que eu esqueci.

  89. William Diz:

    Pessoal,
    -
    Quem puder, acompanhe minhas observações nas páginas “AS FRAUDES DO MÉDIUM MIRABELLI” que vai até o número 40 mais o “FINAL!”.
    -
    Conforme for me sobrando tempo, irei comentar todas as páginas, peço desculpa pelos erros de língua portuguesa e possíveis desatenções, uma vez que geralmente escrevo mais ou menos rápido e guardo maior esforço (fornecer fontes, etc.) em abordar o mesmo tema, futuramente em outro espaço (não será no espaço do Vitor).

  90. Gilberto Diz:

    William disse:
    -
    “…eu nunca disse que se fez muita ciência em torno desses tipos de fenômenos…”
    -
    Gilberto diz:
    -
    Então por que os espíritas gostam tanto de usar a palavra “ciência”? Meu amigo, no espiritismo a ciência é ZERO! NUNCA houve uma experimentação crível publicada sobre esses médiums psicógrafos, como Xavier, ou com outros “mágicos” de carterinha, como Mirabelli, Uri Geller, Thomas Green Morton, etc. É tudo “disse-me-disse”, “ouvi dizer”, “juram que viram”. O ônus da prova é de quem faz afirmações extraordinárias. Por exemplo, Xavier disse que existe vida superior à nossa em Marte. Prove. Kardec disse que se um cometa colidisse com a Terra, ela nada sofreria, pois o cometa se fluidiria. Prove. Divaldo Franco disse que existem fadinhas nas florestas. Prove. Ramatis dizia que um planeta “passaria de raspão” pela Terra em 1999. Prove. Waldo Vieira, na época da parceria com Xavier, disse que “psicografou” Honoré de Balzac. Prove. Por que tem que se provar o que NÃO ocorreu? Ilógico, burro e idiota inverter o ônus da prova assim. Por isso o espiritismo não vai a lugar algum, está encolhendo no mundo, os franceses querem esquecer que Kardec existiu, e a todo dia mais coisas estapafúrdias são publicadas na literatura espírita. É livro póstumo de Dom Helder Câmara, é centenas e centenas de “médiums” psicografando Chico Xavier, é dar pitaco em ciência O TEMPO TODO, mencionando de Física Quântica à Medicina sem nenhum critério e conhecimento. É uma irresponsabilidade imperdoável. PAREM de se dizer ciência. Calem-se! Os “finados espíritos” não SABEM NADA! Parem de “ouví-los”! Da época de Kardec até hoje osses “espíritos” emburreceram depois de mortos. NUNCA NUNQUINHA NADA científico que um “espírito” disse se confirmou!!!!!! A conclusão é simples demais!!!!!!!!!

  91. Philis Diz:

    “Philis,
    -
    Você não conhece muito para poder criticar. Não irei responder mais, pode festejar.”

    Típico dos espiritóides desequilibrados: fogem do debate. Conversa com um espírito pra ver se ele te ajuda. Só toma cuidado pra não ser internado como esquizofrênico, falando com seres que não existem.

  92. William Diz:

    Gilberto e Philis,
    -
    Os cientistas (físicos, químicos, etc.) não fizeram muita ciência em torno dos fenômenos, no sentido de desconhecerem as leis físicas, e o aspecto biológico dos fenômenos, porém, sob meu ponto de vista, eliminaram as fraudes e até determinaram alguns aspectos relacionados ao objeto de estudo.
    -
    Enquanto a química, a física e mesmo a biologia se cala perante o que não os competem, os espíritas explicam ao seu modo muitos aspectos dos fenômenos mediúnicos, apoiando-se em fatos. Diga-se de passagem, explicações que se encaixam perfeitamente em fenômenos muitos sugestivos. Vocês têm algo a acrescentar?
    -
    O Gilberto está muito enganado, os resultados e a tese do eletroencefalograma do Chico Xavier foram publicados até em revista inglesa. O Vitor apenas tem que correr atrás desses arquivos.
    -
    Sobre Mirabelli, irei responder! Não se apressem e nem fiquem felizes da vida por pensar que ele é uma absolutra fraude. Na verdade eu já poderia ter acabado com a graça (a certeza de ser apenas fraude), mas estou comentando página por página para o Vitor saber que eu li tudo que está nas páginas daqui.
    -
    Os textos são enormes (Mirabelli), como não me sobra muito tempo, eu tenho que ler e escrever relativamente rápido, com efeito, me sujeitando mais as possíveis falhas e nesse sentido, vocês podem contribuir me criticando. Estou trabalhando agora, respondo um pouco mais de noite, entenderam?
    -
    Você Gilberto, citou um monte de coisas que julga não haver a mínima possibilidade de existir, disse até que Allan Kardec afirmou o que aconteceria com um cometa em colisão a Terra (por favor, traga o texto aqui e forneça a fonte).
    -
    Eu irei respondendo aos poucos (como já cansei de dizer), não adianta jogar um milhão de informações em cima de mim, porque como pode observar, estou no momento, praticamente sozinho argumentando contra as paginas e suas indagações. Materialmente é impossível para eu responder tudo de vez. Vamos ser práticos e focalizar um pouco mais Mirabelli agora.
    -
    Infelizmente para vocês o espiritismo está novamente repercutindo (ainda que bem pouco, apenas se ensaiando na verdade) dentro do meio acadêmico, sobretudo na área da psicologia e psiquiatria (que é uma ciência caro Gilberto). Não adianta você se “chorar”.
    -
    O materialismo é apenas uma filosofia que orienta a ciência, o idealismo possui enorme potencial para o mesmo fim (como já aconteceu ao longo da história com grandes vultos que vocês idolatram e acham que são ateus e materialistas). Não irei ficar ensinando história.
    -
    Philis e Gilberto, façam um resumo das experiências de William Crookes com Sr. Home e as relações das pesquisas, na época, com outros cientistas e a Royal Society. Por favor, façam para demonstrarem que tem conhecimento de causa.
    -
    Gilberto você disse que “o ônus da prova é de quem faz afirmações extraordinárias”, ora, meu caro colega, o ônus pertecem a quem acusa também.
    -
    As páginas do Vitor priorizam ridicularizar o Chico Xavier, dizendo de forma “indireta” que ele é um mentiroso, corrupto, mistificador, que ganha dinheiro por tabela, dessa forma, vocês precisam argumentar e trazer melhores provas (coisa que não fizeram ainda, apenas especulam de forma vaga).
    -
    Eu já demonstrei aquela palhaçada de plágio de “Há 2000 Anos”, expus as fontes, fiz breves observações geográficas, convidei os leitores a repararem que na verdade há pouquíssimas coincidências para caracterizar plágio.
    -
    Desafio vocês irem a público, no mio especializado, e caracterizar a obra “Há 2000 Anos” como plágio da obra de Ernest Renan. DESAFIO. Eu já prevejo o resultado.

  93. Gilberto Diz:

    Meu caro William, a história dos cometas são a PONTA DO ICEBERG das sandices científicas de Kardec. A referência a esse pequeno exemplo se encontra em:
    -
    http://www.espirito.org.br/portal/codificacao/ge/ge-09.html

    Dá uma pesquisada e você verá outras idiotices, como os habitantes da lua, os anéis “sólidos” de Saturno, a “ausência” de luas em Marte, e outras besteiras “científicas”. Você fala que os outros devem “chorar”. É verdade, só choramos de rir com tanta besteira e ingenuidade juntas. NADA cai do céu. Se o livro “Há Dois Mil Anos” é tão detalhado sobre aquela época, por que os espíritos não revelam coisas mais recentes, como a localização do corpo de Jimmy Hoffa, se O.J. Simpson foi culpado, se os Nardonis jogaram a menina pela janela, e outras coisas muito mais fáceis? A resposta é MUITO SIMPLES, não?

  94. Gilberto Diz:

    Caro William,
    -
    Quanto ao ônus da prova, bem, ontem eu jantei com Elvis Presley, Michael Jackson e Bach. Depois do jantar, fui pra cama com Marilyn Monroe e ficamos a noite toda conversando sobre Henry Miller. PROVE QUE ISSO NÃO ACONTECEU!! EU O DESAFIO!!!
    -
    Outra informação, caro “Baby Einstein”, a Psicologia NÃO é ciência, e sim um estudo, e a Psiquiatria é uma especialidade médica. Pare de estudar textos “psicografados” e comece a estudar textos “estudados, pesquisados, suados e escrutinados”!!!

  95. William Diz:

    Gilberto,
    -
    Com todo respeito permita-me te ensinar.
    -
    Toma cuidado com o que você diz e não me subestime, porque estou acostumado debater com pessoas de pensamento profundo e mais educadas, tanto espiritualistas quanto materialistas.
    -
    Não debato apenas com pessoas que pensam sentar a “bunda” em “ombros de gigantes”, quando não possuem ao menos uma “bunda” para sentar em algum lugar.
    -
    Eu adoto um estilo agressivo aqui por julgar parcialidade em todas as páginas do Vitor.
    -
    Muitas passagens de “A Gênese” estão apenas como hipótese e conforme as teorias científicas da época, tanto assim, que muitos textos foram escritos através de Camille Flamarion, do qual poderíamos comparar com Carl Sagan, salvo óbvias diferenças, em sua época.
    -
    Assim, quando se critica um grande número de textos desse livro, está criticando, de certa forma, o conhecimento compatível com o século XIX. Kardec não disse, no geral, que o aspecto científico excedia as teses e os conhecimentos da ciência contemporânea. Na realidade, segundo meu entendimento, há a visão espírita sobre os aspectos científicos em páginas dentro do “Pentateuco Espírita”.
    -
    Muitas passagens na obra supramencionada (A Gênese) não se referem à verdade absoluta proveniente de espíritos superiores, como vocês, desinformados pensam ser.
    -
    De resto, você não se contenta em “descobrir” novos fenômenos naturais e relacionados à mente, se adaptar com criatividade, prefere fazer exigências “a priori” de forma leviana e vulgar, ou seja, te dou nota zero como “cientista”.
    -
    Sobre a psiquiatria eu disse que ela é uma ciência (e não a psicologia), afirmei a fim de jogar a isca para o seu grandioso intelecto e você mordeu.
    -
    Como especialidade médica é uma ciência. Digita na internet “ciência psiquiátrica” e tenha um bom proveito.
    -
    Há acalorados debates em torno da psiquiatria, suas reformas, etc.
    -
    http://dradnet.com/section1/historia-da-psiquiatria.html
    -
    http://www.neurobiologia.org/ex_2009/Microsoft%20Word%20-%202_Dr_Othon_OK_.pdf
    -
    A psiquiatria manteve relações com o espiritismo no passado, de alguma forma, hoje, notoriamente a primeira ganha destaque no meio científico (médico), porém, algumas teses espíritas penetram no mesmo meio, ensaiando uma reivindicação e possível aceitação no futuro.
    -
    Creio que a visão espírita psiquiátrica terá um grande futuro.
    -
    Está um pouco mais informado agora?

  96. Vitor Diz:

    Eu já demonstrei aquela palhaçada de plágio de “Há 2000 Anos”, expus as fontes, fiz breves observações geográficas, convidei os leitores a repararem que na verdade há pouquíssimas coincidências para caracterizar plágio.

    William, você descaracteriza o plágio simplesmente pela diferença entre planície e planalto?

  97. Gilberto Diz:

    William, se você debate com pessoas de “pensamento mais profundo” e “educadas”, por que você então adota um estilo tão “raso” e com palavras tão “mail-educadas”? A sua grosseria destoa de todos os espíritas que já postaram aqui. Uma lástima que o crescimento espiritual supostamente promovido pelo espiritismo passou bem longe de você… Vocês espíritas sempre vão dizer: Esta ou aquela obra está desatualizada porque ela foi escrita há 150 anos, ou há 50 anos, ou há 20 anos, ou até mesmo há 2 meses. Então o espiritismo estará sempre desatualizado! O que os espíritos dizem só vale no dia em que eles dizem? Depois perde a validade? A tal “verdade que liberta” se auto-destruirá em 5 segundos, Sr. Phelps?O que então se aproveita? E pare de dizer que ensina alguma coisa a alguém. É um embaraço público a que você se submete… Me faça um favor e nem me responda, pois todos os “posts” com o se nome eu simplesmente ignorarei. É muita “profundidade” e “inteligência” para o meu diminuto intelecto!!! Volta, Carlos Magno! Que a sua viagem à Índia tenha lhe rendido bons frutos. Saudades. Do seu, Gilberto.

  98. William Diz:

    Vitor,
    -
    Respondi na página referente ao assunto (sobre o “plágio”).
    -
    Não estou conseguindo postar na “as fraudes do médium Mirabelli”, devido ao tempo e porque acabei por ficar respondendo para o Gilberto, etc. Irei comentar aos poucos ok.

  99. William Diz:

    Gilberto,
    -
    Meu filho! Como você é complicado e desinformado!
    -
    Não é “alegação de desatualização”, pois minhas observações, pelo menos parte, estão na própria “A Gênese”.
    -
    Há a visão (filosofia) espírita sobre outras ciências, astronomia, física, química, etc. Não competem ao espiritismo essas ciências, assim como não competem a essas ciências, certos aspectos do estudo espírita relacionados aos fenômenos mentais.
    -
    Você é muito ingênuo e tendencioso, é difícil manter um diálogo!
    -
    Se o espiritismo quiser ser sombra de ciência, pelo menos, é obvio que estará sempre desatualizado, embora conserve determinados fundamentos como a própria ciência oficial conserva
    -
    A desatualização que você reclama é da alçada da ciência oficial (assim eu julguei), que supostamente você entende mais do que qualquer espírita burro que só pratica leitura de romances e utopias.
    -
    Não precisa responder se não quiser conversar, não faço a mínima questão de expor você ao ridículo.

  100. William Diz:

    Pessoal,
    -
    Irei começar a postar nas páginas do também parcial “cetiscismo aberto” (não há algo mais irônico que esse termo).
    -
    Já comecei por criticar a foto da levitação de Mirabelli.

  101. William Diz:

    Pessoal,
    -
    Um absurdo! Apagaram minha crítica sobre a levitação no “ceticismo aberto”, estão com medo!
    -
    Aqui, uma coisa eu admito, o Vitor é muito honrado em relação a deixar no ar todos os comentários.
    -
    Irei passar para vocês o conteúdo básico do que eu havia postado no “ceticismo aberto”:
    -
    Fique tranqüila, sua referência é boa e se encontra na obra rara do ilustre Eurico de Góes (que eu tenho original) e podemos perfeitamente especular que se trata da mesma levitação.
    -
    Theodore Besterman (que recebeu a foto) fez uma visita em agosto de 1934 e Guy Lyon Playfair fez as observações sobre a suposta fraude em 1992.
    -
    Na levitação possivelmente relacionada às atas de 3 de abril de 1933, como você (Bruna) com muita perspicácia mencionou, a fraude parece ser de pessoas má intencionadas, pois qualquer um, por menos racional que seja, conferi a ridícula adaptação da imagem de uma “escada”.
    -
    Eu nem deveria de me dar o trabalho de esclarecer aos pseudo-céticos, mas a imagem da cadeira não corresponde ao ângulo geral da foto, sendo impossível a inclinação dos pés sobre as escadas como o pessoal da BBC publica levianamente.
    -
    Seguramente os pés estão inclinados, mas para baixo (afinal, estão suspensos).

  102. William Diz:

    Vitor,
    -
    Tente entrar em contato com o responsável do “ceticismo aberto” e pergunte porque houve essa procedência ok.

  103. William Diz:

    Detalhe,
    -
    No “ceticismo aberto” eu estava respondendo para a Bruna Buzzo.

  104. William Diz:

    Vitor,
    -
    Entrou no ar novamente minha postagem (no “ceticismo aberto”)!

  105. William Diz:

    Pessoal,
    -
    Vejam onde está a verdadeira fraude da levitação de Mirabelli:
    -
    http://1.bp.blogspot.com/_RaoVrYRYyXY/S5qIpDZ4a_I/AAAAAAAAAAM/Tb_1LIn_7qs/s1600-h/SUPOSTA+FRAUDE1.jpg

  106. William Diz:

    Se servir para algo, comparem com a última foto dessa página, onde se encontra Philippe Piet van Putten.
    -
    http://mirabelli.tripod.com/falsalevitacao.htm

  107. Philis Diz:

    “Toma cuidado com o que você diz e não me subestime, porque estou acostumado debater com pessoas de pensamento profundo e mais educadas, tanto espiritualistas quanto materialistas.”

    KKKKKKKKKK, rolei de rir aqui!!

  108. William Diz:

    Philis,
    -
    Após eu usar esses termos que fez você rir, seu colega ficou um pouco mais ignorante aos olhos dos leitores.
    -
    Além de suas risadas o que você pode oferecer?

  109. Gilberto Diz:

    Desgraçados céticos odiosos da BBC! Levianos e mentirosos. Daqui a pouco vão dizer que as materializações da Irmã Josefa eram falsas, que os negros não são inferiores e feios como animais como Kardec afirma, que Marte não possuí vida inteligente superior aos terráqueos como diz Xavier, que não voamos rumo ao infinito em viagens astrais com a força da transmutação quântica de energia dos corpos celestes como diz Waldo Vieira, nem que as fadinhas habitam as florestas como diz Divaldo Franco, nem que Irineu Gasparetto psicografa músicas inéditas so Cazuza e as canta incorporando o mesmo, ou mesmo afirmar o absurdo de que o filho de Carlos Alberto de Nóbrega não é a reencarnação do avô, Manoel de Nóbrega. Eu nunca deixarei de assistir À Praça é Nossa, mesmo que a BBC continue a odiar o espiritismo brasileiro e perpetrar mentiras contra a grande verdade espírita, revelada pelo Espírito Consolador prometido por Cristo à grande pátria do evangelho, que é o nosso glorioso Brasil! May the Force Be With You! Live Long and Prosper!

  110. Gilberto Diz:

    TADIATA OM GATE GATE PARAGATE PARA SAM GATE BODHI SO HÁ

  111. Philis Diz:

    William, você não vê que o único que fica mal aos olhos dos leitores é você, arrotando empáfia como se fosse melhor do que todos aqui?? Sempre achei que os espíritas eram mais humildes…

  112. William Diz:

    Gilberto e Philis,
    -
    Apesar do meu tom agressivo, porque eu sei muito bem com quais tipos de pessoas estou me direcionando aqui, vocês, ao contrário, ficam na agressão e não argumentam quase nada!
    -
    O fato é que não será tão fácil provar que havia uma escada em baixo dos pés de Mirabelli na famosa foto, a perspectiva da escada não está de acordo com a perspectiva geral muito próxima da altura do suposto objeto.
    -
    Dessa forma, em vez de ironizar apenas, por que você (Gilberto) não expõe racionalmente que a escada imaginada se encaixa perfeitamente com a perspectiva geral?
    -
    Sobre os negros, na época de Allan Kardec, que em muitos lugares eram tratados como escravos ainda, não havia miscigenação tal como ocorre hoje.
    -
    Para discutir a “teoria da beleza” teríamos que abrir outro espaço para discutir. Sob certo ponto de vista, em minha opinião, toda “raça” que sofre pouca mistura tende se tornar feia.
    -
    Por isso chinês, japonês e negro isolados culturalmente, não se tornam os indivíduos mais bonitos (o mesmo acontece se isolar loiros dos olhos azuis). Porém, geralmente quando se mistura, a “raça” tende a ficar mais bonita ao que parece. Essa é minha opinião, que talvez possa se sustentar.
    -
    Sobre as outras especulações irei tentar contribuir no espaço correto.
    -
    De resto, não sei quem deve provar humildade aqui, pois vocês já insinuaram que são superiores aos espíritas (pessoas burras e destituídas de qualquer noção sobre ciência).
    -
    Considerem-me alguém que coloca a prova alguma suposta superioridade dos “rivais” que tratam o Chico Xavier como o maior mistificador, corrupto, que ganha dinheiro por tabela. Uma pessoa que agride tal personalidade de forma desleal não merece exigir humildade de ninguém.
    -
    Espero que os leitores percebam onde se esconde a verdadeira falta de humildade e má intenção.

  113. 0 NZ Diz:

    @Gilberto

    Sobre o declinio da DE e qualquer outra religiao que pregue o não materialismo.

    As religioes que pregavam uma moralidade de lucros e condenavam materialismo nao serviam aos interesses desenvolimentistas, e principalmente nao CONFORTAVA a burguesia em seu plano espiritual, logo o prostestianismo foi amplamente aceito, como o Calvinismo, o qual pregava que um trabalhavor, mercador, burgues ao obter lucros, era um ” Homem Abençoado “. Ou seja, NENHUMA religiao ou doutrina que pregue o nao materialismo SOBREVIVE nesses países, até por que o indice de ateismo é gigantesco, 40% na Inglaterra e alemanha, por exemplo.

    O declinio final se deu na decada de 20, onde morreram os principais sucessores de allan kardec na franca e na inglaterra, sem póstuma reposição a nivel das lideranças. Com a segunda guerra, a frança foi ocupada pelos Alemaes, que impuseram serias restricoes e apos isso se deu um grande progresso capitalista com todas as caracteristicas capitalismo x moral religiosa que ja citei.

    Seus posts são evidentemente tendenciosos, como um colega disse acima. ” .. allan kardec que os franceses fizeram questao de esquecer .. ” pff

  114. Gilberto Diz:

    Caro NZ, é claro que você tem razão em muitos pontos. Mas não podemos esquecer que as religiões que mais crescem hoje em dia são o Islamismo e o Budismo, que são religiões que pregam o não-materialismo. Então não é bem por aí, mesmo porque o espiritismo era, na França, uma doutrina elitista que flertava com o apelo burguês que o Catolicismo sempre teve, mas que excluía os camponeses e a classe trabalhadora. Os “inferiores”, como as pessoas de outras raças, eram claramente espíritos menos evoluídos. No Brasil, por outro lado, o espiritismo cresceu justamente por levar a doutrina a menos esclarecidos, se bem que ainda existem os elitistas de plantão que se vangloriam do espiritismo ser mais amplo em camadas mais altas da sociedade, e onde há mais escolaridade. Mas concordo que o modelo de religiosidade adotado pelos países ricos, e até mesmo pelo Brasil, é o da prosperidade. Quanto mais abençoado, mais prosperidade material se tem (!). As minhas restrições quanto a “internacionalidade” de Allan Kardec (claro que sou tendencioso, pois toda opinião se tende a um lado) se dão pelo fato de que a França realmente não sabe quem foi Kardec. Todos os museus, estátuas, republicações de material, palestras e etc. que se fazem em território francês envolvendo Kardec são promovidos por brasileiros ou cônjuges de brasileiros que vivem ou visitam a França. Por culpa dos próprios espíritas, a doutrina Kardecista parece que se dá dessa maneira: o que resiste ao tempo ou é inverificável é verdade, e o que não resiste ao tempo ou passa a ser verificado como falso é “opinião pessoal”, “erro dos espíritos, pois são humanos passíveis de erro”, ou era “pensamento fruto da época”, ou “um ponto que precisava evoluir”, ou outra explicação bem lógica. O cerne do espiritismo como crescimento espiritual e perpetrador da caridade é mais do que louvável. O que incomoda é a obsessão do espiritismo por prodígios sobrenaturais inverificáveis. Sempre há algo extraordinário acontecendo, o espírito contatado sempre é de alguém especial, e o dito médium tem que trazer mensagens e conhecimentos bombásticos. É uma avalanche. Na internet, nas revistas, nas conversas com espíritas. No metrô de Ipanema ontem duas mulheres conversavam que em seu centro o médium contatava João Batista! Pareciam ser ótimas senhoras, mas porque tem que ser justamente João Batista? Nunca é um chinês, um tailandês ou um jupteriano (apesar dos espíritas afirmarem que a reencarnação se dá em nível universal, em planetas com semelhante evolução). Me desculpe se ofendi alguém. Não ataco os espíritas, pois isso seria uma idiotice e preconceito religioso. Ataco idéias que, ao meu ver são mal explicadas. Estou há uns dois anos neste blog esperando que alguém me dê uma palavra que me toque, mas apenas recebo intolerância quanto ao fato de eu ser cético. Ser cético não é defeito nem qualidade. Nem ser crente é defeito. A fé é algo encorajador. O lado da fé do espiritismo é encorajador. O lado “científico” e explicacionista não. Um super-abraço, NZ, e poste aqui mais vezes!!!! Dê suas palavras. Eu pelo menos as lerei com prazer.

  115. Philis Diz:

    “Espero que os leitores percebam onde se esconde a verdadeira falta de humildade e má intenção.”

    Isso mesmo, observem bem os posts do William.

  116. William Diz:

    Philis,
    -
    Faz alguma coisa de útil. Por exemplo, você pode acrescentar algo às minhas observações sobre a suposta fraude de Mirabelli (foto da levitação)?
    -
    Porque até agora não apareceu uma santa alma nem no “Ceticismo Aberto” para elucidar esse fiasco veiculado pela BBC (considere uma ironia).

  117. Gilberto Diz:

    Philis, faz alguma coisa de útil. Escreva para a BBC e conte a eles que um “gênio” brasileiro os derrubou e provou que Mirabelli fazia levitações e todos os outros prodígios “mirabollantes” (com trocadilho) que ele dizia que fazia. Eles ficarão estarrecidos e não apenas convidarão o William para estrelar um reality show (“O Impossível É Real”), como revogarão a lei que obriga todos os médiums no Reino Unido a colocarem em seus centros e estabelecimentos a placa que diz: “Esta Atividade é Para Fins de Entretenimento Apenas”.

  118. Gilberto Diz:

    O aviso obrigatório britânico diz o seguinte:
    -
    Disclaimer: Psychic phenomena, incl. mediumship have not been scientifically proven. No psychic reading can be guaranteed to be accurate. This activity is for entertainment purposes only.
    -
    Mas é claro que certas pessoas dirão: os britânicos estão errados, pois fenômenos paranormais foram SUPER-PROVADOS. Teve uns caras lá na Rússia que QUASE provaram que Chico Xavier era autêntico, só não conseguiram porque Emannuel tinha medo de avião e se recusou a ir com Chico (“Se você for, eu fico”, disse o espírito, segundo o próprio Xavier). E Xavier acabou acatando, pois era pra ele mais importante continuar psicografando caridosamente por mais alguns meses do que provar ao mundo todo que a psicografia e o espiritismo são reais e mudar a forma com que todo o mundo vê tais “fenômenos”, causando uma revolução espírita sem precedentes no mundo, e cumprir a profecia de Kardec de que o espiritismo cresceria avassaladoramente.

  119. William Diz:

    Gilberto,
    -
    Há diferença entre apenas desqualificar uma pessoa e fazer isso com argumentos. Essa é a diferença entre eu e você, infelizmente.
    -
    Inventar e se esquivar não é uma boa conduta para quem procura se imiscuir em assuntos tão polêmicos.
    -
    Por exemplo, não é problema meu se o “Ceticismo Aberto” (que deveria se chamar “Ceticismo Fechado”) sumiu novamente com minhas postagens sobre a foto da levitação de Mirabelli.
    -
    Quem sabe aparece no “Ceticismo Capenga” novamente, se houver um pouco de dignidade naquele espaço leviano que trata com uma chacota atrás da outra os assuntos mais complicados.
    -
    Não adianta evocar o Papa, o Buda, o Jesus, o Einstein, o Lúcifer, ou a BBC para desqualificar o que qualquer anta verifica, ou seja, a tremenda falta de perspectiva com as outras referências encontradas em diversas partes da foto.
    -
    Aquela cadeira é ridícula, essa é a verdadeira farsa ao que suspeito.
    -
    Se você quiser fazer algo além de me “elogiar”, apelar e pagar pau para a BBC, por que não monta uma foto a fim de sustentar a teoria da cadeira sob os pés de Mirabelli?
    -
    Considere um convite para realizar a empreitada, só não vale exagerar no Photoshop, porque você sabe como é! Essa foto (sem a dedicatória) está em inúmeros livros desde a década de trinta.
    -
    Mas faz o seguinte, não exiba a foto da “cadeira” com um close nos pés de Mirabelli como fez o Ceticismo Aberto (BBC), para o espectador não possuir quase nenhuma referência, além, do ângulo das barras da calça, para “olhos atentos”, que já contradizem a teoria do ângulo da cadeira.
    -
    Além do mais, eu e a Bruna Buzzo já indicamos que é possível relacionar essa foto com as observações exposta em um livro raro de 1937 que inclusive possuo, onde se encontram as mais distintas pessoas tentando controlar os vários fenômenos descritos nas atas.
    -
    Enquanto você não refuta de forma convincente, deixe-me considerar-te um fanfarrão inapropriado para defender o materialismo e o ceticismo, que eu tanto respeito na boca de outras pessoas mais sensatas e inteligentes. Agora pensar que você tem capacidade de emitir opinião sobre a mediunidade é piada.

  120. William Diz:

    Gilberto,
    -
    “Então não é bem por aí, mesmo porque o espiritismo era, na França, uma doutrina elitista que flertava com o apelo burguês que o Catolicismo sempre teve, mas que excluía os camponeses e a classe trabalhadora”.
    -
    O espiritismo prega a possibilidade de aquisição de bens materiais conforme os atributos intelectuais e morais dos cidadãos ao mesmo tempo em que a doutrina aceita o efeito muito natural da desigualdade social (que não deve ser confundida com essa desigualdade que estamos acostumados a ver e sentir na pele).
    -
    “Os inferiores, como as pessoas de outras raças, eram claramente espíritos menos evoluídos”.
    -
    Embora a grande maioria dos biólogos atuais defenda uma filosofia completamente relativista da evolução, não creio que podemos ignorar que o homem difere de outros animais em capacidade (no geral) e entre si em ciência e filosofia.
    -
    Não basta argumentar que o Lince vê melhor que o homem quando este “vê” as profundezas dos oceanos, do espaço e do átomo. Em relação à adaptação (digo, com recursos artificiais), utilizo o mesmo argumento.
    -
    A consciência desse poder inclusive não nos isenta da enorme responsabilidade perante o planeta Terra.
    -
    “No Brasil, por outro lado, o espiritismo cresceu justamente por levar a doutrina a menos esclarecidos, se bem que ainda existem os elitistas de plantão que se vangloriam do espiritismo ser mais amplo em camadas mais altas da sociedade, e onde há mais escolaridade”.
    -
    Levou a doutrina até você inclusive, que parece um “aluno” repetente. Os “menos esclarecidos” incluem médicos, físicos, etc. Compreende primeiro a proposta de Allan Kardec antes de falar o que não sabe.
    -
    “Quanto mais abençoado, mais prosperidade material se tem (!)”.
    -
    Em um país justo (como o espiritismo busca) seria assim, porém, hoje não pode se tornar uma regra quando a arte de corromper da forma mais perfeita é uma “virtude”.
    -
    As minhas restrições quanto a “internacionalidade” de Allan Kardec (claro que sou tendencioso, pois toda opinião se tende a um lado) se dão pelo fato de que a França realmente não sabe quem foi Kardec.
    -
    Realmente o espiritismo se difunde com maior força no Brasil, contudo, não creio que no futuro não possa ganhar força em outros países. Um estudo amplo e complexo compreende em parte o declínio e a força que ganha determina filosofia, religião, etc.
    -
    “Todos os museus, estátuas, republicações de material, palestras e etc. que se fazem em território francês envolvendo Kardec são promovidos por brasileiros ou cônjuges de brasileiros que vivem ou visitam a França”.
    -
    Muito natural isso uma vez que o Brasil (pais emergente) é o maior representante. Não pense que brasileiro é burro e incapaz no cenário mundial. Possuímos grandes vultos na ciência, na literatura, enfim. Os restos mortais do mestre lionês estão próximos de Victor Hugo, Chopin, e muitos outros localizados no célebre cemitério Père-Lachaise.
    -
    “Por culpa dos próprios espíritas, a doutrina Kardecista parece que se dá dessa maneira: o que resiste ao tempo ou é inverificável é verdade, e o que não resiste ao tempo ou passa a ser verificado como falso é “opinião pessoal”, “erro dos espíritos, pois são humanos passíveis de erro”, ou era “pensamento fruto da época”, ou “um ponto que precisava evoluir”, ou outra explicação bem lógica”.
    -
    Você é desonesto rapaz! Por exemplo, o conteúdo de “A Gênese” expõe de forma muito clara as condições da exposição cientifica sob a visão espírita, eu esclareci esse ponto e você se faz de cego desentendido.
    -
    O espiritismo já nasceu em meio às dificuldades de mensagens apócrifas (estude “O Livro dos Médiuns”). Você é desonesto!
    -
    “O cerne do espiritismo como crescimento espiritual e perpetrador da caridade é mais do que louvável. O que incomoda é a obsessão do espiritismo por prodígios sobrenaturais inverificáveis”.
    -
    Desonesto! Você não tem capacidade nem de discutir comigo sobre os estudos de William Crookes com Sr. Home. Discute para depois ter moral diante dos leitores.
    -
    “Sempre há algo extraordinário acontecendo, o espírito contatado sempre é de alguém especial, e o dito médium tem que trazer mensagens e conhecimentos bombásticos”.
    -
    Desonesto novamente. A maioria das comunicações se trata de “Maria” e “João” da vida.
    -
    “Me desculpe se ofendi alguém”.
    -
    Você ofende todos os espíritas e médiuns.
    -
    “Estou há uns dois anos neste blog esperando que alguém me dê uma palavra que me toque, mas apenas recebo intolerância quanto ao fato de eu ser cético”.
    -
    Tira o espelho da cara.
    -
    “Ser cético não é defeito nem qualidade”.
    -
    É uma qualidade. Acontece que você é crente cego rapaz, apenas muda a bandeira.

  121. Gilberto Diz:

    Rapaz, você até que é divertido! Taí, comecei a gostar de você!

  122. Gilberto Diz:

    William,

    O espiritismo prega a possibilidade de aquisição de bens materiais conforme os atributos intelectuais e morais dos cidadãos ao mesmo tempo em que a doutrina aceita o efeito muito natural da desigualdade social (que não deve ser confundida com essa desigualdade que estamos acostumados a ver e sentir na pele).
    -
    Isso não tem nada a ver com espiritismo. Você escreveu o óbvio. Quem tem melhores empregos têm mais dinheiro. A desigualdade social existe em todas as partes do globo. A que ”estamos acostumados a ver por aí”, se dá pela mania do brasileiro em votar sempre nos mesmos corruptos. Cadê o espiritismo?
    -
    Embora a grande maioria dos biólogos atuais defenda uma filosofia completamente relativista da evolução, não creio que podemos ignorar que o homem difere de outros animais em capacidade (no geral) e entre si em ciência e filosofia.
    -
    Quanta obviedade. Esqueceu de dizer que o homem usa sapatos!
    -
    Não basta argumentar que o Lince vê melhor que o homem quando este “vê” as profundezas dos oceanos, do espaço e do átomo. Em relação à adaptação (digo, com recursos artificiais), utilizo o mesmo argumento.
    -
    Aqui você QUASE mencionou os sapatos!
    -
    A consciência desse poder inclusive não nos isenta da enorme responsabilidade perante o planeta Terra.
    -
    É óbvio! Se é que eu consegui entender a sua colocação. Eu sei, você escreve rápido. Tá desculpado. Cadê o espiritismo?
    -
    Levou a doutrina até você inclusive, que parece um “aluno” repetente. Os “menos esclarecidos” incluem médicos, físicos, etc. Compreende primeiro a proposta de Allan Kardec antes de falar o que não sabe.
    -
    Então você se encaixa nos “elitistas de plantão que se vangloriam do espiritismo ser mais amplo em camadas mais altas da sociedade, e onde há mais escolaridade”.” Tudo bem. Nessa parte eu respondia ao NZ, elogiando o espiritismo no brasil por levá-lo às camadas mais baixas da sociedade, diferentemente do que aconteceu na França. Fazer o quê? E é verdade, eu repeti a sexta série.
    -
    Em um país justo (como o espiritismo busca) seria assim, porém, hoje não pode se tornar uma regra quando a arte de corromper da forma mais perfeita é uma “virtude”.
    -
    De novo eu respondia ao NZ, que disse que o espiritismo era uma religião que prega o não-materialismo. Se você acha o contrário, tudo bem. Já vi, inclusive, no jornaleiro uma revista com as “mensagens de prosperidade financeira” de Chico Xavier.
    -
    Realmente o espiritismo se difunde com maior força no Brasil, contudo, não creio que no futuro não possa ganhar força em outros países. Um estudo amplo e complexo compreende em parte o declínio e a força que ganha determina filosofia, religião, etc.
    -
    Espero que o espiritismo saia do menos de 1% da população brasileira e pare de encolher. Depende de vocês se renovarem, quebrarem tabús e derrubarem dogmas..
    -
    Muito natural isso uma vez que o Brasil (pais emergente) é o maior representante (do espiritismo). Não pense que brasileiro é burro e incapaz no cenário mundial. Possuímos grandes vultos na ciência, na literatura, enfim. Os restos mortais do mestre lionês estão próximos de Victor Hugo, Chopin, e muitos outros localizados no célebre cemitério Père-Lachaise.
    -
    Bom, ser capaz no cenário internacional é estar enterrado em cemitério francês, junto a gênios do primeiro mundo? Isso é um pensamento de colonizado. Foi com esse pensamento que o espiritismo aportou aqui. Quando ele foi esquecido na França, os brasileiros começaram a viver em negação e criaram o seu próprio ”espiritismo”. Mas sempre mencionam os países de primeiro mundo, espíritos de primeiro mundo e cientistas de primeiro mundo, como você faz aqui.
    -
    Você é desonesto rapaz! Por exemplo, o conteúdo de “A Gênese” expõe de forma muito clara as condições da exposição cientifica sob a visão espírita, eu esclareci esse ponto e você se faz de cego desentendido.
    -
    Justamente “A Gênese” deixa isso que eu disse bem claro: o que resiste ao tempo ou é inverificável é verdade, e o que não resiste ao tempo ou passa a ser verificado como falso é uma necessidade de “revisão” de “A Gênese”. Se continuar assim não vamos aproveitar NADA de “A Gênese”. É claro que Kardec “tirou o seu da reta” e disse que as novas descobertas científicas derrubariam o que foi escrito naquela obra. Pra que escrever tal obra, então?
    -
    O espiritismo já nasceu em meio às dificuldades de mensagens apócrifas (estude “O Livro dos Médiuns”). Você é desonesto!
    -
    O espiritismo já nasceu em meio às dificuldades de tudo. Por isso não resiste à mínima análise. E por favor, pare com as ofensas pessoais. Que deselegante.
    -
    Desonesto! Você não tem capacidade nem de discutir comigo sobre os estudos de William Crookes com Sr. Home. Discute para depois ter moral diante dos leitores.
    -
    Se você defende tanto os estudos de Crookes com o Sr. Home, então tem que acreditar no que Home disse a Flammarion sobre Florence Cook, outro objeto de estudo importantíssimo de William Crookes: “Home me deu sua opinião pessoal que a Srta. Cook era apenas uma fazedora de truques habilidosa que desavergonhadamente enganava um cientista eminente.” Leia isso no link:
    http://www.survivalafterdeath.org.uk/mediums/cookflorence.htm
    -
    Desonesto novamente. A maioria das comunicações se trata de “Maria” e “João” da vida.
    -
    Diga isso a Xavier, aos Gasparetto, a Allan Kardec, a Doyle e a tantos outros nomes de peso no espiritismo.
    -
    Você ofende todos os espíritas e médiuns.
    -
    Mas uma vez, peço desculpas. Mas não entendo como você se auto proclamou ”porta-voz” de todos os espíritas e médiums…
    -
    Tira o espelho da cara.
    -
    Você se une a outros intolerantes. Mas com o ”requinte” da grosseria…
    -
    É uma qualidade (ser cético). Acontece que você é crente cego rapaz, apenas muda a bandeira.
    -
    Ser cético é uma qualidade agora? Os espíritas sempre usam essa palavra como ofensa. Isso é uma novidade. Principalmente vindo do “porta-voz” dos espíritas. Mas vou seguir seu conselho e estudar mais esses eminentes cientistas do século retrasado e descobrir os “ultimos avanços científicos” relacionados ao espiritismo…

  123. William Diz:

    Gilberto,
    -
    “Isso não tem nada a ver com espiritismo. Você escreveu o óbvio. Quem tem melhores empregos têm mais dinheiro. A desigualdade social existe em todas as partes do globo. A que ”estamos acostumados a ver por aí”, se dá pela mania do brasileiro em votar sempre nos mesmos corruptos. Cadê o espiritismo?”.
    -
    O espiritismo que surgiu em pleno séc. XIX tem potencial para inspirar reformas sociais. Podemos, em tempos mais próximos, encontrar muitos socialistas “fanáticos” desinformados a pensar que determinadas igualdades são a forma mais justa para estruturar a sociedade, ou seja, cogitam uma sociedade utópica.
    -
    “Quanta obviedade. Esqueceu de dizer que o homem usa sapatos!”.
    -
    Não é óbvio! Já debati com pessoas que respeito de verdade e são inteligentes demais, mas creio que falham ao adotarem um relativismo exagerado.
    -
    “Aqui você QUASE mencionou os sapatos!”.
    -
    Pois é, só não esqueça que “sapatos” pertencem ao efeito da questão “inteligência e consciência”.
    -
    “É óbvio! Se é que eu consegui entender a sua colocação. Eu sei, você escreve rápido. Tá desculpado. Cadê o espiritismo?”.
    -
    Obrigado por tolerar meus possíveis erros e falta de inteligibilidade. Por outro lado, creio que o espiritismo se relaciona com o problema da consciência, aliás, mesmo revoluciona já que é em minha opinião, a principal concorrente do materialismo em sua influência sobre a empreitada cientifica. O behaviorismo está manco, afinal, a intencionalidade, o livre arbítrio não parece ser mero coadjuvante como querem muitos materialistas. Conhece algum zumbi (Chalmers)? Se conhecer, me apresente.
    -
    “Então você se encaixa nos “elitistas de plantão que se vangloriam do espiritismo ser mais amplo em camadas mais altas da sociedade, e onde há mais escolaridade”.” Tudo bem. Nessa parte eu respondia ao NZ, elogiando o espiritismo no brasil por levá-lo às camadas mais baixas da sociedade, diferentemente do que aconteceu na França. Fazer o quê? E é verdade, eu repeti a sexta série”.
    -
    Os intelectuais naturalmente tomaram a ponta, isso não quer dizer que o espiritismo não se estendeu até outras classes sociais. Por isso mesmo, as obras de Allan Kardec são de expressões simples, o objetivo prioriza a reforma moral.
    -
    “De novo eu respondia ao NZ, que disse que o espiritismo era uma religião que prega o não-materialismo. Se você acha o contrário, tudo bem. Já vi, inclusive, no jornaleiro uma revista com as “mensagens de prosperidade financeira” de Chico Xavier”.
    -
    Luta contra o materialismo, não contra a providência material. Você certamente não conhece ou não compreende os ensinamentos de Jesus. Disse o mestre: “Olhai os lírios do campo: não trabalham nem fiam. E eu vos digo que nem Salomão com toda sua glória se vestiu como um deles” (…) e conclui: “Procurai primeiro o reino de Deus e o resto virá por acréscimo”.
    -
    “Espero que o espiritismo saia do menos de 1% da população brasileira e pare de encolher. Depende de vocês se renovarem, quebrarem tabús e derrubarem dogmas”.
    -
    Assim espero (http://www.geae.inf.br/pt/boletins/geae527.html#Distribuicao).
    -
    “Bom, ser capaz no cenário internacional é estar enterrado em cemitério francês, junto a gênios do primeiro mundo? Isso é um pensamento de colonizado. Foi com esse pensamento que o espiritismo aportou aqui. Quando ele foi esquecido na França, os brasileiros começaram a viver em negação e criaram o seu próprio ”espiritismo”. Mas sempre mencionam os países de primeiro mundo, espíritos de primeiro mundo e cientistas de primeiro mundo, como você faz aqui”.
    -
    Não relacionei brasileiros com cemitério francês! Coloquei como informação muito interessante. Quando William Crookes e outros cientistas da América, Inglaterra, França, Itália e Alemanha declararam a realidade do fenômeno, não estavam essencialmente relacionados ao espiritismo, nem ao homem, amigo de tantos intelectuais, que foi homenageado com o belo discurso de Camille Flamarion aos pés da não tão mais enigmática morte, pelo menos a princípio (Naître, mourir, renaître encore et progresser sans cesse, telle est la Loi). Você Gilberto, subestima Allan Kardec.
    -
    “Justamente “A Gênese” deixa isso que eu disse bem claro: o que resiste ao tempo ou é inverificável é verdade, e o que não resiste ao tempo ou passa a ser verificado como falso é uma necessidade de “revisão” de “A Gênese”. Se continuar assim não vamos aproveitar NADA de “A Gênese”. É claro que Kardec “tirou o seu da reta” e disse que as novas descobertas científicas derrubariam o que foi escrito naquela obra. Pra que escrever tal obra, então?”.
    -
    Toda teoria cientifica se constrói com enorme potencial de ser derrubada, sobretudo após Popper, você claramente emite opinião de quem não tem a mínima noção sobre ciência. O que se conserva são certos pressupostos básicos, e nesse sentido, creio fortemente que o idealismo compete em pé de igualdade com o materialismo, estou repetindo isso como vitrola quebrada. Você não assimila e nem acrescenta algo que poderia fazer-me mudar de opinião!
    -
    “Se você defende tanto os estudos de Crookes com o Sr. Home, então tem que acreditar no que Home disse a Flammarion sobre Florence Cook, outro objeto de estudo importantíssimo de William Crookes: Home me deu sua opinião pessoal que a Srta. Cook era apenas uma fazedora de truques habilidosa que desavergonhadamente enganava um cientista eminente.”
    -
    Sr. Home pode emitir opinião sobre quem quiser. Não há peso na questão em si.
    -
    “Diga isso a Xavier, aos Gasparetto, a Allan Kardec, a Doyle e a tantos outros nomes de peso no espiritismo”.
    -
    Todos eles são desonestos segundo seu ponto de vista.
    -
    “Mas uma vez, peço desculpas. Mas não entendo como você se auto proclamou ”porta-voz” de todos os espíritas e médiuns”.
    -
    Não é preciso muito esforço para isso se restringindo a sua pessoa. Veja o que você disse anteriormente.
    -
    “Você se une a outros intolerantes. Mas com o ”requinte” da grosseria”.
    -
    Sou áspero aqui, porque vejo desonestidade. Por exemplo, o Vitor não colocou outras referências (jornais, livros) para construir as páginas “AS FRAUDES DO MÉDIUM MIRABELLI”. Quando eu estava em outro espaço, discutindo com gente mais ponderada, esbocei o resumo das pesquisas do séc. XIX colocando diversas reações e pontos de vistas. Isso não acontece aqui, ou seja, não quer investigar e nem fazer com que o leitor realmente participe de forma imparcial, quer apenas formar opinião da forma mais desleal possível. Tudo isso foi escondido com “bom comportamento” a ponto de alguns espíritas acharem que o Vitor é espírita e ficarem vacilando com essa enorme ingenuidade e falta de tato. Após a minha entrada, eu levantei poeira para baixar e todos verem do que se trata. A propósito, você sabe por que o “Ceticismo Aberto” sumiu com minha critica sobre a foto da levitação de Mirabelli?
    -
    “Ser cético é uma qualidade agora? Os espíritas sempre usam essa palavra como ofensa. Isso é uma novidade. Principalmente vindo do “porta-voz” dos espíritas. Mas vou seguir seu conselho e estudar mais esses eminentes cientistas do século retrasado e descobrir os “ultimos avanços científicos” relacionados ao espiritismo”.
    -
    Ser cético é uma qualidade, Allan Kardec se comportava de forma cética, inclusive no começo das investigações. Se há espíritas que lutam contra o comportamento cético, são os mesmo remanescentes do catolicismo que “catequizaram” o movimento espírita.

  124. Gilberto Diz:

    William, gostei das respostas. Sem ironia, que fique claro. Aqui convergimos em alguns pontos. O Vítor faz o trabalho dele para o aprimoramento do espiritismo, mesmo tendo opositores. Você faz o seu, mesmo tendo opositores. E eu faço o meu, pois continuo achando uma lástima o espiritismo, que tanto bem faz, perder o trem da história e sucumbir aos velhos truques de salão e ciência do século retrasado. As minhas críticas têm, implícitas a elas, a esperança de renovação e a certeza de que se tanta gente boa compartilha dessa doutrina, suas qualidades devem ser exploradas em todo o seu potencial. Um super-abraço.

  125. Kentaro Mori Diz:

    William, no dia 15/03 houve algum problema (provavelmente algum ataque malicioso, ou possivelmente uma falha no sistema) e todos os posts e comentários do CeticismoAberto foram perdidos.

    Felizmente ocorrem backups frequentes do conteúdo. Infelizmente, eles não eram diários. O backup mais recente disponível era do dia 12/03.

    Todos os comentários (e posts) entre os dias 12 e 15 foram perdidos.

    Peço que por favor, reenvie o comentário sobre Mirabelli.

  126. Warner Abreu Vanderlei Diz:

    Quem procura explicações no sobrenatural, esta na verdade buscando uma segurança que nunca vai encontrar.
    Gasta-se energia demais, quando deveria praticar atos mais construtivos.
    Enfim esta e a miseravel condição humana.
    Sempre que podemos vamos iluminar a fida dessas pessoas com a verdade.

  127. Roberto Zubanni Diz:

    A ciência não pode ser contestada, nem no país do trambique, da desinformação e no meio de mentes pouco privilegiadas e modestas

  128. Letavinde Diz:

    Frequentei o espiritismo Kardecista, fiz psicografia, tipo poemas, sendo que nunca fui de ler uma poesia sequer. Dei passes, fiz aberturas de palestras e participei de reuniões mediúnicas, depois de vários cursos. Mas uma coisa me impressionou no centro que eu frequentava: a feira de vaidades. Um médiun ou palestrante querendo aparecer mais que o outro, por vezes sendo repreendidos pelos próprios espíritos de luz. Parece que nos comentários acima continua a feira de vaidades, um querendo ser melhor que o outro e nada acrescentando a importante obra de Allan Kardec.

  129. Nina Diz:

    Vitor,

    por que você tem tanto medo que as obras espiritas sejam reais? Por que essa perseguição com pessoas como O Chico que só fizeram o BEM e passaram mensagens – falsas ou não – que só estimulavam o bem e a caridade?

    É a reencarnação que te angustia? Então pode começar a criar outros 20 blogs tentando desmarcarar outras tantas religiões que tem os mesmos valores que o Espiritismo.

    Eu não tenho religião e não acredito que este seja o caminho, mas sério, você se diz um pesquisador, mas só ataca?

    Por que aqui só se postam mensagens contrárias e sobre supostas fraudes? E os fatos incontestáveis de tantos eventos que nossa lógica não explica? Você nao encontrou nenhum fato favorável?

    Se quer mesmo ser um pesquisador, abra seu coração para fatos que podem te incomodar. Aqui nesse site, desculpe a sinceridade, mas você não pesquisa, apenas tenta comprovar sua incredulidade, que da forma fanática que aparenta, já se tornou uma religião.

    Ao invés de atacar uma das pouquissimas religioes que hoje no mundo não só pregam como fazem o bem e que não enriquecem a custa de fiéis – muito pelo contrario, pois no meio espirita os recursos sao sempre muito escassos e a caridade e a generosidade sempre muita (me refiro aos centros sérios e reais, não a impostores, e estes existem em qualquer meio). Por que ao invés desse ataque ao bem você não ataca coisas mais urgentes e cruéis como nossos políticos e a situação do nosso povo e da humanidade?

    Por que não nos traz explicações para o mundo, a criação e nossa existência ao invés de somente atacar?

    Se quer mesmo ser um pesquisador. Aja como tal e antes de tudo seja, no mínimo, imparcial.

    E não se surpreeenda ao saber que as palavras aí em cima são de uma pessoa extremamente sem fé.

    Não perca tanto tempo, resolva o que te aflinge sem ataque a terceiros.

    Abraços.

    Nina

  130. Sonia N. Diz:

    O transe mediúnico indica uma atividade anormal do cérebro (anormal aqui significa diferente) e é isso justamente que PROVA a ocorrência do estado alterado de consciência. O gráfico cerebral acusará sempre uma atividade anormal (diferente) em situações diferentes de “stress”, sem que identifique qual a CAUSA do stress.

    Exemplo: um sujeito faz um ECG durante ou logo após uma grande emoção. O resultado acusará uma alteração, mas não conseguirá identificar QUAL a emoção geradora da alteração. A alteração poderá ser, tanto devido a uma alegria muito grande, quanto a uma dor moral muito grande também.
    -
    Uma das maiores sensitivas russas, durante as experimentações psíquicas, elevava a sua pressão arterial e a pulsação a um nível assustador, sem ocorrência de qualquer acidente vascular, como era de se esperar, de acordo com os médicos que acompanhavam os experimentos.
    -
    A kirliangrafia (foto da aura) também acusa mudanças radicais no campo energético das pessoas, de acordo com alterações emocionais, psicológicas ou físicas. E disso eu entendo um pouquinho, porque faço este trabalho desde 1982.
    -
    Portanto, podemos afirmar que o Chico Xavier acusava grandes alterações no seu EEG, semelhantes àquelas que definem as epilepsias, sem ser epilético. E fica ainda mais claro pelo fato das alterações só ocorrerem quando ele se encontrava em transe mediúnico. Em estado normal, o seu EEG era normal também.
    -
    Abraços afetuosos.

  131. SeriousBusiness Diz:

    Li um artigo científico recente que comenta sobre o erro nesse tipo de pesquisa.

    Dizia que “um diagnóstico baseado exclusivamente no cumprimento dos critérios de objetivo diagnóstico tem uma série de limitações, especialmente quando não lidam com uma população não-clínica”

    Ou seja, se os resultados o eletro do Chico Xavier exibiram um padrão fora dos categorizados pela medicina da época, ele simplesmente seria interpretado como o mais próximo já conhecido.

    O artigo que citei é bem interessante e completo, tem 7 páginas que valem a pena serem lidas, pois tem muita informação sobre os achados mais recentes da ciência no que tange à mediunidade.

    http://sociologiacienciaevida.uol.com.br/ESPS/edicoes/32/artigo101363-1.asp

  132. josé luiz condotta Diz:

    Li durante essa discussão sobre quem crê nos fenômenos espíritas possui uma inteligência medíocre. Ora, não seria o contrário? Inteligência bitolada é aquela que só acredita no que vê e não tem capacidade de expandir a consciência procurando uma outra dimensão, ficando de 4 na Terra.
    Muito se discute sobre as causas das doenças, mas precisamente onde elas se encontra? Nos tumores por exemplo, houve um crescimento e uma diferenciação celular, mas, o que provocou isto? Na depressão, há uma desorganização dos neurotransmissores, mas quem provocou isto? Muitos preconizam evitar o stress (vilão para inúmeras doenças), mas ele faz mal para o corpo ou para a alma? As causas das doenças não são totalmente conhecidas porque quando lá se vai chegar depara com o ser que as origina, o espírito. E muitos tem medo dele, como vi nestas discussões.
    Hoje no CID já existe um transtorno chamado estado de transe ou possesão (F44).
    A mediunidade é um estudo sério….não pode ser discutido por quem não o estuda.
    Fraude? Existe em todo lugar e em tudo o que se faz…até na medicina.Mas, não ofendamos a medicina pelos médicos fraudulentos.

  133. Gilberto Diz:

    Caramba, querem o original do EEC do Chico Xavier depois de 147 anos? Não tenho nem o meu, que fiz há 3 anos…

  134. Victor Diz:

    Vitor e Gilberto.

    Parabéns por esse blog tão interessante. Apesar de não acrescentar nada e ser baseado em informações pifia e rasas, trazem bons louros a todos aqueles que procuram razão para explicar o que a razão ainda não consegue alcançar : A lógica da realidade espiritual.
    Os céticos , ateus e afins , são como naufragos bêbados em meio ao mar revolto, precisam de um pedaço de madeira boiando para se sustentarem, de toda obra espírita vocês vão achar muitos pedaços de madeira para boiarem , madeira boiando é o que não falta, pois todo como toda obra humana é passível de falhas, fraudes etc.
    Espero que todo esse empenho consiga abafar o vazio interior que os senhores tem ao pensar no que vem depois da vida, esse medo absurdo de perder a consciência depois de uma vida “lógica e real” que os senhores tem.
    Nos ultimos momentos de suas existências quando não sobrar nada além de dúvidas e temores, suas mãos apertarem os lençóis e o medo do escuro eterno se apossar de vocês , talvez entendam porque nós espíritas tentamos nos livrar desse vazio o quanto antes.

    Forte abraço!

    paz e luz

  135. Gilberto Diz:

    Victor, o seu comentário mostra que você teme a morte. Não há nada demais em simplesmente deixar de existir. Nosso legado fica, nossos descendentes ficam, nosso espírito fica. Apenas quem não acredita e não tem fé no espírito humano é que pode temer algo tão natural, humano e inevitavelmente necessário que é a morte. Não há vazio. É um belo ciclo que iniciou, desenrolou-se, e acabou. Assim como a Terra formou-se, está desenvolvendo-se, e terminará, consumida pelo Sol. A mesma coisa acontecerá com o Universo. Existe a teoria que o Universo, quando parar de se expandir, encolherá e dará início a um novo ciclo, um novo “big bang”. Há uma beleza incrível na vida e na morte, duas faces da mesma moeda. Não há nada a temer.

  136. Victor Diz:

    quem vê você falando acredita realmente que fala com convicção. Na hora que começar enterrar os seus vai se perguntar sobre o real sentido da vida e morte e essa sua resposta tão calma não vai te convencer. Quanto a eu temer a morte é uma suposição sua, pois morte não existe, sou um espírito imortal , demora um pouco pra você começar a perceber isso mas você chega lá.

    abs

  137. Sonia N. Diz:

    Gilberto:
    -
    Acho que isso é “preguiça de viver”.
    -
    Abraços dinâmicos e imortais

  138. Gilberto Diz:

    Como disse Eintein, “A noção de uma pessoa sobreviver à sua morte física só pode vir do medo ou do profundo egoísmo de uma alma fragilizada.”

  139. Gilberto Diz:

    Victor, já enterrei muitos dos meus. É triste nos separarmos de quem a gente ama. A dor é dilacerante. A fantasia de poder reencontrar, ou de receber notícias de que tá tudo bem no além, e que o finado está tomando sorvete em Nosso Lar é reconfortante, reconheço. Atrai muito quem não vê a beleza da vida e de quem te deu a vida. No dia do funeral do meu pai a dor foi insuportável. Ele era a pessoa que eu mais amava no mundo então (agora é a minha filha). Mas no final do dia, quando voltava do jazigo pobrezinho de meu pai, que viveu 64 anos se doando incondicionalmente, fazendo de tudo para que todos fossem felizes, eu olhei o lindo pôr-do-sol da tarde de outono (como dizia Ed Mota: “Esqueça a primavera em paris. Outono no Rio…”) e eu me senti reconfortado e grato por ter vivido 31 anos ao lado daquele homem. Considero aquele o dia mais feliz da minha vida. Minha filha nunca conheceu meu pai (isso foi há 12 anos, e ela tem 4), mas ela sempre fala do Vovô Betinho como se ele estivesse aqui. No outro dia ela me disse com os olhos marejados: “Papai, eu tenho mais saudade do Vovô que você.” Ele está vivo enquanto mantivermos seu espírito vivo. Prefiro isso a uma cartinha inócua supostamente dele dizendo obviedades. A vida é mais que isso. A morte é mais que isso. Não ver essa beleza é estar cego para a Natureza e seu poder transformador.

  140. Sonia N. Diz:

    Gilberto:-
    -
    Como você se sentiria, se alguém dissesse a você que a experiência que você viveu no dia do enterro do seu pai, é uma grande mentira, é uma farsa?
    -
    Apesar de não saber ainda a sua resposta, acredito que você se sentiria, no mínimo, incomodado. Por que? Porque a SUA experiência lhe trouxe conforto até hoje.
    E por que ela trouxe esse conforto? Porque foi vivida e sentida por você. Não pelos outros.
    -
    Então, por que o deboche constante com as experiências alheias, relacionadas à mesma situação?
    Como poderá chamar de mentiroso, ou de louco, alguém que teve experiências tão vívidas quanto as suas,
    mas, diferentes?
    -
    Se eu disser a você que vi meu primeiro filho, ser trazido pela mão de uma mulher, me avisando que seria meu filho, 5 meses antes de engravidar, o que você diria? Que sou mentirosa, que sou louca? Por que a minha experiência, é uma mentira, uma invenção, coisa de gente louca. Mas a sua, não. Por que só a sua é verdadeira?
    -
    Eu já disse aqui que teria tantas coisas prá contar. Mas prá que? Para ser ridicularizada? Ridicularizada por pessoas que só porque não tiveram experiências iguais às minhas, afirmam que é mentira, que é crendice.
    -
    Se eu ouço e vejo coisas que você não ouve e não vê, significa que essas minhas experiências são mentirosas ou são o resultado de uma mente perturbada?
    -
    Eu viajei poucas vezes em minha vida. Em uma dessas
    vezes, tive flashs de uma vida anterior, numa pousada, na cidade de Sarapuí, no interior de São Paulo. Foi uma experiência terrível, porque fui testemunha e vítima de acontecimentos trágicos, naquele local, em uma outra vida. A minha experiência foi tão forte, que fui atrás de provas e consegui. Consegui provar a mim mesma e às outras pessoas que estavam comigo que o que eu REVIVI naqueles dias, era verdadeiro.
    -
    E aí vem você ou qualquer outra pessoa e diz que é mentira minha, que é coisa da minha cabeça. Que eu estava propícia ao acontecimento.
    -
    Meu amigo, eu estava propícia a descansar e a curtir a natureza, porque sempre trabalhei muito. Nem por um momento eu pensei em algo parecido com o que me aconteceu naquele lugar.
    -
    Prá você “uma cartinha inócua” não significa nada, mesmo que ela venha com detalhes que, além de confortar, garante que a vida continua.
    -
    Para outros, a sua experiência é que parecerá inócua e desprovida de qualquer razão.
    -
    Quanto à frase do Einstein, sempre citada por você:
    “A noção de uma pessoa ( NÃO ) sobreviver à sua morte física só pode vir do medo ou do profundo egoísmo de uma alma fragilizada.”
    Creio que essa complementação da frase é muito mais verdadeira, em vista do profundo remorso que Einstein sentia por ter colaborado na elaboração da bomba atômica, na Segunda Guerra Mundial. Portanto, tinha medo do que pudesse vir depois, quando ele morresse.
    O que prova a fragilidade de sua alma, ou seja, a falta de preparo neste aspecto da vida.
    -
    Outra coisa, Gilberto. A frase de sua filha é tão óbvia.
    Pelo menos, prá nós os espíritas.
    -
    Abraços afetuosos.

  141. Gilberto Diz:

    Primeiro, Einstein não tinha remorso, pois foi ele que escreveu uma carta ao presidente americano para que a bomba fosse desenvolvida! Na visão dele, que estava em meio aos acontecimentos que hoje vemos com distanciamento, aquilo parecia ser certo. É claro que ele criticou Hiroxima e Nagasaki após a guerra, como todos sabem. Mas não os Japoneses! Até hoje os Japoneses são gratos por Hiroxima e Nagasaki, pois se eles se rendessem à União Soviética, certamente seriam anexados à China e muitos mais seriam chacinados e o Japão teria sua economia, cultura e futuro destruídos. Deus escreve certo por linhas tortas, com certeza. Agora Sonia, pra que ser reativa assim? Você colocou palavras na minha boca. Por que eu iria te chamar de louca e mentirosa? Suas experiências são suas experiências. Não siga a linha de William X e de outros espíritas aqui, por favor…

  142. Sonia N. Diz:

    Gilberto:
    -
    Nem Einstein tinha idéia do que a bomba atômica causaria.
    Ficou tão horrorizado ao ver o resultado, que afirmou ter se arrependido de ter enviado a carta ao presidente americano. Isso é História, não é nenhuma “revelação mediúnica” , Gilberto. Não importa se foi melhor assim para o Japão ou para a Rússia, ou para os Estados Unidos. A realidade é que morreram 70.000 pessoas queimadas instantaneamente, só em Hiroshima. Enquanto outras milhares de sobreviventes tiveram problemas gravíssimos, devido à irradiação. E ele não contava com resultado tão terrível. O laboratório foi a Terra. E a Terra ardeu… como nunca!
    -
    Quanto à frase “Deus escreve certo por linhas tortas”, na minha humilde opinião, jamais em casos como esses.
    “São escolhas tortas de homens torpes”.
    -
    Quanto a considerar-me reativa, expressei-me mal. Não quis colocar palavras em sua boca. Referia-me aos céticos em geral (onde você se inclui). Porque estão sempre debochando das nossas experiência extra-sensoriais, como se fôssemos tolos, alienados, bobalhões, mentirosos, fraudadores, etc.
    Esse ataque cerrado é muito maior de vocês na nossa direção, do que do nosso para vocês. Nós aqui só nos defendemos. É raro um espírita atacar os céticos, por serem céticos. Em compensação, os céticos nos ofendem muito. Os comentários são sempre debochados, jocosos, ofensivos. Baixa o nível.
    -
    Quanto à sua experiência, é muito tocante. É isso que aprecio em você. Às vezes, você escreve coisas, tais como essa experiência acima, e podemos ver os sentimentos fluindo entre as palavras, pondo à mostra uma alma doce e triste ao mesmo tempo. Mas, antes que tenhamos tempo de refletir a respeito, outras palavras saltam como pipocas, no afã de apagar o rastro das primeiras. Mesmo assim, a impressão que fica é a primeira.
    -
    Abração

  143. patricia Diz:

    eu gostei muito e achei o assunto muito critico

  144. claudio Diz:

    galera com todo o meu respeito chico xavier foi enviado por deus curou muita chente claro chico e emanuel olha um homem que podia ser um milhinario e morreu pobre na homildade dava tudo que ganhava para a pobreza perdia noite de sono e sai de madrugada dando adredom para os mais nesecitados fazia sopa para quem não tinha o que de comer ele foi um mestre da diguinidade e da homildade e voces vem falar que ele e um fausario voce ta pecando meu amigo ele praticou tudo que jesus cristo deixou no envangelho so praticou a caridade a bondade ele tirava dele e dava para o proximo e chico sempre falava temos que amai au proximo como a ti mesmo mensagem esqrita no envangelho por ((jesus cristo))

  145. Marcos Arduin Diz:

    Não li todos os comentário, mas para o caso de não ter sido colocado, esclareço que o trecho do eletroencefalograma do Chico foi publicado na Revista Realidade de novembro de 1971, logo após a reportagem tendenciosa de José Hamilton Ribeiro, que tinha por título o cérebro anormal de Chico Xavier. O trecho sobre o eletroencefalograma seria só mais um adendo para corroborar o título da reportagem.

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)