Resgate Histórico: Revista O CRUZEIRO de 18/01/1964

Graças à inestimável ajuda de Guilherme Amaral Santos, o blog Obras Psicografadas conseguiu as reportagens originais da revista O CRUZEIRO denunciando a farsa das materializações de Uberaba que envolviam Chico Xavier, Waldo Vieira e Otília Diogo. Guilherme é autor de vários vídeos na internet sobre Chico Xavier, o primeiro deles acessível aqui.

.

Neste número de janeiro de 1964, ainda não são feitas as acusações com as provas fotográficas, que só virão na edição de fevereiro. 6 anos depois, toda a farsa será revelada na edição de outubro de 1970 com as provas materiais. Esta última edição será disponibilizada do dia do centenário de nascimento de Chico Xavier, ou seja, 2 de abril. Cada postagem terá ao final um link para que o leitor possa fazer o download da matéria original em maior resolução.

O Cruzeiro (18 de Janeiro de 1964)


01 irma josefa red

A FREIRA Josefa, ou Maria José Domini, falecida há 17 anos, com véu e crucifixo, é a materialização mais freqüente que aparece nas experiências mediúnicas da cidade mineira de Uberaba. Voz suave, ela conversa com os presentes, espargindo no ambiente perfume de flores. Às vezes, afirmam, chegam a descobrir a face, por alguns momentos.

 


JÚRI DE MÉDICOS FOTOGRAFA E DOCUMENTA EM UBERABA

FENÔMENOS DE MATERIALIZAÇÃO

                                      REPORTAGEM DE JOSÉ FRANCO

FOTOGRAFIAS DE NEDYR MENDES DA ROCHA E DA EQUIPE MÉDICA

“O Cruzeiro” apresenta o mais completo documentário sobre a “materialização de espíritos”, fenômeno parapsíquico relacionado com a liberação de ectoplasma, denominado “quinto estado da matéria orgânica”, que tem sido exaustivamente pesquisado pela ciência. Os depoimentos e as fotografias desta reportagem são da responsabilidade de uma equipe de médicos, de São Paulo e do Triângulo Mineiro, que assistiu e pesquisou durante três meses numerosas experiências, sob controle, na cidade de Uberaba. As opiniões foram registradas em discos, durante uma entrevista irradiada em programa da TV Itacolomi, em Belo Horizonte, e que reproduzimos, guardando-nos da análise dos fatos narrados.

02-medicosred 

AQUI aparecem nove dos dezenove médicos pesquisadores que, desde setembro, vêm realizando experimentações para o estudo das formas ectoplasmáticas na cidade-meca do espiritismo no Brasil, Uberaba. Foram fotografados pelos próprios companheiros, momentos antes de iniciar-se uma reunião, já sem paletó e gravata, conforme instruções da equipe. Nenhum objeto material, a não ser os óculos, é permitido. Tudo para evitar possíveis fraudes, no interior das câmaras experimentais de Uberaba.

 

NAS CÂMARAS DAS EXPERIÊNCIAS CIENTÍFICAS TOMAM-SE CAUTELAS PARA EVITAR FRAUDES

 

03 controle

OS MÉDICOS Elias Barbosa e José Américo Junqueira de Matos estão atarefados no ato de manietar, com correias e cadeados, numa cadeira, a sensitiva (médium) Otília Diogo, residente no interior paulista, e através da qual se materializa a freira Josefa. Todas as cautelas são rigorosamente obedecidas pelos pesquisadores, para evitar que os sensitivos se locomovam dentro da jaula, onde são colocados, à porta trancada e rubricada pelos participantes.

 

 

04 otilia inicio da materializacao red

POUCO depois desses cuidados, que têm como objetivo evitar qualquer possibilidade de fraudes ou mistificações, já agora a mesma médium Otília Diogo aparece no interior da jaula gradeada, sendo, de fora, fotografada por um dos médicos. Nota-se, com inteira clareza, que de sua cabeça começa a ser expelida a matéria ectoplasmática, uma espécie de nuvem branca, que dentro em pouco vai se transformar em espírito materializado. Imóvel, de cabelos caídos sobre o rosto, a sensitiva permanece em transe.

 

05 dr elias red

O DR. ELIAS BOAINAIM, ladeado pelo Dr. Oswaldo de Castro, mostra perante às câmaras de televisão a foto, que aparece ao lado, da materialização da Irmã Josefa atravessando a jaula.

.

NA noite de 29 de novembro, os telespectadores de Belo Horizonte e cidades circunvizinhas foram surpreendidos, quando a TV Itacolomi, através do Programa “Seqüência Atual”, transmitiu impressionante entrevista com uma equipe de médicos de São Paulo e do Triângulo Mineiro que assistiu e pesquisou, do ponto de vista científico, segundo afirmam, fenômenos de materialização de espíritos e efeitos físicos ocorridos, nas últimas semanas, na cidade de Uberaba, em reuniões que contaram com a presença dos médiuns Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira. Estiveram frente às câmaras oito dos dezenove médicos pesquisadores, os Drs. Elias Barbosa, professor de Farmacologia e Terapêutica Experimental da Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro, de Uberaba; José Hortêncio de Medeiros Sobrinho, radiologista do Instituto de Cardiologia de São Paulo; Adroaldo Modesto Gil, professor de Psiquiatria e Psicologia Médica da Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro; Elias Boainaim, cardiologista do Instituto de Cardiologia de São Paulo; Eurípedes Tahan Vieira, professor de Clínica Cirúrgica da Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro; Oswaldo de Castro, cirurgião do Hospital das Clínicas de São Paulo; Gil Perche de Menezes, Diretor do Hospital Psiquiátrico de Araras, São Paulo; e Alberto Calvo, psiquiatra do Instituto de Neuropatas e Psicopatas do Estado de São Paulo.

 

06red 

A MATERIALIZAÇÃO da irmã Josefa, de mãos postas, deixa o interior da jaula onde está manietada a médium Otília Diogo e começa a atravessar os varões de ferro. A poucos passos, um dos médicos pesquisadores se posta, para colher o flagrante fotográfico, que irá comprovar o que seus olhos acabam de ver.

.

Além dos pesquisadores entrevistados, participaram das experimentações em Uberaba, prestando depoimentos e testemunhos, os seguintes médicos: José Américo Junqueira de Matos, Diretor do Hospital Psiquiátrico de Marília, São Paulo; Sebastião de Melo, clínico de Itumblara, Goiás; Ismael Ferreira de Rezende, ginecologista e obstetra da Casa de Saúde e Maternidade Santa Clara, de Uberlândia, Minas Gerais; Milton Skaff, cirurgião da Santa Casa de Misericórdia de Sacramento, Minas Gerais; Adelror Alves de Gouveia, psiquiatra da Casa de Saúde São Judas Tadeu, de Ituiutaba, Minas Gerais; Cleomar Borges de Oliveira, clínico de Rifânia, São Paulo; Armando Valente do Couto, neuropsi-quiatra do Sanatório Nossa Senhora da Aparecida de Campinas, São Paulo; Flávio Pinheiro, pediatra de Ibitinga, São Paulo; Mário da Silva, clínico de São Paulo; Antônio Ferreira Filho, radiologista de São Paulo; e Waldo Vieira, clínico de Uberaba. Saliente-se que os pesquisadores referidos pertencem a todas as confissões religiosas, obtendo, dessa forma, conclusões imparciais nas pesquisas, isentas de preocupação religiosa ou proselitista, conforme asseguram.

07red 

O FLAGRANTE mostra a materialização da irmã Josefa, ao fundo, recendo, das mãos do dr. Waldo Vieira, e do médium Francisco Cândido Xavier, um livro. Depois a forma materializada troca palavras com os presentes, num diálogo que a todos impressionou vivamente.

 


DOIS MÉDIUNS, CHICO XAVIER E WALDO VIEIRA, COMANDAM AS EXPERIMENTAÇÕES

 

08 irma josefa com livrored

ENTRE as grades da jaula de ferro, a freira, segurando o livro.

 

 

 

 

Depois, em outro momento (foto ao lado), ela é fotografada ao lado do médium psicógrafo e clínico em Uberaba, Dr. Waldo Vieira. Este diz que tocou no seu braço.

09-irma-josefa-e-waldored

 

MEDIDAS DE PRECAUÇÃO

.

Participaram das reuniões de Uberaba, como médiuns de efeitos físicos e ectoplasmia, D. Otília Diogo, do interior paulista, e os Srs. Walter Santos Rezende, do Triângulo Mineiro, e Antônio Alves Feitosa, da capital de São Paulo, os quais se submeteram às severas exigências dos pesquisadores, sendo interrogados, examinados, manietados, algemados e presos dentro de uma jaula de aço de duzentos quilos, fechada a cadeados rubricados. Segundo aqueles oito médicos, cujos depoimentos foram gravados, tiveram o maior zelo em tomar todas as medidas de precaução para evitar, nas reuniões de Uberaba, possibilidades de fraudes ou mistificações. Assim — informam eles — vedaram completamente as portas e janelas do recinto, revistaram todos os presentes, de modo a que nenhum participante permanecesse com qualquer objeto de uso pessoal, excetuando óculos, durante as reuniões. Os homens compareceram sem paletó e gravata. Verificaram a inexistência de saídas secretas ou alçapões, constatando-se a impossibilidade normal de entrada ou saída de seres vivos ou de objetos, sem que os pesquisadores presentes percebessem. Além disso, as cadeiras foram numeradas com os nomes indicados e todos os participantes tiveram as costas marcadas com sinais fosforescentes, para estarem continuamente localizados dentro da câmara das experimentações e não se movimentarem sem serem percebidos. Numerosos gravadores e dez máquinas fotográficas foram colocados em todos os ângulos da sala. Revelam os médicos que as máquinas e os filmes fotográficos foram igualmente rubricados e anotados (número, modelo, objetiva, tessar, planar, filme, marca, sensibilidade, tipo, velocidade da máquina, abertura, etc.) para afastar a hipótese de truques fotográficos. Assim todas as possibilidades de fraude foram aparentemente abolidas. Ainda foram utilizados nas comprovações científicas termômetros, barômetros, balanças, condiciona-dores de ar, eletrofones, lanternas, “flashes” eletrônicos, além de dois fumadores que documentaram todos os preparativos anteriores e as medidas posteriores às experiências.

INTUITO CIENTÍFICO

.

Afirmam os pesquisadores que levaram a efeito seis experimentações de setembro a novembro do corrente ano “obtendo-se cerca de quatrocentas fotografias de espíritos e objetos materializados”, indicando-se dentro da equipe as funções de cada um dos médicos para se comprovar, minuciosamente, todas as ocorrências, ou seja, escalou-se o dirigente; os inventariantes do material das experimentações; os cinegrafistas; os clínicos e psiquiatras que submeteram os sensitivos (médiuns) aos exames clínicos antes e depois das reuniões (inclusive com eletroencefalogramas); os responsáveis pelas gravações; os encarregados de pesagem de todos os presentes; os executores de rubricas, revistas, lacrações e vedamentos; os relatores dos trabalhos, etc. Digno de nota é que todos os móveis, aparelhos e objetos, inclusive as vestimentas usadas pelos “sujets” (médiuns) foram adquiridos e fornecidos pelos próprios pesquisadores, que fizeram as experimentações no consultório de um deles.

.

Asseguram os médicos que “o intuito é científico; nenhuma intenção religosa anima a equipe de pesquisadores”. Somente agora, depois de três meses, na segunda fase das experimentações e atendendo a insistentes pedidos de colegas interessados, é que se resolveu deixar aparecer os resultados obtidos após pesquisas exaustivas e a comprovação unânime da autenticidade dos fenômenos.

OS FENÔMENOS DE MATERIALIZAÇÃO

.

Além da materialização de espíritos — “que se apresentaram com véus e desvelados, sob luz vermelha e “flashes” ou no escuro com luz própria” — os médicos declaram que se registraram outros fenômenos, como sejam “levitação de alguns objetos já colocados propositadamente pelos pesquisadores, “raps”, pancadas, palmas etc, além da ligação direta pelos espíritos, da radiola; do ligamento direto da luz elétrica e da dialogação dos espíritos com os médicos através da voz direta”. Houve, ainda, “transporte de objetos, aspersão de perfumes diversos em forma de chuva, ocorrências de luminosidades, sensação táctil e toque nos espíritos materializados”. Entre os espíritos que se manifestaram, destacam-se Alberto Veloso, “que se veste à moda oriental”; Adry, um índio sul-americano; Japi, indiazinha de 7 anos, “que materializou uma gaita (harmônica) tocando-a para os presentes”, e Irmã Josefa, falecida há 17 anos e que se materializou em várias reuniões, ainda de acordo com as informações dos médicos, “tendo oportunidade de conversar longamente com os participantes, além de se deixar fotografar com os presentes e de se deixar tocar por eles”.

ENVOLTO NUM VÉU BRANCO APARECE O ESPÍRITO À MODA ORIENTAL

.

Sobre esse fenômeno, revela o clínico e médium Waldo Vieira, conhecido psicógrafo da cidade mineira de Uberaba:

“— Efetivamente, foram constatados quinze fenômenos diversos, sendo mais importante as materializações de duas formas: Uma feminina e outra masculina. A forma masculina é de um colega nosso, Dr. Alberto Veloso, que teve clínica, segundo consta dos seus antecedentes, no Largo do Machado, no Rio. E a outra entidade, uma forma feminina já célebre, pois o seu túmulo está sendo visitado por centenas de pessoas, a da Irmã Josefa ou Maria José Domini, de cujas fotografias do túmulo já dispomos, para publicação no livro resultante das pesquisas e que terá o título de “Materializações — fenômenos de efeitos físicos comprovados por uma equipe médica”. A Irmã Josefa, que se materializa por intermédio da médium Otília Diogo, se manifesta com características que a individualizam de modo categórico. O seu timbre de voz é diferente do da médium, a sua fisionomia também o é. A sua compleição, ou seu biótipo, não se assemelha também com o da médium Otília. Ela tem luz própria, voz própria, e nós tivemos oportunidade de auscultar, de ver e pegar com os nossos dedos na forma materializada”.

“— O senhor tocou no espírito?”

“— Eu toquei na sua mão e tiramos, mesmo, algumas fotos olhando para ela, e aparecemos com ela na fotografia, junto com o Chico Xavier.”

“— Qual a impressão que teve ao tocar no espírito da Freira?”

“— Ela é um ser igual a qualquer outro. Nós pegamos no seu braço esquerdo e na sua mão esquerda. A materializada estava envolvida por um véu, uma espécie de filó, mas aprofundamos o dedo até encostar no seu braço e achamos que é um braço igual a qualquer um nosso, apenas com a temperatura um pouco mais baixa. Disso nós não temos dúvida, porque não é a primeira vez que nós comprovamos fenômenos semelhantes.”

FRAUDE E PERFUME

.

Também o cirurgião Oswaldo de Castro, do Hospital das Clínicas de São Paulo, dá a sua opinião. Segundo se afirma, êle compareceu em Uberaba para “desmascarar o embuste”, porque jamais acreditara em materializações. Eis algumas de suas palavras:

“— Antes de tudo, eu devo esclarecer que fui um dos elementos que mais trabalharam no sentido de policiar as pesquisas”.

O senhor é espírita?”

“— Não, não sou espírita. E sendo assim, não acreditava no fenômeno de materialização, e muitas vezes os criticava, achando mesmo que esses fenômenos não passavam de fraude. Então, preconcebidamente, entrei nesta equipe de médicos que pesquisavam esse assunto, desconfiando e procurando a existência de alguma possível fraude. Observei, então, todo aquele ambiente, examinei o consultório do colega, onde os trabalhos se desenvolveram, inclusive ó piso, que era de mosaico, as paredes, o vedamento dos vidros, os aparelhos existentes. Tivemos p cuidado de revistar todos os elementos que compunham o grupo. Nenhum entrou de paletó, não se podia usar objeto algum, a não ser os óculos. Tivemos o cuidado de fazer a revista mais perfeita possível, e depois verificamos a posição das máquinas fotográficas e o que havia nelas. Fiz questão de examinar todos esses detalhes, inclusive as j aulas para colocar os sensitivos (médiuns), e esses foram algemados, amarrados com correias no tronco, nas pernas, nos punhos e trancafiados a cadeados. Á porta da jaula foi lacrada e rubricada por vários colegas. Estou convicto de que não houve fraudes.”

Outro pesquisador, o médico Elias Barbosa, revela:

— Uma das medidas que se tomou antes das sessões e durante elas, e que pude comprovar, foi a seguinte: pediu-se primeiro, a todos que não usassem perfumes ao entrar na sala; em segundo lugar, houve uma revista geral dos presentes antes de entrar no recinto, de modo que a possibilidade de alguém ter entrado com perfume não existiu. E no entanto, esse perfume impregnou o ambiente, quando apareceram as formas materializadas”.

“— Que tipo de perfume?”

“— É difícil definir a qualidade do perfume, que variava conforme as entidades que. se manifestavam. A Irmã Josefa, por exemplo, se manifestava envolta por perfume de flores. Alberto Veloso, quando se materializou, foi sob uma onda de perfume semelhante a éter.”

“— Pode citar alguma prova concreta da aparição desses fenômenos?”

“— Há uma outra prova: eu dou muito valor às provas fotográficas. Se o olho humano às vezes erra, a máquina fotográfica não falha, e algumas fotografias que obtivemos são de ordem a não deixar dúvida nenhuma. Nós vimos em algumas delas uma figura vestida de branco, a Irmã Josefa, atravessada pelos varões da jaula em que estavam os médiuns, amarrados, manietados. E esta figura parece que nunca poderia ser um médium e nem um assistente, porque essa figura aparecia atravessada pelos varões da jaula.”

 

10 oswaldored

 

 

MÉDICO não espírita, o Dr. Oswaldo de Castro (à esquerda), cirurgião das Clínicas de São Paulo, ficou impressionado com o que viu, durante as experiências em que tomou parte. Afirma que o fenômeno é autêntico, apesar de jamais ter acreditado que isso pudesse ocorrer.

 

 

NOVOS HORIZONTES PARA A CIÊNCIA

.

Para essa equipe médica, integrada de dezenove especialistas, fatos da maior significação científica tiveram lugar nas reuniões Uberaba, abrindo-se, assim, vasto campo pesquisas para a Medicina e numerosos outros ramos das ciências. Disseram que, com o conhecimento mais profundo do ectoplasma (quinto estado da matéria ou estado psicodinâmico, matéria liberada pelos médiuns de efeitos físicos, sob determinadas condições físico-químico-biológicas, responsável pelas materializações e demais fenômenos de efeitos físicos, trará novos horizontes para a Ciência Médica, inclusive porque determinadas doenças ainda incuráveis, de etiologia obscura, encontram terapêutica mais eficaz nas aplicações da matéria ectoplasmática, tudo dependendo das pesquisas que devem ser feitas doravante. Sobre o assunto, esses mesmos médicos lançarão em breve, um livro, contendo mais de 120 gravuras com fotos, fotocópias e desenhos, além do estudo exaustivo dos sensitivos, que foram examinados, atestados, depoimentos, fichas clínicas, antecedentes, relatórios, interpretações hipóteses, classificações dos fenômenos contatados e conclusões finais, livro esse, que exporá os resultados totais de suas pesquisas, sessenta depoimentos de médicos brasileiros que já fizeram experimentações no mesmo sentido, “a fim de que os meios científicos do Brasil e do Mundo possam receber subsídios para um estudo mais aprofundado dos assuntos, aplicando os conhecimentos que agora se desdobram, para proporcionar ao homem melhores condições de vida”.

.

NOTA DO REPÓRTER

.

O fantástico traz o impacto, e foi sob a ação dele que escrevi essa reportagem. Ela se alicerça em fotos e informações de médicos que ocupam cargos da mais alta responsabilidade em Minas Gerais e São Paulo. Não houve neste texto, do princípio ao fim, nenhuma frase que denunciasse a opinião do repórter. Esta será expedida em outra ocasião, se me for dada a oportunidade de presenciar, com os próprios olhos, as pesquisas que a numerosa equipe médica procede na cidade de Uberaba sobre este fenômeno que há séculos vem provocando indagações tormentosas e para o qual a ciência não encontrou explicação: o quinto estado da matéria. Graças ao inestimável auxílio do médium Ismael Ramos das Neves e da jovem atriz de televisão Vanda Marlene, pude obter as fotografias sensacionais e os depoimentos de vários pesquisadores, que tenho comigo, gravados. Para mostrar o espanto motivado pelo resultado das pesquisas científicas, basta ouvir três palavras daquela artista da TV Itacolomi que, antes, jamais acreditou, nos fenômenos de incorporação de espíritos à matéria. Mas esteve presente a uma das experiências e bisbilhotou com olhos de repórter toda a preparação que os médiuns e médicos realizavam para receber a visita do “espírito materializado”.

“— Quando este surgiu” — confessa ela, agora, — “em meio à penumbra do ambiente, e conversou comigo, fiquei tão aterrada que não consegui dominar meus nervos. Convulsionada, chorei. Ao meu lado um dos médicos pesquisadores também chorava e tremia, violentamente.”

 

O CRUZEIRO. 18 – 1 – 1964

 11-alberto-velosored

 

OUTRA aparição de espírito incorporado à matéria foi de Alberto Veloso, que se diz morto há anos, antigo médico do Largo do Machado, no Rio. Materializava-se vestido à moda oriental, como é visto na foto, ajoelhado e pés descalços.

 

AMARRADO E MANIETADO O MÉDIUM EXPELE A MATÉRIA ECTOPLÁSMICA PELA BOCA

 

 12-13curzjan

AQUI aparece o médium Antônio Alves Feitosa liberando ectoplasma pela boca, ladeado pelo médico Dr. Waldo Vieira e médium Francisco Xavier, e, pelas costas, imóvel, o espírito incorporado da freira Josefa, ou Maria José Domini.

 

 

 

13red

Em cima, os médicos Elias Barbosa e José Américo Junqueira de Matos iniciando, o ato de manietar o sensitivo Walter Santos Rezende com cadeados e correias.

.

14-irma-josefa-e-alguemred 

O ESPÍRITO da freira, segundo o depoimento do médium Waldo Vieira, “se materializava com um buquê de flores, outras vezes não”. Mas o que invariavelmente aconteceu é que sempre trazia um diadema luminoso e uma estranha luminosidade à altura do tórax. Envolvida pelo véu, uma espécie de filó, não se diferencia de qualquer ser vivo, sendo no entanto uma presença suave que esparge perfume de flores.

                                                                                                       

15 irma josefa com flores

Link para o download da matéria original:

http://www.4shared.com/file/243821079/570304fa/O_Cruzeiro_Janeiro_1964.html

 

74 respostas a “Resgate Histórico: Revista O CRUZEIRO de 18/01/1964”

  1. Marcelo Silva Diz:

    Nessa época já existiam câmeras de filmagem. Por que não filmaram ao invés de tirar fotos?

    O problema dessa história de materialização é que a irmã Josefa, não aparece ao mesmo tempo ao lado da “medium” Otília diogo, num flash só.

  2. Vitor Diz:

    Oi, Marcelo
    a sua questão da filmagem será respondida na próxima postagem. Aguarde alguns dias.

  3. Marcos Guerra Diz:

    boa noite,

    Caso nao seja provado o que aqui esta sendo dito aqui, iremos denunciá-lo à justiça.

  4. Vitor Diz:

    Oi, Marcos

    qual o crime em se resgatar um material histórico?

  5. Gilberto Diz:

    Além do batalhão de médicos supostamente céticos e de pensamento científico, bastaria um mágico profissional pra “matar essa charada”. Mas a mente humana é muito sugestionável dados o ambiente e os estímulos sensoriais certos. Os inúmeros centros espíritas que visitei quase sempre criam um misè-en-scene (consciente ou inconscientemente) que, se você é impressionável, é capaz de ver coisas, sentir coisas, e até incorporar “entidades”, ou pelo menos se sentir mal. O que já seria sinal de mediunidade (nas igrejas petencostais seria sinal de “encosto”). Esse poder de sugestão é muito forte. O cineasta Carl Dryer dava a sua definição de sugestão desta forma: “Imagine uma sala com amigos conversando animadamente. Agora, uma pessoa entra na sala e diz que na sala ao lado há um cadáver. Tudo na sala muda. A iluminação muda. As sombras mudam. A conversa muda. As sensações físicas mudam. A própria percepção muda. Tudo isso mesmo se, na verdade, não existir cadáver algum na sala ao lado, mas apenas um bebê dormindo.”

  6. Chico Xavier e a fraude de Otília Diogo, a “irmã Josefa” | CeticismoAberto Diz:

    [...] Nesta primeira matéria, os “fenômenos de materialização” são divulgados pela revista em um tom crédulo, sem quase qualquer questionamento. Ainda assim, qualquer leitor com senso crítico poderá notar problemas na história. Praticamente toda evidência da realidade de tais fenômenos se fundamenta no testemunho dos envolvidos e de suas medidas de salvaguarda contra fraude. Mesmo estas declarações são reveladoras, por exemplo, quando Franco nota que: “[O espírito da freira] é um ser igual a qualquer outro. Nós pegamos no seu braço esquerdo e na sua mão esquerda. A materializada estava envolvida por um véu, uma espécie de filó, mas aprofundamos o dedo até encostar no seu braço e achamos que é um braço igual a qualquer um nosso, apenas com a temperatura um pouco mais baixa. Disso nós não temos dúvida, porque não é a primeira vez que nós comprovamos fenômenos semelhantes”. [...]

  7. Daniel Lopes Diz:

    Muito bom post. Agora me diga qual a experiência de médicos (ginecologistas, pediatras, etc) em fenômenos “físicos” e ilusionismo? Se eles quisessem mesmo evitar fraudes, teriam chamado físicos, ou melhor ainda, mágicos (esses já conhecem os truques mais manjados, e os identificariam rapidamente).

    Pra mim todo o episódio não passou de um teatro. Para o leigo, o fato de ter sido visto por um grupo de médicos e “pesquisadores” (seja lá o que for isso) mostra que foi “cientificamente analizado”, como a revista deixa a entender em diversos momentos.

    @Marcos Guerra
    Seu sobrenome é esse mesmo, ou você está deixando claro o que você quer nesse blog? (troll)

  8. William Diz:

    Pessoal,
    -
    O ente (ou seria ser?), designado “Guilherme Amaral Santos”, naturalmente, através de insinuações, apresenta-se como uma pessoa de nível intelectual muito superior aos espíritas ou qualquer individuo que aceita determinados fenômenos, assim como sua explicação e teses.
    -
    Porém, logo no primeiro vídeo, se mostra alguém extremamente ignorante, com raciocínio falho preenchido de fantasias. Depois de dizer que não devemos acreditar em um “palhaço metido a messias”, discorre sobre a epilepsia sem o mínimo pudor em expor sua incompetência crítica.
    -
    Aceita os resultados do eletroencefalograma e raciocina que o conteúdo mediúnico seria uma farsa de um epilético, exemplificando com o “caso do tiro”, ou seja, sem conhecer o real histórico de Chico Xavier, arrisca opinar na maior cara de pau em meras suposições, reduzindo-se ainda, portanto, à criptogênica.
    -
    Se ele acredita na opinião dos médicos sobre a EGG, supostamente, o fator que desencadearia a alteração de descarga elétrica seria determinado fatores externos. Pergunto: Quais fatores esses em um ambiente como um centro espírita ou quaisquer condições de mais profundo recolhimento?
    -
    Não se sabe hoje, as origens exatas da epilepsia, e eis que um leviano não só determinou o histórico de Chico Xavier sem conhecê-lo como fez “tese”. Piada!
    -
    Esse talzinho de Guilherme invalida todas as materializações na história quando faz piada comédia ao nível da popular “loira burra” (antes tivesse o teor filosófico de um Mazarropi) estabelecendo que uma pólvora ou qualquer outro tipo de substância semelhante teria que ser um “espírito” para existir em outro estado. Quer dizer, o próprio perispírito teria que ser um espírito.
    -
    Uma coisa eu admito, com sua burrice conseguiu ser atual, pois dentro do paradgma materialista, esboça de longe, muito de longe as derivações de uma única substância. Aplausos para ele!
    -
    Uma coisa imperdoável, chama um “epilético” legitimo, em plena crise (que admite) de “palhaço metido a messias”. Ora, ele é um palhaço ou epilético?
    -
    Não irei perder meu tempo em ver o segundo vídeo.
    -
    O Vitor deveria ter vergonha em postar vídeos dessa qualidade. Mas eu não me espanto, afinal, aqui é um exercício da prática da má intenção. Só estou esperando o resto da espetacular exposição de fraude através do “Resgate Histórico: Revista O CRUZEIRO”.

  9. William Diz:

    Uma pena que no momento estou sozinho aqui, pois estaria uma meia dúzia de pessoas espíritas bem informados para liquidar com todas essas páginas sem graças.
    -
    Infelizmente não consigo responder tudo (não sou dois), só ver como estou com dificuldades para prosseguir no caso “Mirabelli” (apesar de ser fácil apontar as falhas grotescas do jornal em questão).

  10. William Diz:

    Vitor,
    -
    Você como um PEQUISADOR “IMPARCIAL” que não quer apenas formar opinião VAI colocar de cabo a rabo as refutações de Rizzini também né (em relação ao “O Cruzeiro”)?
    -
    Você sabe…fica mais fácil eu e o leitor formar uma opinião, senão terei um enorme trabalho desnecessário de ficar colocando textos aqui, uma vez que essas paginas imparciais não são minhas mas SUAS.
    -
    SE VOCÊ NÃO FIZER, que o leitor possa formar desde já uma opinião pessimista sobre SUA INTENÇÃO.

  11. William Diz:

    Leitores,
    -
    Se o nosso colega Vitor não expuser as refutações de Rizzini contidas no livro “Materializações de Uberaba” para TODOS PODEREM DISCUTIR COM PROPRIEDADE, saibam desde já que os textos de “O Cruzeiro” não prevalecem.

  12. Vitor Diz:

    William,

    por questões de copyright, imagino que eu não possa disponibilizar o livro de Rizzini. Além disso, William, ainda que Rizzini tenha feito um trabalho de contestação brilhante à reportagem da revista O Cruzeiro, com a descoberta da fraude da Otília na década de 70 penso que qualquer trabalho de contestação fica muito enfraquecido. Posso, no entanto, indicar o livro para os interessados.

  13. Guilherme Diz:

    William ou Marcos… Não sei quem escreveu que eu disse que eu ofendi o Chico Xavier de um modo “grosseiro” no começo do “Chico Xavier: uma Farsa” Parte I… Quando eu falei em palhaço metido a messias e maluco que diz ver coisas, eu não estava me referindo exatamente a ele… mas a todos os elementos mal intencionados, ou que não conseguem filtrar suas ilusões por alguma maldade, que tentam convencer pessoas com menos instrução a crer em suas mentiras…

    De qualquer modo, a matéria é verdadeira… Quaquer coisa, consultem os então editores da revista O Cruzeiro e da Realdade… Se vocês acreditam em fantasma e vão usar isso para desencorajar pessoas legítimas de dizer a verdade, aí o problema já é de vocês…

    Um abraço para as pessoas de bem…

  14. Guilherme Diz:

    Ah sim… Enfim, uma pessoa perguntou por que na época não filmaram, mas apenas tiraram fotos… Foi porque o Waldo Vieira não deixou… É só ler as reportagens para descobrir como o Waldo Vieira não permitiu o uso de máquinas de filmar ou “flashes” nas seções (até para não ser desmascarado)…

    Um abraço…

  15. Gilberto Diz:

    Em uma possível defesa à Xavier: Será que tal encenação não foi obra de Vieira e Xavier estava lá desavisado só pra dar mais credibilidade à cena? Todo mágico sabe que o melhor truque é ter um comparsa. Mas será que um truque não fica ainda melhor com um comparsa que não sabe que é comparsa? Sei que Xavier participou de outras materializações fortemente dúbias, como a do tal Emmanuel, mas será que todo aquele aparato montado em Uberaba para santificá-lo não teve várias mãos manipuladoras? Talvez Xavier apenas inconscientemente aceitava tal aparato, pois a situação era confortável para ele, e lhe dava cada vez mais aceitação e arregimentava cada vez mais fiéis. A minha tese é de que Xavier não fraudava conscientemente, mas sim inconscientemente aceitava a situação de poderoso e adorado médium. O dinheiro pouco importava a Xavier, mas com certeza importava muito às pessoas que vendiam (e ainda vendem) seus livros. No contexto da cultura do tempo em que ele desenvolveu suas técnicas, a mediunidade e as sèances (com efeitos que se assemelhavam à também emergente mágica de salão) estavam inseridas como verdades sociais. Talvez ele tenha tomado tais verdades para si e, fazendo vista grossa aos que aumentavam ainda mais sua crescente fama (como o autor de “Materializações de Uberaba”), tenha aceitado seu crescimento como uma forma que ele via de legitimamente ajudar as outras pessoas. Vejo esta tese como uma explicação mais lógica ao fenômeno Chico Xavier, sem malhação pública de um homem que, quando vivo, recebeu a alcunha de o “santo dos nossos dias”, e, depois de morto, privilegeia-se como um mito intocável, respeitado por milhões.

  16. William Diz:

    Vitor,
    -
    Irei tentar acompanhar, espero que você coloque além da matéria de “O Cruzeiro”, pelo menos os principais pontos da refutação de Jorge Rizzini.
    -
    Aguardo a descoberta da fraude exposta na década de 70, com certeza você irá recolher material interessante e não o caso que está fora das criticas do grande espírita Rizzini, que, aliás, assume no livro “Materializações em Uberaba”, com todas as letras que ela teria sido pega em fraude em setembro de 1970 para ser mais preciso ok.
    -
    Comigo não se dá tiro no escuro, saiba disso.

    Comigo não se dá tiro no escuro, saiba disso.

  17. William Diz:

    Pessoal,
    -
    Ignorem meus erros de digitação como EGG que era pra ser EEG. Etc. O importante é manter o raciocínio central, irei caprichar no texto em espaço apropriado e no futuro.

  18. William Diz:

    Guilherme,
    -
    É bom saber o que fala, não irei responder por enquanto, só estou aguardando a matéria para as postagens não ficarem “perdidas”. Irei comentar conforme forem colocadas as afirmativas e acusações.
    -
    De forma animalesca rasgaram até os bolsos do Chico Xavier, e os repórteres da revista “O Cruzeiro” assinaram um documento referente à vistoria feita em Otília (ou seja, estava td ok).

  19. William Diz:

    Gilberto,
    -
    Fama todo mundo ganha, quero ver você provar que Rizzini lucrava com Chico Xavier…deixa disso! O que você quer dizer com fama? Você conhece a posição profissional de Rizzini na época? Pois bem…

  20. Gilberto Diz:

    William, quis dizer fama de Xavier. Quero que VOCÊ prove que NINGUÉM nunca ganhou RIOS de dinheiro em cima de Xavier!! Existe uma verdadeira indústria em cima do pobre homem! Na última Bienal do Livro do Rio, o stand da FEB era o MAIOR, e com um painel com uma foto de 20 metros com a foto de Xavier! Aquele stand custou centenas de milhares de reais, e com certeza lucrou bem mais…

  21. William Diz:

    Gilberto,
    -
    Agora você tem razão. Provavelmente há uma indústria poderosa relacionada aos livros do Chico Xavier, sobretudo essas edições extremamente luxuosas com novas traduções, etc. Eu torço o nariz só pelo fato de achar um livro de Allan Kardec ou Chico Xavier no Carrefour, por exemplo.
    -
    Não sou cego, só ataco acusações que eu julgo injustas ou carentes de plausibilidade.
    -
    Eu não irei defender com unhas e dentes as materializações de Uberaba, mas o cara que quiser dar uma de engraçadinho vai ter que saber fazer isso e de forma correta.
    -
    O Vitor quis me induzir que o livro de Rizzini tinha enfraquecido com a fraude de 1970 e não é por ai, afinal, te convido a remeter ao “deboche” de Charles Richet que observou o caso “Bien Boa” e pouco se importou com declarações posteriores da médium, do suposto ajudante dela e da teoria ridícula de ser sido enganado com um boneco.
    -
    Os interesses que envolvem essas experiências são os mais variados, com certeza é o assunto de potencial cientifico que mais causa polêmica e se debate no auge do calor, infelizmente.
    -
    Não coloco minha mão no fogo que o Vitor não seja algum católico “estilo Quevedo”, pois a tendência dele, a forma, enfim, todo o jeito de se comportar lembra de alguém que defende alguma religião, basta saber se realmente o altar dele está abrigado em sua própria mente (livre pensador), fraca defensora das idéias materialistas, uma vez que não refuta da forma mais digna, ou se é um católico ou evangélico disfarçado.
    -
    O comportamento é muito típico de um religioso, até a forma como omiti outros pontos de vistas e só o que pode direcionar as idéias dos leitores sem as demais referências para formar a opinião imparcial. Você sabe que eu tenho razão nesse ponto, não precisa nem responder. Se ele não for um religioso, não sei o que está esperando para fundar uma seita.
    -
    Você pode ter certeza que o dia que eu me dispuser a abrir um espaço de investigação histórica, será colocado os principais pontos de vistas discordantes. Isso é uma atitude de justiça com o leitor que não ocorre aqui.

  22. William Diz:

    Obs: Não quis dizer que a FEB seja corrupta.

  23. William Diz:

    Gilberto,
    -
    Que fique bem claro que eu estimo muito e aprovo o sentimento religioso de uma pessoa, eu apenas critiquei a religião que omiti certos pontos e age de forma desonesta. O homem faz péssimo uso das melhores coisas.
    -
    Todos nós sabemos que existem materialistas intelectualmente desonestos, da mesma forma acontece com alguns religiosos.

  24. Gilberto Diz:

    William, concordo com você a cada dia em mais pontos.

  25. Gilberto Diz:

    Quanto ao fato do Vítor ser um católico à Quevedo, eu não acredito. Convivo com amigos da minha esposa que são católicos bem conceituados na cúria da Igreja aqui no Rio, e eles torcem muito o nariz para o Padre Quevedo, justamente por ele ser muito cético. É impressionante, todo religioso praticante tem preconceito para com os céticos. Eles ACHAM que os céticos SE ACHAM melhores que os outros… Parece-me que o Vítor é como um Fox Mulder às avessas, que depois de procurar sem encontrar o sobrenatural convencional e mitológico, resolveu “querer acreditar” no sobrenatural cético (!), e o procura diligentemente. Mas parece que ele só esbarra em fraudes e exageros, minguando seu sucesso a pequenos e tênues experimentos bem-sucedidos, ordenhados com enorme dificuldade, e mesmo assim passíveis de contestação. E também admiro a sua coragem de se expor tanto num assunto tão polêmico. Mas existe o velho ditado Vulcano: “Apenas Nixon podia ir à China.”

  26. William Diz:

    Gilberto,
    -
    Pode ser que o Vitor não seja religioso, na verdade eu disse em tom de ironia, por causa da forma de argumentar às vezes, da omissão de certas obras, refutações, jornais, etc. O Quevedo não é cético, não passa de um “pangaré”, intelectualmente muito desonesto.
    -
    Não considero a religião em si algo ruim, apesar de claramente o ser humano a ter usado para enganar e lucrar. Houve muitos religiosos admiráveis. Quem condenaria um Chico Xavier, um Ghandi, uma Teresa (de Caucutá)? Só aqui se blasfema em dizer que C. Xavier poderia ganhar dinheiro por tabela!
    -
    A única vez que eu entrei em uma igreja evangélica apenas para acompanhar um amigo de infância, o pastor cobrou dizimo dizendo algo do tipo “vocês sejam generosos” e tal.
    -
    Freqüentei anos um centro espírita, e afirmo que NUNCA cobrou dizimo, naturalmente há a existência de um comércio, venda de livros na livraria e eventos para arrecadar capital para sustentar a instituição.
    -
    O importante é adquirir capital de forma justa, ou seja, fornecendo em troca algo material. Faz tempo que eu não tenho mais a ingenuidade de achar que certas coisas devem ser feitas sem envolvimento de comércio, pensar dessa forma seria um absurdo, pois nada (material) se sustenta nesse mundo sem envolvimento de dinheiro. O dinheiro é um progresso da humanidade.
    -
    Agora quando uma instituição espírita cresce muito e mais do que natural qualquer espírita desconfiar na possibilidade de corrupção. O espírita DEVE desconfiar e ponto.
    -
    A instituição espírita tem que ser transparente, não pode “elitizar”, quer dizer, haver meia dúzia de “líderes” inquestionáveis que dirigem e ninguém mais entra e nem tem acesso a nada.
    -
    O centro espírita deve sofrer sempre a troca de diretores, por exemplo. A pessoa que entrou hoje em um centro, é inteligente, possui boa conduta, participa das mais variadas atividades, tem capacidade administrativa, daqui a alguns anos DEVE ter direito de acessar outras funções.
    -
    Voltando ao assunto “comércio”, ontem mesmo, estava andando no Extra (supermercado) e vi o livro “O Livro dos Médiuns”, da FEB, na prateleira por R$ 14,00. Mesmo estando em um supermercado e sendo um livro relativamente volumoso, está muitíssimo mais barato que qualquer outro livro materialmente semelhante.
    -
    Acontece que eu discordo que livros espíritas devem estar dentro de Extra, Carrefour, Saraiva, etc. Pelo simples fato de que essas empresas não são instituições de caridade e estão ganhando algo em troca para expor o livro.
    -
    Por isso nunca pensei ou afirmei que a FEB seja corrupta, mas questiono profundamente esses livros sendo comercializados por essas empresas.
    -
    Eu posso mudar de opinião no futuro, mas no presente é o que penso.

  27. Wendel Diz:

    O texto não ma parece fornecer muitos detalhes sobre como foi a reunião. Seria um experimento interessante tentar reproduzir as mesmas condições descritas na reportagem com um mágico ou ilusionista no papel de médium, para que ele tentasse reproduzir os mesmos fenômenos observados nessa sessão. E que fosse submetido às mesmas condições, diante de “pesquisadores” que estivessem alertas para os truques do “médium”, como provavelmente estavam os médicos durante essas reuniões.
    Consideraria-se as três possibilidades: 1) o “médium” agindo sozinho, sem nenhum comparsa; 2) o “médium” agindo com um comparsa (no caso, seguindo os passos de Chico ou Waldo) e 3) o “médium” agindo com dois comparsas (Chico e Waldo).
    Vítor, tentei ver o vídeo do Guilherme, mas foi removido do Youtube. Sabe se ele disponibilizou em algum outro lugar?

  28. Vitor Diz:

    Oi, Wendel.

    O Guilherme retirou o vídeo para colocar um melhor, segundo ele. Ele até já me deu o link, mas quando fui ver o vídeo ainda estava sendo processado, e não rodava.

  29. William Diz:

    Wendel,
    -
    Há detalhes sobre o caso sim, em alguns casos, com documentos assinados ou gravados (livro, “Materializações de Uberaba”). Estou apenas aguardando o material de “O Cruzeiro”.

  30. Juliano Diz:

    Um detalhe interessante que só vem a corroborar mais que o experimento foi uma fraude, uma senhora e estúpida fraude. A dita Irmã Josefa era tida como um fantasma (espírito desencarnado)? Certo? Então, por quê razão um espírito desencarnado (fantasma) teria a necessidade de para entrar na sala mover a cortina preta de acesso a mesma. Ela poderia e deveria passar pela cortina preta sem abri-la, ou move-la pouco, mas ao contrário abre-a, e abre-a bem, diga-se.
    Então, segundo a experimentação de Uberaba, um fantasma pra entrar em algum lugar tem que bater na porta (toc toc), – Alô, posso entrar. – A experimentação contrariando o prórpio espíritismo, que diz ser possível se atravessar paredes, quando desencarnado. O que diga-se, é verdade. Então, os espíritas acreditam que o ectoplasma atravessa paredes. Ou não atravessa? Ou, a resposta mais fácil e provável, depende da situação.

  31. Wendel Diz:

    William,

    Eu conheço o livro (já o li), mas meu comentário se atém à reportagem. Eu não disse que não tinham detalhes, mas que não parecem ser muitos nos pontos mais conflitantes da história. Independente do que eu acho ou não em relação aos detalhes, ainda acredito que uma boa forma de avaliar se houve fraude ou não seria a repetição das sessões, nas condições que descrevi na mensagem anterior.
    E mesmo assim, esse experimento não confirmaria a hipótese espírita ou qualquer outra. Apenas levantaria evidências a favor da hipótese de que o fato teria sido autêntico, ou que teria sido fraudulento.

  32. William Diz:

    Wendel,
    -
    Fico feliz por você ter lido o livro de Rizzini, pois dessa forma será uma pessoa que apesar de poder ter uma opinião contrária a minha, irá abordar o caso com mais propriedade que certas pessoas que nada leram e já sabe de antemão que era uma absoluta fraude ridícula.
    -
    Você disse “O texto não ma parece fornecer muitos detalhes sobre como foi a reunião”. Por favor, poderia levantar os “muitos nos pontos mais conflitantes da história”?
    -
    “Independente do que eu acho ou não em relação aos detalhes, ainda acredito que uma boa forma de avaliar se houve fraude ou não seria a repetição das sessões, nas condições que descrevi na mensagem anterior”.
    -
    Tomando como “ponto de partida” à sessão do caso em questão pode-se dizer que não foi nem a primeira nem a última experiência. Apenas a reportagem de “O Cruzeiro” não participou, afinal, se você realmente está bem informado sabe a resposta dos médicos ao repto de honra da revista.
    -
    Na década de 70 a médium foi pega em fraude, mas isso, em minha opinião, e irei argumentar depois, tem pouca relevância para aquele dia (década de 60).
    -
    “E mesmo assim, esse experimento não confirmaria a hipótese espírita ou qualquer outra. Apenas levantaria evidências a favor da hipótese de que o fato teria sido autêntico, ou que teria sido fraudulento”.
    -
    Concordo 100%. Assim que Charles Richet, Nobel de Fisiologia (estudo completamente arraigado em idéias materialistas) não estava tão facilmente inclinado em aceitar a teoria espírita para os fenômenos que afirmou existir e não serem fraudes.
    -
    Aceitando os fatos, inicia-se o debate em torno das explicações mais conformes ao que se observa.

  33. William Diz:

    Juliano,
    -
    A experiência é de MATERIALIZAÇÃO. Por acaso você se apoiou naquelas notas sem pé nem cabeça de que se o material branco fosse ectoplasma (termo estabelecido por Charles Richet), o mesmo não poderia estar atravessando as grades e ao mesmo tempo sendo sustentado pelo piso!
    -
    Eles são uns incompetentes que nem de física e química entendem, pois há uma variedade enorme de substâncias conhecidas que ultrapassam certos obstáculos e se detém sobre o “piso” e mesmo o “pano”.
    -
    Não se conhece muito bem as propriedades do ectoplasma.
    -
    Vai estudar e volta para opinar.

  34. Daniel Viana Diz:

    Olá Victor
    Você possui outras fotos, e videos de entrevistas, palestras do Dr Waldo Vieira que possa disponibilizar?Ou conhece alguém que tenha?
    Essa matéria sobre a farsa, vai lançar mesmo dia 2?

  35. Wendel Diz:

    William,
    Dentre os detalhes, citaria as dimensões exatas da gaiola, o espaçamento entre as barras, a localização exata do médium dentro da gaiola, a localização dos médicos e assistentes durante a sessão (e a liberdade de movimentação deles), mas em grande parte concordo com as observações feitas pelos jornalistas nas reportagens seguintes da revista. Se realmente aquelas “proibições” aconteceram, é algo digno de atenção.

    Eu não estou bem familiarizado com o fato. Li o livro de Rizzini apenas uma vez. E quanto a “reptos de honra”, isso não me parece algo muito significativo.

  36. Regiane Mendes Diz:

    Responsabilidade é a palavra.Quem tem dúvidas q pesquise…vão achar muita coisa interessante p se pensar.Caminhamos todos para desvendar esse e outros mistérios, um dia,visto q partiremos ou desencarnaremos tbm…Quem não “viver”,verá!

  37. Sonia N. Diz:

    Sr. Emanuel Oliveira:
    -
    Agradeço sua preciosa informação, a respeito da matéria feita por José Edmar Arantes Ribeiro, Bacharel e mestre em Física pelo Instituto de Física da Universidade de São Paulo (IFUSP), postada no Observatório da Imprensa, no dia 18 de abril, em desagravo à reportagem feita por Gisela Blanco, na revista Superinteressante, do mês de Abril.
    -
    Justiça é a verdadeira caridade.
    -
    Não vou comentar nada, porque a matéria do Observatório da Imprensa, diz tudo.
    -
    Acessem o link:
    http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos.asp?cod=585FDS008
    -
    Grande abraço

  38. Luiz Roberto Turatti Diz:

    Há uns 10 anos disse e, deve estar publicado em algum lugar pela web, que o espiritismo não resistiria mais 3 ou 4 gerações, no máximo. Com essa muito oportuna, plausível, corajosa reportagem “Chico Xavier – Uma investigação” (SUPERINTERESSANTE, Abril 2010), da competente jornalista investigativa Gisela Blanco e do Diretor de Redação Sérgio Gwercman, concluo que começou a derrocada. Ou a decadência teria começado já no ano 2000, quando o Fantástico, da Rede Globo de Televisão, apresentou “Padre Quevedo – O Caçador de Enigmas”, sua maior audiência em 30 anos? Deus tarda, mas não falta. Quem viver verá!

  39. Sonia N. Diz:

    Luiz Roberto Turatti:
    -
    Quanto à Superinteresseira – meus pêsames!
    -
    Quanto à audiência da Rede Globo – Com certeza, todos queriam conhecer a última idiotice do Quevedo.
    -
    Quanto à sua previsão – Ainda bem que Deus, não tarda e nem falha. Veremos!

  40. Gilgamesh Diz:

    Turatti: Católico fanático; Parapsicólogo.
    Quevedo: Ex-padre católico e ainda católico fanático. Parapsicóloco.
    Parapsicólogo fanático religioso rechaçando o Espiritismo e Chico Xavier não merece crédito algum. É o mesmo que um nazista teólogo falando do judaísmo. Francamente!

  41. Gilgamesh Diz:

    Gente que contesta os fenômenos mediúnicos, mas exalta os dogmas católicos ou evangélicos não merece o menor crédito. Acusar de fraude a mediunidade de Chico Xavier, mas crer em anjos caídos, Adão e Eva, criacionismo, ressurreição, etc., é coisa de fanático que quer impor suas crenças. Engraçado é que essas figuras utilizam a Ciência para contestar o Espiritismo, mas não a usam para comprovar seus dogmas religiosos. Por que será, hein?

  42. Gilgamesh Diz:

    Esse Turatti condena tudo que seja diferente dos dogmas católicos. Fala de Parapsicologia como se esta avalizasse os referidos dogmas. Cita constantemente o famigerado padre Quevedo (seu mestre), que tal qual ele, condena tudo que não seja católico. O Quevedo é padre. Padre contestando o Espiritismo através da Parapsicologia é brincadeira! Só o fato de ele ser padre já levanta suspeitas sobre as suas explicações. Francamente, como uma pessoa que se diz cientista, como esse tal Quevedo e o Turatti, podem contestar a mediunidade, sendo que acreditam na Bíblia, em Adão e Eva, na ressurreição física de Jesus, nos profetas bíblicos, etc.? Contestam o Espiritismo, mas não contestam os dogmas católicos. Quem é esse tal Quevedo e o Turatti para afirmar que o espírito não se separa do corpo? Donos da Verdade? Sabem mais que a própria Ciência, que, diga-se de passagem, ainda está engatinhando nesta seara? Isso tem nome: Arrogância, e a arrogância é umas das maiores características dos fanáticos.
    O Turatti fala que foi espírita. Duvido disso, porque ele fala sem conhecimento de causa. Ele fala como alguém que nunca freqüentou um centro de espírita de verdade ou sequer leu livros verdadeiramente espíritas.
    O Turatti costuma dizer que fora da Verdade não há salvação, mas a verdade dele, diga-se de passagem.
    O Turatti e o Quevedo são católicos fundamentalistas, ou seja, fanáticos, por isso, são, no mínimo, muito suspeitos para contestarem o Espiritismo e falarem de fundamentalismos. Não são parapsicólogos imparciais. Não podem ser levados a sério.
    Parapsicólogos que contestam fenômenos mediúnicos, mas exaltam seus dogmas religiosos, não são dignos de credibilidade. São evidentemente tendenciosos e isto enfraquece suas teses.
    Turatti, já que você contesta tanto os fenômenos mediúnicos e exalta a Bíblia e a Igreja Católica como sendo detentoras da verdade absoluta, então você deve ter como provar de verdade, sem proselitismos e sem usar a Bíblia, que Jesus ressuscitou fisicamente, que Jesus transformou realmente água em vinho, que Ele andou sobre a água, que ressuscitou Lázaro depois de iniciado a decomposição, que fez cegos de nascença enxergarem de verdade, que curou leprosos em estágio avançado, etc.? Você prova que tais coisas aconteceram mesmo e que não foram fraudes?
    O que você diz a respeito das aparições da Virgem Maria àquelas três crianças em Fátima?
    Você sabia, Turatti, que Jesus também foi tido como embusteiro por muitos em Sua época?
    Você sabia, Turatti, que a Ciência ainda procura provas da existência histórica de Jesus?

  43. Gilgamesh Diz:

    Esse Turatti é ridículo! Vive combatendo o Espiritismo, citando o Quevedo (católico de carteirinha) e exaltando os dogmas católicos. Sinceramente, um cara que se diz parapsicólogo, mas crê e exalta os dogmas católicos e a Bíblia, merece algum crédito?

  44. Gilgamesh Diz:

    Turatti, além de arrogante, católico fanático e mal informado, você é INVEJOSO. Você, tal qual o canastrão do Quevedo, morre de INVEJA do Chico Xavier! Isto é evidente para todos.

  45. Gilgamesh Diz:

    Muito antes de morrer, Chico Xavier afirmou que morreria num dia de muita alegria para o povo brasileiro. Muitos acharam que ele se referia ao carnaval, mas ele veio a falecer na conquista do pentacampeonato mundial de futebol pela seleção. Como você explica isso, Turatti?

  46. Gilgamesh Diz:

    Turatti, discípulo do manjado padre Quevedo, e sua arrogante cegueira: http://jefferson.freetzi.com/Resposta-Catolico5.html

  47. Gilgamesh Diz:

    Uma vez perguntaram ao padre Quevedo acerca das aparições da Virgem Maria àquelas crianças em Fátima, Portugal. Essa pergunta deixou o “caçador de enigmas” em posição bastante delicada. Em função de sua posição anti-Espiritismo, ele já deixou bem claro que não acredita em espíritos, ou seja, não poderia confirmar a tal aparição, pois poderia incorrer no risco de também confirmar a possibilidade de aparições espirituais, ou seja, confirmando a aparição, estaria bem com a Igreja, mas entraria em contradição, contudo, negando a aparição, contradiria a Igreja. Porém, o orgulho e a soberba venceram: Ele afirmou taxativamente que aparições não existem. Ele disse que é energia corporal que se plasma externamente, tomando a forma que a pessoa imaginar. Segundo o Quevedo, foi isso que ocorreu em Fátima. Uma explicação totalmente subjetiva. Assim ele também explica a mediunidade de clarividência. Como ele pode provar que é realmente isso? Essa é a opinião dele; a sua idiossincrasia. É por isso que a Parapsicologia não é considerada Ciência. Assim como os espíritas explicam que a clarividência é a faculdade de ver espíritos, o padre Quevedo, por não admitir a existência desses, explica que é energia corporal plasmada. Em suma, a Ciência verdadeira ainda não conseguiu comprovar nenhuma das proposições, e o Quevedo ainda se considera cientista, achando que, com explanações subjetivas, expondo apenas a sua opinião, alegando insolentemente que tem base científica, está desbancando o Espiritismo. É por isso que ele foi relegado ao ostracismo, caindo no esquecimento, tornando-se objeto de escárnio. Quem segue o Quevedo, vai pro mesmo buraco.

  48. Gilgamesh Diz:

    Duvidar é um direito de todos, contudo, como explicar mensagens com detalhes e pormenores que apenas pouquíssimas ou mesmo apenas uma pessoa da família conhecia? Existem muitos casos de pessoas que foram ao Chico Xavier no intuito de receber alguma mensagem de entes falecidos, e, chegando lá, nada comentaram a respeito do finado. Depois de um tempo de espera, o próprio Chico Xavier ou algum auxiliar falava em voz alta o nome do falecido e, por vezes, lia a mensagem em voz alta ou apenas entregava à(s) pessoa(s) interessada(s), esta(s) ficava(m) surpresa(s) diante de certos detalhes citados na mensagem, sem coisa alguma ter sido comentada, nem ao Chico Xavier e nem a quaisquer de seus auxiliares. Informações que apenas alguns poucos íntimos ou somente uma pessoa sabia. Detalhes como, por exemplo, certos apelidos íntimos, informações de foro íntimo, acontecimentos ocorridos não comentados, etc. Por exemplo: Em uma mensagem de um jovem falecido à sua família, ele afirma que uma cunhada, que havia perdido um filho antes de dar à luz, voltaria a engravidar e seria o mesmo espírito do feto que não vingara, e que tomasse as devidas precauções para não o perder novamente, pois tinha problemas para manter uma gestação até o fim. Todavia, ninguém havia comentado coisa alguma sobre o tal aborto involuntário a ninguém do centro espírita, incluindo Chico Xavier, é claro. Este foi um dos detalhes que deixaram os familiares perplexos. Alguns meses depois, a cunhada do falecido jovem engravidou, conforme ele havia mencionado na mensagem. A perplexidade foi maior e todos os familiares, alguns bem céticos, passaram a acreditar na veracidade das psicografias de Chico Xavier. Isto foi só um exemplo dentre muitos.

  49. Gilgamesh Diz:

    Em 1971, Chico Xavier foi ao programa Pinga Fogo da extinta TV Tupi. Neste programa, ele mencionou que havia água na Lua, e muita água. Água suficiente para sustentar grandes colônias humanas por milhares de anos. No entanto, em 1971, o homem já tinha ido à Lua mais de uma vez e nunca tinha encontrado o menor resquício de água. Os cientistas da época afirmavam categoricamente que era absolutamente impossível haver água na Lua. Na época, isto era uma certeza incontestável: “É impossível existir água na Lua, e ponto final!”. No programa Pinga Fogo, Chico Xavier afirmou que foi Emmanuel que passou tal informação a ele. A maioria esmagadora das pessoas não acreditou nele. Foi motivo até de chacota por alguns. Contudo, quase 40 anos depois, sondas descobrem água na Lua!!! Água em abundância!!! Água suficiente para manter colônias humanas por milhares de anos!!!!!

  50. Luiz Candido de Lima Diz:

    nada a dizer, alem de que cada coisa vem com o seu valor e objetivo,aviso? chamada de atenção? mas nada é sem objetivo divino ! nosso conhecimento é quem nos leva a ceticismos e preconceitos, muitas vezes idiotas ou groceiros. se queres conhecer mais o unico caminho é o estudo ora pois.

  51. Silvio Luiz da Rocha Diz:

    Caríssimos srs., gostaria de uma informação relativa a um dos nove médicos que pousaram na foto,(o último que se encontra sentado,de camisa branca e do lado direito da foto)pois minha irmã sonhou a alguns dias atrás com ele ,sem ao menos te-lo visto.Por favor,gostaria de saber seu nome e se ainda está vivo.Muito obrigado.Silvio.

  52. Valquiria Diz:

    Este Turatti ainda INSISTE…srs
    Seu mestre nem de sua *parapsicologia* conseguiu dar conta e vem querer falar de espiritismo.
    COMO confiar em alguém que * manipula* informações..mesmo?
    Pois é…
    ainda me divirto com Quevedo querendo falar de *arrependimento* de Kardec, aceitando uma suposta comunicação póstuma, que contraria toda sua parapsicologia….
    Quanto à materialização..não posso dizer nada..nunca presenciei este tipo de fen^meno..apenas outros efeitos físicos..mas parabéns..por postar a reportagem…
    sempre bom fontes disponíveis contra detratores.

  53. Paulo Diz:

    Muito boa materia sobre o assunto, entes de diversas formas ainda sao atraidos por esse mundo… trazendo na maoiria das vezes mensagens de paz….

  54. Paulo Diz:

    …mas cautela se vê donde menos se preocupa-se dito de passagem, a algum poema:
    O PAVIO E O FOGO
    E o pavio toma forma, o fogo lhe realça
    A tudo exalta mas a nada inflama
    Lhe rebaixa ao ser de outrora
    De outra imensidão
    Nem poderia lhe manter acesso
    Pois se dele precisaria
    Senão de nada sua ajuda valeria
    Mas sua compreensão do estar vivo
    Nem acredita que a natureza seria o homem
    Forçando sua faca de dois gumes
    Num ditame num instante onde cada um
    É um só
    E cada qual seu mundo vive
    E cada espaço paralelo se unem sem se tocarem
    Sem saberem que vivem em outro lugar.

    25-11-2010 P.C.

  55. Alexandre Borges Diz:

    O professor Jorge Rizzini é homem sério, doutor em botânica, sendo citado em caixa alta, no dicionário AURÉLO, 32ª edição.

  56. Vitor Diz:

    Rizzini era um fraudador, isso sim. Ele inventou o episódio que os repórteres teriam rasgado as roupas da Otília e os bolsos do Chico.

  57. Suyane Diz:

    Vcs nunca vão conseguir entender o espiritismo,pq estão focando os processos “técnicos” do mesmo, que ainda não possui, na maoir parte, classificação cientifica para tal. Ainda não foi descoberto, por exemplo o do tão discutido ectoplasma, que é um fluido animal que manipula a materia, ou ate mesmo o fluido vital, que anima a materia.Ate pouco tempo atras,acreditava-se que um atomo nã se dividia, não é mesmo?(rs). Caso se interesem em aprofundar no assunto, leiam um livro Chamado: Mão de luz, que n é espitista, mas sim, escrito por uma ex cientista da nasa, nela há mt coisa interessante. Mas saibam, isso não é foco do espiritismo.. Nosso objetivo é ser um humano melhor para que exista um mundo melhor. Ja imaginou se todos fossemos boas pessoas? xero a todos!

  58. Joaquim Diz:

    Antes eu pensava que Xico Xavier era apenas louco, mas agora vejo que ele era louco e uma fraude. Só não entendo com alguém pode cometer essas fraudes sem ganhar nada em troca.

  59. Pedro Diz:

    Bem, penso que todo esse debate aqui perdeu qualquer escopo, uma vez que o próprio Waldo Vieira (que, tal como o CX, sempre foi endeusado pelos espíritas) declarou publicamente (http://www.youtube.com/watch?v=RhStBaM80I4&feature=player_embedded) que era tudo uma farsa!!! Afirma ele (confiram): “aquilo é jogo de carta marcada” e “aquelas reuniões de efeito físico…aquilo era fajuto”!!! Se o próprio “mentor intelectual” dessa barbaridade (Waldo), confessa que era tudo uma farsa, caem por terra todas as defesas apaixonadas feitas acima!!! Conclui-se que os tais “respeitáveis senhores médiuns” em questão abusavam da boa-fé de pessoas em situação desesperadora, gente que perdeu filhos, irmãos, pais, esposas, etc! Triste é ver tanta gente saindo em defesa. Pior cego é aquele que não quer ver!!!

  60. Áulus Modesto Gil Diz:

    Estas pessoas que criticam a religião espírita irão sofrer muito do outro lado.São os inimigos do espiritismo.Cada qual com sua religião e não podemos julgar nem acusar ninguém pela crença.Apesar;eu queria deixar claro que eu nã vi meu pai com os olhos físicos e sim cerebrais(esta é a crarividência)mediunidade que muitos têm.Eu vejo espíritos(pelo cerebro)sempre que vou aos centros espiritas,nas ruas,em casa;e continuo vendo meu pai.Cegos conduzindo cegos,pois a visão(mediunica)é como um raio x.Burros…

  61. Áulus Modesto Gil Diz:

    O médin que soltava o ectoplasma(o Pereirinha),já desencarnou.Hoje não existem mais médiuns que espelem ectoplasma.Ele soltava pela boca,ouvidos,narinas,etc… Só quem foi daquela época é que podem provar.Mas o evangelho diz que são verdadeiros espiritas os que não precisam de provas e sim de coração e amor a doutrina de Cristo.

  62. Áulus Modesto Gil Diz:

    Estes evangélicos são uns ladrões,negros,pobres,analfabetos,daperiferia,loucos,viciadoscriminosos que não têm o que fazer.Querem é roubar os espíritas que são letrados,pessoas direitas,responssávies,caridosas,fraternas,etc…Isto aqui não têm o mínimo de fraternidade cristã.Oque estes que acusam descaradamente e provocativamente merecem é de um bom corretivo,educação e prisão….Para fim de conversa eu fiz Judô(fui bi campeão mineiro)e Kung fú.Intimidem alguém do seu tamanho…

  63. aulus m. gil Diz:

    Peço que me perdoem os exageros,mas conheço alguns pastores e eles não são rudes nas palavras como vocês.Peço que tenhamos respeito,tolerância e fraternidade cristã.Somos todos irmãos em busca do bem,do amor universale da liberdade,em todos os sentidos.

  64. Samuel Pelegrini Diz:

    Gilgamesh, o Padre Quevedo afirma que não há aparições. Ele explica que Deus usou aquelas três pessoas fazendo-as ter aquelas visões. Ele diz que foram visões que somente elas tiveram, e não aparições. Na última entrevista dele pro Jô, que foi ao ar sexta agora, se não me engano, ele falou sobre tudo isso, três blocos do programa com ele, procura aí.

    A respeito das fotos, fora o fato de serem fraudes gritantes, chegam a ser ridículas. O mais engraçado é que todos os ‘espíritos’ materializados por lá tinham a forma de gente vestindo panos sobre a cabeça, e na literatura espírita toda é repetido inúmeras vezes que o suposto perispírito é uma duplicada perfeita do nosso corpo físico, e é igualzinho à ao corpo da gente aqui mesmo, e onde é que esses ‘espíritos’ aí são pessoas idênticas ao que eram quando vivas? Haha. E a roupa da gente também tem perispírito? Desencarna e sobrevive no além também? Hehehe. Porque nos livros do Chico mesmo, como em muitos ‘ditados pelo repórter do além André Luiz’ que já li, é dito que os espíritos têm roupas etc, tudo igual aqui, que seria a mesma coisa que o nosso mundo aqui só que em uma dimensão mais sutil, digamos assim. Isso é absurdo! Então por que nascemos pelados? Deus esqueceu de acertar a máquina lá no além pra botar roupas ‘desta dimensão’ aqui na gente? Hahaha. Sim, porque nos livros do Chico tem até aparelho onde a pessoa morta ou ‘espírito’ entra e vai sendo reduzida até reencarnar. Sabem disso, né? E as fotos aí dão na cara que são pessoas cobertas por panos brancos, os ‘espíritos’ não estão nem conforme são descritos na literatura espírita toda desde o fundador, o maçom Allan Kardec. E pelo visto ele foi muito bem sucedido em sua missão de manter a ilusão da existência de Deus e espírito e outra realidade fora esta nossa física aqui etc pra ajudar os governos a manterem o poder e o controle sobre o povo, que adora ser feito de trouxa mesmo. Pelo menos no Brasil, que é místico como a Índia, onde o povo engole qualquer coisa que as iluda com a mentira de que pode haver permanência além da matéria, o plano funcionou direitinho.

  65. Samuel Pelegrini Diz:

    errata: duplicata*

  66. Lílian Diz:

    Cientistas querem provar até o que não pode provar….isto é, nem tudo se pode provar nem mesmo a evolução da terra se pode provar mais pq daqui ali descobrem coisas novas e descobrem que na verdade estavam errados…então elas por elas. Cientistas tbm não são dono da “verdade”. E como falam ali, nem todos os tipos de médicos são especializados nesse tipo de coisas. Porque não vão pesquisar como os pastores agem na igreja evangélica rsrrs que traz um mal bem maior as pessoas em modo geral?

  67. Carmen C.Amaral Diz:

    Hoje lembrei da Irmã Josefa, e agora buscando uma imagem para o meu blog sobre algo que nada tinha haver, eu encontro a imagem dela!
    Nos anos 60/70 eu ia com a minha vó num centro da Agua Fria na Av.Altinópolis em S.Paulo (que existe até hoje) e foi lá que eu vi pela primeira vez na minha vida a Materialização com a médium Otilia. E jamais esquecerei a Irmã Josefa, Dr.Veloso e a indiozinha Japi.Em uma das vezes a Irmã Josefa, veio até minha vó, e eu do lado, senti a mão dela próxima da minha. Ela fez um comentário pra minha vó (de um assunto particular) e que ao chegarmos em casa, minha vó constatou ser verdadeiro. Enfim, é só mesmo presenciando, vivenciando é que podemos dizer algo sobre o assunto. As garrafas de água (centenas) ficavam com uma camada grande no gargalo de uma substância meio parecido com “fumaça”…
    Participei de umas cinco sessões junto com minha vó e o que eu fiquei sabendo na época era que a medium, em outro centro tinha ficado paralítica após um bloqueio súbito de ectoplasma após terem acendido a luz no meio da sessão (não sei até que ponto isso foi real). Gostaria de saber onde (ou se ainda) acontece essas sessões, como está a Otília… Eu não sou espírita e não frequento nada, mas acredito na espiritualidade. E desde menina respeito e amo esses espíritos de luz: Irmã Josefa, Dr.Veloso e Indiazinha Japi. Assim é! Assim será! Que Deus nos abençoe a todos!

  68. Arnaldo Ferreira Diz:

    Resgate histórico ? De uma farsa da revista O Cruzeiro…
    Melhor informarem-se, melhor.
    A verdadeira fraude ocorreria anos depois, mas a médium não obteve êxito. Teria obtido êxito justamente quando foi mais controlada ?
    A revista O Cruzeiro era a própria farsa, e não só com Chico Xavier. Pesquisem “disco voador na barra da tijuca revista o cruzeiro” no Google.
    Também leiam, se for possível deixar aqui o link :

    http://orebate-jorgehessen.blogspot.com.br/2012/03/1964-materializacao-da-irma-josefa-em.html

    1964 – A materialização da irmã Josefa em Uberaba 2010 – A materialização da calúnia em Uberaba

  69. Vitor Diz:

    Arnaldo, no próprio link que você forneceu, nos comentários há um do Montalvão que rebate o texto do Luciano.

  70. viviane silva Diz:

    Olá,estou me interessando muito por suas postagens;acho deselegante alguns comentários do rapaz que divulgou o vídeo sobre a farsa de Chico Xavier,chamá-lo de louco e tantas outras coisas,acima de qquer coisa o legado de Chico Xavier é intocável,basta ver a simplicidade que sempre viveu.È importante mostrar os dois lados da moeda,sou uma das mais interessadas nisso!Mas não é necessário atacá-lo dessa maneira tão grosseira.No vídeo do rapaz ele deixa claro que Chico e Waldo participaram da fraude de Otília Diogo,o que não é verdade,pois o próprio Waldo fala que ele Chico Xavier,nunca haviam se encontrado com a ‘médium’,que participram do experimento como meros pesquisadores,observadores,assim como os médicos presentes,isso ele não posta né?!

  71. Gladstone Diz:

    Olha que a espiritualidade existe, isso existe. Eu não tenho a menor dúvida que sobrevivemos a morte. Eu não sou espírita, alias, não sigo religião nenhuma. Eu sou um experimentador em Transcomunicação Instrumental. Eu vivencio de perto o fenômeno e ninguém, qualquer pessoa no mundo sabe dizer de onde vem essas vozes. Agora uma coisa é certa. Mexeu com o sobrenatural pode apostar que há muita fraude, quer pelo dinheiro, quer pelo reconhecimento. E ainda há gente que defende esses caso de materialização. O próprio Chico Xavier, segundo o Waldo Vieira, fraudava alguns fenômenos. Sabe lá se não todos.

  72. pablo Diz:

    Nem espirito nem alma, o que forma nossa personalidade, a noção de tempo e espaço, memórias é o nosso cérebro. Depois da morte não existe nada! Simplesmente morremos! Quando o cérebro para de funcionar é isso.

  73. Aulus Diz:

    Eu já vi espíritos e não tenho a menor dúvida da existência do espírito após a morte física.Quem quiser acreditar que acredite,pois foi muito real e hoje eu recebo espíritos e psicografo,o que me dá grande alegria.

  74. Áulus Diz:

    Para O padre Quevedo,com todo o respeito,eu lhe digo que deveria parar de perseguir os espíritas e ajudar mais os pobres que necessitam.Esta é a maior prova da sobrevivência do espírito,a caridade e a evolução,pois viemos dos macacos e os espíritos também evoluem da mesma forma.Pois em vez de ficar criticando os espíritas deveria ter mais auto crítica e enxergar o tamanho da riqueza que têm e não fazem nada pelos necessitados.Nós os espíritas damos o que podemos e o que não podemos.E para mais uma para o senhor;eu faço copos plásticos se levantarem com as energias da mão.é o mesmo que os cabelos que ficam arrebitados quando magnetizados com energia.<ais uma prova dos espíritos que são energias.Também Galileu quando disse que a terra era redonda.

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)