Pastora Elizabete Desmascarada

No vídeo abaixo, o humorista Márcio Américo, criador do personagem Pastor Adélio, desmascara a Pastora Elizabete, que chegou a enganar até artistas famosos como Baby Consuelo.

138 respostas a “Pastora Elizabete Desmascarada”

  1. Marciano Diz:

    O vídeo é legal, mas o Quevedo (é, ARDUIN, ele mesmo) já mostrou truques melhores, inclusive sobre operações espirituais, à La Dr. Fritz.
    .
    A Baby não tem nada de boba, muito ao contrário.
    Ela tem uma igreja fajuta, junto com as filhas.
    Ela andou envolvida com o embusteiro Thomas Green Morton, o homem do “Rá”.
    .
    Vejam isto:
    .
    “O mineiro Thomaz Green Morton, o homem do ?rá!? (seu grito ?energizante?), ficou famoso nos anos 80 como um paranormal capaz de produzir luzes, entortar talheres e fazer perfume brotar das mãos, poderes que teria desenvolvido aos 12 anos, depois de ser atingido por um raio enquanto pescava. Aclamado por alguns como o ?maior paranormal do mundo?, ele atraiu uma legião de personalidades para o seu sítio em Pouso Alegre (MG). Gal Costa, Elba Ramalho, Ivo Pitanguy, Baby Consuelo e Sérgio Reis estavam entre os que não hesitavam em testemunhar sobre as façanhas do guru. No auge da fama, consta que ele chegou a cobrar 20 mil dólares por cinco dias no seu sítio para ?tratamento de energização?.
    Hoje, estudiosos de fenômenos paranormais não têm dúvida de que Morton não passa de um ilusionista ? e nem é dos melhores. ?Ele é uma farsa?, afirma o psicólogo Wellington Zangari, coordenador do Inter Psi (Grupo de Estudo de Semiótica, Interconectividade e Consciência), ligado à PUC de São Paulo. ?Morton diz ter todos esse poderes, mas jamais conseguiu demonstrá-los a pesquisadores com conhecimento de ilusionismo e prestidigitação?, diz Zangari.
    Morton já foi flagrado diversas vezes, inclusive em frente às câmeras. Uma das imagens o mostrou em volta de uma mesa com amigos, segurando um garfo quebrado. Enquanto pedia aos presentes que dissessem um número de 0 a 100, ele buscou embaixo da mesa um talher já colado ? em câmera lenta, o movimento era claro. De repente, gritou o famoso ?rá!? e deu o garfo colado a quem supostamente teria acertado o número.
    Em outra ocasião, um flash de máquina fotográfica escondido embaixo da mesa disparou antes da hora, revelando o truque usado para produzir os fenômenos luminosos. Morton ficou visivelmente desconcertado e tentou atrair a atenção dos presentes para outro ponto, afirmando que a luz havia vindo de lá. Houve também a cena em que ele passou um punhado de moedas de uma mão para a outra e exibiu, ao final, uma das moedas dobradas ? o problema é que na mão de origem havia oito moedas e na mão de destino apareceram nove.
    Apesar das evidências, ainda há quem consiga encontrar fatos inexplicáveis relacionados aos supostos poderes de Morton, como, por exemplo, a protuberância na testa que parece se inchar de vez em quando. ?Isso pode ser feito com um sistema simples de sucção, como aquelas bombas usadas para extrair leite materno, ou pela utilização de alguma substância química que produza reação alérgica?, diz Zangari. Para dar uma última oportunidade a Thomaz Green Morton ? que anda um tanto recluso já faz algum tempo ?, Zangari lança um desafio público: que ele se submeta a testes na sede do Inter Psi, com a presença de jornalistas e de equipes de TV.”
    .
    Texto extraído da Superinteressante, a revista que conspurcou a explicação do ARDUIN.
    .
    .
    http://www.sobrenatural.org/foto/detalhar/194/cirurgia_espiritual___padre_quevedo/

  2. Marciano Diz:

    Da Wikipédia, sobre a baby:
    .
    “No fim da década de 1990, Baby se tornou evangélica, mantendo sua carreira de cantora ao mesmo tempo que se tornou pastora da Igreja Ministério do Espírito Santo de Deus.
    Atualmente está em produção o filme documentário “Apopcalipse segundo Baby”, direção de Rafael Saar, uma cinebiografia da artista.
    Após uma temporada dedicada à música gospel, em 2012 apresentou-se no Vivo Open Air, no Jockey Club Brasileiro (RJ), interpretando clássicos de sua carreira com arranjos do seu filho, o músico Pedro Baby.”

  3. Toffo Diz:

    Ela não é Baby do Brasil agora?
    .
    De boba ela não tem nada. Pelo contrário. Além de um inegável talento musical (canta bem), ela sempre foi uma mulher bonita e atraente e com um enorme senso de oportunidade. Nesse último quesito ela se aproxima do chefe Rivail.

  4. Sanchez Diz:

    Isso é lamentável e mancha a imagem dos evangélicos sinceros. Infelizmente não somente no Brasil mas lá fora está cheio desses pastores show man. Eu tinha visto o vídeo de uma pastora que retirava o coração de um fiel. link do vídeo
    .
    http://www.youtube.com/watch?v=D9lBA9hKXR0
    .
    Quanto ao Marcio Américo vale a pena ver a entrevista no Jô Soares.
    .
    http://www.youtube.com/watch?v=oiFr0qe4mcM

  5. MONTALVÃO Diz:

    Quem quiser ver a “cirurgia” Em Baby Consuelo do Brasil, visite: https://www.youtube.com/watch?v=4A8SSpLkbhI
    .
    Discordo um tanto dos doutos analistas, que consideram Baby esperta. Ela é inteligente, boa cantora e de uma simpatia expressiva. Por outro lado, é mística até o fundinho da alma. Se bobear acredita em tudo que seja acreditável: duendes, discos voadores (com extraterrenos dentro, naturalmente), milagres da fé, demônios, e, Thomaz Green MOrton. É, ela não deixou de crer no homem do Rá, só que, depois de pentecostalizada concluiu que os poderes do dito provinham do capeta, em vez de dos nativos de Afron-V que, conforme testemunhava Morton, lhe haviam poderozizado a vara, a qual lhe transmitiu os poderes que ostentava. Baby deixou de ser a menina-propaganda de Green Morton para demonizá-lo. Entretanto, os nomes dos filhos, todos inspirados ou sugeridos por Morton, ficaram como lembrança.
    .
    Em verdade, ao converter-se a moça apenas mudou de endereço, a cabeça continua a mesma: próxima da insânia.
    .
    Portanto, não é nada de surpreender que essa pastora tenha iludido Consuelo: ela gosta assim.

  6. MONTALVÃO Diz:

    Sanchez Diz: Isso é lamentável e mancha a imagem dos evangélicos sinceros. Infelizmente não somente no Brasil mas lá fora está cheio desses pastores show man.
    .
    COMENTÁRIO: Sanchez, realmente, ainda há evangélicos que buscam o que se chama “vida santificada”, em que a comunhão pessoal com Deus e o aprimoramento moral, a partir dos ensinos de Cristo, é a tônica. No entanto, esses são espécie em extinção. Hoje o pentecostismo, na sua forma mais danosa, invade todos os nichos protestantes, e até católico (vide o movimento carismático). Alguns resistem denodadamente, a maioria se embriaga. Dessa forma, a busca por milagres, prosperidade tipo “paga à igreja e deus dá em dobro”, a crença estúpida em demônios e possessões, enfim mercantilismo religioso miscigenado com superstição no mais alto grau, se tornou a marca do movimento evangélico atual.
    .
    Isso é doloroso de ver, visto que multidão inumerável não reflete um dedinho que seja sobre qualquer coisa, apenas segue o líder milagreiro e o obedece. É por isso que toda sexta vou a Universal tomar uma sessão de descarrego…

  7. MONTALVÃO Diz:

    Quem quiser ter mostra da “lucidez” de Baby Consuelo, veja: https://www.youtube.com/watch?v=3eFQle6takM

  8. Larissa Diz:

    Para mim religião = embuste.

  9. Larissa Diz:

    Enquanto isso: http://g1.globo.com/educacao/noticia/2014/04/brasil-fica-entre-ultimos-em-teste-para-estudantes-resolverem-problemas.html

  10. MONTALVÃO Diz:

    .
    O Vitor havia me dado uma beliscado no tópico sobre Rafael Schermann, que só hoje vi. Como a discussão lá parece encerrada, repriso aqui o que postei, considerando que possa não mais haver visitas naquele tema. Se já tomaram conhecimento, minhas mais sentidas desculpas por fazê-los de novo contemplar o que já foi visto…
    .
    .
    VITOR DIZ: Ó Céus, pq o Montalvão finge desconhecer as evidências que os espíritos se comunicam, POR QUÊ?!
    .
    24. Rev. M. J. Savage. 1885-6. (O Ver. M. J. Savage há muito é amplamente conhecido nos EUA, tanto como um ministro quanto como investigador do “Espiritualismo”).
    .
    Boston, 26/06/1890.
    .
    Durante o inverno de 1885-6, tive minha primeira sessão com a Sra. Piper. Ela estava então na Rua Pinckney, nesta cidade. [e prossegue descrevendo a experiência]
    [...]
    .
    Muitas outras coisas ocorreram durante a sessão. Mas cito apenas estas, porque, embora simples, são claras e marcantes, e porque não vejo o modo pelo qual a Sra. Piper poderia alguma vez tê-las conhecido.
    M. J. SAVAGE.
    .
    P.S.—Realizei outras sessões com a Sra. Piper. No entanto, a maioria das coisas ditas foram muito pessoais para publicação. QUASE TODAS SÃO INEXPLICÁVEIS EM QUALQUER TEORIA QUE NÃO VÁ AO MENOS TÃO LONGE QUANTO A TELEPATIA.
    .

    COMENTÁRIO: (parece que Savage não estava tão seguro da mediunidade, visto que aventa a possibilidade de telepatia)…Vitor, por que insiste em afirmar a comunicação por meio de Piper? Uma Piper só não legitima a mediunidade, por mais misteriosas que tenham sido suas habilidades. Se a comunicação é realidade ela não será comprovada por quem foi médium há cem anos, sim pelo real e atual contato de espíritos com vivos, passível de ser verificado tecnicamente. Contatos estes não apenas manifestos nos sítios acreditantes, e sempre validados subjetivamente, mas conferíveis com testagens elucidativas que indiquem seguramente a ação de inteligências invisíveis.
    .
    Seu equívoco, em termos da ratificar sua crença, é sempre recorrer a Piper quando a cobrança mostra que a mediunidade não está de modo algum demonstrada. Se Piper realmente canalizava espíritos (no que não acredito, pois defendo que a atuação dela seja explicável psicologicamente), outros também devem fazê-lo, inclusive e certamente nos dias atuais. Portanto, deixemos o mistério de Piper para ser examinado quando dispusermos de material adequado, e vamos trabalhar no aqui e agora, de modo poder afirmar que desencarnados efetivamente interferem na natureza.
    .
    Contudo, tantos médiuns por aí e nenhum se disponibiliza a testes simples, que não doem nem nada…
    .
    Estranho, não?

  11. Toffo Diz:

    Montalvão: Baby pode ser mística (e crédula) até a raiz da medula, mas a proximidade da insânia não lhe tira o senso de marketing que a faz próxima do chefe do espiritismo. Aliás guardadas as devidas proporções não vejo muita diferença nos dois, não.

  12. Gorducho Diz:

    A diferença é que ela é mais sensata e realista:
    Deus não pensa domo nós. [3:15]
     
    O Kardec queria que Deus pensasse como ele; ou melhor, ditava para Deus como o Universo deveria ser.

  13. MONTALVÃO Diz:

    .
    Toffo Diz: Montalvão: Baby pode ser mística (e crédula) até a raiz da medula, mas a proximidade da insânia não lhe tira o senso de marketing que a faz próxima do chefe do espiritismo. Aliás guardadas as devidas proporções não vejo muita diferença nos dois, não.
    .
    COMENTÁRIO: concordo quase centos por cento, a diferença que vejo é que o espiritismo de Baby incorpora demônios, o de Kardec não, no mais devem ser irmãos.

  14. Toffo Diz:

    Os demônios do espiritismo são espíritos impuros, o que vem a ser o mais do mesmo. Mas se Kardec achava que não incorporavam, o chiquismo veio dizer que incorporavam sim: os ‘dragões’, os ‘seres das trevas’, as ‘entidades das cavernas’ e até a versão heterodoxa, os ovoides. A demonografia chiquista é bem rica. Basta ler os delírios de André Luiz.

  15. Contra o chiquismo Diz:

    Toffo, DIVALDISMO tb.

    No livro ‘Nas fronteiras da loucura’, fala-se dos ‘falcões’.

    Pense num bicho mau!!

    Esse livro é phoda! Tem uma tarrafa
    luminosa que pesca ‘espiritos’ sofredores…

    dr bezerra, faz chover penas ou folhas ou flocos de sei lá o que luminoso (nem lembro) , aí os ‘espiritos’ maus, saem correndo com medo dele…

  16. Marciano Diz:

    Quer dizer que nessa época cx tinha ultrapassado as fronteiras da loucura?
    Nem o Dr. Mabuse seria capaz de imaginar tanta loucura, e olha que o cara era doido.

  17. Larissa Diz:

    Gente, para q encarnar? O mundo espiritual é tão mais cheio de magia!

  18. Defensor da Razão Diz:

    Marciano Diz:
    “O vídeo é legal, mas o Quevedo (é, ARDUIN, ele mesmo) já mostrou truques melhores, inclusive sobre operações espirituais, à La Dr. Fritz.”
    .
    Falando em operações à La Dr. Fritz, ouço falarem sobre o “medium” João de Deus, que atrai gente de todo o país em busca de cura para todo tipo de doença, e é conhecido também no exterior.

  19. Marciano Diz:

    DEFENSOR DA RAZÃO,
    o mecanismo do blog não aceita muitos links de uma vez, ele interpreta como spam, por isso vou colocar parte dos textos pra você ler mais sobre o joão de deus, com no máximo dois links por comentário, se quiser ler na íntegra.
    .
    ““João de Deus S.A.
    Em Abadiânia, a fé move montanhas. De dinheiro. Atraídos pelo dom do médium João Teixeira de Faria, o João de Deus, cerca de 3.000 fiéis visitam, semanalmente, a Casa Dom Inácio de Loyola, em Goiás (…)
    Hoje, aos 69 anos, João de Deus é dono de pelo menos uma fazenda de 597 alqueires – o correspondente a 18 parques como o do Ibirapuera (zona sul de São Paulo) – na divisa de Goiás com Mato Grosso. Lá, uma propriedade dessa dimensão não vale menos do que R$ 2 milhões. O médium tem o garimpo como fonte de renda.
    Apesar de o atendimento ser gratuito, a casa, fundada em 1976, conta com farmácia de manipulação, livraria, lanchonete e loja de cristais benzidos pelo médium. Até a água fluidificada tem valor agregado. A garrafa custa R$ 1. Energizada, vale R$ 3.
    O grosso do dinheiro arrecadado vem da venda de frascos de passiflora, calmante natural fabricado pelo grupo (…)
    O frasco, com 175 cápsulas, custa R$ 50. Como a média de atendimento é calculada em mil pessoas por dia, três vezes por semana, a receita com a venda pode chegar a R$ 500 mil ao mês (…)
    O complexo oferece ainda sete cabines de banho de cristal – camas em que pacientes passam por imersão de luz. O preço cobrado é de R$ 20 por 20 minutos de sessão.
    Relatos sobre procedimentos do médium, que incluem cirurgias com corte, a depender da escolha do consulente, garantiram-lhe notoriedade internacional (…)
    Num pátio de acesso ao salão, vídeos exibem cenas de intervenções com corte, a maior parte no olho e na barriga”.

    Para a lei não há milagres. Não é que a lei diz que milagres não existem, ou que existem. Mas aquilo que não pode ser observado e explicado racionalmente, não interessa à lei. É uma questão íntima das pessoas e a lei apenas protege a religiosidade, a fé, as diferenças culturais etc. Ela não diz que religião elas devem seguir ou mesmo se devem crer (ou deixar de crer) em algo.

    Mas isso não quer dizer que religião e crença não seja importante para a lei. São. Há, em especial, dois artigos no Código Penal que indiretamente lidam com a exploração da fé das pessoas.

    O primeiro chama-se charlatanismo, que é uma espécie de mentira utilizando a crença do outro. Nele, o criminoso inculca ou anuncia cura por meio secreto ou infalível.

    Simplesmente dizer que você pode curar alguém não é crime (se fosse, todos os médicos estariam presos). Mas dizer ou propagandear que a cura é infalível ou que você possui um meio secreto de curar as pessoas é crime. É aí que entra o charlatanismo.

    Ninguém pode garantir que haverá cura (nem mesmo para um simples resfriado). Garantir que você irá curar alguém – mesmo usando meios convencionais, e ainda que você seja um ótimo médico – é crime. Da mesma forma, se você propagandeia que seu método, ainda que não gere cura garantida, é secreto, você também está cometendo o crime. Em ambos os casos, a ideia é proteger a sociedade contra pessoas que desrespeitam premissas básicas da ciência: que a cura nunca é certa e que todo método de cura precisa ser replicável e validado pela comunidade científica.

    A lei não exige que alguém acredite no que foi dito ou propagandeado, e muito menos que alguém seja prejudicado por isso. Basta que a pessoa diga ou propagandeie. O que se exige é que o criminoso saiba que ele não será capaz de curar a pessoa, que seu método não seja eficaz, ou que, ainda que seja eficaz, não gere cura garantida.

    Já se a pessoa acredita que seu método irá de fato curar o doente, ele pode estar cometendo um outro crime: exercício ilegal da medicina, que é “exercer, ainda que a título gratuito, a profissão de médico, dentista ou farmacêutico, sem autorização legal ou excedendo-lhe os limites”, que é, na verdade, um crime mais grave (a pena é maior: até dois anos, enquanto o curandeirismo a pena máxima é de um ano).

    Um segundo crime importante é o curandeirismo, que é diagnosticar, receitar, entregar ao consumo ou aplicar qualquer substância (não importa que ela seja um placebo), ou usar gestos, palavras (incluindo ‘rezas’) ou qualquer outro meio de cura para tratar a doença de alguém. É o casa das benzedeiras e das pessoas que vendem chás para curarem doenças graves.

    Ainda que a lei não diga que o criminoso precise praticar esse crime de forma habitual para que o crime seja configurado, os juristas tendem a dizer que se a pessoa comete o crime apenas se faz qualquer das ações acima com habitualidade.

    Esse crime é muito mais complexo do que parece porque ele esbarra na liberdade religiosa. Usar gestos e palavras é algo que quase todas as religiões fazem. A benção do padre, por exemplo, é uma forma de cura espiritual para os fiéis. O uso das mãos é importante para os espíritas, o sinal da cruz é parte dos rituais de cura espiritual para os católicos, e assim por diante.

    Isso quer dizer que esses religiosos estão exercendo o curandeirismo?

    Não, porque a Constituição protege os rituais de fé. O limite – que muitas vezes é confuso – é quando esse ritual de fé passa a colocar a saúde das pessoas em perigo. Se o padre disser ao doente que ele não precisa procurar o médico porque sua benção já basta, aí sim, pode haver crime.

    E o caso de quem pratica operações espirituais? Bem, a lei diz que é curandeirismo tratar alguém com “gestos, palavras ou qualquer outro meio”. O problema está na expressão “qualquer outro meio”. Os juristas dizem que não é simplesmente qualquer outra forma, mas qualquer outra forma similar a (na mesma classe de) um gesto ou palavra. E cirurgias mediúnicas não é similar a gesto ou palavra.

    Logo, o diagnóstico e as palavras podem configurar curandeirismo, mas o corte em si, não. Ele, na verdade, pode ser outro crime: a lesão corporal. Afinal, a vítima sofreu um corte desnecessário, ainda que ela tenha permitido.

    Existem mais alguns detalhes desse crime que são importantes: o curandeiro, por definição, é a pessoa inculta que acredita que possa de fato curar. Se ela sabe o que está fazendo, ela não está praticando curandeirismo: ela é uma charlatã (se sabe que está mentindo) ou pode estar exercendo a medicina irregularmente (se acredita de fato que pode curar a vítima sem estar autorizada a exercer a medicina ou, estando autorizada, vai além de sua autorização).

    E se ela está usando a prática para tirar proveito econômico da vítima, aí temos um outro crime: o estelionato, no qual o criminoso mente para a vítima para que ela lhe dê parte de seu patrimônio”.
    .
    http://direito.folha.uol.com.br/1/post/2012/04/joo-de-deus-e-os-limites-entre-curandeirismo-charlatanismo-exerccio-irregular-da-medicina-e-a-proteo-da-f.html
    .
    .
    João de Deus é investigado por homicídio
    Americano teria morrido ao trocar tratamento médico por procedimento espiritual. Processo que estava parado desde 2003 terá andamento
    As imagens das cirurgias feitas por João Teixeira de Farias, conhecido como João de Deus, são fortes. Em frente a câmeras e a uma pe¬quena multidão, ele corta as pessoas — com instrumentos cirúrgicos sem assepsia e com as mãos nuas — e retira o que chama de nódulos de qualquer parte do corpo. Em alguns vídeos ele chega a raspar os olhos de pessoas com uma faca de cozinha. Os vídeos podem ser vistos na internet e na sala de espera da Casa Dom Inácio de Loyola, onde nas quartas, quintas e sextas-feiras, centenas de pessoas aguardam para serem atendidas.

    Semanalmente, são realizados cerca de 3 mil atendimentos e grande parte das pessoas que buscam a cura de doenças como o câncer vem de fora do Brasil. Foi lá, na Casa Dom Inácio Loyola, que a austríaca Martha Rauscher morreu no dia 2 de fevereiro. Essas imagens, que certamente configuram exercício ilegal da medicina, são o meio pelo qual João de Deus divulga seu trabalho, que já é reconhecido mundialmente e atrai gente simples e figurões como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a apresentadora Xuxa, a atriz Shirley MacLaine e até médicos conceituados, como Roberto Kalil Filho, do Hospital Sírio-Libanês e do InCor, de São Paulo. Pessoas que ignoram que ao realizar procedimentos médicos João Teixeira incorre em crime previsto no Código Penal brasileiro, como explica o promotor de Justiça Bernardo Boclin Borges. “Qualquer um que exerce a medicina ou se estabelece como médico sem o ser pode ser processado.”

    De acordo com o artigo 282 do Código Penal, que trata do exercício ilegal da medicina, arte dentária ou farmacêutica, é crime “exercer, ainda que a título gratuito, a profissão de médico sem autorização legal”. Para não configurar prática ilegal da medicina, religiosos de todas as doutrinas alegam que quem cura é Deus. Mas quem corta é o homem. Além desse, há outros artigos do Código Penal que atingem pessoas, como João de Deus, que prometem a cura. O artigo 283 criminaliza quem “inculcar ou anunciar cura por meio secreto ou infalível”. Isso seria charlatanismo e a previsão de pena é de três meses a um ano de prisão e multa. Prescrever, ministrar ou aplicar qualquer substância usando gestos, palavras ou qualquer outro meio e fazer diagnósticos também é crime de curandeirismo. “Muitas desses religiosos que prometem a cura por vários meios incorrem nos três crimes”, observa o promotor.

    As cirurgias realizadas por João de Deus já foram mostradas em diversos programas de televisão e, em dezembro do ano passado, ele foi personagem do programa da americana Oprah Winfrey, uma das mais famosas entrevistadoras do mundo. Mas a divulgação maciça da atuação de João de Deus não provocou uma investigação por parte do Ministério Pú¬blico. Segundo Boclin, a dificuldade em enfrentar esse tipo de situação está no fato de contrariar a crença popular. “Dentro da cabeça das pessoas esse tipo de tratamento surte efeito.” Mesmo assim, diz, caberia a polícia e às entidades médicas denunciar a situação. “E se há o ato, deve haver a investigação da polícia, o processo e a condenação.”

    No Tribunal de Justiça de Go¬iás não há processo contra João de Deus por exercício ilegal da medicina nem por charlatanismo. Há uma investigação de 2003 pela morte do americano Javier Villa Real Bustus. De acordo com o processo, Javier teria abandonado o tratamento convencional que fazia contra aids para tratar com João de Deus e, mais tarde, veio a falecer no Hospital de Doenças Tropicais. Nesse processo, João de Deus está sendo investigado por homicídio doloso, com dolo eventual, ou culposo, quando não há intenção de matar. O inquérito ficou parado durante todos esses anos e só agora foi encaminhado para a Delegacia de Homicídios de Goiânia, que dará andamento à investigação. Em Abadiânia há ou¬tro processo contra João de Deus, mas corre em segredo de justiça. Casos que envolvem a família, crianças e adolescentes e os crimes sexuais têm esse tratamento pela Justiça.

    Segundo a delegada-geral Adriana Accorsi a polícia não investiga se João de Deus atua ou não ilegalmente como médico porque não há denúncia contra ele. “Não há reclamação contra ele e muitas pessoas entendem que não se trata de exercício ilegal da medicina, mas de prática religiosa.” Além disso, afirma, a Polícia Civil não sai procurando casos para in¬vestigar, averigua aquilo que é denunciado, afirma a delegada. Caberia ao Conselho Regional de Medicina (Cremego) denunciar, como faz quando toma conhecimento da existência de falsos médicos. Todavia, o Cremego se nega até mesmo a falar sobre o assunto. A assessoria de imprensa da entidade, em resposta à solicitação do Jornal Opção, disse que o presidente da entidade, psiquiatra Salomão Rodrigues, preferia não se pronunciar sobre o tema.
    O diretor de Comunicação do Sindicato dos Médicos, Rob¬son Azevedo, diz que, apesar de respeitar a orientação religiosa das pessoas, médium ou quem quer que seja que esteja realizando procedimentos médicos, está incorrendo em exercício ilegal da medicina. “E isso é crime previsto em lei. Ele não pode invadir a área médica.” Para ele, se João de Deus realiza procedimentos invasivos cabe uma investigação policial.

    Na opinião do psiquiatra Marcelo Caixeta, as entidades médicas não denunciam João de Deus porque não têm força para enfrentá-lo. “Quem é o Cremego para enfrentar João de Deus”, provoca. Segundo ele, as entidades médicas não conseguem inibir coisas mais simples, como a venda irregular de lentes de contato, os diagnósticos de profissionais da saúde que não são médicos, a realização de partos por enfermeiros. “A ilegalidade na medicina é brutal e parece que as entidades entregaram os pontos.”

    Apesar de católico, João de Deus se intitula médium e afirma incorporar mais de 30 espíritos. Essas entidades é que realizariam os procedimentos médicos por intermédio dele. O nefrologista Devir Vêncio vê as intervenções cirúrgicas feitas por João de Deus com grande preocupação. Adepto da doutrina de Alan Kardec, ele afirma que o espiritismo não veio para concorrer com a medicina, mas para auxiliar. “A doutrina não aprova a cirurgia intervencionista, apenas o passe e o uso de água fluidificada.” Os médiuns espíritas, afirma, não interferem no tratamento médico, não mudam medicamento nem receitam remédios. “A medicina cuida do corpo e o espiritismo do espírito.”

    Como médico, Vêncio se pre¬ocupa principalmente com o fato de João de Deus não ter preparo para fazer as intervenções e de não ter nenhum cuidado com a assepsia que envolve qualquer procedimento invasivo. Ele também vê com estranheza a venda de remédios fitoterápicos receitados aos “pacientes”. Ele conta que o espiritismo não aceita nenhuma doação em troca de cura. Na Casa Dom Inácio de Loyola, há locais específicos para a coleta de doações das pessoas. Ou seja, elas são incentivadas a doar.

    Por se apresentar como mé¬dium, muitas vezes João de Deus é visto como um adepto do espiritismo. Prudente, o presidente da Federação Espírita de Goiás, Calci de Sá Roriz, diz que não “repudia” o que João de Deus faz. “Não somos contra ninguém que vem em auxílio das almas, mas não é o que nós fazemos.” Na opinião de Roriz, os tratamentos espirituais, que também são feitos no espiritismo, dispensam qualquer tipo de corte. Para ele, essas intervenções são feitas para impressionar. “Algumas pessoas precisam ser cortadas para acreditar na cura.” Ele não acredita que João de Deus aja de má fé. Considera-o uma pessoa bem intencionada e acredita no dom curativo dele. Todavia, observa, que as cirurgias com corte é que garantem a casa sempre cheia.

    O psiquiatra Marcelo Caixeta também é adepto do espiritismo e acredita nos fenômenos espirituais. “Tenho convicção que a cura espiritual é possível.” Por outro lado, afirma, “há muito charlatães se aproveitando da boa vontade do povo.” Entre os charlatães estaria João de Deus, diz. “Uma coisa é ir ao centro espírita buscar cura por meio do passe, da oração e da água fluida sem comércio ou seguidores. O contrário do que se propõe João de Deus, que tem toda uma simbologia da roupa branca, dos seguidores, da cirurgia com corte.” Para Caixeta o que João de Deus pratica é charlatanismo e exercício ilegal da medicina. “Ele usa a psicologia do ven¬cido: se morreu, foi Deus que levou; se curou, foi João de Deus que salvou.” Ele lembra que a medicina está repleta de casos de tumores que regridem naturalmente.
    Marcelo Caixeta diz que João de Deus faz as cirurgias com corte “para fazer bonito”. “Ele não sabe nada de medicina, e se corta as pessoas isso já é indício de charlatanismo.” Segundo Caixeta, as cirurgias trazem fama e dinheiro para João de Deus. “Tem muita gen¬te ganhando com isso e ele gos¬ta é da fama, do entourage, da vida nababesca que leva sem ganhar um tostão, da paparicação.” Na opinião de Marcelo Caixeta, o que João de Deus pra¬tica é puro charlatanismo. “Ele prejudica e engana muita gente. Conheço muita desgraça que ele fez e nenhuma graça.”

    Religião ou exercício ilegal da medicina?
    Chegamos à Casa Dom Inácio de Loyola, o fotógrafo Fernando Leite e eu, por volta das 10 horas da manhã de uma quinta-feira. Era dia de atendimento. Antes mesmo de chegar ao portão da casa nos impressionamos com a cidade: dezenas de pessoas de branco andando pela rua que leva ao complexo que, surpreendentemente, tem o nome do santo católico Inácio de Loyola. É uma verdadeira procissão formada principalmente por estrangeiros muito brancos que tentam se proteger do sol com sombrinhas, chapéus e blusas. Alguns são empurrados em suas cadeiras de roda, outros andam amparados.

    Na casa, outras dezenas de pessoas estavam espalhadas por diversos espaços: áreas com bancos de madeira, um refeitório com mesas compridas e uma espécie de templo com bancos voltados para o que seria um palco. Em todos os lugares as pessoas se encontram de olhos fechados, com as mãos estendidas e as mãos voltadas para cima. Algumas se entregam a uma oração frente a um triângulo de madeira, onde se colocam os pedidos. São centenas de papéis dobrados colocados no vão entre a parede e a madeira. As imagens de um misticismo exacerbado. Muitos passam por nós como se não nos enxergassem. Ninguém nos cumprimenta.

    Era hora da sopa. Refeição feita com legumes cozidos em água fluidificada que é oferecida a todas as pessoas de graça. A sopa faz parte do tratamento espiritual. A água fluidificada, os cristais e os remédios receitados por João de Deus são vendidos dentro da casa. Em um dos caixas havia um aviso: vendas com cartão de crédito só acima de 50 reais. Lá dentro funciona uma lanchonete normal, com salgados, sucos e doces, e há também muitas pessoas com camisetas que trazem a imagem de João de Deus.

    Rapidamente fomos identificados, apesar de não estarmos com crachá, e levados a presença do relações-públicas da casa, Francisco Lobo, um católico praticante que vai regularmente à missa. Chico Lobo, como é conhecido, diz que a casa é um centro ecumênico que trabalha apenas na linha da cura. “Não doutrinamos ninguém.” Extremamente educado, ele explicou que o atendimento em Goiânia era feito somente nas quartas, quintas e sextas-feiras e nos demais dias, João (como ele se refere a João de Deus) viaja para prestar atendimento nos demais Estados e também fora do Brasil.

    O atendimento funciona assim: as pessoas pegam uma ficha e aguardam na fila para serem atendidas por João de Deus. Em volta dele, de 100 a 150 médiuns ajudam nos procedimentos. Lobo conta que são feitas poucas cirurgias com corte e apenas João de Deus opera porque somente ele tem o dom da incorporação, explica. “Hoje (pela manhã apenas) foram feitas umas 30.” Esses procedimentos, diferente dos sem corte, são feitos no palco do salão, que se assemelha a um templo, e assistidos pelo público. Na opinião de Chico Lobo, o corte serve para romper algum bloqueio que a pessoa tenha. Teria o efeito placebo. Mas o estranho é que nas paredes na casa há uma foto de João de Deus operando a si mesmo. Se o corte serve apenas para que a pessoa confie na possibilidade de cura, será que João de Deus teve dúvidas em relação ao poder da cura espiritual?

    Chico Lobo deixou nossa equipe à vontade para andar pela casa, falar com as pessoas e tirar fotos. Por volta do meio-dia saímos por meia hora da casa e, quando voltamos, Lobo nos questionou sobre a nossa ausência. Assim como nossa presença, nossa ausência foi rapidamente percebida. Fomos encaminhados para falar com o administrador da casa, Hamilton Pereira. Ele nos comunicou que João de Deus não poderia falar com a nossa reportagem porque estava emocionalmente abalado com as reportagens sobre a morte de Martha Rauscher. “A imprensa disse coisas que ele não disse, falou coisas que não acontecem e ele está irritado e até grosseiro.”

    Hamilton, que também é católico, trabalha na casa há nove anos. Não é voluntário, recebe salário. Ele conta que João de Deus tem dois stents no coração e que trata com um cardiologista. “Ele não recomenda que ninguém abandone o tratamento médico.” Segundo Hamilton, João de Deus tem um bom relacionamento com os médicos e, recentemente, o Hospital de Câncer de São Paulo reservou uma sala para que ele atendesse os pacientes. Quanto à morte da austríaca, o administrador diz que a maioria das pessoas que procura a cura espiritual já foi desenganada pela medicina. “São essas as pessoas que frequentam a casa, exceto os espíritas, que vêm sempre. Ou seja, mortes na casa devem ser vistas como naturais.

    A Polícia Civil de Abadiânia instaurou inquérito para apurar a morte de Martha Rauscher. A austríaca tinha 80 anos e morreu na Casa Dom Inácio. A austríaca estava em Abadiânia desde o dia 21 de janeiro e, segundo o boletim do Serviço de Atendimento Médico de Urgência, que atendeu a ocorrência, ela teve uma parada cardíaca. O caso está sendo investigado pelo delegado do 5º Distrito Policial de Anápolis, Manoel Vanderic Filho, porque Abadiânia está sem delegado.

    Os depoimentos na Casa Dom Inácio de Loyola são sempre muito emocionantes. A fé das pessoas impressiona e explica a devoção cega a João de Deus. A espanhola Emelina Vieira visitava a casa pela segunda vez. Ela veio com a filha, que teria se curado de problemas hormonais com o tratamento espiritual. Ela conta que depois de quatro visitas a filha foi curada. E¬melinda buscava a cura para dores nas costas.

    O fazendeiro José Dutra de Campos, de 58 anos, também se diz curado de um câncer na próstata diagnosticado há três anos. Mineiro de Pompeu, ele conta que já fez duas cirurgias espirituais. “Foi sem corte, mas sangrou muito.” Ele também se submeteu a um procedimento espiritual para tirar pedras nos rins e sarou, conta. José Dutra nunca fez nenhum tratamento médico, mas diz que se curou.

    Valter de Souza, de 69 anos, acredita que João de Deus vai curar seu filho, de 42 anos, que tem câncer, à distância. Ele veio de Água Boa, em Mato Grosso, e trouxe uma foto do filho para que João de Deus o curasse. Ele conta que o filho faz tratamento há muito tempo, mas que o tumor é muito resistente. Por isso decidiu buscar ajuda espiritual. “Meu filho não veio porque a mulher não acredita em tratamento espiritual”, explica.

    Valter e José Dutra conversavam com o técnico agrícola Kauciro Yokoca, um dos médiuns que ajudam João de Deus nos atendimentos. Ele conta que conheceu João de Deus há 30 anos, quando a filha trouxe o sogro para tratar de um enfisema pulmonar. O filho, que é médico anestesista, também se curou de uma fratura pelas mãos de João de Deus, conta. Ele diz que o médium só faz cirurgia com corte para aqueles que pedem. Na casa, a todo momento, se ouvem histórias de cura e de esperança. São pessoas que se deslocam de longe, que vêm com dificuldade em busca de uma cura que não encontraram na medicina tradicional.

    A despeito da liberdade do culto religioso, previsto na Cons¬tituição, as autoridades, a polícia, o Ministério Público, as entidades médicas precisam investigar se o que João de Deus faz é religião ou exercício ilegal da medicina ou até charlatanismo.
    .
    http://www.jornalopcao.com.br/posts/reportagens/joao-de-deus-e-investigado-por-homicidio

  20. Marciano Diz:

    Fortuna de João de Deus inclui garimpo e fazenda de R$ 2 mi
    O apego do médium João de Deus (foto) às coisas materiais fez com que ele formasse uma fortuna cujo montante ninguém sabe ao certo, mas inclui um garimpo de ouro e pelo menos uma fazenda no valor estimado de R$ 2 milhões. Ela tem 597 alqueires, o que equivale a 18 parques do tamanho do Ibirapuera, na zona sul da cidade de São Paulo. A assessoria de imprensa do médium admite que ele tem outras propriedades rurais, mas não diz onde ficam e qual é o seu valor. Em 2008, a revista Galileu publicou que o médium tinha quatro fazendas.

    João Teixeira de Faria, 69, é o nome de cartório do médium mundialmente famoso. Ele dá atendimento a cerca de 3.000 fiéis por semana na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia (GO), cidade de 15 mil habitantes a 79 km de Goiânia.

    O médium não cobra nada pelas consultas e operações espirituais, mas vende os remédios prescritos por ele e fabricados por uma farmácia de manipulação, a JTF (iniciais do seu nome), cujos proprietários são Ana Keyka Teixeira, 33, sua mulher, e o seu motorista e caseiro Abadio da Cruz, 41. Abadio nem imagina como é a rotina da farmácia.

    A Folha de S.Paulo estima que João de Deus obtenha com a venda de um único remédio, um calmante à base de passiflora, cerca de meio milhão de reais por mês. O frasco do medicamento tem 175 cápsulas e custa R$ 50.

    Na casa, João de Deus também lucra com uma livraria, lojas de cristais benzidos e uma lanchonete. Uma garrafa de água é vendida a R$ 1 e a “energizada”, R$ 3. Há também o banho de cristal, que custa R$ 20 por 20 minutos.

    O médium ainda tem cinco apartamentos que são alugados a quem o procura para uma consulta. A diária é de R$ 90, com a opção de serem alugados por R$ 1.000 por mês. Ele também é sócio do filho em uma clínica odontológica.

    João de Deus tem o garimpo de ouro há mais de 40 anos. João Américo Franca Vieira, 52, garimpeiro e amigo dele há 29 anos, disse que o médium sempre gostou de garimpo e que essa atividade responde pela maior parte do patrimônio do xará, além de cobrir os gastos com a Casa Dom Inácio de Loyola.

    O médium é semianalfabeto funcional. Ele diz incorporar mais de uma dezena de entidades, algumas delas foram médicos em vida. Há testemunhos de que João cura doenças graves, como câncer. Ele já tratou de pessoas famosas, como ex-presidente Lula, Xuxa e a atriz Shirley MacLaine. Mas o próprio médium é frequentador habitual de um hospital, porque sofre do coração — já recebeu o implante de três stents.

    Vieira acredita que os espíritos orientam o médium também nos negócios com o garimpo. “Às vezes ele aciona [a mediunidade]”, disse o amigo, conforme relato dos repórteres Catia Seabra, Alan Marques e Breno Costa. “Ele disse: ‘Você vai pra lá, você vai achar um negócio assim, assim, assim’. E aí deu certo. Cheguei lá e achei.”

    Não é de hoje que o médium tem forte queda para a materialidade. Nos anos 90, ele foi sócio de um bingo em Goiás, em uma época em que esse jogo era permitido. Mas hoje ele não tem do que se queixar de suas finanças porque o curandeirismo pode ser é tão lucrativo quanto o jogo de azar.

    Leia mais em http://www.paulopes.com.br/2012/04/joao-de-deus-tem-fortuna-que-inclui.html#ixzz2xq4YNCQe
    Paulopes informa que reprodução deste texto só poderá ser feita com o CRÉDITO e LINK da origem.

  21. Marciano Diz:

    Os textos contém alguns erros jurídicos, os quais não atrapalham o entendimento do que se passa com o embusteiro, por isso, e por falta de tempo, nos os corrigirei.
    Se alguém tiver alguma dúvida específica, é só perguntar.

  22. Defensor da Razão Diz:

    Marciano, muito obrigado pelas referências. Já li todas e entendi melhor do que se trata. Parece não haver nenhuma diferença substancial comparativamente a outros casos de “cura espiritual”.

  23. Larissa Diz:

    “Vieira acredita que os espíritos orientam o médium também nos negócios com o garimpo.”
    .
    Q coisa bizarra. Será que um espiritozinho tb pode me ajudar?

  24. MONTALVÃO Diz:

    .
    João de Deus é triste exemplo de como grande número de pessoas se deixam engambelar por fantasias as mais disparatadas. Mas ele não é o único, nem o pior: o “apóstolo” Waldomiro Santiago realiza dezenas de milagres diariamente em seus programas televisivos: cânceres são curados (até a distância), coxos recuperam o olfato, surdos enxergam, cegos ouvem, só não vêem que estão a ser dramaticamente ludibriados. A igreja universal e a internacional da fé promovem curas por meio de talismãs (água do Jordão, terra da palestina, azeite ungido, lencinho abençoado, e qualquer safadeza que a imaginação lucubre). E por aí vai: as multidões querem e buscam por isso. Deve ser mais gratificante e engrandecedor sentir-se desmazelizado por milagreiros a ser cuidado pelo boa medicina.
    .
    Nosso amigo Alexander Moreira, junto com outros dois, investigou João de Deus. Um trabalho bem vagabundinho que serviu para o médium dependurar em seu “consultório” como prova de que a ciência reconhecera a legitimidade de seus poderes… e la nave va…

  25. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, As curas milagrosas de Santiago, Macedo, João de Deus et al. só provam o preconceito que deus tem com os amputados.
    Pode ver que eles curam coxos, cegos, cancerosos e o diabo a quatro, mas nenhuma cura de amputados, como RC (o rei), Wagner Montes, Lars Grael e por aí vai.
    Veja mais sobre o preconceito aqui:
    http://whywontgodhealamputees.com/

  26. Marciano Diz:

    Comentei no artigo errado.
    Era pra sair aqui.
    .
    “A simple experiment

    For this experiment, we need to find a deserving person who has had both of his legs amputated. For example, find a sincere, devout veteran of the Iraqi war, or a person who was involved in a tragic automobile accident.

    Now create a prayer circle like the one created for Jeanna Giese. The job of this prayer circle is simple: pray to God to restore the amputated legs of this deserving person. I do not mean to pray for a team of renowned surgeons to somehow graft the legs of a cadaver onto the soldier, nor for a team of renowned scientists to craft mechanical legs for him. Pray that God spontaneously and miraculously restores the soldier’s legs overnight, in the same way that God spontaneously and miraculously cured Jeanna Giese and Marilyn Hickey’s mother.

    If possible, get millions of people all over the planet to join the prayer circle and pray their most fervent prayers. Get millions of people praying in unison for a single miracle for this one deserving amputee. Then stand back and watch.

    What is going to happen? Jesus clearly says that if you believe, you will receive whatever you ask for in prayer. He does not say it once — he says it many times in many ways in the Bible.

    And yet, even with millions of people praying, nothing will happen.

    No matter how many people pray. No matter how sincere those people are. No matter how much they believe. No matter how devout and deserving the recipient. Nothing will happen. The legs will not regenerate. Prayer does not restore the severed limbs of amputees. You can electronically search through all the medical journals ever written — there is no documented case of an amputated leg being restored spontaneously. And we know that God ignores the prayers of amputees through our own observations of the world around us. If God were answering the prayers of amputees to regenerate their lost limbs, we would be seeing amputated legs growing back every day.

    Isn’t that odd? The situation becomes even more peculiar when you look at who God is. According to the Standard Model of God:
    •God is all-powerful. Therefore, God can do anything, and regenerating a leg is trivial.

    •God is perfect, and he created the Bible, which is his perfect book. In the Bible, Jesus makes very specific statements about the power of prayer. Since Jesus is God, and God and the Bible are perfect, those statements should be true and accurate.

    •God is all-knowing and all-loving. He certainly knows about the plight of the amputee, and he loves this amputee very much.

    •God is ready and willing to answer your prayers no matter how big or small. All that you have to do is believe. He says it in multiple places in the Bible. Surely, with millions of people in the prayer circle, at least one of them will believe and the prayer will be answered.

    •God has no reason to discriminate against amputees. If he is answering millions of other prayers like Jeanna’s every day, God should be answering the prayers of amputees too.
    Nonetheless, the amputated legs are not going to regenerate.
    What are we seeing here? It is not that God sometimes answers the prayers of amputees, and sometimes does not. Instead, in this situation there is a very clear line. God never answers the prayers of amputees. It would appear, to an unbiased observer, that God is singling out amputees and purposefully ignoring them”.

  27. Marciano Diz:

    Aqui tem dez perguntas com legendas em português para cristãos em geral.
    http://www.youtube.com/watch?v=Ng5ytQJ0bLE

  28. Marciano Diz:

    “A teoria do mito de Cristo (também conhecido como Jesus mítico ou a hipótese da inexistência de Jesus) é a ideia de que Jesus de Nazaré não era uma pessoa histórica, mas sim um personagem fictício ou mitológico criado pela comunidade cristã primitiva 1 2 3 4 . Alguns proponentes alegam que os eventos ou frases associados com a figura de Jesus no Novo Testamento podem ter sido elaborado a partir de uma ou mais pessoas que realmente existiram, mas que nenhum deles era em nenhum sentido o fundador do cristianismo5 . Praticamente todos os estudiosos envolvidos com a pesquisa do Jesus histórico acreditam que sua existência pode ser estabelecida usando documentos e outras evidências, embora a maioria sustenta que muito do material sobre ele no Novo Testamento não deve ser tomado ao pé da letra6 .

    A história da teoria do mito de Cristo pode ser atribuída aos pensadores do Iluminismo francês Constantin-François Volney e Charles François Dupuis na década de 1790. Proponentes notáveis ??incluem Bruno Bauer e Arthur Drews, no século 20 e mais recentemente, GA Wells, Alvar Ellegård e Robert M. Price. A idéia veio à atenção do público moderno através do trabalho de autores como Richard Dawkins, Christopher Hitchens e o filósofo francês Michel Onfray.7

    Argumentos utilizados para apoiar a teoria enfatizam a ausência de referências existentes sobre a vida de Jesus e da escassez de referências não cristãs no século I. Alguns proponentes alegam que o cristianismo surgiu organicamente do judaísmo helenístico e baseia-se em paralelos do Jesus histórico e dos deuses gregos, egípcios entre outros, especialmente aqueles que possuem mitos sobre a morte e ressurreição”.
    .
    Texto completo aqui:
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Mito_de_Jesus

  29. Marciano Diz:

    O texto traduzido da wikipedia, acima, contém vários erros de tradução e até de português.
    Quem fala inglês deve ler o texto original, na wikipedia americana.

  30. Larissa Diz:

    Como vcs lidam com espiritageélicos? Eu não tenho mais paciência!

  31. Larissa Diz:

    Estava eu na aula de desenho e começam os debates acerca do erro do IPEA quanto a visão da população sobre as mulheres que usam roupas curtas merecerem ser estupradas ou não. Digo q sou a favor da castração química para estupradores e pedófilos. Eis q uma espiritagélica declara q estamos aqui para evoluir e q não devemos descuidar deste aspecto. Q se há crimes. É pq alguém se colocou na posição de vítima e paga algo de vidas passadas. Q pobre estuprador, q terá sua vida arruinada. Já p da vida, disse q tenho duas amigas q foram estupradas e que passaram por todos os horrores da violência, humilhação, medo de DSTs e de gravidez, além de depressão profunda nos anos q se seguiram. Perguntei se realmente ela acredita q minhas amigas queriam evoluir desta forma. Ela respondeu q estamos aqui para evoluir e não se pode fazer leis contra isso. E eu informei q não acredito nesse blá blá blá religioso e que quero religião bem longe do Estado. Q se eu for estuprada, corto o bilau do safado e jogo no lago paranoá para nunca mais ele fazer isso com ninguém. Aí ficou um climão e eu voltei ao desenho.
    .
    Desculpem o desabafo, mas eu fiquei chocada. E não foi só ela q disse q as mulheres estupradas merecem o sofrimento e que deveriam estar gratas pela oportunidade de evolução proporcionada pelo estupro. Outras pessoas tb a apoiaram.
    .
    Antes eu achava q o espiritismo não tinha poder de causar nenhum grande mal. Hj acho q é uma seita fanática.
    .
    Estou muito triste!

  32. Biasetto Diz:

    Larissa,
    Só IDIOTAS seguem religião.
    Durante muitos anos fui idiota, nem consigo acreditar como pude ser tão besta! Sinceramente, qualquer pessoa que dedique 10 (DEZ) minutos de raciocínio, nada mais que isso, joga no lixo TODAS as religiões, sem exceção.
    Mas a maioria das pessoas não quer fazer isso.
    O lance é simplesmente tentar ignorar este bando de cretinos que continuam divulgando absurdos, falando de livro sagrado, filho de deus, mediunidade, mentor espiritual…
    Vitor, só espero que um dia você também faça um post pra esculhambar com a ICAR, já tá na hora hein?
    Enquanto isto não acontece, o “retrato do Brasil”, especialmente pro DeMarte:

    http://www.youtube.com/watch?v=EpUbF1iZhqE#aid=P-Ax1SXfnes

  33. Larissa Diz:

    Biasa, eu até tento ignorar, mas tem coisas q é difícil demais de engolir. Zombar do sofrimento,alheio é demais pra minha cabeça…enfim…

  34. Gorducho Diz:

    As religiões servem para manter as massas esperançosas e disciplinadas: pão e circo espiritual para os simples.
     
    Después de la firma de los tratados de alianza con todos sus vecinos y el cierre del templo de Jano, Numa dirigió su atención a los asuntos domésticos. La ausencia de todo peligro exterior podría inducir a sus súbditos a regodearse en la pereza, ya que dejaría de reprimirse por el temor de un enemigo o por la disciplina militar. Para evitar esto, se esforzó por inculcar en sus mentes el temor de los dioses, considerando ésta como la influencia más poderosa que podría actuar sobre un incivilizado y, en aquellos tiempos, bárbaro pueblo. Pero, ya que esto no produciría una profunda impresión sin cierta pretensión de sabiduría sobrenatural, fingió que había tenido conversaciones nocturnas con la ninfa Egeria: Y que fue por su consejo que estaba estableciendo el ritual más aceptables a los dioses y nombrando para cada deidad sus propios sacerdotes específicos.
    [Ab vrbe condita]

  35. Defensor da Razão Diz:

    Como alguém já disse, a religião é um meio eficaz de levar pessoas boas a fazer coisas ruins.

  36. Biasetto Diz:

    Pois é Larissa, por que você acha que ando sumido?
    Nem facebook tenho mais.
    Se eu me acho o bonzão? Claro que não, mas não tenho mais paciência pra idiotices, especialmente daqueles que já tiveram/têm meios para superá-las.
    É inacreditável como as religiões, umas mais, outras menos, mas todas elas, ensinam, pregam, difundem tantas asneiras, tantas bobagens… e conseguem tantos e tantos e tantos seguidores, dispostos a darem o dinheiro que ganham com o suor do trabalho e/ou brigarem, até morrerem por elas.
    Não deve existir droga pior que essa, vício mais prejudicial à sociedade, ao mundo, até mesmo ao planeta.
    Fazer o quê?
    Deixa rolar…

  37. Larissa Diz:

    Estou antissocial tb. Só q aqui em Brasília a horda espiritoide está em qualquer esquina…

  38. Toffo Diz:

    A banda espirigélica está sinistra, hein? Aceitar o estupro por prova e expiação já é um ‘cadim demais pro meu gosto. Bem, depois que eu li o depoimento do homem que foi à FEB ouvir uma palestra, com direito a ‘passes’, me senti reconfortado de ter saído do hospício a tempo.
    .
    Larissa, gostou do ‘espirigélico’?

  39. Defensor da Razão Diz:

    A mesma linha de raciocínio que recomenda a aceitação do estupro deve restringir o tratamento de doenças e enfermidades à homeopatia, em prol do devido cumprimento do carma.

  40. Defensor da Razão Diz:

    Larissa e Toffo, diante de sua dificuldade em entender essas questões de estupro, prova, expiação, passes, pergunto: como está sua glândula pinel?

  41. Larissa Diz:

    Adorei Toffo. Espigélicos é um termo apropriado. Sabe pq eles se mantêm tão alheios a sofrimentos provocados por estupros e assassinatos? Pq na maioria das vezes só acontecem nas periferias. Quero ver se for com a filha de algum deles. Pimenta no olho dos outros é refresco.
    .
    Defensor, assim q descobrirem Atlântida e a civilização em Capela, os mistérios pineis se desvelarão à humanidade. Aguarde (muito tempo) e confie (muito pouco).

  42. Larissa Diz:

    Eu preciso me controlar frente ao espirigélicos. Aqui em bsb todo mundo é freqüentador de algum centro. Sempre há teorias malucas e inócuas nas conversas. Não dá pra fugir. Se eu não me controlar vou terminar arrumando brigas.

  43. Larissa Diz:

    Toffo, q palestra? Conta esse causo, vai?

  44. Marciano Diz:

    Caraca, meu amigo BIASETTO esteve aqui e eu nem vi, tava em órbita.
    Agora ele só reaparece daqui a meses.

  45. Contra o chiquismo Diz:

    Biasetto, que bom vc de volta. Abraço fraternal, nos veremos no umbral.

  46. Contra o chiquismo Diz:

    Larissa, os espiritas sentem grande alegria quando ocorre um desastre como o da Gol que matou 154 pessoas de uma vez só. (‘Desencarne coletivo’) Ao verem fotos dos corpos do acidente e da aeronave completamente destruída, eles tomados de grande altivez, arrogância e pseudo conhecimento afirmam peremptoriamente : “A JUSTIÇA FOI CUMPRIDA”.

    Aí movidos por um sentimento de fazer o bem aos que morreram, colocam na caixa de preces e irradiação do centro que frequentam um bilhetinho com o seguinte dizer: “PRECES PELAS VÍTIMAS DO ACIDENTE DA GOL”.

    É isso que é essa religião PODRE.

    Nojenta, pútrida e escalafobética!

    É isso mesmo, sentir alegria por mais de 100 mortes de uma vez só.

    E tem mais, dizem: “Não fique com pena, pois vc estará chamando Deus de INJUSTO”.

    Quem é ex espírita, diga se estou mentindo.

    Quem é espírita, sabe que é assim. Não venha dizer que não é bem assim pq é.

  47. Biasetto Diz:

    Contra, no século XIX, só pra citar um “causo” real, as potências europeias sentiram-se no direito de retaliar a África e partes da Ásia, em proveito próprio, afirmando serem portadoras da “missão civilizatória”.
    Não faltam espíritas que justificam a miséria e tragédia de africanos e asiáticos, explorados pelos europeus, como resultado de carmas e evolução espiritual; bem como não faltam cristãos de outros segmentos/doutrinas que também encontram todo tipo de justificativa para essas injustiças, nas “escrituras sagradas”.
    Pimenta no dos outros é refresco, porque quando algo de ruim/trágico acontece na vida deles, a maioria chora aos prantos e se diz vítima de uma grande injustiça.

    Hoje escutei uma conversa em que uma aluna perguntou a um aluno se ele não foi mais ao retiro – e ele respondeu que não, porque “eu vou lá pra ouvir a palavra de deus, mas tá cheio de menininha com as pernas de fora, todas tentadas pelo capeta”.
    Outro aluno disse que queria muito fazer um curso de DJ, mas a mãe disse que não pode pagar, porque tem dar o dinheiro pro dízimo, a obra de deus!

  48. Contra o chiquismo Diz:

    Olhem como andreluiz é bonzinho e como ele explica o acidente de avião:

    “Imaginemos que fossem analisar as origens da provação a que se acolheram os acidentados de hoje… Surpreenderiam, decerto, delinqüentes que, em outras épocas, atiraram irmãos indefesos do cimo de torres altíssimas, para que seus corpos se espatifassem no chão; companheiros que, em outro tempo, cometeram hediondos crimes sobre o dorso do mar, pondo a pique existências preciosas, ou suicidas que se despenharam de arrojados edifícios ou de picos agrestes, em supremo atestado de rebeldia, perante a Lei, os quais, por enquanto, somente encontraram recurso em tão angustioso episódio para transformarem a própria situação.”

    COITADINHOS DO ASCANIO E LUCAS QUE MORRERAM NO ACIDENTE DE AVIÃO…OLHA O QUE ELES FIZERAM:

    “Arrebatadas ao arquivo da memória e a doer-lhes profundamente no espírito, depois da. operação magnética a que nos referimos, reapareceram nas fichas mencionadas as cenas de ominoso delito por ambos cometido, em 1429, logo após a libertação de Orleãs, quando formavam no exército de Joana dArc… Famintos de influência junto aos irmãos de armas, não hesitaram em assassinar dois companheiros, precipitando-os do alto de uma fortaleza no território de Gâtinais, sobre fossos imundos, embriagando-se nas honrarias que lhes valeram, mais tarde, torturantes remorsos além do sepulcro. Chegados a esse ponto da inquietante investigação, pela respeitabilidade de que se revestiam foram inquiridos pelos poderes competentes se desejavam ou não prosseguir na sondagem singular, ao que responderam negativamente, preferindo liquidar a dívida, antes de novas imersões nos depósitos da subconsciência. Desse modo, em vez de continuarem insistindo na elevação a níveis mais altos, suplicaram, ao revés, o retorno- ao campo dos homens, no qual acabam de pagar o débito a que aludimos.”

    TODA ESSA PASMACEIRA ESTÁ NO LIVRO ‘AÇÃO E REAÇÃO’

    O LINK DESSE CAPÍTULO ESTÁ AQUI.

    AQUI CX DÁ UMA AULA DE AERONÁUTICA, , HISTÓRIA, E É CLARO, FANTASIA PURA FANTASIA.:

    http://www.institutoandreluiz.org/al_resgates_coletivos.html

  49. Contra o chiquismo Diz:

    Mas Biaseto, a África para os ‘espiritas’ é o paraíso para expiações. Quantos palestrantes eu já vi dizerem que ali estão as almas que cometeram as maiores atrocidades contra o próximo e que agora expiam seus pecados. O ‘plano espiritual’ tudo faz para manter a Somália e a Etiópia do jeito que está. E se possível piorar. A África, seria para os ‘espiritas’ o destino na próxima reencarnação de collor, sarney, maluf, goebbles, delegado fleury, fernandinho beira mar, os donos da boate kiss entre outros.

  50. Marciano Diz:

    Milagre é o BIASETTO continuar comentando no blog.
    .
    Na próxima encarnação vou dar um jeito de nascer na Somália, para dar um salto quântico na minha evolução espiritual.
    Resgato um monte de pecados de uma encarnação só e depois de desencarnar é só curtir as praias do LAR DELES.
    .
    CONTRA e BIASETTO, vocês conheciam essa?
    .
    “DESCASCADO

    Um dos pejorativos pelos quais a gíria dos planos inferiores designa os Espíritos desencarnados”.

    Referência:
    XAVIER, Francisco Cândido e VIEIRA, Waldo. Sexo e destino. Pelo Espírito André Luiz. 28a ed. Rio de Janeiro: FEB, 2004. – cap. 13.
    .
    .
    “Moreira arremessou-me olhar terrível, que funcionou sobre mim qual punhalada
    vibratória.
    Ajuntou frases irônicas e gritou que a casa tinha dono; que, diante dos
    «descascados» (6), quem mandava ali era ele; que, para atravessar a porta, seria
    preciso removê-lo; que eu dispunha da rua larga para dormir; e finalizou, agressivo:
    — Que tem você aqui? Dê o fora, que não vou com sua lata! Vá se catar, vá se
    catar!…”.
    “(6) Um dos pejorativos pelos quais a gíria dos planos Inferiores designa os
    Espíritos desencarnados. — (Nota do Autor espiritual.)”
    (cx, op. cit., pág. 82).
    .
    .

    Esse cx era bem cara-de-pau.

  51. Marciano Diz:

    “Sexo e Destino
    Sexo e destino, amor e consciência, liberdade e compromisso, culpa e resgate,lar e reencarnação constituem os temas deste livro, nascido na forja da realidade cotidiana.
    Entretanto, leitor amigo, após a oração do benfeitor, que se pronunciou no limiar,nada mais nos compete que não seja entregar-te a narrativa que a Divina Providência nos permitiu alinhavar, não pelo exclusivo propósito de desnudar a verdade, mas sim no objetivo de aprender com a biblioteca da experiência.
    Cremos seja desnecessário esclarecer que os nomes dos protagonistas desta história real foram substituidos por óbvias razões e que a presente biografia de grupo não pertence a outras criaturas senão a eles mesmos que no-la permitiram redigir, para a nossa edificação, depois de naturalmente consultados.
    Solicitamos, ainda, permissão para dizer-te que não foi retirado um só til das verdades que a entretecem — verdades da verdade, que, fremindo de capítulo a
    capitulo, carreia consigo, em passagens numerosas, a luz de nossas esperanças e o amargo sabor de nossas lágrimas”.

  52. Marciano Diz:

    CADÊ O ARDUIN?
    CADÊ O JCFF?

  53. Marciano Diz:

    Vamos fazer um CPR no blog, ele está precisando.

  54. Marciano Diz:

    Antes que alguém pergunte, esclareço que “Cardiopulmonary resuscitation (CPR) is an emergency procedure for manually preserving brain function until further measures to restore spontaneous blood circulation and breathing in a person who is in cardiac arrest. It is indicated in those who are unresponsive with no breathing or abnormal breathing, for example, agonal respirations”.

  55. Marciano Diz:

    Este tópico era uma ótima oportunidade pra esculachar evangélicos, que são tão loucos quanto os espíritas.
    Acho que você, VITOR, deve postar mais coisas de espiritismo, principalmente sobre cx.
    É o que o pessoal gosta de discutir, o que dá mais oxigênio ao blog.

  56. jorge Diz:

    Pra quem diz que não aguenta lidar com crentes eu digo: Lidar com religiólatras é uma coisa .Conviver(eu) com pessoas assim no mesmo teto é outra. E informo que algumas dessas pessoas têm curso superior, têm uma renda até que acima da média, sucesso pessoal, acesso a cultura e etc.
    Mas conseguem gastar até 4K numa cigana de internet, vão em todo o vidente que aparece com consulta inicial de 500 e posterior ” trabalho feito detectado” cujo preço para se “desfazer” é 4k tbém; gastam tempo lendo baboseiras sem fim de autores cujo único objetivo só pode ser continuar a escrever suas baboseiras numa das redes de sua linda varanda à beira mar ao sabor da brisa .
    Para muitas pessoas a redundância dos resultados negativos no campo religião, mediunidade, vidênvia etc não lhes significa nada.
    Amanhã é ” outro dia” para se perder mais tempo e dinheiro com tudo isso.
    E enquanto a religião consegue apenas lembrar insanidade, o esoterismo reduz o praticante a um usuário de maria joana em plena “criatividade” das rodas de fumo. E haja bobagem em matéria de esoterismo.
    Não me importo com quem crê, desde que não se meta a moralizar os outros ou ser eleito alguma coisa, mas fico sem entender porque uma pessoa consegue levar essa vida por mais de 30 anos colhendo NADA, crendo que suas conquistas se devem a algo mais além de sua competência que eu sei que elas têm.
    E não pensem voces nem um minuto que a grande estatística dos resultados negativos influem na hora de sair de casa em busca de outra “aventura espiritual” , que pode ser desde videntes até igrejas evangélicas. Acredito que deve ser como meu cigarrinho, um adicção.

  57. Larissa Diz:

    A “lógica” espírita cai por terra quando penso no sofrimento dos animais. Ontem levei meu cachorro ao vet e, enquanto eu aguardava, um outro cachorrinho estava sendo sacrificado por conta de um raro e agressivo câncer na medula óssea. Qual o carma deste bichinho, uma vez que ele NÃO TEM livre arbítrio???? Eu estou impressionada até agora com o sofrimento dele.

  58. Larissa Diz:

    DESAFIO OS ESPIRIGÉLICOS A DAR UMA EXPLICAÇÃO LÓGICA AO “CARMA” DOS ANIMAIS!

  59. Biasetto Diz:

    Ahh! Larissa, você não sabe de nada!!!
    Claro que têm explicações, sempre têm. Já deram inúmeras aqui: “os animais estão em evolução, faz parte da evolução deles, o sofrimento”, o que você acha dessa?
    Repito: não são só os espirilégicos, todos os crentelhos são abobados. Evanjegues usam de explicações absurdas para justificar o sofrimento de crianças, tragédias familiares, mortes coletivas… “é deus querendo nos ensinar, provar algo”, ou “isto é por causa do pecado original”, ou “isto não é deus, é o capeta” e assim vai.
    Ontem vi (no face de minha esposa, rs…) uma discussão (minha esposa não perde tempo com isso, é mais inteligente que eu, apenas apareceu no face dela) sobre os erros apresentados no filme Noé, é de rir: desde quando, fantasia feita sobre fantasia tem erro?
    E os crentelheiros, charopados, dementes, dizendo “mas não foi assim, deus fez de outra forma, Noé agiu diferente, tá na briba”, Haja Paciência!!!

  60. Biasetto Diz:

    Bom comentário, Jorge

  61. Biasetto Diz:

    DeMarte, vou tentar ligar pra você, vamos ver se consigo contato.

  62. Gorducho Diz:

    Não há, evidentemente. O Kardec misturou o mesmerismo com algumas das ideias dos socialistas românticos, com o projeto místico adolescente dele em reformar o cristianismo e com roteiro delineado pelo Jean Reynaud.
    Daí deu nessa salada-de-frutas estapafúrdia. Ele não tinha inteligência para elaborar um filosofia coerente. Não era um filósofo; e intelectualmente era um simplório cuja virtude era a didática.
    Há várias passagens que ilustram quão filosoficamente infantil ele era:
     
    Na #14, após recitar o que aprendeu nos catecismos, ele percebe que não explicou nada, mas não tem o bom senso de deixar de publicar. Daí apela para o “ignorância”: Deus existe; disso não podeis duvidar e é o essencial. Crede-me, não vades além. Não vos percais num labirinto donde não lograríeis sair. (…)
     
    Nas #85, 86 é dito que o mundo corpóreo poderia nunca ter existido, sendo o espírita o essencial.
    Já na #230 é dito que é na existência corporal que o espírito (agora encarnado num globo) põe em prática as ideias que adquiriu – implicitamente: necessárias para o “progresso” da alma. Ou seja: atividade prática só existe no mundo corporal.
     
    E por aí vai a “Doutrina”.

  63. Larissa Diz:

    “os animais estão em evolução, faz parte da evolução deles, o sofrimento”, o que você acha dessa?
    .
    Já ouvi este impropério ilógico algumas vezes. A premissa do carma é o livre arbítrio. Se animais não o tem, então não há nada o que expiar. Li, recentemente, sobre o caso de um tigre com Down. Ou seja, os bichinhos padecem de males tipicamente humanos, que os espirigélicos atribuem à provas e expiações. Em tempo, um dos maiores sofrimentos a que cães são submetidos pela mão do homem (masculino mesmo) é a violência sexual. Vcs não imaginam a quantidade de cachorrinhos que chegam a abrigos e clínicas veterinárias com o ânus profundamente deformado por terem sido violentados. Quer dizer, a lógica espírita é muito frágil e antropocêntrica – falam até que os serem de outros planetas tem forma humana. O que vale para os privilegiados humanos, não vale para todo o resto da criação, que diga-se de passagem, é muito mais numerosa que nossa arrogante espécie.

  64. Gorducho Diz:

    Professor Biasetto: nunca perdoarei o Sr. por ter-nos trazido a notícia que o Lentulus existiu…
    Mas acho bom irmos começando a mudar politicamente nossa postura, para tentarmos abreviar nosso tempo de Umbral – que por agora agora deve orçar em pelo menos 1000 anos :(

  65. Larissa Diz:

    Lentulus existiu???

  66. Gorducho Diz:

    Dado o sumiço do Sr. JCFF está visto que sim.

  67. Defensor da Razão Diz:

    Alguém tem uma explicação para a atual ausência completa de espíritas e crentes nesse blog?

  68. Gorducho Diz:

    Os Crentes fazem o que lhes compete: creem.
    Se eu fosse Crente jamais colocaria minha Fé em debate.

  69. Larissa Diz:

    Os Crentes fazem o que lhes compete: creem.
    .
    Crentes fazem crentices.

  70. Defensor da Razão Diz:

    Espíritas em particular colocam suas crenças em debate porque lhes foi dito que não se tratam de crenças. E eles acreditaram.

  71. Defensor da Razão Diz:

    Mas essa exposição ao debate tem limites. Talvez eles tenham sido ultrapassados aqui, dai a sumiço dos espíritas.

  72. jorge Diz:

    Caro Biasetto, me mande um postal por favor . Dinheiro não me falta, mas faz 6 anos que não tenho tempo nem lugar para visitar Marte. Oh vida…

  73. Toffo Diz:

    Larissa: o que eu reproduzo foi postagem tirada de um relato de um espírita chamado Sérgio Maurício, que conta sua experiência na FEB de Brasília. Está no post “A Crise da Morte de Bozzano” do mês de março/2014.
    .
    Toffo Diz:
    março 26th, 2014 às 11:46

    Interessante um outro texto do Sérgio Maurício, que acredito seja espírita, no seu blog. Ele vai assistir a uma palestra na FEB, no Distrito Federal. Tem tudo a ver com o que se discute aqui (a fraqueza dos argumentos e a exposição de matérias com finalidade apologista, ou seja, para um público predisposto a ouvi-las):
    .
    terça-feira, 11 de março de 2014
    .
    A ciência, o espiritismo e a FEB
    .
    “Eu tento. E tento de boa fé. Sério, mas é difícil! Foi assim: vi o anúncio dum evento na FEB, a Federação Espírita Brasileira, marcado para a noite do dia 10/03/2014, com o instigante tema “A física e o espiritismo, paralelo e convergências – A ciência e a ciência espírita”. Como é um tema que muito me interessa, decidi assistir-lhe. Cheguei cedo, cerca de uma hora antes da apresentação, e despendi o tempo na livraria para inteirar-me das novidades literárias.

    O assunto é árduo, principalmente quando abordado para uma plateia sem maiores conhecimentos de filosofia da ciência, teoria do conhecimento e, claro, rudimentos de física. O palestrante teria pela frente responsabilidades em relação aos público e tema.

    Para minha surpresa, o palestrante que falaria da física e suas relações com o espiritismo era um… médico! Bem, tinha esperanças que fosse alguém interessado e ilustrado no que seria tratado. Ouvi-lo-ia então, sem preconceitos.

    O cardiologista começou por tentar definir algumas questões de filosofia da ciência e teoria do conhecimento, objetivando o nivelamento do público ao que abordaria, já que necessárias, como explicara. Definições de verdade, certeza, crença e conhecimento saíam com superficialidade e pouco cuidado, apresentando já as credenciais do que eu enfrentaria naquela noite. Mas quando resolveu caracterizar a ciência “ortodoxa”, qualquer esperança de bom senso se esvaiu imediatamente e meu interesse seguiu o mesmo rumo.

    Uma digressão: sempre que ouço alguém falar de ciência ortodoxa, um sinal de alerta é imediatamente soado: estou diante dum discurso bobo, pueril e pouco elaborado. Não existe uma ciência ortodoxa e outra heterodoxa, existe ciência. Assim, quando se quer dar um ar científico a um discurso infundado, diz-se que é uma ciência, mas não ortodoxa, como o fazem a astrologia, a homeopatia, a psicanálise, a teologia, o espiritismo e outras tantas.

    Pobre ciência, violentada num leito de Procusto, adequando-se às necessidades das pregações inconsequentes. Mas não sou Teseu, e resolvi apenas ouvir, apesar de angustiado pelo sofrimento atroz imputado à indefesa ciência. Indefesa porque o público, em sua maioria ignorante de seus princípios teóricos, cria estar diante de novidades que a aproximavam daquelas bobagens que se seguiam numa verborragia torturante. E eu quase podia ouvir os urros da vítima sendo esticada e amputada em partes essenciais naquele leito de horror.

    E eu, na balbúrdia da minha mente, não obstante o silêncio exterior, refutava cada argumento, cada frase, relembrando as já distantes aulas introdutórias de epistemologia na academia. Como aquilo poderia ser tratado com seriedade por pessoas com um mínimo de entendimento filosófico? Até um aluno dos semestres iniciais de filosofia seria capaz de perceber os absurdos conceituais.

    Após destratar a filosofia e a história, o capataz resolveu também deitar a física no mesmo leito. E eu assistia àquela sessão de tortura silente, incapaz de qualquer manifestação. Fui um covarde, assumo, pois estava muito próximo ao patíbulo para ousar intervir. E, enquanto me contorcia diante daquela tragédia, percebia que o público deliciava-se com as palavras, sem perceber a dor do conhecimento, aceitando-as como nova revelação, como o fazem todos que ignoram algo e não foram educados para a reflexão crítica.

    Terminou como começou e um vazio preencheu meus sentimentos. Senti-me como um parente de vítima perseguida num anfiteatro romano: enquanto todos aplaudiam, eu sofria. Fui-me embora, na noite fria da capital federal, num ônibus vazio. E eu cheio de nada. Pouco a pouco percebi a mente retomando a reflexão, depois daquele espasmo intelectual, e lembrei-me duma frase que usara noutros tempos sem parcimônia: olha no que deu o espiritismo…
    .
    Quando eu digo que o espiritismo é uma doutrina mofada, tem gente que não gosta…
    Toffo Diz:
    março 26th, 2014 às 11:53

    Na sequência, uma descrição dele da primeira palestra pública de 2014 na FEB. Para quem leu os excertos de Samba in the Night de David Hess que eu reproduzi em outro post aqui, contando a experiência do autor no Centro Espírita da Prece, de Chico Xavier, em Uberaba, acredito que vá encontrar uma vaga semelhança, a despeito da diferença de época e lugar.
    .
    (…)”Chegamos hoje à FEB uns 20 minutos antes do início da palestra. Ainda quase ninguém. Passeei pela livraria e retornei aos documentos raros expostos na entrada do auditório. Entramos e sentamos. Ainda vazio. Faltam agora 5 minutos para o horário previsto e um homem e duas mulheres sobem ao palco e sentam à mesa. A mulher do centro faz uma prece (muito chata) e passa a palavra à outra mulher à sua esquerda. Essa lê um capítulo de Pão Nosso, de Emmanuel, e tece alguns comentários. Achei-os insuportáveis e impertinentes. E mais: desfiguraram aquilo que fora proposto como análise evangélica na obra lida. Vá lá, eu aceito que tudo não passava de prevenção minha, afinal era uma palestra na FEB. O homem então começa a palestrar e sua primeira frase foi: “Daremos hoje continuidade ao estudo da obra de Roustaing, “Os Quatro Evangelhos”. Confesso que minha vontade foi levantar e ir embora naquele momento, mas pensei: “na França, como os franceses” e educadamente fiquei quieto a ouvir um chavascal de impropriedades proferidas daquele púlpito “espírita”. Quando ele citou o Jesus agênere, quase tive uma síncope nervosa e minha mulher me olhava a sorrir. Ao terminar a palestra, todos seguiram para a fila do passe, menos eu, pois saí direto à livraria para reler a RE 1866 e rever a opinião de Kardec sobre a polêmica obra rustenista, enquanto minha mulher tomava a hóst…, ops, o passe.

    Ao sair, fui refletindo no ônibus sobre o papel da FEB, não para o movimento espírita, mas para o espiritismo e sua divulgação. Afinal, é isso mesmo que se pode esperar daquela que se autoproclama a Casa-Máter do Espiritismo?”
    .
    MARCIANO postou:
    .
    “Sexo e Destino
    Sexo e destino, amor e consciência, liberdade e compromisso, culpa e resgate,lar e reencarnação constituem os temas deste livro, nascido na forja da realidade cotidiana.
    Entretanto, leitor amigo, após a oração do benfeitor, que se pronunciou no limiar,nada mais nos compete que não seja entregar-te a narrativa que a Divina Providência nos permitiu alinhavar, não pelo exclusivo propósito de desnudar a verdade, mas sim no objetivo de aprender com a biblioteca da experiência.
    Cremos seja desnecessário esclarecer que os nomes dos protagonistas desta história real foram substituidos por óbvias razões e que a presente biografia de grupo não pertence a outras criaturas senão a eles mesmos que no-la permitiram redigir, para a nossa edificação, depois de naturalmente consultados.
    Solicitamos, ainda, permissão para dizer-te que não foi retirado um só til das verdades que a entretecem — verdades da verdade, que, fremindo de capítulo a
    capitulo, carreia consigo, em passagens numerosas, a luz de nossas esperanças e o amargo sabor de nossas lágrimas”.

    .
    “Sexo e Destino” talvez seja o pior (em qualidade) dos livros atribuídos a André Luiz. Foi “psicografado” por CX e WV em parceria (mas as diferenças estilísticas entre ambos são evidentes). É uma história urbana, passada na zona sul carioca dos anos 1950, que envolve incesto, dinheiro, poder, bebedeiras, vida libertina, condição da mulher e muito, muito moralismo barato, que dá à história um caráter de inverossimilhança tão grande que chega a chocar com a afirmativa de que se trata de uma história “real”. Nem a morte não explicada da jovem Aída Cury na mesma época e local tem ingredientes tão rocambolescos. Um livro para se ler e esquecer, um pioneiro (1963) dos romances “espíritas” que pululam no mercado editorial de uns 20 anos pra cá.

  74. MONTALVÃO Diz:

    CONTRA O CHIQUISMO Diz: Mas Biaseto, a África para os ‘espiritas’ é o paraíso para expiações. Quantos palestrantes eu já vi dizerem que ali estão as almas que cometeram as maiores atrocidades contra o próximo e que agora expiam seus pecados. O ‘plano espiritual’ tudo faz para manter a Somália e a Etiópia do jeito que está. E se possível piorar. [...]
    .
    COMENTÁRIO: CONTRA, você está mais certo que boca de bode…
    .
    Segundo ensinava a dupla espírito-sertaneja, Luciano dos Anjos e Hermínio Miranda, a guerra de Biafra fora punição aos nazistas que praticaram atrocidades na Segunda Guerra. Para quem não lembra, Biafra era (e ainda é) província da Nigéria, que ousou tentar se separar da mãe e esta, como castigo, montou um bloqueio contra os separatistas que impediu qualquer tipo de ajuda, desde militar a humanitária, o resultado foi a morte pela loucura da fome de mais de três milhões de biafrenses.
    .
    Veja um trechinho do discurso espiritista (ao qual acrescento comentário de minha lavra):
    .
    “A TRAGÉDIA DE BIAFRA NA ÓTICA ESPÍRITA”
    .
    (Luciano dos Anjos e Hermínio Miranda)
    .
    [OBS: o artigo fora produzido enquanto a guerra ainda estava em andamento]
    .
    “Pior, tragicamente pior que a do Vietnam é a guerra interna de Biafra, onde uma disputa fratricida pelo poder extermina diariamente milhares de criaturas absolutamente alheias ao processo político da Nigéria.”
    .
    “São mães e crianças aparentemente inocentes que sofrem na carne a conseqüência da discórdia de seus lideres fanáticos, especialmente o diabólico general Ojkwo. Mas, então – é de se cogitar – onde está Deus? Como é possível explicar a hediondez que se vem praticando ali, num quadro incontestavelmente dantesco, contra populações civis inermes que só querem e só desejam a paz, não importa o governo que lhes dêem? Não consola a ninguém justificar tais atos de barbárie com os ignotos desígnios do Criador ou as origens pecaminosas dos seus ascendestes. Onde está a bondade de Deus? Onde, a justiça de Deus?
    .
    “Meu caro leitor, somente o Espiritismo pode explicar a incongruência dessa cruel realidade. Somente a Doutrina de Allan Kardec consegue fazer luz nas trevas dessa incógnita, que, nos termos em que se nos oferece à razão, sem uma cabal explicação, resulta em desconsolo, desesperança e até revolta.

    “No “Grupo Ismael”, de que faço parte, na Federação Espírita Brasileira, em plena reunião, meu companheiro Francisco Thiesen interpreta para nós a mensagem do entendimento em torno do doloroso processo coletivo de Biafra. A ponderação é justa e precisa. Não há por que estranhá-la, tais os elementos de aclaramento que alinha.
    .

    “MORREM EM BIAFRA, SOFREM ALI OS PIORES HORRORES DUMA GUERRA IRRACIONAL, SÃO TORTURADOS, QUEIMADOS, DILACERADOS EM BIAFRA, EXATAMENTE AQUELES ESPÍRITOS QUE, HÁ QUASE UM QUARTO DE SÉCULO, INTEGRAVAM A HORDA NAZISTA QUE TANTAS DESGRAÇAS IMPUSERAM AOS SEUS SEMELHANTES!
    .
    Repare-se que, essencialmente os jovens, as crianças acima de tudo, são as principais vitimas do abominável movimento separatista. Observe o leitor as imagens que as revistas nos transmitem: criaturas esquálidas, cadavéricas, morrendo de inanição no meio das ruas; esqueletos se arrastam nas sarjetas e a antropofagia começa a generalizar-se; os corpos se amontoam em tétricas pilhas, misturados aos quais há alguns que ainda se estertoram, mas para quem não há a mais mínima esperança de socorro; a cremação é a única solução e nela alguns mortos vivos vão gemer suas últimas dores.
    .
    “Outros, ainda respirando, acabam devorados pelos abutres, quando não são as formigas que lhes vêm assinalar as derradeiras torturas físicas e psicológicas. A loucura encontra muitos deles; a peste extermina milhares; o suicídio responde pelo desespero de mães que a ele recorrem antes de consumar a dramática e incoercível necessidade de devorar as carnes dos próprios filhos!
    .
    “Onde foi, mesmo, que já vimos esse quadro aterrador? Certamente em Auschwitz, em Dachau, em Buchenwald, campos de concentração alemães, nos quais os sanguinários nazistas faziam sabão de judeus e “abat-jours” da pele dos prisioneiros…
    .
    “Não há por que por em duvida: ALGUNS DESUMANOS NAZISTAS JÁ VOLTARAM E RESGATAM NA PRÓPRIA CARNE OS SEUS REPULSIVOS CRIMES. É ESSA DURA MAS JUSTA RESPOSTA QUE O ESPIRITISMO OFERECE E QUE, ANTES DE MACULAR A PERFEIÇÃO DE DEUS, DÁ-LHE CONFIGURAÇÃO EQUÂNIME E SÁBIA. O Cristo fora portador dessa implicação: “A cada um será dado segundo as suas obras”…
    [...]

    http://www.omensageiro.com.br/artigos/artigo-43.htm
    .

    COMENTÁRIO: O artigo é assinado por Luciano dos Anjos e Herminio Corrêa de Miranda, duas figuras respeitadas no meio espírita, embora o primeiro seja tido por alguns kardecistas como “criador de casos”. De qualquer modo, o escrito serve para ilustrar a ideia de justiça reencarnativa com a qual lidam espíritas e similares.
    .
    Biafra era província da Indonésia: nessa região brotou atuante movimento separatista, cujo resultado foi sangrenta guerra civil. O Estado de Biafra teve duração efêmera, de 1967 a 1970. Na luta secessionista quem mais sofreu foi a população civil. Milhares e milhares de crianças, mulheres, idosos e homens adultos pereceram de fome, sede. As cifras dão conta que no conflito teriam morrido algo em torno de três milhões de biafrenses. A maioria de nós jamais poderá aquilatar a dor pela qual passaram aquelas pobres almas.
    .
    O quadro que Luciano e Hermínio descrevem mostra até que ponto pode ir a maldade e o descaso de homem para com seu próximo:
    .
    “criaturas esquálidas, cadavéricas, morrendo de inanição no meio das ruas; esqueletos se arrastam nas sarjetas e a antropofagia começa a generalizar-se; os corpos se amontoam em tétricas pilhas” [...]
    .

    A Nigéria não aceitou a pretensão separatista de Biafra e isolou a nação de contato com o mundo, nem mesmo ajuda humanitária foi permitida, o que significou condenar a uma crudelíssima morte milhões de inocentes.
    .
    Reencarnacionistas “inspirados” explicaram a tragédia de Biafra pela aplicação da “lei de causa e efeito”: os miseráveis que definhavam até a morte estariam purgando crimes cometidos quando viveram na pele de nazistas e barbarizaram milhões de judeus e outras etnias.
    .
    Observado a distância, a postulação pareceria “lógica”: haveria quem concordasse que realmente pobres-coitados, em agonia famélica e sedentos a ponto de enlouquecer, estivessem quitando débitos cármicos. Mas, e a pessoa que sofria, o que diria dessa “interpretação” de sua dor? Concordaria? Encontraria em tal fantasia explicativa consolo para suas mazelas? Provavelmente discordaria e diria: não lembro de ter sido nazista, nunca me senti nazista e tudo o que quero é um pouco d’água e comida…
    .
    Nem mesmo pensando reencarnacionistamente se poderia acatar a criatividade de Luciano e Hermínio. Esperar-se-ia que os que cometeram barbaridades sob o Reich voltassem a viver em condição de reparar os crimes cometidos: deveriam, na erraticidade, planejar existências em que se tornassem dedicados a causas humanitárias e nelas laborassem sem interesses pecuniários. Algo nessa linha. Mesmo sendo, obviamente, uma fantasia tal conjectura, estaria mais coerente do que supor que Deus reencarnara milhões de nazistas e os pusera para morrer acossados de fome e sede, a fim de “aprenderem” que não deveriam ter maltratado seus semelhantes. Certamente, o Criador teria meios mais eficientes de implementar justiça…
    .
    A concepção de que a reencarnação dá a cada um o que é direito funciona somente quando se contempla, de forma mui superficial, a situação da humanidade, e a de cada pessoa isoladamente. Não há como controlar, nem conhecer, a “contabilidade” envolvendo débitos e créditos “cármicos”. Como alguém, em sã consciência, se sentiria satisfeito ante situação na qual seu progresso espiritual dependesse de seus atos, mas faltar-lhe-ia mecanismos para controlar o andamento do projeto? A alegação de que tal controle ocorre após o desencarne é mais fuga que propriamente explicação.
    .

  75. Larissa Diz:

    E pq os espirigélicos não vão para um lugar onde possam expiar com mais qualidade? Tipo Somália, Afeganistão, Iraque. Vamos ver se eles continuarão com a mesma opinião sobre a miséria humana…

  76. Larissa Diz:

    Toffo, espírita tem “tara” por médico. No centro q eu frenquentava conheci um médico bobão, arrogante e má pessoa. Era idolatrado somente pela profissão dele. Era como se ele soubesse tudo sobre todas as coisas. Eu abominava a situação.

  77. Larissa Diz:

    Vejam isso. Estou desconfiada que Kardec era versado em lex talionis
    .
    AS “COINCIDÊNCIAS” DO INCÊNDIO DA BOATE KISS E O HOLOCAUSTO
    .
    Como funciona o “A cada um segundo suas obras”
    Nas desencarnações coletivas – Explicação dos resgates coletivos em Obras Póstumas
    .
    Após assistir pela televisão as cenas do incêndio na Boate Kiss, na cidade de Santa Maria, RS, no dia 27 de janeiro de 2013, orando pelos desencarnados, pelos feridos e todos os seus parentes que ficaram, um amigo espiritual me disse tratar-se de “RESCALDO DA 2ª GUERRA MUNDIAL”. Diante dessa revelação refleti:
    “Quem sabe se os Espíritos que desencarnaram na boate Kiss, por inalação de fumaça tóxica, foram aqueles que conduziram nossos irmãos judeus, poloneses e russos para morrerem nas câmaras de gás e nos fornos crematórios dos campos de concentração durante a segunda grande guerra mundial?”.
    Pois bem, vejamos as “coincidências” se encaixando com relação à intuição recebida sobre a causa da dolorosa tragédia:
    1ª “COINCIDÊNCIA”

    INCÊNDIO EM BOATE NO RS GEROU O MESMO GÁS USADO POR NAZISTAS

    Vejamos a notícia veiculada pelo INFO – ONLINE NOTÍCIAS no dia 30/01/2013:
    “São Paulo – O incêndio de domingo (27) na Boate Kiss, em Santa Maria (RS), liberou cianeto, a mesma substância usada pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial para matar judeus e outros prisioneiros em câmaras de gás. O número de mortos já chega a 235 e o de hospitalizados a 143.
    Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, o diretor médico do Centro de Assistência Toxicológica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (Ceatox), Anthony Wong, afirmou que essa substância é um dos venenos mais letais que existem. O gás cianeto é o princípio ativo do Zyklon B, usado pelas tropas de Adolf Hitler no Holocausto. Ele é capaz de matar as células rapidamente ao impedir que elas produzam energia.
    Gás cianeto, fuligem e o monóxido de carbono foram as substâncias produzidas durante o incêndio pela queima dos materiais usados no isolamento acústico da Boate Kiss, como a espuma de poliuretano, usada em revestimentos acústicos baratos para isolar o som ambiente. Os revestimentos de boa qualidade são antichamas e não inflamáveis.
    Segundo Wong, um dos agravantes é que o cianeto não tem cheiro, nem cor. Além disso, ele consegue matar rapidamente, entre quatro a cinco minutos. Por ter essas características, muitos jovens acabaram intoxicados sem saber, pois imaginavam que estavam protegidos por máscaras improvisadas com roupas molhadas enroladas no rosto”.

    2ª “COINCIDÊNCIA”
    Em 27 DE JANEIRO, DATA DA OCORRÊNCIA DO INCÊNDIO NA BOATE KISS, COMEMORA-SE O DIA INTERNACIONAL EM HOMENAGEM ÀS VÍTIMAS DO HOLOCAUSTO

    Outra coincidência que me chamou a atenção, foi o fato de no DIA 27 DE JANEIRO se comemorar o Dia Internacional do Holocausto. A data foi escolhida pela Assembleia Geral da ONU não por acaso. Neste dia, as tropas soviéticas libertaram o campo de concentração na cidade polonesa de Oswiecim (Auschwitz), que era uma verdadeira “fábrica da morte” para os presos, na sua maioria, judeus.
    Em Auschwitz foram assassinadas cerca de um milhão e meio de pessoas. Destes, 150 mil eram poloneses, 100 mil, russos, e mais de um milhão, judeus. Samuel Pizar, um ex-prisioneiro, diz que o campo era “um inferno na Terra”.

    O PORQUÊ DAS EXPIAÇÕES COLETIVAS

    Agora, como aplicar o ensinamento do Cristo às mortes coletivas que aconteceram na Boate Kiss, na cidade de Santa Maria, no interior do Estado do Rio Grande do Sul, em incêndio ocorrido no dia 27 de janeiro de 2013, ceifando a vida de cerca de 240 jovens pela inalação de fumaça tóxica ou por queimaduras? Enfim, como explicar todos esses e muitíssimos outros fatos dramáticos sob a ótica da Justiça Divina?
    Para melhor entendermos a questão das expiações coletivas, esclarece o Espírito Clélia Duplantier, em Obras póstumas, que é preciso ver o homem sob três aspectos: o indivíduo, o membro da família e, finalmente, o cidadão. Sob cada um desses aspectos ele pode ser criminoso ou virtuoso. Em razão disso, existem as faltas do indivíduo, as da família e as da nação. Cada uma dessas faltas, qualquer que seja o aspecto, pode ser reparada pela aplicação da mesma lei.
    A reparação dos erros praticados por uma família ou por certo número de pessoas é também solidária, isto é, os mesmos espíritos que erraram juntos reúnem-se para reparar suas faltas. A lei de ação e reação, nesse caso, que age sobre o indivíduo, é a mesma que age sobre a família, a nação, as raças, enfim, o conjunto de habitantes dos mundos, os quais formam individualidades coletivas.
    Tal reparação se dá porque a alma, quando retorna ao Mundo Espiritual, conscientizada da responsabilidade própria, faz o levantamento dos seus débitos passados e, por isso mesmo, roga os meios precisos a fim de resgatá-los devidamente.
    Quem sabe se os Espíritos que desencarnaram na boate Kiss, por inalação de fumaça tóxica, foram aqueles que conduziram nossos irmãos judeus, poloneses e russos para morrerem nas câmaras de gás e nos fornos crematórios dos campos de concentração durante a segunda grande guerra mundial?

    TRAGÉDIA DO CIRCO

    Outro fato que chocou a todos e com maior número de vítimas, em relação ao ocorrido recentemente em Santa Maria, aconteceu no dia 17 de dezembro de 1961, na cidade de Niterói, RJ, em comovedora tragédia num circo. A justiça da lei, através da reencarnação, reaproximou os responsáveis em diversas posições da idade física para a dolorosa expiação, conforme relata o Espírito Humberto de Campos, pelo médium Chico Xavier, no livro Cartas e crônicas. Os que morreram no século XX no circo de Niterói foram os mesmos que, no ano 177 de nossa era, queimaram cerca de mil crianças e mulheres cristãs na arena de um circo na Gália, região da França, na época do Império Romano.

    OUTRAS CAUSAS DAS MORTES COLETIVAS

    Na mensagem “Desencarnações Coletivas”, no livro Chico Xavier pede licença, o benfeitor espiritual Emmanuel esclarece outros motivos para as mortes que se verificam coletivamente. Diz ele:
    “Invasores ilaqueados pela própria ambição, que esmagávamos coletividades na volúpia do saque, tornamos a Terra com encargos diferentes, mas em regime de encontro marcado para a desencarnação conjunta em acidentes públicos.
    Exploradores da comunidade, quando lhe exauríamos as forças em proveito pessoal, pedimos a volta ao corpo denso para facearmos unidos o ápice de epidemias arrasadoras.
    Promotores de guerras manejadas para assalto e crueldade pela megalomania do ouro e do poder, em nos fortalecendo para a regeneração, pleiteamos o Plano Físico a fim de sofrermos a morte de partilha, aparentemente imerecida, em acontecimentos de sangue e lágrimas.
    Corsários que ateávamos fogo a embarcações e cidades na conquista de presas fáceis, em nos observando no Além com os problemas da culpa, solicitamos o retorno à Terra para a desencarnação coletiva em dolorosos incêndios, inexplicáveis sem a reencarnação”.

    FAMÍILIA MORRE QUEIMADA

    Vejamos agora como funciona a lei de ação e reação para redimir culpas passadas de diversos membros de uma família que, por vingança, incendiaram a casa de um vizinho pela madrugada, matando todos dentro da casa. Os espíritos que compunham a família devedora, ao reencarnarem, unidos novamente pelos laços consanguíneos, expiaram seus crimes num desastre, no qual o carro em que viajavam pegou fogo, morrendo todos queimados dentro do veículo.
    Como se vê, cada membro da família reparou individualmente os crimes cometidos na encarnação anterior, dentro do resgate coletivo. De fato, a dor coletiva é o remédio que corrige as falhas mútuas. No entanto, cada um só é responsável pelas suas próprias faltas, como determina a Justiça Divina, ou seja, como indivíduos ou como membros de uma coletividade, todos nós somos responsáveis pelos nossos atos perante as leis de Deus.
    Segundo Emmanuel, nós “criamos a culpa e nós mesmos engenhamos os processos destinados a extinguir-lhe as consequências. E a Sabedoria Divina se vale dos nossos esforços e tarefas de resgate e reajuste a fim de induzir-nos a estudos e progressos sempre mais amplos no que diga respeito à nossa própria segurança. É por este motivo que, de todas as calamidades terrestres, o Homem se retira com mais experiência e mais luz no cérebro e no coração, para defender-se e valorizar a vida”.
    Tais apontamentos foram feitos ao final do capítulo intitulado “Desencarnações Coletivas”, no livro Chico Xavier pede licença, quando o benfeitor espiritual responde por que Deus permite a morte aflitiva de tantas pessoas enclausuradas e indefesas, como nos casos de incêndios.

    CONCLUSÃO

    É importante ressaltar que diversas circunstâncias colaboraram para a ocorrência da tragédia, pois na prática da engenharia de segurança há a seguinte equação:

    CONDIÇÃO INSEGURA + ATO INSEGURO = ACIDENTE

    Substituindo os componentes da equação:
    1 – Condição insegura: o teto em cima do palco de material inflamável;
    2 – Ato inseguro: artefatos que projetaram labaredas durante o espetáculo e que atingiram o teto.

    Diz Allan Kardec, em nota ao final da questão 738 – b de O Livro dos Espíritos, que “venha por um flagelo a morte, ou por uma causa comum, ninguém deixa por isso de morrer, desde que haja soado a hora da partida. A única diferença, em caso de flagelo, é que maior número parte ao mesmo tempo”.
    E finalmente, segundo esclareceram os Espíritos Superiores a Allan Kardec, na resposta à questão 740 de O Livro dos Espíritos, “os flagelos são provas que dão ao homem ocasião de exercitar a sua inteligência, de demonstrar sua paciência e resignação ante a vontade de Deus e que lhe oferecem ensejo de manifestar seus sentimentos de abnegação, de desinteresse e de amor ao próximo, se o não domina o egoísmo”.
    Eis que tudo tem a sua razão de ser, embora no primeiro momento não consigamos abranger o quadro espiritual que está por trás de todos os acontecimentos trágicos. As chamadas “coincidências”, somadas ao pensamento lógico Espírita, através da Lei da Reencarnação, mostram que o passado culposo pode, sim, ter tido sua reparação agora, pois a prática do mal nunca fica impune.

  78. MONTALVÃO Diz:

    Só por curiosidade, gostaria de saber como os espíritas interpretariam (se já não “interpretaram”) um dos mais horrendos crimes contra a humanidade, perpetrado pelo rei Leopoldo da Bélgica contra o antigo Congo. A nefasta ação desse dirigente hoje anda um tanto esquecida, mas é de envergonhar a qualquer vivente saber que a pessoa de Leopoldo alinha-se dentre os humanos…
    .
    Acobertado por um discurso altruísta, o rei belga e seus asseclas promoveram um sofrimento coletivo horrendo, praticamente indescritível, somatório de horrendas dores pessoais. Se não existir inferno alguém tem que inventar um para enterrar, pela eternidade, nas suas profundezas esse cancro humano.

    .
    “LA TRAGEDIA DEL CONGO
    .
    Una obra terrible sobre la masacre pepetrada en África a principios del pasado siglo por el rey de los belgas. Incluye el Informe Casement, el documento del famoso cónsul británico que sería posteriormente ejecutado por traición, al apoyar la causa de Irlanda. Completan el volumen los textos de denuncia de Arthur Conan Doy le, el famoso creador de Sherlock Holmes, y del escritor norteamericano Mark Twain, así como una carta del abogado negro G. W. Williams, que sería el primero en elevar la voz públicamente.
    .
    Cuando en 1876, Leopoldo II de Bélgica creó la Asociación Internacional Africana y financió luego la expedición de Stanley al río Congo (1879-1884), se estaban poniendo las bases para una de las mayores tragedias de la humanidad. Al principio, tanto Europa como los Estados Unidos apoyaron lo que creyeron que era una misión humanitaria y civilizadora. Pero en realidad se estaba permitiendo que uno de los peores monstruos de la historia, diese rienda suelta a sus ansias de riqueza sin que nadie supiera lo que estaba de verdad ocurriendo en “el corazón de las tinieblas”: el exterminio cruel de los habitantes de la región. Sólo cuando comenzaron a surgir textos de denuncia, la opinión pública empezó a ser consciente de la realidad. Ediciones del Viento presenta en este volumen, traducidos por primera vez al español, cuatro durísimos documentos fundamentales para que el lector comprenda, de primera mano, la magnitud de la tragedia del Congo.
    .
    En su nueva novela El sueño del celta, el escritor peruano Mario Vargas Llosa narra la vida del diplomático inglés, de origen irlandés, que a principios del pasado siglo viaja al Congo para redactar un informe sobre las atrocidades que está cometiendo Leopoldo II de Bélgica. Poco después sería enviado a la Amazonia con el mismo objetivo, pero a su regreso se destapa como un independentista irlandés, y es acusado de traición y ejecutado por lo británicos. La tragedia del Congo recoge íntegro por primera vez en español el texto agfricano de Roger Casement, que junto con escritos de Conan Doyle y Mark Twain introduce al lector en la verdad de los hechos terribles que narra Vargas Llosa en su novela.
    .
    Un libro fundamental para conocer el viaje de Roger Casement al Congo en 1903. Un extraordinario complemento para El sueño del celta.

  79. Marciano Diz:

    Gostei do impulso que o blog teve hoje.
    .
    jorge Diz:
    abril 8th, 2014 às 08:14
    Não me importo com quem crê, desde que não se meta a moralizar os outros ou ser eleito alguma coisa, mas fico sem entender porque uma pessoa consegue levar essa vida por mais de 30 anos colhendo NADA, crendo que suas conquistas se devem a algo mais além de sua competência que eu sei que elas têm.
    .
    COMENTÁRIO: Eu tenho pena dessas pessoas (grande parte delas, aquelas que têm bom coração, são vítimas do engodo).
    .
    Acredito que deve ser como meu cigarrinho, um adicção.
    .
    COMENTÁRIO: Também acho, em parte. A maior parte eu acredito que possa ser atribuída a fuga do mundo real, insuportável para essas pessoas.
    .
    .
    1. Larissa Diz:
    abril 8th, 2014 às 08:59
    A “lógica” espírita cai por terra quando penso no sofrimento dos animais. Ontem levei meu cachorro ao vet e, enquanto eu aguardava, um outro cachorrinho estava sendo sacrificado por conta de um raro e agressivo câncer na medula óssea. Qual o carma deste bichinho, uma vez que ele NÃO TEM livre arbítrio???? Eu estou impressionada até agora com o sofrimento dele.
    COMENTÁRIO: Eu já comentei aqui antes, estou sem tempo de buscar o comentário, mas dou uma dica. Irvênia Prada, espírita e veterinária, escreveu um livro que diz que eles estão sendo treinados para quando forem humanos, para irem se acostumando com o sofrimento.
    Fica claro da leitura do livro dela (eu o tenho) que animais, para ela, são bois, cães, gatos, carneiros. Ela parece esquecer-se de que insetos, aracnídeos, lagartixas, etc., também são animais e que também sofrem, com perda de membros, fome, morte prematura.
    .
    1. Larissa Diz:
    abril 8th, 2014 às 09:11
    DESAFIO OS ESPIRIGÉLICOS A DAR UMA EXPLICAÇÃO LÓGICA AO “CARMA” DOS ANIMAIS!
    COMENTÁRIO: Leia o livro da Irvênia. Não faz o menor sentido, mas seu desafio já foi aceito antecipadamente.
    Os animais sofrem também porque nós nos alimentamos deles, os de corte são tratados como coisas até chegarem à idade em que podem ser comidos. Outros são escravizados, como cavalos, por exemplo. Há aqueles que são geneticamente modificados para ficarem com defeitos, cães com nanismo, por exemplo, tudo por seleção natural, para agradar a dondocas, que os acham tão fofinhos.
    .
    .
    BIASETTO, tentei te ligar ontem, mas não consegui. No momento estou no trabalho, saindo pra almoçar. Meus telefones estão desligados. Como você trabalha à noite, vou ver se tento depois de 23h.
    .
    .
    1. Gorducho Diz:
    abril 8th, 2014 às 10:14
    Dado o sumiço do Sr. JCFF está visto que sim.
    COMENTÁRIO: Eu vivo pedindo a manifestação de jcff aqui (debalde).

    .
    .
    TOFFO: A Curi foi vítima de tentativa de estupro por parte de Ronaldo de Castro e Cassio Murilo, menor, à época. O porteiro Antonio participou por ter facilitado a ação deles. Ronaldo deu uma “gravata”, hoje conhecida como “esgana-galo” em Aída, ela desfaleceu e eles pensaram que ela tivesse morrido. Então jogaram o corpo, para parecer suicídio. Ela era uma caipirinha boba que ficou deslumbrada com o playboy Ronaldo. Não há mistério nenhum. Você pode consultar o processo, existem lugares onde se vê quase a íntegra dele.
    .
    .
    MONTALVÃO Diz:
    abril 8th, 2014 às 13:26
    Segundo ensinava a dupla espírito-sertaneja, Luciano dos Anjos e Hermínio Miranda, a guerra de Biafra fora punição aos nazistas que praticaram atrocidades na Segunda Guerra. Para quem não lembra, Biafra era (e ainda é) província da Nigéria, que ousou tentar se separar da mãe e esta, como castigo, montou um bloqueio contra os separatistas que impediu qualquer tipo de ajuda, desde militar a humanitária, o resultado foi a morte pela loucura da fome de mais de três milhões de biafrenses.
    .
    COMENTÁRIO: Isso aí não é nada, divaldo, no livro “Transição Planetária”, afirma que aquele tsunami de matou quase 300 mil pessoas faz parte dos desígnios divinos, de transformar a Terra em planeta de regeneração.
    Veja este trecho:
    .
    Houve uma pausa comovida. Todos respirávamos ao ritmo da narração evocativa, profunda e grave.
    Logo depois, prosseguiu com o mesmo timbre de voz e a mesma emo-ção:
    Mais de uma vez, a Tua misericórdia sacudiu a barca planetária, qual ocorreu, há pouco, através do tsunami, demonstrando a fraqueza dos engenhos humanos e suas parcas possibilidades de conhecer os desígnios de Deus, a fim de a todos despertar-nos em definitivo..
    Novamente solicitaste o apoio de outros Espíritos para a grande transição que logo mais terá lugar no mundo físico.
    .
    Prepare-se, porque mais adiante, ele diz:
    .
    — Nosso empreendimento — explicou-nos o Dr. Charles — está dividido em duas fases: a primeira delas terá lugar na região do tsunami, e a segunda na psicosfera do Brasil, preparando as mentes e os sentimentos para as reencarnações especiais.
    .
    .
    Vou almoçar e volto ao trabalho.
    Logo mais, se der, dou uma passadinha aqui.

  80. Marciano Diz:

    Os animais sofrem também porque nós nos alimentamos deles, os de corte são tratados como coisas até chegarem à idade em que podem ser comidos. Outros são escravizados, como cavalos, por exemplo. Há aqueles que são geneticamente modificados para ficarem com defeitos, cães com nanismo, por exemplo, tudo por seleção natural, para agradar a dondocas, que os acham tão fofinhos.
    .
    Agora vou mesmo.

  81. Marciano Diz:

    ERRATA:
    Onde se lê ” Os animais sofrem também porque nós nos alimentamos deles, os de corte são tratados como coisas até chegarem à idade em que podem ser comidos. Outros são escravizados, como cavalos, por exemplo. Há aqueles que são geneticamente modificados para ficarem com defeitos, cães com nanismo, por exemplo, tudo por seleção NATURAL, para agradar a dondocas, que os acham tão fofinhos.”,
    LEIA-SE
    ” Os animais sofrem também porque nós nos alimentamos deles, os de corte são tratados como coisas até chegarem à idade em que podem ser comidos. Outros são escravizados, como cavalos, por exemplo. Há aqueles que são geneticamente modificados para ficarem com defeitos, cães com nanismo, por exemplo, tudo por seleção ARTIFICIAL, para agradar a dondocas, que os acham tão fofinhos.

  82. Larissa Diz:

    Montalvão: A explicação deles será um blá blá blá semelhante à explicação sobre a Boate Kiss. Talvez até apontassem Leopoldo II como a reencarnação de algum benfeitor que veio libertar do carma as vítimas de suas ações psicóticas. Não tive que ouvir na semana passada que estupradores devem ficar a solta para fazerem cumprir a sentença de mulheres estupradas?
    .
    Marciano: Já estou até com medo do que mais possa acontecer com a psicosfera – sejalá o que isso queira dizer – do Brasil.

  83. Biasetto Diz:

    Gorducho,
    Se o Lentulus existiu, pra mim não muda nada a convicção de que Chico Xavier o descobriu naquele livrinho que o Vitor fotocopiou e postou aqui no blog, certeza absoluta!
    Mesmo que fique provada a existência (o que ainda não está), não prova a veracidade daquela carta sobre Jesus (que estou convicto, na linha do DeMarte, nunca existiu) e nem prova que Emmanuel seja verdade, muito menos que tenha sido o tal senador romano.
    Os animais são uns coitados, sofrem muito mais que os humanos, pois muitos, mesmo doentes, com dores, têm que procurar a sobrevivência, tentam lidar com suas crias, se viram como podem e não podem e morrem sozinhos, abandonados.
    Até hoje não entendi por que deus criou vermes, carrapatos, pulgas e pernilongos (mosquitos nojentos e chatos).

  84. MONTALVÃO Diz:

    Larissa Diz: Lentulus existiu???
    Gorducho Diz: Dado o sumiço do Sr. JCFF está visto que sim.
    .
    COMENTÁRIO: Lêntulus não existiu, e não seria o “sumiço” do José Carlos que o desmentiria, embora sei que o Gorducho tá de gozação. O Lêntulo que esse tal professor descobriu é uma citação isolada que não possui liames com a história lentuliana proposta por Chico.
    .
    A meu ver os textos de JCFF mostram soberbamente as falácias de Há 2000 mil anos. Não vi da parte de espíritas nenhuma produção que ameace os pareceres desses estudos.
    .
    Mas acredito que o José Carlos vai se pronunciar: dificilmente se manteria silente ante essa “descoberta”. Ou ele está sem tempo para avaliar o assunto ou está a preparar uma marretada pulverizante. E que marretão não seria…

  85. Contra o chiquismo Diz:

    Por falar em Biafra (lugar), o cantor Biafra ganhou esse apelido por ser esquelético. Diziam pra ele: “cara vc parece com as pessoas da guerra de Biafra – passava imagens do conflito na tv a época – e pegou esse apelido nele. Maurício Pinheiro Reis é o verdadeiro nome dele.

  86. Toffo Diz:

    Os espirigélicos são mestres em dizer o direito. Desde recuados anos, quando por exemplo CX prelecionou sobre a tragédia de Niterói, em 1961, em que na opinião dele eram ‘devedores’ do século 2 d.C. – que levaram 17 séculos para ser punidos, nem a justiça brasileira demora tanto – e depois desovou um soneto sobre os ‘cruzados’ que teriam perecido na tragédia do Joelma em 1974. Essa história publicada sobre um suposto ‘guia espiritual’ que teria dito algo sobre a boate Kiss – e a malta engole como se fosse quindim – semelha muito àqueles espetáculos de execução em praça pública, em que as pessoas iam ver os suplícios por um prazer secreto e perverso de ver alguém sofrer. Isto é abominável, mas é tão insano que nenhuma pessoa minimamente saudável intelectual e mentalmente perde tempo em refutar. Fica no âmbito restrito dos crentes no espiritismo evangélico.
    .
    Lembro-me, quando houve o acidente aéreo com os Mamonas Assassinas, que um tabloide espirigélico do interior publicou uma nota asseverando que aquilo fora uma providência do Plano Espiritual, como uma correção de rota do grupo, que se dedicava a compor e tocar canções fesceninas [sic].
    .
    Os espirigélicos dizem o direito, prelecionam, decidem sobre a conduta alheia com ‘autoridade’ diretamente proporcional à sua arrogância. Acho curioso, contudo, como a lógica torta deles aceita que os ‘resgates’ coletivos tenham sempre por causa um ato criminoso ou ilícito, culposo ou doloso, provocado por um agente que NÃO é o resgatante, mas cuja conduta é muito mais reprovável do que a das vítimas e seus supostos malfeitos do passado: como o sujeito que botou fogo no circo ou que criou as condições para que as vítimas da Kiss não pudessem escapar &c.
    .
    Não tenho nem nojo dessa gente; tenho pena.

  87. Gorducho Diz:

    O Lentulus por enquanto está encarnado, crescendo para desempenhar futura missão evangélica aí no seu estado, Prof. Biasetto; mas vai lembrar da sua incredulidade quando voltar para as esferas sutis…
    Senadores romanos e jesuítas eram muito rígidos: tenho pena da sua alma.

  88. Gorducho Diz:

    Mesmo sendo, obviamente, uma fantasia tal conjectura, estaria mais coerente do que supor que Deus reencarnara milhões de nazistas e os pusera para morrer acossados de fome e sede, a fim de “aprenderem” &c.
     
    Tanto o Sr. tem razão que como o Hitler nada disso aconteceu. Foi condena do a 4 anos em Plutão e depois certamente reencarnará várias vezes em missões onde promoverá o bem e a paz desinteressadamente, como o Sr. postula.

  89. Gorducho Diz:

    Sim, Prof. Biasetto: eu já tinha pensado n’algo semelhante. Ou seja: a origem das histórias medievais sobre o Lentulus e a carta podem ter sido calcadas na existência dessa pessoa sufeta em 800 e sobre a qual nada mais se sabe.
    Assim, pode-se atribuir qualquer fato ao personagem.
    De qualquer sorte é o único artigo que eu me lembre escrito por espíritas que tem fundamentação na realidade.

  90. Marciano Diz:

    LARISSA:
    troposfera é a camada da atmosfera na qual ocorrem os fenômenos meteorológicos;
    estratosfera é a camada que se sucede, onde se acumula o ozônio;
    mesosfera é uma camada intermediária, onde o ar é muito rarefeito e as temperaturas baixíssimas;
    termosfera é a que fica acima, onde a velocidade das moléculas é muito alta, significando alta temperatura, só que há muito poucas moléculas, então elas não têm como aquecer nada;
    ionosfera é a camada ionizada pela radiação solar;
    biosfera é a camada onde existem seres vivos;
    FINALMENTE, PSICOSFERA é a camada habitada por espíritos malucos, que dizem esse besteirol que a gente vê em livros espíritas.
    É onde fica o LAR DELES.
    .
    .
    BIASETTO:
    Você não sabia que os parasitas (animais e vegetais) bem como mosquitos etc. foram criados pelo capeta?!
    A não ser que você ache que tenha sido deus, num dia em que estava de sacanagem (o sétimo, talvez).
    .
    .
    MONTALVÃO Diz:
    abril 8th, 2014 às 14:56
    “Mas acredito que o José Carlos vai se pronunciar: dificilmente se manteria silente ante essa “descoberta”. Ou ele está sem tempo para avaliar o assunto ou está a preparar uma marretada pulverizante. E que marretão não seria…”.
    COMENTÁRIO: Time will tell.
    .
    .
    TOFFO:
    Fescenino é de uma presunção digna de espirigélicos.
    Acho que quem fomentou essas coisas foi cx, com seu beletrismo e seu estilo “chamejante”.
    Por que não dizer simplesmente obsceno?
    É porque os espirigélicos acham que quem não partilha de sua crença é “papalvo”.
    Eles devem ficar fuçando dicionários para descobrirem esses termos em desuso e dar-lhes nova encarnação.
    Que cousa!
    .
    Quanto à sua frase “Não tenho nem nojo dessa gente; tenho pena”, eu já tinha dito lá em cima:
    Marciano Diz:
    abril 8th, 2014 às 14:05
    .
    “COMENTÁRIO: Eu tenho pena dessas pessoas (grande parte delas, aquelas que têm bom coração, são vítimas do engodo)”.

  91. Larissa Diz:

    FINALMENTE, PSICOSFERA é a camada habitada por espíritos malucos, que dizem esse besteirol que a gente vê em livros espíritas.
    .
    Deve ser a falta de oxigênio…

  92. Marciano Diz:

    Boa hipótese, LARISSA. A anóxia provoca lesões cerebrais e deve provocar lesões pericerebrais também.
    Há vários relatos de pessoas em anóxia sobre luzes, parentes mortos e túnel.
    A psicosfera tem esse nome porque lá só existem espíritos psicóticos, com pericérebro lesionado pela falta de oxigenação, pela radiação solar e pela temperatura muito baixa.
    Uma coisa, contudo, me intriga e ameaça sua hipótese: por que aqui embaixo, onde as condições são ótimas, existem pessoas que levam a sério as sandices ditas por esses espíritos?
    Vou procurar investigar se existe alguma correlação entre ser adepto do espiritismo e DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica).
    Não provoca anóxia, pelo menos nos estágios iniciais, mas prococa hipóxia, o que explicaria a disfunção cerebral.

  93. Marciano Diz:

    “As características principais compartilhadas entre a hipóxia induzida por aceleração e as EQMs são a visão do túnel e de luzes brilhantes, a sensação de estar flutuando, as sensações agradáveis e de prazer, breves fragmentos de imagens visuais e algumas raras vezes a sensação de deixar o corpo”.
    .
    Fonte: Revista de Psiquiatria Clínica
    http://www.hcnet.usp.br/ipq/revista/vol34/s1/116.html

  94. Marciano Diz:

    Resumo

    Contexto: Quando algumas pessoas vivenciam um estado próximo da morte, elas referem uma experiência profunda de transcender o mundo físico, o que freqüentemente as conduz a uma transformação espiritual. Estas “experiências de quase-morte” (EQMs) são relevantes para os clínicos pois produzem mudanças nas crenças, nas atitudes e nos valores; podem ser confundidas com os estados psicopatológicos, embora tenham conseqüências diferentes necessitando terapêuticas diferentes; e, por fim, porque podem ampliar a nossa compreensão em relação ao fenômeno da consciência. Objetivos: Esta revisão de literatura examina as evidências relacionadas às explicações que têm sido propostas para o fenômeno das EQMs, incluindo expectativa, memórias do nascimento, alterações nos gases sangüíneos, alucinações tóxicas ou metabólicas e modelos neuroquímicos e neuroanatômicos. Métodos: A literatura sobre EQM dos últimos 30 anos foi revisada de modo abrangente, incluindo bases de dados médicas, de enfermagem, psicológicas e sociológicas. Resultados: As EQMs tipicamente produzem mudanças positivas em atitudes, crenças e valores, mas também podem levar a problemas interpessoais e intrapsíquicos. Esses problemas, embora tenham sido comparados a vários transtornos mentais, diferem desses quadros psicopatológicos. Várias estratégias terapêuticas têm sido propostas para ajudar indivíduos que apresentam conseqüências problemáticas de uma EQM, mas tais intervenções ainda não foram testadas. Conclusões: A consciência mística e o funcionamento mental intensificado durante uma EQM, quando o funcionamento cerebral está gravemente prejudicado, são um desafio para os modelos atuais sobre a interação cérebro/mente e podem, eventualmente, levar a modelos mais completos para o entendimento da consciência.

    Greyson, B. / Rev. Psiq. Clín. 34, supl 1; 116-125, 2007

  95. Marciano Diz:


    Alterações nos gases sangüíneos

    Uma suposição comum tem sido a de que a anóxia ou hipóxia, fatores comuns no processo de morte cerebral, devem ser implicadas nas EQMs (Blackmore, 1993; Rodin, 1980). Entretanto, EQMs ocorrem sem anóxia ou hipóxia, como em doenças não-fatais e em acidentes que quase ocorreram, dos quais o indivíduo sai ileso. Além disso, as vivências associadas à hipóxia são somente superficialmente similares às EQMs. Whinnery (1997) comparou as EQMs aos devaneios que ocorrem durante os períodos breves de inconsciência induzidos por aceleração rápida em pilotos de caça, embora tenha referido que seu modelo não explica todos os fenômenos de EQM. As características principais compartilhadas entre a hipóxia induzida por aceleração e as EQMs são a visão do túnel e de luzes brilhantes, a sensação de estar flutuando, as sensações agradáveis e de prazer, breves fragmentos de imagens visuais e algumas raras vezes a sensação de deixar o corpo”.
    .
    Acho que nos casos em que não há anóxia ou hipóxia deve haver esquizofrenia paranoide latente, desencadeada pelo susto daqueles que saem ilesos e mesmo assim vêm túneis, luzes e coisa e tal.

  96. Marciano Diz:

    “… VEEM TÚNEIS…”.
    Foi hipóxia induzida por quase coma alcóolico.

  97. Marciano Diz:

    Excesso de álcool e falta de oxigênio não combinam com gramática.

  98. Marciano Diz:

    Alcoólico, não alcóolico.
    Este, eu juro que foi erro de digitação, não falta de atenção.
    Vou parar de ler o que escrevo.
    Ou então, parar de beber…

  99. Larissa Diz:

    Pare de beber.

  100. Contra o chiquismo Diz:

    Lembrei do ácido do emmanuel…

    os ‘espiritos’ materializam drogas, dinheiro, perfume, rosas, corpos..

    ‘Eles’ são a solução para o mundo! Nada faltará a depender deles.

    Mas pq então existe ‘espíritas’ pobres?

  101. Marciano Diz:

    CONTRA, você sabe a resposta.
    Lembra-se da fonte de perirenda do Dr. Bezerra?
    Se quiser, é fácil, é só dar aulas de matemática ou qualquer outra coisa por um preço astronômico, os alunos aparecem magicamente.
    O problema é que os espíritas fazem voto de pobreza, porque é mais fácil um camelo passar pelo fundo da agulha do que um espírita rico entrar no LAR DELES.
    .
    Vou aproveitar que a Terra está alcançando meu planeta natal, chegando ao máximo de aproximação plurianual, para fazer uma visitinha.
    Volto logo.

  102. Contra o chiquismo Diz:

    pois e´..pobre dos ricos…

  103. Toffo Diz:

    Basta ter uma visão minimamente antropológica:
    .
    A patroa é espírita.
    .
    A empregada é evangélica.
    .
    .
    Jamais o contrário.

  104. Biasetto Diz:

    editado pelo Moderador [explicação: Scur está proibido de participar do blog. Não vou deixar ele participar por meio de recados através do Biasetto]

  105. Contra o chiquismo Diz:

    Po..o sCUr disse que a materialização de Hubberabba foi séria, foi legítima…esperar o que mais?

    Siiiiimmmmm existe, xeiste, etiste, itexeis, tiexste, seitxe…

    eita que só de ler sobre o ácido do emmanuel..já começo a perder o controle do tclaeodo.. e esvcro todu heraduu…

  106. Larissa Diz:

    E que detalhes desconhecido a sua época de Roma CX revelou ao mundo? Nem os conhecidos ele sabia direito…

  107. Marciano Diz:

    1. Toffo Diz:
    abril 9th, 2014 às 14:25
    Basta ter uma visão minimamente antropológica:
    .
    A patroa é espírita.
    .
    A empregada é evangélica.
    .
    .
    Jamais o contrário.
    .
    COMENTÁRIO: estou (quase) sempre de acordo com o brilhante TOFFO (para meu próprio gáudio, pois isto equipole a dizer que estou (quase) sempre certo).
    Desta vez, “data venia”, vou discordar, em parte.
    Não há dúvida de que, em geral, quanto mais pobre e ignorante mais tendente a ser evangélico é o homem (a mulher incluída).
    Também é certo que espiritismo é mais popular entre a classe média.
    Por outro lado, em nome de minha honestidade intelectual, vejo-me na contingência de afirmar que uma patroa espírita pode empregar uma doméstica evangélica, por raro que o fenômeno possa ser, porém JAMAIS o contrário acontecerá, pois a patroa evangélica (provavelmente pastora) só emprega a espírita se ela se converter à sua (da patroa) religião, der dízimo e o escambau, e abandonar os “demônios”.
    .
    .
    BIASETTO, eu e o médium G GRASSOUILLET estamos sentindo a falta da refutação do jcff. AGORA, depois do e-mail que você reproduziu, acho que é imperiosa a manifestação de jcff, sob pena de termos de engolir o que diz o SCUR.
    .
    Vou tentar ligar pra você daqui a pouco. Se estiver em sala de aula, não precisa atender.

    .
    .
    CONTRA, esse espírito que baixou em você ou no seu teclado não deve ser do EmÂnuel, deve ser do SCUR, em desdobramento físico, por você o ter empalada em vida pretérita.

  108. Marciano Diz:

    Não é imperiosa, não, é imperativa a refutação de jcff.

  109. MONTALVÃO Diz:

    .
    NAGIP: Ainda não se sabe nada acerca da vida deste indivíduo citado nos Acta Arvalium, o que não significa que, no futuro, não surjam novidades neste sentido. Muitos ainda afirmam que não existiu nenhum Publio Lentulus em Pompeia, cidade soterrada pelo Vesúvio, quando do erupção de 79 d.C. Ora, mas quem disse que as escavações estão completas? Pelo menos, 1/3 da cidade continua aguardando, enterrada, os trabalhos arqueológicos.Villas e até mesmo restos mortais humanos jazem ocultos no subsolo da atual Campânia. Quem pode garantir que, futuramente, não tenhamos novidades neste sentido? Mais tolo ainda é afirmar que, entre a lista dos senadores da Roma Antiga, não existe tal figura. Ora, onde está a tal lista? Ela não existe! Em 1200 anos de História, milhares ocuparam esse cargo e não conhecemos senão uns poucos.
    .
    NAGIP:Aguardemos o tempo!

    .
    COMENTÁRIO: com certeza o Nagipe não leu o José Carlos: o fizesse não pronunciaria com tanta firmeza a legitimidade do sonho alucinado de Xavier, que alguns espíritas abraçam com tanta euforia. Em nenhuma parte do artigo do bacharel em história se vê referência ao trabalho do JCFF. O que é de lamentar, visto que, de longe, é a melhor pesquisa disponível no Brasil a respeito da validade do Publio xaveriano.
    .
    O Scur retorna pela via indireta biasetínica e mostra que continua o mesmíssimo: só tem olhos para o que e para onde quer olhar. Basta leve apreciação do artigo do Nagipe e perceber-se-á que muitas das objeções feitas pelo José Carlos sequer foram abordadas pelo historiador defensor de Públio.
    .
    Nagipe parece ter descoberto um Publius Lentulus, mas não consegue ligá-lo efetivamente ao conteúdo de Há Dois Mil Anos. Ele tem a esperança de que futuras investigações lancem mais luzes sobre o personagem e possam inserí-lo no contexto do sonho xaveriano. Scur se agarra a essa esperança e nos traz argumentos definitivos, acreditando assim que o conteúdo do romance de Chico esteja demonstrado. Ora, num dos artigos de José Carlos aqui publicados (“A “LINHA DO TEMPO” LENTULIANA, OU “UM EXERCÍCIO DE RACIOCÍNIO PARA OS ADEPTOS DA FÉ RACIOCINADA”) apresentam-se diversos pontos importantes, a patentear a impossibilidade de Lentulo ter existido nos moldes chicoxaverianos. O Scur conhece o texto, tanto que participou da discussão, mas agora esquece esse material e vem pavonear-se advogado do bacharel em história, achando que este provou que o romance de Xavier relata fatos concretos, em vez de fantasias brotadas da criativa mente do médium. Boa parcela desses pontos passaram longe do artigo do Nagipe. Portanto, o arrazoado do JCFF continua firme, válido e suficiente para comprovar que a tal carta é apócrifa e originou-se séculos depois do início do cristianismo.

    .
    José Carlos não precisa de quem o defenda, seus aprofundados estudos falam por si mesmos. Scur em vez de contestar as afirmações dos escritos de JCFF vem com um discurso verborrágico, que nada acrescenta à proposta espírita de que Lentulus seja Emmanuel.
    .
    Não podemos esquecer que, mesmo na remota hipótese desse Lêntulo que o historiador teria descoberto puder ser encaixado no romance de Chico, o que lhe daria alguma validade histórica, tal não significará necessariamente que o pretenso guia do médium mineiro tenha sido essa pessoa. Não podemos perder de vista o fato de que nem a comunicação, nem a reencarnação são consideradas realidades, a não ser nos ninhos admitidores de tais crenças, e que médiuns e espritos se recusam a dar provas conclusivas de que desencarnados atuam comunicativamente em meio aos vivos.
    .
    Portanto, não será com o discursozinho retórico com que retorna à arena que Scur fará de seus sonhos realidade.
    .

  110. Marciano Diz:

    Boa a refutação de MONTALVÃO, mas eu gostaria de ver um “overkill” de jcff.
    Gostei da “via biasetínica”.
    MONTALVÃO é super criativo e hiper divertido, além de excelso argumentador.

  111. Gorducho Diz:

    De qualquer forma não se pode negar que a descoberta da referência ao Lentulus é justo motivo de júbilo para os Chiquistas.
    E o sumiço do Sr. JCFF é inexplicável. A natureza abomina o vácuo: o espaço deixado é agora preenchido pelos Chiquistas…

  112. Gorducho Diz:

    Essa sua atitude apenas dá razão aos Chiquistas e diminui a frequência e o interesse no Sítio, Sr. Administrador.
    Depois não reclamem se não há debates e o Sítio esteja paralisado por falta de contraditório.

  113. Biasetto Diz:

    O que temos é muito simples:
    Se Lentulus fosse uma citação de Xavier, sem qualquer outra referência – não existisse o documento sobre Jesus (e que tudo indica, falso) e a cartilha mostrada pelo Vitor aqui, citando Lentulus, lá das Minas Gerais, os críticos diriam que Chico “viajou”, criando uma personagem que nunca existiu. Aí aparece esta possibilidade, agora, de que Lentulus existiu, então: bingo!
    Os chiquistas diriam: “vejam só, Chico Xavier não teria como ter criado/inventado Lentulus, pois ninguém nunca tinha tido conhecimento deste personagem, isto é a prova de que existiu e a mediunidade do Chico é verdadeira”.
    Mas não é o caso, porque o Chico pode muito bem ter usado o nome Lentulus, criado a relação Emmanuel/Lentulus, a partir da documento sobre Jesus e da cartilha das Minas Gerais. Ou seja, ele teve de onde tirar este personagem, portanto, mesmo que se prove (ainda não está provado nada) a existência de Lentulus, isto não serve como prova de que Chico foi médium, nem de que Emmanuel foi seu mentor, nem de que Emmanuel foi Lentulus no passado.
    Agora, que não deixa de ser interessante a possível averiguação de que o tal homem existiu.

  114. Gorducho Diz:

    Historicamente as cousas geralmente se originam de algo. Então minha tese é que houvesse na idade média conhecimento sobre esse (real ou fictício como a própria fonte faz questão de sublinhar: sed non constat, num re vera Lentulus quidam ignotus indicatus fuerit) P [CORNELIVS] LE[NTVLVS]; ser sobre o qual nada mais se sabe. Então seria uma personagem adequada para sobre o qual montar-se a carta, &c; uma vez que toda imaginação desenvolvida não poderia ser contestada.
    Quanto à origem do conhecimento de CX sobre o mesmo, já está suficientemente evidenciada: seja na Crestomatia, seja na literatura devocional católica.
    Mas os Chiquistas têm motivos para júbilo. Vale lembrar que o Sr. JCFF postulava para colega do C Sallustius (seria o 2º marido da Agripina menor?) o Lúcio Cornélio Lêntulo Cipião, sobrinho do grande Cosso amigo do Tibério.

  115. Toffo Diz:

    Há ainda uma outra questão a ser ponderada: nenhuma, NENHUMA das supostas revelações xavierianas foi referendada por outra fonte independente. Sessenta, setenta anos passados, com a facilidade de hoje, e as proposições de CX continuam invictas. Creio que nunca o serão, porque tudo o que CX escreveu é sem dúvida fruto de sua imaginação.
    .
    Marciano, não entendi a sua concordância parcial. Li 2 vezes seu texto e entendi que você disse a mesma coisa que eu havia dito.

  116. Marciano Diz:

    TOFFO, eu disse discordância parcial porque uma evangélica (provavelmente pastora, por sua posição social de empregadora) nunca empregaria uma doméstica espírita, não porque estas não existam, como ficou subentendido no seu texto, mas porque devem existir, ainda que raras, mas evangélicas, ainda mais pastoras (pastores são os evangélicos que ficam com o dinheiro) não contratam espíritas.
    A suposta espirigélica doméstica teria de trocar de religião, converter-se à uma das dezenas de milhares de denominações evangélicas que a empregadora adotasse, e ainda teria de pagar dízimos e outras contribuições, com o piso salarial de domésticas que auferisse, isso na suposição de que a pastora a contratasse de acordo com a legislação, o que dificilmente ocorreria.
    .
    No fundo, não foi uma concordância parcial, foi total, eu só quis destacar o fato de que evangélicos não contratam espíritas, sustentam que isso é coisa de satanás, outro personagem de mentirinha, e ainda cobram dízimo e ofertas avulsas dos empregados convertidos.

  117. Marciano Diz:

    Quanto a Lentulus, continuo esperando a refutação indispensável de jcff.

  118. Marciano Diz:

    O Scur anda dizendo pra mim que o sumiço de JCFF é devido ao fato de que ficou sem ter o que dizer.
    Não tenho como discutir o assunto com ele se jcff não se manifestar e demonstrar cabalmente que a existência do Lentulus xaveriano não está provada.

  119. Marciano Diz:

    Estou começando a achar que se a telepatia existisse poderia ter alguma utilidade.
    Liguei para o Biasetto, quem atendeu foi o filho dele, o cara deixou o celular em casa.
    Tentei uma comunicação telepática, mas não sei como fazer.

  120. Larissa Diz:

    Marciano: vc ainda não bebeu o suficiente. Telepatia só funciona bêbado.

  121. Larissa Diz:

    O álcool estimula a glândula pinel.

  122. Biasetto Diz:

    DeMarte,
    Assim que você ligou, cheguei em casa e meu filho me disse que tinha um marciano querendo falar comigo, boa né?
    Eu liguei pra você no mesmo instante, mas seu telefone estava fora de serviço. Seu telefone é igual comunicação espírita, só chama de um lado, aí não dá né?
    Estou em casa agora, tranquilo, tenho folga nesta manhã de sexta, liga aí.

  123. Biasetto Diz:

    Este livro deve ser bom, alguém discorda?
    http://www.paulopes.com.br/2012/08/Livro-mostra-a-ligacao-da-igreja-com-o-fascismo.html#.U0d0J6hdXp8

  124. Biasetto Diz:

    Este blog precisa de boas ideias:
    http://www.paulopes.com.br/2011/01/nao-acreditar-em-deus-e-atalho-para.html#.U0d1-qhdXp8

  125. Biasetto Diz:

    Mais um livro interessante:
    http://www.paulopes.com.br/2010/09/livro-conta-vida-sexual-de-papas.html#.U0d2aahdXp8

  126. Biasetto Diz:

    http://www.paulopes.com.br/2014/01/o-que-levou-brasileiros-ao-salvacionismo-de-auditorio.html#.U0d3AKhdXp8

  127. Contra o chiquismo Diz:

    Mais uma de CX..saiu hoje no Extra:

    “JESUS CUROU DURANTE A CRUCIFICAÇÃO”

    óbvio…informação privilegiada de CX!!

    http://extra.globo.com/noticias/religiao-e-fe/gerson-monteiro/jesus-curou-durante-crucificacao-12154928.html

  128. Contra o chiquismo Diz:

    Até ATEU APELOU PRA KARDEQQ:

    Saiu hoje no O Dia

    “José Wilker teve encontro com guia espiritual antes de morrer”

    http://blogs.odia.ig.com.br/leodias/2014/04/11/jose-wilker-teve-encontro-com-guia-espiritual-antes-de-morrer/

  129. Biasetto Diz:

    Pois é Contra, mas uma do Chico Xavier hein?
    Quantas revelações ainda virão???
    Não vai demorar, vão aparecer mensagens do Wilker dizendo que está bem em Nosso Lar, descobriu Jesus e se livrou do cigarro, graças à misericórdia divina.
    Cadê o Antonio hein?
    Ele que gosta tanto de religião, precisa ver estas últimas postagens, vai fazer bem a ele.
    DeMarte, no seu planeta as pessoas fumam, bebem, se drogam?
    Que religião existe por lá?

  130. Marciano Diz:

    Sim, BIASETTO. Aqui, como aí, muita gente fuma, bebe e se droga. Eu só bebo.
    Aqui só tem uma religião, somos todos satanistas. Ultimamente a religião única tem perdido adeptos, depois que descobrimos que Satanás é viado. Pegou mal para um espírito de porco ser afeminado.
    Nada contra os boiolas, marcianos não são preconceituosos. É que aqui o pessoal acha que maldade extrema não combina com frescura.
    Mal sabem eles que aí na Terra tem gente como Madame Satã e outros homossexuais endiabrados.
    Eu não digo nada aos meus conmarcianos porque aqui discussão acaba em violência e morte e eu ainda quero viver uns duzentos anos (marcianos, quase o dobro do de vocês).

  131. Biasetto Diz:

    Mas DeMarte, estas informações não combinam com as fornecidas pela mãe de Chico Xavier, então você me desculpe, vou ter que chamá-lo de mentiroso, pois Maria João de Deus e Chico Xavier jamais mentiriam, espíritos elevados não mentem, o Scur me disse isso.

  132. Marciano Diz:

    Então lamento informa-lo que o Scur não é um espírito superior, pois ele mentiu quando disse que cx e respectiva mãe não mentem.
    Aliás, o VITOR já disse que o SCUR é mentiroso.

  133. Vitor Diz:

    Eu não só disse, eu PROVEI, e ele mesmo admitiu. A alma do Scur fede mais que as fossas do inferno.

  134. Biasetto Diz:

    Putz! rs…

  135. Gorducho Diz:

    Não te detenhas!
    Torna à presença do companheiro que te feriu e perdoa, ajudando-o a recuperar-se.
    Reflete e ampara-o!
    Quantas dores e quantas perturbações lhe vergastaram a alma, antes que a palavra dele se erguesse para ofender-te ou antes que o seu braço, armado pela incompreensão, deferisse contra ti o golpe deprimente?
    Guarda a calma e auxilia, sem cessar.
    Mais tarde, é possível que não possas, por tua vez, suportar o horrendo assalto da ira e reclamarás, igualmente, o bálsamo da alheia compreensão.
    Retorna ao teu lar ou à tua luta e espalha, de novo, a bênção do amor, com todos os corações que jazem envenenados, pelo fel da crueldade ou pela peçonha da calúnia.
    Não hesites, porém! Perdoa agora, enquanto a oportunidade de reaproximação te favorece os bons desejos porque, provavelmente, amanhã, o ensejo luminoso terá passado e não encontrarás, ao redor de ti senão a cinza do arrependimento e o choro amargo da inútil lamentação.

    [Emmânuel, captado pela antena mediúnica de CX]

  136. Biasetto Diz:

    Putz! rs… (2)

  137. Toffo Diz:

    Pois é, quando eu penso nas estripulias emmânuelinas: dizer que foi um senador romano que não existiu, afirmar ter sido padre várias vezes, inclusive um famoso, o Nóbrega fundador de Sampa, orientar CX na base da chibata, omitindo-se inexplicavelmente nas horas em que seu pupilo mais precisava dele (inclusive nos problemas de saúde), iniciar ou incentivar o pupilo no uso do ácido lisérgico, fazer como Castro Alves (Cabral! Fecha a porta dos teus mares), fechando aos espíritas a janela da evocação (“o telefone só toca de lá pra cá”), escrevendo bobagens científicas em seus livros como “A Caminho da Luz” e jurando que existiu Atlântida e os exilados da Capela, e, finalmente, afirmando que os seres humanos são meias-laranjas à procura de sua metade eterna – ler um texto santarrão desses me faz apenas sorrir.
    .
    Lembra-me um velho adágio jurídico que também se aplica a esses assuntos metafísicos: em matéria de casamento, engana quem pode.

  138. Marciano Diz:

    TOFFO, leia o livro de Silva Mello.
    Você vai ver que sempre foi assim, em todos os lugares.
    As pessoas acreditam nessas coisas porque têm necessidade psicológica de acreditar em fantasias. Em alguns raros casos, como o seu e de outros frequentadores do blog, chega um dia em que não dá mais para fantasiar.
    Em outros, mais raros ainda, como no meu, a pessoa não tem o que talvez seja o gene da crença descompromissada, e sempre, desde a infância, desconfia de tudo, só acredita se for cientificamente explicável.
    Quando eu era criança costumava, para desespero de minha mãe, zombar de Tomé, o que só acreditava vendo.
    Eu dizia que via mágicos fazendo truques, o que mostra que não basta ver.
    Você gosta de ler, dê uma chance ao Mello, e comente lá também.
    Gosto de ler seus comentários inteligentes e gostaria de ver você comentando alguns dos “causos” relatados por Mello, no tempo do onça, aqui e em outras paragens.

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)