Análise do livro Adeus Solidão (1982), de Chico Xavier

Este artigo busca analisar a ocorrência de algum fenômeno paranormal no livro “Adeus Solidão” (1982), que reúne 16 casos de cartas psicografadas por Chico Xavier. Para lê-lo, clique aqui.

66 respostas a “Análise do livro Adeus Solidão (1982), de Chico Xavier”

  1. Senhor dos Anéis Diz:

    Deve-se levar em conta também o panfletarismo religioso que existe nessas mensagens, sempre com algum apelo referente à fé religiosa, não há uma mensagem que possa ter algum conteúdo laico, independente do que seja. Pode ser roqueiro, funcionário público, torcedor de futebol, agricultor, velhinha asilada, mocinha do interior, todo mundo parece fazer o mesmo apelo de “luz” e “fraternidade em Cristo”.

  2. Marciano Diz:

    Tudo bem que o pai do menino trabalhasse com tapetes, que não seria segredo, a não ser que fizesse tapetes para a CIA.
    Já a pieguice do menino é chocante!
    Tapete invisível de orações para agasalhar o coração é de lascar!
    .
    É engraçado como todo mundo fala com tanta pieguice depois da morte.
    Outra curiosidade é o “querida mãezinha”.
    .
    Não consigo entender a razão de uma católica fervorosa procurar consolo em centro espírita.
    Endosso as críticas feitas no blog dossiê espírita, [...] “as mães traem sua própria confiabilidade ao notarem autenticidade em mensagens atribuídas a seus filhos que apontam claras irregularidades, que podem ser observadas até mesmo sem muito esforço”.
    Puro panfletarismo religioso!
    .
    Vejam:
    http://dossieespirita.blogspot.com.br/2014/12/familias-sao-enganadas-e-exploradas-por.html

  3. Gorducho Diz:

    Ele levou um tiro no coração, mas foi muito recente, não sendo possível receber uma sua mensagem assim tão cedo.”
    Os pais se entreolharam surpresos, pois Chico Xavier de nada sabia, sequer os conhecia…
    Voltaram mais duas vezes a Uberaba e na terceira viagem, 4 meses e meio após a desencarnação, Serginho trouxe-nos a carta que se segue
    .”
     
    Cá mais uma vez evidenciado o padrão: ele aproveitava a info disponível no momento. Como foi dramaticamente o caso dos revolucionários de SPRP, onde ele colocou o falecido lá em previa passagem carnal.
    E como claramente foi o caso do Renovação. Ele claramente leu algum relato sobre a varíola de 63 – infelizmente não consegui evoluir, e o Dr., provavelmente por justa vingança, não me ajudou :( – e deu-lhe a ideia de elaborar o romance. casualidade reversa: disponibilidade do relato &#8594 ideia do enredo.

  4. Gorducho Diz:

    SPRP São José do Rio Preto
     
    [...] disponibilidade do relato &#8594 ideia do enredo.

  5. Contra o chiquismo Diz:

    “Na carta também se menciona a presença de personagens ilustres no meio espírita e outras personalidades locais relativamente famosas: ? Dr. Alcides Neves Ribeiro de Castro, médico e, quando encarnado, dirigente
    do Grupo Espírita Regeneração”
    *
    Dr. Dias da Cruz, ilustre médico homeopata, falecido no Rio de Janeiro na década de 30.
    *
    Dr. Augusto Silva
    *
    Dr. Aurílio, pai do falecido.
    *
    …Dr. Marcolino: Personalidades muito respeitadas em
    Patos de Minas e já falecidas há mais de meio século.
    *

    //
    //
    Mas que coisa! Sempre tem um médico metido nisso. Fora as centenas de casas em que os patronos ‘espirituais’ são drs tb.
    **
    **

  6. Marciano Diz:

    Esse monte de médicos metidos nesse imbroglio torna a presença de Vlad aqui muito suspeita.

  7. Contra o chiquismo Diz:

    É como está no livro do kardec ‘o que é o ‘espiritismo’ ‘, que os ‘espiritas’ não vieram das fileiras dos ignorantes, maios ou menos com estas palavras…

  8. Contra o chiquismo Diz:

    Será que o Vlad é o Waldo Vieira nos visitando??????

  9. Phelippe Diz:

    Oi, Contra o chiquismo.
    Pq acha q é o Waldo?

  10. Phelippe Diz:

    Por falar nisso, a psicografia que passei ao Gorducho, já comentada, também traz um famoso médico de Mogi das Cruzes. Curioso.

  11. Contra o chiquismo Diz:

    Oi Phelippe. Me passou pela cabeça isso… ironia e/ou talvez ele seja um adepto dessas seitas tipo a do Waldo…ou mesmo o próprio se escondendo, já que aqui é o maior espaço Contra o chiquismo na internet. Curioso caso esse.

  12. Contra o chiquismo Diz:

    Tem um folclore que diz que os Testemunhas de Jeová tem um irmão da religião deles na NASA…
    **
    **
    É..certas pessoas com altas graduações se deixam levar por crendices.

  13. Gorducho Diz:

    É o padrão explicitado particularmente nessa última série de estudos coordenados pela Administração.
    Principalmente em cidades interioranas e naquela época, médicos eram quase sempre personagens ilustres das comunidades e muitos considerados beneméritos, e sem as controvérsias que cercam os políticos. E justiça se faça, nos tempos pré-SUS muitos atendiam mesmo sem cobrar quando fosse o caso necessário.
    Mas o padrão mais amplo era: usar a info disponível. A meu ver é claramente o caso do Renuncia.

  14. Gorducho Diz:

    Tem um folclore que diz que os Testemunhas de Jeová tem um irmão da religião deles na NASA
     
    Deve ter vários. A América é o talvez (não sei o caso da Rússia nem se se puder considerá-la em patamar semelhante) único país evoluído técnica e socialmente adiantado onde a religião é significativa; e muitos são cristãos fanáticos fundamentalistas.
    E a Watch Tower é forte lá, então certamente os há vários.

  15. Gorducho Diz:

    Em tempo: Israel infelizmente entrou nesse péssimo caminho via a turma do Bibi. Mas de qq. sorte é um Estado que só sobrevive às custas do controle que incrivelmente exerce sobre a América: sem a América não existiria mais.
    E ainda estamos p/ver onde o fanatismo religioso vai levá-los. E não considero socialmente adiantado, pois contém 2 classes de cidadãos. Tecnicamente sim, sem dúvida.

  16. Borges Diz:

    Estou inclinado a acreditar que o Sr. Chico Xavier era detentor de uma mediunidade limitada e a usou habilmente para chancelar a imagem de super-médium que hoje conhecemos. O que me levou a esta conjectura reside nos fatos que nortearam a sua vida durante a infância e juventude.
    É sabido que o catolicismo foi o seu berço religioso, onde poderia encontrar todos os ingredientes que aspirava para a sua vida de santidade. Poderia ter sido padre ou até mesmo bispo. Além disto, teria a oportunidade de desenvolver seus pendores literários, louvando a mãe santíssima e realçando a deidade de Jesus Cristo, sem sofrer acusações de desvios doutrinários.
    Diante deste quadro, fica a indagação: Por que migrou para o espiritismo? A resposta mais evidente parece ser a presença de mediunidade em seu caminho, fenômeno abominado pelos católicos.
    Uma vez dentro do espiritismo, deve ter notado que o seu Deus Jesus, tinha sido rebaixado para a condição de espírito evoluido. Era necessário reparar esta situação. Assim, se não poderia chamá-lo de Deus, poderia contudo, descrevê-lo como tal. Foi o que parece ter feito ao escrever o livro “A caminho da luz”.
    Neste livro, no capítulo “A gênese planetária”, Chico consegue fazer o inusitado, ao expandir a história de Cristo, do novo para o antigo testamento.
    Para evidenciar minha suspeita, destaco um trecho do subtítulo “O Divino Escultor”: “Sim, Ele havia vencido todos os pavores das energias desencadeadas; com as suas legiões de trabalhadores divinos, lançou o escopro da sua misericórdia sobre o bloco de matéria informe, que a sabedoria do Pai deslocara do Sol para suas mãos augustas e compassivas. Operou a escultura geológica do orbe terreno, talhando a escola abençoada e grandiosa, na qual o seu coração haveria de expandir-se em amor, claridade e justiça. Com seus exércitos de trabalhadores devotados, estatuiu os regulamentos dos fenômenos físicos da Terra, organizando-lhes o equilíbrio futuro na base dos corpos simples de matéria, cuja unidade substancial os espectroscópios terrenos puderam identificar por toda a parte no universo galáxico”.
    Tudo se passa como se Deus tivesse colocado a Terra quase incandescente nas mãos de Cristo dizendo “toma que o filho é teu”. A leitura completa do capítulo citado sugere que Jesus se tornou um apêndice de Deus, responsável pela evolução da Terra até nossos dias.
    A analogia não para por aí, destaco um trecho do subtítulo “A solidificação da matéria”: “As mãos de Jesus haviam descansado, após o longo período de confusão dos elementos físicos da organização planetária”. Parece uma alusão ao descanso de Deus, após o sétimo dia da criação do mundo, relatado na gênese bíblica.
    Obrigado pela atenção

  17. Contra o chiquismo Diz:

    Tem uma edição da “a genese” do kardec que o CELD (se não me engano) publicou com fotos da NASA pra dar mais realismo a obra fuleira. Pena que está fechado agora, mas não achei mais referências a essa obra na net… quem quiser ligar pro CELD amanhã até as 16h pra perguntar se ainda edita essa obra tá aqui:

    http://www.edicoesleondenis.com.br/codificacao.html

  18. Contra o chiquismo Diz:

    “Borges Diz:
    MAIO 12TH, 2015 ÀS 8:29 PM
    Estou inclinado a acreditar que o Sr. Chico Xavier era detentor de uma mediunidade limitada…”
    **
    **
    Como diz aquele personagem do humor, o Batoré:

    “Ah, para ô!! ”

    **
    **
    Nem limitada nem ilimitada, simplesmente não existia, assim como emmanuel, andreluiz e ‘espiritos’ não existem. Sem ‘espiritos’, sem ‘mediunidade’. Sem milho, sem pipoca.

  19. Gorducho Diz:

    A resposta mais evidente parece ser a presença de mediunidade em seu caminho, fenômeno abominado pelos católicos traços de esquizofrenia para a qual encontrou reforço e racionalização com a ajuda dos espíritas.
    Que eu saiba visões – o doente de fato enxerga: alô, alô Dr.: apresente-se… – bem como receber ordens de seres. Aliás, tenho visto, a mediana distância pois que em família conhecida não íntima nossa, caso dramático disso.
    Ele (CX, não nosso conhecido) até tiro levou dum espírito.
    Digo traços pois claro não estariam satisfeitos os critérios p/diagnóstico, tais como significant impact on social or occupational functioning ou severely disorganized or catatonic behaviour. [Wiki]
    Aliás até acabou virando santo e gerando luucro p/muita gente em consequência. Portanto tecnicamente não seriam considerados distúrbios mentais; acho como leigo…

  20. Gorducho Diz:

    No demais, sua análise é perfeita. Era um escritor católico: nunca deixou de ser católico.
    Aliás dentro do catolicismo poderia ter visões também. Me parece que houve por parte da ICAR é descaso e acabaram perdendo a corrida. Bem como ocorre nas escolinhas de futebol onde muitas vezes manda embora quem se revela depois craque noutros clubes. Faltaram olheiros para categorias de base na ICAR :mrgreen:

  21. Gorducho Diz:

    ERRATA
    A resposta mais evidente parece ser a presença de mediunidade em seu caminho, fenômeno abominado pelos católicos traços de esquizofrenia para a qual encontrou reforço e racionalização com a ajuda dos espíritas.

  22. Toffo Diz:

    O fato que mais desabona CX como sedizente médium é o das cartas sobrenaturais. Há algo de fantástico e de maravilhoso na apresentação de falecidos, a maioria jovens, supostamente redivivos em forma epistolar, e isso afronta um dos princípios basilares da doutrina criada por Allan Kardec, que é o do recolhimento e da discrição. Kardec em vários trechos de suas obras recomendava discrição e dizia que o espiritismo não era assunto para feiras e palcos. E infelizmente a prática das cartas acabou se tornando um circo trágico, movimentando centenas de famílias enlutadas à roda do médium, em romarias intermináveis a Uberaba, na esperança – as mais das vezes vã – de receber um conforto de além-túmulo. Mesmo quando eu ainda era espírita já reprovava essa prática, que considerava abusiva.
    .
    CX mexia num vespeiro: a captação dolosa do luto alheio, aproveitando-se da fragilidade de mães e pais devastados pela perda dos filhos, que é sem dúvida uma das experiências mais dolorosas da vida. E sem dúvida para mim ele praticava o dolus bonus, aparentemente na intenção de consolar as almas aflitas e fazer o bem a essas pessoas sofredoras. Mas não há como deixar de revelar uma bem escondida matreirice nessa boa intenção toda, uma vez que isso rendia muitos bônus ao médium. Isso é o que mais me indigna nessa questão toda.
    .
    Agora parece que, depois da morte de CX, a coisa ficou um tanto fora de moda, embora ainda existam médiuns que façam isso, mas de modo bem menos exposto do que no auge dos anos das cartas (décadas de 1970 a 90). Teria isso também a ver com o galopante índice de mortalidade acidental dos últimos anos? Tanta gente morta por acidente ou crime ultimamente no Brasil, acho que não há médium que chegue…

  23. Gorducho Diz:

    Do As Vidas, editado por brevidade:
    Após as confissões, preces e penitências, Chico tagarelava com a mãe já morta, via hóstias cintilantes na comunhão, escrevia na sala de aula textos ditados por seres invisíveis e tornava-se, assim, o assunto mais exótico da cidade. Na empoeirada e católica Pedro Leopoldo, a 35 quilômetros de Belo Horizonte, era difícil encontrar quem apostasse na sanidade de Chico Xavier.
    Para espantar o diabo e pagar os pecados, o garoto seguia à risca as receitas paroquiais. Chegou a desfilar em procissão com uma pedra de quinze quilos na cabeça e a repetir mil vezes seguidas a ave-maria. Rezava e contava. Não foi fácil. Um espírito desocupado
    fazia caras e bocas para atrapalhar seus cálculos. Na igreja, assombrações flutuavam sobre os bancos e beijavam os santos.
    Chico divulgava estas e outras histórias do outro mundo
    para os adultos. Resultado: mais surras e mais risco de ser transferido de Pedro Leopoldo para Barbacena, a capital dos hospícios.
    Contra delírios tão estapafúrdios, só mesmo uma saraivada de rezas, uma série de novenas pelo descanso dos mortos e muito trabalho. Foi o padre Scarzello
    quem livrou o menino do risco de ser internado como louco. A salvação não veio com as mil ave- marias ou com as pedras equilibradas na cabeça por Chico durante as procissões. Veio com o salário
    O padre Scarzello decidiu ser mais rigoroso e aconselhou o pai a afastar Chico da má influência dos livros, revistas e jornais
    [...]
     
    Veja, Analista Borges, que o padre inicialmente até humilhou ele. Como eu disse, faltou instinto de olheiro: as categorias de base da ICAR teriam formado um supercraque.

  24. Gorducho Diz:

    CX disse p/o Jaci Régis [está no sítio do Instituto Cultural Kardecista de Santos] “A vida é mais importante que a verdade”.
     
    Nada a ver diretamente com c/as cartinhas, mas certamente que refletia o pensamento dele: fazer felizes os pais desesperados – fazer eles “reviverem” – ele acharia mais importante que dizer a verdade.

  25. Toffo Diz:

    Interessante que esse histórico estapafúrdio também foi compartilhado pela médium Wera Kijanowskaya (conhecida como Wera Krijanowsky, embora na língua russa os sobrenomes tenham flexão de gênero), a autora dos livros de Rochester. Ela era tida como “estranha” quando criança e igualmente sofria bullying.

  26. Contra o chiquismo Diz:

    “Gorducho Diz:
    maio 13th, 2015 às 11:12 AM

    …mais surras e mais risco de ser transferido de Pedro Leopoldo para Barbacena, a capital dos hospícios.”

    **
    **
    Com cx fora do páreo, divaldo seria o cara que nem cx foi?

  27. Gorducho Diz:

    Outra hitória interessante, Analista Toffo, e a do Franek Kluski. Se não leu nada ainda sobre ele, tem cá (vide a toupeira)
     
    http://psychictruth.info/Medium_Franek_Kluski.htm

  28. Gorducho Diz:

    Ou melhor, do Teófilo Modrzejewski: FK era nome artístico.

  29. Gorducho Diz:

    Ou melhor, do Teófilo Modrzejewski: FK era nome artístico.
     
    Quanto a Divaldo sem CX, claro que não. E boa parte do trabalho de Divaldo é baseado em CX, vide as consultas do Dr. Bezerra que são baseadas nas histórias do André Luiz: a missão cá na crosta, o socorro, a explicação baseada na encarnação passada, &c.
    Agora, Divaldo já está idoso e a FEB precisará arrumar alguém para substituí-lo…

  30. Falta_Só_Um_Empurrãozinho Diz:

    Ao Administrador e participantes: primeiro, tô encantado?! com o blog. Segundo, com gaúcho(s) por aqui não posso não me identificar. Sou um gaudério perdido no centro-oeste, com saudades de casa mas não volto por causa do frio, e me coloco em cima do muro quanto a (des)crer do sobrenatural. Mas me consolo pois que, lendo diariamente todo o material neste espaço, vai demorar um bocado, hein?, hei de me decidir. Me ajudem aí, sô. Abraço a todos.

  31. Marciano Diz:

    DPF tem 88 e já aposentou JA, a qual, convenientemente, reencarnou.

  32. Toffo Diz:

    Joanna de Ângelis nada mais é do que a personificação de um personagem real, Sóror Joana Angélica, a freira baiana que foi assassinada por tropas portuguesas na porta do convento da Lapa, em Salvador, tentando defendê-lo da sanha dos soldados. Uma personagem conveniente para Divaldo, já que é baiana e com aura de santidade, por ser considerada mártir da Independência.
    .
    É tática conhecida médiuns se apropriarem de personagens reais para lhes servir de guias. A exceção foi CX, que inventou um, o solerte EmmÂnuel.

  33. Vitor Diz:

    Marciano,
    onde vc leu que a JA reencarnou????

  34. Gorducho Diz:

    A exceção foi CX, que inventou um, o solerte EmmÂnuel.
     
    Discordo um pouco do nobre membro da bancada Zetética. Não esqueça V.Exciª que CX certamente acreditava que o Lêntulus existiu: na Crestomatia e em muitos outros escritos pios é dado a entender.
    É como o caso da Sindone: a ICAR ICAR nunca negou ser obra medieval tardia, sendo homologada como objeto de adoração só a título de homenagem a Jesus. Mas muitos escritos dão a entender o contrário. Um CX da vida, lendo almanaques e revistas poderia – e certamente muitos têm essa idéia – o contrário.

  35. Contra o chiquismo Diz:

    E esse tal de ‘lucius’ da zibia gaspareto?

  36. Marciano Diz:

    1. Vitor Diz:
    MAIO 14TH, 2015 ÀS 12:05 PM
    Marciano,
    onde vc leu que a JA reencarnou????
    .
    Pela quantidade de pontos de interrogação, presumo que a surpresa foi GRANDE!
    A minha também.
    .
    Foi aqui:
    .
    http://dossieespirita.blogspot.com.br/2015/01/seguindo-chico-xavier-divaldo-franco.html
    .
    Seguindo o exemplo dado por Chico Xavier há cerca de 15 anos, o anti-médium baiano Divaldo Franco anunciou sua aposentadoria “mediúnica”, anunciando o fim da parceria com a mentora Joana de Angelis, que segundo Divaldo irá “reencarnar” neste ano que se começa.
    .
    .
    .

    1. Toffo Diz:
    MAIO 14TH, 2015 ÀS 11:56 AM
    Joanna de Ângelis nada mais é do que a personificação de um personagem real, Sóror Joana Angélica, a freira baiana que foi assassinada por tropas portuguesas na porta do convento da Lapa, em Salvador, tentando defendê-lo da sanha dos soldados. Uma personagem conveniente para Divaldo, já que é baiana e com aura de santidade, por ser considerada mártir da Independência.
    .
    É tática conhecida médiuns se apropriarem de personagens reais para lhes servir de guias. A exceção foi CX, que inventou um, o solerte EmmÂnuel.

    .
    .
    Não é a opinião do administrador do dossiê espírita, a qual pode ser conferida no mesmo link acima:
    .
    Do contrário de Emmanuel, que sabemos, por suas obras e temperamento, ter sido o padre jesuíta Manuel da Nóbrega, JOANA DE ANGELIS NÃO TERIA SIDO JOANA ANGÉLICA, A CORAJOSA BAIANA QUE MORREU TENTANDO SALVAR O CONVENTO DA LAPA, EM SALVADOR.

    ISSO PORQUE NÃO HÁ INDÍCIOS NEM JUSTIFICATIVAS QUE APONTEM QUALQUER SEMELHANÇA DE PERSONALIDADE ENTRE JOANA ANGÉLICA E JOANA DE ANGELIS, JÁ QUE A PRIMEIRA TERIA SIDO DE IDEIAS MAIS MODERNAS E TEMPERAMENTO ENÉRGICO MAS TOLERANTE, ENQUANTO A MENTORA DE DIVALDO NUNCA PASSOU DE UMA MORALISTA DE PALAVRAS DÓCEIS MAS DE UMA ÍNDOLE TEMPERAMENTAL E AUTORITÁRIA.
    .
    No mesmo link, o kardecista não chiquista/divaldista prosegue:
    .
    Há também um outro motivo, observado também no caso de Emmanuel, sobre essa aparente aposentadoria. Primeiro, porque, tanto na época de Chico Xavier quanto na de Divaldo, a velhice do anti-médium é um dos motivos para que se encerrem as parcerias espirituais.

    Segundo, porque o anúncio da suposta reencarnação de seus mentores é uma manobra para evitar que seus nomes fossem usados por outros supostos médiuns para produção de novas mensagens. Dessa forma, a tese da reencarnação, combinada em consenso pelas cúpulas “espíritas”, era uma forma de assegurar que Emmanuel e Joana não teriam “novos trabalhos” publicados por outrem.

    Dessa forma, os interesses financeiros e essa manobra insólita de direitos autorais – não se pode mais evocar um falecido porque ele “já voltou à vida” – tornam-se exclusividade da FEB e dos editores que herdam o legado de Joana, como de Emmanuel, por isso ninguém poderá mais lançar novos livros atribuídos a tais espíritos para não obter lucros em cima deles.

    Esse, aliás, é um motivo bem mais forte do que a idade avançada dos anti-médiuns, porque dessa maneira ninguém mais estaria autorizado a usar e faturar em cima dos nomes de Emmanuel e Joana de Angelis, sob a alegação de que eles “já voltaram ao mundo dos vivos” e, por isso, “não teriam condições” para mandar novas mensagens espirituais. Simples assim.
    .
    .
    .
    Quanto ao tal lucius, acredito, pelo que vimos acima, que só reencarnará quando a Zíbia estiver prestes e morrer.

  37. Marciano Diz:

    Vitor, sobre a reencarnação de JA, veja aqui também:
    .
    http://grupoallankardec.blogspot.com.br/2015/03/entrevista-com-divaldo-franco-sobre.html
    .
    E O SENHOR TEM UMA PREVISÃO DE DATA? – Não. Eu penso que por volta de 2015 ela estará reencarnando. Neste meio tempo eu espero estar encarnado. (risos)
    .
    Trecho da entrevista linkada.

  38. Marciano Diz:

    Ouça da boca do próprio, com imagens e tudo o mais:
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=urLZ0s_3d0Q

  39. Marciano Diz:

    A partir de 2min58s, podemos ver DPF falando que Joana é a freirinha mencionada por TOFFO e, logo após, sobre a reencarnação da santinha.
    .
    Vai o link de novo:
    https://www.youtube.com/watch?v=urLZ0s_3d0Q

  40. Marciano Diz:

    Não deixem de notar os cabelos negros de DPF, aos 88 anos, o que configura um verdadeiro milagre.

  41. Marciano Diz:

    A partir de 4min58s vemos DPF tentando justificar os cães no além, ao contrário do que preconizava Rivail.
    .
    Quem se convencer, levante a mão direita, por favor.
    .
    E quem souber como eu faço para conseguir ser entrevistado por essa repórter espírita, mande um e-mail pra mim, pelo amor de deus.

  42. Marciano Diz:

    A beleza da repórter fez-me lembrar…
    Quando saiu o primeiro artigo da Ederlazil, a mulher do algodão, o blog foi ameaçado de processo. O Vitor perguntou-me se eu tinha o telefone da advogada.
    Eu não tinha, mas levantei rapidamente o telefone, endereço, fotos e vídeos dela, experiência profissional e tudo o mais.
    Informei ao Vitor o telefone e endereço do escritório dela, o que não infringe qualquer lei, e, para meu desagrado, Vitor resolveu tirar a matéria, que foi substituída por outra.
    Na época eu não falei, mas a advogada era inexperiente, tinha só três anos de formada e atuava em processos sem importância, mas era uma gatinha.
    Fiquei na minha, porque eu não poderia pegar o caso mesmo, mas faria até de graça para o Vitor, não pela oportunidade de conhecer pessoalmente a advogada bonitinha, pois aqui no Rio tem um monte, mas pelo prazer de fazer os caras engolirem suas ameaças.
    Só uma lembrancinha do passado.

  43. Marciano Diz:

    Que fique registrado: não estou dizendo que Vitor deveria ter negado o pedido de retirada.
    Para o advogado, que não tem obrigação de fim, mas de meio, não há problema.
    Não há como garantir o resultado de uma ação, pois como se diz no meio jurídico, Quot capita, tot sensus, ou seja, cada cabeça, uma sentença.
    Ex positis, acredito que a maior probabilidade seria de a ação dos crentes ser julgada improcedente, no máximo com determinação de que eventuais comentários ofensivos fossem retirados.
    Os crentes interessados, na época, também ofenderam, o que faria com que qualquer indenização por danos morais fosse recíproca, ou seja, elas por elas.
    Como não se pode garantir o resultado e nem sei quem seria o advogado da casa (não costumo recomendar ninguém, para evitar eventuais dissabores futuros), foi uma decisão sensata.
    Mas que uma boa briga, seja judicial ou na mão mesmo, é coisa boa, isso é. Pelo menos na cabeça do Homo litigans que está encarnado em cada advogado que ainda não está desiludido da vida.

  44. Phelippe Diz:

    Vou usar psicografia em processo, como prova. Será interessante.

  45. Contra o chiquismo Diz:

    Por falar em repórter ‘espirita’ , sempre me amarrei nessa coroa, a Yasmin Madeira:
    ==============================================
    https://www.youtube.com/watch?v=1NKTX414278

  46. Contra o chiquismo Diz:

    Uma coisa eu garanto: muito melhor detratar do que ser crente.

  47. Marciano Diz:

    Contra, acho que te entendo e me entendo também.
    Essas mulheres, como a milf Yasmin (como, não, eu quis dizer do tipo da) são mulheres bonitinhas, desejáveis (milfs ou novinhas), atraentes. Só que são normais, e da mesma forma que nós e outras mulheres, selecionadas pela natureza para gostar de sexo.
    A gente não consegue imaginá-las como elas gostariam de ser vistas, ou seja, assexuadas, fazendo sexo com os maridos apenas para ensejarem a reencarnação de seus “amigos espirituais”.
    Resultado: a gente sente uma especial atração, porque sabe que elas são de carne e osso.
    Mais ou menos isso.

  48. Marciano Diz:

    O texto ficou mal redigido.
    Dá a impressão de que “nós” significa as mulheres, dão munição para gozadores.
    O “nós” significa pessoas, homens ou mulheres.

  49. Contra o chiquismo Diz:

    Eu tb achei estranha a frase, mas entendi. Não carecia de correção.
    **
    **
    Sim.. ali é terra fértil pra plantar mandioca.

  50. Contra o chiquismo Diz:

    Por falar em mandioca vc conhece, essa pérola da MPB? Isso que é música!! Marciano, aumenta o som no máximo!!

    **
    **
    http://www.youtube.com/watch?v=3BjWbbfSKDs

  51. Toffo Diz:

    Gorducho: CX poderá ter achado que seu guia fosse um personagem real, mas o tempo e as pesquisas acabaram por mostrar o contrário. Públio Lêntulus estava muito longe no tempo, o que poderia beneficiar seu pupilo, visto que personagens perdidos na noite dos tempos não costumam provocar muitas contestações. Mas o tiro saiu pela culatra, como vimos. Já no caso de DPF, Joana Angélica é um personagem muito mais próximo historicamente, igualmente baiana, com forte dose de identificação com o imaginário brasileiro, o que reforça a própria imagem do sedizente médium.
    .
    A respeito do truque dos mentores reencarnantes, creio mesmo se tratar de um truque de médiuns e editores. Como impedir a circulação do nome de um espírito? Seres espirituais não têm existência jurídica, não são detentores de direitos de autor nem materiais nem morais. Não tem como uma editora registrar o nome de um espírito e alegar exclusividade, e qualquer demanda judicial nesse sentido restaria infrutífera, por se tratar de objeto juridicamente impossível. Espíritos não são titulares de direito. A meu ver, qualquer um em tese poderia publicar um livro “ditado” por EmmÂnuel ou Joanna de Ângelis, já que os direitos de autor ficam legalmente com o suposto psicógrafo. Haveria sim uma polêmica federal, mas aí na base da credibilidade, não da discussão jurídica de autoria.
    .
    Quanto ao episódio da advogada da Ederlazil, lá atrás, também achei estranha a ameaça. Ederlazil é figura pública e a discussão girava em torno do seu trabalho, que é público e notório. Uma boa contranotificação acabaria com a graça da jovem causídica. Mas isso já são águas passadas, certo?

  52. Gorducho Diz:

    Mas justo é a questão da credibilidade: os personagens Emmânuel e Jde têm vida dentro do público chiquista, identificados c/CX e Divaldo. Eles dizendo que os guias reencarnaram qq um que arrisque canalizá-los cai no ridículo dentro do público alvo.
    É verdade que Emmânuel reencarnou próximo de Votuporanga?

  53. Toffo Diz:

    A turma aqui estava de gozação com o Biasetto, dizendo que Maneco reencarnaria ali por Bragança Paulista e seria seu aluno, já que o Biasa é professor de História.
    .
    Independentemente de onde fosse, o antigo Lêntulus de mentirinha seria atualmente um rapaz de seus 15 anos. Dada a personalidade do personagem, eu diria que o moleque seria um porre. Autoritário, mandão, dono da verdade, pouco sociável, seus colegas o evitariam (mesmo sendo o primeiro da classe, ou até por causa disso) e inevitavelmente falariam mal dele pelas costas, sua família mal o suportaria, enfim: ninguém ia aguentar o sujeito.

  54. Toffo Diz:

    Quanto à de Ângelis, confesso que nunca na vida li nada dela, nunca li nada do DFP, nunca me atraiu, sempre o achei um imitador barato de CX com aquele jeito santarrão e untuoso, mas pelo estilo do autor se conhecem as obras, certo? Li que o estilo angelino é similar ao seu criador: moralista, autoritário, olha as pessoas de cima. Imagino que de Ângelis rediviva também deva ser a chata do pedaço, uma garotinha xexelenta que ela só.

  55. Marciano Diz:

    Toffo Diz:
    MAIO 15TH, 2015 ÀS 6:36 PM
    .
    “(…)seus colegas o evitariam (mesmo sendo o primeiro da classe, ou até por causa disso) (…)”.
    .
    .
    Menos em história! Nessa matéria ele seria bem fraquinho. Seria só falar na história de HDMA.

  56. Marciano Diz:

    Recomendo ao pessoal da bancada crente alguns exercícios oculares.
    Eles precisam aprender a dormir com um olho aberto. Durante o sono, vão alternando, como fazem galináceos.
    .
    Outra coisa: fiquem sempre com um olho no padre e outro na missa. É difícil, a princípio, mas com o treinamento, torna-se fácil.
    .
    Se fizerem assim, vão perceber quanta coisa acontece enquanto dormem, vão ver a diferença entre as coisas que o padre faz e o que acontece durante a missa.

  57. Marcos Arduin Diz:

    “Quanto ao episódio da advogada da Ederlazil, lá atrás, também achei estranha a ameaça. Ederlazil é figura pública e a discussão girava em torno do seu trabalho, que é público e notório. Uma boa contranotificação acabaria com a graça da jovem causídica. Mas isso já são águas passadas, certo?”
    - Cuma? O Vitor tirou aquela excelente matéria da Ederlazil do blog? Ô Vitor! O que havia de errado nela, de falso, de mentiroso, de calunioso que levaria um processo judicial a lhe causar problemas?

  58. Marciano Diz:

    Arduin, o Vitor retirou, mas postou outro artigo sobre ela, mais moderado.
    Do primeiro, perdemos tudo, inclusive excelentes comentários de nosso colegas de blog, os comentaristas mais assíduos.
    Quanto ao mais, concordo com o Toffo. São águas passadas.

  59. Marciano Diz:

    O poltergeis comeu um “s”, só pra me sacanear.

  60. Marciano Diz:

    Agora, comeu o “t”. Nesse eu acredito.

  61. Larissa Diz:

    Já leram a última entrevista do,presidente da FEB? Tão quase chamando ele de irmão

  62. Larissa Diz:

    http://jorgehessen.blogspot.com.br/2015/05/entrevista-com-o-presidente-da.html

  63. Marcos Arduin Diz:

    Que tristeza. Nestor Massotti quase tirou o Roustaing das prioridades da FEB, mas no fim os babacas rustenistas voltaram. A questão não é temer uma obra (quem quiser que a publique, já caducou o direito autoral faz tempo), mas sim publicá-la como se obra espírita fosse…

  64. Larissa Diz:

    E CX é obra espírita?
    e as crianças índigo do Divaldo?

  65. Marcos Arduin Diz:

    Chico Xavier, devido à sua educação católica, foi facilmente cooptado pela FEB. Diz o autor Gélio Lacerda da Silva que a FEB fez interpolações na obra do Chico, introduzindo teses rustenistas em alguns de seus textos. Na maioria do conjunto, a obra do Chico não colide diretamente com o Espiritismo, mas ele era febeano e ia até escrever um livro sobre Inácio de Antióquia, mas foi dissuadido, pois esse santo católico era contra o Docetismo. E Roustaing restabeleceu o dito Docetismo ao dizer que Jesus nunca nasceu: foi toda a sua vida um fantasma materializado. Chico puxou o saco da FEB até o dia em que esta não permitiu que suas obras fossem traduzidas para o inglês (burramente, Chico cedeu os direitos de suas obras em caráter permanente). Aí o boníssimo e humildísismo Chico Xavier cuspiu fogo e enxofre e nunca mais publicou nada pela FEB.
    .
    O Divaldo é outro rustenista e esotérico. Essa história de crianças índigo saiu lá nos anos 1980 por uma esoterista americana, salvo engano, e ele mergulhou de cabeça na bobagem. É a mesma coisa que os exilados de Capella. ASQ: acredite se quiser ou ASB: acredite se for burro.

  66. Adevanir Nicolini Diz:

    Respeito todas opiniões. Mas entendo que essa falta quase geral de credulidade vem do fato de que todos os envolvidos (felizmente) não passaram por experiências próprias ou de pessoas próximas, onde a existência dos fatos se comprovam. Enfim, só saberão quando tiverem oportunidade, aqui ou acolá. Abraço a todos.

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)