Ainda Lêntulo, o sufeta – resposta a Nagipe Assunção

O  sr.  Carlos  Henrique  Nagipe  Assunção,  bacharel  em  História  e  pesquisador  da ambiência sócio-cultural de “Há Dois Mil Anos”, psicografia de Francisco Cândido Xavier, fez publicar na Internet um artigo no qual, a partir do estabelecimento dum cônsul sufeta  para o ano 27 dC de  nome “Públio  Cornélio  Lêntulo”,  defendia  a existência histórica do “Públio Lêntulo” da referida psicografia, o qual seria, de fato, tal sufeta.  Uma análise de tal trabalho, de autoria do Sr. JCFF, já teve a sua primeira parte publicada no  portal  “Obras  Psicografadas”;  tal  análise  procurava  demonstrar  a inconsistência de tal identificação, malgrado o fato de ter havido, de fato, com razoável grau de probabilidade, um sufeta em 27 dC com o nome de Públio Cornélio Lêntulo (mais exatamente, Públio Cornélio Lêntulo Cipião). Não obstante, o sr. Nagipe Assunção levantou alguns questionamentos acerca da anteriormente referida pesquisa sobre o sufeta de 27 dC. Basicamente, contestou o fato de o sufeta de 27 dC ser um Lêntulo Cipião; além disso, fez ver que a identificação do sufeta de 27 dC constante em trabalho anterior estava equivocada (com o prenome “Lúcio”, ao invés de “Públio”); enfim, questionou algumas conclusões esposadas noutra pesquisa do sr. JCFF, acerca da antroponímia utilizada por Xavier em sua psicografia. O pequeno trabalho aqui apresentado, por conseguinte, procura dar resposta às observações levantadas pelo sr. Nagipe Assunção. Para acessá-lo, clique aqui.

193 respostas a “Ainda Lêntulo, o sufeta – resposta a Nagipe Assunção”

  1. Gorducho Diz:

    :( a senha de acesso será enviada pelo correio?

  2. Vitor Diz:

    Ih, eu acho que não tornei público!!!

  3. Vitor Diz:

    Tentem agora

  4. Vitor Diz:

    acho que ainda não foi

  5. Vitor Diz:

    agora foi, confirmem.

  6. Marciano Diz:

    No entanto, mesmo que se suponha apenas o nome “Públio Lêntulo” para o sufeta de 27dC, ainda assim sua identificação com o Lêntulo de “Há Dois Mil Anos” queda-se, nomínimo, problemática, como se verá. Mas, antes, algumas considerações acerca dascríticas do sr. Nagipe Assunção à evidência da antroponímia romana na psicografia.
    Este é que eu acho o ponto nodal da questão. Admitindo-se que tenha existido um Lêntulo há cerca de dois mil anos, isso prova que é o mesmo inventado por cx?
    Acho que jcff está gastando chumbo com cachorro morto.

  7. Marciano Diz:

    Esqueci-me de aspear. O primeiro parágrafo é transcrição do texto de jcff. Meu comentário começa depois da palavra “psicografia”.
    Eu deveria ter aspeado a transcrição e separado meu comentário por um
    .
    Assim mesmo.
    Esclarecendo melhor, no máximo poder-se-ia admitir que houve um Lêntulo há cerca de dois mil anos, o que não equivale a dizer que tal Lêntulo seja aquele descrito na intimidade por cx.
    Jcff quer sustentar sua credibilidade, o que eu acho desnecessário, pois não há contraprova sem prévia prova.
    Much ado about nothing. Isso é o que diria Bill S., se vivo estivesse.

  8. Marciano Diz:

    “Efetivamente, o que é mais digno de nota no modo como os romanos são denominadosem “Há Dois Mil Anos” é o fato de o autor da psicografia ter seguido não um padrão“romano” plausível (tria nomina, com eventuais incursões das últimas “novidades” deentão, inclusive o acúmulo de cognomes e a polinomia), mas sim ter seguido o padrãobrasileiro moderno, justapondo-lhe uma massa de “nomes romanos” que qualquer umpoderia ter colhido de livros básicos de História (sem diferenciá-los como prenomes,nomes gentílicos ou cognomes). Ao invés do padrão (tria nomina) prenome + nomegentílico + cognome (com algumas das variações já descritas, na época “novidades” e“minoritárias”), segue-se o padrão nome + apelido (ou, como é mais conhecido,“primeiro nome” + “nome de família”). Por isso o único “parente” de Públio Lêntulonomeado na psicografia é “Sálvio Lêntulo” (“Sálvio” como “primeiro nome”, e“Lêntulo” como “nome de família”); por isso a filha de Públio Lêntulo é “FláviaLentúlia” (“Flávia” como “primeiro nome” e “Lentúlia” como uma forma feminina do“nome de família” Lêntulo). O autor da psicografia, ao denominar as personagens“romanas” nela constantes, raciocinava como um brasileiro moderno, não como umantigo senador romano…”.
    .
    Curioso… Fico tentando entender o porquê desse raciocínio. Certa vez explicou-se o inglês abrasileirado de Lêntulo, afirmando-se que ele estava a estudar inglês na espiritualidade (o assunto já foi publicado aqui – só não entendi a razão de espíritos precisarem aprender línguas terrenas). Será que Lêntulo também estudava história na espiritualidade? Com um professor tão eficiente quanto seu professor de inglês?
    Chi lo sà…
    .
    .
    Em tempo: eu não conhecia esse tal “box”. Que ignorância minha!
    Gostei disso. Como é que a gente escreve nesse treco?
    Eu não dou muita bola pra essas nuvens, mas estou vendo que estou perdendo com isso.
    É gratuito, pago? Como funciona?
    Alguém pode esclarecer?
    Antecipadamente grato.

  9. Vitor Diz:

    Até 10 giga é gratuito, é só cadastrar um email. Pode cadastrar quantos emails quiser.

  10. Marciano Diz:

    Valeu, Vitor.
    A propósito, gostei do artigo de jcff.
    Quem deve estar fulo, se estiver lendo, é seu “amigo” Scur.
    A frase abaixo vai especialmente para ele:
    .
    cx var en lögnare som luras och bedrar fortfarande många människor.

  11. Gorducho Diz:

    O Sr. JCFF bem que poderia a essas altura aprender a publicar em .pdf… caso quisesse acredito que o Sr. Administrador poderia acessorá-lo…
    Vamos tentar ler amanhã o .doc…

  12. Toffo Diz:

    Não sou versado em história e não posso entrar na discussão falando do que não sei. Mas escrevo como leitor dotado de inteligência e espírito crítico. O grande problema a respeito dos defensores das psicografias, scomo é o caso do Sr. Nagipe, que tem luzes sobre o assunto, é que eles são comprometidos com o espiritismo, e, dessa forma, não têm a isenção necessária para formar um juízo de valor de forma a convencer os leitores. Em outras palavras, puxam a brasa para sua sardinha. É o mesmo caso do famoso EEG feito em CX por médicos… espíritas.
    .
    E é também na qualidade de leitor com espírito crítico é que vejo muito pouco valor na obra de CX, HDMA, que se pretende uma história “real”, acontecida de verdade, nas recuadas épocas do século I judeu, comparada com outra obra, essa de ficção garantida pela autora, Marguerite Yourcenar, Memórias de Adriano, ambientada alguns anos depois, no reinado do Imperador Adriano, fruto de décadas de trabalho e pesquisa de sua autora. Basta ler os dois romances para ver a diferença brutal de dados históricos, verossimilhança, ambientação da época, descrição do psiquismo das personagens, e por aí vai. Fico por aí.

  13. Gorducho Diz:

    Então, Sr. JCFF, temos por enquanto que:
     
    i) A associação de P LE com Públio Cornélio Lêntulo Cipião foi estabelecida a partir do trabalho do Prof. Camodeca.
     
    ii) Depreende-se daí que os sufetas do ano 24 CE:
    P. [5 espaços] Scipio e o nosso P LE (Scipio então…) deverão ter sido o mesmo cidadão?
     
    É esse então o estado da arte; a orientação que o Sr. passa p/a bancada?

  14. Antonio G. - POA Diz:

    Os fortes indícios de que Públio Lêntulo jamais existiu indica que, se XC inventou o sufeta, pode ter inventado os outros personagens de suas “psicografias”. Mais do que isto, remete-nos à séria dúvida sobre a veracidade das psicografias, podendo mesmo levar-nos a concluir que as psicografias, provavelmente, são uma farsa.
    Bacana. Bom trabalho. Mas eu acho que nem precisava tamanho esforço…
    .
    Então, parece que não houve um Públio Lêntulus (pelo menos, não o referido por XC), porque não há indício de sua existência. Ok. E sobre a existência de Jesus, o Cristo, já temos algum indício?

  15. Antonio G. - POA Diz:

    Porque devemos chegar à conclusão de que Públio Lêntulo não deve ter existido porque não há evidências de sua vida, e achar que Jesus Cristo existiu, se sobre sua existência também não há evidências? O que vale para um, deveria valer para o outro…

  16. Vitor Diz:

    Antonio,

    sua pergunta já foi exaustivamente respondida nesse link:
    .
    http://obraspsicografadas.org/2010/resposta-aos-argumentos-mais-comuns-dos-espritas-sobre-o-livro-h-dois-mil-anos-de-chico-xavier/
    .
    Veja a partir de “QUARTA E ÚLTIMA PARTE – O MAIS RECENTE DOS SUBTERFÚGIOS INTENTADOS PELOS ESPÍRITAS: A COMPARAÇÃO DA HISTORICIDADE DE “LÊNTULO” COM A HISTORICIDADE DE JESUS E/OU DE PAULO DE TARSO”

  17. Vitor Diz:

    Gorducho,
    comentando:

    01 – O Sr. JCFF bem que poderia a essas altura aprender a publicar em .pdf… caso quisesse acredito que o Sr. Administrador poderia acessorá-lo…
    .
    Tenho certeza que ele sabe passar de doc para pdf. Eu poderia ter feito isso, mas resolvi deixar só em doc. Não vi maiores problemas nisso. Quem quiser ter a versão em pdf é só baixar o programa pdf995 ou usar os conversores online que não precisa baixar programa algum.

  18. Gorducho Diz:

    Não, ao clicar IMPRIMIR já gera o .pdf! Fine.

  19. Gorducho Diz:

    Quanto à existência de “Jesus” – claro que Cristo é mito – o argumento mais plausível a meu ver são 3:
     
    i) Devemos supor que o Tácito tivesse feito alguma checagem independente; conforme obtemperou já o próprio Sr. JCFF.
     
    ii) O jato dos judeus nunca terem-no contestado quanto à existência física.
     
    Mais fraquinho; o “meu” argumento (iii) o fato empírico que seitas geralmente tem um fundador. Esse argumento fica entretanto dependente de provas que a seita tenha existido na Palestina… Poderia em tese o Paulo de Tarso – cujo qual aparentemente existiu… – ter inventado toda história…

  20. Marciano Diz:

    As seitas modernas (TJ, MÓRMONS, ESPIRITISMO) têm um fundador. As mais antigas (cristianismo, islamismo, budismo) foram criadas a posteriori, com um fundador imaginário, pelo menos um século depois da época em que deveriam ter existido e que não deixaram rastros na história, a não ser os fabricados.
    A explicação é que naquele tempo (FG, MAOMÉ, BUDHA) dava pra fazer isso. Já nos séculos mais recentes, fica difícil.

  21. Marciano Diz:

    Gorducho, imagine que eu queira inventar um fundador de uma religião qualquer, pode ser qualquer neopentecostal, que conviveu com Pedro I, do qual foi irmão na maçonaria, foi preso a mando do imperador. Quem vai engolir isto?
    Agora imagine a mesma história HDMA, quando não existia imprensa, todos eram analfabetos, tecnologia zero…

  22. Marciano Diz:

    Não dá mais pra inventar personagens imaginários e misturá-los com personagens reais, a não ser que assumamos que é ficção, como no caso do verdadeiro FG.

  23. Gorducho Diz:

    Estou plenamente ciente disso sim…
    Apenas p/seguir polemizando, há algumas passagens nos Evangelhos que poderiam sugerir um fundo de verdade, ou seja: não tudo totalmente inventado.
    Tem e.g. o relato que a família Zebedeu tinha empregados diaristas [Lk 5 :1-11 ; Mk 1 :20], e a especulação de que talvez tivesse concessão p/vender peixe em Jerusalém (e, claro, os sacerdotes certamente morderiam…). De cuja qual poderia decorrer o conhecimento mútuo entre o Anás e o discípulo que entrou c/Jesus. Seria este então Zebedeu João [Jn 18 :15-16].
     
    Obs: estou lendo no Google um livro leve: O Mundo Greco-Romano da era do Novo Testamento, por
    James S. Jeffers, onde essa especulação é citada.
    Estava tentando saber algo sobre as associações funerárias mencionadas pelo CX. Iria fazer uma consulta ao Sr. JCFF, mas cheguei à conclusão que sim, poderia já existir alguns túneis – usados inclusive por judeus – já no tempo do Tito.
    Então achei desnecessária a consulta, mas o livro é leve e interessante.
    É isso. O bom é a polêmica…

  24. José Carlos Ferreira Fernandes Diz:

    Com relação a algumas dúvidas aqui postadas.

    Resumindo:

    i) A análise de fragmentos dos “Fasti Arvalium” estabelece que um dos cônsules sufetas para o ano 27 dC era “P LE”, nome que foi reconstituído (pelos especialistas), com o maior grau de probabilidade, como “Publius Lentulus”, e com cuja reconstituição devemos concordar, ao menos em princípio;

    ii) A inscrição de Alifas permite ir um pouco além, no sentido de se poder reconstituir um dos cônsules sufetas de 27 dC como “Publius Lentulus Scipio”, de acordo com os mesmos especialistas (incluindo o professor Giuseppe Camodeca);, com cuja reconstituição devemos igualmente concordar, ao menos em princípio;

    iii) os dois Cipiões cônsules sufetas em 24 e em 27 dC não precisam ser, necessariamente, a mesma pessoa. De fato, quase certamente não o eram; o sufeta de 24 dC era filho do sufeta de 2 dC; casou-se em segundas núpcias com Popéia Sabina a Velha, mãe (por seu primeiro casamento, com Tito Ólio) de Popéia Sabina a Moça, a segunda esposa do Imperador Nero; o sufeta de 27 dC, talvez, pertencia a um ramo colateral dos Lêntulos Marcelinos; não era comum uma mesma pessoa, afinal, em tão pouco tempo, exercer dois consulados.

    Sobre a existência de Jesus, apenas alguns lembretes, a seguir.

    A comparação entre a existência de “Lêntulo” e a existência de Jesus é absolutamente descabida. O tipo de evidências históricas que podem ser esperadas duma determinada personagem têm a ver tanto com o hábito existente na época referentes ao registro dos feitos de alguém (por inscrições, por textos históricos, etc.) quanto com a posição e importância que essa personagem tivesse ocupado na história contemporânea, ou imediatamente pós-contemporânea.

    A época que aqui interessa, a de Augusto e dos Júlio-Cláudios (30 aC – 68 dC), é bem representada, tanto em termos de textos históricas, quanto de inscrições comemorativas acerca de feitos das pessoas importantes – ou seja, dos governantes e das classes mais abastadas (a aristocracia senatorial, as aristocracias urbanas locais, mesmo a classe equestre).

    As pessoas “comuns” e “humildes” raramente deixavam (ou deixam) traços atrás de si (uma exceção: os artesãos mais especializados dos grandes centros urbanos, p.ex., Roma, Alexandria, Antióquia…), a não ser quando, por um motivo ou por outro, atraíam a atenção das classes dirigentes, e eram mencionadas nos textos históricos. Isso ocorria, geralmente, quando criavam grandes problemas para o “status quo” – normalmente, quando eram os líderes de alguma revolta importante, como foi o caso, p.ex., de Espártaco entre os escravos do sul da Itália, no final da República, ou de Armínio (Hermann), entre os germanos, na época de Augusto, ou de Tacfarinas, na África do Norte, sob Tibério, apenas para citar alguns poucos exemplos.

    Outros três pequenos lembretes:

    ? Sobre evidência histórica, é sempre bom deixar claro que todo documento (ou inscrição) é, em si, um documento histórico, embora não necessariamente sobre aquilo a que se refere;
    ? Toma-se, a princípio, um documento histórico como “substancialmente” verdadeiro, e se o vai (se for o caso) “desconstruindo” à medida em que se lhe puderem aplicar vários tipos de controles e/ou de comparações, e o mesmo vale para uma personagem específica; e
    ? A “ciência” histórica somente pode se pronunciar sobre “fatos históricos”, ou seja, sobre aquilo que pode ser reconstituído com razoável grau de probabilidade, à luz do materialismo metódico. Não pode emitir juízos de valor metafísicos, ou extra-factuais, não pelo fato de o metafísico existir ou não existir, mas simplesmente porque essa área está fora de escopo da ciência histórica. A História poderia se pronunciar acerca dum “túmulo vazio” no caso de Jesus (supondo que, de fato, tenha havido um túmulo vazio), mas não sobre a “ressurreição” de Jesus, que não é um fato analisável sob a luz do materialismo metódico.

    Assim, “Há Dois Mil Anos” é um documento histórico – não para a vida na Judéia romana na época do Segundo Templo, ou para dar testemunho dum certo “Públio Lêntulo”, porque, além de ter sido escrito mil e novecentos anos após os eventos que menciona, trata-se duma psicografa, ou seja, dum tipo de documento que, por si, não é considerado válido para dele se obterem informações históricas. Não obstante, é um documento histórico válido para a análise da história do Espiritismo no Brasil – ou, ao menos, duma de suas vertentes, o sincretismo kardecista-xavieriano.

    Do mesmo modo, a “carta de Lêntulo” é um documento histórico – para a análise da “nova devoção” e da “nova espiritualidade” de cunho pessoal que começou a se desenvolver na Europa Ocidental a partir do séc. XIII dC, com as ordens mendicantes (Franciscanos, Dominicanos). Não o é, porém, para a época que diz retratar (a primeira metade do séc. I dC).

    Especificamente para a “carta de Lêntulo”, ela é “desconstruída” (i.e., inviabilizada como documento histórico fidedigno para a época que diz representar) pelo fato de ser de origem recente (sécs. XIV-XV dC, ou seja, muito distante dos acontecimentos narrados, não sendo nem contemporânea e nem pós-contemporânea); pelo fato de seu pretenso autor não ser mencionado ou citado por ninguém por mais de 1.300 anos (não foi citado nem por fontes contemporâneas aos eventos dos quais diz ter tomado parte, e nem por fontes pós-contemporâneas); pelo seu estilo (o tipo de latim utilizado, o “latim eclesiástico”, inclusive com uma série de locuções que nenhum escritor romano pagão do séc. I dC utilizaria); pela própria descrição da face de Jesus (o adulto barbado e de longos cabelos), que somente se tornou canônica a partir do séc. IX dC; e assim por diante. Todas essas considerações (e outras mais, pois aqui se citaram apenas algumas) vão “desconstruindo” tal documento como representante da época que diz retratar – embora não lhe tirem as características de “documento histórico”, para outras épocas e finalidades, como citado.

    Sobre Lêntulo, ele era um senador romano, membro duma das mais antigas e nobres casas da aristocracia patrícia; havia inclusive servido na guerra judaica, com distinção, como conselheiro de Tito. Ora, diante de tais (supostas) “credenciais”, esperar-se-ia um certo tipo de evidenciação. Há inúmeros testemunhos de vários Lêntulos contemporâneos seus, mas, estranhamente, nada sobre ele; todos os partidários de Vespasiano, e que lutaram na guerra judaica, foram agraciados, cedo ou tarde, com um consulado (e ainda mais Lêntulo, que era, de direito próprio, um aristocrata importante…); mas ele não consta nos Fastos, ao menos, não de modo identificável; seu nome está ausente (inclusive como membro do “conselho” de Tito) na detalhada narrativa que Flávio José faz da guerra judaica; sua carreira, tal como apresentada em “Há Dois Mil Anos”, nada tem a ver com o “cursus honorum” dum senador da época; nenhum de seus inúmeros parentes mencionados na História, em textos ou em inscrições, é mencionado em “Há Dois Mil Anos”, e o único que é mencionado na psicografia (“Sálvio Lêntulo”) não é mencionado nas fontes históricas; seu nome permaneceu desconhecido por 1.300 anos, surgindo apenas, nos finais do séc. XIV ou inícios do séc. XV dC, ligado a uma “carta” espúria (de fato, uma descrição de cunho devocional da face de Cristo), que até então circulava anonimamente. Tudo isso, entre outras considerações, vai “desconstruindo” a existência histórica efetiva de “Lêntulo” para muito abaixo do minimamente aceitável (e confortável) em termos de evidenciação histórica, de modo a se poder afirmar, com altíssimo grau de conforto, que tal personagem não existiu.

    Agora, Jesus. Ele foi um pregador apocalíptico itinerante na Galiléia e na Judéia, com fama de taumaturgo, cujo ministério teria durado de um ano (mínimo) a três anos (máximo), provavelmente entre c.29 a c.33 dC, sob a procuradoria de Pôncio Pilatos na Judéia e sob a etnarquia de Herodes Antipas na Galiléia. Era oriundo de Nazaré, uma aldeola galiléia obscura, e ele não era nem nobre, nem rico, e nem de estirpe sacerdotal. Ao contrário, era um artesão, um “tekton” (marceneiro-carpinteiro sendo a melhor tradução). Nem sequer morreu de modo “natural”, por assim dizer, tendo sido acusado de sedição e crucificado – embora não tenha liderado nenhuma revolta contra Roma (como foi também o caso de João Batista). Tudo isso tem que ser levado em conta no tipo de evidência histórica que se pode ter acerca dessa personagem. É virtualmente inútil procurar qualquer evidência contemporânea – tanto Jesus quanto João Batista eram por demais insignificantes e marginais para merecerem tanto. Mais dois nomes na enorme lista de “bandidos” e “terroristas” executados na Palestina da época…

    Não obstante, começam a aparecer evidências imediatamente pós-contemporâneas, quando o “movimento de Jesus” se desenvolve, e missionários começam a espalhar suas idéias na Palestina, depois na Síria, na Ásia Menor e, enfim, na Grécia e em Roma (ao longo de c. 33 dC a c.66 dC). A apresentação que se faz de Jesus, desde essa época, não esconde o fato de haver Ele sido crucificado – se fosse um caráter inventado, teria sido muito pouco razoável que se lhe inventassem uma morte por crucifixão, a pena mais degradante a que eram condenadas a pessoas no mundo romano, reservada para incendiários, profanadores de túmulos ou agitadores. Péssimo “marketing” anunciar, entre os gentios, um “salvador” JUDEU que havia sido condenado pelo poder romano a ser CRUCIFICADO. Algo semelhante a anunciar hoje, nas cidades dos EUA, um “novo profeta” árabe que havia sido morto pelo serviço secreto americano como suspeito de atividades terroristas…

    Mais ainda – podia-se ser a favor ou contra o “movimento de Jesus”, mas, entre as várias acusações que foram feitas quer a Jesus, quer a seu movimento, inclusive por judeus (e por autoridades judaicas!) jamais houve, na época, a de que a pessoa em questão não tivesse existido – algo que seria muito fácil de se fazer, e que o Sinédrio e as autoridades judaicas prontamente poderiam levar a cabo, veiculando-a ao longo das (bem conectadas) comunidades judaicas do Mediterrâneo Oriental. Ao contrário do que se afirma, a “checagem” teria sido relativamente fácil, quase que imediata, tendo em vista a ligação que existia entre a Diáspora judaica mediterrânica e o Templo de Jerusalém (ligações comerciais, peregrinações, etc.). O “movimento de Jesus” teria morrido no nascedouro. Não morreu porque se referia a uma pessoa que, de fato, havia existido, e que era conhecida como pregador e como taumaturgo.

    Igualmente, na época pós-contemporânea, há documentos que mencionam Jesus: a começar pelas cartas de Paulo (sobre cuja autenticidade há inclusive um texto neste “blog”), os próprios Evangelhos, e, mesmo, o historiador (pós-contemporâneo) Flávio José, que, em sua obra “As Antiguidades Judaicas”, menciona tanto João Batista quanto Jesus e seu “irmão” Tiago. Os próprios Evangelhos (compostos entre c.60/70 e c.90/100 dC) são fontes pós-contemporâneas que mencionam Jesus.

    Obviamente, nem Paulo, nem Flávio José, e nem os Evangelhos são, do ponto de vista histórico, obras “isentas”. Nenhuma obra o é, aliás. Mas sua tendenciosidade, seu “viés”, pode ser detectado, em cada um dos casos, e devidamente descontado. Todos eles são fontes históricas efetivas para a existência de Jesus (e, ao menos em linhas gerais, para os principais elementos de Sua vida), e todos eles se enquadram nas exigências para se apresentarem como fontes históricas. Devendo, é claro, ser tratado de forma crítica, como, afinal, qualquer fonte histórica o deve ser.

    Os que insistem em dizer que Jesus não existiu ou não entendem o que é História (e o que pode ser historicamente afirmado) ou representam, eles próprios, alguma ideologia anti-cristã – e o caminho “mais fácil” de combater o Cristianismo é dizer que seu fundador, Jesus, não existiu. Não obstante, a História não discute (e nem pode discutir) “Cristo”, ela discute (e pode discutir) Jesus, que, de acordo com os padrões normalmente aceitos, foi uma personagem histórica real. Do mesmo modo que Buda, do mesmo modo que Confúcio, do mesmo modo que Maomé. E diferentemente de “Lêntulo”.

    Se alguém duvida do caráter de “documento histórico” (para Jesus e para a época pós-contemporânea a Ele) das cartas de Paulo, dos Evangelhos ou de Flávio José (suas citações a João Batista, a Jesus e a Tiago nas “Antiguidades”), é livre para apresentar seus argumentos – como, aliás, eu já havia solicitado a alguns neste mesmo “blog” (e que se recusaram a fazê-lo, fugindo dessa elementar obrigação e escondendo-se por detrás duma cortina de sofismas e de manobras diversionistas da mais abjeta espécie). Se têm tanta certeza de seu posicionamento, e se ele é tão “óbvio”, não deve ser muito difícil, afinal, escrever algo sobre isso (e não apenas elencar títulos bibliográficos). Afinal, a não-historicidade de “Lêntulo” também era algo “evidente”, e, mesmo assim, eu me dei ao trabalho de expor, do modo mais ordenado e abrangente que me foi possível, as razões para essa sua não existência, ligando-a especificamente às alegações da vertente kardecista-xavieriana do Espiritismo brasileiro. Como antes já havia dito, continuo no aguardo. Não deve ser, afinal, tão difícil assim a evidenciação da “não historicidade de Jesus” a quem se considera tão superior aos outros em termos de inteligência, racionalidade e perspicácia – para não dizer honestidade…

    Esta é a última vez que me manifesto sobre tal tema.

    JCFF.

  25. Gorducho Diz:

    Essa é p/o Sr., Sr. JCFF… Sabia que o Lentulus conheceu o Paulo de Tarso na Porta da via Ápia – que seria a agora inexistente Porta Capena, certo?
     
    Conheci-o, em Roma, nos seus dias de trabalho mais rude e de provações acerbas. Vi-o uma vez unicamente, quando um carro de Estado transportava o senador Públio Lentulus, ao longo da Porta Ápia, mas foi o bastante para nunca mais esquecê-lo. Um incidente fortuito levara os cavalos a uma disparada perigosa, mas um jovem cristão, atirando-se ao caminho largo, conseguiu conjurar todas as ameaças. Avistamos, então, um pequeno grupo, no qual se encontrava a sua figura inesquecível. Trocamos algumas palavras que me deram a conhecer a inteireza de caráter e a grandeza de sua fé.
     
    Ora, o Juvenal relatou que essa porta era costumeiro local de mendigos judeus.
    Claro que o Paulo de Tarso não era mendigo, mas faz todo sentido ele ir lá ficar junto e tentar converter seus compatriotas pobres e desencaminhados, certo?
    Mais uma evidência histórica que o Lentulus do CX existiu!

  26. Marciano Diz:

    Não acho que o personagem místico Jesus possa ser considerado uma pessoa “comum” ou “humilde” no sentido empregado pelo pesquisador JCFF.
    Alguém que teria “criado” uma religião tão importante quanto o cristianismo, mesmo não sendo o super herói cheio de poderes descrito nos evangelhos canônicos e apócrifos, teria deixado não traços, mas profundas valas nas páginas da história.
    Nuna apertadíssima síntese, podemos dizer ainda que toda a filosofia e doutrina cristã já existia antes da época em que o personagem teria vivido, durante e após sua existência, como comprovam os Dead Sea Scrolls, os quais, a propósito, não mencionam sequer uma vez o personagem.
    A “ressureição”, seja lá de quem for, é um fato cientificamente impossível, o que pode ser falseável facilmente, bastando que alguém vá a um cemitério e ressuscite algum lázaro ou alguma thalita (menina).
    Isto não depende de materialismo metódico ou o que seja, depende apenas de bom senso.
    O que JCFF chama polidamente de sincretismo kardecista-xaveriano é, na verdade, o conhecidíssimo chiquismo/divaldismo.
    Estou pronto a abandonar o materialismo, a qualquer momento; não por argumentos de algum santo Agostinho ou são Tomás de Aquino, mas por alguma prova simples da existência de qualquer coisa que possamos chamar de imaterial, espíritos aí incluídos.
    Os religiosos, sejam católicos, chiquistas, kardecistas, budistas, muçulmanos, judeus, esquecem-se facilmente da fraternidade, da humildade, do perdão pregado por suas crenças multifragmentadas para virarem feras quando alguém se atreve a não acreditar em alguma de suas impossíveis e inconciliáveis (entre si) crenças.
    Se o tal jesus tivesse existido e se fosse algum espírito que ainda existe, facilmente perdoaria setenta vezes sete vezes qualquer coisa que eu afirmo, pois diria ao pai que eu não sei o que faço, mesmo que o que eu fizesse fosse torturá-lo e depois matá-lo.
    Os religiosos em geral jogam com baralhos roubados, com dados viciados, só sustentando aquilo que lhes convém num determinado momento, sem se preocuparem com o todo da doutrina que pregam e sem procurar explicar as divisões infinitas de suas religiões com o passar do tempo.
    O livro HDMA é tão útil quanto o livro de Mórmon ou o Corão. Ou quanto à bíblia, seja ela protestante ou católica.
    Qualquer pessoa por demais insignificante e marginal que tenha existido HDMA sem deixar traços é tão real quanto o Dr. Mabuse.
    Vamos ver se daqui HDMA algum terrorista ou bandido MUÇULMANO insignificante (já os houve católicos, na época da inquisição, por exemplo) vai ser um milagre em termos de popularidade, com ricos detalhes de suas vidas, como acontece com o imaginário jesus. E vejam que hoje tudo é registrado de forma digital.
    As menções de Flavio Josepho foram grosseiramente falsificadas e interpoladas, conforme sobejamente demonstrado por vários estudiosos do assunto.
    Se eu sou anti-cristão, sou também anti-muçulmano, anti-judeu (como religião), anti-budista.
    .
    .
    Agora vamos supor que jesus tenha realmente existido, ad argumentandum tantum.
    Quem foram os mentirosos que diziam que ele se exibia caminhando sobre as águas, acalmando mar onde a geografia diz que eles não existem, multiplicando peixes e pães vindos da quinta dimensão, ressuscitando mortos decompostos como lázaro (morto há quatro dias, naquela região e já fedendo, como consta da bíblia)?
    Qual a necessidade de a ICAR repetir essas mentiras?
    Ou será tudo verdade, só que hoje em dia milagres são proibidos?
    Será que HDMA vai haver uma centena de milhares de religiões parecidas, descendentes do mesmo tronco, afirmando que a médium do algodão ou o João de Deus faziam milagres na época atual?
    O que JCFF vê como diversionismo é apenas a mais pura realidade. Eu não tenho de provar que José Ruela da Silva existiu na Babilônia ou na quinta dimensão, quem disser isto é que tem de provar.
    Pretendo que esta seja a última vez que eu me pronuncie sobre FG.

  27. Gorducho Diz:

    [...] não era comum uma mesma pessoa, afinal, em tão pouco tempo, exercer dois consulados.
     
    Queria ver se o Sr. perceberia… Não digo exercer eleito, mas ser nomeado 2x sufeta numa diferença de 6
    ½s anos…
     
    No livro Continuité Gentilice o que significa ° e a cruzinha na árvore? No caso do nosso L. (sim, já vimos que está errado) CORN. LENTULUS SCIPIO suf. 27 [°-5, (cruzinha) ap. 27]
    Seria que ele reencarnou em -5 e morreu aprox. em 27? Mas como nada se sabe sobre o cidadão, como o autor poderia saber sobre a morte?

  28. Marciano Diz:

    Recado aos cretinos de plantão que volta e meia se intrometem no blog, só para dizer algumas besteiras e depois desaparecerem:
    .
    Não venham com a cantilena de que quem não escolhe uma das centenas de milhares de crenças existentes, fora as que já existiram no passado, inclusive há dois mil anos e mais, como as crenças dos vikings, dos romanos, dos gregos, dos egípcios, etc., tem uma crença, consistente em não acreditar em uma delas.
    Isto é papo de idiota.
    Se fosse assim, todos seriam necessariamente crentes. Ou escolheriam aleatoriamante (normalmente não existe escolha, isto é determinado pelo lugar onde se nasce e da crença dos pais e vizinhos) uma das centenas de milhares de crenças esquizofrênicas existentes ou seria um crente de que mentiras não devem ser levadas a sério.
    Se isto for crença (é descrença para qualquer analfabeto), então eu sou crente no fato de que afirmações precisam de ser provadas antes de refutadas.
    Não se pode refutar o que não foi provado.
    .
    Em tempo: não me chamem de ateu ou coisa equivalente, pois também sou a-papainoel, a-coelhinho da páscoa, a-fadasdoretardadoConanDoyle, etc.
    .
    Se for para o bem de todos e felicidade geral da nação, escolho Thor ou Osíris, os quais estão precisando de crentes no momento.

  29. Marciano Diz:

    Se o cristianismo ou o islamismo, por exemplo, são a salvação da humanidade, o que aconteceu com as pessoas que cultuavam Bastet? Foram para o inferno? Só porque os verdadeiros deuses ainda não haviam sido revelados no seu tempo?
    Desde criança que eu tenho essa dúvida.
    Se eu tivesse tido o azar de ter nascido há algum tempo atrás, no lugar errado, e cultuasse Odin, estaria ferrado.
    Muito engraçado isso.

  30. Marciano Diz:

    Todas as religiões atuais e já extintas sempre foram prodigiosas em produzir milagres a três por quatro. Só não conseguem produzir dinheiro. Para isso, precisam de doações de dinheiro bem material, dado por pessoas de carne e osso.
    Não se multiplicam mais pães e peixes para os famintos. A moda agora é pedir doações em dinheiro mesmo, ou coisa que nele se converta.
    Não chove mais maná dos céus, agora recolhe-se dinheiro para caridade.

  31. Marciano Diz:

    Na pressa de escrever cometi alguns errinhos de gramática, os quais peço que perdoem 490 vezes (70×7). Não vou corrigir nada, pois continuo sem tempo.
    Gostaria muito se qualquer um respondesse de forma convincente a algumas questões que pus aí acima.
    Por exemplo, os adoradores de Odin foram para o inferno só porque não conheciam Allah ou Yavé?
    Se esses deuses são a mesma pessoa, por que eles têm ideias tão diferentes, apesar de parecerem plagiadas umas das outras?
    Como a gente faz para seguir a verdadeira religião, se existem e já existiram tantas e se, talvez, a única verdadeira ainda esteja para ser criada, já que o não falta é criação de religiões todos os dias?
    Quando será que começarão a ensinar mitologia judaico-cristã nas escolas, como fazem atualmente com a mitologia egípcia e a grega?
    Qual a diferença entre as mitologias passadas e as atuais, se na época em que as citadas mitologias eram religiões eram levadas a sério?
    Por que não admitimos logo que todas as religiões atuais não passam de mitologia e nos divertimos com elas, como fazemos com a mitologia romana antiga?
    No tempo das vestais isso era religião séria.
    Naquele tempo também existiam céticos que SABIAM que tudo não passava de delírio coletivo. E também eram criticados pelos crentes de então.

  32. Marciano Diz:

    Vou para o Monte Olimpo agora. Não aquele dos deuses antigos, o de Marte mesmo.
    Ficarei feliz se amanhã, em vez de ofensas, encontrar explicações racionais para meus questionamentos.
    Alles gute.
    Ich bin ungläubig, aber ich wünsche allen das Beste für alle.

  33. Vladimir Diz:

    JCFF disse:
    “Os que insistem em dizer que Jesus não existiu ou não entendem o que é História (e o que pode ser historicamente afirmado) ou representam, eles próprios, alguma ideologia anti-cristã – e o caminho “mais fácil” de combater o Cristianismo é dizer que seu fundador, Jesus, não existiu. Não obstante, a História não discute (e nem pode discutir) “Cristo”, ela discute (e pode discutir) Jesus, que, de acordo com os padrões normalmente aceitos, foi uma personagem histórica real.”
    COMENTÁRIO: Estou imaginando a cara do Sr.Marciano e do Sr.Gorducho…kkkk

  34. Gorducho Diz:

    Se acha engraçado, pelo menos ria direito, Analista Влади́мир. Rir rí-se assim: :lol:
     
    E da minha parte sempre disse que acho mais provável “Jesus” ter existido; como aliás apontei acima. Apenas estou ciente da fragilidade e potencial inverdade disso, conforme é a tese do Analista Marciano.

  35. Gorducho Diz:

    Mantenho m/tese que o autor da carta deve ter tido conhecimento desse misterioso P LE sufeta em 27 CE. Não me parece razoável como tese que o cara simplesmente tirasse do ar um nome razoável (“João Silva”) p/assinar a carta. Deve ter tido conhecimento desse personagem real mas sobre cujo qual nada mais se sabia e sabe, de modos que o posicionou na Palestina, &c.
     
    Agora a bola está c/o historiador espírita que deverá contatar o Prof. G. Camodeca (U. Napoli pelo que vi) e saber mais sobre a conjectura Scipio.
    No fim, (por inacreditável que possa parecer…) foi pertinente a exigência do Analista Scur quanto a focar a fonte…

  36. Gorducho Diz:

    Por exemplo, os adoradores de Odin foram para o inferno só porque não conheciam Allah ou Yavé?
     
    Acho que se encaixa na crítica feita pelo Jean Reynaud ao fato da Igreja (que na época e na mente deles era sinônimo da ICAR) ter deixado isso indeterminado. Nenhum concílio legislou sobre isso.
    O JR dentro dos delírios patrióticos gauleses dele alegava que cabia à Gália implementar isso.
    Foi o que o Kardec, bem ou mal fez. No kardecismo essa contradição inexiste.

  37. Gorducho Diz:

    Espírito André Luiz ditando suas memórias [NL]:
    Enfim, como a flor de estufa, não suportava agora o clima das realidades eternas. Não desenvolvera os germes divinos que o Senhor da Vida colocara em minh’alma. Sufocara-os, criminosamente, no desejo incontido de bem estar. Não adestrara órgãos
    para a vida nova. Era justo, pois, que aí despertasse à maneira de aleijado que, restituído ao rio infinito da eternidade, não pudesse acompanhar senão compulsoriamente a carreira incessante das
    águas; ou como mendigo infeliz, que, exausto em pleno deserto, perambula à mercê de impetuosos tufões.

     
    Espírito P LE relatando o encontro c/Paulo na antiga porta da Via Ápia:
    O fato ocorria pouco depois da trágica desencarnação de Lívia, e eu trazia o espírito atormentado. As palavras de Paulo eram firmes e consoladoras. O grande convertido não conhecia a úlcera que me sangrava no coração, todavia, as suas expressões indiretas foram, imediatamente, ao fundo de minh´alma, provocando um dilúvio de emoções e esclarecimentos

  38. Marciano Diz:

    Vladimir, antes de rir imaginando minha cara, leia a resposta que postei para JCFF.
    Aproveite e faça a caridade de responder aos meus vários questionamentos.
    Vou facilitar pra você:
    Marciano Diz:
    dezembro 12th, 2014 às 6:16 PM

    Marciano Diz:
    dezembro 12th, 2014 às 6:28 PM
    ………
    Marciano Diz:
    dezembro 12th, 2014 às 6:34 PM
    …………….
    Marciano Diz:
    dezembro 12th, 2014 às 6:42 PM
    ………….. Marciano Diz:
    dezembro 12th, 2014 às 9:36 PM
    …….
    Marciano Diz:
    dezembro 12th, 2014 às 9:42 PM
    .
    .
    .
    Como você pode ver, se não tiver preguiça de ler o que escrevi, não fiquei com cara nenhuma, ao contrário, rebati todos os argumentos de JCFF e fiz algumas perguntas a que você pode responder com honestidade, sem apelar para o diversionismo tão criticado por JCFF e tão usado por ele.

  39. Marciano Diz:

    Pelo menos esta parte você deveria ter lido, antes de dar asas à sua fértil imaginação:
    .
    “Se eu sou anti-cristão, sou também anti-muçulmano, anti-judeu (como religião), anti-budista”.
    .
    .
    Na verdade, eu sou anti-delírios reliosos e anti-imaginação doentia.

  40. Gorducho Diz:

    Aliás, Analista Влади́мир, note que os próprios caras que bolaram a carta – sejam lá quem foram… – por incrível que pareça raciocinaram semelhantemente ao Analista Marciano! Ou seja, estavam plenamente conscientes da fragilidade da história toda, de formas que acharam conveniente inventar uma “prova” de existência; bem como a necessidade de padronizar a fisionomia d’Ele.

  41. Marciano Diz:

    Acho que plantei uma sementinha de dúvida na mente prodigiosa do médium G Grassouillet.

  42. Marciano Diz:

    Eu nasci com uma sementinha plantada no cérebro. Aos poucos ela germinou, virou uma árvore e depois uma imensa floresta.

  43. Marciano Diz:

    Gorducho, leia isto:
    “The Strange Case of Dr.Mabuse: a Study of the Twelve Films and Five Novels”, by David Kalat
    https://books.google.com.br/books?id=ZWxVw-H5twUC&pg=PA209&lpg=PA209&dq=the+death+ray+dr+mabuse&source=bl&ots=h6NWass32W&sig=Hot82nvpND8kjd94lpbZwSr_Obw&hl=pt-BR&sa=X&ei=5aWMVPykC4TYggS974KYCg&ved=0CHUQ6AEwDw#v=onepage&q=the%20death%20ray%20dr%20mabuse&f=false

  44. Antonio G. - POA Diz:

    Marciano, eu só teria capacidade para articular algo equivalente a uns, digamos, 10% de sua argumentação. Assim, nem vou me aventurar. Subscrevo, com enorme lucro.
    .
    Quanto à questão da existência ou não de Jesus, o Cristo, nem me dou ao trabalho de discutir. É conversa sem sentido. Como eu já fui cristão, sei o que um crente pensa. Uma mente que aceita dogmas, enquanto não “cair na real”, não será sensibilizada por lógica alguma. É questão de fé. Aquilo que eu chamo de medo. Ponto final.
    Já a questão do Jesus histórico, este continua sendo um mistério que nem a verborragia de JCFF esclarece. O ilustre estudioso tergiversa, cria falácias para impressionar não sei quem, trás os evangelhos como prova, desenvolve conceituações casuísticas, ou, como dizem no “baixo clero”, faz firulas, mas não apresenta evidência alguma. Nada. Só conversa.
    .
    Jesus existiu? Não sei. Ninguém sabe. Mas se eu tivesse que apostar um engradado de cerveja, apostaria que não. Não dá mesmo prá conceber que um sujeito tão importante, que dividiu a história contemporânea em Antes e Depois dele, tenha vivido a relativamente tão pouco tempo e não tenha deixado uma única evidência, sequer um bom indício, de sua real existência. Me parece mais sensato concluir que trata-se apenas de uma figura mitológica. Uma lenda que “colou ” mais do qualquer outra nestes tempos. Por enquanto. Como disse o Marciano, o cristianismo será um dia estudado como mitologia. Nada mais óbvio.

  45. Antonio G. - POA Diz:

    Desculpem outros eventuais erros, mas “trás os evangelhos”, com ” s” e acento agudo, é imperdoável. Maldito corretor…. Rsss

  46. Antonio G. - POA Diz:

    Digitar no smartphone é terrível.

  47. Vladimir Diz:

    É curioso perceber que os que colocam em duvida a existência do Jesus “Histórico” depois de toda brilhante argumentação do Sr.JCFF o façam de maneira tão pueril.
    Se querem rebater as teses do Sr.JCFF, o façam do mesmo modo que ele.
    Com embasamento e propriedade.

  48. Vladimir Diz:

    Ao Sr.Marciano, Gorducho, e Antonio G.Poa,
    deixemos aos especialistas…
    https://www.youtube.com/watch?v=LxU1AiuE1ek

  49. Gorducho Diz:

    Puxa, Analista Влади́мир! O nível da palestra é muito alto p/nós. É tanto conhecimento transmitido que a gente nem consegue acompanhar!
    “Jesus” teria nascido antes do ano zero;
    a Galiléia fica na Palestina;
    a Galiléia fica ao norte de Jerusalém;
    a Galiléia era diferente da Judéia.
     
    Parei por aí, tanto conhecimento novo para nós transmitido em tão pouco tempo :(

  50. Gorducho Diz:

    No entanto a conversa tem alguns pontos interessantes, como:
     
    II [3:50] – a minha tese, um pregador que existiu sobre o qual a cartolagem religiosa construiu toda essa onda.
    comum que existiu (palavras minhas, não do professor, bien entendu…).
     
    II [5:20] – o que deve-se entender por filho de Deus no conceito da época, i.e., sem anacronismos. Ou seja alguém que dispensa a intermediação da cartolagem para lidar c/o sagrado.
     
    II [final] – os tipos de personagens que aparecem nas fantasias religiosas: mago; profeta; pessoa ativa politicamente tipo o A. Conselheiro (o prof. não dá um nome específico a essa figura). “Jesus” seria um misto dos 3 tipos, corroborando que as historias foram inventadas posteriormente (de novo: interpretação esta minha).
     
    Depois ele fala na necessidade do personagem ressuscitar porque o final da história tem que ser feliz. É o caso do chiquismo, onde os filhinhos “ressuscitam” junto ao vovô e a vovó para não tornar os paais infelizes…

  51. Gorducho Diz:

    comum que existiu

  52. Vladimir Diz:

    De fato o Prof.Dr. Gabriele Cornelli é uma sumidade.
    Sua sapiência só é superada pela sua humildade.

  53. Antonio G. - POA Diz:

    Eu disse que não sabia a quem JCFF pretendia impressionar com seu quilométrico mas, para mim, inconclusivo post. Vladimir vem responder a minha indagação. Ele se impressiona.

  54. Antonio G. - POA Diz:

    Eu disse que não sabia a quem JCFF pretendia impressionar com seu quilométrico mas, para mim, inconclusivo post. Vladimir vem responder a minha indagação. Ele se impressiona.

  55. Marciano Diz:

    Antonio e Gorducho, Vladimir só sabe ofender. Disse que minhas questões são pueris, mas não disse por que razão. Não respondeu a nenhuma delas.
    Ele quer que eu fique enrolando com intermináveis firulas intelectuais, que faça um longo texto pernóstico, cheio de palavras bonitas e vazio de sentidos, e que a discussão nunca tenha fim.
    Quem topa ir a um cemitério praticar ressurreição ou multiplicar pães e peixes para os famintos, sem arrecadar dinheiro supostamente para caridade?
    Quem quer rezar para Odin?

  56. Marciano Diz:

    vazio de sentido.
    Minhas perguntas são pueris porque as formulei quando era impúbere, e até hoje ninguém as respondeu, a não ser com eloquentes palavras que não significam nada e só servem para enrolar.

  57. Phelippe Diz:

    Boa, Marciano, boa, é isso aí, concordo com vc, desce a lenha nesse povo. Quero ver milagre, quero uma revelação divina, materialização de dinheiro no meu bolso etc, não palavras bonitas, filosofia inútil.

  58. Vladimir Diz:

    É incrível perceber que o teor dos comentários só provam o meu ponto de vista.
    Infelizmente…

  59. Vladimir Diz:

    Marciano disse: Alguém que teria “criado” uma religião tão importante quanto o cristianismo
    COMENTÁRIO: Já começou “errado” que fundou o Cristianismo de fato, foi Paulo, não Jesus.
    Marciano disse: não sendo o super herói cheio de poderes descrito nos evangelhos canônicos e apócrifos
    COMENTÁRIO: É evidente pois estamos tratado do Jesus histórico e não o CRISTO mítico
    Marciano disse: Agora vamos supor que jesus tenha realmente existido
    COMENTÁRIO: Não se trata de supor, o Jesus histórico existiu.
    Marciano disse: Como a gente faz para seguir a verdadeira religião, se existem e já existiram tantas e se, talvez, a única verdadeira ainda esteja para ser criada, já que o não falta é criação de religiões todos os dias?
    COMENTÁRIO:Como me disse um rabino certa vez: A Verdadeira Religião é aquele que te aproxima de D’us.
    Marciano disse: Quando será que começarão a ensinar mitologia judaico-cristã nas escolas, como fazem atualmente com a mitologia egípcia e a grega
    COMENTÁRIO: O dia em que o Mundo deixar de ter seus valores fundados sobre a base judaico-cristã.
    Marciano disse: Qual a diferença entre as mitologias passadas e as atuais, se na época em que as citadas mitologias eram religiões eram levadas a sério
    COMENTÁRIO: A rigor nenhuma.
    Marciano disse: Por que não admitimos logo que todas as religiões atuais não passam de mitologia e nos divertimos com elas, como fazemos com a mitologia romana antiga?
    COMENTÁRIO: É uma perspectiva, sem dúvida.
    Marciano disse: Naquele tempo também existiam céticos que SABIAM que tudo não passava de delírio coletivo
    COMENTÁRIO: Mais uma vez sua argumentação peca pela simplificação.
    Se “naquele tempo” refere-se a Grecia Antiga em determinado momento existiu sim uma escola Cética, entretanto os céticos de outrora ficariam de “cabelo em pé”
    se vissem os “céticos” de hoje kkkkk
    O que mais se assemelha aos “céticos” de hoje seriam os “Materialistas Antigos” como Demócrito e Epicuro.
    Marciano disse: Na verdade, eu sou anti-delírios reliosos e anti-imaginação doentia
    COMENTÁRIO: Marciano, apesar de você alegar que foi Contador, Policial, Promotor, Juiz e Advogado (esses alienigenas são mesmo multitarefas rs) que eu saiba
    você não é médico, tampouco Psiquiatra.
    Então pare de associar Psicopatologias ao Comportamento Religioso.
    Isso só demonstra o seu profundo desconhecimento tanto da Psiquiatria quanto da Antropologia, além é claro do Preconceito!
    Já lhe disse e volto a repetir: Religião é um fenômeno natural das Sociedades Humanas.
    A Antropologia prova isso.
    Leia Mircea Eliade, Clifford Geertz, Marcel Mauss, Levi Strauss, e irá perceber isso.
    Marciano disse: Eu nasci com uma sementinha plantada no cérebro
    COMENTÁRIO: Eu nunca duvidei disso rs

  60. Marciano Diz:

    En passant: Se Vladimir concorda que religião é uma necessidade dos povos e que são todas iguais, não passam de mitologia, dependendo da época, não sei por quê estamos discutindo.
    Eu não “alego” coisa nenhuma, e advogado, ainda o sou.
    Por escolha.
    Já esgotei minha cota de leitura de literatura inútil. Não vou ler essas porcarias que você indica. Já pensou se fico igual a você?
    Odin me livre!

  61. Marciano Diz:

    Volto mais tarde ou amanhã, dependendo da vontade de Odin.

  62. Antonio G. - POA Diz:

    É… O mesmo se dá comigo. Quando me solicitam respostas fundamentadas, sugerindo que eu vá atrás de bibliografia sobre estes temas, me dá uma forte sensação de déjà vu, seguida de uma enorme preguiça…

  63. Vladimir Diz:

    Marciano disse: Eu não “alego” coisa nenhuma, e advogado, ainda o sou.
    COMENTÁRIO: Como assim???
    VOLTA AO PASSADO:
    Marciano diz em novembro 20th, 2014 às 9:15 PM:
    Eu sou advogado e já fui contador e nunca acreditei em coisas mágicas.
    Marciano diz em dezembro 3rd, 2014 às 11:27 PM:
    Vlad, pra seu governo, sou advogado, já fui juiz e promotor.
    Marciano diz em dezembro 4th, 2014 às 5:29 PM:
    (inclusive na polícia, onde muitos há e por onde já passei também, no início de carreira
    FIM DA VOLTA AO PASSADO
    Marciano disse: Já esgotei minha cota de leitura de literatura inútil. Não vou ler essas porcarias que você indica
    COMENTÁRIO: Até entendo o Sr. desprezar a religião alheia, entretanto desprezar a produção acadêmica humana, chamando
    os maiores expoentes da Antropologia de “Porcaria”?
    Hummm curioso…

  64. Larissa Diz:

    Vladimir: religião é um fenômeno natural das sociedades humanas.
    .
    Conhece a história dos Pirahãs?

  65. Vladimir Diz:

    Não conhecia mas achei interessante o artigo.
    Eles não fogem a regra veja:
    “They have no concept of God. They have individual spirits…”

  66. Marciano Diz:

    Vlad, você pode ser louco, mas não é burro.
    Eu não “alego” ser as coisas que você elencou. Já fui todas elas e voltei a advogar, só isso.
    Não há nada demais no que falei.
    Só se você citar fora do contexto.
    Psiquiatra, nunca fui e nunca serei.
    Lidar com loucos, só à distância. Isso pode pegar(não me venha com história de que loucura não pega, como eu disse, você não é burro).

  67. Antonio G. - POA Diz:

    Marciano, você disse: “Psiquiatra, nunca fui e nunca serei”.
    O que você acha destes conceitos?
    – A psiquiatra é uma pseudociência exercida por médicos que não gostam de estudar.
    – É uma prática experimental perigosa, que tem como cobaia a mente das pessoas.
    – Dez psiquiatras possivelmente darão dez diferentes diagnóticos para um mesmo paciente.

  68. Gorducho Diz:

    Creio que os Analistas Marciano e Antonio G. – POA considerarão uma mostra de sensatez…
     
    According to Everett, the Pirahã have no concept of a supreme spirit or god, and they lost interest in Jesus when they discovered that Everett had never seen him.

  69. Gorducho Diz:

    Aparentemente é essa a fonte ocidental da figura de Cristo utilizada pelo Rodolfo Cartuxo & outros [capítulo 45]. Ainda não era alegada a carta do P LE:
     
    https://archive.org/stream/patrologicursus11migngoog#page/n377/mode/2up

  70. Gorducho Diz:

    capítulo 450

  71. Antonio G. - POA Diz:

    Sim, bastante sensato. Lógica elementar.

  72. Antonio G. - POA Diz:

    E o mais interessante é a informação de que o missionário Everett teria se tornado ateu, após refletir sobre a lógica dos Pirahãs, que é a de só acreditarem naquilo que podem ver. Isto é pura sabedoria.
    E dá o que pensar sobre o que significa ser um “‘povo primitivo”.

  73. Antonio G. - POA Diz:

    A vantagem dos Pirahãs é que seus antepassados não lhes enfiaram na cabeça a fantasia (e o medo) de um ser superior. Assim, só crêem no que é real. Melhor para eles.

  74. Marciano Diz:

    Antonio, como leigo em psiquiatria vou dar um palpite que provavelmente não agradará ao Vladimir, também leigo em psiquiatria, pois tudo o que eu digo desagrada a ele.
    Tenho alguns amigos médicos, nenhum psiquiatra.
    Entre os médicos, é comum dizerem pejorativamente que psiquiatra não é médico. Eles também olham com desdém o oftalmologista. Um de meus amigos é oftalmologista, é um cara inteligente e competente na profissão, tem pós e etc.
    .
    Dito isto, a psiquiatria é uma bagunça mesmo, você está correto. É mais fácil conseguir uma residência em psiquiatria do que em outras áreas, o que leva muitos preguiçosos a trilhar este caminho, assim como algumas outras residências também.
    Os psiquiatras, apesar da CID e do DSM, não se acertam em seus diagnósticos, mas, para ser honesto, os demais especialistas não ficam muito atrás em termos de diagnósticos errados e divergentes.
    Invente alguns sintomas inespecíficos, vá a 10 médicos diferentes, a cada um diga que é a primeira consulta, e veja. Eles vão te indicar os mais diferentes exames laboratoriais, sugerir os mais variados diagnósticos, e não vão acertar. Talvez algum deles perceba que você não tem nada, aí vai dizer que seus sintomas são “psicológicos” (o que não estaria muito longe da verdade, só que eles fazem isso também com pessoas que têm doenças de verdade) ou que é uma “virose”.
    Dependendo dos sintomas, se você tiver realmente algum, ainda que provocado por você mesmo, não duvide de que alguns deles te receitarão algum corticoide, mesmo você não apresentando nenhum sinal de doença autoimune. É porque, dependendo dos sintomas, quando você usa um corticoide os anticorpos deixam de fazer seu trabalho e você tem uma aparente “melhora”, o que o leva a dizer que do doutor fulano é o cara.
    Além disso, a maioria das doenças no curso da vida têm remissão espontânea, o que leva pessoas incautas a atribuírem a cura não ao sistema imunológico e à seleção natural, mas ao remédio tal, o doutor tal, o medium tal, o santo tal, a promessa tal, jesus, etc.
    .
    Gorducho, também concordo com Antonio sobre os Pirahãs (não sei sobre piranhas, dizem que dá um caldo delicioso).
    .
    Tem só um adendo. Nem tudo o que vemos é real. Que o diga Valentino (aqui no Brasil, conhecido como Mister “M”).
    .
    .
    Algumas perguntas não respondidas por Vladimir e outras considerações não comentadas por ele:
    1- Como a gente faz para seguir a verdadeira religião, se existem e já existiram tantas e se, talvez, a única verdadeira ainda esteja para ser criada, já que o não falta é criação de religiões todos os dias?
    .
    2-Todas as religiões atuais e as já extintas sempre foram prodigiosas em produzir milagres a três por quatro. Só não conseguem produzir dinheiro. Para isso, precisam de doações de dinheiro bem material, dado por pessoas de carne e osso.
    Não se multiplicam mais pães e peixes para os famintos. A moda agora é pedir doações em dinheiro mesmo, ou coisa que nele se converta.
    Não chove mais maná dos céus, agora recolhe-se dinheiro para caridade (não é uma indagação, mas seria interessante ver o pensamento vladimiriano sobre o assunto).
    .
    3- A “ressureição”, seja lá de quem for, é um fato cientificamente impossível, o que pode ser falseável facilmente, bastando que alguém vá a um cemitério e ressuscite algum lázaro ou alguma thalita (menina).
    Isto não depende de materialismo metódico ou o que seja, depende apenas de bom senso.
    .
    4- Os religiosos, sejam católicos, chiquistas, kardecistas, budistas, muçulmanos, judeus, esquecem-se facilmente da fraternidade, da humildade, do perdão pregado por suas crenças multifragmentadas para virarem feras quando alguém se atreve a não acreditar em alguma de suas impossíveis e inconciliáveis (entre si) crenças.
    Se o tal jesus tivesse existido e se fosse algum espírito que ainda existe, facilmente perdoaria setenta vezes sete vezes qualquer coisa que eu afirmo, pois diria ao pai que eu não sei o que faço, mesmo que o que eu fizesse fosse torturá-lo e depois matá-lo.
    .

    5- O livro HDMA é tão útil quanto o livro de Mórmon ou o Corão. Ou quanto à bíblia, seja ela protestante ou católica.
    .
    6-Qualquer pessoa por demais insignificante e marginal que tenha existido HDMA sem deixar traços é tão real quanto o Dr. Mabuse.
    .
    7- As menções de Flavio Josepho foram grosseiramente falsificadas e interpoladas, conforme sobejamente demonstrado por vários estudiosos do assunto.
    .
    8- Quem foram os mentirosos que diziam que ele se exibia caminhando sobre as águas, acalmando mar onde a geografia diz que eles não existem, multiplicando peixes e pães vindos da quinta dimensão, ressuscitando mortos decompostos como lázaro (morto há quatro dias, naquela região e já fedendo, como consta da bíblia)?
    .
    9- Qual a necessidade de a ICAR repetir essas mentiras?
    .
    10 – Ou será tudo verdade, só que hoje em dia milagres são proibidos?
    .
    11- Será que daqui HDMA vai haver uma centena de milhares de religiões parecidas, descendentes do mesmo tronco, afirmando que a médium do algodão ou o João de Deus faziam milagres na época atual?
    .
    12- Se jesus foi uma pessoa comum e o cristianismo foi criado por Paulo (não deixa de haver alguma verdade nessa afirmação), por que o culto a jesus?
    .
    13 – Por que a igrejas cristãs não falam sobre o jesus histórico, em vez de exaltarem o milagroso?
    .
    14 – Se jesus foi apenas uma pessoa sem importância, se o cristianismo não foi inventado por ele, qual a importância do jesus histórico?

  75. Larissa Diz:

    Bem seletivo o Sr. Vladmir.

  76. Vladimir Diz:

    Antonio disse:
    A psiquiatra é uma pseudociência exercida por médicos que não gostam de estudar.
    É uma prática experimental perigosa, que tem como cobaia a mente das pessoas.
    Dez psiquiatras possivelmente darão dez diferentes diagnóticos para um mesmo paciente
    COMENTÁRIO: “Santo Antonio”, realmente o Sr se superou.
    Não que sua arrogância ingênua seja uma novidade a mim, afinal o Sr. arroga para si o Direito de julgar quem é e quem não é “Cientista”,
    mas suas asserções a respeito da Psiquiatria…
    Quando o Sr. faz esse tipo de comentário não é aos Cientistas Religiosos, tampouco aos acadêmicos de Filosofia ou aos Psiquiatras que o Sr
    atinge (acredite em mim nenhum deles sabem que o Sr existe) mas somente a sua pessoa.
    Fica cada vez mais dificil levar suas opiniões a sério.
    A menos que o Sr esteja contando anedotas com um sotaque britânico rs
    Mas penso que a explicação é muito mais simples…
    Acho que a explicação para toda arrogância e desdém com a profissão alheia deva ser uma só: Inveja.
    Talvez no fundo o Sr. gostaria de ser “levado a sério” em suas opiniões mas por algum motivo o Sr sente que isso não ocorre.
    O Sr tem todo Direito as suas opiniões, e eu respeito plenamente isso.
    Porém quando a argumentação perde a sensatez e a razoabilidade…

  77. Vladimir Diz:

    Gorducho disse:
    According to Everett, the Pirahã have no concept of a supreme spirit or god, and they lost interest in Jesus when they discovered that Everett had never seen him.
    COMENTÁRIO:
    Volto a repetir: “They have no concept of God. They have individual spirits”
    Fonte:http://edge.org/conversation/recursion-and-human-thought

  78. Marciano Diz:

    Obrigado por não responder aos meus questionamentos, Vladimir/merdendisfarçado.

  79. Marciano Diz:

    Antonio, o único jeito de você deixar de ser “invejoso” é passar a não questionar mais nada, acreditar em qualquer bobagem que te digam, aceitar “babando” títulos que ostentarem para você.
    Não fique com inveja de grandes estudos feitos em grandes universidades, que esbanjam dinheiro com grandes “cientistas” que provam que o redondo é quadrado.
    Se eles dizem isso, quem somos nós para duvidar?
    .
    Faça o teste que te sugeri.
    Pode fazer também aquele antigo, que eu sugeri há muito tempo, a respeito de médiuns e entidades sobrenaturais.
    Tente convencer algum grande estudioso a fazer uma demonstração de telepatia, ressurreição, milagre (sem que VOCÊ gaste dinheiro com isso).

  80. Marciano Diz:

    A propósito e em tempo:
    Eu levo a sério suas opiniões, Antonio, mas isso não conta, afinal, sua opinião é contrária à do grande Vladimir/merdendisfarçado e quem não concorda com ele, logicamente, está errado.
    Simples assim.

  81. Marciano Diz:

    O que eu e outros vimos sustentando aqui é que, em vez de longas e pseudoeruditas discussões acadêmicas, façamos uma experienciazinha prática. Qualquer uma.
    Pode ser uma das sugestões de GORDUCHO ou MONTALVÃO.
    Provar que o círculo é quadrado é fácil, difícil é mostrar um.

  82. Marciano Diz:

    Um hip-hooray para os lunáticos pós-doutorados em ciências ocultas e letras apagadas.

  83. Vladimir Diz:

    Marciano disse: ao Vladimir, também leigo em psiquiatria
    COMENTÁRIO: Ah eu sou leigo em Psiquiatria? rs
    Marciano disse: Entre os médicos, é comum dizerem pejorativamente que psiquiatra não é médico
    COMENTÁRIO: Mas não o fazem por desdém e sim pelo fato de que a Psiquiatria é uma disciplina “estranha” a todas as outras
    disciplinas médicas.
    Infelizmente depois da política antimanicomial implantada pela OMS atraves da figura do Dr.Benedetto, a Psiquiatria se faz menos presente
    a cada dia na clínica médica diária.
    Marciano disse:Dito isto, a psiquiatria é uma bagunça mesmo, você está correto. É mais fácil conseguir uma residência em psiquiatria do que em outras áreas, o que leva muitos preguiçosos a trilhar este caminho, assim como algumas outras residências também.
    COMENTÁRIO: Não sei de onde você tirou essa informação, mas posso lhe assegurar que essa não é prática nem na Unicamp, tampouco na Unifesp.
    Marciano disse: Os psiquiatras, apesar da CID e do DSM, não se acertam em seus diagnósticos, mas, para ser honesto, os demais especialistas não ficam muito atrás em termos de diagnósticos errados e divergentes.
    COMENTÁRIO: A Medicina apesar de baseada em evid?ncias não é uma Ciência Exata tal qual a Engenharia, de modo que existem erros na interpretação dos sintomas
    e consequentemente no diagnótico.
    Entretanto se você for a 10 médicos, não necessariamente terá 10 diagnósticos diferentes.
    Por isso é tão importante (algo que não é valorizado no Brasil) que se tenha um “Médico de Familia” ou pelo menos um acompanhamento do histórico
    do paciente ao longo de sua vida.
    Aqui nesse Pais infelizmente a Medicina não é preventiva, não há atenção a Saúde Básica e todo o atendimento a população é concetrado nas Emergências das
    UPAs e Hospitais.
    Não me surpreende a variabilidade de diagnósticos.
    Além do mais na Psiquiatria, sequer temos atendimento ambulatorial, então dá para imaginar a situação caótica em que vivemos
    Marciano disse: nvente alguns sintomas inespecíficos, vá a 10 médicos diferentes, a cada um diga que é a primeira consulta, e veja. Eles vão te indicar os mais diferentes exames laboratoriais, sugerir os mais variados diagnósticos, e não vão acertar. Talvez algum deles perceba que você não tem nada, aí vai dizer que seus sintomas são “psicológicos”
    COMENTÁRIO: Nenhum médico te diria que são “sintomas psicológicos”, mas um bom psiquiatria talvez te diria que você tem a Sindrome de Munchhausen rs
    Marciano disse: ou que é uma “virose”
    COMENTÁRIO: Vamos desmistificar de uma vez por todas esse caso da “virose”.
    Quando um médico diz a um paciente que apresenta um quadro agudo de sintomas inespecíficos como vomitos, diarréia, e febre (sem maiores complicações)
    e diz a ele que ele tem “virose” ele o faz justamente porque é isso que o paciente tem.
    Ou seja uma infecção instestinal autolimitada, de resolução espotânea, e curta duração causada por algum patógeno específico.
    Entretanto dada a diversidade das etiologias possíveis, e o tempo (e o custo também) que levaria para identificar esse agente causador, não compensaria
    a análise.
    Quando tivessemos o diagnótico, o paciente já estaria plenamente recuperado.
    Por isso o médico diz que o paciente tem uma “virose”.
    Marciano disse: Dependendo dos sintomas, se você tiver realmente algum, ainda que provocado por você mesmo, não duvide de que alguns deles te receitarão algum corticoide, mesmo você não apresentando nenhum sinal de doença autoimune
    COMENTÁRIO: Não Sr.
    Nenhum médico em sã consciência iria receitar um corticoesteróide de uso interno em uma emergência médica onde um paciente apresenta pródromos.
    Isso seria passível de um processo inclusive.
    Se um paciente apresenta vomitos, febre e diarréia, a conduta médica adequada é administrar fluidos para hidratar o paciente, e medicamentos para o controle dos sintomas como dipirona, metoclopramida, buscopan, ranitidina e etc.
    Corticoesteróides só são receitados em casos muito específicos e de preferência por um especialista capacitado pra isso.
    Marciano disse: É porque, dependendo dos sintomas, quando você usa um corticoide os anticorpos deixam de fazer seu trabalho e você tem uma aparente “melhora”, o que o leva a dizer que do doutor fulano é o cara.
    COMENTÁRIO: Isso é relativo, se você tiver uma infecção e fizer uso de corticoesteróides, você vai amaldiçoar o seu Médico rs
    Marciano disse: Além disso, a maioria das doenças no curso da vida têm remissão espontânea
    COMENTÁRIO: Não confunda “remissão espontânea” com “resolução espontânea”.

  84. Vladimir Diz:

    Marciano disse:
    Algumas perguntas não respondidas por Vladimir e outras considerações não comentadas por ele
    COMENTÁRIO: Vamos lá…
    1- Como a gente faz para seguir a verdadeira religião, se existem e já existiram tantas e se, talvez, a única verdadeira ainda esteja para ser criada, já que o não falta é criação de religiões todos os dias?
    COMENTÁRIO: Já lhe respondi e repito o que um Rabino me disse certa vez: A Verdadeira religião é aquele que te aproxima de Deus.
    2-Todas as religiões atuais e as já extintas sempre foram prodigiosas em produzir milagres a três por quatro. Só não conseguem produzir dinheiro. Para isso, precisam de doações de dinheiro bem material, dado por pessoas de carne e osso.
    Não se multiplicam mais pães e peixes para os famintos. A moda agora é pedir doações em dinheiro mesmo, ou coisa que nele se converta.
    Não chove mais maná dos céus, agora recolhe-se dinheiro para caridade (não é uma indagação, mas seria interessante ver o pensamento vladimiriano sobre o assunto).
    COMENTÁRIO: Na época de Jesus ( e por muito tempo depois) consideravam um sujeito com Epilepsia como que possuído por Demônios.
    Hoje ninguém diria isso de um epilético rs
    É preciso definir o que seriam esses “milagres”, pois penso que a maioria dos “milagres” nada mais eram do que superstição em torno de problemas que os povos
    de outrora desconheciam as causas.
    E é evidente que alguns são mitos que compõe a estrutura de determinada religião, ou erros de interpretação dos textos religiosos.
    Você não acreditar qu Joseph Smith encontrou as “placas de ouro” não é mesmo?
    Ou então que Moshe ficou 40 anos num deserto?
    Ou então que Jesus ressuscitou no terceiro dia?
    Todos esses exemplos são mitos, mas que possuem um significado oculto maior, que pode levar a um equívoco de interpretação de for considerado de modo literal.
    3- A “ressureição”, seja lá de quem for, é um fato cientificamente impossível, o que pode ser falseável facilmente, bastando que alguém vá a um cemitério e ressuscite algum lázaro ou alguma thalita (menina).
    Isto não depende de materialismo metódico ou o que seja, depende apenas de bom senso.
    COMENTÁRIO: A ressureição é um “mito” que possui um significado oculto mais profundo, não pode ser levado ao “pé da letra”, conforme eu expliquei anteriormente.
    Ressureição é o VITRIOL.
    4- Os religiosos, sejam católicos, chiquistas, kardecistas, budistas, muçulmanos, judeus, esquecem-se facilmente da fraternidade, da humildade, do perdão pregado por suas crenças multifragmentadas para virarem feras quando alguém se atreve a não acreditar em alguma de suas impossíveis e inconciliáveis (entre si) crenças.
    COMENTÁRIO: Discordo plenamente.
    Não me importo de você não acreditar naquilo que eu acredito, o que me enfurece é quando você começa a escarnecer da religião alheia.
    Tenho Direito a minha crença e ela deve ser respeitada.
    4-b Se o tal jesus tivesse existido e se fosse algum espírito que ainda existe, facilmente perdoaria setenta vezes sete vezes qualquer coisa que eu afirmo, pois diria ao pai que eu não sei o que faço, mesmo que o que eu fizesse fosse torturá-lo e depois matá-lo.
    COMENTÁRIO: O Jesus histórico existiu, o Cristo não.
    5- O livro HDMA é tão útil quanto o livro de Mórmon ou o Corão. Ou quanto à bíblia, seja ela protestante ou católica.
    COMENTÁRIO: Eu diria que é menos útil rs
    6-Qualquer pessoa por demais insignificante e marginal que tenha existido HDMA sem deixar traços é tão real quanto o Dr. Mabuse
    COMENTÁRIO: Sem deixar nenhum traço histórico, com certeza.
    7- As menções de Flavio Josepho foram grosseiramente falsificadas e interpoladas, conforme sobejamente demonstrado por vários estudiosos do assunto.
    COMENTÁRIO: Sim, elas foram. Porém a despeito das interpolações feitas pelos copistas cristão, foi possível extrair a veracidade daquilo que lá estava.
    Eu já lhe disse que a exist?ncia do Jesus Histórico não é questionada pela Historiografia Tradicional.
    8- Quem foram os mentirosos que diziam que ele se exibia caminhando sobre as águas, acalmando mar onde a geografia diz que eles não existem, multiplicando peixes e pães vindos da quinta dimensão, ressuscitando mortos decompostos como lázaro (morto há quatro dias, naquela região e já fedendo, como consta da bíblia)?
    COMENTÁRIO: Não são mentiras, são mitos com um significado oculto. Sem as “chaves” corretas para entender esse significado, você certamente ficará perdido.
    9- Qual a necessidade de a ICAR repetir essas mentiras?
    COMENTÁRIO: Vide a resposta acima
    10 – Ou será tudo verdade, só que hoje em dia milagres são proibidos?
    COMENTÁRIO: Verdade enquanto um Mito com um significado oculto.
    11- Será que daqui HDMA vai haver uma centena de milhares de religiões parecidas, descendentes do mesmo tronco, afirmando que a médium do algodão ou o João de Deus faziam milagres na época atual?
    COMENTÁRIO: Duvido muito…
    12- Se jesus foi uma pessoa comum e o cristianismo foi criado por Paulo (não deixa de haver alguma verdade nessa afirmação), por que o culto a jesus?
    COMENTÁRIO: Por conta de toda a Mitologia instituída por Paulo em torno disso.
    13 – Por que a igrejas cristãs não falam sobre o jesus histórico, em vez de exaltarem o milagroso?
    COMENTÁRIO: Porque a função da Religião não é intelectual e sim Mistica.
    O objetivo desde o Xamanismo Ancestral é o extase em conexão com o Divino.
    Veja o extase que tem um xamã fazendo uso de Ayahuasca, um vodun “virado no santo” e um evangélico recebendo o “Espirito Santo”.
    14 – Se jesus foi apenas uma pessoa sem importância, se o cristianismo não foi inventado por ele, qual a importância do jesus histórico?
    COMENTÁRIO: Jesus não foi alguém sem importância, ele teve uma relevância histórica sim (como o próprio JCFF demonstrou e diversos outros pesquisadores) entretanto
    ele não foi o fundador do Cristianismo. De modo algum.
    Entretanto é curioso investigar a pessoa por trás do “mito”.

  85. Vladimir Diz:

    Marciano, até o presente momento não lhe dirige nenhum “xingamento” entretanto você insiste em me chamar de “merden”.
    Se continuar, com isso vou pedir a intervenção do Sr.Administrador.

  86. Marciano Diz:

    Vladimir, se você não é o merden, esqueça o que eu disse. Se é, azar o seu.
    Seu estilo se parece muito com o dele e não sou só eu quem acha.
    Cheguei a duvidar de mim mesmo quando você disse não dar a mínima para o RC, até parecendo não perceber do que se tratava.
    Como não adivinho, de duas, uma:
    Se você é o merden, dane-se!
    Se não é, desculpe-me.
    Agora, se for, tenha a coragem de admitir.
    Se não for, esqueça qualquer referência ao marden/merden.

  87. Vladimir Diz:

    Quem é Merden???
    A respeito do RC você está falando sobre Racionalismo Cristão?
    Eu já disse e repito eu não conheço essa corrente, e pelo que eu li na internet não vi nada de interessante.
    Eu sou Ocultista, Cabalista e Hermetista (ou melhor estudante dessas disciplinas).
    Acaso esse “Merden” estuda isso?
    Ele é Maçon do Real Arco de Jerusalém?

  88. Gorducho Diz:

    Analista Влади́мир, segundo sua tese – e particularizando p/o caso de “Jesus” de forma a dar um caráter mais concreto à coisa – os “milagres” não seriam mentiras, but just mitos com um significado oculto.
    Agora deve convir que a maioria dos cristãos de fato crentes – inclusive o Kardec mostrando quão pouco inteligente ele era… – acreditam piamente que esses fatos ocorreram.
    Então: qual seria o propósito de quem os colocou no papel (i.e. os redatores das Escrituras)?
    Seriam mitos com um significado que não será percebido pelos leitores…
    Qual é o sentido disso no ponto de vista de quem os colocou no papel. Pois que segundo entendo do seu pensamento, não seria intenção dos redatores simplesmente enganar os leitores de formas a adquirir Fiéis…

  89. Gorducho Diz:

    A Administração corrigiu o erro do interpretador na renderização do acento!
    Como fê-lo, Sr. Administrador?

  90. Vitor Diz:

    Eu não fiz nada. Aparentemente consertou sozinho. Não sei como.

  91. Marciano Diz:

    Vladimir, você é mesmo um cara estranho!
    Tem horas em que parece o marden/merden, praga que assolou o blog com um indisfarçável proselitismo ao RC, o que levou à sua expulsão.
    Agora fala como médico.
    Vou acreditar, provisoriamente, que não seja adepto do RC e que não seja o merden.
    Você deve ser mais um dos agentes secretos que andam pelo blog, que não dizem quem são ou qual sua profissão.
    Admitamos que seja médico.
    .
    “Marciano disse: Dependendo dos sintomas, se você tiver realmente algum, ainda que provocado por você mesmo, não duvide de que alguns deles te receitarão algum corticoide, mesmo você não apresentando nenhum sinal de doença autoimune
    COMENTÁRIO DE VLADIMIR PUTIN: Não Sr.
    Nenhum médico em sã consciência iria receitar um corticoesteróide de uso interno em uma emergência médica onde um paciente apresenta pródromos.
    Isso seria passível de um processo inclusive”.

    .
    .
    COMENTÁRIO MEU:
    Tive dengue, certa vez (comprovada APÓS a cura, com exames pertinentes, não é adivinhação). Com um quadro em que até eu, como leigo, acreditava (e era) fosse de dengue, procurei uma médica, a qual me receitou uma prednisona da vida, medicamento que, evidentemente, não administrei. Não a processei por isso (levaria anos para tomar uma grana dela e eu não preciso de dinheiro nem sou oportunista, além do mais, ela é minha amiga).
    Fiquei foi p da vida!
    Fiz hidratação por conta própria, repousei o que pude, fiquei bom, constatei laboratorialmente que era mesmo dengue.
    Ainda dizem que os pacientes não devem se automedicar.
    .
    .
    Você é medico? É psiquiatra?
    Se for, por que não admite?
    Tem vergonha de ser um psiquiatra que acredita em coisas estranhas e irreais?
    Se é psiquiatra, sabe muito melhor do que eu que não precisa de ser louco para acreditar em coisas estranhas, no entanto, um psiquiatra tem vantagens na identificação de ilusões religiosas.
    .
    .
    Agora suas respostas.
    .
    .
    COMENTÁRIO DE VLAD HERZOG:
    “Já lhe respondi e repito o que um Rabino me disse certa vez: A Verdadeira religião é aquele que te aproxima de Deus”.
    .
    COMENTÁRIO MEU:
    Isto é lá resposta que se apresente?!
    Primeiro você deve provar que existem divindades, depois, provar a existência dessa em particular, que você chama de deus, depois provar que alguma conduta religiosa possa aproximá-lo desse ser imaginário que você pensou ter provado que existia. E tudo isso para quê? Para ficar perto de deus? Se fosse uma deusa, ainda vá lá que fosse…
    .
    .
    VLADIMIR:
    “É preciso definir o que seriam esses “milagres”, pois penso que a maioria dos “milagres” nada mais eram do que superstição em torno de problemas que os povos
    de outrora desconheciam as causas”.
    .
    .
    COMENTÁRIO MEU: Resposta evasiva. jesus caminhava sobre águas não congeladas sem afundar, acalmava mares inexistentes, multiplicava pães, ressuscitava pessoas mortas e enterradas há quatro dias, simulava a própria morte e ressuscitava três dias depois, acordava thalitas que estavam mortas.
    Como explicar essas mentiras bíblicas?
    Isso pra ficar só no jesus, sem precisar mandar parar um Sol que tem um movimento aparente em volta da Terra, para prolongar o dia e a batalha (não sabiam que era a Terra que girava; quando descobriram, o fato virou mito simbólico) etc. e tal.
    Algum erro explica essas aberrações contidas na bíblia?
    Joseph Smith era um cara-de-pau. Ele não criou mito nenhum. Garantiu que o moroni fez e desfez a mágica. Isso tem pouquíssimo tempo, não dá pra esfumaçar.
    Tudo isso era para ser entendido de modo literal. Só virou mito simbólico depois que todos viram que era impossível. Não é isso que psiquiatras e psicólogos chamam de racionalização?
    .
    .
    VLAD: “Tenho Direito a minha crença e ela deve ser respeitada”.
    .
    COMENTÁRIO: Teoricamente, você tem razão, mas se eu conseguisse tirar essas ideias escalafobéticas de sua cabeça, seria uma caridade que eu lhe faria. Talvez algum dia você me agradeça.
    E o escárnio é uma maneira de dar uma “sacudida” na pessoa que anda perdida em devaneios.
    .
    .
    VLAD:
    “O Jesus histórico existiu, o Cristo não”.
    .
    .
    COMENTÁRIO:
    Não há provas. As falsificações existentes só convencem quem quer ser convencido. Vale o mesmo para krishna, budha, maomé, moisés, etc. Todos imaginários. Nenhum deixou vestígios.
    Existe farta literatura a respeito.
    Nem vale a pena ficarmos citando livros.
    .
    .
    MARCIANO:
    “O livro HDMA é tão útil quanto o livro de Mórmon ou o Corão. Ou quanto à bíblia, seja ela protestante ou católica.
    COMENTÁRIO DE VLAD TEPES: Eu diria que é menos útil rs”.
    .
    .
    COMENTÁRIO:
    Aí é que você se engana! A utilidade do livro de mórmon e do corão são iguais a zero. HDMA também, não existe utilidade negativa. Não pode ser -1, -3, etc. Então, são igualmente inúteis, q.e.d.
    .
    .
    MARCIANÓCRATES (o nome foi uma brincadeira dos bästa vän (best friends in Swedish) Montalvão e G Grassouillet, do qual gostei e que deve ter sido retribuição por eu ter criado o médium G Grassouillet):
    “Qualquer pessoa por demais insignificante e marginal que tenha existido HDMA sem deixar traços é tão real quanto o Dr. Mabuse.
    .

    COMENTÁRIO DO PRÍNCIPE DA VALÁQUIA: Sem deixar nenhum traço histórico, com certeza”.
    .
    MEU COMENTÁRIO:
    E FG não deixou qualquer traço, os pouquíssimos que existem foram inventados, mas já falamos sobre isso.
    Vou pular as demais menções a esse assunto maçante, para evitar repetições inúteis.
    .
    .
    MARTIANUS (coisa do sábio Toffo e do MRH, que infelizmente andam ausentes daqui):
    “Quem foram os mentirosos que diziam que ele se exibia caminhando sobre as águas, acalmando mar onde a geografia diz que eles não existem, multiplicando peixes e pães vindos da quinta dimensão, ressuscitando mortos decompostos como lázaro (morto há quatro dias, naquela região e já fedendo, como consta da bíblia)?

    COMENTÁRIO DE VLAD DRACUL(ya): Não são mentiras, são mitos com um significado oculto. Sem as “chaves” corretas para entender esse significado, você certamente ficará perdido”.
    .
    COMENTÁRIO MEU:
    Idem, ibidem. Você insiste em significados “ocultos”. Que diabo de psiquiatra é você?
    Com todo o respeito, doutor…
    Apelar para chaves é de lascar! Desvende o segredo, s’il te plait.
    .
    .
    HOMEM DE MARTE (esse, não me lembro quem foi):
    “Qual a necessidade de a ICAR repetir essas mentiras?
    .

    COMENTÁRIO DO VAMPIRO DA NOITE, O EMPALADOR: Vide a resposta acima”.
    .
    .
    COMENTÁRIO DE DEMORTE (coisas do, infelizmente também sumido, Arduin, que põe apelidos engraçados em todo mundo):
    Nem a ICAR nem qualquer outra igreja cristã fala em significados ocultos ou mitos. Assista a uma missa ou a um culto protestante, se não acredita.
    Eles até dizem que a farinha de trigo vira o corpo de FG “de verdade” na hora da comunhão. É a transubstanciação.
    .
    .
    HOMEM VERDE QUE NÃO É O HULK (essa foi minha mesmo):
    “Será que daqui HDMA vai haver uma centena de milhares de religiões parecidas, descendentes do mesmo tronco, afirmando que a médium do algodão ou o João de Deus faziam milagres na época atual?
    .

    COMENTÁRIO DO PRÍNCIPE DAS TREVAS (príncipe das trevas não é insulto, você é muito suscetível para um psiquiatra; não vê que estou brincando com o seu – talvez – pseudônimo?:
    Duvido muito…
    .
    .
    COMENTÁRIO MEU:
    Eu também duvido, no caso desses dois, mas que várias outras religiões respeitáveis surgirão, baseadas em mitos do passado, não tenho a menor dúvida. Pena que não temos uma máquina do tempo…
    .
    .
    MAN FROM MARS (estou ficando sem imaginação, VLAD quer toda ela para si):
    “Por que a igrejas cristãs não falam sobre o jesus histórico, em vez de exaltarem o milagroso?
    COMENTÁRIO DO UNDEAD NOSFERATU: Porque a função da Religião não é intelectual e sim Mistica.
    O objetivo desde o Xamanismo Ancestral é o extase em conexão com o Divino.
    Veja o extase que tem um xamã fazendo uso de Ayahuasca, um vodun “virado no santo” e um evangélico recebendo o “Espirito Santo”.
    .
    .
    COMENTÁRIO MEU:
    Tá me parecendo que a função das religiões é a de enganar os que querem ser enganados, pilhando-os de seu rico dindin.
    Drogas alucinógenas, legais ou ilegais, estados alterados de consciência devidos a crenças estranhas, etc., não servem de prova alguma.

    .
    .
    ME, MYSELF, EU MESMO:
    “Se jesus foi apenas uma pessoa sem importância, se o cristianismo não foi inventado por ele, qual a importância do jesus histórico?
    .

    COMENTÁRIO TRANSILVÂNICO:
    “Jesus não foi alguém sem importância, ele teve uma relevância histórica sim (como o próprio JCFF demonstrou e diversos outros pesquisadores) entretanto
    ele não foi o fundador do Cristianismo. De modo algum.
    Entretanto é curioso investigar a pessoa por trás do “mito”.
    .
    COMENTÁRIO MEU:
    Eu já investiguei quod suffit para convencer-me de que FG é igualzinho ao do cinema, aquele do papel do Tom Hanks. O que já li a respeito é o quantum satis.
    .
    .
    .
    1. Gorducho Diz:
    dezembro 16th, 2014 às 7:45 PM
    A Administração corrigiu o erro do interpretador na renderização do acento!
    Como fê-lo, Sr. Administrador?
    2. Vitor Diz:
    dezembro 16th, 2014 às 7:52 PM
    Eu não fiz nada. Aparentemente consertou sozinho. Não sei como.
    .
    .
    .
    Coisas estranhas acontecem neste blog.

  92. Phelippe Diz:

    KKKKKKKKKKKK, a coisa tá pegando fogo por aqui, bom, excelente!!! Poderia ficar melhor com mais CX, Divaldo e cia. Videntes da rádio mundial tb valem (lembrando q vários deles se apresentaram no programa do sbt e alguns eu conheço pessoalmente). Sigo acompanhando.

  93. Phelippe Diz:

    E JC não existiu, lenda, nada mais. E o deus do antigo testamento se parece mais com um et. A glória dele vinha do céu, pousava no tabernáculo, falava através da arca da aliança, exigia ouro, azeite, farinha, sangue (o q um deus faria com tais coisas? um deus precisa disso?), esse deus descia a terra e falava com os humanos, praticava atrocidades etc. Maluquices, só isso. Não preciso desse deus.

  94. Marciano Diz:

    Phellipe, seu herege!
    Todas essas coisas de que você falou são simbólicas. Quando você atingir o grau de grande inspetor geral, terá as chaves que servirão para desvendar os mitos escondidos nessas passagens bíblicas, todas escolhidas arbitrariamente e adulteradas ad libitum durante séculos.
    A salvação não é para qualquer um, só para os escolhidos.
    Eu, Antonio, Gorducho, etc., já garantimos nosso lugar no inferno. Se quiser se divertir depois da morte, ainda tem um lote perto do meu, pertinhos das caldeiras infernais.
    Se for bobo o bastante para querer ir para o céu, vá para o deus que o carregue!

  95. Phelippe Diz:

    kkkkkkkkkkkkkk

  96. Vladimir Diz:

    Gorducho disse: Então: qual seria o propósito de quem os colocou no papel (i.e. os redatores das Escrituras)?
    Seriam mitos com um significado que não será percebido pelos leitores…
    Qual é o sentido disso no ponto de vista de quem os colocou no papel. Pois que segundo entendo do seu pensamento, não seria intenção dos redatores simplesmente enganar os leitores de formas a adquirir Fiéis…
    COMENTÁRIO: Eu penso o seguinte:
    Toda as Religiões tem o seu lado Exotérico e o Esotérico.
    Ou seja aquele que é aberto ao público e aquele que somente os iniciados tem acesso.
    Por exemplo: No Islamismo (exotérico) temos o Sufismo (esotérico), no Judaísmo (exotérico) temos a Cabalá (esotérico),
    no Cristianismo(exotérico) temos o Gnosticismo (esotérico, não confundir com a Gnose do Samael Aun Weor),
    no Hinduismo(exotérico) temos a Yoga(esotérico), no Budismo(exotérico) temos o Tantra(Esotérico) e etc.
    São vias de acesso a Espiritualidade.
    A maioria das pessoas, só conhece (ou prefere) o Exotérico.
    São pouco aqueles que querem (ou podem) se dedicar ao estudo daquilo que é Esotérico.
    Até mesmo o Catolicismo tem o seu lado Esotérico, basta ver os escritos de São joão da Cruz, Santa Teresa D’Avila, ou os Exercícios Espirituais
    de Santo Inácio de Loyola.
    O sentido de tudo isso é ter uma minoria preparada para guiar o resto da multidão.
    Geralmente o acesso ao Esotérico é muito mais arduo, muito mais demorado e penoso, do que o Exotérico.
    Justamente para separar o joio do trigo.
    Aqueles que verdadeiramente querem adentrar ao Circulo Interno.

  97. Vladimir Diz:

    Marciano disse: Tem horas em que parece o marden/merden, praga que assolou o blog com um indisfarçável proselitismo ao RC, o que levou à sua expulsão.
    COMENTÁRIO: Pode ficar tranquilo, como eu disse eu não conheço essa corrente do Espiritismo, e tampouco faria proselitismo disso.
    Para ser honesto o que eu conheço nessa área Espirita, além do próprio Kardecismo, é a Apometria (do Dr.Lacerda) e a Projeciologia (do Dr.Waldo Vieira).
    Confesso que conheço pouco também, mas sobre o que eu li dessas disciplinas eu achei interessante mas preciso me aprofundar, porém estou sem tempo no momento.
    Atualmente meu foco de estudo são as NDE, e a OBE.
    Marciano disse: Agora fala como médico.
    COMENTÁRIO: Eu sou Médico Psiquiatra, só não fico falando sobre isso, pensei que já tivesse percebido
    Marciano disse: Tive dengue, certa vez (comprovada APÓS a cura, com exames pertinentes, não é adivinhação). Com um quadro em que até eu, como leigo, acreditava (e era) fosse de dengue, procurei uma médica, a qual me receitou uma prednisona da vida,
    COMENTÁRIO: Fico deveras preocupado em saber disso. O Diagnóstico do Dengue é eminentemente clínico e facilmente diferenciável de uma “virose” pelos exames laboratoriais
    como um simples Hemograma, pois o Dengue geralmente cursa com Plaquetopenia e Leucopenia (baixa de plaquetas, e leucócitos) já nos primeiros dias dos sintomas.
    É por isso que por padrão (pelo menos hoje é assim, mas faz anos que não trabalho no SUS) sempre que um paciente chega com sintomas de Dengue é solicitado
    um Hemograma, justamente para descartar (ou comprovar) o diagnóstico, como também diferenciar uma “virose” de uma infecção bacteriana mais séria por exemplo (o que causaria uma Leucocitose)
    Marciano disse: Ainda dizem que os pacientes não devem se automedicar
    COMENTÁRIO: Não deve mesmo, pois um simples AAS (e não só ele) em um caso de Dengue pode gerar vários problemas…
    Marciano disse:Tem vergonha de ser um psiquiatra que acredita em coisas estranhas e irreais?
    COMENTÁRIO: De modo algum, conheço muitos Médicos (e não somente Psiquiatras, mas também eles) que possuem uma Religião e acreditam no Sobrenatural.
    Essa visão de que o Médico é Ateu e Materialista eu diria que é uma visão romântica da Medicina.
    Você tem tantos Médicos Ateus, quanto Juízes, Advogados, ou Professores.
    A Medicina não é uma Ciência Exata, ainda que seja baseada em Evidências.
    Marciano disse: Se é psiquiatra, sabe muito melhor do que eu que não precisa de ser louco para acreditar em coisas estranhas, no entanto, um psiquiatra tem vantagens na identificação de ilusões religiosas
    COMENTÁRIO: Para ser honesto eu não me recordo de ter visto em meus 20 anos de profissão, tantos casos de “delirios religiosos”.
    Aliás na prática da Psiquiatria é muito dificil você encontrar uma pessoa que tenha alucinações visuais.
    Eu particularmente sou especializado em dependência quimica, então o que eu mais trato são pessoas com esse tipo de psicopatologia,
    nunca tive um paciente esquizofrênico por exemplo
    Mas já vi sim, principalmente na Residência Médica esse tipo de paciente.
    Enfim.

  98. Vladimir Diz:

    Marciano disse:
    Isto é lá resposta que se apresente?
    COMENTÁRIO: Para mim fez/faz muito sentido.
    Marciano disse: Primeiro você deve provar que existem divindades, depois, provar a existência dessa em particular, que você chama de deus, depois provar que alguma conduta religiosa possa aproximá-lo desse ser imaginário que você pensou ter provado que existia. E tudo isso para quê? Para ficar perto de deus? Se fosse uma deusa, ainda vá lá que fosse…
    COMENTÁRIO: De Morte, parou tudo rs.
    Já te disse e repito não se coloca “Deus em um tubo de ensaio”.
    A Religião não é para os Ateus, ou para os céticos.
    Ela é para aqueles que acreditam.
    Você se sente bem sem religião? Bom para você.
    Talvez um Montecristo nº 4 e um copo de Glenfiddich te façam bem (a mim também rs) porém para determinado indivíduo
    isso não satisfaz.
    Para esse individuo a Religião serve como apoio psicológico, emocional.
    É verdade que Freud, Reich, e muitos teóricos da Psicanálise consideravam tudo isso uma bobagem, mas e daí.
    Perls praticamente fundou uma “religião” com as Comunidades Gestalticas, Rogers também não era contra.
    E William James então? Jung?
    Religão é uma decisão de Foro Íntimo e pessoal nada mais.
    Nesse aspecto estou com o Wlliam James, se a religião faz bem ao cidadão, se traz qualidade de vida, que mal há?
    Conheço diversas clinicas de tratamento para dependência quimica que são mantidas por Entidades Religiosas (principalmente evangélicas).
    Nem que eu fosse Ateu, não seria contra a Religião, pois ela tem um papel social muito importante, tanto no aspecto da formação cultural humana,
    quanto das entidades religiosas.
    O que seriam as Santas Casas, sem a Igreja?
    Ou os Educandários Espíritas?
    As Universidade Católicas, Protestantes, Adventistas…
    Enfim são tantos exemplos.
    Marciano disse: jesus caminhava sobre águas não congeladas sem afundar, acalmava mares inexistentes, multiplicava pães, ressuscitava pessoas mortas e enterradas há quatro dias, simulava a própria morte e ressuscitava três dias depois, acordava thalitas que estavam mortas.
    Como explicar essas mentiras bíblicas?
    COMENTÁRIO: Já lhe disse que são “mitos” que possuem um significado Oculto.
    Se tiver as “chaves” corretas, você entende esse significado, caso contrário vai interpretar de modo literal.
    Vide a resposta que eu dei ao Gorducho.
    Marciano disse: Teoricamente, você tem razão
    COMENTÁRIO: Teoricamente não Sr. Nosso estado é laico mas não laicista. De morte, você é Comunista? Stalinista?
    Apóia a Revolução Cultural Chinesa algo assim?
    Pois eu acho incrível a sua intransigência em relação aos valores da nossa sociedade democrática.
    Marciano disse: Não há provas. As falsificações existentes só convencem quem quer ser convencido.
    COMENTÁRIO: Há provas sim Sr. Vou fazer uma pesquisa e no próximo comentário eu trarei.
    Marciano disse: Que diabo de psiquiatra é você? Com todo o respeito, doutor Apelar para chaves é de lascar
    COMENTÁRIO: Marciano você já esteve em uma Loja Maçônica, não ? Pois bem.
    Em algumas Lojas por exemplo você vai encontrar um Pelicano na entrada da Loja, você encontrá na área central da Loja o piso Branco e Preto, bem como as colunas J e B, o Esquadro, o Compasso enfim.
    Para um não iniciado, esses simbolos não fazem o menor sentido, entretanto nós maçons conhecemos (ou pelo menos deveriamos) o significado oculto deles e o real sentido que eles tem para nós.
    O entendimento disso são as “Chaves” que eu te falei.
    Marciano disse: Nem a ICAR nem qualquer outra igreja cristã fala em significados ocultos ou mitos. Assista a uma missa ou a um culto protestante, se não acredita.
    COMENTÁRIO: Vide a resposta que eu dei ao Gorducho
    Marciano disse: Tá me parecendo que a função das religiões é a de enganar os que querem ser enganados, pilhando-os de seu rico dindin.
    COMENTÁRIO: Bom nem todas as religiões “exploram” seus fiéis, aliás muitas inclusive ajudam, agora é evidente que temos uma IURD, um Igreja Mundial e etc.
    Drogas alucinógenas, legais ou ilegais, estados alterados de consciência devidos a crenças estranhas, etc., não servem de prova alguma.
    COMENTÁRIO: Cientificamente não prova mesmo, nem deveria, se assim o fosse não seria religião, seria Ciência. Mas para aquele que vivencia o extase,
    prova com certeza.

  99. Marciano Diz:

    Ufa, que alívio que você não é o merden!
    .
    Seja mais modesto, não escreva sua profissão com iniciais maiúsculas. Veja que eu digo advogado, juiz, promotor, policial, contador, tudo com minúsculas.
    Profissão é apenas uma ocupação que nos dá o sustento (e às vezes alguma diversão).
    Agora entendo porque ficou agastado com Antonio.
    .
    Eu não tinha percebido que é psiquiatra, pensei que fosse louco (brincadeirinha pra relaxar, Vlad).
    .
    Eu conheço vários médicos crentes em alguma religião, mas confesso que não conheço nenhum psiquiatra. Pensava que eles (vocês, perdão) fossem mais céticos, justamente por conhecerem os mecanismos da mente humana. Estão com a faca e o queijo na mão.
    De boa, Vlad, você está perdendo tempo estudando essas coisas. Se fosse por puro deleite intelectual, eu entenderia.
    Tomara que um dia você entenda.
    .
    Eu também sou meio louco (quem não for, atire a primeira pedra). Quando eu tiver uma crise, vou te pedir conselhos.
    Sabia que eu preencho alguns (poucos) requisitos para o diagnóstico de transtorno de despersonalização?
    Já falei disso aqui.
    O pior é que eu acho que isto é que é a realidade. Todos somos ensinados a desempenhar papéis. Quando estranhamos aquilo em que nos transformaram, não estamos despersonalizados, muito menos loucos. Estamos é nos livrando da hipnose coletiva, descobrindo o verdadeiro eu.
    Falamos disso outro dia, se você topar.
    Não como médico/paciente, tá? Nem como colegas, não sou médico. Só como pessoas que querem se entender.
    .
    Você acha que Jeanne D’Arc era esquizofrênica? Que parecia, pela descrição atual, parecia. Ouvia vozes (de santos) que lhe davam ordens (missão importante), tinha visões.
    Deve ter sido usada pelos espertalhões de então.
    Outro assunto para conversarmos outro dia.
    .
    Você, que é especializado em dependência química, fique sabendo que detesto drogas e drogados (com exceção do álcool, em doses moderadas – é perfeitamente legal). Nasci com insônia, nunca consegui dormir direito, atualmente tomo maleato de midazolam ou hemitartarato de zolpidem misturados com álcool (whisky ou vinho) e, veja bem, E, com alprazolam, bromazepan, etc. Isto mesmo! Misturo hipnóticos com ansiolíticos e álcool.
    Devido à maldita taquifilaxia, de vez em quando tenho de fazer um detox. Aí passo temporariamente a acreditar em inferno.
    .

    Glendiddich 12 anos é um dos meus prediletos, por ser single malt. Gosto de Kardhu também. Isso não impede que eu tome uns blended dos bons. Tomo até bourbons duplamente filtrados, como Gentleman Jack.
    Os single malt não têm surpresas.
    Tô começando a gostar de você, VLAD. Se descobrir que tu és o merden e me enganaste, te mato (não se preocupe, mesmo que seja ele, e agora acho que não é, estou só brincando).
    .
    Religiões têm prós e contras. Você só vê os prós. Veja o lado da violência, da enganação, da exploração econômica, da ânsia pelo poder. Esse lado pesa mais.
    .
    Vlad, eu sou o mais ferrenho anti-comunista que você já conheceu. Comunista não existe, o que existe são comunistas caviar, que gostam de viver às custas da ignorância do povão. Dizem-se comunistas e levam vida burguesa.
    Tu disseste que nunca me xingara. Era verdade. Agora me ofendeste gravemente. Achar que posso ser comunista?!
    Estou começando a ter ódio de você.
    Brincadeirinha, a não ser pelo ódio mortal aos falsos comunistas (não os há de verdade).
    Comunista é pior do que religioso. Tem muito ateu que se passa por religioso para explorar a estupidez de crentes. TODOS os comunistas são burgueses que fingem acreditar em utopias só para viver como nababos à custa de trabalhadores ignorantes e pseudointelectuais.
    .
    Democracia é uma ilusão. Sempre tem um grupo que domina os demais. Cuidado com isso, os comunistas te enganam com essa conversa. Quando se der conta, isso aqui virou Cuba ou Venezuela.
    Tu não és agente infiltrado, és?
    .
    Vlad, pelo amor de deus, não traga mais “provas” da existência do FG histórico. Eu imploro!
    .
    Já estive em lojas maçônicas, mas em cerimônias abertas a profanos.
    Como ateu militante e juramentado, não posso ser maçon, nem quero.
    Eu sei dos maçons ateus, mas aqui não tem disso. Aqui o que predomina é o REAA.
    Qual o seu grau?
    Estás ciente da palavra passada na cadeia da união ou está de quit placet?
    De onde vens?
    .
    Eu conheço o manual dos aprendizes, tenho até foto do frontispício, cheio de símbolos.
    Acho isso uma perda de tempo.
    Sabia que as luzes te enganam durante muito tempo?
    Se ainda não atingiste a plenitude (3), vais ter uma surpresa.
    Se estás nos graus filosóficos, deves saber de muita coisa inútil.
    .
    Você, que é psiquiatra, não deveria ter êxtases religiosos.
    Respeito suas crenças, VLAD, mas acho que nada perderias se te livrasses delas. Muito ao contrário.
    Vou tomar meus veneninhos agora porque daqui a pouco preciso de trabalhar. A vida de não-comunistas é dura. Produzir para ganhar a vida não é fácil. Viver às custas do Estado e da plebe ignara é fácil, mas eu não sou desonesto. Gosto de ganhar o pão de cada dia com o suor do rosto.

  100. Marciano Diz:

    Acho que está na hora de dar um descanso aos meus receptores, VLAD.
    Vai começar o inferno.
    Não fez nenhum efeito até agora.
    Um maleato de midazolam 15mg, um alprazolam 2mg e duas doses triplas de Ballantines Platinum (blended, mas 18 anos – o que importa são os 20 GL) cowboy, como se diz.
    Até agora, nada.
    Konnst du hilfen mich?
    Kan ni hjälpa mig?
    Can you help me?

  101. Marciano Diz:

    Montalvão sugeriu hipnose, mas eu sou refratário.
    O que você acha?
    Sua opinião profissional.
    Neste momento estou com os braços estendidos sobre a cabeça, com as mãos entrelaçadas. Sabe o que significa isto?

  102. Marciano Diz:

    Invertidas, como quem está se espreguiçando. Não é sono, é uma mensagem para você.
    Talvez já seja o efeito dos medicamentos e do álcool.
    Sei lá.
    Talvez sejam os espíritos.

  103. Marciano Diz:

    Com certeza, ISTO é simbólico.

  104. Antonio G. - POA Diz:

    Vladimir, lamento se, indiretamente, o atingi. Foi involuntariamente. Eu nem o conheço. E, se é verdade que você é médico psiquiatra (acho que está blefando), entenda que não é nada pessoal. Mas o fato é que eu penso exatamente o que disse sobre a psiquiatria. Defino como uma pseudociência, que exige pouquíssimo empenho de seus operadores, em especialização e atualização. As técnicas de diagnósticos são baseadas em subjetividades, e não têm embasamento científico. O DSM é uma falácia. Tem muito psiquiatra que admite isto. Melhor nem falar das medicações…
    Pessoalmente, dou tanto crédito à psiquiatria quanto à astrologia, à psicografia, ou à iridologia, por exemplos. A propósito, conheço bem um médico, muito afamado, que é especialista em iridologia. Eu o respeito como pessoa, mas não o respeito como médico, sem entrar no mérito se ele é um farsante ou apenas um tolo. Diploma não tira a tolice de ninguém. De qualquer modo, eu o considero temerário como médico. Bom, o certo é que eu não confiaria a minha saúde mental a um psiquiatra, especialmente se este acreditasse em paranormalidade, espíritos, reencarnação, carma, etc. Se eu estivesse mentalmente enfermo, confuso, com certeza um tratamento à base de crendice só iria me fazer piorar. E como isto ocorre…
    .
    Cientista é aquele que produz conhecimento norteado por metodologia científica. O problema é que se confunde estudioso, pesquisador, especialista, com cientista. Nem sempre são a mesma coisa.
    .
    Não, não sou um sujeito invejoso. Este é um defeito que não tenho. Felizmente, não preciso ter inveja de nada, nem de ninguém. Nada me falta, “graças a deus”… E, acredite, não é um objetivo meu, mas tem muita gente que “me leva a sério”. Mas, isto é outro assunto…

  105. Antonio G. - POA Diz:

    Faltou dizer que não tenho “desdém por profissões alheias”. Essa é uma conclusão precipitada, dissonante com um especialista em comportamento humano. O que não tolero é empulhação. De nenhum tipo.

  106. Gorducho Diz:

    Toda as Religiões tem o seu lado Exotérico e o Esotérico. São pouco aqueles que querem (ou podem) se dedicar ao estudo daquilo que é Esotérico.
    O sentido de tudo isso é ter uma minoria preparada para guiar o resto da multidão.
    Geralmente o acesso ao Esotérico é muito mais árduo, muito mais demorado e penoso, do que o Exotérico.
    Justamente para separar o joio do trigo.
    Aqueles que verdadeiramente querem adentrar ao Circulo Interno.

     
    Este é um Sítio de debates e então por definição respeito sua opinião, Analista Влади́мир mas, não: o rei está mesmo nu.
    Essas histórias foram contadas ou porque o redator achou mesmo que o fato ocorreu – tipo o mago (lembra da classificação do professor aquele?) ter curado alguém – ou para impressionar o ouvinte/leitor (como fez o Kardec ao atribuir a “espíritos” a ideias dos socialistas românticos). Depois. quando fica claro que não colou para os que têm senso crítico, então vem a racionalização, que o Sr. como psiquiatra conhecerá melhor que nós (moi mech. eng.).
    Quanto a vertentes esoteristas dentro das religiões, isso é produto de correntes com essa tendência dentro da respectiva seita – mais místicos que o misticismo médio dos Crentes – e que precisam filtrar tanto para manter um certo padrão de uniformidade, quanto para criar uma reserva de mercado, quanto para poderem sobreviver (no sentido cultural ou mesmo literal dependendo da época e do lugar).
     
    O sentido de tudo isso é ter uma minoria preparada para guiar o resto da multidão.
    Ok, é um projeto de poder então… a la Platão.
     
    Admira-me que o Sr. pudesse cogitar em simpatias comunistas no Analista Marciano o qual é anti-religioso, sendo a Religião Marxista a mais nefasta de todas as 56001 existentes.
    Já apresentei cá várias vezes a equivalência entre ela e o cristianismo. Agora que aparentemente o interpretador foi atualizado, depois tentarei confeccionar uma tabela (minhas tentativas anteriores fracassaram não sei porque…).

  107. Gorducho Diz:

    Voltou o erro na renderização, Sr. Administrador!
    Quão estranho… será mesmo um espírito? :(

  108. Antonio G. - POA Diz:

    Enquanto isto, militantes talibãs invadem um escola no Paquistão e executam, com tiros na cabeça, pelo menos 130 crianças e adolescentes. Mais uma contribuição do fundamentalismo religioso para a humanidade.

  109. Antonio G. - POA Diz:

    Informações mais recentes dão conta de que são 141 os mortos! Deus é mesmo um sujeito muito relapso.

  110. Antonio G. - POA Diz:

    Acho que deus não vai pro céu…

  111. Marciano Diz:

    Antonio, isto aí do iridologista é pinto. Tem médicos e veterinários receitando homeopatia.
    Tomara que não surja algum defensor alegando a história da impressão. Benveniste já foi desmascarado há muito tempo, a Nature se envergonhou (os editores) de ter publicado sua farsa.
    O conceito de ciência é muito elástico. Existem faculdades de “ciências” jurídicas, de “ciências” contábeis. Dependendo ao conceito que se empresta à palavra, até euzinho sou um cientista.
    A polivalência semântica das palavras é fonte de inúmeras discussões estéreis.
    Tome cuidado com certos físicos, “cientistas” de verdade, que falam em contato com civilizações extraterrenas, viagens no tempo. universos multidimensionais, etc. Isso não é muito diferente de religiões.
    Eu já te disse inúmeras vezes que te levo a sério. Até porque te entendo perfeitamente, apesar de nossas descrença terem origens diferentes. Você é ex-crente e eu sou descrente por DNA.
    Eu também não tenho desdém por qualquer profissão ou mesmo ofícios. Isto é coisa de gente que precisa do tratamento mental que você critica. Só gente pequena avalia os outros pela ocupação profissional, desde que esta seja séria.
    Pode ser até algum lixeiro, do alto de sua vassoura, como disse o estúpido Casoy.
    .
    Gorducho, o rei está mesmo nu, mas você precisa ser uma criança sincera, que não acredita que tem de fingir que ele está vestido com roupas que só os esotéricos conseguem ver, para não ser constrangido pelos demais entendedores.
    .
    Também fiquei decepcionado com o querido VLAD por ter me tomado por um Biasa da vida, que deve receber dois mil reais por mês para defender os petralhas e atacar a oposição. Espero estar errado, pois eu gosto do louco Biasa. Tomara que seja só louco.
    A pior das religiões é mesmo a vermelha.
    .
    Gorducho, acho que esses fenômenos que ocorrem nos textos do blog, inexplicáveis até pela Administração, podem ser uma tentativa da espiritualidade de nos convencer. Eles são mesmo fraquinhos, só conseguem produzir efeitos pífios, como nos atrapalhar a escrever.
    .
    Antonio, muitos leitores do blog devem estar pensando que você só diz essas coisas (de mim também) porque, graças aos deuses, somos ignorantes na bizantina arte da teologia. O que eles não sabem é que para cada sumidade da teologia de um determinado ramo religioso existem vários outros profundos esotéricos de outras religiões, grandes conhecedores de sua área e completamente ignorantes da teologia dos outros.
    Tragédias, provocadas pela natureza ou pela ação de gente perturbada com pensamento mágico ou outra coisa qualquer, só acontecem porque tudo é regido (ou não regido?) pelo acaso.
    Justamente por não haver ninguém no comando, tudo é possível. Nem tudo o que acontece é bom para a gente, tragédias incluídas.
    Quando se fala em tragédias, todos pensam nas pessoas inocentes que tiveram mortes horríveis. E os animais, inclusive insetos? Mereceram? Não sofrem?
    Há quem diga que eles não sofrem. Se eu tivesse poderes, transformaria essa gente em insetos, aracnídeos, anelídeos ou coisa que o valha, só para ilustrá-los.
    Claro que insetos e outros seres deles mais próximos não sentem sofrimento moral, mas um cão ou um elefante experimenta, sim, sofrimento moral.
    A morte é o menos pior que pode acontecer a qualquer um, pois a gente volta ao status quo ante do nascimento, ou seja, zero. Pior é não morrer e ficar com limitações físicas, sofrimento moral, etc.
    Horário de almoço acabou. Devo voltar mais tarde.
    Alles gute pour tous, Inch’Allah.

  112. Marciano Diz:

    Nossas descrença(S), claro. Olha o espírito de porco aí.
    Acho que, a esta altura do campeonato, ninguém vai achar que eu cometeria tamanho erro de concordância verbal.
    Vou parar de corrigir esses errinhos. Estou dando moral para o espírito de porco que assombra o mecanismo do blog.

  113. Marciano Diz:

    Concordância nominal, diabo!
    Tão vendo como esse espírito de porco é chato?

  114. Marciano Diz:

    Por que esse desgraçado não se lança logo no abismo, em vez de ficar destroçando nossas pérolas, achando que as atiramos a ele?

  115. Antonio G. - POA Diz:

    Pois é, Marciano. De maneira geral, os militantes das diversas religiões, costumam apregoar que “Deus é um só”, ficando implícito o complemento: “e o nosso é que é o verdadeiro”.

  116. Antonio G. - POA Diz:

    Eu sei dos riscos que corro ao zombar da existência de deus. Entre outros horrores, posso ser atingido por um raio, contrair uma doença terrível, perder um ente querido, etc. Mas a verdade é que estas tragédias também acontecem para gente temente a deus. Daí…

  117. Gorducho Diz:

    :( Por isso que sempre é enfatizada a necessidade de permanente estudo da Doutrina…
    Aparentes tragédias e injustiças são na verdade expiações ou provas voluntariamente escolhidas pelo espírito de formas a eliminar seus débitos ou acelerar seu progresso.
    Funciona como o resgate antecipado duma letra bancária resultando em altíssimo interesse negativo: -10000% (i.e., o banco abate do valor de face em caso de anticipo).
    No Sítio há que eu siba 3 participantes que trabalharam ou trabalham em conceituada casa bancária e poderão melhor lhe esclarecer…
    Senão vejamos [ESE: V, 12]
    O homem que sofre assemelha-se a um devedor de avultada soma a quem o credor diz: “Si me pagares hoje mesmo a centésima parte do teu débito, quitar-te-ei do restante e ficarás livre; si não o fizerdes, atormentar-te-ei, até que pagues a última parcela”. Não se sentiria feliz o devedor por suportar toda espécie de privações para se libertar, pagando apenas a centésima parte do que deve? Em vez de queixar-se do seu devedor, não lhe ficaria agradecido?
     
    Que acha desse show de conhecimento Doutrinário, Analista Влади́мир?
    Já lhe desafiei (pena que seu interesse seja ocultismo…): de Espiritismo debato qualquer coisa com qualquer “entendido” :mrgreen:

  118. Vladimir Diz:

    Marciano disse: Seja mais modesto, não escreva sua profissão com iniciais maiúsculas
    COMENTÁRIO: Foi um Ato Falho rs
    Marciano disse: Se fosse por puro deleite intelectual
    COMENTÁRIO: Também o é, porém tento preencher as lacunas que a Ciência ainda não consegue.
    Marciano disse: Sabia que eu preencho alguns (poucos) requisitos para o diagnóstico de transtorno de despersonalização?
    COMENTARIO: Curioso
    Marciano disse: Todos somos ensinados a desempenhar papéis. Quando estranhamos aquilo em que nos transformaram, não estamos despersonalizados, muito menos loucos. Estamos é nos livrando da hipnose coletiva, descobrindo o verdadeiro eu.
    COMENTÁRIO: Concordo plenamente, isso nada tem que ver com o Transtorno de Despersonalização.
    Marciano disse: Você acha que Jeanne D’Arc era esquizofrênica? Que parecia, pela descrição atual, parecia. Ouvia vozes (de santos) que lhe davam ordens (missão importante), tinha visões.
    COMENTÁRIO: De fato parecia com certeza.
    Mas do ponto de vista Psiquiatrico é muito simples diferenciar o extase religioso, da equizofrenia por exemplo, ainda que seja temerário fazer isso
    com personagens históricos.
    O critério que estabelece a diferença entre uma experiência religiosa e uma condição psicopatológica é o quanto aquela experiência pode ser prejudicial ao indivíduo.
    Se eu tenho um indivíduo que não consegue realizar as atividades básicas que são esperadas dele dentro daquele contexto social decorrente de uma experiência religiosa,
    então eu diria que esse indíviduo está dentro de um processo psicopatológico.
    Porém caso isso não ocorra eu não posso classificar dessa forma.
    Exemplificando: Se o Sr.José, diz que vê Jesus, porém ele trabalha, paga seus impostos em dia, se alimenta corretmente, dorme regularmente, estabelece relações sociais
    saudáveis, respeita as regras e convenções sociais daquele “satus quo”, não posso declarar que ele não seja mentalmente saudável.
    Porém se o Sr.José em decorrência de suas visões, ele parou de tomar banho, desligou-se da familia, largou o emprego, parou de se alimentar e etc.
    Aí sim posso detectar uma instabilidade mental.
    A linha é tênue, porém as demarcações são claras.
    Não existe pessoas “Mentalmente Normais”.
    Existem pessoas Mentalmente Saudáveis e Mentalmente Doentes.
    Normalidade não é o mesmo que Saúde Mental.
    Marciano disse: Nasci com insônia, nunca consegui dormir direito, atualmente tomo maleato de midazolam ou hemitartarato de zolpidem misturados com álcool (whisky ou vinho) e, veja bem, E, com alprazolam, bromazepan, etc. Isto mesmo! Misturo hipnóticos com ansiolíticos e álcool.
    COMENTÁRIO: Mistura perigosa, afinal você está misturando depressores do SNC, juntamente com o Alcool que também é um depressor do SNC.
    Cuidado!
    Marciano disse: Devido à maldita taquifilaxia, de vez em quando tenho de fazer um detox
    COMENTÁRIO: É complicado…
    Marciano disse: Glendiddich 12 anos é um dos meus prediletos, por ser single malt. Gosto de Kardhu também. Isso não impede que eu tome uns blended dos bons. Tomo até bourbons duplamente filtrados, como Gentleman Jack.
    Os single malt não têm surpresas.
    COMENTÁRIO: Cardhu, é bom também. Como todo Single Malt, antigamente eu até tomava Blended, mas atualmente só Single Malt.
    Marciano disse: Religiões têm prós e contras. Você só vê os prós. Veja o lado da violência, da enganação, da exploração econômica, da ânsia pelo poder. Esse lado pesa mais.
    COMENTARIO: É claro que tem com certeza. O que é a IURD, ou o Pr.Silas Malafaia?
    Mas não acho que o lado ruim pese mais.
    Marciano disse: Comunista é pior do que religioso
    COMENTÁRIO: Concordo plenamente
    Marciano disse: Democracia é uma ilusão. Sempre tem um grupo que domina os demais. Cuidado com isso, os comunistas te enganam com essa conversa.
    COMENTÁRIO: Não penso assim, penso sim que existem países que respeitam as instituições democráticas e outros não.
    Evidentemente não é o caso de Pindorama, nem dos Petralhas que cá estão.
    Mas o mundo nos dá bons exemplos, veja a Suiça pro exemplo, Canadá, Japão etc.
    Marciano disse: Qual o seu grau?
    COMENTÁRIO: Cavaleiro do Real Arco
    Marciano disse: Estás ciente da palavra passada na cadeia da união ou está de quit placet
    COMENTÁRIO: Não estou de quit placet rs
    Marciano disse: De onde vens?
    COMENTÁRIO: Pertenço a GLESP
    Marciano disse: Você, que é psiquiatra, não deveria ter êxtases religiosos.
    COMENTÁRIO: Mas eu não os tenho, só estudo que tem rs
    Marciano disse: Um maleato de midazolam 15mg, um alprazolam 2mg e duas doses triplas de Ballantines Platinum (blended, mas 18 anos – o que importa são os 20 GL) cowboy
    COMENTÁRIO: Marciano, não vejo sentido em voc? ficar misturando benzodiazepinicos com alcool, ou entre si. Já tentou Zopiclona? Acho que seria mais indicado ao seu caso, mas sem alcool. Pergunte ao seu Psiquiatra.
    Marciano disse: Montalvão sugeriu hipnose, mas eu sou refratário.
    O que você acha?
    Sua opinião profissional
    COMENTÁRIO: Não não concordo, conforme disse acima penso que você deveria sair dos benzodiazepinicos e não misturar com alcool. Existem hipnóticos mais modernos atualmente.

  119. Vladimir Diz:

    Antonio disse: Mas o fato é que eu penso exatamente o que disse sobre a psiquiatria. Defino como uma pseudociência
    COMENTÁRIO: Em que você se fundamenta para dizer isso? Poderia comentar?
    Antonio disse: que exige pouquíssimo empenho de seus operadores, em especialização e atualização.
    COMENTÁRIO: Discordo completamente nós psiquiatras participamos de simpósios, conferências e congressos como qualquer outra especialidade médica.
    Antonio disse: As técnicas de diagnósticos são baseadas em subjetividades, e não têm embasamento científico.
    COMENTÁRIO: Todo diagnóstico tem envolvimento da subjetividade daquele que o faz. Somos humanos, e a Medcina não é uma Ciência Exata.
    Mas é baseada em Evidências.
    Talvez você esteja falando da Psiquiatria de 100 anos atrás que receitava Hidroterapia e Camisas de Força, mas não é caso hoje.
    Todo os medicamentos psicotrópcios antes de serem lançados no mercado e aprovados pelos orgãos reguladores como o FDA e a Anvisa passam
    por estudos duplo-cego, triplo-cego, casos-controle e etc.
    Nós além de trabalharmos com o CID temos o DSM que é atualizado constantemente (está na versão V).
    E muitas vezes para fecharmos um diagnótico usamos exames laboratoriais também, como em qualquer outra especialidade.
    Antonio disse: O DSM é uma falácia
    COMENTÁRIO: Repito a pergunta anterior: Em que você se fundamenta para dizer isso? Poderia comentar?
    Antonio disse: Melhor nem falar das medicações
    COMENTÁRIO: Poderia comentar também?
    Antonio disse: Cientista é aquele que produz conhecimento norteado por metodologia científica
    COMENTÁRIO: Concordo plenamente, desse ponto de vista os estudos prospectivos do Dr.Pim Van Lommel e do Dr.Sam Parnia são cientificos.
    Antonio disse: especialista em comportamento humano
    COMENTÁRIO: Não sou especialista em comportamento humano, talvez os psicólogos o sejam (Behavioristas? rs).
    Sou especialista em saúde mental, no meu caso relacionados a dependência quimica.
    Antonio disse: Enquanto isto, militantes talibãs invadem um escola no Paquistão e executam, com tiros na cabeça, pelo menos 130 crianças e adolescentes. Mais uma contribuição do fundamentalismo religioso para a humanidade
    COMENTÁRIO: Stalin, Mao Zedong, Pol Pot eram Ateus. Isso não os impediu de que cometessem as maiores da atrocidades da História.
    Hitler também não era muito carola…rs

  120. Vladimir Diz:

    Gorducho disse: Depois. quando fica claro que não colou para os que têm senso crítico, então vem a racionalização, que o Sr. como psiquiatra conhecerá melhor que nós
    COMENTÁRIO: Racionalização não se aplica no caso. O uso do termo é incorreto. De todo modo tendo a discordar da vossa visão, pois
    o lado esotérico da religião surge juntamente com o exotérico.
    Nesse caso a ideia de que o revisionismo é posterior não se aplica.
    Gorducho disse: Que acha desse show de conhecimento Doutrinário, Analista ??????????
    Já lhe desafiei (pena que seu interesse seja ocultismo…): de Espiritismo debato qualquer coisa com qualquer “entendido
    COMENTÁRIO: Muito bom rs

  121. Gorducho Diz:

    Em vez de queixar-se do seu devedor credor, não lhe ficaria agradecido?

  122. Gorducho Diz:

    Racionalização não se aplica no caso. O uso do termo é incorreto.
     
    Qual é o termo tecnicamente correto então?
    Quando se vê que (1) mesas não giram sozinhas; (2) almas não se condensam; (3) corbeilles toupies não escrevem sozinhas; (4) vinho não se forma a partir da água (pelo menos um corantezinho e uns 12% de etanol tem que se por…); (5) ninguém caminha sobre águas; (6) ninguém ressuscita (e sigamos até amanhã listando…) então:
    i) o Professor referindo-se a {1,…,3} alega que é porque os “espíritos” viram que ninguém acreditou e jogaram a toalha relativamente à humanidade terrícola;
    ii) o Sr. alega que são mitos com sentido oculto.
     
    Parafraseando-o: poderia comentar? Qual é e.g. o sentido oculto do mito dum mago curar um coxo (sim, eu sei que se for um cego poderá alegar que é fazê-lo ver D’us…).

  123. Gorducho Diz:

    Stalin, Mao Zedong, Pol Pot eram Ateus.
    Não, como eu expus acima, eram sacerdotes da Religião Marxista. O deus deles era o Materialismo Dialético [veja Russell, História da Filosofia Ocidental].
    Quando falei essa verdade pela primeira vez cá, o Sr. JCFF ficou brabo comigo :(
     
    O Hitler não se sabe… (?)

  124. Gorducho Diz:

    Aliás vejo que entendo tudo de espiritismo mas nada de matemática financeira. A taxa de juros promocional do Celestial Bank for Penas & Provas é:

    (1 + i) = 0,01 i = -99%

  125. Marciano Diz:

    Kardhu foi outro ato falho. Estou com um fechado no meu bar.rsrs
    .
    Eu chamei você de Cavaleiro Kadosh, mais lá pra cima. Ainda vai demorar bastante.
    Você ficou na sua, não recusou. Vaidade?rs
    .
    Não me dei bem com zoplicona.

    .
    Eu e Vladimir nos entendendo, cada um na sua. Quem diria?
    Você entrou para a minha lista de crentes bons, não que isso tenha alguma importância para outras pessoas além de mim.
    .
    Continuo discordando de você, Vlad, em apenas uma coisa na qual ainda não nos acertamos. Os ateus que você mencionou não cometeram as atrocidades que cometeram por causa do ateísmo. Religiosos cometem atrocidades POR CAUSA da religião. Esses que você mencionou não foram motivados pelo ateísmo.
    Hitler era católico. Frequentava igrejas e tudo o mais. Existe até uma foto histórica, pré-internet, que foi capa de um livro, do qual não me lembro agora.
    Em Mein Kampf ele fala em deus várias vezes.
    Crença ou descrença não influem na caráter bom ou mau de uma pessoa.

  126. Marciano Diz:

    Zopiclona. Fui zombar do espírito de porco que assombra o blog e agora ele tá me marcando de forma cerrada.

  127. Vladimir Diz:

    Passando rapidamente para deixar as referências sobre o Jesus Histórico:

    Matéria de ampla divulgação:
    http://g1.globo.com/Noticias/0,,MUL730858-9982,00.html
    http://super.abril.com.br/religiao/jesus-verdade-mito-730298.shtml
    http://veja.abril.com.br/noticia/ciencia/jesus-historico-como-a-ciencia-pode-ajudar-a-entender-o-comeco-do-cristianismo

    Vídeo do Professor Dr. em Historia da UFRJ Andre Chevitarese sobre o Jesus Histórico:
    https://www.youtube.com/watch?v=E8SKco8oPEw&list=PL5X9sX3925YuxpWFqBUG77TwW-BRrCsUc

    Vídeo do Professor Dr. em Filosofia Mario Sergio Cortella
    sobre o Jesus Histórico:
    https://www.youtube.com/watch?v=J66jBM1yx2s

    Vídeo do Professor Pós-Doutor (Oxford) em Filosofia Antiga Gabriele Cornelli (repostagem):
    https://www.youtube.com/watch?v=LxU1AiuE1ek

    Vídeo do Professor Dr. em História pela UERJ Edgard Leite
    sobre o Jesus Historico
    https://www.youtube.com/watch?v=O-f457eyqdo

    Bibliografia sobre o Jesus Histórico:
    Chevitarese, Andre & Funari, Pedro Paulo – O Jesus Histórico – Uma Brevíssima Introdução
    Aslan, Reza – Zelota, A Vida e a Época de Jesus de Nazaré.
    Ehrman, Bart – Quem Jesus Foi? Quem não Foi?

    PS: Depois respondo os outros comentários, vim só para deixar as referências.

  128. Antonio G. - POA Diz:

    Vladimir, o que me falta de tempo, me sobra em preguiça, por isto, “colei” da internet este comentário, escrito por um certo Marcos, que pensa mais ou menos da mesma maneira que eu. Diz o tal Marcos:
    “A psiquiatria vem sofrendo diversas críticas em relação ao seu status de “ciência”.
    Por estar embasada em pressupostos médicos, de fato, tal área, conseguiu reconhecimento; mas seu fracasso em tratar o doente mental traz a reflexão de que seu embasamento pode ser falacioso. E o mais interessante: as principais críticas vieram da própria psiquiatria. Os próprios psiquiatras perceberam as falácias da área.
    O DSM se alterou devido, muito mais, à questões meramente políticas, do que científicas.
    O manual que os psiquiatras utilizam para diagnosticar pacientes, não oferece meios concretos para uma constatação objetiva e rigorosa. Diagnosticar alguém, em psiquiatria, envolve critérios subjetivos. Não há qualquer exame biológico que possa demonstrar a existência da imensa maioria dos transtornos do DSM – que, a cada versão lançada, acrescenta novas doenças. Patologizamos comportamentos sociais e culturais. Além disso, estigmatizamos as pessoas. O que é estigmatizar? É tomar a parte pelo todo. É classificar alguém de acordo com sua “doença” ou “transtorno”, como se fosse apenas isso. As pessoas, diagnosticadas por algum transtorno psiquiátrico, costumam dizer: tenho transtorno bipolar, depressão, ou TDAH (transtorno do déficit de atenção com hiperatividade). À partir disso, o mundo e os outros, acaba por incapacitar o indivíduo, como um todo, simplesmente por ser “depressivo” ou “bipolar”. Mas, espere um pouco… E para além disso? Quem é o “bipolar” para além de sua “doença” (se é que ela existe)? Existe alguém para além do diagnóstico? Certamente!”

    .
    É isso que eu também penso. E não penso assim por ter alguma formação específica na matéria, ter feito profundos e exaustivos estudos a respeito, ou possuir acesso a informações privilegiadas. Penso assim porque observo o mundo a minha volta.
    .
    Em tyempo: colei o texto daqui: http://pensaralem.wordpress.com/2013/03/14/psiquiatria-pseudociencia/
    Não conheço o site, nunca havia lido nada nele, não sei o que ele divulga. Fiz apenas uma busca no google digitando “psiquiatria pseudociência” e encontrei o texto, que achei ilustrativo.
    .
    Bom dia!

  129. Antonio G. - POA Diz:

    Marciano, você disse:
    “Eu e Vladimir nos entendendo, cada um na sua. Quem diria?” Mas aí o Dr. postou um rol de links falando do Jesus Histórico. Antevejo divórcio litigioso… rssss

  130. Antonio G. - POA Diz:

    O Marciano já referiu, mas não custa enfatizar: Inúmeros déspotas violentaram, mutilaram, torturaram e mataram em nome de suas religiões e seus deuses. E continuam fazendo.
    Mas não sei de nenhum caso de barbárie perpetrada em nome do ateísmo.

  131. Marciano Diz:

    Também estou só de passagem, em horário de almoço, motivo pelo qual serei breve.
    .
    Antonio, não vou mais discutir o assunto FG com o Vladimir. Ele tem suas convicções e eu as minhas. Para cada fonte fidedigna que ele cita eu tenho várias, inclusive livros escritos por pesquisadores também credenciados, dizendo o contrário.
    Citar opiniões dos outros é bobagem.
    Eu já desisti de debater FG com JCFF e com o Vitor, justamente por isso. Eles apelas para as fontes. Aí ficam as minhas contra as deles.
    .
    FG sempre me causou suspeita, até que, aos 12 anos, como já contei aqui várias vezes, pesquisei sobre ele em livros de história, em biblioteca física mesmo, nada encontrando, a não ser as falsificações e interpolações que já mencionei, aliado a inúmeras falsas relíquias, tipo os mais de 400 pregos da cruz referendados pela ICAR em várias épocas históricas, o que, por si só, já mostra o absurdo. Não há necessidade de inventar fatos sobre alguém tão importante, ele deveria deixar traços maiores do que contemporâneos muito menos importantes.
    DEPOIS disso, já encontrei os vários trabalhos a que me referi acima.
    Aí fiquei curioso com relação a moisés, maomé, krishna, budha, etc., e vi que era a mesma mentirada.
    .
    Para deixar uma pá de cal sobre o assunto, digo que se FG tivesse existido e fosse a pessoa desimportante que seus defensores alegam ser (quem inventou o cristianismo foi Paulo, nunca fez milagres, etc.) não teria a menor importância, seria uma vergonha para as igrejas cristãs construírem sua fé em torno de alguém que nada significou para o cristianismo.
    .
    Sem falar nos essênios, contemporâneos do fictício personagem, com a mesma filosofia religiosa, e que nos Dead Sea Scrolls nunca o mencionaram.
    A ICAR ficou de posse dos documentos por muito tempo, mas de 1947 (época em que foram encontrados) para cá não havia mais como fazer falsificações e interpolações.
    .
    Esses doutores cristãos já encontraram até a arca de noé, o que mostra que não tem nada de simbólico nisso.
    .
    Estou perdendo tempo de almoço, vou enviar o texto sem ler, se houver qualquer erro, que se dane!
    Mais tarde devo voltar, mas não para discutir FG.
    .
    Então, as relações cordiais com o Vlad não serão abaladas, vou ignorar ESTE assunto, como tenho feito com Vitor.
    Não adianta malhar em ferro frio.
    .
    Estou aberto ao diálogo para outros assuntos, entretanto, o que farei de forma prazerosa, agora que sei que VLAD não é do mal.
    Mesmo que ele não seja psiquiatra, que seja o merden disfarçado (só para argumentar), isso não abalará meu bom conceito sobre ele.
    Pior, muito pior do que isso, é o camarada Biasetto, comunista petista burguês, ofensivo e metido a bravo, que faz propaganda petista nas redes sociais (talvez ganhando dois mil para tanto, pois existem muitos nessa condição), é pessoa por quem, por outros motivos, nutro um sentimento fraternal, o que me leva a ignorar o que espero seja curável.
    .
    Scur, com que já troquei farpas aqui, hoje é meu amigo, apesar de continuarmos em extremos opostos no que diz respeito a crença/descrença.
    Scur e Vlad não têm jeito, assim como Vitor, o qual acho que pode mudar quanto ao assunto ESP, se continuar estudando-o. É questão de tempo.
    Vlad está muito adiantado na fraternidade e Scur está impregnado até aos ossos com chiquismo, que ele nem nota que diverge abissalmente do kardecismo.
    Fico por aqui ou vou ficar com fome.
    Abraços a todos.

  132. Larissa Diz:

    Hitler era esiterico, não?

  133. Larissa Diz:

    Esotérico

  134. Vladimir Diz:

    Antonio disse: “colei” da internet este comentário, escrito por um certo Marcos, que pensa mais ou menos da mesma maneira que eu.
    COMENTÁRIO: Está bem, vamos lá
    Antonio disse: “A psiquiatria vem sofrendo diversas críticas em relação ao seu status de “ciência”
    COMENTÁRIO: Críticas? Da parte de quem?
    Antonio disse: E o mais interessante: as principais críticas vieram da própria psiquiatria. Os próprios psiquiatras perceberam as falácias da área.
    COMENTÁRIO: Onde estão as fontes???
    Antonio disse: O DSM se alterou devido, muito mais, à questões meramente políticas, do que científicas
    COMENTÁRIO: Exemplos, por favor…
    Antonio disse: O manual que os psiquiatras utilizam para diagnosticar pacientes, não oferece meios concretos para uma constatação objetiva e rigorosa.
    COMENTÁRIO: O que seria uma “constatação objetiva e rigorosa”???
    Antonio disse: Não há qualquer exame biológico que possa demonstrar a existência da imensa maioria dos transtornos do DSM
    COMENTÁRIO: O autor do texto não sabe o que está falando…um simples exame de sangue pode se as taxas de lítio no sangue estão baixas
    e consequentemente o paciente pdoe apresentar depressão. Outras doenças orgânicas como hipotireodismo, e cancer também podem apresentar quadros
    depressivos. Por isso é fundamental na prática clinica da psiquiatria os exames laboratoriais.
    Entretanto o diagnóstico na maioria dos casos é eminentemente clínico diante de um quadro de sintomas apresentados pelo paciente.
    Antonio disse: que, a cada versão lançada, acrescenta novas doenças.
    COMENTÁRIO: Mais uma vez o autor do texto mostra desconhecimento da área e peca pela simplificação.
    As doenças são as mesmas.
    Depressão, Ansiedade, Sindorme do Pânico, já era constatada por Hipócrates.
    O que vem acontecendo é um aumento no uso das terminologias decorrente do conhecimento que a cada dia temos sobre as doenças.
    As vezes ocorre exatamente o oposto.
    Por exemplo, anteriormente tinhamos a Sindrome de Asperger que era uma característica do transtorno de espectro autista mais funcional, porém
    atualmente chegou-se a conclusão que Asperger nada mais é do que Autismo e portanto eliminou-se o verbete nosológico da Asperger.
    Antonio disse: Patologizamos comportamentos sociais e culturais.
    COMENTÁRIO: Se você acha que manter relações sexuais com crianças, assassinos seriais, ou um paciente que alega conversar com os números e que os mesmos
    dizem para ele cometer suícidio; são “comportamentos culturais”, eu ficaria deveras preocupado…
    Antonio disse: Além disso, estigmatizamos as pessoas
    COMENTÁRIO: Coitadinho dos Pedófilos e Sociopatas, tão estigmatizados…
    Antonio disse: O que é estigmatizar? É tomar a parte pelo todo. É classificar alguém de acordo com sua “doença” ou “transtorno”, como se fosse apenas isso
    COMENTÁRIO: O que a Psiquiatria sempre fez foi exatamente o oposto. Freud foi o primeiro a reconhecer a sexualidade infantil, como algo natural.
    O Homossexualismo saiu do CID há quanto tempo? 30 anos?
    Antonio disse: As pessoas, diagnosticadas por algum transtorno psiquiátrico, costumam dizer: tenho transtorno bipolar, depressão, ou TDAH (transtorno do déficit de atenção com hiperatividade). À partir disso, o mundo e os outros, acaba por incapacitar o indivíduo, como um todo, simplesmente por ser “depressivo” ou “bipolar
    COMENTÁRIO: De modo algum, são raras as condições psiquiatricas que impedem o indivíduo de realizar suas atividades diárias como trabalhar, se relacionar, se alimentar, tomar banho.
    E mesmo nas condições patológicas mais graves há sempre uma melhora com o uso da medicação.
    Antonio disse: Mas, espere um pouco… E para além disso? Quem é o “bipolar” para além de sua “doença” (se é que ela existe)? Existe alguém para além do diagnóstico? Certamente!”
    COMENTÁRIO: É evidente que existe. Mas Psiquiatra não é Psicólogo, nem Psicanalista (pelo menos não no Brasilde um modo geral, no exterior principalmente nos EUA os Psiquiatras geralmente são Psicanalistas ou Terapeutas).
    O Psiquiatra trata de disturbios mentais, e não afetivos.
    Quem trata dos disturbios afetivos são os Psicólogos, Psicanalistas.
    Antonio disse: É isso que eu também penso. E não penso assim por ter alguma formação específica na matéria,
    COMENTÁRIO: Percebe-se…
    Antonio disse: ter feito profundos e exaustivos estudos a respeito
    COMENTÁRIO: É notório…
    Antonio disse: Penso assim porque observo o mundo a minha volta
    COMENTÁRIO: Então o Sr. precisa de um Oftalmologista, pois está muito míope.
    Faça uma visita a um Hospital Psiquiatrico e observe como é ter um paciente em surto psicótico, com medicação e sem a medicação.
    Tenho certeza que sua perspectiva irá mudar.

  135. Vladimir Diz:

    Marciano disse:Eu chamei você de Cavaleiro Kadosh, mais lá pra cima. Ainda vai demorar bastante.
    Você ficou na sua, não recusou. Vaidade?rs
    COMENTÁRIO: Na verdade não tinha reparado.
    Marciano disse: Os ateus que você mencionou não cometeram as atrocidades que cometeram por causa do ateísmo
    COMENTÁRIO: Não por causa do Ateismo per se.
    Mas sim porque defendiam uma Ideologia Materialista que negava quaisquer possibilidades de Religiosidade.
    Marciano disse: Hitler era católico. Frequentava igrejas e tudo o mais. Existe até uma foto histórica, pré-internet, que foi capa de um livro, do qual não me lembro agora.
    Em Mein Kampf ele fala em deus várias vezes.
    COMENTÁRIO: Eu sei que ele tinha uma queda pelo “Ocultismo Ariano”, a em relação ao Catolicismo é novidade, porém não conheço tanto o Nazismo.

  136. Vladimir Diz:

    Gorducho disse: Qual é o termo tecnicamente correto então?
    COMENTÁRIO: Ao meu ver seria Revisionismo
    Gorducho disse: Quando se vê que (1) mesas não giram sozinhas; (2) almas não se condensam; (3) corbeilles toupies não escrevem sozinhas; (4) vinho não se forma a partir da água (pelo menos um corantezinho e uns 12% de etanol tem que se por…); (5) ninguém caminha sobre águas; (6) ninguém ressuscita (e sigamos até amanhã listando…) então:
    i) o Professor referindo-se a {1,…,3} alega que é porque os “espíritos” viram que ninguém acreditou e jogaram a toalha relativamente à humanidade terrícola;
    ii) o Sr. alega que são mitos com sentido oculto.
    COMENTÁRIO: A respeito dos fenômenos espíritas me abstenho de comentar pois não connheço
    a casuística com profundidade para fazê-lo.
    Penso que nesse aspecto seria importante analisar os estudos caso a caso.
    Como no caso do Crookes, ou do Richet, Bozzano enfim.
    O que penso é que se não foram entidades sobrenaturais (acho plausível pensar que não foram) talvez tenham sido fenômenos parapsicológicos
    vastamente documentados pela Parapsicologia.
    Em relação aos “mitos” de JC, existem diversos níveis de interpretação.
    Desde o literal, até o Esotérico, passando pelo Teológico-Hermeneutico.
    Para isso é necessário não nos atermos apenas aos evangelhos canônicos, mas também aos apócrifos, aos escritos essênios e gnósticos.
    Só assim é possível fazer uma analise detalhada de cada mito e talvez conseguir uma interpretação hoje.
    Não estudo o Gnosticismo, tampouco o Martinismo, por isso para mim é muito dificil fazer a análise esotérica do Cristianismo.
    Se fosse do Judaísmo (hehe) aí a conversa seria outra.
    Analisando do ponto de Cabalistico o que posso dizer a respeito do Cristo é que ele é um “Heroí Solar” (que na Arvore Cabalistica ocupa a Sephiroth de Tiphereth)
    tal qual Buda, Krishna, Hórus e tantos outross
    Curiosamente em todos esses “mitos” o “herói” se retira por um tempo (geralmente vai para o deserto) e volta “renascido”.
    Enfim o causo é complexo.
    Gorducho disse:Não, como eu expus acima, eram sacerdotes da Religião Marxista. O deus deles era o Materialismo Dialético [veja Russell, História da Filosofia Ocidental].
    Quando falei essa verdade pela primeira vez cá, o Sr. JCFF ficou brabo comigo
    COMENTÁRIO: Acho que é uma interpretação heterodoxa porém válida (Nietzsche já asseverava algo do tipo) porém da pespectiva Marxista isso não ter o menos sentido.
    Afinal não é a toa que a corrente filosófica é chamada de Materialismo Dialético.

  137. Vladimir Diz:

    Marciano disse: Para cada fonte fidedigna que ele cita eu tenho várias, inclusive livros escritos por pesquisadores também credenciados, dizendo o contrário.
    COMENTÁRIO: Momento Gotcha! rs
    É evidente que existem pesquisadores que defendem a não existência do Jesus Histórico.
    Assim como existem pesquisadores que defendem as EQM.
    Mas assim como as EQMs não são “mainstream” a negação da existência do Jesus Histórico não é “mainstream”.
    Apenas alguns “gatos pingados” ainda defendem isso.
    É consenso dentro da Historiografia que o Jesus Histórico existiu.
    Para mim defender o contrário é pura defesa da fé Ateística.
    O que ao meu ver é uma bobagem, pois se o Jesus Histórico existiu ou não, isso não vai provar que o mito do Cristo existiu.
    E para a maioria dos religiosos que tem uma experiência pessoal com Jesus, a figura do Jesus Histórico é irrelevante.

  138. Gorducho Diz:

    A respeito dos fenômenos espíritas me abstenho de comentar pois não conheço a casuística com profundidade para fazê-lo.
     
    Mas nós conhecemos muito bem: não existem.
    Bem como conhecemos as fontes – bem materiais e definidas – da “doutrina” do Kardec.
    Depois com o fracasso do espiritismo, tentaram a pesquisa psíquica (metapsíquica em França…) e depois a parapsicologia. Como tudo fracassou, porque os alegados fenômenos não existem, os Crentes fugiram p/a estatística. Assim disfarçam o fracasso (inexistência dos fenômenos alegados) com discussões matemáticas sobre espaços amostrais, potência de testes…
    O que era p/ser um dado voando sozinho pela peça passou a ser discussões matemáticas sobre o resultado (frequências de faces p/cima) do mesmo sendo jogado milhares de vezes…

  139. Vladimir Diz:

    Gorducho disse: Mas nós conhecemos muito bem: não existem.
    COMENTÁRIO: Não sei se o Arduin concordaria contigo rs

  140. Gorducho Diz:

    Só assim é possível fazer uma analise detalhada de cada mito e talvez conseguir uma interpretação hoje.
    Analisando do ponto de Cabalistico o que posso dizer a respeito do Cristo é que ele é um “Heroí Solar” (que na Arvore Cabalistica ocupa a Sephiroth de Tiphereth)
    tal qual Buda, Krishna, Hórus e tantos outros.
    Curiosamente em todos esses “mitos” o “herói” se retira por um tempo (geralmente vai para o deserto) e volta “renascido”.

     
    Vê? O Sr. axiomatiza que os mitos devam ter um significado oculto: algo p/se provar.
    Mas em alguns casos pode ser sim, produzidas pelo psiquismo humano analogamente a certas simbologias que aparecem em sonhos. E também o mais óbvio, i.e., os indivíduos que inventaram a história do Cristo – acho que todos estamos de acordo que isso é mito, certo? – se inspiraram nessas histórias que já circulavam.
    Ficando no caso particular citado, não me parece tão espantoso que o herói tenha passado certo tempo meditando sozinho isolado – como naquelas regiões o isolamento seria em regiões desérticas. Há alguns anos atrás era chic ter um período sabático no Tibete.
    Há muitos estudos sobre ritos de passagem. Até em figuras mais prosaicas como o Hippolyte Kardec e o CX quando passou a se imaginar tutelado pelo Emmânuel (claro que nesses casos não ocorreu o período sabático). Mas é análogo.
    Agora, as histórias de curas, peixes & análogas é forçar a barra. Claro que o objetivo é colocar o herói como detentor ou intermediário de poderes sobrenaturais, de formas adquirir credibilidade. De novo num âmbito muito mais prosaico, é o caso das “psicografias”.
     
    Qual é a origem desse número mágico 40?
    Temos a quarentena. Será que observou-se que 40 é o número máximo de dias p/infecções ou doenças contagiosas se manifestarem? Daí decorreu o resto?

  141. Gorducho Diz:

    Não sei se o Arduin concordaria contigo.
     
    É… ele vivenciou um poltergeist knocking, bem como estavam doutrinando um espírito que combateu sob as ordens do Profeta naqueles primeiros tempos da consolidação e faz portanto ~1400 anos que anda(va?) vagando pela 2ª esfera. O espírito nesse tempo aprendeu português aliás (lembra aquele espírito do CX que estava estudando hebraico? pois é…).
    Mas observe que ele foge desesperadamente de qualquer proposta de testes. Para um Acadêmico e Cientista…
    O Sr. que é psiquiatra: por que será?

  142. Gorducho Diz:

    Esclarecendo a última frase para que não haver a possibilidade de mal entendidos…
    O Sr. que é psiquiatra a portanto deve ter subsidiariamente um bom conhecimento de psicologia: por que será? Qual seria o termo técnico para o medo provavelmente semi-inconsciente da pessoa ter suas crenças submetidas a prova empírica?

  143. Marciano Diz:

    Vladimir Diz:
    DEZEMBRO 18TH, 2014 ÀS 3:05 PM
    Marciano disse:Eu chamei você de Cavaleiro Kadosh, mais lá pra cima. Ainda vai demorar bastante.
    Você ficou na sua, não recusou. Vaidade?rs
    COMENTÁRIO: Na verdade não tinha reparado.
    .
    NOVO COMENTÁRIO MEU: Pô, Vlad, você nem dá atenção aos meus comentários?
    Não sei se você ficou meu amigo, mas eu sou seu amigo. Conceda-me a deferência de ler mais atentamente meus comentários.
    .

    Eu vi que você era uma pedra polida, mas achei que estava, como a maioria, estagnado no terceiro grau, daí ter brincado com o Cavaleiro Kadosh. Confesso que não pensava que você já tivesse tanto tempo de maçonaria, mas ainda falta muito para chegar lá.
    .
    .
    Marciano disse: Hitler era católico. Frequentava igrejas e tudo o mais. Existe até uma foto histórica, pré-internet, que foi capa de um livro, do qual não me lembro agora.
    Em Mein Kampf ele fala em deus várias vezes.
    COMENTÁRIO: Eu sei que ele tinha uma queda pelo “Ocultismo Ariano”, a em relação ao Catolicismo é novidade, porém não conheço tanto o Nazismo.
    .
    NOVO COMENTÁRIO MEU: Leia “Mein Kampf”. Existem traduções até em português, mas, se você fala alemão, posso te enviar o original.
    Não vá pensar, entretanto, que sou nazista. Muito ao contrário. Sou contra qualquer forma de totalitarismo. Só acho que a gente tem de conhecer essas coisas.
    .
    .
    Quanto ao assunto FORREST GUMP, vou cumprir minha palavra de não mais discuti-lo. Ninguém vai chegar a lugar algum.
    .
    .
    1. Vladimir Diz:
    DEZEMBRO 18TH, 2014 ÀS 4:17 PM
    Gorducho disse: Mas nós conhecemos muito bem: não existem.
    COMENTÁRIO: Não sei se o Arduin concordaria contigo rs
    .
    COMENTÁRIO MEU: Arduin não concorda nem com seus companheiros de centro. É um espírita totalmente atípico. É seu jeito de coadunar ciência, na qual é doutor, com suas crenças pessoais. O que eu, como leigo, chamaria de processo de racionalização, um mecanismo de defesa psicológica, assunto que, como parece que você disse, diz respeito à psicologia e não à psiquiatria.
    Apenas o jeito arduínico de lidar com a dissonância cognitiva.
    Isso responderia à indagação de GRASSOUILLET.
    .
    No mais, estou com saudades de ARDUIN, pelo qual nutro amizade unilateral, pois parece-me que ele é indiferente quanto a mim.
    Fico facilmente embevecido com as pessoas quando, conhecendo-as melhor, vejo que pertencem à minoria da qual faço parte, a de pessoas do bem, como é o caso de muitos aqui no blog, independentemente de suas crenças ou descrenças.
    Vale para você, VLAD.

  144. Marciano Diz:

    Não quis mencionar nomes, porque sempre se omite alguém, mas admiro também, por serem pessoas de bem e muito inteligentes, TOFFO, ANTONIO, SCUR, VITOR, GRASSOUILLET, CONTRA, DEFENSOR, muitos dos quais estão ausentes das discussões atuais, nem devem estar lendo nada aqui.
    Os que esqueci, perdoem-me, estou sempre apressado.
    MONTALVÃO, um cara brilhante, e eu já ia encerrando o comentário sem mencioná-lo.
    Essa gente toda faz com que eu permaneça viciado no blog, mesmo sem tempo para nada.
    Gosto de dialogar com pessoas inteligentes, concordando ou não com suas opiniões.
    Além de prazeroso, sempre se aprende mais alguma coisa.

  145. Marciano Diz:

    Os debates arduínicos/montalvânicos são sempre bons de ler. Mesmo que eles alonguem-se demais em discussões bizantinas sobre coisas ocorridas há séculos.
    JCFF é muito pernóstico, mas seus artigos são muito bem escritos e concordo com tudo o que diz sobre o espiritismo e o chiquismo.
    Minhas divergências com ele, que deve ter profundo desprezo por mim, são quanto às suas crenças católicas.
    Assim como divirjo do VITOR, por sua mania de ESP.

  146. Marciano Diz:

    LARISSA, minha bela, desculpe-me por ter omitido seu nome. É que você tem sido tão lacônica ultimamente.

  147. Marciano Diz:

    Vai aqui apenas a primeira citação de deus, por Hitler, mas tem muito mais:
    .
    “Der Unterricht über Weltgeschichte in den sogenannten Mittelschulen liegt nun freilich auch heute noch sehr im Geschichtsunterricht argen. Wenige Lehrer begreifen, daß das Ziel gerade des geschichtlichen Unterrichts nie und nimmer im Auswendiglernen und Herunterhaspeln geschichtlicher Daten und Ereignisse liegen kann; daß es nicht darauf ankommt, ob der Junge nun genau weiß, wann diese oder jene Schlacht geschlagen, ein Feldherr geboren wurde, oder gar ein (meistens sehr unbedeutender) Monarch die Krone seiner Ahnen auf das Haupt gesetzt erhielt. Nein, wahrhaftiger Gott, darauf kommt es wenig an”.
    .
    .
    Concordo com tudo o que ele disse sobre o ensino de história e sobre os professores, só não dou graças a deus, como ele, embora também ache que o ensino da história deveria mudar.

  148. Marciano Diz:

    So erschöpft man sich in schädlichen DEMONSTRATIÖNCHEN GEGEN GOTT und alle Welt und vergißt den ersten Grundsatz, der die Voraussetzung für jeden Erfolg ist, nämlich: Was du tust, tue ganz! Indem man gegen fünf oder zehn Staaten mault, unterläßt man die konzentration der gesamten willensmäßigen und physischen Kräfte zum Stoß ins Herz unseres verruchtesten Gegners und opfert die Möglichkeit einer bündnismäßigen Stärkung für diese Auseinandersetzung.
    .
    Aqui ele critica quem faz demonstrações contra deus (destaquei em maiúsculas).
    Hitler war ein Mann Gottes.

  149. Marciano Diz:

    No doubt about it.
    Ça va sans dire.

  150. Marciano Diz:

    Não me lembro de qual era o livro que tinha a foto na capa, mas a capa é esta aqui:
    http://ceticismo.net/religiao/grandes-mentiras-religiosas/hitler-era-ateu/
    .
    É a segunda foto.
    O artigo é do pedante André, mas vale a pena ser lido.

  151. Marciano Diz:

    A foto da capa é a segunda.
    Não achei o livro.
    Eu tive um, de papel mesmo, encadernado.
    Perdi, como já perdi vários livros físicos e digitais.
    Vivo perdendo coisas.

  152. Marciano Diz:

    Quem achar que o artigo do André é tendencioso, leia “Mein Kampf”.
    Hitler era um “bellator dei”, como deixa claro em seu livro.

  153. Marciano Diz:

    E eu não sou ateu. Só se quiserem me chamar de afadas, aespíritos, apapainoel, acoelhinho.
    Só SEI que não existem divindades.
    É muito diferente, por isso não gosto de ser chamado de ateu, embora às vezes aceite o rótulo, à falta de uma palavra melhor.
    Não posso ser a-uma coisa que sei que não existe.

  154. Marciano Diz:

    Quando eu disse, mais acima, que era ateu militante e juramentado, estava brincando, fazendo uma citação a Dias Gomes e seu personagem Odorico.
    Dias Gomes era ateu e comunista.
    Eu sou descrente (em qualquer mentira, inclusive comunismo) e anti-comunista ferrenho.
    Hitler também não gostava de comunistas.

  155. mrh Diz:

    Os artigos do jcff nos faz ter contato com um tipo de historiografia rara por aqui. Quem lê livros d história brasileiros raramente desce a detalhes assim. É uma escola generalista, de grandes teses e poucos detalhes. Todavia, o jcffdstiy nos leva até as fontes primariísimas, o q é super legal…

  156. Marciano Diz:

    Esqueci-me de você, mrh.
    Vlad, não sei se já conhece mrh. Ele escreve assim porque é meio maluco, mas é um cara muito culto e inteligente.
    Manja muito de história da filosofia.
    Também é crente.

  157. Marciano Diz:

    E é bom enxadrista também.

  158. Gorducho Diz:

    mrh Diz &c.
    Eu também gosto muito de história, seja de um aspecto mais teórico-interpretativo-generalista, quanto aos detalhes e intrigas específicos. Aliás, acerca da pertinente crítica feita pelo Führer, apesar de não ter sido explicitada qual seria a proposta dele, acho que já mudou e melhorou o enfoque mesmo desde quando prestei concurso vestibular no último quartel do século.
    Ele motivou o único trabalho feito por um espírita brasileiro que me vem agora à lembrança que deva ser minimamente levado a sério, fugindo da cega religiosidade infantil que caracteriza o meio.
    E a provocação do Analista Scur também foi útil.
    Por isso digo que hoje a única possibilidade de alguém fazer uma biografia do Kardec seria um pesquisador com o perfil do Sr. JCFF, obviamente residindo lá estável financeiramente, e desenvolver o trabalho por hobby ao longo da vida, sem prazos… Claro que não há mercado para esse trabalho sendo o Kardec desconhecido fora do Brasil e Cuba e Portugal exceto por brasileiros expatriados e seus relativos aculturados.
     
    Aliás pesquisando (sem levantar o traseiro é claro…) as possíveis fontes da descrição, no caso o Nicéforo Calixto, deduzi que o CX não iria se abster de comentar a fisionomia da Virgem Maria. E não deu outra!

  159. Gorducho Diz:

    O problema de ficar ditando teses de história na escola secundária é a margem que dá p/embutir ideologias na juventude. Talvez fosse mesmo isso que ele queria.
    No meu tempo achei as abordagens bem equilibradas. Não era mais exigida decoreba.

  160. Gorducho Diz:

    Bien entendu: há alguns poucos trabalhos sérios sobre espiritismo feitos por brasileiros – inclusive claro a tese sobre NL cá apresentada apesar de ter muitas falhas algumas já comentei acho -; mas não sei se os autores são Crentes espíritas ou estudiosos de religiões e/ou antropologia sem vinculação religiosa ao…

  161. Antonio G. - POA Diz:

    Vladimir, eu já vinha suspeitando de sua conversa mole, mas agora eu reforcei minha desconfiança de que você não é médico psiquiatra coisa nenhuma.
    Você disse: “O autor do texto não sabe o que está falando… um simples exame de sangue pode (verificar)se as taxas de lítio no sangue estão baixas e consequentemente o paciente pode apresentar depressão.”
    Quer dizer que faz-se um exame de nível de lítio no sangue para diagnosticar quadro de depressão? Não, não é assim! A litemia é utilizada como meio de acompanhamento do parâmetro, para indivíduos submetidos ao tratamento com lítio, a fim de evitar-se os efeitos tóxicos. Até onde sei, na psiquiatria, os diagnósticos são quase que exclusivamente baseados no quadro de sintomas do “paciente”. Aí é que entra o exercício do “achismo” por parte do psiquiatra, baseado naquele documento feito por alguns “iluminados”, chamado DSM. Os exames laboratoriais têm basicamente a função de monitorar os inúmeros estragos ao organismo que a medicação pode causar. E geralmente causa.
    Parece mesmo que você é um blefe. Ou você apenas não se expressou bem…
    .
    Agora, se alguém quiser saber, por exemplo, se a prática da Luta Livre é temerária para a intergridade física das pessoas, não pergunte para um praticante ou aficionado. Ele vai lhe dizer que é um esporte maravilhoso, completo, que estimula todos os músculos do corpo, que desenvolve o senso de disciplina, decarrega as tensões, etc, etc. Nunca dirá que é uma estupidez, uma brutalidade, um perigo. Esquecerá de dizer que centenas de praticantes sofrem consequencias terríveis, entre lesões gravíssimas e até a morte.
    .
    Marciano, acho que você estava certo lá no começo: Marden is back.

  162. Antonio G. - POA Diz:

    Marciano, obrigado pela bondosa referência. Mas, incluir-me entre os frequentadores inteligentes do site é um visível exagero…
    .
    Mas, combinemos o seguinte: Você não trata mais da historicidade do FG. E eu não detrato mais a psiquiatria como pseudociência.
    .
    A propósito: O Fantástico vai mostrar neste domingo um quadro onde os repórteres entram na casa onde FG (também conhecido como Jesus) teria vivido! Isso é realmente “fantástico”! Ainda não conseguiram provar que Jesus existiu, mas já encontraram até a casa onde o cara passou parte da sua suposta vida! Plim, plim! É coisa para não se perder…

  163. Antonio G. - POA Diz:

    Em tempo: Também tenho saudade dos comentários do Arduin. Ele também me despresa, mas quem disse que eu estou à procura de fãs?

  164. Antonio G. - POA Diz:

    despreza, com Z.
    Pelo menos, tenho a desculpa de que o S e o Z são vizinhos no teclado… rsss

  165. Gorducho Diz:

    Podem ter rematerializado a casa. O espírito do P LE talvez tenha coordenado os trabalhos do lado de lá (dizem que a GLOBO é espírita… eu televisão não escuto, exceto futebol por causa dos amigos).
    Só não sei dadonde tiraram tanto ectoplasma…

  166. Gorducho Diz:

    A Maria eu sei que o P LE conheceu, tanto que ditou um retrato falado p/o CX. Como era um cara culto e minucioso talvez saiba ainda hoje o local mais ou menos exato (alguns côvados devem ser desconsiderados até porque não era uma medida exata). E se lembre também como era a casa que não deve ser muito difícil dada a simplicidade das habitações de aldeias na época.

  167. Toffo Diz:

    Uma coisa certa foi dita aqui: não há estudos sérios, de qualidade, sobre espiritismo no Brasil. Há muitas teses acadêmicas, mas a maioria é feita por adeptos, ou pelo contrário, por ex-adeptos, como de uma pernambucana desiludida com a federação pernambucana. A literatura estrangeira sobre o assunto é bastante grande, mas absolutamente desconhecida aqui no Brasil. Golducho tem razão, Kardec vende apenas aqui e em alguns poucos lugares no mundo. Em sua própria pátria, é um completo desconhecido. Tem até funcionário do Père Lachaise que acha que Kardec era um figurão brasileiro, porque quem visita seu túmulo é só brasileiro.

  168. Vladimir Diz:

    Antonio disse: Quer dizer que faz-se um exame de nível de lítio no sangue para diagnosticar quadro de depressão?
    COMENTÁRIO: Antonio não leu o que eu escrevi?
    VOLTA AO PASSADO:
    Antonio disse: Não há qualquer exame biológico que possa demonstrar a existência da imensa maioria dos transtornos do DSM
    Resposta do Vladimir:
    O autor do texto não sabe o que está falando um simples exame de sangue PODE se as taxas de lítio no sangue estão baixas
    e consequentemente o paciente PODE apresentar depressão. Outras doenças orgânicas como hipotireodismo, e cancer também PODEM apresentar quadros
    depressivos. Por isso é FUNDAMENTAL na prática clinica da psiquiatria os exames laboratoriais.
    ENTRETANTO O DIAGONÓTSICO NA MAIORIA dos casos é EMINENTEMENTE CLÍNICO DIANTE de um QUADRO de SINTOMAS apresentados pelo PACIENTE.
    FIM DA VOLTA AO PASSADO.
    COMENTÁRIO ATUAL: Ficou claro? Não? Eu explico.
    Se eu recebo um paciente que relata os sintomas clássicos de um transtorno depressivo, e se eu não tenho o HISTÓRICO desse paciente,
    cabe a mim investigar as CAUSAS dessa psicopatologia.
    Pois esse transtorno depressivo pode estar relacionado a outras condições nosológicas (algumas importantes) como o Câncer, Doença de Lyme por exemplo.
    Seria negligente da minha parte medicar um paciente sem ao menos conhecer a sua real condição clínica.
    Muitos medicamentos utilizados em psiquiatria possuem efeitos colaterais importantes e devem ser levados em consideração principalmente
    quando não há o HISTÓRICO do paciente.
    Antonio disse: A litemia é utilizada como meio de acompanhamento do parâmetro, para indivíduos submetidos ao tratamento com lítio, a fim de evitar-se os efeitos tóxicos
    COMENTÁRIO: Também.
    Porém se eu tenho um paciente que apresenta transtorno afetivo bipolar com quadros exacerbados de depressão em tratamento com lítio e apos a dosagem sanguinea o mesmo
    apresenta níveis abaixo do esperado, a manutenção do quadro depressivo pode ser em decorrência disso.
    Antonio disse: Aí é que entra o exercício do “achismo” por parte do psiquiatra
    COMENTÁRIO: O Sr. confunde achismo com prática clínica.
    Toda patologia apresentar um conjunto de sintomas.
    Desde um resfriado, passando por uma Gripe, até a Esquizofrenia.
    O diagnóstico do Médico é sempre baseado na análise dos sintomas que o paciente apresenta.
    Exames laboratoriais, de imagem e etc são COMPLEMENTARES a prática médica.
    Você alguma vez fez algum exame para “identificar” que estava com Gripe ou Resfriado?
    E como o seu Médico sabia que era Resfriado e não Gripe ou uma Alergia?
    Se o Psiquiatra faz “achismos” todas as outras especialidades médicas o fazem também.
    Antonio disse: baseado naquele documento feito por alguns “iluminados”, chamado DSM
    COMENTÁRIO: Realmente tenho certeza que não leu o que eu escrevi…
    VOLTA AO PASSADO:
    Antonio disse: que, a cada versão lançada, acrescenta novas doenças.
    COMENTÁRIO: Mais uma vez o autor do texto mostra desconhecimento da área e peca pela simplificação.
    As DOENÇAS são as MESMAS.
    Depressão, Ansiedade, Sindorme do Pânico, já era constatada por HIPOCRATES.
    O que vem acontecendo é um aumento no uso das terminologias decorrente do conhecimento que a cada dia temos sobre as doenças.
    As vezes ocorre exatamente o oposto.
    Por exemplo, anteriormente tinhamos a Sindrome de Asperger que era uma característica do transtorno de espectro autista mais funcional, porém
    atualmente chegou-se a conclusão que Asperger nada mais é do que Autismo e portanto eliminou-se o verbete nosológico da Asperger.
    Antonio disse: Patologizamos comportamentos sociais e culturais.
    COMENTÁRIO: Se você acha que manter relações sexuais com crianças, assassinos seriais, ou um paciente que alega conversar com os números e que os mesmos
    dizem para ele cometer suícidio; são “comportamentos culturais”, eu ficaria deveras preocupado…
    Antonio disse: Além disso, estigmatizamos as pessoas
    COMENTÁRIO: Coitadinho dos Pedófilos e Sociopatas, tão estigmatizados…
    Antonio disse: O que é estigmatizar? É tomar a parte pelo todo. É classificar alguém de acordo com sua “doença” ou “transtorno”, como se fosse apenas isso
    FIM DA VOLTA AO PASSADO
    COMENTÁRIO ATUAL: Precisa dizer mais?
    Eu percebi que o Sr não respondeu nenhum dos questionamentos que eu levantei em cima do texto Sr.Marcos.
    Ainda estou aguardando as respostas, aliás para facilitar ao Sr. vou reproduzi-las abaixo:
    ***************************************************************************************************************************************************
    Antonio disse: “A psiquiatria vem sofrendo diversas críticas em relação ao seu status de “ciência”
    COMENTÁRIO: Críticas? Da parte de quem?
    ***************************************************************************************************************************************************
    Antonio disse: E o mais interessante: as principais críticas vieram da própria psiquiatria. Os próprios psiquiatras perceberam as falácias da área.
    COMENTÁRIO: Onde estão as fontes???
    ***************************************************************************************************************************************************
    Antonio disse: O DSM se alterou devido, muito mais, à questões meramente políticas, do que científicas
    COMENTÁRIO: Exemplos, por favor…
    ***************************************************************************************************************************************************

  169. Vladimir Diz:

    Correção: Diagnóstico

  170. Antonio G. - POA Diz:

    Hummmm. Vladimir, quanto mais você fala, mais me deixa desconfiado. Ainda mais com esta proposta de “VOLTA AO PASSADO”. Isto é meio suspeito. Tá me cheirando a Terapia Regressiva… rssss
    Você está tentando desconversar sua afirmação de que taxa de lítio baixa no sangue pode indicar depressão. Se eu, você ou o Divaldo P. Franco não estivermos sendo medicados com lítio, e fizermos agora uma litemia, nossas taxas de lítio serão zero, ou próximo disto. Desista de tentar evidenciar que doença mental pode ser detectada por exame laboratorial. Estes, como você até já disse, são meramente auxiliares. O diagnóstico é, fundamentalmente, exercício de “achologia”. E aí é que está o perigo… Bom, seja como for, médicos não têm costume de discutir medicina com leigos. Mais um motivo para eu desconfiar que você é médico fake, e que eu estou é perdendo meu tempo…
    Mas, não deixa de ser divertido.
    .
    Agora, SE você é mesmo um médico psiquiatra, sabe que a cientificidade da psiquiatria é posta em dúvida por muito mais gente além de mim. Sabe que a eficácia do DSM é muitíssimo questionada, inclusive por muitos médicos psiquiatras, e que isto determina que seus “codificadores” vivam tentando ajustá-lo ao gosto dos mais relevantes formadores de opinião no meio médico-científico. Tenho certeza de poderá poupar-me de apresentar-lhe bibliografia a respeito.
    .
    Ou tudo isto é sintoma de alguma doença mental que possa estar me fustigando. Acho que vou consultar um Babalorixá. rsssss

  171. Vladimir Diz:

    Antonio disse: Você está tentando desconversar sua afirmação de que taxa de lítio baixa no sangue pode indicar depressão. Se eu, você ou o Divaldo P. Franco não estivermos sendo medicados com lítio, e fizermos agora uma litemia, nossas taxas de lítio serão zero, ou próximo disto.
    COMENTÁRIO:
    Antonio, tenho sérias dúvidas de que você não anda lendo o que eu escrevo…
    VOLTA A UM INSTANTINHO ATRÁS:
    “Porém se eu tenho um paciente que apresenta transtorno afetivo bipolar com quadros exacerbados de depressão em tratamento com lítio e após a dosagem sanguinea o mesmo
    apresenta níveis abaixo do esperado, a manutenção do quadro depressivo pode ser em decorrência disso.”
    “ENTRETANTO O DIAGNÓTSICO NA MAIORIA dos casos é EMINENTEMENTE CLÍNICO DIANTE de um QUADRO de SINTOMAS apresentados pelo PACIENTE”
    FIM DA VOLTA A UM INSTANTINHO ATRÁS
    Antonio disse: Desista de tentar evidenciar que doença mental pode ser detectada por exame laboratorial.
    COMENTÁRIO: Nenhuma doença é diagnosticada por exames laboratoriais.
    VOLTA A UM BOCADINHO ATRÁS:
    Toda patologia apresentar um conjunto de sintomas.
    Desde um resfriado, passando por uma Gripe, até a Esquizofrenia.
    O diagnóstico do Médico é sempre baseado na análise dos sintomas que o paciente apresenta.
    Exames laboratoriais, de imagem e etc são COMPLEMENTARES a prática médica.
    Antonio disse: baseado naquele documento feito por alguns “iluminados”, chamado
    FIM DA VOLTA A UM BOCADINHO ATRÁS
    Antonio disse: O diagnóstico é, fundamentalmente, exercício de “achologia”.
    COMENTÁRIO:
    SOMEWHERE IN TIME:
    Você alguma vez fez algum exame para “identificar” que estava com Gripe ou Resfriado?
    E como o seu Médico sabia que era Resfriado e não Gripe ou uma Alergia?
    Se o Psiquiatra faz “achismos” todas as outras especialidades médicas o fazem também.
    END OF SOMEWHERE IN TIME.
    Antonio disse: Agora, SE você é mesmo um médico psiquiatra, sabe que a cientificidade da psiquiatria é posta em dúvida por muito mais gente além de mim.
    COMENTÁRIO: Quem? Referências???
    Antonio disse: Sabe que a eficácia do DSM é muitíssimo questionada, inclusive por muitos médicos psiquiatras
    COMENTÁRIO: Muitos??? Onde eles estão? Referências???
    Antonio disse: Tenho certeza de poderá poupar-me de apresentar-lhe bibliografia a respeito.
    COMENTÁRIO: Não Sr., se quer argumentar tem que fundamentar, caso contrário a sua seriedade (e capacidade logica argumentativa) será colocada em dúvida
    diante de todos.
    Por isso ao invés de tergiversar, utilizando de argumentos ad hominem, faça uma favor a si mesmo e demonstre que consegue sustentar suas asserções.
    Antonio disse: Ou tudo isto é sintoma de alguma doença mental que possa estar me fustigando. Acho que vou consultar um Babalorixá.
    COMENTÁRIO: Acho que o causo é mais simples nada que umas aulas de Retórica e Lógica Argumentativa resolvam.
    Se quiser eu te passo uma Bibliografia de estudo…
    Antonio disse: Mas, não deixa de ser divertido.
    COMENTÁRIO: Ver o apequenamento dos seus argumentos seria cômico, se não fosse trágico.

  172. Antonio G. - POA Diz:

    Isto é grave, Marden (ou seu clone)… Ter minha seriedade e capacidade lógica argumentativa colocada em dúvida diante de todos poderá me conduzir a um quadro de depressão severa. Talvez eu até enlouqueça.
    .
    Você parece os crentes espíritas exigindo que eu indique as fontes que comprovam que espíritos são uma fantasia, que psicografia é mentira, que reencarnação não existe, etc. Esquecendo que quem tem que provar é quem alega. Você diz que psiquiatria é ciência. Então, evidencie isto.
    .
    Decidi ir ao Babalorixá ainda hoje. Tá… o Pai de Santo poderá me tomar algum dinheiro, isto é certo. Mas não correrei risco de lesão renal, perturbações na tiroide, ganho de peso, etc. Acho mais seguro.

  173. Vladimir Diz:

    Antonio, você corre para lá, corre para cá, mas responder que é importante necas…
    A Psiquiatria é uma Especialidade Médica existente há mais de 100 anos reconhecida mundialmente enquanto Ciência.
    Quanto a isso não há o que discutir.
    Mas como não poderia deixar de ser…
    VOLTA A UM MOMENTINHO:
    Por isso ao invés de tergiversar, utilizando de argumentos ad hominem, faça uma favor a si mesmo e demonstre que consegue sustentar suas asserções.
    CONTINUA UM MOMENTINHO…
    Antonio disse: Agora, SE você é mesmo um médico psiquiatra, sabe que a cientificidade da psiquiatria é posta em dúvida por muito mais gente além de mim.
    COMENTÁRIO: Quem? Referências???
    Antonio disse: Sabe que a eficácia do DSM é muitíssimo questionada, inclusive por muitos médicos psiquiatras
    COMENTÁRIO: Muitos??? Onde eles estão? Referências???
    FIM DO MOMENTINHO
    E aí Antonio, vai encarar ou vai correr???

  174. Marciano Diz:

    Antonio, se for mesmo o marden, eu o perdôo. Se for ele, pode não ser psiquiatra, mas é maluco, consequentemente, não responde por suas ações. Não sabe o que faz, como diria FG.
    .
    Quanto ao que você disse sobre luta livre, não sei dizer. Já a arte suave, é um esporte maravilhoso, completo, que estimula todos os músculos do corpo, que desenvolve o senso de disciplina, decarrega as tensões, etc, etc.rsrs
    OSS!
    .
    Antonio, aceito sua proposta. FG, nicht mehr!
    .
    Vlad, se eu chegasse ao seu consultório e dissesse que sou Napoleão Bonaparte, que reencarnei marciano, que tenho uma missão e que você faz parte dela, qual seria sua abordagem clínica?
    Digo isto não porque quero verificar se é ou não psiquiatra, pois não tenho conhecimentos para testá-lo. É que eu realmente sou Napoleão, não queria revelar aqui para não estragar minha missão, porém algumas vozes de santos que ouvi disseram que não haveria problema algum e ainda me pouparia uma viagem a SP.
    Eu também tenho a habilidade de voltar ao passado, exatamente como você fez com Antonio, e nessas ocasiões sempre tento mudar meu destino, mas acabo sempre naquela ilha.
    Eu converso com o número 3 e ele me diz não para eu me suicidar, mas para que mate VOCÊ. A sorte é que o número “e” (aquele, somatório dos termos 1 sobre n!, para “n” variando de 0 a infinito, ou seja, 2,7182818284…) já me alertou que o número 3 é um mentiroso.
    O 3 é tão ardiloso que me aconselha a usar AK .762 com bala de prata encapsulada e hollow point. Essa munição nem existe!
    Passe-me o endereço de seu consultório, preciso conversar pessoalmente com você, com a maior urgência, para alertá-lo de perigos que o rondam.
    .
    .
    “Nenhuma doença é diagnosticada por exames laboratoriais.”
    .
    .
    Mentiram para mim quando fiz exame sorológico para COMPROVAR que tive mesmo dengue?
    .
    Não estou duvidando de sua capacidade como profissional, juro, só quero entender as duas afirmações. Deram-me até um laudo.

  175. Marciano Diz:

    Hepatite C?
    AIDS?
    Tuberculose?

  176. Antonio G. - POA Diz:

    Vou correr, Marden renomeado Faltaram-me argumentos. E fiquei deprimido.

  177. Marciano Diz:

    Vlad, é possível diagnosticar hepatite C apenas com exame de sangue, sem qualquer outro exame, sem mesmo que o médico veja o paciente?

  178. Marciano Diz:

    Antonio, de homem pra homem, quero ver você dizer na minha cara que a prática jiu-jitsu é temerária para a integridade física das pessoas.
    Diga na minha frente que jiu-jitsu é uma estupidez, uma brutalidade, um perigo, que os praticantes sofrem consequencias terríveis, entre lesões gravíssimas e até a morte e provarei a você que não é nada disso, jiu-jitsu é inofensivo. Em 30 segundos te dou a prova. Sem necessidade de exames laboratoriais ou consulta médica.
    Só me falta você dizer que a prática de tiro de combate é um perigo, que num confronto armado os combatentes podem sofrer consequências terríveis, lesões gravíssimas e até a morte.
    Se o falecido Ryan Gracie ou seu espírito, agora que desencarnou, ouvisse você dizendo isso, e ainda por cima elogiando o Macaco, ele ficaria muito feliz. Provavelmente iria te dar um forte abraço.

  179. Vladimir Diz:

    Marciano disse:
    Vlad, se eu chegasse ao seu consultório e dissesse que sou Napoleão Bonaparte, que reencarnei marciano, que tenho uma missão e que você faz parte dela, qual seria sua abordagem clínica?
    COMENTÁRIO: São diversos cenários possíveis, mas vamos supor, que a princípio você seja um paciente que não oferece perigo para si ou para os outros e que
    veio sem nenhuma indicação de outra especialidade.
    Nesse caso num primeiro momento após a anamnese eu passaria uma lista de exames laboratoriais a serem feito e a principio alguma medicação para combater
    esses comportamentos deliróides.
    Depois que você trouxesse os resultados dos exames e o seu feeback da medicação inicialmente usada, aí sim eu poderia definir com exatidão
    com seria a melhor abordagem farmacoterapeutica para o tratamento.

    Marciano disse:Mentiram para mim quando fiz exame sorológico para COMPROVAR que tive mesmo dengue?
    COMENTARIOS: De modo algum!.
    A função dos exames laboratoriais é complementar o diagnóstico médico.
    Mas NUNCA substituir o mesmo.
    O DIAGNÓSTICO de qualquer patologia é sempre clínico.
    Exames ajudam a fechar o Diagnótisco, mas de modo complementar.

  180. Marciano Diz:

    O Joinha, no programa “Passando a Guarda”, Canal Combate, perguntou a Ryan sobre a rivalidade dele com Macaco.
    O cara ficou muito feliz com a pergunta, o Joinha, que também é praticante, arregalou os olhos, nem sei como o programa foi ao ar sem edição.
    Pegou mal pro Joinha.
    .
    Sabem quem matou o Ryan?
    UM PSIQUIATRA!
    Com seus remedinhos inofensivos.
    Ele arrumou uma briga com 20 motoqueiros, foi parar na DP, a família (Gracie) chamou um psiquiatra para acalmá-lo, deu nisso.
    Psiquiatras podem ser perigosos, jiu-jiteiros, não.
    Nem atiradores.
    Ô Vlad, você não é o Sabino com outro nome, é?
    Se for, Antonio que se cuide! Um cara capaz de matar o Ryan, sem nem uma porrada ou um estrangulamento…
    .
    Ta chovendo e a net tá uma porcaria. Se eu me calar repentinamente, não foi porque algum psiquiatra me matou, foi a net brasileira mesmo que me silenciou.

  181. Marciano Diz:

    Vlad, obrigado pela resposta. Faltou você responder à pergunta sobre hepatite C.
    Ei-la:
    .
    Marciano Diz:
    DEZEMBRO 19TH, 2014 ÀS 7:45 PM
    Vlad, é possível diagnosticar hepatite C apenas com exame de sangue, sem qualquer outro exame, sem mesmo que o médico veja o paciente?
    .
    .
    Como psiquiatra você não é nem um pouco esotérico. Não passou por sua cabeça a hipótese de que eu poderia mesmo ser Napoleão?

  182. Marciano Diz:

    Antonio, amarelou?
    Domage.
    Vou sair i arranjar uma briga em uma boite.
    Se estiver vivo amanhã, eu volto.

  183. Marciano Diz:

    O “i” depois de “sair” foi por conta do espírito de porco que assombra o blog.
    Acho que todos já sabem que um modesto conhecedor da gramática, como eu, jamais escreveria uma coisa dessas.
    Estou começando a acreditar em assombrações.

  184. Marciano Diz:

    Esse espírito (ele tá me dizendo que a grafia correta é “ispírito”, com “i”, de “iscola”, tipo Carla Peres), quando encarnado, devia ser funkeiro, morador de alguma comunidade e frequentador do programa da socialista Regina Casé, aquela da mansão em Angra, onde só existem pobres, a mesma do apartamento no Leblon, bairro miserável do Rio, aquela que adora churrasco na laje.
    Aquela lindeza.
    Isquenta!
    É assim que se escreve no “patois” falado nesses lugares.
    .
    Minha net tá muito lenta. Vou sair antes que eu tenha um ataque de transtorno da personalidade explosiva, arremesse com toda minha fraqueza o notebook no chão, dê-lhe três pisões voadores e cinco tiros de .40, +p+, hollow point.

  185. Vladimir Diz:

    Marciano disse: Vlad, é possível diagnosticar hepatite C apenas com exame de sangue, sem qualquer outro exame, sem mesmo que o médico veja o paciente?
    COMENTÁRIO: Não. É possível detectar a infecção pelo vírus causador da Hepatite C, mas não a patologia Hepatite, até mesmo porque para avaliar
    um paciente com Hepatite são necessários vários exames como TGO, TGP, Gama-GT, Bilirrubinas, e até mesmo exames de imagem par avaliar a condição
    do Figado do paciente.
    Além dos sintomas relatados pelo paciente.
    Assim como existem pacientes portadores do HIV assintomáticos, existem portadores do HCV assintomáticos.

  186. Vladimir Diz:

    Agora que eu vi esse comentário rs:
    Ô Vlad, você não é o Sabino com outro nome, é?
    Se for, Antonio que se cuide! Um cara capaz de matar o Ryan, sem nem uma porrada ou um estrangulamento…
    COMENTÁRIO: Não não, meu nome é Vladimir mesmo rs

  187. Antonio G. - POA Diz:

    Marciano, sobre eu ter amarelado na discussão com o Marden Renomeado, eu fiz o que manda o bom senso. Após levar uma surra de argumentos refutando minha opinião de que a psiquiatria é pseudociência, porque não se embasa em métodos científicos, mas sim em achismos, o que a torna mais perigosa do que lutar no UFC, o que me resta? Chega de apanhar! Tenho que ter a humildade de capitular…
    Mas continuo fechado com meu Babalorixá. E com meus rins funcionais.

  188. Antonio G. - POA Diz:

    Além disto, eu me especializei em detratar o que me parece falso. Aprendi muito sobre esta arte aqui no site. Expandi meus conhecimentos. Virei um especialista. E não discuto com leigos. Rsss

  189. Antonio G. - POA Diz:

    E quanto às artes marciais, acho que eram bem menos perigosas quando destinavam-se mais à defesa pessoal. Quando passaram a ser vistas quase que exclusivamente como esporte de competição, ficaram um pouco menos sutis. Virou pancadaria das brabas. Das lutas do UFC, eu não sou propriamente um fã, mas até que gosto de assistir, vez ou outra. É quando aflora meu ladinho meio sádico, mórbido. Sério, acho a luta livre uma prática até bacana, mas prefiro manter a mim e meus filhos só na assistência.
    Luta é coisa prá macho. É macho dando porrada em macho… Macho agarrando macho…
    Eu sou macho, mas não sou fanático. Prefiro me embolar com fêmeas…
    .
    Agora, se for inevitável, é justo e lícito repelir injusta agressão ou iminência desta, usando moderadamente uma .380, por exemplo. rsssss
    .
    Bom dia!

  190. Marciano Diz:

    Antônio, se você se embolar com a Ronda (sem o “h” mesmo) Rowsey (ela é linda e novinha) vai mudar de opinião rapidinho.
    Veja o cartel dela (invicta, com quase todas as vitórias no primeiro round, por juji-gatame – a última, só na porrada, em 18 segundos).
    .
    VLAD,
    Sem querer ser chato e já o sendo, prometo que é a última pergunta que eu faço sobre diagnósticos; se eu não entender, desisto.
    .
    Antonio disse: Desista de tentar evidenciar que doença mental pode ser detectada por exame laboratorial.
    COMENTÁRIO DO VLAD: Nenhuma doença é diagnosticada por exames laboratoriais.
    .
    Marciano disse: Vlad, é possível diagnosticar hepatite C apenas com exame de sangue, sem qualquer outro exame, sem mesmo que o médico veja o paciente?
    COMENTÁRIO DO VLAD: Não. É possível detectar a infecção pelo vírus causador da Hepatite C, mas não a patologia Hepatite, até mesmo porque para avaliar
    um paciente com Hepatite são necessários vários exames como TGO, TGP, Gama-GT, Bilirrubinas, e até mesmo exames de imagem par avaliar a condição
    do Figado do paciente.
    .
    TGO, TGP, Gama-GT, Bilirrubinas, e até mesmo exames de imagem (elastografia parece que é um dos mais modernos) aos meus olhos leigos, parecem ser EXAMES LABORATORIAIS, os quais, segundo acredito ter entendido, NÃO SÃO CAPAZES DE PROPICIAR UM DIAGNÓSTICO.
    .
    ” Nenhuma doença é diagnosticada por exames laboratoriais”.
    .
    Acho que estou começando a entender por que a medicina é ensinada em seis anos de horário integral mais pelo menos dois de residência.
    É mais complicada do que esoterismo.
    Parece que os médicos só querem que os pacientes saibam da parte exotérica.
    A outra, só para os iniciados.
    Ou então, eu é que sou burro mesmo.
    .
    Também penso, como leigo, que um simples e barato exame de sangue pode detectar o HCV, o que pode alongar o tempo necessário para que um paciente tenha seu fígado detonado. Para quê esperar que ele manifeste sintomas e procure um médico, quando, tenho quase certeza, será tarde demais?
    Vale o mesmo para o HIV. Ou, pelo menos, penso eu que o valha.
    .
    .
    Depois disto, perco meu interesse pela nobre medicina e volto a falar somente sobre Lêntulo, se alguém ainda o quiser.

  191. Antonio G. - POA Diz:

    Ah… Já vi luta da Ronda! Tô fora… A garota é uma máquina de dar porrada!

  192. Vladimir Diz:

    Marciano disse: TGO, TGP, Gama-GT, Bilirrubinas, e até mesmo exames de imagem (elastografia parece que é um dos mais modernos) aos meus olhos leigos, parecem ser EXAMES LABORATORIAIS, os quais, segundo acredito ter entendido, NÃO SÃO CAPAZES DE PROPICIAR UM DIAGNÓSTICO
    COMENTÁRIO: De fato são exames laboratoriais e consequentemente complementares ao diagnóstico médico.
    O Diagnóstico Nosológico é prerrogativa do Médico, eu diria mais ele é a única razão do Médico existir.
    Aqui no Brasil não é muito claro essa diferença em relação a população em geral, mas nos EUA (nesse aspecto lá é muito melhor, em outros tbm rs) existe até a distinção entre o Physician e o Surgeon.
    Se não fosse assim não existiria a necessidade da figura do Médico, o próprio paciente poderia ir uma IA (momento Asimov rs) e realizar os exames laboratoriais necessários e já receber o diagnóstico.
    Mas o causo é muito mais complexo, pois como eu venho dizendo em vários comentários, Medicina não é uma ciência exata, ainda que seja baseada em evidências.
    Aquilo que o Sr. Antonio desdenhosamente e pejorativamente chama de “achologia” nós chamamos de Prática Clínica.
    Marciano disse: Parece que os médicos só querem que os pacientes saibam da parte exotérica.
    A outra, só para os iniciados.
    COMENTÁRIO: Bom eu não me incomodo com o fato dos pacientes se informarem eu até gosto, pois evita mal-entendidos, como as consultas psiquiátricas são geralmente longas (principalmente as primeiras) não tenho problema em sanar todas as dúvidas do paciente.
    Infelizmente no SUS a realidade é diferente.
    Entretanto tem Médicos que não tem muita paciência em ficar explicando…
    Pela minha experiência e no contato com outros colegas eu diria que as especialidades mais atenciosas são: Infectologistas, Anestesiologistas, Oncologistas e Psiquiatras (alguns rs).
    Ah tem Obstetras que são atenciosos também com as futuras mamães rs
    Entretanto, Cirurgiões (em geral), Intensivistas, e Ortopedistas, são os mais práticos rs.
    Enfim cada especialidade tem suas particularidades…
    Marciano disse: Também penso, como leigo, que um simples e barato exame de sangue pode detectar o HCV, o que pode alongar o tempo necessário para que um paciente tenha seu fígado detonado. Para quê esperar que ele manifeste sintomas e procure um médico, quando, tenho quase certeza, será tarde demais?
    Vale o mesmo para o HIV. Ou, pelo menos, penso eu que o valha.
    COMENTÁRIO: Concordo plenamente, aliás eu sou (ou pelo menos era) a favor do Ato Médico.
    Infelizmente o modo como está estruturado a Saúde no Brasil é péssimo ( e não é culpa só do PT é gestão mesmo) tanto o público quanto o privado.
    Prevenção sempre em primeiro lugar.
    Eu mesmo realizo exames periódicos a cada 6 meses (aliás todos adultos acima de 40 anos deveriam fazer o mesmo).
    Todavia nem sempre um resultado “reagente” para um patógeno indica que o paciente tem ou terá a patologia.
    Cada caso é único.

  193. Contra o chiquismo Diz:

    MArciano , obrigado por me citar como inteligente, mas é bondade sua.. admiro pra caramba a sua escrita e senso de humor! Agora esse Vlad é SOLIPSISTA… e isso me parece racional.

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)