Livro Gratuito: Xenoglossia, de Ian Stevenson (1984)

Para baixar o livro, clique aqui. Em minha opinião, o primeiro caso é muito problemático e muito fraco. O segundo caso possui mais evidência de conhecimento paranormal, mas está ainda longe de ser imune a críticas, especialmente as referentes à capacidade de xenoglossia (mas as informações sobre a vida passada seriam mais probatórias quanto a algum conteúdo paranormal). Fica patente a honestidade de Stevenson em relatar os casos com as deficiências que eles possuem. Uma linguista, Sarah Grey Thomason, revisou os casos e, embora não tenha ficado convencida da exibição de conhecimento paranormal, admite que “Stevenson submeteu seus [...] casos principais a grande escrutínio e a tantos testes quantos pôde pensar”. Para ler a análise de Sarah, clique aqui.

644 respostas a “Livro Gratuito: Xenoglossia, de Ian Stevenson (1984)”

  1. Gorducho Diz:

    Ele era literalmente o Conan Doyle da América.

  2. Vitor Diz:

    Dizer que Stevenson é o Conan Doyle da América é tão falso quanto dizer que James Randi é um cara honesto.

  3. Gorducho Diz:

    Se é pra mim… nem sei quem é esse :?:

  4. Antonio G. - POA Diz:

    James Randi é desonesto? Eu não sabia.

  5. Vitor Diz:

    Antonio,
    veja um dos exemplos da desonestidade patente de James Randi:
    .
    http://www.sheldrake.org/reactions/james-randi-a-conjurer-attempts-to-debunk-research-on-animals

  6. Vitor Diz:

    Oi, Antonio
    aqui tem uma resposta de James Randi:
    .
    http://www.skeptic.org.uk/component/content/article/542
    .
    E abaixo comentários sobre a resposta de Randi:
    .
    http://www.dailygrail.com/Skepticism/2009/12/Sheldrake-vs-Randi-Letters

  7. Antonio G. - POA Diz:

    Bem, Vitor, eu sei muito pouco sobre James Randi. Apenas li algumas coisas sobre e ele e o seu famoso “desafio de um milhão de dólares”. Aliás, outro dia assisti no NETFLIX a um documentário sobre ele, chamado An Honest Liar. Bem interessante. Abrange seu lado mágico-bem-sucedido-que-resolveu-desmascarar-gente-que alega-falsos-poderes-paranormais e trata também do seu lado pessoal, com ênfase na sua união homoafetiva com um rapaz bem mais novo que ele. Um drama realmente muito curioso.
    Agora, quanto a esse bate-boca sobre o experimento sobre o chamado sexto sentido dos cães, me parece ser apenas isto: um bate-boca. E os experimentos de Sheldrake me parecem ser inconclusivos. Ou será que restou provado que cães têm mesmo o tal sexto sentido? E, se têm, isto seria uma evidência de paranormalidade? (Vitor, a especulação é minha. Você não falou disto, eu sei.)
    .
    De qualquer modo, falando do “desafio”, não sei se Randi pagaria o milhão de dólares para um cão. Acho que o desafio só deve valer para pessoas…
    rsrsrs

  8. Antonio G. - POA Diz:

    Alguns dizem que o desafio de Randi é falso, que o ex-mágico é desonesto e que nunca irá admitir como válida alguma evidência de paranormalidade. Mas por que os paranormais injustiçados não o processam? Acho que deveriam fazê-lo.

  9. Gorducho Diz:

    Ah! o James Randi é o do milhão…
    E no bate-boca, afinal o Jaytee reagia ou não a cada carro ou piéton that passed by?
    O Randi não diz que foi ele pessoalmente quem lobrigou todo teipe. O fulcro é se é ou não verdade as reações.
    Que diz Sheldrake about that?

  10. Vitor Diz:

    Gorducho, sua caracterização de Stevenson como o Doyle da América não tem sentido. Eu não sei se você está usando a palavra “América” aqui como sinônimo de Estados Unidos, mas, só para constar, Stevenson era canadense. E Doyle nunca ou quase nunca detectava fraudes (eu não conheço um caso sequer em que ele tenha detectado fraude, sempre sendo enganado, como no caso das fotos de fadas), e afirmava quase sem pestanejar o caráter espiritual da coisa, bem ao contrário de Stevenson. Stevenson sempre buscava analisar minuciosamente outras hipóteses possíveis, e detectou fraude em vários casos, e mesmo nesses casos de xenoglossia a linguista Sarah concorda que fraude pode ser descartada, embora ela busque outras explicações normais. A própria Sarah claramente elogia Stevenson em vários momentos: “As alegações de Grossi não devem ser comparadas diretamente com as de Stevenson: Stevenson é um acadêmico, Grossi não; Stevenson submeteu seus três casos principais a grande escrutínio e a tantos testes quantos pôde pensar, enquanto Grossi aceitou os dele em seu valor de face.” Em outro artigo, ela diz: “Seu livro de 1974 chamado ‘Xenoglossia’ é o único trabalho publicado que eu achei que contém dados “xenoglóssicos” suficientes para um lingüista estudar: cerca de metade do livro é uma cópia de uma sessão com seu sujeito, TE, uma dona de casa de trinta e sete anos que nasceu e se criou na Filadélfia. Stevenson é um observador crítico muito mais cuidadoso que PG”. Nada disso lembra Doyle…

  11. Vitor Diz:

    Oi, Antonio,
    comentando:
    .
    01 – “Mas por que os paranormais injustiçados não o processam? Acho que deveriam fazê-lo.”
    .
    Havia uma cláusula para se candidatar que diz que os candidatos não podem processá-lo. Esperto o Randi, não?
    .
    Por falar nisso, parece que o prêmio terminou:
    .
    http://web.randi.org/the-million-dollar-challenge.html

  12. Vitor Diz:

    Gorducho,
    01 – “E no bate-boca, afinal o Jaytee reagia ou não a cada carro ou piéton that passed by? O Randi não diz que foi ele pessoalmente quem lobrigou todo teipe. O fulcro é se é ou não verdade as reações.
    .
    Eu estava comentando sobre a desonestidade do Randi, então o fulcro não é sobre a verdade das reações, e sim como Randi mentiu para invalidar a pesquisa do Sheldrake.
    .
    02 – Que diz Sheldrake about that?”
    .
    a) http://www.sheldrake.org/research/animal-powers/a-dog-that-seems-to-know-when-his-owner-is-coming-home-videotaped-experiments-and-observations
    .
    b) http://www.sheldrake.org/research/animal-powers/testing-a-return-anticipating-dog-kane

  13. Gorducho Diz:

    mas, só para constar, Stevenson era canadense.
    :o
    A Universidade da Virgínia fica
    ☐ Afeganistão
    ☐ Argentina
    ☐ América
    ☐ Azerbaijão
    ☐ nra
     
    Afinal o Jaytee reagia a cada passagem de coche ou piéton ou não?
    O que o teipe mostra? Responda, pare de ficar fazendo colagens de links.

  14. Vitor Diz:

    c) A Universidade da Virgínia fica
    ? Afeganistão
    ? Argentina
    ? América
    ? Azerbaijão
    ? nra

    .
    Ah, foi no hospital da Universidade de Virgínia que Stevenson nasceu?! :D
    .
    d) “Afinal o Jaytee reagia a cada passagem de coche ou piéton ou não? O que o teipe mostra? Responda, pare de ficar fazendo colagens de links.”
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=XIozVT-IM14 (vídeo de menos de 3 minutos)
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=aA5wAm2c01w (video de 5 minutos)
    .
    http://www.suprememastertv.com/aw/?wr_id=516&page=1 (tem para download 3 vídeos de uns 11 minutos cada. Não vi)

  15. Antonio G. - POA Diz:

    Pois é, Vitor… Pelo visto, o desafio acabou. Eu não sabia. Já havia acabado uma vez, pelo menos, mas foi restabelecido. Mas é provável que desta vez seja em definitivo. Se não me engano, o negócio valeu desde 1996 ou 1998, não estou certo. Foi bastante tempo para que alguém ganhasse a bolada. Mas ninguém levou…

  16. Vitor Diz:

    Oi, Antonio
    .
    um texto sobre o teste do Randi:
    .
    https://pensaralem.wordpress.com/2014/01/24/a-farsa-do-desafio-paranormal-de-james-randi/
    .
    Lembro que o próprio Ray Hyman tirou qualquer valor científico do teste do Randi:
    .
    “But as a leading Fellow of CSICOP, Ray Hyman, has pointed out, this “prize” cannot be taken seriously from a scientific point of view: “Scientists don’t settle issues with a single test, so even if someone does win a big cash prize in a demonstration, this isn’t going to convince anyone. Proof in science happens through replication, not through single experiments.”

  17. Gorducho Diz:

    Eu não quero videos editados e narrados; eu não sou criança: sou um velho.
     
    Um colega meu na Europa me disse que viu o teipe, e que ele e os colegas dele apresentaram uma versão dele a alguns alunos pedindo que anotassem cada vez que o cachorro se alertava. O cachorro nunca parava, reagindo a transeuntes na calçada, carros, qualquer ruído incomum, e distrações de qualquer sorte.
     
    ESSE TEIPE EXISTE OU NÃO :?:
    É ASSIM MESMO QUE SE SUCEDEM AS COUSAS OU NÃO :?:
     
    Se o Randi viu pessoalmente esse teipe ou não não é relevante. O fulcro é se ele existe e se se observa esse comportamento do Jaytee ou não.
    Pare de enrolar: responda.

  18. Vitor Diz:

    a) “Se o Randi viu pessoalmente esse teipe ou não não é relevante.”
    .
    Imagina. Ele só disse: Viewing the entire tape, we see that the dog responded to every car that drove by, and to every person who walked by.
    .
    Mentira, mentira, mentira. Se fosse Ian Stevenson a fazer o mesmo, você caía em cima. Não é relevante uma pinoia!!!
    .
    b) ESSE TEIPE EXISTE OU NÃO :?:
    É ASSIM MESMO QUE SE SUCEDEM AS COUSAS OU NÃO :?:
    .
    O único vídeo que consta na própria página do Sheldrake relativo a esse assunto é esse:
    .
    http://www.sheldrake.org/videos/jaytee-a-dog-who-knew-when-his-owner-was-coming-home-the-orf-experiment
    .
    Na dúvida você pode mandar um email ao próprio Sheldrake perguntando sobre o assunto.

  19. Vitor Diz:

    Mais um vídeo com legenda em português:
    .
    https://pensaralem.wordpress.com/2014/02/03/rupert-sheldrake-desmascara-james-randi/

  20. Vitor Diz:

    Mais um artigo sobre as mentiras de Randi:
    .
    http://www.telegraph.co.uk/culture/film/film-news/11270453/James-Randi-debunking-the-king-of-the-debunkers.html
    .
    According to Sheldrake, his direct requests for data were twice ignored. After appealing to others at the JREF, Randi eventually wrote back, explaining that he couldn’t supply the data because it got washed away in a flood and that the dogs he tested are now in Mexico and their owner was “tragically killed last year in a dreadful accident.”
    .
    Unusually for Randi, he was polite. “I over-stated my case for doubting the reality of dog ESP based on the small amount of data I obtained,” he wrote. “It was rash and improper of me to do so. I apologise sincerely.”
    .
    But, publicly, Randi then attacked Sheldrake. Of his own failure to provide the data he wrote, “A search of our site would have supplied [Sheldrake] with all the details he could possibly wish. Alternately, I could have supplied them, if only he had issued a request. That’s what we do at the JREF.”
    .
    In 2011, I travelled to Las Vegas to Randi’s annual fan convention, The Amaz!ng Meeting, to ask him about several of these claims of dishonesty. He countered most either with denials or appeals to the fact that the events happened a long time ago. When it came to Sheldrake he said, “What specific experiments are you referring to?”
    .
    “The ones you told Dog World magazine you’d done,” I said. “In New York. The owner was killed, the dogs are in Mexico and you lost the files in a flood.”
    .
    “That was one of the hurricane floods,” he nodded
    So what prompted these tests?
    .
    “I must admit to you that I don’t recall having said that these tests were even done. But I’m willing to see the evidence for it.”
    .
    I handed him the emails Sheldrake provided.
    .
    “Oh,” he said.
    .
    Pressed about his treatment of Sheldrake, he insisted he didn’t lie because when he made the offer to send the data it hadn’t yet been destroyed by Hurricane Wilma. It was only after our meeting I realised Wilma took place four years before he stated that the data was available. But before we parted, I told him my research painted a picture of a clever man who is often right, but who has a certain element to his personality which leads him to overstate.
    .
    “Oh I agree,” he said.
    .
    “And sometimes lie. Get carried away.”
    .
    “Oh I agree. No question of that. I don’t know whether the lies are conscious lies all the time,” he said. “But there can be untruths.”
    .
    It was a brave and surprising moment.

  21. Marciano Diz:

    Randi não pode ser um cara honesto.
    Desmascara médiuns, expôs Geller, Hydrick e tantos outros…
    Só pode ser um mentiroso, pois todos sabemos que esses paranormais são honestos e eficientes.
    Se o cara é gay, é problema dele.
    Eu, particularmente, só gosto de mulher. Desde que ele não chegue a cem metros de mim, tá tudo certo.
    Já li alguns livros dele, recomendo o flim-flam.
    Acho o trabalho “desonesto” dele essencial. Pena que esteja apodrecendo de velho.
    .
    .
    Honesto é Geller, Benveniste e sua água impressionada…
    .
    .
    .
    Stevenson não nasceu na Universidade de Virginia, Carmen Miranda não nasceu no Brasil, Carlos Gardel não nasceu na Argentina…
    .
    .
    .
    Aqui vai um link de Charles Darwin sendo desmascarado.
    .
    Charles darwin sendo desmascarado pela ciência:
    https://www.youtube.com/watch?v=2ACg1tcC-8o

  22. Marciano Diz:

    Acabo de receber uma mensagem do Bussunda:
    .
    Fala sério…

  23. Marciano Diz:

    Link sobre Einstein desmascarado:
    .
    http://samamultimidia.com.br/artigo-detalhes.php?id=636

  24. Marciano Diz:

    Cliquem nos links e verifiquem como Darwin e Einstein eram mentirosos.
    .
    Inclusive é usada a palavra desmascarado.
    .
    Estou impressionado com as mentiras de Darwin e de Einstein.

  25. Marciano Diz:

    Só estou fazendo buscas onde aparece a palavra “desmascarado(a).
    .
    Agora a teoria da evolução:
    .
    http://cve.acordem.com/blog/18097/

  26. Marciano Diz:

    Como fui tão inocente de acreditar em Darwin, Einstein?!

  27. Gorducho Diz:

    Na dúvida você pode mandar um email ao próprio Sheldrake perguntando sobre o assunto.
     
    Não, que fez a citação foi o Sr., e agora fica escorregando feito muçum.
    Eu disse que o Stevenson foi o Conan Doyle da América porque a carreira dele foi na América. O Sr. jogou o JR de paraquedas no assunto e não provou seu exemplo.
    O teipe exite ou não?
    Vê-se nele o que o JR diz ou não?

  28. Vitor Diz:

    Oi, Marciano
    .
    o link sobre o Einstein está, grosso modo, bastante correto. A palavra desmascarado só ocorre no título. Eu não usaria essa palavra para descrever a situação, mas as informações passadas me parecem ser quase todas verídicas (algumas não pude averiguar). É exatamente a mesma conclusão que chegou o melhor físico brasileiro da atualidade, Roberto de Andrade Martins, da USP:
    .
    http://www.ghtc.usp.br/server/pdf/RAM-Relatividade-livro.pdf
    .
    A teoria que atingiu seu ápice nas mãos de Lorentz e Poincaré não era a teoria de Einstein. Suas visões de mundo eram diferentes. Eles aceitavam o éter, embora também aceitassem que era impossível detectar o movimento em relação a esse meio. Sua abordagem epistemológica era também diferente da de Einstein. No entanto, quase todas as previsões científicas da teoria de Einstein já estavam lá, nos artigos publicados por outros pesquisadores, antes de seu primeiro
    trabalho de 1905. O conteúdo empírico dessas duas teorias é idêntico. Por mais estranho que pareça, é impossível distinguir, por qualquer experimento, a interpretação de Lorentz e Poincaré da interpretação de Einstein
    .
    .
    Antigamente, descrevia-se a história de cada nação como a sucessão dos feitos de seus reis. Essa visão simplista e equivocada foi substituída por outra, em que muitos tipos de atores contribuem para as diversas mudanças sociais que ocorrem em cada lugar, ao longo do tempo. É necessário que a história das ciências ultrapasse também a descrição mítica dos “grandes gênios” e seja capaz de estudar toda a complexidade e riqueza do real desenvolvimento histórico de cada passo. A teoria da relatividade não é “a teoria de Einstein” e ela não surgiu de forma mágica no ano de 1905. Ela se desenvolveu gradualmente, com a contribuição de um grande número de pesquisadores, alguns dos quais totalmente obscuros para a grande maioria dos cientistas de hoje. A evolução da ciência é um trabalho coletivo e gradual, não é individual e instantâneo.

    .
    Os trechos em negrito são basicamente a essência do artigo que você postou.

  29. Marciano Diz:

    Vocês acreditam nas viagens à Lua?
    Vou usar o método vitoriano.
    Vejam como são tolos:
    .
    http://www.afraudedoseculo.com.br/

  30. Marciano Diz:

    E sobre Darwin e a teoria da evolução, VITOR?
    TEm algo a dizer?

  31. Vitor Diz:

    “Vou usar o método vitoriano.”
    .
    Meu método é usar referências acadêmicas. Você tem alguma para mostrar?

  32. Gorducho Diz:

    O único vídeo que consta na própria página do Sheldrake relativo a esse assunto é esse:
     
    É… deve ser a falta de cerveja já tão tarde no dia que ressecou m/neurônio. Diz que o experimmento fora sobre um cão esperando o(a) dono(a) em casa, e eu vejo um cachorro pulando num campo sob nevoeiro…
    O que causa a falta dalgum alcoolzinho a essa hora :(

  33. Marciano Diz:

    Você mesmo concordou que Einstein não merece ser levado a sério. Para quê as referências acadêmicas?
    .
    Existem referências acadêmicas sobre o criacionismo, desculpe, a ciência criacionista.

  34. Marciano Diz:

    Veja referência acadêmicas (Unicamp) sobre o design inteligente:
    .
    http://ccientifica.blogspot.com.br/2013/10/criacionismo-na-unicamp-de-novo.html
    .
    Não acredito mais em teoria da evolução.
    Acho que deus criou o mundo e nós mesmos.
    Abjuro tudo o que já disse no meu tempo de pseudo-cético patológico e inútil.

  35. Vitor Diz:

    “E sobre Darwin e a teoria da evolução, VITOR?
    TEm algo a dizer?”
    .
    Tenho. Você jamais (outra exceção que vou abrir ao “sempre e nunca são duas palavras que você deve sempre se lembrar de nunca dizer”) pode se esquecer de Wallace. É feio e errado fazer isso.

  36. Marciano Diz:

    Wallace fez um trabalho muito inferior ao de Darwin e posterior.
    Quando estava prestes a publicá-lo, Darwin tomou coragem de expor seu trabalho muito melhor, baseado em incansáveis pesquisas.
    Ou estarei errado?
    .
    “Por que a Unicamp empresta seu prestígio a um evento desse tipo, que estaria muito mais apropriadamente sediado em alguma igreja ou associação cristã?”.
    .
    Pergunta do autor do blog acima.
    Acho que você, VITOR, sabe a resposta.

  37. Vitor Diz:

    “Você mesmo concordou que Einstein não merece ser levado a sério.”
    .
    EU disse isso??!! Você está tendo síndrome de Montalvão…

  38. Marciano Diz:

    Você acha que Darwin plagiou o trabalho de Wallace?
    .
    Releia os livros sobre o assunto, a história da seleção natural.
    .
    Cuidado até onde está disposto a ir para justificar suas crenças.
    Conselho de amigo.

  39. Marciano Diz:

    Na pressa, vou procurar no google.
    Pode procurar em outras fontes, inclusive livros de biologia e de história da ciência.
    .
    http://www.theguardian.com/science/2013/aug/09/charles-darwin-alfred-russel-wallace

  40. Vitor Diz:

    “Veja referência acadêmicas (Unicamp) sobre o design inteligente:”
    .
    http://ccientifica.blogspot.com.br/2013/10/criacionismo-na-unicamp-de-novo.html
    .
    Você chegou a ler o próprio link? Lá está claramente dito:
    .
    Há alguns anos duas palestras foram proferidas por um criacionista americano na Unicamp. Na ocasião juntamente com colegas conseguimos deixar claro que não se tratava de um evento oficial da Unicamp e o logotipo da Unicamp que estava no cartaz foi retirado. De lá para cá pelo menos por 3 vezes foram canceladas palestras criacionistas em diferentes institutos da Unicamp e no encontro da SBPC que ocorreu na universidade.
    .
    Ou ainda:
    .
    O 1o Fórum de Filosofia e Ciência das Origens foi cancelado (leia abaixo para entender). Segundo fui informado a decisão de suspende-lo foi tomada ainda na semana passada, mas por algum motivo a página continuava no ar. Hoje foi retirada. A administração central da Unicamp está de parabéns por ter tomado a decisão mais acertada para esse caso.

  41. Marciano Diz:

    Responda sobre Wallace e Darwin, please.

  42. Marciano Diz:

    Dê uma lida nisto, VITOR:
    .
    https://en.wikipedia.org/wiki/Creation_and_evolution_in_public_education

  43. Vitor Diz:

    “Você acha que Darwin plagiou o trabalho de Wallace?”
    .
    Eu sinceramente acredito que ele deve ter perdido permissão…
    .
    Em 18 de Junho de 1858 Darwin recebeu o manuscrito de Wallace. Embora o ensaio de Wallace ainda não propusesse o famoso conceito darwiniano de seleção natural, enfatizava uma divergência evolutiva entre as espécies e suas similares. Nesse sentido era semelhante à teoria sobre a qual Darwin tinha trabalhado durante 20 anos, e que nunca tinha sido publicada. Darwin escreveu a Charles Lyell: “Ele não poderia ter feito um pequeno resumo melhor! Até os seus termos constam agora nos títulos dos meus capítulos!”
    .
    Se houve algum plágio, foi esse. Mas a teoria ele fez de forma independente. Sem plágio nesse sentido.

  44. Marciano Diz:

    Tem trabalho acadêmico pra tudo.
    Até a Nature já publicou as palhaçadas de Benveniste, depois se redimiu.
    .
    Trabalhos acadêmicos não me impressionam, por si só.
    Se sustentam besteiras, não merecem crédito.
    O tempo não dirá, já disse, que a paranormalidade não existe.
    Não produziu nada, absolutamente nada, em quase duzentos anos.

  45. Marciano Diz:

    Na primavera de 2007 a University of Montana Law publicou três artigos. (April 10, 2007) “Articles: Editor’s Note: Intelligent Design Articles” (PDF). University of Montana Law Review 68) No primeiro, David K. DeWolf, John G. West e Casey Luskin, todos membros do Discovery Institute, argumentaram que o design inteligente é uma teoria científica válida, que a corte de Jones não deveria ter abordado a questão de se o DI era ou não uma teoria científica, e que a decisão em Kitzmiller não terá nenhum efeito no desenvolvimento e na adoção do design inteligente como uma alternativa ao padrão, a teoria da evolução. (April 10, 2007) “Articles: Editor’s Note: Intelligent Design Articles” (PDF). University of Montana Law Review 68).
    .
    O que você acha disso?
    .
    Vai acreditar no design inteligente?
    .
    AFK.
    BBS.

  46. Vitor Diz:

    “O que você acha disso? Vai acreditar no design inteligente?”
    .
    Olha só, você está fazendo uma baita confusão. Lá atrás você disse: “Existem referências acadêmicas sobre o criacionismo, desculpe, a ciência criacionista.”
    .
    Você vai falar de criacionismo ou design inteligente?! São duas coisas bem diferentes! O próprio Michael Behe, adepto do design inteligente, em “A caixa preta de darwin” disse:
    .
    MUITAS PESSOAS PENSAM QUE QUESTIONAR A EVOLUÇÃO DARWINIANA SIGNIFICA DEFENDER O CRIACIONISMO. DA FORMA HABITUALMENTE ENTENDIDA, O CRIACIONISMO IMPLICA A CRENÇA EM QUE A TERRA FOI FORMADA HÁ APENAS DEZ MIL ANOS, UMA INTERPRETAÇÃO DA BÍBLIA AINDA MUITO POPULAR. DESEJO DEIXAR CLARO QUE NÃO TENHO MOTIVOS PARA DUVIDAR QUE O UNIVERSO TEM OS BILHÕES DE ANOS DE IDADE QUE OS FÍSICOS ALEGAM. ACHO A IDÉIA DA ASCENDÊNCIA COMUM ( QUE TODOS OS ORGANISMOS TIVERAM UM MESMO ANCESTRAL) MUITO CONVICENTE E NÃO TENHO NENHUMA RAZÃO PARTICULAR PARA PÔ-LA EM DÚVIDA.(MICHAEL BEHE, BIOQUÍMICO DO DESIGN INTELLIGENT do livro A Caixa Preta de Darwin, parte 1, pag 15, Editora Jorge Zahar Editor- RJ-1997)
    .
    Enfim, você precisa qualificar melhor o seu discurso para eu saber o que responder!

  47. Marciano Diz:

    Estou falando das duas coisas.
    Elas se equivalem.
    Design inteligente foi o que inventaram depois que o criacionismo ficou completamente desmoralizado.
    É outra vestimenta para a mesma droga.
    Foi inventado quando o ensino do criacionismo foi proibido como ensino de ciência.
    O jeitinho americano que pessoas pensam que só brasileiros conhecem.
    .

    VOCÊ sabe disso.
    Está se fazendo de desentendido.
    Seu eu disser que você é mestre e doutor em erística, vai ficar ofendido.
    Então pare de se fazer de desentendido.
    Está aprendendo essas coisas com o vlad?
    Não me decepcione, tenho-o em alta conta, apesar de seus esforços literalmente insanos para provar que o quadrado é redondo.

  48. Marciano Diz:

    E você? Agora que o criacionismo vestiu-se de design inteligente para burlar a lei, passou a acreditar nele?
    Não me respondeu.

  49. Marciano Diz:

    Você acredita no cientista, bioquímico, acadêmico professor universitário Behe ou sabe que ele é desonesto?
    .
    Se sabe que ele é desonesto, fica citando estudos acadêmicos como se só dissessem coisas reais por quê?

  50. Marciano Diz:

    Se acredita no cientista Behe, desisto, dou o assunto por encerrado.

  51. Marciano Diz:

    Está bem qualificado o discurso, ou quer eu eu envie um desenho?
    Não sei desenhar no blog :sad:

  52. Vitor Diz:

    “E você? Agora que o criacionismo vestiu-se de design inteligente para burlar a lei, passou a acreditar nele?”
    .
    Tem alguma associação de criacionistas/designers filiada à AAAS?

  53. Vitor Diz:

    “Estou falando das duas coisas.
    Elas se equivalem.
    Design inteligente foi o que inventaram depois que o criacionismo ficou completamente desmoralizado.
    É outra vestimenta para a mesma droga.”
    .
    Daqui a pouco você vai dizer que até a”engenharia genética natural” ou a noção de “inteligência bioquímica” do James Shapiro está no mesmo saco… espero que não faça isso…

  54. Vitor Diz:

    “Está bem qualificado o discurso, ou quer eu eu envie um desenho?”
    .
    A rigor nunca esteve, mas não me lembro de ter visto uma salada mista nos conceitos tão grande antes.

  55. Vitor Diz:

    No mais, até terça! Bom feriadão!

  56. Marciano Diz:

    Creationism is religion. It’s about believing in a god in a particular way that forces everything else to fall in line with that belief no matter what facts, logic, evidence, and reality say. Creationism is a problem in a country like the United States because the government and its public schools are supposed to be neutral on matters of religion. The 1987 Supreme Court case Edwards v. Aguillard made it crystal clear once and for all that it is unconstitutional to teach overt creationism in public school science classes because creationism is religion. The ruling did, however, make the point that there is nothing to prohibit the teaching of multiple theories about the origin of humankind, so long as they are scientific and nonreligious. In hindsight, the reaction, to this ruling by determined antievolutionists was predictable. They would give creationism a makeover.
    Some clever creationists figured that by repackaging it as something scientific and not blatantly religious, they could sneak it back into classrooms. They named their creation “intelligent design” (ID). It was a crafty idea for sure, but there were two big problems: it wasn’t scientific and it was religion. ID is just creationism all over again. ID’s claim is that life is too complex to have happened “by chance” or by natural processes and, therefore, an intelligent designer must be responsible. Of course, savvy ID proponents didn’t come right out and say that the designer is their god, but that’s the implication, of course.

    WRONG EVEN IF IT’S RIGHT
    At the core of intelligent design is the arrogant idea that life is so complex that it could not exist without an intelligent creator. It is arrogant because it assumes what we don’t know now, we can never know. For this reason, embracing intelligent design is wrong even if it should one day turn out to right. Yes, I really mean that. As it exists at the moment, ID “theory” is so bad, so lame, such a pointless, defeatist, and poorly conceived concept that no thoughtful person should go anywhere near it. Intelligent design is toxic to the mind not because it seems so very wrong but because of the message it sends to people—young students in particular. ID suggests that an unanswered question is an unanswerable question. Everything about intelligent design screams: Give up! Stop trying to figure out how life originated and changed over time. Just say “God did it” and shut up. Regardless of whether or not a god or gods did create life, retreating from the challenge of biological mysteries so early in the game is neither wise nor brave. A more honest name for ID “theory” would be: “Biology is really hard so let’s stop trying.” Intelligent design is not science; it’s the opposite of science. It’s the mass marketing of intellectual surrender. ID should be rejected on principle alone. Look at it this way: if fairies were discovered t omorrow in somebody’s backyard, it wouldn’t suddenly mean that all the fairy believers of previous centuries were brilliant thinkers who were ahead of the curve and wiser than fairy skeptics. Maybe aliens really did build the pyramids in Egypt. But without one speck of credible evidence, it’s an irrational belief one cannot intellectually justify holding today, even if it turns out to be true tomorrow. Should those who believe in intelligent design today ever be proven correct, it would not be because they were more sensible and aligned with science. They would be right for all the wrong reasons.
    The ID claim that life is “too complex” to ever be explained by natural means is outrageously presumptuous. “Too complex”? Who could possibly know such a thing based on our current knowledge? The orbit of Earth around the Sun was once “too complex” for science. Should we have stopped trying to figure it out? Everything was “too complex” at some point in our past. Who can say that one day in the future we won’t understand how life originates and functions in complete detail? Intelligent design proponents must know the future, for how else can they declare a cell to be forever beyond the reach of natural explanations as revealed by science? How do they know?
    Anyone who looks into intelligent design will run into something called “irreducible complexity.” Again, this is nothing more than jumping to extraordinary and unjustified conclusions: we don’t know how all the parts of this cell could have evolved to work in unison like this, so it must have been put together by an intelligent designer. This is transparent nonsense. What about nonliving things that are complex? “[I]ntricacy and organization can be readily inferred even from things that were clearly not consciously designed,” argues scientist Jonathan Marks. “Snowflakes are intricate, but does anyone really think that God unleashes a horde of microscopic chiselers in constructing a blizzard? I may not know much about the physics of crystal formation, but it’s got to be a better explanation than that one.” (Jonathan Marks, Why I Am Not a Scientist (Berkley: University of California Press, 2009), pp. 118–19)
    This is really the same old creationism. The difference is that intelligent design is packaged and marketed to appear scientific, though it is anything but. Slick promotion has fooled much of the public into thinking that the ID/evolution controversy is about fairness rather than antiscience and religion masquerading as science. “Teach both sides,” is often heard. No less an authority figure than a former president, George W. Bush, said both evolution and intelligent design should be taught in science classes. One could advocate for astrology to be given equal time in astronomy classes. It would make just as much sense.
    The fatal flaw of intelligent design has nothing to do with the identity of its proponents, their politics or religious beliefs, who funds it, or anything else along those lines. All that matters is that there is no good evidence, rational argument, or valid theory to support the idea that life was created by a god, e xtraterrestrial, or other intelligent being. None. Maybe it did happen that way. But until someone comes up with some real scientific evidence for it, we can’t know for sure and should not pretend that we do.
    The best argument one can make against intelligent design has nothing to do with DNA or fossils. Simply point to where its leading advocates choose to fight their battles. This reveals everything we need to know because they do not wage war with their arguments and evidence in academic conferences and on the pages of scientific journals. No, they do their fighting in courtrooms, school board meetings, political campaigns, on websites, and in books and pamphlets. University of Chicago evolutionary biologist Jerry Coyne describes the stark absence of intelligent design from the scientific process: “Since 1973, more than one hundred thousand peer-reviewed papers on neo-Darwinian evolution have been published. ID is represented by just a single peer-reviewed paper, and this is a generous estimate because that paper has been refuted.” (John Brockman, ed., Intelligent Thought: Science versus the Intelligent Design Movement (New York: Vintage Books, 2006), p. 22).
    This is not how proper science is done. It’s not how we go about determining what is real and what is not. Real science grows from the clash of ideas and claims where the victor is determined by who has the superior evidence. It’s not a popularity contest. It doesn’t matter if a scientific claim is presented by good people, bad people, ugly people, nice-looking people, religious people, atheists, poor people, or rich people. All that matters ultimately is who can put the best evidence on the table for all to see. Sometimes winning takes a long time. And winning is always conditional; it’s never final. Some see it as a weakness, but it’s the best thing about science. It’s a good thing to change when change is called for. Nothing is written in stone when it comes to science. Everything is always up for grabs, open to revision, and vulnerable to attack. If I happen to have a eureka moment while I’m taking a shower tonight and figure out something that tears down the theory of evolution, my first impulse will be to write it down and send it to the journal Nature. My first move definitely would not be to attempt to pack some school board with people who agree with me so that high school kids can be taught my new theory—no matter what the world’s scientists think of it. No, I would go the route of publication, fame, and fortune, as anyone would who had a winning theory. I suppose I could put up a slick website and print pamphlets to hand out in churches, but I would rather pick up a Nobel Prize for my Darwin-destroying theory on my way to the bank to deposit all the fat checks I would receive from book advances and speaking engagements.
    Those who think intelligent design is scientific should ask themselves why the leaders of the ID movement don’t act like scientists. More to the point, why don’t real scientists take intelligent design seriously and embrace it? If there were anything to it, there is absolutely no doubt that many would. It is ludicrous to suggest that they choose not to rock the boat in the evolution-loving subculture of science or can’t due to censorship. Even if mainstream secular universities were silencing scientists who possess powerful new evidence capable of sinking evolution, it doesn’t explain why we do not see game-changing ideas and data emerging from religious universities. Surely Oral Roberts and Liberty Universities would not censor their professors or students if any of them could make a compelling case for intelligent design. There is also the opportunity for intelligent design proponents to write their own books or start their own science journals. If they knew something significant, they could and would make it public. And, if there were anything to it, the world’s scientists would not ignore it. We can only conclude that ID proponents have no case to make beyond the political campaigning, lobbying, and public sales pitches that we have seen.
    “What is really going on in the ID movement is that highly educated religious men are justifying their faith with sophisticated scientific arguments,” explains Michael Shermer, publisher of Skeptic magazine and the author of Why Darwin Matters. “This is old-time religion dressed up in newfangled language. The words change but the arguments remain the same. As Karl Marx once noted: ‘Hegel remarks somewhere that all great world-historical facts and personages occur, as it were, twice. He has forgotten to add: the first time as tragedy, the second time as farce.’ The creationism of William Jennings Bryan and the Scopes trial was a tragedy. The creationism of the intelligent design theorists is a farce.” (Michael Shermer, Science Friction (New York: Times Books, 2004), p. 199).

  57. Marciano Diz:

    Espero sua volta na terça.
    Bom feriadão pra vc também, mas não se esqueça de ler e responder, quando voltar.
    Aproveite para meditar sobre o assunto artigos acadêmicos e realidade.
    A salada foi proposital, para mostrar como existem artigos acadêmicos sobre nonsense.
    .
    Não fique procurando refutar por refutar. Medite sobre suas crenças e seu embasamento nelas.
    Inté.

  58. Marciano Diz:

    Você, com esse AAAS, tá parecendo o Vlad com SPR.
    Ou os epíritas, com o “vá estudar a doutrina”.

  59. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, estou começando a desconfiar de que você não existe.
    Mandei e-mail que não foi respondido. Parece que o CONTRA também não conseguiu.
    Deixo mensagens no facebook que você não responde.
    Prove que você não é um robô.
    .
    http://tudoconteudo.com.br/wp-content/uploads/2012/03/senha.jpg

  60. Marciano Diz:

    Parece que o único otário que ficou em casa no feriadão fui eu.
    Não dá mais pra viajar pra lugar nenhum.
    Vou pro bar do bigode. Melhor do que ficar em casa.
    Se surgir outro entediado no feriadão, eu volto.

  61. Gorducho Diz:

    Deixe-me ver se entendi porque não quero fazer injustiça…
    A Administração citou esse Behe em formulando uma tese (dele Administrador), de que ID não é criacionismo repaginado com a finalidade de enganar os comitês escolares.
    Seria isso?

  62. Gorducho Diz:

    Ué… o Sr. anda aí… :o
    Estou preparando
     
    Case 4:04-cv-02688-JEJ Document 342 Filed 12/20/2005
    IN THE UNITED STATES DISTRICT COURT FOR THE MIDDLE DISTRICT OF PENNSYLVANIA
    Case No. 04cv2688
    Judge Jones
    Plaintiffs :
    TAMMY KITZMILLER, et al.
    v. :
    Defendants. :
    DOVER AREA SCHOOL DISTRICT, et al.,:
     
    se terça continuar insistindo que o correto discurso do AMa é uma desqualificada salada de frutas… :(

  63. Antonio G. - POA Diz:

    Tem outro “otário”, Marciano. Aqui no sul chove “a cântaros” faz muitos dias… Seria um sinal do fim dos tempos? Um novo dilúvio? Vai-se saber…
    A questão é que está perigoso pegar as estradas cheias nestas condições.
    Vou ficar no NETFLIX, uns queijinhos e uma taça de um bom vinho.
    .
    Bom feriadão a todos!

  64. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Dizer que Stevenson é o Conan Doyle da América é tão falso quanto dizer que James Randi é um cara honesto.”
    /.
    PONDERAÇÃO: Randi desmascarou dezenas de alegados paranormais, convidou outros tantos para serem testados (inclusive quem estava na mídia dando chous), que, inexplicavelmente, recusaram, mesmo ante a perspectiva de abocanharem um milhóreres.
    .
    O fato é que ele nunca achou um real dotado de paranormalidade (nem eu): isso certamente enfurece os crentes e os leva a detratar o investigador por todos os meios que encontram. Não que James Randi seja santo, erros deve ter cometido, mas seu trabalho é primoroso.
    .
    Vejo comentários de pessoas bem ilustradas e competentes, baixando o pau em Randi a apontarem desonestidades variadas no trabalho que realiza, até dizem que ele elabora seus testes de modo que a paranormalidade não possa ser demonstrada, o que seria outra “prova” de sua falsidade como investigador.
    .
    Mas é claro que a raiva contra Randi e contra outros que conforme ele pensam é por conta de afirmar que o paranormal se existe ainda não apareceu, o que nos leva a lembrar certa conjetura que reza: “psi se existir será força débil, de ocorrência incerta, sem controle (da parte do suposto paranormal) e sem aplicação prática…”

  65. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    FOI DITO:
    .
    “veja um dos exemplos da desonestidade patente de James Randi:”
    .
    http://www.sheldrake.org/reactions/james-randi-a-conjurer-attempts-to-debunk-research-on-animals
    .
    “aqui tem uma resposta de James Randi:”
    .
    http://www.skeptic.org.uk/component/content/article/542
    .
    “E abaixo comentários sobre a resposta de Randi:”
    .
    http://www.dailygrail.com/Skepticism/2009/12/Sheldrake-vs-Randi-Letters
    /.
    PONDERAÇÃO: quer dizer, a desonestidade de Randi, no frigir da gemas, se resume à opinião dos que não têm por ele grande simpatia (embora, é claro, sempre se pode apontar falhas em quem quer que seja, algumas pertinentes, outras falsas ou exageradas). Randi é considerado destituído de honestidade inclusive por ter posto dois pseudoparanormais a exibir poderes perante o físico que neles acreditou e não deu trela aos avisos de que estaria sendo ludibriado (caso veiculado nesse sítio).
    .
    Que Sheldrake queira dormir com o capeta mas não queira sequer contemplar foto de Randi é compreensível. Sheldrake é um alucinado ou espertalhão, ou ambos, que, admiravelmente, consegue cativar adeptos do paranormal unicamente por que acha paranormalidade em tudo.
    .
    À semelhança de crentes carismáticos para os quais quaisquer eventos incomuns tipificam a presença do demônio em ação, para Sheldrake ocorrências atípicas, quais a de se “adivinhar” quem está ligando indicam a “presença” da força paranormal em ação . A ridícula experiência com o cão telepata, que, pelo que parece, não teve condizentemente replicação, e foi muito mal feita (por exemplo, Sheldrake não testou a psi do animal fora da rotina da dona, como a de levá-la para outro estado e pô-la num ambiente diferente e conferir se mesmo assim a imaginada telepatia dava ar de sua graça), esse experimento, pasmantemente, é brandido por (alguns) adeptos da paranormalidade como mais um exemplo de que psi funciona.
    .
    Coisa de louco mesmo.
    .
    Gostaria de saber a opinião do INTERPSI a respeito dos experimentos do ensandecido, digo, pesquisador, sendo este instituto provavelmente a mais séria organização a estudar o paranormal no Brasil (se o Everton aqui participasse daria informações): dei uma verificada no site (http://www.ip.usp.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=2544%3Ainter-psi-laboratorio-de-psicologia-anomalistica-e-processos-psicossociais&catid=384%3Ainter-psi&Itemid=211&lang=pt) e nada encontrei referente ao Sheldrake. O que não é de admirar: quem vai querer perder tempo com desvarios?

  66. Gorducho Diz:

    Não, pelo que entendi a “desonestidade” do JR consiste em não ter lobrigado pessoalmente o teipe, confiando no relato de seus conhecidos europeus; enquanto que Sheldrake entende que ele dissera que o fizera.
    Note como o Administrador fugiu da resposta, partindo p/seu retiro semanal…

  67. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Mais um vídeo com legenda em português:
    .
    https://pensaralem.wordpress.com/2014/02/03/rupert-sheldrake-desmascara-james-randi/
    /.
    PONDERAÇÃO: “Sheldrake desmascara Randi”… muito sintomático…

  68. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Acho o trabalho “desonesto” dele essencial. Pena que esteja apodrecendo de velho.”
    ./
    PONDERAÇÃO: ôpa, apodrecendo? Ele ainda está ativo e produtivo… pena que todos, os que sobrevivermos, chegaremos onde ele chegou… e em que que estado?
    ./
    /
    “Honesto é Geller, Benveniste e sua água impressionada…”
    /.
    PONDERAÇÃO: honesto também é Ingo Swann com sua visão remota, que “viu” bases alienígenas na lua… honesto é Sheldrake… bem, talvez ele seja honesto, delírio não é o mesmo que desonestidade…; honesto é Luiz Carlos Amorim, que garante ter sido (secretamente) contratado pelo governo inglês para descobrir minas enterradas em solo inglês…honesto é Sean Harribance, por alguns alcunhado “psíquico excepcinal, como se tal existisse (vide a conjetura de Moi) que afiança ter o poder da “psicometria” (ler informes psíquicos em fotos e materiais diversos), e há quem acredite nisso…
    .
    Esses sim, são honestos contra qualquer contrapova…
    .
    É por essas que acredito piamente no anãozinho gigante, este ao menos não inventa nada…

  69. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Acabo de receber uma mensagem do Bussunda:
    .
    Fala sério…”
    /.
    PONDERAÇÃO: em complemento, acabo de receber telepatia mediúnica do Sérgio Porto: “o FEBEAPÁ continua”…

  70. Marciano Diz:

    GORDUCHO, tenha certeza de que a Administração aparecerá com um caminhão de argumentações tentando desqualificar o meu discurso, mas nada que convença de que ele está certo.
    E provavelmente choverão citações e colagens, além do trunfo na manga, a AAAS.
    Qualquer semelhança com SPR e Vlad não deve ser mera coincidência.
    Aí, quando eu digo que ele é mestre e doutor em erística, ele fica ofendido. Era um elogio. Não é qualquer um que domina essa arte. Precisa ser muito inteligente, e isto ele é.
    .
    .
    .
    ANTONIO, o tempo aqui está bom, fazendo sol e calor, mas eu não planejei nada.
    Talvez eu pegue uma praia amanhã. Provavelmente, não. Não gosto de lugares superlotados. Coisa de “otário”.
    .
    .
    .MONTALVÃO: “O fato é que ele nunca achou um real dotado de paranormalidade (nem eu): isso certamente enfurece os crentes e os leva a detratar o investigador por todos os meios que encontram.”
    .
    Desculpe a pergunta cretina, mas será que é isso o famoso argumento ad hominen, quando você procura desqualificar a pessoa (não sei se dá pra falar em “homem” no caso de Randi – ele poderia não gostar – a Martnália não gosta de ser chamada de mulher), em vez de desqualificar seu argumento, no caso de Randi, seu bom trabalho de desfraudar falsos fenômenos.
    .
    Não existe meio de elaborar testes de modo que a paranormalidade não possa ser demonstrada, o que existe é o contrário – impossibilidade de elaborar testes de modo a mostrar que a paranormalidade possa ser inegavelmente demonstrada.
    É por isso que odeiam tanto o Randi.
    .
    Fui eu que veiculei o caso do cientista que não acolheu os avisos de Randi. Randi houvera plantado os falsos psychics e ainda se deu ao luxo de alertar o cientista para o fato, só que este estava convencido da genuidade dos caras implantados pelo Randi.
    Será que isso é desonestidade?
    Ele já fez isso mais de uma vez, está tudo registrado nos mais diversos meios, inclusive livros escritos por outras pessoas.
    .
    .
    .
    1. MONTALVÃO Diz:
    OUTUBRO 10TH, 2015 ÀS 12:08 PM
    /
    /
    “Mais um vídeo com legenda em português:
    .
    https://pensaralem.wordpress.com/2014/02/03/rupert-sheldrake-desmascara-james-randi/”
    /.
    PONDERAÇÃO: “Sheldrake desmascara Randi”… muito sintomático…
    .
    Você entendeu o que VITOR não quis entender.
    Se você procurar na web, encontra de tudo. Eu só usei a palavra desmascarar associada a fatos que qualquer ser pensante sabe que é verdadeiro, como a seleção natura.
    Mostrei acadêmicos “desmascarando” a seleção natura.
    O que fez VITOR? Procurou insinuar que o trabalho é de Wallace, e não de Darwin (este seria desonesto – os desmascaradores teriam razão).
    Esqueceu-se de que a história registra que Darwin guardou suas conclusões por cerca de 20 anos, temendo o que finalmente aconteceu, só criando coragem quando viu que o trabalho de qualidade inferior (menos embasado) de Wallace estava para ser publicado.
    .
    .
    .
    Terça-feira premonizo que VITOR, como sempre, aparecerá com mil desqualificações, citações, transcritos de acadêmicos.
    Não sei se terei saco de ficar dando murro em ponta de faca.
    Se a paranormalidade é um fato científico incontestável, não sei mais a diferença entre fantasia e realidade. Estou louco.
    .
    Vou almoçar.
    Se estiverem aqui quando eu voltar, será um prazer.

  71. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “MONTALVÃO, estou começando a desconfiar de que você não existe.
    Mandei e-mail que não foi respondido. Parece que o CONTRA também não conseguiu.”
    /.
    PONDERAÇÃO: começo a pensar que esteja certo… ou então estou sendo boicotado pela rede mundial… De dias para cá só recebo mensagens de gente me oferecendo prêmios milionários e de quem dizendo que preciso tratar de minha impotência. Já passei antivírus, antimalware, antitrojans e até antiobsessores, mas o problema persiste. Inda bem que manjo para carácola de informática e estou vasculhando o mundo em busca de respostas.
    .
    Seja como for, acabo de ver seu e-mail pedindo-me provas de não ser um ente cibernético: estou reunindo material para apresentar ao júri. Do Contra ainda não vi nada, vou ver se não ficou perdido nalgum escaninho. No face ainda não adentrei nesta semana, vou conferir.
    .
    Meus onze, quase doze, cães (tem um dormindo na minha porta, implorando para entrar) estão dispostos a testemunhar em meu favor…
    .
    Câmbio, e desligo, minhas baterias estão se esgotando…

  72. Marciano Diz:

    Apodrecendo de velho foi força de expressão.
    Tudo o que eu quero é “apodrecer” de velho, como o Lima Duarte, o Ariclenes, que está com 95 anos, inteirinho, trabalhando em novela e fazendo propaganda.
    Não é para qualquer um. Para quem gosta de estatística, menos de 3% da população brasileira consegue isso, e quando consegue, está toda estropiada.
    .
    .
    .
    A Amorim revelou o trabalho “secreto”?
    Sou obrigado a fazer uma revelação. Eu sou (era, agora que vocês sabem) agente secreto do MI6.
    O que significa a palavra “secreto”?
    .
    .
    Onde se lê seleção natura, leia-se seleção natural, coisa do poltergeist do blog. A única coisa estranha que não posso negar que existe.
    .
    O papo está bom, mas eu estou faminto.

  73. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Sheldrake desmascara Randi”… muito sintomático…”
    .
    DE MARTE: Você entendeu o que VITOR não quis entender.
    Se você procurar na web, encontra de tudo. Eu só usei a palavra desmascarar associada a fatos que qualquer ser pensante sabe que é verdadeiro, como a seleção natura.
    /.
    PONDERAÇÃO: o problema do Vitor com o Randi (dele e do pessoal aferrado à realidade de psi como “força” real, ativa e utilitária) está no fato de que Randi testifica contrariamente a essa crença, daí, compreensível que alguns ad hominens surjam, e também o uso inadequado de textos que questionem a cientificidade do trabalho do mágico.
    .
    Randi busca um paranormal para chamar de seu, só que ele o quer legítimo, autêntico, e não encontra… mas como outros acharam tais, quais seriam Sean Harribance Ingo Swann, Joseph MacMoneagle, Amyr Amiden… e quais foram Uri Geller, Green Morton, Luiz Carlos Amorim, e tantos outros, estes achadores de paranormais querem que Randi engula suas descobertas, até “exigem” que ele aceite a paranormalidade estatística, o que mostra total desconhecimento da conjetura IIb (2b) de Moi, que postula: “estatística não prova paranormalidade”…
    .
    Quando Jesus voltar tudo mudará…

  74. Espírita Sp Orlando Diz:

    Marciano Diz:
    outubro 10th, 2015 às 12:53 PM
    Apodrecendo de velho foi força de expressão.
    Tudo o que eu quero é “apodrecer” de velho, como o Lima Duarte, o Ariclenes, que está com 95 anos, inteirinho, trabalhando em novela e fazendo propaganda.
    Não é para qualquer um. Para quem gosta de estatística, menos de 3% da população brasileira consegue isso, e quando consegue, está toda estropiada.”
    Chico enquadrou-se nisso. 92 anos. Acompanhava todo trabalho do Centro,, cuidando do preparo da. Sopa e ainda psicografando vez ou outra.
    .

  75. vinicius Diz:

    Orlando outro dia disse que não tem como evocar Bezerra ou o próprio CX. Gozado, quando li em Kardec sobre evocações achei extremamente fácil, até em casa poderia fazer isso! Vejam:

    OLM :Espíritos que podem ser evocados

    274. Todos os Espíritos, qualquer que seja o grau em que se encontrem na escala espiritual, podem ser evocados: assim os bons, como os maus, tanto os que deixaram a vida de pouco, como os que viveram nas épocas mais remotas, os que foram homens ilustres, como os mais obscuros, os nossos parentes e amigos, como os que nos são indiferentes.

    282. Questões sobre as evocações

    1ª Pode alguém, sem ser médium, evocar os Espíritos?
    “Toda gente pode evocar os Espíritos e, se aqueles que evocares não puderem manifestar-se materialmente, nem por isso deixarão de estar junto de ti e de te escutar.”

    Nessa época Kardec não sabia da existência do AÉROBUS e se espantava com a rapidez:

    282-6ª Sabemos que as distâncias nada são para os Espíritos; contudo, causa espanto ver que respondem tão prontamente ao chamado, como se estivessem muito perto.”

    COMO ERA FÁCIL NO TEMPO DE KARDEC (HOJE SÓ CONFUSÃO, SÓ 2 OU 3 CONSEGUEM EVOCAR)
    27ª Poder-se-á evocar nominativamente muitos Espíritos ao mesmo tempo? ”
    Não há nisso dificuldade alguma e, se tivésseis três ou quatro mãos para escrever, três ou quatro Espíritos vos responderiam ao mesmo tempo; é o que ocorre se se dispõe de muitos médiuns.”

    33ª Quanto tempo deve decorrer, depois da morte, para que se possa evocar um Espírito?
    “Podeis fazê-lo no instante mesmo da morte; mas, como nesse momento o Espírito ainda está em perturbação, só muito imperfeitamente responde,”

    JÁ ANIMAIS E ROCHEDOS NÃO TEM COMO:
    36ª Pode evocar-se o Espírito de um animal?

    “Depois da morte do animal, o princípio inteligente que nele havia se acha em estado latente e é logo utilizado, por certos Espíritos incumbidos disso, para animar novos seres, em os quais continua ele a obra de sua elaboração. Assim, no mundo dos Espíritos, não há, errantes, Espíritos de animais, porém unicamente Espíritos humanos.”

    a) Como é então que, tendo evocado animais, algumas pessoas hão obtido resposta?
    “Evoca um rochedo e ele te responderá. Há sempre uma multidão de Espíritos prontos a tomar a palavra, sob qualquer pretexto.”

  76. vinicius Diz:

    SEI QUE É REPETITIVO, MAS É SÓ UMA BRINCADEIRINHA :LOL:

    No final desse trecho Waldo fala que de 10 médiuns, 8 fraudam. Ou seja, ele mesmo e o CX são os únicos que não fraudam nessa história (2 médiuns)

    “Waldo Vieira: Isso aí é outra coisa. O Chico gostava de fazer pesquisa com as outras pessoas. Foi isso que nós estávamos fazendo com essa Otília Diogo, você está entendendo? É outra coisa. Você sabe que esse negócio da Otília Diogo escreveram livros, muita gente pra defender a gente, todo mundo… a nossa intenção não era nada com aquele negócio. Você vai pesquisar um médium, você responde por aquilo que você vê na hora. Eu (…) você não tem nada a ver com isso. Agora, se você não pegar tudo que é médium que aparece, você não pesquisa ninguém. Você vai pegar 10 médiuns, às vezes 8 deles fraudam. Que é que é? Você está pesquisando, você mete o pau.”

    http://obraspsicografadas.org/2010/waldo-vieira-responde-a-dvidas-sobre-fraudes-de-chico-xavier-e-otlia-diogo/

  77. Marciano Diz:

    MONTALVÃO trouxe a lume o FEBEAPÁ, o Festiva de Besteiras que Assolam o País.
    Criação de Sérgio Porto, o Stanislaw Ponte Preta.
    .
    Em homenagem a GORDUCHO E MONTALVÃO, aqui vão algumas de suas frases:
    .
    - Esperanto é a língua universal que não se fala em lugar nenhum.
    .
    - A diferença entre o religioso e o carola é que o primeiro ama a Deus, o segundo, teme.
    .
    - No Brasil as coisas acontecem, mas depois, com um simples desmentido, deixaram de acontecer.
    .
    - Ser imbecil é mais fácil.
    .
    - Mais monótono do que itinerário de elevador.
    .
    - Difícil dizer o que incomoda mais, se a inteligência ostensiva ou a burrice extravasante.
    .
    - Pode-se dizer a maior besteira, mas se for dita em latim muitos concordarão.
    .
    Vou pra mais um rolezinho.
    BBS

  78. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Amorim revelou o trabalho “secreto”?
    Sou obrigado a fazer uma revelação. Eu sou (era, agora que vocês sabem) agente secreto do MI6.
    O que significa a palavra “secreto”?”
    /.
    PONDERAÇÃO: A respeito do Luiz Carlos Amorim, válida considerar a apreciação do Joston Silva, que se apresenta como psicólogo, hipnólogo e parapsicólogo, portanto ente da mais aprofundada formação. Texto que ele escreveu em 2006 (aqui ele discorre a respeito da tarefa de Amorim na Inglaterra):
    .
    =============================.
    Pesquisei pessoalmente com a minha qualificação de Parapsicólogo os paranormais THOMAS GREEN MORTON (fiquei com ele três dias, quando o mesmo residia em Três Corações/MG) e o Luiz Carlos Amorim de Brasília-DF.
    .
    Presenciei fenômenos curiosos que o General Moacyr Uchoa (já falecido) publicou em livro memorável. Mas outros já fizeram o mesmo: escreveram sobre o que vivenciaram, e no que deu?
    .
    A comunidade científica os ignora solenemente e chama esses dado de “anedóticos” sem qualquer valor científico e, creio que não estão errados, pois estão presos a esquemas mentais extremamente limitados e ridículos.
    .
    A apresentação do Uri Geller no Brasil não produziu qualquer efeito junto ao Gorverno do Brasil, mas li uma notícia que em Tóquio/Japão, com a mesmíssima apresentação o governo japonês promoveu o teste de mais de quinze mil jovens e cerca de mil se mostraram capazes de repetir com sucesso os fenômenos do Geller…
    .
    Mas por que não divulgaram, fizeram algum escarceu sobre o assunto? Dizem que todo paranormal é imediamente levado a servir na espionagem dos “inimigos” e isso é altamente secreto.!!!! Será?
    .
    O Luiz Carlos Amorim, conta que foi levado secretamente para a Inglaterra e lá localizou 60% de minas colocadas pelos vietnamitas numa certa área. Um resultado tido como excelente, já que os aparelhos eletrônicos da época explodiam as minas e eram destruídos.
    .
    O “funciona” do Uri Geller e RÁ do Thomas Green causaram espanto e eu pessoalmete os confirmei, mas têm sido ridicularizados de modo sistemático pelos “donos da verdade”. Um “parapsicólogo” padre católico num artido de meia página “explicou” que um agente do Uri Geller colocava um aparelho nas antenas transmissoras e retransmissoras de rádio e TV com onda capazes de ralizar os fenômenos de interferência nos metais.À época enchi-me de furor com tal artigo, mas caí na real.
    .
    No interior de Rondonópolis/ MT, onde ministrei por muitos anos cursos de Parapsicologia e Psicologia aplicadas à vida diária, cujo nome era O DOMÍNIO DA MENTE, soube e visitei uma mocinha que aos cinco anos, vendo o Uri Geller dobrar metais fez o mesmo. A mãe da moça mostrou-me jornais com várias fotografias de talheres dobrados e quebrados com o “poder da mente”.
    .
    Por que não foi adiante? O pai encheu-se de horror e, como bom evangélico, passou a surrar a filha sempre que ela fazia uma demonstração, traumatizando-a definitivamente com a afirmação de que era o “poder de satanás” em ação. Mas, quem se importa?
    .
    O Thomas Green, num restaurante me fez sentar à sua direita e a um coronel a sua esquerda (este me dissera que se o Thomas fizesse alguma gracinha ele o levaria preso!!), pediu que os presentes nos entregassem notas de um cruzeiro (ainda não eram reais) assinadas, que eu e o coronel datamos e também assinamos; depois as dobramos de modo que pude manter na minha mão, nove notas. Não sei quantas o coronel pegou. O Thomas não fumava, mas pegou um cigarro, acendeu e aproximava a brasa no dorso de minha mão direita fechada com as notas e chaves – metal – num só ponto produzindo uma pequena queimadura, cuja marca existe até hoje. Enfim, ele escreveu a fogo em todas as notas uma data e o nome de uma cor, diferentes de notas para nota. Na minha estava escrito BRANCA e a data 25-10-86.
    .
    Perguntamos o que significavam e ele disse que algo de importante aconteceria para a pessoa na data dada, mas não sabia o que e a cor era uma indicação da cor da roupa que traria sorte na vida da pessoa!!! Sempre fui um descrente, mas me curvei à evidência e daí em diante me tornei mais humilde, pois sei que nada sei…
    .
    Como ele fez aquilo? Não sei, ninguém sabe, ele mesmo disse que sabia que o faria, mas também não sabia explicar.
    .
    Bem, e daí? Isso mudou nossas vidas? Ajudou? Confundiu? Só nos fez pensar e muito.
    .
    Quando eu conseguia mover um mínusculo pêndulo de pena de galinha dentro de um copo de vidro, apenas com a mão, a maioria dos alunos não conseguiam, outros sim… e daí? Um livro interessante de um ex-mestre Rosacrus, Mansur, chamado A VERDADE DE CADA UM me mostrou que a caminhada é individual e intransferível: cada um tem seu próprio mapa mental e é uma ilusão pensar possível unificar esses mapas.
    .
    A Revista Planeta divulgou exaustivamente todos os fenômenos paranormais e o que foi conseguido? A Parapsicologia Geral e Experimental como disciplina opcional eu consegui implantar e ministrar oficialmente para doze turmas de alunos da Universidade de Brasília/DF. Creio que consegui apenas mostrar aos participantes que cada de nós tem um potencial mental, energético, sei lá, capaz de produzir o que desejarem se a isso se dedicarem com afinco.
    .
    Bem, creio que me entusiasmei e me excedi em escrever o que não foi pedido.Tudo bem.
    Um abraço
    Joston.
    .
    ===============================.
    Necessário comentário?

  79. Marciano Diz:

    A referência ao latim, para os menos esclarecidos, é mais genérica do que isso.
    Se falamos de coisas aparentemente difíceis, que poucos conhecem, podemos falar as maiores atrocidades, pois a maioria concordará para não parecer burro.
    .
    É um recurso muito usado aqui. Não exatamente latim.
    Eu até cito frases em latim, mas sempre traduzo, a não ser as óbvias, as que todos conhecem ou deveriam conhecer.
    Be Back Soon!

  80. Marciano Diz:

    A referência à revista Planeta me deu uma ideia.
    Se a administração gosta tanto da Superinteressante, deveria dar uma olhada na Planeta.
    Tem assuntos bem ao estilo psicodélico que reina por aqui.

  81. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    vinicius Diz: Orlando outro dia disse que não tem como evocar Bezerra ou o próprio CX. Gozado, quando li em Kardec sobre evocações achei extremamente fácil, até em casa poderia fazer isso! Vejam:[...]
    ./
    PONDERAÇÃO: o Samporlando não é kardecista, sim chiquitista, apesar de pouco conhecer das aventuras e desventuras de seu ídolo: por desconfio que seja mesmo chicumbandista…
    .
    E ele é igualzinho ao Vlad (seriam dissociações de uma mesma personalidade?): quando confrontado com questões que embaraçam faz de conta que não viu…

  82. MONTALVÃO Diz:

    //
    De marte e Contra: enviei mails procês, digam se receberam que, caso não, preciso investigar o caquitacontecendo…

  83. Marciano Diz:

    Descubra se você é paranormal

    .
    Consegue fazer algumas coisas estranhas? Percebe o que vai acontecer antes dos outros? Tem sensações que lhe dizem o que é o correto a fazer? Ou mesmo consegue movimentar objetos? Talvez você seja um paranormal fato.
    .
    Clique no link mais abaixo e faça este teste da revista Planeta e descubra.
    Se o teste der negativo, não se preocupe. Você pode aprenderalguns truques bem interessantes, como ler a mente, mover objetos e parar a pulsação. Visite a nossa seção Seja um Paranormal.
    .
    Fonte: Revista Planeta
    Leia a notícia completa »
    .
    http://www.sobrenatural.org/noticia/detalhar/4567/descubra_se_voce_e_paranormal/

  84. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, vou dar uma saidinha agora.
    Na volta eu vejo e te falo, nem que seja por via telepática, se não conseguir por meios eletromagnéticos (web).

  85. Gorducho Diz:

    E ele é igualzinho ao Vlad (seriam dissociações de uma mesma personalidade?): quando confrontado com questões que embaraçam faz de conta que não viu
     
    Eu já estou paranoico quanto a isso e portanto não confio nas especulações emanadas do m/juízo, mas já notara…
    Oscila entre o bom senso e a credulidade… faz de conta que não viu e depois retorna como se nada ocorrera… é de SP (por que a firmeza do Administrador?)…
    :?:

  86. Marciano Diz:

    Montalvão, continuo sem saber se você é um robô. Também, nem você sabe. O que não é de espantar, haja vista o roteiro de Blade Runner.
    .
    Não recebi nada. Nem pela web nem por telepatia.

  87. Marciano Diz:

    Por falar em Blade Runner, eu estava pensando em elaborar um exaustivo questionário para ver se você é humano ou robô, mas lembrei-me de que basta congelar sua pela para ver se é um replicante ou um humano.
    Mas você já frequenta este espaço há mais de 4 anos. Se fosse um replicante, já era.

  88. Marciano Diz:

    pela, não, pele.

  89. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Não recebi nada. Nem pela web nem por telepatia.”
    /.
    ué, fui no provedor e lá diz que a mensagem seguiu sem sobressaltos… vou ter que enviar umas para mim mesmo e saber se chegam…
    .
    Não quer dar outra conferida?

  90. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    VISONI: “um texto sobre o teste do Randi:”
    .
    https://pensaralem.wordpress.com/2014/01/24/a-farsa-do-desafio-paranormal-de-james-randi/
    ./
    PONDERAÇÃO: coisa horrenda o “texto”: melhor fora não citá-lo exemplificativamente…
    .
    Vamos a uma miúda avaliação…
    /.
    ==================================.
    “A Farsa do Desafio Paranormal de James Randi
    .
    James Randi é um famoso mágico que oferece 1 milhão de dólares para quem conseguir comprovar algum poder, supostamente, paranormal. Porém, o fato de ninguém ter ganhado o prêmio prova que a paranormalidade não existe?”
    ./
    PONDERAÇÃO: não, não prova, mas é indicativo de que o paranormal, se existe, é coisa rara. No entanto, a história não fica só nisso: se a paranormalidade existe o que será? Força ativa, intensa, que em sua maior expressão ultrapassa o âmbito das capacidades humanas, como alguns sonham?
    ./
    /
    “A arte da trapaça.
    A fundação de Randi (JREF) faz campanha contra assuntos que envolvem parapsicologia, paranormalidade, homeopatia e qualquer tipo de medicina alternativa. Os céticos costumam citar o desafio de Randi como a prova absoluta de que a paranormalidade é uma farsa completa. Há mais de 10 anos o mágico oferece o prêmio de 1 milhão dólares. Embora tenha dito que em 2010 o prazo seria finalizado, a fundação continua com o “desafio”. No entanto, as regras se modificaram em 2007; quem quiser ganhar o prêmio, no mínimo, deverá ser conhecido pela mídia e ter sido estudado por cientistas.”
    ./
    PONDERAÇÃO: por partes: 1) que eu saiba a JREF não “faz campanha” contra as atividades citadas: ela põe sob testagens alegações de paranormalidade e outras e divulga os resultados; 2) se há céticos apregoando que a parapsicologia seja “farsa completa”, não são todos que assim se pronunciam. A meu ver, o ceticismo saudável afirma que não há evidências robustas de que exista algo como uma força, ou energia, ou coisa assim, que permita ao homem se comunicar sem os sentidos e mover a matéria sem instrumento. Se houver será “força” tão débil e branda, e fora do controle dos que alegadamente a possuem, que não terá qualquer valor utilitário; e em sendo real essa “força” carece ser investigada, o quanto suficiente, para se determinar qual sua natureza.
    .
    No que se refere à aceitação atualmente para testes de apenas quem tenha passado nas mãos de cientistas e possua alguma divulgação é compreensível a atitude. Começa que se Randi ficar a investigar desconhecidos, e revelá-los falsos, isso pouco contribui para o esclarecimento da população geral e de investigadores em particular. Fosse esse o trabalho de Randi, daria aos malandros que se dizem poderosos e a seus advogados munição para alegarem que as provas de Randi dizem respeito somente a “fichinhas”.
    /
    /
    “Para que um suposto paranormal se submeta ao teste ele deverá seguir algumas regras, impostas pela JREF. O candidato deve arcar com todos os custos da viagem, hospedagem e material. Além disso, o candidato renuncia a qualquer tipo de reclamação à fundação Randi, mesmo que algum acidente ocorra durante os testes (se a pessoa perder um braço durante o teste, por culpa da estrutura da fundação ou erro dos avaliadores de Randi, teoricamente, nada poderá fazer) – no Brasil, a cláusula é inconstitucional, pois a integridade do indivíduo é primordial e, quando prejudicada, o apelo judiciário é um direito. Mas o pior ainda está por vir. Um teste preliminar é realizado com o indivíduo. O critério de seleção é absolutamente subjetivo, ou seja, se Randi decidir que não deve-se realizar o teste “formal”, antes da confirmação dos supostos poderes, ele não será feito¹.”
    /.
    PONDERAÇÃO: Quanto a pagar despesas, pensemos: o sujeito oferece prêmio de um milhão, não fatura nada com isso (se ainda tivesse uma emissora de televisão, poderia vender os direitos e dar um pra receber dez) e ainda tem que pagar os custos de deslocamento do candidato? A cláusula de renúncia faz sentido: malandros podem alegar de um tudo para ter motivos de abrir processo. E o critério de seleção talvez seja mesmo subjetivo, porém está escudado na experiência do pesquisador, o que não é pouco. Um sujeito pode chegar até Randi e jurar que é capaz de mover o sol de um lado para outro do horizonte terrestre, ou que tem controle sobre as tempestades: se James o recusar será apregoado que o julgamento foi subjetivo…
    /
    /
    “Pior do que isso é quando esbarramos no aspecto estatístico. Em tese, os testes estatísticos, existentes em toda a literatura da Parapsicologia, poderiam disputar o prêmio. Alegações extraordinárias exigem evidências extraordinárias – jargão usado com frequência pelos céticos. Por esse motivo, Randi exige significância estatística maior do que as outras áreas comuns da ciência. O que isso significa? Se o teste estiver acima do acaso e for anômalo, o “Desafio Paranormal” exigirá algo além disso. Na ciência tradicional a significância estatística é de p<0.05 – a probabilidade do resultado ser devido ao acaso seria de 5%. No teste, o candidato precisa de p<0.001 ou menor, ou seja, isso extrapola as exigências da própria ciência."
    /.
    PONDERAÇÃO: declarações tais devem deixar alguns adeptos do paranormal mais assanhados que gata no cio. A estatística serve para demonstrar peculiaridades em coisas definitivamente reais. No caso da paranormalidade as aferições estatísticas funcionam (mal) para apontar a probabilidade da presença do que chamam “fenômeno anômalo”. O que é esse fenômeno, se é que é, a estatística é incapaz de informar. Além disso, se a paranormalidade fosse força ativa e intensa desnecessário o uso de estatística para achá-la, pois se mostraria firme e pujante em experimentações comuns. Há uma inversão curiosa e perigosa, que passa despercebida por muitos: a estatística no paranormal é usada como “achador da coisa”, em vez de mensurador do alcance da coisa sob circunstâncias variadas.
    .
    Vamos a exemplo concreto, pense na telepatia. Para uns deslumbrados trata-se de habilidade real e comum, que muita gente utiliza em variadas situações. Mas se fosse assim conheceríamos ocorrências banais de eventos telepáticos. Em todo grupo, ou na maioria deles, haveria um ou mais telepatas ativos, e as pessoas muito se divertiriam com transmissões de pensamento. Neste caso, a habilidade não seria questionável, o que se discutiria era até onde ela poderia alcançar e quais suas aplicações.
    .
    Entretanto, tudo o que há disponível são historietas de indivíduos que pensaram em outros e havia algo incomum ocorrendo, mas não se sabia o quê, nem onde, nem porquê… para confirmar se realmente ocorreu fato relevante de paranormalidade só pelo contato direto entre os envolvidos (não paranormal). Quer dizer, para que seja possível identificar e interpretar algum evento como paranormal imprescindível se faz o uso dos sentidos e da tecnologia…
    /
    /
    "Randi ainda não aceita alegações de reencarnação como válidas de disputa do prêmio, pois as considera “religiosas”. Na verdade, ele mesmo as classificou assim. Esse tipo de ceticismo é falso, pois nega alegações a priori, ao invés de investigá-las. Se dependêssemos desse movimento cético para fazer ciência, transformaríamos a metodologia científica em um dogma. Infelizmente, alguns céticos já têm o trabalho de fazer isso; não porque estão preocupados com evidências científicas de qualidade, mas porque se importam mais com mágica do que com ciência."
    https://pensaralem.wordpress.com/2014/01/24/a-farsa-do-desafio-paranormal-de-james-randi/
    /.
    PONDERAÇÃO: parece que o autor gostaria que Randi fosse um novo (ou velho, que ele já não mais tão jovem) Stevenson. Por outro lado, se Randi se dispusesse a investigar alegações de reencarnação aí é que cairia no ódio pleno e amplo dos crentes…

  91. Marciano Diz:

    Vou conferir e já te falo, MONTALVÃO.
    Pra você, que gosta de MMA, está passando a reprise do UFC 192, GUSFAFSON X CORMIER.
    .
    Gorducho falou no acidente e pouso no Rio Hudson. Meia-noite e trinta e oito, no canal NAG GEO HD, 51-1 na SKY, passa Milagre no Hudson, contando o incidente/acidente.
    .
    .
    Se houver será “força” tão débil e branda, e fora do controle dos que alegadamente a possuem, que não terá qualquer valor utilitário; e em sendo real essa “força” carece ser investigada, o quanto suficiente, para se determinar qual sua natureza.
    .
    R.: Concordo in totum. Se houver lobisomens, serão seres com “força” tão débil e branda, e fora do controle dos que alegadamente se transformam, que não terá qualquer valor utilitário; e em sendo real essa “força” carece ser investigada, o quanto suficiente, para se determinar qual sua natureza e ainda se realmente balas de prata são capazes de dar-lhes um fim.
    .
    Vou olhar minha caixa de e-mails.

  92. Marciano Diz:

    Não tem nada, nem na caixa de spam.
    Quer tentar de novo ou prefere telepatia?

  93. Marciano Diz:

    Te mandei outro e-mail.
    Tente responder. Clique no botão responder.

  94. Marciano Diz:

    Acho que o poltergeist do blog está interferindo na nossa tentativa de comunicação.
    É de todo interesse dele que não consigamos nos comunicar.
    Acho que todos já notaram que um poltergeist apossou-se do blog.
    Ele deve ficar aborrecido com a bancada cética, a qual não crê na existência do Sobrenatural de Almeida.
    Além de interferir no que escrevo aqui, no meu teclado, ele anda batendo portas e janelas na minha residência (por força do trabalho, tenho mais de uma, mas ele já as conhece), trocando canais de tv, tocando sons estranhos nos meus arquivos de mp3, tentando desviar a direção dos meus carros.
    Espero que seja “ela”, em vez de ele.
    Tomara que seja uma succubus, pois se for, a gente acaba se entendendo, desde que ela não seja feia.
    Dou logo um jeito de passá-la para a bancada cética. Ela nem vai acreditar que existe. Ou que seja um fantasma.
    Vai se sentir mais encarnada do que nunca, ou não me chamo Marciano.
    Estou em riste, à espera da succubus.
    Ad sumus.
    Semper fidelis.
    .
    https://fbcdn-profile-a.akamaihd.net/hprofile-ak-ash2/v/t1.0-1/p160x160/1175086_465596606871211_1081777391_n.jpg?oh=0895ff1281c1b6072b930fbfa243cea9&oe=568985F2&__gda__=1452961432_1340fd3c6ccec6f1984e18304ec596e7

  95. Marciano Diz:

    Depois que citei o Sérgio Porto aqui
    - Pode-se dizer a maior besteira, mas se for dita em latim muitos concordarão.
    .
    mesmo que seja óbio (e é), sinto-me na obrigação de traduzir:
    .
    Ad sumus, às vezes grafado erroneamente como uma única palavra, adsumus, quer dizer, aqui estamos, ou podem contar conosco, estamos sempre aqui, para o que for necessário.
    .
    Semper fi ou semper fidelis, sempre fiéis, com o mesmo significado.
    .
    O recado é para a poltergeist (espero que seja “ela”). Estou a postos, sempre pronto para servi-la.
    Pronto mesmo.
    Apresentar arma!
    .
    http://3.bp.blogspot.com/-WNMS9sETnfM/TtAV-5uJp6I/AAAAAAAABgU/PETFj1sYjss/s1600/Agulhas%2Bnegras.jpg

  96. Marciano Diz:

    Uma vez Fuzileiro, sempre Fuzileiro. Tá no sangue.
    .
    19º Batalhão de Caçadores
    Batalhão Pirajá
    .
    1ª Cia de Fuzileiros

    Missão:
    A missão da 1ª Companhia de Fuzileiros é preparar o Soldado da Reserva mobilizável, instruindo e adestrando-o em assuntos voltados, principalmente, para ações de garantia da lei e da ordem, de forma que estejam aptos a desempenhar suas missões de Soldado do Exército Brasileiro.
    Águia de Guerra!
    Brasil, acima de tudo!
    .
    Livremente plagiado de
    DEUTSCHLAND ÜBER ALLES.
    .
    .
    Vejam a águia de guerra aqui:
    .
    http://brasil.indymedia.org/images/2009/05/447740.jpg

  97. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    1. Marciano Diz:
    Descubra se você é paranormal
    .
    Consegue fazer algumas coisas estranhas? Percebe o que vai acontecer antes dos outros? Tem sensações que lhe dizem o que é o correto a fazer? Ou mesmo consegue movimentar objetos? Talvez você seja um paranormal fato.
    .
    PONDERAÇÃO: entãotão sou paranormal legítimo. Desde criancinha pequetita que faço coisas estranhas, não apenas nas fraldas. Aos dois ou três de idade dei pra comer meleca, porém o estranho não foi isso: eu guardava meleca para comer depois, caso não houvesse disponível quando a vontade viesse.
    .
    Saber o que vai acontecer antes de acontecer? Já fui especialista nisso: quando mamãe era viva e, às vezes, me contemplava com olhar que eu bem conhecia, sabia antecipadamente que a chinela ia cantar.
    .
    Mover objetos? E isso é paranormalidade? Então todos somos, pois, bem ou mal, conseguimos mover objetos mil. O mais precioso objeto que movo é a mim mesmo…
    .
    E ainda tenho more poderes: envio mensagens telepáticas a qualquer pessoa no mundo, esteja onde estiver, té na Bessarábia. Se eles a recebem? Aí o “pobrema” não é meu…
    .
    Também verto ectoplasma, infelizmente inda não materializei nada, nem uma cedulazinha de real, mas a luta continua…
    .
    Será que agora o Vitor passará a crer nos nacionais?

  98. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Pra você, que gosta de MMA, está passando a reprise do UFC 192, GUSFAFSON X CORMIER.”
    /.
    Eu vi a luta, só agora não alembro quem venceu, mas lembro quem os dois terminaram bem amassadinhos…

  99. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Se houver lobisomens, serão seres com “força” tão débil e branda, e fora do controle dos que alegadamente se transformam, que não terá qualquer valor utilitário; e em sendo real essa “força” carece ser investigada, o quanto suficiente, para se determinar qual sua natureza e ainda se realmente balas de prata são capazes de dar-lhes um fim.”
    /.
    PONDERAÇÃO: eu tenho uma tese: lobisomens existiram, mas acabaram: foram trucidados por tiros de prata, até o fim da munição. Por isso não os temos mais, nem os lobi, nem balas de prata…

  100. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Não tem nada, nem na caixa de spam.
    Quer tentar de novo ou prefere telepatia?”
    /.
    Pô, que coisa! Ontem mandei vários e-mails pra mim mesmo dos três endereços que tenho e todos chegaram…
    .
    Será que algum dos chineses para quem enviei “fucky you” conseguiu fazer desvio de minhas remessas pra só onde Deus sabe?
    .
    Vou fazer mais um teste: remeterei recados de todos meus mails, são quatro (falei três, mas quatro). Vê se um deles chega…
    .
    Se não funcionar acionarei meus poderes telepáticos…

  101. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Te mandei outro e-mail.
    Tente responder. Clique no botão responder.”
    /.
    Brigadu pela dica: pra responder necessário clicar no ícone do mesmo nome…
    .
    Eu uso SHIFT+CRT+R… será que é aí que falho?
    .
    Em tempo, a tempo: recebi a mensagem, tão o probrema tá nas remessa não nas recepção…
    .
    Volto ao laboratório.

  102. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Uma vez Fuzileiro, sempre Fuzileiro. Tá no sangue.”
    /.
    PONDERAÇÃO: nunca fui fuzileiro, tampouco servi qualquer das forças. Tentar tentei, porém era tão mirradinho que nenhum exército me queria, temiam que eu não guentasse carregar o fuzil…
    .
    Entretanto, tenho amigos fuzileiros e o ad sumus é comum entre eles e peguei um pouco do clima.
    .
    GADU AD SUMUS ABIMO PECTORE SEMPER FIDELIS.

  103. Marciano Diz:

    Cormier venceu por pontos. Gustafsson deu muito trabalho, os dois terminaram a luta quase como cx terminou a vida, bem estropiados.
    .
    Lobisomens estão extintos, assim como paranormais, médiuns, pterodáctilus, tigres de dente de sabre, mamutes, dodos…
    .
    A comunicação da oi não chegou, nem a telepática.
    Outros 3 chegaram de montão.
    .
    Também nunca fui fuzileiro, mas tenho e tive amigos que são ou foram.
    Fui militar do glorioso exército brasileiro, mas são águas passadas, daquelas que não derrubam mais pontes nem cortam os suprimentos do inimigo.
    Nunca estive em situação de combate, só treinamento, o que é lamentável.
    Ainda bem que tive umas poucas experiências de troca de fogo na polícia, mas é bem diferente. Os moinhos também não se importam mais com isso, ficaram alguns amigos, outros mudaram-se para o umbral, e eu capinei. Tirei o cavalo da chuva.
    Bota isso no google translator.
    .
    Eu gostaria que o GADU é que estivesse sempre presente ao meu lado, do fundo do coração (dele – se é que o tem), se bem que fiel, pelo que vejo nos vidros traseiros de alguns carros, o cara é.
    .
    .
    Estarei fora do ar por algumas horas.
    Pego o bonde de novo quando voltar.
    Tchüs!

  104. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, outro plágio dos brabos e sem citação ou crédito, veja:

    BJ Thomas – “Rock And Roll Lullaby” – 1972
    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=sO_rM2p9wCI
    .
    .
    Asa de Águia – “Dia Dos Namorados” – 1994
    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=j7Hlu-1NplM
    .
    .
    Até o refrão no fim da música é o mesmo da música de 72. Veja no selo do disco que o autor da música do Águia é o Durval e o Tonho. Sacanagem com o BJ Thomas.
    .
    .
    http://mlb-s2-p.mlstatic.com/16348-MLB20119539759_062014-C.jpg

  105. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Marciano, outro plágio dos brabos e sem citação ou crédito, veja:
    BJ Thomas – “Rock And Roll Lullaby” – 1972
    https://www.youtube.com/watch?v=sO_rM2p9wCI
    .
    Asa de Águia – “Dia Dos Namorados” – 1994
    https://www.youtube.com/watch?v=j7Hlu-1NplM
    /.
    DÚVIDA: num tô companhando essas garimpagens de plágios docês, mas nessa fiquei curioso: onde plágio?
    .
    Meu instrumento auditivo para música é precário, então não posso adentrar nas profundidades para opinar firmadamente, mesmo assim não achei plagiamento…

  106. Borges Diz:

    Caso Gretchen:

    “Alguns críticos podem alegar que C.J. desejava lucrar comercialmente com talpublicidade, e a partir disso podem continuar a supor que ele arquitetou todo o caso paradepois explorá-lo dessa forma. Penso que tais acusações seriam infundadas e eu mesmonão acreditaria nelas”
    Estou inclinado a concordar com o Dr. Stevenson, porém, alguns fatos me deixam com a “pulga atrás da orelha” e, em um deles, “a pulga está bem gordinha”:
    1 – Ausência de informações que levassem a identificar um personagem com as características de Gretchen.
    2 – CJ tinha interesse na divulgação do caso, tendo inclusive, escrito um livro a respeito.
    3 – Simulação: (é aqui que a pulga engorda)
    “Ela decidiu, portanto, como explicou mais tarde, tentarconsolá-lo com uma aparição bem-sucedida antes de ele ser submetido à cirurgia.Assim, tentou aprender algumas palavras alemãs com ajuda de um dicionário alemão-inglês. Então, simulou que entrava num estado de transe hipnótico com o marido etentou falar as palavras alemãs que havia estudado. Esta sessão não foi gravada. D.J.achou que não tinha conseguido atingir seu objetivo, mas C.J. não percebeu sua trapaça.Mais tarde, D.J. se sentiu cada vez mais culpada a respeito”
    Obrigado

  107. Borges Diz:

    Caligrafias:
    Acho que o Dr. Stevenson deveria ter solicitado para DJ copiar, com letra bastão, as palavras escritas em alemão por Gretchen, assim seria mais fácil comparar as caligrafias.
    Obrigado

  108. Marciano Diz:

    CONTRA, a sacanagem é com Barry Mann e Cynthia Weil (marido e mulher), que compuseram a música.
    B. J. só gravou.
    .
    .
    MONTALVÃO, pelos nossos critérios não cola a armação de mudar andamento, modificar ritmo, modificar alguns acordes.
    O que importa é a estrutura musical como um todo.
    Desacelere o andamento da música um pouquinho e perceberá que o ritmo e a melodia principal são muito semelhantes, mais do que uma coincidência explicaria.
    Tem gente que também não vê plágio nas obras de cx. É o critério de cada um.
    .
    Mas eu acho que devemos maneirar nos plágios. A Administração quer plágios de obras psicografadas, que é o assunto do blog.
    Outros plágios devem ser citados dentro desse contexto, como quando ARDUIN tentou defender cx alegando que foram muito rigorosos com Morris Albert, até ouvir a obra de Loulou Gaste.
    Aquilo é cópia fiel.

  109. Marciano Diz:

    Stevenson era crédulo demais para um cientista.
    Ele só registrava na mente o que confirmava suas crenças pessoais, aquilo em que queria acreditar. Devia ser bem seletivo com seu estudo de “causos”.

  110. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    MARTE: “MONTALVÃO, pelos nossos critérios não cola a armação de mudar andamento, modificar ritmo, modificar alguns acordes.
    O que importa é a estrutura musical como um todo.
    Desacelere o andamento da música um pouquinho e perceberá que o ritmo e a melodia principal são muito semelhantes, mais do que uma coincidência explicaria.”
    /
    PONDERAÇÃO: precisarei extrair tempinho extra do cosmo para melhor examinar os critérios que estão aplicando. Depois me manifesto.
    /
    /
    MARTE: “Tem gente que também não vê plágio nas obras de cx. É o critério de cada um.”
    /
    PONDERAÇÃO: há diferença, assim me parece: detectar plagiações em músicas e na produção mediúnica, conquanto haja pontos comuns. “Premero”, considero certo exagero diversos dos apontamentos de plágio nos escritos de Chico. Vezes me manifestei que o que pode ser considerado consistente é que Xavier tenha se inspirado noutros escritores para verter sua produção. Isso não é crime, todos que escrevem, maior ou menor grau, assim agem, inclusive eu.
    .
    Só que no caso de Xavier, esse inspiramento é demonstrativo de que a mediunidade é daqui mesmo da Terra: não são autores falecidos a enviar obras inéditas ao solo terrenal (porque no além não têm coisa melhor a fazer), nada disso, fora apenas chico, o xavier, fazendo uso do talento que a natura lhe concedeu e pastichando quem se foi.
    .
    Em alguns casos, porém, a perspectiva de ter havido plágio é consistente.

  111. Contra o chiquismo Diz:

    A sorte de cx é ele não aparecer ou estar no auge em épocas de internet.

  112. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, olha esse plágio descarado das Testemunhas de Jeová!!!!
    .
    .
    http://indicetj.com/pdf/75.htm
    .
    .
    Dessa vez não é de música.

  113. Gorducho Diz:

    Mas só porque alguém tem que representar o advocatus diaboli: será que não fizeram algum contrato c/essa atriz; veja que apareceu até na revista…
    Um contrato c/cláusula de sigilo…

  114. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, meu critério não é jurídico.
    Como o CONTRA tem bom ouvido, mas não é jurista, ampliei os critérios para além da estrita definição jurídica de cópia disfarçada.

  115. Marciano Diz:

    A semelhança é incrível.
    O desenhista deve ter utilizado fotos da atriz.
    É um truque básico de quadrinistas, ter fotos de pessoas, animais e objetos para usar como modelo.
    O ilustrador deve ter formação de quadrinista.
    Desenhos rápidos, com movimento aparente dos personagens desenhados.
    .
    Outra hipótese é a atriz ser reencarnação de uma das sedutoras de anjos e o desenhista ser um paranormal, que dela teve visões quando da encarnação de sedutora de anjos.
    Vá saber!

  116. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Marciano Diz:
    MONTALVÃO, meu critério não é jurídico.
    /.
    PONDERAMENTO: e não pensei que fosse…
    /
    /
    “Como o CONTRA tem bom ouvido, mas não é jurista, ampliei os critérios para além da estrita definição jurídica de cópia disfarçada.”
    /.
    PONDERAMENTO: e como não sou jurista, nem tenho bom ouvido, estou aplicando (tentando aplicar) um critério pessoal na avaliação. Se funcionará o futuro dirá e Deus sabe…

  117. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Contra o chiquismo Diz:
    Marciano, olha esse plágio descarado das Testemunhas de Jeová!!!! http://indicetj.com/pdf/75.htm
    .
    Dessa vez não é de música.
    /.
    PONDERAMENTO: essa foi de ferrar, hem? saite legal esse: vou vasculhá-lo em busca de mais outros informes: vez em quando bate uma testemunha em minha porta e sempre lhes deixo comentariozinho novidadeiro.
    .
    Pensando agora, tem tempão que não aporta um no portão: temo que tenham tirado meu nome da lista dos 144.000, o que será grande injustiça…

  118. Marciano Diz:

    A lista de 144.000 é apenas um privilégio. São aqueles que serão alçados à companhia pessoal de FG.
    .
    Os demais, ficarão aqui mesmo na Terra, ao lado de tigres, onças e leõs vegetarianos, verdadeiros zumbis, com vida e velhice eternas, como pode ser visto em publicações da Watchtower Society, e.g.:
    .
    http://1.bp.blogspot.com/-oidt0D-lqyQ/UneY4WbP-6I/AAAAAAAAASY/CoE7yd4Vx_U/s1600/amen.jpg
    .
    Não é que passou:
    http://3.bp.blogspot.com/_ErdidvniN0o/SbQUp0phaUI/AAAAAAAAAFE/q2rBV-tABiE/s400/1914NaoPassara.jpg

  119. Gorducho Diz:

    Isso é que nem a regeneração planetária do Kardec e a transição dos bezerrochiquistas: sempre vão adiando.
    Tem sido sempre assim c/os cristãos. Já os primeiros esperavam a volta do Messias para dentro de muito breve.
    Inclusive é um dos bons argumentos daqueles que dizem ser impossível os primeiros cristãos terem sido reencarnacionistas como às vezes tentam forçar os espíritas: eles não esperavam que o mundo durasse tempo suficiente p/irem, estarem nalgum bivaque em planeta deserto durante certo tempo, e renascerem antes do mundo ter acabado.
    Será que enfim em 2019 a coisa anda?

  120. Contra o chiquismo Diz:

    Bom mesmo desse site é essa parte que trata das figuras subliminares satanicas nas publicações das TJs. Aqui nesse link mais de 100 figuras com seus símbolos:
    .
    .
    http://indicetj.com/pdf/estudo_2_jehovah.htm
    .
    .
    E nesse tb figuras sinistras:
    .
    .
    http://indicetj.com/pdf/estudo_1_jehova.htm

  121. Contra o chiquismo Diz:

    O ‘espiritismo’ é tão ruim mas tão ruim que nem tem figuras pra gente analisar e detratar.

  122. Contra o chiquismo Diz:

    Aliás esse site Índice TJ é bom mesmo, tudo sobre o lado afro descendente/escuso das TJs.
    .
    .
    http://indicetj.com/
    .
    .

    Tb tem publicação racista das TJs. E algo ‘espirita’ nos primeiros livros delas.
    .
    .
    Nessa parte do site tem os artigos de A a Z
    .
    http://indicetj.com/indice-a-z.htm
    .
    E – espiritismo
    R – racismo
    .
    .
    Porém deixo rapidamente um link sobre o racismo deles:
    .
    .
    http://indicetj.com/o/tudo_tj.htm#14a
    .
    .
    “”…É verdade que a raça branca exibe algumas qualidades de superioridade sobre qualquer outra…” – Zion’s Watch Tower de 15/7/1902, pág. 3043 (reimpressão)
    .
    .
    “Cuidadosas observações em uma escola em Londres mostraram que as crianças davam suas melhores risadas, não com comédias ‘pastelão’, mas…olhando um mineiro negro comer um prato cheio.” – A Idade de Ouro de 1928, pág. 684 (em inglês)”

  123. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano os plágios musicais são irresistíveis mesmo… Vc acha que o Roberto Leal plagiou os Beatles? Veja se “Uma casa portuguesa” Não é plágio de Ob la di Ob la da:
    .
    .

    Roberto Leal – Casa portuguesa
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=RsGDPAQYNvU
    .
    .
    E tb veja se o Raul seixas tb plagiou a mesma música Ob La di Ob la da tb:
    .
    .
    Raul Seixas – Peixuxa – 1975:
    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=FDJW6KPvnSs
    .
    .
    Roberto Leal plagiou Raul ou foi plágio do plágio do Roberto em cima dos Beatles e do Raul???

  124. Borges Diz:

    Caso sharada:-
    Embora eu tenha atingido apenas o meio do livro no processo de leitura, já consigo ter uma ideia sobre este interessante e complicado caso, uma autêntica “charada”. Penso tratar-se de um caso de possessão, pois é semelhante ao episódio da “menina que assumiu a personalidade do primo morto”, cujo link, correspondente ao vídeo indiquei aqui no blog. É claro que os dois guardam algumas diferenças, porém acho que não comprometem o enquadramento como caso de possessão.
    No caso brasileiro, os personagens falavam a mesma língua e foram contemporâneos, ao passo que no indiano, falavam línguas diferentes e havia um intervalo de aproximadamente um século e meio entre eles.
    O episódio brasileiro ocorreu apenas uma vez e durou alguns dias, ao passo que o caso de sharada, que também durava alguns dias, passou a se repetir indefinidamente.
    Conjecturando a meu modo, penso que fica afastada a hipótese de fraude por uma simples razão: A manutenção de um personagem como este, de forma indefinida, demanda muito trabalho e causa muito transtorno, comprometendo seriamente a vida profissional e social do sujeito (Uttara), tornando inviável qualquer expectativa de conseguir vantagens com a fraude. Ainda mais, levando-se em conta que Uttara tinha dois títulos de mestrado e um futuro brilhante.
    Obrigado

  125. Contra o chiquismo Diz:

    Essa eu acho que é muita viagem minha, mas me ajuda ae, vc que tem bom ouvido. Será que o Dicró plagiou o Thelonius Monk??????????????? Veja se a introdução de Blue Monk e Melô da galinha não são idênticas?
    .
    .
    Thelonius Monk – Blue Monk:
    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=cWOz9mILqbA
    .
    .
    Dicró – Melô da galinha:
    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=ga8wzFeraxs
    .
    .
    E aos 1:30 o Dicró repete a introdução…

  126. Antonio G. - POA Diz:

    Sobre CX, aos 92 anos, Espírita Sp Orlando disse: “…e ainda psicografando vez ou outra.”
    .
    Pois é. O cara era demais… Grande médium!

  127. Vitor Diz:

    Montalvão disse:
    .
    “A ridícula experiência com o cão telepata, que, pelo que parece, não teve condizentemente replicação, e foi muito mal feita (por exemplo, Sheldrake não testou a psi do animal fora da rotina da dona, como a de levá-la para outro estado e pô-la num ambiente diferente e conferir se mesmo assim a imaginada telepatia dava ar de sua graça)”
    .
    É por isso que não dá para levar a sério as declarações do Montalvão… outro erro grosseiro…
    .
    Routine. Jaytee’s anticipatory behavior when PS was coming home occurred at various times in the morning, afternoon and evening and did not depend on a routine time of return. This was apparent in the series of 30 ordinary homecomings (Figs 3 and 4) as well as in our experiments with randomly-selected return times (Figs 1 and 2; see also Sheldrake & Smart, 1998). The data from the experiments of Wiseman, Smith and Milton (1998) with randomly-selected return times replicate and confirm our own findings (Fig. 7). Moreover, in control observations when PS was not coming home Jaytee did not start waiting at a particular time (Fig. 5).
    .
    When these data were analyzed statistically, a linear regression of Jaytee’s waiting times against PS’s journey times showed that the times when Jaytee began waiting were very significantly (p<0.0001) related to the times that PS set off (Sheldrake & Smart, 1998). It did not seem to matter how far away she was.
    .
    to check that Jaytee was not reacting to the sound of PS’s car or other familiar vehicles, we investigated whether he still anticipated her arrival when she travelled by unusual means: by bicycle, by train and by taxi. He did (Sheldrake & Smart, 1998).
    .
    Parece que o Montavlvão ainda não aprendeu uma regra básica: deve-se no mínimo ler aquilo que se critica…

  128. Gorducho Diz:

    E por que o teipe que o JR alega que o conhecido viu é tão difícil assim de ser disponibilizado?
    O Sr. saltita c/isso desde antes do feriado… :(

  129. Vitor Diz:

    Porque vc não manda um simples email para o Sheldrake pedindo o teipe? Porque eu tenho que fazer tudo?

  130. Gorducho Diz:

    AH! não!
    p < 0.0001 então nem precisa ver o teipe…

  131. Gorducho Diz:

    Por que é o Sr. quem os cita.
    Nós não somos Crentes, então o ônus da prova não é nosso!
     
    Mais: foi O SENHOR quem deu esse exemplo de uma suposta desonestidade do JR, que nem estava na pauta (a pauta se bem me lembro eram as Fraternidades que apoiam a FEESP desde o ultramundo; bem como os celulares e suas respectivas antenas que permitem essa intercomunicação…).

  132. Vitor Diz:

    A desonestidade do Randi JÁ ESTÁ PROVADA sem a necessidade de qualquer teipe. Ele diz: “Vendo a fita inteira, nós vemos” (portanto, se inclui) na revista Dog World e depois diz “um colega meu na Europa me disse que viu o teipe…”.
    .
    Se você não acha isso desonesto… você seria um bom amigo do Lula e da Dilma… :D

  133. Contra o chiquismo Diz:

    Alô “J Bon Jovi”… “Don Chibata” manda lembranças.

  134. Gorducho Diz:

    Agora não estou em posição e tempo para reprocurar, mas me ficou no neurônio que ele tenha dito vê-se; que não significaria explicitamente eu lobriguei
    De qualuqer sorte, o que define a substância é se o teipe mostra ou não o comportamento do Jaycee em relação aos transeuntes e veículos.
    E em tempos de YouTube por que será que tá tão difícil?
    Parece que é como pedir p/os espíritas que façam uma mesa girar ou uma corbeille toupie explicar o Evangelho :(

  135. Vitor Diz:

    “Agora não estou em posição e tempo para reprocurar, mas me ficou no neurônio que ele tenha dito vê-se; que não significaria explicitamente eu lobriguei…”
    .
    Impressionante como a preguiça bate nessas horas de desmistificar os seus herois…ele diz:
    .
    Viewing the entire tape, we see that the dog responded to every car that drove by, and to every person who walked by.
    .
    Assim ele diz explicitamente NÓS VEMOS. Ele se inclui entre os que teriam visto a fita inteira. DEPOIS ele diz que só viu uma parte: “The only portion of tape that I was able to see was the section that Sheldrake saw fit to publish”
    .
    Assim ele mentiu na Dog World. Ele não viu a fita inteira.
    .
    “E em tempos de YouTube por que será que tá tão difícil?”
    .
    Pois é, porque o Randi não pediu para o amigo europeu dele para publicar a fita então?

  136. Gorducho Diz:

    Não é preguiça, agora respondo mas estou desconfortável p/ficar procurando p/trás. Sabe muito bem que sou tanto quanto o Sr. um dos que mais pesquisa bibliografias.
     
    Pois é… então seria vemos, certo?
    Mais explícito p/a m/hipótese seria one sees
    Se eu fizesse um comentário semelhante baseado em que correligionários confiáveis – AMo, AMa, ACoC, AAG.-POA…- me tivessem dito que viram, &c.
     
    Publicar ele não pode pois que não lhe pertence; cabe ao Sheldrake!

  137. Gorducho Diz:

    JR não é meu herói, tanto que no primeiro momento nem m/flagrei quem era.
    Se convença: não tenho heróis, não dou bola p/Dawkins & outros; pode observar.
    Faço m/pesquisas geralmente em caráter particular procurando ver as fontes originais – isso sim! – e literatura sobre o tema, mas as conclusões são minhas ou baseadas em outros Analistas do Sítio.
     
    Me cobre se não é assim…

  138. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    GORDUCH0: Inclusive é um dos bons argumentos daqueles que dizem ser impossível os primeiros cristãos terem sido reencarnacionistas como às vezes tentam forçar os espíritas: eles não esperavam que o mundo durasse tempo suficiente p/irem, estarem nalgum bivaque em planeta deserto durante certo tempo, e renascerem antes do mundo ter acabado.
    /.
    PONDERAÇÃO: o argumento é bom para cristãos, não para espíritas, Kardec contra ele se resguardou ao declarar que “se a reencarnação existe, então é lei natural”, e como os espíritos por kardec consultados todos (garante ele) apoiaram a reencarnação, significa, pela lógica espiritista, que é lei natural e todos a ela estão sujeitos, inclusive os cristãos que nela não acreditavam…
    .
    Só que o que seria ponderação irretorquível, em realidade, se volta contra seus propagadores. Fosse as multividas lei natural, após tantas idas e vindas de uma dimensão para outra, não mais haveria que rechaçasse o vaivém existencial. Quer dizer, já ao tempo de Kardec o cristianismo estaria mais que maduro para agregar a certeza poliexistencial aos seus ensinos. Entretanto, falhou, e se falhou é porque, mesmo no âmbito do raciocínio kardecista, trata-se de suposição falhada.

  139. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Penso tratar-se de um caso de possessão, pois é semelhante ao episódio da “menina que assumiu a personalidade do primo morto”, cujo link, correspondente ao vídeo indiquei aqui no blog. É claro que os dois guardam algumas diferenças, porém acho que não comprometem o enquadramento como caso de possessão.”
    /.
    PONDERAÇÃO: beleza! Agora só falta mostrar a teoria que a ampara a hipótese de que um ente desencarnado tenha a faculdade (poder, capacidade) de apossar-se de corpo que não lhe pertence, com todas as aporias cabíveis devidamente elucidadas…

  140. MONTALVÃO Diz:

    /.
    “Essa eu acho que é muita viagem minha, mas me ajuda ae, vc que tem bom ouvido.”
    /.
    PONDERAÇÃO: inclua-me fora dessa: além de carecer de bom conduto auditivo para o que diz respeito à música, tentei acompanhar as reflexões de vocês dois e senti-me anodado sem perdão…
    .
    Anodado=cheio de nós mentais indesatáveis.

  141. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    G POA: Sobre CX, aos 92 anos, Espírita Sp Orlando disse: “…e ainda psicografando vez ou outra.”
    .
    Pois é. O cara era demais… Grande médium!
    /.
    PONDERAÇÃO: de fatz, e para ganhar nota dez só lhe faltou demonstrar que realmente interagia com mortos: evidência que ele, Emmanuel, A. Luiz, ou qualquer outro dito comunicante, em mais de meio século de mediunidade, lembrou de produzir…

  142. Vitor Diz:

    “coisa horrenda o “texto”: melhor fora não citá-lo exemplificativamente…”
    .
    É incrível como o Montalvão continua transformando aquilo que tem qualidade em lixo, e o que é lixo ele acha o supra-sumo científico! Isso que é ilusão…
    .
    a) “não, não prova, mas é indicativo de que o paranormal, se existe, é coisa rara. ”
    .
    Um indicativo tão fraco que pode ser desconsiderado.
    .
    b) “que eu saiba a JREF não “faz campanha” contra as atividades citadas: ela põe sob testagens alegações de paranormalidade e outras e divulga os resultados;”
    .
    Está longe de se limitar a isso, basta ver o exemplo recente do Randi mentindo sobre ter visto uma fita inteira que ele não viu… ou ele tentando fazer com que a comunidade parapsicológica parecesse uma idiota no caso do Projeto Alfa, quando os próprios parapsicólogos apontaram falhas nos controles dos pesquisadores envolvidos, que jamais publicaram em seus relatórios terem encontrado qualquer evidência forte de fenômeno paranormal (embora isso tenha se dado mais devido às críticas dos próprios parapsicólogos que viram suas apresentações, ficou claro que a comunidade psi pode muito bem pegar um truque sem o auxílio do Randi).
    .
    c) “A cláusula de renúncia faz sentido: malandros podem alegar de um tudo para ter motivos de abrir processo.”
    .
    Inclusive motivos JUSTOS… pare de querer defender regras injustas.
    .
    d) ” o critério de seleção talvez seja mesmo subjetivo, porém está escudado na experiência do pesquisador, o que não é pouco.”
    .
    O fato é que sendo assim, não se pode usar o teste como “prova” de que não existem fenômenos paranormais. E é sobre isso que trata o artigo.
    .
    e) “No caso da paranormalidade as aferições estatísticas funcionam (mal) para apontar a probabilidade da presença do que chamam “fenômeno anômalo”. O que é esse fenômeno, se é que é, a estatística é incapaz de informar. ”
    .
    Mas o próprio Randi aceita que a estatística é capaz de provar um fenômeno paranormal, desde que seja o p dele, no caso p< .001 (isso no mais otimista dos casos), quando cientificamente falando aceita-se geralmente p < .05, ou p < 0.01 se quisermos ser mais rigorosos. Mas há disciplinas que aceitam até p < 0.1. Então o critério de Randi está muito além do exigido pela Ciência.
    .
    f) “a estatística no paranormal é usada como “achador da coisa”, em vez de mensurador do alcance da coisa sob circunstâncias variadas.”
    .
    Errado. O que é achador é estatística + anulação das explicações normais.
    .
    g) “Vamos a exemplo concreto, pense na telepatia. Para uns deslumbrados trata-se de habilidade real e comum, que muita gente utiliza em variadas situações. Mas se fosse assim conheceríamos ocorrências banais de eventos telepáticos. Em todo grupo, ou na maioria deles, haveria um ou mais telepatas ativos, e as pessoas muito se divertiriam com transmissões de pensamento. ”
    .
    Foi isso que Sheldrake verificou em seus estudos de telepatia por telefone, email etc…
    .
    h) “Por outro lado, se Randi se dispusesse a investigar alegações de reencarnação aí é que cairia no ódio pleno e amplo dos crentes…”
    .
    Se ele fizesse um trabalho porco (de cientificidade ruim) sim.
    .
    Enfim, nada vi que justificasse sua legação de “coisa horrenda o “texto””. E parece que você não sabe usar as aspas. É um texto. Sem aspas. Use as aspas apenas quando elas forem necessárias. Não faz nenhum sentido vc tentar dar um tom irônico ou sarcástico aí.

  143. Contra o chiquismo Diz:

    Montalvão, o Carlos Roberto de Oliveira (CRO) tinha bom gosto, pois usar o Thelonius foi sensacional. Ele tinha o apelido de DICRO pois era compositor e usava as iniciais do seu nome pra assinar as músicas, então.. “esse samba é ‘de’ CRO, foi pegando e virou Dicro. O samba é de Carlos Roberto de Oliveira, ou seja de CRO. Se pronunciava ‘di’.

  144. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Parece que o Montavlvão ainda não aprendeu uma regra básica: deve-se no mínimo ler aquilo que se critica…”

    PONDERAÇÃO: parece que quem não aprendeu a regra básica de “no mínimo criticar o que foi dito e não inventar saídas disfarçadas” este não foi minha modesta pessoa…
    .
    Meu comentário foi resumido, se o destinatário não o entendeu, caberia indagar: “como seria esse tipo de experiência que sugere, explane melhor seu pensamento”. Aí ficaria bonito na fita, mas como negócio é rejeitar qualquer objeção, por mais firmada que esteja, às alucinadas considerações do experimentador, então passa a valer de um tudo…
    .
    Relembrem o que falei: “A ridícula experiência com o cão telepata, que, pelo que parece, não teve condizentemente replicação, e foi muito mal feita (por exemplo, Sheldrake não testou a psi do animal fora da rotina da dona, como a de levá-la para outro estado e pô-la num ambiente diferente e conferir se mesmo assim a imaginada telepatia dava ar de sua graça)”
    .
    Pois bem, então, afirmei que a telepatia canina não foi condizentemente replicada (declaração totalmente ignorada pelo detrador) e que Sheldrake não testara a dona do animal a grande distância e em situações completamente distintas das de sua habitualidade. Só porque o destrambelhado relator do experimento disse: “não parece importar quão longe fosse”… Ora, se “não parece”, pode ser que não pareça mas importe…
    .
    O que propus foi que a mulher fosse levada para outro Estado (ou mesmo outro país) e se apurasse se a acreditada telepatia se manifestava, considerando que dizem, os que nisso acreditam, que psi independe da distância.
    .
    Mas, de quem acredite que “marcas de nascença” sejam indicativos de reencarnação tudo se espera…

  145. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “A desonestidade do Randi JÁ ESTÁ PROVADA sem a necessidade de qualquer teipe. Ele diz: “Vendo a fita inteira, nós vemos” (portanto, se inclui) na revista Dog World e depois diz “um colega meu na Europa me disse que viu o teipe…”.”
    /.
    PONDERAÇÃO: o que está provado é que Randi, até enquanto a idade permitiu, realizou bom trabalho denunciando falcatrureiros e demonstrando que se o paranormal existir será ente de elevada raridade e o poder que ostenta tão sutil, tão brando, tão sem utilidade, que nem valerá o esforço de perquirí-lo…

  146. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    E tem gente que odeia Randi, com todas as forças, justamente por realizar esse belo trabalho…

  147. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Parece que é como pedir p/os espíritas que façam uma mesa girar ou uma corbeille toupie explicar o Evangelho ”
    /.
    Ou para pedir que alguém telepatize para outro alguém e a aventura seja registrável. Telepatia é igual a ectoplasma: “todo mundo” sabe que existe, mas quando se pede que mostre ninguém tem…

  148. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Tratando os céticos com ceticismo: Sheldrake Vs. Wiseman. Os experimentos com Jaytee
    .
    por Rupert Sheldrake
    .
    fonte: Rupert Sheldrake Web Site
    .
    Richard Wiseman começou sua carreira como um ilusionista, e como Randi, é um ilusionista qualificado. Ele é bem conhecido na Inglaterra como um Cético da mídia, e regularmente aparece em rádios e programas de TV como um desmistificador de fenômenos psíquicos. Além disso, ele incansavelmente promove a causa Cética através de conferências públicas.
    .
    Quando minhas experiências com o cachorro Jaytee foram primeiramente publicadas na Inglaterra em 1994, jornalistas buscaram um cético para as comentar, e Richard Wiseman era uma escolha óbvia. ELE SINALIZOU VÁRIOS PONTOS OS QUAIS JÁ LEVEI EM CONSIDERAÇÃO. Mas no lugar de discutir academicamente, eu sugeri que ele próprio fizesse algumas experiências com Jaytee, e organizei isso. Eu já tinha feito por meses experiências gravadas em vídeo com este cachorro; emprestei a ele minha câmera de vídeo. Pam Smart, dona de Jaytee, e sua família amavelmente concordaram em o ajudar.
    .
    Com o auxílio de seu assistente, Matthew Smith, ele fez quatro experiências com Jaytee, duas em junho e duas em dezembro de 1995, e em todas Jaytee foi à janela esperar por Pam quando esta realmente estava a caminho de casa. CONFORME EM MINHAS PRÓPRIAS EXPERIÊNCIAS, ELE ÀS VEZES IA À JANELA EM OUTROS MOMENTOS, por exemplo para latir ao passarem gatos, mas ele ficava na janela muito mais tempo quando Pam estava de volta a casa do que quando ela não estava. Wiseman fez as três experiências no apartamento dos pais de Pam, Jaytee ficava na janela em média 4% do tempo durante o período principal da ausência de Pam, e 78% do tempo quando ela estava a caminho de casa. Esta diferença foi estatisticamente significativa. Quando os dados de Wiseman foram esboçados em gráficos, eles mostraram essencialmente o mesmo padrão que os meus dados. Em outras palavras, Wiseman reproduziu meus próprios resultados.
    .
    Eu fiquei surpreso ao ouvir que no verão de 1996 Wiseman foi a uma série de conferências, inclusive ao Congresso World Skeptics, anunciando que refutou o fenômeno do ‘cachorro psíquico’. Ele disse que Jaytee falhou em seus testes porque este foi para a janela antes de Pam começar a voltar a casa. [ENTÃO, PARECE QUE WISEMAN NÃO VIU O CASO COM OS MESMOS OLHOS BENEVOLENTES E ESPERANÇOSOS QUE SHELDRAKE)
    .
    Em setembro de 1996 eu encontrei Wiseman e assinalei que seus dados mostravam o mesmo padrão que os meus, e que, longe de refutar o efeito que observei, seus resultados confirmavam-no. Eu dei a ele cópias dos meus próprios gráficos e os dados das experiências que ele e Smith conduziram com Jaytee. MAS ELE IGNOROU TAIS FATOS. ELE REITEROU SUAS CONCLUSÕES NEGATIVAS NUM ARTIGO QUE ENVIOU AO BRITISH JOURNAL OF PSYCHOLOGY JUNTO COM SMITH E JULIE MILTON. Este artigo apareceu em agosto de 1998, a som de trombetas pela publicidade cética na mídia britânica; apresentado por uma manchete que acompanhava a divulgação do artigo. (Wiseman, R., Smith, M and Milton, J. Can animals detect when their owners are returning home? An experimental test of the ‘psychic pet’ phenomenon. British Journal of Psychology 89, 453-462).
    .
    Enquanto isso, Wiseman continuava a aparecer em programas de televisão alegando que refutou as habilidades de Jaytee, inclusive recentemente em 2 de fevereiro de 2000 ele ainda estava fazendo esta reivindicação em suas conferências públicas. Infelizmente, suas apresentações são deliberadamente enganosas. ELE NÃO FAZ NENHUMA MENÇÃO DO FATO QUE JAYTEE ESPERA MUITO MAIS TEMPO NA JANELA QUANDO PAM ESTÁ EM SEU CAMINHO DE VOLTA A CASA, nem faz qualquer referência às minhas próprias experiências. Ele dá a impressão que minha evidência é baseada numa experiência filmada por uma companhia de TV, no lugar de mais de duzentas experiências, e sugere que ele tenha feito os únicos testes científicos rigorosos sobre tais habilidades de cachorros. Eu confesso que estou pasmo por sua persistência nesta enganação.
    .
    Wiseman, Smith e Milton publicaram uma resposta para meu comentário na edição de janeiro de 2000 do Journal of the Society for Psychical Research (64, 46-49). Lá eles tentam justificar a maneira que deram publicidade a suas alegações céticas na mídia. Não obstante, eles dizem que ficaram “chocados” por algumas passagens do jornal retratando Pam Smart. Mas embora eles tenham ajudado a iniciar esta cobertura da imprensa, despertada por uma manchete que acompanhava a publicação do artigo deles, eles consideram-se inocentes: “nós não somos responsáveis pela apresentação que a mídia deu ao nosso artigo e acreditamos que tais assuntos são mais destacados com os jornalistas envolvidos.”
    .
    1. ELES DIZEM QUE O PADRÃO DE COMPORTAMENTO SEGUNDO O QUAL JAYTEE ESTAVA NA JANELA A MAIOR PARTE DO TEMPO QUANDO SUA DONA ESTAVA A CAMINHO DE CASA PODERIA SER PORQUE JAYTEE SIMPLESMENTE IA CADA VEZ MAIS À JANELA, À MEDIDA QUE O TEMPO PASSAVA.
    .
    2. ELES DIZEM QUE MINHA ANÁLISE SOBRE SEUS DADOS “FOI CLARAMENTE UM POST HOC E NÃO FORNECIA EVIDÊNCIA PERSUASIVA DE HABILIDADE PSI, A MENOS QUE SEJA SUSTENTADA POR UM CORPO MAIOR DE PESQUISA”.
    .
    3. Eles justificam a falta de menção à minha pesquisa com Jaytee na área porque ela ainda não tinha sido publicada quando eles submeteram a deles ao British Journal of Psychology, e acrescentaram que “as experiências parecem conter problemas de projeto (Blackmore, 1999)”. Eles também objetaram a maneira como eu reportei as pesquisas deles em meu livro Dogs That Know When Their Owners Are Coming Home.
    .
    Minha resposta a suas observações foi publicada no Journal of the Society for Psychical Research, 64, 126-128 (abril de 2000). Aqui está o texto completo:
    /.
    PONDERAÇÃO: vê-se que, na voz do próprio Sheldrake, há objeções ao trabalho realizado e que, na melhor da conjeturas, o poria no patamar de “indefinido” ou “inconclusivo”. Ele reconhece que o cão ia à janela em momento que nada tinham a ver com a dona, mas ia “mais” quando Pam estava em movimento o cão mais se movimentava. Sheldrake reclama que suas obtemperações não foram levadas a sério pelos céticos, porém, o que temos é o sonhador defendendo seu sonho e repudiando qualquer contestação. Por isso acho que o problema de Sheldrake se resolva psiquiatricamente: não vai ser com telepatia que a cura acontecerá…

  149. Vitor Diz:

    Montalvão mais uma vez dando mostras que não lê aquilo que critica…
    .
    i) “Pois bem, então, afirmei que a telepatia canina não foi condizentemente replicada (declaração totalmente ignorada pelo detrador)”
    .
    Ignorei? Pus justamente em negrito:
    .
    The data from the experiments of Wiseman, Smith and Milton (1998) with randomly-selected return times replicate and confirm our own findings (Fig. 7)
    .
    Me pergunto como alguém ainda pode levar a sério as declarações tão equivocadas do Montalvão… é muita ilusão…
    .
    j) O que propus foi que a mulher fosse levada para outro Estado (ou mesmo outro país) e se apurasse se a acreditada telepatia se manifestava, considerando que dizem, os que nisso acreditam, que psi independe da distância.
    .
    Você é mesmo sem noção dos custos que isso representaria. Vamos pagar centenas de viagens (e hospedagem também, junto com alimentação) para outros países (sim, porque só uma ou duas viagens não satisfaria os céticos…).
    .
    k) “o que está provado é que Randi, até enquanto a idade permitiu, realizou bom trabalho denunciando falcatrureiros e demonstrando que se o paranormal existir será ente de elevada raridade e o poder que ostenta tão sutil, tão brando, tão sem utilidade, que nem valerá o esforço de perquirí-lo…”
    .
    O que está provado é que o Montalvão fica cego às mentiras do randi…

  150. Vitor Diz:

    l) “Sheldrake reclama que suas obtemperações não foram levadas a sério pelos céticos, porém, o que temos é o sonhador defendendo seu sonho e repudiando qualquer contestação. ”
    .
    Já o que vejo é o Montalvão acreditando em qualquer coisa vinda do Wiseman… quer dizer, o Sheldrake então responde às críticas, e vc resolve ignorar acusando o Sheldrake de sonhador? Dai-me paciência, o ceticismo patológico é uma droga…

  151. Marciano Diz:

    Será que enfim em 2019 a coisa anda?
    .
    R.: Anda não.
    Mateus, capítulo 24, versículo 34:
    .
    “34 Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas essas coisas se cumpram”.

    .
    Em verdade, se vê que FG era um mentiroso.
    Aquela geração passou, assim como muitas outras, e NADA se cumpriu.
    .
    .
    É apenas a figura mitológica da escatologia, a velha história religiosa de fim do mundo.
    Um meio de assustar os crentes e torná-los mais obedientes.
    .
    .
    .
    A vida no planeta já foi ameaçada várias vezes ANTES do surgimento dos humanos, já houve vários tipos de cataclismos, e ainda os haverá, como sucede a cada dezena ou centena de milhões de anos, mas o risco a que estamos submetidos no momento é, estatisticamente (estatística de verdade), o mesmo a que estavam sujeitos Aníbal, Pedro Álvares Cabral, Gengis Khan, e outros, portanto, não devemos nos preocupar.
    É mais fácil passar o ano inteiro ganhando sozinho na mega sena.
    .
    .
    .
    .
    CONTRA, esse site é bom mesmo.
    Outra hora vou dar uma olhada mais profunda nele.
    .
    Religiões costumam ser racistas. Sempre tem uma raça, um povo, uma etnia preferida de deus.
    .
    .
    A Casa Portuguesa é muito mais antiga do que Obladi, Oblada, mas ele mudou o compasso, para que ficasse parecendo com aquele da música do Paul.
    Acho que não chega a configurar plágio, pois ritmos e compassos são muito pouca coisa para se falar em plágio.
    .
    O Raul, claramente inspirou-se no começo de Obladi, Oblada, mas também não chega a ser plágio propriamente dito.
    .
    .
    .
    Dicró e Thelonius: são apenas 3 acordes e suas progressões. Introdução muito parecida, mas não o suficiente para configurar um plágio.
    Se o rigor chegar a esse ponto, quase tudo é plágio.
    Assim a gente pega um reggae e diz que á plágio de um xote, porque só diminuíram o andamento um pouco.
    .
    .
    Ouça Wish You Were Here, do Pink Floyd, gravada não em ritmo de rock, mas de reggae, e veja como a mesma melodia pode ser executada em diferentes ritmos.
    .
    Agora ouça um xote com Luiz Gonzaga, O Xote das Meninas, OUTRA melodia, OUTRO ritmo, compassos parecidos.
    Xote e reggae são ritmos sincopados, com acentuação parecida e andamento um pouco diferente.
    .
    .
    .
    .
    .
    “We see” pode ser traduzido como nós (eu e você, ou eu e outros) e como nós (a gente, as pessoas em geral).
    O mesmo vale para “you see”. Normalmente significa o que pode ser visto por você, não que VOCÊ pode ver.
    .
    Por exemplo: — You see a hamburger, you feel hungry.
    Não estou dizendo que você vê um hambúrguer, mas que QUANDO você vê ou se algum dia VIR algum, se nunca os viu, sentir-se-á faminto.
    .
    We is a pronoum thtat can be:
    used to refer to people in general, including the speaker or writer: “How can we enter the professions and yet remain civilized humanbeings?” (Virginia Woolf).
    .
    It can mean the opposite of what was intended by VITOR:
    Used instead of I, especially by a writer wishing to reduce or avoid a subjective tone.
    Used instead of I, especially by an editorialist, in expressing the opinion or point of view of a publication’s management.
    .
    .
    Em português não é muito diferente:
    “Nós mudamos radicalmente o kardecismo, transformando-o em chiquismo”.

    .
    É claro que nesta frase o “nós” não me inclui, nem a vocês do blog. Nós, aí, são os brasileiros em geral, mas não exclusivamente.
    Nós, no caso do JR, pode ser qualquer um que vê o vídeo.
    .
    .
    Pode ser que JR tenha mentido, pode ser que não. Se mentiu, não quer dizer que TUDO o que ele diz é mentira, que Uri Geller REALMENTE era paranormal.
    .
    “JR mentiu uma vez;
    JR alegou (e provou, mas tudo bem) que Geller fraudava;
    Logo, Uri Geller era um genuíno paranormal”.
    .
    .
    .
    Quero abrir um parêntese para explicar que eu também não tenho heróis, salvo o Superman. Apenas admiro o trabalho bem feito de outros. Como o do Isaac Newton ou do Charles Darwin, por exemplo.
    Newton era católico, acreditava em maluquices, Darwin caiu no conto do vigário, dava banhos de água fria numa filha, para curá-la, induzido por um larápio.
    Só por isso vou dizer que eram burros? Não, eram gênios.
    Não heróis. Herói, pra mim, tem de ser pelo menos o Batman.
    Agora se alguém acha Dawkins, Stenvenson ou outro seu herói, pra mim, tudo bem.
    .
    .
    .
    MONTALVÃO, você está precisando de uma espada para desatar esse nó górdio.

  152. Marciano Diz:

    Esqueci-me dos links:
    https://www.youtube.com/watch?v=I9xhr1AhyQw
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=zT8y4brLke0

  153. Marciano Diz:

    THAT CAN BE.

  154. Marciano Diz:

    A pressa realmente é inimiga da perfeição. Ainda mais se tiver um poltergeist rondando a ambiente.
    Ainda bem que aqui só tem gente inteligente.
    B2W

  155. Contra o chiquismo Diz:

    Certo, obrigado pela análise das músicas. Tem muitos outros, só falta eu lembrar. Mas na verdade na verdade verdadeira, tudo são plágios “do plano espiritual” e muito mal feitos. Cópias grosseiras. É como se cá toda Crosta fosse o Paraguay. Posso imaginar a qualidade dos etílicos lá “de cima” , das modelos, do 777, das Fender Telecaster, do Hospital Sírio libanês, dos Rolex, dos ternos Hugo Boss…

  156. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Contra o chiquismo Diz:
    OUTUBRO 13TH, 2015 ÀS 1:43 PM
    Montalvão, o Carlos Roberto de Oliveira (CRO) tinha bom gosto, pois usar o Thelonius foi sensacional. Ele tinha o apelido de DICRO pois era compositor e usava as iniciais do seu nome pra assinar as músicas, então.. “esse samba é ‘de’ CRO, foi pegando e virou Dicro. O samba é de Carlos Roberto de Oliveira, ou seja de CRO. Se pronunciava ‘di’.
    /.
    PONDERAÇÃO: tentei desentender mas não deu: que quié thelonius?

  157. Marciano Diz:

    Thelonius é o poltergeist do blog.
    .
    Já Thelonious, pode ser melhor conhecido aqui:
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=zriS77PCaTk
    .
    ou aqui:
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Thelonious_Monk

  158. MONTALVÃO Diz:

    /.
    Lamento Vitor, mas seus argumentos favoráveis ao paranormais desabam sobre si mesmos. Lembro das infindas discussões que travava com o Wellington Zangari. você tentando convencê-lo de que a pesquisa do paranormal é suficiente para atestar sua realidade forte, e que Stevenson demonstrara a reeencarnação. As respostas do Zangari sempre nortearam para o comedimento: “não é bem assim…”; “calma, sequer sabemos de psi existe”…
    .
    Wellington Zangari é parapsicólogo, participa da mais bem conceituada agremiação de pesquisa parapsicológica do Brasil e ele, e vários dos membros dessa entidade, são moderados em brandir “provas” da realidade psi. Entretanto, a ideia do Moura é outra, típica de crente fundamentalista: considera o paranormal forte, a comunicação com mortos e a reencarnação fatos concretos e devidamente evidenciados, qualquer discussão com ele sobre esses assuntos é guerra de trincheiras.
    .
    Para ilustrar, que gosto de demonstrar o que afirmo, vejamos TRECHOS de embate entre os dois.
    ./
    /
    ZANGARI: Minha posição a respeito do que essas pessoas alegam é cética, ou seja, duvido do que dizem, ainda que, como cientista, não possa negar aprioristicamente a existência de fenômenos que as teorias científicas não prevêem a existência. O que me parece certo é que NENHUMA alegação feita por essas pessoas deve ser tomada como evidência da existência de fenômenos paranormais. Apenas SE e QUANDO se fala de estudos empíricos, de tipo experimental, é que podemos falar de evidências científicas. Obviamente, a pergunta seguinte seria: há evidências empíricas da existência de fenômenos paranormais? Eu responderia, revendo muito do que já estudei: há evidências empíricas (experimentais) para a existência de anomalias científicas na área da interação entre os seres humanos e o meio ambiente. Dizer que algo é “anômalo”, não é explicar algo, mas é reconhecer a impossibilidade momentânea de que as teorias científicas vigentes o expliquem.
    .
    [...] apenas considero como evidências dignas de serem levadas em conta aquelas oriundas da pesquisa experimental e NENHUMA dos estudos de caso, ou dos assim chamados “fenômenos espontâneos”. Esses servem como alegações a serem avaliadas experimentalmente. Como me dedico, além das atividades de pesquisa que me obrigam a estar a par das discussões entorno da metodologia de pesquisa, ao estudo do ilusionismo, trato de ter um olhar ainda mais crítico daquilo que se alega poder realizar de “paranormal”. Já estive envolvido no estudo de pessoas que realizavam efeitos maravilhosos, mas que eram produto claro do uso de técnicas nada desconhecidas dos mágicos! Por outro lado, já presenciei efeitos que simplesmente não posso explicar por meio da Arte Mágica, o que, nem por isso me obrigam a recorrer ao expediente da aceitação da realidade dos “fenômenos paranormais”. A discussão deve ser empírica, portanto feita a partir do desenvolvimento de um longo e sistemático programa de pesquisa, e não dependente de “impressões” ou “interpretações” de casos isolados e não suficientemente controlados.
    /
    VITOR MOURA: discordo de sua colocação com relação aos estudos de caso. Segundo meu amigo Jáder Sampaio:

    “A Parapsicologia foi basicamente o desenvolvimento de técnicas experimentais com apoio estatístico em sujeitos indistintos para a constatação da existência das faculdades que ficaram conhecidas como percepção extra-sensorial. Ela se constituiu em decorrência da crítica que se fazia aos estudos de caso sobre médiuns e sensitivos, metodologia muito empregada nas pesquisas do século XIX e pela Metapsíquica. Se esta mesma crítica fosse dirigida aos trabalhos das ciências humanas e sociais, nos dias de hoje, teríamos que caçar os títulos de Mestre e Doutor concedidos por nossa Universidade a uma maioria absoluta de postulantes, e este impacto se faria igualmente avassalador nas Universidades Norte-Americanas e Européias. ”
    /
    ZANGARI: De modo algum! A percepção extra-sensorial (e a psicocinesia, esquecida pelo seu amigo Jáder), são hipóteses que permitem o teste experimental, diferentemente de muitas das hipóteses empregadas nas Ciências Humanas e Sociais! A generalização do Jáder faz revelar um possível desconhecimento da natureza do estudo. ANTROPÓLOGOS NÃO PRECISAM REALIZAR EXPERIMENTOS PARA REGISTRAR E ANALISAR OS DIFERENTES COSTUMES! MAS, EM PARAPSICOLOGIA, A ÚNICA FORMA DE OBTER EVIDÊNCIAS CONFIÁVEIS DE ANOMALIAS É POR MEIO DA EXPERIMENTAÇÃO! Você conhece outra?
    . /
    VITOR MOURA: Lógico que sim! A pesquisa de campo, por exemplo. Estudos de casos como alguns dos melhores feitos por Ian Stevenson (como o artigo sobre três casos no Sri Lanka de 1988, e o caso do jovem Imad Elawar de 1966), são tão meticulosos e tão ricos de detalhes, e tão cautelosos com relação às demais possibilidades, que na verdade se constituem em evidência observacional de boa qualidade, assim como ocorre em estudos de zoologia etc. E tais estudos foram, em uma dose pelo menos minimamente satisfatória, já reproduzidos por outros pesquisadores, constituindo evidência de fenômenos paranormais.
    /.
    ZANGARI: Vitor, é o que Stevenson PODIA fazer ao se interessar POR CASOS ESPONTÂNEOS. Fez o que pôde, porque NÃO PODIA AVALIÁ-LOS DE OUTRA FORMA. O grau da evidência, portanto, acompanha o método!
    Vejamos a frase final, definitiva: “As crianças PARECEM ter demonstrado um conhecimento paranormal a respeito das pessoas falecidas que eram, anteriormente, completamente desconhecidas para suas famílias.”
    .
    É isso que a pesquisa de casos oferece! “Parece que” é, segundo meus critérios, muito menos que “há evidências experimentais para”.
    ================================.

  159. Marciano Diz:

    Tem também o Adrian Monk (o detetive com TOC), o Allan Monk (o barítono canadense), Thenolious Monk (o filho, também músico – baterista).
    .
    Tem esses monks aqui:
    .
    https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/5/54/Monks_in_Wat_Phra_Singh_-_Chiang_Mai.jpg
    .
    Eles discordam de todas as crenças dos crentes do blog.
    .
    Tem os monkeys:
    https://en.wikipedia.org/wiki/Monkey#/media/File:Cute_Monkey_cropped.jpg
    .
    Os monkees, músicos dos anos 60:
    http://images.mentalfloss.com/sites/default/files/styles/article_640x430/public/monkees_lead.jpg
    .
    Escolha!

  160. Marciano Diz:

    Zangari parece sensato.
    O problema é que ele se classifica como psicanalista, se não me engano, o que, para mim, é outra pseudociência, inventada pelo Freud.
    .
    Ele é mestre em ciências da religião, o que, para mim, equivale a mestre em vodoo.
    .
    É doutor em psicologia. Se não for psicologia transpessoal, tudo bem comigo.
    .
    .
    O problema é que não tenho qualificação na área de ciências ocultas, portanto, minha opinião não é muito considerada.
    Preciso de uma carteira. Para dar carteiradas, quando alguém disser: — Sabe com quem está falando?!
    Sou pós-doutor pela Universidade do Nosso Lar em Ciências Ocultas!
    Recolha-se à insignificância do médium cx!

  161. Marciano Diz:

    Vejam o Zangari dando entrevista sobre pesquisas científicas pela fé:
    https://www.youtube.com/watch?v=mhY15Wt0yAM
    .
    A Abbot, Johnson, Merck, Pfizer, Roche e outras empresas de laboratórios farmacêuticos, todas deveriam investir em pesquisas na cura pela fé.
    .
    .
    Eu prefiro a cura pela química farmacêutica.
    .
    .
    .
    Esse pessoal gosta de falar em fé, milagres, remédios caseiros, medicina holística, mas na hora do câncer, da doença de Crohn, da arteriosclerose, da leishmaniose, da tuberculose pulmonar, da AIDS, da hepatite C, do lupus, nenhum hipócrita deixa os laboratórios de lado e entrega-se à fé, às orações, aos milagres, à medicina alternativa.
    Eles podem até continuar fantasiando com essas porcarias, mas usam os remédios bem materiais dos laboratórios capitalistas.
    .
    .
    Se alguém aí ficar gravemente doente, de uma das mencionadas ou outra qualquer, experimente uma cura alternativa, seja coerente.
    .
    .
    Em vez de ressonância magnética, cateterismo ou tomografia computadorizada com contraste, cintilografia com ecoDoppler colorido 3d, peçam a um paranormal ou a um médium para dizer o que está errado, e DEIXEM DE SER HIPÓCRITAS.
    Deixem de ser materialistas!

  162. Vitor Diz:

    l) “Lamento Vitor, mas seus argumentos favoráveis ao paranormais desabam sobre si mesmos. ”
    .
    Eu só não consegui ver onde você demonstrou isso…
    .
    m) “Lembro das infindas discussões que travava com o Wellington Zangari. você tentando convencê-lo de que a pesquisa do paranormal é suficiente para atestar sua realidade forte, e que Stevenson demonstrara a reeencarnação. As respostas do Zangari sempre nortearam para o comedimento: “não é bem assim…”; “calma, sequer sabemos de psi existe”…”
    .
    Isso apenas reflete uma preocupação com os possíveis efeitos negativos da reação à declaração “psi está comprovado”. O Julio explicou isso bem:
    .
    A minha, digamos, convicção é que qualquer autor/pesquisador parapsicólogo que seja bem formado, bem informado, honesto, e inserido no mundo científico (e, consequentemente, no mundo científico acadêmico), e também bem “articulado” (ou seja, dotado de bons recursos de comunicação de suas ideias) ao falar sobre esse assunto, acabará exibindo uma certa dose de ambiguidade (e/ou ambivalência) em suas afirmações. Essa ambiguidade reflete a complexidade do atual estado de comprovação da Hipótese Paranormalidade, e também reflete a complexidade do contexto onde o cientista está inserido.
    .
    Não há sentido em afirmar que psi está comprovado se a comunidade científica vai ou ignorar ou rir disso, independente da validade da afirmação. Se eu fosse um “cientista psi”, eu tentaria fugir da afirmação “psi está comprovado”, e centraria carga na afirmação “muitos e muitos e muitos dos cientistas que estudam os fenômenos aparentemente psi são cientistas que estão fazendo um trabalho merecedor de enorme respeito e apoio”. No nosso atual momento científico/histórico, não me parece ser necessário ir além disso.

    .
    E é isso que o Zangari faz.

  163. Marciano Diz:

    É muito bonito ficar falando de pseudociências, de homeopatia, de cura pela fé, de acupuntura.
    Dá um programinha bem idiota no Fantástico ou num vídeo do Youtube.
    Quando esses hipócritas ficam doentes, procuram um remédio bem científico de verdade, com muitos efeitos colaterais, fazem exames sofisticados, de ciência verdadeira, e esquecem-se de seus discursos ridículos.
    Esses grandes laboratórios deveriam deixar de buscar lucro, passarem a fazer caridade e pesquisar curar paranormais, espirituais, milagrosas, divinas, e o cacete a quatro.
    Em poucos anos essa espécie Homo hypocrita estaria extinta.

  164. Marciano Diz:

    O que eu acho pior de tudo é alguém que se diz médico ficar alimentando essas baboseiras.

  165. Marciano Diz:

    Eu acho que quem está pesquisando cura de câncer, AIDS, cardiopatias, etc., merece o maior respeito, principalmente no dia em que qualquer um de nós precisar de um tratamento de saúde de verdade, em vez de um de mentirinha.

  166. Marciano Diz:

    O pseudocientista que usa ciência de verdade quando precisa de cuidados médicos é tão hipócrita quanto o socialista que leva vida burguesa, que aplica no mercado de capitais, que tem latifúndios, que usa tecnologia de ponta de indústrias bem capitalistas para propagar suas ideias comunistas, que tem dinheiro aplicado em bancos, etc.

  167. Marciano Diz:

    GORDUCHO, essa é pra você:
    .
    Hypocrita graece dicitur, latine simulator. Em grego se diz hipócrita, em latim, simulador.

  168. Marciano Diz:

    Assim dá menos trabalho:
    .
    http://1.bp.blogspot.com/_1HINcIcw9ek/R43VWIcV8AI/AAAAAAAABT0/hMTSpuZhdZQ/s320/hupokrit%C3%AAs.gif

  169. Marciano Diz:

    Esse negócio de xenoglossia começou com os Atos dos Apóstolos, quando estes teriam, de acordo com o livro bíblico, tido uma crise de Síndrome de Tourette e saído por aí falando sílabas desconexas.
    Depois, Richet, Bozzano e outros pegaram carona na ideia.
    .
    A parapsicologia gosta de assuntos bizarros e resolvei “estudar” o alegado fenômeno.
    .
    Alguns vêem diferença entre glossolalia e xenoglossia, sendo a primeira quando o indivíduo fala em línguas que não existem e a segunda quando ele fala em línguas que existem, mas com sotaques estranhos, frases com estruturas gramaticais próprias do idioma do falante e não da língua falada, enfim, quando há farsa.

  170. Marciano Diz:

    Um exemplo bem ilustrativo de xenoglossia seria o de um médium ou paranormal falando:
    – Môni qui é gúdi, nós num révi.
    .
    Se fosse falada, a psicografia fajuta do Emmânnuel seria um bom exemplo, no caso do inglês abrasileirado.
    .
    O caso foi citado aqui recentemente.

  171. Marciano Diz:

    Isto é glossolalia ou xenoglossia?
    https://www.youtube.com/watch?v=SDxpPiAJ018
    .
    Resposta:
    É palhaçada mesmo, mas muita gente leva a sério.

  172. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    i) “Pois bem, então, afirmei que a telepatia canina não foi condizentemente replicada (declaração totalmente ignorada pelo detrador)”
    .
    VISONI: Ignorei? Pus justamente em negrito:
    .
    The data from the experiments of Wiseman, Smith and Milton (1998) with randomly-selected return times replicate and confirm our own findings (Fig. 7)
    /.
    PONDERAÇÃO: é o que se chama disfarçar a ignoração: para “provar” que houve replicação cita testemunho do suspeito…
    .
    Postei o artigo em que Shedrake reclama de que as conclusões de Wiseman não casaram com as que propala em defesa da telepatia canina. Quer dizer, mesmo o diminuto número de tentativas de replicar o achado de Sheldrake resultou negativo…
    .
    Recorde o que postei: “não foi condizentemente replicada”. Considerando que “alegações extraordinárias de extraordinárias evidências carecem”, os cães telepatas de Sheldrake,(no caso apenas um foi achado), para serem confirmados necessitariam de muitas experiências até se chegar a parecer seguro. Pelo que vemos, as poucas tentativas resultaram em indefinição (para ser generoso).
    .
    Quem busca avidamente o paranormal, qual perdido no deserto busca água, se contenta com poucas, e insuficientes, experimentações (às vezes apenas uma) e com elas faz a guerra. A boa ciência, por outro lado, exaure as investigações até se dar por satisfeita.
    .
    Rupert Sheldrake, fosse bom menino, ante a suposição de que achara algo válido deveria divulgar o que descobriu, mas com a ressalva de que sua conclusão era provisória e que mais averiguações seriam imprescindíveis. Tivesse essa humildade e prudência todos o estaríamos reconhecendo pesquisador cauteloso e louvável, mesmo que não concordássemos com o que defende. Do modo que age, mostra-se imprudente e loucovável…
    .
    Moi, que não conhece um cão telepata, apesar de conhecer vários, mesmo assim telepatiza pra cachorro!

  173. Marciano Diz:

    Falar línguas estrangeiras sem as ter aprendido antes e sem fraude é um fenômeno que simplesmente não existe.
    .
    Todos os analistas e leitores do blog podem verificar por si próprios.
    .
    Leiam rapidamente isto aqui:
    .
    http://www.transparent.com/images/articles/00oct_chinese_char1.gif
    .
    Conseguiram?
    Nunca estudaram essa língua?
    Não fraudaram?
    Então o “alegado” fenômeno existe.
    Não conseguiram?
    Huuum…

  174. Marciano Diz:

    Vejam este vídeo (Rupert Sheldrake Telepatia entre Cães e seus Donos), legendado em português do Brasil, para aqueles que, como MONTALVÃO, não são xeneglotas:
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=97p_Af0uMjM
    .
    São só 14 minutos.
    .
    Depois, só para o MONTALVÃO, tem uma aulinha:
    .
    http://asiasociety.org/files/chinese-blackboard.png

  175. Marciano Diz:

    A partir dos 10 minutos, o vídeo fica “fenomenal”.

  176. Marciano Diz:

    Biólogo inglês lança livro no qual defende que cães e gatos se comunicam com os donos por telepatia
    .
    por Adriana Resende
    Para o biólogo inglês Rupert Sheldrake, os bichos podem se comunicar por telepatia com as pessoas. Segundo ele, os laços afetivos que unem os cães e gatos aos seus donos criam o “canal para essa comunicação telepática”. É essa a tese dos “campos mórficos”, que Sheldrake defende em seu mais novo livro, “Dogs That Know When Their Owners Are Coming Home” (Cães que sabem quando seus donos estão chegando em casa), publicado em Nova York (EUA) e que será lançado no Brasil pela Editora Objetiva, no ano que vem.
    Ainda segundo o biólogo, os animais têm um “comportamento antecipatório” e podem adivinhar ou pressentir a chegada de seus donos.
    Ele descarta que esse comportamento seja apenas o costume com a agenda diária e atividades do dono, pois argumenta que os bichos pressentem a chegada em qualquer horário e ainda longe do dono, sem que o animal sinta o cheiro ou ouça ruídos familiares de carros, chaves, passos ou portas. Em entrevista à Revista por telefone, Sheldrake defendeu sua teoria.

    REVISTA – O senhor tem animais?
    RUPERT – Tenho um gato, um coelho e cuido de um labrador que pertence a um amigo.
    REVISTA – Como é essa teoria dos campos mórficos?
    RUPERT – Campos mórficos são laços afetivos entre pessoas, grupos de animais -como bandos de pássaros, cães, gatos, peixes- e entre pessoas e animais. Não é uma coisa fisiológica, mas afetiva. São afinidades que surgem entre os animais e as pessoas com quem eles convivem. Essas afinidades é que são responsáveis pela comunicação.
    REVISTA – Em que o senhor fundamenta a sua teoria?
    RUPERT – Pesquisei as atitudes dos bichos durante cinco anos. Mais de 200 pessoas me deram seus depoimentos sobre a relação com seus bichinhos e atestaram esse tipo de comunicação que eu explico no livro. A partir dos relatos, levantei modelos gráficos do comportamento de vários animais.
    REVISTA – Que animais seriam mais sensíveis à telepatia com os humanos?
    RUPERT – Cachorros são mais sensíveis que gatos, que são mais sensíveis que cavalos e papagaios.
    REVISTA – Por que os cachorros seriam mais sensíveis?
    RUPERT – Porque eles têm mais relações afetivas e mais proximidade com os homens. E a telepatia depende dessas relações de afeto.
    REVISTA – Que raças de cachorro seriam as mais sensíveis?
    RUPERT – Nós não encontramos grandes diferenças entre as raças que testamos.
    REVISTA – Em sua experiência com animais, o senhor já tinha ouvido falar desses campos mórficos?
    RUPERT – Campo mórfico é uma teoria que eu levantei para explicar a telepatia entre homens e animais. As pessoas não falam de campos, mas falam sobre o comportamento dos animais. Campo mórfico é uma denominação que eu criei para isso.
    REVISTA – O senhor já teve suas próprias experiências de telepatia com animais?
    RUPERT – Não, mas já vi telepatia entre animais e o meu filho, porque nosso gato o esperava quando ele estava voltando da escola, muitas vezes.
    REVISTA – Não seria por causa da rotina?
    RUPERT – Independe da rotina do dono, não é condicionamento, é pressentimento. Eles sabem.
    REVISTA – Que outras reações do seu gato o senhor já percebeu?
    RUPERT – No carro, por exemplo, o gato sabe quando estamos a cerca de dois quilômetros de casa. Ele está dormindo, e, quando a gente chega perto, ele acorda. Contei isso no livro.
    REVISTA – Se um animal for roubado, por exemplo, é capaz de avisar ao dono por telepatia?
    RUPERT – Bem, nunca ouvi histórias de animais sequestrados avisarem aos donos. Mas os donos, algumas vezes, sabem dizer se o seu animalzinho está passando mal ou morrendo.
    REVISTA – Então, se o animal não está bem, ele pode mandar uma mensagem telepática ao seu dono?
    RUPERT – Pode.
    REVISTA – Que outros “poderes” os animais teriam?
    RUPERT – Senso de direção e premonições. O senso de direção depende de laços que unem o animal à casa. É um outro tipo de campo mórfico. O animal está ligado à sua casa por esse campo. Por isso ele é capaz de achar o caminho de casa.

    .
    .
    Quer dizer que o cara lançou um livro?
    Acho que estou entendendo o interesse científico dele.
    Quanto dono de cães mais bobos do que esses comprarão o livro.

  177. Marciano Diz:

    Novamente esqueci-me do link.
    http://www.dogtimes.com.br/telepatia.htm

  178. Marciano Diz:

    Não vou corrigir as inserções do poltergeist, como xeneglota, por exemplo.

  179. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “ficou claro que a comunidade psi pode muito bem pegar um truque sem o auxílio do Randi”
    /.
    PONDERAÇÃO: no balaio de gatos que é a comunidade psi (nela se vê de tudo), há, de fato, quem habilidoso em detectar fraudes, entretanto, outros se mostram tão ingênuos que aceitam qualquer teatro por legítimo. Se o mundo esperasse a comunidade psi se manifestar ante, por exemplo, as claras evidências de fraude da parte de Geller, talvez ainda hoje ele estivesse sambarilovando por aí impunemente.
    .
    A comunidade psi tem muito a agradecer ao trabalho de gente qual Randi e Wisemann, pois lhes poupam muitas dores de cabeça.
    .
    Um dos grandes problemas com a “comunidade psi” é que, passados mais de século de estudos e investigações, eles sequer possuem postulados indutivos que orientem as prévias avaliações de pretensos paranormais. Se a comunidade psi adotasse as conjeturas de Moi (são mais de uma), poupariam muito esforço perquiritivo perdido. Por exemplo: conjetura 2b, reza: “a fraude no paranormal é diretamente proporcional à intensidade dos poderes ostentados”. Levando em conta essa ponderação, sempre que surgisse um Ingo Swann, um MacMoneagle, Harribance, Amyr Amiden… os pesquisadores adotariam rigores máximos ao averiguá-los, em vez de fazer como fazem certos bundonosos que ficam só no Dãããã… diante das espertalhices desses cagalhões.
    .
    Continue Randi: eles o rejeitam mas precisam de você…

  180. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, lendo a entrevista de Sheldrake (o livro, não leio nem sendo pago para isto) descobri que você e seus cães não têm muita afinidade.
    .
    Campos mórficos.
    Alguém aí se lembra de quando eu relatei que pseudociência adora inventar termos estranhos?

  181. Marciano Diz:

    Vale a pena ler de novo.
    .
    https://ateus.net/artigos/ceticismo/como-distinguir-ciencia-de-pseudociencia/

  182. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “parece que você não sabe usar as aspas. É um texto. Sem aspas. Use as aspas apenas quando elas forem necessárias. Não faz nenhum sentido vc tentar dar um tom irônico ou sarcástico aí.”
    /.
    Gosto de aspas e elas parecem de mim gostar, mas nem sempre significam ironia, podem ser requeridas para destacar um termo, repetir o que foi por outrem dito, ou mesmo uma sutil conjugação dessas aplicabilidades.
    .
    Não gostou do “texto” aspeado? Só lamento. Também não gosto de discrepâncias que utiliza, qual o recorrimento a adjetivações superdimensionadas para ressaltar “provas” (ôpa olha ela aí de novo…) do paranormal, ou do escroto uso do “extremamente” (aspas de destaque, agora tenho que explicar) para referir-se a coisas banais, etc., tudo tolero em silêncio…

  183. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Mas que o texto é horrendo horrendo é…

  184. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    O que propus foi que a mulher fosse levada para outro Estado (ou mesmo outro país) e se apurasse se a acreditada telepatia se manifestava, considerando que dizem, os que nisso acreditam, que psi independe da distância.
    .
    Você é mesmo sem noção dos custos que isso representaria. Vamos pagar centenas de viagens (e hospedagem também, junto com alimentação) para outros países (sim, porque só uma ou duas viagens não satisfaria os céticos…).
    /.
    PONDERAÇÃO: :-) :-) :-) ;-) :-0

  185. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “O que está provado é que o Montalvão fica cego às mentiras do randi…”
    /.
    PONDERAÇÃO: ou que os crentes não querem mesmo ser esclarecidos: por que ficar a denunciar salafrários do paranormal se é tão gostoso acreditá-los?

  186. Marciano Diz:

    REVISTA – Em que o senhor fundamenta a sua teoria?
    RUPERT – Pesquisei as atitudes dos bichos durante cinco anos. Mais de 200 pessoas me deram seus depoimentos sobre a relação com seus bichinhos e atestaram esse tipo de comunicação que eu explico no livro. A partir dos relatos, levantei modelos gráficos do comportamento de vários animais.
    .
    A pseudociência parte duma hipótese — que geralmente possua apelo emocional e seja espetacularmente implausível — e a seguir busca somente os itens que a apoiem.
    Desprezam-se as evidências conflitantes. De modo geral, a pseudociência visa racionalizar crenças fortemente arraigadas, ao invés de investigar ou testar possibilidades alternativas. A pseudociência se especializa em atingir conclusões “apropriadas” e espicaçar ideologias, ao apelar a ideias preconcebidas e mal-entendidos disseminados.
    .
    .
    A pseudociência é indiferente aos critérios para estabelecer evidência válida.
    A ênfase não reside em experimentos científicos relevantes, controlados e repetíveis. Pelo contrário, baseia-se em testemunhos não verificáveis, histórias e lorotas, boatos, rumores e relatos dúbios. A literatura genuinamente científica ou é desprezada ou distorcida.
    ,
    A pseudociência confia muito na validação subjetiva.
    José da Silva aplica gelatina na cabeça, e sua dor de cabeça some. Para a pseudociência, isto significa que gelatina cura dores de cabeça. Para a ciência, isto nada significa, pois nenhum experimento foi realizado. Muitas coisas estavam ocorrendo quando a dor de cabeça de José da Silva sumiu — era lua cheia, um pássaro voou por sobre ele, a janela estava aberta, José vestia sua camisa vermelha etc. — e sua dor de cabeça acabaria indo embora de qualquer modo, fosse por que fosse. Um experimento controlado colocaria muitas pessoas numa mesma situação, exceto pela presença ou ausência do remédio que se desejasse testar, e compararia os resultados, que então teriam alguma possibilidade de ser relevantes. Muitos acham que a astrologia deve ter algo válido, pois um horóscopo de jornal descreve-os perfeitamente. Mas um exame detalhado revelaria que a descrição é genérica o bastante para enquadrar praticamente qualquer um. Este fenômeno, chamado de validação subjetiva, é um dos pilares do apoio popular à pseudociência.
    .
    .
    REVISTA – Em sua experiência com animais, o senhor já tinha ouvido falar desses campos mórficos?
    RUPERT – Campo mórfico é uma teoria que eu levantei para explicar a telepatia entre homens e animais. As pessoas não falam de campos, mas falam sobre o comportamento dos animais. Campo mórfico é uma denominação que eu criei para isso.
    .
    Os pseudocientistas inventam seu próprio vocabulário, no qual muitos termos carecem de definições precisas ou sem ambiguidade, e alguns não possuem nenhuma definição.
    Os ouvintes são amiúde forçados a interpretar as afirmações conforme suas próprias preconcepções. Por exemplo, o que significa “energia biocósmica” ou “sistema psicotrônico de amplificação”? Os pseudocientistas buscam com frequência imitar o jargão científico e técnico jorrando uma algaravia que soa científica e técnica. Os curandeiros estariam perdidos sem o termo “energia”, mas o emprego que dele fazem não tem absolutamente nada que ver com o conceito de energia usado pelos físicos.

  187. MONTALVÃO Diz:

    /
    “34 Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas essas coisas se cumpram”.
    .
    “Em verdade, se vê que FG era um mentiroso.
    Aquela geração passou, assim como muitas outras, e NADA se cumpriu.”
    /.
    O que FG quis dizer foi o seguinte: não passará de amanhã o cumprimento dessas coisas… já passou de amanhã?

  188. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Em verdade, se vê que FG era um mentiroso.
    Aquela geração passou, assim como muitas outras, e NADA se cumpriu.”
    .
    PONDERAÇÃO: my friend de Marte, seja-me dada a vênia de inquiri-lo: não estamos cá a perorar sobre a xenoglossia de Stevenson e correlatos? Onde Jesus entra?
    .
    Antes que me devolva, digo-lho: Sheldrake cabe, pois está no mesmo barco sem fundo…

  189. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Introdução muito parecida, mas não o suficiente para configurar um plágio.”
    /.
    Acho-me que quando adentrei neste orbe configurei-me um plágio, só ainda não sei de quem, espero que não me processem…

  190. Marciano Diz:

    Vejam aqui um campo eletromagnético:
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Campo_eletromagn%C3%A9tico
    .
    Agora imaginem o campo morfogenético do Sheldrake…
    Haja saco!

  191. MONTALVÃO Diz:

    /
    “MONTALVÃO, você está precisando de uma espada para desatar esse nó górdio.”
    /.
    Alexandre já o fez, se por mim não sei… (belo início de uma composição, quiçá meu mais novo sucesso).

  192. Marciano Diz:

    Entendi, MONTALVÃO.
    FG disse “esta geração”, mas quis dizer “de amanhã”.
    E era um gozador. Igual a quem vende fiado “só amanhã”.
    .
    Estou vendo também que recebes comunicações telepáticas de FG.

  193. MONTALVÃO Diz:

    /.
    Já Thelonious, pode ser melhor conhecido aqui:
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=zriS77PCaTk
    /.
    Caboclo bom… Baixei.

  194. Marciano Diz:

    As equações de Maxwell são um grupo de equações diferenciais parciais que, juntamente com a lei da força de Lorentz, compõem a base do eletromagnetismo clássico no qual está embebida toda a óptica clássica. O desenvolvimento das equações de Maxwell, e o entendimento do eletromagnetismo, contribuíram significativamente para toda uma revolução tecnológica iniciada no final do século XIX e continuada durante as décadas seguintes.
    .
    As equações de Sheldrake não existem.

  195. MONTALVÃO Diz:

    /.
    Tem também o Adrian Monk (o detetive com TOC), o Allan Monk (o barítono canadense), Thenolious Monk (o filho, também músico – baterista).
    .
    E o Monktalvão… que toca algum instrumento…

  196. Marciano Diz:

    MONTALVÃO Diz:
    OUTUBRO 13TH, 2015 ÀS 7:31 PM
    /
    “MONTALVÃO, você está precisando de uma espada para desatar esse nó górdio.”
    /.
    Alexandre já o fez, se por mim não sei… (belo início de uma composição, quiçá meu mais novo sucesso).
    .
    Sucesso plagiado da música de Altemar Dutra:
    .
    E então que queres tu de mim
    Se até o pranto que chorei
    Se foi por ti não sei

  197. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Zangari parece sensato.
    O problema é que ele se classifica como psicanalista, se não me engano, o que, para mim, é outra pseudociência, inventada pelo Freud.”
    /.
    Psicólogo, não-psicanalista…
    .
    Quanto a pseudociência a psicanálise ser, sim concordo quase plenamente. Mas não quero adentrar nesse campo, ao menos não agora…

  198. MONTALVÃO Diz:

    /
    “É doutor em psicologia. Se não for psicologia transpessoal, tudo bem comigo.”
    /.
    Não creio que seja, deve ser cognitivo-comportamental, acredito. Dificilmente o suponho adentrado na transpessoal.

  199. Marciano Diz:

    E no campo sheldrakiano morfológico de seus cães, quando vai entrar?

  200. MONTALVÃO Diz:

    /.
    “Preciso de uma carteira. Para dar carteiradas, quando alguém disser: — Sabe com quem está falando?!”
    /.
    Se quiser posso lhe fazer uma, a tinta de minha impressora está para vencer o tempo de utilidade e tenho que gastá-la, mesmo que seja em trivialidades. Mande o papel, tinta e criação por minha conta…

  201. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, seus cães estão esperando que você entre no campo morfológico criado pelo Sheldrake, para se comunicarem com você telepaticamente (latir está fora de moda).
    Quando vai adentrar esse campo?
    Seus cães e Sheldrake estão esperando.
    Mandrake também, acho.

  202. Marciano Diz:

    REVISTA – Em sua experiência com animais, o senhor já tinha ouvido falar desses campos mórficos?
    RUPERT – Campo mórfico é uma teoria que eu levantei para explicar a telepatia entre homens e animais. As pessoas não falam de campos, mas falam sobre o comportamento dos animais. Campo mórfico é uma denominação que eu criei para isso.
    .
    .
    Como dizia Alziro Zarur, “Seus cães estão chamaaaaaando”.

  203. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Esse pessoal gosta de falar em fé, milagres, remédios caseiros, medicina holística, mas na hora do câncer, da doença de Crohn, da arteriosclerose, da leishmaniose, da tuberculose pulmonar, da AIDS, da hepatite C, do lupus, nenhum hipócrita deixa os laboratórios de lado e entrega-se à fé, às orações, aos milagres, à medicina alternativa.
    Eles podem até continuar fantasiando com essas porcarias, mas usam os remédios bem materiais dos laboratórios capitalistas.”
    /.
    PONDERAÇÃO: quequiéisso?! Não sabes então de cirurgias espirituais que curam cânceres, de tumores que levitam, de entes materializados que debelam males crônicos, tiram carnegão e extirpam morródias?
    .
    Sem falar de baleados, infartados, amputados, que se curam com passes e orações. O sujeito leva cinco tiros, pra onde ele prefere ir, ao hospital ou ao RR Soares?
    .
    Soares, claro… ou Macedo…

  204. MONTALVÃO Diz:

    /
    Chi, não usei uma aspas no comment retro, será que serei entendido?

  205. Marciano Diz:

    Recado psicofonado de Zarur para MONTALVÃO:
    https://www.youtube.com/watch?v=VsLg2ekFyEk

  206. Marciano Diz:

    Pra você, MONTALVÃO:

    http://brasil.estadao.com.br/blogs/em-foca/wp-content/uploads/sites/71/2011/12/aspas.png

  207. MONTALVÃO Diz:

    /
    “E é isso que o Zangari faz.”
    /.
    hummm, desentendi creio, entãotão quando diz: “não sabemos se psi existe”, está “fugindo” (destaque, não ironia) de admitir que psi exista…
    hummmm…

  208. Marciano Diz:

    “Aspas” é o número da besta, disfarçado.
    Veja:
    http://1.bp.blogspot.com/-djOC6QyuDdc/UQTU7_wZHqI/AAAAAAAAAL0/0gcMliG2FgU/s320/aspas.JPG

  209. MONTALVÃO Diz:

    /
    :-) :-) :-) :-) :-)

  210. Marciano Diz:

    aspas
    [Pl. de aspa.]
    Substantivo feminino plural.
    1.Asa (8).
    2.Sinais de pontuação («» ou “”), que em geral se grafam alceados, com que se abre e fecha uma citação; comas, vírgulas dobradas. [O segundo sinal de um desses pares (‘ ou ‘) é us. para evitar a repetição de palavras em linhas sucessivas.]
    3.Arquit. Ornato em feitio de ziguezague. ~ V. aspa.

    Aspas alemãs. 1. Tip. Aspas que têm a forma de vírgulas, ficando na altura da linha as que abrem a citação, e invertidas e ao alto as que a fecham [„.....”].
    Aspas francesas. 1. Tip. As de forma angular e alinhamento uniforme [“.....”].
    Aspas inglesas. 1. Tip. As que têm a forma de vírgulas colocadas ao alto, sendo invertidas as que abrem a citação [“.....”].
    Aspas simples. 1. Sinal de pontuação (‘ ou ’) com que se inicia e termina a tradução de uma palavra ou expressão estrangeira, uma citação dentro de outra citação, etc.
    Bater aspas. 1. Bras. RS V. bater orelha.
    Fincar as aspas. 1. Bras. RS Pop. Cair de cabeça para baixo.
    Fincar as aspas no inferno. 1. Bras. RS Pop. V. morrer (1). [Us. com referência a pessoa indesejável.]
    From Aurélio.

  211. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Esse negócio de xenoglossia começou com os Atos dos Apóstolos, quando estes teriam, de acordo com o livro bíblico, tido uma crise de Síndrome de Tourette e saído por aí falando sílabas desconexas.”
    /.
    Bem ou não, foi noticiado que os oitivantes, conquanto de varias nacionalidades, compreendiam como se ouvissem em suas próprias línguas. Então não foi exatamente xenoglossia… ou uma xenoglossia expandida…

  212. Marciano Diz:

    Tá tudo tão rápido que não sei se estás a rir do recado do Zarur, das aspas da besta apocalíptica, da ginga do Zangari, do campo do Sheldrake, ou dos seus cães.

  213. Marciano Diz:

    Viu o vídeo do pastor falando em línguas que postei acima?
    Todos os crentes estavam entendendo tudo o que ele falava.
    .
    Para entender discurso desconexo, basta ser esquizofrênico hebefrênico ou crente.

  214. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Isto é glossolalia ou xenoglossia?”
    /
    Glossolalia miscigenada com putaloucaria. Quer verdadeira prática de línguas estranhas?
    https://www.youtube.com/watch?v=pdJeRqAsZXA

  215. Marciano Diz:

    Bem ou não, foi noticiado que os oitivantes, conquanto de varias nacionalidades, compreendiam como se ouvissem em suas próprias línguas. Então não foi exatamente xenoglossia… ou uma xenoglossia expandida…
    .
    Foi telepatia, posto que ninguém entende línguas que não aprendeu.
    Se até cães e gatos são telepatas, imagine crentes.

  216. MONTALVÃO Diz:

    /
    “para aqueles que, como MONTALVÃO, não são xeneglotas:”
    /.
    Um dia serei pleno linguarota e aí quero verdes mangar de mim…

  217. Marciano Diz:

    Vendo esse vídeo do bispo Arnaldo lembrei-me de que McCartney usa siri para construir uma frase do tipo.
    .
    I used to ride on my fast city life, singing songs that I thought were mine alone.
    .
    Siricantalanapraia não se parece com onmaféstsirilaif?

  218. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Vejam este vídeo (Rupert Sheldrake Telepatia entre Cães e seus Donos), legendado em português do Brasil, para aqueles que, como MONTALVÃO, não são xeneglotas:”
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=97p_Af0uMjM
    ./
    PONDERAÇÃO: quando digo que o bruto é alucinado tem quem queira me crucificar…
    .
    “São só 14 minutos.”
    .
    De tortura…

  219. MONTALVÃO Diz:

    /
    Depois, só para o MONTALVÃO, tem uma aulinha:
    .
    http://asiasociety.org/files/chinese-blackboard.png
    /.
    Tá amarrado… ☠

  220. Marciano Diz:

    Tem uma música da Dalva de Oliveira (conhece) em que ela fala de “mangar”. Parece com mock, ou com moquer.
    Kalu.
    https://www.youtube.com/watch?v=QTDD1IDB-24
    .
    Para que aprender línguas estrangeiras, se a gente pode se comunicar telepaticamente até com cães, gatos, papagaios e outros bichos?

  221. MONTALVÃO Diz:

    /
    Para cada Rupert Sheldrake sempre existe uma Pam Smart (adaptado)…

  222. Marciano Diz:

    Para quê aprender línguas estrangeiras?
    Pour moquer de Montalvão.
    To mock Montalvão.
    Pra mangar de Moltalvão.

  223. Marciano Diz:

    Presente do Indicativo

    eu mango

    tu mangas

    ele manga

    nós mangamos

    vós mangais

    eles mangam

    Pretérito Perfeito

    eu manguei

    tu mangaste

    ele mangou

    nós mangamos

    vós mangastes

    eles mangaram

    Pretérito Imperfeito do Indicativo

    eu mangava

    tu mangavas

    ele mangava

    nós mangávamos

    vós mangáveis

    eles mangavam

    Pretérito Mais-que-Perfeito

    eu mangara

    tu mangaras

    ele mangara

    nós mangáramos

    vós mangáreis

    eles mangaram

    Futuro do Presente

    eu mangarei

    tu mangarás

    ele mangará

    nós mangaremos

    vós mangareis

    eles mangarão

    Futuro do Pretérito

    eu mangaria

    tu mangarias

    ele mangaria

    nós mangaríamos

    vós mangaríeis

    eles mangariam

    Presente do Subjuntivo

    eu mangue

    tu mangues

    ele mangue

    nós manguemos

    vós mangueis

    eles manguem

    Pretérito Imperfeito do Subjuntivo

    eu mangasse

    tu mangasses

    ele mangasse

    nós mangássemos

    vós mangásseis

    eles mangassem

    Futuro do Subjuntivo

    eu mangar

    tu mangares

    ele mangar

    nós mangarmos

    vós mangardes

    eles mangarem

    Imperativo Afirmativo

    manga tu

    mangue ele

    manguemos nós

    mangai vós

    manguem eles

    Infinitivo Pessoal

    eu mangar

    tu mangares

    ele mangar

    nós mangarmos

    vós mangardes

    eles mangarem

    Gerúndio

    mangando

    Particípio

    mangado
    .
    .
    Significa zombar de quem come mangas.

  224. Marciano Diz:

    Mangue é o local na praia onde nascem mangueiras, em áreas sujeitas a marés.
    .
    Mangueira é aquela árvore que serve para transportar líquidos como água, gasolina, álcool, etc.
    .
    Estou aprendendo por via telepática, com meus cães imaginários.

  225. Marciano Diz:

    Eu quero falar seriamente, mas com a imagem de Sheldrake na cabeça, fica difícil.
    Como levar o Dr. Sheldrake a sério?
    Algumas cachaças, como o bispo Arnaldo?
    LSD?
    Aquele troço que o Emmânnuel serviu pro cx?

  226. Marciano Diz:

    Bem que eu queria levar a sério o campo mórfico de Sheldrake e do gato do filho dele, mas não consigo, não sei por quê.
    Acho que estou sofrendo de pseudoceticismo patológico.
    Isso tem cura, MONTALVÃO?
    Não quero ser inútil, quero dar minha contribuição para a comunicação global entre cães, gatos, papagaios e humanos.
    Quero vender livros para otários.
    Quero ganhar dinheiro facilmente, sem trabalhar.

  227. MONTALVÃO Diz:

    /.
    “MONTALVÃO, lendo a entrevista de Sheldrake (o livro, não leio nem sendo pago para isto) descobri que você e seus cães não têm muita afinidade.
    /.
    PONDERAÇÃO: não, meu caro afinidades temos, muitas. E isso seria uma marretada na loucura de Sheldrake, mas como ele e agregados têm saídas para tudo (lembre-se de que Krippner não validou Amiden, foram os editores que lhe puseram as palavras na boca), pode-se alegar que a afinidade seja importante mas não determinante: há que haver mentes afins mas habilidades paranormais presentes: a ausência de uma dessas facetas estrumbica o processo.
    .
    Acho que estou quase apto a ser aceito no clube da crença no paranormal ativo e forte.
    .
    Mas, agora só entre nós: eu paranormalizo com meus cães, comunicamo-nos telepaticamente o dia inteiro, como aliás, já o disse aqui, sou habilitado a enviar mensagens a qualquer um de qualquer parte até de Marte. Se o sujeito não recebeu problema não meu…
    .
    Exemplo de telepatia forte entre mim e meus pets. A Méri, a cadelinha mais sem-vergonha que o mundo produziu, vez em quando escapole e some. Espero que volte durante alguns minutos e nada. Então começo a enviar mensagens: “Méri venha para casa!”, e não é que ela retorna?
    .
    Se Sheldrake souber dessa vai querer me levar para a Inglaterra, por isso, não conte pra ele, please.
    ./
    /

    “Campos mórficos.
    Alguém aí se lembra de quando eu relatei que pseudociência adora inventar termos estranhos?”
    /.
    PONDERAÇÃO: campos mórficos e arroz misturam bem em qualquer prato…

  228. Marciano Diz:

    REVISTA – O senhor já teve suas próprias experiências de telepatia com animais?
    RUPERT – Não, mas já vi telepatia entre animais e o meu filho, porque nosso gato o esperava quando ele estava voltando da escola, muitas vezes.
    .
    Como fazer para levar a sério essa conversa do Sheldrake, desculpe, Professor Doutor Sheldrake?
    .
    MONTALVÃO saiu, vou sair também.
    Vou tomar umas cachaças no bar do bigode, dar umas garrafadas, uns cachações, depois eu volto.
    .
    Espero retornar com um assunto mais sério do que o do livrinho do Sheldrake.

  229. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, vi que voltaste, mas Sheldrake já deu pra mim (não no sentido gaúcho da expressão).
    Vou ler um Mandrake e volto mais tarde.
    Na verdade, vou comer alguma coisa, pois estou a morrer de fome.
    Quando voltar, gostaria de conversar sobre algo sério, não telepatia canina.

  230. Marciano Diz:

    Algo sério, sei que não vai rolar.
    Pode ser sobre qualquer paraperiespiritoidice, mas Sheldrake, não, por favor!

  231. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    VISONI: “Você é mesmo sem noção dos custos que isso representaria. Vamos pagar centenas de viagens (e hospedagem também, junto com alimentação) para outros países (sim, porque só uma ou duas viagens não satisfaria os céticos…).”
    /.
    PONDERAÇÃO: cessada a risada, e pensando nas minguadas “ecolomias” do pobre do Sheldrake, pode-se pensar em verificação mais objetiva. O teste de telepatia caninana sheldrakeano lembra os experimentos de visão remota: o sujeito vai pralgum lugar e de lá manda “visões” (aspas irônicas) do que vê ao sensitivo (poderia aspear “sensitivo”, mas deixo quieto). Este diz o que sente: vejo uma árvore; um meio-fio; um sapato preto; um cachorro se coçando; uma mulher brigando com o filho… Alguns desses descritivos estão no local onde o emissor se encontra, então é festa total: visão remota comprovada!
    .
    Mais mole que mastigar água…
    .
    Então, em vez de levam Pam cada vez mais para longe, o que onerará custos e talvez não resolva, proponho outra: trazê-la cada vez mais pra perto. Explico. Na própria casa, se for grande o suficiente ou em alguma da vizinhança prepara-se um quarto à prova de som e de cheiro. Tipo que nenhum cachorro, nem que deitasse à porta, ouvisse ou farejasse.
    .
    No aposento um microfone por meio do qual o louc, digo, experimentador dá instrução ao testando. Ele e auxiliares, com relógios sincronizados, em momentos aleatórios, instrui ao no aposento: “chame seu cãozinho” (telepaticamente, naturalmente).
    .
    O totó deverá responder como se ouvisse o chamado. Se a resposta ocorrer em quantidade expressiva, ponto preliminar para Sheldrake e seus devaneios.
    .
    Repete-se a testagem q.s.p. (“quanto suficiente para”: aspas explicativas), até permitir conclusiva interpretação do acontecido. Publica-se o resultado para verificação, avaliação, replicação por quem interessado.
    .
    Pronto, telepatia canina demonstrada… ou não…
    .
    Será que tenho que ensinar tudo a essa gente?

  232. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Agora imaginem o campo morfogenético do Sheldrake…
    HAJA SACO!”
    /.
    Então é “aí” que o campo se concentra?

  233. MONTALVÃO Diz:

    /
    “As equações de Sheldrake não existem.”
    /.
    Como não existem? A telepatia caninana está aí para demonstrá-lo…

  234. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Sucesso plagiado da música de Altemar Dutra:
    .
    E então que queres tu de mim
    Se até o pranto que chorei
    Se foi por ti não sei”
    /.
    PONDERAÇÃO: putz! Agora não tem jeito: tenho que acreditar em telepatia! Semana passada eu estava ouvindo esta música!
    .
    Que coisa, não?

  235. MONTALVÃO Diz:

    /
    Recado psicofonado de Zarur para MONTALVÃO:
    https://www.youtube.com/watch?v=VsLg2ekFyEk
    /.
    Saudades…

  236. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Aspas” é o número da besta, disfarçado.
    /.
    vi três embriões…

  237. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Siricantalanapraia não se parece com onmaféstsirilaif?”
    /
    more or less… seria McCartney dado a línguas… estranhas?

  238. MONTALVÃO Diz:

    /
    Marciano Diz:
    Presente do Indicativo eu mango
    Pretérito Perfeito eu manguei
    Pretérito Imperfeito do Indicativo eu mangava
    Pretérito Mais-que-Perfeito eu mangara
    Futuro do Presente eu mangarei
    Futuro do Pretérito eu mangaria
    [...]
    Particípio mangado
    /.
    Presente do afundativo: tô no mangue…
    .
    .
    “Significa zombar de quem come mangas.”
    .
    Caçoe…

  239. Vitor Diz:

    n) é o que se chama disfarçar a ignoração: para “provar” que houve replicação cita testemunho do suspeito…
    .
    Não, simplesmente quis mostrar o equívoco (mais um!) seu, quando disse “declaração TOTALMENTE ignorada pelo detrador”. Assim não dá para te levar a sério, é um erro atrás do outro, parece que está só de trollagem…
    .
    o) “Quer dizer, mesmo o diminuto número de tentativas de replicar o achado de Sheldrake resultou negativo…”
    .
    O próprio Wiseman admite que replicou os estudos de Sheldrake em dois momentos:
    .
    In 2007, nine years after the original paper was published and over eleven years after the completion of the research, during an interview with Alex Tsakiris on Skeptiko, Richard Wiseman said “I don’t think there’s any debate that [sic - in the interview "that" appears as "but"] the patterning in my studies is the same as the patterning in Rupert’s studies…it’s how it’s interpreted.”[Footnote: Skeptiko, 17 April 2007, “Collaboration Between Sketics and Paranormal Researchers” - http://www.skeptiko.com/11-dr-richard-wiseman-on-rupert-sheldrakes-dogsthatknow/
    .
    A few months later, in an interview with Steven Novella in The Skeptics’ Guide to the Universe, Wiseman repeated his belief that the patterns found in Dr Sheldrake’s study could also be found in his own.[FOOTNOTE: The Skeptics' Guide To The Universe - Podcast 126 – 19 December 2007. quote: “Rupert then came along, did his own tests using a different procedure and claimed the dog was psychic and then reanalysed our data and found the same patents in our data he had in his. And I think those patterns are there as well.”] Dr Sheldrake has stated that he believed these were the first times Wiseman had publicly agreed, at least in part, that he had replicated Dr Sheldrake’s results. ”

  240. Vitor Diz:

    Eu vendo o Montalvão/Joe usar as aspas:
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=CgRglfwSy00 :D

  241. MONTALVÃO Diz:

    /
    10. Marciano Diz:
    Mangue é o local na praia onde nascem mangueiras, em áreas sujeitas a marés.
    .
    Mangueira é aquela árvore que serve para transportar líquidos como água, gasolina, álcool, etc.
    .
    Estou aprendendo por via telepática, com meus cães imaginários.
    /.
    PONDERAÇÃO: quiserá que seus imaginários lhes passam?
    .
    MANGUE: Fitogeogr. Comunidade dominada por árvores ditas mangues [v. mangue (2)] , dos gêneros Rhizophora, Laguncularia e Avicennia, que se localiza, nos trópicos, em áreas justamarítimas sujeitas às marés. O solo é uma espécie de lama escura e mole. [Sin.: mang al, mangrove, manguezal.]
    2. Bot. Cada uma das plantas dotadas de raízes-escoras (v. raiz-escora), que aí vegetam.
    3. Bras. RJ Gír. Zona do baixo meretrício.
    .
    MANGUEIRA: [De manga3 + -eira.] S. f. Bot. 1. Árvore da família das anacardiáceas (Mangifera indica), de origem asiática, de flores pequeninas e ordenadas em tirsos, e cujo fruto é uma drupa carnosa e saborosa, do qual há numerosas variedades.
    /
    Começo a supor que telepatia seja coisa algo um tanto quanto perigosa…
    .
    E agora fico na expectativa: se tô no mangue, em qual deles? Se no de Marciano, com mangueiras na areia da praia…

  242. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Acho que estou sofrendo de pseudoceticismo patológico.
    Isso tem cura, MONTALVÃO?”
    /.
    Tem: deguste um single 28 anos, litraço: cura garantida…

  243. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Algo sério, sei que não vai rolar.
    Pode ser sobre qualquer paraperiespiritoidice, mas Sheldrake, não, por favor!”
    /
    PONDERAÇÃO: Guenta mais um tantinho (sei que tem resistência): resolver o Sheldrake não é esforço baldado, pois fará bem ao esclarecimento de muitos desavisados.

  244. MONTALVÃO Diz:

    /.
    n) é o que se chama disfarçar a ignoração: para “provar” que houve replicação cita testemunho do suspeito…
    .
    VISONI: Não, simplesmente quis mostrar o equívoco (mais um!) seu, quando disse “declaração TOTALMENTE ignorada pelo detrador”. Assim não dá para te levar a sério, é um erro atrás do outro, parece que está só de trollagem…
    /.
    PONDERAÇÃO: continua a ignorá-la (a declaração) sob o disfarce de que a abordou. Palavras novas não precisa, basta repetir o que foi dito, visto parecer ter esquecido:
    .
    “Recorde o que postei: “não foi condizentemente replicada”. Considerando que “alegações extraordinárias de extraordinárias evidências carecem”, os cães telepatas de Sheldrake,(no caso apenas um foi achado), para serem confirmados necessitariam de muitas experiências até se chegar a parecer seguro. Pelo que vemos, as poucas tentativas resultaram em indefinição (para ser generoso).
    .
    Quem busca avidamente o paranormal, qual perdido no deserto busca água, se contenta com poucas, e insuficientes, experimentações (às vezes apenas uma) e com elas faz a guerra. A boa ciência, por outro lado, exaure as investigações até se dar por satisfeita.
    .
    Rupert Sheldrake, fosse bom menino, ante a suposição de que achara algo válido deveria divulgar o que descobriu, mas com a ressalva de que sua conclusão era provisória e que mais averiguações seriam imprescindíveis. Tivesse essa humildade e prudência todos o estaríamos reconhecendo pesquisador cauteloso e louvável, mesmo que não concordássemos com o que defende. Do modo que age, mostra-se imprudente e loucovável…”

  245. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Todos os analistas e leitores do blog podem verificar por si próprios.
    .
    Leiam rapidamente isto aqui:
    .
    http://www.transparent.com/images/articles/00oct_chinese_char1.gif
    /.
    PONDERAÇÃO: é uma música: (transcrição para o purtuguês)
    .
    Sitodos focem inguais a ocê,
    que maravilhaaa, vem ver…
    /.
    Trata-se de homenagem à muralha…

  246. MONTALVÃO Diz:

    /
    “parece que você não sabe usar as aspas. É um texto. Sem aspas. Use as aspas apenas quando elas forem necessárias. Não faz nenhum sentido vc tentar dar um tom irônico ou sarcástico aí.”
    /.
    PONDERAÇÃO: essa deixo pro meu assessor responder:
    .
    ============================.
    Dicas sobre o uso das aspas

    .
    O emprego das aspas, recurso gráfico comum na linguagem escrita, está condicionado a situações de uso preestabelecidas.
    .

    As aspas sempre são utilizadas em pares, sinalizando o início e o fim do termo destacado por esse recurso gráfico
    .
    Quem nunca ficou em dúvida sobre o emprego das aspas? Recurso gráfico muito utilizado na linguagem escrita, as aspas estão condicionadas a situações de uso específicas. Mas não basta saber como e quando usá-las, é preciso também saber como pontuar um texto quando as aspas surgem em seu desenvolvimento.
    .
    Para facilitar sua escrita, elaboramos algumas dicas sobre o uso das aspas que podem elucidar de vez uma dificuldade muito frequente na língua portuguesa.
    .
    Regras para o uso das aspas:
    • As aspas devem ser empregadas sempre que você for abrir e fechar citações. Observe o exemplo:
    “O senhor… mire, veja: o mais importante e bonito, do mundo, é isto: que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas – mas que elas vão sempre mudando. Afinam ou desafinam, verdade maior. É o que a vida me ensinou. Isso que me alegra montão.”
    (Grande sertão: Veredas – Guimarães Rosa)
    • Uma situação de uso em que as aspas são empregadas com frequência é quando temos como intenção exprimir ironia ou conferir destaque a uma palavra ou expressão empregada fora de seu contexto habitual. Observe o exemplo:
    Moça linda bem tratada,
    Três séculos de família,
    Burra como uma porta:
    Um “amor”.
    (Mário de Andrade)
    • As aspas devem ser empregadas quando no texto surgirem neologismos, arcaísmos ou gírias, pois é importante que esses termos ganhem destaque. Observe o exemplo:
    “(…) Já outro, contudo, respeitável, é o caso – enfim – de ‘hipotrélico’, motivo e base desta fábrica diversa, e que vem do bom português. O bom português, homem de bem e muitíssimo inteligente, mas que, quando ou quando, neologizava, segundo suas necessidades íntimas.”
    (Tutameia – Terceiras estórias. Guimarães Rosa*)
    * Guimarães Rosa é um escritor de nossa literatura muito conhecido pela criação de neologismos. Segundo ele, “hipotrélico” significa “pessoa pedante”, que tem pouco respeito com a opinião alheia.
    • Para ressaltar a ocorrência de empréstimos linguísticos (estrangeirismos) no texto, sobretudo quando não estiver disponível a opção “itálico”. Observe o exemplo:
    A “baby-sitter” e o “barman” marcaram um encontro no “hall” do edifício.
    • Para marcar o título de uma obra. Observe o exemplo:
    “Memórias Póstumas de Brás Cubas”. (Machado de Assis)
    Regras para a pontuação quando houver aspas:
    • Se a frase começa e termina com aspas, o ponto deve ficar dentro das aspas. Exemplo:
    “Está morto: podemos elogiá-lo à vontade.” (Machado de Assis)
    • Se a frase não está integralmente dentro das aspas, a pontuação deve ficar fora das aspas. Exemplo:
    Estou de acordo com Machado de Assis, que dizia, sabiamente: “lágrimas não são argumentos”.
    http://www.portugues.com.br/gramatica/dicas-sobre-uso-das-aspas.html

  247. Marciano Diz:

    LIVRARIA CULTURA
    CAES SABEM QUANDO SEUS DONOS ESTAO CHEGANDO
    • Autor: SHELDRAKE, RUPERT
    • Assunto: Ciências Biológicas – Filosofia da Ciência
    • Edição: 1
    • Ano: 1999

    As histórias aqui reunidas são resultado de uma longa pesquisa que vem provar que há muito mais sobre a mente dos animais do que a imaginação possa conceber. Telepatia, senso de direção, premonições- estes e outros poderes psíquicos parecem naturais e, mesmo, mais biológicos quando se analisam os relatos sobre o comportamento animal. O Dr. Rupert Sheldrake reúne uma série da casos que provam que os animais apresentam uma percepção que muitas vezes escapa à compreensão da ciência.
    .
    Isso é o que diz a livraria.
    Vejam o que diz o autor, em entrevista:
    .
    REVISTA – O senhor tem animais?
    RUPERT – Tenho um gato, um coelho e cuido de um labrador que pertence a um amigo.
    REVISTA – Em que o senhor fundamenta a sua teoria?
    RUPERT – Pesquisei as atitudes dos bichos durante cinco anos. Mais de 200 pessoas me deram seus depoimentos sobre a relação com seus bichinhos e atestaram esse tipo de comunicação que eu explico no livro. A partir dos relatos, levantei modelos gráficos do comportamento de vários animais.
    .
    Quer dizer que ESTAS foram as “pesquisas” (aspas para ironizar) de Sheldrake?
    Depoimentos de 200 malucos que “pensam” (ironia, de novo) que seus animais adivinham?
    .
    E o próprio “pesquisador” (de novo) só tem um gato e um coelho?
    Ainda diz que o gato é de seu filho?
    Toma contra de um labrador para um amigo?
    .
    Isso é sério?
    Isso “prova” (idem) alguma coisa?
    .
    .
    .
    E de onde ele tirou essa ideia de campos mórficos?
    De sua imaginação?
    O que é um campo mórfico, de que é feito, quais suas propriedades?
    .
    RUPERT – Campos mórficos são laços afetivos entre pessoas, grupos de animais -como bandos de pássaros, cães, gatos, peixes- e entre pessoas e animais. Não é uma coisa fisiológica, mas afetiva. São afinidades que surgem entre os animais e as pessoas com quem eles convivem. Essas afinidades é que são responsáveis pela comunicação.
    .
    Estas são palavras de um cientista?
    .
    .
    https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/5/57/Magnet0873.png
    A direção das linhas do campo mórfico de um cão, demonstradas pelo alinhamento das fezes caninas colocadas sob a cabeça de Sheldrake. A alta permeabilidade mórfica das fezes individuais fazem com que o campo mórfico seja maior nas pontas delas. Isto faz com que as fezes individuais atraiam umas às outras, formando grupos alongados que desenham linhas. Não se espera que estas linhas sejam linhas de campo precisas para este cão, mais ainda, a morfetização (de morféia, ou lepra) do próprio cão deve alterar o campo mórfico.
    .
    .
    https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/8/81/Circular.Polarization.Circularly.Polarized.Light_Right.Handed.Animation.305×190.255Colors.gif
    .
    Representação do vetor campo mórfico de um cão eletromorficocircularmente polarizado
    .
    Eis aqui a equação de Sheldrake (em primeira mão), que define o campo mórfico gerado por um labrador emprestado por um amigo:
    .
    http://www.scielo.br/img/revistas/rbef/v27n3/a15frm06.gif.

  248. Marciano Diz:

    RUPERT – Pesquisei as atitudes dos bichos durante cinco anos. Mais de 200 pessoas me deram seus depoimentos sobre a relação com seus bichinhos e atestaram esse tipo de comunicação que eu explico no livro. A partir dos relatos, levantei modelos gráficos do comportamento de vários animais.
    .
    Olhem o modelo gráfico do Sheldrake aqui:
    .
    https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/4/4f/Biot_Savart.svg

  249. Marciano Diz:

    Estou escrevendo a Teoria da Propagação das Ondas do Campo Mórfico Afetivo.
    Quando terminar, vou publicar na Nature.
    Aguardem.
    As equações estão me dando um trabalho danado!
    Quisera contar com a colaboração do GORDUCHO, nessa parte.

  250. Marciano Diz:

    Esse livro do Sheldrake daria uma matéria e tanto no “Fantástico”, da Globo, ou na “Superinteressante”.
    .
    Claro que, por razões óbias, a parte maçante da matemática seria dispensada.

  251. Marciano Diz:

    óbVias

  252. Marciano Diz:

    Imaginem os apresentadores do “Fantástico” narrando isto:
    http://www.scielo.br/img/revistas/rbef/v27n3/a15frm06.gif

  253. Marciano Diz:

    Estou com saudades de uma pessoa hipotrélica que frequentava o blog.
    ,
    MONTALVÃO, só para complementar seu texto sobre “”:
    Aspas alemãs. 1. Tip. Aspas que têm a forma de vírgulas, ficando na altura da linha as que abrem a citação, e invertidas e ao alto as que a fecham [„.....”].
    Aspas francesas. 1. Tip. As de forma angular e alinhamento uniforme [“.....”].
    Aspas inglesas. 1. Tip. As que têm a forma de vírgulas colocadas ao alto, sendo invertidas as que abrem a citação [“.....”].
    Aspas simples. 1. Sinal de pontuação (‘ ou ’) com que se inicia e termina a tradução de uma palavra ou expressão estrangeira, uma citação dentro de outra citação, etc.
    Bater aspas. 1. Bras. RS V. bater orelha.
    Fincar as aspas. 1. Bras. RS Pop. Cair de cabeça para baixo.
    Fincar as aspas no inferno. 1. Bras. RS Pop. V. morrer (1). [Us. com referência a pessoa indesejável.]
    From Aurélio.

  254. MONTALVÃO Diz:

    /
    Eu vendo o Montalvão/Joe usar as aspas:
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=CgRglfwSy00
    /.
    Se for para perceber o que ganham topo.

  255. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “E o próprio “pesquisador” (de novo) só tem um gato e um coelho?
    Ainda diz que o gato é de seu filho?
    Toma contra de um labrador para um amigo?
    .
    Isso é sério?
    Isso “prova” (idem) alguma coisa?”
    /.
    PONDERAÇÃO: prova o que falei: alucinação pura!

  256. MONTALVÃO Diz:

    /
    “O que é um campo mórfico, de que é feito, quais suas propriedades?”
    /.
    EXPLICO: campo mórfico é feito de fluido universal, e se movimenta por indução ectoplasmática; suas propriedades são: ação, reação, contração, expansão, direção, digressão, sabão, magnetismo animal e uberaba.
    .
    Acho que tem também um tantinho de jurubeba na parada…

  257. Marciano Diz:

    Guimarães Rosa é um escritor de nossa literatura muito conhecido pela criação de neologismos. Segundo ele, “hipotrélico” significa “pessoa pedante”, que tem pouco respeito com a opinião alheia.
    .
    Rupert Sheldrake é um pseudo-cientista muito conhecido pela criação de neologismos, que gosta de imitar o jargão científico e técnico jorrando uma algaravia que soa científica e técnica. Segundo ele, “campo mórfico” é um termo que carece de definição precisa, não explicando absolutamente nada, criada só para impressionar impressionáveis.

  258. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, tem alguma correção quanto às expressões algébricas que explicam o campo mórfico?
    Estas aqui, ó:
    .
    .
    http://www.scielo.br/img/revistas/rbef/v27n3/a15frm06.gif.

  259. Marciano Diz:

    Acabo de patentear um morficotômetro, um aparelho que mede o campo mórfico gerado por um labrador afinado em Lá fundamental (440 Hertz), com um gato angorá, pelo qual nutre grande afinidade, medida por um afinômetro de biomagnésio estático.
    .
    Quando a tecnologia de comunicações baseadas em campos mórficos bombar, vou ganhar uma grana afro-descendente.

  260. Marciano Diz:

    MONTALVÃO:
    .
    “campo mórfico é feito de fluido universal, e se movimenta por indução ectoplasmática; suas propriedades são: ação, reação, contração, expansão, direção, digressão, sabão, magnetismo animal e uberaba.”
    .
    Dado que uma das propriedades do campo mórfico é a direção, diga-me como se calcula o vetor de indução mórfica que descreve esse campo, considerando que, por definição o ⊗ tem direção tangente à linha de campo em cada ponto.

  261. Marciano Diz:

    Encerro por hoje com uma dica para MONTALVÃO:
    .
    Quando a carga de prova tem sinal negativo (q0), ambos os vetores têm mesma direção e sentido
    Já quando a carga geradora do campo tem sinal positivo (Q>0), o vetor campo mórfico tem sentido de afastamento das cargas e quando tem sinal negativo (Q<0), tem sentido de aproximação, sendo que isto não varia com a mudança do sinal das cargas de provas.
    .
    .
    Sei que você tem problemas com interpretação de textos, por isso mandarei a fórmula algébrica por e-mail, dada a dificuldade de se notar expressões algébricas no blog.

  262. Marciano Diz:

    q<0. Poltergeist interferindo na comunicação. Saiu q0, o que não significa nada na teoria dos campos mórficos.

  263. Marciano Diz:

    CORREÇÃO:
    Quando a carga de prova tem sinal negativo (q0), ambos os vetores têm mesma direção e sentido.

    Já quando a carga geradora do campo tem sinal positivo (Q>0), o vetor campo elétrico tem sentido de afastamento das cargas e quando tem sinal negativo (Q<0), tem sentido de aproximação, sendo que isto não varia com a mudança do sinal das cargas de provas.
    .
    q representa a carga de prova do campo mórfico e Q a carga geradora.
    .
    Ficou claro agora, MONTALVÃO?
    .
    Se não entendeu (se não soube interpretar) o texto, veja aqui, desenhado, para facilitar para quem tem dificuldades em interpretar textos:
    .
    http://www.colegioweb.com.br/wp-content/uploads/18809.jpg
    .
    São os campos mórficos gerados por um labrador emprestado e o gato do filho de Sheldrake.

  264. Marciano Diz:

    q<0. Poltergeist interferindo na comunicação de novo.

  265. Marciano Diz:

    Vou fazer um estudo sobre a interferência de poltergeists em comunicações geradas por campos mórficos induzidos por caninos com vetores com módulos, direções e sentidos orientados num espaço pentadimensional quântico, cujas propriedades comutativas e associativas sejam neutras, representadas por um número real não negativo, e que formem a base canônica de um espaço R ⁱ , resultante da combinação linear de vetores escalares matriciais, determinantes do espaço A ∝ B.
    .
    Enquanto durmo, com a ajuda da fármacos terrícolas potencializados por fármacos marcianos, farei uma viagem astral em desdobramento físico à Universidade do Nosso Lar, para que os bondosos matemáticos daquela fraternidade me ajudem na árdua tarefa.

  266. Marciano Diz:

    O espaço R ⁱ ficou prejudicado pelo p, devendo estar melhor visualizado agora.

  267. Marciano Diz:

    Para quem não sabe o que é um espaço R ⁱ , é um espaço Real Imáginário.

  268. Marciano Diz:

    Quem não consegue representar mentalmente um espaço R ⁱ deve desistir de ciências ocultas e procurar algo mais fácil, como teoria dos anéis.
    .
    Bom estudo!
    .
    http://www.mat.ufmg.br/~marques/Apostila-Aneis.pdf

  269. Marciano Diz:

    O capítulo IV da apostila acima é fundamental para quem quer conhecer a teoria dos campos mórficos:
    .
    Capítulo 4
    Homomorfismos de anéis.
    .
    O texto vai sair truncado pelo mecanismo do blog, mas procurem na apostila linkada acima:
    .
    4.1 Defini¸c˜ao e exemplos
    Podemos descobrir informa¸c˜oes sobre um anel examinando sua intera¸c˜ao com outros an´eis. Fazemos
    isto atrav´es dos homomorfismos . Um homomorfismo ´e uma aplica¸c˜ao que preserva as opera¸c˜oes
    soma e produto dos an´eis.
    Defini¸c˜ao 4.1.1 (Homomorfismo e isomorfismo de an´eis). Um homomorfismo ? de um anel R
    em um anel S ´e uma aplica¸c˜ao de R em S a qual preserva as opera¸c˜oes de um anel, isto ´e,
    ?(a + b) = ?(a) + ?(b)
    ?(ab) = ?(a).?(b)
    para todo a e b em R.
    Um homomorfismo de an´eis o qual ´e injetivo e sobrejetivo ´e chamado um isomorfismo de an´eis.
    Neste caso dizemos que R e S s˜ao isomorfos.
    Observe que na defini¸c˜ao acima as opera¸c˜oes `a esquerda do sinal de igual s˜ao as de R, enquanto
    as da direita s˜ao de S.
    Quando temos um isomorfismo ? : R ? S isto significa que R e S s˜ao algebricamente idˆenticos .

  270. Marciano Diz:

    Vão à página 26 da apostila, onde está tudo mastigado.

  271. Marciano Diz:

    Parece xenoglossia, mas é matemática mesmo.

  272. Antonio G. - POA Diz:

    Montalvão, Chico Xavier era, de fato, um grande médium. Bem entendido como sendo médium sinônimo de embusteiro. Neste contexto, Chico Xavier está entre os grandes da história. Quiçá, o maior de todos.

  273. Vitor Diz:

    “Estas são palavras de um cientista?”
    .
    São, ué. Leia isso:
    .
    Eu considero a consciência como fundamental. Considero a matéria como derivada da consciência. Nós não podemos deixar a consciência para trás. Tudo o que falamos, tudo o que nós consideramos como existente, postula consciência. – Max Planck, físico teórico que originou a teoria quântica, que lhe rendeu o prêmio Nobel de Física em 1918. Citado em The Observer de 25 de janeiro de 1931 (pode conferir na wikiquote: https://en.wikiquote.org/wiki/Max_Planck).
    .
    Max Planck não era cientista? Hã?!.
    .
    Ou leia isso:
    .
    “Não foi possível formular as leis da mecânica quântica de uma forma plenamente coerente sem referência à consciência” – Eugene Wigner, físico e teórico matemático. Ele recebeu uma parte do prêmio Nobel de Física em 1963. Ele também não era cientista?!
    .
    Sheldrake já publicou até na Nature. Eu não gosto muito dele como teórico, mas seus experimentos me parecem a princípio ser bem controlados, eliminando as explicações normais mais óbvias. De qualquer forma, a sua hipótese de campos mórficos (a qual eu NÃO gosto) já recebeu ataques e defesas na própria Nature. Um exemplo de defesa publicada na Nature é essa:
    .
    SIR – The rather intemperate reaction of Nature to Sheldrake’s hypotheses, against which Josephson has protested, is in part the result of Sheldrake’s own choice of Bergsonian – or Paracelsan – explanations for the effect he postulates, and in part the result of noncommunication between biology and physics.
    Had Sheldrake said that the quantum interconnectedness might extend to macrosystems, including biological systems, I do not think that Nature would have felt that its virginity was in peril. A model of interconnectedness does in fact flow from Bohm’s idea of explication. The experimental agenda is to see how far beyond the subatomic level this patterning extends. If particles correspond to the asteroids and spaceships of a video game, appearing to behave as objects subject to cause-effect, but being in fact virtual displays built up from pulses which bear no translational resemblance to the ‘display’, Darwinian evolution might well be (some would say, ‘must be’) a video game of the same order, appearing to follow simple selectionadaptation principles, as the game-pieces appear to collide, explode and so on – but in fact determined by information from an implicate substrate. The relevance of interconnectedness to middle-order systems looks like a prime candidate for confirmatory research. If it were confirmed, Sheldrake would be both right in principle and wrong in his postulated mechanism of ‘morphic fields’; viewed in this way, his suggestion is far from absurd.
    One awaits with interest Nature’s reaction to the first book which points out that Bohm’s model also blows up the convention of Helmholtzian mind. That suggestion might prove even more alarming than a physics-based neovitalism.

    .
    http://www.nature.com/nature/journal/v295/n5845/pdf/295092d0.pdf

  274. Vitor Diz:

    “As equações de Sheldrake não existem”.
    .
    Quando Darwin e Wallace lançaram a Teoria da Evolução também não tinham equação alguma. A “matematização” da Biologia é algo bem recente. A publicação de “A origem das Espécies” é de 1859 e os primeiros modelos matemáticos da Biologia evolutiva vieram com Fritz Muller (1879) e Karl Dusing (1884).

  275. Vitor Diz:

    Mais dois exemplos de “palavras de um cientista” publicado na própria revista Nature, e bem recente (2005):
    .
    O físico pioneiro Sir James Jeans escreveu: “O fluxo de conhecimento está caminhando em direção a uma realidade não-mecânica, o universo começa a se parecer mais com um grande pensamento do que como uma grande máquina. A mente já não parece ser um intruso acidental no reino da matéria, devemos saudá-la, em vez como a criadora e governadora do reino da matéria.”
    .
    ”O universo é imaterial – mental e espiritual ‘”RC Henry, Professor de Física e Astronomia da Universidade Johns Hopkins,” O Universo Mental. “? Nature 436: 29,2005)
    .
    O artigo publicado na Nature com essas e outras citações que fariam o Marciano vomitar está disponível aqui para qualquer um conferir:
    .
    http://deanradin.com/evidence/Henry2005Nature.pdf

  276. Marciano Diz:

    VITOR, ainda bem que VOCÊ não gosta da “teoria” dos campos mórficos de Sheldrake, coisa que ficaria bem no programa da Ana Maria Brega.
    .
    Mas você acredita nos cães telepatas?
    Acha que essa crença depõe a favor da hipótese psi?
    .
    Não acha que está citando cientistas fora de contexto e comparando-os a Sheldrake, o que parece um pouquinho exagerado?
    .
    .
    Vitor Diz:
    OUTUBRO 14TH, 2015 ÀS 9:51 AM
    “As equações de Sheldrake não existem”.
    .
    Quando Darwin e Wallace lançaram a Teoria da Evolução também não tinham equação alguma. A “matematização” da Biologia é algo bem recente. A publicação de “A origem das Espécies” é de 1859 e os primeiros modelos matemáticos da Biologia evolutiva vieram com Fritz Muller (1879) e Karl Dusing (1884).

    .
    Sheldrake não é um biólogo contemporâneo?
    Darwin ou Wallace falavam em “campo seletivo natural” ou algo semelhante?
    .
    Darwin baseou sua teoria nos depoimentos de 200 pessoas de quem ouviu relatos e em um avinhado e um esquilo que tinha em sua casa?
    O esquilo era da filha dele?

    .
    .
    Sheldrake vai causar na ciência o impacto que Darwin causou?
    .
    .
    .
    Se “O universo é imaterial – mental e espiritual ‘”RC Henry, Professor de Física e Astronomia da Universidade Johns Hopkins,” O Universo Mental. “? Nature 436: 29,2005)”
    Será que ele já existia antes de surgir o Homo sapiens e sua atividade mental?
    .
    .
    Dean Radin não é parapsicólogo?
    Não tem alguém melhor para citar?
    Confia nas citações dele?
    .
    .
    Como adivinhou que estou com ânsia de vômito? Algum passarinho ou cachorrinho lhe contou?

  277. Marciano Diz:

    O ensaio citado por Radin não está sendo levado muito ao pé da letra?
    O autor do ensaio de uma página é Richard Conn Henry, não Radin, e ele critica Galileu, dizendo que um correto entendimento da física estava acessível até a Pitágoras, aquele maluco que acreditava no poder dos números.
    Você leu o que citou?
    .
    Se não leu, aproveite agora:
    .
    Historically, we have looked to our religious
    leaders to understand the meaning
    of our lives; the nature of our world. With
    Galileo Galilei, this changed. In establishing
    that the Earth goes around the Sun,
    Galileo not only succeeded in believing
    the unbelievable himself, but also convinced
    almost everyone else to do the
    same. This was a stunning accomplishment
    in ‘physics outreach’ and, with the
    subsequent work of Isaac Newton, physics
    joined religion in seeking to explain our
    place in the Universe.
    The more recent physics revolution of
    the past 80 years has yet to transform
    general public understanding
    in a similar way. And yet a
    correct understanding of
    physics was accessible even
    to Pythagoras. According to
    Pythagoras, “number is all
    things”, and numbers are mental,
    not mechanical. Likewise,
    Newton called light “particles”,
    knowing the concept to be an
    ‘effective theory’ — useful, not
    true. As noted by Newton’s
    biographer Richard Westfall:
    “The ultimate cause of atheism,
    Newton asserted, is ‘this notion
    of bodies having, as it were, a
    complete, absolute and independent reality
    in themselves.’” Newton knew of Newton’s
    rings and was untroubled by what is
    shallowly called ‘wave/particle duality’.
    The 1925 discovery of quantum
    mechanics solved the problem of the Universe’s
    nature. Bright physicists were again
    led to believe the unbelievable — this time,
    that the Universe is mental. According to
    Sir James Jeans: “the stream of knowledge
    is heading towards a non-mechanical reality;
    the Universe begins to look more like a
    great thought than like a great machine.
    Mind no longer appears to be an accidental
    intruder into the realm of matter… we
    ought rather hail it as the creator and governor
    of the realm of matter.” But physicists
    have not yet followed Galileo’s
    example, and convinced everyone of the
    wonders of quantum mechanics.
    .
    .
    Ainda prefiro a companhia de Galileo.

  278. Marciano Diz:

    Acho que o filme “Matrix” relata a realidade do universo melhor do que essa porcaria.

  279. MONTALVÃO Diz:

    /
    MONTALVÃO, tem alguma correção quanto às expressões algébricas que explicam o campo mórfico?
    Estas aqui, ó:
    /.
    CONFERI e está tudo certinho, apenas o “B” na fórmula (em B(r,t) não deve ser negritado, pois isso pode ocasionar pequena diferença no resultante…

  280. Marciano Diz:

    MONTALVÃO Diz:
    OUTUBRO 14TH, 2015 ÀS 12:01 AM
    /
    “Estou escrevendo a Teoria da Propagação das Ondas do Campo Mórfico Afetivo.
    Quando terminar, vou publicar na Nature.
    Aguardem.
    As equações estão me dando um trabalho danado!
    Quisera contar com a colaboração do GORDUCHO, nessa parte.
    /.
    OFERTAÇÃO: se é para publicar na Nature, conte comigo. Nada entendo de equações nem projeções, manotempobrema: Sheldrake nada entende de campo mórfico e fala pracaramba neles, por que não posso também equacionar?
    .
    .
    PONDERAÇÃO:
    Acaso você não sabia que “o universo começa a se parecer mais com um grande pensamento do que como uma grande máquina. A mente já não parece ser um intruso acidental no reino da matéria, devemos saudá-la, em vez como a criadora e governadora do reino da matéria.”?

    .
    São as palavras de James Dean, digo, James Jeans, segundo Dean Radin, apud VITOR.

  281. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Dado que uma das propriedades do campo mórfico é a direção, diga-me como se calcula o vetor de indução mórfica que descreve esse campo, considerando que, por definição o ? tem direção tangente à linha de campo em cada ponto.”
    /.
    WHAT?!
    .
    Suponho que abrindo a cabeça do Sheldrake talvez a resposta seja encontrada; caso não, então, considerando que é apenas uma letra de diferença, o Vitor deve saber (vetor/vitor)…

  282. Marciano Diz:

    MONTALVÃO Diz:
    OUTUBRO 14TH, 2015 ÀS 10:57 AM
    /
    MONTALVÃO, tem alguma correção quanto às expressões algébricas que explicam o campo mórfico?
    Estas aqui, ó:
    /.
    CONFERI e está tudo certinho, apenas o “B” na fórmula (em B(r,t) não deve ser negritado, pois isso pode ocasionar pequena diferença no resultante…
    PONDERAÇÃO:
    Todas as letras que indicam campos mórficos estão negritadas justamente porque indicam campos, convenção matemática conhecida até por Sheldrake.
    .
    MONTALVÃO Diz:
    OUTUBRO 14TH, 2015 ÀS 11:01 AM
    /
    “Dado que uma das propriedades do campo mórfico é a direção, diga-me como se calcula o vetor de indução mórfica que descreve esse campo, considerando que, por definição o ? tem direção tangente à linha de campo em cada ponto.”
    /.
    WHAT?!
    .
    Suponho que abrindo a cabeça do Sheldrake talvez a resposta seja encontrada; caso não, então, considerando que é apenas uma letra de diferença, o Vitor deve saber (vetor/vitor)…
    PONDERAÇÃO:
    Se abrirmos a cabeça do Sheldrake, o cheiro será insuportável, portanto, a resposta pode estar inatingível no campo da ciência de verdade.

  283. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Sei que você tem problemas com interpretação de textos[...]”
    /.
    TÉTU BRUTUS! Claro que entendi que:
    Quando a carga de prova tem sinal negativo (q0), ambos os vetores têm mesma direção e sentido
    Já quando a carga geradora do campo tem sinal positivo (Q>0), o vetor campo mórfico tem sentido de afastamento das cargas e quando tem sinal negativo (Q<0), tem sentido de aproximação, sendo que isto não varia com a mudança do sinal das cargas de provas.
    .
    Inclusiveo sempre defendi que como a carga dos campos morfogenéticos varia conforme seja o nível momentâneo da loucura de Sheldrake, seu vetor ora está próximo, ora distante, ora equidistante, e nesta condição está tão perto quanto afastado de qualquer elemento quântico.

  284. MONTALVÃO Diz:

    /
    CORREÇÃO:
    [...].
    Ficou claro agora, MONTALVÃO?
    /.
    NEM “pricisava” de correção, eu havia entendido do outro jeito mesmo…

  285. MONTALVÃO Diz:

    /
    “São os campos mórficos gerados por um labrador emprestado e o gato do filho de Sheldrake.”
    /.
    CARECES melhor desestudar os campos (os mórficos): não são labradores ou gatos que os geram, o bicho pouca importância possui. É a AFINIDADE que os traz à lume, sem ela nada; por exemplo, havendo real afinidade entre um bêbado em um poste será produzida elevada carga de morfogenia enquanto durar esse entretanto.
    .
    Estude.

  286. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Para quem não sabe o que é um espaço R ? , é um espaço Real Imáginário.”
    /.
    quinem o anãozinho gigante…

  287. Vitor Diz:

    a) “Mas você acredita nos cães telepatas?”
    .
    Acho que Sheldrake reuniu evidências satisfatórias que nos permitem levar tal hipótese a sério. Ele divulgou seus experimentos tanto em revistas parapsicológicas como em revistas do mainstream (por exemplo, o artigo “Testing a Return-Anticipating Dog, Kane”, publicado na Anthrozoos, 13, 203-212 (2000)).
    .
    b) “Acha que essa crença depõe a favor da hipótese psi?”
    .
    Sim.
    .
    c) “Não acha que está citando cientistas fora de contexto e comparando-os a Sheldrake, o que parece um pouquinho exagerado?”
    .
    Eu não sei como eu posso estar citando cientistas fora do contexto se eu lhe dei o artigo COMPLETO publicado na Nature de 2005. O contexto está TODO lá.
    .
    d) “Sheldrake não é um biólogo contemporâneo?”
    .
    Sim, é um biólogo contemporâneo, mas e daí? Embora os primeiros modelos matemáticos na biologia evolutiva tenham surgido em 1879 e 1884, apenas a partir de 1930 (mais de 70 anos depois do lançamento de A Origem das Espécies!) foi que um grupo de matemáticos-biólogos (como Ronald Fisher, Haldane e Sewall Wright) estabeleceu a genética de populações, considerada a estrutura matemática da biologia evolutiva. Não me consta que Sheldrake seja biólogo-matemático! Ou você acha que todo biólogo precisa dominar matemática também?
    .
    d) “Darwin ou Wallace falavam em “campo seletivo natural” ou algo semelhante?”
    .
    Não. Mas isso não impediu de serem atacados pelos Físicos.
    .
    e) “Darwin baseou sua teoria nos depoimentos de 200 pessoas de quem ouviu relatos e em um avinhado e um esquilo que tinha em sua casa? O esquilo era da filha dele?”
    .
    Qual o problema? Gilberto Freire (um dos nossos maiores sociólogos, autor de “Casa Grande e Senzala”) utilizou amplamente de suas lembranças das conversas com sua avó (confiança não na lembrança, mas na lembrança da lembrança!) ao embasar sua dissertação de mestrado sobre a cultura brasileira de meados do século XIX, apresentada em importante universidade dos Estados Unidos.
    .
    f) “Sheldrake vai causar na ciência o impacto que Darwin causou?”
    .
    Meu palpite é que não, mas isso só o tempo dirá. De qualquer forma, no Christmas Books Supplement da revista Nature, onde eminentes contribuidores são pedidos para escolher livros que gostaram particularmente em 1981, Lord Ashby, F.R.S. escolheu “A New Science of Life” de Shaeldrake, descrevendo-o como ‘an astonishing challenge to orthodox theories of plant and animal development’.
    .
    g) “Será que ele já existia antes de surgir o Homo sapiens e sua atividade mental?”
    .
    Se você considerar a consciência como uma propriedade fundamental do universo, sim.
    .
    h) “Dean Radin não é parapsicólogo? Não tem alguém melhor para citar? Confia nas citações dele?”
    .
    O Dean radin apenas disponibilizou gratuitamente o artigo da Nature na internet. Não foi ele quem escreveu o artigo.
    .
    i) “Como adivinhou que estou com ânsia de vômito? Algum passarinho ou cachorrinho lhe contou?”
    .
    Não. Faz parte dos sintomas do ceticismo patológico… infelizmente isso parece contagioso, e você passou muito tempo com o Montalvão… daqui a pouco vc vai estar colocando aspas nos locais mais impróprios :D

  288. Marciano Diz:

    .
    Max Planck não era cientista? Hã?!.
    .
    .
    Era. E era também temente a deus>
    .
    .
    Planck made many contributions to physics, but is best known for quantum theory, which has revolutionized our understanding of the atomic and sub-atomic worlds. In his 1937 lecture “Religion and Naturwissenschaft,” Planck expressed the view that God is everywhere present, and held that “the holiness of the unintelligible Godhead is conveyed by the holiness of symbols.” Atheists, he thought, attach too much importance to what are merely symbols. Planck was a churchwarden from 1920 until his death, and believed in an almighty, all-knowing, beneficent God (though not necessarily a personal one). Both science and religion wage a “tireless battle against skepticism and dogmatism, against unbelief and superstition” with the goal “toward God!”
    [Source:] J. L. Heillron, Dilemmas of an Upright Man (1986)

  289. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Montalvão, Chico Xavier era, de fato, um grande médium. Bem entendido como sendo médium sinônimo de embusteiro. Neste contexto, Chico Xavier está entre os grandes da história. Quiçá, o maior de todos.”
    /.
    SEU DECLARAMENTO irá gerar grande massa de campo morfogenético odioso da parte do Visoni, o qual relega a Xavier vaguinha no fim da fila (se estiver de bom humor): os melhores médiuns do mundo, que “provaram” (aspas irônicas, explicando) a realidade da comunicação com mortos, foram: Osborne Leonard, Piper, Dunglas Home e mais uns ainda não detectados por nossa investigação.
    .
    Presentemente os defuntos recusam conceder demonstração de presença que eles não tão de brincadeira pra ficar toda hora a comprovar o que já comprovaram…

  290. Marciano Diz:

    .
    Eu não sei como eu posso estar citando cientistas fora do contexto se eu lhe dei o artigo COMPLETO publicado na Nature de 2005. O contexto está TODO lá.
    .
    .
    Eu vi, e transcrevi acima, pode conferir.
    UMA PÁGINA.
    Quem quiser, pode clicar NO SEU LINK e conferir também.
    Até transcrevi um trecho.
    .
    .
    Comparar Gilberto Freire e Sociologia a Física não lhe parece um pouco despropositado?
    Se não parece, desisto.
    Vou conversar com meus cães e gatos, via telepática.
    .
    .
    . f) “Sheldrake vai causar na ciência o impacto que Darwin causou?”
    .
    Meu palpite é que não, mas isso só o tempo dirá. De qualquer forma, no Christmas Books Supplement da revista Nature, onde eminentes contribuidores são pedidos para escolher livros que gostaram particularmente em 1981, Lord Ashby, F.R.S. escolheu “A New Science of Life” de Shaeldrake, descrevendo-o como ‘an astonishing challenge to orthodox theories of plant and animal development’.
    .
    .
    Finalmente estamos de acordo em alguma coisa (não vai causar impacto).
    .
    Mas nós estávamos falando de OUTRO LIVRO de Sheldrake, aquele da telepatia canina?

    .
    .
    .
    g) “Será que ele já existia antes de surgir o Homo sapiens e sua atividade mental?”
    .
    Se você considerar a consciência como uma propriedade fundamental do universo, sim.
    .
    .
    Como eu não considero o universo consciente de sua própria existência, então NÃO!
    .
    .
    .
    O Dean radin apenas disponibilizou gratuitamente o artigo da Nature na internet. Não foi ele quem escreveu o artigo.
    .
    ARTIGO DE UMA PÁGINA.
    CLIQUE DE NOVO NO SEU LINK.
    .
    .
    Não. Faz parte dos sintomas do ceticismo patológico… infelizmente isso parece contagioso, e você passou muito tempo com o Montalvão… daqui a pouco vc vai estar colocando aspas nos locais mais impróprios.
    .
    .
    Sugira a inclusão dessa patologia na CID 11 e no DSM 6.
    Não vou dizer onde pretendo colocar as aspas, devido ao alto nível do blog.

  291. Marciano Diz:

    Agora preciso voltar ao trabalho.
    Quando voltar do almoço, dou uma passadinha aqui para ver até onde vai o delírio paranormal de cães telepatas e cientistas carolas.

  292. Marciano Diz:

    Antes, quero que mentalizem a entrevista que transcrevi acima, com o idolatrado e insano Sheldrake e seus cães (na verdade, um labrador de uma outra pessoa, de quem ele toma conta, não por que razão), mentalizem a entrevista, como eu dizia, no programa da Ana Maria Brega.
    Perfeito!
    As donas de casa iriam adorar Sheldrake e o cão telepata do vizinho.
    Volto mais tarde, se a grande consciência do universo permitir.

  293. Marciano Diz:

    Imaginem esse trecho da entrevista do grande Sheldrake na ANA MARIA BREGA e deixem-me ganhar o pão de cada dia:
    .
    REVISTA – O senhor tem animais?
    RUPERT – Tenho um gato, um coelho e cuido de um labrador que pertence a um amigo.
    REVISTA – Como é essa teoria dos campos mórficos?
    RUPERT – Campos mórficos são laços afetivos entre pessoas, grupos de animais -como bandos de pássaros, cães, gatos, peixes- e entre pessoas e animais. Não é uma coisa fisiológica, mas afetiva. São afinidades que surgem entre os animais e as pessoas com quem eles convivem. Essas afinidades é que são responsáveis pela comunicação.
    REVISTA – Em que o senhor fundamenta a sua teoria?
    RUPERT – Pesquisei as atitudes dos bichos durante cinco anos. Mais de 200 pessoas me deram seus depoimentos sobre a relação com seus bichinhos e atestaram esse tipo de comunicação que eu explico no livro. A partir dos relatos, levantei modelos gráficos do comportamento de vários animais.
    REVISTA – Que animais seriam mais sensíveis à telepatia com os humanos?
    RUPERT – Cachorros são mais sensíveis que gatos, que são mais sensíveis que cavalos e papagaios.
    .
    A entrevista é real, está transcrita acima, com fonte e tudo o mais.
    Só imaginei que ficaria bem no programa da Ana Maria.

  294. Marciano Diz:

    Resposta de RUPERT – Campos mórficos são laços afetivos entre pessoas, grupos de animais -como bandos de pássaros, cães, gatos, peixes- e entre pessoas e animais. Não é uma coisa fisiológica, mas afetiva. São afinidades que surgem entre os animais e as pessoas com quem eles convivem. Essas afinidades é que são responsáveis pela comunicação.
    .
    Tenho um peixe que tem grande afetividade por mim.
    Vou tentar me comunicar afetivamente com ele, antes de comê-lo no almoço, daqui a pouco.
    Vou acabar tendo de sair para audiências com fome.
    Bye.

  295. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Estas são palavras de um cientista?”
    .
    VISONI: São, ué. Leia isso:
    .
    “Eu considero a consciência como fundamental. Considero a matéria como derivada da consciência. Nós não podemos deixar a consciência para trás. Tudo o que falamos, tudo o que nós consideramos como existente, postula consciência.” – Max Planck, físico teórico que originou a teoria quântica, que lhe rendeu o prêmio Nobel de Física em 1918. Citado em The Observer de 25 de janeiro de 1931 (pode conferir na wikiquote:https://en.wikiquote.org/wiki/Max_Planck).
    /.
    PONDERAÇÃO: SUPONDO que o contexto ampare que Planck fora aderido à conjetura de que a “consciência” (destaque) fosse substância (aqui no sentido filosófico/metafísico) paralela à matéria (na declaração “geradora da matéria”), concepção muito cara aos místicos, ao assim se pronunciar não falava como cientista. Quando homem de ciência advoga proposta mística o faz como qualquer leigo, ou seja, despido de suas credencias. Tal acontece com Sheldrake com seus campos mórficos: ele “acredita” (ironia com explicação) que existam e, existindo, sejam conforme fantasia. Mas, quando se lhe pede a teoria ele responde: é apenas um modo de explicar o inexplicável…
    .
    /
    VISONI: Ou leia isso:
    .
    “Não foi possível formular as leis da mecânica quântica de uma forma plenamente coerente sem referência à consciência” – Eugene Wigner, físico e teórico matemático. Ele recebeu uma parte do prêmio Nobel de Física em 1963. Ele também não era cientista?!
    /
    PONDERAÇÃO: pois é, e toda a comunidade científica bateu palmas: inclusive as publicações técnicas fazem copiosas referências ao papel da consciência no entendimento das peculiaridades quânticas… é como bem diz o anãozinho gigante: melhor ouvir certas coisas que ser surdo.
    /
    /

    VISONI: Sheldrake já publicou até na Nature. Eu não gosto muito dele como teórico, mas seus experimentos me parecem a princípio ser bem controlados, eliminando as explicações normais mais óbvias. De qualquer forma, a sua hipótese de campos mórficos (a qual eu NÃO gosto) já recebeu ataques e defesas na própria Nature.
    /.
    PONDERAÇÃO: fiquei agora deverasmente frustado: imaginei que já havia material suficiente para o Visoni e aderidos perceberem que Sheldrake é doente da cabeça ou ruim do pé, contudo ele continua fã. Mas, ainda há esperança: manifesta não estar de todo agarrado ao pateta…
    .
    Foi por isso, teórico de Marte, que lhe falei que não deve desistir do Sheldrake tão rapidamente: ele ainda não foi, para alguns, desnudado o suficiente.
    .
    Talvez se ele for internado nas próximas horas compreendam…

  296. Vinicius Diz:

    “Antonio G. – POA Diz:
    OUTUBRO 14TH, 2015 ÀS 9:26 AM
    Montalvão, Chico Xavier era, de fato, um grande médium. Bem entendido como sendo médium sinônimo de embusteiro. Neste contexto, Chico Xavier está entre os grandes da história. Quiçá, o maior de todos”

    Não sei se foi assim com a maioria dos ex-espíritas: uma sensação de ressentimento, revolta mesmo depois de descobrir esse montão de baboseiras, racismo, etc. Eu tinha o Espiritismo em alta conta, conversava sobre ele até com quem não era espirita, mas desde que tomei conhecimento das passagens racistas comecei a me abalar até me deparar com os plágios e outros absurdos.
    Não tive essas sensações com o Catolicismo e o Protestantismo, sai delas “na paz”.
    Como disse outras vezes, conheci o blog e a participar dele pouco tempo e atualmente estou lendo desde 2007 (colocações do VITOR , TOFFO, GORDUCHO, MARCIANO, MONTALVÃO muito bem colocadas) . Nenhuma difamação , muito ao contrário, argumentações fortes, convincentes.
    Hoje quero entender o que quis CX e o que está querendo DIVALDO. O primeiro, sem sombra de dúvidas, praticava a caridade material com seu próximo, e acho que quis, através de seus escritos, arrecadar dinheiro para ajudar os pobres de sua região e graças ao sucesso de vendas estender aos demais pobres (mera opinião)
    Sobre o Centro que estou deixando de ir aos poucos, ainda não consegui me livrar, porém , a situação está cada vez mais complicada (kkk), pois eu quase ri muito e me segurei quando o senhor que estava comigo começou a falar do Bezerra e do Edgard Armond na Portaria. E o pior, ele nem sabia que Bezerra tinha falecido por volta de 1900 e “fincou o pé” que morreu lá pelos anos 50 e que conheceu CX!!! Falei a ele que ia pesquisar e trazer a data pra ele!

  297. MONTALVÃO Diz:

    /
    Vitor Diz:
    “As equações de Sheldrake não existem”.
    .
    VISONI: Quando Darwin e Wallace lançaram a Teoria da Evolução também não tinham equação alguma. A “matematização” da Biologia é algo bem recente. A publicação de “A origem das Espécies” é de 1859 e os primeiros modelos matemáticos da Biologia evolutiva vieram com Fritz Muller (1879) e Karl Dusing (1884).
    /.
    PONDERAÇÃO: que bela “pérola”, a ostra que a gerou deve estar orgulhosa. Então tá (tá vendo Marciano?): já que Darwin não tinha equações, pois elas vieram depois (e a teoria da evolução, nem por isso, deixou de viver), o fato de os campos mórficos serem destituídos de equacionamentos (embora a matematização da biologia conte mais de século) não importa: tal não incide em inexistência (até loucos podem ter intuições produtivas). Entendo que seja questão de tempo para que tudo entre nos eixos e Sheldrake seja carregado fundo à fora como troféu da ciência.

  298. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Como adivinhou que estou com ânsia de vômito? Algum passarinho ou cachorrinho lhe contou?”
    /.
    MAIS UMA evidência da telepatia…

  299. Vitor Diz:

    j) “ARTIGO DE UMA PÁGINA. CLIQUE DE NOVO NO SEU LINK.”
    .
    Qual o problema de só ter uma página?! O artigo de Watson e Crick com a descoberta da estrutura molecular do DNA, umas das descobertas mais importantes da Humanidade, só tinha uma página também. Não poderia ser mais curto (bom, só se tirasse os agradecimentos!). E ainda teve espaço para o desenho…
    .
    k) “A entrevista é real, está transcrita acima, com fonte e tudo o mais. Só imaginei que ficaria bem no programa da Ana Maria.”
    .
    Também fica bem em revistas científicas. Por exemplo, sobre os depoimentos que ele coletou, citados na entrevista, ele publicou sua pesquisa na revista do mainstream Biology Forum, em 1998 (mas embora do mainstream, a revista tem um fator de impacto baixo). Disponível em http://www.sheldrake.org/files/pdfs/papers/Biology_Forum_Vol91.pdf

  300. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Dean Radin não é parapsicólogo? SIM
    .
    Não tem alguém melhor para citar? PROVAVELMENTE NÃO…
    .
    Confia nas citações dele? INTEIRAMENTE…
    /
    ANTECIPANDO as respostas do Visoni…
    /
    /
    Quem fala (bem) de Sheldrake quase obrigatoriamente tem que citar Dean Radin: ambos são bem parelhos em loucas conjeturações. A imaginação dos campos mórficos tem boa parecença com o devaneio de Radin do que ele intitula interligamento: assim como partículas atômicas passam por curioso fenômeno de interligação, Radin defende que pessoas também estejam quanticamente ligadas, gerando consequências que só ele percebeu…
    .
    Visoni é fã…

  301. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Todas as letras que indicam campos mórficos estão negritadas justamente porque indicam campos, convenção matemática conhecida até por Sheldrake.”
    /.
    SEM DÚVIDA, sheldrake conhece muuuuuita coisa: acho que até Deus toma conselhos com ele…

  302. Vitor Diz:

    l) ” fiquei agora deverasmente frustado: imaginei que já havia material suficiente para o Visoni e aderidos perceberem que Sheldrake é doente da cabeça ou ruim do pé, contudo ele continua fã. Mas, ainda há esperança: manifesta não estar de todo agarrado ao pateta…”
    .
    Montalvão, ele pode até ser doente da cabeça (John Nash era…), mas seus experimentos parecem bem controlados, resistindo às críticas mais óbvias dos céticos. O próprio Wiseman confirmou que encontrou o mesmo padrão que ele nos experimentos que fez com o cão. O livro “The Heretics: Adventures with the Enemies of Science “(2011), de Will Storr, aliás, faz uma pesquisa independente do imbróglio Sheldrake x Wiseman e confirma diversas mentiras de Wiseman. Ele contactou os dois diversas vezes até chegar a uma conclusão. Nos parágrafos a seguir você terá vários exemplos. Um deles é que o Wiseman disse que o Sheldrake não o havia convidado a replicar os experimentos, quando convidou.
    .
    ‘But I thought you came in after Sheldrake’s work?’ I say, slightly confused. ‘No, at the same time as Rupert is doing his work,’ he says.
    .
    ‘I thought he invited you in?’
    .
    No. Rupert was doing it concurrently. So I don’t know at what point he came up with this notion of plotting how long the dog is at the window for. It was not around when we were doing our work. It emerged after we had done it. And certainly our paper was published way before his.’
    .
    All of this is rather confusing. But it is important, because Sheldrake tells the story as if Wiseman was engaged in a kind of cynical, sceptical drive-by shooting. He says that he invited Wiseman to test Jaytee, only for Wiseman to come along and test a different claim, which was then used to slate him and his work – even though the data actually confirmed it. So I called Sheldrake and told him what Wiseman had said.
    .
    ‘I can’t believe it,’ he said. ‘That is such a distortion.’
    .
    Sheldrake insists that his claim was there from the start, but Wiseman never asked him about it, instead seeking information from Pam (who, incidentally, wouldn’t know how her dog was behaving because – obviously – she was out when he was doing it). He says that he began his work a year before The Paul McKenna Show reported on it.
    .
    ‘I arranged Wiseman’s test and invited him to do it,’ Sheldrake says. ‘I even lent him my video camera.’
    .
    ‘He also said that his paper was published before yours,’ I told him.
    .
    ‘Well, that’s a simple fact,’ says Sheldrake. ‘And it’s an outrage that it was. When he told me he was going to publish it, I said, “Well, look, Richard, it means you’re cutting in ahead of me. I’m not publishing my data because I haven’t finished the studies yet. I’m doing a whole series of controls, I’m doing repeated tests.” But he cut in. I’d done more than a hundred observations on this dog. He’d done four. Then I said to him, “Why haven’t you referred to all the experiments I did in your paper?” He said, “I couldn’t refer to them because they’re unpublished.” But I’d already shown him all the data. I mean, this is rather shocking. Very shocking. But the point is, in his own eyes, he’s probably completely guiltless. It’s a level of self-deception that I’m astonished by.’
    .
    Later I come across a paper that Wiseman had sent me following our meeting co-written by him in reply to some of Sheldrake’s criticisms. It confirms that Sheldrake ‘kindly invited [Wiseman] to conduct his own investigations of Jaytee,’ and that they took a month after Sheldrake started his video tests and more than a year after his studies of Jaytee’s purported psychic abilities actually began.

    .
    Outro exemplo de mentira de Wiseman é que ele disse que uma meta-análise teria excluído um experimento de Sheldrake porque não teria boa qualidade científica. Mas Dorr descobriu é que não incluíram o experimento de Sheldrake por um motivo totalmente diferente:
    .
    I decide to look up the Schmidt meta-analysis that Wiseman talked about, which he said excluded Sheldrake’s work because ‘it’s just not good enough quality.’ I am surprised to find it concludes that there is a ‘small but significant effect’ of the sense of being stared at. But I am more surprised yet when Sheldrake tells me that he was excluded from it, not because his work was deemed sloppy, but because it is an analysis of experiments that separated starer from staree using CCTV – something that Sheldrake has never done. He addresses more of Wiseman’s concerns, explaining that he has used three different kinds of randomisation – including one ‘which I got a professor of statistics in Holland to supply and to check, so those are completely pukka’ – and another that was proposed by Wiseman himself – and still his results were positive.
    .
    Outro exemplo (aqui, de uma meia-verdade, que Wiseman quer fazer passar como se fosse uma verdade inteira):
    .
    Meanwhile, the authors of the University of Amsterdam study that Wiseman sent me admit their criticisms only count when the staree was given feedback on how well he was doing. They concede that Sheldrake also carried out trials without feedback (as he did on me) and found smaller, but still significant effects.
    .
    E por aí vai…

  303. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    a) “Mas você acredita nos cães telepatas?”
    .
    VISONI: Acho que Sheldrake reuniu evidências satisfatórias que nos permitem levar tal hipótese a sério. .
    PONDERAÇÃO: se é pra levar a hipótese a sério por que nos dá vontade de desatar em risos sempre que a ouvimos/vemos ser divulgada? Não esquecer do alerta dado: NÃO FOI CONDIZENTEMENTE REPLICADA!
    ./
    b) “Acha que essa crença depõe a favor da hipótese psi?”
    .
    VISONI: Sim.
    ./
    PONDERAÇÃO: a “crença” depõe em favor da hipótese? Mas é claro: minha crença no anãozinho gigante é forte testemunho favorável… Afinal, crenças são firmes determinantes de realidade. Eu até acho (e achando estou crendo, portanto é científico) que não foi a consciência quem gerou a matéria: foi a crença quem lhe deu existência, por isso sempre digo “credere ergo sum”…

  304. MONTALVÃO Diz:

    /
    “daqui a pouco vc vai estar colocando aspas nos locais mais impróprios”
    /.
    MINISTÉRIO DA SAÚDE adverte: ao “estar colocando” aspas em locais impróprios lave depois as mãos…

  305. Vitor Diz:

    m) “Visoni é fã…”
    .
    Não sou fã nem do Sheldrake nem do Dean Radin. Eu simplesmente os respeito (ao contrário de você). Na Ciência, eu conto nos dedos de quem eu sou fã: Roberto de Andrade Martins (Físico e Filósofo), Julio Siqueira (Biólogo), Gilson Volpato (Zoólogo). Só, que me lembre agora.

  306. MONTALVÃO Diz:

    /
    “O próprio Wiseman confirmou que encontrou o mesmo padrão que ele nos experimentos que fez com o cão.”
    /.
    DÚVIDA: foi Wiseman quem disse isso ou foi Sheldrake quem falou que ele falou? Se Wiseman divulgou que não achou a telepatia por Rupert encontrada, como deparou mesmo padrão? Só se foi padrão de construção do experimento…
    .
    Lembre-se os experimentos de Sheldrake não foram e não são condizentemente replicados, tampouco se testa a telepatia caninana em circunstâncias variadas pra ver se se confirma.
    .
    O que se tem de consistente nesse enredo é Sheldrake papagaiando suas descobertas e gente nelas acreditando, o que passa daí estará fora dos portões do hospício.
    .
    Falando em hospício, conta-se que num abrigo para doentes mentais havia um sujeito que ficava o tempo todo de pé, qual estátua, com uma das mãos enfiada no casaco. Um doido passou por ali e ficou a contemplar a figura, até que indagou: “quem é você?”, o outro responde, “sou Napoleão”; admirado o inquirente insiste: “e quem foi que te falou isso?”; a resposta: “foi Deus!”.
    .
    Neste momento, outro interno, conhecido apenas por RS, adiantou-se e asseverou: “eu não! Eu jamais disse tal coisa!”
    .
    Agora pode rir… ;-)

  307. Vitor Diz:

    n) “se é pra levar a hipótese a sério por que nos dá vontade de desatar em risos sempre que a ouvimos/vemos ser divulgada?”
    .
    Mais um sintoma do ceticismo patológico…
    .
    o) “Não esquecer do alerta dado: NÃO FOI CONDIZENTEMENTE REPLICADA!”
    .
    Mas isso não é culpa do Sheldrake…
    .
    p) “a “crença” depõe em favor da hipótese?”
    .
    Sim, já que vários donos de animais relatam tal fenômeno telepático, isso é melhor do que se fosse um exemplo isolado. Não prova nada, mas indica que vale a pena estudar o fenômeno, nem que seja para derrubar o mito.
    .
    q) “Mas é claro: minha crença no anãozinho gigante é forte testemunho favorável…”
    .
    Exemplo isolado…

  308. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    VISONI:Não sou fã nem do Sheldrake nem do Dean Radin. Eu simplesmente os respeito (ao contrário de você).
    /.
    PONDERAÇÃO: respeito-os como respeito a qualquer membro da espécie, no campo das ideias: zero de respeitabilidade. Mas, sabendo-o não macaco d’auditório dosdois considero a tragédia menos ruim, ainda há esperança…
    /
    /
    VISONI: Na Ciência, eu conto nos dedos de quem eu sou fã: Roberto de Andrade Martins (Físico e Filósofo), Julio Siqueira (Biólogo), Gilson Volpato (Zoólogo). Só, que me lembre agora.
    /.
    PONDERAÇÃO: quais trabalhos científicos do Julio Siqueira o levaram a dele ser fã? Não que eu tenha nada contra sua idolatração, o Julio é sujeito que vale ser admirado: apesar de termos marcantes divergências opinativas não o desmereço. Entretanto, desconfio que o que os aproxima não seja a ciência mas a comungação de iguais ideias no tangente ao paranormal, à mediunidade, reencarnação e à ojeriza contra Randi, conquanto eu ache que na mediunidade o Julio não seja tão exoticamente radical quanto você o é.

  309. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Mais um sintoma do ceticismo patológico…”
    /.
    MUDOU a retórica? antes era pseudoceticismo, agora “ceticismo patológico”…
    .
    O que acontece quando cético patológico discute com crente radical?

  310. Vitor Diz:

    r) “foi Wiseman quem disse isso ou foi Sheldrake quem falou que ele falou? Se Wiseman divulgou que não achou a telepatia por Rupert encontrada, como deparou mesmo padrão? Só se foi padrão de construção do experimento…”
    .
    Foi ele mesmo (Wiseman) quem falou. Tanto os dados quanto o padrão são os mesmos. Só que o Wismean quis testar outra alegação. Enquanto Sheldrake disse que era para testar a alegação de que o cachorro esperava pela dona mais tempo na janela quando ela estava voltando, o Wiseman testou outra alegação bem diferente: de que a primeira visita à janela em que o cachorro ficava mais de 2 minutos esperando era sinal de do retorno da dona.
    .
    He also objected that Wiseman didn’t even test his claim, that Jaytee was at the window more when Pam was on the way home. Rather, he tested to see if Jaytee’s first visit of more than two minutes corresponded with the beginning of Pam’s return. That was a different claim. And it didn’t correspond. Well, it might have done on the final test, if Jaytee hadn’t been sick.
    .
    Then there was a dramatic twist.
    .
    Sheldrake requested Wiseman’s data. When he analysed it, he found that they actually confirmed his claim. According to Wiseman’s own figures, Jaytee was at the window 4 per cent of the time when Pam wasn’t coming home and 78 per cent when she was. While Wiseman admits this is true, he attacks both this and the best of Sheldrake’s evidence on the basis that Jaytee might have just been going to the window more frequently as time went on because he was missing his owner.
    .
    He explains that he tested his different claim because he had seen it on The Paul McKenna Show, because it was what Pam had told him and because his work took
    place at the beginning, before Sheldrake’s claim existed.
    .
    ‘Our work was very, very early on,’ he tells me.
    .
    ‘But I thought you came in after Sheldrake’s work?’ I say, slightly confused.
    .
    ‘No, at the same time as Rupert is doing his work,’ he says.
    .
    ‘I thought he invited you in?’
    .
    ‘No. Rupert was doing it concurrently. So I don’t know at what point he came up with this notion of plotting how long the dog is at the window for. It was not around when we were doing our work. It emerged after we had done it. And certainly our paper was published way before his.’
    .
    All of this is rather confusing. But it is important, because Sheldrake tells the story as if Wiseman was engaged in a kind of cynical, sceptical drive-by shooting. He says that he invited Wiseman to test Jaytee, only for Wiseman to come along and test a different claim, which was then used to slate him and his work – even though the data actually confirmed it. So I called Sheldrake and told him what Wiseman had said.
    .
    ‘I can’t believe it,’ he said. ‘That is such a distortion.’
    .
    Sheldrake insists that his claim was there from the start, but Wiseman never asked him about it, instead seeking information from Pam (who, incidentally, wouldn’t know how her dog was behaving because – obviously – she was out when he was doing it). He says that he began his work a year before The Paul McKenna Show reported on it.
    .
    ‘I arranged Wiseman’s test and invited him to do it,’ Sheldrake says. ‘I even lent him my video camera.’
    .
    ‘He also said that his paper was published before yours,’ I told him.
    .
    ‘Well, that’s a simple fact,’ says Sheldrake. ‘And it’s an outrage that it was. When he told me he was going to publish it, I said, “Well, look, Richard, it means you’re cutting in ahead of me. I’m not publishing my data because I haven’t finished the studies yet. I’m doing a whole series of controls, I’m doing repeated tests.” But he cut in. I’d done more than a hundred observations on this dog. He’d done four. Then I said to him, “Why haven’t you referred to all the experiments I did in your paper?” He said, “I couldn’t refer to them because they’re unpublished.” But I’d already shown him all the data. I mean, this is rather shocking. Very shocking. But the point is, in his own eyes, he’s probably completely guiltless. It’s a level of self-deception that I’m astonished by.’
    .
    Later I come across a paper that Wiseman had sent me following our meeting co-written by him in reply to some of Sheldrake’s criticisms. It confirms that Sheldrake ‘kindly invited [Wiseman] to conduct his own investigations of Jaytee,’ and that they took a month after Sheldrake started his video tests and more than a year after his studies of Jaytee’s purported psychic abilities actually began.

    .
    s) “Lembre-se os experimentos de Sheldrake não foram e não são condizentemente replicados, tampouco se testa a telepatia caninana em circunstâncias variadas pra ver se se confirma.”
    .
    Como visto, o próprio Wiseman admite que replicou. E as circunstâncias foram variadas, por exemplo, mudando a rotina, o meio de transporte etc…
    .
    t) “O que se tem de consistente nesse enredo é Sheldrake papagaiando suas descobertas e gente nelas acreditando, o que passa daí estará fora dos portões do hospício.”
    .
    E esse enredo não é comum a qualquer descoberta científica? O cientista papagaia sua descoberta e as pessoas `medida que vão tomando conhecimento, vão replicando, vão acreditando? O que há de tão errado nisso? O que há fora daí que atinge o hospício??

  311. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Sim, já que vários donos de animais relatam tal fenômeno telepático, isso é melhor do que se fosse um exemplo isolado. Não prova nada, mas indica que vale a pena estudar o fenômeno, nem que seja para derrubar o mito.”
    /.
    SEM LEVAR em conta que o “mito” é natimorto (gostei dessa: campos morfogenéticos e decorrências=mito), seu “comment” é correto: vale estudar o fenômeno, porém com experimentos objetivos que demonstrassem concretamente a telepatia caninana (caso em remotíssima hipótese tal houvesse). Cá de minha parte, aposto minha cueca que cães telepatas existem, mas só na “inegualável” cabeça de Sheldrake (e na de seus fãs, excluindo o Visoni que abriu mão de pertencer ao clube).

  312. MONTALVÃO Diz:

    /
    Tô que nem o Marciano: PRECISO TRABALHAR

  313. MONTALVÃO Diz:

    /
    Bati o dedo…
    preciso trabalhar e aqui grudado na conversa: tenho que ir aos Correios, Cartório, Banco, fora a faxina parada desde ontem e os cães pedindo comida e o pedreiro solicitando material de construção para que a obra não pare… e a mulher reclamando que não largo o computador…
    .
    Volto depois que a poeira baixar.

  314. Vitor Diz:

    u) “respeito-os como respeito a qualquer membro da espécie, no campo das ideias: zero de respeitabilidade.”
    .
    Mais um sintoma do ceticismo patológico…
    .
    v) “quais trabalhos científicos do Julio Siqueira o levaram a dele ser fã?”
    .
    http://www.criticandokardec.com.br/imad2004port.pdf

  315. Gorducho Diz:

    As equações estão me dando um trabalho danado!
    Quisera contar com a colaboração do GORDUCHO, nessa parte
    .
     
    Seja a função (os valores do…) campo mórfico em cada pondo do espaço
    m = ℭm(r, t)
    [vetor posição, tempo]
     
    Seja V um volume de controle qualquer no espaço.
    Então, para (a) V contendo pineal(is) terrícolas, verifica-se:
     
    ∰ℭm = i
     
    (b) volume de controle sem pineal(is)
     
    ∰ℭm = 0
     
    Essas são as equações que regem este útil conhecimento parapsicológico.

  316. Marciano Diz:

    Não vi o próprio Wiseman falando ou escrevendo, só alguém se referindo a ele, que ele fez, que disse.
    Wiseman trata a si próprio na terceira pessoa?
    Vitor Diz:
    OUTUBRO 14TH, 2015 ÀS 2:12 PM
    SERÁ QUE TAMBÉM NÃO SEI INTERPRETAR TEXTOS OU SÓ HÁ REFERÊNCIAS AO WISEMAN, NADA QUE ELE PRÓPRIO TENHA DITO?
    .
    ‘Our work was very, very early on,’ he tells me.
    .
    ‘But I thought you came in after Sheldrake’s work?’ I say, slightly confused.
    .
    ‘No, at the same time as Rupert is doing his work,’ he says.
    .
    Parece que ele está sendo citado, não falando por si próprio.
    .
    .
    .
    Ainda que Wiseman tenha brincado com os cachorros, ISTO PROVA ALGUMA COISA?
    .
    .
    .
    Obrigado, GORDUCHO, não sei o que seria do “campo mórfico” sem você.
    Como eu já havia percebido, agora demonstrado matematicamente, é tudo imaginário e igual a 0.
    O volume integral do campo mórfico (∰ ) é igual a 0 ⁱ , ou seja, nada elevado a uma potência imaginária. :mrgreen:

  317. Marciano Diz:

    Como cientista, Sheldrake seria um ótimo humorista.
    .
    Os únicos cientistas pelos quais tenho respeito agora são Sheldrake e a reencarnação de Stevenson, Pravavandha Vanarandha.

  318. Marciano Diz:

    Pravavandha Vanarandha é um menino prodígio de 8 anos de idade, mas já um grande nome da física indiana, nascido em 08 de fevereiro de 2007, com uma marca de marretada no cérebro, em ambos os hemisférios.

  319. Marciano Diz:

    “I see dead people! All the time!”.
    http://www.mundogump.com.br/wp-content/uploads/2012/08/2158847-4832-rec.jpg

  320. Marciano Diz:

    “I see them, as well, but only after they reincarnate”.
    https://upload.wikimedia.org/wikipedia/en/3/3e/Ian_Stevenson.jpg

  321. Vitor Diz:

    “Não vi o próprio Wiseman falando ou escrevendo”
    .
    The Skeptics’ Guide To The Universe – Podcast 126 – 19 December 2007. quote: “Rupert then came along, did his own tests using a different procedure and claimed the dog was psychic and then reanalysed our data and found the same patents in our data he had in his. And I think those patterns are there as well.”
    .
    http://www.theskepticsguide.org/podcast/sgu/126
    .
    O Podcast tem 1h20min. Um outro momento que ele admitiu foi na entrevista para Alex Tsaris:
    .
    “I don’t think there’s any debate that [sic - in the interview "that" appears as "but"] the patterning in my studies is the same as the patterning in Rupert’s studies…it’s how it’s interpreted.”[Footnote: Skeptiko, 17 April 2007, “Collaboration Between Sketics and Paranormal Researchers”, disponível em http://www.skeptiko.com/11-dr-richard-wiseman-on-rupert-sheldrakes-dogsthatknow/
    .
    “Ainda que Wiseman tenha brincado com os cachorros, ISTO PROVA ALGUMA COISA?”
    .
    Oferece mais evidência da telepatia canina. Já que Ciência se faz através de replicação, cada estudo independente que encontra o mesmo padrão é um bom apoio confirmatório.

  322. Marciano Diz:

    Uma hora e meia de podcast é demais pra mim.
    .
    Alfred Rupert Sheldrake is an English author,[ Adams, Tim (4 February 2012). "Rupert Sheldrake: the 'heretic' at odds with scientific dogma". The Guardian. Retrieved 2 November 2013.] public speaker, and researcher in the field of parapsychology,[ Whitfield, J. (22 January 2004). "Telepathic charm seduces audience at paranormal debate". Nature427 (6972): 277. Bibcode:2004Natur.427..277W.doi:10.1038/427277b.] known for his “morphic resonance” concept.[ "Who's calling?". The Quest (Theosophical Society in America). 89-90. 2001.] He worked as a biochemist and cell biologist atCambridge University from 1967 to 1973 and as principal plant physiologist at the International Crops Research Institute for the Semi-Arid Tropics until 1978.
    Sheldrake’s morphic resonance posits that “memory is inherent in nature” and that “natural systems, such as termite colonies, or pigeons, or orchid plants, or insulin molecules, inherit a collective memory from all previous things of their kind”.[Sheldrake, Rupert (2011). The presence of the past: Morphic resonance and the habits of nature. Icon Books. ISBN 9781848313132.] Sheldrake proposes that it is also responsible for “telepathy-type interconnections between organisms”. His advocacy of the idea encompasses paranormal subjects such as precognition, telepathy and the psychic staring effect[Hood, Bruce (2009). Supersense: Why We Believe in the Unbelievable. HarperOne. p. 232.ISBN 9780061867934. Sheldrake proposes that the sense of being stared at and other aspects of paranormal ability, such as telepathy and knowing about events in the future before they happen, are all evidence for a new field theory that he calls "morphic resonance." ... The trouble is that, whereas electric and magnetic fields are easily measurable and obey laws, morphic resonance remains elusive and has no demonstrable laws. No other area of science would accept such lawless, weak evidence as proof, which is why the majority of the scientific community has generally dismissed this theory and the evidence] as well as unconventional explanations of standard subjects in biology such as development, inheritance, and memory.
    Morphic resonance is not accepted by the scientific community as a real phenomenon and Sheldrake’s proposals relating to it have been characterized as pseudoscience. Critics cite a lack of evidence for morphic resonance and an inconsistency between the idea and data from genetics and embryology. They also express concern that popular attention paid to Sheldrake’s books and public appearances undermines the public’s understanding of science.
    Despite the negative reception Sheldrake’s ideas have received from the scientific community, they have found support in the New Age Movement,[ Hanegraaff, Wouter Jacobus (1995). New Age religion and Western culture: esotericism in the mirror of secular thought. Universiteit Utrecht, Faculteit Godgeleerdheid. p. 352. ISBN 9780791438541.] such as from Deepak Chopra.[ Baer, Hans A. (2003). "The Work of Andrew Weil and Deepak Chopra—Two Holistic Health/New Age Gurus: A Critique of the Holistic Health/New Age Movements". Medical Anthropology Quarterly 17 (2): 233–50. doi:10.1525/maq.2003.17.2.233.PMID 12846118.][ Chopra, Deepak (2 November 2012). "Science Set Free – Good News for Lumbering Robots". San Francisco Chronicle.]
    .
    Leiam o restante na wikipedia.

  323. Marciano Diz:

    “They also express concern that popular attention paid to Sheldrake’s books and public appearances undermines the public’s understanding of science”.
    .
    Também acho!

  324. MONTALVÃO Diz:

    /
    “O volume integral do campo mórfico (? ) é igual a 0 ? , ou seja, nada elevado a uma potência imaginária.”
    /.
    PONDERAÇÃO: eu, enquanto matemeuta xenoglássico (xenoglóssico?), tava pensando a mesma coisa e prestes a concluir que a morfogenia equivale a nada elevado à eternidade.

  325. Marciano Diz:

    Colônias de cupins, orquídeas, até moléculas de insulina herdam memória coletiva.
    .
    Um novo campo teórico que ele chama de “ressonância mórfica”.

    .
    Deepak Chopra é fã dele.
    .
    Então, tá.
    Não discuto mais.
    Desisto!

  326. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, cuidado!
    .
    Segundo essa notícia do The Guardian, hipnotismo causou 3 mortes em uma escola.
    .
    http://www.theguardian.com/us-news/2015/oct/12/north-port-florida-students-death-hypnosis

  327. Marciano Diz:

    Você se lembra dos The Beatles ou do AlCorão?
    Notícia de The Guardian.

  328. MONTALVÃO Diz:

    /
    “MONTALVÃO, cuidado!
    .
    Segundo essa notícia do The Guardian, hipnotismo causou 3 mortes em uma escola.”
    /.
    EU VI, mas por que devo ter cuidado?
    /
    /
    Hipnose; Estranho caso aconteceu na Flórida, nos EUA;
    .
    Jornal relata que mais de 75 pessoas também foram hipnotizadas pelo docente
    .
    A escola de Sarasota, situada no estado americano da Flórida, aceitou pagar US$ 200 mil às famílias de três estudantes que morreram após serem hipnotizados por um professor. As informações são do jornal americano Huffington Post.
    .
    A decisão encerra uma estranha história iniciada em 2011, quando o professor George Kenney admitiu ter hipnotizado o aluno Wesley McKinley, de 16 anos de idade. O jovem cometeu suicídio no dia seguinte.
    .
    Uma investigação posterior confirmou que o professor fez sessões de hipnose com mais de 75 estudantes e funcionários da escola por diversos motivos, de acordo com o jornal americano Herald-Tribune. Nesse grupo estavam Marcus Freeman, de 16 anos, e Brittany Palumbo, de 17. Os dois morreram pouco tempo após a hipnose: Freeman em um acidente de carro e Brittany por suicídio.
    .
    Ainda de acordo com o Herald-Tribune, o professor hipnotizou Marcus Freeman, que era jogadorno time de futebol americano do colégio, para ajudá-lo a se concentrar e a não se preocupar com dores durante os jogos. Keeney então teria tentado ensinar o jovem a se auto-hipnotizar.
    .
    No dia 15 de março de 2011, Freeman dirigia ao lado de sua namorada no retorno de uma dolorosa consulta no dentista. A garota afirmou que o jovem estava dirigindo com uma aparênciaestranha e acabou capotando o veículo em uma rodovia.
    .
    Já o aluno Wesley McKinley foi encontrado morto em seu quarto cerca de um mês antes do acidente qua matou Freeman. O estudante que dividia o cômodo com McKinley disse que o jovem foi hipnotizado pelo professor ao menos três vezes, incluindo no dia anterior ao seu suicídio.
    .
    Não há, no entanto, nenhuma ligação criminosa entre as sessões de hipnose promovidas por Keeney e as mortes dos estudantes. Apesar disso, ele foi preso em 2012 por ter praticado a terapia hipnótica sem licença para tal.
    http://newsgospel.com/hipnose-leva-morte-de-estudantes-nos-eua/

  329. Marciano Diz:

    Madre Teresa vista de perto.
    .
    Já postei aqui o discurso de Christopher Hitchens.
    Que tal uma segunda opinião?
    .

    The squalid truth behind the legacy of Mother Teresa
    The nun adored by the Vatican ran a network of care homes where cruelty and neglect are routine. Donal MacIntyre gained secret access and witnessed at first hand the suffering of “rescued” orphans.
    BY DONAL (ASSIM MESMO, SEM O “D”) MACINTYRE

    dormitory held about 30 beds rammed in so close that there was hardly a breath of air between the bare metal frames. Apart from shrines and salutations to “Our Great Mother”, the white walls were bare. The torch swept across the faces of children sleeping, screaming, laughing and sobbing, finally resting on the hunched figure of a boy in a white vest. Distressed, he rocked back and forth, his ankle tethered to his cot like a goat in a farmyard. This was the Daya Dan orphanage for children aged six months to 12 years, one of Mother Teresa’s flagship homes in Kolkata. It was 7.30 in the evening, and outside the monsoon rains fell unremittingly.
    Earlier in the day, young international volunteers had giggled as one told how a young boy had peed on her while strapped to a bed. I had already been told of an older disturbed woman tied to a tree at another Missionaries of Charity home. At the orphanage, few of the volunteers batted an eyelid at disabled children being tied up. They were too intoxicated with the myth of Mother Teresa and drunk on their own philanthropy to see that such treatment of children was inhumane and degrading.
    Mother Teresa founded the Missionaries of Charity in 1950 in Kolkata, answering her own calling to “serve the poorest of the poor”. In 1969, a documentary about her work with the poor catapulted her to global celebrity. International awards fol-lowed, including the Nobel Peace Prize and a Congressional Gold Medal. But when, in her Nobel acceptance speech, she described abortion as “the greatest destroyer of peace today” she started to provoke controversy. She died on 5 September 1997, her name attached to some 60 centres worldwide, and India honoured her with a state funeral. Her seven homes for the poor and destitute of Kolkata, however, are her lasting monument.
    I worked undercover for a week in Mother Teresa’s flagship home for disabled boys and girls to record Mother Teresa’s Legacy, a special report for Five News broadcast earlier this month. I winced at the rough handling by some of the full-time staff and Missionary sisters. I saw children with their mouths gagged open to be given medicine, their hands flaying in distress, visible testimony to the pain they were in. Tiny babies were bound with cloths at feeding time. Rough hands wrenched heads into position for feeding. Some of the children retched and coughed as rushed staff crammed food into their mouths. Boys and girls were abandoned on open toilets for up to 20 minutes at a time. Slumped, untended, some dribbling, some sleeping, they were a pathetic sight. Their treatment was an affront to their dignity, and dangerously unhygienic.
    Volunteers (from Italy, Sweden, the United States and the UK) did their best to cradle and wash the children who had soiled themselves. But there were no nappies, and only cold water. Soap and disinfectant were in short supply. Workers washed down beds with dirty water and dirty cloths. Food was prepared on the floor in the corridor. A senior member of staff mixed medicine with her hands. Some did their best to give love and affection – at least some of the time. But, for the most part, the care the children received was inept, unprofessional and, in some cases, rough and dangerous. “They seem to be warehousing people rather than caring for them,” commented the former operations director of Mencap Martin Gallagher, after viewing our undercover footage.
    I first learned of the plight of the Kolkata children from two international aid workers, both qualified nurses and committed Catholics. They came to me after working as volunteers for the Missionaries of Charity last Christmas. Both made the comparison with images that emerged from Romanian orphanages in the early 1990s after television news teams first gained access.
    “I was shocked. I could only work there [Daya Dan] for three days. It was simply too distressing. . . We had seen the same things in Romania but couldn’t believe it was happening in a Mother Teresa home,” one told me. In January, she and her colleague had written to Sister Nirmala, the new Mother Superior, to voice their concerns. They wrote, they told me, out of “compassion and not complaint”, but received no response. Like me, they had been brought up in Catholic schools to believe that Mother Teresa was the holiest of all women, second only to the Virgin Mary. Our faith was unwavering, as was that of the international media for about 50 years. Even when the sister in charge of the Missionaries of Charity’s Mahatma Gandhi Welfare Centre in Kolkata was prosecuted and found guilty of burning a young girl of seven with a hot knife in 2000, criticism remained muted.
    The most significant challenge to the reputation of Mother Teresa came from Christopher Hitchens in 1995 in his book The Missionary Position. “Only the absence of scrutiny has allowed her to pass unchallenged as a force for pure goodness, and it is high time that this suspension of our critical faculties was itself suspended,” he wrote, questioning whether the poor in her homes were denied basic treatment in the belief that suffering brought them closer to God. Hitchens’s lonely voice also raised the issue of the order’s finances, which in 1995 (and still in July 2005 when we were filming) seemed never to reach Kolkata’s poorest.
    Susan Shields, formerly a senior nun with the order, recalled that one year there was roughly $50m in the bank account held by the New York office alone. Much of the money, she complained, sat in banks while workers in the homes were obliged to reuse blunt needles. The order has stopped reusing needles, but the poor care remains pervasive. One nurse told me of a case earlier this year where staff knew a patient had typhoid but made no effort to protect volunteers or other patients. “The sense was that God will provide and if the worst happens – it is God’s will.”
    The Kolkata police force and the city’s social welfare department have promised to investigate the incidents in the Daya Dan home when they have seen and verified the distressing footage we secretly filmed. Dr Aroup Chatterjee, a London-based Kolkata-born doctor, believes that if Daya Dan were any other care home in India, “the authorities would close it down. The Indian government is in thrall to the legacy of Mother Teresa and is terrified of her reputation and status. There are many better homes than this in Kolkata,” he told us.
    Nearly eight years after her death, Mother Teresa is fast on the way to sainthood. The great aura of myth that surrounds her is built on her great deeds helping the poor and the destitute of Kolkata, birthplace of her order, the Missionaries of Charity. Rarely has one individual so convinced public opinion of the holiness of her cause. Her reward is accelerated canonisation.
    But her homes are a disgrace to so-called Christian care and, indeed, civilised values of any kind. I witnessed barbaric treatment of the most vulnerable.
    The Missionaries of Charity have said that they welcome constructive criticism, and that the children we saw were tied for their own safety and for “educational purposes”. Sister Nirmala even welcomed our film: “Our hopes continue to be simply to provide immediate and effective service to the poorest of the poor as long as they have no one to help them . . . May God bless you and your efforts to promote the dignity of human life, especially for those who are underprivileged.”
    For too long Mother Teresa’s Missionaries of Charity have been blessing critics, rather than addressing justified and damning condemnations of the serious failings in their care practices.
    Donal MacIntyre is a reporter and documentary-maker for Channel 5 Television

  330. Marciano Diz:

    /.
    EU VI, mas por que devo ter cuidado?
    /
    /
    R.: Porque você aprendeu a hipnotizar e porque é muita coincidência.
    .
    Morreu um hipnotizado?
    Foi azar.
    .
    Morreram dois?
    Coincidência!
    .
    Morreram três?
    Cuidado com isso!

  331. Marciano Diz:

    The dormitory…

  332. Marciano Diz:

    Artigo onde não precisa dele, falta de artigo onde ele é preciso…

  333. Marciano Diz:

    Ela queria que os outros sofressem como FG, mas quando foi com ela, aí sacomé, como dizia o Arduin. Pimenta nos olhos dos outros…
    .
    https://books.google.co.uk/books?id=ZsnGF5kGnFUC&pg=PA24&dq=mother+teresa+charles+keating&hl=en&sa=X&ved=0CD4Q6AEwBTgUahUKEwivvbDQ36jHAhUHKYgKHUb0A_g#v=onepage&q=mother%20teresa%20charles%20keating&f=false

  334. Marciano Diz:

    Ela aceitava dinheiro até de “Baby Doc” Duvalier:
    .
    http://www.economist.com/node/156844

  335. Marciano Diz:

    E para onde ia o dinheiro?
    Para os pobres?
    Claro que não, para o papa.
    Para ler a matéria da Forbes, clique no link e depois em continue, se não abrir.
    http://www.forbes.com/2010/08/10/forbes-india-mother-teresa-charity-critical-public-review.html

  336. Marciano Diz:

    Era ou não era a Mater Tenebrarum?

  337. Marciano Diz:

    Para os preguiçosos, vejam rapidinho para onde ia e vai toda a grana doada aos pobres:
    .
    A report in German magazine Stern, revealed that in 1991 only seven percent of the donation received at Missionaries of Charity was used for charity. Former volunteers and people close to the Mother House revealed that the Vatican, home to the Pope, has control over the “monetary matters” ever since Missionaries of Charity came under its fold in 1965. The control got stronger after Mother Teresa died in 1997.

  338. Marciano Diz:

    Da série “Pra Não Dizerem Que Não Falei do Vaticano”.

  339. Marciano Diz:

    No crime, não deu nada, mas no cível…
    Você tem essa grana, MONTALVÃO?
    .
    SARASOTA COUNTY – The families of three North Port High School students who died after being hypnotized by former Principal George Kenney will receive $200,000 each from the Sarasota County School District under a settlement agreement unanimously approved by the School Board at its meeting Tuesday night.

    The $600,000 settlement closes a bizarre, yearslong case that began after former North Port High School Principal Kenney admitted he hypnotized 16-year-old Wesley McKinley a day before the teenager committed suicide in April 2011.

  340. Marciano Diz:

    Seiscentos mil dólares, duzentos mil para cada família.
    .
    Leia tudo no Herald Tribune:
    http://www.heraldtribune.com/article/20151006/article/151009766

  341. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “EU VI, mas por que devo ter cuidado?”
    /
    R.: Porque você aprendeu a hipnotizar e porque é muita coincidência.
    .
    Morreu um hipnotizado?
    Foi azar.
    Morreram dois?
    Coincidência!
    Morreram três?
    Cuidado com isso!
    /.
    PONDERAÇÃO: morte em hipnose é notícia raríssima, precisa-se melhor investigar o evento para melhor entendê-lo. Pode ser que a hipnose, neste caso, seja parte de um quadro mais complexo e pervertido.
    .
    De qualquer modo, grato pela preocupação, mas dos meus “pacientes” nenhum morreu, sequer adoeceu, todos melhoraram, inclusive eu.

  342. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Da série “Pra Não Dizerem Que Não Falei do Vaticano”.”
    /.
    SHELDRAKE? morreu?

  343. MONTALVÃO Diz:

    /.
    “Você tem essa grana, MONTALVÃO?”
    /.
    GRANA, pra mim, jamais foi problema: nasci em berço dourado, meu pai, quando empregado, percebia SM, na época suficiente para nos dar vida nababesca, basta dizer que o banheiro lá de casa era dividido com apenas mais duas famílias.
    .
    Quando comecei a trabalhar, procurei dentre os melhores empregos o melhor: fui aprovado na Mesbla, fazendo jus ao invejável provento de 80% do mínimo (eu era “de menor” e nessa condição não poderia auferir o piso inteiro). Juntei muita grana, em roupas, drops, e dívidas. Saí da Mesbla para ser vendedor, com promessa de três mínimos! Desde que vendesse, claro. Como não vendi nada, nada ganhei e tudo gastei. Fui trabalhar na marcenaria, no escritório, caí um pouco, mas melhorei em relação à Mesbla: 1SM e meio.
    .
    Sendo eu bafejado pela sorte e pela boa orientação na vida, finalmente achei o melhor dentre os melhores: passei a ganhar 3,5 SM. Aí me casei: 22 anos. Filhos, faculdade, mil fraldas para lavar (na época descartável era luxo demais). Sobrevivi. Até que aportei no Banco, onde minha carreira vencedora atingiu a estratosfera. Juntei um patrimoniozinho razoável enquanto não veio a separação. Entreguei tudo para ficar com nada.
    .
    Então, hoje tô aí na parada de sucessos: cheio de grana, sem saber o que com ela fazer. Acho por isso sustento onze (ou doze) caninos, só pra ter onde gastar um pouquinho.
    .
    O que sobrar estou investindo na ereção de minha tumba.
    .
    Da série: “Uma história de sucesso – resumida, naturalmente”.

  344. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Ah, mesesqueci: contudo, porém, tenho mais ainda direitos creditórios expressivos: só da china e Nigéria recebi uns vinte mails afirmando que fui beneficiado com valores entre 1 e 20 milhones. Por enquanto os estou deixando na reserva, mas breve viajo para lançar mão de meus direitos.
    .
    Caso precise de algum é só falar…

  345. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    MONTALVÃO Diz:
    OUTUBRO 14TH, 2015 ÀS 12:01 AM
    /
    MARTE: “Estou escrevendo a Teoria da Propagação das Ondas do Campo Mórfico Afetivo. Quando terminar, vou publicar na Nature. Aguardem.
    As equações estão me dando um trabalho danado!
    Quisera contar com a colaboração do GORDUCHO, nessa parte.
    /.
    OFERTAÇÃO: se é para publicar na Nature, conte comigo. Nada entendo de equações nem projeções, manotempobrema: Sheldrake nada entende de campo mórfico e fala pracaramba neles, por que não posso também equacionar?
    /
    Marciano Diz:
    OUTUBRO 14TH, 2015 ÀS 10:53 AM
    Acho que você citou Sheldrake no tópico errado.
    Poste isto na xenoglossia do Stevenson.
    /.
    ACERTADO.

  346. Marciano Diz:

    ATENÇÃO PARA O DISCLAIMER, na parte final do texto. Não se antecipem, leiam primeiro o texto, DEPOIS leiam o disclaimer.
    .
    MONTALVÃO Diz:
    OUTUBRO 15TH, 2015 ÀS 10:21 AM
    /
    “Da série “Pra Não Dizerem Que Não Falei do Vaticano”.”
    /.
    SHELDRAKE? morreu?
    .
    R.: Você está ficando desatento:
    Marciano Diz:
    OUTUBRO 14TH, 2015 ÀS 7:27 PM
    Colônias de cupins, orquídeas, até moléculas de insulina herdam memória coletiva.
    .
    Um novo campo teórico que ele chama de “ressonância mórfica”.
    .
    Deepak Chopra é fã dele.
    .
    Então, tá.
    Não discuto mais.
    Desisto!
    .
    .
    .
    Sobre sua história de sucesso resumida, você sabe que já te convidei várias vezes para fundarmos uma igreja e você até aceitou.
    Postei aqui uma apostila para plantação de igrejas.
    Você fica enrolando, saindo pela tangente.
    Com o conhecimento que eu, VOCÊ e GORDUCHO temos de artimanhas espiritólicas, paranormais, milagrosas e etc., e com a quantidade absurda de otários, tanto burros quanto inteligentes, que existe por aí, ficamos apodrecidos de riqueza overnight, qual um milagre daqueles em que os crentes adoram acreditar.
    Viu acima como a Mater Tenebrarum arrecadava dinheiro para o Vaticano?
    Pesquise quanto Sheldrake ganha com seus livrecos e palestras sobre o nada.
    Dê uma olhadinha no templo de salomão.
    Veja os ateus espertos gringos, aqueles que fundam novas religiões quase todos os dias, e espalham-nas pelo mundo afora.
    As oportunidades são tantas…
    Nunca é tarde para se fundar uma crença religiosa ou uma pseudociência.
    O dinheiro e o sucesso nos espera.
    Se Macedo fosse trouxa como você (desculpe a franqueza), seria hoje um ex-funcionário de uma loteria, aposentado.
    Veja como NSFG mudou a vida dele:
    .
    Edir Macedo
    Edir Macedo Bezerra (Rio das Flores, 18 de fevereiro de 1945) é umbispo evangélico, televangelista, escritor e empresário brasileiro. É o fundador e atual líder espiritual da Igreja Universal do Reino de Deus(IURD) e proprietário da Rede Record, a segunda maior emissora de televisão do país.[3]
    Foi apontado pela revista norte-americana Forbes como o pastor mais rico do Brasil, quando a publicação estimou seu patrimônio em 1,1 bilhão de dólares, sendo a maior parte decorrente da propriedade da Record.[1]No entanto, o bispo afirma não participar dos lucros ou de quaisquer outros recursos financeiros provenientes da emissora, e que os mesmos seriam reinvestidos na própria empresa, tendo declarado à revista Isto éque seu sustento viria da igreja através da “ajuda de custo” paga a pastores e bispos pela instituição e dos direitos autorais dos seus livros.[4] [5] [6]
    .
    .
    De ascendência de judeus europeus, seu sobrenome “Bezerra” é de origem cristã-nova, e a família Macedo foi reconhecida pelo governo espanhol como judeu sefardita, sendo sua falecida avó italiana.[10] Aos 16 anos, Macedo concluiu o ginásio e conseguiu um emprego em um escritório administrativo. A partir de 1963, ele iniciou a carreira de funcionário público numa loteria do estado do Rio de Janeiro, a Loterj. Após 10 anos de carreira na loteria, foi contemplado com um diploma de bons serviços prestados. Anos depois, foi promovido a chefe de tesouraria. Estudou matemática na Universidade Santa Úrsula e, posteriormente, transferiu-se para a Universidade Federal Fluminense, onde cursou por mais um tempo. Trancou os estudos na Universidade e estudou até o segundo ano na Escola Nacional de Ciências Estatísticas, mas parou novamente os estudos por causa do trabalho. Anos 25 anos, passou a trabalhar em 2 empregos ao mesmo tempo, um na Loteria e o outro como pesquisador do censo econômico de 1970, no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Edir foi servidor público por 16 anos, tendo pedido demissão para pregar o evangelho num coreto onde, posteriormente, fundaria a Igreja Universal do Reino de Deus.[11]
    .
    Foi apontado pela revista Forbes como o pastor mais rico do Brasil, tendo estimado seu patrimônio em janeiro de 2013em quase 2 bilhões de reais.[95] A Igreja Universal e Edir Macedo contestaram tal afirmação, dizendo que, embora a Rede Record seja de sua propriedade, Edir não seria remunerado nem participaria dos lucros ou quaisquer outros recursos financeiros provenientes da emissora e que os mesmos seriam reinvestidos na emissora. Seu sustento viria da igreja através da “ajuda de custo” paga a pastores e bispos pela instituição e dos direitos autorais dos seus livros.[4] [5] [6][96] É proprietário de um avião privado avaliado em 45 milhões de dólares.[7]
    .
    Confira na wikipedia ou em qualquer outra fonte (menos a igreja, claro – não seja tonto).
    .
    Eu, VOCÊ e GORDUCHO podemos ser futuros MACEDOS, R. R. SOARES e VALDOMIROS SANTIAGOS.
    .
    .
    Pode ser que vocês fiquem com pena dos crentes otários. Eu também fico. Mas já reparou como eles ficam felizes em se despojar de seu dinheiro para enriquecer ateus realmente inteligentes? E como ficam bravos se a gente tenta alertá-los para o papel de otários que estão fazendo?
    .
    .
    A gente também poderia dar golpes na internet, iguais a esses que você anda recebendo em seus e-mails. Mas isso é crime! Rende muito menos dinheiro!
    A religião conta com proteção do Estado (todos eles, Brasil ou países estrangeiros).
    .
    E aí?
    Vamos fazer a felicidade de crentes otários, separando-os de seu dinheiro e dando-lhes mentiras em troca, mentiras essas que eles farão de tudo para defender?
    Desde explodir bombas, brigar com quem os alerta, fazer proselitismo gratuito para nós, lavagem cerebral nos filhos, etc.
    .
    .
    ALERTA: para os poucos burros que lêem ou escrevem no blog, quero alertar que estou de ironia, não sou safado, estou apenas mostrando o resultado de sua crença idiota.
    Tenho de fazer o disclaimer, pois como todo crente gosta de acreditar em qualquer cretinice, pode achar que estou planejando mesmo abrir uma igreja e dizer que sou um ateu dos infernos, embora não existam ateus nem infernos.
    Ateu foi um nome criado pelos crentes para classificar quem não é otário igual a eles.

  347. Contra o chiquismo Diz:

    Ora, o cara é bom de números mesmo. Outro dia eu estava ali no Jardim do Méier (onde tem esse coreto que o macedo começou a pregar) e tinha um senhor que era zelador ali. Perguntei sobre se ele viu o macedo pregar ali e ele disse que sim e lotava. O coreto encontra-se em perfeito estado nos dias de hoje. Só no RJ a universal tem mais fieis que o ‘espiritismo’ em toda Crosta. A teologia da miséria e conformismo kardecista é mito ruim mesmo.

  348. Contra o chiquismo Diz:

    ***escrevi mito ruim.
    .
    .
    era pra ser muito ruim.
    .
    .
    Mas “mito” ruim se encaixou perfeitamente.

  349. Gorducho Diz:

    Mais uma prova que a Teologia da Miséria e do Conformismo não está com nada.
    O povo quer luxo, alegria e saúde.

  350. Contra o chiquismo Diz:

    Isso mesmo. Gorducho. Agora não se vê nada de modesto na FEB no DF:
    .
    .
    http://www.febnet.org.br/ba/image/Conheca_a_FEB/frontal.jpg
    .
    .
    http://www.noticiasespiritas.com.br/2014/ABRIL/07-04-2014_arquivos/image010.jpg
    ..

    .
    Acho que os dirigentes querem o luxo pra si e a teologia da miséria/conformismo pros outros.

  351. Contra o chiquismo Diz:

    A FEB do DF não difere de algumas catedrais da IURD como a de Sto Amaro SP por ex:
    .
    .
    https://movimentouniversal.files.wordpress.com/2009/04/43_2g.jpg
    .
    .
    e nem da catedral de POA:
    .
    .
    http://2.bp.blogspot.com/-wt2C3q-axyA/T9U5qsQ_qVI/AAAAAAAAA5Q/RMVylraxlE4/s400/CIMG0597.JPG

  352. Marciano Diz:

    CONTRA, compare:
    .
    http://cartagospel.com/wp-content/uploads/2015/05/TEMPLO-DE-SALOMAO-INAUGURACAO.jpg
    .
    http://www.mancheteonline.com.br/wp-content/uploads/2015/01/vaticano1.jpg
    .
    Quem vai pro trono de São Pedro?
    .
    Mateus

    19
    21 Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, segue- me.

    22 Mas o jovem, ouvindo essa palavra, retirou-se triste; porque possuía muitos bens.
    23 Disse então Jesus aos seus discípulos: Em verdade vos digo que um rico dificilmente entrará no reino dos céus.
    24 E outra vez vos digo que é mais fácil um camelo passar pelo fundo duma agulha, do que entrar um rico no reino de Deus.

  353. Marciano Diz:

    Parece que existia um FG naquele tempo (imaginário, claro) e outro bem diferente agora.

    Ou será que já era assim dentre os primitivos cristãos? O cara fala uma coisa e faz outra?
    Voto na última hipótese. Não mudou nada.
    É só venha a nós, e ao vosso reino, nada! (Eu sei que a frase correta é venha a nós o vosso reino – vosso reino é o sujeito da oração – estou fazendo um gracejo, chatos de plantão).

  354. Marciano Diz:

    Peço à administração que não mude o itálico.

    Foi só pra dar um charme ao comentário.

  355. Gorducho Diz:

    Teste

  356. Contra o chiquismo Diz:

    Bem, tem a catedral de aparecida tb como das maiores do mundo.
    .
    .
    Mas a FEB não parece ter nada de modesto. Os estande deles na Bienal dá nojo. CX e kardec de papelão gigante ornando a entrada. veja:
    .
    .
    http://www.google.com.br/imgres?imgurl=https://esterteixeira.files.wordpress.com/2012/05/bienal-2.jpg&imgrefurl=https://esterteixeira.wordpress.com/&h=1200&w=1600&tbnid=IfGKvYAlhdOvuM:&docid=POUBwtIAxAQqIM&ei=yScgVsapMcutwATP47vgCw&tbm=isch&ved=0CCMQMygHMAdqFQoTCIay_LjCxcgCFcsWkAodz_EOvA

  357. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Você está ficando desatento:”

    Marciano Diz:
    Então, tá.
    Não discuto mais.
    Desisto!
    /.
    PONDERAÇÃO: então morreu, e já foi tarde. Difícil que alguém em saudável condição consciente, e minimamente informado, vá aquiescer que o “trabalho” de Sheldrake mereça algo além de gato jogar terra em cima…

  358. Vitor Diz:

    Difícil que alguém em saudável condição consciente, e minimamente informado, vá aquiescer que as atuais “análises” do Montalvão mereçam algo além de gato jogar terra em cima…

  359. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Sobre sua história de sucesso resumida, você sabe que já te convidei várias vezes para fundarmos uma igreja e você até aceitou.
    Postei aqui uma apostila para plantação de igrejas.
    Você fica enrolando, saindo pela tangente.”
    /.
    NÃO QUETEJA a sair pela tangente, estou buscando madeira própria e suficiente para construir uma boa cara de pau, sem qual não consigo…

  360. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Sobre sua história de sucesso resumida, você sabe que já te convidei várias vezes para fundarmos uma igreja e você até aceitou.
    Postei aqui uma apostila para plantação de igrejas.
    Você fica enrolando, saindo pela tangente.”
    /.
    PONDERAÇÃO: mio caro, se eu for abrir igreja será por vocação não por ambição, sou qual chico, o xavier, trabalho pela felicidade da humanidade.
    Além disso, dinheiro não me é problema, sempre tenho o suficiente e mais algum. Achei a fórmula de viver bem com qualquer quantia. São duas máximas que, se seguidas condizentemente, livram qualquer de aporrinhações.
    .
    Como só tenho amigo nesse espaço, vou revelar o segredo. Em princípio pensei oferecê-lo a quem quiser pela bagatela de um milhorólades, qual “o segredo”, que não era segredo algum, mesmo assim rendeu muito mais. Porém, sigo a máxima: de graça recebei de graça dai, apesar de de eu não ser dado a dar nem de graça, se é que me entende.
    .
    O segredo se resume em duas máximas:
    1 – se queres viver sem sobressaltos financeiros nunca gaste além do que tem.
    2 – a diferença entre a pobreza e a riqueza é um real.
    .
    A segunda máxima requer explicação adicional para ser bem entendida, apesar de que alguns a entendem. Para quem carecer de elucidação complementar, aí sim, tenho que cobrar um royaltie: um milhorólades…

  361. Contra o chiquismo Diz:

    MONTALVÃO Diz:
    OUTUBRO 15TH, 2015 ÀS 8:02 PM
    /
    /

    2 – a diferença entre a pobreza e a riqueza é um real.
    .
    .
    CONCORDO. 1 REAL POR DIA = 7 REAIS POR SEMANA. APOSTA DA MEGA SENA 3,50. CORRE QUARTA E SÁBADO.
    .
    .
    2 CHANCES DE FICAR RICO EM UMA SEMANA ECONOMIZANDO 1 REAL POR DIA.

  362. Marciano Diz:

    Duas chances em 50 milhões 63 mil e 860 combinações possíveis. Só 35% do valor das apostas vai para eventuais ganhadores. Se passar 100 milhões de anos jogando, vai ganhar entre 90 e 110 vezes, recebendo 35% do valor que apostou.
    Rico fica quem banca o jogo, ou seja, a CEF.

  363. Marciano Diz:


    D

    epois o PT desvia grande parte do dinheiro, como fez com Petrobrás, BNDES, etc.

  364. Marciano Diz:

    Sabia que existe um Estado que nunca teve ganhador na Mega-Sena?
    http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2014-12-29/sabia-que-existe-um-estado-que-nunca-teve-ganhador-na-mega-sena.html

    Se o dinheiro de todas as apostas que foram feitas no Amapá desde a criação da mega-sena até agora fosse para a minha conta bancária, eu estaria bilionário e não teria dado um tostão a um ganhador.

  365. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, o acidente com o 1907 da Gol é 1 em 1 bilhão a probabilidade de acontecer. 20x mais difícil morrer daquela forma no acidente da Gol que acertar na MEGA.

  366. Marciano Diz:

    Além de religião, outra coisa que dá dinheiro é jogo (para quem banca, claro).
    Aqui no Brasil, é monopólio da União e dos Estados, embora haja uma briga na Justiça, a União querendo acabar com as loterias estaduais.
    Jogar é o mesmo que rezar.
    É mais fácil cair um raio na sua cabeça do que você ganhar na mega-sena.
    Um pouquinho de análise combinatória mostra como o jogo só é bom para o banqueiro. Apostador é jacu.

  367. Contra o chiquismo Diz:

    Quanto custa pra trazer o Pink Floyd pra um show particular? Exijo o R Waters no vocal. Dá pra bancar com a mega da virada.

  368. Contra o chiquismo Diz:

    Acho que é 10x mais fácil ser atingido por um raio q acertar na MEGA. Mas só não vai acertar quem não jogar. Vai que sai…

  369. Marciano Diz:

    A probabilidade de cair um meteorito na sua cabeça à meia-noite em ponto (hora de Brasília) no dia 14 de fevereiro de 1017 é bilhões de vezes menor do que a de você morrer num acidente num Boeing.
    Tecnicamente, não é impossível.
    Na prática, tanto faz esperar que um meteorito caia na nossa cabeça, jogar na mega-sena ou andar de avião.
    Uma chance em 50 milhões é melhor do que uma chace em 50 quintilhões, mas não rola do mesmo jeito.

  370. Contra o chiquismo Diz:

    Por que cx e divaldo nunca pediram os números da MEGA pros ‘espiritos’ ? Assim podiam fazer bastante caridade sem pedir dinheiro dos fieis.

  371. Marciano Diz:

    A probabilidade de o Roger Waters se juntar de novo ao grupo é quase igual à de John Lennon e George Harrison voltarem aos Beatles.
    Admiro demais o Roger Waters, como músico. Como gente, não vale nada, é comunista caviar.
    Vive vida burguesa, nada em milhões, como o Tio Patinhas, aplica no mercado de capitais, tem latifúndios, mas é comunista.
    Vá se entender…

  372. Marciano Diz:

    Era 2017. Em 1017 é impossível, a não ser para quem acredita em viagem no tempo, como alguns roteiristas de cinema, alguns físicos e alguns parapsicólogos.

  373. Contra o chiquismo Diz:

    Ou melhor, bastava eles jogarem qualquer número e mandar os ‘espiritos’ fazerem cair aqueles números dos jogos deles na hora do sorteio. Se eles ‘volitam’, passam através de paredes, materializaram dinheiro pro dr bezerra, batem em paredes, giram mesas, trazem pedras radioativas do ‘além’ (irmã scheila, lembra?), mudam pimenteira de lugar, o que é fazer cair 6 bolas de números?

  374. Marciano Diz:

    cx e dpf nunca pediram os números da mega-sena para fazerem caridade porque espíritos não existem, logo, não podem dizer que números serão sorteados.
    Se existissem, seria necessário que pudessem comunicar, que houvesse quem recebesse mensagens e que o futuro fosse determinado, como parece ser a filosofia da casa.

  375. Marciano Diz:

    Se espíritos existissem e se fossem capazes dessas proezas, esse método seria garantido.
    Eles manipulariam o resultado e a karidade estava garantida.
    Quantas criancinhas felizes…
    Ainda dizem que dinheiro não traz felicidade. Manda buscar.
    Eu prefiro ser infeliz com dinheiro do que sem ele.

  376. Marciano Diz:

    Eu não jogo em nada, mas se ganhar na mega-sena sem jogar, prometo distribuir tudo para os pobres e seguir FG.

  377. Contra o chiquismo Diz:

    $$ não traz felicidade mas ajuda a sofrer em Paris.

  378. Contra o chiquismo Diz:

    Melhor sofrer em Paris que no Complexo do Alemão ( Polonês na verdade).

  379. Marciano Diz:

    Pelo pouco que aprendi de probabilidades, especialmente análise combinatória, acho que existe grande chance de a CEF manipular resultados, para que hajam acumulações de prêmios, o que faz o número de apostas subir exponencialmente.
    Quem joga, que me desculpe, mas quando vejo filas enormes e mega-sena acumulada, olho para aqueles otários na fila e penso:

    – Como são trouxas! E alguns, além de jogar, ainda dão dinheiro na igreja…

  380. Marciano Diz:

    Do jeito que estão indo as coisas no Brasil, isso aqui vai virar Venezuela em breve.
    Aí tu vais ver o que é sofrer.

  381. Contra o chiquismo Diz:

    E se vc acertar? mais de 30 milhas pra esse sábado.

  382. Marciano Diz:

    Pelo menos, por enquanto a gente ainda pode ir pra Paris ou qualquer outro lugar.
    Eu só não vou embora porque minha profissão não é portable.
    Com qualquer outra, eu validaria meu diploma, legalizaria tudo, e iria viver fora daqui.
    Talvez na Suíça.
    É a menor concentração de desonestos por km ² .

  383. Marciano Diz:

    Já respondi acima.
    Não jogo, mas se acertar mesmo assim, sem jogar, dou todo o dinheiro para os pobres e sigo NSFG.

  384. Marciano Diz:

    É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que você ganhar trinta milhões no próximo sábado.
    Se ganhar, eu cuido de suas finanças.
    Entendo mais de mercado de capitais do que o Roger Waters e o Chico Buarque juntos.

  385. Marciano Diz:

    E veja que esses dois comunas sabem tudo de finanças.
    Nem só a religião vive de hipocrisia. O comunismo, chamado por qualquer outro nome, é uma das coisas mais hipócritas e abjetas que existem. E é praticamente uma religião sem divindades. Apesar de ter santos, vivos e mortos. Todos hipócritas.
    Até Marx explorava Engels, que era filhinho de papai burguês, playboy da época.

  386. Marciano Diz:

    Como dizia Shakespeare, o comunismo, com qualquer outro nome, fede igual.
    Como diria Odorico Paraguaçu (criação de outro comunista caviar, o falecido Dias Gomes), se não disse, deveria ter dito.
    Pela boquinha apetitosa da Julieta, que era sexy até no nome.

  387. Marciano Diz:

    Por causa da seleção natural fico excitado sempre que vejo uma atriz bonitinha dizendo:

    What’s in a name? that which we call a rose,
    by any other name would smell as sweet;

  388. Marciano Diz:

    Já escrevi pelos cotovelos hoje.

    AFK

  389. Vinicius Diz:

    “Marciano Diz:
    OUTUBRO 15TH, 2015 ÀS 9:49 PM
    Se espíritos existissem e se fossem capazes dessas proezas, esse método seria garantido.
    Eles manipulariam o resultado e a karidade estava garantida.Quantas criancinhas felizes…
    Ainda dizem que dinheiro não traz felicidade. Manda buscar.Eu prefiro ser infeliz com dinheiro do que sem ele.”
    Essa ideia das 6 bolas da Mega Sena é genial. Colocariam 6 espiritos cuja reencarnação anterior fosse “feminina” e bem gostosonas mesmo, melhores que do sorteio da tele sena. Cada uma pegava uma bola com seus fluidos ectoplásmicos . CX poderia ter aberto muito mais Centros, estendendo muito além de Uberaba !!! A Sopa estaria garantida pelo menos até 2019, pois agora sem o CX por aqui não há médium capaz de peitar os líderes espirituais e perguntar se afinal vai haver prorrogação ou se Jesus vai mandar suas bolas de fogo e destruir tudo, junto com canhões destrutivos que Dr.Bezerra e Dr.Philomeno projetaram. Tem projetos no Nosso lar para depois da transição instalar Cercas Elétricas por toda a Crosta para que nenhum espirito expulso queira voltar para a Terra regenerada. Serão sugados pelo Planeta Chupão para sempre. Como enfatizam os crentes que conheço: haverá choro e ranger de Dentes e não ficará pedra sobre pedra.

    kkk, CX e Divaldo optaram pelo caminho mais dificil: tornaram-se “monges copistas” , “homens que copiavam” , imagina só a vida do CX sempre enxergando versos de poesias nas paredes, trechos de livros no chão, romances no cenário do programa Pinga Fogo etc.
    Quase um Jonh Nash de Mente Brilhante que aliás assisti neste final de semana. kkk, aquelas fórmulas matemáticas nas janelas da biblioteca, a procura dos códigos nas revistas e jornais …

  390. Vinicius Diz:

    Mais um livro aqui na estante que ainda não li, parado, com uma mulher de vermelho e bem sensual na capa, não sei se conhecem, é uma obra psicografada chamada “Anjos de Bordel” . Já li a contra-capa e a história promete (muita bobagem). Acho que é por isso que chamam essas obras de “Romance”…

    Segue link (não achei PDF)
    http://www.saraiva.com.br/anjos-de-bordel-169582.html

    Vou ver se consigo encontrar plágios ou coisas parecidas com CX e DPF, como pediu Vitor outro dia ( de encontrar plágios em obras psicografadas).

    Gorducho, sei que é mais divertido achar plágios e outras patetices do CX , este aqui deve ser pouco conhecido, é de Osasco e ainda tem um prefácio do próprio médium para o referido livro.

  391. Victor Diz:

    Hey, folks!
    .
    Esse artigo traça um perfil interessante do Dr.Ian Stevenson:
    http://skepdic.com/stevenson.html
    .

  392. Marciano Diz:

    Não conheço o livro, VINICIUS.
    Espero que descubra uns plágios, pra animar agente.
    .
    VITOR, será que meu ceticismo patológico provém de outra vida?
    .
    O uso medicinal de reencarnações continua sendo um sonho infantil de Stevenson.
    Ele não era tão vetusto assim. Será que nunca ouvira falar de genética?
    Além disso, tem também o meio em que vive a pessoa, seus hábitos, etc.
    .
    Eu gosto de um grau. Se tiver predisposição genética, posso vir a ter um câncer de estômago ou esôfago, por exemplo. Stenvenson, como médico, não sabia disso?
    Precisava apelar para reencarnações?
    .
    A culpa deve ser da mãe dele, que o deixou com um transtorno delirante persistente. Logo ele, um psiquiatra.
    .
    Se for necessário crer para reencarnar, eu estou fucked.
    .
    Eu não sabia das experiências dele com mescalina e LSD. Talvez isso explique tudo.
    .
    Sei que ele é seu ídolo, mas o cara era bem maluquinho. E psiquiatra. Quanta ironia da vida!
    Eu concordo que ele era bem naïve..
    Qualquer coisa, para ele, seria evidência de reencarnações.
    .
    .
    O link para “Leonard Angel’s deconstruction” está quebrado.
    .
    O caso citado neste trecho:

    It would be pointless to go through each of the 2,500 anecdotes collected and try to debunk, say, the top 100. Little would be gained by such an exercise. (For an example of a debunking of the case Stevenson thought was the best in hisTwenty Cases Suggestive of Reincarnation, seeLeonard Angel’s deconstruction of the case of Imad Elawar.) We can admit before the investigation begins that reincarnation is possible, even if we have no idea how it might occur. But even the best story could be contaminated and Stevenson’s methods of collecting and validating data leave much to be desired. For example, Imad Elawar claimed that he was Mahmoud Bouhamzy, a truck driver who died of tuberculosis 25 years earlier and who had a wife called Jamilah.
    The best past-life candidate Stevenson found [for Imad Elawar] was not named Mahmoud Bouhamzy, did not have a wife named Jamilah, and did not die as a result of an accident at all, let alone one that followed a quarrel with the driver. Yet Stevenson does not give sufficient information for the reader to know what exactly the parents or the boy himself said that entitled Stevenson to discount the original claims as interpreted by the parents and instead present the very different claims given in the tabulation [he produced]. (Angel 1994)
    Stevenson came up with a list of 57 items that he said were produced by the parents or the child prior to his attempted verification.
    But the form in which they were originally recorded is not given. Inspection of the items of the tabulation makes clear the need for a record of just what the parents said, how Stevenson recorded their data prior to verification, and how it was or was not subsequently reorganized for presentation in tabular form. (Angel 1994)
    Stevenson’s method is reminiscent of the kind of subjective validation process that goes on during cold readings. For example,
    Under Stevenson’s “Comments” we find “Mahmoud Bouhamzy was an uncle of Ibrahim Bouhamzy.” (Ibrahim Bouhamzy is the apparent past-life of the boy, according to Stevenson.) Thus it is taken as verified that a name the boy mentioned corresponded to a real person in the past-life’s family, as though it is clear that the boy had been mentioning a name by way of referring to that uncle.
    ….the boy referred to a full well and an empty well at the home of the past-life. This is taken as confirmed by the fact that there were two vats used for storing grape juice. “During the rainy season one of these vats became filled with water, but the other, shallower vat did not, because the water evaporated from it. Thus one would be empty while the other was full”. Does a five-year-old Druse village boy not know the difference between a vat and a well? (Angel 1994)
    Stevenson himself admitted that he hadn’t provided compelling evidence for reincarnation. What might be of some value, however, is to examine his data for recurrent features.

  393. Contra o chiquismo Diz:

    Nem ia jogar Marciano, agora pode fazer uma agulha de 158 metros de altura que o camelo vai passar no buraco dela ou eu acerto sozinho!

  394. Contra o chiquismo Diz:

    Boa noite pra todos. Vou dormir e aproveitar e me projetar até o NL e vou pedir os números da MEGA pro cumpadi lísias que é mal pega um pega geral. Vou pedir tb o da lotofácil pro telésforo e o da dupla sena pro aniceto.
    .
    .
    Queria ver um poema ‘mediunico’ rimar algo com telésforo e lisias….
    .
    ” Aniceto era o mais esperto
    telésforo era quem … ?
    lisias comia… ?
    druso só ouvia caruso”

  395. Marciano Diz:

    Quando receber a grana, CONTRA, não se esqueça de deixar por minha conta a aplicação dela.
    Vou te mostrar o milagre da multiplicação dos milhões.
    Você fica bilionário rapidinho.
    Tudo de que eu preciso, por coincidência, são trinta milhões de reais, como capital inicial.
    Já tenho até um financiamento aprovado no BNDES.
    Mas tem de ser NESTE sábado, ou o PT vai fazer com que esses trinta milhões não valham um rolo de papel higiênico.
    .
    Eu só cobro 10% de taxa de administração, sobre os lucros.
    Dou garantia da grana aplicada.
    Você vai ser feliz em Paris.
    Vou ser seu contador e advogado. Com contrato de exclusividade.

  396. MONTALVÃO Diz:

    /
    2 – a diferença entre a pobreza e a riqueza é um real.
    .
    CONTRA: CONCORDO. 1 REAL POR DIA = 7 REAIS POR SEMANA. APOSTA DA MEGA SENA 3,50. CORRE QUARTA E SÁBADO.
    /.
    NÃO MEU CARO, o segredo é mais trivial, e vou explicar-lho (preste atenção que é difícil para caráncola):
    .
    Se ao final de seu período remunerativo, pagadas todas as contas que deve, inclusive a cachaça, e lhe sobra um real, você é rico, porque tem mais do que precisa; se lhe faltar um real, é pobre porque tem menos do que necessita. Caso não falte nem sobeje tãotá no equilíbrio.
    .
    Simples assim…

  397. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “tanto faz esperar que um meteorito caia na nossa cabeça”
    /.
    FOI por isso que parei de dormir na laje…

  398. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Por que cx e divaldo nunca pediram os números da MEGA pros ‘espiritos’ ? Assim podiam fazer bastante caridade sem pedir dinheiro dos fieis.”
    /.
    ISSO JÁ ACONTECEU, não com os citados, mas com o Morengueira: ele passou a sonhar com o bicho certo todo dia, era o espírito da mãe quem lhe passava as dicas. Té que um dia resolveu apostar tudo na dica do sonho, resultado: tudo perdeu. Era que o espírito da mãe do bicheiro assumira o comando e passara a informação errada…
    .
    Mexer com espíritos é do piru!

  399. MONTALVÃO Diz:

    /.
    A probabilidade d’eu morrer nesta noite é de uma em trilhão. A probabilidade de morrer qualquer dia é de uma para um.
    .
    Por isso gosto de estatística: ela garante minha morte em qualquer circunstância…

  400. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “se ganhar na mega-sena sem jogar, prometo distribuir tudo para os pobres”
    /.
    NÃO SESQUEÇA que sou pobre de marré de si…

  401. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Quem joga, que me desculpe, mas quando vejo filas enormes e mega-sena acumulada, olho para aqueles otários na fila e penso:”
    /.
    E DOS QUE JOGAM pela internet (a CAixa tem a opção) o que pensa quando vê?

  402. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que você ganhar trinta milhões no próximo sábado.”
    /.
    É mais fácil um camelo passar pelo FUNDO de uma agulha do que você ganhar trinta milhões no próximo sábado, e ir para o reino dos céus…

  403. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Por causa da seleção natural fico excitado sempre que vejo uma atriz bonitinha dizendo: where is the book.
    .
    E sempre respondo, excitado: the book is on the table!

  404. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Queria ver um poema ‘mediunico’ rimar algo com telésforo e lisias….”
    /.
    Juro, não sei do resto, mas sempre que me pisias eu lhe telésforo…

  405. Gorducho Diz:

    Já que há esse amor todo pela estatística… será incidência de ideias e crenças infundadas maior entre psiquiatras que entre outras especialidades da medicina?
     
    Temos tido vários exemplos, mas a estatística e traiçoeira…

  406. Gorducho Diz:

    Farei uma prova de invalidade dos estudos do IS along the lines da prova de inexistência de mediuns.
    Senão vejamos: por que cá não há expressivos casos similares, por que só praticamente da Turquia pra lá?
    Certo que oficialmente só 2% dos brasileiros creem na reencarnação, portanto muito menos que naquelas regiões, mas na prática 100% dos brasileiros conhecem bem a tese.
    Então eu não creio que nos tempos atuais uma criança evangélica, se tivesse essas recordações, fosse se inibir de alardeá-las por medo do pastor (diferente das teocracias islâmicas, claro!).
    A incidência de memórias deveria ser estatisticamente proporcional à relação entre as populações. E não é.
    Veja-se a população de indígenas norte-norteamericanos vis à vis a de cá ou das Filipinas.
     
    Desprovado pela Conjecture de Grassouillet está o trabalho de IS!

  407. Marciano Diz:

    GORDUCHO, tu praticas um pecado capital, que é o orgulho.

    Se tivesse perguntado, eu responderia, com o maior prazer, como já fiz com o MONTALVÃO, poupando seu tempo.

  408. Borges Diz:

    https://www.youtube.com/watch?v=f-fV_DJUhJ0

  409. Marciano Diz:

    Por falar em MONTALVÃO, que rima com CONTRADIÇÃO, ora ele diz que uma coisa, ora outra.
    .
    MONTALVÃO Diz:
    OUTUBRO 15TH, 2015 ÀS 8:02 PM
    /
    /
    (…)
    Além disso, dinheiro não me é problema, sempre tenho o suficiente e mais algum. Achei a fórmula de viver bem com qualquer quantia.
    .
    .
    MONTALVÃO Diz:
    OUTUBRO 16TH, 2015 ÀS 12:14 AM
    /
    /
    (…)
    /.
    NÃO SESQUEÇA que sou pobre de marré de si…
    .
    .
    Além disso, ele interpretou mal o meu texto.
    Eu não disse que se ganhasse trinta milhões na mega-sena SEM JOGAR, daria tudo a UM pobre, mas sim que DISTRIBUIRIA aos pobres.
    .
    Dos sete bilhões e meio, aproximadamente, de habitantes do vosso planeta, sete bilhões são pobres, o que dá 30.000.000/7.000.000.000.
    Depois eu sigo NSFG.
    .
    .
    Pelas minhas contas, dá 4 décimos de centavo de real para cada um.
    Por enquanto, porque depois que o PT botar o real no fundo do poço, vai ficar difícil distribuir o dinheiro.
    Vou ter de pedir ajuda ao Robert Louis Stevenson (não ao Ian Stevenson – aquele de escreveu “O Demônio da Garrafa”).

  410. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano Diz:
    OUTUBRO 15TH, 2015 ÀS 11:53 PM

    Tudo de que eu preciso, por coincidência, são trinta milhões de reais, como capital inicial.
    .
    .
    Custa passar na lotérica e jogar um bilhete? Custa sim, só 3,50. Não paga nem o trem…sua chance tá aí. Fale 6 dezenas pra gente, dê seu palpite, se eu acertar, te dou 3,50 pra vc jogar. :mrgreen:

  411. Marciano Diz:

    “O que acontece após a morte?
    Nós podemos voltar”
    .
    É por isso que eu digo que Discovery é um pseudo-canal, que passa pseudo-documentários.

  412. Marciano Diz:

    CONTRA, aqui vai o meu palpite:
    85 – 92 – 67 – 88 – 99
    Nesta ordem.
    Claro que você só precisa de acertar as dezenas, a ordem não importa.
    Já levas 5! de vantagem.

  413. Marciano Diz:

    CONTRA, aqui vai uma pequena ajuda para seus cálculos:
    .
    #include

    int fatorial(int n)
    {
    if (n>0)
    return n*fatorial(n-1);
    else
    return 1;
    }

    int permutacao(int n)
    {
    return fatorial(n);
    }

    int arranjo(int n, int p)
    {
    if (p>1)
    return n*arranjo(n-1,p-1);
    else
    return n;
    }

    int combinacao(int n, int p)
    {
    return arranjo(n,p)/fatorial(p);
    }

    main()
    {
    printf(“Permutação de 6=%d\n”,permutacao(6));
    printf(“Arranjo de 6,2=%d\n”,arranjo(6,2));
    printf(“Combinação de 6,2=%d\n”,combinacao(6,2));
    return 0;
    }

  414. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, essa de hoje em dia é a MEGA e não a antiga LOTO que ia de 1 a 100. A MEGA só vai até de 1 a 60.

  415. Marciano Diz:

    No seu caso:
    .
    printf(“Chances = 1 entre %d\n”,combinacao(60,6));
    1 entre 50.063.860 possibilidades.

  416. Marciano Diz:

    Com os números que te forneci, de pura picardia (já que você gosta de palavras iniciadas por pica), suas chances são iguais a 0.

  417. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, tu não viu nada… para com essa coisa de abrir igreja. O negócio é a idéia desse cara, o livro da MEGA SENA!!! Veja:
    .
    .
    http://www.livrodamegasena.com.br/

  418. Marciano Diz:

    Pica-pau, régua de pica, síndrome de pica, tudo coisa sua.
    .
    Sugiro picaço, picaçu, picada, picadão, picadeira, picadeiro, picadela, picadinho, picado, picador, picadura (picada, não o que está pensando), pica-flor, pica-fumo, picagem, picamento, pica-milho, picana, picanear, picanha, picante, picão (erva (Bidens graveolens) da fam. das compostas, nativa do Brasil (MG, GO), de folhas serreadas e flores amareladas, em corimbos paniculados; amor-de-negro, planta muscilaginosa, acre, com propriedades antiescorbúticas, não o que está pensando), picão-branco (Galinsoga parviflora), e por aí vai.

  419. Marciano Diz:

    “Mas se eu te dissesse que meu LIVRO DA MEGA SENA e Seus truques secretos são capazes de fazer jogos ganhadores em 7 de cada 10 vezes que você jogar? Isso é perfeitamente possível, e real, através de apostas inteligentes que garantem premiações CRESCENTES E INESGOTAVEIS… Não como enganadores e mentirosos falam por ai.clique aqui”.
    .
    Como tem picareta por aí…

  420. Contra o chiquismo Diz:

    Goste dessa frase do site do avião:
    .
    .
    15- Eu humildemente aceito ser o próximo milionário da Mega Sena.

  421. Marciano Diz:

    ? substantivo feminino
    1 instrumento que consiste em uma peça de ferro com duas pontas aguçadas, que se prende a um cabo ger. de madeira e serve para escavar a terra, arrancar pedras etc.; picão

    ? substantivo masculino
    Rubrica: vestuário.
    2 Regionalismo: Minas Gerais, Rio Grande do Sul.
    m.q. chapéu de palha

    ? adjetivo de dois gêneros e substantivo de dois gêneros
    Regionalismo: Brasil. Uso: informal.
    3 diz-se de ou pessoa aproveitadora, que utiliza meios condenáveis para obter o que deseja

    Não o que você está pensando, nada a ver com um segmento de reta.

  422. Marciano Diz:

    No caso do autor de livro de 250 exemplares, é a opção 3, pessoa aproveitadora, que utiliza meios condenáveis para obter o que deseja, o que não vai acontecer com esse número mirrado de exemplares.

  423. Contra o chiquismo Diz:

    Sim, sou um pícaro. Mas não curto esse prefixo pica. Só mesmo o desenho do woodye.

  424. Contra o chiquismo Diz:

    48 paginas. tá aí.. já temos uma dezena.

  425. Gorducho Diz:

    Borges Diz: null
     
    Pois é, AB… mas sempre na América, norte da América; leste da Asia…
    Por que não cá (.br) onde a crença é conhecida por 100% dos habitantes?
    A que atribui?
    Crê que ameaças pastorais inibiriam a eflorescência de relatos, cá, em plena metade do século xxi?

  426. Marciano Diz:

    CONTRA, estou vendo que você não percebeu a picaardia, digo, picardia.
    Leia TODOS os comentários.
    Vai achar este:
    .
    Marciano Diz:
    OUTUBRO 16TH, 2015 ÀS 10:27 AM
    Com os números que te forneci, de pura picardia (já que você gosta de palavras iniciadas por pica), suas chances são iguais a 0.
    .
    Leia os outros também.
    .
    Quando a gente escreve rápido demais, os comentários saem misturados.
    Vou parar, para dar tempo de lerem TUDO o que escrevi.
    Te dei a fórmula (programa em C) para calcular análises combinatórias sem queimar neurônios.

  427. Marciano Diz:

    AFK
    Volto na hora que der.
    Tá rápido demais, ninguém lê tudo.
    Bye.

  428. Marciano Diz:

    Tem provocações para todos.
    Espero que retornem as provocações.
    Especialmente o MONTALVÃO.

  429. Contra o chiquismo Diz:

    Mas tu vai ou não jogar?

  430. Vinicius Diz:

    LIVRO: ANJOS DE BORDEL
    Meu Deus, quanta pieguice, como deve ser chato no “plano espiritual”.
    Não são só os Espírito que ditam as maiores besteiras e pieguices: os médiuns também. O livro é prefaciado pelo próprio médium, vejam:
    Ficou 5 dias lá dentro do quarto psicografando e sentindo o plano espiritual: ” a atmosfera, no interior do aposento, tornou-se tão rarefeita que passei a sentir-me insulado dentro de uma bolha…”
    Dentro do seu quarto viu uma “bela figura humana” o seu mentor Euzébio. Após isso:
    “…sentado, ainda, sobre a cama beliche, eu tremia tanto que chegava a ouvir as batidas dos próprios maxilares”
    “…levantei-me e trêmulo abracei-me aquela luminosidade e ali fiquei a chorar por volta de dez minutos “
    “perdi a minha noção de Amor em relação à minha família consanguinea”
    Quem lê a primeira vez, como eu, dá a impressão que houve algum encantamento homoafetivo nesse encontro.
    TAMBÉM ENCONTREI PLÁGIO “COMPORTAMENTAL” COM O CX E DPF:
    - vitimismo e auto-depreciação (CX) “cisco”
    “.. talvez a maior prova de amor que um MÍSERO TERRENO quanto eu poderia receber”
    - deslumbramento e arroubos exagerados, desapegado até da esposa e filhos (DPF)
    Esqueceu a própria esposa e família ! Ficou cinco dias fora de casa deslumbrado com o mundo espiritual e suas peripécias, quando voltou de casa a esposa questionou se ele sentira saudades de casa e respondeu que a esposa sabe que ele não sentiu saudades !

    É MOLE, COMO ALGUÉM PODE CONTINUAR CASADO COM UM CARA CHATO DESSES?? QUE NEM DÁ VALOR A FAMILIA? (SE BEM QUE FORAM SÓ CINCO DIAS NÉ… ) ACHO QUE É POR ISSO QUE CX E DPF NÃO CASARAM…

    “minha esposa perguntou se eu havia sentido saudade ficando ausente por quase cinco dias” e ele respondeu “ sabe que não senti saudades! Acredito que me encontrava distraído, amando o mundo inteiro”.

    E FAMOSOS JARGÕES ESPÍRITAS:
    Venerável Instrutor Euzébio.
    Luminares das Altas Esferas Espirituais.
    Misericórdia Divina.
    Espargindo energias luminescentes.
    Sala diminuta.

    ESTUDEMOS SEMPRE, IRMÃOS!

  431. Marciano Diz:

    Você não leu mesmo.
    Eu vou ganhar SEM JOGAR, doar o dinheiro aos pobres e seguir NSFG.
    .
    Pro MONTALVÃO, vai uma dica:
    Je suis pauvre, je suis pauvre, dans ce jeu d’ici virou eu sou pobre, pobre, pobre, de marré de si.
    .
    http://www.estacaocapixaba.com.br/wp-content/uploads/2011/12/roda_partitura_pobre.gif

  432. Marciano Diz:

    Agora, deixem-me trabalhar, s’il vous plait.

  433. Borges Diz:

    “Gorducho Diz:
    OUTUBRO 16TH, 2015 ÀS 10:43 AM
    Borges Diz: null

    Pois é, AB… mas sempre na América, norte da América; leste da Asia…
    Por que não cá (.br) onde a crença é conhecida por 100% dos habitantes?
    A que atribui?
    Crê que ameaças pastorais inibiriam a eflorescência de relatos, cá, em plena metade do século xxi?”
    Hernani Guimarães Andrade parece ter sido o nosso “Ian Stevenson”
    Obrigado

  434. Vinicius Diz:

    tem o livro Reencarnação no Brasil, do Hernani. Seguiu a linha de Stevenson. São casos bem sugestivos.

  435. Contra o chiquismo Diz:

    teste :home3:

  436. Gorducho Diz:

    #include

  437. Gorducho Diz:

    #include <stdio.h>

  438. Gorducho Diz:

    Mas é muito pouco, ainda mais agora c/a INTERNET. Por que o IS nunca de cá teve relatos?
    Não venham m/dizer que ele tinha $ p/ir à Índia e não tinha pra descer cá pra baixo :(

  439. Contra o chiquismo Diz:

    Gorducho, vc crê no poder da MEGA SENA?

  440. Contra o chiquismo Diz:

    O Vitor bloqueou o sCUr (Espirita SP Orlando) ?

  441. Gorducho Diz:

    Sim, pode ser que no tempo dele por ser antes do Pinga Fogo, a reencarnação não tivesse a popularidade que tem hoje.
    Mas, e hoje. Teriam que borbulhar relatos…

  442. Gorducho Diz:

    Não,não jogo.

  443. Gorducho Diz:

    O Sr. bloqueou ou AO, Sr. Administrador?
    Era o AS?

  444. Contra o chiquismo Diz:

    Ok Gorducho, mas esse AO se fazia de mané ou era mesmo o sCUr trollando a gente. A postagem dele é toda de trollagem.

  445. Vinicius Diz:

    Segundo o livro “Vinte Casos sugestivos de Reencarnação” IS esteve duas semanas no Brasil e pesquisou dois casos:
    “Os métodos de investigação que segui no estudo dos presentes casos assemelham-se aos descritos na Introdução desta monografia. Passei duas semanas no Brasil, das quais cinco dias foram aplicados à investigação destes dois casos. Duas das testemunhas falavam inglês; as restantes, português. O Sr. Waldomiro Lorenz atuou como intérprete em todas as entrevistas menos uma. A Sra. Cordelia Anuda foi intérprete em uma entrevista. Todavia, compreendo o português consideravelmente melhor do que falo, e
    em muitas ocasiões pude seguir a conversação entre a testemunha e o intérprete. (página 175 da edição do link http://www.assepe.org.br/livros/Vinte_Casos_Sugestivos_de_Reencarnacao.pdf

  446. Espírita Sp Orlando Diz:

    Será que fui bloqueado?
    Estou numa correria mandaram varios embora aqui no hospital.
    Tá dificil acompanhar.
    Não sou Scur.

  447. Vitor Diz:

    Não bloqueei ninguém. E Contra, pare de ficar escrevensdo sCUr, sim?

  448. Espírita Sp Orlando Diz:

    Mas já que estão com saudades mando dois links

    http://www.adde.com.br/223/artigo/ah-que-saudade-do-chico-xavier

    http://www.adde.com.br/186/artigo/pedido-de-oracao-pelo-brasil

    Vitor quem foi Scur?

  449. Vitor Diz:

    Um pinóquio.

  450. Contra o chiquismo Diz:

    Calma seu Visoni…

  451. Contra o chiquismo Diz:

    Ei Orlando, vc é …
    deixa p lá.

  452. Vitor Diz:

    Montalvão,
    poderia fazer a gentileza de escanear o livro do Sheldrake, “Cães sabem Quando seus Donos Estão Chegando”? Só precisa escanear e me mandar que eu passo o OCR e conserto os erros.
    Um abraço.

  453. Marciano Diz:

    Contra o chiquismo Diz:
    OUTUBRO 16TH, 2015 ÀS 1:51 PM
    Gorducho, vc crê no poder da MEGA SENA?
    .
    Gorducho Diz:
    OUTUBRO 16TH, 2015 ÀS 2:04 PM
    Não,não jogo.
    .
    .
    Mas é claro. O cara que mais entende de matemática aqui no blog seria jogador?
    Poderia ser banqueiro, mas como aqui é monopólio do poder público e a atividade, se exercida por particulares, dá cadeia…
    .
    .
    .
    Vitor Diz:
    OUTUBRO 16TH, 2015 ÀS 2:26 PM
    Não bloqueei ninguém. E Contra, pare de ficar escrevensdo *****, sim?
    .
    Com o ódio que VITOR tem do SCUR, não o admitindo de volta nem por 1 milhão (com dois, ele pensa, mas precisa pensar rápido, por causa do PT e da inflação por ele causada), só pode ser o upgrade moral do blog.
    .

    .
    .
    Espírita Sp Orlando Diz:
    OUTUBRO 16TH, 2015 ÀS 2:34 PM
    .
    Vitor quem foi Scur?
    .
    Não foi, é. Apenas foi expulso do blog.
    .
    .
    De noitinha eu volto, com a permissão de Ártemis.

  454. Marciano Diz:

    Só eu comentei sobre a minúscula biografia de Stevenson.
    Ninguém tem nada a dizer?

  455. Gorducho Diz:

    Segundo o livro “Vinte Casos sugestivos de Reencarnação” IS esteve duas semanas no Brasil e pesquisou dois casos:
     
    Certo. Mesmo assim 2 que são praticamente 1 pois que no mesmo grupo familiar…
    Há 50+ anos; ainda assim é pouco…

  456. Borges Diz:

    “Gorducho Diz:
    OUTUBRO 16TH, 2015 ÀS 1:50 PM
    Mas é muito pouco, ainda mais agora c/a INTERNET. Por que o IS nunca de cá teve relatos?
    Não venham m/dizer que ele tinha $ p/ir à Índia e não tinha pra descer cá pra baixo ”
    Penso que há muitos casos, porém não há relatos. Quando eu era criança (não era em Barbacena) minha mãe dizia para mim e meus irmãos, que não deveríamos pronunciar a palavra “câncer” e sim substituí-la por “doença ruim”. É claro que seguíamos à risca suas recomendações, afinal de contas, não conhecíamos as consequências que poderiam advir caso não seguíssemos sua orientação.
    Acho que algo semelhante aconteceria numa família católica ou evangélica, caso uma criança tentasse relatar uma LVP; creio que o assunto seria abafado antes mesmo que o vizinho ouvisse uma só palavra sobre o assunto. Mesmo lá na Índia, onde as pessoas aceitam tranquilamente a reencarnação, a mãe da criança chegou a bater ma mesma, tentando convencê-la a desistir do assunto; isto pode ser constatado no vídeo.
    Obrigado

  457. Gorducho Diz:

    Não creio que cá isso ocorra pois que dada a liberdade que reina, e o fato de 100% dos moradores conhecer bem a tese.
    Mas é tudo conjectura, claro.

  458. Marciano Diz:

    Vejo de maneira diferente. Se numa família católica ou “evangélica” uma criança falasse de LVP, os pais a levariam ao padre ou ao pastor, porque acreditariam que estivesse endemoninhada.
    Católicos e “evangélicos” não acreditam em reencarnação.
    .
    Dificilmente uma criança relataria uma coisa dessas numa família estritamente católica ou evangélica, porque nunca teria ouvido falar nisso.
    Esses relatos provém justamente de crianças que são criadas em famílias que acreditam em reencarnação.
    .
    Para que reencarnação existisse, seria necessário que houvesse alguma coisa que reencarnasse e a existência dessa coisa nunca foi demonstrada.
    .
    Acredito que você, BORGES, embora de boa fé, está cometendo a falácia do sharpshooter, ou seja, procurar selecionar os dados de forma a que se ajustem ao seu argumento.
    É o atirador que atira e depois traça o alvo em torno do local atingido pelo projétil.
    .
    Você parte do princípio de que o relato da criança seria verdadeiro, ou de que se existissem relatos, seriam ocultados, para explicar o porquê de não terem sido narrados, quando não há prova de que houve relatos para serem ocultados.
    .
    Não fique bravo comigo, como outros já ficaram. Não estou acusando-o de nada.
    Estou tentando entender seu raciocínio e ajudá-lo.
    .
    Também não estou afirmando com 100% de certeza.
    Só quero que reflita sobre a possibilidade do que eu disse.

  459. Marciano Diz:

    Vejo em você, BORGES, diferentemente da grande maioria que comenta aqui, a intenção de buscar a verdade, não de debater pelo simples prazer pueril de vencer em um argumento.
    Não quero provar que meu argumento é melhor ou pior do que o seu, quero apenas que o considere e tente repensar o assunto, de outro ângulo.
    Se fizer isso, mesmo que continue discordando de mim, sou eu quem agradeço.

  460. Marciano Diz:

    Desculpe-me, foi a pressa.
    Sou eu quem agradece ou sou eu que agradeço. Escolha!

  461. Espírita Sp Orlando Diz:

    Não nos é dado saber qual foi nossa última encarnação. Kardec e os excelsos espíritos falam no véu do esquecimento. Nova vida, novos RG e CPF.

  462. Marciano Diz:

    BORGES, permita-me outra comparação, estapafúrdia, eu sei, mas que ilustra bem o tipo de argumento que você usou.
    .
    Se uma mulher traísse o marido, ela não admitiria isso.
    Ela não admite, logo, trai o marido.
    .
    Se crianças filhas de católicos relatassem vidas passadas, os pais abafariam o caso.
    Eles não falam nisso, logo, muitas crianças filhas de católicos relatam vidas passadas.

  463. Marciano Diz:

    Em outras palavras, se eu crio uma conjectura, sem nenhum dado que a ampare, e depois procuro uma explicação para a minha conjectura, estou fazendo algo semelhante a quem dá um tiro em qualquer lugar e depois desenha um alvo a partir do furo do projétil.
    .
    Assim, não tem como errar.

  464. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    DE MARTE: Por falar em MONTALVÃO, que rima com CONTRADIÇÃO, ora ele diz que uma coisa, ora outra.
    .
    1) (Montalvão disse): “Além disso, dinheiro não me é problema, sempre tenho o suficiente e mais algum. Achei a fórmula de viver bem com qualquer quantia.”
    .
    2) (Montalvão disse): “NÃO SESQUEÇA que sou pobre de marré de si…”
    .
    PONDERAÇÃO: Montalvão também rima com confirmação, coerentificação, pão, avião, bifão, relação, discussão, e outros “ão”…
    .
    Nenhuma contradição porém, confira:
    A) Achei a fórmula de viver bem com qualquer quantia.
    B) NÃO SESQUEÇA que sou pobre de marré de si…
    .
    Então, embora pobre sei viver bem assim mesmo…
    /
    /
    .
    DE MARTE: Além disso, ele interpretou mal o meu texto.
    Eu não disse que se ganhasse trinta milhões na mega-sena SEM JOGAR, daria tudo a UM pobre, mas sim que DISTRIBUIRIA aos pobres. Dos sete bilhões e meio, aproximadamente, de habitantes do vosso planeta, sete bilhões são pobres, o que dá 30.000.000/7.000.000.000.
    Depois eu sigo NSFG.
    .
    PONDERAÇÃO: seguir NSJC é sempre bom… seu propósito não ficou bem elucidado: distribuir aos pobres não me parece equivalente a distribuir a todos os pobres do planeta. Mesmo porque, neste 7 bi há gente remediada, rica e podre de…
    .
    Além disso, se mo desse (e não reivindiquei o totum) não estaria beneficiando apenas um pobre, visto ser eu um pobre divididor, quero dizer: outros carentes seriam atingidos. Alías, várias vezes fiz propostas a Deus: se ele modesse os números certos da Mega e cuidaria de partilhar a felicidade financeira por muitos mais. Não sei se Deus não acreditou ou se seus planos para mim são outros…

  465. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Engraçado… e preocupante: postei uma resposta ao Vitor, enviei e não apareceu…
    .
    Será que poltergeist do Marciano (que ele diz não ser dele, mas desconfio que haja mais do que o relatado) resolveu me azucrinar? Vou ter que escrever tudo de novo, desta resumirei que já tomei muito uísque e estou trocando consoante por vogal.

  466. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    VISONI: Montalvão,
    poderia fazer a gentileza de escanear o livro do Sheldrake, “Cães sabem Quando seus Donos Estão Chegando”? Só precisa escanear e me mandar que eu passo o OCR e conserto os erros.
    /.
    RESPOSTA: fa-lo-ia com grande satisfação tivesse-o eu. Não recordo ter dito que o possuia… Do Dr. Sheldrake o único prejuízo que tomei foi “A Sensação de Estar Sendo Observado, e outros aspectos da mente expandida”, no qual ele comenta a respeito de experimento com cães e outra telepatoloucações.
    .
    Espero não peça escaneamento deste. São 380 pag. amarradas. Escanear significa arruinar o livro, que é zero quilômetro…

  467. Marciano Diz:

    MONTALVÃO caiu no meu alçapão, mas ainda falta um montão de gente que vive de ilusão, acreditem ou não.
    Todo cristão deveria aprender a lição de que sua religião é coisa de babão. Querem evitar a decepção de chegar à conclusão de que sua concepção sofre de imperfeição.
    Por uma simples dedução perceberiam a contrafação que lhes serve de consolação.
    Depois desta explicação, se ainda crerem na ficção não existe injeção que cure a agressão à inteligência de um cidadão que não pensa com emoção. É questão de ilação ver que querem meter a mão no bolso de toda a nação.
    Em compensação, se mudarem de posição não terão apreensão pelas mortes que virão.
    Caíram na sedução que lhes trará a destruição por não prestarem atenção na minha posição.
    Concorda comigo, MONTALVÃO?

  468. Marciano Diz:

    Eu pedi ao BORGES que fizesse uma comparação entre a crença na reencarnação e a sua rejeição.
    Vamos ver qual opção ele escolherá para minha inquirição. Não estou fazendo pressão, só mostrando a direção de onde está a razão.
    Espero que ele faça uma grande inspeção, dedicando especial atenção à minha argumentação. Quero ver se tenho poder de persuasão.
    Se falhar em minha missão de tirá-lo da imersão nesse mundo sem direção, terei cumprido minha função.
    O que pensará MONTALVÃO dessa minha digressão?
    Talvez venha com irrisão. Só não espero abstenção, isso não tem aceitação, nem tampouco cavilação, ou dissimulação, mas aceito dissuasão dessa minha divagação ou, talvez, a louvação da minha peroração de quem não acredita em Adão nem se conforma com a situação de quem acredita em bicho-papão.
    Agora chega de amolação!

  469. Marciano Diz:

    não terei cumprido minha missão.
    Ô poltergeist do cão!

  470. Marciano Diz:

    Começa o horário de verão e com esse calorão que esquenta o meu colchão tirando minha concentração volto a tentar comunicação com o grande MONTALVÃO, a quem considero um irmão, do fundo do coração. Terei grande satisfação e me encherei de emoção se me conceder razão nessa nossa discussão que teve apenas a intenção de não criar confusão, mas em ter a recepção de sua sábia atenção, pois temo estar em obsessão de algum espírito malsão e minha libertação poderá partir da mão do meu grande amigão, que perdoará algum senão, dessa minha divagação, sem qualquer irritação ou oferecer objeção em vez de abjuração da nossa emanação de pensamento de união entre todos que já estão dedicando um tempão à essa nossa questão, que merece resolução, para que termine a perturbação que afasta a coalizão entre cético e cristão, todos ganhando absolvição, sem sofrer a maldição de ser jogado a um leão apenas por objeção à sua humilde conclusão de fazer abjuração de toda a doutrinação de quem fornece munição para total confusão, como se fora maldição não aceitar uma oração, de não fazer um bolão quando o prêmio passa de um milhão.
    Temos direito à nossa convicção, sem que haja condenação, no máximo esperamos o perdão, se por alguma distração deixamos sem solução tanta causa de apreensão sobre o futuro que nos darão.
    Conto com a consideração desse grande panteão que saberá dar perdão se estiver sem razão. Prometo que pelo menos durante a próxima estação não provocarei explicação sem antes pedir perdão por me portar como bufão, foi processo de alcoolização, aliado a grande nojo de tanta corrupção por parte da União que nos deixou nesta situação.
    Prometo não mais rimar palavras com MONTAVÃO se esta situação se resolver sem confusão, sem qualquer ato malsão.
    Agora vou ver televisão, pois não consigo soltar o grilhão que me trás nessa prisão de não dormir nem um pouco de tanta aflição.
    Perdoem-me por fazer esse papel de canastrão, é que o álcool faz de mim uma comédia pastelão.
    Esperem que perdoem por bancar o bobalhão, mas um hei de ter a perspicácia do MONTALVÃO, nem que eu tenho de apelar para o tal do anão que habita o jardim do nosso maior figurão.

  471. Espírita Sp Orlando Diz:

    Estou até aa admitir que caroavel Chico deu uma pinceladinha em livros existentes mas me respondam ou opinem: no programa pinga fogo ele via emmanuel dava respostas a todas perguntas do público na hora e na lata. Ele copiava de onde? Da cartolina que o Liminha ficava segurando em sua frente kkk?

  472. Gorducho Diz:

    Ele não copiava de ninguém por que não precisava.
    Tinha talento inato p/a poesia, era extremamente bem humorado, falante, contador de causos.
    O pinga fogo foi em 71 quando ele já psicografava há 40 anos, e a cosmologia bezerrista já estava bem embutida na cabeça dele.
    Toda obra evangélica já estava feita; ele aliás já estava enveredando p/a linha literária mais light das cartinhas consoladoras e aforismas (que não exigem nenhum profundamento planejatório, so to say…).
     
    Ninguém nunca cá disse que ele não era inteligente e bem falante por natureza.

  473. Gorducho Diz:

    no programa pinga fogo ele via emmanuel dava respostas a todas perguntas do público na hora e na lata. Ele copiava de onde?
     
    E quando a pergunta tinha um caráter objetivo, verificável, como não tinha dadonde copiar, a resposta era nonsense e o Emmânuel sabia tanto quanto ele.
    HUMANIDADE MARCIANA
    “Precisamos esperar o progresso da Ciência na descoberta mais ampla e na definição mais precisa daquilo que chamamos de antimatéria”

    Claro, física de apartamento – como incansavelmente remarca AMa – sem matemática: nem ele nem (claro, muito menos) Emmânuel entendem o conceito de antimatéria.
     
    “Então saberemos que o Espaço não está vazio; conquanto as afirmações da Ciência e as sondas possam trazer respostas negativas do ponto de vista físico, precisamos compreender que a vida se estende em outras dimensões”.
     
    Só que no livro está muito claro que a humanidade de Marte é igual à terrícola, não de espíritos. E Emmânuel não sabe…
    By the way: conhece as partes sobre Marte tiradas do Uranie?

  474. Vinicius Diz:

    xiii, tô vendo que não era só Bezerra que tinha ronha com Kardec, CX também! Guerra: RJ X MG X PARIS X SONDA DA NASA.

    Espirito da mãe do CX (livro Cartas de uma Morta):

    “É para a vossa ciência uma afirmativa audaciosa, dizer-vos que pude ver o planeta Marte, identificando-me com os seus elementos a fim de conhecer de mais perto as suas belezas ignoradas.”
    “Vi-me à frente de um lago maravilhoso, junto de uma cidade, formada de edificações profundamente análoga à da Terra. Vi homens mais ou menos semelhantes aos nossos irmãos terrícolas, mas os seus organismos possuíam diferenças apreciáveis. Além dos braços, tinham ao longo das espáduas ligeiras, ligeiras protuberâncias à guiza de asas que lhes prodigalizavam interessantes faculdades volitivas. Percebi que a vida da humanidade marciana é mais aérea. Poderosas máquinas, muitíssimo curiosas na sua estrutura, cruzavam os ares, em todas as direções. Vi oceanos, apesar da água se me afigurar menos densa e esses mares muito pouco profundos. Há ali um sistema de canalizações, mas não por obras de engenharia dos seus habitantes, e sim por uma determinação natural da topografia do planeta que põe em comunicação contínua todos os mares”
    “Vi lá formidáveis aparelhos fotoelétricos que registram, com precisão matemática, a quase totalidade das expressões fenomênicas dos mundos que estão mais próximos desse orbe maravilhoso.”

    FRANÇA
    e lá nas terras francesas, o espirito Georges(Revista Espirita ) dita:

    Marte(Médium, senhora Costel.)
    “Marte é um planeta inferior à Terra da qual é um esboço grosseiro; não é necessário habitá-lo. Marte é a primeira encarnação dos demônios mais grosseiros; os seres que o habitam são rudimentares; têm a forma humana, mas sem nenhuma beleza; têm todos os instintos do homem sem o enobrecimento da bondade”
    “Entregues às necessidades materiais, eles bebem, comem, lutam, se unem carnalmente. ” oba, tem sexo e churrasco!!!
    “Neste planeta a terra é árida; pouca verdura; uma folhagem sombria que a primavera não rejuvenesce; um dia igual e cinza; o sol, apenas aparente, nunca prodigaliza as suas festas” já Maria João diz que há muitas flores!!!

    “A morte não tem para eles nem terror nem mistério; consideram somente como a podridão do corpo que queimam imediatamente” — lá fazem cremação!

    “Os elementos têm a cólera cega do caos; o mar furioso separa os continentes sem navegação possível”

    Sugiro que leia os textos na integra, Orlando, em todas as obras citadas e o site da Nasa também. Nem o marte de Georges nem de Maria João foi visto pelos telescópios “rudimentares” que temos.
    Na FEESP não falam disso,sei que não,fiz todos os cursos também. E quando há conversas informais, desconversam e mudam o assunto para festas, confraternizações e evangelho no lar.

  475. Gorducho Diz:

    Vi lá formidáveis aparelhos fotoelétricos que registram, com precisão matemática, a quase totalidade das expressões fenomênicas dos mundos que estão mais próximos desse orbe maravilhoso.
     
    Essa parte CX tirou do Uranie:
    Inventaram eles, entre outros, uma espécie de aparelho telefotográfico, no qual um rolo de estofo recebe perpetuamente, desenrolando-se, a imagem do nosso mundo e a fixa inalteravelmente. Imenso museu, consagrado especialmente aos planetas do sistema solar, conserva na ordem cronológica todas essas imagens fotográficas fixadas para sempre.
     
    Naturalmente plágio não é porque as palavras são completamente diferentes. E, dirão os bezerrochiquistas, como esse museu tem lá em Marte, a descrição só podia ser essa mesma; assim como nós passeando pelo mercado de SSA citaríamos o elevador, &c.

  476. Espírita Sp Orlando Diz:

    By the way: conhece as partes sobre Marte tiradas do Uranie?
    Não conheço Gorducho. O que é?

    Vinicius
    A revista espirita era um ensaio,não fazia parte da codificaçao kardeciana. Esse espirito Georges mal sabia o que falava! Viu que Kardec até deu nome a médium coisa que ele nao faz quando passa pelo CUEE?

    A sonda da NASA não tem elementos espirituais portanto não vai captar nada conhecido da Terra

  477. Gorducho Diz:

    Nem a psicografia do CX tem elementos espirituais. A humanidade de Marte é de encarnados; isso fica muito claro ao se ler a obra.
     
    O Professor – um ex-Analista que depois acabou reconhecendo que o espiritismo constitui uma zona de conforto – diz que CX reconheceu a furada…
    Mas não tenho essa fonte dele.
     
    Uma das passagens é a supra; depois lhe cito as outras.

  478. Gorducho Diz:

    O Georges não sabia o que falava… mas por que o Dr. Bezerra não mandou o Giordano Bruno lá em Vênus ver?
    Ficaram só na conjectura…
    O Georges esteve lá. Claro, o Newton <b<diz que viveu lá (falando agora da humanidade de Vênus, bien entendu…), mas será que não era um Gobelin (Bogle, Boghart, Cluricaune, Puckas…)?

  479. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Concorda comigo, MONTALVÃO?”
    /.
    EM PARTE NÃO, porém, como bom irmão da organização a ser posta em ereção, não posso entrar em contradição com componente de alta erudição, que nos dará a concepção de como arrumar dinheiro de montão sem maior aporrinhação, por isso tem minha concordação…

  480. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Esperem que perdoem por bancar o bobalhão, mas um hei de ter a perspicácia do MONTALVÃO, nem que eu tenho de apelar para o tal do anão que habita o jardim do nosso maior figurão.”
    /.
    MARCIANO deu-me um susto: mostra-se hábil na poesia embora nela comece vestusto…

  481. Marciano Diz:

    Foi apenas uma coleção de palavras terminadas em “ao”, sem qualquer concentração, que não causaram comoção, talvez por indignação com a atual exploração dos crentes na ilusão, o que me causa estupefação, ou talvez inspiração de seu nome, MONTALVÃO.
    Está na hora da minha refeição, se os deuses me concederem perdão, abandono esta intenção e volto em estado são.
    .
    .
    Agora é sério
    .
    Gostei do rumo que as coisas tomaram hoje.
    Essa história de vida em outros orbes deveria acabar de vez com a alucinação espírita.
    Em vez de admitir que mentiram descaradamente, eles procuram racionalizar, inventar explicações estapafúrdias, que só aumentam o ridículo das historinhas espíritas.
    Tanto Rivail, como Bezerra, cx, divaldo, Raul Teixeira e outros só dizem baboseiras.
    Se e quando se tornar público o ridículo da história de Alcyone e das crianças índigo, vão inventar uma explicação mais nonsense ainda.
    É igual à bíblia ou qualquer livro religioso.
    Os caras escreveram relatando literalmente o que achavam que era viável, com os conhecimentos da época.
    Depois que o conhecimento científico mostra a bobajada, vira tudo simbólico.

  482. Borges Diz:

    “Marciano Diz:
    OUTUBRO 16TH, 2015 ÀS 11:04 PM
    Vejo de maneira diferente. Se numa família católica ou “evangélica” uma criança falasse de LVP, os pais a levariam ao padre ou ao pastor, porque acreditariam que estivesse endemoninhada.
    Católicos e “evangélicos” não acreditam em reencarnação.”
    E o assunto morreria aí, ou seja, seria abafado da mesma forma.

    “Dificilmente uma criança relataria uma coisa dessas numa família estritamente católica ou evangélica, porque nunca teria ouvido falar nisso.
    Esses relatos provém justamente de crianças que são criadas em famílias que acreditam em reencarnação.”
    Parece que está havendo ambiguidade nos seus argumentos, pois o destaque anterior se choca com este. De qualquer forma, você provavelmente concordaria comigo que o seu comentário é apenas uma opinião, ou seja, trata-se somente de conjectura, da mesma forma, reconheço que o meu argumento também o é. Não há, penso eu, nenhuma pesquisa que possa validar um ou outro. Está aí, uma boa sugestão para pesquisa acadêmica, você não acha?
    “Acredito que você, BORGES, embora de boa fé, está cometendo a falácia dosharpshooter, ou seja, procurar selecionar os dados de forma a que se ajustem ao seu argumento.
    É o atirador que atira e depois traça o alvo em torno do local atingido pelo projétil.”
    A recíproca também é verdadeira, somente uma boa pesquisa poderá indicar o detentor da razão.
    “Não fique bravo comigo, como outros já ficaram. Não estou acusando-o de nada.
    Estou tentando entender seu raciocínio e ajudá-lo.”
    Você já me ajudou com a sua opinião, seria chato se todos concordassem comigo, eu poderia ficar com o complexo de GOD.
    “Também não estou afirmando com 100% de certeza.
    Só quero que reflita sobre a possibilidade do que eu disse.”
    50% para mim e 50% para você.
    Obrigado
    .

  483. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    7. Espírita Sp Orlando Diz: Estou até aa admitir que caroavel Chico deu uma pinceladinha em livros existentes mas me respondam ou opinem: no programa pinga fogo ele via emmanuel dava respostas a todas perguntas do público na hora e na lata. Ele copiava de onde? Da cartolina que o Liminha ficava segurando em sua frente kkk?
    /.
    Samporlando, estás então a dizer que Chico, em parte fraudou, em parte foi turbinado pela realidade espiritual? Essa conjetura lhe descortina um problema: delimitar as partes, o tanto que foi fraude e o real. Acha que consegue? SE não, ferrou tudo, pois não há como garantir que o que se considere legítimo o seja.
    .
    O Pinga-fogo, vou lhe explicar, foi programação destinada a levantar a moral de Chico e do kardecismo, abalada pelo escândalo de Otília Diogo, no qual luminares do espiritismo estavam mergulhados (Chico, Waldo Vieira). Houve dois programas, em nenhum deles o médium foi de fato ameaçado por questões embaraçosas. No primeiro houve a participação de João de Scantimburgo, que fez duas inquirição: uma a respeito de ser a mediunidade de Xavier uma habilidade, que lhe permitia copiar estilos com facilidade; a outra punha em dúvida a tão propalada fraca formação intelectual do médium.
    .
    Pena que não ocorreu a Scantimburgo a ideia de pôr Emmanuel sob verificação de presença: bastaria que ele abrisse um livro onde se encontrava e pedisse que o espírito-guia de Chico lesse algumas frases ali contidas. Fizesse isso e o mito de ser Emmanuel um espírito em comunicação ruiria em definitivo.
    .
    De qualquer modo, quem examine o programa com olhos miudamente atentos percebe que Chico era pessoa de boa cultura, mesmo que Emmanuel lhe ditasse as respostas, a articulação do médium era dele mesmo e revelasse alguém com nível de instrução elevado.

  484. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Está na hora da minha refeição, se os deuses me concederem perdão, abandono esta intenção e volto em estado são.”
    /.
    CUIDADO: não vá fazer quem nem Chico com Jair Presente, depois que começou com gíria gostou tanto que não mais parou…

  485. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Essa história de vida em outros orbes DEVERIA ACABAR de vez com a alucinação espírita.”
    /.
    E ACABA, mas os espíritas ainda não perceberam…

  486. Borges Diz:

    “Marciano Diz:
    OUTUBRO 16TH, 2015 ÀS 11:08 PM
    Vejo em você, BORGES, diferentemente da grande maioria que comenta aqui, a intenção de buscar a verdade, não de debater pelo simples prazer pueril de vencer em um argumento.
    Não quero provar que meu argumento é melhor ou pior do que o seu, quero apenas que o considere e tente repensar o assunto, de outro ângulo.
    Se fizer isso, mesmo que continue discordando de mim, sou eu quem agradeço.”
    Quando se trata de opinião, sou especialista em colocar-me no lugar do oponente. Já naveguei no oceano do ceticismo e conheço todas as pedras do caminho (iceberg).

    “Se uma mulher traísse o marido, ela não admitiria isso.
    Ela não admite, logo, trai o marido.
    .
    Se crianças filhas de católicos relatassem vidas passadas, os pais abafariam o caso.
    Eles não falam nisso, logo, muitas crianças filhas de católicos relatam vidas passadas.”
    Sua lógica parece mancar de uma perna. Vamos ao início do assunto:
    “Acho que algo semelhante aconteceria numa família católica ou evangélica, caso uma criança tentasse relatar uma LVP; creio que o assunto seria abafado antes mesmo que o vizinho ouvisse uma só palavra sobre o assunto. Mesmo lá na Índia, onde as pessoas aceitam tranquilamente a reencarnação, a mãe da criança chegou a bater na mesma, tentando convencê-la a desistir do assunto; isto pode ser constatado no vídeo.”
    Este foi meu comentário em resposta ao bom argumento do Gorducho, não fui taxativo, usei a palavra “acho”. Qualquer argumento pode ser contrastado, desde que haja espaço para tal, e no caso, havia. Somente uma boa pesquisa poderá fechar o assunto.
    “Marciano Diz:
    OUTUBRO 16TH, 2015 ÀS 11:52 PM
    Em outras palavras, se eu crio uma conjectura, sem nenhum dado que a ampare, e depois procuro uma explicação para a minha conjectura, estou fazendo algo semelhante a quem dá um tiro em qualquer lugar e depois desenha um alvo a partir do furo do projétil.
    .
    Assim, não tem como errar.”
    Esta eu já respondi
    Obrigado

  487. Vinicius Diz:

    “Pena que não ocorreu a Scantimburgo a ideia de pôr Emmanuel sob verificação de presença: bastaria que ele abrisse um livro onde se encontrava e pedisse que o espírito-guia de Chico lesse algumas frases ali contidas. Fizesse isso e o mito de ser Emmanuel um espírito em comunicação ruiria em definitivo.De qualquer modo, quem examine o programa com olhos miudamente atentos percebe que Chico era pessoa de boa cultura, mesmo que Emmanuel lhe ditasse as respostas, a articulação do médium era dele mesmo e revelasse alguém com nível de instrução elevado.”
    Seria uma ótima ideia mesmo, e ninguém da plateia teve essa ideia.
    Acho que pessoas como CX, DPF ninguém gosta de colocá-los contra a parede pois de qualquer forma eles transmitem aquele jeitão de bondade e amor, a pessoa fica meio que “sem jeito” de contestar…
    eu comparo com parentes de outra religião: a gente fica sem jeito de contestar e fala: ah tá bom vai…

  488. Vinicius Diz:

    AG, o URANIE é o livro do Flammarion?
    Queria entender porque CX colocou o nome da própria mãe nessa confusão toda…
    Será que por saber que não havia comunicação com entidades do além resolveu colocar até o nome da mãe nas comunicações e depois mais tarde voltou atrás e nem mencionava mais ela quase?

  489. Marciano Diz:

    ”Acho que pessoas como CX, DPF ninguém gosta de colocá-los contra a parede pois de qualquer forma eles transmitem aquele jeitão de bondade e amor, a pessoa fica meio que “sem jeito” de contestar…”.
    .
    Já estamos nos “achismos”, como BORGES disse, vou dizer o que acho.
    Já vi trechos desses programas, nunca tive o saco de vê-los integralmente.
    Eu até pensava que tivesse sido um só programa, até o MONTALVÃO dizer que foram dois.
    Pelos trechos que vi, acho que os programas foram feitos para promover a figura de cx.
    Nenhuma pergunta difícil de responder. Aquelas que assim pareceram serviram mais de oportunidade para o embusteiro explicar seus delírios, defender a “doutrina”.
    Semelhante ao que o programa do Jô fez com a presidanta.
    .
    Ambos os programas dão a impressão de serem coisas combinadas.
    Acho que foi por isso que ninguém encostou o empulhador na parede.
    .
    .
    Também acho que foi uma perda de tempo a extinta União Soviética e os Estados Unidos terem pesquisado paranormalidade, assim como pesquisar UFOs ou coisas do tipo.
    Por isso, acho um tremendo desperdício de tempo pesquisar reencarnação.

  490. Marciano Diz:

    Na tarde de quinta-feira, 15 de outubro, um fato inusitado chamou atenção dos moradores da cidade de Canelinha. Uma vaca foi flagrada dentro da igreja Matriz no centro do município.
    O episódio foi registrado por um internauta. As imagens mostram o animal saindo da igreja.
    Não se sabe como ela foi parar dentro do templo, nem se causou algum estrago.

    O vídeo rapidamente se espalhou pelas redes sociais.
    .
    http://www.galeramix.com.br/noticias/detalhe/vaca-e-flagrada-saindo-de-igreja-em-canelinha

  491. Gorducho Diz:

    o URANIE é o livro do Flammarion?
     
    Oui.

  492. Marciano Diz:

    VINICIUS, dê uma lida neste tópico:

    http://obraspsicografadas.org/2007/livro-cartas-de-uma-morta-1935-de-chico-xavier/

  493. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, se você achou minha brincadeira com palavras que rimam com seu nome muito pobre, veja a letra desta música:

    When I was young
    I never needed anyone
    And making love was just for fun
    Those days are gone

    Livin’ alone
    I think of all the friends I’ve known
    When I dial the telephone
    Nobody’s home

    “All By Myself”, by Eric Carmen.

  494. Marciano Diz:

    Muita coisa que se discute hoje aqui no blog já foi amplamente discutida no passado.
    Sempre surgem pessoas com questionamentos que já foram exaustivamente debatidos aqui mesmo.
    Você, VINICIUS, está fazendo bem em ler tópicos antigos.
    Essa história de vida em Marte já andou por aqui muitas vezes.
    A mesma coisa acontece com as histórias bíblicas. Na época em que foram escritas eram para ser interpretadas literalmente. Com o conhecimento científico que veio depois, tudo vira simbólico.
    Symbolic my ass!
    Sem contar as coisas que foram adulteradas, quando quase todo mundo era analfabeto, não existiam livros, bibliotecas, imprensa, nada disso.
    Os livros sagrados eram escritos em línguas antigas, copiados à mão, em papiros ou materiais semelhantes.
    Quanta coisa foi adulterada, suprimida, adulterada.

  495. Marciano Diz:

    Detectada repetição desnecessária da palavra “adulterada”.
    Coisa do poltergeist.

  496. Marciano Diz:

    Era para ter escrito “adulterada, suprimida, interpolada”.
    Ou o poltergeist mudou o texto enquanto ele viajava através da onda portadora ou a adulteração ficou ecoando em meu cérebro. Eu acho.

  497. Marciano Diz:

    Onda portadora não é terminologia esotérica. É científica.
    Para facilitar a transmissão do sinal através dos meios físicos, e adequar as frequências aos sistemas de comunicação, se utiliza a chamada onda portadora, em cima da qual viaja o sinal a ser transmitido.
    A onda portadora é um sinal senoidal caraterizado por três variáveis: Amplitude, Frequência e Fase. Por definição este sinal existe ao longo de todo o tempo, ou seja com “t” variando de menos infinito a mais infinito.
    http://2.bp.blogspot.com/-qW_KG2raiXg/TeS-A9ikL3I/AAAAAAAAACo/Lx35NAkQmXk/s1600/1.png
    .
    http://www.qsl.net/py4zbz/teoria/modpm.gif
    .
    You know what I mean?

  498. Marciano Diz:

    Quando a parapsicologia e a ciência espírita vão atingir esse nível?
    R.: t = ∞

  499. Marciano Diz:

    As ideias de James Clerk Maxwell e de Rivail nasceram na mesma época.
    Decorrido um sesquicentenário, a primeira resultou nos notebooks, tablets e smartphones que usamos para comentar aqui.
    A segunda resultou em ∅

  500. Marciano Diz:

    A teoria de Maxwell e os testes de Hertz propiciaram, dentre outras coisas, o surgimento deste blog.
    A teoria (se é que existe) paranormal e os testes ganzfeld resultaram em quê?

  501. Marciano Diz:

    O “campo inteiro” é igual ao “campo mórfico”.
    Só existe na imaginação prodigiosa dos pseudo-cientistas e dos prestidigitadores.
    É o que eu acho.
    Obrigado.

  502. Marciano Diz:

    Possibilidade de isto
    http://www.qsl.net/py4zbz/teoria/modpm.gif
    ser real = 50%
    .
    Possibilidade de isto
    http://ganzfeld.co.uk/wp-content/uploads/2014/08/ganzfeld.jpg
    ser real = 50%
    .
    Será?
    Mera questão de opinião?

  503. Marciano Diz:

    Peço à metade dos comentadores que responda por meios eletromagnéticos. A outra metade, responda por meios telepáticos.

  504. Gorducho Diz:

    CX
    Vi homens mais ou menos semelhantes aos nossos irmãos terrícolas, as os seus organismos possuíam diferenças apreciáveis. Além dos braços, tinham ao longo das espáduas ligeiras, ligeiras protuberâncias à guisa de asas que lhes prodigalizavam interessantes faculdades volitivas. Percebi que a vida da humanidade marciana é mais aérea.
     
    Flammarion
    A Humanidade marciana é, com efeito, uma raça de origem sextúpede; atualmente, porém, é bípede, bímana, e o que se poderia chamar bialada, pois que esses seres têm duas asas.
    O gênero de vida é inteiramente diverso da vida terrestre, primeiramente porque se vive tanto nos ares e nas plantas aéreas, quanto na superfície do solo

     
    CX
    que põe em comunicação contínua todos os mares.
     
    Flammarion
    que põem em comunicação todos os mares uns com os outros.
     
    CX
    Vi oceanos, apesar da água se me afigurar menos densa e esses mares muito pouco profundos.
    [...]
    Não vi montanhas, sendo notáveis as planícies imensas, onde os felizes habitantes desse orbe desempenham as suas atividades consuetudinárias.
     
    Flammarion
    A maior parte das nossas plagas são praias, planícies iguais. Poucas montanhas possuímos, e os mares não são fundos.
     
    CX
    grande parte das águas desse planeta desapareceram nas infiltrações do solo, combinando-se com elementos químicos das rochas, excluindo-se da circulação ordinária do orbe.
     
    Flammarion
    Insensivelmente, de século em século, uma parte da água das chuvas atravessou as profundas camadas do solo e não tornou à superfície. Combinou-se quimicamente com as rochas e foi excluída do curso da circulação atmosférica.
     
    CX
    O dia ali é igual ao da Terra, pois conta 24 horas e quase 40 minutos, mas os anos constam de 668 dias, tornando as estações mais demoradas, sem transformações bruscas de ordem climática que tanto prejudicam a saúde humana.
     
    Flammarion
    Assim, há ali, quanto na Terra, uma sucessão de dias e de noites que não difere essencialmente do que existe aqui, sendo de 24 horas, 39 minutos e 35 segundos a duração do dia e noite. Havendo 668 desses dias no ano marciano, temos mais tempo para os nossos trabalhos, investigações, estudos e divertimentos. As nossas estações são também quase duas vezes maiores do que as deste mundo, mas têm a mesma intensidade. Os climas não são muito diferentes;
     
    CX
    Desde os pródromos da formação dos seus núcleos sociais, nunca precisou destruir para viver, longe das concepções dos homens terrenos cuja vida não prossegue sem a morte e cujos estômagos estão sempre cheiros de vísceras e de virtualhas de outros seres da criação.
     
    Flammarion
    Aqui não se come, nunca se comeu, não se comerá jamais. A criação tem-se desenvolvido gradual, pacífica, nobremente, do modo pelo qual começara. Os organismos se nutrem, isto é, renovam suas moléculas, por simples respiração, qual o fazem as árvores terrestres, cada uma de cujas folhas é um pequeno
    estômago. Na tua cara Pátria, não se pode viver um só dia sem a condição de matar. Entre vós outros a lei de vida é a lei de morte. Aqui, a ninguém jamais acudiu a ideia de matar, sequer, um pássaro.
    Vós outros sois todos, mais ou menos, carniceiros. Tendes os braços cheios de sangue; os estômagos estão repletos de vitualhas
    .

  505. Marciano Diz:

    Acho o plágio patente.
    Todos os erros são iguais.
    Quede CONTRA?
    Seres alados, mares, até a palavra vitualha, que deve ter sido copiada da tradução do livro de Flammarion, o qual nunca li.
    Eu acho.
    .
    Que saudade do tempo em que eu lia sobre grandezas escalares e vetoriais, pontos materiais e corpos extensos, dinâmica dos fluidos, cargas elétricas em repouso, diferenças de potencial elétrico, cadeias de carbono, hidrocarbonetos aromáticos e alifáticos, valência, equilíbrio de equações químicas, matrizes e determinantes, integrais e derivadas.
    .
    A ciência espírita e a ciência terrícola se equivalem. Ambas têm 50% de acerto.
    Eu acho.
    Mas ainda prefiro a terrícola.

  506. Marciano Diz:

    Claro que é só a minha opinião.
    Na vida, tudo depende da opinião de cada um.
    Tudo uma questão de opinião.

  507. Espírita Sp Orlando Diz:

    Não pode-se considerar que foram espiritos diferentes narrando o mesmo lugar??? Chico não tomou cuidado então copiar justamente livro do Flamarion que é tido por espirita e ainda ajudou kardec na Genese(espirito Galileu).
    E. FLAmarion contrariou kardec e seu georges!!!

  508. Espírita Sp Orlando Diz:

    Ai aí ai começo a perceber… Suspeitas..

    https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcScjFKuJdUDo2ATnX94xI-KADCc_kLOzquGLq4HxtPdVweLpR2xQDKuiRE

    Antes eu estava assim:

    https://encrypted-tbn2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQKWNChHBZ5OJZuotH6WRUF4hrauRjBPOd5VQznYKrqgOrj1Eyr

  509. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “AG, o URANIE é o livro do Flammarion?
    Queria entender porque CX colocou o nome da própria mãe nessa confusão toda…
    Será que por saber que não havia comunicação com entidades do além resolveu colocar até o nome da mãe nas comunicações e depois mais tarde voltou atrás e nem mencionava mais ela quase?”
    /.
    PONDERAÇÃO: a mãe de Chico esteve presente em sua vida toda. No finalzinho da existência, quando uma luz adentrou no quarto onde chico convalescia, em primeiro momento, o médium afirmou que quem o visitara fora Emmanuel; depois soube que eram dois fachos de luz, então acrescentou que sua mãe também estava na visitação.
    .
    Pelo que percebo, a primeira dissociação de Xavier foi exatamente sua mãe, que lhe aparecia ainda na infância, dando conselhos e orientações. Nada surpreendente, pois, que ela lhe passasse informações a respeito de Marte, visto ter participado de excursão celestial, na qual o planeta vermelho fora uma das paradas.

  510. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “MONTALVÃO, se você achou minha brincadeira com palavras que rimam com seu nome muito pobre, veja a letra desta música”
    /.
    NÃO, NÃO ACHEI POBRE, surpreendeu-me que entre os talentos que ostentas estaja also o de rimador popular…

  511. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “A teoria de Maxwell e os testes de Hertz propiciaram, dentre outras coisas, o surgimento deste blog.
    A teoria (se é que existe) paranormal e os testes ganzfeld resultaram em quê?”
    /.
    EM MOURA VISONI…

  512. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Peço à metade dos comentadores que responda por meios eletromagnéticos. A outra metade, responda por meios telepáticos.”
    /.
    E COMO alguém saberá qual sua metade?

  513. Gorducho Diz:

    que deve ter sido copiada da tradução do livro de Flammarion, o qual nunca li.
     
    No original está bem assim também [pg. 198]
    Vos estomacs sont gorgés de victuailles.

  514. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Seres alados, mares, até a palavra vitualha, que deve ter sido copiada da tradução do livro de Flammarion, o qual nunca li. Eu acho.”
    /.
    TRECHO DO ARTIGO: “Chico Xavier e os seres interplanetários”.
    /
    [...]Por conta do que já vimos, que mostra o quanto a imaginação permeia os supostos contatos mediúnicos, é possível apresentar uma definição do seja mediunidade: a soma dos conhecimentos do médium, acrescidas das idealizações que sua mente formula.
    .
    E Chico Xavier, onde entra? Logo, logo o veremos: o médium despontou na ciranda espacial em inícios de 1930, com o livro “Cartas de uma morta” e depois com uma crônica mediúnica, cuja autoria foi imputada a Humberto de Campos. Perceberemos que entre Chico e Flammarion existem alguns laços curiosos.
    .
    Antes de chegarmos a Chico, falaremos de famosa médium, cujo prestígio era elevado no início do século XX: Catherine Elise Muller of Geneva, mais conhecida como Hélène Smith.
    .
    Hélène Smith foi cognominada por muitos a “maior médium de todos os tempos”. Algo como um Chico Xavier de saias e chegou a realizar feitos que o médium mineiro não ousou. À semelhança de Chico, com Emmanuel, Hélène possuia um alter ego, chamado Leopoldo, cuja personalidade, dizia-se, era completamente distinta da da médium, o que reforçava a idéia de que se tratava de um legítimo ente espiritual a assessorá-la.
    .
    A médium realizava contatos mediúnicos com Marte e tornou-se especializada em conversar com os habitantes daquele planeta, alguns dos quais seriam almas humanas lá reencarnadas. O ápice do trabalho mediúnico de Hélène se deu quando passou a falar em marcianês. É fato de que a língua constitue o grande ponto fraco de médiuns e regressionistas. Certo médium nacional diz “receber” o espírito de um médico alemão, mas se provocado a um diálogo germânico, o espírito lembra que esqueceu a panela no fogo e desaparece. De modo semelhante, pessoas que regridem a vidas passadas recordam múltiplas identidades, em várias civilizações, quais a egípcia, romana, judaica, inca, atlante… e até entre extraterrenos. Entretanto, se essas nobres figuras são convidadas a discursarem em seus “idiomas natais” o fracasso é retumbante.
    .
    Com Hélène Smith tal não se dava, em várias ocasiões a médium vertera mensagens ditas espirituais em vários linguajares, pois a moça era habilidosa com idiomas. O marciano de Hélène ia além de mera sucessão de sons desconexos. Crianças e adolescentes brincam de “falar” em outras línguas, mas a qualquer observador é clara a simulação. Em certos ambientes religiosos se vê algo parecido: fiéis alegam discorrer em “línguas estranhas” e tartamudeiam palavras soltas, frases curtas, sem semelhança com o discurso normal. Hélène Smith, contudo, se pronunciava com a firmeza de quem domina um idioma estrangeiro. Manifestava-se com segurança e coerência. Filologistas examinaram as mensagens marcianas: constatou-se que se tratava de língua real, embora o significado das palavras fosse desconhecido, a estrutura lingüistica se reconhecia claramente.
    .
    Aparentemente, não havia dúvida: o contato inteligente com os marcianos fora obtido! Se tal fosse verdadeiro, um mundo novo se abria perante a humanidade. No entanto, no caminho de Hélène estava Theodore Flournoy, psicólogo que acompanhou o trabalho da médium por um bom tempo. Flournoy reconhecia o indiscutível talento de Hélène, mas não estava convencido de sua mediunidade. Observara deslizes nos papéis que a moça representava, como quando declarou-se reencarnação de um personagem literário, chamado Lorenzo Feliciani. Ao ser noticiada que Feliciani fora criação de Alexandre Dumas, Hélène não falou mais no assunto…
    .
    Flournoy estudou criteriosamente o marciano falado por Hélène Smith. Concluiu que o idioma fora inteiramente construído sobre a formatação da língua francesa. O subconsciente da médium elaborara uma complexa estrutura fonética, toda ela calcada no francês. Era um feito admirável, mas que desbancava a suposição mediúnica: em realidade, a bem elaborada mediunidade de Hélène Smith provinha de suas peculiaridades psíquicas.
    .
    Com Chico Xavier ocorreu caso parecido. A principal personalidade espiritual que o acompanhava era o espírito Emmanuel, codinome de Publius Lentulus. O caso é que existem bons estudos, disponíveis da internet, que demonstram seguramente a inviabilidade histórica de Lentulus, levando-nos à conclusão de que tal figura foi construída pela psique do médium.
    .
    Essa constatação seria suficiente para pôr por terra a tese da comunicação com espíritos. Entretanto, o mito Chico Xavier é muito forte. Necessário se faz a realização de outros estudos, de modo a evidenciar que o médium extraía de seus próprios dons naturais as mensagens imputadas à espiritualidade.
    .
    Em decorrência, continuaremos nossa investigação, objetivando responder de onde provinham as informações sobre Marte, relatadas pelo bondoso Chico Xavier.
    .
    -continua-

  515. MONTALVÃO Diz:

    -continuação-
    .

    CARTAS DE UMA MORTA
    .
    O livro relata a aventura de Maria João de Deus no além-túmulo; esta era a mãe de Chico Xavier, falecida em 1915, quando o médium contava cinco anos. Da leitura, uma curiosidade salta à vista: Maria escreve à maneira de Chico Xavier: a narrativa é toda vertida no mesmo estilo melífluo do médium, Chico Xavier parece ter esquecido de criar um modo de escrever próprio para a mãe. Mais um indício de que a mão de Chico simulava ser a mãe de Chico. No início da obra Maria João assim se pronuncia:

    .
    “Quero crer que a angústia, que naquele momento avassalou a minh’alma, originou-se da profunda mágoa que me ocasionava a separação do lar e dos afetos familiares, pois, apesar de crer na imortalidade, sempre enchiam-me de pavor os aparatos da morte; e dentro do catolicismo, que eu professava fervorosamente, atemorizava-me a perspectiva de uma eterna ausência.”
    /.

    Desnecessário dizer que a genitora do médium, que se confessava em vida ardorosa adepta do catolicismo, no além converteu-se ao espiritismo, passando a visitar os vivos e a defender a reencarnação.
    .
    Antes de visitar o planeta Marte, Maria João de Deus fala de uma excursão de estudos que realizara a um mundo de localização não revelada. O ponto digno de destaque são as similaridades entre a narrativa de Chico Xavier e o escrito de Camille Flammarion, vejamos:
    .
    CHICO XAVIER / Maria João
    .
    “Três Sóis de Cores Diversas
    .
    Penetramos numa atmosfera rosada, plena de luz, mas de claridade suave, que se irradiava espalhando sons dentro da mais harmoniosa das cadências que os meus ouvidos escutaram nas condições de minha nova vida. Sobre as nossas frontes, contemplávamos, então, um sol magnífico, cor-de-rosa quase enrubescido, emprestando ao ambiente, em que nos movíamos, as mais estranhas cambiantes. Todavia, não ficou aí a novidade. A seguir, percebemos que uma estrela esverdeada brilhava no infinito dos céus, misturando as suas claridades esmeraldinas com as tonalidades róseas, que se estampavam em todas as coisas e, de repente, enquanto uma dessas estrelas se encontrava no zênite e a outra prestes a desaparecer nos horizontes desse planeta maravilhoso, outro sol surgia, amarelo, cor de laranja amadurecida, tonalizando como um elemento novo as paisagens. ousadas concepções dos pintores terrenos ficaria aquém das sublimes realidades por nós observadas, referentes aos efeitos da luz, nesse sistema de encantamentos.”
    /.
    CAMILLE FLAMMARION – (…) uma nova luz, pálida, azulada, bastante estranha, chegava da região para a qual Urânia me conduzia. Essa claridade nada tinha de terrestre, e não me recordava nenhum dos efeitos que eu havia admirado nas paisagens da Terra, nem entre os tons tão cambiantes dos crepúsculos depois da tempestade, nem nas brumas indecisas da manhã, nem durante as horas calmas e silenciosas do clarão da Lua no espelho do mar. (…) Qual não foi a minha estupefação, quando me apercebi de que nos aproximávamos, com efeito, de um sol absolutamente azul, igual a um disco brilhante que houvesse sido recortado nos nossos mais belos céus terrestres, e destacando-se luminosamente em um fundo todo negro, todo constelado de estrelas! (…) O sol azul crescia a olhos vistos; mas, novidade tão singular quanto a primeira, a luz com que ele iluminava o dito planeta se complicava de um certo lado com uma coloração verde. Olhei de novo para o céu e avistei um segundo sol e esse de um belo verde-esmeralda! Não acreditava em meus olhos.
    - Estamos atravessando, disse Urânia, o sistema solar de Gama de Andrômeda, do qual ainda não vês mais do que uma parte, pois ele se compõe, na realidade, não desses dois sóis, mas de três, um azul, um verde, e um amarelo-laranja. O sol azul, que é o menor, gira em torno do sol verde, e este gravita com seu companheiro em redor do grande sol alaranjado que vais avistar dentro em pouco.”
    /
    /

    É certo que os sóis são de cores diferentes, mas parece que Chico inspirou-se na narrativa de Flammarion para idealizar um sistema trisolar parecido.
    .
    Vejamos, agora, a viagem de Maria João de Deus a Marte. Observaremos que Chico Xavier deixou Kardec de lado e optou por inspirar-se na visão de Camille Flammarion: em vez de deparar marcianos rudes e primitivos, encontrou um povo avançado e dotado de poderes especiais. Parece que, do codificador, Chico conservou tão-somente a tese da pluraridade dos mundos habitados, o que, conforme vimos, não era apoiada por Flammarion.
    .

    “Todas essas distantes pátrias, que os vossos telescópios focalizam, dentro da noite imensa, não poderiam estar vazias e abandonadas. Não se compreende uma cidade edificada, rica de monumentos e obras, sem habitantes e sem vida. Os planetas, que rolam no infinito, constituem a família universal, por excelência. Cada um deles comporta uma humanidade, irmã de todas as outras que vibram na imensidade.” (Cartas de Uma Morta)

    /
    /
    Mesmo levando em conta essa “concessão” ao codificador, o sonho marciano de Chico Xavier foi inteiramente erigido na plataforma montada anteriormente por Flammarion, conforme veremos:
    -continua-

  516. MONTALVÃO Diz:

    - continuação – final -
    .
    MARTE na visão de FLAMMARION – (Extraídos de O Livro de Urânia) – “A maior disparidade entre os mundos consiste certamente na grande elevação da nossa Humanidade sobre a da Terra.
    .

    Além disso ainda, sendo a Humanidade marciana várias dezenas de milhares de séculos anterior à terrestre, tem percorrido anteriormente a esta todas as fases do seu desenvolvimento. OS MAIS TRANSCENDENTES PROGRESSOS CIENTÍFICOS ATUAIS DA TERRA NÃO PASSAM DE PUERIS BRINQUEDOS DE CRIANÇA, COMPARADOS À CIÊNCIA DOS HABITANTES DAQUELE PLANETA.

    .
    MARTE na visão de CHICO XAVIER – Nas questões astronômicas são eminentemente mais adiantados do que seus companheiros da Terra, compreendendo todos os fenômenos e a maior parte dos mistérios da natureza do vosso planeta.
    ./

    MARTE na visão de FLAMMARION -Há muito menos água em Marte do que na Terra, e muito menos nuvens.
    .
    MARTE na visão de CHICO XAVIER – As águas são muito mais raras. As chuvas quase que se não verificam, mostrando-se o céu geralmente sem nuvens.
    ./
    MARTE na visão de FLAMMARION -A maior parte das nossas plagas são praias, planícies iguais. Poucas montanhas possuímos, e os mares não são fundos.
    .
    MARTE na visão de CHICO XAVIER – Vi oceanos, apesar da água se me afigurar menos densa e esses mares muito pouco profundos.
    /.
    MARTE na visão de FLAMMARION -Os habitantes aproveitam esses transbordamentos para irrigação das vastas campinas. Têm retificado, alargado, canalizado os cursos de água, e construído nos continentes uma rede inteira de imensos canais.
    .

    MARTE na visão de CHICO XAVIER – Há ali um sistema de canalizações, mas não por obras de engenharia dos seus habitantes, e sim por uma determinação natural da topografia do planeta que põe em comunicação contínua todos os mares.
    .
    [Observação: aqui Chico Xavier introduz uma variante ao discurso de Flammarion, enquanto aquele afirma que os canais são trabalhados pelos marcianos, Chico preferiu vê-los unicamente obra natural]
    /.
    MARTE na visão de FLAMMARION -A maior parte das nossas plagas são praias, planícies iguais. POUCAS MONTANHAS POSSUÍMOS, e os mares não são fundos.
    .
    MARTE na visão de CHICO XAVIER – NÃO VI MONTANHAS, sendo notáveis as planícies imensas, onde os felizes habitantes desse orbe desempenham as suas atividades consuetudinárias.
    .
    [Observação: ambos se equivocaram: as mais elevadas montanhas do sistema solar estão em Marte. Foram vistas elevações com 24 km de altura! Dificilmente deixariam de ser notadas por Maria João e pelo astrônomo em viagem astral. A suposição de Flammarion e de Chico Xavier sobre as montanhas advinham das observações astronômicas da época, que não visualizavam claramente a topografia do planeta. Daí, em seus sonhos proferirem tal disparate. Mais um indício de que não havia a participação da espiritualidade nas fantasias por eles elaboradas.]
    ./
    MARTE na visão de FLAMMARION -Aqui não se come, nunca se comeu, não se comerá jamais. A criação tem-se desenvolvido gradual, pacifica, nobremente, do modo pelo qual começara. Os organismos se nutrem, isto é, renovam suas moléculas, por simples respiração, qual o fazem as árvores terrestres, cada uma de cujas folhas é um pequeno estômago. – Na tua cara Pátria, não se pode viver um só dia sem a condição de matar. Entre vós outros a lei de vida é a lei de morte. Aqui, a ninguém jamais acudiu a idéia de matar, sequer, um pássaro.
    .
    Vós outros sois todos, mais ou menos, carniceiros. Tendes os braços cheios de sangue; os estômagos estão repletos de VITUALHAS.
    .
    [Observação: Flammarion acreditava que as árvores se nutriam exclusivamente pelas folhas, parece que não sabia que as raízes também desempenham papel nutricional. Em decorrência, coloca a errônea convicção na boca dos evoluídos marcianos, que deveriam saber disso...]
    .
    MARTE na visão de CHICO XAVIER – Assegurou-me, ainda, o desvelado mentor espiritual, que a humanidade de Marte evoluiu mais rapidamente que a da Terra e que desde os pródromos da formação dos seus núcleos sociais, nunca precisou destruir para viver, longe das concepções dos homens terrenos cuja vida não prossegue sem a morte e cujos estômagos estão sempre cheios de vísceras e de VITUALHAS(*) de outros seres da criação.
    .
    [Observação: Chico, além de assumir a posição condenatória de Flammarion contra o regime onívoro do homem, até fez uso da palavra pouco comum utilizada pelo astrônomo: vitualhas (mantimentos)]
    /.
    MARTE na visão de FLAMMARION – Assim, há ali, quanto na Terra, uma sucessão de dias e de noites que não difere essencialmente do que existe aqui, sendo de 24 horas, 39 minutos e 35 segundos a duração do dia e noite. Havendo 668 desses dias no ano marciano, temos mais tempo para os nossos trabalhos, investigações, estudos e divertimentos.
    /.
    MARTE na visão de CHICO XAVIER – O dia ali é igual ao da Terra, pois conta 24 horas e quase 40 minutos, mas os anos constam de 668 dias, tornando as estações mais demoradas, sem transformações bruscas de ordem climática que tanto prejudicam a saúde humana.
    .
    [Observação: para que não ficasse “igualzinho” Chico substituiu os “39 minutos e 35 segundos”, de Flammarion, por “quase 40 minutos”.
    /.
    MARTE na visão de FLAMMARION -Nunca tivemos vapor, nem caminhos de ferro, porque CONHECEMOS SEMPRE A ELETRICIDADE, e a navegação aérea nos é natural. As nossas frotas são movidas pela eletricidade, e mais aéreas do que aquáticas.
    (...)
    MARTE na visão de CHICO XAVIER – Disse-me, ainda, o mestre desvelado, que os marcianos já descobriram grande parte dos segredos das forças ocultas da natureza. CONHECEM OS PROFUNDOS ENIGMAS DA ELETRICIDADE, sabendo utilizá-Ia com maestria.
    .
    [Observação: Nos tempos de Flammarion, e mesmo na época que Chico escreveu “Cartas de uma morta”, as maravilhas da eletrônica, que começaram a despontar na década de 1960, não eram sequer imaginadas. Daí a sintomática situação dos marcianos: séculos de tecnologia à frente dos terráqueos e não possuíam televisão, celular, computador... Se na atualidade algum médium recebesse informes de Marte, certamente falaria dos computadores ultra-avançados de que dispunham. Mas, tanto Chico quanto Flammarion, como não tinham a mínima idéia do assunto, nada disseram. Outra evidência de que as visões mediúnicas que prolataram eram frutos de seu próprio conhecimento.
    /.
    MARTE na visão de FLAMMARION - DUAS LUAS SE ACENDERAM em diversas alturas, a primeira em forma de crescente, por cima do lago em cujo seio o Sol se sumira; a segunda em forma de primeiro quarto, muito mais elevada no céu e para do Oriente. Eram muito pequenas e não lembravam senão de longe o imenso facho das noites terrestres. Dir-se-ia que de mal grado davam a sua viva, mas pequena claridade.
    .
    MARTE na visão de CHICO XAVIER – Em vez do satélite, que ilumina as vossas noites, observei que Marte é servido por dois. DUAS LUAS que parecem gravitar uma em torno da outra, porém menores, muito menores que a vossa.
    /.
    MARTE na visão de FLAMMARION -Os habitantes de Marte são muito superiores aos da Terra, pela sua organização, pelo número e pela delicadeza de seus sentidos, e pelas faculdades intelectuais. O fato de ser a densidade muito fraca na superfície daquele mundo, e as substâncias constitutivas dos corpos menos pesadas lá do que aqui, permitiu a formação de seres incomparàvelmente menos pesados, mais aéreos, mais sutis, mais sensíveis.
    .
    MARTE na visão de CHICO XAVIER - Vi homens mais ou menos semelhantes aos nossos irmãos terrícolas, mas os seus organismos possuíam diferenças apreciáveis. Além dos braços tinham ao longo das espáduas ligeiras protuberâncias à guiza de asas que lhes prodigalizavam interessantes faculdades volitivas. Percebi que a vida da humanidade marciana é mais aérea.
    .
    [Observação: marcianos voadores, tanto Chico, quanto Flammarion, os “viram”...]
    ./
    MARTE na visão de FLAMMARION -Se, por exemplo, pudéssemos entrar algum dia em comunicação com a terra vizinha em que habitas, não em comunicação psíquica com um ser isolado, qual o faço neste momento, mas com o próprio planeta, por centenas e milhares de testemunhos, seria isso um gigantesco vôo para o progresso.
    .
    - Poderiam consegui-lo desde já, se o quisessem ; pois, pelo que nos toca, em Marte, estamos inteiramente preparados para isso, e o temos mesmo tentado já por muitas vezes. Os da Terra, porém, jamais nos responderam! Refletores solares, desenhando em vossas vastas planícies figuras geométricas, provavam que existimos. Poderiam responder-nos com figuras semelhantes, traçadas em suas planícies, ou durante o dia, ao sol, ou durante a noite, com a luz elétrica. Vós outros, porém, nem nisso mesmo pensais e, se alguém propusesse tenta-lo, os juízes declará-lo-iam interdito, pois só essa idéia está inacessivelmente acima do consenso universal dos cidadãos do teu planeta. Em que se ocupam as suas assembléias científicas? Em conservar o passado. Em que se ocupam as suas assembléias políticas? Em aumentar os. encargos públicos. No reino dos cegos os zarolhos são reis.
    .
    [Observação: No trecho acima, Flammarion, no seu sonho mediúnico, foi informado de que os marcianos tentavam contato com os da Terra, os quais não lhes respondiam. Portanto, ele se referia a seres de carne e osso, que queriam ser vistos pelos daqui. Isso põe por terra a alegação de que quando os visionários falam de Marte, referem-se a uma vivência espiritualizada, fora do alcance de nossas vistas e dos equipamentos de detecção que a tecnologia terrena domina...
    .
    Na crônica de Chico Xavier, que diz ser de Humberto de Campos, encontraremos a mesma versão que aqui apresenta Flammarion, a de que os marcianos tentam, em vão, contato com a Terra. Um dos trechos diz:
    .
    "Irmãos, ainda é inútil toda tentativa de comunicação com a Terra rebelde e incompreensível! ].

  517. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, é dificil descobrir se essa foi dado os créditos, mas é tão cara de pau o plágio pelo Brasil que eu nem sei. Veja a mesma música:
    .
    .
    “C’est Bon Pour Le Moral” – La Compagnie Créole – 1984
    .
    . **vá até os 50:03

    https://www.youtube.com/watch?v=JktTJOYeLp8
    .
    .
    .
    Agora veja a Rita Cadillac:
    .
    .
    Rita Cadillac – “É bom para o moral” – 1985

  518. Contra o chiquismo Diz:

    Já que estão falando tanto de Marte e cx, aconselho essa música:
    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=cHFiTr8ZGu0

  519. Marciano Diz:

    MONTALVÃO Diz:
    OUTUBRO 17TH, 2015 ÀS 9:36 PM
    /
    /
    “Peço à metade dos comentadores que responda por meios eletromagnéticos. A outra metade, responda por meios telepáticos.”
    /.
    E COMO alguém saberá qual sua metade?
    A metade pseudocética patológica responde através da tecnologia da informática, a metade crente, pela tecnologia paraperispiritoide.

    Gorducho Diz:
    OUTUBRO 17TH, 2015 ÀS 9:50 PM
    que deve ter sido copiada da tradução do livro de Flammarion, o qual nunca li.

    No original está bem assim também [pg. 198]
    Vos estomacs sont gorgés de victuailles.
    Que je sache, cx ne parlait pas français, pourtant, il a lit un livre traduit, je pense.

    Será que essa linguagem marciana é única em todo o planeta?
    Será que pertence ao grupo indo-europeu terrícola?
    Flournoy respondeu por mim.
    .

    Chuva em Marte. Essa é boa!
    Nunca tomei banho numa praia marciana. Deve ser frio pracaramba.
    .
    Flammarion estava certo, os mares de Marte não são fundos, não têm uma gota d’água.
    .
    A densidade da água não proveria de sua molécula, H2O?
    .
    A canalização tem história conhecida. Erro de tradução. Copiaram a tradução errada.
    .
    Como esses cegos não viram o Monte Olimpo?
    .
    Como será que o Prefessor Arduin vê essas folhas/estômagos?
    .
    A duração da vida não depende do número de revoluções do planeta em torno do Sol.
    .
    O ser humano e todos os outros organismos vivos da Terra resultam da adaptação seletiva à duração das estações, dentre outras coisas.
    Cx nada sabia de seleção natural.
    .
    As comunicações em Marte não deveriam usar os atrasados meios que usamos para esses debates, eram telepáticas.
    .
    Fhobos e Deimos não são luas, são asteroides capturados, e não gravitam em torno um do outro.
    .
    Aérea era a cabeça de cx.
    .
    O único marciano que se comunica convosco sou eu, e uso tecnologia terrícola.
    .
    .
    .
    Contra, se não deram os crédito é plágio incontestável.
    E tu conheces cada música…
    .
    .
    .
    Estou chegando da night, com a cabeça avariada e com sono.
    Vou envenenar-me e dormir.
    Se acordar neste plano, volto.

  520. Gorducho Diz:

    Que je sache, cx ne parlait pas français, pourtant, il a lit un livre traduit, je pense.
     
    Sim; o que eu quis dizer é que é esse mesmo exato vocábulo no original. Ou seja: não houve tradução criativa, exceto quanto ao “vós outros”, acho.

  521. Gorducho Diz:

    Vous êtes tous, plus ou moins, des bouchers. Vous avez les bras pleins de sang.
     
    P/o espanhol vosotros acho que seria a opção única, pois que muito usado. Mas cá no vernáculo não sei…

  522. Gorducho Diz:

    Me parece (porque não vi) que ao AMo escapuliu a explicitude:
     
    MARTE na visão de CHICO XAVIER
    Nas questões astronômicas são eminentemente mais adiantados do que seus companheiros da Terra, compreendendo todos os fenômenos e a maior parte dos mistérios da natureza do vosso planeta.
     
    Flammarion
    Principalmente em astronomia estão mais adiantados e conhecem melhor a Terra do que desta conhecem aquela pátria.

  523. Gorducho Diz:

    Será que essa linguagem marciana é única em todo o planeta?
    Essa linguagem são 2: marcianês e ultra-marcianês.
     
    Será que pertence ao grupo indo-europeu terrícola?
    Não sei. Na escrita a diferença é substancial visto o marcianês ser escrito foneticamente, e o ultra ideograficamente.

  524. Gorducho Diz:

    A densidade da água não proveria de sua molécula, H2O?
     
    O Flammarion especula que os materiais em geral, e portanto também os seres, são menos densos lá:
    são maiores e mais leves, porque os materiais constitutivos desse planeta têm uma densidade muito fraca.
     
    CX extrapola e particulariza p/a substância água.
    Vale p/que o Analista Orlando veja no que dá quando ele larga a muleta dos almanaques e enciclopédias, e tenta ser criativo…

  525. Espírita Sp Orlando Diz:

    É gorducho Concordo! São parecidissimos. Hipóteses:
    01) CUEE
    02) chico leu e lembrou – animismo
    03) algum amigo ajudava ele na produção de livros.

    Eu como.profissional da saúde não poderia esquecer do brilhante Bezerra e da Dra. Marlene Nobre
    Bezerra relata o desencarne dela por meio de um medium médico.

    http://www.rwturismo.com.br/index.php?option=com_flexicontent&view=items&cid=15:midia-espirita&id=263:psicografia-desencarne-marlene-nobre&Itemid=74

  526. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    O profeta Moi acertou de novo! Vaticinou que o Vlad escafeder-se-ia até que o embaraço amainasse e ei-lo escafedido té agora.
    .
    Depois dizem que não existe paranormalidade… sou a prova viva de que o paranormal não morreu!

  527. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    É gorducho Concordo! São parecidissimos. Hipóteses:
    .
    01) CUEE [só existiu na mente de Kardec, hoje não funciona nem nunca funcionou]
    02) chico leu e lembrou – animismo [óbvio, se não lembrasse não grafaria]
    03) algum amigo ajudava ele na produção de livros. [provavelmente seu amigos da FEB e de outras editoras davam umas pinceladinhas adjutórias]
    -.-
    04) o subconsciente de Chico era o criador do mundo espiritual com o qual interagia.

  528. Marciano Diz:

    O planeta Marte tem aproximadamente a metade da densidade do planeta Terra, mas elementos ou substâncias têm a mesma densidade em qualquer lugar.
    A densidade da água serve de unidade de massa volumétrica, sendo a água, portanto, duas vezes mais densa do que Marte como um todo.
    Será que Fammarion não sabia disso?
    A densidade do planeta ser menor não significa que cada substância nele existente tenha menos densidade, é exatamente o contrário, o somatório da densidade dos elementos e substâncias que compõem o planeta e seu volume é que dão sua densidade.
    Isso não era conhecido ao tempo de Flammarion?
    .
    .
    Hipótese número 4: cx inventava essas coisas e plagiava Flammarion.
    Eu acho, depois que aprendi que todas as opiniões têm o mesmo valor.

  529. Marciano Diz:

    Nossa, acabei escrevendo besteiras.
    A densidade de Marte é mais ou menos a metade da densidade da Terra, mas é de quase 4g por cm ³ , sendo quase 4 vezes maior do que a da água, a qual, por servir de unidade, é de 1g por cm ³
    Saturno, sim, é menos denso que a água.
    .
    Mas o restante persiste.
    Flammarion não sabia isso?

  530. Marciano Diz:

    Acho que cx pensava que Flammarion estaria certo, inventando a história atribuída a sua mãe esperando que, quando fossem comprovadas as hipóteses furadas de Flammarion, ele ficaria com o sucesso, passando-se por médium, que obtém conhecimento dos espíritos.
    .
    Como espíritos não existem, são produto da imaginação humana, não se pode atribuir a eles nada que não seja sabido aqui.
    Aí, dá nisso.
    Depois é só falar que era matéria quintessenciada, fluídica, qualquer bobagem assim.

  531. Gorducho Diz:

    Flammarion não diz que as substâncias têm densidades menores, e sim que os materiais + seres.
    Por isso eu disse que CX extrapolou e se deu mal.
     
    Como Marte tem aprox. ½ da densidade terrícola – segundo informado acima – talvez isso deu a ele a ideia…
    Sempre é bom ressaltar principalmente p/leitores que veem os bate-bocas anonimamente que ele jamais alegou serem produções mediúnicas, e sim obras de ficção científica, da cabeça dele.

  532. Gorducho Diz:

    e ei-lo escafedido té agora.
     
    Ou…

  533. Gorducho Diz:

    Bezerra relata o desencarne dela por meio de um medium médico.
     
    Interessante que CX não se pronuncia! Ela puxava o saco dele, até essas profecias dele foi ela quem relatou e tudo; e CX sumido, nem vai recebê-la :( – porque se tivesse junto Dr. Bezerra mencionaria!
    Que opina: por que será isso Dr. Orlando?

  534. Marciano Diz:

    Orlando é outro pseudônimo do Vlad?
    Também é da FEESP?
    Será tesoureiro?
    Médico homeopata?

  535. Marciano Diz:

    Parece que meu comentário foi bloqueado, porque tinha links demais.
    Vamos por partes.
    .
    Associação Médico-Espírita do Brasil
    Endereço
    Av. Pedro Severino 323 – 1º andar – Vila Guarani – CEP 04310-060
    Telefones: (11) 5585-1703 e (11) 2574-8696
    Website: http://www.amesaopaulo.org.br
    Presidente
    Dr.Marcelo Saad
    E-mail: [email protected]

  536. Marciano Diz:

    Vice-Presidente
    Dr. Mario F. P. Peres
    E-mail: [email protected]

    Tesoureiro
    Dr. Vladimir de Freitas

  537. Marciano Diz:

    esoureiro
    Dr. Vladimir de Freitas
    E-mail: [email protected]

    Secretário
    Dr. Rafael Latorraca
    E-mail: [email protected]

  538. Marciano Diz:

    Tudo isso disponibilizado publicamente e copiado daqui:
    http://www.amebrasil.org.br/2015/node/167

  539. Espírita Sp Orlando Diz:

    É gorducho na mensagem não houve nenhum encontro, nem festa, recepção.

    Diz que ela encontrou com outros que a anteceram.

    O mundo espiritual as vezes não encontramos todos que gostamos como Chico está bem longe não pôde comparecer ao velório.

    Não sou medico homeopata mas tenho só coisas a favor sobre homeopatia.

  540. Gorducho Diz:

    Já que o Dr. fugiu da discussão sobre as revelações chiquistas acerca da pineal, não teria interesse em substituí-lo, Dr. Orlando?

  541. Vinicius Diz:

    “Bezerra relata o desencarne dela por meio de um medium médico”
    seria médium médico ou médico médium?
    se eu fosse médium me chamariam de médium contador, e médium gari… ahhh mas isso seria uma afronta pros chiquistas: médium lixeiro, médium pedreiro… elitista do jeito que é.
    Na FEESP só falta pedirem cópia do diploma para palestrar.

  542. Espírita Sp Orlando Diz:

    Prefiro deixar a questão da pineal em aberto, para os companheiros da seara laboratorial e experimental. Não conheço nenhum pessoalmente mas ja assisti palestras ao vivo e.no youtube (talvez Dr.Sergio Felipe de Oliveira seja o mais indicado nessa problemática)

  543. Gorducho Diz:

    Sutil e bem apanhado, AV!
    Claro que ninguém tem nada a ver c/o direito de associação de ninguém, mas por isso mesmo acho absurdas Associação dos Engenheiros (say…) Espíritas – ou qualquer outra seita, só que espiritismo é o objeto do Sítio.
    É criar um sistema de classes dentro da religião, e misturar ilegitimamente a física c/a metafísica.
     
    Muito bom, AV!

  544. Vinicius Diz:

    Além da fantasiada toda, muita hipocrisia. Kardec dizia que o Espiritismo atingiria todas classes sociais ! Essa história de profissões está impregnada profundamente. Uma pessoa que trabalha como lixeira não se adaptaria, afinal, já relatei aqui um absurdo que ouvi numa palestra: “ os ricos que se cuidem, que não administram suas riquezas, reencarnarão como lixeiros”… imagine esse mesmo lixeiro na plateia.

  545. Vinicius Diz:

    Encontrei o e-mail que enviei a FEESP, em 2013, a resposta foi sucinta:

    Resposta da FEESP : Obrigada pelas suas considerações.
    Fraternalmente.

    On Thu, 5 Sep 2013 16:47:56 +0300, Vinicius FS wrote:
    Estive em uma assistência A2 da Federação, na terça 19:30, dia 03/09/2013 e ouvi a palestrante(parece-me que é Albertina) falar o seguinte:

    no livro de Emmanuel, leis de amor, diz que políticos corruptos exercerão nas próximas existências, trabalhos braçais, como a agricultura pesada, varredores de rua e coletores de lixo.
    Sinceramente, achei um absurdo mencionar algo desse tipo em um local repleto de pessoas , onde , quem sabe, poderia até haver dentre o público varredores, coletores, catadores de milho, criadores de galinha etc.
    Depois disso, resolvi verificar na obra mencionada se há passagens desse tipo e realmente há:
    “ 10 – E os dominadores políticos que dilapidaram a confiança do povo?
    - Políticos que dilapidaram a confiança do povo, quando já situados nas linhas do
    reajuste, retornam, no comércio ou na agricultura, com valiosa oportunidade de transpirar
    no auxílio àquelas mesmas comunidades que deprimiram.”
    Penso que Emmanuel, como qualquer outro Espirito, emitiu sua opinião pessoal e casos específicos, que sinceramente, não é apropriada para uma palestra pública e é digna de reflexão se realmente se encaixa na codificação kardequiana. A primeira vista é difícil digerir a resposta dada por Emmanuel nesse livro, embora seja um grandioso Espirito e eu o admire nos livros de comentários evangélicos(coleção fonte viva) e romances.
    Pode acontecer, sem sombra de dúvidas, que um varredor de rua seja corrupto e retorne como politico, para aprender a ser honesto em um meio que talvez seja corrupto, porque não ???
    Casos isolados, como este, mesmo sendo de EMMANUEL, recomendo que a Federação pense antes de trazer ao púlpito, principalmente em assistências espirituais. Expressões como esta, para iniciantes na Doutrina, como por exemplo trabalhadores do campo (na região de Parelheiros, cidade de São Paulo, os há aos montes) podem causar estranheza, e talvez até surja a questão: ué, é punição trabalhar no campo? No suor da terra???
    Como forma de aprendizado sem dúvida alguma que trabalhos braçais proporcionam isso, bem como a politica . Nenhuma função é melhor moralmente que a outra, mas sim aquele que a exerce…
    Muita paz Vinicius .

  546. Contra o chiquismo Diz:

    Poxa, agora ferro tudo! Esse ORLANDO SP é o vlad ou scur ?
    .
    É chiquista, faz ouvido de mercador e trolla. Quanta pacovice.

  547. Gorducho Diz:

    Não, o AS ele está visto que não é…, acho :mrgreen:
     
    Quanto ao ser o Dr.:?:
    O estilo m/parece similar no sentido que ele não assume completamente o bezerrochiquismo, até frequentemente ironizando; portanto é dotado de senso crítico.
    Mas tem recaídas…

  548. Gorducho Diz:

    Encontrei o e-mail que enviei a FEESP, em 2013, a resposta foi sucinta:
     
    Ocorre que a doutrina chiquista é racista (vide-se as raças n’A Caminho da Luz; conformista (vide-se a oração indicada – a título de sarcasmo, claro – pelo Dr.); e elitista. Então estaria errado a FEESP censurar conteúdo das obras canônicas!
    Especificamente o desprezo quanto ao comércio é da filosofia aristotélica que se incorporou à católica; então sendo o Emmânuel um ex-sacerdote católico, está só reiterando o pensamento que aprendeu no seminário.

  549. Gorducho Diz:

    Ele não tem o fanatismo do AS, e a essas alturas já teria se revelado para ridicularizar a Administração…

  550. Vinicius Diz:

    Qual seria a oração Gorducho, passou batido!

  551. Gorducho Diz:

    A que o Dr. indicou para matarmos a saudade que dele tínhamos…
    Mas vale p/toda ideologia chiquista. Veja, até muito pior, a psicofonia do José do Patrocínio, recebida se bem m/lembro dentro da própria FEB.
    A ideologia chiquista é de alienação e subserviência às autoridades.
    No congresso da FEB em Cuba (2013) homenagearam até o Chávez!
    http://www.martinoticias.com/content/cuba-congreso-espiritista-mundial-hugo-chavez/20800.html

  552. Contra o chiquismo Diz:

    Gorducho Diz:
    OUTUBRO 19TH, 2015 ÀS 9:35 AM
    Ele não tem o fanatismo do AS, e a essas alturas já teria se revelado para ridicularizar a Administração…
    .
    .
    Tem sim, tanto que fala em CUEE, CX… só que mudou de tática , não joga pragas e tá usando de trollagem.
    .
    .
    Idem para o dr. Fanático e troll porém, não se sustenta mais como o VASO vlad, teve que arrumar outro.

  553. Vinicius Diz:

    Essa mensagem do “Espírito José do Patrocínio” é de preconceito contra as pessoas de outros países que vieram até aqui por conta da Copa do Mundo, além de um patriotismo exagerado e fora a pretensão de continuarem de proclamar o Brasil como “povo escolhido por Deus” (plágio do Antigo Testamento, com Jeová a geração de Abraão???).

    “Os irmãos infelizes, acostumados à balburdia, à desordem no mundo espiritual inferior, querem aproveitar, também, no seu trabalho organizado, chamar atenção do mundo, para DESMORALIZAR O GRANDE PROGRAMA DE JESUS PARA O BRASIL” Programa de Jesus? Qual deles? O do Waldemiro, Edir, R.R.?

    Pergunte a qualquer estrangeiro que chegar aqui se conhece a FEB ? A resposta: What is this? Ok! Brazilian expeditionary force !!! Yes, God!

    É um orgulho muito grande, Não sei se Kardec também tinha pretensão com relação a França ser a sede do Espiritismo.

    “O Anjo Ismael, aqui, na Federação Espírita Brasileira, organizou programa de trabalho intenso, com os espíritos que representam os dirigentes espirituais do Brasil, para estabelecer nos pontos estratégicos, em Brasília, nas demais cidades importantes do País, as defesas geradas, necessárias para a vigilância e para que a ordem não se perturbe”

    Não adiantou: a ordem se perturbou depois da lavada de 7 a 1 que o Brasil Coração do Mundo Pátria do Futebol tomou !!!

    E aí vai ter prorrogação de novo ou 2019 será o fim de vez?

  554. Gorducho Diz:

    Tem sim, tanto que fala em CUEE, CX… só que mudou de tática , não joga pragas e tá usando de trollagem.
     
    Mas a essas alturas já teria se revelado, pois que qual graça teria em permanecer eternamente oculto; perder a oportunidade de ridicularizar a Casa?
     
    Além disso ele tanto tempo em SP… visto obviamente a a Administração monitorar o IP dele pior que a NSA…
    Ou deu um jeito de retransmitir de SP :( :?:

  555. Gorducho Diz:

    Mas pior, AV: prega o conformismo; o não protesto.
    Mas também p/uma classe de indivíduos cujo ideal de Estado é a teocracia…

  556. Contra o chiquismo Diz:

    Gorducho Diz:
    OUTUBRO 19TH, 2015 ÀS 11:31 AM
    .
    .

    Mas a essas alturas já teria se revelado, pois que qual graça teria em permanecer eternamente oculto; perder a oportunidade de ridicularizar a Casa?

    Além disso ele tanto tempo em SP… visto obviamente a a Administração monitorar o IP dele pior que a NSA…
    Ou deu um jeito de retransmitir de SP :( :?:
    .
    .
    A graça é justamente essa, a trollagem, se fazer de desentendido, tipo aquele “‘chefe oculto”‘ do Fantástico.
    ..
    .
    Mascarar IP é a coisa mais fácil. As táticas mudam. Cx parou com “‘materializações”‘ obedecendo ordens do ‘General’ emmanuel e focou só nos livros…

  557. Marciano Diz:

    Scur, eu acho que não é, pois conheço bem o Scur e sei que ele já teria se revelado.
    .
    Quando do Dr., como esse é cheio de artimanhas, é plausível.
    .
    Scur está nos Estados Unidos, no momento e, apesar de ter empresa de informática, não é bom conhecedor do assunto, como já foi revelado em outras plagas.
    Conhece especificamente a área a que se dedica empresarialmente.
    Depende de funcionários para tarefas mais técnicas.
    A Larissa sabe disso também, assim como o Biasetto.

  558. Contra o chiquismo Diz:

    Ei Marciano, vc ouviu o plágio da Rita Cadillac que postei aqui? Procurei o selo do vinil na net mas n achei.

  559. Larissa Diz:

    Dr. Vlad tem cara de fanático…

  560. Marciano Diz:

    Vi, CONTRA, e respondi.
    Veja:
    .
    Marciano Diz:
    OUTUBRO 18TH, 2015 ÀS 3:10 AM

    .
    .
    .
    Contra, se não deram os crédito é plágio incontestável.
    E tu conheces cada música…
    .
    .
    .
    .
    Quando a coisa esquenta aqui muita coisa passa sem ser vista.

  561. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Sempre é bom ressaltar principalmente p/leitores que veem os bate-bocas anonimamente que ele jamais alegou serem produções mediúnicas, e sim obras de ficção científica, da cabeça dele.”
    /.
    EU TENHO certa dúvida quanto a isso. Na velhice sim, Flammarion decretou ficção em suas produções espiritualistas, mas quando estava em afinidade com Kardec, tenho a impressão de que considerava seus escritos uma espécie de devaneio mediúnico, conquanto não seguisse o sonho de Rivail cem por cento.

  562. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “e ei-lo escafedido té agora.”

    Ou…
    /.
    OU outra explicação, a qual posto agora: já notaram que raramente o Samporlando e o Vlad aparecem juntos? São que nem o superman e o Clark Kent: quando um tá o outro não.
    .
    Será que tem coisa aí?

  563. Gorducho Diz:

    Será que tem coisa aí?
     
    E nova citação sarcástica à antena de celular…

  564. Marciano Diz:

    MONTALVÃO Diz:
    OUTUBRO 19TH, 2015 ÀS 10:54 PM
    /
    “Sempre é bom ressaltar principalmente p/leitores que veem os bate-bocas anonimamente que ele jamais alegou serem produções mediúnicas, e sim obras de ficção científica, da cabeça dele.”
    /.
    EU TENHO certa dúvida quanto a isso. Na velhice sim, Flammarion decretou ficção em suas produções espiritualistas, mas quando estava em afinidade com Kardec, tenho a impressão de que considerava seus escritos uma espécie de devaneio mediúnico, conquanto não seguisse o sonho de Rivail cem por cento.
    ..
    MARCIANO:
    Pois eu não tenho dúvida alguma!

    “Eu não demorei a observar que as nossas comunicações mediúnicas [3] refletiam simplesmente nossas idéias pessoais, e que Galileu por mim, e que os habitantes de Júpiter por Sardou, são estranhos a estas produções inconscientes dos nossos espíritos” (FLAMMARION, 1923).

    Durante a época em que redigia suas memórias, Flammarion se apresenta como uma pessoa ressentida com o movimento espírita da época, especialmente com os que adotam a postura de crédulos e que parece terem se voltado contra suas idéias de parcimônia científica para com as pesquisas espíritas.

    Em algumas de suas publicações persegue tão tenazmente as hipóteses anímicas que deixa a impressão de estar negando a existência do espírito.
    Léon Denis, segundo a pena dedicada de Zêus Wantuil, tece alguns comentários que transcrevemos abaixo:
    “E também Camille Flammarion teve suas horas de incertezas. Nos fizeram notar que na última edição do seu livro – As Forças Naturais Desconhecidas – publicada em 1917, mostra uma tendência a explicar todos os fenômenos apenas pela exteriorização do médium”.

    Isto copiado de um site espírita:
    http://www.camilleflammarion.org.br/biografia.htm

    .
    Vejam que o site procura disseminar dúvida sobre a mudança de pensamento de Flammarion, mas não convence.

    “O comitê me ofereceu suceder a Allan Kardec como presidente da Sociedade Espírita. Eu recusei, dizendo que nove décimos dos seus discípulos continuariam a ver, durante muito tempo ainda, uma religião mais que uma ciência, e que a identidade dos “espíritos” estava longe ainda de ser provada.” (FLAMMARION, Mémoires biographiques et philosophiques d”un astronome, 1911. p. 498)

    “Há espíritas de uma fé cega, que estão certos de estar em comunicação com os espíritos. Não há argumentação entre eles. Estes não me perdoam de não partilhar de forma alguma de suas certezas, que se tornam crenças religiosas em suas casas. Mas há entre estes, outros que compreendem que apenas o método científico nos pode conduzir ao conhecimento da verdade. Estes se tornaram meus amigos” (FLAMMARION, idem, 1911. p. 239)

  565. Vinicius Diz:

    Na minha edição da Genese, editada pela CELD, o nome de Camiile Flammarion está assim “ Médium C.F.” . Tenho curiosidade se no original francês também está sob siglas ou se nome completo.

    Outra coisa: a FEB traduziu o título do livro de Conan Doyle como “A História do Espiritismo” , sendo que o no original é The History Of Spiritualism e quanto o li pela primeira vez não identifiquei pouquíssimas coisas sobre A.Kardec.

  566. Gorducho Diz:

    No original original [A. Lacroix, Verboeckhoven & Cie.; que contém a famosa XV, 67] está:
    Ce chapitre est extrait textuellement d’une série de communications dictèes à la Société spirite de Paris, en 862 et 1863, sous le titre d’Etudes uranographiques, et signées Galilée, médium M.C…
     
    ESPIRITUALISMO
    Eu também incorria neste erro, mas cá houve célebre estudo feito pelos Analistas Nestor (autor principal) e Toffo (consultoria r técnica) que mostraram ser correto denominar-se a tudo espiritismo.
    Quem crê na existência de seres que foram ou poderão vir a ser humanos, e na comunicação desses seres conosco terrícolas, é espírita, period.

  567. Gorducho Diz:

    ERRATA
    Ce chapitre est extrait textuellement d’une série de communications dictées à la Société spirite de Paris, en 1862 et 1863, sous le titre d’Etudes uranographiques, et signées Galilée, médium M. C. F…

  568. Vinicius Diz:

    Mas durante a obra história do espiritismo, se fala mais no espiritualismo norte americano. E reza a lenda que Kardec cunhou o nome espiritismo.
    fora o conceito de “consolador prometido por Jesus” só Kardec apregoava isso.

  569. Vinicius Diz:

    dei “enter” antes de terminar
    a FEB “ajeitou” essa obra para as terras brasileiras, assim como fez interpolações na codificação de Kardec (traduções de Guillon Ribeiro). Li uma edição que fala no final “é preciso estudar Rouinstaing para entender melhor” kkk

  570. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, o Ronnie Von plagiou descaradamente o Carlos Santanna e não deu créditos, veja:
    .
    .

    Ronnie Von – “Minha Gente Amiga” – 1971
    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=yxkU04VZA84
    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=yxkU04VZA84
    .
    .
    Carlos Santana – “Oye Como Va” – 1970
    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=8NsJ84YV1oA
    .
    .
    Olha o selo do vinil do R Von:
    .
    .
    http://img.cdandlp.com/2014/08/imgL/117054476.jpg

  571. Vinicius Diz:

    se ela dava uma ajeitadas em traduções imagina na obra do CX.

  572. Contra o chiquismo Diz:

    Vinicius, há muito tempo foi lançado pelo CELD “a genese” com fotos da NASA que provariam que kardec estava certo, só que essa edição sumiu…

  573. Marciano Diz:

    Vinicius Diz:
    OUTUBRO 20TH, 2015 ÀS 12:55 PM
    Na minha edição da Genese, editada pela CELD, o nome de Camiile Flammarion está assim “ Médium C.F.” . Tenho curiosidade se no original francês também está sob siglas ou se nome completo.
    Outra coisa: a FEB traduziu o título do livro de Conan Doyle como “A História do Espiritismo” , sendo que o no original é The History Of Spiritualism e quanto o li pela primeira vez não identifiquei pouquíssimas coisas sobre A.Kardec.
    .
    RESPOSTA DO HOMEM DE MARTE:
    Na minha Genèse está escrito assim:

    CHAPITRE VI
    -
    Uranographie générale .

    Ce chapitre est extrait textuellement d’une série de communications dictées à la Société spirite de Paris, en 1862 et 1863, sous le titre d’Etudes uranographiques, et signées Galilée ; médium M. C. F.

    Vejo que GRASSOUILLET também tem a edição original.

    .
    Vinicius Diz:
    OUTUBRO 20TH, 2015 ÀS 2:53 PM
    Mas durante a obra história do espiritismo, se fala mais no espiritualismo norte americano. E reza a lenda que Kardec cunhou o nome espiritismo.
    fora o conceito de “consolador prometido por Jesus” só Kardec apregoava isso.
    .
    TOFFO já discorreu sobre este assunto aqui.
    Quero acrescentar apenas que o primeiro livro de Rivail chamava-se

    LE LIVRE
    DES ESPRITS

    Como se vê, a palavra “espírito” está grafada corretamente.
    Seu terceiro livro, no entanto, chama-se

    L’EVANGILE
    SELON LE SPIRITISME

    Existem profundas diferenças entre a primeira edição e a terceira. Não sei quanto à segunda.
    Eu tenho a primeira e a terceira edições, já postei algumas diferenças aqui.
    Quem tiver interesse, pode buscar nos arquivos do blog.

  574. Marciano Diz:

    CONTRA, a gravação do Ronnie eu não conhecia. Tenho a gravação do Santana.
    É PLÁGIO!
    Só que ele não plagiou do Carlos Santana, e sim do Tito Puente, que foi quem compôs a música.
    “Oye como va mi ritmo, bueno pa gozar” pode ser traduzido como “Ouça como é o meu ritmo, bom pra curtir.”
    Mulata.
    .
    Santana deu os créditos de Tito Puente, mas gravou com arranjos diferentes.
    .
    Tem várias outras gravações, todas (que eu conheço) dando o merecido crédito a Tito Puente.

  575. Marciano Diz:

    CONTRA, não sei se conhece, então aí vai:
    https://www.youtube.com/watch?v=ZFpCALtVUcE

  576. Marciano Diz:

    Tito Puente era um porto-riquenho nascido nos Estados Unidos, que gostava de música cubana.
    Santana, como todo mundo sabe, é mexicano.
    E Ronnie é pilantra.
    Como cx.

  577. Marciano Diz:

    Depois me diga se gostou da versão original de Puente e, como ele já morreu, veja se consegue “psicografar” umas músicas dele no além, falando de NSFG e de seus (de NSFG) planos para Porto Rico.
    “Psicografe” tudo em portunhol, não se esqueça em descrever o falso mundo espiritual, alguma colônia situada sobre Porto Rico, seja bem piegas na linguagem, bem melífluo.
    Quem sabe não surgem uns otários para comprar teu livro?
    Ou então, “componha” alguns lados “B” de Puentes e assuma a autoria.
    Se deu certo com o Von, pode dar certo com você.

  578. Gorducho Diz:

    E reza a lenda que Kardec cunhou o nome espiritismo.
     
    Disse-o bem: le veut la légende. Espiritismo é uma palavra americana, usada depreciativamente.
     
    Concordo c/a FEB visto que usar a palavra espiritualismo confundiria o público brasileiro, deschamando atenção p/a obra: marketing legítimo, pois que história do espiritismo é o que é.
    Se tiver maior interesse no correto uso dos termos, peça à Administração que lhe aponte o estudo cá.
     
    assim como fez interpolações na codificação de Kardec (traduções de Guillon Ribeiro).
    Apesar de não ter a menor simpatia pelo GR e me regozijar c/o que lhe aconteceu no fim – merecido fim p/um roustaingnista…- não vejo as tais interpolações. As outras edições já saíram modificadas, e quando ele fez a tradução já estava. Então quem retirou a #67 foi o Kardec (acho eu), ou o Leymarie.
    Veja que o indivíduo que fez todo oba oba nunca fundamentou-o, deixando boa parte da cousa no ar.

  579. Marciano Diz:

    Peço vênia ao ausente TOFFO para reproduzir suas palavras, verbatim:

    Toffo Diz:
    FEVEREIRO 2ND, 2012 ÀS 12:50 AM
    “Eu vi, Scur. Não fujo à liça. O espiritismo a que você se refere é mesmo o espiritismo de mesa branca, como o kardecismo é conhecido na linguagem popular. Ninguém mais sábio do que o povo, que faz tempo demoliu o que os espíritas (kardecistas) insistem em manter – a exclusividade do espiritismo como a doutrina espírita “codificada” (diga-se: forjada, inventada) por Allan Kardec. Nada mais falso. A própria palavra espiritismo não foi nem Kardec que criou, ela já existia na língua inglesa (spiritism) para definir a série de fenômenos hoje entendidos como paranormais, a começar dos fenômenos de “spirit rapper”, ou espíritos batedores. Kardec simplesmente se apropriou dela para rotular a doutrina que havia engendrado. Os dicionários franceses registram a palavra “spiritisme” como anglicismo. Se Kardec realmente resolvesse criar uma palavra para definir a sua doutrina, teria usado uma alternativa vernácula sem dúvida, já que os franceses são ciosos de sua língua como ninguém, e talvez forjasse a palavra “Espritisme”, derivada do francês “esprit”, espírito, essa sim a alternativa mais lógica para o caso. Na própria definição dele, no Livro dos Espíritos, a Doutrina Espírita ou Espiritismo tem por princípio as relações do mundo material com os espíritos ou seres do mundo invisível. Se é assim, os livros da Zíbia Gasparetto e a umbanda também são espíritas, cada um a seu modo, porque também tratam da relação entre o mundo material e os seres do outro mundo”.

    http://obraspsicografadas.org/2012/metafraude-2004/

  580. Marciano Diz:

    GORDUCHO deixou-me curioso.
    Como se deu o passamento do Dr. Guillon?
    Sei de um neto dele que é médico homeopata no Rio.

  581. Marciano Diz:

    Luiz Olympio Guillon Ribeiro Neto
    Homeopata

    Rio Policlínica Antonio Ribeiro Neto
    Av. Treze de Maio, 23 (sl 901) (Centro)
    20031-000 Rio de Janeiro, Río de Janeiro RJ

  582. Marciano Diz:

    “A jornada física de Guillon Ribeiro foi interrompida no dia
    26 de outubro de 1943, com 68 anos de vida produtiva e
    assistida pelos amigos espirituais. Foi ele recebido no plano
    espiritual por sua mãezinha, dona Olímpia que também,
    junto a espíritos amigos, colaborou para que seu desenlace
    fosse tranquilo e com preces fervorosas, pronunciadas
    pelos encarnados que acompanharam os momentos finais
    da vida terrena de Guillon”.

    Tá, eu já sei, mas quero saber como foi a morte dele (Apesar de não ter a menor simpatia pelo GR e me regozijar c/o que lhe aconteceu no fim – merecido fim p/um roustaingnista…-).

  583. Marciano Diz:

    O “quê” aconteceu com ele no fim, além de morrer, claro?

  584. Gorducho Diz:

    RETIFICAÇÃO
    Confundi c/Silvino Canuto de Abreu que foi humilhado pelo Herculano Pires e se recolheu.
    Não estava me referindo a morte.
    Esclareço então que não foi o Guillon Ribeiro, embora este também fosse roustaingnista.
     
    Extremamente sentido e magoado, o Dr. Canuto Abreu mandou recolher os exemplares da preciosa edição documental. Afastou-se completamente do movimento espírita, apagando-se em triste reclusão e anonimato.
     
    http://observadorespirita.blogspot.com.br/2008/03/o-dossi-canuto-abreu.html
     
    —————————————————————————————————–
    Voltando às traduções, esclareço ao AV que nunca reparei em erros de tradução do Guillon Ribeiro. Mas claro que nunca fiz uma leitora sistemática, critica.

  585. Gorducho Diz:

    Tem escrito mais recente, AMa onde o Analista Nestor auxiliado tecnicamente pelo AT, inclusive me corrigem, já que eu usava espiritualismo (e ainda uso informalmente…). Eles mostram que o correto é usar espiritismo p/tudo: anglo, santería/umbanda, reencarnacionista…

  586. Gorducho Diz:

    TRADUÇÕES
    Tem detalhes, e.g. a #5 (3 do LE1) que na ponta do lápis ele errou, mas não vejo mudança de sentido ou tramas ocultas com querem alguns!
     
    (3) 5. Quelle conséquence peut-on tirer du sentiment intuitif que tous les hommes portent en
    eux-mêmes de l’existence de Dieu
    ?

    5. Que dedução se pode tirar do sentimento instintivo, que

  587. Marciano Diz:

    Falando de traduções, vai aqui um trecho original do LE, onde se fala de erraticidade, seguido da tradução do Guillon.
    O propósito não é de ver se ele traduziu bem ou mal, mas de mostrar como os “ensinamentos” de cx, aka AL, dentre outros nomes, diferem abissalmente do que dizia Rivail:

    Mondes transitoires.
    234. Existe-t-il, comme cela a été dit, des mondes qui servent aux Esprits errants de stations et de points de repos ?
    « Oui, il y a des mondes particulièrement affectés aux êtres errants, mondes dans lesquels ils peuvent habiter temporairement ; sortes de bivouacs, de camps pour se reposer d’une trop longue erraticité, état toujours un peu pénible. Ce sont des positions intermédiaires parmi les autres mondes, graduées suivant la nature des Esprits qui peuvent s’y rendre, et ceux-ci jouissent d’un bien-être plus ou moins grand. »
    - Les Esprits qui habitent ces mondes peuvent-ils les quitter à volonté ?
    « Oui, les Esprits qui se trouvent dans ces mondes peuvent s’en détacher pour aller où ils doivent se rendre. Figurez-vous des oiseaux de passage s’abattant sur une île, en attendant d’avoir repris des forces pour se rendre à leur destination. »
    235. Les Esprits progressent-ils pendant leurs stations dans les mondes transitoires ?
    « Certainement ; ceux qui se réunissent ainsi, c’est dans le but de s’instruire et de pouvoir plus facilement obtenir la permission de se rendre dans des lieux meilleurs, et parvenir à la position qu’obtiennent les élus. »
    236. Les mondes transitoires sont-ils perpétuellement, et par leur nature spéciale, affectés aux Esprits errants ?
    « Non, leur position n’est que temporaire. »
    - Sont-ils en même temps habités par des êtres corporels ?
    « Non, la surface est stérile. Ceux qui les habitent n’ont besoin de rien. »
    - Cette stérilité est-elle permanente et tient-elle à leur nature spéciale ?
    « Non, ils sont stériles par transition. »
    - Ces mondes doivent alors être dépourvus de beautés naturelles ?
    « La nature se traduit par les beautés de l’immensité qui ne sont pas moins admirables que ce que vous appelez les beautés naturelles. »
    - Puisque l’état de ces mondes est transitoire, notre terre sera-t-elle un jour de ce nombre ?
    « Elle l’a été. »
    - A quelle époque ?
    « Pendant sa formation. »
    Rien n’est inutile dans la nature ; chaque chose a son but, sa destination ; rien n’est vide, tout est habité, la vie est partout. Ainsi pendant la longue série des siècles qui se sont écoulés avant l’apparition de l’homme sur la terre, durant ces lentes périodes de transition attestées par les couches géologiques, avant même la formation des premiers êtres organiques, sur cette masse informe, dans cet aride chaos où les éléments étaient confondus, il n’y avait pas absence de vie ; des êtres qui n’avaient ni nos besoins, ni nos sensations physiques y trouvaient un refuge. Dieu a voulu que, même dans cet état imparfait, elle servit à quelque chose. Qui donc oserait dire que, parmi ces milliards de mondes qui circulent dans l’immensité, un seul, un des plus petits, perdu dans la foule, eût le privilège exclusif d’être peuplé ? Quelle serait donc l’utilité des autres ? Dieu ne les aurait-il fait qu’en vue de récréer nos yeux ? Supposition absurde, incompatible avec la sagesse qui éclate dans toutes ses oeuvres, et inadmissible quand on songe à tous ceux que nous ne pouvons apercevoir. Personne ne contestera qu’il y a dans cette idée des mondes encore impropres à la vie matérielle, et pourtant peuplés d’êtres vivants appropriés à ce milieu, quelque chose de grand et de sublime, où se trouve peut-être la solution de plus d’un problème.

    Mundos transitórios
    234. Há, de fato, como já foi dito, mundos que servem de estações ou pontos de
    repouso aos Espíritos errantes?
    “Sim, há mundos particularmente destinados aos seres errantes, mundos que lhes
    podem servir de habitação temporária, espécies de bivaques, de campos onde descansem de
    uma demasiado longa erraticidade, estado este sempre um tanto penoso. São, entre os
    outros mundos, posições intermédias, graduadas de acordo com a natureza dos Espíritos
    que a elas podem ter acesso e onde eles gozam de maior ou menor bem-estar.”
    a) – Os Espíritos que habitam esses mundos podem deixá-los livremente?
    “Sim, os Espíritos que se encontram nesses mundos podem deixá-los, a fim de irem
    para onde devam ir. Figurai-os como bandos de aves que pousam numa ilha, para aí aguardarem que se lhes
    refaçam as forças, a fim de seguirem seu destino.”
    235. Enquanto permanecem nos mundos transitórios, os Espíritos progridem?
    “Certamente. Os que vão a tais mundos levam o objetivo de se instruírem e de
    poderem mais facilmente obter permissão para passar a outros lugares melhores e chegar à
    perfeição que os eleitos atingem.”
    236. Pela sua natureza especial, os mundos transitórios se conservam
    perpetuamente destinados aos Espíritos errantes?
    “Não, a condição deles é meramente temporária.”
    a) – Esses mundos são ao mesmo tempo habitados por seres corpóreos?
    “Não; estéril é neles a superfície. Os que os habitam de nada precisam.”
    b) – É permanente essa esterilidade e decorre da natureza especial que apresentam?
    “Não; são estéreis transitoriamente.”
    c) – Os mundos dessa categoria carecem então de belezas naturais?
    “A Natureza reflete as belezas da imensidade, que não são menos admiráveis do que
    aquilo a que dais o nome de belezas naturais.”
    d) – Sendo transitório o estado de semelhantes mundos, a Terra pertencerá algum
    dia ao números deles?
    “Já pertenceu.”
    e) – Em que época?
    “Durante a sua formação.”
    Nada é inútil em a Natureza; tudo tem um fim, uma destinação. Em lugar algum há
    o vazio; tudo é habitado, há vida em toda parte. Assim, durante a dilatada sucessão dos séculos que passaram antes
    do aparecimento do homem na Terra, durante os lentos períodos de transição que as
    camadas geológicas atestam, antes mesmo da formação dos primeiros seres orgânicos,
    naquela massa informe, naquele árido caos, onde os elementos se achavam em confusão,
    não havia ausência de vida. Seres isentos das nossas necessidades, das nossas sensações
    físicas, lá encontravam refúgio. Quis Deus que, mesmo assim, ainda imperfeita, a Terra
    servisse para alguma coisa. Quem ousaria afirmar que, entre os milhares de mundos que
    giram na imensidade, um só, um dos menores, perdido no seio da multidão infinita deles,
    goza do privilégio exclusivo de ser povoado? Qual então a utilidade dos demais? Tê-los-ia
    Deus feito unicamente para nos recrearem a vista? Suposição absurda, incompatível com a
    sabedoria que esplende em todas as suas obras e inadmissível desde que ponderemos na
    existência de todos os que não podemos perceber. Ninguém contestará que, nesta idéia da
    existência de mundos ainda impróprios para a vida material e, não obstante, já povoados de
    seres vivos apropriados a tal meio, há qualquer coisa de grande e sublime, em que talvez se
    encontre a solução de mais de um problema.

    Como coadunar isto com o LAR DELES?

  588. Contra o chiquismo Diz:

    Poxa, legal esse Tito! Não conhecia, mas conheço Prez Prado, esse é legal demais tb. Essa Cha cha cha do Tito é boa pra caramba!

  589. Marciano Diz:

    Se esses mundos servem de bivaques (termo de meus tempos de caserna, que significa “acampamento para passar a noite”, quando se faz uma longa marcha), para repousar depois de uma muito longa erraticidade, posições intermediárias entre outros mundos, graduados segundo a natureza dos espíritos, onde entra o LAR DELES?
    .
    Se podem sair de lá à vontade, qual a necessidade de autorização para AL?
    O LAR DELES deveria servir de acampamento para a trajetória de AL para outro planeta mais adiantado, que não seria MARTE, segundo Rivail.
    .
    .
    Se quem os habita não precisa de nada, se sua superfície é estéril, como explicar o LAR DELES? A sopinha do AL?
    .
    Como Rivail se explicaria hoje, diante das sondas espaciais?

  590. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, a Diana plagiou o Nilsson?? Veja:
    .
    .
    “FATALIDADE”_Diana – 1972
    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=7eR9vgqYV70
    .
    .
    Nilsson – ‘Everybody’s Talking” – 1969:

    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=55xQu9eIPIA

  591. Marciano Diz:

    CONTRA, se ainda não conhece, ouça o cubano Benny Moré, como, por exemplo esta:
    https://www.youtube.com/watch?v=WX3c4RzzcH4
    .
    Siete rayos tiene esa mata, caballero!
    .
    Sin permiso no se pué tumba esa mata.
    .
    Não é permissão de órgão do governo, não, é dos orixás mesmo.
    .
    .
    Olhe a mata aqui:
    https://es.wikipedia.org/wiki/Trichilia_havanensis
    .
    E aqui:
    http://arrajatabla.net/wp-content/uploads/2012/01/download-31.jpg
    Só uma árvore.
    Espero que o mecanismo não bloqueie o comentário, por excesso de links.

  592. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, será que o Jimmy Cliff plagiou o José Roberto? Veja:
    .
    .

    JOSÉ ROBERTO – “BRIGAS DE AMOR” – 1967
    .
    .

    https://www.youtube.com/watch?v=YpQeiRZfYyQ
    .
    .
    Jimmy Cliff – “You Can Get It If You Really Want” – 1972
    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=18EAqHx2lMk

  593. Marciano Diz:

    Acho que essa não é plágio.
    Tem uma vaga semelhança.
    Interessante que essa senhora, que também não conheço, é brega e parece caipira.
    Nilsson cantava folk, mas era de New York, as far as I know.
    A música “Everybody’s Talkin” não é dele, é de Fred Neil. Este, sim, o compositor, caipira de Ohio e criado na Florida.
    Se meu cérebro bichado não se engana, a música é de um filme dos anos 70, quer dizer, foi tema de.
    Interessante o scat singing no final.
    .
    Ele foi amigo de Lennon.
    Foram expulsos do Troubador, em L.A., por estarem importunando os performers que se apresentavam no dia.
    Ambos estão habitando algum umbral por aí, quero dizer, por lá.

  594. Marciano Diz:

    A do Jimmy Cliff é plágio.
    OuViu a música do Benny Moré?
    Se não ouviu, ouça!
    .
    Como você descobre essas coisas?
    Você parece ter um dom especial em descobrir plágios.
    RC deve ter um ódio mortal de você.
    Vai dar com a perna de pau na sua cabeça.

  595. Marciano Diz:

    Acho que você passa o dia inteiro ouvindo músicas.
    Já que gosta tanto do assunto, já tendo mostrado uns brasileiros horríveis de quem eu nunca ouvira falar, por que não mostra o tal hino chiquista a que já se referiu, o qual nunca ouvi e nem me lembro do nome agora.
    Você sabe do que estou falando, aquele que você ouvia no centro.

  596. Marciano Diz:

    quanta luz.Põe o link aê!

  597. Contra o chiquismo Diz:

    Poxa, esse Mata é legal tb!
    .
    .
    Esses brasileiros estão milionaríssimos, foram muito famosos nos anos 60, 70… mas tem muito plágio sim.
    .
    .
    O quanta luz? Deve ser plágio de alguma coisa…
    .
    .
    Essa Diana, foi produzida pelo Raul Seixas Não é estranho que tenha plágio nas músicas dela.

    .
    .
    Ó o quanta luz…
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=_9lw6UGUzdQ
    .
    .
    Eis uma pequena biografia da autora de ‘quanta luz’…
    .
    http://www.ceakitajuba.org.br/informe-se/personalidades/cenyra
    .
    .
    Destaco:
    .
    .
    ” Quanta luz, o hino que dentro de alguns anos estaria sendo cantado em centros espíritas, igrejas católicas, reuniões recreativas, peças teatrais, casamentos, sepultamentos e até em trabalhos de cirurgia espiritual.”

  598. Contra o chiquismo Diz:

    Em vez de quanta luz, muito mais útil é ‘Quanto Lixo’, veja:

    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=RUVM9pXc3iU

  599. Contra o chiquismo Diz:

    Pqp, vc sendo operado no frei luiz e uma equipe de ‘mediuns cantores’ entoando quanta luz enquanto o médico alemão mete a faca, deve ser de matar…

  600. Contra o chiquismo Diz:

    O rolo compressor de defesa e ataque jurídico do RC só não passou em cima do S. Braga. Mas de resto, ele copia e nao tem como provar, pois até o capa preta tira foto com ele…(foi o caso do historiador que ele processou).

  601. Marciano Diz:

    Pelo menos na sua cidade, foi a primeira mulher a falar na tribuna de uma casa maçônica, recebendo sempre aplausos intensos e intermináveis no final de seus discursos.
    Deve ter sido numa cerimônia aberta, pois mulheres não podem fazer parte da maçonaria, é um dos lankmarks imutáveis por definição.
    .
    O tal hino é muuuiiito chato!
    “Manifestou-se desde cedo – diz ela em suas memórias – minha tendência ao ecumenismo: igreja católica, maçonaria, esoterismo, igreja batista, solenidades sociais…”. Onde convidavam, lá estava ela, sempre acolhida com carinho e muitos aplausos. “Só faltou o Espiritismo – completa – que naquele tempo ninguém sabia nada a respeito”, pelo menos no interior.
    .
    Como assim?! Ela foi a única mulher maçon? REAA? YORK?
    Qual a potência que admite mulheres?
    Loja regular?
    Conta outra!
    .
    .
    “Quanta luz, o hino que dentro de alguns anos estaria sendo cantado em centros espíritas, igrejas católicas, reuniões recreativas, peças teatrais, casamentos, sepultamentos e até em trabalhos de cirurgia espiritual.”
    Em vez que “quanta luz” esse hino deveria se chamar “quanta pretensão”.

    .
    Contra o chiquismo Diz:
    OUTUBRO 20TH, 2015 ÀS 7:20 PM
    Pqp, vc sendo operado no frei luiz e uma equipe de ‘mediuns cantores’ entoando quanta luz enquanto o médico alemão mete a faca, deve ser de matar…
    .
    Literalmente! Facada de leigos, em ambiente não esterilizado, e com uma música horrenda dessas…
    .
    .
    .
    Contra o chiquismo Diz:
    OUTUBRO 20TH, 2015 ÀS 7:23 PM
    O rolo compressor de defesa e ataque jurídico do RC só não passou em cima do S. Braga. Mas de resto, ele copia e nao tem como provar, pois até o capa preta tira foto com ele…(foi o caso do historiador que ele processou).

    .
    Not quite!
    Escreva no google “stj”, “plágio” e “roberto carlos”, depois divirta-se com o grande número de condenações com trânsito em julgado.

  602. Marciano Diz:

    landmarks.
    Esse poltergeist em quem o MONTALVÃO não acredita, não me deixa em paz.

  603. Marciano Diz:

    https://www.google.com.br/?gfe_rd=cr&ei=hsUmVsDfBouk8wfCgIGICA&gws_rd=ssl#q=roberto+carlos+pl%C3%A1gios+stj
    .
    Veja aí, CONTRA.

  604. Marciano Diz:

    Veja esta foto:
    http://i.ytimg.com/vi/hAq9FxkAZQs/hqdefault.jpg
    .
    Agora ouça DE NOVO esta música, enquanto contempla a foto:
    https://www.youtube.com/watch?v=FSvCk57fcKE

  605. Contra o chiquismo Diz:

    Então, foi só o plágio do S Braga. De resto ele ganha tudo.
    Essa foto do RC com CX eu já conhecia, e essa música é demais… será que é plagio?

  606. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano , veja a edição do vídeo da música do Skylab aos 0:58.. pau pau pau.
    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=FSvCk57fcKE

  607. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Outra coisa: a FEB traduziu o título do livro de Conan Doyle como “A História do Espiritismo” , sendo que o no original é The History Of Spiritualism e quanto o li pela primeira vez não identifiquei pouquíssimas coisas sobre A.Kardec.”
    /.
    CONAN DOYLE reserva um capítulo quase no final do livro para falar de Kardec e do espiritismo. Apesar de tratar Rivail com respeito, nota-se que a doutrina por ele ensinada não gozava de maior apreço por Doyle. No entanto, espíritas viram nela modos de “provar” a mediunidade e (pasmem!) a reencarnação.

    Doyle escrevia bem e era deslumbrado com o sobrenatural, porém não estava muito inclinado a concordar com Kardec.

  608. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, essa é pra se acabar de rir:
    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=d0LQ3QOQuyo

  609. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, esse cara que postei aí em cima (Raimundo Soldado) foi o inspirador do Facão (do Ceará).

  610. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, vc acha que o Raimundo Soldado plagiou o Ottawan? Veja:
    .
    .
    Raimundo Soldado – “Abraçando Você” – 1980
    .
    .

    https://www.youtube.com/watch?v=fC2P2G4pLQQ
    .
    .
    OTTAWAN – “D.I.S.C.O.’ – 1979
    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=_EtKpw_LJZo

  611. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, tem uma versão mais parecida ainda com o Ottawan gravada em 81, …
    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=mJyVYLxwWq8

  612. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, curioso como o nordeste teve o seu movimento DISCO no fim dos anos 70… Raimundo Soldado e essa aqui, ouça – (quase todos na esteira do KC & Sunshine Band :mrgreen: ):
    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=NaU2VvkkLB4

  613. Marciano Diz:

    CONTRA, tu conheces cada música!
    Essa do Raimundo Soldado, parece apelido de traficante. Nunca tinha ouvido falar…
    .
    Tu quiseste dizer “do Falcão”. Este eu conheço. Saiu “Facão”. :grin:
    .
    Não conheço nem Soldado nem Ottawan (do Canadá)? :smile:
    .
    Parece plágio mesmo.
    .
    .
    Nunca ouvi falar de Eloides também.
    KC eu conheço.

    MONTALV/AO, mande umas ondas telepáticas com sugestões de sono pra mim, meus remédios não estão funcionando.
    Fico morrendo de sono, MAS NÃO DURMO. (-_-)zzz

  614. Gorducho Diz:

    Analista Vinícius
    Tem acesso à biblioteca da FEESP?
     
    Sr. Administrador
    Tem que tentar conseguir o Do país da luz 1.
    Temos que descobrir dadonde CX tirou o umbral e o sofrimento dos suicidas – i.e., a ideia p/o AL…

  615. Gorducho Diz:

    Os capítulos ii v vii viii xviii são sobre o C. Castelo Branco; daí suspeito que possa ter sido a inspiração de CX…
    Mas não encontro à venda nem trechos digitalizados :(

  616. Vinicius Diz:

    42. Gorducho Diz: outubro 21st, 2015 às 7:04 AM
    Analista Vinícius. Tem acesso à biblioteca da FEESP?”

    Preciso renovar minha carteirinha kkkk , faz 2 anos que não pego livros pra ler. A literatura espírita me encheu faz tempo e só to lendo para achar plágios, bobagens e devaneios …
    Mas podemos ver se tem o livro Do País da Luz . Se tiver deve estar caindo aos pedaços, tem livros antigos lá que só falta “desintegrar” de vez !
    é um fernando de lacerda né?

  617. Vinicius Diz:

    a FEB disponibilizou um capitulo no sitio e não há mais no estoque para vender:
    http://onlineshop.com.br/febnet/down/pais_luzvol1.pdf

  618. Gorducho Diz:

    Exato, daí que tirei que é no vol. 1, &c.

  619. Gorducho Diz:

    A 4ª comunicação – capítulo viii pg. 99 ditada em 20/11/06 é só o besteirol religioso padrão :(
     
    A dúvida é a principal origem da negação nas grandes causas e nas grandes épocas. A época presente em que o Espiritismo procura demonstrar a existência de Deus e a imortalidade da Alma, &c.

  620. Vinicius Diz:

    1. Contra o chiquismo Diz:
    outubro 20th, 2015 às 7:15 PM

    Que biografia! Deve ser uma moça de uma pieguice sem tamanho. Geralmente biografias de médiuns cheias de vitimismo, exageros, choramingos etc.

    “Aos 25 anos Cenyra Pinto estava casada com o único amor de sua vida, depois de namoricos de interior e um primeiro noivado sem amor para sair de casa.”

    Que seriam “namoricos de interior” ?

    “Acometida de grande estafa, pelas dificuldades que experimentavam, Cenyra caiu em profunda prostração. PAROU DE TRABALHAR E PASSOU, DURANTE UM ANO INTEIRO, POR DOZE MÉDICOS QUE SE DIZIAM ESPECIALISTAS, SEM NENHUM RESULTADO”

    DOZE MÉDICOS??? Será que ela passou pelos doze apóstolos ??? kkk.

    “E, quando chegaram para junto da multidão, aproximou-se dele um homem, que se ajoelhou e disse: “Senhor, compadece-te de meu filho, porque é (lunático) e sofre muito; pois muitas vezes cai no fogo e outras muitas, na água.” Apresentei-o a teus discípulos, mas eles não puderam curá-lo. Jesus exclamou:
    “Ó geração incrédula e perversa! Até quando estarei convosco? Até quando vos sofrerei? Trazei-me aqui o menino”. E Jesus repreendeu o demônio, e este saiu do menino; e, desde aquela hora, ficou o menino curado. Então os discípulos, aproximando-se de Jesus, perguntaram em particular: “Por que motivo não pudemos nós expulsá-lo?” E ele lhes respondeu: “Por causa da pequenez da vossa fé. Pois em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e ele passará. Nada vos será impossível. Mas esta casta não se expele senão por meio de oração e jejum”(Mateus 17 7:17)

    Católica não-praticante e com “um medo louco de espiritismo”, resolveu procurar um centro, diante da insistência de alguns amigos. Muito espantada, ouviu a resposta de sua consulta: – “Você não tem doença nenhuma, seu mal é mediunidade descontrolada.”

    É uma pena que dos doze médicos, nenhuma era “médium médico” .

    Mediunidade descontrolada: se estiver estressado, estafado,ansiedade, ataques de pânico não adianta procurar psicólogos, psiquiatras: procure um CENTRO e comece a “desenvolver a mediunidade”.

    BAH, minha mãe precisou ser internada em hospício, hoje toma remédios controlados, se não tomar volta toda a sintomática.

    “Mais espantada ainda, ouviu na terceira sessão de passes nova orientação: – “Venha amanhã para desenvolvimento de psicografia.” No dia seguinte, deu o maior vexame, chorando alto, sem conseguir parar, até o final da reunião. “

    Na FEESP não pode chorar alto, nem atrapalhar a sessão de passes. O Médium que fizer isso terá problemas. No treinamento falam que esgares, tiques nervosos, comportamentos estranhos é tudo da cabeça do médium.

    “ Estava disposta a jamais voltar ao centro, mas melhorou tanto que mudou de idéia e lá estava de novo.”

    VOLTOU e tratou de espalhar essa música chatérrima ! Prefiro as musiquinhas dançantes do Padre Marcelo Rossi.

    “Não se preocupe. Era preciso acontecer. Amanhã, vem e quando ouvir a campanhia, pegue o lápis.” :

    • Pegue o lápis: “queridos irmãos Brasilianos, sou eu, o Umberto Eco , depois de minha passagem ao lado de cá , percebi imediatamente que Cristo é a salvação e que o Espiritismo é o farol a iluminar a humanidade e os demais habitantes do universo. Quanta luz se esparge aqui, junto aos meus novos amigos Marquês de Sade
    Lenin e Friedrich Nietzsche , agora iluminados e esclarecidos pela suprema verdade. Choraram copiosamente quando da descida de Jesus da imensidão do Universo para falar conosco como se fosse Paulo na estrada de Damasco.

    “Na terceira sessão, depois de suores gelados, rosto pegando fogo e enchendo a folha de rabiscos, sem nada compreender, escreveu no entanto, tranqüilamente, uma mensagem com a primeira assinatura de seu guia. Estava curada e voltou a se interessar pela vida. “

    Que bom , e voltou com os namoricos do interior?

    “Cenyra deixou de freqüentar o centro porque ninguém explicava a razão daquele fenômeno – a psicografia. “Nunca ouvi falar de Kardec e ignorava que houvesse uma literatura explicando tudo… certamente a parte de evangelho seria em outras reuniões.””

    Uai, não entendi, ela deixou o Centro depois de tanto auê que fez lá dentro??? E ninguém explicava a razão … rs rs rs …

  621. Contra o chiquismo Diz:

    Vinicius, que pena que ela não passou pelas mãos dos médicos da AME.. ela não perderia tempo.
    ..
    .
    Vc soube dessa edição com fotos da NASA publicada pelo CELD da ‘genese’ que eu tinha te falado antes?

  622. Gorducho Diz:

    “Venha amanhã para desenvolvimento de psicografia.”
    Cenyra deixou de freqüentar o centro porque ninguém explicava a razão daquele fenômeno – a psicografia. “Nunca ouvi falar de Kardec e ignorava que houvesse uma literatura explicando tudo… certamente a parte de evangelho seria em outras reuniões.”

     
    :shock:
    Ela frequentou um centro espírita que tinha desenvolvimento de médiuns e alega que eles lá não falavam no que consistia o objeto das idas dela lá; nem falaram no Kardec; nem falaram pra ela que o Kardec tinha escrito o pentateuco :?:
     
    Muito doidão…

  623. Gorducho Diz:

    É… o centro não tinha o selo de qualidade FEESP :lol:

  624. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, eles não plagiam o ‘lado b’ dos discos, vão direto nos sucessos. Deve ser alguma forma inconsciente da música ficar na memória da pessoa, pois o sucesso tocou tanto que fica gravado na mente mesmo 20 anos depois. Então, associar o sucesso de um tempinho atrás com uma nova música pode ser que faça ela estourar.

  625. Vinicius Diz:

    Contra o chiquismo Diz:
    OUTUBRO 21ST, 2015 ÀS 10:07 AM
    Vinicius, que pena que ela não passou pelas mãos dos médicos da AME.. ela não perderia tempo.
    Vc soube dessa edição com fotos da NASA publicada pelo CELD da ‘genese’ que eu tinha te falado antes?

    Putz esqueci de ver. Sim, eu tenho em casa, vou ver se é a mesma. Tem fotos de planetas, estrelas, auroras boreais

  626. Vinicius Diz:

    Gorducho Diz:
    OUTUBRO 21ST, 2015 ÀS 10:11 AM
    É… o centro não tinha o selo de qualidade FEESP

    KKK, tiques, esgares, cabeça indo pro lado e pro outro, lá é proibido. Ah e se o Espírito falar palavrões o médium deve procurar sinônimos ou comentar que o dito cujo está falando palavras de baixo calão.
    Isso é sério. Tem essas recomendações.
    Outra polemica na FEESP: faziam uns passes complicados lá há mais de 50 anos, dai nova diretoria resolveu diminuir a quantidade de movimentos de passes e descomplica-los. Aqueles senhoras e senhoras que vão lá faz décadas ficaram revoltados e disseram que afrontaram o Comandante Edgard Armond e o Bezerra !!! Daí para tentar amenizar disseram que toda a “novidade” foi revisada pelo Armond e autenticada pelo Bezerra.

  627. Gorducho Diz:

    C/ajuda da INTERNET, constato uma aprontada do Guillon Ribeiro, que não é erro de tradução mas certamente alguma intencionalidade (qual?):
     
    625 (301 do LE1). Qual o tipo mais perfeito que Deus tem oferecido ao homem, para lhe servir de guia e modelo?
    Resposta verdadeira: Voyez Jésus
    “Versão” GR: “Jesus.”
     
    Engano não pode ser…
    Qual o propósito oculto?
    Teria Kardec intentado dar uma resposta mais universalista citando Jesus como um exemplo; deixando margem para indivíduos de outras culturas?
    E os bezerrochiquistas com seu sectarismo míope querendo dar um caráter de exclusivismo à sua divindade (não esquecer que para Dr. Bezerra Jesus é divino e a Maria é virgem…) :?:

  628. Gorducho Diz:

    Ah e se o Espírito falar palavrões o médium deve procurar sinônimos ou comentar que o dito cujo está falando palavras de baixo calão.
     
    Patético! Veja que eles admitem explicitamente o que nós opositores dizemos cá: é tudo um treino; inventado conscientemente ou imaginado por condicionamento cultural (me foge a melhor expressão agora).
     
    Será que o Dr. é médium?
    Será que fez curso?
    Se sim, adonde?

  629. Vinicius Diz:

    “Patético! Veja que eles admitem explicitamente o que nós opositores dizemos cá: é tudo um treino; inventado conscientemente ou imaginado por condicionamento cultural (me foge a melhor expressão agora)”

    Pois é! e vai lá pedir uma psicografia de um ente querido! Vão falar pra você não ficar triste, que todos são amparados, que no mundo espiritual há hospitais adequados e aí te encaminham para tratamentos espirituais e depois os cursos. Daí depois de 10 anos você até ameniza a dor da perda e nem pede mais a psicografia (depois de convencido “indiretamente” que não é preciso pedir psicografia, se pedir é porque é incrédulo)

  630. Contra o chiquismo Diz:

    Isso mesmo Vinicius, já vi várias vezes as pessoas chegarem antes da reunião ou durante e pedir comunicações. É explicado que ela tem que estudar… bla, bla, bla, e não voltam nunca mais. o kardecismo é a maior decepção pra quem procura pelos mortos. Pra quem é metido a intelectual, e ser diferente achou o caminho.

  631. Contra o chiquismo Diz:

    Fotógrafo flagra espírito ao lado de sua esposa em piscina nos Estados Unidos. deu hoje no Yahoo:
    .
    .
    https://br.noticias.yahoo.com/blogs/super-incr%C3%ADvel/fot%C3%B3grafo-flagra-esp%C3%ADrito-ao-lado-de-sua-esposa-em-piscina-nos-estados-unidos-162534069.html

  632. Marciano Diz:

    Contra o chiquismo Diz:
    OUTUBRO 21ST, 2015 ÀS 10:11 AM
    Marciano, eles não plagiam o ‘lado b’ dos discos, vão direto nos sucessos. Deve ser alguma forma inconsciente da música ficar na memória da pessoa, pois o sucesso tocou tanto que fica gravado na mente mesmo 20 anos depois. Então, associar o sucesso de um tempinho atrás com uma nova música pode ser que faça ela estourar.

    .
    Você já demonstrou conhecer o assunto muito mais do que eu. Não vou discutir, porque sei que você é especialista em plágios.
    Só para argumentar: em tese, não parece mais fácil ser detectado um plágio se é de uma música que fez sucesso no passado?
    Muita gente, como você, por exemplo, lembra-se da música.
    Se eu fosse um plagiador (tentando pensar com a cabeça de um), pegaria uma daquelas músicas de um álbum que não foi muito tocada, nem pelos que o compraram, daria uma melhorada nela e gravaria, esperando passar indetectado.

    O que acha?
    .
    .
    Gorducho Diz:
    OUTUBRO 21ST, 2015 ÀS 10:36 AM
    C/ajuda da INTERNET, constato uma aprontada do Guillon Ribeiro, que não é erro de tradução mas certamente alguma intencionalidade (qual?):

    Engano não pode ser…
    Qual o propósito oculto?
    Teria Kardec intentado dar uma resposta mais universalista citando Jesus como umexemplo; deixando margem para indivíduos de outras culturas?
    E os bezerrochiquistas com seu sectarismo míope querendo dar um caráter de exclusivismo à sua divindade (não esquecer que para Dr. Bezerra Jesus é divino e a Maria é virgem…) :?:

    É, também acho que a intenção foi essa.
    Parece que Rivail quis deixar FG como exemplo numerus apertus, podendo-se incluir outros mitos, como Muhammad, Budha, Krishna, etc.
    A turminha espírito-católica-roustanguista-bezerrista suprimiu o Voyez, deixando FG como sui generis, numerus clausus.
    GR foi o instrumento, provavelmente é dele a ideia, mas deve ter sido aprovada pela Força Expedicionária Brasileira.

  633. Contra o chiquismo Diz:

    Mas Marciano, pensando bem plagiar algo que não foi sucesso não faria muito sentido já que não ficou na ‘boca do povo’. Acho que só plagia quem faz música altamente comercial pra vender. O Fagner teve a idéia de plagiar poemas e não melodias. Mas deu créditos a Florbela Espanca em “Fumo”.

  634. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, outra da DISCO, mas não sei se é do nordeste. MAs tem toda pinta:
    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=to3WXivagqw

  635. Marciano Diz:

    Nos dias em que há jogo de futebol, some todo mundo.
    Tem tópico novo, sobre o velho assunto FG.

    CONTRA, você, que gosta de plágios, dê uma olhada no “novo” tópico sobre FG e colabore, apontando algum que conheça.
    Onde você descobre essas músicas?

  636. Vinicius Diz:

    Veja Jesus, Vede Jesus ou Ver Jesus sem dúvida alguma abre o leque para outros “iluminados”. Já a expressão “Jesus” fecha o circulo, somente ele é o modelo, mais ninguém, nem CX, nem BZ (no meio espirita CX e BZ estão no nível Cristico)

  637. Gorducho Diz:

    Mais sacanagens do GR
    [fonte: Tradutor, Traidor do Sérgio Aleixo]
     
    #671 verdadeira
    […]Ils doivent s’éclairer, et nous devons chercher à leur faire connaître sa doctrine par la persuasion et la douceur, et non par la force et le sang.
     
    “Tradução” do GR:
    Eles têm que ser esclarecidos e devemos esforçar-nos por fazê-los conhecer a doutrina do Salvador, mediante a persuasão e com brandura, nunca a ferro e fogo.
     
    Obviamente isso não é desconhecimento idiomático, nem pode ser atribuído a um trabalho porco, mas somente se pode entender como deliberada tentativa de alterar o conteúdo teológico do texto.

  638. Vitor Diz:

    Gorducho disse:
    .
    a) “E no bate-boca, afinal o Jaytee reagia ou não a cada carro ou piéton that passed by? [...] Que diz Sheldrake about that?”
    .
    b) “Afinal o Jaytee reagia a cada passagem de coche ou piéton ou não? O que o teipe mostra? Responda, pare de ficar fazendo colagens de links.”
    .
    c) “ESSE TEIPE EXISTE OU NÃO :?:
    É ASSIM MESMO QUE SE SUCEDEM AS COUSAS OU NÃO?”
    .
    RESPONDENDO:
    .
    Enviei um email para o Sheldrake, que me disse hoje:
    .
    In relation to your questions Randi’s statement is untrue. We studied Jaytee in 100 videotaped tests, the results of which have been published in our papers, to which Pam has already referred you. Jaytee did sometimes briefly go to the window to look passing cats and cars and you see these responses in the graphs in our papers. However no one ever supposed that he remained entirely inert until Pam set off to come home. The key fact is that he was waiting for her at the door a great deal more when she was returning home than he visited the door at any other time.
    .
    Randi’s claim was not based on having seen the tape, but on a half remembered account of this experiment given by Richard Wiseman who very misleadingly claimed that Jaytee did visit the door all the time and therefore that it was no surprise that he was there when Pam came home. Pam has already referred you to a videotape discussing Wiseman’s claims. You can see the actual results of his experiments plotted on graphs in our paper in the Journal of Scientific Exploration, to which you already have the reference. Wiseman does not dispute the data since they are his own data.
    .
    The ORF film is just one of many experiments with Jaytee and the copyright belongs to ORF not to me, however you can see their summary of this experiment in the videotape on my website.”

  639. Gorducho Diz:

    Então o certo será perguntar ao RW se esse teipe existe ou não.
    JR está na prática fora dessa, apesar do Sr. poder alegar um erro formal dele por dever ter sido mais explícito…

  640. Gorducho Diz:

    Explicitando: se o que se observa no teipe corresponde ao que relatou JR, inimportando se este viu-o pessoalmente ou não (sabemos que não, claro).

  641. Vitor Diz:

    Gorducho,
    acho muito difícil que um cachorro fique indo pra janela para TODO carro e para TODA pessoa. Isso é claramente, no mínimo, um tremendo exagero.

  642. Gorducho Diz:

    Também acho, até porque sempre tive cachorros que vão à janela – afora os outros que ficam no pátio, claro.
    Mas por que é tão custoso ver-se este teipe?
    Em tempos de YouTube não se justifica…
    É como as traduções do GR ou as consultas bibliográficas do CX: não precisamos achar se podemos checar.
    Como já deve estar ciente, costumo pensar c/o meu neurônio.
    Afinal que teipe é esse especificamente dentro todos que haja do Jaytee?
    Se não o há, S/Pessoa terá razão…

  643. Marciano Diz:

    James Randi Educational Foundation
    JREF Swift Blog
    The Sheldrake Kerfluffle

    Details
    Written by Brandon K. Thorp
    Published: 03 December 2009
    .
    Texto muito longo para ser transcrito.
    Quem quiser, pode ler aqui:
    .
    http://archive.randi.org/site/index.php/swift-blog/795-the-sheldrake-kerfluffle.html

  644. Marciano Diz:

    Kerfluffle pode ser traduzido como tumulto, confusão, alarde, balbúrdia.

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)