“A crítica às ficções históricas e a falsa origem espiritual dos romances”, por Míssel Crítico

Míssel Crítico mostra como é extremamente duvidoso que Emmanuel fosse um romano dos tempos de Cristo, e que o livro “Há Dois Mil Anos” nada tem de extraordinário comparado a outros romances, ficando até aquém de vários. Para ler, clique aqui.

2 respostas a ““A crítica às ficções históricas e a falsa origem espiritual dos romances”, por Míssel Crítico”

  1. Gorducho Diz:

    Julius Cæsar
     
    Excelente trabalho. Claro que o Sr. JCFF esgotou o assunto cá. Mas este é um claro e ao mesmo tempo rigoroso e abrangente resumo dessa importante questão pra leitores eventuais do Sítio.

  2. Marcos Diz:

    Não vi o texto, mas só há dois romances aos quais atribuo autoria espiritual. O resto…

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)