Livro Gratuito! “O Livro Negro do Espiritismo”, do Frei Boaventura (1955)

Para baixar o livro, clique aqui. O livro traz diversas reportagens sobre investigações no Brasil de fenômenos de materialização que se revelaram fraudulentos entre várias outras coisas.

359 respostas a “Livro Gratuito! “O Livro Negro do Espiritismo”, do Frei Boaventura (1955)”

  1. Marciano Diz:

    Até que enfim rompeu-se a corrente do paranormal.
    Coisa chata!
    Vou baixar o livro e ler com paciência.
    Pena que seja escrito por um religioso, mas eles são melhores para falar mal da religião dos outros do que os irreligiosos.
     
     
    Aconselho aos demais analistas que leiam também a refutação de Imbassahy ao livro em questão:
    http://www.espanito.com/carlos-imbassahy-a-misso-de-allan-kardec.html?part=14
     
     
    Audiatur et altera pars.
    Ouça-se a outra parte.
    Écoute l’autre partie.
    Oigase a la outra parte.
     
     
    É o princípio do contraditório, adotado pelo direito de quase todos os países do mundo, salvo aqueles incivilizados, claro.

  2. Marciano Diz:

    Independentemente dos argumentos a favor e contra a existência de espiritismo (o que presume a existência de espíritos), os dois estão errados, pois para provar que espíritos podem ou não se comunicar com vivos teria de se provar, primeiramente, que espíritos existem.
    E isto é tarefa facílima, pela menos para eles.
    Basta aparecerem publicamente, para todos.
    Como fazem os bois.
    Ninguém duvida da existência de bois.
     
    Infelizmente, parece que espíritos só aparecem para quem acredita neles, e nem todos, como bem prova o autor do livro.

  3. Marciano Diz:

    Em outras palavras, não basta acreditar em espíritos para ver um, haja vista que católicos romanos, ortodoxos, protestantes, etc., acreditam em espíritos, mas não os vêem.
    Parece que para vê-los precisa-se de algo mais além da crença.
    Seria de muita imaginação?

  4. Marciano Diz:

    – Você acredita que ETs abduzem terrícolas?
    Pergunta que já contém pelo menos uma resposta: ETs existem!
    Para abduzir o que quer que seja, precisa-se existir, primeiro.
     
    – Você acredita que balas de prata matam lobisomens?
    – Você acredita que cruzes, alho e água benta afugentam vampiros?
     
     
    Acho que VOCÊS pegaram o “espirito” da coisa.

  5. Gorducho Diz:

    Novos e interessantes resultados obtidos pelo ✈ com água fluidificada…
    Analisem e procurem ver onde possa estar havendo furo.

  6. Marciano Diz:

    Eu acredito firmemente que pessoas ingênuas ou que gostam de se iludir acreditem em coisas que espertalhões inventam, como espíritos quânticos, ETs cinzas, homeopatia, reza-forte, etc.

  7. Marciano Diz:

    Depois vou procurar pelos novos resultados do ✈ , mas eu, pessoalmente, acho que ele anda com a cabeça nas nuvens, e não é somente por ser PLA.
    Ele deveria começar mostrando as propriedades físico-químicas da “água fluidificada”.

  8. Marciano Diz:

    Aliás, qualquer crente ou descrente sabe que água fluidificada é plágio da água benta.

  9. Marciano Diz:

    Será que whisky feito com água fluidificada é de melhor qualidade do que aqueles feitos com águas das highlands ou das lowlands?

  10. Marciano Diz:

    Será que os passarinhos de NL bebem água fludificada?
    Minha dúvida vem desta passagem:
     
     
    Das janelas largas, observava, curioso, o movimento do parque.
    Extremamente surpreendido, identificava animais domésticos, entre as árvores
    frondosas, enfileiradas ao fundo.
    Nas minhas lutas introspectivas, perdia-me em indagações de toda
    sorte. Não conseguia atinar com a multiplicidade de formas análogas às do
    planeta, considerando a circunstância de me encontrar numa esfera
    propriamente espiritual.

     
     
    Acho que vou procurar no ministério do esclarecimento:
     
     
    Narcisa fixou-me com bondosa
    atenção, rematando:
    – Mas, no momento, o dever não comporta minudências informativas.
    Poderá colher valiosas lições sobre os animais, não aqui, mas no Ministério do
    Esclarecimento, onde se localizam os parques de estudo e experimentação
     
     
    Pena que tenho de esperar a morte, depois sei lá quantos anos de umbral, acumular bônus-hora, e só depois estarei apto a formular a consulta ao burocrático ministério do esclarecimento xaveriano.

  11. Borges Diz:

    Parece claro que o público alvo desta obra estava circunscrito aos católicos, objetivando evitar que fossem seduzidos pelas ideias kardecistas; numa época em que o “Deus da igreja romana” era mais punidor que amoroso. As aulas de catecismo infantil eram verdadeiras seções de torturas, onde as crianças podiam vislumbrar a ardência insuportável do fogo eterno e a laceração provocada pelo tridente de satanás.
    Não vou entrar no mérito das críticas ao Kardec, porque também as faço. Como professor e membro de sociedades acadêmicas, deveria ter mantido seu trabalho dentro dos limites do campo das pesquisas e não extrapolado para a seara religiosa.
    Vou apenas destacar um aspecto do livro do Pe. BV que parece produzir um efeito oposto ao que deseja, quando se mantem no “âmbito” religioso. Alegando que Deus proíbe a evocação dos espíritos, sob a pena de sofrer castigos severos, acaba por demonstrar que a comunicação entre vivos e mortos é factível e que vem ocorrendo há milênios. É evidente que se Deus é infinitamente sábio, não lançaria proibição sobre algo que não existe. Cá no meu pedaço se costuma dizer que ninguém chuta cachorro morto. Imagine se nossos legisladores resolvessem aprovar uma lei proibindo a transformação de água em ouro. Portanto, fica evidente, de acordo com a religião de BV, que se Deus proíbe, é porque existe; concluindo, se existe a comunicação entre vivos e mortos, resta provado (juridiquês) a base em que foi construído o espiritismo.
    Um abraço

  12. Marciano Diz:

    ===============================================================
    Borges Diz:
    FEVEREIRO 9TH, 2017 ÀS 11:11 AM
    Parece claro que o público alvo desta obra estava circunscrito aos católicos, objetivando evitar que fossem seduzidos pelas ideias kardecistas; NUMA ÉPOCA EM QUE O “DEUS DA IGREJA ROMANA” ERA MAIS PUNIDOR QUE AMOROSO.

    ===============================================================
     
     
    Está implícito nas palavras de BORGES, que os deuses REFLETEM A VONTADE DOS HOMENS, não o contrário; NÓS (nós, não, eles) É QUE DECIDIMOS se ele muda para bonzinho, perverso, etc.
     
    Só não o vê o pior cego de todos, aquele que não quer ver.
     
     
    BORGES TAMBÉM DIZ:
     
    ===============================================================
    Vou apenas destacar um aspecto do livro do Pe. BV que parece produzir um efeito oposto ao que deseja, quando se mantem no “âmbito” religioso. Alegando que Deus proíbe a evocação dos espíritos, sob a pena de sofrer castigos severos, acaba por DEMONSTRAR que a comunicação entre vivos e mortos é factível e que vem ocorrendo há milênios.
    ===============================================================
     
     
    ALTO LÁ!
    NÃO ACABA DE DEMONSTRAR NADA DISSO.
    Demonstra APENAS que a crença de que a comunicação entre vivos e mortos é factível e que vem ocorrendo há milênios.
     
    Quer dizer que demonstrar que sumérios e assírios acreditavam nisso ou naquilo equivale a dizer que isso e aquilo VEM OCORRENDO HÁ MILÊNIOS :?:
     
     
    SE NOSSOS LEGISLADORES PROIBISSEM A TRANSFORMAÇÃO DE ÁGUA EM OURO, como diz BORGES, isto não provaria que tal é possível, apenas que nosso legisladores são loucos ou gozadores.
     
     
    ===============================================================
    se Deus proíbe, é porque existe; concluindo, se existe a comunicação entre vivos e mortos
    ===============================================================
     
    Falácia pura! Quem disse que deus existe :?:
    Se estivesse provado que existe, QUEM GARANTE QUE O QUE ESTÁ ESCRITO NO LIVRO MAIS MANIPULADO, MAL TRADUZIDO (de propósito e sem querer), MAIS ENXERTADO, MAIS INTERPOLADO que existe refletiria o pensamento desse SER IMAGINÁRIO :?:
     
     
    Está muito enganado sobre o raciocínio jurídico. Ele não é nem pode ser idêntico ao raciocínio científico, mas não é obtuso assim (refiro ao argumento, não à sua pessoa, claro).
     
     
    Um amplexo.

  13. Marciano Diz:

    Os seguidores de Ganesha acreditam há milênios que a cabeça do próprio explodiu e foi trocada por uma cabeça de elefante.
    Está provado que isso é factível?
    Se era proibido olhar para o bebê Ganesha, está provado que a cabeça dele poderia explodir em consequencia disso?
    Pelo amor de Osíris!

  14. Marciano Diz:

    Volto quando puder, pois, para ganhar meu pão de cada dia, estou raciocinando juridicamente, o que levei muitos anos para aprender e que não é fácil como parece aos leigos.

  15. Marciano Diz:

    ATENÇÃO! ATENÇÃO!
     
    ESTÁ PROVADA A EXISTÊNCIA DE ETs :!:
     
     
    O contato entre os cidadãos dos EUA e extraterrestres ou seus veículos é estritamente ilegal . De acordo com uma lei (Título 14, Seção 1211 do Código de Regulamentos Federais, aprovado em 16 de julho de 1969), qualquer pessoa culpada de contato, automaticamente se torna um criminoso procurado para ser preso por um ano e multado em US $ 5.000.
    O administrador da NASA tem poderes para determinar, com ou sem audiência que uma pessoa ou objeto tenha sido “expostos a presença extraterrestre” e impor uma quarentena indeterminado sob guarda armada, o que não poderia ser quebrado até mesmo por ordem judicial. Não há limite colocado sobre o número de indivíduos que podem assim ser arbitrariamente em quarentena.

     
     
    Se a legislação americana proíbe, é porque eles existem…

  16. Vinicius Diz:

    Plágios!
     
    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2017/02/1857103-obra-de-alexandre-de-moraes-tem-trechos-copiados-de-livro-espanhol.shtml

  17. Marciano Diz:

    A lei referida foi revogada em 1991, ano em que os ETs devem ser se extinguido, presumo eu.

  18. Gorducho Diz:

    Depende, Analista Borges. Se poderá alegar que a intenção de Jeová é proibir que se consultem oráculos, pitonisas, &c.
    É essa a linha que me parece seguir o Frei na parte II onde ele esmiúça o tema.
     
    Agora, como se bem me lembro já debati c/AMo – que aliás sumiu apesar de terem saído os resultados da água fluidificada…- pra mim é claro que os redatores judeus da parte referente à médium de En-Dor querem dizer literalmente que de fato foi o espírito do Samuel que veio desde o Hades. Os cristãos ortodoxos fazem uma ginástica danada pra reinterpretar a passagem sem sucesso.

  19. Marciano Diz:

    Dessa o Vitor vai gostar (acho:
    Na China é proibido reencarnar sem permissão estatal.
     
    ISTO PROVA QUE REENCARNAÇÃO É POSSÍVEL, OU NÃO SERIA PROIBIDA.
     
    Na realidade, porém, a medida é apenas uma maneira da China tentar tomar o controle dos budistas tibetanos (incluindo o próprio Dalai Lama), dominando uma de suas crenças mais sagradas.

  20. Marciano Diz:

    Nessa história de que “se deus proíbe, é porque é verdade”, nem o Imbassahy acreditava:

    Mas temos a Bíblia! Aí é que está a certeza. O certo é a palavra de Deus. Essa expressão – palavra de Deus – por si só, possui um poder mirífico, como se Deus tivesse pronunciado alguma coisa, como se alguém a tivesse ouvido, como se fosse possível aos pecadores ouvidos humanos sentir o verbo do Absoluto.

    Os Espíritos não podem vir ter conosco, mas o Onipotente deixa o Infinito e vem dar aqui o seu cavaco, e nesse cavaco segreda a proibição.

    E tão magno assunto é transmitido às escondidas, ou só a um, e esse testemunho único, lendário, cujo fiador não se sabe quem seja, é que constitui a verdade, e dessa verdade é que se tem a certeza! Entretanto, Deus consente que se espalhe a mentira, que é a mensagem espírita; que o vento sopre por toda parte, que se infiltre por todos os rincões do globo, e assim venha minando as consciências, tomando um aspecto religioso, revestindo-se de uma lógica indestrutível, pregando a mais pura moral, falando nos Evangelhos, e ao contrário das vedações, das comunicações sibilinas, tudo claramente, escancaradamente, por médiuns de várias crenças, no seio das religiões mais familiares com o Criador, num momento oportuno, quando a inteligência se desenvolve, a Ciência progride, a Filosofia indaga, e a razão já não compreende a onipotência ao lado da falibilidade, a bondade ao lado do Inferno, a presciência ao lado do arrependimento, a onipresença ao lado das regiões interditas do Criador. E essa avalanche renovadora se apresenta acompanhada de provas robustas, invulneráveis, a par da indigência, nesta matéria, com que aparece a mencionada palavra divina, a qual, sujeita, ainda, à menor crítica, se desfaz como o pó, ao ligeiro contato do zéfiro.

    Parece, pelo visto, que Deus estava no firme propósito de enganar a humanidade. Inegável e infelizmente, o Livro Negro coloca o Senhor em má situação.

  21. Marciano Diz:

    Nem Imbassahy acreditava em deus (pelo menos o do velho testamento):
    Esse Deus, portanto, reverenciado no Livro, se existisse, não teria força moral para falar em “abominações e maldades”.

  22. Marciano Diz:

    Imbassahy, pelo menos, era honesto em seu raciocínio:
     
    “𝓐 𝓭𝓲𝓼𝓬𝓾𝓼𝓼𝓪̃𝓸 𝒆𝓶 𝓽𝓸𝓻𝓷𝓸 𝓭𝓪 𝓻𝒆𝓪𝓵𝓲𝓭𝓪𝓭𝒆 𝓸𝓾 𝓷𝓪̃𝓸 𝓭𝓸𝓼 𝒆𝓼𝓹𝓲́𝓻𝓲𝓽𝓸𝓼 𝒆𝓿𝓸𝓬𝓪𝓭𝓸𝓼 𝓳𝓪́ 𝒆𝓷𝓬𝓱𝒆 𝓷𝓾𝓶𝒆𝓻𝓸𝓼𝓸𝓼 𝓿𝓸𝓵𝓾𝓶𝒆𝓼 𝓹𝓻𝓸́ 𝒆 𝓬𝓸𝓷𝓽𝓻𝓪. 𝓞𝓼 𝒆𝓼𝓹𝓲́𝓻𝓲𝓽𝓪𝓼 𝓷𝓪̃𝓸 𝓪𝓹𝓻𝒆𝓼𝒆𝓷𝓽𝓪𝓻𝓪𝓶 𝓪𝓽𝒆́ 𝓱𝓸𝓳𝒆 𝓾𝓶𝓪 𝓭𝒆𝓶𝓸𝓷𝓼𝓽𝓻𝓪ç𝓪̃𝓸 𝓲𝓻𝓻𝒆𝒇𝓻𝓪𝓰𝓪́𝓿𝒆𝓵 𝒆 𝓬𝓪𝓫𝓪𝓵 𝓭𝒆 𝓺𝓾𝒆 𝓸𝓼 𝓬𝓱𝓪𝓶𝓪𝓭𝓸𝓼 𝒇𝒆𝓷𝓸̂𝓶𝒆𝓷𝓸𝓼 𝒆𝓼𝓹𝓲́𝓻𝓲𝓽𝓪𝓼 𝓼𝓪̃𝓸 𝓭𝒆 𝒇𝓪𝓽𝓸 𝓬𝓪𝓾𝓼𝓪𝓭𝓸𝓼 𝓹𝒆𝓵𝓸𝓼 𝒆𝓼𝓹𝓲́𝓻𝓲𝓽𝓸𝓼. 𝓐𝓼 𝒆𝔁𝓲𝓰𝒆̂𝓷𝓬𝓲𝓪𝓼 𝓭𝒆 𝓬𝒆𝓻𝓽𝓪𝓼 𝓬𝓲𝓻𝓬𝓾𝓷𝓼𝓽𝓪̂𝓷𝓬𝓲𝓪𝓼 𝒆 𝓬𝓸𝓷𝓭𝓲ç𝓸̃𝒆𝓼, 𝓼𝒆𝓶 𝓪𝓼 𝓺𝓾𝓪𝓲𝓼 𝓷𝓪̃𝓸 𝓱𝓪́ 𝓶𝓪𝓷𝓲𝒇𝒆𝓼𝓽𝓪ç𝓪̃𝓸, 𝓼𝓪̃𝓸 𝓼𝒆𝓶𝓹𝓻𝒆 𝓼𝓾𝓼𝓹𝒆𝓲𝓽𝓪𝓼. 𝓞 𝒇𝓪𝓽𝓸 𝓭𝒆 𝓱𝓪𝓿𝒆𝓻 𝓪𝓵𝓰𝓾𝓷𝓼 𝓹𝓸𝓾𝓬𝓸𝓼 𝓬𝓲𝒆𝓷𝓽𝓲𝓼𝓽𝓪𝓼 𝓭𝒆 𝓻𝒆𝓷𝓸𝓶𝒆 𝓺𝓾𝒆 𝒆𝓷𝓭𝓸𝓼𝓼𝓪𝓻𝓪𝓶 𝓪 𝓽𝒆𝓼𝒆 𝒆𝓼𝓹𝓲́𝓻𝓲𝓽𝓪 𝒆́ 𝓬𝓸𝓷𝓽𝓻𝓪𝓫𝓪𝓵𝓪𝓷ç𝓪𝓭𝓪 𝓹𝒆𝓵𝓸 𝒇𝓪𝓽𝓸 𝓸𝓹𝓸𝓼𝓽𝓸 𝓭𝒆 𝓱𝓪𝓿𝒆𝓻 𝓸𝓾𝓽𝓻𝓪 𝓼𝒆́𝓻𝓲𝒆 𝓶𝓾𝓲𝓽𝓸 𝓶𝓪𝓲𝓼 𝓷𝓾𝓶𝒆𝓻𝓸𝓼𝓪 𝓭𝒆 𝓬𝓲𝒆𝓷𝓽𝓲𝓼𝓽𝓪𝓼 𝓺𝓾𝒆 𝓸𝓾 𝓷𝒆𝓰𝓪𝓶 𝓭𝒆 𝓽𝓸𝓭𝓸 𝓪 𝓽𝒆𝓼𝒆 𝒆𝓼𝓹𝓲́𝓻𝓲𝓽𝓪 𝓸𝓾 𝓬𝓸𝓷𝓼𝓲𝓭𝒆𝓻𝓪𝓶-𝓷𝓪 𝓪𝓲𝓷𝓭𝓪 𝓲𝓷𝓼𝓾𝒇𝓲𝓬𝓲𝒆𝓷𝓽𝒆𝓶𝒆𝓷𝓽𝒆 𝓬𝓸𝓶𝓹𝓻𝓸𝓿𝓪𝓭𝓪.”

  23. Marciano Diz:

    É pior do que ele pensava:
    Os espíritas não apresentaram até hoje uma demonstração irrefragável e cabal de que os chamados espíritos EXISTEM.

  24. Marciano Diz:

    A frase destacada é do Frei.

  25. Marciano Diz:

    Diz o Frei:
    “𝙰𝚍𝚎𝚖𝚊𝚒𝚜 𝚊 𝚙𝚛𝚘́𝚙𝚛𝚒𝚊 𝚜𝚎𝚜𝚜𝚊̃𝚘 𝚎́ 𝚜𝚞𝚖𝚊𝚖𝚎𝚗𝚝𝚎 𝚌𝚘𝚗𝚟𝚒𝚍𝚊𝚝𝚒𝚟𝚊 𝚙𝚊𝚛𝚊 𝚊 𝚟𝚎𝚕𝚑𝚊𝚌𝚊𝚛𝚒𝚊; 𝚊 𝚖𝚎𝚒𝚊 𝚎𝚜𝚌𝚞𝚛𝚒𝚍𝚊̃𝚘, 𝚜𝚎𝚖 𝚊 𝚚𝚞𝚊𝚕 𝚘𝚜 𝚎𝚜𝚙𝚒́𝚛𝚒𝚝𝚘𝚜 𝚗𝚊̃𝚘 𝚙𝚘𝚍𝚎𝚖 𝚌𝚘𝚖𝚞𝚗𝚒𝚌𝚊𝚛-𝚜𝚎; 𝚊 𝚖𝚞́𝚜𝚒𝚌𝚊, 𝚚𝚞𝚎 𝚎𝚗𝚌𝚘𝚋𝚛𝚎 𝚛𝚞𝚖𝚘𝚛𝚎𝚜 𝚜𝚞𝚜𝚙𝚎𝚒𝚝𝚘𝚜, 𝚊 𝚙𝚛𝚘𝚒𝚋𝚒ç𝚊̃𝚘 𝚍𝚎 𝚝𝚘𝚌𝚊𝚛 𝚗𝚘𝚜 𝚖𝚎́𝚍𝚒𝚞𝚗𝚜 𝚘𝚞 𝚊𝚌𝚎𝚗𝚍𝚎𝚛 𝚊 𝚕𝚞𝚣, 𝚘 𝚐𝚊𝚋𝚒𝚗𝚎𝚝𝚎 𝚎 𝚊 𝚌𝚘𝚛𝚝𝚒𝚗𝚊...”
    É verdade!
    Isso tudo é extremamente suspeito.

  26. Marciano Diz:

    Trecho do livro do Frei:
     
     
    “є́ เภย́tเl єxเɠเг เ๔єภtเŦเςคçค̃๏, թ๏เร รє๓єlђคภtє թє๔เ๔๏ ๏ ๓คɠ๏ค, ค๏ єรթเ́гเt๏, є թ๏г เรร๏ ๔єvє รєг єvเtค๔๏; คɠครtค-๏ t๏๔ค ค ợยєรtค̃๏ ợยє tєภђค թ๏г Ŧเ๓ թ๏̂-l๏ ค թг๏vค.”
     
     
    É outra coisa que não se pode negar.
    Sempre que tentamos elaborar um teste aqui, essa suscetibilidade exacerbada aparece como desculpa para fugir dos testes.

  27. Marciano Diz:

    Ainda tem a história do Quevedo, que queria uma conversinha com o Emm paroxítono, mas este fugiu da conversa, POIS NÃO SABIA FALAR LATIM.
    Só sabia falar portinglês, que estava aprendendo no além, gírias estranhas e fora de época, quando “esquecia” de dizer para cx que o morto falava gírias e era lembrado disso pela família.
     
    Tem de ser muito otário para perder tempo com espiritismo.
    É uma das crenças mais infantis de que se tem notícia.
     
    Não sei quando volto.

  28. Vinicius Diz:

    Marciano, hoje , “gêmeas” que trabalham me perguntaram pela terceira ou quarta vez : “você é espírita? ” e eu respondi : “não”. Daí uma rebateu: ué, a gente achava que você era, você falou uma vez… (por pouco não falei: ué, por que perguntaram então ???) ..
     
    Uma preocupação com a “crença” alheia absurda… Mas antes disso me perguntaram o que eu achava de um bloco de carnaval colocar Nossa Senhora (mãe do JC ou FG) :Mrgreen: no desfile :!:
     
    Eu falei: ah, se eles gostam dela não vejo problemas não.
    Detalhe: essas irmãs são contra, e tem fotos de Maria na baia onde trabalham.

  29. Marciano Diz:

    Oi, Vinicius.
    Veja que situação: se botam a mãe de FG no desfile, elas não gostam, se botam Asmodeus (o demônio da luxúria, segundo a ICAR – combina bem com o carnaval), elas também não gostam.
    Se puder (se lhe convier) pergunte a elas o que achariam se a escola desfilasse com o krishna, mas não vá adiante.
    Só pergunte.
    Não vale a pena discutir com as gêmeas, acredite.
     
    Veja que curiosidade. Achei meu primeiro comentário nesse blog. Eu ainda usava meu prenome.
    Desde aquele tempo que o poltergeist me persegue, como poderá constatar.
     
     
    luiz Diz:
    JUNHO 26TH, 2009 ÀS 5:58 AM
    Como tem maluco neste mundo (e só neste, porque em outros não existe nada). Fazem qualquer coisa para justificar suas crenças absurdas. E não são nem um pouco cristãos ou espíritas quando escarnecem dos que não creem nas sandices que apregoam. Eu posso, não sou espírita nem cristão.
    A ciência é especulativa, nunca pretendeu conhecer toda a verdade. A religião é dogmática, não erra. E o Espírito de Verdade? Será, na realidade, o Espírito de Mentira?
    Quem precisa de uma muleta psicolígica não se desfaz dela de jeito nenhum. Uma pessoa não religiosa que afirmasse as mesmas cretinices seria tachada de esquizofrênica.
     
    O poltergeist trocou psicológica por psicolígica.
     
    Vai fazer oito anos que comento aqui.
    A insônia já me perseguia naquele tempo, pois já eram seis da manhã e eu não tinha dormido.
    Não me lembro mais, mas claro que foi mais um dia que fui trabalhar sem dormir, pois foi numa quinta-feira.

  30. Marciano Diz:

    Confira aqui.
     
    Logo depois, surgiu um cara com o mesmo prenome, só que com inicial maiúscula (em outro tópico), dizendo coisas que poderiam confundir os dois.
    Algum tempo depois, se não estou enganado, assumi minha origem marciana.

  31. Marciano Diz:

    Eu levei, talvez, uns dois anos, só lendo, sem me manifestar.
    Aí comecei, timidamente. Com o tempo, fiquei comentarista assíduo.
    Atualmente estou mais 【c】【r】【i】【a】【t】【i】【v】【o】 , mais ̛̭̰̃ã̛̛̰̭̭̰̃f̛̛̰̭̭̰̃̃r̛̛̰̭̭̰̃̃ḛ̛̛̭̭̰̃̃s̛̛̰̭̭̰̃̃c̛̛̰̭̭̰̃̃ã̛̛̰̭̭̰̃l̛̛̰̭̭̰̃̃h̛̛̰̭̭̰̃̃ã̛̛̰̭̭̰̃d̛̛̰̭̭̰̃̃ỡ̰̭ , já andei mais verborreico, mas o blog é que anda meio parado.

  32. Marciano Diz:

    ˜”*°•.˜”*°• afrescalhado •°*”˜.•°*”˜ no estilo de formatar o texto, não vá confundir as coisas.

  33. Marciano Diz:

    ░░▄░░░▄░▄▄▄▄░░░░░░░░░░░░░░░
    ░░█▀▄▀█░█▄▄░░░░░░░░░░░░░░░░
    ░░█░░░█░█▄▄▄░░░░░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░
    ░▄▄▄░▄░░░▄░░▄▄▄░▄▄▄▄▄░░▄▄▄░
    █░░░░█░░░█░█░░░░░░█░░░█░░░█
    █░▀█░█░░░█░░▀▀▄░░░█░░░█▀▀▀█
    ░▀▀▀░░▀▀▀░░▄▄▄▀░░░▀░░░▀░░░▀ , mas eu erro ainda, às vezes.
    O conteúdo anda prejudicado, por causa da falta de argumento das partes contrárias ou por causa da circularidade de seus argumentos.

  34. Marciano Diz:

    ▄███▄◕─◕▄██▄◕◕▄███◕─◕████▄
    ▀──██◕◕██──██◕─◕██◕────◕██
    ──██◕─◕██──██◕─◕██◕───◕██
    ─██◕──◕██──██◕─◕██◕──◕██
    █████◕─◕▀██▀◕─◕▄██▄◕─◕██
    Como o tempo voa.
    Naquele tempo eu não sabia nem negritar o texto.
    Apareça mais, Vinicius.

  35. Marciano Diz:

    ░N░ã░o░ ░s░e░ ░e░s░q░u░e░ç░a░ ░d░e░ ░u░s░a░r░ ░o░ ░G░o░o░g░l░e░ ░C░h░r░o░m░e░,░ ░p░a░r░a░ ░v░e░r░ ░o░s░ ░e░f░e░i░t░o░s░.░
    Se usar um navegador vagabundo, só vai ver pontos de interrogação, em vez da frescura (ou arte, depende do ponto de vista – 50/50, acho).

  36. Borges Diz:

    “ALTO LÁ!
    NÃO ACABA DE DEMONSTRAR NADA DISSO.”
    .
    ALTO LÁ DIGO EU!
    VOCÊ ACABA DE DEMONSTRAR QUE NÃO ENTENDEU NADA DO QUE EU DISSE.
    (Vou apenas destacar um aspecto do livro do Pe. BV que parece produzir um efeito oposto ao que deseja, quando se mantem no “âmbito” religioso.)
    Gostaria de destacar o trecho “quando se mantem no âmbito religioso”. Observe que eu não mencionei “no âmbito científico”. Sabendo que a obra era direcionada especialmente ao público católico, e que Deus é uma realidade para eles e não uma simples crença, busquei argumentar dentro do campo tateado pelo Pe. BV. Neste caso, a conclusão fica atrelada a uma condição; ou seja, se Deus existe e é tudo o que dizem os católicos, então, quando condena a evocação de espíritos, está autenticando a existência e a comunicação com os mesmos. Uma situação semelhante ocorre quando os evangélicos dizem que a comunicação não é com os espíritos e sim com os demônios; neste caso, eles estão confirmando o fenômeno, mudando apenas o nome do interlocutor.
    .
    “se Deus proíbe, é porque existe; concluindo, se existe a comunicação entre vivos e mortos
    ===============================================================

    Falácia pura! Quem disse que deus existe ”
    .
    Matreiramente você comeu parte da frase. Vamos recompô-la.
    .
    “Portanto, fica evidente, de acordo com a religião de BV, que se Deus proíbe, é porque existe; concluindo, se existe a comunicação entre vivos e mortos, resta provado (juridiquês) a base em que foi construído o espiritismo.”
    .
    Eu não mencionei “se Deus proíbe, é porque existe”: e sim, fica evidente, de acordo com a religião de BV, que se Deus proíbe, é porque existe.
    Eu também não sei se Deus existe e, se quisesse demonstrar a existência de espíritos e a comunicação com os mesmos, certamente não usaria Deus para isso. Achei importante colocar o comentário que deu origem a esta “esgrima verbal”, porque já fui católico praticante; tenho mais horas de banco de igreja que de selim de bicicleta.
    .

    “Está muito enganado sobre o raciocínio jurídico. Ele não é nem pode ser idêntico ao raciocínio científico, mas não é obtuso assim (refiro ao argumento, não à sua pessoa, claro).”

    .
    Você também está muito enganado sobre o que eu disse; a minha observação colocada entre parênteses (juridiquês), referia-se apenas à expressão “resta provado”, que cansei de ouvir durante o julgamento do mensalão.
    Um abraço

  37. Borges Diz:

    Sua jocosidade pode voltar-se contra você, na mente daqueles que entenderam exatamente o que eu queria dizer.

  38. Gorducho Diz:

    A defesa do Frei me parece ser que ele tenta levar pro lado de que Jeová estaria legislando figurativamente i.e. a proibição referir-se-ia a adivinhos oraculares que fingiriam canalizar defuntos.
    Essa é a linha dos cristãos no que se refere a En-Dor.
    Que claramente não foi a intenção dos redatores da passagem que a tinham por real.

  39. Gorducho Diz:

    Se os cristãos ortodoxos não se agarram nessa linha da figuratividade então se dão um tiro-no-pé porque estarão então admitindo que a comunicação existe.
    Existem leis proibindo consumir cocaína por que… cocaína existe :!:
    A desculpa do cristianismo ortodoxo – i.e., não espírita – é que a “cocaína” constante da legislação Divina é figurativa…

  40. Marciano Diz:

    ۰۪۫T۪۫۰۰۪۫o۪۫۰۰۪۫u۪۫۰۰۪۫c۪۫۰۰۪۫h۪۫۰۰۪۫é۪۫۰۰۪۫,۪۫۰ ۰۪۫B۪۫۰۰۪۫o۪۫۰۰۪۫r۪۫۰۰۪۫g۪۫۰۰۪۫e۪۫۰۰۪۫s۪۫۰۰۪۫.۪۫۰
    ˙oıɹɐ̗ɹʇuoɔ oɐ oʇxǝʇ nǝs ıpuǝʇuǝ ǝnb oɥɔ∀

  41. Marciano Diz:

    Caso não tenha entendido, vire de cabeça para baixo (o computador, não você).

  42. Marciano Diz:

    A cocaína é metafórica.
    Os efeitos que ela produz na mente, a gente vê em qualquer crente.

  43. Marciano Diz:

    Escolha qual matreiro se aplica a mim, na sua concepção:
    1 dotado de sagacidade para lidar com pessoas ou situações; sabido, experiente
    2 Regionalismo: Rio Grande do Sul.
    que é esquivo, que não se deixa pegar facilmente (diz-se de animal)
    3 Derivação: por extensão de sentido. Regionalismo: Rio Grande do Sul.
    diz-se de pessoa esperta, ardilosa, que usa de má-fé e esquivas

  44. Marciano Diz:

    Significado de Matreiramente

    adv.
    1. De maneira matreira; de modo espertalhão, malandro ou astuto; de forma sagaz ou sorrateira.
    (Etm. matreira + mente)

    Sinónimo de Matreiramente

    Sinónimos: astutamente, malandramente, sagazmente, sorrateiramente

    Antónimo de Matreiramente

    Antónimos: ingenuamente, inocentemente

  45. Marciano Diz:

    Embora você não seja um animal (no sentido a que os dicionários referem-se acima – não no sentido biológico, dado que não é mineral, fungo, monera ou coisa que o valha), quem se mostrou matreiro foste tu (que és esquivo, que não te deixas pegar facilmente).

  46. Marciano Diz:

    Tô de olho em você ʘ͜͡ʘ
    Bagre ensaboado também morde o anzol, mais cedo ou mais tarde.
    Einstein.

  47. Marciano Diz:

    jocosidade, alegria, brincadeira, brinco, chiste, comicidade, diversão, divertimento, eutrapelia, facécia, graça, hilaridade, risibilidade, zombaria

    n substantivo feminino
    1 característica do que é jocoso; comicidade, graça
    Ex.: o tio alegra as festas com sua j.
    2 dito, gesto ou expressão jocosa; gracejo, chiste, brincadeira
    Ex.: não me venha com jocosidades que a situação é séria

  48. Marciano Diz:

    Tenho mais horas de banco de igreja que de selim de bicicleta.
    Borges.
    Para não dizerem que só cito Einstein.
    Gostei desta também.
    Vou acrescentá-la à minha coletânea de frases.
    Se me permite, claro.

  49. Marciano Diz:

    Borges vai para o meu centão.
    Derivação: por extensão de sentido.
    obra repleta de frases e pensamentos de autores vários (Houaiss).
    Prova de que não estou de jocosidade:
    centão Datação: 1712

    n substantivo masculino
    1 manta de retalhos ou em farrapos
    2 manta grosseira, us. para cobrir e resguardar peças de artilharia
    3 Rubrica: literatura, música.
    composição poética ou musical formada de versos e melodias diversos, de um só autor ou de vários
    4 Derivação: por extensão de sentido.
    obra repleta de frases e pensamentos de autores vários.

  50. Marciano Diz:

    Como meu centão está organizado alfabeticamente, Borges vai ser um dos primeiros na minha lista.
    Bem pertinho de
    Bohr, Niels
    o qual disse:
    Não há nada no mundo que esteja melhor repartido do que a razão: todos estão convencidos de que a tem de sobra.
    Eu também tenho as minhas, como esta:
    Um físico é apenas a forma que um átomo encontrou de olhar para si mesmo.
    Marciano.

  51. Borges Diz:

    “Caso não tenha entendido, vire de cabeça para baixo (o computador, não você).”
    .
    Não é necessário um manual de instruções, está mais claro que o dia lá fora. Sou um retardado mental “classe especial”; consigo ver até o avesso do avesso do avesso do avesso; como diz a música Sampa de Caetano.
    Um abraço

  52. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Infelizmente, parece que espíritos só aparecem para quem acredita neles, e nem todos, como bem prova o autor do livro.”
    /.
    NEM PARA OS QUE NELES ACREDITAM aparecem: os que acreditam acreditam que fizeram contato. Só.

  53. Marciano Diz:

    👽
    Em Marte, até os encarnados são invisíveis, como não mostram as fotos das sondas (>‿◠)✌
    E tem romances espíritas em que espíritos são invisíveis para outros espíritos.

  54. Marciano Diz:

    Aliás, e a propósito, a coisa tá feia no Rio, com saques em lojas, comércio fechado, etc.
    ¯¯̿̿¯̿̿'̿̿̿̿̿̿̿'̿̿'̿̿̿̿̿'̿̿̿)͇̿̿)̿̿̿̿ '̿̿̿̿̿̿\̵͇̿̿\=(•̪̀●́)=o/̵͇̿̿/'̿̿ ̿ ̿̿
    Só um deus assim ¯¯̿̿¯̿̿'̿̿̿̿̿̿̿'̿̿'̿̿̿̿̿'̿̿̿)͇̿̿)̿̿̿̿ '̿̿̿̿̿̿\̵͇̿̿\=(•̪̀●́)=o/̵͇̿̿/'̿̿ ̿ ̿̿ para nos salvar.

  55. Marciano Diz:

    ̿' ̿'\̵͇̿̿\з=(◕_◕)=ε/̵͇̿̿/'̿'̿ ̿
    HELP!
    I need somebody!
    Chame: Ladrão!

  56. Marciano Diz:

    Como não posso contar com ajuda divina nem diabólica, vou comprar um para defesa pessoal
    (╯°□°)--︻╦╤─

  57. Marciano Diz:

    Como é mesmo aquele sinal de paz e amor?
    Lembrei-me: /̵͇̿̿/'̿̿ ̿̿ ̿̿

  58. Marciano Diz:

    ──────▄▄▄▄▄███████████████████▄▄▄▄▄──────
    ────▄██████████▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀██████▀████▄────
    ──▄██▀████████▄─────────────▀▀████─▀██▄──
    ─▀██▄▄██████████████████▄▄▄─────────▄██▀─
    ───▀█████████████████████████▄────▄██▀───
    ─────▀████▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀█████████▄▄██▀─────
    ───────▀███▄──────────────▀██████▀───────
    ─────────▀██████▄─────────▄████▀─────────
    ────────────▀█████▄▄▄▄▄▄▄███▀────────────
    ──────────────▀████▀▀▀████▀──────────────
    ────────────────▀███▄███▀────────────────
    ───────────────────▀█▀───────────────────

  59. Marciano Diz:

    Só o Superman para nos salvar.
    _/﹋\_
    (҂`_´)
    <,︻╦╤─ ҉ - -
    _/﹋\_

  60. Gorducho Diz:

    ATENÇÃO SR. ADMINISTRADOR ANTES QUE SAIA PRO WEEKEND :!:
    Viu o gato médium na Rússia que canaliza um gato falecido e assim trabalham como detectives psíquicos ajudando a encontrar missing pets :?:
    bom tema pra semana-que-vem…

  61. Vitor Diz:

    Não, não vi.

  62. Gorducho Diz:

    Direto da Federação Russa: gato detective psíquico
     
     
    E tem gente que duvida que o FBI use… :(

  63. Gorducho Diz:

    Ah! não. A médium é humana – a moça claro…
    Ela canaliza a falecida gata dela.
     
    Estou procurando se o Plinio faz alguma descrição do Timonium…

  64. Marciano Diz:

    Espécialment pour Borges:
    rusé, adj. et n. Qui fait preuve de ruse : Rusé comme
    un renard (syn. matois [lia].
    ruse n.f. 1. Procédé habile dont on se sert pour
    parvenir à ses fins : Elle a déjoué les ruses de ses
    adversaires (syn. manœuvre, stratagème). 2. Habileté de qqn à agir de façon trompeuse, déloyale : // a obtenu ces
    informations par la ruse (syn. fourberie, roublardise).

  65. Marciano Diz:

    J’ai presque oublié: astucieux.

  66. Marciano Diz:

    Dieu est mort.
    Jean Jacques Rousseau.
    Je ne me souviens pas très clairement, c’est l’alcool. Peut-être que c’était René Descartes qui a dit cela.

  67. Marciano Diz:

    Quelque chose, je sais à coup sûr: il a dit:
    – Gott ist tot!
    Jean Jacques ou René.

  68. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Imbassahy, pelo menos, era honesto em seu raciocínio:”
    .
    [...]
    /.
    CONSIDERAÇÃO: Mestre do HTML: o raciocínio não é de Imbassahy, é do frei…

  69. Marciano Diz:

    I think it’s quite clear that I’m drinking spirits, and that reminds me that Borges asked me to signal when I’m writing under the influence.
    Spirits: an alcoholic beverage that is distilled rather than fermented.
    Not to be confused with spirits. Their best-known manifestations are voodoo, and other ‘magical thinking’ that involves curses. Such practices almost invariably include some mechanism for letting the victim know that he has been cursed, and this is the main, possibly only, requirement for success, as they say.

  70. Marciano Diz:

    Montalvão, continuas distraído.
    Eu já houvera corrigido.
    Vou colar aqui pra você.
    E quem bebe sou eu. O efeito vai para o Montalvão.

  71. Marciano Diz:

    Clique aqui, Montalvão
    Viu a data e o horário⁉
    E eu não sou mestre de HTML, sou aprendiz.
    Sou mestre de Feitiçaria.
    Do verbo feitiçaria, mas não feitiça mais.

  72. MONTALVÃO Diz:

    /
    Marciano Diz:
    A frase destacada é do Frei.
    /.
    UÉ, NÃO ERA “raciocínio” do Imbassahy?

  73. Marciano Diz:

    Como andam seus dedos¿
    Se eu soubesse de algum bom feitiço, indicaria.
    Espero que esteja melhor de suas mazelas, pois você faz muita falta aqui.

  74. Marciano Diz:

    Amigo dedicado e preguiçoso, vou colar tudo aqui pra você:
    Diz o Frei:
    “𝙰𝚍𝚎𝚖𝚊𝚒𝚜 𝚊 𝚙𝚛𝚘́𝚙𝚛𝚒𝚊 𝚜𝚎𝚜𝚜𝚊̃𝚘 𝚎́ 𝚜𝚞𝚖𝚊𝚖𝚎𝚗𝚝𝚎 𝚌𝚘𝚗𝚟𝚒𝚍𝚊𝚝𝚒𝚟𝚊 𝚙𝚊𝚛𝚊 𝚊 𝚟𝚎𝚕𝚑𝚊𝚌𝚊𝚛𝚒𝚊; 𝚊 𝚖𝚎𝚒𝚊 𝚎𝚜𝚌𝚞𝚛𝚒𝚍𝚊̃𝚘, 𝚜𝚎𝚖 𝚊 𝚚𝚞𝚊𝚕 𝚘𝚜 𝚎𝚜𝚙𝚒́𝚛𝚒𝚝𝚘𝚜 𝚗𝚊̃𝚘 𝚙𝚘𝚍𝚎𝚖 𝚌𝚘𝚖𝚞𝚗𝚒𝚌𝚊𝚛-𝚜𝚎; 𝚊 𝚖𝚞́𝚜𝚒𝚌𝚊, 𝚚𝚞𝚎 𝚎𝚗𝚌𝚘𝚋𝚛𝚎 𝚛𝚞𝚖𝚘𝚛𝚎𝚜 𝚜𝚞𝚜𝚙𝚎𝚒𝚝𝚘𝚜, 𝚊 𝚙𝚛𝚘𝚒𝚋𝚒ç𝚊̃𝚘 𝚍𝚎 𝚝𝚘𝚌𝚊𝚛 𝚗𝚘𝚜 𝚖𝚎́𝚍𝚒𝚞𝚗𝚜 𝚘𝚞 𝚊𝚌𝚎𝚗𝚍𝚎𝚛 𝚊 𝚕𝚞𝚣, 𝚘 𝚐𝚊𝚋𝚒𝚗𝚎𝚝𝚎 𝚎 𝚊 𝚌𝚘𝚛𝚝𝚒𝚗𝚊...”
    É verdade!
    Isso tudo é extremamente suspeito.

    Marciano Diz:

    fevereiro 9th, 2017 às 2:12 PM

    Trecho do livro do Frei:
     
     
    “є́ เภย́tเl єxเɠเг เ๔єภtเŦเςคçค̃๏, թ๏เร รє๓єlђคภtє թє๔เ๔๏ ๏ ๓คɠ๏ค, ค๏ єรթเ́гเt๏, є թ๏г เรร๏ ๔єvє รєг єvเtค๔๏; คɠครtค-๏ t๏๔ค ค ợยєรtค̃๏ ợยє tєภђค թ๏г Ŧเ๓ թ๏̂-l๏ ค թг๏vค.”
     
     
    É outra coisa que não se pode negar.
    Sempre que tentamos elaborar um teste aqui, essa suscetibilidade exacerbada aparece como desculpa para fugir dos testes.

    Marciano Diz:

    fevereiro 9th, 2017 às 2:18 PM

    Ainda tem a história do Quevedo, que queria uma conversinha com o Emm paroxítono, mas este fugiu da conversa, POIS NÃO SABIA FALAR LATIM.
    Só sabia falar portinglês, que estava aprendendo no além, gírias estranhas e fora de época, quando “esquecia” de dizer para cx que o morto falava gírias e era lembrado disso pela família.
     
    Tem de ser muito otário para perder tempo com espiritismo.
    É uma das crenças mais infantis de que se tem notícia.
     
    Não sei quando volto.

  75. Marciano Diz:

    Errei na cola.
    Agora vai:
    Imbassahy, pelo menos, era honesto em seu raciocínio:
     
    “𝓐 𝓭𝓲𝓼𝓬𝓾𝓼𝓼𝓪̃𝓸 𝒆𝓶 𝓽𝓸𝓻𝓷𝓸 𝓭𝓪 𝓻𝒆𝓪𝓵𝓲𝓭𝓪𝓭𝒆 𝓸𝓾 𝓷𝓪̃𝓸 𝓭𝓸𝓼 𝒆𝓼𝓹𝓲́𝓻𝓲𝓽𝓸𝓼 𝒆𝓿𝓸𝓬𝓪𝓭𝓸𝓼 𝓳𝓪́ 𝒆𝓷𝓬𝓱𝒆 𝓷𝓾𝓶𝒆𝓻𝓸𝓼𝓸𝓼 𝓿𝓸𝓵𝓾𝓶𝒆𝓼 𝓹𝓻𝓸́ 𝒆 𝓬𝓸𝓷𝓽𝓻𝓪. 𝓞𝓼 𝒆𝓼𝓹𝓲́𝓻𝓲𝓽𝓪𝓼 𝓷𝓪̃𝓸 𝓪𝓹𝓻𝒆𝓼𝒆𝓷𝓽𝓪𝓻𝓪𝓶 𝓪𝓽𝒆́ 𝓱𝓸𝓳𝒆 𝓾𝓶𝓪 𝓭𝒆𝓶𝓸𝓷𝓼𝓽𝓻𝓪ç𝓪̃𝓸 𝓲𝓻𝓻𝒆𝒇𝓻𝓪𝓰𝓪́𝓿𝒆𝓵 𝒆 𝓬𝓪𝓫𝓪𝓵 𝓭𝒆 𝓺𝓾𝒆 𝓸𝓼 𝓬𝓱𝓪𝓶𝓪𝓭𝓸𝓼 𝒇𝒆𝓷𝓸̂𝓶𝒆𝓷𝓸𝓼 𝒆𝓼𝓹𝓲́𝓻𝓲𝓽𝓪𝓼 𝓼𝓪̃𝓸 𝓭𝒆 𝒇𝓪𝓽𝓸 𝓬𝓪𝓾𝓼𝓪𝓭𝓸𝓼 𝓹𝒆𝓵𝓸𝓼 𝒆𝓼𝓹𝓲́𝓻𝓲𝓽𝓸𝓼. 𝓐𝓼 𝒆𝔁𝓲𝓰𝒆̂𝓷𝓬𝓲𝓪𝓼 𝓭𝒆 𝓬𝒆𝓻𝓽𝓪𝓼 𝓬𝓲𝓻𝓬𝓾𝓷𝓼𝓽𝓪̂𝓷𝓬𝓲𝓪𝓼 𝒆 𝓬𝓸𝓷𝓭𝓲ç𝓸̃𝒆𝓼, 𝓼𝒆𝓶 𝓪𝓼 𝓺𝓾𝓪𝓲𝓼 𝓷𝓪̃𝓸 𝓱𝓪́ 𝓶𝓪𝓷𝓲𝒇𝒆𝓼𝓽𝓪ç𝓪̃𝓸, 𝓼𝓪̃𝓸 𝓼𝒆𝓶𝓹𝓻𝒆 𝓼𝓾𝓼𝓹𝒆𝓲𝓽𝓪𝓼. 𝓞 𝒇𝓪𝓽𝓸 𝓭𝒆 𝓱𝓪𝓿𝒆𝓻 𝓪𝓵𝓰𝓾𝓷𝓼 𝓹𝓸𝓾𝓬𝓸𝓼 𝓬𝓲𝒆𝓷𝓽𝓲𝓼𝓽𝓪𝓼 𝓭𝒆 𝓻𝒆𝓷𝓸𝓶𝒆 𝓺𝓾𝒆 𝒆𝓷𝓭𝓸𝓼𝓼𝓪𝓻𝓪𝓶 𝓪 𝓽𝒆𝓼𝒆 𝒆𝓼𝓹𝓲́𝓻𝓲𝓽𝓪 𝒆́ 𝓬𝓸𝓷𝓽𝓻𝓪𝓫𝓪𝓵𝓪𝓷ç𝓪𝓭𝓪 𝓹𝒆𝓵𝓸 𝒇𝓪𝓽𝓸 𝓸𝓹𝓸𝓼𝓽𝓸 𝓭𝒆 𝓱𝓪𝓿𝒆𝓻 𝓸𝓾𝓽𝓻𝓪 𝓼𝒆́𝓻𝓲𝒆 𝓶𝓾𝓲𝓽𝓸 𝓶𝓪𝓲𝓼 𝓷𝓾𝓶𝒆𝓻𝓸𝓼𝓪 𝓭𝒆 𝓬𝓲𝒆𝓷𝓽𝓲𝓼𝓽𝓪𝓼 𝓺𝓾𝒆 𝓸𝓾 𝓷𝒆𝓰𝓪𝓶 𝓭𝒆 𝓽𝓸𝓭𝓸 𝓪 𝓽𝒆𝓼𝒆 𝒆𝓼𝓹𝓲́𝓻𝓲𝓽𝓪 𝓸𝓾 𝓬𝓸𝓷𝓼𝓲𝓭𝒆𝓻𝓪𝓶-𝓷𝓪 𝓪𝓲𝓷𝓭𝓪 𝓲𝓷𝓼𝓾𝒇𝓲𝓬𝓲𝒆𝓷𝓽𝒆𝓶𝒆𝓷𝓽𝒆 𝓬𝓸𝓶𝓹𝓻𝓸𝓿𝓪𝓭𝓪.”

    Marciano Diz:

    fevereiro 9th, 2017 às 2:01 PM

    É pior do que ele pensava:
    Os espíritas não apresentaram até hoje uma demonstração irrefragável e cabal de que os chamados espíritos EXISTEM.

    Marciano Diz:

    fevereiro 9th, 2017 às 2:03 PM

    A frase destacada é do Frei.

  76. Marciano Diz:

    Quer dizer, eu me enganei, mas corrigi em seguida.
    Você é um cabra matreiro.

  77. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Marciano Diz:
    A frase destacada é do Frei.
    /.
    Tô com sono… li frase e entendi sentença, a frase destacada, se agora bem compreendi foi:
    /
    “Os espíritas não apresentaram até hoje uma demonstração irrefragável e cabal de que os chamados espíritos EXISTEM.”
    /
    Acontece que o que o frei disse foi:
    /
    “Os espíritas não apresentaram até hoje uma demonstração irrefragável e cabal de que os chamados fenômenos espíritas são de fato CAUSADOS PELOS ESPÍRITOS.”
    /
    Então: ?!

  78. Marciano Diz:

    Eu escrevo torto por linhas certas, mas se fizer algum esforço, me compreenderás.

  79. Marciano Diz:

    E não viu minha pergunta sobre se já ficou bom da enfermidade que o afligia e afugentava daqui.
    Sabe muito bem que folgo em vê-lo presente, sempre que o faz, desde muito tempo.

  80. Marciano Diz:

    Eu corrigi o pensamento do frei, que acreditava em espíritos, embora não acreditasse que eles se manifestam.
    Disse o que ele deveria ter dito.

  81. Marciano Diz:

    Primeiro atribuí a Imbassahy a frase do frei, depois corrigi os dois erros, o meu e o do frei.

  82. Marciano Diz:

    Veja o comentário que fiz sobre você em 2012:
    Marciano Diz:
    JUNHO 28TH, 2012 ÀS 12:02 PM
    Montalvão demora a se manifestar, mas quando o faz é magistral.
    O John Dunne (John Doe?) tem uma teoria bem maluca sobre o tempo, o qual seria um todo composto de passado, presente e futuro, nós só perceberíamos uma coisa de cada vez, por isso teríamos uma concepção distorcida do tempo em si.
    Ele procura explicar precognição em essa teoria maluca. Bem melhor do que ele é Guy de Maupassant, em um conto, não me lembro agora, ele diz que a gente tem premonições o tempo todo, quase todas dão erradas e a gente descarta. Quando uma delas dá mais ou menos certo, usamos a memória seletiva para registrar só esta.
    Dunne se dizia médium e espiritualista, o que compromete qualquer coisa que diga para justificar suas crenças.
    Qualquer dúvida, consultem a New Scientist. Há uma artigo sobre o que falei (Ruth Brandon Scientists and the supernormal – New Scientist 16 June 1983 p. 786)

  83. Marciano Diz:

    Foi neste tópico:
    http://obraspsicografadas.org/2012/a-reencarnao-compatvel-com-a-biologia-e-com-a-evoluo/

  84. Marciano Diz:

    Tem novidades do ‛¯¯٭٭¯¯(▫▫)¯¯٭٭¯¯’ , lá no FCC, pelo que sei.
    Foi o que Gorducho disse.

  85. Marciano Diz:

    Parece que Montalvão foi dormir.
    Também vou.
    __________________¶________________¶
    _________________¶¶________________¶¶
    _______________¶¶¶__________________¶¶¶
    _____________¶¶¶¶____________________¶¶¶¶
    ____________¶¶¶¶¶____________________¶¶¶¶¶
    ___________¶¶¶¶¶______________________¶¶¶¶¶
    __________¶¶¶¶¶¶______________________¶¶¶¶¶¶
    __________¶¶¶¶¶¶¶__¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶__¶¶¶¶¶¶¶
    __________¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    ___________¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    ____________¶¶¶¶¶¶¶¶____¶¶¶¶¶¶____¶¶¶¶¶¶¶¶
    ___¶________¶¶¶¶¶¶¶______¶¶¶¶______¶¶¶¶¶¶¶
    ___¶_______¶¶¶¶¶¶¶¶___O_¶¶¶¶¶__O__¶¶¶¶¶¶¶¶
    __¶¶¶______¶¶¶¶¶¶¶¶¶____¶¶¶¶¶¶____¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    __¶¶¶_____¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    _¶¶¶¶¶____¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶__¶¶
    _¶¶¶¶¶____¶¶¶__¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶__¶¶¶
    ___¶¶_____¶¶¶__¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶__¶¶¶
    ___¶¶______¶¶¶_____¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶_____¶¶
    ____¶¶______¶¶________¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶_______¶¶
    _____¶¶______¶¶¶_______________________¶
    _____¶¶________¶¶____¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶______¶
    ______¶¶________¶¶¶_____¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶__¶
    _______¶¶__________¶¶¶_____¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    _________¶¶___________¶¶¶¶¶__¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    _____________________________¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    ______________________________¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    _______________________________¶¶¶¶¶¶¶

  86. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Montalvão, continuas distraído.
    Eu já houvera corrigido.
    Vou colar aqui pra você.
    E quem bebe sou eu. O efeito vai para o Montalvão.”
    /
    VI QUE CORRIGIU, mas como a correção se seguiu a outro comentário seu julguei que se referia ao que não se referia…
    /
    /
    “Como andam seus dedos¿
    Se eu soubesse de algum bom feitiço, indicaria.
    Espero que esteja melhor de suas mazelas, pois você faz muita falta aqui.”
    /.
    MEUS DEDOS VÃO MAL, muito mal. Estou digitando por voz (agora não, que vou parar daqui a pouco), mas estou demorando muito para aprontar um texto dessa forma: o programa erra muito… ou será que sou eu que não falo direito?

  87. Marciano Diz:

    Esse aí é o poltergeist do blog, meu amiguinho.

  88. MONTALVÃO Diz:

    /
    Ficou um comentário que esqueci de postar, para encerrar a noite posto-o:
    /
    Marciano Diz:
    .
    É pior do que ele pensava:
    Os espíritas não apresentaram até hoje uma demonstração irrefragável e cabal de que os chamados espíritos EXISTEM.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: ainda não entendi como mestres não entendem que provar que espíritos existem não é possível. O único modo de fazê-lo seria se eles se manifestassem na natureza, como não o fazem só podemos afirmar que: espíritos não se manifestam na natureza, portanto não comunicam com os vivos.
    .
    Quando à existência, fico com o frei (adaptado): “Só isto basta para colocar a tese da existência de espíritos como hipótese, se é que merece ao menos esta posição”…
    .
    Birinaite para todos.

  89. Marciano Diz:

    Estou torcendo para que seus dedos não permaneçam torcidos.
    Veja o poltergeist, agora meu amigo, aí em cima.
    Depois você me explica esse negócio de dedos nas cordas vocais (digitação por voz).
    (Brincadeirinha).
    É esse sotaque caipira que você pegou, depois que mudou do Rio para a roça.
    Não tem programa que reconheça isso direito.

  90. Marciano Diz:

    Silva Jarrrdim.
    Isso confunde o programa.
    “E eu não acredito em espíritos, mas que não existem, não existem”.
    Rabelais.
    (Einstein, talvez – minha memória tá bichada).

  91. Borges Diz:

    Surtout pour Marciano.
    Si elle était un message astucieusement laudative n’a pas atteint sa fin, parce que je suis un “chat dans l’eau et un canard sur le terrain”
    un câlin

  92. Borges Diz:

    Si je devais intelligent pour ne pas avoir à recourir à Google traducteur.

  93. Borges Diz:

    Tout en travaillant à Sao Paulo et résidait à l’intérieur, je suis responsable de ma fille, qui était un collège de la psychologie, l’achat d’un livre de René Descartes, intitulé «Discours de la méthode”. Pendant le week-end, je décidai de profiter du retour du célèbre ouvrage; Ce fut le pire voyage, un glisser tellement. Maintenant, je sais qu’il a tué Dieu.
    Un câlin.

  94. Borges Diz:

    While you are receiving entities French, American or German, no problem, me and the translator google we take account of the message. The problem arises if you receive that Chinese entity who writes logograms in a sandbox.
    A hug

  95. MONTALVÃO Diz:

    /
    FREI BOAVENTURA: “A discussão em torno da realidade ou não das manifestações de espíritos evocados (primeiro ponto) já encheu numerosos volumes pró e contra. OS ESPÍRITAS NÃO APRESENTARAM ATÉ HOJE UMA DEMONSTRAÇÃO IRREFRAGÁVEL E CABAL DE QUE OS CHAMADOS FENÔMENOS ESPÍRITAS SÃO DE FATO CAUSADOS PELOS ESPÍRITOS. As exigências de certas circunstâncias e condições, sem as quais não há manifestação, são sempre suspeitas. O fato de haver alguns poucos cientistas de renome que endossaram a tese espírita, é contrabalançado com o fato oposto de de haver outra série e muito mais numerosa de cientistas que ou negam de todo a tese espírita, ou consideram-na ainda insuficientemente comprovada. Só isto basta para colocar a tese espírita entre as hipóteses, se é que já chegou a merecer oficialmente ao menos esta posição. E com isto toda doutrina espírita não passaria também de simples hipótese.

    Não é, porém, nossa intenção discorrer sobre a causa dos fenômenos espíritas. Será vastíssimo assunto para outra brochura especial. Pois a negação do primeiro postulado espírita tornaria supérfula qualquer discussão posterior dos outros três[...]”
    /
    /
    CONSIDERAÇÃO: Boaventura propõe quatro condições que deveriam ser cumpridas para que se aceitasse a proposta espírita da comunicação entre falecidos e vivos. A primeira delas diz respeito à falta de evidências satisfatórias de que os mortos efetivamente comparecem nos eventos ditos mediúnicos. De certa forma o frei antecipou em vários anos as objeções que temos apresentado aqui contra a ideia de que espíritos se manifestam, e o ponto crucial é mesmo este, qual seja: inexistem evidências satisfatórias da presença de espíritos entre os vivos. Os espíritas, os simpatizantes e o Vitor nem querem saber de enfrentar esta questão…
    .
    Entretanto um contemporâneo do frei resolveu encarar o desafio. Carlos imbassahy. um dos grandes polemistas do espiritismo no século 20, comprou briga com vários questionadores das ideias kardecistas, inclusive com o padre Quevedo. Vejamos como ele abordou a questão.
    /
    ——————————————.
    IMBASSAHY: No Livro Negro se estabelecem os fatores, em número de quatro, que formariam a doutrina espírita. Eliminados esses fatores, ipso facto, estaria eliminada a doutrina. É a isto que se propõe o autor do livro.
    .
    Vejamos os fatores, conforme o livro aludido, fatores que são interrogações dolorosas.
    .
    “1 – SE A EVOCAÇÃO DOS ESPÍRITOS É UM FATO INDISCUTIVELMENTE PROVADO.
    .
    2 – Se o médium ou os médiuns que serviram de instrumento para a revelação espírita eram pessoas de absoluta confiança e credibilidade.
    .
    3 – Se para a doutrina foram aproveitadas apenas as mensagens dos espíritos, certamente sinceros, bons, sábios e competentes.
    .
    4 – Se o codificador era homem intangivelmente honesto, correto, leal, codificando apenas as comunicações de espíritos superiores.”
    .
    Estava lançado o alvião.
    .
    Só estas quatro dúvidas eram de fazer aluir o edifício. Mas o Livro não se limita a abalar o prédio, senão que tem o intuito implacável de arrasá-lo. E passa a demonstrar a inconsistência dos fatores.
    .
    Acompanhemos a derrubada.

    .
    O PRIMEIRO FATOR

    .
    Quanto ao primeiro fator, ao da improbabilidade da evocação, devemos dizer, de começo, que há ali dois equívocos. Se o autor afirma que os espíritas evocam os mortos, há, está visto, a evocação, e então não se compreende a demonstração de que ela não existe; e se ela não existe, então é também inexistente o fato.
    .
    Provavelmente, o que o autor quer dizer é que os mortos não respondem à evocação ou que não há o fenômeno da presença do morto, acudindo ao chamamento. A clareza acima de tudo.
    .
    O segundo equívoco, esse talvez de caso pensado, é falar sempre em evocação. Evocar é chamar; no caso especial, conforme os léxicos, é fazer aparecerem os Espíritos por meio de sortilégios. Ora, em via de regra, hoje não se chama ninguém, nem há sortilégio nenhum. Os espíritas, ou mesmo os não espíritas, reúnem-se e aguardam; aparece quem quer, quando quer e como quer. Além de que, há as manifestações espontâneas, há as manifestações inesperadas e, ainda, as manifestações indesejadas, e são elas que conduzem o indivíduo à doutrina. Católicos, protestantes, ateus, não se reúnem para receber Espíritos, e os recebem, mal gré, bon gré. Vem daí acreditarem em Espíritos, porque foram por eles surpreendidos. Todas as hipóteses que lhes fornecem topam com esta réplica: Não estávamos pensando em Espíritos, nada queríamos com eles…”

    ———————————————————-.
    /
    CONSIDERAÇÃO: Imbassaí está correto, em verdade quando frei questiona a Evocação dos mortos ele quer dizer que os mortos não omparecem quando evocados. Entretanto, o espírita também comete deslize ao esquecer que evocação dos mortos está contemplada na doutrina espírita: Kardec discorrer a respeito do assunto:
    /
    —————————————————.
    “Seria, pois, um erro crer-se que todo Espírito pode atender ao apelo que lhe é feito e se comunicar pelo primeiro médium que encontra.
    .
    Para que um Espírito se comunique, é preciso primeiro que lhe convenha fazê-lo; em segundo lugar, que sua posição ou suas ocupações lhe permitam; em terceiro lugar, que ele encontre no médium um instrumento propício, apropriado à sua natureza.
    .
    Em princípio, pode-se comunicar com os Espíritos de todas as ordens, com seus parentes e seus amigos, com os Espíritos mais elevados, como com os mais vulgares. Mas, independentemente das condições individuais de possibilidade, eles vêm mais ou menos voluntariamente segundo as circunstâncias e, sobretudo, em razão de sua simpatia pelas PESSOAS QUE OS CHAMAM, e não pela requisição da primeira pessoa que tenha a fantasia de OS EVOCAR POR UM SENTIMENTO DE CURIOSIDADE; em caso semelhante eles não se importariam quando vivos e não o fazem mais depois da sua morte.
    .
    Os Espíritos sérios não vêm senão nas reuniões sérias, ONDE SÃO CHAMADOS com recolhimento e por motivos sérios. Eles não se prestam a nenhuma questão de curiosidade, de prova, ou tendo um objetivo fútil, nem a nenhuma experiência.
    .
    Os Espíritos levianos vão por toda parte; mas nas reuniões sérias se calam e se afastam para escutar, como o faria um escolar em uma douta assembléia. Nas reuniões frívolas eles se divertem, distraem-se com tudo e, freqüentemente, zombam dos assistentes, e respondem a todos sem se inquietarem com a verdade.(Kardec – O que é o espiritismo)
    ———————————————————-.
    /
    /
    Depois continuo, tenho que digitar (por voz ou dedos) bem devagar…

  96. MONTALVÃO Diz:

    /
    a digitação por voz registra muitas palavras incorretas, as que vejo corrijo, mas algumas passam…

  97. MONTALVÃO Diz:

    /
    “É esse sotaque caipira que você pegou, depois que mudou do Rio para a roça.”
    /
    UAI?

  98. Gorducho Diz:

    Não vai opinar sobre a água fluidificada :?:

  99. Gorducho Diz:

    3 & 4 são auto-contraditórios – oxymorons.
     
     
    3 – Se para a doutrina foram aproveitadas apenas as mensagens dos espíritos, certamente sinceros, bons, sábios e competentes.
    Requer uma avaliação meta-doutrinária sobre o caráter de cada espirito candidato a ditar contribuições à doutrina. Então a “doutrina” está subordinada a uma meta-”doutrina” já pré-posta.
     
    4 – Se o codificador era homem intangivelmente honesto, correto, leal, codificando apenas as comunicações de espíritos superiores.
    Idem: ¿quem define se os ditadores são ”superiores”?
    Uma meta-”doutrina” já pré-arbitrada.
     
     
    Claro, sabemos: essa meta-doutrina é o catolicismo acrescido do socialismo romântico francês.
    Desonestidade intelectual…

  100. Gorducho Diz:

    ===============================================================
    The problem arises if you receive that Chinese entity who writes logograms in a sandbox.
    ===============================================================
    Viu aquela médium que andou psicografando em chinês?
    Eram só ideogramas soltos. Quando toca de formar uma frase coerente a coisa muda de figura…
    Do grego também não se consegue traduzir. Tem que pegar palavra por palavra e depois checar n’algum texto grego mesmo a coerência gramatical.
    Ontem mesmo quando estava conferindo o relato do Strabo sobre o Timonium na minha polêmica com a Casa, só obtive algo como lugar digno dum rei que optei por por “palacete real”.
    Claro, tendo em mãos as traduções circulante em inglês e o trecho do Mahmoud-Bey em francês.

  101. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Bohr, Niels
    o qual disse:
    Não há nada no mundo que esteja melhor repartido do que a razão: todos estão convencidos de que a tem de sobra.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: pode ser que Bohr tenha dito que diz que ele disse, afinal, sendo inteligente e de cérebro bem articulado, nada impediria que proferisse o declarativo.
    .
    Porém, não foi ele o criador da frase, esta é de Descartes que, no Discurso do Método, abre com a seguinte fala:
    /
    ————————————-.
    “O Bom senso é a coisa do mundo melhor partilhada, pois cada qual pensa estar tão bem provido dele, que mesmo os que são mais difíceis de contentar em qualquer outra coisa não costumam desejar mais do que o tem. E não é verossímil que todos se enganem a tal respeito; mas isso antes testemunha que o poder de bem julgar e distinguir o verdadeiro do falso, que é propriamente o que se denomina o bom senso ou a razão, é naturalmente igual em todos os homens; e, destarte, que a diversidade de nossas opiniões não provém do fato de serem uns mais racionais do que outros, mas somente de conduzirmos nossos pensamentos por vias diversas e não considerarmos as mesmas coisas. Pois não é suficiente ter o espírito bom, o principal é aplicá-lo bem. As maiores almas são capazes dos maiores vícios, tanto quanto das maiores virtudes, e os que só andam muito lentamente podem avançar muito mais, se seguirem sempre o caminho reto do que aqueles que correm e dele se distanciam.”

  102. MONTALVÃO Diz:

    /
    Gorducho Diz:
    “Não vai opinar sobre a água fluidificada”.
    /.
    DEPOIS VOU dar uma olhadela no FCC e me manifesto. Lamentavelmente, estou prejudicado e não posso me empolgar na digitação.

  103. Contra o chiquismo Diz:

    Muito bem, mas acho que se eu descer o pau no chiquismo e outros, aparece que nem um obsessor dos infernos o pacóv… orlando. É incrível como ele me persegue, eu me sinto o personagem da música “13 anos” do Luiz Ayrão!
    .
    .
    Treze anos eu te aturo
    Eu não agüento mais
    Não há “cristo” que suporte
    Eu não suporto mais
    Treze anos me seguro
    E agora não dá mais
    Se treze é minha sorte
    Vai, me deixa em paz

    ***
    Você vem me infernizando
    Como satanás
    Você vem me enclausurando
    Como alcatraz
    Você vem me sufocando
    Como o próprio gás
    Ainda vive me gozando
    Assim já é demais

    ***
    Você vem me tapeando
    Como um pente-fino
    E vem me conversando
    Como ao bom menino
    E vem subjugando
    O meu destino
    E vem me instigando
    A um desatino

    ***
    Um dia eu perco a timidez
    E falo sério
    E faço as minhas leis
    Com o meu critério
    E vou para o xadrez
    O cemitério
    Mas findo de uma vez
    Com seu império.

  104. Contra o chiquismo Diz:

    Ele desapareceu, pode reparar que se eu apareço mesmo depois de um tempo de sumido, ele vem logo em seguida. Não deu as caras aqui, mas vai dar logo. Aposto.

  105. Borges Diz:

    “Do grego também não se consegue traduzir. Tem que pegar palavra por palavra e depois checar n’algum texto grego mesmo a coerência gramatical.”
    .
    Oi Marciano!
    Evite degustar “UZO”, pois entidades gregas podem causar embaraço para mim e para o tradutor google.
    Um abraço

  106. Marciano Diz:

    Ô Borges, tu podes até não saber, mas gatos são bons nadadores, apesar da aversão à água, seja ela comum, benta ou fluidificada, seja quente ou fria.
    Quando Einstein disse que “gato escaldado tem medo de água fria” mostrou seu desconhecimento de feliscatuslogia, pois os bichanos morrem de medo de água fria, independentemente de sua experiência
    ou inexperiência com água quente (definamos água quente como aquela com temperatura superior a 70º C).
    Apesar do medo, experimente jogar um na piscina, e verá como ele nada bem, mesmo sem nunca tê-lo feito antes.
     
    Tempus amplexandi, et tempus longe fieri ab amplexibus.
    Ecclesiastes (juro que não é citação de sacanagem, pode conferir na Vulgata, capítulo 3, versículo 5).
     
    Sem polemizar, digamos que eu discordo um pouco de seu entendimento que de precisa-se de inteligência para falar línguas estrangeiras. É só estudá-las por tempo suficiente.
    Quanto ao tradutor do Google, é uma merda, com perdão da expressão.
    Só o uso para falar árabe, grego, etc.
     
    Que eu me lembre, só recebi o espírito do chinês uma única vez. Era de HOng Kong.
    Mas também não foi de verdade, foi com a ajuda de um chinês que conheço. E também do Google, naquilo que não podia perguntar ao china.
     
     
    Montalvão, vejo que ficou miraculosamente curado ou passou a entender-se com o conversor de fala em texto, o que também configura um milagre.
     
    Você comprovou o que eu já dissera antes. Imbasahy e o frei estão errados.
    Pior erro é do Imbassahy, que não conhece nem o Rivail direito, e isso, para quem se diz espírita, é o fim do mundo.
     
     
    Gorducho, parabéns pela detecção da petição de princípio, contradictio in adjeto, oxymoron (coisa de moron).
     
    Quanto às traduções, acaba de corroborar o que eu disse acima sobre a porcaria do Google.
     
     
    ===============================================================
    MONTALVÃO Diz:
    FEVEREIRO 11TH, 2017 ÀS 11:50 AM
    /
    “Bohr, Niels
    o qual disse:
    Não há nada no mundo que esteja melhor repartido do que a razão: todos estão convencidos de que a tem de sobra.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: pode ser que Bohr tenha dito que diz que ele disse, afinal, sendo inteligente e de cérebro bem articulado, nada impediria que proferisse o declarativo.
    .
    Porém, não foi ele o criador da frase, esta é de Descartes que, no Discurso do Método, abre com a seguinte fala:
    /
    ===============================================================
     
    Não acredito que, com sua argúcia, não percebeu que eu estava provocando o Borges.
     
    Por falar no Borges, se está querendo que eu deixe de saborear minha eau de vie, está perdendo seu tempo.

     
     
    COC, você está obcecado pelo Orlando.
     
    ──────▄▀▄─────▄▀▄
    ─────▄█░░▀▀▀▀▀░░█▄
    ─▄▄──█░░░░░░░░░░░█──▄▄
    █▄▄█─█░░▀░░┬░░▀░░█─█▄▄█

  107. Marciano Diz:

    Montalvão, todas as outras citações que fiz também foram de provocação com o Borges.
    Eu me regozijo em provocá-lo, não sei por que. Deve ser algum espírito zombeteiro que usa minha mediunidade para ficar enchendo o saco dele.
    Principalmente quando estou mamado.

  108. Marciano Diz:

    Contraditio in adjecto.
    Embora o poltergeist tenha ficado meu amigo, ele não perde a oportunidade de sabotar meus textos.

  109. Marciano Diz:

    Contradictio in adjecto.
    O poltergeist é teimoso, mas eu também o sou.
    Acima, ele mexeu no contradictio, abaixo, no adjecto.

  110. Marciano Diz:

    Assim, eu perco a moral para ficar sacaneando o Montalvão e sua inabilidade em se entender com o programa de computador.
    Para quem por acaso não saiba, Montalvão é um carioca traíra, que trocou a ex-cidade maravilhosa por uma cidadezinha do interiorrrr.
    Nada obstante, ele conserva o sotaque carioca.

  111. Marciano Diz:

    Como depois deles não apareceu mais ninguém, vou escutar um pouco de música.
    ♫♪♩ヾ(*◎○◎)ノ♫♪♩
    Depois, vou pra night.
    É tarde, já vou indo, preciso ir embora. Té manhã.
    Mamãe, quando eu saí, disse:
    – Filho, não demore em Jaçanã (na verdade, Braçanã).

  112. Marciano Diz:

    Plágio de minha música, acima:
    “Não posso ficar nem mais um minuto com você. Sinto muito, amor, mas não pode ser.
    Moro em Jaçanã. Se eu perder esse trem que sai agora, às 11 horas, só amanhã de manhã.
    E além disso, muié, tem outra coisa: minha mãe não dorme enquanto eu não chegar. Sou filho único. Tenho minha casa pra olhar.
    ♬♪♫ ヾ(*・。・)ノ ♬♪♫

  113. Marciano Diz:

    Quando voltar, não passo aqui.
    Sei que não vai aparecer mais ninguém mesmo.
    Só amanhã.
    Vou direto pra cama.
    [{-_-}] ZZZzz zz z...
    Amanhã, se vivo estiver, eu juro que apareço.

  114. Marciano Diz:

    Estou aquecendo, pra entrar no clima.
    ╔══╗
    ║██║
    ║(O)║♫ ♪ ♫ ♪
    ╚══╝
    ▄ █ ▄ █ ▄ ▄ █ ▄ █ ▄ █
    Min- - - - - - - - - - - -●Max
    ¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    ¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    ¶¶¶¶_______¶¶¶¶¶¶¶_____¶¶¶¶¶¶¶¶¶____¶______¶¶¶¶¶¶¶
    ¶¶¶¶_________¶¶¶¶_______¶¶¶¶¶¶______¶______¶_____¶
    ¶¶¶¶__________¶¶¶________¶¶¶¶_______¶¶_____¶_____¶
    ¶¶¶¶__________¶¶__________¶¶________¶¶_____¶____¶¶
    ¶¶¶¶___________¶__________¶¶________¶¶____¶¶____¶¶
    ¶¶¶¶___________¶__________¶¶________¶¶____¶¶___¶¶¶
    ¶¶¶¶_____¶_____¶__________¶_________¶¶____¶____¶¶¶
    ¶¶¶¶_____¶¶____¶____¶¶____¶______¶¶¶¶¶_________¶¶¶
    ¶¶¶¶_____¶¶___¶¶___¶¶¶¶___¶_____¶¶¶¶¶¶________¶¶¶¶
    ¶¶¶¶_____¶¶___¶____¶¶¶¶___¶_____¶¶¶¶¶¶________¶¶¶¶
    ¶¶¶¶_____¶___¶¶¶___¶¶¶¶___¶_____¶¶¶¶¶¶_______¶¶¶¶¶
    ¶¶¶¶________¶¶¶¶___¶¶¶¶___¶¶____¶¶¶¶¶¶________¶¶¶¶
    ¶¶¶¶________¶¶¶¶____¶¶____¶¶_____¶¶¶¶¶________¶¶¶¶
    ¶¶¶¶_____¶___¶¶¶_________¶¶¶______¶¶¶¶____¶____¶¶¶
    ¶¶¶¶_____¶____¶¶¶________¶¶¶¶_______¶¶____¶_____¶¶
    ¶¶¶¶_____¶____¶¶¶¶______¶¶¶¶¶¶______¶¶____¶¶____¶¶
    ¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶__¶¶¶¶¶¶____¶¶¶¶¶¶¶¶¶____¶¶¶¶¶¶¶¶__¶¶¶¶
    ¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶

  115. Borges Diz:

    https://www.youtube.com/watch?v=w8ql8DFC2Ig

  116. Borges Diz:

    Apesar do medo, experimente jogar um na piscina, e verá como ele nada bem, mesmo sem nunca tê-lo feito antes.”
    .
    Isso nunca vai acontecer porque infelizmente não tenho piscina e felizmente não tenho gato. Gosto muito destes animaizinhos, desde que estejam bem longe.
    .
    “Quanto ao tradutor do Google, é uma merda”
    .
    Minha memória registrou apenas uma frase de um filme que assisti há muitos anos: “Esta vida é uma droga, porém, é a única que temos”.
    .
    “Quanto ao tradutor do Google, é uma merda, com perdão da expressão.
    Só o uso para falar árabe, grego, etc.”
    .
    Caramba!!! Imagine se fosse bom.
    .

    “Montalvão, vejo que ficou miraculosamente curado ou passou a entender-se com o conversor de fala em texto, o que também configura um milagre.”
    .
    Não sei se perdi alguma coisa, será que foi um “dog” que obrigou o Montalvão a gastar o gogó para se comunicar conosco? Dizem que o cão é o melhor amigo do homem, contudo, possui dentes.
    Um abraço

  117. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Quanto ao tradutor do Google, é uma merda, com perdão da expressão.
    Só o uso para falar árabe, grego, etc.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: se lhe serve para falar árabe, grego, bessarabiano… entonces não es una mierda de piedra…
    /
    /

    “Montalvão, vejo que ficou miraculosamente curado ou passou a entender-se com o conversor de fala em texto, o que também configura um milagre.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: o único milagre em minha vida que conheço é o de estar vivo até o momento em que rabisco esta miúda mensagem. Meus dátilos vaum de ruim a peor, nem na pharmácia encontro refrigério para minhas penas.
    /
    /
    “Você comprovou o que eu já dissera antes. Imbasahy e o frei estão errados.
    Pior erro é do Imbassahy, que NÃO CONHECE nem o Rivail direito, e isso, para quem se diz espírita, é o fim do mundo.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: conhecia…
    .
    Imbassahy deveria conhecer bem a doutrina, não sei porque deu um escorrega desses. Talvez pensasse que a evocação fora para os dias pioneiros, talvez… Carlos Imbassahy, para quem não sabe, é um dos gurus do Arduin, quiçá o principal.
    /
    /
    Marciano Diz:
    .
    Assim, eu perco a moral para ficar sacaneando o Montalvão e sua inabilidade em se entender com o programa de computador.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: como sabe que a inabilidade é minha? Pode ser via inversa: do programa para comigo…
    /
    /

    “Para quem por acaso não saiba, Montalvão é um carioca traíra, que trocou a ex-cidade maravilhosa por uma cidadezinha do interiorrrr.
    Nada obstante, ele conserva o sotaque carioca.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: não é tããããã interior… e hoje as novelas nivelam os sotaques, apesar deu não ser chegado a elas…

  118. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Mamãe, quando eu saí, disse:
    – Filho, não demore em Jaçanã (na verdade, Braçanã).”
    /.
    NOS ANTIGAMENTES, quando as moçoilas iam para a balada as mãe diziam: “vá minha filha, mas não demora”.
    .
    Hoje: “vá minha filha, mas não dê, mora?”

  119. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Não sei se perdi alguma coisa, será que foi um “dog” que obrigou o Montalvão a gastar o gogó para se comunicar conosco? Dizem que o cão é o melhor amigo do homem, contudo, possui dentes.”
    /.
    O CÃO NÃO MORDE A MÃO QUE O ALIMENTA…
    .
    Meu mal chama-se espondilite lateral, mais conhecida como cotovelo de tenista…

  120. MONTALVÃO Diz:

    /
    desculpem-me espondilite não, epicondilite; perdoem-me a filha,figo, digo, a falha…

  121. Marciano Diz:

    I never keep my word.
    Before going out, I’ll show you if Google Translator sucks or not.
     
     
    8 mai. – Quelle journée admirable ! J’ai passé toute la matinée étendu sur l’herbe, devant ma maison, sous l’énorme platane qui la couvre, l’abrite et l’ombrage tout entière.
     
    8 de maio. Que dia admirável! Passei toda a manhã deitado na grama, na frente da minha casa, sob o enorme plátano que a cobre, todo o abrigo e sombra.
     
    Texto de Einstein, digo, Guy de Maupassant, “Le Horla”, tradução minha.
     
    Vejam a tradução do Google:
     
    08 de maio – O que dia maravilhoso!
    Passei todo manhã deitado no grama na frente da minha casa,
    sob a árvore de avião enorme as capas, as casas e toda a sombra.
     
     
    Árvore de avião :?:
    Sem contar o resto da “tradução”.
    Se não acreditam, recortem o texto o botem no Google.
     
     
    Dá pra entender o que vocês colocam aqui, do Google, mas só porque conheço as línguas original e traduzida. Se não soubesse português ou francês, não teria entendido nada do que o Borges escreveu.
     
     
    Gorducho sabe do que estou falando.
    Vocês, acreditem ou não, estão mal, se dependem do Google para entender algum texto.
     
    Como do grego só conheço o alfabeto e algumas palavras soltas, que foram aportuguesadas (cefaléia, agorafobia, acústica), do árabe, a mesma coisa (salamaleque, álcool, algodão, arroz, oxalá, tudo isso vem do árabe) boto o Google para traduzir.
     
    Claro que fica uma merda.
     
     
    Façam uma experiência fácil, seus preguiçosos: Traduzam uma frase do português para o inglês, depois, do inglês para o alemão, para o italiano, para o francês, para o sueco, para o espanhol, e de novo para o português.
    Vejam a merda que vai sair.
     
    Este truque serve até com tradutores de verdade, de carne e osso, desde que não conheçam todas as línguas envolvidas.
     
     
    Aprender línguas estrangeiras, teoria musical, matemática, é bem parecido.
    Tem de ter tempo e paciência.
    Devagar, aos poucos, se chega lá.
    Se quiser aprender muita coisa, tem de dedicar muito tempo ao estudo e à prática, e desde criança.
    É conhecimento acumulado, que não ocorre overnight.
     
     
    Já está meio tarde para vocês, mas o Montalvão, se fosse mais aplicado, nunca teria ficado desestimulado por uma garotinha talentosa que provavelmente não toca nada hoje em dia.
    A falta de talento se compensa com trabalho e estudo, não com preguiça.
    Belphegor é o deus de vocês.
    Ah, antes que me esqueça: estou engatinhando no HTML, linguagem que não pretendo dominar nunca.
    O que já sei me basta.
    Доброї ночі.
    ░▄▀▀▀▀▄░░▄▄
    █░░░░░░▀▀░░█░░░░░░▄░▄
    █░║░░░░██░████████████
    █░░░░░░▄▄░░█░░░░░░▀░▀
    ░▀▄▄▄▄▀░░▀▀

  122. Marciano Diz:

    Ficou parecendo uma chave, mas é um violão, presente para o Montalvão.
    Entenderam o que eu quis dizer com “engatinhando”?
    Não tem nada a ver com gatos, como o Google deve sugerir, mas é andar de quatro, como gatinhos, cavalinhos, hipopotaminhos, elefantinhos e outros bichinhos.
    “Bichinho”, “elefantinho”, entenderam a “gracinha” sem graça?

  123. Marciano Diz:

    ________________________________________¶____
    ¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶________________________¶___
    ¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶__________________¶¶____¶¶__
    _¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶____________¶¶______¶¶____¶¶_
    _____¶¶¶¶¶¶¶______________¶¶¶¶_______¶_____¶¶
    _____¶¶¶¶¶¶¶________¶¶¶¶_¶¶¶¶¶__¶____¶¶____¶¶
    _____¶¶¶¶¶¶¶_______¶¶¶¶¶_¶¶¶¶¶___¶___¶¶____¶¶
    _____¶¶¶¶¶¶¶_______¶¶¶¶¶_¶¶¶¶¶___¶¶__¶¶____¶¶
    _____¶¶¶¶¶¶¶_______¶¶¶¶¶_¶¶¶¶¶___¶¶__¶¶____¶¶
    _____¶¶¶¶¶¶¶_______¶¶¶¶¶_¶¶¶¶¶___¶¶__¶¶____¶¶
    _____¶¶¶¶¶¶¶_______¶¶¶¶¶_¶¶¶¶¶__¶¶___¶¶____¶¶
    _____¶¶¶¶¶¶¶_________¶¶¶_¶¶¶¶¶__¶____¶¶____¶¶
    _____¶¶¶¶¶¶¶______________¶¶¶¶_______¶_____¶¶
    _¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶____________¶¶______¶_____¶¶_
    ¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶__________________¶_____¶¶__
    ¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶________________________¶___
    ________________________________________¶____
    _____________________________________________
    ¶¶¶¶¶__¶¶¶¶¶_¶¶¶¶_¶¶¶¶__¶¶¶¶¶¶_¶¶¶¶¶¶__¶¶¶¶¶_
    _¶¶¶¶__¶¶¶¶___¶¶___¶¶__¶¶¶_______¶¶___¶¶___¶¶
    _¶¶_¶¶¶¶_¶¶___¶¶___¶¶___¶¶¶¶¶¶___¶¶___¶¶_____
    _¶¶__¶¶__¶¶___¶¶___¶¶_______¶¶¶__¶¶___¶¶___¶¶
    _¶¶__¶¶__¶¶___¶¶¶_¶¶¶__¶¶¶__¶¶¶__¶¶___¶¶¶__¶¶
    ¶¶¶¶_¶¶_¶¶¶¶___¶¶¶¶¶___¶¶¶¶¶¶¶_¶¶¶¶¶¶__¶¶¶¶¶_

  124. Marciano Diz:

    _¶¶¶¶_________________________¶¶
    __¶¶¶¶¶_______________________¶¶
    __¶¶__¶¶_____________________¶¶¶¶
    ___¶¶__¶¶____________________¶¶¶¶¶
    ____¶¶_¶¶¶___________________¶¶__¶¶
    ____¶¶_¶¶¶___________________¶¶__¶¶
    _____¶¶¶¶¶___________________¶¶_¶¶¶
    _____¶¶¶¶______________¶¶¶¶ ¶¶__¶¶
    ____¶¶¶¶_____________¶¶¶¶¶¶¶¶¶_¶¶
    ___¶¶¶_¶¶__¶¶¶_______¶¶¶¶¶¶¶¶
    __¶¶¶___¶¶¶¶¶¶¶¶¶_____¶¶¶¶¶¶
    _¶¶¶¶__¶¶¶¶___¶¶¶¶_______________________¶¶¶
    _¶¶¶__¶¶¶¶_¶¶¶__¶¶¶__________________¶¶¶¶¶¶
    ¶¶¶¶__¶¶¶¶¶¶¶¶¶__¶¶¶______________¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    _¶¶¶__¶¶¶_¶¶__¶__¶¶¶___________¶¶¶¶¶¶¶___¶¶
    _¶¶¶¶__¶¶¶¶¶¶¶¶__¶¶________¶¶¶¶¶¶¶¶______¶¶
    __¶¶¶¶____¶¶¶__¶¶¶______¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶_______¶¶
    ___¶¶¶¶¶¶___¶¶¶¶¶_____¶¶¶¶¶¶¶¶___¶¶_______¶¶
    _____¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶________¶¶¶¶¶_____¶¶___¶¶¶¶¶¶
    ________¶¶¶_¶¶¶________¶¶________¶¶__¶¶¶¶¶¶¶
    _______¶¶¶¶¶_¶¶_______¶¶¶_____¶¶¶¶___¶¶¶¶¶
    _______¶¶¶___¶¶_________¶¶___¶¶¶¶¶¶
    _________¶¶¶¶¶__________¶¶___¶¶¶¶¶¶
    _________________________¶¶__¶¶¶¶
    _____________________¶¶¶¶¶¶
    ____________________¶¶¶¶¶¶¶
    ____________________¶¶¶¶¶¶

  125. Borges Diz:

    “Dá pra entender o que vocês colocam aqui, do Google, mas só porque conheço as línguas original e traduzida. Se não soubesse português ou francês, não teria entendido nada do que o Borges escreveu.”
    .
    Você tem razão; fiz o caminho de volta no tradutor google e a mensagem saiu esquisita, bem diferente do que eu havia idealizado. Por outro lado, eu percebi que se a gente colocar frases simples e diretas, semelhantes aquelas do curso primário, o tradutor trabalha direitinho.
    Um abraço

  126. Borges Diz:

    “Meu mal chama-se espondilite lateral, mais conhecida como cotovelo de tenista…
    desculpem-me espondilite não, epicondilite; perdoem-me a filha,figo, digo, a falha…”
    .
    Deve ser um “carma” por ter dado muitas cotoveladas nos adversários, quando jogava futebol na última encarnação. O meu “carma” se localiza no pescoço e tem um nome mais simples “torcicolo”; devo ter dado muitas cabeçadas nos adversários na encarnação passada. Costumo gastar dois ou três tubos de “Probenxil” (diclofenaco dietilamônio) cada vez que ele ataca.
    Um abraço

  127. Marciano Diz:

    Montalvão precisa é de parar de frequentar o Tijuca Tênis Clube.
    Além de diclofenaco, receitado pelo Borges, deveria fazer alongamentos, melhorar a postura diante do computador, e rejuvenescer um pouco.
    Sangue de virgens ajuda no rejuvenescimento, mas está meio difícil de encontrar.

  128. Marciano Diz:

    ===============================================================
    Por outro lado, eu percebi que se a gente colocar frases simples e diretas, semelhantes aquelas do curso primário, o tradutor trabalha direitinho.
    ===============================================================
    Por isto que eu, matreiramente, dei boa noite pra vocês em ucraniano, ontem.
    Assim, não tem como errar.
    Limitem-se a desejar que os infiéis sejam mortos, comparem com o que encontrarem em sítios muçulmanos radicais, e tudo dará certo.
    . الموت للكفار.

  129. Marciano Diz:

    Tentando falar seriamente, agora.
    O “morte aos infiéis” acima fez-me pensar.
    Religiosos, sob a capa de cordeiro, quero dizer, de bonzinhos, odeiam uns aos outros, principalmente aos irreligiosos.
    Aquilo que muitos muçulmanos fazem hoje, cristãos (católicos romanos e protestantes) fizeram no passado, aos próprios muçulmanos.
    E fizeram com cristãos, também, que foram apedrejados, queimados vivos, torturados, etc.
     
    Observem como frei destila veneno em cima dos espíritas e o Imbassahy procura atacar o frei.
    Cadê o “amai-vos uns aos outros”?

  130. Marciano Diz:

    NSFG, se tivesse existido, teria mesmo chamado a todos de hipócritas, como se vê nos evangelhos canônicos.

  131. Marciano Diz:

    Um espírita de verdade (se isto existisse, tanto o espiritismo quanto o espírita de verdade) teria orado pelo frei, para que este retomasse o caminho da evolução espiritual, em vez de procurar desqualificá-lo.
    Religiosos são todos uns hipócritas, perversos, convencidos, rancorosos.
    Claro que descrentes também têm (alguns) desses defeitos, mas pelo menos não são hipócritas. Não se passam por cordeiros. Admitem que são lobos.
    Em geral.

  132. Marciano Diz:

    Exemplo:
    http://blog.opovo.com.br/ancoradouro/malafaia-classifica-discurso-do-papa-francisco-sobre-pobreza-de-conversa-fiada/

  133. Marciano Diz:

    Um ateu morre e vai para o céu. Chegando lá, é recepcionado por São Pedro:
    - Hummm… (lendo o livro da vida pregressa do ateu)… infelizmente meu filho, você não pode adentrar no Reino Celestial. Você, desde jovem, declarou-se ateu.Até mesmo no leito de morte, você ficou firme no seu ateísmo.Lugar de ateu é no Inferno.
    Resignado, o ateu desce às profundezas abissais procurando a entrada do Inferno.
    Lá chegando, tem um choque: o ambiente se assemelha àqueles grandes cassinos de Las Vegas. Logo na entrada, lindas mulheres recepcionam o ateu. Extremamente surpreso, ele adentra no Inferno e é recebido por um homem elegantemente vestido com um terno branco e uma flor no bolso do paletó:
    - Seja Bem-Vindo, meu grande amigo! – diz efusivamente – Eu sou Satanás, seu anfitrião por toda a eternidade e qualquer coisa que você queira é só pedir diretamente para mim ou para aquelas lindas mulheres.
    (abaixando a voz) – A ruiva de vestido preto vai te levar à loucura!
    A imagem do inferno era fabulosa: uma vasta planície com uma linda relva baixa e flores coloridas. Ao fundo, uma pequena sequência de montanhas.
    Percebia-se um pequeno rio à esquerda, onde o ateu reconheceu Nietzsche e Voltaire, com varas de pescar em uma mão – sem anzol, apenas para alimentar os peixes – e um copo de suco na outra.
    Riam com intensa alegria! À direita, num restaurante com uma enorme varanda, o ateu discerniu somente numa mesa Thomas Paine, Robert Ingersoll e Thomas Jefferson, este último acenando e apontando para um livro em sua mão.Era o último livro de Richard Dawkins.
    Confuso, desnorteado, o ateu não consegue entender o que está acontecendo. Só ouve o Satanás ao seu lado, falando como se fossem dois grandes amigos tomando refresco num barzinho.
    E ele não parava de falar:
    Meu amigo, aqui você poderá fazer tudo o que você sempre quis. Nada é proibido, desde que você obtenha prazer e não prejudique ninguém. – E acena para um homem que passava – Oi Giordano!
    O ateu curioso pergunta:
    - Aquele era Giordano Bruno?
    - Hã? Ahh… sim! Desculpe-me por não apresentá-lo, mas não se preocupe, pois irá conhecê-lo nas noites de quinta-feira.
    Todas as quintas jogamos carta, após o jogo de futebol. Os únicos que não jogam são o Karl Marx e o Albert.
    - Albert… Einstein?!
    – E nisso, de repente, a conversa é interrompida por descargas de relâmpagos e trovões que deixam o céu escuro com nuvens negras e ventos fortes e que parecem anunciar o dia do Juízo Final.
    O ateu vê que a planície, outrora linda, virou uma fossa abissal que expelia de suas entranhas, labaredas sulfurosas, como línguas demoníacas.
    No meio do céu tempestuoso, um homem aparece, gritando loucamente e ardendo em chamas, caindo diretamente na fossa aberta no chão. Tão logo o homem é engolido pelas chamas, tudo volta ao normal que era antes. A planície, Nietzsche e Voltaire no rio e Satanás não parando de falar, como se nada tivesse acontecido.
    Perplexo pelo o que viu e não se contendo em curiosidade perante a tranquilidade de Satanás, o ateu pergunta:
    - Que diabos foi isto?
    Satanás responde:
    - Era um evangélico.Eles preferem o Inferno desta maneira.

  134. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Façam uma experiência fácil, seus preguiçosos: Traduzam uma frase do português para o inglês, depois, do inglês para o alemão, para o italiano, para o francês, para o sueco, para o espanhol, e de novo para o português.
    Vejam a merda que vai sair.”
    /.
    TESTE TESTANDO:
    ————————–.
    O AMOR É LINDO
    ————————–.
    .
    love is beautiful (ing.)
    .
    Liebe ist schön (al.)
    .
    ??????? ? ??????? (búlgaro)
    .
    L’amour est belle (fr.)
    .
    Láska je krásna (eslovaco)
    .
    Tá grá álainn (irlandês)
    .
    Ást er fallegur (islandês)
    .
    Kjærligheten er vakker (norueguês)
    .
    O amor é lindo (português)

  135. Marciano Diz:

    Tá de sacanagem, né, Montalvão?
    Pegou uma frase daquelas que o Borges citou, DEPOIS que ele citou, do tipo “the book is on the table”, e tascou aí.
    Faça como o Borges. Peque o período do Maupassant.
    Nem precisa retraduzir tudo.
    Basta uma tradução.
    Eu já sei que você é belphegoriano há bastante tempo. Por isso, vou facilitar pra você:
    Clique aqui e leia o que nós escrevemos ANTES do seu comentário MATREIRO.

  136. Marciano Diz:

    Se estiver com preguiça de clicar no link, aqui vai:
    Borges Diz:
    FEVEREIRO 12TH, 2017 ÀS 1:10 AM
    “Dá pra entender o que vocês colocam aqui, do Google, mas só porque conheço as línguas original e traduzida. Se não soubesse português ou francês, não teria entendido nada do que o Borges escreveu.”
    .
    Você tem razão; fiz o caminho de volta no tradutor google e a mensagem saiu esquisita, bem diferente do que eu havia idealizado. Por outro lado, eu percebi que se a gente colocar frases simples e diretas, semelhantes aquelas do curso primário, o tradutor trabalha direitinho.
    Um abraço
     
    Marciano Diz:
    FEVEREIRO 12TH, 2017 ÀS 3:04 PM
    ===============================================================
    Por outro lado, eu percebi que se a gente colocar frases simples e diretas, semelhantes aquelas do curso primário, o tradutor trabalha direitinho.
    ===============================================================
    Por isto que eu, matreiramente, dei boa noite pra vocês em ucraniano, ontem.
    Assim, não tem como errar.
    Limitem-se a desejar que os infiéis sejam mortos, comparem com o que encontrarem em sítios muçulmanos radicais, e tudo dará certo.
    , الموت للكفار

  137. Marciano Diz:

    Experimente pegar o comentário do Borges ou minha resposta e REPITA A EXPERIÊNCIA, sua raposa MATREIRA.

  138. Marciano Diz:

    Português: Por isto que eu, matreiramente, dei boa noite pra vocês em ucraniano, ontem.
    Ucraniano: Donc, je vous ai donné intelligemment une bonne nuit pour la langue ukrainienne hier.
    Português: Então, dei-lhe uma boa noite para a linguagem de forma inteligente ucraniano ontem.
     
     
    Só uma frase curta, só 3 línguas, duas delas quase iguais, como francês e português…

  139. Marciano Diz:

    O Google Translator é uma merda, quod erat demonstrandum.
    Até o Borges, que discorda de tudo, concordou, matreiramente.
     
    Mas eu te perdôo por tentar me sacanear.
    Porque é a primeira vez (ainda faltam 489 – 70 vezes 7) e porque eu comecei com a sacanagem.

  140. Marciano Diz:

    ░░▄▀░░░░░░░░░░░░░░░▀▀▄▄░░░░░
    ░░▄▀░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░▀▄░░░
    ░▄▀░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░█░░
    ░█░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░█░
    ▐░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░█
    █░░░░▀▀▄▄▄▄░░░▄▌░░░░░░░░░░░░▐
    ▌░░░░░▌░░▀▀█▀▀░░░▄▄░░░░░░░▌░▐
    ▌░░░░░░▀▀▀▀░░░░░░▌░▀██▄▄▄▀░░▐
    ▌░░░░░░░░░░░░░░░░░▀▄▄▄▄▀░░░▄▌
    ▐░░░░▐░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░▄▀░
    ░█░░░▌░░▌▀▀▀▄▄▄▄░░░░░░░░░▄▀░░
    ░░█░░▀░░░░░░░░░░▀▌░░▌░░░█░░░░
    ░░░▀▄░░░░░░░░░░░░░▄▀░░▄▀░░░░░
    ░░░░░▀▄▄▄░░░░░░░░░▄▄▀▀░░░░░░░
    ░░░░░░░░▐▌▀▀▀▀▀▀▀▀░░░░░░░░░░░
    ░░░░░░░░█░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░
    ░░╔═╗╔═╗╔═╗░░░░░║░║╔═╗║░║░░░░
    ░░╠═╣╠╦╝╠╣░░░░░░╚╦╝║░║║░║░░░░
    ░░║░║║╚═╚═╝░░░░░░║░╚═╝╚═╝░░░░
    ║╔═░╦░╦═╗╦═╗╦╔╗║╔═╗░░╔╦╗╔═╗╔╗
    ╠╩╗░║░║░║║░║║║║║║═╗░░║║║╠╣░╔╝
    ║░╚░╩░╩═╝╩═╝╩║╚╝╚═╝░░║║║╚═╝▄░

  141. Marciano Diz:

    ) método científico é a mais poderosa idéia intelectual, a mais poderosa estrutura para a reflexão, a investigação, a compreensão e o enfrentamento do mundo à nossa volta, e ele se baseia na premissa de que toda idéia pode ser atacada. Se resiste ao ataque, ela sobrevive, e, se não resiste, então ela vai por água abaixo.
     

    Com a religião as coisas não se passam dessa forma. A religião tem certas idéias centrais, que chamamos de sagradas ou de divinas ou de seja lá do que for. O que isso significa é: “Eis aqui uma idéia ou uma noção que não pode ser alvo de críticas; isso simplesmente não é permitido. E por que não? — Porque não!”.
     
    Se alguém vota num partido cujas idéias não aprovamos, somos livres para argumentar contra elas o quanto quisermos; haverá atritos, mas ninguém se sentirá lesado por isso. Se alguém acredita que os impostos deveriam aumentar ou diminuir, somos livres para divergir de tal opinião. Mas, por outro lado, se alguém diz “Não posso mover uma palha num sábado”, nós dizemos, “Eu respeito isso”. O estranho é que, enquanto estou dizendo isso, me surpreendo pensando: “Será que há algum judeu ortodoxo que esteja lendo o texto que se sentirá ofendido pela minha fala?”. No entanto, eu não teria pensado “Talvez haja alguém de esquerda ou alguém de direita ou alguém filiado a esta ou àquela visão em economia” enquanto levantava outras questões. Tudo o que eu pensaria em relação a isso é “Muito bem, nós temos opiniões diferentes”. Mas no momento em que digo algo que tem relação com as crenças (vou arriscar meu pescoço aqui e dizer) irracionais de alguém, então nos tornamos todos extremamente paternalistas e terrivelmente defensivos e dizemos: “Não, nós não atacamos isso; trata-se de uma crença irracional, mas, não, nós a respeitamos”.
     
    Por que será que consideramos perfeitamente legítimo apoiar o partido Trabalhista ou o partido Conservador, os Republicanos ou os Democratas, esse modelo econômico em oposição àquele, o Macintosh em vez do Windows — mas ter uma opinião sobre o modo como o universo começou, sobre quem criou o universo… não, isso é sagrado? O que isso significa? Por que outra razão erguemos uma cerca protetora em torno disso, senão pelo fato de que simplesmente nos habituamos a fazê-lo? Não há absolutamente nenhum outro motivo; trata-se apenas de um acordo que se desenvolveu insidiosamente e, numa espécie de círculo vicioso, tornou-se muito, muito poderoso. Assim, nos acostumamos a não desafiar as idéias religiosas.
     
    Todos ficam absolutamente enlouquecidos, pois não é permitido dizer tais coisas. E, entretanto, quando as examinamos racionalmente, não há nenhuma razão por que essas idéias não devam estar abertas ao debate como qualquer outra, exceto pelo fato de que, de algum modo, chegamos a um acordo entre nós de que elas não deveriam estar.
     
     
    (Abraham Lincoln)

  142. Marciano Diz:

    Lincoln disse isto no discurso de Pittsburgh.
    Tenho provas.

  143. Marciano Diz:

    Faltou a tradução do ucraniano lá em cima.
    Lá vai:
    Пор ISTO, що мав, matreiramente, дей удав ніч РДА Voces ем Український, ontem.
     
     
    Agora o Montalvão, matreiramente e preguiçosamente vai dizer que ficou faltando o ucraniano, sem antes ler o que acabo de escrever AQUI.

  144. Marciano Diz:

    Não deixem de ler o discurso de Lincoln, do qual colei um pedacinho acima.
    Este aqui.

  145. Marciano Diz:

    Texto original, em inglês, do discurso de Lincoln.
    Montalvão, experimente traduzir isto no Google e veja se vai ficar parecido com o que espero que tenha lido acima:
     
    Tthe scientific method is the most powerful intellectual idea, the most powerful framework for thinking and investigating and understanding and challenging the world around us that there is, and it rests on the premise that any idea is there to be attacked. If it withstands the attack then it lives to fight another day and if it doesn’t withstand the attack then down it goes.
     
    Religion doesn’t seem to work like that. It has certain ideas at the heart of it which we call sacred or holy or whatever. What it means is, “Here is an idea or a notion that you’re not allowed to say anything bad about; you’re just not. Why not?–because you’re not!” If somebody votes for a party that you don’t agree with, you’re free to argue about it as much as you like; everybody will have an argument but nobody feels aggrieved by it. If somebody thinks taxes should go up or down you are free to have an argument about it. But on the other hand if somebody says ‘I mustn’t move a light switch on a Saturday,’ you say, “I respect that.”
     
    The odd thing is, even as I am saying that, I am thinking “Is there an Orthodox Jew here who is going to be offended by the fact that I just said that?” But I wouldn’t have thought “Maybe there’s somebody from the left wing or somebody from the right wing or somebody who subscribes to this view or the other in economics” when I was making the other points. I just think “Fine, we have different opinions.” But, the moment I say something that has something to do with somebody’s (I’m going to stick my neck out here and say irrational) beliefs, then we all become terribly protective and terribly defensive and say “No, we don’t attack that; that’s an irrational belief but no, we respect it.”
     
    Why should it be that it’s perfectly legitimate to support the Labor party or the Conservative party, Republicans or Democrats, this model of economics versus that, Macintosh instead of Windows–but to have an opinion about how the Universe began, about who created the Universe . . . no, that’s holy? What does that mean? Why do we ring-fence that for any other reason other than that we’ve just got used to doing so? There’s no other reason at all, it’s just one of those things that crept into being and once that loop gets going it’s very, very powerful. So, we are used to not challenging religious ideas. Everybody gets absolutely frantic about it because you’re not allowed to say these things. Yet when you look at it rationally there is no reason why those ideas shouldn’t be as open to debate as any other, except that we have agreed somehow between us that they shouldn’t be.

  146. MONTALVÃO Diz:

    /
    Marciano Diz:
    .
    Tá de sacanagem, né, Montalvão?
    Pegou uma frase daquelas que o Borges citou, DEPOIS que ele citou, do tipo “the book is on the table”, e tascou aí.
    /,
    CONSIDERAÇÃO: Amigo de Marte, moi pode ser muita coisa, mas não é gay (nada contra quem), nem plagiador. Respondo na medida em que vou lendo: se alguém se pronuncia em harmonia com meu pensamento parabéns para esse alguém, embora nem sempre eu posso garantir a qualidade do meu pensar.
    .
    Sobre o tradutor automático vou lhe dizer o que penso, desta feita garantindo a qualidade do pensamento. O tradutor é um auxiliar para quem manja alguma coisa da língua a traduzir. Para quem manja horrores, no caso do inglês e outras que é o seu caso, a ferramenta pouco serve, serve apenas para brincar, mas nem todos brincam como eu brinco. No meu caso depois de traduzido faço um nhoque-nhoque, a fim de obter resultado aceitável: às vezes costuma dar certo (às vezes costuma achei legal pracaramba).
    .
    Então é isso…

  147. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Por outro lado, eu percebi que se a gente colocar frases simples e diretas, semelhantes aquelas do curso primário, o tradutor trabalha direitinho.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: Pois é, o que houve é que quando li seu comentário eu já tinha o meu preparado. Aí perguntei-me a mim mesmo: devo pô-lo? Devo não pô-lo? Então, resolvi e ponhei-o-o. Eis porque…

  148. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Marciano Diz:
    .
    Experimente pegar o comentário do Borges ou minha resposta e REPITA A EXPERIÊNCIA, sua raposa MATREIRA.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: estou desestudando bessarabiano, por hora não posso submeter-me a experimentações, senão embola tudo.

  149. MONTALVÃO Diz:

    /
    “por outro lado, se alguém diz “Não posso mover uma palha num sábado”, nós dizemos, “Eu respeito isso”. O estranho é que, enquanto estou dizendo isso, me surpreendo pensando: “Será que há algum judeu ortodoxo que esteja lendo o texto que se sentirá ofendido pela minha fala?”
    /.
    NÃO SE SENTIRÁ OFENDIDO, porque judeus ortodoxos podem mover uma palha no sábado… duas não garanto…

  150. MONTALVÃO Diz:

    /
    “nos acostumamos a não desafiar as idéias religiosas.”
    /.
    Eu desafiei minhas ideias religiosas. Resultado: abandonei-as quase todas. Conservo a ESPERANÇA de Deus e de uma vida além…

  151. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Lincoln disse isto no discurso de Pittsburgh.
    Tenho provas.”
    /.
    COM CERTEZA DISSE: Lincoln bem conhecia o Windows e republicanos e democratas…

  152. bagel Diz:

    Evidentemente Boaventura acredita em espíritos, mas não que eles possam se comunicar. Toda argumentação do frei gira em torno desse pressuposto básico ao credo católico. O que talvez Imbassahy, outro que acredita em espíritos, devesse retrucar ao frei: o que te dá, mon chéri, certeza tão inabalável ?
    +
    Pequenas correções ao Google:
    +
    L’amour est beau (e não “l’amour est belle”)
    +
    Quelle journée admirable! J’ai passé toute la matinée étendu sur l’herbe. devant ma maison, sous l’enorme platane qui la couvre, l’abrite et l’ombrage tout entière. Tradução livre: Que dia admirável! Passei toda a manhã deitado na grama, em frente à minha casa, sob o enorme plátano que a cobre e a sombreia inteiramente.

  153. Marciano Diz:

    bagel é uma rosquinha que pode ser comida facilmente.
    O outro bagel fez uma tradução melhor do que a minha.
    De qualquer forma, fica demonstrado que o Google é um péssimo tradutor.
    Eu mesmo já disse aqui que a tradução livre é melhor do que a literal.
    O problema é que se quisermos fazer traduções de traduções de traduções, quanto mais literal, menos nos afastamos do texto original.
     
     
    Quanto ao Abe Lincoln, eu estava presente quando ele disse as palavras acima, gravei tudo em vídeo 8K e posso mostrar a qualquer um.
     
    Ele não conhecia bem o Windows, mas conhecia. Seu forte era o Linux Ubuntu.
    E era republicano. Tinha ódio de democratas.
     
     
    Não sei por que razão Montalvão duvida de minhas palavras, se já acreditou até nas sagradas escrituras cristãs.
    Para quem acredita em diabos, metafóricos ou não, tem esperança de que exista uma divindade e consciência após a morte, deveria ser molinho acreditar no discurso anti-religioso de Lincoln.

  154. Marciano Diz:

    … plátano que a cobre, abriga e sombreia.

  155. Marciano Diz:

    ___                                                    
             .-"   "-.    WHO WANTS MY BAGEL                          
           .'   . ;   `.                                              
          /    : . ' :  \                                              
         |   `  .-. . '  |                                            
         |  :  (   ) ; ` |                                            
         |   :  `-'   :  |                                            
          \   .` ;  :   /                                              
        `.   . '   .'                                              
             `-.___.-'

  156. Marciano Diz:

    Ficou tempo demais no forno.

  157. Marciano Diz:

    bagel é espírita.
    Ele mesmo já disse ao Borges:
    Bagel Diz:
    SETEMBRO 26TH, 2015 ÀS 7:26 PM
    Sr. Borges
    Um comentário aos seus comentários.
    Na mediunidade não é um espírito que expõe suas ideias e um médium que as copia fielmente. A mediunidade é uma intenção de um lado e uma interpretação do outro. Pelo menos é dessa forma que o Espiritismo entende o processo mediúnico. Não examine, portanto, as cartas de Chico Xavier pelo estilo, maneirismos, cadência do texto, etc. Isso, sabemos, é uma característica dele. Outros médiuns também possuem um estilo que os identificam independentemente do espirito que assina a mensagem.
    Os pontos fundamentais na análise dos textos da Superinteressante (especialmente no que diz respeito aos objetivos do blog) são aqueles que podem ser efetivamente verificados. Eles tratam de personagens (e grau de parentesco) conhecidos pela família e fatos específicos ao grupo como alguém que não gosta de ler (caso 1), outro que possui algum tipo de problema no rosto (caso 2), um caderno perdido (caso 3). Esses são os elementos de análise.
    A primeira hipótese, e a mais elementar, é que Chico Xavier obteve essas informações utilizando uma rede de informantes. É possível? Sim, é possível. De fato isso ocorreu? Aqui é uma outra história. Até onde se sabe não houve tal “rede de informantes” e, caso houvesse, é improvável que ao longo de vários anos psicografando cartas uma rede estruturada para coleta de informações em larga escala não houvesse sido desmascarada. Honestamente, acho que é necessário examinar outras hipóteses. A dificuldade a partir desse ponto é que nem o Chico Xavier e nem os familiares estavam preocupados em provar nada quanto à comunicabilidade dos espíritos. Um lado procurava consolar e o outro ser consolado; eis tudo. Várias opções aparecem a partir desse ponto e cada um é livre para conjecturar como explicar os elementos de comprovação das cartas de Chico Xavier.
     
     
    Só espero que ele não dê razão a Lincoln:
    (So, we are used to not challenging religious ideas. Everybody gets absolutely frantic about it because you’re not allowed to say these things).
     
     
    Em vez de me escrachar pela incredulidade, espero que ele coloque meu nome na corrente de orações, peça a seus amigos espirituais que me ajudem a encontrar deus, jesus NSFG, etc.
    Em outras palavras, que seja um espírita de verdade, não um espírita nervosinho, como diz a desciclopédia.

  158. Marciano Diz:

    EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO
    capítulo xii
    M
    Amai os vossos inimigos
     
    • Retribuir o mal com o bem • Os inimigos desencarnados • Se
    alguém vos bater na face direita, apresentai-lhe também a outra
    • Instruções dos Espíritos: A vingança – O ódio – O duelo
    1. Aprendestes que foi dito: “Amareis o vosso próximo e odiareis os vossos inimigos.”
    Eu, porém, vos digo: “Amai os vossos inimigos; fazei o bem aos que vos odeiam
    e orai pelos que vos perseguem e caluniam, a fim de serdes filhos do vosso Pai que
    está nos céus e que faz se levante o Sol para os bons e para os maus e que chova
    sobre os justos e os injustos. Porque, se só amardes os que vos amam, qual será
    a vossa recompensa? Não procedem assim também os publicanos? Se apenas os
    vossos irmãos saudardes, que é o que com isso fazeis mais do que os outros? Não
    fazem outro tanto os pagãos?” (Mateus, 5:43 a 47.)
    “Digo-vos que, se a vossa justiça não for mais abundante que a dos escribas e dos
    fariseus, não entrareis no Reino dos Céus.” (Mateus, 5:20.)
     
     
    O pensamento malévolo determina uma corrente fluídica que impressiona
    penosamente. O pensamento benévolo nos envolve num agradá-
    vel eflúvio. Daí a diferença das sensações que se experimenta à aproximação
    de um amigo ou de um inimigo. Amar os inimigos não pode, pois, significar
    que não se deva estabelecer diferença alguma entre eles e os amigos. Se
    este preceito parece de difícil prática, impossível mesmo, é apenas por entender-se
    falsamente que ele manda se dê no coração, assim ao amigo, como
    ao inimigo, o mesmo lugar. Uma vez que a pobreza da linguagem humana
    obriga a que nos sirvamos do mesmo termo para exprimir matizes diversos
    de um sentimento, à razão cabe estabelecer as diferenças, conforme os casos.
    Amar os inimigos não é, portanto, ter-lhes uma afeição que não está
    na natureza, visto que o contato de um inimigo nos faz bater o coração
    de modo muito diverso do seu bater, ao contato de um amigo. Amar os
    inimigos é não lhes guardar ódio, nem rancor, nem desejos de vingança; é
    perdoar-lhes, sem pensamento oculto e sem condições, o mal que nos causem;
    é não opor nenhum obstáculo à reconciliação com eles; é desejar-lhes o
    bem, e não o mal; é experimentar júbilo, em vez de pesar, com o bem que
    lhes advenha; é socorrê-los, apresentando-se ocasião; é abster-se, quer por palavras, quer por atos, de tudo o que os possa prejudicar; é, finalmente,
    retribuir-lhes sempre o mal com o bem, sem a intenção de os humilhar.
    Quem assim procede preenche as condições do mandamento: Amai os
    vossos inimigos.

  159. Marciano Diz:

    Destaco:
    abster-se, quer por palavras, quer por atos, de tudo o que os possa prejudicar;

  160. Marciano Diz:

    4. Amar os inimigos é, para o incrédulo, um contrassenso, aquele
    para quem a vida presente é tudo, vê no seu inimigo um ser nocivo, que lhe
    perturba o repouso e do qual unicamente a morte, pensa ele, o pode livrar.
    Daí, o desejo de vingar-se. Nenhum interesse tem em perdoar, senão para
    satisfazer o seu orgulho perante o mundo. Em certos casos, perdoar-lhe
    parece mesmo uma fraqueza indigna de si. Se não se vingar, nem por isso
    deixará de conservar rancor e um secreto desejo de mal para o outro.
    Para o crente e, sobretudo, para o espírita, muito diversa é a maneira
    de ver, porque suas vistas se lançam sobre o passado e sobre o futuro,
    entre os quais a vida atual não passa de um simples ponto. Sabe ele que,
    pela mesma destinação da Terra, deve esperar topar aí com homens maus
    e perversos; que as maldades com que se defronta fazem parte das provas
    que lhe cumpre suportar e o elevado ponto de vista em que se coloca lhe
    torna menos amargas as vicissitudes, quer advenham dos homens, quer
    das coisas. Se não se queixa das provas, tampouco deve queixar-se dos que lhe
    servem de instrumento. Se, em vez de se queixar, agradece a Deus o experimentá-lo,
    deve também agradecer a mão que lhe dá ensejo de demonstrar a
    sua paciência e a sua resignação.
    Esta ideia o dispõe naturalmente ao perdão.
    Sente, além disso, que quanto mais generoso for, tanto mais se engrandece
    aos seus próprios olhos e se põe fora do alcance dos dardos do seu inimigo.
    O homem que no mundo ocupa elevada posição não se julga ofendido
    com os insultos daquele a quem considera seu inferior. O mesmo se
    dá com o que, no mundo moral, se eleva acima da humanidade material.
    Este compreende que o ódio e o rancor o aviltariam e rebaixariam. Ora,
    para ser superior ao seu adversário, preciso é que tenha a alma maior, mais
    nobre, mais generosa do que a desse último.

  161. Marciano Diz:

    Cuidado com a maledicência, bagel.
    Não vá querer me atacar por minha descrença.
    Seja um espírito de verdade e ore por mim.
    Eu vim ao mundo para trazer as provas que vocês, espíritas, precisam encarar, para prosseguirem em sua jornada espiritual.

  162. Marciano Diz:

    Pessoas como bagel devem agradecer a pessoas como eu, que lhes dá ensejo de demonstrar a sua paciência e a sua resignação.
     
    Desciclopédia, sobre o espírita nervosinho:
     

    Quanto mais livros o espírita nervosinho leu, pior. O espírita sempre se julgará mais esclarecido. Qualquer refutação será tida como ignorância sua, e o debatedor será tido como um recusador da maravilhosa revelação espírita. Qualquer avanço na ciência será tido como avanço na compreensão terrena em consonância com as espiritices.
     
    Os espíritas não se manifestam de forma expansiva ou violenta, mas são fanáticos e arrogantes. Acreditam em tudo que um grupo de espíritos superiores dizem. São arrogantes em sua serenidade e certeza de saber mais do que os outros fiéis.
     
    Pra te corrigir
     
    O espírita nervosinho vai te corrigir (sempre que puder ou mesmo quando não precisar), dizendo que “não há final” e que “ninguém morre”.(alô mãe tudo bem?) Vai dizer que as pessoas desencarnam e que o final ainda está longe, porque estamos sempre precisando voltar a este mundo para aprender. Ou seja, um monte de papo-furado.

    Será :?:

  163. Marciano Diz:

    Fotografia Kirlian do umbral:
    ̶̮̦̟̈́͒͆͊̆̓͛̇ ̵̣͈̼̪̬̜̻̻̱̈́͋̆̍̃̏̄̉̾̂̈́ ̶̨͕̺͚̝̳͓̰͕̥͔̝̱̔̔̅̐̓̎̾̑͗̚̚͝ ̷̘̘͕͈̥̭͚͖͚͇͙̜̭̓̌͛̌̓̈́̿̍̿̕͘͘͠ ̷̖̭̬̤̖̮̩͔̦͈̜̂̄̅͑̽̉̾̐̈́̾̈̎͘̚͝ ̵̢̛̣̲̥̪̩̝̼̪̑̐̀̀̉̓͆͒̽͠ͅ ̸̡̧̛͍͚̺̘̒̏̈́̈̄̐͋ ̵͈̮̠̭͖̂̇̓̿̏͑͒̊̚̕͜͠ ̴̗̈́̏̓ ̶̞̮̣̊ͅ ̶̦̃́́̓̈͆̓͆̉̚ ̶̮̤̱͕̰͉͓͕͇̮̉̀́̓̈́̈́̈̋͆͊̚̕̕͝͝ͅ ̸͓̲̬̥̻̗̟͍̙̺͙̦̘̝̟́͊̈́̃̽̈́̋͊͝ ̵̢̭̰̗̟̜̫̘͎̲͂̆͛̎̀ͅ ̵̱͐̔͌͛̌̑͒̔̾͋̂͝ ̵̝̲̦̗̙̹̮͌͌̎̉̒̆̐̆̄́͜ ̶͚͕͎̩͕͓̣̜̮͎͕͖͎̜̠̒̔̿̀̋̌̅̽̑̀̓̀̇̽͠ ̸͓̪̘͇͍̲̻̰́͋̽̋̉͑̊̚͠ ̵̡̧̠̟̰̍͗̋̈́̽̇͜͝ ̷̨̧̔̓̽̃͆̑̄̌̃̍̕ ̴̧̘̞͔̞̺̜̠̝̲͗̃̐̑̏̅͊͛͌̓͆͒́̇͝ͅ ̷̧̨͎͓̰͇̠͈͚̣̩͚̦̘̋̓͛͂͗͛͗̄̎̔͒̚͘ ̶̺͈̤̖̜̝̪̻͙͕̺͎̙́̔̌ ̵̡̯̠̹͍̱̬̓͌̀͗͜ ̶̡̞̰͖̱̌̕̚ ̸̧̳̠̲̟̫͈̬͙̿ ̷͖̽́̾̿́̕͠ ̷̨̛͉̖͉̰̹̯̺͕̪͚̮̭̣̓̇̍͌̌͆͌̈̑̀̀͗̆͜͝ ̸̖͓̯̮̙̻͇̙͓̐̚ͅ ̴̝̥̘͖̭͈̖̇̌̂͂͊̽̈̅͜ͅ ̷̡͇͈̪͓̖̖̜̳̳͖̥͍̝́́̋͜͝ ̵̢͕̺̜͇̳̮͛͆̀̿̎̊͗̓̉͠ ̶̼̣͇́̓͌̇̍̾̀̑̓́̌̐̂̇ͅ ̵̛̻̫͚̓̒͆ͅ ̷̨̦͈͇̈́͆͌̊̽̉͠ ̸̧̛̻̦̅̄̒͛̔͋̇̒͆͒͘̕ ̷̛̼̹͔̬͈͚̃͒̓̌̋̊́͜ͅ ̶̡̫̫͎͕̝̮̯̬̹̦͔̲̿̀̈́̌̄͊ ̵͓̘̌̌ ̷̱̗̇̈́̋̎̑͠ ̵͇̫̥̩̞͓͍͉̩̞̮̺̣̹͗͂̔̄̂̆̈́͆̎̄̽̎͛̽ͅ ̷͈̜͇͈̹̔ͅ ̷̢͖̬̩̩̲̗̟̪̟̭̠͓̪̞͗̔̇͝ ̶̧̖̩̭̤̩̞̭̺̖͇͈̪̓͐̉͐̃͊͊̈̅͐́͘͝͠͝ ̴̝̣̥̠̠͎̻̠͈̩͔͈̾̓̌̎͆̀̃͆ ̶͙͌́͑̋͊̅̅̄͛̆ ̷̡̨͙̘̺̯͕͎͈̰͉̍̉̈̈́͂́͂̾̆̊̓̈́̂̚͝/̴̯̙̣̩̟̲̭̅̍̐̍̈́̓̽̅͜͝ ̸̧͓̻͍̦̖͕̪̿̌͗̿͊͌͑̀̈́ͅͅ ̸̯͇̬͖̺͖̖̘̹͍̟̎̍̀̅̈́͊͌̀͝͠ͅ ̶̞̾̄̍̆́̎̈̇:̸̧̣̐̉͗̓̀̄̾́̽̏͒͂͘͘ ̵̜̖̏ ̶̥͇͍̲͍̩͙͓͊̎̉͗̎̍͋͂̋̃̅͠؛̴̨̼͙̖̰̫̦͇̲̟̻̬̥̦͕͂̋̐͋͊̈̊͠ ̸̨͉̮͚̠͎̀́̆ ̸̷̛̹͎̖̳̯̠̰̻̼͓̦̟̮͙̗͕͇̓̊̀̂̑͋̎̐͆͛̒̑̀̉̚̕ͅ˙̴̖̫̱͔̝̬͗͑̀̀̈́́̊͋̈̀͠ ̵̳͍̯͚̗͚̰̰̭̠̣͐̑͋̾̐̏̂̉̓̎ ̴̖̰̺̮̠̊ ̷̢̧̢͇̜͖̟̫̋̃͊̇́̂̉͗̓̽́̅̂\̷̛̼̲̲̻̭͖̜̗̫̖̙̀͋̈́͐͐̒̈́̇̍͘͠ ̶̨̪̼͕̣̦̺̹̻̻̹͔̜̈́́͊̂͛̏̇ ̶̢̢̢̪̗̰̖̼̠̖͚͕̖̝̭̽ ̵̲̹̍̏̌̈͊͆͆́͛̐̈ ̵̨̨̨̠̦̺̣͎̳͎̽͗͑̃͐́͠͠͝ ̶͍̲͕̎̆̀̈́́̐͝͠ ̷̛̜̰̑̑̿̈́͊͆̋̉͋̀ ̷̨̧̱͇̼̮̟̟̣̺͙͈͉͓̉ͅ

  164. Marciano Diz:

    ███████▀▀▀░░░░░░░▀▀▀███████
    ██████▀░░░░░░░░░░░░░░░▀████
    █████│░░░░░░░░░░░░░░░░│████
    ████└┐░░░░░░░░░░░░░░░┌┘░███
    ███░░└┐░░░░░░░░░░░░░░┌┘░░██
    ███░┌┘▄▄▄▄▄░░░░░▄▄▄▄▄└┐░░██
    ██▌░▄██████▄░░░▄██████▄░▐██
    ███─┘░░▓▓▓▓░░░░░▓▓▓▓░░└─███
    ██▀▓▓▓░▓▓▓▓░░░░░▓▓▓▓░▓▓░▀██
    ██▄▓▓▓░▓▓▓▓▄▄▄▄▄▓▓▓▓░▓▓▄███
    ████▄─┘█████████████└─▄████
    █████░░▐███████████▌░░█████
    ██████░░▀█████████▀░░▐█████
    ███████░░░░▓▓▓▓▓░░░░▄██████
    ████████▄░░░░░░░░░▄████████
    ███████████▓▓▓▓▓███████████
    ███████████▓▓▓▓▓███████████

    ████╗████████╗██╗███████╗███╗═══███╗████████╗
    ═██╔╝═══██╔══╝╚█║██╔════╝████╗═████║██╔═════╝
    ═██║════██║════╚╝███████╗██╔████╔██║█████╗
    ═██║════██║══════╚════██║██║╚██╔╝██║██╔══╝
    ████╗═══██║══════███████║██║═╚═╝═██║███████╗

  165. Marciano Diz:

    cx psicografando:
    1111111111111111111111¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶1111111111111
    111111111111111111¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶111111111
    1111111111111111¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶1111111
    11111111111111¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶11111
    111111111111¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶111
    1111111111¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶11
    111111111¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶1
    11111111¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶1
    1111111¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    111111¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    111111¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    11111¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    1111¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    1111¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    111¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶1
    111¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    11¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
    11¶¶¶¶¶_11¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶  
    11¶¶¶¶1_____1¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶  
    11____¶1_______¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶1  
    ¶¶_____111_______1¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶1  
    ¶¶¶______11________¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶  
    ¶¶¶¶1______11________¶¶¶¶¶¶¶¶1__¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶  
    ¶1_1¶¶1_______1_______1¶¶¶¶1____¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶1  
    ¶1___1¶¶________________¶¶1____¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶  
    _¶_____1¶1_______________1____¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶    
    _¶¶¶______11__________________¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶1    
    _11¶¶1______1_________________¶¶¶¶¶¶¶¶¶      
    _1___¶¶1______________________1¶¶¶¶¶¶1      
    _¶1____¶¶1_____________________¶¶¶¶1        
    _¶¶1_____¶_____________________1¶¶          
    _¶¶¶¶___________________________¶            
    __¶¶¶¶1_________________________¶            
    __¶¶¶¶¶¶________________________¶            
    __¶¶¶¶¶¶1_______________________¶            
    __1¶¶¶¶¶¶_______________________¶            
    ___¶¶¶¶¶¶¶______________________¶            
    ____¶¶¶¶¶¶1_____________________¶            
    ______11¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶

  166. Marciano Diz:

    Montalvão, o poltergeist do blog mandou um recado pra você.
     
    Ele disse que tem tentado fazer contato telepático contigo, mas tu não estás na mesma faixa vibratória dele, portanto, não consegue.
     
    Disse que quer te dar umas aulas de HTML, outras de violão, outras de teologia, outras de interpretação de textos, outras de tratamento fisioterápico para sua enfermidade.
     
    Enfim, ele quer te ensinar um monte de coisas.
     
    Ele só disse que você deve abjurar Belphegor e deixar de ser preguiçoso.
     
    Disse que tempo não te falta para aprender nada disso.
     
    Disse que você precisa aprimorar seu inglês.
     
     
    Tá dado o recado.
    Agora é contigo.

  167. Marciano Diz:

    Vê se isto te ajuda:
    http://www.revdesportiva.pt/files/PDFs_site_2014/5_Set/Rev_29_P07_12_Tema_1_epicondilite_site.pdf

    Há dois tipos de tratamento, o conservador e o cirúrgico. A grande maioria dos pacientes realiza o tratamento conservador com antiinflamatórios, fisioterapia, alongamento e fortalecimento muscular com sucesso. Às vezes são necessário dois a três meses de tratamento para atingir o resultado ideal. Para um minoria de pacientes que não melhoraram com o tratamento acima, está indicada a realização de uma cirurgia., normalmente destinada aos pacientes com quadros mais avançados e graves. Há dois tipos de cirurgias: a aberta (tradicional) e a cirurgia por artroscopia (por câmera de vídeo). O objetivo da cirurgia é a de retirar o tendão que está inflamado há muito tempo e sofreu alterações estruturais passando de uma tendinite para uma tendinose. A tendinose não permite a recuperação do tendão e deve ser retirada. A cirurgia aberta consiste em realizar uma incisão na face lateral ou medial do cotovelo, achar o tendão alterado, retirar o tecido morto e suturá-lo de volta ao osso. A cirurgia artroscópica tem o mesmo objetivo, mas é realizada com uma incisão bem menor, cerca de meio centímetro, e retira a inflamação de dentro para fora com uma menor agressão aos tecidos que não estão inflamados.
     
     
    Resolva logo isso, pois estou sentindo falta de seus textos, de seus debates com o Vitor.

  168. Marciano Diz:

    Após a cirurgia o paciente cita uma melhora importante da dor e iniciará o tratamento fisioterápico em uma semana, devendo retornar as suas atividades normais
    com duas semanas pós operatórias.

  169. Marciano Diz:

    Será que essa dor de cotovelo não é consequencia daquele caso de amor mal resolvido com a testemunha de jeová?
    Você fica pensando que é epicondilite, pode até vir a submeter-se a um procedimento cirúrgico, e tudo se resolve conquistando a testemunha.
    Terá de se converter, claro.
    Ou fingir que se converteu.
     
     
    Só te aviso de uma coisa: ela não é mais aquela menina linda pela qual te apaixonaste.
    Está mais feia do que a minha foto acima.
    Parece assombração.
    Talvez seja melhor suportar a dor de cotovelo.

  170. Marciano Diz:

    O Google Translator é parecido com esse programa que você está usando para converter voz em texto.
    O whatsapp já vem com esse app embutido.

     
    Eles funcionam mal, mas quebram um galho, quando não há outro jeito.
     
    Será que o JCFF deixou-nos abandonados por causa de problema semelhante?
     
    Lembra-se dos textos gigantescos que ele escrevia aqui?
     
    Por incrível que pareça, tenho saudades do JCFF. Ele era arrogante, católico fervoroso, mas inteligente pra mais de metro, como você costuma dizer, depois que se mudou para SJ.
     
    O blog era outra coisa naquele tempo.
    Atualmente anda meio parado.
    Se a gente não esquentar o debate com provocações, brincadeiras de mal gosto, etc., fica tudo parado, ninguém comenta nada.
     
    Até o Biasetto, que perdeu o juízo e abandonou tudo quando viu a queda do PT, escrevia uns textos legais aqui, sobre plágio.
    Não me refiro aos comentários, refiro-me àqueles artigos que ele andou escrevendo sobre os plágios de cx.
     
    Você também já escreveu matérias legais aqui.
     
     
    Espero que, após sua recuperação, volte a colaborar com o blog, escrevendo uns artigos legais para que o Vitor publique.

  171. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano , veja se esse hino evangélico não é plágio:

    .
    .
    “Creuza de Oliveira – Confia no Senhor” (197?)
    .

    https://www.youtube.com/watch?v=YGiyLfQuR0A
    .
    .
    “The Animals – House Of The Rising Sun – 1964″
    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=y2oKRKZnEoA

  172. Contra o chiquismo Diz:

    Caracaaaaaaaaa!!!!
    .
    .
    Não sabia que era o Divaldo Franco que era o líder dessa banda e cantava esse clássico dos anos 60!!
    .
    .
    Divaldo cantando, vejam!!
    .
    .

    https://www.youtube.com/watch?v=_o0sgcqIg7c

  173. Marciano Diz:

    Esse negócio de psicografia, meta-análise, e o escambau, está matando o blog.
    Aqui fervilhava de pessoas, os debates eram acirrados, constantes, com inúmeros debatedores.

     
    Os assuntos predominantes eram as fraudes das psicografias (querida mãezinha, etc.), as falsas materializações de espíritos pirulito, tinha o TOFFO, outro comentarista de escol.

     
    Agora, só dá mesmo para galhofa.
    O Antonio GPOA sumiu de vez.
    Estou com um pressentimento, melhor dizendo, uma premonição, uma intuição espiritual, de que VOCÊ, GORDUCHO e talvez outros vão migrar definitivamente para o FCC.
     
    Se isto acontecer (knock, knock, knock – fui eu batendo na madeira, não o espírito do Professor ARDUIN), eu acabo me sujeitando àquela ditadura, mas serei fiel ao blog até seu último momento, se ele vier a desencarnar.
     
    Gosto do Vitor, de seu estilo democrata e sem burocracia (apesar de algumas expulsões e suspensões).
    Fora daqui, só conheço gente mais burra do que eu, que só fala de futebol, trabalho, coisas mundanas e que não estimulam intelectualmente.
     
    E eu preciso de estímulo intelectual, como você está precisando de fisioterapia, quiçá (deus o livre) cirurgia.
     
    Tenho medo de desenvolver óxido de ferro no cérebro, o qual já anda falhando, como dá para perceber.
    Não sei se pela falta de exercício ou excesso de bebidas.
     
    A falta de sono também vem minando e esburacando meu cérebro, o que “está comprovado” que é uma das causas daquela doença que o Vitor diagnosticou em você, de cujo nome não consigo me lembrar.

     
     
    Nem o ✈ ‛¯¯٭٭¯¯(▫▫)¯¯٭٭¯¯’ aparece mais aqui, apesar de estar alive and kicking no FCC.

  174. MONTALVÃO Diz:

    /
    MARTE DIZ: Aprender línguas estrangeiras, teoria musical, matemática, é bem parecido.
    Tem de ter tempo e paciência. Devagar, aos poucos, se chega lá.
    Se quiser aprender muita coisa, tem de dedicar muito tempo ao estudo e à prática, e desde criança. É conhecimento acumulado, que não ocorre overnight.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: não sei me explico bem, mas vou tentar: qual a diferença entre conhecer uma arte, uma técnica, e executá-la como um virtuose? A resposta se resume em uma palavra: talento.
    .
    Qualquer pessoa pode dominar o vasto conhecimento da teoria musical. Eu mesmo quando estudava essas coisas falava de sustenidos, bemóis, bequadros, harmonia, dissonância, claves, incluindo a de dó, enarmonia, e por aí afora. Se me pusesse um violão nas mãos eu era capaz de montar acordes complexos e dedilhar o instrumento com facilidade devido a muitas horas de treino. Mas era, como ainda sou, incapaz de acompanhar uma música sem muleta; incapaz de construir um solo com acorde (só com notinhas), atravessava e atravesso o ritmo como poucos conseguem. O máximo a que poderia almejar com todos esses predicados seria tocar umas músicas quadradinhas, decoradinhas. O que saísse desse contexto adredemente ensaiado seria pura tragédia. Então assim não me interessava e não me interessa. Chegarei à outra vida carregando comigo essa frustração.
    /
    /

    “Já está meio tarde para vocês, mas o Montalvão, se fosse mais aplicado, nunca teria ficado desestimulado por uma garotinha talentosa que provavelmente não toca nada hoje em dia.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: conhece ela?! Certamente não se tornou artista, mas deve dar seus dlin-dlons em festinhas com muita habilidade…
    /
    /

    “A falta de talento se compensa com trabalho e estudo, não com preguiça.
    Belphegor é o deus de vocês.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: Belphegor… deus da preguiça e do dolce far niente… gente boa… se for para fomentar o ócio produtivo tô com ele…
    .
    Infelizmente, sou obrigado a discordar: esforço não supre a falta de talento… pode até disfarçar, mas só isso.
    /
    /

    Marciano Diz:
    .
    Ficou parecendo uma chave, mas é um violão, presente para o Montalvão.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: tive três: dois Gianninis e um Di Giorgio, e ainda tenho um que guardo para quem queira tanger o pinho no meu lar.
    /
    /
    Borges Diz:
    .
    “Meu mal chama-se espondilite lateral, mais conhecida como cotovelo de tenista…
    desculpem-me espondilite não, epicondilite; perdoem-me a filha,figo, digo, a falha…”
    .
    Deve ser um “carma” por ter dado muitas cotoveladas nos adversários, quando jogava futebol na última encarnação. O meu “carma” se localiza no pescoço e tem um nome mais simples “torcicolo”; devo ter dado muitas cabeçadas nos adversários na encarnação passada. Costumo gastar dois ou três tubos de “Probenxil” (diclofenaco dietilamônio) cada vez que ele ataca.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: os meus males são pequenos em vista doutros…
    .
    Acho legal de montão jogar pra vidas pregressas encrencas da atual, mas não vejo razões para tal. Os problemas desta vida nesta vida achamos a gênese deles.
    .
    Também uso diclofenaco, mas agora estou sob os cuidados de um fisioterapeuta que dizem ser melhor que João de Deus…
    /
    /

    Marciano Diz:
    .
    Montalvão precisa é de parar de frequentar o Tijuca Tênis Clube.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: quando morava lá perto não tinha “categoria” para a$$ociar-me…
    /
    /
    “Além de diclofenaco, receitado pelo Borges, deveria fazer alongamentos, melhorar a postura diante do computador, e rejuvenescer um pouco.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: alongo-me com certa frequência, procuro posturar-me, mas mais de quarenta anos de digitação (desde a velha Olivetti, Burroughs, Olimpus) cobram seu preço, cedo ou tarde.
    /
    /
    “Sangue de virgens ajuda no rejuvenescimento, mas está meio difícil de encontrar.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: tá meio difícil de encontrar o quê, o sangue ou as virgens?
    /
    /

    bagel Diz:
    .
    Evidentemente Boaventura acredita em espíritos, mas não que eles possam se comunicar. Toda argumentação do frei gira em torno desse pressuposto básico ao credo católico. O que talvez Imbassahy, outro que acredita em espíritos, devesse retrucar ao frei: o que te dá, mon chéri, certeza tão inabalável ?
    .
    CONSIDERAÇÃO: respondo-lho pelo falecido: a certeza de que espíritos não comunicam advém do fato de que são incapazes de se mostrarem presentes entre os vivos. Peça a um morto que leia trecho de livro postado fora das vistas do médium e veja o resultado…
    /
    /
    Marciano Diz:
    .
    Não sei por que razão Montalvão duvida de minhas palavras, se já acreditou até nas sagradas escrituras cristãs.
    Para quem acredita em diabos, metafóricos ou não, tem esperança de que exista uma divindade e consciência após a morte, deveria ser molinho acreditar no discurso anti-religioso de Lincoln.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: não duvido de suas palavras, apenas faço uso da prudência cética.
    .
    Quem é que aqui acredita em diabos, mesmo metafóricos? Se está pensando em mio despense. Se no que tange à divindade tenho esperança, como teria fé na existência do cão?

    /
    /
    Marciano Diz:
    .
    bagel é espírita.
    Ele mesmo já disse ao Borges:
    Bagel Diz:
    SETEMBRO 26TH, 2015 ÀS 7:26 PM
    Sr. Borges
    Um comentário aos seus comentários.
    Na mediunidade não é um espírito que expõe suas ideias e um médium que as copia fielmente. A mediunidade é uma intenção de um lado e uma interpretação do outro. Pelo menos é dessa forma que o Espiritismo entende o processo mediúnico.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: até adadonde seio não é bem assim. Kardec postulou três tipos de médiuns: mecânicos, semimecânicos e intuitivos. O que disse se aplica aos intuitivos e, um pouco, aos semimecânicos. O mecânico transcreve fielmente.
    .
    Fui, do verbo inté…

  175. Marciano Diz:

    Olá, COC.
    Parece-me plágio, sim.
    Uma pequena mudança na linha melódica principal, mas dá para perceber a semelhança.
    Quanto do DPF, se não me falha a carcomida e desgastada memória que ainda resta no meu HD, você já o tinha mostrado.
    Ou eu vi em outro lugar.
    Você mostrou sim. Estou lembrando.
    Divaldo cantando com os Zombies.
    Sua memória está pior do que a minha e a do Montalvão, juntas.

  176. Marciano Diz:

    Montalvão, obrigado pela atenção.
    Ainda tem mais coisas pra você ler, mas sei que morpheu está rondando seu perispírito.
    Durma com os anjos, tu que tens de humano o gesto e o peito.
    [{-_-}] ZZZzz zz z...

  177. Borges Diz:

    Seu auto retrato não tenho como conferir; o do CX ficou parecido, exceto pelo crânio alongado. Você quis retratá-lo como ET?
    Belo trabalho.
    Um Abraço

  178. Borges Diz:

    “Acho legal de montão jogar pra vidas pregressas encrencas da atual, mas não vejo razões para tal. Os problemas desta vida nesta vida achamos a gênese deles.”
    .
    Eu estava “zooooando”. Também não acredito nesta “baboseira” de “resgate cármico” imposta por entidades divinas; mas acredito que uma consciência pesada por males praticados, ou até mesmo sentimentos de culpa infundados, possam refletir no corpo físico. Claro que não é o caso de nossos probleminhas. Se pesquisarmos atentamente, descobriremos as causas físicas dos mesmos.
    Um abraço

  179. bagel Diz:

    Montalvão Considera:
    Evidentemente Boaventura acredita em espíritos, mas não que eles possam se comunicar. Toda argumentação do frei gira em torno desse pressuposto básico ao credo católico. O que talvez Imbassahy, outro que acredita em espíritos, devesse retrucar ao frei: o que te dá, mon chéri, certeza tão inabalável ??.
    .
    CONSIDERAÇÃO: respondo-lho pelo falecido: a certeza de que espíritos não comunicam advém do fato de que são incapazes de se mostrarem presentes entre os vivos. Peça a um morto que leia trecho de livro postado fora das vistas do médium e veja o resultado…
    +
    Tenho dúvidas se o frei concordaria in totum com você. Afinal NSFG apareceu aos 12, depois a uma “multidão” e subiu ao céu sem antes advertir que voltaria para julgar vivos e mortos. Presumo que, para manter a linha, Boaventura diria que o que “apareceu” aos 12 não era um “espírito” no sentido católico de espírito, e muito menos um “espírito” no sentido espírita de espírito. Agora, vai saber o que era aquilo lá.

  180. MONTALVÃO Diz:

    /
    Borges Diz:
    .
    “Acho legal de montão jogar pra vidas pregressas encrencas da atual, mas não vejo razões para tal. Os problemas desta vida nesta vida achamos a gênese deles.”
    .
    Eu estava “zooooando”. Também não acredito nesta “baboseira” de “resgate cármico” imposta por entidades divinas; mas acredito que uma consciência pesada por males praticados, ou até mesmo sentimentos de culpa infundados, possam refletir no corpo físico. Claro que não é o caso de nossos probleminhas. Se pesquisarmos atentamente, descobriremos as causas físicas dos mesmos.
    /.

    CONSIDERAÇÃO: Desconfiei que estivesse mesmo zoando, mas como tem quem leve a sério o assunto, vale a ponderação.
    .
    Até que ponto o psíquico influencia o físico é boa questão para ser discutida: havendo oportunidade podemos fazê-lo, inclusive citando estudos experiências que conheçamos. De imediato, adianto que essa influência é real, porém tem limites. Depois, se for oportuno, podemos ampliar a reflexão.

  181. MONTALVÃO Diz:

    /
    bagel Diz:
    .
    MONTALVÃO: respondo-lho pelo falecido: a certeza de que espíritos não comunicam advém do fato de que são incapazes de se mostrarem presentes entre os vivos. Peça a um morto que leia trecho de livro postado fora das vistas do médium e veja o resultado…
    +
    BAGEL: Tenho dúvidas se o frei concordaria in totum com você. Afinal NSFG apareceu aos 12, depois a uma “multidão” e subiu ao céu [não?] sem antes advertir que voltaria para julgar vivos e mortos. Presumo que, para manter a linha, Boaventura diria que o que “apareceu” aos 12 não era um “espírito” no sentido católico de espírito, e muito menos um “espírito” no sentido espírita de espírito. Agora, vai saber o que era aquilo lá.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: que história é essa de que JC “apareceu” aos 12 anos? Segundo seus biógrafos, e o catolicismo adota essa concepção, ele nasceu e cresceu como qualquer humano. Aos doze teria surpreendido os doutores da lei por demonstrar conhecimento acima do esperado para sua idade.
    .
    Concordo com você: dificilmente o frei concordaria in totum comigo. Mas, no item 1 das objeções que expôs certamente haveria consonância opinativa: eis que os espíritas não conseguiram, e não conseguem, comprovar a presença de espíritos nos eventos mediúnicos.
    .
    Tanto Imbassahy quanto Boaventura creem em espíritos. A diferença é que o primeiro acha que eles podem se comunicar com os vivos, o segundo não.

  182. Vitor Diz:

    Creio que ele se referia aos 12 apóstolos, e não aos 12 anos, Montalvão…

  183. Borges Diz:

    Cheguei a redigir um comentário concordando com o Montalvão, porém, após reler o texto com a devida atenção, fiquei inclinado a concordar com o Vitor.
    Um abraço

  184. MONTALVÃO Diz:

    /
    Vitor Diz:
    Creio que ele se referia aos 12 apóstolos, e não aos 12 anos, Montalvão…
    /.
    TEM RAZÃO…
    .
    Então, vou rever a meditação…
    .
    BAGEL: Tenho dúvidas se o frei concordaria in totum com você. Afinal NSFG apareceu aos 12, depois a uma “multidão” e subiu ao céu [não?] sem antes advertir que voltaria para julgar vivos e mortos. Presumo que, para manter a linha, Boaventura diria que o que “apareceu” aos 12 não era um “espírito” no sentido católico de espírito, e muito menos um “espírito” no sentido espírita de espírito. Agora, vai saber o que era aquilo lá.
    /.
    CONSIDERAÇÃO (2ª manifestação, revista): Segundo a ICAR (e também parte do protestantismo), JC é espírito uno com o Pai, ou seja, da mesma natureza divina. Então, não seria um espírito comum, de ser humano, ele teria assumido a forma humana até a crucificação, depois recuperou suas prerrogativas celestes e voltou a ser divino.
    .
    Sendo assim, o espírito JC não é modelo dos espírito humanos, pois de natureza distinta desses.

  185. bagel Diz:

    Montalvão Considera:
    Sendo assim, o espírito JC não é modelo dos espírito humanos, pois de natureza distinta desses.
    +
    Acho que entendi. Por ser “distinto” (não-humano ?) poderia se comunicar. Seria um agênere ? O espiritismo também tem qualquer coisa desse tipo.

  186. Gorducho Diz:

    No catolicismo se comunicam JC que é um deus, e santos que também não são espíritos comuns espíritas.
    Dentro daquela lógica de que pra D≺us – dentro do qual se inclui JC, claro – nada é impossível.
    É diferente da comunicação espírita onde espíritos comuns (i.e., não santos) de ex-viandantes carnais podem manter comércio com a crosta sem autorização expressa da Divindade.

  187. Vinicius Diz:

    BAGEL, segundo uma vertente do Espiritismo, JC viveu entre a humanidade como um âgenere.
     
    Segue um trecho da obra do Sr.Roustaing
     
    “Jesus houvera podido, unicamente por ato exclusivo
    da sua vontade, atraindo a si os fluidos ambientes
    necessários, constituir o perispírito ou corpo
    fluídico tangível que vestiu para surgir no vosso mundo
    sob o aspecto de uma criancinha.
     
    “Maria, porém, antes da sua encarnação, pedira, por devotamento e por amor, a graça de participar da obra de Jesus, atraindo, pela emanação de seus fluidos perispiríticos, os fluidos ambientes necessários a constituição daquele perispírito. ”
     
    “Dessa maneira se tinha que verificar a sua
    cooperação, mas de forma para ela inconsciente,
    porquanto o estado de encarnação humana lhe não
    permitia lembrar-se. ”
     
    “Assim, ao aproximar-se o momento final da sua gravidez aos olhos dos homens, ela, inconscientemente, mas ardendo no desejo de cumprir a missão que o Senhor lhe revelara por intermédio do anjo ou Espírito superior que lhe fora enviado, estabeleceu, pela emanação dos fluidos do seu perispírito, uma irradiação simpática, que atraiu os fluidos necessários à formação do corpo fluídico de Jesus.”
     
    “Nenhum efeito, entretanto, teria produzido a ação inconsciente de Maria, sem a intervenção da vontade daquele que ia descer ao vosso mundo. ”
     
    “Jesus, pois, constituiu, ele próprio, pela ação da sua vontade, o perispírito tangível e quase material, que se tornou, tendo-se em vista o planeta em que habitais, um corpo relativamente semelhante ao vosso.”
     
    GORDUCHO, conhece alguma obra do Dr.BEZERRA “encarnado” em que ele defende o corpo fluidico de Jesus? Dizem que ele foi Roustainguista fanático…
    :mrgreen:

  188. Vinicius Diz:

    Mais estudo (MARCIANO, você tem razão quando pergunta: há espíritos ou espiritismo, ou espirita verdadeiros… veja só a MARIA “simulou” gravidez ..
     
    “ A gravidez de Maria foi obra do Espírito Santo, porque foi obra dos Espíritos do Senhor e, como tal, aparente e fluídica, DE MANEIRA A PRODUZIR ILUSÃO, A FAZER CRER NUMA GRAVIDEZ REAL.”
     

    “ Os Espíritos prepostos à preparação do aparecimento do Messias na terra reuniram em torno de Maria fluidos apropriados, que lhe OPERARAM A DISTENSÃO DO ABDÔMEN E O INTUMESCERAM. “
     

    “Ainda pela ação dos fluidos empregados, o MÊNSTRUO PAROU durante o tempo preciso de uma gestação, contribuindo esse fato para a aparência da gravidez, pela intumescência e pelos incômodos ocasionados.”

  189. Vinicius Diz:

    Mais estudo (MARCIANO, você tem razão quando pergunta: há espíritos ou espiritismo, ou espirita verdadeiros… veja só a MARIA “simulou” gravidez ..
     
    “ A gravidez de Maria foi obra do Espírito Santo, porque foi obra dos Espíritos do Senhor e, como tal, aparente e fluídica, DE MANEIRA A PRODUZIR ILUSÃO, A FAZER CRER NUMA GRAVIDEZ REAL.”
     

    “ Os Espíritos prepostos à preparação do aparecimento do Messias na terra reuniram em torno de Maria fluidos apropriados, que lhe OPERARAM A DISTENSÃO DO ABDÔMEN E O INTUMESCERAM. “
     

    “Ainda pela ação dos fluidos empregados, o MÊNSTRUO PAROU durante o tempo preciso de uma gestação, contribuindo esse fato para a aparência da gravidez, pela intumescência e pelos incômodos ocasionados.”

  190. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano Diz:
    FEVEREIRO 12TH, 2017 ÀS 11:06 PM
    “Tenho medo de desenvolver óxido de ferro no cérebro, o qual já anda falhando, como dá para perceber.
    Não sei se pela falta de exercício ou excesso de bebidas.”
    .
    .
    Bem o Pastor tinha lhe advertido… e como é carnaval chegando… “vc pensa que cachaça é água…” kkkkk

  191. Gorducho Diz:

    Certes… certes… mas o ponto da rubrica é saber o que o Frei Boaventura achava (faleceu em 2009, certo?), e não a cosmologia espírita.
    Então eu digo que a justificativa católica é essa da excepcionalidade das almas que se comunicam vis-à-vis os espíritos comuns.
     
    E também no evangelismo os seres que se manifestam, à revelia da Divindade, são demônios.
    I.e.: seres que não animaram nem virão a animar organismos carnais planetários – em nenhum planeta, supõe-se…
     
    Ao se analisar é muito importante ter em mente de qual cosmologia se está a falar.

  192. Gorducho Diz:

    Viu o Grande Líder humilhando o Trump companheiro CoC :?:

  193. MONTALVÃO Diz:

    /
    Montalvão Considera:
    Sendo assim, o espírito JC não é modelo dos espírito humanos, pois de natureza distinta desses.
    +
    BAGEL: Acho que entendi. Por ser “distinto” (não-humano?) poderia se comunicar. Seria um agênere ? O espiritismo também tem qualquer coisa desse tipo.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: de certo modo sim, sendo JC coeterno com o Pai não é fruto de geração. Entretanto, os agêneres do espiritismo têm outra denotação.
    .
    ============================.
    Conforme o grau de condensação do fluido perispirítico, a aparição é às vezes vaga e vaporosa; doutras vezes, mais nitidamente definida; doutras, enfim, com todas as aparências da matéria tangível. Pode, mesmo, chegar, até, à tangibilidade real, ao ponto de o observador se enganar com relação à natureza do ser que tem diante de si.
    .
    São freqüentes as aparições vaporosas, forma sob a qual muitos indivíduos, depois de terem morrido, se apresentam às pessoas que lhes são afeiçoadas. As aparições tangíveis são mais raras, se bem haja delas numerosíssimos casos, perfeitamente autenticados. Se o Espírito quer dar-se a conhecer, imprime ao seu envoltório todos os sinais exteriores que tinha quando vivo. (1)
    .
    (1) O Livro dos Médiuns, 2ª Parte, caps. VI e VII.
    .
    36. – É de notar-se que as aparições tangíveis só têm da matéria carnal as aparências; não poderiam ter dela as qualidades. Em virtude da sua natureza fluídica, não podem ter a coesão da matéria, porque, em realidade, não há nelas carne. Formam-se instantaneamente e instantaneamente desaparecem, ou se evaporam pela desagregação das moléculas fluídicas (2). OS SERES QUE SE APRESENTAM NESSAS CONDIÇÕES NÃO NASCEM, NEM MORREM, COMO OS OUTROS HOMENS. SÃO VISTOS E DEIXAM DE SER VISTOS, SEM QUE SE SAIBA DONDE VÊM, COMO VIERAM, NEM PARA ONDE VÃO. Ninguém os poderia matar, nem prender, nem encarcerar, visto carecerem de corpo carnal. Atingiriam o vácuo os golpes que se lhes desferissem.
    .

    (2) Nota da Editora: As materializações prolongadas, quais as verificadas por William Crookes, não eram, então, conhecidas.

    .

    TAL O CARÁTER DOS AGÊNERES, com os quais se pode confabular, sem suspeitar de que eles o sejam, mas que não demoram longo tempo entre os humanos e não podem tornar-se comensais de uma casa, nem figurar entre os membros de uma família. (1)

    .
    (1) Nota da Editora: Segundo a Bíblia, este fato se deu na família de Tobias. (Ver “O Livro de Tobias”.)

    .
    Ao demais, denotam sempre, em suas atitudes, qualquer coisa de estranho e de insólito que deriva ao mesmo tempo da materialidade e da espiritualidade: neles, o olhar é simultaneamente vaporoso e brilhante, carece da nitidez do olhar através dos olhos da carne; a linguagem, breve e quase sempre sentenciosa, nada tem do brilho e da volubilidade da linguagem humana; a aproximação deles causa uma sensação singular e indefinível de surpresa, que inspira uma espécie de temor; e quem com eles se põe em contacto, embora os tome por indivíduos quais todos os outros, é levado a dizer involuntariamente: Ali está uma criatura singular. (2)
    ,

    (2) Exemplos de aparições vaporosas ou tangíveis e de agêneres: Revue Spirite, janeiro de 1858, pág. 24; – outubro de 1858, pág. 291; – fevereiro de 1859, pág. 38; – março de 1859, pág. 80; – janeiro de 1859, pág. 11; – novembro de 1859, pág. 303; – agosto de 1859, pág. 210; – abril de 1860, pág. 117; – maio de 1860, pág. 150; – julho de 1861, pág. 199; – abril de 1866, pág. 120; – “O lavrador Martinho, apresentado a Luiz XVIII, detalhes completos”, dezembro de 1866, pág. 353.
    .
    (A Gênese)
    ====================.

  194. Marciano Diz:

    ===============================================================
    Borges Diz:
    FEVEREIRO 13TH, 2017 ÀS 9:16 AM
    Seu auto retrato não tenho como conferir; o do CX ficou parecido, exceto pelo crânio alongado. Você quis retratá-lo como ET?
    Belo trabalho.
    Um Abraço
    ===============================================================
     
    Meu autorretrato (não tem mais hífen, pela nova ortografia) saiu melhorado. Sou bem mais feio.
     
    O crânio alongado de cx não foi proposital. Foi falta de competência em HTML.
    Fiz um esboço nas w3 que ficou perfeito.
    E explique-me uma coisa: como é que você “sabe” que ETs têm crânio alongado? Você mesmo admite que nunca me viu.
    Conhece algum outro ET?
    Um abraço, BORGES!
     
     
    ===============================================================
    MONTALVÃO Diz:
    FEVEREIRO 13TH, 2017 ÀS 12:05 PM
    CONSIDERAÇÃO: Desconfiei que estivesse mesmo zoando, mas como tem quem leve a sério o assunto, vale a ponderação.
    .
    Até que ponto o psíquico influencia o físico é boa questão para ser discutida: havendo oportunidade podemos fazê-lo, inclusive citando estudos experiências que conheçamos. De imediato, adianto que essa influência é real, porém tem limites. Depois, se for oportuno, podemos ampliar a reflexão.
    ===============================================================
     
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Transtorno_de_somatiza%C3%A7%C3%A3o
     
    Discutível, mas já é discussão antiga.
     
     
    Bagel inverteu a ordem das coisas.
    NSFG desapareceu aos 12 anos, reaparecendo aos 30.
    Depois, desapareceu de novo aos 30 e meio, reaparecendo para alguns (a bíblia se enrola toda ao descrever para quem e a ordem correta – é só comparar os evangelhos canônicos).
     
     
    ===============================================================
    MONTALVÃO Diz:
    FEVEREIRO 13TH, 2017 ÀS 12:33 PM
    Tanto Imbassahy quanto Boaventura crêem em espíritos. A diferença é que o primeiro acha que eles podem se comunicar com os vivos, o segundo não.
    ===============================================================
     
    Não seria “criam”?
    Lá em cima você lectured me severely on the same grounds.
    Viu como entendeu o que eu disse?
    Tava só de sacanagem, mas estou devolvendo.
    Tomou, papudo!
     
     
    ===============================================================
    Vitor Diz:
    FEVEREIRO 13TH, 2017 ÀS 12:35 PM
    Creio que ele se referia aos 12 apóstolos, e não aos 12 anos, Montalvão…
    ===============================================================
     
    Claro que foi isso, mas os próprios evangelhos se confundem ao descrever a reaparição. É só ler e comparar.
    Há profundas divergências em quem tê-lo-ia visto primeiro, quantos viram, etc.
     
    Sobre o assunto, eu costumava dizer a minha mãe, quando criança, que Tomé deveria perguntar como ele fez o truque de se passar por morto.
    Na época, eu ainda não sabia, mas os muçulmanos dizem que ele arranjou um sósia.
    Confiram no corão.
     
     
    ===============================================================
    Gorducho Diz:
    FEVEREIRO 13TH, 2017 ÀS 1:43 PM
    No catolicismo se comunicam JC que é um deus, e santos que também não são espíritos comuns espíritas.
    Dentro daquela lógica de que pra D≺us – dentro do qual se inclui JC, claro – nada é impossível.

    ===============================================================
     
    Minha mãe também dizia que para ele nada era impossível. Eu dizia que era impossível que ele fizesse dois times de futebol ganharem o mesmo jogo, e ela ficava bolada. Achada que eu estava possuído.

     
    Como um deus atende aos pedidos de um flamenguista e de um botafoguense para que seus respectivos times ganhem um jogo?
     
    Empate, não vale, pois não é vitória. Universos paralelos (já que tem cientista doido que acredita nisso) também não vale, pois em um deles um dos times teria perdido.
     
    Com um pedido desses, qualquer divindade tá f(lascada, como se diz no Ceará ou na Bahia, sei lá).
     
     
    VINICIUS, seu comentário é muito grande para que eu o transponha, mas por aí você vê como esses “espíritos do senhor” são MATREIROS.
     
     
    COC, o Pastor tá sumido, mas talvez ele tenha razão.
    Preciso dar um tempo no alcoolismo.
     
     
    GORDUCHO, você diz que os demônios nunca animaram nem virão a animar organismos carnais planetários – em nenhum planeta, supõe-se…
     
    E o que me diz de Gênesis, capítulo 6, versículo 2?
     
    E sobre isto aqui, ó:
     
     
    Nefilim (hebraico:. נְפִילִים) termo derivado do hebraico naphal (ele caiu), é um termo que ocorre duas vezes na Bíblia, em Gênesis 6:4 e Números 13:33
     
    O assunto é controvertido, cada um traduz como quer, mas há quem sustente que eram anjos decaídos, também conhecidos como demônios.
     
     
    Estou vendo que a tara de COC por coreanas está pegando no Gorducho.
    Vocês já reparam que as sul-coreanas são iguaizinhas às do norte?  
    E não são comunistas.
     
    Montalvão está curado, pelo jeito.
    Ta me devendo honorários médicos.

  195. Gorducho Diz:

    Claro… é preciso mentalizar que está-se interpretando o pensamento do Frei.
    Não pode ser analisado o pensamento dele (cosmologia católica) sob a lente da cosmologia kardecista ou chiquista – esta última do fantasma cujo bebê enganava a Maria fingindo mamar…

  196. Marciano Diz:

    Como estou sem tempo e com preguiça de ficar revirando bíblia, vou pegar emprestado do Paulopes, meu ex-amigo de facebook.
    http://www.paulopes.com.br/2011/10/onde-houve-aparicao-de-jesus-apos.html#.WKIXYjsrK00

  197. Marciano Diz:

    Essa incoerência sobre a reaparição de NSFG é apenas uma das contradições da bíblia.
    Ela não se entende sobre quantos casais de animais foram postos na arca, sobre um monte de coisas.
    E não é o único livro religioso contraditório. O corão é cheio de contradições também.

  198. Marciano Diz:

    Meu comentário e o de GORDUCHO saíram juntos.
    Para garantir que ele responda aos meus questionamentos, dirigidos à sua pessoa, aqui vai

  199. Marciano Diz:

    Pode ignorar os comentários dirigidos aos demais, mas eu ficaria obrigado, se respondesse aos que lhe dirigi, pelo menos quanto aos נְפִילִים

  200. Marciano Diz:

    A quem Jesus fez o primeiro aparecimento após a sua ressurreição?
    Maria Madalena e outra Maria. [Mt 28:1], [Mt 28:9]
    Maria Madalena. [Mc 16:9], [Jo 20:11-14]
    Cleopas e um outro. [Lc 24:13-31]
    Cefas. [I Co 15:4-5]

  201. Marciano Diz:

    Quantos animais de cada espécie Noé levou na arca?
    Noé recebe ordens para levar dois de cada animal para a arca. [Gn 6:19-20], [Gn 7:8-9], [Gn 7:15]
    Noé recebe ordens para pegar sete animais de cada espécie. [Gn 7:2-3]

  202. Marciano Diz:

    Para mim, isto é prova insofismável de que a bíblia, escrita por bárbaros em várias épocas, está cheia de interpolações, enxertos, mudanças de texto, etc.

  203. Marciano Diz:

    As traduções e as adaptações à linguagem moderna também são um prato cheio.
    Para quem gosta, tem também as diversas “interpretações”.

  204. Marciano Diz:

    Sobre o corão, vai aqui uma amostra grátis:
    pode beber álcool?
    Sim (16:67).
    Não (2:219).

  205. Borges Diz:

    “E explique-me uma coisa: como é que você “sabe” que ETs têm crânio alongado? Você mesmo admite que nunca me viu.
    Conhece algum outro ET?”
    .
    Caramba!!! Acabo de ter um contato imediato do terceiro grau inesperado.

    https://www.youtube.com/watch?v=V0PW7_UPVQ8
    Os Marcianos estão chegando. Orson Welles que o diga.
    Um abraço.

  206. Marciano Diz:

    Valeu, Borges!
    Eu nem sabia da existência dessa música.
    Só conhecia as 5 notas do final do filme.

  207. Marciano Diz:

    1) Deus ordena a lei do olho por olho e dente por dente?
     

    NÃO: O Espiritismo diz: Nosso Deus é diferente, “não é o Deus vingativo, cruel, sanguinário e ciumento de Moisés, não ordena que retribua olho por olho e dente por dente.” (A Gênese, cap 1, item 23, FEB, grifo nosso).
     
    SIM: “Tomai cuidado! Muito vos tendes enganado a respeito dessas palavras, como acerca de outras. A pena de talião é a justiça de Deus. É Deus que a aplica. Todos vós sofreis essa pena a cada instante, pois que sois punidos naquilo que haveis pecado, nesta existência ou em outra. Aquele que foi causa do sofrimento para seus semelhantes virá achar-se numa condição em que sofrerá o que tenha feito sofrer. Este é o sentido das palavras de Jesus.” (O Livro dos Espíritos, questão 764, FEB,grifo nosso).

     
    Como pode o espiritismo criticar a Bíblia quando ela fala da pena de talião se no próprio Livro dos Espíritos lemos que é Deus aplica tal pena?
     
    2) Deus usa as guerras e escravidão para ensinar os povos?
    NÃO: O Espiritismo afirma: “Nosso Deus é soberanamente bom, justo, manso, cheio de misericórdia, um Deus que jamais regaria a terra com sangue humano, jamais ordenaria o massacre e extermínio dos povos”. (A Gênese, item 23, FEB, grifo nosso).
     
    SIM: Pergunta feita por Allan Kardec aos espíritos: “qual foi o objetivo da Providência em tornar necessária a guerra?”.
    A resposta foi: “A liberdade e o progresso.”
    Então o codificador faz outra pergunta: “como poderia ser a liberdade e o progresso uma vez que a guerra frequentemente resultou em escravização?”

     
    Resposta dos espíritos: “Escravização temporária, para esmagar os povos, a fim de fazê-los progredir mais depressa.”(O Livro dos Espíritos, questão 744, FEB, grifo nosso).
     

    Questionamento: Se Deus não ordena o massacre de pessoas, porque a Providência divina tornou necessária a guerra e a escravidão para esmagar os povos para que eles progredissem mais depressa?

    ********************************************************************************************
    (Parte 2)
     
    3) A Encarnação/ Reencarnação pode acontecer em animais?
     
    SIM: “Nada aí há de impossível, nem o que, se assim for, afete a dignidade do homem. Bem pode dar-se que corpos de macaco tenham servido de vestidura aos primeiros espíritos humanos, forçosamente pouco adiantados, que viessem encarnar na Terra, sendo essa vestidura mais apropriadas às suas necessidades e mais adequadas ao exercício de suas faculdades, do que o corpo de outro animal. Em vez de se fazer para o Espírito um invólucro especial, ele teria achado um já pronto. Vestiu-se então da pele do macaco, sem deixar de ser Espírito humano, como o homem não raro se reveste de certos animais, sem deixar de ser homem. (A Gênese, Cap 6, item .15 212, FEB, grifo nosso ).

     
    NÃO: “A encarnação dos Espíritos ocorre sempre na espécie humana. Seria um erro acreditar que a alma ou espírito pudesse encarnar num corpo animal”. (O Livro dos Espíritos, Introdução, item 6, grifo nosso).

     
    Observação: Macaco é animal!
     
    Se estiverem interessados, tem muito mais no sítio citado.

  208. Marciano Diz:

    É engraçada a discussão que se segue nos comentários do aludido blog.
    Comprovam o que eu disse aqui, mais acima.
    Esses religiosos são tão caridosos, bondosos e compreensivos que odeiam uns aos outros, vivem se ofendendo.
    Minha religião é melhor do que a sua.
    Oh!

  209. Marciano Diz:

    Falei que tinha muito mais no sítio citado, falei dos comentários, e esqueci-me de dizer qual é o sítio.
    Vou logo avisando que o trecho que se segue eu copiei de
    http://examedadoutrinaespirita.blogspot.com.br/2011/07/ha-contradicoes-nos-livros-espiritas-de.html
     
     
    Se quiserem crucificar alguém, procurem o responsável pelo blog.

  210. MONTALVÃO Diz:

    /
    “ A gravidez de Maria foi obra do Espírito Santo, porque foi obra dos Espíritos do Senhor e, como tal, aparente e fluídica, DE MANEIRA A PRODUZIR ILUSÃO, A FAZER CRER NUMA GRAVIDEZ REAL.”
    .

    “ Os Espíritos prepostos à preparação do aparecimento do Messias na terra reuniram em torno de Maria fluidos apropriados, que lhe OPERARAM A DISTENSÃO DO ABDÔMEN E O INTUMESCERAM. “
    .

    “Ainda pela ação dos fluidos empregados, o MÊNSTRUO PAROU durante o tempo preciso de uma gestação, contribuindo esse fato para a aparência da gravidez, pela intumescência e pelos incômodos ocasionados.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: hoje em dia, a seguir a tese de Roustaing, dir-se-ia ter tido Maria uma gravidez psicológica ou histérica. Minhas cadelas vez em quando as têm: as tetinhas incham, botam leite e, às vezes, pegam um brinquedinho que fazem de filho… tem uma que fica com os úberes tão inchados que preciso ordenhá-la.

  211. MONTALVÃO Diz:

    /
    ==============================================.
    MONTALVÃO Diz:
    .
    Tanto Imbassahy quanto Boaventura crêem em espíritos. A diferença é que o primeiro acha que eles podem se comunicar com os vivos, o segundo não.
    =========================================.

    Não seria “criam”?
    Lá em cima você lectured me severely on the same grounds.
    Viu como entendeu o que eu disse?
    Tava só de sacanagem, mas estou devolvendo.
    Tomou, papudo!
    /.
    CONSIDERAÇÃO: simplex como gumex: basta trazer o contexto em avaliação para o presente e todos os gramaticais e sintáticos pecados serão perdoados… ou quase…
    .
    Além desta, espiriticamente falando, as almas depois que morrem levam consigo suas crenças, portanto, “lá” continuam a crer no que aqui criam (do verbo crer, não de criar)…
    .
    Fui obscuramente claro?

  212. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Minha mãe também dizia que para ele nada era impossível. Eu dizia que era impossível que ele fizesse dois times de futebol ganharem o mesmo jogo, e ela ficava bolada. Achada que eu estava possuído.
    .

    Como um deus atende aos pedidos de um flamenguista e de um botafoguense para que seus respectivos times ganhem um jogo?
    .
    Empate, não vale, pois não é vitória. Universos paralelos (já que tem cientista doido que acredita nisso) também não vale, pois em um deles um dos times teria perdido.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: Deus tudo pode, exceto o absurdo, pelo menos não na nossa concepção da lógica das coisas vai ver até ele possa, mas não concebemos como). Pelo princípio da não contradição, uma coisa não pode ser e não ser ao mesmo tempo.
    .
    Deus dá vitória a um time e não a outro, do mesmo modo que dá vitória a um exército e derrota outro; do mesmo modo que conduz a pelota de um chutador ao gol e desvia a de outro; do mesmo modo que faz meu vizinho ganhar na mega e me deixa de lado…

  213. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Montalvão está curado, pelo jeito.
    Ta me devendo honorários médicos.”
    /.
    CONTINUO LASCADO, mas me entendendo melhor com o programinha de voz…

  214. Marciano Diz:

    Montalvão, sábado teve UFC.
    Vi só um pedaço, porque tava chato demais.
    Só a luta do Jacaré foi boa.
    Por que estou dizendo isto?
    Simples, hoje em dia todo mundo é atleta de NSFG.
    O cara entra em campo, ou no octógono, e tá com NSFG escrito no calção, aponta para cima (onde fica o “céu” – como se a Terra não girasse), ora antes da luta, aponta para cima na hora do gol.
    E deixa NSFG numa situação constrangedora, pois só pode haver vitória de um, ou empate.
    Isso só não é sacanagem porque o cara nunca existiu fora da imaginação das pessoas.
    Tivesse sido de carne e osso, seria zombar de sua memória.
    Existisse como espírito, seria escarnecer de seu espírito descarnado (descarnado mesmo, não desencarnado).

  215. Marciano Diz:

    Veja se não vai arrumar nódulo nas cordas vocais, ou vai precisar de um programa que transforma pensamento em texto, e esses são bem mais fraquinhos, mais difíceis de usar, têm interface quase incompreensível.
    Eu até desisti de usar o meu e desinstalei.

  216. Marciano Diz:

    Sou capaz de apostar meio tostão furado dos dois lados como você acha que é brincadeira minha a alusão a programa que lê pensamentos.
    Se pensa isto, think again, and think fast (citação de “The Maltese Falcon”, fase dita por Humphey Bogart, em 1941 – aqui o filme recebeu o título de “Relíquia Macabra).
    Estou explicando a citação, porque acima citei Os Lusíadas e você, sempre atento às poesias, não percebeu, aparentemente (tu, que tens de humano o gesto e o peito).
    http://exame.abril.com.br/ciencia/sistema-que-le-mentes-consegue-traduzir-pensamento-em-textos/

  217. Marciano Diz:

    Aí, Vitor, se uma máquina pode ler pensamentos, em tese é possível sua tão sonhada telepatia, pelo menos entre humanos, pois cães não formas frases.

  218. Marciano Diz:

    Cães não formaM frases.
    É porque eu estava usando o Brain-to-Text (de outro computador, do qual ainda não desinstalei) e ele erra, de vez em quando.

  219. Marciano Diz:

    A tecnologia poderia ser aplicada em pessoas que sofrem de doenças neurológicas, como a ELA (esclerose lateral amiotrófica), que impedem a pessoa de se locomover ou falar. Ao invés de usar um dispositivo externo como o físico Stephen Hawking, por exemplo, que seleciona palavras para um computador ler em voz alta, o sistema Brain-To-Text poderia ler falas diretamente do cérebro.

    Stephen Wawking é um milagre ambulante.
    Qualquer pessoa com ELA, no estágio em que ele está há anos, teria morrido no máximo alguns meses depois.
    Que pesquisadores (ou revista, não sei) sem-vergonhas.

  220. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Quantos animais de cada espécie Noé levou na arca?”
    /.
    QUANTOS CUPINS Noé levou?

  221. MONTALVÃO Diz:

    /
    3) A Encarnação/ Reencarnação pode acontecer em animais?
    .
    SIM: “Nada aí há de impossível, nem o que, se assim for, afete a dignidade do homem. [...]

    NÃO: “A encarnação dos Espíritos ocorre sempre na espécie humana. Seria um erro acreditar que a alma ou espírito pudesse encarnar num corpo animal”. (O Livro dos Espíritos, Introdução, item 6, grifo nosso).
    .
    Observação: Macaco é animal! [é?!]
    /.
    CONSIDERAÇÃO: daí que deve ter provindo inspiração para o refrão:
    .
    ♩ ♩ porque homem é homem, menino é menino, macaco é macaco, e viado é baitola ♫

  222. Marciano Diz:

    Não há cura para ELA. Com o tempo, as pessoas com ELA perdem progressivamente a capacidade funcional e de cuidar de si mesmas. O óbito em geral ocorre dentro de três a cinco anos após o diagnóstico. Cerca de 25% dos pacientes sobrevivem por mais de cinco anos depois do diagnóstico.
    Do jeito que está escrito, dá a impressão de que todo mundo é um Stephen Hawking.
    Ele já deveria ter morrido há décadas.
    E seria melhor para ele.
    Que carma!

  223. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Vou logo avisando que o trecho que se segue eu copiei de
    http://examedadoutrinaespirita.blogspot.com.br/2011/07/ha-contradicoes-nos-livros-espiritas-de.html
    .

    Se quiserem crucificar alguém, procurem o responsável pelo blog.”
    /.
    JÁ CRUCIFICARAM…
    ./

    Anônimo26 de maio de 2014 20:41
    .
    Essas palavras não podem ter vindo de um pastor..Tamanha falta de caridade!!!!! Duvido que Deus vá nos julgar pela nossa religião…portanto, seja mais caridoso, pastor.
    /
    /
    Anônimo26 de junho de 2015 22:26
    .
    Não fala merda, o espertalhão da fé, falso profeta
    /
    /
    NATALINO DE JESUS DA SILVA4 de julho de 2015 06:59
    .
    você parece sentir prazer em ser vingativo e qué que o seu deus seja também.
    /
    /
    Anônimo7 de fevereiro de 2016 00:55
    .
    Pastor? Mostre as suas obras, antes de falar asneira! Tolinho.

  224. Marciano Diz:

    Meu comentário saiu junto com o seu.
    Dê uma olhada no prognóstico de quem tem ELA, se não viu.
    Noé levou cupins (guardados numa caixa de ferro), mas esqueceu-se de levar dinossauros, pterodáctilos, trilobitas, além de uma grande quantidade de graptólitos, braquiópodes e gastrópodes.

  225. Marciano Diz:

    Eu já tinha percebido a crucificação. Tanto que disse:
    Marciano Diz:
    FEVEREIRO 13TH, 2017 ÀS 6:40 PM
    É engraçada a discussão que se segue nos comentários do aludido blog.
    Comprovam o que eu disse aqui, mais acima.
    Esses religiosos são tão caridosos, bondosos e compreensivos que odeiam uns aos outros, vivem se ofendendo.
    Minha religião é melhor do que a sua.
    Oh!

  226. MONTALVÃO Diz:

    /
    EU TAVU sem estoque de parêntesis quando grafei o texto:
    .
    CONSIDERAÇÃO: Deus tudo pode, exceto o absurdo, pelo menos não na nossa concepção da lógica das coisas vai ver até ele possa, mas não concebemos como). Pelo princípio da não contradição, uma coisa não pode ser e não ser ao mesmo tempo.
    /.
    QUE ORA CORRIJO, pois atualizei a reserva:
    /
    CONSIDERAÇÃO: Deus tudo pode, exceto o absurdo, pelo menos não na nossa concepção da lógica das coisas (vai ver até ele possa, mas não concebemos como). Pelo princípio da não contradição, uma coisa não pode ser e não ser ao mesmo tempo.

  227. Marciano Diz:

    Outro comentário que saiu junto com o seu foi este
    E mais este

  228. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Montalvão, sábado teve UFC.
    Vi só um pedaço, porque tava chato demais.
    Só a luta do Jacaré foi boa.”
    /.
    Assisti umas lutas e dormi noutras. Na do Jacaré apaguei, na do Anderson despertei no meio do 1º assalto. Gostei.

  229. Marciano Diz:

    Você ousa dizer que deus está sujeito ao princípio da não-contradição?
    Se a bíblia é a palavra de deus e se ela vive se contradizendo, isto PROVA que seu argumento é falso.

  230. Marciano Diz:

    Novamente nossos comentários saíram juntos.
    Marciano Diz:
    FEVEREIRO 13TH, 2017 ÀS 8:30 PM
    Você ousa dizer que deus está sujeito ao princípio da não-contradição?
    Se a bíblia é a palavra de deus e se ela vive se contradizendo, isto PROVA que seu argumento é falso.

  231. Marciano Diz:

    A luta do Anderson foi muito morna e a vitória discutível.
    Para dizer o mínimo.
    Eu vi depois da luta.
    Gravado, claro. Não sou paranormal, ainda.

  232. Marciano Diz:

    Jacaré é tão bom de jiu-jitsu que te apagou à distância.
    Imagine se estivesse no octógono com ele.
    Ele te pegaria com os dentes e desceria girando velozmente até as profundezas do inferno (onde fica o quinto).

  233. Marciano Diz:

    Jacaré não ganhou na kimura, ganhou foi com peido da cara do adversário.
    Prova: http://s.glbimg.com/es/ge/f/original/2017/02/12/gettyimages-634813028.jpg

  234. Marciano Diz:

    Brincadeirinha.
    Jacaré é bom mesmo.
    E até o Dana viu derrota do Anderson Aranha.
    O primeiro minuto e meio foi só galinha ciscando.

  235. Marciano Diz:

    Apagou de novo, Montalvão?
    Tá até parecendo enfeite de árvore de natal.

  236. MONTALVÃO Diz:

    /
    Fui, meus dedos pedem, imploram… hora agora só amanhã.
    /.
    Quinta passada, passeando com alguns dos meus dogs, notei deitada na estrada uma cadelinha pinscher que, tão logo me viu, pôs-se a latir furiosamente. Tentei acalmá-la, mas fugiu. Ouvi uns gemidos e fui examinar o local. Vi dois filhotinhos em fase pré-morte.
    .
    Levei meus cães de volta e pedi ajuda a um amigo para resgatar os bichinhos. Levados a um veterinário salvaram-se. No dia seguinte achei mais um filhotinho, infelizmente morto.
    .
    Pus a cadelinha no meu escritório enquanto procurava quem os adotasse. De quinta pra cá ela já se adaptara ao local (embora me tome o espaço) e já deitava de barriguinha pra cima para ser acarinhada.
    .
    Hoje encontrei pessoa interessada que, agora há pouco, levou a mãe e os filhotes.
    .
    Enquanto era removida olhou-me com um olhar de surpresa e tristeza, como se perguntasse: “por que está me mandado embora?”
    .
    Confesso que chorei…

  237. Marciano Diz:

    Eu também tenho coração mole com essas coisas.
    Nem quero mais ter animais, por causa de coisas assim.
    Se choro por causa de animais, imagine gente, e gente de quem eu gosto.
    Recentemente perdi um primo de quem gostava muito. Também chorei. Depois, recuperei-me, mas quando estou sozinho e fico lembrando dele, tenho de fazer esforço pra não chorar.
    Era como se fosse um irmão (apesar de ter outros primos – sabe que sou filho único, não sabe?).
    E foi justamente nessa época de fim de ano, festividades.
    Também paro por aqui.
    Foi um prazer, Montalvão.
    Amanhã prosseguimos.

  238. Marciano Diz:

    Montalvão, vagueando pelo blog encontrei uma antiga porfia nossa, do tempo em que eu nada sabia de 888    888 88888888888 888b     d888 888      
    888    888     888     8888b   d8888 888      
    888    888     888     88888b.d88888 888      
    8888888888     888     888Y88888P888 888      
    888    888     888     888 Y888P 888 888      
    888    888     888     888  Y8P  888 888      
    888    888     888     888   "   888 888      
    888    888     888     888       888 88888888
                                                 
                                                 
                                                 
    1. Marciano Diz:
    JULHO 5TH, 2014 ÀS 00:30
    MONTALVÃO DISSE:
    “Mandamento algum apoia a escravidão, que leitura doida é essa?”.
    .
    RESPOSTA:
    - Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, NEM O SEU SERVO, NEM A SUA SERVA, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo.
    Êxodo 20:17
    Não cobiçarás a mulher do teu próximo; e não desejarás a casa do teu próximo, nem o seu campo, NEM O SEU SERVO, NEM A SUA SERVA, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo.
    Deuteronômio 5:21
    .
    Talvez você entenda que “servo” é empregado com carteira assinada, FGTS e tudo o mais, mas então, o que dizer disto?
    .
    Gênesis 17:12
    idade de oito dias, todo varão dentre vós será circuncidado, por todas as vossas gerações, tanto o nascido em casa como o COMPRADO POR DINHEIRO A QUALQUER ESTRANGEIRO, que não for da tua linhagem.
    Nesta passagem, Deus entende que pessoas compram outras pessoas e, obviamente, não critica este costume. Deus quer que os escravos sejam circuncidados da mesma maneira que os não-escravos.
    Êxodo 12:43-45
    Disse mais o Senhor a Moisés e a Arão: Esta é a ordenança da páscoa; nenhum, estrangeiro comerá dela, mas TODO ESCRAVO COMPRADO POR DINHEIRO, depois que o houveres circuncidado, comerá dela. O forasteiro e o assalariado não comerão dela.
    Novamente Deus mostra que aceita totalmente a escravidão e ainda determina um tratamento especial aos escravos.
    Êxodo 21:1-6
    Estes são os estatutos que lhes proporás: Se comprares um servo hebreu, seis anos servirá; mas ao sétimo sairá forro, de graça. Se entrar sozinho, sozinho sairá; se tiver mulher, então com ele sairá sua mulher. Se seu senhor lhe houver dado uma mulher e ela lhe houver dado filhos ou filhas, a mulher e os filhos dela serão de seu senhor e ele sairá sozinho. Mas se esse servo expressamente disser: “Eu amo a meu senhor, a minha mulher e a meus filhos, não quero sair forro”, então seu senhor o levará perante os juizes, e o fará chegar porta, ou ao umbral da porta, e o seu senhor lhe furará a orelha com uma sovela; e ele o servirá para sempre.
    Aqui Deus descreve como se tornar escravo para sempre e mostra que é completamente aceitável separar escravos de suas famílias. Deus também endossa a marcação de escravos através de mutilação.
    Êxodo 21:20-21
    Se alguém ferir a seu servo ou a sua serva com pau, e este morrer debaixo da sua mão, certamente será castigado, mas se sobreviver um ou dois dias, não será castigado; porque é dinheiro seu.
    Nâo só Deus perdoa a escravidão, como ele também aceita que se espanque seus escravos, contanto que não os mate.
    Êxodo 21:32
    Se o boi escornear um servo, ou uma serva, dar-se-á trinta siclos de prata ao seu senhor, e o boi será apedrejado.
    Além de consentir com a escravidão, Deus coloca um valor nos escravos — 30 siclos de prata.
    Levítico 22:10-11
    Também nenhum estranho comerá das coisas sagradas; nem o hóspede do sacerdote, nem o jornaleiro, comerá delas. Mas aquele que o sacerdote tiver COMPRADO COM O SEU DINHEIRO, e o nascido na sua casa, esses comerão do seu pão.
    Aqui Deus mostra que filhos de escravos também são escravos, e consente completamente com este conceito.
    Levítico 25:44-46
    E quanto aos escravos ou escravas que chegares a possuir, das nações que estiverem ao redor de vós, delas é que os comprareis. Também os comprareis dentre os filhos dos estrangeiros que peregrinarem entre vós, tanto dentre esses como dentre as suas famílias que estiverem convosco, que tiverem eles gerado na vossa terra; e vos serão por possessão. E deixá-los-eis por herança aos vossos filhos depois de vós, para os herdarem como possessão; desses tomareis os vossos escravos para sempre; mas sobre vossos irmãos, os filhos de Israel, não dominareis com rigor, uns sobre os outros.
    Aqui Deus determina onde você pode comprar seus escravos e especifica claramente que escravos são propriedades para serem comprados, vendidos ou dados.
    Lucas 7:2-10
    E um servo (escravo) de certo centurião, de quem era muito estimado, estava doente, quase morte. O centurião, pois, ouvindo falar de Jesus, enviou-lhes uns anciãos dos judeus, a pedir-lhe que viesse curar o seu servo. E chegando eles junto de Jesus, rogavam-lhe com instância, dizendo: É digno de que lhe concedas isto, porque ama nossa nação, e ele mesmo nos edificou a sinagoga.
    Ia, pois, Jesus com eles; mas, quando já estava perto da casa, enviou o centurião uns amigos a dizer-lhe: Senhor, não te incomodes; porque não sou digno de que entres debaixo do meu telhado; por isso nem ainda me julguei digno de ir tua presença; dize, porém, uma palavra, e seja o meu servo curado. Pois também eu sou homem sujeito autoridade, e tenho soldados s minhas ordens; e digo a este: Vai, e ele vai; e a outro: Vem, e ele vem; e ao meu servo: Faze isto, e ele o faz.
    Jesus, ouvindo isso, admirou-se dele e, voltando-se para a multidão que o seguia, disse: Eu vos afirmo que nem mesmo em Israel encontrei tamanha fé. E voltando para casa os que haviam sido enviados, encontraram o servo com saúde.
    Aqui Jesus mostra que também está à vontade com o conceito de escravidão. Jesus cura os escravos sem cogitar livrar o escravo ou punir o seu dono.
    Colossenses 3:22-23
    Vós, servos, obedecei em tudo a vossos senhores segundo a carne, não servindo somente vista como para agradar aos homens, mas em singeleza de coração, temendo ao Senhor. E tudo quanto fizerdes, fazei-o de coração, como ao Senhor, e não aos homens…
    Aqui Deus mostra que aceita a posição de escravidão e encoraja escravos a trabalharem duro.
    Tito 2:9-10
    Exorta os servos a que sejam submissos a seus senhores em tudo, sendo-lhes agradáveis, não os contradizendo nem defraudando, antes mostrando perfeita lealdade, para que em tudo sejam ornamento da doutrina de Deus nosso Salvador.
    Mais uma vez Deus mostra que está completamente de acordo com a escravidão.

  239. Marciano Diz:

    Parece que continuo não sabendo.
     _   _   _____   __  __   _    
    | | | | |_   _| |  \/  | | |    
    | |_| |   | |   | |\/| | | |    
    |  _  |   | |   | |  | | | |___
    |_||_|  |_|   |_|  |_| |_____|
                                   
    :oops:

  240. Marciano Diz:

    É um problema colocar os espaços corretamente.

  241. Marciano Diz:

    O comprado com o seu dinheiro não deixa dúvidas.
    É um dos mandamentos, citado em DOIS livros.
    1. Marciano Diz:
    JULHO 5TH, 2014 ÀS 4:38 PM
    MONTALVÃO
    COMENTÁRIO: amigo de Marte, como bem respondeu o hebreu ao questionário que apendeu: a servidão era prática universal naqueles tempos, os servos de então eram os empregados de carteira assinada e INSS de hoje. A ninguém ocorreria questionar as relações de trabalho então vigentes, nem a Javé. Ler o passado com olhos presentes acarreta certas distorções vislumbrativas.
    .
    COMENTÁRIO DE MARCIANO:
    Nesse caso, fica claro que Javé foi inventado pelos homens de antanho, e não o contrário.
    Deus não tolerava os costumes da época, ele os ditava, segundo a bíblia e seus mandamentos escravocratas.
    Se em vez disso ele se adaptava aos costumes da época, é um deus de meia-tijela.
    Fica também provado que a palavra que eles queriam que fosse eterna, conforme os versículos citados acima, não só não é eterna, é momentânea e local, como também que ninguém precisa da bíblia para nada, q.e.d.
    Em tempo: Salvo edições de luxo, os exemplares costumam ser impressos no que se convencionou chamar de “papel bíblia”, um papel fininho, bom para enrolar maconha e limpar o (censurado), na falta de “toilet paper”, o que costuma acontecer na Venezuela, em Cuba…
    .
    Assim, fica parecendo o argumento do ARDUIN, de que os espíritos superiores kardequianos nada sabiam além dos cientistas da época e Rivail não era racista, nem seus supostos e fajutos espíritas, era o costume da época.
    Você não está dando razão ao ARDUIN, está?
    Se deus era igual aos costumes da época, qual o problema de os espíritos superiores kardecistas o serem?
    .
    Biasetto, por exemplo, acha muito natural o modo como os cortadores de cana cubanos são tratados e que sejam escravos que não possam deixar a ilha de jeito maneira. E quer isso para o Brasil.
    .
    .
    MONTALVÃO COMENTÁRIO: se se omite nas igrejas e o mantém na Bíblia, com que intenção se faz a omissão? Qualquer fiel quando ler deparará o texto completo: como hoje o exame é livre (a intepretação é que não, conquanto na prática cada cabeça uma sentença), se a intenção for esconder informações me parece tática um tanto quanto sabe como que é…
    .
    RESPOSTA DE MARCIANO:
    Montalva, assim você me decepciona. O que, para mim, é uma lástima lastimável.
    Até à semana passada, a escravidão era tolerada no mundo todo e a bíblia já era conhecida de todos, principalmente depois da Vulgata, cujo intento foi esse mesmo, torná-la ao alcance de todos.
    Ficou mais difícil adulterá-la porque quando a escravidão tornou-se inaceitável todos já tinham acesso ao conteúdo.
    É justamente por isso que passaram a fazer a “interpretação de textos”, quer dizer, querer mudar o imutável, como fazem os espíritas com vida em Marte, Júpiter, etc.
    Racionalização pura.
    Se alguém devesse ser teólogo para entender a palavra de deus, este desprezível ser seria mais elitista do que o Biasetto, nosso irmão de jornada que quer fazer parte de uma elite comunista à moda cubana e tomar o nosso suado e sofrido dinheirinho para fazer farra com mensaleiros, regada a Romanée Conti.
    .
    .
    .
    MONTALVÃO DIZ:
    “Biasetto comuna e petista? E eu que pensava já ter visto de tudo neste mundo…”.
    .
    .
    Nem queira ver, companheiro, ele revelou-se um petralha militante e juramentado, vive fazendo propaganda comunista no face, ataca-me dizendo que sou direitista, nazista, fascista, só porque não sou comunista como ele. É a falácia da falsa dicotomia. Se você não é meu amigo, é meu inimigo.
    Ele acha a meritocracia um pecado mortal (o oitavo); deve achar que a copa deveria ser distribuída igualmente a todos os participantes dos jogos e que deveria haver uma cota para o futebol de várzea da cidadezinha dele.
    .
    E você ainda não viu o anãozinho gigante nem o homem invisível. Este último, eu tentei, em vão, ver no cinema.
    O Doutor Mabuse também inventou uma máquina de invisibilidade.
    Die unsichtbaren Krallen des Dr. Mabuse ist ein Kriminalfilm, der im Winter 1961/62 unter der Regie von Harald Reinl in West-Berlin gedreht wurde.
    2. Marciano Diz:
    JULHO 5TH, 2014 ÀS 4:41 PM
    A propósito de falácias, você não entendeu meu recado com o argumentum verbosium.
    Na versão wiki em português, tentativa de esmagar os envolvidos pelo discurso prolixo, apresentando um enorme volume de material. Superficialmente, o argumento parece plausível e bem pesquisado, mas é tão trabalhoso desembaraçar e verificar cada fato comprobatório que pode acabar por ser aceito sem ser contestado.
    É mais uma tentativa de saturar a mente do oponente.
    Não é o meu caso, nem o seu.
    Se tiver inteligência ( e sei que tem), que calcule o número da besta, porque é o número de um homem e seu número é 666.

  242. Marciano Diz:

    Bons tempos aqueles.
    Acho que ou eu ou o blog, um dos dois, está ficando velho.

  243. Marciano Diz:

    Ⓗ Ⓣ Ⓜ Ⓛ
     
     
     
    █▬█ █▄█ █▬█ █▄█

  244. Marciano Diz:

    ░█▄░▄█░█▀▀░█▀▀▀░ █▀█
    ░█░█░█░█▀▀░█░▀▄░█▀▀█
    ░▀░░░▀░▀▀▀░▀▀▀▀░▀░░▀
    █░░█░█░▀▀█▀▀░█▀█ ░ █▀█
    █░░█░█░░░█░░░█▀▄ ░█▀▀█
    ▀▀▀▀░▀▀▀░▀░░░▀░ ▀░▀░░▀
    ░█▀▀ ░█▀█ ░█ ░█▀▀
    ░█▀▀ ░█▀▀ ░█ ░█
    ░▀▀▀ ░▀ ░░░▀ ░▀▀▀
    .......................,,-~*~,,
    ......................./:.:.:.:.:.|
    ......................|;.;.;.;.;./
    ......................|.;.;.;.;.|
    ............._,,,,,_.).;.;.;.;.|
    .........,,-":.:.:.:."~-,;.;.;.|
    ........(_,,,,---,,_:.:.);.;.;..",,
    ......,-":.:.:.:.:.""-,,/;.;.;.;.;.",
    .....(:.__,,,,,,,,,___);.;.;.;.;.;|
    ...../"":.:.:.:.:.:.:¯"";.;.;.;.;.,"
    ....",__,,,,,,,,,,,__/;;;;;;;;;/
    ......\:.:.:.:.:.:.:.;.);;;;;;;;;/:
    ........"~--,,,,,,,,,,-"::::::::::
    ................::::::::::::::::::::::
    Agora posso descansar em paz.

  245. Vinicius Diz:

    Ei GORDUCHO, o tal de TEDD vai terminar o relacionamento hein :mrgreen:
     
    Terminar um noivado devido a namoradinha ser médium…
     
    Mas pela ojeriza que sente pela “mentiunidade” é o um caminho a considerar..

  246. bagel Diz:

    Espíritos existem, mas não se comunicam, diz o frei. Ora, mas o universo fantástico do seu credo é povoado de entes demoníacos, imundos, benfeitores (anjos), etc. Como agem nesse mundo não são espíritos, consideraria Boaventura. Mas poderiam ter dito ao co-criador uno (sic) para não entornar ainda mais o caldo ao chamar “entes imundos” de “espíritos” (santa blasfêmia Batman), quando de fato são – ETs – ora pois. E depois o errado são os marcianos fluídicos do Chico ? Tá serto

  247. Gorducho Diz:

    ===============================================================
    Ora, mas o universo fantástico do seu credo é povoado de entes demoníacos, imundos, benfeitores &c.
    ===============================================================
    Não sei se o Sr. é Crente espírita…
    Se o for, leia o início do Terra & Céu do Jean Reynaud – pois que fala ou é francês, deduzo…- que foi o livro que claramente forneceu ao Kardec o road map pra ele escrever a Doutrina. O JR tem toda razão: a igreja católica – que na mente católica deles era sinônimo de A Igreja…- tem esse enorme furo, nunca tendo dogmatizado o ultramundo. Nenhum Concílio como ele mostra, se preocupou com o tema.
    É um caos mesmo…
    E no Tanakh é muito claro que os redatores tinham como verdadeiro o episódio da médium.
     
    Percebe-se que eles (JR e depois o Kardec) na mente oitocentista deles – que pra nós extemporaneamente julgando-os era ingenuidade tanto quanto fazer uma religião “científica”…- tinham esperança que no fim a Igreja os aceitasse.
    Claramente a intenção inicial do Kardec era ser aceito dentro do catolicismo.
    Agora, que o JR tem razão quanto a essa falta duma clara dogmatização do ultramundo tem.

  248. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Acho que ou eu ou o blog, um dos dois, está ficando velho.”
    /.
    TODAS AS COISAS, sem exceção, estão ficando velhas, incluindo sua jovial pessoal…e o blog…

  249. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Montalvão, vagueando pelo blog encontrei uma antiga porfia nossa, do tempo em que eu nada sabia de 666…”
    /.
    SE NÃO ESTOU desenganado, essa porfia teve outros desdobramentios…

  250. MONTALVÃO Diz:

    /
    Todos cá estão mudando de visão: uns se convertendo, outros abandonando crenças… Marciano tornou-se islâmico, eu acabo de me tornar babista. Vejam a homília babiana que me quebrou a resistência:
    /
    ———————————-.
    MENSAGEM DE SAI BABA
    .
    Não há mais maldade, o que há é mais luz, e é sobre isso que falo agora.
    .
    Imagine que você tem um quarto, ou uma despensa, onde guarda suas coisas, iluminado por uma lâmpada de 40W. Se trocar para uma lâmpada de 100W, verá desordem e um tipo de sujeira que você nem imaginava que havia no local.
    .
    A sociedade está mais iluminada. Isto é o que está acontecendo. E isto faz com que muitas pessoas que leem estas afirmações as considerem loucura.
    .
    Percebeu que hoje em dia as mentiras e ilusões são percebidas cada vez mais rapidamente? Bom, também está mais rápido alcançar o entendimento de Deus e compreender a forma como a vida se organiza.
    .
    A nova vibração do planeta tem tornado as pessoas nervosas, depressivas e doentes. Isto porque, para poder receber mais luz, as pessoas precisam mudar física e mentalmente. Devem organizar seus quartos de despejo, porque sua consciência cada dia receberá mais luz.
    .
    E por mais que desejem evitar, precisarão arregaçar as mangas e começar a limpeza, ou terão que viver no meio da sujeira.
    .
    Esta mudança provoca dores físicas nos ossos, que os médicos não conseguem resolver, já que não veem uma doença que possa ser diagnosticada. Dirão que é causado pelo estresse. Porém isto não é real. São apenas emoções negativas acumuladas, medos e angústias, todo o pó e sujeira de anos que agora está sendo visto para ser limpo.
    .
    Algumas noites as pessoas acordarão e não conseguirão dormir por algum tempo. Não se preocupem. Leiam um livro, meditem, assistam TV. Não imaginem que algo errado ocorre. Você apenas está assimilando a nova vibração planetária. No dia seguinte seu sono ficará normal, e não sentirá falta de dormir.
    .
    Se não entender este processo, pode ser que as dores se tornem mais intensas e você acabe com um diagnóstico de fibromialgia, um nome que a medicina deu para o tipo de dores que não tem causa visível. Para isto não existe tratamento específico – apenas antidepressivos, que farão com que você perca a oportunidade de mudar sua vida.
    .
    Uma vez mais, cada um de nós precisa escolher que tipo de realidade deseja experimentar, porém sabendo que desta vez os dramas serão sentidos com mais intensidade; assim como o amor. Quando aumentamos a intensidade da luz, também aumentamos a intensidade da escuridão, o que explica o aumento de violência irracional nos últimos anos.
    .
    Estamos vivendo a melhor época da humanidade desde todos os tempos. Seremos testemunhas e agentes da maior transformação de consciência jamais imaginada.
    .
    Informe-se, desperte sua vontade de conhecer estas questões. A ciência sabe que algo está acontecendo, você sabe que algo está acontecendo. Seja um participante ativo. Que estes acontecimentos não o deixem assustado, por não saber do que se trata.
    (SATYA SAI BABA)
    ———————————–.

  251. MONTALVÃO Diz:

    /
    Essa meu guru mandou pra você, de Marte:
    /
    “Algumas noites as pessoas acordarão e não conseguirão dormir por algum tempo. Não se preocupem. Leiam um livro, meditem, assistam TV. Não imaginem que algo errado ocorre. Você apenas está assimilando a nova vibração planetária. No dia seguinte seu sono ficará normal, e não sentirá falta de dormir.”

  252. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Recentemente perdi um primo de quem gostava muito. Também chorei. Depois, recuperei-me, mas quando estou sozinho e fico lembrando dele, tenho de fazer esforço pra não chorar.”
    /
    BARRA PESADÍSSIMA, infelizmente é da vida passarmos por ela…
    /
    /
    “Era como se fosse um irmão (apesar de ter outros primos – sabe que sou filho único, não sabe?).”
    /
    SABER, saber, não sabia, mas desconfiava…

  253. MONTALVÃO Diz:

    /
    mesmo convertido ao babismo e sabendo que minhas dores se devem a mais luz que recebo e às mudanças vibracionais, inda estou de coração apertado com a cachorrinha… acho vou pegá-la de volta. Vai dar a maior encrenca mas vou…

  254. Gorducho Diz:

    Quantos cachorros o Sr. já tem?
    É brabo mesmo… a gente se apega.

  255. bagel Diz:

    Gorducho diz:
    Claramente a intenção inicial do Kardec era ser aceito dentro do catolicismo.?Agora, que o JR tem razão quanto a essa falta duma clara dogmatização do ultramundo tem.
    +
    Entendo onde o Sr. quer chegar. Mas não é esse o ponto (Kardec – JR). A falta de desconfiômetro aqui é Boaventura criticar o espiritismo como se o universo dele (BV) não fosse igualmente povoado de seres mitológicos extraordinários. Espíritos existem, mas não se comunicam – esse o mote. É pegar uma coisa desconhecida, deduzir outra, e depois sustentar que criptógamos carnudos é invenção de Mme Collignon. Tá serto, repito

  256. Marciano Diz:

    Não é mais epicondilite? É fibromialgia?
    Ta cada dia pior.
    Tá LASCADO mesmo! Fibromialgia é idiopática. Pelo menos sabe-se a causa e o tratamento da epicondilite.
     
    Escolha uma das realidades recomendadas pelo BABÃO, de preferência uma bem irreal, onde as misérias humanas não ficam impregnadas no perispírito, de forma que, nem que seja após a desencarnação, suas dores físicas desapareçam.
     
    ===============================================================
    BABÃO Quando aumentamos a intensidade da luz, também aumentamos a intensidade da escuridão, o que explica o aumento de violência irracional nos últimos anos.
    ===============================================================
     
    Não entendi nada. Poderia elucidar para este humilde servo de Allah?
     
    E a violência racional, está estagnada ou vem diminuindo?
     
    Fiquei assustado, porque não sei de quê o BABÃO está falando (não me venha dizer que ele não fala mais, eu sei).
     
     
    ===============================================================
    Essa meu guru mandou pra você, de Marte:
    /
    “Algumas noites as pessoas acordarão e não conseguirão dormir por algum tempo. Não se preocupem. Leiam um livro, meditem, assistam TV. Não imaginem que algo errado ocorre. Você apenas está assimilando a nova vibração planetária. No dia seguinte seu sono ficará normal, e não sentirá falta de dormir.”
    ===============================================================
     
    Eu leio uma quantidade enorme de livros e assisto TV de vez em quando, como o UFC no sábado. Foi isso que fez você dormir?
     
    Não funciona comigo. Quando mais eu leio, mas desperto fico.  
    Quanto à meditação, se for no sentido esotérico do BABÃO, eu não medito nunca, mas se for no sentido do HOUAISS
    (transitivo direto
    1 estudar o pensamento, o conteúdo de; pensar sobre; ponderar
    Ex.: m. os clássicos
    transitivo direto
    2 preparar alguma coisa amadurecendo-a longamente; projetar, intentar
    Ex.: m. um plano, um projeto
    transitivo direto, transitivo indireto e intransitivo
    3 sujeitar (algo) à meditação ou entregar-se a longas e profundas reflexões; refletir
    Exs.: pediu tempo para m. a resposta à questão
    só lhe restava recolher-se e m. (sobre o que fazer)
    sentava-se quieto, parecendo m. )
    isto é o que mais atrapalha meu sono.
     
    ===============================================================
    SABER, saber, não sabia, mas desconfiava…
    ===============================================================
     
    Agora, quem ficou desconfiado, fui eu.
    Achei que já tivesse mencionado o fato, mas se não o fiz, o que o levou a pensar isso?
    Filhos únicos têm alguma particularidade inescondível que se revela nas entrelinhas?
     
    ===============================================================
    mesmo convertido ao babismo e sabendo que minhas dores se devem a mais luz que recebo e às mudanças vibracionais, inda estou de coração apertado com a cachorrinha… acho vou pegá-la de volta. Vai dar a maior encrenca mas vou…
    ===============================================================
     
    Faça o que o seu coração manda. Você já tem vários mesmo.
    Se quer fazê-lo, faça-o logo, antes que ela e o novo “dono” se apeguem.

  257. Marciano Diz:

    Era pra ter fechado o itálico logo após o comentário de BABÃO sobre a violência irracional.
    Se o Vitor estiver por aí, solicito-lhe a gentileza.
     
    Já o Montalvão, que agora baba o travesseiro ao dormir (depois da conversão), devo explicar-lhe que quando disse que já tem vários mesmo estava me referindo a cães, não a corações.

  258. Marciano Diz:

    Todo esse zelo pode fazer com que o filho único seja frágil, caprichoso, mimado, opressivo ou tímido, além de apresentar dificuldades de adaptação com colegas e de interagir em um grupo, fazendo com que este reaja com rebeldia ou descontentamento. Quando este filho ganha uma fama, nomenclatura ou ainda uma denominação por algum tipo de comportamento, como mimado por exemplo, este pode aceitá-lo e perpetuá-lo. De maneira inconsciente, este filho encontra uma identidade na maneira da qual ele é tratado, pois não tem referências sobre si mesmo através daqueles com quem vive. Sendo assim, é dada a esse sujeito baixa performance.
     
    Era a isto que estava se referindo quando disse que já desconfiava, MONTALVÃO :?:
    Você acha que eu sou frágil, caprichoso, mimado, opressivo ou tímido, além de apresentar dificuldades de adaptação com colegas e de interagir em um grupo, fazendo com que este reaja com rebeldia ou descontentamento?

  259. Marciano Diz:

    “A Psicologia do Filho Único afirma que este filho não tem pares com os quais pode se relacionar, no caso, os irmãos. COM ISSO, ELE TRANSFORMA SEUS PAIS EM SEUS PARES, PASSANDO A SE COMPORTAR DA MESMA MANEIRA QUE ELES. As referências exclusivas de adultos faz com que o filho único seja “adultizado”, falando, se vestindo, tendo interesses e diversões acima de sua idade real, ou seja, acaba se tornando mais parecido com um adulto do que com crianças de sua idade. Isso faz com que o filho único evidencie um nível intelectual acima de outras crianças. O que deveria ser bom, acaba o prejudicando, já que ele se torna dessa forma, suficientemente diferente para não ser aceito e consequentemente rejeitado pelos seus colegas.”
     
     
    Não poderia ser mais diferente comigo.
    Meus pais eram supersticiosos, religiosos, assim como todos os meus parentes próximos.
    Sou a única ovelha branca da família.
    O que mais atormentava minha mãe era minha descrença.

  260. Marciano Diz:

    Obrigado pelo fechamento do itálico, Vitor.
    Estou no aguardo das respostas de Montalvão.

  261. Marciano Diz:

    Vitor, não sei se viu este comentário:
     
    Marciano Diz:
    FEVEREIRO 13TH, 2017 ÀS 8:05 PM
    Aí, Vitor, se uma máquina pode ler pensamentos, em tese é possível sua tão sonhada telepatia, pelo menos entre humanos, pois cães não formas frases.
     
    Leia isto: http://exame.abril.com.br/ciencia/sistema-que-le-mentes-consegue-traduzir-pensamento-em-textos/
     
    Eu corrigi o erro depois:
    Cães não formaM frases.
    É porque eu estava usando o Brain-to-Text (de outro computador, do qual ainda não desinstalei) e ele erra, de vez em quando.

  262. Gorducho Diz:

    ===============================================================
    Mas não é esse o ponto (Kardec – JR). A falta de desconfiômetro aqui é Boaventura criticar o espiritismo como se o universo dele (BV) não fosse igualmente povoado de seres mitológicos extraordinários. Espíritos existem, mas não se comunicam – esse o mote. É pegar uma coisa desconhecida, deduzir outra
    ===============================================================
    Justo sim é esse o ponto :!:
    JR notou, corretamente que o ultramundo da ortodoxia católica – que pra eles (católicos, como o Hipólito) era só a “Igreja” (= católica) é um caos.
    Ele nota que nenhum Concílio se preocupou em formalizar o assunto.
    É isso.
    ===============================================================
    e depois sustentar que criptógamos carnudos é invenção de Mme Collignon.
    ===============================================================
    :o e não foi :?:

  263. bagel Diz:

    Deixe-me primeiro canalizar José Arcadio Buendía, meu assessor de mistérios do ultramundo.

  264. MONTALVÃO Diz:

    /
    Gorducho Diz:
    Quantos cachorros o Sr. já tem?
    É brabo mesmo… a gente se apega.
    /.
    COM OS TRÊS que vou pegar de volta, fico com 18.
    .
    Antes que me perguntem por que dei se não queria dar, respondo que esta indagação venho fazendo a mim mesmo desde que dei…

  265. MONTALVÃO Diz:

    /bagel Diz:
    FEVEREIRO 14TH, 2017 ÀS 8:37 AM
    Espíritos existem, mas não se comunicam, diz o frei. Ora, mas o universo fantástico do seu credo é povoado de entes demoníacos, imundos, benfeitores (anjos), etc. Como agem nesse mundo não são espíritos, consideraria Boaventura. Mas poderiam ter dito ao co-criador uno (sic) para não entornar ainda mais o caldo ao chamar “entes imundos” de “espíritos” (santa blasfêmia Batman), quando de fato são – ETs – ora pois. E depois o errado são os marcianos fluídicos do Chico ? Tá serto
    /.
    CONSIDERAÇÃO: lídimo Bagel, todos os seres espirituais são espirituais, portanto espíritos, sendo esta designação genérica para quem viva na outra dimensão da vida. A alma que, supostamente, se desprende do falecido e vai habitar outra dimensão é espírito; um anjo que anuncia mensagem de Deus é espírito; uma entidade maligna que inferniza a vida de quem nela acredita, é, do mesmo modo, espírito.
    .
    Até o HOMEM lá em cima é espírito.
    .
    Supõe-se que hajam espécies espirituais distintas entre si. Assim, o espírito de um humano não seria de igual natureza(?) da de um anjo: não poderiam procriar, caso copulassem, caso houvesse cópula por lá…
    .
    Agora, o fato é que se existe um mundo espiritual dele nada sabemos, apesar de haver que ache que saiba… até sabe se existe ou não…

  266. bagel Diz:

    Buendía disse: foi, ou fui (não sei bem)

  267. MONTALVÃO Diz:

    /
    Marciano Diz:
    .
    Não é mais epicondilite? É fibromialgia?
    Ta cada dia pior.
    Tá LASCADO mesmo! Fibromialgia é idiopática. Pelo menos sabe-se a causa e o tratamento da epicondilite.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: já enxerguei que nada vislumbras da filosofia babística! Veja o que o mestre diz a respeito:
    .
    ———————————.
    “Se não entender este processo, PODE SER que as dores se tornem mais intensas e VOCÊ ACABE COM UM DIAGNÓSTICO DE FIBROMIALGIA, um nome que a medicina deu para o tipo de dores que não tem causa visível. Para isto não existe tratamento específico – apenas antidepressivos, que farão com que você perca a oportunidade de mudar sua vida.”
    ———————————.
    .
    ENTÃO NOTE: “pode ser”: minhas dores não se tornaram mais intensas, tá doendo ruim do mesmo jeito. E, ainda não recebi diagnóstico de fibromialgia, por enquanto, só epicondilite, e já me basta.
    /
    /

    “Escolha uma das realidades recomendadas pelo BABÃO, de preferência uma bem irreal, onde as misérias humanas não ficam impregnadas no perispírito, de forma que, nem que seja após a desencarnação, suas dores físicas desapareçam.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: estou em dúvida se devo escolher “uma das realidades recomendadas pelo grande BABA”, ou escolher por mim mesmo uma irrealidade sem dores.

    /
    /

    =============================================
    BABÃO Quando aumentamos a intensidade da luz, também aumentamos a intensidade da escuridão, o que explica o aumento de violência irracional nos últimos anos.
    ==============================================
    .
    “Não entendi nada. Poderia elucidar para este humilde servo de Allah?
    .
    E a violência racional, está estagnada ou vem diminuindo?
    .
    Fiquei assustado, porque não sei de quê o BABÃO está falando (não me venha dizer que ele não fala mais, eu sei).”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: ó incréu: Baba continuar a falar aos nossos corações…
    .
    Confirmado que nada entendeste da profundidade da sabedoria babal.
    .
    Explicar-lho-ei: se estás na luz intensa e reveladora, as trevas te soam mais intensas e ameaçadoras. A claridade das sombras se manifesta pujante a quem a contempla do flash iluminativo.
    .
    Toda violência é irracional, visto que oriunda do centro emocional. A exceção são as violências pensadas que, penso, tendem diminuir na medida em que a luz destrevá-las.

    /
    /
    =============================================
    Essa meu guru mandou pra você, de Marte:
    /
    “Algumas noites as pessoas acordarão e não conseguirão dormir por algum tempo. Não se preocupem. Leiam um livro, meditem, assistam TV. Não imaginem que algo errado ocorre. Você apenas está assimilando a nova vibração planetária. No dia seguinte seu sono ficará normal, e não sentirá falta de dormir.”
    =============================================
    .
    “Eu leio uma quantidade enorme de livros e assisto TV de vez em quando, como o UFC no sábado. Foi isso que fez você dormir?”
    /.

    CONSIDERAÇÃO: assistir UFC até às 4, às vezes, me leva ao sono…
    /
    /
    “Não funciona comigo. Quando mais eu leio, mas desperto fico.
    Quanto à meditação, se for no sentido esotérico do BABÃO, eu não medito nunca, mas se for no sentido do HOUAISS
    [...]
    isto é o que mais atrapalha meu sono.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: pois é: como curado ficares queres se de Baba os ditames não segues?
    /
    /
    ==============================================
    SABER, saber, não sabia, mas desconfiava…
    ==============================================

    .
    “Agora, quem ficou desconfiado, fui eu.
    Achei que já tivesse mencionado o fato, mas se não o fiz, o que o levou a pensar isso?
    Filhos únicos têm alguma particularidade inescondível que se revela nas entrelinhas?”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: mais ou menos por aí…
    /
    /

    =============================================
    mesmo convertido ao babismo e sabendo que minhas dores se devem a mais luz que recebo e às mudanças vibracionais, inda estou de coração apertado com a cachorrinha… acho vou pegá-la de volta. Vai dar a maior encrenca mas vou…
    =============================================

    “Faça o que o seu coração manda. Você já tem vários mesmo. Se quer fazê-lo, faça-o logo, antes que ela e o novo “dono” se apeguem.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: fiz o contato, a moça não gostou, mas disse que vai devolver. Espero que na hora não mude de ideia como eu não mudei quando devia…

    /
    /
    Por fim, para mostrar que meu guru é mesmo porreta, confiram o que declarou:
    .
    ———————————.
    fibromialgia, um nome que a medicina deu para o tipo de dores que não tem causa visível. Para isto NÃO EXISTE TRATAMENTO ESPECÍFICO – APENAS ANTIDEPRESSIVOS, que farão com que você perca a oportunidade de mudar sua vida.
    ———————————.
    .
    Agora, vejam o que um site que-não-entende-nada diz:
    .
    Tratamento de Fibromialgia
    .
    O tratamento de fibromialgia é mais eficaz quando são unidos medicamentos e cuidados não medicamentosos. O foco é evitar a incapacidade física, minimizar os sintomas e melhorar a saúde de modo geral.
    .
    O tratamento pode envolver:
    .
    • Fisioterapia
    • Programa de exercícios e preparo físico
    • Métodos para alívio de estresse, incluindo massagem leve e técnicas de relaxamento
    • Terapia cognitivo comportamental.
    .
    Existem várias classes de medicamentos que são utilizados em conjunto com o tratamento não medicamentoso.
    [...]
    “Os medicamentos mais usados para o tratamento de fibromialgia são:
    • Alginac
    • Ciclobenzaprina
    • Cymbalta
    • Lyrica
    • Miosan
    • Mirtax
    • Musculare
    • Nimesulida
    • .
    Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.”
    .
    http://www.minhavida.com.br/saude/temas/fibromialgia

  268. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Deixe-me primeiro canalizar José Arcadio Buendía, meu assessor de mistérios do ultramundo.”
    /.
    TENTE canalizar o Gabriel (não o Pensador), talvez ele tenha mais a dizer…

  269. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Era a isto que estava se referindo quando disse que já desconfiava, MONTALVÃO :?:
    Você acha que eu sou frágil, caprichoso, mimado, opressivo ou tímido, além de apresentar dificuldades de adaptação com colegas e de interagir em um grupo, fazendo com que este reaja com rebeldia ou descontentamento?”
    /.

    CONSIDERAÇÃO: se queres respostas complicadas, a que achou serve. Mas, minha desconfiança advém do fato de que nunca citastes ter irmãos: então, somei os pauzinhos e tirei a conclusão… se certa ou não…

  270. Marciano Diz:

    Karl Josef Bonaventura Kloppenburg, conhecido como Dom Frei Boaventura Kloppenburg OFM (Molbergen, 2 de novembro de 1919 — Novo Hamburgo, 8 de maio de 2009) foi um bispo católico brasileiro nascido na Alemanha, sendo o segundo bispo da Diocese de Novo Hamburgo. Em seus livros, lutou contra a “confusão religiosa”, proveniente de sincretismos religiosos feitos por fiéis cristãos com outras correntes religiosas. Além disso, propunha também o esclarecimento do que é a verdade cristã e o esclarecimento dela em contraposição a esses segmentos diversos. Foi de grande atuação desde o início de seu sacerdócio até o seu falecimento.
     
    Cursou os ensinos básico e fundamental na cidade de Rolante, no Rio Grande do Sul. Completou o ensino médio no Seminário Menor de São Leopoldo em 1936 e 1937, e em Santa Maria, nos anos 1938 e 1939. Fez o curso de filosofia no Seminário Central de São Leopoldo, de 1940 a 1942; a teologia, no Convento Franciscano, na cidade de Petrópolis, no Rio de Janeiro, de 1943 a 1947.
     
    Foi ordenado sacerdote na cidade de Bagé, no Rio Grande do Sul, aos 21 de dezembro de 1946. Fez especialização em Teologia Dogmática no Instituto Antonianum, em Roma, no ano de 1947 a 1950, depois fez o doutorado no mesmo instituto.
     
    Foi professor de Teologia Dogmática em Petrópolis, de 1951 a 1971; em Porto Alegre em 1972, Roma em 1973, Medellín em 1974 a 1982; redator da Revista Eclesiástica Brasileira, de 1951 a 1972; reitor do Instituto Teológico-Pastoral do CELAM, em Medellín, de 1973 a 1982; Prefeito de Estudos em Petrópolis, de 1952 a 1960; Perito na Comissão Teológica do Concílio Vaticano II; Membro da Pontifícia Comissão Teológica Internacional, de 1975 a 1990; Perito nas Conferências Gerais do Episcopado Latino-americano no Rio de Janeiro em 1955, Medellín em 1968 e Puebla em 1979. Foi nomeado pelo Papa João Paulo II, Bispo Titular de Vulturaria e Auxiliar da Arquidiocese de Salvador, na Bahia, e ordenado a 1 de agosto de 1982, na cidade de Rolante, escolheu como lema de vida episcopal: Sub Umbris Fideliter.
     
    No dia 8 de agosto de 1986, foi nomeado bispo para Diocese de Novo Hamburgo. No dia 22 de novembro de 1995 teve sua renúncia aceita pelo Papa João Paulo II, por limite de idade.
     
    Proximidade com os Papas: Frei Boaventura conheceu e foi amigo dos Papas Pio XII, Paulo VI, João Paulo II e Bento XVI, tendo grande proximidade com esses dois últimos. Sua cooperação e amizade com o então Cardial Ratzinger são citadas na biografia “Pope Benedict XVI”, de John L. Allen.
     
    Cadernos:
    Por que a Igreja condenou o Espiritismo (Ed. Vozes, 1953)
    Material para Instruções sobre a Heresia Espírita – Primeiro Ciclo (Ed. Vozes, 1953)
    Material para Instruções sobre a Heresia Espírita – Segundo Ciclo (Ed. Vozes, 1953)
    Resposta aos Espíritas (Ed. Vozes, 1954)
    Posição Católica perante a Umbanda (Ed. Vozes, 1954)
    O Livro Negro do Espiritismo (Ed. Vozes, 1955)
    A Reencarnação – Exposição e Crítica (Ed. Vozes, 1955)
    Ou católico, ou maçon (Ed. Vozes, 1956)
    Astrologia, Quiromancia e Quejandos (Ed. Vozes, 1957)
    Nossas Superstições (Ed. Vozes, 1957)
    As Sociedades Teosóficas (Ed. Vozes, 1957)
    O Reencarnacionismo no Brasil (Ed. Vozes, 1957)
    O Círculo Esotérico da Comunhão do Pensamento (Ed. Vozes, 1957)
    A Psicografia de Chico Xavier (Ed. Vozes, 1960)
    A LBV de Alziro Zarur (Ed. Vozes, 1960)
    Às portas do XXI Concílio Ecumênico (Ed. Vozes, 1961)
    Vaticano II: uma Igreja diferente (Ed. Vozes, 1968)
    Genesis del Documento de Puebla (CELAM, Bogotá, 1979)
    Puebla: Evangelización (CELAM, 1979)
    El Magisterio auténtico y los magisterios paralelos (CELAM, 1979)
    Evangelización y promoción humana (CELAM, 1979)
    Opción preferencial por los pobres (CELAM, 1979)
    Lugares de Evangelización según Puebla (CELAM, 1980)
    El Ministerio jerárquico en Puebla (CELAM, 1980)
    Puebla y las relaciones con los no-católicos (CELAM, 1980)
    La Verdad sobre el Hombre (CELAM, 1980)
     
    Livros
     
    A Maçonaria no Brasil. [S.l.]: Vozes, 1956.
    Cruzada de Defesa da Fé Católica no I Centenário do Espiritismo. [S.l.]: Vozes, 1957.
    O Espiritismo no Brasil (Ed. Vozes, 1960/1964)
    Ação Pastoral perante o Espiritismo (Ed. Vozes, 1961), com Frei Desidério Kalverkamp
    A Umbanda no Brasil (Ed. Vozes, 1961)
    O Reencarnacionismo no Brasil (Ed. Vozes, 1961)
    Concílio Vaticano II (Ed. Vozes, 1962/1963/1964/1965/1966) – obra em 5 volumes
    Documentos do Vaticano II (Ed. Vozes, 1966)
    Compêndio do Vaticano II (Ed. Vozes, 1967)
    O Cristão Secularizado (Ed. Vozes, 1970)
    O Ser do Padre (Ed. Vozes, 1972)
    Iglesia Popular (Ediciones Paulinas, Bogotá, 1977)
    Fuerzas Ocultas (Ediciones Paulinas, 1978)
    La Reencarnación (Ediciones Paulinas, 1980)
    Jesus Cristo: Caminho, Verdade e Vida (Edições Paulinas, S. Paulo, 1983)
    Pluralismo Eclesial (Ed. Presença, Rio de Janeiro, 1984)
    Leigos em Apostolado (Ed. Presença, 1985)
    Espiritismo e Fé (Ed. Quadrante, S. Paulo, 1986)
    Para uma Nova Evangelização (Ed. Vozes, Petrópolis, 1990)
    Espiritismo: orientação para os católicos. São Paulo: Edições Loyola, 1991. ISBN 9788515004584
    Igreja e Maçonaria: conciliação possível? (Ed. Vozes, 1993) – abrevia e atualiza o estudo “A Maçonaria no Brasil”, de 1956
    Fidelidade entre Sombras (Ed. Vozes, 1994)
    Basiléia – o reino de Deus (Edições Loyola, 1997)
    Ágape: o Amor do Cristão (Edições Loyola, 1997)
    Parákletos: o Espírito Santo (Ed. Vozes, 1998)
    Abba: Papai (Ed. Vozes, 1998)
    Libertação Cristã (Ed. PUC/RS, 1999)
    Reencarnação? (Ed. Vozes, 1999)
    Trindade: o Amor em Deus (Ed. Vozes, 1999)
    Kýrios. Aos pés de Jesus (Ed. Ave Maria, S. Paulo, 2000)
    Minha Igreja (Ed. Vozes, 2000)
    A Fé do Cristão Católico Hoje (Ed. Vozes, 2001)
    Virtudes: frutos que o Pai espera (Ed. Vozes, 2001)
    Colheita na Vetustez: Fragmentos de Teologia Dogmática (Ed. Vozes, 2005)
    Mistagogias de Bento XVI sobre a Igreja (Ed. Vozes, 2007)
    Creio na Vida Eterna (Ed. Pão e Vinho, Guarapuava, 2008)

  271. Marciano Diz:

    Gratuito para download – 110 páginas:
    https://efosm.files.wordpress.com/2013/02/espiritismo-e28093-orientac3a7c3a3o-para-catc3b3licos-frei-boaventura-kloppenburg.pdf

  272. Marciano Diz:

    No fim de sua vida, AK, como lemos em suas Obras póstumas, via com profunda
    inquietação o problema da unidade do espiritismo. Seu último manuscrito, sobre a “Constituição
    do espiritismo”, toca também a questão dos cismas. Para garantir a unidade, proclamava como
    condição fundamental “que todas as partes do conjunto da doutrina sejam determinadas com
    precisão e clareza”. Exatamente quando se dispunha a formular os “princípios fundamentais da
    doutrina espírita, reconhecidos como verdades inconcussas”, foi chamado pelo Senhor da vida.
    Na Constituição falava também da “necessidade de uma direção central superior, guarda
    vigilante da unidade progressiva e dos interesses gerais da doutrina”; e fazia sentir sua
    inquietação por não ver, “a surgir no horizonte, o seu condutor”. Sem isso, escrevia ele, o
    espiritismo corre o risco de “caminhar ao léu”. Quis mesmo estabelecer um “formulário de fé e
    adesão, por escrito”, para garantir “a unidade “sob o império de uma mesma fé, de uma
    comunhão de pensamentos, de modos de ver e de aspirações”. Dir-se-ia que desejava um papa…
    Mas tudo isso não se concretizou. E o espiritismo iniciou sua marcha ao léu… “Todos
    queriam a união dos espíritas em tomo de um centro diretor. Todos, porém, queriam ser esse
    centro.”
    No Brasil, a reação mais violenta e extrema dentro do espiritismo kardecista surgiu em
    1910, com o Sr. Luiz de Mattos, fundador do “Espiritismo Racional e Científico (Cristão)”.

    Naquele ano, o padre Antônio Vieira, “em corpo astral”, o escolheu para iniciar o novo
    movimento. Contra o aspecto excessivamente religioso dos kardecistas, acentuou o lado
    científico e racional das comunicações com o “mundo astral”. Em suas obras investe furiosamente
    contra o kardecismo, “a maior praga que na terra existe, porque, além dos perversos
    instintos que os dominam, são dominados pela indolência mental, não gravam senão aquilo que
    agrada a sua animalidade”; “um saco de patifarias enfeitado com as rendas sem caridade não há
    salvação e outras frioleiras”. Com relação à Igreja, estes espiritistas racionalistas são igualmente
    agressi vos. Eles se orgulham de ter uma filosofia própria e de poder explicar com exatidão o
    que é o espírito, a matéria, o astral, o fluido, o pensamento, o espaço, a aura e a evolução. E
    todos quantos não aceitam estas explicações, são cretinos e obsedados.

  273. Marciano Diz:

    AS FONTES HUMANAS DA DOUTRINA ESPÍRITA
    Mas não posso deixar de lembrar outro ponto fundamental que influiu certamente na
    formação da doutrina proposta por AK como “doutrina espírita”: são as idéias dele mesmo, de
    Kardec e de seus colaboradores “encarnados”. Farei apenas as seguintes anotações e
    observações:
    1) Sabe-se hoje que as idéias reencarnacionistas surgiram pela primeira vez na França
    pelos anos 1830-1848, em certos ambientes socialistas, e intimamente vinculadas com os
    princípios do evolucionismo então em moda. Seus primeiros fautores foram Charles Fourier e
    Pierre Leroux, ambos socialistas, que recorreram à idéia da pluralidade das existências
    precisamente para explicar assim o problema das desigualdades sociais. Este argumento será
    depois, nas obras de Kardec, o mais forte e é ainda hoje, entre nossos espíritas, o mais
    freqüentemente invocado para “demonstrar” a realidade das reencarnações. Ora, foi deste
    ambiente socialista que saíram os primeiros adeptos do movimento espírita francês. René
    Guénon mostra isso nas pp. 31-39 de seu livro L’ erreur spirite (Paris, 1952) e nas pp. 116ss. do
    Le théosophisme. No ano de 1854, quando Kardec tomava os primeiros contatos com as mesas
    girantes, foram publicados mais dois livros reencarnacionistas: Terre et dei, de Jean Reynaud, e
    Pluralité des existences de l’dme, de Pezzani. Assim, dois anos depois da publicação de O livro
    dos espíritos, em 1859, observava o Dr. Dechambre na “Gazette Hebdomadaire de Médicine et
    de Chirurgie”, num artigo sobre “La Doctrine Spirite”, que os instrutores invisíveis do Sr.
    Kardec não tinham necessidade de conversar nos ares com o espírito de Porfírio: bastava-lhes
    conversar por alguns instantes com o Sr. Pierre Leroux, mais fácil de encontrar, ou ainda com
    Fourier, que com muito prazer lhes teria ensinado que nossa alma revestirá um corpo cada vez
    mais etéreo à medida que irá passando pelas oitocentas existências. . .
    2) Também os dois dramaturgos Victorien Sardou e Eugene Nus pertenciam ao círculo de
    Kardec. Em Le merveilleux spirite nos conta Lucien Roure: “Era no momento das primeiras
    experiências do espiritismo em Paris. Sardou (futuro grande colaborador de AK) devorava os
    livros de filosofia e de metafísica, ocupava-se de astronomia, estudava e perfilhava as teorias de
    Jean Reynaud. Foi no salão da Sra. Japhet que ele encontrou AK. O próprio Sardou confessou:
    ‘Quando, de comum acordo com AK, pedimos ao espírito presente que determinasse a base do
    dogma espírita, fui eu que, guiado por minhas leituras, restabeleci o sentido das respPostas malinterpretadas
    ou obscuras do espírito; e assim, em três sessões, pude ditar o sumário da doutrina
    que AK, depois, devia desenvolver’. E: ‘Eu lia, então, muito os livros ocultistas. E quando havia
    uma lacuna, eu é que redigia as mensagens”‘.
    3) Outro colaborador foi o astrônomo Camille Flammarion, que foi mesmo um dos
    médiuns de Kardec. Mais tarde será espírita menos convicto e entusiasmado. Como médium
    escreveu as famosas mensagens sobre os astros e a cosmogonia, que estão em A gênese de AK.
    Muitos anos depois escreverá: “Eu próprio era médium e AK publicou em seu livro A gênese, as
    dissertações que eu escrevi. Era o reflexo do que eu sabia, daquilo que nós pensávamos nessa
    época sobre os planetas, sobre cosmogonia etc. E os espíritos nada me ensinaram” (cf. “Annales
    Politiques et Parlamentaires”, 9 de julho de 1899).
    4) Alexander Aksakof, no artigo intitulado “Researches on the Historical Origin of the
    Reincarnation Speculations of French Spiritualists” (Investigações sobre a origem histórica da
    filosofia reencarnacionista no espiritismo francês), publicado na revista The Spiritualist, 13-8-
    1875, pp. 74-75, afirma que em 1873 entrevistou a sonâmbula Celina Japhet (nome verdadeiro:
    Bequet), que muito contribuiu na confecção de O livro dos espíritos de AK. Ela revelou então
    que já era sonâmbula natural desde pequena e que em 1845 foi a Paris, onde conhecera o
    magnetizador Roustan, ficando ela então sonâmbula profissional sob o controle de Roustan,
    dando “receitas médicas sob a direção espiritual de seu avô, que fora médico”; e que “desta maneira, em 1846, lhe foi comunicada a doutrina da reencarnação pelos espíritos de seu avô, de
    Sta. Teresa e de outros”. Aksakof anota então que “pode ser interessante observar que, quando o
    poder sonambúlico de madame Japhet foi desenvolvido sob a influência mesmérica do Sr.
    Roustan, este já acreditava na pluralidade das existências terrestres”. Madame Japhet lhe
    revelou também que foi membro do círculo espírita de Paris de 1849 até 1870; e que o círculo
    fazia reunião duas vezes por semana, participando também Victorien Sardou; e que pouco depois
    ela se tornara médium escrevente e que a maior parte de suas comunicações foram obtidas
    desta maneira; e que “em 1856 ela se encontrara com o Sr. Denizard Rivail, que lhe fora
    apresentada por Victorien Sardou. Ele (Rivail) correlatou a matéria com numerosas questões,
    coordenando tudo em ordem sistemática e então publicou O livro dos espíritos, sem mesmo
    mencionar o nome de madame C. Japhet, muito embora três quartas partes do livro tenham sido
    dadas através da mediunidade dela. O resto foi obtido de comunicações pela madame Bodin,
    que pertencia a um outro círculo espírita. Depois da publicação de O livro dos espíritos…ele
    abandonou o círculo (de madame Japhet) e organizou outro em sua própria casa, sendo médium
    M. Roze”.
    Nas Obras póstumas, p. 242, AK fala desse encontro: “Em 1856, freqüentei ao mesmo
    tempo as reuniões espíritas que se celebravam à rua Tiquetone, em casa do Sr. Roustan e
    senhorita Japhet, sonâmbula. Eram sérias essas reuniões e se realizavam com ordem. … Estava
    concluído, em grande parte, o meu trabalho e tinha as proporções de um livro. Eu, porém, fazia
    questão de submetê-lo ao exame de outros espíritos, com o auxtíio de diferentes médiuns.
    Lembrei-me de fazer dele objeto de estudo nas reuniões do Sr. Roustan (sic) Ao cabo de algumas
    sessões, disseram os espíritos que preferiam revê-lo na intimidade e marcaram para tal efeito
    certos dias nos quais eu trabalharia em particular com a Srta. Japhet, a fim de fazê-Io com mais
    calma…”
    5) Não esqueçamos também que AK, filho de pais católicos, foi educado sob a tutela de
    Pestalozzi, que acreditava na possibilidade de encerrar o fato religioso nos limites da razão.
    Certos princípios do protestantismo e do racionalismo o acompanharam desde a escola de
    Pestalozzi. Mais tarde tornou-se maçom. E é sabido que a filosofia maçônica é essencialmente
    liberal e naturalista. E de todos estes princípios encontramos um eco fiel na doutrina
    “codificada” por AK.
    A doutrina espírita na verdade é pouco “espírita”: é humana, excessivamente humana; é
    apenas kardecista…

  274. Marciano Diz:

    FLUIDISMO CURANDEIRISTA Muitos procuram os centros espíritas e os terreiros umbandistas em busca da saúde. A promessa da cura é indiscutivelmente o mais poderoso fator de atração que o espiritismo oferece à massa popular. Ainda aqui estamos apenas diante de um caso particular de aplicação do fluidismo espírita em geral. AK, pessoalmente, em suas obras, não desenvolve muito esse assunto, embora faça freqüentes alusões aos fluidos curadores e vivificadores. Aqui no Brasil, entretanto, o espiritismo se transformou num autêntico movimento curandeirista. Daí lhe veio a popularidade entre nós. Precisamos, por isso, ocupar-nos também com este aspecto particular e ver como procedem e com que mentalidade. Da parte espírita foi publicado sobre o assunto um livro interessante pelo Sr. Wenefledo de Toledo, ajudado por 89 colaboradores: Passes e curas espirituais (São Pau1o), com uma apresentação feita pelo médico espírita Dr. Sérgio Valle. A obra está toda ela decalcada sobre as teorias fluidicistas de Mesmer e AK. Veremos o que nos dizem sobre as doenças, os passes e a água fluídica: 1. As doenças: “Nós, espíritas convictos, militantes da doutrina, não procuramos a doença no corpo físico”; “as enfermidades vêm do espírito, ainda mesmo as hereditárias” (p. 81); “todas as doenças penetram no corpo através do espírito” (p. 165). Realmente, dizem eles, as doenças são apenas “pontos de aglutinação dos fluidos doentios” (p. 81). De maneira que, para curar, é preciso atuar “fluidicamente” sobre os fluidos, nada mais. Em concreto, as causas determinantes das doenças seriam:
    a) Predisposição cármica, causando “doenças cármicas”: “oriundas do perispírito enfermo que, ao reencarnar, transmite e traz já ao nascituro, mesmo na vida intra-uterina, os males que a matéria ou o espírito têm que sofrer” (p. 81). Seriam, pois, conseqüências (castigos) de vidas anteriores. Contra esta espécie de doenças, dizem eles, não há remédio eficaz. Pois a “lei do carma” é inflexível. b) Predisposição atraída: baseia-se no princípio de que “semelhantes atraem semelhantes”. Uma criatura colérica, “vibrando sempre maldade e pestilência”, só pode atrair para si fluidos maldosos e pestilentos e, conseqüentemente, acaba doente, principalmente no coração, no fígado, nos pulmões, no estômago e nos intestinos. Para curar tais pessoas, elas devem ser doutrinadas, até terem pensamentos de bondade e amor. c) Predisposição hereditária: é quase como a “cármica”. No caso são os pais que transmitem aos filhos os males. A sementeira é que está cheia de fluidos perniciosos. d) Predisposição do ambiente: neste caso a causa dos males está no ambiente em que vivemos, na casa, principalmente na sala de refeições e nos quartos de dormir. “Nestes lugares, os pensamentos emitidos estão condensados em nuvens, forrando o teto, que se movimentam por toda a casa…” (p. 84). Também “os objetos de uso pessoal e até mesmo os alimentos trazem as emanações de quem os manipulou, desde a colheita até a cozinha” (p. 108). “Às vezes formam massas compactas escuras que seguem os emitentes como sombras que se avolumam sobre suas cabeças, não raro se engrossando pela lei da atração das que lhe são afins” (p. 116). Muitas vezes é a empregada que, com seus maus eflúvios, perturba a paz e a serenidade do lar (p. 167). – O remédio será a “operação de limpeza”, com “passes de desembaraçamento dos fluidos pesados”. Os umbandistas inventaram para isso os defumadores. Outras vezes será remédio eficaz mandar embora a empregada…
    e) Também os inimigos, os invejosos e os perseguidores causam doenças. Temos então o “quebranto”. “A princípio são ligeiras influenciações obsidiantes dos maus fluidos emitidos pelo perseguidor. Encontrando acolhida favorável, ou seja, vibração semelhante, as nuvens escuras vão se acercando da presa até o seu envolvimento completo” (p. 166). f) O espírito vingador: “O espírito de vingança sobrevive após a morte do corpo carnal. Mormente quando, entre dois, um reencarna primeiro, o que demonstra certo merecimento. O que fica no espaço, usando do poder que lhe é peculiar, como mau, projeta a sua perseguição sobre a pequena vítima reencarnada” (pp. 167s.). Temos então o perigoso e popular “encosto”, ou “espírito encostado”. 2. Os passes: “O passe é uma transfusão de fluidos do médium curador ou passista para o doente” (p. 133), ou um “condensador de fluidos” (p. 190). O passe se faz principalmente através das mãos. Aí é preciso notar que “a mão direita carrega acorrente positiva, a esquerda a negativa” (p. 99). Nesse ponto os conhecimentos dos espíritas são bastante minuciosos. “As mãos dos médiuns, quando concentrados no momento em que transmitem o passe, tomam uma coloração azul-clara com nuanças de verde, muito fosforescentes, que atingem alguns centímetros de espessura. Das pontas dos dedos são projetados os fluidos, emitidos pela vontade do médium, formando um chuveiro magnético, na direção que lhes for imprimida. Os dedos de projeção mais forte são os polegares e logo em seguida os indicadores. . Quando os dedos se juntam em forma de feixe, os fluidos perdem a forma dispersa e caem em jatos fortíssimos, penetrando profundamente no organismo” (p. 101).
    Para o bom passe, há uma regra importante: “As mãos arrastam os fluidos pelas correntes e, para que eles não retornem ao corpo do doente, elas se fecham para depois abrirem-se afastadas do corpo do médium, dando dispersão aos maus fluidos para os lados. Assim as mãos voltam limpas para reiniciar o passe” (p. 141). Observe-se também que nunca se devem cruzar as pernas e os braços durante a concentração, “para que as correntes centrífugas e centrípetas tenham livre curso na trajetória das suas direções” (p. 147). Há três tipos de passes distintos: o passe magnético, o passe mediúnico e o passe espiritual (p. 133): a) O passe magnético é exclusivamente do médium, fornecendo somente ele seus próprios fluidos. Este pode ser longitudinal (de cima para baixo, nunca de baixo para cima), rotatório, transversal e perpendicular. Cada um tem o seu efeito próprio. b) O passe mediúnico é realizado pelo médium incorporado por um espírito passista. Neste passe concorrem os fluidos do médium e os do espírito que é quem dirige todo o trabalho e que pode servir-se dos fluidos do ambiente e da flora medicinal (p. 143). Este é propriamente o “passe espírita”. c) O passe espiritual é feito exclusivamente pelos espíritos passistas. Pode ser suplicado pelo médium ou por qualquer pessoa interessada e é eficiente também à distância (p. 143). Mas também os médiuns podem fazer passes à distância. “Os médiuns apenas concentramse na mentalização, a fim de que seus fluidos possam servir nas mãos dos espíritos curadores” (p. 149). O passe pode ser administrado ou em tratamento individual ou em grupo ou sessão. a) Para o tratamento individual é preciso preparar o paciente e conseguir dele a necessária predisposição que o coloque em estado passivo, “facilitando enormemente a penetração dos fluidos curadores” (p. 115). Melhor seria recolher-se ao leito, sozinho no quarto, deitar-se de costas, com os braços estendidos ao longo do corpo, relaxar os músculos, os nervos e concentrar-se com os guias espirituais (pp. 117s.). – Evidentemente um estado excelente para receber sugestões e desencadear reflexos condicionados… b) Para o tratamento em grupo ou sessão: devem estar presentes somente o dirigente, os médiuns escolhidos e os doentes. As pessoas acompanhantes devem permanecer fora da corrente, “recomendando-se com rigor não trazer adultos que manifestem idéias contrárias ao espiritismo” (p. 178, d. também p. 122). A ordem de trabalho mais aconselhável é a seguinte: 5 minutos de silêncio para preparo do ambiente; 5 minutos para prece e abertura dos trabalhos; 25 minutos para a doutrinação espírita; 5 minutos para vibrações à distância e curas; 5 minutos para prece de encerramento. Ao todo 45 minutos (p. 179).

  275. Marciano Diz:

    3. A água fluídica. “A água, pela sua própria natureza, Já é um fluido condensado. Porém, em espiritismo, entende-se por água fluida aquela em que os fluidos medicamentosos foram imergidos, por ação magnética do médium ou por intermédio dos espíritos benfazejos” (p. 157). A água pode ser fluidificada:
     
    a) pela própria pessoa: coloca-se, então, uma vasilha com água diante de si, com a boca destampada e, em prece, suplica-se o que se deseja que seja feito na água. Pronto. Para qualquer efeito desejado. Pois é a vontade que dirige os fluidos como quer…;
     
    b) pelo médium: toma a vasilha com uma das mãos, abrangendo com os dedos, ligeiramente separados, as faces laterais da mesma e, com a outra mão, faz a devida “imposição técnica”;
     

    c) pelos espíritos: deixa-se a água exposta ao sereno da noite. “No dia seguinte estará fluidificada pelos espíritos do bem” (p. 158). “Quando houver necessidade de certa quantidade de água fluida apenas um copo que esteja fluido poderá servir até para fluidificar uma talha ou mais, misturando-se os líquidos. Uma colher basta para um copo e este chega para um litro” (p. 159). Assim podem ser fluidificados outros objetos: as roupas de uso, os alimentos e até o próprio ar (p. 159). Basta querer. Barato e eficiente… Particular alívio dará o banho se a água for fluida. Para isso é necessário “passar ambas as mãos, com as pontas dos dedos, de um a outro lado dentro da água, repetindo muitas vezes esta operação” (p. 160). A água fluida combate qualquer mal. Deve-se tomar pelo menos um copo em jejum, pela manhã, e outro à noite, ao deitar-se (p. 119). Ela reajusta as disfunções orgânicas. “Se há prisão de ventre, será regulada, como também corrigirá as chamadas solturas dos intestinos em qualquer forma” (p. 119).
     
    Já AK conhecia a água fluida ou magnetizada. Em O livro dos médiuns, cap. VIII, discorre sobre o “laboratório do mundo invisível” e então, no n. 130, recorda que os espíritos têm a faculdade de modificar a propriedade das substâncias materiais. Assim também podem modificar a propriedade da água. E explica na p. 142: “Ele (o espírito do magnetizador) opera uma transmutação por meio do fluido magnético que, como atrás dissemos, é a substância que mais se aproxima da matéria cósmica ou elemento universal. Ora, desde que ele pode operar uma modificação nas propriedades da água, pode também produzir um fenômeno análogo cm os fluidos do organismo, donde o efeito curatório da ação magnética, convenientemente dirigida”. Pena que é pura fantasia o magnetismo animal e o fluido universal dos magnetizadores e espíritas. Mas aí temos um exemplo de como a inteligência humana é capaz de construir enormes sistemas sobre um fundamento imaginado e fantástico. Nossos centros espíritas, porém, continuam atuando como se o fluido e seus passes fossem verdades inconcussas. Todos eles continuam curandeiristas. O manual de Administração das Instituições Espíritas, de 1985, documento do Conselho Federativo Nacional, continua mandando fazer a “assistência espiritual”, sessões especiais que, na segunda parte, devem obedecer às seguintes determinações:
     
    a) O dirigente da primeira parte dos trabalhos deve solicitar a saída do recinto, em silêncio, dos que não sentirem a necessidade de receber passes.
    que não sentirem a necessidade de receber passes.
     
    b) Introdução inicial de um grupo ou de todos os enfermos, quando for o caso, no local destinado à segunda parte dos trabalhos, sem que seja preciso classificá-los anteriormente, por tipos de passes por qualquer meio ou processo, e acomodá-los em bancos ou cadeiras.
     
    c) Prece inicial feita pelo dirigente dos trabalhos de passes, rogando o auxílio dos benefícios espirituais.  
    d) O dirigente deverá designar, para cada enfermo, um único médium passista.
     

    e) Os médiuns passistas aplicarão os passes em cada um dos enfermos, sem incorporação ou manifestação dos espíritos.
     
    f) Os enfermos sairão do recinto após o recebimento do passe, permitindo a entrada de novos enfermos.
     
    g) Prece final, proferida pelo dirigente ou por um dos médiuns da equipe em agradecimento aos benefícios recebidos, sem a presença dos beneficiados.
     
    h) Os médiuns passistas não deverão atender a qualquer pedido de orientação ou consulta formulados pelos enfermos na hora prevista para as transmissões dos passes.
     
    i) As pessoas que procurarem o centro espírita em busca de orientação espiritual, e que a solicitarem por exclusiva e livre vontade, deverão ser encaminhadas ao colaborador escalado para esta tarefa.

  276. Marciano Diz:

    A PSICOGRAFIA DE CHICO XAVIER
     
    O Sr. Francisco de Paula Cândido, mais conhecido como Francisco Cândido Xavier, ou simplesmente Chico Xavier, é nosso médium mais conhecido e idolatrado. Nasceu em Pedro Leopoldo, MG, em 1910. Dizem que não fez mais que o curso primário. De família católica, entrou em contato com o espiritismo em 1927. Desde 1959 vive em Uberaba. Leva uma vida simples, com muita dedicação aos que sofrem e de intensa atividade psicográfica. Seus livros psicografados já passam de 250 e são amplamente difundidos, principalmente pela Federação Espírita Brasileira, fato que, por si só, comprova sua fidelidade à doutrina codificada por AK. Afirma-se que já tem mais de quinze milhões de exemplares vendidos. Não há outro autor que se compare. Em 1982 seu nome foi sugerido para Prêmio Nobel da Paz, com o endosso, segundo dizem, de mais de dez milhões de simpatizantes. No prefácio de sua primeira obra psicografada, Parnaso de Além -Túmulo, o próprio Chico se apresenta como um moço com “o mais pronunciado pendor para a literatura”, com “a melhor boa vontade para o estudo”, que em casa “estudou o que pôde”. O Jornal das moças de 1931 publicava sonetos seus. Um amigo de Belo Horizonte, que o conheceu naqueles anos, deu-me estas informações: –
     
    “Conheci o Francisco Xavier em 1933. Nessa época ele ainda trabalhava numa pequena casa de comércio, em Pedro Leopoldo. Na ocasião, em julho de 33, salvo engano, ele me deu para ler Um álbum de poesias dele. Eram poemas, sonetos, quase todos melhores do que a imitação de Guerra Junqueiro que publicou no Parnaso de além túmulo. Foi por intermédio de Francisco Xavier que conheci Augusto dos Anjos. Ele declamava grande parte do Eu. Lera tanto Augusto dos Anjos que o sabia de cor. Ainda me lembro muito de ouvi-lo declamar com entusiasmo o ‘Árvore da serra’. Em 1933 ele estava encantado com Augusto dos Anjos. Já por essa época ele lia o espanhol e o francês: assim me disse várias vezes. Conhecia bem a literatura brasileira e lia muito. Nós nos correspondíamos em fins de 1933 e 1934, e é pena que não tenha guardado as cartas dele, da época. Nelas, o tema era literatura e poder-se-ia ver bem que ele não era quase analfabeto, com apenas a instrução primária, conforme afirma no prefácio no Parnaso. É o que lhe posso informar por conhecimento próprio. Ainda devo acrescentar que lá por 1941 ou 42 visitei, com alunos do Seminário, a Fazenda do Estado, em Pedro Leopoldo, onde me encontrei com ele. Conversamos sobre santa Teresa e são João da Cruz. Eu acabara de ler as obras de santa Teresa e ele conhecia bem não só santa Teresa, mas também são João da Cruz”. A propaganda espírita exalta a perfeição dos vários estilos na obra mediúnica de Chico Xavier. Dizem que Olavo Bilac, Humberto de Campos e outros mestres da nossa literatura reapareceram através do lápis de Chico Xavier em sua antiga perfeição. E propagam que até um Agripino Grieco reconheceu o inconfundível estilo de Humberto de Campos. Mas o que na realidade encontro nas declarações de Agripino Grieco é um pouco diferente. Diz ele, textualmente, ao Diário da Noite, de São Paulo, de 26-6-1944 (no tempo do famoso processo que a família de Humberto de Campos moveu contra a Federação Espírita): – “A Humberto de Campos, entretanto, penso que já bastariam os livros por ele escritos ainda em vida, para que sua glória se tornasse imperecível. Os livros póstumos ou pretensamente póstumos nada lhe acrescentam à glória, sendo mesmo bastante inferiores aos escritos em vida.  
    Interessante: de todos os livros que conheço como sendo psicografados, escritos por intermédio da mão ligeira de um médium, nenhum se equipara aos produzidos quando era o escritor que fazia a pena deslizar sobre o papel. O mesmo sucede com as obras do espírito de Vítor Hugo, ‘apanhadas’ aqui no Brasil e em português. Parecem-me todas de um Vítor Hugo em plena caducidade, com uma catarreira senil das mais alarmantes. ”
     
    Outra coisa: em geral esses livros só se reportam a coisas terrestres: não são livros do além, mas simplesmente do aquém, retrospectivos, autobiográficos, de um mundo que já conhecemos miudamente…”. Outro crítico, o Sr. João Dornas Filho, comparou o Olavo Bilac póstumo de Chico Xavier com as produções do poeta vivo: – “Pois bem, esse homem, que em vida e segundo a doutrina espírita estava sujeito às deficiências, aos erros, à contingência do estado de encarnação e só desencarnado poderia realizar ou iniciar o seu período de perfeição; ESSE HOMEM QUE NO ESTÁGIO DE IMPERFEIÇÃO NUNCA ASSINOU UM VERSO IMPERFEITO DEPOIS DE MORTO DITOU AO SR. CHICO XAVIER SONETOS INTEIRINHOS ABAIXO DE MEDÍOCRES! CHEIOS DE VERSOS MALMEDIDOS, MAL-RIMADOS E, SOBRETUDO, NUMA LÍNGUA QUE BILAC ABSOLUTAMENTE NÃO ESCREVIA” (Folha da Manhã, SP, 19-4-1945). É necessário assinalar mais um ponto importante. Já AK nos revela nas Obras póstumas (mas não ditadas depois de sua morte) como trabalhou sobre o material acumulado para codificar O livro dos espíritos: “Da comparação e da fusão de todas as respostas, coordenadas, classificadas e muitas vezes remodeladas no silencio da meditação” nasceu aquela obra fundante do espiritismo. Quando nos vêm mensagens do além, ou até mesmo revelações destinadas a “completar, explicar e desenvolver” a doutrina cristã, coisa que os espíritas pretendem com sua “terceira revelação”, fazemos questão de ter as novas “revelações” exatamente assim como vieram ou foram ditadas e não como foram depois “remodeladas” por algum mortal deste mundo. Coisas semelhantes aconteceram com obras de Chico Xavier. O jornal espírita O poder, de Belo Horizonte, de 10-5-1953 (n. 392), publicou um artigo do espírita Sousa de Prado, com notáveis revelações sobre o que acontece atrás dos bastidores do espiritismo nacional. Sousa de Prado revela que um dia foi procurado pelo presidente da Federação Espírita, Wantuil de Freitas, tendo na mão um maço de provas tipográficas. “Você sabe – dizia ele – que quem corrige todos os trabalhos recebidos pelo Chico Xavier é o Quintão”. Manuel Quintão também foi presidente da Federação. E Sousa de Prado lhe respondeu: “Sei, por sinal que, com tais correções, consegue desfigurar quase completamente o estilo dos espíritos que ditam as obras ao médium, enxertando-lhes termos esdrúxulos, que eles nunca usaram enquanto encarnados”. Confidenciou-lhe então o Sr. Wantuil de Freitas: – Ora, como você sabe, o Quintão erra constantemente, principalmente no emprego da crase, e na pontuação; e eu tenho grande empenho em que isso saia correto. Por isso, fiz uma nova revisão, emendando os principais erros que encontrei. Como, porém, eu sou Um pouco fraco no português…” e posso ter emendado coisas que estivessem certas, queria que você conferisse, comigo, as emendas que fiz”. De tudo isso concluo que Chico Xavier é um cidadão bom e inteligente, poeta por inclinação natural, muito lido, capaz de reproduzir mediocremente, em estilos diversos, inúmeras páginas sobre assuntos bastante banais e que são revistas e corrigi das por outras pessoas mais competentes e melhor formadas.  
    A propaganda espírita é muito mais categórica e positiva que o próprio Chico Xavier. Os espíritas não têm dúvidas: aquelas mensagens são realmente dos espíritos do além. No prefácio de Parnaso de além túmulo o próprio Chico Xavier é bem mais reservado e prudente. Eis suas palavras: – “O que psicografo será das personalidades que assinam os poemas? E o que não posso afiançar. O que afirmo categoricamente é que, em consciência, não posso dizer que são minhas, porque não despendi nenhum esforço intelectual ao grafá-las no papel. A sensação que sempre experimentei ao escrevê-las era a de que vigorosa mão impulsionava a minha”. Aqui temos a sincera descrição do fenômeno. Mas é também sua explicação. O fenômeno certamente não foi produzido por forças do além. Qualquer bom psicólogo saberá explicá-lo. Chico Xavier deixa de ser um problema teológico e passa à competência da psicologia.

  277. Marciano Diz:

    “NOSSO LAR”: UM EXEMPLO CONCRETO
     
    Mas tomemos um exemplo concreto de uma das obras psicografadas por Chico Xavier, sua obra mais popular: Nosso lar, com 460.000 exemplares vendidos até 1985, ditada por um espírito chamado “André Luis”, que, segundo se afirma nos arraiais espíritas, teria sido em vida o conhecido médico Dr. Osvaldo Cruz. Nesta obra, “André Luís” relata uma multidão de acontecimentos, desde sua morte até seu ingresso, como cidadão, na fantástica colônia espiritual chamada “Nosso lar”. Imediatamente depois da separação do corpo (morte), o espírito, agora “desencarnado”, de André Luís passou por um período bastante difícil, confuso e desorientado, sempre andando, sem saber por onde nem para onde. Era o estado de “erraticidade”, descrito abundantemente por AK. “Persistiam – conta ele – as necessidades fisiológicas, sem modificação. Castigava-me a fome todas as fibras, e, não obstante o abatimento progressivo, não chegava a cair definitivamente em absoluta exaustão. De quando em quando, deparavam-se-me verduras que me pareciam agrestes, em tomo de humildes filetes d’água a que me atirava sequioso. Devorava as folhas desconhecidas, colocava os lábios à nascente turva, enquanto mo permitiam as forças irresistíveis, a impelirem-me para frente. Muitas vezes suguei lama da estrada, recordei o antigo pão de cada dia, vertendo copioso pranto. Não raro era imprescindível ocultar-me das enormes manadas de seres animalescos, que passavam em bando, quais feras insaciáveis” (p. 17; sigo a 4″ edição). Durou oito anos a peregrinação.
     
    Até que encontrou outro espírito: Clarêncio, “um velhinho simpático que sorriu paternalmente”, que se apoiava num cajado de substância luminosa. Foi então transportado. Pararam “à frente de grande porta encravada em altos muros, cobertos de trepadeiras floridas e graciosas” (p. 20). Acomodaram-no num leito de emergência, “no pavilhão da direita”. Viu-se então num confortável aposento, “ricamente mobiliado”. Serviram-lhe “caldo reconfortante, seguido de água muito fresca”, portadora “de fluidos divinos”. À noite ouviu “divina melodia”. Levantou-se e chegou a um enorme salão, “onde numerosa assembléia meditava em silêncio”. Soube que era a hora da oração, dirigida pelo governador, através do rádio e da televisão, “com processos adiantados”.  
    No dia seguinte encontrou-se com o “irmão Henrique de Luna”, do Serviço de Assistência Médica daquela Colônia Espiritual. Soube então que, só naquela seção, “existem mais de mil doentes espirituais”. Examinado, recebeu o seguinte diagnóstico: “A zona dos seus intestinos apresenta lesões sérias com vestígios muito exatos de câncer; a região do fígado revela dilacerações; a dos rins demonstra características de esgotamento prematuro” (p. 30). Recebeu como remédio passes magnéticos. Quero lembrar que se trata de descrições da vida do espírito, depois da morte: não de coisas desta terra. Um dia foi passear: “Quase tudo melhorada cópia da Terra. Cores mais harmônicas, substâncias mais delicadas. Forrava-se o solo de vegetação… Aves de plumagens policromas cruzavam os ares… Identificava animais domésticos” (p. 38). Viu “vastas avenidas, enfeitadas de árvores frondosas”. Entidades numerosas iam e vinham… Afinal soube que estava numa das muitas colônias espirituais. Esta chama-se “Nosso lar”, consagrada ao Cristo (p. 22) e fundada por portugueses distintos, desencarnados no Brasil, no século XVI, segundo consta dos “arquivos do ministério do esclarecimento” (p. 47).
     
    A colônia é dirigida por um governador (que naqueles dias comemorou o 114º aniversário de governança) assistido por 72 colaboradores. Divide-se em 6 ministérios, orientados cada qual por 12 ministros: o ministério da regeneração, do auxílio, da comunicação, do esclarecimento, da elevação e da união divina. É no ministério do auxílio que preparam as “reencarnações terrenas”. Há, na colônia, “mais de um milhão de criaturas” (p. 207). No passado a colônia teve que agüentar muitos apertos. Houve maus governadores, com muita oposição, inclusive assaltos por parte de outros espíritos, “que tentaram invadir a cidade, aproveitando brechas nos serviços de Regeneração, onde grande número de colaboradores entretinha certo intercâmbio clandestino” (p. 48). Mas o governador “mandou ligar as baterias elétricas das muralhas da cidade, para emissão dos dardos magnéticos” (p. 49). Um dia foi de aerobus ao bosque das águas. Era um “grande carro, suspenso do solo a uma altura de cinco metros mais ou menos e repleto de passageiros” (p. 50).
     
    Outro dia visitou uma casa particular: “Móveis quase idênticos aos terrestres”. Quadros, piano, livros. Com relação aos livros recebeu a seguinte informação: “Os escritores de má fé, os que estimam o veneno psicológico, são conduzidos imediatamente para as zonas obscuras do umbral”. Havia também sala de banho. Ao almoço serviram “caldo reconfortante e frutas perfumadas, que mais pareciam concentrados de fluidos deliciosos” (p. 86). Também o problema da propriedade recebeu sua solução. “Nossas aquisições são feitas à base de horas de trabalho. O bônus-hora, no fundo, é o nosso dinheiro. Quaisquer utilidades são adquiridas com esses cupons. ” Cada família espiritual pode conquistar um lar (nunca mais que um), apresentando trinta mil bônus-hora” (p. 100). Existe também o serviço de recordações. Aplicam-se passes no cérebro, que restituem “trezentos anos de memória integral” (p. 103). Certa vez encontrou um ancião, gesticulando, agarrado ao leito, como se fosse louco, gritando por socorro, pedindo ar, muito ar! O homem estava sendo vítima de uma “carga de pensamentos sombrios, emitidos pelos parentes encarnados” (p. 127). Recebeu então passes de prostração. Há também “água magnetizada” e “operações magnéticas” (p. 136).
     
    Num daqueles dias apareceu na colônia uma católica desencarnada na Terra. Chegou benzendo-se e dizendo: – “Cruzes! Credo! Graças à Providência Divina, afastei-me do purgatório…” Revelou que, na Terra, foi mulher de muito bons costumes, que rezou incessantemente e deixou uns dinheirinhos para celebração de missas mensais; em suma, fez o possível para ser boa católica. Confessara-se todos os domingos e comungara. Mas maltratara os escravos. “Padre Amâncio, nosso virtuoso sacerdote, disse-me na confissão que os africanos são os piores entes do mundo, nascidos exclusivamente para servirem a Deus no cativeiro.” Morrera em 1888 e só em 1939 alcançou o “Nosso lar”. Fora longo seu “esforço purgatorial” (p. 164). Também, católica. . . Num domingo o governador resolveu realizar o “culto evangélico” no ministério da regeneração. Havia meninos cantores das escolas de esclarecimento, que cantavam o hino “Sempre contigo, Senhor Jesus”, cantado por duas mil vozes. Depois de outra cerimônia do culto evangélico, cantaram o hino “A ti, Senhor, nossas vidas”. No fim a ministra veneranda entoou “A grande Jerusalém” (p. 208). É assim no “Nosso lar”. Nos outros volumes continua André Luís a descrever a vida e a atividade fantástica do mundo “depois da morte”. Eis a literatura dos nossos espíritas. Este é o tipo de livros que a Federação brasileira propaga, aos milhares, pelo Brasil.

  278. Marciano Diz:

    Como sei que no sítio impera Belphegor, destaquei os trechos que reputo os mais importantes para a leitura dos demais.
    Crendice por crendice, sou forçado a admitir que a do frei é bem menos ridícula, brincalhona, bufa, caricaturesca, cômica, engraçada, farsesca, grotesca, hilariante, jocosa, picaresca, risível, zombeteira, escarnecedora, chocarreira.

  279. MONTALVÃO Diz:

    /
    “FLUIDISMO CURANDEIRISTA – Muitos procuram os centros espíritas e os terreiros umbandistas em busca da saúde. A promessa da cura é indiscutivelmente o mais poderoso fator de atração que o espiritismo oferece à massa popular.”
    /.
    POBRES OVELHAS TRESMALHADAS! Sabei vós que o resumo de tudo se resume na luz e nas vibrações modificantes, em consonância com o que descobriu a filosofia babaísta.
    .
    Trocai vossas luminárias de 40W por outras de 100 e vereis tudo mais claro; ajustai vossa ressonância vibracional para as frequências moduladas e entrareis nos eixos.
    .
    O fluidismo é diluente e enfraquece o ímpeto ressonante mórfico. Devemos agregar energias em vez de espargi-las ao léu do créu.
    .
    Falou Saibaba II, segundo e único.

  280. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Marciano Diz:
    FEVEREIRO 14TH, 2017 ÀS 1:56 PM
    A PSICOGRAFIA DE CHICO XAVIER”
    /.
    FONTE PRÓPRIA?

  281. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Num domingo o governador resolveu realizar o “culto evangélico” no ministério da regeneração. Havia meninos cantores das escolas de esclarecimento, que cantavam o hino “Sempre contigo, Senhor Jesus”, cantado por duas mil vozes. Depois de outra cerimônia do culto evangélico, cantaram o hino “A ti, Senhor, nossas vidas”. No fim a ministra veneranda entoou “A grande Jerusalém” ”
    /.
    E O CORAL DE dois milhão de vozes assexuadas entoava “Mais Perto quero estar meu Deus de ti”; ao lado, as musatas do Anjorgenteli cantavam “Adeste Fidelis”; ao fundo, o grande coro dos Querobins, formado por querubins em formação, soltavam a voz em “Mil Aleluias”. E as meninas? Ah, as meninas, que em vida viviam refocilando no funk, assoviavam “Alvo mais que a Neve” (me deu até um frio…).
    .
    (Depoimento de um espírito desconhecido, medado em transe mediúnico de fim de ano).

  282. Gorducho Diz:

    ===============================================================
    Crendice por crendice, sou forçado a admitir que a do frei é bem menos ridícula, brincalhona, bufa, caricaturesca, cômica, engraçada, farsesca, grotesca, hilariante, jocosa, picaresca, risível, zombeteira, escarnecedora, chocarreira.
    ===============================================================
    burlesca…
     
    No fim mamãe acabou simpatizando mais sem ter se tornado adepta com a religião católica.
    E é a impressão que tenho hoje na condição de ateísta. O catolicismo me parece muito mais circunspecto.

  283. Marciano Diz:

    Sai Baba está enganado, não existe esse negócio de freqüência modulada. A modulação das ondas que formam o sinal é que pode ser em freqüência ou em amplitude.
    Pode perguntar ao Borges.

     
     
    ===============================================================
    MONTALVÃO Diz:
    FEVEREIRO 14TH, 2017 ÀS 3:38 PM
    /
    “Marciano Diz:
    FEVEREIRO 14TH, 2017 ÀS 1:56 PM
    A PSICOGRAFIA DE CHICO XAVIER”
    /.
    FONTE PRÓPRIA?
    ===============================================================
     
    Não entendi.
    Eu deixei o link para o livro do frei (outro, não o do tópico) e transcrevi alguns trechos.
    Deixei isso bem claro.
     
     
    ===============================================================
    E é a impressão que tenho hoje na condição de ateísta. O catolicismo me parece muito mais circunspecto.
    ===============================================================
     
    É a impressão que também tenho.
    Em outra época, seríamos chamados aqui de católicos, por causa disso.
    Que eu saiba, o único católico aqui foi o JCFF.
     
     
    Montalvão, estou lendo as preces do AVESTA e minha fé no Islã está balançando.
     
    Pior é que quem me despertou a curiosidade pelo AVESTA foi o meu amigo Nietzsche.
     
    http://americarutracker388.weebly.com/blog/download-zend-avesta-pdf-em-portugues-free
     
    Cuidado com os vírus!

  284. Marciano Diz:

    Gorducho, deixei o burlesco de fora.
    Boa!

  285. Marciano Diz:

    A Sai Baba botou trema na minha frequência.

  286. Marciano Diz:

    Tem a modulação em fase, mas acho que é apenas um modo de modular a onda em frequência.
    Ou uma é função da outra, sei lá.
    Help, Borges!

  287. Marciano Diz:

    Borges, QAP.

  288. Marciano Diz:

    Já que o Borges está QRT, fui buscar socorro em outra fonte:
    Modulação é o processo através do qual voz, música, e outro sinal “inteligível” é adicionado às ondas de rádio produzidas por um transmissor. Os diferentes métodos de modular um sinal de radio são chamados de modos. Um sinal de radio não modulado é conhecido como portadora. Quando se escuta um lacuna entre músicas ou anúncios em uma estação de rádio, na realidade, está se “escutando” a portadora. Enquanto a portadora não contém nenhuma mensagem, pode-se dizer que está sendo transmitida porque anula a ruído de fundo no seu radio.

    Por definição, a modulação é a variação de um parâmetro de uma onda portadora senoidal, de maneira linearmente proporcional ao valor instantâneo do sinal modulante ou informação. Por suas vez, a portadora é a onda senoidal que, pela modulação de um dos seus parâmetros, permite a transposição espectral da informação ( ou sinal modulante ). Devido a portadora senoidal ter três parâmetros : Amplitude, Freqüência e Fase, existem três formas básicas de modulação : Modulação em Amplitude ( AM ), modulação em freqüência ( FM ) e modulação em fase ( PM Phase Modulation ).
     
    Montalvão, mande o Sai Baba sintonizar aqui:
    http://www.sarmento.eng.br/Modulacao.htm
    Lá onde ele está (inferno) pega bem o sinal, tanto modulado em frequência quanto em amplitude.

  289. Marciano Diz:

    Borges, de qualquer forma, TKS.

  290. Contra o chiquismo Diz:

    Gorducho, ai ser difícil derrubar o KJU! Mas as koreanas são demaissss!

  291. Marciano Diz:

    COC, QRW Borges 150 Mhz.

  292. Marciano Diz:

    QSO Borges?
    QUI?
    Borges, QUP.
    QTZ Borges.

  293. Marciano Diz:

    Borges QRT, eu QAR.

  294. MONTALVÃO Diz:

    /
    Marciano Diz:
    Sai Baba está enganado, não existe esse negócio de freqüência modulada. A modulação das ondas que formam o sinal é que pode ser em freqüência ou em amplitude.
    Pode perguntar ao Borges.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: Sai Baba I explica pro saibaba II, para que este explique ao mundo:
    /
    “Modulação é o processo pelo qual é possível adicionar informações (voz, música, ou outro sinal informativo) às ondas de rádio produzidas por um transmissor. Um sinal de radio não modulado é conhecido como onda portadora. Quando não é possível ouvir um ruído ou um som sequer numa transmissão, na realidade o que está sendo transmitido pelo aparelho são ondas portadoras.
    .
    Amplitude Modulada (AM):
    .
    A força (amplitude) da onda portadora de um transmissor é variada conforme a modulação do sinal varia.
    Quando se fala no microfone de um transmissor AM, este realiza a conversão da voz em tensão (voltagem) variada. Esta voltagem é amplificada e então usada para variar a potencia da saída do transmissor. A amplitude modulada adiciona potência à onda portadora, com a quantidade acrescentada dependendo da intensidade da voltagem de modulação.
    .
    Frequência Modulada (FM):
    .
    Devido à ineficiência da amplitude modulada, surgiu a necessidade de criação de outra modulação, que contornasse tal problema. Nasceu assim, a frequência modulada, que é pouco afetada pelos ruídos presentes durante a radiação do sinal, pois na modulação FM a frequência é que varia, e não a amplitude, como conseqüência disso, há uma melhora na qualidade da transmissão, pois a freqüência modulada requer uma largura de banda maior. Para se ter uma idéia uma transmissão de rádio AM, pode ser realizada numa faixa de 10KHz, enquanto que para uma transmissão de rádio FM são necessárias larguras de banda da ordem de 200KHz. É por isso que as transmissões comerciais, são realizadas na faixa VHF, que vai de 88 a 108MHz, podendo acomodar uma boa quantidade de estações de rádio.”
    /.
    Saibaba II encerra a transmissão de Sai Baba I…

  295. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Montalvão, estou lendo as preces do AVESTA e minha fé no Islã está balançando.
    .
    Pior é que quem me despertou a curiosidade pelo AVESTA foi o meu amigo Nietzsche.
    .
    http://americarutracker388.weebly.com/blog/download-zend-avesta-pdf-em-portugues-free
    .
    Cuidado com os vírus!
    /.
    CONSIDERAÇÃO: tentei baixar duas vezes: nada foi baixado, a não ser, talvez (do verbo: quem sabe?) o vírus…

  296. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Desde a infância, demonstrou extraordinárias qualidades e poderes que o distinguiam das demais crianças. Aos 14 anos, o menino comunicou, a seus familiares, que, a partir daquele momento, seria conhecido como Sai Baba e que sua missão seria a de promover a regeneração espiritual da humanidade, demonstrando e ensinando os mais elevados princípios, como a Verdade, a Retidão, a Paz, a Não violência e o Amor Divino. Anos mais tarde, quando perguntado com que idade havia deixado casa e família, Sai Baba respondeu: ‘Como poderia Eu, cujo lar é este Universo, haver abandonado casa e família?’”
    /.
    CONQUANTO conto mais de 14, pouquinho mais, anuncio que a partir de não sei quanto chamo-me saibaba II. Para mostrar que estou poderozizado, decreto que todos são pó e ao pó retornareis, do meio-dia às seis…

  297. Borges Diz:

    Sai Baba está enganado, não existe esse negócio de freqüência modulada. A modulação das ondas que formam o sinal é que pode ser em freqüência ou em amplitude.
    Pode perguntar ao Borges.”
    .
    Frequência modulada (FM) é a variação da frequência da portadora (sinal de RF) de acordo com o sinal modulador (sinal de áudio, por exemplo). Amplitude modulada (AM) é a variação da amplitude da portadora (sinal de RF) de acordo com o sinal modulador (sinal de áudio, por exemplo).
    Um abraço

  298. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Lá onde ele está (inferno) pega bem o sinal, tanto modulado em frequência quanto em amplitude.”
    /.
    LÁ ADADONDE ELE ESTÁ (o inferno são os outros) só pega rádio de galena, em frequência capetífera…

  299. Borges Diz:

    “Tem a modulação em fase, mas acho que é apenas um modo de modular a onda em frequência.”
    .
    Modulação em fase (PM) é a variação da fase da portadora (sinal de RF) de acordo com o sinal modulador (sinal digital, por exemplo).
    Um abraço

  300. Borges Diz:

    “LÁ ADADONDE ELE ESTÁ (o inferno são os outros) só pega rádio de galena, em frequência capetífera…”
    .
    Se o receptor de galena funciona “lá dadonde ele está” é sinal que o “sinal de rádio” é generoso (fortão).
    Um abraço.

  301. Borges Diz:

    “Borges, QAP.
    Borges, de qualquer forma, TKS.
    COC, QRW Borges 150 Mhz
    QSO Borges?
    QUI?
    Borges, QUP.
    QTZ Borges.
    Borges QRT, eu QAR.”
    .
    Eu estava fazendo o jantar; vida de aposentado é dura.
    Um abraço

  302. Marciano Diz:

    TKS, Borges (vem de thanks).
     
    Pois é, Sai Baba II, você pode modular a RF (radio frequency) variando a amplitude da onda (modulação em amplitude = amplitude modulation = AM) ou variando a frequência da onda (frequency modulation = modulação em frequência = FM).
     
     
    Parece que vocês não perceberam ou não se interessaram, mas eu pus um link
    Gratuito para download – 110 páginas:
    https://efosm.files.wordpress.com/2013/02/espiritismo-e28093-orientac3a7c3a3o-para-catc3b3licos-frei-boaventura-kloppenburg.pdf
    do frei Boaventura, “Espiritismo – Orientação para Católicos) e postei alguns trechos do livro.
     
    Boaventura mostra, no tal opúsculo, os delírios de cx, com AL, NL, a maluquice de água fluidificada, etc.

  303. Marciano Diz:

    1) Sabe-se hoje que as idéias reencarnacionistas surgiram pela primeira vez na França pelos anos 1830-1848, em certos ambientes socialistas, e intimamente vinculadas com os princípios do evolucionismo então em moda. Seus primeiros autores foram Charles Fourier e Pierre Leroux, ambos socialistas, que recorreram à idéia da pluralidade das existências precisamente para explicar assim o problema das desigualdades sociais. Este argumento será
    depois, nas obras de Kardec, o mais forte e é ainda hoje, entre nossos espíritas, o mais freqüentemente invocado para “demonstrar” a realidade das reencarnações. Ora, foi deste
    ambiente socialista que saíram os primeiros adeptos do movimento espírita francês. René Guénon mostra isso nas pp. 31-39 de seu livro L’ erreur spirite (Paris, 1952) e nas pp. 116ss. Do Le théosophisme. No ano de 1854, quando Kardec tomava os primeiros contatos com as mesas girantes, foram publicados mais dois livros reencarnacionistas: Terre et dei, de Jean Reynaud, e Pluralité des existences de l’âme, de Pezzani. Assim, dois anos depois da publicação de O livro dos espíritos, em 1859, observava o Dr. Dechambre na “Gazette Hebdomadaire de Médicine et
    de Chirurgie”, num artigo sobre “La Doctrine Spirite”, que os instrutores invisíveis do Sr. Kardec não tinham necessidade de conversar nos ares com o espírito de Porfírio: bastava-lhes
    conversar por alguns instantes com o Sr. Pierre Leroux, mais fácil de encontrar, ou ainda com Fourier, que com muito prazer lhes teria ensinado que nossa alma revestirá um corpo cada vez mais etéreo à medida que irá passando pelas oitocentas existências. . .

    2) Também os dois dramaturgos Victorien Sardou e Eugene Nus pertenciam ao círculo de Kardec. Em Le merveilleux spirite nos conta Lucien Roure: “Era no momento das primeiras experiências do espiritismo em Paris. Sardou (futuro grande colaborador de AK) devorava os livros de filosofia e de metafísica, ocupava-se de astronomia, estudava e perfilhava as teorias de Jean Reynaud. Foi no salão da Sra. Japhet que ele encontrou AK. O próprio Sardou confessou:
    ‘𝓠𝓾𝓪𝓷𝓭𝓸, 𝓭𝒆 𝓬𝓸𝓶𝓾𝓶 𝓪𝓬𝓸𝓻𝓭𝓸 𝓬𝓸𝓶 𝓐𝓚, 𝓹𝒆𝓭𝓲𝓶𝓸𝓼 𝓪𝓸 𝒆𝓼𝓹𝓲́𝓻𝓲𝓽𝓸 𝓹𝓻𝒆𝓼𝒆𝓷𝓽𝒆 𝓺𝓾𝒆 𝓭𝒆𝓽𝒆𝓻𝓶𝓲𝓷𝓪𝓼𝓼𝒆 𝓪 𝓫𝓪𝓼𝒆 𝓭𝓸 𝓭𝓸𝓰𝓶𝓪 𝒆𝓼𝓹𝓲́𝓻𝓲𝓽𝓪, 𝒇𝓾𝓲 𝒆𝓾 𝓺𝓾𝒆, 𝓰𝓾𝓲𝓪𝓭𝓸 𝓹𝓸𝓻 𝓶𝓲𝓷𝓱𝓪𝓼 𝓵𝒆𝓲𝓽𝓾𝓻𝓪𝓼, 𝓻𝒆𝓼𝓽𝓪𝓫𝒆𝓵𝒆𝓬𝓲 𝓸 𝓼𝒆𝓷𝓽𝓲𝓭𝓸 𝓭𝓪𝓼 𝓻𝒆𝓼𝓹𝓸𝓼𝓽𝓪𝓼 𝓶𝓪𝓵 𝓲𝓷𝓽𝒆𝓻𝓹𝓻𝒆𝓽𝓪𝓭𝓪𝓼 𝓸𝓾 𝓸𝓫𝓼𝓬𝓾𝓻𝓪𝓼 𝓭𝓸 𝒆𝓼𝓹𝓲́𝓻𝓲𝓽𝓸; 𝒆 𝓪𝓼𝓼𝓲𝓶, 𝒆𝓶 𝓽𝓻𝒆̂𝓼 𝓼𝒆𝓼𝓼𝓸̃𝒆𝓼, 𝓹𝓾𝓭𝒆 𝓭𝓲𝓽𝓪𝓻 𝓸 𝓼𝓾𝓶𝓪́𝓻𝓲𝓸 𝓭𝓪 𝓭𝓸𝓾𝓽𝓻𝓲𝓷𝓪 𝓺𝓾𝒆 𝓐𝓚, 𝓭𝒆𝓹𝓸𝓲𝓼, 𝓭𝒆𝓿𝓲𝓪 𝓭𝒆𝓼𝒆𝓷𝓿𝓸𝓵𝓿𝒆𝓻’. 𝓔: ‘𝓔𝓾 𝓵𝓲𝓪, 𝒆𝓷𝓽𝓪̃𝓸, 𝓶𝓾𝓲𝓽𝓸 𝓸𝓼 𝓵𝓲𝓿𝓻𝓸𝓼 𝓸𝓬𝓾𝓵𝓽𝓲𝓼𝓽𝓪𝓼. 𝓔 𝓺𝓾𝓪𝓷𝓭𝓸 𝓱𝓪𝓿𝓲𝓪
    𝓾𝓶𝓪 𝓵𝓪𝓬𝓾𝓷𝓪, 𝒆𝓾 𝒆́ 𝓺𝓾𝒆 𝓻𝒆𝓭𝓲𝓰𝓲𝓪 𝓪𝓼 𝓶𝒆𝓷𝓼𝓪𝓰𝒆𝓷𝓼”‘.
     
    3) Outro colaborador foi o astrônomo Camille Flammarion, que foi mesmo um dos médiuns de Kardec. Mais tarde será espírita menos convicto e entusiasmado. Como médium escreveu as famosas mensagens sobre os astros e a cosmogonia, que estão em A gênese de AK.
    Muitos anos depois escreverá: “Eu próprio era médium e AK publicou em seu livro A gênese, as dissertações que eu escrevi. Era o reflexo do que eu sabia, daquilo que nós pensávamos nessa
    época sobre os planetas, sobre cosmogonia etc. E os espíritos nada me ensinaram”
    (cf. “Annales Politiques et Parlamentaires”, 9 de julho de 1899).
     

    4) Alexander Aksakof, no artigo intitulado “Researches on the Historical Origin of the Reincarnation Speculations of French Spiritualists” (Investigações sobre a origem histórica da
    filosofia reencarnacionista no espiritismo francês), publicado na revista The Spiritualist, 13-8- 1875, pp. 74-75, afirma que em 1873 entrevistou a sonâmbula Celina Japhet (nome verdadeiro:
    Bequet), que muito contribuiu na confecção de O livro dos espíritos de AK. Ela revelou então que já era sonâmbula natural desde pequena e que em 1845 foi a Paris, onde conhecera o magnetizador Roustaing, ficando ela então sonâmbula profissional sob o controle de Roustaing, dando “receitas médicas sob a direção espiritual de seu avô, que fora médico”; e que “desta maneira, em 1846, lhe foi comunicada a doutrina da reencarnação pelos espíritos de seu avô, de Sta. Teresa e de outros”. Aksakof anota então que “pode ser interessante observar que, quando o poder sonambúlico de madame Japhet foi desenvolvido sob a influência mesmérica do Sr.
    Roustaing, este já acreditava na pluralidade das existências terrestres”. Madame Japhet lhe revelou também que foi membro do círculo espírita de Paris de 1849 até 1870; e que o círculo
    fazia reunião duas vezes por semana, participando também Victorien Sardou; e que pouco depois ela se tornara médium escrevente e que a maior parte de suas comunicações foram obtidas
    desta maneira; e que “em 1856 ela se encontrara com o Sr. Denizard Rivail, que lhe fora apresentado por Victorien Sardou. Ele (Rivail) correlatou a matéria com numerosas questões, coordenando tudo em ordem sistemática e então publicou O livro dos espíritos, sem mesmo mencionar o nome de madame C. Japhet, muito embora três quartas partes do livro tenham sido dadas através da mediunidade dela. O resto foi obtido de comunicações pela madame Bodin, que pertencia a um outro círculo espírita. Depois da publicação de O livro dos espíritos…ele abandonou o círculo (de madame Japhet) e organizou outro em sua própria casa, sendo médium M. Roze”.
     
    Nas Obras póstumas, p. 242, AK fala desse encontro: “Em 1856, freqüentei ao mesmo tempo as reuniões espíritas que se celebravam à rua Tiquetone, em casa do Sr. Roustaing e
    senhorita Japhet, sonâmbula. Eram sérias essas reuniões e se realizavam com ordem. … Estava concluído, em grande parte, o meu trabalho e tinha as proporções de um livro. Eu, porém, fazia
    questão de submetê-lo ao exame de outros espíritos, com o auxtíio de diferentes médiuns.
    Lembrei-me de fazer dele objeto de estudo nas reuniões do Sr. Roustaing. Ao cabo de algumas sessões, disseram os espíritos que preferiam revê-lo na intimidade e marcaram para tal efeito
    certos dias nos quais eu trabalharia em particular com a Srta. Japhet, a fim de fazê-Io com mais calma…”
     
    5) Não esqueçamos também que AK, filho de pais católicos, foi educado sob a tutela de Pestalozzi, que acreditava na possibilidade de encerrar o fato religioso nos limites da razão.
    Certos princípios do protestantismo e do racionalismo o acompanharam desde a escola de Pestalozzi. Mais tarde tornou-se maçom. E é sabido que a filosofia maçônica é essencialmente
    liberal e naturalista. E de todos estes princípios encontramos um eco fiel na doutrina “codificada” por AK.
    𝔸 𝕕𝕠𝕦𝕥𝕣𝕚𝕟𝕒 𝕖𝕤𝕡𝕚́𝕣𝕚𝕥𝕒 𝕟𝕒 𝕧𝕖𝕣𝕕𝕒𝕕𝕖 𝕖́ 𝕡𝕠𝕦𝕔𝕠 “𝕖𝕤𝕡𝕚́𝕣𝕚𝕥𝕒”: 𝕖́ 𝕙𝕦𝕞𝕒𝕟𝕒, 𝕖𝕩𝕔𝕖𝕤𝕤𝕚𝕧𝕒𝕞𝕖𝕟𝕥𝕖 𝕙𝕦𝕞𝕒𝕟𝕒; 𝕖́ 𝕒𝕡𝕖𝕟𝕒𝕤 𝕜𝕒𝕣𝕕𝕖𝕔𝕚𝕤𝕥𝕒…
     
     
     
    Com a formatação mais bonitinha vocês se interessam?
    Baixem o livro do frei. É de graça, são só 120 páginas, vocês são aposentados, têm tempo de sobra.
     
    O livro é em pdf, e a leitura é fácil.

  304. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Não entendi.
    Eu deixei o link para o livro do frei (outro, não o do tópico) e transcrevi alguns trechos.
    Deixei isso bem claro.”
    /.
    EMBORA EU AGORA NA LUZ ESTEJA, não me ficou claro. É que abres uma fala, depois continua, depois vai, e vai, e aí não sei, sabe? Mas que confunde confunde. Leve em conta que nem todo seu leitor tem a sua luz…

  305. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Parece que vocês não perceberam ou não se interessaram, mas eu pus um link
    Gratuito para download – 110 páginas:
    https://efosm.files.wordpress.com/2013/02/espiritismo-e28093-orientac3a7c3a3o-para-catc3b3licos-frei-boaventura-kloppenburg.pdf
    do frei Boaventura, “Espiritismo – Orientação para Católicos) e postei alguns trechos do livro.”
    /.
    /
    SINTERESSARAM SIM: já baixei o meu.
    .
    Informo-lho, compensativamente, que de onde o Vitor tirou o texto que encima a presente discussão tem também várias obras do frei para baixamento. Se não credes em minhas palavras vades e vedes:
    http://www.obrascatolicas.com/livros/Apologetica/

  306. MONTALVÃO Diz:

    /
    “vocês são aposentados, têm tempo de sobra.”
    /.
    TOLINHO, um dia te aposentarás e verás…

  307. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Com a formatação mais bonitinha vocês se interessam?”
    /.
    TODOS, suponho, gostemos de formatação butininha…

  308. Marciano Diz:

    ===============================================================
    Informo-lho, compensativamente, que de onde o Vitor tirou o texto que encima a presente discussão tem também várias obras do frei para baixamento. Se não credes em minhas palavras vades e vedes:
    http://www.obrascatolicas.com/livros/Apologetica/
    ===============================================================
     
    Obrigado. No momento, só estou interessado nos livros do frei em que ele esculacha com o espiritismo.
     
    Sobre catolicismo mesmo, não tenho interesse.
    O Vaticano tem todo o catecismo (tem versão reduzida também) em várias línguas, inclusive português BR, mas eu só consulto, quando há necessidade.
     
    Dá pra baixar tudo, se tiver paciência, pois não há como baixar tudo de uma só vez.

     
    ===============================================================
    “vocês são aposentados, têm tempo de sobra.”
    /.
    TOLINHO, um dia te aposentarás e verás…
    ===============================================================
     
    Estava me referindo ao tempo que sobra sem as horas de trabalho propriamente dito, as horas que se gasta indo e voltando para o trabalho, etc.
     
    Se vocês gostam de fazer o próprio jantar (Borges, pelo menos) não podem reclamar de falta de tempo.
    Duvido que fizessem isso quando trabalhavam!
     
    O cara se aposenta, vira treinador de cães, jardineiro, cozinheiro, jogador de damas, e depois reclama que não tem tempo?
     
    A formatação é até bonitinha, mas é mais mesmo é afrescalhada.
     
    Cheguei a elas tentando mostrar ao Gorducho que aqui também dá pra variar as fontes, com receio de que ele debande de vez pro FCC.

  309. Marciano Diz:

    Com um pouquinho de esforço
    ᴰᵃ́ ᵃᵗᵉ́ ᵖʳᵃ ᶠᵃᶻᵉʳ ᵗᵉˢᵗᵉ ᵒᵖᵗᵒᵐᵉ́ᵗʳᶤᶜᵒˑ

  310. Marciano Diz:

    ᶜᵒᶰˢᵉᵍᵘᵉˢ ˡᵉʳ ᵉˢᵗᵃˢ ˡᶤᶰʰᵃˢˀ
    Se consegue, sua visão está perfeita.

  311. Marciano Diz:

    Estas linhas, não, esta linha.
    Foi uma só.

  312. Marciano Diz:

    Quer dizer, foram duas, mas uma em cada comentário.
    Estou ficando cada vez mais confuso, com esse negócio de bíblia, corão, livro dos espíritos, livro de mórmon, avesta, mahabharata…

  313. Marciano Diz:

    TAlmud, torah, etc., são a mesma coisa que o VT.
    Ainda tem as traduções, a versão dos TJs.
    Pelo menos o corão não tem tanta confusão.

  314. Marciano Diz:

    The Authorized Version (King James)
    Torah
    The Septuagint
    Greek New Testament
    Latin Vulgate
    Douai-Rheims

  315. Marciano Diz:

    King James Bible
    (Second Version, 10th Edition)

    Book 01 Genesis

    001:001 In the beginning God created the heaven and the earth.

    001:002 And the earth was without form, and void; and darkness was upon the face of the deep. And the Spirit of God moved upon the face of the waters.

    001:003 And God said, Let there be light: and there was light.

    001:004 And God saw the light, that it was good: and God divided the light from the darkness.

    001:005 And God called the light Day, and the darkness he called Night. And the evening and the morning were the first day.

     
    1 In the beginning God created the heavens and the earth. 2 Now the earth was formless and empty, darkness was over the surface of the deep, and the Spirit of God was hovering over the waters. 3 And God said, “Let there be light,” and there was light. 4 God saw that the light was good, and he separated the light from the darkness. 5 God called the light “day,” and the darkness he called “night.” And there was evening, and there was morning—the first day.
     
    Percebam a diferença nestes dois textos em inglês.

  316. Marciano Diz:

    2 And the earth was without form, and void; and darkness was upon the face of the deep. And the Spirit of God moved upon the face of the waters.
     
    2 Now the earth was formless and empty, darkness was over the surface of the deep, and the Spirit of God was hovering over the waters.
     
    Moved upon the face of the waters or was hovering over the waters?

  317. Marciano Diz:

    Tem várias versões em inglês, em francês, etc.
    Não existe tradução igual.
    Ás vezes, faz pouca diferença, outras vezes, muda completamente o sentido.

  318. Marciano Diz:

    Eu prefiro usar a King James ou a Vulgata.
    Mas tenho um monte de bíblias.
     
    1. Au commencement, Dieu créa les cieux et la terre.
    2. La terre était informe et vide: il y avait des ténèbres à la surface de l’abîme, et l’esprit de Dieu se mouvait au-dessus des eaux.
    3. Dieu dit: Que la lumière soit! Et la lumière fut.
    4. Dieu vit que la lumière était bonne; et Dieu sépara la lumière d’avec les ténèbres.
     
    1 No princípio criou Deus os céus e a terra.
    2 A terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo, mas o Espírito de Deus pairava sobre a face das águas.
    3 Disse Deus: haja luz. E houve luz.
    4 Viu Deus que a luz era boa; e fez separação entre a luz e as trevas.
    5 E Deus chamou à luz dia, e às trevas noite. E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro.
     
    1. No princípio, Deus criou o céu e a terra.
    2. A terra estava sem forma e vazia; as trevas cobriam o abismo e um vento
    impetuoso soprava sobre as águas.
    3. Deus disse: “Que exista a luz!” E a luz começou a existir.
    4. Deus viu que a luz era boa. E Deus separou a luz das trevas:
    5. à luz Deus chamou “dia”, e às trevas chamou “noite”. Houve uma tarde e uma
    manhã: foi o primeiro dia.
     
    Duas versões diferentes em português.
     
    1. In principio creavit Deus cae lum et terram.
    2. Terra autem erat inanis et vacua, et tenebrae super faciem abyssi, et
    spiritus Dei ferebatur super aquas.
    3. Dixitque Deus:”Fiat lux”. Et facta est lux.
    4. Et vidit Deus lucem quod esset bona et divisit Deus lucem ac tenebras.
    5. Appellavitque Deus lucem Diem et tenebras Noctem. Factumque est vespere et
    mane, dies unus.

  319. Marciano Diz:

    e havia trevas sobre a face do abismo, mas o Espírito de Deus pairava sobre a face das águas.
    ou
    as trevas cobriam o abismo e um vento
    impetuoso soprava sobre as águas.
     
    deus ou o vento?
    só havia trevas ou elas cobriam o abismo?
    As trevas podiam ser parciais, no primeiro texto.

  320. Marciano Diz:

    1 In principio Dio creò i cieli e la terra.
    2 Ora la terra risultò essere informe e vuota e c’erano tenebre sulla superficie delle acque dell’abisso; e la forza attiva di Dio si muoveva sulla superficie delle acque.
    3 E Dio diceva: “Si faccia luce”. Quindi si fece luce. 4 Dopo ciò Dio vide che la luce era buona, e Dio operò una divisione fra la luce e le tenebre. 5 E Dio chiamava la luce Giorno, ma chiamò le tenebre Notte. E si faceva sera e si faceva mattina, un primo giorno.

  321. Marciano Diz:

    Se até os aposentados foram 💤 , que estou fazendo eu aqui, sozinho?

  322. Marciano Diz:

    Ninguém aparece mesmo.
    😴

  323. Marciano Diz:

    Último comentariozinho: o frei era bispo, não sei se viram.
    Bispo mesmo, não igual ao bispo macedo.
    Devia entender de catolicismo pra cacilda.
    Não entendo como alguém que estuda tanto uma religião não vira ateu.
    Deve ser pra não passar de bispo a professor de português, numa escolinha qualquer.
    Ainda mais o frei, que foi íntimo de vários papas. Aliás, todos os papas devem ser ateus, pois são pessoas instruídas e inteligentes demais para acreditar nessas tolices.

  324. Marciano Diz:

    Se até eu, quando era criança, ainda não tinha quase nenhuma instrução, nunca caí no conto do vigário

  325. Marciano Diz:

    E olhem que meus pais bem que tentaram me infundir crenças malucas, de boa-fé.

  326. Marciano Diz:

    Se eu tivesse nascido no Irã (maioria xiita) ou no Iraque (maioria sunita), tava fu(lascado).
    Engraçado, também, como cristãos creem em coisas diferentes, judeus, idem, muçulmanos, ibidem, budistas, lo stesso.
    Tibetano, zen, …
    Como diria o Castro, “mas é tolice demais!”
    Adaptado de Espumas Flutuantes, O Navio Negreiro.
    Dica para o Montalvão, que já foi bom de poesia.

  327. Marciano Diz:

    cx, na aurora da vida, teria pegado o sujeito bom de gesto e peito, e emprestaria sua mediunidade para cobrir tanta infâmia e cobardia, escarrando na boca que o beijasse.
    Depois, ainda diria:
    – What’s in a name?
    Quoth cx: nevermore.
    Once, upon a midnight dreary, while I pondered week and weary…

  328. Borges Diz:

    “Duvido que fizessem isso quando trabalhavam!”
    .
    Estávamos sujeitos a comidas com excesso de gordura e sódio, falta de asseio e outros inconvenientes das refeições feitas fora de casa.
    Um abraço

  329. Borges Diz:

    “Duvido que fizessem isso quando trabalhavam!”
    .

    Estávamos sujeitos a comidas com excesso de gordura e sódio, falta de asseio e outros inconvenientes das refeições feitas fora de casa.

    Um abraço

  330. Borges Diz:

    “Aliás, todos os papas devem ser ateus, pois são pessoas instruídas e inteligentes demais para acreditar nessas tolices.”
    .
    Esta aparente contradição demonstra que você pode estar enganado com relação aos fatores que determinam a religiosidade de uma pessoa.
    Um abraço

  331. Marciano Diz:

    Humildemente suplico aos queridos irmãos Montalvão e Borges que migrem para o novo tópico, o da reencarnação no Japão.
    O rogo está dirigido também ao fraterno COC, se ainda estiver por aí.
    Gorducho já foi. Moi, aussi.

  332. Vinicius Diz:

    Marciano, esse site das contradições é “porreta” Não?
    3)
    ;
    5) Contradição científica: Há luas em Marte?
    NÃO: Quem afirmou isso foi o espírito do falecido cientista Galileu! – “O número e o estado dos satélites de cada planeta têm variado de acordo com as condições especiais em que eles se formaram. Alguns não deram origem a nenhum astro secundário, como se verifica com Mercúrio, Vênus e Marte (2)…”(A Gênese, cap 6. 26, grifo nosso).
    SIM: Porém, 15 anos depois….tiveram que acrescentar uma nota de rodapé nesse mesmo livro a respeito dessa questão 26: “(2) Nota da Editora: Em 1877, foram descobertos dois satélites de Marte: Fobos e Deimos.” (A Gênese, cap 6. 26).

    Observação: Galileu Galilei quando estava vivo fez uso do telescópio e daqui mesmo da Terra conseguiu descobrir os satélites de Júpiter, montanhas e crateras na Lua e etc, porém, depois de falecido, fora corpo, lá no espaço não conseguiu ver as duas luas de Marte?!

  333. Marciano Diz:

    VINICIUS, é porreta mesmo!
    Desculpe-me pelo esquecimento.
    Está convidado a transportar-se astralmente para o novo tópico.
    Por enquanto, só estamos lá eu, Gorducho e Vitor, este com um comentário (está estudando, tem mais é que conter-se mesmo).

  334. MONTALVÃO Diz:

    /
    Marciano Diz:
    .????????? ??? ????? ???????
    Se consegue, sua visão está perfeita.
    /.
    CONSIGO, mas posso garantir: distante está minha visão de perfeita ser… sorry.

  335. Mauro Diz:

    Vocês não cansam de espinafrar o mundo espiritual não? Não tem vergonha?

  336. MONTALVÃO Diz:

    /
    Marciano Diz:
    FEVEREIRO 14TH, 2017 ÀS 10:47 PM
    Estas linhas, não, esta linha.
    Foi uma só.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: ih! Tão tô pior que pensava: vi duas linhas:
    .
    1) Consegues ler estas linhas?
    2) Se consegue, sua visão está perfeita.

  337. MONTALVÃO Diz:

    /
    Marciano Diz:
    .
    Tem várias versões em inglês, em francês, etc.
    Não existe tradução igual.
    Ás vezes, faz pouca diferença, outras vezes, muda completamente o sentido.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: inexistem traduções iguais, em qualquer situação, em qualquer tempo, seja da Bíblia, seja do que for…
    .
    Com exceção da Versão Novo Mundo, desconheço traduções que mudem completamente o sentido… se tiver exemplos…

  338. MONTALVÃO Diz:

    Marciano Diz:
    .
    1 No princípio criou Deus os céus e a terra.
    2 A terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo, mas o Espírito de Deus pairava sobre a face das águas.
    3 Disse Deus: haja luz. E houve luz.
    4 Viu Deus que a luz era boa; e fez separação entre a luz e as trevas.
    5 E Deus chamou à luz dia, e às trevas noite. E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro.
    /
    1. No princípio, Deus criou o céu e a terra.
    2. A terra estava sem forma e vazia; as trevas cobriam o abismo e um vento
    impetuoso soprava sobre as águas.
    3. Deus disse: “Que exista a luz!” E a luz começou a existir.
    4. Deus viu que a luz era boa. E Deus separou a luz das trevas:
    5. à luz Deus chamou “dia”, e às trevas chamou “noite”. Houve uma tarde e uma
    manhã: foi o primeiro dia.
    .
    Duas versões diferentes em português.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: mas não muda completamente o sentido…

  339. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Dica para o Montalvão, que já foi bom de poesia.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: talvez em “proesia”, em poesia não: nunca me atraiu esse gênero, embora lido algumas tenha.

  340. MONTALVÃO Diz:

    /
    Borges Diz:
    “Estávamos sujeitos a comidas com excesso de gordura e sódio, falta de asseio e outros inconvenientes das refeições feitas fora de casa.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: é vero: quando deixei a labuta oficial tava hipertenso e com chumbose. Alimentando-me em casa, sem remédios, livrei-me dessas pragas.

  341. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Aliás, todos os papas devem ser ateus, pois são pessoas instruídas e inteligentes demais para acreditar nessas tolices.”
    /.
    CONSIDERAÇÃO: neste raciocínio, Tomás de Aquino, Agostinho, padre Vieira, José de Anchieta, D. Estevão Bettencourt, Boaventura… eram ateus…

  342. MONTALVÃO Diz:

    /
    Mauro Diz:
    .
    “Vocês não cansam de espinafrar o mundo espiritual não? Não tem vergonha?”
    /.
    DEFENDA-O, então… de preferência com boa argumentação…

  343. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Humildemente suplico aos queridos irmãos Montalvão e Borges que migrem para o novo tópico, o da reencarnação no Japão.”
    /.
    INFELIZMENTE tô fora: O Visoni não aprende que reencarnação não se prova com essas bobeirinhas de crianças lembradoras de outras vidas. Prefiro ficar com o frei, que talvez me traga boa ventura.

  344. Mauro Diz:

    “Humildemente suplico aos queridos irmãos Montalvão e Borges que migrem para o novo tópico, o da reencarnação no Japão.”
    /.
    INFELIZMENTE tô fora: O Visoni não aprende que reencarnação não se prova com essas bobeirinhas de crianças lembradoras de outras vidas. Prefiro ficar com o frei, que talvez me traga boa ventura.
    …..
    E por que o depoimento de uma criança é desqualificado? Justamente elas que têm menos censuras, menos mentiras em seu coração. Se os depoimentos de crianças são aceitas em processos judiciais, por que não seriam como testemunhos de reencarnação???

  345. Mauro Diz:

    Senhor Montalvão, o que V. S. considera prova e argumentos consistentes?

  346. Vitor Diz:

    Mauro, há uma grande diferença entre os tribunais jurídicos e os tribunais da ciência… e mesmo nos tribunais jurídicos a mera palavra de uma criança dificilmente seria aceitável como prova isolada para qualquer coisa.

  347. Mauro Diz:

    Exato, sr. Vitor. A palavra por si só é não é evidência de nada. Mas há casos em que o depoimento corrobora com evidências. Obviamente, pálidas lembranças que, juntadas as peças, demonstram a verossimilhança do testemunho.

  348. Vitor Diz:

    Sim, Mauro, é mais por aí.

  349. Mauro Diz:

    Os leigos aqui deste blog tem uma fixação em método científico, em ciência e em provas cabais…du-vi-de-o-dó que entendam alguma coisa do que falam.

  350. Mauro Diz:

    Pois é…é bem por aí. Nosso cérebro constroi historinhas o tempo todo para dar algum sentido ao nosso meio ambiente. E só tem “certezas absolutas” os arrogantes que se acham superior a todos os demais.

  351. MONTALVÃO Diz:

    /
    Mauro Diz:
    /.
    INFELIZMENTE tô fora: O Visoni não aprende que reencarnação não se prova com essas bobeirinhas de crianças lembradoras de outras vidas. Prefiro ficar com o frei, que talvez me traga boa ventura.
    …..
    MAURO: E por que o depoimento de uma criança é desqualificado? Justamente elas que têm menos censuras, menos mentiras em seu coração. Se os depoimentos de crianças são aceitas em processos judiciais, por que não seriam como testemunhos de reencarnação???
    /.
    PREZADO MAURO,
    .
    Gostaria de responder-lhe convenientemente, mas já discuti tanto esse assunto que voltar a ele causa-me forte repulsa. Se tiver tempo, selecionarei comentários já feitos para sua avaliação. Enquanto isso, sugiro que consulte discussões anteriores a respeito, aqui no sítio.

  352. MONTALVÃO Diz:

    /
    Mauro Diz:
    .
    Senhor Montalvão, o que V. S. considera prova e argumentos consistentes?
    .
    CONSIDERAÇÃO: argumentos consistentes são os que advém de hipóteses verificáveis e verificadas, que se confirmam em experimentos variados, por variados experimentadores. O acúmulo de relatos não constitui evidência satisfatória e não fundamente argumentos.

  353. MONTALVÃO Diz:

    /
    Vitor Diz:
    .
    Mauro, há uma grande diferença entre os tribunais jurídicos e os tribunais da ciência… e mesmo nos tribunais jurídicos a mera palavra de uma criança dificilmente seria aceitável como prova isolada para qualquer coisa.
    /
    Mauro Diz:
    .
    Exato, sr. Vitor. A palavra por si só é não é evidência de nada. Mas há casos em que o depoimento corrobora com evidências. Obviamente, pálidas lembranças que, juntadas as peças, demonstram a verossimilhança do testemunho.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: no caso de lembranças de vidas passadas não há evidências que corroborem os depoimentos. Disse outras vezes e repito: o máximo que se pode afirmar a partir desses estudas da reencarnação é que há infantes que alegam recordar fatos de outras existências. Daí passar para a conclusão de que esses relatos confirmam a reencarnção é dar passo maior que o cérebro.
    .
    O que os investigadores fazem é transformar os depoimentos em evidências: erro crasso.

  354. MONTALVÃO Diz:

    /
    Mauro Diz:
    .
    Os leigos aqui deste blog tem uma fixação em método científico, em ciência e em provas cabais…du-vi-de-o-dó que entendam alguma coisa do que falam.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: se duvida, ponha à prova o conhecimento de quem queira. A ciência é a melhor ferramenta de que o ente humano dispõe para perquirir a natureza. O mundo espiritual, o que inclui a reencarnação (caso exista) não é verificável cientificamente: tudo o que se diz a respeito dessa suposta dimensão é especulativo. Se alguma dessas especulações lhe cai no agrado provavelmente a abraçará como se fora verdade acima de qualquer suspeita, mas não disporá de evidências firmes que a corroborem.
    /
    /

    Mauro Diz:
    .
    Pois é…é bem por aí. Nosso cérebro constrói historinhas o tempo todo para dar algum sentido ao nosso meio ambiente. E só tem “certezas absolutas” os arrogantes que se acham superior a todos os demais.
    /.
    CONSIDERAÇÃO: ora, se isso acontece no meio em que experienciamos a existência onde, bem ou mal, se pode conferir a legitimidade das “historinhas”, imagine quantas fantasias não se constroem nas especulações sobre a espiritualidade?
    /
    /
    Mauro, sugiro que ponha suas considerações no tópico mais recente, este aqui já se esvaziou e corre o risco de não ter seus ponderamentos respondidos. Apesar de que, particularmente, acho que ainda havia muito a ser falado a respeito das ideias do frei…

  355. Marciano Diz:

    ===============================================================
    Com exceção da Versão Novo Mundo, desconheço traduções que mudem completamente o sentido… se tiver exemplos…
    ===============================================================
     
    Esta é demais, mas existem outras também.
    Outra hora te dou exemplos. Agora estou absolutamente sem tempo.
     
    Pode cobrar, se eu me esquecer.
    Sem citar fontes, tem bíblia que fala em suco de uva, no episódio do casamento em Canaã (suco de uva não deixa ninguém doidão, como sugeriu o mestre de cerimônias).
     
     
    ===============================================================
    CONSIDERAÇÃO: neste raciocínio, Tomás de Aquino, Agostinho, padre Vieira, José de Anchieta, D. Estevão Bettencourt, Boaventura… eram ateus…
    ===============================================================
     
    … que se o fossem, abririam mão de uma vida em que eram respeitados e acolhidos por todos, por uma vida sem eira nem beira.
    Citei até o bispo Boaventura, amigo íntimo de vários papas, que terminaria a vida como professor de português. Leu?
     
     
    MONTALVÃO Diz:
    FEVEREIRO 16TH, 2017 ÀS 11:52 AM
    /
    Mauro Diz:
    .
    “Vocês não cansam de espinafrar o mundo espiritual não? Não tem vergonha?”
    /.
    DEFENDA-O, então… de preferência com boa argumentação…
     
    Eu teria vergonha é de ficar mentindo para as pessoas e pedindo dízimo e contribuições, para o meu fausto.
     
     
    ===============================================================
    E por que o depoimento de uma criança é desqualificado? Justamente elas que têm menos censuras, menos mentiras em seu coração.
    ===============================================================
     
    – Voi você quem meteu o dedo no bolo, filhinho?
    – Não, mamãe, foi o Lucas.
     
    – O que você estava fazendo nos fundos da casa, com sua prima?
     
    (Se mamãe soubesse ler pensamentos, saberia que estávamos brincando de médico e que eu tava dando uma injeção no bumbum dela, porque no braço dói).
    – Estávamos brincando de escravos de Jó, mamãe.
     
     
    CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL
     
    Seção IX
    Da Prova Testemunhal
    Subseção I
    Da Admissibilidade e do Valor da Prova Testemunhal
    (…)
    Art. 447. Podem depor como testemunhas todas as pessoas, exceto as incapazes, impedidas ou suspeitas.
    § 1o São incapazes:
    (…)
    III – o que tiver menos de 16 (dezesseis) anos;
    (…)
    § 4o Sendo necessário, pode o juiz admitir o depoimento das testemunhas menores, impedidas ou suspeitas.
    § 5o Os depoimentos referidos no § 4o serão prestados independentemente de compromisso, E O JUIZ LHES ATRIBUIRÁ O VALOR QUE POSSAM MERECER.
     
     
    Alegar exceção como regra, nem o Vitor, que é a favor do depoimento das crianças, aceita.
     
    ===============================================================
    PREZADO MAURO,
    .
    Gostaria de responder-lhe convenientemente, mas já discuti tanto esse assunto que voltar a ele causa-me forte repulsa. Se tiver tempo, selecionarei comentários já feitos para sua avaliação. Enquanto isso, sugiro que consulte discussões anteriores a respeito, aqui no sítio.
    ===============================================================
     
    Endosso a sugestão, acrescentando que, ao que parece, Mauro é leigo em direito, mas dá palpites, é especialista em falácias, já começando pelo argumento de autoridade, razão pela qual não perderei mais tempo respondendo aos seus questionamentos já exaustivamente discutidos aqui no blog.
     
    Ficar ressuscitando assuntos já incontroversos é um saco!
     
    Fico hiperlativamente penhorado se Mauro me ignorar também.
    Prefiro discutir com a porta do meu quarto.
     
    Até porque, como já disse acima, estou sem tempo até para discutir com Montalvão ou Vitor, que dirá com a porta do meu quarto.

  356. Mauro Diz:

    O sr. Marciano foi ignorado desde o princípio e não percebeu hahahah :D

  357. Marcos Arduin Diz:

    Ainda não li o livro do padreco (nem sei se vale a pena ler) e o de Morte, em seu primeiro comentário, fala que até que em fim rompeu-se com a corrente paranormal.
    Ô de Morte! Ainda que houvesse quem falasse de paranormal na Europa e EUA, aqui no Brasil que mais fez propaganda do paranormal foi o nosso querido padreco Quemedo. Ele inventou a Parapsicologia católica nos anos 1960 e muito contribuiu para a divulgação do Espiritismo.
    Por isso os espíritas que sabem das coisas são gratos a ele.
    Mas antes do Quemedo, os apologistas católicos, como se pode ver pelo Boaventura aí, assim como Fernando Palmés, recorriam a um casal de santos para combater o Espiritismo. Boaventura é daqueles que recorria a São Satanás: não se meta com o Espiritismo pois é coisa do Demo. Já o Palmés recorria a Santa Fraude, dizendo que tudo no Espiritismo era farsa pura.
    Não tenho percorrido livrarias católicas para saber se tem algum novo padreco no pedaço para ver se alguma coisa mudou, mas não interessa: tá bom pra nós espíritas. Coisa ruim mesmo pra gente é o Carlos Baccelli e suas besteiras impressas.

  358. Marcos Arduin Diz:

    E sobre o Imbassahy e Deus, é o seguinte: algum clérigo ou pastor fez uma classificação de “espiritismo” e o colocou como “paganizante”. Tal como o Imbassahy, eu penso que o Espiritismo NÃO É Cristianismo sob nenhuma forma. O verdadeiro cristianismo é um amontoado de elucubrações teológicas fundamentadas na Bíblia e o Espiritismo não tem a dita cuja como base. O Espiritismo se baseia no ensinamento dos espíritos e não nos textos bíblicos.

  359. Samósata Diz:

    Em relação a Chico Xavier, vale o comentário de Humberto de Campos Veras, o autêntico (recuse imitações), em relação a Capistrano de Abreu: “Capistrano foi o Nazareno da História da nossa formação. Como o Filho de Deus, ele, que era portador da mais alta sabedoria, pouco mais fez do que escrever na areia, para apagar depois. Como Jesus, porém, ele tinha seus discípulos, e está tendo, agora, os seus evangelistas, divulgadores da sua palavra”. ( Crítica, 1a Série, “Retrato do Brasil”)

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)