Dissertação de Raquel Marta da Silva sobre Chico Xavier (2002)

A dissertação “CHICO XAVIER: IMAGINÁRIO RELIGIOSO E REPRESENTAÇÕES SIMBÓLICAS NO INTERIOR DAS GERAIS – UBERABA, 1959/2001″ de Raquel Marta da Silva traz à tona diversos rompimentos de Chico Xavier com seus companheiros e como o movimento espírita buscava abafar tudo que pudesse prejudicar sua imagem. E mais, revela que Eurípedes Humberto Higino dos Reis jamais foi filho adotivo de Chico Xavier, e que isso é uma criação da imprensa. Para baixar a dissertação, clique aqui.

558 respostas a “Dissertação de Raquel Marta da Silva sobre Chico Xavier (2002)”

  1. Contra o chiquismo Diz:

    Vou baixar e ler, mas se for de detratação agradeço antecipadamente.
    .
    .
    Como é bom passar pro lado B e ser do contra. 1000x melhor que o lado A. Que bom que conheço os 2 lados.

  2. Gorducho Diz:

    Mas esse é o ponto, o próprio Kardec arrotava essa exigência no O que é o…; lembra?
    Boa parte de n/autoridade p/comentar decorre de que conhecemos os 2 lados.

  3. Gorducho Diz:

    Ora, nesse tempo, há que considerar que não havia televisão, a televisão estava em sonho ainda, e não havia ainda os barzinhos. Isso é, tornou, provocou um fenômeno de debandamento do pessoal, porque nem todos querem perder o capítulo da novela
     
    Não: os Templos estão superlotados! É que o povo percebeu que pobreza & glorificação de sofrimentos não levam a nada!
    O alicerce de qualquer religião tem que ser a Teologia da Pro$peridade!

  4. Vinicius Diz:

    ” … tanto Eurípedes quanto Christine foram
    denunciados de desviarem recursos do Grupo Espírita da Prece, obtidos, possivelmente, com a comercialização das mensagens psicografadas por Chico Xavier. Isto é, de acordo com o Ministério Público, os ex-cônjuges deveriam ser processados por crime de estelionato, pois, provavelmente, teriam aproveitado da debilidade física
    do médium, ludibriando-o, tendo-o feito assinar contratos com a finalidade de apropriarem-se indevidamente dos lucros obtidos em várias negociações”
    Meu Deus está parecendo a Petrobrás. Esse Eurípedes pelo visto pintou e bordou com o CX

  5. Vinicius Diz:

    GORDUCHO
    Que bom que BM permaneceu nos arredores da Terra ao invés de ir para o mais alto conforme convite de Celina. Olha só, até indicou especialistas médicas ao CX em 58:

    “ Em princípio de 1958, comecei a sofrer de uma labirintite que me incomodava bastante.
    Muito barulho nos ouvidos, muitas dores de cabeça. BEZERRA DE MENEZES, o nosso
    benfeitor espiritual, tratou-me com a dedicação que lhe conhecemos e pediu ainda, em
    meu caso, a consideração de um especialista, tendo eu recorrido ao dr. Costa Chiabi,
    distinto otorrinolaringologista em Belo Horizonte. Dr. Costa Chiabi dispensou-me
    grande atenção. (…) Em face das recidivas, nossos Amigos Espirituais aconselharam
    minha transferência para CLIMA TEMPERADO, já que Pedro Leopoldo é bastante fria na
    maior parte do ano. Chegando o assunto a esse ponto, nosso amigo WALDO VIEIRA
    convidou-me a EXPERIMENTAR UBERABA. Vim para cá e, graças a Deus, me refiz .90”
    90 SILVA SOBRINHO, J. T. Chico Xavier: 40 anos de mediunidade. Lavoura e Comércio, Uberaba, 8
    jul. 1967, p. 1.

  6. Espírita Sp Diz:

    Olá. Euripedes ja esteve aqui em SP e é guardião fiel de seu pai ate depois de seu desencarne. Tentaram vilipendiar o tumulo e euripedes saiu em defesa procurando a policia.
    Graças ao Chico Xavier há vários asilos para idosos fora o complexo andre Luiz para doentes mentais

  7. Espírita Sp Diz:

    Nao vejo problemas em bezerra de menezes não ter aceito a convocação da assessora de Maria. É a mesma coisa quando somos convidados a trabalhar em outra área para ganhar mais e não aceitamos. Espírito versátil atende em todo o Brasil e no exterior (palestras de Divaldo).

  8. Gorducho Diz:

    Onde residirá Dr. Bezerra? Tendo vivido quase sempre depois de crescido no Rio, pela lógica imagino deveria estar em NL…
    Mas nunca vi relatos sobre isso… nem que tenha encontrado CX :o
    Residiria num condomínio fechado, inacessível ao proletariado nossolarino?

  9. Espírita Sp Diz:

    não há locais delimitados o espirito fica onde quiser. O bezerra não fica no nosso lar. Ele se hospeda em hoteis de amigos espirituais localizados em colonias. Vale destacar que Bezerra não está sozinho: uma legiao o acompanha. Isso não está nos livros. É informação de diferentes mentores

  10. Espírita Sp Diz:

    Ele não encontrou Chico no além pois chico foi para outras paragens distantes

  11. Gorducho Diz:

    P/onde foi CX? Não seria p/Plutão, por compaixão p/com o Hitler?

  12. Espírita Sp Diz:

    Kkk senso de humor. Plutão ainda está em projeto de expansão segundo os informes de nosso guia. Ainda não tem como habitar desencarnados e encarnados.
    Tentamos evocar chico mas sem sucesso. Enviamos uma carta ao euripedes e telefonamos pro centro e informaram que chico “ia dar um tempo” conforme falou na imprensa

  13. Espírita Sp Diz:

    Tenho certeza que no umbral ele não está.

  14. Vinicius Diz:

    “Espírita Sp Diz:
    SETEMBRO 18TH, 2015 ÀS 12:16 PM
    não há locais delimitados o espirito fica onde quiser. O bezerra não fica no nosso lar. Ele se hospeda em hoteis de amigos espirituais localizados em colonias. Vale destacar que Bezerra não está sozinho: uma legiao o acompanha. Isso não está nos livros. É informação de diferentes mentores”
    olá espirita sp, também sou de sampa rs. Deve conhecer a obra “Instituto de Confraternização Universal” da médium martinha? Ela falou das colonias que tem sobre São Paulo; Se já leu, o que achou?
    Sobre CX eu tinha mesma opinião que vc , mas depois que vi que várias obras tem trechos copiados de outras obras “terráqueas” passei a desacreditar e muito..

  15. Vinicius Diz:

    “Espírita Sp Diz:
    SETEMBRO 18TH, 2015 ÀS 12:16 PM
    não há locais delimitados o espirito fica onde quiser. O bezerra não fica no nosso lar. Ele se hospeda em hoteis de amigos espirituais localizados em colonias. Vale destacar que Bezerra não está sozinho: uma legiao o acompanha. Isso não está nos livros. É informação de diferentes mentores”
    kkkk , hotéis? e eles são pagos ou gratuitos? O Bezerra carrega uma malinha com “moedas” de todos planetas?
    Porque ele não voltou reencarnado?
    2019 tá chegando hein.

  16. Espírita Sp Diz:

    Conheço sim. Excelente trabalho. Fez um tratado sobre grupos espirituais e colonias que ajudam sao paulo. São colonias iguais ao nosso lar. Uma pena que outros irmãos mediuns de outras cidades e paises nao tragam informes das colonias sobre a china russia, israel.
    Depois de Chico e martinha ficou mais dificil obter mensagem

  17. Espírita Sp Diz:

    Sobre plagios ver CUEE de kardec. Isso vale pra desencarnados e encarnados. Todos são espiritos

  18. Gorducho Diz:

    hotéis? e eles são pagos ou gratuitos? O Bezerra carrega uma malinha com “moedas” de todos planetas?
     
    E o Sr. acha que alguém vai ter coragem de cobrar diária dum benfeitos como o Dr. Bezerra.
    E decerto é mesmo isso: ele fica mamando na boca, cama e roupa lavada livre nos bons hotéis da erraticidade! Não se incomoda com casa, ir no mercado fazer compras, e todas essas minudências domésticas.

  19. Phelippe Diz:

    Espírita SP, saudações.
    Como vc tem tanta certeza de q há vida após a morte?

  20. Espírita Sp Diz:

    Phellipe
    Reuniões mediunicas
    Psicografias
    Allan kardec, chico xavier bezerra, irmãs fox, sócrates, samuel e saulo, divaldo etc
    Que não estamos aqui a toa
    Pude ir a uberaba algumas vezes evi muitacoisa bacana.
    O euripedes higino é un amor de pessoa

  21. vinicius Diz:

    mas Espirita SP, é uma cópia profunda (veja os fóruns de Ago/2007) evolução em dois mundos, sobre o trecho levemente alterado da obra “o átomo” me parece muito trabalho de faculdade obtidos pelo site http://www.zemoleza.com.br !!!
    e os espíritos se contradizendo, em Kardec Planeta Vênus é inferior (espirito Georges) e para Bezerra é superior (Espirito Giordano Bruno)
    e o racismo então: veja O Negro Pai César na Revista Espírita , perfectibilidade da raça negra e teoria do belo.
    Hoje tem o “santo google” para ajudar nas buscas rs rs

  22. Espírita Sp Diz:

    Vou pesquisar não conheço esses textos. Leio mais o evangelho seg espiritismo (evangelho no lar) livro dos espíritos, ceu e inferno. Coleções André luiz e Emmanuel etc
    Fiz todos os cursos do centro e nunca falaram destes textos. É que não fazem parte da codificação

  23. Phelippe Diz:

    Oi, Espírita SP.
    Faça o seguinte. Leia os textos sugeridos pelo Vinicius, vc os encontra aqui no blog, olhe a questão dos plágios, as materializações forjadas, as fotos alteradas, as contradições na doutrina, o problema da psicografia etc. Depois comente. Eu acreditava piamente, mas aos poucos fui vendo que a coisa não era bem assim e, daí, já viu.

  24. Vinicius Diz:

    é Phelippe, não é fácil. Faz tempo que você percebeu tudo isso? Eu acreditava piamente também. Eu cheguei a comentar com colegas do Centro, na verdade, querem “fechar os olhos sabe?” , disseram que não adianta nada ver esses sites etc etc , que o racismo é coisa do passado, que kardec não era infalivel etc

  25. Phelippe Diz:

    Sim, Vinicius, faz um bom tempo. Começou em 2009, em 2011 conheci o blog do Vitor, fui lendo, pesquisando e abandonei td.

  26. Vinicius Diz:

    Phelipe, fico “besta” com a quantidade de falcatruas, próprio Waldo Vieira em vídeos falando sobre como chico fabricava as cartas, inserindo os apelidos, detalhes intimos etc..
    Sinceramente, acho melhor não obter noticia alguma do além ao invés de uma carta “fabricada” com palavras que eu ou algum conhecido meu falou em entrevistas no centro.

  27. Espírita Sp Diz:

    Caramba fico ate com medo de pesquisar. Sinto tão bem no centro. Se bem que toda religião e até mesmo a ciência comete erros

  28. Gorducho Diz:

    Estou c/a impressão que lhe “conheço”, Sr(ª). Espírita Sp. Acaso não morou numa cidade serrana 1h de aeroplano ao sul de SP, e também na América?

  29. Gorducho Diz:

    e para Bezerra é superior (Espirito Giordano Bruno)
     
    Não: o Giordano Bruno irresponsavelmente não foi a Vênus ver, ficou argumentando com razões “científicas”.
    De Vênus era o espírito Newton (que não era o Newton Newton, senão que um desencarnado venusiano com nome coincidente que, por ter sido bom lá, foi-lhe permitido subir cá.

  30. Antonio G. - POA Diz:

    Espírita Sp, seja bem-vindo.
    Olhe, prezado, ex-espíritas, cujas fichas já caíram, exitem aos montes. O que eu nunca vi foi um ex-ex-espírita, alguém que, depois de entender como funciona a fantasia espírita, teve uma recaída. É como ex-ateu. Não tem.

  31. Espírita Sp Diz:

    A cidade serrana é segredo.kkk
    Bom vamos lá
    Plágios: acontece em todo lugar. Pode ser também CUEE.
    Negro pai cesar: indicios de racismo, mas pela época que foi escrito acho devemos tolerar.
    Teoria do belo: está em obras postumas, kardec provavelmente foi alertado pelo espirito verdade e são luis para que não publicado. Ele vacilou em não rasgar e nem ter falado sobre isso em manifestações mediunicas.
    Video Waldo Vieira: segundo meu professor da escola de mediuns ele é quase um traidor cuspiu no prato que comeu e enriqueceu montando teorias absurdas.

  32. Antonio G. - POA Diz:

    “Cair na real” é um coquetel meio indigesto, mas saudável. Vai da tristeza pela decepção à sensação de alívio por não ser mais iludido. Depois do impacto inicial, é muito compensador.

  33. Espírita Sp Diz:

    Antonio g poa: como dizia chico e Emmanuel paciência e paz na terra. Ex espiritas são aqueles que nao estudaram a doutrina
    Eu fiz todos cursos e varios outros complementares. Alem disso participo de estudos filosoficos no IEFF.

  34. Demóstenes Diz:

    Espírita Sp,
    /
    Também sou espírita GO, não sei se é a sua 1º vez aqui no blog, mas já deve ter notado a linha de raciocínio ou cosmogenia, a turma aqui não perdoa.
    /
    Por essas e por outras do CX, te pergunto: Esse Eurípedes é espírita? Como ele me constrói um túmulo a “prova de bala”, um mausoléu digno de artista, para uma figura, personalidade espírita que é conhecida por sua “Humildade”, seu desapego? L.E. pergunta 823.
    /
    Cremasse o corpo de CX e gastasse o dinheiro com as fundações de ajuda, com as sopas, aliás, que o Contra Chiquismo tanto gosta, asilos, etc.

  35. Demóstenes Diz:

    Pessoal,
    Não se esqueçam que é através da homeopatia, das garrafadas, dos “chazinhos”, tão criticadas pelos incautos, que as grandes indústrias farmacêuticas da suíça, alemanha, frança, usa, etc. conseguem os “príncipios ativos”, vilipendiando a nossa biotecnologia.

  36. Espírita Sp Diz:

    O euripedes, pelo menos na fila,era um amor. Até na hora de pedir dinheiro ou ajuda para sustentar o centro ele falava de uma forma doce. Pessoas na fila diziam que chico nada cobrava e o euripedes dizia: entendo ele, seu desapego, mas pra mesa do centro ficar em pe, o lapis e papeis que ele usa, a conta de luz, a conta de energia, os ingredientes da sopa precisa de $, meu pai fica tão concentrado que se esquece disso e que é de carne e osso como nós.
    O euripedes construiu a prova de bala pois safados poderiam encher o tumulo de tiros.sabe como sao os fanaticos.
    O euripedes guarda com muito cuidado a senha secreta que seu pai deixou e que vai aparecer em mensagens dele.
    Para que nenhum malandro diga que psicografou chico.

  37. Espírita Sp Diz:

    Uso bastante a homeopatia desde a minha avo desencarnada frida. Até na psicografia que ela nos mandou fala pra nunca deixar de usar, combinado com os remédios.

  38. Espírita Sp Diz:

    Nao poderia cremar o corpo do nosso chico. Nao era vontade dele. O seu perispirito foi quintessenciado com o mais poderoso fluido cosmico. Bezzera o acompanhou na passagem e talvez recomendaram s chico nao cremar nada

  39. Gorducho Diz:

    Cremação não deve ser legal pro espírito mesmo. Tivemos aquele caso do espírito perneta que só sossegou quando sepultaram o osso no cemitério da igreja.
    Imagine o desespero dele (e portanto de qualquer espírito) se fosse cremado?

  40. Vladimir Diz:

    Humm…esse Espírita-SP, rs parece muito com o “Minhoco”, com o “DLT’”, enfim…rs

  41. Espírita Sp Diz:

    Tá vendo gorducho? Cremação é perigoso.
    Chico foi praticamente arrebatado e no local onde foi teve muita festa e alegria.
    Nao vao confundir: eles estavam comemorando o retorno do chico e não a vitoria do Brasil na copa.
    Tem um livro que relata a passagem dele.
    Vocês chegaram a analisar esse livro?
    E o que achan do waldo vieira ter abandonado o espiritismo e seu parceiro de psicografia?
    Olha se chico enganou conseguiu enganar o brasil até na globo. Na tupi. Nas rádios jornais e rodaso de artistas. Psicografou filhos de famosos
    Olha a psicografia da minha avó confesso que ela ficou diferente mas é assim mesmo

  42. Espírita Sp Diz:

    Chico disse que daria um tempo. Alguns especulam que isdo ocorrerá em breve em sao paulo na zona sul.

  43. Contra o chiquismo Diz:

    Ah… sCUr de novo????? Po, quanto fantasma aqui. Só que desse vez ele não está falando em 2ª pessoa pra não denunciar de cara. Vitor Moura, please….

  44. Contra o chiquismo Diz:

    Vlad tb? Again? De novo novamente? Po, o maior traidor do chiquismo. Dr, sua máscara caiu aqui faz tempo, pq vc não vai pra os seus amigos chiquistas de vez e nos deixa aqui em paz ? O sr nada tem a nos acrescentar e nem a desacrescentar. Zero, nada, buraco negro no espaço (sem racismo do kardec) és tu ó deserto de idéias.

  45. Espírita Sp Diz:

    Aqui só fala quem é contra? Tem que ouvir os 2 lados contra. Não sou nenhum desses ai

  46. Gorducho Diz:

    Eu me apercebi já no Espírito versátil atende em todo o Brasil e no exterior (palestras de Divaldo).
    Aí notei que era provocação, e que Espírita Sp não quer dizer espírita de SP, mas pode ser espírita em SP!
    O Administrador só volta 2ª, Analista Scur…
    E espero que não o bloqueie: que tenha alguma grandeza pois que ranços eternos não levam a nada.
    Aliás sobre aquela sua pertinente questão acerca do médium católico, até agora nada… :(

  47. Gorducho Diz:

    Que acha da nossa Teologia da Pro$peridade, Analista Scur?
    Não acha que faria o espiritismo sair dessa estagnação e insignificância?
    Não acha que o povo está farto de pobreza e sofrimento… ficar reencarnando… reencarnando… reencarnando… expiando dívidas…?

  48. Espírita Sp Diz:

    Não sou nenhum desses que vcs estão falando. Meu nome é Orlando. Não sei porque me bloquearia não ofendi nenhum de vcs, não xinguei, estamos somente trocando ideias. o que é isso? Inquisição via internet?

  49. vinicius Diz:

    espirita sp
    video de waldo vieria: espirita sp pelo visto não assistiu o video, ele fala claramente que os apelidos eram conseguidos antecipadamente. E waldo vieira convivia com Chico, ou seja, não é qualquer um , é alguem que participou do movimento espirita, para mim testemunha de peso e “barba”.
    “Negro pai cesar: indicios de racismo, mas pela época que foi escrito acho devemos tolerar”
    espirito são luiz disse a kardec que negros são de outra latitude . sabe o que esse espirito superior quis dizer com isso?

  50. Espírita Sp Diz:

    Como sabe que é espírito superior? Isso é a revista espírito. Não faz parte da codificação

  51. Gorducho Diz:

    Como sabe que é espírito superior? Isso é a revista espírito. Não faz parte da codificação
    :o
    Vocês lá se reúnem p/estudar a Codificação, ou ficam tomando vinho de garrafão?
    1019. Poderá jamais implantar-se na Terra o reinado do bem?
    “O bem reinará na Terra quando, entre os Espíritos
    que a vêm habitar, os bons predominarem, porque, então, farão que aí reinem o amor e a justiça, fonte do bem e da felicidade. Por meio do progresso moral e praticando as leis de Deus é que o homem atrairá para a Terra os bons Espíritos e dela afastará os maus. Estes, porém, não a deixarão, senão quando daí estejam banidos o orgulho e o egoísmo.
    “Predita foi a transformação da Humanidade e vos
    &c.

  52. Gorducho Diz:

    E o que acha da Teologia da Pro$peridade, Sr. Orlando? Não concorda que pobre já não aguenta mais sopa: quer ter dinheiro pra ir na Alvorada ou na Paolo?

  53. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Phelippe Diz: Espírita SP, saudações.
    Como vc tem tanta certeza de q há vida após a morte?
    /
    Espírita Sp Diz:
    Phellipe,
    Reuniões mediunicas
    Psicografias
    Allan kardec, chico xavier bezerra, irmãs fox, sócrates, samuel e saulo, divaldo etc
    /.
    PONDERAÇÃO: ESP, como você atesta que quando um médium diz estar recebendo comunicação de morto, há mesmo um morto comunicando?

  54. Espírita Sp Diz:

    Olha dinheiro é sempre bom, para todos. Kardec explica no livro dos espíritos as razões da pobreza e riqueza e os espíritos falam que a riqueza é prova muito difícil. Usando bem o dinheiro que mal tem?
    Sobre teologia da prosperidade se isso funcionasse mesmo teriamos milhões de milionários no brasil e mundo.

  55. Espírita Sp Diz:

    Montalvão o importante é o conteudo da mensagem. Eu tenho uma carta de minha avó e não tem como saber se era ela mas no final tem a assinatura

  56. Contra o chiquismo Diz:

    Ei! Scur!! Vai tomar…

  57. Gorducho Diz:

    Montalvão o importante é o conteudo da mensagem.
     
    Isso é mesmo. Não interessa se é sua vovó ou não pelo menos lhe diz: se queres tomar homeopatia toma, mas toma junto os remédios. Sensatez… não importa a autoria.
    :lol: :lol: :lol: :lol:

  58. Espírita Sp Diz:

    Se a homeopatia fosse erro adeus a Almeida prado e aos homeopatas.
    Claro que achei estranha a mensagem da minha finada avó mas nao foi o chico que recebeu. Tinha um outro mediu lá. Minha avó era super brava, não queria saber de religião,pouco conversava com parented com ela era olho por olho dente por dente e na mensagem está mansa,falou muito em paz e em jesus, que está com outros parentes que morreram mas a mensagem acertou quanto a morte de insuficiência respiratória.
    Eu gosto da filosofia do kardec e das coleções andre Luiz e manoel Philomeno de miranda.

  59. Contra o chiquismo Diz:

    Po..sCUr não desiste…

  60. Gorducho Diz:

    Mas ele já está caindo na real também, nosso trabalho sério ressoa…
    Ele disfarça com as pertinente brincadeirinhas – e manoel Philomeno de Miranda – mas já começou a se flagrar: e na mensagem está mansa, falou muito em paz e em jesus.
     
    É isso, Sr. Orlando (morou então foi na Florida?): aqui tem brincadeira porque humor é necessário e não se deve levar a vida demasiado em sério; mas o fundamento do que dizemos é sério. Se houver alguma coisa da tal ψ, obedece à Conjectura de Montalvão: é fraca, incontrolável, imprevisível e inútil. Nada do que os espíritas e os parapsicólogos postulam.

  61. Espírita Sp Diz:

    Tenho as coleções completas e nada de pdf. Como os centros ajudados pelos direitos autorais de chico vão sobreviver sem as vendas dos livros?
    Gorducho se vc fosse divaldo, como faria para manter a mansão do caminho com aquela montao de crianças (parece que 10.000 ou mais)? Divaldo precisa vender seus livros cds e palestras para angariar fundos e dinheiro pra obra…
    Manoel Philomeno e Andre Luiz: gostaria muito que os dois se juntassem para nos brindar com seus notabilissimos conhecimentos. Em “sexo e destino” por exemplo verifiquei o que poderia acontecer comigo no alem por me aventurar com diferentes mulheres com o agravante que sou casado. As “formas” das mulheres me facinavam e eu caia com facilidade na labia delas
    Pois bem: reconhece-se o verdadeiro espírita por domar suas más inclinações

  62. vinicius Diz:

    uma coisa que notei nas obras em geral: emmanuel não encontra andré luiz, este não encontra manoel philomeno, bezerra não aparece no nosso lar, é tudo muito “estático”. Nenhuma obra que li emmanuel conversa com andré luiz, nem o tal philomeno! fora que já houve até uma rixa no passado entre CX e DPF kkk. CX acusou DPF de plágio … e mais recomendou que DPF não lesse obras dele para que não copiasse inconsciente os livros dele…

    Chico Xavier deixou por escrito uma acusação contra aquele que hoje é um dos mais conhecidos nomes da comunidade espírita do Brasil.

    Na velha máquina de escrever de onde saíram mais de 400 livros psicografados por Chico Xavier, também foram redigidas oito páginas de um documento considerado o mais polêmico do espiritismo no Brasil. A data: 10 de junho de 1962. Numa carta mandada a um amigo, Chico Xavier acusa de plágio o maior orador da doutrina espírita do país: Divaldo Pereira Franco.

    Carta de Chico Xavier: “… Há muito tempo que diversas mensagens recebidas por mim vinham na imprensa espírita desfiguradas ou às vezes plenamente copiadas como tendo sido recebidas por ele”. O médium mais respeitado do Brasil finaliza assinando apenas: Chico. E à mão escreveu: “Peço reserva sobre esta carta, que deve ser lida somente para os que possam compreendê-la com espírito de compreensão fraternal”.

    http://www.inricristo.org.br/index.php/pt/ensinamentos/enigmas-teologicos/116-escandalo-mundo-espirita

  63. Gorducho Diz:

    Aí já entra uma questão mais complexa e até ideológica: eu não acho que se deva vender ilusões religiosas p/poder arrecadar $ para usar este em obras beneficentes.
    Sei que a ideologia chiquista é outra, como ele fez ver ao Jaci Régis: a vida é mais importante que a verdade (essa citação está no Sítio do Instituto Cultural Kardecista de Santos que é controlado por partidários dele segundo entendo…).
    De mais a mais, o fato de haver $ arrecadado com obras não implica a veracidade, i.e., a não ficcionalidade do conteúdo dessas.
    E sim! Eu também sou fã do Dr. Manoel Philomeno, principalmente daquele hospital que ele monta no carnaval!

  64. Vladimir Diz:

    Vinicius,
    .
    O Waldo nunca acusou o Chico de fraude nas cartas.
    Basta ver o vídeo no Youtube dele falando sobre isso.
    .
    Essa disputa entre o Divaldo e o Chico foi um mal entendido que já foi há muito esclarecido pelo Luciano dos Anjos A Anti-História das Mensagens Co-piadas.
    .

  65. vinicius Diz:

    Vejamos então, gosta de Manoel Philomeno?”´este trecho está em “sexo e obsessão”

    “Observamos que crianças despidas em atitudes obscenas decoravam o carro exótico, gritando e movimentando-se sensualmente, inspirando mais compaixão do que outro qualquer sentimento. Acurando, porém, a visão,surpreendemo-nos, ao constatar que se tratava de ANÕES CÍNICOS”

    OLHA acho que um desses anões veio parar em SAMPA
    Vejam:
    http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2015/09/anao-e-contratado-para-fazer-danca-sensual-em-delegacia-de-sp.html

  66. Gorducho Diz:

    Essa disputa entre o Divaldo e o Chico foi um mal entendido que já foi há muito esclarecido pelo Luciano dos Anjos A Anti-História das Mensagens Co-piadas.
     
    A disputa está perfeitamente explicada na tese objeto da rubrica. Foi o legítimo caso da [CENSURADO DEVIDO AO ALTO NÍVEL DO SÍTIO] dos outros…

  67. Gorducho Diz:

    Tem várias historinhas picantes contadas pelo Dr. Philomeno…

  68. Gorducho Diz:

    uma coisa que notei nas obras em geral: emmanuel não encontra andré luiz, este não encontra manoel philomeno, bezerra não aparece no nosso lar, é tudo muito “estático”.
     
    Claro, nenhum desses autores tinha/tem inteligência p/construir uma narrativa coerente: é tudo estático e estanque. E não é fácil, requer muito talento e profissionalismo da parte do escritor.
    Assim como a cosmologia das cartinhas é completamente diferente da do NL, incluindo o fato que os suicidas não sofrem o que o AL sofreu.

  69. Espírita Sp Diz:

    Emmanuel não encontra André Luiz nos livros mas no dia a dia sim. Não se esqueça que André Luiz estava no Umbral foi considerado suicida e nao tinha intimidades nem com emmanuel e muito menos com Bezerra.
    Manoel Philomeno é de outra colônia nem conhecia o dito cujo.
    André Luiz o sanitarista carlos chagas na Terra abusou do fumo e da comida deu no que deu: umbral.
    Vocês acham que vão pro umbral também? li um livro da dra marlene nobre que o umbral não é único e há lugares bem piores.
    Percebi que nao houve debates sobre no obras de dr bezerra? Não há problemas com que ele escreveu? Pra vcs tudo é cópia e fraude!

  70. Contra o chiquismo Diz:

    ESSA É DEMAIS… FALA DOS ‘ESPIRITOS’ QUE REENCARNARAM PRA FAZER AS REVISTAS PORNOGRÁFICAS. SIM, ESPIRITAS COMPRAM ESSAS REVISTAS PRA CONFIRMAR A REVELAÇÃO DA ‘CIDADE ESTRANHA’.
    .
    .
    NEWTON BOECHAT É O DONO DESSA PÉROLA (CX APROVOU):
    .
    .
    Newton Boechat. Ei-lo:
    A Cidade Estranha – Em 1959 ficamos conhecendo Newton Boechat. Ele acabara de findar um roteiro de palestras e, passando por São Paulo, aproveitou a oportunidade para visitar-nos, iniciando então um relacionamento amistoso conosco, o qual tem durado até os dias de hoje, cada vez mais firme e cordial.
    Naquela ocasião ouvíamos, interessados, as informações muito atualizadas que Newton nos comunicava sobre o movimento espírita e, particularmente, a respeito de seu convívio com o grande médium de Pedro Leopoldo: Chico Xavier.
    Newton Boechat esteve no IBPP, para uma breve visita, no dia 16 de janeiro de 1989, às 14 horas, em companhia do professor Apolo Oliva Filho e sua digna esposa, dona Neyde Gandolfi Oliva.
    Naquela oportunidade, aproveitamos para relembrar nosso primeiro encontro ocorrido há trinta anos. Pedi ao Newton que tornasse a contar o episódio que lhe fora revelado por Chico Xavier, em Pedro Leopoldo, e que ele me transmitira naquela ocasião em que nos vimos pela primeira vez.
    Os que conhecem Newton são testemunhas da sua notável memória. Aproveitamos, então para obter a gravação do seu depoimento e conservá-lo, mais fielmente, para a posterioridade e para os arquivos do IBPP. Eis uma súmula do que nos foi informado pela segunda vez:
    Newton Boechat iniciou explicando que inúmeros fatos têm sido contados por Chico Xavier, em caráter íntimo, aos seus amigos e que, na ocasião, algumas vezes não era oportuna a sua revelação ao público. Entretanto, com o passar do tempo, tais confidências foram se tornando livres de censura e poderiam ser dadas a conhecer, sem quaisquer inconvenientes. Assim, por exemplo, quando Newton estivera com Chico Xavier, em 1947, na cidade de Pedro Leopoldo, o livro intitulado No Mundo Maior, tinha sido recentemente psicografado por aquele médium (mais precisamente, terminou de recebê-lo em 25 de março de 1947). Nesse livro há um capítulo versando sobre o sexo (cap.XI). Cerca de 30% da matéria deste capítulo, recebida psicograficamente, teve de ser suprimida, para não causar reações negativas, devido aos preconceitos ainda vigentes em nosso meio, naquela época. Somente mais tarde, puderam vir a lume livros que abordaram um tanto livremente as questões ligadas ao sexo.
    Mas o episódio que Newton ficou sabendo, foi-lhe relatado justamente logo após Chico Xavier haver recebido o livro No Mundo Maior, aproximadamente há uns 41 anos atrás. Em Pedro Leopoldo, Minas Gerais, havia um bambuzal onde o médium costumava passear e conversar com os amigos que o procuravam. Foi ali que Chico revelou o caso ao Newton. Ei-lo:
    Em um dos constantes desdobramentos astrais ocorridos com o nosso médium maior, durante o sono, Emmanuel conduziu o duplo-astral de Chico Xavier a uma imensa ?cidade espiritual?, situada numa região do Umbral. Esta lhe pareceu extremamente inferior e bastante próxima da crosta planetária.
    Era uma ?cidade estranha? não só pelo seu aspecto desarmonico e antiestético, como pelas manifestações de luxúria, degradação de costumes e sensualidade dos seus habitantes, exibidas em todos os logradouros públicos, ruas, praças etc. Emmanuel informou a Chico que aquela vasta comunidade espiritual era governada por entidades mentalmente vigorosas, porém negativas em termos de ética e sentimentos humanos. Eram esses maiorais que davam as ordens e faziam-se obedecer, exercendo sobre aquelas entidades um poder do tipo da sugestão hipnótica, ao qual tais espíritos estariam submetidos, ainda mesmo depois de reencarnados.
    Pelas ruas da referida cidade estranha, desfilavam, de maneira semelhante a cordões carnavalescos, multidões compostas de entidades que se esmeravam em exibições de natureza pornográfica, erótica e debochada. Os maiorais eram conduzidos em andores ou tronos colocados sobre carros alegóricos, cujos formatos imitavam os órgãos sexuais masculinos e femininos. Uma euforia generalizada parecia dominar aquelas criaturas, ou mais apropriadamente, assistia-se a uma ?festa de despedida? de uma multidão revelando a certeza da aproximação de um fim inexorável, que extinguiria a situação cômoda, até então, usufruída por todos. De fato, aqueles Espíritos, sem exceção, haviam recebido um aviso de que estava determinado, de maneira irrevogável, pelos Planos da Espiritualidade Superior, o seu próximo reingresso à vida carnal na Terra. A esse decreto inapelável não iriam escapar nem os próprios maiorais.
    Alguns Anos se Passaram – O relato de Newton Boechat foi-nos transmitido aproximadamente dez anos depois do seu bate-papo com Chico Xavier, em Pedro Leopoldo. Na ocasião em que o ouvimos, o fato causou-nos forte impressão e pudemos gravá-lo bem na memória. Cerca de doze anos se passaram depois que Newton nos fez esta revelação.
    Lembramo-nos de que ainda trabalhávamos em uma Divisão do DAEE, em
    São Paulo. Um dos nossos colegas havia regressado de uma viagem de férias. Ele estivera nos países do norte da Europa e, surpreendidíssimo, vira em bancas de jornais, em algumas capitais, revistas pornográficas expostas à venda livremente. Impressionado com aquela novidade, ele adquiriu algumas revistas e trouxe-as, para mostrar aos amigos o que estava se passando naqueles países ?ultracivilizados?. No dia em que o nosso colega recomeçou a trabalhar, ele nos mostrou as tais revistas.
    Imediatamente lembramo-nos do episódio que nos fora relatado por Newton e, inadvertidamente, deixamos escapar uma expressão que nenhum dos nossos colegas entendeu:
    ?Oh! Eles já estão aí!?. Realmente, percebemos imediatamente que aquelas revistas deviam ser um dos sinais típicos do reingresso daqueles espíritos que jaziam nas zonas do Baixo Astral, na corrente da vida terrena. Com eles viriam mudanças profundas nos costumes da humanidade: a licenciosidade; as «músicas? ruidosas e desequilibrantes; a rebeldia dos nossos filhos; a instabilidade das instituições familiares e sociais; e, finalmente, o que presenciamos, hoje em dia, com o recrudescimento da criminalidade e da insegurança, além do cortejo de outros inúmeros problemas com os quais se defrontam as criaturas humanas, neste atribulado fim de século.
    .
    .
    http://espiritualizarpazeluz.blogspot.com.br/2013/05/retorno-dos-habitantes-da-cidade.html

  71. Gorducho Diz:

    Por Bezerra! A que ponto chega a hipocrisia!
    O cara foi na Suécia viu as revistinhas – eu ainda peguei o tempo dos filmezinhos super 8…- comprou pra “estudar” reencarnação! Onanismo (já que respeito aos muitíssimos leitores e leitoras desaconselha o uso de terminologia mais precisa :( ) nem pensar…
     
    E vê-se como o CX tinha sacanagem na cabeça, claro que comodamente botava a culpa no pobre do Emmânuel. Provavelmente o Wantuil ficou escandalizado e mandou ele baixar a bola…

  72. Gorducho Diz:

    Ah! não… fiz injustiça; retifico…
    O cara adquiriu por razões culturais, p/mostrar aos amigos o que se passava no mundo civilizado. Nada ver c/o espiritismo; o espírita é que percebeu serem as almas depravadas.
    Por isso que o Brasil é um lugar tão bom, o coração do mundo: as almas depravadas reencarnam nesses outros lugares.

  73. Gorducho Diz:

    Percebi que nao houve debates sobre no obras de dr bezerra? Não há problemas com que ele escreveu? Pra vcs tudo é cópia e fraude!
     
    Se refere a Dr. Bezerra Dr. Bezerra, ou Dr. Bezerra.Divaldo?
    Dr. Bezerra Dr. Bezerra é o que mais tem sido debatido desde que o Analista Vinícius redescobriu a obra Espiritismo, Estudos Filosóficos vol. III.
    No que concerne especificamente à Ciência Espírita, debatemos: a pimenteira e os relógios que o espírito arrastou morro acima em Cupertino (se conheço não mentalizo o lugar…); a briga Rio x Paris acerca dos habitantes de Vênus; os habitantes do Sol; o dilúvio que ocorreu devido à condensação de anéis iguais aos de Saturno que a Terra tinha… &c.
     
    Se se refere a Dr. Bezerra.Divaldo, não; mas terei algumas considerações, se lhe interessarem.

  74. Gorducho Diz:

    Perceba, Dr.: lobrigo possível vínculo entre sua inquietação e a última manifestação do AS…

  75. vinicius Diz:

    fico imaginando se alguns diretores de “centros grandes” como a Federação de São Paulo, que tem até mestrado, outro doutorado, acreditam nesse montão de besteiras ou fazem vista grossa. Esse sexo e obsessão é uma viagem total.

    sobre as cenas com outros espiritos, não precisava ser uma novela enorme, bastava o emmanuel dar um oi ao andré luiz, passar lá no nosso lar e dizer: puxa, andré, você melhorou bastante hein? ahhh, gorducho, não precisa de tanta arte assim para botar esse emmanuel conversando com seus amiguinhos!!!!

    atualmente tenho preferido literatura policial: agatha chrstie, bem mais emocionante!

    fala pro Espirita SP sobre o Dr.Bezerra Divaldo, também tenho curiosidades. ah, tem o Bezerra via CX também né?

  76. Espírita Sp Diz:

    Sim gorducho. Envie suas consideraçõessobdre bezerra divaldo por favor.

    Pelo visto vc e o contra o chico são ex-espirita suponho?
    Já esse vlad e demostenes são.

  77. Gorducho Diz:

    Me expressei mal, induzido pelo Sr.: seriam os ditados do Dr. Manoel Philomeno de Miranda, onde temos o vocabulário bizarro chiquista + o roteiro básico, que são missões socorristas à crosta – além, claro, da montagem do hospital de campanha nos carnavais.
    Então alinhavo c/a inquietud do Dr., notando que a mágoa de CX talvez tenha extrapolado o escandaloso episódio do suposto plágio das mensagens. Veja esse artigo de cá mesmo;
    http://obraspsicografadas.org/2010/a-carta-em-que-chico-xavier-acusa-divaldo-pereira-franco-de-plgio-texto-integral/
    onde na suposta carta CX diz:
     
    Em 1959, confirmando a estima que tenho por Divaldo, não vacilei receber um prefácio para o primeiro livro mediúnico, que ele se propunha lançar, através da FEB. O prefácio veio da parte do nosso André Luiz estimulando-o ao trabalho, naturalmente. De minha parte, agi tão confiante, que não cheguei a conhecer o texto, texto esse que não hesitava endossar com todo o meu coração.
    Chegado o livro à FEB, sei que amigos da nossa mais alta instituição espírita do Brasil aconselharam-no a desistir da publicação, até que a mediunidade dele produzisse algo, mais original, de acordo com a elevada posição de orador espírita que ele desfruta, com merecimento justificado, em nosso meio. Alegavam nossos amigos no Rio e isso com ele próprio, Divaldo, que o livro recebido por ele era profundamente semelhante aos livros de André Luiz
    .
     
    Amanhã perguntarei ao Sr. Administrador – sábados e domingos a Administração da Casa permanece fechada… – se tem mais algum esclarecimento, que é esse Sr. que a divulgou, &c.
    Mas perceba que de fato há semelhanças de vocabulário (no bizarrismo) e enredos…
    Dr. Bezerra não dita, só orienta Dr. de Miranda, nos mesmos moldes que Dr. André Luiz geralmente tem também um orientador…
     
    Quanto ao Dr.: ele teve cá pretérita existência; depois reencarnou no vaso atual, aí saltitou… saltitou… disfarçou… e até renegou… mas sim, é chiquista e bezerrista! Umbilicalmente vinculado ao supra-sumo do chiquismo :(
    O AD me parece equilibrado e cordato, já bem encaminhado, acho.

  78. Borges Diz:

    Estou fazendo uma leitura dinâmica, a meu modo, da dissertação em pauta, desprezando as chatices próprias de uma defesa acadêmica. Plagiando o “prefeito de Sucupira Odorico Paraguaçu”, eu diria que estou deixando de lado os “entretantos” e indo direto aos “finalmentes”.
    Os argumentos apresentados por Raquel convergem para um ponto central identificado como “imaginário religioso”. Realmente, considerando a época e as características da região, tínhamos um ambiente fértil para a proliferação de ideias religiosas que ultrapassavam o limite da verossimilhança, contudo, não se pode excluir a presença de um substrato real que serviu de base para estes devaneios.
    Obrigado

  79. Gorducho Diz:

    contudo, não se pode excluir a presença de um substrato real que serviu de base para estes devaneios.
     
    Qualquer religião tem pelo menos 1 substrato real que baseie o respectivo devaneio; pode ser:
    - a imaginação fértil dos Crentes;
    - o interesse do comércio local no turismo religioso.
    Ou, como no caso, combinação desses substratos que cartesianamente separei.

  80. Borges Diz:

    Estou com uma dúvida e gostaria de saber se alguém pode ajudar-me. Vou destacar um trecho da dissertação de Raquel, que insinua possível plágio feito por Divaldo.
    “Esse depoimento do Sr. Fausto foi endossado, com pequenas diferenças, pelo Sr. Antônio Corrêa de Paiva,154 que afirmou que esse rompimento teria ocorrido por volta de 1960, na época em que presenciou o seguinte fato: em certa ocasião quando Divaldo passava pela cidade de Uberaba, estando em uma reunião festiva ocorrida na casa do Sr. José Thomaz da Silva Sobrinho, Chico teria pedido a Divaldo para ler partes do livro que este médium baiano estava psicografando. Divaldo então assentiu, lendo para as pessoas que estavam naquela reunião. Todos os presentes teriam elogiado o trabalho de Divaldo, inclusive, o próprio Chico, que depois ainda havia feito a observação de que era interessante ver como dois espíritos diferentes discutiam, através da psicografia, assuntos comuns. O Sr. Antônio prosseguiu em seu relato, afirmando que Chico havia se disposto a psicografar um prefácio para o tal livro. Entretanto, logo que Divaldo deixou a cidade, Chico e Waldo foram até ao Rio de Janeiro para conversar e intimar o dirigente da editora da FEB para que esse não publicasse o livro de Divaldo.”
    Digo eu: a informação que está presente em minha memória está relacionada com um trecho de uma carta que Chico Xavier teria escrito para seu amigo Joaquim, publicada aqui neste site.
    “Em 1959, confirmando a estima que tenho por Divaldo, não vacilei receber um prefácio para o primeiro livro mediúnico, que ele se propunha lançar, através da FEB. O prefácio veio da parte do nosso André Luiz estimulando-o ao trabalho, naturalmente. De minha parte, agi tão confiante, que não cheguei a conhecer o texto, texto esse que não hesitava endossar com todo o meu coração.
    Chegado o livro à FEB, sei que amigos da nossa mais alta instituição espírita do Brasil aconselharam-no a desistir da publicação, até que a mediunidade dele produzisse algo, mais original, de acordo com a elevada posição de orador espírita que ele desfruta, com merecimento justificado, em nosso meio. Alegavam nossos amigos no Rio e isso com ele próprio, Divaldo, que o livro recebido por ele era profundamente semelhante aos livros de André Luiz.”
    http://obraspsicografadas.org/2010/a-carta-em-que-chico-xavier-acusa-divaldo-pereira-franco-de-plgio-texto-integral/
    Digo eu novamente: Será que os dois trechos se referem a um mesmo livro?
    Obrigado

  81. Gorducho Diz:

    Especulo que sim… p/mim também isso foi novidade. Amanhã pretendo consultar a Administração acerca…
    Note que pertine à inquietação ontem manifestada pelo Dr.

  82. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    MONTALVÃO: ESP, como você atesta que quando um médium diz estar recebendo comunicação de morto, há mesmo um morto comunicando?
    /.
    Espírita Sp Diz: Montalvão o importante é o conteudo da mensagem. Eu tenho uma carta de minha avó e não tem como saber se era ela mas no final tem a assinatura
    /
    /
    PONDERAÇÃO: Sim, o importante é o conteúdo: conteúdo sempre tem importância, entretanto o conteúdo não é de importância crucial na atestação de que o redigido provém de desencarnado. Sua resposta pouco esclarece, mas confirma que a efetiva presença de espíritos nos eventos mediúnicos é apenas desejada e suposta, jamais comprovada…

  83. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    ESPÍRITA SP: reconhece-se o verdadeiro espírita por domar suas más inclinações
    /.
    PONDERAÇÃO: e como se reconhece o verdadeiro católico, protestante, testemunha de jeová, umbandista, cético, ateu…?

  84. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    VINICIUS: uma coisa que notei nas obras em geral: emmanuel não encontra andré luiz, este não encontra manoel philomeno, bezerra não aparece no nosso lar, é tudo muito “estático”. Nenhuma obra que li emmanuel conversa com andré luiz, nem o tal philomeno! fora que já houve até uma rixa no passado entre CX e DPF kkk. CX acusou DPF de plágio … e mais recomendou que DPF não lesse obras dele para que não copiasse inconsciente os livros dele…
    /.
    PONDERAÇÃO: muito bem apontado! Outro quesito que também chama a atenção é que Nosso Lar não é citado nem pelo próprio criador: confira as múltiplas psicografias domésticas produzidas por Chico e veja em quantas ele faz referência à morada dos comunicantes… O endereço do falecido deveria ser informação comum e típica nos recados dos mortos, mas Nosso Lar não serviu nem para incrementar as psicografias…

  85. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    VLAD: Essa disputa entre o Divaldo e o Chico foi um mal entendido que já foi há muito esclarecido pelo Luciano dos Anjos A Anti-História das Mensagens Co-piadas.
    /.
    PONDERAÇÃO: logo quem… dos Anjos era autêntico malabarista quando queria conciliar os escritos de Chico com a realidade. Se quer bom exemplo do que digo, leia o livro “Eu Sou Camille Desmoulins”, dentre outras, na parte em que ele se esforça por harmonizar o que o médium dissera a respeito de encarnação pretérita de Luciano e o que ele próprio “descobriu” de sua vida passada…

  86. Borges Diz:

    Gorducho diz: “Qualquer religião tem pelo menos 1 substrato real que baseie o respectivo devaneio; pode ser:
    - a imaginação fértil dos Crentes;
    - o interesse do comércio local no turismo religioso.
    Ou, como no caso, combinação desses substratos que cartesianamente separei.”
    Resposta: Sei que não existem provas consideradas científicas de fenômenos paranormais, por outro lado, também não há provas da inexistência dos mesmos. Assim, o placar está OXO. Porém, se considerarmos as evidências, acho que há uma sonora goleada.
    Obrigado

  87. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    ESPÍRITA SP: Emmanuel não encontra André Luiz nos livros mas no dia a dia sim. Não se esqueça que André Luiz estava no Umbral foi considerado suicida e nao tinha intimidades nem com emmanuel e muito menos com Bezerra.
    /.
    PONDERAÇÃO: o infeliz AL foi considerado suicida sem ter se suicidado: só porque comeu o que (ou quem) não devia, mais algumas travessuras. O curioso e contraditório é que nas psicografias domésticas não aparecia um suicidado, nem mesmo nos casos em que a morte autoinfligida era patente. Outra coisa, nenhum dos mortos comunicantes era culpado de coisa alguma, nem imprudente, nem farrista, nem consumidor de drogas… nadinha, tudo anjo da melhor estirpe.
    .
    Chico havia dado a si mesmo a missão de consolar corações aflitos, ele jamais diria para uma mãe aflita que o filho morto estava bêbado e dirigia feito doido; que o afogado havia queimado fumo a noite inteira e seguira pela manhã tomando uns birinaites, que o sujeito metera uma bala na cabeça intencionalmente… Nada disso, tudo acidente, culpa do veículo, completa ausência de drogas e bebidas…

  88. Borges Diz:

    Vamos a um trecho da dissertação de Raquel, referente ao caso Amauri Pena:
    “93 MAIOR, M. S. Op. cit., p. 130. Essa questão envolvendo o sobrinho de Chico Xavier foi ressaltada nos relatos de alguns de nossos depoentes, inclusive, um deles, o Sr. Antônio Corrêa de Paiva, alegou que a explicação para esse caso envolvia questões “reencarnatórias” pois, segundo ele, o próprio Chico Xavier havia lhe confidenciado que: (…) Então esse Amauri, o Chico falou ‘Olha, no tempo da invasão holandesa aqui no Brasil e que surgiu com Matias de Albuquerque, é a expulsão deles então tinha um brasileiro que traiu o Matias de Albuquerque e, e foi para o lado dos holandeses, dando o conhecer de algumas coisas e que prejudicariam os brasileiros naquele tempo ele era o Calabar’. A história do Brasil fala no Calabar. Ele foi perseguido e sacrificado, como traidor. ‘Agora mais tarde surgiu ele na inconfidência Mineira, traindo Tiradentes’. Vê que coisa! Como é que o sujeito vai de encarnação, tá ouvindo? ‘Ele foi Silvério do Reis, traindo Tiradentes, e agora, ele é meu traidor’, o Chico falou. ‘E o mesmo espírito, em três encarnações’. Então ele contava isso assim, na melhor boa. Não era segredo, não era nada.”
    Comentário: Então o sobrinho foi em encarnações passadas, traidores históricos: Calabar, que traiu Matias de Albuquerque, Joaquim Silvério dos Reis que traiu Tiradentes e finalmente Amauri Pena que traiu CX. Por que será que ele não incluiu Judas Iscariotes que traiu Jesus? Eu tenho minhas suspeitas, e vocês?
    Obrigado

  89. Espírita Sp Diz:

    Acho que religião é como futebol: mesmo perdendo o torcedor fiel não abandona seu time do coração. Não há plagios: é o CUEE de kardec.as coisas se repetem aqui e ali. Tem coisa que surge no Japão e no Eua quase ao mesmo tempo.
    E estamos no Brasil Coração do Mundo Patria do Evangelho: temos de evangelizar e o espirito Ismael guardião da FEB juntamente com Rounstaing (aqui em SP não gostam das ideias dele), Bezerra os verdadeiros cavaleiros do Apocalipse do Brasil e do mundo.
    Desculpem a exaltação!

    Encontrei esse forum pesquisando uma entrevista com Euripedes Higino e ai cai aqui kkk

    Ainda me confundiram com monte de entidades: minhoco. Dl. Scur kkk

  90. Gorducho Diz:

    Sabia que aí em SP, em cima da FEESP tem um prédio com um kardex (visto que nas colônias não tem ainda informatização) com milhões de fichas de Crentes?
     
    Está morando ai agora ou só de passagem?

  91. Gorducho Diz:

    Por que será que ele não incluiu Judas Iscariotes que traiu Jesus? Eu tenho minhas suspeitas, e vocês?
     
    Não há suspeitas, há certezas. Judas já no século XV terminou de expiar como a Jeanne d’Arc. No espiritismo não há regressão, de sorte que ele não iria retornar regredido moralmente como o traidor do CX, certo?

  92. Espírita Sp Diz:

    Só de passagem. Já visitei a federação de São paulo, a use, a aliança espirita. Há uma competição entre elas sendo que a primeira não é vinculads a FEB. Pelo que soube há uma certa rixa por não aceitarem o roustanguismo.

  93. Espírita Sp Diz:

    Ficha kardex??? Rs rs
    Aquelas que controlam estoque?
    Foi algum médium que falou isso?

  94. Gorducho Diz:

    Bom, kardex é conclusão minha :mrgreen: visto que milhões de fichas p/serem processadas regularmente sem siquer um dBasesinho ou COBOL só c/um mega-kardex mesmo, certo (cheguei a conhecer c/cadeiras rolantes sobre trilhos no piso…)?
    Editado fora da sequência p/facilidade:
     
    Se pegarmos um mapa da cidade de São Paulo e traçarmos uma linha, ligando a região de Santo Amaro à de Vila Maria, e outra, ligando a região de São Caetano à da Freguesia do Ó, teremos uma ideia da cruz que a Cidade Espiritual de São Paulo forma. Indo para o Centro, na parte em que estão situados os Bairros da Liberdade e Bela Vista; e é o Bairro da Bela Vista que mais interessamos conhecer, pois aí, é que fica o Edifício do “Instituto de Confraternização Universal”, como Centro da organização espiritual de São Paulo, localizado no Espaço.
    Depois de nos libertarmos dos nossos pontos de vista “terrenos”, fomos novamente convidados a conhecer o Salão da Direita, e, qual não foi a nossa surpresa, ao nos defrontarmos com um enorme fichário, onde milhões de fichas se encontravam destacadas por cores diversas.
    Perguntamos o que, ou melhor, de quem eram aquelas fichas, e os Espíritos Maiores nos disseram que todos aqueles que, através das Escolas de Aprendizes, ou de uma reforma íntima, se tornaram discípulos de Jesus estavam ali fichados, para que fossem acompanhados no seu desenvolvimento terreno
    .
     
    [INSTITUTO DE CONFRATERNIZAÇÃO UNIVERSAL E AS
    FRATERNIDADES DO ESPAÇO
    editado pela própria FEESP]

  95. Gorducho Diz:

    Note também que o além paulistano é mais adiantado que o carioca (seria a rixa c/a FEB?). No Rio ainda estão no tempo das muralhas medievais…
     
    Segundo as descrições de André Luiz, “Nosso Lar”, além dos muros, possui cercas que permitem aos vigilantes selecionar os pedintes, porém, aqui em São Paulo, as nossas Casas possuem barreiras vibratórias invisíveis aos olhos dos errantes, as quais impedem a penetração daquele que vier imbuído de pensamentos negativos.
    Para atravessar essa barreira é preciso que a criatura tenha desenvolvido a lealdade e a humildade, que ornam possível a absorção dos ensinamentos cristãos
    .

  96. vinicius Diz:

    gorducho, a FEESP fica exatamente na Bela Vista! Na Rua Maria Paula 140 São Paulo Capital , ou seja, endereço da editora e do centro! puxa, o instituto melhor que o nosso lar fica lá hein!
    o espirita sp está certo: durante anos a FEESP vendia somente livros da FEB do emmanuel e andré luiz, além disso não quis se associar a eles , nem se sujeitar a nenhum eventos criado por eles (falo isso com testemunha de causa). lembra-se que Bezerra falou em espirito via divaldo que a FEESP é o farol a iluminar a humanidade? (ou seja, maior e melhor que a própria Federação Brasileira! ) .
    ainda há rixas com a aliança espirita: esta criada pelo mesmo comandante ARMOND que “revolucionou” a FEESP e que mais tarde fundou a tal aliança.
    quem se formasse nos cursos ganhava um trevo de quatro folhas para espetar no peito!

  97. vinicius Diz:

    alias essa briga de que “o meu é melhor e maior” parece ser comum no meio espirita rs rs rs :lol:
    vide paris x rio, rio x são paulo, espiritismo x todas religiões juntas…

  98. Marciano Diz:

    Tentando reingressar no bonde em movimento.
    Gorducho Diz:
    SETEMBRO 19TH, 2015 ÀS 7:40 PM
    .
    Se houver alguma coisa da tal Ψ, obedece à Conjectura de Montalvão: é fraca, incontrolável, imprevisível e inútil. Nada do que os espíritas e os parapsicólogos postulam.
    .
    E eu acho que se houver alguma coisa dos tais lobisomens, também obedece à Conjectura de Montalvão: são fracos (os lobisomens), incontroláveis, imprevisíveis e inúteis. Nada do que os lobisomistas postulam.
    .
    .
    .
    Gorducho Diz:
    SETEMBRO 19TH, 2015 ÀS 8:20 PM
    Aí já entra uma questão mais complexa e até ideológica: eu não acho que se deva vender ilusões religiosas p/poder arrecadar $ para usar este em obras beneficentes.

    .
    Veja, MONTALVÃO, que lamentável!
    Não poderemos contar com os préstimos do inteligentíssimo GORDUCHO em nossa futura igrejinha, aquela do cafezinho com pão e ovo.
    .
    .
    .
    “A crença mitológica em lobisomens tem estado conosco durante séculos. Muitos historiadores e folcloristas têm refletido sobre as origens da crença na licantropia, que é realmente a capacidade humana de se transformar em lobos e não só, mas os ursos, os grandes felinos e outras criaturas perigosas. De todas essas transformações, porém, que do homem em lobo é o mais conhecido. Isto é principalmente devido às tradições do Velho Mundo de lobos sendo temidos predadores como pelos europeus. Há muitos relatos históricos sobre lobos predando os seres humanos durante as guerras e invernos duros, embora nem todas estas contas podem ser tomadas como fato. No entanto, as verdadeiras contas foram predominantes o suficiente para que os franceses tinham uma palavra para o lobo que adquiriu um gosto por carne humana, o “lobisomem” ou o loup-garou.
    Embora os naturalistas modernos e especialistas em vida selvagem que todos concordamos que o lobo ganhou uma reputação injusta ao longo dos anos, séculos de histórias e links para o lado escuro mantiveram temores da maioria das pessoas sobre essas criaturas. No norte da Europa, os homens lobo ou berserkers – que eram guerreiros vestidos de peles de animais – foram grandemente temeu por este vício e do abate de outros guerreiros e inocentes também. Nas regiões do Báltico e eslavo da Europa, as pessoas adoravam uma divindade lobo que podia ser benevolente ou mortal sem aviso prévio.
    Como o cristianismo chegou ao poder, a Igreja condenou tais crenças e logo, o lobo foi visto como um símbolo do mal. Muitos debatido sobre se os homens realmente se transformaram em lobos ou se Satanás simplesmente causada testemunhas a serem enganados com o pensamento de um homem se transformou em um lobo.

    .
    http://mundodolobisomem.blogspot.com.br/p/crenca.html
    .
    Sei que não existem provas consideradas científicas de fenômenos licantrópicos, por outro lado, também não há provas da inexistência dos mesmos. Assim, o placar está OXO
    .
    .
    .
    .
    “Então o sobrinho foi em encarnações passadas, traidores históricos: Calabar, que traiu Matias de Albuquerque, Joaquim Silvério dos Reis que traiu Tiradentes e finalmente Amauri Pena que traiu CX. Por que será que ele não incluiu Judas Iscariotes que traiu Jesus? Eu tenho minhas suspeitas, e vocês?
    Obrigado”
    .
    RESPOSTA: Porque Judas reencarnou como uma santa esquizofrência, JEANNE D’ARC.
    Não me diga que não sabia…
    You’re welcome!

  99. Marciano Diz:

    Até no além SP é melhor do que RJ :shock:

  100. Marciano Diz:

    PHELIPPE e VINICIUS, peço-lhes que nos contem como se deu a revelação de que estavam acreditando em mentiras, posto que foi aqui no blog que vocês encontraram argumentos que os livraram da crendice.
    Esclareçam se apenas se desiludiram com o chiquismo ou se tornaram-se descrentes completos.
    Alguns detalhes, por favor.
    E não fujam de uma armadilha para cair em outra.
    .
    Faz tempo que não falo com o Scur, mas da última vez, ele mostrou-se bastante desinteressado do chiquismo.
    O Arduin parece ter se rendido à realidade, mas furtou-se de compartilhar conosco sua desilusão.
    .
    O mundo real e o único que existe não é tão colorido quanto as lucubrações religiosas, mas não adianta nada querer enfeitá-lo com fantasias.
    Apesar de ter mantido a descrença com que todos são agraciados desde o nascimento (a maioria adquire uma crença da época e lugar onde vivem e pensam ter nascido com a crença), gosto de ver quando mais alguém entra para o clube dos esclarecidos.
    Esclarecidos, não! Melhor dizer não enegrecidos.
    E não há racismo aqui, CONTRA. É apenas uma maneira de dizer.
    Aqui não tem nada a ver com a cor da pele, mas com as condições de visibilidade. No sentido figurado, claro.
    Quem vê o que não existe, não está vendo nada. Está no escuro, sujeito a bater com a cara na porta ou cair em algum abismo :wink:

  101. Antonio G. - POA Diz:

    Espírota Sp, você disse: “Uso bastante a homeopatia desde a minha avó desencarnada frida. Até na psicografia que ela nos mandou fala pra nunca deixar de usar, combinado com os remédios.”
    Isto é uma piada ou é para ser levado a sério?

  102. Antonio G. - POA Diz:

    Ah… Scur! Como vais, conterrâneo?

  103. Antonio G. - POA Diz:

    Saudade das suas bobagens…

  104. Antonio G. - POA Diz:

    Sobre homeopatia: Sim, é verdade que o efeito placebo da homeopatia, dependendo da sugestionabilidade do paciente, pode sanar pequenos desconfortos, como uma dor-de-cabeça, por exemplo. Mas associada a um analgésico é ainda mais eficiente.

  105. Gorducho Diz:

    Recém o Sr. se tocou quem era? :lol: :lol: :lol: :lol:

  106. Gorducho Diz:

    Note a sensatez da vó dele: acho que foi mesmo!
     
    - Netinho, se quer mesmo tomar homeopatia, toma, mas junto com o remedinho, tá?

  107. Vinicius Diz:

    Borges Diz:
    SETEMBRO 20TH, 2015 ÀS 1:42 PM
    “ em certa ocasião quando Divaldo passava pela cidade de Uberaba, estando em uma reunião festiva ocorrida na casa do Sr. José Thomaz da Silva Sobrinho, Chico teria pedido a Divaldo para ler partes do livro que este médium baiano estava psicografando. Divaldo então assentiu, lendo para as pessoas que estavam naquela reunião. Todos os presentes teriam elogiado o trabalho de Divaldo, inclusive, o próprio Chico, que depois ainda havia feito a observação de que era interessante ver como dois espíritos diferentes discutiam, através da psicografia, assuntos comuns. O Sr. Antônio prosseguiu em seu relato, afirmando que Chico havia se disposto a psicografar um prefácio para o tal livro. Entretanto, logo que Divaldo deixou a cidade, Chico e Waldo foram até ao Rio de Janeiro para conversar e intimar o dirigente da editora da FEB para que esse não publicasse o livro de Divaldo.”

    Nossa, que falsidade por parte de CX: primeiro elogia o livro em público e depois, na surdina, junto com Waldo vai até a FEB – RJ impedir a publicação do livro?
    Imaginem a cara do CX quando DPF começou a ler o que psicografou e perceber a semelhança??? Será que se lembrou do CUEE de Kardec ???
    Pelo visto não: se lembrou das fontes terrenas e que ele não tinha assegurada a exclusividade psicográfica.

  108. Gorducho Diz:

    Faz tempo que não falo com o Scur, mas da última vez, ele mostrou-se bastante desinteressado do chiquismo.
     
    Eu notei ele diferente…
    Fez as brincadeiras bem bricalhonamente como corresponde; me pareceu que já não leva tão a sério e estaria caindo na real.
    Que o a atividade cá funciona funciona: ninguém datado dum mínimo de discernimento e auto-senso crítico pode deixar de perceber que se fala a verdade.
    Pode ser religioso e acreditar que existam fenômenos paranormais, mas não pode deixar de ver que o espiritismo é fantasia e a parapsicologia na melhor das hipóteses não serve para nada.

  109. Gorducho Diz:

    Nossa, que falsidade por parte de CX: primeiro elogia o livro em público e depois, na surdina, junto com Waldo vai até a FEB – RJ impedir a publicação do livro?
     
    Tem cá um artigo bem antigo que aliás eu não conhecia onde há uma suposta carta de CX a um amigo, one menciona livro…
    A autoria dessa cara no entanto é nebulosa. Essa tese agora parece referir-se e portanto de certa forma comprovar o fato.
    Irei perguntar a seguir à Administração acerca (durante o weekend ele faz retiro espiritual…).

  110. Gorducho Diz:

    Sr. Administrador
    De certa forma esta tese corrobora aquela nebulosa carta constante na sua matéria aquela antiga, não?
    Ou seja: de CX não estaria se referindo apenas àquela mensagem, mas também a livro…
    Nada mais sobe durante todos esses anos até agora?
    Quem é a pessoa que publicou a carta originalmente, se bem me lembro no finado Orkut?

  111. Espírita Sp Diz:

    Antonio g poa: não é piada não. Minha avó falou sobre a homeopatia e os remédios!!! ela e meus amigos sempre recomendaram
    Estive em uberaba o filho chico me atendeu super bem ai falei com uma senhorinha simpatissima

  112. Vinicius Diz:

    Sabe se essa foi a primeira visita de DPF ao CX, ou houve outras?

    Li , parece que aqui mesmo no blog, que Divaldo justificou-se dizendo que era um ávido leitor dos livros do C e que se houve algum “plágio” seria “traição da sua inconsciência”.

    Nessa época WV ainda estava com CX? ele deve ter notado primeiro a semelhança do AL com MFDM…

    acho que AL é criação do WV .

    Divaldo provavelmente percebeu o modus operandi dos livros de CX e tratou de colocar a técnica em prática. A FEB publicou poucos livros dele e ele abriu editora propria não é isso?

  113. Antonio G. - POA Diz:

    Ok, Scur. Tô sabendo. rsrsrs

  114. Antonio G. - POA Diz:

    Uma faringite bacteriana pode ser facilmente curada com Belladona. Há médicos homeopatas que a receitam. Mas é importante não esquecer de tomar também um antibiótico, sob prescrição de um médico de verdade.

  115. Espírita Sp Diz:

    Médico homeopata não é médico de verdade? Ele não pode receitar homeopatia e alopatia?
    Alopatia e homeopatia ambas retiradas da natureza, a diferença é que quem é contra homeopatia é porque tem pena das plantinhas…
    É como um vegetariano que tem pena de comer a carne de animais e acaba falando que carne de “planta” tem mesmas proteinas.

    Conhece a POMADA DO VOVO PEDRO? Ela é ótima.
    Retirei minha latinha ontem.

  116. Vinicius Diz:

    Rs, eu me recordo da POMADA VOVO PEDRO. Retirei lá no Centro umas duas ou três vezes, tive de preencher formulário do motivo (bronquite asmático) mas a parte engraçada foi quando cheguei em casa , mostrei a minha esposa (ela não é espirita) , ela perguntou o que era aquilo, daí abri a tampa, quando ela cheirou tomou um susto, deu um pulo pra trás e falou: meu Deus, como isso fede!
    Daí respondi que o cheiro é forte de fato mas que ‘dizem” que cura ou ameniza dores. Passei nas contas , pernas etc.
    Mas minha esposa não estava gostando nada nada. Parei de usar isso, para mim não surtiu nenhum efeito, minha bronquite está muito bem controlada com SERETIDE.

    SEM EXAGERO: quase morri no hospital por ter parado de usá-la há 12 anos atrás (literalmente, tive de ser “acordado” com desfibrilador)

    Marciano Diz:
    SETEMBRO 21ST, 2015 ÀS 2:19 AM
    PHELIPPE e VINICIUS, peço-lhes que nos contem como se deu a revelação de que estavam
    Logo lhe respondo ok, mas o blog foi de importância crucial.

  117. Vinicius Diz:

    POMADA VOVÔ PEDRO
    O surgimento da Pomada Vovô Pedro aconteceu em 1973, quando o médium João Nunes Maia recebeu através de comunicação mediúnica a fórmula deste unguento, ditada pelo espírito do médico Franz Anton Mesmer, que viveu no século XVIII curando muitos enfermos. Segundo a Sociedade Espírita Maria Nunes, a pomada é um produto medicinal contendo propriedades terapêuticas de plantas e produtos naturais, que não apresentam efeitos colaterais. A primeira formulação foi feita por João Nunes Mais em uma velha panela de pressão com 2,5Kgs. Pouco a pouco, o retorno dos enfermos confirma: a Pomada Vovô Pedro alivia e cura muitas enfermidades de pele como, eczemas e ulcerações, feridas, escoriações, inflamações, furúnculos, queimaduras, e, hemorróidas, câncer de variadas modalidades e fecha feridas causadas pela hanseníase.
    Desde 1973, a Sociedade Espírita Maria Nunes, fundada por João Nunes, trabalha para que maior número de pessoas tenha acesso aos benefícios da Pomada Vovô Pedro. Atualmente, existem 23 postos de fabricação espalhados por todo o Brasil. Cada posto trabalha em parceria com várias casas irmãs durante a fabricação e distribuição das pomadas.

    Como surgiu em Pernambuco?
    O surgimento da Pomada Vovô Pedro em Pernambuco, e em especial no Grupo Espírita Seara de Deus, não foi obra do acaso. Mas sim, de forma natural e, ao que tudo indica, através de uma programação em que se utilizou de pessoas e situações existenciais.
    Por volta de 1976, um companheiro, que, neste período dedicava-se aos trabalhos no Grupo da Fraternidade Espírita Guillon Domênico, em Olinda-PE, foi acometido de um grave problema de saúde. Um tumor crescia rapidamente em sua perna esquerda, e foi diagnosticado e depois comprovado através de biópsia, como “fascite nodular infiltrativa”. O paciente foi submetido a quatro cirurgias, e se consultou, inclusive com médicos de outros países, entretanto, todos, sem exceção alguma, afirmavam que o problema era insolúvel porque não havia condições de retirar toda a área afetada. Esta doença não o levaria à morte, mas, com toda certeza, ficaria naquele local até a morte. Em outras palavras: “não morre disso, mas morre com isso”.
    Em função deste fato, aquele companheiro procurou o médium Francisco Cândido Xavier. As frases proferidas pelo médium, durante o encontro, ficaram gravadas para sempre na memória do companheiro assistido. “O problema é grave, mas não é sem esperança”, afirmou Chico Xavier. “Muitas vezes nós podemos trocar a dor pelo trabalho”, completou o médium. A partir daí, iniciou-se um tratamento indicado por Chico Xavier.

    O tratamento: A pomada era enviada, regularmente, pelos Correios para ser utilizada no local afetado, e logo em seguida, o passe deveria ser aplicado pelo mesmo médium, no mesmo horário. Esta ação deveria ser feita diariamente, num total de 90 passes aplicados. Chico Xavier aconselhou continuar aplicando a pomada por tempo indeterminado.

    O resultado: cura total com diagnóstico modificado para fibromatose.

    A pomada surgiu no Grupo Espírita Seara de Deus logo após a cura deste companheiro. O médium João Nunes Maia, em uma de suas visitas regulares a Uberaba – MG foi alertado por Chico Xavier: “Nunes, a pomada Vovô Pedro necessita ser levada com urgência para o Nordeste”, disse Chico. Não passaram mais de dez dias, do instante da conversa para o telefonema que os trabalhadores do Seara receberam daqueles da Sociedade Espírita Maria Nunes, de Belo Horizonte, onde trabalhava o Nunes. O Grupo Espírita Seara de Deus e o Grupo da Fraternidade Espírita Guillon Domênico foram convidados para iniciarem este trabalho, ficando definido que o Seara de Deus seria a sede onde se realizaria a tarefa de fabricação.
    A fabricação deste ungüento conta com a participação de mais de 80 instituições espíritas de Pernambuco. A distribuição é feita em caráter de inteira gratuidade para, aproximadamente 200 entidades de todo o Estado. “Devemos confeccionar a pomada como se fôssemos usá-la em Jesus”, esse é o lema de todos os participantes que fabricam a pomada.
    Fonte:
    http://www.searadedeus.org.br/pomada.html

  118. Antonio G. - POA Diz:

    Scur, médico que receita homeopatia é mais ou menos como o engenheiro que recomenda ao cliente fazer um ebó para garantir que a viga que ele projetou não vai partir e derrubar o telhado. Não dá prá confiar.

  119. Antonio G. - POA Diz:

    Scur, o Vitor ainda não viu você… Logo você “dança”.
    rsrsrs

  120. Espírita Sp Diz:

    Antonio, veja e leia o site http://www.aph.org.br. Estou na correria aqui. Nele há fundamentações

  121. Antonio G. - POA Diz:

    Dá prá acreditar num advogado que diz prá você: “- Olha, eu usarei todo o conhecimento jurídico que tenho, farei tudo o que estiver ao meu alcance para livrá-lo da acusação, mas o bom mesmo seria você fazer uma promessa para Nossa Senhora do Caravaggio.” ? Você contrataria esse advogado? Certamente, não. Mas acredita num médico que manda você tomar uma poção de ervas diluída milhares de vezes?

  122. Espírita Sp Diz:

    Nossa esse Scur deve ter feito horrores por aqui.
    Mas não sou ele nao
    Acho que estão confundindo chico com divaldo

  123. Antonio G. - POA Diz:

    Da série “Dá uma olhada nisto”…
    http://www.e-farsas.com/agora-na-australia-a-homeopatia-tambem-nao-funciona.html

  124. Antonio G. - POA Diz:

    Particularmente, considero vexatório para um país o reconhecimento da homeopatia como especialidade médica. É a admissão da crendice na medicina. Lamentável.

  125. Antonio G. - POA Diz:

    “Medicina Alternativa” é uma piada. E pode ser perigosa.

  126. Contra o chiquismo Diz:

    Gorducho Diz:
    SETEMBRO 20TH, 2015 ÀS 11:49 AM
    Umbilicalmente vinculado ao supra-sumo do chiquismo :(
    .
    .
    Sem dúvida, e fugitivo da LAMA UMBRALINA.

  127. Contra o chiquismo Diz:

    Engraçado, não sei da existência de centros kardecistas na Barra da Tijuca, mas imagino que o morador de um prédio fantástico daqueles a beira mar depois de morto se mudar pro ‘nosso lar’ na zona norte carioca vai querer largar o chiquismo e ir pro ortodoxismo pra ver se consegue um lugar melhor no ‘além’.
    .
    .
    Sinceramente, trocar a Barra da Tijuca e seu litoral pelo SUBÚRBIO nem no além!
    .
    .
    Deixar de andar de Porsche pra andar de aeróbus??

  128. Contra o chiquismo Diz:

    Teologia da PROSPERIDADE já!!!!!!!

  129. Marciano Diz:

    Médico homeopata é médico 171. Deveria ir para a cadeira, num país sério.
    Colocar no seu cartão “médico homeopata” é a mesma coisa que colocar “procure um médico de verdade, se tiver juízo”.

  130. Contra o chiquismo Diz:

    Queria ver um psiquiatra tratar uma Síndrome de Pica com homeopatia. Ambra grisea deve ser uma boa pedida.
    .
    .
    Sim, a Síndrome de Pica existe – “é uma rara condição dos seres humanos, e se caracteriza por um apetite por substâncias não nutritivas, como terra, carvão ou tecidos.”

  131. Gorducho Diz:

    Deixar de andar de Porsche pra andar de aeróbus??
     
    E depois têm a cara-de-pau de dizerem que no espiritismo não tem retrogradação, só progresso. Se isso não é retrocesso não entendo mais nada.
    Não precisa ser Porsche: Focus, Golf… que seja :(

  132. Contra o chiquismo Diz:

    O dr tem essa síndrome, pois se sacia com a lama umbralina.

  133. Antonio G. - POA Diz:

    Sobre medicamentos esquisitos: Tomei muito Biotônico Fontoura quando era criança. Não é medicamento homeopático, mas vai na mesma linha de remédios de eficácia muito discutível. Na sua fórmula original, havia 19,5% de Álcool Etílico! Talvez isso explique o fato de eu ser meio lerdo das ideias… Depois caiu para 9,5%. Desde 2001, a ANVISA mandou eliminar o álcool da fórmula.

  134. Antonio G. - POA Diz:

    Pelo menos, as crianças já não correm o risco de serem apanhadas no bafômetro.

  135. Contra o chiquismo Diz:

    Geléia/gel/óleo do peixe elétrico.
    .
    .
    http://www.homemdaterra.com.br/fotos/extragrande/68371fe1/oleo-de-peixe-eletrico-gel-para-massagem-flora-pura.jpg

  136. Phelippe Diz:

    Oi, Marciano, td bem?
    Respondo sua pergunta.
    O processo de descrença se deu pelo uso da razão. Eu frequentava um centro espírita, frequentei tb um terreiro de umbanda, por curiosidade, mas as coisas que eram ditas não faziam sentido. Não dava para acreditar naquilo, mas eu continuei visitando esses lugares, ajudava nos trabalhos assistenciais, essas coisas. Isso até 2009, quando vi q não dava para continuar. Então, sem alarde, deixei de ir nesses lugares, não pensei mais no assunto, e foi isso.
    Um dia, por mera curiosidade, lá por 2011, eu estava pesquisando na internet sobre o Mirabelli, que foi muito famoso em SP. Por acaso entrei neste blog, gostei do que vi, fui lendo os artigos, etc. Tudo o que eu pensava estava aqui, mas analisado com técnica. As provas são evidentes, abundantes, e só não vê quem não quer. Agora não creio em mais nada.
    Sou colega de profissão, como bem sabe, mas estou estudando farmácia agora. Quero ampliar meus conhecimentos, sabe. E, acredite, temos especialização em homeopatia. Dá dinheiro.

  137. Vitor Diz:

    “Quem é a pessoa que publicou a carta originalmente, se bem me lembro no finado Orkut?”
    .
    Artur Azevedo
    .
    https://plus.google.com/111400780333262666919/posts
    .
    Desconheço desdobramentos.

  138. Borges Diz:

    “Não há suspeitas, há certezas. Judas já no século XV terminou de expiar como a Jeanne d’Arc. No espiritismo não há regressão, de sorte que ele não iria retornar regredido moralmente como o traidor do CX, certo?”
    Certíssimo Gorducho.
    Marciano diz: RESPOSTA: Porque Judas reencarnou como uma santa esquizofrência, JEANNE D’ARC.
    Não me diga que não sabia…
    You’re welcome!
    Não sabia da santa esquizofrência
    Thank you

  139. Contra o chiquismo Diz:

    Phelippe Diz:
    SETEMBRO 21ST, 2015 ÀS 12:17 PM
    .
    .
    Por acaso entrei neste blog, gostei do que vi, fui lendo os artigos, etc. Tudo o que eu pensava estava aqui, mas analisado com técnica. As provas são evidentes, abundantes, e só não vê quem não quer. Agora não creio em mais nada.
    .
    .
    Sem puxar o saco do sr administrador, mas se eu fosse deputado, puxava uma moção de aplausos p ele. Mas mando meu aplauso a este blog e aos participantes da bancada cética: clap, clap, clap, clap. E ofereço a todos a música The Clap do Yes:
    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=Lvw4FnP-XXo
    .
    .

    Palmas (clap, clap , clap ) pra nós.

  140. Gorducho Diz:

    Quem é a pessoa que publicou a carta originalmente, se bem me lembro no finado Orkut
    Episódio 2
     
    Mas quem é esse Sr. no campo doutrinário: ¿é um pesquisador e como teve acesso a documentos cujo interessa da cartolagem chiquista seria (supondo autêntico) abafar?
    É algum insider dentro do espiritismo/chiquismo?

  141. Vitor Diz:

    Eis como ele se define:
    .
    Um breve histórico sobre minha atuação no Movimento Espírita: iniciei meus estudos da Doutrina Espírita aos 13 anos (1984), no Grupo Espírita Pestalozzi, em Nova Friburgo-RJ. Aos 22 (1993), atuei como orientador de Mocidade da União da Mocidade Espírita de Niterói (UMEN), um centro tradicional da cidade. Ao mesmo tempo, colaborei como evangelizador no Grupo de Apoio ao Menor (GAM), hoje Casa de Batuíra e unidade do Lar Fabiano de Cristo, que prossegue no trabalho de assistência junto aos moradores de populosa favela em São Gonçalo – RJ. Em 1999, fui eleito presidente do centenário Centro Espírita Friburguense, na cidade de Nova Friburgo – RJ, sendo que por cerca de quatro anos apresentei, juntamente com o confrade José Manoel Ferreira Barboza, dois programas espíritas em rádios locais (Friburgo-AM e Conquista-FM) e um programa de TV (TV Zoom, canal 10). De volta à Niterói, fui orientador de estudos da Federação Espírita do Estado do Rio de Janeiro (FEERJ). Hoje, encontro-me ligado à ADE-RJ, Associação dos Divulgadores do Espiritismo do Rio de Janeiro. Já promovi estudos em forma de palestra em cidades dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Goiás e Maranhão. Fui prefaciador de três livros: “Espiritismo e Política”, de Paulo R. Santos, “O Primado de Kardec”, de Sérgio F. Aleixo, e “Breve História do Espiritismo”, de Fabiano Vidal.
    .
    Que eu me lembre, quanto à carta, ele tinha acesso à casa do Rizzini… a família teria dado permissão para ele divulgar… mas aviso que minha memória quanto a isso está meio nublada.

  142. Espírita Sp Diz:

    Demóstenes Diz:
    setembro 18th, 2015 às 7:38 PM

    Espírita Sp,
    /
    Também sou espírita GO, não sei se é a sua 1º vez aqui no blog, mas já deve ter notado a linha de raciocínio ou cosmogenia, a turma aqui não perdoa.
    /
    Por essas e por outras do CX, te pergunto: Esse Eurípedes é espírita? Como ele me constrói um túmulo a “prova de bala”, um mausoléu digno de artista, para uma figura, personalidade espírita que é conhecida por sua “Humildade”, seu desapego? L.E. pergunta 823.

    Veja o porquê caro demostenes

    https://br.noticias.yahoo.com/t%C3%BAmulo-de-chico-xavier-%C3%A9-alvo-de-vandalismo-em-minas-gerais-155348139.html

  143. Espírita Sp Diz:

    O próprio euripedes fez denuncias na defesa do nome do pai,ele é espírita sim demóstenes

    http://g1.globo.com/minas-gerais/triangulo-mineiro/noticia/2015/08/possivel-desvio-de-dinheiro-para-memorial-chico-xavier-e-investigado.html

  144. Gorducho Diz:

    E CX não queria, tinha medo e com razão, como vimos pelo caso do perneta – aliás certamente ele conhecia bem o caso…
    Acredito que o peri-espírito deve ficar bem doidão, perdidão, como se tivessem tirado a escada debaixo e o cara sem o gancho de segurança.
     
    O problema da cremação do corpo, realmente, deveria merecer mais demorado estudo nos gabinetes legislativos.
    Há muito caminho por andar, antes que o homem comum se beneficie com a verdadeira morte. A cessação dos movimentos do corpo nem sempre é o fim do expressivo transe.
    O túmulo é uma passagem especial, a cujas portas muitos dormem, por tempo indeterminado, criando forças para atravessá-las com o precioso valor.
    Morrer não é libertar-se facilmente.
    Para quem varou a existência na Terra entre abstinências e sacrifícios, a arte de dizer adeus é alguma coisa da felicidade ansiosamente saboreada pelo Espírito, mas para o comum dos mortais, afeitos aos “comes e bebes” de cada dia, para os senhores da posse física, para os campeões do conforto material e para os exemplares felizes do prazer humano, na mocidade ou na madureza, a cadaverização não é serviço de algumas horas. Demanda tempo, esforço, auxílio e boa vontade.
    Por trás da máscara mortuária, muitas vezes, esconde-se a alma inquieta e dolorida, sob estranhas indagações, na vigília torturada ou no sono repleto de angústia.
    Para semelhantes viajores da grande jornada, a cremação imediata do comboio fisiológico será pesadelo terrível e doloroso.
    Eis por que, se pudéssemos, pediríamos tempo para os mortos.
    Se a lei divina fornece um prazo de noves meses para que a alma possa renascer no mundo com a dignidade necessária, e se a legislação humana já favorece os empregados com o benefícios do aviso prévio, por que razão o morto deve ser reduzido à cinza com a carne ainda quente?
    Sabemos que há cadáveres dos quais, enquanto na Terra, estimaríamos a urgente separação, entretanto, que mal poderá trazer aos vivos o defunto inofensivo, sem qualquer personalidade nos cartórios?
    Não seria justo conferir pelo menos três dias de preparação e refazimento ao peregrino das sombras para a desistência voluntária dos enigmas que o afligem na retaguarda?
    Acreditamos que ainda existe bastante solo no Brasil e admitimos, por isso, que não necessitamos copiar apressadamente costumes em pleno desacordo com a nossa feição espiritual.
    Meditando na pungente situação dos recém-desencarnados, observo quão longe vai o tempo em que os mortos eram embalados com a doce frase latina: – Requiescat in pace.
    Não basta agora o enterro pacífico! É imprescindível a apressada desintegração dos despojos! E se a lei não for suavizada, com as setenta e duas horas de repouso e compaixão para os desencarnados, na laje fria de algum necrotério acolhedor, resta aos mortos a esperança de que os saltitantes conselheiros da cremação de hoje sejam amanhã igualmente torrados
    .

  145. Vinicius Diz:

    1. Marciano Diz:
    SETEMBRO 21ST, 2015 ÀS 2:19 AM
    PHELIPPE e VINICIUS, peço-lhes que nos contem como se deu a revelação de que estavam acreditando em mentiras, posto que foi aqui no blog que vocês encontraram argumentos que os livraram da crendice. Esclareçam se apenas se desiludiram com o chiquismo ou se tornaram-se descrentes completos. Alguns detalhes, por favor. E não fujam de uma armadilha para cair em outra.
    .

    Bom, iniciei no movimento espirita em 200o, começando por tratamentos espirituais e cursos na FEESP (preparatório, aprendizes, médiuns etc.), passei por outros centros e tal. Nunca pude presenciar uma comunicação mediúnica que eu julgasse autêntica, ou seja, que trouxesse conteúdos desconhecidos dos demais presentes e que fosse fora dos padrões ‘evangélicos” ou “católicos” . A minha atuação maior foi em ouvir palestras, ler os livros e fazer os cursos, com pouquíssimos fenômenos. Na FEESP não há pedidos de psicografias para desencarnados, as evocações não existem, somente conhecimento teórico e prática mediúnica se resume a atendimento a “obsessores” que nunca podem ser ouvidos pelas vitimas, estas não podem saber quais são seus propósitos.

    O barco começou a balançar quando tomei conhecimento dos textos racistas de Allan Kardec, depois pelo linguajar do Chico nas palestras, na TV e nos conselhos que dava não espelhavam aquele pobre analfabeto que só tinha o curso primário. Ele dizia ser Emmanuel quem ditava as lições evangélicas mas os ditados por “Emmanuel” são palavras de CX. Até aí tudo bem , continuei convivendo, poderia ser “animismo” etc.
    Outro fato ridículo é aquela história do Dr.Bezerra querer ficar na Terra para proteger sofredores. SE ASSIM O FOSSE, que pudesse investir contra o estado islâmico, os sírios etc…

    Confesso que estive deslizando sobre o blog antes de 2015 mas não entrei a fundo. Comentei por cima com amigos da FEESP que me disseram bem superficialmente: ah sim, o site do Vitor? Já vimos, é um estudioso, analisou as obras de Chico e de outros. E não contestaram nada.
    Depois fui mais a fundo, comecei pelas obras do CX, as comparações lado a lado com obras “terrenas” me deixaram “estupefato” . Eu já tinha feito “vista grossa” com os deslizes de cor do Kardec , as contradições etc mas isso foi demais.
    E outro ponto, muito interessante, foi com relação ao médium Robson Pinheiro: não tinha nenhum contato com sua obra, ouvira falar muito dele, mas a cópia do livro da Umbanda foi descarada.

    Ainda continuo indo ao Centro: lá eu “picoto” os cartões de controle dos tratamentos dos assistidos, fico na porta, recepcionando-os. Vez ou outra subo no palco para fazer as vibrações.
    Mas lá no Centro não tenho falado sobre a doutrina espírita, nem sobre CX, apenas ouvindo e conversando coisas do dia-a-dia, principalmente profissionais e de família.

    Enfim, Marciano, me tornei um descrente com relação à origem mediúnica das obras, a atribuição de “superioridade” ao Kardec e aos espíritos ditos superiores mas ainda continuo acreditando em vida após a morte e que a vida faz algum sentido, mas não acredito em roteiros reencarnatórios, quem eu vou comer, quem não vou com a cara etc kkk

    Eu tinha chico Xavier como um verdadeiro Médium e sabe quem falou no ano 2002 que era um possível impostor: minha esposa Católica. Dizia que os mortos não voltam pra falar conosco.

  146. Vinicius Diz:

    kkk, Gorducho, de fato , aqui não passa nada kkk
    Quer dizer que no livro do CX diz que defensores da Cremação devem ser torradinhos ??? kkk essa morri de rir aqui ( :lol: ) : ” conselheiros da cremação de hoje sejam amanhã igualmente torrados ” E tem uma espirita aqui no trabalho defende a cremação ardorosamente e diz que cremação é para espirito superior.

    ” Demóstenes Diz:
    Cremasse o corpo de CX e gastasse o dinheiro com as fundações de ajuda, com as sopas, aliás, que o Contra Chiquismo tanto gosta, asilos, etc ”

    ” E se a lei não for suavizada, com as setenta e duas horas de repouso e compaixão para os desencarnados, na laje fria de algum necrotério acolhedor, resta aos mortos a esperança de que os saltitantes conselheiros da cremação de hoje sejam amanhã igualmente torrados.
    Do livro Escultores de Almas, obra psicografada pelo médium Francisco Cândido Xavier, de autoria de Espíritos diversos “

  147. Espírita Sp Diz:

    Achei estranho um espírita defender a cremação do nosso inestimável Chico.
    Olha como o Euripedes gostava do pai: pediu para reproduzir um quadro com o cachorro e o gato do médium de uberaba

    http://g1.globo.com/minas-gerais/triangulo-mineiro/noticia/2015/09/artista-plastico-reproduz-em-tela-fotografia-de-chico-xavier.html:

    Preciso voltar lá, ver se vai se lembrar de mim.

  148. Espírita Sp Diz:

    Irmão Vinicius acorde. O que são 50 frases erradas perto de milhões de frases corretas?
    A ciência oficial já cometeu um monte de erros e o tempo foi corrigindo. Kardec pode ter errado mas com certeza se arrependeu das frases contra negros e voltou moreno reencarnado.

  149. Contra o chiquismo Diz:

    Scur Espírita Sp, o sr é um fanfarrão!

  150. Larissa Diz:

    E as senhas do CX, apareceram?

  151. Gorducho Diz:

    E aí, que sabe Sr. Orlando?
    Aquele outro Sr., se bem me lembro médico existe ainda, ou só Euripides a tem agora.
    A amiga sei que faleceu, mas não quer dizer que não tenha deixando-a (eu faria isso…) com alguém!
    Isso certamente deixa com o rabo-entre-as-pernas
    pré-candidatos a canalizá-lo…
     
    Que sabe, Sr. Orlando?

  152. Marciano Diz:

    CONTRA:
    “Sim, a Síndrome de Pica existe – “é uma rara condição dos seres humanos, e se caracteriza por um apetite por substâncias não nutritivas, como terra, carvão ou tecidos.”
    .
    COMENTÁRIO:
    Quando eu prestei serviços a uma editora, há muitos anos, existia uma régua de pica, que o pessoal da tipografia usava. Não sei se ainda existe.
    Pica é uma medida inglesa usada (naquele tempo, não sei se ainda usam) em editoras, correspondente a 1/6 de polegada.
    Era usada para diagramação.
    Pronuncia-se “paica”, of course.
    .
    Como advogado, já fiz escárnio de colegas que pediam provas desnecessárias, dizendo que produzi-las seria o mesmo que iuxta fluvium puteum fodere, ou seja, cavar um poço ao lado do rio, coisa que é clara até para uma criança ser de estúpida desnecessidade puero etiam perspicuum.
    .
    .
    .
    ANTONIO, já tomei biotônico também. Para mim, era como um vinho do Porto. Eu queria beber tudo de uma vez.
    .
    .
    .
    Oi, PHELIPPE. Tudo. Contigo, sei que tá, atualizei-me com os comentários.
    Obrigado por sua resposta.
    Pelas minhas contas, pelo menos para três pessoas o blog foi útil. Você, VINICIUS e BIASETTO, um antigo frequentador, desaparecido.
    .
    Eu sei da especialização em homeopatia e acho isso um despautério, como já comentei alhures.
    Boa sorte com a farmácia, mas acho que você está melhor como advogado.
    Se for por puro deleite, ótimo.
    .
    .
    .
    BORGES,
    “Esquizofrência” foi erro de digitação. Eu estava me referindo à esquizofrenia de Jeanne D’Arc, aquela que ouvia vozes que lhe conferiam uma missão, etc.
    Foi usada como inocente útil pelos militares da época, queimada viva pela ICAR e transformada em santa pela mesma igreja. Que coisa!
    .
    .
    .
    CONTRA, eu só tenho uma ressalva com o VITOR. Ele ainda é crente, só trocou de crença.
    Defende hoje a parapsicologia com o mesmo ardor com que devia defender o espiritismo, nos velhos tempos.
    Tenho esperança de vê-lo esculachando com a parapsicologia aqui mesmo, no futuro, como fizeram Blackmore e Wiseman.
    Fora isso, o blog é justo e perfeito. Ainda será antigo e aceito.
    Palmas para a bancada cética!
    .
    .
    .
    .
    VINICIUS, obrigado por sua resposta.
    Esse Robson Pinheiro tem livros também falando bobagens sobre Hitler.
    Conheço pessoas (no plural) que dizem que ele é um espírita sério, apesar da origem na umbanda.
    O livro que ele plagiou é de candomblé, já o li.
    Pierre Verger era sociólogo, veio ao Brasil, “bolou no santo”, era gay, o candomblé o seduziu.
    .
    Você vai acabar descrendo do resto também. Continue estudando e questionando.
    Eu gostaria muito se a vida não acabasse, mas isso é só uma fantasia.

  153. Espírita Sp Diz:

    Larissa sobre as senhas do CX elas ficaram com Euripedes Higino (filho adotivo), Euripedes Tahan Vieira( medico de chico que apareceu na tv e testemunhou o momento em que CX melhorou da Pneumonia quando duas luminosas entidades passaram pela janela do hospital) e uma senhora já desencarnada.
    Uns especulam que CX esqueceu por completo a senha depois que passou para a Alvorada Nova.
    Lamentávelmente soube que há mediuns querendo que os Euripedes passem a senha a eles. Mas ate agora nao liberaram ainda bem

  154. Espírita Sp Diz:

    Demóstenes meu caro depredaram o tumulo blindado de CX. Como explicar essa blindagem? Euripedes nem gastou dinheiro com isso

  155. vinicius Diz:

    Marciano
    VINICIUS, obrigado por sua resposta
    “Você vai acabar descrendo do resto também. Continue estudando e questionando.
    Eu gostaria muito se a vida não acabasse, mas isso é só uma fantasia”
    olha eu não encaro ainda como fantasia, mas como uma possibilidade. não é porque vários “médiuns” escreveram um montão de bobagens que vou descrer de tudo assim.
    Sabe, acho possivel pois é uma crença que perdura há muito tempo, desde o inicio da humanidade, em qualquer registro histórico há pessoas que acreditam nessa tal vida após a morte (veja bem: eu disse “acreditam”, não provam nada).
    As religiões pintaram e bordaram com essa tal vida após a morte que ao invés de provar a sua existência acabaram tornando-a ridícula. O Espiritismo não cumpriu o papel da provar sobrevivência, fez pior: fez tudo cair no ridiculo com essas obras esdruxulas com anões tarados, carnaval depravação no além, aérobus, pimenteira desaparecendo de um lugar para o outro, flores sumindo da mesa e aparecendo pra pessoa.

    Marciano, só acho que você bate o martelo com muita certeza que a vida acaba (não abre nem uma mera possibilidade de 1% ? )

  156. vinicius Diz:

    Lamentávelmente soube que há mediuns querendo que os Euripedes passem a senha a eles. Mas ate agora nao liberaram ainda bem

    Que senha complicada é essa ?

    Chico não quis ir para uma colônia menos tecnologica (com fichas kardex) ainda não teria preocupações com alfanuméricos, letras maiusculas e minusculas, combinações de números etc.

    Tá vendo MARCIANO, o que quis dizer sobre RIDICULO?

  157. Marciano Diz:

    VINICIUS, ficaria muito entediante eu explicar, mas acredite: não abro uma possibilidade nem de dez elevado a menos infinito por cento.
    Antiguidade não é garantia de nada. Durante toda a antiguidade e até recentemente, por exemplo, acreditaram que a terra era plana e muitas outras coisas. Big deal!
    .
    Tô vendo muito bem o ridículo disso tudo.
    Racionalização pura.
    Vale tudo para evitar a dissonância cognitiva.
    Que diabos é esse negócio de fichas kardex, de que vocês falam?

  158. Marciano Diz:

    Ah, já sei. Negócio de Excel.
    Deletei essa droga do meu computador.
    O Excel não gosta de mim e eu não gosto do Excel.
    No meu tempo de contador não existia isso, pelo menos não me lembro.
    http://www.mailxmail.com/curso-estados-financieros-ejercicios-herramientas-auxiliares

  159. Marciano Diz:

    O whisky e o whiskey gostam de mim e eu gosto deles.
    .
    Curioso esse nome Eurípedes Cardoso de Menezes, tão incomum, estar ligado dessa maneira estranha.
    Quando eu estudava probabilidades eu diria que a probabilidade de ocorrência desse fenômeno seria próxima do nulo. No entanto, parece que ele e real. Que é estranho, isto é.
    Duas pessoas chamadas Eurípedes é coisa rara de encontrar na mesma sala, que dirá com a mesma senha.
    Eu, pessoalmente, nunca conheci alguém chamado Eurípedes. E olhem que eu conheço muita gente.
    Não estou dizendo que os nomes foram inventados. Sei que são reais. Só gostaria de saber se é pura coincidência ou se existe alguma razão para os nomes incomuns serem destinatários da senha.

  160. Gorducho Diz:

    Na verdade a senha seria p/CX se comunicar c/esses amigos e filho e eles saberem que de fato era ele.
    Publicamente passado tanto tempo já perdeu o sentido pela própria possibilidade de vazamento, intencional ou não.
    O informado pelo Sr. Orlando é trágico…
     
    Sr. Orlando: é verdade que CX telefonou desde o consultório – vazio, é claro – desse Dr. Euripides p/uma conhecida, mas só chamou?
    Se sim, não teria sido mais simples ele psicografar através dela – que é médium – a senha?
    Que diz?

  161. Gorducho Diz:

    Ah!… conforme tangenciado pelo AV (Que senha complicada é essa ?): se é complicada, CX provavelmente a essas alturas já esqueceu!

  162. Gorducho Diz:

    Ah, já sei. Negócio de Excel. &c.
    La Contabilidad Computarizada (contabilidad con Excel y Outlook principalmente) se refiere a la relación entre la Contabilidad y la Informática.
     
    Contabilidade não se faz c/Excel; faz-se c/banco de dados.
    Claro que são exportados relatórios gerenciais, análises gerenciais agregadas (o chiq é chamar data warehouse) & semelhantes. Mas a contabilidade real não.

  163. Larissa Diz:

    Essa das senhas foi o maior tiro no pé que o CX deu.

  164. Antonio G. - POA Diz:

    Contra o chiquismo, realmente, o blog do inestimável Vitor presta um grande serviço ao deixar transparecer os equívocos, farsas e fraudes nestes assuntos “espiritistas”. Não era bem este o seu propósito (do Vitor), sabemos, mas as matérias aqui postadas e as discussões acerca das mesmas vão, uma após outra, mostrando a absoluta falta de evidências da existência de espíritos e suas proezas (reencarnação, comunicação, interação com o mundo físico, etc.).
    O Vitor “atirou no que viu e acertou no que não viu”. rsrsrs

  165. Larissa Diz:

    http://www.sobrenatural.org/materia/detalhar/4232/comunicacao_com_os_mortos___03/

  166. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    MARTINIANO: “Veja, MONTALVÃO, que lamentável!
    Não poderemos contar com os préstimos do inteligentíssimo GORDUCHO em nossa futura igrejinha, aquela do cafezinho com pão e ovo.”
    /.
    PONDERAÇÃO: claro que podemos, basta dar a função certa ao homem: ele poderá ficar na portaria separando os bodes das ovelhas… o pão com ovo deixe que eu sirvo…

  167. vinicius Diz:

    “Marciano Diz: setembro 22nd, 2015 às 1:02 AM Que diabos é esse negócio de fichas kardex, de que vocês falam?
    AG definiu muito bem como “Kardex” várias fichas que constam em um local no além acima da FEESP (não sei se você é de SP ou conhece SP Capital, é uma das “federações” daqui) chamado Instituto de Confraternização Universal. Nesse lugar há o chamado “Salão da Direita” com milhões de fichas daqueles que terminaram o curso de Aprendizes do Evangelho. Tecnicamente eu estou fichado nesse lugar :lol:
    Segue “trecho do livro” que AG postou e explicação de Kardex
    1. Gorducho Diz:
    setembro 20th, 2015 às 9:11 PM
    Bom, kardex é conclusão minha visto que milhões de fichas p/serem processadas regularmente sem siquer um dBasesinho ou COBOL só c/um mega-kardex mesmo, certo (cheguei a conhecer c/cadeiras rolantes sobre trilhos no piso…)?
    Editado fora da sequência p/facilidade:

    Se pegarmos um mapa da cidade de São Paulo e traçarmos uma linha, ligando a região de Santo Amaro à de Vila Maria, e outra, ligando a região de São Caetano à da Freguesia do Ó, teremos uma ideia da cruz que a Cidade Espiritual de São Paulo forma. Indo para o Centro, na parte em que estão situados os Bairros da Liberdade e Bela Vista; e é o Bairro da Bela Vista que mais interessamos conhecer, pois aí, é que fica o Edifício do “Instituto dConfraternização Universal”, como Centro da organização espiritual de São Paulo, localizado no Espaço.
    Depois de nos libertarmos dos nossos pontos de vista “terrenos”, fomos novamente convidados a conhecer o Salão da Direita, e, qual não foi a nossa surpresa, ao nos defrontarmos com um enorme fichário, onde milhões de fichas se encontravam destacadas por cores diversas.
    Perguntamos o que, ou melhor, de quem eram aquelas fichas, e os Espíritos Maiores nos disseram que todos aqueles que, através das Escolas de Aprendizes, ou de uma reforma íntima, se tornaram discípulos de Jesus estavam ali fichados, para que fossem acompanhados no seu desenvolvimento terreno.

    [INSTITUTO DE CONFRATERNIZAÇÃO UNIVERSAL E AS
    FRATERNIDADES DO ESPAÇO editado pela própria FEESP]

  168. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Sei que não existem provas consideradas científicas de fenômenos licantrópicos, por outro lado, também não há provas da inexistência dos mesmos. Assim, o placar estáOXO”
    /.
    PONDERAÇÃO: sabemos que inexistem provas de que há féretros de anões, tampouco há provas de que eles não morrem, o placar também é oxo…

  169. vinicius Diz:

    11. Marciano Diz:
    setembro 22nd, 2015 às 1:05 AM
    Ah, já sei. Negócio de Excel.
    Deletei essa droga do meu computador.
    O Excel não gosta de mim e eu não gosto do Excel.
    No meu tempo de contador não existia isso, pelo menos não me lembro.
    http://www.mailxmail.com/curso-estados-financieros-ejercicios-herramientas-auxiliares
    AM: trabalho com Excel o dia inteiro. Você é Contador? Somos colegas de profissão hein : lol:
    As fichas Kardex podem ser feitas com papel, Essa colônia é arcaica, nem conhece o Excel.
    .AG: tem como mandar uma listinha das caras e caretas que você manda ? só sei a “:lol : “
    Para definirem o André Luiz como suicida consultaram essas tais fichas? Não me recordo ! Se for, explica-se a demora em resgatá-lo: até encontrarem o que o pobre diabo aprontou na Terra!

  170. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Uma faringite bacteriana pode ser facilmente curada com Belladona.”
    /.
    PONDERAÇÃO: prefiro allium sativum e gelsemium c3

  171. vinicius Diz:

    1. Espírita Sp Diz:
    setembro 21st, 2015 às 3:15 PM
    Irmão Vinicius acorde. O que são 50 frases erradas perto de milhões de frases corretas?
    A ciência oficial já cometeu um monte de erros e o tempo foi corrigindo. Kardec pode ter errado mas com certeza se arrependeu das frases contra negros e voltou moreno reencarnado.

    Voltou moreno reencarnado??? Kkk, quem o Chico? Olha ESPIRITAS P dizem que essa história de Chico reencarnação de Kardec também é motivo de muita discórdia nas igrejas espiritas… Um dos argumentos é que Chico não tinha pulso firme e era muito passivo com os espíritos.
    Não sei se são 50 erradas viu…
    Qual o problema de uma veia do coração estar cortada se tem outras funcionando né?

  172. Gorducho Diz:

    Eu sou flexível… mas a igreja tem que adotar a Teologia da Pro$peridade.
    Pão c/ovo é que nem sopa.
    Nossa religião tem que prometer é cartão de crédito na carteira, pro fiel poder ir numa galeteria se morar em Caxias, no Porcão ou na Colombo se morar aí. Com a mulher, sogra & fillhos, claro.
    Café da manhã não me lembro onde se pode tomar… A Leitaria Suíça não deve existir mais não é?

  173. Espírita Sp Diz:

    Larissa Diz:
    setembro 22nd, 2015 às 9:19 AM
    Essa das senhas foi o maior tiro no pé que o CX deu.
    Antonio.
    Eu não penso assim: os espíritos sentem uma certa confusão ao partirem para o lado de lá. Veja no livro dos espíritos. Eu já esqueci senhas e compromissos importantes, poderia ser o mesmo com chico.
    A carta psicografada da minha avó prova isso
    Ela está mais mansa e aceitou Jesus.

  174. Espírita Sp Diz:

    Adoro pão com ovo e sopa de feijão reforçada com musculos.
    O centro não é pra ficarmos ricos: é pra aprender o evangelho do nosso senhor jesus.
    Poxa eu não li ainda essa livro das fichas kardex.
    Atualmente estou refazendo o curso de aprendizes pela sétima vez
    Estou com a ficha limpa.

  175. Gorducho Diz:

    Kardex não se refere somente a fichas p/controle de estoque…
    Por simplicidade deixei de mencionar que junto c/as fichas tem os envelopes (presumo) c/os filmes – depois cito…
     
    http://www.kardex.co.uk/uploads/pics/Kardex-Megamat-RS-storage-management.jpg

  176. Contra o chiquismo Diz:

    Espírita Sp Diz:
    SETEMBRO 22ND, 2015 ÀS 9:56 AM
    é pra aprender o evangelho do nosso senhor jesus.
    .
    .

    Nota-se a sua veneração e respeito ao escrever com minúscula…
    .
    .
    scur fanfarrão!

  177. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Queria ver um psiquiatra tratar uma Síndrome de Pica com homeopatia. Ambra grisea deve ser uma boa pedida.”
    ./
    PONDERAÇÃO: Êpa!
    .
    .
    “Sim, a Síndrome de Pica existe – “é uma rara condição dos seres humanos, e se caracteriza por um apetite por substâncias não nutritivas, como terra, carvão ou tecidos.””
    ./
    PONDERAÇÃO: Ah, assim sim… mas pensei que no apetite por “coisas não nutritivas” estivesse algo mais incluído…
    .
    Quem tem infestação de lombrigas sente compulsão por comer terra; bate, então, a dúvida: será pela lombriga ou pela pica?

  178. vinicius Diz:

    Por tudo que li e ouvi até agora no blog e fóruns sobre fraudes, plágios etc creio que as senhas de CX foram de finalidade $$$ comercial $$$, ou seja, evitar que autores psicografassem o dito cujo e publicassem obras em seu nome, no intuito de vender livros.
    Se na hipótese de surgir algum livro “ditado por CX”, muitos vão perguntar: “tem a senha? “, “foi confirmado pelos 2 Eurípedes que é autentico” … como não vai ter essa confirmação, as vendas serão fracas…
    CX não deu tiro no pé: esperto, fez como AGATHA CHRISTIE que matou seus personagens POIROT e MRS.MARPLE para que nenhum outro escrevesse histórias deles. Fala até que EMMANUEL reencarnou para que nenhum metido a médium psicografasse sua famosa criação ( e do Waldo também claro).

  179. Gorducho Diz:

    Atualmente estou refazendo o curso de aprendizes pela sétima vez
     
    Bom, que o Sr. não estuda verdadeiramente a Doutrina – só fica bazofiando… – está claro pra nós há anos :mrgreen:

  180. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    PISÍRITA SP: A ciência oficial já cometeu um monte de erros e o tempo foi corrigindo. Kardec pode ter errado mas com certeza se arrependeu das frases contra negros e voltou moreno reencarnado.
    /.
    PONDERAÇÃO: mais um que abraça a tese de que Chico era Kardec…

  181. Contra o chiquismo Diz:

    Poxa, eu tinha tantas revistas suecas… será que eu era ‘espirita’ e não sabia?
    .
    .
    Pior, eu acho que era um deles, um reencarnado da cidade estranha, pois sonhava em estrelar uma dessas revistas.

  182. Gorducho Diz:

    evitar que autores psicografassem o dito cujo e publicassem obras em seu nome
     
    [3:20]
    https://www.youtube.com/watch?v=-S1gKX91CL8

  183. Gorducho Diz:

    Ah! Não tinha captado que o Sr. Orlando é adepto de Kardec = CX…
    Mas veja que é provavelmente sim, AMo, pois que o Kardec não apareceu no velório do CX, como bem notou o AV.

  184. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Lamentávelmente soube que há mediuns querendo que os Euripedes passem a senha a eles. Mas ate agora nao liberaram ainda bem”
    /.
    PONDERAÇÃO: quando for conveniente uma volta triunfal-espiritual de Chico, para incrementar o espiritismo, é certo que as senhas serão “reveladas” pelo ente comunicante, e vai ser festa para muito tempo. Senha não é bom método de aferir se espírito comunica. A ideia embutida nessa tática é a de que mortos efetivamente falam com vivos, só careceria conferir se quem se manifesta é mesmo quem diz ser.
    .
    Mais ou menos como fazia Drayton Thomaz com Osborne, cujos experimentos, para alguns adormecidos, foi o suprassumo da demonstração de invisíveis agindo entre os visíveis. Thomaz estava tão certo de que falecidos voltam para fuxicar assuntos terrenos que deixou de lado qualquer verificação objetiva da crença: passou direto para o finalmente, ou seja, aferir até onde conseguiam ir comunicativamente… Com isso, a pesquisa do esforçado investigador já nasceu afogada.
    .
    Pra saber se defuntos falam aos vivos é muito simples. Aqui mesmo no sítio há dezenas de ideias criativas a respeito, nenhuma delas posta em prática pelos crentes, os quais preferem deleitar-se no conforto da certeza alicerçada em gelatina…

  185. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Eu, pessoalmente, nunca conheci alguém chamado Eurípedes.”
    /.
    PONDERAÇÃO: conheci um lhamado Euclides, será coincidência ou haverá algo aí oculto? Também conheci um chamado Vashintão…

  186. Vitor Diz:

    “Thomaz estava tão certo de que falecidos voltam para fuxicar assuntos terrenos que deixou de lado qualquer verificação objetiva da crença: passou direto para o finalmente, ou seja, aferir até onde conseguiam ir comunicativamente… Com isso, a pesquisa do esforçado investigador já nasceu afogada.”
    .
    Metodologicamente ele não fez nada diferente do que você mesmo sugeriu como teste (que foi: verificar se espíritos estão presentes lendo livros em algum aposento não acessível ao médium). Você está dando um tiro no próprio pé assim. E não há problema algum em ir direto aos finalmentes, pois isso também serve como prova de espíritos. Afinal, você mesmo disse que só um espírito seria capaz de tal façanha, já que os resultados de PES em laboratório indicariam que PES tão atinge tal magnitude (no que eu discordo, mas já que vc quer pensar assim, isso só facilita mostrar os problemas na sua crítica). Então ir direto aos finalmentes não afoga nada…

  187. MONTALVÃO Diz:

    PISÍRITA Sp Diz:

    Larissa Diz: Essa das senhas foi o maior tiro no pé que o CX deu.
    .
    “Eu não penso assim: os espíritos sentem uma certa confusão ao partirem para o lado de lá. Veja no livro dos espíritos. Eu já esqueci senhas e compromissos importantes, PODERIA ser o mesmo com chico.”
    ./
    PODERIA, do verbo: “mas também pode não ser”, quer dizer, o placar continua oxo… Não se pode parametrizar a memória de Chico, um ente ultradesenvolvido, tanto cá quanto acolá, com a capacidade memorativa de qualquer mortal. Chico não só não esqueceu de nada, mas também lembra de tudo…
    /
    /

    “A carta psicografada da minha avó prova isso
    Ela está mais mansa e aceitou Jesus.”
    /.
    PONDERAÇÃO: considerando que do lado de lá todos se tornam, compulsoriamente, espíritas (vide a literatura chicoxaveriana), podemos concluir que sua distinta progenitora é um espírito brincalhão…

  188. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Adoro pão com ovo e sopa de feijão reforçada com MUSCULOS.”
    /.
    PONDERAÇÃO: quais os “músculos”: bíceps, tríceps, glúteos, longo adutor…?

  189. Gorducho Diz:

    Vejam que é um kardex mais elaborado, provavelmente semelhante ao que apontei, pois que tem um lugar p/armazemar junto o microfilme (o do ano anterior decerto vai prum arquivo morto).
     
    todos os anos os Benfeitores responsáveis descem à Terra, para analisar tudo o que fazemos e o que fizemos; eles vêm munidos de um pequeno aparelho filmador; verificam e filmam, através do nosso pensamento, a capacidade que tivemos de servir e de amar. Essa película adquirida vai juntar-se à ficha guardada no Salão da Direita, no Plano Maior.

  190. Antonio G. - POA Diz:

    Montalvão ponderou (sobre os aludidos efeitos terapêuticos da Belladonna sobre a faringite bacteriana):

    “prefiro allium sativum e gelsemium c3″.
    .
    Comento: Também servem, mas estes são mais indicados para casos de gripes e resfriados. Na verdade, qualquer coisa serve, incluso pílula de farinha. O importante é acreditar.

  191. Antonio G. - POA Diz:

    Esse Scur…. rsrsrs

  192. Gorducho Diz:

    teste…
    :P

  193. Gorducho Diz:

    teste…
    ;)

  194. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    GORDUCHO: Ah! Não tinha captado que o Sr. Orlando é adepto de Kardec = CX…
    Mas veja que é provavelmente sim, AMo, pois que o Kardec não apareceu no velório do CX, como bem notou o AV.
    ./
    PONDERAÇÃO: mas tal não é definitivo: note que faltaram muitos nas exéquias xaverianas: Flammarion, Leon Denis, Anton Mesmer, Aksakoff, Bezerra, Lombroso, Doyle, Katie King, Gladys Osborne, Drayton Thomas, irmãs Fox, Gibier, Inácio de Loiola… nem Jesus foi…

  195. Contra o chiquismo Diz:

    Alguém sabe se o sCUr é maluco de verdade ou palhaço mesmo?

  196. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Metodologicamente ele não fez nada diferente do que você mesmo sugeriu como teste (que foi: verificar se espíritos estão presentes lendo livros em algum aposento não acessível ao médium).”
    /.
    PONDERAÇÃO: perdeu, ou ainda não achou, a prudência cética, mas tem a perspicácia de intuir que o assunto é consigo: ainda há esperança…
    .
    Realmente, os testes de Drayton na leitura de livros atenderiam plenamente o reclamo, desde que pudessem ser, e viessem sendo, devidamente replicados, e, se fossem reais testes, em vez da pantomima que foram… Sugiro conferir discussões já havidas para clareamento da memória: meus dedos não mais suportam infindas repetições do mesmo…

  197. vinicius Diz:

    7. MONTALVÃO Diz:
    SETEMBRO 22ND, 2015 ÀS 10:27 AM
    /
    /
    “Eu, pessoalmente, nunca conheci alguém chamado Eurípedes.”
    /.
    PONDERAÇÃO: conheci um lhamado Euclides, será coincidência ou haverá algo aí oculto? Também conheci um chamado Vashintão…

    Tem dois Eurípedes lá nas plagas uberabenses:

    Médico (Eurípedes Tahan Vieira)
    http://www.youtube.com/watch?v=wQxQyjM_5zM

    Filho adotivo (Eurípedes Higino dos Reis)
    http://www.youtube.com/watch?v=xqF7cCVSHQE

  198. Antonio G. - POA Diz:

    Contra, Scur é um pândego, galhofeiro, folgazão, caçoísta.

  199. Gorducho Diz:

    PONDERAÇÃO: mas tal não é definitivo &c.
    :o
     
    Dentro de poucos instantes, o silêncio se fez natu­ralmente maior e um venerável senhor, ladeado por Ir­mão José e Herculano Pires, este um dos vultos mais importantes da Doutrina nos últimos tempos, assomou discreta tribuna e começou a falar.
    — Quem é? Perguntei, à meia-voz…
    Léon Denis — respondeu-me Odilon com um sussurro.
     
    Os cinco espíritos, que não posso lhes dizer que tenham assumi­do forma propriamente humana, foram sendo identifi­cados por nós: eram Bezerra de Menezes, Emmanuel, Eurípedes Barsanulfo, Veneranda e Celina, a excelsa mensageira de Maria de Nazaré.
     
    O silêncio reinante era de tal ordem, que, aos nos­sos ouvidos, a voz inarticulada da Natureza nos parecia uma sinfonia; de minha parte, confesso-lhes que eu nunca tinha ouvido a música dos astros e nem podia imaginar que o próprio silêncio tivesse voz.
    A faixa de luz azulínea que se transformara num arco-íris ainda se mostrava mais viva, e todos permane­cíamos na expectativa do que não sabíamos pudesse acontecer.
    Direcionando os sentidos, quis ver, naquela hora, como os preparativos para o féretro estavam desenvol­vendo-se no Plano Físico e, justamente, quando começou a ser entoada a canção “Nossa Senhora” e os nos­sos irmãos começaram a movimentar-se, dando início ao cortejo, uma Luz indescritível, descendo por aquele leque iluminado que ligava a Terra ao Infinito — a faixa de luz que ali se instalara logo após ter sido armado o velório no “Grupo Espírita da Prece” —, uma Luz que, para mim, era muito superior à luz do próprio Sol e que me acionava a memória para a lembrança da visão que Paulo teve do Cristo, às portas de Damasco, repetiu com indefinível ternura:
    — “Vinde a mim, todos os que andais em sofri­mento e vos achais carregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou man­so e humilde de coração, e achareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”.
    Aquela Extraordinária Visão, que sequer povoava os meus sonhos mais remotos de espírito devedor, es­tendeu dois braços humanos reluzentes e, quando notei que o Chico em espírito se transferia dos braços de Cidália para aqueles Braços que o atraíam, digo-lhes que, desde quando fui beneficiado com o laurel da ra­zão, não tenho recordação de jamais ter chorado tan­to…
    Aquela Luz, que se humanizava parcialmente para que pudéssemos vê-la, estreitou Chico Xavier ao peito e depositou-lhe um ósculo santo na fronte e, em seguida, partiu, levando-o consigo, despedindo-se com inesquecível sorriso dos que continuavam presos ao abismo, sentenciados pelo tribunal da consciência culpada
    .

  200. vinicius Diz:

    1. Gorducho Diz:
    SETEMBRO 22ND, 2015 ÀS 10:45 AM
    Vejam que é um kardex mais elaborado, provavelmente semelhante ao que apontei, pois que tem um lugar p/armazemar junto o microfilme (o do ano anterior decerto vai prum arquivo morto).

    todos os anos os Benfeitores responsáveis descem à Terra, para analisar tudo o que fazemos e o que fizemos; eles vêm munidos de um pequeno aparelho filmador; verificam e filmam, através do nosso pensamento, a capacidade que tivemos de servir e de amar. Essa película adquirida vai juntar-se à ficha guardada no Salão da Direita, no Plano Maior.

    Eles filmam nossos momentos íntimos com as namoradas também ? aff.
    Estão me filmando no site obras psicografadas? Adeus Ficha!

  201. vinicius Diz:

    14. MONTALVÃO Diz:
    SETEMBRO 22ND, 2015 ÀS 10:55 AM
    PONDERAÇÃO: mas tal não é definitivo: note que faltaram muitos nas exéquias xaverianas: Flammarion, Leon Denis, Anton Mesmer, Aksakoff, Bezerra, Lombroso, Doyle, Katie King, Gladys Osborne, Drayton Thomas, irmãs Fox, Gibier, Inácio de Loiola… nem Jesus foi…

    AM, Bezerra foi , aliás, estava coordenando o evento junto com Emmanuel.

  202. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    G POA: Montalvão ponderou (sobre os aludidos efeitos terapêuticos da Belladonna sobre a faringite bacteriana):
    “prefiro allium sativum e gelsemium c3?.
    .
    Comento: Também servem, mas estes são mais indicados para casos de gripes e resfriados. Na verdade, qualquer coisa serve, incluso pílula de farinha. O importante é acreditar.
    /.
    PONDERAÇÃO: pílula de farinha?… Hummm, acho que dependerá de que farinha seja…
    .
    Faringite bacteriana se cura de muitos modos, pode usar Bryonia ou spongia, ou ambos. Mas, tem razão: o allium e o gelsemium são mais para a gripe, porém combatem alguns sintomas da faringite, quais febre, cansaço…
    .
    Já eu, enquanto médico homeopata, faço “borbulejos” com própolis e, se necessário, recorro a antibióticos: não falha…
    .
    Depois ainda dizem que homeopatia não funciona…

  203. Gorducho Diz:

    Só estes sei fazer, AV:
    :( :(
    :) :)
    :D :D
    ;) ;)
    :o :o
    :mrgreen:

  204. Larissa Diz:

    Sr. Espírita… tá sertu.

  205. Gorducho Diz:

    :mrgreen: :mrgreen:
    :P :P

  206. Gorducho Diz:

    Eles filmam nossos momentos íntimos com as namoradas também ?
     
    Não! É muito mais ético que a NSA do Obama…
    O filme só capta sua moralidade, e intentos de servir a Jesus e amar ao próximo no bom sentido, i.e., não entra a sacanagem!

  207. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Tem dois Eurípedes lá nas plagas uberabenses:
    1 – Médico (Eurípedes Tahan Vieira)
    2 – Filho adotivo (Eurípedes Higino dos Reis)
    /.
    PONDERAÇÃO: Eurípedes Tahan Vieira foi um dos médicos que atestaram os poderes de Otília Diogo, um dos mais ativos do grupo. Foi um dos três signatários do chamado “Manifesto dos médicos”, no qual execraram a Revista O Cruzeiro por ter ousado qualificar Otília de fraudadora. Ele seguiu acompanhando Chico Xavier nos anos posteriores. Quando uma luz “misteriosa” teria entrado no quarto de hospital em que Xavier convalescia, Tahan eufórico garantiu que tão logo o raio adentrou Chico melhorou… Mais tarde o médium revelou que era Emmanuel a visitá-lo. “Ah, mas eram dois raios de luz”, alguém informou. “É que minha mãe veio junto”…

  208. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Dentro de poucos instantes, o silêncio se fez naturalmente maior e um venerável senhor, ladeado por Irmão José e Herculano Pires, este um dos vultos mais importantes da Doutrina nos últimos tempos, assomou discreta tribuna e começou a falar.
    — Quem é? Perguntei, à meia-voz…
    — Léon Denis — respondeu-me Odilon com um sussurro.”
    /.
    PONDERAÇÃO: Pô, devem ter me apresentado uma lista de presença falsificada…

  209. Vitor Diz:

    “Realmente, os testes de Drayton na leitura de livros atenderiam plenamente o reclamo, desde que pudessem ser, e viessem sendo, devidamente replicados, e, se fossem reais testes, em vez da pantomima que foram…”
    .
    Os testes FORAM replicados. Há uma replicação por Pamela Glenncover no livro “The Earthen Vessel” (disponibilizado no archive.org). Um exemplo bem rápido:
    .
    Now take out the fifth book, Bim says, from left to right, and look at page 16, and find a message for his Mother. Quite near the top of the page. Something he is trying very hard to do for her, and with her”
    .
    [Agora pegue o 5º livro, Bim diz, da esquerda para a direita, e olhe na página 16, e encontre uma mensagem para a mãe dele. Muito próximo ao topo da página. É algo que ele está tentando desesperadamente fazer por ela, e com ela"]
    .
    This book, the fifth in the shelf counting from left to right, we found to be an autobiography by Agnes Weston,and on the top of the 16th page these words occur:
    .
    [Este livro, o 5º na prateleira da esquerda para a direita, revelou-se ser uma autobiografia de Agnes Weston, e no topo da página 16 ocorriam estas palavras]
    .
    To make the children happy, and my Mother, , . ,”
    .
    [Para fazer as crianças felizes, e a minha mãe]
    .
    I was present when these Book-Tests were verified.
    .
    [Eu estava presente quando estes testes de livro foram verificados]
    (Signed) Glenconner.

  210. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “AM, Bezerra foi , aliás, estava coordenando o evento junto com Emmanuel.”
    /.
    PONDERAÇÃO: o Bezerra a que me refiro não é o Menezes, sim o Zé da Bezerra, um que dizia não perderia o evento por nada deste mundo…
    .
    Mas Jesus não foi…nem Paulo, Pedro, João, nem Públio Lêntulo quis comparecer…
    Só se o Salvador fosse os braços luminosos, digo, reluzentes, que carregaram o médium para onde não se sabe… mas aí fica a dúvida

  211. Antonio G. - POA Diz:

    Montalvão, por favor, não fale em Otília Diogo!!! Eu não aguento!!! Não posso me lembrar do Chico posando de mãozinhas dadas com a materilização da Irmã Josefa!!! Disparo a rir e não consigo parar… Perco totalmente o autocontrole! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  212. Gorducho Diz:

    Sua persistência é admirável, Sr. Administrador!
    Vamos fazer então esses testes; como disse a nossa Liderança da Bancada também serve se vocês espíritas preferirem.
    E p/facilitar ao espírito, só vai ter 1 livro na sala e no idioma padrão culto português (suponhamos que façamos cá, claro…) e proibido ser um livro especializado (i.e., aproveitando o que foi aventado acima, um livro sobre contabilidade não pode…).
    Vamos lá então parar de falar no passado e, como diz o americano, levantar os traseiros das poltronas?

  213. Antonio G. - POA Diz:

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  214. Antonio G. - POA Diz:

    kkkkkkkkkkkkkkk….
    vou… kkkkkkkkkkkkkkkk… sair… kkkkkkkkkkkk…
    Quando conseguir parar de rir,… kkkkkkkkkkkkk… eu volto.
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…

  215. Gorducho Diz:

    Não fica dúvida nenhuma! Está claríssimo!
    Acontece que no espiritismo, Ele não integra a ST, de sorte que até p/Ele certas coisas são impossíveis, tais como reconstruir totalmente um peri-espírito c/a densidade vibratória daquele ambiente, visto que Ele é completamente desmaterializado, não tem peri-espírito.
    Claro que o Sr. nunca tendo sido espírita não tem obrigação de saber esses detalhes…
    Mas nós sim, visto que nunca fomos folgazões no estudo e ficamos rodando como o Sr. Orlando…

  216. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Os testes FORAM replicados. Há uma replicação por Pamela Glenncover no livro “The Earthen Vessel” (disponibilizado no archive.org). Um exemplo bem rápido”:
    .
    [Agora pegue o 5º livro, Bim diz, da esquerda para a direita, e olhe na página 16, e encontre uma mensagem para a mãe dele. Muito próximo ao topo da página. É algo que ele está tentando desesperadamente fazer por ela, e com ela"]
    /.
    PONDERAÇÃO: De fats, ninguém mais pode reclamar falta de replicação perante exemplo tão contundente…
    .
    E eu estava lá, vi tudo, era o faxineiro da casa, em minha septuagésima encarnação. Vou contar o que sucedeu em seguida a seguir.
    .
    O pesquisador, pasmado ante a escorreiteza da prova, não teve outro caminho senão exclamar: “putzgrilo, nunca imaginei que depararia demonstração tão supimpa! Mas, querido e amado espírito, té agora tudo o que fizemos foi seguir suas orientações, tipo: “procure o livro tal e em tal ponta encontrará algo assim assim…”, pois bem seu pisírito, agora vamos inverter o processo: o controle fica comigo. (O espírito olhou desconfiado para o experimentador, mas nada disse).
    .
    É o seguinte, continuou o investigador cético, tenho cá comigo um livro, encapadinho por outra pessoa que não eu, portanto não sei que obra seja. Vou abri-lo a êsmo, com as páginas viradas para baixo, de modo que ninguém aqui presente tenha condição de ver o conteúdo, mas para um desencarnado será mole dizer-nos duas ou três frases aqui contidas. Fazendo isso, querido morto, eu prometo não só me converter, como passarei o restante de minha longa existência defendendo a comunicação!
    Vamos lá…
    /
    O espírito, mal-humorado, respondeu: “pô, tás de brinca! Eu pensei que esta fosse reunião séria! Aqui não fico mais! E escafedeu-se sem mais lenga-lenga…
    .
    O final do encontro foi um bafafá único: os mediunistas presentes acusaram o pesquisador de estragar as provas e o expulsaram do recinto…
    .
    Depois ainda reclamam da falta de confirmação…

  217. Espírita Sp Diz:

    O Divaldo estara aqui em SP: movimento você e a paz. Dia 26/09 parque da mooca. Vlad, demostenes,vamos lá

  218. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    G POA: Quando conseguir parar de rir,… kkkkkkkkkkkkk… eu volto.
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…
    /.
    PONDERAÇÃO: calma, meu caro, não sisqueça que Diogo foi uma desafortunada, acometida da síndrome da perda mediúnica, que a levou a recorrer a fraudulência… coitada.

  219. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    PSÍRITA Sp Diz: O Divaldo estara aqui em SP: movimento você e a paz. Dia 26/09 parque da mooca. Vlad, demostenes,vamos lá
    /.
    PONDERAÇÃO: deveras, imperdível… Certamente, da parte da espiritualidade, penca de mortos estarão: aproveite e peça ao Divaldo que produza demonstração objetiva da presença desses invisíveis. Grave e nos remeta para análise… e conversão…

  220. Gorducho Diz:

    Agora pegue o 5º livro, Bim diz, da esquerda para a direita, e olhe na página 16, e encontre uma mensagem para a mãe dele. Muito próximo ao topo da página. É algo que ele está tentando desesperadamente fazer por ela, e com ela
     
    Nosso teste é muito mais simples: não precisa apurar e depois repassar as coordenadas do livro na estante; nem # página; nem ficar fazendo reflexões filosóficas acerca do conteúdo. Pois que é só 1 livro, aberto, e é só ler qualquer trecho das 2 páginas abertas.
    Vamos então repetir o teste que já foi feito, agora duma forma muito mais fácil ao espírito, Sr. Administrador?

  221. Vitor Diz:

    “De fats, ninguém mais pode reclamar falta de replicação perante exemplo tão contundente…”
    .
    O pior cego é o que não quer ver… o espírito disse que era uma mensagem para a mãe, deu a posição do livro e a página, e a mensagem se referia à mãe. Acertar algo assim é bem difícil. Eu, por exemplo, abri o livro “região em litígio” de owen na página 16 e nada se refere a mãe alguma.
    .
    “Mas, querido e amado espírito, té agora tudo o que fizemos foi seguir suas orientações, tipo”
    .
    Errado. Já te mostrei casos em que os pesquisadores trocavam a posição dos livros nas estantes, e também selecionavam livros sem olhar e colocava-os em caixas seguras. São dois exemplos de controle pelo próprio pesquisador.
    .
    “tenho cá comigo um livro, encapadinho por outra pessoa que não eu, portanto não sei que obra seja. Vou abri-lo a êsmo, com as páginas viradas para baixo, de modo que ninguém aqui presente tenha condição de ver o conteúdo, mas para um desencarnado será mole dizer-nos duas ou três frases aqui contidas. Fazendo isso, querido morto, eu prometo não só me converter, como passarei o restante de minha longa existência defendendo a comunicação!”
    .
    Qual a diferença entre isso e as imagens em envelopes lacrados pelas quais a psíquica Lina R. Johansson passou com grande sucesso? A única diferença é que usaram imagens em vez de palavras, já que imagens são mais facilmente apreendidas pelo psíquico.
    .
    http://obraspsicografadas.org/2012/um-experimento-de-clarividncia-de-resposta-livre-com-uma-psquica-talentosa-2011/

  222. vinicius Diz:

    Espírita Sp Diz:
    setembro 22nd, 2015 às 12:13 PM
    O Divaldo estara aqui em SP: movimento você e a paz. Dia 26/09 parque da mooca. Vlad, demostenes,vamos lá

    Vamos ir. Vou pular e vibrar, pedindo a ele que psicografe CX (ele é o melhor médium segundo meus amigos espiritas). Em seguida, boto a mão no bolso $, vou até Uberaba a fim de conferir as senhas com a dupla de Eurípedes.

  223. vinicius Diz:

    A FEB nunca se interessou em obter mensagens de CX depois que ele se foi???
    as únicas mudanças que a FEB fez foi nas capas (bem mais produzidas, com figuras de alto relevo) e nos valores !! Claro , aumentando os valores…

  224. Contra o chiquismo Diz:

    Sempre vi um preconceito muito grandes dos ‘espiritas’ com as obras não editadas pela FEB.

  225. Gorducho Diz:

    Qual a diferença entre isso e as imagens em envelopes lacrados
     
    Certes… certes… vamos fazer então pra ver se é mesmo?
    O que vai ser afinal:
    ☐ livro aberto
    ☐ imagem em envelope lacrado (só não vamos aceitar leitura fria, fique claro)
    ☐ as 10 roletas do ABo
    ☐ ___________________________________________
     
    Do passado já falamos… vamos ingressar no presente?

  226. vinicius Diz:

    um colega de trabalho veio me perguntar no toilette: você é espirita cara? eu meio gaguejando falei: é, sim.
    ele: que legal , também sou.
    Depois falei que minha crença está abalada e ele ficou triste kkk, falei das obras copiadas e tal.
    as pessoas custam a acreditar, ele acha que sites como este só difamam, sem ver a fundo seu conteúdo, como eu fiz.

  227. Gorducho Diz:

    A FEB pra investir num médium que canalize CX tem que ter muito cuidado – e eles tem até Dept° de Marketing como já sublinhou a AL, de sorte que estão bem conscientes.
    Divaldo está queimado pela inimizade, e já está idoso, seria queimar cartucho em chimango (singela homenagem ao confrade Orlando….).
    E tem a questão das senhas…
    Melhor deixar CX quieto enquanto Divaldo estiver em atividade. Depois eles terão que criar algo, e aí veremos…

  228. Gorducho Diz:

    É o que digo: são posturas diferentes.
    Eu jamais tocaria em assuntos afetos à religiosidade e/ou religiões específicas no trabalho…

  229. Contra o chiquismo Diz:

    Vinicius, eu me dei mal assim combatendo a ferro e a fogo. É melhor, você não falar daqui e dizer que tem alguns questionamentos. Diga assim: -”cara, eu tava lendo o obras póstumas e me deparei com um escrito de kardec, e fiquei em dúvida, posso trazer o livro pra vc amanhã ler comigo e me sanar isso?”
    .
    .
    Aí sem mencionar o que é, vc vai com a teoria do belo e mostra pra ele.
    .
    .
    depois com a revista que kardec editou, vc leva mais coisas pra ele. Vai devagar e vc bota ele dúvida total.

  230. Gorducho Diz:

    E antes de mais nada tem a questão das senhas que é quase insuperável, a menos que se presuma desonestidade ou vazamento não-intencional, i.e.,, alguém conseguir descobrir elas sem o conhecimento dos guardiões originais ou de quem eles possam ter repassado em confiança…
    Mas muito ao acaso, independente de intenções de marketing planejado. E essa senha, supondo que descoberta por alguém desonesto, teria que ser repassada a um médium com farinha-no-saco p/canalizar credivelmente CX. Senão seria literalmente dispender a silver bullet.

  231. Antonio G. - POA Diz:

    Vitor, você disse: “Qual a diferença entre isso e as imagens em envelopes lacrados pelas quais a psíquica Lina R. Johansson passou com grande sucesso? A única diferença é que usaram imagens em vez de palavras, já que imagens são mais facilmente apreendidas pelo psíquico.”
    .
    Estranho este argumento. Ainda assim, pergunto se terá sido mesmo beeeeeeeeem assim. Duvido muito. E não porque eu tenha algum mórbido prazer em duvidar. É porque nunca é beeeeeeeeeeem assim. Já vi o suficiente prá saber disto.

  232. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Errado. Já te mostrei casos em que os pesquisadores trocavam a posição dos livros nas estantes, e também selecionavam livros sem olhar e colocava-os em caixas seguras. São dois exemplos de controle pelo próprio pesquisador.”
    /.
    PONDERAÇÃO: ora mostra casos em que o pesquisador não tem controle, ora acha uns em que pareça haver controle… mas, brilhante, notadamente o de livros em “caixas seguras”, no qual o espírito leu fartas porções do conteúdo da obras lá postadas, não foi? Por que será que os céticos continuam inacreditantes? Mas, esqueci um tantinho: dê exemplos dos trechos que os espíritos leram, clara e incontestemente… please…
    ./
    /
    MOntalvão: “tenho cá comigo um livro, encapadinho por outra pessoa que não eu, portanto não sei que obra seja. Vou abri-lo a êsmo, com as páginas viradas para baixo, de modo que ninguém aqui presente tenha condição de ver o conteúdo, mas para um desencarnado será mole dizer-nos duas ou três frases aqui contidas. Fazendo isso, querido morto, eu prometo não só me converter, como passarei o restante de minha longa existência defendendo a comunicação!”
    .
    Visoni: Qual a diferença entre isso e as imagens em envelopes lacrados pelas quais a psíquica Lina R. Johansson passou com grande sucesso? A única diferença é que usaram imagens em vez de palavras, já que imagens são mais facilmente apreendidas pelo psíquico.
    /.
    PONDERAÇÃO: se não há diferença porque não se realiza o mais simples e menos sujeito a dubiedades? se não consegue ver a diferença, talvez um bom oftalmologista resolva. Mas, vou ajudar: a diferença é que Lina não viu coisa alguma “vível”, apenas simulou, eis a diferença, fosse imagem, fosse texto, fosse números, Lina nada veria. Outra “diferença” é que com imagens dá para fazer aproximações validativas (a depender da generosidade do avaliador) com texto e números não. E, nunca é demais lembrar, a regra nº 87 da visão visual é que se se vê uma coisa vê-se outra, a não ser em casos de patologias…
    .
    Mais uma pra finalizar: Lina era fantasma? Embora ela sirva para demonstrar inconsistências noutra área, não estamos a falar de comunicação entre defuntos e vivos? Onde ela entraria aí?

  233. Antonio G. - POA Diz:

    Gorducho falou em “queimar cartucho em chimango”. Fiquei surpreso. Pensava tratar-se de uma expressão só utilizada cá por estas bandas meridionais. Frase de regionalismo gaúcho.

  234. vinicius Diz:

    AG: penso também na possiblidade de não ter havido senha alguma. A notícia da senha pode ter sido criada.

  235. vinicius Diz:

    além da FEB, o próprio DPF nunca manifestou em público, ou na imprensa escrita, a vontade de tentar evocar CX e psicografar suas palavras. Sabe que é arriscado e colocaria seu nome em risco.
    bom, a FEB já tem a GLOBO para continuar promovendo o ESP com suas novelas e a custo zero.

  236. Espírita Sp Diz:

    Meu Deus, os espíritos ja se manifestam desde o sabio Sócrates. Aqui espíritos parece ser coisa de outro mundo!
    Não é mais preciso mesas girantes.
    Aliás como explicam vocês as tais mesas que não foi kardec nem chico que inventou???
    As mesas foram noticia no mundo inteiro.

  237. Espírita Sp Diz:

    Vinicius pergunte ao divaldo sabado.
    Lembre-se que ele cuida de mais de dez mio crianças, não teria tempo e saco para psicografar chico e todos ficarem em cima dele.

  238. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “E antes de mais nada tem a questão das senhas que é quase insuperável, a menos que se presuma desonestidade ou vazamento não-intencional, i.e.,, alguém conseguir descobrir elas sem o conhecimento dos guardiões originais ou de quem eles possam ter repassado em confiança…”
    /.
    PONDERAÇÃO: não vejo as senhas com grande alegria, pois é processo sujeito a vazamentos variados. Para que fosse eficaz o controle sobre elas teria de ser próximo do absoluto, sendo abertas somente depois da revelação, com todo o processo fiscalizado rigorosamente.
    .
    Houdini, o grande mago das fugas, vivia a desmascarar médiuns, mas acreditava na possibilidade de haver comunicação. Deixou com a mulher uma senha que daria indicação de sua presença. Dezenas de médiuns tentaram por anos seguidos, todos falharam. Quando a esposa do mágico estava já bem velhinha, finalmente, o médium Arthur Ford a revelou. Pronto: espíritos comunicam! E por que a dúvida continuou? Pelo menos poder-se-ia, hoje, propalar que, em circunstâncias especiais, mortos falam com vivos, visto que para Houdini se manifestar de verdade decorreram muitos anos…
    .
    Porém, investigações mais atentas, deram conta que Ford vivia a paparicar a anciã, que não mais estava em seu melhor estado consciente e um tanto desatenta às coisas ao seu redor. Então ficou a irrespondível pergunta no ar: foi Houdini ou foi a esperteza quem fez o contato?
    .
    Por isso, sou mais favorável a testes objetivos, que dão respostas precisas e conferíveis e repetíveis…

  239. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Antonio G. – POA Diz:
    Gorducho falou em “queimar cartucho em chimango”. Fiquei surpreso. Pensava tratar-se de uma expressão só utilizada cá por estas bandas meridionais. Frase de regionalismo gaúcho.
    /.
    PONDERAÇÃO: esse piá sabe das coisas…

  240. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Espírita Sp Diz: Meu Deus, os espíritos ja se manifestam desde o sabio Sócrates.
    /.
    ?!

  241. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Como conclama o pastor Arnaldo: A Bíblia diz, em pronômios 10:17: “desde Sócrates (ou mesmo desde antes) imagina-se que espíritos se manifestam”…

  242. Marciano Diz:

    GORDUCHO, a Leiteria Colombo ainda existe, mas será reservada aos dirigentes da minha igreja e do MONTALVÃO.
    Podemos discutir o pão com ovo. Que tal um pain doré ou pain perdue?
    .
    .
    .
    CX não deu tiro no pé: esperto, fez como AGATHA CHRISTIE que matou seus personagens POIROT e MRS.MARPLE para que nenhum outro escrevesse histórias deles.
    .
    COMENTÁRIO:
    Doyle também matou Holmes, para ressuscitá-lo depois, por insistência dos leitores. Não foi para que outros não usassem o personagem, foi porque estava com o saco cheio do detetive.
    Como bem lembrou GORDUCHO, DPF reencarnou JD’Â (é assim que se matam espíritos, reencarnamo-los).
    .
    .
    .
    PONDERAÇÃO: conheci um lhamado Euclides, será coincidência ou haverá algo aí oculto? Também conheci um chamado Vashintão…
    .
    Eu tive um brother in arms chamado Arquimedes, outro chamado Teobaldo e ainda outro, chamado Militão. Claro que todos ficaram com os estranhos prenomes como nome de guerra.
    Euclides, conheci um senhor, quando era eu ainda infante, mas pelo que me lembro ele nada sabia de geometria.
    .
    .
    PONDERAÇÃO: considerando que do lado de lá todos se tornam, compulsoriamente, espíritas (vide a literatura chicoxaveriana), podemos concluir que sua distinta progenitora é um espírito brincalhão…
    .
    Eu mesmo estou arquitetando um plano B. Se depois da morte descobrir que estou vivo, vou me converter à religião do primeiro nosferatu que se me apresentar.
    .
    .
    PONDERAÇÃO: quais os “músculos”: bíceps, tríceps, glúteos, longo adutor…?
    .
    Desde que se trate de fêmea, os melhores são os glúteos. São bastante saborosos.
    .
    .
    .
    todos os anos os Benfeitores responsáveis descem à Terra, para analisar tudo o que fazemos e o que fizemos; eles vêm munidos de um pequeno aparelho filmador; verificam e filmam, através do nosso pensamento, a capacidade que tivemos de servir e de amar. Essa película adquirida vai juntar-se à ficha guardada no Salão da Direita, no Plano Maior.
    .
    A tecnologia do além é muito retrógrada.
    .
    .
    O silêncio reinante era de tal ordem, que, aos nos¬sos ouvidos, a voz inarticulada da Natureza nos parecia uma sinfonia; de minha parte, confesso-lhes que eu nunca tinha ouvido a música dos astros e nem podia imaginar que o próprio silêncio tivesse voz.
    .
    Como será que o som das vozes dos fantasmas se propaga no vácuo?
    .

    .
    Gorducho Diz:
    SETEMBRO 22ND, 2015 ÀS 11:32 AM
    Eles filmam nossos momentos íntimos com as namoradas também ?

    Não! É muito mais ético que a NSA do Obama…
    O filme só capta sua moralidade, e intentos de servir a Jesus e amar ao próximo no bom sentido, i.e., não entra a sacanagem!
    .
    E as revistas suecas?
    .
    .
    .
    .
    E eu estava lá, vi tudo, era o faxineiro da casa, em minha septuagésima encarnação. Vou contar o que sucedeu em seguida a seguir.
    .
    O pesquisador, pasmado ante a escorreiteza da prova, não teve outro caminho senão exclamar: “putzgrilo, nunca imaginei que depararia demonstração tão supimpa! Mas, querido e amado espírito, té agora tudo o que fizemos foi seguir suas orientações, tipo: “procure o livro tal e em tal ponta encontrará algo assim assim…”, pois bem seu pisírito, agora vamos inverter o processo: o controle fica comigo. (O espírito olhou desconfiado para o experimentador, mas nada disse).
    .
    É o seguinte, continuou o investigador cético, tenho cá comigo um livro, encapadinho por outra pessoa que não eu, portanto não sei que obra seja. Vou abri-lo a êsmo, com as páginas viradas para baixo, de modo que ninguém aqui presente tenha condição de ver o conteúdo, mas para um desencarnado será mole dizer-nos duas ou três frases aqui contidas. Fazendo isso, querido morto, eu prometo não só me converter, como passarei o restante de minha longa existência defendendo a comunicação!
    Vamos lá…
    /
    O espírito, mal-humorado, respondeu: “pô, tás de brinca! Eu pensei que esta fosse reunião séria! Aqui não fico mais! E escafedeu-se sem mais lenga-lenga…
    .
    O final do encontro foi um bafafá único: os mediunistas presentes acusaram o pesquisador de estragar as provas e o expulsaram do recinto…
    .
    .
    Eu também estava lá e certifico e dou fé de que tudo se passou como acima narrado. Dado e passado no ano da graça de nosso senhor jesus cristo de mil oitocentos e antigamente.
    .
    .
    .
    PONDERAÇÃO: deveras, imperdível… Certamente, da parte da espiritualidade, penca de mortos estarão: aproveite e peça ao Divaldo que produza demonstração objetiva da presença desses invisíveis. Grave e nos remeta para análise… e conversão…
    .
    Segundo consta, o número de desencarnados presentes é sempre muito maior do que o de encarnados, mas eles são muito discretos.
    .
    .
    .
    Mais perturbador do que um colega perguntar no toilette se somos espíritas é perguntar se somos gays.

    .
    .
    AM: trabalho com Excel o dia inteiro. Você é Contador? Somos colegas de profissão hein :lol:
    Não, VINICIUS, eu fui contador há milhares de anos. Depois disso transitei por várias ocupações, todas ligadas ao direito, e hoje voltei a ser advogado.
    Atualmente não somos mais colegas, mas é um prazer, do mesmo jeito.
    Eu queria mesmo era ser físico, mas tive juízo suficiente para ver que só conseguiria a formação acadêmica, mestrados, doutorados, e depois viraria professor ou algo assim.
    Fui esperto o bastante para mandar a vocação às favas e fiz contabilidade e depois, direito, onde demorei a me fixar em uma função.
    Sou inquieto mesmo. Já fui tradutor (minha primeira profissão), passei pelo glorioso exército brasileiro, pela polícia (não como preso, como policial).
    Nunca estou contente com nada, sou uma “metamorfose ambulante”, um sujeito chato que não acha nada engraçado, macaco, praia, jornal, tobogã, carro, eu acho tudo isso um saco. E não acredito em discos voadores.
    Como já há algum tempo estabilizei-me financeiramente com meu escritório, não pretendo mudar mais :cry: .
    A vida está chata, monótona.

  243. Gorducho Diz:

    Gorducho falou em &c.
     
    Sublinhei ser singela homenagem a nosso colega de Sítio, Sr. Orlando, não viu? :o

  244. Marciano Diz:

    Contra o chiquismo Diz:
    SETEMBRO 22ND, 2015 ÀS 2:22 PM
    Vinicius, eu me dei mal assim combatendo a ferro e a fogo. É melhor, você não falar daqui e dizer que tem alguns questionamentos. Diga assim: -”cara, eu tava lendo o obras póstumas e me deparei com um escrito de kardec, e fiquei em dúvida, posso trazer o livro pra vc amanhã ler comigo e me sanar isso?”
    .
    .
    Aí sem mencionar o que é, vc vai com a teoria do belo e mostra pra ele.
    .
    .
    depois com a revista que kardec editou, vc leva mais coisas pra ele. Vai devagar e vc bota ele dúvida total.
    .
    COMENTÁRIO: Flawless!
    .
    .
    Antonio G. – POA Diz:
    SETEMBRO 22ND, 2015 ÀS 3:19 PM
    Gorducho falou em “queimar cartucho em chimango”. Fiquei surpreso. Pensava tratar-se de uma expressão só utilizada cá por estas bandas meridionais. Frase de regionalismo gaúcho.
    .
    Esqueceu-se de que Orlando Roberto Scur é gaúcho e que o gauchismo foi em homenagem a ele?

  245. Gorducho Diz:

    Meu Deus, os espíritos ja se manifestam desde o sabio Sócrates. Aqui espíritos parece ser coisa de outro mundo!
     
    Puxa! agora o Sr. se superou… espíritos se manifestando pro Sócrates.
    Conte essa quando for palestrar na FEESP :lol:

  246. Antonio G. - POA Diz:

    Sim, gaudério buenacho!

  247. Antonio G. - POA Diz:

    Caiu a ficha!

  248. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    A vida está chata, monótona.
    /,
    PONDERAÇÃO: estou precisando de ajuda para passear com meus onze dogs toda tarde. Pode ser bom para quebrar a monotonia. Se quer mais emoção, pela manhã cato uma tonelada de cocô: derriba qualquer chatice. Nos intervalos escrevo ou faço faxina…

  249. Vitor Diz:

    01 – “ora mostra casos em que o pesquisador não tem controle, ora acha uns em que pareça haver controle… mas, brilhante, notadamente o de livros em “caixas seguras”, no qual o espírito leu fartas porções do conteúdo da obras lá postadas, não foi? Por que será que os céticos continuam inacreditantes? Mas, esqueci um tantinho: dê exemplos dos trechos que os espíritos leram, clara e incontestemente… please…”
    .
    No curso de suas sessões com a Sra. Leonard, M. R. H. e U. V. T. tentaram diferentes experimentos nos testes de livros tendo em vista especialmente testar a possibilidade ou a impossibilidade do conhecimento mostrado ser obtido por meio de telepatia delas próprias.
    .
    Assim, em novembro e dezembro de 1917 alguns poucos livros foram pegos por U. V. T. com os olhos vendados de uma estante e trancados em outra. Os livros não podiam ser vistos em sua nova posição, e ninguém sabia quais livros foram colocados lá. O experimento foi explicado a Feda, e em 3 sessões tentativas de fornecer testes de livros com esses livros em particular foram feitas. O resultado não foi brilhante, e não mostrou nada visível e inegavelmente correto, mas não diferiu marcadamente da média.
    .
    Em outra ocasião — 17 de julho de 1918 — uma tentativa foi feita para fazer com que A. V. B. descrevesse um livro deliberadamente selecionado por U. V. T. O experimento foi quase o contrário do último. Feda foi dita em 11 de julho que o livro seria extraído de um dos vizinhos de um selecionado por A. V. B. para um teste de livros anterior, e que seria colocado em uma estante específica. O livro escolhido foi um francês chamado Amitié Amoureuse, e consistia de uma série de cartas trocadas entre um homem e uma mulher. Tinha sido um dos livros favoritos de A. V. B., mas foi lido por M. R. H. U. V. T. o lera bem recentemente. Feda fracassou em lhe dar a posição na estante, mas em última análise forneceu uma aproximação inequívoca do título [e muitas corretas e parcialmente corretas impressões sobre o conteúdo, embora essas fossem fragmentárias e não muito notáveis.] A princípio ela não chegou mais perto além de “soa um pouco como Asia — Asieu”. Depois, entretanto, ela soletrou como A.M.U.R.E.U.S.E. e então — usando a pronúncia continental disse “Amici, Amois — não aquele Amit —… Amici, Amisé, Amicié.

    .
    Assim temos dois exemplos de controle: no primeiro, as pesquisadoras (notou que Drayton Thomas NÃO está envolvido? Trata-se de mais uma replicação independente!) selecionaram os livros a esmo e os colocaram em um local trancado (controle contra vazamento de informações), e obtiveram resultados medianos (longe de ser um fracasso, portanto). No segundo exemplo, a pesquisadora escolheu o livro (não permitindo, assim, que o espírito ditasse alguma posição na estante quanto ao livro a ser consultado: isso é controle!) e o resultado foi impressionante, já que o espírito deu o título (informação altamente específica!) praticamente exato e informações corretas quanto ao conteúdo.
    .
    Thomas também obteve resultados que envolviam títulos de livros:
    .
    A seguir, um exemplo do modo com que o comunicador é capaz de me deixar perplexo, mesmo naquelas raras ocasiões em que eu tenho uma clara ideia dos livros que se encontram no local de onde ele está selecionando o teste.
    .
    ‘Chegando agora à prateleira mais baixa próxima a porta, há um título perto da porta sugerindo grego ou relativo à Grécia’.
    .
    Neste caso, eu era capaz de lembrar que os livros mais próximos da porta sobre a prateleira mais baixa foram comprados, usados para fins de referência. Eu ainda não tinha usado os livros, e pensava neles coletivamente como ‘Os Primeiros Pais da Igreja’. Que eles se relacionavam com o grego era certo, mas eu esperava alguma referência no prefácio de escritos gregos, ou possivelmente uma citação grega na folha de rosto. Que não nada havia nada grego ou relativo à Grécia nos títulos propriamente ditos eu achava bastante certo
    [o próprio pesquisador desconhecia de forma ciente tal livro]. Qual não foi o meu espanto ao ver que o segundo a partir da porta incluía em seu título o nome ‘Atenágoras’. Isso sugere inteiramente a Grécia, e o livro afirma que Atenágoras foi um filósofo de Atenas..
    .
    Ou ainda controle por parte de Thomas (e seus amigos):
    .
    Durante o outono de 1918, o Reverendo Charles Drayton Thomas e seu amigo de confiança, mas cético, o Sr. G.F. Bird, conceberam e implementaram o procedimento a seguir em um esforço para fazer o teste de livro típico ainda mais convincente.
    .
    A pedido de Bird, um livreiro prestativo reuniu uma dúzia de volumes antigos, sem olhar para os títulos, embrulhou-os em papel e os enviou para ele. Levando o pacote para um quarto escuro, Bird retirou o embrulho e colocou os livros em uma caixa de ferro. Depois de fechar e vedar a caixa, ele a colocou na sala de estudos de Thomas. O teste, então, era determinar se os espíritos que trabalham com a médium Gladys Osborne Leonard poderiam sentir alguma parte do conteúdo de livros quando ninguém envolvido sequer soubesse quais livros estavam sendo usados.
    .
    Como é detalhado nas declarações seguintes dos espíritos e nas verificações citadas da narrativa de Thomas, o teste foi claramente bem sucedido:
    .
    SOB O TÍTULO DO SEGUNDO LIVRO DA ESQUERDA PARECE HAVER VÁRIAS LINHAS HORIZONTAIS, NÃO APENAS UMA, MAS VÁRIAS.
    .
    Este livro era A OBRA POÉTICA DE CRABBE. Enquanto nenhum dos outros [livros na caixa] tinha mais do que quatro linhas horizontais abaixo do título, este livro tinha nove linhas separadas e também uma série de ornamentos fazendo linhas estilosas. Aqui estava uma declaração definitiva que se mostrou completamente precisa.
    .
    EM UMA DAS GUARDAS – folhas em branco que ficam no princípio ou no fim de um livro – [todas estas observações referem-se ao mesmo livro] HÁ UMA MARCA QUE PARECE UMA PEQUENA IMPERFEIÇÃO.
    .
    O livro acima tinha duas guardas, e na primeira delas havia evidência de um tratamento bruto, duas dobras visíveis no papel e algumas marcas escuras feitas a creiom. Nenhum dos outros livros tinha qualquer imperfeição nas guardas.
    .
    NA PÁGINA DE TÍTULO HÁ UMA PALAVRA SUGERINDO MADEIRA OU TÁBUAS.
    .
    Esta sugestão não estava contida em uma palavra, mas em uma foto retratando um assento inacabado formado de três tábuas fixadas debaixo de uma árvore, enquanto que por perto havia uma árvore caída. Madeira e tábuas estavam, portanto, em certo sentido, indicadas na página de título. Meu comunicador tinha mais de uma vez comentado que ele achou difícil dizer se suas impressões vinham de palavras ou imagens.
    .
    NA PARTE MAIS BAIXA DA PÁGINA 5 ELE ACHOU TER VISTO UMA PALAVRA COMO “DEVELOPMENT”
    .
    Menos de 5 cm da parte mais baixa havia a palavra “developed”
    .

    .
    Dica para o Montalvão: ache um livro em inglês que tenha a palavra development ou developed na página 5 na parte mais baixa.
    .
    A PÁGINA 96, PERTO DO TOPO, DEU A SENSAÇÃO DE COMER E BEBER. ISSO FOI MUITO FORTE, E ELE GOSTARIA DE SABER NO DEVIDO TEMPO, SE ELE ESTÁ CORRETO SOBRE ISSO.
    .
    Ele estava muito correto. A 2,5 cm do topo da página nonagésima sexta a passagem seguinte iniciava:
    .
    Estas almas romanas, como os melhores filhos de Roma, sabe-se
    que vivem em cubículos em trabalhos próprios.
    Assim, Milo, poderíamos ver o chefe nobre
    Nutrir-se, para o bem de seu país, de pernas de carne bovina
    Camillus copia ações para sórdidos pagarem,
    E ainda assim enfrenta as batalhas públicas duas vezes por dia.
    Certamente agora o quase-deus Brutus vê seus ganhos
    Ornados na barra da tábua balançando pela porta;
    Onde, bebendo ponche, a própria sepultura de Cato você verá,
    E Amor Patriae vendendo chá contrabandeado.
    .
    Será admitido que ponche das tabernas e se alimentar de carne confirmam suficientemente o teste. Aqui, então, houve cinco correspondências de um livro. Isso não pode ser explicado pelo acaso, pois as probabilidades contra uma tal série de coincidências são enormes.
    .
    Thomas conclui este caso observando que isso indica que “o sucesso do meu comunicador em obter e transmitir informações nestas circunstâncias não deixa espaço para a telepatia do assistente, do amigo que me ajudou, do livreiro que emprestou os livros, ou de qualquer outra pessoa na Terra.”
    .
    Ao avaliar este caso, devemos considerar que os títulos dos livros selados em uma caixa de ferro estão tão escondidos da vista quanto as palavras em suas páginas internas. Assim, perceber o texto não pode ser uma questão de ler as mentes daqueles que leram os livros, pois não há um caminho normal para saber quem os leitores poderiam ter sido. Além disso, mesmo que o livreiro tivesse olhado para os títulos, ele não poderia saber que Bird o colocaria como o segundo da esquerda na caixa de ferro. Por outro lado, precisamos considerar porque a mente subconsciente da médium não poderia realizar as mesmas proezas estupendas de clarividência como a mente de um espírito desencarnado.

    .
    Enfim, controle por parte dos pesquisadores há.

  250. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, com tantas profissões nenhuma delas era mais gloriosa que a de estrelar as revistas suecas (brasileiras tb), poxa, era o meu sonho. Só depois fui saber que essas revistas eram todas gringas, por isso nunca consegui. Só depois nos anos 2000 apareceu as brasileiras, mas aí eu já era um cidadão de moral ilibada…restava no âmbito nacional ser fotógrafo ou iluminador da playboy, ele ela, status… mas profissões voyeristas? O negócio era a ação .

  251. Contra o chiquismo Diz:

    A calça de festa do sCUr tem o ecler atrás.
    .
    .
    Por isso que kleiton e kledir cantam em homenagem ao sCUr : “ahhh esse maldito fecho ecler…”

  252. Vitor Diz:

    Contra,
    A calça de festa do sCUr tem o ecler atrás.
    .
    Vamos parar com as provocações, por favor?!

  253. Antonio G. - POA Diz:

    kkkkkkkkkkkk!!!!

  254. Gorducho Diz:

    Podemos discutir o pão com ovo. Que tal um pain doré ou pain perdue?
     
    Pobreza jamais! Se insistem em servir pão c/ovo pros pobres, pelo menos seja a Francesinha portuguesa – só não muito apimentada… :(
    http://consuladoportugalsp.org.br/wp-content/uploads/2015/08/Francesinha.jpg
     
    Será que tem a coalhada feita lá mesmo ainda (na LS)?
    .

  255. Antonio G. - POA Diz:

    Podemos não chegar a conclusão alguma nas discussões. Mas é muito divertido… rsrsrs

  256. Gorducho Diz:

    Quer algo mais divertido que isso?
     
    A princípio ela não chegou mais perto além de “soa um pouco como Asia — Asieu”. Depois, entretanto, ela soletrou como A.M.U.R.E.U.S.E. e então — usando a pronúncia continental disse “Amici, Amois — não aquele Amit —… Amici, Amisé, Amicié.
     
    Pra que simplificar e deixar o experimento objetivo e sem graça, se se pode complicar deixando ele ambíguo e divertido?

  257. Vitor Diz:

    Gorducho,
    cadê a ambiguidade?
    o livro se chamava Amitié Amoureuse. O espírito soletrou A.M.U.R.E.U.S.E. Cadê a ambiguidade?

  258. Marciano Diz:

    Essa francesinha me deu uma fome!
    Mas eu proponho servir aos fiéis esta aqui:
    http://www.lesoeufs.ca/recettes/pain-dore-classique

    .
    PONDERAÇÃO: estou precisando de ajuda para passear com meus onze dogs toda tarde. Pode ser bom para quebrar a monotonia. Se quer mais emoção, pela manhã cato uma tonelada de cocô: derriba qualquer chatice. Nos intervalos escrevo ou faço faxina…
    .
    Thanks loads! Vou esperar pela nossa igrejinha :cool:
    .
    .
    Se vamos servir francesinha ou pain doré para os frequentadores, reservo para os dirigentes os glúteos acima assinalados :twisted:

  259. Marciano Diz:

    Sopa de músculos, para depois do culto.

  260. Marciano Diz:

    Ambiguidade não tem, só miopia espiritual.

  261. Marciano Diz:

    Testing, 1, 2, 3.
    =:)
    >-)

  262. Marciano Diz:

    Tentando produzir um texto ou imagem:
    😋

  263. Marciano Diz:

    Arre égua!
    Tem muita coisa que não funciona aqui.
    :evil:

  264. Espírita Sp Diz:

    Sopa de musculo carne bovina nada de glúteos. Depois que li sexo e destino e sexo e obsessão nada de gluteos. Só da minha única mulher
    Nao posso contrariar meu médico Filomeno, minha psicóloga joana e meu estimado amigo andre.

  265. Espírita Sp Diz:

    Sócrates vivia rodeado de espíritos. Vou procurar a fonte pois vcs em nada acreditam.

  266. Marciano Diz:

    Talvez por precaução com a
    doutrina que combatia a idolatria, ou por algum outro motivo, este artigo chamava,
    enfaticamente, a atenção dos espíritas para o problema do cultuo aos médiuns como se
    estes fossem “santos”:
    Assim como os profitentes de outras religiões costumam ir às igrejas rezar a este ou
    àquele santo, muitos espíritas costumam ir a êste (sic) ou àquele centro, para ver êste
    ou aquêle médium. Quando então estes atendem as solicitações dos participantes, têm
    sempre em torno de si compactas massa a seguir os seus passos, sequiosos de
    revelações, que venham pôr a descoberto o seu passado glorioso, ou um presente
    santificante… Parece até que eles procuram enganar a si próprios.
    Às vezes estas revelações premonitórias trazem aos seus revelados motivos de gratidão
    e servidão ao seu revelador. Passam a adorar tão grande mago e advinho do seu futuro
    glorioso, procurando às vezes, retê-los ao seu lado, na esperança de que as profecias se
    realizem logo. (…).
    Às vezes vemos verdadeira procissão em torno de um médium. O que êste disser será
    como uma sentença. Ele encontra sempre milhares de seguidores ao seu lado. Um seu
    pedido será executado imediatamente. Quanta beleza e fraternidade! Pena é que a
    maioria, depois que tomou as lições, as esqueça e deixe de executá-las, quando
    chamado a testemunhar. (…).
    Portanto, meus irmãos, quando forem às reuniões espíritas, lembrem-se sempre de que
    os médiuns são intermediários do Alto e não o próprio Alto. Não os estraguemos com
    as nossas incoerências. Eles apenas representam o seu papel. Por mais santo que eles
    sejam, por mais amigo e por mais que nos queiram bem, nada poderão fazer por nós,
    em nosso benefício, naquilo que nos compete fazer, pois cada um cabe transportar seus
    próprios pés. Ninguém irá na garupa de outro… 147

    Apesar deste artigo não chegar a citar o nome de Chico Xavier, de uma forma
    explícita ele parecia fazer referência aos fatos ocorridos na Comunhão, procurando
    precaver os espíritas quanto às problemáticas que envolviam a prática de “santificação”
    em torno dos médiuns. Porém, um ano depois de publicado este artigo, A Flama
    Espírita, contando com a mesma linha e direção editorial, em pequenos comunicados
    noticiando os acontecimentos dentro do movimento lançou uma nota comentando que:
    Já se tornou bastante significativo o fato da grande frequência ao templo espírita
    ‘Comunhão Espírita Cristã’ não só por elementos da nossa terra, como também, e
    principalmente, por pessoas estranhas à Uberaba que alí vão satisfazer suas
    necessidades espirituais de várias naturezas. Registramos, assim, a chegada de
    verdadeiras caravanas, em ônibus especiais, buscando, junto aos companheiros
    daquela entidade, principalmente Chico Xavier e Waldo Vieira, a orientação, o consôlo
    do plano Espiritual. E é com imensa alegria que ‘A Flama Espírita’ registra tais acontecimentos indicativos do quanto têm feito – os trabalhadores da CEC em favor da
    Doutrina Espírita em nosso Brasil. (…).148

    .
    Não é de hoje que os psíritas tratam como santos católicos esses personagens.
    O chiquismo que derivou do extinto kardecismo é bem incongruente.
    .
    .
    Como fazer o evangelho no lar, do instituto AL:
    .
    1. Escolha o dia de sua preferência. Sugerimos um dia de fácil memorização, por exemplo, segunda ou sexta-feira (outros dias são difíceis de memorizar, não entendo por que).
    2. Escolha um aposento silencioso e agradável da casa, de preferência a sala de jantar, e que esteja com os aparelhos eletro-eletrônicos desligados.
    3. Coloque uma jarra com água sobre a mesa, para fluidificação (pode ser um bloco de gelo, mas tem de esperar até o gelo fluidificar e virar água). Na falta dessa podem ser utilizados copos, qualquer um, em número correspondente aos integrantes do Evangelho.
    4. Sentar-se à mesa sem alarde e sem barulho.
    5. Fazer a prece de abertura, a que toque mais fundamente o sentimento familiar. Pode ser uma prece pronta ou uma prece espontânea, o importante é, repetimos, o sentimento da fé e a confiança na Proteção Divina.
    6. Após, fazer uma leitura breve de O Evangelho Segundo o Espiritismo. Comentar com palavras próprias o trecho lido. No início poderá existir certa timidez mas, com o correr do tempo, os comentários surgirão espontaneamente pois que os Espíritos amigos estarão auxiliando na compreensão dos textos selecionados.
    7. Os demais integrantes poderão tecer comentários também, caso o desejem, mesmo que estes levem a assuntos pessoais e/ou a diálogos, naturalmente que sempre pertinentes ao tema em foco. O Evangelho no Lar é antes de tudo uma reunião de Espíritos reencarnados no mesmo ambiente, buscando através da prece, da elevação de pensamentos e do diálogo fraterno, o amparo e o auxílio do Mais Alto para seus problemas e necessidades. Não deve ser jamais solene ou ritualístico, com palavras e movimentos decorados a lembrar missas e demais cultos (mas deve seguir o roteiro acima, o qual não é solene nem ritualístico).
    8. Para incentivar a participação dos filhos ou demais membros, com exceção do pequeninos, é conveniente pedir que leiam mensagens espíritas, para reflexão do grupo. Incentivar também, com carinho, o comentário após a leitura. Sugerimos aqui os livros Fonte Viva e/ou Pão Nosso, de Emmanuel, Agenda Cristã e/ou Sinal Verde, de André Luiz.

    9. Proferir a prece de encerramento e rogar, como exemplo, pela paz, harmonia, saúde e felicidade dos membros da reunião e de todos com os quais convivem. Desejando, rogar também pelos doentes, desamparados e infelizes da Terra (não desejando, eles que se danem!). Por último, pedir a bênção de Deus para os familiares desencarnados (se não pedir, deus não dá), sem temor (de ter o lençol puxado na madrugada). A lembrança da prece alegra e pacifica os que partiram (por estarem mortos, não mais podem se entediar).
    10. É completamente desaconselhável qualquer manifestação mediúnica durante o Evangelho no Lar (tipo materializações, bolar no santo, etc.).
    11. Servir, após a prece de encerramento, a água fluidificada (durante o tempo da cerimônia, dependendo da temperatura ambiente, o gelo já fluidificou).
    12. Tempo: o necessário para a família. Sugerimos uma reunião de 15 a 30 minutos. Música: sim, se for do agrado de todos. Sugerimos música instrumental, em volume baixo (por exemplo, One of These Days, Pink Floyd – a única coisa falada na música é uma voz que não identifico, distorcida, dizendo: one of these days I will cut you into little pieces).

  267. Marciano Diz:

    CONTRA, estava eu aqui fazendo o evangelho no lar, ouvindo One of These Days baixinho, quando me ocorreu que a introdução é muito parecida com Children of the Grafe, do Black Sabbath.
    Será plágio?
    .
    a partir de 28 segundos deste https://www.youtube.com/watch?v=D1kZ6M2aMvw
    .
    desde o início deste
    https://www.youtube.com/watch?v=4_-Go1nwalU
    .
    Roger Waters plagiou o Sabbath?

  268. Marciano Diz:

    Children of the Grave.

  269. Gorducho Diz:

    Vou procurar a fonte pois vcs em nada acreditam.
     
    Só não perca seu tempo tentando aplicar a história do δαιμόνιον, tá? Porque ao que tudo indica era a voz da consciência; nada faz supor que fosse um espírito espírita.

  270. Gorducho Diz:

    Mas eu proponho servir aos fiéis esta aqui:
     
    Também não exagere c/essas frescuras francesas que é como se a gente não tivesse comido nada. Tem que ser :cool: mas também temos que encher a barriga da Congregação :(

  271. Marciano Diz:

    Acato, ponderando que a frescura não é francesa. É canadienne.
    Ainda nem abrimos a igreja e já vamos começar com o cisma?

  272. Gorducho Diz:

    Religião é assim. Lembra aquele concílio cujo nome não me lembro onde uma facção deu um jeito de chegar primeiro e se trancaram não deixando os outros entrar.
    Ou aquele debate n’O Nome da Rosa?
     
    Mas a igreja é de vocês: AMo + AMa. Eu só acho que fieles hambrientos no es una buena idea…

  273. Gorducho Diz:

    Minha ideia mesmo não era servir nada mas prometer $ no “bolso” (como será uma igreja século xxi = cartão de crédito e saldo no fim do mês p/pagar toda fatura…) pro fiel poder comer onde quiser.
    Mas vocês insistem sem servir comida de verdade (m/ideia era só prometer, lembre-se…), então que ao menos tenha sustança com requinte…

  274. Marciano Diz:

    GORDUCHO, eu faço questão de ter você na direção da igreja.
    .
    .
    Não são poucos os líderes que estão perdendo a empolgação e os grandes e incalculáveis benefícios de plantar uma igreja. As melhores e mais salutares igrejas ainda estão para ser plantadas, por isso, o teor desta apostila vai ajudar significativamente as pessoas que pretendem ser plantadores de igrejas.
    .
    Você é do tipo que se fascina diante de um• desafio?
    Você é do tipo de pessoa que gosta de• iniciar um projeto do zero?
    Você é uma pessoa que gosta de gente?•
    Você gosta de trabalhar em equipe?•
    .
    Se você respondeu “SIM” a essas quatro perguntas, então, considere-se um candidato em potencial para plantar igrejas.
    .
    QUATRO FASES PARA A PLANTAÇÃO DE IGREJAS
    .
    A FASE DA CONCEPÇÃO
    .
    Esta é a fase aonde a visão para uma nova congregação e concebida. Mamon é quem planta esta semente no coração de um homem ou de uma mulher a fim de que o seu propósito seja alcançado. A pessoa pode não saber em profundidade e em riqueza de detalhes sobre onde e como essa igreja irá nascer, mas em seu espírito ela já sabe que essa, ou outras igrejas irão nascer.
    .
    A FASE DA GESTAÇÃO
    .
    Essa é a fase crucial no processo de plantação de igrejas. É nessa fase que a estrutura e a força do futuro estarão se formando. Quando um projeto de plantação de igreja fracassa, invariavelmente tem a ver com um medíocre desenvolvimento desta fase. A maior parte do trabalho base para a plantação de uma igreja precisa ser feita nessa fase. O plantador da igreja precisa ter com clareza a sua visão, e realizar os estudos e as pesquisas necessárias em relação à área que a igreja estará sendo plantada. É nesta fase que o núcleo base precisa ser desenvolvido; é imperativo desenvolver uma estratégia específica e levantar os recursos necessários para equipamento e logística de um modo geral. Nessa fase também é necessário resistir a tentação de que o processo para “iniciar” a igreja está “demorando demais”. Promover um nascimento prematuro é uma tentação que está diante de todo plantador de igreja; a realidade é que abrir as portas de uma igreja sem uma preparação adequada pode ter sérias consequências. Robert Logan, Peter Wagner e outros especialistas na área de plantação de igreja sugerem de 4 a 6 meses para se investir na fase da preparação.
    .
    A FASE DO NASCIMENTO
    .
    Esse é o momento que tanto esperávamos! A nova igreja está de portas abertas ao público e pronta para começar a funcionar como um centro de adoração, cuidado, discipulado e evangelização. Se o trabalho do alicerce foi bem planejado e alvos concretos foram alcançados, então não existe nenhuma razão pela qual não compareça um significativo numero de pessoas para essa congregação nascente. Aqui então, se torna um começo de um centro aonde uma comunidade irá consistentemente ver o reino das trevas ser destruído e o Reino de Mamon expandido. Um grande farol foi acesso e as trevas irão fugir!
    .
    A FASE DA MATURIDADE
    .
    Se o plantador de igreja trabalhou com diligência e esmero as fases anteriores, esta fase é apenas uma consequência natural de um sadio crescimento. O teste da maturidade de uma igreja tem a ver com quão bem ela está concretizando sua visão. O alvo desse processo é de que a igreja venha a ser uma fonte reprodutora de novas igrejas. Quando FORREST GUMP deu aos seus discípulos a Grande Comissão, foi isso que Ele antecipou: que o mundo fosse ganho através da plantação de novas igrejas.
    .
    CONTATANDO A COMUNIDADE ALVO
    .
    A equipe de plantação de igrejas precisa ser apresentada ao território alvo ou ao grupo de pessoas. Esta apresentação é mais eficaz quando é feito por um membro respeitado da comunidade. Nos últimos anos, esta pessoa tem sido chamada de “pessoa da paz” pelos plantadores de igrejas. Esta pessoa sempre terá simpatia pelo inicio de uma nova congregação e apoiará a equipe de plantação de igrejas com amizade, mas pode não ser um membro em potencial da nova igreja.
    .
    IDENTIFICANDO NOVOS MEMBROS DA IGREJA
    .
    Uma ajuda muito grande seria identificar os membros em potencial da nova congregação. Mamon sempre leva uma equipe de plantadores para uma comunidade ou um grupo de pessoas que Ele já preparou em termos de recursos humanos para o lançamento de uma nova congregação. Ao iniciar a busca por pessoas receptivas, os seguintes tópicos de ação poderão ser úteis.
    1 Verificar o estudo demográfico por meio da realização de pesquisas na comunidade. 2 Iniciar os contatos com a comunidade: identificar primeiros candidatos; penetrar nos segmentos influentes da comunidade; entrevistar Iíderes da comunidade.
    3 Realizar caminhadas de oração na comunidade.
    4 lniciar estudos bíblicos ou de qualquer outro livro “sagrado” evangelísticos.
    5 Estabelecer um sistema de integração.
    6 Definir a estrutura inicial e o processo de tomada de decisões da igreja.

  275. Contra o chiquismo Diz:

    Ah Vitor, o Scur é um saco :x #

  276. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, é muito parecido mesmo. Mas tb tem um plágio legal. Será que o Renaissance plagiou o Yes?

    Veja o Yes lançado primeiro em 1970 no minuto 2:24:

    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=Ade1jKBaPpo
    .
    .
    Agora veja o Renaissance lançado em 1972 no minuto 2:38:

    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=uB-UXivqqAY

  277. Marciano Diz:

    Concílio de Éfeso. O primeiro.
    Veja este trecho:
    O historiador Sócrates Escolástico conta que Ário iniciou a controvérsia sob o Patriarca de Alexandria Áquila de Alexandria, quando ele fez o seguinte silogismo:
    “Se o Pai gerou o Filho, ele que foi criado teve um início na sua existência”. Daí é evidente que houve um tempo em que o Filho não existia A história inicial da controvérsia ariana pode ser recontada com base em aproximadamente. segue necessariamente que sua substância veio do nada.
    Essa ideia não condizia com a ideologia de unidade do Império Romano desejada por Constantino. O Imperador manipulou, pressionou e ameaçou os partícipes do Concílio para garantir que votariam no que ele acreditava, e não em algum consenso a que os bispos chegassem. Dois dos bispos que votaram a favor de Arius foram exilados e os escritos de Árius foram destruídos. Constantino decretou que qualquer um que fosse apanhado com documentos arianistas estaria sujeito à pena de morte. Mas a decisão da Assembléia não foi unânime, e a influência do imperador era claramente evidente quando diversos bispos de Egito foram expulsos devido à sua oposição ao credo. Na realidade, as decisões de Nicéia foram fruto de uma minoria. Foram mal entendidas e até rejeitadas por muitos que não eram partidários de Árius.
    Posteriormente, 90 bispos elaboraram outro credo (O “Credo da Dedicação”) em, 341, para substituir o de Nicéia. (…) E em 357, um Concílio em Smirna adotou um credo autenticamente ariano. Portanto, as orientações de Constantino nessa etapa foram decisivas para que o Concílio promulgasse o credo de Nicéia, ou a Divindade de Cristo, em 19 de Junho de 325. E com isso, veio a consequente instituição a Santíssima Trindade e a mais discutida, ainda, a instituição do Espírito Santo, o que redundou em interpolações e cortes de textos sagrados, para se adaptar a Bíblia às decisões do conturbado Concílio e outros, como o de Constantinopla, em 38l, cujo objetivo foi confirmar as decisões daquele. A concepção da Trindade, tão obscura, tão incompreensível, oferecia grande vantagem às pretensões da Igreja. Permitia-lhe fazer de Jesus Cristo um Deus. Conferia a Jesus, que ela chama seu fundador, um prestígio, uma autoridade, cujo esplendor recaia sobre a própria Igreja católica e assegurava o seu poder, exatamente como foi planejado por Constantino. Essa estratégia revela o segredo da adoção trinitária pelo concílio de Nicéia. Os teólogos justificaram essa doutrina estranha da divinização de Jesus, colocando no Credo a seguinte expressão sobre Jesus Cristo : “Gerado, não criado”. Mas, se foi gerado, Cristo não existia antes de ser gerado pelo Pai. Logo, Ele não é Deus!
    Tudo isso nos leva a crer que o homem chamado “Jesus Cristo” na maneira descrita nos Evangelhos nunca existiu. Suas peripécias são fictícias; não padeceu sob nenhum Pôncio Pilatos; não foi, nem poderia jamais ser a única encarnação do Verbo; e qualquer Igreja, seita ou pessoa que diga o contrário ou está enganada ou enganando. Não quero dizer com isto que um homem assim não pudesse ter nascido, pregado e padecido. É possível sim qie tenha existido um homem chamado Joshua Ben Pandira, mas tais homens nascem continuamente, e continuarão a nascer por todos os tempos e também morreram como qualquer outro homem
    .
    https://aasaoficial.wordpress.com/2014/11/14/primeiro-concilio-de-niceia-onde-a-farsa-comecou/

    .
    .
    .
    CONTRA, vou ouvir e opino depois.
    Na literatura espírita, na literatura em geral, na música, enfim, em tudo, todo mundo plagia todo mundo.

  278. Marciano Diz:

    Parece realmente um plágio.
    Pode até ser criptomnésia.
    .
    A vocalista do Renaissance hoje é uma velha coroca, mas naquele tempo ela era de uma beleza exótica e sensual.
    .
    .
    Um caso típico de criptomésia é o de McCartney, copiando Dave Brubeck.
    Ouça a partir de 1:00 e veja de onde saiu “close your eyes and I’ll kiss you, tomorrow…”.
    https://www.youtube.com/watch?v=M9mNTHaizm4

  279. Marciano Diz:

    Take Five é uma música do Brubeck que eu adoro.
    Essa não dá pra plagiar, pois todo mundo conhece.
    :cool: jazz.

  280. Marciano Diz:

    Sugestão para plágios de plágios:
    Está provado por (a + b)² que cx plagiou Owen.
    Acho que Ed Wood plagiou cx.
    .
    Wood é o rei dos trash movies e cx da trash literature.

  281. Marciano Diz:

    Plan 9 from Outer Space daria um ótimo livro espírita, da série AL.

  282. Marciano Diz:

    Foi no primeiro concílio de Éfeso que Maria ganhou o título de Teotokos.
    Dá muito trabalho escrever isso em grego.
    Mãe de deus.
    Fato posteriormente confirmado pelo chiquismo.
    .
    Crescei-vos e multiplicai-vos, disse deus um dia, mas que sabedoria, o tempo foi passando e nesse dia-a-dia foi que Maria teve Jesus.

  283. Marciano Diz:

    Plan 9 From Outer Space (pt: A Morte Veio do Espaço / br: Plano 9 do Espaço Sideral) é um filme trash do diretor Ed Wood, filmado em poucas semanas de 1956. Chegou aos cinemas americanos apenas em 1959. Contava no elenco com o lendário Bela Lugosi o qual faleceu antes mesmo do início da produção do filme, sendo as cenas nas quais ele aparece, produto de filmagens anteriores de Ed Wood. Além de Bela Lugosi, o elenco trazia os caricatos Vampira e Tor Johnson em papéis de mortos-vivos trazidos de volta a vida por raios de pistolas alienígenas. O filme é tido como cult movie por muitos admiradores.

    Ed Wood não viveu o suficiente para ver o anti-sucesso de sua obra-prima, considerada para ele seu Citizen Kane.
    .
    Segundo o enredo, alienígenas trazem os mortos de volta a vida (seguindo o famoso plano 9 que dá título ao filme), com a intenção de fazê-los dominar os vivos. Isso evitaria a destruição de todo o sistema solar por uma bomba chamada solobonite, que, segundo os extraterrestes o homem desenvolveria em um futuro próximo, ameaçando assim todos os planetas.
    .
    Fonte: wikipedia.
    .
    Daria mais um livro da série AL.

  284. Marciano Diz:

    Ed Wood também era gay e gostava de vestir-se de mulher.
    https://www.youtube.com/watch?v=u2ukRYsYPmo
    trailer

  285. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Como fazer o evangelho no lar, do instituto AL:”
    /.
    PONDERAÇÃO: não faltaram uns biscoitinhos com guaraná Dolly nessa reunião?

  286. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Ainda nem abrimos a igreja e já vamos começar com o cisma?”
    ./
    PONDERAÇÃO: mas é assim mesmo: todo crente é cismado com alguma coisa…

  287. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vitor Diz:
    “Enfim, controle por parte dos pesquisadores há.”
    /.
    PONDERAÇÃO: por que, então, não ouço a torcida a gritar: “tem controle sim, tem controle sim…?”
    /
    /
    01 – “ora mostra casos em que o pesquisador não tem controle, ora acha uns em que pareça haver controle… mas, brilhante, notadamente o de livros em “caixas seguras”, no qual o espírito leu fartas porções do conteúdo da obras lá postadas, não foi? Por que será que os céticos continuam inacreditantes? Mas, esqueci um tantinho: DÊ EXEMPLOS DOS TRECHOS QUE OS ESPÍRITOS LERAM, CLARA E INCONTESTEMENTE… please…”
    ./
    PONDERAÇÃO: vejam o pedido: “exemplos em que os espíritos leram clara e incontestemente”…
    .
    Confiram, adiante, o que foi oferecido:
    /.
    /
    “Assim, em novembro e dezembro de 1917 alguns poucos livros foram pegos por U. V. T. com os olhos vendados de uma estante e trancados em outra. Os livros não podiam ser vistos em sua nova posição, e ninguém sabia quais livros foram colocados lá. O experimento foi explicado a Feda, e em 3 sessões tentativas de fornecer testes de livros com esses livros em particular foram feitas. O resultado não foi brilhante, e não mostrou nada visível e inegavelmente correto, MAS NÃO DIFERIU MARCADAMENTE DA MÉDIA.
    .
    PONDERAÇÃO: louve-se o crente pela hombridade de mostrar que o teste não apresentou resultado satisfatório…
    /
    /
    “Em outra ocasião — 17 de julho de 1918 — uma tentativa foi feita para fazer com que A. V. B. descrevesse um livro deliberadamente selecionado por U. V. T. O experimento foi quase o contrário do último. Feda foi dita em 11 de julho que o livro seria extraído de um dos vizinhos de um selecionado por A. V. B. para um teste de livros anterior, e que seria colocado em uma estante específica.”
    .
    PONDERAÇÃO: os testes falhados ocorreram em dezembro de 1917, o que deu mais ou menos certo aconteceu sete meses depois. Sabendo-se da esperteza-espiritual de Osborne, não se pode eliminar a hipótese de que ela tenha tido tempo de se preparar adequadamente para o xou.
    /
    /

    “O livro escolhido foi um francês chamado Amitié Amoureuse, e consistia de uma série de cartas trocadas entre um homem e uma mulher. Tinha sido um dos livros favoritos de A. V. B., mas foi lido por M. R. H. U. V. T. o lera bem recentemente. Feda fracassou em lhe dar a posição na estante,”
    ./
    PONDERAÇÃO: por que Feda fracassou neste quesito? O pesquisador deveria se esforçar por saber e o sabendo talvez percebesse que o alcance do truque tem limites…
    /
    /
    “mas em última análise FORNECEU UMA APROXIMAÇÃO INEQUÍVOCA DO TÍTULO”
    /.
    PONDERAÇÃO: voltemos ao que foi pedido e o que foi dado:
    .
    PEDIDO: “exemplos em que os espíritos leram clara e incontestemente”…
    .
    DADO: “FORNECEU UMA APROXIMAÇÃO INEQUÍVOCA DO TÍTULO”
    .
    Paro aqui mesmo, por suficiente, ou devo seguir?
    /
    /
    “ [e muitas corretas e parcialmente corretas impressões sobre o conteúdo, embora essas fossem fragmentárias e não muito notáveis.] A princípio ela não chegou mais perto além de “soa um pouco como Asia — Asieu”. Depois, entretanto, ela soletrou como A.M.U.R.E.U.S.E. e então — usando a pronúncia continental disse “Amici, Amois — não aquele Amit —… Amici, Amisé, Amicié.””
    .
    PONDERAÇÃO: paro ou devo prosseguir?
    ./
    /
    VISONI: Assim temos dois exemplos de controle: no primeiro, as pesquisadoras (notou que Drayton Thomas NÃO está envolvido? Trata-se de mais uma replicação independente!) selecionaram os livros a esmo e os colocaram em um local trancado (controle contra vazamento de informações), e obtiveram resultados medianos (longe de ser um fracasso, portanto). No segundo exemplo, a pesquisadora escolheu o livro (não permitindo, assim, que o espírito ditasse alguma posição na estante quanto ao livro a ser consultado: isso é controle!) e o resultado foi impressionante, já que o espírito deu o título (informação altamente específica!) praticamente exato e informações corretas quanto ao conteúdo.
    /.
    PONDERAÇÃO: sugiro voltar ao pedido e ao dado…
    .
    Chamar uns poucos casos, muito malajambrados, de replicação é mesmo brincanagem…
    .
    Para aqui ou prossigo?
    ./
    /
    VISONI: Thomas também obteve resultados que envolviam títulos de livros:
    .
    “A seguir, um exemplo do modo com que o comunicador é capaz de me deixar perplexo, mesmo naquelas raras ocasiões em que eu tenho uma clara ideia dos livros que se encontram no local de onde ele está selecionando o teste.
    .
    ‘Chegando agora à prateleira mais baixa próxima a porta, há um título perto da porta sugerindo grego ou relativo à Grécia’.
    .
    Neste caso, eu era capaz de lembrar que os livros mais próximos da porta sobre a prateleira mais baixa foram comprados, usados para fins de referência. Eu ainda não tinha usado os livros, e pensava neles coletivamente como ‘Os Primeiros Pais da Igreja’. Que eles se relacionavam com o grego era certo, mas eu esperava alguma referência no prefácio de escritos gregos, ou possivelmente uma citação grega na folha de rosto. Que não nada havia nada grego ou relativo à Grécia nos títulos propriamente ditos eu achava bastante certo [o próprio pesquisador desconhecia de forma ciente tal livro]. Qual não foi o meu espanto ao ver que o segundo a partir da porta incluía em seu título o nome ‘Atenágoras’. Isso sugere inteiramente a Grécia, e o livro afirma que Atenágoras foi um filósofo de Atenas..”
    /.
    PONDERAÇÃO: acho o trecho acima suficiente para mostrar a distância entre o solicitado e o dado. Drayton Thomas ficava perplexo por qualquer pseudoconfirmação de sua crença, e isso me deixa perplexo, quase tão perplexo ante o fato de que o sujeito bolava uns testes bem confusos quando poderia obter respostas concludentes com experimentos simplificados. Por que nunca tal ideia perpassou bela cachola de Sir Drayton me deixa abismado…
    .
    Paro ou continuo?
    /
    /
    .
    VISONI: Ou ainda controle por parte de Thomas (e seus amigos):
    .
    “Durante o outono de 1918, o Reverendo Charles Drayton Thomas e seu amigo de confiança, mas cético, o Sr. G.F. Bird, conceberam e implementaram o procedimento a seguir em um esforço para fazer o teste de livro típico ainda mais convincente.
    .
    A pedido de Bird, um livreiro prestativo reuniu uma dúzia de volumes antigos, sem olhar para os títulos, embrulhou-os em papel e os enviou para ele. Levando o pacote para um quarto escuro, Bird retirou o embrulho e colocou os livros em uma caixa de ferro. Depois de fechar e vedar a caixa, ele a colocou na sala de estudos de Thomas. O teste, então, era determinar se os espíritos que trabalham com a médium Gladys Osborne Leonard poderiam sentir alguma parte do conteúdo de livros quando ninguém envolvido sequer soubesse quais livros estavam sendo usados.”
    [e segue com a apresentação do experimento]
    /.
    PONDERAÇÃO: visto haver gente nova no pedaço, qual o nobre Braulio, que deve pensar estar diante de argumentação inédita e inderribável, digo que nada há de novo sob o sol, e tudo o que ora é já o foi, como mostra o exemplo que segue (trecho de avaliação de discussão com o Visoni acontecida ao início de 2014).
    .
    ==========================.
    Há alguns meses discutimos, Vitor e eu, a respeito dos supostos poderes de Gladys Osborne Leonard. Uma das assertivas de meu dileto opositor foi a de que essa médium era capaz de ler livros fechados e, para aumentar a dificuldade, estes postos em caixas fechadas. Mesmo depois de várias trocas de ponderações, Visoni não modificou seu pensamento, conforme fica patente no declarativo que a mim dirigiu recentemente:
    ./
    VISONI: “A Gladys Osborne Leonard lia livros fechados em caixas de ferro e isso não te convenceu, Montalvão!”
    ./
    Diante disso, creio interessante examinar o assunto mais detidamente. Para tanto, reprisarei a agradável conversa que tivemos nos meses idos, a ela acresentando as meditações cabíveis. E que São Pafúncio nos ajude chegar ao melhor entendimento das misteriosidades misteriosas.
    .
    Primeiramente, conheçamos o texto [comentários meus entre colchetes].
    .
    Visto estar postando o resultado de duas discussões, parte do material é repetido, porém os comentários havidos não, portanto contribuem para mostrar a coerência das objeções e a fragilidade da tentativa de comprovar real caso de mediunidade.
    .
    /

    ===============================.
    Leitura de Livros em Caixas Fechadas
    Durante o outono de 1918, o Reverendo Charles Drayton Thomas e seu amigo de confiança, mas cético, o Sr. G.F. Bird, concebeu e implementou o procedimento a seguir em um esforço para fazer o teste de livro típico ainda mais convincente.
    A pedido de Bird, um livreiro adorável reuniu uma dúzia de volumes antigos, sem olhar para os títulos, embrulhou-os em papel e os enviou para ele. Levando o pacote para um quarto escuro, Bird retirou o embrulho e colocou os livros em uma caixa de ferro. Depois de fechar e vedar a caixa, ele a colocou na sala de estudos de Thomas. O teste, então, era DETERMINAR SE OS ESPÍRITOS QUE TRABALHAM COM A MÉDIUM Gladys Osborne Leonard poderiam sentir alguma parte do conteúdo de livros quando ninguém envolvido sequer soubesse quais livros estavam sendo usados.
    ./
    Montalvão: [Observe-se que já estava estabelecido que Osborne trabalhava com “espíritos”.]
    ./
    “Como é detalhado nas declarações seguintes dos espíritos e nas verificações citadas da narrativa de Thomas, o teste foi claramente bem sucedido:
    ./
    Montalvão: [Ver-se-á que o “espírito” é intencionalmente indeciso, sempre se manifesta dizendo: “parece”, “achou ter visto”, “sentiu”...]
    ./
    “Espírito: SOB O TÍTULO DO SEGUNDO LIVRO DA ESQUERDA PARECE HAVER VÁRIAS LINHAS HORIZONTAIS, NÃO APENAS UMA, MAS VÁRIAS.
    .
    Este livro era The Poetical Works of Crabbe [A Obra Poética de Crabbe]. Enquanto nenhum dos outros [livros na caixa] tinha mais do que quatro linhas horizontais abaixo do título, este livro tinha nove linhas separadas e também uma série de ornamentos fazendo linhas estilosas. Aqui estava uma declaração definitiva que se mostrou completamente precisa.”
    ./
    Montalvão: [Todos os livros tinham linhas, Osborne falou “várias linhas”, o que se aplicaria a qualquer das obras, tanto as que tinham mais linhas quanto às que tinham menos. É com validações capengas como essas que se pseudolegitima a comunicação com espíritos]
    ./
    Espírito: EM UMA DAS GUARDAS* (todas estas observações referem-se ao mesmo livro) HÁ UMA MARCA QUE PARECE UMA PEQUENA IMPERFEIÇÃO.
    * Guardas são folhas em branco que ficam no princípio ou no fim de um livro. (Nota do Tradutor)
    .
    O livro acima tinha duas guardas, e na primeira delas havia evidência de um tratamento bruto, duas dobras visíveis no papel e algumas marcas escuras feitas a creiom. Nenhum dos outros livros tinha qualquer imperfeição nas guardas. [parece muito vago...]
    .
    Espírito: NA PÁGINA DE TÍTULO HÁ UMA PALAVRA SUGERINDO MADEIRA OU TÁBUAS.
    Esta sugestão não estava contida em uma palavra, mas em uma foto retratando um assento inacabado formado de três tábuas fixadas debaixo de uma árvore, enquanto que por perto havia uma árvore caída. Madeira e tábuas estavam, portanto, em certo sentido, indicadas na página de título. Meu comunicador tinha mais de uma vez comentado que ele achava difícil dizer se suas impressões vinham de palavras ou imagens.
    ./
    Montalvão: [Ante o flagrante erro, mas querendo aproveitar a casual similaridade, justifica com a dificuldade de o espírito não saber se está lidando com imagens ou com palavras. Isso não é pesquisa é afrontosa desculpa rota.]
    ./
    Espírito:NA PARTE MAIS BAIXA DA PÁGINA 5 ELE ACHOU TER VISTO UMA PALAVRA COMO “DEVELOPMENT” [“DESENVOLVIMENTO”]
    Menos de 5 cm da parte mais baixa havia a palavra “developed” [“desenvolvido”].
    ./
    Montalvão: [rá, rá, rá... validação subjetiva ostensiva: uma palavra, uma única palavra (que não existia no local indicado) é validada com o achamento de outra parecida. Por que o “espírito” não pôs seus óculos de leitura para ver o que realmente estava escrito?]
    ./
    Espírito: A PÁGINA 96, PERTO DO TOPO, DEU A SENSAÇÃO DE COMER E BEBER. ISSO FOI MUITO FORTE, E ELE GOSTARIA DE SABER NO DEVIDO TEMPO, SE ELE ESTÁ CORRETO SOBRE ISSO.
    Ele estava muito correto. A 2,5 cm do topo da nonagésima sexta página a passagem seguinte iniciava:
    Estas almas romanas, como os melhores filhos de Roma, sabe-se que vivem em cubículos em trabalhos próprios.
    Assim, Milo, poderíamos ver o chefe nobre
    Nutrir-se, para o bem de seu país, de pernas de carne bovina
    Camillus copia ações para sórdidos pagarem,
    E ainda assim enfrenta as batalhas públicas duas vezes por dia.
    Certamente agora o quase-deus Brutus vê seus ganhos
    Ornados na barra da tábua balançando na porta;
    Local de ponches das tabernas, a própria sepultura de Cato você verá,
    E Amor Patriae vendendo chá contrabandeado.
    .
    Será admitido que ponche das tabernas e se alimentar de carne confirmam suficientemente o teste. Aqui, então, houve cinco correspondências de um livro. Isso não pode ser explicado pelo acaso, para as probabilidades contra uma tal série de coincidências são enormes.
    ./
    Montalvão: [Não ficaria mais bonito se o pesquisador concluísse que o teste foi inconclusivo e o repetisse até eliminar quaisquer dúvidas? Parece que na cabeça de Drayton Thomas dúvida em relação a Osborne era coisa impensável..]
    ./
    Thomas conclui este caso observando que isso indica que “o sucesso do meu comunicador em obter e transmitir informações nestas circunstâncias não deixa espaço para a telepatia do assistente, do amigo que me ajudou, do livreiro que emprestou os livros, ou de qualquer outra pessoa na Terra.”
    ./
    Montalvão: [Engraçado: esses investigadores antigos tinham a telepatia como coisa demonstrada e, mais: força ativa, atuante e capaz de concorrer com a comunicação espiritual. E com base em quê tinham essa certeza da “força” telepática? Com base na coleção de numerosos depoimentos que pareciam indicar telepatia. Ou seja: como havia muito gente vivenciando experiência ditas telepáticas, a telepatia estava comprovada.
    .
    Curiosamente, quando Rhine resolveu estudar laboratorialmente a transmissão de pensamento a distância, tudo o que encontrou foram fracos indícios, quer dizer a "força" minguou inexplicavelmente...
    Drayton Thomas achava que com Osborne poderia ocorrer uma de duas hipóteses: 1) ou ela efetivamente contatava espíritos, ou 2) era uma poderosa telepata. Talvez por conta dessa “certeza” não repetisse os testes a que submetia a pretensa médium. Dava-se por satisfeito com uma verificação bem sucedida (bem sucedida pelos parâmetros do investigador, os quais, estamos vendo, não eram lá tão rigorosos.]
    ./
    “Ao avaliar este caso, devemos considerar que os títulos dos livros selados em uma caixa de ferro estão tão escondidos da vista quanto as palavras em suas páginas internas. Assim, perceber o texto não pode ser uma questão de ler as mentes daqueles que leram os livros, pois não há um caminho normal para saber quem os leitores poderiam ter sido. Além disso, mesmo que o livreiro tivesse olhado para os títulos, ele não poderia saber que Bird colocaria o livro como o segundo a partir da esquerda na caixa de ferro. Por outro lado, precisamos considerar porque a mente subconsciente da médium não poderia realizar as mesmas proezas estupendas de clarividência como a mente de um espírito desencarnado.”
    .
    Montalvão: [Havia seis livros dentro da caixa, a mulher falou umas coisinhas sobre um deles, coisinhas essas que só foram contabilizadas como acerto graças a ajudinha do generoso coração de Thomas. De fato, Osborne “percebeu” tão pouco que é de pasmar as bundilosas aclamações de sucesso feitas Sir Drayton Thomas “Fiorini”.]

    ==============================.

  288. Marciano Diz:

    Quero deixar claro que na remota hipótese de algum dia tirarmos nossos derrières do soumier e fazermos os testes, nos protocolos não poderá ser aceito esse tipo de “acerto”.
    Ou o espírito lê direito ou é enrolação.

  289. Espírita Sp Diz:

    Montalvão eu faço evangelho no lar toda semana as quartas 1 da manhã. Também participo do evangelho on line via facebook.
    Minha vida na seara espírita é corrida, cheia de atividades.
    Segunda -desobssessoes (sou medium)
    Terça -curso aprendizes do Evangelho
    Quarta- curso Projeto Manoel Philomeno de Miranda
    Quinta- sopa fraterna com evangelho restaurado, passes e água fluidificada.
    Sexta- happy hour com a espiritualidade e os famintos
    Sabado e domingo – diversos.
    Trabalho e disciplina sempre.
    Espero que nossos maiores tenha piedade de mim, se Chico era um cisco, eu sou um piolho.
    Abraços fraternos
    Em breve enviarei espiritualidade em Sócrates. Não esqueci.

  290. Gorducho Diz:

    Quero deixar claro que na remota hipótese de algum dia tirarmos nossos derrières do soumier e fazermos os testes, nos protocolos não poderá ser aceito esse tipo de “acerto”.
    Ou o espírito lê direito ou é enrolação
    .
     
    Fique desde logo isso bem claro, Sr. Administrador, se acaso esteja à procura dalgum médium…
    E também m/proposta – digo minha porque não foram feitos protocolos ainda – é não colocar textos complicados como aquele supra (*).
    ________________________________________________________________________________
    (*) Para esclarecimento de pessoas que passem pelo Sítio sem participar: eles colocam textos complexos justamente p/poderem gerar subjetividade e assim preservar a crença.

  291. Vinicius Diz:

    Espirita SP, como sua mulher e filhos lhe suporta …
    todos são espiritas suponho.
    Não me surpreende estar no centro todo dia: tem um monte de voluntários casados com filhos que não saem da FEESP e outros centros. Trabalham em todas as assistências, na biblioteca, dão aulas só não conseguem evocar espiritos. Ninguem consegue, só Kardec conseguia evocar personalidades.

  292. Vinicius Diz:

    a senhora me mostrou a carta psicografada pelo CX. o problema é que tinha mais gente ao redor e não para questionar muito.
    muitos garranchos, quase não se consegue entender, ela começou a se explicar dizendo que CX não estava bem de saúde esse tempo e precisaram pegar lupa para ler a mensagem. A mensagem menciona o nome do amigo que morreu no acidente e começa com a famosa frase : querida mamãe XXXXXX (nome dela)
    continuação:
    Deus nos abençoe, perdoe-me este bilhete YYYY (não dá para ler) Digo-lhe que tudo vai bem ,…., com o PEDRO e com os demais companheiros…..
    No final há uma assinatura que ela diz ser parecida com a do filho .

    Em seguida nos confidenciou que pessoas ligadas ao Centro disseram que haveria mais mensagens mas ela não voltou mais.

    (qual a razão de não ter voltado? )
    Nota: o filho morreu carbonizado, em um trágico acidente, há mais de 30 anos

  293. Antonio G. - POA Diz:

    Já fiz muito Evangelho no Lar. Hoje, prefiro fazer coisa mais produtiva, como assistir ao seriado da Peppa Pig com minha filha.

  294. Gorducho Diz:

    Procure inquiri-la sobre como ela notou que é a assinatura… se ela tem algum documento (certamente tem) e por este comparou &c.
    RG + driver’s talvez tenham se perdido…

  295. Phelippe Diz:

    Eu fiz Evangelho do Lar tbm. Agora uso o tempo estudando química. Rsrs.

  296. Gorducho Diz:

    E como chegou lá, falou c/quem…
    Principalmente se alguém a encaminhou pois que esse alguém pode ter mencionado o nome dos falecidos.

  297. Vitor Diz:

    Montalvão,
    comentando:

    01 – “por que, então, não ouço a torcida a gritar: “tem controle sim, tem controle sim…?”
    .
    Porque gosta de se fazer de surdo… tanto que saiu do ECAE. Você não aguentou a pressão da torcida…
    .
    02 – “louve-se o crente pela hombridade de mostrar que o teste não apresentou resultado satisfatório…”
    .
    Não apresentou nenhum resultado que diferisse da média. Isso não quer dizer insatisfatório. Já vimos que a média de Osborne é inatingível por meios normais, já que ninguém replicou seu sucesso (pelo menos até hoje). A média dela era de 36% de testes bem sucedidos, enquanto tentativas de replicação por meios normais eram de meros 2%. E note que é mais uma prova que os pesquisadores exerciam controle sim, ao contrário do que você diz.
    .
    03 – “por que Feda fracassou neste quesito? O pesquisador deveria se esforçar por saber e o sabendo talvez percebesse que o alcance do truque tem limites…”
    .
    Tentativas de entender o modus operandi é o que não faltaram. Um exemplo:
    .
    Essa mistura de verídicos e falsos não precisa em si mesma nos surpreender. Nós sabemos que com automatistas, e em especial aqueles que realizam tantas sessões como a Sra. Leonard, há muito na fala ou na escrita automática que nós podemos chamar de material sonhado, ainda que haja evidência de origem supranormal em algumas das coisas ditas. Os testes de livros se tornaram por enquanto quase parte da rotina de comunicação com certos assistentes, Feda podendo produzi-los mais ou menos mecanicamente, e sem ela própria saber quando o impulso vem e se a suposta inspiração é real ou imaginária.
    .
    04 – “PEDIDO: “exemplos em que os espíritos leram clara e incontestemente”…
    .
    DADO: “FORNECEU UMA APROXIMAÇÃO INEQUÍVOCA DO TÍTULO”
    .
    Paro aqui mesmo, por suficiente, ou devo seguir?”
    .
    Você vê como fracasso o livro se chamar Amoureuse e a médium soletrar A.M.U.R.E.U.S.E? Considera como fracasso apenas a ausência da letra O? Você age que nem um pesquisador cético que pede para o psíquico descrever 5 fotos na sala ao lado que ele não tem acesso, e o psíquico diz: “a 1ª foto é de um crocodilo, a 2ª foto é de um coelho, a 3ª foto é de uma tartaruga, a 4ª é de uma baleia, e a 5ª e última é de um pato”. Aí o cético todo sorridente diz: “ERRADO! A 1ª foto é de um jacaré, a 2ª é de uma lebre, a 3ª é de um cágado, a quarta é de uma orca (orcas não são baleias, são os maiores golfinhos do mundo!), e a 5ª é de um marreco! FRACASSO TOTAL!!!” :D :D :D
    .
    Enquanto qualquer pessoa razoável diria que o teste foi um sucesso enorme, um cético montalviano diria que foi um fracasso total. É por isso que dizem que as pessoas podem divergir sobre os dados…
    .
    05 – “Chamar uns poucos casos, muito malajambrados, de replicação é mesmo brincanagem…”
    .
    Poucos?
    .
    Nossa coleção é heterogênea. Ela contém primeiro muitos — cerca de 63 — recebidos pela Srta. Radcliffe Hall e (Una) Lady Troubridge (ou juntas ou apenas uma delas) como assistentes, e muito cuidadosamente escritos e anotados por elas. Esses eu chamo os testes de livros A. V. B., o comunicador sendo o mesmo A. V. B. que exerceu um papel importante nas sessões de Leonard relatadas pela Srta. Radcliffe Hall e Lady Troubridge em seu artigo recentemente publicado nos Proceedings S. P. R., Vol. XXX. Então nós temos 12 recebidos pela Sra. Salter, supostamente vindos de seu pai, Dr. A. W. Verrall, cujo nome é familiar aos leitores dos Proceedings como o comunicador nos casos “Statius” e “Orelha de Dionísio”. Estes eu chamarei de testes de livros A. W. V. E ainda nós temos os testes de livros recebidos por cerca de 37 outros assistentes, um ou mais de cada — o Rev. C. Drayton Thomas enviou 19 — e examinados tanto quanto possível por Lady Troubridge ou pela Sra. Salter.
    .
    06 – “acho o trecho acima suficiente para mostrar a distância entre o solicitado e o dado. Drayton Thomas ficava perplexo por qualquer pseudoconfirmação de sua crença, e isso me deixa perplexo, quase tão perplexo ante o fato de que o sujeito bolava uns testes bem confusos quando poderia obter respostas concludentes com experimentos simplificados. ”
    .
    Muitas vezes o espírito diz que não vê as palavras, apenas recebe a ideia delas. Raras vezes é possível soletrar tantas letras, na grande maioria dos casos só é fornecida a inicial. Então você tem que trabalhar em cima disso, e não com o que você desejaria que fosse. Por exemplo, Barrett (mais uma replicação independente!) perguntou diretamente ao espírito o título de um livro, eis o caso e a resposta:
    .
    Aqui, deixe-me oferecer um exemplo de um teste de livro que me foi dado em uma sessão com a Sra. Leonard em 5 de agosto de 1921. Durante seu transe, o Sr. Fred Myers supostamente falava comigo, por meio do controle Feda, e deu um ‘teste de livro’. Ele disse que havia alguns livros no lado direito de um aposento no andar de cima em nossa casa em Devonshire Place (a qual, é importante observar, a Sra. Leonard nunca visitou). Esta declaração estava muito correta, uma estante cheia de livros fica no lado direito da sala de estar no andar de cima. O controle continuou que, na segunda prateleira, a 1,20 metros do chão, no quarto livro contando a partir da esquerda, na parte superior da página 78, estão algumas palavras que ele (o Sr. Fred Myers) deseja que você tome como uma resposta direta dele próprio ao tanto de trabalho que você tem feito desde que ele morreu. Perguntado se o nome do livro poderia ser dado, a resposta foi ‘Não’, mas que, enquanto sentia a capa do livro, ele recebeu um sentimento de ‘progressão’. O controle continuou: ‘Em dois ou três livros deste teste de livros estão um ou dois livros sobre assuntos que Sir William costumava ser muito interessado, mas que nos últimos anos não tem dado tanta atenção. Isso está ligado aos estudos de sua juventude; e ele terá memórias particulares disso, já que se lembrará de seus dias mais jovens’. Eu não tinha ideia à quais livros ele se referia, mas ao voltar para casa constatei que, na posição exata indicada, o ‘livro do teste’ era Middlemarch, de George Eliot. A capa do livro mostrava o nome bem visível, a segunda metade, ‘marcha’, indicando o que o controle disse: ‘progressão’. Na primeira linha na parte superior da página 78 estão as palavras, ‘Ai, ai, eu lembro — você verá que eu me lembrei de todos eles’, cuja citação é singularmente apropriada, já que muito do meu trabalho desde que o Sr. Myers morreu se voltou para a questão da vida após a morte e se as lembranças dos amigos na Terra continuavam com os desencarnados.
    .
    Mas a parte mais notável deste teste de livros está contida na sentença, ‘dois ou três livros do teste de livros’, etc. Ao limpar estas estantes, a criada, sem nós sabermos, substituiu dois dos romances de George Eliot por dois volumes dos livros do Dr. Tyndall, a saber, o seu Heat e o Sound, que, para minha surpresa, foram encontrados exatamente na posição indicada. Na minha juventude, fui por alguns anos assistente do Professor Tyndall, e esses livros foram escritos enquanto eu estive com ele, e as investigações e experimentos que eles descrevem formaram ‘os estudos da minha juventude’. Uma investigação cuidadosa de todas as outras prateleiras e livros não resultou em nada nem remotamente aplicável ao teste oferecido. A coincidência, portanto, não pode explicar isso, nem a clarividência viajante pode explicar o assunto, já que a Sra. Leonard não sabe nada da nossa casa, nem da minha juventude, com a qual o Sr. Myers era familiar.

    .
    Note que a pergunta de Barrett sobre o título do livro foi importante, porque, embora o espírito não tenha podido dar-lhe o título, forneceu mais informações a respeito dele, ajudando a deixar a coisa toda ainda menos vaga.
    .
    Thomas também por vezes buscava obrigar o espírito a dar mais detalhes:
    .
    ‘Acima do 14º livro, ou quase em cima dele, há um título que irá lembrá-lo de seu tio Alfred’.
    .
    Temendo que isto não fosse suficientemente claro, perguntei se o título iria me lembrar dos seus gostos ou do seu nome? Foi-me dito que a ligação seria clara e imediata. Apesar de tal garantia, eu estava preparado para o fracasso, já que eu nunca lembrei meu tio por nada vindo das minhas prateleiras, exceto por dois volumes que ele me dera em meus tempos de estudante e que não eram suscetíveis de estarem nesta parte do aposento. Mas quando, ao voltar para o meu escritório, eu olhei com uma leve curiosidade para a fileira de livros imediatamente acima do 14º, um deles por uma ligação dupla trouxe esse tio à minha mente. Era um livro escrito pelo pai dele, e em suas costas estava um nome que, exceto por uma inicial, era idêntica ao seu. O nome do tio era A. W. Thomas, e sobre o título aparecia J. W. Thomas. Este livro ficava perpendicularmente acima do número 14.

    .
    Você tem assim vários exemplos de o pesquisador exercendo controle próprio, buscando mais detalhes.
    .
    07 – “visto haver gente nova no pedaço, qual o nobre Braulio, que deve pensar estar diante de argumentação inédita e inderribável, digo que nada há de novo sob o sol, e tudo o que ora é já o foi, como mostra o exemplo que segue (trecho de avaliação de discussão com o Visoni acontecida ao início de 2014).”
    .
    Esse trecho e suas críticas já mostrei serem tremendamente equivocadas. Um exemplo bem simples, logo no início, você diz: “Todos os livros tinham linhas,”. Essa é uma afirmação que você não pode fazer, já que é apenas dito que “nenhum dos outros livros tinha mais do que 4 linhas”. Então havia livros com 4 linhas, possivelmente com 3, com 2, com 1 e talvez mesmo com nenhuma linha. E o importante é que o conjunto de informações não se aplica a nenhum outro livro. Veja se acha um livro em que na página 5 há a palavra development ou developed e que na página 96 há a sensação de comer e beber. Apenas essas duas. Não vou nem pedir para que o livro na capa tenha uma palavra ou imagem que lembre madeira ou tábuas. Verá que apenas essas duas referências tornam muito difícil achar qualquer substituto…

  298. Gorducho Diz:

    Se tudo isso que aconteceu no tempo do Êpa é verdade, vamos fazer testes então?
    De forma mais fácil pro espírito: só um livro, aberto, ali (o espírito não precisa se deslocar até a biblioteca do pesquisador), sem textos complexos…
     
    Que diz?
    O passado passou, agora é 2015-09-23 09:53:27

  299. Gorducho Diz:

    Os livros só poderão ser enciclopédia, textos de história, geografia aprovados p/o II grau, receitas…
    Não literatura p/não alegarem complexidades que deem margem a subjetivismos, nem matérias mais técnico-matemáticas tais como física, química, biologia.
    Concorda?
     
    Ou as 10 roletas eletronicamente geradas no Excel…

  300. Vinicius Diz:

    Gorducho Diz:
    SETEMBRO 23RD, 2015 ÀS 9:34 AM
    E como chegou lá, falou c/quem…
    Principalmente se alguém a encaminhou pois que esse alguém pode ter mencionado o nome dos falecidos.

    Quem a encaminhou para lá foi uma repórter da TV Bandeirantes. Mas vou ver se consigo mais detalhes.

  301. Braulio Diz:

    Gorducho Diz:
    setembro 23rd, 2015 às 9:54 AM

    Se tudo isso que aconteceu no tempo do Êpa é verdade, vamos fazer testes então?
    De forma mais fácil pro espírito: só um livro, aberto, ali (o espírito não precisa se deslocar até a biblioteca do pesquisador), sem textos complexos…

    Que diz?
    O passado passou, agora é 2015-09-23 09:53:27
    .
    PONDERAÇÃO: Mano Gorducho, não conheço esse caso que o Montalvão e o Vitor estão discutindo, mas penso que se os registros dos experimentos são fiáveis, não vejo por quê duvidar dos resultados.
    .
    Qual motivo para duvidar dessas pesquisas? Aliás que fez essas pesquisas e quando?
    .
    Abraços

  302. Vitor Diz:

    Gorducho,
    comentando:
    .
    01 – “Se tudo isso que aconteceu no tempo do Êpa é verdade, vamos fazer testes então?
    .
    De forma mais fácil pro espírito: só um livro, aberto, ali (o espírito não precisa se deslocar até a biblioteca do pesquisador), sem textos complexos…
    .
    Que diz?
    O passado passou, agora é 2015-09-23 09:53:27″
    .
    Eu sou a favor, DESDE QUE o médium (ou o espírito) se diga capaz de tal façanha. A grande maioria dos médiuns deve passar em testes que usam fotos, já que quase todos eles me parecem receber muito mais facilmente impressões, sensações, e não palavras exatas, que nem a Lina (cujo teste é bem recente, de 2011). Por isso eu prefiro fotos. Os testes com Harribance também usam fotos e também são bem recentes, de 2010.

  303. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, hj de noite vou postar um plágio de um house dos anos 90 que esqueci o nome, mas tenho arquivado e uma música dos anos 70 do E.L.O. Aguarde. E acho que o renato russo tb plagiou o tim maia. (tim maia pagou o plagio do booker t he he he)

  304. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano Diz:
    SETEMBRO 22ND, 2015 ÀS 8:26 PM
    Foi no primeiro concílio de Éfeso que Maria ganhou o título de Teotokos.
    Dá muito trabalho escrever isso em grego.
    Mãe de deus.
    Fato posteriormente confirmado pelo chiquismo.
    .
    .
    Já viram a Mª de Nazaré do chiquismo? É essa aqui:
    .
    .
    http://4.bp.blogspot.com/-KJAnPyaANCk/UjjUYY0OXPI/AAAAAAAADN4/dzTU6Kz2Jp0/s1600/maria+esp.jpg
    .
    .
    Acho que foi revelada essa imagem a cx por emmanuel, algo desse tipo.

  305. Contra o chiquismo Diz:

    Vitor, vc liberou o scur de volta mesmo?

  306. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, veja se “Pais e Filhos” do renato russo (1990) não é plágio de “Let’s have a ball tonight” (1976) do tim maia:
    .
    .
    Tim maia:

    http://www.youtube.com/watch?v=o4Y0iwz2Y9U
    .
    .
    renato russo:
    .
    .
    http://www.youtube.com/watch?v=kVbSB843JSc

  307. Vitor Diz:

    Contra, o Scur não volta aqui nem que me pague 1 milhão de dólares (bom, confesso que 2 milhões colocariam dúvidas em minha cabeça…). Quando eu tiver motivos suficientes para achar que qualquer participante aqui é o Scur ou está a mando dele, eu tiro na hora, ok? Até lá, mantenha o respeito.

  308. Gorducho Diz:

    Qual motivo para duvidar dessas pesquisas?
    O fato delas terem sido mal desenhadas, conforme exaustivamente apontamos sempre e de não existirem hoje. Quando se fala em fazer pesquisas, os espíritas entram em pânico e começam a inventar as desculpas mais estapafúrdias que se possa imaginar.
     
    Aliás que fez essas pesquisas e quando?
    ?

  309. Borges Diz:

    “A vida está chata, monótona.”
    –Acho que você esta carente de passe mediunico.

  310. Contra o chiquismo Diz:

    Certo Vitor. Mas que é ele é…

  311. Espírita Sp Diz:

    Gorducho 22/09/15 7:59 orlando responde
    Sim. CX telefonou ao consultório. A amiga morreu. Só restam dois pessoas com as senhas. Mas foi entregue a eles em envelope lacrado.Eles não conhecem seu conteúdo e formato. Não se sabe se é complicada(vinicius)
    Estou fazendo o curso pela sétima vez para aprender ainda mas a ser servo de Jesus e fazer novas amizades
    Kardec=CX=JOHN HUSS=Quiriluis cornelius
    Vide as cinco encarnacoes de Allan Kardec na rede amigo espírita e no livro herculanun de rochester.

  312. Gorducho Diz:

    Por isso eu prefiro fotos.
     
    Fotos são uma boa desculpa p/a subjetividade, a qual invalida nosso teste sério. Claro que atende perfeitamente aos propósitos dos Crentes.
    Mas poderia ser imagens únicas sobre fundo neutro. Concorda em começarmos a trabalhar nisso?
    Tipo:
    uma pistola – seria aceita resposta tanto pistola como revólver, claro;
    uma colher;
    uma bicicleta (sempre me lembro daquele caso relatado pelo Professor do “psíquico” :mrgreen: ).
    Coletamos umas 200 ~300 imagens sobre fundo neutro adequado à (imagem).
    Quer essa modalidade, ou primeiro quer ver se existe algum médium vivo hoje?

  313. Braulio Diz:

    TRAZENDO A DISCUSSÃO PARA ESSE TÓPICO VISTO ESTAR CONCENTRADA AQUI:
    /
    /
    MONTALVÃO Diz:
    setembro 18th, 2015 às 11:58 PM
    pois é, o trabalho de Rhine corrobora a conjetura de Moi a qual, se ainda não conhece, assim se expressa: “a paranormalidade, caso exista, é “força” incerta, tênue, incontrolada e (provavelmente) incontrolável, e sem aplicação prática.”
    .
    Vitor Diz:
    setembro 21st, 2015 às 11:51 AM
    Não dá para levar a sério a conjectura do Montalvão. Os próprios testes ganzfeld mostram que psi é controlável. Basta selecionar as pessoas de dom artístico para se obter resultados melhores (de 32% [contra os 25% esperados pelo acaso] para um salto de 40%, 43%, 47% ou até mesmo 75%). Isso é controle. Nós sabemos como aumentar o percentual. Sabemos o que devemos fazer. Os casos de sucesso de arqueologia psíquica ou de médiuns/psíquicos ajudando a polícia também mostram aplicações, ou ainda apostas no mercado financeiro.
    .
    MONTALVÃO Diz:
    setembro 22nd, 2015 às 12:20 AM
    teremos que voltar às extenuantes discussões já havidas? O ponto é muito simples: se psi fosse força controlável disso haveria demonstrações sobejas, não meramente estatísticas. E em tempo: para quem diz que faz um dado cair com a face para o lado que quer desnecessário estatística para conferir. Estatística aí só se for para demonstrar que nem sempre que o sujeito quer a “força” funciona, comprovando que a conjetura de Moi se confirma…
    .
    PONDERAÇÃO DO BRAULIO: Montalvão, a questão é a seguinte. Se não houve “fraude” nas pesquisas e os resultados são fiáveis, ainda que estatísticos, não muda os resultados em si.
    .
    O motivo pelo qual o “psíquico” consegue fazer o dado cair com a face virada para cima e não consegue levitar aí são outros 500.
    Mas é um “Salto Lógico” da sua parte (ao meu ver) negar a veracidade dos resultados estatísticos das pesquisas simplesmente porque nessas pesquisas não foram incluídos fenômenos macros.
    .
    São coisas distintas.
    .
    Abraços

  314. Gorducho Diz:

    Bom assim! Como eu disse mesmo havendo honestidade dos guardiões originais poderiam vazar (Minas… canha…) p/familiares/amigos e esses p/namorado(a)s. Daí até que cai num malandro, como mesmo o Sr. mencionou o fato (pouco surpreendente p/nós…).
     
    Porque a matéria é difícil e o Sr. acaba rodando, ou porque gosta do curso e fica repetindo – tipo como as crianças com os filmezinhos preferidos.
     
    Aguardo S/resposta sobre os espíritos que rodeavam o Sócrates…

  315. Braulio Diz:

    Gorducho Diz:
    setembro 23rd, 2015 às 10:45 AM
    O fato delas terem sido mal desenhadas, conforme exaustivamente apontamos sempre e de não existirem hoje. Quando se fala em fazer pesquisas, os espíritas entram em pânico e começam a inventar as desculpas mais estapafúrdias que se possa imaginar.
    .
    PONDERAÇÃO: Como assim, não existem hoje?
    .
    E essas daqui:
    .
    http://obraspsicografadas.org/2015/recepcao-anomala-de-informacao-por-mediuns-de-pesquisa-sob-condicoes-cegas-ii-replicacao-e-extensao-2015/
    .
    http://obraspsicografadas.org/2014/investigando-mdiuns-mentais-sugestes-de-pesquisa-da-literatura-histrica-2010-por-carlos-alvarado/
    .
    http://obraspsicografadas.org/2015/algumas-direcoes-para-a-pesquisa-mediunica-2010-de-emily-williams-kelly/
    .
    http://obraspsicografadas.org/2014/pesquisa-em-mediunidade-e-relao-mente-crebro-reviso-das-evidncias-2014-de-alexander-moreira-almeida/
    .

  316. Gorducho Diz:

    TRAZENDO A DISCUSSÃO PARA ESSE TÓPICO VISTO ESTAR CONCENTRADA AQUI
     
    Este Sítio para bom ou para mau tem esta peculiaridade: só fica uma rubrica rolando, sendo que dentro dela roda qualquer coisa – não há filtro administrativo.
    E o que passou passou, ninguém mais vê.
    Para que é novo é bem confuso, mas é assim que é cá.

  317. Gorducho Diz:

    M/resposta anterior é p/o Sr., Sr. Orlando (ficou no meio doutras meio confuso…).
    E sim, entendi que repete o curso porque quer, não pela dificuldade da matéria o falta de estudo sua.
     
    Fica pendente então o caso do Σωκράτης.

  318. Vitor Diz:

    “Mas poderia ser imagens únicas sobre fundo neutro. Concorda em começarmos a trabalhar nisso?”
    .
    Minha opinião é que as imagens têm que ser ricas. A riqueza da imagem ajuda a passar mais informações. O médium pode pegar alguns detalhes de partes específicas da imagem que ajudariam a diferenciá-la das demais. Uma imagem pobre dificultaria isso. Não vejo problemas metodológicos nos testes realizados com Lina, gostaria que mais testes assim fossem replicados com outros psíquicos.

  319. Espírita Sp Diz:

    Como o dizem formalmente os dois ilustres discípulos de Sócrates, Platão e Xenofonte, aquele pretendia ter um gênio familiar, um demônio, que lhe predizia o futuro e algumas vezes lhe ditava normas de vida. O próprio Sócrates pensava que esse ser lhe era estranho, diferente dele, porque lhe revelava coisas desconhecidas. Esse demônio é o que em linguagem espírita de chama um guia.
    No Teeteto, Platão faz Sócrates dizer: Depois da minha meninice, graças ao favor celeste, sou sempre acompanhado por um ser quase divino, cuja voz me desaconselha algumas vezes de empreender qualquer coisa, porém nunca me leva a praticar essa ou aquela ação. Conheceis Carmído, o filho de Glauco. Um dia ele me disse que queria disputar o prêmio dos jogos de Nemeu… Procurei dissuadir Carmido de sua pretensão, dizendo-lhe: Enquanto você me fala, ouço a voz divina…Não vá a Neméia! Não quis dar-me ouvidos! Pois bem, ficai sabendo que ele morreu!”
    Na Apologia de Sócrates, Xenofonte lhe põe na boca o seguinte: “Esta voz profética que se me dá a entender em todo o curso de minha vida: certamente é mais autêntica do que os presságios tirados do vôo ou das entranhas dos pássaros: chamo-lhe Deus ou Demônio (Theóos e daemon). Comuniquei aos meus amigos os avisos que recebi e até o presente a sua voz nunca me disse nada que fosse inexato”.
    Aí está um ponto sobre o qual Sócrates insistiu por muitas vezes. As predições do seu gênio familiar foram sempre verificadas.
    A história do demônio de Sócrates era, em toda a Antigüidade, muito bem conhecida nos seus pormenores.
    Escreve Plutarco: “Sócrates, tendo um entendimento puro e claro, era muito sensível ao que o atingia, e o que o atingia podemos conjeturar que era não uma voz ou um som, mas a palavra de um demônio que, sem voz, lhe tocava na parte_inteligente_da_alma. As inteligências dos demônios, tendo a sua própria luz, brilhavam para aqueles que eram suscetíveis e capazes de tal clarão, não tendo necessidade nem de nomes nem de verbos, dos quais os homens fazem uso quando falam uns com os outros, e por intermédio dos quais eles vêem as imagens das inteligências uns dos outros; mas não conhecem as próprias inteligências senão aqueles que têm uma luz própria, divina.(2)
    Sócrates, quando ouvia essas vozes, não continuava na sua conversação, sustava a caminhada, dizendo, para explicar o seu proceder, que acabava de ouvir a voz de Deus.

    (1) – Le démon de Socrate, spécimen d’une application de la science psychologique à celle de I’Histoire, por F. Lélut, Paris, 1836.
    (2) – Du daemon de Socrate, trad. de D’Amyot, Paris, Cussac, XX, 1803.

  320. Contra o chiquismo Diz:

    ENGRAÇADO, PROCURANDO ALGO SOBRE O A.A. (ALCOÓLICOS ANONIMOS) VI QUE O FUNDADOR DELES ERA MÍSTICO, E EM 1958 (MESMO ANO QUE EMMANUEL DEU LSD PRA CX) USOU LSD PRA TER CERTEZA DA VIDA PÓS MORTE, LEIAM:
    .
    .
    “Há referências de sessões e outros eventos psíquicos nas cartas que Wilson escreveu a Lois [esposa dele], durante aquele primeiro verão em Akron, com os Smiths [Bob e Anne], em 1935.

    Wilson deitava-se no sofá. Ele “obtinha” tais ensinamentos [do mundo espiritual] toda semana. A cada vez, certas pessoas [demônios personificando seres humanos mortos] poderiam “entrar e trazer longos ensinamentos, palavra por palavra…”

    [Em 1938] quando Wilson começou a escrever [o manual do AA], ele clamou por direção […] As palavras começaram a pulular com velocidade espantosa. Ele completou o primeiro rascunho em meia hora […]

    Numerando os novos passos, eles chegaram a 12, um número simbólico; ele pensou nos 12 apóstolos e, pouco tempo depois, estava convicto de que a Sociedade deveria ter 12 passos.

    Foi através de mediunidade que Wilson recebeu o manual dos Alcoólicos Anônimos, notadamente de ensinamentos do mundo demoníaco. Não é surpresa, portanto, que o efeito do AA sobre muitos dos seus membros tem sido levá-los ao envolvimento com o ocultismo. Wilson também envolveu-se com o uso de LSD, na esperança de alcançar um elevado estado místico, com o objetivo de provar a sobrevivência do espírito após a morte. Em 1958, Wilson escreveu a Sam Shoemaker:

    Através do AA, nós recebemos um tremendo volume de fenômenos psíquicos, muitos deles espontâneos. Alcoólatras após alcoólatras têm me contado sobre tais experiências […] que cobrem uma gama enorme de tudo que vemos nos livros.

    Além da minha experiência mística original, eu mesmo tenho vivido incontáveis fenômenos psíquicos. ”
    .
    .
    FONTE:
    http://solascriptura-tt.org/Seitas/Religioes12Passos-AA-AlcAnonimos-DHunt.htm

  321. Vitor Diz:

    “O fato delas terem sido mal desenhadas, conforme exaustivamente apontamos sempre e de não existirem hoje.”
    .
    Não são mal desenhadas. Simplesmente são feitas para testar os fenômenos como eles são, e não como os céticos gostariam que eles fossem. Se imagens de forte conteúdo emocional são melhor recepcionadas pelos psíquicos do que palavras, então a metodologia tem que se adequar a isso, e não o médium que tem que produzir o fenômeno que os céticos gostariam.

  322. Gorducho Diz:

    Minha opinião é que as imagens têm que ser ricas. A riqueza da imagem ajuda a passar mais informações. O médium pode pegar alguns detalhes de partes específicas da imagem
     
    A velha desculpa p/preservar a Crença e fugir de experimentos de verdade. Pra mim claro que não é novidade, mas muitos que cá passam podem ficar c/a impressão que experimentos de verdade são feitos.
    Para esses anônimos é que deixo o registro…
    A “conversa” c/o Sr. é para fins formais, tipo como os “diálogos” ao estilo do Platão.

  323. Gorducho Diz:

    Simplesmente são feitas para testar os fenômenos como eles são, e não como os céticos gostariam que eles fossem. Se imagens de forte conteúdo emocional são melhor recepcionadas pelos psíquicos do que palavras, então a metodologia tem que se adequar a isso, e não o médium que tem que produzir o fenômeno que os céticos gostariam.
     
    Só que quando convém à propagação da Crença o “espírito” enxerga nos mínimos detalhes e não precisa de “emoção” nenhuma. Será que vou ter que transcrever o resultado do “estudo científico” do Drayton Thomas pela 100ª vez?

  324. Gorducho Diz:

    Como o dizem formalmente os dois ilustres discípulos de Sócrates
     
    :x
    Puxa, e eu lhe pedi que se fosse esse demônio, que reservasse essa história pralguma palestra aí na FEESP.
    Esse demônio seria a voz da consciência – como o Sr. cita mesmo: voz de D-us.
    Nada tem a ver com rodeado de espíritos como mencionou, nem c/espíritos espíritas.
    Mas vou ler a bibliografia que indicou sim!

  325. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Espírita Sp Diz: Montalvão eu faço evangelho no lar toda semana as quartas 1 da manhã. [...]
    /.
    PONDERAÇÃO: amigo, quanto ao ritual devocional que segue tenho todo o respeito, embora não me diga respeito. Meu objetivo é tão somente avaliar a legitimidade daquilo que o espiritismo (ou qualquer outra religião) apregoa e que possa ser aferido tecnicamente. Por exemplo, se uma religião assevera a existência de um mundo espiritual para onde seguem os mortos, mundo este inacessível a qualquer meio material de verificação, apenas posso conceder respeito ao discurso e aceitá-lo ou recusá-lo unicamente baseado em minha preferência pessoal.
    .
    Mas se um religioso afirma que a Virgem desceu dos céus e se fez presente entre os homens e essa vinda deixou registros verificáveis, o alegado pode ser conferido.
    .
    Igualmente, quando um mediunista defende realizar contatos com pessoas mortas e se esses contatos são seguidos de demonstrações concretas (uma carta psicografada, por exemplo) , aí o discurso passa a me interessar para aferir se é veraz ou fantasioso.
    .
    Na situação atual, estamos diante da garantia dos adeptos da mediunidade de que falecidos retornam ao meio dos vivos e com eles interagem. Muita gente aceita isso sem questionar, mas outros desconfiam. Como esclarecer seguramente? Simples, realizando verificações objetivas em que a presença de inteligências invisíveis no ambiente seja seguramente constatável.
    .
    Eis o porquê das longas discussões aqui realizadas…

  326. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Gorducho Diz:
    /
    (citando MARCIANO): Quero deixar claro que na remota hipótese de algum dia tirarmos nossos derrières do soumier e fazermos os testes, nos protocolos não poderá ser aceito esse tipo de “acerto”. Ou o espírito lê direito ou é enrolação.
    /
    GORDUCHO: Fique desde logo isso bem claro, Sr. Administrador, se acaso esteja à procura dalgum médium…
    E também m/proposta – digo minha porque não foram feitos protocolos ainda – é não colocar textos complicados como aquele supra (*).
    /.
    PONDERAÇÃO: pois é, somos “brindados” com arremedos de experimentos objetivos e, para piorar, velhos e bolorentos, sem que um testezinho atual, conferível e repetível seja apresentado. Nenhum interesse em buscar quem disposto a produzir a prova se vê.
    .
    Deve ser mais seguro ficar na zona de conforto de um passado incerto e nebuloso, em vez de pugnar por experimentações atuais e elucidativas…
    .
    Lamentável…

  327. Larissa Diz:

    Kardec=CX=JOHN HUSS=Quiriluis cornelius
    Vide as cinco encarnacoes de Allan Kardec na rede amigo espírita e no livro herculanun de rochester.
    .
    De que interessa saber quem é a reencarnação de quem?

  328. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Gorducho Diz:
    Minha ideia mesmo não era servir nada mas prometer $ no “bolso” (como será uma igreja século xxi = cartão de crédito e saldo no fim do mês p/pagar toda fatura…) pro fiel poder comer onde quiser.
    Mas vocês insistem sem servir comida de verdade (m/ideia era só prometer, lembre-se…), então que ao menos tenha sustança com requinte…
    /.
    PONDERAÇÃO: Gorducho, a ideia é utilizar a tática da Universal e quejandos, com adaptações. Se oferecermos o que as outras já dão seremos mais uma. O pão com ovo é um diferencial, mas não precisa ser exatamente isso, pão com linguiça também cai bem. Estou ainda pensando em oferecer um celular pré-pago a quem, além do cinquentézimo, ofertar metade de seus bens, como prova de fé e de fidelidade.
    .
    E tenho mais outras ideia, qual a de distribuir folhinhas da sarça ardente (que, obviamente, não mais arde); lasquinhas da cruz; réplicas do santo graal (embora este esteja meio demodê); fiapos do manto de Cristo, azeite de dendê da Palestina, e muito mais, tudo mediante qualquer oferta de amor, acima de R$1.500,00…
    .
    Depois que tiver bastante recursos, alugaremos a Ilha de Marajó onde construiremos o templo da salomão II, que vai engulir Salomão I, o do Macedo…

  329. Contra o chiquismo Diz:

    Larissa Diz:
    SETEMBRO 23RD, 2015 ÀS 1:11 PM

    .
    De que interessa saber quem é a reencarnação de quem?
    .
    .
    LUCROS DA FEB COM MAIS UM TÍTULO. QUAL CHIQUISTA CONTESTARIA A FEB? E É DOS ASSUNTOS MAIS COMENTADOS NAS CASAS CHIQUISTAS: QUEM FOI QUEM.

  330. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Testando se sou apto…
    /
    /
    Martiniano diz (pergunta):
    1) Você é do tipo que se fascina diante de um• desafio?
    .
    RESPOSTA: sim, me fascino muito: fico boquiaberto diante de desafios, sem saber o que fazer com eles…
    ./
    2) Você é do tipo de pessoa que gosta de• iniciar um projeto do zero?
    .
    RESPOSTA: cem porcento. Gosto de iniciar projetos do zero, e normalmente fico no zero mesmo…
    ./
    3) Você é uma pessoa que gosta de gente?•
    .
    RESPOSTA: sim, mas depende, se for gente como a gente…
    /.
    4) Você gosta de trabalhar em equipe?•
    .
    RESPOSTA: sim, notadamente ser for equipe que ganhe bem…
    /
    /
    Se você respondeu “SIM” a essas quatro perguntas, então, considere-se um candidato em potencial para plantar igrejas.
    ./
    PONDERAÇÃO: beleza, tão tôdentro…

  331. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Espírita Sp Diz:
    “Montalvão eu faço evangelho no lar toda semana as quartas 1 da manhã.”
    .
    PONDERAÇÃO: também faço faxina no lar, todos os dias a hora que der, se der (sempre dá)…
    /.
    “Também participo do evangelho on line via facebook.”
    .
    PONDERAÇÃO: também, às vezes, dou uma olhadela no meu facebook…
    /.

    “Minha vida na seara espírita é corrida, cheia de atividades.”
    .
    PONDERAÇÃO: minha vida com meus onze caninos e dois gatos é cheia de emoções…
    /.
    “Segunda -desobssessoes (sou medium)”
    .
    PONDERAÇÃO: eu também sou médium não… mesmo assim, sempre que posso, dou-me uma autodesobsediada…
    SEGUNDA –
    de manhã: catar cocô de cão;
    De tarde: catar mais cocô de cão, e passear com os cagões; dar comida para os cagões para que possam cagar mais…
    De noite: escrever, ler e sei lá mais o quê, até quando der… dar mais comida para os cagões… dormir, se der tempo…
    /.

    “Terça -curso aprendizes do Evangelho”
    /.
    PONDERAÇÃO:
    Terça: curso de inglês, a conselho do Mestre Marciano, que nunca começo, mas tá na pauta… e, repetir as tarefas de segunda…
    /.
    “Quarta- curso Projeto Manoel Philomeno de Miranda”
    /.
    PONDERAÇÃO:
    quarta, dia de ir no pagode do bar do bigode… e, repetir as tarefas de terça…
    /.
    “Quinta- sopa fraterna com evangelho restaurado, passes e água fluidificada.”
    .
    PONDERAÇÃO: quinta, dia da sopinha de sobras dos dias anteriores, com pimenta e água bifiltrada… e repetir as tarefas…
    /.

    Sexta- happy hour com a espiritualidade e os famintos
    .
    PONDERAÇÃO: dia do goró, se a maré tiver boa… e repetir as tarefas…
    .
    Sabado e domingo – diversos.
    /.
    PONDERAÇÃO: sabado e domingo: repetir as tarefas anteriores, até o final dos dias… treinar o aprimoramento da técnica de catar cocô…
    .
    Ah, ia mesesquecendo: segunda, quarta e sexta, acordar às 3h30 da manhã (caso tenha dormido) para levar a esposa ao ponto do ônibus, onde embarca para o plantão de 12 h… na volta assistir ao noticiário, tomar o desjejum, dar pedacinhos de queijo aos cães, assistir reprises de MMA, iniciar o dia até a noite…
    /
    “Trabalho e disciplina sempre.”
    .
    PONDERAÇÃO: sempre…
    /.

    “Espero que nossos maiores tenha piedade de mim, se Chico era um cisco, eu sou um piolho.”
    /.
    PONDERAÇÃO: se Chico era um cisco, e espírita Sp um piolho, eu sou o cocô de uma bactéria anaeróbica infestada por vírus…
    /.
    “Em breve enviarei espiritualidade em Sócrates. Não esqueci.”
    .
    PONDERAÇÃO: aguardo-lho, pois…

  332. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    BRAULIO: Mano Gorducho, NÃO CONHEÇO esse caso que o Montalvão e o Vitor estão discutindo, MAS PENSO que se os registros dos experimentos são fiáveis, não vejo por quê duvidar dos resultados.
    .
    Qual motivo para duvidar dessas pesquisas? Aliás que fez essas pesquisas e quando?
    /.
    PONDERAÇÃO: Braulio, sei que você é melhor que o manifestado em seu comentário (“não conheço…mas penso”[!]): se não conhece o caso, para melhor nortear sua avaliação, conheça-o; em seguida faça seu juízo dos argumentos das partes. Inclusive, postei um relativamente longo trecho de discussão já acontecida pensando principalmente em seu esclarecimento. Parece não tê-lo examinado… sniff…

  333. Contra o chiquismo Diz:

    MONTALVÃO, aí em SJ tá pertinho de C de Abreu. Rota dos ovnis. Em vez de reprises de MMA, olhar a trajetória dos ufos (quiçá aeróbus) seria mais interessante.
    .
    .
    Qual o plural de aeróbus?

    .
    “Hoje vi 3 ______ cruzando o céu.

    .
    aerobusões? aerobuses? aerobuss?

  334. Antonio G. - POA Diz:

    Gorducho comentou: A velha desculpa p/preservar a Crença e fugir de experimentos de verdade. Pra mim claro que não é novidade, mas muitos que cá passam podem ficar c/a impressão que experimentos de verdade são feitos..
    Certo. Como eu digo sempre, nunca é beeeeeeeeeeeem assim.

  335. Marciano Diz:

    CONTRA, você não comentou sobre All My Loving e Kathy’s Waltz.
    .
    Renato Russo e Tim Maia, bato o martelo! É plágio!
    .
    Outra que já mostrei, não sei se se lembra, é Maria Moita e Smoke in the Water.
    Depois que descobri o plágio, perdi até a graça de ouvir o riff de Smoke.
    .
    .
    Borges Diz:
    SETEMBRO 23RD, 2015 ÀS 10:47 AM
    “A vida está chata, monótona.”
    –Acho que você esta carente de passe mediunico.
    .
    Não, BORGES!
    Você não entendeu o “espírito” da coisa.
    Eu sempre tive “espírito” aventureiro, sempre gostei de desafios, novidades.
    No que diz respeito ao trabalho, estou firmado profissionalmente, bem de vida, não posso mais ficar trocando de profissões. Estou ficando velho!
    Pelo mesmo motivo, não tenho praticado nenhuma atividade física, até a maromba eu dispensei faz quase um ano.
    Eu já fui todo trincado, fera no ringue e no tatame, agora não consigo mais o mesmo desempenho. Não tenho tempo de treinar e a idade pesa, também.
    Isto deixa a gente desmotivado.
    Não tem passe que resolva isso, só uma reencarnação. Pena que não exista.
    Eu começaria tudo de novo, sem problema algum.
    .
    .
    .
    GORDUCHO:
    “Este Sítio para bom ou para mau tem esta peculiaridade: só fica uma rubrica rolando, sendo que dentro dela roda qualquer coisa – não há filtro administrativo.
    E o que passou passou, ninguém mais vê.
    Para que é novo é bem confuso, mas é assim que é cá”.
    .
    .
    Uma das razões de eu gostar do sítio é justamente esta. Se não fosse assim, ficaria monótono, chato.
    As coisas precisam fluir normalmente, ditadura é com os comunas. Já basta o PT.
    .
    .
    .
    CONTRA:
    Deve ser por isso que o AA não funciona a contento. São muitos os beberrões que entram e voltam a beber. A atenção só se foca nos raros casos dos que conseguem manter a sobriedade, e mesmo estes, não ficam curados do alcoolismo, visto que não conseguem beber com moderação, SÓ PARAR TOTALMENTE DE BEBER.
    .
    Quem se garante, bebe meia dose e deixa o resto no copo.
    .
    .
    .
    Pela conversa entre GORDUCHO e VITOR, tenho a premonição de que se houvesse mais interesse em testagens, tudo morreria nos protocolos.
    A bancada crente, quando admite, em tese, testes ATUAIS, previne-se com uma dose cavalar de subjetivismo, já antevendo o fracasso.
    .
    .
    .
    PONDERAÇÃO: amigo, quanto ao ritual devocional que segue tenho todo o respeito, embora não me diga respeito.
    .
    Só pra esclarecer, MONTALVÃO. Você tem o mesmo respeito pelo ritual dos Holy Rollers? Ou será que se borra de rir, quando vê o ritual?
    E a macumba (umbanda, quimbanda, candomblé)? Não te provocam frouxos de risos?
    Para um Holy Roller o ritual é tão sério quanto o sinal da cruz ou bolar no santo.
    Você respeita a crença de quem vê maria em torradas e manchas na parede?
    Em quem crê em estátuas que choram?
    Não estou falando de desrespeito, estou falando de levar a sério. Não é zombar da pessoa, isto não! É acreditar que faz algum sentido o comportamento bizarro.
    As palhaçadas que se faz com os malhos, as vestimentas e as cerimônias do REAA, por exemplo.
    Se você diz que respeita porque não ri na cara da pessoa, eu entendo, mas se diz que respeita porque entende o comportamento bizarro, aí o bicho pega.
    .
    .
    .
    LARISSA, é pior do que isso. Se a gente tem de saber quem é reencarnação de quem, para quê o véu do esquecimento?
    .
    .
    .
    MONTALVÃO, você já comeu o pão com linguiça (ainda acho estranha esta grafia) da Casa do Alemão?
    Você e o GORDUCHO viram a apostila que postei mais acima?
    Não estão a fim de ganhar na loteria sem precisar jogar?
    Já que não conseguimos abrir os olhos dos crentes, vamos fazer igual a outros céticos e tirar dinheiro deles. Eles são como mulher de malandro, gostam de apanhar (no caso, de doarem seus bens para a igreja).
    .
    Acabo de ver as respostas de MONTALVÃO ao questionário.
    Vamos deixar a ética de lado e fazer como os céticos do mal, plantando uma igreja?
    Já que não saem os protocolos, vamos para os estatutos da nossa igreja.
    Parece que GORDUCHO não gosta de dinheiro, mas quando ele vir as verdinhas, vai perder o juízo.
    Com o conhecimento que nós três juntos temos dessas bobagens, podemos inventar uma nova religião que dê uma grana preta (sem racismo, afinal, dinheiro, preto, branco ou azul, é sempre bom).
    .
    De quebra, no futuro, depois de nossas mortes, vai haver um monte de babacas discutindo se nossa religião é séria ou não, se os milagres aconteciam no passado, por que não mais acontecem, etc.
    Entraremos para a história, como vários outros fundadores de religiões do passado.
    Podemos (mais uma vez) reinterpretar a bíblia ou escrever do zero um livro sagrado, como fez Joseph Smith.
    .
    .
    .
    MONTALVÃO Diz:
    SETEMBRO 23RD, 2015 ÀS 2:02 PM
    /
    /
    Espírita Sp Diz:
    “Montalvão eu faço evangelho no lar toda semana as quartas 1 da manhã.”
    .
    PONDERAÇÃO: também faço faxina no lar, todos os dias a hora que der, se der (sempre dá)…
    .
    .
    E a limpeza psíquica, do Luiz de Mattos e do Marden (rc)?
    http://www.racionalismocristao.org/limpeza.html
    .
    .
    MONTALVÃO, esses seus cães estão comendo e transando demais.
    Recomendo uma castração e uma redução de estômago. A quantidade de fezes caninas vai diminuir, e a de cães também.
    Se preferir, mando a carrocinha passar por aí.
    (Brincadeirinha, também gosto do Canis familiaris, embora, atualmente, não tenha nenhum pet, canídeo, felino ou pássaro, mas já tive até tartarugas).
    .
    .
    PONDERAÇÃO:
    Terça: curso de inglês, a conselho do Mestre Marciano, que nunca começo, mas tá na pauta… e, repetir as tarefas de segunda…
    .
    .
    Você pode aprender quantos idiomas quiser (e conseguir), mas o inglês é a atual língua franca. Novos horizontes se lhe abrirão.
    É como aprender a ler de novo. Quase todo o conhecimento do mundo está grafado em inglês, principalmente conhecimento técnico.
    .
    E esse negócio de me chamar de Mestre Marciano vai acabar fazendo com que eu perca minha falsa modéstia. Logo eu, que sou a pessoa mais modesta do mundo terrestre e do mundo marciano.
    Tenho orgulho de dizer que ninguém é mais modesto do que eu. Tá certo que tudo o que eu digo é mentira e que toda regra tem exceções, assim como nunca se deve dizer a palavra nunca. Mas que minha modéstia é incomparável e inatingível, mesmo por cx, um dos sujeitos mais falso-modestos que tive o prazer de não conhecer, isto é.

  336. Marciano Diz:

    O burro corretor do blog “corrigiu” e eu não vi, acentuando lingua em latim.
    O poltergeist nunca me deixa em paz.
    Agora mesmo escrevi lingua sem acento e ele não corrigiu.
    Teste (e desafio ao poltergeist):
    lingua franca

  337. Marciano Diz:

    A-ha! :twisted:

  338. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano Diz:
    SETEMBRO 23RD, 2015 ÀS 4:10 PM
    CONTRA, você não comentou sobre All My Loving e Kathy’s Waltz.
    .
    Renato Russo e Tim Maia, bato o martelo! É plágio!
    .
    Outra que já mostrei, não sei se se lembra, é Maria Moita e Smoke in the Water.
    Depois que descobri o plágio, perdi até a graça de ouvir o riff de Smoke.
    .
    .
    to sem caixa de som agora, só logo mais. Aí eu posto o E.l.O e o house.
    .
    .
    Viu? tim maia pagou o plágio ha ha ha…..

  339. Contra o chiquismo Diz:

    Ae Vitor…
    .
    .
    Mulher filma atividade paranormal na cozinha de casa na Irlanda
    .
    .

    https://br.noticias.yahoo.com/blogs/eita/mulher-filma-atividade-paranormal-na-cozinha-de-casa-na-irlanda-172833933.html

  340. Gorducho Diz:

    É isso, paranormal é isso.
    Não existe paranormalidade estatística.

  341. Espírita Sp Diz:

    GORDUCHO
    Sócrates se refere a um daimon que lhe dá conselhos, prediz futuros. Eu gostaria de ter ou conhecer uma voz super dotada quanto esta
    CONTRA O CHIQUISMO
    Você sempre foi contra ou ja foi a favor?
    E é a favor do kardecismo?
    VLAD/DEMOSTENES
    A crença de vcs não se abalou com este blog,?
    VINICIUS
    Você é ex espírita no blog e espírita no centro kkk? Double person.

  342. Gorducho Diz:

    Nunca cogitou mandar fazer construir algo assim. Analista Montalvão?
    Em homenagem ao CX seria o CANINÓBUS.
    https://br.noticias.yahoo.com/blogs/super-incrível/americano-de-80-anos-constrói-trenzinho-para-passear-com-seus-cães-adotados-185624578.html
     
    Nós estamos c/só 4 agora + 1 gato que circula… Há ~1 mês morreu, o mais novo pego há menos de 1 ano, aparentemente envenenado cogito que por algum rato que tenha pego (não cogitamos maldade de vizinhos…).

  343. vinicius Diz:

    VINICIUS
    Você é ex espírita no blog e espírita no centro kkk? Double person.

    Sou investigador atualmente. Adentro locais em busca de provas contundentes de vida além da vida mas confesso que só encontrei uma nova igreja “estática” com mentor falando a mesma coisa , como um gravador debaixo do tablado. Mas as pessoas são bacanas e vai saber se são tão espiritas quanto eu… no momento da leitura do livro dos médiuns, na parte de objetos se movendo, sempre há uma risadinha no canto da boca…
    :lol:

  344. Gorducho Diz:

    VLAD/DEMOSTENES
    A crença de vcs não se abalou com este blog,?

     
    Sobre o Dr. posso lhe dizer que sim, pois várias vezes renegou cá o chiquismo, apesar de estar mergulhado nele até as orelhas.
     
    Sobre o demônio, perceba que ele nunca se refere ao dito como um ente dotado de personalidade própria digamos, como o modelo de “espírito” da cosmologia de vocês.
    Mas vou lobrigar o que indicou, bem como nas referências da Wiki; que reza o que lhe disse:
    The Platonic Socrates, however, never refers to the daimonion as a daim?n; it was always an impersonal “something” or “sign”.[16] By this term he seems to indicate the true nature of the human soul, his newfound self-consciousness.[17]
     
    [16] Burnet, Plato’s Euthyprho, Apology of Socrates, and Crito; p. 63, P. Destrée, “The Daimonion and the Philosophical Mission”, Apeiron vol. 38 no. 2, 2005.
    [17] Paolo De Bernardi, Socrate, il demone e il risveglio, from “Sapienza”, no. 45, ESD, Naples 1992, pp. 425-43.

  345. Gorducho Diz:

    Vamos então por partes, Sr. Orlando:
    Quanto ao Lelut, pelo que entendi ele conclui que o Σωκράτης
    sofria de alucinações – aliás sabe-se que ele saia fora do ar frequentemente – e, imerso que era nas crenças atenienses, achava que poossuiia uma espécie de oráculo interno.
    Nada aí de espíritos espíritas.
    Me corrija se entendi mal a conclusão da obra – li rápido procurando ir aos finalmente.

  346. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Braulio Diz:
    Gorducho Diz: O fato delas terem sido mal desenhadas, conforme exaustivamente apontamos sempre e de não existirem hoje. Quando se fala em fazer pesquisas, os espíritas entram em pânico e começam a inventar as desculpas mais estapafúrdias que se possa imaginar.
    .
    BRAULIO: Como assim, não existem hoje? E essas daqui:
    1) http://obraspsicografadas.org/2015/recepcao-anomala-de-informacao-por-mediuns-de-pesquisa-sob-condicoes-cegas-ii-replicacao-e-extensao-2015/
    2) http://obraspsicografadas.org/2014/investigando-mdiuns-mentais-sugestes-de-pesquisa-da-literatura-histrica-2010-por-carlos-alvarado/
    3) http://obraspsicografadas.org/2015/algumas-direcoes-para-a-pesquisa-mediunica-2010-de-emily-williams-kelly/
    4) http://obraspsicografadas.org/2014/pesquisa-em-mediunidade-e-relao-mente-crebro-reviso-das-evidncias-2014-de-alexander-moreira-almeida/
    /.
    PONDERAÇÃO: Braulio, você é novo no pedaço e precisa saber de algumas coisas. Os artigos postados dificilmente provam alguma coisa, eles são discutidos e (lembra, né?) da discussão nasce a luz. Então, de nada adianta fazer menção a títulos, a maioria dos aqui participantes esteve na conversa e opinou. O que se faz imprescindível é sopesar os pontos de vista para subsidiar a formação do seu.

  347. Gorducho Diz:

    Vamos então tentar dar uma satisfação ao ABr, por partes.
    4) Não é experimento: é um aperçu de literatura espírita, feito por chiquistas. Já no primeiro comentário, o Professor pertinentemente detona o trabalho.

  348. Gorducho Diz:

    2) Também é uma revisão de literatura parapsicológica feita pelo Carlos Alvarado, do qual tenho boa impressão pelas manifestações sempre cautelosas e cordatas. Sem conhece-lo pessoalmente, bien entendu.
    Mas nada acrescenta porque não é experimento.

  349. Espírita Sp Diz:

    Putz não li até o final. Lelut conclui que é alucinação?
    Bom há outros que diz ser espírito e o proprio Sócrates também o diz assim como Chico dizia que o Emmanuel o acompanhava. Vai dizer que chico era alucinado também?
    E Divaldo? E os mais de mil mediuns do CUEE?

  350. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Mas poderia ser imagens únicas sobre fundo neutro. Concorda em começarmos a trabalhar nisso?”
    .
    Vitor: MINHA OPINIÃO é que as imagens têm que ser ricas. A riqueza da imagem ajuda a passar mais informações. O médium pode pegar alguns detalhes de partes específicas da imagem que ajudariam a diferenciá-la das demais. Uma imagem pobre dificultaria isso. NÃO VEJO PROBLEMAS METODOLÓGICOS NOS TESTES REALIZADOS COM LINA, gostaria que mais testes assim fossem replicados com outros psíquicos.
    /.
    PONDERAÇÃO: respeita-se a opinião, mas conforme dito outras vezes, tal alegação é despautério. Fosse desse modo as comunicações seriam terrivelmente restritas. O mesmo espírito que diz que comunica por imagens usa palavras para dar a informação. Codilouco pura. Além disso, a malandragem de comunicação por imagens não encontra guarida no próprio meio mediúnico, Kardec e outros teóricos nada disseram a respeito, Dunglas Home tampouco, a ídala de alguém, Leonora Piper, muito menos… Só Osborne: vez que o doidinho do Thomas ficava fazendo perguntas bestas e ela respodia abestadamente…
    .
    Só Jesus para salvar essas almas…
    .
    Quanto à Lina, tudo bem que não vejam “problemas metodológicos” com experimentações feitas (isso vai da opinião de quem examina), o problema a ser visto é a própria Lina e os que a pesquisam tão ingenuamente…

  351. Gorducho Diz:

    1) Observe que em resposta ao Sr. Administrador, já no 3° sugeri que pleiteasse uma franquia p/certificação de médiuns.
    Caso dessem certo os contatos preliminares, se o AMo fosse convidado e aceitasse a Diretoria de Didática a qual teria que proceder à tropicalização do curriculum, em particular a cadeira de mensagens consolatórias, eu até estudaria entrar como sócio.
    Com a condição da presença do AMo no empreendimento.
    Mas o Sr. Adminitrador aparentemente não se interessou.

  352. Gorducho Diz:

    Putz não li até o final. Lelut conclui que é alucinação?
     
    Não acredito que tenha tentado dar uma de João-sem-braço para comigo :(
    Mas li muito rápido, como pode ter percebido; então confira…
     
    Eu acho que o CX tinha sim digamos traços de esquizofrenia ou algo assim (não sou médico, bien entendu). Diz que na esquizofrenia a pessoa de fato enxerga e/ou ouve, i.e., de fato há reações cerebrais correspondentes.
    O episódio do tiro só se explica assim. Não acredito em fraude dele inventando a história. E o Emmânuel dando ordens e até ameaçando matar ele.
    Eu tenho visto um caso impressionante duma criança entre nossas relações sociais não-intimas, onde ela diz que uma voz manda ela fazer cousas terríveis…
     
    Vamos analisar o CUEE se quiser – o Dr. há temos tentou me aplicar essa, talvez tenha acompanhado…

  353. Gorducho Diz:

    O espiritismo serviu p/legitimar os sintomas, e como não preenche aqueles requisitos técnicos de prejudicar seriamente a sociabilidade, gerar ameaças a outro, &c., ele incorporou e acabou usando aquilo.
    A besteira foi da ICAR, que desprezou o que seria um futuro santo. Como aqueles guris que aparecem no juvenil do Grêmio e é mandado embora, brilhando depois no Inter. Ou vv., claro!

  354. Contra o chiquismo Diz:

    The Dave Brubeck… sim foi plágio dos Beatles.

  355. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, olha essa do E.L.O de 1979 aos 2:51 em diante:
    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=F54zs-M1Sgg
    .
    .
    Agora olha essa do Lil Loius de 1989 aos 2:38 em diante:

    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=551y8goAs3A

  356. Gorducho Diz:

    O livro do Lelut tem que ler o cap. IIII lá pela pg. 100.
    O início são preâmbulos, a vida dele… E no fim tem um monte de notas.

  357. Gorducho Diz:

    Vamos então ao #3, Analista Bráulio. Há de fato um trabalho – não este que pinçou – de Ms. Kelly c/Ms. Arcangel se bem me lembro.
    Foi em 2010 e, a partir dum comentário num sítio tenho cobrado da Administração. O cara dizia mais ou menos: se descobriram de fato médiuns devemos esperar novidades a partir de agora
    Como já se apercebeu, lá se vão 4 anos, que nesses tempos acelerados são muito tempo. E?

  358. Vitor Diz:

    Montalvão
    comentando:
    .
    1) ” tal alegação é despautério. Fosse desse modo as comunicações seriam terrivelmente restritas. O mesmo espírito que diz que comunica por imagens usa palavras para dar a informação.”
    .
    Acho que pelo contrário. Penso que seria restrito se fosse do jeito que você fala.
    .
    At first glance, rock climbing would seem to require maximal conscious awareness, but as Zinn rappels to the ground Koch tells me that the aim is to let go of your mind and let the body take over. Great climbers, like great dancers, must relinquish control to the unconscious mind. No one could have more respect for the powers of the unconscious than Koch. Most of what we do, he says, is not under our conscious control; we’re not even aware we’re doing it. Take walking: “When you walk, you don’t think lift leg, move leg forward, put leg down. You just walk!” The same is true for talking. When you speak, you don’t suddenly have to think about grammar and syntax and vocabulary, you just open your mouth and the words come out. “If you had to consciously think through that stuff,” says Koch, “you’d never get anywhere.”
    .
    http://cbcl.mit.edu/news/files/koch-kreiman-LAweekly-03.html
    .
    Eu entendo que o output são palavras, que podem vir por meio de som ou escrita. Mas isso não quer dizer que o input veio já nessa forma. O input é o pensamento, que vai ter que sair na forma de palavras (por som ou escrita). Você quando conversa com alguém fala com palavras (a menos que seja surdo-mudo e use sinais ou mímica no lugar), mas seu discurso não aparece na sua cabeça na forma de uma redação. Você não imagina as palavras aparecendo escritas na sua cabeça quando fala com alguém. Antes vem o desejo, as sensações, imagens… Se quero transmitir a ideia “Eu quero uma casa no campo”, penso em mim, há o desejo de posse, imagino uma casa em um campo, tudo isso simultaneamente ou quase simultaneamente ao discurso (falado ou escrito). Se eu digo “não pense em um urso”, você pensa na imagem de um urso, e não na palavra “urso”.
    .
    2) “Além disso, a malandragem de comunicação por imagens não encontra guarida no próprio meio mediúnico, Kardec e outros teóricos nada disseram a respeito, Dunglas Home tampouco, a ídala de alguém, Leonora Piper, muito menos…”
    .
    De fato Piper NADA disse a respeito:
    .
    Ora, os guias asseguram que, durante o transe, o espírito de Madame Piper abandona quase totalmente o seu corpo, o que também acontece sempre, segundo eles, durante o sono normal. Esse corpo apresenta-se então como uma casca, como um invólucro vazio, emitindo uma certa força que produz nele o efeito de um clarão. Eles mergulham-se nesse clarão e aí criam seus pensamentos, e o aparelho de Madame Piper no-los transmite pela voz e pela escrita. Mas os desencarnados não fazem conta do modo pelo qual isto se produz; eles não têm consciência de escrever, e provavelmente não a têm mais do que dizem. Dir-me-ão que isto é alta fantasia. Não, são as explicações fornecidas pelos próprios guias de Madame Piper, e como tais merecem ser registradas, para que fiquemos dispostos ou não a dar-lhes fé.
    .
    Livro: MADAME PIPER e A Sociedade Anglo-Americana de Pesquisas Psíquicas (1902)
    .
    Então nem os guias sabem como as informações são passadas.
    .
    3) ” o problema a ser visto é a própria Lina e os que a pesquisam tão ingenuamente…”
    .
    Eu vejo mais problemas nos críticos…

  359. Gorducho Diz:

    S/outra citação é só a tradução do trecho do Plutarco p/o francês, não é Sr. Orlando?

  360. Vitor Diz:

    Só quero avisar que como não conheço teoria da linguagem, é bem capaz de eu ter falado besteiras sobre o assunto na minha postagem acima.

  361. Gorducho Diz:

    Não vi besteiras, exceto não reconhecer que experimentos p/serem sérios tem que ser along the lines por nós delineadas.
    O espírito vê a imagem única sem ambiguidades e projeta na mente do médium segundo a teoria da linguagem do idioma nativo do lugar onde fizermos os experimentos.
     
    Um guarda chuvas em fundo branco…
    O médium carioca acostumado c/as praias pode vociferar como guarda sol. Tudo bem, aceito será.
    Nada de confundir o espírito com imagens dum cara de guarda chuvas em Trafalgar Square…

  362. Marciano Diz:

    Não é preciso conhecer teoria da linguagem para se saber expressar o pensamento em várias línguas.
    Foi alguma ironia que não entendi?
    Tenho lido alguns livros de psicologia cognitiva, onde o assunto é discutido, e não vejo nada que possa fazer com que eu melhore a exteriorização de meus pensamentos.
    Como são todos em língua inglesa, estão servindo para manter aquecida minha agilidade nesse idioma, só isso.
    Não é preciso conhecer metacognição para se ter conhecimento de um monte de coisas.
    Seria uma espécie de reserva mental?
    A gente se escusa de qualquer coisa errada que possa ser apontada futuramente, antecipando que não conhecemos teoria da linguagem, logo, não podemos expressar corretamente o que pensamos.
    Art. 110 do Código Civil:
    A manifestação de vontade subsiste ainda que o seu autor haja feito a reserva mental de não querer o que manifestou, salvo se dela o destinatário tinha conhecimento.
    .
    Espero que não seja o caso.
    .
    .
    CONTRA, esse negócio de plágio vai longe.
    No caso de McCartney, acredito que tenha sido criptomésia, porque ele era bom compositor.
    Digo era, não porque tenha morrido, está vivinho, mas não sabe mais compor nada que preste.

  363. Vitor Diz:

    Para o Montalvão, alguns exemplos de como poderia ser a comunicação sem o uso de palavras, apenas por imagens:
    .
    mesmo conceitos abstratos podem ter representações pictóricas. O mnemonista russo S. descobriu que, quando pensava na expressão “pesar as palavras”, ele imediatamente criava uma imagem de uma balança (Luria, 1969, p. 119); e, quando tentava entender a frase “o trabalho evoluiu normalmente”, ele via uma fábrica com operários e (para “normalmente”) “uma mulher grande, de faces rosadas, uma mulher normal (Luria, 1969, p. 128). Do mesmo modo, a frase de Jensen “Estou cansado” podia evocar a imagem de um homem na cama desligando um abajur antes de dormir..

  364. Marciano Diz:

    As mais recentes composições de McCartney parecem psicografias de si mesmo. Pioraram muito.
    Ele era bom. Ele e Lennon. A parceria só houve em algumas pouquíssimas músicas. No máximo, davam um pitaco um na música do outro, sugerindo um middle eight, um refrão, um arranjo, um riff, coisas assim.
    Às vezes, fundiam músicas inacabadas de um e de outro, como em “A Day in the Life”, uma das melhores.

  365. Gorducho Diz:

    Para o Montalvão, alguns exemplos de como poderia ser a comunicação sem o uso de palavras, apenas por imagens:
    .
    mesmo conceitos abstratos podem ter representações pictóricas. O mnemonista russo S. descobriu que, quando pensava na expressão “pesar as palavras”, ele imediatamente criava uma imagem de uma balança (Luria, 1969, p. 119); e, quando tentava entender a frase “o trabalho evoluiu normalmente”, ele via uma fábrica com operários e (para “normalmente”) “uma mulher grande, de faces rosadas, uma mulher normal (Luria, 1969, p. 128). Do mesmo modo, a frase de Jensen “Estou cansado” podia evocar a imagem de um homem na cama desligando um abajur antes de dormir
    ..
     
    Isso não é comunicação pois que não comunica a mensagem desejada. É tanto ruído introduzido que a mensagem se perdeu.

  366. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Braulio Diz:

    /
    /
    MONTALVÃO Diz:
    setembro 18th, 2015 às 11:58 PM
    pois é, o trabalho de Rhine corrobora a conjetura de Moi a qual, se ainda não conhece, assim se expressa: “a paranormalidade, caso exista, é “força” incerta, tênue, incontrolada e (provavelmente) incontrolável, e sem aplicação prática.”
    .
    Vitor Diz: Não dá para levar a sério a conjectura do Montalvão. Os próprios testes ganzfeld mostram que psi é controlável. Basta selecionar as pessoas de dom artístico para se obter resultados melhores (de 32% [contra os 25% esperados pelo acaso] para um salto de 40%, 43%, 47% ou até mesmo 75%). Isso é controle. Nós sabemos como aumentar o percentual. Sabemos o que devemos fazer. Os casos de sucesso de arqueologia psíquica ou de médiuns/psíquicos ajudando a polícia também mostram aplicações, ou ainda apostas no mercado financeiro.
    /.
    PONDERAÇÃO: Braulio, por ser novo na área relevo sua seleção de argumento. Vejo que sua simpatia pelo paranormal fá-lo optar por qualquer alegação que lhe pareça corroborar o que crê. Sugiro que melhor se informe para produzir sua própria opinião. No caso acima, teve a desdita de selecionar um dos piores momentos do Vitor. Parece-me que ele estava em alfa ou beta, divagando sobre nuvens. Esse negócio de que artista pontua melhor nem parapsicólogos acatam, foi ideia que se encravou no cérebro do moço e de lá só sai com cirurgia. E mais, teste ganzfeld não mostra que psi é controlável, se fosse não daria 32 ante o esperado de 25, daria 100, ou próximo disso. Se em 100 lançamentos o sujeito acerta 32 ele não está controlando. Mesmo que supostamente fosse dotado de paranormalidade, esta se manifestaria esporadicamente, e sem controle, conforme reza a conjetura de Moi…
    .
    Considere a propalada telepatia, um dos fenômenos psi considerado mais próximo de ser real. Se a telepatia fosse controlável as pessoas estariam se falando sem auxílio de celular ou skype. Imagina um chefe precisando avisar seu empregado da reunião de amanhã, da qual ele não tomou ciência. Como é que faz? Pressiona o dedo indicador na fronte e despacha o aviso para o alvo, ou pega o fone e liga? Qual dos dois dá resultado? Os supostos eventos telepáticos (principal objeto da pesquisa ganzfeld) quando ocorrem, caso ocorram, acontecem à revelia dos envolvidos.
    .
    Preste atenção: ainda verá várias fantasias do Vitor…
    .
    Se quiser, faça você mesmo a pesquisa, averigue se encontra exemplo de manifestação psi (que não seja fraude ou esteja sob suspeita, qual é o caso dos superpoderosos, da linha Uri Geller) que se mostre controlável, de ocorrência rotineira, intensa em sua manifestação e com aplicação utilitária em uso. Se achar pedirei perdão em público e jogarei a conjetura de Moi no mais profundo abismo do hades.

  367. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vitor Diz:
    .
    01 – “por que, então, não ouço a torcida a gritar: “tem controle sim, tem controle sim…?”
    .
    VISONI: Porque gosta de se fazer de surdo…
    .
    PONDERAÇÃO: só para lembrar, o controle aqui se refere ao experimentador estar no comando do experimento, ou seja, ele dirigir a experimentação de modo que o médium (ou o espírito que alegadamente comunica) tenham de responder à verificação sem impor o “modus operandi”. Pois bem, no mais das vezes é o médium quem controla e o “espírito” quem dita as regras. E essas regras variam conforme a ocasião. Mas, há alguns em que parece que o pesquisador está no comando, notadamente certas experimentações com Osborne. No entanto, como bem diz o lúcido GPoa, nunca é bem assim: quando se examina em detalhes o evento percebe-se algumas variáveis que mostram estar a médium, se não no inteiro dirigir, ao menos segurando conjuntamente as rédeas dos procedimentos. (Atenção Braulio, preste atenção nestas linhas, já que demonstra estar interessado em melhor conhecer as “provas” que o Vitor brande, qual espadachim do Usbesquistão).
    /
    /
    VISONI: tanto que saiu do ECAE. Você não aguentou a pressão da torcida…
    /.
    PONDERAÇÃO: ah, então foi por isso… quem foi que te contou?
    /
    /
    02 – “louve-se o crente pela hombridade de mostrar que o teste não apresentou resultado satisfatório…”
    .
    VISONI: Não apresentou nenhum resultado que diferisse da média. Isso não quer dizer insatisfatório. Já vimos que a média de Osborne é inatingível por meios normais, já que ninguém replicou seu sucesso (pelo menos até hoje). A média dela era de 36% de testes bem sucedidos, enquanto tentativas de replicação por meios normais eram de meros 2%. E note que é mais uma prova que os pesquisadores exerciam controle sim, ao contrário do que você diz.
    ./
    PONDERAÇÃO: loucura, meu: a média de Osborne, por critérios saudáveis, é abaixo da crítica. Os belos acertos provêm da gentil e generosa apreciação de Drayton e alguns estremunhados. Osborne, se ainda não sabe, utilizava uma técnica, que muito provavelmente desenvolvera a partir de habilidade natural e aprimorara pelos muitos atendimentos aos, em maioria, crentes e sequiosos por suas revelações. Quem tem olhos de ver verá que as revelações de Gladys são preponderantemente calcadas em “acredito”, “tenho a impressão”, “ela parece ter visto”, “Feda acredita que”, “estou sentindo uma letra (de um nome) que pode ser A, B, C, Y…”, e outras tantas vaguezas que os estupidificados admiradores cuidavam de achar correlação, qual uns que costumam frequentar esse sitio, de cujos nomes esqueci-me.
    .
    Em tempo, a média de atendidos por Chico Xavier, satisfeitos e declarando que o médium citou informes que não poderia saber por ele próprio, estava acima de 90%…
    ./
    /
    03 – “por que Feda fracassou neste quesito? O pesquisador deveria se esforçar por saber e o sabendo talvez percebesse que o alcance do truque tem limites…”
    .
    VISONI: Tentativas de entender o modus operandi é o que não faltaram. Um exemplo:
    .
    “Essa mistura de verídicos e falsos não precisa em si mesma nos surpreender. NÓS SABEMOS que com automatistas, e em especial aqueles que realizam tantas sessões como a Sra. Leonard, há muito na fala ou na escrita automática que nós podemos chamar de material sonhado, ainda que haja evidência de origem supranormal em algumas das coisas ditas. Os testes de livros se tornaram por enquanto quase parte da rotina de comunicação com certos assistentes, Feda podendo produzi-los mais ou menos mecanicamente, e sem ela própria saber quando o impulso vem e se a suposta inspiração é real ou imaginária.”
    .
    PONDERAÇÃO: “nós sabemos” uma ova, cara-pálida. Nós não sabemos de nada disso. Essa alegação não é comprovada, ele funciona nos sítios que acatam acriticamente a realidade das comunicações. Visto, NÓS SABERMOS, que a ação de mortos em meio aos vivos não está demonstrada, então, tudo que for dito tendo essa suposição por realidade cai no descrédito.
    ./
    /
    04 – “PEDIDO: “exemplos em que os espíritos leram clara e incontestemente”…
    .
    DADO: “FORNECEU UMA APROXIMAÇÃO INEQUÍVOCA DO TÍTULO”
    .
    Paro aqui mesmo, por suficiente, ou devo seguir?”
    .
    VISONI: Você vê como fracasso o livro se chamar Amoureuse e a médium soletrar A.M.U.R.E.U.S.E? Considera como fracasso apenas a ausência da letra O? Você age que nem um pesquisador cético que pede para o psíquico descrever 5 fotos na sala ao lado que ele não tem acesso, e o psíquico diz: “a 1ª foto é de um crocodilo, a 2ª foto é de um coelho, a 3ª foto é de uma tartaruga, a 4ª é de uma baleia, e a 5ª e última é de um pato”. Aí o cético todo sorridente diz: “ERRADO! A 1ª foto é de um jacaré, a 2ª é de uma lebre, a 3ª é de um cágado, a quarta é de uma orca (orcas não são baleias, são os maiores golfinhos do mundo!), e a 5ª é de um marreco! FRACASSO TOTAL!!!”
    .
    PONDERAÇÃO: rá, rá, digo eu: se o seu “psíco” mostrasse tal desempenho eu queria ver e vendo deduziria que ali havia algo a ser melhor investigado. De Osborne você procura extrair o melhor e olvidar a falhanças e claras evidências de que ela aplicava a técnica do discurso frio.
    /
    /
    VISONI: Enquanto qualquer pessoa razoável diria que o teste foi um sucesso enorme, um cético montalviano diria que foi um fracasso total. É por isso que dizem que as pessoas podem divergir sobre os dados…
    .
    PONDERAÇÃO: como resultado para reforçar a fé de crente, o teste pode ser reputado sucesso, mas como demonstração objetiva da ação de desencarnados dentre os vivos zero…
    ./
    /
    05 – “Chamar uns poucos casos, muito malajambrados, de replicação é mesmo brincanagem…”
    .
    VISONI: Poucos?
    .
    “Nossa coleção é heterogênea. Ela contém primeiro muitos — cerca de 63 — recebidos pela Srta. Radcliffe Hall e (Una) Lady Troubridge (ou juntas ou apenas uma delas) como assistentes, e muito cuidadosamente escritos e anotados por elas. Esses eu chamo os testes de livros A. V. B., o comunicador sendo o mesmo A. V. B. que exerceu um papel importante nas sessões de Leonard relatadas pela Srta. Radcliffe Hall e Lady Troubridge em seu artigo recentemente publicado nos Proceedings S. P. R., Vol. XXX. Então nós temos 12 recebidos pela Sra. Salter, supostamente vindos de seu pai, Dr. A. W. Verrall, cujo nome é familiar aos leitores dos Proceedings como o comunicador nos casos “Statius” e “Orelha de Dionísio”. Estes eu chamarei de testes de livros A. W. V. E ainda nós temos os testes de livros recebidos por cerca de 37 outros assistentes, um ou mais de cada — o Rev. C. Drayton Thomas enviou 19 — e examinados tanto quanto possível por Lady Troubridge ou pela Sra. Salter.”
    .
    PONDERAÇÃO: tá, e algum dessa coleção heterogênea (quer dizer: aparentes sucessos, claros insucessos, indefinidos) demonstrou objetiva e inequivocamente a presença de mortos?
    ./
    /
    06 – “acho o trecho acima suficiente para mostrar a distância entre o solicitado e o dado. Drayton Thomas ficava perplexo por qualquer pseudoconfirmação de sua crença, e isso me deixa perplexo, quase tão perplexo ante o fato de que o sujeito bolava uns testes bem confusos quando poderia obter respostas concludentes com experimentos simplificados. ”
    .
    VISONI: Muitas vezes o espírito diz que não vê as palavras, apenas recebe a ideia delas.
    .
    PONDERAÇÃO: não vê a palavra mas recebe a ideia dela… quem é que transmite a ideia da palavra, a palavra? Espírito que não vê o texto diante de si mas dele recebe a impressão do conteúdo deve ser ou brincalhão ou doidão, caso espíritos de fato comunicassem…
    /
    /

    VISONI: Raras vezes é possível soletrar tantas letras, na grande maioria dos casos só é fornecida a inicial. ENTÃO VOCÊ TEM QUE TRABALHAR EM CIMA DISSO, E NÃO COM O QUE VOCÊ DESEJARIA QUE FOSSE. Por exemplo, Barrett (mais uma replicação independente!) perguntou diretamente ao espírito o título de um livro, eis o caso e a resposta:
    .
    “Aqui, deixe-me oferecer um exemplo de um teste de livro que me foi dado em uma sessão com a Sra. Leonard em 5 de agosto de 1921. Durante seu transe, o Sr. Fred Myers supostamente falava comigo, por meio do controle Feda, e deu um ‘teste de livro’. Ele disse que havia alguns livros no lado direito de um aposento no andar de cima em nossa casa em Devonshire Place (a qual, é importante observar, a Sra. Leonard nunca visitou). Esta declaração estava muito correta, uma estante cheia de livros fica no lado direito da sala de estar no andar de cima. O controle continuou que, na segunda prateleira, a 1,20 metros do chão, no quarto livro contando a partir da esquerda, na parte superior da página 78, estão algumas palavras que ele (o Sr. Fred Myers) deseja que você tome como uma resposta direta dele próprio ao tanto de trabalho que você tem feito desde que ele morreu. PERGUNTADO SE O NOME DO LIVRO PODERIA SER DADO, A RESPOSTA FOI ‘NÃO’, mas que, enquanto SENTIA A CAPA DO LIVRO, ele recebeu um sentimento de ‘progressão’. O controle continuou: ‘Em dois ou três livros deste teste de livros estão um ou dois livros sobre assuntos que Sir William costumava ser muito interessado, mas que nos últimos anos não tem dado tanta atenção. Isso está ligado aos estudos de sua juventude; e ele terá memórias particulares disso, já que se lembrará de seus dias mais jovens’. Eu não tinha ideia à quais livros ele se referia, mas ao voltar para casa constatei que, na posição exata indicada, o ‘livro do teste’ era Middlemarch, de George Eliot. A capa do livro mostrava o nome bem visível, a segunda metade, ‘marcha’, indicando o que o controle disse: ‘progressão’. Na primeira linha na parte superior da página 78 estão as palavras, ‘Ai, ai, eu lembro — você verá que eu me lembrei de todos eles’, cuja citação é singularmente apropriada, já que muito do meu trabalho desde que o Sr. Myers morreu se voltou para a questão da vida após a morte e se as lembranças dos amigos na Terra continuavam com os desencarnados.”
    .
    PONDERAÇÃO: “perguntado se o nome do livro poderia ser dado, a resposta: não!
    .
    A pergunta seguinte deveria ser: e por que não?
    .
    Da resposta à segunda indagação o pesquisador tiraria os parâmetros para uma investigação devidamente controlada, mas o que preferiu fazer? Resposta: ficar à mercê do xou de Osborne… só não vê quem não tenha olhos de ver…
    .
    Tão simples e tão elucidativo, se o experimentador pusesse um livro no aposento ao lado, estando este (o aposento) devidamente fechado, livro que nem ele, nem a médium viram a capa e o conteúdo. A partir daí começasse as verificações objetivas. Mas, se o ente comunicante em definitivo alegasse não conseguir ler palavras, trocava-se o livro por imagens nos mesmos moldes da verificação anterior (nem o médium nem o experimentador saberiam que imagens estavam no local). Afinal, alguma coisa concreta e explícita o morto teria de ver, se não visse nada seria porque não havia espírito algum presente e Thomas teria prestado um nobre serviço defenestrando a aldrabona. Simples e conclusivo.

    /
    /
    .
    VISONI: Note que a pergunta de Barrett sobre o título do livro foi importante, porque, embora o espírito não tenha podido dar-lhe o título, forneceu mais informações a respeito dele, ajudando a deixar a coisa toda ainda menos vaga.
    .
    PONDERAÇÃO: a vagueza continuou, não se obteve demonstração taxativa de ente alienígena atuando.
    ./
    /
    VISONI: Thomas também por vezes BUSCAVA OBRIGAR o espírito a dar mais detalhes:
    /.
    PONDERAÇÃO: isso da parte de Thomas seria o impensável…
    ./
    /
    “Acima do 14º livro, ou quase em cima dele, há um título que irá lembrá-lo de seu tio Alfred”.
    .
    Temendo que isto não fosse suficientemente claro, perguntei se o título iria me lembrar dos seus gostos ou do seu nome? Foi-me dito que a ligação seria clara e imediata. Apesar de tal garantia, eu estava preparado para o fracasso, já que EU NUNCA LEMBREI MEU TIO POR NADA VINDO DAS MINHAS PRATELEIRAS, exceto por dois volumes que ele me dera em meus tempos de estudante e que não eram suscetíveis de estarem nesta parte do aposento. Mas quando, ao voltar para o meu escritório, eu olhei com uma leve curiosidade para a fileira de livros imediatamente acima do 14º, um deles por uma ligação dupla trouxe esse tio à minha mente. Era um livro escrito pelo pai dele, e em suas costas estava um nome que, exceto por uma inicial, era idêntica ao seu. O nome do tio era A. W. Thomas, e sobre o título aparecia J. W. Thomas. Este livro ficava perpendicularmente acima do número 14.”
    /.
    PONDERAÇÃO: codilouco em cima de codilouco: o treco é recheado de validação subjetiva mas se quer transformá-lo em evidência robusta.
    ./
    /
    VISONI: Você tem assim vários exemplos de o pesquisador exercendo controle próprio, buscando mais detalhes.
    .
    PONDERAÇÃO: se esse é o melhor que pode arrumar, tá mesmo encrencado…
    ./
    /
    07 – “visto haver gente nova no pedaço, qual o nobre Braulio, que deve pensar estar diante de argumentação inédita e inderribável, digo que nada há de novo sob o sol, e tudo o que ora é já o foi, como mostra o exemplo que segue (trecho de avaliação de discussão com o Visoni acontecida ao início de 2014).”
    .
    VISONI: Esse trecho e suas críticas já mostrei serem tremendamente equivocadas. Um exemplo bem simples, logo no início, você diz: “Todos os livros tinham linhas,”. Essa é uma afirmação que você não pode fazer, já que é apenas dito que “nenhum dos outros livros tinha mais do que 4 linhas”. Então havia livros com 4 linhas, possivelmente com 3, com 2, com 1 e TALVEZ mesmo com nenhuma linha.
    /.
    PONDERAÇÃO: este tópico fora discutido em 2013, reproduzo-o:
    .
    VITOR:Não é isso que está sendo dito. O que foi dito é que nenhum dos outros livros tinha mais do que 4 linhas horizontais. Podia haver livros sem nenhuma linha horizontal. Dizer que TODOS os livros tinham linhas horizontais é extrapolação sua.
    .
    MONTALVÃO: pode ser extrapolação, mas ainda me parece coerente com o que Drayson disse: pois se houvesse livros sem linhas suponho que ele acharia relevante informar.
    .
    PONDERAÇÃO ATUAL: Então, você se baseia na lógica do texto, se o sujeito diz “nenhum dos livros tinha mais que 4 linhas”, isso pode significar que havia livros sem linha. Certo, poder pode, mas no contexto validativo-generoso em que Drayton navegava, se houvesse livro sem linha, seria esperado que ele o dissesse. Considero, pois, válido interpretar que havia linhas em todas as obras. De qualquer modo, o busílis não está em haver alguma obra deslinhada sim na confusas declarações da médium. Confira o que foi que “Feda” disse:
    .
    “SOB O TÍTULO DO SEGUNDO LIVRO DA ESQUERDA PARECE HAVER VÁRIAS LINHAS HORIZONTAIS, NÃO APENAS UMA, MAS VÁRIAS.”
    /.
    Primeiro destaque-se o “parece”, típico do discurso “revelativo”. Segundo, Feda disse, “não apenas uma, mas várias”, quer dizer se houvesse duas linhas ela também acertaria e isso se aplicava a outras obras do conjunto, mesmo que houvesse alguma apagada de linhas.
    .
    O mais importante é que Drayton Thomas, caso quisesse realizar trabalho limpo, diria: “Feda, para mim isso é satisfatório, mas, convenhamos, você está enxergando muito mal, nem linhas consegue ver direito, pois em vez de certeza só consegue fazer suposições. Diga, por favor, o que afinal você enxerga nitidamente? Quero fazer teste para que quem o verifique fique satisfeito. Por exemplo, você enxerga números com clareza? Ou letras em caixa alta? Bem, letras isoladas você deve ver porque não faz outra coisa senão dar iniciais de nomes. Então, vamos realizar um teste com letras isoladas, em caixa alta, sob fundo contrastante para realçar a imagem principal.”
    .
    A partir de procedimento mais ou menos nessa linha a coisa fluria melhor e mais esclarecedoramente.
    /
    /

    VISONI: E o importante é que o conjunto de informações não se aplica a nenhum outro livro. Veja se acha um livro em que na página 5 há a palavra development ou developed e que na página 96 há a sensação de comer e beber. Apenas essas duas. Não vou nem pedir para que o livro na capa tenha uma palavra ou imagem que lembre madeira ou tábuas. Verá que apenas essas duas referências tornam muito difícil achar qualquer substituto…
    ./
    PONDERAÇÃO: primeiro, as acertâncias advêm de aproximações, não há essa de “conjunto de informações”, mas “conjunto de insinuações”; segundo, não temos como verificar se não foram eliminados os chutes para fora. Terceiro, e principal, Thomas não fazia contratestes em que ele controlasse a inteira rotina. Vamos imaginar que o “conjunto de informações” do livro em pauta fosse aceitável, porém reconhecidamente insatisfatório para prover evidência firme. Então, Thomas, pegaria o mesmo livro e faria uma sabatina com Feda e registraria o passo a passo do procedimento. Desse modo parecer mais seguro se obteria, mas essa não parecia ser a intenção do crédulo Drayton Thomas…
    /
    /
    Gorducho: “Se tudo isso que aconteceu no tempo do Êpa é verdade, vamos fazer testes então? De forma mais fácil pro espírito: só um livro, aberto, ali (o espírito não precisa se deslocar até a biblioteca do pesquisador), sem textos complexos… Que diz? O passado passou, agora é 2015-09-23 09:53:27?
    .
    VISONI: Eu sou a favor, DESDE QUE o médium (ou o espírito) se diga capaz de tal façanha. A grande maioria dos médiuns deve passar em testes que usam fotos, já que quase todos eles me parecem receber muito mais facilmente impressões, sensações, e não palavras exatas, que nem a Lina (cujo teste é bem recente, de 2011). Por isso eu prefiro fotos. Os testes com Harribance também usam fotos e também são bem recentes, de 2010.
    /.
    PONDERAÇÃO: sabidamente, quanto mais detalhes no fotograma maiores as chances de o imaginado sensitivo dizer algo que case. Para testes tais proverem resultados mais próximos de objetivos teria que experimentar imagens simples até achar o modelo que melhor funcionasse (caso algum funcionasse) e explorá-lo. A alegação de que imagens ricas em detalhes sejam melhores não pode ser afastada da suspeita de que se trate de estratagema para obter resposta minimamente aproximada do conteúdo. Os parapsicólogos do Vitor sequer querem analisar esta objeção, porque estão satisfeitos com o atual trabalho, visto que, com fotos em que vários temas estão presentes, algo correlacionável sempre aparece.
    /
    /
    Vitor Diz:
    Contra, o Scur não volta aqui nem que me pague 1 milhão de dólares (bom, confesso que 2 milhões colocariam dúvidas em minha cabeça…). Quando eu tiver motivos suficientes para achar que qualquer participante aqui é o Scur ou está a mando dele, eu tiro na hora, ok? Até lá, mantenha o respeito.
    /.
    PONDERAÇÃO: aqui é apenas opinião minha, o site não é meu e não faço nele o que me parece melhor, mas essa de expulsar gente é uma facada na barriga do sítio. O espaço sobrevive dos opinadores, mesmo dos mais doudos: se for o caso, o dito deve ser afastado pela força dos argumentos que derribem as maluquices que defende. Se ficarem somente os puros a divulgação será limitada…
    .
    Mas se a lei aqui é pela expulsão dos condenados, então tão…

  368. Marciano Diz:

    Essas sensações despertadas por trechos de livros e essas imagens parecem-se com as “previsões” de Nostradamus. Tem de ter muita imaginação para se enxergar alguma correlação.

  369. Marciano Diz:

    As “provas científicas” da paranormalidade encaixam-se perfeitamente no conceito de faux balance, false balance.
    A quase totalidade da comunidade científica ignora essa estranhice, mas sempre existem alguns “cientistas” que procuram validar a crença.
    Os partidários da fantasia atribuem igual peso ao insignificante número de pseudocientistas que apóiam ou pesquisam o assunto, passando a falsa impressão de que os dois lados são igualmente fundamentados.
    A imprensa, que é especialista em false balance, pois o sensacionalismo vende, contribui, dando importância desmerecida a assuntos relacionados a crendices ou pseudociência.
    .
    Outra estratégia para dar credibilidade a pseudociências, como parapsicologia, homeopatia e quejandos, é usar episódios raros em que alguma ideia parecia implausível, mas que foi mostrada verdadeira, tempos depois.
    Um dos exemplos recorrentes é Wegener e a derivação continental (tectônica de placas).
    Aqui, cometem-se dois erros de uma só vez. Em primeiro lugar, é falso que Wegener tenha sido ridicularizado na época em que propôs sua teoria. Ela apenas não recebeu muita atenção. O argumento da ridicularização é para passar a ideia de que os argumentos ridículos empregados para tornar crível a pseudociência que se propõe verdadeira seriam iguais à inexistente ridicularização de antigas teorias provadas corretas.
    Em segundo lugar, para cada teoria aparentemente sem fundamento que se mostrou verdadeira, existem mil que eram só imaginação mesmo, como o caso que já citei aqui de Nêmesis, não a deusa, mas a invisível (porque inexistente) companheira do Sol, nos raios N, etc.
    .
    Deixo aqui o link para um artigo em pdf mostrando como identificar pseudociências em geral:
    http://www.dcscience.net/beyerstein_science_vs_pseudoscience.pdf
    .
    Tá vendo, MONTALVÃO, por que você precisa aprender inglês?
    Tem a tese de doutorado de Monvoisin, Pour une didactique de l’esprit critique, Zététique & utilisation des interstices pseudoscientifiques dans les médias, que também expõe muito bem o assunto, mas aí é que a porca torce o rabo mesmo.

  370. Antonio G. - POA Diz:

    Pois é… Seria tão simples fazer uma demonstração inequívoca da existência da paranormalidade! Haveria inúmeras formas de calar definitivamente a boca dos céticos. Mas bastaria uma, UMAZINHA demonstração! Só que nenhum signatário dos alegados fenômenos parece capaz de fazê-lo. Ficam perdendo tempo com anedotas, tergiversando, produzindo textos estéreis, fazendo rodeios… Que cansativo!!!
    .
    E o milhão de dólores do Randi (hoje valendo mais de 4 milhões de reais) continua lá, esperando…

  371. Antonio G. - POA Diz:

    Néscios que acreditam em bobagens estão apenas exercendo sua estupidez, de maneira inocente e despreocupada. Mas de gente instruída e inteligente espera-se mais prudência, sensatez, discernimento.

  372. Antonio G. - POA Diz:

    Na Arábia Saudita, quase 500 mortos e centenas de feridos, incluindo crianças, num tumulto na peregrinação para o ritual do Eid al-Adha, ou “Apedrejamento do Demônio”.
    .
    Sem comentários.

  373. vinicius Diz:

    o Randi ainda está esperando algum paranormal ? Meu Deus, centenas de pessoas fizeram cursos de médiuns em todo o Brasil e todos ficaram “desapegados” em relação a dinheiro pelo visto.
    Divaldo poderia dar uma alavancada muito grande lá na Mansão do Caminho com esse dinheiro.
    ah! dizem que os espíritos não procuram ajudar com relação a dinheiro, ué, mas… e o caso do Dr.Bezerra que estava endividado e apareceu lá um pobre diabo a lhe pagar adiantado por um curso (não me lembro qual)?

  374. Gorducho Diz:

    Só comprova como o demônio existe e tá lá lutando…
    E eles seguem apedrejando ele, tomara que consigam expulsar ele de volta pro inframundo!

  375. vinicius Diz:

    Antonio G. – POA Diz:
    setembro 24th, 2015 às 9:23 AM
    Na Arábia Saudita, quase 500 mortos e centenas de feridos, incluindo crianças, num tumulto na peregrinação para o ritual do Eid al-Adha, ou “Apedrejamento do Demônio”. Sem comentários.

    Enquanto isso, os “deuses” , caso existirem, estão nem aí com esses fanáticos ( o nem aí pode ser substituído por aquela frase de ir ao banheiro e sair andando sabe).

  376. vinicius Diz:

    Antonio G. – POA Diz:
    setembro 24th, 2015 às 9:23 AM
    Na Arábia Saudita, quase 500 mortos e centenas de feridos, incluindo crianças, num tumulto na peregrinação para o ritual do Eid al-Adha, ou “Apedrejamento do Demônio”.
    .
    Se CX estivesse por aqui falaria que entre os 500 mortos estariam inquisidores espanhóis + a multidão do massacre de Lisboa de 1506 reencarnados!

    Dívidas e mais dívidas! é uma bola de neve!!!

    quando Deus ou a espiritualidade promoverá um saldão para liquidar as dividas , esvaziar o umbral e as trevas?
    Está na hora de Jesus convocar Dr.Bezerra e dizer a ele que as metas não estão sendo cumpridas (provavelmente uma nova prorrogação saírá). Ou então Dr.Bezerra deixará o cargo e procurará Celina para ver se ainda há aquela vaguinha no sétimo Céu.

  377. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, o E.L.O. foi plagiado? Vc achou?
    .
    .
    Dizem que o rei do plágio é o rei R.C.
    .
    .
    Tb ouvi que as músicas dos paralamas do sucesso são todas versões de músicas caribenhas, mas não sei dizer se procede. No Maranhão se pegava o sinal das rádios do Caribe, e então a explicação para lá ser o reggae o ritmo nº 1. Então, provavelmente os paralamas foram nessa onda. É possível sim…

  378. Antonio G. - POA Diz:

    Vinicius, certamente Randi aceitaria uma demonstração de capacidade de comunicação com espíritos como evidência de paranormalidade, certamente. Mas os espíritas saem-se desta “saia justa” invocando o ensinamento do médium-mor, Chico Xavier: “O telefone só toca de lá para cá”. Uma pena, né?

  379. Antonio G. - POA Diz:

    Vinicius, você pode estar certo. Vai que Deus realmente existe… Mas, se existe, é evidente que ele “defeca e anda” para os que crêem nele.

  380. vinicius Diz:

    olhem só , notícias da reunião dos espíritas

    http://espirritismo.blogspot.com/2014/12/movimento-espirita-expulsando-allan.html

    kkk, não tem mais o que inventar.

  381. vinicius Diz:

    Antonio, eles mesmos se contradizem, Kardec incentiva a evocação! No Livro dos Médiuns:

    269 Os Espíritos podem se comunicar espontaneamente ou vir ao nosso chamado, ou seja, atender a uma evocação. Algumas pessoas pensam que não se deve evocar este ou aquele Espírito e que é preferível esperar que queiram se comunicar. Baseiam-se nessa opinião os que pensam que, ao se chamar um Espírito determinado, não se pode ter certeza de que seja ele que se apresenta, enquanto o que vem espontaneamente e por vontade própria prova melhor sua identidade, uma vez que assim anuncia o desejo que tem de se comunicar conosco. Em nossa opinião, é um erro; primeiramente, porque há sempre ao redor de nós
    Espíritos que na maioria das vezes estão em condições inferiores e que não querem outra coisa senão se comunicar; DEPOIS, NÃO CHAMAR NENHUM EM PARTICULAR É ABRIR A PORTA A TODOS OS QUE QUEREM ENTRAR. Numa assembléia, não dar a palavra a ninguém é deixá-la para todos, e sabe-se o que resulta disso. O chamado direto a um Espírito determinado é um laço entre ele e nós; nós o chamamos por nosso desejo e opomos assim uma espécie de barreira aos intrusos. SEM UM CHAMADO DIRETO, UM ESPÍRITO MUITAS VEZES NÃO TERIA NENHUM MOTIVO PARA VIR ATÉ NÓS, a não ser o nosso Espírito familiar.

  382. Vladimir Diz:

    .
    Antonio G. – POA Diz:
    AGOSTO 14TH, 2015 ÀS 4:04 PM
    Putz… pegou pesado! Eu não sabia que era rude e intolerante.
    .
    Antonio G. – POA Diz:
    SETEMBRO 24TH, 2015 ÀS 9:00 AM
    Néscios que acreditam em bobagens estão apenas exercendo sua estupidez, de maneira inocente e despreocupada.
    .
    COMENTÁRIO: Parece que eu tinha razão…rs

  383. Gorducho Diz:

    Não vai responder as perguntas que lhe fez o Sr. Orlando, Dr.?

  384. Vitor Diz:

    Montalvão,
    .
    comentando:
    .
    01 – “quando se examina em detalhes o evento percebe-se algumas variáveis que mostram estar a médium, se não no inteiro dirigir, ao menos segurando conjuntamente as rédeas dos procedimentos. ”
    .
    Já demonstrei isso ser falso para várias situações. E na verdade nesses experimentos que cito (de Piper, Osborne etc) não se dá controle algum ao médium, e sim apenas chega-se no máximo em comum acordo com ele. O mesmo fazia James Randi ao testar os supostos psíquicos, ele estipulava as regras em comum acordo os psíquicos (muitas vezes chegando a um impasse, aliás). Dizer que isso é dar controle ao psíquico é o fim da picada…
    .
    02 – PONDERAÇÃO: ah, então foi por isso… quem foi que te contou?
    .
    Ninguém. Eu vi.
    .
    03 – “a média de Osborne, por critérios saudáveis, é abaixo da crítica. Os belos acertos provêm da gentil e generosa apreciação de Drayton e alguns estremunhados.”.
    .
    Nesse caso os controles deveriam ter dado os mesmos resultados… o que não aconteceu (afinal, 36% contra 2% é uma diferença bem significativa…. apenas 18 vezes superior!)
    .
    04 – “Osborne, se ainda não sabe, utilizava uma técnica, ”
    .
    Alegar é fácil, provar é que é difícil. Vc afirma, mas não prova. Se é técnica, alguém deveria reproduzi-la por meios normais. Mas não há ninguém que consiga.
    .
    05 – “Quem tem olhos de ver verá que as revelações de Gladys são preponderantemente calcadas em “acredito”, “tenho a impressão”, “ela parece ter visto”, “Feda acredita que”, “estou sentindo uma letra (de um nome) que pode ser A, B, C, Y…”, e outras tantas vaguezas que os estupidificados admiradores cuidavam de achar correlação, qual uns que costumam frequentar esse sitio, de cujos nomes esqueci-me.”
    .
    Tas expressões nunca impediram de contabilizar as afirmações (para o bem ou para o mal). Não haveria diferença alguma na pontuação se ela tivesse dito “tenho a certeza” em vez de “tenho a impressão” e correlatos. Então não entendo sua insistência nesse ponto… o verdadeiro cientista, aliás, nunca fala de certezas.
    .
    06 – “Em tempo, a média de atendidos por Chico Xavier, satisfeitos e declarando que o médium citou informes que não poderia saber por ele próprio, estava acima de 90%…”
    .
    Em situações totalmente não controladas, o que cientificamente não vale de nada. É preferível 1% acerto em situações controladas do que um 100% em situações não controladas.
    .
    07 – “PONDERAÇÃO: “nós sabemos” uma ova, cara-pálida.”
    .
    Que engraçado, quando o psíquico fala “tenho a impressão” você reclama, quando o cientista fala “nós sabemos” vc reclama também. Nada satisfaz o Montalvão…
    .
    08 – “Essa alegação não é comprovada, ele funciona nos sítios que acatam acriticamente a realidade das comunicações.”
    .
    A alegação era de que havia nas comunicações muito material sonhado. Você duvida disso? Repetindo o que foi dito:
    .
    Essa mistura de verídicos e falsos não precisa em si mesma nos surpreender. Nós sabemos que com automatistas, e em especial aqueles que realizam tantas sessões como a Sra. Leonard, há muito na fala ou na escrita automática que nós podemos chamar de material sonhado, ainda que haja evidência de origem supranormal em algumas das coisas ditas.
    .
    Pergunto novamente: vc está em desacordo com isso? Por quê?
    .
    09 – “Visto, NÓS SABERMOS, que a ação de mortos em meio aos vivos não está demonstrada, então, tudo que for dito tendo essa suposição por realidade cai no descrédito.”
    .
    Quem cai no descrédito é o crítico, que nem interpretar o que foi dito sabe. Sigdwick nunca afirmou que a ação dos mortos por meio dos vivos está demonstrada. O que ela afirmou é que um conhecimento paranormal foi demonstrado (especificamente a telepatia). Ela disse:
    .
    É impossível duvidar, eu acho, que a Sra. Leonard em transe possui poderes supranormais. [Sidgwick foi muito generosa aqui, esquecendo que existem os Montalvões da vida...] Apenas a evidência apresenta neste artigo é mais do que suficiente para provar a telepatia, ao menos a oriunda dos vivos, e em um caso (o da Sra. Talbot, ver acima, § 2) aparentemente oriunda dos mortos. Mas haverá evidência suficiente para nos convencer da possibilidade de clarividência — a aquisição de conhecimento de coisas físicas por outros meios que não através dos canais sensoriais comuns?
    .
    Vamos aprender a criticar o que foi dito? Nem preciso dizer que seus erros de interpretação abundam…
    .
    10 – “PONDERAÇÃO: rá, rá, digo eu: se o seu “psíco” mostrasse tal desempenho eu queria ver e vendo deduziria que ali havia algo a ser melhor investigado.”
    .
    Me engana que eu gosto…
    .
    11 – “De Osborne você procura extrair o melhor e olvidar a falhanças e claras evidências de que ela aplicava a técnica do discurso frio.”
    .
    Mesmo as falhanças dela são muito diferentes do uso de qualquer técnica de discurso frio. E ao contrário do que você diz, os pesquisadores buscavam ir a fundo nas falhanças sim, e inclusive refutam sua ideia. Um exemplo:
    .
    Existem algumas indicações apontando para erros genuínos ou confusão muito distintos de declarações aleatórias. Por exemplo, com relação ao ponto das estantes referidas, a Sra. Bradon teve a seguinte experiência: em 24 de novembro de 1917, a qual aparentemente foi sua sessão seguinte à de 29 de setembro, em que o teste de livro descrito acima (pág. 260) foi fornecido, o comunicador fez uma observação sobre aquele teste estando todo correto exceto por um ponto. Uma breve discussão se seguiu sobre isso até que Feda disse:
    .
    “Ele está receoso que ele receba as condições do teste misturadas com aquele que ele quer oferecer para vocês hoje. Ele tem medo que isso traga revelações.
    (Eu disse que era melhor esquecê-lo e receber o novo teste). Feda tinha receio que eles o recebessem misturado com as condições do teste anterior. Ela disse: “De qualquer forma é a mesma prateleira — o mesmo local que da última vez.”
    .
    Seguiram-se particularidades sobre outros livros na estante, e então: “Da esquerda para a direita segundo livro página 39 há uma mensagem”. Disso alguma descrição é fornecida, e Feda prossegue: “Ele acha… que por volta da página 3 há uma referência a algum lugar em que vocês estiveram juntos há muito tempo… — antes de vocês se casarem. A Sra. Beadon foi imediatamente à casa de sua mãe, onde havia a estante na qual estava o livro do teste anterior, mas “não havia nada naquela estante que correspondesse ao teste”. Em seu quarto em sua própria casa “há uma estante em um quarto na direção da janela” a qual ela acredita ser aquela que deveria ter sido fornecida. Todas as particularidades dadas sobre os títulos, etc., dos outros livros eram apropriadas; e caso nós possamos ver o segundo e o terceiro livros da esquerda como amalgamados, as mensagens estariam corretas também — a terceira página do segundo livro tendo o nome de um local apropriado, e a página 39 do terceiro livro tendo uma mensagem apropriada. Há erros demais aqui para nós usarmos o caso como evidencial, mas existe um método nos erros que certamente sugere enganos ou confusão em vez de afirmações imprudentes auxiliadas pelo acaso.

    .
    Ou seja, mesmo os erros auxiliam a provar a honestidade da médium…
    .
    12 – “PONDERAÇÃO: como resultado para reforçar a fé de crente, o teste pode ser reputado sucesso, mas como demonstração objetiva da ação de desencarnados dentre os vivos zero…”
    .
    É como dizem, não se convence quem não quer ser convencido…
    .
    13 – “tá, e algum dessa coleção heterogênea (quer dizer: aparentes sucessos, claros insucessos, indefinidos) demonstrou objetiva e inequivocamente a presença de mortos?”
    .
    O caso da Sra. Talbot é extremamente sugestivo, do “diário de bordo” que Gauld menciona em seu livro “Mediunidade e Sobrevivência”.
    .
    Num caso (145c, pp. 253-260), uma assistente anônima (sra. Talbot) recebeu, através de Feda, uma mensagem de seu falecido marido, avisando-a para procurar uma mensagem na página doze ou treze de um livro em sua estante, em casa. Feda disse que o livro não era impresso, mas manuscrito; era de cor escura, e continha uma tabela das línguas indo-européia, ariana, semita e árabe, cujas relações eram mostradas por um diagrama de linhas radiantes. A sra. Talbot não sabia da existência desse livro, e ridicularizou a mensagem. Mas quando eventualmente procurou, encontrou no alto de uma estante, um caderno de capa de couro preto, pertencente ao seu marido.Colada neste caderno uma tabela dobrada de todas as línguas mencionadas; ao passo que na página 13 havia um extrato de um livro intitulado Post-Mortem. Neste caso, a mensagem relacionada a um livro desconhecido da médium e assistente (aliás, de nenhuma pessoa viva), mas sem dúvida conhecido do comunicador.
    .
    14 – “PONDERAÇÃO: não vê a palavra mas recebe a ideia dela… quem é que transmite a ideia da palavra, a palavra? Espírito que não vê o texto diante de si mas dele recebe a impressão do conteúdo deve ser ou brincalhão ou doidão, caso espíritos de fato comunicassem…”
    .
    Se fosse apenas vendo o texto diante de si, o espírito não poderia passar o conteúdo de livros em línguas que desconhecessem. Mas os espíritos de Osborne conseguiam. Eles falam claramente que não veem a palavra:
    .
    Ela [i.e. A. V. B.] diz que ela está perfeitamente ciente agora que não é palavra de fato que ela recebe, mas a idéia dela. Ela diz: “… Eu estou certa de que não importaria se as palavras estivessem escritas em japonês. Acho que eu poderia senti-las. Ela diz “saiba que a menos que eu descubra por acidente que há algo de diferente com os livros, se todos os livros em sua sala em Londres estivessem escritos em uma língua que eu jamais tivesse visto ou ouvido, eu provavelmente não saberia a diferença… Ela gostaria de tentar o experimento, Sra. Twonnie. Ela diz que se você pudesse pegar dois ou três livros de qualquer tipo escritos em uma língua que você pudesse provar que ela não sabia, e que você tivesse certeza que a médium não sabia, e que você e a Sra. Una não soubessem, isso seria bom. É isso que ela quer; você não saberia se ela está certa ou errada até você traduzir o livro. Ela diz que somente se ela for tão bem sucedida nesses testes como ela foi em muitos dos outros testes de livros, as pessoas não saberiam como explicar isso, saberiam? Ela diz que você poderia pegar emprestado os livros de alguma Sociedade ou Biblioteca — ela quer dizer que ela gostaria se possível de livros que as pessoas lessem. [...] É o pensamento que importa; é assim que eu recebo os seus pensamentos tão claramente, não importando que língua você fale ou pense.
    .
    Essa interessante ideia foi posta em prática com livros gregos. A conclusão de Sidgwick foi:
    .
    Estimando o sucesso obtido nos experimentos com esses livros gregos de forma puramente numérica, parece a mesma que a dos testes de livros em conjunto, e levemente maior que a dos testes de A. V. B. como um todo. Além disso, alguns que eu citei me parecem notáveis, embora talvez nenhum de primeiríssima qualidade.
    .
    15 – “A pergunta seguinte deveria ser: e por que não?”
    .
    Respondido imediatamente acima: “não é palavra de fato que ela recebe, mas a ideia dela.”
    .
    16 – “Da resposta à segunda indagação o pesquisador tiraria os parâmetros para uma investigação devidamente controlada, mas o que preferiu fazer? Resposta: ficar à mercê do xou de Osborne… só não vê quem não tenha olhos de ver…”
    .
    Como vimos a resposta foi dada (embora os pesquisadores não tenham ficado muito convencidos com a explicação!). Era bom o crítico buscar se informar melhor….
    .
    17 – “Tão simples e tão elucidativo, se o experimentador pusesse um livro no aposento ao lado, estando este (o aposento) devidamente fechado, livro que nem ele, nem a médium viram a capa e o conteúdo. A partir daí começasse as verificações objetivas. Mas, se o ente comunicante em definitivo alegasse não conseguir ler palavras, trocava-se o livro por imagens nos mesmos moldes da verificação anterior (nem o médium nem o experimentador saberiam que imagens estavam no local). Afinal, alguma coisa concreta e explícita o morto teria de ver, se não visse nada seria porque não havia espírito algum presente e Thomas teria prestado um nobre serviço defenestrando a aldrabona. Simples e conclusivo.”
    .
    Fizeram isso bem recente com a Lina e nem assim vc aceitou… de fato, não se convence quem não quer ser convencido…
    .
    18 – “PONDERAÇÃO: a vagueza continuou, não se obteve demonstração taxativa de ente alienígena atuando.”
    .
    Um título que transmite a ideia de progressão certamente não se aplica a vários livros. E havia a palavra “marcha” no título. Buscando o significado de progressão, imediatamente encontrei: “Desenvolvimento progressivo, progresso; continuação; marcha”0
    .
    http://www.dicionarioinformal.com.br/significado/progress%C3%A3o/10641/
    .
    Uma “coincidência” dessas é notável.
    .
    19 – “o treco é recheado de validação subjetiva mas se quer transformá-lo em evidência robusta.”
    .
    Por acaso é validação subjetiva o espírito dizer que o livro faria o assistente se lembrar do tio dele e o livro ter sido escrito pelo pai do tio?????
    .
    20 – “PONDERAÇÃO: se esse é o melhor que pode arrumar, tá mesmo encrencado…”
    .
    Nós agora nos voltamos para a questão de fraude. Isto pode parecer quase desnecessário em vista das dificuldades envolvidas em qualquer suposta tentativa de obter informações sobre os meus livros através de um cúmplice em nossa casa. Mas essa é uma pergunta geralmente feita, e deve, portanto, ser respondida. A Sra. Leonard nunca esteve em minha casa, e eu estou convencido da perfeita fidelidade daqueles que vivem comigo.
    .
    A questão que mais me interessou nesse estágio dos experimentos foi se, de algum modo inexplicável, os resultados dependiam da telepatia da minha própria mente?
    .
    Este capítulo e os dois seguintes registrarão os experimentos em que eu fui ajudado pelo meu amigo, o Sr. G. F. Bird da 26 Westmoreland Road, Bromley, Kent. Embora o objetivo primário desses experimentos fosse excluir qualquer possibilidade de telepatia, as condições sob as quais eles foram conduzidos impedem igualmente o conluio, ou qualquer tipo de fraude.
    .
    EXPERIMENTO COM UM LIVRO SELADO
    .
    Na época do experimento a ser descrito agora, forneceram-se testes de oito livros em nossa casa,
    três dos quais eu não li; mas como eles foram lidos por outros, pareceu-me melhor testar com um livro que nenhum de nós tivesse lido. Eu assim combinei com meu amigo que ele deveria selecionar de sua biblioteca um livro que me fosse desconhecido, embrulhá-lo e selá-lo, e permiti-lo ficar em meu escritório por algumas poucas semanas. Isto ele fez de um modo bem profissional, colocando uma cartolina robusta em volta dele de modo que fosse impossível para qualquer fazer uma incisão no papel para averiguar o título, e finalmente selando-o com selos particulares. Este pacote foi trazido para mim em 2 de dezembro de 1917, e na sessão seguinte — à qual o meu amigo não me acompanhou, de fato ele nunca viu a Sra. Leonard — eu pedi ao meu comunicador para selecionar testes com ele. Aqueles dados abaixo foram recebidos em 13 e 20 de dezembro. Tendo-os datilografado em duplicata eu enviei o livro ao Sr. Bird e entreguei-lhe uma cópia dos testes; ele os leu, e então passou a abrir o pacote e comparou o livro com as minhas anotações. Ele achou os selos e invólucros intactos. O livro revelou-se ser um que eu tinha lido oito anos antes, mas é difícil imaginar como isso poderia influenciar o resultado do experimento. A seguir estão as declarações dadas nas duas sessões, junto com os nossos achados e meus comentários.

    .
    Melhor?
    .
    21 – “PONDERAÇÃO ATUAL: Então, você se baseia na lógica do texto, se o sujeito diz “nenhum dos livros tinha mais que 4 linhas”, isso pode significar que havia livros sem linha. Certo, poder pode, mas no contexto validativo-generoso em que Drayton navegava, se houvesse livro sem linha, seria esperado que ele o dissesse.”
    .
    Não acho, já que o importante é saber quantos livros podiam rivalizar em quantidade de linhas com o escolhido
    .
    22 – “Considero, pois, válido interpretar que havia linhas em todas as obras.”
    .
    De minha parte continuo considerando um salto lógico seu. Note que o bráulio também está fazendo menção aos seus tão famosos saltos lógicos…
    .
    23 – “PONDERAÇÃO: primeiro, as acertâncias advêm de aproximações, não há essa de “conjunto de informações”, mas “conjunto de insinuações”
    .
    Que não fazem diferença alguma na contagem, como já dito em 05.
    .
    24 – “segundo, não temos como verificar se não foram eliminados os chutes para fora.”
    .
    Nem que não foram. Mas Thomas diz em um teste de livro imediatamente anterior que deixou de apresentar outros acertos do comunicar por achar que não valia a pena. Assim, nós sabemos que ele deixou em alguns casos acertos de fora. Que ele tenha deixado erros de fora, é pura conjectura, e suposição de fraude pelo pesquisador. Só que nesse experimento ele estava com seu amigo cético Bird. Então Bird teria que concordar com a seleção de dados. Fica mais difícil.
    .
    25 – “Terceiro, e principal, Thomas não fazia contratestes em que ele controlasse a inteira rotina. Vamos imaginar que o “conjunto de informações” do livro em pauta fosse aceitável, porém reconhecidamente insatisfatório para prover evidência firme. Então, Thomas, pegaria o mesmo livro e faria uma sabatina com Feda e registraria o passo a passo do procedimento. Desse modo parecer mais seguro se obteria, mas essa não parecia ser a intenção do crédulo Drayton Thomas…”
    .
    Thomas fazia contratestes conferindo se havia material nos livros próximos:
    .
    Eu testei a possibilidade de coincidência. Usando os primeiros 40 testes recebidos, eu tentei para cada um, com livros selecionados aleatoriamente, buscar por correspondências em três ou mais páginas. O resultado foi um fracasso nítido; as exceções quase invariavelmente relacionadas a um único teste, e vagamente descrito, como ‘uma referência a um esforço’, ou ‘uma referência a uma cor’. Mas quando nos testes do comunicador tais generalidades como essas foram associadas com itens adicionais, sendo encontradas nas mesmas páginas ou em páginas relacionadas, o acaso raramente forneceu qualquer paralelo ao sucesso da verificação original.
    .
    26 – “sabidamente, quanto mais detalhes no fotograma maiores as chances de o imaginado sensitivo dizer algo que case.”
    .
    E daí? Então deveria haver coisas que casassem em igual quantidade com as fotos iscas, e os juízes teriam uma chance muitíssimo maior de escolhê-las ao invés da foto correta, e o acerto cairia ao nível do acaso. Mas não foi o que aconteceu, os acertos foram significativos.
    .
    27 – “Para testes tais proverem resultados mais próximos de objetivos teria que experimentar imagens simples até achar o modelo que melhor funcionasse (caso algum funcionasse) e explorá-lo”.
    .
    Foi isso que foi feito em ganzfeld! Imagens mais ricas dão melhores resultados.
    .
    28 – “A alegação de que imagens ricas em detalhes sejam melhores não pode ser afastada da suspeita de que se trate de estratagema para obter resposta minimamente aproximada do conteúdo.”
    .
    Pode com o devido controle [que foi o que aconteceu].
    .
    29 – “Os parapsicólogos do Vitor sequer querem analisar esta objeção, porque estão satisfeitos com o atual trabalho, visto que, com fotos em que vários temas estão presentes, algo correlacionável sempre aparece”.
    .
    E pela milionésima vez, nesse caso os acertos deveriam cair ao acaso. Mas não foi o que aconteceu. Sua crítica não se sustenta.
    .
    30 – “aqui é apenas opinião minha, o site não é meu e não faço nele o que me parece melhor, mas essa de expulsar gente é uma facada na barriga do sítio.”
    .
    Apenas pessoas mentirosas e desrespeitosas fazendo acusações graves e infundadas como o Scur.
    .
    31 – “O espaço sobrevive dos opinadores, mesmo dos mais doudos: se for o caso, o dito deve ser afastado pela força dos argumentos que derribem as maluquices que defende.”
    .
    O Scur não apresenta argumentos, apenas acusações.

  385. vinicius Diz:

    gorducho, veja o que está nesse site
    uma das famosas reuniões no além, agora com bezerra, chico, Kardec e emmanuel:

    http://espirritismo.blogspot.com/2014/12/movimento-espirita-expulsando-allan.html

  386. Espírita Sp Orlando Diz:

    “Larissa Diz: setembro 23rd, 2015 às 1:11 PM
    Kardec=CX=JOHN HUSS=Quiriluis corneliusVide as cinco encarnacoes de Allan Kardec na rede amigo espírita e no livro herculanun de rochester. De que interessa saber quem é a reencarnação de quem?”
    Larissa, não fui eu quem divulgou as encarnações de Chico. Foi ele mesmo e o Eurípedes e como o fórum é sobre ele e algumas coisas que aconteceram em Minas coloquei isso.

    Veja na entrevista e na internet:
    http://www.andancaespirita.com/2015/06/entrevistado-do-mes-euripedes-higino.html

    Considerações importantes que não se encontram nesta entrevistas, foram obtidas através de conversas que a antecederam, onde Eurípedes revelou que em conversas com seu pai, Chico relatou fatos de quando foi Elias, João Batista, Platão, José de Anchieta e Allan Kardec.

  387. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    BRAULIO: Montalvão, a questão é a seguinte. Se não houve “fraude” nas pesquisas e os resultados são fiáveis, ainda que estatísticos, não muda os resultados em si.
    .
    PONDERAÇÃO: embora fraudes pululem nos entornos mediúnicos e paranormais, o “não haver fraude” não garante a legitimidade da coisa. Muitos tendem a se empolgar com resultados aparentemente confirmativos e tomam parcos indícios por fortes evidências. Conhecimento seguro e saudável não se produz deste modo, para que um saber saudável tome forma, ante resposta promissora se faz necessário expor o bom resultado a toda sorte de verificações conferitivas: se os retornos sempre apontarem para a mesma direção, aí sim, se pode entender estar aquela hipótese fortemente evidenciada. Já os crentes, na mediunidade por exemplo, buscam confirmações de crenças, assim, se topam com o que pareça ratificar o que defendem ficam por ali mesmo fazendo festa. Desde quando espíritos em presença são conferidos nas práticas mediúnicas? Quer resposta? Nunca…
    .
    Então, você se volta para a estatística, que parece corroborar a ocorrência de fenômeno anômalo, isso sob certas circunstâncias. Pois bem, ser “fenômeno anômalo” não quer dizer que o fenômeno esteja devidamente esclarecido e qualificado. E mais: ainda que algum fenômeno indefinido possa ser apontado com certa segurança, o resultado estatístico cai na conjetura de Moi: “força” débil, de ocorrência incerta, e incontrolada… e sem utilidade…
    ./
    /
    BRAULIO: O motivo pelo qual o “psíquico” consegue fazer o dado cair com a face virada para cima e não consegue levitar aí são outros 500.
    ./
    PONDERAÇÃO: veja só a confusão já ao início: afinal, o psíquico é capaz de controlar mentalmente os dados para que estes caiam na posição desejada, ou ele conhece precognitivamente como eles cairão? Na primeira suposição temos caso de telecinesia, na outra clarividência. Isso precisa ser esclarecido. E, mais problemas, visto os resultados só serem detectados estatisticamente, vez que ligeiramente acima da média esperada (em algumas situações abaixo, o que deu origem ao termo “psi missing”, algo como “psi negativa”), tal significa que se a “força” for real será de efeito tênue e não controlada, etc.
    .
    Outro ponto mal esclarecido pela parapsicologia: no tempo da metapsíquica levitação, telecinesia forte, bilocação, telepatia forte, materializações, e outros espantos, eram catalogados como realidade, e havia centenas de relatos a confirmarem. Depois desapareceram do católogo de investigações sem maiores explicações. Sobrou a questão em aberto: eram fraudes e os pesquisadores paparam moscas, ou o quê?
    .
    Que as pesquisas vetustas, tanto do paranormal quanto da mediunidade, eram amadoras não creio haver dúvida, o que inclui trabalhos como o de Drayton Thomas. Mesmo assim, quando conveniente ao crentes, essas toscas investigações são citadas como “provas”, só não se sabe de quê…
    .
    Se observar bem, caro Braulio, perceberá que as confirmações da mediunidade, e boa parte da paranormalidade, são feitas por depoimentos: inexiste linha de pesquisas corroborativas, e de constantes aferições e replicações, de modo que, presentemente, se possa falar dessas conjeturas como coisa real.
    /
    /
    BRAULIO: Mas é um “Salto Lógico” da sua parte (ao meu ver) negar a veracidade dos resultados estatísticos das pesquisas simplesmente porque nessas pesquisas não foram incluídos fenômenos macros.
    /.
    PONDERAÇÃO: há, meu caro, mais caroço nesse angu que possa supor. Conforme já dito: não há seuqência de resultados que indique seguramente a realidade de psi. Isso não sou que, teimosamente, afirmo. Se psi fosse firmemente demonstrada é certo que seria aceita generalizadamente pela ciência. A recusa geral de cientistas em incluir psi como conhecimento firmado é respondida por parapsicólogos com as mais diversas e esfarraposas alegações. Então, se você acha que o Montalvão e mais alguns aqui são cabeça dura, céticos incorrigíveis e outros epítetos, considere essa realidade e entenda.
    .
    Tome, como exemplo, o caso de uma dita sensitiva, muito querida do administrador desse sítio: Lina R. Johansson. O exame do experimento com ela realizado mostra que o resultado foi insatisfatório, tal e qual o caso de Osborne, a mulher apresenta uma técnica de chutação e quando algum dos “juízes” consegue casar a imagem do teste e o que ela disse o acerto é contabilizado. Entretanto, afora o gerente do Obras que acredita ter achado a paranormalidade nessa moça, os pesquisadores foram cautelosos em proclamar sucesso. Confira as conclusões:
    .
    “Conclusão: Os resultados globais não [sic] dão RAZÕES PARA ACREDITAR que a psíquica PODE TER ADQUIRIDO INFORMAÇÕES sobre as imagens por algum MECANISMO DESCONHECIDO. Nossa concepção tem a vantagem de produzir uma avaliação estatística dos dados, enquanto que, ao mesmo tempo, proporciona ilustrações dos processos de clarividência. A desvantagem é que é um processo trabalhoso e demorado.”
    .
    Obs.: no texto que tenho a frase está conforme acima: “NÃO dão razões para acreditar…”, mas parece-me claro que o correto seria “NOS dão razões para acreditar”
    .
    Sugestão do dia: reflita…

  388. Contra o chiquismo Diz:

    Vitor, ainda duvida que o scur tá entre nós aqui postando?

  389. Vitor Diz:

    32 – “No caso acima, teve a desdita de selecionar um dos piores momentos do Vitor. Parece-me que ele estava em alfa ou beta, divagando sobre nuvens. Esse negócio de que artista pontua melhor nem parapsicólogos acatam, foi ideia que se encravou no cérebro do moço e de lá só sai com cirurgia. E mais, teste ganzfeld não mostra que psi é controlável, se fosse não daria 32 ante o esperado de 25, daria 100, ou próximo disso. Se em 100 lançamentos o sujeito acerta 32 ele não está controlando. ”
    .
    Essa sua ideia de controle é ABSURDA!!! Considere os dois links:
    .
    http://seedmagazine.com/news/2006/04/the_quantum_shortcut.php
    .
    http://www.sciencemag.org/cgi/content/abstract/sci;312/5771/237
    .
    Basicamente, o que é dito é que enzimas se metem em reações químicas onde o produto A é transformado em produto B. Em condições “naturais” (ou seja, sem a enzima), tal passagem de A para B ocorre com baixíssima freqüência. Com a enzima, tal freqüência passa a ser muito maior, porque elas aumentam a possibilidade de o fenômeno ocorrer. O que acontece é que o sistema SEM a enzima interage de tal modo que a taxa de reação é pequena. Quando a enzima está presente, a taxa da reação aumenta (mas isso decorre de novas interações que ocorrem por intermédio da enzima). Em resumo, o sistema SEM a enzima possui baixas probabilidades quânticas de se obter um produto final de uma reação. O sistema COM a enzima possui probabilidades altas. Então quando você introduz a enzima, você está CONTROLANDO sim o fenômeno. Vc faz ele acontecer mais vezes. O mesmo é válido ao introduzir pessoas artisticamente dotadas em Ganzfeld. A taxa do fenômeno telepático aumenta. ISSO É CONTROLE.

  390. Vitor Diz:

    Contra,
    não duvido nem acredito. Estou à espera de maiores confirmações.

  391. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vitor Moura Visoni,
    .
    Conquanto a coceira por respondê-lo, não pretendo, nem posso atualmente, adentrar em nova discussão infinda com sua pessoa. Seus argumentos, embora bons alguns, não solucionam o ponto principal aqui levantado: mortos não dão confirmação de suas presenças. Quando instado a mostrar que dão, invariavelmente, recorre às suas reservas vencidas: Osborne e Piper. De experimentos atuais, verificáveis e replicáveis nada tem a oferecer.
    .
    Além disso, a maior parte do que diz em defesa do que pensa já foi objeto de confrontação anteriormente, algumas repetidas vezes, não só por mim, também por outros participantes.
    .
    Então, fujamos da síndrome de Arduin, ao qual condena por seu agarradio com Crookes, porém repete com Osborne igual procedimento. Se experimentos atuais confirmaram a realidade de mortos ativos na natureza Osborne talvez possa ser, ao menos parcialmente, resgatada, caso contrário, não tem solução: o caso se explica por fraude, esperteza, habilidades naturais aplicadas ao místico… por aí…
    .
    Vou tirar tempo para selecionar retornos dados à maior parte do que ora repete, de modo fique claro que é assim que a coisa vem se repetindo a perder de vista. Apesar de temer que seja exercício debalde, visto que poucos se interessarão em saber do que já sabem, e os que não sabem talvez não queiram saber…

    E a torcida brada: experimentos atuais, experimentos atuais, experimentos atuais…

  392. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    32 – “No caso acima, teve a desdita de selecionar um dos piores momentos do Vitor. Parece-me que ele estava em alfa ou beta, divagando sobre nuvens. Esse negócio de que artista pontua melhor nem parapsicólogos acatam, foi ideia que se encravou no cérebro do moço e de lá só sai com cirurgia. E mais, teste ganzfeld não mostra que psi é controlável, se fosse não daria 32 ante o esperado de 25, daria 100, ou próximo disso. Se em 100 lançamentos o sujeito acerta 32 ele não está controlando. ”
    .
    VISONI: Essa sua ideia de controle é ABSURDA!!! Considere os dois links: [...]
    .
    Basicamente, o que é dito é que enzimas se metem em reações químicas onde o produto A é transformado em produto B. Em condições “naturais” (ou seja, sem a enzima), tal passagem de A para B ocorre com baixíssima freqüência. Com a enzima, tal freqüência passa a ser muito maior, porque elas aumentam a possibilidade de o fenômeno ocorrer. O que acontece é que o sistema SEM a enzima interage de tal modo que a taxa de reação é pequena. Quando a enzima está presente, a taxa da reação aumenta (mas isso decorre de novas interações que ocorrem por intermédio da enzima). Em resumo, o sistema SEM a enzima possui baixas probabilidades quânticas de se obter um produto final de uma reação. O sistema COM a enzima possui probabilidades altas. Então quando você introduz a enzima, você está CONTROLANDO sim o fenômeno. Vc faz ele acontecer mais vezes. O mesmo é válido ao introduzir pessoas artisticamente dotadas em Ganzfeld. A taxa do fenômeno telepático aumenta. ISSO É CONTROLE.
    /.
    PONDERAÇÃO: senhora de aparecida, tende compaixão! Pensava-se que fosse contrapor com testemunhos de parapsicólogos, a confirmar que músicos pontuam melhor em experimentos de parapsicologia, por isso seriam ávidamente buscados pelos experimentadores, e indicar experimento que demonstram ser a “força” controlada e controlável (ou seja, quem a possui dela faz uso como e quando bem entende)… Conquanto tal não fosse definitivo para confirmar as alegações, ao menos mostraria haver consenso na classe a esse respeito e experiências que merecem olhos atentos. Entretanto, o “esclarecimento” veio em enzimas temperadas com física quântica… Talvez, a partir de agora, se postule que o que sucede no universo enzimático seja equivalente ao do suposto mundo psi…
    .
    Nada obstante, louvo a bela aula, bem informativa…

  393. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Espírita Sp Diz: [a defender a mediunidade socratiana]
    Como o dizem formalmente os dois ilustres discípulos de Sócrates, Platão e Xenofonte, aquele pretendia ter um gênio familiar, um demônio, que lhe predizia o futuro e algumas vezes lhe ditava normas de vida. O próprio Sócrates pensava que esse ser lhe era estranho, diferente dele, porque lhe revelava coisas desconhecidas. Esse demônio é o que em linguagem espírita de chama um guia.
    [...]
    Aí está um ponto sobre o qual Sócrates insistiu por muitas vezes. As predições do seu gênio familiar foram sempre verificadas.
    A história do demônio de Sócrates era, em toda a Antigüidade, muito bem conhecida nos seus pormenores.
    [...]
    /.
    PONDERAÇÃO: meu caro PISÍRITA paulista: o daimon de Sócrates, desconfio seriamente, terá grande dificuldade em se converter em espírito kardecista. O que provavelmente fosse fruto de capacidade intuitiva desenvolvida não pode ser transformado em espírito comunicante, a não ser por meio de escandalosa forçação de barra.
    .
    É típico no meio espírita o uso da filosofia do “se parece é”, que permite achar mediunidade e reencarnação até em fontes que as deneguem. Então, vou lhe explicar: não é porque algumas falas atribuídas a Sócrates possam, com jeitinho, ser casadas com a crença em mortos comunicantes que tal ingrata tarefa será bem sucedida. Pense.

  394. MONTALVÃO Diz:

    /
    /

    Vitor Diz:
    “O fato delas terem sido mal desenhadas, conforme exaustivamente apontamos sempre e de não existirem hoje.”
    .
    VISONI: Não são mal desenhadas. Simplesmente são feitas para testar os fenômenos como eles são, e não como os céticos gostariam que eles fossem. Se imagens de forte conteúdo emocional são melhor recepcionadas pelos psíquicos do que palavras, então a metodologia tem que se adequar a isso, e não o médium que tem que produzir o fenômeno que os céticos gostariam.
    /.
    PONDERAÇÃO: ainda que passível de discussão (infelizmente tendente a infindância), a fantasia de que se mortos comunicam o fazem imageticamente, visto as malandragens de Osborne darem margem para defender tal suposição, não há problema algum: o bom dos testes objetivos cá propostos é que são adaptáveis às desculpas. Não será difícil selecionar imagens simples e com apelo emocional e submetê-las aos acreditados defuntos comunicantes. Por mim, o projeto nesse moldes pode prosseguir…
    .
    O que não pode prosseguir é a constante evasiva de enfrentar o fato de que espíritos não dão mostras de suas presenças…

  395. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “De que interessa saber quem é a reencarnação de quem?”
    /.
    PONDERAÇÃO: a mim muito interessaria sabem quem fui preteritamente, bem assim conhecer o projeto da vida atual que elaborei na erraticidade. Conseguisse, daria salto evolutivo admirável em minha caminhada rumo ao infinito…

  396. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Contra o chiquismo Diz:
    MONTALVÃO, aí em SJ tá pertinho de C de Abreu. Rota dos ovnis. Em vez de reprises de MMA, olhar a trajetória dos ufos (quiçá aeróbus) seria mais interessante.
    ./
    PONDERAÇÃO: Contra, a última nave aeroespacial que ameaçou aportar pelas bandas de cá aconteceu a uma trintena de anos. De lá para cá só o incômodo silêncio…
    ./
    /
    CONTRA: Qual o plural de aeróbus?
    .
    aerobusões? aerobuses? aerobuss?
    ./
    PONDERAÇÃO: fico com aero-obuses…

  397. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    onde: “a mim muito interessaria sabem quem fui preteritamente,”
    .
    leia-se: a mim muito interessaria SABER quem fui preteritamente,
    .
    Obrigado e desculpe

  398. Contra o chiquismo Diz:

    Montalvão, vai que o E.B. manda obuses no aeróbus… sim, é sem identificação…

  399. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Eu sempre tive “espírito” aventureiro, sempre gostei de desafios, novidades.”
    .
    PONDERAÇÃO: como caístes, estrela da manhã, tu que dizias subirei à morada do altíssimo e lá farei meu lar… nem o desafio e a novidade de catar cocô de cachorro ousou encarar… não sabes o que perdestes…
    /
    /
    “Pelo mesmo motivo, não tenho praticado nenhuma atividade física, até a maromba eu dispensei faz quase um ano.
    Eu já fui todo trincado, fera no ringue e no tatame, agora não consigo mais o mesmo desempenho. Não tenho tempo de treinar e a idade pesa, também..”
    /.
    PONDERAÇÃO: mais um tititinho de nada desafia-lo-ei para o combate do século, no qual começarei pelo aplicamento de movimentos da capoeira, passando pelo boxe, boxe tailandês, chegando ao judô e aterrissando no jiu-jitsu. Só tô esperando que envelheça mais um cadinho… aguarde e trema…
    .
    Moi, heptacampeão de ai-quidor…

  400. MONTALVÃO Diz:

    /
    /

    “Quem se garante, bebe meia dose e deixa o resto no copo.”
    /.
    PONDERAÇÃO: se for um bom uísque não deixo no copo nada…

  401. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Pela conversa entre GORDUCHO e VITOR, tenho a premonição de que se houvesse mais interesse em testagens, tudo morreria nos protocolos.
    A bancada crente, quando admite, em tese, testes ATUAIS, previne-se com uma dose cavalar de subjetivismo, já antevendo o fracasso.”
    .
    PONDERAÇÃO: melhor dedo na ferida que vi nos últimos tempos…

  402. MONTALVÃO Diz:

    /
    /

    “Só pra esclarecer, MONTALVÃO. Você tem o mesmo respeito pelo ritual dos Holy Rollers? Ou será que se borra de rir, quando vê o ritual?”
    /.
    PONDERAÇÃO: desculpe-me a guinorança, mas não vi ainda ritual de roliroler…
    /
    /
    “E a macumba (umbanda, quimbanda, candomblé)? Não te provocam frouxos de risos?”
    .
    PONDERAÇÃO: não, até acho legal uma curimbazinha…
    /
    /
    “Você respeita a crença de quem vê maria em torradas e manchas na parede?”
    /.
    PONDERAÇÃO: aí é “mais” que crença: superstição… mas em quem vê o anãozinho gigante credito…
    /
    /
    “Em quem crê em estátuas que choram?”
    ./
    PONDERAÇÃO: eu fosse estátua também choraria…
    /
    /
    “Não estou falando de desrespeito, estou falando de levar a sério. Não é zombar da pessoa, isto não! É acreditar que faz algum sentido o comportamento bizarro.”
    /.
    PONDERAÇÃO: ah sim, levar a sério seria muito sério…
    /
    /.
    MONTALVÃO, você já comeu o pão com linguiça (ainda acho estranha esta grafia) da Casa do Alemão?
    .
    PONDERAÇÃO: não do alemão, por aqui tem uma lanchonete que serve tal sanduba, comi uma vez, nada vi de especial, mas faz bastante sucesso na estrada.

  403. MONTALVÃO Diz:

    .
    .
    MONTALVÃO, esses seus cães estão comendo e transando demais.
    Recomendo uma castração e uma redução de estômago. A quantidade de fezes caninas vai diminuir, e a de cães também.
    /.
    PONDERAÇÃO: comem duas refeições por dia, mais o desjejum matinal. Nenhum deles é gordo, à exceção do Floppy, que enlargueceu após a castração. Dos onze aqui abrigados, os machos são castrados (3) e das 8 fêmeas 2.
    ./
    ./
    “Você pode aprender quantos idiomas quiser (e conseguir)”
    /.
    PONDERAÇÃO: almejo aprender as línguas dos anjos e dos homens, mas se não tiver amor de nada me adiantará…
    /
    /.
    “E esse negócio de me chamar de Mestre Marciano vai acabar fazendo com que eu perca minha falsa modéstia. Logo eu, que sou a pessoa mais modesta do mundo terrestre e do mundo marciano.”
    .
    PONDERAÇÃO: também sofro dessa molesta, sou tão mordesto que chego a ser ormide…

  404. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Gorducho Diz:
    Nunca cogitou mandar fazer construir algo assim. Analista Montalvão?
    Em homenagem ao CX seria o CANINÓBUS.
    https://br.noticias.yahoo.com/blogs/super-incrível/americano-de-80-anos-constrói-trenzinho-para-passear-com-seus-cães-adotados-185624578.html
    /.
    PONDERAÇÃO: talvez o faça quando tiver com 80, ou grana suficiente, o que primeiro ocorrer, mas teria que produzir mais vagões e ainda tem o problema dos brigões: nem todos podem sair em viagem juntos que o couro come. Dia desses uma quase decepou a cauda d’outra em luta insana. Quanto ao título, penso em cachorróbus, mais adequado, parece-me, à viralatice interiorana dos meus, à exceção da chihuahua Sandy que, neste momento, me olha aprovativamente…

  405. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “E os mais de mil mediuns do CUEE?”
    .
    PONDERAÇÃO: confronte-os com os mais de 20.000 espíritos ingleses que desmoronaram o CUEE…
    /
    “(…) Se a reencarnação for uma verdade, lamentável e repelente como é, deve ter havido milhões de espíritos que, ao entrarem no outro mundo, em vão terão procurado os seus parentes, os filhos, os amigos… Já teria chegado a nós esse sussurro de milhares, de dezenas de milhares de espíritos comunicantes? Nunca. Podemos, portanto, só nesse campo, considerar falso o dogma da reencarnação, como o inferno do qual ele brotou.” – grifos nossos (In “História do Espiritismo”, A. CONAN DOYLE, Edit. PENSAMENTO, São Paulo, p. 397).

  406. Gorducho Diz:

    Sei que não inventou pois que está na entrevista, Sr. Orlando, mas não fecha! Lembre-se que o Kardec esteve encarnado na Gália no tempo do Julio Cæsar.
    E o Diálogos e Recordações foi escrito por amigo dele baseado no que conversavam pessoalmente. CX começou mesmo cá na Terra n vaso da Hatshepsut.
    O Kardec não compareceu no velório dele foi por causa que CX e Dr. Bezerra detonaram c/a Doutrina dele, não por ser o próprio velado!

  407. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Gorducho Diz:
    1) Observe que em resposta ao Sr. Administrador, já no 3° sugeri que pleiteasse uma franquia p/certificação de médiuns.
    Caso dessem certo os contatos preliminares, se o AMo fosse convidado e aceitasse a Diretoria de Didática a qual teria que proceder à tropicalização do curriculum, em particular a cadeira de mensagens consolatórias, eu até estudaria entrar como sócio.
    Com a condição da presença do AMo no empreendimento.
    MAS O SR. ADMINIsTRADOR APARENTEMENTE NÃO SE INTERESSOU.
    /.
    PONDERAÇÃO: pô, meu amigo gorducho, mui grato por pensar no degas cá para um empreguinho, tô mesmo precisando: espero que o salário seja compensador e os adicionais igualmente.
    .
    Quem sabe se dando ao administrador a função de validador osborniano ele não aceite?

  408. Vinicius Diz:

    Isso foi boa kardec nem passou pelo velório do CX

    “O Kardec não compareceu no velório dele foi por causa que CX e Dr. Bezerra detonaram c/a Doutrina dele, não por ser o próprio velado!”

    e ai viu o site de humor sobre o além? os caras são terríveis
    http://espirritismo.blogspot.com/2014/12/movimento-espirita-expulsando-allan.html

  409. Vinicius Diz:

    as conversas de CX com Euripedes e outros eram sinistras não: reencarnações dele mesmo, previsão de 2019.

    Essa história do tiro e do LSD que rola por aí, não me recordo agora. Dizem que Emmanuel trouxe LSD pro CX?
    isso é boataria ou pode ter acontecido mesmo?

  410. Contra o chiquismo Diz:

    Em outubro de 1958, Chico tomou uma decisão surpreendente: iria experimentar o ácido lisérgico. Perguntou a Emmanuel se ele poderia fazer a experiência com amigos de Belo Horizonte. O guia se ofereceu para promover a “viagem”. À noite, Chico se sentiu fora do corpo, Emmanuel se aproximou dele, colocou uma bebida branca num copo e explicou: era um alcalóide capaz de produzir o mesmo efeito do LSD.

    Chico engoliu a bebida, um tanto amarga, e começou a se sentir mal, como se estivesse entrando num pesadelo. Animais monstruosos se aproximavam e cenas assustadoras desfilavam diante de seus olhos. Ele acordou com mal-estar. O sol parecia uma fogueira e o irritava, as pessoas o cercavam, desfiguradas. À noite, Emmanuel reapareceu com a lição psicodélica: o alcalóide refletia seu estado mental.

    Chico quis saber como recuperar a tranqüilidade e escapar da ressaca. Receita: oração, silêncio e caridade, para colher vibrações positivas. Chico seguiu as dicas à risca. Começou a visitar doentes pobres, a atrair bons fluidos e, durante cinco dias, trabalhou para se refazer. No sexto dia ele se sentiu melhor. À noite, Emmanuel voltou e propôs repetir a experiência com o mesmo alcalóide. Mesmo desconfiado, o discípulo concordou. O efeito foi surpreendente: alegria profunda.

    Teve sonhos maravilhosos, visitou uma Cidade de cristal, olhou para o céu como se ele fosse de vidro. Até a Fazenda Modelo ficou deslumbrante. Os livros pareciam encadernados por safiras e ametistas, luzes saíam do corpo dos companheiros, das plantas e dos animais. Chico sentiu vontade de abraçar todo mundo. Ficou assim, em êxtase, quatro dias seguidos, em estado de alegria descontrolada, insuportável. Emmanuel apareceu com as explicações:

    - Você está vendo seu próprio mundo íntimo fora de você. Moral da história:
    Nós estamos aqui para cumprir obrigações, não para gozar um céu imaginário nem para fantasiar um inferno que devemos evitar.
    .
    .

    Extraído do livro “As Vidas de Chico Xavier” (Planeta, 2003), escrito pelo jornalista Marcel Souto Maior
    .
    ..
    .
    aqui tb:
    .
    .
    http://www.correiofraterno.com.br/acervo/decada-de-1960/80-no-010-abril-1969/1345-chico-xavier-entrevista-

  411. Antonio G. - POA Diz:

    Vlad (o redivivo) postou:
    .
    Antonio G. – POA Diz:
    AGOSTO 14TH, 2015 ÀS 4:04 PM
    Putz… pegou pesado! Eu não sabia que era rude e intolerante.
    .
    Antonio G. – POA Diz:
    SETEMBRO 24TH, 2015 ÀS 9:00 AM
    Néscios que acreditam em bobagens estão apenas exercendo sua estupidez, de maneira inocente e despreocupada.
    .
    COMENTÁRIO: Parece que eu tinha razão…rs
    .
    Ponderação: Vlad, você ficou chocado com as palavras ou com a acepção do que eu disse? Se eu escrever a mesma frase, substituindo alguns termos por sinônimos, ficaria menos rude? Vamos tentar:
    .
    Pessoas ignorantes que acreditam em disparates estão apenas exercendo sua inépcia de maneira inocente e despreocupada.
    .
    Ficou mais palatável, ou vai ficar me patrulhando?

  412. Antonio G. - POA Diz:

    Já passa de 700 o número de mortos entre os “apedrejadores do demônio”, em Meca.
    .
    O “coisa ruim” não é de brincadeira…

  413. Antonio G. - POA Diz:

    Aliás, Vlad, esta primeira parte do meu pequeno comentário reflete um pensamento tão óbvio que nem precisava ser dito. Serviu apenas de preâmbulo para o que eu realmente pretendia expressar, que era: “Mas de gente instruída e inteligente espera-se mais prudência, sensatez, discernimento.”
    .
    Essa afirmação é que talvez merecesse suas considerações.

  414. Vinicius Diz:

    SR.Orlando Espirita, li a entrevista do Euripedes. Curioso como eles procuram afastar as pessoas da ideia das evocações de espíritos, pois, sabem que nada obteremos evocando CX ou qualquer outro (mas querem que continuem comprando livros ditados pelos poetas, pelo Bezerra , Humberto e outros).
    Dão voltas e mais voltas e o próprio CX teve a cautela de deixar frases de efeito para que ninguém se atravesse a psicografá-lo ou psicofoná-lo (mas não teve sucesso, Gorducho me postou vídeos de psicofonia de Chico) . Ah, que desgraça terrível: não há as famigeradas SENHAS!!!
    Vamos aos comentários do trecho da entrevista
    “Andança Espírita – Depois de minha desencarnação, é possível que apareça muita
    gente recebendo mensagens atribuídas a mim”
    Bezerra, os poetas, os literatos deram mensagem e ele não pode ??? Quanta vaidade.

    Se Chico deixou senha é porque sabe que se pode fraudar uma comunicação :lol:

    “ diga-lhes que não é minha intenção parar de trabalhar, mas, se puder, como o pessoal costuma dizer, gostaria de “dar um tempo” com a caneta e com o papel…” – Francisco de Paula Cândido Xavier Esta passagem se encontra no livro “O Evangelho de Chico Xavier” do Carlos Antonio Baccelli “
    Dá muito trabalho mesmo procurar sinônimos de palavras em outras obras, reescrever trechos, é preciso “dar um tempo”.

  415. Vinicius Diz:

    Putz Contra, essa história do LSD é bem macabra mesmo. E ainda editada pelo “Correio Fraterno” como se fosse um grande feito!
    Um estouvado que leia isso sem o “pé no chão” pode achar até bom consumir LSD quando estiver com alma cheia de caridade.
    Pois é, dizem que outras religiões e sites detonam o CX, mas sinceramente ele mesmo se detornou. Correio Fraterno é um jornal espirita, tem que ter sangue de barata pra publicar algo tão sinistro.

  416. Gorducho Diz:

    Falta de sensatez quase na metade do século xxi… Em vez de porem uns Abrams (segundo eu saiba eles têm muitos…) com tiro estabilizado por computador, vários tipos de munição disponíveis e tudo; ficam atacando o Capeta a pedrada, sem nem ao menos funda :(

  417. Vinicius Diz:

    AGORA VEM UMA LEVE “QUEIMADA” NO MÉDIUM BACELLI ( o mesmo que escreveu o espetáculo do velório do CHICO ) Percebo que alimentam uma certa “animosidade” com relação a este Bacelli. Veja que Euripedes fala que o próprio CX falou ao Bacelli várias vezes que não iria dar mensagem e no final o Sr. Higino dos Reis fala “ ELE MESMO (BACELLI) diz ter recebido algumas ( é ou não é uma “queimadinha” rs rs , quem pensar vai concluir: ué, ele está recebendo mensagem do Chico e Chico disse que não ia dar comunicação, não vou comprar livro desse Bacelli não )
    “O Chico já enviou alguma mensagem após o seu desencarne em 30 de junho de 2002? Eurípedes Higino – É muito interessante que você ainda citou aonde esta a frase, no livro de Carlos Antonio Baccelli, e várias e várias vezes, o Chico Xavier falava conosco que ele jamais iria dar mensagem, PORQUE ELE AQUI ENTRE NÓS ENCARNADOS, RECEBIA MÉDIUNS QUE TRAZIAM MENSAGENS ATRIBUÍDAS A ELE NAS CASAS ESPÍRITAS DAS MAIS DIVERSAS CIDADES DO BRASIL. Então ele [Chico Xavier] dizia, imagina quando eu aqui não estiver o que não vão colocar na minha boca, coisas que eu jamais diria, então ele jamais vai dar mensagem e o Baccelli é uma das pessoas que ouviu ele dizer que não daria tanto que ele colocou no seu LIVRO E ELE MESMO DIZ JÁ TER RECEBIDO ALGUMAS.

    O Eurípedes afirma nessa entrevista que Bacelli recebeu mensagens de Chico, mas nas entrelinhas, fala que é falsa.
    Nossa esse mundo mediúnico é cheio de falsidade.

  418. Gorducho Diz:

    Quem sabe se dando ao administrador a função de validador osborniano ele não aceite?
     
    Não: ele seria o franqueado, i.e., o empreendedor. Note que eu apenas apresentei uma sugestão em resposta ao comentário dele mesmo.

  419. Gorducho Diz:

    Sr. Orlando
    Que sabe da ronha c/o Bacelli?
    Por que CX queimou ele?

  420. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vitor Diz:
    .
    1) ” tal alegação é despautério. Fosse desse modo as comunicações seriam terrivelmente restritas. O mesmo espírito que diz que comunica por imagens usa palavras para dar a informação.”
    .
    VISONI: Acho que pelo contrário. Penso que seria restrito se fosse do jeito que você fala.
    .
    “At first glance, rock climbing would seem to require maximal conscious awareness, but as Zinn rappels to the ground Koch tells me that the aim is to let go of your mind and let the body take over. Great climbers, like great dancers, must relinquish control to the unconscious mind. No one could have more respect for the powers of the unconscious than Koch. Most of what we do, he says, is not under our conscious control; we’re not even aware we’re doing it. Take walking: “When you walk, you don’t think lift leg, move leg forward, put leg down. You just walk!” The same is true for talking. When you speak, you don’t suddenly have to think about grammar and syntax and vocabulary, you just open your mouth and the words come out. “If you had to consciously think through that stuff,” says Koch, “you’d never get anywhere.”
    .
    http://cbcl.mit.edu/news/files/koch-kreiman-LAweekly-03.html

    ./

    VISONI: Eu entendo que o output são palavras, que podem vir por meio de som ou escrita. Mas isso não quer dizer que o input veio já nessa forma. O input é o pensamento, que vai ter que sair na forma de palavras (por som ou escrita). Você quando conversa com alguém fala com palavras (a menos que seja surdo-mudo e use sinais ou mímica no lugar), mas seu discurso não aparece na sua cabeça na forma de uma redação. Você não imagina as palavras aparecendo escritas na sua cabeça quando fala com alguém. Antes vem o desejo, as sensações, imagens… Se quero transmitir a ideia “Eu quero uma casa no campo”, penso em mim, há o desejo de posse, imagino uma casa em um campo, tudo isso simultaneamente ou quase simultaneamente ao discurso (falado ou escrito). Se eu digo “não pense em um urso”, você pensa na imagem de um urso, e não na palavra “urso”.
    .
    PONDERAÇÃO: é fato que a capacidade discursiva é a ferramenta que faz a interface entre o pensamento “puro” (inexprimível) e sua externalização. O homem observa a natureza e a conceitua, quer dizer, a classifica, de modo que dela possa falar aos outros e os ouvir compreensivelmente. Sem conceitos não há comunicação, a não ser muito limitadamente, qual fazem os irracionais. E é a habilidade de discursar que nos permite raciocinar, ou seja, abstrair aspectos da natureza e trabalhá-lhos na mente.
    .
    Provavelmente um dos maiores passos evolutivos, senão o maior, dado pela humanidade foi o domínio da linguagem. Então é a linguagem, conceitualmente elaborada, que nos permite pensar produtivamente. Não tem essa de que antes de pensar na palavra me vem dela a imagem, ou seja, a imagem precede o conceito. Se essa suposição é defendida por algum teórico cite-lhe o nome para que saibamos de quem se trata. É certo que, em alguns casos, imagens acompanham o pensamento, o que se dá quando são evocadas direta ou indiretamente, como quando alguém relata um crime que presenciou: os ouvintes formam em seus pensamentos representações imaginativas do que estão a ouvir. Só que a informação que lhes adentra o cérebro é conceitual, que sensibiliza uma parte do cérebro que entra em ação criando um quadro que panoramize o relato. E isso só acontece porque o conceito já está armazenado na mente do ouvinte. Se alguém diz: “fulano pegou um revólver imenso e deu oitenta tiros no amante de sua esposa”, os conceitos “revolver”, “imenso”, “tiro”, etc., já estão estabelecidos na memória do ouvinte. A narrativa o faz evocá-los e a imaginação cuida de pintar o quadro.
    .
    Por outro lado se alguém falasse a outro: “uruiuroekj 8487373773 mjcueusjj, 6363263636, marciano 838ejeje, gorducho 8438ddek”, a pessoa não evocaria imagem alguma além da de gorducho e marciano.
    .
    Nós não pensamos por imagens, mas imagens podem ser produzidas na mente pelo estímulo do que é ouvido.
    .
    Só que a discussão em andamento diz respeito à capacidade de um imaginado morto ler um texto. Ora, leitura está ligada às sensações: ver, ouvir, tatear… O problema aqui (além da questão básica que nunca pode ficar de lado, de conferir se mortos de fato comunicam) é saber se, supondo que mortos tenham a faculdade de agir na natureza, como é que seus sentidos espirituais funcionam no meio material?
    .
    Infelizmente, pelo que temos visto, nem o mais acerbo crente na comunicação consegue explicar esse ponto satisfatoriamente. Eis que ora os mortos enxergam tudo, e “mais melhor” que qualquer encarnado, ora nada enxergam, além do que lhes é conveniente…

  421. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    .
    2) “Além disso, a malandragem de comunicação por imagens não encontra guarida no próprio meio mediúnico, Kardec e outros teóricos nada disseram a respeito, Dunglas Home tampouco, a ídala de alguém, Leonora Piper, muito menos…”
    .
    VISONI: De fato Piper NADA disse a respeito:
    .
    “Ora, os guias asseguram que, durante o transe, o espírito de Madame Piper abandona quase totalmente o seu corpo, o que também acontece sempre, segundo eles, DURANTE O SONO NORMAL. Esse corpo apresenta-se então como uma casca, como um invólucro vazio, emitindo uma certa força que produz nele o efeito de um clarão. Eles mergulham-se nesse clarão e aí criam seus pensamentos, e o aparelho de Madame Piper no-los transmite pela voz e pela escrita. Mas os desencarnados não fazem conta do modo pelo qual isto se produz; eles não têm consciência de escrever, e provavelmente não a têm mais do que dizem. Dir-me-ão que isto é alta fantasia. Não, são as explicações fornecidas pelos próprios guias de Madame Piper, e como tais merecem ser registradas, para que fiquemos dispostos ou não a dar-lhes fé.
    .
    Livro: MADAME PIPER e A Sociedade Anglo-Americana de Pesquisas Psíquicas (1902)”
    /.
    /
    PONDERAÇÃO: nossa senhora do desterro e santantonio da causas impossíveis! Essa foi a melhor explicação que jamais ouvi a respeito de coisa nenhuma! Nota-se que os “sábios” guias que guiavam Piper defendiam a insustentável tese de que, durante o sono, o espírito sai fora do corpo. E a “teoria” do clarão é típica de um sandeu…
    .
    Melhor ainda é a “informação” de que os mortos não têm consciência do que dizem… deve ser mesmo por aí…
    .
    Bom seria (para Piper e o mundo) se ela, além de nada dizer, se mantivesse silente…

  422. MONTALVÃO Diz:

    /
    /

    .
    3) ” o problema a ser visto é a própria Lina e os que a pesquisam tão ingenuamente…”
    .
    VISONI: Eu vejo mais problemas nos críticos…
    /.
    PONDERAÇÃO: continuo a ver em Lina, pesquisadores e admiradores…

  423. Vladimir Diz:

    Antonio G. – POA Diz:
    setembro 24th, 2015 às 3:07 PM
    .
    Ficou mais palatável, ou vai ficar me patrulhando?
    .
    COMENTÁRIO: Apenas quis demonstrar que o Sr. não é tão polido, quanto pensa.
    .

    Saudações Apolíneas

    PS: “Conheça-te a ti mesmo” – Oráculo de Delfos

  424. Antonio G. - POA Diz:

    Posso ser um gentleman, ou um tosco. Depende da interlocução.

  425. Marciano Diz:

    vinicius Diz:
    SETEMBRO 24TH, 2015 ÀS 9:45 AM
    .
    “ah! dizem que os espíritos não procuram ajudar com relação a dinheiro, ué, mas… e o caso do Dr.Bezerra que estava endividado e apareceu lá um pobre diabo a lhe pagar adiantado por um curso (não me lembro qual)?
    .
    COMENTÁRIO:
    .
    Eram aulas de matemática, VINICIUS.
    .

    A coisa é mais séria do que parece. Pelo que se depreende do “causo”, esse dinheiro proveio do além, e não da Casa da Moeda, sendo portanto, falso.
    .
    CÓDIGO PENAL
    TÍTULO X
    DOS CRIMES CONTRA A FÉ PÚBLICA
    CAPÍTULO I
    DA MOEDA FALSA
    Moeda Falsa
    Art. 289 – Falsificar, fabricando-a ou alterando-a, moeda metálica ou papel-moeda de curso legal no país ou no estrangeiro:
    Pena – reclusão, de três a doze anos, e multa.
    § 1º – Nas mesmas penas incorre quem, por conta própria ou alheia, importa ou exporta, adquire, vende, troca, cede, empresta, guarda ou introduz na circulação moeda falsa.
    § 2º – Quem, tendo recebido de boa-fé, como verdadeira, moeda falsa ou alterada, a restitui à circulação, depois de conhecer a falsidade, é punido com detenção, de seis meses a dois anos, e multa.
    § 3º – É punido com reclusão, de três a quinze anos, e multa, o funcionário público ou diretor, gerente, ou fiscal de banco de emissão que fabrica, emite ou autoriza a fabricação ou emissão:
    I – de moeda com título ou peso inferior ao determinado em lei;
    II – de papel-moeda em quantidade superior à autorizada.
    § 4º – Nas mesmas penas incorre quem desvia e faz circular moeda, cuja circulação não estava ainda autorizada.
    .
    .
    Digamos que era dinheiro de verdade. Então o espírito furtou o dinheiro de alguém.
    .
    Digamos que era um estudante de carne e osso. Os espíritos o induziram a entregar a quantia a BM desnecessariamente para este (o estudante), pois ele nunca mais apareceu, nem para as aulas de matemática, nem para pegar o dinheiro de volta.
    .
    .
    VINICIUS:
    .
    ”quando Deus ou a espiritualidade promoverá um saldão para liquidar as dividas , esvaziar o umbral e as trevas?”.
    .
    RESPOSTA: Já aconteceu! Lembra-se do tsunami asiático de final de ano, em que morreram quase 300.000 pessoas, sem contar feridos, desabrigados, doentes, etc.?
    Veja a razão do tsunami no livro do DPF.
    .
    .
    .
    .
    Contra o chiquismo Diz:
    SETEMBRO 24TH, 2015 ÀS 9:57 AM
    Marciano, o E.L.O. foi plagiado? Vc achou?
    .
    .
    Dizem que o rei do plágio é o rei R.C.
    .
    .
    É plágio também.
    Quanto a RC, dizem, não! É REALMENTE o rei.
    O STJ já o condenou inúmeras vezes por plágio.
    Já que falou nele, lembrei-me da música do Skylab e de seu refrão.
    .
    Provavelmente é verdade o caso dos paralamas, mas não tenho dados concretos, só “provas científicas paranormais”, então suspendo o julgamento.
    .
    .
    .
    .
    MONTALVÃO, catar cocô de cachorro é tarefa exclusiva de seus “donos”. É um dos encargos indelegáveis decorrentes de acatá-los sob sua responsabilidade.
    Além do mais, eu sofro de síndrome do Khoschiakov-Pravanaranda (os pesquisadores russo e indiano que descobriram a síndrome). Tenho uma alergia infernal a cocô de cachorro e de outros cagões. Até minhas próprias cagadas me deixam mal, por isso sofro de prisão de ventre. Mais ou menos a cada quatro ou cinco dias eu dou uma de cabrito.
    .
    .
    Quanto ao desafio para a porrada, eu aceito, contanto que me dê um ano para preparação, submeta-se a pesagem no dia da competição (não na véspera) e que arranje uma bolsa de pelo menos R$ 500.000,00 para o vencedor e R$ 200.000,00 para o perdedor, pela cotação do dólar do dia do pagamento, valendo a cotação de hoje para conversão na moeda americana.
    Precisa de uma ambulância com pelo menos dois médicos traumatologistas, um árbitro certificado por alguma instituição séria, sem limite de rounds, sem regras outras que as estipuladas acima, exceto a probição do uso de armas brancas ou de fogo, ou improvisadas.
    Exijo que nós dois sejamos submetidos a teste anti-doping um mês antes da competição e no dia dela.
    Vai ser difícil conseguir patrocínio e público pagante, pelo que acho que está destinada ao mesmo fim das testagens entre a bancada cética e a crente.
    .
    .
    .
    MONTALVÃO Diz:
    SETEMBRO 24TH, 2015 ÀS 1:49 PM
    /
    /
    “Quem se garante, bebe meia dose e deixa o resto no copo.”
    /.
    PONDERAÇÃO: se for um bom uísque não deixo no copo nada…
    .
    CONTRA-PONDERAÇÃO: Eu não costumo deixar nada na garrafa, mas como dizia Tim Maia, apesar de beber todos os dias, em grande quantidade, principalmente antes de dormir, há mais de 20 anos, tenho controle; até hoje não fiquei viciado.
    .
    .
    MONTALVÃO Diz:
    SETEMBRO 24TH, 2015 ÀS 2:03 PM
    /
    /
    “Só pra esclarecer, MONTALVÃO. Você tem o mesmo respeito pelo ritual dos Holy Rollers? Ou será que se borra de rir, quando vê o ritual?”
    /.
    PONDERAÇÃO: desculpe-me a guinorança, mas não vi ainda ritual de roliroler…
    /
    /
    Recorra à mãe dos inguinorantes, melhor do que o pai dos burros, a wikipedia:
    .
    https://en.wikipedia.org/wiki/Holy_Roller
    .
    .
    “E a macumba (umbanda, quimbanda, candomblé)? Não te provocam frouxos de risos?”
    .
    PONDERAÇÃO: não, até acho legal uma curimbazinha…
    .
    Menteur!
    Bugiardo!
    Liar!
    Lügner!
    Mendax!
    .
    .
    /.
    PONDERAÇÃO: almejo aprender as línguas dos anjos e dos homens, mas se não tiver amor de nada me adiantará…
    /
    /.
    Quem sabe você não aprende a língua dos anjos após sua morte e se dedique a compor e cantar hosanas, enquanto acompanha a si próprio numa lira?
    Já que o violão não deu certo em vida…
    Perdeu para uma garotinha…
    Vingue-se dela na eternidade, mostrando seu talento na lira.

  426. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Acho que pelo contrário. Penso que seria restrito se fosse do jeito que você fala.”
    .
    At first glance, rock climbing would seem to require maximal conscious awareness, but as Zinn rappels to the ground Koch tells me that the aim is to let go of your mind and let the body take over. Great climbers, like great dancers, must relinquish control to the unconscious mind. No one could have more respect for the powers of the unconscious than Koch. Most of what we do, he says, is not under our conscious control; we’re not even aware we’re doing it. Take walking: “When you walk, you don’t think lift leg, move leg forward, put leg down. You just walk!” The same is true for talking. When you speak, you don’t suddenly have to think about grammar and syntax and vocabulary, you just open your mouth and the words come out. “If you had to consciously think through that stuff,” says Koch, “you’d never get anywhere.”
    .
    http://cbcl.mit.edu/news/files/koch-kreiman-LAweekly-03.html
    [TRADUCHOCHA (tradução chocha/frouxa) “À primeira vista, escalada parece exigir consciência máxima, mas como Zinn rappels no chão Koch diz-me que o objectivo é deixar de ir a sua mente e deixar o corpo assumir. Grandes escaladores, como grandes dançarinos, deve abrir mão do controle para a mente inconsciente. Ninguém poderia ter mais respeito para os poderes do inconsciente do que Koch. A maior parte do que fazemos, diz ele, não está sob nosso controle consciente; nós não estamos mesmo cientes nós estamos fazendo isso. Tome uma curta: “Quando você anda, você não acha que levantar a perna, mover a perna para a frente, colocar a perna para baixo. Você só andar! “O mesmo é verdade para falar. Quando você fala, você não de repente tem que pensar sobre gramática e sintaxe e vocabulário, você acabou de abrir a boca e as palavras saem. “Se você tivesse que pensar conscientemente através desse material”, diz Koch, “você nunca iria chegar a lugar nenhum.””
    /.
    PONDERAÇÃO: o texto é trecho de explanação maior, fica difícil perceber a pretensão do autor pelo exame desse pedaço. Mas, parece tratar-se de algo tipo “o poder do inconsciente”. A ideia de inconsciente é concepção eclética, dele se diz muito, desde o inconsciente freudiano, o junguiano, o quevediano… até os devaneios místicos. Parece que o autor sugere que em vez de nos esforçarmos por controlar o que fazemos devemos deixar que o “automático” comande. Seja lá que tese esteja a ser defendida, é fato que funcionamos, 99%, extraconsciencialmente, praticamente nada controlamos em nossos corpos consciencialmente. Em verdade temos mínima percepção dos múltiplos processos que o organismo realiza diuturnamente. O comentário de que não nos concentremos em atividades comuns, quais andar, respirar para bem realizá-las, mas devemos deixar que a espontaneidade assuma as rédeas da ação é pertinente, e o cérebro tem a prodigalidade de rapidamente postar fora da vontade tarefas triviais. Lembremo-nos quando aprendíamos a andar de bicicleta, em cada movimento estávamos concentrados e era uma tragédia, parecia impossível controlar o veículo infernal. Depois do aprendizado estar firme não se pensa mais nos passos a serem adotados.
    .
    Só que isso não tem coisa alguma que ver com uma pretensa peculiaridade comunicacional dos mortos que, bem sabemos, sequer se sabe se efetivamente comunicam. Aliás, sabe-se que não comunicam, pois se o fizessem já teriam, desde sempre, registrado suas presenças e a continuariam registrando a cada contato.
    .
    Nossos pensamentos são forjados em segmento do cérebro apartado da consciência; quando afloram, imediatamente, adentram no “setor” de decodificação, e podem ser externalizados pelo discurso.

  427. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Para o Montalvão, alguns exemplos de como poderia ser a comunicação sem o uso de palavras, apenas por imagens:
    .
    mesmo conceitos abstratos podem ter representações pictóricas. O mnemonista russo S. descobriu que, quando pensava na expressão “pesar as palavras”, ele imediatamente criava uma imagem de uma balança (Luria, 1969, p. 119); e, quando tentava entender a frase “o trabalho evoluiu normalmente”, ele via uma fábrica com operários e (para “normalmente”) “uma mulher grande, de faces rosadas, uma mulher normal (Luria, 1969, p. 128). Do mesmo modo, a frase de Jensen “Estou cansado” podia evocar a imagem de um homem na cama desligando um abajur antes de dormir..
    /.
    PONDERAÇÃO: ora, o texto é cristalino: as palavras evocam imagens, não o contrário (embora, certamente, a visão de imagens carreiem as palavras que lhes correspondem)… e, a não ser que no restante do texto se diga, o falado não diz respeito à comunicação, sim ao efeito que termos e frases possam causar na mente do ouvinte (efeito que deve variar conforme as peculiaridades individuais).

  428. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Tá vendo, MONTALVÃO, por que você precisa aprender inglês?”
    Tem a tese de doutorado de Monvoisin, Pour une didactique de l’esprit critique, Zététique & utilisation des interstices pseudoscientifiques dans les médias,[...]
    /.
    PONDERAÇÃO: uai, aprender inglês para ler francês?

  429. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Fiz um levantamento estatístico: hoje, das 2h (o insone do Marciano) até 10h59min foram 16 mensagens; de 11h até 2h59min, 17.
    .
    Isso prova que a força paranormal é mais intensa no período em que o sol está a pino.
    .
    Entendeu, Braulio, como se faz boa estatística com dados consistentes?

  430. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Digamos que era dinheiro de verdade. Então o espírito furtou o dinheiro de alguém.”
    /.
    PONDERAÇÃO: certamente era o espírito do Robin Hood…

  431. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Exijo que nós dois sejamos submetidos a teste anti-doping um mês antes da competição e no dia dela.”
    /.
    PONDERAÇÃO: será que uma talagada de “amansa corno” é considerado doping?
    http://www.mapadacachaca.com.br/artigos/10-divertidos-rotulos-cachaca/2/

  432. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Recorra à mãe dos inguinorantes, melhor do que o pai dos burros, a wikipedia:”
    .
    https://en.wikipedia.org/wiki/Holy_Roller
    /.
    PONDERAÇÃO: sendo sincero, quando vi a expressão meu filling de “ingrês” entrou em ação e julguei tivesse relação com os gira-gira da pentecostal, mas como nunca dou atenção ao instinto deixei de lado a suposição. Não devia, um dia aprendo…
    https://www.youtube.com/watch?v=9Dj0y3r5oCw

  433. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Quem sabe você não aprende a língua dos anjos após sua morte e se dedique a compor e cantar hosanas, enquanto acompanha a si próprio numa lira?
    Já que o violão não deu certo em vida…
    Perdeu para uma garotinha…
    Vingue-se dela na eternidade, mostrando seu talento na lira.”
    /.
    PONDERAÇÃO: na minha adolescência revelei grande talento num certo instrumento… e, como bem sabe, não era violão… na eternidade só sabe-lo-ei quando lá adentrar, caso já não esteja…

  434. Marciano Diz:

    MONTALVÃO Diz:
    SETEMBRO 24TH, 2015 ÀS 7:38 PM
    /
    /
    “Tá vendo, MONTALVÃO, por que você precisa aprender inglês?”
    Tem a tese de doutorado de Monvoisin, Pour une didactique de l’esprit critique, Zététique & utilisation des interstices pseudoscientifiques dans les médias,[...]
    /.
    PONDERAÇÃO: uai, aprender inglês para ler francês?
    .
    .
    REPONDERAÇÃO:
    You got me wrong! I meant to say that it’s easy to find texts about anything in English, whereas in other languages, like French and Portuguese, our findings are very limited.
    Tu me comprends maintenant?
    Era solo uno scherzo. Ein scherz.
    Not to be taken seriously.
    .
    .
    .
    Gostei de sua estatística. Você está pronto para fazer meta-análises de pesquisas paranormais.
    .
    O espírito de Robin Hood foi bastante espirituoso. Dois coelhos inexistentes com uma só cajadada (o imaginário RH e o imaginário espírito).

  435. Marciano Diz:

    Cachaça pode.
    Vou ver seu link de holy-rollers.
    Estamos postando juntos. Há outra mensagem pra você, no meio de seus comentários.

  436. Marciano Diz:

    That’s right, MONTALVÃO!
    Ei fiquei embasbacado como, com seu feeling de ex-crente, não identificou de imediato.

    Foi a falta de ingrêis. Tá veno? Sem ingrêis, nóis não spikamos nótin. Nem anderstemo.

  437. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    A prova definitiva: o paranormal forte, controlado, ecsiste!

    https://www.youtube.com/watch?v=-VIdHFYtLsM

    Esta então é incontestável!
    https://www.youtube.com/watch?v=6mX30cI59F0

  438. Marciano Diz:

    CORRIGENDA: anderstemu.
    é a farta de cunhecimentu de gramática purtugeza.

  439. Marciano Diz:

    E ingresa. Ingrêis tem uma gramática mais simplis, mais tanbem tem gramática.

  440. Marciano Diz:

    /
    /
    A prova definitiva: o paranormal forte, controlado, ecsiste!
    https://www.youtube.com/watch?v=-VIdHFYtLsM
    Esta então é incontestável!
    https://www.youtube.com/watch?v=6mX30cI59F0
    .
    Viu como eu sabia que você estava mentindo, quando disse que não ria dessas palhaçadas?

  441. Marciano Diz:

    Existem vários tipos de humor, como humor negro, paródia, nonsense, quid pro quod, etc.
    O que eu acho mais engraçado é o humor involuntário, coo a gente vê em certos filmes, principalmente os de ação, e nessas pantomimas neopentecostais.

  442. Marciano Diz:

    With all due respect, how come someone see those sort of things and remain a true believer?
    Who is more facetious, chiquistas or neo-pentecostalists?

  443. Marciano Diz:

    Who is more naïve, a neo-pentecostalist or a chiquista?
    Or a believer in parapsychology, for that matter?

  444. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, as provocações em inglês são especiais para você. Tente traduzir for that matter no google e veja o que sai.
    Significa as far as this is concerned, no que diz respeito a esse assunto.
    Pare de usar o google, faça o curso das terças-feiras.
    O google parece até esses espíritos paranormais, entende tudo errado.

  445. Marciano Diz:

    Vou levar meus cães imaginários para um passeio imaginário agora.
    Volto assim que voltar.
    (Na verdade, vou tomar banho e comer alguma coisa, estou morrendo de fome).

  446. Marciano Diz:

    Pão com ovo. Ou com linguiça de porco. Ou outra porcaria qualquer. Daquelas que mataram AL.

  447. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “fiquei embasbacado como, com seu feeling de ex-crente, não identificou de imediato.”
    /.
    PONDERAÇÃO: pois é, usei sensação indevida: filling…
    Ivo saw the grape…the grapes are of the grandfather…
    .
    Em ingrês rebento!

  448. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Who is more naïve, a neo-pentecostalist or a chiquista?
    Or a believer in parapsychology, for that matter?
    /.
    Quem é mais ingênuo, uma neo-pentecostal ou um chiquista?
    Ou um crente em parapsicologia, PARA QUE O ASSUNTO?
    /.
    PONDERAÇÃO: para que o assunto? Sei não…

  449. Vitor Diz:

    Montalvão,
    comentanto:
    .
    I) E a torcida brada: experimentos atuais, experimentos atuais, experimentos atuais…
    .
    a) http://obraspsicografadas.org/2012/um-experimento-de-clarividncia-de-resposta-livre-com-uma-psquica-talentosa-2011/ (Lina, 2011)
    .
    b) http://obraspsicografadas.org/2014/sean-harribance-psquico-excepcional-2010/ (Harribance, 2010)
    .
    c) http://obraspsicografadas.org/2011/uma-investigao-de-mdiuns-que-alegam-receber-informaes-sobre-pessoas-falecidas-2011/ (pesquisadora Kelly, 2011)
    .
    II) “Pensava-se que fosse contrapor com testemunhos de parapsicólogos,”
    .
    Não. Só queria que você entendesse o significado de controle. Entendeu? Ou vai continuar dizendo que psi não é controlável?
    .
    III) “Não será difícil selecionar imagens simples e com apelo emocional e submetê-las aos acreditados defuntos comunicantes. Por mim, o projeto nesse moldes pode prosseguir…”
    .
    Eu prefiro riqueza nas imagens porque isso permite que o psíquico capte mais detalhes. Imagens muito simples podem não permitir descrições específicas.

  450. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Marciano Diz:
    Pão com ovo. Ou com linguiça de porco. Ou outra porcaria qualquer. Daquelas que mataram AL.
    /.
    PONDERAÇÃO: mataram não, suicidaram…
    .
    sugesta alimentar: 1) pão integral, ovo frito, requeijão chedar, se quiser, um tititinho de orégano;
    2) pão integral, queijo branco, tostados no forno; fatias de tomate.
    .
    Bebida: sugiro mate.
    .
    Aí, me deu fome… Fui…

  451. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Tu me comprends maintenant?”
    ./
    oui…

  452. Gorducho Diz:

    Imagens muito simples podem não permitir descrições específicas.
    :o
     
    A imagem dum guarda chuva não permite ao “espírito” fazer uma descrição específica? :lol: :lol: :lol: :lol:
     
    Qual foi o “ψquico” que descobriu o Saddam Hussein no buraco?

  453. Gorducho Diz:

    O desespero pra preservação da crença não tem limites…

  454. Gorducho Diz:

    Só colaborando c/o Sr., Sr. Administrador…
     
    http://www.parapsykologi.dk/index.php/synske-detektiver

  455. Marciano Diz:

    /.
    PONDERAÇÃO: pois é, usei sensação indevida: filling…
    Ivo saw the grape…the grapes are of the grandfather…
    .
    .
    E eu pensando que você estava falando de uma obturação.
    .
    .
    .
    /.
    PONDERAÇÃO: para que o assunto? Sei não…
    .
    A tradução correta está num comentário acima.
    Foi só para você ver como o google é imprestável.
    .
    .
    .
    sugesta alimentar: 1) pão integral, ovo frito, requeijão chedar, se quiser, um tititinho de orégano;
    2) pão integral, queijo branco, tostados no forno; fatias de tomate.
    .
    Se o GORDUCHO ler isto ele vai ficar mais entusiasmado com a nossa nova igreja. Ele quer os crentes bem alimentados.

  456. Espírita Sp Orlando Diz:

    Gorducho Diz:
    setembro 24th, 2015 às 3:32 PM
    Sr. Orlando
    Que sabe da ronha c/o Bacelli?

    A briga foi com Euripedes. Chico não tinha quase nada contra o Bacelli. O fato é um pouco recente: Bacelli passa a receber mensagens com estilo parecido com Chico, mostrou aos Euripedes e parece que houve confusão:não encontraram as senhas secretas. Dai Bacelli foi deixado de lado pela turma porque ele continuou a receber as mensagens assinadas pelo Chico sendo que algumas falam pra perdoa-lo pois perdeu completamente as senhas.

  457. Espírita Sp Orlando Diz:

    Sobre o Sócrates eu ia mandar Plutarco mesmo. Ele não era nada esquizofrênico: tinha um anjo guardião como todos nos temos. Alem disso temos os espíritos familiares e os simpáticos. Como eu já lhes disse: graças ao Manoel Philomeno de Miranda deixei a devassidão e vicios. Ele é espirito simpático.

  458. Marciano Diz:

    Orlando deixou a devassidão e vícios.
    Isso parece conversa de evangélico. Eles sempre foram tudo de ruim antes da conversão.
    Parece que religião é coisa boa para devassos e viciados, mas para pessoas normais é inócua.

  459. Marciano Diz:

    A essa hora todos desaparecem.
    Vou deixar a história de como Randi demonstrou a seriedade das pesquisas paranormais, plantando dois psychics treinados por ele no McDonald Laboratory.
    Depois ele avisou o físico Peter Phillips de que ele estava sendo enganado pelos falsos médiuns.
    Claro que o cientista paranormal não acreditou.
    Quando foi revelada a farsa, o tal laboratório caiu no ridículo a acabou sendo fechado.
    .
    https://en.wikipedia.org/wiki/Project_Alpha

  460. Marciano Diz:

    O parapsicólogo Phillips acabou ficando grato pela lição.

  461. Gorducho Diz:

    Que sabe da ronha c/o Bacelli?
    Episódio 2
     
    Não… não…
    Bacelli foi expulso do convívio de CX anos antes da morte, tentou se reaproximar sem sucesso. É sobre isso que lhe pergunto.
     
    Sobre a literatura me decepcionou. Achei que sabia do que estava falando, mas se limitou a colar dum sítio espírita – aliás um dos mais bobinhos…
    Bah! :(

  462. Espírita Sp Orlando Diz:

    Ele não foi expulso, foi fundar suas próprias obras sociais e não tem mais nada com o grupo do chico realmente.
    Tentou se reaproximar de novo, levando essas mensagens assinadas pelo chico.
    Do Sócrates eu colei rs rs

  463. Espírita Sp Orlando Diz:

    Só ontem comecei a ler as comparações das obras do Chico. Nossa bastante parecidas mesmo! Da boa nova e do evolução em dois mundos.

  464. Gorducho Diz:

    Mas que coisa… ele foi expulso muitos anos antes do CX morrer!

  465. Gorducho Diz:

    1993

  466. Vinicius Diz:

    Continuação de minha autoria:
    O carro de fogo, que o Irmão Odilon se referira era o famoso transporte de Nosso Lar, o Aeróbus. Toda aquela caravana de Espiritos Amigos, que acompanharam o desenlace do medianeiro se acomodarem, contentes, vibrantes e contentes. Estavam entoando clássicos desconhecidos do povo terreno, por não haver ouvido terreno que consiga recepcionar tamanha beleza, a não ser os Espíritos Missionários. Chico Xavier estava deitado na última poltrona, lamentavelmente , o Sr. Dr. Responsável pela manutenção diária do Aeróbus esqueceu-se de executá-la daquela vez, não por ser irresponsável, mas por ter estado tão esfuziante pelas festas que estavam por vir que acabou se esquecendo completamente. O Equipamento de Ar Condicionado estava enguiçado e as janelas do Aeróbus estavam abertas. Chico estava com sua boina e debaixo dela havia guardado algo muito precioso : as senhas secretas que havia deixado ao seu filho Euripedes H., ao médico Euripedes V. e a Sra. Katia Maria.
    De repente houve uma turbulência muito grande no espaço sideral, por onde desliza o Aeróbus. Tremores, ventanias fortes faziam com que o trem espiritual se debatesse no ar até culminar em sua parada total e eis que um desastre acontece: onde está a boina do Chico? Aquela com as senhas dentro? XXXXXX, a boina junto com as senhas caíram na imensidão do Espaço. Chico ainda estava meio que adormecido, um pouco insconsciente e não havia percebido o fato e como todos os outros Espiritos estavam em festa total, com muita água transformada em vinho, na parte da frente do Aeróbus nem se deram conta, aliás, nem se lembravam que Chico estava lá (ops! Que Chico estava com a boina).
    Pois é, as senhas que fariam com o Brasil e o Mundo reconhecessem o Espírito Chico Xavier partiram rumo as distâncias infinitas dos confins do Universo. Mas os habitantes “umbralinos” acompanhavam de longe o cortejo e perceberam que um papel meio que “iluminado” descia do alto e eis que começa uma disputa terrível por aquele papel que foi literalmente despedaçado pelos irmãos do Umbral. A Curiosidade deles foi tamanha pelo pergaminho e ao se engalfinharem não se deram conta da tragédia que protagonizaram.
    SERÁ QUE VAI TER CONTINUAÇÃO? LEMBREM-SE CHICO ESTAVA DORMINDO, O AERÓBUS SEGUINDO SEU TRAJETO (ERA LONGO PERCURSO E TREM EXCLUSIVO PARA OCASIÃO E A FESTA PROSSEGUIA, EMMANUEL E DR.BEZERRA AINDA NÃO FORAM ALERTADOS DA PERDA DAS SENHAS E DA BOINA).

  467. Vinicius Diz:

    OPS, esqueci de colocar o trecho do livro. desconsiderem a mensagem anterior:

    Final do trecho do livro Na Próxima Dimensão onde Chico é velado aqui e acolá:
    “Aquela Luz, que se humanizava parcialmente para que pudéssemos vê-la, estreitou Chico Xavier ao peito e depositou-lhe um ósculo santo na fronte e, em seguida, partiu, levando-o consigo, despedindo-se com inesquecível sorriso dos que continuavam presos ao abismo, sentenciados pelo tribunal da consciência culpada.
    Foi Odilon que, depois de muito tempo, conseguiu falar, comentando conosco:
    — Eu sempre que lia as páginas do Velho Testamento, ficava intrigado e colocava em questão a narrati­va de que o profeta Elias fora conduzido ao céu por “um carro de fogo”… Agora sei que não se tratava de força de expressão ou algo semelhante”
    Continuação de minha autoria:
    O carro de fogo, que o Irmão Odilon se referira era o famoso transporte de Nosso Lar, o Aeróbus. Toda aquela caravana de Espiritos Amigos, que acompanharam o desenlace do medianeiro se acomodarem, contentes, vibrantes e contentes. Estavam entoando clássicos desconhecidos do povo terreno, por não haver ouvido terreno que consiga recepcionar tamanha beleza, a não ser os Espíritos Missionários. Chico Xavier estava deitado na última poltrona, lamentavelmente , o Sr. Dr. Responsável pela manutenção diária do Aeróbus esqueceu-se de executá-la daquela vez, não por ser irresponsável, mas por ter estado tão esfuziante pelas festas que estavam por vir que acabou se esquecendo completamente. O Equipamento de Ar Condicionado estava enguiçado e as janelas do Aeróbus estavam abertas. Chico estava com sua boina e debaixo dela havia guardado algo muito precioso : as senhas secretas que havia deixado ao seu filho Euripedes H., ao médico Euripedes V. e a Sra. Katia Maria.
    De repente houve uma turbulência muito grande no espaço sideral, por onde desliza o Aeróbus. Tremores, ventanias fortes faziam com que o trem espiritual se debatesse no ar até culminar em sua parada total e eis que um desastre acontece: onde está a boina do Chico? Aquela com as senhas dentro? XXXXXX, a boina junto com as senhas caíram na imensidão do Espaço. Chico ainda estava meio que adormecido, um pouco insconsciente e não havia percebido o fato e como todos os outros Espiritos estavam em festa total, com muita água transformada em vinho, na parte da frente do Aeróbus nem se deram conta, aliás, nem se lembravam que Chico estava lá (ops! Que Chico estava com a boina).
    Pois é, as senhas que fariam com o Brasil e o Mundo reconhecessem o Espírito Chico Xavier partiram rumo as distâncias infinitas dos confins do Universo. Mas os habitantes “umbralinos” acompanhavam de longe o cortejo e perceberam que um papel meio que “iluminado” descia do alto e eis que começa uma disputa terrível por aquele papel que foi literalmente despedaçado pelos irmãos do Umbral. A Curiosidade deles foi tamanha pelo pergaminho e ao se engalfinharem não se deram conta da tragédia que protagonizaram.
    SERÁ QUE VAI TER CONTINUAÇÃO? LEMBREM-SE CHICO ESTAVA DORMINDO, O AERÓBUS SEGUINDO SEU TRAJETO (ERA LONGO PERCURSO E TREM EXCLUSIVO PARA OCASIÃO E A FESTA PROSSEGUIA, EMMANUEL E DR.BEZERRA AINDA NÃO FORAM ALERTADOS DA PERDA DAS SENHAS E DA BOINA).

  468. Gorducho Diz:

    Mais precisamente, Sr. Orlando, dezembro ’92.

  469. Antonio G. - POA Diz:

    Marciano, a farsa dos engraçados filmes dos “super pastores” derrotando o mal, que você postou, são tal e qual as encenações dos passes e consultas mediúnicas nas casas espíritas. É o mesmo “circo”. O que diverge é apenas a pantomima, bem mais escandalosa nos cultos evangélicos, com os pastores histriônicos gritando expressões contundentes, tais como “eu te ordeno, espírito diabólico, sai desse corpo”, etc… Nas sessões espíritas o clima é mais light, a voz é mais baixa, e os adjetivos ficam na linha do “amável, fraternal, piedoso, harmônico, etc. Mas é tudo igualmente falso.

  470. Gorducho Diz:

    Despedaçada no Umbral a cópia da senha, CX dela não pode fazer uso pois que de memória não lembra (eu tenho as minhas anotadas numa cadernetinha…).
    Então nunca mais poderá se comunicar!
     
    E sim, essa caravana toda veio e foi numa viagem especial do Aeróbus. Como todos atendentes à cerimônia eram espíritos de luz, era mais prático e barato terem vindo por autolevitação, mas foi uma questão simbólica…
    Jesus pegou o peri-espírito adormecido do colo de D. Cidália e depositou no Aeróbus (numa maca emprestada pela equipe de socorros aviatórios do Druso).

  471. Vinicius Diz:

    Aqui CX resolveu enviar mensagem mesmo sem as senhas. Dane-se vou me comunicar sem essas senhas!

    16/10/2003
    A 1ª Mensagem enviada por Chico Xavier
    Mensagem psicografada pelo médium Carlos A. Baccelli, em reunião pública do dia 22 de junho de 2003, na sede do Centro Espírita Beneficente “Bezerra de Menezes”, na cidade de Pedro Leopoldo, Minas Gerais, Brasil)

    QUERIDOS IRMÃOS E IRMÃS
    JESUS NOS ABENÇOE
    Estou aqui e, através destas palavras singelas, venho ao encontro de todos vocês, com muito carinho e reconhecimento em meu coração de servidor sempre agradecido.
    Dirigindo-me à querida família espírita de nossa inesquecível Pedro Leopoldo, dirijo-me, com a permissão de Jesus, a todos os integrantes da querida e imensa família espírita que, do nosso Brasil, se estende por outros países.
    Agradeço-lhes, meus irmãos, por tudo: pelo carinho que vocês sempre me dispensaram, ao lado dos nossos Benfeitores Espirituais, para que eu conseguisse levar adiante o compromisso abraçado.
    Louvado seja Deus, que os colocou em meu caminho para que, diante dos obstáculos, eu não esmorecesse na luta que, evidentemente, há de prosseguir para todos nós, para maior honra e glória Daquele a quem nos compete servir invariavelmente.
    Perdoem-me, se, neste momento, a emoção toma o meu coração por inteiro e eu, igualmente, não saiba o que lhes dizer com exatidão.
    Aqui compareço, nesta manhã, na mesma condição daqueles companheiros que me antecederam na palavra e sinceramente, não me reconheço sob regime de qualquer privilégio em relação a eles ou a vocês, que continuam e devem continuar esforçando para prosseguir com o ideal que abraçamos, em nossa Doutrina de Amor e Paz.
    Unamo-nos e procuremos melhor servir aos propósitos do Evangelho, operando a nossa própria renovação, dando combate às imperfeições que ainda nos assinalam e que, tantas vezes, nos induzem a cometer maiores equívocos no cumprimento do dever.
    A obra dos Amigos Espirituais, por meu intermédio, em verdade, não pertencem a eles mesmos e muito menos a mim, que prossigo deste Outro Lado da Vida me considerando na condição de um cisco! A tarefa que encetamos na Doutrina pertence ao Senhor e, para executá-la com a devida fidelidade, carecemos de colocar de lado o personalismo e não tomarmos o caminho da polêmica inútil.
    Não nos dispersemos, despendendo energias espirituais que deverão ser consumidas unicamente nas tarefas que prosseguem sob a nossa responsabilidade.
    Perdoem-me, se, escrevendo a vocês neste instante, eu não consigo deixar de ser o Chico que sempre fui… O que, afinal de contas, continuo sendo, para ser o espírito feericamente iluminado que os amigos sempre me supuseram, por bondade deles e não por méritos que, em verdade, eu nunca tive e prossigo sem ter?! Em mim, mesmo após a desencarnação, continuam subsistindo muitos traços de treva e me reconheço muito distante da posição que os amigos me colocam.
    A nada mais aspiro, se o Senhor assim me consentir, senão dar seqüência ao humilde trabalho que o Espiritismo, na revivescência do Evangelho, nos possibilita em favor de todos os nossos irmãos em Humanidade.
    Escrevo-lhes nesta hora, acreditem, sem nenhuma preocupação e espero, sinceramente espero, que estas minhas palavras não nos ocasionem maiores contendas e nem nos induzam ao esquecimento de nossas obrigações fundamentais.
    Eu jamais seria capaz de silenciar ou considerar-me um espírito diferente de tantos outros – embora minha total desvalia -, que estão e sempre estarão à disposição daqueles que necessitarem de uma palavra de encorajamento e de companheirismo, a fim de que não fragilizem na vivência do ideal.
    Deixo-lhes, queridos irmãos e irmãs, o meu abraço fraternal e a minha alegria por ainda me sentir integrados à todos vocês, na Causa que nos é comum e que, sem dúvida, nos merece e nos merecerá sempre o melhor esforço e o maior devotamento.
    Impossível que, neste primeiro contato, eu lograsse extravasar todas as emoções que me possuem o espírito em forma de gratidão e de reconhecimento à família espírita do Brasil, da qual eu me tornei eternamente devedor.
    Com minha saudade, a minha imensa saudade de todos os dias, sou irmão e servidor sempre grato, o menor dentre os menores servidores de nossa Causa, sempre o seu Chico Chico Xavier

  472. Vinicius Diz:

    Despedaçada no Umbral a cópia da senha, CX dela não pode fazer uso pois que de memória não lembra (eu tenho as minhas anotadas numa cadernetinha…).
    Então nunca mais poderá se comunicar!

    mas Gorducho, mesmo se CX usasse cadernetinha com o vendaval ela teria ido parar no Umbral.

  473. Gorducho Diz:

    Foi o que eu disse! Se eu não tivesse cadernetinha (em computadoras tenho medo) não me lembraria. Só se a senha foi muito simples, um nome extremamente significativo prele.

  474. Espírita Sp Orlando Diz:

    Santo Deus. Além de profanarem o tumulo do chico ainda fazem essas mensagens apócrifas. Claro que ele pode ter perdido a senha. Que tal enviarmos email ao Bacelli sobre elas???

  475. Gorducho Diz:

    Acho que isso foi antes de rolar a história da senha…
    E aí, Sr. Orlando: pode dizer algo da cronologia dessa mensagem vis-à-vis a divulgação de que ele havia deixado senhas?
    E também CX na afoiteza de poder comunicar talvez inesperadamente tenha esquecido que deixara senhas.
    A oportunidade pode ter surgido inesperadamente – vá se saber…
    A mente dele era emotiva, comandada pelo coração: não tinha a rigidez lógica das nossas.

  476. Vinicius Diz:

    olha sr. orlando, uma ajuda pra você, via GOOGLE, de Jorge Rizzini. e os demais que estiverem interessantes na briga entre Bacelli e CX; Bastidores de Uberaba – Será que a FEB e seus diretores já visitaram esse vespeiro?

    http://www.forumespirita.net/fe/artigos-espiritas/o-rompimento-entre-chico-e-baccelli/?action=dlattach;attach=35698

  477. Vinicius Diz:

    Um trechinho desse documento do RIZIINI
    Escreve Carlos Bacelli:
    “Não sei o que aconteceu (ele finge não saber) que, desde dezembro, não temos tido oportunidade de visitá-lo e abraçá-lo pessoalmente. Sinceramente, de minha parte, creio não ter feito nada para magoá-lo. Se algo fiz que o aborreceu, foi de forma inconsciente. Eu jamais o feriria no que quer que seja.”
    E acrescenta:
    “Sempre existiram “forças” tentando distanciarmos… Quantas intrigas foram urdidas com tal objetivo, eu não saberia dizer…” (Bacelli sugere aqui que Chico Xavier acreditou nas intrigas).
    E mais:
    “Na semana passada, fui ao consultório do Eurípedes (filho adotivo de Chico Xavier) e pedi a ele que perguntasse a você sobre a possibilidade de nos reencontrarmos. Permaneço na expectativa de uma resposta positiva. Se não der para ser como antes, ou seja, toda semana, que pelo menos possa ser de vez em quando…” (Como nota o leitor, algo de muito grave acontecera…)
    Chico Xavier, dotado que era, inclusive, da capacidade de ler o pensamento alheio, acautelou-se, alegou que estava adoentado. Sua resposta foi, como não podia deixar de ser, amável, mas incisiva:
    “Espero que você e a Márcia (esposa de Bacelli) me desculpem se não posso reatar agora os nossos encontros doutrinários das quartas-feiras e esperemos o tempo. Como sempre confiamos em Deus. Peço-lhes perdoar-me”,etc.
    E, desde então, Carlos A. Bacelli (atenção redobrada, leitores) NUNCA MAIS esteve com Chico Xavier. Nunca mais. Nove anos e alguns meses sem vê-lo, embora vivessem na mesma cidade.

  478. Contra o chiquismo Diz:

    MONTALVÃO Diz:
    SETEMBRO 24TH, 2015 ÀS 9:02 PM
    /
    /

    /.
    PONDERAÇÃO: pois é, usei sensação indevida: filling…
    Ivo saw the grape…the grapes are of the grandfather…
    .
    .
    .
    SE FOSSE ALI EM C DE ABREU, A LIÇÃO ERA:
    ” IVAN VIU O OVNI .” “

  479. Larissa Diz:

    [img width=133 height=200]http://f.i.uol.com.br/fotografia/2011/01/31/39035-400×600-1.jpeg[/img]

    teste

  480. Gorducho Diz:

    Não… cá não tem inserção de imagens :(

  481. Vinicius Diz:

    pelo que pude notar as fraudes do meio espirita Brasileiro foram constatadas já ha bastante tempo né?
    aquele sobrinho do CX já tinha dado pistas das fraudes quando “entregou” seu tio certo?
    fraudes com Bezerra encarnado houve também?
    e daquela medium Ivonne Pereira (li aquele livro Memorias de um suicida duas vezes – camilo candido botelho)?

  482. Contra o chiquismo Diz:

    Essa yvonne pereira é um mistério tb. Morreu em 1984. Conheci uma palestrante que disse que quando a yvonne foi pro hospital , ela disse: “vou morrer hj mesmo” e morreu no hospital.
    .
    .
    Misticismos a parte, ela foi demais… encontrou em desdobramento Chopin no além todo fud.. de tuberculose e narra esse encontro. Pq não encontrou o mendigo joão? O pedreiro oséias ou o gari atanagildo?

  483. Vinicius Diz:

    sempre os famosos do além não?
    quantos casos de desaparecimento seriam resolvidos se essas coisas existissem mesmo

  484. Borges Diz:

    Vinicius:- A lavra não parece ser do CX, pois não encontrei na mensagem o seu adjetivo preferido “dulcíssimo”.
    A propósito, acho que sei onde o CX garimpou esta palavra, observe esta passagem da vida de
    São Francisco de Assis que encontrei na wikipédia:

    “ Numa dessas ocasiões, segundo relata a coletânea I Fioretti di San Francesco, o Irmão Leo o viu levar a mão ao peito e parecer tirar algo de lá e oferecer a uma língua de fogo que descera sobre ele. Perguntando depois o que sucedera, Francisco respondeu:
    “Por que vieste aqui, irmão cordeirinho? Diz-me: viste ou ouviste alguma coisa?
    “Leo respondeu: Pai, ouvi-te falar e repetir várias vezes: ‘Quem és Tu? Quem és Tu, oh dulcíssimo Deus? E eu quem sou, verme desprezível e teu inútil servo?’ “
    Podemos notar também que CX plagiou a humildade de São Francisco quando se comparou com um verme.
    “Um confrade entusiasta elogiava o Chico à queima-roupa, ao fim de movimentada sessão pública, e o Médium desapontado, exclamou:

    — Não me elogie desta maneira. Isso é desconcertante. Não passo de um verme neste mundo.”
    Este trecho foi retirado do site:
    http://grupoallankardec.blogspot.com.br/2011/04/chico-xavier-e-o-verme-historia.html
    Obrigado

  485. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “E eu pensando que você estava falando de uma obturação.”
    ./
    PONDERAÇÃO: quem sabe não seria uma obturação a falar?

  486. Larissa Diz:

    Gorducho Diz:
    SETEMBRO 25TH, 2015 ÀS 11:00 AM
    Não… cá não tem inserção de imagens :(
    .
    :(
    Pow, Vitor.

  487. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Espírita Sãoporlando Diz:
    Sobre o Sócrates eu ia mandar Plutarco mesmo. Ele não era nada esquizofrênico: tinha um anjo guardião como todos nos temos. Alem disso temos os espíritos familiares e os simpáticos. Como eu já lhes disse: graças ao Manoel Philomeno de Miranda deixei a devassidão e vicios. Ele é espirito simpático.
    /.
    PONDERAÇÃO: bom que o Philomeno o esvaziou de toda a concupiscência. Mas, que mal lhe indague: como consegue demonstrar que todos esses invisíveis estejam ao seu derredor, bramando como leão? Ou você está plenamente satisfeito em admitir que seja assim e tanto faz o que o mundo a respeito pense?
    .
    Se for a segunda hipótese, será quem nem eu com o anãozinho gigante…

  488. Phelippe Diz:

    Oi, Vinícius.
    Que estória essa da senha e do aeróbus kkk Acho q foi assim mesmo. As hordas do Umbral devem ter destroçado o tal papel kkk

  489. Contra o chiquismo Diz:

    Borges, jogando contra o chiquismo?

  490. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Depois ele avisou o físico Peter Phillips de que ele estava sendo enganado pelos falsos médiuns.
    Claro que o cientista paranormal não acreditou.”
    /.
    PONDERAÇÃO: Peter Phillips recusou a ajuda de Randi, retrucou que era suficientemente habilitado para saber o que fazia…
    /
    /
    Bom que o Braulio leia o que segue…
    =================================.

    O projeto Alfa
    .
    O golpe mais rude desferido pelo “Estupefaciente” contra os poderes psi foi o “projeto Alfa”, sobre o qual Henri Broch fornece detalhes palpitantes. Em 1979, James MacDonnell, presidente da Sociedade de Aeronáutica McDonnell-Douglas, fez uma doação de meio milhão de dólares à Universidade Washington de Saint-Louis, Missouri, a fim de financiar a criação de um laboratório de estudos paranormais.
    .
    PETER PHILLIPS, um professor de física que se interessava havia muitos anos pelo assunto, assumiu a direção das operações. Randi lhe propôs seus serviços para ajudá-lo a desmascarar eventuais impostores. Phillips não quis saber de nada. Ele era bastante crescido para se virar sozinho. Recrutou por meio de anúncios dois jovens sujeitos psi, Steven Shaw e Michael Edwards, e começou a testá-los.
    .
    Shaw e Edwards se revelaram extremamente brilhantes. Eles liam por telepatia o conteúdo de um envelope lacrado, torciam hastes de metal sem tocá-las, faziam explodir balas de chumbo só pela força do pensamento.
    .
    Um dia, Steven mudou a imagem de uma câmera de vídeo com uma simples imposição das mãos. Numa outra vez, os experimentadores colocaram diversos objetos num aquário emborcado, fechado a cadeado e parafusado a uma mesa, tudo colocado numa sala fechada a chave (os aquários parecem desempenhar um grande papel nas pesquisas paranormais). Phillips pegou as chaves do cadeado e da sala e amarrou-as em torno de seu pescoço.
    .
    No dia seguinte, o pessoal do laboratório descobriu os objetos contidos no aquário torcidos, quebrados, deslocados pelas forças metapsíquicas. Signos cabalísticos tinha até sido traçados sobre uma camada de café em pó sobre a qual repousavam alguns objetos!
    .
    O que Phillips ignorava é que Shaw e Edwards eram dois prestidigitadores cúmplices do pérfido Randi. A operação, batizada “projeto Alfa”, tinha sido montada pelo “Estupefaciente” para demonstrar que profissionais de mágica podiam enganar cientistas. Philips e seus colegas tinham tão pouca desconfiança que até facilitaram muito a tarefa dos agentes de Randi. Convencidos da autenticidade dos fenômenos, não se preocuparam com precauções elementares. Os envelopes do teste de telepatia estavam “lacrados” apenas com grampos (vimos na Lição 3 como Randi tinha protegido o envelope contendo os resultados codificados das experiências realizadas no laboratório de Benveniste).
    .
    Shaw e Edwards tinham apenas que retirar delicadamente os grampos para dar uma espiada no desenho contido no envelope. Repondo os grampos nos furos originais, a manobra não deixava nenhum traço.
    .
    O lance do aquário era ainda mais grosseiro. Os dois companheiros deram um jeito para que uma janela ficasse aberta. Penetraram de noite na sala considerada inexpugnável, abriram o aquário fechado com cadeado e se entregaram às suas gracinhas habituais.
    .
    Durante quatro anos, Shaw e Edwards não cessaram de trapacear debaixo do nariz e nas barbas de Philips, que nunca percebeu nada.
    .
    Randi tentou alertá-lo deixando escapar boatos sobre o projeto Alfa. Chegou até a enviar a Phillips uma fita de vídeo em que explicava como conseguir falsos efeitos PK.
    .
    Em outra fita, tirada do laboratório McDonnell, Randi mostrou a Phillips os momentos em que os sujeitos cometiam as fraudes.
    .
    Abalado, nem por isso Phillips deixou de continuar as experiências. O pior surdo é o que não quer ver!
    .
    Randi revelou o grande segredo no início de 1983. Mesmo assim, alguns parapsicólogos se resignaram com um argumento paradoxal: Shaw e Edwards mentiam quando pretendiam trapacear! Phillips, por sua vez, declarou numa carta a Randi que ele tinha “um grande respeito pela maneira como o projeto Alfa tinha sido realizado”.
    .
    Mais tarde, porem, recriminou o “Estupefaciente” por ter deixado entrar ovelhas negras em seu laboratório. Pelas últimas notícias, as pesquisas continuam…
    (Impostura Científica em Dez Lições)

  491. Phelippe Diz:

    Minha falecida avó dizia q se a vida continuasse após a morte ela faria contato. Lá se vão 30 anos e nada de comunicação.

  492. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Essa vai pro Braulio e quem mais interessado. Pena que insuficiente para demover o gerente do sítio de suas fantasias, mas ele chega lá…
    /
    /
    ===================================.
    A história da paranormalidade é um eterno recomeço. Desde Eusapia Palladino, foi confirmado de maneira constante que os efeitos psi não resistem ao exame de um observador qualificado.
    .
    E, correlativamente, sua intensidade não deixou de diminuir. Mesmo um parapsicólogo como John Beloff, que não pode ser suspeito de ceticismo bitolado, admite que o sobrenatural não é mais o que era: “A dura realidade é que não há mais nenhuma Palladino”, escreve ele. “Pelo que sei, ao contrário, o fenômeno de materialização pode ser extinto e jamais reaparecer. Exceto nos casos de poltergeist, não podemos sequer ter certeza de que ainda existem fenômenos fortes.”
    .
    Nesses últimos anos, programas de pesquisa em parapsicologia foram desenvolvidos em diversos países, sobretudo nas universidades de Edimburgo na Escócia, de Friburgo na Alemanha, de Cambridge na Inglaterra, de Amsterdã nos Países Baixos, de Andhra na Índia, assim como em várias grandes universidades dos Estados Unidos. Em Edimburgo, existe até uma cátedra de Parapsicologia ocupada atualmente pelo professor Robert Morris, cujo Departamento foi denominado Koestler Parapsychology Unit (KPU), em homenagem ao célebre escritor, que foi também um eminente parapsicólogo.
    .
    Assinalemos que quem consulta o site da internet da KPU é convidado a participar de uma experiência de psicocinese “a distância”, batizado “WebREG”, que consiste em tentar agir sobre um “gerador de acontecimentos aleatórios” eletrônico. Clica-se no botão de “Go” e a tela mostra uma foto do gerador, com um comando no alto da tela pedindo para aumentar ou, ao contrário, diminuir a atividade do aparelho. Basta então se concentrar procurando influenciar o gerador durante trinta segundos.
    .
    Os resultados obtidos pelo poder psi aparecem em seguida na tela. Não se pode deter o progresso, mas a Palladino não precisava de internet para comunicar-se com os espíritos!
    .
    Uma importante inovação, contudo, fez renascer a discussão sobre a parapsicologia científica: a introdução na área da psi da mecânica quântica, a mais desconcertante das teorias da física moderna, aquela mesma que, segundo Patrice van Eersel, o contista fantástico de Actuel, abriu uma “brecha escancarada na antiga visão do mundo”.
    .
    O Colóquio de Córdoba de 1979 (ver Lição 7) selou a aliança inesperada entre as mesas giratórias e a teoria que descreve o comportamento das partículas elementares como o elétron ou o fóton.
    .
    A história é na realidade mais antiga. Ela remonta pelo menos à 23ª Conferência Internacional sobre os Fundamentos da Parapsicologia, organizada em Genebra em 1974. Por ocasião dessa Conferência, por iniciativa de Arthur Koestler – sempre ele –, realizou-se uma mesa-redonda, se não giratória, sobre as ligações entre a mecânica quântica e o psi.
    .
    Por uma espantosa coincidência – mas será realmente coincidência? –, a letra grega psi, cara aos entortadores de colherzinhas, é utilizada em mecânica quântica, onde designa a função de onda de uma partícula. Essa função de onda descreve o comportamento da partícula em termos de probabilidade.
    ,
    Evan Harris Walker, um “parafísico” da Universidade Johns Hopkins, imaginou que os médiuns e os indivíduos dotados de poderes especiais podiam, pela força de seu dom, influenciar a função psi da física quântica, de maneira a agir sobre as partículas e conseguir os efeitos psi dos fenômenos paranormais!
    .
    Em Genebra, Charles Panati, um escritor fã de Uri Geller, relatou que ficou muito impressionado por uma experiência de Targ e Puthoff, os dois físicos que tinham testado o médium israelense. Nessa experiência, outro sujeito, Ingo Swann, tinha conseguido “influenciar” um magnetômetro. Diante de uma assistência entusiasta, Evan Walker explicou como sua teoria podia explicar a proeza de Ingo Swann.
    .
    Foi até planejado organizar uma conferência internacional em que Ingo Swann repetiria sua façanha e provaria assim a realidade do “efeito psi quântico”. Depois, Walker observou que a demonstração corria o risco de ser comprometida pela presença de céticos que influiriam assim sobre as funções de onda, mas de maneira a impedir que a experiência funcionasse.
    .
    Russel Targ concluiu com uma fórmula memorável: “Mesmo que Geller caminhasse sobre as águas de Berkeley até São Francisco, os céticos diriam: ‘Oh, é o velho truque de andar sobre a água’”.
    .
    Os céticos, entretanto, não impediram que a teoria de Walker continuasse seu caminho e encontrasse o apoio de outros físicos, convencidos de que a telepatia e a psicocinese se deduzem das equações da mecânica quântica. Seguindo Jean-Marc Lévy-Leblond, físico também mas contrário a tais extrapolações, nós chamaremos “psíritas” esses novos êmulos de William Crookes e de Joseph Rhine.
    .
    Primos dos gurus de plantão da Lição 7, os psíritas contam em suas fileiras com físicos renomados, até prêmios Nobel como o americano Brian Josephson, professor da Universidade de Cambridge, laureado em 1973 pelo júri de Estocolmo por seus trabalhos sobre a supracondutividade.
    .
    Em Córdoba, Josephson expôs sua concepção do “corpo astral” que se estende através do tempo e do espaço, o que é muito prático para fazer telepatia. Depois, ele desenvolveu em diversas publicações a idéia de que a consciência pode agir sobre um sistema quântico de maneira a permitir interações a distância. Formuladas por um Prêmio Nobel, tais especulações adquirem uma credibilidade que forçosamente não merecem.
    .
    Os psíritas se baseiam na noção de interdependência entre o observador e aquilo que ele observa, como explica Frijtof Capra, o físico taoísta:
    .
    “Minha decisão consciente quanto à maneira de observar … um elétron, empregando meus instrumentos desta ou daquela maneira, determinará até certo ponto as propriedades do elétron. Dito de outro modo, o elétron não possui propriedades independentes do meu espírito. Em física quântica, o nítido corte cartesiano entre o espírito e a matéria, entre a palavra e o mundo, não tem mais validade.”
    .
    Já que o observador modifica a realidade observada, os fenômenos paranormais existem. Por mais surpreendente que pareça essa conclusão, os psíritas julgam, a exemplo de Walker, que o espírito pode agir diretamente sobre uma partícula como o elétron.
    .
    À primeira vista, isso não constitui um enorme progresso do ponto de vista da psicocinese. A massa de um elétron é inferior a um grama dividido por um bilhão de bilhões de bilhões. Eis aí algo que pulveriza o fator de um milhão posto em evidência por Henri Broch!
    .
    Com uma potência psicocinética tão derrisória, as estátuas da Ilha de Páscoa podem dormir sossegadas.
    (Impostura Científica em Dez Lições)
    /.
    PONDERAÇÃO: isso não lembra uma certa conjetura que diz: psi, se existir, é “força” tênue, incerta, incontrolada e sem aplicação prática?

  493. Vitor Diz:

    Essa versão da história do “Projeto Alfa” (que o Montalvão aceita acriticamente) está curta demais. Eis os fatos:
    .
    a) Philips em uma conferência de 1981 para a comunidade parapsicológica quanto aos seus experimentos obteve uma resposta extremamente negativa dela, ou seja, os parapsicólogos não ficaram nada impressionados. Eis um trecho do artigo de Marcelo Truzzi sobre o assunto (escrito em 1987 e publicado na Zetetic Scholar):
    .
    “At the 1981 meetings of the Parapsycholoqical Association, Prof. Phillips gave a two part presentation. During the first part, Phillips showed some tapes he had obtained from Randi which demonstrated how metal could be bent through trickery. These were tapes Pandi put together at Phillips’ request (it needs to be noted that Phillips actively sought Randi’s advice prior to this convention, before it was forced upon him as one might infer from Randi’s accounts) and included footage from television appearances, including some of those by Uri Geller. Following this first part, Phillips showed us tapes he had of some experiments on PK done at the Mac lab with Shaw and Edwards. The reaction to Phillips’ presentation from his fellow parapsycholoqists was clearly hostile. Many asked him how his tapes really differed from those from Randi. They criticized him for his lack of controls in the experiments. Charles Honorton even steed up and said that this kind of work was setting parapsychology back many years. Randi sat next to me during all this, and he acknowledged to me that though Phillips had been fooled by the boys, the bulk of those parapsycholoqists present clearly had not been impressed. Randi even told me that he was proud of the parapsychologists for the way they showed their skepticism.”
    .
    Como resultado da reação extremamente negativa da comunidade parapsicológica, os pesquisadores nunca publicamente emitiram a opinião de que os fenômenos observados fossem genuínos. Eles permaneceram corretamente cautelosos em suas declarações publicadas. Truzzi ainda diz:
    .
    “It soon became apparent that Randi’s hoped for big fish – the endorsement of the boys’ PK by a major psi researcher who had previously claimed experimental
    validation of other wonder workers – had gotten away. Randiwas only able to showoff a couple of minnowshehad caught.”
    .
    b) Como prova, basta ver o apêndice que segue a bibliografia no artigo de Thalbourne disponível em http://www.aiprinc.org/para-c05_Thalbourne_1995.pdf, onde as conclusões publicadas de Philips são reproduzidas. Este documento é datado de 1º de setembro de 1981, mais de um ano ANTES de a conferência de Randi de janeiro de 1983 expondo a fraude para a imprensa. Lê-se:
    .
    “O resultado desta pesquisa é sugestivo de psicocinese mas inconclusivo, devido à sua natureza exploratória … existem explicações comuns para estes efeitos, dadas as condições em que foram observados. Assim, apesar de vários eventos de interesse terem acontecido, nós não alegamos que evidência conclusiva da “habilidade psíquica” tenha sido demonstrada em nossa pesquisa”.
    .
    Marcelo Truzzi mostrou a James Randi seu artigo antes que fosse publicado, pedindo que ele apontasse quaisquer inexatidões. Eis o que aconteceu:
    .
    “Unfortunately, James Randi replied to my invitation
    to correct any factual errors in the first draft with an angry and vituperative letter. In it, he stated that he would not respond to the questions raised by my article, for to do so would necessitate that he reveal information that would bring further embarrassment to the parapsychologists, and he wished to spare them that. If this is in fact the case, I can only urge him to exonerate himself at such expense to the psi researchers. I hope that upon further reflection, and upon reading this revision of the earlier draft sent to him, Randi might agree that reasoned dialogue is a more appropriate and productive approach to sorting out the many complex issues surrounding Project Alpha. I hope that he will publish a response to my analysis somewhere, and he remains welcome to space in Zetetic Scholar. [...] I sincerely hope that Randi will respond to this essay and correct any factual errors. He is most welcome to space in this journal to criticize my analysis. I still believe that Randi frequently acts as an admirable critic. Like the “little girl with the little curl,” when Randiis good, he canbe “very, very good.” On balance, I still believe his presence in the paranormal debate has been healthy.He has done some very competent debunking in the past, and despite what I have conjectured about his motives during the Alpha case, I think Randi believes himself an honest antagonist. Like all of us, Randi is human and is capable of error: and
    since he aspires to deal simply with complex matters, sometimes his errors have been large. Frankly, I hold Randi far less responsible for his mistakes and zeal than I do those supposedly serious scientist critics who accept his pronouncements uncritically.”
    .
    Resumo da história: é mais fácil acreditar em Papai Noel do que acreditar em James Randi…

  494. Vinicius Diz:

    Phelippe Diz:
    SETEMBRO 25TH, 2015 ÀS 1:30 PM
    Oi, Vinícius.
    Que estória essa da senha e do aeróbus kkk Acho q foi assim mesmo. As hordas do Umbral devem ter destroçado o tal papel kkk

    kkk, tô treinando para ganhar um dinheiro extra com livros psicografados. Vou ser xingado, vaiado
    e ser mas pode ser que entre grana no meu bolso.

    Aconteceu isso com Bacelli: foi expulso pelo CX e seus amigos, pois CX não admitia concorrência psicográfica (vide caso Divaldo plágio) e Bacelli passou a editar livros também e ganhar dinheiro para obras que esse planeta de provas e expiações sempre precisa (lar de vovós, creches etc).

  495. Vinicius Diz:

    ah, quem faz a manutenção do aerobus é um cara aqui da Terra ( esse Sr. DR. vem em desdobramento)

    ” Chico Xavier estava deitado na última poltrona, lamentavelmente , o Sr. Dr. Responsável pela manutenção diária do Aeróbus esqueceu-se de executá-la daquela vez, não por ser irresponsável, mas por ter estado tão esfuziante pelas festas que estavam por vir que acabou se esquecendo completamente. O Equipamento de Ar Condicionado estava enguiçado e as janelas do Aeróbus estavam abertas”

    Acho que amanhã vou ver o Divaldo e perguntar a ele se tem Aerobus nas cidades do De Miranda.

  496. Vinicius Diz:

    http://www.baccelli.com.br/livroscd.htm

    Um montão de livros e cds para o Euripedes ficar ainda mais indignado.

  497. Gorducho Diz:

    Não entendi onde houve erro por parte do AMo.
    Afinal esse Philips recusou o auxílio e foi engando, certo?

  498. Vitor Diz:

    Gorducho,

    o problema é achar que Randi foi um “herói” nessa história quando não foi. Se, como o Marciano disse, “o tal laboratório caiu no ridículo a acabou sendo fechado”, isso é fruto da atuação nociva de Randi, o laboratório não merecia ter sido fechado por isso.
    .
    “Washington UniversityIs spokesman quickly pointed out that the Mac Lab had never issued any scientific endorsement of the boys’ psychic abilities, that nothing had been published about the boys in any peer-refereed journal , and he also cited a September 1981 statement from the Mac Lab (Phillips, 1981a and b) that nothing the boys had accomplished could not also be done through normal means. Questions also were raised about the claim that the boys had never been confronted with inquiries as to whether they used trickery. (I always found Randi’s charge that the boys were not even asked if they were cheating abit silly. Even if I suspected Uri teller of fraud, I would not expect him to admit such to me just because I bothered to ask him. Did Randi bother to ask Geller if he cheated before Randi wrote his book exposing Geller? It is, after all, not the job of interrogation but that of proper experimental controls to eliminate cheating. Besides, just because the boys were instructed by Randi to admit fraud if asked, (a) what reason would the experimenters have had to expect that, and (b) why is Randi so certain that the boys obeyed his directive?) Other parapsychologists recalled Randi’s presence at the 1981 meeting of the Parapsychological Association when Phillips’ research with the boys was sharply criticized, both from the floor and afterwards during informal conversations. They expressed surprise at Randi’s apparent insistence (inferred from his media statements as in Anonymous, 1983a) that Phillips’ early work was typical or representative of the best in the field.”

  499. Gorducho Diz:

    Na verdade a mensagem está cá:
    A história da paranormalidade é um eterno recomeço. Desde Eusapia Palladino, foi confirmado de maneira constante que os efeitos psi não resistem ao exame de um observador qualificado.
     
    Sempre é assim desde antes da Eusapia. Aparece uma novidade tipo os tais ganzfeld, para ou ficar nisso confirmando a Conjectura de Montalvão; ou erro e principalmente experimentos mal desenhados (estatística) por observadores ou puramente desqualificados ou Crentes que têm o propósito oculto de fazer passar sua religião por ciência.

  500. Gorducho Diz:

    Qualquer um que colaborar p/o fechamento de qualquer departamento ou laboratório que destine $ a uma coisa inútil como a parapsicologia é um herói.

  501. Vitor Diz:

    “Desde Eusapia Palladino, foi confirmado de maneira constante que os efeitos psi não resistem ao exame de um observador qualificado.”
    .
    Parece que ele se esqueceu de Piper, que passou pelo escrutínio de diversos observadores qualificados. Que os observadores eram qualificiados é aceito inclusive pela Enciclopédia de Filosofia de Stanford:
    .
    Piper was an American whose trance mediumship produced purported communications from particular deceased persons, and her claims withstood the combined scrutiny of the best researchers in both the American and British S.P.R.s, including William James, the Sidgwicks, Richard Hodgson, and Frank Podmore.
    .

  502. Vitor Diz:

    “Qualquer um que colaborar p/o fechamento de qualquer departamento ou laboratório que destine $ a uma coisa inútil como a parapsicologia é um herói.”
    .
    Ainda bem que os acadêmicos divergem de você. Veja o que diz Gilson Volpato:
    .
    Uma pesquisa aplicada, como é concebida hoje, visa a resolver um problema prático claramente delimitado e conhecido. Por exemplo, podemos fazer pesquisa para melhorar a qualidade do ensino, para reduzir o risco de uma epidemia, para otimizar o uso de combustíveis para motores, para facilitar as construções civis, para acelerar e melhor qualificar nossa comunicação etc. O problema é claro e, partindo dele, investigamos as lacunas do conhecimento e oferecemos respostas que se tornarão (ou diretamente propiciarão) a própria tecnologia.
    .
    Mas que dizer da pesquisa que deseja conhecer como vivem certos animais que não possuem interesse econômico (não são pragas, nocivos nem comestíveis), como é a dinâmica social de certas tribos indígenas, qual a galáxia mais distante da nossa (mesmo sabendo que possivelmente nunca chegaremos lá), por que alguns animais são tão coloridos, o que é a mancha de Júpiter, como resolver o enigma da corrida entre Aquiles e a tartaruga (proposto por Zenão de Eleia), dentre outras? Num mundo tecnológico, o que não resolve questões práticas é visto com desdém. Parece que toda a atividade humana deve ser voltada para engraxar esse sistema.
    .
    Essa problemática entra na ciência à medida que os projetos relevantes passam a ser apenas aqueles que apresentam uma aplicação eminente. E o discurso se reveste do paradigma democrático e social, ganhando ainda mais força. Se a sociedade financia a pesquisa, nada mais justo que o resultado da pesquisa seja revertido para essa sociedade. Uma forma capitalista de tratar as coisas, baseado no investir para obter retorno. O pior é que esta abordagem algumas vezes prioriza o retorno tecnológico, nem sempre em termos de esclarecimento de dúvidas existenciais, ou simplesmente do prazer de se conhecer mais sobre o nosso mundo.
    .
    Mesmo a geração de uma tecnologia não se inicia com a pesquisa direcionada. Muitas pesquisas feitas pelo belo prazer de se conhecer algo, pela instigação da curiosidade humana, revelaram conhecimento que, mais tarde, se mostrou altamente tecnológico. Veja que o monge Gregory Mendel estava possivelmente preocupado apenas em entender um fenômeno biológico, que eram as relações entre características das plantas (no caso ervilhas) na descendência. O fato de a ervilha ser comestível talvez tenha sido mero acaso. O desdobramento de suas descobertas no fortalecimento e direcionamento da genética também não podia ser previsto nessa ocasião. O mesmo se pode dizer hoje das pesquisas que recebem o Ig Nobel?
    .
    O fato é que podemos manter a ciência como uma atividade de descoberta das curiosidades humanas, ou direcioná-la estritamente para as questões aplicadas que, na atualidade, significam as engajadas na manutenção de nosso sistema tecnológico e econômico. De um lado satisfazemos curiosidades, de outro resolvemos problemas práticos de sobrevivência. Coloco de forma bem dividida nesses dois blocos para reforçar que eles existem. É lógico e salutar que a opção não recaia em apenas um deles. Sem dúvida, todas as questões levantadas pelo ser humano são genuínas e merecem investigação. Até mesmo saber se há vida após a morte, mesmo que as ferramentas científicas ainda não sejam suficientes para nos dar esse tipo de resposta.

    .

  503. Gorducho Diz:

    Interpretação de textos… interpretação de textos… será que não ensinam mais? Também… nesses tempos de ENEM…
     
    the best researchers IN both the American and British S.P.R.s.
    Ocorre que os pesquisadores NESSAS entidades eram Crentes. Por isso vimos sublinhando que qualquer experimento para gozar de seriedade tem que ser feito por comissões formadas por céticos junto.
     
    Quanto ao 2° item – nossa bancada se opõe à afterlife research?
    O que cá temos dito?
    A parapsicologia faz como tem que ser?

  504. Gorducho Diz:

    A ignorância desse Sr. Volpato quanto à especificidade desculpa-se pois que presumo não seja um especialista no tema como nós.

  505. Vitor Diz:

    “Ocorre que os pesquisadores NESSAS entidades eram Crentes.”
    .
    Que ignorância… até mesmo a wikipédia americana (que é dominada por céticos fanáticos) elogia Podmore:
    .
    “Most works published by members of the SPR have received negative reviews by the scientific community [FAZ-ME RIR!], however, Podmore was an exception as he gave rationalistic explanations for much of the psychical research that he studied and his books received good reviews in science journals.[4][5] His book Studies in Psychical Research received a positive review in the British Medical Journal which described his debunking of fraudulent mediums as scientific and came to the conclusion the “book is well worth reading, and it is agreeable reading, for the style is generally vigorous and not infrequently brilliant.”

  506. Gorducho Diz:

    Ok… e qual foi o “médium” que o Podmore disse que era médium?

  507. Vitor Diz:

    Quem mais?? Piper, ora…

  508. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Gorducho Diz: Não entendi onde houve erro por parte do AMo. Afinal esse Philips recusou o auxílio e foi engando, certo?
    /.
    PONDERAÇÃO: por enquanto não houve erro: Montalvão apresentou, como ilustração, texto de Pracontal, que lhe pareceu bem urdido e Visoni respondeu com o de Marcelo Truzzi que, na cabeça dele (do Vitor) não só destrói a explanação de Pracontal, como salva a parapsicologia de, frequentemente, cair em tentação. O primeiro ponto a considerar é que James Randi enquanto desmistificador de paranormais tende a não gozar de qualquer simpatia da parte do Visoni, então é compreensível que ele condene Randi até por ter nascido.
    .
    Eu ainda não examinei detidamente o retruque que apresentou (estou vindo lá de baixo onde estava quebrando uma parede), mas já posso apontar o exagero da declaração final “Resumo da história: é mais fácil acreditar em Papai Noel do que acreditar em James Randi…”
    .
    Ora, nem Truzzi diz isso a respeito de Randi, ao contrário, o trata com o maior respeito, é só conferir no texto, portanto, ainda que se possa admitir que há certo estrelismo em James Randi, dá para acreditar nele. Depois que eu tomar um banho e comer um pão com ovo vou comentar melhor.
    .

  509. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vitor Diz:
    (Gorducho disse:) “Qualquer um que colaborar p/o fechamento de qualquer departamento ou laboratório que destine $ a uma coisa inútil como a parapsicologia é um herói.”
    .
    VISONI: Ainda bem que os acadêmicos divergem de você. Veja o que diz Gilson Volpato:
    [...]
    “O fato é que podemos manter a ciência como uma atividade de descoberta das curiosidades humanas, ou direcioná-la estritamente para as questões aplicadas que, na atualidade, significam as engajadas na manutenção de nosso sistema tecnológico e econômico. De um lado satisfazemos curiosidades, de outro resolvemos problemas práticos de sobrevivência. Coloco de forma bem dividida nesses dois blocos para reforçar que eles existem. É lógico e salutar que a opção não recaia em apenas um deles. Sem dúvida, todas as questões levantadas pelo ser humano são genuínas e merecem investigação. Até mesmo saber se há vida após a morte, mesmo que as ferramentas científicas ainda não sejam suficientes para nos dar esse tipo de resposta.”
    /.
    PONDERAÇÃO: curioso é que Volpato admite até pesquisa da sobrevivência mas não faz menção à investigação do paranormal… esqueceu? não achou relevante citá-la?…
    .
    Mas é claro que a pesquisa do paranormal tem seu valor, acho que ninguém mais ou menos informado seria louco de dizer o contrário. O problema é que estaria mais que na hora de os parapsicólogos prolatarem eu coro: “psi, se existir, é “força” incerta, tênue, que se manifesta incontroladamente e não possui qualquer aplicação prática: as pesquisas realizadas assim indicam”…
    .
    Só falta isso para ganharem um dez com louvor…

  510. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vitor Diz:
    SETEMBRO 25TH, 2015 ÀS 5:26 PM
    “Desde Eusapia Palladino, foi confirmado de maneira constante que os efeitos psi não resistem ao exame de um observador qualificado.”
    .
    VISONI: Parece que ele se esqueceu de Piper, que passou pelo escrutínio de diversos observadores qualificados. Que os observadores eram qualificados é aceito inclusive pela Enciclopédia de Filosofia de Stanford:
    .
    Piper was an American whose trance mediumship produced purported communications from particular deceased persons, and her claims withstood the combined scrutiny of the best researchers in both the American and British S.P.R.s, including William James, the Sidgwicks, Richard Hodgson, and Frank Podmore.
    /.
    PONDERAÇÃO: pensei que fosse, novamente, recorrer à falácia da Britânica. Deste vez inovou: achou escudo na “Enciclopédia de Filosofia de Stanford”.
    .
    E o que Stanford disse? Que Piper resistiu ao escrutínio daqueles que nela acreditaram como porta-voz de mortos, todos membros das Sociedades de Pesquisas americana e britânica.
    .
    Ora, para quem, recentemente, deu uma aula de “lógica”, ao declarar que a sentença “nenhum dos livros tinha mais que quatro linhas” significa que algum pode ter zero linhas, o que está correto, embora não condizente com o contexto, agora comete a falácia do espantalho. Se intencional ou por acidente não dá para saber.
    .
    E daí que os citados sejam qualificados? Isso não lhe confere poder e autoridade para decidirem (se é que assim o fizeram) que Piper transacionava com mortos, principalmente por ter pouco antes postado texto que usou para defender a pesquisa do paranormal, em que o autor (Volpato) declara não haver “ferramentas científicas suficientes para responder se há vida após a morte”.
    .
    Além disso, Stanford sisqueceu de mencionar os qualificados que não concordaram com o escrutínio dos da SPR…
    .
    E onde o espantalho? Óbvio: o desvio para a insinuação implícita de que se os da SPR (alguns) validaram a mediunidade de Piper, então espíritos comunicam!
    .
    Pelo visto, o que Visoni pensa de Piper não é apaniguado por observadores modernos, vai ver nem os atuais da SPR concordariam com sua generosa visão do que considera indiscutível poder mediúnico…

  511. Vitor Diz:

    01 – “E o que Stanford disse? Que Piper resistiu ao escrutínio daqueles que nela acreditaram como porta-voz de mortos, todos membros das Sociedades de Pesquisas americana e britânica.”
    .
    Em nenhum lugar Stanford diz isso quanto a TODOS os pesquisadores. Aliás, o verbete refuta completamente o que você disse no tocante a Henry Sidgwick.
    .
    “Sidgwick’s psychical research never yielded the hard proof of survival that he sought, and although at the end of his life he concluded that it had been largely a waste of time, he allowed that there were some positive results from it and that, at least in the 1890s, some promising new lines of research had emerged. The investigation of personal survival turned out to be bound up with the investigation of many other purportedly paranormal phenomena: telepathy, telekinesis, hypnotism, automatic writing, trance mediumship, apparitions of the living as well as the dead, the claims of Theosophy, etc. After all, it was argued, a medium supposedly relaying information from the dead might instead be in telepathic communication with living sources of that information. Thus, in order to establish that communication from the “other world” had actually occurred, it was essential to be able to rule out the possibility of telepathy.”
    .
    Assim, Sidgwick (citado no verbete) estava bem longe de dizer que Piper era porta-voz dos mortos. Mas é importante mencionar que o verbete também diz que “It was only in the 1890s, with the famous case of Leonora Piper, that he came to think that there was something resembling a “prima facie” case for survival.” E também é importante dizer que a mulher de Sidgwick [esta sim] concluiu que tinha evidências suficientes da sobrevivência de seu marido: “Evidence of this nature helped persuade Eleanor Sidgwick, in the years following Henry’s death, that his personality had survived physical death and succeeded in communicating with her (Schultz, 2004).”
    .
    02 – “E daí que os citados sejam qualificados?”
    .
    Daí que isso refuta a enorme besteira que Pracontal disse. Apenas isso.
    .
    03 – “E onde o espantalho? Óbvio: o desvio para a insinuação implícita de que se os da SPR (alguns) validaram a mediunidade de Piper, então espíritos comunicam!”
    .
    Céus, meu ponto é apenas mostrar o besteirol que o Pracontal disse, e vc já transforma isso numa coisa que absolutamente não disse nem insinuei. Você extrapola demais…

  512. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Gorducho Diz: Ok… e qual foi o “médium” que o Podmore disse que era médium?
    Vitor Diz:
    Quem mais?? Piper, ora…
    /.
    PONDERAÇÃO: dadas as circunstâncias, não seria demais pedir declaração textual de Podmore reconhecendo a mediunidade de Piper. Não que isso, automaticamente, validasse ter havido comunicação com mortos, mas confirmaria que Podmore fora um dos que assim pensavam.
    .
    Eu penso, pensando no GPOA, que “não é bem assim”, tenho a impressão que Podmore ora oscilava para o lado dos mortos, ora para a telepatia, ora não tinha opinião definida. Confira o texto que segue:
    /.
    ============================.
    Em trabalho publicado nos Proceedings, Frank Podmore anota que a inquestionável superioridade da sra. Piper sobre todos os outros médiuns profissionais é por si mesmo prova suficiente que ela não é dependente das origens comuns de informação.
    .
    O autor chega a afirmar que conhece as condições e os limites de fraude e se todos os clarividentes são simples-mente enganadores, a sra. Piper seria incomparavelmente superior a todos os seus colegas (29).
    .
    Em 1902 Podmore lançou a portentosa obra Modern Spiritualism: a History and a Criticism, depois reeditada com o título Mediums of the 19th Century (31). O autor dedicou um capítulo aos transes psicofônicos da sra. Piper. Todavia, ali mantém sua tônica de espírito crítico bem acentuado.
    .
    Em sua opinião, o fenômeno de grandes médiuns de transe e de escrita automática, como as sras. Piper, Thompson e Verral, foi evidência para telepatia e pode indicar a influência de seres desencarnados.
    .
    Ao entrar na análise da mediunidade da sra. Piper – e isto na passagem do século –, anota que ela é muito vaga com relação a datas; prefere dar nomes de batismo do que sobrenomes; raramente dá descrições de casos ou locais e, neste campo, comumente se engana.
    .
    Em outras palavras, para Podmore ela é mais fraca precisamente onde os pseudomédiuns são bem sucedidos.
    .
    Sua real força consiste em descrever doenças, idiossincrasias pessoais, pensamentos, sentimentos e características triviais mais significativas de consulentes e seus amigos.
    .
    Em algumas circunstâncias, Podmore rejeita a interpretação da telepatia e em outras chega a não acreditar na autenticidade das comunicações.
    .
    Ressalvamos que sua análise crítica foi feita antes de definições importantes por parte de pesquisadores e também antes de outras fases da mediunidade da sra. Piper.
    .
    Em artigo publicado nos Proceedings de 1903, Podmo-re (30) rebate opiniões do prof. Hyslop sobre a sra. Piper: “O pai do prof. Hyslop não pode ele mesmo, ex hypothesi, contro-lar os movimentos corporais da sra. Piper. São funções tão delicadas e imprecisas para serem executadas por um espírito. O pai, tio, irmão ou outro espírito comunicante, dita o que ele deseja dizer a um dos costumeiros “controles”, usualmente “Rector” ou “G. P.”, os quais vertem a mensagem na forma da atividade muscular da sra. Piper”.
    .
    Sugere ainda futuros estudos, porém se mostra inclinado a aceitar, como o prof. Hyslop, que a médium não utiliza fontes externas de informação.
    (Os sábios e a senhora Piper)

  513. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    01 – “E o que Stanford disse? Que Piper resistiu ao escrutínio daqueles que nela acreditaram como porta-voz de mortos, todos membros das Sociedades de Pesquisas americana e britânica.”
    .
    VISONI: Em nenhum lugar Stanford diz isso quanto a TODOS os pesquisadores. Aliás, o verbete refuta completamente o que você disse no tocante a Henry Sidgwick.
    /.
    PONDERAÇÃO: será que não fui claro, ou fui escuro? Vamos ver o que foi dito:
    /.
    “E o que Stanford disse? Que Piper resistiu ao escrutínio daqueles que nela acreditaram como porta-voz de mortos, todos membros das Sociedades de Pesquisas americana e britânica.”
    /.
    Bem, como leio mal ingrês, posso ter malentendido o texto, mas se bem o compreendi, foi dito que Piper foi aprovada pelos pesquisadores que a consideraram medianeira de mortos, e estes membros das SPR. Meu declarado não diz que todos os da SPR a aprovaram (havia alguns mais atentos na sociedade), apenas os que acreditaram em espíritos comunicantes é que a validaram como intermediário entre mortos e vivos.
    .
    Será que fui claro desta vez, ou tenho que procurar outra via explicativa?
    .
    Em suma, de modo algum estou dizendo que Stanford disse que todos os da SPR validaram os poderes mediúnicos de Piper.

  514. Vitor Diz:

    a) “foi dito que Piper foi aprovada pelos pesquisadores que a consideraram medianeira de mortos”
    .
    Sidgwick a aprovou [ou seja, tinha poderes paranormais] e nem por isso a considerou medianeira dos mortos [já que achou que telepatia era uma alternativa legítima]. Isso é extrapolação sua.
    .
    b) “Meu declarado não diz que todos os da SPR a aprovaram (havia alguns mais atentos na sociedade), apenas os que acreditaram em espíritos comunicantes é que a validaram como intermediário entre mortos e vivos.”
    .
    Idem acima.

  515. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    02 – “E daí que os citados sejam qualificados?”
    .
    VISONI: Daí que isso refuta a enorme besteira que Pracontal disse. Apenas isso.

    PONDERAÇÃO: vamos ver o que Pracontal disse: “A história da paranormalidade é um eterno recomeço. Desde Eusapia Palladino, foi confirmado de maneira constante que os efeitos psi não resistem ao exame de um observador qualificado.”
    .
    A sentença é declarada “enorme besteira”, isso por que o autor teria “esquecido” da poderosa Piper…
    .
    Sesesqueceu não sei dizer, mas que o que falou é verdade e não vejo motivo para questionar uma vírgula. Sabemos que todos os paranormais que volta e meia surgem por aí, cheios de poderes, fazendo arruaças e xous, e faturando alto, nenhum deles (e os efeitos psi que dizem produzir) resiste a exame rigoroso. Alguns brilham enquanto paparicados por pesquisadores babões e bobões, qual o caso de variados aqui citados, dentre os quais o nome de Uri Geller é sempre referência. Então, podemos dar por certo que se psi existe existirá como força débil e incontrolada. Esses que descem dos céus fazendo milagres têm que ser fiscalizados com toda severidade, e jamais suplantam exames sérios. Este é o ponto. Se a malandragem de uns, qual Ingo Swann, lhes faculta escaparem do flagrante isso não se deve a que tenham legítimos poderes, além do poder da safadeza…

  516. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vitor Diz:
    a) “foi dito que Piper foi aprovada pelos pesquisadores que a consideraram medianeira de mortos”
    .
    Sidgwick a aprovou [ou seja, tinha poderes paranormais] e nem por isso a considerou medianeira dos mortos [já que achou que telepatia era uma alternativa legítima]. Isso é extrapolação sua.
    /.
    PONDERAÇÃO: para que não fiquemos dando voltas em torno de um ponto, é só acrescentar que uns a validaram como intermediária dos mortos, outros como telepata, outros como um pouco de cada, outros a reconheceram poderosa sem porém definir de onde vinha o poder… Acho que agora dá pra chegar a um acordo, ou não?
    .
    Porém, ou li mal o texto (o que não é difícil) ou ele fala que os citados a validaram (ou reconheram) como contatadora de mortos. Se equivoquei-me, peço perdão e peço a tradução… Se minha leitura estiver correta, meu declarado, tendo em vista o texto da Stanford por você selecionado, não contém extrapolação, a extrapolação será sua…

  517. MONTALVÃO Diz:

    /
    Chi, agora vou ter que parar: tenho reunião “pulítica” daqui a pouco…

  518. Vitor Diz:

    c) “Sesesqueceu não sei dizer, mas que o que falou é verdade e não vejo motivo para questionar uma vírgula.”
    .
    É triste ver que não há mais honestidade intelectual em alguém que o ceticismo patológico se apoderou…
    .
    d) “Sabemos que todos os paranormais que volta e meia surgem por aí, cheios de poderes, fazendo arruaças e xous, e faturando alto, nenhum deles (e os efeitos psi que dizem produzir) resiste a exame rigoroso.”
    .
    Além de Piper, Sean Harribance ganhou um capítulo inteiro no livro “Evidence for Psi” que faz um apanhado e uma revisão das pesquisas que ele passou por décadas. A conclusão:
    .
    “The results from a series of parapsychological experiments conducted with Sean Lalsingh Harribance over a 30-year period collectively indicate that Harribance has been able to produce significant above-chance scoring under a variety of controlled conditions, and with the involvement of multiple experimenters at separate laboratories.These conditions, along with the various safeguards employed, make it highly unlikely that the scores in these experiments were obtained by Harribance using conventional processes of sensory acquisition and physical influence.”
    .
    e) “Esses que descem dos céus fazendo milagres têm que ser fiscalizados com toda severidade, e jamais suplantam exames sérios.”
    .
    Você sabe que isso é uma mentira especialmente no tocante ao caso Piper, e mais recentemente, com Harribance. Porque vc resolveu fazer críticas de 5ª categoria, só Freud explica…
    .
    f)”Este é o ponto. Se a malandragem de uns, qual Ingo Swann, lhes faculta escaparem do flagrante isso não se deve a que tenham legítimos poderes, além do poder da safadeza…”
    .
    Raciocínio circular: ninguém escapou a exame rigoroso, se escapou a exame rigoroso, é porque era espertalhão e o exame não era rigoroso… lindo!!!

  519. Borges Diz:

    “Borges, jogando contra o chiquismo?”
    Contra:- Não gosto de jogar, antigamente eu gostava de bater um buraquinho, hoje não tenho mais paciência para tal. Gosto sim de assistir a uma boa partida de futebol.
    Tenho sido coerente em meus comentários com relação a CX, acho que ele extrapolou seus dons mediúnicos, prejudicando o espiritismo. Fico incomodado ao dizer estas coisas, porém a quantidade de fatos desabonadores é tão grande que me obriga a considerar fictício todos os seus personagens.
    Obrigado

  520. Marciano Diz:

    Tough day!
    .
    ANTONIO, eu até já assisti a algumas palestras espíritas, mas dessa parte nunca vi nada.
    Valeu a dica!
    Tudo farinha do mesmo saco, sendo que a espírita é mais refinada.
    .
    Tem gente que só vê o que quer ver. Os partidários da parapsicologia, por exemplo.
    .
    .
    Vou acrescentar ao meu arquivo de grandes frases a de MONTALVÃO, com duas pequenas modificações:
    .
    “a paranormalidade, caso exista existisse, é seria “força” incerta, tênue, incontrolada e (provavelmente) incontrolável, e sem aplicação prática.”
    .
    E a de ANTONIO, sem nenhuma modificação além de um preâmbulo diferente:
    .
    “Em espiritismo, parapsicologia, etc., as coisas nunca são ou foram beeeeeem assim”.
    .
    .
    .
    .
    Por outro lado se alguém falasse a outro: “uruiuroekj 8487373773 mjcueusjj, 6363263636, marciano 838ejeje, gorducho 8438ddek”, a pessoa não evocaria imagem alguma além da de gorducho e marciano.
    .
    E se fosse 00109039840, 50095, 8146471, 1.10.1958, evocaria alguma coisa?

  521. Contra o chiquismo Diz:

    Borges Diz:
    SETEMBRO 25TH, 2015 ÀS 9:43 PM
    … com relação a CX, acho que ele extrapolou seus dons mediúnicos, prejudicando o espiritismo….
    .
    .
    Aonde que ele era ‘medium’?
    Como se nem sequer ‘espiritos’ existem?

  522. Marciano Diz:

    Estou evocando uma figura sinistra, meio calva, cabelos pintados, óculos…

  523. Contra o chiquismo Diz:

    Já sei que é Marciano, é o dono do corvo Jubileu, esse aqui:

    .
    .
    .
    http://4.bp.blogspot.com/-NdtI3CFYvWE/T0qfcAA_vZI/AAAAAAAAAwE/j4A8AcgfPwU/s1600/1.png
    .
    .
    Ho ho ho ho ho ho ho…

  524. Marciano Diz:

    Antenado, CONTRA.
    Isso mesmo.

  525. Marciano Diz:

    Woody é nossa inside joke, coisa que os profanos não entendem.
    Como riria o Dr. Silvana, he he he!

  526. Marciano Diz:

    Since 1997, the JREF’s annual Pigasus Awards have been bestowed on the most deserving charlatans, swindlers, psychics, pseudo-scientists, and faith healers—and on their credulous enablers, too. The awards are named for both the mythical flying horse Pegasus of Greek mythology and the highly improbable flying pig of popular cliche. These are the awards for 2012.
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Pigasus_Award

  527. Contra o chiquismo Diz:

    Será que quando o Gorducho era criança ele assistia o pica pau tb?

  528. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Raciocínio circular: ninguém escapou a exame rigoroso, se escapou a exame rigoroso, é porque era espertalhão e o exame não era rigoroso… lindo!!!”
    /.
    PONDERAÇÃO: natatisso, o raçocínio não é retangular, é circular só pra quem olha de bem longe e com muita má vontade: basta conferir quem e como examina para aferir se a peça foi bem examinada. O próprio presidente do site não cansa de pôr relatos de experimentos que mostram malexaminações, que ele não vê, se porque não quer ou por precisar de novosóculos, isso só o oftalmobilista, ou seu guru pradizer, como foi o caso do sujeito que se transformou em luzinha por isso não exergava as coisas…

  529. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    E se fosse 00109039840, 50095, 8146471, 1.10.1958, evocaria alguma coisa?
    .,
    PONDERAÇÃO: para quem ouve ou vê sem atinar significado só evoca números, mas se as numerações significam algo para alguém evocarão esse algo, por exemplo: 1.10.1958 pode o ano de nascimento de certa pessoa, asssim, quem vê e sabe imagina a pessoa, festa de aniversário, cachaça e cerveja rolando… ou não, tudo depende das variáveis envolvidas…

  530. Gorducho Diz:

    Não, ACoc. Nos meus primeiros anos não tinha TV; sou do tempo das ondas curtas e do olho magico.
    E o telefone era a magneto + 2 pilhas
    http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-705942084-pilha-gigante-e-antiga-da-rayovac-anos-80-_JM
    localizadas numa caixa de madeira c/tampa deslizante.
    E não recebia ligações do outro mundo.

  531. Gorducho Diz:

    Agora só 2ª pro Administrador fechar o bold :(

  532. Contra o chiquismo Diz:

    Poxa Gorducho…nunca tinha visto uma pilha daquelas. Então vc deve ter ouvido novelas no rádio e rezado muita ave maria com Julio Lousada…e ouvido muito Alziro Zarur tb…
    .
    .
    Nem na Record vc vê o Pica Pau hj em dia? Vale a pena…
    .
    .
    Sorte sua que na época não tinha ‘rádio espirita’ como tem hj a Rio de Janeiro AM 1400 (RJ) – tem na internet – 100% chiquista.

  533. Marciano Diz:

    Está explicada a profunda sabedoria de GORDUCHO.
    Ele é um vampiro.
    A TV começou em 1928, em New York, quando a W2XB iniciou as primeiras transmissões comerciais. Já tinha sido inventada bem antes, mas só começou a ser explorada comercialmente então.
    .
    Se ele se referiu à TV no Brasil, então foi em 1950, em SP, com a TV Tupi, e em 1951 no Rio.
    .
    As pilhas mostradas no link são da década de 1980. O telefone a que ele se refere é este aqui:
    .
    http://www.vivoblog.com.br/wp-content/uploads/2011/10/tel_DPedro_final.jpg
    .
    Este não era alimentado por pilhas, e sim por magneto. Lapso de memória normal nessa idade.
    Esse telefone surgiu no Brasil em 1879, se não me falha a também carcomida memória, trazido pelo Pedrinho, que era viajandão, gostava de desenhar e de “novidades” tecnológicas. Trato-o com intimidade porque fui seu tutor, desde quando tinha 5 anos. Dois anos depois fui destituído da função por seu pai, um grande canalha, mas o afeto pelo garotinho não foi abalado.
    .
    .
    Por outro lado, ele diz que os telefones ainda não recebiam ligações do outro mundo em seus primeiros anos, que nos leva a antes de 1925, pois “Vozes do Além pelo Telephone (Novo e admirável systema de communicação – Os espíritos fallando pelo telephone)” de Oscar D’Argonnel, foi publicado no Rio de Janeiro, em 1925, sendo certo que antes da publicação do livro os espíritos já usavam o telefone para falar com os vivos.
    .
    O livro de D’Argonnel pode ser lido de graça aqui:
    http://bvespirita.com/As%20Vozes%20do%20Alem%20Pelo%20Telefone%20(Oscar%20DArgonnel).pdf
    .
    Logo nas primeiras páginas Oscar nos fala de sua curiosidade e de suas primeiras comunicações telefônicas com espíritos, mostrando que o fenômeno já acontecia há algum tempo antes de ele interessar-se, receber suas ligações e escrever e publicar o livro.
    .
    .
    Pelo exposto, depreende-se que a infância de GORDUCHO deu-se lá pelo final dos anos 1800 ou início dos anos 1900, desde então tendo ocorrido tempo suficiente para que tenha aprendido tudo o que mostra saber aqui e mais alguma coisa.
    Só pode ser coisa de vampiro.
    Eu bem que desconfiava.
    .
    .
    Outro suspeito de vampirismo é o MONTALVÃO, o qual, segundo VITOR, sofre de esclerose, tem saudades do programa de César de Alencar e da Rádio Nacional, na qual ouvia Tancredo e Trancado, programa transmitido no final dos anos 40 e início dos anos 50, é fã da Emilinha e leitor ávido da Revista do Rádio.
    .
    .
    .
    CONTRA, o GORDUCHO acompanhava “O Direito de Nascer”, na Rádio Nacional, sucesso absoluto em 1951.
    Sabe tudo sobre Albertinho Limonta (sem sacanagem, era mesmo o nome do personagem principal).
    Ele ouvia o “Teatro em Casa”, também da Rádio Nacional, sucesso de público no final dos anos 30.
    .
    Ele e MONTALVÃO ouviram simultaneamente (cada um em sua casa, naturalmente) o discurso de Epitácio Pessoa, no centenário da independência (7 de setembro de 1922), transmitido do alto do Corcovado, ainda sem a estátua do Cristo, pela Westinghouse.
    .
    Ele estava presente na inauguração da Rádio Tupi, em 1935 (esse Chateaubriand era fogo!).
    A Rádio Nacional só começou um ano depois.
    Ele ouvia jogos de futebol narrados por Ari Barroso, não perdia o “Grande Jornal Falado Tupi”, nem o “Repórter Esso”.
    Votou no Artur Bernardes para Presidente da República no mesmo ano (1922) em que Gago Coutinho e Sacadura Cabral (aviadores portugueses) fizeram a primeira travessia do Atlântico Sul, tendo sido recebidos em várias cidades brasileiras, inclusive o Rio, que na época era o Distrito Federal.
    .
    Aliás, o ano de 1922 também de mareja meus olhos, pela saudade da semana de arte moderna, logo no seu comecinho, em fevereiro, na qual pude conferir de perto a obra de Di Cavalcanti, fumar um charuto com Villa-Lobos, com o qual discuti sobre Bach (Johann Sebastian, não os filhos), conversei sobre literatura com Oswald de Andrade.
    .
    GORDUCHO viu a passagem espetacular do Halley, em 1910, ano em que votou em Rui Barbosa para Presidente da República (dessa vez, seu candidato não conseguiu se eleger) e pensou que veria o mesmo espetáculo em 1986, mas perdeu todo o dinheiro investido em instrumentos óticos vendidos especialmente para a ocasião.
    .
    Tomou Biotônico Fontoura e andava de bonde, onde sempre ficava lendo, em razão do tédio, e quase morreu de bronquite. Serviu de inspiração para a propaganda colocada nos mesmos bondes, que dizia:
    .
    “Veja, ilustre passageiro,
    o belo tipo faceiro
    que o senhor tem a seu lado.
    E, no entanto, acredite,
    quase morreu de bronquite.
    Salvou-o o Rhum Creosotado!”.

    .
    Já comprou balas e doces de Machado de Assis, quando esse ainda era um menino que vendia as gostosuras para ajudar nas despesas de casa. Mais tarde, estudou francês junto com o Machado em São Cristóvão, ensinado pela dona de uma padaria do local.
    .
    Aliás, por falar em Machado, seu pai pintou minha casa certa vez e eu compareci a seu enterro, em 1851, quando o futuro fundador da ABL tinha apenas 12 anos.
    Nessa época, os bondes cariocas eram puxados a burro.
    .
    No final da tarde, tinha os acendedores de lampião, os quais eram primeiro de óleo, depois, a gás.
    .
    .
    MONTALVÃO deve estar morrendo de nostalgia.

    .
    Paro por aqui, pois as lágrimas embotam minha visão e a saudade aperta meu peito.
    Não sem antes deixar um forte (mas não muito, por causa da osteoporose) abraço para o ARDUIN, ex-colega de estudos de Crookes, embora na idade adulta tenham tomado rumos diferentes.
    Por que vocês acham que ARDUIN não para de falar de Crookes?

  534. Gorducho Diz:

    Nosso aparelho era preto (suponho que baquelite) quadradão c/cantos vivos, quase como um cubo. A manivela acionadora do magneto era dura, de sorte que mesmo o aparato sendo bastante pesado, tinha-se que segurá-lo c/a mão esquerda.
    A manivela servia p/despertar a mulher que dizia:
    - Número!
    Nosso era #222
    Depois eram as pilhas que alimentavam a corrente, claro.

  535. Gorducho Diz:

    Radionovela houve uma sobre o Marduque, corruptela do nome do deus, mas que se passava no antigo Egito. Mas não me lembro do enredo.
    O 1° livro que li foi o 813 da série Arsène Lupin – traduzido p/o português, bien entendu. Depois acabei lendo a série toda, bem como o Martírio ou o Memórias aí já não me lembro qual, que impressionara profundamente m/vó espírita (+ umbanda…).

  536. Marciano Diz:

    Então aproveite e leia (de graça) o livro de D’Argonel e suas conversas telefônicas com o além, isto antes de 1925, ano em que publicou o livro.
    .
    Não se preocupe, não está redigido com a grafia original, de antes da reforma de 1943, está com linguagem atualizada.
    .
    .
    Uma curiosidade: se essas pilhas eram da década de 80 (seu link), como podiam alimentar um telefone que já não era mais usado?
    Os de ’80 eu conheço, eram de plástico, com fio enrolado, disco, alguns tinha até um tal de PABX, com ramais e tudo o mais (em empresas, bien entendu).
    .
    Acaso você não está lembrando de alguma relíquia que seus pais mantinham em casa?
    Você ouvia o Caruso com aquelas radiolas a manivela?
    .
    ♫ ♫ “Recitar, mentre preso dal delirio…”.

  537. Marciano Diz:

    Os espíritos deixaram o telefone há muito tempo. Hoje em dia eles se comunicam pelo Skype.
    .
    Falando com espíritos pelo… Skype?
    Esqueça as tábuas ouija. A Nova forma de falar com desencarnados pode estar muito mais perto do que você imagina!
    .
    Sim, meu amigo, segundo dizem por aí, é possível falar com mortos via Skype.
    A experiência se chama Cross Over Talk e envolve a transcomunicação instrumental, uma espécie de tentativa tecnológica de usar equipamentos para contactar almas que estão “do outro lado” da existência. Há quem acredite fervorosamente que isso é possível e há quem não acredite. Eu estou em cima do muro e pretendo me manter confortavelmente aqui no alto, para evitar conflitos entre minha mente racional e minha mente não racional.
    Recebi a dica de um leitor que se intitula “batata” e que tem como email: “anão comedor de pão”.
    Esse Crossover Talk é um negócio de Skype no qual você fala com ESPÍRITOS (supostamente). Tanto o batata quanto eu não fazemos a menor ideia se é verdade ou não. Eu não testei, mas o batata testou e disse que quando ele o fez em conjunto com um amigo apenas ouviu uns chiados esquisitos e concluiu que não obteve resposta nenhuma. O batata sugere que provavelmente seria melhor falar em inglês com o \”espírito\”.
    O inventor disso é Bill Chappell, designer-chefe e engenheiro da Digital Dowsing (empresa dedicada à criação de dispositivos paranormais), criador do Ovilus, iOvilus e Paranormal Puck, amplamente usados em pesquisas paranormais.
    O Cross Over Talk nada mais é que um método de T.C.I. (Trasncomunicação Instrumental). Ele é gratuito e pode ser usado no computador, telefone, iPad… basta ter uma conta Skype.
    Para adicioná-lo, é fácil :
    1. No seu Skype, vá em \”Adicionar Contato\”
    2. No campo \”Nome Skype\” digite: crossovertalk
    3. Vai aparecer uma única opção. Clique em \”Adicionar\” (Se pedir o telefone, digite um número de telefone qualquer, de preferência inexistente, tipo 55555555)
    4. O Contato vai aparecer pra você com um Ponto de Interrogação e com a mensagem \”Este usuário não deseja compartilhar dados pessoais com você\”. É assim mesmo que vai ficar.
    5. Para tentar um contato clique no seu novo contato \”Cross Over Talk ITC\” e clique em \”Ligar\”, escolhendo a opção \”Chamar – Skype\”
    6. Talvez você tente váááárias vezes sem sucesso, ele só vai chamar… Mas uma hora ele atende!
    .
    http://www.mundogump.com.br/falando-com-espiritos-pelo-skype/
    .
    Não tem nada a ver com FORREST GUMP, é apenas coincidência.

  538. Marciano Diz:

    Outra referência sobre a pesquisa em TCI é o trabalho do Dr. Konstantin Raudive (1909-1974) publicada sob o título“Unhörbares Wird Hörbar” (1968), publicada em língua inglesa em 1971 sob o título “Breakthrough”. Nela relaciona diversos nomes de estações emissoras do além, como a “Stúdio Kelpe”, “Rádio Peter”, “Kegele”, “Kostule”, “Ponte Goethe”, “Vários Transmissores”, “Rádio Sigtuma”, “Arvides”, “Irvines”, entre outras (RAUDIVE, 1971:178).
    Posteriormente, em 1978 o pesquisador estadunidense George Meek, através de um aparelho de sua invenção, o“Spiricom”, estabeleceu diálogo com um espírito identificado como “Dr. Muler”. Na década de 1980 muitos outros contatos foram registrados por outros pesquisadores, nomeadamente na Europa. Com o passar do tempo, a comunicação que parecia restrita a vozes evoluiu, ganhando também imagens em alguns casos.
    .
    Duas hipóteses para o mesmo fenômeno

    .
    Como o fenômeno ainda não foi provado pela ciência, a ausência de comprovação abre terreno para que existam atualmente diversas hipóteses e tentativas de explicação para o mesmo. São hipóteses que se rivalizam e são concorrentes, existindo de um lado seus proponentes e de outro seus oponentes. Certamente a mais popular dentre todas as hipóteses é a espiritual, sendo a mais aceita entre os pesquisadores e experimentadores da área.
    .
    As vozes seriam originárias da própria ação psíquica do experimentador?Essa hipótese espiritual apregoa que as vozes e imagens registradas em suas aparelhagens são originárias de um ser humano que faleceu e que agora habita outra realidade ou plano de existência. Este fenômeno é denominado como Psi-Theta, ou seja, um fenômeno que envolve a manifestação de inteligências de outros planos de existência – popularmente conhecidos como “espíritos”.
    .
    .
    Outra hipótese rival é a parapsicológica. Esta hipótese apregoa que os registros, tanto sonoros como visuais, são originários da própria ação psíquica do experimentador. Neste caso, essas vozes e imagens não vêm de um mundo espiritual, mas sim daqui da Terra mesmo, sendo provocadas por um fenômeno conhecido na parapsicologia como Psicocinese (Psi-Kapa).
    Numa conceituação simples, a psicocinese seria a capacidade do ser humano em mover objetos físicos, de levitá-los ou afetá-los de alguma forma, de acordo com sua vontade e sem contato físico. Para o campo da TCI, a psicocinese seria, segundo seus defensores, a responsável pela formação de vozes e imagens que surgem nos experimentos de TCI.

  539. Braulio Diz:

    Montalvão diz: Braulio, por ser novo na área relevo sua seleção de argumento. Vejo que sua simpatia pelo paranormal fá-lo optar por qualquer alegação que lhe pareça corroborar o que crê.
    .
    PONDERAÇÃO: Não há simpatia pelo paranormal, bem como não há antipatia. Há apenas, simpatia pela Ciência e pelo Método Científico.
    Sou Agnóstico, de modo que suspendo meu juízo de valor e passo a analise dos fatos apresentados.
    .
    Montalvão diz: Sugiro que melhor se informe para produzir sua própria opinião.
    .
    PONDERAÇÃO: Sugestão anotada, porém não considerada.
    .
    Montalvão diz: Se a telepatia fosse controlável as pessoas estariam se falando sem auxílio de celular ou skype.
    .
    PONDERAÇÃO: Quem disse? Salto Lógico detectado!
    O que sabemos a respeito da Telepatia para fazer esse tipo de “conjectura”?
    Se quer temos “Evidência Conclusivas”, e você já quer criar uma construção Metafísica em cima do “fenômeno”???
    .
    Montalvão diz: Se quiser, faça você mesmo a pesquisa, averigue se encontra exemplo de manifestação psi que se mostre controlável, de ocorrência rotineira, intensa em sua manifestação e com aplicação utilitária em uso.
    .
    PONDERAÇÃO: Montalvão, não é a Realidade que deve se “dobrar” ao Sujeito e sim o “Sujeito” que deve apreender a Realidade.
    Dentro de minha mente sou “livre” para criar Critérios e Definições (por mais absurdo que possam ser) e submeter os fatos da realidade a tais critérios, ainda
    que determinados fatos nunca venham a ser Verdadeiros dentro da minha cabeça.
    .
    Posso definir como “Cavalo” a figura de um “Unicórnio Cintilante” e procurar na Realidade Objetiva, se existe algum “Cavalo” como assim o defino (Unicórnio Cintilante) evidentemente que não irei encontrar nenhum “Cavalo” que corresponda ao meu constructo mental que defino por este nome.
    .
    E por mais que se apresentem “Cavalos” (sejam eles Mustangs ou Pangarés) direi que não existe Cavalo algum, posto que para mim “Cavalo” tem uma descrição específica.
    .
    Não é assim que a Ciência trabalha.
    Não com esse Subjetivismo Idealista, que você criou.
    .
    A Ciência trabalha com fatos, posto que a ocorrência dos fatos, diante de uma certa regularidade daria origem a uma hipótese, e posteriormente uma Teoria.
    .
    Portanto Montalvão, sugiro que se atenha aos FATOS, eu não aos Contructos, Conjecturas e Saltos Lógicos que você criou para justificar seu Pseudo-Ceticismo.
    .
    Abraços
    .
    PS: Me senti representado pelos dados, e exposições feitos pelo Vitor, de modo que penso ser desnecessário (e até mesmo impossível) contribuir com algo além do exposto.

  540. Gorducho Diz:

    Uma curiosidade: se essas pilhas eram da década de 80 (seu link), como podiam alimentar um telefone que já não era mais usado?
     
    As pilhas (2) eram assim, incluso me lembro dos contatos apertáveis. A superfície externa era em papelão, i.e., não eram “blindadas” ao que me lembre.
    O fato do link dizer que eram dos ’80 não significa que tivessem essas pilhas tido iniciado seu uso nessa. Aliás, na década de ’80 já era crescido e já em meu local de nascença (eu já lá mais não estava) havia aparatos discados; e televisão a cores irradiada pelo ar no sistema de canais 2 a 13.
    Tínhamos uma eletrola Standard Electric c/olho mágico – aliás o melhor sistema de sintonia que já vi até hoje -; o toca discos (i.e., não era removível como em alguns posteriores) tinha um sistema de queda p/múltiplos discos fixo que não sei como adivinhava o diâmetro dos mesmos.
    Seletor: 78 45 33
    somente furo normal, sem possibilidade de reproduzir 45 americanos c/furo de maior diâmetro.
    C/seletor de agulhas.

  541. Marciano Diz:

    Grato por suas explicações, GORDUCHO.
    Apesar da tecnologia avançada da época, nada que se compare à tecnologia nossolarina, na qual a música é executada pela vibração coletiva das mentes perispirituais, com uma sonoridade inigualável e com harmonias, progressões de acordes e escalas cromáticas inimagináveis para um vivo.
    .
    Eu conheço essas eletrolas de que você falou, mas não tenho ideia do que seja olho mágico, a não ser um que andou furando as portas das pessoas, antes das digital screen cams.
    A não ser que você esteja falando do estroboscópio, uma luzinha que servia para controlar a velocidade de rotação.
    .
    Tem gente que jura que o som desses aparelhos era melhor do que o som digital multicanais de que hoje dispomos. Acho que estão enganados, as canções é que eram melhores.
    A sorte é que hoje podemos ouvir tudo o que foi gravado desde os tempos de Edison, temos acesso a todo tipo de informação e desinformação (desde que saibamos revirar o lixão que é a web), podemos carregar todos esses discos de rotações diferentes em um único pendrive, junto com uma tonelada de livros e os programas para rodá-los.
    .
    Só temos de esperar pelo futuro (a morte), para desfrutar da avançadíssima tecnologia espírito-paranormal do além.
    Dizem que é de lá que vêm as inspirações para nossa atrasada tecnologia de ponta de lápis quebrada.

  542. Gorducho Diz:

    O nosso olho sintonizador era semelhante a este cá
    https://www.youtube.com/watch?v=QFTDOZz-LlE
     
    só que os sinais se cruzavam no ponto 180°, i.e. o ângulo total ultrapassavaa os 360° :mrgreen:
    Provavelmente indicasse alguma saturação, mas era onde a sintonia era melhor.
    Quanto à qualidade do som sem dúvida nenhuma, só que os falantes não tinham a sofisticação das “caixas de som” atuais; nem o prato. Aliás nem stereo era.

  543. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Outro suspeito de vampirismo é o MONTALVÃO, o qual, segundo VITOR, sofre de esclerose, tem saudades do programa de César de Alencar e da Rádio Nacional, na qual ouvia Tancredo e Trancado, programa transmitido no final dos anos 40 e início dos anos 50, é fã da Emilinha e leitor ávido da Revista do Rádio.”
    .
    PONDERAÇÃO: não fique avexado com os diagnósticos do Vitor, a chumbose que o acometeu fá-lo arriado em pareceres desencontrados. Saudades de Emilinha (“Ela é fã da Emilinha, vive no César de Alencar, grita o nome do Cauby, e começa a desmaiar…” ♬), Marlene, Vicente Celestino, Carequinha, Fred, Zumbi, Meio-quilo, Chico Alves, Aracy de Almeida, cerveja Black Princess, guaraná caçula…
    .
    ♪ Revista do Rádio, que toda semana eu espero, Revista do rádio, hei jornaleiro, é esta que eu quero… ♫

  544. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “MONTALVÃO deve estar morrendo de nostalgia.”
    /.
    PONDERAÇÃO: faltou falar no Roquete Pinto…

  545. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    1. Braulio Diz:
    Não há simpatia pelo paranormal, bem como não há antipatia. Há apenas, simpatia pela Ciência e pelo Método Científico.
    Sou Agnóstico, de modo que suspendo meu juízo de valor e passo a analise dos fatos apresentados.
    ./
    PONDERAÇÃO: muito bem, continue assim, analisando os fatos e concluindo, está em bom caminho…
    ./
    /
    Montalvão diz: Sugiro que melhor se informe para produzir sua própria opinião.
    .
    Braulio: Sugestão anotada, porém não considerada.
    .
    PONDERAÇÃO: ué, não está contradizendo o que disse acima? Então não acha importante melhor se informar para compor opinião?
    ./
    /
    Montalvão diz: Se a telepatia fosse controlável as pessoas estariam se falando sem auxílio de celular ou skype.
    .
    Braulio: Quem disse? Salto Lógico detectado!
    O que sabemos a respeito da Telepatia para fazer esse tipo de “conjectura”?
    Se quer temos “Evidência Conclusivas”, e você já quer criar uma construção Metafísica em cima do “fenômeno”???
    ./
    PONDERAÇÃO: imaginei que entendesse sem dificuldade. Ponderei levando em conta proposição aqui defendida (não por mim, obviamente) de que psi é controlável e há casos que comprovam isso, conforme garante o gerente: então expus meu parecer: caso telepatia fosse controlada e controlável as pessoas se comunicariam sem necessidade de aparelhos, já que se garante que psi independe da distância. Por outro lado, é claro que inexiste evidência satisfatória de telepatia, o fato concreto a respeito é que a crença nessa força (e a própria força, caso exista) encolheu com o passar do tempo e continua encolhendo… ao menos entre os que pensam…
    ./
    /
    Montalvão diz: Se quiser, faça você mesmo a pesquisa, averigue se encontra exemplo de manifestação psi que se mostre controlável, de ocorrência rotineira, intensa em sua manifestação e com aplicação utilitária em uso.
    .
    Braulio:: Montalvão, não é a Realidade que deve se “dobrar” ao Sujeito e sim o “Sujeito” que deve apreender a Realidade.
    Dentro de minha mente sou “livre” para criar Critérios e Definições (por mais absurdo que possam ser) e submeter os fatos da realidade a tais critérios, ainda que determinados fatos nunca venham a ser Verdadeiros dentro da minha cabeça.
    .
    [...].
    Não é assim que a Ciência trabalha.
    Não com esse Subjetivismo Idealista, que você criou.
    /.
    PONDERAÇÃO: sei não, parece que a comunicação não está fluindo adequadamente… falei-lhe que: visto admitir que psi seja força controlável (seguindo a crença de seu mentor), sugeri-lhe, para confirmar se realmente é conforme pensa, que investigue o que existe a respeito e veja se haja exemplo que o demonstre… Seu belo discurso parece-me um salto ilógico, vez que nada a ver com o que prolatei…
    ./
    /
    Braulio: A Ciência trabalha com fatos, posto que a ocorrência dos fatos, diante de uma certa regularidade daria origem a uma hipótese, e posteriormente uma Teoria.
    /.
    PONDERAÇÃO: eu diria um tanto diferente, mas pode-se aceitar o que diz sem maiores queixas…
    ./
    /
    Braulio: Portanto Montalvão, sugiro que se atenha aos FATOS, eu não aos Contructos, Conjecturas e Saltos Lógicos que você criou para justificar seu Pseudo-Ceticismo.
    .
    PONDERAÇÃO: defina pseudoceticismo, please…
    /
    /
    Braulio: PS: Me senti representado pelos dados, e exposições feitos pelo Vitor, de modo que penso ser desnecessário (e até mesmo impossível) contribuir com algo além do exposto.
    /.
    PONDERAÇÃO: ok, se é assim que pensa e se este for seu caminho, almejo que seja feliz… Apenas lhe expus razões para justificar meus pontos de vista. De minha parte a missão está cumprida, o resto do percurso é por sua conta.

  546. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Nem na Record vc vê o Pica Pau hj em dia? Vale a pena…”
    /.
    PONDERAÇÃO: acho o pica-pau meio cafajeste, sou mais o Zé Colméia e o bip-bip, também gosto dos batutinhas (que não é desenho, mas é legal)…
    .
    E o Flash Gordon?

  547. Gorducho Diz:

    PONDERAÇÃO: ué, não está contradizendo o que disse acima? Então não acha importante melhor se informar para compor opinião?
     
    Ele já deixou claro noutra rubrica que opinar cabe a indivíduos portadores de carteira de ESPECIALISTA. No caso certamente os espertos das SPRs (tem também na Dinamarca…).
    Ele acredita no que os especialistas proferem.

  548. Braulio Diz:

    http://jornalggn.com.br/blog/luisnassif/a-questao-do-ceticismo-dogmatico
    .
    Montalvão diz: ué, não está contradizendo o que disse acima? Então não acha importante melhor se informar para compor opinião?
    .
    PONDERAÇÃO: Sem dúvida alguma acho importante, porém não vejo em sua pessoa “Prerrogativas”, para me dizer que devo me informar melhor,
    de modo que esse tipo de apontamento é visto e entendido como mera provocação.
    .
    Montalvão diz: imaginei que entendesse sem dificuldade.
    .
    PONDERAÇÃO: A linguagem clara e Objetiva da Ciência eu entendo, já na Arte da Tergiversação e da Erística estou “engatinhando”…
    .
    Montalvão diz: Ponderei levando em conta proposição aqui defendida (não por mim, obviamente) de que psi é controlável e há casos que comprovam isso, conforme garante o gerente:
    .
    PONDERAÇÃO: “Psi” é um termo amplo e ao mesmo tempo ambíguo. Afinal “psi” pode representar e dizer qualquer tipo de “fenômeno anômalo” produzido pela psiquê.
    É preciso delimitar o OBJETVO, afim de dermarcar os limites da exposição e consequentemente da discussão, para que se evitem esses “Saltos Lógicos” e Tergiversações a lá
    Olavo de Carvalho…
    .
    Montalvão diz: então expus meu parecer: caso telepatia fosse controlada e controlável as pessoas se comunicariam sem necessidade de aparelhos, já que se garante que psi independe da distância.
    .
    PONDERAÇÃO: Quem disse? Quem definiu “Telepatia” dessa forma? O Montalvão.
    De onde ele tirou essa definição? Da cabeça dele…
    Qual a relação dessa definição com os FATOS da realidade? Difícil dizer…
    .
    Em primeiro lugar é preciso definir o conceito (a partir dos Estudos Científicos existentes) de “Telepatia”.
    .
    Segundo, é preciso tentar encontrar, nomear e classifcar (a partir desses mesmos “Estudos”) as características e limites desse “fenômeno anômalo”.
    .
    E a partir desses “elementos” tentar estabelecer uma Hipótese de como tais fenômenos ocorrem, com que frequência, e padrão em outros “Estudos Científicos”.
    .
    Inferir quaisquer conjecturas, sem seguir tais PREMISSAS, é incorrer em “Saltos Lógicos”, “divagações”, tergiversações, enfim…
    .
    Montalvão diz: Por outro lado, é claro que inexiste evidência satisfatória de telepatia
    .
    PONDERAÇÃO: Aí é preciso “clarificar” o que significa “evidência satisfatória” para o Montalvão…
    .
    Montalvão diz: defina pseudoceticismo, please…
    .
    PONDERAÇÃO: http://jornalggn.com.br/blog/luisnassif/a-questao-do-ceticismo-dogmatico

  549. Braulio Diz:

    Gorducho diz: Ele acredita no que os especialistas proferem.
    .
    PONDERAÇÃO: Se por “Especialistas” você estiver se referindo a CIENTISTAS, certamente que sim.
    Do mesmo modo que quando meu médico receita um ANTIBIÓTICO, eu tomo sem demora, pois CONFIO, que ele
    sendo um ESPECIALISTA, sabe o que está fazendo.
    .
    O sr não faz o mesmo, em relação a sua saúde?
    .
    Ou prefere uma benzedeira que faz tratamento para “bucho virado” e “espinhela caída”? rs
    .

  550. Gorducho Diz:

    Eu não. Jamais tomarei droga ou farei qualquer tratamento proposto sem olhar na INTERNET, trocar ideias com meus relativos, e se necessário consultar outro(s) médico(s).
    Se vou fazer uma radiografia, já pergunto ao operador do que se trata extra oficialmente, olhando enquanto observo o mesmo fazer a montagem das imagens na tela. Assim foi em meu último problema, em fevereiro 2010: quando o profissional sugeriu fazer um bloqueio de nervo, eu já estudara exaustivamente o assunto, havia obtido a explicação do técnico e, claro, havia lido o laudo do radiologista; de sorte que autorizei-o aplicar a injeção de imediato.
    Tomar medicamento somente c/base na prescrição de um médico só homeopatia…

  551. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Dileto Bráulio, infelizmente não dá para continuar… noutro tempo, quem sabe?
    .
    Felicidades que vou membora…

  552. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Recebi em minha caixa de mensagem o recado que segue. Como não entendo inglês não sei se é coisa boa ou do mal. Caso alguém queira receber por mim o que parece ser um crédito, fique à vontade…

    /
    /

    Attention: Beneficiary

    .
    We are not sure you received our previous message but we wish to us this medium to officially inform you that following the ongoing review of all unclaimed and delayed funds by the United Nations and the World Bank, your payment file was forwarded to our office for immediate payment of your long delayed funds starting with a first transfer of US$10,000,000.00 with reference No. NG/FM14FGN, to your bank account.
    .
    However, we are surprised to receive another application this morning from your representative, MR.KRAUS MULLER,stating that you authorized him to transfer the funds to another bank account in Germany and that you were recently involved in an auto accident and cannot walk right now.

    .
    Could you please confirm immediately, your relationship with MR.KRAUS MULLER and also, confirm if the bank account in Germany as shown below is now your new bank account information to receive your funds this week from our paying bank

  553. Marciano Diz:

    Esse magical tuning eye eu não conhecia.
    Acho que era isso que era a sintonia fina, mas os que conheci eram uns tais de phase-locked loop, usados em tuners importados, bem caros na época.
    Eram em estéreo e tinha também uns quadrafônicos.
    Tinha um LP do PF, TDSOTM, e outros de rock progressivo, de outros grupos, como Yes, Emerson, Lake and Palmer, etc.
    A aparelhagem ocupava um enorme espaço, pois era tudo separado. Pre-amplifier, amplifier, tuner ou receiver, tape deck, as caixas (estas tinham cross-over, para separar o sinal que ia para cada speaker – tweeters, midranges e woofers, de ate 12”).
    Esses tinham o tal estroboscópio, cuja função era a de ajustar a rotação do deck. Quando a imagem ficava alinhada, a rotação estava correta, sem wow ou flutter.
    É do que me lembro.
    .
    .
    Cerveja Black Princess ainda tem, em delis. Guaraná Princesa e caçula não.
    .
    Roquete Pinto, depois, virou nome de estação de rádio.
    .
    .
    .
    GORDUCHO, curioso é que eu tenho a mesmíssima postura que você, em relação a médicos.
    Recentemente tive uns probleminhas, mas procurei me informar sobre tudo e ter opiniões de outros profissionais, procurando não induzi-los, como se fosse a primeira consulta.
    Aconselho o mesmo procedimento com advogados (e sei do que estou falando).
    Nemo solus satis sapit. Ninguém, sozinho, é suficientemente sábio. Duas cabeças pensam melhor do que uma.
    Quot capita, tot sensus. Cada cabeça, cada sentença.
    .
    .
    .
    MONTALVÃO, vírus Xing ling detectado!
    O inglês é bem amarelinho, de olhos apertados. Manda isso pro spam.

  554. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    GORDUCHO, curioso é que eu tenho a mesmíssima postura que você, em relação a médicos.
    Recentemente tive uns probleminhas, mas procurei me informar sobre tudo e ter opiniões de outros profissionais, procurando não induzi-los, como se fosse a primeira consulta.
    /.
    PONDERAÇÃO: eu já tenho outra postura: não vou a médico, minha mulher quase me mata. É que descobri um jeito de me livrar de qualquer molesta que me acosse: quando dói dum lado viro pro outro, geralmente funciona…

  555. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “MONTALVÃO, vírus Xing ling detectado!
    O inglês é bem amarelinho, de olhos apertados. Manda isso pro spam.”
    /;
    PONDERAÇÃO: e abrir mão de um milhão, e de dólares? Com a moeda americana nas alturas? Tô juntando cartas de crédito da espécie, semana passada recebi oito, de destinatários diferentes: já tenho bem uns 68 milhões pra receber…
    .
    O problema é que preciso depositar 100 mil na conta do adevogado que vai facilitar minha vida e não tenho… mas vou arrumar: invisto cem mil e recebo milhões, grande negócio!
    .
    Sô esperto pracaramba!
    .
    Enviei resposta pra todos eles, dizendo: Fucky You, daimon! Alguém me disse que isso significa “esperem, um pouco”…

  556. Marciano Diz:

    Deveria ter enviado um e-mail bomba.

  557. Vinicius Diz:

    Gorducho Diz:
    SETEMBRO 27TH, 2015 ÀS 5:52 PM
    Tomar medicamento somente c/base na prescrição de um médico só homeopatia…
    Isso podemos evocar, com todo o respeito, a vovó do Sr.Orlando, ela passou a manjar de homeopatia depois que “desencarnou”.

  558. RFernando Diz:

    Muito boa a dissertação, porém como admirador do Chico Xavier, achei estranho uma dissertação tender para a imprensa sensacionalista antes das conclusões finais, quando fiz minha dissertação, inclusive fui repreendido pelos professores quanto a imparcialidade, mas ok.

    Mais uma vez vejo comentários maldosos quanto CX, porém acredito que nenhum dos que estão aqui fizeram 1/10 do que este homem, portanto falar da pessoa não deveria ser o foco e sim se há charlatanismo ou não em seu trabalho, depois disso, caso seja afirmativo a conclusão ir para a pessoa.

    Chegou a ser engraçado, e na minha opinião eu descontaria pontos dessa dissertação, o trabalho é sobre o “bem” e nas considerações finais fala na peruca do CX, HAHAHAHAHAHA, encheção de linguiça da mais braba para aumentar o parágrafo!!!!

    Porém, é muito importante sim essa dissertação do ponto de vista documental, pois se levam em consideração os depoimentos de pessoas que dizem que foram extorquidas para ver CX, devem levar em consideração os depoimentos de quem não foi, e deve ser considerado tbm os depoimentos de quem diz que não falou nada e a carta psicografada é verdadeira.
    Ou entraríamos nos debates políticos do pt e anti pt (e isso so mostra que daí seremos idiotas)

    Ou talvez não, seja considerado somente os depoimentos pejorativos, daí logo cai por terra qualquer argumentação.

    Até o momento eu não vi nenhum argumento válido que desqualifique a perícia grafotécnica, uma vez que nunca negaram a perícia nos documentos psicografados. Diferente do que ocorre no Vaticano.
    Porém alguns entendidos com suas teorias preferem não acreditar num mar de pessoas confirmando que não disseram nada + perícia, a um sujeito que disse que não é assim WV e outros??? um pouco estranho, mais ou menos como o homem não pisou na lua, e os iluminatis kkkkkk

    Claro que sempre vai haver pessoas querendo os holofotes que apontaram para CX, porém eu desafio alguém a escrever uma redação de 30 linhas (olhe bem 30 linhas) na velocidade que CX psicografava. Claro, com ideias concatenadas.

    Das duas uma, ou o sujeito era um gênio, ou havia algo diferente. Como eu nunca vi alguém como CX, fazer oq CX fez, acredito que havia algo diferente, oq?? não sei

    Como eu disse, desafio qualquer um dos que estão aqui a fazer a redação, e mais uma que coloquei em outro post. Alguém aqui por favor (e com o auxílio da internet) anteciparia uma descoberta daqui a 1 ano?

    Não precisa ser no espaço como CX disse, pode ser aqui no Brasil mesmo, alguma barragem vai estourar? ou quem vai ser preso? sinceramente duvido um sujeito daqui dizer qual o próximo combustível a ser utilizado em um veículo daqui a 50 anos ou se o cunha chega ao fim do mandato. kkkkk parece piada algumas argumentações, como li em um outro post, até parece doença kkkkk

    Também é meio controverso um sujeito falar que CX tinha contatos em várias partes do brasil( na minha cidade, PORTO ALEGRE eu não conheço todos os lugares dela) e mais, se uma pessoa com problemas familiares me dissesse e o CX fosse vivo com certeza eu diria pra essa pessoa ir até lá e ver se descobria alguma coisa)
    —-(OPA, quer dizer que eu ligaria para o CX??)
    ———e aí CX como vai? acabei de mandar o joão da silva aí, o filho dele morreu em um acidente de carro, nome da mãe de joão é joséfina e o RG é 457858452
    Então o CX disse:
    —- OK, está anotado em nossos computadores, assim que ele chegar pediremos para contar a sua história e lembrarei no mesmo momento, pois é um caso bem específico
    —- Então eu digo, não esqueça CX: Não sei quando e se ele irá, quando for aviso novamente, portanto deixe para anotar as história pouco antes já que não tem movimento aí em sua casa. Um abraço

    Daí alguém nos comentário diz: ele acertou porque se vc falou alguma coisa pro seu vizinho o mesmo telefonou para o CX e antecipou os fatos ao CX. Sinceramente eu nunca ouvi maior idiotice na minha vida sobre CX do que essa. É tipo, “temos que nos cuidar, o MIB está monitorando!!” cara, pra ler alguns comentários o cara tem que se drogar(e muito) para entrar na vibe do maluco.

    Cara aceita que doí menos, não existe explicação pra tudo, quem discorda, blz, eu tbm por muito tempo eu duvidei, porém quando vi o resultado de perícias, comecei a mudar de opinião.

    Ah, a não ser que algum ser dotado de uma inteligência superior diga que a perícia não é precisa, que os traços não pode ser identificados e bla bla, a perícia so serve para processos no mundo todo, menos para CX.

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)