Notícia: Físico brasileiro tenta provar na USP que é possível mover matéria com a mente (2015)

Link para a matéria aqui. Aqueles que puderem e quiserem ajudar a financiar a pesquisa, acessem aqui. Quem não puder ou não quiser, ao menos busquem divulgar de forma a atingir mais pessoas que possam financiar a pesquisa.

513 respostas a “Notícia: Físico brasileiro tenta provar na USP que é possível mover matéria com a mente (2015)”

  1. Larissa Diz:

    Já fiz minha doação e já divulguei aos meus contatos.

  2. Sanchez Diz:

    Difração é um fenômeno interessante. A fenda precisa ter a mesma ordem de grandeza do comprimento de onda, então qualquer coisa pode bloquear a fenda causando interferências no espectro. Vou pesquisar mais esse projeto e como anda as replicações dos experimentos de Dean Radin em outros países. Se alguém tem essas informações me passe as referências, por favor.
    .
    Vitor
    .
    Excelente notícia.

  3. Victor Diz:

    Mas qual seria a utilidade dessa pesquisa, digamos para o nosso dia a dia?

  4. Gorducho Diz:

    Mas qual seria a utilidade dessa pesquisa, digamos para o nosso dia a dia?
     
    Está a provocar?

  5. Vitor Diz:

    Victor,
    muitas vezes uma aplicação prática só é pensada depois. Gilson Volpato fornece vários exemplos e justificativas para as pesquisas sem aplicação prática a priori:
    .
    É evidente que a ciência deve atuar nos problemas sociais a curto e médio prazo, mas é também evidente que a busca por conhecimento não deve se limitar a isso, pois do contrário nunca enveredaríamos por caminhos novos. Deixar a mente vasculhar as curiosidades humanas sempre foi um bom tempero nessa questão. É evidente que o bom senso deve dimensionar o quanto, num dado momento, devemos investir mais em pesquisas de aplicação imediatista ou não. Conseguir o bom tempero é tarefa dos bons gestores e administradores.
    .
    Seja qual for o enfoque do seu trabalho, o importante é que construa ciência de bom nível. Não se constrói um país livre e independente apenas com ciência “básica”, tampouco só com ciência “aplicada”. O comum é um vai e vem entre os conhecimentos aplicáveis e os não aplicáveis no momento. O importante é que a ciência seja de bom nível e devemos mirar nisso durante a formação de nossos cientistas. Do contrário, nossas tecnologias não funcionarão perfeitamente, e o salto quantitativo que o país vem dando na ciência internacional será apenas uma construção vazia com grande chance de sucumbir.
    .
    Lembremos que o descobridor do raio laser não sabia exatamente para que ele serviria. Da mesma forma, Mendel mostrou os mecanismos genéticos sem possivelmente ter noção do que estava criando. A própria teoria da seleção natural, de Charles Darwin, é hoje usada na Epistemologia (veja teoria epistemológica evolucionária – Popper 1972)
    .
    Uma implicação atual dessa dicotomia é a preferência que muitas agências de fomento à ciência têm dado às pesquisas de cunho aplicado. Fazendo uma analogia com uma indústria, imagine que ela deve possuir matéria-prima para fornecer seu produto. Caso se preocupe demasiadamente com o produto, poderá se esquecer da matéria-prima e aí o produto se esgota. No caso da ciência, a matéria-prima é o conhecimento e o produto, as soluções tecnológicas resultantes. O que usamos são esses produtos que resolvem nossos problemas. Mas se um país investir maciçamente apenas nas atividades que resolvem problemas atuais, poderá se dar mal no futuro. Problemas novos podem surgir, para os quais novas soluções precisarão de novos conhecimentos.
    .
    Costumo tratar esta questão com o seguinte exemplo: imagine que um tipo de lavoura importante para nossa alimentação começa a morrer. Sem dúvida, parar essa mortalidade é fundamental. Mas como fazer isso se não sabemos o que está causando essa mortalidade? Depois de algumas observações, descobrimos que se trata de um inseto, pois sempre que ele está presente a lavoura começa a definhar. Descobrimos até que o tal inseto é conhecido como Nebulsosus marginalis. Mas agora vem o problema: nada sabemos sobre ele. Num primeiro momento usamos o que conhecemos sobre outros insetos para resolver a questão, mas logo percebemos que isso não funciona com o N. marginalis.
    .
    O drama todo fica maior quando olhamos para a literatura e consultamos especialistas e descobrimos que ninguém conhece os hábitos desse inseto. O caminho natural é buscarmos rapidamente conhecê-lo: seu hábito alimentar, reprodução, ciclo de vida, preferências climáticas etc. Mas todos sabemos que isso pode durar alguns anos antes que possamos controlá-lo sem destruir o restante do ambiente (ou seja, não vale matar o doente, ou explodir a terra, para eliminar o vírus, a bactéria ou o parasita). Ficamos desanimados ou desesperados!
    .
    Mas eis que surge uma notícia surpreendente. Um pesquisador (Dr. Curio Osos) de um país pouco conhecido havia estudado muito sobre a vida do N. marginalis. Ufa, salvos pelo gongo!
    .
    Temos agora um volume de conhecimento que nos levará rapidamente ao controle desse inseto diferente de seus parentes.
    .
    O que decorre dessa estória é que quando o Dr. Osos estudou esse inseto, a questão da praga talvez nem tivesse ainda sido levantada. Ele estudou porque achou interessante. Porém, no momento em que surgiu o problema na lavoura, rapidamente esse corpo de conhecimento passou do mundo básico para o mundo extremamente aplicado. E assim é a ciência. Importância social depende do contexto, do momento.
    É evidente que um país não tem condições de financiar todas as elucubrações dos cientistas na fé de que poderão ser úteis no futuro. Porém, também não pode bloquear certas pesquisas “malucas” porque elas poderão fazer a diferença no futuro. Os administradores estão, geralmente, pensando em investir no que é prioritário, naquilo que tem baixa possibilidade de erro. Essa não é postura de um empreendedor.
    .
    Investir em mesmice também atrapalha. Quanto mais o país é retrógrado em conceitos sobre ciência, mas fará pesquisa arcaica e menos investirá nas idéias inovadoras (não importa o quanto alardeiem estar envolvidas com a causa da inovação). Temos, em nosso país, costume de investir em mesmices e medo de investir no risco. Pesquisa de risco fica na gaveta, tanto por parte de alguns cientistas, quanto por parte de financiadores. Note que não é uma questão apenas dos financiadores, mas muitas vezes dos pares que dão o parecer técnico à proposta de pesquisa. Portanto, a mudança teria que ser mais geral entre os cientistas.
    .
    Ressalto outro aspecto para tirar a impressão de que, ao final, o que importa é aquilo que gere tecnologia, mesmo que em longo prazo. A tecnologia nos ajuda a resolver problemas. Porém, o ser humano se depara também com problemas de outra natureza, cuja solução também lhes é extremante importante, mesmo que não signifique presença de tecnologia. Indagações e inquietações sobre as coisas podem gerar perguntas perturbadoras. Alguns se perguntam de onde viemos ou o que somos neste universo. Perguntas existenciais, em vários formatos, merecem respostas. Pesquisas nesse sentido podem não gerar lucro, podem não resultar em tecnologia, mas são importantes. É também genuíno querer conhecer os seres que nos cercam, pelo puro prazer de conhecê-los e nos espantar com suas formas diferentes de vida e soluções de problemas.

  6. Larissa Diz:

    Todo mundo aqui fala em experimentos. Finalmente temos um. Crendo ou não, vou dar meu apoio.
    Aplicação prática de imediato não há nenhuma. O que haverá, caso confirmados os resultados, é uma mudança de paradigma. Isso não seria fantástico?

  7. Gorducho Diz:

    Então vamos lá: o indivíduo (DR) está confundindo o ato de medir, i.e., o sistema quântico c/suas condições de contorno realizadas, so to say (i.e., medir mesmo), que produzem o colapso do vetor (“onda”) de estado, com a tomada de consciência desses resultados, i.e., com prestar atenção ao experimento.
     
    A priori não m/parece impossível que mentes humanas possam digamos irradiar algum tipo de “radiação” – num sentido genérico, sem sabermos exata natureza e “intensidade”. Mas me parece que não é esse o foco deles…
     
    Qual será o resultado desses experimentos e da futura utilidade dos mesmo, não estou inspirado agora, mas, já que provocou, tenho certeza que o Analista Marciano vai lhe explicar quando se liberar das tarefas de hoje…

  8. Gorducho Diz:

    Mas note, AL que nada têm a ver c/espiritismo ou parapsicologia, pois que se cérebros humanos “irradiarem” algo, será uma fato físico.
    Tudo bem que experimentem, claro…
    Mas nada tem a ver c/as alegações sobre mesas girantes, corbeilles escreventes, ou ovos voadores.

  9. Gorducho Diz:

    Tentado explicitar melhor: m/parece que estão a confundir o sistema quântico físico, que inclui o aparato experimental e o ato de experimentar, i.e., o “experimento completado” (por analogia c/os infinitos completados da aritmética transfinita) c/o conceito metafísico de consciência.
    Ou seja, mesmo que cérebros possam “irradiar” “algo” que em tese poderia influir num feixe luminífero, não creio que essa “irradiação” física se modifique pelo fato do indivíduo pensar acerca do experimento. Poderia se modificar pelo indivíduo estar concentrado, relaxado, dormitando &c. Até aí sim.
    Mas, veremos…

  10. Larissa Diz:

    Mas note, AL que nada têm a ver c/espiritismo ou parapsicologia, pois que se cérebros humanos “irradiarem” algo, será uma fato físico.
    Tudo bem que experimentem, claro…
    Mas nada tem a ver c/as alegações sobre mesas girantes, corbeilles escreventes, ou ovos voadores.
    .
    Isso está claro pra mim.
    De qualquer forma, se os resultados se confirmarem, será fantástico.
    E o cientista é um cara que tem PHD e física e estuda isso desde que se entende por gente…não merece uma chance?

  11. Larissa Diz:

    Sobre a pesquisa…para podermos debater.

    Premissas

    Consciência é ao mesmo tempo a nossa experiência mais direta e a menos compreendida. O fato é que nós [1] estamos presenciando constantemente e em primeira mão uma espécie de filme interno que é decorado por variadas sensações, pensamentos, intenções e demais conteúdos pertencentes ao espectro da experiência humana. Independente dos conteúdos, existe um palco em que tudo isso acontece. Quando falar de consciência, estarei me referindo a esse lugar/experiência/substância.

    O interessante é que com todos os avanços científicos dos últimos séculos, ainda não temos modelos satisfatórios e estamos longe de explicar o que é e como a consciência funciona. Ainda estamos estagnados em uma das primeiras questões que podem ser elaboradas sobre o tema: quais são os ingredientes necessários para que esse espetáculo ocorra? Em outras palavras, a consciência é um produto da matéria ou seria algo tão fundamental quanto?

    Percebemos que o atual consenso científico é materialista. Isso significa que a maioria dos cientistas partem da premissa de que a matéria é a única substância fundamental que compõe o mundo. Nessa visão, poderíamos reduzir a nossa experiência interna a reações químicas e mais fundamentalmente a interações físicas. Nessa visão, consciência é o produto emergente de uma organização complexa de neurônios chamada cérebro. Nessa visão, cérebro gera consciência. Logo, consciência seria um desenvolvimento mais recente do processo evolutivo, uma capacidade exclusiva de seres dotados de complexa estrutura cerebral.

    Porém, existem algumas dificuldades em relação ao paradigma materialista. Inicialmente, ninguém ainda conseguiu explicar como que as propriedades físicas dos sistemas como posição, momentum, spin, comprimento de onda, etc, podem dar origem a algo de uma natureza completamente diferente como, por exemplo, a sensação/experiência subjetiva da cor vermelha. Argumenta-se em relação a esse ponto, que a consciência é um produto que surge de uma organização complexa e que ainda não conseguimos entender essa tradução por limitações da nossa própria inteligência.

    Aprofundando, o filósofo David Chalmers nos alertou sobre o problema difícil (Hard Problem) da consciência : por que a experiência subjetiva existe? Por que a natureza se dá esse trabalho se a princípio não há uma função evolutiva?

    Finalmente, existem resultados de algumas pesquisas conduzidas em laboratório que constituem anomalias em relação a visão materialista. Esse é o tema da pesquisa proposta.

    Pesquisa

    Embora não saibamos dizer o que exatamente é a consciência, partindo do pressuposto materialista podemos utilizar nosso conhecimento atual sobre a Física para delimitar as suas capacidades. Inicialmente, entende-se que sistemas “quentes” e complexos como o cérebro operam dentro das leis da Física Clássica (FC). Por sua vez, na FC a troca de informação entre sistemas deve ser local. Isso significa que qualquer troca de informação deve acontecer ou por contato físico, ou mediada por alguma outra entidade física. Se o cérebro é consciência e é descrito pela FC, as trocas de informação entre seres humanos devem ser mediadas apenas por ondas sonoras, eletromagnéticas e vibrações.

    A boa notícia é que a validade da premissa materialista pode ser testada em laboratório. Basta desenvolver um experimento que revele uma troca de informação, ou uma interação, entre dois sistemas em um contexto cujas fontes usuais de mediação estejam impossibilitadas.

    Para investigar essa questão, o pesquisador Dean Radin do Instituto de Ciências Noéticas (IONS) iniciou em 2008 uma classe de experimentos [2, 3, 4] nos quais participantes são convidados a interferir mentalmente em dispositivos de interferometria ótica.

    Do ponto de vista Físico, o experimento é relativamente simples. Há um laser que passa for uma fenda dupla e forma um padrão de interferência que é captado em intervalos regulares por uma câmera CCD. O sistema é isolado de modo que vibrações e ruídos eletromagnéticos não influenciem o sinal medido. A novidade é que participantes são convidados a entrar na sala em que o experimento está acontecendo e devem agir diferentemente conforme duas situações experimentais: atenção dirigida ou relaxamento.

    Na primeira situação os participantes são convidados a concentrar sua atenção no dispositivo, direcionando sua intenção de alterar o padrão de interferência por uma via subjetiva (pede-se que os participantes “percebam mentalmente” os fótons do experimento de modo a adquirir informação sobre sua trajetória, apliquem “forças mentais” de modo a influenciar seu deslocamento, ou “tornem-se um com o sistema ótico” por uma via contemplativa). Nas condições de relaxamento os participantes devem interromper qualquer tentativa de influenciar o dispositivo experimental.

    Reunindo o resultado de várias sessões e de vários participantes diferentes, é possível comparar estatisticamente o padrão de interferência medido pela câmera CCD nas duas situações. O interessante é que contrariando o esperado pela visão tradicional, nos três artigos publicados [2, 3, 4] os participantes causam uma alteração estatisticamente significativa no aparato durante as situações de atenção dirigida. Igualmente interessante, existem duas categorias de participantes: meditadores e não meditadores [5] e apenas os primeiros conseguem produzir as diferenças, apontando para a possibilidade de que tais fenômenos ocorram, mas dependam de estados alterados/modificados de consciência.

    Caso os resultados da pesquisa do Dr. Radin estejam corretos, seremos convidados a rever a concepção usual sobre a consciência ser equivalente a cérebro. Caso a consciência tenha a real capacidade de influenciar a matéria à distância, é possível que exista um tipo de força que os modelos atuais da física ainda desconhecem. Nesse caso, a consciência não poderia ser reduzida a constituintes materiais e as quatro interações fundamentais atualmente conhecidas. Logo, consciência passaria a ter um status tão fundamental quanto o da matéria, ao invés de produto final do desenvolvimento evolutivo conforme a visão do materialismo emergente.

    Supondo a consciência como um “campo de força fundamental”, podemos a compreender, em um certo sentido, como um fenômeno compartilhado. Ao mesmo tempo, ao longo da existência humana, praticantes de diversas linhagens místicas/espirituais relataram de forma sistemática uma certa unidade intrínseca de nossa existência. Caso a hipótese do “campo de consciência” seja confirmada, é possível deslumbrar as implicações culturais de uma possível ponte entre ciência e espiritualidade, na medida em que a última estaria relacionada com a exploração subjetiva da real natureza da consciência.

    Por outro lado, ao conhecer os resultados da pesquisa do Dr. Radin é necessário questionar se todos os cuidados experimentais foram tomados para isolar os efeitos medidos das fontes usuais de troca de informação e se as análises dos dados foram bem conduzidas. Assim, a proposta do projeto de Pós-Doutorado na USP consiste na replicação das pesquisas de interação consciência-matéria do Dr. Radin.

    A pesquisa em questão terá a colaboração de um laboratório do instituto de Física da USP que disponibilizou os equipamentos necessários para a execução do experimento. É um momento interessante em que uma nova área de pesquisa multidisciplinar surge no contexto das grandes instituições de pesquisa brasileiras. Embora o tema seja controverso, o design experimental constitui uma maneira empírica de investigar a questão. Independente de nossas expectativas, os dados falarão por si mesmos.

    Aguardem em breve, cenas dos próximos capítulos.

    Notas e referências

    [1] Há quem defenda a possibilidade solipsista de que somente EU seja real e que o mundo ao redor não passa de um sonho. Embora não seja possível refutar de forma empírica essa ideia, o autor a deixará de lado no que se segue.

    [2] Radin, D. (2008). Testing Nonlocal Observation as a Source of Intuitive Knowledge. EXPLORE, Vol. 4, p. 25.

    [3] Radin, D., Michel, L., Galdamez, K., Wendland, P., & Rickenbach, R. (2012). Consciousness and the double-slit interference pattern : Six experiments. Physics Essays, 25, 2, p. 157.

    [4] Radin, D., Michel, L., Johnston, J., & Delorme, A. (2013). Phychophysical interactions with a double-slit interference pattern. Physics Essays, 26, 4, p. 553.

    [5] A distinção entre as duas categorias de participantes pode ser generalizada pela correlação com uma escala de absortividade. Pontuam alto nessa escala pessoas que tenham a capacidade de focar sua atenção plenamente em uma tarefa a ponto de “se esquecerem do mundo de fora” e não estarem mais pensando na atividade que executam. Exemplos típicos são músicos, artistas, terapeutas holísticos, praticantes de artes marciais, atletas, meditadores, religiosos, entre outros.

  12. Gorducho Diz:

    Pelo que entendi do postulado base p/o experimento, deverá haver diferença entre uma “tomada de consciência”, i.e., alguém se concentrar – note, AL que pela não-localidade não necessariamente haverá uma distância em metros limite – nas fendas, e alguém forçar outros estados mentais, tais como orar, estra relaxado, pensar bobagens, dormir…
     
    Claro, jamais se deve dizer que um experimento montado com todo rigor teórico (i.e., elegendo e resolvendo equações adequadas ao experimento proposto) e acompanhado por não-místicos, não deva ser feito.

  13. Victor Diz:

    Eu confesso que ainda que fosse descoberto a tal “Força” (seria Jedi? rs) não consigo ver de que modo isso iria contribuir de modo prática na vida dos seres humanos.
    .
    Esse tipo de pesquisa é da mesma estirpe daquelas que ficam procurando “buracos de minhoca”, buracos negro”, matéria escura e etc.
    .
    Penso que nós, enquanto espécie temos tantos problemas (Câncer, Fome na Africa, Guerras, Doenças sem Vacina) que esse tipo de pesquisa torna-se insignificante diante de tantas outras que têm prioridade.
    .
    Não quero parecer indelicado (ou provocativo),tampouco é minha intenção “jogar água no chopp” alheio, porém penso que esse tipo de exercício intelectual é tão útil quanto os Professores Marxistas que ficam fazendo pesquisa em cima da “Revolução”.
    .
    Como dizia Milton Friedman: “There is no free lunch”

  14. Victor Diz:

    Corrigindo: ” de que modo isso iria contribuir de forma prática…”

  15. Vitor Diz:

    Oi, Victor
    .
    comentando:
    .
    “Penso que nós, enquanto espécie temos tantos problemas (Câncer, Fome na Africa, Guerras, Doenças sem Vacina) que esse tipo de pesquisa torna-se insignificante diante de tantas outras que têm prioridade.”
    .
    Esse tipo de argumento ficou conhecido no canal do Clarion como “O Pior Argumento de Todos”:
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=QEByLQtgm5o

  16. Victor Diz:

    Segundo o vídeo em questão o argumento por mim utilizado seria um “deus ex-machina” para o fato de eu não conseguir contra argumentar.
    .
    Mas não é isso que ocorre e vejamos o por quê.
    .
    A Pesquisa Científica, enquanto ramo do conhecimento que utiliza de Método Científico, deveria ter o enfoque
    no uso racional dos recursos de modo a otimizar sua utilização
    O Fomento à Pesquisa deveria seguir uma hierarquia de necessidades, para que os recursos nele empregados sejam utilizados da forma mais racional possível e com o intuito de atender as necessidades de um maior número de pessoas.
    .
    Como a pesquisa supra citada, não possui aplicação prática definida, não vejo porque a mesma deveria ter prioridade face a tantas outras necessárias
    a espécie humana.
    .
    Qual a justificativa racional, para aplicar dinheiro em uma pesquisa que claramente não possui uma aplicação prática definida?
    .
    Por que tal pesquisa deveria ter prioridade em relação a tantas outras (Vacinas para Doenças Virais por exemplo) necessárias e com aplicações práticas claramente definidas?
    .

  17. Marciano Diz:

    Claro que é possível mover matéria com a mente.
    É a mente que produz controles remotos, sondas espaciais, foguetes que os lançam, drones, etc.
    É preciso ter uma mente muito poderosa para entender os princípios científicos por trás dessas coisas e desenvolver tecnologia para tanto.
    .
    .
    Tem também o método de James Hydrickx, mas aí o isopor atrapalha tudo.
    https://www.youtube.com/watch?v=sOQ5mKUZ_1U

    Como também não estou inspirado, vou colar um texto sobre o assunto aqui:

    telekinesis
    Telekinesis (from Greek words meaning distant movement) is the movement of objects by the power of the mind alone without any physical intervention. Using only one’s thoughts to move a pencil across a table would be an example of telekinesis. Mentalists fake telekinesis by blowing on the pencil to make it move.
    Telekinesis is considered a type of psychokinesis, which is the manipulation of objects using only the power of the mind without any physical interevention. Bending a spoon by willing it to happen would be an example of psychokinesis. Using only one’s mental effort to make the spoon levitate would be be an example of telekinesis. Causing a thunderbolt to appear by mental effort alone would be an example of psychokinesis. Making a cloud move in the sky by the power of the mind alone would be an example of telekinesis.
    There have been many scientific experiments on psychokinesis, many of them involving attempts to affect the outcome of the roll of a die. There is no credible scientific evidence that anyone has either moved a pencil or caused a thunderbolt by mental effort alone, much less broken the bank at Monte Carlo by willing the dice to come up seven or any other number.

    books
    Alcock, James E. 2003. Jean Burns and Anthony Freeman. Editors. Psi Wars: Getting to Grips with the Paranormal Imprint Academic.
    Christopher, Milbourne. 1970. ESP, Seers & Psychics Thomas Y. Crowell Co.
    Gardner, Martin. 1957. Fads and Fallacies in the Name of Science. Dover Publications, Inc.
    Hansel, C.E.M. 1989. The Search for Psychic Power: ESP and Parapsychology Revisited. Prometheus Books.
    Hansen, George P. 2001. The Trickster and the Paranormal.Xlibris Corporation.
    Hines, Terence. 2003. Pseudoscience and the Paranormal 2nd ed. Prometheus Books.
    Hyman, Ray. 1989. The Elusive Quarry: a Scientific Appraisal of Psychical Research. Prometheus Books.
    Marks, David and Richard Kammann. 2000. The Psychology of the Psychic. Prometheus Books.
    Mishlove, Jeffrey. 2000. The PK Man: A True Story of Mind over Matter. Hampton Roads Publishing Company.
    Park, Robert L. (2008). Superstition: Belief in the Age of Science. Princeton University Press.
    Polidoro, Massimo. 1997. “Secrets of a Russian psychic – truth behind Alla Vinogradova’s psychokinetic ability.” Skeptical Inquirer, July-August.
    Radin, Dean. 1997. The Conscious Universe – The Scientific Truth of Psychic Phenomena. HarperCollins.
    Randi, James. 1982. Flim-Flam! Prometheus Books.
    Randi, James. 1982. The Truth About Uri Geller. Prometheus Books.

    Mesmo que o cérebro pudesse irradiar algo, precisaria de uma fonte extraordinária de energia, para não violar a lei da conservação da energia.

  18. Victor Diz:

    Penso que a pesquisa em questão é uma séria candidata ao IgNobel…rs

  19. Victor Diz:

    By the way, o físico poderia contratar alguns “psíquicos” e pleitear o prêmio do Randi, já daria um “start” na pesquisa, um milhão de dólares não é brincadeira…

  20. Victor Diz:

    O dia que as crianças índigo e cristal (o que seria isso?) começarem a usarem da “Força” tal qual os Jedis fazem nos filmes, penso que esse tipo de pesquisa passaria a ter utilidade…
    .
    Até lá, fico torcendo para a petralhada da ANVISA aprovar a fase III do estudo da Vacina contra a Dengue, o Verão está chegando…

  21. Vitor Diz:

    Oi, Victor
    comentando:
    .
    “O Fomento à Pesquisa deveria seguir uma hierarquia de necessidades, para que os recursos nele empregados sejam utilizados da forma mais racional possível e com o intuito de atender as necessidades de um maior número de pessoas”.
    .
    Tudo bem. Então vamos dedicar todo o dinheiro à cura da AIDS e esquecer coisas como viagens a Marte, lançar telescópios mais poderosos que o Hubble, descobrir novas partículas no LHC, tentar provar teoremas ainda hoje insolúveis da matemática (como este peruano fez: http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/10/151004_matematico_peruano_helfgott_mv), buscar registros fósseis, financiar a reprodução de espécies em extinção (o golfinho chinês se extinguiu e o mundo continua de pé, não fez falta alguma) etc. Afinal, nada mais importante do que garantir a sobrevivência da espécie humana livrando-a de toda e qualquer doença sexualmente transmissível.

  22. Victor Diz:

    Mudando um pouco o assunto, eu tenho uma curiosidade:
    .
    “Por que os Espiritualistas, tem uma necessidade de “cientificizar” seu discurso religioso”?
    .
    Seria uma forma de validar suas próprias convicções religiosas diante da escassez de evidências?
    .
    Ou seria uma maneira de impor suas crenças aos outros mediante a “chancela” do discurso científico?
    .
    O que eu vejo por aí de Espiritualista falando em Física Quântica não está no gibi…
    .

  23. Victor Diz:

    Viagem a Marte é útil, o dia em que esse planeta não nos servir, migraremos para lá…o próprio Sagan já defendia isso…

  24. Marciano Diz:

    VICTOR, já se inscreveu na bancada cética.
    Não perca mais tempo, faça hoje mesmo sua inscrição.
    .
    .
    O próprio Kentaro Mori, amigo do VITOR administrador, já escreveu, alhures:

    Os “poderes da mente” existem?

    por Kentaro Mori, publicado na revista Sexto Sentido nº 103

    Os chamados “poderes da mente” não existem. É o que mais de um século de investigações demonstram: de seus primórdios no século 19 associados ao espiritualismo e a metapsíquica, até sua versão moderna reconhecida mesmo pela AAAS, a prestigiada Associação Americana para o Avanço da Ciência que publicada nada menos que o periódico “Science”, <a parapsicologia falhou em demonstrar inequivocamente que seu próprio objeto de estudo de fato exista.

    Durante todo este tempo, os verdadeiros e já mais do que fabulosos poderes da mente, como o intelecto e a criatividade, descobriram, comprovaram, compreenderam e exploraram um sem número de fenômenos que a nossos antepassados pareceriam mágicos. É assim que com sensores eletromagnéticos podemos perscrutar a atividade cerebral e, através de ondas de rádio, transmiti-la a grande distância, concretizando a mágica “telepatia”. É assim que a mesma companhia de brinquedos que criou a boneca Barbie anuncia para breve um jogo em que crianças poderão manipular objetos com a “força da mente”, em uma espécie de telecinese tecnológica. E real. E é assim que podemos prever com enorme precisão todos os eclipses solares que ocorrerão nos próximos milênios. É a precognição que a ciência pode demonstrar prontamente.

    Apologistas do paranormal que reconheçam a falta de resultados práticos em sua área podem argumentar que eles não são nulos. Haveria indicações, mesmo evidências, de fenômenos ou anomalias tênues. Alguns poderiam ser mesmo reproduzidos. Mais pesquisas, com maior controle, poderiam demonstrá-los de forma mais clara. Os “poderes da mente”, aqueles aparentemente mágicos, seriam concretos. Apenas fugazes, imprevisíveis e assim talvez por definição elusivos. Só seriam reconhecidos como anomalias estatísticas em uma grande série de experimentos.

    Muito bem. A força da gravidade também é uma força tênue. A influência gravitacional do gigantesco Júpiter é menor do que a de uma pessoa a seu lado. Pular de um prédio demonstra ainda assim que mesmo forças tênues podem produzir efeitos muito claros e consistentes. E é nisto que a parapsicologia sem dúvida falhou em mais de um século de busca.

    Quando algum “psíquico” ou “vidente” alega ser capaz de prever o futuro, a pergunta popular de por que não aposta – e ganha – na loteria é mais do que apropriada. Aqui também, o desafio paranormal do cético norte-americano James Randi é mais do que relevante. Qualquer um que diga poder dobrar talheres com a força da mente pode demonstrá-lo e ganhar 1 milhão de dólares de Randi. O desafio não se aplica apenas a dobrar talheres, claro, e sim a todo tipo de feito paranormal. Nenhum dos mais famosos paranormais do mundo jamais sequer tentou. Ninguém jamais passou nos testes preliminares do desafio de Randi.

    Um ou mesmo dois séculos de esforços não devem produzir respostas definitivas, é bem verdade. Somos humanos e é possível que o paranormal exija um esforço de muitos séculos até ser reconhecido inequivocamente. Por outro lado, se tais poderes não existem, uma eternidade de pesquisas continuará falhando em demonstrá-los.

    Jamais poderemos provar a negativa, isto é, que o paranormal simplesmente não existe. Mas cada ano que passa sem que ele seja provado é mais um ano a demonstrar que não é nada insensato presumir que tais tipos de “poderes da mente” simplesmente não existem.

    Os destaques em negrito são meus.
    .
    .
    OBRIGADO, KENTARI.

  25. Marciano Diz:

    Telecinese do mundo real

    Quando se fala em telecinese, normalmente as pessoas se referem ao poder sobrenatural de mover objetos a distância apenas com a força da mente. Há quem diga que alguns podem fazer objetos levitarem com habilidade psíquica, enquanto outros dizem que isso é pura balela. O fato é que, se formos analisar a palavra telecinese ao pé da letra, vamos descobrir que ela existe por toda parte.
    O que é telecinese?
    Telecinese vem das palavras gregas tele (à distância) e kinese (movimento). E o mundo está cheio de telecinese, ou “movimento a distância”: o sol nos aquece aqui na Terra, mesmo estando a milhões de quilômetros de distância de nós; os celulares podem transportar nossa voz para outro lado da cidade ou até mesmo para outro continente, etc.

    Nem é necessário dizer que esses fenômenos não resultam de atividades paranormais fantasmagóricas e nem do poder da mente, coisa que nós todos sabemos desde o século XVIII, graças a físicos como Michael Faraday e James Clerk Maxwell. O que atrai objetos a milhares de quilômetros de distância não é o pensamento (ou alguma habilidade psíquica), mas os campos elétricos e magnéticos.
    Quer entender melhor o que são esses campos e a importância deles para a física moderna? Assista esse belíssimo vídeo sobre a telecinese do mundo real. Para acompanhar o vídeo com legendas, clique no botão CC e selecione português. Boa viagem pelo mundo da física!

    https://www.youtube.com/watch?feature=m-ch-fea&v=NMgcX8UNIGY

  26. Vitor Diz:

    “Apologistas do paranormal que reconheçam a falta de resultados práticos em sua área podem argumentar que eles não são nulos.”
    .
    As for practical applications of psi, this is largely unexplored territory (especially in the laboratory), but for many years we have been aware of psychic individuals who are, or have been, gainfully employed in psi practice and produce useful or profitable results (see Schouten, 1993; Schwartz, 1983, 2000, 2005). In his comprehensive review, Schouten (1993) found that “psychics might occasionally have impressions which are difficult to explain and which could be considered paranormal” (p. 387), also commenting that “complementary medicine deserves a place in the health care system” (p. 399). Schwartz (1983, 2000, 2005) has gone to great lengths to demonstrate the uses of psi in archaeology and anthropology, and this approach extends to crime solving and detection— areas that have already seen applications (Schouten, 1994).
    .
    Publicado no Psychological Bulletin em 2010, uma revista de altíssimo fator de impacto da comunidade científica, e disponível em
    http://deanradin.com/evidence/Storm2010Nothingtohide.pdf
    .

  27. Gorducho Diz:

    Por isso estranhei a Administração fazer aquela provocação, enquanto estavam todos quietos em seus cantos…
    É outro!

  28. Vitor Diz:

    “Viagem a Marte é útil, o dia em que esse planeta não nos servir, migraremos para lá…o próprio Sagan já defendia isso…”
    .
    Não seria mais fácil e mais rápido e mais barato colonizar a Lua primeiro??!
    .
    Mas acho que lá no fundo você já entendeu os problemas do “pior argumento do mundo”….

  29. Marciano Diz:

    VITOR, mande sua explicação para o Kentaro.
    Eu apenas transcrevi o texto dele, destacando em negrito o que julguei ser mais impactante.

  30. Gorducho Diz:

    Eu achei que era o Sr., Sr. Administrador, tentando provocar uma reação da nossa bancada: estranhei!
    Era outro :lol: :lol: :lol: :lol:
     
    Veja a capciosidade do do título: mover matéria.

  31. Victor Diz:

    Se bem me lembro, prefere-se a Colonização de Marte face a Lua pela questão da gravidade, mas já adianto que Astronomia não é minha área de modo que posso estar redondamente enganado a esse respeito…

  32. Victor Diz:

    Marciano,
    .
    Já que fui inscrito na bancada Cética, já adianto que não sou daqueles inveterados materialistas de carteirinha, se apresentarem EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS do Sobrenatural, eu até passo a acreditar…
    .
    O problema é que só temos EVIDÊNCIA ANEDÓTICAS até o momento, e muita Fé da parte dos pesquisadores…

  33. Espírita Sp Orlando Diz:

    Tsc tsc Gorducho. Sua telepatia ainda não está boa. Me confunde com Scur,Vlader e agora confunde VICTOR com o Vitor. Aff.
    Acho bom que se faça pesquisa mesmo. A AME faz varias e em 2016 haverá congresso com muitas novidades.
    Sobre FOME CANCER se formos nisso direto Victor então precisamos nos desfazer dos carros,casas,celulares etc. e usar dinheiro para combater a fome. E o governo? E os gorduchos impostos??? Pesquisa é sempre bom.
    Iam provar o que Jesus falou a fé move montanhas.

  34. Vitor Diz:

    “O problema é que só temos EVIDÊNCIA ANEDÓTICAS até o momento, e muita Fé da parte dos pesquisadores…”
    .
    Sugiro que leia o texto disponível em:
    .
    http://obraspsicografadas.org/2013/refutao-da-crtica-de-richard-rockley-pesquisa-de-ian-stevenson-2013/
    .
    Aqui reproduzo o 2º comentário:
    .
    Os céticos assumem uma posição bastante peculiar sobre o que constitui evidência científica. Para eles, aparentemente, a evidência para ser chamada de “científica” deve passar por um limiar de confiabilidade, sendo este critério preenchido principalmente por relatórios sobre experimentos publicados em revistas e jornais. A evidência anedótica seria simplesmente muito fraca para ser admissível no tribunal da ciência, e julgam que nenhuma ciência pode usar histórias como prova porque elas são propensas a erros, distorções e falsificações retrospectivas. Esta não é apenas uma posição muito conservadora, é uma com a qual os filósofos e os historiadores da ciência contemporâneos dificilmente concordariam. Se seguirmos esse critério rigoroso e destituirmos toda a evidência anedótica, não só eliminamos as ciências sociais (especialmente aquelas que dependem da etnografia), mas também muito em medicina e nas ciências naturais (especialmente etologia, grande parte da geologia, biologia e astronomia, e, certamente, muito da psicologia clínica).
    .
    Os céticos parecem ignorar o fato de que alguns relatos são melhores do que outros. Assim como os tribunais não descartam todo testemunho humano, a ciência o usa e igualmente distingue o testemunho ocular de boatos, os especialistas das testemunhas comuns, e assim por diante. Em ciência, um relatório de observação de um evento incomum normalmente receberá mais peso caso se trate de um investigador experiente do que se de um novato, se houve múltiplos observadores ou apenas um. Anedotas não são todas cientificamente iguais e, certamente, não são todas igualmente descartáveis. Tudo isso para não dizer nada sobre as questões epistemológicas mais profundas, como o fato de que os relatos experimentais são eles próprios vulneráveis à maioria das críticas levantadas sobre o testemunho humano.
    .
    Além disso, Relato de Casos Anedóticos não é a mesma coisa que Estudo de Casos. E mero Estudo de Casos não é a mesma coisa que Estudo de Casos com Tentativa de Controle de Variáveis Envolvidas e Tentativa de Avaliação Quantitativa. Os estudos CORT (Cases of the Reincarnation Type, ou “Casos do Tipo Reencarnação”) não estão incluídos na primeira categoria (que é a mais fraca). Os estudos CORT também não estão incluídos na segunda categoria (de força mediana). Eles fazem parte do terceiro grupo, que possui força bem superior: Estudo de Casos com Tentativa de Controle de Variáveis Envolvidas e Tentativa de Avaliação Quantitativa.

    .
    Acrescento que, se por evidência sólida você considera eventos os quais possam ser testados e medidos,isso é feito e reproduzido com os fenômenos psíquicos tais como telepatia. Nós temos os experimentos telepáticos controlados em Ganzfeld que foram reproduzidos inúmeras vezes e mesmo “Telepatia em Sonhos” (uma replicação menor, mas ainda assim fantástica).

  35. Gorducho Diz:

    Sua telepatia ainda não está boa.
    Uma coisa que não existe não pode “estar boa” ou “estar má”, não acha?
     
    Me confunde com Scur,Vlader e agora confunde VICTOR com o Vitor. Aff.
    Acho bom que se faça pesquisa mesmo. A AME faz varias e em 2016 haverá congresso com muitas novidades
    .
    Perfeito! Que ele monte o laser e as fendas dele, resolva as equações do sistema, atente p/as interferências externas sem tentar manipular a estatística (que nesse tipo de experimento, ao contrário da parapsicologia, sim não só se aplica como é fundamental); e tudo bem.
    Esperaremos sentados…
     
    Quanto a eu lhe confundir c/o AS, quem m/confundiu foi S/Pessoa. Lembra que lhe perguntei sobre a cidade serrana a 1h daí e me respondeu c/um sorriso?
    Depois que estava de passagem por SP?
    Quanto ao Dr. está, não é ele. Mas está perfeitamente ao par da programação da AME…
    Também sabe decor o estatuto ditado pelo Dr. Bezerra?

  36. Espírita Sp Orlando Diz:

    Claro que conheço.o estatuto. Recebida pela saudosa Dra.Marlene.
    Eu nao me incomodo:
    5) Não se sente incomodado por ter na base de seus estudos as revelações de Kardec e Chico Xavier.Vai além, inspira-se nessas informações para fazer pesquisas científicas.
    Sei que alguns não compreendem ainda

    2) Respeita os colegas que não o compreendem, que o desqualificam, que têm preconceito em relação a sua crença e conduta. Continua, todavia, a agir da mesma maneira, sem orgulho ferido, ou decepção paralisante.

  37. Espírita Sp Orlando Diz:

    Link sobre homeopatia novo material
    http://homeozulian.med.br/homeozulian_visualizarlivroautor.asp?id=4

  38. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “MONTALVAO, mande umas ondas telepáticas com sugestões de sono pra mim, meus remédios não estão funcionando.
    Fico morrendo de sono, MAS NÃO DURMO. (-_-)zzz”
    /.
    BEM, a essa hora ou você acabou dormindo ou acordou-se de vez… talvez nem veja este, razão pela qual posto-o na postagem articular mais recente.
    .
    Meu supercomputador começou a queimar-se por inteiro. Meu ssd novinho, superrápido beleleuzou-se: do nada apagou geral. Nela estava o sistema operacional mais moderno que a tecnologia produziu: win10.
    .
    Como desgraça pouca é pouca desgraça, lá se foi meu hub, meu roteador e antes que mais algo morresse apaguei-o-o até descobrir que mandinga foi essa.
    .
    Estou desutilizando um velho notebook, guardado para emergências emergenciais, qual é este o caso. Mas odeio e detesto teclar em notebook, vou-lhe agregar teclado externo para poder com ele trabalhar.
    .
    Estarei precário informaticamente falando por vários dias, ou mais, a depender do custo da reforma.
    .
    E quanto ao sono do meu amigo? Se depois de ler essa choradeira não cair em delírios oníricos tão não tem jeito não… ou quase…
    .
    Tente ioga, não a tântrica, a hatha mesmo. Faça a postura viparita karani por quinze minutos depois retorne ao decúbito dorsal e imagine-se navegando sobre uma nuvem rósea pelos sítios celestes, cada vez mais relaxado, beeeemmm relaxado… beeeemmmm relaxado…
    .
    Dormiu?

  39. Gorducho Diz:

    Claro que conheço.o estatuto. Recebida pela saudosa Dra.Marlene.
    Link sobre homeopatia novo material

     
    Pois então: a identidade dos indiscerníveis do Leibniz!
    Fraterno abraço Dr.!

  40. Sandro Diz:

    Lendo aqui os comentários, principalmente do “Gorducho”, me parece que não dimensionou a importância da pesquisa.

    O fato será: Se a mente de ALGUNS consegue alterar algo material e isso não pode ser “acoplado” no atual modelo materialista, isto demonstra (mais uma vez) que o atual modelo é incorreto, mesmo obtendo-se resultados esperados para situações normais.

    PS. Facilmente pode-se eliminar ou descobrir se a mente/cérebro gera alguma onda eletromagnética q pode alterar o “feixe”, basta limitar ou obstruir o “humano” que irá gerar o fenômeno (exemplo, parede de chumbo)..

    Isso ja foi feito em experimentos telepáticos e demonstrou que não bloqueia.

  41. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Causou-me intraduzível espanto contemplar o gerente postando e apoiando pesquisa nacional. Julgava que para ele, em definitivo, a prata de fora brilha mais e melhor que a da casa. No entanto, logo achei “explicamento”: o trabalho do Gerrer é prolongamento do de Radin, este alienígena e fortemente valorizado pela administração. Se o físico nacional ratificar Radin (ó que sonho!) desconfio que o site oferecerá gratuitamente goles da mais fina cachaça a todos os céticos que aqui comparecem. Afinal, uma “mudança de paradigma” que tal pesquisa, se bem sucedida, (ó sonho “meu”…) acarretará é motivo para comemoração em alto nível. Observa-se que até nossa musa, sempre bem pé no chão, não deixou de se impressionar com a proposta.
    Tudo bem, que venham pesquisas (bem feitas, bem fiscalizadas): melhor que ficar a ouvir ad infinitum pagodes ditos científicos, quais os propalados por Dean Radin e Sheldrake dog-telepático.
    .
    Conforme noticiei tô me comunicando precariamente, quase recorro telepatia para transmitir meu recado, só não o faço porque os céticos presentes criam campo inibidor. Pondero em seguida sobre alguns dos “posts”. Antes, destaco:
    .
    SUPERDESINTERESSANTE: “Os resultados foram muito sutis, mas ainda assim impressionantes. Em três artigos, ele mostrou que a maioria das pessoas não consegue mudar em nada o comportamento da luz. Mas alguns indivíduos – geralmente meditadores experientes, mas também ALGUNS MÚSICOS e praticantes de artes marciais – geravam um efeito muito discreto, porém indiscutível. A conclusão é que pessoas com alta capacidade de concentração conseguem desviar as partículas de luz, que são feitas de matéria, usando apenas a mente.”
    .
    OLHA OS MÚSICOS DO VISONI finalmente aparecendo… pena que foram só “alguns”…
    /
    /
    Larissa Diz: Já fiz minha doação e já divulguei aos meus contatos.
    ./
    ESSA MENINA quando crescer vai dar trabalho…
    /
    /
    Victor Diz: Mas qual seria a utilidade dessa pesquisa, digamos para o nosso dia a dia?
    /
    Gorducho Diz: Está a provocar?
    /.
    QUAL GORDUCHO, igualmente me surpreendi ao ouvir o gerente atrever-se ao comentário. Mas, logo ficou explicado: é um quase homônimo em manifestação… E parece uma versão cética do Visoni. Para quem almejava saber como seria o Moura surfando em mares questionadores parece estar aí a resposta…
    /
    /
    Vitor Diz: muitas vezes uma aplicação prática só é pensada depois. Gilson Volpato fornece vários exemplos e justificativas para as pesquisas sem aplicação prática a priori:
    .
    [...] “imagine que um tipo de lavoura importante para nossa alimentação começa a morrer. Sem dúvida, parar essa mortalidade é fundamental. Mas como fazer isso se não sabemos o que está causando essa mortalidade? Depois de algumas observações, descobrimos que se trata de um inseto, pois sempre que ele está presente a lavoura começa a definhar. Descobrimos até que o tal inseto é conhecido como Nebulsosus marginalis. Mas agora vem o problema: nada sabemos sobre ele. Num primeiro momento usamos o que conhecemos sobre outros insetos para resolver a questão, mas logo percebemos que isso não funciona com o N. marginalis.”
    /.
    CONHEÇO HISTÓRIA UM TANTO PARECIDA, um trecho: imagine que um país que começa a morrer e grosso da população não se deu conta. Sem dúvida, parar essa tendência é fundamental. Mas como fazer isso se não sabemos o que está causando a moléstia? Depois de algumas observações, descobrimos que se trata de um vírus, pois desde que passou a agir a tragédia teve início. Descobrimos até que o tal patógeno é conhecido como LUIZINACIUS. Mas agora vem o problema: ele contamina a mente de muitos a um ponto que não percebem sua periculosidade. E a nação afunda cada vez mais sem saber como se livrar da praga…
    /
    /
    Larissa Diz: Todo mundo aqui fala em experimentos. Finalmente temos um. Crendo ou não, vou dar meu apoio. Aplicação prática de imediato não há nenhuma. O que haverá, caso confirmados os resultados, é uma mudança de paradigma. Isso não seria fantástico?
    .
    FANTÁSTICO SERIA se desse certo. Note que as considerações estão recheadas de “se”, correta, pois, sua consideração (“caso confirmados os resultados”). De qualquer modo, para mudar paradigma será necessário algo maior que creio Gerrer conseguirá (aqui imaginando-se que alcance sucesso). Seja como for, nem Guerrer, nem Radin, ainda sabem, mas se tudo funcionar mais ou menos como supostamente acreditam que talvez aconteça, um dos efeitos imediatos será retirar o condicional da conjetura de Moi, a qual, presentemente, reza: “psi, SE EXISTIR, será força débil, incerta, sem controle por parte de quem a ostente, e sem utilidade conhecida”. Sai, pois, o “se existir”, o demais se mantém inalterável…
    .
    Entretanto, aviso aos esperançosos: ainda que Guerrer confirme Radin, haverá necessidade de mais confirmações: tantas quanto necessárias para prover conclusão segura. Ninguém imagine que o pesquisador nacional fará o milagre da resolução final…
    /
    /
    Gorducho Diz: A priori não m/parece impossível que mentes humanas possam digamos irradiar algum tipo de “radiação” – num sentido genérico, sem sabermos exata natureza e “intensidade”. Mas me parece que não é esse o foco deles…
    /.
    POIS É, E TÔ CONTIGO no raciocínio (mas não no apoio à suposição): não é inteiramente descartável (embora pouco provável) que o cérebro possa emitir alguma forma de energia ainda não detectada. Mas se tal se der será um sinal tão débil, tão brando, tão miúdo, que só afetaria (mal) o mundo quântico…
    /
    /
    Gorducho Diz: [...]Ou seja, mesmo que cérebros possam “irradiar” “algo” que em tese poderia influir num feixe luminífero, não creio que essa “irradiação” física se modifique pelo fato do indivíduo pensar acerca do experimento. Poderia se modificar pelo indivíduo estar concentrado, relaxado, dormitando &c. Até aí sim.
    Mas, veremos…
    /.
    DE FATO, e como bem disse, se o cérebro “irradiar” alguma coisa certamente será física. E, destacou bem: não será por pensar no experimento de um modo ou doutro que ele se modificará ao arrepio do pensamento. Isso é sonho de doido daqueles bem doidão. Basta pensar nas consequências dessa ideia levada ao extremo, por exemplo: em vez de pensar no feixe passando na fenda A, imagino-o que não passando em nenhuma; ou, em vez de passar por elas, as arrombe; ou que vá fazer cócegas no suvaco do experimentador…
    /
    /
    Larissa Diz: E o cientista é um cara que tem PHD e física e estuda isso desde que se entende por gente…não merece uma chance?
    /.
    AÍ TÔ DO SEU LADO: merece todas as chances do mundo…
    .
    Quase uma da manhã, e eu que não sou marciano nem nada vou dar uma durmidinha básica…

  42. Gorducho Diz:

    me parece que não dimensionou a importância da pesquisa.
    De fato errei na m/resposta inicial à Analista Larissa, pois que sim é um experimento de paraψcologia. Pois que a vontade, i.e., o tipo de pensamento do emitente deverá afetar o vetor de estado do feixe luminífero.
    E ok, quem está impedindo – nem que fosse Císar, não o faria… – que ele faça o experimento p/confirmar a Conjectura de Montalvão?
     
    Facilmente pode-se eliminar ou descobrir se a mente/cérebro gera alguma onda eletromagnética q pode alterar o “feixe”, basta limitar ou obstruir o “humano” que irá gerar o fenômeno (exemplo, parede de chumbo)..
    De noto pequei pela pressa… Por “irradiação” estava a pensar em algo genérico ainda indefinito, capaz de afetar outros objetos quânticos que no caso será o aparato experimental dele.
    E nesse caso quântico chumbo não bloqueia. O fulcro está em que eles acreditam que o tipo de pensamento do psíquico – visto que eles já concluíram não serem todos humanos terrícolas capazes de &c… – permitirá uma diferenciação relativa à influência das demais mentes que possam afetar o aparato.
    Essas demais mentes constituiriam então um ruído branco quântico, i.e., entrariam no termo de disturbância; na prática não afetando o resultado como se sabe dos experimentos convencionais que sempre foram feitos.

  43. Gorducho Diz:

    De qq maneira, vê-se uma saudável reversão de expectativas por parte dos Crentes.
    Primeiro até máquinas de escrever escreviam telecineticamente.
    Depois os ψquicos conseguiam na posição de queda de dados, mas só desvios estatísticos em relação à distribuição uniforme esperada p/um dado bem balanceado.
    Depois só conseguiam influir eletronicamente na geração de n°s aleatórios; também só desvios estatísticos.
    Agora a coisa já é só quântica, i.e., o ψ só consegue influir no vetor de estado…
     
    Proposta para a Conjectura de Montalvão Atualizada, a vigorar em caso de sucesso do experimento:
     
    Ψ é força débil, incerta, sem controle por parte de quem a ostenta, e sem utilidade conhecida.

  44. Gorducho Diz:

    ERRATA
    Depois os ψquicosconseguiam influir &c.

  45. Vinicius Diz:

    Analista Montalvão e outros: há alguma obra não espírita que aborde o tema “processo humberto de campos x FEB/CX” (o do Miguel Timponi, foi editado pela FEB, ainda não li, mas queria um que mostrasse o outro lado.

    “Montalvão Diz:
    dezembro 17th, 2013 às 12:19 PM
    As questões jurídicas ligadas ao caso, e aqui comentadas pelos nobres e sapientes causídicos, foram todas elas (e mais outras) abordadas na contestação
    espírita à queixa da família Campos. Para os interessados em conhecer como as lides judiciais se desdobram e como as opiniões se confrontam recomendável examinar o livro de Miguel Timponi: “A Psicografia ante os Tribunais”. Conquanto seja a manifestação de uma das partes (dos acusados), a obra contém boa aula de direito. Vários dos argumentos da defesa são falaciosos e sofismáticos, mesmo assim, no todo, foi trabalho admirável.”

  46. Borges Diz:

    Feixe de laser eu nunca consegui desviar, mas aquela bola que o Roberto Baggio chutou em 1994, eu consegui desviar, mentalizando exatamente o que ocorreu com a trajetória da gorduchinha, depois foi só partir para o abraço, pois o tetra estava no papo.

  47. Gorducho Diz:

    Já o espiritismo, usando, claro, espíritos, era bem mais eficaz. Dr. Bezerra relata sessão espirita assistida por “um dos vultos mais eminentes da moderna ciência italiana”, o professor Cesare Lombroso:
    uma campainha que estava sobre uma jardineira, levantou-se no ar, retinindo por cima da cabeça dos assistentes, e, depois de ter descrito um círculo em volta da mesa, voltou, enfim, de novo ao mesmo lugar.
    Lombroso, ainda incrédulo, pediu que se repetisse, outra vez, este fato extraordinário, e a campainha começou, de novo, a tinir, sem que ninguém a tivesse tocado
    .
     
    Agora espíritos não movimentam mais objetos, e a telecinese é só quântica :x

  48. Gorducho Diz:

    Afinal qual é sua tese acerca dos nefilins, Analista Borges?

  49. Gorducho Diz:

    Falando como leigo absoluto só porque não resisto em meter a colher, Analista Vinícius, e até aparecerem AMa e AT, que são do ramo:
    a petição continha um erro essencial, que era solicitar que um morto adquirisse direitos (autorais no caso) cá na crosta. Ora, a capacidade de adquirir direitos extingue-se c/o óbito…
    Teria que ter pedido indenização por uso indevido de nome notório, i.e., tirar proveito comercial de nome alheio reconhecido. Algo assim…
    Mas não sei se no ordenamento jurídico de então haveria essa possibilidade… :?:

  50. Gorducho Diz:

    Aliás que havia possibilidades havia, tanto que a FEB passou a usar o nome Irmão X p/evitar futuros incômodos.

  51. Borges Diz:

    “Gorducho Diz:
    OUTUBRO 28TH, 2015 ÀS 10:05 AM
    Afinal qual é sua tese acerca dos nefilins, Analista Borges?”

    Quanto aos nefilins , acho que não há o que discutir, foram resultado da irresponsabilidade dos sentinelas (ETs?) que fecundaram as filhas dos homens (terráqueas). Nefelins eram gigantes e passaram a destruir tudo o que os homens produziam.
    “Livro de Henoc – cap 7 – 12 a15.

    12Cuja estatura era de trezentos cúbitos. Estes devoravam tudo o que o labor dos homens produzia e
    tornou-se impossível alimentá-los;
    13Então eles voltaram-se contra os homens, a fim de devorá-los;
    14E começaram a ferir pássaros, animais, répteis e peixes, para comer sua carne, um depois do
    outro, (8) e para beber seu sangue.
    (8) Sua carne, um depois do outro. Ou, “de uma outra carne”. R.H. Charles nota que esta frase pode referir-se à
    destruição de uma classe de gigantes por outra.”
    Veio a ordem para a destruição dos gigantes:
    “LE-l0-13
    13A Gabriel também o YHWH disse: Vai aos bastardos, (13) aos réprobos, aos filhos da fornicação; e
    destrói os filhos da fornicação, a descendência das Sentinelas de entre os homens; traga-os e excitaos
    uns contra os outros. Faça-os perecer por mútua matança; pois o prolongamento de dias não será
    deles.
    (13) “bastardos” (Charles, p. 73; Michael A. Knibb, ed. and trans., The Ethiopic Book of Enoch [Oxford: Clarendon”
    Quanto aos sentinelas:
    “LE -19 – 1 a 3.
    “Capítulo 19
    1Então Uriel disse: Eis aqui os anjos que coabitaram com mulheres, escolheram seus líderes;
    2E sendo numerosos em aparência (30) profanaram os homens e fizeram com que errassem; assim
    eles sacrificaram aos demônios como aos deuses. Pois no grande dia haverá um julgamento, no qual
    eles serão julgados, até que sejam consumidos; e suas esposas também serão julgadas, as quais
    levaram desencaminhadamente os anjos do céu para que as saudassem.
    (30) Sendo numerosos em aparência. Ou, “assumindo muitas formas” (Knibb, p. 106).
    3E eu, Enoque, só vi a aparência do fim de todas as coisas. Não tendo visto nenhum homem
    enquanto via as coisas”
    Sobrou até para as pobres terráqueas.
    Os degredados de capela, na minha opinião, se encaixam melhor na figura dos sentinelas que dos nefilins.
    Obrigado

  52. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Larissa Diz: Sobre a pesquisa…para podermos debater.

    “O interessante é que com todos os avanços científicos dos últimos séculos, ainda não temos modelos satisfatórios e estamos longe de explicar o que é e como a consciência funciona. Ainda estamos estagnados em uma das primeiras questões que podem ser elaboradas sobre o tema: quais são os ingredientes necessários para que esse espetáculo ocorra? Em outras palavras, a consciência é um produto da matéria ou seria algo tão fundamental quanto?”
    /.
    MINHA CONSIDERAÇÃO: em pricípio deve-se supor que a consciência seja produto da matéria, do mesmo modo que a vida o é. Conquanto isso não elida a esperança de que haja algo de “espiritual” na existência, o fato é que todos os fenômenos conhecidos são de origem física, a não ser os fenômenos imaginados (anjos, mediunidade, diabo…), os quais podem constituir certezas para muitos, mas, a rigor, deles não se têm qualquer prova concreta. Mesmo assim, nada contra quem almeje investigar a possibilidade de a consciência ser algo apartado da estrutura física, conquanto essa ideia traga mais problemas que soluções, visto que a suposição carece de evidências satisfatórias de que possa ser realidade.
    .
    O fato de não haver, ainda, resposta esclarecedora sobre como a matéria produz a consciência, tal não implica necessariamente que seja algo transcendental: dificuldade em encontrar explicação não responde a dúvida alguma, apenas mostra que o problema é mesmo difícil. Quer dizer, se após feitas todas as pesquisas possíveis e imagináveis, ainda assim a consciência se apresentar arredia à matéria, aí se poderia postular com legitimidade a transcententabilidade consciencial, mas até chegar a esse ponto muitas águas rolarão.
    .
    Se pensarmos rigorosamente na questão (“a consciência é um produto da matéria ou seria algo tão fundamental quanto?”) perceberemos que faz muito pouco sentido. Os que assim inquirem sequer têm uma definição precisa do que seja consciência. Em outras palavras, mesmo sem saber exatamente do que falam falam como se soubessem…
    /
    /
    “Percebemos que o atual consenso científico é materialista. Isso significa que a maioria dos cientistas partem da premissa de que a matéria é a única substância fundamental que compõe o mundo. Nessa visão, poderíamos reduzir a nossa experiência interna a reações químicas e mais fundamentalmente a interações físicas. Nessa visão, consciência é o produto emergente de uma organização complexa de neurônios chamada cérebro. Nessa visão, cérebro gera consciência. Logo, consciência seria um desenvolvimento mais recente do processo evolutivo, uma capacidade exclusiva de seres dotados de complexa estrutura cerebral.”
    .
    MINHA CONSIDERAÇÃO: o texto confunde ciência com filosofia; o conceito de “substância” em termos filosóficos não corresponde ao científico. Filosoficamente, substância equivale ao material fundamental da existência, a discussão nessa área busca resolver se existe um único material ou mais de um (no caso, matéria e consciência). No meio científico, substância designa a matéria em forma complexa, ou seja, composta. Os componentes fundamentais da matéria são os “elementos”, por exemplo, oxígênio e hidrogênio são elementos: juntando-se um átomo de oxigênio com dois de hidrogênio temos a molécula da substância conhecida por “água”. Sendo o átomo a menor parcela de um elemento que conserve suas propriedades é ele o fundamental da matéria.
    /
    /

    “Porém, existem algumas dificuldades em relação ao paradigma materialista. Inicialmente, ninguém ainda conseguiu explicar como que as propriedades físicas dos sistemas como posição, momentum, spin, comprimento de onda, etc, podem dar origem a algo de uma natureza completamente diferente como, por exemplo, a sensação/experiência subjetiva da cor vermelha. Argumenta-se em relação a esse ponto, que a consciência é um produto que surge de uma organização complexa e que ainda não conseguimos entender essa tradução por limitações da nossa própria inteligência.”
    /.
    MINHA CONSIDERAÇÃO: o fato de que “ninguém ainda conseguiu explicar” não significa que seja inexplicável, apenas denota que o caso é mesmo difícil de ser compreendido em todas suas implicações. O homem levou milênios para entender que as coisas que vemos e manuseamos são constituídas de agregados de substâncias simples e estas de agregados de elementos. A combinação de elementos forma substâncias com propriedades novas; a combinação de substâncias forma corpos com propriedades inexistentes em seus componentes básicos. Em suma, à medida que corpos complexos vão sendo formados a eles se agregam novas características. Assim, quando “sábios” alegam que a consciência possui propriedades que não são redutíveis ao aparato cerebral que o comporta, como se tal fosse óbice definitivo, a provar que a consciência seja algo além do cérebro, em verdade não estão proferindo coisa alguma que mereça registro.
    /
    /
    “Se o cérebro é consciência e é descrito pela FC, as trocas de informação entre seres humanos devem ser mediadas apenas por ondas sonoras, eletromagnéticas e vibrações.
    .
    A boa notícia é que a validade da premissa materialista pode ser testada em laboratório. Basta desenvolver um experimento que revele uma troca de informação, ou uma interação, entre dois sistemas em um contexto cujas fontes usuais de mediação estejam impossibilitadas.”
    /.
    MINHA CONSIDERAÇÃO: e basta que esse experimento produza respostas robustas o suficiente para amparar a tese proposta… Aqui devemos registrar um ponto positivo: os envolvidos estão dispostos a pôr suas suposições em avaliação técnica, o que é atitude não só nobre como correta. Diferentemente dos crentes, que recusam firmemente expor suas crenças à verificação objetiva. Este é caso, por exemplo, da mediunidade, cuja proposição fundamental é a de que os mortos comunicam com os vivos. Para os mediunistas a “boa notícia” seria a de que a conjetura poderia ser condizentemente testada e mostrada verdadeira, mas cadê adepto disposto a submetê-la a tais verificações?

  53. Vinicius Diz:

    “Gorducho Diz:
    OUTUBRO 28TH, 2015 ÀS 10:18 AM
    Aliás que havia possibilidades havia, tanto que a FEB passou a usar o nome Irmão X p/evitar futuros incômodos”
    e nos “corredores” e “bastidores” nunca deixaram de fazer a ligação de que “irmão X” era “humberto de campos”.

    Lembra-me aquelas pessoas que vem ao pé de ouvido e falam: olha, não conte para ninguém, Chico mandou guardar segredo a sete chaves, mas como você é da casa e sabe como as coisas funcionam por aqui, vou lhe contar: HC é Irmão X! Daí, claro é conveniente que isso se espalhe.

    DPF não cometeu desses deslizes né? Na TV ou em Jornais não aparece DPF psicografando para entes queridos (“querida mamãe, deixei de fumar, pois vi que me fez muito mal” ) ? Ou estou enganado?

  54. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vinicius Diz: Analista Montalvão e outros: há alguma obra não espírita que aborde o tema “processo humberto de campos x FEB/CX” (o do Miguel Timponi, foi editado pela FEB, ainda não li, mas queria um que mostrasse o outro lado.
    /.
    PONDERAÇÃO: Vinicius, devo ter, no meu computador ferido algum material sobre o evento, mas vai ter que esperar eu poder consertá-lo ou, caso eu não o consiga, o trabalho técnico internacional para isso selecionado, o que pode demorar um tempo, a depender de disponibilidades financeiras. Por enquanto, o que posso lhe dizer é que o caso provocou amplos debates na imprensa: se conseguir acesso a jornais da época poderá obter algum subsídio. Que eu conheça, o melhor material para se avaliar o caso é mesmo o livro do Timponi. Apesar de ser obra que objetiva exaltar a “vitória” espírita, ainda assim, expõe a documentação que deu azo a celeuma, tanto da parte do queixoso quanto da do réu. Nela encontrará o necessário para extrair suas conclusões.

  55. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Espírita Sp Orlando Diz: Tsc tsc Gorducho. Sua telepatia ainda não está boa. Me confunde com Scur,Vlader e agora confunde VICTOR com o Vitor. Aff.
    /.
    MINHA APRECIAÇÃO: Samporlando o Victor parecia ser o Vitor até que se viu o engano, creio que enganou a todos aqui, ou quase. O que demonstra que telepatia, se existir, é “força” que foge ao controle de quem supostamente a ostente…
    .
    Apesar de haver quem ainda o identifique com o Scur, desde o início fui contra. Porém, no que diz respeito ao Vlad ainda não estou convencido: quando um aparece desaparece o outro, que nem o Dr. Robledo e o Cavaleiro Negro…
    /
    /

    “Acho bom que se faça pesquisa mesmo. A AME faz varias e em 2016 haverá congresso com muitas novidades.”
    /.
    PONDERAÇÃO: tomara que, entre as novidades, venham pesquisas que mereçam exame, pois das investigações da AME que conheço, benza Deus: tragédias puras. Exemplo: a pesquisa com João de Deus.
    .
    Contudo, concordo: é bom que hajam boas pesquisas.

  56. Vinicius Diz:

    Obrigado Montalvão. Vou ler sim.
    E sobre aquele caso que o camarada foi inocentado depois a “vitima desencarnada” ditou ao CX que o disparo foi acidental? Isso está nesse livro também?

  57. Marciano Diz:

    VICTOR, ao contrário de alguns médiuns de carteirinha, conforme tópico anterior
    .
    http://obraspsicografadas.org/2015/profissao-paranormal-materia-da-superinteressante-2015/#comments
    .
    eu não tenho carteirinha de cético, não sou inscrito em órgão de classe de céticos, não sou sindicalizado, etc.; se me provarem cientificamente a existência do Sobrenatural de Almeida (prova científica de verdade, não a empulhação que vem sendo mostrada até agora) eu também passo a acreditar.
    Eu não acreditava que a soma dos quadrados dos catetos nos ângulos retos fosse igual ao quadrado da hipotenusa, até ver a demonstração…
    .
    .
    .
    .
    Orlando, você não conhece o tesoureiro da AME SP, médico homeopata?!
    .
    http://www.amesaopaulo.org.br/#!diretoria/cquc
    .
    Existe mais de uma AME em SP?

  58. Marciano Diz:

    Olá, MONTALVÃO!
    Não preciso de dizer que sua presença é bem-vinda (já o disse).
    Claro que já dormi depois daquele dia, mas debalde já passei mais de uma noite em claro, à espera de comunicações telepáticas suas de qualquer outra pessoa, encarnada ou desencarnada.
    .
    Curioso é que acabo de comprar um note com windows 10, mas ainda estou fazendo backup do antigo (este do qual vos falo) para o novo.
    Tenhos outros mais antigos também, todos funcionando, mas já que ia fazer upgrade, resolvi comprar um novo e mais potente.
    Eu não tenho seu problema, teclo em notebooks, tablets com teclado virtual, smatphones idem, um antigo netbook que ainda funciona…
    Seu problema é que está acostumado com só um tipo de teclado.
    .
    Meu sono, ou falta dele, é o mesmo desde que nasci, oscilando por períodos ruins e outros piores.
    .
    Unfortunately, sou igual a Lennon neste aspecto: ♪ I don’t believe in yoga ♫ .
    John Lennon – God

  59. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Sandro Diz: O fato será: SE a mente de ALGUNS consegue alterar algo material e isso não pode ser “acoplado” no atual modelo materialista, isto demonstra (mais uma vez) que o atual modelo é incorreto, mesmo obtendo-se resultados esperados para situações normais.
    /.
    PONDERAÇÃO: não podemos deixar de registrar que entre SIM (a mente influencia a mátéria) e NÃO, há um “Se” do tamanho de um tubarão: quando, e se, esse tubarão for eliminado aí sim será possível fazer afirmações a respeito da mente possuir poderes extranormais. Por enquanto, o bicho tá lá, de bocarra escancarada, buscando a quem possa tragar.
    /
    /
    SANDRO: PS. Facilmente pode-se eliminar ou descobrir se a mente/cérebro gera alguma onda eletromagnética q pode alterar o “feixe”, basta limitar ou obstruir o “humano” que irá gerar o fenômeno (exemplo, parede de chumbo). Isso ja foi feito em experimentos telepáticos e demonstrou que não bloqueia.
    /.
    PONDERAÇÃO: entre afirmar e demonstrar há distância… que experimentos foram esse que “demonstraram” sei lá o quê?
    Que onda eletromagnética é esta, gerada pela mente, que transpassa parede de chumbo, sabendo que o chumbo é bloqueador de tais ondas? Se transpuseram o bloqueio então não são magnéticas. Se não são magnéticas, são o quê?
    .
    Além disso, pelo que se vê, Radin sequer cogitou usar parede de chumbo em seus experimentos…
    /
    Entretanto, talvez a inquirição correta não seja por aí, mas: será que os tais experimentos, REALMENTE, demonstraram a telepatia? Se demonstraram, por que, então, a telepatia não faz parte do rol de coisas acatadas cientificamente?

  60. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vinicius Diz:Obrigado Montalvão. Vou ler sim.
    E sobre aquele caso que o camarada foi inocentado depois a “vitima desencarnada” ditou ao CX que o disparo foi acidental? Isso está nesse livro também?
    /.
    RESPOSTA: não, o caso de que fala ocorreu bem depois do de Humberto Campos. Dele encontra fácil informações, jogue no google: “carta psicografada inocenta réu”.

  61. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Seu problema é que está acostumado com só um tipo de teclado.”
    /.
    PONDERAÇÃO: com dedos já não tão saudavelmente robustos, não posso me dar ao luxo de ser adaptativo à massa tecladarial disponível, além disso, sou fiel: se me firmei com um sigo firme com ele.

  62. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “eu não tenho carteirinha de cético, não sou inscrito em órgão de classe de céticos, não sou sindicalizado”
    /.
    PÔ, LOGO AGORA QUE INDIQUEI seu nome a menção honrosa no Conselho Regional, e o sugeri para a diretoria do sindicato?

  63. Marciano Diz:

    Esse LUIZINACIUS é o pior vírus da história terrícola e, quiçá, de todo o universo.
    Causa a mais estúpida e resistente forma de crendice.
    .
    .
    .
    POIS É, E TÔ CONTIGO no raciocínio (mas não no apoio à suposição): não é inteiramente descartável (embora pouco provável) que o cérebro possa emitir alguma forma de energia ainda não detectada. Mas se tal se der será um sinal tão débil, tão brando, tão miúdo, que só afetaria (mal) o mundo quântico…
    /
    /

    E a lei da conservação da energia foi estupidez pura.
    Quanta energia seria necessária para enviar um pensamento a distâncias telepaticamente úteis?
    No caso da verdadeira transmissão de pensamento, esta que ora usamos aqui mesmo, sabemos do custo energético e do aparato necessário, inclusive satélites orbitais.
    .
    .
    .
    VINICIUS, o assunto já foi discutido aqui:
    .
    O comentarista Toffo disse exatamente:
    Não estou muito a par do processo da família de Humberto de Campos x FEB/CX, mas acredito que o advogado da família comeu bola. Segundo consta no texto, a família de Humberto de Campos intentou uma ação declaratória contra a Federação Espírita Brasileira, com o fim do verificar a autenticidade da obra, determinando as relações daí decorrentes. Ele errou a ação e o pedido, a meu ver. Como ele poderia pedir ao Judiciário a autenticidade da suposta obra mediúnica, já que para isso seria necessário aceitar a existência e a sobrevivência de espíritos, e alegar a sobrevivência do espírito de HdeC para que se verificasse, então, a autenticidade? Se intentada hoje, a ação seria declarada improcedente sem julgamento do mérito, sob a justificativa de que o objeto da ação é juridicamente impossível. Na verdade, ele deveria entrar, contra a FEB e CX, com uma ação condenatória pelo uso indevido do nome do autor – sem permissão dos herdeiros, já que se trata de autor morto – e indenização por perdas e danos. Tal como ocorreu, esse processo me pareceu um tanto kafkiano. Surrealista.
    .
    http://obraspsicografadas.org/2013/o-processo-movido-pela-famlia-de-humberto-de-campos-contra-a-feb/
    .
    .
    MONTALVÃO Diz:
    OUTUBRO 28TH, 2015 ÀS 12:36 PM
    .
    MINHA APRECIAÇÃO: Samporlando o Victor parecia ser o Vitor até que se viu o engano, creio que enganou a todos aqui, ou quase. O que demonstra que telepatia, se existir, é “força” que foge ao controle de quem supostamente a ostente…
    ..
    .
    Não foi o meu caso.
    Assim que VICTOR se pronunciou, eu respondi e disse:

    .
    Victor não é VITOR, é?
    É novo na casa?
    Crente ou descrente?

    .
    .
    Está registrado aqui:
    .
    http://obraspsicografadas.org/2015/livro-gratuito-vida-de-jesus-de-ernest-renan-1863/#comments
    .
    .

    Quanto ao assunto VLAD/ORLANDO, volto a dizer:

    Orlando, você não conhece o tesoureiro da AME SP, médico homeopata?!
    .
    http://www.amesaopaulo.org.br/#!diretoria/cquc
    .
    Existe mais de uma AME em SP?

  64. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Borges Diz: Feixe de laser eu nunca consegui desviar, mas aquela bola que o Roberto Baggio chutou em 1994, eu consegui desviar, mentalizando [...]
    /.
    PONDERAÇÃO: já consegui desviar-me de um assalto utilizando tão somente o poder das pernas. Imaginem o que não conseguiria se fizesse uso da paranormalidade? Esta reservo para ocasiões especiais, qual agora há pouco: tava chovendo e minha mulher no mercado: a pé, sem guarda-chuva. Solicitou-me que fosse até lá, ao que retruquei: “faço melhor, paro a chuva!”
    .
    Agora ela quer que eu vá ajudá-la a carregar as compras… vou ter que recorrer à telecinesia…

  65. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Não foi o meu caso.”
    /.
    O QUE NÃO ME SURPREENDE: sua perspicácia, afinada nas variadas atividades que exerceu, fá-lo observador privilegiado, por isso não fui taxativo centos por cento: “enganou a todos, ou quase”: você está dentre os quase…

  66. Marciano Diz:

    O Victor não quis enganar ninguém, apenas apresentou-se singelamente com o prenome, o que causou o espanto, pois o Vitor sem “c” dizendo essas coisas que o Victor diz é mais improvável (no momento) do que uma chuva de diamantes.
    E não escolhi essa chuva em particular por nada.
    É por causa dessa maluquice aqui:
    .
    http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2013/10/131014_chuva_dimante_mdb
    .
    Nem só os pseudocientistas dizem besteiras, os cientistas também (Mateus, 4, 4).

  67. Marciano Diz:

    A pergunta que não quer calar (enquanto não for respondida):

    Quanto ao assunto VLAD/ORLANDO, volto a dizer:
    Orlando, você não conhece o tesoureiro da AME SP, médico homeopata?!

    http://www.amesaopaulo.org.br/#!diretoria/cquc

    Existe mais de uma AME em SP?

  68. Contra o chiquismo Diz:

    VLAD/ORLANDO/sCUr – santa trindade.

  69. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Cuja estatura era de trezentos cúbitos. Estes devoravam tudo o que o labor dos homens produzia e tornou-se impossível alimentá-los”
    /.
    PONDERAÇÃO: o cúbito (ou côvado) era medida de extensão variável, ia desde cerca de 45cm até quase 70 cm. Se os gigantes mediam trezentos cúbitos, então teriam mais ou menos 150m de altura (dá pra imaginar o tamanho do dote desses…). E eles “coabitaram” com as mulheres (quer dizer, comeram-nas, mas não antropofagicamente): as pobrezinhas devem ter sofrido um bocado para aguentar o trampo.
    .
    E mais, o autor de Enoch certamente não sabia, porém sabemos, seres de natureza distinta não produzem rebentos caso copulem. Se os anjos (em alguns livros, fala-se “filhos de Deus”) sapecaram as moçoilas e as emprenharam então não eram indivíduos de natureza distinta, eram, portanto, homens como quaisquer outros. Quer dizer, a lenda vista sob análise técnica se reduz ao que seria plausível ter sucedido: membros de um clã, considerado sagrado (os filhos de Deus), resolveram beliscar as mulheres de outros clãs, tidas por devassas. E a devassidão grassou como grassa até hoje…

  70. Espírita Sp Orlando Diz:

    Por motivos econômicos não sou filiado a AME
    Apenas acompanho noticias

  71. Larissa Diz:

    “Além disso, pelo que se vê, Radin sequer cogitou usar parede de chumbo em seus experimentos…”
    .
    Porque não fazemos uma vaquinha, contribuimos com uma boa soma ao projeto e conversamos em conferência via skype com o cientista? Aí a gente bombardeia o cara de perguntas de todos os tipos, damos sugestões, etc.
    .
    “Entretanto, talvez a inquirição correta não seja por aí, mas: será que os tais experimentos, REALMENTE, demonstraram a telepatia? Se demonstraram, por que, então, a telepatia não faz parte do rol de coisas acatadas cientificamente?”
    .
    O experimento visa, justamente, alavancar a telepatia (ou o nome que eles queiram dar) ao rol de fenômeno cientificamente experimentado. Não dá para conjecturar nada sem a realização do experimento e produção de resultados (ou a não produção deles).

  72. Gorducho Diz:

    Porque não fazemos uma vaquinha, contribuimos com uma boa soma ao projeto e conversamos em conferência via skype com o cientista? Aí a gente bombardeia o cara de perguntas de todos os tipos, damos sugestões, etc.
     
    Esse é um experimento muito complexo pois seriam pequenos desvios, menores que os desvios que se observa mudando os parâmetros físicos nos experimentos de dupla fenda convencionais.
    O experimentador tem que ter muita farinha no saco; tenho minhas dúvidas se cá no Brasil tem pessoal qualificado p/isso…
    Nós não temos condições de palpitar no que concerne ao arranjo experimental e a montagem do modelo de avaliação (agora sim legítimo ao contrário da parapsicologia) estatístico.

  73. Gorducho Diz:

    E mais, o autor de Enoch certamente não sabia, porém sabemos, seres de natureza distinta não produzem rebentos caso copulem.
     
    :?: depende do que considere por natureza; não tem o jumento c/égua?
    E pelo que entendo 300 covados tinham os nefilins, i.e., os filhos dos guardiões c/as terrícolas. Deviam nascer c/mesmo tamanho nosso só cresciam ou mais rapidamente ou durante mais anos – isso ninguém sabe, claro!

  74. Marciano Diz:

    Se não lhe for um incômodo muito grande, ORLANDO, responda às perguntas:

    Conhece o médico homeopata VLAD, tesoureiro da AME SP?

    É o mesmo que comenta aqui, ora com o nome VLAD, outrora YACOV?

    Partilha de seus pontos de vista sobre os assuntos aqui comentados?

  75. Larissa Diz:

    “Nós não temos condições de palpitar no que concerne ao arranjo experimental e a montagem do modelo de avaliação (agora sim legítimo ao contrário da parapsicologia) estatístico.”
    .
    Não, mas podemos perguntar de tudo ao invés de ficarmos conjecturando…era essa a ideia.

  76. Sandro Diz:

    MONTALVÃO Diz:
    OUTUBRO 28TH, 2015 ÀS 12:54 PM
    ?PONDERAÇÃO: não podemos deixar de registrar que entre SIM (a mente influencia a mátéria) e NÃO, há um “Se” do tamanho de um tubarão: quando, e se, esse tubarão for eliminado aí sim será possível fazer afirmações a respeito da mente possuir poderes extranormais. Por enquanto, o bicho tá lá, de bocarra escancarada, buscando a quem possa tragar.?…..
    [Primeiramente, olá Moizes.. depois de tempos sem nos encontrarmos, pude perceber q a idade não lhe ajudou a mudar de pensamentos..

    Sobre seu “ponderamento”, não deixa de estar errado pois ainda estamos no “se”, lembrando que vai tentar replicar experimentos positivos a esse “se”.. Então, caso o seja, não será um SIM para o “se”, mas MAIS UM SIM..]

    ……………….??PONDERAÇÃO: entre afirmar e demonstrar há distância… que experimentos foram esse que “demonstraram” sei lá o quê??Que onda eletromagnética é esta, gerada pela mente, que transpassa parede de chumbo, sabendo que o chumbo é bloqueador de tais ondas? Se transpuseram o bloqueio então não são magnéticas. Se não são magnéticas, são o quê??…..

    [Tais experimentos constam no MANUAL DE PARAPSICOLOGIA, do Rosa Borges.. se bem me lembro… Inclusive fizeram experimentos telepáticos em lugares extremos do planeta, onde seria obvia a não possibilidade de serem ondas eletromagnéticas pois sofreriam influência da curvatura da terra e, pela distância, não necessitariam de potências enormes para atingirem o “alvo”.

    Mas sem precisar recorrer a tais leituras, basta usarmos o q se sabe da atual ciência materialista, onde sabe-se q o cérebro gera energia e isso é bem captado por equipamentos conhecidos..]

    …………………………………
    ?Além disso, pelo que se vê, Radin sequer cogitou usar parede de chumbo em seus experimentos…
    …….

    [Moisés, todo o método se aprimora com o tempo… bastam surgir mais perguntas e dai se “blinda” o método.. O q pode ser testado tb é usar um gerador magnético e testar isso.. Hj sabemos que é necessário um “ambiente” para q um feixe de raios seja desviado..]

    ……………

    ?/?Entretanto, talvez a inquirição correta não seja por aí, mas: será que os tais experimentos, REALMENTE, demonstraram a telepatia? Se demonstraram, por que, então, a telepatia não faz parte do rol de coisas acatadas cientificamente?

    [Entendo que tal pesquisa não busca nada relacionado com telepatia, mas sim busca investigar a possibilidade da mente humana ser capaz de influenciar alguma matéria..

    Sobre a telepatia ser acatada cientificamente, bom, aí ficamos no campo das opiniões. Alguns acham q sim e outros acham q não… quem acha q sim tvz não tenha argumentos ou métodos suficientes para provar sob qualquer condição. Por outro lado, quem acha q não tb não consegue provar/demonstrar sua afirmação.. ficamos ainda no campo de necessitarmos de mais e mais pesquisas.. Nesse tema ainda mantenho a mesma opinião: Não vai se provar na estatística pela quantidade e sim pela qualidade…

    Imagine a seguinte analogia (você sabe q gosto disso para tentar ajudar seu cérebro entender hehe):

    "Noticiou-se que um ser humano foi capaz de correr 100 metros em 10 segundos. No entanto se pegarmos uma amostra de 100 pessoas e mandarmos todos correrem 100 metros, poderemos ver que muitos correm bem rápido e outros nem tanto, logo poderia-se concluir que, se separarmos as pessoas com os melhores tempos, então poderemos prepará-los para que corram mais.. mesmo assim, em resumo (para não alongar) apenas veremos tendências.. mas para provar que alguém pode chegar a essa marca, só pegando bons atletas (q tenham o poder de correr tão rápido) e não admitir q se certas criticas influenciem tal pesquisa, por exemplo, vir um cético e pedir que o cara q melhor correu faça isso varias vezes consecutivas.. Obviamente, mesmo a habilidade de correr sendo “controlada" há limitações que cada “fenomeno" possui e cabe ao cético entende-la para não questionar ou criticar com abuso de ignorância.]

  77. Gorducho Diz:

    Agora só uma especulação puramente especulativa: grandes homens não poderia ter se corrompido linguisticamente vindo a ser interpretado como gigantes. Daí justificando a II Conjectura de Montalvão, qual seja dalgumas sacanagens entre castas lendariamente retransmitidas?
     
    Mas de qq sorte é fato que lá pelo ano -4004 quando o Adão nasceu, retornaram alguns p/Capela…
    Quem sabe não seria os tais guardiões?

  78. Gorducho Diz:

    Não, mas podemos perguntar de tudo ao invés de ficarmos conjecturando…era essa a ideia.
     
    M/parece uma boa ideia p/a Casa, institucionalmente manter tentar manter contato c/ele nas fases de preparação do experimento. Visto aliás nada ter de classificado, muito pelo contrário: p/ter credibilidade terá que ser muito transparente tanto na teoria quanto em relação aos arranjos experimentais.

  79. Espírita Sp Orlando Diz:

    Só conheço Vlad pelo Blog.
    Sobre os exilados de capela Adão representa uma comunidade expulsa de lá pois não conseguiram evoluir a altura de espiritos de planeta de regeneração.
    O livro A Caminho da Luz descreve a peregrinação, a aparição da raça branca etc
    Neflins os anjos decaidos também fazem parte dos capelinos

  80. Julio Siqueira Diz:

    Olá Colegas Internautas,

    É uma honra postar um comentário neste blog. Neste momento gostaria apenas de fazer duas afirmações, que a mim parecem ser de suma importância. Primeira: somente os pseudocéticos fazem afirmações como “os poderes da mente não existem” (alguém citou um pseudocético desses mais acima). Segundo: há alguns problemas nas posturas do Guerrer. No mais (por ora), penso que o experimento que Guerrer irá fazer é de suma importância, e merece todo o apoio. Eu mesmo talvez venha a fazer uma contribuição na semana que vem, ainda que modesta devido a meus parcos recursos financeiros :-( :-( :-(

    Abraços,
    Julio Siqueira
    [email protected]
    http://www.criticandokardec.com.br/criticandooceticismo.htm
    —————————————–

  81. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    MOI: “Além disso, pelo que se vê, Radin sequer cogitou usar parede de chumbo em seus experimentos…”
    .
    Larissa: Porque não fazemos uma vaquinha, contribuimos com uma boa soma ao projeto e conversamos em conferência via skype com o cientista? Aí a gente bombardeia o cara de perguntas de todos os tipos, damos sugestões, etc.
    /.
    PONDERAÇÃO: será que pelo fato de contribuir o dadivoso tem direito a participar do experimento? Acho meio que um tanto quase impossível… Além, não estava objetando contra a experiência do Guerrer, sim contra as considerações do Sandro…
    ./
    /
    MOI: “Entretanto, talvez a inquirição correta não seja por aí, mas: será que os tais experimentos, REALMENTE, demonstraram a telepatia? Se demonstraram, por que, então, a telepatia não faz parte do rol de coisas acatadas cientificamente?”
    .
    Larissa: O experimento visa, justamente, alavancar a telepatia (ou o nome que eles queiram dar) ao rol de fenômeno cientificamente experimentado. Não dá para conjecturar nada sem a realização do experimento e produção de resultados (ou a não produção deles).
    /.
    PONDERAÇÃO: continua a confusão, o experimento a que me referi foram os declarados pelo Sandro, que diz existirem, por pedi a ele que mos apresentasse. Não posso comentar a experiência do Guerrer, nem para bem nem mal, porque ainda não aconteceu. Além disso, se bem entendi, o trabalho do brasileiro não trata de telepatia, mas de telecinesia.

  82. Gorducho Diz:

    há alguns problemas nas posturas do Guerrer.
     
    :?:

  83. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    MOI: “E mais, o autor de Enoch certamente não sabia, porém sabemos, seres de natureza distinta não produzem rebentos caso copulem.”
    /
    GORDUCHO: depende do que considere por natureza; não tem o jumento c/égua?
    .
    PONDERAÇÃO: entre jumento com égua e anjo com humano vai distância incomensurável. Ao dizer “por natureza” tencionava me referir a genética compatível. Jumento e égua são aparentados, conquanto não exatamente a mesma espécie e geram híbridos estéreis.
    /
    /
    GORDUCHO: E pelo que entendo 300 covados tinham os nefilins, i.e., os filhos dos guardiões c/as terrícolas. Deviam nascer c/mesmo tamanho nosso só cresciam ou mais rapidamente ou durante mais anos – ISSO NINGUÉM SABE, claro!
    /.
    PONDERAÇÃO: realmente: ninguém sabe, e se ninguém sabe o mais prudente é ficar com o mais provável. E, cá pra nós, nascer qual um bebê comum e depois crescer mais de centena de metros é um tanto meio exagerado, não? Mesmo que fosse dez metros. Tenho a impressão de que a biologia não ampara essa possibilidade. Penso que de duas uma, ou o relato é inteiramente fantasioso, como o são muitas narrativas antigas, que expressam a visão primitiva das origens, ou nele há algum fundo de verdade entremeado com fabulações das épocas. Pretender defender a legitimidade do escrito somente por estar registrado em material antigo (há quem pense que por ser velho tem mais autoridade) é por demais temerário.

  84. Gorducho Diz:

    será que pelo fato de contribuir o dadivoso &c.
     
    Por isso concordei parcialmente c/AL, i.e., a Casa institucionalmente poderia tentar contato c/ele.
    Particularmente achei estranha a forma com que o DR reportou os resultados, i.e., na verdade não entendi.
    Então é uma cousa que gostaria que fosse previamente aclarada e debatida com físicos, bem como se possível esclarecida cá.

  85. Gorducho Diz:

    entre jumento com égua e anjo com humano vai distância incomensurável.
     
    Ah! o Sr. é profundo conhecedor da biologia dos anjos…
    Só por curiosidade então: os anjos têm pineal?
    É por ela que eles telefonam pro céu (ou pro inferno se são os revolucionários da turma do Satã)?

  86. Marciano Diz:

    O Júlio Siqueira faz um ótimo trabalho no blog dele. Infelizmente, também caiu no truque do “pseudocético”.

    Essa artimanha de arranjar um adjetivo pejorativo para quem questiona nossas crenças é adotada também pelos comunistas petistas, que chamam de “coxinha” ou, pior ainda, de “nazista” quem desacredita de suas ladainhas luLListas.

    No dia em que ficar provado que algum regime comunista, com este ou qualquer outro nome equivalente, deu certo, eu acredito.

    O mesmo vale para o “poder da mente”.
    Até agora só vi embromação, mentiras, coisas vagas, BS.
    Se você não tem provas do alegado “poder da mente” (e ninguém tem, ou já teria sido aceito pela comunidade científica), diz que quem nega é pseudocético. Voilà! Não precisa mais provar nada.

    Como eu já disse no outro tópico
    http://obraspsicografadas.org/2015/profissao-paranormal-materia-da-superinteressante-2015/#comments
    esse papo não cola comigo.

    Se não ser bobo é ser pseudocético, então sou pseudocético, até que me provem o tal “poder da mente”.

    Como eu disse, issso foi malandragem do Truzzi,

  87. Marciano Diz:

    E issso com três “s” foi um escorregão provocado pelo poltergeist do blog.

  88. Marciano Diz:

    Quem disse que os “poderes da mente” não existem foi o KENTARO MORI.

    Eu apenas o citei.

    “Os chamados “poderes da mente” não existem. É o que mais de um século de investigações demonstram: de seus primórdios no século 19 associados ao espiritualismo e a metapsíquica, até sua versão moderna reconhecida mesmo pela AAAS, a prestigiada Associação Americana para o Avanço da Ciência que publicada nada menos que o periódico “Science”, <a parapsicologia falhou em demonstrar inequivocamente que seu próprio objeto de estudo de fato exista".

    Quem quiser ler na íntegra, está tudo explicadinho aí em cima.

  89. Marciano Diz:

    1.

    2. Marciano Diz:
    OUTUBRO 27TH, 2015 ÀS 5:36 PM
    O próprio Kentaro Mori, amigo do VITOR administrador, já escreveu, alhures:

    Os “poderes da mente” existem?
    Por Kentaro Mori, publicado na revista Sexto Sentido nº 103

    Os chamados “poderes da mente” não existem. É o que mais de um século de investigações demonstram: de seus primórdios no século 19 associados ao espiritualismo e a metapsíquica, até sua versão moderna reconhecida mesmo pela AAAS, a prestigiada Associação Americana para o Avanço da Ciência que publicada nada menos que o periódico “Science”, a parapsicologia falhou em demonstrar inequivocamente que seu próprio objeto de estudo de fato exista.

    Durante todo este tempo, os verdadeiros e já mais do que fabulosos poderes da mente, como o intelecto e a criatividade, descobriram, comprovaram, compreenderam e exploraram um sem número de fenômenos que a nossos antepassados pareceriam mágicos. É assim que com sensores eletromagnéticos podemos perscrutar a atividade cerebral e, através de ondas de rádio, transmiti-la a grande distância, concretizando a mágica “telepatia”. É assim que a mesma companhia de brinquedos que criou a boneca Barbie anuncia para breve um jogo em que crianças poderão manipular objetos com a “força da mente”, em uma espécie de telecinese tecnológica. E real. E é assim que podemos prever com enorme precisão todos os eclipses solares que ocorrerão nos próximos milênios. É a precognição que a ciência pode demonstrar prontamente.

    Apologistas do paranormal que reconheçam a falta de resultados práticos em sua área podem argumentar que eles não são nulos. Haveria indicações, mesmo evidências, de fenômenos ou anomalias tênues. Alguns poderiam ser mesmo reproduzidos. Mais pesquisas, com maior controle, poderiam demonstrá-los de forma mais clara. Os “poderes da mente”, aqueles aparentemente mágicos, seriam concretos. Apenas fugazes, imprevisíveis e assim talvez por definição elusivos. Só seriam reconhecidos como anomalias estatísticas em uma grande série de experimentos.

    Muito bem. A força da gravidade também é uma força tênue. A influência gravitacional do gigantesco Júpiter é menor do que a de uma pessoa a seu lado. Pular de um prédio demonstra ainda assim que mesmo forças tênues podem produzir efeitos muito claros e consistentes. E é nisto que a parapsicologia sem dúvida falhou em mais de um século de busca.

    Quando algum “psíquico” ou “vidente” alega ser capaz de prever o futuro, a pergunta popular de por que não aposta – e ganha – na loteria é mais do que apropriada. Aqui também, o desafio paranormal do cético norte-americano James Randi é mais do que relevante. Qualquer um que diga poder dobrar talheres com a força da mente pode demonstrá-lo e ganhar 1 milhão de dólares de Randi. O desafio não se aplica apenas a dobrar talheres, claro, e sim a todo tipo de feito paranormal. Nenhum dos mais famosos paranormais do mundo jamais sequer tentou. Ninguém jamais passou nos testes preliminares do desafio de Randi.

    Um ou mesmo dois séculos de esforços não devem produzir respostas definitivas, é bem verdade. Somos humanos e é possível que o paranormal exija um esforço de muitos séculos até ser reconhecido inequivocamente. Por outro lado, se tais poderes não existem, uma eternidade de pesquisas continuará falhando em demonstrá-los.

    Jamais poderemos provar a negativa, isto é, que o paranormal simplesmente não existe. Mas cada ano que passa sem que ele seja provado é mais um ano a demonstrar que não é nada insensato presumir que tais tipos de “poderes da mente” simplesmente não existem.

    Os destaques em negrito são meus.

    Marciano Diz:
    OUTUBRO 27TH, 2015 ÀS 5:46 PM

    Telecinese do mundo real

    Quando se fala em telecinese, normalmente as pessoas se referem ao poder sobrenatural de mover objetos a distância apenas com a força da mente. Há quem diga que alguns podem fazer objetos levitarem com habilidade psíquica, enquanto outros dizem que isso é pura balela. O fato é que, se formos analisar a palavra telecinese ao pé da letra, vamos descobrir que ela existe por toda parte.

    O que é telecinese?

    Telecinese vem das palavras gregas tele (à distância) e kinese (movimento). E o mundo está cheio de telecinese, ou “movimento a distância”: o sol nos aquece aqui na Terra, mesmo estando a milhões de quilômetros de distância de nós; os celulares podem transportar nossa voz para outro lado da cidade ou até mesmo para outro continente, etc.

    Nem é necessário dizer que esses fenômenos não resultam de atividades paranormais fantasmagóricas e nem do poder da mente, coisa que nós todos sabemos desde o século XVIII, graças a físicos como Michael Faraday e James Clerk Maxwell. O que atrai objetos a milhares de quilômetros de distância não é o pensamento (ou alguma habilidade psíquica), mas os campos elétricos e magnéticos.

    Quer entender melhor o que são esses campos e a importância deles para a física moderna? Assista esse belíssimo vídeo sobre a telecinese do mundo real. Para acompanhar o vídeo com legendas, clique no botão CC e selecione português. Boa viagem pelo mundo da física!

    https://www.youtube.com/watch?feature=m-ch-fea&v=NMgcX8UNIGY

  90. Marciano Diz:

    Eu sou pseudocético e coxinha, igual ao Kentaro, com muito orgulho.
    Não é uma truque bobo de arranjar um adjetivo qualquer que vai me impressionar.
    Estou em boa companhia.

  91. Marciano Diz:

    Em vez de apelar para adjetivos que não provam nada, apenas rotulam quem argumenta contra suas crenças, os crentes no paranormal deveriam arranjar uma prova convincente, não aquelas que não convencem a comunidade científica.

  92. Marciano Diz:

    E ficar com citações de outros crentes.
    A paranormalidade é a válvula de escape dos crentes que perderam suas crenças base.

  93. Marciano Diz:

    Uma demonstração (de paranormalidade ou de PK) vale mais do que mil citações.

  94. Marciano Diz:

    Deixo o desafio para Vitor e Julio adivinharem o que estou pensando agora, neste exato momento em que envio este comentário.

  95. Marciano Diz:

    Eu não acredito em anjos.
    Para não ser tachado de pseudocético ou ficar com qualquer outra pecha, tenho de fingir que deixo a mente aberta, pois um dia podem provar que existem anjos e eu morrerei de vergonha.
    O problema de deixar a mente aberta é que enchem-na de porcarias.

  96. Marciano Diz:

    Tenho uma sugestão para a palavra pseudocético.
    Devemos reservá-la para quem só é cético para com as crenças bizarras dos outros.
    Ou com aquelas que já tivemos e defendemos com garra, mas depois descobrimos que estávamos fazendo papel de bobo, mas como não podemos viver sem crenças bizarras, arranjamos outra e passamos a mostrar como eram bizarras nossas crenças anteriores.

  97. Marciano Diz:

    Podemos até criar um blog para mostrarmos os erros de nossa antiga crença e os “acertos” das atuais.

  98. Marciano Diz:

    Eu não sou pseudocético com demonstrações matemáticas.
    Nem com conceitos da física que já se mostraram corretos e hoje são tecnologia de ponta.

  99. Marciano Diz:

    Como já disse antes, muitas vezes, sou cético (cético, não descrente) com bóson de Higgs.
    Pode ser que exista.
    Já PK…

  100. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    SANDRO: [Primeiramente, olá Moizes.. depois de tempos sem nos encontrarmos, pude perceber q a idade não lhe ajudou a mudar de pensamentos..
    /.
    PONDERAÇÃO: ao contrário, sinto que a idade está contribuindo para burilar minhas considerações. Você, depois que sair da juventude cristalizada em que estacionou e voltar a envelhecer, qual todos os da espécie, talvez também vivencie semelhante experiência...
    /
    /
    SANDRO: Sobre seu “ponderamento”, não deixa de estar errado pois ainda estamos no “se”, lembrando que vai tentar replicar experimentos positivos a esse “se”.. Então, caso o seja, não será um SIM para o “se”, mas MAIS UM SIM..]
    /.
    PONDERAÇÃO: não sei se bem entendi, mas se estamos no “se” ainda não é possível dizer se será um sim a mais na coleção de casos positivos: e se a experiência fracassar, quer dizer, se Guerrer achar diferente do que Radin achou? Mas, mesmo que seja mais um “a somar” (aliás, vejo que continua a defender a discutível tese de que o somatório de relatos favoráveis conta como evidência), tal não garante que esteja no caminho certo. Observe o que falei: experimentos suficientes para prover segura conclusão (por parte da comunidade científica, naturalmente).
    /
    /
    SANDRO:[Tais experimentos constam no MANUAL DE PARAPSICOLOGIA, do Rosa Borges.. se bem me lembro… Inclusive fizeram experimentos telepáticos em lugares extremos do planeta, onde seria obvia A NÃO POSSIBILIDADE DE SEREM ONDAS ELETROMAGNÉTICAS pois sofreriam influência da curvatura da terra e, pela distância, não necessitariam de potências enormes para atingirem o “alvo”.
    /.
    PONDERAÇÃO: ah, agora esclareceu: do jeito que escrevera deu a impressão de estar a dizer que fossem ondas eletromagnéticas. Então não eram, certo? Se não eram magnéticas eram que tipo de onda?
    .
    Por outra, pedi-lhe referências informativas, que permitam ao menos saber do que se trata: dizer que constam do livro de Rosa Borges não esclarece nada.
    /
    /
    SANDRO: Mas sem precisar recorrer a tais leituras, basta usarmos o q se sabe da atual ciência materialista, onde sabe-se q o cérebro gera energia e isso é bem captado por equipamentos conhecidos..]
    ./
    PONDERAÇÃO: péra lá, explique-se melhor: o cérebro gera energia… de que energia fala?
    /
    /
    SANDRO: Hj SABEMOS que é necessário um “ambiente” para q um feixe de raios seja desviado..]
    /.
    PONDERAÇÃO: sabemos? Explique melhor sobre esse ambiente que permitiria o desvio de raios… e que raios de raios são esses?
    /
    /
    SANDRO:[Entendo que tal pesquisa não busca nada relacionado com telepatia, mas sim busca investigar a possibilidade da mente humana ser capaz de influenciar alguma matéria..
    /.
    PONDERAÇÃO: pois é, mas quem adentrou com telepatia na conversa não fui eu...
    /
    /
    SANDRO: Sobre a telepatia ser acatada cientificamente, bom, aí ficamos no campo das opiniões. Alguns acham q sim e outros acham q não… quem acha q sim tvz não tenha argumentos ou métodos suficientes para provar sob qualquer condição. Por outro lado, quem acha q não tb não consegue provar/demonstrar sua afirmação.. ficamos ainda no campo de necessitarmos de mais e mais pesquisas.. Nesse tema ainda mantenho a mesma opinião: Não vai se provar na estatística pela quantidade e sim pela qualidade…
    /.
    PONDERAÇÃO: podemos ficar no campo das opiniões em conversa informal, entretanto, no âmbito da ciência tal não vige. Ou é conhecimento aceito ou não. Se há dúvidas é porque inexistem experimentos ratificadores o suficiente para permitir a aceitação; e se suficientes experimentos ratificadores, com o passar do tempo, não surgem pode-se dar a coisa por irreal (embora sempre fique porta aberta para futuras mudanças conclusivas).
    /
    /
    SANDRO: Imagine a seguinte analogia (você sabe q gosto disso para tentar ajudar seu cérebro entender hehe):
    /.
    PONDERAÇÃO: também gosto de suas analogias, apesar de geralmente me darem um nó cerebral. Vamos ver se com a que segue será diferente...
    /
    /
    SANDRO: "Noticiou-se que um ser humano foi capaz de correr 100 metros em 10 segundos. No entanto se pegarmos uma amostra de 100 pessoas e mandarmos todos correrem 100 metros, poderemos ver que muitos correm bem rápido e outros nem tanto, logo poderia-se concluir que, se separarmos as pessoas com os melhores tempos, então poderemos prepará-los para que corram mais.. mesmo assim, em resumo (para não alongar) apenas veremos tendências.. mas para provar que alguém pode chegar a essa marca, só pegando bons atletas (q tenham o poder de correr tão rápido) e não admitir q se certas criticas influenciem tal pesquisa, por exemplo, vir um cético e pedir que o cara q melhor correu faça isso varias vezes consecutivas.. Obviamente, mesmo a habilidade de correr sendo “controlada" há limitações que cada “fenomeno" possui e cabe ao cético entende-la para não questionar ou criticar com abuso de ignorância.]
    /.
    PONDERAÇÃO: a primeira coisa a considerar quando pretender ilustrar seu pensamento por meio de analogia é que a figura utilizada tenha algo em comum com o que se pretende esclarecer. Está usando imagens de realidade indiscutível (atletas de corrida, gente que corre mais que quem corre menos…) para explicar coisa completamente distinta (a paranormalidade). O que está dizendo (assim entendi) é que como existem quem tenha melhor desempenho que a maioria em certa atividade, no meio paranormal ocorre o mesmo, ou seja, há bons e maus produtores de psi. Acontece que ao postular dessa maneira passa batido por um óbice: sequer se sabe se psi existe.

  101. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Gorducho Diz: Agora só uma especulação puramente especulativa: grandes homens não poderia ter se corrompido linguisticamente vindo a ser interpretado como gigantes. Daí justificando a II Conjectura de Montalvão, qual seja dalgumas sacanagens entre castas lendariamente retransmitidas?
    Mas de qq sorte é fato que lá pelo ano -4004 quando o Adão nasceu, retornaram alguns p/Capela…
    Quem sabe não seria os tais guardiões?
    /.
    DEVERASMENTE SURPREENDEU-ME QUE estivesse a defender veridicidade de mitos e lendas, mas agora percebi seu fino senso de humor

  102. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Gorducho Diz:
    MOI: entre jumento com égua e anjo com humano vai distância incomensurável.

    Gorducho : Ah! o Sr. é profundo conhecedor da biologia dos anjos…
    /.
    NÃO, não conheço a biologia de anjos, sequer conheço anjos, talvez uma anjinhas…
    Por isso mesmo a distância incomensurável…

  103. Marciano Diz:

    MONTALVÃO Diz:
    OUTUBRO 28TH, 2015 ÀS 9:44 PM
    /
    /
    SANDRO: [Primeiramente, olá Moizes.. depois de tempos sem nos encontrarmos, pude perceber q a idade não lhe ajudou a mudar de pensamentos..
    /.
    PONDERAÇÃO: ao contrário, sinto que a idade está contribuindo para burilar minhas considerações. Você, depois que sair da juventude cristalizada em que estacionou e voltar a envelhecer, qual todos os da espécie, talvez também vivencie semelhante experiência…
    /
    /
    .
    Engraçado…
    Isto me fez lembrar de uma frase mais ou menos assim:

    O jovem que não é comunista não tem coração (eu acrescentaria – ou é um gênio!); quem passa dos 30 e é comunista, é burro.

    Tem outra que diz:

    “Os marxistas inteligentes são patifes. Os marxistas honestos são burros. E os inteligentes e honestos nunca são marxistas.”

  104. Marciano Diz:

    Será que os termos “marxista”, “comunista” podem ser substituídos por “crentes”, “religiosos”, qual numa equação matemática?

  105. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vitor Diz:
    JUNHO 10TH, 2015 ÀS 11:59 AM
    Essa me foi enviada pelo Julio Siqueira:
    .
    Foi descoberto recentemente que, ao contrário do que se imaginava, o cérebro parece possuir vasos linfáticos. Essa descoberta é interessante à luz de um “argumento” contra a alma muito usado (com boa dose de razão) por céticos ateu materialistas: “não achamos ainda ações da alma sobre o cérebro e tais ações JÁ ERAM para ter sido achadas”. A descoberta agora de tais estruturas cerebrais mostra o quanto a exigência dos chatinhos é prematura, ou seja, PODE SIM ainda haver muita coisa escondida no cérebro. Pessoalmente não gosto dos argumentos do tipo “ainda não foi provado que a alma não pode existir, então podemos continuar crendo impunemente”. Mas neste caso o que se dá é o contrário: PSEUDOCÉTICOS querendo enfiar goela abaixo de toda a sociedade a ideia errada de que já dá para provar que não há alma no cérebro. Este é um ponto repetidamente citado no livro PSEUDOCÉTICO recente, The Myth of an Afterlife (de Keith Augustine e curriola). Abaixo, links para o referido artigo: [...]

  106. Marciano Diz:

    Respeitada a concordância nominal, naturalmente.
    É só falar em burrice…

  107. Marciano Diz:

    Faltou o link, MONTALVÃO!
    Está ansioso?
    Esbarrou no ENTER?

  108. Marciano Diz:

    E faltou o restante do comentário.
    Favor repostá-lo desde o início, inclusive a parte enviada sem querer.

  109. Marciano Diz:

    Prevejo qualquer coisa como,
    antes que possamos provar que a alma não existe, é preciso que façam a prova de que ela existe.
    Só que com muito mais erudição e articulação, como é sua característica.
    Agora, quem está ansioso, sou eu.

  110. Marciano Diz:

    Como os PSEUDOCÉTICOS podem querer enfiar goela abaixo de toda a sociedade a ideia errada de que já dá para provar que não há alma no cérebro se a ideia de que há alma, EM QUALQUER LUGAR, ainda não foi provada?

  111. Marciano Diz:

    Cadê a prova da existência da alma?
    Cadê a prova da persistência da consciência após a morte?
    Está só na imaginação e na ginástica intelectual dos crentes?

  112. MONTALVÃO Diz:

    Marciano Diz:
    Faltou o link, MONTALVÃO!
    Está ansioso?
    Esbarrou no ENTER?
    /.
    NÃO, DESTA VEZ NÃO DESESBARREI EM NADA, apenas tencionei ilustrar o uso do pseudocético como rotulagem do que não agrada.
    .
    Mas, se quer os links, aí vai:
    /
    http://oglobo.globo.com/sociedade/saude/pesquisadores-descobrem-vasos-que-ligam-cerebro-humano-sistema-imunologico-do-corpo-16339121
    http://www.businessinsider.com/brain-immune-system-connection-lymphatic-vessel-2015-6
    http://www.nature.com/nature/journal/vaop/ncurrent/full/nature14432.html#videos

  113. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Marciano Diz: E faltou o restante do comentário.
    Favor repostá-lo desde o início, inclusive a parte enviada sem querer.
    /.
    SEGUEM OS COMENTÁRIOS imediatamente anteriores e posteriores…
    /
    ======================================.

    Gorducho Diz:
    JUNHO 10TH, 2015 ÀS 11:26 AM
    Como é que ele (espírito) ia dizer se o vaso carnal estava entubado e c/oxigênio, e nenhum dos enfermeiros era médium ou se fosse não estava concentrado!
    Pense!
    /
    Vitor Diz:
    JUNHO 10TH, 2015 ÀS 11:39 AM
    Da mesma forma vc deveria pensar em explicações alternativas para o (possível) insucesso do experimento em vez de descartar o médium como farsante. Afinal, as condições que rondam uma EQM são extremamente diferentes das que rondam uma sessão mediúnica… Será que, ao incorporar, o espírito não perde a visão clara que ele tem do ambiente, passando a usar os olhos do médium para isso (alguns chamam inclusive os médiuns de ‘luzes’)? Ou será que o espírito nunca teve uma visão contínua clara, mesmo separado do médium, tendo apenas visões ou flashes momentâneos do ambiente por meio de clarividência, embora passível de aprimorar tal capacidade com o tempo?
    /
    Vitor Diz:
    JUNHO 10TH, 2015 ÀS 11:59 AM
    Essa me foi enviada pelo Julio Siqueira:
    .
    Foi descoberto recentemente que, ao contrário do que se imaginava, o cérebro parece possuir vasos linfáticos. Essa descoberta é interessante à luz de um “argumento” contra a alma muito usado (com boa dose de razão) por céticos ateu materialistas: “não achamos ainda ações da alma sobre o cérebro e tais ações JÁ ERAM para ter sido achadas”. A descoberta agora de tais estruturas cerebrais mostra o quanto a exigência dos chatinhos é prematura, ou seja, PODE SIM ainda haver muita coisa escondida no cérebro. Pessoalmente não gosto dos argumentos do tipo “ainda não foi provado que a alma não pode existir, então podemos continuar crendo impunemente”. Mas neste caso o que se dá é o contrário: pseudocéticos querendo enfiar goela abaixo de toda a sociedade a ideia errada de que já dá para provar que não há alma no cérebro. Este é um ponto repetidamente citado no livro pseudocético recente, The Myth of an Afterlife (de Keith Augustine e curriola). Abaixo, links para o referido artigo:
    http://oglobo.globo.com/sociedade/saude/pesquisadores-descobrem-vasos-que-ligam-cerebro-humano-sistema-imunologico-do-corpo-16339121
    http://www.businessinsider.com/brain-immune-system-connection-lymphatic-vessel-2015-6
    http://www.nature.com/nature/journal/vaop/ncurrent/full/nature14432.html#videos
    /
    Gorducho Diz:
    JUNHO 10TH, 2015 ÀS 2:02 PM
    Esse Sr. Siqueira é pitoresco o caso. O Sítio é bem útil, com bastante material aproveitável, desde que se ignore as análises dele. Ele acredita piamente que o Kardec consultou “espíritos”, que “pesquisou” com desencarnados, tal e cousa. Evidencia ser mais crédulo que as mamães do CX, afinal essas pelo menos tinham as citações na titia Elvira, dos médicos famosos da cidade & seres equiparáveis a. Como o Sr. sabe melhor que eu, claro!
    /
    Vitor Diz:
    JUNHO 10TH, 2015 ÀS 2:03 PM
    “Ele acredita piamente que o Kardec consultou “espíritos”, que “pesquisou” com desencarnados, tal e cousa.”
    .
    Tenho certeza que você está profundamente enganado.
    /
    Gorducho Diz:
    JUNHO 10TH, 2015 ÀS 2:26 PM
    Curiosamente (para desgraça dos opositores desinformados do espiritismo), é forçoso reconhecer que Kardec se utilizava de vários procedimentos e posturas marcantemente científicas em suas investigações dos fenômenos espíritas.
    &nbbsp;
    Que procedimento e postura científica teve o Kardec? Ler os socialistas utópicos e decorar o catecismo é procedimento científico?
    Que fenômenos espíritas ele “investigou”?

  114. Marciano Diz:

    Quero mais dos seus sábios comentários amanhã.
    Tem muita coisa ainda pra você comentar.

    SEMELHANÇAS

    Os idiotas úteis que apoiam o comunismo hoje,
    preparam uma cilada para seus próprios familiares e descendentes amanhã.

    Os crentes que apoiam crenças bizarras hoje preparam uma cilada para si próprios amanhã.

    Não existe ser mais adepto ao capitalismo, que os governantes de países comunistas.

    Não existem seres mais adeptos do materialismo do que os dirigentes das religiões, com suas riquezas fabulosas.

    Não há explicação para alguém continuar sendo socialista ou comunista depois dos 20 anos senão um sério distúrbio intelectual ou moral.

    Não há explicação para alguém continuar sendo crente depois dos oito anos, a não ser um sério distúrbio mental ou problemas psicológicos.

    O comunismo é o ópio dos intelectuais.

    “A religião é o ópio do povo”.

  115. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Como os PSEUDOCÉTICOS podem querer enfiar goela abaixo de toda a sociedade a ideia errada de que já dá para provar que não há alma no cérebro se a ideia de que há alma, EM QUALQUER LUGAR, ainda não foi provada?”
    /.
    :-) :-)

  116. Marciano Diz:

    :idea:

    Teste:

    Testando:

    Só estou tentando melhorar meu estilo.

    A maioria mostrou evolução na apresentação dos comentários.

  117. Marciano Diz:

    O mecanismo desestimula.
    Quase nada funciona.

  118. Marciano Diz:

    Só queria melhorar a formatação, por questão de estilo.
    Não deu certo!

  119. Marciano Diz:

    Gabriel Guerrer fala da criação do computador quântico

    O Físico Gabriel Guerrer, que ministrará o curso Física Quântica: Imaginando o Invisível, em entrevista comentou que para entender melhor a Física Quântica é necessário desenvolver o hemisfério cerebral direito, algo que a cultura ocidental de forma geral não tem favorecido.

    Segundo ele, “as pesquisas mais recentes fundaram uma nova área conhecida como informação quântica. Entre seus desenvolvimentos práticos está a criptografia quântica, uma forma completamente segura de transmitir informação. Além disso, estamos na corrida para a criação do primeiro computador quântico que revolucionará a velocidade do processamento de informações.”

    Para participar do seu curso precisa entender de física, ou de princípios matemáticos?
    GG: Não. Tento usar no mínimo possível a linguagem matemática. Dou preferência ao uso de analogias e metáforas. Para participar basta ter curiosidade no assunto e entregar-se a livre navegação no mundo das ideias.

    Acho que entendi.
    É o mesmo que tenta mover matéria com a mente.

    Entrevista aqui:
    http://barco.art.br/o-fisico-gabriel-guerrer-fala-da-criacao-do-primeiro-computador-quantico/

    Fiz uma breve visita ao site dele:

    Gabriel Guerrer
    Doutor em Física, Pesquisador da Consciência, Imaginador de possibilidades (o grifo é meu, mas o conceito é dele mesmo).

    http://gabrielguerrer.com/

  120. Marciano Diz:

    Vou desenvolver meu hemisfério cerebral direito enquanto aguardo na fila o lançamento do computador quântico.
    Para quem não sabe, computador quântico é aquele fabricado na cidade de Quantico, VA.
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Quantico_(Virg%C3%ADnia)

  121. Marciano Diz:

    Se surgir alguma computador quântico que não seja fabricado em Virginia, prometo virar a casaca para o lado crente imediatamente.
    E malhar o hemisfério direito (dane-se a simetria!) :mrgreen:

  122. Sandro Diz:

    Marciano Diz:
    OUTUBRO 28TH, 2015 ÀS 9:00 PM
    Deixo o desafio para Vitor e Julio adivinharem o que estou pensando agora, neste exato momento em que envio este comentário.
    /.
    Boa noite Marciano, você como o Moizes gostam de pedir algo de poder para os q não os tem… isso ajudaria em sua crença pessoal, no entanto daí você sai do “eixo” de um método cientifico.

    Fiz uma analogia a qual o Moizes parece não ter compreendido. Ainda tenho tese de que o cérebro de pseudocéticos possui limites de funcionamento – só pode.. ;) rs

    Comparando a analogia q idealizei (tvz ajude o cérebro do Moizes a compreende-la), não adiantaria você pedir para o Vitor ou o Julio correrem e serem os mais velozes corredores se eles não possuem capacidade para tal..

    Então querer condicionar um experimento a seu bel prazer, obviamente lhe dará respostas dentro do seu universo da fé pessoal…

    Se deseja mesmo empreender tempo para adquirir conhecimento mais sólido sobre a paranormalidade, então jogue com as variáveis dentro do campo de atuação e limites do fenômeno, daí sim poderá dizer q estará amparado pela ciência. Fora isso, pura crença.

  123. Sandro Diz:

    Caro Moizes, como nossos debates são infindáveis, e você parece ter tempo (algo q não tenho), então vou resumir nossa conversa na analogia e seu comentário:

    /.
    PONDERAÇÃO: a primeira coisa a considerar quando pretender ilustrar seu pensamento por meio de analogia é que a figura utilizada tenha algo em comum com o que se pretende esclarecer. Está usando imagens de realidade indiscutível (atletas de corrida, gente que corre mais que quem corre menos…) para explicar coisa completamente distinta (a paranormalidade). O que está dizendo (assim entendi) é que como existem quem tenha melhor desempenho que a maioria em certa atividade, no meio paranormal ocorre o mesmo, ou seja, há bons e maus produtores de psi. Acontece que ao postular dessa maneira passa batido por um óbice: sequer se sabe se psi existe.

    /.

    Veja, usemos o cérebro agora.. Não estou fazendo analogia ao fenômeno paranormal em si, mas sim a METODO CIENTIFICO.

    Exemplifiquei que se pretende-se estudar algo seriamente, então há necessidade de usar método apropriado dentro dos limites previstos e com os “subject” adequados. Simples assim.

    Toda a teoria ou hipótese teórica tem q ser no mínimo previsível, então não “viaje” além da previsibilidade, senao certamente irá encontrar somente respostas que deseja, ou seja, algo dentro da nomenclatura “fé” + “fingimento cientifico”= pseudocético

  124. Gorducho Diz:

    Exemplifiquei que se pretende-se estudar algo seriamente, então há necessidade de usar método apropriado dentro dos limites previstos e com os “subject” adequados. Simples assim.
     
    Perfeito! É o que temos cá feito propondo-nos a estudar o espiritismo, exatamente dentro do que o espiritismo prevê.
    Conhece por acaso algum médium para que possamos testar o espiritismo :?:
    Não esqueça que a parapsicologia foi justo uma fuga para a estatística, dado o fracasso do espiritismo.

  125. Gorducho Diz:

    para entender melhor a Física Quântica é necessário desenvolver o hemisfério cerebral direito, algo que a cultura ocidental de forma geral não tem favorecido.
     
    Acho que ele acha que a QM foi inventada pelo Buda
    :lol: :lol: :lol: :lol:

  126. Marciano Diz:

    Estive consultando meus alfarrábios, dos tempos do ensino médio, à procura de subsídios para entender a pesquisa do Doutor em Física, Pesquisador da Consciência, Imaginador de possibilidades.
    .
    Li que a massa é uma grandeza física fundamental. Segundo a mecânica newtoniana, ela dá a medida da inércia ou da resistência de um corpo em ter seu movimento acelerado. Ela também é a origem da força gravitacional, atuante sobre os corpos no Universo.
    .
    A massa inercial de um corpo é definida pela Segunda Lei de Newton como uma constante de proporcionalidade entre a força (F) aplicada e a aceleração (a) causada.
    .
    Considerando que a força e a aceleração são grandezas vetoriais, isso implica em dizer que a massa é uma grandeza escalar. Então, a massa inercial indica a tendência de aceleração de um corpo para uma dada força.
    .
    Força: É uma interação entre dois corpos.
    .
    O conceito de força é algo intuitivo, mas para compreendê-lo, pode-se basear em efeitos causados por ela, como:
    .
    Aceleração: faz com que o corpo altere a sua velocidade, quando uma força é aplicada.
    .
    Deformação: faz com que o corpo mude seu formato, quando sofre a ação de uma força.
    .
    Força Resultante: É a força que produz o mesmo efeito que todas as outras aplicadas a um corpo.
    .
    Leis de Newton
    .
    As leis de Newton constituem os três pilares fundamentais do que chamamos Mecânica Clássica, que justamente por isso também é conhecida por Mecânica Newtoniana.
    .
    1ª Lei de Newton – Princípio da Inércia
    • Quando estamos dentro de um carro, e este contorna uma curva, nosso corpo tende a permanecer com a mesma velocidade vetorial a que estava submetido antes da curva, isto dá a impressão que se está sendo “jogado” para o lado contrário à curva. Isso porque a velocidade vetorial é tangente a trajetória.
    .
    • Quando estamos em um carro em movimento e este freia repentinamente, nos sentimos como se fôssemos atirados para frente, pois nosso corpo tende a continuar em movimento.
    Estes e vários outros efeitos semelhantes são explicados pelo princípio da inércia, cujo enunciado é:
    .
    “Um corpo em repouso tende a permanecer em repouso, e um corpo em movimento tende a permanecer em movimento.”
    .
    Então, conclui-se que um corpo só altera seu estado de inércia, se alguém, ou alguma coisa aplicar nele uma força resultante diferente se zero.
    .
    2ª Lei de Newton – Princípio Fundamental da Dinâmica
    Quando aplicamos uma mesma força em dois corpos de massas diferentes observamos que elas não produzem aceleração igual.
    .
    A 2ª lei de Newton diz que a Força é sempre diretamente proporcional ao produto da aceleração de um corpo pela sua massa, ou seja, F=ma.
    Onde:
    .
    F é a resultante de todas as forças que agem sobre o corpo (em N);
    .
    m é a massa do corpo a qual as forças atuam (em kg);
    .
    a é a aceleração adquirida (em m/s² ) .
    .
    A unidade de força, no sistema internacional, é o N (Newton), que equivale a kg m/s² (quilograma metro por segundo ao quadrado).
    .
    Quando um força de 12N é aplicada em um corpo de 2kg, qual é a aceleração adquirida por ele?
    .
    F=ma
    .
    12=2a
    .
    a=6m/s²
    .
    3ª Lei de Newton – Princípio da Ação e Reação
    .
    Quando uma pessoa empurra um caixa com um força F, podemos dizer que esta é uma força de ação. mas conforme a 3ª lei de Newton, sempre que isso ocorre, há uma outra força com módulo e direção iguais, e sentido oposto a força de ação, esta é chamada força de reação.
    .
    Esta é o princípio da ação e reação, cujo enunciado é:
    .
    “As forças atuam sempre em pares, para toda força de ação, existe uma força de reação.”

  127. Marciano Diz:

    Estive também sondando como são financiadas pesquisas científicas no Brasil.
     
    Fontes de Financiamento à Pesquisa
    AAAS – American Association for the Advancement of Science
    ABC – Agência Brasileira de Cooperação
    BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social
    CAPES – Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
    CENPEC – Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária. –
    Comissão Fulbright – Comissão para o intercâmbio entre EUA e Brasil
    CNPq – Conselho Nacional de de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

  128. Marciano Diz:

    Lembrei-me de que, um dia desses, quando me encontrava em um trem da Supervia, ramal Japeri, fui abordado por um Doutor em Farmácia, Pesquisador da Consciência, Imaginador de possibilidades, o qual me falou de um projeto que tinha para a cura de células cancerosas, usando o poder da mente.
     
    Ele me disse que não conseguiu financiamento de nenhum órgão governamental, universidade, laboratório farmacêutico ou o que o seja, pois ninguém aprovou seu projeto, e ele não tinha dinheiro para bancá-lo por conta própria, razão pela qual estava recolhendo dinheiro de pessoas em geral, através de crowdfunding.
     
    Agora estou em um dilema: não sei se contribuo para a pesquisa da cura do câncer ou para a pesquisa da PK.
     
    Se nenhuma universidade, nenhum órgão público ou particular, interessou-se pelo financiamento, eles que têm dinheiro suficiente e conhecimento de sobra para avaliar o projeto, um sujeito duro como eu e que não entende nada de física ou de farmácia deveria contribuir?
     
    Acho que provavelmente ambas as pesquisas não darão em nada, e eu terei perdido meu rico dinheirinho em vão.
     
    Evidentemente, é só um pressentimento.
     
    Mantenho a mente aberta e o bolso fechado. :???:

  129. Marciano Diz:

    SANDRO, obrigado por suas estimulantes palavras.
     
    Ainda preciso de entender o que devo fazer para não sair do “eixo” de um método científico, pois minhas crenças pessoais, atrapalham, devido ao fato de que não tenho formação científica.
     
    Minha formação é em direito e contabilidade.
     
    Talvez ajudasse mais se você me dissesse como chegou à sua tese de que o cérebro de pseudocéticos possui limites de funcionamento
     
    Se puder e se estiver ao meu alcance compreender, gostaria que você me ensinasse como faço para empreender tempo para adquirir conhecimento mais sólido sobre a paranormalidade, aprendendo a jogar com as variáveis dentro do campo de atuação e limites do fenômeno, para, daí sim poder dizer que estarei amparado pela ciência.
     
    No momento, minha ignorância é tamanha que nem entendi o que você quis dizer.
     
    Se houver tempo para o aprendizado, ainda poderei colaborar financeiramente com o projeto do Doutor em Física, Pesquisador da Consciência, Imaginador de possibilidades, quando souber o que é isso. :lol:

  130. Marciano Diz:

    Sr. Administrador, não errei quando formatei o texto.
    Gostaria que mantivesse a formatação original, se não for de seu desagrado.
    Fica mais fácil para se entender o conteúdo do comentário.
    Eu quis destacar os pontos principais.

  131. Marciano Diz:

    O objetivo é o de facilitar a leitura, mantendo parágrafos separados, pois com tudo embolado fica difícil a apreensão dos conceitos que eu quis mostrar.

  132. Marciano Diz:

    Minha ideia era a de parar de separar parágrafos por um ou mais pontos, como venho fazendo e a maioria.
    Se não gostou da minha formatação, solicito, ao menos, que separe os parágrafos com pontos, como é de costume meu e geral.

  133. Gorducho Diz:

    O orgulho e a vaidade não m/permitiram perguntar como se faz essa formatação. Tentei várias infritificidades…
    E agora que a Administração proibiu não adianta mais :(
     
    A separação sem a deselegância do ponto pode ser feita inserindo um branco numa linha (só o branco) AMa
    &nbsp;

  134. Marciano Diz:

    O que atrapalha a empreender tempo para adquirir conhecimento mais sólido sobre a paranormalidade, aprendendo a jogar com as variáveis dentro do campo de atuação e limites do fenômeno, é que o ensino médio nada ensina sobre a força do pensamento, a neurociência nada diz sobre o funcionamento limitado dos cérebros dos pseudocéticos (nem ao menos define o que seja um pseudocético).
     
    Aí, um cara limitado como eu fica com dificuldade para entender o mumbo jumbo, a linguagem técnico-científica dos pesquisadores da consciência e imaginadores de possibilidades.
     
    O resultado é a gente se fechar nessa crença pseudocética e ficar babando de inveja quando vê um cérebro privilegiado, COMO O DO SANDRO, capaz de DESENVOLVER SEU HEMISFÉRIO DIREITO.
     
    Está vendo, VITOR, como esta formatação fica mais feia?

  135. Vitor Diz:

    Marciano,
    blockquote é para quando for citar o texto de outra pessoa, e ainda assim eu prefiro itálico, porque o espaço entre uma linha e outra fica grande demais com blockquote! E bastas vc dar um ponto de espaço, não precisa ser 2 pontos, muito menos 3.

  136. Marciano Diz:

    Mas o blog é seu e eu respeito suas regras.
    Se quiser, deixo a separação de parágrafos para os pontos.
    Se puder me ensinar como faço para tirar o itálico dos parágrafos inteiros, acho que ajuda a separá-los com estilo e melhor aparência.
     
    Obrigado pela ajuda.

  137. Marciano Diz:

    Obrigado, GORDUCHO, vou adotar.
    Eu já tinha percebido que você consegue, mas meu orgulho (a vaidade é por sua conta) não me permitiram perguntar.
     
    Vamos ver se dá certo.
     
    Eu eu só estava provocando-o de maneira jocosa, como é meu estilo, quando falei em orgulho.
     
    Não precisava ficar magoado, como parece que ficou.
     
    Obrigado, mais uma vez.
    Posso ser orgulhoso, mas não sou ingrato :smile:

  138. Marciano Diz:

    Obrigado, VITOR, você já consertou tudo pra mim.
     
    Você e o GORDUCHO são muito legais.
    Se me permitir, apenas quando for necessário citar um parágrafo inteiro, volto a usar o blockquote.
     
    Viu, GORDUCHO, era só introduzir este elemento.
    Eu andei tentando algumas firulas, mas elas não funcionam aqui e, se funcionassem, parece que o VITOR não gosta de comentários muito estilosos, só os artigos.

  139. Marciano Diz:

    Nossos comentários saíram misturados, fora de ordem, mas eu li tudo e compreendi.
    Só volto a usar o blockquote quando for para citar um parágrafo inteiro, como já fiz quando comecei com ele.
     
    Como eu não sabia separar parágrafos, passei a usá-lo exageradamente.
    Obrigado a vocês dois.
    Pode ficar tranquilo, VITOR, pois quando eu usar um blockquote estarei citando um parágrafo inteiro.

  140. Marciano Diz:

    Quando eu uso mais de um ponto (usava) era para comentar outro assunto.
    Vou passar a comentar um assunto em cada comentário, para evitar o recurso de espaços muito longos entre parágrafos.
    Eu só passei a adotar essa conduta quando vi que o mecanismo do blog rejeita comentários muito rápidos.
     
    Ele diz que a gente está enviando comentários muito rapidamente.
    E se tiver mais de três links, também bloqueia.
     
    Estou gostando, assim como está.

  141. Marciano Diz:

    Agora preciso voltar à lida, a moleza acabou.
    Volto assim que puder.
    Merci beaucoup, both of you.

  142. Gorducho Diz:

    que não sei fazer a 1ª letra maior, e não quero perguntar

     
    Que achou da ideia da AL, Sr. Administrador?

  143. Vitor Diz:

    Que ideia, de falar com o Guerrer?

  144. Gorducho Diz:

    Sim. Que ele escrevesse um comentário analisando a forma como o DR apresentou os resultados – que eu não entendi…-; bem como o que ele pretende.
    Sem misticismos e metafísica: física de verdade claro que num linguajar a nós acessível, mas não simplório.

  145. Gorducho Diz:

    Interessante que nas escolas W3 não fica a 1ª letra negritada e maior.
    No meu ficheiro texto de testes é quase imperceptível a diferença. Devem ser configurações CSS internas…

  146. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Vou desenvolver meu hemisfério cerebral direito enquanto aguardo na fila o lançamento do computador quântico.”
    /.
    PONDERAÇÃO: estimular o lado direito do cérebro acarreta múltiplas vantagens:
    1) a pessoa se torna mais criativa, produz arte com maior facilidade (pode pintar, desenhar, escrever, fazer poesias);
    2) torna-se mais lúcido, ponderado, meditativo;
    3) passa a dormir melhor;
    4) tem sonhos doces e restauradores;
    5) torna-se mais carinhoso e menos ligado às coisas materiais;
    6) desenvolve a espiritualidade;
    7) tornar-se mais intuitivo;
    8) incrementa a externalização de poderes psíquicos latentes (telepatia, clarividência, precognição, ectoplasmia, etc.)
    .
    - Curso fácil em dez aulas. Preço a combinar.
    Moi – terapeuta holístico.

  147. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Se surgir alguma computador quântico que não seja fabricado em Virginia, prometo virar a casaca para o lado crente imediatamente.”
    /.
    QUÂNTICOS COMPUTADORES desse tipo você quer, para se convencer?

  148. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    SANDRO: Fiz uma analogia a qual o Moizes parece não ter compreendido. Ainda tenho tese de que o cérebro de pseudocéticos possui limites de funcionamento – só pode.. rs
    /.
    PONDERAÇÃO: eu acho que o Moizés compreendeu sua analogia, mas você parece não ter compreendido que ele a compreendeu…
    /
    /
    SANDRO: Comparando a analogia q idealizei (tvz ajude o cérebro do Moizes a compreende-la), não adiantaria você pedir para o Vitor ou o Julio correrem e serem os mais velozes corredores se eles não possuem capacidade para tal..
    /.
    PONDERAÇÃO: pois é, o Moizes, que você diz não ter entendido sua linda analogia, lho respondera:
    “a primeira coisa a considerar quando pretender ilustrar seu pensamento por meio de analogia é que a figura utilizada tenha algo em comum com o que se pretende esclarecer. Está usando imagens de realidade indiscutível (atletas de corrida, gente que corre mais que quem corre menos…) para explicar coisa completamente distinta (a paranormalidade). O QUE ESTÁ DIZENDO (ASSIM ENTENDI) É QUE COMO EXISTEM QUEM TENHA MELHOR DESEMPENHO QUE A MAIORIA EM CERTA ATIVIDADE, NO MEIO PARANORMAL OCORRE O MESMO, OU SEJA, HÁ BONS E MAUS PRODUTORES DE PSI. Acontece que ao postular dessa maneira passa batido por um óbice: sequer se sabe se psi existe.”
    .
    Sugiro, pois, que medite no conteúdo acima e depois volte para confirmar ou retificar seu desentendimento…

  149. Marciano Diz:

    Gorducho Diz:
    OUTUBRO 29TH, 2015 ÀS 9:55 AM
    Interessante que nas escolas W3 não fica a 1ª letra negritada e maior.
    No meu ficheiro texto de testes é quase imperceptível a diferença. Devem ser configurações CSS internas…
     
    O elemento é o mesmo, GORDUCHO, blackquote.
    CSS aqui não funciona, já tentei várias vezes.
    Eu tento nas W3, dá certo, posto aqui, ou não sai nada ou aparecem alguns elementos, outros não.

  150. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, eu só preciso de UM computador quântico não fabricado em Virginia para me convencer.
    Só não estou disposto a pagar pelo projeto. Quero o produto pronto, funcionando, o com sistema operacional quântico.
     
    Vou pagar com dinheiro quântico (aquele que só existe na imaginação) ou com bônus-hora. Escolha!

  151. Gorducho Diz:

    Sim, só que o blockquote blockquote não aumenta o 1° caracter nem negrita-o.
    Veja nas escolas W3…
    Já tinha tentado no m/ficheiro texto puro…
    É portanto a configuração CSS do programa da Casa que causa o fenômeno.

  152. Marciano Diz:

    Lá em cima, eu fiz um comentário:
    Marciano Diz:
    OUTUBRO 29TH, 2015 ÀS 7:43 AM
     
    Queria saber qual a aula a que faltei, na qual foi ensinada essa força do pensamento, se também é expressa em N (newtons), quantos joules de energia são gastos para gerar um módulo F dessa força, se ela age em pares, como as forças físicas convencionais.

  153. Marciano Diz:

    Entendi, GORDUCHO.
    Deve ser o CSS da casa, ao qual não temos acesso.
     
    Se puder, ajude-me com as aulas de quântica.
    Quero entender o palavrório do Sandro, sem precisar de desenvolver o hemisfério esquerdo.
    Estou cansado de acreditar na física quântica convencional, queria aprender a alterar a inércia de objetos com a força do pensamento.
     
    No meu tempo de ensino médio não ensinavam essas coisas, ou então, só ensinam do doutorado.
    Assim, não consigo me tornar um imaginador de possibilidades.

  154. Gorducho Diz:

    estimular o lado direito do cérebro acarreta múltiplas vantagens: {1),…, 8)}.
     
    Todas as que não dizem respeito à capacidade de trabalhar com QM de verdade :mrgreen:

  155. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, já ouviu falar de síndrome de Uner Tan?
    Parece que ela é mais comum do que se pensa.

  156. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    SANDRO: Veja, usemos o cérebro agora.. Não estou fazendo analogia ao fenômeno paranormal em si, mas sim a METODO CIENTIFICO.
    Exemplifiquei que se pretende-se estudar algo seriamente, então há necessidade de usar método apropriado dentro dos limites previstos e com os “subject” adequados. Simples assim.
    Toda a teoria ou hipótese teórica tem q ser no mínimo previsível, então não “viaje” além da previsibilidade, senao certamente irá encontrar somente respostas que deseja, ou seja, algo dentro da nomenclatura “fé” + “fingimento cientifico”= pseudocético
    /.
    PONDERAÇÃO: hummm, nada como uma boa explicação, agora acho que tenho quase certeza de que estou praticamente não entendendo patavina…
    .
    Quer dizer, então, que quando disse: “Comparando a analogia q idealizei (tvz ajude o cérebro do Moizes a compreende-la), não adiantaria você pedir para o Vitor ou o Julio correrem e serem os mais velozes corredores se eles não possuem capacidade para tal..” estava ilustrando o método científico? Neste caso devo dar-lhe razão: meu cérebro cético é mesmo limitado. Mas, não desisto, visto ainda provavelmente ter alguns anos de vida pela frente, esforça-me-ei por desenvolver o lado direito da massa cerebral, área reconhecidamente propícia para compreender analogias surrealistas, e (quem sabe?) antes da próxima encarnação consiga deslindar suas analogizações sem recorrer ao manual de instruções…
    .
    A luta continua. Bolcheviques, avante!

  157. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    SANDRO: Fiz uma analogia a qual o Moizes parece não ter compreendido. Ainda tenho tese de que o cérebro de pseudocéticos possui limites de funcionamento – só pode.. rs
    /.
    PONDERAÇÃO: eu acho que o Moizés compreendeu sua analogia, mas você parece não ter compreendido que ele a compreendeu…
     
    PONDERAÇÃO2: agora falo eu, o cérebro direito de Moi: eu acho (cá nesta mente ninguém tem certeza de nada) que, em verdade, o Moi não compreendeu a analogia: ele pensou que se referisse ao paranormal, entretanto, o autor explica que tratava de ciência. De minha parte, como parte direita do cérebro, eu acho, quer dizer, desconfio e suspeito que também o autor não entendeu sua própria analogia, mas acha que a compreende.
     
    Assim, considerando que as partes não se entendem a si próprias, declaro sem efeito o efeito analógico pretendido, cabendo à vertente autora retificar a inicial para posterior reavaliação por este juri.
     
    Cancelem-se disposições em contrário.

  158. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “MONTALVÃO, eu só preciso de UM computador quântico não fabricado em Virginia para me convencer.”
     
    PONDERAÇÃO: eu tenho esse computador: fabricado/montado por mim. Como ainda não sei quântico vou cobrar por ele, não posso pô-lo em oferta…
     
    Quando resolver o óbice falo.

  159. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “já ouviu falar de síndrome de Uner Tan?
    Parece que ela é mais comum do que se pensa.”
     
    :-) ;-)

  160. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    http://www.ultracurioso.com.br/as-6-doencas-mais-assustadoras-do-mundo/
    /.
    VEJA A DOENÇA nº 6. Agora digam: o que os afetados fizeram noutras vidas para reencarnarem desse jeito?
     
    E os demais?

  161. Vinicius Diz:

    Nossa, falei àquela evangélica questionadora que agora sou “livre pensador” e não mais espírita e ela quis saber mais detalhes. O fato é que ela é negra e mostrei a ela o que o espirito São Luis respondeu sobre os negros: ela quase chorou, fiquei arrependido de ter mostrado! Ela como evangélica me via como um kardecista ferrenho, e via na doutrina espirita certa seriedade até, falando que nutre simpatia pelos espiritas, que são caridosos e tal.
    Falei a ela para não misturar as bolas: de fato há caridade, distribuição de cestas etc e a propri, os frequentadores , ou melhor, os espiritas não podem ser responsabilizados pelo que Kardec ou qualquer outro escreveu de preconceituoso.
    Falei a ela da nota explicativa, do processo junto ao ministério público, enfim.
    Lembrando a pergunta e a resposta:

    “9. (A São Luís). A raça negra é verdadeiramente uma raça inferior? – R. A raça negra
    desaparecerá da Terra. Ela foi feita para uma latitude diferente da vossa.”

    Depois a mesma pessoa falou pra mim: poxa, até agora não desaparecemos!!! E finalizamos .

    De fato, muitos espíritas dizem que quando o colega deixa de ser espirita é porque não estudou ou leu tudo sobre o espiritismo, eu já acho totalmente contrário, quanto mais se estuda e lê mais “podres” descobrimos (ao lado de laranjas boas, como o amar uns aos outros por exemplo)

  162. Contra o chiquismo Diz:

    Vinicius Diz:
    OUTUBRO 29TH, 2015 ÀS 12:22 PM
    …quanto mais se estuda e lê mais “podres” descobrimos …
    .
    .
    Principalmente se tiver no meio namorada ou esposa opositora. Uma hora vc resolve checar as denuncias dela e se surpreende. Minha patroa que me tirou dessa lama.

  163. Gorducho Diz:

    Se ela tiver dificuldade de se convencer, mostre as imagens físicas que no chiquismo têm JC; Maria de Nazaré & o Anjo Ismael.
    E também isso abaixo. Sendo que por elementar justiça deve-se ressaltar que não tem nenhum tipo de respaldo da FEB… Em respeito ao regulamento, não se usa a citação em bloco que se constitui numa formatação bem mais amistosa ao leitor :( ; negritos meus:
     
    O RETRATO DE JESUS E MARIA
    Cientistas com o auxílio da Antropologia e dos recursos da Informática, acabam de apresentar ao mundo um retrato científico de Jesus, o Cristo. Esses cientistas selecionaram uma cabeça de um homem que viveu no século I na Palestina, ou na região e com o computador criaram um rosto médium da população judaica daquele tempo. Levantou-se a hipótese que Jesus só poderia ser semelhante a figura por eles concebida. Um homem de traços fisionômicos grosseiros, cabelos pretos levemente encaracolados e pele queimada pelo Sol. Creio que essa figura apresentada pela ciência não condiz com a elevação espiritual do Mestre. Pois, segundo a Doutrina Espírita, quanto mais elevado o Espírito, tanto mais perfeito será seu corpo carnal, física e esteticamente. Prefiro ficar com as imagens de Jesus consebido pelo então Senador Romano Públio Lêntulo, presidente da Judéia na época de Jesus e que se tornou conhecido entre os espíritas da atualidade como Emmanuel, e protentoso Guia do ilustre médium mineiro Chico Xavier
    .
    http://www.grupoandreluiz.org.br/ler_materia.php?id=14

  164. Marciano Diz:

    MONTALVÃO pergunta:
    “ … o que os afetados fizeram noutras vidas para reencarnarem desse jeito?
     
    Estudaram física quântica de apartamento, usaram o argumento de inverter as coisas, chamando quem não tem crença de crente na descrença, desenvolveram o hemisfério direito do cérebro, pastaram nas planícies, não empreenderam tempo para adquirir conhecimento mais sólido sobre a paranormalidade, aprendendo a jogar com as variáveis dentro do campo de atuação e limites do fenômeno (seja lá o que for que isto signifique), imaginaram possibilidades de andar de quatro, sei lá…

  165. Contra o chiquismo Diz:

    Amigos, alguém aí bom de Física pra me tirar uma dúvida?
    As turbinas de avião tem a potência medida em Libra de Força. Dá pra converter LBF em HP? Ou seja quantos HP (cavalos de força – automóveis) tem uma turbina de Maximum thrust: 19,500 lbf (86.7 kN) ? Muito grato mesmo a quem souber esse enigma: Maiores detalhes da turbina:
    .
    .
    https://en.wikipedia.org/wiki/CFM_International_CFM56#Performance

  166. Victor Diz:

    Vitor,
    Não vou entrar no mérito da discussão do livro do Rockeley ou do próprio
    Stevenson (podemos entrar se quiser…).
    Mas dando o benefício da dúvida a sua tese de que os estudos CORT são estudos que fornecem uma Evidência científica mais “forte” do que meros Relatos Anedóticos, ou do que um simples Estudo de Caso, isso ainda está muito aquém de quaisquer estatuo científico mínimo exigido por qualquer cético para validar a Reencarnação, sequer enquanto “Hipótese” a ser testada.
    .
    Ademais não consigo pensar de que modo o princípio da Falseabilidade de Popper possa ser aplicado a este tipo de “Hipótese”.
    .
    Eu particularmente consideraria “Evidência Sólida”, se houvessem diversos estudos de caso controle, prospectivos, duplo-cegos, triplo-cegos, que possam ser reproduzidos em laboratório, em diferentes momentos com resultados significativos (nada de pequenas variações de corte estatísticas…rs)
    .
    Até tais EVIDÊNCIAS surgirem (algo que eu duvido muito visto a Parapsicologia ter a mesma idade da Quimica, da Biologia e da Física e não produzir nem de longe os mesmos resultados) vou dizer a você o que eu disse ao defensor do “Design Inteligente”:
    .
    “O dia que o “Design Inteligente” (Parapsicologia, Homeopatia, Ufologia e etc) estiver sendo ensinado nas Universidades como disciplina amplamente aceita e essencialmente necessária ao progresso científico, terei o maior prazer em defendê-la.
    .
    Até lá fico com a boa e velha Ciência que nos fornece os recursos que precisamos para estarmos aqui tendo essa discussão.
    .
    Quais foram as contribuições Objetivas e aplicáveis da Parapsicologia a Vida Humana?
    .
    PS: Será a Reencarnação alcançará um dia o estatuto de “Hipótese” ou até mesmo “Teoria” Científica?
    Se pensarmos que ela é tão velha quanto as primeiras religiões e muito mais velha do que a “Teoria da Seleção Natural” ou a “Teoria da Relatividade” eu tenho sérias dúvidas a esse respeito…

  167. Marciano Diz:

    Way to go, Victor!
    Eu também, no dia que o “Design Inteligente”, Parapsicologia, Homeopatia, Ufologia e etc. estiverem sendo ensinados nas Universidades como disciplina amplamente aceita e essencialmente necessária ao progresso científico, terei o maior prazer em defendê-los.
    Principalmente se forem matéria de vestibular, ENEM…

  168. Victor Diz:

    Contra,
    .
    Acho que não é possível fazer a conversão por se tratarem de grandezas físicas diferentes…
    .
    Já que o Kilonewton (ou o Lbf) trata-se de uma grandeza de “Força” e o HP (ou o Watt) de Potência.

  169. Victor Diz:

    Exato! Marciano

  170. Contra o chiquismo Diz:

    Bem , existem carros no youtube com turbinas de avião… quantos hp teriam um carro desses? Uma pena se não der pra fazer a conversão.

  171. Vitor Diz:

    Victor,
    comentando:
    .
    01 – “Mas dando o benefício da dúvida a sua tese de que os estudos CORT são estudos que fornecem uma Evidência científica mais “forte” do que meros Relatos Anedóticos, ou do que um simples Estudo de Caso, isso ainda está muito aquém de quaisquer estatuo científico mínimo exigido por qualquer cético para validar a Reencarnação, sequer enquanto “Hipótese” a ser testada.”
    .
    Mas daonde você tirou isso? A natureza das abordagens qualitativas exige que os pesquisadores que a adotam demonstrem preocupação com o rigor com que pretendem conduzir sua investigação. Lincoln & Guba (1985) sugerem os seguintes critérios: a) credibilidade (os resultados e interpretações feitas pelo pesquisador são plausíveis para os sujeitos envolvidos?); b) transferibilidade (os resultados do estudo podem ser transferidos para outros contextos ou para o mesmo contexto em outras épocas?); c) consistência (os resultados obtidos têm estabilidade no tempo?); e d) confirmabilidade (os resultados obtidos são confirmáveis?) para atender a cada um desses critérios, os autores sugerem vários procedimentos. Entre os procedimentos para maximizar a credibilidade, citados por estes e por muitos outros autores (ver, por exemplo, Creswell, 1994, Merril, 1988, Patton, 1986), é possível destacar: a permanência prolongada no campo; a “checagem pelos participantes”, o questionamento por pares, a triangulação e a análise de hipóteses rivais e de casos negativos. Todos esses critérios são atendidos por Stevenson e seus associados.
    .
    02 – Ademais não consigo pensar de que modo o princípio da Falseabilidade de Popper possa ser aplicado a este tipo de “Hipótese”.”
    .
    Mas que falta de imaginação…a hipótese reencarnação é em princípio falseável sim, vide o experimento de Wiseman citado por Tucker no livro “Vida antes da Vida”. Outros exemplos para falsear a reencarnação você encontra em
    .
    http://obraspsicografadas.org/2014/uma-escala-para-medir-a-fora-das-alegaes-de-vidas-anteriores-das-crianas-2000/
    .
    03 – “Eu particularmente consideraria “Evidência Sólida”, se houvessem diversos estudos de caso controle, prospectivos, duplo-cegos, triplo-cegos, que possam ser reproduzidos em laboratório, em diferentes momentos com resultados significativos (nada de pequenas variações de corte estatísticas…rs)”
    .
    Estude o caso de Sean Harribance, por exemplo.
    .
    04 – “Quais foram as contribuições Objetivas e aplicáveis da Parapsicologia a Vida Humana?”
    .
    A criação do EEG, foi fruto do estudo de telepatia. Outras contribuições você encontra aqui: http://www.pflyceum.org/63.html

  172. Marciano Diz:

    CONTRA, está fora da minha área, mas dê uma olhada nesta calculadora e veja se satisfaz sua curiosidade:
    http://www.converter-unidades.info/Converter+Cavalo-vapor+de+Kilogram-force+meter.php
     
    Não se esqueça de que kgf depende da aceleração da gravidade, sendo o valor em N universal.
    Se você fizer as conversões, só serão válidas na superfície da Terra, onde a aceleração da gravidade é de ≅ 9,81665 m/s² .
     
    No meu planeta, é bem menos do que isso ( ≅ 3,72 m/s² e no espaço, à medida que você se afasta do centro de gravidade, precisa aplicar a equação de Newton, o cara que deu o nome à unidade, pois ela declina proporcionalmente ao quadrado da distância do centro de gravidade, no caso, o centro do planeta Terra.
     
    Isto, no caso da física de verdade.
    Se quiser fazer conversões para parafísica, fale com algum entendido no assunto, pois eles abundam aqui.

  173. Marciano Diz:

    1 kgf = 1,62202 N.
    1 N = 0,6165 kgf.

  174. Contra o chiquismo Diz:

    Infelizmente eu já tinha procurado por essa tabela, mas não consta a LBF para HP. xd:

  175. Marciano Diz:

    Vou ver se encontro uma calculadora que faça conversões de força do pensamento para N ou kgf.
    Ainda não sei como funciona a força do pensamento, mas te mando assim que descobrir.

  176. Marciano Diz:

    Vou tentar encontrar um livro que ensine como se calcula vetores de força do pensamento, resultantes, etc.

  177. Victor Diz:

    Vitor,
    .
    A questão é o estatuto científico da Parapsicologia e a sua aplicabilidade prática.
    .
    E a Parapsicologia não pode sequer ser considerada Ciência (que dirá seus Objetos de Estudo) pois:
    .
    Não há consenso do que seja a Força Psi.
    .
    Essa tal força Psi, sequer foi comprovada.
    .
    A maioria dos estudos publicados não produziu resultados significativos acima do limiar de corte estatístico, e quando muito possui metodologia controversa (que fim levou os estudos do Rhine e do Tart?)
    .
    Não existe consenso em uma “Teoria” para explicar os “supostos” fenômeno alegados.
    .
    Existem diversos relatos de fraude no âmbito dessa “Ciência”.
    .
    A suposta força “psi” não tem quaisquer aplicações práticas…
    .
    Utilizando a frase do Montalvão:
    .
    “psi, SE EXISTIR, será força débil, incerta, sem controle por parte de quem a ostente, e sem utilidade conhecida”.
    .
    PS: Onde foi que você acho essa informação de que a Parapsicologia criou o EEG?

  178. Marciano Diz:

    Como disse o Dr. Vlad, minha vã filosofia e minha acabrunhada física ainda se encontram no século XIX, longe dessa modernização paraquântica.
    Minha força do pensamento ainda é apenas a força do pensamento crítico, também conhecido como pseudocético.
    Sobre pensamento psicodélico, não entendo nada.
    Agora mesmo, minha internet caiu, tentei te enviar esse comentário pela força do pensamento e pelo visto, não consegui.
    Estou apelando para outra linha.

  179. Gorducho Diz:

    AVic antecipou-se, ACoC. Tração é a força que o motor produz sobre a aeronave puxando-a ou empurrando-a (dependendo da posição dos motores vis a vis o CG).
    As turbinas Motores rotativos de avião tem a potência tração medida em Libra de Força.
    Dá pra converter LBF em HP?
    Não. Dá pra calcular a potência útil dum motor (não fale em turbina pois que motores aeronáuticos têm muito mais cousas dentro da carenagem) numa dada velocidade pela eq. básica da física Pot = F*velocidade
     
    1 HP = 550 lbf⋅ft/s
    1 kt (velocidade) = 1,68781 ft/s
    Supondo então uma velocidade aerodinâmica (TAS) = 450kt, temos
    v = 1,68781*450 ≅ 760 ft/s

    Pot. útil (HP) = 760*19500/550 ≅ 26945HP
     
    Mas note que é um resultado artificial. Na prática em cruzeiro o motor estará produzindo algo com 25% do empuxo total, que é usado p/decolagens & arremetidas.
    Ainda: ele (empuxo que o motor é capaz de fornnecer) depende da pressão e temperatura.
     
    quantos HP (cavalos de força – automóveis) tem uma turbina de Maximum thrust: 19,500 lbf (86.7 kN) ?
    i) a rigor a pergunta não faz sentido;
    ii) HP ≠ cv

  180. Victor Diz:

    Por que os espiritualistas encanaram com essa história de Fisica Quântica?
    .
    Engraçado que ninguém relaciona a Teoria da Relatividade com os Fenômenos (imaginários) “Psi”.
    .
    Entretanto já existe até “Cura Quântica”???
    .
    O que os Físicos sérios pensam a respeito disso?

  181. Marciano Diz:

    CONTRA, uma libra é cerca de 453g.
    Não seja preguiçoso, faça os cálculos, despreze a altitude a que chega um avião, pois é muito perto do centro de gravidade terrestre, sendo desprezível a diferença.
    Se for em carros a turbina, você estará necessariamente na superfície terrestre, onde você conhece a aceleração da gravidade, podendo calcular a equivalência.
    Eu tenho um carro turbinado (não é movido por turbina, ele tem um motor turbo, injeta mais ar para a combustão) e outro de seis cilindros, com uma cavalaria melhor ainda (265cv).
    Esses a que você se referiu não servem para andar nas ruas e estradas, são somente para arrancadas.
    Se servissem, a legislação de trânsito não os permite como veículos de transporte.

  182. Gorducho Diz:

    PS: Onde foi que você acho essa informação de que a Parapsicologia criou o EEG?
     
    Esse é um dos chavões dele; o objetivo, creio, é fazer os leitores rirem.
    Eu não gosto muito pois sou propenso a soluços quando rio demais. Ou se estou no frio se me racham os lábios e doi…
    (no me hagas reir que tengo el labio partido, como dizem nossos irmãos platinos).

  183. Marciano Diz:

    GORDUCHO, matou a pau!
     
    Eu acho que CONTRA quer saber o torque de um motor de automóvel, para compará-lo aos motores de um jato comercial.
    Seria isso?
    Por exemplo, acho que ele quer saber a que velocidade um carro de peso médio (massa média) chegaria em 10s, por exemplo, impulsionado pelos motores de um Boeing igual ao da aeronave da Malaysia.
     
    Eu acho que o carro se desmantelaria, mas diante dos seus conhecimentos, calo-me.

  184. Marciano Diz:

    CONTRA, é mais seguro e mais econômico usar a força do pensamento para mover seu carro.
    E as seguradoras não indenizam o sinistro que você quer causar.

  185. Marciano Diz:

    Os aeróbus, por exemplo, são movidos pela força do pensamento, no caso, do pensamento dos crentes no chiquismo.

  186. Contra o chiquismo Diz:

    Muito grato realistas/desmancha prazeres Marciano & Gorducho. Eu sempre ficava de recuperação em Físca, só fui estudar pra me livrar da recuperação no 3º ano do 2º grau pq não aguentava mais o estresse da tensão da possibilidade de ficar reprovado. Consegui a muito custo passar direto em Física.

    .
    .
    Bem, eu ouvi algo que a turbina (reator Gorducho) Rolls-Royce Trent 800 do 777 tem algo em torno de 150.000 hp. Isso no Youtube, uma representante fala das qualidades dele. Mas essa é realmente brinquedo de gente GRANDE: Maximum thrust: 415 kN (93,400 lbf)
    .
    .
    Sim esses carros com turbofans são só para demonstração.

  187. Vitor Diz:

    Victor,
    comentando:
    .
    05 – “A questão é o estatuto científico da Parapsicologia e a sua aplicabilidade prática.”
    .
    As for practical applications of psi, this is largely unexplored territory (especially in the laboratory), but for many years we have been aware of psychic individuals who are, or have been, gainfully employed in psi practice and produce useful or profitable results (see Schouten, 1993; Schwartz, 1983, 2000, 2005). In his comprehensive review, Schouten (1993) found that “psychics might occasionally have impressions which are difficult to explain and which could be considered paranormal” (p. 387), also commenting that “complementary medicine deserves a place in the health care system” (p. 399). Schwartz (1983, 2000, 2005) has gone to great lengths to demonstrate the uses of psi in archaeology and anthropology, and this approach extends to crime solving and detectionareas that have already seen applications (Schouten, 1994).”
    .
    Publicado no Psychological Bulletin em 2010, uma revista de altíssimo fator de impacto da comunidade científica, e disponível em
    http://deanradin.com/evidence/Storm2010Nothingtohide.pdf
    .
    06 – “E a Parapsicologia não pode sequer ser considerada Ciência”
    .
    A parapsicologia é reconhecida como Ciência desde 1969 pela AAAS, a maior associação científica do mundo e mesma editora da revista Science.
    .
    07 – “Não há consenso do que seja a Força Psi.”
    .
    Até porque essa expressão, “força psi”, a rigor, não existe. O que existe é psi, um termo neutro para fenômenos paranormais.
    .
    08 – Essa tal força Psi, sequer foi comprovada.
    .
    Errado: http://parapsych.org/articles/36/55/what_is_the_stateoftheevidence.aspx
    .
    09 – “A maioria dos estudos publicados não produziu resultados significativos acima do limiar de corte estatístico, e quando muito possui metodologia controversa (que fim levou os estudos do Rhine e do Tart?)”
    .
    http://parapsych.org/articles/36/64/3_esp_in_the_ganzfeld.aspx
    .
    10 – “Existem diversos relatos de fraude no âmbito dessa “Ciência”.
    .
    Em qualquer ciência há diversos relatos de fraude. Mas a fraude na Parapsicologia vem bem menos dos pesquisadores, e mais dos sujeitos estudados. Nas demais ciências ocorre o oposto (ou seja, a fraude vem mais dos pesquisadores).
    .
    11 – A suposta força “psi” não tem quaisquer aplicações práticas…
    .
    Já comentando em 05.
    .
    12 – “Utilizando a frase do Montalvão”
    .
    Não há pessoa mais desinformada para vc se basear :-)
    .
    13 – “Onde foi que você acho essa informação de que a Parapsicologia criou o EEG?”
    .
    https://methodsinbraincomputerinterfaces.wikispaces.com/file/view/BergerBiography.pdf

  188. Contra o chiquismo Diz:

    “Da Governadoria, este Aerobus vai parando, de 3 em 3 km, na velocidade de 30 km/h e leva 40 minutos até o Parque das Águas.
    Voltando ao aerobus, a descrição que nos chega é de um carro suspenso do solo a uma altura de cinco metros, do tipo funicular, em que o sistema de tração é por meio de cabos, como os teleféricos. Constituído de material muito flexível, é bem grande e parece ligado a fios invisíveis. Muito veloz, constituía-se o meio de locomoção mais usado na colônia “Nosso Lar”.

    ..
    .
    será que lá tem GATO de energia? Deve custar caro pra mover o aerobus..

    .
    .
    “Parque das Águas” – como cx era mineiro, deve ter feito alguma viagem a São Lourenço pra imaginar o N.L. a cidade deve bater com a descrição de N.L em muitas coisas, a começar pelo famoso “Parque das Águas” a atração principal de São Lourenço MG. Se as águas do N.L forem curativas, ou tiverem metais em sua composição, tá aí uma coisa que descobrimos: NL, nada mais é que a S Lourenço MG porém adaptada ao ‘além’.

  189. Gorducho Diz:

    a turbina (reator Gorducho) o motor Rolls-Royce Trent 800 do 777

  190. Marciano Diz:

    Era aqui:
    Estou confuso: se “força psi”, a rigor, não existe, o que existe é psi, um termo neutro para fenômenos paranormais”, como é que está errado dizer que ela não foi comprovada?
    Comprovaram uma coisa que a rigor não existe, é isso?
    E a força do pensamento, aquela preconizada pelo Guerrer? Existe?
    Se não existe, por que ele fala em “força” do pensamento?
    Se é possível mover matéria com a mente, seria incorreto chamar isto de “força”?
    Indiretamente, ele está atribuindo uma força à mente. Que outra maneira haveria de mudar a inércia de uma massa?
    Essa mente que move massas não é uma força?
    É o quê, então?

  191. Gorducho Diz:

    Eu acho que CONTRA quer saber o torque de um motor de automóvel, para compará-lo aos motores de um jato comercial.
     
    Em turbo hélices a principal medida de potência é o torque no eixo da hélice (análogo digamos à pressão de admissão nos motores alternativos).

  192. Vitor Diz:

    “se “força psi”, a rigor, não existe, o que existe é psi, um termo neutro para fenômenos paranormais”, como é que está errado dizer que ela não foi comprovada?”
    .
    Porque ela foi comprovada, mas não se sabe se é uma força. Seria algo análogo à gravidade, que está comprovada, mas ela é uma força? Segundo Newton sim. Na teoria da relatividade geral de Einstein, no entanto, jamais há qualquer menção a forças. A suposta atração entre corpos se justifica a partir de uma concatenação entre um tensor de energia e uma métrica do espaço-tempo. Já na gravitação weberiana proposta por André Assis, existem forças. No entanto, tais forças weberianas têm um papel completamente diferente das forças newtonianas. Tanto é verdade que, na gravitação weberiana, a força resultante sobre qualquer sistema físico é sempre nula. Na teoria de gravitação de Hoyle e Narlikar, ao contrário do que ocorre na teoria de Newton, a ação das forças entre corpos distantes jamais é instantânea, sempre se propagando pelo espaço na velocidade da luz no vácuo. E na gravitação de Hertz existem interações instantâneas, porém não descritas por forças. Ou seja, estes são apenas alguns exemplos de teorias distintas que procuram explicar a aparente atração entre corpos com massa, sendo que a própria noção de massa também muda, conforme a teoria.

  193. Marciano Diz:

    E existe alguma teoria sobre a velocidade de propagação dos fenômenos psi?
    Por exemplo, no caso do físico que quer mover massa com a mente, o movimento se propagaria da mente movedora para a massa a ser movida?
    Se sim, com que velocidade?
    No caso da comunicação telepática, estaria ela limitada à velocidade de propagação das ondas eletromagnéticas?
    Estaria sujeita à relação inversa ao cubo da distância?
    Propagar-se-ia em todas as direções, como as demais?
    Estaria sujeita a algum tipo de mensuração?
    Estaria relacionada a algum tipo de energia?

  194. Vitor Diz:

    Marciano,
    teorias não faltam. Uma desenvolvida por físicos é essa:
    .
    http://arxiv.org/abs/0801.0382

  195. Julio Siqueira Diz:

    Nossa, esse tópico está quase impossível de ser lido, devido à grande produtividade dos colegas mensageiros do aquém. Houve uma certa objeção, talvez mesmo ceticismo, quanto à existência do tal *pseudocético*.
    .
    Alô Alô, Marciano, você disse: “Se não ser bobo é ser pseudocético, então sou pseudocético,”
    .
    Na verdade, Marciano, o pseudoceticismo está mais ligado à falta de honestidade intelectual, consciente ou inconsciente. O pseudocético na verdade é bobo, porque ele pensa que está atuando para o próprio interesse mas na verdade não está atuando para o interesse de ninguém. Ele prejudica a todos, e a si próprio. O pseudocético é como o Lula: enfia a mão na cumbuca e acha que vai conseguir arrancar a banana antes de ser pego. De fato, muitas vezes dá certo. Mas às vezes ele se dá mal. Eu possuo um subsite no meu site inteiramente dedicado à problemática do pseudoceticismo e dos pseudocéticos. E acredite, Marciano: normalmente eles são não apenas bobos, mas chatos pra cacete! Sinceramente não acredito que você seja um pseudocético. Penso o mesmo a respeito do Montalvão (cabra porreta, bacana prá chuchu!). Já aquele outro que você citou, bem… A frase que você postou já diz tudo. Ele crê (evangélico do ateísmo, fazer o quê… :-) ) que *não existem* poderes da mente. E ele acha que *pode afirmar* essa crença dele (que é respeitável sem dúvida, assim como a crença no Saci pererê e no boitatá) para a sociedade como se fosse uma verdade digna de ser taxada de *verdade científica*. E ele se faz passar por pessoa *dotada de confiabilidade suficiente* para que sua frase seja aceita. Então veja, Marciano (e Montalvão), a partir do momento que EU SEI (eu, Júlio) e a partir do momento que EU POSSUO SIM A CONFIABILIDADE SUFICIENTE (eu, Júlio) para afirmar que a ciência AINDA NÃO PODE fazer uma afirmação dessas (assim como não podia afirmar que o cérebro não possui vasos linfáticos, vasos esses que, aliás, são muito mais fáceis de encontrar do que “almas dentro do cérebro”), então eu posso sim concluir sem sombra de dúvidas que quem quer que, com conhecimento de causa, afirme que a ciência demonstra que não existem poderes da mente está simplesmente mentindo (consciente ou inconscientemente), sendo desonesto (consciente ou inconscientemente), e, consequentemente, sendo um pseudocético.
    .
    É lógico que sempre precisamos ter muita cautela em nossas afirmações e avaliações a respeito do mundo e a respeito dos outros seres humanos. Veja, de fato é aceitável se afirmar que não existem poderes da mente, já que os poderes que têm sido aparentemente identificados se mostram (aparentemente também…) fracos. Então seriam melhor descritos como “fraquezas da mente” do que como “poderes da mente”. Uma possibilidade oposta seria afirmarmos que os poderes da mente existem e já são plenamente detectáveis: temos as ondas elétricas registradas em eletroencefalogramas, o uso de tunelamento quântico tanto em enzimas cerebrais quanto talvez de modo mais amplo no fenômeno (sentido) da olfação (onde talvez haja o uso do entrelaçamento quântico para se atingir o objetivo biológico devido), sem falar nos poderes da fala, da visão, e tantos e tantos outros.
    .
    Enfim, Marciano, se quiseres saber se és um pseudocético, não pergunte se és ou não bobo. Perguntes, acima de tudo, o seguinte: sou ou não um chato de galochas? Se a resposta for sim, provavelmente és um pseudocético.
    .
    Abraços,
    Julio Siqueira – O Caçador de Pseudocéticos
    ——————————–

  196. Vitor Diz:

    Só desejo chamar a atenção que a data do artigo do Kentaro é 2009, antes da publicação de diversos artigos sobre telepatia em Ganzfeld publicados no Psychological Bulletin e em outros locais, como o JP. Ainda assim, o artigo possui problemas, como quando diz “O desafio não se aplica apenas a dobrar talheres, claro, e sim a todo tipo de feito paranormal.”, o que é uma visão equivocada, já que o próprio Randi afirmou não testar afirmações “religiosas”, inclusive reencarnação. Evidentemente, pode-se dizer que os casos de reencarnação não se enquadrariam exatamente como um “poder da mente”, que é o que trata o artigo do Kentaro, a menos que se considere como “poder” a própria capacidade que a mente teria de reencarnar.

  197. Marciano Diz:

    VITOR, não conheço o Pierro, mas ele não fala em teoria e sim em conjecturas. E sobre poltergeists.
    Mas valeu, assim mesmo!

  198. Marciano Diz:

    Pô, JULIO, falando em desonestidade e me comparando à muLLa?
    Pega leve!
    E de bobo o luLLa não tem nada, ele é burro, coisa diferente.
    Quisera eu me prejudicar como ele prejudica a si próprio, com o patrimônio que acumulou “enfiando a mão na cumbuca” do Estado.
    Eu não sou ladrão, jamais enfiaria a mão na cumbuca do Estado brasileiro, Estados estrangeiros ou qualquer pessoa física ou jurídica.
     
    Obrigado por suas palavras carinhosas.
    Eu também acho que não sou chato nem pseudocético.
     
    O cara que eu citei é o KENTARO MORI, amigo do VITOR.
    Não o conheço bem, mas não o acho bobo ou crente, nem um pouco.
     
    Admiro o seu trabalho no seu blog, onde já entrei algumas vezes.
    Acho que não existem indícios suficientes para que possamos investigar os alegados poderes da mente. Eles se parecem muito com o kardecismo que você critica. Têm um monte de defensores, mas nada de palpável.
    E tem muita fraude também, o que até acontece em ciência, mas não com essa contumácia.
    Eu acho (veja bem, acho) que você se livrou do kardecismo, mas, assim como o VITOR, está à procura de um substituto.
    Não afirmei nada.
    Está certo que a ciência não pode afirmar ou demonstrar que não existem os chamados poderes da mente, ou psi, mas está longe de poder afirmar o contrário.
     
    Achei engraçada sua expressão “fraquezas da mente”. Vou me apropriar dela, citando-o sempre que a usar.
     
    Já que você me comparou à muLLa e se diz “caçador de pseudocéticos”, vou te comparar ao CoLLor, o caçador de marajás, só por revanchismo :smile:
     
    Não leve a sério, é só uma brincadeirinha.
    Obrigado pela resposta.
    Um abraço.

  199. Marciano Diz:

    VITOR, pelo que sei, o KENTARO é seu amigo.
    Veja o que ele pensa agora, seis anos depois.
    Ele não comenta aqui, nunca?

  200. Vitor Diz:

    Sim, é meu amigo, e excelente amigo. Eu sei o que ele pensa sem precisar de telepatia. Mas tenho certeza que ele não tem acompanhado as publicações, pois nem pra atualizar o “Ceticismo Aberto” ele tem tido tempo, há anos que ele não atualiza. Também não sei se ele mudaria de opinião lendo as publicações mais recentes, pois como já disse aqui, pessoas podem divergir sobre os mesmos dados. O que sei que ele não vai mudar de opinião é que as pesquisas parapsicológicas não devem ser financiadas com dinheiro público, o que eu discordo, mas tudo bem, entendo os motivos dele. E que me lembre ele nunca comentou aqui, mas posso estar equivocado.

  201. Marciano Diz:

    Com dinheiro próprio, eu acho que todos têm o direito de fazer o que quiserem, desde que não seja ilegal.
    Já o dinheiro público não pode ser gasto sem mais nem menos, principalmente aqui no Brasil, onde tudo é motivo para “enfiar a mão na cumbuca”.
     
    Acredito que o Guerrer deve ter tentado financiamento público e particular, mas não conseguiu convencer ninguém.
    Não acho legal esse negócio de crowdfunding, pois é muito semelhante ao que fazem Macedo, Soares, Malafaia e cia.
    Não estou comparando o Guerrer com eles, mas aposto uma grana com quem quiser que a pesquisa dele não vai dar em nada.
    Não vai mover nem um yoctograma (10⁻ ² ⁴ g).
    Pelo menos com a “fraqueza da mente” (apud Júlio Siqueira :smile:

  202. Marciano Diz:

    Você, certamente, conhece o James Hydrick, aquele cara que movia objetos com o “poder da mente”.
    Com o isopor, a força dele sumiu.
     
    Para quem não conhece, aqui está o Bruce Lee fajuto:
    https://www.youtube.com/watch?v=QlfMsZwr8rc
    E todos conhecem Uri Geller e sua história, que não “funcioona”.

  203. Vitor Diz:

    Bem, aviso que agora só volto na terça, porque amanhã é dia do servidor, feriado pra mim! E segunda é feriado também.

  204. Marciano Diz:

    JÚLIO, você não deve se lembrar de mim, mas eu já comentei um artigo seu, aquele do estudante que lectured severely Isaac Asimov.
    Eu ajudei você na tradução do termo, lembra-se?
    É um prazer “falar” com você de novo.

  205. Julio Siqueira Diz:

    Oi Marciano, não vou ter tempo de comentar muito, mas gostaria apenas de ressaltar um ponto. Você disse:

    “Pô, JULIO, falando em desonestidade e me comparando à muLLa?”
    .
    Olha, Marciano, falando com toda a seriedade: eu jamais, JAMAIS, lhe compararia a Lula. E neste exemplo que citei não estava nem de longe pensando em você. Eu não sou do tipo que anda usando de termos como “pseudocético”, “crente”, ou qualquer outro, atirando tais termos para cá e para lá apenas para rotular e anular meus interlocutores.
    .
    Inclusive, seu comentário agora me chamou a atenção para um ponto importante. Alguém pode concluir que eu estava equiparando pessoas como o cético ativista brasileiro citado por você, ou mesmo figuras céticas (ou “céticas”) internacionais como James Randi, Richard Dawkins, etc, ao Lula. Isso é grave. Novamente, com toda a seriedade: jamais compararia tais pessoas a Lula. Infelizmente Lula (mesmo eu nunca tendo sido PT) foi uma fonte de fortíssima decepção para mim. Penso também, dentro de meus conhecimentos e limitações, que ele teve uma atuação fortemente nefasta em nosso país (ainda que eu não possa avaliar devidamente o conjunto da ação dos governos dele e de Dilma, e nem do governo dele isoladamente; então, deixo margem também para a possibilidade de muitas coisas boas terem sido trazidas pelo governo petista).
    .
    Deixo então minhas desculpas pela mera possibilidade de alguém ter sentido que eu comparava tais indivíduos.
    .
    Abraços,
    Julio

  206. Julio Siqueira Diz:

    Oi Marciano, lembrei da sua ajuda na tradução. Muito especial!
    .
    Deixe-me aproveitar para completar um raciocínio meu que ficou pela metade (deliberadamente…). Se (se!) Kentaro Mori for um pseudocético por afirmar que “Os Poderes da Mente Já Foram Demonstrados Como Inexistentes Pela Ciência”, podemos igualmente considerar como pseudocientista quem afirmar que “A Ciência Já Demonstrou Satisfatoriamente Que Os Poderes da Mente Existem”.
    .
    Abraços,
    Julio

  207. Vinicius Diz:

    Gorducho Diz:
    OUTUBRO 29TH, 2015 ÀS 1:27 PM
    Se ela tiver dificuldade de se convencer, mostre as imagens físicas que no chiquismo têm JC; Maria de Nazaré & o Anjo Ismael.
    E também isso abaixo. Sendo que por elementar justiça deve-se ressaltar que não tem nenhum tipo de respaldo da FEB… Em respeito ao regulamento, não se usa a citação em bloco que se constitui numa formatação bem mais amistosa ao leitor ; negritos meus:

    O RETRATO DE JESUS E MARIA
    Cientistas com o auxílio da Antropologia e dos recursos da Informática, acabam de apresentar ao mundo um retrato científico de Jesus, o Cristo. Esses cientistas selecionaram uma cabeça de um homem que viveu no século I na Palestina, ou na região e com o computador criaram um rosto médium da população judaica daquele tempo. Levantou-se a hipótese que Jesus só poderia ser semelhante a figura por eles concebida. Um homem de traços fisionômicos grosseiros, cabelos pretos levemente encaracolados e pele queimada pelo Sol. Creio que essa figura apresentada pela ciência não condiz com a elevação espiritual do Mestre. Pois, segundo a Doutrina Espírita, quanto mais elevado o Espírito, tanto mais perfeito será seu corpo carnal, física e esteticamente. Prefiro ficar com as imagens de Jesus consebido pelo então Senador Romano Públio Lêntulo, presidente da Judéia na época de Jesus e que se tornou conhecido entre os espíritas da atualidade como Emmanuel, e protentoso Guia do ilustre médium mineiro Chico Xavier.
    http://www.grupoandreluiz.org.br/ler_materia.php?id=14

    Caramba AG, não conhecia esse texto, que grosseria do Autor, nossa ! Aqui no BLOG tenho ficado sabendo de cada coisa ( o negro Pai Cesar eu fiquei sabendo aqui, aliás, quando mostrei o titulo Pai Cesar, antes de ler ela perguntou se era algum pai de santo kkk).
    Preconceito puro! Arianismo!

  208. Marciano Diz:

    Relaxe, JULIO, eu só estava brincando quando falei da comparação.
    Da minha parte, você não tem nada do que se desculpar.
    Take it easy, man!
    E eu citei o KENTARO porque sabia que ele é amigo do VITOR.
    Foi só uma provocação com a Administração, que já me conhece bem.
    Um forte abraço e um bom feriadão pra você.

  209. Borges Diz:

    “depende do que considere por natureza; não tem o jumento c/égua?
    E pelo que entendo 300 covados tinham os nefilins, i.e., os filhos dos guardiões c/as terrícolas. Deviam nascer c/mesmo tamanho nosso só cresciam ou mais rapidamente ou durante mais anos – isso ninguém sabe, claro!”
    Gorducho: você está correto, tanto o texto bíblico quanto o livro de Henoc deixam claro que o acasalamento ocorreu entre “os filhos de Deus” e as “filhas dos homens”, seria impensável aceitar que tivesse ocorrido entre os “gigantes” e as “filhas dos homens”. Os gigantes foram o resultado do acasalamento.
    E por falar em gigantes, acho que seu tamanho está superestimado no livro de Henoc, isto poderia ter ocorrido devido à tradição, ao processo de copia manual ou até mesmo devido a traduções. Ainda mais, se levarmos em consideração, que após o século cinco, as cópias foram desaparecendo, restando apenas uma. Apresento abaixo um trecho do AT, que pode dar uma ideia aproximada e mais aceitável do tamanho dos gigantes.
    “Deuteronômio: 2 – 8 a 11.
    Foi assim que, naquele tempo, tomamos a terra dos dois reis amorreus, no outro lado do Jordão, desde o ribeiro Arnon até o monte Hermon, (os sidônios chamam o Hermon de Sarin; os amorreus, porém, chamam-no de Sanir), todas as cidades do planalto, todo Galaad e todo Basã, até Selca e Edrai, cidades do reino de Og em Basâ.(Pois somente Og, rei de Basã, sobrevivera dos remanescentes dos rafaim; seu leito é o leito de ferro que está em Rabá dos filhos de Amon; tem nove côvados de comprimento e quatro côvados de largura, em côvado comum)”
    Não acho que o encontro dos “filhos de Deus” com a humanidade foi casual, penso que foi parte de um plano bem maior. O planeta terra poderia ter sido utilizado como um laboratório biológico pelos alienígenas do passado. As experiências genéticas poderiam ter começado com os primatas, há quatro milhões de anos ou mais. Células dos próprios alienígenas, poderiam ter sido utilizadas nas modificações genéticas de nossos ancestrais. Assim, as mulheres humanas poderiam ser fecundadas pelos sentinelas. E eles sabiam que estavam fazendo algo errado, conforme fica evidenciado no trecho apresentado a seguir:
    “Livro de Henoc – capítulo 7 – 3 a 8.

    3Então seu líder Samyaza disse-lhes: Eu temo que talvez possais indispor-vos na realização deste
    empreendimento;
    4E que só eu sofrerei por tão grave crime.
    5Mas eles responderam-lhe e disseram: Nós todos juramos;
    6 (e amarraram-se por mútuos juramentos), que nós não mudaremos nossa intenção mas executamos
    nosso empreendimento projetado.
    7Então eles juraram todos juntos, e todos se amarraram (ou uniram) por mútuo juramento. Todo seu
    número era duzentos, os quais descendiam de Ardis, (4) o qual é o topo do monte Armon.
    (4) de Ardis. Ou, “nos dias de Jared” (R.H. Charles, ed. and trans., The Book of Enoch [Oxford: Clarendon Press,
    1893], p. 63).
    8Aquele monte portanto foi chamado Armon, porque eles tinham jurado sobre ele, (5) e amarraramse
    por mútuo juramento.
    (5) Mt. Armon, ou Monte Hermon deriva seu nome do hebreu herem, uma maldição (Charles, p. 63). “
    9

  210. Marciano Diz:

    VINICIUS, pesquise mais um pouco e vai ver que esse personagem só existe na imaginação das pessoas.
    Não há nada de concreto sobre ele, e deveria haver.
    Já falei tanto sobre isso que não vou ficar me repetindo.
    Procure pelos (são vários) artigos publicados anteriormente no site em que o tópico é justamente ele.
    Eu até arranjei um apelido para o tal mestre (FORREST GUMP), por sua semelhança com o personagem do filme.
    Ambos conviveram com personagens e situações reais, mas nada existe de concreto sobre nenhum dos dois.
    A diferença é que nunca se pretendeu que o personagem de Tom Hanks fosse real.
    Vale o mesmo para maomé, buda, krishna, etc.
    Eu já acreditei que existissem pessoas de carne e osso que geraram as lendas, mas tudo leva a crer que foi só invenção mesmo.
    Antigamente era muito fácil inventar pessoas que teriam existido há cem anos.
    Existe farta literatura a respeito, principalmente quanto a FG.
    Claro que depois de tantos séculos o mito fica indelevelmente marcado na imaginação das pessoas, mas cadê os fatos?
    Só algumas falsificações, falsas relíquias, inserções de textos, tudo flagrantemente forjado.
    A probabilidade de terem existido esses caras é de 10⁻ ³ ⁰ %, ou seja, 0,00000000000000000000000000001 %.
    Usei a calculadora do CONTRA.

  211. Marciano Diz:

    Não tenho certeza absoluta, só 99,999999999999999999999999999999% de certeza.
    Parece um número arbitrário, mas foi calculado com precisão, graças à supercalculadora hipercientífica emprestada pelo CONTRA.
    A mesma que ele usa para projetar seus automóveis 200.000 cv.
    Ele importou a calculadora do LAR DELES.
    É superconfiável!

  212. Borges Diz:

    2REIS: 2 – 11 a 13.
    E aconteceu que, enquanto andavam e conversavam, eis que um carro de fogo e cavalos de fogo os separaram um do outro, e Elias subiu ao céu no turbilhão. Eliseu olhava e gritava: ”Meu pai! Meu pai! Carro e cavalaria de Israel!” Depois não mais o viu e, tomando suas vestes, rasgou-as. Apanhou o manto de Elias, que havia caído, e voltou para a beira do Jordão, onde ficou.

  213. Vinicius Diz:

    Mesmo que não exista Marciano, pouco me importa se ele, Buda,Maomé, Kardec, Bill Gates, Steve Jobs seja japonês, branco, amarelo, preto, azul , só achei de extremo mau gosto e fanatismo exacerbado o que esse senhor publicou em um site público. Esse tal Floriano tem todo direito do mundo de ter sua opinião pessoal de correlacionar “cor de pele e traços do rosto com evolução espiritual” mas a partir do momento que veicula em rede social e site publico quem lê manifesta suas opiniões favoráveis, contrárias, envia e-mails para dúvidas ou protestos etc. Foi o que fiz agora mesmo enviei um post no facebook exigindo maiores explicações para esse grupo espírita e o que quiseram dizer com isso.

  214. Marciano Diz:

    BORGES, sei que você ficou muito feliz quando te comparei com o von Däniken e que você gosta muito do “Alienígenas do Passado”.
    Vi seu comentário duplicado (paranormal).
    Eu li o Erinnerungen an die Zukunft (Memórias do Futuro), chamado nos States de The Chariots of the Gods? (Carruagens dos Deuses?) e aqui de “Eram os Deuses Astronautas?”.
     
    Você está precisando de conversar com o KENTARO.
    O amigo do VITOR.
     
    Dê uma olhada no blog dele:
    http://www.ceticismoaberto.com/
    Ele é especialista em ufologia. Já deu entrevista no Programa do Comunista (oops) do Jô.
    Veja, na íntegra (se quiser, claro, e se ainda não viu):
    http://globotv.globo.com/rede-globo/programa-do-jo/v/kentaro-mori-e-especialista-em-ufologia/1257415/

  215. Marciano Diz:

    Eu entendi, VINICIUS, e você está certo. Pouco importa a cor da pessoa, isto não tem nada a ver com evolução ou perfeição.
    Eu só quis mostrar que o cara, muitíssimo provavelmente, nem existiu.
    Much ado about nothing, como diria Shakespeare.

  216. Gorducho Diz:

    Vi e entrevista e achei absolutamente genial!
    O cara detona c/a ufologia, de sorte que se já foi crente caiu na real. EE principalmente detona c/os crédulos!
    Um bom exemplo que “um certo” amigo dele deveria seguir…
     
    E no fim aparece uma pergunta do Sr. Emanuel (c/a pronúncia correta), e Jô m/pareceu que aproveitou p/alfinetar os chiquistas.
     
    By the way: detona c/as espaçonaves bíblicas do ABo também.

  217. Contra o chiquismo Diz:

    Achei Marciano, veja o vídeo aos 1:10
    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=c3e6Sc38VuY

    .
    .
    “…60 toneladas de empuxo, o equivalente a mais de 100 mil cavalos…”
    .
    .
    Lembra lá atrás que eu disse que tinha ouvido falar em mais 100 mil HP dessas turbinas? Como a moça do filme chegou a esse cálculo é que eu queria saber. O filme é curto tem só 5 minutos, é interessante.

  218. Marciano Diz:

    Repensando o caso, penso que a mente pode realmente produzir trabalho.
    Considerando que a mente é produto do cérebro, se tomarmos este como fonte de energia, dependendo do aproveitamento da transformação em energia, ele pode fornecer até alguns gigajoules (GJ).
    Se for queimado (literalmente), pode fornecer alguns KJ, talvez.
    O GORDUCHO entende melhor dessas coisas.
    A potência do cérebro (mente) poderia ser medida em quantidade de trabalho realizado divido pela quantidade de tempo necessário.
    Quantos watts teria uma mente?
    A que distância e em quanto tempo poderia mover uma massa m qualquer?
    Qual seria a energia mecânica de um cérebro?
    Um cérebro de tamanho médio, elevado a 11 mil pés tem que quantidade de energia potencial, em joules?
    Algo me diz que não muito, pois grande parte dela vai ser dissipada pela resistência do ar, atingindo uma velocidade terminal pequena. A energia cinética, ao atingir o solo, realizará pouco trabalho.
    Não me lembro mais dessas coisas.
     
    Aproveito para perguntar ao GORDUCHO:
    Por que um horse power é igual a 746 watts e um cavalo vapor a meros 735 watts?
    Até nisso somos inferiores?
    Nossos cavalos são mais fracos?

  219. Marciano Diz:

    CONTRA, vou passar a bola pro GORDUCHO, muito mais competente do que minha desmemoriada consciência.
    Sempre que tenho dúvidas sobre matemática, física e HTML/CSS, recorro a ele.
    Como acabei de fazer acima.

  220. Marciano Diz:

    Vou assistir ao vídeo, mas a resposta fica pro GORDUCHO.

  221. Marciano Diz:

    Em tempo:
    Pelo que acho que sei, a potência é a medida da força em unidades de tempo.
    Talvez um de nós já tenha realizado um trabalho que pode ser medido em 60 toneladas de empuxo, desde que nascemos.
    O importante é saber em quanto tempo o motor fornece essa força toda.

  222. Borges Diz:

    Marciano:- obrigado pelo vídeo, estou deixando outro em retribuição.
    http://globotv.globo.com/rede-globo/programa-do-jo/v/erich-von-daniken-e-autor-do-livro-eram-os-deuses-astronautas/2512730/

  223. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Eu também, no dia que o “Design Inteligente”, Parapsicologia, Homeopatia, UFOLOGIA [ASTROLOGIA], etc. estiverem sendo ensinados nas Universidades como disciplina amplamente aceita e essencialmente necessária ao progresso científico, terei o maior prazer em defendê-los.”
    /.
    POIS EU, SE LÁ ESTIVESSE A ESTUDAR, sairia incontinenti, pois, com certeza não mais seria universidade, sim hospício…
    /
    /
    “no dia que o [...] UFOLOGIA, etc. estiverem sendo ensinados nas Universidades…”
    /.
    ORA, UM MARCIANO deveria querer ver a matéria ensinada, assim facilitaria os contatos e correlatos, a não ser que não queira ver visitas pisando os crisântemos de seu jardim em Deimos ou Fobos…

  224. Marciano Diz:

    Aos 3min50s ela fala em 750kg em 30s. Isto é potência para mim.
    O vídeo mostra como é boa a antiga ciência, ao contrário da ciência da nova era (new age), a qual parece-se mais com filosofia do que com ciência.
    Eu sou um sujeito antiquado. Prefiro esse tipo de ciência.
     
    Vou tentar calcular a quantidade de trabalho que eu e a narradora poderíamos produzir em 90min, dado que minha potência é = 759.000 cavalos puro sangue. Cavalos de carga, mesmo. Medido e aferido pelo NIST (National Institute of Standards and Technology), não pelo INMETRO.

  225. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Ainda não sei como funciona a força do pensamento, mas te mando assim que descobrir.”
    /.
    MEDE-SE A FORÇA DO PENSAMENTO, todos sabem, aplicando-se 60 lb de Kg/joule no ponto cerebelar das tonsilas, somando-se o resultado à hipotenusa do hemisfério direito. Sempre levando em conta que o ímpeto pensamental corresponde ao inversamente proporcional do quadrado da distância que une os lóbulos temporais ao giro cingular, donde se originou a fórmula: FP=89*99-89*99, donde FP=Força do Pensamento.

  226. Marciano Diz:

    Obrigado, BORGES, eu já assiti a esse vídeo antes.
    Vi os dois no próprio programa, ao qual não assisto mais, desde que o cara levou a presidAnta para uma falsa entrevista.
    Eu já não gostava mesmo, só via quando não tinha mais nada para ser visto.
    Pra mim, esse Jô é um prego enferrujado, uma criança velha que se acha, afetado e metido a besta.
    Agora prefiro até reality shows, pois, como já disse antes aqui, detesto pessoas vendidas. Principalmente quando se vendem ao PT.
     
    Você acredita também nessa história de maias?
     
    Phobos e Deimos são apenas dois asteroides capturados. São estéreis.
    Bonita mesmo é a vegetação marciana. Indescritível.
    Se não me acreditas, pergunte à MJD. Ela tem um jardim de fazer inveja a qualquer inglês terrícola.

  227. Marciano Diz:

    MEDE-SE A FORÇA DO PENSAMENTO, todos sabem, aplicando-se 60 lb de Kg/joule no ponto cerebelar das tonsilas, somando-se o resultado à hipotenusa do hemisfério direito. Sempre levando em conta que o ímpeto pensamental corresponde ao inversamente proporcional do quadrado da distância que une os lóbulos temporais ao giro cingular, donde se originou a fórmula: FP=89*99-89*99, donde FP=Força do Pensamento.
     
    Esqueceu-se de mencionar a mantissa, a média harmônica, o desvio padrão e a velocidade do pensamento em knots.

  228. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “acho que ele quer saber a que velocidade um carro de peso médio (massa média) chegaria em 10s, por exemplo, impulsionado pelos motores de um Boeing igual ao da aeronave da Malaysia.”
    /.
    POIS EU TENHO OUTRA CURIOSIDADE, CONQUANTO PARECIDA: “a que velocidade um Boeing de peso médio (massa média) chegaria em 10s, por exemplo, impulsionado pelos motores de FUSCA 1600?

  229. Marciano Diz:

    CONTRA, pra você que gosta de motores, os daqueles aposentados ônibus espaciais eram capazes de desenvolver 33 GW, queimando o combustível a 3.400 kg/s. Uma piscina residencial a cada 20s.
    Tudo isso para, graças à aceleração constante, superar a velocidade de escape, a qual, na superfície (no vosso planeta) é de cerca de 11,2 km/s.
    Isto sim, é ciência.

  230. Marciano Diz:

    POIS EU TENHO OUTRA CURIOSIDADE, CONQUANTO PARECIDA: “a que velocidade um Boeing de peso médio (massa média) chegaria em 10s, por exemplo, impulsionado pelos motores de FUSCA 1600?
     
    Esta, acho que até eu sou capaz de responder.
    Em 10s não chegaria a nada, mas depois de alguns minutos, o motor do fusca fundiria.
    Mas se todo o trabalho produzido durante a vida útil de um motor de fusca fosse aplicada em 10s ao avião, provavelmente produziria mais empuxo do que os motores do próprio.
     
    Submeto à revisão do GORDUCHO.
     
    Pensando melhor, esqueci-me das rodas do avião.
    Com o trem de pouso baixado, acho que um fusquinha pode passear com ele pela pista.
     
    Novamente, submeto à revisão do GORDUCHO.

  231. Contra o chiquismo Diz:

    Se for o motor do fusca do cx vai na lua e volta com uma escala pra abastecer em nosso lar. Lembra do fusca do cx 0km que ele trocou por verduras e massas pra sopa que ele dava?

  232. Sandro Diz:

    Boa Noite Moizes e Marciano. Vou reunir aqui numa resposta única.

    Quando me referi a métodos (mesmo usando de analogia) foi para ilustrar que cada campo estudado (ou investigado) precisa usar-se de questões que não estejam foram do limite previsto dentro da tese (ou teoria)..
    /.
    Sobre a questão de limitação da mente dos céticos, embora seja uma hipótese, haja visto longos anos de debate com Moizes, é pq parece que nem dados expostos são suficientemente para uma aceitação, ou sequer vislumbrar a hipótese como factível. Então se não for limite cerebral, só pode ser extrema crença, daí realmente não há solução, pois seria o mesmo que fazer um evangélico desacreditar em Jesus.. Não existe força para tanto a qualquer humano.
    /.
    Marciano, sobre os métodos a qual solicitou, embora você seja de um campo menos cientifico, não se pode desmerecer sua sublime inteligencia, afinal advogados são ótimos “manipuladores” de situações e fatos..rs
    /.
    /.
    Ha muito tempo atras, tentei de outra analogia com Moizes, exemplificando algo simples e “sinalizando” a paranormalidade. (aqui infelizmente seria complicado expor todo o material ao qual fiz uso na época).
    /.
    Num breve resumo… Demonstrei na época que, para estudarmos algo simples, como as nuvens e a chuva, para que o fenômeno ocorresse, então o vapor de agua precisa ser resfriado, logo, como é de conhecimento geral (até pq faz parte do currículo escolar), sabemos que ao se resfriar o vapor, a agua volta a seu estado liquido.
    /.
    Se houvesse um descrente a isso, e esse cidadão informasse que somente acreditaria no fenômeno, se aquecessem o vapor de agua ainda mais e, se ele virasse agua novamente, ahh ai então ele acreditaria!!
    /.
    Bom, essa breve analogia demonstra o q?
    /.
    Primeiro demonstra q o cidadão não entende do fenomeno nem do tema discutido. Segundo fica evidente q jamais poderá ocorrer o fenômeno se as condicoes forem de acordo com o q ele deseja.
    /.
    Como sempre, o Moizes (tvz pelo tal limite a q falei) tenta dizer que não se adequa ao q se pretende “analogizar”,então tentei ir mais longe, adentrando mais na parte meteorológica e buscando uma analogia mais similar a paranormalidade.
    /.
    Foi então, com as ultimas forças, que tentei explicar sobre um fenômeno meteorológico que sabe-se ocorrer, porém um tanto difícil de filmar ou visualizar: a microburst
    /.
    O referido fenômeno ocorre, nem sempre, numa nuvem tipo CB, mas mesmo uma nuvem tipo CB (cumulus nimbus) estando presente, isso não garante que tal fenômeno ocorra pois as variáveis envolvidas são muitas!
    /.
    Bom, de qualquer forma, acreditando-se ou não, mesmo esporádico, incerto, instável, ele ocorre e está lá (mas nem sempre)…
    /.
    Temos então uma ciência (meteorologia) que parece ser tao instável como a paranormalidade, e estão ai os previsões que erram toda a hora q não me deixam mentir…rs

  233. Contra o chiquismo Diz:

    POIS EU TENHO OUTRA CURIOSIDADE, CONQUANTO PARECIDA: “a que velocidade um Boeing de peso médio (massa média) chegaria em 10s, por exemplo, impulsionado pelos motores de FUSCA 1600?
    .
    .
    O fusca do cx faz isso de freio de mão puxado. Mais rápido que a Challenger e sem explodir,

  234. Contra o chiquismo Diz:

    Sandro Diz:
    OUTUBRO 29TH, 2015 ÀS 11:53 PM

    /.
    O referido fenômeno ocorre, nem sempre, numa nuvem tipo CB, mas mesmo uma nuvem tipo CB (cumulus nimbus) estando presente, isso não garante que tal fenômeno ocorra pois as variáveis envolvidas são muitas!

    .
    .
    .
    Uma CB dessa que derrubou o Air France ali em F. de Noronha.

  235. Sandro Diz:

    Ja q estou acordado, vou tentar ajudar Moizes e Marciano no problema Boeing x fusquinha:
    /.
    Como piloto um Boeing 767, tendo seu peso de decolagem na ordem de 186 toneladas, creio q o motor do fusquinha vai fundir antes dele mexer o avião hauhauahau
    /.

  236. Marciano Diz:

    Questões para MONTALVÃO e CONTRA:
     
    Quanto trabalho é realizado sobre uma massa de 75 N transportada horizontalmente por 10 m?
     
    Quanto trabalho é realizado sobre a mesma massa quando erguida a 1 m?
     
    Qual a potência despendida, se a massa for elevada a 1 m em 1 s?
     
    Qual a energia potencial gravitacional dessa mesma massa a 1 m do solo terrícola?
     
    Cada pergunta vale 2.5 pontos.
    Podem colar à vontade.
    Só não vale chutar (não a massa, a resposta). Quero tudo explicadinho, ou a nota é 0.

  237. Marciano Diz:

    CONTRA, CONTRA, não foi nada disso.
    Leia o relatório final
    Isso foi o que pensaram. O avião estolou, porque os pitots congelaram, desligando-se o piloto automático.
    Os pilotos não perceberam o erro, tentando levantar o nariz, o que só manteve o stall.
    Ele caiu de barriga.
    E não foi em FN.
     
    SANDRO piloto, você, que gosta de desfazer dos outros, deveria estudar um pouquinho de gramática.
     
    Advogados desonestos existem, assim como pilotos.
    Profissão não tem nada a ver com honestidade.
    Ô SANDRO piloto, tu não viste minha resposta lá em cima?
    Sobre o fusquinha.
    Eu tinha dado a mesma resposta que tu deste, depois mudei de ideia.
    Aproveite e comente sobre o avião da Air France.
    Estolou ou foi derrubado por uma tempestade?

  238. Marciano Diz:

    Como parece que todos apagaram, é tarde, já vou indo. Preciso ir embora. ‘Té ‘manhã.
    Mamãe, quando eu saí, disse:
    – Filho, não demore em Braçanã.
     
    A do Adoniram é plágio, CONTRA?

  239. Sandro Diz:

    Olá “Contra o Chiquismo” rss (e ja respondendo ao Marciano)

    O q derrubou o Air France, muito provavelmente, não foi uma microburst. Até pq essa ocorre próximo ao solo (embora seja fenômeno instável, não detectável bla bla bla)..

    De fato são muitas hipóteses, sendo que um dos fatores contribuintes foi a grande quantidade de CBs na região e eles terem entrado no meio dos mesmos.. Um acidente não ocorre por um fato somente, mas sim uma sequencia de acontecimentos.

  240. Sandro Diz:

    Marciano,
    /.
    Vi sim.. tvz eu tenha entendido errado seu post..
    /.
    Sobre o fato da desonestidade, não era o q pretendia dizer, mas sim demonstrar que a VERDADE pode ter varias facetas, dependendo de como se quer (ou pretende) ver o mesmo fato..
    /.
    Fora isso, como você bem disse, profissionais desonestos há em todos os lugares..
    /.
    Voltado ao que você falou sobre o Stall.. Sim.. constatou-se que houve o stall (perda de sustentação), mas dai para compreender a historia toda, há a necessidade de uma longa conversa para explicar como o AirBus funciona (voei ele por 12 anos) e quais foram os problemas.
    /.
    Sem ir a fundo, resumo que:
    /.
    Houve problema com relacao a meteorologia;
    /.
    Houve problema de congelamento dos sensores de velocidade (dificultando a pilotagem);
    /.
    Houve possível reação do piloto automático do avião pensando estar em uma velocidade (errada), agindo para proteger mas colocando o avião em condição anormal;
    /.
    Quando um dos pilotos percebeu isso, desligou sistemas de proteção, fazendo o avião voar de forma a qualquer outro avião (tradicional);
    /.
    Todo o avião a jato com motor sob a asa sofre de um efeito chamado “pêndulo” no momento que a potência é aplicada. O nariz do avião tende a ir pra cima – aumento do angulo de ataque (a baixa velocidade = stall);
    /.
    Pilotos eram treinados para tal condição? NÃO;
    /.
    Pilotos sabiam do “efeito Pêndulo”? So quem tivesse voado Boeing, uma vez que o automatismo do AirBus mascara o “fenômeno”, quase q paranormal huahauah
    ./
    Somando tudo isso ao fator tempo, digamos q é fácil falar agora fora da situação…
    /.

    Dai podemos adentrar ao q eu havia comentado sobre a profissão do advogado e a interpretação das verdades..
    /.
    Na aviação não se busca culpados, se busca saber a verdade para evitar q um acidente igual ou similar ocorra no futuro, no entanto tem q se pensar no q outros advogados vao tentar argumentar pra achar um culpado que possa indenizar alguém e transformar o acidente em dinheiro.. Não q eu seja contra a punição, mas o foco principal sempre recai no dinheiro…
    /.
    Dai voltamos ao caso do Guerrer.. Pq será q não financiaram o projeto dele?
    /.
    Tvz pq não de rentabilidade/retorno ao investidor..

  241. Gorducho Diz:

    Aos 3min50s ela fala em 750kg em 30s. Isto é potência para mim.
     
    São testes de condições meteorológicas c/um canhão disparando pedaços de gelo na razão de 750kg (massa mas sim na prática é o mesmo que kgf = força) em 30s.
    Isso é um fluxo de massa proveniente do canhão nada tendo a ver diretamente c/a potência entregue pelo motor. Indiretamente claro que um fluxo de massa dm/dt acelerado pelo motor produz tração (leia da ação e reação de verdade, não a espírita), mas quase certamente menor que a obtida em ar claro.

  242. Gorducho Diz:

    precisa usar-se de questões que não estejam foram do limite previsto dentro da tese (ou teoria)
     
    De novo: exatamente assim está desenhada a proposta dos nossos experimentos p/testar o espiritismo.
    Quer colaborar achando algum médium (e opinando sobre o detalhamento do experimento, claro)?

  243. Gorducho Diz:

    Lembra lá atrás que eu disse que tinha ouvido falar em mais 100 mil HP dessas turbinas? Como a moça do filme chegou a esse cálculo é que eu queria saber.
    Imagino que assim, i.e. ela está supondo a velocidade 235kt que deve ser aproximadamente a de subida
    (naturalmente o Cdte. poderá informar c/precisão).
    Note que então o cálculo dela faz sentido visto os motores estarem na potência máxima nessa fase inicial da subida, certo?
     
    127900 lbf * V ft/s = 550 * 100000 HP
     
    V = 430 ft/s = 255kt

  244. Marciano Diz:

    Embora trate de seu ofício, que é o de pilotar aeronaves comerciais, o comentário profissional de SANDRO não esclareceu as circunstâncias do evento, mas o relatório final já foi disponibilizado pelas autoridades aeronáuticas, de forma que qualquer discussão a respeito é estéril, bastando aos curiosos consultá-lo.
     
    Passando ao assunto Guerrer, nada sabemos sobre as razões de o pesquisador recorrer ao crowdfunding, mas o fato de não ter conseguido patrocínio é sugestivo, visto que pesquisas científicas não são financiadas em termos de retorno financeiro.
    Somente quando estabelecido um fato científico e quando seus princípios propiciam desenvolvimento de tecnologia é que se pensa em retorno financeiro.
    Não fosse assim, estaríamos nas cavernas ainda, porquanto as principais descobertas científicas modernas tiveram e ainda têm financiamento público.
    A falta de financiamento, provavelmente, deu-se porque o pesquisador não apresentou um projeto convincente de como pretendia conduzir seu experimento “científico”.
     
    Potência é a unidade de grandeza consistente na quantidade de energia fornecida por unidade de tempo, portanto, pouco importa se são projéteis disparados ou outra coisa.
    Quem disse que eu estava falando de potência dos motores?
    Quem acompanhou os comentários sabe que eu estava explicando ao CONTRA o conceito de potência, e em linguagem jocosa, como o destinatário do comentário está careca de saber.

  245. Marciano Diz:

    Por falar em CONTRA, o dever de casa dele e do MONTALVÃO os espera.
    Como é dever de casa, podem colar à vontade.
    Aviso que o desempenho será levado em consideração para futuros trabalhos a serem desempenhados em colônia espiritual.
    Querem limpar o chão perispiritual da colônia, como o AL?
     
    E sobre o fusquinha?
    Ninguém vai esclarecer minha dúvida?
    A princípio eu antecipei a resposta de SANDRO, mas depois, re mellius perpensa, cheguei a outra conclusão, pois havia esquecido das rodas, que me parecem ser pensadas por engenheiros aeronáticos para reduzir o atrito ao máximo, para permitir que a aeronave possa ser deslocada com facilidade no solo.
     
    Também gostaria de saber a opinião de um profissional sobre todo o trabalho produzido durante a vida útil de um fusca (energia) ser aplicado em alguns segundos (força x tempo = potência).
    A opinião de GORDUCHO também é bem-vinda.

  246. Sandro Diz:

    Marciano, creio tb q na atual crise do país, o governo não esteja financiando nada… alias, precisa é ser financiado hehehe…
    /.
    Pior então é que ninguém quer financiar um governo corrupto e ladrão e que tem histórico idealista de não pagar dividas externas, embora eu acho q eles mudaram nisso.
    /.
    O que pega mal para um cético é tentar argumentar isso em defesa da opinião pessoal.. Vamos criticar? Ok! Mas então vamos criticar os métodos científicos, algo q demonstra real postura de um cético, senão vira pseudo-cético.

  247. Marciano Diz:

    Os probleminhas de física fundamental são dirigidos apenas ao CONTRA e ao MONTALVÃO, os quais pretendo recrutar para a colônia espiritual que governarei após nossos passamentos.
    Nada impede que os conhecedores do assunto os resolvam, porém peço-lhes que, se assim desejarem, só o façam depois das respostas dos meus “voluntários”, por razões óbvias.

  248. Marciano Diz:

    SANDRO, estou gostando de seu novo estilo, mais interessado no debate e menos em ataques pessoais.
    Fica difícil saber como o Guerrer pretende mover massa com a mente, pois isto não foi explanado por ele.
     
    E o fusquinha, pensou na minha mudança de opinião?
    Tem também a segunda parte do problema, todo o trabalho produzido durante a vida útil do motor ser entregue durante curto período de tempo.
     
    Embora você não seja físico, deve entender de mecânica (a parte da física que interessa para o problema da potência de um motor), já que opera motores de primeira linha.

  249. Marciano Diz:

    Quanto à petralha, estamos perfeitamente afinados.
    Viu como podemos concordar, quando o assunto é claro e objetivo?
     
    Se o projeto do Guerrer (o qual não conhecemos) fosse divulgado no exterior, e sendo factível, não haveria problema algum de financiamento.
    Você, SANDRO, pretende participar do levantamento de fundos do físico?
    Vou fazer uma profecia: não vai resultar em NADA.
    Quantas horas de vôo você pretende doar para o pesquisador das possibilidades?
    Ou também não acredita na ciência dele?

  250. Marciano Diz:

    O Guerrer ministrará o curso Física Quântica: Imaginando o Invisível, como divulgou em entrevista que reproduzi parcialmente acima e cujo link disponibilizei para quem quiser conhecê-la na íntegra.
    Alguém aí topa um curso desses?
    Não se preocupem com a matemática:
    “Para participar do seu curso precisa entender de física, ou de princípios matemáticos?
    GG: Não. Tento usar no mínimo possível a linguagem matemática. Dou preferência ao uso de analogias e metáforas. Para participar basta ter curiosidade no assunto e entregar-se a livre navegação no mundo das ideias.”

  251. Marciano Diz:

    Está na cara que se trata de FQM.

  252. Gorducho Diz:

    todo o trabalho produzido durante a vida útil teria que ser armazenado sob forma de energia nalgum dispositivo (super bateria quiçá…) capaz de devolvê-la a um motor no momento requerido e na razão (i.e. proporcionando o fluxo de energia) adequada, i.e., na potencia.
     
    pretende mover massa com a mente
    Eu acho que isso foi o título do artigo – o que sempre se comenta sobre jornalistas e manchetes…
    Aliás se bem m/lembro registrei supra.

  253. Marciano Diz:

    GORDUCHO, apreciarei seu comentário sobre a tração do fusquinha.
    Submeti à sua douta revisão e você me ignorou.
    Eu tenho um cargo de alto nível destinado a você no além.
    Se continuar me tratando com indiferença (o que nunca fez antes) posso mudar de ideia e te botar de castigo, como fizeram com AL.
    Quer limpar o chão da colônia?
    Você sabe que lá não tem esse negócio de médico, engenheiro, piloto de aeróbus.
    Quem não tem humildade e caridade, vai limpar o chão e demorar para acumular bônus-hora.

  254. Marciano Diz:

    Mil perdões, GORDUCHO!
    Enquanto eu cobrava sua resposta à questão do CONTRA você respondeu.
    Seu cargo de ministro das Energias na colônia espiritual está garantido.
    Mas faltou a parte da tração. O motor fundiria ou ele conseguiria movimentar o avião por algum tempo?

  255. Marciano Diz:

    CONTRA, confira abaixo sua dúvida:
    http://www.bea.aero/en/enquetes/flight.af.447/rapport.final.en.php
    Embora seja relatório do BEA, está em inglês.

  256. Marciano Diz:

    Depois de ler este pdf, você saberá de tudo sobre o malsinado vôo:
    http://www.bea.aero/docspa/2009/f-cp090601.en/pdf/f-cp090601.en.pdf

  257. Marciano Diz:

    São 220 páginas de relatório final, cobrindo TODAS as suas dúvidas.
    Siga o índice e esclareça somente o que lhe interessar.
    Final Report On the accident on 1st June 2009 to the Airbus A330-203 registered F-GZCP operated by Air France flight AF 447 Rio de Janeiro – Paris
    Como a formatação pode não ser aceita pelo CSS, vai tudo embolado mesmo (parte do índice):
    SAFETY INVESTIGATIONS 1 TABLE OF ILLUSTRATIONS 7 GLOSSARY 11 SYNOPSIS 17 ORGANISATION OF THE INVESTIGATION 19 1 – FACTUAL INFORMATION 21 1.1 History of Flight 21 1.2 Killed and Injured 24 1.3 Damage to Aircraft 24 1.4 Other Damage 24 1.5 Personnel Information 24 1.5.1 Flight crew 24 1.5.2 Cabin crew 29 1.6 Aircraft Information 30 1.6.1 Airframe 30 1.6.2 Engines 30 1.6.3 Weight and balance 30 1.6.4 Condition of the aircraft before departure 31 1.6.5 Maintenance operations follow-up 31 1.6.6 Information on the airspeed measuring system 31 1.6.7 Checks and maintenance of the Pitot probes 33 1.6.8 Radio communications system 34 1.6.9 Systems function 35 1.6.10 Specific points on overspeed 42 1.6.11 Angle of attack protection and stall warning 43 1.6.12 REC MAX and OPTI flight levels 45 1.6.13 Onboard weather radar 45 1.7 Meteorological Conditions 46 1.7.1 Meteorological situation 46 1.7.2 Forecast charts 46 1.7.3 Meteorological analyses 47
     
    Pegou o gostinho?
    Encare o relatório todo.

  258. Gorducho Diz:

    Desconfio que fundiria. Esses tratorzinhos imagino que tenham ~ 150cv p/moverem esses bimotores grandes a todo peso.
    Um Fusca se não m/engano tinha algo como 50…
    O problema é vencer a inércia; claro que depois do aparelho estar se movendo aí moveria :mrgreen:
     
    É assim, AMa: usa a propriedade primeira letra do elemento p (aparentemente tem que se denominar “p” – tentei outros nomes e não funcionou; depois vejo isso…)
     

    p::first-letter{font-size: 200%}

    Mediums não existem

  259. Marciano Diz:

    CONTRA, como o relatório tem mais de 27 Mb, sugiro que baixe o arquivo para futura leitura.
    Se tiver dificuldades, envio por e-mail.

  260. Marciano Diz:

    Valeu a dica, GORDUCHO.
    Vou procurar usar com moderação. E sem citações em bloco, salvo quando estritamente necessárias.

  261. Gorducho Diz:

    Pare terça-feira
    Juro que não foi provocação, Sr. Administrador :(
    A ideia era mostrar o código p/AMa mas me esqueci de usar os escapes.
    Apague.
    Não foi por desrespeito a S/Pessoa ausente!

  262. Marciano Diz:

    Com a mesma apologia (oops, apology) do GORDUCHO.
    Testando.

    Mediuns não existem

  263. Marciano Diz:

    Peço ao VITOR que deixe o código, para servir de referência futura.
    Prometo que só usarei se necessário.

  264. Sandro Diz:

    Marciano Diz:
    OUTUBRO 30TH, 2015 ÀS 8:46 AM
    SANDRO, estou gostando de seu novo estilo, mais interessado no debate e menos em ataques pessoais.
    Fica difícil saber como o Guerrer pretende mover massa com a mente, pois isto não foi explanado por ele.
    /.
    [Mariciano, sempre tento de deter ao método, por isso fiz as analogias anteriores. Na referida experiência de Guerrer, ele terá que seguir a mesma linha dos antecessores, neste caso, achar alguém que demonstre poderes para tal, senão, obviamente o resultado final poderá ser um "falso-negativo"... Como ele vai fazer? Tb não sei]
    /.
    /.
    E o fusquinha, pensou na minha mudança de opinião?
    Tem também a segunda parte do problema, todo o trabalho produzido durante a vida útil do motor ser entregue durante curto período de tempo.
    /.
    [Essa segunda parte eu não concordo.. as maquinas são simples.. elas não "acumulam" a potência, portanto não irão ter como dar mais potência do q são capazes de fazer.. no máximo, o q é previsto, é terem melhor rendimento quando mais novas devido melhor estado dos componentes. E claro, tb computamos a altitude-densidade de um lugar, isto é, um fusquinha rende mais no Rio de Janeiro do que em Sao Paulo. (Rio = nível do mar e SP =2500pés acima do nível do mar) hehe]
    /.

    Marciano Diz:
    OUTUBRO 30TH, 2015 ÀS 8:52 AM
    Quanto à petralha, estamos perfeitamente afinados.
    Viu como podemos concordar, quando o assunto é claro e objetivo?

    /.

    [sim...rsrs.. contra tantos fatos, não há argumentos.. Embora teremos q concordar que o fato lembra a briga de céticos e "espiritas"... Há la quem não veja os fatos de forma tao fatídica assim... não o suficiente para depor a presidenta e tb o "cabeça"(vergonhoso) do congresso.. (manipulação de verdades0]
    /.

    Se o projeto do Guerrer (o qual não conhecemos) fosse divulgado no exterior, e sendo factível, não haveria problema algum de financiamento.
    Você, SANDRO, pretende participar do levantamento de fundos do físico?
    Vou fazer uma profecia: não vai resultar em NADA.
    Quantas horas de vôo você pretende doar para o pesquisador das possibilidades?
    Ou também não acredita na ciência dele?

    /.
    [Perguntas interessantes.. ainda não sei.. mas quanto a profecia, acho bom aguardarmos os resultados... Eu qria ver exatamente o método q ele irá utilizar, principalmente na escolha do agente PSI.... Não sei se você conhece a experiência feita pelo Schwartz para com "iluminação" de câmeras por espiritos... Seria perfeito o Vitor colocar no Blog... Foi uma experiência perfeita em termos de metodologia, não consegui ver critica contrária eficaz para com Scwartz]

  265. Marciano Diz:

    O problema com a apresentação é que quando, por exemplo, queremos colar um pedaço de pdf, como fiz acima com o índice do rapport da BEA, ele embola tudo, tornando penosa a leitura.
    Eu tenho um monte de livros espíritas em pdf, epub, djvu, tiff, etc. e, quando quero colar alguma coisa, sai tudo com quebras de linha, embolado, tortuoso.
     
    Os referidos livros foram adquiridos justamente com o propósito de serem transcritos (os textos pertinentes, claro), quando servirem de ilustração para o comentário.
    O que me fez começar a me aventurar com a apresentação aqui foi justamente a frustração de ver os trechos transcritos saírem desse jeito.

  266. Gorducho Diz:

    <!DOCTYPE html>
    <html>
    <head>
    <style>
    p::first-letter{font-size: 200%}
    </style>
    </head>
    <body>
    <blockquote>
    <p><i>Mediums não existem</i></p>
    </blockquote>
    </body>
    </html>

  267. Marciano Diz:

    Obrigado pelas respostas, SANDRO.
    A questão do fusquinha foi apenas teórica, presumindo que se pudesse acumular todo o trabalho produzido pelo motor em sua vida útil.
    Acho que estamos todos de acordo, agora, que o motor fundiria mesmo, antes de vencer a inércia e iniciar o movimento.
    A ideia foi a de melhor esclarecer os conceitos de energia, força, trabalho, potência, etc., para o CONTRA.
    Todo mundo faz pouco caso do fusquinha hoje em dia, mas quando de sua concepção, idealizado por Hitler e projetado por Porsche, em 1931, se não me falha a cansada memória, era um excelente carro popular (carro do provo, Volkswagen).

  268. Marciano Diz:

    O poltergeist não me deixa em paz.
    Carro do provo…
     
    HTML/CSS parece mais assustador do que o cockpit de um Boeing!

  269. Marciano Diz:

    GORDUCHO, testei seu código numa W3 School e deu certo, mas é trabalhoso demais.
    Não seria melhor abrir e fechar a citação em bloco?
    Parece-me que o resultado final é o mesmo.

  270. Marciano Diz:

    SANDRO, sugiro que você baixe e leia o relatório final do BEA, no link que deixei acima.
    Para você, que é profissional da área, será mais interessante do que para nosotros.
     
    Tem alguma opinião sobre o MH370?
    O que pode ter acontecido?
    Não sei se já foram concluídas as investigações, pois parece que as buscas, inclusive as recentes, nada produziram.
    Só se sabe que caiu mesmo.
    O flaperon deixou isto bem claro.

  271. Gorducho Diz:

    Não seria melhor abrir e fechar a citação em bloco?
     
    Só quis lhe mostrar como mais ou menos deve ser a configuração de estilo no programa do Sítio.
    Note que sem esta configuração, a citação em bloco só tabula o parágrafo, sem aumentar a primeira letra.
    Se tiver curiosidade (não sei se tem, claro), faça num ficheiro texto e salve como .html; com e sem colocar o estilo…

  272. Gorducho Diz:

    Não sei se você conhece a experiência feita pelo Schwartz para com “iluminação” de câmeras por espiritos.
     
    Esse Schwartz não é aquele dos espíritos que mergulharam no porto de Alexandria :?:

  273. Sandro Diz:

    Marciano, obrigado pelo link do relatório do BEA.. ja baixei e estou lendo e comparando com as ações tomadas pelas empresas.
    /.
    Estou voando o Boeing a um ano, portanto passei pela fase em que a AirBus orientou as empresas a tomarem as medidas de treinamento com os pilotos.
    /.
    Realmente logo após os fatos e ocorridos, o q foi feito:
    /.
    1) Todos os pilotos iniciaram treinamento da recuperação de stall em altas altitudes. A técnica no AirBus é um tanto diferente dos demais aviões convencionais, onde pode-se aplicar motor lentamente numa recuperação do stall. No AirBus, depois do ocorrido, os pilotos não aplicam mais potência e sim mergulham o avião drasticamente até que ele saia ad condição e somente depois disse se aplica potência. Isso foi muito benéfico e resolveu o problema.
    /.
    2) iniciou-se treinamento com falha dos velocimetros (IAS), e o fabricante instalou um sistema que ajuda o piloto a voar “por atitude”, sendo assim resolveu-se o problema maior, onde mesmo com congelamento dos sensores de velocidade, é possível voar seguramente e até pousar sem nada.. (de tais sensores é claro)..
    /.
    Veja, falando e comparando “ciências”, se ficássemos focados em culpados e manipulações de verdades, não chegaríamos ao ponto mais importante que era elaborar método que venha a evitar futuros acidentes por causas iguais..

  274. Marciano Diz:

    Mais uma vez, obrigado pela dica, GORDUCHO.
    Antigamente eu achava isso muito chato, mas agora, vendo os resultados, estou me interessando.
    Vou arquivar.
     
    SANDRO, eu acho que o caminho é esse mesmo, a gente procura aprender com os erros do passado, corrigindo-os e procurando evitá-los.
    Todos deviam seguir o exemplo da aviação.
    Você e o CONTRA, entre uma alfinetada e outra, deviam trocar ideias sobre o assunto, pois ele é entusiasta e você profissional.
    Eu sou só passageiro mesmo.
    Gostaria de voar de helicóptero, se tivesse grana pra comprar um.
    Leva a gente rapidinho pra quase qualquer lugar e em segurança, principalmente pela ausência do perigo de ser vítima de um “arrastão”.
    Vai ficar pra uma outra encarnação :grin:

  275. MONTALVÃO Diz:

    /
    /

    PONDERAÇÃO: VICTOR ( não o Visoni), aproveito o entrevero docês para uns comentaritos despretensiosos…
     
    .
    VICTOR 01 – “Mas dando o benefício da dúvida a sua tese de que os estudos CORT são estudos que fornecem uma Evidência científica mais “forte” do que meros Relatos Anedóticos, ou do que um simples Estudo de Caso, isso ainda está muito aquém de quaisquer estatuo científico mínimo exigido por qualquer cético para validar a Reencarnação, sequer enquanto “Hipótese” a ser testada.”
    .
    PONDERAÇÃO: concordo que CORTs propiciem melhores evidências que relatos anedóticos, porém não “evidências científicas”, tampouco apontem incontestes para a reencarnação. A alegação é que os estudos de Stevenson e agregados propiciem firmes demonstrações das multividas, ou, em hipótese alternativa, também proposta por Stevenson (a indicar que a superstição faz parte do contexto) caso de “possessão”. Mas, se não são “científicas”, que melhores evidências serão? A meu ver evidências de que as peculiaridades psicológicas e os costumes das comunidades em que os episódios ocorrem favorecem a eclosão de tais “recordações”. Quer dizer, havendo ambiente propício (estimulador) até o sobrenatural se manifesta. Entretanto, mesmo nesses entornos favoráveis, vê-se que as ditas lembranças são eventos esporádicos, havendo necessidade de infantes dotados de criatividade para levá-las adiante (e, certamente, fortemente incentivados por adultos).
    ./
    /
    VISONI: Mas daonde você tirou isso? A natureza das abordagens qualitativas exige que os pesquisadores que a adotam demonstrem preocupação com o rigor com que pretendem conduzir sua investigação. Lincoln & Guba (1985) sugerem os seguintes critérios:
    - a) credibilidade (os resultados e interpretações feitas pelo pesquisador são plausíveis para os sujeitos envolvidos?);
    - b) transferibilidade (os resultados do estudo podem ser transferidos para outros contextos ou para o mesmo contexto em outras épocas?);
    - c) consistência (os resultados obtidos têm estabilidade no tempo?); e
    - d) confirmabilidade (os resultados obtidos são confirmáveis?) para atender a cada um desses critérios, os autores sugerem vários procedimentos. Entre os procedimentos para maximizar a credibilidade, citados por estes e por muitos outros autores [...]
     
    PONDERAÇÃO: Desconheço se Lincoln e Guba se referem aos investigamentos com reencarnação. Mas noto que tem uns trens esquisitos nessas “regras”, considere a primeira: “os resultados e interpretações feitas pelo pesquisador são PLAUSÍVEIS para os sujeitos envolvidos?” bem, as pesquisas de reencarnação são plausíveis para os envolvidos (pesquisador e acreditadores), mas serão plausíveis para todos? Conforme bem se vê, as respostas para os caçadores de multividas são satisfatórias: Stevenson era moderado nas conclusões, mas há quem alegremente fale em provas. O caso é que os retornos dessas investigações não soam convincentes a muitos mais que os que as crêem . Para verificar se é assim, basta lançar a inquirição: “até onde Stevenson chegou em suas incursões?”, “que respostas seguras seu trabalho propicia?”. Descontadas as ilações que beiram a fantasia, quais as “marcas de nascimento” e as possessões, o que de firme se pode dizer é que existem, em certas comunidades, preponderantemente na Ásia, curioso registro, em algumas famílias, de crianças que relatam fatos atinentes a uma outra pessoa já falecida. Daí alegar que essas narrativas apontem firmemente para a reencarnação equivale a formiga tentar dar passo de elefante.
    ./
    /.
    VICTOR 03 – “Eu particularmente consideraria “Evidência Sólida”, se houvessem diversos estudos de caso controle, prospectivos, duplo-cegos, triplo-cegos, que possam ser reproduzidos em laboratório, em diferentes momentos com resultados significativos (nada de pequenas variações de corte estatísticas…rs)”
    .
    VISONI: Estude o caso de Sean Harribance, por exemplo.
    /.
    PONDERAÇÃO: Victor, você é novo no pedaço e ainda vai se acostumar com as respostas do Visoni. Harribance é um parlapatão que, qual foi Geller, é endeusado por uns deslumbrados (e que não quer nada com Radin ou céticos aptos a testá-lo com rigor). Seus “poderes” são clarividência (diz que “vê” de um tudo) e capacidade de se projetar fora do corpo. O mal não é Harribance declarar essas barbaridades, a tragédia é gente qual Michael Persinger conseguir “provar” que o sujeito é mesmo poderoso. Até parece que Persinger et al não conhecem a 2ª conjetura de Moi, que reza: “a safadeza, ou a ilusão, é diretamente proporcional à intensidade dos poderes alegados”.
    /
    /
    .
    04 – “Quais foram as contribuições Objetivas e aplicáveis da Parapsicologia a Vida Humana?”
    .
    A criação do EEG, foi fruto do estudo de telepatia. Outras contribuições você encontra aqui: http://www.pflyceum.org/63.html
     
    PONDERAÇÃO: também vai ter que se acostumar com essas respostas. Para elas, recomendo a conjetura de POA, a qual postula: “nunca é bem assim”…
    .
    Essa divulgação de que o EEG foi fruto dos estudos da PES é apenas uma maneira distorcida de encarar a verdadeira história. Berger, realmente, era firme acreditador na telepatia. Após vivenciar insólita experiência, na qual por pouco não se foi para a erraticidade, entendeu ter achado demonstração pessoal e inconteste de evento telepático. A partir dessa suposição lucubrou aparelho que pudesse medir as “ondas telepáticas (ou mentais)”, de modo que lhe aferisse o alcance e características. Berger achou várias ondas perpassando pelo cérebro, infelizmente (para os sonhos que acalentava) nenhuma de natureza telepática. Em suma, psi continua e permanece como “força” (caso exista) sem qualquer aplicação prática.

  276. Sandro Diz:

    Marciano, o CONTRA é o Moizes? hauhauahuaha
    /
    Se for, não há previsao de debate sólido, pois o Moizes é publicamente comparado a um crente evangélico, sendo assim tentar mostrar algo diferente da sua fé é o mesmo que tentar convencer um crente de que a Biblia “pode” estar errada…
    /
    Não há salvação…
    né Moizes? rsrsrsrs

  277. Sandro Diz:

    me permitam um breve teste com um script aqui.. é q não sou de usar blogs, mas vou testar.. depois o Vitor apaga srsrs

    me permitam um breve teste com um script aqui.. é q não sou de usar blogs, mas vou testar.. depois o Vitor apaga srsrs

    teste 1

    teste 2

    Times 4 Verde

  278. Sandro Diz:

    num deu certo :(
    /
    apaga ai Vitor haudauah

  279. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, você que gosta de questionários, tem um com quatro perguntas aí acima, especialmente para você e para o CONTRA.
    Vale cargo no LAR DELES.
    Marciano Diz:
    OUTUBRO 29TH, 2015 ÀS 11:58 PM
    Questões para MONTALVÃO e CONTRA:
    (…)

  280. Borges Diz:

    “Marciano Diz:
    OUTUBRO 29TH, 2015 ÀS 11:34 PM
    Obrigado, BORGES, eu já assiti a esse vídeo antes.
    Vi os dois no próprio programa, ao qual não assisto mais, desde que o cara levou a presidAnta para uma falsa entrevista.”
    Você deveria dar um desconto ao velho maestro de fim de música, afinal de contas, ele poderia estar “engolindo sapo”.

    “Você acredita também nessa história de maias?”
    Se for aquele assunto sobre 2012, não dei a menor bola, não estoquei nem água.

    “Phobos e Deimos são apenas dois asteroides capturados. São estéreis.
    Bonita mesmo é a vegetação marciana. Indescritível.
    Se não me acreditas, pergunte à MJD. Ela tem um jardim de fazer inveja a qualquer inglês terrícola.”
    Você já sabe que não acredito em nada que venha de CX e suas criações: MJD, AL, HC, EM e ED.
    Obrigado

  281. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    DE MARTE:“se “força psi”, a rigor, não existe, o que existe é psi, um termo neutro para fenômenos paranormais”, como é que está errado dizer que ela não foi comprovada?”
    .
    VISONI: Porque ela foi comprovada, mas não se sabe se é uma força. Seria algo análogo à gravidade, que está comprovada, mas ela é uma força? Segundo Newton sim. Na teoria da relatividade geral de Einstein, no entanto, jamais há qualquer menção a forças.[...]
    /.
    PONDERAÇÃO: como se viaja nas nuvens de algodão doce da fantasia… então psi foi comprovada, mas não se sabe o que é…
     
    … psi é comprovada… na cabeça de quem assim supõe, faltaria apenas definir se se trata de “força” ou o do que seja… puro LSD – lindo sonho delirante. A analogia com a gravidade é infeliz. Embora existam teorias concorrentes intentando explicar o que seja a gravidade, duma coisa não há dúvida: ELA (A GRAVIDADE) EXISTE. Embora existam suposições pretendendo esclarecer o que seja psi de uma coisa não há dúvida: NÃO SE SABE SE PSI EXISTE.
     
    Visoni comete igual equívoco que o nobre Sandro: usa coisas conhecidas, de existência consagrada para fazer analogia com conjeturas, como se assim desse legitimidade ao suposto. Da gravidade é possível tecer considerações variadas, testáveis e confirmáveis. Mesmo que não esteja estabelecido se a gravitação é “força” ou deformação do espaço, mesmo assim, a lei de Newton, que diz: “os corpos se atraem na razão direta de suas massas e na razão inversa do quadrado de suas distâncias”, funciona em qualquer parte do universo.
     
    E psi, qual é a “lei” que dela decorre e que funciona em qualquer parte do universo? Existe apenas uma, aliás duas:
    1) 1ª Lei psi: “tudo o que se pode seguramente dizer de psi é que não se sabe se existe”;
    2) 2ª Lei psi: “tudo o que se diga de psi está atrelado à 1ª Lei”.

  282. Marciano Diz:

    BORGES
    Essa propaganda disfarçada de entrevista foi a gota d’água pra mim.
    Eu sei que você não acredita nas maluquices de cx.
    ✈SANDRO, o CONTRA gosta de aviação.
    Você poderia dar umas dicas pra ele.
    Eu estava cogitando de ir a Paris na época do acidente.
    Não fui. Seria muita coincidência, mas poderia estar naquele vôo.
    Por um nonossegundo, dei graças a deus :lol:

  283. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, o Ministério da Saúde adverte:
    Não acreditar na gravidade pode causar graves danos à saúde e até a morte.
    Não fuja do questionário.

  284. Marciano Diz:

    Falsa analogia

    Definição:

    Numa analogia mostra-se, primeiro, que dois objetos, A e B, são semelhantes em algumas das suas propriedades, R, S, T. Conclui-se, depois, que como A tem a propriedade P, então B também deve ter a propriedade P. A analogia falha quando os dois objetos, A e B, diferem de tal modo que isso possa afetar o fato de ambos terem a propriedade P. Diz-se, neste caso, que a analogia esqueceu diferenças relevantes.
    Quem disse foi ateus.net.
    Eu não disse nada!

  285. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Sandro Diz:
    Boa Noite Moizes e Marciano. Vou reunir aqui numa resposta única.
    Quando me referi a métodos (mesmo usando de analogia) foi para ilustrar que cada campo estudado (ou investigado) precisa usar-se de questões que não estejam foram do limite previsto dentro da tese (ou teoria)…
    /.
    PONDERAÇÃO: tudo bem, concedo-lhe essa, mas em que isso implica falhas nas críticas à legitimidade de psi? considerando que, a rigor, não se pode afirmar que psi exista (apesar de denodados pesquisadores se esforçarem por demonstrar que sim), como se pode estabelecer limites teóricos para esse tipo de investigação que, nunca é demasiado lembrar, sequer possui teoria?…
    /.
    /
    SANDRO: Sobre a questão de limitação da mente dos céticos, embora seja uma hipótese, haja visto longos anos de debate com Moizes, é pq parece que nem dados expostos são suficientemente para uma aceitação, ou sequer vislumbrar a hipótese como factível. Então se não for limite cerebral, só pode ser extrema crença, daí realmente não há solução, pois seria o mesmo que fazer um evangélico desacreditar em Jesus.. Não existe força para tanto a qualquer humano.
    /.
    PONDERAÇÃO: já lhe respondi próximo de milhares o que torno a responder: “dados expostos” serão suficientes para aceitação desde que sejam dados satisfatoriamente convincentes. Não basta que o Sandro branda suas certezas para que esses dados se tornem autênticos, legítimos. A torta ideia que defende, de que se os céticos não aceitam a realidade psi, é porque suas cabeças estão bloqueadas pela crença (crença em quê, na dúvida?) não tem lugar algum onde se apoiar. O fato concreto nisso tudo é que: se psi fosse realidade e as investigações nesse campo gerassem conhecimento firme não estaríamos aqui discutindo o assunto (e a ciência geral a ele nem dando bola). A conversa seria outra, provavelmente opinaríamos a respeito do alcance e peculiaridades da “força”. Entretanto, os demonstrativos que crentes apresentam para provar que há provas são tão mixurucos que nem dá vontade de rir…
    /
    /.

    SANDRO: Ha muito tempo atras, tentei de outra analogia com Moizes, exemplificando algo simples e “sinalizando” a paranormalidade. (aqui infelizmente seria complicado expor todo o material ao qual fiz uso na época).
    /.
    PONDERAÇÃO: acho seria legal pracaramba se expusesse o inteiro material…
    /.
    /
    SANDRO:Num breve resumo… Demonstrei na época que, para estudarmos algo simples, como as nuvens e a chuva, para que o fenômeno ocorresse, então o vapor de agua precisa ser resfriado, logo, como é de conhecimento geral (até pq faz parte do currículo escolar), sabemos que ao se resfriar o vapor, a agua volta a seu estado liquido. Se houvesse um descrente a isso, e esse cidadão informasse que somente acreditaria no fenômeno, se aquecessem o vapor de agua ainda mais e, se ele virasse agua novamente, ahh ai então ele acreditaria!!
    /.
    Bom, essa breve analogia demonstra o q?
    /.
    PONDERAÇÃO: demonstra que, mais uma vez, recorre a eventos de seguro saber para paralelizá-los com hipóteses não comprovadas. Fenômenos meteorológicos existem, se não acredita corra pelado num campo em dia de chuva com raios. Psi, insisto, sequer se sabe se existe (desconsidere, por um momento, sua particular convicção e contemple as múltiplas desconvicções reinantes). Desse modo, não é legítimo falar do que atine ao campo da meteorologia e daí passar a discorrer sobre psi como se estivesse esclarecendo alguma coisa. Quando a “força” for comprovadamente comprovada (se é que o será) aí sim, talvez sejam válidas algumas de suas analogias.

    /.
    SANDRO: Como sempre, o Moizes (tvz pelo tal limite a q falei) tenta dizer que não se adequa ao q se pretende “analogizar”,então tentei ir mais longe, adentrando mais na parte meteorológica e buscando uma analogia mais similar a paranormalidade.
    /.
    PONDERAÇÃO: meu caro, apesar de opinativamente adversários, gosto-lhe bastante, por isso não canso do conselho que, mais uma vez dou, digo, ofereço: você pode adentrar onde bem entender com suas analogias, do modo que age todas serão ilegítimas, simplesmente por estar tentando, por meio dessa perigosa forma de raciocinar, legalizar o que não se legaliza por esse caminho. Suponhamos que um dia psi seja confirmada força extremamente débil (preste atenção no “extremamente” que é aqui aplicado com precisão), de ocorrência incerta, sem controle da parte que quem a ostenta e sem utilidade, bem como reza a conjetura de Moi, e, digamos, que suas propriedades sejam tão complexas que não possam ser facilmente descritas. Neste caso sim, será aceitável fazer analogia com coisas conhecidas e de mais fácil compreensão, para melhor esclarecer o assunto.
    /.
    /

    SANDRO: Temos então uma ciência (meteorologia) que parece ser tao instável como a paranormalidade, e estão ai os previsões que erram toda a hora q não me deixam mentir…rs
    /.
    PONDERAÇÃO: a meteorologia não é instável: instáveis são os fenômenos que estuda. Agora observe a falácia na qual escorrega, está dizendo o seguinte: “a meteorologia (quer dizer os eventos meteorológicos) parecem ser tão instáveis quanto a paranormalidade”. Ora, o que é que você tem de consistente a respeito das instabilidade paranormais, para que possa compará-las com as variações do clima?
     
    Lembre-se de que quando lhe pedi explicitasse os experimentos que demonstraram a telepatia, que afirmou existirem, sua resposta foi uma vaga alusão ao livro do professor Valter Borges. Desconfio que, no que diz respeito às instabilidades do paranormal, também não terá nada de consistente a apresentar. Em suma, falas com muita firmeza a respeito de gelatina mole…

  286. Sandro Diz:

    Marciano.. sorte a sua, se jogasse dados, teria acertado em não ir voar…rs

  287. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Como piloto um Boeing 767, tendo seu peso de decolagem na ordem de 186 toneladas, creio q o motor do fusquinha vai fundir antes dele mexer o avião hauhauahau”
    /.
    DIZ ISSO QUEM não conhece a “força” do motor do meu fusquinha, que nunca me deixou solteiro em nenhuma ladeira conhecida neste mundão de Deus, e que vai de zero a cem em menos de dez minutos. Se em terra a minha máquina é capaz de coisas que até piloto de 767 duvida, o que não será capaz de realizar nos ares?

  288. Marciano Diz:

    G ≠ Ψ

  289. Sandro Diz:

    Moisés, hj sem tempo hábil para lhe responder… vou para o trabalho e a noite ser longa.. até as 11 da manha de amanhã.. vou refletir..
    /
    Enquanto isso, pode tentar elocubrar uma hipótese para o funcionamento da gravidade?
    /
    Como e pq ela ocorre?
    /
    Veja, estou falando de funcionamento, não de fatos observados dela, pois isso todos ja sabemos.

  290. Marciano Diz:

    SANDRO, você sabe melhor do que ninguém que aviões (principalmente os que pilota) são os mais seguros meios de transporte.
    Mas que foi um alívio, isso foi.
    Falando seriamente, não sei se já terminou a leitura do relatório, mas deve ter sido terrível para a tripulação e para os passageiros viver os últimos segundos.
    O comandante acordou, indo para a cabine (ficou registrado no CVR). Os passageiros devem ter acordado também.

  291. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Questões para MONTALVÃO e CONTRA:
     
    “Quanto trabalho é realizado sobre uma massa de 75 N transportada horizontalmente por 10 m?”
    PONDERAÇÃO: essa só sei responder verticalmente falando…
     
    “Quanto trabalho é realizado sobre a mesma massa quando erguida a 1 m?”
    PONDERAÇÃO: trabalho suficiente para erguê-la a um metro.
     
    “Qual a potência despendida, se a massa for elevada a 1 m em 1 s?”
    PONDERAÇÃO: aí depende, se for no vácuo, potência alguma, fora do vácuo calculo na sexta potência, a das potestades querubínicas. Só que leva mais que um segundo…
     
    “Qual a energia potencial gravitacional dessa mesma massa a 1 m do solo terrícola?”
    PONDERAÇÃO: A energia potencial será aquela suficiente soerguer a mesma massa a cem centímetros em linha vertical, oblíqua ao solo, gravitacionalmente potencializada pela massa terrícola, descontada a influência lunícola…
     
    “Cada pergunta vale 2.5 pontos. Podem colar à vontade.
    Só não vale chutar (não a massa, a resposta). Quero tudo explicadinho, ou a nota é 0.
     
    PONDERAÇÃO: Melhor tirar zero na prova que ficar com zero na carteira…

  292. Marciano Diz:

    SANDRO, mantendo o mesmo clima cordial, reflita também sobre o seguinte: não sabemos como funciona a gravidade, mas sabemos que funciona; já a psi, não sabemos se existe mesmo, que dirá como funciona.
    Não vá mudar o clima só por causa desse questionamento.
    Estamos no entendo bem.
    Lembre-se da meteorogia e não seja instável como o clima.
    Bons vôos!

  293. Marciano Diz:

    MetereoLOgia.
    Acredita agora no poltergeist, MONTALVÃO?

  294. Marciano Diz:

    Como o CONTRA escafedeu-se com o feriadão, vou dar o gabarito:
    Quanto trabalho é realizado sobre uma massa de 75 N transportada horizontalmente por 10 m?
    R.: Zero.
    Não é a nota de vocês, por enquanto.
    Como o trabalho realizado para iniciar o movimento da massa é anulado pelo trabalho negativo exatamente igual, para deter seu movimento, o trabalho resultante é igual a zero.
     
    Quanto trabalho é realizado sobre a mesma massa quando erguida a 1 m?
    R.: 75 J. 1 J é o trabalho despendido para mover verticalmente 1 N a 1 m.
     
    Qual a potência despendida, se a massa for elevada a 1 m em 1 s?
    R.: Decorre da resposta anterior. 75 J elevada a 1 m em 1 s = 75 W.
     
    Qual a energia potencial gravitacional dessa mesma massa a 1 m do solo terrícola?
    R.: 75 J, exatamente o correspondente ao trabalho exercido para elevá-la. 75 J de energia potencial com referência à superfície.
     
    Bastava ter visto as definições, nem precisava de cálculos.

  295. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Quer limpar o chão da colônia?”
    /.
    MELHOR SER faxineiro em NL que senador no umbral…

  296. Marciano Diz:

    Como você é meu amigo e quero contar com sua colaboração na área técnica da colônia espiritual, vou te dar mais uma chance:
     

    Questão única, valendo 10 pontos:
     
    Um cilindro oco, cuja geratriz mede 5 m, tem as bases paralelas e gira em torno de seu eixo disposto horizontalmente.
    Seu movimento é uniforme, efetuando 120 rpm.
    Um projétil lançado através desse cilindro, paralelamente ao seu eixo, perfura as duas bases em dois pontos: a base A num ponto 1 e a base B num ponto 2, antes de o cilindro completar uma volta.
    O ângulo formado pelos dois raios que passam por esses pontos 1 e 2, desde quando o projétil perfura a base A até emergir em B, é Δ φ = π /2 rad. (rad = radiano – unidade de medida do ângulo central φ que determina na circunferência um arco s de comprimento igual ao raio R; corresponde ao ângulo central subtendido por um arco de circunferência cujo comprimento seja igual ao raio desta mesma circunferência, – lembrou-se?)
    Supondo que o movimento do projétil no interior do cilindro seja retilíneo e uniforme, calcule a sua velocidade (não a sua, a do projétil).

     
    Pense no salário que terá em bônus-hora, como motivação.

  297. Marciano Diz:

    Veja respostas acima e a nova questão única, valendo 10 pontos.

  298. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Não sei se você conhece a experiência feita pelo Schwartz para com “iluminação” de câmeras por espiritos… Seria perfeito o Vitor colocar no Blog… Foi uma experiência perfeita em termos de metodologia, não consegui ver critica contrária eficaz para com Scwartz”
    /.
    PONDERAÇÃO: por isso digo e repito: as “provas” que os crentes apresentam são tão ruins que nem dá vontade de rir. Os experimentos do Schwartz são uma piada, no entanto, há quem os sacuda ao mundo dizendo: “ó, tão aqui as provas”…
    .
    Para resumir: o cara, que não é o kara, o Schwartz, combinou com um espírito (isso num lero bem manero entre os dois) que o ente invisível iluminasse um filme durante certo horário. Visto terem aparecido luminescências no filme o evento foi considerado um sucesso…
    .
    E inda tem quem não acredite que psi é provada…

  299. Marciano Diz:

    Memento para a prova:
    http://www.infoescola.com/geometria/geratriz/

  300. MONTALVÃO Diz:

    /.
    “Esse Schwartz não é aquele dos espíritos que mergulharam no porto de Alexandria?”
    .
    NÃO, é outro. O Schwartz do Grupo Mobius é Stephan Schwartz, este encanta o Visoni. O citado pelo encantado Sandro é Gary Schwartz. Se quiser conhecer o experimento posso postá-lo.

  301. Marciano Diz:

    Memento não no sentido canônico (cada uma das duas preces do cânone da missa que começam por essa palavra e por meio das quais o sacerdote faz que sejam lembrados os vivos ou os mortos, em cuja intenção as preces são feitas), e sim no sentido de marca ou nota que se usa para trazer alguma coisa à lembrança.

  302. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    1. Sandro Diz: Marciano, o CONTRA é o Moizes? Hauhauahuaha
    /.
    PONDERAÇÃO: eu desconfiava que a moda de cavoucar identidades secretas iria descambar em coisas assim…
    /
    /
    SANDRO: Se for, não há previsao de debate sólido, pois o Moizes é publicamente comparado a um crente evangélico, sendo assim tentar mostrar algo diferente da sua fé é o mesmo que tentar convencer um crente de que a Biblia “pode” estar errada…
    /.
    PONDERAÇÃO: ué, por que não tenta mostrar algo de sólido (verdadeiramente sólido) ao Moizés e conferir se ele aceita ou não? Vá lá, tente…
    /
    /
    SANDRO: Não há salvação… né Moizes? Rsrsrsrs
    /.
    PONDERAÇÃO: não sabia que o todo-poderoso lhe deu procuração para prolatar sentenças de condenação…

  303. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    8. Marciano Diz: MetereoLOgia.
    Acredita agora no poltergeist, MONTALVÃO?
    /.
    ESTA RESPONDO telepaticamente…

  304. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Como você é meu amigo e quero contar com sua colaboração na área técnica da colônia espiritual, vou te dar mais uma chance: Questão única, valendo 10 pontos:
    .
    “Um cilindro oco, cuja geratriz mede 5 m, tem as bases paralelas e gira em torno de seu eixo disposto horizontalmente. Seu movimento é uniforme, efetuando 120 rpm.[...]”
    /.
    PREMERAMENTE, não quero mais chances, tô satisfeito em faxinar o chão do hospital. Pirumenos ganho bônus-hora para usar na eternidade.
    .
    Quanto à questão que me oferece, devo-lhe informar que problemas que impliquem em movimento superior a 33 rpm me deixam assaz atônito e em vertigens insofismáveis. Como quer que eu reciocine desse modo?
    .
    De qualquer modo, esforcei-me um tanto e calculei a velocidade do projétil: será uma velocidade da qual eu não queria ficar diante nem de brincadeira…
     
    Mas, me aguarde que tô-lhe urdindo questionário, baseado em meus profundos conhecimentos de coisa nenhuma, que quero ver se acerta alguma… aguarde…

  305. Marciano Diz:

    Tô no aguardo.
    Enquanto isto veja a solução:
     
    O movimento do cilindro é um MCU (movimento circular uniforme):
    ƒ = 120 rpm = 120 rot/60 s = 2 Hz.
    Asssim: ω = 2 π ƒ = 2 π x 2 ⇒ φ = 4π rad/s
    Δ φ = π/2 rad
    O intervalo de tempo Δ t que o projétil leva em MRU (movimento retilíneo uniforme) para percorrer 5m é o mesmo intervalo de tempo que as bases A e B do cilindro levam para girar Δ φ = π / 2 rad.
    Utilizando a função horária do MCU para o movimento do cilindro e a do MRU para o movimento do projétil, obtem-se:
    Movimento do cilindro: Δ φ = ω Δ t ⇒ Δ t = Δ φ / ω ➀
    Movimento do projétil: Δ s = v Δ t ⇒ Δ t = Δ s /v ➁
    Igualando os segundos membros de ➀ e ➁ , vem:
    Δ φ / ω = Δ s / v ⇒ Δ s ω / Δ φ = 5 x 4 π / π/2 (cinco vezes quatro pi divididos por pi/2 – fração sobre fração ainda não sei fazer) ⇒ v = 40 m/s, q.e.d.(quod erat demonstrandum).
     
    Aprendi isto no apartamento do Vereza.

  306. Borges Diz:

    “Você poderia dar umas dicas pra ele.”
    Você acha que uma pessoa que nunca entrou num avião, não foi por falta de oportunidade, foi por medo mesmo, tem condição de dar dica para alguém?
    Mudando de assunto, vou apresentar outro trecho do AT. Calma não será sobre Alienígenas do Passado.
    Números : 31 -13 a 20.
    Massacre das mulheres e purificação dos despojos de guerra:- Moisés, Eleazar, o sacerdote, e todos os príncipes da comunidade saíram do acampamento ao encontro deles. Moisés indignou-se contra os comandantes das forças, chefes de milhares e chefes de centenas, que voltavam desta expedição guerreira. Disse-lhes: “Por que deixastes com vida todas essas mulheres? Foram elas que, por conselho de Balaão, se tornaram para os israelitas a causa de infidelidade a Iahweh, no caso de Fegor: daí a praga que veio sobre toda a comunidade de Iahweh. Matai, portanto, todas as crianças do sexo masculino. Matai também todas as mulheres que conheceram varão, coabitando com ele. Não conserveis com vida senão as meninas que ainda não coabitaram com homem e elas serão vossas. Purificai-vos, vós e vossos prisioneiros, no terceiro e no sétimo dias; purificai também todas as roupas, todos os objetos de couro, todos os tecidos de pelo de cabra, todos os objetos de madeira”.
    Foi este tal de Moisés que recebeu as leis de Deus e passou para os homens.
    Obrigado

  307. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, estudei apenas pra tirar 5,0 en Física e passar ‘raspando’ de ano. Então a resposta é
    1) B
    2) C
    3) A
    4) B
    .
    .
    Vcs ignoraram a potência do fusca do cx.
    .
    .
    No N L vou ser DOV do aeróbus.
    .

    .
    Sandro, o que vc acha que aconteceu com o RG 820? A oposição a ditadura tocou fogo no avião por causa do Filinto Müller?
    .
    .
    E o VRG 967? Pq nenhum ‘médium’ disse até hj onde ele está? O que aconteceu com esse voo pra vc?
    .
    .
    Você acha que o Comandante Paiva se suicidou no VP 168?
    .
    .
    São esses os 3 grandes mistérios aeronáuticos até hj pra mim. Os 2 últimos se existissem ‘espiritos’, os ‘médiuns’ teriam nos revelado o que teria acontecido a eles.

  308. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, meu inglês tb só foi pra passar com 5,0 na escola. Não dá pra ler o relatório do BEA, mas agradeço. Dizem que o DAC na ditadura e mesmo após o fim dela era temido e respeitado. Hj esse pessoal da ANAC não sabe diferenciar um 737 dum pombo. Pra se ter uma ideia, Moreira Franco foi ministro da Secretaria de Aviação Civil até jan desse ano. Um cara corrupto como esse que não sabe a diferença dum jacu prum Fokker 100 ocupa uma pasta dessas. Por isso que o Brasil não vai pra frente.

  309. Gorducho Diz:

    O ângulo formado pelos dois raios que passam por esses pontos 1 e 2
    :?:

  310. Gorducho Diz:

    Sim, sim, entendi o :mrgreen:
     
    Acredito, Analista Montalvão que seja um bom tema p/a Administração considerar após reabrir 3ª.
    Andei vendo na Wikipedia e pelo menos o indivíduo aparentemente não faz uso da estatística, o que torna as análises mais divertidas produtivas.
    Vou esperar o $ baixar um pouco e aí encomendo a obra A Sagrada Promessa: como a ciência está descobrindo a colaboração dos espíritos conosco nas nossas vidas diárias.

  311. Gorducho Diz:

    Um hors-d’œuvre…
     
    Pensem sobre isso.
    A aparente presença de anjos e Luz Divina criou estruturas ondulatórias discerníveis e replicáveis em análises FFT
    [análise de sinais via transformada discreta de Fourier muito usada na eletrônica digital] em padrões de raios cósmicos se super. alta frequência. De fato, os padrões FFT foram mais robustos para os raios cósmicos em si do que propriamente para as imagens por biofótons! Para por isto em perspectiva, cientistas sempre assumiram que devido a seus padrões aleatórios e altas frequências, raios cósmicos não sofreriam influência de nenhuma força externa, muito menos de elevados seres espirituais.
    Em ciência frequentemente é o caso que o ruído dum investigador pode ser o sinal doutro. Sempre pensei nas erupções de raios cósmicos como um incomodo, ruído nas medições que vinham junto com a super. sensitividade da câmera. Quem adivinharia o que fora um incomodo pudesse vir a ser valiosa dádiva?
     
    Abertura duma Janela de Oportunidade?
     
    No futuro conduziremos outra série de investigações usando o sistema de imageria por biofótons. Incluirá examinar os efeitos de diferentes entidades angélicas, que aparentemente estão interessadas em colaborar conosco, e compará-las com as de diferentes pessoas falecidas.
    Formulamos a questão: se anjos mostram uma luminosidade de maior frequência, e também são mais “poderosos” – como muitos tem alegado ao longo dos séculos – constataremos que anjos, via de regra, tem efeitos mais robustos, especialmente sobre raios cósmicos, na criação de padrões discerníveis revelados por análises FFT que típicos espíritos falecidos
    ?
    [pg. 204]

  312. Gorducho Diz:

    Me lembrei daquele espírito do (figurativamente, claro que não era ele bicorporificado!) Analista Borges filmado transitando (pois que em nada parecia interessado na apreciação das artes expostas…) no museu!

  313. Vinicius Diz:

    Deve ser um fundamentalismo terrível nessas “colônias espirituais” ! kkk. No livro “Anjos de Bordel”, psicografado pelo Médium Alvaro Basile Portuguesi, também é apresentado “divergências por causa de alimentação” (Nosso LAR – CX) e foram mais além: a sexo também. Vejam:

    página 41

    “- combinado, Onofre, o jantar é todo seu!
    Após engolir em seco, afirmou, entusiasmado, ao ver a merendeira entrando:
    - chegou em boa hora, minha senhora. A propósito. o que teremos hoje para o jantar?
    A servidora muito solícita respondeu:
    - Hoje fomos abençoados com um chá de erva-doce.
    - Malditos! Protestou Onofre”

    Esse Onofre havia desencarnado em um acidente na Rodovia Anhanguera, aqui em São Paulo. Foi socorrido por um grupo de espiritos amigos e levado a esse local. Ele está indignado por não poder comer coisas substânciais e esses amigos espirituais parecem até sádicos e sarcasticos, sempre trazendo chás!
    Após esse Onofre, pobre alma, xingar a servidora e os outros de “Malditos” ela respondeu:
    “-Calma, amigo! – pediu Laura – Acredito que em breve o cardápio se NORMALIZARÁ; OUVI DIZER que há uma COMISSÃO LUTANDO, para que se faça substancial transformação quanto ao critério alimentar desta Casa.
    Depois mais confusão por causa de falta de comida:
    “- Tem razão – afirmou com ironia, o gozador – Fiquei sabendo também que um interno ficou tão enfurecido com a situação alimentar, a ponto de apresentar queixa à direção do Alojamento.
    - Foi atendido? – indagou Carlos
    - Sim, após diagnosticarem que o reclamante estaria com crise nervosa, ao invés desses FUMEGANTES CHÁS COMUNS, determinaram para que lhe servisse, durante o ALMOÇO e o JANTAR e famoso CHÁ DE ERVA CIDREIRA.

    KKK, notem o interno que se rebelou estava de saco cheio de tomar chás e mais chás e resolveu se rebelar, os médicos do além disseram que ele estava com crises nervosas e o que receitaram : CHÁ DE ERVA CIDREIRA NO ALMOÇO E JANTAR !!!

    Que sadicos não. Ainda bem que MÉDIUNS não existem.

    E quanto ao sexo (página 34) veio um tal de Sr. ANTERO dar palestra aos umbralinos, nesse momento os umbralinos protestam com raiva:

    “… antes que Antero dissesse algo, houve inicio de tumulto na arquibancada. Dois individuos seguravam um terceiro e ao mesmo tempo, tapavam-lhe a boca impedindo-lhe de manifestar-se.
    - Deixem-no falar! – a platéia aos gritos, pediu, e assim que se viu liberto o homem bradou:
    - Proibir a prática sexual é uma aberração! “

  314. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Aprendi isto no apartamento do Vereza.”
    /.
    TÃO A FÍSICA por lá ensinada é supimpa mermo! Próxima nave espacial que passar perto de casa, pego carona e vou até lá, “istudar um pouquinho”…

  315. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    BORGES: Mudando de assunto, vou apresentar outro trecho do AT. Calma não será sobre Alienígenas do Passado.
    Números : 31 -13 a 20.
    Foi este tal de Moisés que recebeu as leis de Deus e passou para os homens.
    /.
    PONDERAÇÃO: Borges, diga mais, diga como entende o trecho destacado. Considere as seguintes questões:
    1. por que Moisés agiu daquele modo (qual era sua motivação)?
    2. Moisés recebeu leis de Deus?
    .
    Agora que percebi serdes adepto do danikenismo, então diga: eram os deuses astronautas? Li Daniken duas vezes, na primeira quedei-me embasbacado, na segunda horrorizado…

  316. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Vou esperar o $ baixar um pouco e aí encomendo a obra A Sagrada Promessa: como a ciência está descobrindo a colaboração dos espíritos conosco nas nossas vidas diárias.”
    /.
    REALMENTE, demonstras ser dotado de muita coragem…
    Talvez o Sandro, ele que faz parte do fã-clube do Schwartz, já tenha lido, quem sabe não pode dizer algo a desrespeito?

  317. Borges Diz:

    “Gorducho Diz:
    OUTUBRO 31ST, 2015 ÀS 9:37 AM
    Me lembrei daquele espírito do (figurativamente, claro que não era ele bicorporificado!) Analista Borges filmado transitando (pois que em nada parecia interessado na apreciação das artes expostas…) no museu!”
    Ah! você viu, pensei que tivesse passado em branco, legal.

  318. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Marciano Diz: Tô no aguardo.
    Enquanto isto veja a solução:[...]
    /.
    MEU AMIGO, se com seus problemas quer aferir té dondevão meus conhecimentos de física, agora sabe que não vão a lugar algum: não decolam nem com motor de fusquinha 1200. De física só sei informação, oriunda de artigos de divulgação, desses gosto e é o máximo a que me posso dedicar: cálculos me dão coceira.
    .
    No tempo em que era para eu aprender a gostar de física aprendi a não gostar. Depois que vi ter optado erradamente era tarde.
    .
    Mas, fora dessa área sei de um monte coisas: como ferver água para o café; como catar cocô de cachorro sem melar os dedos; como dar duas cambalhotas como se fossem três; como martelar o prego em vez da mão, e mais outras tantas sabedorias…

  319. Gorducho Diz:

    ALIMENTAÇÃO
    Mas esse Onofre é um espírito (literalmente cá…) de porco mesmo. Socorrem ele e ele fica chamando os socorristas de “malditos”.
    Imagine qq um de nós se acidentar num país estrangeiro e no hospital ficar chamando as enfermeiras de “malditas”!
    Tinha é que dar homeopatia calmante pra esses caras!
     
    SACANAGEM
    Por que proibirem a sacanagem no Umbral? Pra não ficarem fazendo espiritinhos para os quais não poderão dar uma qualidade de per-vida minimamente razoável lá?
    Suponho que é…
    Mas que autoridade têm eles no Umbral. Os espíritos não estão abandonados lá?

  320. Gorducho Diz:

    Problema p/o Sr. então, Analista Marciano
     
    Um satélite numa órbita polar S – N circular de período 120′ passa na vertical da sua casa.
    Qual a direção da trajetória dele relativa ao plano do meridiano daí?

  321. Borges Diz:

    1. por que Moisés agiu daquele modo (qual era sua motivação)?
    A resposta está clara no próprio texto bíblico, parece ser uma mistura de fanatismo religioso com primitivismo.
    “2. Moisés recebeu leis de Deus?”
    Na minha modesta opinião, por enquanto, existem duas possibilidades: Ou Moisés inventou a história para aumentar o poder de controle sobre seu povo, ou realmente foi assediado por alienígenas. Existe também uma pequena possibilidade de Moisés nunca ter existido.

    “Agora que percebi serdes adepto do danikenismo, então diga: eram os deuses astronautas? Li Daniken duas vezes, na primeira quedei-me embasbacado, na segunda horrorizado…”
    Não aceito ou refuto as ideias pela honestidade ou desonestidade de seus proponentes, e sim pelo sentido que elas fazem. É claro que este assunto está eivado de fantasias, uma coisa porém me parece certa, existe mais perguntas que respostas para explicar nosso passado.
    Obrigado

  322. Marciano Diz:

    Borges Diz:
    OUTUBRO 30TH, 2015 ÀS 9:54 PM
    “Você poderia dar umas dicas pra ele.”
    Você acha que uma pessoa que nunca entrou num avião, não foi por falta de oportunidade, foi por medo mesmo, tem condição de dar dica para alguém?
     
    Ou o BORGES não me entendeu ou EU não o entendi.
     
    Boas questões, CONTRA.
    Vamos esperar juntos pelas respostas.
     
    MONTALVÃO, o objetivo da minha brincadeira com o problema de física elementar foi justamente o de mostrar que física não tem nada a ver com o que pensa dela o Dr. Vlad nem o Vereza.
    Sem matemática, física não existe.
    Entrelaçamento quântico é o κ α ρ α λ η ο!
    Cadê as expressões algébricas?
     
    Gorducho Diz:
    OUTUBRO 31ST, 2015 ÀS 1:23 PM
    Problema p/o Sr. então, Analista Marciano

    Um satélite numa órbita polar S – N circular de período 120? passa na vertical da sua casa.
    Qual a direção da trajetória dele relativa ao plano do meridiano daí?
     
    S – N magnético ou geográfico?
    Vou buscar a latitude onde fica minha casa, traçar uma linha imaginária até o zênite e calcular, mas acho que o sentido dele continuaria sendo S – N.
    Enfim, o que eu quis dizer foi o ilustrado acima, neste mesmo comentário: ficar falando de mecânica quântica quando não se sabe nem o básico da mecânica newtoniana é só pra enrolar.
     
    1. por que Moisés agiu daquele modo (qual era sua motivação)?
    2. Moisés recebeu leis de Deus?
     
    R.: Moisés nunca existiu. É mais um personagem imaginário.

  323. Marciano Diz:

    deus, então, seria preciso dizer primeiro qual deles. São tantos. Mesmo entre os deuses judaico-cristãos.
    Um judeu o vê de um jeito, um católico romano, de outro, um evangélico de outro ainda, isto para ficar só com o deus abrâmico.
    .
    Falando em medo de avião (ainda não entendi o que BORGES disse – acho que tem algo que desconheço sobre o dito), derrubaram um Air Bus.
    A coisa tá ficando feia.
    Que eu saiba, é o segundo avião comercial abatido em menos de um ano.

  324. Marciano Diz:

    “Em pouco mais de um ano”.
    O da Ucrânia já faz mais de um ano.

  325. Marciano Diz:

    GORDUCHO, eu fui excelente aluno em física e matemática, matei a pau no vestibular, mas depois minha vida tomou outro rumo, como já deve saber. Esqueci-me de praticamente tudo.
    Não obstante, ainda me lembro de que física não dispensa matemática, portanto, ficar falando em QM e outras baboseiras, baseado em livros de empulhação, sites espíritas ou pseudociências, ou livros de divulgação científica (Hawking, citado pelo Dr.) ou vendo pseudodocumentários no Discovery e achar que entende de física superior á coisa de jacu.
    Esse probleminha que passei para o MONTAVÃO, peguei-o de um livro de física elementar, que ainda possuo.
    Deu trabalho mostrar os operadores matemáticos no blog, mas acho que valeu a pena.
    A ideia é mostrar aos demais, como o Dr., que física não é o que eles pensam que é.
    Mover massa envolve quantificar a massa a ser movida, a distância, o tempo empregado e uma força aplicada sobre a massa.
    Qual é a desse doutor em física aí?
    Capisce?

  326. Marciano Diz:

    á coisa de jacu = é coisa de jacu.
    MONTAVÃO = MONTALVÃO.
    Poltergeist = sacana elevado à potência do pica-pau.

  327. Marciano Diz:

    Quando falei em livros de empulhação, sites espíritas ou pseudociências, ou livros de divulgação científica (Hawking, citado pelo Dr.) ou vendo pseudodocumentários no Discovery, esqueci-me de mencionar as pseudorevistas, como a Superinteressante, Galileu, etc.
     
    Física, ao contrário do que pensa o Dr., não se aprende em livros de divulgação científica, documentários de televisão, revistas vagabundas, mas em livros e aulas.
    É fácil ficar se enganando, falando em relatividade, entrelaçamento quântico e o escambau, quando não se sabe nada de mecânica, eletricidade, hidráulica, matrizes e determinantes, integrais e derivadas.

  328. Borges Diz:

    Marciano entendi agora, peguei rabo de conversa

  329. Marciano Diz:

    Algo me dizia que houve descarrilamento da conversa.
    Está explicado!
     
    No que diz respeito às tentativas de explicações “quânticas” para alegados fenômenos anômalos, como mover massa com a mente, resumo tudo citando Chuck Berry:
    Too Much Monkey Business.
     
    Para aqueles que passaram na média em inglês, explico:
    Monkey business = Mischievous or deceitful behaviour, rascality, mischievousness, mischief, roguery, roguishness, shenanigan, reckless or malicious behaviour that causes discomfort or annoyance in others, the use of tricks to deceive someone (usually to extract money from them), the use of tricks to deceive someone (usually to extract money from them), chicanery.

  330. Gorducho Diz:

    Estou curioso p/ver como o cientista do Comte detectou os anjos a partir da análise de Fourier dos raios cósmicos.
     
    Analista Montalvão: há alguns dias m/interpretou mal, supondo-me crédulo; mas hoje interpretou-me corretamente pois que expressei-me mal deveras. Então é assim: vou esperar o $ baixar um pouco de novo p/menos de R$ 3, e aí encomendo a obra :mrgreen:

  331. Gorducho Diz:

    Teste:
    Comte

  332. Gorducho Diz:

    O superscripto também não funciona… :x
     
    Analista Marciano
    Tenho cá o problema que lhe propus sob a forma:
    Um satélite numa órbita polar S – a – N de 120′ é observado percorrer de horizonte a horizonte em 25′ e passar diretamente sobre uma estação rastreadora @ 35°N. Determine a direção da trajetória do satélite relativa ao plano do meridiano passando através da estação.
    Mas não tem resposta e eu não consegui atinar na resolução.Caso a órbita fosse circular (não está no texto mas tem um croquis) me parecem haver dados demais…
    É isso.

  333. Marciano Diz:

    GORDUCHO, se a órbita é polar, é perpendicular à linha do equador. Ela tem um declive de 90º em relação ao equador.
    120’ seria o tempo da órbita.
    Em 25’ a Terra gira 12,5 graus.
    Estando a estação 35º N e dado que o satélite passa sobre ela (perdi-me por aqui).
    Parece ser um problema fácil de resolver, envolvendo cálculo geométrico elementar, mas não tenho a menor ideia de como resolvê-lo.

    Sorry about that!
     
    De onde tirou a ideia de que eu seria capaz de resolver um problema de MATEMÁTICA que o intriga?
    Se você, que é meu guru de matemática e física, não sabe resolvê-lo…

  334. Marciano Diz:

    Considerando que fomos derrubados pela órbita do satélite, que tal um artigo espírita sobre a data de hoje?
     
    http://doutrinaespirita-madi.blogspot.com.br/2014/10/festas-de-halloween.html
    Vamos ver se isto anima o debate, tirando-o da pachorra do feriadão.

  335. Gorducho Diz:

    Vamos ver se isto anima o debate, tirando-o da pachorra do feriadão.
     
    Desculpe a franqueza, mas não terei tempo p/debater abobrinhas, visto que estarei me concentrando em estudos cientificamente bastante complexos :(
     
    http://www.drgaryschwartz.com/files/QuickSiteImages/Schwartz_EXPLORE_Proofs_FINAL_3_7_11_for_distribution.pdf

  336. Vinicius Diz:

    Gorducho Diz:
    OUTUBRO 31ST, 2015 ÀS 1:15 PM
    ALIMENTAÇÃO
    Mas esse Onofre é um espírito (literalmente cá…) de porco mesmo. Socorrem ele e ele fica chamando os socorristas de “malditos”.
    Imagine qq um de nós se acidentar num país estrangeiro e no hospital ficar chamando as enfermeiras de “malditas”!
    Tinha é que dar homeopatia calmante pra esses caras!

    SACANAGEM
    Por que proibirem a sacanagem no Umbral? Pra não ficarem fazendo espiritinhos para os quais não poderão dar uma qualidade de per-vida minimamente razoável lá?
    Suponho que é…
    Mas que autoridade têm eles no Umbral. Os espíritos não estão abandonados lá?

    Pois é, foram abandonados. E tem um tal de Carlos, que se estropiou nesse mesmo acidente e ele era o motorista e causador do acidente. Ele tinha ficava puto da vida por ter descoberto que sua esposa tinha um emprego secreto de dançarina de cabaré (só não me lembro se é de quinta categoria ou se é um cinco estrelas). Ele meteu o pé no acelerador para tentar pegá-la em flagrante e esganá-la, no intuito de mandá-la pro umbral mas , ele acabou indo primeiro e ser estufado de chá.
    No pica-pau estufa-se com serragem (episódio do Corvo dançarino).
    Pois é chama de “malditos” quem está socorrendo. André Luiz era bem mais educado, não xingou nem aqueles que o acusavam de suicidio indireto.
    Ainda não descobri o nome dessa colônia, talvez seja próxima daquela onde há fichas KARDEX para controlar a vida dos aprendizes do Evangelho (tais como ORLANDO, eu mesmo e DR. Vlad).
    Agora, falando sério, que p*** palhaçada esses romances mediúnicos. Como brincam com os mortos! Kardec pelo menos não tinha esses devaneios (ops,,, esqueci de Georges e seu planeta próprio Marte kkkk ou Vênus sei lá) Acho que esse Georges era o Pequeno Principe do planeta B612!!!! E o médium de Kardec, nesse dia, estava sintonizando 45% e entendeu Marte ao invés de B612.

  337. Vinicius Diz:

    “Desculpe a franqueza, mas não terei tempo p/debater abobrinhas, visto que estarei me concentrando em estudos cientificamente bastante complexos :( http://www.drgaryschwartz.com/files/QuickSiteImages/Schwartz_EXPLORE_Proofs_FINAL_3_7_11_for_distribution.pdf

    Faltou a figurinha do Emmanuel nesse album hein! Só tá CX, FG, KD e BZ!

    “Isso é um hábito cultura assim como o dia de São Cosme e São Damião no Brasil (data que apenas se entregam doces, não tem fantasias), não devemos criticar aqueles que o tem em sua cultura, mas devemos apontar alguns pontos que devem servir de reflexão.”

    É verdade. aqui doces e travessuras. nada de fantasias. as vezes umas balinhas pro santo debaixo duma árvore…
    não devemos criticar, apenas refletir , tipo: nada contra ele, mas ele tem tudo contra mim…

    ” mas se você se fantasia e começa a fazer trejeitos de vampiros, entre outros seres que com certeza são de baixo padrão vibratório, você estabelece pela fraqueza de sua mente, ligação com esses espíritos. Mesmo sem saber de sua existência”

    Nossa, ontem na Rua Oscar Freire tinha cerca de 20 jovens fantasiados, muita música e animação. Pena que não estava com médium vidente para ver os vampiros sugando o sangue dos adolescentes! E eles, como são burros, se estivessem estudado a doutrina espirita de ponta a ponta, saberiam da existência deles e não se fantasiaram nunca mais!

    “E na maioria das festas realizadas em clubes em nosso país, tem o consumo de diversas bebidas alcoólicas.” Suicidio indireto se cair nas mãos do médico Aniceto!

    “Mas um espírita pode comparecer a tal festa?” xiii, o que será que vem pela frente :lol:

    “até mesmo alguns livros espíritas nos dizem para ficarmos alerta em alguns ambientes onde espíritos de má índole se encontram”

    Sim, temos de olhar para todos os lados, parecido com o John NASH de mentes brilhantes.
    Só tem que tomar cuidado para o Aérobus não nos atropelar ou então as gavetas dos fichários Kardex bater nas nossas cabeças né!
    Aliás, espiritos bons somente em centros credenciados pela FEESP ou FEB!

    “Não, em qualquer dia, em qualquer hora, em diversos lugares essas entidades estão. Mas nesse dia as pessoas estabelecem uma ligação mental com tais espíritos, atraindo esses espíritos”

    Fico imaginando ir com um camarada desses em alguma festa, um chopinho ou uma churrascada na laje… é um estraga festa de marca maior!!!

    “Agora, festividade onde as pessoas estão alegres, nem pensando em dar sustos em alguém ou em fazer brincadeiras de mau gosto, é claro que a alegria os envolve e tais entidade nem chegam perto pois não gostam de momentos de alegria”

    Sem assustar pode!

    ” A mesma coisa, se você coloca a camisa de São Jorge (apenas um exemplo), você se sente protegido, guardado pela força desse mártir, você se sente quase um guerreiro, e com certeza protegido você estará, seja pela força de espírito da luz trabalhadores de S.Jorge ou pela força de sua mente positiva ; e se você usar uma roupa de vampiro, você se sentirá um vampiro, estabelecendo contato com entidades do gênero.”

    Vou colocar a camisa com foto do Dr.Bezerra, do Edgard Armond e do CX e ir para uma balada HALLOWEEN, fuuiiiii

    Não, ainda não fui, nem um comentário de uma menina que vai numa festa e um “pastor evangélico espírita” responde que mesmo ela indo com pensamentos positivos corre perigo de sintonizar os vagabundos do umbral…

    “Você diz que vai estar com o pensamento positivo,mas em algum determinado momento você pode pór uma fração de segundo abrir a guarda,e esta fração de segundos poderá lhe deixar em situação vulnerável. Pense bem tem muitos bons lugares para você ir numa noite de sábado. Paz e Luz em seu coração.”
    Onde ir numa noite de sábado, Ivan, os centros e a FEESP estão fechados, em casa todos dormindo e estou sem sono e querendo se fantasiar de bruxa velha (talvez a madame blavatski)
    Saudações ao grupo de estudos amigos de Chico Xavier !

  338. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “R.: Moisés nunca existiu. É mais um personagem imaginário.”
    /.
    MAIS UM? Quantos mais o serão? Abraão, Saul, David, Elias, João Batista, Jesus, Paulo, Montalvão?
    .
    E por que meu xará foi imaginário (ou imaginativo?)

  339. Marciano Diz:

    ARCHEOLOGISTS AGREE: MOSES NEVER EXISTED.

    The main book of Judaism, called the Torah (the first 5 books of the Old Testament, “OT”) is filled with stories of a man called Moses, the story of Exodus and the persecution of Jews by an Egyptian king who allegedly enslaved them.

    The Torah is obvious mythology. The fact that it is fiction is obvious from Book 1, Page 1. The Earth is not 4000 years old. Cultures (unknown to the scribes) flourished much before. Written records and archeological evidence using carbon dating show man’s presence tens of thousands of years ago, probably over a 100,000 years ago. A million people cannot live in a vast desert (without water or food) in a hostile nation for 40 years–and leave no trace.

    The techniques of higher criticism showed that the Old Testament was weaved together out of four source documents and was produced much later than claimed.

    See “The Forgery of the Old Testament” by Joseph McCabe:

    http://www.infidels.org/library/historical/jo

    Also see: “The age of Reason”, Thomas Paine, in which Paine labels the OT as “spurious.”

    Furthermore, archaelogical and historical evidence has proven Moses, Exodus, Abraham, Joshua, King David, etc. to be basically myths copied from African and Eastern/Middle Eastern cultures.

    For eg., according to Prof. Ze’ev Herzog who teaches in the Department of Archaeology and Ancient Near Eastern Studies at Tel Aviv University, in “Deconstructing the Walls of Jericho”, states as follows:

    “This is what archaeologists have learned from their excavations in the Land of Israel: the Israelites were never in Egypt, did not wander in the desert, did not conquer the land in a military campaign and did not pass it on to the 12 tribes of Israel. Perhaps even harder to swallow is the fact that the united monarchy of David and Solomon, which is described by the Bible as a regional power, was at most a small tribal kingdom…… Most of those who are engaged in scientific work in the interlocking spheres of the Bible, archaeology and the history of the Jewish people – and who once went into the field looking for proof to corroborate the Bible story – now agree that the historic events relating to the stages of the Jewish people’s emergence are radically different from what that story tells.” (in an article in the Jewish magazine Haaretz, as republished on):

    http://www.truthbeknown.com/biblemyth.htm

  340. Marciano Diz:

    For further evidence, see:

    http://www.umsl.edu/~thomaskp/prevoff.htm
    http://www.jesusneverexisted.com/chosen-peopl
    Book: The Laughing Jesus: Religious Lies and Gnostic Wisdom, by Timothy Freke and Peter Gandy.

    http://www.worldagesarchive.com/Reference_Lin… (Harpers).htm

    Ancient Egyptians, who kept one of the most detailed ancient historic details, make no mention of any Jews there or other historic events of any “Moses or any “Jew” slaves escaping, though they make mention of one Egyptian slave who once escaped and was caught. The Moses myth was copied from the African myth of Mises.

    The fact is there was no Abraham, nor Moses, nor any King David, no enslavement in Egypt, and no Exodus. All these stories are myths copied from prevalent Zorastrian, Egyptian (i.e. African) and other Eastern myths (such as Sargon & Mises/Manu myths, the Code of Hammurabi, etc.) prevalent around that time in the Near East and projected back in time. Moses never existed.

    Moses could not have parted the Red Sea, not only because it violates the laws of physics, and there was no Moses, but because there was no Red Sea to cross, since Egypt and Israel have a common land border!

  341. Marciano Diz:

    Rabbinical Judaism dates the life of Moses to around the 14th century BCE. Howver, critical scholars of the Bible date the stories of Moses in the Pentateuch to around the 6th century BCE, and there are no known extra-biblical references to Moses until around the 4th century BCE.
    It’s a big problem that the savior of the Jews is not mentioned until almost a millennium after he supposedly lived. You’d think his name would have been everywhere.
     

    The two primary books of the Old Testament – Genesis and Exodus – refer to ‘Pharaoh’ 155 times. Curiously, not once in either book is Pharaoh identified by name – and yet, in fact, the references are to many different pharaohs, across many centuries. The anomaly is all the more telling in that the holy books are not lacking in naming numerous sundry and incidental characters. For example, the grandmother, of the grandmother, of King Asa of Judah was Abishalom, should you be interested! (1 Kings 15.10). But this style of literature should be familiar to us all: “Once upon a time, in a land far away, was a bad king. And in the forest, David played … ”

    It’s called a Fairy Tale.

    Out of Egypt

    Let’s remind ourselves of Israel’s supposed early encounters with the diverse kings of Egypt. In the sacred history of the Jews, the ‘father of the races’ Abraham is placed in Babylonia, anachronistically re-labelled Chaldea, a term more appropriate to the empire of Nebuchadnezzar in the 600s BC. The character of Abraham alternates between bedouin pastoralist and landed grandee. Neither has the slightest claim to historical veracity.
     
    See more here, MOSES:
    http://www.jesusneverexisted.com/egypt.htm

  342. Marciano Diz:

    MOSES, sua formação cristã embota seu raciocínio.
    What a shame!
    Someone so bright as you…

  343. Marciano Diz:

    O problema com ex-crentes é que eles sempre guardam uma pontinha de ilusão, uma espécie de compensação pela fantasia estragada.
    Ainda bem que deus (pick up one) me deu a graça de nunca acreditar nas histórias da carochinha.
    Aliás, você, MOSES, narra a sua própria morte.
    Releia aquela porcaria.
    Shame on you!
    Unser Führer.

  344. Marciano Diz:

    Desculpe a franqueza.
    Estou chegando agora, um pouco inebriado.
    In vino veritas.
    Syrah.

  345. Marciano Diz:

    Syrah, para os leigos, era o vinho (varietal) que eu estava bebendo.
    Não estou mais, porque acabou.
    Um californiano (quem diria…).

  346. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    1. por que Moisés agiu daquele modo (qual era sua motivação)?
    BRÁULIO: A resposta está clara no próprio texto bíblico, parece ser uma mistura de fanatismo religioso com primitivismo.
    /.
    PONDERAÇÃO: respeitando seu ponto de vista, a avaliação é um tanto simplória. Moisés tinha a incumbência de manter a unidade da nação a qualquer preço, caso não o fizesse em pouco tempo se desintegraria miscigenada com seus vizinhos, tanto por casamentos quanto por adoção de costumes e práticas religiosas. Neste aspecto o líder hebreu agiu com mestria, embora os métodos que tenha empregado modernamente soem como aberrações. Naqueles tempos, porém, o procedimento era aceitável. Um reino quando dominava o outro só conservava vivo quem pudesse ter alguma utilidade para o vencedor: matar mulheres, crianças e idosos (e até animais) era coisa comum. Viver ou morrer para o vencido ficava na inteira dependência da decisão dos líderes do grupo vencedor.
     
    E não pense que esse “primitivismo” fosse coisa daqueles tempos, só para ficar com um exemplo gritante, pense nas barbaridades havidas durante as guerras mundiais (e também nas parciais) e perceberá que não estamos tão distantes assim daqueles “atrasados”.
    .
    Montaigne numa de suas meditações intitulada “Por Diversos meios chega-se ao mesmo fim”, logo no início do relato, conta que Eduardo, príncipe de Gales (século XIV), invadira a cidade francesa de Limoges e, sob a alegação que fora pelos cidadãos daquela localidade ofendido, ordenara aos seus soldados que matassem a todos: homens, mulheres e crianças. Enquanto a mortandade era perpetuada, o comandante passeava pela cidade, sem se abalar com os apelos por piedade dos infantes e das mulheres. Em dado momento, porém, eis que contempla três soldados franceses a enfrentar dezenas de combatentes de seu exército que os cercavam. Era questão de tempo que caíssem: o príncipe sabia disso, mas a coragem demonstrada por aqueles três isolados defensores amoleceu o coração do chefe que, de repente, mudou a disposição de espírito e decidiu suspender a carnificina, dando perdão aos sobreviventes.
    /
    /

    “2. Moisés recebeu leis de Deus?”
    Na minha modesta opinião, por enquanto, existem duas possibilidades: Ou Moisés inventou a história para aumentar o poder de controle sobre seu povo, ou realmente foi assediado por alienígenas. Existe também uma pequena possibilidade de Moisés nunca ter existido.
    /.
    PONDERAÇÃO: alienígenas produzindo os dez mandamentos? Só mesmo pelo danikeneismo, ou pelo sitchinismo (Zecharia Sitchin). Moisés tinha que atribuir suas decisões a Javé por que era essa a entidade mística que manteria o povo unido em torno de uma crença comum. Tratava-se de uma sociedade teocrática (Deus era o verdadeiro rei) e toda a vida do povo estava regida pelo divino: tudo o que acontecesse, de bom ou de ruim, provinha de Iavé. Quanto a haver pequena possibilidade de Moisés não ter existido deve, então, haver grande possibilidade de que tenha existido…
    .
    Eu penso que existem mais evidências favoráveis à existência desse personagem que contrárias. O que é discutível são os atos e feitos sobrenaturais a ele atribuídos.
    .
    Good night

  347. Gorducho Diz:

    Até onde sei atualmente o mainstream historiográfico é que os judeus são cananeus que se diferenciaram endogenamente.
    Então será consenso por indução que “Moisés” não existiu mesmo que a narrativa do Exodo seja inspiradaa e induzida pela fuga dos remanescentes Hyksos de Avaris, &c.

  348. Gorducho Diz:

    E hoje temos o recurso experimental do espiritismo.
    Ora, Moisés não estava c/bola a ponto de não mais precisar reencarnar, visto até ter sido severamente punido.
    Temos relatos de ulteriores encarnações dele?
    Aliás, certamente terá virado cristão, certo?
     
    Quanto aos escritores não saberem o nome próprio de Faraó acho coerente, pois que era impronunciável, de sorte que o populacho e a consequente transmissão semi-oral não devia saber então.
    Aliás daí se originou ser blasfêmia apedrejante dizer יהוה‎
    .

  349. Larissa Diz:

    https://youtu.be/WV9Lol656Z8

  350. Larissa Diz:

    https://m.youtube.com/watch?v=btc15P7leM8

  351. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, assim como FORREST GUMP, foi inventado DEPOIS da época em que teria existido.
     
    DEUTERONÔMIO
    [34]
    1 Então subiu MONTALVÃO das planícies de Moabe ao monte Nebo, ao cume de Pisga, que está defronte de Jericó; e o Senhor mostrou-lhe toda a terra desde Gileade até Dã,
    2 todo o Naftali, a terra de Efraim e Manassés, toda a terra de Judá, até o mar ocidental,
    3 o Negebe, e a planície do vale de Jericó, a cidade das palmeiras, até Zoar.
    4 E disse-lhe o Senhor: Esta é a terra que prometi com juramento a Abraão, a Isaque e a Jacó, dizendo: ë tua descendência a darei. Eu te fiz vê-la com os teus olhos, porém para lá não passarás.
    5 Assim MONTALVÃO, servo do Senhor, morreu ali na terra de Moabe, conforme o dito do Senhor,
    6 que o sepultou no vale, na terra de Moabe, defronte de Bete-Peor; e ninguém soube até hoje o lugar da sua sepultura.
    7 Tinha MONTALVÃO cento e vinte anos quando morreu; não se lhe escurecera a vista, nem se lhe fugira o vigor.
    8 Os filhos de Israel prantearam a MONTALVÃO por trinta dias nas planícies de Moabe; e os dias do pranto no luto por MONTALVÃO se cumpriram.
    9 Ora, Josué, filho de Num, foi cheio do espírito de sabedoria, porquanto MONTALVÃO lhe tinha imposto as mãos; assim se filhos de Israel lhe obedeceram , e fizeram como o Senhor ordenara a MONTALVÃO.
    10 E nunca mais se levantou em Israel profeta como MONTALVÃO, a quem o Senhor conhecesse face a face,
    11 nem semelhante em todos os sinais e maravilhas que o Senhor o enviou para fazer na terra do Egito, a Faraó: e a todos os seus servos, e a toda a sua terra;
    12 e em tudo o que MONTALVÃO operou com mão forte, e com grande espanto, aos olhos de todo o Israel.

     
    O quinto e último livro do Pentateuco é o Deuteronômio, que significa repetição da lei, ou segunda lei. No cânon hebraico é chamado Elleh hadd barim (“Estas são as palavras”). Este livro, como a maior parte do Pentateuco, é de origem posterior. Foi elaborado por sacerdotes e profetas que se consideravam continuadores da obra de MONTALVÃO. Mesmo permanecendo anônimos, alegam a autoridade de MONTALVÃO e colocam as suas leis e exortações na boca do fundador.

  352. Larissa Diz:

    http://www.npr.org/sections/13.7/2015/09/27/443899221/quantum-physics-and-the-need-for-a-new-paradigm

  353. Marciano Diz:

    Há um milênio e meio ou quase dois milênios atrás, era fácil escrever que um menino chamado Kal-El foi enviado de Krypton por seu pai Jor-El para a Terra, onde adquiriu poderes, como FG e MONTALVÃO.
    .
    Da wikipedia em português:
     
    Para alguns, o Alcorão teria sido reunido na sua forma actual sob a direcção do califa Abu Bakr nos dois anos que se seguiram à morte de Muhammad; outros defendem que foi o califa Omar o primeiro a compilar o Alcorão. Considera-se que a verdade está a meio termo: Abu Bakr foi aconselhado por Omar a compilar um primeiro manuscrito, auxiliado na tarefa por logógrafos e por dois hafiz.
     
    Ou seja, a “recitação” foi escrita DEPOIS da morte de maomé.
     
    Tudo o que se escreveu sobre FG, MONTALVÃO, maomé, krishna, budha, etc., foi escrito DEPOIS de suas respectivas mortes.
    Pura ficção.
    Parece que era uma técnica comum inventar personagens que teriam existido no passado.
     
    Hoje não dá mais para inventar personagens que conviveram com gente de carne e osso há cem anos, mas pode-se mudar a história real de Billy the Kid, Paul Revere, Joaquim José, Zumbi, e transformá-los em heróis.
    Foram todos uns pregos que, convenientemente, foram transformados em heróis, a quem se atribuem fatos que nunca ocorreram.
    Até sobre o bandido lampião, morto já tarde demais em 1937, se bem me recordo, inventam um monte de coisas.

  354. Marciano Diz:

    Êxodo 4Almeida Revista e Corrigida 2009 (ARC)
    Deus concede poderes a MONTALVÃO
    4 Então, respondeu MONTALVÃO e disse: Mas eis que me não crerão, nem ouvirão a minha voz, porque dirão: O SENHOR não te apareceu. 2 E o SENHOR disse-lhe: Que é isso na tua mão? E ele disse: Uma vara. 3 E ele disse: Lança-a na terra. Ele a lançou na terra, e tornou-se em cobra; e MONTALVÃO fugia dela. 4 Então, disse oSENHOR a MONTALVÃO: Estende a mão e pega-lhe pela cauda (E estendeu a mão e pegou-lhe pela cauda, e tornou-se em vara na sua mão.); 5 para que creiam que te apareceu o SENHOR, o Deus de seus pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó. 6 E disse-lhe mais o SENHOR: Mete agora a mão no peito. E, tirando-a, eis que sua mão estava leprosa, branca como a neve. 7 E disse: Torna a meter a mão no peito. E tornou a meter a mão no peito; depois, tirou-a do peito, e eis que se tornara como a sua outra carne. 8 E acontecerá que, se eles te não crerem, nem ouvirem a voz do primeiro sinal, crerão a voz do derradeiro sinal; 9 e, se acontecer que ainda não creiam a estes dois sinais, nem ouçam a tua voz, tomarás das águas do rio e as derramarás na terra seca; e as águas que tomarás do rio tornar-se-ão em sangue sobre a terra seca.
    10 Então, disse MONTALVÃO ao SENHOR: Ah! Senhor! Eu não sou homem eloquente, nem de ontem, nem de anteontem, nem ainda desde que tens falado ao teu servo; porque sou pesado de boca e pesado de língua. 11 E disse-lhe o SENHOR: Quem fez a boca do homem? Ou quem fez o mudo, ou o surdo, ou o que vê, ou o cego? Não sou eu, o SENHOR? 12 Vai, pois, agora, e eu serei com a tua boca e te ensinarei o que hás de falar. 13 Ele, porém, disse: Ah! Senhor! Envia por mãodaquele a quem tu hás de enviar. 14 Então, se acendeu a ira do SENHOR contra MONTALVÃO, e disse: Não é Arão, o levita, teu irmão? Eu sei que ele falará muito bem; e eis que ele também sai ao teu encontro; e, vendo-te, se alegrará em seu coração. 15 E tu lhe falarás e porás as palavras na sua boca; e eu serei com a tua boca e com a sua boca, ensinando-vos o que haveis de fazer. 16 E ele falará por ti ao povo; e acontecerá que ele te será por boca, e tu lhe serás por Deus. 17 Toma, pois, esta vara na tua mão, com que farás os sinais.

  355. Marciano Diz:

    Já Kal-El foi adotado ao chegar à terra (MONTALVÃO também foi adotado), onde o Sol amarelo lhe concedeu poderes.
    No seu planeta original não os tinha.
    Se Joe Shuster e Jerry Sieger (ambos judeus) tivessem nascido há dois ou três mil anos, tivessem tido o propósito de inventar uma seita, em vez de uma HQ, hoje muita gente rezaria para o Clark Kent.
    Haveria quem não o fizesse, mas acharia que o jornalista do Planeta Diário foi um personagem histórico.

  356. Marciano Diz:

    Jerry Siegel.
    Vou trabalhar um pouco, pois é melhor.
    Mais tarde eu volto, se o lado negro da força assim o permitir.
    Bis bald!

  357. Borges Diz:

    “MONTALVÃO Diz:
    OUTUBRO 31ST, 2015 ÀS 11:50 AM
    /
    /
    BORGES: Mudando de assunto, vou apresentar outro trecho do AT. Calma não será sobre Alienígenas do Passado.
    Números : 31 -13 a 20.
    Foi este tal de Moisés que recebeu as leis de Deus e passou para os homens.
    /.
    PONDERAÇÃO: Borges, diga mais, diga como entende o trecho destacado. Considere as seguintes questões:
    1. por que Moisés agiu daquele modo (qual era sua motivação)?
    2. Moisés recebeu leis de Deus?
    .
    Agora que percebi serdes adepto do danikenismo, então diga: eram os deuses astronautas? Li Daniken duas vezes, na primeira quedei-me embasbacado, na segunda horrorizado…”
    “MONTALVÃO Diz:
    NOVEMBRO 1ST, 2015 ÀS 12:31 AM
    /
    /
    1. por que Moisés agiu daquele modo (qual era sua motivação)?
    BRÁULIO: A resposta está clara no próprio texto bíblico, parece ser uma mistura de fanatismo religioso com primitivismo.”
    Montalvão:-
    –Você errou o autor da resposta. Não tem problema, está perdoado.

    “PONDERAÇÃO: respeitando seu ponto de vista, a avaliação é um tanto simplória. Moisés tinha a incumbência de manter a unidade da nação a qualquer preço, caso não o fizesse em pouco tempo se desintegraria miscigenada com seus vizinhos, tanto por casamentos quanto por adoção de costumes e práticas religiosas.”
    –É exatamente o que ocorre hoje, não vejo nada de errado, a natureza é sábia, errado estava Moisés e seu preconceito. Contudo, não é bem assim que consta no texto bíblico:
    “Disse-lhes: “Por que deixastes com vida todas essas mulheres? Foram elas que, por conselho de Balaão, se tornaram para os israelitas a causa de infidelidade a Iahweh, no caso de Fegor: daí a praga que veio sobre toda a comunidade de Iahweh.”
    –Isto parece mais fanatismo religioso que qualquer outra coisa.
    “ Neste aspecto o líder hebreu agiu com mestria, embora os métodos que tenha empregado modernamente soem como aberrações.”
    –Aberrações são aberrações em qualquer época. Ainda se pratica genocídios por conta de ideologias e religiões. Na época de Moisés existiam pessoas menos nefastas, isto ficou evidente, pois os próprios comandantes preservaram a vida das criaturas que Moisés mandou dizimár. A pergunta que fica é : Por que Deus (Iahweh) escolheu Moisés para ser seu representante? E a resposta se torna evidente, é porque Iahweh era pior que Moisés. Basta ler os textos bíblicos e você irá constatar que se tratava de alguém cruel, vingativo e ciumento. Este último qualificativo foi mencionado por Moisés e por Iahweh:
    Êxodus:- 20 – 5.
    Não te prostrarás diante desses deuses e não os servirás, porque eu, Iahweh teu Deus, sou um Deus ciumento, que puno a iniquidade dos pais sobre os filhos até a terceira e a quarta geração dos que me odeiam, —
    Deuteronômio:- 4- 23 e 24.
    Ficai atentos a vós mesmos, para não vos esquecerdes da Aliança que Iahweh vosso Deus concluiu convosco, e não fazerdes uma imagem esculpida de qualquer coisa que Iahweh teu Deus te proibiu, pois teu Deus Iahweh é fogo devorador. Ele é um Deus ciumento.
    Deuteronômio:- 6 – 14 e 15.
    Apelo à fidelidade – Não seguireis outros deuses, qualquer um dos deuses dos povos que estão ao vosso redor, pois Iahweh teu Deus é um Deus ciumento, que habita em teu meio. A cólera de Iahweh teu Deus se inflamaria contra ti, e ele te exterminaria da face da terra.

    “Naqueles tempos, porém, o procedimento era aceitável. Um reino quando dominava o outro só conservava vivo quem pudesse ter alguma utilidade para o vencedor: matar mulheres, crianças e idosos (e até animais) era coisa comum. Viver ou morrer para o vencido ficava na inteira dependência da decisão dos líderes do grupo vencedor.”
    –Aceitável para um líder que representava um Deus cruel, ciumento e vingativo. Se você “autenticou” o texto bíblico e parece que sim, então a ideia que eu faço dos deuses bíblicos é mais coerente; pois eu penso que se trata de seres, semelhantes aos humanos, com todos os seus defeitos (vingativo, cruel e ciumento) a diferença reside no fato de terem origem em outros globos e de dominarem tecnologias avançadas o que lhes permitiria se passarem por deuses. Desemboco assim na indagação feita pelo velho trambiqueiro e falsário (segundo alguns): ERAM OS DEUSES ASTRONAUTAS????
    “Moisés tinha que atribuir suas decisões a Javé por que era essa a entidade mística que manteria o povo unido em torno de uma crença comum.”
    –Nem tanto, lembra-se da historia do bezerro de ouro? E o que dizer dos atos de rebeldia? O próprio Moisés não entrou na terra prometida por castigo divino, devido sua tibieza em relação à fé.
    Obrigado

  358. Borges Diz:

    Larissa:- quando fiz o comentário informando que desviei com a mente a bola chutada por Roberto Baggio em 1994, eu ainda não tinha assistido o vídeo que você sugeriu, foi uma grande coincidência. É evidente que muita gente deve ter feito o que eu fiz, inclusive o físico Gabrel Guerrer que deveria ter dez anos na época.
    Obrigado

  359. Marciano Diz:

    BORGES, de que adiantou você desviar o chute do Baggio, se depois você desviou 7 bolas alemãs para dentro do gol da seleção tupiniquim?
    Agora eu entendo aquele vexame.
    Como diria Nelson Rodrigues, se fosse psicografado, só mesmo o Sobrenatural de Almeida para explicar aquilo.
    Aproveite para me dizer como rola o campeonato de mentalizações.
    Um monte de brasileiros mentalizando para desviar a massa da bola pra fora do gol, um monte de italianos mentalizando o movimento da massa para dentro. Como se mede a resultante dessas mentalizações vetoriais?

  360. Marciano Diz:

    O Guerrer deve saber.
    Mover bolas com a mente é o objeto do estudo dele.
    Deve haver uma forma de calcular a resultante da força de várias mentes exercendo energia cinética sobre a bola, com várias direções e sentidos diferentes.

  361. Marciano Diz:

    Estou imaginando um parelograma de forças mentais atuando sobre uma massa.
    Programa do curso Física Quântica: Imaginando o Invisível.
    1.Cálculo Vetorial
    1.1 Segmentos orientados
    1.2 Vetores
    1.2.1 Soma de um ponto com vetor
    1.2.2 Adição de Vetores
    1.2.3 Diferença de Vetores
    1.2.4 Módulo, Direção e Sentido
    1.2.5 Espaço Vetorial
    Por ai vai…

  362. Borges Diz:

    Contra os alemães não dava tempo de fazer a mentalização, era um gol atrás do outro.

  363. Borges Diz:

    Deveríamos ter utilizado a água que os argentinos teriam dado ao Branco em 1990 na Itália. Acho que nem isto sustaria o vexame que passamos.

  364. Marciano Diz:

    Ah, não! Esqueci-me!
    Esse programa é de mecânica fundamental, não de mecânica quântica.
    É que a mecânica ensinada nos cursos médio e fundamental é mais difícil do que a mecânica quântica.
    Para entender desta, basta assistir a algumas aulas no apartamento do Vereza, ler algum site espírita, ver algum documentário do Discovery ou ler Superinteressante.
    Monkey business detected :!:

  365. Marciano Diz:

    Que bom que você tem senso de humor, BORGES.
    Eu não gosto de futebol, mas assisti ao jogo Brasil x Alemanha.
    Na hora da sucessão de gols, primeiro pensei que estivessem reprisando, depois fiquei boquiaberto, pasmo, depois tive um ataque de riso (coisa que nunca me acontecera nem aconteceu de novo).
    Nunca imaginei uma coisa dessas.
    Acho que ninguém.
    É mais fácil acreditar na mecânica quântica da Superinteressante do que nesse jogo.
    Depois dele, acho que dá pra dizer que tudo é possível.

  366. Marciano Diz:

    Pô, o A CoC e o A &gscr; sumiram.
    Moisés não chegou à terra prometida.
    Só restamos eu, BORGES e LARISSA.

  367. Marciano Diz:

    A G.

  368. Marciano Diz:

    &#gscr; não funciona aqui.

  369. Marciano Diz:

    Teste: &pertek;

  370. Marciano Diz:

    Teste: &pertenk;

  371. Marciano Diz:

    Houve uma época em que eu acreditei na existência histórica de jesus e moisés.
    Eu achava que tinham sido pessoas comuns, sobre as quais construíram toda uma mitologia religiosa.
    O primeiro que vi que nunca existira, foi moisés, depois FG, comecei a pesquisar sobre outros e vi que eram todos imaginários.
    Sobre moisés, não me lembro quando começou a dúvida.
    Sobre FG, foi com 12 anos.
     
    Ainda me lembro de quando acreditava em budha, e falava que este, pelo menos, tinha existido de fato. Já o FG era completamente imaginário.
    Depois comecei a desconfiar de budha, quando vi que maomé era fictício.
     
    Todos esses caras são tão reais quanto Jimmy Olsen.
     
    Existem personagens na bíblia que parece que existiram mesmo (falo dos personagens religiosos, claro que “encaixaram” os imaginários com épocas e personagens reais).
    Já Sansão, Balaão, etc., são todos imaginários.
    Paulo existiu de fato, e é o personagem histórico por trás da seita, mas tem muitos fatos com ele como personagem que jamais existiram, como a cegueira temporária, etc.
    Vou ver se acho um texto de um aquivo que tenho nos meus ficheiros.

  372. Marciano Diz:

    Não estou encontrando.
    É sobre a estrela de Belém.
    Existem artigos supostamente científicos que buscam explicar fenômenos que poderiam ter sugerido a lenda, mas existem outros que mostram que nunca ocorreu qualquer conjunção de planetas, cometa ou o que fosse que coincidisse com aquela época, o que teria sido visto no mundo inteiro, não só num cantinho do mundo.
    Outra hora eu procuro e posto aqui.

  373. Marciano Diz:

    É um estudo sério e longo.
    Eu pretendo fazer um resumo para postar aqui.
    O artigo analisa minuciosamente todas as hipóteses de fenômenos reais imaginadas, como conjunção planetária, cometa, etc., refutando um por um, com argumentos científicos.
    É escrito por um astrônomo americano.
    Enquanto não acho (nem sei se vou achar, andei fazendo backup, estava em outro notebook, pode ter sido perdido), posto uma amostra grátis do clube cético aqui.
    Nem chega perto do que eu quero postar (resumido), mas é o que tem por ora:
    http://clubecetico.org/forum/index.php?topic=24131.0

  374. Marciano Diz:

    Não adianta!
    Perdi mesmo! E o pior é que não foi o único.
    Estava numa pasta só com artigos sobre astronomia, muitos copiados do nasa.gov.
    Foram pro beleléu, quando fiz o backup.
    Vou procurar alguma coisa parecida, de preferência em português, e volto quando tiver algo.
    Quem perdeu o cão, caça com gato.

  375. Marciano Diz:

    Último teste, se não funcionar, desisto.
    É como disse o GORDUCHO, a gente tenta em outro sítio, funciona, quando coloca aqui, não sai nada.
    E eu ainda estou tentando aprender.

  376. Marciano Diz:

    Desisto, por hoje.
    Nem cascading style sheets nem artigos científicos sobre a falsa estrela de Belém.
    Só encontro textos rasos.

  377. Larissa Diz:

    O Guerrer NUNCA disse q se pode mover uma bola com o poder da mente. Ele afirma justamente o contrário, que sistemas regidos pela física clássica não podem ser movidos por “poder da mente”. O que o experimento do Guerrer propõe é testar se a consciência influência sistemas quânticos. Lamentável plantar uma informação falsa para tentar formar a opinião das pessoas.

  378. Larissa Diz:

    Explica aí, Marciano, de onde vem a sua certeza que a consciência não influencia sistemas quânticos ganhe um prêmio Nobel. É menos do que oferece o Randi com seu desafio cético, mas o prestígio é muito maior, né nom?
    .
    Borges, aqui um vídeo q explica a complexidade das perguntas que o Guerrer quer contribuir com a resposta. O Guerrer está propondo uma versão do experimento do vídeo.
    https://m.youtube.com/watch?v=gq6zRzDRW-U

    https://m.youtube.com/watch?v=A9tKncAdlH

  379. MONTALVÃO Diz:

    De Marte,
    .
    Estou precaríssimo informaticostitucionalmente falando. Meus três computas, um de serviço dois reservas, resolveram armar complô contra mim. Por isso acredito no paranormal e acredito, também, que as máquinas estão vivas, apenas esperando o momento certo de darem o bote dominador. Tem hora desejo queimar tudo e voltar ao antigo sistema de conversar por correspondência. Funciona assim: eu leio sua manifestação e me manifesto; ponho no correio e aguardo resposta. Ao receber o retorno, comento e ponho no correio. Assim por diante. A vantagem é que uma discussão nesses moldes dura uns dois anos, visto que ninguém morre antes da conversa terminada pode ser por aí um meio de obter a longevidade…
    .
    Dito isto, vamos o que viemos.
    /
    Marciano Diz: ARCHEOLOGISTS AGREE: MOSES NEVER EXISTED.
    The main book of Judaism, called the Torah (the first 5 books of the Old Testament, “OT”) is filled with stories of a man called Moses, the story of Exodus and the persecution of Jews by an Egyptian king who allegedly enslaved them.
    .
    PONDERAÇÃO: não é só a “história” de Moisés que se relata no pentateuco: ele remonta às origens do mundo e termina na Terra Prometida. Ah, antes que me esqueça: a tradução que fez do texto ficou muito boa…
    /
    /

    “The Torah is obvious mythology. The fact that it is fiction is obvious from Book 1, Page 1. The Earth is not 4000 years old. Cultures (unknown to the scribes) flourished much before. Written records and archeological evidence using carbon dating show man’s presence tens of thousands of years ago, probably over a 100,000 years ago. A million people cannot live in a vast desert (without water or food) in a hostile nation for 40 years–and leave no trace.
    The techniques of higher criticism showed that the Old Testament was weaved together out of four source documents and was produced much later than claimed.
    /.
    PONDERAÇÃO: o comentarista deve estar escrevendo para os fundamentalistas que, embora seja numerosos, tal qual o Sandro faz, afirmam granitos alicerçados em areia. É claro que o relato da fundação é mítico e é claro que se inspirou provalmente em mitos mesopotâmicos. Quanto a não haver traços arqueológicos dos 40 anos de viagem dos hebreus, do Egito a Canaã, o autor erra feito. Não foram 40 anos de andança, em poucos meses o povo chegou às cercanias de Canaã: foram necessário quarenta anos até se tornarem fortes o suficiente para a invasão.
    /
    /
    “Furthermore, archaelogical and historical evidence has proven Moses, Exodus, Abraham, Joshua, King David, etc. to be basically myths copied from African and Eastern/Middle Eastern cultures.”
    /.
    PONDERAÇÃO: não concordo que existam essas “evidências” históricas denegativas (se é que entendi o texto, lembro que estou traduzindo pelo montalvão’s translate, que não é muito confiável). Até há pouco tempo, o questionamento mais contundente contra o pentateuco era relativo à autoria: diversos estudiosos repudiavam que Moisés o houvesse redigido. Alguns argumentos eram bons, outros fracos, como veremos o de Marte repetindo um deles adiante. Aqui vou dar minha opinião que, certamente, não é a de especialista na matéria. Para mim, o mais plausível é que Moisés não tenha escrito nada. O “Livro da Lei” foi “achado” no reinado do rei Josias, vários séculos após Moisés ter feito seus feitos. A história assim se narra IIReis 22:
    .
    “22 O novo rei de Judá foi Josias. Começou a reinar com a idade de 8 anos. Reinou durante 31 anos em Jerusalém. A sua mãe chamava-se Jedida; era filha de Adaías, de Bozcate. 2 Fez o que era recto aos olhos do Senhor. Andou nos caminhos de David, seu pai; não se afastou deles nunca, obedecendo integralmente à palavra do Senhor.
    .
    3/6 No décimo oitavo ano do seu reinado, o rei Josias mandou Safã, seu secretário (filho de Azalia e neto de Mesulão) até ao templo com as seguintes instruções para Hilquias, o sumo sacerdote: “Recolhe o dinheiro que é dado aos sacerdotes à porta do templo, quando o povo entra para o culto. Entrega-o ao encarregado de obras do templo para que contrate pedreiros e carpinteiros que façam as devidas reparações no edifício e para que comprem o material necessário.” 7 Não se pedia contas do dinheiro entregue aos encarregados das obras, porque eram pessoas que actuavam com a máxima honestidade.
    .
    8/13 UM DIA HILQUIAS O SUMO SACERDOTE FOI TER COM SAFÃ O SECRETÁRIO REAL EXCLAMANDO: “DESCOBRI UM LIVRO NO TEMPLO QUE TEM ESCRITAS AS LEIS DE DEUS!”
    .
    E deu o livro a ler a Safã. Quando este foi em audiência ao rei apresentar o relatório do andamento das obras de reparação do templo, fez também menção do livro que Hilquias tinha achado, e leu nele diante do rei. Ao ouvir aquelas palavras escritas, o monarca rasgou a roupa que tinha vestida, em sinal de profunda consternação. Mandou então a Hilquias o sacerdote, a Safã, a Asaia (assistente do rei), a Aicão (filho de Safã) e a Acbor (filho de Micaías) que perguntassem ao Senhor: “Que devemos nós fazer? Porque não obedecemos às instruções deste livro: deves estar tremendamente irado contra nós, pois que nem nós nem os nossos antepassados seguimos os teus mandamentos.”
    .
    14/20 Então Hilquias, mais os homens referidos, foram ter com Hulda, a profetisa, ao bairro de Misné, em Jerusalém. (Esta profetisa era mulher de Salum — o filho de Ticva e neto de Harás — que tinha o encargo do guardaroupa real.) Ela deu-lhes pois esta mensagem da parte do Senhor Deus de Israel: “Diz ao homem que te mandou ter comigo que vou destruir esta cidade e a sua população, tal como está escrito no livro que leste. Pois que o povo de Judá me abandonou, adorou outros deuses e levantou a minha ira intensa de tal maneira que não poderá ser sustida. Mas, devido ao facto de que te consternaste e te humilhaste perante o Senhor, quando leste o livro e os seus avisos de que esta terra haveria de ser amaldiçoada e se tornaria desolada, e visto que rasgaste a tua roupa, chorando perante mim de tristeza, darei ouvidos aos teus rogos. A morte desta nação não ocorrerá antes de morreres — não verás o mal que prometo trazer sobre este lugar.” Foi esta a mensagem que levaram ao rei.”
    .
    PONDERAÇÃO:então observe: a nação estava tomada por severa apostasia, as tradições religiosas iam a se perder. Não havia melhor ocasião para que os relatos orais que feneciam fossem transcritos e “casualmente” aparececem escondido num desvão do templo.
    /
    /

    “For eg., according to Prof. Ze’ev Herzog who teaches in the Department of Archaeology and Ancient Near Eastern Studies at Tel Aviv University, in “Deconstructing the Walls of Jericho”, states as follows:
    “This is what archaeologists have learned from their excavations in the Land of Israel: the Israelites were never in Egypt, did not wander in the desert, did not conquer the land in a military campaign and did not pass it on to the 12 tribes of Israel. Perhaps even harder to swallow is the fact that the united monarchy of David and Solomon, which is described by the Bible as a regional power, was at most a small tribal kingdom…… Most of those who are engaged in scientific work in the interlocking spheres of the Bible, archaeology and the history of the Jewish people – and who once went into the field looking for proof to corroborate the Bible story – now agree that the historic events relating to the stages of the Jewish people’s emergence are radically different from what that story tells.” (in an article in the Jewish magazine Haaretz, as republished on):
    http://www.truthbeknown.com/biblemyth.htm
    /.
    PONDERAÇÃO: descontada a manifestação exagerada, o que esse professor estaria querendo dizer é que o relato das peripécias dos hebreus no Egito e do êxodo estão conspurcados pelo misticismo. Eu entendo que, neste aspecto, quem questiona a legitimidade da Torah esteja correto, porém não se deve jogar fora a água do banho juntamente com a criança. Provavelmente há um núcleo de verdade, ao qual foram acrescidos os milagres de Javé e os imaginados acontecimentos correlatos. Afinal, o povo tinha que ter certeza de que seu Deus os guiara até então e, se lhe obedecessem, continuaria guiando vitoriosamente. Aqui especulo que a passagem de Israel pelo Egito tenha acontecido, pois até então eram nômades e andavam para onde bons ventos os levassem. Talvez os 400 anos de escravidão seja superdimensionado. Suponho que os israelitas em seu deslocamento tenham acampado em terras egípcias por algum tempo e devem ter tido um relacionamento amistoso com os da terra até que as coisas mudaram e eles foram obrigados a se retirarem.
    /
    /

    “Ancient Egyptians, who kept one of the most detailed ancient historic details, make no mention of any Jews there or other historic events of any “Moses or any “Jew” slaves escaping, though they make mention of one Egyptian slave who once escaped and was caught. The Moses myth was copied from the African myth of Mises.
    The fact is there was no Abraham, nor Moses, nor any King David, no enslavement in Egypt, and no Exodus. All these stories are myths copied from prevalent Zorastrian, Egyptian (i.e. African) and other Eastern myths (such as Sargon & Mises/Manu myths, the Code of Hammurabi, etc.) prevalent around that time in the Near East and projected back in time. Moses never existed.
    Moses could not have parted the Red Sea, not only because it violates the laws of physics, and there was no Moses, but because there was no Red Sea to cross, since Egypt and Israel have a common land border!”
    /.
    PONDERAÇÃO: o que fazem? Descartam os relatos místicos que, provavelmente, são míticos e aproveitam para descartar tudo. Ora, há uma linha de coerência entre o narrado no pentateuco e os livros seguintes, parte dos quais são confirmados, direta ou indiretamente, por descobertas arqueológicas. Pode ser que David não tenha sido o rei poderoso que se descreve, pode ser que fosse mesmo um reizinho, superexaltado por um povo que almejava a glória de ser uma grande nação, ombreando em poder com as potências de seu tempo. Talvez o esplendor de reino Salomão não fora o que se descreve. Mas daí negar que tenham existido e que tudo o que deles se conta seja lixo me parece equivocado.
    /
    /

    “The two primary books of the Old Testament – Genesis and Exodus – refer to ‘Pharaoh’ 155 times. Curiously, not once in either book is Pharaoh identified by name – and yet, in fact, the references are to many different pharaohs, across many centuries. The anomaly is all the more telling in that the holy books are not lacking in naming numerous sundry and incidental characters. For example, the grandmother, of the grandmother, of King Asa of Judah was Abishalom, should you be interested! (1 Kings 15.10). But this style of literature should be familiar to us all: “Once upon a time, in a land far away, was a bad king. And in the forest, David played … ”
    /.
    PONDERAÇÃO: que no pentateuco se fazem referências a diversos faraós não há dúvidas. Por que os nomes não são citados? Boa pergunta. Uma explicação interessante veio do Gorducho: pode ser que as nominações egípcias fossem de difícil pronuncia e registro, então optaram pelo anonimato. Não digo que seja, mas também que não seja, apenas que pode ser…

    /
    /
    Marciano Diz: MOSES, sua formação cristã embota seu raciocínio.
    .
    PONDERAÇÃO: mas não estamos discutindo religião, sim história. Além disso, estou longe de qualquer envolvimento religioso tempo suficiente para não mais me abalar com a derribada das “verdades inderribáveis” propaladas por qualquer religião.

    /
    /
    • Marciano Diz: Aliás, você, MOSES, narra a sua própria morte.
    Releia aquela porcaria.
    /.
    PONDERAÇÃO: este é o argumento fraco de que falei. Supondo que fora Moisés o autor do pentateuco (ideia com a qual não comungo) o fato de a morte do narrador ser por ele próprio narrada obviamente tem explicação trivial: seria acréscimo a posteriori de quem fizera o fecho da obra.
    .
    Com esse “fêcho” “fécho” minha manifestação.

  380. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Tudo o que se escreveu sobre FG, MONTALVÃO, maomé, krishna, budha, etc., foi escrito DEPOIS de suas respectivas mortes.
    Pura ficção.
    Parece que era uma técnica comum inventar personagens que teriam existido no passado.”
    /.
    PONDERAÇÃO: meu caro, estás esquecendo da tradição oral que, nos tempos primevos, funcionava como verdadeira escrita. Não apenas porque o relato escrito vem pós-morte do herói que, “tolomaticamente”, o herói seja natimorto.

  381. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Já Kal-El foi adotado ao chegar à terra (MONTALVÃO também foi adotado), onde o Sol amarelo lhe concedeu poderes.”
    /.
    NÃO SÓ O SOL “malelo”, também a gravidade que, em Krypton, era mais intensa que na Terra. Não desesqueça que o homem de aço, quando surgiu, apenas saltava saltos enormes, depois é que ganhou o poder de Ícaro.

  382. Gorducho Diz:

    a nação estava tomada por severa apostasia, as tradições religiosas iam a se perder.
    Essas tradições religiosas nunca existiram. Não esqueça que os judeus sempre foram politeístas, sendo o monoteísmo uma imposição goela-abaixo do imperialismo persa contra a vontade da população.
     
    Não havia melhor ocasião para que os relatos orais que feneciam fossem transcritos e “casualmente” aparecessem escondido num desvão do templo.
    Não havia melhor ocasião p/criar algum mito de origem (tipo o Brasil Coração do Mundo da FEB) por parte daquela corrente sacerdotal monoteísta – com a ciência ou não do Josias ao qual conviria criar uma religião oficial que naquelas épocas equivalia ao conceito atual de cidadania (aliás como o IS está tentando reimplantar, bem como fanáticos de todas as espécies tais como chiquistas em NL; o que está ocorrendo na India c/a complacência do governo atual; o Bibi; &c.).
     
    By the way: eu não conjecturei que os nomes dos faraós fossem difíceis e sim que, por impronunciáveis, o populacho os desconheceria. Só uns poucos das elites os conheceriam…

  383. MONTALVÃO Diz:

    /
    /

    BORGES, uma minha sugestão: porque não separa seus comentários do texto que o precede? Assim facilita a visualização de quem examina e valoriza mais o que diz. Deixando tudo embolado embola tudo. Só sugesta…
    .
    Não sei porque confundi-o com o Bráulio, são irmãos, achegados? Às vezes minha paranormalidade, sobre a qual não tenho controle, me prega peças…
    /
    /

    “respeitando seu ponto de vista, a avaliação é um tanto simplória. Moisés tinha a incumbência de manter a unidade da nação a qualquer preço, caso não o fizesse em pouco tempo se desintegraria miscigenada com seus vizinhos, tanto por casamentos quanto por adoção de costumes e práticas religiosas.”
    .
    BORGES: –É exatamente o que ocorre hoje, não vejo nada de errado, a natureza é sábia, errado estava Moisés e seu preconceito.
    /.
    PONDERAÇÃO: não é “exatamente assim que ocorre hoje”, atualmente as coisas mudaram. Apesar de haver quem seja desumano ao nível dos do passado, o que precisa entender é que, no passado, tal atitude não era considerada desumana. Considere, ilustrativamente, a matança de animais em honra aos deuses, hoje ainda há cultos que praticam (modestamente) o procedimento (e causam espanto na maioria), no passado seria espantoso não sacrificar (em várias culturas até o morticínio humano era visto sem repúdio).
    .
    A natureza é sábia como jogo de palavras, em realidade a natureza é utilitária. Sabedoria na natureza é visão antropormófica, à semelhança da visão que os homens têm de Deus ao longo da história, que é eminentemente humanizante.
    /
    /

    BORGES: Contudo, não é bem assim que consta no texto bíblico:
    “Disse-lhes: “Por que deixastes com vida todas essas mulheres? Foram elas que, por conselho de Balaão, se tornaram para os israelitas a causa de infidelidade a Iahweh, no caso de Fegor: daí a praga que veio sobre toda a comunidade de Iahweh.”
    –Isto parece mais fanatismo religioso que qualquer outra coisa.
    /.

    PONDERAÇÃO: não era fanatismo, era a visão religiosa predominante. O dito por Moisés cairia, quase inalterado, na boca de qualquer líder das nações daqueles tempos. Preservar a vida dos vencidos por mera piedade seria inaceitável demonstração de fraqueza. O fato de Moisés ligar o acontecimento a Javé não tem qualquer dificuldade de compreender-se. Conforme falei, numa sociedade teocrática, a justificativa para os procedimento sempre estava amparada na divindade. Hoje em dia vemos quase que o filme se repetir nas atitudes de certos grupos islâmicos (não todos).
    /
    /
    “ Neste aspecto o líder hebreu agiu com mestria, embora os métodos que tenha empregado modernamente soem como aberrações.”
    /.
    BORGES –Aberrações são aberrações em qualquer época. Ainda se pratica genocídios por conta de ideologias e religiões. Na época de Moisés existiam pessoas menos nefastas, isto ficou evidente, pois os próprios comandantes preservaram a vida das criaturas que Moisés mandou dizimár.
    /.

    PONDERAÇÃO: o que faz é ler o passado com olhos do presente. O conceito de aberração não cabe nesse contexto. O que é aberração hoje não era nos antigamentes. Os que preservaram a vida de alguns dos inimigos, desobedecendo ordens, não o fizeram por terem espírito humanitário desenvolvido (eles não hesitaram em trucidar os que para eles não tinham serventia), apenas estavam vendo nalguns dos vencidos meios de tiraram lucro pessoal.
    /
    /

    BORGES – A pergunta que fica é : Por que Deus (Iahweh) escolheu Moisés para ser seu representante? E a resposta se torna evidente, é porque Iahweh era pior que Moisés. Basta ler os textos bíblicos e você irá constatar que se tratava de alguém cruel, vingativo e ciumento. Este último qualificativo foi mencionado por Moisés e por Iahweh:
    Êxodus:- 20 – 5. Não te prostrarás diante desses deuses e não os servirás, porque eu, Iahweh teu Deus, sou um Deus ciumento, que puno a iniquidade dos pais sobre os filhos até a terceira e a quarta geração dos que me odeiam,[...]
    /.
    PONDERAÇÃO: sua leitura é frágil. É fato que está dito que Javé escolheu Moisés, mas isso é ASQ (como diz o Arduin), “acredite se quiser”. O que se extrai daí de concreto é que Moisés surgiu como um líder dentre o povo e foi por este aceito. Javé entra como legitimador metafísico da autoridade do comandante: se o que ele dizia e as decisões que tomava eram respaldadas pelo deus da nação, então não se podia questionar. Sua suposição de que no episódio se registra conflito entre os corações generosos dos oficiais e a maldade de Moisés não faz sentido algum. O que ocorreu foi a ostensiva desobediência ao comando do chefe-maior (Moisés, como representante da vontade de Deus), que não poderia passar sem uma resolução. Ali ninguém estava demonstrando piedade para com os vencidos, a estes restavam dois caminhos: morrer (destino comum dos vencidos, às vezes em meio a torturas variadas) ou serem usados como escravos.
    .
    Quanto ao fato de Deus ser cruel, ciumento, vingativo… esta era a visão típica que se tinha dos deuses nqueles dias. A tendência (ainda nos dias de hoje) é a de sempre antropomorfizar a dividande, ou seja, dar-lhe características humanas. Deus, na idealização vulgar, é um super-homem, quer dizer, um humano um tanto melhor que seus súditos, mas sujeito a ataques de fúria e sentimentos de vingança…
    .
    Uma sugestão: não olhe apenas para o deus dos hebreus, avalie como era a personalidade dos deuses das culturas antigas e entenderá melhor.
    /
    /

    “Naqueles tempos, porém, o procedimento era aceitável. Um reino quando dominava o outro só conservava vivo quem pudesse ter alguma utilidade para o vencedor: matar mulheres, crianças e idosos (e até animais) era coisa comum. Viver ou morrer para o vencido ficava na inteira dependência da decisão dos líderes do grupo vencedor.”
    /.
    BORGES – Aceitável para um líder que representava um Deus cruel, ciumento e vingativo.
    /.
    PONDERAÇÃO: a partir daqui não haverá progresso na conversa. Seu posição está fixa na ideia de que o Deus do AT teria que ser o que dele pensa presentemente. Considero esta idealização insustentável, mas se é assim que pensa, boa sorte com ela, em algum momento percebe-la-á inconsistente.
    /
    /
    BORGES – Se você “autenticou” o texto bíblico e parece que sim, então a ideia que eu faço dos deuses bíblicos é mais coerente; pois eu penso que se trata de seres, semelhantes aos humanos, com todos os seus defeitos (vingativo, cruel e ciumento) a diferença reside no fato de terem origem em outros globos e de dominarem tecnologias avançadas o que lhes permitiria se passarem por deuses. Desemboco assim na indagação feita pelo velho trambiqueiro e falsário (segundo alguns): ERAM OS DEUSES ASTRONAUTAS????
    /.
    PONDERAÇÃO: depende do que quer dizer com “autenticou o texto bíblico”. Se leu o ponderamento que enviei ao Marciano, terá percebido que para mim o relato bíblico (boa parte dele) parte de ocorrências reais, às quais foram acrescidas um arcabouço místico, que dava sustentabilidade moral e mística aos procedimentos dos hebreus. E isso era o sucedia com os povos antigos em geral.
    .
    A conjetura de que os deuses fossem extraterrenos em trânsito científico pelo nosso planeta apenas extende a fantasia para outros campos, conforme seja o gosto do freguês. A fraqueza dessa conjetura está em que os alienígenas só são achados por vias indiretas, fazendo-se leitura arrevesada de escritos de tempos remotos. De certo modo, é a mesma atitude dos mediunistas que, ao belprazer, transformam hebreus (e outros povos) em consultadores de espíritos e adeptos da reencarnação. E como o conseguem? Torcendo o sentido dos textos para que se adaptem aos devaneios que cultivam.
    /
    /

    “Moisés tinha que atribuir suas decisões a Javé por que era essa a entidade mística que manteria o povo unido em torno de uma crença comum.”
    .
    BORGES: –Nem tanto, lembra-se da historia do bezerro de ouro? E o que dizer dos atos de rebeldia? O próprio Moisés não entrou na terra prometida por castigo divino, devido sua tibieza em relação à fé.
    /.
    PONDERAÇÃO: prezado, conforme expliquei: os atos e decisões dos administradores da nação estavam mística e miticamente atrelados à vontade de Deus. Os acontecimentos se justificavam pela boa ou má atitude perante as determinações da divindade. Então, se a nação properava era porque estava harmonizada com Javé, se as coisas iam mal alguém haveria pisado na bola. Lembre-se, numa sociedade teocrática era assim que a “política” funcionava.
    ./
    Saudações.

  384. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Um monte de brasileiros mentalizando para desviar a massa da bola pra fora do gol, um monte de italianos mentalizando o movimento da massa para dentro. Como se mede a resultante dessas mentalizações vetoriais?”
    /.
    PARAFRASEANDO SAUDOSO comentarista esportivo: “se poderes mentais funcionassem a maioria das disputas terminaria empatada”…

  385. MONTALVÃO Diz:

    /.
    “Estava numa pasta só com artigos sobre astronomia, muitos copiados do nasa.gov.
    Foram pro beleléu, quando fiz o backup.”
    /.
    Que backup formatativo foi esse? Já não mais se fazem backups como antigamente?

  386. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Não esqueça que os judeus sempre foram politeístas, sendo o monoteísmo uma imposição goela-abaixo do imperialismo persa contra a vontade da população.”
    /.
    ÊPA! Onde documentação que ampare a tede do politeísmo continuado dos judeus e a imposição monoteísta “contra a vontade da população.”

  387. MONTALVÃO Diz:

    /
    tede=tese

  388. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Não havia melhor ocasião p/criar algum mito de origem (tipo o Brasil Coração do Mundo da FEB) por parte daquela corrente sacerdotal monoteísta – com a ciência ou não do Josias ao qual conviria criar uma religião oficial que naquelas épocas equivalia ao conceito atual de cidadania (aliás como o IS está tentando reimplantar, bem como fanáticos de todas as espécies tais como chiquistas em NL; o que está ocorrendo na India c/a complacência do governo atual; o Bibi; &c.).”
    /.
    NÃO DIGO QUE ESTEJA ERRADA A PERORAÇÃO (embora um tanto surpreendente), mas gostaria de conhecer que material arrima a alegação de que antes de Josias a nação por inteiro fosse politeísta, e que a imposição de um deus único fora tática vencedora de um partido sacerdotal. E que toda a história que antecede essa imposição não passa de ficção. Favor não confundir o relato místico com o provável histórico: apesar de estarem entremeados dá para distinguir o que é um e outro.

  389. Gorducho Diz:

    Parafraseando o (falecido) Jack the Ripper, necessário será ir por partes; mas começarei pelo fim então.
    Por inteiro é termo seu. Referi-me à generalidade dos aborígenes, isso não querendo dizer que alguns – e em particular essa turma que fez a cabeça do Josias ou recebeu ordens dele, claro – não adorasse só o יהוה‎.
     
    Eis que eu farei vir males sobre este lugar, e sobre os seus habitantes, conforme todas as palavras da lei que o rei de Judá deu, porque eles abandonaram-me, e ofereceram sacrifícios sacrifícios a deuses estrangeiros, irritando-me em todas as obras da suas mãos; e a minha indignação se acenderá contra este lugar, e não se extinguirá.
    [...]
    E o rei mandou ao pontífice Helcias, e aos sacerdotes da segunda ordem, e aos porteiros, que lançassem fora do templo do Senhor todos os vasos que tinham sido feitos para Baal, e para o bosque sagrado, e para toda milícia do céu;
    [...]
    E exterminou os agoureiros que tinham sido constituídos pelos reis de Judá para sacrificarem nos lugares altos das cidades de Judá e no arredores de Jerusalém, e os que queimavam incenso a Baal, e ao sol, e à lua, e aos doze signos, e a toda milícia do céu.
     
    Caso seja necessário citar o Jeremias, i.e., o status na época da invasão, deixe-me saber.
     
    Próximo episódio: SALOMÃO…

  390. Marciano Diz:

    Calma aí, Larissa!
    A bola é ironia minha, por causa dos comentários do BORGES.
    Será que você não entendeu?
    Não fique irritada à toa.
    E nem espere por uma revolução quântica pós Guerrer, pois não vai rolar.
    Quer casar uma grana?
     
    Vou ganhar meu Nobel mostrando de onde vem minha incerteza de que lobisomens e discos voadores não influenciam sistemas quânticos :lol:
     
    MONTALVÃO, também estou sem web. Estou aguardando visita técnica e usando modem móvel, que é pior do que telepatia quântica em termos de eficácia.
    A tradução que eu fiz :?: :!>
    Ironia montalvânica.
     
     
    A linha de coerência provavelmente foi obtida com as modificações dos textos, para dar-lhes coerência, visto que não existem originais, só cópias de cópias.
     
    meu caro, estás esquecendo da tradição oral
     
    Se quem conta um conto, aumenta um ponto, imagine isso à enésima potência.
    Se escritos podem ser forjados, adulterados, enxertados, imagine a tradição oral do Nerso da Capitinga e do Jeca Tatu, passando pelo Pedro Bó e pelo Zé Carneiro…
     
    É verdade, a história do Super também foi mudando com o tempo.
    Se fosse um mito religioso, imagine a que ponto chegaria, daqui a mais de 3.000 anos.
     
    Que backup formatativo foi esse? Já não mais se fazem backups como antigamente?
     
    Pressa e consequente desleixo de minha parte. Para minha decepção.
    Já perdi livros tradicionais, de papel, em mudanças, perdi CDs, DVDs (ainda não perdi um Blu-ray™.
     
    Estou pronto a engolir tudo o que venho afirmando, assim que a quântica de apartamento for aceita pelo mainstream.

  391. Marciano Diz:

    Estou premonizando um Nobel para o trabalho do Guerrer.
    E um aumento do corpo discente de seu curso de quântica sem matemática.
     
    Como minhas comunicações estão mais lentas do que as que habitualmente faço com MONTALVÃO, por via periquanticopata, vou abster-me de web por hoje.

  392. Marciano Diz:

    Gabriel Guerrer fala da criação do computador quântico
     
    O Físico Gabriel Guerrer, que ministrará o curso Física Quântica: Imaginando o Invisível, em entrevista comentou que para entender melhor a Física Quântica é necessário desenvolver o hemisfério cerebral direito, algo que a cultura ocidental de forma geral não tem favorecido.
     
    Segundo ele, “as pesquisas mais recentes fundaram uma nova área conhecida como informação quântica. Entre seus desenvolvimentos práticos está a criptografia quântica, uma forma completamente segura de transmitir informação. Além disso, estamos na corrida para a criação do primeiro computador quântico que revolucionará a velocidade do processamento de informações.”
     
    “Para participar do seu curso precisa entender de física, ou de princípios matemáticos?
    GG: Não. Tento usar no mínimo possível a linguagem matemática. Dou preferência ao uso de analogias e metáforas. Para participar basta ter curiosidade no assunto e entregar-se a livre navegação no mundo das ideias”.
     
    MONTALVÃO, veja para mim, por favor, as traduções de
    Hanky panky
    Hocus pocus
    Skullduggery
    Monkey business.
     
    Estou ouvindo umas músicas velhas e tendo dificuldade com expressões que não conheço.
    Ex.: My baby does a hanky panky, Tommy James & The Shondels;
    Too much monkey business, Chuck Berry;
    Hocus Pocus, Focus.
    Bye.

  393. Marciano Diz:

    http://www.maxpressnet.com.br/Conteudo/1,739580,Curso_de_Fisica_Quantica_Imaginando_o_Invisivel_com_o_Dr_Gabriel_Guerrer,739580,2.htm
     
    Cliquem no link e, magicamente, as os monitores de seus computadores tradicionais mostrarão o seguinte texto:
     

    Pautas | Projeto Marketing | 06/03/2015 09:47:54 | 525 Acessos
    Curso de Física Quântica “Imaginando o Invisível” com o Dr. Gabriel Guerrer
     
    Curitiba recebe em março o físico brasileiro que participou de um dos experimentos do acelerador de partículas LHC (laboratório CERN) na Suiça.
     
    O Doutor em Física Gabriel Guerrer ministrará na UNILIVRE um curso destinado ao público leigo, onde convida os participantes a ampliar suas visões de mundo através da exploração criativa dos conceitos da física quântica e da investigação crítica sobre a natureza da consciência humana.
     

    O que é a Física Quântica? Como podemos interpretar os conceitos da teoria? Esse conhecimento aplica-se apenas ao domínio microscópico ou pode de alguma forma dialogar com a nossa vida prática?
     

    Estas e outras perguntas serão tema do curso intitulado “Física Quântica – Imaginando o invisível”, que tem duração de quatro encontros em um total de 16 horas. O curso inicia com a Física Clássica e os indícios que desvendaram a nova física, chegando aos fascinantes fenômenos Quânticos e interpretações tradicionais. Na sequência, o pesquisador convida os participantes a discutir as diferenças entre a visão científica tradicional do tema e a do público em geral, passando por uma discussão sobre o fenômeno da consciência, o envolvimento dos pioneiros da Física Quântica com o Misticismo, possíveis anomalias da visão materialista que incluem os fenômenos psi (como telepatia por exemplo) e as implicações culturais da visão pós-materialista.

     
    O curso não exige pré-requisitos matemáticos ou conceituais, sendo destinado aos interessados em aprofundar seus conhecimentos sobre o Universo e sua própria existência. Os objetivos do curso são: estimular a imaginação, alimentar a criatividade, ampliar visões e desenvolver o senso crítico.

     

    Confira o programa completo.
    Serviço:

    Data: 17, 19, 24 e 26 de março (terças e quintas).

    Horário: das 19h30 às 23h00

    Local: Universidade Livre do Meio Ambiente

    Rua Victor Benato, 210, Pilarzinho, Curitiba-PR.

    Investimento: R$ 320,00

    Inscrições:

    [email protected]

    (41) 9600-9437
     
    Infelizmente, a data já passou.
    Ou talvez não, estamos falando de FQM, onde tudo é possível.
    Se não der para fazer este curso, tem ainda o do Vereza, que só tem títulos no além.

  394. Marciano Diz:

    Entrevista na TV PARANÁ:
    https://www.youtube.com/watch?v=dqpiCpXLmco&feature=youtu.be&list=PLfmYrTclzC_oMnucP_XmOHc9A-D8-D9ww
    menos de 8min.
    Vale a pena ver.
    Agora, fui mesmo!

  395. Borges Diz:

    “. Lamentável plantar uma informação falsa para tentar formar a opinião das pessoas.”
    Larissa:- Você disparou sua metralhadora giratória e não indicou o alvo. Devo salientar que estava apenas brincando, sem comprometimento com o conteúdo do assunto.
    Obrigado

  396. Borges Diz:

    “BORGES, uma minha sugestão: porque não separa seus comentários do texto que o precede? Assim facilita a visualização de quem examina e valoriza mais o que diz. Deixando tudo embolado embola tudo. Só sugesta…”

    Você tem razão, quando o texto é longo, cheio de cola e comentários, eu trabalho no word e depois colo no site, é aí que embola tudo. Tenho tentado distinguir com aspas e tracinhos, porém o resultado não é satisfatório. Ainda não peguei os macetes do blog para negritos e outros recursos, como vê, sou um LERD.
    Quanto aos assuntos que comentamos, devo dizer que você tem as suas opiniões e eu tenho as minhas. Se, na sua opinião, faço leituras frágeis, não tem a menor importância . E como dizia aquele personagem que foi criancinha lá em Barbacena. “E ZEFINÍ”.

  397. Gorducho Diz:

    Há de convir, Analista Larissa, que a página dele não recomenda nem um pouco. Havia m/abstido de comentar visto a Srª a pesar de não integrar a bancada em geral ter votado conosco: ter sido inestimável aliada na guerra contra do Sr. AP, &c.
    Mas já que AMa mencionou…

  398. Borges Diz:

    Marciano: O vídeio foi bom, seria melhor sem as tesouradas da apresentadora.

  399. Gorducho Diz:

    Salomão prestava culto a Astarte, deusa dos Sidônios, e a Moloc, ídolo dos Amonitas.
     
    Ele edificou templos a Kemosh, sobre a montanha a oriente de Jerusalém; e a Moloc, certo?
     
    e lhe tinha proibido expressamente que seguisse deuses estrangeiros; mas ele não observou o que o Senhor lhe mandara.
    ——————————————————————————————————————————————-
     
    E Ocosias caiu da janela do quarto alto que tinha em Samaria, e adoeceu; e enviou mensageiros, dizendo-lhes: Ide, consultai Belzebú, deus de Acaron, se poderei convalescer desta minha doença.
    O anjo do Senhor porém faloou a Elias Tesbita, dizendo: Levanta-te e vai ao encontro dos mensageiros do rei de Samaria, e lhes dirás: Porventura não há um Deus em Israel, para vós irdes consultar Belzebú deus de Acaron
    ?
     
    Próximo episódio: IMPERIALISMO PERSA IMPÕE O MONOTEÍSMO

  400. Borges Diz:

    Gorducho: Se você puder, gostaria que indicasse as fontes, pois achei as palavras “MILICIA DO CÉU’ bem sugestivas.
    Obrigado

  401. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    1) “Essas tradições religiosas nunca existiram. Não esqueça que os judeus sempre foram politeístas, sendo o monoteísmo uma IMPOSIÇÃO GOELA-ABAIXO DO IMPERIALISMO PERSA CONTRA A VONTADE DA POPULAÇÃO.”
    .
    2) “NÃO HAVIA MELHOR OCASIÃO P/CRIAR ALGUM MITO DE ORIGEM (TIPO O BRASIL CORAÇÃO DO MUNDO DA FEB) POR PARTE DAQUELA CORRENTE SACERDOTAL MONOTEÍSTA – com a ciência ou não do Josias ao qual conviria criar uma religião oficial que naquelas épocas equivalia ao conceito atual de cidadania”
    /.
    PONDERAÇÃO: são duas hipóteses que não se conciliam. Os persas entram na história judaica após Josias. No tempo deste rei os assírios dominavam sobre Judá e, anos antes, haviam desbaratado o reino de Israel e levado todo o povo cativo. Os anais dos reis assírios citam vários reis de Israel e as derrotas a ele impostas, e mencionam, ainda, a Manassés, rei de Judá.
    .
    Se havia um partido sacerdotal favorável ao monoteísmo teria sido por influência assíria/babilônica, não persa. Entretanto, faz sentido que os sacerdotes no tempo de Josias, ao conhecerem os mitos cosmogônicos de Babilônia neles tenham se inspirado e os miscigenado com as tradições orais do hebreus.

  402. Gorducho Diz:

    Sei que tem a mente fértil (que bom!), ABo, mas não se emocione: refere-se ao culto a astros, não a astronautas.
    Usei uma antiga bíblia que tem cá, do Pe. Matos Soares; impressão autorizada por Agostinho, Bispo d’O Porto em 15/3/1946
    Tipografia Alberto de Oliveira Ltdª
    Travessa de Cedofeita, 48
     
    Conferindo o padrão atual digamos assim, a Bíblia de Jerusalém:
     
    2 Rois 23, 5 Il supprima les faux prêtres que les rois de Juda avaient installés et qui sacrifiaient dans les hauts lieux, dans les villes de Juda et les environs de Jérusalem, et ceux qui sacrifiaient à Baal, au soleil, à la lune, aux constellations et à toute l’armée du ciel.

  403. Gorducho Diz:

    Analista Montalvão: é claro que classe sacerdotal, que às vezes obtinha as graças do soberano, às vezes não, pregava o culto único a יהוה‎.
    Mas não era consenso entre o povo nem entre os reis. Tanto que após ele, Joacaz + Joaquim retornaram ao politeísmo.
    É como eu disse: se o Josias ordenou a esses (dessa corrente adoradora do יהוה‎) sacerdotes fazerem esse mito; ou se ele era um títere na mão deles, provavelmente nunca saberemos.
     
    Quando esse pessoal encontrou graça junto a Ciro, este, que era extremamente sensato, identificou essa divindade c/o Ahura Mazda e deve ter achado bom colocar lá governadores etnicamente de lá, fiéis e confiáveis. Não esqueça que o Egito ainda era potência pois que só veio a ser neutralizado pelo Cambises.

  404. Gorducho Diz:

    Se havia um partido sacerdotal favorável ao monoteísmo
     
    Essa história duma divindade única aparentemente só apareceu a partir da influência persa. Claro que esses sacerdotes, ou seja essa seita religiosa, pregava que se devia sacrificar só a יהוה‎; mas jamais negou haver outros deuses disputando áreas da crosta. Isso é explicitado no não terás outros deuses senão eu; que reconhece explicitamente a existência desses.
    Não torcerás para outra esquadra senão a rubronegra reconhece que as há outras, certo?

  405. Gorducho Diz:

    Season I
    Episode 3
    IMPERIALISMO PERSA IMPÕE O MONOTEÍSMO

     
    Como o trecho é curto, creio desnecessário traduzir. Ainda, desnecessário suponho paralelamente relembrar a “escandalização” do potentado nomeado pelos persas relativamente aos costumes dos locais, e a querela dos casamentos, não é mesmo?
     
    a charter granted by the Persian king Artaxerxes I to Ezra–scholar and priest of the Babylonian Exile–empowered him to enforce the Torah as the imperial law for the Jews of the province Avar-nahra (Beyond the River), in which the district of Judah (now reduced to a small area) was located. The charter required the publication of the Torah and the publication, in turn, entailed its final editing–now plausibly ascribed to Ezra and his circle.
    [Salo Wittmayer Baron: Professor of Jewish History, Literature, and Institutions, Columbia University, 1930–63. A History of Judaism.]

  406. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Gorducho Diz: Parafraseando o (falecido) Jack the Ripper, necessário será ir por partes; mas começarei pelo fim então.
    Por inteiro é termo seu. Referi-me à generalidade dos aborígenes, isso não querendo dizer que alguns – e em particular essa turma que fez a cabeça do Josias ou recebeu ordens dele, claro – não adorasse só o ?????.
    /.
    PONDERAÇÃO: realmente “por inteiro” foi termo meu, mas coerente com a ideia que sua declaração transmite (“Não esqueça que os judeus SEMPRE foram politeístas, sendo o monoteísmo uma imposição goela-abaixo do imperialismo persa contra a vontade da população.”), então, não estamos falando de exceções, o alegado é que os judeus “sempre” foram politeístas. Entretanto, o relato do pentateuco e dos livros históricos reporta o esforço das lideranças para implantar um culto monoteísta, as quedas para o politeísmo eram desvios do culto oficial. É equivocado, pois, alegar que o monoteísmo começou a partir de um grupo sacerdotal formado no reinado de Josias. Basta recuar alguns anos, durante o comando de Ezequias (715-687 a.C.), que reinou 29 anos, para que fique constatado que o culto predominante era a Javé, o “único” Deus. Após Ezequias seguiu Manassés, governador por 55anos, que foi quem desviou o reino para o politeísmo. Josias esforçou-se por reconduzir a nação de volta a Javé.
    .
    Confira: II Crônicas 29.
    .
    Capítulo 29

    1 Ezequias tinha vinte e cinco anos quando começou a reinar, e reinou em Jerusalém vinte e nove anos. Sua mãe chamava-se Abia, filha de Zacarias.
    2 Fez o bem aos olhos do Senhor, assim como tinha feito Davi, seu pai.
    3 Foi ele que, no primeiro ano de seu reinado, no primeiro mês, reabriu as portas do templo, depois de tê-las reparado.
    4 Convocou os sacerdotes e os levitas para uma assembléia que se realizou na praça oriental.
    5 Disse-lhes ele: Escutai-me, levitas! Santificai-vos agora, santificai o templo do Senhor, Deus de nossos pais, e purificai-o de tudo o que o mancha,
    6 porque nossos pais prevaricaram, fizeram o mal aos olhos do Senhor, nosso Deus; abandonaram-no, desviaram seus olhos de sua morada, voltaram-lhe as costas;
    7 cerraram as portas do pórtico, extinguiram as lâmpadas, não mais queimaram incenso, suprimiram os holocaustos no santuário do Deus de Israel.
    8 Por isso, a ira do Senhor se desencadeou contra Judá e Jerusalém, e os entregou à desolação, fazendo deles um objeto de espanto e zombaria, como vedes com os vossos próprios olhos.
    9 Foi assim que nossos pais caíram sob a espada, que nossas mulheres e filhas estão no cativeiro.

  407. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “E nem espere por uma revolução quântica pós Guerrer, pois não vai rolar.
    Quer casar uma grana?”
    /.
    TAMPOUCO SE ESPERE pela tão sonhada “quebra de paradigma” porque nada será quebrado, a não ser, talvez, a fé de Guerrer…
    .
    Tô nessa aposto, pago três rapaduras por uma contra o sucesso do experimento (quer dizer, que a experiência vá demonstrar algo concreto relativo à psi que seja confirmável genericamente).

  408. Borges Diz:

    Obrigado Gorducho pela informação ajudou bastante.

    “Sei que tem a mente fértil (que bom!), ABo, mas não se emocione: refere-se ao culto a astros, não a astronautas.”
    >>>Será???
    2Reis:- 23 -4.
    “Reforma religiosa em Judá—O rei ordenou a Elcias, o sumo sacerdote, aos sacerdotes que ocupavam o segundo lugar e aos guardas das portas que retirassem do santuário de Iahweh todos os objetos de culto que tinham sido feitos para Baal, para Aserá e para todo o exército do céu;….”
    >>>Baal parecia ser um rival de Iahweh e este era considerado um Deus guerreiro. Aserá era conhecida como rainha do céu e para completar temos o exército do céu. Será que tivemos uma grande guerra aérea no passado da humanidade, a resposta pode estar na literatura antiga da Índia. Veja o que consta na Wikipédia:

    “Vimana é um veículo voador mitológico, descrito na literatura antiga da Índia. Referências a veículos voadores são comuns nos textos hindus antigos,que, inclusive, descrevem seus usos na arte da guerra. Independentemente de serem capazes de voar na atmosfera terrestre, consta que as vimanas também viajam pelo espaço e sob a água. Descrições contidas nos Vedas e na literatura indiana recente falam de vimanas de várias formas e tamanhos:
    • Nos Vedas: o sol e várias outras divindades são levadas em suas peregrinações por carruagens voadoras, com rodas e puxadas por animais, geralmente cavalos (a carruagem do deus védico Puchané puxada por bodes)
    • O “agnihotra-vimana”, com dois motores (?). (Agni significa fogo em sânscrito).
    • O “gaja-vimana”, com mais motores (?) (Gaja significa elefante em sânscrito).
    • Outros tipos possuem denominações baseadas em animais, como o martim-pescador, o Íbis e outros.
    Alguns ufólogos modernos atribuem às vimana evidências de civilizações tecnologicamente avançadas do passado. Outras explicações são dadas pelas Teoria dos astronautas antigos.”
    >>>Os interessados podem dar uma olhada no site abaixo para mais informações:

    http://www.saindodamatrix.com.br/archives/vimanas.htm
    >>>Vou destacar um pequeno trecho:
    “De acordo com os textos, esse povo utilizava-se de máquinas voadoras que eram chamadas de Vimanas. Ele voava na “velocidade do vento” e produzia um “som melodioso”. Decolavam verticalmente e podiam pairar no ar, como um helicóptero. Havia pelo menos quatro tipos diferentes de Vimanas: Um dos tipos é descrito exatamente como imaginamos um disco voador “clássico”: circular, com portinholas e um domo. Outros em forma de pires, e outros ainda como um longo cilindro (em forma de cigarro). Todos batem exatamente com descrições de discos voadores feitas no mundo todo, por pessoas que com certeza desconhecem os Vedas.”
    Obrigado

  409. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “O Físico Gabriel Guerrer, que ministrará o curso Física Quântica: Imaginando o Invisível, em entrevista comentou que para entender melhor a Física Quântica é necessário desenvolver o hemisfério cerebral direito, algo que a cultura ocidental de forma geral não tem favorecido.”
    /.
    NESSA SOU OBRIGADO A CONCORDAR COM O GUERRER: como operará computadores quânticos quem não tenha seu lado dextrocerebral devidamente desenvolvido? Eu já tô cuidando do meu: faço diariamente treze flexões cerebrais só com a parte direita…

  410. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    MONTALVÃO, veja para mim, por favor, as traduções de
    Hanky panky
    Hocus pocus
    Skullduggery
    Monkey business.
    /.
    FELIZ FICO POR vê-lo RECORRER À MINHA FENOMENAL ASSESSORIA LINGUARÓTICA, SOCORRO-O-O:

    - Hanky panky: dessa só conheço a última parte, a Panky, levada da breca.
    - Hocus pocus: “que se faça”, expressão usada por bruxas em seus conjuramentos.
    - Skullduggery: nome do primo do Ludugery.
    - Monkey business: macaco empresário.
    .
    Outros informes tô às ordens…

  411. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Os objetivos do curso são: estimular a imaginação, alimentar a criatividade, ampliar visões e desenvolver o senso crítico.”
    /.
    SERÁ QUE além de alimentar a criatividade vão servir um lanchinho? Se tiver talvez eu vá… se não sair com a criatividade de barriga cheia ao menos encho o saco estomacal…

  412. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    BORGES: “Você tem razão, quando o texto é longo, cheio de cola e comentários, eu trabalho no word e depois colo no site, é aí que embola tudo. Tenho tentado distinguir com aspas e tracinhos, porém o resultado não é satisfatório. Ainda não peguei os macetes do blog para negritos e outros recursos, como vê, sou um LERD.
    /.
    PONDERAÇÃO: para separar parágrafos pode inserir um ponto entre uma linha e outra, ou use o código html que o mestre Gorducho ensinou: tá lá atrás, ainda não decorei mas é útil. Editar o texto no Word e colar é melhor que escrever direto no site, o espaço aceita aspas, parêntesis, mas rejeita travessão.
    /
    /
    BORGES: Quanto aos assuntos que comentamos, devo dizer que você tem as suas opiniões e eu tenho as minhas. Se, na sua opinião, faço leituras frágeis, não tem a menor importância . E como dizia aquele personagem que foi criancinha lá em Barbacena. “E ZEFINÍ”.
    /.
    PONDERAÇÃO: as “leituras frágeis” que falo referem-se especificamente às interpretações quase ingênuas sobre o espírito humanitário nos tempos do AT, e nas fracamente sustentadas tentativas de achar extraterrenos nos relatos bíblicos e outros. Não se trata de juízo geral sobre suas leituras, às quais suponho sejam as melhores.
    .
    Entretanto, note que não acuso levianamente: busco apontar as razões que me levam a assim me pronunciar. Posso até ser eu quem leio fragilmente, por isso a discussão aberta para que as partes apontem as fraquezas argumentativas que acharem no outro lado. Do confronto da fraquezas e “fortezas” chega-se a melhor esclarecimento: ao menos é essa a esperança.
    .
    Felicidades.

  413. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Gorducho Diz:
    Salomão prestava culto a Astarte, deusa dos Sidônios, e a Moloc, ídolo dos Amonitas.
    .
    Ele edificou templos a Kemosh, sobre a montanha a oriente de Jerusalém; e a Moloc, certo?
    .
    e lhe tinha proibido expressamente que seguisse deuses estrangeiros; mas ele não observou o que o Senhor lhe mandara.
    ====.
    E Ocosias caiu da janela do quarto alto que tinha em Samaria, e adoeceu; e enviou mensageiros, dizendo-lhes: Ide, consultai Belzebú, deus de Acaron, se poderei convalescer desta minha doença.
    O anjo do Senhor porém faloou a Elias Tesbita, dizendo: Levanta-te e vai ao encontro dos mensageiros do rei de Samaria, e lhes dirás: PORVENTURA NÃO HÁ UM DEUS EM ISRAEL, para vós irdes consultar Belzebú deus de Acaron?
    /.
    GORDUCHO, apesar das belas seleções que fez, considere: não estará fazendo das exceções a regra? Observe que os próprios textos que utiliza, para mostrar o politeísmo hebreu, indicam que havia um único Deus “oficialmente” oferecido à nação. Entretanto, embora o deus de Israel fosse Javé, tal não elide que houvesse, volta e meia, inclinações aos cultos dos deuses vizinhos, por motivos vários.

  414. Borges Diz:

    Assisti ao vídeo que a Larissa sugeriu e que fala do modelo de interferência. Deixou-me intrigado o fato desta interferência não estar sendo replicada no laboratório que tenho em minha frente. Talvez seja porque eu estou sempre observando (brincadeirinha).
    O monitor do meu computador possui um TRC (tubo de raios catódicos), também conhecido como cinescópio tricromático, ou simplesmente tubo de imagem.
    Este tubo possui três canhões de elétrons. Os três feixes de elétrons emitidos pelos canhões, passam a cada instante e se cruzam exatamente em um dos quatrocentos mil orifícios de uma chapa de aço, conhecida como máscara de sombra. Eu disse, “a cada instante”, porque no instante seguinte, o mesmo ocorrerá no orifício ao lado, e assim por diante, até passarem por todos os orifícios. O deslocamento simultâneo dos feixes é proporcionado pelos sistemas de varredura (horizontal e vertical). Após passarem pelos orifícios os feixes incidem sobre a parte interna da tela, constituída por uma camada de pontos fósforo com três cores (vermelho, verde e azul). Cada feixe só incide no fósforo correspondente à sua cor, produzindo assim a luz na cor desejada.
    Talvez haja uma explicação para o fato de não acontecer o modelo de interferência no meu monitor, ou talvez não seja o laboratório perfeito.
    Obrigado

  415. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Essa história duma divindade única aparentemente só apareceu a partir da influência persa. Claro que esses sacerdotes, ou seja essa seita religiosa, pregava que se devia sacrificar só a ?????; mas jamais negou haver outros deuses disputando áreas da crosta. Isso é explicitado no não terás outros deuses senão eu; que RECONHECE EXPLICITAMENTE A EXISTÊNCIA DESSES.
    Não torcerás para outra esquadra senão a rubronegra reconhece que as há outras, certo?”
    /.
    PONDERAÇÃO: O raciocínio é um tanto incerto. “Não terás outros deuses”, reconhece que há culto a outras entidades mas não valida suas existências. Javé, aos judeus, se apresentava como o único Deus. Entretanto, essa mentalidade não era fácil de ser estabelecida, dentre outros motivos, pelas vitórias dos adversários sobre os israelitas. Naqueles tempos as guerras eram combantes entre exércitos e deuses. O vencedor legitimava a superioridade de seu deus contra o do inimigo. Se Javé era o único então os hebreus deveriam vencer sempre, mas tal não acontecia…
    .
    A alegação de que a proibição indica realidade da coisa proibida é usada pelos espíritas quando explicam a proibição bíblica de “consultar os mortos”, segundo eles, se havia vedação ao procedimento era porque os mortos respondiam…
    /
    /
    “Não torcerás para outra esquadra senão a rubronegra reconhece que as há outras, certo?”
    /.
    PONDERAÇÃO: claro que não! Pode ser que a única esquadra real seja a rubronegra, as demais entidades irregulares, não reconhecidas… a proibição tão somente veda um procedimento, nada diz sobre a veridicidade da coisa proibida. Imagine uma lei que dissesse: “proibidas reuniões públicas de contatos telepáticos com marcianos”… o que seria realidade aí?

  416. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Se o indormível Marciano dormir foi, o que se dirá de nós demais mortais? Vou-me já recolher…

  417. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Marciano Diz:
    Entrevista na TV PARANÁ:
    https://www.youtube.com/watch?v=dqpiCpXLmco&feature=youtu.be&list=PLfmYrTclzC_oMnucP_XmOHc9A-D8-D9ww
    /.
    PENSO QUE O GUERRER deveria se juntar ao Alexander Moreira: fariam uma dupla do baralho. Não creio que no interpsi ele tenha vida longa (guardem essa para conferir quando a profecia se concretizar).
    .
    Guerrer, qual seu guru Radin, é um geniozinho: aos dezesseis já andava pelos campos universitários, quase que nem eu que, com tal idade, aplicava meu dotes de leituras em estudos do Sétimo Céu, Capricho, Cavaleiro Negro, Fantasma, Zorro (os dois)…
    .
    Só que, minha opinião: o gênio ainda não descobriu boa causa em que aplicar sua genialidade. Do mesmo modo que Dean Radin, optou por prescrutar o imprescrutável… sondar o insondável e resolver o irresolvível…
    .
    Inda bem que Larissa tá com ele, quem sabe se com o apoio psíquico que dela recebe não chegue o moço a porto seguro? (Larissa, essa foi um elogio, viu? Respeito muito sua esperança, apesar de meu sentimento ser outro…)

  418. Marciano Diz:

    Pois é, BORGES, também não entendi a razão de tanta animosidade. Ela é (ou pelo menos foi) minha amiga e me conhece bem, deveria saber que eu estava apenas fazendo uma piada com as bolas da seleção, que nem deram chance de mentalizar, e o projeto do nosso cientista nacional.
    Como se pode “plantar” uma informação falsa fazendo um gracejo com fatos que todos conhecem (é só ler o artigo) :?: :!:
     
    “BORGES, uma minha sugestão: porque não separa seus comentários do texto que o precede? Assim facilita a visualização de quem examina e valoriza mais o que diz. Deixando tudo embolado embola tudo. Só sugesta…”
     
    Puxa! Eu aprendi a fazer uma formatação legal, mas o VITOR não gostou. A citação em bloco, com destaque para a primeira letra de cada parágrafo :sad:
     
    GORDUCHO, brilhante, como sempre!
    Se não existem outras equipes, por que proibir a torcida por elas?
    As outras equipes podem até ser irregulares, mas o que importa é que têm torcidas.
    Como falar que só se torce pelo Flamengo?
     
    BORGES, você é engenheiro eletrônico?
    Eu não sabia que ainda se usavam CRTs.
    No meu tempo de moleque, eles mostravam ondas sinoidais.
    Lembro de que havia placas defletoras, para desviar os feixes de elétrons.
    Eu gostava de eletrônica, cheguei a cogitar de fazer faculdade. Depois, o pragmatismo falou mais alto.

     
    MONTALVÃO Diz:
    NOVEMBRO 2ND, 2015 ÀS 11:44 PM
    /
    /
    Se o indormível Marciano dormir foi, o que se dirá de nós demais mortais? Vou-me já recolher…
     
    Quem disse que eu fui dormir?
    Minha rede é que foi. Estou agora em outra cidade, usando outra.
    Amanhã devo voltar para aguardar visita técnica.
     
    “Só que, minha opinião: o gênio ainda não descobriu boa causa em que aplicar sua genialidade. Do mesmo modo que Dean Radin, optou por prescrutar o imprescrutável… sondar o insondável e resolver o irresolvível…”.
     
    É exatamente nisto que reside a genialidade. Preste só um pouquinho mais de atenção.
    Vou dar uma dica: qual a probabilidade de mais um gênio conseguir destaque?
    Aí é que sai a física e entra a criatividade, coisa de gênios.
     

  419. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, I think you’ve got me right, but, just in case, here it goes:
     
    Hanky panky – verbal misrepresentation intended to take advantage of you in some way
    hocus-pocus, jiggery-pokery, skulduggery, skullduggery, slickness, trickery
    deception, misrepresentation, deceit – a misleading falsehood
     
    Hocus pocus 1. Nonsense words or phrases used as a formula by quack conjurers.
    2. A trick performed by a magician or juggler; sleight-of-hand.
    3. Foolishness or empty pretense used especially to disguise deception or chicanery.
    tr.v. ho•cus-po•cused, ho•cus-po•cus•ing, ho•cus-po•cus•es or ho•cus-po•cussed or ho•cus-po•cus•sing or ho•cus-po•cus•ses
    To play tricks on; deceive.
    American Heritage® Dictionary of the English Language, Fifth Edition. Copyright © 2011 by Houghton Mifflin Harcourt Publishing Company. Published by Houghton Mifflin Harcourt Publishing Company.
     
    Skullduggery 1. underhand dealing; trickery
    [C19: altered from earlier Scot sculduddery; of obscure origin]
    2. an instance of dishonest or deceitful behavior; a trick.
    [1865–70, Amer.; alter. of Scots sculduddery fornication, obscenity; of obscure orig.]
    Random House Kernerman Webster’s College Dictionary, © 2010 K Dictionaries Ltd. Copyright 2005, 1997, 1991 by Random House, Inc.
     
    Monkey business monkey business
    n. Slang
    Silly, mischievous, or deceitful acts or behavior.
    American Heritage® Dictionary of the English Language, Fifth Edition. Copyright © 2011 by Houghton Mifflin Harcourt Publishing Company. Published by Houghton Mifflin Harcourt Publishing Company.
     
    1. frivolous or mischievous behavior.
    2. improper or underhanded conduct; trickery.
    [1880–85, Amer.]
     
    andom House Kernerman Webster’s College Dictionary, © 2010 K Dictionaries Ltd. Copyright 2005, 1997, 1991 by Random House, Inc.
    1. mischief, carry-on (informal, chiefly Brit.), clowning, pranks, shenanigans (informal), skylarking (informal), horseplay,tomfoolery, monkey tricks In bed by nine, and no monkey business.
    2. dishonesty, trickery, skulduggery (informal), chicanery, hanky-panky (informal), funny business cold-blooded expertise andpolitical monkey business
     
    Collins Thesaurus of the English Language – Complete and Unabridged 2nd Edition. 2002 © HarperCollins Publishers 1995, 2002
    A word is enough to the wise.
    À bon entendeur peu de paroles.
    À bon entendeur demi-mot suffit.
    A buen entendedor, breve hablador.
    A buon intenditor, poche parole.

     
    Estas muitas palavras são para a improbabilíssima hipótese de você ser deficiente em interpretação de textos, como sustenta a Administração.
    Ou de ser incapaz de captar ondas telepáticas, que lhe explicam o sentido de cada palavra dita ou pensada no passado ou no futuro, visto que o presente não existe, ou já passou ou ainda virá.
     
    Como disse o grande filósofo Gerge Harrison, Yesterday, today was tomorrow and tomorrow, today will be yesterday, em se cappo lavoro, master piece, Meisterwerk, “Ring out the old, ring in the new”.
    Living in the material world é o álbum se não estou sendo traído pela memóra, essa traidora sem-vergonha.
     

  420. Marciano Diz:

    “Deus me livre dos amigos porque dos inimigos cuido eu!” Napoleão Bonaparte
    Só o inimigo não trai nunca. Nelson Rorgies. A gente só pode trair em quem confia.
    Só o inimigo não trai nunca.

  421. Marciano Diz:

    Gott schützt mich vor meinen Freunden.
    Cum nocet amicus, nihil ab hoste discrepat. [Grynaeus 417]. O amigo, quando nos prejudica, em nada difere do inimigo. nDeus me guarde dos amigos, que dos inimigos me guardo eu. nChoram olhos de teu amigo, e ele enterrar-te-á vivo.
    Hostes domestici, quam alienigenae nocentiores. Os inimigos de dentro de casa são mais perigosos que os de fora. Pior é fingido amigo do que declarado inimigo.
    Hostes domestici, quam alienigenae nocentiores. Os inimigos de dentro de casa são mais perigosos que os de fora. Pior é fingido amigo do que declarado inimigo.

  422. Gorducho Diz:

    A alegação de que a proibição indica realidade da coisa proibida é usada pelos espíritas quando explicam a proibição bíblica de “consultar os mortos”, segundo eles, se havia vedação ao procedimento era porque os mortos respondiam
     
    Mas é claro que respondiam – na cabeça da população, claro. Qualquer coisa pode ser dita acerca do episódio de Endor menos que o falecido Samuel não tenha se manifestado.
    Pode se alegar que D-us forneceu temporariamente pneuma pra ele (me parece ser a tese do Sr. JCFF), &c.; mas não que um morto não tenha se pronunciado.
    O Sr. está confundindo uma cartolagem tentando preservar seu ganha pão e até talvez estabelecer um conceito de identidade nacional, com a crença e as práticas reais da população.
    Está sendo chapa branca!

  423. Gorducho Diz:

    Javé, aos judeus, se apresentava como o único Deus.
     
    Não! Tanto que tantas vezes ele surtava desesperado porque estavam cultuando os adversários dele. Era completamente inseguro, dependente do culto daquelas 12 tribos!
    Ele admitia assim a pequenez relativa, assim como o Jesus dos chiquistas governa só a… Terra!
    Bem pouquinho p/divindade ou diletos de divindades controlassem o Universo, não se lhe parece?

  424. Gorducho Diz:

    Observe que os próprios textos que utiliza, para mostrar o politeísmo hebreu, indicam que havia um único Deus “oficialmente” oferecido à nação.
     
    :x Escandaliza-me seu chapabranquismo! Mas mesmo assim consegue estar errado: não!
    Os cartolas religiosos tentavam oferecer essa divindade unica, pois que se lhes constituiam o ganha pão (acaso não sabe que COMIAM as melhores partes das reses assadas). Mas a maioria dos reis não embarcava nessa, tanto que o discurso desse pessoal dessa seita é que os males abatidos sobre eles seriam decorrentes disso!
    O monoteísmo só foi imposto goela abaixo pelo édito do Artaxerxes que punia c/a morte, prisão ou multas pecuniárias, à descrição dos procuradores dos persas. Quer que eu lhe transcreva da versão em vernáculo que tenho (já que de aramaico que era a língua administrativa nada entendo :mrgreen: )?

  425. Gorducho Diz:

    Após Ezequias seguiu Manassés, governador por 55 anos, que foi quem desviou o reino para o politeísmo.
     
    Será mesmo :?:
    Vou me permitir colar da BdeJ porque não disponho de papel nem de tempo p/redigitar agora; evidentemente os negritos são meus.
     
    2 Rois 16, 2 Achaz avait vingt ans à son avènement et il régna seize ans à Jérusalem. Il ne fit pas ce qui est
    agréable à Yahvé, son Dieu, comme avait fait David son ancêtre
    . 3 Il imita la conduite des rois d’Israël, et même il fit passer son fils par le feu, selon les coutumes abominables des nations que Yahvé avait chassées devant les Israélites. 4 Il offrit des sacrifices et de l’encens sur les hauts lieux, sur les collines et sous tout arbre verdoyant.

  426. Gorducho Diz:

    IMPÉRIO DECRETA O MONOTEÍSMO
     
    Artaxerxès, le roi des rois, au prêtre Esdras, Secrétaire de la Loi du Dieu du ciel, paix parfaite.
    Maintenant donc, j’ai donné l’ordre que quiconque en mon royaume fait partie du peuple d’Israël, de ses prêtres ou de ses lévites et est volontaire pour aller à Jérusalem, peut partir avec toi, puisque tu es envoyé par le roi et ses sept conseillers pour inspecter Juda et Jérusalem d’après la Loi de ton Dieu, que tu as en mains

    [...]
    Quiconque n’observerait pas la Loi de ton Dieu — qui est la Loi du roi –, qu’une rigoureuse justice
    lui soit appliquée: mort, bannissement, amende ou emprisonnement
    .

  427. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Mas é claro que respondiam – na cabeça da população, claro. Qualquer coisa pode ser dita acerca do episódio de Endor menos que o falecido Samuel não tenha se manifestado.”
    /.
    PONDERAÇÃO: Que na cabeça da população a ideia de que mortos respondem fosse realidade é aceitável, porém isso pouco esclarece, visto que a diretriz que se lhes dava é que apenas Iavé poderia responder. Pode ser comparado à visão de boa parte dos cristãos atualmente que, diante das alegações espíritas de que contatam espíritos de mortos, retrucam que quem comunica são demônios. O cristianismo adotou a concepção do judaísmo de que unicamente Deus responde, de forma legítima, aos apelos dos fiéis. Se observar como o autor descreve o episódio da consulta à Pitonisa achará pontos elucidativos. Primeiro, entenda que a atitude de Saul foi procedimento de desespero, visto ter tentado exaustivamente obter orientação de Javé, como o relato bem o informa, e, por não obtê-la, não viu outro caminho senão buscar por Samuel falecido. Quer dizer, Saul seguiu rigorosa e exaustivamente os caminhos autorizados, só depois é que partiu para a desobediência.
    .
    Mesmo assim, que Samuel tenha ou não se manifestado é motivo de discussão, provavelmente, desde os tempos antigos. Muitos optam pela hipótese demoníaca: o “inimigo” aproveita a brecha aberta pela mente aflita para mais confundir o consulente. Por outro lado, adeptos da mediunidade festejam a “prova” de que a própria Bíblia reconhece que mortos comunicam (mesmo que desautorizadamente). Mas, desde há muito, há um grupo que entende ter sido Saul ladinamente ludibriado pela encenação da vidente. O texto permite todas essas interpretações. De qualquer modo, basta examiná-lo atentamente para se perceber que a presença concreta de Samuel, em momento algum, é afirmada pelo narrador, e o castigo advindo do desrespeito à norma de não buscar orientação dos mortos é ostensivamente declarado.

  428. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Gorducho Diz:
    “Javé, aos judeus, se apresentava como o único Deus.”
    /
    Não! Tanto que tantas vezes ele surtava desesperado porque estavam cultuando os adversários dele. Era completamente inseguro, dependente do culto daquelas 12 tribos!
    /.
    PONDERAÇÃO: mas isso não elide que ele se apresentava ao “seu povo” como o único Deus. Estou em dificuldades para selecionar textos, dada as panes em meus instrumentos informacionais, mas há declrativos sobejos no AT em que ele reivindica prioridade e exclusividade de culto: Javé não admitia concorrência! Mais adiante, quando o problema atual for sanado posto exemplos.
    .
    Então, quando o guia maior de Isreal “surtava” era para corrigir desvios e conclamar o reino a se reajustar ao culto legítimo. Aliás, todo o AT é uma reinvindicação contínua de Javé como guia e adminstrador único dos judeus.

  429. Gorducho Diz:

    O Sr. está confundindo o real c/as crenças. Se houve a preocupação de proibir a prática, é porque ela era praticada!
     
    Mas, desde há muito, há um grupo que entende ter sido Saul ladinamente ludibriado pela encenação da vidente.
    Como dirá o AMa, quase que certamente nem o Saul existiu, de sorte que muito menos o episódio.
    Só falta o Sr. de novo – como quase fez semana passada…- querer me atribuir a credulidade que um indivíduo chamado Saul foi fisicamente cá na crosta na casa duma médium em vésperas duma refega contra os Filisteus!
    O Sr. está embarcando no mesmo barco daqueles chiquistas que confundem possíveis benefícios psicológicos induzidos por crenças religiosas, com curas reais feitas por seres ontologicamente externos ao Crente paciente! E os quais o Sr. corretamente critica, aliás como alfinetou cá acima :(

  430. Gorducho Diz:

    É claro que יהוה‎ requereria exclusividade, assim como qualquer marido com um mínimo de vergonha na cara!
    O que eu estou analisando é a realidade das cousas na crosta.
    Entenda: isso é o mesmo que o Fidel Castro dizer que em Cuba não tem prostituição infantil; que o $ não circulava (agora tem o peso-$…); o Ahmadinejad dizia que no Iran não há homossexuais. O Sr. está adotando uma posição chapa branca, parece um redator da Voz do Brasil!

  431. Gorducho Diz:

    Aliás, todo o AT é uma reinvindicação contínua de Javé como guia e administrador único dos judeus.
     
    Toda Torah são textos produzidos e revisados por essa corrente sectária e que desde uns 4 séculos ac. obteve hegemonia apoiada pelo Império. Queria que eles escrevessem e preservassem que espécie de escritos?

  432. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    GORDUCHO: agora me destes uma diretriz à qual eu não tinha atinado: a história dos reis de Israel e Judá e sua fidelidade a Javé. Isso pode fazer realmente diferença na avaliação. Farei o levantamento dos fatos e depois retorno às apreciações.

  433. Marciano Diz:

    Mais devagar, GORDUCHO.
    Saul, eu não tenho a menor ideia se é real ou imaginário. Nem quero saber, pois não estou fazendo uma cruzada contra o imaginário popular.
    Aqueles cuja existência no mundo de carne e osso eu nego são, no mínimo, suspeitos, pois fizeram feitos extraordinários DEPOIS de sua morte, na maioria das vezes MUITO DEPOIS, e na sua época NINGUÉM os conhecia.
    Hoje são celebridades espirituais, devem dar noite de autógrafos e tudo o mais.
     
    Do jeito que você escreveu, pode passar a falsa impressão de que eu nego a existência desses seres apenas por negar, o que, isto sim, seria pseudoceticismo.
     
    Está querendo dar corda para me enforcarem?
     
    E eu acho que o Moisés de carne e osso, aquele do interior do RJ, ainda tem um pezinho fincado nas raízes profundas do misticismo bíblico.
    Talvez ele precise de ler outros livros sagrados.
    Sugiro o Mahabharata e o Corão.
    Junto com um estudo judaico das origens da bíblia tanakh – torah (de sua própria autoria), talmude, etc.
    O que estará acontecendo com o nosso líder :?:
    Será macumba da bancada crente :?:
     
    MONTALVÃO Diz:
    NOVEMBRO 3RD, 2015 ÀS 12:41 PM
    /
    /
    GORDUCHO: agora me destes uma diretriz à qual eu não tinha atinado: a história dos reis de Israel e Judá e sua fidelidade a Javé. Isso pode fazer realmente diferença na avaliação. Farei o levantamento dos fatos e depois retorno às apreciações.
     
    Que Allah o ilumine nessa divina tarefa! Que derrame sobre si sua imensa luz!
    Queremos nosso líder desobsediado.

  434. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Dos 40 reis de Israel e Judá, dez seguiram a Javé, os demais quedaram para outros deuses.
    .
    Considerando, em adição, o decreto de Ataxerxes, começo a suspeitar que o Gorducho esteja com a razão. Vou fazer mais uns levantamentos, mas minhas concepções confesso-as abaladas.

  435. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Toda Torah são textos produzidos e revisados por essa corrente sectária e que desde uns 4 séculos ac. obteve hegemonia apoiada pelo Império. Queria que eles escrevessem e preservassem que espécie de escritos?”
    /.
    DEVERAS, um bom argumento…

  436. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “E eu acho que o Moisés de carne e osso, aquele do interior do RJ, ainda tem um pezinho fincado nas raízes profundas do misticismo bíblico.”
    /.
    DISSESSE-O O QUE DIZ há uns, vejamos… (2015…2005,2006…) nove anos eu aceitaria, hoje não, mas a visão histórica esta permanece, porém, ao que está me parecendo, erroneamente arrimada…

  437. Gorducho Diz:

    Tanakh, claro!
     
    Mais devagar, GORDUCHO. Saul, eu não tenho a menor ideia se é real ou imaginário.
    Está querendo dar corda para me enforcarem
    ?
    :o :?:
    Mas sua tese – da qual não discordo, veja bem…- não é que o David não existiu?
    Ora, se o David não existiu muito menos o Saul, certo?
    Agora se não é essa sua tese, retiro a citação.

  438. Gorducho Diz:

    Sim… sim… sei que tem a laje onde consta bytdwd.

  439. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Explica aí, Marciano, de onde vem a sua certeza que a consciência não influencia sistemas quânticos ganhe um prêmio Nobel.”
    /.
    POIS É, explica aí Marciano…
    .
    De minha parte, acho de pasmar o contrário, ou seja, que alguém suponha que a consciência influencie qualquer sistema físico, inclusive o quântico. Os sistemas admissivelmente influenciáveis pela consciência, de que se tem notícia são: sistema digestivo (ou digestório), sistema cardiovascular, “sistema” sexual, sistema monetário, sistema espiritual…
    .
    Eu, uma vez, com minha consciência influenciei o sistema político da Bessarábia, mas ele ainda não sabem disso, nem eu…

  440. Vitor Diz:

    Montalvão,
    comentando:
    .
    a) “concordo que CORTs propiciem melhores evidências que relatos anedóticos, porém não “evidências científicas””
    .
    Então você está errado, simples assim. Estudos de casos como alguns dos melhores feitos por Ian Stevenson (como o artigo sobre três casos no Sri Lanka de 1988, e o caso do jovem Imad Elawar de 1966), são tão meticulosos e tão ricos de detalhes, e tão cautelosos com relação às demais possibilidades, que na verdade se constituem em evidência observacional de boa qualidade, assim como ocorre em estudos de zoologia etc.
    .
    b) “tampouco apontem incontestes para a reencarnação.”
    .
    Isso ele também nunca disse. O verdadeiro cientista sempre fala por probabilidades (Aqui eu abro mais uma vez exceção para a frase ‘sempre e nunca são duas palavras que você deve sempre se lembrar de nunca dizer’, até porque a frase em si, embora utilíssima, é autocontraditória, permitindo assim, a abertura de exceções.)
    .
    c) “Mas, se não são “científicas”, que melhores evidências serão?”
    .
    São evidências científicas. Se são fracas, médias ou fortes vai depender de julgamento de cada um. Agora, negar o caráter científico de uma pesquisa que passou por todos os trâmites exigidos pela Ciência (inclusive com publicação e replicação) é coisa de maluco ou de troll.
    .
    d) “A meu ver evidências de que as peculiaridades psicológicas e os costumes das comunidades em que os episódios ocorrem favorecem a eclosão de tais “recordações”. Quer dizer, havendo ambiente propício (estimulador) até o sobrenatural se manifesta. Entretanto, mesmo nesses entornos favoráveis, vê-se que as ditas lembranças são eventos esporádicos, havendo necessidade de infantes dotados de criatividade para levá-las adiante (e, certamente, fortemente incentivados por adultos).”
    .
    E ainda assim em muitos casos um fator paranormal é preciso ser somado para explicá-los.
    .
    e) “bem, as pesquisas de reencarnação são plausíveis para os envolvidos (pesquisador e acreditadores), mas serão plausíveis para todos? ”
    .
    Como forma de aumentar a credibilidade da pesquisa, um dos métodos é o “questionamento por pares”, em que deve-se solicitar a colegas não envolvidos na pesquisa, mas que trabalhem no mesmo paradigma e conheçam o tema pesquisado, que funcionem como “advogado do diabo”. A função do “advogado do diabo” é apontar falhas, pontos obscuros e vieses nas interpretações, bem como identificar evidências não exploradas e oferecer explicações ou interpretações alternativas àquelas elaboradas pelo pesquisador. Graças à sua relativa facilidade e também à sua eficácia, este é um procedimento bastante usado, constituindo quase uma rotina entre pesquisadores de uma mesma área. Matlock, em sua revisão de estudos de casos de reencarnação, informa diversos críticos do trabalho de Stevenson não envolvidos na pesquisa mas conhecedores do tema que funcionaram como “advogado do diabo”:
    .
    Chari, do Madras Christian College, foi o primeiro crítico de Stevenson, e tem sido um de seus críticos mais persistentes e influentes (Chari, 1961-1962a, 1961-1962b, 1962c, 1967, 1973a, 1973b, 1978, 1981, 1986). L. E. Rhine (1966) tece comentários sobre Stevenson na sua revisão de Twenty Cases Suggestive of Reincarnation (Stevenson, 1966b). Em 1973, Pratt fez o que talvez seja a primeira declaração irrestrita em favor de Stevenson, e Murphy e Reyna propuseram novos meios de interpretar o material dos casos. Hick (1976) recebe crédito por ser o primeiro filósofo a atacar o material de Stevenson de uma forma significativa. Em 1977 Roll primeiro declarou o que tornou-se uma reinterpretação influente de um dos casos de Stevenson (1974c), o caso de Imad Elawar, e começou a tecê-la em sua teoria de estrutura psi (Roll, 1982, 1984, 1989). O mágico Christopher iniciou o tratamento cético de Stevenson em 1979. A revisão de Brody do segundo volume de série de Stevenson, Cases of the Reincarnation Type (Stevenson, 1977a), tratada em resumo na Seção 3.7, apareceu nesse mesmo ano. Em 1980, Murphy (Leeds & Murphy, 1980) desenvolveu mais ainda o contexto teórico para casos de memórias de vidas passadas que ele primeiramente tinha traçado em 1973, e Siegel (1980) tratou do trabalho de Stevenson num artigo cético importante sobre a sobrevivência publicado no American Psychologist.
    .
    Assim esse é um critério plenamente atendido pela pesquisa de Stevenson.
    .
    f) “Harribance é um parlapatão que, qual foi Geller, é endeusado por uns deslumbrados (e que não quer nada com Radin ou céticos aptos a testá-lo com rigor).”
    .
    Ao contrário de Geller, Harribance jamais se recusou a se submeter a testes, quaisquer que fossem. Aliás, ele foi testado ANTES de Geller (seus testes iniciais são da década de 60) e continuou a ser testado até os dias de hoje, jamais sendo pego em fraude.
    .
    g) “Essa divulgação de que o EEG foi fruto dos estudos da PES é apenas uma maneira distorcida de encarar a verdadeira história. Berger, realmente, era firme acreditador na telepatia. Após vivenciar insólita experiência, na qual por pouco não se foi para a erraticidade, entendeu ter achado demonstração pessoal e inconteste de evento telepático. A partir dessa suposição lucubrou aparelho que pudesse medir as “ondas telepáticas (ou mentais)”, de modo que lhe aferisse o alcance e características. ”
    .
    Suas palavras apenas confirmam o que eu disse: “os estudos da telepatia nos proporcionaram a criação do EEG”.
    .
    h) “Em suma, psi continua e permanece como “força” (caso exista) sem qualquer aplicação prática.”
    .
    Não é o que diz o livro acadêmico usado pelo FBI, nem o que diz o prestigioso Psychological Bulletin em um de seus artigos, nem o que dizem arqueólogos em suas teses agradecendo a ajuda de psíquicos.

  441. Marciano Diz:

    Detectado problema no entendimento entre os membros da bancada cética :!:
    Deve ser a falta de desenvolvimento do hemisfério direito do cérebro, o que nos coloca em posição de inferioridade com relação aos crentes.
     
    Invoquei o clarêncio para clarear as coisas.
     
    Eu citei textos da autoria de outrem que diz que “archaelogical and historical evidence has proven Moses, Exodus, Abraham, Joshua, King David, etc. to be basically myths copied from African and Eastern/Middle Eastern cultures”.
     
    DEPOIS disto eu mesmo disse que
    Existem personagens na bíblia que parece que existiram mesmo (falo dos personagens religiosos, claro que “encaixaram” os imaginários com épocas e personagens reais).

    Já Sansão, Balaão, etc., são todos imaginários.
    Paulo existiu de fato, e é o personagem histórico por trás da seita, mas tem muitos fatos com ele como personagem que jamais existiram, como a cegueira temporária, etc.

     
    Ex positis eu não tenho tese alguma sobre existência/inexistência de Saul, David, etc.
    Concordo com o fato de que provavelmente todos esses personagens ou foram inventados ou tiveram sua eventual vida terrícola grandemente modificada, como se faz até hoje quando se precisa de um mito de carne e osso do passado para a causa da independência, da emancipação, da igualdade racial, do comunismo, do nazismo, da igualdade entre os sexos, dos direitos dos trabalhadores, etc.
    Seja a causa certa ou errada, um herói, um mártir, etc., tornam os argumentos muito fortes, por apelaram para a emoção, para os sentimentos.
     
    Do jeito que andam distorcendo o que a gente fala para dar a impressão de que somos (eu, tu, ele, MONTALVÃO) pseudocéticos, desonestos intelectuais, ardilosos, quando o que se vê é outra coisa, indizível, temos de ter toda a cautela possível e um pouco mais.
     
    Veja que já começam a inventar vários “fatos” a respeito de cx, um cara de cuja existência material ninguém duvida. Mas já começam a contar “causos” sobre ele, atribuírem-lhe propriedades que não se viam em vida, etc.
    E isto em pleno século XXI.
    Por exemplo: ele emanava uma luz azul do coração (palestra do DPF), que seu espírito saiu voando pela janela do hospital ou que foi visitado por um, cuja luz saiu pela janela (programa “FANTÁSTICO”), por aí vai…
     
    É a conjectura do ausente (infelizmente) ANTONIO GAÚCHO, de que nunca as coisas são beeeem assim.
     
    Sendo assim, não precisa retirar nada, só ter cuidado com eventual e indesejada distribuição de munição a crentes que adoram citar nossas falas fora do contexto, para dar a impressão de que somos intelectualmente desonestos.
    Veja-se o Dr. Vlad, por exemplo.
    Esses crentes ficam à espreita, feito uma cobra venenosa, e dão o bote no momento que lhes é propício, tentando nos fazer parecer o que eles mesmos são.
    Bravatas à parte, de concreto mesmo para o argumento, eles não trazem nada além de sua crença.
     
    MONTALVÃO Diz:
    NOVEMBRO 3RD, 2015 ÀS 1:46 PM
    /
    /
    “Explica aí, Marciano, de onde vem a sua certeza que a consciência não influencia sistemas quânticos ganhe um prêmio Nobel.”
    /.
    POIS É, explica aí Marciano…
     
    Pois é, MONTALVÃO, por que EU teria de explicar uma cretinice dessas se nunca afirmei tal obviedade?
    Por que se suspeita de que a consciência possa influenciar (cineticamente, pelo que se vê) algum sistema quântico, se a palavra quântico aí está impregnada de misticismo e despida de qualquer sentido científico, como os que se vê em livros de física de verdade, aqueles cheios de expressões algébricas que a maioria dos mortais sequer consegue ler, por desconhecer os operadores matemáticos, como ∈ (elemento de), usado quando se diz que um módulo escalar não é elemento de um espaço de Hilbert, por exemplo.
    Que eu saiba, os espaços de Hilbert são estudados em QM de verdade, mas como já se viu, não na de apartamento ou de cursos de imaginação, são dispensáveis.

  442. Marciano Diz:

    Sugestão para o Vereza e outros incluírem em seus programas de quântica de apartamento:
    http://denebola.if.usp.br/~jbarata/Notas_de_aula/arquivos/nc-cap37.pdf

  443. Marciano Diz:

    Fico estupefato com a proeza que conseguem o leigo Vereza e o Doutor em Física Guerrer de explicarem esses conceitos sem usar expressões algébrica e SEQUER conceitos de física.
     
    Por exemplo, no endereço http://www.maxpressnet.com.br/Conteudo/1,739580,Curso_de_Fisica_Quantica_Imaginando_o_Invisivel_com_o_Dr_Gabriel_Guerrer,739580,2.htm
    se encontra o seguinte texto:
     
    O curso não exige pré-requisitos matemáticos ou conceituais, sendo destinado aos interessados em aprofundar seus conhecimentos sobre o Universo e sua própria existência. Os objetivos do curso são: estimular a imaginação, alimentar a criatividade, ampliar visões e desenvolver o senso crítico.”
    (grifo meu)

  444. Marciano Diz:

    Passem os olhos sobre o capítulo 37, cujo link disponibilizei acima, e vejam como está recheado de expressões algébricas e de suposições de que muitos conceitos já são profundamente conhecidos dos alunos.
    Como se explica tudo isto sobre uma das coisas que se estuda em QM, os espaços de Hilbert, SEM PRÉ-REQUISITOS MATEMÁTICOS OU CONCEITUAIS?
    Desenvolvendo o hemisfério direito?
    E como se desenvolve o tal hemisfério?
    Ampliando a visão? Estimulando a imaginação?
    Tomando chá de ayahuasca?

  445. Marciano Diz:

    Eu já disse aqui no blog, em tópicos anteriores, que tinha vontade de estudar física e matemática (de verdade, não a de apartamento), mas que não dei bola pra vontade porque achei que acabaria dando aulas em cursinhos, em vez de ganhar dinheiro como advogado.
    Retiro o que eu disse.
    Era só eu dar aulas de FQM.
    Os títulos seriam apenas para ostentar, posto que para falar bobagens sobre quântica de verdade, como se vê em sítios espíritas, não se precisa de nenhuma formação em matemática ou física, como um DOUTOR EM FÍSICA afirma claramente.
    Precisa-se apenas de imaginação, ampliação da visão (sem os recursos da ótima de verdade, como microscópios ou telescópios, pois aí seria física de verdade), algumas aulas de papo furado, e pronto!

  446. Marciano Diz:

    Um exemplo de como eu, se tivesse títulos acadêmicos adequados (doutorado em física, etc.) poderia ganhar dinheiro ensinando mecânica quântica para leigos:
     
    Um estudo desenvolvido recentemente pela USP (Universidade de São Paulo), em conjunto com a Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), comprova que a energia liberada pelas mãos tem o poder de curar qualquer tipo de mal estar.
    O trabalho foi elaborado devido às técnicas manuais já conhecidas na sociedade, caso do Johrei, utilizada pela igreja Messiânica do Brasil e ao mesmo tempo semelhante à de religiões como o espiritismo, que pratica o chamado “passe”.
    Todo o processo de desenvolvimento dessa pesquisa nasceu em 2000, como tema de mestrado do pesquisador Ricardo Monezi, na Faculdade de Medicina da USP. Ele teve a iniciativa de investigar quais seriam os possíveis efeitos da prática de imposição das mãos. “Este interesse veio de uma vivência própria, onde o Reiki (técnica) já havia me ajudado, na adolescência, a sair de uma crise de depressão”, afirmou Monezi, que hoje é pesquisador da Unifesp.
    Segundo o cientista, durante seu mestrado foi investigado os efeitos da imposição em camundongos, nos quais foi possível observar um notável ganho de potencial das células de defesa contra células que ficam os tumores. “Agora, no meu doutorado que está sendo finalizado na Unifesp, estudamos não apenas os efeitos fisiológicos, mas também os psicológicos”, completou.
    A constatação no estudo de que a imposição de mãos libera energia capaz de produzir bem-estar foi possível porque a ciência atual ainda não possui uma precisão exata sobre esse efeitos. “A ciência chama estas energias de ‘energias sutis’, e também considera que o espaço onde elas estão inseridas esteja próximo às frequências eletromagnéticas de baixo nível”, explicou.
    As sensações proporcionadas por essas práticas analisadas por Monezi foram a redução da percepção de tensão, do stress e de sintomas relacionados a ansiedade e depressão. “O interessante é que este tipo de imposição oferece a sensação de relaxamento e plenitude. E além de garantir mais energia e disposição.”
    Neste estudo do mestrado foram utilizados 60 ratos. Já no doutorado foram avaliados 44 idosos com queixas de stress.
    O processo de desenvolvimento para realizar este doutorado foi finalizado no primeiro semestre do ano passado. Mas a Unifesp está prestes a iniciar novas investigações a respeito dos efeitos do Reiki e práticas semelhantes a partir de abril deste ano !

  447. Marciano Diz:

    Sugiro um estudo quântico de como os espaços vazios nas cabeças das pessoas podem causar idiotice aguda, imbecilidade extrema, pensamento mágico, gullibility, credulidade mórbida, insensatez, irritabilidade diante de mostras de pensamento REALMENTE crítico, bravatas, ofensas gratuitas, distorção do pensamento alheio, etc.

  448. Marciano Diz:

    Curso sobre como ficar espreitando atrás de uma moita à espera de uma oportunidade para citar alguém fora do contexto, de forma a dar a impressão de que esse alguém está usando de ardis para atacar uma suposta ciência, motivado por sei-lá-o-quê, aproveitando-se, para tanto, de qualquer comentário claramente jocoso que a pessoa em questão possa fazer.
    De como dizer que um opositor no campo das ideias não conhece filosofia (mesmo que a afirmação seja mentirosa, que quem o diz nada sabe de filosofia e que a filosofia não tenha a menor importância para o assunto discutido), de como dizer que os conceitos de física dessa mesma pessoa estão parados no século XIX, e outras bravatas cretinas do tipo.
    De como fazer intrigas com outros crentes bobos, induzindo-os a se indispor com quem com eles dialoga, instigando-os a pedir intervenção administra contra o argumentador, valendo-se da manipulabilidade da referida pessoa, que nem percebe que foi usada como instrumento de um ardiloso intrigueiro.

  449. Gorducho Diz:

    E eu que achava que o cinturão de fotons de Alcyone é que era o supra sumo da besteira.
    Mas é isso: vivendo e aprendendo…
    :(

  450. Marciano Diz:

    Quem tiver paciência de vasculhar o conteúdo do blog, vai aprender como fazer isto tudo.
    Como induzir um bobalhão a achar que está sendo ofendido por um interlocutor e fazê-lo pedir intervenção do moderador do debate, de forma a levá-lo a censurar o texto incômodo.
    De como depois sumir e ficar novamente à espreita, esperando pela oportunidade de outro ataque covarde.
    De como ficar irritado com alguém, sem motivo nenhum, só porque o que esse alguém diz mostra como somos tolos e isto nos incomoda, pois achamos tão bom ser tolos que se alguém tentar abalar esse conforto, podemos ter ataques de ira e assacar afirmações caluniosas a respeito desse alguém.

  451. Marciano Diz:

    Mesmo que esse alguém esteja se referindo a outra pessoa, que não esteja refutando o quase nada que estamos dizendo, etc.

  452. Marciano Diz:

    É como eu disse mais acima um pouquinho:
    a expressão “física quântica” está impregnada de misticismo e totalmente despida de um mínimo de sentido científico.
    Serve hoje para dar credibilidade às coisas mais esdrúxulas que espertalhões queiram vender a um público cretino, que adora o caminho mais curto, aquele que dispensa matemática e conceitos de física, o caminho largo e sem espinhos (para citar FG) da preguiça de estudar, de enganar-se pensando que livros de divulgação científica, revistas vagabundas, documentários idiotas, são a melhor maneira de aprender ciência, em vez das maçantes aulas e tediosos livros.
     
    Antevejo uma época em que os exames de admissão às universidades trarão questões extraídas de matérias da superinteressante, do history channel, do discovery channel, de livros de Hawking, de filmes da sessão da tarde.

  453. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “E como se desenvolve o tal hemisfério?”
    /.
    FÓRMULA EFICAZ PARA DESENVOLVER O LÓBULO DIREITO DO “CÉLEBRO”:
    - 200gr de ginkgo biloba;
    - 100gr de lêvedo de cerveja;
    - 50gr de guaraná em pó;
    - açúcar mascavo a gosto;
    - 3,5 pitadas de canela;
    - 200ml de absinto;
    - 2 bananas nanica.
    Leve ao liquidificador e bata durante 2min, enquanto reza o mantra: “sempre pra direita sempre”.
    Beba em jejum e após as refeições.

  454. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “A ciência chama estas energias de ‘energias sutis’, e também considera que o espaço onde elas estão inseridas esteja próximo às frequências eletromagnéticas de baixo nível”, explicou.”
    /.
    ?!

  455. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “A ciência chama estas energias de ‘energias sutis’, e também considera que o espaço onde elas estão inseridas esteja próximo às frequências eletromagnéticas de baixo nível”, explicou.”
    /.
    EXPLICOU?

  456. Marciano Diz:

    Tá vendo como eu poderia ganhar muito dinheiro com física quântica se tivesse perseguido meu objetivo, MONTALVÃO.
    É só ser genial e criativo, apelar para o conceito místico que os leigos têm de quântica, mandar os conceitos físicos e a matemática para o quinto dos infernos, e dar cursos de imaginação e desenvolvimento do hemisfério direito.
    Um crowfunding ajuda.
    Cursos de física de meia-dúzia de aulas, sem matemática e conceitos físicos, a um preço módico, também ajudam.
    Foi burrice minha. Poderia ganhar até mais dinheiro do que ganho e realizar meu sonho.
    E ter tantos títulos…

  457. Marciano Diz:

    O poltergeist comeu o “d” de crowDfunding.
    Ou foi ele abduzido para um espaço de Hilbert?

  458. Marciano Diz:

    Se você pede dinheiro a várias pessoas, através de qualquer meio (usualmente a web), é crowdfunding, financiamento da multidão. Se um corvo financia seu estudo, é crowfunding.
    Não se diga que corvos não financiam nada, vocês não entendem nada de física quântica.
    Vão estudar! (matemática dispensada).

  459. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Curso sobre como ficar espreitando atrás de uma moita à espera de uma oportunidade para citar alguém fora do contexto”
    /.
    ALÉM DESTE TÊM OUTROS treinamentos bons:
    ====== com o professor sheldrake ========
    - curso de campos morfogenéticos e suas implicações no destino humano;
    - curso de telepatia canina (10% de desconto se levar seu cão);
    .
    == professor Radin, e professor assistente Guerrer ====
    - curso de entrelaçamento quântico (se levar seu próprio entrelaçado, 15% de desconto);
    - otimização do lado direito cerebral (se levar seu próprio cérebro, 38% de desconto);
    - curso de interferência consciencial quântica (se levar seus fótos, 47% de desconto).
    .
    Brevemente, novos cursos, com descontos sensacionais.

  460. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, tive o segundo ataque desenfreado de risos.
    O primeiro, como eu narrei acima, para o BORGES, foi durante o jogo Brasil x Alemanha.
    :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol:

  461. Marciano Diz:

    Tentei mostrar meus risos a você por via telepática, mas como não respondeu telepaticamente, presumo que seu receptor telepático, situado no hemisfério direito, não está funcionando.
    Vou tentar pela via tradicional:
    Preste atenção no HANS LANDA:
    https://www.youtube.com/watch?v=2qAVAHI_3ak

  462. Gorducho Diz:

    A ciência chama estas energias de ‘energias sutis’, e também considera que o espaço onde elas estão inseridas esteja próximo às frequências eletromagnéticas de baixo nível”, explicou.
     
    Eu não captei… quem proferiu isso?
    Acaso o espírito do Dr. Bezerra?

  463. Marciano Diz:

    GORDUCHO, leia tudo aqui:
    http://www.noticiaespirita.com.br/2015/10/estudiosos-comprovam-poder-do-passe.html
    É o poder do passe explicado pela ciência, pela FQM, com doutorado em física e tudo o mais.
    Com direito a USP e UNIFESP, ou seja, ciência para ninguém botar defeito.

  464. Marciano Diz:

    “E existem universidades que sua bandeira emprestam para cobrir tanta infâmia e cobardia (com “b” mesmo)”.
    Castro Alves, “O Navio Negreiro” – “Espumas Flutuantes”.

  465. Gorducho Diz:

    :o
    Teste de interpretação de textos (claro que a frase não é do Cientista e sim do redator…).
    Interprete o significado:
     
    A constatação no estudo de que a imposição de mãos libera energia capaz de produzir bem-estar foi possível porque a ciência atual ainda não possui uma precisão exata sobre esse efeitos.

  466. Marciano Diz:

    Quem disse a frase não foi o Dr. Bezerra e sim o Dr. Ricardo Monezi, com Mestrado e terminando Doutorado.
    É a tese de doutorado dele.
    Prova científica de que passes funcionam, ao contrário dos relógios do Uri Geller.
    O misticismo tomou conta das universidades, travestido de ciência quântica.
    Estamos às vésperas de uma revolução copernicana no mainstream científico.
    Quem viver (alguns quaqualhões de anos) verá.
     
    “Segundo o cientista, durante seu mestrado foram investigado os efeitos da imposição em camundongos, nos quais foi possível observar um notável ganho de potencial das células de defesa contra células que ficam os tumores. “Agora, no meu doutorado que está sendo finalizado na Unifesp, estudamos não apenas os efeitos fisiológicos, mas também os psicológicos”, completou.
     
    A constatação no estudo de que a imposição de mãos libera energia capaz de produzir bem-estar foi possível porque a ciência atual ainda não possui uma precisão exata sobre esse efeitos. “A ciência chama estas energias de ‘energias sutis’, e também considera que o espaço onde elas estão inseridas esteja próximo às frequências eletromagnéticas de baixo nível”, explicou.”

  467. Marciano Diz:

    O texto atribuído ao cientista está aspeado, o que significa que são suas palavras ipsis litteris.

  468. Marciano Diz:

    “A ciência chama estas energias de ‘energias sutis’, e também considera que o espaço onde elas estão inseridas esteja próximo às frequências eletromagnéticas de baixo nível”, explicou.”
    Confira no link.

  469. Marciano Diz:

    Quem explicou, com estas exatas palavras, foi o cientista.
    Ou o site está mentindo, ou desconhece o uso de aspas.
    Prefiro acreditar que o cientista disse o que está entre as aspas.

  470. Marciano Diz:

    GORDUCHO, leia a tese de mestrado aqui:
    http://www.amebrasil.org.br/html/Disserta__o_de_Mestrado___Oliveira_RMJ.pdf
    Leia este trecho:
    O modo pelo qual a impostação de mãos agiria sobre os organismos
    não está esclarecido, sendo que há hipóteses que atribuem os resultados
    fisiológicos secundários a um tratamento por esta técnica à ação das
    chamadas energias sutis, que seriam um conjunto de energias que ainda
    não foram exatamente esclarecidas pela ciência (OSCHMAN, 2000).
    Há também a hipótese de que seus efeitos sejam decorrentes de
    interações entre os campos bioeletromagnéticos próprios de cada ser vivo,
    uma vez que estes possuem certas potencialidades e polaridades elétricas
    (TILLER, 1999; OSCHMAN, 2000; GREENE, 2001).
     
    Observe que ele acha que NÃO é placebo.

  471. Marciano Diz:

    Acha que não tem tempo de ler tudo?
    Leia o resumo, na própria tese:
    RESUMO
    OLIVEIRA, R. M. J.. Avaliação de efeitos da prática de impostação de
    mãos sobre os sistemas hematológico e imunológico de camundongos
    machos. São Paulo, 2003. 75p. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de
    Medicina, Universidade de São Paulo.
    Estudamos a impostação de mãos sobre camundongos, avaliando
    parâmetros hematológicos e imunológicos. Nossos resultados
    demonstraram nos animais que receberam a impostação de mãos uma
    diminuição significativa do número de plaquetas, elevação do número de
    monócitos na leucometria específica, elevação da atividade citotóxica de
    células não-aderentes com atividade NK e LAK. Os grupos controle e
    placebo não mostraram qualquer alteração Os resultados encontrados nos
    levam a concluir que há uma alteração fisiológica decorrente à impostação
    de mãos e que há que se estudar por que ela ocorre.

  472. Marciano Diz:

    Nós, que somos leigos, se formos acreditar na tese de mestrado desse doutor, acharemo que imposição de mãos cura alguma coisa.
    Cuidado quando tiver uma dor de barriga e procurar um médico homeopata com mestrado e doutorado, que quiser curar sua dor de barriga com imposição de mãos.

  473. Marciano Diz:

    Essa AME é do caramba (adaptado à nova política do blog)!

  474. Marciano Diz:

    É por essas e outras que eu fico cada dia mais impressionado, igual ao Couè, cada dia que vejo títulos de mestrado e doutorado, pela universidade disso, universidade daquilo, grandes autoridades em assuntos complexos.
    Pena que não dá para mostrar no blog como eu fico arrepiado ao contemplar a sabedoria dos gênios cheios de títulos conferidos pelas mais importantes universidades do mundo.
    Quem sou eu para duvidar?

  475. Gorducho Diz:

    Propus como exercício de interpretação de textos a frase que apresentei ictalizada, que não é dele, suponho…
     
    Se trata – não a frase não aspeada e sim a tese, bien entendu – dum neo-mesmerismo, i.e., o Dr. Mesmer revisitado.
    O Brasil já é a nova pátria do cristianismo – graças aos evangélicos, claro que não aos chiquistas…-; agora quiçá venha a ser a nova pátria do mesmerismo.

  476. Marciano Diz:

    Não vou mais consertar erros de digitação provocados pelos poltergeist.
    Quem ainda puder duvidar de que eu não seja capaz de saber o plural de substantivos simples e coisas tais, que faça com proveito.

  477. Marciano Diz:

    GORDUCHO, como são muitos comentários, volto a chamar a sua atenção.
    A tese de mestrado está linkada acima.
    Não há lugar para dúvidas, é só ler a tese.

  478. Marciano Diz:

    Quando eu digo que títulos acadêmicos conferidos por qualquer que seja a instituição, não me impressionam, tem gente que acha que sou pseudocético.
    Há uma diferença entre ser pseudocético e não ser otário.
    Se a maior autoridade científica do mundo publicar no órgão mais antigo e respeitado da galáxia um artigo ultra-científico e quântico provando que eu tenho duas cabeças, vou continuar achando que estão enganados ou mentindo.
    Posso não ser pós-doutor em nenhuma ciência pela Universidade da Confederação das Galáxias, mas não sou retardado.
    Como se dizia antes do politicamente correto, quem disser tal coisa está certo é lá pras negas dele.

  479. Marciano Diz:

    Estou acostumado a ver imbecis com títulos a toda prova sustentarem teses jurídicas absurdas, cheias de palavreado erudito, mas que só convencem a quem quer se convencer.
    Também existem advogados cheios de títulos, com vários livros publicados, que impressionam com sua bazófia, mas que não falam uma verdade sequer.
    Só mentiras enfeitadas.

  480. Marciano Diz:

    Claro que no mundo da física, da medicina, é diferente.

  481. Marciano Diz:

    Agora vou pegar um wormhole, viajar para 1903, e verificar in loco se o avião dos Wright foi o primeiro.
    Pensando bem, não vou não.
    Existem inúmeros universos paralelos, com múltiplas realidades. Não vou desperdiçar meu tempo nem provocar danos ao tecido espaço-temporal com minha curiosidade quântica.

  482. Borges Diz:

    “Puxa! Eu aprendi a fazer uma formatação legal, mas o VITOR não gostou. A citação em bloco, com destaque para a primeira letra de cada parágrafo ”
    .
    Gostei da sugestão, vou utilizar quando sentir necessidade, porém, o problema maior reside no espaçamento entre os textos; vou adotar a sugestão do Montalvão, ou melhor, já estou adotando, espero que de certo. Agradeço a você e a ele pelas sugestões.
    .
    “BORGES, você é engenheiro eletrônico?”
    .
    Gostaria de ostentar este título, não por vaidade, mas sim pelo apreço que tenho pelo assunto. Fui, e acho que ainda sou um apaixonado por eletrônica, é quase uma religião. Não posso dizer o mesmo da parte digital, pois ela não me seduziu. Infelizmente após o colégio, tive que trabalhar no banco para sustentar a família. Optei por fazer cursos profissionalizantes na área de eletrônica, devorei livros e apostilas, consegui um conhecimento razoável do assunto, que me permitiu trabalhar com eletrônica por décadas. Dei aulas em cursos profissionalizantes, escrevi apostilas, trabalhei com manutenção de aparelhos e também trabalhei em laboratório de eletrônica. Há cerca de dez anos tive que abandonar tudo para cuidar de meus pais e depois de mim. Ainda tenho muitas informações gravadas no meu HD cerebral, de vez em quando, algumas informações escapam para os meus dedos e daí vai para o teclado do meu PC.
    .
    “Eu não sabia que ainda se usavam CRTs.”
    .
    Eu ainda uso e está muito bom.
    .
    “No meu tempo de moleque, eles mostravam ondas sinoidais.
    Lembro de que havia placas defletoras, para desviar os feixes de elétrons.”
    .
    Em cinescópios de TVs e de monitores de PCs, são utilizadas bobinas defletoras, também conhecidas como yoke. Em cinescópios de osciloscópios é que são utilizadas placas defletoras.
    .
    “Eu gostava de eletrônica, cheguei a cogitar de fazer faculdade. Depois, o pragmatismo falou mais alto.”
    .
    Para aprender um pouco de eletrônica não é necessário fazer faculdade, você encontra muitas informações em livros revistas e até na internet. É necessária muita dedicação e muita vontade de pensar. Se você se empolgar com os conceitos básicos de eletricidade e com a lei de Ohm, pode ir em frente que a satisfação estará garantida.
    Obrigado

  483. Marciano Diz:

    BORGES, pois é, justamente nos osciloscópios é que eu via as ondas sinoidais.
    Eram produzidas por uma corrente que oscilava.
    Eu não tenho a menor ideia de como funcionam os gadgets atuais.
    Yoke não é do meu tempo.
    Eu estudei eletrônica, do jeito que você falou, comprava livros e revistas, fazia experimentos em casa, cheguei a conseguir consertar coisas bobas em TV ou som, falhei fragorosamente quando tentei adaptar um circuito amplificador de som de dois para quatro canais (seguindo projeto de uma revista).
    Hoje em dia, tenho uma vaga lembrança de pontes retificadoras, circuitos impressos, ondas portadoras, frequencias intermediárias, sintonia, dissipadores, diodos zener, coisa e tal.
    Fui me esquecendo de tudo e não tenho tempo para hobbies.
    Temos um gosto em comum.
    Ciência, pra mim, é isto.
    Um abraço.

  484. Gorducho Diz:

    Gostei da sugestão, vou utilizar quando sentir necessidade
     
    E será expulso como foi o Analista Scur; pois que a Administração proibiu!
    A Casa não gosta de inovações (sem imagens, sem cores…), exatamente como o espiritismo que prega o retorno às catacumbas do cristianismo redivivo!
    :lol: :lol: :lol: :lol:

  485. Gorducho Diz:

    Analista Marciano: o Sr. não entendeu que estava me referindo a uma bizarra (no m/modo de ver) frase do artigo em tela, que não foi proferida, pois que sem aspas duplas, pelo Cientista neo-Mesmerista!

  486. Borges Diz:

    “Existem personagens na bíblia que parece que existiram mesmo (falo dos personagens religiosos, claro que “encaixaram” os imaginários com épocas e personagens reais).
    Já Sansão, Balaão, etc., são todos imaginários.”
    .
    Se aceitarmos o AT tal qual está posto e, os contos mitológicos somente como mitologia, então não há espaço para conjecturas, porém, admitindo que possa ter havido uma mistura de tradições entre as diversas épocas e diversos povos, então há espaço inclusive para os alienígenas do passado.
    Um deus do AT pode ter sido um ET do passado. Um conto mitológico poderia ser o resultado de um acontecimento do passado com algumas alterações.
    O AT pode conter retalhos de relatos mais antigos de outros povos. Um exemplo disto é “A epopeia de Gilgamesh.” Vou destacar alguns trechos colhidos no site que apresento a seguir.
    .

    http://www.klepsidra.net/klepsidra23/gilgamesh.htm
    .

    3. A Epopéia de Gilgamesh e sua influência sobre demais literaturas do mundo antigo.

    Considerada a mais antiga obra literária da humanidade, a Epopéia de Gilgamesh na sua forma “tardia” (século VII a.C.) como é difundida no Ocidente (TIGAY6 citado por ZILBERMAN (1998, p. 58)), não foge à regra das obras de origens mesopotâmicas: um compilado de lendas e poemas, cuja origem e veracidade perdem-se na difusão oral, adaptação cultural e textos fragmentados.
    As narrativas contidas na epopéia deviam ser muito populares em sua época, pois são encontradas em várias versões escritas por vários povos e línguas diferentes, sendo que as primeiras versões da mesma, datam do Período Babilônico Antigo (2000-1600 a.C.), podendo ter surgido muito antes7, pois o herói desta epopéia é o lendário rei sumério Gilgamesh, quinto rei da primeira dinastia pós-diluviana de Uruk, que teria vivido no período protodinástico II (2750-2600 a.C.)8.
    4. A semelhança entre as narrações.

    As semelhanças narrativas encontradas entre Epopéia de Gilgamesh e o Livro do Gênesis iniciam-se logo nos primeiros versículos da bíblia, ou seja, na criação do homem. O povo de Uruk, descontente com a arrogância e luxúria do rei Gilgamesh, exige dos seus deuses a criação de um homem que fosse o reflexo do rei, e tão poderoso quanto ele para que pudesse enfrentá-lo e redimi-lo. O deus Anu, ouvindo o lamento da população, ordenou a Aruru, deusa da criação, que fizesse Enkidu:
    “A deusa então concebeu em sua mente uma imagem cuja essência era a mesma de Anu, o deus do firmamento. Ela mergulhou as mãos na água e tomou um pedaço de barro; ela o deixou cair na selva, e assim foi criado o nobre Enkidu”.(SANDARS, 1992, p. 94).

    “Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança”.(GENESIS, cap. 1, ver. 26).

    “Então formou o Senhor Deus ao homem do pó da terra, e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente”.(GENESIS, cap. 2, ver. 7).

    Enkidu foi criado inocente, longe da malícia da civilização, vivendo entre as criaturas selvagens e compartilhando a natureza com elas:

    “Ele era inocente a respeito do homem e nada conhecia do cultivo da terra. Enkidu comia grama nas colinas junto com as gazelas e rondava os poços de água com os animais da floresta; junto com os rebanhos de animais de caça, ele se alegrava com a água”.(SANDARS, 1992, p. 94).

    “Eis que vos tenho dado todas as ervas que dão semente e se acham na superfície de toda a terra, e todas as árvores em que há fruto que dê semente; isso vos será para mantimento. E a todos os animais da terra e a todas as aves dos céus e a todos os répteis da terra, em que há fôlego de vida, toda erva verde lhes será para mantimento”. (GENESIS, cap. 1, ver. 29-30).
    kidu perdera sua força pois agora tinha o conhecimento dentro de si, e os pensamentos do homem ocupavam seu coração”.(SANDARS, 1992, p. 96).

    “Olho para ti e vejo que agora és como um deus. Por que anseias por voltar a correr pelos campos como as feras do mato?” (SANDARS, 1992, p. 99).

    “Porque Deus sabe que no dia em que comerdes se vos abrirão os olhos e, como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal.” (GENESIS, cap. 2, ver. 5).
    “… tu, um mercenário, que depende do trabalho para obter teu pão!” (SANDARS, 1992, p. 119).

    “… maldita é a terra por tua causa: em fadigas obterás dela o sustento durante os dias da tua vida”.(GENESIS, cap. 3, ver. 16).

    “No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que tornes à terra, pois dela foste formado”.(GENESIS, cap. 3, ver. 19).

    “Naqueles dias a terra fervilhava, os homens multiplicavam-se e o mundo bramia como um touro selvagem. Este tumulto despertou o grande deus. Enlil ouviu o alvoroço e disse aos deuses reunidos em conselho: ‘O alvoroço dos humanos é intolerável, e o sono já não é mais possível por causa da balbúrdia.’ Os deuses então concordaram em exterminar a raça humana”.(SANDARS, 1992, p. 149).
    “Viu o Senhor que a maldade do homem se havia multiplicado na terra, e que era continuamente mau todo desígnio do seu coração”.(GENESIS, cap. 6, ver. 5).

    “A terra estava corrompida à vista de Deus, e cheia de violência”.(GENESIS, cap. 6, ver 11).

    “Farei desaparecer da face da terra o homem que criei, o homem e o animal, os répteis, e as aves do céu; porque me arrependo de os haver feito”.(GENESIS, cap. 6, ver 7).

    “Caiu a noite e o cavaleiro da tempestade mandou a chuva.(…) Por seis dias e seis noites os ventos sopraram; enxurradas, inundações e torrentes assolaram o mundo; a tempestade e o dilúvio explodiam em fúria como dois exércitos em guerra.” (SANDARS, 1992, p. 151-153).

    “… nesse dia romperam-se todas as fontes do grande abismo, e as portas do céu se abriram, e houve copiosa chuva sobre a terra durante quarenta dias e quarenta noites”.(GENESIS, cap. 7, ver. 11-12).

    Tem muito mais, mas acho que deu para ter uma ideia do que disse.
    Obrigado

  487. Marciano Diz:

    GORDUCHO, desculpe-me por minha crescente estupidez.
    Acho que é de tanto ler sobre FQM.
     
    A constatação no estudo de que a imposição de mãos libera energia capaz de produzir bem-estar foi possível porque a ciência atual ainda não possui uma precisão exata sobre esses efeitos.
     
    Acho que a oração coordenada sindética explicativa porque a ciência atual ainda não possui uma precisão exata sobre esses efeitos quer dizer que a constatação no estudo não é científica, pois a ciência atual ainda não possui precisão exata (existe precisão inexata?) para constatar nada sobre isso.
     
    Se a ciência, pleonástica e redundantemente (pleonasmo proposital) ainda não tem precisão exata para isso, é porque o estudo e sua conclusão não são científicos.
     
    Ou então foi usada ciência do futuro. Cafezinho para os físicos quânticos de apartamento.
    Não nos esqueçamos de que o título original do livro de Däniken é exatamente este, lembranças do futuro.
    Em outro contexto, claro. A citação de Däniken aqui foi com o duplo propósito de estimular BORGES e mostrar como precisamos de ser cautelosos, para não sermos citados fora do contexto.
    Quando a administração, por exemplo, posta artigos que falam sobre lembranças do futuro, está querendo dizer isto literalmente. Não é figura de linguagem.

  488. Marciano Diz:

    BORGES, se ainda não leu, recomendo a leitura de “2001, A Space Odyssey”, de Clarke.
    É uma história bem inteligente que tem como pano de fundo a interferência de ETs na evolução da vida terrícola, e é ficção mesmo, só para nos divertir e entreter, sem querer enrolar ninguém com fantasias mirabolantes.
    Não recomendo o filme, pois nele isto não fica claro, só no livro mesmo.
     
    Usando o mesmo tipo de argumentação que você usa (50/50), posso dizer que:
     
    Se aceitarmos a mitologia grega tal qual está posta e, os contos mitológicos somente como mitologia, então não há espaço para conjecturas, porém, admitindo que possa ter havido uma mistura de tradições entre as diversas épocas e diversos povos, então há espaço inclusive para os alienígenas do passado.
    Zeus seria um ET, que fez experiências com Héracles, aka Hércules.
     
    Por que escolher esta mitologia, e não aquela?
    Só porque uma delas prevaleceu em algumas culturas e ainda é atual?
     
    Só porque mitologias plagiam umas às outras devemos supor que todas elas são explicáveis via a atual mitologia dos ETs?
     
    Onde estão esses deuses astronautas?
    Vivem aparecendo para alguns e escondendo-se de outros?
     
    Tinha um comentarista aqui, que infelizmente foi expulso, que contou várias vezes já ter visto um disco-voador, o SCUR.
    O motivo da expulsão foi porque VITOR achou que ele era mentiroso.
    Curiosamente, não foi por causa da história do ET.
    Foi por causa do QUEVEDO, se bem me lembro.
     

    Por que eu não vejo discos voadores?
     
    Por que tanta gente vê fantasmas, marcas reencarnatórias, e eu não?
     

    Os ETs e os fantasmas são muito parecidos. Ambos só aparecem para crentes, só são filmados em vídeos de péssima qualidade, não se escondem, mas também não se mostram.
    Não sei se os deuses eram astronautas, mas é possível que os fantasmas o sejam.

    Acho que existe 50% de chance de que o sejam.
    Se os fantasmas podem ser ETs, por que os ETs não podem ser fantasmas?
    É uma questão de POV.

  489. Marciano Diz:

    Vou ver se escrevo um livro.
    Já pensei no título: “Memórias do Futuro”, ou “Carruagens dos Fantasmas?”, ou, ainda, “São os Fantasmas Astronautas?”

  490. Marciano Diz:

    As marcas reencarnatórias podem ser disfarce para marcas de implantes de chips extra-terrestres.
    Os ETs implantam falsas memórias de vidas passadas nas cabeças de algumas pouquíssimas crianças, disfarçam implantes com uma marca deixada pelo que teria causado a morte anterior, induzem a ciência em erro (consistente em pensar que as marcas são reencarnatórias) e prosseguem com seu plano diabólico de interferir benignamente na evolução do homem.

  491. Marciano Diz:

    Nem se diga que reencarnação é crença de (algumas) religiões, pois o cientista Stevenson já provou sua existência, com inúmeros estudos de casos.
    Agora é ciência.

  492. Marciano Diz:

    CARLOS, estude profundamente isto aqui:
    http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/prima-pagina-cic_po.html
    Está em português, mas é um calhamaço.
    Depois você me explica as divergências com sua crença particular e me diga por que nega o que eles afirmam nesse documento.
    Inclusive e principalmente a transubstanciação da hóstia e do vinho.
     
    Se não o fizer, entenderei que qualquer um pode negar a mediunidade, sem estudá-la profundamente.
    E olhe que aqui todo mundo conhece bem esse assunto (da mediunidade, acho que da transubstanciação e do restante da doutrina romana ninguém é profundo conhecedor).
    Tenho de admitir que talvez o milagre da transubstanciação talvez seja real.
    Sem profundo conhecimento, como negar?

  493. Borges Diz:

    Por que eu não vejo discos voadores?

    Por que tanta gente vê fantasmas, marcas reencarnatórias, e eu não?
    .
    Porque você não é ungido. muitos são os chamados mas poucos são os escolhidos. (nem sei de onde tirei isto, acho que foi algum espírito que soprou).
    .
    Agora vou relatar algo sério que aconteceu comigo há quase meio século; espero não ser expulso por isso. Estava caminhando pelas ruas da minha pacata cidade do interior, provavelmente, indo em direção a uma emissora de rádio, onde trabalhava na época. De repente olhei para cima de forma inesperada, foi quando divisei um objeto de formato esférico com brilho metálico que imediatamente desapareceu, a visão durou cerca de um segundo.
    No dia seguinte no colégio em que estudava, ouvi meus colegas comentando que haviam visto um OVNI no dia anterior.

  494. Borges Diz:

    E será expulso como foi o Analista Scur; pois que a Administração proibiu!
    .
    Está certo, lei não se discute, cumpre-se.

  495. Gorducho Diz:

    No lugar do ponto pode por um branco, ABo

  496. Gorducho Diz:

    Depois de tantos anos me dói de verdade contar-lhe o que se passou, mas assim como critico o CX por não contar às mamães que os filhos morreram, tenho que manter a coerência e fazer o que prego: balão meteorológico.

  497. Sandro Diz:

    Pessoal, apenas para dar uma satisfação…

    devido muitos dias sem poder acessar, não consigo acompanhar as conversas. Por esse motivo tenho q ser obrigado a evitar participar…rs… mas sempre q puder eu retorno…

    Fica minha sugestão ao Vitor para colocar aqui no blog a experiência do Schwartz (imagens capturadas sob controle)

    Caso alguém tenha interesse, na revista Ciência Espirita de Junho/2015, há um artigo falando dos resultados e métodos dele: http://revistacienciaespirita.com/revista-ciencia-espirita/banca-de-revistas/

  498. Marciano Diz:

    BORGES, existem inúmeras explicações plausíveis para a sua experiência.
    Tem gente que gosta de dizer que são discos voadores, não por que razão.
    Acho que é questão de POV.
    O Scur contou que viu mesmo, filmou e tudo, por mais de uma hora.
    O filme dele é uma porcaria, não dá pra ver nada.
     
    Borges Diz:
    NOVEMBRO 3RD, 2015 ÀS 11:32 PM
    E será expulso como foi o Analista Scur; pois que a Administração proibiu!
    .
    Está certo, lei não se discute, cumpre-se.
     
    Não estou com tempo de conferir, mas, de memória, parece-me que a administração recomendou que as citações em bloco não fossem prodigalizadas, até aceitando-as, desde que fosse realmente uma citação em bloco, e não por mero efeito estilístico.
     

  499. Marciano Diz:

    Eu até obtemperei, em seguida, que só o faria quando fosse realmente necessário, o que ainda não ocorreu, tendo a administração tacitamente aceitado (é aceitado mesmo: com os verbos abundantes usa-se o particípio regular com os verbos auxiliares “ter” e “haver”, e o particípio irregular com os verbos “ser” e “estar” – depois mando a conta).

  500. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Se você pede dinheiro a várias pessoas, através de qualquer meio (usualmente a web), é crowdfunding, financiamento da multidão. Se um corvo financia seu estudo, é crowfunding.”
    /.
    EU TENHO UM PROJETO QUÂNTICO DE ENRICAR, será que alguém quer participar do financiamento o quanto suficiente para? Aceito via crowdfunding, crowfunding, ou qualquer outra via honesta…

  501. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “MONTALVÃO, tive o segundo ataque desenfreado de risos. :lol: :lol: :lol: (ataque quântico de risos)
    .
    Tentei mostrar meus risos a você por via telepática, mas como não respondeu telepaticamente, presumo que seu receptor telepático, situado no hemisfério direito, não está funcionando.”
    /.
    RESPOSTA: MEU DESEMISFÉRIO dextro funciona em plena brida, afinal exercito-o diariamente com flexões, alongamentos, postura da vela e massagens de do-in, além de, semanalmente, tomar uns passes magnetoquânticos.
    .
    O que não tá funcionando bem cá em casa é meu receptor de internet e se você tiver enviando as ondas telepáticas por essa vertente é via sem definição no espaço-tempo. Tente remetê-las (as telepatias) por buracos de minhoca que assim chegam mais rápido.

  502. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    ““Segundo o cientista, durante seu mestrado foram investigado os efeitos da imposição em camundongos, nos quais foi possível observar um notável ganho de potencial das células de defesa contra células que ficam os tumores. “Agora, no meu doutorado que está sendo finalizado na Unifesp, estudamos não apenas os efeitos fisiológicos, mas também os psicológicos”,”
    /.
    POR ISSO É QUE quando condeno experimentos em que ficam selecionando só quem reconhecidamente seja bom emissor de psi (embora ninguém saiba o que é psi, nem se existe, a “ciência” avançou além desse óbice e já é capaz de detectar os bons produzidores da “força”), o Vitor e outros não gostam.
    .
    O sujeito utilizou ratos em seus experimentos e constatou que os passes lhes fizeram bem. Ora, qualquer coisa faz bem a ratos. Minha sala de ferramentas (atulhada delas) serve de abrigo para uma família de roedores. Deixei-os lá viverem porque não estão incomodando, mas deram pra roer de tudo e resolvi parar a bagunça. Acontece que estou há uma semana pondo veneno (veneno oficial, não o assassino chumbinho), eles estão comendo direto e fazendo festa toda noite. De manhã o cantinho da ração aparece limpinho, mas até agora nenhum rato morreu, pelo contrário, pela correria que fazem devem ter melhorado bastante.
    .
    Quero ver o sujeito experimentar com dragões-de-Komodo, se o resultado se repete…

  503. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Há também a hipótese de que seus efeitos sejam decorrentes de interações entre os campos bioeletromagnéticos próprios de cada ser vivo,
    uma vez que estes possuem certas potencialidades e polaridades elétricas (TILLER, 1999; OSCHMAN, 2000; GREENE, 2001).”
    /;
    SHELDRAKE DEVE ESTAR MORRENDO DE RIR e dizendo: tadinhos vê-se que nada sabem dos campos morfogenéticos…

  504. Gorducho Diz:

    Favor comparecer na rubrica atual, Sr. Líder da Bancada!
    Aparentemente encontramos um médium, e aí, para os testes!

  505. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Cuidado quando tiver uma dor de barriga e procurar um médico homeopata com mestrado e doutorado, que quiser curar sua dor de barriga com imposição de mãos.”
    /.
    MAIOR CUIDADO DEVE TER quem sofra de hemorroidas…

  506. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Se a maior autoridade científica do mundo publicar no órgão mais antigo e respeitado da galáxia um artigo ultra-científico e quântico provando que eu tenho duas cabeças, vou continuar achando que estão enganados ou mentindo.”
    /.
    Tem não?! :-) ;-)

  507. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Se aceitarmos a mitologia grega tal qual está posta e, os contos mitológicos somente como mitologia, então não há espaço para conjecturas, porém, admitindo que possa ter havido uma mistura de tradições entre as diversas épocas e diversos povos, então há espaço inclusive para os alienígenas do passado.
    [...]
    Por que escolher esta mitologia, e não aquela?
    Só porque uma delas prevaleceu em algumas culturas e ainda é atual?”
    /.
    OS ALIENÍGENAS DO ESPAÇO encantam a tantas mentes porque fazem parte da mitologia moderna. Durante muitos séculos os deuses do passado foram deuses e ninguém cogitava que pudessem ser fantasias diferentes. Pós Segunda Guerra ganhou força a suposição de que estávamos a ser visitados por extraterrenos, superpoderosos e superbons (alguns não). Então, se eles estão cá nos tempos modernos por que não teriam estado no passado?
    .
    Considerando que a escrita antiga, notadamente a religiosa, faculta múltiplas interpretações, jogar ets no meio delas é a coisa mais fácil, desde que haja imaginação, a Revista UFO que o diga…

  508. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Agora vou relatar algo sério que aconteceu comigo há quase meio século; espero não ser expulso por isso. Estava caminhando pelas ruas da minha pacata cidade do interior, provavelmente, indo em direção a uma emissora de rádio, onde trabalhava na época. De repente olhei para cima de forma inesperada, foi quando divisei um objeto de formato esférico com brilho metálico que imediatamente desapareceu, a visão durou cerca de um segundo.
    No dia seguinte no colégio em que estudava, ouvi meus colegas comentando que haviam visto um OVNI no dia anterior.”
    /.
    OS CÉUS DAS NAÇÕES, EM GERAL, são monitorados diuturnamente, seja por radares, por astrônomos (profissionais e amadores), por olhares variados e outros meios. Um OVNI extraterreno não passaria incólume por essa massa fuxiqueira para aparecer diante de uns poucos olhos abençoados. “Então quer dizer que estou mentindo?”, indagaria o depoente exasperado. Não mentindo não está mas provavelmente o observado tem explicação trivial, bem longe do espaço e bem perto da Terra….
    .
    Quer um bom exemplo de avistamento? Veja o vídeo do Verezza et al vendo e conversando com naves extraterrenas da janela de seu apartamento, e ainda há quem duvide…
    https://www.youtube.com/watch?v=4sWruPb0T1s

  509. Marciano Diz:

    Caiu mais um avião!
    http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/reuters/2015/11/04/queda-de-aviao-mata-41-no-sudao-do-sul-crianca-e-tripulante-sobrevivem.htm
    /.
    OS CÉUS DAS NAÇÕES, EM GERAL, são monitorados diuturnamente, seja por radares, por astrônomos (profissionais e amadores), por olhares variados e outros meios. Um OVNI extraterreno não passaria incólume por essa massa fuxiqueira para aparecer diante de uns poucos olhos abençoados. “Então quer dizer que estou mentindo?”, indagaria o depoente exasperado. Não mentindo não está mas provavelmente o observado tem explicação trivial, bem longe do espaço e bem perto da Terra….
    .
    Esqueceu-se de que eles só se deixar ser vistos por quem neles acredita, como os fantasmas.
    Esqueceu-se de minha conjectura de que fantasmas podem ser ETs e vice-versa?
    Esqueceu-se do livro que pretendo lançar em breve?

  510. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Para quem não acredita, a prova viva de que os ets se escondem dos primitivos aparelhos de observação humanos e aparecem aos escolhidos.
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=i8zU0f02sNg

  511. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Esqueceu-se de minha conjectura de que fantasmas podem ser ETs e vice-versa?
    Esqueceu-se do livro que pretendo lançar em breve?”
    /.
    NÃO, NÃO ESQUECI: tô esperando o livro vir a publico para conhecer a tese que defende. Tenho que comparar seus argumentos com o do Caio Fábio, que diz serem anjos, pra ver quem fala melhor…

  512. Gorducho Diz:

    ALÔ ALÔ SR. LÍDER DA BANCADA: FAVOR COMPARECER NA RUBRICA ATUAL POIS QUE APARENTEMENTE APARECEU ALGUÉM INTERESSADO EM IMPLEMENTAR OS EXPERIMENTOS!

  513. Marciano Diz:

    Alô, alô, etc.
    Vá atrás…

Deixe seu comentário

Entradas (RSS)