Evidências Neurocientíficas para uma Memória Extra-Cerebral – Parte 1

Este artigo, do bioquímico britânico Donald R. Forsdyke, é um de uma série sobre as disparidades entre o tamanho do cérebro e o seu suposto conteúdo informacional, como visto em casos de síndrome de savant, microcefalia e hidrocefalia, e com especial referência para os pontos de vista da era vitoriana de Conan Doyle, Samuel Butler, e o associado de pesquisa de Darwin, George Romanes. Os artigos argumentam que, embora improvável, o âmbito das explicações não deve excluir o armazenamento de informação extracorpóreo. Para ler o 1º artigo, publicado na revista Biological Theory em julho de 2015, clique aqui.

1.828 respostas a “Evidências Neurocientíficas para uma Memória Extra-Cerebral – Parte 1”

  1. Demóstenes Diz:

    Vale a pena ler. Quem é espírita ou espiritualista deve ler. Como aqui fala de obras psicografadas, cito o final do livro “Hatshepsut ou Hatasu – romance de uma rainha” 2 Vol. dito pelo espírito J. W. Rochester – psicografado por Wera Krijanowski. Infelizmente não tenho o livro em mãos pra transcrever com exatidão:
    .
    Ao desencarnar, estando os protagonistas juntos, começa uma conversa ou discussão sobre o futuro. Discussão por causa da vontade de alguns espíritos quererem ficar no passado. A Rainha diz que apesar de não poder voltar ao passado, todo o passado nos seus mínimos detalhes estão escritos, gravados no “astral” ou “fluído cósmico” e podem ser acessados a qualquer momento, por qualquer criatura.
    .
    No artigo acima, a uma analogia sobre a computação nas nuvens, que me fez lembrar de imediato da passagem do livro acima.
    .
    Fica a pergunta: Penso, logo existo. O que é “existir”?

  2. Phelippe Diz:

    Com todo o respeito, se é psicografia não confio. Aqui no blog existem vários trabalhos a respeito.

  3. Gorducho Diz:

    Essa é a cosmologia oficial da Casa, Sr. Demóstenes; mas não apenas o passado senão que toda eternidade. Livre arbítrio não existe: todos acontecimentos já estão gravados numa multiplicidade de espaço-tempo infinito completado.

  4. Gorducho Diz:

    Aliás… o CX não foi a Hatshepsut?

  5. Demóstenes Diz:

    Ok, Phelippe entendo o ponto de vista.
    .
    Gorducho, realmente quando a minha bexiga está cheia, não tenho livre arbítrio. ou faço ou faço, entende…
    .
    Mas se está escrito quem escreveu? quem gravou? Temos um agravante aqui, isso é teoria espiritóloga: “Não existe bala perdida, existe devedor encontrado”. A culpa é do individuo bom e trabalhador que morreu.
    .
    Multiplicidade… Considerando minha escolha: 2, sim ou não, + a escolha minha esposa 2 = 3 escolhas prováveis. Probabilidade não é suficiente pra provar que não existe o livre arbítrio.
    .
    Detalhe, se o texto do artigo se confirmar, que o ser (espírito) pensa fora do cérebro, a teoria de que o “livre arbítrio não existe” vai pro saco. Uma vez que a decisão já foi tomada pelo ser, os instrumentos vão captar a área cerebral que recebeu o estímulo do ser. Confundindo com: Que a decisão já estava tomada.
    .
    Rapaz, no meio espírita Chiquista, o CX já foi tanta gente, que vou esperar as outras partes do artigo, pra saber se realmente Eu sou Eu.
    .

  6. Vitor Diz:

    Demóstenes,
    comentando:
    .
    “Detalhe, se o texto do artigo se confirmar, que o ser (espírito) pensa fora do cérebro, a teoria de que o “livre arbítrio não existe” vai pro saco.”
    .
    Não, não vai, uma vez que fatores externos e internos ainda determinariam a tomada de decisão (história passada, talvez influências ambientais. Se estivesse encarnado, a genética influenciaria a tomada de decisão também). E se houver ainda um caráter indeterminístico ou probabilístico, como um fator quântico, então o puro acaso é que faz a tomada de decisão, e continua não havendo livre-arbítrio.
    .
    “Uma vez que a decisão já foi tomada pelo ser, os instrumentos vão captar a área cerebral que recebeu o estímulo do ser. Confundindo com: Que a decisão já estava tomada.”
    .
    Certo, mas isso não resolve nada, como visto acima.

  7. Gorducho Diz:

    Multiplicidade… &c.
     
    Me expressei mal :(
    Por multiplicidade eu quis aportuguesar a Mannigfaltigkeit – digamos assim a “variedade” – constituída pelo Universo englobando todo espaço-tempo tanto no “passado” quanto no “futuro”. Algo como os arquivos akáshicos dos místicos. Trata-se dum infinito completado: tudo já aconteceu.
    Ressalto que é a cosmologia da Casa como viu acima. Minha particularmente não é, bem como não sei qual a do nosso Líder de Bancada, o Analista Montalvão; i.e., não sei se é questão fechada ou fica a cargo de cada membro o voto em temas concernentes a este particular.

  8. Gorducho Diz:

    E se houver ainda um caráter indeterminístico ou probabilístico, como um fator quântico, então o puro acaso é que faz a tomada de decisão, e continua não havendo livre-arbítrio.
     
    Não necessariamente. M/conjectura cosmológica é que o vetor quântico de possibilidades forma-se a partir das condições de contorno; mas uma dessas componentes pode ser elegida por livre arbítrio do ente em cujo cérebro o vetor está instalado.

    .

  9. Demóstenes Diz:

    Vitor,
    Se o livre arbítrio esta comprometido por fatores externos e internos, então o raciocino, também está. O principio não é o mesmo? Como ficam obras dos gênios da física, química, psicologia, da filosofia?
    .

  10. Vitor Diz:

    “uma dessas componentes pode ser elegida por livre arbítrio do ente em cujo cérebro o vetor está instalado.”
    .
    Creio que isso é multiplicar as entidades desnecessariamente.

  11. Vitor Diz:

    Demóstenes,
    penso que tais obras continuariam sendo úteis. Talvez de fato houvesse menos admiração pelo trabalho dos autores:
    .
    Quanto mais sabemos das razões que estão por trás dos atos de uma pessoa, tanto menos nos inclinamos a atribuir esses atos ao livre-arbítrio. Se um garoto que rouba carros vem de um meio pobre, tendemos a atribuir seu comportamento ao meio, e quanto mais sabemos do abuso e da negligência que ele sofreu por parte de sua família e da sociedade, menos provável se torna que afirmemos que sua escolha foi livre. Quando sabemos que um político foi subornado, não mais achamos que ele pode assumir posições políticas livremente. Quando ficamos sabendo que um artista recebeu o apoio dos pais e teve um grande professor, sentimos menos admiração por seu talento.
    .
    Mas ainda assim, eu ficaria feliz por tais obras terem sido escritas.

  12. Gorducho Diz:

    Não porque não porque a nossa impressão de ter livre arbítrio é um indício de que ele existe. E como sabemos que o meio &c. influem, temos que prever entidades para dar conta das evidências.
    Sim dirá o Sr., o mesmo para o espiritismo para quem tem a impressão de experimentar efeitos desses seres Sobrenaturais.
    Sim, digo-lhe eu: o dia que eu presenciar uma mesa saltitando sozinha, uma corbeille toupie escrevendo sozinha, ou um ovo de peru voando, passarei a contemplar a hipótese e introduzir essas entidades no meu modelo cosmológico.

  13. Marciano Diz:

    DEMÓSTENES, você é um político grego, político goiano (senador) ou espírita nordestino?
    Desculpe-me pela pergunta, à qual não precisa responder. Ela foi formulada por meu espírito e meu cérebro e enviada antes que eu pudesse decidir a respeito.
    .
    .
    Eu voto pelo livre-arbítrio limitado, porém real.
    Justamente o que parece a mim ser a posição do vice-líder GORDUCHO, só que proferido com linguagem mais científica.

  14. Marciano Diz:

    Retificação: eu não voto coisa nenhuma, quem vota é meu cérebro ou meu espírito, não consigo decidir qual, porque não tenho poder de decisão, não tenho livre-arbítrio.

  15. Marciano Diz:

    CHUBBY, any news ’bout MH370?

  16. Gorducho Diz:

    O flaperon é dum 777 e como não há registros de perca de tal parte por algum dos seguricissimos 777; muito menos por lá, é dele.
    Ou seja a peça boiou ~ 2500NM o que é normal em 1 ano dadas as correntes lá.

  17. Demóstenes Diz:

    Vitor, obrigado pela explicação. Aproveitando a deixa, quando vc trabalhou com o CX, Prof. Waldo, chegou a presenciar algum fenômeno ou experiência?
    .
    Marciano,
    kkkkk, acredite, sou espírita Goiano. Da região metropolitana de Goiânia capital.
    .
    Gorducho,
    Antes de ser espírita kardecista, participei de uma sessão/trabalho da umbanda. Na metade de um coco, foi colocado um vinho para a entidade. Durante a sessão, ao meu lado, o vinho começou a derramar por baixo do casca, como se houvesse um buraco. Ao terminar a sessão, peguei e lavei a casca, enchi de água e não havia o buraco. Entidade no médium respondeu que outra entidade (que tinha conversado com a gente anteriormente) fazia o efeito.
    .
    Hoje, acredito que meu fluido/ectoplásmico teve participação nesse processo, mas ainda não sei como.
    .

  18. Marciano Diz:

    DEMÓSTENES, eu acredito, desde que seu sobrenome não seja Torres. rsrs
    .
    .
    GORDUCHO, é o que eu acho, também. Até agora, ninguém confirmou ou infirmou nada.
    Acharam uma escada, mas não era do 777.

  19. Borges Diz:

    Não sei se entendi bem a ideia básica do artigo; pelo que depreendi a parte faltante do cérebro pequeno poderia ser suprida por uma consciência externa; isto pode indicar que cérebros normais têm uma ociosidade de 95%, exceto se o privilégio da consciência externa for apenas para cérebros diminutos.
    No meu entendimento, consciência externa é uma ideia alvissareira, porém, não me sito animado a considerar o fato relatado no artigo como indício desta possibilidade. Acho que o cérebro com massa reduzida e funcionando normalmente, contém todas as partes funcionais de um cérebro de tamanho normal, porém, ocupando um espaço bem menor.
    Obrigado

  20. Marciano Diz:

    Consciência fora do corpo é um nonsense que vende bem. Salvo o Dr. Vlad, que JÁ CONFESSOU QUE SE SUICIDARIA SE NÃO FOSSE CRENTE, acho que todos aqui, crentes ou descrentes, somando lucros e perdas, gostam de viver.
    Quem não gostaria de continuar vivendo de alguma forma? Pode ser alma, espírito, assombração, fantasma, anjo, tigre vegetariano, consciência paranormal quântica flutuante no nada, cérebro miniaturizado, qualquer forma de eternizar a consciência é produto que vende bem.
    Claro que a vida tem bons e maus momentos. Daí a dizer que precisamos ser ameaçados de alguma punição se tentarmos destruir o indestrutível (a vida, já que a morte não seria o fim), vai uma grande distância.
    Todo mundo (normal) gosta de viver. Inclusive o Stephen Hawking.
    Pode-se até dizer que a vida não presta, mas não há alternativa melhor. A inexistência, que eu experimentei pessoalmente durante bilhões de anos, é muito pior.
    .
    O capitalismo também não presta, incentivando consumismo só para enriquecer alguns malandros (qualquer coincidência com religiões não é mera coincidência), mas a alternativa socialista, além de inviável, pois sem competição ninguém faz nada que preste, todo mundo se acomoda, é, na prática, mais um engodo que se revela uma alternativa desgraçadamente pior (veja-se qualquer país socialista).
    É por isso que eu digo e repito:
    Creio em Odin-Pai, todo poderoso,
    criador do céu e da terra
    e em Thor, um de seus filhos, Nosso Senhor
    que foi concebido pela imaginação de pessoas espertas
    Padeceu o peso do martelo
    Não foi pregado (porque era o dono do martelo)
    Desceu de Asgard até a minha casa para tomarmos uma cerveja
    Brindou com o crânio (skol, skull) de nossos inimigos descrentes
    Está sentado à beira do caminho junto do Erasmo Carlos (não o de Rotterdam)
    À direita de Odin Pai, todo poderoso,
    de onde há de vir a martelar os vivos e os mortos
    Creio nas Valquírias, filhas de Odin,
    na Santa Inquisição
    na comunhão dos Santos dos últimos dias do Joseph Smith
    Na remissão dos pecados (principalmente dos meus)
    na ressurreição da carne do churrasco nosso de cada dia
    na vida eterna, mesmo que não seja imortal, posto que é chama
    Mas que seja infinita enquanto dure.
    .
    É a minha aposta pascalina.
    .
    Se fosse possível, eu já disse antes, minha consciência e minha memória autobiográfica seria toda armazenada em um SSD, com backup pra todo lado (o que talvez resultasse na maior confusão, com cada um querendo ser o original, que eu garanto que sou eu).
    .
    .
    Antes que o Dr. Vlad reapareça para dizer que eu preciso de tratamento, porque só escrevo coisas malucas (logo ele) e que sou imortal porque “vaso ruim não quebra”, desdizendo tudo o que disse antes sobre suicídio, como costuma fazer com outros assuntos, aqui vai a prova de que ele só não se mata porque acredita em fantasias (que coisa para um psiquiatra!) :
    .
    Vladimir Diz:
    JULHO 16TH, 2015 ÀS 5:50 PM
    Vitor diz: Queria que contestassem a visão de que o materialismo incentiva o suicídio.
    .
    COMENTÁRIO: Mas isso é pura verdade.
    Se eu sou Materialista (e consequentemente Ateu) a posição filosófica mais racional frente a Vida é o Suicídio.
    .
    Não há porque viver uma Vida em que os infortúnios superam os momentos felizes…

  21. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    DEMOSTENES: “Hoje, acredito que meu fluido/ectoplásmico teve participação nesse processo, mas ainda não sei como.”
    ./
    PONDERAÇÃO: duas crenças infundadas: 1) que existe esse tal fluido ectoplasmático, mais conhecido nas quebradas como ectoplasma puro e simples; 2) que esse “fluido” (na remotíssississima hipótese de que exista: existe sim um ectoplasma celular mas nada a ver com o proposto pelo mediunismo) participe de algum processo material.
    .
    Por que crença infundada? Simples, o ectoplasma foi hipótese proposta por Richet para explicar eventos que seus olhos crédulos julgaram ter visto (tipo fumacinhas saindo de médiuns de efeitos físicos), entretanto, mais de cem anos após a suposição apresentada nenhuma confirmação concreta foi dada (ele só aparece em fotos malandreadas).
    .
    Dessa forma, da mesma maneira que conclui-se pela inexistência de comunicação entre vivos e mortos, em virtude de os mortos não darem mostras de suas presenças, o ectoplasma é evidente conjetura falhada, considerando que nunca ninguém (verdadeiramente) isolou a substância e a mostrou real.
    .
    Se o vinho realmente fluiu de uma cabaça impermeável o fenômeno pode ter qualquer explicação (até mesmo um truquezinho), menos a da ação de um fluido inexistente.
    .
    Saudações fluídicas.

  22. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    MARCIANO: “A inexistência, que eu experimentei pessoalmente durante bilhões de anos”
    ./
    PONDERAÇÃO: tá bem velhinho, hem? E eu que nasci há apenas 10.000 anos? Sou um nascituro perante tanta vetustice…

  23. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, com tanta sabedoria que você nos brinda eu pensei que você tivesse pelo menos uns 13,7 bilhões de anos.
    Fiquei impressionado com o fato de ter acumulado tanto conhecimento com apenas 10.000 anos, a mesma idade do Raul e do Elvis, este último ainda vivo.
    .
    Fontes:
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Elvis_n%C3%A3o_morreu!
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=HNfCAzY1U4I
    O próximo link, a versão com melodia diferente, do Raul, vai em separado, para que o mecanismo do blog não interprete erroneamente o comentário com spam.

  24. Marciano Diz:

    A experiência já me mostrou que se a gente posta muitos links num mesmo comentário ou se faz um comentário muito longo, tipo os artigos do JCFF, ou transcreve textos muito longos, o mecanismo citado interpreta o overkill ou os muitos links como spam.
    .
    Aqui vai o do Raul:
    https://www.youtube.com/watch?v=AQJi8EJuhMo

  25. Marciano Diz:

    Outro aviso aos navegantes: se você posta muitos comentários em seguida, mesmo curtos, sem que outros comentadores se interponham entre eles, vira spam para o tal mecanismo.
    Estou até receoso de usar muitas vezes essa palavra que não mais mencionarei e ele interpretar o comentário como um (indizível).
    Paro por aqui, porque já é o terceiro seguido e o quarto pode ser interpretado como (indizível).

  26. Marciano Diz:

    Não sei mais contar até três.
    Vou aproveitar para ver se o mecanismo detecta o quinto seguido como (indizível).

  27. Gorducho Diz:

    Acharam uma escada, mas não era do 777.
     
    Claro que não. Escutei nalgum lugar dizer que os caras da Malaysia que estão em Toulouse confirmaram que a peça é dum B777 conforme se especulara via o manual; mas se eles já a lobrigaram não sei.
    Essa hora devem estar sorvendo o pequeno desjejum p/começarem a tirar as fotos e dedilhar o Word no barracão do Escritório de Investigações e Análises.

  28. Gorducho Diz:

    Antes de ser espírita kardecista, participei de uma sessão/trabalho da umbanda. Na metade de um coco, foi colocado um vinho para a entidade.
     
    Puxa! Isso que é modernismo: umbanda pra italiano ver?
    No meu tempo era canha ou rum (na santería).
     
    O tema predileto de m/avó materna era perfunctoriamente o espiritismo, e em particular a umbanda. Às vezes íamos no terreiro: me lembro quando incorporavam exus e todos ficavam com certo temor no recinto…

  29. Gorducho Diz:

    Confirmando p/AMa: como eu dissera é dum B777; restará especularem si é do #MH370 – por la pintura y outras cocitas que puedan mirar…
    Como não consta que tenha caído flaperons d’algum B777…

  30. Vitor Diz:

    “Aproveitando a deixa, quando vc trabalhou com o CX, Prof. Waldo, chegou a presenciar algum fenômeno ou experiência?”
    .
    Eu nunca trabalhei com o CX ou com o Waldo, embora já tenha assistido uma palestra do Waldo. Nunca vi nada de paranormal, embora uma vez já houvesse me visto fora do corpo tentando agarrar a porta do meu quarto de um ponto acima, mas isso pode ter sido um sonho lúcido, e do ângulo em que eu estava não cheguei a ver meu próprio corpo. Basicamente só via a porta de cima e o chão. Foi rápido também.

  31. Antonio G. - POA Diz:

    Essa do vinho, eu já vi acontecer, mas com pinga. E é apenas um truquezinho prá enganar bobo. A bebida é colocada num recipiente, e em algum momento, durante o “êxtase” pela manifestação dos espíritos, quando todos estão meio deslumbrados e a penumbra prepondera, alguém dá um peteleco sutil no copo, e a bebida é derramada. Logo alguém perceberá a redução do volume, e todos ficarão estupefatos. Todos, nã!. Só a assintência. Os protagonistas sabem bem o que aconteceu.

  32. Antonio G. - POA Diz:

    assistência

  33. Vladimir Diz:

    A maioria das pessoas que dizem “gostar de viver”, nada mais estão fazendo do que reproduzir em palavras o instinto mais básico que é o da sobrevivência.
    .
    Tal qual as moscas fogem do inseticida, ou as formigas ajuntam seu alimento.
    .
    Não se trata de uma posição filosófica fundamental.
    .
    Cansei de ver pacientes oncológicos que mesmo sabendo que seu prognóstico era desfavorável ainda sim insistiam na “quimioterapia” na esperança de melhorarem.
    .
    E muitos colegas que certamente faltaram a aula de Tanatologia, embarcavam na do paciente de prolongar a vida a qualquer custo, pois a Vida é o valor Supremo.
    .
    Sobreviver não é Viver
    .
    A grande maioria dos seres humanos se comporta como autômatos, buscando o prazer, fugindo da dor, e lutando pela sobrevivência a qualquer preço.
    .
    Não me surpreende que a maioria dos Ocidentais, tenha a Vida como valor absoluto.
    .
    As formigas também o tem.
    .

  34. Vladimir Diz:

    Correção: se comportam

  35. Demóstenes Diz:

    Montalvão,
    Contra fatos não há argumentos, não sei se existe, ainda não li nenhuma pesquisa ou estudo acadêmico sobre ectoplasma, com uma base, metodologia cientifica. Pretendo ler o livro – “Ectoplasma, descobertas de um médico” – do psiquiatra Luciano Munari, até para saber como e se ele recolheu esse material. Lembro de ter visto um resumo sobre a bioquímica.
    .
    Há um ano atrás, escrevi esse comentário contando a minha experiência. Último comentário.
    http://obraspsicografadas.org/2014/o-mdium-thomas-lynn-novas-fotos-de-ectoplasmia/#comment-39283
    .
    Na questão do vinho e coco, não tinha truque, esbarrão, penumbra, etc. Era o meu tio que colocava a “oferenda” e existia uma mistura de idolatria com superstição.
    O vinho escorria, não foi derramado, via-se o líquido se movimentar em um chão de cimento queimado.
    .
    Os fatos aqui narrados são experiências pessoais, não tem fotos, videos ou qualquer material que comprove sua existência. “No creo en brujas, pero que las hay, las hay”
    .

  36. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Nunca vi nada de paranormal, embora uma vez já houvesse me visto fora do corpo tentando agarrar a porta do meu quarto de um ponto acima, mas isso pode ter sido um sonho lúcido”
    /.
    PONDERAÇÃO: Belo exemplo de lucidez, ainda há esperança…
    .
    Certa vez um conhecido meu contou que estava bebericando umas geladas numa sexta, após o expediente. A conversa foi à Carlos Verezza, a respeito da visitação de extraterrenos. Esse meu conhecido tem (ou tinha) posição cética a respeito dessas fantasias, mas a mesa estava visivelmente favorável. Após ter rebatido as alegações apologéticas, e depois de várias garrafas, viu que era hora de ir, mesmo porque a credulidade dos companheiros começava a exasperá-lo. Estava ele na cidade de Nova Iguaçu, na beira da via Dutra, rodovia que liga o Rio a São Paulo. Entrou no carro e dirigiu até a casa (sei, tudo errado, beber e dirigir, mas naqueles dias a fiscalização era quase zero e a prática comum).
    .
    Passava da meia-noite. O motorista estava impaciente para chegar e, talvez por isso, o percurso lhe pareceu mais longo que o normal. Em dado momento, após uma curva, o carro foi inundado por grande luz e ele viu que os veículos à sua frente estavam parando. O primeiro pensamento que lhe veio foi: “então é verdade, eles estão aí!”. Sem saber se temia ou rejubilava, encostou o veículo para melhor observar. Foi aí que percebeu estar na entrada de um pedágio, que não existia no percurso entre o bar e sua moradia.
    .
    Procurando compreender o que acontecera, entendeu que alcoolicamente tomara a direção errada: em vez de dirigir rumo ao Rio de Janeiro, onde reside, estava indo no caminho de São Paulo.
    .
    E foi assim que o, pela humanidade ansiado, contato imediato NÃO se deu…
    .
    Noutra oportunidade conto sobre minha fenomenal experiência com espíritos.
    .
    MOI, de quem dizem ter sido abduzido 18 vezes, que continua com dúvidas…

  37. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    VLAD: Não me surpreende que a maioria dos Ocidentais, tenha a Vida como valor absoluto. As formigas também o tem.
    /.
    PONDERAÇÃO: bela assertiva, porém há que se distinguir como formigas e gentes encaram o assunto. A vida humana é valorizada na individualidade, as formigas dão valor à espécie, o espécime pode se lascar à vontade que não faz diferença, desde que o coletivo seja preservado.

  38. Marciano Diz:

    GORDUCHO acordado às 4h24min.
    Deve ter pegado minha insônia via ondas eletromagnéticas.
    Estou acompanhando a investigação do bureau, mas nada de novo debaixo do sol, até agora.
    .
    Gorducho Diz:
    AGOSTO 5TH, 2015 ÀS 7:12 AM
    .
    Como não consta que tenha caído flaperons d’algum B777…
    .
    COMENTÁRIO: Até onde eu sei, nem de qualquer outra aeronave desse porte naquela imensa região, que não tenha sido encontrada.
    Segue-se que só pode ser do MH370.

    .
    .
    .
    VITOR, claro que foi um sonho lúcido.
    Existe farta literatura profissional sobre esse assunto.
    Que mais poderia ser? NDE? Se você não estava à beira da morte….
    .
    .
    .
    1. Antonio G. – POA Diz:
    AGOSTO 5TH, 2015 ÀS 9:46 AM
    assistência
    .
    Acabou de quebrar sua promessa de que não mais atribuiria sua ignorância ao poltergeist do blog. “Assintência” e “assistência”. LOL.
    .
    .
    .
    VLAD, agora está comparando os descrentes a formigas?
    Nossa senhora dos insetos!
    .
    .
    .
    DEMÓSTENES, acredito na sinceridade do seu depoimento, sin embargo, yo también no creo en brujas, pero que NO las hay, NO las hay.
    .
    .
    .
    MONTALVÃO disse:
    .
    Foi aí que percebeu estar na entrada de um pedágio, que não existia no percurso entre o bar e sua moradia.
    .
    Pô, o cara devia estar pentêbado. Não tinha LSD nessa bebida, tinha?
    .
    Tem alguma insinuação oculta de que SP é uma cidade mais “iluminada” do que RJ?

  39. Antonio G. - POA Diz:

    Marciano, é verdade. Vou me policiar mais.

  40. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Demóstenes Diz: Montalvão,
    Contra fatos não há argumentos, não sei se existe, ainda não li nenhuma pesquisa ou estudo acadêmico sobre ectoplasma, com uma base, metodologia cientifica. Pretendo ler o livro – “Ectoplasma, descobertas de um médico” – do psiquiatra Luciano Munari, até para saber como e se ele recolheu esse material. Lembro de ter visto um resumo sobre a bioquímica.
    ./
    PONDERAÇÃO: Demóstenes foi o filósofo que vivia a procura de luz, espero que um dia ache…
    .
    Contra fatos não há argumento, isso é fato. Fatos não se argumentam, se interpretam. E, contra as interpretações há, sim, argumentos e como!
    .
    Desafio-o-o a dar um miudinha evidência que seja da realidade dessa matéria. Ectoplasma é igual a duende: montão de gente já viu, mas quando chega a hora de mostrar um para que os céticos confirmem, eles “somem”.
    .
    É só pensar: se esse “fluido” fosse hipótese produtiva (testável), passados 100 anos de sua postulação dele teríamos exibições muito claras, com experimentações de laboratórios a mancheias. Entretanto, tudo o que os crentes oferecem são um século de blablablá e muitas fotos cômicas: só. Se quiser pode continuar acreditando, é direito seu, mas esteja certo de que está investindo sua fé no vazio. Melhor crer no anãozinho gigante…
    /
    /

    DEMÓSTENES: Há um ano atrás, escrevi esse comentário contando a minha experiência. Último comentário.
    http://obraspsicografadas.org/2014/o-mdium-thomas-lynn-novas-fotos-de-ectoplasmia/#comment-39283
    /.
    PONDERAÇÃO: para melhor entendermos seus caminhos raciocinativos, repriso o na ocasião proferiu:
    /
    /
    ==========================.
    Demóstenes B. S. Diz: AGOSTO 1ST, 2014 ÀS 1:03 PM
    Olá, pessoal do Obras Psicografadas. Acompanho de longe o blog, sou médium de efeito físico ou “paranormal de aporte”. Enfim, já vi meu ectoplasma, fiquei assustado, procurei aprofundar no assunto, cheguei até aqui a uns anos atrás.
    ./
    PONDERAÇÃO: então, naquela oportunidade, você se apresentou como médium de efeitos físicos (ou paranormal de aporte, seja lá o que isso signifique), que garantia ter contemplado seu próprio ectoplasma exalando, o que o deixou grandemente assustado. Será que já se recuperou do susto?
    .
    Sabendo-lho médium de efeitos físicos sua presença certamente muito interessará ao professor Marcos Arduin, frequentador desse sítio, e ardoroso defensor de materializações. Infelizmente, o dileto mestre só conta com o discutível Crookes para comprovar o que alega, mas agora, com sua materializativa pessoa, talvez o problema seja equacionado: ele poderá combinar consigo as experimentações de que tanto necessita, a fim de calar o ceticismo dos céticos. Tomara que o dileto orientador esteja a ler estas linhas…
    /
    /
    DEMÓSTENES: Não vi nenhum comentário ou artigo a respeito do “Dr. Paulo Cesar Fructuoso”, nem prós e nem contras. Existe vários vídeos de palestra, a respeito da experiência em materialização no “Lar Frei Luiz”, inclusive com fotos. Gostaria de saber a opinião do blog. Segue uma das palestras: Palestra Dr. Paulo Cesar Fructuoso – Ectoplasmia e materialização de espíritos | https://www.youtube.com/watch?v=eC-C40FWoN4
    /.
    PONDERAÇÃO: o Dr. Frutuoso está abaixo de qualquer crítica, tanto ele quanto o Lar Frei Luiz. De lá, de bom, só o trabalho de ajuda que oferecem. De qualquer modo, fiz comentários no Youtube há alguns meses sobre as pregação do doutor Paulo Sérgio. não sei se leu. supondo que não, repriso trechos:
    .
    ======================================.
    COMENTÁRIO NO YOUTUBE: MOIZÉS MONTALVÃO (1 ano atrás): “Que palestrazinha cheia de sofismas e ingenuidades! O Dr. Fructuoso passa a imagem de um crente cego às claras evidências de estar diante de fraudes, e ele indaga à platéia: “será que sofro de alucinações há 33 anos?”. Deve ser por aí…”
    .
    KLAUDINHO MELO (1 ano atrás): “Os céticos e ateus assemlham-se aos padrecos da época de Galileu.Não creem em nada. Quando Galileu mostrou-lhes as lunetas, e aqueles viram os planetas girando ao redor do Sol , exclamaram: ”Esses objetos estão enfeitiçados pelo demonio!” O ateu vai na contramão, mas a essencia é a mesma: So creem na SUA verdade, no SEU materialismo, nos SEUS olhos…. Sao fanáticos pelo avesso…”
    .
    MOIZÉS MONTALVÃO (1 ano atrás): “A diferença entre Galileu e Frutuoso, uma delas, é que o conhecimento trazido pelo italiano era firme e prosperou, já as materializações se restringem a nichos espiritistas e até hoje não foram mostradas ser realidade. Sorry.”
    .
    KLAUDINHO MELO (1 ano atrás): Ja que gosta tanto de historia, veja as materializaçoes de mediuns, no sec. XIX, como F. Cook ou Elisabeth Desperance. Analisadas, observadas in loco por cientistas como Camile Flamarion, Wiiliam Crookes, Ernesto Bozzano e outros. ESSES cientistas, para o ateu, não servem. So servem os SEUS cientistas…kkkk! Patetico.
    .
    MOIZÉS MONTALVÃO (1 ano atrás): “O problema com os experimentos antigos é que, além da velhice, não prosperaram. Se aquilo que os cientistas de antanho disseram ter descoberto fosse conhecimento saudável certamente hoje materializações de desencarnados seria lidada como saber seguro e propiciador de aplicações práticas. Nada disso ocorreu, ao contrário, os espetáculos materializativos na atualidade estão limitados ao entorno mediúnico e são fechados a investigações de cunho científico.”
    .
    LEANDRO PEREIRA (9 meses atrás): era mesmo firme e prosperou,porém vc sabe quanto tempo isso demorou para acontecer???
    .
    MOIZÉS MONTALVÃO (9 meses atrás): “E desde quando as materializações prosperaram? Se espíritos se materializassem haveria, na atualidade, firme intercâmbio comunicativo entre vivos e mortos, com os quais se conversaria qual se conversa com quem vivo. O que ocorreu é que as alegadas materializações se tornaram “tímidas” e presentemente ficam afastadas de quaisquer investigações técnicas.
    .
    JOHANESS VIX (4 meses atrás): tem de ser muito BURRO IDIOTA ESTUPIDO pra acreditar em uma pessoa envolta em lencois falando que sao espiritos materializados quando essa fraude ja foi desmascarada na decada de 70!
    Puta merda o cara vem com papo do sec XIX sendo que o proprio Houdini desmascaraou a todos eles e ofereceu premio em dinheiro pra quem provasse! mentiroso!
    ==================================.
    /
    /
    Demóstenes B. S. Diz:
    AGOSTO 1ST, 2014 ÀS 8:23 PM
    Olá, Vitor.
    O “médium de efeito físico”, está entre aspas, pela lógica AINDA NÃO SIRVO PARA SER ESTUDADO. Uma 2º pessoa, não “médium”, fora do centro espírita, não viu o fenômeno. Eu não vejo nada, só os companheiros.
    /.
    PONDERAÇÃO: oh, que pena! O professor Arduin vai ficar frustrado…

    /
    /

    DEMÓSTENES: Resumo do que “vi”: Estava testando umas placas, minha CPU estava aberta e virada na horizontal próximo da cama. Estava cansado, tirei um cochilo, abri os olhos, vi uma fumaça branca, fina, na horizontal, parecida com cigarro, em quantidade maior, em cima da fonte e caindo pro lado do topo da CPU, caindo lentamente, ficando na horizontal. Na hora pensei que tinha queimado a fonte, fechei os olhos e voltei a dormir. Quando acordei a CPU ainda estava ligada, cheirei tudo, nada queimado e nem sinal da fumaça. A fumaça que vi não atravessou a CPU e não sofreu ação dos coolers, tanto da fonte como do processador. O acontecido foi a tarde, 4 ou 5 horas, com a luz do sol no quarto.
    Vi uma 2º vez, no mesmo lugar, no espaço entre a minha cama e o móvel do computador, a noite com a CPU desligada. [...] Deduzo que a tal “neblina”, seja ectoplasma, se valendo de alguns livros e estudos. Entre eles o do Herculano Pires – Parapscologia Hoje e amanhã.
    /.
    PONDERAÇÃO: só uma perguntinha: o suposto ectoplasma era emanado de sua pessoa ou do computador?
    .
    Prezado, você testemunhou um acontecimento incomum, não vejo motivo para duvidar da realidade de sua experiência, mas, cá entre nós, o que isso tem a ver com ectoplasma? Em que se baseia para concluir que a fumacinha que viu seja o que imagina?
    .
    Você diz que foi dedução baseada na leitura de livros, então a pergunta inevitável: o que esses livros que leu dão de confirmação aceitável sobre a realidade dessa substância? Herculano Pires acreditava no ectoplasma, Quevedo também acredita, Richet igualmente era crente, e tantos outros, mas nenhum desses conseguiu trazer a substância para o laboratório. Coisa estranha, não acha? Num tempo em que a ciência consegue até detectar partículas subatômicas, não encontra meios de investigar laboratorialmente a ectoplasmia (nem mesmo de registrar sua manifestação) é algo difícil de conceber.
    ====================================.
    /
    /
    DEMÓSTENES: Na questão do vinho e coco, não tinha truque, esbarrão, penumbra, etc. Era o meu tio que colocava a “oferenda” e existia uma mistura de idolatria com superstição. O vinho escorria, não foi derramado, via-se o líquido se movimentar em um chão de cimento queimado. Os fatos aqui narrados são experiências pessoais, não tem fotos, videos ou qualquer material que comprove sua existência. “No creo en brujas, pero que las hay, las hay”
    /.
    PONDERAÇÃO: como só dispõe de sua pessoal experiência, e mesmo que aceitemos que presenciara algo atípico, e que não houve truque, inexistindo documentação que permita conferir o acontecido nada pode ser dito (temos tão somente mais um relato anedótico), sua particular convicção não serve como evidência, mas, quando seu tio repetir o feito sob controle técnico, aí será possível tirar conclusões saudáveis.
    .
    Saudações alumiativas.

  41. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Tem alguma insinuação oculta de que SP é uma cidade mais “iluminada” do que RJ?”
    .
    RESPOSTA: não, mesmo porque a única cidade mais iluminada que qualquer outra é Paris, a cidade luz; mas tem a insinuação explícita de que os pedágios são mais clareados que as vias que a ele conduzem…

  42. Phelippe Diz:

    O papo tá animado aqui, rsrsrs. Acompanhando atentamente o duelo. Continuem, por favor.

  43. Vitor Diz:

    Marciano,
    comentando:
    “VITOR, claro que foi um sonho lúcido.
    Existe farta literatura profissional sobre esse assunto.
    Que mais poderia ser? NDE? Se você não estava à beira da morte….”
    .
    NDE, quando acompanhada de percepções visuais fora do corpo, é apenas um tipo de OBE (ou EFC em português). Poderia ter sido uma OBE, sem que isso envolvesse eu estar próximo da morte. Mas tenho 95% de certeza que foi um sonho lúcido.

  44. Phelippe Diz:

    Oi, Vitor, essa sua experiência eu a tive tb, por três vezes, e pareceu muito real. Lembro de tudo, o que vi, com quem conversei, o teor da conversa etc. Não dei atenção pq acho que deve ser um fenômeno natural.
    Depois que isso ocorreu tentei, sem sucesso, por muito tempo, fazer a tal projeção astral. Nunca consegui, razão pela qual penso que não existe. O Waldo dizia ser mestre nisso, só ele tb, pq conheci várias pessoas que viviam fazendo cursos de projeção e nunca conseguiram o q quer q fosse.

  45. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Tem alguma insinuação oculta de que SP é uma cidade mais “iluminada” do que RJ?”
    .
    RESPOSTA2: mesmo porque ele não foi até São Paulo, parou no 1º pedágio, ainda no Rio…

  46. Contra o chiquismo Diz:

    Já temos alguma prova científica da existência deles?

  47. Vitor Diz:

    Oi, Contra
    da neurociência, temos evidência de uma memória extracerebral, como o artigo do blog defende, e mesmo o neurocientista prêmio Nobel Benjamin Libet também defende um ‘campo mental consciente’ extracerebral. É claro que nada disso garante que a memória extracerebral vá continuar a existir após a morte, mas saber que a memória é guardada fora do cérebro é evidentemente um primeiro e importantíssimo passo para a comprovação de espíritos.
    Vindo das EQMs, o casos de Pam Reynolds é forte em evidenciar a aquisição de informações por meios paranormais quando o cérebro encontra-se inativo, sem ondas detectáveis pelo EEG. Isso é mais uma evidência a favor de uma mente extra-cerebral, em que pese outras explicações alternativas, mesmo normais, mas que levam a hipótese materialista aparentemente a extremos.
    Os CORTs também fornecem forte base empírica para a comprovação de espíritos. Os casos de Jagdish Chandra e de Kemal Atasoy são bem robustos.
    Um caso de possessão estudado por Stevenson e Mills é fortemente comprovador de vida após a morte, o caso de Shiva/Sumitra.
    Na área mediúnica, Piper ao menos comprovou a existência de fenômenos paranormais. Se os fenômenos são interpretados por clarividência, telepatia ou espíritos, eis a dúvida. Alguns fatos, como a reprodução de maneirismos, gestos, e mesmo o motivo para comunicação nos casos de comunicadores intrusos, dão alguma preferência à hipótese de espíritos em vez de psi, contudo.

  48. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Já temos alguma prova científica da existência deles?”
    ./
    PONDERAÇÃO: deles quem? Dos Ets? Se for, que eu saiba, não. Nem mesmo de et microbinho há evidência de existência. Entretanto, se examinar a literatura espiritista e a Revista UFO, vai achar muitíssimas provas…
    .
    Ah, inclui o Caio Fábio nessa…

  49. Demóstenes Diz:

    Montalvão,
    Respeito o seu ponto de vista e admiro sua vontade em defende-los ponto a ponto.
    .
    Como disse não tenho provas.
    .
    Quanto a histórias da abduções, como a do motorista e pedágio. Acredito em Aksakof, ou Animismo.
    A maioria dessas pessoas que desaparecem e aparecem a km do local que se encontravam e contam histórias de abdução, vivenciaram alguma coisa, que suas mentes não conseguem traduzir ou reconstruir. Sim, os relatos de homens verdes, cinzas e cabeçudos são da sua imaginação, mas que alguma coisa elas viram, viram.
    .

  50. Marciano Diz:

    VITOR tem 95% de certeza de que foi um sonho lúcido e (talvez) o restante, 5%, de que foi uma Out of Body Experience.
    Já eu, tenho 100% de certeza de que foi um sonho lúcido.
    Minha indução vem do fato de que VITOR não mentiria a respeito e de que OBEs não existem, logo…
    .
    .
    PHELIPPE, good to see you back!
    O Waldo, professor experiente de projeciologia que era, malandramente, projetou-se para Marte, nas vizinhanças do meu bairro, pouco antes de morrer, evitando, assim, que sua consciência perecesse.
    Tem gente que jura que viu o ectoplasma dele fugindo pela janela. Tal e qual o do cx.
    ,
    Uma maneira garantida de projetar a consciência para fora do corpo é levar um tiro de 12, com balote, no meio da cabeça. A consciência vai se espalhar para todo lado, bem pra fora do corpo.
    .
    .
    DEMÓSTENES, a maioria das pessoas que desaparecem e aparecem em outro local foi teletransportada pela equipe da USS Enterprise. A parte restante, foi teletransportada por um equipamente xing ling pirateado da Enterprise pela China.

  51. Marciano Diz:

    Recado para o poltergeist:
    O predicado pode concordar com o sujeito, a maioria, e permanecer no singular, ou concordar, por sentido, com o grupo de pessoas, e ir para o plural.
    Dessa vez eu te peguei, poltergeist bobão!

  52. Marciano Diz:

    DEMÓSTENES, além da USS Enterprise, existe outra possibilidade:
    http://brazil.skepdic.com/raptoet.html

  53. Marciano Diz:

    Uma coisa que o Dr. Mack não observou é que seus pacientes recebem bastante atenção por serem vítimas de abduções. Além disso, não houve nenhuma menção ao que ele e Hopkins têm a ganhar em fama e vendas de livros por encorajarem seus clientes a apresentar mais detalhes de seus “abduções”. Mack recebeu US$200.000 como adiantamento por seu primeiro livro sobre abduções alienígenas. Ele também lucra com a publicidade e solicitação de fundos para seu Centro para Psicologia e Mudança Social, e seu Programa para Pesquisa de Experiências Extraordinárias. O Dr. Mack, a propósito, se impressiona bastante com o fato de as histórias de seus pacientes serem muito semelhantes. Ele também acredita em auras e indicou acreditar que alguns dos problemas ginecológicos de sua esposa talvez se devam aos alienígenas. Harvard o mantém em seus quadros em nome da liberdade acadêmica.
    ……
    Alguns dos que afirmam ter sido abduzidos por alienígenas são provavelmente fraudes, alguns estão muito estressados, e alguns estão provavelmente sofrendo de um grave distúrbio psiquiátrico, mas a maioria parece ser de pessoas bem normais, especialmente propensas a fantasias. Em sua maior parte não parecem ser fanáticos por dinheiro, usando suas experiências estranhas como uma chance de aparecer na televisão ou de terem filmes feitos a respeito de suas vidas. Em outras palavras, o testemunho é freqüentemente, senão na maioria das vezes, feito por pessoas razoavelmente normais sem motivos ocultos conhecidos. Se suas afirmações não fossem tão bizarras, seria indecente desconfiar de muitas delas. Os defensores da sensatez da crença nos abduções alienígenas apontam para o fato de que nem todas as histórias possam ser atribuídas a confabulação. No entanto, a hipnose e outros métodos de sugestão são freqüentemente usados para se ter acesso a lembranças de abdução. A hipnose é não só um método sem confiabilidade para se obter acesso a memórias precisas, como também um método que pode ser facilmente usado para se implantar lembranças. Além disso, sabe-se que pessoas que acreditam ter sido abduzidas por alienígenas são muito propensas à fantasia. Ser propenso à fantasia não é uma anormalidade, se isso for definido em termos de crença ou comportamento da minoria. A grande maioria dos seres humanos é propensa à fantasia, caso contrário não acreditariam em Deus, anjos, espíritos, imortalidade, demônios, PES, Pé Grande, etc. Uma pessoa pode funcionar “normalmente” de mil e uma maneiras e abrigar as crenças mais irracionais imagináveis, contanto que essas crenças irracionais sejam ilusões culturalmente aceitáveis. Emprega-se pouco esforço para tentar descobrir por que as pessoas acreditam nas histórias religiosas que acreditam, por exemplo, mas quando alguém tem uma visão que esteja fora da faixa aceitável de fenômenos ilusórios da cultura, parece haver uma necessidade de se “explicar” suas crenças.
    ………
    Aqueles que afirmam ter sido abduzidos por alienígenas podem não estar nem loucos nem dizendo a verdade. Talvez seja melhor pensar a respeito deles como pessoas que compartilham uma ilusão cultural. Eles são semelhantes às pessoas que têm as experiências de quase-morte de atravessar um túnel escuro em direção a uma luz brilhante, ou que vêem Jesus chamando por elas. O fato de as experiências serem comuns de forma alguma prova que elas não sejam fantasias. Elas se devem provavelmente a estados cerebrais semelhantes durante a experiência de quase-morte, e semelhantes experiências de vida e expectativas sobre a morte. As alternativas não são de que ou eles sejam totalmente loucos ou que tenham realmente morrido, ido para outro mundo e retornado à vida. Há uma explicação naturalista em termos de estados cerebrais e crenças culturais em comum.

    As pessoas abduzidas por alienígenas poderiam também ser vistas como semelhantes aos místicos. Ambos acreditam ter experimentado alguma coisa que foi negada ao restante de nós. A única prova de suas experiências é a sua crença em que aquilo aconteceu e o relato que elas dão do fato. Não há nenhuma outra prova. A comparação dos abduzidos com os místicos não é tão forçada como poderia parecer à primeira vista. Os relatos de experiências místicas se enquadram em duas categorias básicas: as de êxtase e as contemplativas. Cada tipo de misticismo tem seu histórico de casos e testemunhos. Como nas histórias dos abduzidos, as de cada um desses tipos são bastante semelhantes. Os místicos do primeiro grupo tendem a descrever suas experiências indescritíveis em termos claramente análogos aos do êxtase sexual. Sair da escuridão para a luz lembra a experiência do nascimento. Os místicos contemplativos descrevem suas experiências da paz e felicidade perfeitas de maneiras que lembram uma boa noite de sono. Nos estados mais avançados do misticismo, a experiência é claramente análoga à morte: um estado de total unidade, ou seja, nenhuma diversidade, nenhuma mudança, nenhum nada. Em resumo, o fato de que experiências místicas sejam descritas de maneira semelhante por místicos nascidos em países diferentes e em séculos diferentes não é prova da autenticidade de suas experiências. A semelhança é mais indicativa da uniformidade das experiências humanas. Toda cultura conhece o nascimento, o sexo e a morte.

    Os abduzidos são parecidíssimos não só com os místicos, mas também com as freiras medievais que acreditavam ter sido seduzidas por demônios, com as mulheres da Grécia antiga que pensavam ter feito sexo com animais, e com mulheres que acreditavam ser bruxas. Os conselheiros e terapeutas das vítimas são como os sacerdotes do passado que não desafiavam as crenças enganosas, mas as encorajavam e alimentavam. Fazem tudo o que estiver ao seu alcance para estabelecer suas histórias como ortodoxas. É muito difícil encontrar uma vítima de abdução que não tenha sido fortemente influenciada em suas crenças pela leitura de histórias de alienígenas, ou livros como Communion ou Intruders de Strieber, ou por assistir a filmes de alienígenas. É ainda mais difícil encontrar uma vítima de abdução que não tenha tido sua ilusão fortemente encorajada por algum conselheiro como Hopkins ou um terapeuta como Mack. Diante de uma boa dose de incentivo de uma comunidade crédula, reforçada pelos altos sacerdotes da seita da abdução alienígena, não é muito difícil entender por que há tantas pessoas hoje em dia que acreditam ter sido abduzidas por alienígenas.
    .
    Fonte: skeptic dictionary.

  54. Marciano Diz:

    Aonde o cérebro guarda a informação sobre um acontecimento fantástico, como o de uma suposta vida anterior? É possível “lembrar” de algo que não ocorreu? A hipnose -ao invés de liberar memórias ancestrais reprimidas- favorece estados de sonho onde fantasia e realidade se tornam indistinguíveis. Não só pode criar lembranças fictícias: a ampla divulgação popular de seus hipotéticos benefícios propícia outras falsas crenças.
    É uma pergunta que poucos formulam mas cujas conseqüências são extremamente instrutivas. Em que lugar do cérebro se armazena a lembrança de vidas passadas? O psiquiatra Brian Weiss responde: “Ninguém sabe. Para alguns, a informação se encontra em um campo energético ao redor do corpo”. O problema do “suporte” da memória de um espírito desencarnado -por definição sem matéria- põe em sérios apuros aos que acreditam; alguns, inclusive, procuraram novas definições para jogar um véu de cientificismo a um tema basicamente religioso; é o caso dos autores que chamam o hipotético suporte “memória extracerebral”.
    Enquanto os que aderem à crença de vidas anteriores devem encher páginas e páginas com casos supostos -quer dizer, com muitas afirmações que ainda não podem demonstrar- psicólogos, neurofisiólogos e psiquiatras procuram explicações às anomalias da memória apoiando-se em fenômenos que sim são observáveis, como o são o cérebro, o comportamento e as crenças das pessoas.
    Assim, a aceitação de memórias que poderiam ser falsas deu lugar a um imenso campo de investigação. E agora sim se sabe, por exemplo, por que as falsas memórias se parecem tanto com as reais. Stephen Kosslyn, da Universidade de Harvard, descobriu que a zona do cérebro encarregada de perceber uma imagem e de arquivá-la como uma memória também se ocupa da imaginação dessa imagem. As fronteiras entre feito imaginado e feito percebido são imprecisas porque, em ambos os casos, entra em atividade a região temporária média do cérebro. Diante da dificuldade de recuperar lembranças confiáveis, os partidários da hipnose regressiva partem para citar o caso de pacientes que revivem sua infância ou dão detalhes específicos de sua vida intra-uterina. Para o psiquiatra Nicholas Spanos, por exemplo, o hipnotizado em realidade não se comporta como a criança que realmente foi e sim como imagina que se comportaria uma criança de certa idade: seus estudos demonstraram que os regressos tendem a superestimar as capacidades intelectuais e as habilidades das crianças. A possibilidade de evocar experiências da etapa fetal, por outra parte, é descartada pelo senso comum. “A imaturidade neurológica dos bebês antes de nascer -escreve Spanos- impede de conservar e muito menos interpretar lembranças.”
    Outro estudo mais recente realizado em agosto de 2001 pelo doutor Joseph Green, um professor da Universidade Estadual de Ohio, concluiu que o mesmo uso da hipnose alimenta a convicção de que um acontecimento imaginário existiu em realidade. Durante uma reunião da Sociedade Americana de Psicologia, o estudioso explicou que a hipnose -ao invés de recuperar memórias “perdidas”- gera falsas lembranças, e que as pessoas confiam mais em sua memória quando a hipnose é a ferramenta utilizada para “recuperá-las”.

    Green entrevistou 96 estudantes universitários sobre o dia, mês e ano de certo evento histórico. Quase a metade dos jovens responderam sob hipnose, enquanto que a outra metade realizou um exercício de relaxação muscular antes das perguntas. Quando o teste acabou, os estudantes calcularam quanta confiança tinham em suas respostas. “Assim se comprovou que todos tinham ao menos uma resposta errada. Demos a eles, então, uma oportunidade para trocar suas respostas, e dizer quão seguros estavam delas em sua versão revisada” (1). O que descobriu a investigação? Que não havia diferenças na precisão dos hipnotizados se comparados seus relatos com os do grupo que fez exercícios de relaxação. Tampouco houve diferenças no nível de confiança, apenas que os hipnotizados trocaram menos respostas quando lhes foi dada a oportunidade de fazê-lo. “Enquanto a hipnose não reforça a confiabilidade das lembranças, sim parece haver certa evidência de que esta aumenta o nível de confiança na memória”, disse Green. Dito em palavras mais singelas: os que foram “hipnotizados” se sentiram mais seguros de que sua memória era “boa” em comparação com aqueles que não o foram. Este achado, segundo Green, tem a ver com os chamados “mitos que rodeiam a hipnose”. Em um estudo prévio, Green descobriu que nove de cada dez pessoas em quatro países pensam que a hipnose pode ajudar as pessoas a recordar memórias perdidas. Este lugar comum em relação aos efeitos benéficos da hipnose sobre a memória faz com que os hipnotizados outorguem um grau de confiança a uma técnica que -ao menos quando usada para tentar recuperar a memória- nunca se demonstrou competente.

    – – –
    Referências:
    (1) Carpenter, Jeff; Hipnosis: nada de ‘sueros de la verdad’. Un estudio asegura que la hipnosis no ayuda a los pacientes a recordar. Em ABCNEWS.com 29/08/01. Tradução: Diego Zuñiga. Em La Nave de los Locos.
    .
    Trecho copiado do Ceticismo Aberto, que o VITOR conhece bem.

  55. Vitor Diz:

    O Sagan fala sobre o Mack no Mundo Assombrado pelos Demônios. Enquanto ele descarta a ufologia, ele vê o fenômeno de crianças que lembram vidas passadas como digno de estudo sério, e já com algum suporte empírico para a reencarnação. Isso é um bom exemplo de cético que não joga tudo no mesmo saco (coisa que o Montalvão adora fazer, colocando Eillen Garret e Mina Crandom na mesma frase, por exemplo…). Sam Harris é outro, defendendo a Parapsicologia.

  56. Marciano Diz:

    Vitor, nós já discutimos essa afirmação do Sagan em outro tópico.
    Se não se lembrar, dê uma olhada no que eu disse lá.
    .
    Ciência e Espiritualidade na UFRGS (sim, na U.F.R.G.S.)
    Se os inocentes achavam que o misticismo e as religiões aceitariam o papel coadjuvante de uma mera e simpática manifestação cultural estavam redondamente enganados. RELIGIÃO, BRUXARIA, ESPIRITISMO AGORA SÃO CIÊNCIA!
    E com este novo poder ( mutatis mutandis ) agora fazem conferências científicas. Esta semana, lunáticos de todos os quilates se reúnem na UFRGS (sim, na U.F.R.G.S) para trocar disparates em nome da nova ciência. Não que entre eles haja algum diálogo. Entendimento, critério, raciocínio, método são irrelevantes.
    Norteados pela noção de que “tudo é relativo”, ou “tudo depende do observador” (o quântico, é claro) eles dedicam-se à liberdade e à tolerância do pensamento. Na nova ciência não existem contradições. Tudo pode ser verdade, pois existem diversas verdades. Mistificação? Enganação? Não, isto jamais!

    Deliciem-se com esta pequena prova de sofisticação de pensamento, achada no link deBIOÉTICA MÉDICO-ESPÍRITA dentro do site do NIETE/UFRGS, o organizador do evento.

    Sobre células tronco:

    “Marlene esclarece que, segundo informações espirituais, tudo indica que as células-tronco embrionárias (CTEs) são selvagens e indóceis, porque muitas delas não têm perispírito ou modelo organizador biológico acoplado. “Conforme sabemos, há embriões congelados que têm e outros que não têm espíritos ligados. Os que não têm formam-se pelo poder mental dos pais, sobretudo da mãe, e não conseguem sustentá-los por muito tempo. Daí a demonstração de falta de orientação. Assim, embora antiético, quem sabe esse procedimento, ao se tornar legal, permita que se chegue à conclusão de que existe algo extrafísico no material genético? É bem possível que isso aconteça”, avalia Marlene.”

    Será possível?
    .
    Copiado de http://coletivoacidocetico.blogspot.com.br/2009/06/ciencia-e-espiritualidade-na-ufrgs-sim.html
    Quem são eles, por eles próprios:
    Somos um coletivo de professores e estudantes da UFRGS preocupados com a crescente presença do obscurantismo na cultura brasileira, inclusive no meio acadêmico, que deveria caracterizar-se pelo espírito crítico. Neste espaço pretendemos nos encontrar ocasionalmente para “jantar” e conversar: os pratos preferidos serão pseudociências, crendices, posmodernismo, mistificações e pensamento mágico, alguns, mera picaretagem, outros, equívocos notáveis. Todos evitáveis… portanto, brindemos!
    ***
    Alerta de Conteúdo Adulto: Neste blogue não achamos feio discutir religião.
    .
    .
    La distinction entre sciences et pseudosciences est une entreprise délicate, primo par la nécessité de définir la science comme un monde cohérent, un « arbre privilégié de connaissance », secundo parce que le relativisme de la mouvance postmoderne (voir 1.3.7 la morgue du Post-modernisme) prétend saper cette distinction. Selon cette lecture sociologique relativiste (Latour, Bloor, Lagrange: Se reporter entre autres à Latour & Woolgar, La vie de laboratoire : La production des faits scientifiques (1988), la construction sociale de la science (au sens 4 de communauté d’individus) crée facticement une hégémonie de la science sur les autres modes de connaissance du réel, qui se double d’une sorte de droit d’accès codifié à un statut d’édicteur du vrai (Still & Dryden 2004, p. 286). La contestation politique que le relativisme prétend (faussement à notre avis) apporter en conspuant la science et son diktat quasi-métallique séduit et « ratisse large ». Dans la foulée pseudo-anarchisante de l’épistémologue Feyerabend, qui dénonce la science comme une pure construction sociale impérialiste, voire comme une religion — et allant même jusqu’à proposer de la séparer de l’État à l’instar de églises -, le relativisme
    donne une coloration dissidente faussement libertaire, qui sert toute une ménagerie de monstruosités intellectuelles. S’engouffrent dans cette brèche tous les groupes sociaux ayant un intérêt à rejeter la démarche scientifique : spiritualistes, exégètes des Révélations, adeptes du Nouvel Âge, une fraction de l’extrême gauche anti-impérialiste, une part des ecologists conservateurs de la Nouvelle Droite, psychanalystes, épistémo-féministes et épistémo-anticolonialistes, shamans, suivi d’une cohorte de vendeurs de théories pseudoscientifiques.
    Comme l’écrit Laudan :
    « [...] je vise nos contemporains qui, prenant leurs désirs pour des réalités, se sont appropriés des conclusions issues de la philosophie des sciences et les ont mises au service de toute une série de causes socio-politiques qui n’ont rien à voir. Des féministes, des hampions de la religion (notamment ceux qui pratiquent l’étude « scientifique » de la Création), des militants de la contre-culture, des néoconservateurs, et tout un convoi de compagnons de route étranges ont trouvé un filon inestimable dans les idées d’incommensurabilité et de sous-détermination des théories scientifiques. Le remplacement de l’idée que les faits et les preuves comptent par la thèse selon laquelle tout se résume à
    une question d’intérêts et de perspectives subjectives est la manifestation la plus patente et la plus pernicieuse — hormis les campagnes politiques américaines , de l’anti-intellectualisme à l’heure actuelle » (Laudan 1990, p. X).

  57. Marciano Diz:

    Para quem está chegando agora ao blog, reproduzo o que eu e VITOR dissemos a respeito da citação de Sagan:
    .
    1. Marciano Diz:
    JULHO 11TH, 2012 ÀS 10:10 PM
    Vitor, não fique bravo comigo, mas você fala isso porque no Demon Haunted World Sagan disse:
    .
    “At the time of writing there are three claims in the ESP field which, in my opinion, deserve serious study: (1) that by thought alone humans can (barely) affect random number generators in computers; (2) that people under mild sensory deprivation can receive thoughts or images ‘projected’ at them; and (3) that young children sometimes report the details of a previous life, which upon checking turn out to be accurate and which they could not have known about in any other way than reincarnation. I pick these claims not because I think they’re likely to be valid (I don’t), but as examples of contentions that might be true. The last three have at least some, although still dubious, experimental support. Of course, I could be wrong.”
    .
    Note que ele disse que escolheu essas reivindicações “. . . não porque eu ache que seja provável que sejam válidas (não acho), mas como exemplos de afirmações que PODERIAM (grifo dele, no original) ser verdadeiras.”
    .
    Leia de novo o trecho acima, tirado do original.
    .
    No mesmo livro, mais adiante, ele diz:
    .
    “Each field of science has its own complement of pseudoscience. Geophysicists have flat Earths, hollow Earths, Earths with wildly bobbing axes to contend with, rapidly rising and sinking continents, plus earthquake prophets. Botanists have plants whose passionate emotional lives can be monitored with lie detectors, anthropologists have surviving ape-men, zoologists have extant dinosaurs, and evolutionary biologists have Biblical literalists snapping at their flanks. Archaeologists have ancient astronauts, forged runes and spurious statuary. Physicists have perpetual motion machines, an army of amateur relativity disprovers, and perhaps cold fusion. Chemists still have alchemy. Psychologists have much of psychoanalysis and almost all of parapsychology. Economists have long-range economic forecasting. Meteorologists, so far, have long-range weather forecasting, as in the sunspot-oriented Farmer’s Almanac (although long-term climate forecasting is another matter). Astronomy has, as its most prominent pseudoscience, astrology – the discipline out of which it emerged. The pseudosciences sometimes intersect, compounding the confusion – as in telepathic searches for buried treasures from Atlantis, or astrological economic forecasting.”
    .
    Note que ele afirma que a parapsicologia é a contraparte pseudocientífica da psicologia.
    .
    Mais adiante, ele diz:
    .
    “The question, as always, is how good is the evidence? The burden of proof surely rests on the shoulders of those who advance such claims. Revealingly, some proponents hold that
    scepticism is a liability, that true science is inquiry without scepticism. They are perhaps halfway there. But halfway doesn’t do it. Parapsychologist Susan Blackmore describes one of the steps in her transformation to a more sceptical attitude on ‘psychic’
    phenomena: A mother and daughter from Scotland asserted they could pick up images from each other’s minds. They chose to use playing cards for the tests because that is what they used at home. I let them choose the room in which they would be tested and insured that there was no normal way for the ‘receiver’ to see the cards. They failed. They could not get more right than chance predicted and they were terribly disappointed. They had honestly believed they could do it and I began to see how easy it was to be fooled by your own desire to believe. I had similar experiences with several dowsers, children who claimed they could move objects psychokinetically, and several who said they had telepathic powers. They all failed. Even now I have a five-digit number, a word, and a small object in my kitchen at home. The place and items were chosen by a young man who intends to ‘see’ them while travelling out of his body. They have been there (though regularly changed) for three years. So far, though, he has had no success.
    .
    Até a Susan Blackmore tornou-se mais cética a respeito, com mais experiência.
    .
    Ainda mais adiante:
    .
    “Seances occur only in darkened rooms, where the ghostly visitors can be seen dimly at best. If we turn up the lights a little, so we have a chance to see what’s going on, the spirits vanish. They’re shy, we’re told, and some of us believe it. In twentieth century parapsychology laboratories, there is the ‘observer effect’: those described as gifted psychics find that their powers diminish markedly whenever sceptics arrive, and disappear altogether in the presence of a conjuror as skilled as James Randi. What they need is darkness and gullibility.”
    .
    Mais uma prova de que ele não levava a parapsicologia muito a sério.
    2. Vitor Diz:
    JULHO 11TH, 2012 ÀS 10:44 PM
    Marciano,
    tanto Sagan quanto Blackmore deixaram claro que uma parte da parapsicologia é legitimamente científica. No trecho que você selecionou do Sagan, ele disse que quase toda a parapsicologia é pseudociência. Quase toda. Então tem uma parte que não é. A própria Blackmore falou muito bem dos testes ganzfeld, como sem falhas metodológicas, atendendo a todas as diretrizes dos céticos. E o Pracontal não fala absolutamente nada a favor desse campo. No capítulo final ele faz uma defesa da psicanálise, ele poderia ter usado esse espaço para mostrar que a parapsicologia também tem uma contra-parte científica. Sagan não precisou mais do que um parágrafo para isso.

  58. Marciano Diz:

    Não vou reproduzir nosso diálogo sobre a mudança de pensamento de Blackmore sobre o que acreditava em parapsicologia, para não ser chato, mas está registrada no blog e quem tiver interesse pode procurar.

  59. Marciano Diz:

    Quem quiser saber da Susan Blackmore, por ela própria, por que se desencantou com parapsicologia, veja no site dela:
    .
    http://www.susanblackmore.co.uk/journalism/NS2000.html

  60. Marciano Diz:

    GORDUCHO, acabou de passar no jornal que o flaperon é mesmo do MH370!

  61. Gorducho Diz:

    Especulação do política do Premier… Na real a realidade é a que lhe disse pela manhã. Que é dum B777 sabia-se pelo manual e supondo – o que se confirmou – correto o P/N corrigido; e como nenhum perdeu flaperons por aí muito menos por lá, estão dadas a maior e a menor, &c.
     
    By the way: não é insônia, trabalho também em casa na computadora (desenhos qd° necessários e também bicos c/rotininhas); e a madrugada traz paz…

  62. Gorducho Diz:

    Veja o pronunciamento de seu ex-colega o promotor…

  63. Gorducho Diz:

    Se bem me lembro a SB teve a oportunidade de examinar uma amostra de ectoplasma na SPR…
    Não é, Sr. Administrador?

  64. Marciano Diz:

    Como se vê no site da SB, ela abjurou toda a parapsicologia, jogou a toalha (At last, I’ve done it. I’ve thrown in the towel, kicked the habit and gone on the wagon. After thirty years, I have escaped from a fearsome addiction).
    .
    Segundo ela, foi tudo pro lixo (Only days ago, I emptied the last of those meticulously organised filing cabinets, fighting the little voice that warned: “Don’t do it, you might want to read that again” with a stronger one that urged: “You’ve given up!” as I threw paper after paper on ESP, psychokinesis, psychic pets, aromatherapy and haunted houses into the recycling sack. If cold turkey does strike, the dustbin men will have taken away my fix).
    .
    http://www.susanblackmore.co.uk/journalism/NS2000.html
    .
    Sendo assim, não adianta apelar para SB.
    .
    .
    .
    À propos, alguém aí conhece o sofisma do feixe de provas?
    .
    Le sophisme dit du « faisceau de preuve » en expliquant
    qu’une preuve ne se solde pas, et que l’accumulation de preuves de qualité médiocre n’a jamais contribué à la construction d’une connaissance scientifique sérieuse, que ce soit un amas de faits non homogènes, de témoignages hétéroclites ou des méta-analyses statistiques d’études aux conditions non semblables.
    .
    O sofisma chamado do “feixe de provas”, explicando que uma prova não se firma e que a acumulação de provas de qualidade medíocre nunca contribuiu para a construção de um conhecimento científico sério, que seja um grupo de fatos homogêneos, de testemunhos heterogêneos ou de meta-análises estatísticas de estudos em condições não semelhantes.
    .
    GORDUCHO, se quiser melhorar a tradução, sinta-se à vontade.
    .
    .
    Tenho a impressão de ter esbarrado com esse sofisma por aí.

  65. Gorducho Diz:

    Tem uma pesquisadora (mulher se bem me lembro) que examinou o ectoplasma arquivado na SPR. Acho que foi a SM, mas não tenho certeza nem a referência agora.
    A Administração certamente conhece esse relato.

  66. Borges Diz:

    Já que estão confessando, também vou fazê-la, nisto eu tenho muita experiência, pois na infância e na adolescência eu confessava frequentemente ao padre. Mas a confissão que farei é de outro tipo, é semelhante a que fizeram. Trata-se da projeção astral, ou experiência fora do corpo. Ultimamente estou pregado, firme como uma rocha, porém, anteriormente, era só encostar a cabeça no travesseiro e sair voando; praticava um voo suave e controlado. Quanto mais perto do início do estado de vigília, mais controle eu tinha sobre manche do meu cérebro.
    Não posso dizer se era sonho ou viajem astral, não me lembrei de puxar o dedo para ver se esticava, só fiquei sabendo deste truque recentemente.
    O que mais me impressionou foi quando entrei em órbita, não em sentido figurado e sim literalmente, não sei quantos gs meu espírito atingiu no voo ascendente, porque não me lembro da subida, provavelmente zero, porque espírito não tem massa; recordo-me apenas de estar volitando prazeirosamente, devido à ausência de gravidade. Eu não possuía protuberâncias a guisa de asas como os marcianos do CX.
    Talvez não estivesse nas vizinhanças da ionosfera porque me lembro de ter visto nuvens negras e a lua incrivelmente brilhante acima de mim. De repente achei que não deveria estar ali, porque não tinha ar, entrei em pânico e desejei voltar, imediatamente acordei com o coração disparado querendo sair pela boca. É só.
    Obrigado

  67. Gorducho Diz:

    Se o Sr. estava ao nível superior das nuvens (CB?) estaria na tropopausa creio, a uns 50000′ no máximo.

  68. Antonio G. - POA Diz:

    Rsssss! Muito bom!!!!

  69. Marciano Diz:

    A Susan diz que o ectoplasma estava na moda nos anos 30. Aparecia somente na total escuridão, que a luz danificava a delicada substância, apesar de ser fotografada com flashes ocasionalmente.
    Ela diz que nos arquivos da SPR AINDA existe um pedaço de ectoplasma de Helen Duncan. Ela diz que a amostra se parece muito com um pedaço de musselina e tem até costuras nas beiradas.
    É ESSE o ectoplasma, GORDUCHO?
    Susan diz que muitos acreditam que Helen engolisse e regurgitasse a musselina.
    Afirma que o ectoplasma RARAMENTE tem sido visto depois dos anos 30. Ela diz que o advento da fotografia IR coincidiram com o fim do ectoplasma.
    .
    ECTOPLASM
    Spiritualism began in the mid-nineteenth century and rapidly spread, until by the 1890s spiritualist seances were being held in major cities all across America and Europe. In the most dramatic seances, mediums not only transmitted messages from the dead, but generated ‘physical phenomena’ such as levitating tables, speech through trumpets, direct voices from the dead (i.e. without any trumpet or other instrument), and even full-body materialisation of spirit forms.
    The question then arose of how the dead could influence the physical world, and one answer was that they used a substance called ectoplasm. Ectoplasm was produced only by the most accomplished mediums, and was said to depend on their special physiological make-up. This white or grey fluid substance could sometimes be seen emerging from a medium’s mouth, although it was said to come from other orifices as well. Usually ectoplasm was described as cold to the touch and rubbery or leathery, but sometimes it was said to be fluid and slimy, or gauzy and wet. Often it began by flowing out of the body and later hardened into a solid.
    There are several photographs of well-known mediums producing ectoplasm. For example, in the 1930s, photographs of Jack Webber show him producing long ribbons of a white material that seem to grip on to tables or trumpets and lift them physically in the air, while he is seen bound to the arms of a chair on which he is seated. Eva C was photographed with a strange gauzy substance stretched across her naked chest, and Helen Duncan with a mass of white cloth-like ectoplasm pouring from her mouth. Perhaps the oddest experiments were conducted by Dr W.J.Crawford in the 1910s. The medium, Kathleen Goligher, apparently produced ‘psychic structures’ made of ectoplasm which emerged from the several orifices of her body and were strong enough to lift tables, register on weighing scales and make impressions on specially positioned trays of sand. She was searched and provided with clean underwear before experiments, and special dye was used to trace the route of the ectoplasm back into her body.
    Ectoplasm normally appeared only in total darkness. Light was said to damage the delicate substance, and even harm the mediums who were producing it. So, although it was occasionally photographed by flash, investigators wanting proof were usually disappointed. In the archives of the Society for Psychical Research in London, there is still a piece of Helen Duncan’s ectoplasm. This looks very much like a large piece of fine muslin and even has stitching around the edges. Although, like most other mediums, she was regularly searched before seances, many believe she swallowed and later regurgitated the material.
    Ectoplasm has rarely been reported since the 1930s. Indeed the advent of infra-red photography and other methods of recording in the dark, seem to have coincided with the end of the truly dramatic physical phenomena of spiritualism, including the once popular ectoplasm.

    .
    http://www.susanblackmore.co.uk/Chapters/OCB.htm

  70. Marciano Diz:

    Todos que tiverem cometido pecado depois do batismo devem receber o sacramento da confissão.
    A santa confissão foi instituída na noite do primeiro dia da Ressurreição, por FORREST GUMP, por amor de nós e para a paz de nossas consciências. É o presente pascal de GUMP Ressuscitado à humanidade.
    Para recebermos dignamente o sacramento da penitência, devemos:
    1. examinar nossa consciência;
    2. excitar em nós sincero arrependimento;
    3. fazer firme propósito de emenda;
    4. acusar os pecados;
    5. cumprir a penitência imposta.
    Para cumprirmos bem e do melhor modo todos estes pontos, devemos implorar de antemão a assistência do Divino Espírito Santo.
    Dito isto, confesso que já volitei, digo, vomitei algumas vezes, pequei em pensamento, desejei as mulheres dos próximos e, algumas vezes, tive satisfeito o desejo.
    Confesso que já fui marombeiro na adolescência e que fiz uso de anabolizantes (os famosos ciclos), inclusive stanozolol (Winstrow – é, aquele mesmo, para cavalos), quando ainda não era proibido pela legislação.
    Confesso que já avancei sinal vermelho, já bebi além da conta, já tive simpatia (até ums 15 anos) pelo socialismo (que arrependimento – ainda bem que eu não era ainda eleitor).
    Confesso que nunca tive sonhos lúcidos, só sonhos oníricos mesmo, do tipo dos quadros do Salvador DALI.
    Confesso que já senti medo algumas vezes e que tenho medo de voltar a ter medo, já senti vergonha e me envergonho disso.
    Espero a absolvição dos meus pares.
    Estou pronto para a primeira pedra.

  71. Marciano Diz:

    Winstrol. Vendia em loja de produtos veterinários.
    Dá uma força…

  72. Marciano Diz:

    5 de agosto de 2015 Atualizado em 05/08/2015 17h28
    Após investigação na França, o premiê da Malásia confirma se tratar mesmo de uma peça do 777 que fazia o voo MH370 e desapareceu. Pouco depois, em coletiva de imprensa, o procurador-adjunto francês Serge Mackowiak foi menos categórico. Ele disse que especialistas que examinaram o destroço chegaram a uma “presunção muito forte” de que eles pertencem ao voo MH370, MAS QUE ISSO AINDA PRECISA SER CONFIRMADO.

  73. Marciano Diz:

    O Serge não é promotor, é uma espécie de procurador-geral.
    Não existe hierarquia entre promotores, nem aqui nem lá, só administrativa.
    Temos (ainda posso usar a primeira pessoa do plural?) independência funcional, mas não administrativa.
    Advogado tem independência total, tira férias quando quer, se quiser, se não quiser não tira, aceita os clientes que quiser, recusa os que quiser, não tem teto salarial, só honorários livremente combinados com os clientes, etc.
    Dependendo dos cascalhos que caem no cofrinho, é muito melhor ser advogado do que promotor, defensor público, delegado de polícia ou juiz de direito.
    Foi o que aconselhei para o filho do VLAD.
    Claro que o que é bom para alguns não é bom para todos.
    .
    Faz parte do trabalho de autoridades ser cauteloso assim, mas que é do MH370, isto é.
    Um perito criminal ou um policial apreende sempre um objeto de metal dourado, mesmo sabendo, com certeza, que é ouro.
    Só depois do exame de laboratório é que se pode afirmar.
    Entende a cautela do ex-”colega”?

  74. Contra o chiquismo Diz:

    Vitor, só evidências. Se eles existem não se comunicam conosco. Não se tem PROVAS. E essa piper … ninguém mais reproduziu o que ela fez? Passados tantos anos e nada mais?

  75. Gorducho Diz:

    Essa mesma cautela certamente têm os espíritas: durante a sessão mediúnica é coletada amostra de material sólido aparentando musseline com bainha.
    Após exame em laboratórios certificados pela SPR é que constatam ser ectoplasma emanado pelo médium.

  76. Gorducho Diz:

    E essa piper … ninguém mais reproduziu o que ela fez? Passados tantos anos e nada mais?
     
    Ele já formulou uma proposição acerca disso cá hoje; funciona como a evolução das espécies: daqui uns milhares ou milhões de anos vai aparecer outro(a) médium.

  77. Contra o chiquismo Diz:

    Essa piper deve ser que nem essas igrejas que pagam as pessoas pra ir no culto de cadeiras de roda. A pessoa levanta dizendo que foi milagre. A piper deve ter pago uns caras pra dar um crédito ao que ela fazia. Fizeram um pacto e tá aí até hoje. Tanto que nunca mais se repetiu.

  78. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    MARCIANO:
    “DEMÓSTENES, a maioria das pessoas que desaparecem e aparecem em outro local foi teletransportada pela equipe da USS Enterprise. A parte restante, foi teletransportada por um equipamente xing ling pirateado da Enterprise pela China.”
    ./
    PONDERAÇÃO: esqueceu da frota do Asther Sheran? Esta, vez em quando, leva um consigo. Tem também os dentuções, que a cada 5.000 leps (é como na Dentuçária medem o tempo) passam pela Terra e arrebatam uma meia-dúzia para testes. E mais uns outros dos quais estou proibido de revelar sob pena de levar mais uma abduzida.
    .
    Um dia, se tiver coragem, conto minha aventura galática, para que todos vejam e acreditem que tudo é verdade e não há mentira.
    .
    Um dia não, sou homem pra carácola, vou conta é agora, se apreparem…
    /
    /
    ==================================.
    VIDA, ADONDE A ENCONTRAREMOS?
    .
    Haverá vida inteligente nos cosmo? Esta é inquirição que freqüentemente brota na minha e na nossa mente. Podemos afirmar que praticamente todo habitante deste nosso planetinha já se perguntou a respeito.
    .
    A lógica parece nos empurrar para conclusão irrepreensível: tem de existir vida, e inteligente, no universo, ou, ao menos vida meio sapiente: assim ao nível de entender o sentido existencial de um big brother.
    .
    O raciocínio urdido para tal conclusão é o seguinte:
    Nossa morada é grãozinho de poeira, situada num cantinho sem graça da galáxia (se ainda estivesse no centro ou na zona sul…), nada mais que um planetinha suburbano. E apesar de toda essa mediocridade, regurgita vida. Tem tanta forma de vida nessa terra que não dá nem pra dizer. Por que, então, não existiriam viventes nos milhões, bilhões, trilhões, zilhões de corpos celestes que vagueiam pelo espaço? Por que não?
    .
    É mesmo, por quê? Será que tudo quando é tipo de vida resolveu se concentrar logo aqui nesse torrão sem graça? Meio difícil aceitar tal ideia.
    .
    Apesar de que, verdade seja dita, nunca ninguém encontrou outro orbe igual ao nosso: verdinho, cheio de gente bonita, lugares bonitos, bichos bonitos, uma boniteza sem fim. Os outros planetas do sistema solar são desoladores. Desde o quentíssimo Mercúrio (quente de um lado e frio do outro); até o geladérrimo Plutão (atual residência de Hitler), nenhum deles possui um tantinho que seja da lindeza da Terra. Se fôssemos tirar um parâmetro do universo pelo o que se vê em nosso sistema, a tese da vida extraterrestre ficaria prejudicada.
    .
    Pois é, a dúvida permanece e a humanidade anseia por esclarecimento.
    .
    Na intenção de resolver vez por todas a questão, decidi empreender jornada cosmológica em busca de elucidação ampla, geral, irrestrita, taxativa.
    .
    O primeiro problema principal foi encontrar bólido capaz de navegar com segurança, autonomia e velocidade suficientes para o achamento da verdade verdadeira, e tudo durante o verão, visto que no outono e inverno no céu é frio de arrepiar qualquer abominável homem da neve.
    .
    Procurei em todos os lugares procuráveis, até ferros-velhos da Via Dutra vasculhei. A única nave encontrada estava com as velas gastas, os bicos injetores sujos e fora do ponto: não havia tempo para desopilar os engrenamentos e efetuar regulagens pertinentes: a missão era urgente. Mas não desanimei, embora homem do cosmo, sou, sobretudo, brasileiro (até já votei no PT) e não desisto nunca. Como todos devem saber (se não sabem saibam), mantenho contatos telepáticos (o que prova existência dessa força) com um habitante de Plutão, chamado BRRRRRR. Este há muito promete passar pela Terra e levar-me em passeio pela Via-Láctea fora. Ocorre que BRRRRRR é carcereiro, muito ocupado, principalmente depois que entrou pruma tal de sociedade cientológica.
    .
    Então, decidi utilizar o duplo etéreo, componente metafísico do ser humano, que tem a peculiaridade de se desdobrar (por isso chamado “duplo”), e desconectar-se do corpo denso. Desdobrado, o duplo etéreo pode excursionar ao léu e ao créu. Não vou entrar em detalhes de como ocorre o fenômeno, porque envolve segredos mediúnicos que custam um dinheirão. Em linhas resumidas: permite vagar pelo espaço sem nave espacial.
    .
    Empreendida a missão, saí ao meio-dia de um dia ensolarado. Pensei dar uma paradinha em Júpiter e beber um júpite-cola. Mas a pressa não permitiu.
    .
    Os jupiterianos são muito convencidos. Só porque moram naquele planetão, pensam que estão por cima da carne-úmida. Ainda mais depois que souberam terem sido eleitos por Kardec os melhores do sistema, a partir de então olham os outros sempre por cima. Prefiro evitar gente assim. Mesmo porque, as venusianas são muito mais quentes que qualquer fêmea de Júpiter.
    .
    Tive o cuidado de sair da órbita de Urano, pois a VIII Frota estava estacionada nas cercanias, juntamente com o ônibus espacial. Se passasse naquelas beiradas iam me pedir documentos, querer saber para onde eu ia… como se tratava de empreitada, além de secreta, confidencial, optei pelo desvio.
    .
    Porém, em Netuno não pude deixar de topar com o Waldo (o Vieira) a conversar com um serenão. Acenei a distância e prossegui.
    .
    A intenção era sair do sistema solar e mergulhar nos Cafundós-do-judas da galáxia. Lá, decerto, haveria provas de vida inteligente.
    .
    Viajar pelo espaço pode parecer fácil, mas não é. Dada a elevada velocidade astral que desenvolvia, desviar-se de asteróides, cometas, planetóides exigia perícia fina. O pior era a poeira cósmica. Esta quando entra nos olhos é de lascar. Às vezes exige hospitalização. Felizmente, levava comigo bem fornido estoque de Água Cósmica de Santa Rita.
    .
    Havia destino definido na rota: Capela, que, como é sabido, situa-se na constelação do Cocheiro. É um conjunto de estrelas, algumas enormes (existe estrela pequena?), muitas vezes maior que o Sol. Mas, o mais interessante é certa história que contam de a Terra ter sido povoado por almas provindas de lá, os chamados exilados de Capela. Conforme a teoria, seríamos descendentes dos capelinos (ou seriam capelianos? Capelóides?). Encontrá-los constituiria autêntico reencontro com as origens.
    .
    Porém, há um dado importante a ser considerado: de Capela só veio quem não prestava. Os capelinos não sabiam mais o que fazer com as almas mau-caráter que lá viviam e resolveram mandá-las todas para cá. Isso explicaria porque nós somos desse jeito.
    .
    Certa vez, um líder mundial propôs projeto semelhante: pegar quem não merecesse estar na Terra e enviar para Marte. Aqui só ficariam os com pedigree. O plano parecia bom e foram empreendidas medidas para realizá-lo. Foi então que os problemas começaram. Primeiro, decidir quem vai e quem fica. De início tudo muito simples, bastava reunir os ladrões e os assassinos, pô-los dentro de um saco e ploft pra Marte.
    .
    Aconteceu que alguém obtemperou que os políticos corruptos também deveriam ser incluídos. Mas por que mandar somente os políticos corruptos e não todos os corruptos? Depois surgiram novas reivindicações. Teve genro querendo que a sogra fosse, sogra a exigir a ida do genro. Surgiram maridos implorando que mandassem suas esposas. Esposas pediam o mesmo para seus maridos.
    .
    A situação já estava complicada, quando surgiu o dificultador maior: o que os exilados levariam? A proposta era despachá-los unicamente com a roupa do corpo e um sanduíche de mortadela. Lá se virariam para sobreviver. No entanto, os candidatos pensavam diferente: já que estavam indo, queriam carregar consigo só coisa boa: chicletes, chinelos, os melhores pães com manteiga, patinetes, desodorantes, clipes, celulares, enfim, tudo necessário para a felicidade de ente humano prestes a se tornar ente marciano. O projeto foi abandonado por inexequível.
    .
    Parece que os capelinos solucionaram o problema deles em melhor termo, pois o autor da teoria garante que milhares foram desterrados, talvez melhor dizer enterrados (já que vieram para a Terra…) Esperançoso, acreditei que em Capela obteria a resposta tão procurada.
    .
    Triste ilusão. Lá chegando deparei um cartaz enorme, dizia: mudamos e não deixamos endereço.
    .
    O tempo se escoava, havia oportunidade para uma derradeira tentativa. Dessa vez, estava certo de ter sucesso. O destino: AFRON V, o planeta de onde provinham os poderes do outrora famoso Thomas Green Morton. Se Morton já fora até lá, por que não poderia eu, o indômito cowboy do espaço, também visitá-lo? Afinal, os direitos galácticos são democráticos. Isso é o que reza na Constituição interespacial da Confederação dos planetas habitados e por habitar. Sem mais delongas, acelerei até AFRON.
    .
    Entretanto, outra surpresa: o planeta cercado com arame farpado. Uma placa informava: estamos em obras, produzindo novos poderes para Thomas, não insista!
    Mas, eu que, apesar da aparência, não sou bobo, sorrateiramente, aportei num local ermo do orbe e parti a buscar indícios de vida inteligente. Demorou um nada e dei com um grupo ouvindo música. Aprochegando-me constatei tratar-se de pagode dos bons! (Embora haja quem diga que as palavras “pagode” e “bom” sejam incompatíveis na mesma frase…)
    .
    A coisa estava indo bem, se trombasse com outros espécimes, a exercer atividades inteligentes, as dúvidas estariam esclarecidas. Prossegui.
    .
    Infelizmente, o decorrer da investigação nada mais mostrou. Só via e ouvia gente pagodeando. Em todo o lugar era pagode. Não é que tenho algo contra esse movimento musical (nem a favor), mas planeta constituído só de pagodeiros não serve para ser pesquisado seriamente.
    .
    Retornei frustrado. Não foi dessa vez que se achou resposta para a questão da vida inteligente em outros planetas. Talvez na próximo desdobramento consiga elucidar definitivamente o mistério.
    .
    Tenham paciência, tô trabalhando nisso…
    .
    Montalvão.

  79. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “O Sagan fala sobre o Mack no Mundo Assombrado pelos Demônios. Enquanto ele descarta a ufologia, ele vê o fenômeno de crianças que lembram vidas passadas como digno de estudo sério, e JÁ COM ALGUM SUPORTE EMPÍRICO PARA A REENCARNAÇÃO.”
    ./
    PONDERAÇÃO: coitado do Sagan, deve estar, tumularmente, se coçando todinho ao deparar leitura tal de suas palavras…

  80. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Borges Diz: [...]Ultimamente estou pregado, firme como uma rocha, porém, anteriormente, era só encostar a cabeça no travesseiro e sair voando…
    /.
    PONDERAÇÃO: eu também viajava muito pelo astral, ia e vinha pra donde bem quisesse. Té que um dia fui até a casa de uma vizinha gostosona, justamente no momento em que ela, desnuda, se ensaboava em sua banheira de hidromassagem. Embevecido ante a cena, tropecei no frasco de xampu e revelei minha presença. Foi o maior bafafá, quase que deu morte.
    .
    De lá pra diante, tô que nem o Borges, pregadinho qual uma rocha…

  81. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, na qualidade de exilado de Capella, te garanto que o toponímico é “capelino”.
    E eu não sou maucaratista militante e juramentado, vim em missão. Minha missão foi esquecida por meu cérebro marciano, daí que resolvi passar um tempo morando aqui na Terra de vocês.
    .
    Não fique pensando que espíritos de planetas superiores, como os planetas que não existem no sistema capelino, só vêm para cá expulsos. Muitos vêm com a missão de trazer progresso, como no caso de meu primo Arquimedes.
    Tenho outro primo, o Abelardo, que veio para confundir. O Nelson, meu cunhado, um anjo pornográfico, que veio com a missão de fazer uma radiografia da sociedade brasileira dos anos 50.
    .
    E esse negócio de mandar os vagabundos da Terra para Marte foi decidido sem consultar os marcianos, os quais, ao contrário do que pensava Rivail, são muito, mas muito mais adiantados do que vocês.
    O pessoal de Capella não deixou endereço, mas eu sei que foram para Aldebaran. Se não estiverem lá, estão brincando com as crianças índigo, em Alcyone.
    .
    Esse tal planeta AFRON não fica aqui mesmo? Ouvi dizer que seus habitantes são espíritos inferiores, que estão em processo de evolução para se tornarem humanos. Quem me contou foi um tal de Denizard.
    .
    Uma dúvida que seu relato deixou em meu espírito: existe vida inteligente na Terra?

  82. Demóstenes Diz:

    Marciano,
    Li o link do dicionário céptico, concordo, porém o texto só fala de experiências com americanos. Conjecturando: se todos os planetas do nosso sistema contém elementos da tabela periódica, fica difícil de provar que um presente de um E.T. não é deste mundo.
    .
    O 2º post é o ponto, pelo que entendi, um forte trauma, psico emocional (independente de ET, guerra, etc) pode ser relembrado com algumas fantasias.
    .
    Montalvão
    Não sei se é permitido, mas o vídeo abaixo e de um, digamos, animador de rua, em Bangkok. Uma telequinesia. Se eu fosse cético diria que ele usa uma linha bem fina, mas como sou espírita digo que ele enche a nota com fluído e faz levitar.
    https://www.youtube.com/watch?v=3oz5ovVVdJw
    .

  83. Marciano Diz:

    DEMÓSTENES, o site é americano. Tem uma versão em português, a que eu linkei. Por isso eles só falam em americanos.
    Postei o link em português para que todos os comentaristas e leitores do blog que se interessarem pudessem ler.

  84. Demóstenes Diz:

    Marciano,
    I read inglish. Mas acho que a pesquisa com mais grupos de indivíduos, como europeus, sulamericanos etc. mesmo que 99% de falsos testemunhos ou bobagens, no 1% seria possível encontrar algum padrão confiável, de testemunhas visuais.
    .

  85. Vitor Diz:

    Montalvão,
    comentando:
    01 – “coitado do Sagan, deve estar, tumularmente, se coçando todinho ao deparar leitura tal de suas palavras…”
    .
    Eu acho infinitamente mais fácil seus professores de português e de inglês estarem se revirando no túmulo. De qualquer forma, segue o original:
    .
    At the time of writing there are three claims in the ESP field which, in my opinion, deserve serious study: (1) that by thought alone humans can (barely) affect random number generators in computers; (2) that people under mild sensory deprivation can receive thoughts or images ‘projected’ at them; and (3) that young children sometimes report the details of a previous life, which upon checking turn out to be accurate and which they could not have known about in any other way than reincarnation. I pick these claims not because I think they’re likely to be valid (I don’t), but as examples of contentions that might be true. The last three have at least some, although still dubious, experimental support. Of course, I could be wrong.
    .
    Assim, ele vê a reencarnação como tendo evidência empírica, e embora admita que ele possa estar errado, na visão dele, possui inclusive evidência experimental (ele deve estar se referindo aos casos de marca de nascença experimental e/ou aos testes de reconhecimento de pessoas, locais e objetos).

  86. Vitor Diz:

    Mais recentemente, Sam Harris diz, no livro, The End of Faith:
    .
    There also seems to be a body of data attesting to the reality of psychic phenomena, much of which has been ignored by mainstream science. See, e.g., D. Radin, The Conscious Universe: The Scientific Truth of Psychic Phenomena (New York: HarperCollins, 1997), R. Sheldrake, The Sense of Being Stared At: And Other Aspects of the Extended Mind (New York: Crown, 2003), and R. S. Bobrow, “Paranormal Phenomena in the Medical Literature Sufficient Smoke to Warrant a Search for Fire,” Medical Hypotheses 60 (2003): 864-68. There may even be some credible evidence for reincarnation. See I. Stevenson, Twenty Cases Suggestive of Reincarnation (Charlottesville: Univ. Press of Virginia, 1974), Unlearned Language: New Studies in Xenoglossy (Charlottesville: Univ. Press of Virginia, 1984), and Where Reincarnation and Biology Intersect (Westport, Conn.: Praeger, 1997). The dictum that “extraordinary claims require extraordinary evidence” remains a reasonable guide in these areas, but this does not mean that the universe isn’t far stranger than many of us suppose. It is important to realize that a healthy, scientific skepticism is compatible with a fundamental openness of mind.

  87. Gorducho Diz:

    Por isso sempre digo que uso m/neurônio. A mim não me importa o que pensa Carl Sagan, Sam Harris ou o Sr. Nhonho. Claro que é válido ler o que qualquer um escreva – até mesmo a Drª Marlene Nobre -, as informações que traga, &c. Mas o pensamento é meu.
    Então p/mim essas citações de escritores de nada valem.
    Agora então sim, p/não parecer um fanático religioso, pode ser pesquisada reencarnação, OFB, ou qualquer coisa desde que seriamente; e sem que tenha como objetivo subliminar passar crenças religiosas sem fundamentações.
    Quanto aos escritos do Stevenson perdi a confiança depois que foi cá mostrada a credulidade dele e a associação com aquele neo-Divaldo…
    Mas jamais serei eu, um engenheiro, contra pesquisas.

  88. Marciano Diz:

    Demóstenes Diz:
    AGOSTO 6TH, 2015 ÀS 12:18 AM
    Marciano,
    I read inglish.
    .
    Answer: I know you do, but MONTALVÃO, for example, doesn’t, at least easily, and the subject wasn’t meant just for you.
    .
    .
    .

    “Não acredito nessas últimas informações sobre o avião. Eles estão mentindo para nós desde o começo. Eu sei que minha filha está viva em algum lugar, mas eles se recusam a nos contar a verdade”.
    .
    Estas são as palavras da mãe de uma das vítimas do vôo MH370.
    .
    Confiram aqui:
    http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/08/150806_mh370_familiares_mdb

    .
    Dissonância cognitiva, mecanismo de defesa psicológica (negação).
    .
    A pessoa prefere acreditar numa fantasia mirabolante do que na verdade, pois não tem estrutura para enfrentá-la.
    Foi o caso de Conan Doyle, que passou a acreditar até em fadas forjadas por crianças, depois que seu filho morrei na grande guerra.
    .
    Dá para entender a razão pela qual pessoas inteligentes mandam a razão para os ares para se aferrarem a fantasias delirantes?

  89. Gorducho Diz:

    RESUMO DA ÓPPERA
    Ficar citando “autoridades” não adianta a não ser p/mentes influenciáveis a esses apelos, condicionadas à obediência e submissão a títulos.
    Façamos experimentos…
     
    Quanto à reencarnação, já fiz esse questionamento cá mas não recebi respostas. Por que cá não há recordações na mesma proporção da India; Turquia; sudoeste asiático…
    Será que mesmo sendo o país + chiquista (2%), ainda assim a crença é menor que nessas regiões?

  90. Gorducho Diz:

    [...] sudoeste (SE) asiático &c.

  91. Marciano Diz:

    1. Diante do que foi dito acima, acho que meus comentários não foram lidos.
    2. Repito-os, desta vez destacando o que vale a pena ser lido:
    3. .
    4. .
    5. Marciano Diz:
    AGOSTO 5TH, 2015 ÀS 6:03 PM
    Para quem está chegando agora ao blog, reproduzo o que eu e VITOR dissemos a respeito da citação de Sagan:
    .
    1. Marciano Diz:
    JULHO 11TH, 2012 ÀS 10:10 PM
    Vitor, não fique bravo comigo, mas você fala isso porque no Demon Haunted World Sagan disse:
    .
    “At the time of writing there are three claims in the ESP field which, in my opinion, deserve serious study: (1) that by thought alone humans can (barely) affect random number generators in computers; (2) that people under mild sensory deprivation can receive thoughts or images ‘projected’ at them; and (3) that young children sometimes report the details of a previous life, which upon checking turn out to be accurate and which they could not have known about in any other way than reincarnation. I pick these claims not because I think they’re likely to be valid (I don’t), but as examples of contentions that might be true. The last three have at least some, although still dubious, experimental support. Of course, I could be wrong.”
    .
    NOTE QUE ELE DISSE QUE ESCOLHEU ESSAS REIVINDICAÇÕES “. . . NÃO PORQUE EU ACHE QUE SEJA PROVÁVEL QUE SEJAM VÁLIDAS (NÃO ACHO), MAS COMO EXEMPLOS DE AFIRMAÇÕES QUE P O D E R I A M (GRIFO DELE, NO ORIGINAL) SER VERDADEIRAS.”
    .
    Leia de novo o trecho acima, tirado do original.
    .
    No mesmo livro, mais adiante, ele diz:
    .
    “Each field of science has its own complement of pseudoscience. Geophysicists have flat Earths, hollow Earths, Earths with wildly bobbing axes to contend with, rapidly rising and sinking continents, plus earthquake prophets. Botanists have plants whose passionate emotional lives can be monitored with lie detectors, anthropologists have surviving ape-men, zoologists have extant dinosaurs, and evolutionary biologists have Biblical literalists snapping at their flanks. Archaeologists have ancient astronauts, forged runes and spurious statuary. Physicists have perpetual motion machines, an army of amateur relativity disprovers, and perhaps cold fusion. Chemists still have alchemy. Psychologists have much of psychoanalysis and almost all of parapsychology. Economists have long-range economic forecasting. Meteorologists, so far, have long-range weather forecasting, as in the sunspot-oriented Farmer’s Almanac (although long-term climate forecasting is another matter). Astronomy has, as its most prominent pseudoscience, astrology – the discipline out of which it emerged. The pseudosciences sometimes intersect, compounding the confusion – as in telepathic searches for buried treasures from Atlantis, or astrological economic forecasting.”
    .
    NOTE QUE ELE AFIRMA QUE A PARAPSICOLOGIA É A CONTRAPARTE PSEUDOCIENTÍFICA DA PSICOLOGIA.
    .
    Mais adiante, ele diz:
    .
    “THE QUESTION, AS ALWAYS, IS HOW GOOD IS THE EVIDENCE? THE BURDEN OF PROOF SURELY RESTS ON THE SHOULDERS OF THOSE WHO ADVANCE SUCH CLAIMS. Revealingly, some proponents hold that scepticism is a liability, that true science is inquiry without scepticism. They are perhaps halfway there. But halfway doesn’t do it. PARAPSYCHOLOGIST SUSAN BLACKMORE DESCRIBES ONE OF THE STEPS IN HER TRANSFORMATION TO A MORE SCEPTICAL ATTITUDE ON ‘PSYCHIC’PHENOMENA: A MOTHER AND DAUGHTER FROM SCOTLAND ASSERTED THEY COULD PICK UP IMAGES FROM EACH OTHER’S MINDS. THEY CHOSE TO USE PLAYING CARDS FOR THE TESTS BECAUSE THAT IS WHAT THEY USED AT HOME. I LET THEM CHOOSE THE ROOM IN WHICH THEY WOULD BE TESTED AND INSURED THAT THERE WAS NO NORMAL WAY FOR THE ‘RECEIVER’ TO SEE THE CARDS. THEY FAILED. THEY COULD NOT GET MORE RIGHT THAN CHANCE PREDICTED AND THEY WERE TERRIBLY DISAPPOINTED. THEY HAD HONESTLY BELIEVED THEY COULD DO IT AND I BEGAN TO SEE HOW EASY IT WAS TO BE FOOLED BY YOUR OWN DESIRE TO BELIEVE. I HAD SIMILAR EXPERIENCES WITH SEVERAL DOWSERS, CHILDREN WHO CLAIMED THEY COULD MOVE OBJECTS PSYCHOKINETICALLY, AND SEVERAL WHO SAID THEY HAD TELEPATHIC POWERS. THEY ALL FAILED. EVEN NOW I HAVE A FIVE-DIGIT NUMBER, A WORD, AND A SMALL OBJECT IN MY KITCHEN AT HOME. THE PLACE AND ITEMS WERE CHOSEN BY A YOUNG MAN WHO INTENDS TO ‘SEE’ THEM WHILE TRAVELLING OUT OF HIS BODY. THEY HAVE BEEN THERE (THOUGH REGULARLY CHANGED) FOR THREE YEARS. SO FAR, THOUGH, HE HAS HAD NO SUCCESS.
    .
    Até a Susan Blackmore tornou-se mais cética a respeito, com mais experiência.
    .
    Ainda mais adiante:
    .
    “Seances occur only in darkened rooms, where the ghostly visitors can be seen dimly at best. If we turn up the lights a little, so we have a chance to see what’s going on, the spirits vanish. They’re shy, we’re told, and some of us believe it. In twentieth century parapsychology laboratories, there is the ‘observer effect’: those described as gifted psychics find that their powers diminish markedly whenever sceptics arrive, and disappear altogether in the presence of a conjuror as skilled as James Randi. WHAT THEY NEED IS DARKNESS AND GULLIBILITY.”
    .
    Mais uma prova de que ele não levava a parapsicologia muito a sério.
    2. Vitor Diz:
    JULHO 11TH, 2012 ÀS 10:44 PM
    Marciano,
    tanto Sagan quanto Blackmore deixaram claro que uma parte da parapsicologia é legitimamente científica. No trecho que você selecionou do Sagan, ele disse que quase toda a parapsicologia é pseudociência. Quase toda. Então tem uma parte que não é. A própria Blackmore falou muito bem dos testes ganzfeld, como sem falhas metodológicas, atendendo a todas as diretrizes dos céticos. E o Pracontal não fala absolutamente nada a favor desse campo. No capítulo final ele faz uma defesa da psicanálise, ele poderia ter usado esse espaço para mostrar que a parapsicologia também tem uma contra-parte científica. Sagan não precisou mais do que um parágrafo para isso.
    .
    .
    IS THAT CLEAR NOW?

  92. Gorducho Diz:

    A pessoa prefere acreditar numa fantasia mirabolante do que na verdade, pois não tem estrutura para enfrentá-la.
     
    Uma variante disso é o porque de meu argumento c/o Dr. de que não concebo psiquiatra religioso. Qual seja: o psiquiatra entende esse mecanismo que é inerente ao menos aos pedestres. Mas daí então deve decorrer a compreensão por parte do profissional, da ausência de fundamentos ontológicos para a existência das divindades. I.e., o mesmo mecanismo de negação da realidade é o que produz as divindades na consciência.

  93. Marciano Diz:

    Sagan diz claramente que não acha que as afirmações da parapsicologia são verdadeiras, diz que ela é a contraparte pseudocientífica da psicologia. E AINDA É CITADO COMO EXEMPLO DE QUEM ACREDITAVA QUE PUDESSE SER VERDADE?
    .
    Nas palavras dele, para quem tiver preguiça de ler tudo e VER O CONTEXTO em que ele disse o que disse, não cherry picking:
    .
    “I pick these claims NOT BECAUSE I THINK THEY’RE LIKELY TO BE VALID (I DON’T), but as examples of contentions that might be true. The last three have at least some, although still dubious, experimental support. Of course, I could be wrong.”
    .
    Agora os destaques são meus.
    Terá Sagan escrito em INGLÊS CLARO?

  94. Marciano Diz:

    Para quem não sabe o que é cherry picking, é escolher as cerejas mais bonitas e colocá-las POR CIMA das ruins, para PARECER que estão todas boas.
    .
    O Dr. VLAD vive se contradizendo.
    Não é o único. Existem psiquiatras e físicos que se dizem crentes. Por quê, só o diabo sabe.

  95. Marciano Diz:

    Ainda que Sagan não tivesse deixado claro que não acreditava em parapsicologia e que Susan Blackmore não tivesse jogado todo seu trabalho NO LIXO, como diz com suas próprias palavras, no seu site, como diz GORDUCHO, seria a opinião deles.
    .
    Os crentes não poderiam aproveitar a parte mínima que lhes interessa e ignorar todo o resto.
    SE FOSSE ISSO.

  96. Antonio G. - POA Diz:

    Ler os comentários do blog (a maioria deles) é algo muito, mas muito divertido! Um desfile de criatividade, perspicácia, inteligência. Muito, muito bom!
    E, ainda por cima, é de graça!!!

  97. Antonio G. - POA Diz:

    Quisera ter mais tempo (e talento) para participar mais e tentar contribuir com algum conteúdo. Mas tô sempre aprendendo. Um dia, quem sabe…

  98. Vitor Diz:

    Marciano
    comentando:
    a) “Sagan diz claramente que não acha que as afirmações da parapsicologia são verdadeiras”
    .
    Correto, ele não acha que sejam. Porém, ele reconhece que possuem base empírica, e que poderiam ser verdade: “might be true”
    .
    b) diz que ela é a contraparte pseudocientífica da psicologia.
    .
    Ele diz: “Psychologists have much of psychoanalysis and almost all of parapsychology. ”
    .
    Ele exclui da lista de pseudociência justamente as pesquisas de reencarnação, gaznfeld e micro-pk.
    .
    c) E AINDA É CITADO COMO EXEMPLO DE QUEM ACREDITAVA QUE PUDESSE SER VERDADE?
    .
    Não que ele acreditasse que fosse verdade. Mas ele reconhecia que poderia ser verdade, e que não era pseudocientífico, tendo já alguma base empírica de apoio.

  99. Antonio G. - POA Diz:

    Sobre a questão dos destroços de um Boeing 777 encontrados nos confins do Oceano Índico: Parece que a hipótese de abdução está praticamente descartada, certo?

  100. Marciano Diz:

    Não está não, ANTONIO.
    Você não viu o depoimento da mãe de uma das vítimas, que postei acima?
    Se ela acha que a filha está viva, deve achar que foi abduzida.

  101. Vitor Diz:

    Sobre o MH370, lembrei daquele psíquico que tinha feito as previsões. O site dele permanece inalterado:
    .
    http://www.mediumthomas.com/en/blog/158-psychic-insights-into-malaysia-airlines-flight-370.html
    .
    Location of the Plane: I’ve been told the plane is “deep down” at the bottom of the Indian Ocean with no survivors. I am getting a strong hit on Latitude: 34.741612, Longitude: 97.646484.
    .
    Finding the Plane: A search in August/September 2014 will result in locating pieces of the plane, but only very minimal parts.
    .
    I am being shown we will have conclusive evidence in May/June 2015. We will know essentially what happened and be able to recreate some of it.
    .
    Only a very small amount of parts of the plane will ever be found since they are in an “unreachable” part of the ocean. I see big mountains and crevices, virtually impossible to locate.

    .
    Parece que POR ENQUANTO ele errou com respeito ao parágrafo sobre a evidência conclusiva apenas por um ou dois meses, considerando que a confirmação foi feita em agosto, mas que a parte da asa foi achada final de julho, certo? Ainda assim, acho que errou por pouco. Falta ver se o resto vai se confirmar.

  102. Marciano Diz:

    Como distinguir pseudociência de ciência:
    (EM PORTUGUÊS)
    .
    Como Distinguir Ciência de Pseudociência
    .
    A PSEUDOCIÊNCIA EXIBE INDIFERENÇA PELOS FATOS.
    Em vez de se dar ao trabalho de consultar referências ou investigar diretamente, seus proponentes limitam-se a regurgitar falsos “fatos” sempre que necessário. Estas ficções são amiúde cruciais para os argumentos e conclusões do pseudocientista. Ademais, pseudocientistas raramente revisam seus textos. A primeira edição dum livro pseudocientífico é quase sempre a última, muito embora ele continue a ser impresso por décadas ou mesmo séculos. Até mesmo livros com erros óbvios de conteúdo e impressão são reimpressos sem modificação, vezes sem conta. Compare-se isto aos compêndios científicos que são reeditados a cada punhado de anos, devido ao rápido acúmulo de novos fatos e critérios.

  103. Marciano Diz:

    A “PESQUISA” PSEUDOCIENTÍFICA É INVARIAVELMENTE MALFEITA.
    Os pseudocientistas recortam notícias de jornais, colecionam boatos, citam outros livros pseudocientíficos e debruçam-se sobre antigas obras religiosas ou mitológicas. Raramente ou nunca empreendem uma investigação independente para verificar suas fontes.
    A pseudociência parte duma hipótese — que geralmente possua apelo emocional e seja espetacularmente implausível — e a seguir busca somente os itens que a apoiem.
    Desprezam-se as evidências conflitantes. De modo geral, a pseudociência visa racionalizar crenças fortemente arraigadas, ao invés de investigar ou testar possibilidades alternativas. A pseudociência se especializa em atingir conclusões “apropriadas” e espicaçar ideologias, ao apelar a ideias preconcebidas e mal-entendidos disseminados.
    A PSEUDOCIÊNCIA É INDIFERENTE AOS CRITÉRIOS PARA ESTABELECER EVIDÊNCIA VÁLIDA.
    A ênfase não reside em experimentos científicos relevantes, controlados e repetíveis. Pelo contrário, baseia-se em testemunhos não verificáveis, histórias e lorotas, boatos, rumores e relatos dúbios. A literatura genuinamente científica ou é desprezada ou distorcida.

  104. Antonio G. - POA Diz:

    Vi, Marciano. Mas eu acho que ela pode estar enganada. Sei lá…

  105. Marciano Diz:

    A PSEUDOCIÊNCIA CONFIA MUITO NA VALIDAÇÃO SUBJETIVA.
    José da Silva aplica gelatina na cabeça, e sua dor de cabeça some. Para a pseudociência, isto significa que gelatina cura dores de cabeça. Para a ciência, isto nada significa, pois nenhum experimento foi realizado. Muitas coisas estavam ocorrendo quando a dor de cabeça de José da Silva sumiu — era lua cheia, um pássaro voou por sobre ele, a janela estava aberta, José vestia sua camisa vermelha etc. — e sua dor de cabeça acabaria indo embora de qualquer modo, fosse por que fosse. Um experimento controlado colocaria muitas pessoas numa mesma situação, exceto pela presença ou ausência do remédio que se desejasse testar, e compararia os resultados, que então teriam alguma possibilidade de ser relevantes. Muitos acham que a astrologia deve ter algo válido, pois um horóscopo de jornal descreve-os perfeitamente. Mas um exame detalhado revelaria que a descrição é genérica o bastante para enquadrar praticamente qualquer um. Este fenômeno, chamado de validação subjetiva, é um dos pilares do apoio popular à pseudociência.
    A PSEUDOCIÊNCIA DEPENDE DE CONVENÇÕES ARBITRÁRIAS DA CULTURA HUMANA, AO INVÉS DE REGULARIDADES IMUTÁVEIS DA NATUREZA.
    Por exemplo, a interpretação da astrologia baseia-se nos nomes de coisas, que são acidentais e variam de cultura a cultura. Se os antigos houvessem chamado de Marte ao planeta a que chamamos de Júpiter, a astronomia não daria a mínima, mas a astrologia seria totalmente outra, pois baseia-se exclusivamente no nome e nada tem que ver com as propriedades físicas do planeta em si.

  106. Antonio G. - POA Diz:

    Muito boa essa definição de pseudociência. E como tem, por aí.

  107. Antonio G. - POA Diz:

    Vitor, eu confesso que não acompanhei. O sensitivo acertou em alguma coisa, além do tempo para a evidência conclusiva?

  108. Marciano Diz:

    Leiam o resto em http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/08/150806_mh370_familiares_mdb
    O mecanismo bloqueou os comentários.

  109. Marciano Diz:

    Link errado.
    O certo é este: http://ateus.net/artigos/ceticismo/como-distinguir-ciencia-de-pseudociencia/

  110. Marciano Diz:

    A PSEUDOCIÊNCIA ACABA SEMPRE EM ABSURDO SE LEVADA ADIANTE.
    Talvez os rabdomantes possam sentir de algum modo a presença de água ou minerais no subsolo, mas quase todos afirmam poder detectá-los igualmente por meio de um mapa! Talvez Uri Geller seja um “paranormal”, mas será que seus poderes são a ele irradiados mediante uma ligação de rádio com um disco voador do planeta Huva, como ele alega? Talvez as plantas sejam “paranormais”, mas por que uma tigela de lama produz exatamente a mesma resposta no mesmo “experimento”?

  111. Marciano Diz:

    A PSEUDOCIÊNCIA SEMPRE EVITA SUBMETER SUAS ALEGAÇÕES A UM TESTE VÁLIDO (JÁ PERCEBERAM, NÃO?)
    Os pseudocientistas nunca efetuam experimentos cuidadosos e metódicos — e geralmente também desprezam aqueles realizados por cientistas. Os pseudocientistas tampouco efetuam acompanhamentos. Se algum pseudocientista declara ter realizado um experimento (tal como os estudos “extraviados” de Hermann Swoboda sobre biorritmos, que constituem a suposta base da moderna pseudociência da biorritmologia), nenhum outro pseudocientista procura repetir o experimento ou fiscalizar o autor, mesmo quando os resultados são inexistentes ou questionáveis! Ademais, quando um pseudocientista alega ter realizado um experimento de resultado notável, ele não o repete para verificar seus resultados e procedimentos. Isto está em franco contraste com a ciência, na qual experimentos cruciais são repetidos por cientistas do mundo todo, com precisão cada vez maior.

  112. Marciano Diz:

    A PSEUDOCIÊNCIA AMIÚDE SE CONTRADIZ, MESMO EM SEUS PRÓPRIOS TERMOS.
    Estas contradições lógicas são meramente desprezadas ou racionalizadas. Portanto, não deveríamos nos surpreender se o Capítulo 1 de um livro sobre rabdomancia afirma que rabdomantes usam galhos recém-cortados, pois somente a madeira “viva” consegue canalizar e focalizar a “radiação telúrica” que possibilita a rabdomancia, ao passo que o Capítulo 5 afirma que quase todos os rabdomantes empregam varas de metal ou plástico.

  113. Marciano Diz:

    A PSEUDOCIÊNCIA NÃO PROGRIDE (OUTRA COISA QUE TODOS JÁ DEVEM TER NOTADO)
    Ocorrem modas, e um pseudocientista pode mudar de uma moda a outra (de fantasmas à pesquisa de percepção extrasensorial, de discos voadores a estudos de paranormalidade, da percepção extrasensorial ao Abominável Homem das Neves). Porém, não se faz nenhum progresso num dado tópico. Obtém-se pouca ou nenhuma informação nova. Raramente se propõem novas teorias, e conceitos antigos raramente se modificam ou são descartados à luz de novas “descobertas”, já que a pseudociência raramente faz novas “descobertas”. QUANTO MAIS ANTIGA A IDEIA, maior o respeito que recebe. Nenhum fenômeno ou processo natural até então desconhecido da ciência foi descoberto por pseudocientistas. Na realidade, os pseudocientistas quase invariavelmente lidam com fenômenos bem conhecidos pelos cientistas, mas pouco conhecidos pelo público em geral — de sorte que o público engolirá qualquer alegação que o pseudocientista queira fazer. Como exemplos temos o andar sobre brasas e a fotografia “Kirlian”.

  114. Vitor Diz:

    “A PSEUDOCIÊNCIA EXIBE INDIFERENÇA PELOS FATOS.”
    .
    O Sam Harris critica o movimento cético justamente por isso:
    .
    My position on the paranormal is this: Although many frauds have been perpetrated in the history of parapsychology, I believe that this field of study has been unfairly stigmatized.
    .
    E óbvio que o estigma injusto veio do movimento cético.

  115. Marciano Diz:

    A PSEUDOCIÊNCIA BUSCA PERSUADIR COM RETÓRICA (E COMO!), PROPAGANDA E EMBUSTE, NO LUGAR DE EVIDÊNCIA VÁLIDA (QUE PRESUMIVELMENTE NÃO EXISTE).
    Os livros pseudocientíficos oferecem exemplos de quase toda a sorte de falácias de lógica e raciocínio conhecidas pelos estudiosos e têm inventado algumas novas. Um recurso favorito é o “non sequitur”. OS PSEUDOCIENTISTAS TAMBÉM ADORAM O “ARGUMENTO DE GALILEU”. ESTE CONSISTE EM O PSEUDOCIENTISTA COMPARAR-SE A GALILEU, DIZENDO QUE, ASSIM COMO O PSEUDOCIENTISTA É TIDO COMO EQUIVOCADO, TAMBÉM GALILEU O ERA POR SEUS CONTEMPORÂNEOS; LOGO, O PSEUDOCIENTISTA CERTAMENTE TEM RAZÃO, EXATAMENTE COMO GALILEU. É claro que esta conclusão não procede! Ademais, as ideias de Galileu foram testadas, verificadas e prontamente aceitas por seus colegas de ciência. A rejeição proveio da religião oficial, que favorecia a pseudociência, contradita pelas descobertas de Galileu.

  116. Marciano Diz:

    A PSEUDOCIÊNCIA ARGUMENTA COM BASE NA IGNORÂNCIA OU NUMA FALÁCIA ELEMENTAR.
    Muitos pseudocientistas baseiam suas alegações na incompletude de informações sobre a natureza, ao invés de basear-se no que se sabe até agora. Mas não há como comprovar uma alegação mediante falta de informação. O fato de que as pessoas não identificam o que veem no céu significa apenas que elas não identificam o que veem. Isto não quer dizer que discos voadores provêm do espaço extraterrestre. A afirmação “A ciência não consegue explicar” é comum na literatura pseudocientífica. EM MUITOS CASOS, A CIÊNCIA NÃO TEM INTERESSE NOS SUPOSTOS FENÔMENOS POR NÃO HAVER EVIDÊNCIA DE QUE EXISTAM; noutros casos, a explicação científica é bem conhecida e demonstrada, mas o pseudocientista não sabe disso ou despreza deliberadamente o fato para criar mistério.

  117. Vitor Diz:

    Marciano,
    comentando:
    .
    O sensitivo acertou em alguma coisa, além do tempo para a evidência conclusiva?
    .
    Por enquanto não. Creio que ele errou com relação à data de setembro de 2014, pois não lembro de partes mínimas terem sido localizadas. Mas, por enquanto está acertando no trecho “only a very small amount of parts of the plane will ever be found “

  118. Marciano Diz:

    A PSEUDOCIÊNCIA APELA À FALSA AUTORIDADE, EMOÇÃO, SENTIMENTO OU DESCONFIANÇA DE UM FATO COMPROVADO.
    Um indivíduo que abandonou o curso secundário é aceito como expert em arqueologia, embora nunca a tenha estudado! Um psicanalista é aceito como expert em todos os aspectos da história humana, sem contar física, astronomia e mitologia, muito embora suas alegações sejam incompatíveis com tudo que se sabe nestas quatro áreas. UM FÍSICO DIZ QUE UM “PARANORMAL” JAMAIS PODERIA ENGANÁ-LO COM MEROS TRUQUES DE MÁGICA, EMBORA ELE NADA SAIBA SOBRE MÁGICA E PRESTIDIGITAÇÃO. Apelos emocionais são comuns (“Se isto o fará sentir-se bem, deve ser verdade.”; “No fundo de seu coração você sabe que isto está correto”). Os pseudocientistas gostam de conspirações imaginárias (“Há farta evidência sobre discos voadores, mas o Governo mantém segredo.”). E argumentam com irrelevâncias; ao ser confrontados por fatos inconvenientes, limitam-se a retrucar: “Os cientistas não sabem tudo!”

  119. Antonio G. - POA Diz:

    Vitou, fui eu quem perguntou. Mas obrigado pela resposta.

  120. Marciano Diz:

    VITOR, ele está acertando numa coisa esperada, pois dificilmente serão encontrados todos os destroços.
    E você está fazendo uma aposta, sem perceber.
    Que dirá sobre ESTE seu comentário acima, se forem encontradas as turbinas, gravadores de vôo, grande parte da fuselagem?

  121. Gorducho Diz:

    Digo que se acharem num raio esférico de 5NM da coordenada informada pelos espíritos, acreditarei que houve informação Sobrenatural.
    Não perca essas coordenadas!
     
    O que temos até agora é bullshit. Que eu saiba nada acharam no ano 14, e agora “evidência conclusiva” de que?
    De que ele caiu no mar?
    Mas então o médium achava o que: que ele tinha sido desmaterializado e transportado p/Alcyonone?

  122. Marciano Diz:

    OS PSEUDOCIENTISTAS INVENTAM SEU PRÓPRIO VOCABULÁRIO, NO QUAL MUITOS TERMOS CARECEM DE DEFINIÇÕES PRECISAS OU SEM AMBIGUIDADE, E ALGUNS NÃO POSSUEM NENHUMA DEFINIÇÃO.
    Os ouvintes são amiúde forçados a interpretar as afirmações conforme suas próprias preconcepções. Por exemplo, o que significa “energia biocósmica” ou “sistema psicotrônico de amplificação”? Os pseudocientistas buscam com frequência imitar o jargão científico e técnico jorrando uma algaravia que soa científica e técnica. Os curandeiros estariam perdidos sem o termo “energia”, mas o emprego que dele fazem não tem absolutamente nada que ver com o conceito de energia usado pelos físicos.

  123. Antonio G. - POA Diz:

    Então, o que o sensitivo acertou me parece muito pouco. E “only a very small amount of parts of the plane” é bastante impreciso. Deixa margem para destroços que vão de um botão de descarga do sanitário da aeronave até um pedaço de asa de dois metros de comprimento.

  124. Marciano Diz:

    GORDUCHO, o avião cruzou aquela faixa de luz a que DPF se refere naquela assas hilariante palestra.
    .
    A PSEUDOCIÊNCIA APELA AOS CRITÉRIOS DE COMPROVAÇÃO DA METODOLOGIA CIENTÍFICA, AO MESMO TEMPO EM QUE NEGA A VALIDADE DESTES (E COMO GOSTAM DA FALAR EM METODOLOGIA CIENTÍFICA).
    Assim, um experimento realizado de forma inválida, que parece mostrar que a astrologia funciona, é proposto como “prova” de que a astrologia está correta, ao mesmo tempo em que se desprezam milhares de experimentos executados corretamente que provam que ela não funciona. O fato de que alguém se deu bem usando simples truques de mágica nalgum laboratório científico é “prova” de que ele é um super-homem paranormal, enquanto se despreza o fato de que ele foi flagrado tapeando em diversos outros laboratórios.

  125. Gorducho Diz:

    Isso de dizer que apenas uma parte pequena é o tradicional [CENSURADO DEVIDO AO ALTO NÍVEL DO SÍTIO] dos “médiuns”. Basta a os médiuns do mundo se reunirem c/as mamães à la CX e convencerem o Premier malaio ou o Tony Abbott a passar o robozinho nesse abissal.
    Tão difícil?

  126. Vitor Diz:

    “Que dirá sobre ESTE seu comentário acima, se forem encontradas as turbinas, gravadores de vôo, grande parte da fuselagem?”
    .
    Aí vou dizer que ele errou essa parte. Mas e se for confirmado que o avião caiu na latitude e longitude por ele explicitada? Não seria fantástico? O fato de ele ter errado a data da evidência conclusiva por apenas ou ou dois meses (dependendo se vc considera a data do achado da asa ou a data da confirmação) faz com que mereça alguma atenção. Se depois tudo o que ele disser for completamente errado, paciência. A hipótese mais provável seria que ele não é psíquico ou nesse caso específico não se saiu bem, e sua confiabilidade teria que ser medida pelo acúmulo de outros casos bem documentados.

  127. Marciano Diz:

    assaz hilariante;
    Tá vendo, ANTONIO, como o poltergeist existe, quer você o ignore ou não?
    .
    CIÊNCIA
    Buscam-se e estudam-se as falhas atentamente, pois teorias incorretas amiúde levam a conclusões corretas, mas nenhuma teoria correta leva a predições incorretas.
    PSEUDOCIÊNCIA
    As falhas são desprezadas, desculpadas, escondidas, falsificadas, amenizadas, racionalizadas, esquecidas, evitadas a todo custo.

  128. Marciano Diz:

    VITOR, não sei se reparou, mas uma das duas coisas vai acontecer.
    Se o psychic acerta em parte, você considera um sucesso.
    Se ele erra em tudo, não era um escocês de verdade, y’know what I’m saying?

  129. Marciano Diz:

    CIÊNCIA
    Com o passar do tempo, mais e mais se aprende sobre os processos físicos em estudo.
    PSEUDOCIÊNCIA
    Nunca nenhum fenômeno ou processo físico é descoberto ou estudado. Nenhum progresso é feito; nada de concreto é aprendido.

  130. Vitor Diz:

    Marciano,
    isso se chama testabilidade. H0 e H1. Faz parte da ciência. E também não cometo o erro de colocar tudo no mesmo saco. Cada caso é um caso.

  131. Demóstenes Diz:

    Marciano,
    thank you man, sorry for my rudeness./obrigado, desculpa a minha indelicadeza.
    .
    Como as pesquisas sobre reencarnação explicam as marcas de nascença? Falam sobre o perispírito? Nós (espiritas) acreditamos que o perispírito é o molde do corpo, trazendo inclusive as cicatrizes deste.
    .

  132. Marciano Diz:

    E NESTE caso (MH370), o tempo dirá.
    Nossas palavras estão registradas.
    Vou dar um tempo, pois estou perdendo meu pão de cada dia. Sou profissional liberal, não tenho salário.
    Saio a contragosto, mas volto assim que puder.

  133. Gorducho Diz:

    Sim, o definidor serão os motores e/ou fuselagem. Turbinas e compressores não se desintegram no impacto e portanto afundam.
    Direi que sim, se num raio de 5NM no leito abissal referido à vertical negativa local em relação à coordenada informada pelos espíritos (WGS84 – 2004?).
    Se sim é fato Sobrenatural.
    Já lhe disse e repito: eu aceito e proponho experimentos. Quem foge deles são vocês, não a nossa bancada.

  134. Marciano Diz:

    DEMÓSTENES, não há de que se desculpar, você é um gentleman.
    Eu conheço a hipótese espírita e a parapsicológica das marcas, mas se fosse verdade, o perispírito seria irreconhecível e disforme, depois de algumas milhares de reencarnações.
    Agora, eu preciso mesmo sair do blog.
    Um abraço a todos.

  135. Gorducho Diz:

    Já foi tratado cá, Sr. Demóstenes: como fica em caso de explosão ou queima tipo aquele aparelho da TAM em Congonhas?
    Reencarnariam caso em pedaços como formigas (cada) pedaço), ou seres de equivalente volume – já que segundo o Analista Borges (peri)-espíritos não têm massa, contrariando a Drª Marlene Nobre…
    Ou então morrem de vez dependendo da extensão dos danos. Dizem que o André Luiz revelou isso a CX que espíritos de fato morrem, mas o Wantuil Freitas, que controlava-o, censurou por ir contra os domas religiosos espíritas. Mas é disque-disque :(

  136. Antonio G. - POA Diz:

    Pois é… se os especialistas espíritas divergem tanto sobre questões tão básicas, como é que desenrolamos estas dúvidas? Fica difícil…

  137. Antonio G. - POA Diz:

    Será que não estão todos equivocados?
    P.S. O termo equivocado é para ser gentil.

  138. Demóstenes Diz:

    Gorducho,
    Em ambos os casos, creio que o molde seja reconstruído a partir do último instante da vida, enquanto houver consciência. No caso de queimadura, é possível ver marcas na pele ou perispírito e o espírito/médium se debatendo, pedindo ajuda. Como se ele ainda estivesse queimando.
    Em trabalho mediúnicos, já “pensei” em mãos com pele queimadas.
    .
    Não creio que o individuo encarnado traga marcas, justo pelo que o Marciano falou. Mas na fisionomia, acredito, tenho na família pessoas que parecem chineses e japoneses, não temos parentescos orientais. Inclusive uma, que se casou com um baiano com hábitos orientais.
    .

  139. Gorducho Diz:

    Não creio que o individuo encarnado traga marcas &c.
     
    Certo: como espírita está sendo coerente c/a dogmática espírita; joga fora os estudos do IS. Só que não pode ser uma cousa e outra: quando convém há provas por causa dos trabalhos científicos do Dr. Stevenson. Mas, se contraria os dogmas do Kardec então não é bem assim.
    Isso que mais criticamos no espiritismo: sempre vai conforme a conveniência instantânea que justifique a crença religiosa.
    Quando convém os espíritos escrevem em francês invertido e formulam enigmas em latim ciceroniano. Quando não convém não sabem nem se enxergam o ambiente (a Administração citou cá essa pérola :mrgreen: ) ou não, e só são capazes de transmitir emoções ao “médium”.

  140. Antonio G. - POA Diz:

    Marciano, você falou no poltergeist porque saiu (não é que eu tenha digitado errado) Vitou, e não Vitor?

  141. Demóstenes Diz:

    Gorducho,
    Não descarto nenhum estudo. Mas as pesquisas de reencarnação, devem se concentrar no psicológico, na mente, nos costumes, até nos “cacuetes” (manias) do individuo anterior para o atual.
    .
    Se o sr. Stevenson, conseguir provar esses detalhes no ser. Então explicaria, também a lenda espírita que um ser é homosexual, por ter um perispírito com gênero diferente do corpo. corpo=homem x perispírito=mulher.
    Tudo está na mente.
    .

  142. Antonio G. - POA Diz:

    Deve haver uma boa explicação para o meu lesbianismo.

  143. Vladimir Diz:

    Antonio,
    .
    Cuidado com a Homofobia…

  144. Vladimir Diz:

    O “Energossoma” é afetado, já o Psicosoma e o Mentalsoma não.
    .
    Com exceção de uma explosão atômica, pois essa sim afetaria o Psicosoma também

  145. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vitor Diz:
    .
    Montalvão: 01 – “coitado do Sagan, deve estar, tumularmente, se coçando todinho ao deparar leitura tal de suas palavras…”
    .
    VITOR: Eu acho infinitamente mais fácil seus professores de português e de inglês estarem se revirando no túmulo. De qualquer forma, segue o original:
    .
    [...]
    .
    [tradução]: “No momento em que escrevo, acho que três alegações no campo da percepção extrasensorial (ESP) MERECEM ESTUDO SÉRIO: (1) que os seres humanos conseguem (MAL) influir nos geradores de números aleatórios em computadores usando apenas o pensamento; (2) que as pessoas sob privação sensorial branda conseguem receber pensamentos ou imagens que foram nelas “projetados”; e (3) que as crianças pequenas às vezes relatam detalhes de uma vida anterior que se revelam precisos ao serem verificados, e que não poderiam ser conhecidos exceto pela reencarnação.
    .
    NÃO APRESENTO ESSAS AFIRMAÇÕES POR ACHAR PROVÁVEL QUE SEJAM VÁLIDAS (NÃO ACHO),
    .
    mas como exemplos de afirmações que poderiam ser verdade. Elas têm, pelo menos, um fundamento experimental, embora ainda dúbio.”.
    ./
    /
    VITOR: Assim, ELE VÊ A REENCARNAÇÃO COMO TENDO EVIDÊNCIA EMPÍRICA, e embora admita que ele possa estar errado, na visão dele, possui inclusive evidência experimental (ele DEVE estar se referindo aos casos de marca de nascença experimental e/ou aos testes de reconhecimento de pessoas, locais e objetos).
    /.
    PONDERAÇÃO: essa é conversa tipo chover no molhado: assunto discutido e elucidado anteriormente volta a ser apresentado como se nada dele houvera sido comentado. E pior, com os mesmos dramáticos equívocos de leitura. O que mostra que já não mais se fazem “especialistas” em interpretação de textos como antigamente… Então, o declarante diz considerar que as alegações que relaciona “merecem estudo sério” e pimba! Ei-lo travestido em reencarnacionista! Do piru mesmo!
    .
    Vários analistas aqui se pronunciaram, em diversos momentos, e deram a melhor interpretação ao dito por Sagan (veja, por exemplo, as considerações do Marciano). Mas deve ser melhor fazer ouvidos de mercador e transformar em reencarnacionista o incapacitado de protestar Sagan.
    .
    Vamos a um FLASH BACK:

    =====================================.
    Montalvão Diz: JULHO 22ND, 2014 ÀS 13:04
    .
    [...]
    VITOR disse: Quanto aos “frutos” da reencarnação: a reencarnação parece infinitamente mais possível hoje do que em 1960, quando Stevenson publicou o seu primeiro artigo sobre o assunto. Vários céticos como Sagan e Sam Harris consideraram as pesquisas de reencarnação como merecedoras de maior escrutínio científico. Atualmente um colunista da Scientific American publicou uma matéria em que elogia o trabalho investigativo de Stevenson, [...]
    .
    MONTALVÃO responde: essa de que a reencarnação hoje “pareça INFINITAMENTE mais possível que em 1960” é nítido exagero de deslumbrado. O que hoje há são estrelinhas, que fazem alarde das pesquisas “científicas” da reencarnação, quase todas escudadas e inspiradas nas incursões de Stenvenson e seguidores; a outra parcela apoia-se nas imaginadas “recordações de vidas pregressas”, obtidas por hipnose.
    .
    O fato de Carl Sagan sugerir que houvesse maiores e melhores investigações sobre alegações infantis de vidas passadas, não significa que admitisse a validade da reencarnação [ele próprio, textualmente, afirmou que não achava a reencarnação válida, sim que achava válido que houvesse pesquisas sérias],
    e mesmo que Sagan fosse reencarnacionista tal não garantiria um dedal de legitimidade à crença. Nunca é demais lembrar que Sagan, após externar sua opinião de que reencarnação e paranormalidade fossem melhor investigadas, acrescentou:
    .
    “Não apresento essas afirmações por achar provável que sejam válidas (NÃO ACHO), mas como exemplos de afirmações que poderiam ser verdade. Elas têm, pelo menos, um fundamento experimental, embora ainda dúbio. Claro, eu posso estar errado.”
    .
    Parafraseando Sagan, alguns de nós poderiam dizer (e dizem): “não acho que espíritos comunicam ou que a reencarnação seja realidade, mas tais alegações têm um fundamento experimental, embora historicamente dúbio, incerto e indefinido. Por isso, proponho que experimentos objetivos sejam implementados visando responder de vez se há qualquer perspectiva razoável de que essas ideias tenham validade.”
    .
    Em relação à tão festejada pesquisa de Stenvenson, que alguns utilizam para demonstrar que reencarnação esteja “provada”, o que é que esse investigador demonstrou de efetivo em favor da múltiplas existências? Muito pouco, um quase nada, aliás, demonstrar mesmo, não demonstrou coisa alguma. O que de melhor o trabalho de Stenvenson permite é que se diga:
    .
    “em certas comunidades, principalmente na Ásia, ONDE A CRENÇA NA REENCARNAÇÃO É FORTEMENTE CULTIVADA, pequeno número de crianças alega ter vivido no corpo de outra pessoa, já falecida”.
    .
    Ponto. O que passar daí é especulação sem fundamento.
    .
    Outro ponto a considerar: as lembranças das crianças asiáticas, se olhadas pela psiquiatria ocidental, dão indicações de patologia ou fabulação. Em boa parte dos casos, os infantes não recordam no sentido comum do termo, como um adulto falaria da rememoração da infância, mas dizem ser a pessoa morta: até exigem retornar à família do falecido e reassumir os bens que lhe pertencem. Provavelmente há motivação psicossocial a incentivar que pseudorrecordações como essas tenham lugar. Aspecto que não foi bem investigado pelos caçadores de reencarnação.
    .
    Pretender, pois, afirmar evidências da reencarnação com o trabalho de Stenvenson é no mínimo temerário. Fico com Sagan: que se façam melhores e mais aprofundadas pesquisas, e esse conselho serve para os que dão seguimento à herança stevensoniana, os quais permanecem jungido aos estreiros limites em que o patriarca atuou e alcançou.
    ===================================.
    Fim do Flash Back.
    .
    Ofereço hecatombe a Apolo, rogando-lhe que conceda tantinho de senso dos bons à parcela da humanidade crédula em multividas.

  146. Gorducho Diz:

    Tai, bom exemplo! Grassouillet estava parado na parada de bonde na vertical duma bomba térmica: corpo completamente gaseificado inclusive c/as moléculas dissociadas em átomos (e/ou íons como certamente obtemperará o AB…).
    Impossível haver reencarnação em nenhum globo: peri-morte definitiva do ser; ou errará desmaterializado pelo restante dos tempos!

  147. Demóstenes Diz:

    Vladimir,
    Já vi um vídeo do Prof. Waldo comentando sobre isso. Não conheço a linha de pensamento da conscienciologia. Mas creio que o Mentalsoma, retomando o equilíbrio, “reconstruiria” o piscossoma.
    https://infotares.files.wordpress.com/2011/06/holossoma-frente-100-dpi.jpg
    .
    Gorducho,
    Átomo ou ions é matéria. A matéria, para espírito e seu perispírito não é obstáculo.
    .

  148. Vitor Diz:

    recomentando o flashback:
    .
    a) “essa de que a reencarnação hoje “pareça INFINITAMENTE mais possível que em 1960” é nítido exagero de deslumbrado.”
    .
    Não há exagero algum. Tanto que Sam Harris admite que existe evidência extraordinária para a reencarnação baseado na pesquisa de Stevenson. Ele diz:
    .
    There may even be some credible evidence for reincarnation. See I. Stevenson, Twenty Cases Suggestive of Reincarnation (Charlottesville: Univ. Press of Virginia, 1974), Unlearned Language: New Studies in Xenoglossy (Charlottesville: Univ. Press of Virginia, 1984), and Where Reincarnation and Biology Intersect (Westport, Conn.: Praeger, 1997).
    .
    b) “O que hoje há são estrelinhas, que fazem alarde das pesquisas “científicas” da reencarnação”,
    .
    Por que as aspas? Isso é insano de sua parte. As pesquisas SÃO científicas. São publicadas inclusive em revistas do mainstream, algumas com alto fator de impacto. E, como visto, dignas de serem citadas até por céticos ‘líderes’ do movimento neo-ateísta como Harris.
    .
    c) “O fato de Carl Sagan sugerir que houvesse maiores e melhores investigações sobre alegações infantis de vidas passadas, não significa que admitisse a validade da reencarnação [ele próprio, textualmente, afirmou que não achava a reencarnação válida, sim que achava válido que houvesse pesquisas sérias]“,
    .
    Errado, ele achou válida a possibilidade que a reencarnação ocorresse sim, quando disse “might be true”, embora não apostasse suas fichas nela. E reconheceu que tinha suporte empírico, e explicitamente excluiu a pesquisa da reencarnação do campo da pseudociência.
    .
    d) “e mesmo que Sagan fosse reencarnacionista tal não garantiria um dedal de legitimidade à crença”.
    .
    Óbvio ululante. Mas é claro que sua opinião quanto às pesquisas possui impacto para sua aceitação por seus pares.
    .
    e) Parafraseando Sagan, alguns de nós poderiam dizer (e dizem): “não acho que espíritos comunicam ou que a reencarnação seja realidade, mas tais alegações têm um fundamento experimental, embora historicamente dúbio, incerto e indefinido. Por isso, proponho que experimentos objetivos sejam implementados visando responder de vez se há qualquer perspectiva razoável de que essas ideias tenham validade.”
    .
    A sua segunda frase não corresponde ao pensamento de Sagan, porque ele considerava que a ideia de reencarnação tinha sim validade, embora não apostasse suas fichas nela. Ele diz: “não apresento essas afirmações por achar provável que sejam válidas (não acho),mas como exemplos de afirmações que poderiam ser verdade. ” Então a ideia de reencarnação é válida, mas na opinião dele, improvável. Sua segunda frase elimina mesmo o caráter improvável, por isso sua paráfrase está errada, simples assim.
    .
    f) “Em relação à tão festejada pesquisa de Stenvenson, que alguns utilizam para demonstrar que reencarnação esteja “provada”, o que é que esse investigador demonstrou de efetivo em favor da múltiplas existências? Muito pouco, um quase nada, aliás, demonstrar mesmo, não demonstrou coisa alguma.
    .
    Sam Harris discorda. Ele considera que a a evidência pode ser considerada crível.

  149. Gorducho Diz:

    Átomo ou ions é matéria. A matéria, para espírito e seu perispírito não é obstáculo.
     
    Falha de expressão minha com certeza… :(
    Se segundo os estudos do IS (Ian Stevenson, não Islamic State) o indivíduo morreu dum machadaço nas pradarias reencarna c/uma marca proporcional no pescoço devido à cicatriz produzida no periespírito, o que acontecerá – aproveitando o exemplo do Dr. – se o corpo ionizar-se (mais que vaporizar-se, veja) devido a uma bomba térmica?
    Segundo os estudos científicos do Dr. IS, é claro que ser-lhe-á impossível reencarnar. Para esses norte-norteamericanos isso não é problema pois que ao que me conste não postulam necessidade de reencarnações. Mas para os kardecistas, filipinistas e chiquistas (e talvez outras linhas espíritas – umbanda não sei se tem reencarnação romântica na, o Sr. poderá elucidar) está contrariado o dogma. Então essas linhas espiritas não podem invocar em seu auxílio os estudos o IS tentando legitimar a crença. Mas às vezes o fazem!
    Deixe-me saber se fui claro agora…

  150. Marciano Diz:

    En passant:
    .
    ANTONIO, a letra “u” fica a 3 teclas de distância da letra “r”.
    Uma é pressionada com o indicador da mão direita, a outra com o indicador da esquerda.
    Não pode ser erro de digitação.
    .
    Não há erro de gramática que explique o erro. A conclusão é óbia: está “provada” a existência do poltergeist do blog.
    .
    .
    .
    Vladimir Diz:
    AGOSTO 6TH, 2015 ÀS 2:02 PM
    O “Energossoma” é afetado, já o Psicosoma e o Mentalsoma não.
    .
    .

    OS PSEUDOCIENTISTAS INVENTAM SEU PRÓPRIO VOCABULÁRIO, NO QUAL MUITOS TERMOS CARECEM DE DEFINIÇÕES PRECISAS OU SEM AMBIGUIDADE, E ALGUNS NÃO POSSUEM NENHUMA DEFINIÇÃO.
    Os ouvintes são amiúde forçados a interpretar as afirmações conforme suas próprias preconcepções. Por exemplo, o que significa “energia biocósmica”, “ENERGOSSOMA”, “PSICOSSOMA”, “MENTALSOMA” ou “sistema psicotrônico de amplificação”? Os pseudocientistas buscam com frequência imitar o jargão científico e técnico jorrando uma algaravia que soa científica e técnica. Os curandeiros estariam perdidos sem o termo “energia”, mas o emprego que dele fazem não tem absolutamente nada que ver com o conceito de energia usado pelos físicos.

  151. Marciano Diz:

    Psiquiatra que fala em “ENERGOSSOMA” (o invólucro vibratório, energético, luminoso, vaporoso e provisório que coexiste estruturalmente e circunvolve o corpo humano, estreitamente ligado à exteriorização de energias, ao cordão de prata e aos chacras; agente energético intermediário entre o psicossoma e o corpo humano), está precisando da ajuda de um coleta ou está de gozação. Ou não é psiquiatra coisa nenhuma.
    .
    Volto mais tarde.
    Não é ameaça, é aviso.

  152. Marciano Diz:

    colega – coleta – o “t” e o “g” ficam próximos.
    Esta não é obra do poltergeist.
    Vou chegar atrasado à próxima audiência, mas vale a pena.
    Tomara que não seja adiada por causa do meu atraso (elas nunca começam na hora, são como consultas médicas), ou eu começo a perder dinheiro por causa dos crentes.

  153. Vinicius Diz:

    GORDUCHO
    Gorducho, além das suas macros Excel, o que acha do método proposto pelo Padre Quevedo no trecho da entrevista abaixo? Os dois mil dólares pode descartar rs. Rs.
    “DSP – Como o senhor explica a existência de fenômenos
    sobrenaturais, como cartas psicografadas por Chico Xavier? Padre Quevedo – Em primeiro lugar, afastem os vivos a mais de 50 metros de distância do local onde aconteceram os fenômenos e coloquem
    câmeras de vídeo em toda a parte. Aí sim vamos ver se os espíritos aparecem mesmo para se manifestar. Se a caneta se levantar nas mãos de um médium que estiver a mais de 50 metros distante de mim e conseguir escrever a minha letra, dou dois mil dólares a ele.
    (trecho retirado de http://www.usinadeletras.com.br/exibelotexto.php?cod=1943&cat=Textos_Jur%EDdicos)”

  154. Vinicius Diz:

    Sobre tentar “provar” a reencarnação recordo-me de estudos promovidos pelo Sr. Hernani Guimarães Andrade, por meio de seu estudo de pesquisas psicobiofísicas, de crianças e adultos que se lembram de detalhes de suas alegadas vidas passadas. Falam sobre lugares, pessoas e etc.
    Particularmente acho falta de humildade falar que a reencarnação está provada. Poxa vida, levamos milhares de anos para nos comunicarmos uns com os outros através das ondas celulares e internet , porque seria tao rápido assim provar reencarnação, espiritos etc.. Tudo fica nas hipóteses de trabalho, é melhor, ainda não descartei nada.

  155. Borges Diz:

    Baseado nos artigos que li, sendo verdade ou não, posso concluir que o perispírito é reconstruído na erraticidade. Quando o desencarnado volta a reencarnar antes que a lesão seja totalmente sanada, seu corpo pode apresentar marca ou deficiência relacionada com a lesão da encarnação anterior. Existe um relato de LVP, feito por uma criança que se dizia ter sido um policial morto a tiro no coração em vida passada; esta criança teve que ser submetida a uma cirurgia no coração, exatamente numa região que correspondia ao ponto da lesão do corpo do policial.
    Para o Vitor ou comentarista:- Gostaria de saber se o caso de LVP de Jenny Cockell, que serviu de base para o filme “Minha vida na outra vida”, foi pesquisado pelo Dr. Ian Stevenson.
    Obrigado

  156. Gorducho Diz:

    É isso Sr. Vinícius: as alegações dos espíritas não se sustentam. Nossa proposta é bem mais simples: é provar que há um espírito no recinto. Só.
    Não nos interessam fofocas ou detalhes íntimos familiares: quem comeu quem na família; onde fica o porta retratos da vovozinha.
    Então e ele está presente no recinto, lê algo ou lobriga alguma imagem que ninguém sabe qual é – p/evitar alegações de telepatia – e todos conferem. Ponto: fim da polêmica.
    Depois se ele se identificar como sendo o falecido titio do Grassouillet, pode este perguntar sobre os podres familiares: não é excludente. Mas primeiro vamos ver se tem espírito no recinto e, claro, se tem médium!
    M/macro foi como alternativa à proposta do AB de serem 10 roletas acionadas remotamente, o que me pareceu complexo e caro :(

  157. Vinicius Diz:

    Vamos ver se compreendi Sr.Gorducho: o suposto espírito exporia detalhes de alguma coisa (que se possa inspecionar depois e tal) que ninguém saiba de antemão, dai alguém depois iria conferir tais informações, se batiam.
    Claro, após as solicitações de autenticidade, viriam os podres de quem comeu quem kkk
    Não sei se leu a Livro dos Médiuns do Kardec, se sim, o que acha sobre a parte que ele fala que é dificil identificar os espiritos, espiritos que falam que são outras pessoas, tipo, sou Santo Agostinho, sou Jesus e na verdade ou não são ou “não tem como saber”… Kardec diz que usa o método do linguajar mas o alegado espirito poderia muito bem abrir uma obra do além e falar coisas bonitas a todos …

  158. Gorducho Diz:

    O espírito não exporia detalhe de nada. Conforme o desenho do experimento ou leria um trecho de enciclopédia aberta aleatoriamente; ou alguma imagem gerada de dum banco de imagens; ou 10 n°s aleatoriamente na tela que é a verão eletrônica das roletas (semelhante às imagens só varia se expõe n° ou imagem na tela; ou claro as roletas.
    P/nós da n/bancada nada mais interessa. Digo que após isso se alguém quiser pode perguntar o que bem entender.
    E a identidade da alma também não nos interessa: só queremos saber se há alguma alma no recinto e, óbvio, se existem médiuns agora depois do falecimento de Mrs. Piper.

  159. Demóstenes Diz:

    É possível, porem bastante difícil. Para o som audível do espírito seria preciso o ectoplasma e a sintonia da bancada. Uma vez, creio que só os membros da bancada participariam da sessão. Sintonia é um pensamento em algo, luz, deuses, respiração etc.
    .
    Não seria mais fácil receber um recado escrito de vários centros diferentes cujos os indivíduos não se conheçam? Se daria um nome e veria o resultado.
    .
    Um detalhe, o Livro dos espíritos diz que o perispírito é constituído de elementos do planeta, ao sair para o espaço, o ser deixa os elementos, sai sem nada só a inteligência ou pensamento. O perispírito pode ser formado da menor partícula (matéria ou antimatéria) do nosso e de outros astros.
    .

  160. Gorducho Diz:

    Não se trata de som audível, Sr. Demóstenes: é psicografia ou psicofonia via médium – depende claro do médium.
    Nós não queremos recado de vários centros: só queremos saber se há um espírito no recinto e se claro o suposto médium é médium.

  161. Gorducho Diz:

    Não, não é só n/bancada. São (digamos) 5 céticos (nós) e 5 crentes. Totalmente transparente, com metodologia combinada previamente.
    A FEB e a AME Brasil ou estaduais; os parapsicólogos aqueles conhecidos da Administração; todos podem nomear seus representantes. Tudo /absoluta transparência e filmado proponho eu por empresa de segurança p/nos resguardarmos quanto à salvação dos dados.
    Ou seja: assim como nós não somos bobos de acreditar nos “estudos” produzidos pelos Crentes, também não requeremos a recíproca.

  162. Marciano Diz:

    VINICIUS, não sei se você sabe, mas o Quevedo acredita que depois dos 50 metros o psíquico não consegue provocar o fenômeno.
    Ele não acredita em espíritos se manifestando, mas acredita na energia psicodélica do psychic, sapiente ou não.
    Em outras palavras, troca seis por meia-dúzia.
    .
    BORGES, desculpe a minha curiosidade, mas gostaria de saber (se você concordar) há quanto tempo você é espírita.
    Acho que não faz muito tempo, ou então você não é leitor ávido da obra espírita.
    Penso assim porque você parece estar misturando o kardecismo renovado no chiquismo com parapsicologia, objeto de estudos do Stevenson.
    Isto não tem nada a ver nem com o kardecismo original nem com o atual chiquismo/divaldismo.
    Se acertei e se você não acredita em mim, pergunte a alguém antigo no centro que você frequenta.
    Perdão se estou enganado a seu respeito. É que conheço vários espíritas, católicos, protestantes, etc., e todos eles não sabem que não conhecem profundamente suas crenças.
    Tem católico que não acredita no milagre da transubstanciação da hóstia e não sabe que TEM DE acreditar. Nunca leu o catecismo inteiro.
    Tem espírita que não sabe que Waldo Vieira deixou de ser chiquista há muito tempo, renegando tudo o que escreveu e falando mal de cx.
    Tem TJ que não sabe que suas “Novas Escrituras Gregas Cristãs” é adulteração da bíblia, católico que não sabe que a igreja romana “saiu” da ortodoxa, etc.
    .
    Não estou AFIRMANDO que seja o seu caso, mas esse pessoal, se aprofundar-se no estudo meticuloso e independente de sua própria religião, logo a abandonará.
    .
    .
    No caso específico de chiquistas, por exemplo, eles falam de erraticidade e de colônias espirituais, confundindo as duas coisas e criando racionalizações para explicar por que a erraticidade era um bivaque (acampamento militar para passar a noite) que agora virou várias cidades espirituais que “pairam” sobre cidades terrenas, obedecendo à lei da gravitação universal. Dizem que a verdade está sendo revelada aos poucos.
    Tem gente que mora nessas colônias há séculos (cadê o bivaque?).
    .
    Criam racionalizações fabulosas para explicar por que Marte deixou de ser o lugar mais atrasado no sistema solar, o único mais atrasado do que a Terra, para tornar-se um lugar tão evoluído que seus habitantes são fluídicos, convenientemente invisíveis para nós, assim como sua cidades tão bem descritas pela mãe de cx, HC e, pasme, pelo Ramatis, o qual, a rigor, não comunga da cartilha espírita.
    .
    .
    .
    .
    GORDUCHO, esse experimento, se levado a efeito, provaria a inexistência de espíritos e de paranormalidade ao mesmo tempo.
    .
    .
    DEMÓSTENES, se eu estiver enganado, perdoe-me, mas como é que RIVAIL poderia falar em antimatéria no LE, se não existia esse conceito no tempo dele?
    Só falta estarem fazendo com o pentateuco kardecista o que os TJs fazem com o NT.
    Ou será que é apenas mais uma deturpação do kardecismo, mais uma racionalização?

  163. Vitor Diz:

    Oi, Borges
    comentando:
    “Gostaria de saber se o caso de LVP de Jenny Cockell, que serviu de base para o filme “Minha vida na outra vida”, foi pesquisado pelo Dr. Ian Stevenson.”
    .
    Não foi. Mas foi estudado por Mary Rose Barrington e publicado.
    .
    Barrington, Mary Rose (2002) The case of Jenny Cockell: towards a verification of an unusual ‘past life’report. JSPR 66(867), 106-112.
    .
    Aliás, acho que nunca li o artigo acima. Buscarei fazer isso e traduzir.

  164. Marciano Diz:

    Não duvido de mais nada.
    O bispo de Roma acaba de falar bem de divorciados, os quais, segundo a doutrina de sua própria igreja, vivem em pecado. Desuniram o que deus uniu.

  165. Marciano Diz:

    GORDUCHO e MONTAVÃO, essa é pra vocês responderem:
    .
    Se existisse um deus, qual seria sua religião? Judeu? Cristão? Muçulmano? Hinduísta?
    .
    Digamos que fosse cristão. Seria de que denominação, uma das muitas igrejas católicas, evangélicas, etc.?
    .
    Vale o mesmo para o islamismo, judaísmo, hinduísmo, etc., tudo fragmentado em incontáveis igrejas divergentes em coisas básicas.

  166. Marciano Diz:

    Se deus fosse católico, como faria o sinal da cruz?
    Admitiria ou não esculturas na igreja?
    Venderia indulgências?
    A ortodoxa não vende, as protestantes saíram da igreja romana justamente por isso.

  167. Marciano Diz:

    As indulgências não são vendidas.
    .
    La indulgencia es la remisión ante Dios de la pena temporal por los pecados, ya perdonados en cuanto a la culpa, que un fiel dispuesto y cumpliendo determinadas condiciones consigue por mediación de la Iglesia, la cual, como administradora de la redención, distribuye y aplica con autoridad el tesoro de las satisfacciones de Cristo y de los santos.
    http://www.vatican.va/archive/catechism_sp/p2s2c2a4_sp.html
    .
    .
    Por que não explicaram isso a Lutero?

  168. Marciano Diz:

    Mundos transitórios
    234. Há, de fato, como já foi dito, mundos que servem de estações ou pontos de repouso aos Espíritos errantes?
    “Sim, há mundos particularmente destinados aos seres errantes, mundos que lhes podem servir de HABITAÇÃO TEMPORÁRIA, espécies de bivaques, de CAMPOS ONDE DESCANSEM DE UMA DEMASIADO LONGA ERRATICIDADE, estado este sempre um tanto penoso. São, entre os outros mundos, posições intermédias, graduadas de acordo com a natureza dos Espíritos que a elas podem ter acesso e onde eles gozam de maior ou menor bem-estar.”

    .
    Como conciliar isto com as colônias espirituais? Com umbral?

  169. Marciano Diz:

    Notem que Rivail falava de mundos, não de cidades fantasmas que pairam sobre mundos e são por eles atraídos gravitacionalmente.

  170. Marciano Diz:

    GORDUCHO, calcule aproximadamente a massa de NOSSO LAR, considerando sua distância média da Terra e do Sol.
    Cuidado para não queimar o computador.

  171. Marciano Diz:

    Se ele fica “acima” da cidade do RJ, a Terra deve exercer grande atração por esse tal lar, ou então, se ele quase não tem massa, o que o conserva nessa órbita tão próxima.
    Deve ser alguma “energia” inventada pelo Dr. VLAD, com um nome pomposo.

  172. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    DEMÓSTENES: “Gorducho,
    Átomo ou ions é matéria. A matéria, para espírito e seu perispírito não é obstáculo.”
    .
    PONDERAÇÃO: se bem entendi, nosso bem nutrido analista falava da supersticiosa crença em marcas de nascença. Diz-se que o espírito é marcado por traumas havidos nas vidas anteriores (e essas feridas causam reflexos no psicossoma seguinte, Waldeanamente falando). Considerando as múltiplas possibilidades de machucaduras a cada existência, o espírito (ou espiriticamente, o perispírito) seria mais cicatrizes que outra coisa. E o exemplo que ele (Gorducho) dá é muito pertinente: um desinfeliz destroçado em explosão vai voltar com que marcas? E um degolado, um desembraçado, despiruzado? E quem assado numa fogueira?
    .
    Marcas de nascença é proposta tão nonsense que nem o credulíssimo Kardec, nem sua posterior reencarnação, Chico Xavier, ousaram arriscar cogitações nessa área. Nem o “grande” Emmanuel o fez. Nem Delanne, nem Flammarion, nem Carlos Imabassahy, Conan Doyle, Bozzano, Herculano Pires, Leon Denis, Rizzini, Luciano dos Anjos…
    .
    Essa ideia de que pessoas nascem reencarnativamente marcadas é primitiva crença, acalentada por certos grupos exóticos e que, pasmosamente, Ian Stevenson incorporou em seu rol de investigações “científicas”…
    .
    Codidoido total.

  173. Marciano Diz:

    Acabo de descobrir a quinta interação física. Mereço um Nobel.
    É a energia quintessenciada fluídica perimaginária vladiana.

  174. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, tem perguntas para você e para GORDUCHO, mais acima.
    Please!

  175. Marciano Diz:

    Se NOSSO LAR está tão perto da Terra a ponto de situar-se sobre a cidade do RJ, e se é tão fluídico que nem massa tem, o que o mantém em órbita?
    Newton sabe disso?
    A FQM responde?

  176. Marciano Diz:

    BORGES e DEMÓSTENES, por favor, leiam isto:
    .
    KARDEC X CHICO

    1. 1.º Kardec diz que Marte seria ainda inferior ao nosso mundo, sem afirmá-lo em definitivo. Emmanuel afiança sem dúvidas que as coletividades daquele planeta, bem como as de Saturno, já haviam atingido melhor estado que as nossas, apesar de não haver coletividades nem em Marte nem em Saturno. (Cf. O Livro dos Espíritos, nota ao n. 188. Livro “Emmanuel”, Tarefa dos guias espirituais.)
    2.º Kardec esclarece que os espíritos exilados eram de uma esfera desconhecida, mais adiantada e menos material que a nossa, onde o trabalho do espírito já substituía o do corpo. Emmanuel diz que eram de um dos orbes do magnífico sol Capela, que, por sinal, não é uma estrela, mas um sistema de sóis, sem a presença, aliás, de qualquer planeta; ainda assim, Emmanuel informa que o planeta-natal dos exilados adâmicos “guarda muitas afinidades com o globo terrestre”. (Cf. A Gênese, XI, 36, ou 38, conforme a edição; XII, 22, ou 23, conforme a edição. A Caminho da Luz, cap. III.)
    3.º Os espíritos informam Kardec de que os exilados vieram para a Terra, simbolizados em Adão, apenas há seis mil anos. Emmanuel sentencia que o fato se verificou “há muitos milênios”. (Cf. O Livro dos Espíritos, 51. A Caminho da Luz, cap. III.)
    4.º Kardec ensina que espíritos verdadeiramente sábios nada predizem para épocas determinadas, e que a Terra passará a mundo regenerado sem que nada mude na ordem natural das coisas; nessa transformação, exteriormente, tudo se passará “como de hábito”, tão só mediante a gradual exclusão dos menos aptos para outras esferas. Emmanuel assegura apocalíptico, que os espíritos exilados para a Terra o foram num momento em que as lutas finais estavam por lá delineadas, da mesma forma que, segundo ele, estava acontecendo conosco relativamente às transições esperadas no século XX, o qual chamou “crepúsculo de civilização”, porque se daria naquele século, não noutro, o “desfecho” dos “acontecimentos espantosos” para a “divisão das ovelhas do imenso rebanho”. (Cf. A Gênese, XVI, 16; XVIII, 26. A Caminho da Luz, caps. 3 e 25.)
    5.º Kardec recebe dos espíritos a resposta de que, sem prejuízo para a saúde, tudo é permitido, de que a carne, na nossa organização, nutre a carne. Emmanuel diz que “a ingestão das vísceras dos animais é um erro de enormes conseqüências”. (Cf. O Livro dos Espíritos, 722 e 723. O Consolador, 129.)

  177. Marciano Diz:

    6.º Kardec leciona que devemos rejeitar a ideia de que dois espíritos, “criados um para o outro”, devem fatalmente reunir-se na eternidade. Emmanuel defende exatamente que, “criadas umas para as outras”, as almas gêmeas buscam, sim, a união perene na eternidade. (Cf. O Livro dos Espíritos, 303-a. O Consolador, 323.)
    7.º Kardec explica que os espíritos puros não são seres à parte na criação, mas espíritos que chegaram à meta, depois de terem percorrido a estrada do progresso, e que, por essa forma, não há criações múltiplas, nem diferentes categorias entre os seres inteligentes. Emmanuel afiança que Jesus é uma exceção, sua evolução se verificou “em linha reta” (expressão rustenista para os que nunca encarnaram) e, por isso, condicioná-lo aos “meios humanos” é “paralelismo injustificável”. (Cf. A Gênese, I, 30; XV, 2. O Consolador, 243.)
    8.º Kardec, ainda em 1866, registra que a mulher está emancipada moralmente, e que decerto chegará à emancipação legal pela força mesma das coisas, até porque, segundo ele, os sexos só existem no organismo; são necessários à reprodução dos seres materiais, mas os espíritos, sendo criação de Deus, não se reproduzem uns pelos outros, razão pela qual os sexos seriam inúteis no mundo espiritual. Emmanuel, além de pregar almas gêmeas, afirma machista, que “o feminismo legítimo deve ser o da reeducação da mulher para o lar, nunca para uma ação contraproducente fora dele”. (Cf. Revista Espírita. Jan/1866. As Mulheres têm alma? O Consolador, 67.)
    9.º Kardec diz que a astrologia resulta numa crença vulgar, supersticiosa, ilusória e que a influência dos astros só pode existir na imaginação. Emmanuel assevera que “as antigas assertivas astrológicas têm a sua razão de ser” e ratifica a existência das “influências astrais”, assegurando que concorrem até para o nosso nascimento e que, se não forem favoráveis essas influências, compete-nos lutar contra elas. (Cf. A Gênese, V, 15. O Consolador, 140.)
    10.º Kardec ensina que não chamar nenhum espírito em particular é abrir a porta a todos os que querem entrar. Emmanuel declara não aconselhar a evocação direta e pessoal “em caso algum”. (Cf. O Livro dos Médiuns, 269. O Consolador, 369.)

  178. Marciano Diz:

    11.º Kardec esclarece que não basta, nas reuniões espíritas, a presença material dos integrantes; que, para uma congregação em nome de Jesus, é necessário estarem reunidos espiritualmente, pela comunhão de intenções e de pensamentos, voltados ao bem. Para ele, o Espiritismo é o Cristianismo apropriado ao desenvolvimento da inteligência e isento dos abusos; para São Luís, é o Cristianismo da Idade Moderna. Emmanuel, mesmo ressaltando a “excelência” da codificação kardequiana, oferece como modelo para reuniões espíritas o que chamou “assembléias humildes e sinceras do cristianismo primitivo”, cujos mitos de fundação, aliás, ele mesmo se encarrega de estabelecer em romances históricos, pelos quais alguns espíritas, sem serem historiadores, se prestam hoje à temeridade de julgar a própria História. (Cf. O Evangelho Segundo o Espiritismo. XXVIII, 4 e 5. Revista Espírita. Jun/1865. Nova tática dos adversários do Espiritismo. Nov/1863. Dissertações Espíritas. A nova torre de Babel. O Consolador, 373. A Gênese, XIII, 13.)
    12.º Kardec leciona que toda teoria vinda dos espíritos mas em contradição manifesta com o bom-senso, com uma lógica rigorosa, com os dados positivos que possuímos, por mais respeitável que seja o nome que a assine, deve ser rejeitada, em harmonia com as instruções de Erasto e Santo Agostinho, que recomendam repelirmos o que nossa razão não aceite. Emmanuel, prefaciando André Luiz, lança um preventivo maquiavélico contra a possível rejeição do leitor aos conteúdos da obra: “Se a leitura te assombra, se as afirmativas do Mensageiro te parecem revolucionárias, recorre à oração e agradece ao Senhor o aprendizado, pedindo-lhe te esclareça e ilumine”. (Cf. O Evangelho Segundo o Espiritismo, Introdução, II. O Livro dos Médiuns, 230. Revista Espírita. Jul/1863. Sobre as Comunicações dos Espíritos. Grupo Espírita de Sétif, Argélia. O Livro dos Espíritos. Conclusão, IX. Missionários da Luz.)

  179. Vladimir Diz:

    Forrest Gump, está “off the rails”, alguém traga o Haloperidol…rs

  180. Borges Diz:

    Obrigado Vitor pela informação. Acho que o artigo daria uma excelente discussão.

  181. Vladimir Diz:

    Em homenagem ao Forrest:
    .
    Meu colega Dr. Sergio, em sua elucidativa palestra:
    https://www.youtube.com/watch?v=U-Tw-yMit_I

  182. Gorducho Diz:

    Me bloqueou Sr. Administrador?

  183. Vladimir Diz:

    Saudoso, Dr.Elias Barbosa:
    https://www.youtube.com/watch?v=A46Nm7oOiJM

  184. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    BORGES: Para o Vitor ou comentarista:- Gostaria de saber se o caso de LVP de Jenny Cockell, que serviu de base para o filme “Minha vida na outra vida”, foi pesquisado pelo Dr. Ian Stevenson.
    .
    RESPOSTA: Stevenson não investigou Jenny, mas, se não estou equivocado, fez comentários a respeito da historieta, dizendo que o caso dela tinha peculiaridades distintas dos que ele costumava investigar.
    .
    Desde que, na década de 1950, Morey Bernstein escreveu livro que, no Brasil, recebeu o título de “O Caso de Bridey Murphy”, gente esperta periodicamente explora o filão. Em geral são relatos aparentemente fruto de recordações que se manifestam atipicamente e que remetem a vivências pretéritas. Nenhum desses casos tem serventia como evidência da reencarnação, mas servem para alimentar o apetite dos adeptos das multividas por narrativas tais. Há pouco tempo estava na lista de preferência a obra “A Volta”, a história reencarnacionista de Jayme Leninger que, não poucos, a reputavam demonstração taxativa das vidas continuadas…
    .
    Como dizia o pai do meu bisavô: “neste mundo tem crente pra tudo…”

  185. Vladimir Diz:

    Dr.Alexander:
    https://www.youtube.com/watch?v=ty5aqycppDk
    .
    Está vendo Forrest, como não sou o único??? rs
    .

  186. Vladimir Diz:

    Montalvão,
    .
    Evidência Anedótica, ainda é evidência…

  187. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vinicius Diz: Vamos ver se compreendi Sr.Gorducho: o suposto espírito exporia detalhes de alguma coisa (que se possa inspecionar depois e tal) que ninguém saiba de antemão, dai alguém depois iria conferir tais informações, se batiam. Claro, após as solicitações de autenticidade, viriam os podres de quem comeu quem kkk
    /.
    PONDERAÇÃO: Vinicius, a proposta de teste pede que o espírito dê mostras objetivas de estar presente e atuante no ambiente mediúnico. Note bem: “mostra objetiva”, não serve um recado psicografado, que mexe com os sentimentos de enlutados, mas não comprova que foi um morto quem ditou o escrito.
    .
    Entretanto, se um falecido realizar feito simples e conferível, e que só um espírito poderia dar conta, aí sim, teríamos evidências saudáveis de que algum ente não-material estivesse agindo.
    .
    Talvez melhor compreenda se avaliar sugestão que apresentei há algumas semanas, veja:
    .
    MONTALVÃO Diz:
    JULHO 15TH, 2015 ÀS 9:28 PM
    “bolei mais um teste para espírito mostrar presença. Avaliem. Numa sala ficam o médium e os experimentadores. Noutra sala vai um cético levando um relógio analógico, desses que pode acertar a hora manualmente. Com o aposento às escuras, ele gira os ponteiros aleatoriamente e põe a peça sobre a mesa. Desse modo, nem ele, nem ninguém, sabe em que posição os ponteiros estacionaram. O Trabalho do espírito será o de informar que hora o relógio marca.”
    .
    Felicidades.

  188. Vitor Diz:

    “Nenhum desses casos tem serventia como evidência da reencarnação”
    .
    Para o Montalvão nada serve como evidência de reencarnação… é o mesmo que tentar mostrar evidências da evolução para um criacionista… não vê nada…
    .
    “E, mas servem para alimentar o apetite dos adeptos das multividas por narrativas tais. Há pouco tempo estava na lista de preferência a obra “A Volta”, a história reencarnacionista de Jayme Leninger que, não poucos, a reputavam demonstração taxativa das vidas continuadas…”
    .
    Demonstração taxativa é um exagero… evidenciativa de força mediana, já fica bem melhor…

  189. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    DEMÓSTENES: “Um detalhe, o Livro dos espíritos diz que o perispírito é constituído de elementos do planeta, ao sair para o espaço, o ser deixa os elementos, sai sem nada só a inteligência ou pensamento. O perispírito pode ser formado da menor partícula (matéria ou antimatéria) do nosso e de outros astros.”
    /.
    PONDERAÇÃO: Demóstenes, poderia citar onde é que, no Livro dos Espíritos, Kardec diz tal coisa?

  190. Marciano Diz:

    BORGES e DEMÓSTENES, peço que leiam com atenção o que está escrito neste site espírita:
    http://www.aeradoespirito.net/ArtigosAN/OS_EXIL_NAO_SAO_DE_CAP_AN.html

  191. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, foi o que eu disse, com menos ênfase:
    .
    DEMÓSTENES, se eu estiver enganado, perdoe-me, mas como é que RIVAIL poderia falar em antimatéria no LE, se não existia esse conceito no tempo dele?
    Só falta estarem fazendo com o pentateuco kardecista o que os TJs fazem com o NT.
    Ou será que é apenas mais uma deturpação do kardecismo, mais uma racionalização?
    .
    .
    MONTALVÃO e GORDUCHO, peço-lhes o favor de responder ao questionamento acima.

  192. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Não há exagero algum. Tanto que Sam Harris admite que existe evidência extraordinária para a reencarnação baseado na pesquisa de Stevenson. Ele diz:”
    .
    There may even be some credible evidence for reincarnation. See I. Stevenson, Twenty Cases Suggestive of Reincarnation (Charlottesville: Univ. Press of Virginia, 1974), Unlearned Language: New Studies in Xenoglossy (Charlottesville: Univ. Press of Virginia, 1984), and Where Reincarnation and Biology Intersect (Westport, Conn.: Praeger, 1997).
    [Trad.]: Pode até haver ALGUMA EVIDÊNCIA ACEITÁVEL (credível) para a reencarnação. Veja I. Stevenson, Vinte casos sugestivos de reencarnação (Charlottesville:. Univ Press of Virginia, 1974), Língua iletrados: Novos Estudos em vocabulário estrangeiro (Charlottesville:. Univ Press of Virginia, 1984), e Onde Reencarnação e Biologia Cruzam (Westport, Conn .: Praeger, 1997).
    ./
    PONDERAÇÃO: sintomático… Harris diz que “pode haver”, provavelmente podendo ser traduzido por “talvez”, caso em que a frase assim ficaria: “talvez até haja evidência aceitável para a reencarnação”…
    .
    Pois bem, a leitura do crente vê o seguinte: “Sam Harris admite haver EVIDÊNCIA EXTRAORDINÁRIA”(!).
    .
    Então, quando se falou em “exagero de deslumbrado”, taí…

  193. Marciano Diz:

    Sobre deus e religiões, massa do NOSSO LAR, etc.

  194. Marciano Diz:

    VLAD, talvez um dia, na sua velhice, no leito de morte, você se lembre de minhas palavras e veja o tempo que perde seguindo os graus filosóficos ∴

  195. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Se existisse um deus, qual seria sua religião? Judeu? Cristão? Muçulmano? Hinduísta?”
    .
    RESPOSTA: oi, tá bebendo o quê? Fumar sei que não fuma, digo, suspeito que não…
    .
    Primeiro, a frase “se existisse um deus”, quer dizer um único deus ou um deus a mais dentre tantos outros?
    .
    Agora, Deus ter religião? Essa não entendi! Nenhum deus tem religião, o máximo que pode é um dentre os vários ser entronizado nalguma agremiação religiosa como objeto de culto. Parecido com grupo de fãs organizar fã-clube do artista de predileção, assim como tem dezenas desses ovacionando meu nome… mas isso foi noutra encarnação…
    .
    Falar em beber, vou tomar umazinha…

  196. Marciano Diz:

    Foi isso mesmo, MONTALVÃO.
    Religião é coisa inventada pela cabeça de homens.
    Se houvesse alguma divindade, única ou múltipla, viraria fera com essas crendices todas.
    Vendo o milagre da multiplicação das religiões.
    .
    Faltou calcular a massa de nosso lar.
    Veja a pergunta acima, por favor.

  197. Marciano Diz:

    E eu estava me referindo ao deus da bíblia.
    Embora tenha mencionado o hunduísmo. Foi empolgação.

  198. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    VLAD: Montalvão, Evidência Anedótica, ainda é evidência…
    ./
    PONDERAÇÃO: de certo modo sim, mas evidencia o quê? Considero melhor dizer que evidência anedótica reporta experiência que pode, ou não, apontar para realacontecimento incomum. Quer dizer, pode indicar que o relatante vivenciou algo que merece investigação e, em sendo investigado, demonstrar que havia algo de consistente na narrativa, ou simplemente reportar alucinação, ilusão, “wishful thinking”.
    .
    Evidência anedótica em si mesma nada firme diz de coisa alguma.

  199. Vitor Diz:

    Montalvão,
    comentando:
    .
    “Pois bem, a leitura do crente vê o seguinte: “Sam Harris admite haver EVIDÊNCIA EXTRAORDINÁRIA”(!).Então, quando se falou em “exagero de deslumbrado”, taí…”
    .
    Não, isso aí é falta de leitura do crítico! O trecho completo é:
    .
    There also seems to be a body of data attesting to the reality of psychic phenomena, much of which has been ignored by mainstream science.There may even be some credible evidence for reincarnation. See I. Stevenson, Twenty Cases Suggestive of Reincarnation (Charlottesville: Univ. Press of Virginia, 1974), Unlearned Language: New Studies in Xenoglossy (Charlottesville: Univ. Press of Virginia, 1984), and Where Reincarnation and Biology Intersect (Westport, Conn.: Praeger, 1997). The dictum that “extraordinary claims require extraordinary evidence” remains a reasonable guide in these areas, but this does not mean that the universe isn’t far stranger than many of us suppose. It is important to realize that a healthy, scientific skepticism is compatible with a fundamental openness of mind.
    .
    Sobre os livros de Stevenson, ele ainda diz:
    .
    I found these books interesting, and I cannot categorically dismiss their contents in the way that I can dismiss the claims of religious dogmatists.
    .
    Para ele não poder descartar, é porque a evidência é sim extraordinária ;-)

  200. Demóstenes Diz:

    Marciano,
    A tese da antimatéria do perispírito é minha, conjecturando, se “perispírito” fica no planeta e a inteligência adquire um novo perispírito no limite do astro que visita, há uma fronteira, um limite, talvez magnético gravitacional multidimensional, usando como etapa dimensional, os tamanhos das partículas: moléculas, atómos, ions, neutrinos, etc.
    .
    Sou kardecista e fã literário Rochestista. Não sou chiquista, etc. Acredito que exista um Emmanuel e um André, se o primeiro gostava de mandar, impor sua vontade a CX, o último, até pelo que já li aqui no obras, creio que foi vítima das vontades ou obsessão do CX. Sendo condicionado a acreditar que existia uma Cidade, ministérios, sopa, remuneração, etc.
    .

  201. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Faltou calcular a massa de nosso lar.”
    /.
    RESPOSTA: a pergunta sobre a massa de NL foi pro Gorducho, não?
    .
    Mas já que a estende a mim, respondo-lho: a massa realmente não sei dizer, mas deve ter sido muita, visto que as construções lá são grandiosas e tudo com tijolo dobrado e emboço 3×1. Devem ter gasto cimento pracaramba pra fazer tanta massa…

  202. Borges Diz:

    “Marciano Diz:
    AGOSTO 6TH, 2015 ÀS 7:34 PM
    BORGES e DEMÓSTENES, por favor, leiam isto”:

    Marciano:- Penso que os céticos são muito semelhantes, todos eles não acreditam em espíritos e em tudo relacionado com os mesmos, não acreditam em um criador do universo, em suma não acreditam em nada que extrapole a matéria. No espiritismo não existe unanimidade, embora os espíritas tradicionais, aqueles que, em minha opinião, dizem seguir as “obras básicas”, porém, vivem atrelados às obras de Chico Xavier, consideram que “espiritismo” é só aquilo que praticam.
    Não sei se sou espírita, acho que não; Aceito algumas ideias Kardecistas.
    Acho que o mundo espiritual é semelhante ao nosso, onde há religiosos e não religiosos. Onde a reencarnação é um processo natural de evolução e não de expiação.
    Quanto à existência de Deus, eu não sei; adoraria participar de uma boa discussão sobre isto.
    Obrigado

  203. Demóstenes Diz:

    Montalvão e Marciano,
    Desculpem o post atravessado, não vi as perguntas acima.
    .
    Livro dos Espíritos, tradução J. Herculano Pires.

    Resolvi colar tudo:
    IV – Perispírito
    93. O Espírito propriamente dito vive a descoberto ou, como pretendem alguns, envolvidos por alguma substância?

    — O Espírito é envolvido por uma substância que é vaporosa para ti, mas ainda bastante grosseira para nós; suficientemente vaporosa, entretanto, para que ele possa elevar-se na atmosfera e transportar-se para onde quiser.

    Comentário de Kardec: Como a semente de um fruto é envolvida pelo perisperma o Espírito propriamente dito é revestido de um envoltório que, por comparação, se pode chamar períspirito.

    94. De onde tira o Espírito o seu envoltório semimaterial?

    — Do fluído universal de cada globo. É por isso que ele não é o mesmo em todos os mundos; passando de um mundo para outro, o Espírito muda de envoltório, como mudais de roupa.

    94. a) Dessa maneira, quando os Espíritos de mundos superiores vêm até nós, tomam um períspirito mais grosseiro?

    — É necessário que eles se revistam da vossa matéria, como já dissemos.

    95. O envoltório semimaterial do Espírito tem formas determinadas e pode ser perceptível?

    — Sim, uma forma ao arbítrio do Espírito; e é assim que ele vos aparece algumas vezes, seja nos sonhos, seja no estado de vigília, podendo tomar uma forma visível e mesmo palpável.
    .
    Conjecturo que o semimaterial do fluído do globo, seja antimatéria. Lembrando que era o ano 1850 e alguma coisa.
    .
    .

  204. Marciano Diz:

    Continuo aguardando a resposta de GORDUCHO, ao qual peço que considere que nosso lar mantém uma órbita geoestacionária sobre a cidade do Rio de Janeiro, e parece que não tem massa.
    Não sei como isso é possível, visto que a massa nossolariana multiplicada pela da Terra e dividida pelo quadrado da distância que nos separa, multiplicando o resultado pela constante de gravitação universal, daria um número nulo, o que não justificaria a estranha órbita daquele orbe.
    .
    Sei que é mais difícil ainda,mas gostaria de alguma explicação para que as cidades marcianas, seus habitantes, seus acidentes geográficos (marciográficos ficaria engraçado) imaginários, com os rios descritos pela mãe do chico, não sejam percebidos por nenhum dos instrumentos que analisam o solo marciano.
    .
    .
    DEMÓSTENES, todos os espíritas que eu conheço são chiquistas/divaldistas.
    Tem o Prof., que fica equidistante, e o Dr., que às vezes é espírita, outras vezes é espiritualista e sempre é louco.

  205. Marciano Diz:

    DEMÓSTENES, agradeço a resposta.
    Veja que o perispírito, pelo que você fala, deve superar a velocidade de escape da Terra, que é de 9,2 km/s.
    .
    Parece que Rivail desconhecia que qualquer vapor na terra é atraído por sua massa e não escapa, ou morreríamos todos.
    .
    Se o perispírito não tem massa, o que o mantém numa determinada localização na Terra?
    Gravidade, não é.
    Como ele faz para calcular as coordenadas cartesianas?
    .
    Como sua densidade é nula, como ele faz para manter-se na superfície, acompanhando o corpo encarnado?
    .
    Por que esse tal fluido universal não foi encontrado até hoje?
    .
    Se é de antimatéria, por que não interage com a matéria do corpo?
    Quando cargas elétricas opostas se encontram, se anulam. Por que isso não acontece com o perispírito?
    .
    Isso não parece fazer sentido.

  206. Marciano Diz:

    Onde foram parar os raios gama do encontro mortal entre corpo físico e perispírito?

  207. vinicius Diz:

    Sr.Administrador e companheiros:
    Ainda não vi todo conteúdo do site (sou novo por aqui hehe) e pode ser que já tenham estudado ou analisado as mensagens mencionadas abaixo. Seria um plágio de Kardec em suas próprias obras? curioso, no OLM (1861)diz que a mensagem foi ditada pelo próprio Jesus (nota de rodapé elaborada por Kardec) e anos depois, publicada no ESE (1864) mensagem parecidíssima e assinada pelo Espírito VERDADE e não mais Jesus (vide ]
    OLM (O livro dos médiuns)
    •Capítulo XXXI – Dissertações Espíritas/Comunicações apócrifas – item IX

    ESE (o evangelho segundo o espiritismo)
    •Capítulo VI – O Cristo consolador/advendo do espírito de verdade

    Pai do Céu, aos poucos descubro mais possíveis podres…

  208. Borges Diz:

    Demóstenes:- Eu também acreditava nos personagens das obras de Chico Xavier, guardando certa reserva, pois sou muito desconfiado. Desconfio até do ceticismo. Sou um caso perdido.
    Depois dos inúmeros casos de “plágios”, se é que podem ser chamados assim, das falsas materializações de Otília Diogo, das denúncias do sobrinho e dos habitantes de marte, não deu para segurar as pontas. Onde estavam estes mentores que não socorreram CX nestes momentos difíceis? Minha conclusão é que estavam apenas em sua cabeça.
    Obrigado

  209. Marciano Diz:

    DEMÓSTENES, dê uma lida nisto aqui e diga se isto se coaduna com sua conjectura de que o perispírito é feito de antimatéria:
    https://en.wikipedia.org/wiki/Antimatter

  210. Marciano Diz:

    Grande, Borges!
    Isto mesmo!
    Essas coisas todas só existem na cabeça de algumas pessoas.
    Nem unanimidade de crenças estranhas existe.
    .
    Ainda existe muita coisa para ser descoberta pela ciência, mas nada de “paranormal”, espiritual, ou coisas do gênero.
    Tudo muito material.
    .
    Até Rivail tentou materializar um monte de coisas imaginárias. Porque, no fundo, sabia que nada existe fora do mundo material.

  211. Marciano Diz:

    Quem inventou esse negócio de quinta essência, foi o Aristóteles, que pensava que tudo era feito de água, terra, fogo e ar.
    A quinta essência seria um quinto elemento, necessário em sua filosofia maluca.
    .
    Natural que ele pensasse essas bobagens, há cerca de dois mil e quinhentos anos.
    Daí a nós repetirmos essas coisas…

  212. vinicius Diz:

    Não resisti e resolvi comparar o primeiro parágrafo de ambas:
    O “OLM (lembrem-se esta estava assinada por Jesus, segundo Kardec, e psicografada por um respeitável médium)

    ” Venho, eu, vosso Salvador e vosso juiz; venho, como outrora, aos filhos transviados de Israel; venho trazer a verdade e dissipar as trevas. Escutai-me. O Espiritismo, como outrora a minha palavra, tem que lembrar aos materialistas que acima deles reina a imutável verdade: o Deus bom, o Deus grande, que faz germinar a planta e que levanta as ondas. Revelei a Doutrina Divina; como o ceifeiro, atei em feixes o bem esparso na Humanidade e disse: Vinde a mim, vós todos que sofreis!”

    JÁ no O ESE o mesmo parágrafo:
    Venho, como outrora aos transviados filhos de Israel, trazer-vos a verdade e dissipar as trevas. Escutai-me. O Espiritismo, como o fez antigamente a minha palavra, tem de lembrar aos incrédulos que acima deles reina a imutável verdade: o Deus bom, o Deus grande, que faz germinem as plantas e se levantem as ondas. Revelei a doutrina divinal. Como um ceifeiro, reuni em feixes o bem esparso no seio da Humanidade e disse: “Vinde a mim, todos vós que sofreis.”

    Vosso Salvador e Vosso Juíz – suprimido.
    embora seja uma pequena adulteração, não deixa de ser algo para dar uma “ajeitada” e e enfiar lá no evangelho segundo o espiritismo e para não ter problemas maiores coloca-se a assinatura “espirito verdade” ao invés de “jesus”. No ESE Kardec nem em nota de rodapé menciona que essa mensagem havia sido publicada no OLM e que estava assinada por Jesus…

    Um “devaneio” meu:
    Na época, pelo que tenho lido, Roustaing estava correndo e vendendo seus “quatro evangelhos”, uma certa concorrência , daí Kardec para não ficar atrás resolvi enfeixar essas mensagens no O ESE.

    Ainda não comparei o resto. Pode ser que tenha sido pouquinha alteração. Quem sabe um “A frança é a pátria do evangelho” na época ???

    abraço

  213. Marciano Diz:

    Aristóteles não sabia o que eram água, terra, fogo e ar, o que qualquer aluno do ensino fundamental sabe hoje em dia.
    Muito natural para sua época.
    Ele estava totalmente errado quanto ao que pensava serem os elementos do que mais tarde foi tabulado (periódica) e inventou a quinta essência só para ajeitar sua filosofia doida, mas normal para a época.
    Monstruosidade é nós ficarmos perdendo tempo com essas maluquices hoje.

  214. Marciano Diz:

    VINICIUS, você ainda não viu nada.
    Compare a primeira edição de qualquer livro de Rivail com a terceira, a que se usa hoje.

  215. Marciano Diz:

    Dá para baixar os originais da primeira e terceira edição de qualquer livro dele de graça e legalmente, pois são de domínio público.
    Se você sabe francês, vá em frente.

  216. Marciano Diz:

    Vou fazer o trabalho para vocês.
    http://www.autoresespiritasclassicos.com/Historia/Obras%20de%20Canuto/Allan%20Kardec%20-%20Le%20Livre%20des%20Esprits%20(1%C2%AA%20edi%C3%A7%C3%A3o%20-%201857)%204%20-%20Parte.pdf

  217. Marciano Diz:

    Primeira edição do LE, bilingue.

  218. Vladimir Diz:

    Forrest Gump acabou de jogar toda a Física da segunda metade do século XX no lixo:
    .
    “Porque, no fundo, sabia que nada existe fora do mundo material.”
    .
    OMG!!!

  219. Marciano Diz:

    Peguem as outras partes do LE e dos outros.
    É molinho.
    Isto foi apenas um incentivo.
    Comparem, depois.

  220. vinicius Diz:

    marciano, não sei francês cara. mas a gente encontra algumas traduções pelo doctor GOOGLE né. Confesso que comecei a ver mais coisas visitando esse site kkk, nem a confissão do WALDO em vídeo das cartinhas para as mamães com apelidos eu conhecia, sério.
    e quando WALDO fala que encontrou perfumes da VEADO D´ouro no armário de CX e foi questioná-lo o que era aquilo, já imaginando com certeza, que era uma das maquinações de CX para promover os cheiros suaves das entidades.
    Meu, poucos sabem dessas histórias, gravadas em vídeo.
    Alguns outros espiritas, amigos meus, sabem e dizem que WALDO estava ressentido e falando uma série de bobagens (ressentido com Chico e o Espiritismo e a FEB). Outros nem sabem que WALDO foi dissidente do Espiritismo e que desacreditou CX e suas cartas do além. Talvez nem a Nair Bello (que descanse em paz) tenha conhecido tais “mecanismos da mediunidade”.

  221. Vladimir Diz:

    Forrest,
    .
    Tenho uns ebooks de Física aqui, começa com o Dr. Lee Smolin, passado pelo Dr. Bryan Greene, Dr. Stephen Hawking (dispensa apresentações), e Dr. Erwin Laszlo
    .
    Se quiser posso lhe emprestar, para que possa fazer um “Update”…

  222. Marciano Diz:

    Obrigado por me comparar ao filho do homem, VLAD.
    Ele é imaginário, mas é o filho do homem.
    Agora posso dizer que sou um fidalgo.

  223. Vladimir Diz:

    Vinicius,
    .
    O Waldo nunca disse que CX, fraudava as Psicografias, muito pelo contrário, ele disse que na época dele isso nunca aconteceu…

  224. Marciano Diz:

    VINICIUS, tá tudo muito corrido aqui.
    Eu postei o link para uma parte do LE, edição bilingue, francês/português, PRIMEIRA EDIÇÃO.
    Veja acima.

  225. Vladimir Diz:

    Sobre o Waldo e o Chico a respeito das cartas:
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=nNtHEvqcFaQ

  226. Demóstenes Diz:

    Marciano,
    Li, tentei ler também o Baryon,
    https://en.wikipedia.org/wiki/Baryon_asymmetry
    Não cheguei a equação de equilíbrio de matéria e antimatéria. Desconjecturo.
    .
    Mas, temos o neutrino. Tem coisa mais pra frente.
    .
    Mas quanto ao fluído universal, estamos chegando perto, ouvi uma palestra, sobre teoria de planck e neutrinos!?!…
    não lembro o nome da partícula. Mas o palestrante dizia que “que a partícula estava lá, mas quando se olhava, não localizava, não se via”.
    .

  227. Marciano Diz:

    VLAD, esses livros que você menciona não são de física, são de divulgação científica.
    Se fossem de física, você não entenderia nada.
    Você, VLAD, nem consegue ler um livro de física.
    Eles têm expressões que você nem sabe pronunciar.
    Ex.:


    .
    Tá pensando que me engana?
    Continue contribuindo para as engenhocas que mantém vivo o Hawking.

  228. Marciano Diz:

    Pois é, DEMÓSTENES, diziam que o neutrino não tem massa, o que nunca entrou na minha cabeça.
    Agora já reconhecem que tem.
    Neutrinos atravessam a Terra toda.
    Deu um trabalhão para detectá-los, mas a água pesada acabou funcionando.

  229. Marciano Diz:

    Esse negócio de você olha, ela não está, não olha, está, só vale para o microcosmo e é uma alegoria, porque a linguagem matemática que expressa o fenômeno não é inteligível para quem não tem formação matemática superior.
    O VLAD pensa que tem.

  230. Marciano Diz:

    With all due respect, esses palestrantes deviam se limitar a falar sobre o aspecto moral do espiritismo e deixar de ostentar conhecimento que não têm.
    Ficam posando de grandes conhecedores de coisa nenhuma e se esquecem da lição de humildade.
    Já que quer ser religioso, aconselho que não siga o caminho da vaidade. Fique só no aspecto moral.
    Claro que é apenas um conselho amigo.
    .
    O que você tem a perder?
    Só a lucidez.

  231. Marciano Diz:

    Vou parar por aqui, por duas razões: tenho trabalho para fazer e ninguém está conseguindo acompanhar.
    A gente escreve uma coisa e mais adiante alguém mostra que não leu.
    Não estou culpando ninguém. Não está dando tempo.
    Quem quiser, dê uma lida nos comentários mais recentes, atento à hora em que foram postados, e amanhã, se quiser, estou pronto para o diálogo.
    .
    Para encerrar, é uma pena que não dê para grafar expressões matemática no blog, senão eu iria mostrar ao VLAD o que é um livro de física e o que é um livro de divulgação científica, escrito para leigos e com o propósito de render metais ∴

  232. Marciano Diz:

    Enquanto ponho o trabalho em dia, por hoje, vou abrir uma pólvora vermelha e fazer fogo, em homenagem ao grande físico do século XXI, VLAD ∴
    .
    I’ll be back!

  233. Marciano Diz:

    Os habitantes de meu planeta não podem ser vistos porque são quintessenciados, assim como as cidades, os rios, etc.
    Quintessência (quinta essência) é uma alusão à Aristóteles, que considerava que o universo era composto de quatro elementos principais – terra, água, ar e fogo-, mais um quinto elemento, uma substância etérea que permeava tudo e impedia os corpos celestes de caírem sobre a Terra. Em 1998, três astrofísicos da Universidade de Pensilvânia – Robert Caldwell, Rahul Dave e Paul Steinhardt – reintroduziram o termo para designar um campo dinâmico quântico que é gravitacionalmente repulsivo.

  234. Marciano Diz:

    DEMÓSTENES, olhe a quinta essência e o barion aí:
    .
    http://www.ift.unesp.br/users/gardim/IFT/entardecer/quintes.php

    .
    Agora eu vou mesmo!
    Fui!

  235. Demóstenes Diz:

    Marciano,
    Bye, man. Volver.

  236. Borges Diz:

    “Vladimir Diz:
    AGOSTO 6TH, 2015 ÀS 9:50 PM
    Vinicius,
    .
    O Waldo nunca disse que CX, fraudava as Psicografias, muito pelo contrário, ele disse que na época dele isso nunca aconteceu…”
    Wladimir:- acho que não é bem assim, veja este trecho de uma entrevista de Waldo. ”A mesma coisa aquelas mensagens que o Chico recebia. Você sabe que essas mensagens psicografadas, da pessoa que morreu assim, eles mandam a carta com os detalhes para a pessoa colocar na mensagem psicografada, né? Tem médium que ainda está recebendo essas mensagens até hoje”.
    Obrigado

  237. Marciano Diz:

    Trabalhar e beber ao mesmo tempo não dá certo.
    Paro com tudo por hoje, só vou terminar minha garrafa.
    Não dá para guardar até o dia seguinte e é caro demais pra descer no ralo. Desce pelo meu esôfago.
    .
    Deixo um trecho do livro de física do VLAD, para meditação.
    Olhe suas integrais aí, VLAD:
    .
    http://img4.wikia.nocookie.net/__cb20120501125543/powerlisting/images/5/51/Mathematical_equations.jpg

  238. Marciano Diz:

    Foto registrada no apartamento do Carlos Vereza, durante uma de suas aulas de FQM.

  239. Marciano Diz:

    GORDUCHO, o VLAD não pode ser representado por uma expressão algébrica que inclua raízes, logo, ele é …

  240. Marciano Diz:

    VLAD não pode ser posto sob a forma p/q, sendo p e q números inteiros e q ≠ 0.

  241. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vladimir Diz: Em homenagem ao Forrest:
    .
    Meu colega Dr. Sergio, em sua elucidativa palestra:
    /.
    PONDERAÇÃO: está ironizando ou falando sério?

  242. Vladimir Diz:

    Sim,
    .
    Os livros são de “Divulgação Científica” escrito por Físicos Renomados, e daí?
    .
    Acho que o álcool está lhe afetando e está confundindo “Divulgação Científica” com “Ficção Científica.”
    .
    Não que eu não goste de Asimov, ou Arthur C. Clarke, mas por favor, não confunda “Alhos com Bugalhos”…
    .
    Run Forrest, run!

  243. Antonio G. - POA Diz:

    Vladimir, não entendi sua recomendação para ter “cuidado com a homofobia”. Aliás, acho que você não me entendeu. Eu não sou nem um pouquinho homofóbico. E tenho náusea de homofobia. Não aceito e não respeito manifestações homofóbicas. Não acho que as pessoas têm direito de serem homofóbicas, racistas ou xenófobas. Assim como ninguém tem o direito de ser bandido, mentiroso ou perverso.
    .
    Aliás, eu costumo me declarar lésbico.

  244. Gorducho Diz:

    Essa história de anti-matéria se não me engano foi uma tentativa desesperada do CX de salvar a mãe dele em Marte. Ele ouviu falar na tal anti-matéria, sem saber evidentemente do que se trata e se em contato c/a m+ aniquilar-se-ão, &c.
    Se não me engano, ou seja: se bem me lembro.
     
    E para que falou que peri-espiritos não tem matéria: têm sim. O kardecismo é uma doutrina materialista. Quem estiver experimentando alguma dificuldade com este particular doutrinário, há um artigo do Sr. JCFF (que aliás está devendo parecer sobre o médium católico :( ) que o estudante espírita poderá solicitar à Administração.
    E não, no kardecismo não há cidades fantasma pois que, como eu já inumeráveis vezes expliquei cá, ele plagiou as idéias retirou essa parte da doutrina do Jean Reynaud, e este não cogita em globos imaginários.

  245. Gorducho Diz:

    está ironizando ou falando sério?
     
    Me admira o Sr., Analista Montalvão:(

  246. Antonio G. - POA Diz:

    Cidades “voláteis” são produção intelectual do para sempre dulcíssimo CX.

  247. Gorducho Diz:

    Para quem andou dizendo que (peri)-espírito não tem massa, repito que, como sempre é enfatizado nos Centros, a Doutrina requer estudo, muito e contínuo estudo!
     
    [Drª Marlene, pg. 86 - negrito meu]
    Mas é precioso levar em conta a existência de zonas ainda piores que as do Umbral. Denominam-se “Trevas” as regiões mais inferiores conhecidas.
    Localizam-se abaixo da superfície terráquea. É preciso lembrar que o Espírito também obedece a princípios de gravitação, de modo que, nesses casos, o “peso específico” do perispírito só vai lhe permitir a localização nessas regiões mais densas
    .

  248. Gorducho Diz:

    O Sr. já está praticando curas espirituais aí no seu consultório, Dr.?
    Receita muito peri-Haloperidol?
    :lol: :lol: :lol: :lol:
     
    https://www.youtube.com/watch?v=FDUlYdIxPKY

  249. Antonio G. - POA Diz:

    O Wikipédia apresenta assim o Professor e Doutor palestrante do vídeo apontado pelo Gorducho:
    .
    “Alexander Moreira-Almeida é um cientista psiquiatra e parapsicólogo brasileiro da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF); notório por suas pesquisas em espiritualidade e saúde. Ativo no meio acadêmico e no movimento espírita, ele é o principal responsável pelo Brasil estar internacionalmente em evidência na área de pesquisas científicas sobre experiências espirituais como a mediunidade.”
    .
    Bacana, não?
    .
    Só não entendi bem a parte do “cientista psiquiatra e parapsicólogo”. Estas qualificantes são compatíveis entre si?

  250. Antonio G. - POA Diz:

    Ele é um cara bem articulado e fala com a seriedade e certeza de quem realmente sabe o que está dizendo. Só não desconfio que seu nickname em blogs de discussão sobre paranormalidade e fenômenos afins seja “Vladimir”, porque ainda estou por decidir se Vlad é mesmo médico psiquiatra. Eu não estou tão certo disto.
    .
    Dúvidas assim fazem parte da idiossincrasia destes grupos de debate.

  251. Vinicius Diz:

    GORDUCHO, cada um vai “aterrorizando” os terrícolas ainda mais não?? achava que o umbral era o pior lugar, mas não, tem essas tais TREVAS. Se o umbral do André Luiz tinha lama por tudo quanto é lado imagine esse lugar. Ainda bem que tento ser bonzinho, não quero tomar banho de lama no meu perispirito…
    ela fala em regiões inferiores conhecidas, isso quer dizer que há piores ainda…

    “[Drª Marlene, pg. 86 - negrito meu]
    Mas é precioso levar em conta a existência de zonas ainda piores que as do Umbral. Denominam-se “Trevas” as regiões mais inferiores conhecidas.”

  252. Antonio G. - POA Diz:

    Um sujeito que é cientista, psiquiatra e parapsicólogo, não se parece um pouco com um que, ao mesmo tempo se declara gremista, colorado e ainda odeia futebol? Meio estranho…

  253. Gorducho Diz:

    Tentando retirar algo sério disso, Analista Vinícius, veja como a religiosidade não é algo natural à humanidade terrícola, ao menos não majoritária judaico-cristã (sendo claro o kardecismo, o chiquismo e o filipinismo seitas cristãs). O Sr.mesmo nota como as cartolagens sentem a necessidade de ameaçar, aterrorizar, na tentativa de fazer o populacho proceder segundo eles querem.

  254. Vladimir Diz:

    Não sei onde está o Terrorismo…
    .
    O Post-Mortem não é feito de “lugares” tal qual o Céu, Inferno e Purgatório.
    .
    Isso é uma visão simplista, religiosa e reducionista da visão “Espírita.
    .
    O post-mortem dos indivíduos será relativo a Evolução e Lucidez Consciencial em que aqueles Consciências se encontram no momento do desencarne e além.
    .
    A Baratrosfera (ou Umbral) nada mais é do que isso,
    a faixa vibratória e energética das Consciex (ou espíritos) agrupadas em conjunto.

  255. Antonio G. - POA Diz:

    Mas Vladimir, o espiritismo só pode ser visto e interpretado sob o ponto de vista religioso. Ou filosófico-antropológico…vá lá. Mas não há como considerá-lo sob o ponto de vista científico.

  256. Antonio G. - POA Diz:

    Então, é só conversa. Nenhum fato.

  257. Vitor Diz:

    “Quanto à reencarnação, já fiz esse questionamento cá mas não recebi respostas. Por que cá não há recordações na mesma proporção da India; Turquia; sudoeste asiático…
    Será que mesmo sendo o país + chiquista (2%), ainda assim a crença é menor que nessas regiões?”
    .
    Eu não acho que aqui faltem casos, o que falta são verbas e pesquisadores dispostos a colher e investigar tais relatos. Se você entrar em alguma lista de discussão espírita e perguntar se alguém conhece um caso do tipo, pode bem ser que encontre vários relatos. Eu já fiz isso e achei vários, mas a distância e falta de verba e de tempo não me permitiu investigar mais a fundo.

  258. Antonio G. - POA Diz:

    Nenhum fato, mas muito medo. É o terrorismo aludido pelo Gorducho.

  259. Antonio G. - POA Diz:

    Vitor, você sabe mais do que todos aqui que, sim, tem muita gente pesquisando esses “casos”, em muitos lugares do mundo, incluso renomadas universidades, que são muito justificadamente consideradas como berços do conhecimento. O problema é que nenhum destes pesquisadores até hoje apresentou algum resultado minimamente conclusivo. Os estudos sempre terminam como começam: sem nenhuma certeza.

  260. Demóstenes Diz:

    Prece do Ateu Caipira
    https://www.youtube.com/watch?v=Zih6DHWpr6E
    .
    Marciano,
    No linguajar popular, a quintessencia é a gravidade multidimensional, atua em várias direções.
    .
    Se o neutrino tem massa é matéria?!, pelo seu tamanho, atravessa ou ocupa o espaço “vazio” de outras matérias (entre moléculas). O mesmo acontece com perispírito (espírito), não é muito longe do semimaterial.
    .
    Quanto ao Dr. Sérgio Felipe de Oliveira é mesmo médico neurocientista, coordenador/professor da USP?
    .
    Como o blog é laico:
    Lembro de uma matéria do comando da madrugada, muitos anos, mostrando os cristais da glândula pineal. Não é esse vídeo, mas também aparece imagens dos cristais. Dr. Sérgio.
    https://www.youtube.com/watch?v=9hwsfO9lgH4
    .

  261. Gorducho Diz:

    O Post-Mortem não é feito de “lugares” tal qual o Céu, Inferno e Purgatório.
     
    Como que não? As esferas -n, …-1 (tipo assim como edifício japonês), 4ª (onde tem aquele edifício c/o kardex aí em cima da FEESP e NL), … 6ª (onde reside o Julio Cæsar), ou a 7ª onde costuma dar palestras Jesus Cristo não são “lugares”?

  262. Vitor Diz:

    Antônio,
    me refiro ao Brasil. Note que nem a AME, nem o NUPES nem o Interpsi (gradação do pior para o melhor, na minha opinião) estão investigando esses casos no Brasil. Agora, que “nenhum destes pesquisadores até hoje apresentou algum resultado minimamente conclusivo” é falso. No artigo de 1988 publicado no JNMD, os autores são bem taxativos que os casos comprovam, no mínimo, um fenômeno paranormal.
    .
    http://obraspsicografadas.org/2012/trs-novos-casos-do-tipo-reencarnao-no-sri-lanka-com-registros-escritos-feitos-antes-das-verificaes-1988/

  263. Antonio G. - POA Diz:

    Aliás, acho que não existe nenhum outro tema tão exaustivamente estudado e sem produzir nenhuma resposta positiva quanto estes relacionados à vida após a morte, espíritos, paranormalidade e questões correlatas. Realmente, não me ocorre.
    Se ocorrer a alguém, por favor, me desminta.

  264. Gorducho Diz:

    Eu não acho que aqui faltem casos, o que falta são verbas
     
    Bom aí o Sr. me pega e tenho que acreditar em si, pois que nuca estive na India nem na Turquia, muito menos indo a partir da América. O Sr. esclarece que as passagens entre a costa leste e a India, bem como o restante dos custos são e historicamente foram significantemente menores que virem cá, de sorte que o IS economizava.
    Perfeito: … satisfeito!

  265. Gorducho Diz:

    Os chiquistas não podem investigar porque a motivação deles é religiosa. Daí ou eles detonam c/os dogmas românticos, ou detonam c/o IS!
    Impasse: melhor ficarem sensatamente quietos…

  266. Antonio G. - POA Diz:

    Ok, prezado. Me lembro deste assunto. Mas temos divergência sobre o que dá para considerar como evidência de paranormalidade. Pesquisa sem método científico, e sem uma devida e suficiente investigação insuspeita, para mim, vale muito pouco. A fraude, a fantasia e a mistificação andam sempre rondando estes estudos “independentes”. Sou muito desconfiado. E tenho suficientes motivos para ser.
    .
    Fui até buscar uma resposta que dei a uma indagação sua sobre o que seria uma “evidência consistente” que eu reclamara para os fatos alegados.
    .
    Disse eu:
    Vitor, eu já falei sobre isso, mas uma evidência consistente seria, por exemplo, uma manifestação “a céu aberto”, para todos presenciarem. Seria algo realmente conclusivo, inequívoco. Tudo o que temos são relatos de fenômenos presenciados por uns poucos privilegiados, histórias cheias de mistério e fantasia. Os cenários são sempre inacessíveis ao “comum mortal”. Os supostos pesquisadores não são pessoas comprovadamente isentas. Sempre fica a suspeita de que a fé esteja presente como ingrediente do fenômeno. E é quase sempre tudo muito antigo. Quando se evoca a Piper (que eu sei que você respeita muito), eu não posso ignorar que os fatos remontam a “milênios”. Não aparece nada de novo em termos de fenômenos. O que eu conheço de mais próximo no campo do tema das materializações, por exemplo, é o caso da Dona Ederlazil e suas materializações de lixo e bugigangas. E vamos combinar que o exemplo é “de chorar” de tão grotesco.
    É isso, Vitor. Eu não vejo consistência alguma. Mas pode ser um defeito meu.

  267. Antonio G. - POA Diz:

    Acima, respondi ao comentário do Vitor.

  268. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    (Montalvão ao Vlad):”está ironizando ou falando sério?”
    /
    GORDUCHO: Me admira o Sr., Analista Montalvão… :(
    /.
    PONDERAÇÃO: pelo visto fui resumido em minha indagação e você o foi no comentário. Um não assim o outro entende, entende?
    .
    Vamos, entonces, desapatralhar o trem.
    .
    VLAD dissera: “Meu colega Dr. Sergio, em sua elucidativa palestra:[...]”
    .
    Aí, manifestei dúvida se ele falava sério ou ironizava. Não em relação ao coleguismo que cultiva com o Sérgio: isso pode ser compulsório, por força da profissão. A ironia está em asseverar que palestra desse doutor é elucidativa.
    .
    Sujeito que divulga aos seus confrades crendice há mais de dois mil anos contestada, qual a de que a pineal tenha funções místicas, não dará, jamais elucidativa, palestra, a não ser que fale de outros assuntos, como, por exemplo, palestra explicando como papai noel desce de chaminés em residências que não as tenham…
    .
    Espero, now, ter extraído o caroço do nó górdio.

  269. Gorducho Diz:

    E eu me admirei do Sr., c/sua reconhecida perspicácia, ter alguma dúvida quanto ao fato do Dr. estar ironizando.
    A ironia e o sarcasmo para terem efeito não podem ser avisadas, ainda mais conhecendo ele a potência intelectiva da Administração e dos boca-batentes do Sítio.

  270. Antonio G. - POA Diz:

    rsrsrs!

  271. Antonio G. - POA Diz:

    Da série “eu escrevi lá atrás” (no caso, em fevereiro de 2012) sobre a confusão e falta de sintonia entre os defensores do espiritismo e seus alegados fenômenos:
    .
    …de acordo com uma corrente doutrinária, só os seres humanos possuem espíritos e são passíveis de reencarnação. Outra corrente defende que também os animais possuem espíritos, sendo que uns dizem que é uma espécie de “espírito coletivo”. Outros dizem que são espíritos individuais, mas de baixo nível de desenvolvimento. Há os que garantem que os espíritos “terráqueos” só reencarnam na Terra e os que dizem que podem reencarnar em outros planetas e vice e versa. Enfim, uma confusão enorme, sem que ninguém consiga dizer, com um mínimo de racionalidade, de onde tirou a sua afirmação.
    .
    Quanto à questão do espiritismo ser ciência, me parece razoável dizer que o espiritismo é tão ciência quanto a astrologia, a quiromancia e a numerologia, por exemplo. Ou seja, não tem qualquer base científica e sua classificação como ciência não se sustenta em nenhuma evidência, salvo na fé.

  272. Vitor Diz:

    Antônio,
    comentando:

    01 – “Pesquisa sem método científico, e sem uma devida e suficiente investigação insuspeita, para mim, vale muito pouco”
    .
    O método está minuciosamente descrito na seção “Métodos de Investigação”, e um pouco antes também. Fica claro o esforço hercúleo dos autores para excluir o vazamento de informação. E conseguiram.
    .
    02 – “A fraude, a fantasia e a mistificação andam sempre rondando estes estudos “independentes”. Sou muito desconfiado. E tenho suficientes motivos para ser.”
    .
    Fraudar casos de reencarnação com crianças é complexíssimo. Na prática, inviável. As pouquíssimas fraudes que ocorreram divergem em diversos fatores: a criança se lembra da vida de pessoas famosas, e ela tem muito mais idade. Não se trata de crianças com 2 anos, e sim de dez ou onze, quando na grande maioria dos casos legítimos as memórias já desapareceram aos 7 anos. A fraude ou fantasia nesses casos é fácil de detectar.

  273. Demóstenes Diz:

    Antonio G.
    A doutrina de Kardec, que criou o termo “espiritismo”.
    Diz a respeito que os animais tem alma ou espírito, porém inferior ao homem.
    .
    Quanto ao espírito:
    23. Que é espírito?
    — O princípio inteligente do universo.
    .
    Ou seja, esse princípio inteligente vai pra onde quiser, depende unicamente do seu pensamento. O termo “só pensa no material”, tentando explicar, o ser fica em um espécie de “loop”, estacionado em algum lugar do espaço, revivendo coisas que fazia quando vivo. Não tem o “equilíbrio” mental, para direcionar seu pensamento para outras coisas ou lugares.
    .
    Pode reencarnar novamente na terra, até mesmo sem saber, por questão de oportunidade de uma concepção uterina.
    .
    Outros com equilibrio, reencarnam aqui, por questão familiares ou “dívidas”.
    .

  274. Gorducho Diz:

    A doutrina de Kardec, que criou o termo “espiritismo”.
     
    Não, Sr. Demóstenes, o Kardec não criou nada: essa deve ser outra das lendas que o Sr. certamente escutou dos espíritas (aliás o espiritismo é só isso: fantasias e lendas…).
    Espiritismo é uma palavra AMERICANA muito anterior ao LE1.

  275. Marciano Diz:

    Não se faça de [EDITADO], VLAD, pois eu sei que você não o é.
    Você sabe que não tem condições de ler um verdadeiro livro de física, porque falta-lhe a base matemática.
    Fique com seus livrinhos de divulgação e pseudodocumentários de tv, pois esta é a física que lhe toca.
    .
    .
    OS PSEUDOCIENTISTAS INVENTAM SEU PRÓPRIO VOCABULÁRIO, NO QUAL MUITOS TERMOS CARECEM DE DEFINIÇÕES PRECISAS OU SEM AMBIGUIDADE, E ALGUNS NÃO POSSUEM NENHUMA DEFINIÇÃO.
    Os ouvintes são amiúde forçados a interpretar as afirmações conforme suas próprias preconcepções. Por exemplo, o que significa “energia biocósmica” ou “sistema psicotrônico de amplificação”? Os pseudocientistas buscam com frequência imitar o jargão científico e técnico jorrando uma algaravia que soa científica e técnica. Os curandeiros estariam perdidos sem o termo “energia”, mas o emprego que dele fazem não tem absolutamente nada que ver com o conceito de energia usado pelos físicos.
    .
    .
    ESPRIT, SPIRIT, ESPRITISME, SPIRITISM.
    VOILÀ!
    THAT’S IT!

  276. Marciano Diz:

    As palavras sem sentido do VLAD,
    A Baratrosfera (ou Umbral) nada mais é do que isso,
    a faixa vibratória e energética das Consciex (ou espíritos) agrupadas em conjunto.
    .
    É a isto que se refere o texto acima.

  277. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    COMENTÁRIO pro G Poa.
    /.
    ANTONIO: “A fraude, a fantasia e a mistificação andam sempre rondando estes estudos “independentes”. Sou muito desconfiado. E tenho suficientes motivos para ser.”
    .
    [Defesa apologética]: “Fraudar casos de reencarnação com crianças é complexíssimo. Na prática, inviável. As pouquíssimas fraudes que ocorreram divergem em diversos fatores: a criança se lembra da vida de pessoas famosas, e ela tem muito mais idade. Não se trata de crianças com 2 anos, e sim de dez ou onze, quando na grande maioria dos casos legítimos as memórias já desapareceram aos 7 anos. A fraude ou fantasia nesses casos é fácil de detectar.”
    .
    PONDERAÇÃO: Tonho, não sei se leu considerações, em outras discussões, que fiz a respeito da superstição de que crianças lembrem vidas que legitimamente tenham vivido. Faço um resumo dos óbices.
    .
    1. os casos investigados por Stevenson, na Ásia, parecem, em maioria, não terem base filosófica-religiosa a apoiá-los, aliás, ter têm, mas é base distorcida. Trazendo para nosso contexto é como muitos cristãos mal-informados vivenciam suas religiões. Então se vê católico e, em menor grau evangélico, crendo que mortos comunicam, que há reencarnação…
    .
    A base religiosa da maioria dos reencarnados de Stevenson, salvo dramático equívoco, é budista e hinduísta (há uns poucos adeptos do Islã, e de outras idealizações). Nessas religiões não há propriamente reencarnação, visto que propugnam o incorporamento da alma ao universo. Entretanto ficam a vagar no espaço agregados maculados pela matéria, ou por ilusões, que carregam resquícios da personalidade que se foi e acabam por se agregar a uma nova existência recém-nascida.
    .
    Assim, o vulgo vivencia os ensinos religiosos conforme pessoalmente entende, ou de acordo com as orientações de líderes comunitários. Daí as concepções distantes daquelas encontradas no ocidente. Os retornados de Stevenson jamais servirão para uso no kardecismo, porque provém de outra visão metafísica (isso, entretanto, não impede que espíritas desavisados recorram a esse pesquisador como apoio à crença multividas).
    .
    2) por isso é que quando esses casos são trazidos para entorno próximo de nós (qual os casos brasileiros que ele estudou), percebe-se facilmente as esquisitices que carreiam.
    .
    3) mas, mesmo os distantes, se examinados com atenção, revelam certas incongruências, quais a de crianças que não mais querem ser quem são, e exigem retorno ao antigo lar, a fim de reassumirem a posição que ocupavam e os bens que possuíam. Então, estão rejeitando a si mesmas para serem o que dizem ter sido. Stevenson não parece ter se interessado em esclarecer esse ponto.
    .
    4) e têm as marcas de nascença, uma das grandes besteiras defendidas por Stevenson e seguidores. Já vimos aqui que, com miúdas reflexões, fica patente a insustentabilidade de que acidentes numa vida deixassem marcas corpóreas ou psíquicas na existência seguinte, mesmo que houvesse continuidade reencarnativa.
    .
    5) por fim, repito indagações que lancei várias vezes: “o que de efetivo Stevenson descobriu favorável à reencarnação, afora a aparência?” O método dito científico que utilizava era constituído de entrevistas e verificações dos informes prestados pela criança (a maioria dos quais conferidos a posteriori: poucas vezes o investigador chegou antes de o enredo já estar envelhecido e maculado). Quando havia quantidade razoável de informações corretas (tipo o imaginado reencarnado saber o nome da vida anterior, onde vivera, identificar coisas que possuíra) o caso era classificado “forte”, ou “resolvido”. Não se vê um evento em que essas pseudolembranças fossem aprofundadas, até que ficasse patente haver real e autêntico conhecimento da vida do falecido. E note que, chegar a esse nível, não seria taxativo para indicar reencarnação, porém não deixaria de ser um bom andamento pesquisativo. Quer dizer, nem da superfície da hipótese Stevenson e discípulos conseguiu sair.
    .
    E ainda há quem considere os “casos sugestivos” reais casos.
    .
    Melhor que isso só abraçando porco-espinho.

  278. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    G POA: “Só não desconfio que seu nickname [do Alexander Moreira] em blogs de discussão sobre paranormalidade e fenômenos afins seja “Vladimir”, porque ainda estou por decidir se Vlad é mesmo médico psiquiatra. Eu não estou tão certo disto.
    ./
    PONDERAÇÃO: sabe que estou quase a apostar que sua perspicácia detetivesca esteja bem próxima da realidade?

  279. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    VLAD: A Baratrosfera (ou Umbral) nada mais é do que isso,
    a faixa vibratória e energética das Consciex (ou espíritos) agrupadas em conjunto.
    /.
    PONDERAÇÃO: na barastofera o condenado é castigado com horrores baratíferos. Depois da pena cumprida, passa para regimes mais leves de castigo, indo, geralmente, para a lagartixatosfera, onde ainda não descobri que bicho lá vive…

  280. Contra o chiquismo Diz:

    Demóstenes Diz:
    AGOSTO 6TH, 2015 ÀS 8:36 PM
    ..

    Sou kardecista e fã literário Rochestista. Não sou chiquista, etc. Acredito que exista um Emmanuel e um André, se o primeiro gostava de mandar, impor sua vontade a CX, o último, até pelo que já li aqui no obras, creio que foi vítima das vontades ou obsessão do CX. Sendo condicionado a acreditar que existia uma Cidade, ministérios, sopa, remuneração, etc.
    .
    .

    Pra vc quem foi andre luiz? Carlos Chagas?

  281. Vitor Diz:

    Montalvão,
    comentando:
    .
    a) “os casos investigados por Stevenson, na Ásia, parecem, em maioria, não terem base filosófica-religiosa a apoiá-los,”
    .
    O que é ótimo, ou diriam que Stevenson estava defendendo alguma religião específica.
    .
    b) “Nessas religiões não há propriamente reencarnação, visto que propugnam o incorporamento da alma ao universo. ”
    .
    Uma coisa é o que as religiões dizem, outra o que as próprias crianças dizem. Várias falam coisas que contrariam suas próprias religiões. E em que pese a diversidade de cultura, os casos em si possuem muitas semelhanças que vencem as barreiras culturais.
    .
    c) “mas, mesmo os distantes, se examinados com atenção, revelam certas incongruências, quais a de crianças que não mais querem ser quem são, e exigem retorno ao antigo lar, a fim de reassumirem a posição que ocupavam e os bens que possuíam. Então, estão rejeitando a si mesmas para serem o que dizem ter sido. Stevenson não parece ter se interessado em esclarecer esse ponto.”
    .
    Isso não é incongruência. Simplesmente o senso de continuidade da existência anterior permaneceu na vida atual. Essa é justamente a essência do fenômeno.
    .
    d) “e têm as marcas de nascença, uma das grandes besteiras defendidas por Stevenson e seguidores. Já vimos aqui que, com miúdas reflexões, fica patente a insustentabilidade de que acidentes numa vida deixassem marcas corpóreas ou psíquicas na existência seguinte, mesmo que houvesse continuidade reencarnativa”
    .
    Essa “besteira” permite tecer previsões de sucesso, e até experimentos nos casos de marcas de nascença experimentais. A “insustentabilidade” é só aparente, ignorância com relação ao modus operandi do fenômeno. E mesmo quanto a isso já existem explicações plenamente satisfatórias.
    .
    e) “Não se vê um evento em que essas pseudolembranças fossem aprofundadas, até que ficasse patente haver real e autêntico conhecimento da vida do falecido.”
    .
    Há aprofundamento suficiente para saber que houve uma demonstração real e autêntica de conhecimento paranormal. (Exemplo: os 3 casos do Sri Lanka de 1988).
    .
    f) “E ainda há quem considere os “casos sugestivos” reais casos.”
    .
    E há quem ainda desdenhe de tais casos… bem, tem gente que desdenha de Darwin também, tem louco pra tudo :-)

  282. Marciano Diz:

    Eu disse, mais acima:
    .
    Tem católico que não acredita no milagre da transubstanciação da hóstia e não sabe que TEM DE acreditar. Nunca leu o catecismo inteiro.
    Tem espírita que não sabe que Waldo Vieira deixou de ser chiquista há muito tempo, renegando tudo o que escreveu e falando mal de cx.
    Tem TJ que não sabe que suas “Novas Escrituras Gregas Cristãs” são adulteração da bíblia, católico que não sabe que a igreja romana “saiu” da ortodoxa, etc.
    .
    MONTALVÃO disse, há pouco:
    .
    Então se vê católico e, em menor grau evangélico, crendo que mortos comunicam, que há reencarnação…

    Assim, o vulgo vivencia os ensinos religiosos conforme pessoalmente entende, ou de acordo com as orientações de líderes comunitários. Daí as concepções distantes daquelas encontradas no ocidente. Os retornados de Stevenson jamais servirão para uso no kardecismo, porque provém de outra visão metafísica (isso, entretanto, não impede que espíritas desavisados recorram a esse pesquisador como apoio à crença multividas).
    .
    .
    COMENTÁRIO:
    Como venho dizendo há anos aqui mesmo e na minha vida em geral, o que determina que alguém será um GRANDE INSPETOR GERAL, TEÓLOGO DA ICAR, etc., não é nada de AGORA, mas foi decidido há séculos.
    .
    A título de exemplo:
    Existia uma igreja católica (apertadíssima síntese). Num dado momento, por interesses variados, começam a surgir dissidências. A igreja começa a dividir-se (milagre da multiplicação das crenças). Alguns patriarcas, na Grécia, na Rússia, não aceitam as inovações. O de Portugal aceita.
    Portugal coloniza o Brasil.
    Pergunta-se: qual a chance de JCFF ser católico ortodoxo, muçulmano sunita ou xiita?
    Zero! Ele foi apresentado à única igreja verdadeira, a ICAR. Perdeu tempo se dedicando a acumular conhecimento de sua doutrina. Acreditou que ela é a igreja de uma das milhares e milhares de divindades imaginadas por aí.
    Sorte a nossa, ou ele poderia estar dando tiros de fuzil na gente, ou explodindo coisas.
    Em tempos mais remotos, poderia estar nos queimando por heresia.
    .
    .
    Crentes! Parem e pensem!
    Reflitam! Deixem de ser zombies!
    Vocês só acreditam no que acreditam porque nasceram num determinado local e época, tiveram uma certa educação.
    Vocês seriam completamente diferentes se tivessem nascido no Iraque ou na antiguidade romana ou egípcia.
    Não sejam tolos.
    Não dêem seu dinheiro para malandros que vivem da credulidade pública.
    .
    .
    .
    VLAD: A Baratrosfera (ou Umbral) nada mais é do que isso,
    a faixa vibratória e energética das Consciex (ou espíritos) agrupadas em conjunto.
    /.
    PONDERAÇÃO MONTALVÂNICA: na barastofera o condenado é castigado com horrores baratíferos. Depois da pena cumprida, passa para regimes mais leves de castigo, indo, geralmente, para a lagartixatosfera, onde ainda não descobri que bicho lá vive…
    .
    COMENTÁRIO:
    OS PSEUDOCIENTISTAS INVENTAM SEU PRÓPRIO VOCABULÁRIO, NO QUAL MUITOS TERMOS CARECEM DE DEFINIÇÕES PRECISAS OU SEM AMBIGUIDADE, E ALGUNS NÃO POSSUEM NENHUMA DEFINIÇÃO.
    Os ouvintes são amiúde forçados a interpretar as afirmações conforme suas próprias preconcepções. Por exemplo, o que significa ‘BARATOSFERA” “energia biocósmica” ou “sistema psicotrônico de amplificação”? Os pseudocientistas buscam com frequência imitar o jargão científico e técnico jorrando uma algaravia que soa científica e técnica. Os curandeiros estariam perdidos sem o termo “energia”, mas o emprego que dele fazem não tem absolutamente nada que ver com o conceito de energia usado pelos físicos.

  283. Marciano Diz:

    Tem psiquiatras que não conhecem as séries de MacLaurin, as séries de Taylos, não sabem resolver uma equação de terceiro grau, do tipo x ao cubo mais y ao quadrado mais z = 0 (dá trabalho colocar a potência aqui).
    Não sabem resolver uma equação diferencial, não conhecem a teoria dos anéis, mas acham que sabem física, porque viram um documentário na tv ou leram um livro de divulgação do Hawking.
    Ai, tome baratrosfera, perispírito…

  284. Marciano Diz:

    séries de Taylor.

  285. Marciano Diz:

    Ninguém me respondeu, até agora, qual a massa de nosso lar, considerando sua órbita geoestacionária sobre a cidade do RJ e a massa da Terra.

  286. Marciano Diz:

    E seu volume aparente, conforme descrito na literatura chiquista.

  287. Marciano Diz:

    Nosso lar está em órbita estável?
    Gera efeito de maré sobre a Terra?
    Sua órbita é elíptica ou circular?
    Vamos lá, cientistas espíritas.
    DR. VLAD!

  288. Marciano Diz:

    Probleminha de ensino médio para o Dr. VLAD, o físico do blog:
    .
    Um gerador de fem E = 100V e resistência interna r = 1 Ω deve fornecer energia 2,5 – 10 ⁴ J.
    Calcule o tempo mínimo necessário.
    Peça socorro ao livro do Hawking.
    .
    Quem sabe assim você vê que se ilude, quando pensa que conhece física?

  289. Marciano Diz:

    Facilitando para o Dr.: é 2.5 x 10 ⁴ J.

  290. Marciano Diz:

    Calcule o tempo mínimo, grande físico de apartamento e de documentários idiotas.

  291. Marciano Diz:

    Tem gente que pensa que saber física é ler livrinhos de divulgação científica, assistir a documentários de tv, palestras espíritas.

  292. Gorducho Diz:

    Vocês só acreditam no que acreditam porque nasceram num determinado local e época, tiveram uma certa educação.
     
    Lógico. A religiosidade, pelo menos essa mais aperfeiçoada fora do ancestor worship, culto ao Sol, Lua, e fenômenos naturais que por terror e desconhecimento é natural que imaginassem como seres, nada tem de “natural”, inerente à humanidade terrícola.
    Senão porque todo esse feroz empenho em catequizar os infantes; ameaçar das formas mais criativas possíveis; ou prometer 72 virgens p/cada homem (meus parcos conhecimentos de Teologia Aplicada param por cá e não sei qual a recompensa das mulheres, se as há…) que se comportar conforme a cartolagem quer?

  293. Demóstenes Diz:

    Gorducho,
    Não se ofenda, espíritos ou demonio ou ?????? (daimon) ou eu (Demo -stenes) existem a muita eras, mas o termo designa a “codificação” de Kardec.
    .
    Qual a tese que o “espiritismo”, a palavra, termo pra designar estudos dos espiritos, é americana. Posso estar enganado, mas o Shamanismo dos índios é que falavam em “nature spirit”.
    /.
    Contra Chiquismo,
    Não acredito que André tenha sido Carlos Chagas. Pode até ter sido médico ou um pseudo sábio, por usar alguns termos técnicos. Mas sei que Chico conheceu o Pietro Ubaldi, deve ter lido seus livros. Continuo com a tese que Chico condicionou, “doutrinou” o espírito. O espírito “vivenciava” e reportava ao Chico e ao Prof. Waldo.
    .

  294. Demóstenes Diz:

    Sei não e no caso das mulheres bombas? É prometido ser uma das virgens?
    .
    Nos pontos de interrogação era uma palavra em grego,
    .

  295. Marciano Diz:

    VLAD, considere uma barra em repouso em relação a um sistema de referência R’. Este se movimenta em relação ao sistema de referência inercial R com velocidade υ = 0,8c. Seja L’ = 1m = 1,0 m o comprimento da barra medido no sistema referencial R’. Sabendo que a barra está alinhada na direção do movimento, determine o comprimento da barra em relação ao referencial R.
    .
    Para quem conhece Teoria Restrita da Relatividade de Apartamento, essa é fácil.
    .
    Cola para o Dr.: υ é uma letra grega (upsilon) e c é a velocidade na luz.

  296. Marciano Diz:

    velocidade DA luz
    .
    O Dr. já é fraquinho em física, com esse errinho de digitação é que ele não vai nem mesmo entender a natureza do problema.

  297. Gorducho Diz:

    NL deve estar chumbado com peri-estacas peri-cravadas no solo da zona norte daí. E todas as demais, senão elas iam ficar deslizando e aquele edifício c/o kardex de milhões de fichas não ia permanecer encima da FEESP, aquela colônia onde foi o rapaz encima de Jerusalém não ia ficar no lugar &c. As esferas ficam peri-chumbadas à crosta, como as colunas verticais dum edifício. Cada esfera é um peri-andar.

  298. Marciano Diz:

    Perfeito, GORDUCHO. Só pode mesmo ser perichumbada, ou não se sustentaria.
    A mecânica celeste “celestial” tem suas sutilezas.
    .
    Mais um probleminha para o Dr. VLAD:
    .
    VLAD, encontre a série de MacLaurin da função ƒ (x) = e elevado a x e seu raio de convergência.
    .
    Quem sabe um dia ele veja a diferença entre ficção científica, divulgação científica e ciência?

  299. Vladimir Diz:

    Forrest Gump: Você sabe que não tem condições de ler um verdadeiro livro de física, porque falta-lhe a base matemática.
    .
    COMENTÁRIO: E acaso Vossa Excelência tem?
    Vá me dizer agora que além de Juiz, Promotor, Advogado, Policial, Contador, (esqueci alguma?) é Físico também???
    .
    Fico me perguntando se alguém com tantas carreiras consegue adquirir competências em alguma delas???
    .
    Ah menos que nosso caro Lunático (quero dizer Marciano) esteja vivendo em um Multiverso Holográfico onde vive várias vidas ao mesmo tempo, onde possui carreiras diferentes…
    .
    Forrest Gump: Os pseudocientistas buscam com frequência imitar o jargão científico
    .
    COMENTÁRIO: Agora eu estou deveras preocupado contigo, vejamos se os autores citados são “Pseudocientistas”:
    .
    Dr.Brian Greene, PhD – Cornell University
    Dr.Ervin Laszlo, PhD – University of Pecs
    Dr.Lee Smolin, PhD – Harvard University
    Dr.Stephen Hawking, PhD – University of Cambridge
    .
    Realmente eles são “pseudocientistas” com certeza, Cientista mesmo é o anônimo “Marciano” aka Forrest Gump que escreve cá no sítio…
    .
    Não me leve a mal, mas dada as vossas “credenciais” e a dos meus “pseudocientistas” eu prefiro ficar com eles, nada pessoal, tenho certeza que você entenderá
    .
    Ah propósito, tive Biofísica na Faculdade, mas já faz tanto anos que nem me recordo, bem confesso que não uso e não tenho nenhuma necessidade de usar a linguagem matemática da Física na minha profissão.
    .
    Como eu sempre digo: Run Forest, run!!!

  300. Marciano Diz:

    Vê se te enxerga, VLAD.
    Você pode entender de enrolação, de física não sabe nada.
    Entende de sexo dos anjos.
    Deve ter feito (se fez) residência em psiquiatria porque é uma das mais fáceis que existem.
    Talvez só tenha conseguido vaga nessa.
    E onde terá sido essa residência, se é que houve?

  301. Gorducho Diz:

    Não é tese, Sr. Demóstenes: é conhecimento de literatura espiritualista Americana.
    Se na América usavam a palavra antes do Kardec publicar o LE1, não foi ele quem inventou, certo. A menos que vá alegar que ele “inventou” o afrancesamento da palavra spiritism, i.e., a genial criatividade dele tenha sido pegar spiritism e transformar em spiritisme p/uso em França. Se é isso que tem em mente, leve as fichas.
     
    By the way, demônio se escreve assim: δαιμόν
     
    Quanto às mulheres não sei o que ocorre… Como disse sem ironia: cá terminam meus conhecimentos de Teologia Aplicada.

  302. Marciano Diz:

    As carreiras díspares a que você se referiu são todas do direito, o que simplifica as coisas.
    Para quem não entende nada de nada, como você, pode parecer que são profissões tão diferentes.
    Eu não sou físico, mas ainda não me esqueci da física do ensino médio e aprendi um pouquinho de matemática superior.
    Você deve ter estudado medicina porque sempre foi péssimo em física e matemática.
    Lembra-se do conselho que me pediu para seu filho?
    Se ele se parece com você, é melhor estudar direito mesmo.
    Eu não estudei direito para fugir da física e da matemática. Eu o fiz porque sabia que ganharia muito mais dinheiro com isso. E ganho!
    Já dei as dicas para o teu filho ganhar também.

  303. Gorducho Diz:

    É prometido ser uma das virgens?
     
    Não. Até aí vão meus conhecimentos de Teologia :mrgreen: : essas virgens são seres lá do paraíso, criadas lá. Não encarnam ou seja nada têm a ver c/mulheres terrícolas falecidas.

  304. Gorducho Diz:

    Puxa! essa tese é de fazer inveja até ao Analista Borges que é afeito a formular teses: o espírito André Luiz existe mas ao invés dele influenciar e ditar p/o CX, o CX é que influenciava e engrupia ele!

  305. Marciano Diz:

    Fico me perguntando se alguém com tantas carreiras consegue adquirir competências em alguma delas???.
    .
    RESPOSTA AO IGNARO VLAD:
    Para ser delegado de polícia, defensor público, promotor de justiça e juiz você tem de fazer um concurso de provas e títulos dificílimo.
    Precisa de prática forense de cinco anos para os dois últimos.
    O problema é o teto salarial e a subordinação administrativa.
    Respondido?
    Não é qualquer advogado que pode esnobar a magistratura e o MP, mas existem uns poucos, a cujo conjunto tenho e elevada honra de pertencer.

  306. Marciano Diz:

    Fiquei os 3 anos de pedágio fazendo consultoria jurídica.
    Pergunte a seu filho, já que ele está se formando, que ele te explica direitinho.

  307. Demóstenes Diz:

    Sim, chamamos de obsessão encarnado para desencarnado.
    .
    Se um espírito está em “desequilíbrio”, pode ser doutrinado ou “sugestionado”.
    A quem indica maca, ambulância, hospital, etc. Por estar em constante contato com CX, o espírito pode ter sido conduzido mentalmente por CX, a uma cidade que conhecia bem, pelos relatos aqui do blog, a cidade do Sr. ou mãe, Sr. Owen.
    .

  308. Marciano Diz:

    Pergunte a seu filho o que são os 3 anos de pedágio.
    É depois que você se desvincula do cargo público.
    Eu não quis ser físico porque sabia que ganharia miséria optando pela carreira.
    A maioria acaba dando aulas em um curso vagabundo para se sustentar.
    É muito melhor ser engenheiro, de qualquer especialidade.
    Direito, para quem é competente para angariar clientes ricos e importantes, rende muitos metais, VLAD.
    Tá na hora do seu plantãozinho?

  309. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano Diz:
    AGOSTO 7TH, 2015 ÀS 6:17 PM
    Vê se te enxerga, VLAD.
    Você pode entender de enrolação, de física não sabe nada.
    Entende de sexo dos anjos.
    Deve ter feito (se fez) residência em psiquiatria porque é uma das mais fáceis que existem.
    Talvez só tenha conseguido vaga nessa.
    E onde terá sido essa residência, se é que houve?
    .
    .
    .
    Se houve, foi feita em reduto dos caras da AME.

  310. Contra o chiquismo Diz:

    Sr Demóstenes, pode provar que kardec não é racista? Que tem a dizer dessa declaração dele?
    .
    .
    .
    “Os negros, pois, como organização física, serão sempre os mesmos; como Espíritos, sem dúvida, são uma raça inferior, quer dizer, primitiva; são verdadeiras crianças às quais pode-se ensinar muita coisa;” (Allan Kardec, “Perfectibilidade da raça negra” Revue Spirite, Abril de 1862)

  311. Marciano Diz:

    Vejam como VLAD usa de má-fé e se faz de retardado:
    .
    Vladimir Diz:
    AGOSTO 6TH, 2015 ÀS 2:02 PM
    O “Energossoma” é afetado, já o Psicosoma e o Mentalsoma não.
    .
    Mais adiante Vladimir Diz:
    AGOSTO 7TH, 2015 ÀS 12:12 PM

    A Baratrosfera (ou Umbral) nada mais é do que isso,
    a faixa vibratória e energética das Consciex (ou espíritos) agrupadas em conjunto.
    .
    Ao que eu retruquei:
    .
    OS PSEUDOCIENTISTAS INVENTAM SEU PRÓPRIO VOCABULÁRIO, NO QUAL MUITOS TERMOS CARECEM DE DEFINIÇÕES PRECISAS OU SEM AMBIGUIDADE, E ALGUNS NÃO POSSUEM NENHUMA DEFINIÇÃO.
    Os ouvintes são amiúde forçados a interpretar as afirmações conforme suas próprias preconcepções. Por exemplo, o que significa ‘BARATOSFERA” “energia biocósmica” ou “sistema psicotrônico de amplificação”? Os pseudocientistas buscam com frequência imitar o jargão científico e técnico jorrando uma algaravia que soa científica e técnica. Os curandeiros estariam perdidos sem o termo “energia”, mas o emprego que dele fazem não tem absolutamente nada que ver com o conceito de energia usado pelos físicos.
    .
    Ao que, ele responde:
    .
    Agora eu estou deveras preocupado contigo, vejamos se os autores citados são “Pseudocientistas”:
    .
    Dr.Brian Greene, PhD – Cornell University
    Dr.Ervin Laszlo, PhD – University of Pecs
    Dr.Lee Smolin, PhD – Harvard University
    Dr.Stephen Hawking, PhD – University of Cambridge
    .
    Será que ele é retardado mental ou é apenas desonesto mesmo?
    Onde foi que Dr.Brian Greene, PhD – Cornell University
    Dr.Ervin Laszlo, PhD – University of Pecs
    Dr.Lee Smolin, PhD – Harvard University
    Dr.Stephen Hawking, PhD – University of Cambridge
    .
    usaram das palavras energossoma, psicosoma, mentalsoma ou baratrosfera?
    .
    Ele finge que eu disse que os citados PHDs inventarem esses termos RIDÍCULOS usados por ele.
    .
    .
    VLAD, se não deixar sua DENONESTIDADE INTELECTUAL de lado, pode se esquecer de mim.

  312. Marciano Diz:

    Ele faz isso para parecer que eu disse que Hawking e cia. inventaram esses termos fajutos, mas quem os usou, foi ele e isso é coisa do Waldo e de outros idiotas.
    Isto que o Dr. faz É DESONESTIDADE.
    Não argumenta como homem, argumenta como MOLEQUE.
    E ainda acha que pode me chamar de maluco:
    .
    Vladimir Diz:
    AGOSTO 6TH, 2015 ÀS 7:37 PM
    Forrest Gump, está “off the rails”, alguém traga o Haloperidol…rs
    .
    O bobalhão da corte me chamou de Forrest Gump porque fui eu quem passou a chamar JFC de NSFG, pela semelhança na criação dos personagens.
    Nem original o bobo da corte consegue ser.

  313. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Ninguém me respondeu, até agora, qual a massa de nosso lar, considerando sua órbita geoestacionária sobre a cidade do RJ e a massa da Terra.”
    /.
    PONDERAÇÃO: eu meio que respondi, mas vai ver não leva meia-resposta em conta, então, fazendo a conta direitinho, cheguei o número exato de: 700 ha3 (setecentos hectares cúbicos) de MASSA cimentária, considerando as construções em traço 3×1, as fundações 1×1 (forte mesmo) e os bancos 4×1. Só não levei em conta os muros.
    .
    Confira a descrição e confirme se a “massa” não está certinha…
    ./
    /
    “Mencione-se, desde logo, que existem dois desenhos: o primeiro que abrange apenas a estrela, onde se localiza a Governadoria e os conjuntos habitacionais, inscritos dentro dela, destinados aos trabalhadores de cada Ministério; o segundo já engloba, mais além, os conjuntos residenciais que, conquanto ainda afetos aos trabalhadores do Ministério, podem ser adquiridos por estes, através de “bônus-horas” e são suscetíveis de transmissão hereditária. Também nele se vê a grande muralha protetora da cidade.
    .
    A cidade tem a forma de uma estrela de seis pontas, localizando-se a Governadoria no centro do círculo em que está inscrita a estrela.
    .
    Da Governadoria partem as coordenadas que dividem a cidade em seis partes distintas, afetas, cada uma, ao mesmo número de organizações, especializadas, em que se desdobra e administração pública, representada, como já se disse, pelos Ministérios da Regeneração, do Auxílio, da Comunicação, do Esclarecimento, da Elevação e da União Divina.
    .
    Assim, a cidade está dividida em seis módulos, cada um deles partindo da Governadoria, junto à qual se eleva a torre de cada Ministério, configurando-se como o centro administrativo.
    .
    À frente deles, está a grande praça que os circunda e que, para que se avalie o seu tamanho, está apta para receber, comodamente, um milhão de pessoas. A médium descreve-a como belíssima, com piso semelhante ao alabastro, com muitos bancos ao seu redor, sendo que, nos espaços em que se vê o encontro dos vértices das bases dos triângulos, por detrás dos bancos, existem fontes luminosas multicoloridas e, em torno delas, flores graciosas e delicadas.
    .
    [...]

    Entre os núcleos em forma de triângulo e a muralha, estão os núcleos residenciais destinados aos Espíritos que, por seus méritos, podem adquirir suas casas mediante pagamento em bônus-horas, que é a unidade monetária padrão, correspondente à uma hora de trabalho prestado à comunidade. Estas casas, pertencendo aos que adquirem podem se objeto de herança. Na planta aparecem umas poucas quadras, mas, na verdade, são muitas quadras, a perderem-se de vista e que se alongam até a muralha.
    .
    Circundando toda a cidade, está grande muralha protetora, onde se acham assestadas as baterias de projeção magnética, para defesa conta as arremetidas dos Espíritos inferiores, o que não deve estranhar porque, como sabemos, a cidade está situada numa esfera espiritual de transição, abrigando Espíritos que ainda devem se reencarnar.
    .
    A planta da cidade, no entanto, carece de medidas que nos propiciem uma exata compreensão do seu tamanho.
    .
    Mas, poderemos imaginar sua magnitude pelas referências que André Luiz nos faz.
    .
    É uma cidade, amplamente disposta, para um milhão de habitantes.
    .
    O “aeróbus”, correndo numa velocidade que não permite fixar os detalhes da paisagem, e com paradas de três em três quilômetros, demora quarenta minutos para ir da Praça da Governadoria até o Bosque das Águas, que está localizado na planta.
    .
    Da obra “CIDADE NO ALÉM” – AUTORES ESPIRITUAIS: ANDRÉ LUIZ e LUCIUS

    Psicografia: FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER – Heigorina Cunha”
    /
    /
    Quaisquer outras dúvidas só perguntar…

  314. Marciano Diz:

    Pessoal, espanhol e português são praticamente dialetos da mesma língua, portanto, ninguém terá dificuldade de ler isto:
    .
    CÓMO FABRICAR UN ENGAÑABOBOS
    .
    ¿Eres un joven emprendedor con ganas de comerte el mundo pero sin ningún proyecto que valga la pena?¿Estás buscando una idea de negocio que requiera un mínimo esfuerzo y te genere cuantiosos beneficios?
    ¡Enhorabuena, porque estás en el momento y el lugar adecuado! España es un país de misticismos y creencias absurdas, y eso es una oportunidad de negocio que un emprendedor talentoso como tú no puede dejar escapar.
    Con esta sencilla guía podrás poner en marcha tu negocio en sólo 10 pasos.
    1. Crea un producto cualquiera (una pomada, una pulsera, una calcamonía…) y escribe un panfleto REPLETO DE PALABROS CIENTÍFICOS CONCATENADOS. No te preocupes por dotarle de algún sentido, tu consumidor potencial es analfabeto funcional. Hay palabras que funcionan de manera mágica como energía y magnetismo; úsalas sin ningún pudor.
    2. OTRA OPCIÓN ES INVENTARTE TU PROPIA PALABRA PSEUDOCIENTÍFICA, COMO POLINMUNITAS OPENDORFINAS. ES FUNDAMENTAL QUE EL VOCABLO QUE CREES TENGA UNA CIERTA RESONANCIA CIENTÍFICA.
    3. Es importante que avales tu producto con alguna coartada “natural”, que nadie piense que se ha desarrollado en un oscuro laboratorio sin ventanas repleto de gente fea. Puedes afirmar, por ejemplo, que tu producto se basa en algo oriental y milenario (no vale si es sólo oriental o sólo milenario, debe ser ambas cosas). Si el rollo oriental no te va, di que se basa en algo aparentemente inocuo pero extravagante como la mucosidad vaginal de las murciélagas.
    4. Ojo cuando afirmes para qué sirve exactamente tu producto. Debe dar la impresión de que cura algo, pero no puede ponerlo explícitamente o corres el riego de acabar en la trena. USA EXPRESIONES AMBIGUAS Y VAGAS; DI, POR EJEMPLO, QUE APELMAZA LOS ÁTOMOS O QUE DILUYE LA ENTROPÍA DE TUS QUARKS O QUE PURIFICA EL ÁUREA MAGNÉTICA DE TU GLÁNDULA PINEAL. Y ponlo en negrita.
    5. Ahora debes establecer un buena distribución para tu producto. Todos los asentamientos humanos que superan los 1.000 habitantes tienen al menos una de esas tiendas donde se venden productos biológicos junto a remedios homeopáticos (además de tener un tablón de anuncios con carteles fotocopiados de reflexoterapia y yoga para niños). Obviamente, debes colocar tu producto ahí, pero no te limites a eso. Las farmacias son también unos sitios fantásticos para distribuir un engañabobos. Quizá creas que hay una ley que prohíbe vender este tipo de productos en farmacias. Pues, mira, no.
    6. Regálale tu producto a unos cuantos famosos. En nuestro país, prácticamente todos los que aparecen en televisión carecen de formación científica, lo cual es una ventaja para ti. Convence a unos cuantos famosos de las bondades terapéuticas de tu producto y garantízales que follarán más (porque, como todo el mundo sabe, cuando se diluye la entropía de los quarks, aumenta la potencia sexual).
    7. Cuando alguien te pregunte porqué tu producto no está homologado por el Ministerio de Sanidad (y ten por seguro que alguien te lo preguntará tarde o temprano) respóndele que hay un lobby de presión formado por la industria farmacéutica y la OMS que presiona al Gobierno. Si, a pesar de tu explicación, el listo o lista en cuestión insiste en pedirte explicaciones, responde: “tú eres el típico que cree que el 11-S lo hizo Al Qaeda, ¿verdad?”
    8. Los grandes medios de comunicación tienen una sección de ciencia que rellenar, pero carecen de periodistas capaces de diferenciar un brontosaurio del Hubble. Aprovecha esta feliz circunstancia para que publiquen un artículo sobre tu producto.
    9. Incluso la gente que no ha ido a la universidad sabe que ahí se concentra alguna gente culta e inteligente. ES IMPORTANTE, POR TANTO, QUE PRESENTES TU PRODUCTO CON ALGÚN TIPO DE INVESTIGACIÓN CIENTÍFICA QUE LO AVALE Y QUE HAYA SIDO LLEVABA A CABO EN UN CENTRO UNIVERSITARIO. Que no cunda el pánico; tienes dos opciones. La primera y más barata es inventarte la Universidad. Si deseas apoyarlo con imágenes, cómprale una bata blanca a tu cuñado y hazle un foto mirando a cámara. Esto tiene sus riegos, ya que podrías ser acusado de publicidad engañosa, así que te recomiendo una opción algo más cara. EN EL MUNDO, PARTICULARMENTE EN LOS PAÍSES DEL HEMISFERIO SUR, HAY MULTITUD DE UNIVERSIDADES QUE ACEPTAN DINERO POR EMITIR INFORMES CON LO QUE TÚ LES DIGAS. La inversión merecerá la pena y harás un poco menos pobres a un par de familias.
    10. Por último, reza para que a esa gran masa analfabeta llamada consumidores no le dé por leer algo de ciencia.
    .
    .
    Serve para homeopatia, florais de Bach, etc., mas serve também para a enganação espírita.

  315. Marciano Diz:

    Valeu, MONTALVÃO!
    Você só se esqueceu de mencionar a máquina mágica que mantém essa p. toda em órbita geoestacionária, sobre a cidade do RJ.
    A gravitação universal é que não é, pois não há equação que explique essa órbita anômala, para um objeto tão grande e tão próximo da Terra, mas que parece não ter massa, pois não causa nenhum efeito de maré (empuxo gravitacional).
    Também faltou explicar como uma coisa tão “quintessenciada” e “fluídica” não escapa da gravidade da Terra.
    .
    Não se preocupe: GORDUCHO já explicou. Ela fica firmemente PERICHUMBADA.

  316. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “ou prometer 72 virgens p/cada homem (meus parcos conhecimentos de Teologia Aplicada param por cá e não sei qual a recompensa das mulheres, se as há…)”
    .
    EXPLICAMENTO teológico: a recompensa das mulheres é ser uma das 72 virgens (o hímen se recompõe no além)…

  317. Marciano Diz:

    Os astronautas do Projeto Apollo levaram dardos magnéticos quando passaram pelos muros de NL, mas a NASA não divulgou os fatos, porque a NASA e o governo dos EUA escondem tudo de todos.
    .
    Em NL estão cobrando pedágio dos satélites que transitam pela cidade flutuante. Tudo pago em bônus-hora.

  318. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Demóstenes Diz: “Não acredito que André tenha sido Carlos Chagas. Pode até ter sido médico ou um pseudo sábio, por usar alguns termos técnicos. Mas sei que Chico conheceu o Pietro Ubaldi, deve ter lido seus livros. Continuo com a tese que Chico condicionou, “doutrinou” o espírito. O espírito “vivenciava” e reportava ao Chico e ao Prof. Waldo.”
    /.
    PONDERAÇÃO: já não aguento mais: trago comigo o segredo há décadas, pois prometi só revelá-lo em 2018, quando o mundo irá conhecer transformações dramáticas, conforme a profecia de Chico. Infelizmente, não conseguirei segurar até a data, faço agora ao mundo a revelação definitiva: nem Chagas, nem Oswaldo Cruz, nem Faustino Esposel, nem o anãozinho gigante, ANDRÉ LUIZ É FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER, “escuspido e escarrado” (ou, se preferirem esculpido em carrara).
    .
    Não sei como é que até hoje ninguém havia percebido…
    .
    Qualquer modo, tirei um peso…

  319. Marciano Diz:

    Essa himenoplastia muçulmana sempre me deixou perplexo.
    Como as virgens mantém sua virgindade?
    Está explicado agora.

  320. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Se um espírito está em “desequilíbrio”, pode ser doutrinado ou “sugestionado”.”
    ;/
    PONDERAÇÃO: bom saber disso, não quer selecionar uns desencarnados em “desequilíbrio” que aceitem dar mostras objetivas de suas presenças, demonstrando, em definitivo (ou finalmente) que mortos falam com vivos? Coisa que até hoje nem espiritozinho, nem de ouriço, quis fazer… será por quê?
    .
    Falam tanto nas coisas que os espíritos fazem, mas eles só não fazem assinar o livro de presença…

  321. Marciano Diz:

    MONTALVÃO disse:
    .
    “Como dizia o pai do meu bisavô: “neste mundo tem crente pra tudo…”.
    .
    COMENTÁRIO: Pelo que me lembro o pai do seu bisavô costumava dizer que
    .
    Quem não sabe tocar violão, nem pistom, toca surdo,
    Sempre agrada porque nesse mundo tem crente pra tudo .

    Camelô na conversa ele vende algodão por veludo,
    Não tem bronca porque nesse mundo tem crente pra tudo.

    A mulher que é bonita consegue o que quer, não me iludo,
    E concordo porque nesse mundo tem crente pra tudo.

    Todo mal do sabido é pensar que não é enganado,
    Quantas vezes também como crente já fui apontado.

    Tem alguém que é crente de alguém, apesar do estudo,
    Está provado porque nesse mundo tem crente pra tudo….

  322. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Também faltou explicar como uma coisa tão “quintessenciada” e “fluídica” não escapa da gravidade da Terra.”
    /.
    EXPLICAÇÃO ENTÃO: ainda estou me debruçando diuturnamente sobre esse problema, breve terei resposta, já adianto que tem algo de magnético envolvido…

  323. Gorducho Diz:

    EXPLICAMENTO teológico: a recompensa das mulheres é ser uma das 72 virgens (o hímen se recompõe no além)
     
    É… acho que com sua perspicácia resolveu a questão… As mulheres corretas terão marido garantido e serão retornadas à virgindade: Lo! We have created them a creation. And made them virgins… [Al-Waqi'ah (56): 35-36]
    Então são 72 houris + 1 mulher real ex-terrícola p/cada homem (caso ele case lá) = 73.

  324. Gorducho Diz:

    Retiro a citação: ela refere-se às houris.
    Vi nalgum lugar que sim as mulheres serão retornadas à condição de virgens ao serem admitidas no paraíso, conforme especulou o AMo, mas não tenho a fundamentação teológica…

  325. Demóstenes Diz:

    Contra Chiquismo,
    Não, ele foi mal instruído e diria imprudente por não obter mais respostas.
    .
    Foi um comentário para nós, pessoal e racista. Racista no sentido de acreditar que um negro, índio, aborígene, ou um primitivo de raça pura não terá a inteligência de um branco, bárbaro, sueco, finlandês caucasiano. Como educador, esqueceu-se da metodologia.
    .
    O negro é um índio africano. No texto é citado os índios Caraíbas, Guanches e “outros”. Apesar de dar enfase a raça negra, logo abaixo ele completa todas as “raças selvagens desapareceram”, se não houver miscigenação. A linha de raciocínio é sobre as tribos selvagens.
    .
    (Aliás, tese minha que a raça superior não é a Ariana, e sim, aquela que contém mais Genes de outras raças.)
    .
    Creio que as ciências sociais da época, não lhe davam tanto suporte. E o Livro dos Espíritos não o ajudou, na pergunta:
    273. Um homem pertencente a uma raça civilizada poderia, por expiação, reencarnar-se num raça selvagem? De cara, os espíritos ou uma interpretação, respondeu.
    “Um senhor que tenha sido duro para os seus escravos poderá tornar-se escravo “.
    Alguma coisa tá errada, ou a pergunta ou a resposta.
    Associou diretamente um selvagem a um escravo.
    .
    Ele usa também a frenologia, apesar de dizer que não é exata, para defender que o cérebro do selvagem, “é incompleto”.
    Mas o racismo não foi diretamente sobre o negro, mas sim, contra tribos primitivas, para a época, claro.
    .
    Vou ler mais sobre o assunto em outros livros da codificação. Depois volto a postar.
    .
    Por enquanto defendo-o.

  326. Demóstenes Diz:

    Montalvão,
    /
    ;/
    PONDERAÇÃO: bom saber disso, não quer selecionar uns desencarnados em “desequilíbrio” que aceitem dar mostras objetivas de suas presenças, demonstrando, em definitivo (ou finalmente) que mortos falam com vivos? Coisa que até hoje nem espiritozinho, nem de ouriço, quis fazer… será por quê?
    /
    /
    EXPLICAÇÃO: Qualquer centro espírita kardecista pode dar essa mostra. Sugiro uma metodologia:
    1. Vá em um Centro que tenha desobsessão, se apresente como pesquisador, peça para conversar ou ouvir o desencarnado. Anote, grave.
    2. Vá para outro centro, que não conheça ou tenha contato com o centro anterior, faça a mesma coisa, como você já conhece o desencarnado chame ou concentre pelo nome.
    3. Vá a outro.
    /
    Compare as informações, resposta. Leve em conta o Animismo dos médiuns.
    /
    Ex. Pensando em pessoa muito querida, em 2 centros distintos, em um prazo de 4 dias.
    1. Sou freira, não gosto que ela vem aqui, é pecado…
    2. Gosto de Jesus, Eu rezo, 100 aves marias, 100 pais nossos…
    /

  327. Marciano Diz:

    WTF?!
    Não entendi nada!

  328. Marciano Diz:

    Eu pensava que TODOS os mortos virassem espíritas.
    Não sabia que existem católicos romanos na erraticidade.
    Quem ordena essas freiras do além?
    .
    Essa experiência sugerida por DEMÓSTENES eu já fiz.
    Em cada centro dizem uma coisa.
    É só comparar mesmo.
    É uma experiência que qualquer um aqui pode fazer.
    .
    Sugiro que testem também a telepatia dos “espíritos”, pensando em coisas variadas, para ver se eles “pegam” algo.
    Falem uma coisa e pensem em outra bem diferente.
    Vão ver que telepatia não existe nem na crosta nem no além.

  329. Marciano Diz:

    Eu já contei aqui, mais de uma vez, mas nunca é demais repetir. Tem gente que não se lembra, tem novos frequentadores que não lêem os tópicos mais antigos.
    Quando eu ainda era criança, num centro de umbanda, já “dirigi” pensamentos a diversas entidades, para ver se eles, que supostamente sabem de tudo, sabiam o que eu pensava.
    Como eu esperava, nadica de nada!
    .
    Já fiz a mesma coisa em centros kardecistas, mas durante “palestras”, as quais, supostamente, são frequentadas TAMBÉM por desencarnados.

  330. Demóstenes Diz:

    Marciano,
    /
    “Vão ver que telepatia não existe nem na crosta nem no além.”
    /
    É o que mais tem no centro espírita, as vezes atribuem á um espírito, sua dores físicas, preocupações, etc.
    Ex: aparece um espírito dizendo que ta puxando a sua perna, apertando, segurando, etc. Nada mais é que animismo, mas ele acertou que a sua perna está doendo.
    /;

  331. Demóstenes Diz:

    Marciano,
    Comigo já foi ao contrário, já consegui atrapalhar. Mas como falo, depende da empatia, sintonia entre você e o médium.

  332. Marciano Diz:

    Um post antigo DESTE blog, que vale a pena ser revisitado:
    .
    http://obraspsicografadas.org/2009/as-fraudes-em-nome-do-espiritualismo-parte-1/
    .
    That’s enough for tonight!

  333. Marciano Diz:

    Oi, DEMÓSTENES.
    Parece que só estamos nós dois aqui, no momento.
    Essa empatia é enganosa.
    Você pode acabar deixando transparecer alguma coisa sem perceber.
    Quem é médium, consciente ou inconscientemente (se está fraudando ou sendo honesto), tem uma capacidade enorme de fazer leitura fria, mesmo que nem saiba o que isso significa, que nunca tenha ouvido falar.
    .
    Tente repetir a experiência, mas sem deixar passar nada. Pense uma coisa e diga outra.
    Se disserem algo dúbio, escolha de propósito o caminho errado.
    Eles nem percebem e se enredam todos.
    .
    Tem quem acredite que realmente é médium e quem está fraudando, mas todos erram da mesma forma.
    .
    .
    Eu conversaria mais um pouco com você, mas vou sair daqui a pouco.
    Se quiser retornar ao assunto amanhã à tarde, será um prazer.
    À noite, não estarei em casa.
    Um abraço!

  334. Marciano Diz:

    todo mundo ficou religioso, passou a acreditar mais em Deus e Jesus e fica só pedindo fraternidade para as pessoas, com um discuso panfletário e igrejista.

    Podendo ser um punk ou uma noviça, é quase sempre o mesmo discurso, descontando as informações colhidas aqui e ali, não somente nas entrevistas formais – único meio aceito pelos acadêmicos da UFJF – , mas também em conversas informais, nas esperas por doutrinárias, ou após o fim das mesmas, em que até dados mais sutis são colhidos por diversos familiares.
    http://charlatanismoespirita.blogspot.com.br/2015/04/as-falsas-psicografias.html
    .
    O artigo refere-se a cx, mas serve para outros.

  335. Demóstenes Diz:

    Marciano,
    Blz, vou ler.
    Good Night.

  336. Contra o chiquismo Diz:

    Demóstenes, não era então kardec que era racista. Eram os ‘espiritos’ superiores que ditaram a ‘ codificação’ a ele.

    .
    .
    Vc disse:
    .
    .
    “Vou ler mais sobre o assunto em outros livros da codificação. Depois volto a postar.
    .
    Por enquanto defendo-o.”
    .
    .
    .
    Racismo tem defesa vindo da mente do kardec ou dos ‘espiritos superiores’ ?

    .
    .
    Então tb tem defesa pro Arthur de Gobineau.

  337. Braulio Diz:

    Sei que talvez não é exatamente o assunto “em pauta”, mas gostaria de deixar minha opinião a respeito das EQMs.
    .
    Confesso que sem dúvida alguma é um “evento” interessante, e penso que deve ser investigado afim de ser determinada suas “Causas” e “Consequências”.
    .
    Por outro lado penso que longe de “apoiar” o Espiritualismo (ou qualquer religião) as EQMs depõe contra.
    .
    Se observarem temos EQMs profundamente cristãs, como a de Don Piper, Angie Fenimore ou mesmo Betty Eadie.
    .
    Temos também EQMs mais “Universalistas” como a do Dannion Brinkley, Eben Alexander (com direito a mantra “Aum” de Trilha Sonora).
    .
    E temos até EQMs Indianas, onde não aparece nem o Jesus da Angie Fenimore, tampouco o a “City of Light” e etc
    .
    De modo que fica difícil entender como esse tipo de fenômeno pode “suporte” alguma crença específica
    .
    Tampouco lança alguma luz sobre o além-vida, na medida em que cada um fala uma coisa (teve gente que viu até o Capiroto).
    .
    A própria Urach (Deusa rs) me parece que teve uma EQM, mas não viu ninguém e ficou “forever alone”
    .
    Enfim EQM mística é coisa para “holandês ver”…

  338. Braulio Diz:

    Em relação a Madame Piper, se ela tinha os ditos poderes “X-Men”, por que ela não jogou na loteria?
    .
    Ou então aquela outra dona, Gladys Osborne, que lia os jornais do dia seguinte…
    .
    Essa turma do Waldo Vieira que ficam se “projetando” por aí, poderiam ser contratados para serem “espiões” de Multinacionais, Governos, e etc
    .
    Aliás eles poderiam se projetar e descobrir a fórmula daquele refrigerante de Cola, famoso, tenho certeza que a concorrência pagaria uma nota pela dica.
    .
    Não sou Ateu, mas acho difícil acreditar nessas “bobagens”

  339. Marciano Diz:

    Estou saindo para almoçar.
    Espero encontrar vocês aqui na volta, lá pelas 14h.
    DEMÓSTENES, se já tiver lido, apreciaria suas considerações sobre os links que deixei.
    .
    Braulio, você parece bem sensato. Se não for inconveniente, gostaria que você explicasse o que entendeu por ateu e se crê em alguma divindade, como a vê, etc.
    .
    Eu costumo dizer, como já fiz em postagens mais antigas, que não me considero ateu, pois isto significa que você está numa posição de negar veementemente uma determinada divindade.
    Existem deuses de todos os tipos, todos foram criados por mentes humanas, só existem na imaginação dos crentes.
    Dizer que eu nego a existência de uma determinada divindade seria o mesmo que dizer que eu nego a existência de lobisomens, que nego que possam existir lobisomens.
    Acho que esse rótulo não serve para mim.
    Assim como SEI que não existem lobisomens, mulas-sem-cabeça, vampiros, golems, far darrigs, e outros seres fantásticos criados pela imaginação humana, SEI que não existem divindades, anjos, espiíritos, ETs e outras bobagens imaginadas, a maioria das vezes, por pessoas tão descrentes quanto eu, mas que por maldade, por malandragem, inventam essas coisas para ganhar poder e tomar dinheiro de outros, que são biologica e culturalmente inclinados a ter pensamento mágico.
    Eu só gosto de fantasias quando leio um livro de ficção, ou assisto a um filme.
    Eles também são um atentado à física, à ciência, mas seu propósito não é o de enganar ninguém, é só de entreter, porque a gente precisa se distrair um pouquinho de vez em quando.
    Ultimamente estou até de saco cheio para livros e filmes de ficção, sejam de que gênero forem.
    Pior do que ver alguém levar um pancada na cabeça, perder os sentidos, voltar como se não tivesse acontecido nada, lembrando-se de tudo, como se tivesse tomado um copo de cerveja, é ver os furos de roteiro, o pouco caso demonstrado pelos autores com os leitores ou espectadores, as coisas que não batem porque eles não têm o cuidado de fazer um roteiro consistente.
    No momento tenho lido muitos livros sobre psicologia cognitiva.
    Evito os de divulgação, procuro aqueles indicados para profissionais, e me viro com as diculdades técnicas.
    Psicolocogia não é difícil como física, dispensa matemática avançada, e a cognitiva mostra muita coisa útil.
    Acho muito melhor do que a epistemologia, que já me encantou, embora ainda pretenda reler a Crítica da Razão Pura, que me encantou na adolescência.
    Gostaria de ver como encararei o assunto, diante de tantas descobertas da neurociência e da psicologia cognitiva, que não existiam ao tempo de Kant.
    .
    Um abraço a todos.

  340. Demóstenes Diz:

    Contra chiquismo,
    Tem defesa sim, era o metade do século XIX, 1800. Era o racismo científico defendido e debatido com base nas ciências a disposição da época. Contaminado com vício da ideia de Supremacia branca ou ariana. Hoje, a nossa ciência nega, rebate as teses daquela época.
    .
    O texto em questão é pessoal de Kardec, sem orientação espiritual, usando a Frenologia, uma ciência com credibilidade na época.
    .
    Na questão espiritual ou “espíritos elevados”, a 1 erro, na pergunta do LE a que me referi, 273. Que atribuo a interpretação ou animismo da médium. Uma vez que a resposta era escrita pela médium, não por Kardec.
    .
    Não encontrei nada ainda, que diga que uma raça é superior a outra. Nas obras espíritas.
    .

  341. Antonio G. - POA Diz:

    Montalvão, grato pela explanação. Sim, eu tinha lembrança de seus comentários.
    .
    Marciano, o link que você recomendou contém um texto simples, direto e bastante curto. E eu recomendo aos que acreditam nas faculdades especiais do Chico Xavier e dos “médiuns” em geral que deem uma lida e reflitam um pouquinho sobre o que ali está escrito. Não dói nada e nem será considerado pelo mundo espiritual como vacilação ou falta de fé. EU DOU GARANTIA DE 100% que o mundo espiritual nem tomará conhecimento. Nem Jesus ou Papai Noel farão qualquer julgamento. Leiam, pensem um pouco a respeito e, se quiserem, comentem.
    .
    Repito o citado link: http://charlatanismoespirita.blogspot.com.br/2015/04/as-falsas-psicografias.html

  342. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Vi nalgum lugar que sim as mulheres serão retornadas à condição de virgens ao serem admitidas no paraíso, conforme especulou o AMo, mas não tenho a fundamentação teológica…”
    /.
    PONDERAÇÃO: eu, enquanto de tudo sabedor do além das coisas, lembro de ditado que vigora do lado de lá: “Pitangui não só o aquém tem, cá também”.

  343. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Racista no sentido de acreditar que um negro, índio, aborígene, ou um primitivo de raça pura não terá a inteligência de um branco, bárbaro, sueco, finlandês caucasiano. Como educador, esqueceu-se da metodologia.”
    /.
    PONDERAÇÃO: eu, enquanto terráqueo, acredito que nunca terei a inteligência de um Marciano. Serei um autorracista?

  344. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “273. Um homem pertencente a uma raça civilizada poderia, por expiação, reencarnar-se num raça selvagem? De cara, os espíritos ou uma interpretação, respondeu.
    “Um senhor que tenha sido duro para os seus escravos poderá tornar-se escravo “.
    Alguma coisa tá errada, ou a pergunta ou a resposta.
    Associou diretamente um selvagem a um escravo.”
    /.
    PONDERAÇÃO: nada errado nem com a pergunta ou a resposta, o erro está em acreditar que foi algum ente desencarnado quem o respondeu. Naqueles dias ao se falar de raça inferior, o primeiro pensamento europeu era para o negro, escravizado ou escravizável.

  345. Gorducho Diz:

    Ah! o texto é pessoal do Kardec…
    E esse é?
    9. A raça negra é verdadeiramente uma raça inferior? – R. A raça negra desaparecerá da Terra. Ela foi feita para uma latitude diferente da vossa.
    12. Os Brancos se reencarnam, algumas vezes, em corpos negros?
    - R. Sim, quando, por exemplo, um senhor maltratou um escravo, ele pode pedir para si, por expiação,
    viver num corpo de negro para sofrer, a seu turno, todos os sofrimentos que fez sentir e, por esse meio, avançar e alcançar o perdão de Deus
    .

  346. Antonio G. - POA Diz:

    É preciso fazer uma ressalva ao último parágrafo do texto, escrito por alguém de quem nunca ouvi falar, e que assina como Groucho Lenin (!).
    Diz ele:
    .
    “Daí considerarmos todo esse ritual, principalmente diante do desconhecimento total que o “movimento espírita” tem da Ciência Espírita, uma tristeza tão grande quanto perder entes queridos. Nada mais triste do que explorar a tragédia e o sofrimento dos outros, mesmo que use o pretexto da caridade.”
    .
    Obviamente, não me alinho a isto, pois é uma afirmação de que existe uma Ciência Espírita, no que o autor está completamente equivocado. E lá no primeiro parágrafo ele também dá a atender que existe mediunidade, o que também nunca foi demonstrado. Mas a detratação que ele faz aos rituais espíritas chiquistas é irretocável.

  347. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    DEMÓSTENES: “Qualquer centro espírita kardecista pode dar essa mostra. Sugiro uma metodologia:
    1. Vá em um Centro que tenha desobsessão, se apresente como pesquisador, peça para conversar ou ouvir o desencarnado. Anote, grave.
    2. Vá para outro centro, que não conheça ou tenha contato com o centro anterior, faça a mesma coisa, como você já conhece o desencarnado chame ou concentre pelo nome.”
    /.
    PONDERAÇÃO: sugestão razoavelmente boa. Mas duvido que centro espírita aceite que se fiscalize a real ação de mortos entre vivos (certamente irão me oferecer psicografias como prova). O método que sugere não elimina o subjetivismo da avaliação. Por que não deu a ideia de que eu fosse a um centro e sugerisse que os espíritos que se apresentam aceitassem dar demonstrações inequívocas de suas presenças? Seria mais simples tal investigação e elidiria a necessidade de ficar garimpando centros desobsediadores e ainda tentar conciliar as diversas manifestações de imaginados espíritos.
    .
    MInha metodologia é mui mais simples e muito mais eficaz em termos de resultados consistentes. Basta que um médium (umzinho só), e seu espírito acompanhador, aceite ler trecho de publicativo postado fora das vistas do medianeiro. Se tal for feito, pimba!, eis a comunicação demonstrada.
    .
    Sugira esse tipo de verificação nos centros que frequenta e depois nos diga o que disseram…

  348. Demóstenes Diz:

    Marciano,
    Já tinha lido o texto do blog, já vi muita evidência de fraude. Mas já vi e vivi fenômenos, descrito e rebatidos aqui.
    .
    Não acredito em psicofonografia, ou seja, o médium ouvir e escrever a mensagem, não acredito em mensagens sem conteúdo direto. Mas conheço um pessoa, que tem a psicografia, ou seja, o braço se move sozinho. Fazia desenhos, textos com várias grafias. Essa pessoa se afastou do Espiritismo, atualmente faz psicologia.
    .
    Voltando a assunto da Telepatia.
    Eu ficava do lado de fora, médium dentro da sala. Um belo dia, “PENSEI” o que tava fazendo, ao descrever como tomar água ao paciente, tinha dúvidas sobre o tal remédio. O médium saiu da sala, passou pela sala de passe e foi até o auditório e disse “todos tem que trazer a água, por que dentro dela é colocado um remédio”. Voltou para a sala, nem olhei no rosto dele.
    Fim
    .

  349. Gorducho Diz:

    Não precisa fazer vazar canha por meio da casca do coco nem nada: é só ler um trechinho de texto em português brasileiro (supondo em território pátrio o experimento, claro).

  350. Antonio G. - POA Diz:

    Gorducho disse: “Ah! o texto é pessoal do Kardec… E esse é?”
    .
    Comentário: Allan Kardec é o Inri Cristo dos franceses.
    .
    Expressão ouvida no cemitério de Père Lachaise:
    “La tombe d’Allan Kardec? Oui, le Brésilien!”
    .
    Já contei a história.

  351. Borges Diz:

    Braulio:- seus argumentos sobre EQMs, embora brilhante, podem estar eivados de inconsistências. Um moribundo católico certamente receberá visitas de colegas da sua religião na hora derradeira; há inclusive o sacramento da “extrema unção” que normalmente é ministrado por um padre. Um moribundo evangélico provavelmente estará cercado de correligionários no momento extremo da vida e assim por diante. Podemos inferir disto que, também no momento da chegada no mundo espiritual, o despregado do corpo, mesmo que temporariamente, será amparado pelas entidades afinadas com o mesmo, com todo o aparato e cerimonial que lhe é devido.
    Obrigado

  352. Demóstenes Diz:

    Gorducho,
    O espírito em questão o Preto velho, ou Pai César, não era o que se pode chamar de espírito evoluído. Só a resposta que ele dá no começo da entrevista, já demonstraria para os Pretos Velhos Umbandistas, falta de humildade:
    .
    Perg. Entretanto, estáveis livre; em que sois mais feliz
    agora?
    Resp. – Porque meu Espírito não é mais negro.
    .
    Revista espírita – 1859 – Pag. 243.
    http://www.febnet.org.br/ba/file/Downlivros/revistaespirita/Revista1859.pdf

  353. Demóstenes Diz:

    Montalvão,
    /
    PONDERAÇÃO: nada errado nem com a pergunta ou a resposta, o erro está em acreditar que foi algum ente desencarnado quem o respondeu. Naqueles dias ao se falar de raça inferior, o primeiro pensamento europeu era para o negro, escravizado ou escravizável.
    /
    Concordo, por isso creio que o animismo do médium interferiu na resposta.
    /
    /
    /
    MInha metodologia é mui mais simples e muito mais eficaz em termos de resultados consistentes. Basta que um médium (umzinho só), e seu espírito acompanhador, aceite ler trecho de publicativo postado fora das vistas do medianeiro. Se tal for feito, pimba!, eis a comunicação demonstrada.
    /
    /
    Infelizmente creio não ser possível, o animismo do médium, novamente, interferiria no resultado. O máximo que poderia acontecer é uma ideia aproximada do texto.
    /
    ;

  354. Antonio G. - POA Diz:

    E se eu tiver uma EQM e, na “hora H”, me aparecer a imagem de um clérigo muçulmano de turbante na cabeça e o alcorão na mão? Significará que minha verdadeira e perdida fé era no islã e eu nem sabia, ou que o islã é a única verdade sobre Deus?

  355. Antonio G. - POA Diz:

    Eu tenho um amigo negro que teve sua esposa e filha brutalmente assassinadas por um bandido branco. Ele não concorda que os negros são uma raça inferior.

  356. Antonio G. - POA Diz:

    Demóstenes diz: “Infelizmente creio não ser possível, o animismo do médium, novamente, interferiria no resultado. O máximo que poderia acontecer é uma ideia aproximada do texto.”
    .
    Comentário: Então espíritos existem e comunicam-se com os vivos, e a qualidade da comunicação só não é melhor por causa da imperfeição dos médiuns. Bom, assim fica mais fácil de entender porque as mensagens não têm qualquer consistência: culpa dos médiuns, é claro!
    Então, espíritos existem, o que não há são bons médiuns. Tá.

  357. Gorducho Diz:

    O espírito em questão o Preto velho, ou Pai César, não era o que se pode chamar de espírito evoluído. &c.
     
    Não Sr.: lhe peguei em desconhecimento doutrinário! É o São Luís: o patrono de vocês!
    Não é evoluído o S. Luís, o filho da Rainha Branca?
    Não é racista ele?

  358. MONTALVÃO Diz:

    /
    /

    DEMÓSTENES, considere, ainda, a seguinte reflexão:
    .
    O método de verificação que sugere seria eficaz para se aferir certas peculiaridades dos espíritos, DESDE QUE A COMUNICAÇÃO ENTRE MORTOS E VIVOS ESTIVESSE FIRMEMENTE DEMONSTRADA. Não estando (e bem sabemos que não está) essa metodologia parte de pressuposto incerto.
    .
    Os mediunistas estão tão ciosos de que entidades espirituais atravessam a barreira entre as dimensões (supondo-se que hajam as dimensões) para recadear aos vivos que não percebem estar afirmando o que não é demonstrado. Se se perguntarem “quais as firmes evidências existem de que defuntos falem com vivos?” verão que não as há. O que existe são evidências subjetivas, do tipo que satisfazem plenamente aos acreditantes, mas não são suficientes para garantir que falecidos voltem a agir em meio aos vivos.
    .
    Por isso que não será demais lembrar: quando os mortos derem mostras claras e inequívocas de que estão presentes e atuantes, aí sim, poderemos pensar em como conferir até onde a participação deles na natureza alcança.
    .
    Pular essa crucial verificação significa mergulhar no poço escuro das crenças, nada mais.
    .
    Pense.

  359. MONTALVÃO Diz:

    //
    DEMOS: “É o que mais tem no centro espírita, as vezes atribuem á um espírito, sua dores físicas, preocupações, etc.
    Ex: aparece um espírito dizendo que ta puxando a sua perna, apertando, segurando, etc. Nada mais é que animismo, mas ele acertou que a sua perna está doendo.”
    /.
    PONDERAÇÃO: neste aspecto as igrejas carismáticas são mais eficientes que os espíritas. O pastor aponta prum lado e diz, “o Espírito me diz que aqui tem alguém com dor de barriga”, aparecem vários; aponta pra outra direção e declara: “do lado de cá tem pessoas sofrendo da coluna”, é batata! O “Espírito” não erra uma.
    .
    O médium acerta uma perna doendo, o pastor acerta colunas, pernas, braços, barrigas e, muito mais, o cérebro dos audientes…

  360. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    BRÁULIO: Essa turma do Waldo Vieira que ficam se “projetando” por aí, poderiam ser contratados para serem “espiões” de Multinacionais, Governos, e etc
    /.
    PONDERAÇÃO: os governos estariam bem arrumados com esses, aliás Ingo Swann garante que descobriu coisas para a Cia (ou para a NASA, dá tudo no mesmo) com sua “paranormalidade”, na qual alguns tão ingenuamente acreditam…só não sei quem… e se a Cia ou a NASA desmentirem que esses não viram coisa alguma que valesse a pena, de nada adianta, pois todos “sabem” que essas organizações sempre escamoteiam a verdade.
    .
    Ponha cinco objetos numa sala fechada e peça ao desdobrado que vá até lá e nomeie o que viu. Não dá outra, nunca consegue ver nada…
    .
    Basta ou quer mais?

  361. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Borges Diz:
    AGOSTO 8TH, 2015 ÀS 2:13 PM
    Braulio:- seus argumentos sobre EQMs, embora brilhante, podem estar eivados de inconsistências. Um moribundo católico certamente receberá visitas de colegas da sua religião na hora derradeira; há inclusive o sacramento da “extrema unção” que normalmente é ministrado por um padre. Um moribundo evangélico provavelmente estará cercado de correligionários no momento extremo da vida e assim por diante. Podemos inferir disto que, também no momento da chegada no mundo espiritual, o despregado do corpo, mesmo que temporariamente, será amparado pelas entidades afinadas com o mesmo, com todo o aparato e cerimonial que lhe é devido.”
    /.
    PONDERAÇÃO: o que demonstra que o mundo espiritual, visto daqui da Terra, é apenas caricatura do que os viventes imaginam seja a vida lá sem as partes ruins de cá.
    .
    Considerando que ninguém foi ao céu e voltou, caso exista o céu, então ninguém sabe como serão as coisas por lá, admitindo-se que “sejam”. E, tendo em conta, que não é possível imaginar-se coisas completamente novas (nossas criações partem de algo já existente), a vida além nada mais é que projeção das expectativas dos sonhadores.
    .
    Se existir vida além, o que espero exista, provavelmente terá configuração a nós completamente desconhecida, mesmo que “espíritos” e regressados de EQM digam o contrário…

  362. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    DEMOS: O espírito em questão o Preto velho, ou Pai César, não era o que se pode chamar de espírito evoluído. Só a resposta que ele dá no começo da entrevista, já demonstraria para os Pretos Velhos Umbandistas, falta de humildade:
    .
    Perg. Entretanto, estáveis livre; em que sois mais feliz
    agora?
    Resp. – Porque meu Espírito não é mais negro.
    /.
    PONDERAÇÃO: para saber se era espírito mais ou menos evoluído, e mesmo se era “espírito”, mister se faria, primeiro, demonstrar que havia ser invisível em comunicação. Não sendo feita a verificação, nada se pode afirmar e a boa prudência recomenda duvidar que haja ente espiritual agindo quando o dito não consegue demonstrar sua real presença.
    .
    A evolução ou involução do pretenso comunicante sempre está adstrita ao conhecimento do médium ou dos circunstantes. Até hoje, nenhuma grande revelação, nada inédito, proveio das psicografias e quejandos. Por outro lado, erros clamorosos os espíritos estão a cometer com admirável frequência. Até mesmo Piper, corvo branco de alguns deslumbrados, cometia vacilos arrepiantes.

  363. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Infelizmente creio não ser possível, o animismo do médium, novamente, interferiria no resultado. O máximo que poderia acontecer é uma ideia aproximada do texto.”
    /.
    PONDERAÇÃO: está refutando a proposta sem mesmo tê-la experimentado. De qualquer modo, mesmo que o morto desse ideia satisfatória do texto (não tipo as que a malandrérrima Osborne dava) já seria um bom começo investigativo.
    .
    Mas o bom da proposta de verificação objetiva da presença de espírito é que ela é adaptável às circunsâncias, por exemplo, se for conforme alega (e já exaustivamente alegado aqui pelos que querem fugir de tais verificações) que espíritos não conseguem ler textos, apenas os “sentem”, não tem problema, é possível preparar verificações com materiais que “eles” conseguissem visualizar sem dificuldades: números, figuras, sons (vimos há pouco

  364. MONTALVÃO Diz:

    =bati na tecla errada, continuando=
    /
    (vimos há pouco que espíritos ouvem muito bem, até tendo seus corpos os ouvidos tapados, como Pam Reynolds bem “demonstrou). Então, basta estabelecer o que, afinal de contas, os defuntos comunicantes conseguem sentir, ou ver, ouvir… e preparar testagens adequadas.
    .
    Por que é que os mediunistas jamais intentam tais verificações?

  365. Gorducho Diz:

    na qual alguns tão ingenuamente acreditam
     
    Não se trata de alfinetar alguém em particular, não é?

  366. Gorducho Diz:

    [...] a vida além nada mais é que projeção das expectativas dos sonhadores.
     
    É… e ainda bem que eu sou ateu, pois que m/expectativa de vida eterna não é c/73 mulheres batendo boca e fazendo cobrança dentro de casa :(

  367. Demóstenes Diz:

    Antonio G,
    Não diria culpa. Mas o médium tem participação no feito. Chamamos de Animismo.
    /
    /;
    Gorducho,
    Imprudência minha, ter lido o santo.
    .
    “latitude diversa da vossa?”.
    .
    “Uma causa com certos tipos de amigos não precisaria de inimigos.” Assim começa o artigo de Sérgio Aleixo, a quem interessar possa.
    Um artigo espírita para espíritas não chiquistas, divaldista, etc.:
    http://umolharespirita1.blogspot.com.br/2012/03/doutrina-espirita-e-racismo.html
    /
    /;

  368. Gorducho Diz:

    O ponto que o Sr. deve perceber, Sr. Demóstenes, é que não há “espírito” nenhum nesses escritos. São os devaneios dum mestre-escola parisiense de 1857 e seus subordinados – que não urinavam sem que ele autorizasse… – escrevendo em conformidade com o pensamento da época.
    Bizarro é os espíritas hoje, 158 anos depois ainda tentarem justificar.
    E o que me diz do racismo do Emmânuel? Mais bizarro ainda: CX, um mulato aculturado pela literatura branca!

  369. Gorducho Diz:

    Perceba quão fanático nacionalista o Kardec era – seguidor claro, do Jean Reynaud…- que até defendia as invasões colonialistas francesas. Tudo de acordo c/o espírito da época, compatível com um indivíduo de cultura mediana dotado de excelente didática. Só: nenhum “espírito” desencarnado entra participou da história.
    Aliás até p/os padrões da época o Kardec não era viajado, portanto isso bitola um pouco um pretenso intelectual que deva ter um pensamento universalista. Ao que me conste o mais longe que foi foi umas férias em Konstanz.

    na história

  370. Demóstenes Diz:

    Montalvão,
    /
    Perdoe minha ignorância, mas não vejo como demonstração de uma “inteligência pós mortem”, a leitura de textos ou adivinhar objetos numa sala. Clarividentes podem fazer isso, sem auxílio de espíritos.
    /
    Preferível que diga nomes, profissões, hábitos de pessoas próximas em vida, cor, textura, modelo da roupa na guarda-roupa, etc. Mas também só vale para recém mortos, que não seja do “conhecimento do médium ou dos circunstante”.
    /
    /
    .

  371. Demóstenes Diz:

    Gorducho,
    Entendo o seu ponto de vista.

  372. Gorducho Diz:

    Clarividentes podem fazer isso, sem auxílio de espíritos.
     
    Como praticamente tudo em ciência, podem haver mais de um modelo explicativo p/um fenômeno. Aí entra a navalha de Guilherme e a liberdade de cada um adotar seus modelos.
    Ocorre que se as afirmativas dos espíritas são verdadeiras, nosso experimento tem que funcionar. Um médium que for de fato médium, com um espírito que de fato esteja no recinto, deverá ser capaz de ler ou transmitir a figura. Ou não é verdade o que alegam os espíritas. Então isso independe de que haja ou não clarividência.
    Note que a Administração da Casa foge da experimentação justamente reconhecendo que as alegações dos espíritas não são verdadeiras.

  373. Marciano Diz:

    ANTONIO, estou gostando de ver sua participação mais assídua aqui.
    Tenho grande admiração pela inteligência e criatividade de MONTALVÃO e GORDUCHO, e acho que você é o que mais se parece comigo, em termos de TOTAL descrença em coisas estranhas.
    .
    .
    MONTALVÃO, você nunca terá a inteligência de um Marciano porque já a teve, quando era criança. Não se lembra mais?
    De lá para cá você melhorou muito.
    Tenho esperanças de um dia atingir o nível em que você se encontra. Não se esqueça de que eu e o medium G RASSOUILLET consideramos você unser Führer.
    Dito isto, a citação de racismo foi de DEMÓSTENES, em resposta ao CONTRA.
    .
    .
    GORDUCHO, se você considerar que o pensamento de Rivail foi condensado em seus livrecos e atribuído a entidades fantásticas, pode dizer que o racismo é dele. Se disser que foi a espiritualidade superior, o espírito de verdade, quem respondeu aos questionamentos do lionês, aí o racismo era da espiritualidade, a qual, atualmente, é politicamente correta.
    .
    .
    DEMÓSTENES, o que você narrou sobre telepatia é muito vago, não tem nenhuma objetividade.
    Tente a metodologia sugerida por MONTALVÃO.
    .
    .
    BORGES, o que você diz não justifica o fato de que cada um interprete as coisas de acordo com sua crença. Uma vez chegando ao além e vendo que tudo é diferente, só um completo idiota ainda continuaria a acreditar na doutrina romana ou evangélica. Eles “descobririam” o espiritismo, pelo simples fato de verem que não foram para o inferno, purgatório ou paraíso, que não estão esperando pelo juízo final.
    .
    .
    “Perg. Entretanto, estáveis livre; em que sois mais feliz
    agora?
    Resp. – Porque meu Espírito não é mais negro.
    .
    Revista espírita – 1859 – Pag. 243.
    .
    COMENTÁRIO:
    ♫ “Vida de negro é difícil, é difícil como o quê”
    .
    ♬ “Trabalha, trabalha, nego”.
    .
    .
    1. Antonio G. – POA Diz:
    AGOSTO 8TH, 2015 ÀS 2:29 PM
    E se eu tiver uma EQM e, na “hora H”, me aparecer a imagem de um clérigo muçulmano de turbante na cabeça e o alcorão na mão? Significará que minha verdadeira e perdida fé era no islã e eu nem sabia, ou que o islã é a única verdade sobre Deus?
    .
    Resposta: Significa que você foi um Mullah em encarnação pretérita e que tal encarnação foi, para você, muito mais importante do que a atual.
    .
    .
    1. Gorducho Diz:
    AGOSTO 8TH, 2015 ÀS 3:28 PM
    O espírito em questão o Preto velho, ou Pai César, não era o que se pode chamar de espírito evoluído. &c.

    Não Sr.: lhe peguei em desconhecimento doutrinário! É o São Luís: o patrono de vocês!
    Não é evoluído o S. Luís, o filho da Rainha Branca?
    Não é racista ele?
    .
    RESPOSTA à pergunta não formulada: São Luís, no caso, deve ser o rei da França.
    Então ele não era racista, pois em sua encarnação mais importante, no século XIII, a que lhe rendeu o status de santo, nem conhecia negros.
    .
    .
    MONTALVÃO: “…neste aspecto as igrejas carismáticas são mais eficientes …”.
    .
    Espíritos me dizem que neste momento, algum leitor do blog (notem que eu não disse comentaristas) está com dor na perna, outro está com dor na barriga, outro com problemas na coluna…
    .
    .
    MONTALVÃO, eu calculei a trajetória de todas as naves do Projeto Apollo para a NASA, mas se perguntar a eles, será negado o fato, porque, como TODOS “sabem”, eles escondem sempre a verdade.
    .
    .
    MONTALVAO DISSE:
    “.
    Se existir vida além, O QUE ESPERO EXISTA, provavelmente terá configuração a nós completamente desconhecida, mesmo que “espíritos” e regressados de EQM digam o contrário…
    .
    Pois espere sentado, melhor, deitado, melhor ainda, morto, pois esperará eternamente.
    .
    .
    .
    Agora vou sair de novo.
    Tenho uma palestra espírita para assistir, depois uma missa romana, depois um culto evangélico na I. Presbiteriana, depois, lá pra meia-noite, uma missa negra.
    Just in case. Não quero correr riscos, é preciso acender velas para os deuses e para os diabos.
    Sou Pascal reencarnado.

  374. Marciano Diz:

    Deixo meus amigos crentes, quase descrentes e descrentes com uma palestra espírita sobre NSFG:
    .
    Palestra
    Virtual
    Promovida pelo IRC-Espiritismo
    http://www.irc-espiritismo.org.br
    Tema: Jesus nos Dias
    Atuais
    Palestrante: Sidmar
    Ferreira
    Rio de Janeiro
    18/12/1998
    ..
    Organizadores da Palestra:
    Moderador: “Brab” (nick: [Moderador])
    “Médium digitador”: “jaja” (nick: Sidmar_Ferreira)
    Oração Inicial:
    Queridos amigos espirituais interessados no crescimento das criaturas humanas, Querido Mestre Jesus, guia segura de nossas vidas, que o amor que sentes por todos nós possa nos envolver numa vibração de paz e
    carinho, iluminação e inspiração, dando ela também a nosso palestrante da noite e colocando-nos a todos nós, encarnados e desencarnados, em posição de aprender os ensinamentos que forem passados a nós nesta noite. Que o
    exemplo da serenidade do Mestre iluminado pelo bom senso de Allan Kardec e dos Espíritos Superiores para a Humanidade atual possa nos revestir de boa vontade e união, para que tenhamos uma noite proveitosa e cheia de trocas carinhosas e de paz. Graças a Deus.
    Apresentação do palestrante:
    Pertenço a Instituição Caminho do Senhor, situado na Rua Jacuí, 146 em Brás de Pina, Rio de Janeiro RJ.
    Participo também de um programa que leva o mesmo nome da Instituição, que vai ao ar às terças e quintas, das 23:00 às 00:00 h e aos domingos, das 12:00 às 13:30 h, na Rádio Rio de Janeiro, onde o propósito do programa é levar a todos o Evangelho de Jesus à luz da reencarnação, mostrando com provas bíblicas q e a reencarnação está nela como também fora dela por se tratar de uma Lei de Deus (t)
    Considerações iniciais do palestrante:
    O nosso bate papo de hoje tem como objetivo esclarecer a respeito de certas dúvidas que muitos possuem a respeito da verdadeira concepção espírita, quer física ou espiritualmente sobre a figura de Jesus de Nazaré e dimensionar a legítima visão espírita sobre o nosso Mestre e Senhor.
    ..
    .
    .
    Quem quiser o restante, veja aqui:
    http://www.espiritismo.net/file/1/arquivos/pv181298.pdf
    .
    Alles gute!

  375. Gorducho Diz:

    Então ele não era racista, pois em sua encarnação mais importante, no século XIII, a que lhe rendeu o status de santo, nem conhecia negros.
     
    Ah! certamente conhecia. Em Tunis onde ele desencarnou, e no Egito, certamente tinha muitos negros!
     
    Essa associação c/a rainha Branca (Blanche de Castille) sempre me está na cabeça pelo trecho do Coisas do Outro Mundo onde o Eugene Nus denuncia o plágio de ideias e a malandragem do Kardec.
    Naturalmente esse livro não foi traduzido pois que aos cartolas religiosos não convém conheçam os Crentes a realidade…
     
    Il nous sembla que saint Louis et les autres désincarnés qui apportaient cette révélation à la terre, ne pouvaient ignorer qu’um homme de génie, au moins égal au roi qui fut fils de la reine Blanche, était venu la formuler avant eux. Allan Kardec nous parut un rusé qui démarquait tout simplement um système à sa convenance.

  376. Borges Diz:

    Marciano:- Eu também pensava assim, hoje tenho outra ideia a respeito deste assunto, acredito que no mundo espiritual os católicos aceitam alterações em suas crenças para se adaptarem às novas circunstâncias. De certa forma isto acontece também aqui na terra, basta observar a evolução da doutrina para se adaptar ao mundo moderno.
    Obrigado

  377. Borges Diz:

    Vou vender o peixe pelo preço que comprei, segundo relato oriundo da esfera espiritual, a ilusão cultivada aqui na terra é de certa forma, alimentada no mundo espiritual, assim um cético, que acredita piamente na escuridão eterna, quando desencarna, demora muito mais para recuperar a consciência que um não cético.
    Obrigado

  378. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Gorducho Diz: na qual alguns tão ingenuamente acreditam…
    .
    Não se trata de alfinetar alguém em particular, não é?
    /.
    RESPOSTA: falei “alguns”, não “alguém”, mas, certamente nos alguns estão alguéns…

  379. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Demóstenes Diz: “Antonio G,
    Não diria culpa. Mas o médium tem participação no feito. Chamamos de Animismo.”
    /.
    PONDERAÇÃO: o espiritismo-ciência que, conforme exortado pelo patriarca, deveria caminhar parelho com a ciência, jamais consertou seus múltiplos erros, nem atualizou suas concepções. O “animismo” talvez tivesse vez nos tempos de Kardec, hoje, fazer referência a ele é tão ultrapassado quanto usar ceroulas.
    .
    De qualquer modo, e de certo modo, quem se escuda no animismo para tentar explicar as complicações da ciência espírita está reconhecendo que o psiquismo dos médiuns influencia parte dos supostos contatos. Só falta perceberem que influencia tudo, pois a mediunidade está na psique dos médiuns e na dos que neles acreditam. Pois bem sabemos, e nunca será cansativo repetir, espíritos não dão provas de suas presenças.
    .
    Aliás, falando em consertar erros da doutrina, não é que Kardec voltou para, em espírito, passar a um médium informações corretivas do que fora estabelecido no Livro dos Espíritos? O sujeito até publicou livro com as correções. Por enquanto parece que ninguém dá dando muita trela a esse retorno mediúnico do patriarca, vamos ver mais adiante.
    .
    Confiram em: http://blogdosespiritos.com.br/2015/05/05/kardec-em-espirito-corrige-o-livro-dos-espiritos/print/

  380. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    DEMOS: “Perdoe minha ignorância, mas não vejo como demonstração de uma “inteligência pós mortem”, a leitura de textos ou adivinhar objetos numa sala. Clarividentes podem fazer isso, sem auxílio de espíritos.”
    /.
    RESPOSTA: duvide-o-dó que consiga achar clarividente que faça tal coisa, isso só existe na fantasia de crentes. Mas, para efeito de reflexão, suponhamos que exista gente, como Uri Geller, Green Morton, Ingo Swann e outros, que se diz capaz da feitos espantosos (até ser descoberto vigarista), e pudesse, por exemplo, ler trechos de livro aberto fora de suas vistas (sem truques, é claro).
    .
    De qualquer modo, isso não eliminaria o valor de testes com espíritos, vez que o médium, segundo a teoria, está turbinado por mortos, portanto, ainda que outros poderosos façam o mesmo, as verificações de espíritos presentes com testagens objetivas não perde o valor.
    .
    De qualquer modo, reitero: se conhece paranormal capaz de realizar feitos quais os aqui propostos, cite-o para que o conheçamos, a ele e suas realizações.
    .
    Por outra, visto repudiar a ideia de verificar concretamente a presença e atuação de inteligências desencarnadas nos ambientes mediúnicos, então diga como acha seria forma eficiente de obter certeza de que há morto-ativo na área.
    .
    Saudações aguardativas.

  381. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “MONTALVÃO, você nunca terá a inteligência de um Marciano porque já a teve, quando era criança. Não se lembra mais?”
    /.
    RESPOSTA: só se foi em vida pregressa e, por mais que me esforce, não recordo um titiquinho do que vivi noutra existência: estou fortemente inclinado a concluir que esse trem de vida passada é pura balela…

  382. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    MARCIANO:? “Vida de negro é difícil, é difícil como o quê” .
    ? “Trabalha, trabalha, nego”.
    /.
    PONDERAÇÃO: como é que consegue pôr essas notinhas?
    .
    Tem uma canção que expressa bem o que ia nas cabeças escravagistas de antanho:
    .
    “Negro não sabe o que é dor,
    Negro não tem alma não,
    Assim dizia o feitor
    Com seu chicote na mão”

  383. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    MONTALVAO DISSE: Se existir vida além, O QUE ESPERO EXISTA, provavelmente terá configuração a nós completamente desconhecida, mesmo que “espíritos” e regressados de EQM digam o contrário…
    .
    MARCIANO: Pois espere sentado, melhor, deitado, melhor ainda, morto, pois esperará eternamente.
    /.
    PONDERAÇÃO: já lhe falei: se não houver, fazer o quê? Pelo menos terei mantido o firme fundamento das coisas que se esperam…
    .
    Quando chegarmos “lá” saberemos.
    .
    Aguarde.

  384. Contra o chiquismo Diz:

    Demóstenes, nem kardec e nem os ‘espiritos superiores’ eram racistas, eram produtos de sua época. Legal.
    .
    .
    Demóstenes, já que segundo a FEB o ‘espiritismo’ é ‘ciência’, vc pode pelo Método Científico nos provar o MAIOR DOGMA DO ‘ESPIRITISMO’, a existência de ‘espiritos’?
    .
    .
    Prove-nos que eles existem, não cite textos do século XIX, (e nem do sec xx) nos dê provas reais. Provas PALPÁVEIS de preferência. Lá onde vc frequenta faz MATERIALIZAÇÃO de ‘espiritos’ ?

  385. Marciano Diz:

    “Ah! certamente conhecia. Em Tunis onde ele desencarnou, e no Egito, certamente tinha muitos negros!”.
    .
    Touché!
    .
    .
    “ … assim um cético, que acredita piamente na escuridão eterna, quando desencarna, demora muito mais para recuperar a consciência que um não cético”.
    .
    Pois eu prefiro ficar inconsciente do que rezando mil ave-marias ou procurando a direção de Mecca para orar.
    .
    .
    “ … como é que consegue pôr essas notinhas”?
    .
    Nove anos de conservatório de música.
    .
    Mentira! Basta usar linguagem html.
    Like this:
    ♯ C (Dó sustenido – tecla entre o dó e o ré, aquela pretinha – sem racismo).
    Você viu duas colcheias e uma semicolcheia. É o tempo que dura a nota.
    .
    O que você viu não é propriamente uma nota, é um intervalo musical.
    Nota é a que te mostrei agora (altura).
    Não tens um violão ou um cavaquinho aí, não?
    Pra quem gosta e se emociona com a execução ao vivo de “Barracão” , com Elizeth e Jacó do Bandolim, tu estás deixando a desejar.
    Qualquer dúvida, pergunte ao especialista em música do blog, o Toffo.

  386. Marciano Diz:

    Não confunda ♯ com #.

  387. Marciano Diz:

    See y’all tomorrow night!
    Inch’Allah!

  388. Marciano Diz:

    Duas colcheias e DUAS semicolcheias.
    Esse poltergeist sempre apronta.

  389. Marciano Diz:

    Unidas por uma ligatura, aquele tracinho.
    Usa-se quando se indica dois ou mais intervalos iguais (nos caso as colcheias e as semicolcheias), em vez de colocar as bandeirolas nas hastes.
    A nota você pela posição na pauta.
    Ah, claro, tem de ver a clave, no início da linha.
    Para evitar um monte de acidentes (musicais), usa-se uma armadura de clave.
    Próxima aula de música será cobrada.
    Lembra-se do latim?
    A primeira aula é grátis, depois eu cobro.
    Não sou tão bobo como pareço.
    Só metido a besta, para irritar o incompetente VLAD.

  390. Marciano Diz:

    Acidente musical e armadura de clave dá falsa impressão.
    Outra hora eu explico.
    Acidente e armadura aí tem sentido musical, não o sentido comum.
    R$ 50,00 por minuto, pra você, que é meu amigo e líder da bancada.

  391. Marciano Diz:

    Se tocar uma nota fora do tom, meia hora ajoelhado nos caroços de milho.
    Topas?

  392. Marciano Diz:

    Ainda bem que reli o que escrevi.
    Estou ligeiramente inebriado, acho que deu pra notar.
    .
    Não é para EVITAR ACIDENTES, é para evitar a notação de acidentes TODA HORA na pauta que se usa a armadura de clave.
    Não dá pra explicar essas coisas sem um instrumento para ouvir.
    Não sei se o Toffo consegue.
    Duvide-o-dó (não a nota) que seu interesse chegue a tanto!

  393. Marciano Diz:

    Lembro-me de quando vocês se mostraram interessados nas declinações do latim, do sabor do whisky (outra coisa que não dá pra explicar na teoria e sai caro na prática).
    O interesse é só pra se mostrar educado. Se a gente tenta entrar em detalhes, o pessoal sai de fininho.
    Não os culpo.
    Estão todos absolvidos, meus irmãos em Anúbis.

  394. Marciano Diz:

    Cum vino intrat, exit sapientia.
    Entra o vinho e sai a sabedoria.
    Quem bebe fala (ou escreve) demais.
    Chega!

  395. Marciano Diz:

    Insônia.
    Só consegui dormir umas 3 horas.
    Nada de novo sobre o ✈ MH370.
    .
    http://www.theguardian.com/world/2015/aug/06/mh370-search-plane-window-and-more-debris-found-on-reunion-says-minister
    .
    A busca continua.
    http://www.theguardian.com/world/malaysia-airlines-flight-mh370/2015/aug/07/all
    .
    Aqui também não há nada de novo, não apareceu ninguém.
    Volto à noite, ou amanha.

  396. Marciano Diz:

    Andam falando em suicídio do piloto.
    Se for, será o quarto confirmado em aviões de carreira.
    Pode ser somente porque houve um terceiro, há pouco tempo.
    Suspeitas, existem muitas.
    .
    Flight MH370: Could it have been suicide?
    A year after the disappearance of a Malaysia Airlines plane with 239 on board, investigators still don’t know what happened. Could pilot suicide have been the cause?
    “Someone was looking at Penang. Someone was taking a long, emotional look at Penang. The captain was from the island of Penang.”
    There are times when Captain Simon Hardy’s analysis of flight MH370 sends shivers down the spine, especially in the light of the recent case of Germanwings Airbus flight 4U 9525.
    An experienced Boeing 777 captain, he knows the Asian air routes like a commuter knows short cuts home. He flew them them for 17 years.
    He’s convinced about something that no pilot, no passenger, nobody in fact wants to think is possible – that the captain of the flight, Zaharie Shah, deliberately hid the plane from radar and flew it thousands of miles off course, before it came down in the ocean.
    He says the clues are in the route it took after it vanished from air traffic control. It turned back on itself and flew along the border of Malaysia and Thailand.
    “It flew in and out of the countries eight times,” he says. “This is probably very accurate flying rather than just a coincidence. As both air traffic controllers in both those countries would probably assume that the aircraft was in the other country’s jurisdiction and not pay it any attention.”
    But his most eerie theory comes a little later, as the aircraft skirts around the captain’s home island, Penang,
    “It does a strange hook,” he says. “I spent a long time thinking about this and eventually I found that it was a similar manoeuvre to what I’d done in Australia over Ayers Rock. Because the airway goes directly over Ayers Rock you don’t actually see it very well because it disappears under the nose of the aircraft.
    “So in order to look at it you have to turn left or right, get alongside it and then execute a long turn. If you look at the output from Malaysian 370, there were actually three turns not one. Someone was looking at Penang.”
    Steve Landells, who flew Boeing 777s for a decade and is now a flight safety expert at the British Airline Pilots Association, is still baffled as to what happened to flight MH370. “None of the theories answer all the questions or fully explain what did happen that day”, he says.
    There is so much we don’t know, but we do know the route it flew between 00:41am local time (take-off), and the last military radar fix at 02:22am. It shows the aircraft making a series of inexplicable turns. After that the assumption, based on the skinniest of data from a satellite, is that it flew south in a straight line for six hours.
    “A lot of the theories pre-suppose that there was no-one there to fly the aircraft, but there are only three ways to turn a 777,” says Landells. “That’s manually flying it, actually turning the control wheel, flying it through the autopilot, or by pre-programming a route into the navigation computer. The problem with the first two is that you have to have someone in the cockpit. But if there was someone in the cockpit, why were there no radio calls made?”
    The 777 has many back-up systems for its electrics, says Landells, so even if all fail, there’s a battery connected to the captain’s instruments and one of the radios, so a call could have been made. Even if that fails, there’s a propeller that drops out the back of the aircraft, called a ram air turbine, that provides enough electrical power to run the basic facilities, including a radio.
    “The other possibility is a severe fire in the cockpit, which has happened in the past,” says Landells. “That might mean that the pilots would have to leave the cockpit. But if that was the case, then how did the aircraft continue flying for so long, with such a catastrophic fire going on? It’s very, very unlikely.”
    The uncertainty prompts an uncomfortable question. Did pilot Zaharie Shah crash the plane on purpose, killing himself, the crew and the passengers? Such incidents are very rare. The US Aviation Safety Network lists only eight airline accidents in the whole of aviation history that are thought possibly to have been caused by pilot suicide. Rare, but not unheard of.
    “We know what happened,” David Learmount, safety editor at Flight Global, has said of MH370. “There’s only one thing it can be – a deliberate act by someone on board, probably the captain.”
    But the idea is highly controversial.
    “The pilot suicide theory for flight MH370 has gained traction because, throughout the last year, there’s been no evidence of an outside plot,” says aviation writer Sylvia Spruck Wrigley.
    “Nothing’s come up on social media. No-one is claiming responsibility. But the way MH370 happened seems an unlikely way to commit suicide – allowing the plane to continue going for so long. In the very rare cases of pilot suicide, it usually happens much quicker, just pointing the plane at the ground and crashing it.”
    A year after MH370′s disappearance, it’s incredible that one of the biggest searches in history hasn’t turned up one seat cover, one piece of luggage, an oxygen mask, any physical clue at all as to the whereabouts of the plane.
    n 1937, when pilots used to navigate by the sun and the stars, one of the world’s most famous women, Amelia Earhart, disappeared in her plane over the Pacific Ocean. Theories have proliferated ever since. Everything from her being a spy, to her living out her days as a New Jersey housewife, running from fame.
    The story still makes headlines. Only last week I spoke to a man who has spent decades trying to find her plane, and is even now planning a trip to a remote island to follow up on another “clue”.
    I shudder to think that in eight decades’ time people will be watching our old news reports, as yet another expedition sets off to solve the mystery of flight MH370.
    .
    Source: BBC.

  397. Marciano Diz:

    Suspected pilot suicides
    1976 – Russia – A pilot stole an Antonov 2 biplane and flew it into the block of flats in Novosibirsk where his divorced wife lived. Two deaths.
    1979 – Colombia – A recently fired mechanic stole a military HS-748 transport plane, taking off and crashing into a residential area of Bogota. Four deaths.
    1994 – Russia – An air force engineer stole an Antonov 26 transport plane from the Kubinka base, near Moscow. The pilot circled the town of Kubinka until the plane ran out of fuel. One death.
    1994 – Morocco – A Royal Air Maroc ATR-42 crashed in the Atlas Mountains shortly after takeoff. It was suggested the captain had disconnected the autopilot and directed it at the ground, but the Moroccan Pilots’ Union challenged this. 44 deaths.
    1997 – Indonesia – A Silk Air Boeing 737 crashed en route to Singapore. It was suggested the captain may have committed suicide by switching off both flight recorders and intentionally putting the plane into a dive. 104 deaths.
    1999 – Botswana – A captain stated over the radio that he was going to crash an ATR-42 plane. It hit two other aircraft parked at Gaborone Airport. One death.
    1999 – US – An Egypt Air Boeing 767 entered a rapid descent half an hour after takeoff from New York’s JFK Airport, moments after the captain had left the flight deck. It was suggested the accident had been deliberately caused by the relief first officer, but there was no conclusive evidence. 217 deaths.
    2013 – Namibia – An LAM Mozambique Airlines Embraer ERJ-190 entered a rapid descent en route from Mozambique to Angola. Preliminary investigation results indicate the accident was intentional. 33 deaths.
    2015 – France – Co-pilot of a Germanwings Airbus A320 Andreas Lubitz believed to have deliberately crashed the plane in the French Alps en route to Dusseldorf, killing 150 people.
    .
    Source: Aviation Safety Network
    .
    That’s all for now.
    .
    I’ll be back, to terminate all of you.

  398. Marciano Diz:

    Some oceanographers claim the discovery could allow its path on OCEAN CURRENTS to be ROUGHLY RETRACED. One team from Imperial College suggested the fact that a piece landed on Réunion, off the east coast of Africa, could help eliminate the southern end of the focussed zone off western Australia where ships have been conducting a painstaking underwater search.
    .
    Source: The Guardian.

  399. Marciano Diz:

    Vou começar a aprender ε λ λ η ν ι κ α .
    Volto depois da aula.

  400. Gorducho Diz:

    Eίναιδύσκολο;

  401. Gorducho Diz:

    Διόρθωση: είναι δύσκολο;

  402. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Borges Diz:
    Marciano:- Eu também pensava assim, hoje tenho outra ideia a respeito deste assunto, acredito que no mundo espiritual os católicos aceitam alterações em suas crenças para se adaptarem às novas circunstâncias. De certa forma isto acontece também aqui na terra, basta observar a evolução da doutrina para se adaptar ao mundo moderno.
    /.
    PONDERAÇÃO: Borges, sua manifestação cada vez mais confirma a tese de que as visões do mundo espiritual (e olhe que há muitas, cada qual reivindicando ser a correta) não passam de ilações humanas projetas ao desconhecido. Veja só como encara (ser perceber a infantilidade da ideia): no além os recém-chegados chegam com a mesma cabeça que tinham em vida. Primeira objeção: por que então, os recém-nascidos não chegam com igual cabeça que na erraticidade, quando tiveram os olhos abertos e entenderam a realidade e os planos divinos por inteiro, inclusive tendo preparado o plano reencarnativo cuidadosamente?
    .
    Segunda objeção: se no além, após um tempo de reflexão (conforme se deduz dos ensinamentos vigentes) todos acabam se tornando espíritas kardecistas-reencarnacionistas, porque o kardecismo não é o pensamento predominante na humanidade, sendo sua representatividade, em termos mundiais, inexpressiva?
    .
    Terceira objeção: pra quê católico continuar católico no além, evangélico manter-se tal, umbandista manter consultas às suas pombas-giras, se lá eles teriam suas visões alumiadas, conforme explicou o próprio codificador?
    .
    Tem mais, mas deixo por enquanto essas para sua reflexão.

  403. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “ … como é que consegue pôr essas notinhas”?
    .
    MARCIANO: Nove anos de conservatório de música.
    .
    Mentira! Basta usar linguagem html.
    Like this: ? C (Dó sustenido – tecla entre o dó e o ré, aquela pretinha – sem racismo).
    Você viu duas colcheias e uma semicolcheia. É o tempo que dura a nota.
    /.
    PONDERAÇÃO: só queria aprender a pôr as notinhas, e ganho aula de teoria musical, xou! Pois é, vi colcheia e semicolcheia, e se quiser fazer fusa e semifusa? Ou pôr uma clave de Dó? E um bequadro, como faço pra fazer?
    /
    /
    MARCIANO: O que você viu não é propriamente uma nota, é um intervalo musical. Nota é a que te mostrei agora (altura).
    .
    PONDERAÇÃO: correto, anda já esquecido desses detalhes, tanto tempo em que tentei, tentei e nada…
    /
    /
    MARCIANO: Não tens um violão ou um cavaquinho aí, não?
    .
    PONDERAÇÃO: tive violões Di Giorgio, Giannini, cavaquinho, agogô, flauta-doce, escaleta, teclado, só o que nunca tive foi talento para a música, nenhum, o que me causa profunda frustração, a qual levarei comigo para o túmulo. Por essa e outras creio na continuidade da vida: lá serei um virtuose. Você ainda vai assistir uma minha pública exibição (do lado de lá, óbvio).
    /
    /
    MARCIANO: Pra quem gosta e se emociona com a execução ao vivo de “Barracão” , com Elizeth e Jacó do Bandolim, tu estás deixando a desejar.
    Qualquer dúvida, pergunte ao especialista em música do blog, o Toffo.
    .
    PONDERAÇÃO: feliz é o Toffo, admiro-o deveras.
    Já não contei meu périplo no mundo musical? Acho que postei aqui, se não viu, repriso-o (versão resumida).
    /
    =================================
    Vou contar uma experiência pessoal. Aos dezessete anos senti eclodir em minhas entranhas a paixão pela música.
    .
    Até então sem exibir qualquer pendor para a arte, fui mordido pela mosca da inspiração e parti para recuperar o tempo. Com o minguado salário de funcionário da Mesbla, comprei à prestação, um Di Giorgio. Minhas ambições eram modestas, se conseguisse tocar qual um Baden Powell, ou um Turíbio dos Santos, me daria por satisfeito. Oito meses depois, estava orgulhoso com meu progresso e a professora também elogiava minha dedicação a arte. Sabia tocar o acompanhamento de umas vinte músicas. Todas anotadinhas num caderno, com as cifras nos pontos de passagem. Junto com a professora eu me saía bem, sozinho o desempenho caía um pouco, mas dava para o gasto. É claro que sem o caderninho nada produzia, mas eram somente oito meses de treino intenso, ainda havia muito chão pela frente e eu estava disposto a enfrentar a parada.
    .
    Um dia apareceu no curso uma garotinha, cerca de treze anos, humildezinha, dizendo que queria aprender violão. A professora: “você já estudou alguma coisa de música?”. A resposta: “Não senhora, eu ganhei um violão de presente e quero ver se consigo tocar. É muito difícil?”. Ri-me de mim para eu mesmo: ela não sabia o quanto iria penar…
    .
    Então a professora lhe passou um dedilhado básico, para que fosse se habituando ao instrumento e a deixou. Foi gerenciar minha apresentação com as músicas do dia, pois eu era já um aluno avançado. Estranhamente, notei que ao final da aula, a garota tangia o violão de uma maneira que eu não conseguia fazer: o som que saía do instrumento era mui harmonioso. Não entendi e deixei pra lá…
    .
    Na aula seguinte, a menina, muito atrevidinha, quis saber porque eu tocava as músicas “só” com quatro acordes. Meio sem paciência, respondi que “era assim mesmo que se fazia”. Ela, para meu espanto, sugeriu que a música que eu ensaiava ficaria melhor se eu colocasse tais e tais posições (das quais ela, coitadinha, nem sabia o nome).
    .
    “Ah, não”, respondi, do alto de minha superioridade hierárquica, “assim fica muito feio!”. Humildemente, perguntou: “Será que se eu mostrar para a professora ela se aborrece?”. Disse eu, “não sei, mas acredito que sim”. Ela então se calou. Ao final da aula, a mestra passou-me, como dever de casa, uma canção que há muito eu pretendia aprender, só que o acompanhamento tinha quase quinze acordes, muito para mim naquele nível. A orientadora simplificou a sequência e me deu oito acordes. Eu estava sofrendo para reproduzir a harmonia mas disposto a superar o desafio. Percebi que a nova aluna olhava atentamente minha atuação. Era uma música de Roberto Carlos, que começava assim: “Eu queria um passarinho ser, pra levar um bilhetinho pra você, e nas mal traçadas linhas revelar, minha paixão, e o meu amor, meu grande amor…”
    .
    De repente a garota pediu: “professora, posso tentar tocar essa música em casa?”. A orientadora autorizou e ela se foi, parecendo muito satisfeita. Imaginei com meus botões: “vai trazer tudo errado!”.
    .
    Na aula seguinte, a jovenzinha apareceu com uma sequência harmonica contendo mais de trinta acordes e tocava e cantava m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-a-m-e-n-t-e! até um solozinho ela incluiu. A professora, embasbacada, indagou-lhe: “Quem lhe ensinou tocar essa música?”. A resposta: “ninguém, eu fui tentando até conseguir… tá certo?”.
    .
    Naquele mesmo dia, pedi para trocar de horário, antes que cometesse um assassinato movido pela inveja…”
    .=====================================

  404. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano Diz:
    AGOSTO 9TH, 2015 ÀS 1:34 AM
    Acidente musical e armadura de clave dá falsa impressão.
    Outra hora eu explico.
    Acidente e armadura aí tem sentido musical, não o sentido comum.
    R$ 50,00 por minuto, pra você, que é meu amigo e líder da bancada.
    Marciano Diz:
    AGOSTO 9TH, 2015 ÀS 1:36 AM
    Se tocar uma nota fora do tom, meia hora ajoelhado nos caroços de milho.
    Topas?
    .
    .
    .
    Primeira aula pro dr vlad:
    .
    .
    Mi sem Dó em cima de Si no Sol Fa.

  405. Marciano Diz:

    Eu sei que é difícil. Tava só brincando. Vou estudar é cantonês.
    .
    Clave de dó é pra quem toca tuba, contra-baixo, instrumentos de som MUUIIITO grave.
    .
    … tive violões Di Giorgio, Giannini, cavaquinho, agogô, flauta-doce, escaleta, teclado …
    .
    One man band.
    .
    Minhas ambições eram modestas, se conseguisse tocar qual um Baden Powell, ou um Turíbio dos Santos, me daria por satisfeito.
    .
    Ambição pouca é bobagem.
    .
    Essa garotinha é brrrrrrrrrneta do Mozart?
    Ou estava escondendo jogo?
    Sabe o que foi feito dela? Acaso virou pagodeira ou funkeira, por viver nesse país desgraçado?
    .
    CONTRA, faça isso com o Dr. Não! Se tu o fazes ele não vai parar de tocar.

  406. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, psicólogos cognitivos sustentam que com 10.000 horas de prática qualquer um vira um virtuose.
    Claro que os talentosos não precisam disso tudo.
    Conclusão: não desista!
    Você ainda tem muitas encarnações para aprender. Numa delas você já nasce um Wolfgang Gottlieb Mozart.
    Fique na paz, ouvindo o andante do concerto № 21, para piano e orquestra, do dito cujo.

  407. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Essa garotinha é brrrrrrrrrneta do Mozart?
    Ou estava escondendo jogo?
    Sabe o que foi feito dela? Acaso virou pagodeira ou funkeira, por viver nesse país desgraçado?”
    /.
    RESPOSTA: a menina nunca mais soube dela, mas, no mínimo, deve ter se tornado boa tocadora, que pode ter utilizado o dom profissionalmente ou apenas em xous caseiros, ou mesmo deixado de lado o instrumento para se dedicar a outra atividade.
    .
    Ela estava muito distante de um Mozart. Em minha vida artístico-frustrada deparei diversas pessoas relativamente talentosas, com bons ouvidos e que facilmente se adaptavam ao instrumento de predileção, conquanto não chegassem ao patamar de estrela. As habilidades humanas (múltiplas que são) estão distribuídas mais ou menos numa linha estatística facilmente definível. No grosso situam-se os medianos, afastando-se desse bolo, situam-se os excepcionais, tanto para cima quanto para baixo.
    .
    Musicalmente falando, sou excepcional para baixo, mas, por admirável que seja, conheci quem mais abaixo ainda que eu. O que mostra que os níveis vão se aprofundando, desde o ligeiramente acima ou abaixo da média, até chegar aos Mozarts, Bachs, Wagneres, e Belos…
    .
    Sou um gênio em busca de sua genialidade. Sinto que dentro de mim viceja talento estrepitoso que ainda não aflorou. Como sou jovem, não me preocupo muito em vasculhar meu íntimo à caça de minha habilidade maior: tô deixando que venha à tona espontaneamente. Só espero que não seja aptidão para maquiador, cabeleireiro, algo afim. Não que tenha reserva contra essas nobres atividades, mas não me vejo as executando com o conforto com que alguns o fazem.
    .
    Quando conseguir maiores informações divulgarei…
    .
    saudações habilitativas.

  408. Borges Diz:

    Montalvão:- Gosto de reflexão. Ajuda a renovar os neurônios. Não sou um bom seguidor de ideias alheias, procuro captar todas as informações e criar as minhas próprias. Porém, não foi sempre assim. Há alguns anos, quando me tornei um espírita mais engajado, eu lia as obras de Kardec com certa preocupação, temia encontrar contradições e isto realmente aconteceu, senti-me um tanto perdido e desanimado, porém, com o passar do tempo, aprendi a criar minhas próprias ideias, e harmonizá-las com as informações recebidas e com o que parece mais lógico.
    Tenho notado que os seus argumentos, bem como os do Marciano, já passaram pela minha mente; meus alicerces dentro do espiritismo, que já eram frágeis, se abalaram ainda mais, contudo, procurei ter uma visão mais ampla das informações recebidas, abandonando as ideias doutrinárias e buscando ter concepção mais realista do mundo espiritual.
    Imagine a quantidade de médicos, engenheiros, profissionais de altíssimo nível e até mesmo cientistas, que são católicos. Será que todos eles acreditam que um homem, que passou pela terra há dois mil anos, era Deus e ressuscitou com todas as moléculas carnais, e foi residir num céu, que aparentemente não pode abrigar massa. No entanto, todos eles continuam católicos. Acredito que no mundo espiritual tudo se passa da mesma forma, ou seja, se os católicos são maioria aqui, também continuarão sendo maioria lá. Acreditando ou não em reencarnação, ou em céu e inferno, acho que continuam católicos. E assim acontece também com outras religiões.
    Obrigado
    Et: Acredito que o mundo espiritual não é um estágio de iluminação total, penso que é apenas mais uma etapa da grande incógnita que vivemos. Os espíritos devem estar tão perdidos quanto os encarnados.
    Obrigado

  409. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano Diz:
    AGOSTO 9TH, 2015 ÀS 7:57 PM
    … Numa delas você já nasce um Wolfgang Gottlieb Mozart.
    Fique na paz, ouvindo o andante do concerto ? 21, para piano e orquestra, do dito cujo.
    .
    .
    O Mozart aqui da Terra foi fraco e limitado pois estava preso a matéria, bom mesmo é a fase dele agora em Jupiter livre dos laços e do peso que o prendia a nossa falha e grosseira matéria.

  410. Demóstenes Diz:

    Contra Chiquismo,
    /
    Conforme resposta do Vitor (bem acima), a pergunta sobre “raciocínio”, fatores externo e internos influenciavam Kardec, os ispíritos, O Gabineu e qualquer outro cientista da época. E os Abolicionistas, em que se baseavam para a libertação dos “escravos”: Igualdade? justiça? emprego para os “Arianos”? colapso econômico de nações rivais?
    /
    /
    Pode ser metodologia cientifica da parapsicologia? Acho que é a ciência mais parecida com a “mediunidade”
    .
    “Os parapsicólogos reconhecem, criticamente, que estas tentativas, até agora, não têm sido satisfatórias em relação a muitos fenômenos paranormais e, por isso prosseguem na elaboração de novas teorias e hipóteses, visando a solução do problema.
    Até o momento, no entanto, as soluções, mesmo aproximativas, do problema apresentam imprecisões, notadamente por deficiência de uma adequada instrumentação conceituai e esta situação vem constituindo fator impeditivo para a investigação das conseqüências dos resultados obtidos. Isto importa na constatação da dubiedade na comprovação dos resultados experimentais, obrigando a correção das hipóteses, teorias, procedimentos e dados empregados que se mostraram insuficientes para a elaboração de uma solução consistente, sendo esta, no presente, a situação em que se encontra a pesquisa parapsicológica no seu todo”.
    /
    Para quem quiser ler.
    http://parapsicologia.org.br/site/wp-content/uploads/2015/07/A-Quest%C3%A3o-da-Metodologia-na-Parapsicologia.pdf
    /
    Não saberia responder dentro da Metodologia Cientifica, se existem Espíritos.
    Obs: Não acredite em tudo que lê da “FEB”, atualmente suas ciências são contábeis e econômicas.
    /
    /
    Não, nosso centro não tem materializações. Provas? Pela metodologia acima, só se for relato pessoal. Nesse centro, recebi 2 mensagens envolvendo 4 pessoas diferentes que não se conheciam, nem nunca se virão. Alias 2 delas só vi 1 vez na vida.
    Espírito 1.
    “A1″ contou um história em que, eu, supostamente seria a vítima. Cerca de 2 anos depois, “A2″, contou a mesma história, detalhes, em que eu era agressor.
    Espírito 2.
    Ex. da Freira, pro marciano.
    .
    .

  411. Contra o chiquismo Diz:

    Demóstenes Diz:
    AGOSTO 9TH, 2015 ÀS 10:35 PM
    Contra Chiquismo,
    /
    Conforme resposta do Vitor (bem acima), a pergunta sobre “raciocínio”, fatores externo e internos influenciavam Kardec, os ispíritos, O Gabineu e qualquer outro cientista da época. E os Abolicionistas, em que se baseavam para a libertação dos “escravos”: Igualdade? justiça? emprego para os “Arianos”? colapso econômico de nações rivais?
    /
    /
    Pode ser metodologia cientifica da parapsicologia? Acho que é a ciência mais parecida com a “mediunidade”
    /
    /
    Provas? Pela metodologia acima, só se for relato pessoal.
    .
    ..
    .
    Mas os abolicionistas não se declaravam a 3ª revelação e nem a religião para que todas as outras convergiriam. E nem se diziam guiados pelos ‘espiritos superiores’.
    .
    .
    .
    Desde quando parapsicologia é ciência? Pseudociência sim.
    .
    .
    Que bom, vc não pode provar que ‘espiritos’ existem. Só pelo relato pessoal. Ou seja, existem porque existem e eles falaram comigo (contigo) e vcs (nós céticos) tem que acreditar que eles existem e pronto.
    .

    .
    Demóstenes, vc não pode nos convencer, até gostaria que sim. Seria mais fácil vc fortalecer sua ‘fé’ num blog de crentes. A não ser que goste de trollar como o troll dr vlad.

  412. Contra o chiquismo Diz:

    Correção:
    Quando vc diz:
    ‘Provas? Pela metodologia acima, só se for relato pessoal.’
    .
    .
    Eu editei mal, na verdade não é a metodologia (acima) da parapsicologia, mas a Metodologia Científica. E por esta última, digo que vc não pode nos provar nada.

  413. Contra o chiquismo Diz:

    Legal, um já afirmou que é questão de “zona de conforto mental”, outro afirmou que não tem como provar (Borges), outro tb falou que não tem como, só relato pessoal (Demóstenes) o outro é ateu e troll (vlad). É muita vontade de acreditar mesmo…

  414. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    BORGES, bom que goste de reflexão, e a que fez ficou centos por cento, da qual gostei. Fico feliz em saber que consegue equacionar sua fé em meio às contradições que encontra. Não vejo motivo para objetar contra essa atitude, tendo em conta que é assim que se conforta.
    .
    Já minhas inquirições a respeito da espiritualidade buscam sem menos metafísicas e especulativas, objetivando uma avaliação prática.
    .
    Assim, a consideração que sobressai nesse imbróglio é bem clara, e assim se expressa: se mortos interagem com os vivos então serão capazes de demonstrar concretamente suas presenças. Desse modo, quaisquer dúvidas e objeções serão resolvidas.
    .
    E mais: levando em conta que se os mortos comunicam, deduz-se que querem dar provas de que estão ativos e atuantes: mais um motivo, portanto, para que exibam inequivocamente suas presenças.
    .
    Entretanto, “eles” falham dramaticamente nesse procedimento, que deveria ser algo muito simples de ser feito, visto que seria atitude plenamente afinada com a realidade comunicativa entre as dimensões, caso houvesse real comunicação.
    .
    Espíritos quando “querem” fazem o que bem entendem: mandam cartas, materializam-se, ditam livros inteiros, fazem poesias, até divulgam o conteúdo de jornais que ainda não foram publicados… no entanto, uma simples leitura de texto postado fora do alcance visual do médium, e procedimentos assemelhados, são incapazes de realizar.
    .
    A conclusão é inevitável: se “eles” falham nas demonstrações cruciais é porque a imaginada comunicação não passa disso: imaginação…
    .
    Simples assim.

  415. Marciano Diz:

    “No grosso situam-se os medianos, afastando-se desse bolo, situam-se os excepcionais, tanto para cima quanto para baixo”.
    .
    Dentre outros excepcionalmente altaneiros nas “potências” (sacanagem com cx) do intelecto, sinto-me honrado de poder trocar ideias com MONTALVÃO, GORDUCHO…
    .
    .
    “Musicalmente falando, sou excepcional para baixo, mas, por admirável que seja, conheci quem mais abaixo ainda que eu”.
    .
    Só diz isso porque não conhece minha inaptidão musical.
    Uma coisa, posso afirmar, com orgulho: em se tratando de música, não tem ninguém mais abaixo do que eu.
    Às vezes os níveis não vão aPROfundando, vão só afundando, afundando…
    .
    Como diria Boris Casoy, sou o mais baixo na escala da música, precisando de uma clave de dó com muitas linhas suplementares na parte de baixo da pauta para ser representado.
    Eu tenho gênio para poser, bluffer, bluster, showbust, bragger, and so on…
    .
    .
    .
    BORGES disse:
    “Tenho notado que os seus argumentos, bem como os do Marciano, já passaram pela minha mente; meus alicerces dentro do espiritismo, que já eram frágeis, se abalaram ainda mais, contudo, procurei ter uma visão mais ampla das informações recebidas, abandonando as ideias doutrinárias e buscando ter concepção mais realista do mundo espiritual”.
    .
    Continue refletindo, pensando com sua própria cabeça, procurando o realismo.
    Não tenha medo de duvidar.
    A gente vive buscando um ideal que é só ideal mesmo. A realidade não é tão romântica como gostaríamos que fosse, mas é o que é, então não adianta ficarmos sonhando.
    Seja racional, pense, medite, reflita, raciocine, questione…
    .
    .
    “Acredito que o mundo espiritual não é um estágio de iluminação total, penso que é apenas mais uma etapa da grande incógnita que vivemos. Os espíritos devem estar tão perdidos quanto os encarnados”.
    .
    Não é isso o que prega a doutrina espírita. Eles dizem que a verdadeira vida é a espiritual.
    .
    .
    CONTRA disse:
    .
    “O Mozart aqui da Terra foi fraco e limitado pois estava preso a matéria, bom mesmo é a fase dele agora em Jupiter livre dos laços e do peso que o prendia a nossa falha e grosseira matéria”.
    .
    Pô, você já me deu umas dicas musicais boas. Falou do plágio do genial Tim Maia em cima da música de Booker T. and the MGs.
    Você não arranja uns flacs do Mozart na fase espiritual pra mim, não?
    .
    .
    .
    Maldita a hora em que fui falar de grego. O genial GORDUCHO sumiu.
    Deve estar a estudar grego. Como se precisasse.
    Volte, GORDUCHO.
    .
    .
    .
    MONTALVÃO, faça isto:
    ♩ ♪ ♫ ♬ ♭ ♮ ♯

    &#98xx;
    xx você substitui por 33, 34, 35, …
    Capisce?
    Esta vai de graça, para manter seu interesse no blog.
    Se quiser escrever em grego ou outras línguas que não adotem o alfabeto romano, peça ao GORDUCHO, o especialista do blog.

  416. Contra o chiquismo Diz:

    Borges Diz:
    AGOSTO 9TH, 2015 ÀS 8:21 PM
    …Há alguns anos, quando me tornei um espírita mais engajado, eu lia as obras de Kardec com certa preocupação, temia encontrar contradições e isto realmente aconteceu, ….
    .
    .
    …; meus alicerces dentro do espiritismo, que já eram frágeis, se abalaram ainda mais,
    .
    .
    ….Acredito que no mundo espiritual tudo se passa da mesma forma, .
    .
    .
    .
    Borges , vc não acredita mais em kardec, então com certeza vc tb não é chiquista. O problema é quando vc diz :
    “Acredito que no mundo espiritual tudo se passa da mesma forma, .”
    .
    .
    Borges, se vc não acredita na maior autoridade em ‘espiritos’, se sua crença ruiu, o que mais espera? Vc diz que acredita no ‘mundo espiritual’, mas sabe que ‘espíritos’ não existem. Vc mesmo disse que não tem como provar. O que falta para sua última pontinha de fé cair? Orgulho? Como pode uma obra como a de kardec ser recheada de tantos erros de Ciência, RACISMO, soberba ( o espiritismo é o futuro de todas as crenças) e ser ditada por entidades superiores? Nem vc acredita mais nisso, se kardec que é a autoridade mor, vc não leva mais fé, em quem vc vai acreditar? Em luiz de matos e o seu racionalismo cristão? Gosto da sua sinceridade, e vc vai acordar pra a realidade. Isso que vc está vivendo é um pesadelo e uma grande ilusão, e vc verá quando renegar tudo isso o quanto é bom viver sem essa amarra. Aí vai vir a coisa boa da história, vc rir de vc mesmo e virar detrator. Isso não tem preço. Abração.

  417. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano Diz:
    AGOSTO 9TH, 2015 ÀS 11:53 PM

    .
    CONTRA disse:
    .
    “O Mozart aqui da Terra foi fraco e limitado pois estava preso a matéria, bom mesmo é a fase dele agora em Jupiter livre dos laços e do peso que o prendia a nossa falha e grosseira matéria”.
    .
    Pô, você já me deu umas dicas musicais boas. Falou do plágio do genial Tim Maia em cima da música de Booker T. and the MGs.
    Você não arranja uns flacs do Mozart na fase espiritual pra mim, não?
    .
    .
    Uns flacs do Mozart? Não.. mas te indico uma música fantástica da Roberta Flack:
    .
    .
    .
    https://www.youtube.com/watch?v=PciAVp8sBo8

  418. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano Diz:
    AGOSTO 9TH, 2015 ÀS 11:53 PM

    .
    .
    “Acredito que o mundo espiritual não é um estágio de iluminação total, penso que é apenas mais uma etapa da grande incógnita que vivemos. Os espíritos devem estar tão perdidos quanto os encarnados”.
    .
    Não é isso o que prega a doutrina espírita. Eles dizem que a verdadeira vida é a espiritual.
    .
    .
    .
    Marciano, leia de novo o post dele. Ele renega kardec. Isso é muito bom.

  419. Marciano Diz:

    CONTRADISSE: não! CONTRA disse:
    .
    Borges, se vc não acredita na maior autoridade em ‘espiritos’, se sua crença ruiu, o que mais espera? Vc diz que acredita no ‘mundo espiritual’, mas sabe que ‘espíritos’ não existem. Vc mesmo disse que não tem como provar. O que falta para sua última pontinha de fé cair? Orgulho? Como pode uma obra como a de kardec ser recheada de tantos erros de Ciência, RACISMO, soberba ( o espiritismo é o futuro de todas as crenças) e ser ditada por entidades superiores? Nem vc acredita mais nisso, se kardec que é a autoridade mor, vc não leva mais fé, em quem vc vai acreditar? Em luiz de matos e o seu racionalismo cristão? Gosto da sua sinceridade, e vc vai acordar pra a realidade. Isso que vc está vivendo é um pesadelo e uma grande ilusão, e vc verá quando renegar tudo isso o quanto é bom viver sem essa amarra. Aí vai vir a coisa boa da história, vc rir de vc mesmo e virar detrator. Isso não tem preço. Abração.
    .
    Deus te ouça.
    O perigo é o Borges pegar a esquina que o VITOR pegou.
    .
    .
    Voltando a falar em memória fora do corpo, e TENTANDO atrair o venerável GORDUCHO de volta ao blog:
    .
    GORDUCHO, como especialista em informática, o que você me aconselha para eu fazer um upload de minha consciência e memória autobiográfica?
    Procurei conselhos com o Dr. Mabuse, mas aquele velho é um maluco.
    Queria que eu explodisse gasômetros, trocasse cédulas do Banco Central por dinheiro falso.

  420. Marciano Diz:

    I… don’t want…no tears… in the end.
    I… don’t want…no tears… in the end.
    Roberta Flack
    .
    Quando eu morrer, não quero choro nem vela
    Quero uma fita amarela, gravada com o nome dela.
    Noel Rosa

  421. Marciano Diz:

    “Para quem quiser ler.
    http://parapsicologia.org.br/site/wp-content/uploads/2015/07/A-Quest%C3%A3o-da-Metodologia-na-Parapsicologia.pdf
    .
    COMENTÁRIO: Dear Lord!

  422. Demóstenes Diz:

    Contra Chiquismo,
    /
    “vc não pode nos convencer?”
    /
    O BONITÃO: foi você que enviou as perguntas para mim. Foi você que pediu pra ser convencido. (Creio, as respondi com educação). Se pensou que eu fosse “Demóstenes”, o grego, desencarnado e que a minha dialética iria preencher esse seu “vazio existencial”. Mostrando-te ou renovando a sua “FÉ” em Chico Xavier, o seu “nick” com certeza se remete a algum trauma com referido médium. Só Lamento.
    .
    “fortalecer sua ‘fé’ num blog de crentes”?
    /
    Ainda vem querer me expulsar de um blog, ao que me parece, ser laico e aberto ao publico. (Por favor, que diga ao contrário o Sr. Vitor Moura.) Alegando preconceituosamente, que eu vá procurar aqueles que compartilham da mesma FÉ. Talvez se referindo aqueles que têm Fé na “CIÊNCIA” do Racismo? Aquela teoria defendida e aceita pelo “MÉTODO CIENTÍFICO” dos tempos de Kardec. Mesmo Método Científico, que você usa para refutar as pseudociências que não lhe trazem a paz “daquilo que não existe” (De Espírito).
    .

  423. Braulio Diz:

    Olá, Borges
    .
    Entendo sua posição, porém o problema das EQMs não é esse.
    .
    Por exemplo, Angie Fenimore relata que viu “Jesus” na forma do “Ser de Luz”; entretanto os indianos costumam relatar ver o Yamraj o “Senhor dos Mortos” durante as EQMs, ou temos Judeus vendo “Adão” ou “Moises” e Budistas vendo Buda.
    .
    Se a EQMs é uma olhadela no Céu, fica difícil entender quantos céus existem, ou quantos deus existem. Não acha?
    .
    Afinal Jesus, Buda ou o Sr. Yamraj, são incompatíveis.

  424. Braulio Diz:

    Olá, Marciano
    .
    Eu sou Agnóstico.
    .
    Não vejo ser possível através da Metodologia Científica que dispomos no momento, afirmar ou negar a existência de “deus”, até mesmo porque penso ser “deus” um objeto de estudo metafísico e não científico.
    .
    Prefiro não esposar nenhuma “Crença” a esse respeito, inclusive o Ateísmo.

  425. Antonio G. - POA Diz:

    Metodologia é importante. Se uma cartomante não for metódica na encenação de suas consultas, morrerá de fome.

  426. Gorducho Diz:

    Claro: a diferença entre EQMs indianas e ocidentais detona aa tese de espírito OFB. Se eu chego de fato em Salvador vejo o mercado e o elevador, independente de m/crença.
    O que não significa que não deva ser estudada no âmbito da medicina: claro que deve. O Problema são os fanáticos tentando extrapolar com o intuito de propagar crenças religiosas ou vender livros e outras quinquilharias livros (como no caso bem notório há pouco tempo telado).
     
    Não vejo ser possível através da Metodologia Científica que dispomos no momento, afirmar ou negar a existência de “deus”, até mesmo porque penso ser “deus” um objeto de estudo metafísico e não científico.
    Claro que não. Daí o inadmissível absurdo que tentarem alguns de tentar introduzir religião e magia dentro da prática profissional.
    Religião é de foro intimo, pertencente ao universo metafisico.

     

  427. Contra o chiquismo Diz:

    Caro Demóstenes, não tou querendo te expulsar, mas não seria perda de tempo vc ficar citando kardec e outros que notadamente são falsos/fraudulentos?
    .
    .
    Olha a sua típica arrogância de um ‘espirita evoluído’ que tem a sua crença questionada. Olhas as frases que vc diz:
    .
    .
    “O BONITÃO: ”
    .(***obrigado)
    .
    “o seu “nick” com certeza se remete a algum trauma com referido médium. Só Lamento.”
    .
    .(?**)
    .

    ‘Alegando preconceituosamente, que eu vá procurar aqueles que compartilham da mesma FÉ.”
    .
    .(***não, o preconceituoso é kardec e quem defende as idéias dele)
    .
    “Mesmo Método Científico, que você usa para refutar as pseudociências que não lhe trazem a paz “daquilo que não existe” (De Espírito).”
    .
    .
    .
    Viu a sua arrogância? Eu não tenho a ‘PAZ DE ESPÍRITO’ que vc tem pq não sou evoluído.
    .
    .
    Pena que não cantei essa pedra antes, mas esse comportamento é esperado por todo espirita que tem seu calo doutrinal pisado.

  428. Contra o chiquismo Diz:

    Muito bom MArciano, Roberta e Noel. Essa é a música mais legal da R Flack pra mim.

    .
    .
    .
    Acho que o Mozart em Plutão deve sintonizar aqui na terra a JB FM pra ouvir esse som dela lá em cima , pois lá ele deve estar muito entediado pois não tem mais o que evoluir. Deve ter piorado isso sim.

  429. Vladimir Diz:

    Braulio disse: Por exemplo, Angie Fenimore relata que viu “Jesus” na forma do “Ser de Luz”; entretanto os indianos costumam relatar ver o Yamraj o “Senhor dos Mortos” durante as EQMs, ou temos Judeus vendo “Adão” ou “Moises” e Budistas vendo Buda.
    .
    Se a EQMs é uma olhadela no Céu, fica difícil entender quantos céus existem, ou quantos deus existem. Não acha?
    .
    Afinal Jesus, Buda ou o Sr. Yamraj, são incompatíveis.
    //
    COMENTÁRIO: Sr. Braulio, sinto-lhe informar mas esse “apontamento” que o Sr. fez não é nenhuma novidade para quem estuda as NDEs.
    .
    E tampouco “derruba” a tese de “olhar o Céu”.
    .
    Toda experiência de NDE (ou OBE) passa pela Subjetividade do indivíduo que está vivenciando-a.
    De modo que sim, sempre existirá a influência de fatores culturais subjetivos na descrição de uma experiência Objetiva como as NDE, ainda mais nesse caso em que os indivíduos estão sob forte estresse.
    .
    De modo que o importante não é avaliar a “Figura” das NDE, mas sim o “Fundo” (relação Figura-Fundo ver Psicologia da Gestalt) ou seja entender as estruturas que estão para além das experiências subjetivas.
    .
    Feito essa ressalva, é possível encontrar tais estruturas, em NDEs de indianos, ateus, cristãos, muçulmanos e até agnósticos kkkk
    .
    Por exemplo:
    Visão do Próprio Corpo
    Revisão da Vida
    Encontro com Parentes Falecidos
    Encontro com o Ser de Luz
    Retorno ao Próprio Corpo
    .
    Para finalizar recomendo que estude o tema “Sindrome de Pirandello” e o conceito de “Figura-Fundo” da Psicologia da Gestalt, sem esse cabedal de conhecimento prévio corre-se o risco de estabelecer uma conclusão cientificamente equivocada a respeito de tais experiências.
    .
    PS: Uma ilustração pueril a respeito do tema, o Sr lembra-se do caso do vestido que rodou a Web, onde uns viam Azul e outros Branco e Dourado?
    .
    A ideia é a mesma em relação as NDEs…

  430. Vladimir Diz:

    Ah propósito, parabéns pela lucidez do Agnosticismo, pelo menos é uma postura Científica, diferentemente do Ateísmo.

  431. MONTALVÃO Diz:

    //
    Testando (de leve que é pra não machucar a testa).
    .
    1. &#9833
    .
    2. &#9834
    .
    3. &#9835
    .
    4. &#9836
    .
    Se der certo concluirei que não sou tão burro informaticamente como me pareço a mim mesmo…

  432. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Não deu… confirmada minha canhenstrice informatizada. Vou voltar a estudar COBOL, ALGOL, PL1, FORTRAN, ASSEMBLY, BASIC, que é pra mode de ver se consigo aprender algo que preste…
    .
    procedure division saudações.

  433. MONTALVÃO Diz:

    “&#9833″

  434. MONTALVÃO Diz:

    Insistindo…
    .
    ?
    ?
    ?
    ?
    ?
    ?
    ?
    ÍÎÏ

  435. MONTALVÃO Diz:

    parei…

  436. Gorducho Diz:

    entender as estruturas que estão para além das experiências subjetivas.
     
    Claro: as estruturas do cérebro gerando sensações que eventualmente são persistidas na memória perene pós-episódio.
    O problema é quererem tirar daí “visões” de “céu” supondo religiosamente “céu” como um local ontológico físico.
    Nada contra os que estudam: tudo contra os que tentam tirar daí interpretações religiosas para venderem suas crenças apriorísticas.

  437. Gorducho Diz:

    Se o Sr. sabe COBOL ou qq. outra linguagem, sabe que em informática não se inventa.
    Escreva o que o AMa lhe mandou escrever!
     
    Escreva: ♩ e obterá renderizado no navegador:

  438. Vladimir Diz:

    Gorducho,
    .
    No caso as “Estruturas” são os elementos comuns partilhados por todos aqueles que vivem uma NDE, independentemente da cultura, etnia, ou religião.
    .
    Existem NDEs em Ateus, Céticos e Agnósticos, que relataram ver parentes falecidos, visão fora do corpo, revisão da vida, encontro com o “Ser de Luz” e etc.

  439. Braulio Diz:

    Mano, Vlad
    .
    Tenho de discordar.
    Se estamos falando em “Pensamento Científico” o Sr. deve conhecer a “Navalha de Occam”.
    Pois bem.
    Pela “Navalha de Occam” é logicamente mais simples e mais plausível entender que, é o conteúdo cultural dentro do cérebro dos pacientes que influencia as NDEs, do que admitir uma experiência espiritual.
    Não há necessidade de experiência espiritual.
    Tudo é produto do cérebro.
    Ademais existem vários médicos que contestam as NDEs “espirituais” como o próprio Worlee e a Susan Blackmore.

  440. Vladimir Diz:

    Sr.Braulio,
    Vamos lá.
    .
    Braulio disse: Pela “Navalha de Occam” é logicamente mais simples e mais plausível entender que, é o conteúdo cultural dentro do cérebro dos pacientes que influencia as NDEs, do que admitir uma experiência espiritual.
    .
    COMENTÁRIO: Acho que o Sr. se equivocou. A navalha de Occam caberia se eu tivesse dado uma explicação “ad hoc” onde eu dissesse por exemplo: “Existem (objetivamente) muitos Céus e Deuses de acordo com a origem e a experiência de cada um.”
    .
    Mas não foi isso que eu fiz. De fato eu mesmo admiti que sim o conteúdo cultural “do cérebro” dos pacientes influencia as NDEs. Não nego isso, e nenhum pesquisador nega.
    .
    A questão é que o conteúdo cultural subjetiva não explica os elementos comuns presentes em todas as NDEs independentemente da Cultura.
    .
    Esse é o ponto.
    .
    Se as NDEs fossem totalmente singulares e individuais eu até poderia considerar que são “Experiências Anedóticas” mas não é o que ocorre.
    .
    Existem elementos comuns a todas as NDEs.
    .
    Braulio disse: Tudo é produto do cérebro.
    .
    COMENTÁRIO: Nossa que “Salto Lógico” hein??? Já pegou o mal hábito dos “créticos” do sítio.
    .
    Como o Sr. chegou a essa conclusão?
    .
    Qual a explicação materialista que contempla todos os elementos de uma NDE?
    .
    Braulio disse:
    Ademais existem vários médicos que contestam as NDEs “espirituais” como o próprio Worlee e a Susan Blackmore.
    .
    COMENTÁRIO: Argumento de Autoridade??? Bom existem dezenas de “Autoridades Cientificas” que endossam as NDEs.
    Neste quesito estamos empatados.

  441. Marciano Diz:

    DEMÓSTENES, o que é isso, companheiro?
    Você tem sido tão educado aqui e de repente alopra assim com o CONTRA?
    Ele tem esse estilo, mas é gente boa.
    E você, crente ou descrente, deve procurar controlar a ira (sem sacanagem, estou falando seriamente).
    .
    .
    BRAULIO, é justamente a oferta de crenças as mais discrepantes entre si que leva algumas pessoas a duvidar. Em qual delas acreditar?
    Devemos escolher no unidunitê?
    O bom sendo nos aconselha a não levar NENHUMA a sério.
    .
    Eu não passei por essa fase de agnosticismo. Nasci descrente, como todo mundo. Justamente a variada oferta de verdades me manteve na descrença.
    Procurei obter um mínimo de informação sobre o máximo de crenças que eu poderia acessar, inclusive a parapsicologia.
    Só confirmei que tanta oferta só pode ser enganosa.
    Você, como agnóstico, está mesmo é chutando a bola para escanteio, pedindo vista dos autos.
    Se você continuar fazendo um estudo comparativo de crenças, vai ver que elas foram criadas para enganar, para obter dinheiro e poder.
    Bola pra frente, cara!
    E cuidado com as trollagens do VLAD.
    Ele não tem honestidade intelectual, como eu já demonstrei neste mesmo tópico, mais acima.
    Se não acredita, veja postagens anteriores e observe o comportamento dele.
    Está aqui só para provocar, vive mudando de cara.
    Só escreve o que lhe é conveniente, desdizendo tudo assim que lhe for oportuno, com a maior desfaçatez.
    .
    .
    .
    MONTALVÃO, você é um gênio, cara. Use o seu privilegiado cérebro. Releia minha mini-aula e veja onde errou.
    Dica: tá faltando alguma coisa.
    Preste mais ATENÇÃO.
    Se não adiantar, leia as ponderações de nosso correligionário GORDUCHO.

  442. Braulio Diz:

    Mano, Vlad.
    .
    A navalha de occam, serve sim.
    Se há uma variação cultural nas descrições das NDEs, o que é logicamente mais plausível:
    .
    Admitir que se trata de uma experiência espiritual com influência dos conteúdos culturais dos pacientes?
    .
    OU
    .
    Admitir que se trata de uma experiência vindo do cérebro dos pacientes?
    .
    Não há necessidade de cogitar o viés espiritual na explicação.
    .
    Confesso que eu ficaria chocado, se as “experiências espirituais” fossem iguais para todos em qualquer canto do mundo.
    .
    Aí sim eu poderia até concordar com o Sr.
    .
    Imagine se em todas as NDEs aparecesse Jesus, ou Allah, ou Buda e etc.
    .
    O fato de não existir uma explicação materialista não quer dizer que a causa é espiritualista.
    Quem saltou logicamente foi o mano agora.

  443. Braulio Diz:

    Mano Marciano,
    .
    Então duvidar das religiões e da existência de “deus” ou “deuses” eu acho bacana.
    .
    O problema é crer que eles não existem.
    .
    Parece a mesma coisa, mas não é.
    .
    O primeiro é o Ateísmo “fraco” (Carl Sagan, Einstein) ou segundo é o Ateísmo “forte” (Christopher Hitchens, Sam Harris, Richard Dawkins e etc)
    .
    Se eu fosse Ateu, seria um Ateu do tipo “fraco”, mas confesso que ainda sim não me sentiria confortável, pois estaria defendendo uma crença, portanto fico com o Agnosticismo.
    .
    Mas não se trata de “fase” não, a menos que seja uma fase que estou há 25 anos rs

  444. Marciano Diz:

    Irmão BRAULIO, eu não quis dizer que são “fases”. Se o fossem, todos passariam por elas, elas seriam um processo, um caminho.
    Eu mesmo não passei por fase nenhuma, se quiser reler meu comentário verá isto.
    Se ler comentários meus anteriores, neste tópico e em outros anteriores, verá que não me classifico como ateu, nem fraco nem forte.
    Classifico-me como descrente.
    A descrença não é a crença em alguma coisa, é justamente o contrário, é a descrença em qualquer coisa.
    Qualquer coisa que não tenha explicação racional, satisfatória.
    Eu já perdi a conta de quantas vezes disse aqui que creio, sem a menor dúvida, de que a soma dos ângulos internos de um triângulo numa superfície plana é SEMPRE igual a 180 graus.
    Isto é demonstrado sem sombra de dúvida e de forma a que qualquer descrente acredite.
    O mesmo não se pode dizer de divindades, espíritos, ultramundos e coisas tais.
    Um abraço, mano veio.

  445. Braulio Diz:

    Mano Vlad,
    .
    Apenas complementando, mostre-me uma NDE que tenha elementos Objetivos e que foram corroborados posteriormente mediante observação dentro de um estudo prospectivo.
    .
    Que fim levou o estudo do Dr.Sam Parnia???
    .
    Aliás, se quiser já pode fazer o mesmo com as “evidências” da comunicação entre “mortos” e vivos.
    .
    Mas tem que ser estudo atual, nada de coisa de 100 anos atrás…

  446. Vitor Diz:

    “Apenas complementando, mostre-me uma NDE que tenha elementos Objetivos e que foram corroborados posteriormente mediante observação dentro de um estudo prospectivo.”
    .
    Seja feita a sua vontade!
    .
    http://obraspsicografadas.org/2011/uma-experincia-de-quase-morte-estudada-prospectivamente-com-percepes-corroboradas-fora-do-corpo-e-cura-inexplicada/

  447. Braulio Diz:

    Mano Marciano,
    .
    Pode ser uma questão de semântica, mas a descrença é uma forma de crença, ainda que seja na própria descrença.
    .
    Se eu duvido da existência de “deuses” (parece ser o seu caso) então posso ser considerado um Ateu “fraco”.
    .
    Mas, se eu afirmo categoricamente que “deuses” não existem, aí sim é o um Ateísmo “forte”.
    .
    Não inventei essas classificações não, elas já estão rolando por aí um bocado de tempo.
    .
    No meu caso eu não afirmo que “deuses” não existem, tampouco duvido da existência deles.
    .
    Simplesmente penso que através da Ciência não é possível opinar sobre esse tópico.
    .
    De tal forma que prefiro me abster de tal opinião.
    .
    Em relação ao exemplo do Triângulo, ocorre que essa proposição matemática é Analítica a Priori, porém a Ciência trabalha com Juízos Analíticos e Juízos Sintéticos (a Priori e a Posteriori), portanto existem muitos conceitos científicos que nesse caso poderia ser descartados se levássemos em conta apenas os Juízos Analíticos.
    .
    Penso que ficaríamos apenas com a Matemática e a Lógica na medida em que seriam descartadas todas as ciências baseadas em evidências.
    .
    Abraço, Mano

  448. vinicius Diz:

    O que vocês fariam se fossem espíritas trabalhadores voluntários de determinado Centro e ao longo dos diversos estudos, cursos, leituras e fóruns em sites percebesse um montão de informações equivocadas na D.E., até mesmo de cunho racista (Teoria do Belo,Perfectibilidade da Raça Negra, Caminho da Luz, contraditórias (Marte por CX e AK), cartas psicografadas com apelidos previamente adquiridos e frases genéricas etc.

    01) Abandonariam o centro e os trabalhos voluntários?
    02) “engoliriam a seco” tais informações e continuariam trabalhando numa boa?
    03) Outros

    VLAD, levei muito a sério o vídeo do WALDO, era ele quem estava falando e ouvi claramente sobre as cartas psicografadas pelo CX, de que eram previamente “rascunhadas”. Os apelidos levantados etc…
    O Waldo, embora dissidente do Espiritismo, trabalhou e conviveu com Chico.

  449. vinicius Diz:

    há esqueci dos preconceitos musicais ehehe. dizem que espirito superior só houve musica clássica

  450. Vladimir Diz:

    Vinicius,
    .
    Penso que o tema a respeito do CX, é espinhoso.

  451. Vladimir Diz:

    Vinicius,
    .
    Penso que o tema a respeito do CX é espinhoso, mas não é de todo ruim como aparenta.
    .
    Se formos analisar pela ótica de Kardec, CX é apenas um médium. nada mais.
    .
    Infelizmente foi a FEB que transformou CX no maior médium do Brasil, Apóstolo do Espiritismo e etc.
    .
    De modo que penso ser plenamente possível ficar com o Espiritismo e Kardec a despeito do CX…
    .
    Afinal em Kardec temos a segurança do CUEE.

  452. Demóstenes Diz:

    Marciano,
    Controlarei a minha ira.
    .
    Mas “outros”, também evidenciam um caso de trauma emocional ainda não resolvido. A busca para acabar com um desconforto da sua convicção, através de uma prova ou argumento que o faça renovar a confiança perdida. Evidenciadas pelos argumentos, demostrando um conhecimento sobre o assunto, possivelmente como crente. Ora, que seja um descrente, mas por suas convicções e não por falta de argumentação alheia.
    .
    Quanto ao link, a questão é a metodologia, “Nem toda ciência factual é necessariamente experimental. Podemos postular que a Parapsicologia é uma ciência parcialmente experimental, porque uma pequena parcela de seus fenômenos pode ser repetida em laboratório.”
    .

  453. Demóstenes Diz:

    O experimento parapsicológico não pode ser comparado a um experimento de física ou de química. A matéria não reage diferentemente a cada pesquisador o que não acontece com o agente psi, pois este reage de maneira diferente à personalidade e à técnica de cada pesquisador.
    .
    O mesmo argumento pode ser utilizado para a mediunidade.
    .

  454. Vinicius Diz:

    Vlad
    De fato com Kardec tem se a CUEE, mas tem outras coisas espinhosas com o próprio Kardec e mesmo com as notas explicativas emitidas pela FEB por conta de processos judiciais ainda são dificeis de engolir (vide “teoria do belo” e “perfectibilidade da raça negra).
    Sinto-me confortável com as explicações da moral do Cristo e as vezes Kardec parece até outro no OESE e o OLE, isto é, diferente daquele que emitiu opinião sobre a raça negra.

  455. Gorducho Diz:

    No caso as “Estruturas” são os elementos comuns partilhados por todos aqueles que vivem uma NDE, independentemente da cultura, etnia, ou religião.
     
    De fato “estruturas” foi oversimplificação. As estruturas c/o software, i.e., hardware + dados. Ou seja: a NDE será proporcional à estrutura + os dados, i.e., as crenças. Assim os indianos não verão JC; verão a divindade da morte e aqueles caras lendo o livro e constatando que se enganaram e que não era ele…
    Jamais verão o elevador; ou um carrossel de navios (como aquele que tem lá ½ que perto do Marden)… Isso porque não se trata de percepções externas ao cérebro e ao centro cirúrgico/UTI.
    Espero ter sido mais didático agora…

  456. Demóstenes Diz:

    Bingo !
    O livro dos espíritos ou LE, é uma coletânia de peguntas e repostas feitos em vários lugares diferentes. Kardec as reuniu, claro fez um resumo de algumas perguntas e colocou suas opiniões, bem grifadas em separado.
    A não ser a perg. 273, e a sua referida resposta. Não há qualquer menção sobre inferioridade da raça negra ou superioridade raça branca no LE. Diga se de passagem, sou o primeiro a questionar a perg. 273, ninguém que acusa Kardec de racismo o fez. Vide Google.

  457. Vinicius Diz:

    GORDUCHO,
    2. “Gorducho Diz:
    AGOSTO 8TH, 2015 ÀS 1:52 PM
    Ah! o texto é pessoal do Kardec…
    E esse é?
    9. A raça negra é verdadeiramente uma raça inferior? – R. A raça negra desaparecerá da Terra. Ela foi feita para uma latitude diferente da vossa.
    12. Os Brancos se reencarnam, algumas vezes, em corpos negros?
    - R. Sim, quando, por exemplo, um senhor maltratou um escravo, ele pode pedir para si, por expiação,
    viver num corpo de negro para sofrer, a seu turno, todos os sofrimentos que fez sentir e, por esse meio, avançar e alcançar o perdão de Deus.”

    Confesso que não conhecia este trecho, putz, sabe, não li toda a revista espírita, deve ter um monte de pérolas de São Luiz e equipe….
    Que raios de latitude é essa que o Espírito fala??? Meu, só rindo viu: a raça negra foi feita para uma latitude diferente… nossa, onde está a criação perfeita de Deus? E o governador planetário Jesus nada fala sobre isso?
    HÁ NOTAS EXPLICATIVAS DA FEB para isso, logo após o título “O NEGRO PAI CÉSAR 11” a FEB remete o leitor a “11 Nota da Editora: Ver “Nota Explicativa”, p. 537” que objetiva “36 Nota da Editora: Esta “Nota Explicativa”, publicada em face de acordo com o Ministério Público Federal, tem por objetivo demonstrar a ausência de qualquer discriminação ou preconceito em alguns trechos das obras de Allan Kardec, caracterizadas, todas, pela sustentação dos princípios de fraternidade e solidariedade cristãs, contidos na Doutrina Espírita.”

  458. Vinicius Diz:

    a questão 273 realmente não se menciona cor da raça, fala de raças selvagens.

    E quanto a resposta de São Luiz sobre o espirito do Pai Cesar :
    ” 12. [A São Luís]. – Algumas vezes os brancos
    reencarnam em corpos negros? Resp. – Sim. Quando, por exemplo, um senhor maltratou um escravo, pode acontecer que peça, como expiação, para viver num corpo de negro, a fim de sofrer, por sua vez, o que fez padecer os outros, progredindo por esse meio e obtendo o perdão de Deus.” e

    9. [A São Luís]. – A raça negra é de fato uma raça
    inferior?
    Resp. – A raça negra desaparecerá da Terra. Foi feita
    para uma latitude diversa da vossa.

    QUAL LATITUDE É ESSA?? não entendi.

  459. Gorducho Diz:

    Nada justifica o racismo de “espíritos”. E o mais deplorável é isso: os kardecistas + chiquistas ainda tentarem justificar 158 anos depois…
     
    CUEE
    Não não existe o tal CUEEE. Essa foi outra das malandragens do Kardec tentando dar uma legitimização “sobrenatural” aos devaneios dele escritos com base nos socialistas românticos + mesmerizas.
    E mesmo que se admita ter ele aproveitado algumas “mensagens”, que vários lugares diferentes são esses que se percorre à pé num dia almoçando e c/a mulher parando p/fazer compras? Que “universalismo” é esse?
     
    É impressão, ou o acesso ao Sítio está extremamente lento, Sr. Administrador?

  460. Vitor Diz:

    impressão :-)

  461. Marciano Diz:

    Mano BRAULIO, a única diferença que existe entre as milhares de crenças atuais e as do passado é que as do passado (Osíris, Atlas, Odin) já passaram e as atuais AINDA não.
    Vão passar, daqui a uns milhares de anos, depois de serem modificadas ao sabor de cada época e de cada grupo, depois vão ser substituídas por outras, que acabarão sendo tão antigas quanto as atuais.
    .
    A única diferença entre qualquer divindade atual e qualquer uma que seja inventada AGORA, é que as atuais já estão por aí há muito tempo, sempre variando conforme o zeitgeist, e uma que eu invente agora, se pegar (nem todas pegam), daqui a milhares de anos será tão crível quanto o monstro do spaghetti.
    Já que você tem problemas semânticos (aparentemente) com a descrença, vou reformular minha afirmação.
    Eu não sou descrente, apenas não escolhi uma crença. Não o fiz porque elas são apenas isto mesmo, crenças. Nada têm de objetivo que me levem a achar que possam ser verdadeiras.
    Quanto mais estudo suas origens, mais vejo o quão vazias e destituídas de sentido elas são.
    Não sou um neófito, conheço ateísmo forte, fraco, agnosticismo, tudo isso.
    Se ainda assim você achar que a falta de crenças é uma crença, então jogo a toalha e afirmo que creio na descrença.
    Claro que não é isto, mas não adianta ficarmos dialogando pela eternidade.
    É apenas um modo cavalheiresco de pormos fim a uma questão que não vai chegar a lugar algum.
    Se você acha impossível alguém ser descrente em afirmações estapafúrdias, que isto é uma crença, então não existe descrença. I give up.
    Se não é possível opinar sobre crenças através da ciência (eu não o acho, existem ciências que explicam a razão das crenças), então é impossível opinar sobre elas, porque através de outras coisas é que não é possível nada.
    Sem a ciência, não estaríamos tendo esta conversa.
    .
    .
    Explicando, do mesmo modo que explicaria o imaginário NSFG, que gostava de parábolas (não as curvas, claro), eu não sou botafoguense nem flamenguista, nem penso que a ciência não pode explicar o que leva um torcedor a escolher um time de futebol ou ficar em cima do muro. Eu simplesmente acho futebol uma perda de tempo (para os torcedores, bien entendu).
    O desprazer com o futebol já é um prazer.
    Que seja, então.
    Um abraço, Mano BRAULIO.
    Câmbio final e desligo, com relação a ESTE assunto.
    Tem o fato de que estou trabalhando, também.

    .
    .
    DEMÓSTENES, penso que a parapsicologia seja uma pseudociência, que não decola desde o surgimento.
    Infelizmente, como eu disse ao meu irmão BRAULIO, estou trabalhando agora.

    Talvez possamos voltar ao assunto mais tarde.
    Bis bald!

  462. Gorducho Diz:

    porque uma pequena parcela de seus fenômenos pode ser repetida em laboratório.
     
    Porque após o fracasso do espiritismo e da metapsíquica, os parapsicólogos p/preservarem a crença dele inventaram “fenômenos” que nunca foram os alegados, i.e., partiram p/a tal estatística.
    A estatística mal usada foi o recurso dos parapsicólogos p/preservarem a crença deles. Retiraram a discussão dos fenômenos que sempre foram alegados historicamente, modificaram-os artificialmente, e transferiram a discussão do mundo real para a matemática.

  463. Larissa Diz:

    E ser humano tem raça?

  464. Gorducho Diz:

    &#9745 01) Abandonariam o centro e os trabalhos voluntários?
    &#9744 02) “engoliriam a seco” tais informações e continuariam trabalhando numa boa?
    &#9744 03) Outros
     
    É melhor trabalhar como voluntário em instituições laicas, onde não haja a mistura dos objetivos sociais com fantasias religiosas que a pessoa se flagrou serem um amontoado de lendas e/ou farsas puras.

  465. Gorducho Diz:

    ERRATA
     
    ☑ 01) Abandonariam o centro e os trabalhos voluntários?
    ☐ 02) “engoliriam a seco” tais informações e continuariam trabalhando numa boa?
    ☐ 03) Outros
     
    É melhor trabalhar como voluntário em instituições laicas, onde não haja a mistura dos objetivos sociais com fantasias religiosas que a pessoa se flagrou serem um amontoado de lendas e/ou farsas puras.

  466. Braulio Diz:

    Mano Marciano,
    .
    Deixo-lhe um video que ilustra eu ponto de vista:
    https://www.youtube.com/watch?v=LVkklTe77Ww
    .

    Abraços

  467. Contra o chiquismo Diz:

    Demóstenes Diz:
    AGOSTO 10TH, 2015 ÀS 3:35 PM
    Marciano,
    Controlarei a minha ira.
    .
    Mas “outros”, também evidenciam um caso de trauma emocional ainda não resolvido.
    .
    .
    **Não adianta Demóstenes, vc se entregou. Agiu igualzinho a todos os espiritas que conheço. Pura arrogância disfarçada de bondade e caridade. Típico mesmo de quem se acha ‘evoluído’.
    .
    .
    ++Eu não tenho trauma, só me sinto feliz de não ser kardecista e quero desencaminhar toda a humanidade desse caminho tortuoso que não leva a lugar nenhum. Essa ‘caminhada terrena’ tá mais pra MARCHA DA MORTE dos judeus no nazismo.
    .
    .
    Ah, e vc foi um mau kardecista, pois em vez de usar as palavras que usou contra mim, deveria ter feito a PRECE de kardec presente no ESE. Vou te relembrar:

    .
    .
    .
    Índice
    .
    O Evangelho Segundo o Espiritismo
    .
    Capítulo 28 – COLETÂNEA DE PRECES ESPÍRITAS
    .
    3 – Preces Pelos Outros
    .
    V – Pelos Inimigos do Espiritismo
    .
    .
    52 – Prece – Senhor, vós nos mandastes dizer por Jesus, o vosso Messias: “Bem-aventurados os que sofrem perseguição por amor da justiça; perdoai os vossos inimigos; orai pelos que vos perseguem”, e ele mesmo nos mostrou o caminho, orando pelos seus algozes. Por seu exemplo, Senhor, apelamos à vossa misericórdia, em favor dos que desprezam os vossos divinos preceitos, os únicos que realmente podem assegurar a paz, neste e no outro mundo. Como o Cristo, também nós vos pedimos: “Perdoai-lhes, Pai, porque eles não sabem o que fazem!” Dai-nos a força de suportar com paciência e resignação, como provas para a nossa fé e a nossa humildade, as zombarias, as injúrias, as calúnias e as perseguições que nos movem! Afastai-nos de qualquer idéia de represálias, pois a hora da vossa justiça soará para todos, e nós esperamos, submetendo-nos à vossa santa vontade.

  468. Contra o chiquismo Diz:

    Faltou o ‘Amém’ no fim da prece de kardec.
    .
    .
    .
    Amém.

    .
    .
    ***Ops – - nada de amém, é… “QUE ASSIM SEJA”.

  469. Vladimir Diz:

    Contra disse: Eu não tenho trauma, só me sinto feliz de não ser kardecista e quero desencaminhar toda a humanidade desse caminho tortuoso que não leva a lugar nenhum. Essa ‘caminhada terrena’ tá mais pra MARCHA DA MORTE dos judeus no nazismo.
    .
    COMENTÁRIO: Essa fala juntamente com seu nickname e suas postagens ensandecidas só evidenciam seu TRAUMA religioso.
    .
    Meu conselho: Procure um Terapeuta!
    .
    PS: O Sr não vai “desencaminhar” ninguém, pois seus argumentos são rasos e sua crítica é limitada.
    Um Espírita vai te levar tão a sério quanto aqueles pastores que ficam na praça berrando aos transeuntes.
    .
    Estude a DE, depois talvez ou Sr seja levado a sério, Sr Chiquista…

  470. Contra o chiquismo Diz:

    Vlad, vc é um TROLL. Apenas isso. Vc é que precisa de terapeuta, pois vc é ateu e chiquista. E também apoiador das idéias racistas de kardec.

  471. Contra o chiquismo Diz:

    Eu não posso fazer isso aqui, mas DEDOS GRÁFICOS pra vc dr.

  472. Vladimir Diz:

    Realmente o Sr. não pode hehehe.
    Tira o chapéu e pisa em cima que melhora.
    .
    Ah propósito não sou Chiquista…sou Espiritualista/Espírita.

  473. Contra o chiquismo Diz:

    Vladimir Diz:
    AGOSTO 10TH, 2015 ÀS 7:20 PM

    .
    Ah propósito não sou Chiquista…sou Espiritualista/Espírita.
    .
    .
    kardecista-racista-mesmerista-swendeborguista-edgardarmondista-ateu-roustanguita.
    e
    TROLL.

  474. Demóstenes Diz:

    Fico feliz de você ter feito uma prece. Que assim seja.
    .
    11. Pela prece, o homem chama para si o concurso dos bons Espíritos, que vêm sustentá-lo nas suas boas resoluções, e inspirar-lhe bons pensamentos; adquire, assim, a força moral necessária para vencer as dificuldades e reentrar no caminho reto se dele se afastou, assim como afastar de si os males que atrai por sua própria falta. Um homem, por exemplo, vê a sua saúde arruinada pelos excessos que cometeu, e arrasta, até o fim de seus dias, uma vida de sofrimentos; ele tem o direito de se lamentar, se não obtém a cura? Não, porque poderia encontrar na prece a força para resistir às tentações.
    .
    O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO – CAPÍTULO XXVII
    Ação da prece transmissão de pensamento. Item 11.

  475. Demóstenes Diz:

    Marciano,
    E a psicologia, você considera uma ciência?
    .
    Caso sim, freud defendeu a telepatia.
    .
    Caso não, ignore o link abaixo:
    https://grupopapeando.wordpress.com/2009/08/12/freud-e-a-parapsicologia/

  476. Contra o chiquismo Diz:

    Demóstenes, o que vc quer?
    .
    Fazer proselitismo?
    .
    Pregação?
    .
    Nos convencer que ‘espiritos’ existem?
    .
    Limpar a barra de kardec e cx?

  477. Contra o chiquismo Diz:

    “Demóstenes Diz:
    AGOSTO 10TH, 2015 ÀS 8:03 PM
    Fico feliz de você ter feito uma prece. Que assim seja.
    .
    11. Pela prece, o homem chama para si o concurso dos bons Espíritos, que vêm sustentá-lo nas suas boas resoluções,…”
    .
    .
    .
    Mas mas mas mas veja…
    Bons ‘espiritos’. Os mesmos que ditaram isso a kardec:
    .
    .
    “Allan Kardec, Obras Póstumas, 1ª parte, capítulo da “Teoria do Belo”.

    “O negro pode ser belo para o negro, como um gato para os gatos; mas não o é no sentido absoluto, porque os seus traços grosseiros, os lábios grossos, acusam materialidade dos seus instintos; podem perfeitamente exprimir paixões violentas, mas nunca variedades do sentimento e as modulações de um Espírito elevado.”
    .
    .
    .
    Um negro que se preze quer é DISTÂNCIA desses ‘bons espíritos’.
    .
    .
    Imagine se fossem maus ‘espiritos’…

  478. Vladimir Diz:

    Demóstenes,
    .
    Não dê bola para o Contra, ele é um Troll e já foi banido do sítio por ser mau educado.
    .
    Enfim…

  479. Contra o chiquismo Diz:

    Vlad, vlad…

  480. Braulio Diz:

    Mano, Vitor.
    .
    Li o artigo que postou e faço alguns apontamentos:
    .
    Em primeiro lugar que a Revista em que o Artigo foi Publicado não é
    um periódico de renome com a Science ou a Nature, isso já deveria nos deixar com um pé atrás mas sigamos…
    .
    Segundo que o paciente não passou por uma EQM, visto que não houve parada cardiaca, logo é impossível o paciente ter visitado o lado de lá…mas sigamos
    .
    Terceiro, posso ter sido relapso mas não vi no artigo a menção de um medidor de EEG, de modo que é impossível determinar se havia ou não atividade elétrica no cérebro.
    .
    Quarto, o paciente informa estar um quarto rosa brilhante, posso estar equivocado mas tenho quase certeza que o quarto do paciente na UTI não era “rosa brilhante”.
    .
    Quinto, o paciente informa que não havia teto no quarto em que ele estava, porém se ele tivesse tido uma EFC certamente ele teria visto o teto do quarto em que ele estava
    .
    Sexto, convenientemente o paciente informa que não viu o símbolo deixado no monitor cardíaco pela pesquisadora e coincidentemente isso nos remete ao pífio resultado do estudo do DR. Parnia.
    .
    Sétimo, o paciente informa que o “médico” estava examinando seu olho e dizia: “Há vida no olho”, porém a própria pesquisadora informa que a fala do médico foi outra completamente diferente.
    .
    Oitavo, o paciente informa que viu um homem com o cabelo desalinhando (cadê o “ser de luz” sumiu???) e informa que não sabe quem ele era…sugere que poderia ser Jesus, eu acho que era o Joey Ramone rs
    .
    Nono, o paciente informa que viu uma coisa longa e rosa em sua boca, parecendo um pirulito, porém a enfermeira usava uma esponja (realmente uma esponja é tão parecida com um pirulito, que penso até em lamber uma scotch brite rs)
    .
    Décimo, percebe-se claramente a tentativa da pesquisadora em “conduzir” a entrevista do paciente, mas deixemos isso para lá…
    .
    Enfim não consigo perceber por esse relato, como ele pode corroborar a vida após morte, ele é tão cheio de furos que parece um queijo suíço.
    .
    Seria interessante analisarmos os resultados globais desse estudo para saber se eles são “melhores” por que se depender desse relato, é como dizia Fox Mulder:
    “Eu quero Acreditar”…

    Abraços, Mano

  481. Borges Diz:

    Montalvão diz:- “BORGES, bom que goste de reflexão, e a que fez ficou centos por cento, da qual gostei. Fico feliz em saber que consegue equacionar sua fé em meio às contradições que encontra. Não vejo motivo para objetar contra essa atitude, tendo em conta que é assim que se conforta”.
    Comentário:- Não tenho fé, por isso não tenho religião ou vice versa. Não busco conforto, procuro fazer pesquisas. Acredito na existência de espíritos da mesma forma que acredito na existência de vida inteligente fora da terra, em outro sistema planetário, é claro.
    “Assim, a consideração que sobressai nesse imbróglio é bem clara, e assim se expressa: se mortos interagem com os vivos então serão capazes de demonstrar concretamente suas presenças. Desse modo, quaisquer dúvidas e objeções serão resolvidas”.
    Comentário:- Não sei se os espíritos, de um modo geral, estão muito interessados em comunicar-se conosco. Note que o interesse é nosso e não deles, pois já sabem que existem. Acho que se inibem diante da sanha de incredulidade dos céticos. Portanto, creio que somente quem procura com tenacidade e mente aberta pode lograr resultados positivos.
    Sei que existem muitas mentiras e fantasias no meio espírita, por isso é necessário saber garimpar as informações.
    Obrigado

  482. Borges Diz:

    Marciano diz:-“ Não é isso o que prega a doutrina espírita. Eles dizem que a verdadeira vida é a espiritual”.
    Acredito que esta informação faz parte do conjunto de ideias católicas que migraram para o espiritismo. Parece-me que guarda uma relação estreita com outra que era insistentemente repetida no catecismo infantil: “O homem veio ao mundo para servir e amar a Deus”. Podemos notar que as duas tem conotação salvacionista, ou seja, temos que abdicar da vida atual em favor da vida espiritual. A essência da doutrina espírita não é isto, pois ela é evolucionista, assim, cada etapa do processo de evolução é importante e uma não é superior à outra.
    Obrigado

  483. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    BELO VLAD diz: “Toda experiência de NDE (ou OBE) passa pela Subjetividade do indivíduo que está vivenciando-a. De modo que sim, sempre existirá a influência de fatores culturais subjetivos na descrição de uma experiência Objetiva como as NDE, ainda mais nesse caso em que os indivíduos estão sob forte estresse.
    .
    PONDERAÇÃO: correto, a cultura põe o psiquismo em direções formais distintas, mas o pano de fundo é o mesmo, ou seja, as reações psíquicas comuns.
    ./
    /
    BELO VLAD: De modo que O IMPORTANTE NÃO É AVALIAR A “FIGURA” DAS NDE, MAS SIM O “FUNDO” (relação Figura-Fundo ver Psicologia da Gestalt) ou seja entender as estruturas que estão para além das experiências subjetivas.
    ./
    PONDERAÇÃO: pois é, conforme dito acima (se não acreditar pode perguntar ao doutor Vladimir): para além das experiências subjetivas estão as estruturas psíquicas que as fomentam.
    ./
    /
    BELO VLAD: Feito essa ressalva, é possível encontrar tais estruturas, em NDEs de indianos, ateus, cristãos, muçulmanos e até agnósticos kkkk
    ./
    PONDERAÇÃO: até cá caminhamos bem… Mas, o curioso é que aquilo que os críticos da misticidade usam para questionar as alegadas idas e voltas ao céu (ou seja as variações de visões em culturas distintas), os místicos utilizam para comprovar a transcendentalidade dessas vivências. Tem algo de muito errado nesse procedimento: igual situação não pode, ao mesmo tempo, confirmar e negar uma tese. Alguém está usando mal o argumento. Além disso, o místico desconsidera dois fatores: os que retornam da morte iminente e não relatam nada de excepcional, apenas sonhos comuns ou mesmo não relatam coisa alguma, sendo estes maioria dentre os que quase morreram.
    .
    Então, os místicos estão a inverter os fatos: transformam exceções em regras e com essas exceções querem comprovar uma realidade que as vivências em situações de quase-morte são incapazes de propiciar.
    ./
    /
    BELO VLAD:
    Por exemplo:
    VISÃO DO PRÓPRIO CORPO
    Revisão da Vida
    Encontro com Parentes Falecidos
    Encontro com o Ser de Luz
    RETORNO AO PRÓPRIO CORPO
    /.
    PONDERAÇÃO: sabia, estava bom demais para ser verdade… quer dizer que as estruturas por detrás das experiências subjetivas são… as próprias experiências subjetivas? Do rol que disponibiliza as únicas que são experiências concretas são as destacadas em maiúsculas. Falei “concretas”, não “reais”. A neurociência explica as sensações de sair do corpo (e vê-lo) e, se houve saída, a sensação de retorno. As demais são reações subjetivas, oriundas da cultura dos envolvidos e, digo mais, advindas do modismo que se tornou as experiências de quase-morte. Os adeptos da explicação mística querem criar, artificialmente, um padrão ratificador da espiritualidade dessas ocorrências.
    .
    Veja por exemplo, a inconfirmada declaração de que os que voltam da quase-morte realizam “revisão de vida”. Começa que ninguém explica direito o que significa essa revisão. Rever o vivido qualquer um, independentemente de passar por EQM, pode fazer e a partir do revisto modificar os procedimentos, ou não. O devaneio apregoado pelos adeptos das vivências espirituais em quase morte é de que todos os que passam por isso reanalisam seus modos de viver e os modificam para melhor. Tal é declarado com tanta firmeza que até parecem saber do que falam. Que eu saiba não há acompanhamento de longo prazo para aferir se realmente há essa tal revisão e se funciona para o resto da existência.
    .
    Tenho forte sensação de que há um real ponto em comum entre os que vivenciam EQM: morrem mais cedo que a média da população. Mas como esse é um dado que não interessa incluir nas fantasias espiritualistas, deixam-no de lado.
    .
    Em realidade essa alegação de “revisão de vida” é um dado altamente subjetivo. Inexiste confirmação técnica de que tal acontece, nem mesmo que tipo de “revisão” é feita se esclarece.
    .
    E o que dizer dos “Encontro com Parentes Falecidos e, ou, Encontro com o Ser de Luz”, esse então é o maior bundalelê. Ao final destas apreciações deixarei texto do Titus Rivas que, além de amigão do Vitor, é místico de carteirinha, no qual ficam patentes os conteúdos subjetivos e mais que isso: escandalosamente fantasiosos, que vicejam nas leituras esotéricas do assunto.
    .
    Ora, caro BeloVlad, quer subjetivismo maior que esses depoimentos? Quer melhor exemplo de relatórios anedóticos? E antes que me esqueça, sugiro rever seu conceito de relato anedótico. Há quem postule (e você parece estar nesse grupo) que acúmulo de relatos tais constitui evidência de alguma coisa. Não, nada disso. Relato anedótico é como boato, ou seja, notícia ou afirmação não confirmada (ou, não verificada). Aliás, as afirmações de encontros com falecidos, com seres de luz nem anedóticos são. O relato anedótico em geral pode ser investigado e apurado se veraz, mas alegações do tipo que viu o vovô que morreu ou o titio na mesma situação são inverificáveis. A não ser que o vovô e o titio falecidos apareçam e confirmem para todos os que duvidam que participaram do enredo místico.

    /
    /
    BELO VLAD: A navalha de Occam caberia se eu tivesse dado uma explicação “ad hoc” onde eu dissesse por exemplo: “Existem (objetivamente) muitos Céus e Deuses de acordo com a origem e a experiência de cada um.”
    .
    PONDERAÇÃO: entretanto, seu argumento cai na navalha do Guilherme sim, pois usa-o para afirmar o que não tem meios de confirmar, basta raciocinar um tantinho para perceber. Você diz que há um “plano de fundo comum”, e esse plano seriam as vivências místicas. Perceba o magistral desvio: o plano de fundo, em realidade, é o psiquismo humano que, independentemente da cultura, possui peculiaridades equivalentes. Portanto, bem o disse o Braúlio: desnecessário recorrer ao insondável para explicar o que encontra explicação no perquirivel.
    .
    Agora, deleite-se com Titus Rivas (não tenho nada contra a pessoa, sim contra as ideias dessa pessoa).
    /
    .
    Para facilitar a compreensão, o termos a seguir significam:
    .
    NDE – Experiência de Quase Morte (em inglês: Near Death Experience)
    MIP – Memória de um período de Intervalo
    CORT – Caso do Tipo Reencarnação

    /
    /
    ==============================
    O outro reino: Corroboração de Experiências de Quase-Morte por Memórias de um Período de Intervalo entre encarnações
    .
    Drs. Titus Rivas

    [...]

    Introdução
    A Experiência de Quase-Morte (NDEs) foi informada por um número espantoso das pessoas de todas idades e fundos culturais religiosos. Pesquisadores tais como Raymond Morse Melvin Morse sistematicamente estudaram este tipo de experiências. Foram capazes de distinguir várias etapas que caracterizam NDEs, como p.ex.. a visão de um túnel e o encontro de uma luz não terrena no fim dele..
    .
    Por outro lado, Casos do Tipo de Reencarnação (CORTs) em crianças às vezes mostram que tais crianças não só lembram da sua existência física passada mas também tem algumas memórias do intervalo ou período intermediário entre sua vida anterior e a atual.
    .
    Neste artigo, eu considerarei se tais Memórias de um Período de Intervalo (MIPs) possuem alguma semelhança com as NDEs. Eu também considerarei a questão de o que isto implica para as NDEs e a existência de outro reino depois de morte.
    .
    MIPs são informadas menos freqüentemente que as próprias memórias de vidas anteriores. No entanto, elas ocorrem em várias culturas e são nesse sentido como as NDEs igualmente universais. Vários casos holandeses não resolvidos contêm uma clara descrição de memórias de um período de intervalo (Rivas, 1997; 1998).
    .
    Se aceitarmos, como faço, a hipótese de reencarnação da personalidade para CORTs paranormais, então nós devemos compreender que MIPS são reportadas pelas pessoas que realmente morreram no sentido que elas perderam seu corpo anterior para sempre, e retornaram à vida terrestre em outra forma física. NDEs são reportadas por pessoas que só estiveram clinicamente mortas e que de fato retornaram à realidade física do corpo de sua encarnação presente. Não obstante, tanto NDEs como MIPs concernem ao que acontece depois que o cérebro temporariamente ou finalmente cessa de funcionar, i.e. depois da morte temporária ou irrevogável do cérebro respectivamente.
    .
    Uma comparação entre NDEs e MIPs
    .
    Eu agora compararei NDEs e MIPs em vários aspectos. Eu não asseguro que tais aspectos ocorram em todas as NDEs ou MIPs. Em vez disso, eu tentarei demonstrar paralelos entre os tipos de experiências reportados em NDEs e MIPs. Eu me restringirei a um exemplo por tipo.
    .
    Deixando o corpo físico
    .
    – Enquanto num estado de morte clínica, muitas pessoas que experimentaram NDEs viam de fora o próprio corpo. Semelhantemente, algumas crianças com MIPs relataram terem visto seu cadáver.
    .
    NDE: Uma mulher com uma doença de coração lembra-se de sair de seu corpo e flutuar até o teto. Via o seu corpo residindo em sua cama (Moody, 1975).
    .
    MIP: Alexander Dennison de Rochester lembra-se de ver seu corpo enterrado (Harrison & Harrison, 1983).
    .
    – Em NDEs, muitas pessoas adequadamente percebem o mundo físico sem usar seus sentidos físicos. Em MIPs isto também é informado.
    .
    NDE: Uma mulher teve a impressão de que ela podia ver tudo o que acontece no mundo físico (Moody, 1975).
    .
    MIP: Veer Singh depois de ter morrido como Som Dutt lembra-se de que como uma alma desencarnada assistiu ao casamento do irmão de Som Dutt, Vishnu Dutt, e lembra-se de alguns detalhes dessa ocasião (Stevenson, 1975).
    .
    – Às vezes, há contato telepático com os vivos.
    .
    NDE: Outra senhora declarou que entendia o que as pessoas pensavam antes delas expressarem seus pensamentos pela fala (Moody, 1975).
    .
    MIP: Veer Singh depois que morreu como Som Dutt lembra-se de acompanhar um membro de sua família prévia que saía de casa sozinho. Isto correspondia ao sonho da mãe de Som Dutt que tinha tido alguns meses depois de sua morte em que ele apareceu para ela e disse que seu irmão mais velho, Vishnu Dutt, saía à noite para ir às feiras e que ele o acompanhava (Stevenson, 1975).
    .
    – Às vezes, há mesmo algum tipo de influência psicocinética no mundo físico.
    .
    NDE: Osis e Haraldsson (1979) informam o caso de um policial Hindu que via um assim chamado Jamdut (ser falecido) e apontou aonde ele o via. Ao mesmo tempo, muitos corvos repentinamente voaram da árvore onde o homem via o Jamdut.
    .
    MIP: Veer Singh lembra-se de quebrar a prancha de uma balança em que algumas mulheres sentavam-se. Isto correspondeu a um acidente deste tipo depois de sua morte como Som Dutt (Stevenson, 1975).
    .
    O outro reino
    .
    – Um dos aspectos mais bem conhecidos das NDEs é a passagem por um túnel escuro, com uma luz no fim dele.
    .
    NDE: June, 8 anos de idade, lembra-se de atravessar um túnel e antes dela poder pensar sobre isto ela estava no céu (Morse, 1990).
    .
    MIP: Simon Brown de Chelmsford (Harrison & Harrison, 1983) lembra-se de que quando morreu, tudo ficou preto. Quando voltou a si ele estava num lugar onde havia muita luz.
    .
    – Freqüentemente, há algum tipo de comunicação com um ser espiritual, superior.
    .
    NDE: Um rapaz de 16 anos chamado Dean lembra de ver um ser, de aproximadamente dois metros de altura que usava um pano branco longo e cujo cabelo era dourado. Irradiava amor e paz (Morse, 1990).
    .
    MIP: Jasbir (Stevenson, 1970) lembra-se de encontrar um homem sagrado ou santo (saddhu) que aconselhou-o como Sobha Ram a proteger-se no corpo de Jasbir, filho de Girdhari Lal Jat.
    .
    – Em NDEs as pessoas relatam uma revisão panorâmica de vida
    .
    NDE: Um homem que teve uma queda quase fatal viu como sua vida começou a passar diante dele como um flash. Sentiu-se embaraçado cada vez que uma coisa estúpida que ele tinha feito surgia (Grey, 1985).
    .
    MIP: Shai Simpson-Baikie, uma menina judia holandesa (com pais americanos) estudada por mim mesmo, lembrava que no outro mundo coisas eram anotadas para “judeus e cristãos” (sic).
    .
    – Às vezes, há comunicação com outras almas mortas.
    .
    NDE: Uma vítima de ataque cardíaco achou seu pai que permanecia diante dele tão grande quanto a vida. Conversaram bem naturalmente e brincou com ele sobre seus irmãos (Grey, 1985).
    .
    MIP: Stephen Ramsay de Blackpool (Harrison & Harrison, 1983) lembra-se de que tinha muitos amigos no outro lado.
    .
    – O outro reino seria muito belo
    .
    NDE: Uma criança chamada Terry via uma luz tão bela, que realmente não podia ser chamada de uma luz. Queria dizer amor, paz e felicidade (Morris, 1990).
    .
    MIP: Desmon Sanderson (Harrison & Harrison, 1983) lembra-se de estar num reino com bonitos prados e flores musicais.
    .
    – Há comunidades no outro reino
    .
    NDE: Dannion Brinkley (1994) foi a uma cidade de luz, com catedrais como edifícios.
    .
    MIP: Stephen Ramsay de Blackpool (Harrison & Harrison, 1983) lembra-se de que havia muitas pessoas e homens cuidando deles. Havia também uma biblioteca.
    .
    – Seres superiores cuidam do bem estar e do desenvolvimento daquele que passa pela experiência.
    .
    NDE: Dannion Brinkley (1994) afirma que foi ensinado por seres superiores sobre centros curadores.
    .
    MIP: Lorna Taylor de Plymouth (Harrison & Harrison, 1983) lembra-se de que Jesus (sic) de vez em quando veio visitar sua comunidade para levar luz radiante para ajudá-los.
    .
    – Há algum tipo de preparação para o retorno à vida física.
    .
    NDE: Uma mulher lembrou que foi-lhe dito que certas experiências eram necessárias para seu desenvolvimento (Grey, 1985).
    .
    MIP: Desmond Sanderson de Coventry (Harrison & Harrison, 1983) disse que soube que ele iria a seus pais, como eles o tinham dito então.
    .
    Conclusão
    Na maioria dos aspectos, NDEs são corroboradas por ao menos uma MIP. Parece muito provável portanto que ambos os fenômenos de fato apontem ao mesmo tipo de realidade. O que as pessoas experimentam em NDEs parece ser o que elas podem ter experimentado como MIPs se elas não tivessem sido trazidas de volta a sua vida presente na terra.
    .
    Está também muito claro que o que acontece a almas depois que morte é mais que somente puramente subjetivo, é um período intersubjetivo. Isto pode ser comparado à batalha entre realismo e idealismo: Nós não podemos saber ao certo se aí realmente, objetivamente, é um mundo físico fora de nossa experiência fenomenal disto, mas sabemos com certeza que nós intersubjetivamente compartilhamos essa experiência. Semelhantemente, nós não podemos saber se NDEs e MIPs apontam a um reino objetivo, mas podemos estar de fato seguros de que há tal reino intersubjetivo, que é mais que somente um sonho particular.
    .
    NDEs e MIPs tomadas juntas como Dados no Outro Reino (DOR) pode mostrar-nos como é ser um espírito desencarnado.
    .
    Nesse sentido, eles são dados superiores aos de muitas sessões mediúnicas, que em muitos casos pode ser apenas fantasia.
    .
    No entanto, alegações espiritualistas também podem ser testadas contra DOR. Também, se as crenças espiritualistas não forem levadas em conta pelos DOR nós podemos com segurança escolher descarta-las.[Also, if spiritualistic believes are discounted by DOR we can safely choose to disregard them.] DOR, ou memórias de um estado desencarnado, tanto no sentido de NDEs e quanto de MIPs, apresentam a mais confiável estrada “real” para um quadro realístico do outro lado desencarnado da existência encarnada. Nesse sentido, o senso comum de que ninguém jamais teria retornado de além da sepultura para nos contar como é, parece ser clara e simplesmente falso.

  484. Borges Diz:

    Contra Chiquismo diz:-“ Borges, se vc não acredita na maior autoridade em ‘espiritos’, se sua crença ruiu, o que mais espera? “
    Resp:- Depende do que você entende por crença. Quando era jovem católico eu tinha uma crença, quando comecei no espiritismo, eu tinha uma crença. Após despojar-me das ideias religiosas, não tenho mais crença. Acredito na existência de espíritos e do mundo espiritual. Tenho mais segurança hoje com relação ao meu posicionamento do que tinha antigamente.
    “Vc diz que acredita no ‘mundo espiritual’, mas sabe que ‘espíritos’ não existem”
    Comentário:- Não sei onde você leu isto, eu nunca neguei a existência de espíritos.
    “ O que falta para sua última pontinha de fé cair?”
    Resp:- Acho que resposta foi apresentada acima.
    “Como pode uma obra como a de kardec ser recheada de tantos erros de Ciência, RACISMO, soberba ( o espiritismo é o futuro de todas as crenças) e ser ditada por entidades superiores?”
    Resp:- Aproveito apenas as informações que parecem coerentes. Creio que Kardec não tinha certeza em tudo que escreveu, pois não era médium, portanto dependia de outras pessoas. Com relação à incapacidade do corpo negro em abrigar um espírito evoluído, acho que foi um erro muito grande cometido por Kardec ao apresentar esta ideia, e que ainda não foi devidamente explicada ou justificada pela Feb.
    “Isso que vc está vivendo é um pesadelo e uma grande ilusão, e vc verá quando renegar tudo isso o quanto é bom viver sem essa amarra. Aí vai vir a coisa boa da história, vc rir de vc mesmo e virar detrator. Isso não tem preço.”
    Comentário:-A vida é uma grande ilusão para todos, independente de ser cético ou não.
    Obrigado

  485. Borges Diz:

    Braulio diz:-“ Por exemplo, Angie Fenimore relata que viu “Jesus” na forma do “Ser de Luz”; entretanto os indianos costumam relatar ver o Yamraj o “Senhor dos Mortos” durante as EQMs, ou temos Judeus vendo “Adão” ou “Moises” e Budistas vendo Buda”
    Comentário:- Não sei se existe pesquisa quantificando EQMs com informações relacionadas à religião, porém creio que não constituem maioria. Penso que uma pessoa extremamente religiosa, que é recebida por diversos espíritos, durante uma EQM, pode identificar como “Jesus” um dos espíritos, devido as suas características físicas. Outra explicação pode ser o sonho ocorrido após o paciente recobrar a consciência.
    Obrigado

  486. Marciano Diz:

    GORDUCHO, no próximo sábado, às 00h35min (madrugada de sexta-feira para sábado), o NatGeo vai exibir, na série “Mayday! Ari Crash Investigation”, o caso do MH370.
    Claro que o programa já estava gravado, quando foram encontrados os “debris”, mas vale a pena ver. É o que eu acho.
    .
    .
    DEMÓSTENES, você cutucou a onça (CONTRA), agora vai ser fogo.
    Ele é sarcástico, mas também é gente boa.
    Lembre-se do que você me disse e mantenha-se frio.
    Argumente ou não, sem partir para as “vias de fato”.
    Não perca a coerência.
    Paz para ambos!
    .
    Como eu não considero a psicologia uma ciência (em sentido estrito) e como Freud está ultrapassado, como mostram psicólogos cognitivos e neurocientistas atuais, e como já li TODA a obra de Freud, em outros tempos (ainda tenho alguns livros), vou ignorar o link
    Obrigado, contudo, pela gentileza.
    Não é descaso, é porque já conheço essa história e estou procurando esquecê-la.
    Já acreditei no Freud, mas não acredito mais.
    .
    .
    .
    CONTRA, quando quiser mandar dedos gráficos para o Dr., diga “digitus impudicus”.
    É mais elegante.
    Maiores detalhes aqui:
    The Origin of the Middle Finger Gesture
    .
    Scant evidence exists regarding the origin of the middle finger gesture. According to one colorful legend, the gesture first appeared during the Battle of Agincourt, France in 1415 (LOHEED ET AL., note 33, at 14, 24 (concluding that this story is nothing more than historical rumor). During the battle, French soldiers threatened to cut off the middle and index fingers of captured English bowmen, because the bowmen used those two fingers to draw their longbows. The English called the act of using a longbow “plucking the yew,” as the bows were made from the English yew tree. When French troops failed to capture any prisoners in battle, the English waved their two fingers defiantly and shouted, “We can still pluck yew!” Over the years, according to the legend, the insult evolved into the single-digit middle finger gesture that is used today.The weight of historical evidence suggests, however, that the middle finger gesture actually originated more than 2500 years ago (According to one commentator, it is the “most ubiquitous and longest lived insulting gesture” in the world, appearing as far back as ancient Greek texts).
    .
    In The Clouds, Aristophanes used the middle finger gesture as a phallic symbol: Socrates: Polite society will accept you if you can discriminate, say, between the martial anapest and common dactylic — sometimes vulgarly called “finger rhythm.”.

    .
    .
    .
    BORGES, acho que você é sensato o bastante para acabar deixando essas crendices para trás.
    Você reconhece que o antigo kardecismo foi substituído pelo chiquismo, impregnado de crenças católicas romanas.
    Continue questionando as coisas, não acredite só porque alguém disse.
    Eu acho que você está no caminho certo.
    Não veja paternalismo em minhas palavras porque, sinceramente, não há.
    Você está certo quando diz que a vida é uma ilusão. Não que ela seja uma ilusão, propriamente dita, mas quase tudo em que acreditamos é falso, não é bem assim.
    Livros de história e até de ciência estão cheios de besteiras.
    O que importa é que a cada dia a humanidade sabe mais do que no anterior, e nós, os poucos seres pensantes, também, pelo menos eu acho.
    Procuro estar sempre aprendendo, e sempre estou pronto a deixar para trás coisas que descubro não serem verdadeiras, ou corrigir o que precisa de ser corrigido.
    Abraços a todos.
    Amanhã espero voltar.
    “Isto aqui tá bom, isto aqui tá bom demais” (falecido Dominguinhos).

  487. Marciano Diz:

    Mayday! Air Crash Investigation. Ari é o (censurado)!
    Nem vou ler o resto!

  488. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, desistiu do aprendizado de linguagem HTML?
    Você desiste muito facilmente.
    Já convenci o Dr. Mabuse a ser o comandante em chefe do meu exército, e contava com você para a Divisão de Estratégias de Inteligência e Informações, mas é tarefa árdua, nem é para os que desistem frente à primeira dificuldade.
    Desconsidere o convite que nem chegou a ser feito.
    Pode ficar tranquilo, porque quando eu tomar o poder mundial, vou considerar você para outro cargo, que exige menos tenacidade.
    Não conte ao Dr. Mabuse, mas assim que controlar o mundo, vou me livrar dele, porque o sujeito não é confiável e está pensando em fazer o mesmo comigo, só não sabe que eu sei.

  489. Demóstenes Diz:

    Vladimir,
    ok.

  490. Marciano Diz:

    Ficou dúbia a afirmação.
    Não vou me livrar do mundo, vou me livrar do Dr. Mabuse, maluco que não merece confiança.
    Ele só não pode saber disso, pois conto com sua perspicácia (dele, não a sua) e inteligência para conseguir meu intento.
    Tomado o poder, ele passa a ser descartável.
    Vou guardar seu (dele) cérebro, para estudos.
    Não se preocupe, porque não pretendo estudar o seu (seu mesmo, do MONTALVÃO cérebro, não porque não ache que não valha a pena, mas porque não pretendo matá-lo, como farei com Dr. Mabuse.
    Contudo, se você morrer antes de mim…

  491. Vinicius Diz:

    GORDUCHO (10/08/15 4:50 PM): “os kardecistas + chiquistas ainda tentarem justificar 158 anos depois” : provavelmente isso ocorreu depois de alguns lerem toda a obra, eu por exemplo, só vim a saber da teoria do belo e frenologia depois de 10 anos na seara espírita. Creio que as tentativas de justificação aparecem mais por conta de ações judiciais, o que obrigou a FEB e outras editoras espíritas a colocarem notas explicativas nas novas edições e incluindo nelas o outro lado de Kardec em suas próprias obras: sem preconceitos, estimulando a igualdade racial etc.

  492. Vinicius Diz:

    LARISSA(10/08/15 5:01PM) De fato, o ser humano tem raça? Pra mim é raça humana!

  493. Vinicius Diz:

    CONTRA O CHIQUISMO(10/08 08:23 PM) “Bons ‘espiritos’. Os mesmos que ditaram isso a kardec: “Allan Kardec, Obras Póstumas, 1ª parte, capítulo da “Teoria do Belo”. “O negro pode ser belo para o negro, como um gato para os gatos; mas não o é no sentido absoluto, porque os seus traços grosseiros, os lábios grossos, acusam materialidade dos seus instintos; podem perfeitamente exprimir paixões violentas, mas nunca variedades do sentimento e as modulações de um Espírito elevado.” –
    Então CONTRA, isso foi o próprio KARDEC quem escreveu , não foi ditado pelo BONS ESPIRITOS, embora os mesmos não tenham alertado o codificado quanto às incoerências desses devaneios. Alguns espiritas

  494. Vinicius Diz:

    (BORGES 11/08 1:05 AM )
    “:- Aproveito apenas as informações que parecem coerentes. Creio que Kardec não tinha certeza em tudo que escreveu, pois não era médium, portanto dependia de outras pessoas”
    Perdão caro Borges, mas não precisa ser Médium para ter certeza das coisas, aliás o médium pode ser um perfeito trapalhão ou um ótimo sabichão e no contexto dos textos lidos sobre Racismo, por exemplo, foi Kardec quem deu o pitado. É duro dizer isso, mas é a realidade. (ele só dependeu de estudos da frenologia claro…outras pessoas).
    “Com relação à incapacidade do corpo negro em abrigar um espírito evoluído, acho que foi um erro muito grande cometido por Kardec ao apresentar esta ideia, e que ainda não foi devidamente explicada ou justificada pela Feb”

    Além de explicar, deveriam evocar o Espírito Allan Kardec para ratificar a justificativa.

  495. Vinicius Diz:

    SÓ senti falta, na nota explicativa da FEB sobre as alegadas acusações na obra de Kardec, alguma mensagem ditada pelo Espírito Allan Kardec , para apurar se ele concorda , ou se continua com a mesma opinião esplanada em suas obras.
    Pô, Kardec evocava espíritos recém desencarnados da sociedade de estudos espiritas de Páris e hoje não se consegue evocar ?

  496. Gorducho Diz:

    A FEB introduziu a one way call, i.e., o telefone intermundos só chama de lá pra cá.
    É uma forma conveniente de se livrar de verificações: não era só o Kardec que tinha malandragem no corpo.

  497. Gorducho Diz:

    E.g., tendo os roustaingnistas retornado ao poder lá, têm a obrigação de consultarem Dr. Bezerra acerca da questão das lesmas. Afinal, objetivamente e sem subterfúgios: é verdade ou não?
    Mas como acho que foi o Analista Demóstenes que mencionou, na FEB agora a “Doutrina” se resume a contabilidade & marketing…

  498. Borges Diz:

    Até agora estive nas cordas, porém não joguei a toalha, o gongo soou, massageei meus neurônios e vou para o ataque. Acho estranho o apego dos céticos às informações que podem ser fantasiosas, obtidas através de EQMs, para fundamentar seus argumentos, sendo que as mais importantes são aquelas relacionadas com a matéria, como imagens e sons do ambiente, pois podem ser comprovadas.
    Obrigado

  499. Vinicius Diz:

    E olha Gorducho, dá pra consultar BEZERRA em diversos pontos do Brasil e assim validar pelo CUEE.
    Em são paulo, segundo o livro Instituto Confraternização Universal Dr.Bezerra dirige um laboratório complexo, no Rio , está em nosso lar, em Salvador na Casa do Caminho…

  500. Gorducho Diz:

    Claro: comprovam que ninguém vê o céu ou espíritos que não sejam entes habitantes da mente deles.
    Aliás o projeto Aware comprovou o óbvio mas teve o mérito de não tentar camuflar isso; qual seja: ninguém viu as inscrições.
     
    Entre tantos méritos seus, AB está ter percebido e descartado a apropriação e distorção para fins religiosos que o Kardec fez dos supostos fenômenos.
    Diria que já trilhou ¾ do caminho…

  501. Gorducho Diz:

    [...] no Rio , está em nosso lar
     
    Não! Dr. Bezerra nunca apareceu em NL ao que me conste. Ele arma, isso sim, no carnaval, um hospital de campanha no Campo de Santana.
    Quando em SSA claro que para na Casa do Caminho…

  502. Gorducho Diz:

    Viu Sr. Administrador a diferença de ontem pra hoje (normal); contestou-me… :(

  503. Borges Diz:

    Vinicius diz:-“ Perdão caro Borges, mas não precisa ser Médium para ter certeza das coisas, aliás o médium pode ser um perfeito trapalhão ou um ótimo sabichão e no contexto dos textos lidos sobre Racismo, por exemplo, foi Kardec quem deu o pitado. É duro dizer isso, mas é a realidade. (ele só dependeu de estudos da frenologia claro…outras pessoas).”
    Comentário:- Quando fiz referência às incertezas de Kardec estava apenas ressaltando o que era óbvio; informações recebidas do além, não comprováveis, gera incerteza em qualquer pessoa sensata. Com relação às incursões de Kardec no assunto das raças, é claro que a ilação foi de sua responsabilidade e não contou com a participação dos espíritos.
    Obrigado

  504. Larissa Diz:

    Como ficaria a vida e a evolução espiritual no além e no mundo material com o possível declínio do universo? Vamos perimorrer?

    http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2015/08/universo-esta-morrendo-lentamente-diz-estudo-cientifico.html

  505. Borges Diz:

    Gorducho diz:-”Diria que já trilhou ¾ do caminho…”
    1/4 de infinito é infinito.
    Obrigado

  506. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Borges Diz: Acho estranho o apego dos céticos às informações que podem ser fantasiosas, obtidas através de EQMs, para fundamentar seus argumentos, sendo que as mais importantes são aquelas relacionadas com a matéria, como imagens e sons do ambiente, pois podem ser comprovadas.
    ./
    PONDERAÇÃO: Parnia também pensava assim, segundo ele o meio prático de verificar as alegações em EQM seria pelo que podia ser conferido. Desse modo, se um revivido diz que foi ao céu essa é informação inaveriguável, mas, se ele afirma que saiu do corpo e viu os médicos fuçando-lhe tal poderia ser confirmado. Porém, decerto, não seriam testemunhos pós-fato, de reduzido número de pacientes, a dizer que viram e ouviram coisas durante a cirurgia, que dariam firmes evidências dessa suposição, visto que esses testemunhos são muito incertos para ratificar reais saídas do corpo.
    .
    Por exemplo: se Pam garante que viu partes da cirurgia e ouviu música quando, aparentemente, não poderia ter tais reações (e sendo Pam, e mais mais meia dúzia, exceção no universo dos ressuscitados), tais depoimentos seriam insuficientes para atestar que a consciência tem a propriedade de pular fora do corpo e, nessa condição, enxergar, ouvir, sentir…
    .
    Daí a ideia de pôr cartazes visíveis somente a quem estivesse num ponto acima da visão do paciente e dos médicos. Se o espírito realmente se despregasse enxergaria o escrito.
    .
    Como bem sabemos, conquanto Parnia ainda acalente esperanças, os resultados foram fracassados.
    .
    Veja, pois: se naquilo que é perquirível a investigação malogra, porque cultivar ilusão de que os relatos de excursões ao além, que são impossíveis de ser verificados, sejam algo além de sonhos, alucinações e coisas do gênero?

  507. Gorducho Diz:

    Como ficaria a vida e a evolução espiritual no além e no mundo material com o possível declínio do universo? Vamos perimorrer?
     
    Segundo lendas que circulam na www, André Luiz teria informado CX sobre a existência da morte, mas Wantuil Freitas, quem controlava-o na época, mandou remover essa revelação pois que contrariava os dogmas. Mas claro que não sei até que ponto, &c.
     
    Quanto à cosmologia propriamente dita, acho que naquela época não se cogitava em extinção do universo. Ele seria eterno, com globos extinguindo-se mas sendo substituídos por outros. Vou ver se acho na Astronomia do Arago algo sobre isso.
    De sorte que penso siquer passava pela cabeça do Kardec a possibilidade dum fim termodinâmico (aliás nem o conceito de energia havia estabelecida ainda) para esse.

  508. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Marciano Diz: MONTALVÃO, desistiu do aprendizado de linguagem HTML?
    Você desiste muito facilmente.
    /.
    PONDERAÇÃO: de fato, tendo a desistir de qualquer enfrentamento que não me pareça vencível ou que não me soe válido o esforço. E isso tem motivos enraizados no entorno no qual fui formado, que nem sempre me foi dos mais favoráveis.
    .
    Por outro lado, tenho uma faceta determinada e desse lado não largo mão até dar conta do começado. Sabe do ditado, dar o serviço certo para a pessoa certa?
    .
    Porém, o html não se insere nesse contexto, não desisti de aprender, apenas deixo para melhor ocasião, visto que tenho outros aprendizados na fila para serem encarados, e como já passei dos trinta, preciso selecionar as prioridades.
    /
    /
    MARCIANO: Já convenci o Dr. Mabuse a ser o comandante em chefe do meu exército, e contava com você para a Divisão de Estratégias de Inteligência e Informações, mas é tarefa árdua, nem é para os que desistem frente à primeira dificuldade.
    ./
    PONDERAÇÃO: e pensou bem, me saio melhor em atividade de suporte que na linha de frente…
    /
    /
    MARCIANO: Desconsidere o convite que nem chegou a ser feito.
    ./
    PONDERAÇÃO: pô, logo agora que estava já planejando o que iria fazer com o polpudo soldo de consultor estratégico? (Mesmo o convite não tendo sido expressado, captei-o telepaticamente, como sabe: tenho poderes).
    /
    /
    MARCIANO: Pode ficar tranquilo, porque quando eu tomar o poder mundial, vou considerar você para outro cargo, que exige menos tenacidade.
    /.
    PONDERAÇÃO: que bom, ainda há esperança, espero que a remuneração seja equivalente a da função anterior…tô precisando muiiiito…
    /
    /
    MARCIANO: Não conte ao Dr. Mabuse, mas assim que controlar o mundo, vou me livrar dele, porque o sujeito não é confiável e está pensando em fazer o mesmo comigo, só não sabe que eu sei.
    /.
    PONDERAÇÃO: pode contar comigo, não contarei ao Dr. Mabuse, porém não garanto conseguir ocultar da esposa dele, aquela potranca insaciável…
    .
    De qualquer modo, não demore a tomar o poder e a me conceder a função (remunerada) prometida, tenho várias propostas sob exame e posso optar por outra que me pareça mais promissora: de momento estou achando interessante a oferta de ser fiscal de obras irrealizadas, feita pelo PT.

  509. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Como ficaria a vida e a evolução espiritual no além e no mundo material com o possível declínio do universo? Vamos perimorrer?
    .
    PONDERAÇÃO: se perimorreremos sei dizer não, mas consolo-me em saber que quando o evento se der estarei bem velhinho, tendo já vivido o melhor da vida, e o que vier a seguir será lucro…

  510. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Se o Sr. sabe COBOL ou qq. outra linguagem, sabe que em informática não se inventa.
    Escreva o que o AMa lhe mandou escrever!
    Escreva: ♩ e obterá renderizado no navegador: ?”

    /.
    RESPOSTA: já “sube” COBOL, no tempo em que computador era IBM /360. Nem os TK80 pessoais haviam chegado a mercado. De lá para cá deve ter mudado muita coisa.
    .
    Mas sigo as ordis, o que já o fiz e não deu certo (certo, em vez de escrever copiei e colei, mas será que faz diferença?), vamos lá de novo: &#9833

  511. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Marciano Diz: MONTALVÃO, desistiu do aprendizado de linguagem HTML?
    Você desiste muito facilmente.
    /.
    PONDERAÇÃO: não falei “desisti”, sim “parei”… veja como me avaliou mal seu mau…
    .
    Mas foi bom, pude falar de meus traumas existenciais, apesar de resumidamente, dizem que é bom vez em quando…

  512. Vitor Diz:

    Caro Bráulio,
    comentando:

    01 – “Em primeiro lugar que a Revista em que o Artigo foi Publicado não é um periódico de renome com a Science ou a Nature, isso já deveria nos deixar com um pé atrás mas sigamos…”
    .
    Também quero lembrar que o artigo estar publicado em um periódico de renome NÃO era algo que estava estipulado em sua demanda. Sua demanda dizia apenas: “mostre-me uma NDE que tenha elementos Objetivos e que foram corroborados posteriormente mediante observação dentro de um estudo prospectivo.” Mas posso dizer que a revista é a única especializada no mundo no estudo das EQMs. Além disso, um artigo publicado na Science e Nature deveria deixar-nos com um pé muito mais atrás, dado o alto número de artigos retratados posteriormente nessas revistas. Mas sigamos…
    .
    02 – “Segundo que o paciente não passou por uma EQM, visto que não houve parada cardiaca, logo é impossível o paciente ter visitado o lado de lá…mas sigamos”
    .
    Não é preciso ter ocorrido parada cardíaca para se caracterizar uma experiência como EQM. Segundo Pin van Lommel, “As EQMs são relatadas em muitas circunstâncias: parada cardíaca no infarto do miocárdio (morte clínica), choque na perda de sangue pós-parto ou de complicações perioperatórias, choque séptico ou anafilático, eletrocussão, coma resultantes de lesões cerebrais traumáticas, hemorragia intracerebral ou infarto cerebral, tentativa de suicídio, quase afogamento ou asfixia, e apneia. Tais experiências também são relatadas por pacientes com doenças graves, mas não com um risco de morte imediato, nas mulheres com depressão grave, ou sem causa evidente em pessoas totalmente conscientes. Experiências semelhantes às de quase morte podem ocorrer durante a fase terminal da doença, e são chamadas de visões no leito de morte. Experiências idênticas às EQM, as assim chamadas experiências do medo da morte, são principalmente reportadas após situações em que a morte parecia inevitável: graves acidentes de trânsito, acidentes de montanhismo, ou de isolamento como em um naufrágio.” A definição de EQM é: “A memória de todas as impressões relatadas durante um estado especial de consciência, incluindo elementos específicos, tais como uma experiência fora do corpo, sentimentos agradáveis, e visão um túnel, uma luz, parentes falecidos, ou uma revisão da vida.” Note que não há referência a parada cardíaca na definição de EQM. Mas sigamos…
    .
    03 – “Terceiro, posso ter sido relapso mas não vi no artigo a menção de um medidor de EEG, de modo que é impossível determinar se havia ou não atividade elétrica no cérebro.”
    .
    Correto, não houve. O que ainda assim não impede que o paciente tenha visto ou ouvido coisas inacessíveis aos seus sentidos, ainda que estivesse plenamente consciente.
    .
    04 – “Quarto, o paciente informa estar um quarto rosa brilhante, posso estar equivocado mas tenho quase certeza que o quarto do paciente na UTI não era “rosa brilhante”.
    .
    Ele disse: “Isso é o que eu quero dizer, era apenas um quarto… o que eu pensava ser um quarto. Poderia ter sido um túnel quadrado subindo em direção ao meu pai, mas sem nenhuma barreira me impedindo de subir, nenhum teto; era uma entrada totalmente desobstruída.”
    .
    O próprio paciente não diz que era o quarto do hospital que ele descrevia. Ele tem dúvidas. Aliás, seria a coisa mais fácil do mundo para ele descrever o quarto em que se encontrava, não acha?
    .
    05 – “Quinto, o paciente informa que não havia teto no quarto em que ele estava, porém se ele tivesse tido uma EFC certamente ele teria visto o teto do quarto em que ele estava”
    .
    Como visto acima, não é bem assim.
    .
    06 – “Sexto, convenientemente o paciente informa que não viu o símbolo deixado no monitor cardíaco pela pesquisadora e coincidentemente isso nos remete ao pífio resultado do estudo do DR. Parnia.”
    .
    O estudo não precisa ser considerado bem sucedido apenas se o paciente relatar corretamente o símbolo escondido.
    .
    07 – “Sétimo, o paciente informa que o “médico” estava examinando seu olho e dizia: “Há vida no olho”, porém a própria pesquisadora informa que a fala do médico foi outra completamente diferente.”
    .
    A própria pesquisadora diz que ele relatou a fala do médico incorretamente MAS que mostrou uma ótima compreensão do significado do que o médico disse. ALÉM DISSO, o paciente identificou corretamente o médico responsável que o examinou e não o outro que o atendera antes de perder a consciência.
    .
    08 – “Oitavo, o paciente informa que viu um homem com o cabelo desalinhando (cadê o “ser de luz” sumiu???) e informa que não sabe quem ele era…sugere que poderia ser Jesus, eu acho que era o Joey Ramone rs”
    .
    Isso aí talvez conte a favor de uma experiência verídica. Eu esperaria a presença de pessoas que eu não conhecesse do “outro lado” além de conhecidos me aguardando. Se fosse uma construção mental, talvez só houvesse conhecidos na EQM. É claro que pode haver outras explicações como a manifestação de uma personalidade secundária… vai saber!
    .
    09 – “Nono, o paciente informa que viu uma coisa longa e rosa em sua boca, parecendo um pirulito, porém a enfermeira usava uma esponja (realmente uma esponja é tão parecida com um pirulito, que penso até em lamber uma scotch brite rs)”
    .
    Foram usados o cateter e a esponja, nessa ordem. Ambos eram rosa. O objeto em tese poderia ser qualquer um desses dois, já que ambos era rosa. Além disso, o cateter era comprido, e a esponja estava anexa em uma haste.
    .
    10 – “Décimo, percebe-se claramente a tentativa da pesquisadora em “conduzir” a entrevista do paciente, mas deixemos isso para lá…”
    .
    As aparências enganam… sugiro que você não deixe isso para lá e detalhe seu ponto.
    .
    11 – “Enfim não consigo perceber por esse relato, como ele pode corroborar a vida após morte, ele é tão cheio de furos que parece um queijo suíço.”
    .
    Acho que os “furos” foram em boa parte tapados.
    Um abraço!

  513. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vladimir Diz: “Existem NDEs em Ateus, Céticos e Agnósticos, que relataram ver parentes falecidos, visão fora do corpo, revisão da vida, encontro com o “Ser de Luz” e etc.”
    /.
    PONDERAÇÃO: pode até ser que exista, mas se houver serão poucos casos, que pouco significam. Mesmo porque, muitos dizem “eu não acreditava nessas coisas, mesmo assim vi”, quando queriam dizer “eu não tinha opinião sobre essas coisas…”
    .
    Ainda que ateus vissem seres de luz, túneis místicos, etc., tal não validaria a experiência: as pessoas não têm controle sobre o que sonham, elas podem ter conteúdos místicos em sua mente, advindos de informações e estudos, e neles não acreditar, e estes se tornarem componentes de sonhos e visões.
    .
    Certa vez meintoxiquei com alguma coisa que não sei o que foi. Estava só em casa e me sentindo a esquisitice em pessoa. Não me vi fora do corpo porém tinha a sensação de que não caminhava sim flutuava pela casa. Deitei-me para ver se melhorava e comecei a ver pessoas caminhando no aposento. Em dado momento uma linda mulher saiu da cabeceira de minha cama. Lembro como se fosse agora: trajava vestido amarelo, de um tecido levíssimo que, além de lhe ressaltar os dotes físicos, incrementava-lhe a belezura. Ela saiu do meu quarto e foi em direção a cozinha.
    .
    Não hesitei, fui atrás: queria saber quem era aquela bem-vinda intrusa. Entrando na cozinha não mais a vi, no entanto, dei de cara com um cachorro preto, enorme, a me encarar. Tremi. O animal veio em minha direção como se fosse atacar, mas passou por mim e sumiu-se na área de serviço.
    .
    Outras entidades desfilaram ante meus olhos durante um tempo indefinido, até que adormeci.
    .
    Se eu fosse crédulo testemunharia ter experienciado especial concessão da espiritualidade em se manifestar visivelmente, pois as presenças eram vívidas.
    .
    Só lamentei não ter saído do corpo, se acontecesse poderia me incluir no feliz grupo dos que curtem tais ilusões…

  514. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    MARCIANO: MONTALVÃO, você é um gênio, cara. Use o seu privilegiado cérebro. Releia minha mini-aula e veja onde errou. Dica: tá faltando alguma coisa.
    Preste mais ATENÇÃO.
    /.
    PONDERAÇÃO: ainda bem que não aceitei o elogioso epíteto com que me brinda, o fizesse teria muito o que esclarecer ante essa falha da minha imaginada genialidade…
    .
    Mas, deixe estar: sou brasileano, sempre vou até as derradeiras consequências, mesmo que se situem antes da chegada…
    .
    Agora só de pirraça vou resolver a encrenca, e nem quero ajuda! Vai ver que comigo é missão dada missão “comprida”; vais ver que dou um boi pra não entrar na briga, mas depois que entro, uma boiada pra sair dela; vais ver que prefiro-me covarde vivo a valente morto… enfim, vou até onde consigo, doa a quem doer…
    .
    Aguarde-me.

  515. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    &#9760

  516. MONTALVÃO Diz:

    ? ☺

  517. MONTALVÃO Diz:

    ? 1/4 ♩

  518. Gorducho Diz:

    Just unbelievable… :(
    Just write it; just do it! :( :( :(
     
    ☠

  519. MONTALVÃO Diz:

    ?
    ?
    ?
    ?
    ?
    ?
    ?
    ?

  520. MONTALVÃO Diz:

    /

  521. MONTALVÃO Diz:

    //





    𘗮


  522. MONTALVÃO Diz:

    ☛ Just write it; just do it!

  523. MONTALVÃO Diz:

    /
    Precisando de ajuda? ☏-me;
    mas não tenho muito ⌚
    Se preferir: ✉
    .
    Valeu mestres!

  524. Demóstenes Diz:

    A todos,
    Independente de crer ou não em espíritos. Vamos ater ao literário da base do espiritismo. Quando digo base, me refiro ao LE e ao ESE. Como complemento A Gênese e o Céu e Inferno. As revistas eram periódicos que incluíam opiniões próprias, e as obras póstumas, o sujeito mórreu, portanto foi publicado “Inaudita altera parte”.
    .
    Existe algum termo ofensivo, caluniador, racista, com referência direta aos negros ou outras raças, nos textos da base do espíritismo?
    .
    Alguma informação que a opinião do autor, viciou a obra, a ponto de afirmarmos hoje, que o espiritismo incentiva o racismo?
    .
    Quando se usa o termo Kardecista é para separar de outras vertentes espiritualistas, não pra dizer que a religião é Kardec. A religião é Espíritismo.
    O espiritismo tá tão bagunçado, que essa discussão é ínfima. Se você mostrar uma foto do Kardec em muitas centros, vão dizer que é “Robson Pinheiro”. Estamos lutando pra salvar os livros, porque o autor mórreu, faz tempo.
    .
    “outros” falam que não acredita em espíritos, mas insiste em ressuscitar Kardec. Se ele era racista, e o fez por livre arbítrio, a doutrina espírita não é racista.
    .
    Quanto a racismo do CX, não me lembro.
    .
    Peace “ao que não existe”.

  525. Vladimir Diz:

    Demóstenes,
    .
    Se me permite eu vou até mais longe, para mim a base do “Kardecismo” é o OLE.
    Ele é o verdadeiro tratado filosófico, moral e religioso.
    Lá estão respondidas praticamente todas as grandes questões da humanidade.
    .
    Os demais livros (bem como as revistas) complementam o OLE.
    Mas a base é ele e Kardec sabia muito bem disso visto ter utilizado o CUEE em sua elaboração.

  526. Gorducho Diz:

    O racismo do CX está no A Caminho da Luz. Claro que provavelmente ele tirou aquilo da Mme. Blavatsky (Teosofia). Daí eu ter dito quão bizarro é um mulato aculturado pela literatura branca!
    Quanto ao Kardec, o ponto é fazer os leitores perceberem que não há “mensagens” na “Codificação”: é tudo os devaneios do Kardec baseados em espíritos sim, se quiserem; mas de vivos, encarnados.

  527. Gorducho Diz:

    A religião é Espiritismo.
    Não porque espiritismo refere-se à crença na possibilidade de comunicação com “espíritos” os quais podem ter sido ou virem a ser animantes de vasos humanos terrícolas.
    Kardecismo têm o dogma da reencarnação romântica e posiciona-se como uma seita dentro do cristianismo. Ou seja: 2 postulados restritivos em relação à generalidade do espiritismo.

  528. Vinicius Diz:

    DEMOSTENES,
    Não, a DE não incentiva o RACISMO. Só alguns espíritos que acham que cor da pele interferiu na história da humanidade…mas BAH pra alguns espiritos..
    Em CX, encontrei relacionamentos entre cor da pele x evolução, por exemplo, em EMMANUEL A CAMINHO DA LUZ que sugere que as raças amarelas e negras sejam inferiores ou pelo menos incapazes de evoluir se não viessem esses tais degregados: “As quatro grandes massas de degredados formaram os pródromos de toda a organização das civilizações futuras, introduzindo os mais largos benefícios no seio da raça amarela e da raça negra, que já existiam”
    E outro trecho, sugerindo apenas ajuda, nada de Racismo…
    “Entre as raças negra e amarela, bem como entre os grandes agrupamentos primitivos da Lemúria, da Atlântida e de outras regiões que ficaram imprecisas no acervo de conhecimentos dos povos, os exilados da Capela trabalharam proficuamente, adquirindo a provisão de amor para suas consciências ressequidas. Como vemos, não houve retrocesso, mas providência justa de administração, segundo os méritos de cada qual, no terreno do trabalho e do sofrimento para a redenção”
    E mais outra referência a “cor da pele” ( os que falharam em capela e foram mandados aqui para Terra):
    “Não obstante as lições recebidas da palavra sábia e mansa do Cristo, os homens BRANCOS olvidaram os seus sagrados compromissos”
    “Um grande acontecimento se verificara no planeta É que, com essas entidades, nasceram no orbe os ascendentes das raças brancas”

    E outro em que EMMANUEL dedicou-se a explicar a ORIGEM das raças brancas:

    ORIGEM DAS RAÇAS BRANCAS
    Aquelas almas aflitas e atormentadas reencarnaram, proporcionalmente, nas regiões mais importantes, onde se haviam localizado as tribos e famílias primitivas, descendentes dos “PRIMATAS”, a que nos referimos ainda há pouco. “

    Mais tarde vou ver se tem mais.

  529. Marciano Diz:

    Borges Diz:
    AGOSTO 11TH, 2015 ÀS 11:04 AM
    Gorducho diz:-”Diria que já trilhou ¾ do caminho…”
    1/4 de infinito é infinito.
    .
    Você está certo e errado, mon ami, qual um gato de Schroedinger.
    ¾ ❶ + ¼ ❶ = ❶
    .
    Você admite que já trilhou o triplo do infinito, o que não é pouca coisa.
    .
    .
    .
    .
    Larissa Diz:
    AGOSTO 11TH, 2015 ÀS 11:01 AM
    Como ficaria a vida e a evolução espiritual no além e no mundo material com o possível declínio do universo? Vamos perimorrer?

    .
    LARISSA, assim você me decepciona. Não sabe que espíritos também têm almas?
    Quando o espírito desencarna, vai para um ultraplano pós espiritual, o das almas, onde se aperfeiçoa ainda mais, voltando a reespirituar como espírito, depois reencarnando como mula. Alguns anos depois desta última encarnação, vira espírita.
    .
    .
    .
    MONTALVÃO, você só estava precisando de uma cutucada e de uma ajudinha do GORDUCHO.
    Viu como aprendeu rapidamente?
    .
    Valeu mestres!
    .

    Be my guest! You’re welcome! (cuidado, são expressões traiçoeiras, não significam o que parecem prima facie).
    .
    Está formalmente convidado para o cargo, muito bem remunerado, com o novo dinheiro que substituirá as moedas atuais. Será um dinheiro mundial, melhor do que o euro.
    Ainda ficará com a Europa de bônus. Não o continente terrícola, mas o satélite de Júpiter, o planeta mais evoluído do sistema solar.
    Europa (o satélite) tem seres ainda mais evoluídos do que os europeus terrícolas. Assim que estão prontos, eles vão para Júpiter, o Grande, como é conhecido naquelas adjacências, a um bilhão de quilômetros deste atraso de vida aqui.
    .
    Também já tive uma NDE. Estive às portas da sétima esfera celestial, guiado por uma lindíssima mulher, que depois de voltar à triste realidade terrícola, reconheci como a virgem restaurada, mãe de NSFG.
    Outro dia eu conto.
    .
    .
    .
    DEMÓSTENES:
    Quando se usa o termo Kardecista é para separar de outras vertentes espiritualistas, não pra dizer que a religião é Kardec. A religião é Espíritismo.
    O espiritismo tá tão bagunçado, que essa discussão é ínfima.
    .
    Você também está no caminho certo, e caminhando depressa Quase a “c”.
    .
    .
    .
    A propósito do assunto “racismo”, o maior milagre do evangelho foi NSFG ter nascido, com aquela ascendência discrepante narrada nos evangelhos, um perfeito dinamarquês.
    Deve ter saído com o genes de “PUÓI”.

  530. Marciano Diz:

    BORGES, por vingança do MONTALVÃO, a equação saiu errada.
    .
    ¾ ∞ + ¼ ∞ = ➀

  531. Demóstenes Diz:

    Vladimir,
    Agradeço o apoio.
    /
    /
    Gorducho,
    O problema é que passa do ponto Kardec. Usar esse argumento, contamina a tese, em vez de provar ou não a existência de espírito, associa a obra ao autor, mesmo que o conteúdo da obra não reflita o pensamento do autor sobra racismo.
    /
    /
    Vinicius,
    Alguns? pelo que vi foi só o tal de “São Luiz”. Mas agradeço a opinião. Não precisa postar mais nada sobre o CX. Li o livro mas, não percebi. No caso do CX, a grande obra dele foi a caridade. Tinha um grande coração, mas era tão vaidoso que chegava a ser abobado, na ânsia de ser visto, notado, ser famoso, queria escrever para encantar. O crime não foi de racismo e sim de abobamento.
    /
    /
    Marciano,
    Que “C”?
    .

  532. Marciano Diz:

    “c” é a velocidade da luz ao quadrado.
    .
    MONTALVÃO, esta equação é especialmente para você:
    .
    ☥ + ☦ + ☧ + ☨ + ☩ + ☓ + ✞ + ✡ + ☯ + ☸ = ⓪

  533. Gorducho Diz:

    O problema é que passa do ponto Kardec. Usar esse argumento, contamina a tese, em vez de provar ou não a existência de espírito, associa a obra ao autor, mesmo que o conteúdo da obra não reflita o pensamento do autor sobra racismo.
     
    O Sr. conseguiu me fazer não entender nada.
    Claro que eu sei que formalmente na Codificação não há esses pontos racistas; mas esses escritos racistas, inclusive o do patrono de vocês, o Luís IX, provam o obvio, i.e., que ele não mantinha comunicação nenhuma com ultramundanos (via “médiuns”, claro que eu sei que ele não se intitulava um).
    Veja, ele diz que um “espírito” foi no apt° dele e fazia toc toc toc nas paredes; e malandramente insinua que era Jesus Cristo em peri-pessoa! Mas esse tal espírito não o corrigia nessas sandices racistas?

  534. Demóstenes Diz:

    O resultado não seria ∞ ou ∞ ?

  535. Marciano Diz:

    Parabéns, DEMÓSTENES!
    HTML e Matemática não são problema para você.
    .
    Leia a teoria dos transfinitos, do Cantor, o mesmo da Group Theory.
    Ela fala em transfinitos e coisas mais.
    Você vai gostar.

  536. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, se quiser prosseguir com as aulas, aprender árabe, etc., conte comigo.
    Não cobrarei nada, dessa vez.
    Estou entusiasmado com seu esforço.
    Aproveite, esta oferta não é por tempo indeterminado.
    Saudações ؁

  537. Demóstenes Diz:

    Gorducho,
    São poucos os que tem o seu raciocínio e a sua inteligência, de usar a tese para existência espiritual.
    .
    Os que acreditam no espiritualismo, podem ser levados a crer que a Codificação é racista, levando, entre outras coisas, ao detrimento do debate com religiões afrodescendentes.

  538. Vinicius Diz:

    Olha, DEMOSTENES, vou ser sincero contigo não consegui ler todas as obras espíritas, pode ser que tenha mais coisa, pode ser que não …. Eu achei o tal São Luiz, o próprio Kardec, o Caminho da Luz e um pouquinho em Exilados de Capela (Comandante Armond)…

    Sobre CX de fato sua maior obra foi a caridade e cá entre nós gosto das explicações dos trechos dos evangelhos do Emmanuel e os romances também.

  539. Contra o chiquismo Diz:

    Demóstenes, vc quer realmente nos convencer de que?
    Que ‘espiritos’ existem?
    Que todas as religiões convergirão para o kardecismo?
    O que vc quer pregando akrdec aqui pra gente?
    .
    ..
    .
    Já desconfio quem vc é…
    .
    .
    já já se entrega falando em 2ª pessoa.
    .
    .
    Esse sCUr não desiste mesmo… ou então está a obsedar o Demóstenes.

  540. Demóstenes Diz:

    Oh, God…

  541. Vladimir Diz:

    O Contra, não conseguiu ganhar o debate contra o Demostenes está todo irritadinho e agora que atribuir a ele que é o Scur só para o Administrador bloquea-lo.
    .
    Contra, vá pentear macaco!!!

  542. Vladimir Diz:

    Demóstenes,
    .
    Não se preocupe o Contra e o Lunatico me chamavam de Marden, eles fazem isso para impor a Lei da Mordaça…

  543. Vladimir Diz:

    Um texto sobre o “racismo” de Kardec:
    https://scribatus.wordpress.com/2014/04/07/kardec-racista/
    .
    Divirta-se Contra…

  544. Vladimir Diz:

    Extraído do texto acima:
    .
    “Caso você faça uma leitura simples das obras de Kardec, a tendência é concluir que sim. Contudo, julgá-lo racista é, numa análise mais profunda, resultado de mera abordagem ANACRÔNICA.”
    .
    Entendeu, Contra? Ou quer que eu desenhe???

  545. Contra o chiquismo Diz:

    Vlad, nada expulsar ninguém. Vc mesmo e o Demóstenes já afirmaram que não tem como provar a existência de ‘espiritos’, só relato pessoal.
    .
    .
    Vcs são apenas crentes. Não existindo ‘espiritos’ , a ‘codificação’ é falsa, é algo da cabeça racista de kardec.
    .
    .
    Pior ainda, vc é ATEU. Esqueceu ou quer que poste aqui novamente o texto que vc se declara?
    .
    .
    Vlad, graphics magic fingers for you.
    A mesma frase em árabe ( que os franceses odeiam):
    ????? ???????? ??????? ??????? ??
    E na língua do kardec:
    Vlad, graphiques doigts magiques pour vous.

  546. Contra o chiquismo Diz:

    Vladimir Diz:
    AGOSTO 11TH, 2015 ÀS 3:04 PM
    O Contra, não conseguiu ganhar o debate contra o Demostenes está todo irritadinho e agora que atribuir a ele que é o Scur só para o Administrador bloquea-lo.
    .
    Contra, vá pentear macaco!!!
    Vladimir Diz:
    AGOSTO 11TH, 2015 ÀS 3:06 PM
    Demóstenes,
    .
    Não se preocupe o Contra e o Lunatico me chamavam de Marden, eles fazem isso para impor a Lei da Mordaça…
    .
    .
    .
    É muito complicado discutir com fanáticos e TROLLS.
    .
    .
    Sabe que aqui onde trabalho passa nos fios de energia uma família de macacos todos os dias assoviando? Prefiro mil vezes a companhia deles do que a do meu colega de trabalho kardecista que tem a mesma arrogância do Demóstenes. Macacos são mais agradáveis do que muitos kardecistas que conheci, quem me dera penteá-los como vc manda, seria muito mais agradável do que conviver com certas pessoas.
    .
    ..
    .
    Ainda tenho uns 80% de desconfiança de que vc é o Marden.

  547. Braulio Diz:

    Mano Vitor,
    Segue alguns apontamentos:
    .

    01-”Não é preciso ter ocorrido parada cardíaca para se caracterizar uma experiência como EQM.”
    .
    Bom Vitor, mas aí temos um problema.
    Posso estar enganado, mas para além do fenômeno por si mesmo, a ideia por detrás da “Experiência de Quase Morte” é justamente
    por assim dizer o acesso “privilegiado” de ter um vislumbre do Céu (ou Inferno).
    Pois evidentemente aqueles que tem uma Experiência de Morte, não voltam para contar (vamos deixar as questões mediúnicas de lado para não perdermos o foco)
    sendo assim contaríamos com as EQM para atestar, ratificar ou refutar as visões que se tem do além vida.
    Se o paciente pode ter uma “EQM” sem estar as portas da Morte, então não se trata de verdadeira EQM e sim de algum outro fenômeno, na medida em que para
    “Ver” o Céu (ou o Inferno) ou é preciso morrer de fato, ou está com um pé lá e outro cá.
    .
    02-”Correto, não houve. O que ainda assim não impede que o paciente tenha visto ou ouvido coisas inacessíveis aos seus sentidos, ainda que estivesse plenamente consciente.”
    .
    Concordo, porém aí não estamos mais falando de uma verdadeira Experiência de Quase Morte, e sim de algum outro tipo de fenômeno, seja ele normal ou paranormal.
    Pois para atestarmos a Experiência de Quase Morte, é necessário que o paciente esteja “quase morto” e de preferência que não haja atividade elétrica detectável
    em seu córtex cerebral, pois caso isso não ocorra, não há porque buscar uma explicação mística ou metafísica para aquela experi?ncia.
    Usando a Navalha do Guilherme, é bem provável que a explicação física seja mais científica e plausível do que a explicação mística ou metafísica
    .
    03-”O próprio paciente não diz que era o quarto do hospital que ele descrevia. Ele tem dúvidas. Aliás, seria a coisa mais fácil do mundo para ele descrever o quarto em que se encontrava, não acha?”
    .
    Pois é mais se o paciente tem de fato uma “Experiência Fora do Corpo” o que em tese ele deveria “Ver” é o ambiente físico em que ele se encontra.
    Como o teto do Hospital, o “forro” (não sei hospital de tem forro, mas imaginemos), o telhado, a fiação, os conduítes, as calhas, enfim…
    Isso sim seria uma verdadeira “Experiência Fora do Corpo”, pois qualquer outra alegação de que ele não esteja no quarto do Hospital, já estamos lançando mão
    de “Outra Dimensão”, “Mundo Espiritual”, e etc
    .
    Aí logicamente fica fácil descrever, mas difícil verificar cientificamente as alegações.
    .
    04-”O estudo não precisa ser considerado bem sucedido apenas se o paciente relatar corretamente o símbolo escondido.”
    .
    De fato não precisa, mas para “Provar” de modo contundente e cientificamente uma descoberta dessas seria muito salutar, termos uma Evidência bastante sólida e objetiva
    como é a ideia dos símbolos.
    Infelizmente até agora nada, é igual a relação dos paranormais e o James Randi.
    .
    05-”Isso aí talvez conte a favor de uma experiência verídica. Eu esperaria a presença de pessoas que eu não conhecesse do “outro lado” além de conhecidos me aguardando. Se fosse uma construção mental, talvez só houvesse conhecidos na EQM. É claro que pode haver outras explicações como a manifestação de uma personalidade secundária… vai saber!”
    .
    Pois é, mas o paciente não relatou o tal “Ser de Luz” que a maioria diz relatar, tampouco relatou “Jesus” ou outro “deus” que seja.
    Aí entramos na problemática que estavamos discutindo na postagem mais acima. Nas EQMs do Haraldsson temos o Yamraj “deus da morte”, nas EQMs da Betty Eaddie, Angie Fenimore e Don Piper, temos um Jesus “Clássico”, nas EQMs dos tailandeses temos Buddha e afins, temos também EQMs “vazias” e as famosas EQMs negativas, e como o Montalvão bem observou lembrando que tais experiências são exceção e não regra.
    De modo que a “espiada” no Céu, é uma confusão dos Diabos rs, difícil saber qual o Céu “Verdadeiro” e para qual eu iria???rs
    Mais difícil ainda é traçar um paralelo entre as EQMs e a religiões disponíveis visto termos EQMs de todos os sabores validando e refutando todas as religiões.
    .
    Dada a multiplicidade de relatos divergentes das EQMs, bem como as mais diversas condições em que elas podem acontecer (como exemplificou com o Van Lommel) não vejo porque atribuírmos as EQMs uma explicação supernatural, visto que a lógica nos leva a busca uma explicação natural, ainda que no presente momento não exista uma única explicação que atenda todos os requisitos das EQMs.
    Mas certamente a solução não é alegar que as pessoas estão espiando o Céu, pelo buraco da fechadura e voltando para contar.
    .
    Abraços Mano

  548. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vladimir Diz: [...] para mim a base do “Kardecismo” é o OLE.
    Ele é o verdadeiro tratado filosófico, moral e religioso.
    Lá estão respondidas praticamente todas as grandes questões da humanidade.
    .
    PONDERAÇÃO: O OLE contém erros que resistem ao tempo. Ao tempo de os espíritos resolverem corrigí-los, o que não fazem. Os kardecistas, em geral, olvidam aceitar que a obra de Kardec está manchada por equívocos desde o nascedouro. Mas, eis que o próprio Kardec resolveu, ele mesmo, consertar a bagunça que fez. Confira em http://blogdosespiritos.com.br/2015/05/17/voce-conhece-as-intocaveis-verdades-da-revelacao-espirita/
    .
    Considerando o risco de o VLAD resolver não verificar o que o codificador resolveu consertar, finalmente, acordar para os escorregas que sacramentou, deixo trechinho do que “ele” diz, pela boca de seu médium:
    .
    .
    ================================.
    Explicações sobre o livro em que Kardec corrige a Codificação
    .
    Enviado por Rosino Caporice em 05/05/2015 – 07:19 375 já leram
    .
    Caro leitor, talvez você estranhe os nomes Allan Kardec e Espírito da Verdade na apresentação do livro Kardec (em Espírito) corrige “O Livro dos Espíritos”. Nós entendemos bem isso, devido ao processo de idolatria que se criou nos meios Espíritas com relação a eles. Nós também tivemos o mesmo sentimento quando esses queridos amigos se nos apresentaram.
    .
    Porém, a qualidade de suas comunicações, bem como o teor vibratório de suas presenças, quebrou nossa resistência.
    .
    Demonstraram eles a necessidade de se corrigir erros contidos na Codificação, explicando que tal trabalho deveria ser feito por encarnados, muito embora estivessem sempre ao nosso lado nos inspirando a corrigir os erros, e também a melhorar as explicações.
    .
    Para aperfeiçoar tal trabalho tiveram o cuidado de nos dar comunicações pela transmentação, para que estudássemos e as aproveitássemos aqui. Transmentação nada mais é que um processo espiritual de comunicação direta, mente a mente, ou ainda uma forma de telepatia espiritual.
    .
    Deram-nos como meio de controle os atributos de Deus, explicados por Kardec em sua obra “A Gênese” no item II, Autoridade da Doutrina Espírita, e de “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, que explica que os Espíritos realmente evoluídos têm todo cuidado em respeitar nossa velocidade de assimilação, quanto às revelações feitas, pois cada coisa deve vir a seu tempo.
    .
    Não tivemos nenhuma dúvida em aceitar tal método de avaliação, como uma ferramenta que, se bem usada, poderia reduzir a zero os erros, embora nossa grande imperfeição.
    .
    E o mais importante é que elas estão na própria Codificação.
    .
    Quanto à presença de Kardec, sabemos que ainda existem Espíritas que estão tentando encontrar onde e como o Codificador reencarnou.
    .
    Para nós, desde que estamos na Doutrina, há quarenta e seis anos, nunca ficou nenhuma dúvida que nosso querido Chico Xavier era a reencarnação de Allan Kardec.
    .
    Mas, como ele mesmo sempre deixou muito claro, a melhor forma de avaliarmos a qualidade do Espírito comunicante era a qualidade de sua comunicação, eventuais dúvidas ou resistências quanto à realidade de suas presenças desapareceram por completo, e fomos ao trabalho.
    .
    Quando perguntamos ao Espírito da Verdade o porquê de seu desaparecimento após o desencarne de Kardec, disse-nos que era necessário deixar de interferir de forma direta, para respeitar o animismo cultural da humanidade, que deveria passar por todos os problemas que passou.
    .
    Qualquer intervenção dele deveria ser perfeita, e isso seria o mesmo que interferir no livre-arbítrio coletivo, pois pelas soluções que indicaria, seria o mesmo que fazer o trabalho por nós, ao mesmo tempo em que impediria a existência de condições que levariam muitos a corrigir seus “males” e pudessem permanecer aqui na Terra. Isto está melhor explicado mais à frente.
    .
    Quanto a sermos nós a executar este trabalho, disse-nos termos sido amigo de Kardec em passada reencarnação, e tínhamos o conhecimento doutrinário necessário para a execução do mesmo, além de sermos desconhecidos nos meios espíritas, fato que nos daria a tranquilidade que precisaríamos.
    .
    Ainda, que ele sabia que mesmo com alguma resistência, acabaríamos por aceitar esta incumbência.
    .
    Quanto às possibilidades dele se comunicar e como faz isso, está explicado em capítulo sobre este tema.
    .
    Por fim explicou que este trabalho precisaria ser feito por encarnados, para que todo nosso atavismo cultural fosse respeitado, mesmo com a assessoria dele e de Kardec.
    .
    Como idólatras e míticos que por um bom tempo fomos, achamos melhor dar estas explicações aqui no começo, para que você leitor saiba o que fazer.
    .
    Acredite: esta obra jamais, pelo seu conteúdo, poderia ser nossa somente.
    .
    Se você tiver a necessária calma para ir em frente, nem que seja apenas para criticar, você acabará vendo que não perdeu o seu tempo.
    .
    Só para esclarecer, a ideia inicial era corrigir todos os livros da Codificação. Porém notamos que somente a correção de “O Livros dos Espíritos” seria suficiente para demonstrar que há sim erros que não respeitam os atributos de Deus nesta fase da Revelação Espírita, ou seja, a Doutrina Espírita, apesar dos exemplos de outros livros, que foram dados. Quanto a estes, ficará fácil notar os erros.
    .
    Rosino Caporice
    São Paulo, 15 de Agosto de 2014
    ===================================.
    /
    /

  549. Marciano Diz:

    O debate está fervendo.

  550. Contra o chiquismo Diz:

    “Marciano Diz:
    AGOSTO 11TH, 2015 ÀS 4:01 PM
    O debate está fervendo.”
    ..
    .
    Até virem o Demóstenes e o Vlad mandarem a gente estudar a ‘codificação’.

  551. Vinicius Diz:

    MONTALVÃO, a ideia era corrigir todos, porque KARDEC em espirito desistiu da empreitada? teve de reencarnar as pressas kkk?

    ” Só para esclarecer, a ideia inicial era corrigir todos os livros da Codificação. Porém notamos que somente a correção de “O Livros dos Espíritos” seria suficiente para demonstrar que há sim erros que não respeitam os atributos de Deus nesta fase da Revelação Espírita, ou seja, a Doutrina Espírita, apesar dos exemplos de outros livros, que foram dados. Quanto a estes, ficará fácil notar os erros”

  552. Marciano Diz:

    Calma aí, pessoal.
    Devagar com os ataques que não levam a nada.
    Paz e amor! ✌

  553. Contra o chiquismo Diz:

    Troll e amor!*

  554. Marciano Diz:

    ௵ ௸ ௺ ௮

  555. Marciano Diz:

    VLAD disse:
    ❝ Ah menos que nosso caro Lunático (quero dizer Marciano) ❞
    .
    Não sei de onde ele tirou esse “ah”.
    .
    Mais adiante, DISSE:
    .
    Vladimir Diz:
    AGOSTO 11TH, 2015 ÀS 3:06 PM
    ❝ Demóstenes,
    .
    Não se preocupe o Contra e o Lunatico me chamavam de Marden … ❞
    .
    COMENTÁRIO:
    Desprezível VLAD, por que você não vai se ﭓ ﭰ ﮆ ?

  556. Marciano Diz:

    &# 63811; &# 63814; &# 63812; , VLAD!

  557. Marciano Diz:

    Corrigindo: 弄 牢 籠 , VLAD!

  558. Marciano Diz:

    A gramática do Dr., principalmente sua pontuação, deixam ver seu desnível intelectual. 〠

  559. Vladimir Diz:

    Ainda bem que eu só escrevo prescrições de medicamentos rs, já um “Juiz” que não conhece Filosofia só pode ser um “Contador de Lorotas” aka Forrest Gump

  560. Vladimir Diz:

    Juiz, Advogado, Contador, Policial, Promotor…
    Oh Chicó, se acha mesmu qui arguem acredita nas tuas lorota???
    Oxiii

  561. Demóstenes Diz:

    Vladimir e Borges;
    Vlad, to tranquilo quanto isso.
    .
    Vocês já leu alguma coisa do Lívio Vinardi, Biopsicoenergia? Se leram, concordam?

  562. Contra o chiquismo Diz:

    Não sei o transtorno que o dr sofre, mas é de perseguição. Sim é. Então eu e o Marciano o acusávamos de ser o Marden para que ele fosse expulso? Se o dr não for mesmo o MArden é obsedado por ele ( e pelo scur tb) . Obsedado sim. Yes. Ok.

  563. Demóstenes Diz:

    MONTALVÃO,
    “Considerando o risco de o VLAD resolver não verificar o que o codificador resolveu consertar, finalmente, acordar para os escorregas que sacramentou, deixo trechinho do que “ele” diz, pela boca de seu médium:”
    /
    /
    Notei uma contradição. Cliquei no link indicado, contei 4 banners com “compre o livro”.
    O Vlad, já respondeu ai em cima, sobre o CUEE. O Sr. Kardec era francês, com amigos e parentes próximos vivendo na França. O LE é a sua maior Obra, caso o espírito, quisesse fazer uma correção de “equívocos”, o faria, creio, com os mais próximos do seu convívio e do seu desencarne.
    Mesmo que se o fizesse, seria apena 1 espírito. Ora, nos cremos que o LE foi feita com a participação de vários espíritos. Somente 1 para corrigir? Para começar, esse livro não passa no método do CUEE. Nem Divaldo se atreveu a tanto, chegando perto de León Denis, ao falar de Allan Kardec, no caso “Jan Hus”.
    .
    2 – Não achei a frase “nenhuma dúvida que nosso querido Chico Xavier era a reencarnação de Allan Kardec” no link enviado. Mas de qualquer forma, CX gostava de ler, pelo que ouvi do Prof. Waldo, ele não fez curso superior. Já Kardec, falava várias línguas, era pedagogo, professor. Teve uma vida voltada a educação. Comparando o perfil dos 2, Kardec não mudaria os termos do LE, por achar “ofensivos”. Além de apreender o Francês, para ele própria tirar suas conclusões de interpretação.
    Concluo que esse livro faz parte das “seitascartões espíritas”, mas não do espiritismo.
    /
    /
    /
    Quanto ao “trabalhador que escuta macacos assobiar enquanto equilibram nos fios”, (isso me lembra a Índia, seria um conflito indu?)
    .
    Pelo constante chamado de atenção quanto a minha postura ‘arrogante’ frente as meus deveres espíritas. Creio que estou diante de um defensor da Doutrina Espirita, um fiel as codificações, sendo desnecessário o convite para estuda-las.
    .
    Hare Krishina,

  564. Demóstenes Diz:

    Quanto ao “trabalhador que escuta macacos assobiar enquanto equilibram nos fios”, (isso me lembra a Índia, seria um conflito indu?)
    .
    Pelo constante chamado de atenção quanto a minha postura ‘arrogante’ frente as meus deveres espíritas. Creio que estou diante de um defensor da Doutrina Espirita, um fiel as codificações, sendo desnecessário o convite para estuda-las.
    .
    Hare Krishina,

  565. Contra o chiquismo Diz:

    Vladimir Diz:
    AGOSTO 11TH, 2015 ÀS 6:03 PM
    Juiz, Advogado, Contador, Policial, Promotor…
    Oh Chicó, se acha mesmu qui arguem acredita nas tuas lorota???
    Oxiii
    .
    .
    .
    Ateu, kardecista, Judeu, Psiquiatra…
    Oh 22, se acha mesmu qui arguem acredita nas tuas lorota???
    Oxiii

  566. Contra o chiquismo Diz:

    *Demóstenes, vc quer realmente nos convencer de que?
    *Que ‘espiritos’ existem?
    *Que todas as religiões convergirão para o kardecismo?
    *O que vc quer pregando akrdec aqui pra gente?
    .
    ..
    FALTOU ME RESPONDER ESSAS PERGUNTAS. NÃO FUJA DELAS.

  567. Gorducho Diz:

    Já Kardec, falava várias línguas
     
    Quem foi que disse? Como sabe?
    Tendo sido interno pelo curso ginasial na Suíça, seria um completo asno se não soubesse alemão perfeitamente (dizem que traduzia, se falava bem quem saberá?).
    Inglês não sabemos até que ponto ia a proficiência dele.
    E…?
    E quanto a passar pelo método CUEE, como tal método é uma fantasia dos Crentes, ficamos no 0 x 0

  568. Gorducho Diz:

    Meus conhecimentos de chinês… :(
    O Dr. tem que ser internado? (por doido?)

  569. Demóstenes Diz:

    Gorducho,
    Expliquei lá em cima sobre a tese do racismo.
    /
    /
    Francê, lógico, inglês, alemão, holandês, noção de italiano e espanhol. Fontes bibliográficas não dá pra te enviar agora.
    /
    /
    “E quanto a passar pelo método CUEE, como tal método é uma fantasia dos Crentes, ficamos no 0 x 0″???
    /
    Não entendi o paradoxo. Então o espírito que ditou o livro, existe. O escritor merece crédito. Porque o método é uma fantasia?
    .

  570. Demóstenes Diz:

    Para o “trabalhador que escuta macacos assobiar enquanto equilibram nos fios” suas respostas com perguntas
    /
    /
    *Demóstenes, vc quer realmente nos convencer de que?
    *Que ‘espiritos’ existem?
    *Que todas as religiões convergirão para o kardecismo?
    *O que vc quer pregando akrdec aqui pra gente?

    8 Nada. A fé em uma crença ou dogma, é individual.
    8 A crença é individual. Portanto cabe a cada um decidir.
    8 O Espiritismo é a convexidade de todas as religiões.
    8 Pregando? Quem colocou uma prece de Kardec aqui? No máximo quero evitar erros, “injurias”, sobre a doutrina.
    /
    /
    Namaster

  571. Vitor Diz:

    Caro Bráulio,
    comentando:
    01 – “Posso estar enganado, mas para além do fenômeno por si mesmo, a ideia por detrás da “Experiência de Quase Morte” é justamente
    por assim dizer o acesso “privilegiado” de ter um vislumbre do Céu (ou Inferno).
    Pois evidentemente aqueles que tem uma Experiência de Morte, não voltam para contar (vamos deixar as questões mediúnicas de lado para não perdermos o foco)
    sendo assim contaríamos com as EQM para atestar, ratificar ou refutar as visões que se tem do além vida.Se o paciente pode ter uma “EQM” sem estar as portas da Morte, então não se trata de verdadeira EQM e sim de algum outro fenômeno, na medida em que para
    “Ver” o Céu (ou o Inferno) ou é preciso morrer de fato, ou está com um pé lá e outro cá.”
    .
    Uma pessoa pode, em tese, “sair do corpo” e ter sensações idênticas à de uma EQM e não estar perto da morte. Um tremendo susto pode tê-la feito desmaiar e sair do corpo, por exemplo. Os efeitos em si são os mesmos. A única diferença é que em um caso a experiência está ocorrendo quando a pessoa corre perigo de morte, no outro não. Em ambos pode até haver vislumbres do Céu ou Inferno ou da Colônia Nosso Lar, ver entes queridos falecidos, o ambiente ao redor… Não há, a meu ver porque distinguir, exceto evidentemente que alguém às portas da morte pode fornecer evidências mais fortes de um fenômeno paranormal.
    .
    O seu ponto 02 também diz respeito a essa nossa discordância do que pode ser chamado de uma EQM verdadeira, assim acho desnecessário comentar.

    .
    03- “Isso sim seria uma verdadeira “Experiência Fora do Corpo”, pois qualquer outra alegação de que ele não esteja no quarto do Hospital, já estamos lançando mão
    de “Outra Dimensão”, “Mundo Espiritual”, e etc. Aí logicamente fica fácil descrever, mas difícil verificar cientificamente as alegações.”
    .
    Difícil não é impossível. As experiências “pico em darien” fornecem meios de verificar algumas das alegações que ocorrem nessa “outra dimensão”:
    .
    http://obraspsicografadas.org/2011/vendo-pessoas-mortas-que-no-se-sabia-terem-morrido-experincias-pico-em-darien-2010/
    .
    04-”De fato não precisa, mas para “Provar” de modo contundente e cientificamente uma descoberta dessas seria muito salutar, termos uma Evidência bastante sólida e objetiva como é a ideia dos símbolos.
    Infelizmente até agora nada, é igual a relação dos paranormais e o James Randi.”
    .
    Concordo. Mas se não temos “provas contundentes”, já temos um conjunto de evidências dignas do maior respeito de que a consciência pode captar dados inacessíveis aos sentidos normais, ainda que o cérebro esteja num estado gravemente deficiente.
    .
    05-”Dada a multiplicidade de relatos divergentes das EQMs, bem como as mais diversas condições em que elas podem acontecer (como exemplificou com o Van Lommel) não vejo porque atribuírmos as EQMs uma explicação supernatural, visto que a lógica nos leva a busca uma explicação natural, ainda que no presente momento não exista uma única explicação que atenda todos os requisitos das EQMs. Mas certamente a solução não é alegar que as pessoas estão espiando o Céu, pelo buraco da fechadura e voltando para contar.”
    .
    A explicação certamente não é simplista assim. Não se pode generalizar. Acho possível que uma pessoa busque dar algum sentido à experiência pela qual passou e acabe introduzindo elementos de sua cultura na narrativa (por exemplo, atribuindo alguém de cabelo desalinhado a Cristo), e daí a divergência de relatos. Isso não impede que paralelo a esses elementos culturais existam elementos verídicos (como uma real separação temporária entre mente e corpo, e o encontro com pessoas falecidas [algumas das quais não se sabia terem morrido], e visão do ambiente ao redor com elementos verificáveis). É devido a esses elementos verídicos que a explicação supernatural parece necessária em alguns casos.
    Um abraço.

  572. Marciano Diz:

    GORDUCHO, infelizmente a nova política do blog não permite a tradução do conselho ao Dr., o que ele deve fazer, em vez que ficar trollando aqui.

  573. Marciano Diz:

    Crenças em coisas esdrúxulas podem ser perigosas.
    Não vou falar em fundamentalismo islâmico, santa inquisição nem Jim Jones.
    Vou falar de uma coisa menos antiga, que foi lançada em 2006, nove anos atrás.
    .
    James Ray andou aparecendo em programas de tv e lançou “The Secret”, ou “O Segredo”, a velha auto-ajuda que há tanto tempo engana pessoas ingênuas.
    .
    Apareceu na Oprah, no Larry King, fez palestras, lançou outros livros de auto-ajuda.
    Pode ser visto atualmente no programa “Cultos Mortais”, no canal 82 da Sky, “Investigação Discovery”.
    .
    “Ray was convicted of three counts of negligent homicide but acquitted of manslaughter[7][8] following his February 3, 2010, arrest in the deaths of three participants in one of his New Age retreats.[9] He was sentenced to two years in Arizona state prison and was released under supervision on July 12, 2013.[10][11]”.
    Wikipedia
    On October 8, 2009, at a New Age “Spiritual Warrior” retreat conceived and hosted by Ray at the Angel Valley Retreat Center in Yavapai County near Sedona, Arizona, two participants, James Shore and Kirby Brown, died as a result of being in a nontraditional sweat lodge exercise. Eighteen others were hospitalized after suffering burns, dehydration, breathing problems, kidney failure, or elevated body temperature. Liz Neuman, another attendee, died October 17 after being comatose for a week.[22]
    The attendees, who had paid up to $10,000 to participate in the retreat, had fasted for 36 hours during what was claimed to be a vision quest exercise before the next day’s sweat lodge. During this vision quest, participants were left alone in the Arizona desert with a sleeping bag, although Ray offered them Peruvian ponchos for an additional $250.[23] After this experience, participants ate a large buffet breakfast before entering the sweat lodge.[24] A site owner reported she learned after the event that participants went two days without water before entering the lodge.[25]
    Investigation and conviction on charges of negligent homicide[edit]
    Following the deaths Ray refused to speak to authorities and left Arizona.[26] According to sweat lodge participants, a note was left that said Ray was unavailable as he was in “prayer and meditation”.[27] James Arthur Ray later confirmed (during a 2013 interview with Piers Morgan) that he fled the scene rather than staying to help revival and CPR efforts for the injured and dying.[28]
    Investigations were commenced by the Yavapai County Sheriff department. Initial investigations concerned construction of the sweat lodge, which according to investigators was constructed by a local group under hire.[29] Jack Judd, the county building safety manager, said that there was no record of a permit or an application for a permit to build the sweat lodge.[30][31]
    On October 15, 2009, the Yavapai County sheriff’s office upgraded the investigations into the deaths of James Shore and Kirby Brown to a homicide investigation after talking with participants.[32] Officials claimed the sweat lodge lacked the necessary building permits.[32] Print media began reporting that Ray conducted a conference call with some victims, one of whom recorded the call and provided it to the AP. During this call, a self-described channeler said that they had communicated with the dead and they had said they “were having so much fun” out of their bodies that they didn’t want to return.[23] On October 27, Minnesota Senator Amy Klobuchar asked the U.S. Department of Justice and the Federal Trade Commission (FTC) to investigate the event to complement the local investigations.[33] On October 30, a wrongful death lawsuit claiming negligence, negligent misrepresentation, fraud and other actions on the part of Ray and the site owners was filed for the family of Liz Neuman. A similar action was filed for Sidney Spencer who was seriously injured. The suits sought compensatory and punitive damages alleging that defendants failed to provide adequate prior warnings, to monitor the participants’ well being in the sweat lodge, and to provide medical treatment.[34][35] On November 10, Dennis Mehravar, an injured attendee from Canada, joined the Spenser suit.[36]
    Ray was arrested in connection with the deaths on February 3, 2010, and bond was set at $5 million.[37] Ray’s attorney stated that he could not afford the $5 million.[38] Ray was released on February 26, 2010, after bail was reduced to $250,000.[39]
    Three of the victims’ lawsuits against Ray were settled before his criminal trial for a total of more than $3 million.[40]
    The court case began on May 1, 2011. The prosecution rested its case on June 3, 2011, after 34 witnesses had taken the stand and 43 days of testimony.[41] On June 22, 2011, Ray was found guilty on three counts of negligent homicide, and not guilty of the manslaughter charges brought against him.[42] On November 18, 2011, Ray was sentenced to two years in prison.[43]

  574. Gorducho Diz:

    Fontes bibliográficas não dá pra te enviar agora.
    Pois é justo isso: fontes; que não sejam os espíritas, claro…
    Francês + alemão, óbvio. Inglês é obvio, que teria algum conhecimento até quanto aí entram as fontes. E os demais idiomas, qual a prova?
     
    Porque o método é uma fantasia?
    Porque não foi aplicado. Quais foram os muitos médiuns de diferentes partes do globo, culturalmente desvinculados, que forneceram as mensagens nas quais se baseou o LE?
    Onde estão esses registros?

  575. Borges Diz:

    Montalvão :- Você acha que esta experiência tem chance de dar certo? A consciência desgarrada tem como panorama uma sala onde o personagem central é o seu corpo todo espetado e ligado a tubos que transportam sangue, soro e medicamentos. Caixa craniana aberta por bisturi e serra elétrica, equipamentos de monitoramento ligados ao corpo; um punhado de médicos e enfermeiros agitando o ambiente; um túnel de luz brilhando intensamente convidando para o outro lado. Que chance tem uma pequena placa, colocada acima da cabeça das pessoas, de chamar a atenção daquela pobre alma perturbada. Pode ser que um dia haja sucesso, mas acho que vai demorar.
    Obrigado

  576. Marciano Diz:

    Recomendo a vocês, crentes e descrentes, a leitura do livro “Deadly Cults: The Crimes of True Believers”, de Robert L. Snow.
    No livro ele fala de Jim Jones, no caso do Heaven’s Gates, e outros.
    Vocês se lembram desses casos?
    Tiveram conhecimento?

  577. Gorducho Diz:

    Eu entendi que é pra enjaular ele, daí deduzi como presumivelmente ele é psiquiatra; pois que é uma língua sutil onde a entonação muda o sentido…

  578. Marciano Diz:

    Cerco de Waco
    Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
    Coordenadas: 31°35’45″N 96°59’17″W

    A sede de Monte Carmelo – renomeada “Rancho Apocalipse” – em chamas. Foto de 19 de abril de 1993.
    O Cerco de Waco1 foi um cerco realizado pelo governo dos Estados Unidos, que começou em 28 de fevereiro de 1993, quando o Bureau of Alcohol, Tobacco, and Firearms tentou cumprir um mandado de busca na sede (denominada “Monte Carmelo” em função do lugar bíblico) do Ramo Davidiano, uma propriedade a 14 km a lés-nordeste de Waco, Texas. Um tiroteio resultou nas mortes de quatro agentes e seis seguidores de David Koresh. Seguiu-se um cerco de 51 dias, que terminou com em 19 de abril, quando um incêndio destruiu o conjunto. Setenta e seis pessoas (24 delas com nacionalidade britânica)2 faleceram no incêndio, assim como mais de 20 crianças, duas grávidas e o próprio Koresh.
    .
    .
    Essas crenças não são inofensivas.

  579. Marciano Diz:

    GORDUCHO, inspirado no incidente Boechat e Silas Malafaia, eu não mandei o Dr. se enjaular, em mandarim.
    Traduzindo em francês, o que não vai contra a nova política da Administração, eu disse a ele: va te faire enculer!
    .
    Não dá pra levar a sério esse troll.
    Cada hora ele diz uma sandice diferente, vai e volta nos argumentos, só sabe ofender, se fazer de vítima e ficar com argumentos circulares.
    Não quero nutrir nenhum mal sentimento com relação a ele, mas vou passar a ignorá-lo, a não ser que ele passe a adotar UMA posição, sustente-a, e argumente sem palhaçaca, o que parece impossível.
    Ainda tem o fato de que o desconhecimento de gramática do Dr. de araque irrite mesmo os mais condescendentes.

  580. Demóstenes Diz:

    Marciano,
    Conheço o Jim Jones, O havens gate, a seita japonesa do tunel.
    .
    Parece um paradoxo, o ser humano vai buscar uma crença, teve um que disse ai em cima que a descrença também é uma crença. O povo americano, na minha opinião, é supersticioso, mesmo os que se dizem protestantes conservadores, se ilude facilmente, a ideia de superpotência fica travada na cultura, inteligência dos americanos.
    .
    O problema passa ser a falta de uma regulação para a crença. O evangelho neopentecostal talvez seja um exemplo de limite, uma vez que o interesse financeiro, cria barreiras, fronteiras naturais, evitando lunáticos como Jim Jones. No Brasil, o mais parecido, temos o Inri Christ, que na minha humilde opinião, é um hippie ateu muito malandro. Mas enfim, possui crentes.
    .

  581. Contra o chiquismo Diz:

    Demóstenes Diz:
    AGOSTO 11TH, 2015 ÀS 7:09 PM
    Para o “trabalhador que escuta macacos assobiar enquanto equilibram nos fios” suas respostas com perguntas
    /
    /
    *Demóstenes, vc quer realmente nos convencer de que?
    *Que ‘espiritos’ existem?
    *Que todas as religiões convergirão para o kardecismo?
    *O que vc quer pregando akrdec aqui pra gente?
    8 Nada. A fé em uma crença ou dogma, é individual.
    8 A crença é individual. Portanto cabe a cada um decidir.
    8 O Espiritismo é a convexidade de todas as religiões.
    8 Pregando? Quem colocou uma prece de Kardec aqui? No máximo quero evitar erros, “injurias”, sobre a doutrina.
    /
    /
    Namaster
    .
    .
    .
    .
    Como não tem nada a explicar e nem a provar, como tudo é crença pessoal sua, só me resta dizer. Pare de nos TROLLAR.
    .
    .
    Macacos nos fios assoviando são reais. Vivo da realidade. “Espiritos” fluidificando água, contando sobre a vida em Marte e morando em Júpiter são pura fantasia.
    .
    ..
    Mais uma vez vc se entrega como arrogante e pretensioso como todo kardecista. E sem noção tb, olha o que vc escreveu:
    .
    .
    “O Espiritismo é a convexidade de todas as religiões.”
    .
    .
    Sim os adeptos do Malafaia vão largar ele pra seguir kardec ha ha ha ha….

  582. Contra o chiquismo Diz:

    Demóstenes Diz:
    AGOSTO 11TH, 2015 ÀS 8:16 PM
    Marciano,
    Conheço o Jim Jones, O havens gate, a seita japonesa do tunel.
    .
    Parece um paradoxo, o ser humano vai buscar uma crença, teve um que disse ai em cima que a descrença também é uma crença. O povo americano, na minha opinião, é supersticioso, mesmo os que se dizem protestantes conservadores, se ilude facilmente, a ideia de superpotência fica travada na cultura, inteligência dos americanos.
    .
    O problema passa ser a falta de uma regulação para a crença. O evangelho neopentecostal talvez seja um exemplo de limite, uma vez que o interesse financeiro, cria barreiras, fronteiras naturais, evitando lunáticos como Jim Jones. No Brasil, o mais parecido, temos o Inri Christ, que na minha humilde opinião, é um hippie ateu muito malandro. Mas enfim, possui crentes.
    .
    .
    .
    .
    Certo Demóstenes, o bom mesmo é kardec e sua “TEORIA DO BELO”.

  583. Marciano Diz:

    A entonação muda o sentido, fenômeno que se observa em outras línguas, inclusive a portuguesa, mas que é característica fundamental do mandarim, não excepcional, como eu outras línguas.
    Aqui, com uma pequena mudança na entonação, podemos mudar o sentido de palavras e de frase.
    .
    Pense no exemplo:
    QUEM sabe falar mandarim aqui?
    Quem SABE falar mandarim aqui?
    Quem sabe falar MANDARIM aqui?
    Quem sabe falar mandarim AQUI.
    .
    A ênfase vai para a palavra em maiúsculas.
    .
    No primeiro caso, o falante não acredita que alguém possa falar mandarim aqui.
    No segundo, que ninguém sabe falar mandarim corretamente aqui.
    No terceiro, que aqui há quem fale muitas línguas, mas não mandarim.
    No quarto, que muitas pessoas falam mandarim, mas não aqui.
    .
    A propósito, EU não sei falar mandarim, mas o Dr. consegue milagres paranormais.
    Baixou um chinês que ficou irritado com ele.

  584. Contra o chiquismo Diz:

    Andaram endeusando o LE. Olha o que tem no LE:
    .
    .
    “Em relação à sexta questão, dir-se-á, sem dúvida, que o Hotentote é de uma raça inferior; então, perguntaremos se o Hotentote é um homem ou não. Se é um homem, por que Deus o fez, e à sua raça, deserdado dos privilégios concedidos à raça caucásica? Se não é um homem, porque procurar fazê-lo cristão ?” (Allan Kardec, O Livro dos Espíritos, Instituto de Difusão Espírita, Araras, São Paulo, sem data, capítulo V, p. 127).

  585. Borges Diz:

    Marciano diz:-“ Você está certo e errado, mon ami, qual um gato de Schroedinger.
    ¾ ? + ¼ ? = ?”
    Ainda bem que você corrigiu, pensei que fosse equação cético-espiritual.

    “Você admite que já trilhou o triplo do infinito, o que não é pouca coisa.”
    Para você ver como sou exagerado, jamais desistirei.
    Obrigado

  586. Marciano Diz:

    Demóstenes Diz:
    AGOSTO 11TH, 2015 ÀS 8:16 PM
    Marciano,
    Conheço o Jim Jones, etc.
    .

    É por coisas assim que eu levo você a sério, mas não o doutorzinho.
    .
    Acho que você o o CONTRA precisam se entender e debater sem ofensas, para que não fiquem só no xingamento, para que troquem ideias que possam construir algum entendimento.
    Na boa!

  587. Vladimir Diz:

    Marciano disse: Não quero nutrir nenhum mal sentimento com relação a ele, mas vou passar a ignorá-lo
    .
    COMENTÁRIO: Sério??? OMG (ouvindo o Aleluia de Handel) está tá combinado.
    Cada um para o seu lado…
    Será que o Contra vai entrar nessa??? Espero que sim isso me deixaria extremamente feliz (e poluiria menos o blog)
    Deal então.
    Hasta la vista, baby!!!
    .
    PS: Você se incomoda com os meus deslizes gramaticais (como se outros não os cometessem) eu me incomodo com a sua ignorância em Filosofia (em se tratando de um “Juiz” claro)
    .
    PS2: Tenho quase certeza que o Marciano não é da área do Direito, tal qual o Gorducho ele deve ser um profissional de TI, enfim…

  588. Marciano Diz:

    BORGES, demorou, mas respondeu.
    Agora sou eu quem agradeço.
    Obrigado!
    .
    GORDUCHO:
    Tenho outra frase em francês para o falso médico, falso filósofo, falso tudo:
    Nique ta mère!
    Não traduza, por favor, para não infringir as novas regras.
    .
    .
    CONTRA, acho válidos os questionamentos que você está fazendo ao DEMÓSTENES, mas acho que vocês deveriam dialogar sem ofensas.
    Fiquem só, no máximo, com sarcasmo, de vez em quando, para não ficar chato.
    Assim ninguém responde a ninguém, e eu acho que estão perdendo uma boa oportunidade de questionar suas posições.

  589. Borges Diz:

    Demóstenes Diz:
    AGOSTO 11TH, 2015 ÀS 6:04 PM
    Vladimir e Borges;
    Vlad, to tranquilo quanto isso.
    .
    Vocês já leu alguma coisa do Lívio Vinardi, Biopsicoenergia? Se leram, concordam?
    Ainda não, já anotei e vou ler.
    Obrigado

  590. Marciano Diz:

    É a ultima vez que me dirijo a você, VLAD.
    Sua dificuldade em entender é porque você é burro mesmo.
    Por que não perguntou a seu filho, o formando em direito, como eu aconselhei?
    Ele te explicaria de forma que um cretino como você pudesse entender.
    .
    O que você não entende é que eu não sou limitado como você, que além da profissão que tenho e de outras que já tive, QUASE TODAS relacionadas ao direito, também tenho conhecimentos técnicos, inclusive de FÍSICA e de matemática, coisa que você PENSA que conhece, com seus livrinhos de divulgação científica.
    .
    De onde tirou a ideia de que VOCÊ conhece filosofia e de que eu não conheço?
    Só se forem os graus “filosóficos” da viúva.
    Quer saber de uma coisa?
    Nique ta mère!
    .
    Outros aqui podem até cometer erros de gramática, como você falou, uma vez ou outra, mas você é incapaz de detectá-los.
    Você escreve tão bem quanto a MuLLa e a PresidAnta.
    .
    Se quer, de minha parte, está combinado, mas já que você é tão burro, vou melhorar pra você: não refira a mim nem a MEUS COMENTÁRIOS.
    Faça de conta que não existo.
    Você é muito bom em “faz-de-conta”. Então…

  591. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano , essa dupla dr e demo é demais! Um trolla por trollar, o outro não prova nada da existência de espiritos e vem aqui fazer propaganda da doutrina. Acho uma sacanagem com a gente a trollagem e a divulgação de fantasias.

  592. Marciano Diz:

    Borges Diz:
    AGOSTO 11TH, 2015 ÀS 8:37 PM
    .
    Vocês já leu alguma coisa do Lívio Vinardi, Biopsicoenergia? Se leram, concordam?
    Ainda não, já anotei e vou ler.
    .
    .
    Não faça isso, BORGES.
    Esse pessoal bota a palavra “energia” e outras mais em quase tudo quanto é maluquice que imaginam.
    Leia livros de física, de matemática, de química, de biologia, de lógica, de coisas que valham a pena.
    Não perca tempo com esse tipo de literatura, a não ser que seja para ver os absurdos, bem atento às malandragens e pseudociência.
    Palavra de amigo.
    Não estou te repreendendo, estou te dando um bom conselho.

  593. Marciano Diz:

    Vocabulário estranho
    (biopsicoenergia) energias vitais que envolvem o homem e o universo.
    Vou procurar fazer um resumo de coisas que não valem a pena, para que ninguém procure ler sobre essas coisas inúteis e enganosas.

  594. Demóstenes Diz:

    Convexidade não é o mesmo que convergência.
    .
    Fiz uma analogia da convexidade em economia, mas precisamente com a “envoltória convexa”, criando a “convexidade espírita”.
    .
    Desenhando:
    1. Imagine 1 estrela de 6 pontas.
    2. Tire os ângulos externos > e coloque convexos )
    3. Escreva o nome de 6 religiões por fora desses convexos: Budismo, hinduismo, catolicismo, protestantismo, Judaismo, Taoismo.
    4 . Escreva o nome Espíritismo no meio da estrela, pronto.
    .
    Cada ponta é uma combinação convexa, ou seja, o espiritismo absolveu através do sincretismo religioso, alguns atributos dessas religiões. A meditação, a reencarnação, água benta, prece, crença num mundo espiritual, Nem todo mal e nem todo bem é absoluto.
    .

  595. Marciano Diz:

    De um glossário que tenho nos meus arquivos, não me lembro da fonte, que não anotei:
    .
    AGARTHA: de origem budista seria um império científico também conhecido por Shamballah no centro da Terra como parte da teoria da terra oca e cujas entradas seriam protegidas por lamas no Tibet.
    .
    AJNA: O sexto Chacra do budismo, também conhecido como o terceiro olho a consciência suprema.
    .
    ALCOR: empresas que guarda corpos congelados em processo de Criogenia em nitrogênio liquido.
    .
    ALF’s: Alien Life Forms, em português Forma de Vida Alienígena.
    .
    ALIENIGENA: Originalmente designa o nome dado à um estrangeiro, qualquer estranho ou desconhecido. Somente no século XX o nome foi ligado à seres provenientes de outros planetas por filmes, livros e pela tv.
    .
    AMERICAN MENSA: sociedade internacional para pessoas de QI elevado.
    .
    ANGÉLICA, Escrita: Linguagem derivada de caracteres hebraicos desenvolvida por Johannes Trithemius e Heinrich Agrippa que acreditavam ser um meio de se comunicar com os anjos e que pudesse levar a algum tipo de sabedoria oculta segundo a Cabala.
    .

    ANJO: Mensageiro, personagem sobrenatural enviado por Deus como mensageiro aos homens para executar sua vontade.
    .
    ANNUAKI: Nome de seres supostamente alienígenas dado pelo antigo povo da suméria.
    .
    ÁREA 51: polígono de tiro, e testes nucleares em Nevada, onde dizem esconder grandes segredos militares.
    .
    ASHTAR, Projeto: Projeto de evacuação terrestre por naves alienígenas onde Asthar seria o líder. Crença esotérica.
    .
    Ainda estou na letra “a”, mas acho que não preciso prosseguir.
    Todos devem ter pegado e espírito da coisa.

  596. Demóstenes Diz:

    O sr. Livio Vinardi:
    https://sites.google.com/site/geniosdomundo/icones-espirituais/livio-vinardi

  597. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    VLAD: Os demais livros (bem como as revistas) complementam o OLE.
    Mas a base é ele e Kardec sabia muito bem disso visto ter utilizado o CUEE em sua elaboração.
    /.
    PONDERAÇÃO: o CUEE de Kardec é algo de muito estranho. A respeito escrevi noutros tempos, noutras discussões (trechos):
    .
    ================================.

    ” Kardec ponderava que a “ciência espírita” encontrava-se em estágio incipiente, portanto, compreensível que houvesse divergências opinativas [entre franceses e ingleses]. Consideração plausível, conquanto se possa questionar o porquê de espíritos que atendiam na França apregoarem a reencarnação e os que serviam na Inglaterra a negarem. A alegação kardecista de preconceito racial [da parte dos ingleses] era incompleta e limitada.
    .
    De qualquer modo, naqueles dias a explicação de Rivail poderia ser acatada, deixando-se que o tempo dissesse se se tratava de proposição firme ou falhada. Eis que decorridos mais de 150 anos, hoje pode-se dar por constatado que Kardec laborou em erro ao prever que a reencarnação seria universalmente aceita: o espiritismo anglo-saxão continua contrário às múltiplas encarnações e o reencarnacionismo é defendido restritamente, em certas agremiações religiosas: nada da imaginada universalidade…
    .
    Diante dessa situação, seria o caso de os espíritas refletirem seriamente na questão reencarnacionista, pois que há algo estranho na controvérsia entre espíritas e espiritualistas sem dúvida que há.
    .
    Os dois lados não podem estar certos, a reencarnação não pode ser verdadeira para uma parcela da espiritualidade e falsa para outra. Ou está equivocado o espiritualismo inglês, ou o espiritismo francês (do qual o espiritismo brasileiro é sucessor).
    .
    Há ainda outra hipótese: ambos estarem errados, ou seja, espíritos não comunicam. As divergências havidas em questão fundamental pode ser demonstração de que as alegadas comunicações espiritistas em realidade são produzidas aqui mesmo, neste mundo…
    .

    Repito, passados mais de 150 anos, os “espíritos” ingleses e americanos continuam a não ensinar a reencarnação… A esperança de Kardec, de que as múltiplas vidas fossem brevemente aceitas por todos não teve sucesso. O tempo comungou em desfavor da argumentação kardecista.
    .
    [...] o preconceito racial, alegado por Rivail para explicar a recusa ao reencarnacionismo, é fraca opinião do codificador. [...]
    .
    Sobre os ataques de Howitt à reencarnação (ressaltamos que William Howitt era ferrenho adepto do espiritismo não-reencarnacionista), temos o interessante comentário de Conan Doyle, também encontrado em a “História do Espiritismo”:

    .
    CONAN DOYLE: William Howitt, um dos pioneiros do Espiritismo na Inglaterra, é ainda mais enfático em sua condenação à reencarnação. Depois de citar Emma Harding Britten, na sua observação de que milhares do Outro Mundo protestam, através de distintos médiuns, que não têm conhecimento nem provas da reencarnação, diz: (…)
    .

    A considerar o declarado por Emma Harding o CUEE (controle ? ou concordância ? universal dos ensinos dos espíritos) vai pelos ares. Segundo a autora, “milhares de espíritos”, por meio de distintos médiuns, afirmaram não ter conhecimento da reencarnação… Então, de um lado, espíritos na França diziam a Kardec que a reecarnação era fato; de outro, milhares de desencarnados, na Inglaterra, negavam as múltiplas vidas… Realmente, é um problema que, se for analisado com rigor, abala seriamente os postulados espíritas.
    .
    Kardec tentou esclarecer a questão obviamente defendendo sua bandeira, ou seja, propondo que os “espíritos” franceses seriam mais esclarecidos que os outros…
    .
    Vejamos mais comentários de Conan Doyle[...]:
    .

    CONAN DOYLE: “Os espíritas inglêses não chegaram a uma conclusão no que se refere à reencarnação.
    .
    Alguns a aceitam, outros não.
    .
    A atitude geral é que, como a doutrina não pode ser provada, o melhor seria exclui-la da política ativa do Espiritismo.
    .
    Explanando essa atitude, Miss Anna Blackwell sugere que, sendo a mente continental mais receptiva de teorias, aceitou Allan Kardec, enquanto a mente inglêsa, geralmente declina de considerar qualquer teoria enquanto não se tiver certificado dos fatos admitidos por tal.”
    .
    Miss Blackwell – tradutora dos livros de Kardec para o inglês e amiga pessoal do codificador –, apresenta outro motivo [que não o preconceito racial] para a rejeição inglesa ao reencarnacionismo. Para ela, a mente inglesa não era afeita a especulações: exigia provas antes de aceitar a teoria. O que para o kardecismo era (e é) uma “lei natural” para os espíritas ingleses era uma hipótese carecente de comprovação. E, admiravelmente, ambas as posições eram ratificadas por “espíritos”…
    .
    CONAN DOYLE: “Mr. Thomas Brevior (Shorter) um dos redatores de The Spiritual Magazine, resume o ponto de vista prevalecente dos espíritas inglêses de hoje. Escreve ele:
    .
    “Quando a Reencarnação assumir um aspecto mais científico, quando puder oferecer um demonstrável conjunto de fatos que admitam verificação como os do Moderno Espiritismo, merecerá ampla e cuidadosa discussão.
    Por enquanto, que os arquitetos da especulação se divirtam como quiserem, construindo castelos no ar.
    A vida é muito curta e há muito que fazer neste mundo atarefado, para que deixemos os vagares e as inclinações a fim de nos ocuparmos em demolir essas estruturas aéreas ou apontar os frágeis alicerces em que se assentam. É muito melhor trabalhar naqueles pontos em que concordamos, do que nos engalfinharmos sôbre aqueles em que parece que divergimos tão desesperadamente.”
    .
    Os espíritas ingleses, além de repudiarem a reencarnação, anda galhofafam dos que nela acreditam, para eles, crer na reencarnação equivalia a construir castelos no ar…
    .
    Este quadro, uns dizendo que a reencarnação é “lei natural”, outros classificando-a de fantasia (e ambas as partes recebendo orientações da mesma imaginada fonte, a espiritualidade), mostra claramente – para quem tem ouvidos de ouvir e olhos de ver – que a fantasia é justamente acreditar que espíritos comunicam: tudo não passa de lucubrações humanas, algumas bem criativas – não há dúvida –, mas sempre no âmbito terreno.
    .
    Esta situação, de uma parcela da suposta espiritualidade pregar as múltiplas existências, e outra negar, já deveria estar elucidada pelos espíritos de há muito: a continuidade das divergências coloca sérias objeções à legitimidade das comunicações espirituais. O melhor argumento que os reencarnacionistas encontram, como vimos, é o do preconceito racial. Declaramo-lo frágil e limitado. Isso se percebe facilmente: mesmo que a rejeição inglesa à reencarnação se devesse à questão racial, os espíritos certamente encontrariam um meio de superá-la. E, o silêncio ou a negação não seria boa estratégia.
    .
    Já que, supostamente, os ingleses não estariam “preparados” para receber a revelação reencarnacionista, a espiritualidade por lá atuante poderia divulgá-la homeopaticamente, por exemplo, advogando reencarnações por classe, ou somente aplicável a alguns, coisas assim. Desse modo, quando a mentalidade inglesa estivesse amadurecida viriam com o esclarecimento pleno. No entanto, os espíritos saxões, teimosamente, continuam a negar as várias vivências…
    [...]
    ==================================

  598. Marciano Diz:

    Eis o link:
    https://books.google.com.br/books?id=xjlSBQAAQBAJ&pg=PA5&lpg=PA5&dq=%22dicion%C3%A1rio+estranho%22&source=bl&ots=YdJ7mzQT58&sig=AI_Ip4ON7q1GfgEjuMQt2nk0Ee8&hl=pt-BR&sa=X&ved=0CB0Q6AEwAGoVChMIgtXmsqCixwIVRn2QCh1_LAFm#v=onepage&q=%22dicion%C3%A1rio%20estranho%22&f=false
    .
    Ele lista coisas sérias, porém não usuais, e crendices tolas, tudo junto.
    Confiram!

  599. Gorducho Diz:

    Desisti de aprender mandarim… amanhã começo estudar o potenziale bioplastico umano, que me parece mais útil :(

  600. MONTALVÃO Diz:

    //
    MARCIANO: MONTALVÃO, esta equação é especialmente para você:[...]
    /.
    PONDERAÇÃO: e esta para usted:
    .
    ✽+❀-♯/♰*☝+♂

    ✠/✡=☡ ☠

  601. Marciano Diz:

    Do link do DEMÓSTENES:
    .
    Livio Vinardi, fundador da BIOPSICOENERGÉTICA.
    Doutor em ciências físicas e engenheiro eletrônico, foi professor durante cerca de trinta anos, nos níveis universitário e médio, exercendo as cátedras de microondas, eletrônica, radiação, física e eletroacústica.

    É membro da Sociedade Científica Argentina, enciclopedista, vencedor de concursos nacionais e internacionais na área de planejamento de ensino.
    Ex assessor do governo argentino na área de pesquisas técnicas.

    Doutor em Física e Engenheiro em Eletrônica, o Dr. Livio Vinardi foi Professor durante 30 anos no ensino superior, nas cátedras de Eletrônica, Física, Eletroacústica, Microondas e Radiação, atividade exercida em âmbitos docentes civis e militares.

    Dirigiu durante 10 anos (1980-1990), em colaboração com a Universidade Estatal de São Francisco (Califórnia), um projeto de medição objetiva do campo energético humano.

    Musicólogo e pianista concertista, atuou em recitais por 15 anos como solista. Fundador da Agrupação Livre das Artes (1962, Buenos Aires, Argentina).
    Atualmente morando no Brasil desde 2003, o Dr. Vinardi além de ocupar-se de IBUNA, continua dando cursos e conferências sobre Biopsicoenergética e Arte Objetiva, seja em toda a América como na Europa; SIMULTANEAMENTE DIRIGE VIAGENS DE ESTUDOS E EXPERIÊNCIAS PRÁTICAS, COM EXERCÍCIOS E TÉCNICAS PARA A INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA HUMANA COM AS FONTES PLANETÁRIAS.
    Membro Honorário de diversas instituições no âmbito internacional, das quais se mencionam algumas: Sociedade Alemã de PARAPSICOLOGIA (Hamburgo); Instituto Ely de BIORRITMOS (Paris); Instituto de PARAPSICOLOGIA do Rio de Janeiro; Fundo Privado para o Avanço da Ciência (Buenos Aires).

    Membro Fundador da IBRA – ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL PARA A INVESTIGAÇÃO DO BIORRITMO (Atlanta, Geórgia); Diretor Honorário do Laboratório de Investigações sobre Biorritmos Humanos (Tenerife, Espanha); Presidente de Honra Permanente dos Colóquios Brasileiros de Parapsicologia (São Paulo, Brasil).

    Presidente da IBUNA (1993) – International Biopsychoenergetics University of North America, a qual tem como finalidade distribuir conhecimentos no mais alto nível acadêmico de disciplinas integradas. Opera a nível internacional. No presente, compõe-se de duas Escolas: HEALING E BIORRITMO, cada uma delas com seus graus de Bacharelado, Mestrado e PhD.
    Em relação aos conhecimentos internos, FOI DISCÍPULO DO SÁBIO MESTRE JAPONÊS KENKICHI SAKURAI, COM O QUAL ESTUDOU E PRATICOU O SISTEMA ESOTÉRICO, MAL CONHECIDO COMO QUARTO CAMINHO.
    Em 1980 começou sua turnê pelos Estados Unidos da América. Em colaboração com a Universidade Estatal de São Francisco (Califórnia), DIRIGIU ATÉ 1990 O PROJETO DE MEDIÇÃO DE POTENCIAL BIOPLÁSMICO nas Escolas de Física e Biologia. Este projeto utilizou equipamentos eletromagnéticos inventados pelo Dr. Vinardi para a objetivação da aura humana. Atualmente vive no Brasil.

    Além de dirigir a IBUNA, atualmente O DR. VINARDI CONTINUA COM SUAS CONFERÊNCIAS E CURSOS SOBRE BIOPSICOENERGÉTICA, BIORRITMOLOGIA, HEALING, ASTROENERGÉTICA, ARTE OBJETIVA E SISTEMA ISOTÉRICO, tanto nas Américas como na Europa, DIRIGINDO, ALÉM DISSO, VIAGENS DE ESTUDOS E EXPERIÊNCIAS PRÁTICAS DE EXERCÍCIOS E TÉCNICAS PARA A INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA HUMANA COM AS FONTES PLANETÁRIAS, em apropriados pontos e focos do continente.

    .
    Não mudei nada, só destaquei em maiúsculas.
    OS PSEUDOCIENTISTAS INVENTAM SEU PRÓPRIO VOCABULÁRIO, NO QUAL MUITOS TERMOS CARECEM DE DEFINIÇÕES PRECISAS OU SEM AMBIGUIDADE, E ALGUNS NÃO POSSUEM NENHUMA DEFINIÇÃO.

  602. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, acho que não entendi sua equação, mas a minha mostrava claramente que todas aquelas crenças simbolizadas na expressão algébrica são iguais a zero.

  603. Vladimir Diz:

    Eis o link com os centros que Kardec mantinha contato em seu tempo e que oferece evidência substanciosa de que lançou mão desses contatos para realizar o CUEE:
    .
    http://abelsidney.pro.br/acervodigital/presenca.html
    .
    PS: Depois com calma leio os demais comentários

  604. Vladimir Diz:

    Os médiuns que trabalhavam com Kardec:
    .
    A partir de seu magistral trabalho, com apoio em Herculano Pires, é possível alinhavar os quatro pontos do chamado “Método Kardequiano”:
    .
    “1) Escolha de colaboradores mediúnicos insuspeitos, do ponto de vista moral, da pureza das faculdades e da assistência espiritual (Kardec repassava as respostas obtidas anteriormente ao crivo de ou­tros espíritos, através de médiuns diferentes. Assim é que ele traba­lhou com as Srtas. Caroline e Julie Baudin, Japhet, Aline e Solichon, Ermance Dufaux, Sra. Schmidt e Srs. Forbes e Crozet, dentre outros)”;
    .

    2) “Análise rigorosa das comunicações. (Kardec diz no L.M. que “não existe uma comunicação má que possa resistir a uma crítica rigorosa” (cap. 24, item 266). E, na mesma obra, ele consigna a orientação de Erasto: mais vale repelir dez verdades do que admitir uma única men­tira, uma única teoria falsa (cap. 20, item 230))”;
    .

    3) “Controle dos espíritos comunicantes, através da coerência de suas comunicações e do teor de sua linguagem”; e,
    .

    4) “Consenso universal: concordância entre as várias comunicações, através de médiuns diversos em diferentes lugares. (A “Revista Espírita” foi fundamental para isso. O LE surgiu inicialmente com 501 questões, em 18/4/1857. Na quinta edição, ocorrida em 1861, já eram 1.019 questões. Kardec era o centro mundial que recebia mensagens e comunicações de todos os cantos, inclusive do Brasil. Kardec escreveria em 1864, no item II da introdução ao “Evangelho segundo o Espiritismo”: “A única garantia séria do ensinamento dos espíritos está na concordância que existe entre as revelações feitas espontaneamente, por intermédio de um grande número de médiuns, estranhos uns aos ou­tros, e em diversos lugares”)”[4].
    .

  605. Marciano Diz:

    O que significa INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA HUMANA COM AS FONTES PLANETÁRIAS?
    .
    HEALING é o que penso mesmo, curas milagrosas?
    .
    Qual é o QUARTO CAMINHO?
    .
    O que vem a ser POTENCIAL BIOPLÁSMICO?
    .
    Do que trata a BIOPSICOENERGÉTICA?
    .
    O que são ASTROENERGÉTICA, ARTE OBJETIVA E SISTEMA ISOTÉRICO?
    .
    Alguém aí sabe explicar que coisas são essas, em que o grande doutor é especialista?
    .
    Para mim, parece apenas empulhação.

  606. MONTALVÃO Diz:

    ⒺⓃⓣⒺⓃ ➞
    ➝ⒹⒺⓊ±¿

  607. Vladimir Diz:

    E aqui a citação de outros membros (inclusive médiuns) que também faziam parte do círculo de Kardec:
    .
    Por meio da narrativa de Canuto Abreu, vamos conhecer detalhes históricos interessantes: como os volumes vindos da gráfica foram recebidos na livraria do sr. Dentu, editor de Kardec; qual foi o destino do primeiro livro aberto; o encontro na casa do casal Rivail, reunindo diversas pessoas para comemorar a data. Entre os presentes estavam a família Boudin, cujas jovens, médiuns, colaboraram na produção de O Livro dos Espíritos; os amigos Carlotti e Fortier, que convidaram o Codificador para conhecer os fenômenos das mesas girantes; Japhet e sua filha Ruth, médium que colaborou na revisão dos textos que compuseram a obra; a sra. Plainemaison, em cuja casa Kardec começou a conhecer as mesas girantes; a jovem Ermance Dufaux, médium, que tornou-se colaboradora do Codificador após essa data; os casais Roustan, Clément, Canu, a sra. Cardone e a filha do sr. Carlotti.

  608. Marciano Diz:

    Um amontoado de palavras sem sentido, para impressionar os incautos.
    Coisa típica da pseudociência plasmática quintessenciada fluídica paranormal de campo integral (ganzfeld) de coisa nenhuma.

  609. Marciano Diz:

    Entendi, MONTALVÃO.
    Em resposta, tenho um questionário pra você.
    .
    O que significa INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA HUMANA COM AS FONTES PLANETÁRIAS?
    .
    HEALING é o que penso mesmo, curas milagrosas?
    .
    Qual é o QUARTO CAMINHO?
    .
    O que vem a ser POTENCIAL BIOPLÁSMICO?
    .
    Do que trata a BIOPSICOENERGÉTICA?
    .
    O que são ASTROENERGÉTICA, ARTE OBJETIVA E SISTEMA ISOTÉRICO?

  610. Vladimir Diz:

    Só pelos nomes citados tanto por Herculano Pires, quando Silvio Canuto Abreu, fica claro que a assertiva de Kardec de que mais de 10 médiuns trabalharam na elaboração do OLE é verdadeira.

  611. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Aproveite, esta oferta não é por tempo indeterminado.”
    /.
    RESPOSTA: talvez por toda a eternidade²?

  612. Marciano Diz:

    O musicista, físico, etc., etc., Vinardi sabe de tudo isso, é pós doutor em tudo isso.

  613. Demóstenes Diz:

    MONTALVÃO,
    /
    Complementando o Vlad,
    .
    Respeitando a sua crítica, sobre a falta de consenso sobre a encarnação utilizando o CEUU.
    .
    Kardec pensou grande, imaginou que todos os pontos da doutrina se uniriam, formariam uma fraternidade. Enganou-se, pra começar do “Espiritismo francês”, a qual, confesso não conheço pessoalmente. Mas os que conhecem afirmam ser bem diferente do brasileiro. Com isso o CEUU, não possui a dimensão idealizada pelo codificador. Porém, considero-o ainda eficaz, uma vez que pode ser usado em círculos pequenos. Conforme o escrito a seguir:
    .
    “A melhor garantia de que um princípio é a expressão da verdade se encontra em ser ensinado e revelado por diferentes Espíritos, com o concurso de médiuns diversos, desconhecidos uns dos outros e em lugares vários, e em ser, ao demais, confirmado pela razão e sancionado pela adesão do maior número. […]” (Livro dos Médiuns – Nota do item XXVIII, Cap XXXI- Trad. J. Herculano Pires)
    .
    Razão baseada na entendimento espírito, pra deixar claro.
    .
    Se houvesse interesse das federações espíritas ao redor do mundo, o CEUU funcionaria e resolveria várias questões contraditórias, que não poderia ser respondida naquela época. Chegaríamos a um consenso sobre a reencarnação. Porém, creio, não resolveria o problema da reencarnação pelo método cientifico.
    .

  614. MONTALVÃO Diz:

    falhou? ³

  615. MONTALVÃO Diz:

    ainda estou ½ fraco

  616. Marciano Diz:

    Estou com taquicardia, só de pensar nesses termos estranhos. 💓

  617. Demóstenes Diz:

    Vladimir,
    .
    Complementando, nas revistas espíritas encontra-se algumas referencias a jornais brasileiros, inclusive criticas, mostrando que existia sim, uma comunicação transoceânica. Existia uma troca de informações de vários países, naquela época, entre os primeiros espíritas.

  618. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, veja se aprende pelo menos o símbolo do meu planeta. ♂

  619. Marciano Diz:

    Este você já fez.
    Foi mal.

  620. Marciano Diz:

    GORDUCHO, você que é bom de matemática, sabe o que é ℑ psicologia?
    É a parte imaginária da psicologia, também conhecida como Ψ
    Para que os não-iniciados entendam, dado o número complexo z = a + bi , a é denominada parte real e b parte imaginária.
    i = √ -1.

  621. Gorducho Diz:

    A reencarnação é a antítese do CUEE.
    Quando às médiuns, é o Dr. de novo se fingindo de bobo: quem não está familiarizado c/o Sítio periga embarcar. Eu já mencionei os um a um ao Dr., Sr. Demóstenes que provavelmente não saiba…
    Ele é assim: volta como se nada tivesse acontecido.
    As meninas moravam na Rouchechouart 7 e depois na Lamartine 32. A Ruth-Céline Bequet suponho que atendia na casa do Roustan na Tiquetone 14.
    Então, o “universalismo” é uma caminhada de menos de 2h sem forçar muito o fôlego.

  622. Gorducho Diz:

    Complementando, nas revistas espíritas encontra-se algumas referencias a jornais brasileiros, inclusive criticas, mostrando que existia sim, uma comunicação transoceânica. Existia uma troca de informações de vários países, naquela época, entre os primeiros espíritas.
     
    A obviedade de que havia troca de correspondência entre espíritas (cá no sentido de kardecistas) nada tem a ver c/CUEE pois que, por definição, esses espíritas já tinham aceitado os postulados, senão não o seriam. É o mesmo que hoje se reúnem p/”estudar” (quer dizer, dizer MUUU!!!) p/a Codificação. Quem ousar ter senso crítico e procurar levantar algum ponto controverso será mal visto e se insistir convidado a se retirar p/não quebrar a harmonia entre os Irmãos.

  623. Marciano Diz:

    ⚕ = Q’.
    Q’, para quem se esqueceu, é o símbolo do conjunto dos números IRRACIONAIS.
    {I}

  624. Marciano Diz:

    Os irracionais têm infinitas casas decimais que não seguem uma sequência lógica.
    Precisa explicar melhor?

  625. MONTALVÃO Diz:

    //
    Marciano Diz:
    Calma aí, pessoal.
    Devagar com os ataques que não levam a nada.
    Paz e amor! ✌
    /.
    FALOOOOU ❤ ☮

  626. MONTALVÃO Diz:

    /
    “Notei uma contradição. Cliquei no link indicado, contei 4 banners com “compre o livro”.”
    /.
    PONDERAÇÃO: qual a contradição? E se Kardec aconselhou seu médium a vender o livro… vai ver ele não quer dar de graça…

  627. Marciano Diz:

    MONTALVÃO está progredindo rapidamente.
    Não vá descurar de seus percucientes comentários.
    Estou gostando de ver que és um bom discípulo, mas quero mais de suas palavras sábias.

  628. MONTALVÃO Diz:

    DEMÓSTENES: Notei uma contradição. Cliquei no link indicado, contei 4 banners com “compre o livro”.
    ./
    PONDERAÇÃO: ah, entendi: é que há uma sequência de postagens do médium, falando das correções (se as quiser todas só comprar o book, and remember: the book is on the table).
    .
    Segue o link adadonde o texto está:
    .

    http://blogdosespiritos.com.br/2015/05/05/explicacoes-do-autor-sobre-o-livro-kardec-em-espirito-corrige-o-livro-dos-espiritos/

  629. Marciano Diz:

    GORDUCHO, sabido que o número e, calculado por Euler e bolado por Napier pode ser representado assim:
    http://www.testonline.com.br/numeroe_arquivos/image005.gif
    e também como o somatório dos termos n!, para n variando de 0 a ∞ , o que se representa pela letra Σ com o símbolo n=0 embaixo, o símbolo n=∞ em cima, o sinal = e n!, pergunto:
    Como é que a gente pode colocar essas expressões matemáticas e outras aqui, como funções, integrais, diferenciais, matrizes, etc.?
    .
    Às vezes eu tenho vontade de mostrar como a física não funciona sem a matemática, mas esbarro nessas dificuldades gráficas.
    Se souber, aprecio.

  630. Marciano Diz:

    Em sendo possível, pretendo acabar com o Carlos Vereza e com a INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA HUMANA COM AS FONTES PLANETÁRIAS, a BIOPSICOENERGÉTICA, o QUARTO CAMINHO, o POTENCIAL BIOPLÁSMICO, e outras palavras que não significam nada.

  631. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “O Vlad, já respondeu ai em cima, sobre o CUEE. O Sr. Kardec era francês, com amigos e parentes próximos vivendo na França. O LE é a sua maior Obra, caso o espírito, quisesse fazer uma correção de “equívocos”, o faria, creio, com os mais próximos do seu convívio e do seu desencarne.
    Mesmo que se o fizesse, seria apena 1 espírito. Ora, nos cremos que o LE foi feita com a participação de vários espíritos. Somente 1 para corrigir? Para começar, esse livro não passa no método do CUEE.”
    .
    PONDERAÇÃO: meu jovem, livro algum passa no CUEE, nem os da codificação. O CUEE era a cabeça de Kardec, ou seja, foi ele o filtro que selecionou o que iria para a codificação e o que não iria. O “ensino universal dos espíritos” era daqueles “espíritos” que convinham às ideias acalentadas por Rivail. Não tenha qualquer dúvida quanto a isso.
    .
    Veja exemplo: os espíritos de Kardec repudiaram a metempsicose, mas será que se eles consultasse espíritos asiáticos, em regiões onde a crença no reencarne como animais é apaniguada esses espíritos rechaçariam a crença? Óbvio que não. E se Kardec incluísse no CUEE os espíritos ingleses, estes apoiariam a reencarnação? Lógico que não, tanto não apoiariam que não a apoiaram…
    .
    Então, o CUEE é apenas uma invencionice kardecista que não serviu nem ao seu inventor. Saindo de Kardec e tomando, por exemplo, chico Xavier de exemplo, me diga: qual dos 412 livros por ele “psicografados” passou pelo CUEE?
    .
    Numa discussão com Paulo da Silva Neto, falei algo a respeito. Se quiser conhecer, segue aí (meio grandinho, mas pense que me deu mais trabalho escrevê-lo que lhe dará lê-lo):
    .
    =====================================.

    TEXTO ESPÍRITA: Muitas pessoas, querendo depreciar o Espiritismo, dizem que a reencarnação, na qual acreditamos, foi tomada do hinduísmo ou de uma crença popular qualquer. Certamente que apelando para o tal de “paganismo”, como se isso fosse o bastante para derrubar a nossa convicção nessa lei divina. Para que fique bem claro, vejamos o que o próprio Kardec disse a esse respeito:

    COMENTÁRIO: É fato que Allan Kardec não “inventou” a hipótese reencarnacionista (nem mesmo o modelo vigente no meio espírita foi obra dele): muito antes, a ideia, sob diversas roupagens, se apregoava em pontos variados do globo. Inclusive, na sociedade francesa, contemporânea a Rivail, concepções das múltiplas existências eram divulgadas. O reencarnacionismo evolutivo, que foi o adotado por Rivail Denizard, gozava apreço em círculos intelectuais na França e em partes da Europa, mesmo antes de Kardec aderir ao espiritualismo. Dificilmente Allan Kardec desconheceria essas proposições e somos levados a supor que simpatizasse com elas.
    .

    KARDEC: A doutrina da reencarnação, isto é, a que consiste em admitir para o homem muitas existências sucessivas, é a única que corresponde à ideia que fazemos da justiça de Deus, com respeito aos homens de formação moral inferior; a única que pode explicar o futuro e firmar as nossas esperanças, pois que nos oferece os meios de resgatarmos os nossos erros por novas provações. A razão no-la indica e os Espíritos a ensinam. (KARDEC, 2006, p. 155). (grifo nosso).
    .

    COMENTÁRIO: Consideremos a primeira parte do fecho da reflexão: “A razão no-la indica”. O que Kardec diz-nos é que, dentro da concepção de justiça divina, por ele acatada, o reencarnacionismo seria a proposta que com ela melhor harmonizava. É patente a predileção de Kardec pela reencarnação como projeto salvacionista: somente ao final do discurso, após exaltar as qualidades lógicas da suposição reencarnacionista, noticia que era ensinamento dos espíritos (porém, estrategicamente, não informa que fora ensino de alguns “espíritos”, não de todos).
    .

    KARDEC: O dogma da reencarnação, dizem algumas pessoas, não é novo; foi ressuscitado de Pitágoras. Jamais dissemos que a Doutrina Espírita fosse uma invenção moderna. Por constituir uma lei da Natureza, o Espiritismo há de ter existido desde a origem dos tempos e sempre nos esforçamos em provar que se encontram sinais dele na mais remota Antiguidade. Pitágoras, como se sabe, não foi o autor do sistema da metempsicose; ele o colheu dos filósofos indianos e dos egípcios, [os egípcios não eram reencarnacionistas, a rotina religiosa egípcia, e seus escritos a respeito do julgamento dos homens após a morte, aponta para a ideia de ressurreição, não de reencarnação.] onde existia desde tempos imemoriais. A ideia da transmigração das raças formava, pois, uma crença vulgar, admitida pelos homens mais eminentes. De que maneira chegou até eles? Por uma revelação, ou por intuição? Não o sabemos. Mas, seja como for, uma ideia não atravessa os séculos e nem é aceita pelas inteligências de escol, se não contiver algo de sério. Assim, a antiguidade dessa doutrina seria mais uma prova a seu favor do que uma objeção.
    .
    COMENTÁRIO: “Ser antiga” não dá peso evidenciativo a qualquer idealização. Algumas crenças se mantêm vivas por longo tempo por motivos variados, porém a longevidade não pode ser considerada comprovação. Historicamente, a crença na reencarnação é relativamente recente, embora Kardec tenha erroneamente afirmado que vem “desde a origem dos tempos”. As civilizações mais antigas, como egípcios, mesopotâmios, chineses, não cultivavam conjecturas reencarnacionistas. Em algumas nações, a ideia de múltiplas existências foi incorporada ao pensamento de certos grupos, passando a concorrer com outras postulações, conforme aconteceu na Grécia. Nesta, a hipótese multividas foi valorizada em comunidades esotéricas. Mesmo na Índia, onde as idealizações reencarnacionistas são bem distintas das apregoadas pelo kardecismo, a suposição de muitas existências não constava em escritos religiosos primitivos. Os registros indianos mais antigos não falam de vidas continuadas. Portanto, é incorreta a afirmação de que a reencarnação seja “crença imemorial”.
    .
    KARDEC: Todavia, entre a metempsicose dos antigos e a moderna doutrina da reencarnação há, como também se sabe, uma grande diferença: a de os Espíritos rejeitarem de maneira absoluta a transmigração da alma do homem para os animais e vice-versa. (KARDEC, 2006, p. 177). (grifo nosso).
    .
    COMENTÁRIO: Podemos replicar que os “espíritos” respondem conforme seus cultuadores desejam. Não esqueçamos que entre os espíritas ingleses, onde a reencarnação é repudiada, a espiritualidade também a renega. A metempsicose foi rejeitada pelos alegados espíritos que assessoravam Kardec porque destoava do projeto reencarnacionista por ele adotado, e os “entes espirituais” fizeram eco ao pensamento do codificador. Provavelmente que se consultada a “espiritualidade” de regiões cultivadoras da metempsicose, utilizando-se de médiuns que nela acreditassem, fosse manifesta empolgada aprovação à transmigração de almas em corpos animais.
    .
    KARDEC: Vós estáveis, sem dúvida, dizem também alguns contraditores, imbuídos dessas ideias, e eis porque os Espíritos se aterraram à vossa maneira de ver.
    .
    COMENTÁRIO: É mais ou menos como dissemos acima, e esta é uma boa objeção, à qual Kardec respondeu como pode. É fato que os “espíritos” refletem, e frequentemente repetem, o pensamento dos vivos: em verdade, as ditas revelações espirituais não são recados inéditos, provindos de legítima sabedoria transcendental, nada: são ecos de anseios terrenos a respeito do que se supõe seja o mundo além. Vemos que naqueles dias, os críticos haviam percebido esse ponto. Adiante veremos como Kardec se defendeu.
    .
    Quanto à metempsicose, esse pensamento ainda é acatado por diversas religiões asiáticas. Se seguirmos a alegação de Kardec, de que a antiguidade de uma crença testifica em seu favor, nesse caso, o crente deveria ficar com a metempsicose, por ser idealização mais vetusta.
    Kardec diz ter buscado o consenso dos espíritos e informa que a espiritualidade unanimemente rejeitara a metempsicose. Porém, essa unanimidade aconteceu entre os espíritos que Kardec dizia consultar, pois não sabemos se as almas asiáticas, caso fossem evocadas, também denegariam a reencarnação em corpos de irracionais. Além disso, mesmo a unanimidade espiritual-européia, afirmada por Kardec, não foi absoluta: os “espíritos” ingleses, ao rejeitaram a reencarnação, repudiaram tanto a metempsicose, quanto as múltiplas vidas kardecista.
    .

    KARDEC: Aí está um erro que prova, uma vez mais, o perigo dos julgamentos apressados e sem exame. Se essas pessoas tivessem se dado ao trabalho de lerem o que escrevemos sobre o Espiritismo, teriam se poupado apenas de uma objeção feita muito levianamente. Repetiremos, pois, o que dissemos a esse respeito, saber que, quando a doutrina da reencarnação nos foi ensinada pelos Espíritos, ela estava tão longe do nosso pensamento, que tínhamos feito, sobre os antecedentes da alma um sistema diferente, de resto, partilhado por muitas pessoas. [que sistema teria sido? Não localizamos o que Kardec pensava antes de aderir ao reencarnacionismo.] A doutrina dos Espíritos, sob esse assunto, portanto, nos surpreendeu; diremos mais, contrariou, porque derrubou as nossas próprias ideias; ela estava longe, como se vê, de ser-lhe o reflexo. Isso não é tudo; não cedemos ao primeiro choque; combatemos, defendemos a nossa opinião, levantamos objeções, e não nos rendemos senão à evidência, [qual teria sido a evidência à qual Kardec se rendera?] e quando vimos a insuficiência do nosso sistema para resolver todas as questões que esse assunto levanta. (KARDEC, 2001a, p. 295-296) (grifo nosso).
    .
    COMENTÁRIO: Kardec faz sua defesa, ante a acusação de que os recados reencarnacionistas dos espíritos seriam reflexos daquilo em que acreditava, afirmando que, antes de ter conversado com os desencarnados, sua convicção fora contrária às múltiplas vidas. Só que, ao dizer tal coisa, parece entrar em contradição, uma vez que ao início do escrito, explica-nos que dois foram os motivos que o levaram a optar pelo reencarnacionismo: a razão, e os espíritos. Ele assevera que seu primeiro contato com o reencarnacionismo veio da espiritualidade. Então, submeteu a proposta ao crivo da razão, o que o fez perceber a logicidade das múltiplas existências e, finalmente, cedeu. Mas, e anteriormente, a razão não lhe dera indicações de que a melhor escolha seria essa? Quais teriam sido as primeiras razões de Kardec e as derradeiras? A desculpa de Kardec de que jamais examinara proposições reencarnacionistas, só o fazendo após ter conversado com espíritos soa-nos de difícil aceitação.
    .

    KARDEC: Raciocinamos, como dissemos, abstração feita de todo ensino espírita que, para certas pessoas não é uma autoridade. Se nós, e tantos outros, adotamos a opinião da pluralidade das existências, não foi somente porque ela nos veio dos Espíritos, mas porque nos pareceu a mais lógica, e que só ela resolve as questões até agora insolúveis. Se viesse de um simples mortal e a adotaríamos do mesmo modo, e não hesitaríamos antes em renunciar à nossas próprias ideias; do momento em que um erro é demonstrado, o amor próprio tem mais a perder do que a ganhar obstinando-se numa ideia falsa. Do mesmo modo, teríamos repelido, embora vinda dos Espíritos, se ela nos parecesse contrária à razão, como as repelimos muitas outras, porque sabemos, por experiência, que não é preciso aceitar cegamente tudo o que vem de sua parte, não mais do que vem da parte dos homens. (KARDEC, 2001a, p. 301-302). (grifo nosso).
    .
    COMENTÁRIO: Kardec diz algo muito sério: foi ele próprio o filtro que acatou e rejeitou no espiritismo o que achou por bem. Aqui deparamos problema, sério problema. Suponhamos que a reencarnação lhe contrariasse a razão, conforme contrariou a razão dos espíritas ingleses, mas, fosse ensinada pela universalidade dos espíritos por ele consultados. O que faria Kardec? Além disso, o fato de o codificador monopolizar a escolha do que era cabível ao espiritismo não dá a doutrina garantia alguma de que as opções por ele feitas foram as corretas. Melhor se sairia se elegesse colegiado para conjuntamente avaliar os recados mediúnicos.
    .
    O que para Rivail soara de lógica cristalina, para os espíritas ingleses parecia coisa insensata. Vejamos o que um autor inglês dizia da “lógica” reencarnacionista.
    “Quando a Reencarnação assumir um aspecto mais científico, quando puder oferecer um demonstrável conjunto de fatos que admitam verificação como os do Moderno Espiritismo, merecerá ampla e cuidadosa discussão. Por enquanto, que os arquitetos da especulação se divirtam como quiserem, construindo castelos no ar. A vida é muito curta e há muito que fazer neste mundo atarefado, para que deixemos os vagares e as inclinações a fim de nos ocuparmos em demolir essas estruturas aéreas ou apontar os frágeis alicerces em que se assentam. É muito melhor trabalhar naqueles pontos em que concordamos, do que nos engalfinharmos sôbre aqueles em que parece que divergimos tão desesperadamente. (História do Espiritismo – Arthur Conan Doyle)

    .
    KARDEC: Temos, pois, como se vê, muitos motivos para não aceitarmos, levianamente, todas as teorias dadas pelos Espíritos. Quando uma nos surge, nos limitamos ao papel de observador; fazemos abstração de sua origem espírita, sem nos deslumbrarmos pela imponência de nomes pomposos; nós a examinamos como se ela emanasse de um simples mortal, e vemos se é racional, se dá conta de tudo, se resolve todas as dificuldades. Foi assim que procedemos com a doutrina da reencarnação que não adotamos, embora vinda dos Espíritos, senão depois de reconhecer que só ela, mas só ela, podia resolver o que nenhuma filosofia ainda não resolvera, e isso abstração feita das provas materiais que dela são dadas, cada dia, a nós e a muitos outros. Pouco nos importa, pois, os contraditores, fossem eles mesmo Espíritos; desde que ela é lógica, conforme a justiça de Deus; que eles não podem substituí-la por algo mais satisfatório, não nos inquietamos mais com eles do que com aqueles que afirmam que a Terra não gira ao redor do Sol – porque há Espíritos dessa força e que se dão por sábios – ou que pretendem que o homem tenha vindo inteiramente formado de um outro mundo, carregado nas costas de um elefante alado. (KARDEC, 2000, p. 108-109). (grifo nosso).
    .
    COMENTÁRIO: Talvez sem perceber, Kardec se complica, pois está a dizer que o critério maior, que o norteou na elaboração da doutrina, foi seu próprio juízo e sua predileção por essa hipótese. De certa forma, o que se declara é o seguinte: “aceitei a proposta reencarnacionista porque ela é lógica, e porque os espíritos a ensinam”. Até aí tudo bem, contudo diante da informação de que espíritos em outras plagas rechaçam tal concepção, Kardec retrucaria: “não importa, a doutrina continua sendo lógica”. Portanto, os reais critérios de escolha foram as particulares predileções do codificador.
    .
    Além disso, que garantia têm os espíritas de que o “filtro lógico” utilizado por Kardec foi eficiente em todas as situações? Ele afirmava que, diante de ensino novo promanado dos espíritos, observava, examinava, avaliava. Assim deve ter feito com a suposição de que a totalidade dos corpos celestes seja habitada; com a ideia de a alma sair do corpo durante o sono, e com a reeencarnação. Ora, se Rivail falhou com sua filtragem lógica em pontos tão importantes quanto a evolução reencarnativa, por que não poderia falhar ao eleger essa crença?
    .

    KARDEC: O próprio princípio da reencarnação que tinha, no primeiro momento, encontrado mais contraditores, porque não era compreendido, hoje é aceito pela força da evidência, e porque todo homem que pensa nele reconhece a única solução possível dos maiores problemas da filosofia moral e religiosa. Sem a reencarnação, para-se a cada passo, tudo é caos e confusão; com a reencarnação tudo se esclarece, tudo se explica da maneira mais racional; se ela encontra ainda alguns adversários, mais sistemáticos do que lógicos, o número deles é muito restrito; ora, quem a inventou? Não foi, seguramente, nem vós e nem eu; ela nos foi ensinada, nós a aceitamos, eis tudo o que fizemos. De todos os sistemas que surgiram no princípio, bem poucos sobrevivem hoje, e pode-se dizer que os seus raros partidários estão, sobretudo, entre as pessoas que julgam sob um primeiro aspecto, e, frequentemente, segundo ideias preconcebidas ou preconceitos; mas é evidente agora que, quem se dá ao trabalho de aprofundar todas as questões e julga friamente, sem prevenção, sem hostilidade sistemática, sobretudo, é invencivelmente conduzido, pelo raciocínio quanto pelos fatos, à teoria fundamental que prevalece hoje, pode-se dizer, em todos os países do mundo. (KARDEC, 1993, p. 135-136). (grifo nosso).
    .
    COMENTÁRIO: Kardec mostra-se mais empolgado que lógico. Esticasse ele o olhar um pouquinho mais, veria que, poucos quilômetros além, na Inglaterra, espíritas não-reencarnacionistas bradavam contrariamente à reencarnação, assessorados pela mesma suposta espiritualidade à qual Kardec recorrera. Até mesmo em França Pierárt comandava vertente espírita contrarreencarnacionista. É falaciosa a afirmação de Rivail, de que a “teoria fundamental” prevalecia em “todos os países do mundo”. Será que os espiritualistas anglo-americanos não “aprofundaram as questões” a respeito do princípio da reencarnação, conforme sugeriu Rivail? O mais provável é que tenham refletido sobre a proposta e a rejeitaram! Por que será que não acharam nela os mesmos predicados que Kardec encontrou? A resposta parece-nos mui clara: a escolha se resumiu na simpatia que o codificador espírita votava ao reencarnacionismo.
    .
    Certamente, Kardec não necessitou buscar em fonte primitiva postulações de múltiplas vivências. Se o fizesse, provavelmente a doutrina kardecista seria diferente da que conhecemos. Idealizações reencarnacionistas, mais ou menos nos moldes propostos por Rivail circulavam em França na primeira metade do séc. XIX. Então, Kardec explica sua opção pelas múltiplas vivências asseverando que foi porque os espíritos a apóiam (óbvio, os “espíritos kardecistas”); também porque a proposição seria lógica e “explica tudo”. Em decorrência, diz Kardec, mesmo que os espíritos não a ensinassem ele a ela se agarraria; ou seja, Kardec acataria a reencarnação sob qualquer circunstância.
    ==============================.

  632. MONTALVÃO Diz:

    /
    Borges Diz:
    Montalvão :- Você acha que esta experiência tem chance de dar certo? A consciência desgarrada tem como panorama uma sala onde o personagem central é o seu corpo todo espetado e ligado a tubos que transportam sangue, soro e medicamentos. Caixa craniana aberta por bisturi e serra elétrica, equipamentos de monitoramento ligados ao corpo; um punhado de médicos e enfermeiros agitando o ambiente; um túnel de luz brilhando intensamente convidando para o outro lado. Que chance tem uma pequena placa, colocada acima da cabeça das pessoas, de chamar a atenção daquela pobre alma perturbada. Pode ser que um dia haja sucesso, mas acho que vai demorar.
    Obrigado
    /.
    PONDERAÇÃO: que a experiência não tem chance de dar certo concordo, e efetivamente não deu, embora Pam não tenha sido a ela submetida. Quem pensou que daria certo foi Parnia. Entretanto, não queira usar Pam como modelo (até como foi dito, ela sequer participou do ensaio de Sam Parnia). Em várias situações de quase-morte os quase mortos relatam banalidades que não dizem respeito ao “personagem central”. Aqui no blog foi publicada a ridícula história da dentadura que seu dono teria visto, de fora do corpo, ser retirada pelo socorrista. Há depoimentos de quem diz ter observado a cor dos sapatos do médico…
    .
    Nesse aspecto, a hipótese do Parnia fazia sentido, o que não faz sentido é a crença infantil de que algumas pessoas que quase morrem dão uma passeada no “outro lado” e voltam para testemunhar o que viram.
    .
    Mas teria outro modo de investigar as saídas do corpo: as projeções treinadas. Vários gurus garantem poder ensinar sair do corpo sem estar prestes a morrer. Esses poderiam dar provas vivas de que o fenômeno é real, mesmo porque os que praticam o exercício dão depoimentos sensacionais. Entretanto, se puser cinco objetos numa sala trancada e pedir ao projetado que os descreva, o fracasso é total.
    .
    Do mesmo modo que se chega à conclusão de que mortos não agem no meio dos vivos, nem com estes comunicam, pelo fato de não conseguirem dar prova de suas presenças, igualmente as imaginadas puladas pra fora do corpo não respondem positivamente quando tecnicamente cotejadas.
    .
    Deu pra entender? Deu?

  633. MONTALVÃO Diz:

    “MONTALVÃO, acho que não entendi sua equação, mas a minha mostrava claramente que todas aquelas crenças simbolizadas na expressão algébrica são iguais a zero.”
    /.
    PONDERAÇÃO: e a minha indica que o balanceamento de mais e menos de crenças díspares pode gerar veneno.

  634. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vladimir Diz: Eis o link com os centros que Kardec mantinha contato em seu tempo e que oferece evidência substanciosa de que lançou mão desses contatos para realizar o CUEE:
    /.
    PONDERAÇÃO: que belezura! Relacionar centros com os quais Kardec mantinha contato (ou seja deles recebia correspondência) valida o CUEE! Meu filho, Kardec nunca permitiu que a elaboração da doutrina fosse auditada. Tudo ficou na base do “eu disse então é verdade”…

  635. Demóstenes Diz:

    Montalvão,
    /
    2 dúvidas: Pelo lado saxão, a turma do Sr. Conan Doyle não há contradição em seus argumentos, contra reencarnação?
    /
    Não há indicio, da velha quimera entre ingleses e franceses, tenha se estendido ao espiritismo?

  636. Demóstenes Diz:

    MONTALVÃO,
    /
    Sem abusar de seus conhecimentos.
    .
    E o Sr. Andrew Jackson Davis, o Padre Quevedo diz que ele é o “Kardec Londrino”, confirma?
    /
    fonte: http://institutopadrequevedo.com.br/?portfolio=a-licao-da-discordancia-radical

  637. MONTALVÃO Diz:

    /.
    Marciano Diz: Entendi, MONTALVÃO.
    Em resposta, tenho um questionário pra você.
    /.
    PONDERAÇÃO: cê sabe que seus questionários exaurem-me a capacidade responditiva, mas esforço-me por dar conta, como faço a seguir.
    /
    .
    1 – O que significa INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA HUMANA COM AS FONTES PLANETÁRIAS?
    .
    RESPOSTA: muito simples. Sabemos que somos, antes de tudo, energia. Energia que se condensa sob diversos prismas, sendo o nosso o chamado “pensantis”. O prisma pensantis é emanação do cosmo, que flui sua mais quintessenciada emanação e a esparge sobre o ente humano. Entretanto, os desvios que a cultura nos imprime fá-nos afastar da plena harmonia com o universo, daí a necessidade dessa integração que, melhor seria dita: reintegração.
    ./
    /
    2 – HEALING é o que penso mesmo, curas milagrosas?
    .
    RESPOSTA: É o que também penso e o que deve também pensar a Universal…
    ./
    /
    3 – Qual é o QUARTO CAMINHO?
    .
    RESPOSTA: o que vem após o terceiro…
    /
    ./
    4 – O que vem a ser POTENCIAL BIOPLÁSMICO?
    .
    RESPOSTA: potencial é o que pode vir a se realizar. Se tem BIO refere-se à vida, e o PLÁSMICO, este deve estar ligado à vida moderna que, com seus múltiplos artefatos (inclusive os de plástico) induz o homem (e a mulher também) a procurarem novos caminhos realizativos, taí o funk e o pagode que não me deixam mentir…
    /
    .
    5 – Do que trata a BIOPSICOENERGÉTICA?
    .
    RESPOSTA: ora, o próprio nome já diz, envolve biologia, psicologia e energia. Ainda não se sabe bem ao certo o que resulta dessa mistura, espero que não exploda.
    /
    /
    6 – O que são ASTROENERGÉTICA, ARTE OBJETIVA E SISTEMA ISOTÉRICO?
    .
    RESPOSTA: astroenergética é o estudo da energia recebida dos astros e sua aplicação prática;
    arte objetiva é aquela que objetiva não gerar dúvidas, e,
    sistema isotérico diz respeito à ordem esotérica agraciada com o ISO2000.
    .
    Ufa!

  638. Marciano Diz:

    Gostei de ler, MONTALVÃO.
    Eu queria passar uns probleminhas básicos de física quântica de ensino médio para os quânticos do blog, mas esbarro na representação gráfica dos símbolos.
    .
    Vou tentar um pequeno exemplo, me virando como puder.
    .
    Senhor Carlos Vereza:
    A função trabalho do zinco é 4.3 eV (elétron/Volts). Um fotoelétron do zinco é emitido com energia máxima de 4,2 eV. Qual é a frequencia f do fóton incidente que emitiu aquele elétron?
    .
    Quem não souber equacionar e resolver o problema, demonstrando a resposta, FAVOR NÃO FALAR MAIS EM FÍSICA QUÂNTICA.
    Vá tirar onda de retardado com o diabo que o carregue.
    .
    .
    Uma perguntinha fácil, para quem pensa que sabe o que é mecânica quântica:
    Em condições o olho humano encarnado pode detectar, em média, 10 – ⁸ (dez elevado a menos 18, ou seja, 0,000000000000000001) J (joules) de energia eletromagnética. Quantos fótons de 6.000 ângstroms essa energia representa?
    Considerem h (constante de Planck) = 6,6 elevado a menos 34 J.s e c (velocidade da luz) = 3,0 . 10 ⁸ (100.000.000) m/s (metros por segundo).
    .
    NÃO ENTENDEU NADA?
    Então NÃO SE ATREVA a falar de mecânica quântica.
    .
    Não confunda mecânica quântica de apartamento (a do Carlos Vereza, a da ciência espírita) com a verdadeira mecânica quântica, a do Einstein, do Schröedinger…

  639. Marciano Diz:

    Errata:
    Em condições NORMAIS o olho humano…
    10 elevado a menos 18 (não saiu o um, só o 8, mas eu expliquei em linguagem gramatical, de forma que não há escapatória para os pseudomecânicos quânticos de apartamento.
    .
    É por coisas assim que eu preciso da ajuda do GORDUCHO para exprimir linguagem matemática no blog.
    Pra acabar com essa palhaçada de gente que não sabe o básico de física e de matemática ficar falando de mecãnica quãntica, como se isto estivesse ao alcance de qualquer retardado.
    .
    Quem tiver sabedoria, que calcula quem é o retardado, porque é uma besta (Apocalipse, capítulo 13, versículo 18).
    .
    E fica aqui enchendo o saco dos outros, pensando que pode esconder sua ignorância e falta de raciocínio, ofendendo pessoas de quem, provavelmente, tem inveja.

  640. MONTALVÃO Diz:

    “Só pelos nomes citados tanto por Herculano Pires, quando Silvio Canuto Abreu, fica claro que a assertiva de Kardec de que mais de 10 médiuns trabalharam na elaboração do OLE é verdadeira.”
    /.
    PONDERAÇÃO: 10 médiuns conseguem carrear quanto espíritos? Digamos que 2, então seriam 20 mortos comunicando, mais os recados provindos dos centros, dos quais não sabemos quantos foram acatados e os desprezados, tampouco sabemos se havia mais manifestação contrária à reencarnação que favorável, mesmo assim digamos que o CUEE kardecista fora composto por uma tropa de 200 espíritos. Acho que tá um número legal. Agora confronte essa duocentena de mortos com a manifestação de espiritualista inglês.
    .
    “Também nos países anglo-saxões, especialmente na Inglaterra, tal princípio era veementemente combatido, tanto assim que WILLIAM HOWITT, um dos pioneiros do Espiritismo na Inglaterra foi muito enfático e a sua agressividade, desnecessária, talvez se explique pelo que KARDEC disse do Espiritismo na América. Eis as palavras de HOWITT, segundo ARTHUR CONAN DOYLE:
    “(…) Se a reencarnação for uma verdade, lamentável e repelente como é, deve ter havido milhões de espíritos que, ao entrarem no outro mundo, em vão terão procurado os seus parentes, os filhos, os amigos… Já teria chegado a nós esse sussurro de milhares, DE DEZENAS DE MILHARES de espíritos comunicantes? Nunca. Podemos, portanto, só nesse campo, considerar falso o dogma da reencarnação, como o inferno do qual ele brotou.” – grifos nossos (In “História do Espiritismo”, A. CONAN DOYLE, Edit. PENSAMENTO, São Paulo, p. 397).
    .
    O CUEE de Kardec enfrentava a oposição de dezenas de milhares de espíritos ingleses… quem tinha, então, maior autoridade pra falar?

  641. Marciano Diz:

    Não adianta procurar resposta para os problemas nos livrinhos do Hawking e outras porcarias mais.
    Tem de estudar uns 11 anos de física e matemática, em livros de verdade.

  642. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Demóstenes Diz:
    AGOSTO 11TH, 2015 ÀS 11:58 PM
    Montalvão,
    /
    2 dúvidas: Pelo lado saxão, a turma do Sr. Conan Doyle não há contradição em seus argumentos, contra reencarnação?
    /
    Não há indicio, da velha quimera entre ingleses e franceses, tenha se estendido ao espiritismo?
    ./
    RESPOSTA: poderia aclarar um pouco mais o questionamento? Estou um tanto confuso com o que requer…

  643. Marciano Diz:

    Como eu já disse antes, eu não quis ser físico porque sabia que ganharia miséria optando pela carreira.
    A maioria acaba dando aulas em um curso vagabundo para se sustentar.
    É muito melhor ser engenheiro, de qualquer especialidade.
    Direito, para quem é competente e sabe angariar clientes ricos e importantes, rende muitos metais, muito mais do que pode ganhar um asno que foge da matemática e da física fazendo cursos nos quais nada se precisa saber dessas matérias, lê livros para idiotas e acha que sabe alguma coisa.

  644. Marciano Diz:

    ⌚ É tarde, eu já vou indo, preciso ir embora, até amanhã.

  645. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Demóstenes Diz: MONTALVÃO,
    /
    Sem abusar de seus conhecimentos.
    .
    E o Sr. Andrew Jackson Davis, o Padre Quevedo diz que ele é o “Kardec Londrino”, confirma?
    ./
    RESPOSTA: “premero” precisaria conhecer as razões de Quevedo para tal afirmativa. Tenho quase todos os livros do padre, mas não lembro de ter lido essa parte, se puder indicar em qual deles consta, facilitará a análise.

  646. Demóstenes Diz:

    Marciano,
    f= 4,5.10-7 m.
    3.10 ?= 4,3 . f ?
    Ta faltando dados ae.

  647. Demóstenes Diz:

    Montalvão,
    /
    O Sr. Conan Doyle e a sua turma inglesa caíram em contradição?
    /
    Não há indicio, da rivalidade entre ingleses e franceses, tenha se estendido ao espiritismo?
    /
    P. Quevedo
    tenho um link;

    http://institutopadrequevedo.com.br/?portfolio=a-licao-da-discordancia-radical

  648. Marciano Diz:

    Não é contigo, não, DEMÓSTENES.
    Não percebeu?
    Fique se divertindo com leitura mais útil, porque eu já FUI!
    .
    http://www.arquivoescolar.org/bitstream/arquivo-e/184/1/texto.pdf

  649. Marciano Diz:

    Você tem o mesmo problema que eu, não consegue colocar fórmular aqui.
    Tem formação técnica?
    A minha é em direito, mas que me viro com a física.

  650. Demóstenes Diz:

    Marciando,
    Não, sou webdesigner e analista sistema, antigamente chamavam assim.

  651. Demóstenes Diz:

    Marciano,
    Não, sou webdesigner e analista sistema, antigamente chamavam assim.

  652. Marciano Diz:

    Pela equação fotoelétrica de Einstein e sendo φ = 4,3 eV e a Energia máxima = 4,2 eV, temos que h que multiplica f = φ + Ecmax ⇒ h que multiplica f = 8,5 eV
    Se h = 6,63 vezes 10 elevado a menos 34 joules por segundo, convertemos eV em J e temos f=2,05 vezes 10 elevado a 15 Hz.
    .
    Assim fica difícil, mas acho que deu pra entender.
    A resposta é em frequencia, não em comprimento de onda.
    Você quis dizer 4,5 vezes dez elevado a menos 7 metros?
    Sendo o comprimento da onda igual à sua velocidade © dividida por sua frequencia, acho que você errou, mas como você diz que não existem dados suficientes…
    .
    Enfim, o problema não era pra você, nem para o BORGES.
    .
    De qualquer forma, se você conseguiu trabalhá-lo, é porque entende realmente de física, o que me deixa surpreso, pois pouca gente conhece a verdadeira física, todo mundo só sabe física de documentário.
    Parabéns de qualquer forma!
    .
    O problema destinava-se ao inefável.

  653. Marciano Diz:

    Vou dormir, porque amanhã eu tenho um monte de audiências, em locais e varas diversas, peças para serem redigidas, um monte de trabalho que não tem nada a ver com o que discutimos aqui, e vou tomar remédios para dormir, porque sou insone.
    .
    Acho que você, DEMÓSTENES, e você, BORGES, são futuros GORDUCHOS, ANTONIOS, MONTALVÃOS, TOFFOS, resumindo, futuros ex-crentes.
    abs a todos e inté.

  654. Gorducho Diz:

    Não há indicio, da velha quimera entre ingleses e franceses, tenha se estendido ao espiritismo?
     
    Quimera não: ronha, rixa…
    Mas a reencarnação romântica nada tem a ver c/essa ronha. Foi produzida pelos socialistas do continente para propiciar justiça social ao indivíduo via várias encarnações. Tanto O Jean Reynaud quanto mais ainda o Kardec que era um fanático católico amenizaram o modelo, retornando-o mais para o lado da Justiça Divina numa adaptação do salvacionismo católico. Ou seja: dado os dogmas que (i) D-us existe, (ii) é “justo” (aí claro que aí deveria haver uma discussão socrática sobre o conceito, mas o Kardec não chegava filosoficamente lá, o conceito é dado primitivamente); decorre que observadas as injustiças existentes, pela “razão” (deles JR e Kardec) decorre que a reencarnação existe.

  655. Gorducho Diz:

    Ah!… querela…
     
    E o Sr. Andrew Jackson Davis, o Padre Quevedo diz que ele é o “Kardec Londrino”, confirma?
    Bom, partindo do Pe. Quevedo, não duvido que tenha dito mesmo que ele era londrino :lol:
    Confirma o que?

  656. Gorducho Diz:

    De qq maneira estou achando que é apócrifa essa atribuição a Pe. Quevedo, de achar que o AJD era londrino…
    Onde está citado?

  657. Gorducho Diz:

    Martyrs 8
    Martyrs 46
    Rouchechouart 7
    Lamartine 32
    Esse era o “universo” do C”U”EE do Kardec. A Ruth-Céline era quase vizinha dele; e as meninas moravam juntas!
    :lol: :lol: :lol: :lol:

  658. Borges Diz:

    Montalvão diz:- .” Em várias situações de quase-morte os quase mortos relatam banalidades que não dizem respeito ao “personagem central”. Aqui no blog foi publicada a ridícula história da dentadura que seu dono teria visto, de fora do corpo, ser retirada pelo socorrista. Há depoimentos de quem diz ter observado a cor dos sapatos do médico…”
    Comentário:- Dentadura pode não ser importante para você, mas certamente seria para o seu dono. Quanto à cor dos sapatos do médico, acho que é algo importante sim, um homem com profissão desconhecida, utilizando um sapato de cor não usual (vermelho, amarelo ou verde), já desperta a atenção de um observador, imagine um médico que faz parte da equipe que vai operá-lo. Se a placa a ser identificada fosse colocada no topo da cabeça de um dos profissionais envolvidos na cirurgia, certamente seria mais facilmente notada; situação impossível, a menos que fosse apenas um figurante.
    “Do mesmo modo que se chega à conclusão de que mortos não agem no meio dos vivos, nem com estes comunicam, pelo fato de não conseguirem dar prova de suas presenças,”
    Já apresentei aqui o caso da “menina que assumiu a personalidade de primo morto”

    https://www.youtube.com/watch?v=QPOjLrisuRM
    Até o presente momento não apareceu argumento refutando de forma convincente, que permita descaracterizar este episódio como evidência forte de ação dos mortos no meio dos vivos.
    Obrigado

  659. Vitor Diz:

    Montalvão
    comentando:
    01 – “que a experiência não tem chance de dar certo concordo”
    .
    Achismo puro…
    .
    02 – “e efetivamente não deu”
    .
    Até porque nenhuma das EQMs ocorreu onde os alvos estavam.
    .
    03 – “Aqui no blog foi publicada a ridícula história da dentadura que seu dono teria visto, de fora do corpo, ser retirada pelo socorrista.”
    .
    História tão ‘ridícula’ que foi mencionada por diversos jornais científicos e discutida por anos…
    .
    04. Há depoimentos de quem diz ter observado a cor dos sapatos do médico…
    .
    Idem acima…
    .
    05 – “Nesse aspecto, a hipótese do Parnia fazia sentido, o que não faz sentido é a crença infantil de que algumas pessoas que quase morrem dão uma passeada no “outro lado” e voltam para testemunhar o que viram.”
    .
    Infantil é acreditar que menosprezar as ideias dos outros com rótulos como ‘infantil’ ajuda seu próprio discurso… lamentável.
    .
    06 – “Mas teria outro modo de investigar as saídas do corpo: as projeções treinadas. Vários gurus garantem poder ensinar sair do corpo sem estar prestes a morrer. Esses poderiam dar provas vivas de que o fenômeno é real, mesmo porque os que praticam o exercício dão depoimentos sensacionais. Entretanto, se puser cinco objetos numa sala trancada e pedir ao projetado que os descreva, o fracasso é total.”
    .
    Mas nem pelo mero acaso o fracasso seria total…
    .
    07 – “Do mesmo modo que se chega à conclusão de que mortos não agem no meio dos vivos, nem com estes comunicam”
    .
    Sim, o mesmo modo pelo qual se chega à conclusão que as aranhas ouvem pelas patas: os saltos lógicos do Montalvão aliado às premissas que ele tira da cachola dele :-D

  660. Borges Diz:

    Marciano diz:- vou tomar remédios para dormir, porque sou insone.
    .
    Acho que você, DEMÓSTENES, e você, BORGES, são futuros GORDUCHOS, ANTONIOS, MONTALVÃOS, TOFFOS, resumindo, futuros ex-crentes.
    abs a todos e inté.
    Comentário:- Acho que você está tomando muito remédio para dormir.
    obrigado

  661. Gorducho Diz:

    Pois é… eu não ridicularizei!
    Só alfinetei a tradução de hartmassagepomp como Tambor, mas aí ficou esclarecido que é um coelhinho…
     
    Quanto às chances de dar certo, o Sam Parnia bolou a única coisa que me ocorre ser possível de bolar. É análogo ao nosso experimento p/testar o espiritismo. Se não funciona azar dos Crentes que querem a todo custo espiar o céu pela fechadura…

  662. Vitor Diz:

    apenas esclarecendo para quem não acompanhou, eu não traduzi hartmassagepomp como Tambor, e sim Thumper.

  663. Contra o chiquismo Diz:

    Borges, vc parece que tem jeito. Já enxerga falhas, mas ainda acredita que tem algo no ‘além’. Algo que ninguém provou nestes mais de 100 , 150 anos últimos.
    .
    .
    O fanatismo do Demo é de espantar. Ele defende o indefensável. Parece os advogados do goleiro Bruno e do Macarrão.
    .
    .
    Vc Borges, é como aquele advogado que quer a redução ao máximo da pena pois não tem jeito de escapar da condenação o seu cliente.
    .
    .
    O Demo que convencer o juiz que a Elisa Samúdio tá viva em Paramaribo dando risadas da situação e que o Bruno foi vítima de armação.

  664. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Demóstenes Diz: Montalvão,
    /
    O Sr. Conan Doyle e a sua turma inglesa caíram em contradição?
    /
    Não há indicio, da rivalidade entre ingleses e franceses, tenha se estendido ao espiritismo?
    /.
    PONDERAÇÃO: DEMOS, fico em dúvida se está afirmando ou indagando, embora haja interrogações. Vou tentar dar retorno dentro do que (acho) entendi.
    .
    Conan Doyle era maravilhado pela crença de que falecidos falam com vivos, tendo ele próprio recebido mensagens do filho morto na 1ª Grande Guerra. Ele não era de todo contra a reencarnação, pois admitia, qual alguns mediunistas americanos e ingleses, um tipo restrito de retorno, uma reencarnação seletiva, destinada aos que não tinham cumprido suas missões na Terra. Essa seria exceção na regra de que morreu fu, digo, se vai de vez. Essa suposição, de um reencarnacionismo restrito, pode ser visto na resposta que Piper deu aos seus consultores quando indagada sobre o assunto, vez que era essa a forma multividas que ela conhecia (e bem sabemos que os espíritos são eco do que está na cabeça dos médiuns).
    .
    A “rivalidade” entre ingleses e franceses, pois, reside na divergência havida entre a “espiritualidade” britânica e americana e a francesa no tangente às múltiplas vidas. Não entendi bem o que quis dizer com “passar ao espiritismo”, mas Kardec conheceu bem as objeções promanadas por seus vizinhos, tanto que tentou explica-la, embora com fraco argumento (alegou que o repúdio à reencarnação devia-se ao fato de os ingleses serem racistas).
    .
    Na atualidade, conquanto se achem cultivadores da reencarnação na Inglaterra e EUA, as desavenças opinativas continuam. Na França, os acreditadores da reencarnação quase se extinguiram, juntamente com o kardecismo.

    .
    Espero ter atendido.

  665. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Pela equação fotoelétrica de Einstein e sendo ? = 4,3 eV e a Energia máxima = 4,2 eV, temos que h que multiplica f = ? + Ecmax ? h que multiplica f = 8,5 eV
    Se h = 6,63 vezes 10 elevado a menos 34 joules por segundo, convertemos eV em J e temos f=2,05 vezes 10 elevado a 15 Hz.
    .
    Assim fica difícil, mas acho que deu pra entender.
    /.
    PONDERAÇÃO: deu sim, todos entendemos tuuuudinho! até os pontos e as vírgulas… ;-)

  666. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Borges Diz: Dentadura pode não ser importante para você, mas certamente seria para o seu dono. Quanto à cor dos sapatos do médico, acho que é algo importante sim, um homem com profissão desconhecida, utilizando um sapato de cor não usual (vermelho, amarelo ou verde), já desperta a atenção de um observador, imagine um médico que faz parte da equipe que vai operá-lo.
    /.
    PONDERAÇÃO: realmente, dentaduras importam para seus usuários, cores de sapatos talvez despertem a curiosidade de interessados, mas citei os exemplos para lhe mostrar que o “personagem principal” por você aventado nem sempre é o foco do desgrudado do corpo. Ainda há casos de quem, durante a cirurgia, sinta-se fora do organismo e aproveite para dar uma passeada pelos arredores, deixando a cena e o personagem principal esquecidos.
    .
    De qualquer modo, mesmo a dentadura tendo valor para seu usuário, a história não se livra de ser ridícula, basta examinar os depoimentos e o contexto da narrativa e isso fica patente. Se não estou deslembrado, na discussão postei opinativos, releia-a e veja.
    .
    Mas o principal nessa confusão toda é que esses relatos não podem ser confirmados tecnicamente, a única tentativa intentada, merecedora de acompanhamento, a do Parnia, como se sabe, não deu certo. E, pelo visto, ninguém quer arriscar pôr os que dizem sair de seus corpos sem estarem em quase-morte sob testagens, certamente prevendo o malogro. Aliás alguns experimentos do tipo foram realizados: tem alguma dúvida quanto ao resultado?
    /
    /
    Borges Diz: Se a placa a ser identificada fosse colocada no topo da cabeça de um dos profissionais envolvidos na cirurgia, certamente seria mais facilmente notada; situação impossível, a menos que fosse apenas um figurante.
    .
    PONDERAÇÃO: prezado, se for o caso, sugira isso ao Parnia ou aos que com ele cooperaram (O Alexander participou do experimento, pode contatá-lo: se quiser tenho o e-mail dele). Eu não acho razão suficiente que leve a conceber que experiências psíquicas havidas em situações de morte iminente possam reportar legítima experiência espiritual. Visto que as alegações em maioria são inverificáveis (como conferir que o sonhador esteve mesmo no céu?) deixemos que os que se comprazem com tais fantasias com elas se divirtam, desde que cientes de que inexiste mínima evidência da realidade dessas aventuras.
    /
    /
    “Do mesmo modo que se chega à conclusão de que mortos não agem no meio dos vivos, nem com estes comunicam, pelo fato de não conseguirem dar prova de suas presenças,”
    Borges Diz: Já apresentei aqui o caso da “menina que assumiu a personalidade de primo morto”
    https://www.youtube.com/watch?v=QPOjLrisuRM
    Até o presente momento não apareceu argumento refutando de forma convincente, que permita descaracterizar este episódio como evidência forte de ação dos mortos no meio dos vivos.
    .
    PONDERAÇÃO: não sei que argumento espera seja capaz de mostrar-lhe que no caso não houve mais que um muito mal representado teatro. A garotinha que falava de boca fechada, pois não conseguia imitar a voz do primo, divertiu-se na casa do tio em melhor situação econômica que a da família dela enquanto pode, depois, não teve jeito: a brincadeira não poderia durar a vida toda e ela voltou a ser o que sempre foi: uma menininha muito sapeca.
    .
    Se é assim que admite a ação de mortos entre os vivos vamos mesmo ter problemas em lhe passar a percepção das infantilidades que vicejam nesse meio.
    .
    Mas vou usar a incorporação do primo na prima (êpa!). Veja só, os mortos são capazes de até isso fazer, mas por que, então, são inábeis em ler um trecho de escrito oculto das vistas do médium? Isso é que não dá para entender…

  667. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    VITOR,
    .
    Não acha que está mais que na hora de apontar seus canhões culturais para os médiuns, conclamando-os a produzirem provas objetivas de espíritos presentes e comunicantes nos entornos mediúnicos? Ser-lhe-á mais produtivo que ficar em eterno retorno a discussões já havidas, repetindo os mesmos e rebatidos argumentos. Por que se encostar em gente de há muito morta, incapaz de produzir as evidências que alega existirem? Traga-nos quem possa ser conferido e confirmado.
    .
    Dito isto, falo.
    /.
    Vitor Diz: Montalvão
    comentando:
    01 – “que a experiência não tem chance de dar certo concordo”
    .
    Achismo puro…
    .
    PONDERAÇÃO: não é achismo: as experiências intentadas com quem diz capaz de sair do corpo são todas falhadas, a conclusão é inevitável. Achismo tolo é achar que depoimentos de quem saiu de quase morte acreditando ter ido ao céu, maior parte destes divulgada tempos depois do acontecido, tenham valor de evidência.
    /
    /
    .
    02 – “e efetivamente não deu”
    .
    Até porque nenhuma das EQMs ocorreu onde os alvos estavam.
    .
    PONDERAÇÃO: o que mostra que as EQM são realmente eventos exceptivos. E, não se fazem regras com exceções.
    ./
    /
    03 – “Aqui no blog foi publicada a ridícula história da dentadura que seu dono teria visto, de fora do corpo, ser retirada pelo socorrista.”
    .
    História tão ‘ridícula’ que foi mencionada por diversos jornais científicos e discutida por anos…
    .
    PONDERAÇÃO: será que os jornais científicos que publicaram a história “por anos” não tinham coisa mais interessante para divulgar? Uma dentadura babada cujo dono morreu e nunca se manifestou a respeito do que dizem ter ele experienciado deve ser mesmo história pra ficar anos em discussão…
    .
    A respeito das dentaduras, escrevi em artigo eu divulguei noutro site (trecho):
    .
    [...]Outro problema se apresenta quando se examina com certo rigor as alegadas evidências da vida além. O exame mostra que essas evidências são altamente questionáveis. Muitos crentes transformam fragílimos indícios em fortes evidenciamentos, conforme ilustram as admiráveis declarações de apologistas das quase morte místicas.
    .
    Certos casos que neurologistas e cardiologistas místicos apresentam, para exemplificar vivências espirituais de quase morte, não são apenas anedóticos, são verdadeiras anedotas. Van Lommel, um dos “cientistas que utilizam tecnologia de ponta” na investigação de quase morte, conforme atesta Elaine, defende com muita ênfase aventura que ficou conhecida como “a anedota das dentaduras”.
    .
    Um sujeito teria sofrido forte ataque cardíaco e, ao ser socorrido, estava em estado comatoso, inconsciente, correndo risco iminente de morte. Um dos enfermeiros que tentava a ressuscitação, retirou as dentaduras do homem e as guardou numa gaveta. Uma semana após o acontecido, esse enfermeiro deparou o sujeito em recuperação no hospital. O doente prontamente reconheceu o técnico e reclamou dele o paradeiro de suas dentaduras. Admirado, o profissional quis saber como o sujeito lembrara do acontecido se estava em coma. O homem informou que assistira “de cima”, ou seja, seu espírito pairava sobre o grupo na expectativa de confirmar se ficava ou se ia, e, acrescenta a testemunha, temera que a equipe encerrasse precocemente o esforço de reanimação…
    .
    Van Lommel apresenta o relato como evidência forte de experiência espiritual em EQM. Da maneira que a história é contada nos meios apologéticos tem-se a impressão de que se trata de acontecimento sugestivo. Ocorre que, geralmente, os narradores não veem problema em deixar de lado certos fatos que, se fossem levados em conta, mostrariam a ingenuidade de tais relatos. O primeiro deles é que Van Lommel pegou a história de segunda ou terceira mão. Alguém que conhecia o enfermeiro teria contado a Lommel o depoimento daquele. E isso anos depois do acontecido.
    .
    Especialistas não tão crédulos quanto Lommel, que examinaram o suposto testemunho, acharam razões médicas para propor que o paciente não estivesse plenamente sem consciência, portanto poderia ter acompanhado ao menos parte dos acontecimentos. Mas, o mais admirável é que quando procurou-se o protagonista da experiência para dele colher depoimento confirmatório, o sujeito foi dado por morto. E, mesmo assim, com uma história cheia de furos e dúvidas, e sem confirmação merecedora de crédito, Lommel a divulgou como se fora ilustração de qualidade de vivência espiritual…
    .
    Quem almeja apenas confirmar anseios místicos pode se contentar com trabalhos como o de Van Lommel, Brian Weiss, Peter Fenwick, Cherie Sutherland, Zammit e outros que fazem declarações definitivas calcadas em suporte frágil. Os trabalhos desses personagens ostentam casca de cientificidade, suficiente para satisfazer os menos exigentes. No entanto, estejamos certos que investigações efetivamente científicas ainda estão distantes de ter sido realizadas. Em resumo: boas evidências da vida além até o presente não foram produzidas…
    Moizés Montalvão
    /
    /
    ..
    06 – “Mas teria outro modo de investigar as saídas do corpo: as projeções treinadas. Vários gurus garantem poder ensinar sair do corpo sem estar prestes a morrer. Esses poderiam dar provas vivas de que o fenômeno é real, mesmo porque os que praticam o exercício dão depoimentos sensacionais. Entretanto, se puser cinco objetos numa sala trancada e pedir ao projetado que os descreva, o fracasso é total.”
    .
    Mas nem pelo mero acaso o fracasso seria total…
    .
    PONDERAÇÃO: conhece caso bem sucedido? Não falo de em cinco objetos o sujeito chutar um acertadamente: se ele está vendo em projeção cinco coisas cabem na memória da maioria das pessoas, portanto, o esperado é 100%. E também em experiências tais não basta uma de sucesso, como é comum em experimentos espiritistas. Se o navegador cósmico espiritual vê uma verá duas, três… Boa ciência e boa evidência não se produzem com poucos eventos que pareçam confirmar o acreditado.
    /
    /
    07 – “Do mesmo modo que se chega à conclusão de que mortos não agem no meio dos vivos, nem com estes comunicam”
    .
    Sim, o mesmo modo pelo qual se chega à conclusão que as aranhas ouvem pelas patas: os saltos lógicos do Montalvão aliado às premissas que ele tira da cachola dele
    .
    PONDERAÇÃO: tão tá certo: os mortos comunicam mas são incapazes de registrarem suas presenças, mesmo com verificações simples que qualquer falecido tiraria de letra. Afinal “eles” sabem que estão aí e não estão nem aí para quem pense diferente… Deve por aí… ☹

  668. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Borges Diz: Já apresentei aqui o caso da “menina que assumiu a personalidade de primo morto”. Até o presente momento não apareceu argumento refutando de forma convincente, que permita descaracterizar este episódio como evidência forte de ação dos mortos no meio dos vivos.
    /.
    PONDERAÇÃO: o que deve ser mais fácil para um espírito realizar:
    .
    1) entrar no corpo de um vivo, corpo que não lhe pertence, jogar o espírito dono daquele organismo pro lado e controla-lo por inteiro como se dono dele fosse: acoplamento perfeito! Note-se que a menininha possuída pelo primo fazia tudo o que sempre fez, com o acréscimo de algumas habilidades do primo. Por exemplo, ela não nadava, mas o primo falecido sim, então a garotinha nadou (meio esquisitamente, mas nadou); ela não sabia andar de bicicleta, o primo sabia, então ela subiu na bike e a pedalou como se nascera em cima de uma… a única alteração na garotinha foi falar de boca fechada…
    .
    ou
    .
    2) ler duas frases de um livro postado fora das vistas do médium e bisurar no ouvido do medianeiro o que foi lido?

    .
    A lógica ensina: quem faz o mais complicado certamente faz o mais simples…
    .
    E aí Vitor e demais mediunistas, vamos conclamar médiuns a porem seus espíritos em ação e resolver de vez por todas essa encrenca?

  669. Larissa Diz:

    Peri-Tancredo Neves mandou um alô…muito conveniente…
    .
    VAMOS SAIR ÀS RUAS E MOSTRAR A NOSSA CARA DE DESAGRADO.
    SEXTA-FEIRA, 7 DE AGOSTO DE 2015
    Carta de Tancredo Neves psicografada por Robson Pinheiro.
    Amigos e companheiros espiritualistas da nação brasileira,
    Nosso país passa por momentos incomuns em seu cenário político, econômico e social, mas, sobretudo, por uma crise sem precedentes de ordem espiritual, a qual se faz perceber nos desdobramentos do nosso momento político e na conjuntura socioeconômica na qual estamos todos inseridos e imersos.
    Não podemos ignorar as palavras de Allan Kardec ao registrar que “de ordinário, são eles [os espíritos] que vos dirigem”. Sob esse pensamento, que traduz a realidade da vida nos bastidores de todas as ações humanas, sabemos que as dificuldades enfrentadas pelo povo brasileiro não são somente da parte daqueles que detêm o poder ou que o veem fugir de suas mãos. Nós enfrentamos, neste momento, um dos casos mais graves de obsessões complexas num âmbito generalizado em nossa nação. O país passa por uma crise espiritual na qual as forças da oposição ao progresso culminaram com a derrocada de valores e conquistas do povo brasileiro, afetando, em grande medida, as instituições públicas. Tudo isso levando-se em conta que, desde os bastidores da vida, espíritos representantes das sombras, das trevas mais ínferas, têm manipulado suas marionetes —políticos, homens públicos, empresários e homens do povo, desde as pessoas mais comuns até aquelas que em algum grau detêm poder ou liderança sobre a multidão e, ainda, as que formam opinião e são capazes de influenciar a situação reinante — a qual, a cada dia,agrava-se a passos claros.
    Não podemos desconsiderar que a arma da qual se utilizam os representantes das trevas deste século é eficiente o bastante para minar as forças daqueles que querem acertar, pois formam quadrilhas, grupos de poder para os quais é mais importante sua manutenção no poder, a qualquer custo, do que o bem-estar do povo e das instituições que zelam por nosso futuro promissor como nação.
    Não nos esqueçamos de que, por trás de homens, estão as hostes espirituais da maldade, que fazem de tudo para saquear os cofres públicos, solapar a economia, fraudar, corromper os valores éticos, assim roubando do povo brasileiro o sono de sossego ou a fé em dias melhores. A estratégia dessas entidades consiste, em larga medida, em promover a desgraça daqueles homens e daquelas instituições que ainda acreditam e representam o bem, a honestidade, a retidão de caráter e os valores que nos tornaram, ao longo dos séculos, a grande nação que somos. É a política das trevas, por meio de suas marionetes encarnadas, a deturpar tanto o significado quanto a razão mesma da ética e de valores nobres e sadios mediante o assassinato da fé do povo, alardeando uma visão populista ao mesmo tempo em que encobre sua verdadeira face de estandarte do mal e das forças da escuridão.
    Estamos em plena guerra espiritual, na qual o campo de batalhas está cada vez mais próximo de nós, de nossas famílias, de nossas vidas. Não mais podemos pensar num tempo de tranquilidade ou de aparente segurança, pois ninguém está seguro diante dos lobos travestidos em peles de ovelhas com seus discursos preparados para enganar e levar a multidão a erro. Em troca, deixam as migalhas caírem de seus cofres particulares, ou dos cofres e das contas bilionárias das quadrilhas que tomaram de assalto e aparelharam o governo, o país e as instituições que deveriam nos representar.
    Mas não estão sós esses homens que assim agem. Como marionetes das forças das trevas, eles representam um forte aparato de guerra que é utilizado a fim de retardar o progresso e fazer com que as instituições do bem sejam afetadas diretamente, pela força, a arrogância, as mentiras e as pretensões das quais se valem para fazer afundar o barco da nação brasileira.
    A política faliu; os homens públicos faliram; muitas empresas sucumbiram mediante o abuso daqueles que tentam dominar a qualquer custo, e, inclusive, muitos homens de bem, muitas pessoas de boa vontade, iludidas, deixaram-se levar pelas promessas vãs, pelas políticas públicas populistas, com seu idealismo patético a distribuir suas migalhas, que ainda hoje retêm a população mais sofrida na situação de dependência crônica dos programas forjados para iludi-la, visando à ignorância do povo acerca do que se comete nos bastidores. Misérias e bolsas oportunistas são oferecidas à gente pobre mas também aos ricos, enquanto lobos vorazes pilham a economia e buscam se manter disfarçados de ovelhas no comando de uma das maiores nações do planeta.
    Não nos enganemos, meus amigos, pois não estamos lutando “contra a carne e o sangue”, mas, como disse o apóstolo Paulo, “contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade”. Em outras palavras, a guerra não é contra homens, apenas; com efeito, é de ordem espiritual. Nosso discurso não é meramente político, mas de convicção espiritual da realidade dos seres trevosos com os quais lidamos.Quem é incapaz de perceber a gravidade da hora, o estiramento das convicções e o assalto aos valores em pleno curso, deve-se indagar, honestamente, se sua visão já não está comprometida pelos feiticeiros da hipnose vigente, pelos artífices da derrocada da nação brasileira, dos dois lados da vida.
    Por isso, hoje não nos resta uma alternativa plenamente confiável, embora vislumbremos a possibilidade de modificar esse panorama, dando um novo rumo ao nosso futuro. Se, por um lado, não se apresenta alguém que reúna condições genuínas e plenas de representar a nação e o povo brasileiro fazendo frente a esta marca da corrupção que avassala desde Brasília até a base mesma da sociedade — isto é, o povo comum—, pelo menos nos resta a alternativa de optarmos por uma ética ou, quem sabe, pela possibilidade de mudar, uma vez que o horizonte não nos aponta um líder ou uma liderança isenta de chances de perpetuar o erro. Ou, mais modestamente: diante do quadro dramático em que se vê a nossa nação, errar menos já seria de muito bom grado diante do extremo a que chegaram os representantes eleitos democraticamente pelo nosso povo, iludido pelas promessas, as mentiras e as ideologias de um governo dos mais corruptos que a história do Brasil já conheceu. Diante de tamanha manipulação mental, hipnótica e sensorial empregada por aqueles que formaram a quadrilha que nos governa desde os bastidores do Palácio da Alvorada até os bastidores da vida, sem dúvida errar menos já significaria grande avanço.
    Nosso momento é grave, não somente economicamente, mas espiritualmente falando. Sobretudo do ponto de vista espiritual, pois sabemos,com o mínimo de perspicácia e observação, que forças ocultas estão em plena concentração na tentativa de afundar o barco da nação brasileira, sobre a qual já foi dito, um dia, que deveria ser o coração do mundo e a pátria do Evangelho.
    Segundo podemos constatar, o coração está parando; está enfermo e precisando urgentemente de uma cirurgia moral, ética e espiritual. E é raro que um processo cirúrgico não cause apreensão e seja indolor.
    Em caráter emergencial, precisamos nos irmanar em oração, todos os que de alguma maneira querem o bem do povo brasileiro. Precisamos pedir a Jesus que tenha misericórdia dos filhos desta terra e das lideranças e dos representantes do povo, mas que também sustente os esforços daqueles poucos que resistem e querem acertar; dos que militam em defesa da ética, da justiça, do desmascaramento dos lobos que enganam e enganaram a multidão num momento frágil de sua fé no futuro e utilizaram do poder de barganha para comprar com promessas levianas aqueles que não souberam e ainda não sabem distinguir entre a ovelha e o lobo — este, obando que governa, distribuindo migalhas em troca de votos e popularidade. Quem sabe, clamar para que os cidadãos sejam capazes de discernir e identifiquem quem deseja ajudar educando e objetiva, de fato, libertá-los da miséria, da servidão da consciência e da ignorância. Precisamos nos reunir em oração, mesmo aqueles que de alguma maneira ainda se deixam levar pelas promessas que já se mostraram vazias e pelo idealismo disseminado em nome desta política desumana, que com certeza não tem sua origem nos dirigentes espirituais da nação, mas nas hostes da maldade, nos representantes da escuridão que estão encastelados nos corações daqueles que, em troca do sofrimento do povo brasileiro, tentam dominar e perpetuar-se no poder a qualquer custo.
    Nosso convite é para orarmos, juntarmos nossas energias e possibilidades espirituais, e não somente vibrações, para que nos pronunciemos cada vez mais. Que tenhamos a coragem de sair de nossos lares, de ir às ruas, de nos manifestar pelo bem e pelo direito, pela vitória da ética e da dignidade. E não falo aqui a favor ou contra partidos políticos, mas a favor do bem, da justiça e das conquistas de nossa nação.
    Que possamos descruzar os braços, sair do comodismo diante dos acontecimentos, tentando de alguma maneira nos pronunciar a fim de não darmos ainda mais razão ao pensamento de que, se o bem não domina, é porque “os bons são tímidos” — ou fracos. Sem que se ergam os cristãos como dantes se ergueram perante as arbitrariedades dos ímpios, que culminaram nos circos romanos da Antiguidade; sem que nos mexamos e façamos a nossa parte — muito mais do que simplesmente rezarmos e pedirmos ajuda ao Alto, sabendo que todos somos a ajuda que o Alto envia para agir no momento de crise —; sem isso, se não agirmos e formos proativos, seremos apenas uma voz rouca que, aos poucos, será silenciada em meio à multidão dos que sofrem e do poder dos marginais a serviço da escuridão. Seremos apenas miseráveis, escondidos em nossas casas de oração, batendo no peito a clamar socorro, escondidos com medo de nos mostrar em nome da causa do bem pela qual todos deveríamos nos expor e mostrar que, juntos, podemos muito mais!
    Não se acanhem, não se iludam. Estamos em plena guerra espiritual, e, numa guerra, onde estarão os representantes de um reino em tudo superior aos reinos falidos dos homens e dos representantes das sombras?
    Oremos, sim, rezemos mais ainda, mas, sobretudo nos posicionemos, em nossas redes sociais, em nosso círculo de ação, em nossas famílias, no trabalho e na sociedade, enquanto é tempo — antes que seja levantada a bandeira da escuridão a substituir a do bem no seio do Brasil. Esteja de que lado estiver, defenda você qualquer ideologia que defender qualquer partido político ou religião, saiba que você não está fora dessa luta e, se não se posicionar urgentemente, será arrastado pelo caudal das lutas e provações que já se avizinha da gente brasileira, ocasionado pela política desumana e sombria dos seres das trevas e de seus representantes políticos no mundo.
    Relembrando o pensamento de Edgard Cayce, numa de suas profecias modernas: nenhuma instituição, nenhuma família, ninguém ficará isento de passar pelas lutas e pelas provações coletivas que se abaterão sobre a nação neste momento grave de provas a que serão submetidos o povo brasileiro e o mundo em geral. Portanto, em nome do bem, em nome da justiça, em nome da ética e da sobrevivência de nossa nação, dos valores morais e das conquistas sociais, em nome de Jesus, que representa a política divina do Reino, convocamos você a se pronunciar, a se mostrar, a mostrar a sua cara e sair do comodismo de sua poltrona; a sair às ruas e gritar, falar, divulgar nas redes sociais que nós, os que acreditamos num mundo melhor, não compactuamos com a situação, a posição e as atitudes de franco desequilíbrio espiritual, social, político, tampouco com o desrespeito como vem sendo tratado o povo brasileiro nos últimos tempos. Precisamos formar um feixe de varas, estar juntos, embora não fundidos, mas, sobretudo, precisamos nos unir no propósito de enfrentar as hostes da maldade instaladas em Brasília e nos bastiões do poder em todo o território brasileiro. A bandeira do bem e da justiça urge ser hasteada, e os bons, os que dizem representar o bem, precisam sair de seu ostracismo e mostrar que realmente representam uma política divina, e não a política humana marcada pela corrupção dos valores e da fé.
    Robson Pinheiro pelo espírito Tancredo Neves, na companhia dos espíritos José do Patrocínio e Getúlio Vargas.

  670. Larissa Diz:

    Virou espírita tb :D

  671. Gorducho Diz:

    Esses espíritos compreensivelmente sofrem ao ver o destino do Coração do Mundo: o plano do Cristo malogrou de novo :(
     
    E veja-se como a reencarnação não existe mesmo: não reencarnou o José do Patrocínio; não reencarnou o Dr. Bezerra; não reencarnou o Dr. Getúlio…
    Bem como os espíritos disseram à Mme. Blavatsky.
     
    Do José do Patrocínio tem essa genial: dentro da ideologia chiquista, conclamando ao conformismo a aceitação da autoridade…
    https://www.youtube.com/watch?v=xWEKOKW2Gs8

  672. Vitor Diz:

    Montalvão,
    infelizmente a cada postagem sua eu fico mais e mais estarrecido com a pobreza do seu discurso, tanto da literatura já existente, como das suas próprias considerações.
    .
    a) “as experiências intentadas com quem diz capaz de sair do corpo são TODAS falhadas, a conclusão é inevitável.”
    .
    Generalização totalizante emburrecedora. A própria Blackmore cita uma bem sucedida:
    .
    Um dos primeiros médiuns a serem testados aí foi Ingo Swann, que aparecia duas ou três vezes por semana no laboratório, onde foi testado por Janet Mitchell com o objetivo de verificar se ele poderia identificar alvos colocados fora do alcance da visão. O próprio Swann descreveu sua participação como médium nestes experimentos (144).
    .
    Uma plataforma, dividida em duas seções, foi suspensa do forro a uma altura de uns 3 metros do chão. Vários objetos foram colocados em ambos os lados da plataforma, sugerindo-se a Swann que se projetasse até o alto e tentasse distingui-los. O motivo da divisão era verificar se Swann identificaria o alvo correto, correspondente à posição em que ele declarasse estar. Muitas alterações tiveram de ser feitas na iluminação e no tipo de objetos utilizados. Cores vivas e formas claramente conhecidas parecem ter tido melhores resultados, enquanto fotografias ou objetos de vidro opacos não receberam aprovação. Por último, entre os alvos usados, havia um abridor de cartas com cabo de couro preto, uma ilustração contendo o desenho de um par de tesouras sobre um coração escarlate, e um alvo de papel. Depois da sua EFC, Swann costumava fazer desenhos do que tinha “visto”. Apesar destes desenhos serem toscas reproduções dos objetos originais, demonstraram bastante semelhança numa determinada ocasião em que oito conjuntos de alvos e respostas foram entregues a uma observadora neutra que comparou corretamente cada par; um resultado que tem probabilidade de acontecer por acaso apenas uma única vez em aproximadamente 40.000

    .
    Blackmore também cita a experiência de Tart com a Miss Z bem sucedida, e embora fraude não possa ser excluída, ela própria considerou as possibilidades aventadas de fraude como forçadas:
    .
    A Srta. Z dormiu quatro vezes no laboratório. Na primeira, não teve nenhuma EFC; na segunda, ela conseguiu se elevar alto o bastante para ver o relógio, mas não o topo da estante, e na terceira noite, ela teve uma EFC, mas viajou para algum outro lugar e não procurou ver o número. Na quarta e última noite, porém, ela acordou dizendo que tinha visto o número e que era 25132. Era isso mesmo. Ela acertara todos os cinco algarismos, numa probabilidade de acerto por acaso de apenas uma em 100.000. Portanto, é sensato eliminar a idéia de que se tratava apenas de sorte. Afinal, qual seria a explicação? Teria alguma parte da Srta. Z deixado seu corpo e visto o número? Ou poderia ter havido PES?
    .
    O próprio Tart mostrou relutância em admitir uma explicação paranormal. Ele chamou a atenção para o fato de que a Srta. Z poderia, apesar dele pessoalmente ter considerado a hipótese improvável, ter trapaceado usando espelhos ou algum tipo de instrumento periscópico escondido dentro do seu pijama. Até se considerou a possibilidade, embora remotíssima, de que tivesse lido o número refletido na superfície do plástico preto do relógio pendurado na parede. Todas estas conjeturas parecem forçadas, mas quando se está testando a ocorrência de um fenômeno paranormal é preciso se ter plena certeza de que as outras possibilidades estão completamente excluídas.

    .
    Assim temos pelo menos DUAS experiências extremamente bem sucedidas que você simplesmente nem cita! Isso é varrer evidência pra debaixo do tapete. Esta sua atitude é lamentável.
    .
    b) “Achismo tolo é achar que depoimentos de quem saiu de quase morte acreditando ter ido ao céu, maior parte destes divulgada tempos depois do acontecido, tenham valor de evidência.”
    .
    Eles têm valor de evidência. Só suas noções muitíssimo equivocadas de ciência e seus métodos para achar o contrário.Triste.
    .
    c) “PONDERAÇÃO: o que mostra que as EQM são realmente eventos exceptivos. E, não se fazem regras com exceções.”
    .
    Mas as exceções derrubam as regras. Esses casos possuem a força potencial de quebra de paradigma. Daí sua importância. Você confunde os objetivos. Assim fica difícil.
    .
    d)”PONDERAÇÃO: será que os jornais científicos que publicaram a história “por anos” não tinham coisa mais interessante para divulgar? Uma dentadura babada cujo dono morreu e nunca se manifestou a respeito do que dizem ter ele experienciado deve ser mesmo história pra ficar anos em discussão…”
    .
    Fica bem clara acima sua total falta de noção do que é relevante ou não para a Ciência. Esse caso foi mencionado até na Lancet! Enquanto você considera tais casos sem importância, os acadêmicos, cientistas e editores possuem outra opinião. Até mesmo o cético Woerlee viu o caso como de grande importância. Nem os céticos concordam com vc!
    .
    e) “A respeito das dentaduras, escrevi em artigo eu divulguei noutro site (trecho)”
    .
    Seu ‘artigo’ possui ao menos um erro grosseiro:
    .
    I) “Van Lommel pegou a história de segunda ou terceira mão. Alguém que conhecia o enfermeiro teria contado a Lommel o depoimento daquele. E isso anos depois do acontecido.”
    .
    ERRO: O próprio enfermeiro contou a experiência. Não é relato de segunda, muito menos de terceira mão. O relato da Lancet se baseou em dois documentos, o segundo dele foi uma entrevista com o próprio enfermeiro. Ou seja, você não tem a MÍNIMA preocupação com a veracidade do que você escreve. Você escreve um monte de bobagens – UM MONTE – tentando queimar os pesquisadores, e acaba se queimando. Eu não tô aguentando mais as bobagens que vc escreve, Montalvão. Você está conseguindo se sair pior que o falecido Martin Gardner quando foi falar da Piper.

  673. Larissa Diz:

    Precisamos formar um feixe de varas, estar juntos, embora não fundidos, mas, sobretudo, precisamos nos unir no propósito de enfrentar as hostes da maldade instaladas em Brasília e nos bastiões do poder em todo o território brasileiro.
    .
    Pérola…

  674. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Sim, o mesmo modo pelo qual se chega à conclusão que as aranhas ouvem pelas patas: os saltos lógicos do Montalvão aliado às premissas que ele tira da cachola dele”
    /.
    PONDERAÇÃO: e a “lógica” do crente parece querer dizer o seguinte: “haja vista aranhas não ouvirem pelas patas, espíritos comunicam”…
    /
    /
    Falando em lógica esta se passou com um certo nativo de Marte.
    .
    Certo dia procurado por um conhecido que lhe indagou:
    .
    “Amigo Martiniano, poderei-vos mo ensinar o que vem a ser essa tal de lógica?”
    .
    Martiniano, sempre solícito, respondeu: “podossim, mas em vez de dizer o que é, passar-te-ei ilustração que melhor fixará o aprendizado. Vamos lá… um exemplo: você tem cachorro em casa?”
    .
    “Tenho”
    .
    “Pois é, pela lógica, és sensível ao sentimento dos irracionais, correto?”
    .
    “Exato”.
    .
    “Sendo sensível aos animais, pela lógica, és também sensível às crianças, quer dizer, pela lógica, você gosta de crianças, está me acompanhando?”
    .
    “Estou, está correto”.
    .
    “Sendo assim, pela lógica, você pensa em constituir família, ter uma esposa, filhos… concorda?”
    .
    “Concordo”.
    .
    “Então, sendo sensível a animais e crianças e querendo constituir família, conclui-se que você não é guei. Entendeu?”
    .
    “Hummmm, agora entendi, fácil, fácil, nada como falar com especialista, mui grato pois.”
    .
    E o sujeito se foi a caminho, feliz por agora saber das coisas. No percurso deu com um conhecido, este sujeito marombado, famoso nas paradas por papar todas menininhas que lhe caíssem na esfera de influência. Deteve-o e indagou: “Parsa, diga-me: sabes o que vem a ser lógica?”
    .
    “Sei não”…
    .
    “Então vou explicar-vos com um exemplo inesquecível: preste atenção, você tem cachorro em casa?”.
    .
    “Tenho não”…
    .
    “Então… sinto muito… mas pela lógica você é guei”…
    /
    /
    Em tempo: tenho onze cães em casa…

  675. Gorducho Diz:

    Essa o espírito do Dr. Tancredo adaptou da famosa ideias não são metais que se fundem do Gaspar Silveira Martins.

  676. Contra o chiquismo Diz:

    Larissa Diz:
    AGOSTO 12TH, 2015 ÀS 3:40 PM
    Precisamos formar um feixe de varas, estar juntos, embora não fundidos, mas, sobretudo, precisamos nos unir no propósito de enfrentar as hostes da maldade instaladas em Brasília e nos bastiões do poder em todo o território brasileiro.
    .
    Pérola…
    .
    .
    Porcos…

  677. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    a) “as experiências intentadas com quem diz capaz de sair do corpo são TODAS falhadas, a conclusão é inevitável.”
    .
    Generalização totalizante emburrecedora. A própria Blackmore cita uma bem sucedida:
    .
    “Um dos primeiros médiuns a serem testados aí foi Ingo Swann, que aparecia duas ou três vezes por semana no laboratório, onde foi testado por Janet Mitchell com o objetivo de verificar se ele poderia identificar alvos colocados fora do alcance da visão. O PRÓPRIO SWANN DESCREVEU sua participação como médium nestes experimentos”
    /.
    PONDERAÇÃO: ah é… Blackmore está mesmo relatando experiência bem sucedida… na voz do próprio Swann, que, bem sabemos, nunca mentiu, portanto não mentiria do sucesso de sua realização… sintomático.
    .
    Só mesmo com olhos muito anuviados para entender que Blackmore estivesse apoiando os “poderes” de Swann… tá mergulhando cada vez mais fundo, hem?
    .
    E, mais uma vez, volta a falar de discussões já havidas e solucionadas, como se fosse conversa inédita.
    .
    E os espíritos que vão confirmar estarem presentes, cadê eles?

  678. Gorducho Diz:

    Bah! Chegamos ter 8; hoje temos só 5 + 1 gato que apareceu em cima do muro e ficou.
     
    Fico pensando quão preciosa não era a dentadura pro cara; cara não porque creio que na Holanda o governo dê…

  679. Gorducho Diz:

    Ano passado me careou 1 dente e como sempre o dentista concluiu que tinha que tratar canal; resultado: 500+ BRL depois perdi o dente pois que bipartiu-se.
    Agora estou c/1 buraco. Nunca mais trato canal: ou obtura ou mando arrancar e quando completar um bom vão mando fazer uma dentadura. Assim poderei talvez contribuir p/o espiritismo finalmente, após ter abandonado a Doutrina aos 15 anos acompanhando m/mãe.

  680. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Blackmore também cita a experiência de Tart com a Miss Z bem sucedida, e EMBORA FRAUDE NÃO POSSA SER EXCLUÍDA, ela própria considerou as possibilidades aventadas de fraude como forçadas:
    /.
    PONDERAÇÃO: “embora a fraude não possa ser excluída…ela considerou a ideia forçada”… meio confuso e… estranho, principalmente da parte de Blackmore…

    .
    /
    “A Srta. Z dormiu quatro vezes no laboratório. Na primeira, não teve nenhuma EFC; na segunda, ela conseguiu se elevar alto o bastante para ver o relógio, mas não o topo da estante, e na terceira noite, ela teve uma EFC, mas viajou para algum outro lugar e não procurou ver o número. Na quarta e última noite, porém, ela acordou dizendo que tinha visto o número e que era 25132. Era isso mesmo.”
    /.
    PONDERAÇÃO: ainda bem que alguém de juízo percebeu que a fraude é provável: quatro dias tentando um jeito de ver até que finalmente conseguiu…

    /
    ‘/
    “Ela acertara todos os cinco algarismos, numa probabilidade de acerto por acaso de apenas uma em 100.000. Portanto, é sensato eliminar a idéia de que se tratava apenas de sorte. Afinal, qual seria a explicação? Teria alguma parte da Srta. Z deixado seu corpo e visto o número? Ou poderia ter havido PES?”
    / .
    PONDERAÇÃO: ou teria a Srta. Z usado um outro poder paranormal denominado MALANDRAGEM? E ainda vêm os estatísticos de plantão acenar com as possibilidades contra o acaso… falei já sobre as qualidades das variáveis estatísticas que vão compor as avaliações: nem sempre saudáveis…

    /
    /

    “O próprio Tart mostrou relutância em admitir uma explicação paranormal. Ele chamou a atenção para o fato de que a Srta. Z poderia, apesar dele pessoalmente ter considerado a hipótese improvável, ter trapaceado usando espelhos ou algum tipo de instrumento periscópico escondido dentro do seu pijama. Até se considerou a possibilidade, embora remotíssima, de que tivesse lido o número refletido na superfície do plástico preto do relógio pendurado na parede. Todas estas conjeturas parecem forçadas, mas quando se está testando a ocorrência de um fenômeno paranormal é preciso se ter plena certeza de que as outras possibilidades estão completamente excluídas.”
    /.
    PONDERAÇÃO: parece que Tart também tem seus momentos de lucidez…
    .
    /
    /
    “Assim temos pelo menos DUAS experiências extremamente bem sucedidas que você simplesmente nem cita! Isso é varrer evidência pra debaixo do tapete. Esta sua atitude é lamentável.”
    /.
    PONDERAÇÃO: DUAS EXPERIÊNCIAS? Cadê-las? Mademoiselle Z, ao menos, foi retestada por experimentadores céticos, e estes acharam a mesma suspeita que TArt? Com casos assim é mole comprovar qualquer coisa, até que mortos falem com vivos…
    .
    Naufragando cada vez mais…

  681. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Mas as exceções derrubam as regras. Esses casos possuem a força potencial de quebra de paradigma. Daí sua importância. Você confunde os objetivos. Assim fica difícil.”
    / .
    PONDERAÇÃO: que eu soubesse, exceções costumam confirmar a regra…
    Quebra de paradigma? Nossa senhora!

  682. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Montalvão,
    infelizmente a cada postagem sua eu fico mais e mais estarrecido com a pobreza do seu discurso”
    ./
    PONDERAÇÃO: terei tocado nalguma ferida?
    .
    E os espíritos que vão dar provas de suas presenças entre os vivos, achou-os?

  683. Vitor Diz:

    Mais bobagens do Montalvão:
    .
    PONDERAÇÃO: ah é… Blackmore está mesmo relatando experiência bem sucedida… na voz do próprio Swann, que, bem sabemos, nunca mentiu, portanto não mentiria do sucesso de sua realização… sintomático.
    .
    Estou colocando para download o artigo da experiência. Alguém me diga se é o próprio Swann o autor do artigo, ou se na verdade é o Karlis Osis:
    .
    https://app.box.com/s/umtxmi65jt9q0is6es71fwci5xqth8yr

  684. Gorducho Diz:

    Por uma questão de justiça, registre-se que esse Karlis Osis teve também ao menos uma certa lucidez (relativo às NDEs segundo a Wiki):
     
    They [o outro era aquele neo-Divaldo que se encantou c/o Sai Baba acho...] found that a person’s religion greatly influenced what was seen and that this was most apparent when observing the differences between Indian and American experience where Indian patients were far more likely to see a personification of death than Americans.

  685. Vitor Diz:

    “DUAS EXPERIÊNCIAS? Cadê-las?”
    .
    O pior cego é o que não quer ver…
    .
    “Mademoiselle Z, ao menos, foi retestada por experimentadores céticos, e estes acharam a mesma suspeita que TArt? ”
    .
    E aqui vemos o Montalvão malandramente tentando fazer-nos esquecer-nos da sua bobagem inicial proferida de que “as experiências intentadas com quem diz capaz de sair do corpo são TODAS falhadas”.

  686. Vitor Diz:

    “que eu soubesse, exceções costumam confirmar a regra…”
    .
    Isso no ditado popular. Em Ciência, elas são anomalias, e potenciais quebras de paradigma.
    .
    “Quebra de paradigma? Nossa senhora!”
    .
    Nunca ouviu falar de Thomas Kuhn? Quando reclamo da sua cultura científica rasa, tá aí a prova…

  687. Gorducho Diz:

    Eu não entendi qual é a quebra de paradigma no caso dum paciente em estado de quase-morte ter alucinações por falta de oxigenação e/ou outras causas ainda desconhecidas e posteriormente reconstituir reelaborando suas lembranças(?)
    O que se vê é que, pouco surpreendentemente, e portanto sem quebra de intuitividade, os relatos são dependentes da cultura do indivíduo, evidenciando não haver informações outras que as presentes no ambiente do evento – centro cirúrgico/UTI/emergência -; ou os dados presentes no cérebro.

  688. Borges Diz:

    Contra diz:-”Borges, vc parece que tem jeito. Já enxerga falhas, mas ainda acredita que tem algo no ‘além’. Algo que ninguém provou nestes mais de 100 , 150 anos últimos.
    .Vc Borges, é como aquele advogado que quer a redução ao máximo da pena pois não tem jeito de escapar da condenação o seu cliente.”
    Comentário:-Sua análise não passa de opinião sem fundamento. Tente astrologia, tarot o baralho cigano, talvez tenha mais sucesso.
    Obrigado

  689. Vitor Diz:

    Gorducho,
    comentando:

    a)”evidenciando não haver informações outras que as presentes no ambiente do evento – centro cirúrgico/UTI/emergência -; ou os dados presentes no cérebro.”
    .
    As experiências “Pico em Darien” desafiam tal visão:
    .
    http://obraspsicografadas.org/2011/vendo-pessoas-mortas-que-no-se-sabia-terem-morrido-experincias-pico-em-darien-2010/
    .
    E ainda que só existissem as informações presentes no centro cirúrgico, a confirmação de que o paciente teve acesso a informações inacessíveis por vias normais já serve como quebra de paradigma. Pelo seu pensamento, até mesmo a confirmação do alvo escondido não seria quebra de paradigma, por ser uma informação presente no ambiente do evento – centro cirúrgico/UTI/emergência.

  690. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Mais BOBAGENS do Montalvão:
    .
    “ah é… Blackmore está mesmo relatando experiência bem sucedida… na voz do próprio Swann, que, bem sabemos, nunca mentiu, portanto não mentiria do sucesso de sua realização… sintomático.”
    .
    Estou colocando para download o artigo da experiência. ALGUÉM ME DIGA SE É O PRÓPRIO SWANN O AUTOR DO ARTIGO, ou se na verdade é o Karlis Osis:
    /.
    PONDERAÇÃO: e adadonde foi falado que Swann fosse autor de alguma coisa de não de malandrice? Tá passando batido no que lê… Fora por mim reprisado o dito por Blackmore (inclusive, pus em caixa alta o destaque):
    .
    ““Um dos primeiros médiuns a serem testados aí foi Ingo Swann, que aparecia duas ou três vezes por semana no laboratório, onde foi testado por Janet Mitchell com o objetivo de verificar se ele poderia identificar alvos colocados fora do alcance da visão. O PRÓPRIO SWANN DESCREVEU sua participação como médium nestes experimentos”
    .
    Veja, o dito foi: “o próprio Swann descreveu sua participação”, a leitura do opositor foi: “o maluco diz que foi Swann quem escreveu o artigo”…
    .
    Assim fico maluco mermo…

  691. Vitor Diz:

    “Fora por mim reprisado o dito por Blackmore”
    .
    Sim, e você, de forma infantil, tentou desmerecer o caso como se o único relato da experiência fosse do próprio Swann. Eis seu problema.

  692. MONTALVÃO Diz:

    /.
    “E aqui vemos o Montalvão malandramente tentando fazer-nos esquecer-nos da sua bobagem inicial proferida de que “as experiências intentadas com quem diz capaz de sair do corpo são TODAS falhadas”.”
    /.
    PONDERAÇÃO: bem que Publius Lentulus me aconselhara a não jogar pedra na cruz, eu mereço…
    .
    Saiba, quem quiser saber, que o Montalvão mantém o declarado de que todas as experiências são falhadas e não considera Ingo Swann exemplo de coisa alguma, a não ser de safadeza. Esta figura está no mesmo rol que Uri Geller, Amyr Amiden, Mirabelli, Green Morton…
    .
    Experiência não falhada seria, por exemplo, semelhante a que propomos aos imaginados espíritos: ler duas ou três frases de livro postado em local sem acesso, em experimento devidamente controlado (e devidamente documentado). Ou, ir a um aposento lacrado e identificar cinco objetos postados sobre a mesa. Tudo condizentemente fiscalizado. Experiências simples e com resultados consistentes, e com as replicações indispensáveis.
    .
    Mas aí o deslumbrado descola um relato bem chifrim e quer dar por provado o que não consegue provar. Se é para se escudar em examinações frouxas, fiquemos com as psicografias, pelo menos são mais divertidas.

  693. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Quebra de paradigma? Nossa senhora!”
    .
    Nunca ouviu falar de Thomas Kuhn? Quando reclamo da sua cultura científica rasa, tá aí a prova…
    .
    PONDERAÇÃO: de Kuhn ouvi falar e li, o que duvido muiiito é que esse pensador apoiasse que essas experiências quebrassem alguma coisa…

  694. Gorducho Diz:

    Pelo seu pensamento, até mesmo a confirmação do alvo escondido não seria quebra de paradigma, por ser uma informação presente no ambiente do evento – centro cirúrgico/UTI/emergência.
     
    Aí seria sim: expressei-me mal :(
    A leitura dos cartazes inacessíveis em momento algum (i.e., nem durante os deslocamentos da cama rolante) indicariam sim o movimento do espírito. Aí sim. Mas, pouquíssimo surpreendentemente deu no que deu o Aware…
    Favor me poupe de (re)citar “visões” decorrentes de pan mental, tá (qualquer um que trabalhe c/computação gráfica sabe como funciona…)?

  695. Borges Diz:

    Montalvão:- O exagero presente nos argumentos do Dr. Woerlee, já indica que as evidências de EQMs são fortes. O fato de você não aceitar não muda nada, apenas nos deixa em lados opostos nesta contenda.
    Aceitar que uma menina simples do interior teatralizou o episódio, com performance digna de atores do primeiro time da Globo, é não ser ponderado em sua ponderação.
    Uma garota finge que é o primo, reconhece as pessoas que se relacionavam com o mesmo, revela o lugar onde morreu afogada, reconhece seu túmulo, e ainda se torna exímia ciclista e nadadora. Acho que é muita coisa para uma garotinha naquela idade. Além disto, se houvesse alguma mentira na história, sempre haveria um católico, evangélico ou cético disposto a revelar. Em lugarejos assim, todos ficam sabendo de tudo sobre todos.
    Até agora não houve refutação, você não justificou nada, apenas acusou a garotinha de fingimento, acho que você pode fazer melhor, ou então aceitar o fato.
    Obrigado

  696. Vitor Diz:

    “Experiência não falhada seria, por exemplo, semelhante a que propomos aos imaginados espíritos: ler duas ou três frases de livro postado em local sem acesso, em experimento devidamente controlado (e devidamente documentado).”
    .
    Segundo o próprio Montalvão, os espíritos estão já provados então:
    .
    Em outra ocasião — 17 de julho de 1918 — uma tentativa foi feita para fazer com que A. V. B. descrevesse um livro deliberadamente selecionado por U. V. T. O experimento foi quase o contrário do último. Feda foi dita em 11 de julho que o livro seria extraído de um dos vizinhos de um selecionado por A. V. B. para um teste de livros anterior, e que seria colocado em uma estante específica. O livro escolhido foi um francês chamado Amitié Amoureuse, e consistia de uma série de cartas trocadas entre um homem e uma mulher. Tinha sido um dos livros favoritos de A. V. B., mas foi lido por M. R. H. U. V. T. o lera bem recentemente. Feda fracassou em lhe dar a posição na estante, mas em última análise forneceu uma aproximação inequívoca do título. A princípio ela não chegou mais perto além de “soa um pouco como Asia — Asieu”. Depois, entretanto, ela soletrou como A.M.U.R.E.U.S.E. e então — usando a pronúncia continental disse “Amici, Amois — não aquele Amit —… Amici, Amisé, Amicié.”
    .
    Temos, então, a leitura do título de um livro postado em local sem acesso, em experimento devidamente controlado (e devidamente documentado).Parece que a única coisa falhada aqui é a leitura do Montalvão…
    .
    Se o Montalvão continuar dizendo que só temos experiências falhadas, só estará dando mostras de uma desonestidade que poucas vezes vi de forma tão patente.

  697. Vitor Diz:

    Oi, Borges
    comentando o que você disse para o Montalvão:
    .
    01 – “O fato de você não aceitar não muda nada, apenas nos deixa em lados opostos nesta contenda.”
    .
    Pois, é, o Montalvão me lembra aqueles evangélicos que acham a evolução “só uma teoria” e não veem evidência de nada, não aceitam nada, e ficam repetindo as mesmas ladainhas. Incrível a semelhança no comportamento!

  698. Gorducho Diz:

    Não entendi o que picos em Dariem têm a ver c/NDEs.
    Isso de pessoas prestes a morrer verem falecidos tem vários causos anedóticos que eu mesmo presenciei.
    M/mãe acamada pela primeira e única vez pediu-me posicionasse pequeno retrato posto em suporte de acrílico sobre toucador da irmã única (que quando adolescente atuara como médium em trabalhos do copo) residente expressivas léguas de cá, para que pudesse lobriga-lo. Umas 2h depois recebi o telefonema…
    &c.
    Mas não correlaciono com a tela atual….

  699. Vitor Diz:

    Achei que Bruce Greyson tivesse explicado bem:
    .
    “Há três tipos de experiências “Pico em Darien” que podem variar em seu valor evidencial. O primeiro tipo abrange casos em que a pessoa morta vista havia morrido algum tempo antes da visão, entretanto este fato era desconhecido pelo sujeito experienciador até onde pôde ser verificado. O segundo tipo inclui casos nos quais a pessoa morta vista havia morrido na hora ou um pouco antes da visão, não sendo possível assim que o sujeito experienciador tivesse conhecimento desta morte. Finalmente o terceiro tipo consiste de casos nos quais a pessoa morta vista era alguém que o sujeito experienciador nunca conheceu. Relatos de casos “Pico em Darien” estão espalhados por toda a literatura e são normalmente mal documentados; mas há um número suficiente para despertar a nossa atenção e interesse. ”
    .
    Note que são informações externas à UTI/centro cirúrgico/hospital…

  700. Vladimir Diz:

    Montalvão disse: O CUEE de Kardec enfrentava a oposição de dezenas de milhares de espíritos ingleses… quem tinha, então, maior autoridade pra falar?
    .
    COMENTÁRIO: Pois é, mas como a Ciência bem mostrou (Stevenson, Haraldsson, Tucker), Kardec estava certo e os Ingleses não.
    De todo modo o Sr. sabe muito bem que haviam ingleses que aceitavam a Reencarnação, mas talvez fossem minoria…
    .
    Gorducho disse: As meninas moravam na Rouchechouart 7 e depois na Lamartine 32. A Ruth-Céline Bequet suponho que atendia na casa do Roustan na Tiquetone 14.
    .
    COMENTÁRIO: E qual o problema? Acaso isso invalida a mensagem?
    De modo algum!
    Kardec nunca escondeu (está aí o Herculano e o Canuto Abreu para provar)quem foram os PRINCIPAIS médiuns que colaboraram com ele.
    .
    Evidentemente depois eles cotejou as respostas com outros relatos que vinham por correspondência de outras partes do Mundo.
    .
    Gorducho disse: Tanto O Jean Reynaud quanto mais ainda o Kardec que era um fanático católico amenizaram o modelo
    .
    COMENTÁRIO: De onde você tirou essa história de que Kardec era um “fanático católico”? De qual biógrafo?
    .
    Ademais tanto o Espiritismo quanto a Teosofia foram os movimentos mais combatidos no século XX pelos Jesuítas, hava a vista o Pe.Quevedo, Dom Estevão Bettencourt, Rene Guenon dentre outros.
    .
    Gorducho disse: ele plagiou as idéias retirou essa parte da doutrina do Jean Reynaud, e este não cogita em globos imaginários.
    .
    COMENTÁRIO: Mas de novo isso??? Já lhe pedi para colocar lado a lado o OLE e o Terra e Céu e o que Sr fez???
    Fugiu da raia, porque sabe muito bem que o plágio só existe em seus olhos.
    .
    O próprio Kardec era admirador do Reynaud e reconheceu a semelhança entre a mensagem dos Espíritos e as ideias daquele.
    .
    Quer que eu traga o necrológio, again???
    .
    O Sr. fica difamando o Kardec mas sabe muito bem que EVIDÊNCIA de que ele era mau caráter o Sr. não tem alguma.
    .
    Já lhe disse para trazer algum dado biográfico que mostre que Kardec era mau-caráter.
    .
    Um só…

  701. Vladimir Diz:

    O próprio Kardec homenageando o Reynaud na Revista Espírita:
    .
    “Chegou nossa vez de lançar algumas flores sobre o túmulo, recentemente fechado, de um homem tão recomendável por seu saber quanto por suas eminentes qualidades morais, e ao qual – coisa rara – todos os partidos concordam em fazer justiça.

    Jean Reynaud nasceu em Lyon W em fevereiro de 1808 e morreu em Paris W no dia 28 de junho de 1863. Não poderíamos dar uma ideia mais justa de seu caráter do que reproduzindo o breve necrológio que seu amigo, o Sr. Ernesto Legouvé, publicou no Siècle de 30 de junho de 1863.

    “A democracia, a filosofia e, não temo dizer, a religião, acabam de sofrer uma imensa perda: Jean Reynaud morreu ontem, depois de uma curta moléstia. De qualquer ponto de vista que se julguem as suas doutrinas, sua obra, como sua vida, foi eminentemente religiosa; porque sua vida, como sua obra, foi um dos protestos mais eloquentes contra o grande flagelo que nos ameaça: o cepticismo sob todas as formas. Ninguém acreditou mais energicamente na personalidade divina, ninguém creu mais fortemente na personalidade humana, ninguém amou mais ardentemente a liberdade. O seu livro Terra e Céu, que desde o início abriu um sulco tão profundo, e cujo rastro irá marcando cada vez mais, respira tal sentimento do infinito, tal sentimento da presença divina, que se pode dizer que Deus palpita em cada uma de suas páginas! E como poderia ser de outro modo, quando aquele que as escreveu vivia sempre em presença de Deus! Bem o sabemos, todos nós que o conhecemos e amamos, e cujo mais belo título de honra é termos sido amados por tal homem. Era uma fonte de vida moral sempre a jorrar; não se podia aproximar dele sem se firmar melhor no bem; só a sua fisionomia era uma lição de honestidade, de honra, de devotamento; as almas pecadoras se perturbavam ante aquele claro olhar, como se estivessem diante do próprio olho da justiça. E tudo isto partiu! Partiu em plena força, quando tantas palavras úteis, tão grandes exemplos ainda podiam sair daquela boca, daquele coração!… Não choramos Reynaud apenas por nós; nós o choramos por nosso país inteiro.”

  702. Vladimir Diz:

    Mensagem do Espírito de Santo Agostinho sobre o Reynaud:
    .
    Por seus escritos Jean Reynaud foi, pois, um precursor do Espiritismo; também tinha sua missão providencial e devia abrir um sulco. Ser-lhe-ia útil depois da morte. Um eminente Espírito assim apreciou o acontecimento:

    “Mais uma circunstância que vai redundar em benefício do Espiritismo. Jean Reynaud tinha feito o que devia fazer nesta última existência. Vão falar de sua morte, de sua vida e, mais que nunca, de suas obras. Ora, falar de suas obras é por o pé na rota do Espiritismo. Muitas inteligências aprenderão nossa crença estudando esse filósofo que conquistou autoridade. Farão comparações e verão que não sois tão loucos como pretendem os que riem de vós e da vossa fé. Crede-me que tudo quanto Deus faz é bem feito. Ele será louvado por vossos próprios detratores, e sabeis que são estes que, sem o querer, trabalham mais para vos conseguir adeptos. Deixai agir, deixai gritar: tudo será conforme a vontade de Deus. Mais um pouco de paciência e a elite dos homens de inteligência e de saber se unirá a vós; e, diante de certas adesões ostensivas, a crítica terá de baixar a voz.”

  703. Vladimir Diz:

    A Teoria do Gorducho seria cômica senão fosse trágica:
    .
    Kardec era um mau caráter que planejou a vida toda criar uma religião para ganhar dinheiro e fama.
    Por isso Plagiou Reynaud, Fourier, Saint Simon, dentre outros contemporâneos (só o Gorducho percebeu o plágio, os franceses da época eram todos tapados)
    .
    Felizmente esse Kardec (que poderia ser confundido com alguns pastores brasileiros) só existe na imaginação do Gorducho, visto que nenhum biógrafo tampouco crítico de Kardec daquela época corrobora essa visão de Allan Kardec “Scarface”.
    .

  704. Vladimir Diz:

    O Rivail da mente do Gorducho é o “Kardec Malaveia” kkkk
    ou então o Edir Kardec.
    .
    Valha-me Deus! rs

  705. Vladimir Diz:

    Gorducho,
    .
    Não quer acreditar em Kardec, nos Espíritos, e etc
    Fique a vontade, o Espiritismo não é proselitista.
    .
    Só não difame, não calunie Kardec, com acusações descabidas e infundadas pois garanto que para quem é Espírita não terá utilidade, e tampouco para a reputação de Kardec, de modo que o único a ficar sem credibilidade é o próprio algoz, no caso o Sr.
    .

  706. Vladimir Diz:

    Traga PROVAS, que Kardec FRAUDOU, PLAGIOU, que tinha ficha na Polícia, que tinha Processo Judiciais, contra ele, que não pagava o IR enfim…
    .
    Alguma EVIDÊNCIA sólida e concreta de que era um malandro, e aí começamos a conversar…
    .
    Caso contrário é bravata, calúnia e difamação.

  707. Gorducho Diz:

    Em primeiro lugar não existem biografias do Kardec.
    De início não acho que fosse p/ganhar dinheiro porque desde adolescente ele pretendia reformar o cristianismo, e isso na adolescência certamente não seria esperar ganhar dinheiro.
    Mas depois… quando ele pretendia construir o μVaticano?
    By the way: do que ele vivia?
    E sim, tenho uma prevenção contra ele e contra os tais “puristas” que atacam CX – o que é facílimo – mas tentam fazer o Kardec passar por um “estudioso” com espírito “científico”. O CX tem pelo menos a desculpa de que certamente tinha alguns parafusos frouxos…

  708. Vladimir Diz:

    Como assim não existem Biografias de Kardec???
    .
    Só de cabeça me lembro de 3: Henri Sausse, Wantuil e Freitas, e Marcel Souto Maior…

  709. Gorducho Diz:

    Acaso isso invalida a mensagem?
     
    Invalida o CUEE: um “universalismo” que se resume a menos de 1h de caminhada.

  710. Gorducho Diz:

    Claro… seu forte é filosofia, não vernáculo. Eu disse biografias, não hagiografias.

  711. Gorducho Diz:

    Se não conhece Paris, pegue o GOOGLE maps e veja o “Universo” do Kardec.

  712. Vladimir Diz:

    Gorducho disse: Claro… seu forte é filosofia, não vernáculo. Eu disse biografias, não hagiografias.
    .
    COMENTÁRIO: Ah então o Sr. está dizendo que o Marcel Souto Maior que é Ateu, escreveu uma Hagiografia do Kardec?
    .
    Está questionando a qualidade do trabalho dele também???
    .
    Vai difamar um vivo agora??? Cuidado com um Processo…

  713. Vladimir Diz:

    Gorducho disse: Invalida o CUEE: um “universalismo” que se resume a menos de 1h de caminhada.

    COMENTÁRIO: Já lhe disse que aquelas meninas eram as médiuns principais, Kardec mantinha contato com diversos lugares do Mundo todo…
    .
    Veja:

    Lista dos 37 Países onde o Espiritismo se fez presente no tempo de Allan Kardec

    EUROPA (18 países e 222 localidades): I – ALEMANHA, II – ÁUSTRIA, III – BÉLGICA, IV – DINAMARCA, V – ESCÓCIA, VI – ESPANHA, VII – FRANÇA (163 LOCALIDADES), VIII – GRÉCIA, IX – HOLANDA, X – INGLATERRA, XI – ITÁLIA, XII – POLÔNIA, XIII – PORTUGAL, XIV – PRÚSSIA, XV – RÚSSIA, XVI – SUÉCIA, XVII – SUÍÇA, XVIII – UCRÂNIA.

    AMÉRICA (8 países e 23 localidades): XIX – BRASIl, XX – CANADÁ, XXI – COLÔMBIA, XXII – CUBA, XXIII – ESTADOS UNIDOS, XXIV – GUIANA FRANCESA, XXV – MÉXICO, XXVI – PERU

    ÁFRICA (5 países e 14 localidades): XXVII – PEQUENA CIDADE AFRICANA, XXVIII – ARGÉLIA, XXIX – EGITO, XXX – GUINÉ BISSAU, XXXI – ILHAS MAURÍCIA

    ÁSIA (6 países e 9 localidades): XXXII – EXTREMO DA ÁSIA, XXXIII – CHINA, XXXIV – COCHINCHINA (INDOCHINA), XXXV – SÍRIA, XXXVI –TURQUIA, XXXVII – ISRAEL.

    Lista das 268 Localidades onde o Espiritismo se fez presente no tempo de Allan Kardec*

    EUROPA (18 países e 222 localidades)

    I – ALEMANHA – RE, Nov/1858; RE, Mar/1861; RE, Mar/1866; RE, Jan/1869; 1) BEBLEWHEIM (ALEMANHA) – RE, Abr/1867; 2) BERGZABERN (ALEMANHA) – RE, Mai/1858; 3) KARLSRUHE (ALEMANHA) – RE, Jun/1861, Dez/1861; 4) LEIPZIG (ALEMANHA) – RE, Fev1868; 5) SAXÔNIA (LEIPZIG, ALEMANHA) – RE, Jun/1859; 6) WIESBADEN (ALEMANHA) – RE, Jul/1862; 7) PROVÍNCIAS DANUBIANAS (ALEMANHA) – RE, Fev/1869
    II – ÁUSTRIA (IX) – RE, Jul/1864; 8) VIENA – RE, Jul/1860; RE, Abr/1862, Jun/1862, Set/1862; RE, Jun/1863; RE, Jan/1865;
    III – BÉLGICA; 9) ANTUÉRPIA (ou ANVERS) – RE, Abr/1864, RE, Ago/1864, Out/1864 (3x), Nov/1864, Dez/1864; RE, Jan/1865; RE, Set/1867, Dez/1867; RE, Nov/1868; RE, Ago/1858; RE, Out/1864, Nov/1864, Dez/1864; RE, Mar/1866; RE, Jan/1869; 10) BRUXELAS – RE, Jul/1858; RE, Jan/1860, Fev/1860, Abr/1860, Jun/1860; RE, Jun/1860; RE, Mai/1861, Dez/1861; RE, Jan/1864, Fev/1864, Abr/1864, Out/1864, Nov/1864 (2x*); RE, Abr/1865 (2x); RE, Ago/1866; 11) SAINT JOSSE TENNOODE – RE, Out/1864;
    IV – 12) DINAMARCA – RE, Mar/1864; RE, Jan/1869;
    V – 13) ESCÓCIA – RE, Mai/1858, Ago/1858;
    VI – ESPANHA – RE, Mar/1866, Nov/1866; RE, Mar/1866; RE, Jan/1869; 14) ANDUJAR – RE, Mar/1869 ; 15) BARCELONA – RE, Fev/1863, Mar/1863; RE, Set/1864 (3x); RE, Maio/1865 (2x), Jun/1865; RE, Fev/1867, Mar/1867; 16) CADIZ – RE, Set/1864; RE, Abr/1868; 17) CAEN (CALVADOS) – RE, Set/1866; RE, Mai/1868; 18) CIUDAD-REAL – RE, Mar/1869; 19) LEON – RE, Mar/1869; 20) MADRID – RE, Ago/1858; RE, Set/1864; RE, Fev/1867, Mar/1864 (2x); RE, Abr/1864; RE, Dez/1868 (Calle Del Arco); 21) MÚRCIA – RE, Set/1864; 22) SALAMANCA – RE, Mar/1869; 23) SEVILHA – RE, Set/1864; RE, Mar/1869, Abr/1869;
    VII – FRANÇA (163 LOCALIDADES) – RE, pág. 6; 24) ABBÉVILLE (SOMME)- RE, Fev/1860; 25) AISNE (DEPTO.) – RE, Out/1866; 26) AIX (BOUCHES-DU-RHÔNE) – RE, Jul/1865; 27) ALBI (TARN) – RE, Fev/1863, Mar/1863; RE, Mar/1865; 28) ALDEIA DA BRETANHA (MORBIHAN) – RE, Jul/1867; 29) ALDEIA DE E. – RE, Dez/1865; 30) ALDEIA DE HAUTE- SAÔNE (DEPTO) – Mar/1863; 31) ALDEIA DE MONIM (BASSES PYRÈNNÉES) – RE, Dez/1867; 32) ALDEIA PERTO DE CAZÈRES (HAUTE-GIRONDE) – RE, Fev/1866; 33) ALLOBROGOS (VELHA CIDADE) – RE, Mar/1864; 34) ALSÁCIA (MOSA) – RE, Mai/1858; 35) AMBROISE (INDRE-ET-LOIRE) – RE, Abr/1863; 36) ANGERS (MAINE-ET-LOIRE) – RE, Mai/1865; 37) ANGOULÊME (CHARENT) – RE, Fev/1863, Mar/1863; 38) ANNECY (ALTA-SABÓIA) – RE, Abr/1862; 39) ANTIBES (ALPES MARÍTIMOS) – RE, Mar/1865; 40) AUBE (DEPTO) – RE, Jan/1861; RE, Jan/1863; RE, Dez/1865; 41) AURILLAC (CANTAL) – RE, Jul/1867; 42) AUTHEUSEL (EURE-ET-LOIRE) – RE, Fev/1863; 43) AVIGNON-(BONNET FILS) (DEPTO. VAUCLUSE) – RE, Mar/1865; 44) BAYONNE (BASSES-PYRENÉES) – RE, Jan/1858; RE, Abr/1863; 45) BELFORT (ALTO RHENO) – RE, Fev/1860; 46) BÉZIERS (DETO. HÉRAULT) – RE, Fev/1860; 47) BLAYE (DEPTO. GIRONDE) – RE, Fev/1863; RE, Jul/1867; 48) BOIS-DE DOEUIL (CHARENTE-INFERIEUR) – RE, Mai/1864; 49) BONE (HAUTE-SAVOIE) – RE, Fev/1863; 50) BORDEAUX (GIRONDE) – RE, Jan/1858, Mar/1858, Jul/1858; RE, Fev/1860, Nov/1860; RE, Mai/1861, Jun/1861 (2x); RE, Fev/1862 (2x), Mar/1862, Abr/1862 (4x), Jun/1862, Set/1862; RE, Mar/1863 (2x), Mai/1863, Jun/1863 (2x), Jul/1863, Ago/1863, Out/1863, Dez/1863; RE, Mar/1864, Mai/1864, Jul/1864, Ago/1864 (2x), Set/1864, Dez/1864; RE, Set/1865; RE, Jan/1867, Jun/1867 (2x), Jul/1867, Ago/1867; RE, Fev/1868, Set/1868; 51) BOUCHES-DU-RHÔNE (Depto Fr.) – RE Abr/1864; 52) BOULOUGNE-SUR-MER (PAS-DE-CALAIS) – RE, Nov/1858; RE, Fev/1863; RE, Fev/1866; RE, Mar/1868; 53) BRESSUIRE (DEUX-SÉVRES) – RE, Mar/1864; 54) BROTTEAUX (RHÔNE) – RE, Out/1861; 55) BROU (EURE-LOIRE) – RE, Jul/1867; 56) BRUNSWICK – RE, Set/1864; 57) BURGO DE BASSE-INDRE (LOIRE-INFÈRIEUR) – RE, Abr/1867; 58) CAHORS (LOT) – RE, Abr/1863; 59) CHÂLONS (CAMPO DE) (MAINE) – RE, Jul/1860; RE, Out/1866; 60) CANTAL (DEPTO. AUVERGNE) – RE, Ago/1867; 61) CARCASSONE (AUDE) – RE, Ago/1863, Nov/1863; RE, Jan/1866; RE, Jul/1867, Nov/1867; 62) CARMAUX (TARN) – RE, Mar/1863; 63) CAZÉRES (HAUTE-GIRONDE) – RE, Fev/1866; 64) CEMPUIS (OISE) – RE, Out/1863; RE, Jun/1864; 65) CERTEILLERIE – RE, Jul/1867; 66) CHÂTILLON (CÔTE D’OR) – RE, Set/1864, Nov/1864; 67) CHAUNY (DEP. VIZINHO DE PARIS, CIDADEZINHA ONDE O ESPIRITISMO PENETROU HAVIA SEIS MESES) – RE, Fev/1862; RE, Mar/1863, Abr/1863; 68) CIDADEZINHA PROVINCIANA DA FRANÇA – RE, Jun/1861; 69) CHERBOURG (DEP. MANCHE) – RE, Out/1861; RE, Mar/1862; 70) CIDADE DEPTº HAUTES-ALPES – RE, Abr/1869; 71) CIDADE DO MIDI – RE, Mai/1863; 72) CIDADE DO SUL DA FRANÇA – RE, Jan/1858; 73) COGNAC (CHATENTE) – RE, Fev/1863; 74) COMUNA DE SAINTE-MARTHE – RE, Jun/1867; 75) CONDOM (GERS) – RE, Fev/1863; 76) CORRÉZE (DEPTO.) – RE, Abr/1866; 77) D-DONAI – RE, Jun/1866; 78) DEPTOS. DE FRANÇA – RE, Ago/1858; 79) DIEPPE (BURGO DE APANDES-TENDES/SIENE MARITIME) – RE, Abr/1860; 80) DOEUIL (CHARENT-INFERIEUR) – RE, Mai/1864; 81) DÔLE (DEPTO. JURA) – RE, Abr/1863; 82) D’ORTHEZ (LANDES) – RE, Fev/1863; 83) DOUAY (NORD) – RE, Out/1864; RE, Ago/1865 (2x); RE, Mai/1867; 84) FIVES (DEPTO-DU-NORD) – RE, Ago/1865; 85) FLAVIGNY – RE, Fev/1867; 86) FONS (LOT) – RE, Fev/1860 (2x); 87) FRANCFORT – RE, Abr/1862; 88) GAILLON (EURE LOUVERS) – RE, Fev/1863; 89) GENOUILLY (DEP. SAÔNE-ET-LOIRE) – RE, Dez/1865; 90) GRAMAT (LOT) – RE, Fev/1859; 91) GRANDVILLERS (VOGES) – RE, Jun/1864; 92) GRAY (HAUTE SAÔNE) – RE, Ago/1865; 93) HAVRE (SEINE-MARITIME) – RE, Fev/1860; RE, Mar/1862; RE, Mar/1864; RE, Fev/1868; 94) HENNEBON (MORBIHAN) – RE, Fev/1860, Mar/1860, Abr/1860; 95) ILE DE RÉ (ARS-EN-RE) – RE, Fev/1863; 96) ILHA DE OLÉRON (CHARENTE MARITIME) – RE, Jan/1864; 97) ILHAS MAURÍCIA – RE, Jul/1864; RE, Jan/1867, Jul/1867; RE, Mar/1869; 98) ILLIERS (DEPT.EVRE-ET-LOIRE) – RE, Jul/1867 (2x); 99) INDRE (DEPTO.) – RE, Jan/1861; 100) JOINVILLE – RE, Fev/1863, Ago/1863; RE, Ago/1865; 101) JOINVELLE-SUR-MARNE (HAUTE-MARNE) – RE, Set/1868; 102) JURA (DEPTO.) – RE, Mai/1860; 103) LAMBALLE (CÔTES-DU-NORD) – RE, Mar/1869; 104) LIBOURNE (GIROND) – RE, Jul/1867; 105) LILLE (NORD) – RE, Jan/1863; 106) LIMOGES (HAUTE-VIENNE) – RE, Ago/1860; RE, Dez/1864; RE, Abr/1867; 107) LORETTE (LOIRE) – RE, Dez/1866; 108) LYON (LIÃO) (RHONE) – RE, Fev/1858, Mai/1858; RE, Mai/1860, Out/1860 (3x), Nov/1860, Dez/1860; RE, Jun/1861, Out/1861; RE, Fev/1862 (3x), Fev/1862, Abr/1862, Nov/1862; RE, Jan/1863, Fev/1863, Mar/1863 (2x), Abr/1863 (2x), Mai/1863, Jun/1863, Jul/1863, Ago/1863, Nov/1863, Dez/1863; RE, Jan/1864 (2x), Mai/1864, Jul/1864, Ago/1864, Nov/1864; RE, Jan/1865, Mai/1864 (2x), Ago/1864, Set/1864, Nov/1864; RE, Jul/1866; RE, Mar/1867, Abr/1867 (2x), Mai/1867, Ago/1867; RE, Mar/1868, Abr/1868, Mai/1868; 109) LUTTER (ARREDORES DE) (HAUTE RHIM) – RE, Set/1864; 110) MÂCÓN (SAÔNE-ET-LOIRE) – RE, Nov/1860; 111) MAINE-ET-LOIRE (DEPTO.) – RE, Mar/1864; RE, Jul/1867; RE, Mar/1868; 112) MARSAIS (VENDEE) – RE, Mai/1864; 113) MARENNES (CHARENT MARITIME) – RE, Fev/1863; RE, Jan/1864; RE, Abr/1866; RE, Jan/1868; 114) MARMANDE (LOT E GARONE) – RE, Dez/1861; RE, Out/1862; RE, Fev/1864 (2x), Mar/1864 (2x); RE, Jan/1865, Nov/1865; RE, Fev/1866; RE, Jun/1867, Jul/1867; 115) MARSELHA – RE, Mai/1860, Jun/1860, Ago/1860; RE, Jan/1861, Nov/1861; RE, Fev/1863, Abr/1863; RE, Mar/1864, Abr/1864, Set/1864, Out/1864; RE, Jan/1865, Abr/1865 (2x); RE, Fev/1867, Mar/1867, Abr/1867, Ago/1867, Nov/1867; 116) MAUBOURQUET (HAUTE-PYRENÉES) – RE, Fev/1863; 117) MESCHER-SUR-GIROND (CHARENTE MARITIME) – RE, Mar/1863; 118) METZ (MOSELLE) – RE, Jul/1860; RE, Set/1861, Nov/1861 (2x); RE, Fev/1862; RE, Mar/1863, Mai/1863, Out/1863, Dez/1863; RE Out/1861, Nov/1861; 119) MELUN (SEINE-ET-MARNE) – RE, Set/1864; 120) MIGRÉ (CHARENTE MARITIME) – RE, Mai/1864; 121) MOLITG-LES-BAINS (PYRENÉES ATLANTIQUES) – RE, Ago/1863; 122) MONTANBAN (TARN-ET-GARONE) – RE, Abr/1865 (2x); 123) MONTERAT (TARN) – RE, Mar/1863; 124) MONTREUIL (PAS-DE-CALAIS) – RE, Nov/1863; 125) MONTREUIL-SUR-MER (PAS DE CALAIS) – RE, Fev/1863, Mar/1863, Out/1863; RE, Ago/1865; RE, Mai/1866; 126) MORZINE (HAUTE SAVOIE) – RE, Jan/1863, Fev/1863, Mai/1863; RE, Ago/1864; 127) MOULINS (ALLIERS) – RE, Set/1863; 128) MULHOUSE (HAUT-RHIN) – RE, Mar/1861, Set/1861; RE, Nov/1868; 129) NEUILLY – RE, Ago/1862; 130) NEUVIC (CORRÈZE) – RE, Fev/1863; 131) NIORT (DEUX-SÉVRES) – RE, Set/1861; RE, Fev/1863, Abr/1863; RE, Mai/1865; RE, Jul/1867; 132) NOIALLES (OISNE) – RE, Jun/1864; 133) NORD (DEPTO.) – RE, Jan/1866; 134) NORMANDIE (SEINE-MARITIME) – RE, Jul/1867; 135) OLORON (BASSES-PYRÈNNÉES) – RE, Dez/1867; 136) ORLÉANS (LOIRET) – RE, Mai/1861; RE, Fev/1863, Set/1863; RE, Jul/1867; 137) PARIS (SEINE) – RE, Fev/1858 (2x), Mar/1858 (2x), Mai/1858 (3x), Jun/1858 (4x), Jul/1858, Ago/1858, Nov/1858 (2x); RE, Fev/1859, Jun/1859; RE, Fev/1860 (4x), Jun/1859 (2x), Jul/1859, Set/1859, Out/1859, Nov/1859; RE, Fev/1862, Mar/1862, Abr/1862, Mai/1862, Jul/1862; RE, Jan/1863 (2x), Fev/1863, Mar/1863 (4x), Abr/1863, Mai/1863, Jun/1863, Jul/1863 (3x), Ago/1863 (3x), Set/1863, Out/1863 (3x), Nov/1863, Dez/1863 (3x); RE, Jan/1864, Fev/1864 (2x), Mar/1864, Abr/1864, Jun/1864, Set/1864, Out/1864 (2x), Nov/1864 (2x), Dez/1864 (3x); RE, Fev/1865 (6x), Mar/1865, Abr/1865, Mai/1865 (7x), Jun/1865, Jul/1865 (4x), Ago/1865 (2x), Set/1865, Nov/1865 (4x), Dez/1865 (4x); RE, Jul/1866 (2x); RE, Jan/1867 (5x), Fev/1867 (3x), Mar/1867 (7x), Abr/1867, Mai/1867, Jun/1867 (3x), Jul/1867, Ago/1867, Set/1867, Out/1867 (4x), Nov/1867, Dez/1867 (3x); RE, Jan/1868, Fev/1868 (2x), Mar/1868, Abr/1868 (2x), Mai/1868 (2x), Jun/1868, Ago/1868, Set/1868, Out/1868, Nov/1868 (5x); RE, Jan/1869 (4x), Fev/1869 (5x), Mar/1869, Abr/1869 (5x); 138) PASSY (HAUTE-SAVOIE) – RE, Mar/1862; RE, Nov/1864, Dez/1864; RE, Dez/1866; 139) PAU (PYRENÉES ATLATIQUES) – RE, Mar/1863; 140) PECHBUSQUE (HAUTE GARONNE), RE Jan/1860; 141) PERPIGNAN (PYRENÉES-ORIENTALES) – RE, Nov/1865; 142) PLESSIS-BOUDET (PERTO LOUDÉX – CÔTES-DU-NORD) – RE, Abr/1860, Jun/1860; 143) POITIERS (VIENNE) – RE, Fev/1863 (2x); RE, Fev/1864, Mar/1864; 144) PONT-LE VÊGUE (CALVADO) – RE, Abr/1865; 145) PRIAIRE – RE, Mai/1864; 146) PROVINS (SEINE-ET-MARNE) – RE, Fev/1863; 147) RAMBOUILLET (YVELINÉS) – RE, Dez/1858; 148) ROCHEFORT (CHARENT-MAIRTIME) – RE, Dez/1862; 149) ROCHEFORT-SUR-MER (CHARENT MARITIME) – RE, Dez/1866; 150) ROUEN (SEINE MARITIME) – RE, Fev/1860, Jun/1860; RE, Jan/1863; 151) SAINT-GEMME (DEUX-SÉVRES) – RE, Ago/1862; 152) SAINT LAURENT-SUR-SEVES (ALDEIA DE VOGES) – RE, Mar/1864; 153) SAINTE-ÉTIENNE (LOIRE) – RE, Mai/1859 (2x); RE, Mai/1860, Nov/1860; 154) SAINT-GEMME (TARN) – RE, Ago/1862,; RE, Mar/1863; 155) SAINT-GERMAIN (YVELINÉS) – RE, Jul/1867; 156) SAINT-JEAN-D’ANGELY (CHARENTE MARITIME) – RE, Ago/1862; RE, Mar/1863; RE, Ago/1864; RE, Abr/1865 (2x), Jul/1865; 157) SAINT-MALO (ILLE E VILAINE) – RE, Fev/1863; 158) SAINT SAUFLIEU (SOMME-PICADIE) – RE, Fev/1868; 159) SAINT-SYMPHORIEN-SUR-COISE (DEP. LOIRE) – RE, Out/1867; 160) SENS (YONNE) – RE, Nov/1860 (2x), Dez/1860; RE, Mar/1861 (2x), Out/1862, Nov/1862; RE, Fev/1862, Abr/1862; RE, Fev/1863, Jun/1863; RE, Fev/1864; RE, Ago/1868, Set/1868; 161) SONNAC (CHARENTE INFERIEUR) – RE, Ago/1864 (2x); RE, Mar/1865; 162) SOULTZ (ALTO RENO) – RE, Jul/1861; 163) STRASBURG (BAS-RHIN) – RE, Mar/1864; 164) TARBES (HAUTES PYRENÉES) – RE, Fev/1863; 165) TARN (DEPTO.) – RE, Mar/1863; 166) TEIL D’ARDÈCHE (ARDÉCHE) – RE, Fev/1860, Abr/1860; 167) TERRE-NOIRE (LOIRE) – RE, Nov/1860; 168) THIONVILLE (MOSELLE) – RE, Se/1863, Out/1863; 169) THONON (ALTA SABÓIA) – RE, Ago/1864; 170) TOULON (DEPTO. VAR) – RE, Fev/1867; 171) TOULOUSE (HAUTE GARONE) – RE, Jan/1860; RE, Nov/1861; RE, Jun/1863, Nov/1863; RE, Jan/1865; RE, Abr/1866; RE, Jul/1867; RE, Set/1868; RE, Jan/1869; 172) TOURS (INDRE-ET-LOIRE) – RE, Fev/1863 (2x), Mar/1863, Abr?1863 (4x); RE, Jun/1865; RE, Jul/1867; 173) TROYES (AUBE) – RE, Fev/1860, Mai/1860, Dez/1860 (2x); RE, Dez/1865; 174) TULLE (CORRÈZE) – RE, Abr/1866; 175) TUSSEL (CORRÉZE) – RE, Jan/1864; 176) VERSAILLES (YVELINÉS) – RE, Abr/1863; 177) VIENNE (DEPTO.) – RE, Jan/1861; RE, Mai/1865; 178) VILLATE (COMUNA, PERTO DE NOZOI), – RE, Ago/1864; 179) VILLE-AU-MOINE – RE, Mai/1864; 180) VILLENAVE-DE-RIONS (DEPTO GIRONDE) – RE, Dez/1863; 181) VILLENENUVE (ALPES HAUTE PROVENCE) – RE, Jul/1867; 182) VILLENENUVE-SUR-LOT (LOT-ET-GARONE) – RE, Nov/1867; 183) VILLENEUVE-LA-CONTESSE (CHARENT INFERIEUR) – RE, Mai/1864; 184) VICQ-SUR-NAHON (INDRE) – RE, Abr/1867; 185) VIVIERS (ARDÈCHE) – RE, Jun/1864.
    VIII – 186) GRÉCIA – RE, Jan/1869;
    IX – HOLANDA – RE, Mar/1858, Ago/1858, Out/1858; 187) HAIA – RE, Mai/1858; RE, 1862; 188) ZELÂNDIA (PROV. HOLANDA) – RE, Dez/1867; 189) ZIÈRICSÉE (PROV. HOLANDA) – RE, Dez/1867;
    X – INGLATERRA – RE, Ago/1858; RE, Ago/1859; RE, Mar/1861; RE, Jan/1869; 190) LIVERPOOL (INGLAT)- RE, Jun/1860; 191) LONDRES (INGLAT) – RE, Jan/1860 (2x), Jul/1860 (2x); RE, Nov/1865; RE, Fev/1867; RE, Mar/1869;
    XI – ITÁLIA – RE, Mar/1861; RE, Jun/1862; RE, Mar/1864, Jul/1864; RE, Mar/1866; RE, Jan/1869; 192) BOLONHA – RE, Fev/1865; RE, Mar/1868; 193) CATÂNIA – RE, Jan/1867; 194) FLORENÇA – RE, Mar/1858, Ago/1858; RE, Jan/1860, Fev/1860; RE, Abr/1869; 195) GÊNOVA – RE, Ago/1858; RE, Jul/1860; 196) MILÃO – RE, Ago/1858; RE, Set/1860; 197) NÁPOLES – RE, Ago/1858; 198) PALERMO – RE, Jul/1863; 199) PARMA – RE, Dez/1862; RE, Ago/1863; 200) ROMA – RE, Fev/1858; RE, Arb/1861; RE, Fev/1864, Jun/1864; 201) SCÓRDIA (Sicília) – RE, Jun/1866; 202) SICÍLIA – RE, Jul/1863; RE, Jan/1867; 203) TURIM – RE, Ago/1858; RE, Jan/1864, Mar/1864, Ago/1864; RE, Fev/1865; RE, Fev/1867, Mar/1867;
    XII – POLÔNIA – RE, Jan/1864; RE, Fev/1869; 204) CRACÓVIA – RE, Fev/1861, Dez/1861; RE, Mai/1865 (2x); 205) VARSÓVIA – RE, Mar/1861, Mai/1861; 206) PODÓLIA – RE, Fev/1861;
    XIII – 207) PORTUGAL – RE, Fev/1869;
    XIV – 208) PRÚSSIA – RE, Ago/1858;
    XV – RÚSSIA – RE, Out/1858; RE, Mar/1861; RE, Jan/1869; 209) MOSCOU – RE, Ago/1858; RE, Jun/1860, Jul/1860; RE, Nov/1861; 210) SÃO PETERSBURGO – RE, Mai/1858, Ago/1858; RE, Jan/1860 (2x), Fev/1860, Abr/1860; RE, Mai/1861, Nov/1861; RE, Ago/1863; RE, Mai/1864; RE, Fev/1865, Jun/1865, Jun/1865; RE, Set/1868, Out/1868; XVI 211) UCRÂNIA – RE, Fev/1861; 212) KHARKOW – RE, Nov/1865; 213) ODESSA – RE, Mar/1867;
    XVII – 214) SUÉCIA – RE, Jan/1869;
    XVIII – 215) SUIÇA – RE, Ago/1858; RE, Jun/1868; RE, Jan/1869; 216) BERNA – RE, Jan/1861; RE, Jan/1863; 217) CANTÃO DO BERNE – RE, Out/1864; 218) CIDADEZINHA ANTIGA BORGONHA (ATUAL SUÍÇA ROMANDA) – RE, Fev/1869; 219) GENEBRA (GÉNEVE) – RE, Jan/1858, Ago/1858; RE, Abr/1863; RE, Ago/1864; RE, Jun/1868; 220) GLARIS (CANTÃO) – RE Jan/1861; 221) LOCARNO – RE, Ago/1863; 222) ZIMMERWALD – RE, Jan/1863;

    VIII – 186) GRÉCIA – RE, Jan/1869;
    IX – HOLANDA – RE, Mar/1858, Ago/1858, Out/1858; 187) HAIA – RE, Mai/1858, RE, Abr/1862; 188) ZELÂNDIA (PROV. HOLANDA) – RE, 1867, pág. 363; 189) ZIÈRICSÉE (PROV. HOLANDA) – RE, 1867, pág. 363;
    X – INGLATERRA – RE, Ago/1858; RE, Ago/1859; RE, Mar/1861; RE, Jan/1869; 190) LIVERPOOL (INGLAT)- RE, Jun/1860; 191) LONDRES (INGLAT) – RE, Jan/1860 (2x), Jul/1860 (2x); RE, Nov/1865; RE, Fev/1867; RE, Mar/1869;
    XI – ITÁLIA – RE, Mar/1861; RE, Jun/1862; RE, Mar/1864, Jul/1864; RE, Mar/1866; RE, Jan/1869; 192) BOLONHA – RE, Fev/1865; RE, Mar/1868; 193) CATÂNIA – RE, Jan/1867; 194) FLORENÇA – RE, Mar/1858, Ago/1858; RE, Jan/1860, Fev/1860; RE, Abr/1869; 195) GÊNOVA – RE, Ago/1858; RE, Jul/1860; 196) MILÃO – RE, Ago/1858; RE, Set/1860; 197) NÁPOLES – RE, Ago/1858; 198) PALERMO – RE, Jul/1863; 199) PARMA – RE, Dez/1862; RE, Ago/1863; 200) ROMA – RE, Fev/1858; RE, Abr/1861; RE, Fev/1864, Jun/1864; 201) SCÓRDIA (Sicília) – RE, Jun/1866; 202) SICÍLIA – RE, Jul/1863; RE, Jan/1867; 203) TURIM – RE, Ago/1858; RE, Jan/1864, Mar/1864, Ago/1864; RE, Fev/1865; RE, Fev/1867, Mar/1867;

    XII – POLÔNIA – RE, Jan/1864; RE, Fev/1869; 204) CRACÓVIA – RE, Fev/1861, Dez/1861; RE, Mai/1865 (2x); 205) VARSÓVIA – RE, Mar/1861, Mai/1861; 206) PODÓLIA – RE, Fev/1861;

    XIII – 207) PORTUGAL – RE, Fev/1869;
    XIV – 208) PRÚSSIA – RE, Ago/1858;

    XV – RÚSSIA – RE, Out/1858; RE, Mar/1861; RE, Jan/1869; 209) MOSCOU – RE, Ago/1858; RE, Jun/1860, Jul/1860; RE, Nov/1861; 210) SÃO PETERSBURGO – RE, Mai/1858, Ago/1858; RE, Jan/1860 (2x), Fev/1860, Abr/1860; RE, Mai/1861, Nov/1861; RE, Ago/1863; RE, Mai/1864; RE, Fev/1865, Jun/1865, Jun/1865; RE, Set/1868, Out/1868; XVI 211) UCRÂNIA – RE, Fev/1861; 212) KHARKOW – RE, Nov/1865; 213) ODESSA – RE, Mar/1867;

    XVII – 214) SUÉCIA – RE, Jan/1869;
    XVIII – 215) SUIÇA – RE, Ago/1858; RE, Jun/1868; RE, Jan/1869; 216) BERNA – RE, Jan/1861; RE, Jan/1863; 217) CANTÃO DO BERNE – RE, Out/1864; 218) CIDADEZINHA ANTIGA BORGONHA (ATUAL SUÍÇA ROMANDA) – RE, Fev/1869; 219) GENEBRA (GÉNEVE) – RE, Jan/1858, Ago/1858; RE, Abr/1863; RE, Ago/1864; RE, Jun/1868; 220) GLARIS (CANTÃO) – RE Jan/1861; 221) LOCARNO – RE, Ago/1863; 222) ZIMMERWALD – RE, Jan/1863;

    AMÉRICA (8 países e 23 localidades)

    XIX – 223) BRASIL – RE, Mar/1861; RE, Jan/1867; 224) RIO DE JANEIRO – RE, Jul/1864; 225) SALVADOR/BA – RE, Nov/1865; RE, Jul/1869;

    XX – 226) CANADÁ – RE, Ago/1858; 227) MONTREAL – RE, Mar/1862; RE, Mai/1864;

    XXI – 228) COLÔMBIA – SANTA-FÉ DE BOGOTÁ (NOVA GRANADA) – RE, Out/1868;
    XXII – 229) CUBA – HAVANA – RE, Ago/1860;
    XXIII – 230)_ESTADOS UNIDOS – RE, Jan/1858, Ago/1858; RE, Mar/1861; RE, Jan/1869; 231) ÁTICA (Indiana) – RE, Nov/1858; 232) BATÁVIA – RE, Ago/1858; 233) BOSTON – RE, Mar/1863; 234) CARDINGTON (Ohio) – RE, Nov/1858; 235) CLÉVELAND – RE, Abr/1869; 236) ESTADO DO MAINE – RE, Mar/1869; 237) NEW-ÓRLEANS – RE, Jan/1858; RE, Fev/1861, Mar/1861; RE, Set/1868; RE, Abr/1869; 238) NEW-YORK – RE, Fev/1861, Ago/1861, Dez/1861; RE, Abr/1869; 239) PROVIDENCE RHODE-ISLAND (NEW YORK) – RE, Jan/1867; 240) RAVENSWOOD – RE, Mar/1867; 241) SÃO FRANCISCO – RE, Mai/1864;
    XXIV – GUIANA FRANCESA – 242) CAYENNE – RE, Ago/1858;
    XXV – 243) MÉXICO – RE, Ago/1858; RE, Mar/1861, Jul/1861, Nov/1861; RE, Jan/1862, jun/1862;
    XXVI – 244) PERU; RE, Ago/1867; Set/1867; 245) LIMA – RE, Mai/1859;

    ÁFRICA – 5 países e 14 localidades

    XXVII – 246) PEQUENA CIDADE AFRICANA – RE, Ago/1862;
    XXVIII – ARGÉLIA – RE, Nov/1861; RE, Fev/1862, Jun/1862; RE, Nov/1863; RE, Dez/1864; RE, Mar/1866; RE, Jan/1867, Fev/1867 (3x); 247) ARGEL (ARGÉLIA) – RE, Set/1864; 248) CONSTANTINA (ARGÉLIA) – RE, Jun/1862, Ago/1862; RE, Jul/1864 (2x); RE, Fev/1868; 249) EL-AFROUN (ARGÉLIA) – RE, Dez/1866; 250) GUELMA (ARGÉLIA) – RE, Fev/1863; RE, Ago/1868; 251) LA CALLE (ARGÉLIA) – RE, Nov/1862; 252) LAGHOUAT (ARGÉLIA) – RE, Nov/1868; 253) MILIANAH (ARGÉLIA) – RE, Mar/1866; 254) ORAN (ARGÉLIA) – RE, Nov/1861; 255) SÈTIF (ARGÉLIA) – RE, Abr/1860, Jun/1860, Set/1860, Nov/1860; RE, Nov/1861; RE, Jan/1863, Jul/1863, Set/1863, Nov/1863, Dez/1863; RE, Jun/1867; RE, Fev/1868, Mai/1868; 256) GUELMA (ARGÉLIA), RE, Fev/1863;
    XXIX – 257) EGITO – RE, Dez/1864; RE, Jan/1868 (nota)
    XXX – GUINÉ BISSAU – 258) SÃO DOMINGOS – RE, Jun/1864;
    XXXI – ILHAS MAURÍCIA – 259) PORT LOUIS – RE, Set/1866;

    ÁSIA – 5 países e 9 localidades

    XXXII – 260) (EXTREMO DA ÁSIA) – RE, Set/1867;
    XXXIII – 261) CHINA – RE, Fev/1869; 262) SHANGAI – RE, Set/1858;
    XXXIV – COCHINCHINA (INDOCHINA) – 263) SAIGON – RE, Out/1868;
    XXXV – 264) SÍRIA – RE, Nov/1868;
    XXXVI – 265) TURQUIA – RE, Fev/1869; 266) CONSTANTINOPLA – RE, Jul1861; RE,Jul/1863; RE, Jul/1864; RE, Nov/1865; 267) SMYRNA – RE, Jan/1864, Jul/1864;
    XXXVII – ISRAEL – 268) VILNA – CI, Cap. VIII, Szymel Slizgol.

  714. Gorducho Diz:

    O Marcel Souto Maior faz um trabalho se bem me lembro bem simplório, raso. Mas ok, se tem conteúdos na obra dele que seja originais, apurados por ele, me cite. Claro, estou disposto a mudar de opinião sobre qualquer obra a qualquer tempo se me mostrar…
    E avaliar um trabalho diferenciando biografia de hagiografia não é difamação, pois que análise duma obra.
     
    De novo aquela listagem: pensei que o Sr. era o Jakov… não é então.
    Vamos começar então? Inicie a análise.

  715. Gorducho Diz:

    Quer que eu traga o necrológio, again???
     
    Não: quero que o Sr. me traga as referências aonde ele cita o JR – ou outros como o Fourier… – enquanto vivo, na Codificação.

  716. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    I) “Van Lommel pegou a história de segunda ou terceira mão. Alguém que conhecia o enfermeiro teria contado a Lommel o depoimento daquele. E isso anos depois do acontecido.”
    .
    (Vitor proclama:)ERRO: O próprio enfermeiro contou a experiência. NÃO É RELATO DE SEGUNDA, MUITO MENOS DE TERCEIRA MÃO. O relato da Lancet se baseou em dois documentos, o segundo dele foi uma entrevista com o próprio enfermeiro. Ou seja, você não tem a MÍNIMA preocupação com a veracidade do que você escreve. Você escreve um monte de bobagens – UM MONTE – tentando queimar os pesquisadores, e acaba se queimando. EU NÃO TÔ AGUENTANDO MAIS AS BOBAGENS QUE VC ESCREVE, Montalvão. Você está conseguindo se sair pior que o falecido Martin Gardner quando foi falar da Piper.
    ./
    PONDERAÇÃO: verdade… com certeza toquei na ferida…
    .
    Tá, então Lommel não pegou a história de segunda ou terceira… confiramos, na voz do insuspeito Rudolf H. Smit, eis que acerbo defensor da força evidencial da dentadura babada. Trechos selecionados, acrescido de um parágrafo de Woerlee e dois ou três de Titus Rivas: [comentário meus entre colchetes]
    .
    Rudolf H. Smit é membro da Fundação Merkawah, a filial holandesa da Associação Internacional para Estudos de Quase-Morte.
    /
    [PRIMEIRO, O DESLUMBRE, BEM AO GOSTO DE ALGUNS AQUI, QUE NÃO SEI QUEM]:
    .
    “Um dos exemplos MAIS NOTÁVEIS de histórias de uma experiência quase-morte é o relato de um paciente clinicamente morto, cuja dentadura foi removida de sua boca antes da reanimação”.
    [VEJAM QUE PARA O RUDOLF O CASO É “FORTE”]
    /
    “NO VERÃO DE 2007 eu recebi um e-mail de Ruud van Wees, um dos quatro autores do artigo da Lancet, e também um dos cinco fundadores da Merkawah. Ele me disse que ele ainda tinha sob seus cuidados um conjunto de pastas contendo documentos, tais como histórias de EQM e também a entrevista original com o enfermeiro que cuidou do paciente, cuja dentadura foi removida ao ser reanimado.”
    .
    .
    “A anedota publicada na revista médica The Lancet foi baseada em dois documentos. O PRIMEIRO DOCUMENTO ERA UM ARTIGO DATADO DE AGOSTO DE 1991, E ESCRITO POR VINCENT MEIJERS,
    O TERCEIRO AUTOR DO ARTIGO DA LANCET (VAN LOMMEL ET AL. 2001), onde o seu nome apareceu como Meyers. Ele baseou o artigo em uma entrevista que ele havia realizado com outro enfermeiro que estava ciente do procedimento de reanimação do paciente, cuja dentadura havia sido perdida. O foco de Meijers neste trabalho foi EQMs em geral, e ele fez apenas uma breve referência ao episódio da dentadura.
    .
    O segundo documento era uma transcrição da entrevista datada de 3 de fevereiro de 1994. Ap Addink (A.A.), na época membro da equipe da Fundação Merkawah que se especializou em fazer entrevistas em profundidade com as pessoas que passaram por uma EQM e outras pessoas, conduziu esta entrevista. EM 2 DE FEVEREIRO DE 1994, ELE FALOU LONGAMENTE COM O ENFERMEIRO QUE TINHA REMOVIDO A DENTADURA DO PACIENTE; a pedido do enfermeiro, para proteger sua privacidade, vou me referir a ele como T.G..”
    .
    “DE ACORDO COM A T.G., O PESSOAL MÉDICO NÃO FEZ MENÇÃO A ESTA EQM NO REGISTRO MÉDICO DE B., O QUE NÃO É SURPREENDENTE, POIS NOS ANOS EM QUE O CASO DO PACIENTE B. OCORREU, A EQUIPE NUNCA REGISTROU TAIS FENÔMENOS. No entanto, T.G. falou sobre o caso para os seus colegas, que ficaram vagamente surpresos, mas encolheram os ombros, com a aparente exceção de um colega K.B., que foi responsável por chamar a atenção de Meijers para a história.”
    [ÊPA! LUZ VERMELHA! O QUE ESTÁ DITO É QUE SÓ TG SABE DO CASO...]
    .
    “Então, finalmente, em abril de 2008, pude entrar em contato com o elusivo [fugidio] T.G. para uma entrevista por telefone.”
    .
    “De acordo com T.G., B. era um dobrador de aço bem pé-no-chão, que muito provavelmente nem sequer entendia que ele tinha tido uma EQM, incluindo uma EFC. Certamente no momento em que sua crise médica ocorreu, o público em geral na Holanda em sua maioria desconhecia os fenômenos de quase-morte.
    T.G. disse a mim e a Rivas que, depois da alta hospitalar de B., T.G. o tinha visto apenas uma vez, de uma distância, quando B. veio se apresentar ao hospital para um check-up. Naquela época, B. não parecia saudável. Pelo contrário, T.G. disse que B. parecia um “aleijado cardíaco” como resultado de seu ataque cardíaco fulminante. De fato, alguns anos mais tarde T.G. viu um obituário em um jornal informando que um B. de Ooy havia morrido.”
    [SEQUER PROCURARAM O OBITUÁRIO PARA CONFIRMAR...]
    .
    “Como comentário final, com o seu serviço três décadas como enfermeiro na unidade coronariana e como um membro da equipe altamente experiente de paramédicos com conhecimento prático e teórico respeitável neste campo, T.G. é, na minha opinião, uma fonte altamente credível. Considero também que é importante notar que, como B. experimentou a EFC enquanto estava clinicamente morto, sua experiência foi uma EQM, embora não tenha incluído um túnel, luz, revisão da vida, ou outras características que essas pessoas têm por vezes relatado.”
    [QUER DIZER, JOGA TODA FORÇA DO CASO NO DEPOIMENTO DE UM ENFERMEIRO QUE NEM IDENTIFICADO É. E O ACONTECIMENTO SEQUER CONSTA DOS REGISTROS DO HOSPITAL!]
    .
    “Quanto às observações de French (2001), vamos considerá-las linha por linha. French escreveu: “Infelizmente, eles não informam se alguma tentativa foi feita para corroborar os detalhes com o paciente” (p. 2010). Evidentemente, alguns investigadores fizeram tentativas, mas eles não puderam localizar B., provavelmente porque ele já havia morrido.
    [ENTÃO, O CASO DEVERIA SER CONSIDERADO INCOMPLETO E INSUFICIENTE PARA CORROBORAR LEGÍTIMA EQM COM EFC.]”
    .
    WOERLEE: “EM UM DIA FRIO NO FINAL DE 1979, um transeunte descobriu o Sr. B. aparentemente inconsciente deitado em um campo perto da aldeia de Ooij na região da cidade de Nijmegen, Holanda, e chamou uma ambulância. O pessoal da ambulância encontrou um o homem de 44 anos de idade, gelado, inconsciente, e começou a reanimação cardiopulmonar (RCP).”
    .
    TITUS RIVAS: “Mas antes de tratar estes quatro itens, nós oferecemos esta advertência: este caso aconteceu 30 anos atrás, então os detalhes reais não podem ser corroborados por relatórios oficiais, porque, como é habitual, após uma passagem de tempo, todos os registros médicos do caso foram destruídos.”
    .
    TITUS RIVAS: “O único documento que de uma certa forma corrobora o que temos é um relatório de 12 páginas que um membro do pessoal da Fundação Merkawah/Associação Internacional para Estudos de Quase-Morte (IANDS) Holanda, Ap Addink, ESCRITO EM 1994, baseado em sua extensa entrevista com TG.”
    /
    /
    PONDERAÇÃO: Então, quem tem olhos de ver que veja: sigam as datas e confiram se o caso não chegou velho e de segunda mão a Lommel e de terceira, ou quarta, a outros autores. Vejam:
    .
    - O evento teria ocorrido em 1979;
    .
    - o primeiro registro data de 1991 (doze anos depois);
    .
    - a entrevista com o enfermeiro ocorreu em 1994, (quinze anos após o suposto acontecimento);
    .
    - o enfermeiro é identificado por uma inicial e, além dos apologistas místicos de EQM, ninguém mais o entrevistou;
    .
    - o hospital não possui qualquer anotação do caso;
    .
    - nenhum dos presentes ao socorro (afora o misterioso depoente) se manifestou;
    .
    - o personagem principal morreu e nunca deu qualquer depoimento;
    .
    Eis aí exemplo de um “caso forte” …
    .
    depois eu é que sou cabeça dura…
    .
    Quebra de paradigma… só Jeshua…

  717. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Nunca ouviu falar de Thomas Kuhn? Quando reclamo da SUA CULTURA CIENTÍFICA RASA, tá aí a prova…”
    /.
    PONDERAÇÃO: para quem, há alguns anos chamava Khun, Lakatos, Feyeraband de patetas, e não poupava Popper, até que evoluiu bem…
    .
    VITOR MOURA (11/3/2010): “Maurício, não é sem necessidade. É uma idéia errada que precisa morrer. Há diversos trabalhos acadêmicos que mostram equívocos grosseiros nas idéias deles, principalmente o trabalho de Andersson, mas eu citei pelo menos mais 2 além destes.
    .
    Conheço professores de Epistemologia que inclusive acham não só Kuhn, Lakatos e Feyerabend patetas, como Popper um débil mental (aliás, eu posso explicar porque Popper é um débil mental, se quiser… acho que até já disse alguns dos motivos).
    .
    JUNTE ELES E TEMOS AS 4 BESTAS DO APOCALIPSE…”

  718. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Borges Diz:
    Montalvão:- O exagero presente nos argumentos do Dr. Woerlee, já indica que as evidências de EQMs são fortes. O fato de você não aceitar não muda nada, apenas nos deixa em lados opostos nesta contenda.
    .

    PONDERAÇÃO: embora concordo com Woerlee na maioria do que diz, pouco o cito, mas se quiser que o analisemos, faz favor, relacione os exageros por ele cometidos e vamos examiná-los juntos (juntos mas não juntinhos, sacou?).
    /
    /
    /
    /
    BORGES: Aceitar que uma menina simples do interior teatralizou o episódio, com performance digna de atores do primeiro time da Globo, é não ser ponderado em sua ponderação.
    ./
    PONDERAÇÃO: quem diz que o desempenho da pequerrucha equipara com o time da Globo é você, conquanto no time da Globo tenha de tudo, a atuação da peraltinha foi amadora. O caso é que sempre aparece quem valide essas coisas…
    /
    /
    BORGES: Uma garota finge que é o primo, reconhece as pessoas que se relacionavam com o mesmo, revela o lugar onde morreu afogada, reconhece seu túmulo, e ainda se torna exímia ciclista e nadadora. Acho que é muita coisa para uma garotinha naquela idade. Além disto, se houvesse alguma mentira na história, sempre haveria um católico, evangélico ou cético disposto a revelar. Em lugarejos assim, todos ficam sabendo de tudo sobre todos.
    /.
    PONDERAÇÃO: de fatz é tudo um baratiz, dizia o Muçum… Prezadio, seus olhos veem o que sua mente ansiosa pelo doce da fantasia almeja.
    .
    A garota era prima do primo, reconhecer os que com ele se relacionavam não seria tão complicado (mesmo porque não houve fiscalização no nível de reconhecimento);
    .

    Exímia nadadora e ciclista vai por conta de seu deslumbre, ela nadou mais ou menos e pedalou certinho, nenhum eximiedade foi registrada. Acrescente que não saber nadar ou pedalar um bikeshow também não foi fiscalizado, apenas alegado.
    Até agora não houve refutação, você não justificou nada, apenas acusou a garotinha de fingimento, acho que você pode fazer melhor, ou então aceitar o fato.
    .

    “Acho que é muita coisa para uma garotinha naquela idade.”
    /.
    PONDERAÇÃO: claro, lhe é conveniente ver no caso “muita” coisa, onde olhos menos sonhadores não veem nada de mais…
    /
    /

    “Além disto, se houvesse alguma mentira na história, sempre haveria um católico, evangélico ou cético disposto a revelar.”
    ./
    PONDERAÇÃO: essa foi de lascar! É assim mesmo? E se os céticos e evangélicos não quiseram perder tempo com a brincadeirinha? E se o Fantástico (onde o caso foi apresentado) fechou os portões para céticos e evangélicos? Cada uma que passa nessa cabecinha de santo Onofre que nem acredito…
    /
    /

    “Em lugarejos assim, todos ficam sabendo de tudo sobre todos.”
    .
    /
    PONDERAÇÃO: mais ou menos: moro num “lugarejo assim” e conquanto seja mais fácil saber das fofocas nem sempre as notícias circulam tão facilmente quanto supõe. E mesmo que seja conforme imagina, como seria “pegar na mentira” num lugarejo desses? A garotinha dizia que o primo estava dentro dela, e foi para a casa do tio curtir, quem poderia descobrir se era ou não verdade? Só se a abrisse pra conferir se os dois espíritos estavam lá dentro…
    .

    Sonhar é bom, marciano gosta muito…

  719. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    DOIS MOMENTOS:
    /
    MONTALVÃO: 1) “Não acha que está mais que na hora de apontar seus canhões culturais para os médiuns, conclamando-os a PRODUZIREM PROVAS OBJETIVAS DE ESPÍRITOS PRESENTES E COMUNICANTES NOS ENTORNOS MEDIÚNICOS? Ser-lhe-á mais produtivo que ficar em eterno retorno a discussões já havidas, repetindo os mesmos e rebatidos argumentos. POR QUE SE ENCOSTAR EM GENTE DE HÁ MUITO MORTA, INCAPAZ DE PRODUZIR AS EVIDÊNCIAS QUE ALEGA EXISTIREM? TRAGA-NOS QUEM POSSA SER CONFERIDO E CONFIRMADO.”
    .
    /
    MONTALVÃO: 2) Experiência não falhada seria, por exemplo, semelhante a que propomos aos imaginados espíritos: ler duas ou três frases de livro postado em local sem acesso, em experimento devidamente controlado (e devidamente documentado). Ou, ir a um aposento lacrado e identificar cinco objetos postados sobre a mesa. Tudo condizentemente fiscalizado. Experiências simples e com resultados consistentes, e com as replicações indispensáveis.
    /
    /

    RESPOSTA DO MEDIUNISTA: “Segundo o próprio Montalvão, os espíritos estão já provados então:”
    .
    “Em outra ocasião — 17 DE JULHO DE 1918 — uma tentativa foi feita para fazer com que A. V. B. DESCREVESSE UM LIVRO deliberadamente selecionado por U. V. T. O experimento foi quase o contrário do último. Feda foi dita em 11 de julho que o livro seria extraído de um dos vizinhos de um selecionado por A. V. B. para um teste de livros anterior, e que seria colocado em uma estante específica. O livro escolhido foi um francês chamado Amitié Amoureuse, e consistia de uma série de cartas trocadas entre um homem e uma mulher.” [...]
    ./
    PONDERAÇÃO: comparem o que foi requerido com o ofertado:
    .
    “conclamando-os a PRODUZIREM PROVAS OBJETIVAS DE ESPÍRITOS PRESENTES E COMUNICANTES NOS ENTORNOS MEDIÚNICOS”
    .

    A experiência citada não verifica presença de espírito algum, já assume que tal é verdadeiro, o que se fez foi dar ao “espírito” incumbência bem diferente da pedida, qual foi:
    .
    “ler duas ou três frases de livro postado em local sem acesso, em experimento devidamente controlado (e devidamente documentado). Ou, ir a um aposento lacrado e identificar cinco objetos postados sobre a mesa. Tudo condizentemente fiscalizado.”
    .
    Acrescente-se que fora feita a exortação:
    .
    “POR QUE SE ENCOSTAR EM GENTE DE HÁ MUITO MORTA, INCAPAZ DE PRODUZIR AS EVIDÊNCIAS QUE ALEGA EXISTIREM? TRAGA-NOS QUEM POSSA SER CONFERIDO E CONFIRMADO.”
    .
    Ou seja, requere-se experiências contemporâneas, passíveis de verificação e replicação.
    .
    E que é que foi apresentado: “Em outra ocasião — 17 DE JULHO DE 1918”…
    .
    DE FATZ, dá pra conferir e confirmar direitinho…
    .
    E ainda tenho que ouvir:
    .
    “Se o Montalvão continuar dizendo que só temos experiências falhadas, só ESTARÁ DANDO MOSTRAS DE UMA DESONESTIDADE QUE POUCAS VEZES VI DE FORMA TÃO PATENTE.”
    .
    Deprimente.

  720. Vitor Diz:

    Mais bobagens do Montalvão…
    .
    a) “Tá, então Lommel não pegou a história de segunda ou terceira…
    .
    Logo no início é dito:
    .
    “No verão de 2007 eu recebi um e-mail de Ruud van Wees, um dos quatro autores do artigo da Lancet, e também um dos cinco fundadores da Merkawah. Ele me disse que ainda tinha sob seus cuidados um conjunto de pastas contendo documentos, tais como histórias de EQM e também a entrevista original com o enfermeiro que cuidou do paciente, cuja dentadura foi removida ao ser reanimado.
    .
    Os autores TINHAM o documento ORIGINAL da entrevista realizada. Seria uma fonte de segunda mão se fosse alguém recontando a transcrição original, e não pudéssemos conferir o que realmente dizia o documento original.
    .
    Além disso, Rivas e Smith eles próprio puderam reentrevistar o paciente e confirmar tudo do documento original. O caso, assim, conta com fontes em primeiríssima mão. Querer restringir o caso ao artigo do Lommel e esquecer a pesquisa de Rivas e Smith dizendo que o caso é de “segunda ou terceira mão” é o fim da picada…aliás, o próprio artigo de Rivas e Smith diz que “a evidência inclu[i] o testemunho em primeira mão de uma testemunha importante e confiável”. Ó Céus…
    .
    b) “VEJAM QUE PARA O RUDOLF O CASO É “FORTE”
    .
    “Notável” quer dizer digno de nota. Como vc transforma isso no Rudolf dizendo que o caso é forte só um alquimista explica! O próprio Rudolf diz: “Estamos cientes do fato de que esta única testemunha ocular, embora confiável, não é garantia de que o caso seja sólido. Seja como for, acreditamos que o caso continua interessante e importante o suficiente para ser considerado seriamente.”
    .
    Mais problemas de interpretação do Montalvão…
    .
    c) SEQUER PROCURARAM O OBITUÁRIO PARA CONFIRMAR…
    .
    Será? Eles dizem: “Queremos agradecer aos cardiologistas Pim van Lommel e Willem Jan Louridtz por seus comentários extensos e muito úteis, e à Sra. Anny Dirven por manter contato com o enfermeiro TG, suas tentativas de encontrar mais dados sobre o paciente B, e suas sugestões úteis sobre esta resposta a Woerlee.”
    .
    Tá difícil, hein, Montalvão?
    .
    d) “QUER DIZER, JOGA TODA FORÇA DO CASO NO DEPOIMENTO DE UM ENFERMEIRO QUE NEM IDENTIFICADO É. ”
    .
    Não é identificado para quem? para nós, leitores. O sujeito tem o direito de se manter anônimo. Mas os pesquisadores sabem perfeitamente quem ele é.
    .
    e) ENTÃO, O CASO DEVERIA SER CONSIDERADO INCOMPLETO E INSUFICIENTE PARA CORROBORAR LEGÍTIMA EQM COM EFC.
    .
    Céus…desculpa, mas vc é analfabeto funcional?! Tá escrito:
    .
    “é claro que o evento aconteceu muito tempo atrás para permitir a confirmação agora de todos os detalhes relevantes, e, embora a evidência inclua o testemunho em primeira mão de uma testemunha importante e confiável, ela não inclui uma entrevista com o próprio pacient. O objetivo principal deste artigo é fornecer o registro correto quanto aos fatos deste caso, embora admitindo que este caso não possa constituir prova definitiva de continuação da consciência, muito menos de sobrevivência após a morte.”
    .
    f) Eis aí exemplo de um “caso forte” …
    .
    Eis aí mais um exemplo das interpretações malucas do Montalvão, inserindo coisas na boca dos pesquisadores…

  721. Vitor Diz:

    “PONDERAÇÃO: para quem, há alguns anos chamava Khun, Lakatos, Feyeraband de patetas, e não poupava Popper, até que evoluiu bem…”
    .
    Continuam sendo patetas. Sei disso justamente porque a minha cultura científica não é rasa. Quando citei a questão do paradigma e de Kuhn, é porque pareceu que vc nunca tinha ouvido falar nisso…

  722. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Pois é, mas como a Ciência bem mostrou (Stevenson, Haraldsson, Tucker), Kardec estava certo e os Ingleses não.”
    /.
    PONDERAÇÃO: ciência? Que ciência mostrou que esses estavam certos? Diga o que foi de efetivo que Stevenson e discípulos deslindou? E, aproveite para harmonizar Kardec com o pesquisador americano, visto que boa parte das supostas descobertas de Stevenson contradizem o reencarnacionismo evolutivo, além de outros pontos doutrinários. E sem esquecer do dogma do esquecimento, quebrado por esses infantes de Ian Stevenson…
    .
    Outra coisa, quem estava certo Kardec, ou os espíritos kardecistas? E se os “ingleses” (e americanos) estavam errados, eram os encarnados ou os espíritos que por lá baixavam?
    .
    O Vitor não vai gostar nada de saber que a espiritualidade inglesa pisou na bola…

  723. Vitor Diz:

    Mais um exemplo deprimente do Montalvão mudando o discurso para não dar o braço a torcer. Ele diz agora: “requere-se experiências contemporâneas, passíveis de verificação e replicação”. Antes ele disse: “as experiências intentadas com quem diz capaz de sair do corpo são TODAS falhadas”.
    .
    TODAS inclui o presente e o passado! O Montalvão está agindo desonestamente tentando colocar só experiências contemporâneas.

  724. Vladimir Diz:

    Gorducho disse: Não: quero que o Sr. me traga as referências aonde ele cita o JR – ou outros como o Fourier… – enquanto vivo, na Codificação.
    .
    COMENTÁRIO: Procure na Revista Espírita, tem dezenas de referências ao Reynaud, Fourier, Leroux e Cia…

  725. Vladimir Diz:

    Gorducho,
    .
    Essa sua crítica ao Allan Kardec é mesma encontrada no livro do Frei Boaventura Kloppenberg, bem como no do Jesuíta Rene Guenon e do Pe.Quevedo.
    .
    Confess o Sr. é militante da Apologética Católica não???

  726. Marciano Diz:

    MONTALVÃO, você sabe muito bem que os fantasmas de vivos e mortos são capazes das maiores proezas, mas só no passado, sem testemunhas confiáveis, etc.
    HOJE, AGORA, não são capazes de nada.
    .
    Vamos fazer o experimento dos relógios, proposto por você?
    Veja quem se habilita dentre os defensores do paranormal.
    Verificar se espíritos existe e se manifestam é uma coisa tão fácil. Pelo menos deveria ser, considerando o que eles faziam NO PASSADO.
    Chega de Lommel (lembra-me o inspetor Lohmann, aquele que sacaneou o Dr. Mabuse), de Crookes, e de outras velharias.
    Vamos falar das experiências de MONTALVÃO, MARCIANO, GORDUCHO, VITOR, BORGES, DEMÓSTENES.
    Vamos ver como a paranormalidade e a espiritualidade se comporta diante de NÓS.

  727. Marciano Diz:

    Estou doidinho para ser convencido, mas não por conversa fiada e sim POR FATOS, ATUAIS, não supostamente acontecidos na era pré-cambriana.
    .
    Estou com a impressão de que os relatos do PASSADO distante são todos verdadeiros, MAS ACABARAM. Não existem mais espíritos nem paranormais, morreram TODOS.

  728. Gorducho Diz:

    Procure na Revista Espírita, tem dezenas de referências ao Reynaud, Fourier, Leroux e Cia
     
    Não jogue p/a torcida: cite-me-as…
    E mesmo assim não justificará não tê-los citado no pentateuco, pegando ideias deles e atribuindo-as ao Luís IX e outros “espíritos” a fim de enganar bobos.
    Afinal é ou não é o Dr. Yakov?
    Vamos reanalizar a listagem?
    Inicie…
    Agora vou olhar Fluminense x Internacional de Portoalegre

  729. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    e) ENTÃO, O CASO DEVERIA SER CONSIDERADO INCOMPLETO E INSUFICIENTE PARA CORROBORAR LEGÍTIMA EQM COM EFC.
    .
    Céus…desculpa, mas VC É ANALFABETO FUNCIONAL?! Tá escrito:
    .
    “é claro que o evento aconteceu muito tempo atrás para permitir a confirmação agora de todos os detalhes relevantes, e, embora a evidência inclua o testemunho em primeira mão de uma testemunha importante e confiável, ela não inclui uma entrevista com o próprio pacient. O objetivo principal deste artigo é fornecer o registro correto quanto aos fatos deste caso, embora admitindo que este caso não possa constituir prova definitiva de continuação da consciência, muito menos de sobrevivência após a morte.”
    .
    “História tão ‘ridícula’ que foi mencionada por diversos jornais científicos e discutida por anos…”
    /.
    PONDERAÇÃO: caso que não corrobora coisa alguma e discutido por vários anos… estranho não?
    .
    Quando falei que o caso deveria ser considerado inservível para confirmar EQM e EFC na visão mística, referia-me aos que o consideram confirmativo. Quem fez declaração ajuizada merece aplausos. Simples assim, qualquer analfabeto funcional entenderia.
    .
    Além do mais, o nefasto hábito de só citar das declarações a parte que é conveniente não testifica favoravelmente a quem fica a acusar outros de desonestidade. O texto completo assim versa:
    .
    “O objetivo principal deste artigo é fornecer o registro correto quanto aos fatos deste caso, embora admitindo que este caso não possa constituir prova definitiva de continuação da consciência, muito menos de sobrevivência após a morte. MAS FORNECE UM TESTEMUNHO CORROBORANDO QUE ALGO DE EXTRAORDINÁRIO ACONTECEU NA ÉPOCA, um evento que não deve ser descartado como uma história ridícula formada por crentes ingênuos.”
    .
    Quer dizer, mesmo reconhecendo que o caso é fraco, os autores querem dele tirar alguma força evidenciativa…
    .
    Com o vitor paro por aqui, tá muito esquentado pro meu gosto. Com os demais verei…

  730. Borges Diz:

    Montalvão diz:- “A garota era prima do primo, reconhecer os que com ele se relacionavam não seria tão complicado (mesmo porque não houve fiscalização no nível de reconhecimento);”
    “. . Acrescente que não saber nadar ou pedalar um bikeshow também não foi fiscalizado, apenas alegado.”
    Comentário:- Devo deduzir que se tivesse havido fiscalização você concordaria que realmente houve interferência dos mortos no meio dos vivos. Aleluia, meio caminho percorrido.
    É claro que não se trata de uma experiência científica, são casos que a vida nos apresenta e que temos que estudar com carinho, atenção e livre de qualquer preconceito. Se você quiser levar tudo para o laboratório não chegará a resultado algum. Temos que ser razoáveis, se houvesse mentira na história, certamente alguém saberia e tornaria público.
    Obrigado

  731. Vladimir Diz:

    Gorducho: E mesmo assim não justificará não tê-los citado no pentateuco, pegando ideias deles e atribuindo-as ao Luís IX e outros “espíritos” a fim de enganar bobos.
    .
    COMENTÁRIO: Já lhe disse (e o Kardec também) que os espíritos trouxeram uma “Doutrina” que já tinha sido antevista por eminentes pensadores sejam eles franceses como o Reynaud, Leroux, Saint Simon, sejam de outras nacionalidades como Swedenborg, Pitagoras, dentro outros.
    .
    Mais uma vez: ISSO NÃO É NOVIDADE PARA QUEM ESTUDA A DE.
    .
    Está lá nos volumes da Revista Espírita, nas Obras Póstumas, nas Biografias, nos estudiosos do Espiritismo como Lynn Shap, John Monroe, dentre outros.
    .
    E essa crítica que o Sr. faz é mais velha que andar para frente e ainda da ala Católica Conservadora da Igreja.
    .
    Na própria Revista Espírita de 1859 tem uma carta do Abade Chesnel acusando o Kardec de “plagio”.
    .
    O Sr. achou que descobriu algo novo, mas só reinventou a Roda.
    .
    Não tenho motivos para duvidar da idoneidade de Kardec ou da Veracidade das comunicações mediúnicas relatadas por ele e pelos seus contemporâneos.
    .
    A menos que o Sr. me apresente EVIDÊNCIAS de FRAUDE.
    .
    Cousa que o Sr. evidentemente não tem.

  732. Vladimir Diz:

    PS: Se o Sr. apresentar EVIDÊNCIAS de que Kardec era um mau caráter (Ficha na Polícia, Processos Judiciais, Violência Doméstica, Corrupção, e etc) também terei motivos para duvidar da idoneidade do mesmo.
    .
    Mas tem que ser algo contundente, nada de achismos…

  733. Contra o chiquismo Diz:

    Vladimir Diz:
    AGOSTO 12TH, 2015 ÀS 7:17 PM
    Traga PROVAS, que Kardec FRAUDOU, PLAGIOU, que tinha ficha na Polícia, que tinha Processo Judiciais, contra ele, que não pagava o IR enfim…
    .
    Alguma EVIDÊNCIA sólida e concreta de que era um malandro, e aí começamos a conversar…
    .
    .
    .
    D. D. Home – Luz e Sombras do Espiritualismo. Nesse livro o ‘médium’ que kardec conhecia pessoalmente afirma que recebeu uma mensagem de kardec em que este se lamenta de criar o ‘espiritismo’. Vejam:
    .
    .
    .
    Enquanto eu sustentei o Espiritismo, conforme eu o concebia, pareceu-me como tudo o que a humanidade poderia imaginar de mais importante e mais vasto; minha razão estava confusa.

    Agora que, livre do invólucro material, eu assisto a imensidão dos mundos diferentes, pergunto-me como pude ter me vestido no manto, como isso era, de um semideus; acreditando-me ser um segundo salvador da humanidade. Orgulho monstruoso que eu amargamente lamento.

    Eu agora vejo o Espiritismo, como eu o imaginava, tão pequeno, tão contraído, até sobre (inclusive nas menores imperfeições de seus ensinamentos) as perfeições que deveriam se atingir.

    Levando em consideração os resultados produzidos pela propagação das idéias espíritas, o que eu agora vejo?

    O Espiritismo arrastou-se para a profundidade mais baixa do ridículo, ficou representado apenas por personalidades fracas, as quais me esforcei demais para elevar.

    Eu, buscando fazer o bem, incitei muita produção aberrativa apenas do mal. “Mesmo agora conforme a filosofia está relacionada a tão pequenos resultados! Para poucas inteligências isso [o Espiritismo] foi alcançado, quantos estão desavisados de sua existência!

    De um ponto de vista religioso, nós encontramos o supersticioso partindo de uma superstição apenas para cair em outra.

    Conseqüências de meu egoísmo.

    Não tivesse eu não mantido todas as inteligências superiores na sombra, o Espiritismo não seria representado, como a maioria de seus seguidores, por adeptos tirados do meio das classes operárias, as únicas onde minha eloqüência e meu saber poderiam ter acesso.

    ALLAN KARDEC”.
    .
    .
    .
    Mais mal caráter que isso…
    .
    .
    É muita vontade mesmo de acreditar!

  734. Contra o chiquismo Diz:

    Vladimir Diz:
    AGOSTO 12TH, 2015 ÀS 10:22 PM
    PS: Se o Sr. apresentar EVIDÊNCIAS de que Kardec era um mau caráter (Ficha na Polícia, Processos Judiciais, Violência Doméstica, Corrupção, e etc) também terei motivos para duvidar da idoneidade do mesmo.
    .
    Mas tem que ser algo contundente, nada de achismos…
    .
    .
    .
    Silas Malafaia não tem nada disso tb e nem por isso ele é alguém admirável.

  735. Vladimir Diz:

    Gorducho,
    .
    Como simpatizo muito com a sua pessoa, e afim de enriquecer os estudos dos visitantes reproduzo abaixo uma das dezenas de citações a Reynaud na Revista Espírita.
    Lembrando que na ocasião o Reynaud estava vivinho da Silva, e foi abaixo de uma carta que o mesmo publicou em um outro Jornal.
    .
    “Vê-se que não fomos o único nem o primeiro a proclamar a doutrina da pluralidade das existências, também chamada de reencarnação. A obra Terra e Céu, de Jean Reynaud, foi publicada antes de O Livro dos Espíritos. Pode-se ver o mesmo princípio, exposto em termos explícitos, no encantador opúsculo do Sr. Louis Jourdan, intitulado: As Súplicas de Ludovico, cuja primeira edição é de 1849, da Livraria Nova, Boulevard des Italiens.
    É que a idéia da reencarnação não é nova; é tão velha quanto o mundo e é encontrada em muitos autores antigos e modernos. Aos que objetam que ela é contrária aos dogmas da Igreja, respondemos que, de duas uma: ou a reencarnação existe, ou não existe. Não há alternativa. Se existe, é uma lei da Natureza. Ora, se um dogma é contrário a uma lei da Natureza, trata-se de saber quem tem razão: se o dogma ou a lei. Quando a Igreja anatematizou e excomungou como culpados de heresia os que acreditavam no movimento da Terra, não impediu que a Terra girasse e que todo o mundo hoje creia nisto. Sucederá o mesmo com a reencarnação. Não é, pois, uma questão de opinião, mas uma questão de fato. Se o fato existe, tudo quanto poderão dizer ou fazer não impedirá a sua existência e, mais cedo ou mais tarde, os mais recalcitrantes deverão aceitá-lo. Deus não consulta as suas conveniências para regular a ordem das coisas e o futuro não tardará a provar quem tem razão.” – Allan Kardec – Revista Espírita 1862

  736. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    BORGES: Devo deduzir que se tivesse havido fiscalização você concordaria que realmente houve interferência dos mortos no meio dos vivos. Aleluia, meio caminho percorrido.
    ./
    PONDERAÇÃO: não, você deve deduzir que se houvesse fiscalização significaria que, naquele quesito, o caso foi bem verificado, faltariam conferir os demais e verificar se não há (e há) explicação satisfatória em âmbito terreno. Manda a prudência deixar elucidação com base no sobrenatural somente após esgotadas as possibilidades materiais, coisa que nenhum crédulo realiza, prefere partir direto para o imperscrutável.
    .
    Parece que quer, com essa aventura piegas, superar o fato de que os mortos não conseguem dar mostras de estarem presentes. Se quer usar casos de possessão para provar mortos em ação, comece por explicar como é que um espírito sem corpo se acopla num corpo com espírito, sem que provocar uma hecatombe universal. Comece daí.
    /
    /
    BORGES: É claro que não se trata de uma experiência científica, são casos que a vida nos apresenta e que temos que estudar com carinho, atenção e livre de qualquer preconceito. Se você quiser levar tudo para o laboratório não chegará a resultado algum. Temos que ser razoáveis, se houvesse mentira na história, certamente alguém saberia e tornaria público.
    /.
    PONDERAÇÃO: casos como esses não carecem ser levados para laboratório. Se são esses eventos que a vida dá, em lugar da simplicidade de um morto apresentar provas de estar presente, estamos bem arrumados. Bastaria interrogar a menina com leve rigor e a encenação desmoronaria como um castelo de manteiga sob o sol carioca.
    .
    Pense.

  737. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Temos que ser razoáveis, se houvesse mentira na história, certamente alguém saberia e tornaria público.”
    /.
    PONDERAÇÃO: pois é, como saber se alguém não soube da mentira e não a tornou pública, mas a notícia não chegou até nós?

  738. Vladimir Diz:

    Contra disse: Silas Malafaia não tem nada disso tb e nem por isso ele é alguém admirável.
    .
    COMENTÁRIO: Só tem 100 milhões de dólares, apartamento em Miami, Jatinho Privado no valor de 20 milhões, realmente tal e qual Kardec…

  739. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Já lhe disse (e o Kardec também) que os espíritos trouxeram uma “Doutrina” que já tinha sido antevista por eminentes pensadores sejam eles franceses como o Reynaud, Leroux, Saint Simon, sejam de outras nacionalidades como Swedenborg, Pitagoras, dentro outros.
    /.
    PONDERAÇÃO: os três primeiros pode ser que estivessem parelhos em pensamento com Kardec, conquanto eu ache que isso precisa ser melhor verificado. Quando ao sueco Swedenborg só forçadamente se harmoniza suas ponderações com Kardec, a começar que um dos pilares do kardecismo, a reencarnação, não está presente no sueco; igualmente com Pitágoras, dentre outros…
    .
    Nem o reencarnacionismo pitagórico tem parentesco com o kardequiano, a não ser no fato de ambos postularem o vaivém de vidas, só.

  740. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “É que a idéia da reencarnação não é nova; é tão velha quanto o mundo e é encontrada em muitos autores antigos e modernos.”
    /.
    PONDERAÇÃO: pequena sentença que muito algumas das fraquezas intelectuais de Kardec. A reencarnação não é “tão velha quando o mundo”, na história é concepção relativamente moderna. Muitas das civilizações antigas, injustamente acusadas de apaniguarem a crença reencarnacionistas não reconheciam o conceito: egípcios, judeus, mesopotâmios, persas, gregos (estes só parcialmente, notadamente em escolas esotéricas), nenhum desses cultivou a crença nas multividas. Nem os indianos tiveram a ideia primitivamente em suas concepções religiosas, sendo o crença introduzida bem depois de a civilização estabelecida.

  741. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    “Quando a Igreja anatematizou e excomungou como culpados de heresia os que acreditavam no movimento da Terra, não impediu que a Terra girasse e que todo o mundo hoje creia nisto. Sucederá o mesmo com a reencarnação.”
    /.
    PONDERAÇÃO: duas falácias: argumento da autoridade e da falsa analogia.

  742. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vladimir Diz:
    agosto 12th, 2015 às 10:55 PM
    Contra disse: Silas Malafaia não tem nada disso tb e nem por isso ele é alguém admirável.
    .
    COMENTÁRIO: Só tem 100 milhões de dólares, apartamento em Miami, Jatinho Privado no valor de 20 milhões, realmente tal e qual Kardec…
    /.
    PONDERAÇÃO: devia ter dito: tal e qual a família Gasparetto…

  743. Marciano Diz:

    Estamos vivendo um paradigm shift há 150 anos.
    Quanto tempo ainda será preciso para que a comunidade científica reconheça a realidade da ciência espírita e da ciência paranormal?
    Quando essas ciências serão adotadas nos livros didáticos?
    Mal posso esperar por esse dia.
    Por outro lado, minha premonição paranormal/espiritual me diz que mesmo que eu ainda viva mais cem anos, não verei nada disso, só lero-lero.

  744. Demóstenes Diz:

    O ex-espírita,
    /
    to atrasado, estou lendo os “post”s . Parei só pra perguntar.
    .
    Você prova via método cientifico, que a Elisa ta morta? Acharam alguma coisa? Está desaparecida.
    .

  745. Marciano Diz:

    Reencarnação é uma ideia tão antiga, postulada há tantos milênios.
    Por que será que até hoje não foi comprovada?
    Ah, que besteira! Foi sim! Rivail e Stevenson já a comprovaram.
    Sei.

  746. Marciano Diz:

    DEMÓSTENES, se você acha que a espiritualidade e a paranormalidade podem ser provadas da mesma forma que a morte da Samúdio está confundindo alhos com bugalhos.
    Cuidado com a falácia da falsa analogia.
    .
    Veja como se prova a morte da Elisa Samúdio:
    .
    CÓDIGO DE PROCESSO PENAL
    .
    TÍTULO VII
    DA PROVA
    CAPÍTULO I
    DISPOSIÇÕES GERAIS
    Art. 155 – No juízo penal, somente quanto ao estado das pessoas, serão observadas as restrições à prova estabelecidas na lei civil.
    Art. 156 – A prova da alegação incumbirá a quem a fizer; mas o juiz poderá, no curso da instrução ou antes de proferir sentença, determinar, de ofício, diligências para dirimir dúvida sobre ponto relevante.
    Art. 157 – O juiz formará sua convicção pela livre apreciação da prova.
    CAPÍTULO II
    DO EXAME DO CORPO DE DELITO,
    E DAS PERÍCIAS EM GERAL
    Art. 158 – Quando a infração deixar vestígios, será indispensável o exame de corpo de delito, direto ou indireto, não podendo supri-lo a confissão do acusado.
    Art. 159 – Os exames de corpo de delito e as outras perícias serão feitos por dois peritos oficiais.
    § 1º – Não havendo peritos oficiais, o exame será realizado por duas pessoas idôneas, portadoras de diploma de curso superior, escolhidas, de preferência, entre as que tiverem habilitação técnica relacionada à natureza do exame.
    § 2º – Os peritos não oficiais prestarão o compromisso de bem e fielmente desempenhar o encargo.
    Art. 160 – Os peritos elaborarão o laudo pericial, onde descreverão minuciosamente o que examinarem, e responderão aos quesitos formulados.
    Parágrafo único – O laudo pericial será elaborado no prazo máximo de 10 (dez) dias, podendo este prazo ser prorrogado, em casos excepcionais, a requerimento dos peritos.
    Art. 161 – O exame de corpo de delito poderá ser feito em qualquer dia e a qualquer hora.
    Art. 162 – A autópsia será feita pelo menos 6 (seis) horas depois do óbito, salvo se os peritos, pela evidência dos sinais de morte, julgarem que possa ser feita antes daquele prazo, o que declararão no auto.
    Parágrafo único – Nos casos de morte violenta, bastará o simples exame externo do cadáver, quando não houver infração penal que apurar, ou quando as lesões externas permitirem precisar a causa da morte e não houver necessidade de exame interno para a verificação de alguma circunstância relevante.
    Art. 163 – Em caso de exumação para exame cadavérico, a autoridade providenciará para que, em dia e hora previamente marcados, se realize a diligência, da qual se lavrará auto circunstanciado.
    Parágrafo único – O administrador de cemitério público ou particular indicará o lugar da sepultura, sob pena de desobediência. No caso de recusa ou de falta de quem indique a sepultura, ou de encontrar-se o cadáver em lugar não destinado a inumações, a autoridade procederá às pesquisas necessárias, o que tudo constará do auto.
    Art. 164 – Os cadáveres serão sempre fotografados na posição em que forem encontrados, bem como, na medida do possível, todas as lesões externas e vestígios deixados no local do crime.
    Art. 165 – Para representar as lesões encontradas no cadáver, os peritos, quando possível, juntarão ao laudo do exame provas fotográficas, esquemas ou desenhos, devidamente rubricados.
    Art. 166 – Havendo dúvida sobre a identidade do cadáver exumado, proceder-se-á ao reconhecimento pelo Instituto de Identificação e Estatística ou repartição congênere ou pela inquirição de testemunhas, lavrando-se auto de reconhecimento e de identidade, no qual se descreverá o cadáver, com todos os sinais e indicações.
    Parágrafo único – Em qualquer caso, serão arrecadados e autenticados todos os objetos encontrados, que possam ser úteis para a identificação do cadáver.
    Art. 167 – Não sendo possível o exame de corpo de delito, por haverem desaparecido os vestígios, a prova testemunhal poderá suprir-lhe a falta.
    Art. 168 – Em caso de lesões corporais, se o primeiro exame pericial tiver sido incompleto, proceder-se-á a exame complementar por determinação da autoridade policial ou judiciária, de ofício, ou a requerimento do Ministério Público, do ofendido ou do acusado, ou de seu defensor.
    § 1º – No exame complementar, os peritos terão presente o auto de corpo de delito, a fim de suprir-lhe a deficiência ou retificá-lo.
    § 2º – Se o exame tiver por fim precisar a classificação do delito no art. 129, § 1º, I, do Código Penal, deverá ser feito logo que decorra o prazo de 30 (trinta) dias, contado da data do crime.
    § 3º – A falta de exame complementar poderá ser suprida pela prova testemunhal.
    Art. 169 – Para o efeito de exame do local onde houver sido praticada a infração, a autoridade providenciará imediatamente para que não se altere o estado das coisas até a chegada dos peritos, que poderão instruir seus laudos com fotografias, desenhos ou esquemas elucidativos.
    Parágrafo único – Os peritos registrarão, no laudo, as alterações do estado das coisas e discutirão, no relatório, as conseqüências dessas alterações na dinâmica dos fatos.
    Art. 170 – Nas perícias de laboratório, os peritos guardarão material suficiente para a eventualidade de nova perícia. Sempre que conveniente, os laudos serão ilustrados com provas fotográficas, ou microfotográficas, desenhos ou esquemas.
    Art. 171 – Nos crimes cometidos com destruição ou rompimento de obstáculo a subtração da coisa, ou por meio de escalada, os peritos, além de descrever os vestígios, indicarão com que instrumentos, por que meios e em que época presumem ter sido o fato praticado.
    Art. 172 – Proceder-se-á, quando necessário, à avaliação de coisas destruídas, deterioradas ou que constituam produto do crime.
    Parágrafo único – Se impossível a avaliação direta, os peritos procederão à avaliação por meio dos elementos existentes nos autos e dos que resultarem de diligências.
    Art. 173 – No caso de incêndio, os peritos verificarão a causa e o lugar em que houver começado, o perigo que dele tiver resultado para a vida ou para o patrimônio alheio, a extensão do dano e o seu valor e as demais circunstâncias que interessarem à elucidação do fato.
    Art. 174 – No exame para o reconhecimento de escritos, por comparação de letra, observar-se-á o seguinte:
    I – a pessoa a quem se atribua ou se possa atribuir o escrito será intimada para o ato, se for encontrada;
    II – para a comparação, poderão servir quaisquer documentos que a dita pessoa reconhecer ou já tiverem sido judicialmente reconhecidos como de seu punho, ou sobre cuja autenticidade não houver dúvida;
    III – a autoridade, quando necessário, requisitará, para o exame, os documentos que existirem em arquivos ou estabelecimentos públicos, ou nestes realizará a diligência, se daí não puderem ser retirados;
    IV – quando não houver escritos para a comparação ou forem insuficientes os exibidos, a autoridade mandará que a pessoa escreva o que Ihe for ditado. Se estiver ausente a pessoa, mas em lugar certo, esta última diligência poderá ser feita por precatória, em que se consignarão as palavras que a pessoa será intimada a escrever.
    Art. 175 – Serão sujeitos a exame os instrumentos empregados para a prática da infração, a fim de se Ihes verificar a natureza e a eficiência.
    Art. 176 – A autoridade e as partes poderão formular quesitos até o ato da diligência.
    Art. 177 – No exame por precatória, a nomeação dos peritos far-se-á no juízo deprecado. Havendo, porém, no caso de ação privada, acordo das partes, essa nomeação poderá ser feita pelo juiz deprecante.
    Parágrafo único – Os quesitos do juiz e das partes serão transcritos na precatória.
    Art. 178 – No caso do art. 159, o exame será requisitado pela autoridade ao diretor da repartição, juntando-se ao processo o laudo assinado pelos peritos.
    Art. 179 – No caso do § 1º do art. 159, o escrivão lavrará o auto respectivo, que será assinado pelos peritos e, se presente ao exame, também pela autoridade.
    Parágrafo único – No caso do art. 160, parágrafo único, o laudo, que poderá ser datilografado, será subscrito e rubricado em suas folhas por todos os peritos.
    Art. 180 – Se houver divergência entre os peritos, serão consignadas no auto do exame as declarações e respostas de um e de outro, ou cada um redigirá separadamente o seu laudo, e a autoridade nomeará um terceiro; se este divergir de ambos, a autoridade poderá mandar proceder a novo exame por outros peritos.
    Art. 181 – No caso de inobservância de formalidades, ou no caso de omissões, obscuridades ou contradições, a autoridade judiciária mandará suprir a formalidade, complementar ou esclarecer o laudo.
    Parágrafo único – A autoridade poderá também ordenar que se proceda a novo exame, por outros peritos, se julgar conveniente.
    Art. 182 – O juiz não ficará adstrito ao laudo, podendo aceitá-lo ou rejeitá-lo, no todo ou em parte.
    Art. 183 – Nos crimes em que não couber ação pública, observar-se-á o disposto no art. 19.
    Art. 184 – Salvo o caso de exame de corpo de delito, o juiz ou a autoridade policial negará a perícia requerida pelas partes, quando não for necessária ao esclarecimento da verdade.

  747. Marciano Diz:

    CAPÍTULO III
    DO INTERROGATÓRIO DO ACUSADO
    Art. 185 – O acusado que comparecer perante a autoridade judiciária, no curso do processo penal, será qualificado e interrogado na presença de seu defensor, constituído ou nomeado.
    § 1º – O interrogatório do acusado preso será feito no estabelecimento prisional em que se encontrar, em sala própria, desde que estejam garantidas a segurança do juiz e auxiliares, a presença do defensor e a pubilicidade do ato. Inexistindo a segurança, o iterrogatório será feito nos termos do Código de Processo Penal.
    § 2º – Antes da realização do interrogatório, o juiz assegurará o direito de entrevista reservada do acusado com seu defensor.
    Art. 186 – Depois de devidamente qualificado e cientificado do inteiro teor da acusação, o acusado será informado pelo juiz, antes de iniciar o interrogatório, do seu direito de permanecer calado e de não responder perguntas que lhe forem formuladas.
    Parágrafo único – O silêncio, que não importará em confissão, não poderá ser interpretado em prejuízo da defesa.
    Art 187 – O interrogatório será constituído de duas partes: sobre a pessoa do acusado e sobre os fatos.
    § 1º – Na primeira parte o interrogando será perguntado sobre a residência, meios de vida ou profissão, oportunidades sociais, lugar onde exerce a sua atividade, vida pregressa, notadamente se foi preso ou processado alguma vez e, em caso afirmativo, qual o juízo do processo, se houve a suspensão condicional ou condenação, qual a pena imposta, se a cumpriu e outros dados familiares e sociais.
    § 2º – Na segunda parte será perguntado sobre:
    I – ser verdadeira a acusação que lhe é feita;
    II – não sendo verdadeira a acusação, se tem algum motivo particular a que deva atribuí-la, se conhece a pessoa ou pessoas a quem deva ser imputada a prática do crime, e quais sejam, e se com elas esteve antes da prática da infração ou depois dela;
    III – onde estava ao tempo em que foi cometida a infração e se teve notícia desta;
    IV – as provas já apuradas;
    V – se conhece as vítimas e testemunhas já inquiridas ou por inquirir, e desde quando, e se tem o que alegar contra elas;
    VI – se conhece instrumento com que foi praticada a infração, ou qualquer objeto que com esta se relacione e tenha sido apreendido;
    VII – todos os demais fatos e pormenores que conduzam à elucidação dos antecedentes e circunstâncias da infração;
    VIII – se tem algo mais a alegar em sua defesa;
    Art. 188 – Após proceder ao interrogatório, o juiz indagará das partes se restou algum fato para ser esclarecido, formulando as perguntas correspondentes se o entender pertinente e relevante.
    Art. 189 – Se o interrogando negar a acusação, no todo ou em parte, poderá prestar esclarecimentos e indicar provas.
    Art. 190 – Se confessar a autoria, será perguntado sobre os motivos e circunstâncias do fato e se outras pessoas concorreram para a infração, e quais sejam.
    Art. 191 – Havendo mais de um acusado, serão interrogados separadamente.
    Art. 192 – O interrogatório do mudo, do surdo ou do surdo-mudo será feito pela forma seguinte:
    I – ao surdo serão apresentadas por escrito as perguntas, que ele responderá oralmente;
    II – ao mudo as perguntas serão feitas oralmente, respondendo-as por escrito;
    III – ao surdo-mudo as perguntas serão formuladas por escrito e do mesmo modo dará as respostas.
    Parágrafo único – Caso o interrogado não saiba ler ou escrever, intervirá no ato, como intérprete e sob compromisso, pessoa habilitada a entendê-lo.
    Art. 193 – Quando o interrogando não falar a língua nacional, o interrogatório será feito por meio de intérprete.
    Art. 194 – (revogado)
    Art. 195 – Se o interrogando não souber escrever, não puder ou não quiser assinar, tal fato será consignado no termo.
    Art. 196 – A todo o tempo o juiz poderá proceder a novo interrogatório de ofício ou a pedido fundamentado de qualquer das partes.

  748. Marciano Diz:

    CAPÍTULO IV
    DA CONFISSÃO
    Art. 197 – O valor da confissão se aferirá pelos critérios adotados para os outros elementos de prova, e para a sua apreciação o juiz deverá confrontá-la com as demais provas do processo, verificando se entre ela e estas existe compatibilidade ou concordância.
    Art. 198 – O silêncio do acusado não importará confissão, mas poderá constituir elemento para a formação do convencimento do juiz.
    Art. 199 – A confissão, quando feita fora do interrogatório, será tomada por termo nos autos, observado o disposto no art. 195.
    Art. 200 – A confissão será divisível e retratável, sem prejuízo do livre convencimento do juiz, fundado no exame das provas em conjunto.
    CAPÍTULO V
    DAS PERGUNTAS AO OFENDIDO
    Art. 201 – Sempre que possível, o ofendido será qualificado e perguntado sobre as circunstâncias da infração, quem seja ou presuma ser o seu autor, as provas que possa indicar, tomando-se por termo as suas declarações.
    Parágrafo único – Se, intimado para esse fim, deixar de comparecer sem motivo justo, o ofendido poderá ser conduzido à presença da autoridade.
    CAPÍTULO VI
    DAS TESTEMUNHAS
    Art. 202 – Toda pessoa poderá ser testemunha.
    Art. 203 – A testemunha fará, sob palavra de honra, a promessa de dizer a verdade do que souber e Ihe for perguntado, devendo declarar seu nome, sua idade, seu estado e sua residência, sua profissão, lugar onde exerce sua atividade, se é parente, e em que grau, de alguma das partes, ou quais suas relações com qualquer delas, e relatar o que souber, explicando sempre as razões de sua ciência ou as circunstâncias pelas quais possa avaliar-se de sua credibilidade.
    Art. 204 – O depoimento será prestado oralmente, não sendo permitido à testemunha trazê-lo por escrito.
    Parágrafo único – Não será vedada à testemunha, entretanto, breve consulta a apontamentos.
    Art. 205 – Se ocorrer dúvida sobre a identidade da testemunha, o juiz procederá à verificação pelos meios ao seu alcance, podendo, entretanto, tomar-lhe o depoimento desde logo.
    Art. 206 – A testemunha não poderá eximir-se da obrigação de depor. Poderão, entretanto, recusar-se a fazê-lo o ascendente ou descendente, o afim em linha reta, o cônjuge, ainda que desquitado, o irmão e o pai, a mãe, ou o filho adotivo do acusado, salvo quando não for possível, por outro modo, obter-se ou integrar-se a prova do fato e de suas circunstâncias.
    Art. 207 – São proibidas de depor as pessoas que, em razão de função, ministério, ofício ou profissão, devam guardar segredo, salvo se, desobrigadas pela parte interessada, quiserem dar o seu testemunho.
    Art. 208 – Não se deferirá o compromisso a que alude o art. 203 aos doentes e deficientes mentais e aos menores de 14 (quatorze) anos, nem às pessoas a que se refere o art. 206.
    Art. 209 – O juiz, quando julgar necessário, poderá ouvir outras testemunhas, além das indicadas pelas partes.
    § 1º – Se ao juiz parecer conveniente, serão ouvidas as pessoas a que as testemunhas se referirem.
    § 2º – Não será computada como testemunha a pessoa que nada souber que interesse à decisão da causa.
    Art. 210 – As testemunhas serão inquiridas cada uma de per si, de modo que umas não saibam nem ouçam os depoimentos das outras, devendo o juiz adverti-las das penas cominadas ao falso testemunho.
    Art. 211 – Se o juiz, ao pronunciar sentença final, reconhecer que alguma testemunha fez afirmação falsa, calou ou negou a verdade, remeterá cópia do depoimento à autoridade policial para a instauração de inquérito.
    Parágrafo único – Tendo o depoimento sido prestado em plenário de julgamento, o juiz, no caso de proferir decisão na audiência (art. 538, § 2º), o tribunal (art. 561), ou o conselho de sentença, após a votação dos quesitos, poderão fazer apresentar imediatamente a testemunha à autoridade policial.
    Art. 212 – As perguntas das partes serão requeridas ao juiz, que as formulará à testemunha. O juiz não poderá recusar as perguntas da parte, salvo se não tiverem relação com o processo ou importarem repetição de outra já respondida.
    Art. 213 – O juiz não permitirá que a testemunha manifeste suas apreciações pessoais, salvo quando inseparáveis da narrativa do fato.
    Art. 214 – Antes de iniciado o depoimento, as partes poderão contraditar a testemunha ou argüir circunstâncias ou defeitos, que a tornem suspeita de parcialidade, ou indigna de fé. O juiz fará consignar a contradita ou argüição e a resposta da testemunha, mas só excluirá a testemunha ou não Ihe deferirá compromisso nos casos previstos nos arts. 207 e 208.
    Art. 215 – Na redação do depoimento, o juiz deverá cingir-se, tanto quanto possível, às expressões usadas pelas testemunhas, reproduzindo fielmente as suas frases.
    Art. 216 – O depoimento da testemunha será reduzido a termo, assinado por ela, pelo juiz e pelas partes. Se a testemunha não souber assinar, ou não puder fazê-lo, pedirá a alguém que o faça por ela, depois de lido na presença de ambos.
    Art. 217 – Se o juiz verificar que a presença do réu, pela sua atitude, poderá influir no ânimo da testemunha, de modo que prejudique a verdade do depoimento, fará retirá-lo, prosseguindo na inquirição, com a presença do seu defensor. Neste caso deverão constar do termo a ocorrência e os motivos que a determinaram.
    Art. 218 – Se, regularmente intimada, a testemunha deixar de comparecer sem motivo justificado, o juiz poderá requisitar à autoridade policial a sua apresentação ou determinar seja conduzida por oficial de justiça, que poderá solicitar o auxílio da força pública.
    Art. 219 – O juiz poderá aplicar à testemunha faltosa a multa prevista no art. 453, sem prejuízo do processo penal por crime de desobediência, e condená-la ao pagamento das custas da diligência.
    Art. 220 – As pessoas impossibilitadas, por enfermidade ou por velhice, de comparecer para depor, serão inquiridas onde estiverem.
    Art. 221 – O Presidente e o Vice-Presidente da República, os senadores e deputados federais, os ministros de Estado, os governadores de Estados e Territórios, os secretários de Estado, os prefeitos do Distrito Federal e dos Municípios, os deputados às Assembléias Legislativas Estaduais, os membros do Poder Judiciário, os ministros e juízes dos Tribunais de Contas da União, dos Estados, do Distrito Federal, bem como os do Tribunal Marítimo serão inquiridos em local, dia e hora previamente ajustados entre eles e o juiz.
    § 1º – O Presidente e o Vice-Presidente da República, os presidentes do Senado Federal, da Câmara dos Deputados e do Supremo Tribunal Federal poderão optar pela prestação de depoimento por escrito, caso em que as perguntas, formuladas pelas partes e deferidas pelo juiz, Ihes serão transmitidas por ofício.
    § 2º – Os militares deverão ser requisitados à autoridade superior.
    § 3º – Aos funcionários públicos aplicar-se-á o disposto no art. 218, devendo, porém, a expedição do mandado ser imediatamente comunicada ao chefe da repartição em que servirem, com indicação do dia e da hora marcados.
    Art. 222 – A testemunha que morar fora da jurisdição do juiz será inquirida pelo juiz do lugar de sua residência, expedindo-se, para esse fim, carta precatória, com prazo razoável, intimadas as partes.
    § 1º – A expedição da precatória não suspenderá a instrução criminal.
    § 2º – Findo o prazo marcado, poderá realizar-se o julgamento, mas, a todo tempo, a precatória, uma vez devolvida, será junta aos autos.
    Art. 223 – Quando a testemunha não conhecer a língua nacional, será nomeado intérprete para traduzir as perguntas e respostas.
    Parágrafo único – Tratando-se de mudo, surdo ou surdo-mudo, proceder-se-á na conformidade do art. 192.
    Art. 224 – As testemunhas comunicarão ao juiz, dentro de 1 (um) ano, qualquer mudança de residência, sujeitando-se, pela simples omissão, às penas do não-comparecimento.
    Art. 225 – Se qualquer testemunha houver de ausentar-se, ou, por enfermidade ou por velhice, inspirar receio de que ao tempo da instrução criminal já não exista, o juiz poderá, de ofício ou a requerimento de qualquer das partes, tomar-lhe antecipadamente o depoimento.

  749. Marciano Diz:

    CAPÍTULO VII
    DO RECONHECIMENTO DE PESSOAS E COISAS
    Art. 226 – Quando houver necessidade de fazer-se o reconhecimento de pessoa, proceder-se-á pela seguinte forma:
    I – a pessoa que tiver de fazer o reconhecimento será convidada a descrever a pessoa que deva ser reconhecida;
    Il – a pessoa, cujo reconhecimento se pretender, será colocada, se possível, ao lado de outras que com ela tiverem qualquer semelhança, convidando-se quem tiver de fazer o reconhecimento a apontá-la;
    III – se houver razão para recear que a pessoa chamada para o reconhecimento, por efeito de intimidação ou outra influência, não diga a verdade em face da pessoa que deve ser reconhecida, a autoridade providenciará para que esta não veja aquela;
    IV – do ato de reconhecimento lavrar-se-á auto pormenorizado, subscrito pela autoridade, pela pessoa chamada para proceder ao reconhecimento e por duas testemunhas presenciais.
    Parágrafo único – O disposto no nº III deste artigo não terá aplicação na fase da instrução criminal ou em plenário de julgamento.
    Art. 227 – No reconhecimento de objeto, proceder-se-á com as cautelas estabelecidas no artigo anterior, no que for aplicável.
    Art. 228 – Se várias forem as pessoas chamadas a efetuar o reconhecimento de pessoa ou de objeto, cada uma fará a prova em separado, evitando-se qualquer comunicação entre elas.
    CAPÍTULO VIII
    DA ACAREAÇÃO
    Art. 229 – A acareação será admitida entre acusados, entre acusado e testemunha, entre testemunhas, entre acusado ou testemunha e a pessoa ofendida, e entre as pessoas ofendidas, sempre que divergirem, em suas declarações, sobre fatos ou circunstâncias relevantes.
    Parágrafo único – Os acareados serão reperguntados, para que expliquem os pontos de divergências, reduzindo-se a termo o ato de acareação.
    Art. 230 – Se ausente alguma testemunha, cujas declarações divirjam das de outra, que esteja presente, a esta se darão a conhecer os pontos da divergência, consignando-se no auto o que explicar ou observar. Se subsistir a discordância, expedir-se-á precatória à autoridade do lugar onde resida a testemunha ausente, transcrevendo-se as declarações desta e as da testemunha presente, nos pontos em que divergirem, bem como o texto do referido auto, a fim de que se complete a diligência, ouvindo-se a testemunha ausente, pela mesma forma estabelecida para a testemunha presente. Esta diligência só se realizará quando não importe demora prejudicial ao processo e o juiz a entenda conveniente.

  750. Contra o chiquismo Diz:

    Vladimir Diz:
    agosto 12th, 2015 às 10:55 PM
    Contra disse: Silas Malafaia não tem nada disso tb e nem por isso ele é alguém admirável.
    .
    COMENTÁRIO: Só tem 100 milhões de dólares, apartamento em Miami, Jatinho Privado no valor de 20 milhões, realmente tal e qual Kardec…
    .
    .
    .
    Acaso ser rico é defeito?
    (Ficha na Polícia, Processos Judiciais, Violência Doméstica, Corrupção, e etc) foi o que vc pediu como forma de mau caratismo e pilantragem.
    .
    .
    O fato de kardec e malafaia não os terem, não torna eles boas pessoas. Os torna apenas dentro da lei. É legal? É. Mas imoral.

  751. Marciano Diz:

    CAPÍTULO IX
    DOS DOCUMENTOS
    Art. 231 – Salvo os casos expressos em lei, as partes poderão apresentar documentos em qualquer fase do processo.
    Art. 232 – Consideram-se documentos quaisquer escritos, instrumentos ou papéis, públicos ou particulares.
    Parágrafo único – À fotografia do documento, devidamente autenticada, se dará o mesmo valor do original.
    Art. 233 – As cartas particulares, interceptadas ou obtidas por meios criminosos, não serão admitidas em juízo.
    Parágrafo único – As cartas poderão ser exibidas em juízo pelo respectivo destinatário, para a defesa de seu direito, ainda que não haja consentimento do signatário.
    Art. 234 – Se o juiz tiver notícia da existência de documento relativo a ponto relevante da acusação ou da defesa, providenciará, independentemente de requerimento de qualquer das partes, para sua juntada aos autos, se possível.
    Art. 235 – A letra e firma dos documentos particulares serão submetidas a exame pericial, quando contestada a sua autenticidade.
    Art. 236 – Os documentos em língua estrangeira, sem prejuízo de sua juntada imediata, serão, se necessário, traduzidos por tradutor público, ou, na falta, por pessoa idônea nomeada pela autoridade.
    Art. 237 – As públicas-formas só terão valor quando conferidas com o original, em presença da autoridade.
    Art. 238 – Os documentos originais, juntos a processo findo, quando não exista motivo relevante que justifique a sua conservação nos autos, poderão, mediante requerimento, e ouvido o Ministério Público, ser entregues à parte que os produziu, ficando traslado nos autos.
    CAPÍTULO X
    DOS INDÍCIOS
    Art. 239 – Considera-se indício a circunstância conhecida e provada, que, tendo relação com o fato, autorize, por indução, concluir-se a existência de outra ou outras circunstâncias.
    CAPÍTULO XI
    DA BUSCA E DA APREENSÃO
    Art. 240 – A busca será domiciliar ou pessoal.
    § 1º – Proceder-se-á à busca domiciliar, quando fundadas razões a autorizarem, para:
    a) prender criminosos;
    b) apreender coisas achadas ou obtidas por meios criminosos;
    c) apreender instrumentos de falsificação ou de contrafação e objetos falsificados ou contrafeitos;
    d) apreender armas e munições, instrumentos utilizados na prática de crime ou destinados a fim delituoso;
    e) descobrir objetos necessários à prova de infração ou à defesa do réu;
    f) apreender cartas, abertas ou não, destinadas ao acusado ou em seu poder, quando haja suspeita de que o conhecimento do seu conteúdo possa ser útil à elucidação do fato;
    g) apreender pessoas vítimas de crimes;
    h) colher qualquer elemento de convicção.
    § 2º – Proceder-se-á à busca pessoal quando houver fundada suspeita de que alguém oculte consigo arma proibida ou objetos mencionados nas letras b a f e letra h do parágrafo anterior.
    Art. 241 – Quando a própria autoridade policial ou judiciária não a realizar pessoalmente, a busca domiciliar deverá ser precedida da expedição de mandado.
    Art. 242 – A busca poderá ser determinada de ofício ou a requerimento de qualquer das partes.
    Art. 243 – O mandado de busca deverá:
    I – indicar, o mais precisamente possível, a casa em que será realizada a diligência e o nome do respectivo proprietário ou morador; ou, no caso de busca pessoal, o nome da pessoa que terá de sofrê-la ou os sinais que a identifiquem;
    II – mencionar o motivo e os fins da diligência;
    III – ser subscrito pelo escrivão e assinado pela autoridade que o fizer expedir.
    § 1º – Se houver ordem de prisão, constará do próprio texto do mandado de busca.
    § 2º – Não será permitida a apreensão de documento em poder do defensor do acusado, salvo quando constituir elemento do corpo de delito.
    Art. 244 – A busca pessoal independerá de mandado, no caso de prisão ou quando houver fundada suspeita de que a pessoa esteja na posse de arma proibida ou de objetos ou papéis que constituam corpo de delito, ou quando a medida for determinada no curso de busca domiciliar.
    Art. 245 – As buscas domiciliares serão executadas de dia, salvo se o morador consentir que se realizem à noite, e, antes de penetrarem na casa, os executores mostrarão e lerão o mandado ao morador, ou a quem o represente, intimando-o, em seguida, a abrir a porta.
    § 1º – Se a própria autoridade der a busca, declarará previamente sua qualidade e o objeto da diligência.
    § 2º – Em caso de desobediência, será arrombada a porta e forçada a entrada.
    § 3º – Recalcitrando o morador, será permitido o emprego de força contra coisas existentes no interior da casa, para o descobrimento do que se procura.
    § 4º – Observar-se-á o disposto nos §§ 2º e 3º, quando ausentes os moradores, devendo, neste caso, ser intimado a assistir à diligência qualquer vizinho, se houver e estiver presente.
    § 5º – Se é determinada a pessoa ou coisa que se vai procurar, o morador será intimado a mostrá-la.
    § 6º – Descoberta a pessoa ou coisa que se procura, será imediatamente apreendida e posta sob custódia da autoridade ou de seus agentes.
    § 7º – Finda a diligência, os executores lavrarão auto circunstanciado, assinando-o com duas testemunhas presenciais, sem prejuízo do disposto no § 4º.
    Art. 246 – Aplicar-se-á também o disposto no artigo anterior, quando se tiver de proceder a busca em compartimento habitado ou em aposento ocupado de habitação coletiva ou em compartimento não aberto ao público, onde alguém exercer profissão ou atividade.
    Art. 247 – Não sendo encontrada a pessoa ou coisa procurada, os motivos da diligência serão comunicados a quem tiver sofrido a busca, se o requerer.
    Art. 248 – Em casa habitada, a busca será feita de modo que não moleste os moradores mais do que o indispensável para o êxito da diligência.
    Art. 249 – A busca em mulher será feita por outra mulher, se não importar retardamento ou prejuízo da diligência.
    Art. 250 – A autoridade ou seus agentes poderão penetrar no território de jurisdição alheia, ainda que de outro Estado, quando, para o fim de apreensão, forem no seguimento de pessoa ou coisa, devendo apresentar-se à competente autoridade local, antes da diligência ou após, conforme a urgência desta.
    § 1º – Entender-se-á que a autoridade ou seus agentes vão em seguimento da pessoa ou coisa, quando:
    a) tendo conhecimento direto de sua remoção ou transporte, a seguirem sem interrupção, embora depois a percam de vista;
    b) ainda que não a tenham avistado, mas sabendo, por informações fidedignas ou circunstâncias indiciárias, que está sendo removida ou transportada em determinada direção, forem ao seu encalço.
    § 2º – Se as autoridades locais tiverem fundadas razões para duvidar da legitimidade das pessoas que, nas referidas diligências, entrarem pelos seus distritos, ou da legalidade dos mandados que apresentarem, poderão exigir as provas dessa legitimidade, mas de modo que não se frustre a diligência.

  752. Marciano Diz:

    Sei que você não está fazendo de propósito, mas isto é a falácia da falsa analogia.
    Prova penal judicial é uma coisa, prova científica é outra.

  753. Vladimir Diz:

    Montalvão disse: PONDERAÇÃO: devia ter dito: tal e qual a família Gasparetto…
    .
    COMENTÁRIO: Certamente a Familia Gasparetto ficaria feliz de ter o dinheiro que o Malafaia tem, de todo modo faz mais de 20 anos que deixaram o Espiritismo…
    .
    Faça um levantamento da “fortuna” do Herculano Pires, Carlos Imbassahy, Hernani Guimarães Andrade, ou do Sergio Aleixo, e veja como os espíritas são “ricos”.
    .
    Enfim o foco era a “fortuna” que o Kardec fez em cima da DE, coitado, faliu tentando manter DE.

  754. Marciano Diz:

    Quer dizer que a probabilidade de que as coisas que vocês afirmar serem verdadeiras é a mesma da Elisa Samúdio não ter morrido?
    Entendi.
    Concordo plenamente.

  755. Contra o chiquismo Diz:

    Demóstenes Diz:
    AGOSTO 12TH, 2015 ÀS 11:19 PM
    O ex-espírita,
    /
    to atrasado, estou lendo os “post”s . Parei só pra perguntar.
    .
    Você prova via método cientifico, que a Elisa ta morta? Acharam alguma coisa? Está desaparecida.
    .
    .
    .
    Não… condenaram o Bruno, Macarrão e asseclas de sacanagem. O promotor tava brincando de julgamento.

  756. Vladimir Diz:

    Contra disse: Acaso ser rico é defeito?
    .
    Se você é defensor do Malafaia, é problema seu.
    Eu fico do lado do Boechat hehehe

  757. Marciano Diz:

    A paranormalidade e a espiritualidade merecem a mesma credibilidade que merece a hipótese de que a Elisa Samúdio está viva.
    Finalmente concordamos em algo.
    Obrigado pelo argumento.

  758. Gorducho Diz:

    Já lhe disse (e o Kardec também) que os espíritos trouxeram uma “Doutrina” que já tinha sido antevista por eminentes pensadores sejam eles franceses como o Reynaud, Leroux, Saint Simon, sejam de outras nacionalidades como Swedenborg, Pitagoras, dentro outros.
     
    Veja como o Sr. se revela um completo bobalhão – desculpe a franqueza, franqueza não ofende pessoas inteligentes como si – misturando Pitágoras (metempsicose); Swedenborg (que poderemos discutir depois…) c/os socialistas românticos.
    Mas, comecemos do começo: vamos alalisar a listagem produzida por seu fértil “cérebro” dos “médiuns” que geraram o CUEE?

  759. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano Diz:
    AGOSTO 12TH, 2015 ÀS 11:27 PM
    CAPÍTULO III
    DO INTERROGATÓRIO DO ACUSADO
    .
    .
    .
    Gostaria de interrogar o Demo a minha moda. Lá na sala de São Jorge….

  760. Marciano Diz:

    CONTRA, dizer que paranormalidade e espiritualidade são coisas reais é igual a dizer que a Elisa Samúdio está viva.
    Entendeu?
    A gente não prova que ela está morta, logo, pode estar viva.
    A gente não prova que os fatos aqui narrados sobre paracoisas são fraudadas, logo, são verdadeiras.
    Esse argumento é ótimo para nós, os céticos.
    É justamente o que estamos buscando provar.

  761. Demóstenes Diz:

    Marciano,
    Estou lendo os posts, aqui em cima pra ficar atualizado.
    .
    Prova testemunhal já ferrou os Irmãos Naves, você sabe. A perícia, no meu ver está inconclusiva, sem querer ofender a família, mas histórico da moça… enfim, Justiça mesmo, “in dubio erit defensoris”. Não é isso?
    /
    /
    /
    A todos,
    /
    fala-se em EQM, mas e a “letargia”? Letargia é você acordar a noite, abrir os olhos?! e não conseguir mexer o corpo, ouvir conversas. No meu caso já tive visões. Tem alguma coisa sobre Letargia.

  762. Contra o chiquismo Diz:

    Vladimir Diz:
    AGOSTO 12TH, 2015 ÀS 11:33 PM
    Contra disse: Acaso ser rico é defeito?
    .
    Se você é defensor do Malafaia, é problema seu.
    Eu fico do lado do Boechat hehehe
    .
    ..
    Não apenas acho kardec a malafaia mau carater e ambos não tem (Ficha na Polícia, Processos Judiciais, Violência Doméstica, Corrupção, e etc) como pré requisito proposto por ti para a canalhice.
    .
    .
    .
    Mas vc acha ser rico defeito?

  763. Marciano Diz:

    Falar em paranormalidade e espiritualidade é a mesma coisa que dizer que a Elisa Samúdio está viva e que houve um erro judiciário.
    Ninguém prova que ela não está viva, por aí, rindo do juiz, do promotor, do Macarrão, do Bruno.
    Probabilidade de ela estar viva = probabilidade de os “fatos” alegados pelos crentes serem reais.
    Gostei.
    De acordo, DEMÓSTENES.

  764. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano Diz:
    AGOSTO 12TH, 2015 ÀS 11:38 PM
    CONTRA, dizer que paranormalidade e espiritualidade são coisas reais é igual a dizer que a Elisa Samúdio está viva.
    Entendeu?
    .
    .
    Entendi e ela vai puxar o pé do demo…

  765. Marciano Diz:

    Se em mil novecentos e antigamente os irmãos Naves foram condenados erroneamente, Bruno é inocente.
    Não sei se você sabe, mas a defesa do Bruno disse a mesma coisa.
    Coitado do inocente Bruno.

  766. Marciano Diz:

    Esse argumento não convenceu os jurados.
    Nem me convence.

  767. Contra o chiquismo Diz:

    Vladimir Diz:
    agosto 12th, 2015 às 10:55 PM
    .
    .
    COMENTÁRIO: Só tem 100 milhões de dólares, apartamento em Miami, Jatinho Privado no valor de 20 milhões,
    .
    ..
    É demérito ter bens? Inveja mata…

  768. Marciano Diz:

    Não sei se reparou, mas eu CONCORDEI com o fato de que a comparação foi ÓTIMA.

  769. Contra o chiquismo Diz:

    Os Nardoni tb são inocentes presos injustamente e o Ze Dirceu tá na cadeia por perseguição política.

  770. Vladimir Diz:

    Gorducho disse: Mas, comecemos do começo: vamos alalisar a listagem produzida por seu fértil “cérebro” dos “médiuns” que geraram o CUEE?
    .
    COMENTÁRIO: Tive um trabalhão de copiar o excerto da Revista Espírita e não vai comentar?
    .
    Ruiu a Tese do Plágio, não é mesmo? hehehe
    .
    Depois nós falamos para estudar a DE, e somos (injustamente) chamados de arrogantes…
    .

  771. Marciano Diz:

    Se vocês, os defensores do paranormal e da espiritualidade, afirmam que Bruno pode ser inocente e que Elisa pode estar viva, e dão o mesmo valor de prova às afirmações sobre espiritualidade e paranormalidade, ESTOU DE PLENO ACORDO.
    Não há mais o que discutir.
    Chegamos a um acordo.

  772. Contra o chiquismo Diz:

    Ser rico é defeito. O bom mesmo é pobreza de CX.

  773. Marciano Diz:

    Quem diria?
    Este tempo todos estávamos de acordo, sem o perceber…

  774. Vladimir Diz:

    Contra disse: É demérito ter bens? Inveja mata…
    .
    COMENTÁRIO: Contra, se quer fazer companhia ao Malafaia vs Boechat é uma opção sua hehehe
    .
    Eu particularmente sou contra o enriquecimento vindo da exploração da fé alheia.
    .
    Só não me venha comparar Kardec com Malafaia…

  775. Marciano Diz:

    Alguém aí prova que não houve uma terceira pessoa que matou a filha dos Nardoni?
    Então existe a probabilidade de que eles sejam inocentes.
    A mesma probabilidade de que as afirmações sobre paranormalidade e espiritualidade são verdadeiras.
    ESTOU DE ACORDO, FINALMENTE!
    Case closed!

  776. Contra o chiquismo Diz:

    Engraçado, mas dessa vez kardec foi um MESTRE:.
    .
    .
    “Por que todos os homens não são igualmente ricos? Por uma razão muito simples: é que não são igualmente inteligentes, ativos e laboriosos para adquirir, nem sóbrios e previdentes para conservar. ”

    .
    .
    Ou seja só é pobre quem é BURRO!! He he he he…

    Tá lá no ESE:

    .
    .
    https://evangelhoespirita.wordpress.com/capitulos-1-a-27/cap-16-servir-a-deus-e-a-mamon/desigualdade-das-riquezas/

  777. Marciano Diz:

    Como se diz nos meios jurídicos, “Tollitur Quaestio”, acabou-se a controvérsia.
    A tese de inocência de Bruno, Nardoni, etc., tem o mesmo valor da tese da paranormalidade e da espiritualidade.

  778. Vladimir Diz:

    Aliás Sr. Contra, o Demóstenes deve estar correto, o Sr deve sofrer de sérios problemas psicológicos…
    .
    Primeiro diz que é Ateu e ataca o Espiritismo, agora faz uma defesa apaixonada do Silas Malafaia…
    .
    Ou Sr é Evangélico (isso explicaria muita coisa) ou precisa procurar um terapeuta…
    .
    Eu acho que é a segunda opção.

  779. Contra o chiquismo Diz:

    Marciano, viu essa do mestre kardec?
    .
    .
    ““Por que todos os homens não são igualmente ricos? Por uma razão muito simples: é que não são igualmente inteligentes”

  780. Marciano Diz:

    Estamos discutindo à toa!
    Quando a Elisa Samúdio aparecer viva, eu viro paranormal, parapsicólogo, espírita, qualquer coisa.

  781. Contra o chiquismo Diz:

    Vlad, segundo kardec se vc não é RICO, é pq vc é BURRO!!

  782. Marciano Diz:

    CONTRA, parece que o Rivail não era muito inteligente, pois se diz aqui que ele tinha pouco dinheiro.
    Malafaia e Macedo devem ser gênios, a julgar pelo dinheiro que têm e pelo critério de Rivail.

  783. Vladimir Diz:

    Eu particularmente não tenho do que reclamar, aliás atualmente só trabalho por opção, já que poderia estar aposentado.

  784. Gorducho Diz:

    Tive um trabalhão de copiar o excerto da Revista Espírita e não vai comentar?
     
    Já comentei cuando o Sr. era o Dr. Yakov. Esqueceu ou é um debilóide tipo aqueles seus (supostos, supondo que de fato o Sr. tenha carteira depsiquiatra) colegas o (i) que prega a reinstituição da magia na medicina (ii) e o outro que acha que a pineal é a antena comunicatória c/o ultramundo?

  785. Marciano Diz:

    Ainda bem que eu não sou rico, mas tenho MUITO dinheiro.
    Fruto do meu trabalho.

  786. Contra o chiquismo Diz:

    Olha como vc distorce as coisas. Defesa apaixonada do malafaia. Como vou defender alguém que acho mau caráter?
    .
    .
    Mas quer saber? Ele não mete a mão no bolso de ninguém, ele não é ladrão, ele só pede, dá quem quer.
    .
    .
    Se os palestrantes espiritas não fazem o mesmo problema é deles, que continuem POBRES pq são BURROS segundo kardec. Logo malafaia é o maior seguidor de kardec pq é RICO.

  787. Marciano Diz:

    Segundo Rivail, não devo ser muito burro.
    Vou acabar virando espírita, assim.

  788. Vladimir Diz:

    Gorducho disse: ou é um debilóide tipo aqueles seus (supostos, supondo que de fato o Sr. tenha carteira depsiquiatra) colegas
    .
    COMENTÁRIO: Roeu a corda??? hehehe
    .
    A Tese de Plágio do Reynaud caiu por terra rs

  789. Demóstenes Diz:

    Marciano,
    O caso Nardoni, tem um ciclo completo, não falta peças.
    No caso do Bruno, não li os autos, o que sei é pela imprensa, tenho que aceitar.
    /
    /
    /
    “só é pobre quem é BURRO”
    .
    Não, so é pobre, quem não é inteligente, ativo e laborioso para adquirir, nem sóbrio e previdente para conservar.

  790. Vladimir Diz:

    Contra,
    Está “Off the Rails”…rs

  791. Vladimir Diz:

    Contra,
    .
    Depois dessa eu diria que o Sr. está assemelhado a um veículo automotor caindo do penhasco sem freio e em buzina…hehehe
    .

  792. Contra o chiquismo Diz:

    “só é pobre quem é BURRO”
    .
    Não, so é pobre, quem não é inteligente, …
    .
    .
    Não dá no mesmo?

  793. Marciano Diz:

    A concessão da aposentadoria por invalidez em decorrência de doença mental está condicionada à apresentação do termo de curatela.
    Será que já foi providenciada?

  794. Contra o chiquismo Diz:

    Demo: se vc é pobre, ou vc é burro ou vc não é inteligente como afirma kardec.

  795. Contra o chiquismo Diz:

    Vladimir Diz:
    AGOSTO 13TH, 2015 ÀS 12:05 AM
    Contra,
    .
    Depois dessa eu diria que o Sr. está assemelhado a um veículo automotor caindo do penhasco sem freio e em buzina…hehehe
    .
    .
    De preferência na sua cabeça. kardecista ateu.

  796. Vladimir Diz:

    Contra,
    .
    Vá plantar batatas…

  797. Marciano Diz:

    Demóstenes Diz:
    AGOSTO 13TH, 2015 ÀS 12:02 AM
    Marciano,
    O caso Nardoni, tem um ciclo completo, não falta peças.
    No caso do Bruno, não li os autos, o que sei é pela imprensa, tenho que aceitar.
    /
    E no caso dos Nardoni, no caso dos irmãos Naves, você leu os autos?

  798. Contra o chiquismo Diz:

    Cx não era pobre eu creio, pois distribuia $$ uma em cima da outra no natal. Só não fazia aviãozinho de nota de 1000 (barão), mas deveria morrer de vontade de fazê-lo.

  799. Contra o chiquismo Diz:

    Vlad, vá se converter do ateísmo na igreja do malafaia.

  800. Demóstenes Diz:

    Da letargia, alguma informação?

    /
    /
    /
    “se vc é pobre, ou vc é burro ou vc não é inteligente como afirma kardec.”
    /
    Tem que desenhar:
    .
    Laborioso = devotado ao trabalho, que trabalha duramente; esforçado
    .
    Ativo = diligente, expedito; que tem ação, que atua; que opera com energia; ininterrupto;
    .
    Inteligência = é um conjunto que forma todas as características intelectuais de um indivíduo, ou seja, a faculdade de conhecer, compreender, raciocinar, pensar e interpretar.

  801. Contra o chiquismo Diz:

    Demo, garis/faxineiras/trocadores de ônibus/ são laboriosos trabalhadores e ativos tb.
    .
    .
    Mas segundo kardec são burros pq são pobres.

  802. Demóstenes Diz:

    Marciano,
    Meu pai é advogado, ganhou o livro datilografado do caso Irmão Naves, inclusive com os autos, raridade do Direito.
    .
    Não, não li os autos do Nardonis. O Luis Nassif, também defendeu a tese de um 3º pessoa.
    .
    Blz, você ganhou não se fala mais nisso. Pode ser preconceito meu em relação a Eliza.

  803. Contra o chiquismo Diz:

    Poxa, sou capaz de imaginar o Vlad no culto do malafaia cantando:.
    .

    .
    “Fogo no diabo da cabeças aos pés, queima fogo santo…”

  804. Contra o chiquismo Diz:

    Demo, vc não respondeu:
    .
    .
    Contra o chiquismo Diz:
    AGOSTO 13TH, 2015 ÀS 12:06 AM
    Demo: se vc é pobre, ou vc é burro ou vc não é inteligente como afirma kardec.

  805. Gorducho Diz:

    A Tese de Plágio do Reynaud caiu por terra rs
    Como caiu por terra?
    Me cite no pentaeuco e também na RE as citações dele às fontes verdadeiras.
    Vamos lá Dr.?
    E vamos analisar sua listagem do CUEE?
    Vamos recomeçar fingindo eu – porque gosto do tema ao contrário das dentaduras e dos ossos sepultados perto do aeroporto tema de “alguns”… – que não sei que na última vida terrícola era S/Pessoa o Yakov?

  806. Demóstenes Diz:

    Ex-espírita,
    .
    Afirmação fora de contexto, to caçando aqui no LE, não achei.
    .
    811. A igualdade absoluta das riquezas é possível e existiu alguma vez?
    — Não, não é possível. A diversidade das faculdades e dos caracteres se opõe a isso.
    .
    812. Se a igualdade das riquezas não é possível, acontece o mesmo com o bem-estar?
    — Não; mas o bem-estar é relativo e cada um poderia gozá-lo, se todos se entendessem bem… Porque o verdadeiro bem-estar consiste no emprego do tempo de acordo com a vontade, e não em trabalhos pelos quais não se tem nenhum gosto. Como cada um tem aptidões diferentes, nenhum trabalho útil ficaria por fazer. O equilíbrio existe em tudo e é o homem quem o perturba(1).

  807. Contra o chiquismo Diz:

    Gorducho , é só um troll circular que se diz ateu que vai ficar defendendo kardec pra trollar a gente. Ele esquece de tudo na cara de pau. Voltou com esse argumento de pedir a ficha policial do rivail. A ficha do malafaia tb é limpa ora… e ele ignorou a mensagem que kardec deu se arrependendo de criar o espiritismo. É sempre assim.

  808. Contra o chiquismo Diz:

    Mas eu nã falei LE demo, falei ESE!!

    .
    .
    https://evangelhoespirita.wordpress.com/capitulos-1-a-27/cap-16-servir-a-deus-e-a-mamon/desigualdade-das-riquezas/

  809. Contra o chiquismo Diz:

    Até, vou dormir. Boa noite a todos, menos pra vc troll.

  810. Marciano Diz:

    É uma raridade mesmo, tanto o livro quanto o caso em si.
    Sabe por que ele ( o caso Naves ) é tão citado?
    Por sua raridade.
    Se erros desse tipo fossem comuns, ninguém precisaria falar de um caso tão antigo.
    .
    Os autos, seu pai não pode ter ganhado. Ficam arquivados.
    Ele pode ter um fac simile.
    .
    Não estou querendo ganhar nenhum debate. Estou somente querendo que vocês (você, DEMÓSTENES, e o BORGES) reflitam mais sobre espiritualidade, crença e descrença.
    .
    Eu sei que vocês não estão de brincadeira, como um bobalhão que frequenta aqui.
    Vocês são sérios.
    Respeito vocês e seus argumentos, não suas ideias.
    Vou parar por hoje, tive um dia duro e amanhã não vai ser muito diferente.
    .
    Dê uma lidinha nisto:
    .
    http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=206854&caixaBusca=N
    .
    Já trabalhei em todas as áreas do direito. Onde ganhei mais dinheiro, foi na área tributária (para médias empresas, pessoas jurídicas).
    Hoje, graças a besteira de ter feito concursos para a área jurídica, perdi essa clientela, mas não estou muito pior do que naquela época.
    Tenho advogado quase que exclusivamente na área de família, mas para clientes abastados, que pagam excelentes honorários.
    .
    Se perder essa boca, vai ser duro.
    No meu tempo de juiz, promotor, etc., não tinha esse negócio de auxílio isso, auxílio aquilo.
    .
    Não estou arrependido, pois continuo ganhando bem mais do que quando ocupei cargos públicos, sem a aporrinhação de corregedorias, relatórios, produtividade, etc.
    Voltei a ser índio e cacique, simultaneamente.
    Uma coisa que dá dinheiro, para quem sabe fazer, é júri, mas eu não gosto.
    Não advogo para criminosos, de nenhum tipo, inclusive homicidas.
    Não julgo quem o faz.
    Um abraço!

  811. Demóstenes Diz:

    O Contra,
    /
    /
    “Por que todos os homens não são igualmente ricos? Por uma razão muito simples: é que não são igualmente inteligentes, ativos e laboriosos para adquirir, nem sóbrios e previdentes para conservar. ”
    /
    /
    A pergunta é no plural e a resposta também, pode se interpretar, em vários aspectos, inclusive a riqueza coletiva ou o Bem-Estar de todos. Conforme a 812, do LE.
    .
    812. Se a igualdade das riquezas não é possível, acontece o mesmo com o bem-estar?
    — Não; mas o bem-estar é relativo e cada um poderia gozá-lo, se todos se entendessem bem… Porque o verdadeiro bem-estar consiste no emprego do tempo de acordo com a vontade, e não em trabalhos pelos quais não se tem nenhum gosto. Como cada um tem aptidões diferentes, nenhum trabalho útil ficaria por fazer. O equilíbrio existe em tudo e é o homem quem o perturba.
    /
    /
    Outra interpretação: a pobreza existe, porque os homens que possuem “muito melhor situação”, são burros de achar que “ela” (pobreza) não os atinja diretamente. Que a desigualdade, gera a revolta, a violência, etc. Não se esforçam e trabalham para o bem estar de todos. Sempre que alcança um patamar acima que seus irmãos, se perde em futilidades, ostentação e luxúrias acabando por se tornarem miseráveis.
    /

  812. Vladimir Diz:

    Gorducho disse:
    .
    Me cite no pentaeuco e também na RE as citações dele às fontes verdadeiras.
    Vamos lá Dr.?
    .
    COMENTÁRIO:
    Oxiii…
    .
    Não leu o que lhe escrevi???
    .
    Vamos lá, (última chance)…
    .
    Com a palavra, o Mestre Lionês:
    .
    “Vê-se que não fomos o único nem o primeiro a proclamar a doutrina da pluralidade das existências, também chamada de reencarnação. A obra Terra e Céu, de Jean Reynaud, foi publicada antes de O Livro dos Espíritos. Pode-se ver o mesmo princípio, exposto em termos explícitos, no encantador opúsculo do Sr. Louis Jourdan, intitulado: As Súplicas de Ludovico, cuja primeira edição é de 1849, da Livraria Nova, Boulevard des Italiens.” – Revista Espírita 1862
    .
    .

    “Na época em que a obra apareceu, cerca de 1840, ainda não se cogitava dos Espíritos; entretanto, Jean Reynaud parece ter tido, como, aliás, muitos outros escritores modernos, a intuição e o pressentimento do Espiritismo, do qual foi um dos mais eloqüentes precursores. Como Charles Fourier, ele admite o progresso infinito da alma e, como conseqüência de tal progresso, a necessidade da pluralidade das existências, demonstrada pelos diversos estados do homem na Terra.
    Jean Reynaud nada tinha visto; colhera tudo de sua profunda intuição. O Espiritismo viu o que o filósofo apenas pressentira; desse modo, acrescentou a sanção da experiência à teoria puramente especulativa e, naturalmente, a experiência o levou a descobrir detalhes que a só a imaginação não podia entrever, mas que vêm completar e corroborar os pontos fundamentais.” – Revista Espírita 1863
    .
    .
    “Um dos princípios mais fecundos desta doutrina, e que decorre do precedente, é o da pluralidade das existências, já entrevisto por uma quantidade de filósofos antigos e modernos, e nos últimos tempos por Jean Reynaud, Charles Fourier, Eugene Sue e outros; mas permanecera no estado de hipótese e de sistema, enquanto o Espiritismo demonstra sua realidade.” – Revista Espírita 1869
    .
    .
    “Aliás, o princípio da reencarnação na Terra não é peculiar ao Espiritismo europeu; era um ponto fundamental da doutrina druídica; em nossos dias foi proclamado antes do Espiritismo por ilustres filósofos, tais como Dupont de Nemours, Charles Fourier, Jean Reynaud, etc. – Revista Espírita 1869″
    .
    Satisfeito?

  813. Vladimir Diz:

    Como já havia aventado a possibilidade, eis que trago a EVIDÊNCIA de que o Sr.Gorducho é um apologeta católico (ainda que inconsciente creio):
    .
    .
    “No ano de 1854, quando Kardec tomava os primeiros contatos com as mesas girantes, foram publicados mais dois livros reencarnacionistas:
    Terre et dei, de Jean Reynaud, e Pluralité des existences de l’dme,de Pezzani. Assim, dois anos depois da publicação de
    O livro dos espíritos, em 1859, observava o Dr. Dechambre na “Gazette Hebdomadaire de Médicine et de Chirurgie”, num artigo sobre “La Doctrine Spirite”, que os instrutores invisíveis do Sr. Kardec não tinham necessidade de conversar nos arescom o espírito de Porfírio: bastava-lhes
    conversar por alguns instantes com o Sr. Pierre Leroux, mais fácil de encontrar, ou ainda com Fourier, que com muito prazer lhes teria ensinado que nossa alma revestirá um corpo cada vez mais etéreo à medida que irá passando pelas oitocentas existências. . .” – Frei Boaventura Kloppenburg O.F.M – “Espiritismo Orientação Para Católicos”

  814. Vladimir Diz:

    Desista Gorducho,
    .
    Sua crítica é do “arco da velha”, não tem alcance nem profundidade, é catolicismo pré concílio do Vaticano II, requentado, só isso…

  815. Antonio G. - POA Diz:

    Hippolyte Léon Denizard Rivail, o Inri Cristo francês, não parece ter sido um bandido, um malfeitor, um criminoso. Mas é evidente que foi um grande farsante, embusteiro, mentiroso. Doido varrido ou presunçoso narcisista? Possivelmente as duas coisas juntas, mas eu daria um peso maior para a vaidade, traço característico e predominante nos sedizentes médiuns. Eu conheço bem o tipo.
    Qualquer semelhança com CX não é mera coincidência.

  816. Vinicius Diz:

    Antonio G-POA : o que acha da possibilidade de Kardec ter querido angariar “metais” com essa história toda? E como Rivail talvez seria mais dificil promover essa empreitada.

  817. Antonio G. - POA Diz:

    Terapia de regressão a vidas passadas é uma forma de exploração da fé alheia?

  818. Antonio G. - POA Diz:

    Ou seria um jeito honesto de ganhar dinheiro baseado em uma mentira?

  819. Gorducho Diz:

    1ª citação (admitida pelo Sr. mesmo) [RE agosto ’62], é comentando carta do próprio JR ao Jornal de Debates. Então o assunto tava rolando de boca-em-boca na praça e ele não podia simplesmente ignorar que o cara já dissera muito antes o que ele (Kardec) atribuía a “espíritos” p/conferir uma aparência de Verdade Revelada aos devaneios que ele colocara no LE + LM (a essas alturas…). Relembrando as palavras do JR:
    Ali se ensina que a duração da Criação é proporcional à sua extensão, de sorte que a imensidade reina igualmente nos dois sentidos; é ensinado também que a nossa vida atual, em vez de representar a totalidade das provas pelas quais nos capacitamos para participar da plenitude da vida bem-aventurada, é apenas um
    dos termos da série, mais ou menos longa, de existências análogas
    .
     
    RE agosto ’63 é o próprio obituário.
    No pentateuco, i.e., na codificação, nada que eu saiba…
    É exatamente a figura que lhe fiz. O Sr. apresenta uma tese sobre psiquiatria a qual é aprovada e tem razoável repercussão no meio profissional. Não cita fontes, alegando que lhe veio à mente ou teve um sonho que lhe induziu a elaboração da mesma.
    Anos depois, quando similar assunto está rolando e está evidente que outro médico já tinha dito a mesma coisa, escreve um artigo, claro, reconhecendo que esse colega já tinha antecipado sua tese, mas segue sugerindo ao público leitor que o Sr. “sonhou”, não plagiou – i.e., usou sem citar – as ideias do cara. É isso, como diz o Professor.
     
    E o Dr. Deschambres está a mostrar isso de forma sarcástica. Aliás tempos atrás me deu uma trabalheira danada baixar esse artigo por partes e o perdi. Acho que ficou fora da rede numa computadora que teve problemas graves de placas e sucateamos-a.

  820. Antonio G. - POA Diz:

    Sim, Vinicius, Allan Kardec pode ter tido intensões “capitalistas” em sua saga com os espíritos. É possível. Mas não sei dizer se ele ganhou dinheiro com sua “obra”. Sei que ganhou prestígio. Muito efêmero em sua terra natal, mas duradouro noutras partes, especialmente no Brasil, graças ao CX. O certo é que muita gente ganhou e continua ganhando um bom dinheiro hoje em dia com a cantilena espírita. Outra semelhança com Chico Xavier. Se o mineirinho viveu e morreu pobre, tem bastante gente que faz fortuna com seus livrinhos.

  821. Gorducho Diz:

    Aliás, Dr. nesse artigo de ’69 veja como ele malandramente distorce o credo do espiritismo Americano…
    Não, não estou plagiando a observação: o fato está constatado no Criticando Kardec do amigo do nosso Administrador. Citopo:
    “o espiritismo nos Estados Unidos admite a pluralidade de existências sucessivas (ou seja: reencarnação) em mundos mais ou menos avançados”. Esse é um exemplo bem ilustrativo do quanto Kardec por vezes “via justamente aquilo que ele queria ver” em algo que na verdade não continha o que ele imaginava estar vendo. Penso que podemos concluir que tal tendência influiu negativamente ao ele analisar as diversas mensagens mediúnicas e aplicar o “método da sanção universal dos espíritos”.

  822. Vinicius Diz:

    o mineirinho viveu pobre mas acabou ajudando seu semelhante com a grana dos livrinhos, adquirindo a despensa pro centro por exemplo. distribuição de comida aos pobres precisa de certa quantia sempre , pois eles voltam ao mesmo local .. afinal fez 1 vez tem que fazer sempre…
    sabe que tem centro que praticamente “reeescreve” o livro dos espiritos para vender livro? livros de cursos, um outro resumo aqui, um outro “comparando” ali, ” etc etc

  823. Gorducho Diz:

    Vamos então iniciar a reanálise da sua listagem das fontes do CUEE?

  824. Vinicius Diz:

    verdade certa e real: trabalho e dinheiro. Todos nós somos lembrados por nossas profissões… e o dinheiro pra poder pagar essa banda larga, aqui kkk

  825. Gorducho Diz:

    Que eu saiba CX doou à FEB os direitos autorais…
    Mas não sei qual parte desses e a duração dessa cessão, &c.

  826. Gorducho Diz:

    E o Kardec não fica claro do que vivia depois de ter falido a escola (não por “culpa” dele fique claro que cá não é alfinetada – as escolas católicas tinham subsídios &c…). Fazia bicos como contador e…?
    Nas “biografias” citadas pelo Dr. deve haver essa info…

  827. Vinicius Diz:

    e… na literatura era, desde os 18 anos mestre colegial de Ciências e Letras, e, desde os 20 anos renomado autor de livros didáticos. Destacou-se na profissão para a qual fora aprimoradamente educado na Suíça, na escola do maior pedagogo do primeiro quartel do século XIX, de fama mundial e até hoje paradigma dos mestres: João Henrique Pestalozzi. E, em Paris, sucedeu ao próprio mestre.
    também foi tradutor

    fonte: site espirito.org e google.

  828. Larissa Diz:

    http://blogs.correiobraziliense.com.br/cbpoder/2015/08/13/o-mundo-vai-acabar-a-camara-legislativa-discute
    .
    ESTAREI LÁ!

  829. Larissa Diz:

    ALGUÉM QUER ME ACOMPANHAR?

  830. Vinicius Diz:

    larissa onde vai ser?

  831. Borges Diz:

    Montalvão diz:-“ Parece que quer, com essa aventura piegas, superar o fato de que os mortos não conseguem dar mostras de estarem presentes. Se quer usar casos de possessão para provar mortos em ação, comece por explicar como é que um espírito sem corpo se acopla num corpo com espírito, sem que provocar uma hecatombe universal. Comece daí.”
    Comentário:- Não conheço o seu perfil, porém se realmente for cético, eu indago: Como pode relacionar um caso em que dois espíritos ocupam temporariamente um mesmo corpo, com uma hecatombe universal, se nem acredita na existência de espíritos. Não vejo nenhuma relação entre um fato e outro. Para ser sincero, estranhei sua conjectura.
    “Bastaria interrogar a menina com leve rigor e a encenação desmoronaria como um castelo de manteiga sob o sol carioca.”
    Pura ilação de sua parte, é o que você gostaria que acontecesse, Não dá nenhuma chance ao contraditório, utilizando palavras como, ”poderia desmoronar”. Parece-me um posicionamento radical.
    Obrigado

  832. Larissa Diz:

    Na Camara legislativa do DF Oo
    .
    Não faltava mais nada.

  833. Gorducho Diz:

    desde os 18 anos mestre colegial de Ciências e Letras, e, desde os 20 anos renomado autor de livros didáticos.
     
    Sem dúvida, a competência dele estava na didática. Aliás ele visionariamente pregava o estabelecimento da ciência da pedagogia. Também aparentemente devia saber bem a gramática francesa, pois que publicou obras sobre, bem recebidas.
    O curso de aritmética é primário, elementar de sorte que é impossível avaliar os conhecimentos dele em relação à matemática. Note-se que não é demérito à obra pois que obras elementares são necessárias para uso no ensino primário!
    Eu gostaria de ter a famosa apostila c/os cursos de química, física e astronomia que ele ditava no Liceu Polimático. Mas aparentemente se perdeu; só talvez nalgum sebo.
    Quanto à tradução que ele fez de Telêmaco p/o alemão, não tenho como avaliar a qualidade pois que não sei este idioma.
    Que outras traduções ele terá feito e qual a receptividade delas também não sei.

  834. Vladimir Diz:

    Gorducho disse: É exatamente a figura que lhe fiz.
    .
    COMENTÁRIO: Não é, Frei Gorducho.
    O Sr. tentou atribuir a Kardec o plágio das ideias do Reynaud, e ainda alegou novidade, ocorre
    que a sua crítica é Apologética Católica “clássica” desde a época do Kardec, de modo que não há novidade alguma.
    É materia requentada só isso.
    .
    Não tenho EVIDÊNCIAS para duvidar do caráter de Kardec e de seus colaboradores de modo que entre a sua
    Apologética Católica e o Ensino do Espíritos, eu fico com o segundo (já que abandonei a ICAR há mais de 20 anos).
    .
    Antonio disse: Hippolyte Léon Denizard Rivail, o Inri Cristo francês, não parece ter sido um bandido, um malfeitor, um criminoso. Mas é evidente que foi um grande farsante, embusteiro, mentiroso. Doido varrido ou presunçoso narcisista? Possivelmente as duas coisas juntas, mas eu daria um peso maior para a vaidade.
    .
    Antonio disse: Allan Kardec pode ter tido intensões “capitalistas” em sua saga com os espíritos. É possível.
    .
    COMENTÁRIO: Teoria interessante Sr. Antonio, uma pena que carece de EVIDÊNCIAS, sendo no fim das contas apenas Calúnia, e Difamação.

  835. Antonio G. - POA Diz:

    Não acho que seja calúnia e/ou difamação dizer que quem alega falar com mortos seja mentiroso (ou maluco, conforme ressalva já feita), uma vez que ninguém é capaz de tal proeza. A menos que consideremos suficientes monólogos de médiuns, já que mortos, decididamente, não falam.
    .
    E eu disse não saber se Allan Kardec pretendia ganhar dinheiro com isto.

  836. Antonio G. - POA Diz:

    E quem diz que já viu prova de que mortos (espíritos) falam, mente. Ou é ingênuo.

  837. Antonio G. - POA Diz:

    Minha filha acredita em Papai Noel. Ela diz que ele existe. Não tem nenhuma dúvida disto. Ela não mente. Ela é ingênua.

  838. Antonio G. - POA Diz:

    E minha filha não inventou o Papai Noel. Disseram prá ela que ele existe, mostraram inúmeras “evidências”. E ela acredita. Tudo bem. Um dia saberá que era apenas uma fantasia, um personagem lúdico. Mas isso será mais tarde, quando ela amadurecer um pouco mais. Por ora, não vejo prejuízo para a formação do seu intelecto. Mas adulto acreditando em Papai Noel já é outra conversa…

  839. Antonio G. - POA Diz:

    Qual é, afinal, a diferença entre Deus, Jesus Cristo, Espíritos, Papai Noel, Coelho da Páscoa?

  840. Antonio G. - POA Diz:

    São produtos similares. A diferença é só a do público alvo.

  841. Vladimir Diz:

    Antonio disse: E quem diz que já viu prova de que mortos (espíritos) falam, mente. Ou é ingênuo.
    .
    COMENTÁRIO: E quem diz que não viu prova de que mortos (espíritos) falam, mente. Ou é ingênuo

  842. Antonio G. - POA Diz:

    Marciano, quebrado a promessa: público-alvo
    .
    Eu acho que me importo mais com as aparências do que gostaria de admitir. rssss

  843. Vladimir Diz:

    Antônio, nada pessoal, mas entre um anônimo de internet e Kardec, dou mais credibilidade ao Mestre Lionês…

  844. Antonio G. - POA Diz:

    Parece um bom trocadilho.
    Vejamos: eu digo que nunca vi. E, como não minto, só posso ser ingênuo. Então, tá certo: sou ingênuo.

  845. Antonio G. - POA Diz:

    Vladimir, quem diz que mortos não falam, não são anônimos de internet. É a ciência! E o bom senso, o discernimento.

  846. Vladimir Diz:

    Antônio, como sou muito bonzinho, aqui está o link da SPR é só se registrar e ter acesso aos relatórios desde 1884.
    : http://www.spr.ac.uk/main/page/online-library
    .
    Senão quiser pode pegar o livrinho do Dawkins e ficar panfletando seu Ateísmo.
    .
    Como dizia G.K. Chesterton: “O problema de não acreditar em deus, é acreditar em qualquer bobagem”

  847. Marciano Diz:

    http://blogs.correiobraziliense.com.br/cbpoder/2015/08/13/o-mundo-vai-acabar-a-camara-legislativa-discute
    .
    Espaço da Câmara cedido para essa palhaçada divaldesca?
    .
    “Mas é infâmia demais!”.
    .
    Se, como dizem os crentes, a transição está nos desígnios de deus, não adianta fazer nada.
    Não há o que discutir.
    Ou será que a reunião será de “espíritos trevosos”, que querem obstruir os planos divinos para elevação do planeta de “provas e expiações” para “regeneração”?
    .
    .
    ANTONIO, pode corrigir à vontade, eu só estava brincando com você.
    Promessas são feitas para serem quebradas. Veja aqui mesmo, como todo mundo já prometeu tantas coisas e ninguém cumpriu nada.
    .
    Vou pensar em uma palestra sobre a TRANSIÇÃO de “papai noel” em “papai do céu”.

  848. Vladimir Diz:

    Correção: “Se não quiser…”

  849. Marciano Diz:

    Tendo em conta que este tópico já se esgotou e virou palco para palhaçadas de um troll que não leva nada a sério, parece uma criança retardada, estou encerrando minha participação aqui.
    .
    Espero até que surja um novo.

  850. Vladimir Diz:

    Lunático a.k.a. Forrest Gump,
    .
    Está descumprindo sua promessa???
    .
    Como dizia o humorista: “Quem não tem dinheiro conta história…hehehe”

  851. Antonio G. - POA Diz:

    Aliás, a ciência não diz nada sobre espíritos. A ciência só se interessa por coisas reais. Da mesma forma, nada há nos anais científicos sobre o Saci Pererê.

  852. Vitor Diz:

    “Tendo em conta que este tópico já se esgotou e virou palco para palhaçadas de um troll que não leva nada a sério, parece uma criança retardada, estou encerrando minha participação aqui.”
    .
    Não fale assim do Montalvão, poxa… :-D

  853. Vladimir Diz:

    Antônio disse: Aliás, a ciência não diz nada sobre espíritos. A ciência só se interessa por coisas reais. Da mesma forma, nada há nos anais científicos sobre o Saci Pererê.
    .
    COMENTÁRIO: Não foi a conclusão que chegaram os pesquisadores da SPR.
    .
    Logo não sei a quais cientistas o Sr. se refere.

  854. Antonio G. - POA Diz:

    Meu problema é que não consegui decidir em qual Deus acreditar. Então, excluí todos.

  855. Antonio G. - POA Diz:

    Os estudos da SPR não tem nada a ver com ciência. Basta ver o elenco dos pesquisadores.

  856. Contra o chiquismo Diz:

    Po.. de novo essa coisa de SPR.
    ..

    Já já aprece o professor com sua piper e crookers.
    ..
    Era mais divertido na época do “BOM GÊNIO JOÃO”.

  857. Gorducho Diz:

    que a sua crítica é Apologética Católica “clássica” desde a época do Kardec, de modo que não há novidade alguma.
     
    Claro! Seria espantoso é se os contemporâneos, conhecedores das obras dos socialistas “românticos” não se tocassem.
    E o Eugène Nus, que chama ele explicitamente de malandro (rusé), claro que seria católico como a grande maioria, mas não fanático pois que passavam o dia inteiro uma época consultando as mesas.

  858. Vladimir Diz:

    Antônio disse: Os estudos da SPR não tem nada a ver com ciência. Basta ver o elenco dos pesquisadores.
    .
    COMENTÁRIO:
    .
    Vejamos:
    .
    William James – Médico, Psicólogo, Reitor de Harvard
    Sir. Oliver Lodge – Físico
    Alfred Russell Wallace, – Naturalista, Biólogo
    Charles Richet – Médico – Ganhandor do Nobel
    William Crookes – Químico
    .
    Ufa…Realmente não tinha nenhum cientista lá, rs

  859. Gorducho Diz:

    Il fut évident pour nous qu’il avait lu Fourier, et qu’il avait emprunté à la théorie des quatre mouvements la base do son système, à savoir la réincarnation des âmes dans des existences successives et la théorie de leur enveloppe fluidique que Fourier appelle corps aromal, et Kardec, périsprit. L’attribution à l’autre monde de ces idées écloses et développées, presque dans la même forme, depuis vingt ans dans le nôtre, nous parut,
    comme on dit aujourd’hui, un peu raide. II nous sembla que saint Louis et les autres désincarnés qui apportaient cette révélation à la terre, ne pouvaient ignorer qu’un homme de génie, au moins égal au roi qui fut lo fils do la reine Blanche, était venu la formuler avant eux. Allan Kardec nous parut un rusé qui démarquait tout simplement un système à
    sa convenance
    .

  860. Gorducho Diz:

    É o problema quando cientista ou qualquer profissional mistura religião c/profissão.
    Religião pertence a outro universo: o metafísico.
    Sei que apesar das provocações (e sei também que em psiquiatria é uma ferramenta provocar o paciente p/testar suas reações, Dr.) entende isso.

  861. Antonio G. - POA Diz:

    Sim, havia gente “encanudada” na SPR. Só que estavam bem misturados com parapsicológos, psicoterapeutas, estudiosos da paranormalidade, médiuns, etc. Não está proibido a detentores de diplomas acreditar e pesquisar bobagens. E os pesquisadores da SPR nada conseguiram demonstrar de conclusivo sobre seus exaustivos estudos. Uma decepção…

  862. Bárbara Diz:

    Gorducho, você poderia traduzir, ou resumir o que postou em francês? Não sei nada do idioma e fiquei curiosa…

  863. Vitor Diz:

    “E os pesquisadores da SPR nada conseguiram demonstrar de conclusivo sobre seus exaustivos estudos. ”
    .
    Eles demonstraram de forma conclusiva que Piper tinha poderes paranormais. Isso foi até aceito na Enciclopédia Britânica de 1911.

  864. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Larissa Diz:
    http://blogs.correiobraziliense.com.br/cbpoder/2015/08/13/o-mundo-vai-acabar-a-camara-legislativa-discute
    .
    ESTAREI LÁ!
    /.
    PONDERAÇÃO: lá onde? Na discussão ou no fim do mundo?
    /
    /
    Larissa Diz: ALGUÉM QUER ME ACOMPANHAR?
    /.
    PONDERAÇÃO: à discussão ou ao fim do mundo?
    .
    Desconfio estejam os parlamentares preocupado em melhor gastar o que (honestamente) amealharam antes que desabe tudo, provavelmente seja esse o mote da discussão…

  865. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Antonio G. – POA Diz: Qual é, afinal, a diferença entre Deus, Jesus Cristo, Espíritos, Papai Noel, Coelho da Páscoa?
    /.
    RESPOSTA: Deus pode mais que os demais…

  866. Contra o chiquismo Diz:

    Roger Abdelmassih , Josef Mengele, Robert Oppenheimer entre outros. Todos homens da Ciência. E daí?

  867. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Antonio G. – POA Diz: Vladimir, quem diz que mortos não falam, não são anônimos de internet. É a ciência! E o bom senso, o discernimento.
    /.
    PONDERAÇÃO: e, principalmente, os próprios mortos com a inexplicável recusa de se mostrarem presentes…

  868. Contra o chiquismo Diz:

    E a SPR produz nada hoje. Nada verificável em 2015. Tudo de 100 anos atrás.

  869. Demóstenes Diz:

    Só esclarecendo?
    { Borges Diz:
    Montalvão diz:-“ Parece que quer, com essa aventura piegas, superar o fato de que os mortos não conseguem dar mostras de estarem presentes. Se quer usar casos de possessão para provar mortos em ação, comece por explicar como é que um espírito sem corpo se acopla num corpo com espírito, sem que provocar uma hecatombe universal. Comece daí.”}
    .
    Se acopla através dos fluídos emitidos pelo espírito, ou áurea.
    .
    Tentando explicar: o espírito é pensamento, como não possuí um cérebro, esse pensamento se irradia. Uma analogia de uma nebulosa espacial. O centro desse pensamento seria a “Alma” do ser. O médium percebe, sente esses fluídos.
    .
    Ex: Já vi a sala mediúnica, em que participo, se encher de água e esvaziar. Um dos médiuns começa a tossir como se estivesse afogando. O espírito ainda se achava dentro d’água.
    /
    /
    Antonio G,
    Minha vó desencarnada já conversou comigo, quando me encontrava em estado de Letargia. Não escutei no ouvido, ouvi a voz dentro da minha cabeça.
    /
    /
    Marciano,
    Obrigado, por separar as idéias de Divaldo do Espiritismo.
    /
    /
    O Contra,
    Seja educado e leia a resposta a sua “questan”, la em cima.
    .

  870. Demóstenes Diz:

    Gorducho,
    O universo “metafísico” existe?

  871. Antonio G. - POA Diz:

    Vitor disse: “Eles demonstraram de forma conclusiva que Piper tinha poderes paranormais. Isso foi até aceito na Enciclopédia Britânica de 1911.”
    .
    Comentando: Friso o ano: 1911.

  872. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vladimir Diz:
    Antônio disse: Os estudos da SPR não tem nada a ver com ciência. Basta ver o elenco dos pesquisadores.
    .
    COMENTÁRIO: vejamos:
    .
    William James – Médico, Psicólogo, Reitor de Harvard
    Sir. Oliver Lodge – Físico
    Alfred Russell Wallace, – Naturalista, Biólogo
    Charles Richet – Médico – Ganhandor do Nobel
    William Crookes – Químico
    .
    Ufa…Realmente não tinha nenhum cientista lá, rs
    /.
    PONDERAÇÃO: muitos cientistas, nem expert em pesquisas do sobrenatural (caso existisse). Parecido com pôr um psiquiatra a dar aula de física (qualquer coincidência com a realidade é mera semelhança).
    .
    O que de melhor os da SPR poderiam ter feito seria explorar as explicações psicológicas para os alegados fenômenos mediúnicos, nem isso, em maioria fizeram. Os descontes saíram, os místicos ficaram se esforçando para provar a ação de mortos entre os vivos.
    .
    Nenhum experimento objetivo-elucidativo, que desse mostras de espíritos presentes, implementado…
    .
    Palmas para a SPR…

  873. Demóstenes Diz:

    Contra,
    ” Roger Abdelmassih , Josef Mengele, Robert Oppenheimer entre outros. Todos homens da Ciência. E daí?”
    .
    Todos foram competentes em suas áreas. Podiam ser ninfomaníacos, assassinos, cruéis, etc. Eram cientistas e usavam o método cientifico.
    .
    Esqueceu de “Hans Kammler”, se tudo se firmar como verdade, o maior de todos.
    .

  874. Antonio G. - POA Diz:

    Ninguém mais dá muita relevância às conclusões científicas de 104 anos atrás, meu caro Vitor. Só para ilustrar: em 1911, a Dercy Gonçalves tinhas apenas 4 aninhos de idade. E ainda faltavam 20 anos para o Zagallo nascer! Foi na pré-história!
    rsrsrsrs

  875. Gorducho Diz:

    Foi evidente para nós [o Nus e a turma dele] que ele tinha lido Fourier, e que tomara da teoria dos quatro movimentos a base de seu sistema, a saber a reencarnação de almas em existências sucessivas e a teoria de seu invólucro fluídico que Fourier chama corpo aromal, e Kardec, periespírito. A atribuição ao outro mundo dessas ideias surgidas e desenvolvidas, quase da mesma forma, há vinte anos no nosso, nos pareceu, como se diz hoje em dia, uma forçada de barra. Nos pareceu que S. Luís e os outros desencarnados que trouxeram essa revelação à terra, não poderiam ignorar que um homem de genio, ao menos igual ao rei que foi o filho da rainha Branca, a tinha formulado antes deles. Allan Kardec nos pareceu um malandro que simplesmente demarcara um sistema à sua conveniência.

  876. Antonio G. - POA Diz:

    Demóstenes, consta-me que ninfomania é um distúrbio comportamental de caráter sexual exclusivo das mulheres. O equivalente masculino seria a satiríase.

  877. Demóstenes Diz:

    Obrigado, Antonio. Vivendo e aprendendo.

  878. Gorducho Diz:

    O universo “metafísico” existe?
     
    A querela dos universais continua o que sempre foi: uma querela.

  879. Antonio G. - POA Diz:

    Ok. rsrsrs

  880. Phelippe Diz:

    Caramba! O pessoal está trocando farpas aqui. Crentes e não crentes. Puxa! E o assunto da SPR ainda está rendendo! Algo que ocorreu há mais de 100 anos, observado por cientistas que hoje não passariam no Enem, e que não pode ser comprovado. Tem que ter muita fé para acreditar nas pesquisas da SPR. Não condeno pq no passado eu acreditei.
    Saudações ectoplasmáticas.

  881. Contra o chiquismo Diz:

    Demóstenes Diz:
    AGOSTO 13TH, 2015 ÀS 2:10 PM
    Contra,
    ” Roger Abdelmassih , Josef Mengele, Robert Oppenheimer entre outros. Todos homens da Ciência. E daí?”
    .
    Todos foram competentes em suas áreas. Podiam ser ninfomaníacos, assassinos, cruéis, etc. Eram cientistas e usavam o método cientifico.
    .
    ..
    .
    Coisa que os ‘espiritas’ não usam para provar que ‘espiritos’ existem. E bato na tecla a FEB diz que o ‘espiritismo’ é ‘ciência’.

  882. Contra o chiquismo Diz:

    Phelippe, SPR é coisa do troll pacóvio que temos aqui.
    .
    .
    Já já ele se diz, ateu, pede a ficha criminal de kardec, esquece os questionamentos feitos a ele, e volta com a SPR. Trollagem pura. E fica nesse ciclo maldito.

  883. Antonio G. - POA Diz:

    Gosto desta frase do Jules Renard: “Não sei se Deus existe. Mas seria melhor para sua reputação que não existisse”.

  884. Antonio G. - POA Diz:

    Só que eu sei que não existe.

  885. Contra o chiquismo Diz:

    Triste mesmo é cara de pau do demostenes ficar citando kardec pra gente aqui. Tudo o que não precisamos.

  886. Contra o chiquismo Diz:

    Demóstenes Diz:
    AGOSTO 13TH, 2015 ÀS 2:10 PM
    Contra,
    ” Roger Abdelmassih , Josef Mengele, Robert Oppenheimer entre outros. Todos homens da Ciência. E daí?”
    .
    Todos foram competentes em suas áreas.
    .
    ..
    pena que kardec viveu antes deles e vc tb. Tirando o dr Roger (bem q vc poderia ser mulher e fazer uma consulta com ele..), vc poderia ter nascido judeu na Alemanha nazista ou japones em Iroshima pouco antes de 1945..

  887. Vladimir Diz:

    Montalvão disse: Nenhum experimento objetivo-elucidativo, que desse mostras de espíritos presentes, implementado…
    .
    .
    COMENTÁRIO: Mas como??? O próprio Sr. Administrador demonstrou isso (e nesse tópico) esqueceu?
    .
    .
    VOLTA AO PASSADO:
    .
    .
    Vitor Diz:
    agosto 12th, 2015 às 6:22 PM

    “Experiência não falhada seria, por exemplo, semelhante a que propomos aos imaginados espíritos: ler duas ou três frases de livro postado em local sem acesso, em experimento devidamente controlado (e devidamente documentado).”
    .
    Segundo o próprio Montalvão, os espíritos estão já provados então:
    .
    Em outra ocasião — 17 de julho de 1918 — uma tentativa foi feita para fazer com que A. V. B. descrevesse um livro deliberadamente selecionado por U. V. T. O experimento foi quase o contrário do último. Feda foi dita em 11 de julho que o livro seria extraído de um dos vizinhos de um selecionado por A. V. B. para um teste de livros anterior, e que seria colocado em uma estante específica. O livro escolhido foi um francês chamado Amitié Amoureuse, e consistia de uma série de cartas trocadas entre um homem e uma mulher. Tinha sido um dos livros favoritos de A. V. B., mas foi lido por M. R. H. U. V. T. o lera bem recentemente. Feda fracassou em lhe dar a posição na estante, mas em última análise forneceu uma aproximação inequívoca do título. A princípio ela não chegou mais perto além de “soa um pouco como Asia — Asieu”. Depois, entretanto, ela soletrou como A.M.U.R.E.U.S.E. e então — usando a pronúncia continental disse “Amici, Amois — não aquele Amit —… Amici, Amisé, Amicié.”
    .
    Temos, então, a leitura do título de um livro postado em local sem acesso, em experimento devidamente controlado (e devidamente documentado).Parece que a única coisa falhada aqui é a leitura do Montalvão…
    .
    Se o Montalvão continuar dizendo que só temos experiências falhadas, só estará dando mostras de uma desonestidade que poucas vezes vi de forma tão patente.
    .
    .
    FIM DA VOLTA AO PASSADO

  888. Vladimir Diz:

    Parafraseando o Sr. Administrador:
    .
    Se o Montalvão, o Antônio, o Frade Gorducho, e o Contra continuarem dizendo que só temos experiências falhadas, só estará dando mostras de uma desonestidade que poucas vezes vi de forma tão patente.
    .

  889. Vladimir Diz:

    Correção: “só estarão…”

  890. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Borges Diz:
    Montalvão diz:-“ Parece que quer, com essa aventura piegas, superar o fato de que os mortos não conseguem dar mostras de estarem presentes. Se quer usar casos de possessão para provar mortos em ação, comece por explicar como é que um espírito sem corpo se acopla num corpo com espírito, sem que provocar uma hecatombe universal. Comece daí.”
    .
    Comentário:- NÃO CONHEÇO O SEU PERFIL, porém se realmente for cético, eu indago:
    /.
    PONDERAÇÃO: não conhece meu perfil porque não quer, eis que várias vezes citado, inclusive na presente discussão.
    /
    /
    BORGES: indago: Como pode relacionar um caso em que dois espíritos ocupam temporariamente um mesmo corpo, com uma hecatombe universal, SE NEM ACREDITA NA EXISTÊNCIA DE ESPÍRITOS. Não vejo nenhuma relação entre um fato e outro. Para ser sincero, estranhei sua conjectura.
    /.
    PONDERAÇÃO: não conhece o conceito de “concessão para reflexão”? Desnecessário crer na coisa para sobre ela meditar. A hecatombe foi apenas um figurativo, que supõe (metaforicamente) que se a ordem do universo for quebrada gerará uma tragédia colossal, talvez você nem sobrevivesse a ela…
    .
    A ideia de que entes desencarnados tenham a faculdade de apossar de corpos de viventes vige na mente crédula, em algumas civilizações, por milênios. Por isso, foi fácil para o espiritismo incorporar a ideia, embora (e tenha isso em mente) Kardec resistiu muito até conceder que mortos pudessem dominar organismos ativos. E só cedeu quando tomou conhecimento, e não teve como explicar, a histeria contagiante de religiosas (em maioria) que se diziam dominadas por entes malignos, fato relativamente comum naquela época.
    .
    Acontece que, mesmo existindo algo espiritual acoplado ao corpo, conforme acham que sabem boa parte das religiões, a estrutura do ente vivo seria um todo inacessível ao invadimento por parasitas espirituais: “a casa está ocupada e não aceita outros inquilinos”. Observe que em todas a culturas em que se concebia essa superstição não brotou qualquer tentativa de explicar tecnicamente como tal feito seria possível da parte dos espirituais. A ideia era a de que “eles podem” e ponto final.
    .
    Hoje podemos ter por certo que os distúrbios psicológicos, difíceis de entender no passado, encontram fácil elucidação na teoria de entes malignos possessivos.
    .
    Nem a constatação inequívoca de que entes do mal só dominam quem acredita em tal dominação, demonstrando que o evento é eminentemente psíquico, desanima os apregoadores da fantasia.
    .
    Poucos séculos nos separam do tempo em que a própria medicina interpretava os transtornos mentais como ação de entes invisíveis.
    .
    A Bíblia, de certo modo, deixou um alerta quanto a essa ilusão, quando diz: “resisti ao diabo e ele fugirá de vós”.
    .
    Então, considerando a possessão para efeito de reflexão, para que um parasita espiritual tivesse acesso ao corpo de encarnado teria de haver um acordo, ou uma luta, em que a parte fraca fosse vencida (e o legítimo morador, inexplicavelmente, fosse destronado do comando do corpo que lhe legalmente lhe pertence). Sendo assim, haveria, depois do despossuimento, recordação dos passos que redundaram no dominamento espiritual. Ocorre que os possuídos, estrategicamente, “esquecem” de lembrar o que foi que houve. Isso os livra de ter que elaborar explicações complicadas (e quando “lembram” toma-lhe explicação doidivanas). É mais simples alegar que o espírito desencarnado resolveu se apossar do corpo do desinfeliz e, como se sabe, quem está fora do corpo sempre tem mais força que em está dentro, estão tá tudo “esclarecido”.
    .
    O complicado mesmo é entender com tem, ainda hoje, quem ache algum valor em tal ilusão…
    /
    /

    BORGES: “Bastaria interrogar a menina com leve rigor e a encenação desmoronaria como um castelo de manteiga sob o sol carioca.”
    Pura ilação de sua parte, é o que você gostaria que acontecesse, Não dá nenhuma chance ao contraditório, utilizando palavras como, ”poderia desmoronar”. Parece-me um posicionamento radical.
    .
    PONDERAÇÃO: mas qual é a alternativa? Assumir que as coisas aconteceram conforme a garotinha fantasiou e seus crédulos próximos aceitaram? Onde existe aferição técnica num contexto desses?
    .
    EM TEMPO: o que entende por ilação (ou inferência)?

  891. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vladimir Diz:
    Antonio disse: E quem diz que já viu prova de que mortos (espíritos) falam, mente. Ou é ingênuo.
    .
    VLAD: E quem diz que não viu prova de que mortos (espíritos) falam, mente. Ou é ingênuo
    /.
    PONDERAÇÃO: e como “ver” prova de espíritos conversando com vivos se a prova mais simples e concreta, que é a constatação inequívoca de que há inteligências invisíveis no ambiente, essas “inteligências” recusam conceder?

  892. Contra o chiquismo Diz:

    Se renda Borges. ‘Espiritos’ não existem Simples assim Que fantasia é essa que custa a sair da sua cabeça homi???

  893. Antonio G. - POA Diz:

    Vlad disse:
    “Se o Montalvão, o Antônio, o Frade Gorducho, e o Contra continuarem dizendo que só temos experiências falhadas, só estará dando mostras de uma desonestidade que poucas vezes vi de forma tão patente.”
    .
    Então, Vlad reitera que existem experiências positivas. Neste caso, infere-se que:
    a( ) – Sou cego ou burro demais para identificá-las;
    b( ) – somente privilegiados têm permissão para percebê-las, e eu não faço parte do seleto rol;
    c( ) – sou desonesto, e mesmo sabendo que existem evidências, por algum motivo inconfessável, recuso-me a admití-las;
    d( ) – não existem tais evidências.
    .
    Vlad crava na alternativa “c”. Eu fico na dúvida entre a “a”, “b” ou “d”, mas “chutaria na “d”.

  894. Vladimir Diz:

    Montalvão disse: e como “ver” prova de espíritos conversando com vivos se a prova mais simples e concreta, que é a constatação inequívoca de que há inteligências invisíveis no ambiente, essas “inteligências” recusam conceder?
    .
    COMENTÁRIO: Oxii??
    /
    /
    VOLTA AO PASSADO:
    .
    .
    Vitor Diz:
    agosto 12th, 2015 às 6:22 PM

    “Experiência não falhada seria, por exemplo, semelhante a que propomos aos imaginados espíritos: ler duas ou três frases de livro postado em local sem acesso, em experimento devidamente controlado (e devidamente documentado).”
    .
    Segundo o próprio Montalvão, os espíritos estão já provados então:
    .
    Em outra ocasião — 17 de julho de 1918 — uma tentativa foi feita para fazer com que A. V. B. descrevesse um livro deliberadamente selecionado por U. V. T. O experimento foi quase o contrário do último. Feda foi dita em 11 de julho que o livro seria extraído de um dos vizinhos de um selecionado por A. V. B. para um teste de livros anterior, e que seria colocado em uma estante específica. O livro escolhido foi um francês chamado Amitié Amoureuse, e consistia de uma série de cartas trocadas entre um homem e uma mulher. Tinha sido um dos livros favoritos de A. V. B., mas foi lido por M. R. H. U. V. T. o lera bem recentemente. Feda fracassou em lhe dar a posição na estante, mas em última análise forneceu uma aproximação inequívoca do título. A princípio ela não chegou mais perto além de “soa um pouco como Asia — Asieu”. Depois, entretanto, ela soletrou como A.M.U.R.E.U.S.E. e então — usando a pronúncia continental disse “Amici, Amois — não aquele Amit —… Amici, Amisé, Amicié.”
    .
    Temos, então, a leitura do título de um livro postado em local sem acesso, em experimento devidamente controlado (e devidamente documentado).Parece que a única coisa falhada aqui é a leitura do Montalvão…
    .
    Se o Montalvão continuar dizendo que só temos experiências falhadas, só estará dando mostras de uma desonestidade que poucas vezes vi de forma tão patente.
    .
    .
    FIM DA VOLTA AO PASSADO
    /
    /

  895. Vladimir Diz:

    Antônio disse: Vlad crava na alternativa “c”. Eu fico na dúvida entre a “a”, “b” ou “d”, mas “chutaria na “d”.
    .
    COMENTÁRIO: As experiências foram “FRAUDES”???
    .
    “Actori incumbit onus probandi”

  896. Antonio G. - POA Diz:

    Porque descartei a opção da desonestidade: Eu pensei sobre o que me levaria a, mesmo sabendo da existência de evidências, simplesmente negá-las? Se eu desconfiasse que existem espíritos, e que eles se comunicam e reencarnam, que existe o chamado mundo espiritual, porque estaria dando esse “tiro no pé”, consciente de que depois teria que “pagar essa conta”? Não, não faz sentido. Então, não seria caso de desonestidade. Alternativa “c” descartada. Aí, a escolha foi “no chute” mesmo.

  897. Antonio G. - POA Diz:

    Vlad pergunta se as experiências são fraudes. Respondo: Algumas vezes, sim. Fraude ou forçação de barra. Aí é desonesto. A vaidade quase sempre é o motivo. Outras vezes são apenas equívocos, viagens na maionese.

  898. Antonio G. - POA Diz:

    Marciano: Por > que descartei… rssss

  899. Vladimir Diz:

    Antônio disse: Vlad pergunta se as experiências são fraudes. Respondo: Algumas vezes, sim. Fraude ou forçação de barra. Aí é desonesto. A vaidade quase sempre é o motivo. Outras vezes são apenas equívocos, viagens na maionese.
    .
    COMENTÁRIO: Então que se mostrem as EVIDÊNCIAS DE FRAUDE.
    .
    Por que deveria acreditar no Sr. (anônimo da internet) ao invés dos renomados pesquisadores da SPR e em suas pesquisas científicas.
    .
    “Actori incumbit onus probandi”

  900. Vladimir Diz:

    Até que os “créticos” apresentem as EVIDÊNCIAS DE FRAUDE, fico com as Pesquisas Científicas da SPR

  901. Gorducho Diz:

    Em julho de 1918 um livro vizinho de um selecionado por AVB foi escolhido por UVT. Tinha sido um dos livros favoritos de AVB mas foi lido por M R H (teria sido o avô do Dr. mrh?) &c.
     
    Esse experimento é mais cômico que aquele espírito perneta de perto do Keflavík!
    Com esse experimento a SPR concluiu que espíritos existem?
    O Dr. está alfinetando o Sr., Sr. Administrador!
    :lol: :lol: :lol: :lol:

  902. Gorducho Diz:

    Nosso experimento não tem tanta complicação. Tem várias alternativas mas está me parecendo a melhor uma praticização da sugestão do AB: 2 salinhas arrendada num centro de negócios; no notebook são sorteados 10 números de 0 a 99 vermelho – preto. O espírito lê e o médium psicografa ou psicofona dependendo de suas habilidades.
    FIM DO EXPERIMENTO
    Sem enigmas, sem latim ciceroniano, sem francês invertido, sem hebraico chiquista.
    O espírito pode usar peri-óculos se precisar, como aquele que se materializou aí no Rio.

  903. Antonio G. - POA Diz:

    Vladimir, se você reler o que eu respondi a sua pergunta sobre se as experiências são fraudes, verá que falei ALGUMAS VEZES, sim. São fraude ou FORÇAÇÃO de BARRA (vaidade). Ou são apenas EQUÍVOCOS, devaneios.
    Não sou estudioso das pesquisas da SPR. Mas dado o caráter solene dos sequazes, imagino que os honoráveis “cientistas” (eu prefiro dizer estudiosos) mantivessem uma cautela mínima para não exporem-se a vexames. Não vou igualá-los a meros picaretas mentirosos como alguns que eu bem conheço, sedizentes médiuns. Só que, se posso admitir que a SPR não era (é) uma organização formada basicamente por fraudadores, também posso manter minha afirmação de que eles nada produziram de conclusivo. Assim, admitindo-se, para afeito de argumento, que jamais fraudaram, conclui-se que muito “viajaram na maionese”.

  904. Braulio Diz:

    Nussa fiquei um dia fora e a discussão triplicou, se bem que mudou o rumo da prosa…
    .
    Bão, se esse experimento que o Mano Vitor postou, estiver bem documentado acho que é um caso interessante…
    .
    Onde está a documentação do dito experimento???
    .

  905. Vladimir Diz:

    Antonio disse: também posso manter minha afirmação de que eles nada produziram de conclusivo.
    .
    COMENTÁRIO: Por que o experimento acima não é “conclusivo”?
    .
    Antonio disse: Assim, admitindo-se, para afeito de argumento, que jamais fraudaram, conclui-se que muito “viajaram na maionese”.
    .
    COMENTÁRIO: Poderia explanar melhor?

  906. Gorducho Diz:

    Voltando um pouco atrás, quanto à palhaçada que se realizará no recinto da Casa de Representantes do DF…
    É isso aí mesmo: se a Transição Planetária está nos desígnios de D-us, vão analisar e discutir o que?
    Pretendem convencer D-us a mudar de ideia?
    O ridículo não tem limites mesmo.

  907. Borges Diz:

    Não sei se era o Marciano ou o Contra que estava distribuindo “bis”, acho que era o Contra; quero saber se está de pé dois “bis” para quem fizer o milésimo comentário.

  908. Larissa Diz:

    Pois é Gorducho. Pretendo estar lá e depois contar. Se cercar vira circo.

  909. Larissa Diz:

    ESTAREI LÁ!
    Montalvão: PONDERAÇÃO: lá onde? Na discussão ou no fim do mundo?
    R – Esse evento é o fim do mundo.
    /
    Larissa Diz: ALGUÉM QUER ME ACOMPANHAR?
    /.
    Montalvão: PONDERAÇÃO: à discussão ou ao fim do mundo?
    R – Ao fim do mundo, neste caso.
    .
    Desconfio estejam os parlamentares preocupado em melhor gastar o que (honestamente) amealharam antes que desabe tudo, provavelmente seja esse o mote da discussão…
    R – Estou curiosíssima. Só espero que não me expulsem do recinto se eu tiver uma crise de risos.

  910. Demóstenes Diz:

    O Contra,
    Não defendo o Nazismo, apenas evidencio que o nazismo prova que o “Ser Humano” pode fazer atrocidades e defender falsas verdades, usando o “Método científico”.
    .
    No livro “O Holocausto” , uma critica no final do livro, um Rabino judeu descreve que foi Deus quem acabou com a Guerra, antecipando o inverno e que os Judeus que passaram pela aquela guerra, estavam ressarcindo dívidas passadas.
    .
    No espiritismo, a quem diga que Hitler foi encarnação de Rei Davi , entre os judeus, os soldados que mataram diversos povos em nome do Rei Davi. Evidente que como o número é maior, pode se incluir outros indivíduos que tinham algum carma foram incluídos entre os Judeus.
    ;
    /
    Já te dei a resposta,
    O ex-espírita pergunta. Demo: se vc é pobre, ou vc é burro ou vc não é inteligente como afirma kardec.
    /
    “Por que todos os homens não são igualmente ricos? Por uma razão muito simples: é que não são igualmente inteligentes, ativos e laboriosos para adquirir, nem sóbrios e previdentes para conservar. ”
    /
    A pergunta é no plural e a resposta também, pode se interpretar, em vários aspectos, inclusive a riqueza coletiva ou o Bem-Estar de todos. Conforme a 812, do LE.
    .
    812. Se a igualdade das riquezas não é possível, acontece o mesmo com o bem-estar?
    — Não; mas o bem-estar é relativo e cada um poderia gozá-lo, se todos se entendessem bem… Porque o verdadeiro bem-estar consiste no emprego do tempo de acordo com a vontade, e não em trabalhos pelos quais não se tem nenhum gosto. Como cada um tem aptidões diferentes, nenhum trabalho útil ficaria por fazer. O equilíbrio existe em tudo e é o homem quem o perturba.
    /
    /
    Outra interpretação: a pobreza existe, porque os homens que possuem “muito melhor situação”, são burros de achar que “ela” (pobreza) não os atinja diretamente. Que a desigualdade, gera a revolta, a violência, etc. Não se esforçam e trabalham para o bem estar de todos. Sempre que alcança um patamar acima que seus irmãos, se perde em futilidades, ostentação e luxúrias acabando por se tornarem miseráveis.
    /

  911. Contra o chiquismo Diz:

    Borges, o desafio é pra quem ler a primeira frase do primeiro parágrafo de um livro que tenho aqui numa determinada página via ‘mediunidade’.
    .
    ..
    Vou aumentar o desafio, vou pagar uma caixa de Choquito inteirinha e lacrada pra quem o fizer.

  912. Contra o chiquismo Diz:

    Demo, eu não defendo o nazismo. Defendo que vc poderia ser um judeu reencarnado lá em Munique 1939 com seus 21 anos e ter passado nas mãos do Menguele, ter contribuído pra Ciência e hoje estar na erraticidade tacando pedras no Hitler em Plutão onde ele está preso. Que suas pedras desviem do Ghandi. Não confunda as coisas. Ah, se quer algo mais ameno, vc poderia ter 21 anos na ditadura e ter estado na guerrilha do Araguaia e ser hoje um desaparecido político. Não defendo nem a ditadura e nem o nazismo, apenas defendo que vc poderia ser oposição a eles na época.

  913. Demóstenes Diz:

    O Contra,
    .
    Japão dizimou, matou Koreanos e Chineses.
    Vai ler pro se aprender noção de Justiça Divina.
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Crimes_de_guerra_do_Jap%C3%A3o_Imperial

  914. Contra o chiquismo Diz:

    Demóstenes Diz:
    AGOSTO 13TH, 2015 ÀS 6:28 PM
    ..
    .

    No espiritismo, a quem diga que Hitler foi encarnação de Rei Davi , entre os judeus, os soldados que mataram diversos povos em nome do Rei Davi. Evidente que como o número é maior, pode se incluir outros indivíduos que tinham algum carma foram incluídos entre os Judeus.
    .
    .
    .
    Muito boa mesmo a justiça segundo kardec. Dente por dente olho por olho.
    .
    .
    Curioso como Davi deixou de gostar tanto assim de mulher… e a Eva Braun até que dava pro gasto.

  915. Contra o chiquismo Diz:

    Demo, defendo então que vc deveria estar no Japão a época e ser oposição aos nipônicos.

  916. Demóstenes Diz:

    O Contra,

    “O plantio é livre, mas a colheita é obrigatório.” (confessa! deu até um aperto no peito de saudade do centro).
    .
    Num vou defender Hitler.

  917. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vladimir Diz:
    Montalvão disse: Nenhum experimento objetivo-elucidativo, que desse mostras de espíritos presentes, implementado…
    .
    .
    COMENTÁRIO: Mas como??? O próprio Sr. Administrador demonstrou isso (e nesse tópico) esqueceu?
    .
    .
    VOLTA AO PASSADO:
    .
    .
    Vitor Diz:
    .
    Segundo o próprio Montalvão, os espíritos estão já provados então:
    .
    “Em outra ocasião — 17 de julho de 1918 — uma tentativa foi feita para fazer com que A. V. B. descrevesse um livro deliberadamente selecionado por U. V. T. O experimento foi quase o contrário do último. Feda foi dita em 11 de julho que o livro seria extraído de um dos vizinhos de um selecionado por A. V. B. para um teste de livros anterior, e que seria colocado em uma estante específica. O livro escolhido foi um francês chamado Amitié Amoureuse, e consistia de uma série de cartas trocadas entre um homem e uma mulher.”
    ./
    PONDERAÇÃO: se acha, qual o Vitor ingenuamente, que tal experimento demonstra a presença de morto… aí é que danou-se geral… tenha em conta que o experimentador maior de Gladys (Drayton Thomas), em seu trabalho, não tinha por meta confirmar se espíritos de fato comunicam, isso ele considerava já resolvido. As verificações que fazia pretendiam aferir até onde os espíritos, dos quais estavam certo que agiam junto a Osborne Leonard, conseguiam ir entre os vivos. Então bolava os testes que vê. Estes, porém, sem a demonstração crucial, a de que os da espiritualidade estavam efetivamente comunicantes, não passavam de verificações bobocas. Para sorte de Osborne, Thomas era suficientemente crédulo para aceitar as malandragens que produzia como se fossem legítima manifestação de mortos.
    .
    Pode anotar em seu querido diário: a SPR não realizou verificações concretas da presença de espíritos, ao menos não conheço um experimento dessa natureza, a não ser uma tentativa casual com Piper, que não foi continuada. Observe que, no caso de Piper, quando a dupla de psicólogos jogou o verde de um espírito inexistente e a desatenta Leonora o trouxe, os da SPR nem piscaram o olho ao fato, sequer murmuraram entre si: “por que não tentamos isso também?”. O presidente da Sociedade na época ao ser inquirido a respeito dessa falha, candidamente “esclareceu”: “ah, muitos têm tentado ludibriar os espíritos, uns conseguem, outros não: os controles são muito sugestionáveis”… Quer dizer, quando abriram uma porta que poderia levar a esclarecer psicologicamente as capacidades de Leonora Piper, os da SPR encolheram os ombros, como se dissessem: “isso não é conosco, outro é nosso labor”…

  918. Borges Diz:

    Montalvão diz:-“ Desnecessário crer na coisa para sobre ela meditar”
    Comentário:- Meditar com a mente fechada, não é meditar é advogar em favor de uma causa; você tem certeza absoluta das suas posições, é o arauto da sabedoria, não posso fazer mais nada.
    Quando coloco minhas ideias, eu espero que alguém as enriqueça, ou então consiga refutá-las de forma coerente, apresentando provas ou ideias que façam sentido e não despejando um amontoado de dogmas céticos que não contribuem em nada para um consenso. Não tenho dificuldade em mudar minha compreensão a respeito de um assunto, desde que devidamente convencido por argumentos que façam sentido.
    A possessão é um assunto que incomoda a igreja católica, mesmo assim, é considera como uma possibilidade real, chegando a ministrar treinamento de exorcismo a alguns de seus membros.
    Será que padres, e altas autoridades da igreja, que passam a maior parte da vida estudando, não conseguem enxergar o que você enxerga com tanta certeza.
    “A Bíblia, de certo modo, deixou um alerta quanto a essa ilusão, quando diz: “resisti ao diabo e ele fugirá de vós”.
    Estou confuso pensei estar trocando ideias com um cético, porém acho que me enganei, fica difícil saber o perfil de todos, já manifestei minha dúvida a seu respeito e você recomendou-me ler seus comentários. Eu também já fui questionado diversas vezes, e no meu caso fica difícil dizer; uma só palavra não define, não sei se sou espírita, quase espírita ou apenas um pesquisador do assunto; acho que o último define melhor.
    Também leio a bíblia, porém faço uma interpretação bem diferente do que fazem os religiosos.
    EM TEMPO: “o que entende por ilação (ou inferência)?”
    Dedução, no caso, dedução sua, desgarrada da realidade, a não ser que prove o contrário.

    Obrigado.

  919. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vladimir Diz:
    Antônio disse: Vlad pergunta se as experiências são fraudes. Respondo: Algumas vezes, sim. Fraude ou forçação de barra. Aí é desonesto. A vaidade quase sempre é o motivo. Outras vezes são apenas equívocos, viagens na maionese.
    .
    VLAD: Então que se mostrem as EVIDÊNCIAS DE FRAUDE.
    .
    Por que deveria acreditar no Sr. (anônimo da internet) ao invés dos renomados pesquisadores da SPR e em suas pesquisas científicas.
    /.
    PONDERAÇÃO: a dúvida saudável, é sempre bem-vinda, mesmo que provinda de crentes que, via de regra, não costumam ter dúvidas.
    .
    Minha sugestão: nem creia nos da SPR (que em maioria devem ter sido bem intencionados), nem no anônimo da Internet (mesmo que suas ponderações sejam verossímeis), junte-se ao coro dos que reivindicam experiências atuais, controladas, objetivas e replicáveis. Aí estará no melhor dos mundos…

  920. Vitor Diz:

    Montalvão,
    comentando:
    01 – “se acha, qual o Vitor ingenuamente, que tal experimento demonstra a presença de morto…”
    .
    Se eu me baseasse na sua linha de pensamento, e considerando o tipo de experimento que vc pediu, então eu acharia sim que tal experimento demonstra a presença de morto. E se vc fosse honesto neste ponto, daria o braço a torcer. Só que eu não considero que isso prove espíritos, pq penso que pode ser psi. Mas fica bem claro que um elemento paranormal esteve envolvido.
    .
    02 – “tenha em conta que o experimentador maior de Gladys (Drayton Thomas), em seu trabalho, não tinha por meta confirmar se espíritos de fato comunicam, isso ele considerava já resolvido.”
    .
    AINDA que fosse verdade, o que ele pensava já resolvido ou deixava de pensar não altera em NADA o valor do experimento, ou o valor dos resultados. Houve controle, houve documentação, houve resultados, e houve replicação por pesquisadores independentes. Dizer que “A experiência citada não verifica presença de espírito algum, já assume que tal é verdadeiro,” só mostra o quanto seu pensamento é confuso, misturando alhos com bugalhos.

  921. Marciano Diz:

    DA SÉRIE “QUEBRANDO PROMESSAS”
    .
    Mais acima, eu disse:
    .
    Marciano Diz:
    AGOSTO 13TH, 2015 ÀS 12:49 PM
    .
    Promessas são feitas para serem quebradas. Veja aqui mesmo, como todo mundo já prometeu tantas coisas e ninguém cumpriu nada.
    .
    .
    ESTA VOLTA REPENTINA É APENAS PARA DIZER O SEGUINTE: O TÓPICO A SER DISCUTIDO NÃO SERIA MEMÓRIA EXTRA-CEREBRAL?
    .

    Memória extracerebral ou síndrome da falsa memória?
    Alejandro Agostinelli, publicado em Dios!
    tradução gentilmente autorizada
    Onde o cérebro guarda a informação sobre um acontecimento fantástico, como o de uma suposta vida anterior? É possível “lembrar” de algo que não ocorreu? A hipnose -ao invés de liberar memórias ancestrais reprimidas- favorece estados de sonho onde fantasia e realidade se tornam indistinguíveis. Não só pode criar lembranças fictícias: a ampla divulgação popular de seus hipotéticos benefícios propícia outras falsas crenças.
    É uma pergunta que poucos formulam mas cujas conseqüências são extremamente instrutivas. EM QUE LUGAR DO CÉREBRO SE ARMAZENA A LEMBRANÇA DE VIDAS PASSADAS? O PSIQUIATRA BRIAN WEISS RESPONDE: “NINGUÉM SABE. PARA ALGUNS, A INFORMAÇÃO SE ENCONTRA EM UM CAMPO ENERGÉTICO AO REDOR DO CORPO”. O problema do “suporte” da memória de um espírito desencarnado -por definição sem matéria- põe em sérios apuros aos que acreditam; ALGUNS, INCLUSIVE, PROCURARAM NOVAS DEFINIÇÕES PARA JOGAR UM VÉU DE CIENTIFICISMO A UM TEMA BASICAMENTE RELIGIOSO; É O CASO DOS AUTORES QUE CHAMAM O HIPOTÉTICO SUPORTE “MEMÓRIA EXTRACEREBRAL”.
    Enquanto os que aderem à crença de vidas anteriores devem encher páginas e páginas com casos supostos -quer dizer, com muitas afirmações que ainda não podem demonstrar- psicólogos, neurofisiólogos e psiquiatras procuram explicações às anomalias da memória apoiando-se em fenômenos que sim são observáveis, como o são o cérebro, o comportamento e as CRENÇAS DAS PESSOAS.
    Assim, a aceitação de memórias que poderiam ser falsas deu lugar a um imenso campo de investigação. E AGORA SIM SE SABE, POR EXEMPLO, POR QUE AS FALSAS MEMÓRIAS SE PARECEM TANTO COM AS REAIS. STEPHEN KOSSLYN, DA UNIVERSIDADE DE HARVARD, DESCOBRIU QUE A ZONA DO CÉREBRO ENCARREGADA DE PERCEBER UMA IMAGEM E DE ARQUIVÁ-LA COMO UMA MEMÓRIA TAMBÉM SE OCUPA DA IMAGINAÇÃO DESSA IMAGEM. AS FRONTEIRAS ENTRE FEITO IMAGINADO E FEITO PERCEBIDO SÃO IMPRECISAS PORQUE, EM AMBOS OS CASOS, ENTRA EM ATIVIDADE A REGIÃO TEMPORÁRIA MÉDIA DO CÉREBRO. Diante da dificuldade de recuperar lembranças confiáveis, os partidários da hipnose regressiva partem para citar o caso de pacientes que revivem sua infância ou dão detalhes específicos de sua vida intra-uterina. Para o psiquiatra Nicholas Spanos, por exemplo, O HIPNOTIZADO EM REALIDADE NÃO SE COMPORTA COMO A CRIANÇA QUE REALMENTE FOI E SIM COMO IMAGINA QUE SE COMPORTARIA UMA CRIANÇA DE CERTA IDADE: SEUS ESTUDOS DEMONSTRARAM QUE OS REGRESSOS TENDEM A SUPERESTIMAR AS CAPACIDADES INTELECTUAIS E AS HABILIDADES DAS CRIANÇAS. A possibilidade de evocar experiências da etapa fetal, por outra parte, é descartada pelo senso comum. “A imaturidade neurológica dos bebês antes de nascer -escreve Spanos- impede de conservar e muito menos interpretar lembranças.”
    HIPNOSE: CONFIANÇA CEGA
    Outro estudo mais recente realizado em agosto de 2001 pelo doutor Joseph Green, um professor da Universidade Estadual de Ohio, concluiu que o mesmo uso da hipnose alimenta a convicção de que um acontecimento imaginário existiu em realidade. Durante uma reunião da Sociedade Americana de Psicologia, o estudioso explicou que A HIPNOSE -AO INVÉS DE RECUPERAR MEMÓRIAS “PERDIDAS”- GERA FALSAS LEMBRANÇAS, E QUE AS PESSOAS CONFIAM MAIS EM SUA MEMÓRIA QUANDO A HIPNOSE É A FERRAMENTA UTILIZADA PARA “RECUPERÁ-LAS”.
    Green entrevistou 96 estudantes universitários sobre o dia, mês e ano de certo evento histórico. Quase a metade dos jovens responderam sob hipnose, enquanto que a outra metade realizou um exercício de relaxação muscular antes das perguntas. Quando o teste acabou, os estudantes calcularam quanta confiança tinham em suas respostas. “Assim se comprovou que todos tinham ao menos uma resposta errada. Demos a eles, então, uma oportunidade para trocar suas respostas, e dizer quão seguros estavam delas em sua versão revisada” (1). O que descobriu a investigação? Que não havia diferenças na precisão dos hipnotizados se comparados seus relatos com os do grupo que fez exercícios de relaxação. Tampouco houve diferenças no nível de confiança, apenas que os hipnotizados trocaram menos respostas quando lhes foi dada a oportunidade de fazê-lo. “Enquanto a hipnose não reforça a confiabilidade das lembranças, sim parece haver certa evidência de que esta aumenta o nível de confiança na memória”, disse Green. Dito em palavras mais singelas: os que foram “hipnotizados” se sentiram mais seguros de que sua memória era “boa” em comparação com aqueles que não o foram. Este achado, segundo Green, tem a ver com os chamados “mitos que rodeiam a hipnose”. Em um estudo prévio, Green descobriu que nove de cada dez pessoas em quatro países pensam que a hipnose pode ajudar as pessoas a recordar memórias perdidas. Este lugar comum em relação aos efeitos benéficos da hipnose sobre a memória faz com que os hipnotizados outorguem um grau de confiança a uma técnica que -ao menos quando usada para tentar recuperar a memória- nunca se demonstrou competente.
    – – –
    Referências:
    (1) Carpenter, Jeff; Hipnosis: nada de ‘sueros de la verdad’. Un estudio asegura que la hipnosis no ayuda a los pacientes a recordar. Em ABCNEWS.com 29/08/01. Tradução: Diego Zuñiga. Em La Nave de los Locos.
    .
    .
    VOLTO AO VOTO DE ABSTINÊNCIA DO CIRCO.

  922. Vitor Diz:

    03 – “As verificações que fazia pretendiam aferir até onde os espíritos, dos quais estavam certo que agiam junto a Osborne Leonard, conseguiam ir entre os vivos.”
    .
    É incrível como o próprio Montalvão não consegue ver que essa própria verificação de até onde os espíritos conseguiam ir entre os vivos provam os próprios espíritos, já que só um espírito seria capaz de tais façanhas. É essa a linha de raciocínio do Montalvão, que disse que se os fenômenos psi são fracos, erráticos e incertos, a leitura de livros em locais inacessíveis provaria a existência deles, pois não se verifica psi em tal grau. Ou seja, o Montalvão tá detonando a própria linha de raciocínio dele!!! IMPRESSIONANTE!!!

  923. Demóstenes Diz:

    MONTALVÃO,
    .
    Perdo-e me “atravessar” no assunto, mas, digamos que façamos o método que sugere, um espírito ler uma página. Acreditaria em nossa palavras, nas palavras de 1 ou 2 cientistas, ou é preciso ver com seus próprios olhos?
    .
    Enfim, se a tese é a dúvida, filosoficamente, deve se findar todas as antíteses, não creio que estaria satisfeito com um experimento apenas.

  924. Marciano Diz:

    BOMBA! BOMBA!
    .
    MARCIANO, O EX-DESCRENTE, ACABA DE SE CONVERTER A UMA CRENÇA!
    .
    ALELUIA!
    HOSANAS!
    .
    .
    Você acredita que já viveu antes?
    .
    “O reviver é um fato, os vivos provêm dos mortos, as almas dos mortos existem.” — PLATÃO, FILÓSOFO GREGO, QUINTO SÉCULO AEC, CITANDO SÓCRATES.
    .
    “Visto que a alma não é encontrada sem o corpo e, contudo, não é o corpo, ela pode estar num corpo ou em outro, e passar de corpo para corpo.” — GIORDANO BRUNO, FILÓSOFO ITALIANO, SÉCULO 16 EC.
    .
    “Nada está morto; os homens se fingem de mortos e . . . lá estão eles, a tudo assistindo pela janela, vivos e em boa saúde, sob nova e estranha forma.” — RALPH WALDO EMERSON, ENSAÍSTA E POETA AMERICANO, SÉCULO 19 EC.
    .
    .
    JÁ SE PERGUNTOU quem você realmente é? Alguma vez achou que já viveu antes? Em caso afirmativo, você não é o único. Desde os tempos antigos, pessoas tanto de culturas orientais como ocidentais já se fizeram essas perguntas. Em busca de respostas, alguns passaram a acreditar na reencarnação, ou seja, a ideia de que, quando alguém morre, uma “alma” invisível abandona o corpo e renasce em outro corpo — humano, animal ou até vegetal — em uma ou mais existências sucessivas.
    Embora alguns fiquem satisfeitos com essa crença, como podemos saber se ela é verdadeira? O que a Palavra de Deus, a Bíblia, tem a dizer sobre isso? Mas primeiro vamos ver de onde veio essa ideia.
    .
    .
    QUAL É A ORIGEM DA CRENÇA NA REENCARNAÇÃO?
    .
    De acordo com historiadores e eruditos, a crença na imortalidade da alma humana já existia entre os habitantes da antiga Babilônia, uma cidade fundada no final do terceiro milênio AEC. A questão da imortalidade “atraía muito a atenção dos teólogos babilônios”, disse Morris Jastrow Jr. em seu livroThe Religion of Babylonia and Assyria (A Religião de Babilônia e Assíria). Para os babilônios, “a morte era a passagem para outro tipo de vida”, explica ele. “Sem dúvida, a impossibilidade de a pessoa se imaginar para sempre inconsciente estava na raiz da teoria primitiva da perpetuidade da existência em alguma forma.”

    .

  925. Marciano Diz:

    A partir daí, ensinos sobre a transmigração e o renascimento da alma começaram a se desenvolver em outras partes do mundo antigo. Filósofos indianos formularam um complexo sistema de crenças em torno de um ciclo de renascimentos, com base numa lei de causa e efeito, ou carma. Filósofos gregos influentes também adotaram a ideia da reencarnação, tornando-a muito popular.

    .
    Atualmente, em países ocidentais, tem surgido um interesse cada vez maior na reencarnação. Celebridades e muitos jovens ficam fascinados com práticas e conceitos religiosos orientais. Inúmeros livros e sites tentam explicar o significado de experiências em supostas vidas anteriores. Em muitos países, é cada vez mais popular a chamada terapia de regressão a vidas passadas. Ela promove o uso da hipnose para explorar essas supostas vidas anteriores a fim de entender o estado de saúde e os padrões de comportamento das pessoas.
    .
    A REENCARNAÇÃO É VERDADE?
    .
    Embora a crença na reencarnação tenha origens antigas, ainda resta saber a resposta à pergunta mais importante: será que é verdade? Além disso, todo cristão desejaria saber se essa crença está em harmonia com a fé cristã, baseada na Bíblia. (João 17:17) Visto que o Criador, Jeová Deus, é a Fonte da vida e “Revelador de segredos”, ele revela coisas sobre a vida e a morte que os humanos nunca descobririam sozinhos. Podemos recorrer com confiança à sua Palavra, a Bíblia, para obter respostas às perguntas sobre esse assunto. — Daniel 2:28; Atos 17:28.
    .
    Embora a crença na reencarnação tenha origens antigas, ainda resta saber a resposta à pergunta mais importante: será que é verdade? Além disso, todo cristão desejaria saber se essa crença está em harmonia com a fé cristã, baseada na Bíblia. (João 17:17) Visto que o Criador, Jeová Deus, é a Fonte da vida e “Revelador de segredos”, ele revela coisas sobre a vida e a morte que os humanos nunca descobririam sozinhos. Podemos recorrer com confiança à sua Palavra, a Bíblia, para obter respostas às perguntas sobre esse assunto. — Daniel 2:28; Atos 17:28.
    .
    PORTANTO, AS SUPOSTAS LEMBRANÇAS DE VIDAS PASSADAS DEVEM TER OUTRA EXPLICAÇÃO. O FUNCIONAMENTO DA MENTE HUMANA, INCLUINDO O SUBCONSCIENTE, E OS EFEITOS DE MEDICAMENTOS OU EXPERIÊNCIAS TRAUMÁTICAS AINDA NÃO SÃO PLENAMENTE ENTENDIDOS. SONHOS E EVENTOS IMAGINADOS, QUE SE BASEIAM NA ENORME QUANTIDADE DE INFORMAÇÕES GUARDADAS EM NOSSO CÉREBRO, PODEM SER TÃO VÍVIDOS QUE PARECEM REAIS. Em alguns casos, forças espirituais perversas criam experiências sobrenaturais para fazer o que não é real parecer real. — 1 Samuel 28:7-19.

    .
    Os humanos têm o desejo natural de querer viver e de saber sobre o futuro. Mas de onde vem esse desejo? É interessante o que a Bíblia diz sobre o Criador: “Pôs no coração do homem o anseio pela eternidade.” (Eclesiastes 3:11, Nova Versão Internacional) Assim, os humanos têm um forte desejo de viver eternamente.
    .
    Se o Criador, Jeová Deus, colocou no coração dos humanos o desejo de viver para sempre, seria lógico que ele também explicasse como esse desejo pode ser satisfeito. A Bíblia revela o grandioso propósito do Criador de abençoar os humanos obedientes com vida eterna numa Terra paradísica. Sob inspiração, o Rei Davi disse: “Os próprios justos possuirão a terra e residirão sobre ela para todo o sempre.” (Salmo 37:29) Uma doutrina bíblica básica que está intimamente relacionada com o propósito eterno de Deus é a ressurreição dos mortos. — Atos 24:15; 1 Coríntios 15:16-19.

  926. Marciano Diz:

    RESSURREIÇÃO — UMA ESPERANÇA SEGURA

    .
    A Bíblia contém oito relatos em que pessoas foram trazidas de volta à vida na Terra, todos eles com testemunhas oculares. * Esses foram casos de ressurreição, não reencarnação. Aqueles que voltaram dentre os mortos foram imediatamente reconhecidos por parentes e amigos. Em nenhum caso as pessoas tentaram descobrir se algum recém-nascido era a reencarnação da alma de seu amigo ou parente falecido. — João 11:43-45.
    .
    É muito consolador saber que a Palavra de Deus indica que a grande maioria dos que morreram voltará na ressurreição dos mortos no novo mundo de Deus aqui na Terra, que em breve substituirá o atual mundo perverso. (2 Pedro 3:13, 14) Neste momento, todos os detalhes do padrão de vida de bilhões de pessoas estão preservados na perfeita e ilimitada memória de Jeová, o Deus que até mesmo se lembra do nome de todas as estrelas! (Salmo 147:4; Revelação [Apocalipse] 20:13) Quando ele ressuscitar sucessivas gerações de pessoas no novo mundo, elas poderão montar sua árvore genealógica e conhecer pessoalmente seus ancestrais. Essa perspectiva com certeza é fascinante, de fato, emocionante!
    .
    UMA ESPERANÇA MUITO SUPERIOR
    .
    Em vez de tentar montar um quebra-cabeça de misteriosas e duvidosas experiências de vidas passadas, por que não tira tempo para ver o que a Bíblia ensina sobre a ressurreição? Ela dá respostas realmente satisfatórias e grande consolo em momentos de tristeza.
    .
    Por exemplo, Theodore sofreu muito quando, depois de 44 anos de casamento, perdeu sua querida esposa, Rosemarie. Ele disse: “Eu tenho certeza de que Rosemarie está no lugar mais seguro possível, a memória de Jeová. Os relatos bíblicos da ressurreição são tão confiáveis e têm tantas testemunhas oculares que aguardo ansiosamente o dia em que Jesus dirá a Rosemarie o mesmo que disse a Lázaro: ‘Venha para fora!’”

    .
    Costas e Maria perderam de maneira trágica sua filha, que tinha menos de 2 anos, por causa de uma doença genética. Maria diz: “A morte de Evi, nossa filhinha, foi muito dolorosa. Desde então, nosso entendimento do sofrimento, da morte e da ressurreição ficou mais profundo. Textos bíblicos como Isaías 33:24; 35:5, 6 eRevelação 21:4, 5 têm muito mais significado para nós hoje. Realmente, Jeová tem sido um pai amoroso por nos dar a esperança segura da ressurreição.”
    .

  927. Marciano Diz:

    As respostas da Bíblia a perguntas sobre a vida e a morte vêm diretamente do Criador. Assim como Theodore, Costas e Maria, você também poderá ter uma esperança segura para o futuro se baseá-la no sólido alicerce da Palavra de Deus. Ela nunca mente! — Tito 1:2.

  928. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Montalvão diz:-“ Desnecessário crer na coisa para sobre ela meditar”
    .
    BORGES: Meditar com a mente fechada, não é meditar é advogar em favor de uma causa; você tem certeza absoluta das suas posições, é o arauto da sabedoria, NÃO POSSO FAZER MAIS NADA.
    /.
    PONDERAÇÃO: pode, sim, fazer muita coisa, por exemplo: enxergar que minhas ideias são acompanhadas de argumentos, os quais estão à disposição para serem avaliados e rebatidos.
    .
    Por exemplo, afirmo que espíritos não comunicam porque estes ditos espíritos se recusam a demonstrar que estão presentes e comunicantes entre os vivos. Então, sopese esse argumento e mostre-lhe as falhas. Ou agregue-se ao grupo dos que pedem demonstrações objetivas.
    .
    Também, digo-lho que um espírito sem corpo possuir um corpo com espírito é suposição insensata se não houver uma explicação satisfatória que proponha como isso se dá: eis outro argumento a ser avaliado e, se possível, retrucado.
    .
    Mas, se prefere “não fazer mais nada” ok.

    /
    /
    BORGES: Quando coloco minhas ideias, eu espero que alguém as enriqueça, ou então consiga refutá-las de forma coerente, apresentando provas ou ideias que façam sentido e não despejando um amontoado de dogmas céticos que não contribuem em nada para um consenso. Não tenho dificuldade em mudar minha compreensão a respeito de um assunto, desde que devidamente convencido por argumentos que façam sentido.
    /.
    PONDERAÇÃO: quem sabe suas ideias não estão sendo enriquecidas e não as vê no momento? Tenho esperança que a semente medre…
    /
    /
    BORGES: A possessão é um assunto que incomoda a igreja católica, mesmo assim, é considera como uma possibilidade real, chegando a ministrar treinamento de exorcismo a alguns de seus membros.
    /.
    PONDERAÇÃO: conforme falei, a ideia é aceita sem se avaliar sua coerência. E isso é herança do tempo em que não se sabia dessa coisa de distúrbio psíquico e era mais simples recorrer à ação de entes demoníacos.

    /
    /
    BORGES: Será que padres, e altas autoridades da igreja, que passam a maior parte da vida estudando, não conseguem enxergar o que você enxerga com tanta certeza.
    /.
    PONDERAÇÃO: pode ser por aí… mas saiba que nem todos padres e altas autoridades comungam a ideia de que demônios se apossam de miseráveis vítimas humanas.
    /
    /

    “A Bíblia, de certo modo, deixou um alerta quanto a essa ilusão, quando diz: “resisti ao diabo e ele fugirá de vós”.
    .
    BORGES: Estou confuso pensei estar trocando ideias com um cético, porém acho que me enganei, fica difícil saber o perfil de todos, já manifestei minha dúvida a seu respeito e você recomendou-me ler seus comentários. Eu também já fui questionado diversas vezes, e no meu caso fica difícil dizer; uma só palavra não define, não sei se sou espírita, quase espírita ou apenas um pesquisador do assunto; acho que o último define melhor.
    Também leio a bíblia, porém faço uma interpretação bem diferente do que fazem os religiosos.
    /.
    PONDERAÇÃO: muito bem, leia a Bíblia, faça suas interpretações e, se quiser, traga-as para que as conheçamos.
    Se pretende me atribuir um rótulo, considere o de “livre pensador”.
    /
    /
    EM TEMPO: “o que entende por ilação (ou inferência)?”
    .
    BORGES: Dedução, no caso, dedução sua, desgarrada da realidade, a não ser que prove o contrário.
    .
    PONDERAÇÃO: está correto na sintética definição, e chegou onde quero: toda dedução é amparada em premissas, portanto avalie meu raciocínio e exponha dele as fragilidades (premissas e conclusão), se as encontrar, assim estaremos em bom caminho para produtiva troca de ideias.

  929. Gorducho Diz:

    A possessão é um assunto que incomoda a igreja católica, mesmo assim, é considera como uma possibilidade real, chegando a ministrar treinamento de exorcismo a alguns de seus membros.
    Será que padres, e altas autoridades da igreja, que passam a maior parte da vida estudando, não conseguem enxergar o que você enxerga com tanta certeza
    .
     
    Certo, mas é uma crença religiosa – para aqueles dentre as altas autoridade que acreditam de fato. Certamente o Sr. não desconhecerá que deve haver vários cardeais no Vaticano suficientemente lúcidos p/perceberem que Jesus Cristo é um mito criado por cidadãos romanos; ou que todos eles achem que a Maria era virgem, não é?
    Quanto aos padres, valem aqueles dísticos vários que circulam comparando o sargento ao general: são níveis de compreensão diferentes da realidade.
    Sempre tenha em mente que igrejas implementam ou tentam implementar o raciocínio do Numa Pompílio: incutir crenças e temores no populacho para tentar discipliná-lo e fazê-lo dançar conforme a música que as lideranças (religiosas no caso) tocam.
    Em geral, falando a nível de clichês caricaturais. É claro que também nem todos padres acreditarão nas histórias que escutam no seminário, concorda?
    Mas o que torna o espiritismo bizarro é que Kardec & alguns (a FEB já abandonou isso no que faz bem…) tentaram-no apresentar como algo passível de verificação científica. É incompatível: crença religiosa é crença religiosa; pertence ao universo metafísico.

  930. Gorducho Diz:

    Perdo-e me “atravessar” no assunto, mas, digamos que façamos o método que sugere, um espírito ler uma página. Acreditaria em nossa palavras, nas palavras de 1 ou 2 cientistas, ou é preciso ver com seus próprios olhos?
     
    Respondo por mim, claro, mas entendo ser a proposta: será formada uma comissão paritária, digamos 5 Crentes e 5 céticos, os quais redigirão o protocolo exato.
    Será filmado proponho eu por empresa de segurança para se ter confiabilidade na salvação e qualidade dos dados, disponibilidade de mesa controladora, cabos &c.
    Quanto e serem “cientistas”, i.e. – terem carteira de cientista conforme diz o Dr., – é irrelevante pois o experimento não tem complexidade nenhuma. E não cabe a uma bancada vetar representantes da outra – se se ficarem obstruindo mutuamente não saem experimentos.
    Ou seja, da nossa parte não cabe opinar sobre quem a FEB, a AME, &c. indiquem.

  931. Demóstenes Diz:

    Marciano,
    Você não falou do “KA” ou “DUPLO” egípcio. O primeiro a descrever uma “recompensa” na morte, digo, escrever um livro, no caso livro dos mortos, foi um sacerdote egípcio.
    Existe um papiro que evidencia isto, alias como advogado você conhece a história da “PENA” de Osíris, como a base da justiça proporcional.
    .
    Conjecturando: “DUPLO” por quê? o duplo era a cópia do corpo egípcio. Como todas as histórias o Egito também tinha histórias de fantasma, com certeza, de pessoas conhecidas.
    .

  932. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Marciano Diz:
    DA SÉRIE “QUEBRANDO PROMESSAS”
    .
    ESTA VOLTA REPENTINA É APENAS PARA DIZER O SEGUINTE: O TÓPICO A SER DISCUTIDO NÃO SERIA MEMÓRIA EXTRA-CEREBRAL?
    /.
    PONDERAÇÃO: belo e elucidativo texto, espero que o Borges e o Vlad nele meditem. Falando em hipnose, ela pode, de certo modo, também explicar o porque de alguns acreditarem firmemente que suas psicografias provêm da espiritualidade.
    .
    É que o processo dissociativo deve ter um nível de parentesco com o transe hipnótico, assim o dissociado entra em auto-hipnose e age sob influxo de seu subconsciente, acreditando estar sob domínio de ente alienígena.

  933. Gorducho Diz:

    E não há atravessamento de assuntos, Sr. Demóstenes. Se trata dum Sítio destinado a debate público onde todos os participantes podem e devem participar.
    Aliás tem esse mérito o Sr. Administrador, como já terá percebido: permite e aceita a discordância. Veja que nossa bancada lhe é ferrenha opositora.

  934. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Demóstenes Diz:
    MONTALVÃO,
    .
    Perdo-e me “atravessar” no assunto, mas, digamos que façamos o método que sugere, um espírito ler uma página. Acreditaria em nossa palavras, nas palavras de 1 ou 2 cientistas, ou é preciso ver com seus próprios olhos?
    .
    Enfim, se a tese é a dúvida, filosoficamente, deve se findar todas as antíteses, não creio que estaria satisfeito com um experimento apenas.
    /.
    PONDERAÇÃO: Demos, só em aceitar examinar a sugestão, vindo da parte de um mediunista, é uma grande coisa. Então vamos aparar as arestas:
    .
    Primeiro, quase nenhuma boa experiência é capaz de, isoladamente, equacionar a resposta buscada, tanto pode ser um falso positivo quando uma montagem inadequada. Mas, no experimento simples e objetivo que propomos, se houver retorno confirmativo será promissor sinal de que o caminho está correto.
    .
    Então repete-se o experimento um número considerável até possível firmar convicção.
    .
    Cuida-se em documentar adequadamente os procedimentos para auditoria de interessados.
    .
    Disponibiliza-se o método para quem queira conferir os passos adotados.
    .
    E vou lhe dizer mais, a proposta é tão válida e simples de ser implementada que nós mesmos podemos experimentá-la, sem sair de casa, e com boa margem de segurança! O mais difícil será conseguir médium disposto a topar o desafio, mas tenho esperança de que aparecerá.
    .
    Breve apresentarei descritivo concreto a respeito.

  935. Demóstenes Diz:

    Gorducho,
    .
    Como disse, a tese é a dúvida. Por mais renomado que seja os indivíduos que participariam da experiência, por mais que as câmeras evidenciem, se não ver com os próprios olhos, de nada valeria.
    .
    E ver uma única vez, não é o suficiente, a dúvida nesse xadrez filosófico, se movimentaria anulando a jogada anterior. O acreditar exige uma sequencia de afirmações, começando, talvez, pela psicologia.
    .
    Na pior das hipóteses, a experiência poderia “sugerir” a existência do “PSI”, que seria uma das antíteses.
    .

  936. Demóstenes Diz:

    MONTALVÃO,
    .
    Se chegar algum dia, ser um “nome” dentro do Espiritismo, tendo um grupo “coeso” e com “sintonia”. Farei a experiência, logrando sucesso, convidarei a todos.

  937. Gorducho Diz:

    O ponto não é este da possibilidade de mais de uma interpretação, Sr. Demóstenes. O ponto é que se as alegações dos espíritas forem verdadeiras, nosso experimento tem que funcionar.
    Então independe que que outros, em seu direito como sempre ocorre em ciência possam propor outros modelos explicativos.
    E claro que não há porque repetir uma única vez. Na verdade, se existissem médiuns – nossa convicção é que não existem mas isso não importa, entende? – deveria ser um padrão em qualquer sessão mediúnica até se assegurarem que o sedizente médium o é de fato!
    E não, da minha parte não preciso ver pessoalmente, desde que na comissão haja céticos por nós aprovados, já que a ideia de cá partiu.

  938. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vladimir Diz:
    Parafraseando o Sr. Administrador:
    .
    PONDERAÇÃO: diga-me com quem andas…
    ./
    /
    VLAD: Se o Montalvão, o Antônio, o Frade Gorducho, e o Contra continuarem dizendo que só temos experiências falhadas, só estará dando mostras de uma desonestidade que poucas vezes vi de forma tão patente.
    ./
    PONDERAÇÃO: Fique à vontade para trazer-nos as demonstrações objetivas, documentadas, atuais e replicáveis de que dispõe para que as conheçamos e avaliemos. Mantenho-me no aguardo.

  939. Gorducho Diz:

    Se chegar algum dia, ser um “nome” dentro do Espiritismo, tendo um grupo “coeso” e com “sintonia”. Farei a experiência, logrando sucesso, convidarei a todos.
     
    Tenha certeza que os próprios espíritas lhe bloquearão. Eles próprios, mesmo que não sejam fraudadores e acreditem de em espíritos e possibilidade de comunicações intermundos, sabem que não se garantem…
    Se faça de sonso no seu Centro e faça a proposta sem mencionar que participa dum Sítio onde a realidade lhe é contada, e teste a reação deles…
    Como mora perto, um dia vá nalguma reunião pública de “estudos” e “debates” na FEB; proponha como não que nada e veja qual será a reação dos cartolas…

  940. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Vladimir Diz: Até que os “créticos” apresentem as EVIDÊNCIAS DE FRAUDE, fico com as Pesquisas Científicas da SPR
    /.
    PONDERAÇÃO: Soa-me pouco provável que os da SPR tenham recorrido a fraudes, mas sua declaração estaria melhor assim vertida:
    .
    “fico com as INCONCLUSIVAS Pesquisas Científicas da SPR”
    .
    Mas tudo bem que com elas fique, vamos verificar atualmente se espíritos realmente estão ativos e comunicantes nos eventos mediúnicos? Que tal a ideia?

  941. MONTALVÃO Diz:

    /
    /
    Braulio Diz: Bão, se esse experimento que o Mano Vitor postou, estiver bem documentado acho que é um caso interessante…
    .
    Onde está a documentação do dito experimento???
    /.
    PONDERAÇÃO: Bráulio, a documentação deixo por conta do destinatário do pedido, mas documento discussão havida com o dito (uma das muitas) sobre Gladys Osborne que, talvez, lhe dê subsidio para avaliar o caso.
    [trechos]
    /
    ===================================.

    VITOR: ‘Em outra ocasião — 17 de julho de 1918 — uma tentativa foi feita para fazer com que A. V. B. descrevesse um livro deliberadamente selecionado por U. V. T. [...] Feda fracassou em lhe dar a posição na estante, mas em última análise forneceu uma aproximação inequívoca do título[1], e muitas corretas e parcialmente corretas impressões sobre o conteúdo, embora essas fossem fragmentárias e não muito notáveis.’
    .
    [1] A princípio ela não chegou mais perto além de “soa um pouco como Asia — Asieu”. Depois, entretanto, ela soletrou como A.M.U.R.E.U.S.E. e então — usando a pronúncia continental disse “Amici, Amois — não aquele Amit —… Amici, Amisé, Amicié.”
    ./
    MONTALVÃO: Gladys Osborne Leonard foi considerada uma da melhores e maiores contatadoras do além. É importante destacar que seus principais pesquisadores não lhe objetavam a mediunidade, ao contrário, a assumiam, mas mesmo a assumindo, poderiam supor que eventualmente ela simulasse. Então, deveriam dispor de testagens que sanassem dúvidas.
    .
    Por outro lado, o exame do desempenho de Osborne nos induz a concluir pela simulação. Ela utilizava técnica de leitura fria sofisticada, porém facilmente identificável. Basta o exame dos registros de seus testadores: nestes fica patente que Gladys raramente, mas muito raramente mesmo, dava declarações diretas, suas revelações eram sempre aproximações ou chutes continuados. Por exemplo, era comum que dissesse algo mais ou menos nos termos: “estou sentido um nome… Ma… Fla… Pli…”…, isso lhe dava a oportunidade de, se uma dessas sílabas estivesse no nome (mesmo que no meio ou no final), ter chances de que alguém validasse a “revelação”.
    .
    O experimento citado, da leitura de livro é confuso e pouco objetivo, e os resultados só podem ser considerados aceitáveis com muita boa vontade, conforme se vê nos comentários: “Feda fracassou em lhe dar a posição na estante, mas EM ÚLTIMA ANÁLISE forneceu uma aproximação inequívoca do título”. Ora se era um teste de leitura deveriam aprimorá-lo, até que ela pudesse, não em última, em primeira análise dar informações claramente conferíveis.
    .
    E não é demais perguntar: se no passado houve médiuns que liam livros a distância, porque não se os encontram no presente, com experimentos replicáveis e replicados?

    ———————————————————-
    2
    /
    MONTALVÃO: “Por exemplo, ERA COMUM QUE DISSESSE ALGO MAIS OU MENOS nos termos: “estou sentido um nome… Ma… Fla… Pli…”…, isso lhe dava a oportunidade de, se uma dessas sílabas estivesse no nome (mesmo que no meio ou no final), ter chances de que alguém validasse a “revelação”.”
    .
    VITOR: Desconheço qualquer exemplo que tenha ocorrido validação com a sílaba estando no meio ou no final do nome. E a própria médium geralmente diz a posição da letra ou da sílaba. Por exemplo, no caso de Bobbie New Love, ela diz:
    [e seguem exemplos, dos quais deixo à vista somente dois]
    .
    a) FEDA: “O nome da menina começa com “J”? Eu continuo vendo um “J”. “J. G.” e “P”.
    .
    “Existe um nome de menina começando com “G”; de fato, há dois nomes começando com “G” ligados a ele. Um é um nome próprio, e o outro é um nome criado, um apelido carinhoso.”
    .
    b) FEDA: “Ele mandou saudações carinhosas a alguém cuja inicial é “M”; não é sua mãe. É uma mulher, quer dizer, é um nome feminino.”
    .
    VITOR: Eu não achei um único exemplo de validação ocorrendo no meio ou no fim da palavra. E como vê, A MÉDIUM EM QUASE TODOS OS CASOS informa tratar-se da inicial do nome. Onde vc viu um exemplo do que vc diz?
    .
    MONTALVÃO: não confunda meu pronunciamento. Falei que era comum Osborne citar sílabas (e letras), o que lhe proporcionava possibilidades de que os consulentes as validassem, MESMO QUE ESTIVESSEM NO MEIO OU NO FINAL DO NOME.
    .
    Então, o chute da letra era da médium, a validação provinha dos fregueses. Mas você retruca que desconhece ter alguém estendido uma letra dita pela mulher para outras posições que não o início do nome. Bem, se você leu todas as sessões e constatou que isso não se deu, dou-lhe o ponto. Seja como for, essa abertura estava disponível a algum cliente mais empolgado em dar significado ao que ouvia.
    .
    No entanto, dentre as ilustrações que expôs encontra-se dois bons exemplos desse tipo de forçação de barra. Pena que você só citou parte do diálogo. Vamos conferi-los melhor [comentários meus entre colchetes].
    .
    a) (18) Feda: Havia uma pequena menina por quem este menino era mesmo apaixonado.
    .
    (19) Feda: o nome da menina começa com “J”? Eu continuo vendo um “J”. “J. G.” e “P”.
    .
    [TRÊS APOSTAS, EM VEZ DE UMA, AUMENTAM AS POSSIBILIDADES DE ACERTO.]
    .
    (20) Feda: “EXISTE UM NOME DE MENINA COMEÇANDO COM “G”; DE FATO, há dois nomes começando com “G” ligados a ele. Um é um nome próprio, e o outro é um nome criado, um apelido carinhoso.”
    [observe: A AFIRMAÇÃO ERA DE QUE O NOME COMEÇAVA COM “G”]
    .
    DRAYTON THOMAS: (“Uma pequena menina por quem ele era apaixonado”: Sim, Marjorie, uma criança de doze anos que era semi-profissional na pista de patinação. Haverá várias alusões adicionais a ela, normalmente pela letra “M”.)
    .
    [A MENINA CUJO NOME “COMEÇAVA” COM “G”, EM VERDADE, CHAMAVA-SE “MARJORIE”: AGORA CONFIRA A “EXPLICAÇÃO” VALIDATIVA A SEGUIR:]
    .
    DRAYTON THOMAS: “Feda aqui parece ter assumido (erroneamente) que, porque a letra “J” veio após a referência a uma menina, era a inicial de seu nome; e, da mesma forma, com o nome que começava com “G”. Essas iniciais são bastante pertinentes, no entanto.”
    .
    MONTALVÃO: a menina por quem o menino era apaixonado chamava-se Marjorie, “Feda” garantiu que o nome iniciava com “G”, ora, Marjorie não tem G em parte alguma, mesmo assim os familiares encontraram meios de validar o chute.
    ./
    /
    b) (26) Feda: “Ele mandou saudações carinhosas a alguém cuja inicial é “M”; não é sua mãe. É uma mulher, quer dizer, é um nome feminino.”
    [EVIDENCIA-SE A TÉCNICA DA MÉDIUM: O GAROTO FALECIDO QUER ENVIAR UMA SAUDAÇÃO A ALGUÉM QUERIDO, MAS, EM VEZ DE NOMEAR A PESSOA, SÓ “CONSEGUE” CITAR A LETRA INICIAL...]
    .
    DRAYTON THOMAS: (“Isso é altamente apropriado para a madrinha dele, por quem ele tinha muita afeição e com quem ele tinha estado em Londres. ELA SEMPRE FOI CITADA COMO “A TITIA MARIE”. Por outro lado, poderia significar a pequena Marjorie, supracitada, a quem Bobbie era muito ligado.”)
    .
    MONTALVÃO: os familiares não sabiam a quem atribuir a letra M, então acharam duas opções: ou “a titia Marie” que, a rigor, não começa com M, ou a menina da paixão, embora a declaração não pareça, de forma algum, remeter à garotinha.
    /.
    /
    MONTALVÃO: “O experimento citado, da leitura de livro é confuso e pouco objetivo,”
    .
    VITOR: Não foi exatamente esse o tipo de experimento que você pediu?
    .
    MONTALVÃO: não “pedi” nenhum experimento, muito menos “exatamente esse tipo”: dei sugestões de testes que podem ser aplicados, de modo a demonstrar-se efetivamente a presença de espíritos. Seja como for, de modo algum eu proporia verificação nos moldes constantes em seu exemplo. A ideia básica é simplificar a prova, a fim de que o resultado acarrete o mínimo de dúvidas, e tal não se deu com essa testagem que cita.
    /
    ./
    MONTALVÃO: “e os resultados só podem ser considerados aceitáveis com muita boa vontade, conforme se vê nos comentários: “Feda fracassou em lhe dar a posição na estante, mas EM ÚLTIMA ANÁLISE forneceu uma aproximação inequívoca do título”. Ora se era um teste de leitura deveriam aprimorá-lo, até que ela pudesse, não em última, em primeira análise dar informações claramente conferíveis.”
    .
    VITOR: Última análise porque no fim ela chegou muito próxima do nome exato. O que é muito natural. Várias vezes eu tive que perguntar repetidas vezes o nome dos parentes dos clientes para contratar um seguro de vida por telefone e colocar os parentes como beneficiários porque a ligação estava (e ainda está) muito ruim com chiados e o som baixo (disseram que teriam que trocar a rede telefônica toda. Quando ligo para celular o som é melhor). É muito difícil naqueles telefones ouvir bem da primeira vez o nome das pessoas. Ou isso ou estou ficando surdo
    .
    MONTALVÃO: almejo que a desconfiança da perda auditiva não se confirme… Essas “aproximações” chutativas, muito comuns no discurso de Osborne, consignam a uso da técnica dessa médium: ser sempre evasiva e nebulosa, pois assim tende conseguir resultados, notadamente quando lidava com simpatizantes da hipótese mediúnica.
    /
    /.
    MONTALVÃO: “E não é demais perguntar: se no passado houve médiuns que liam livros a distância, porque não se os encontram no presente, com experimentos replicáveis e replicados?”
    .
    VITOR: Charles Tart fez aquele experimento com a Srta. Z que acertou a sequencia de 5 números, mas depois ele não pôde mais localizá-la para continuar os experimentos e impedir qualquer chance de fraude (mesmo Susan Blackmore considerou que a fraude seria difícil, embora possível). Pessoas capazes de ler livros ou sequencia de números a distância parecem ser muito raras…
    .
    COMENTÁRIO: não creio que Tart seja boa referência para esses assuntos… Por mim, não se faz necessário procurar médiuns que leiam livros a distância, como no caso de Feda, que alegadamente foi até outra residência fuçar a biblioteca alheia, e fez maior confusão. Para que mandar o espírito a lonjuras se se pode testá-lo ali mesmo, na sala de experiências? Acredito que nessa modalidade, de verificar se o espírito lê trecho de um livro colocado no recinto, qualquer médium de fundo de quintal daria conta do recado, mas nada, nem os vagabundos nem as estrelas são capazes de ler um simples parágrafo postado fora das vistas do médium… o que só confirma a suspeita de que espíritos, se existem, não comunicam com vivos.
    ===================================.
    /
    Eis trechinho da discussão, se quiser mais tenho…

  942. Vitor Diz:

    “não “pedi” nenhum experimento, muito menos “exatamente esse tipo”: ”
    .
    Mas foi EXATAMENTE o tipo que pediu acima:
    .
    “ler duas ou três frases de livro postado em local sem acesso, em experimento devidamente controlado (e devidamente documentado).”
    .
    São incríveis os malabarismos do Montalvão…

  943. Vladimir Diz:

    Humm, bem entendido, Srs.
    Então querem experiências atuais?
    .
    Mas tem que ser feitas por vocês ou pode ter sido feita por outros pesquisadores?

  944. Antonio G. - POA Diz:

    Vlad postou:
    Antonio disse: Assim, admitindo-se, para afeito de argumento, que jamais fraudaram, conclui-se que muito “viajaram na maionese”.
    .
    COMENTÁRIO: Poderia explanar melhor?
    .
    Resposta: Sim posso tentar, apesar de suspeitar que você entendeu. O que eu disse, e reitero, é bem claro: quem diz ter comprovação de que espíritos se comunicam, mente. Ou delira.
    .
    E é fácil acabar com minha convicção, me “derrubar”. Basta demonstrar que eu estou errado, apresentando umazinha evidência, clara e inequívoca. Pedir que eu demonstre que não existem espíritos é que não faz sentido.